Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06202


This item is only available as the following downloads:


Full Text
unir
XXIV.
Terfa-feira 19
O flARW publlea-se todos o diasque nto
, .,, a, guarda: o preco da asignatura he
pin n. or quartel, pajos adiantadot. Os
iiuiciot dos assigna.iles So inseridos
""., de 20r. por linha, 40 rt. em typo dlf-
Vnl'i e repetiC/Oes pela inelade. O nao
[tenante* p*Sr3o 80 rs.por linhae 100 ri
e!u i)T dlllcreutc, por cada publicaco.
pllASES DA. LA NO HEZ UE DEZEMBRO.
frlirt%U, a 3, s 5 horas 47 mln. da tarde,
i ytara. a 10, s 0 horas e25 min.da manh.
Hnaoantt,a 17, A* 8 hora* e53miu.dainanh.
Utoi, a 25, a 2 hora e 3 min. da Urde.
U*
PARTIDA DOS CORREIOS.
r.oianna e Parablba, a segs. e lexut-relraa.
RIo-G.-do-Norle.qiilolas-felras ao ineio-dia.
Cabo, Serlnliicn, Kio-Pormoio, Porto-Calvo
e Macelo, no 1., a II e 21 de cada mea.
Garanhuus e Bonito, a 8 e 23.
Boa-Vina e Florea, a 13 e 28.
Victoria, Ai quintat-feira).
Ollnda, todos o das.
PREAMAR DE BOJE.
Prlmelra, i* 11 hora e 42 minuto da manh
Segunda, a 12 horas e 6 minutos da tarde
do Dnzomhr' de !*!.
S. 50.
DAS DA 8RMASA.
1H Segunda. NossaSrnhorad.it>'. Aud.doJ.
dnt orphaoi.do J. el, e do J. M.da 2. r.
I!) Terca. S. Fausta. Aud, do J. do c. da I.
da 2. V. r do J. de |i:w do2. iliit. de I.
i\' Quarta. S. DoaiIngM ta Hila*. r>riado|M-
raoauefoclosforeuiesat o Hu do.uie*.
21 Quinta. S. Tuom.
22 Sexta. S..Honorato.
23 Sabbado. S. Servulo.
24 Domingo. S. Gregorio.
CAMBIOS NO DA 18 l)F. DH/EMUIIO.
Sobre Londres a 25 d. por I 000 rs. ) da*.
,. I'aris
I.Iboa 110 por cento de p.a.m.'.
nio-dr-J.ineiro ao i .ir.
j)ic. de leu. de boa flrm.is al' ,1 '"
Acedes da coinp. de Heberibe. a.'m/". a.. ...
Uuro.-Onp. ne.pai.holas .1IHMM a MlO
, de(J/400n. lY-MO Ib^lK.
de4/IHK)... 9/200 a /MU
PratoPatacoes brasileiros l/M<> a J>
. Pesos columbarios. 1#1*0 a J/ujJ"
Ditos meiicanos..... 1/JOO a IflW
DIARIO DE FEE
PARTE OFFICIAL.
GOVERNO DA PROVINCIA.
EXPEDIENTE DO Di A 15 DE DEZEMBRO.
0(Tlco.-Ao director interino do collogio dos or-
philos, declarando quo pode mandar que se retirom
para suas casis os orpnos desso eslabelccimento
Antonio Manuel d'AssumpgSo Car.lim e Manoel Alves
de Menezes, o i.* indefinidamente visto soffrer mo-
lestia chronica incuravel, e o 2. at que so restabe-
cca da enfermidade que actualmente padece.
Dito.Ao presidente do concelho geral de salu-
bridad, transmittindo copia do aviso em que se
communica que a cholera-morbus se ha manifestado
tsntoemHamburgo como em Itrumen,. psiendendo-
ge pelas margons do Elba e do Weser, alim de que
baja do dar as precisas providencias para evilar-se a
introducg3o de tio terrivel epedemia nesta provincia.
Dito.Aoinspeclordo arsenal de marinha, trans-
mittindo copia do aviso em que se participa terem-
so expedido as convenientes ordens para que os
navios de guerra, que estacionaron! entre os abro-
Ido* e o Cabo de S.-Roque, fabriquem nos respecti-
vos arsenaesde marinha de maneira quequando re-
gressarem a corte v3o promptos a seguir qualquer
commissSo.Communcou-se ao commandante das
forras navaes.
Dito.Ao mesmo, ordenando d as precisas pro-
videncias.para que por esse arsenal se fagan os pais
para carv.lo no brigue-cscuna Ugalidade, guardan-
do-se em ludo as recommendacOes feitas no aviso
aue por copia romeltc.Scientificou-se o comman-
ante das frgass navaes. ....
Dito.Ao agente da compaii'uja uas barcas ue va-
por, recommendando mande dar passagem por con-
ta do governo no vapor S.-Salvador que regressa
manhSa para o Rio-do-Janeiro aos dous desertores
4o corpo do fuzilelros navaes Lourengo Joaquim Ma-
rinho e Manoel de Moraes e Souza.~Parlicipou-se o
commandante das frcas navaes.
Dito.AftJaWmandante das armas, remetiendo
rupia dpatUwem que se communica queS. M. o
]]i[nrad*rhouvo por bem conceder passagem para
a 3.' clnHRs ofliciaes do exercito ao capitao do
i batalhUB de artilharia a p Carlos Antonio Pelra
do Barros. lntelligenciou-se o commissario-pa-
ador- ,
Dito.Ao mesmo, transmittindo copia do aviso
em quo se communica que se expedir ordem afim
de quo seguisscni para esta provincia, a screm con-
venientemente empregados, o 2.' loneulede enge-
nheiros Jolo Francisco real Bruce. 6 o 2. Unen te
de artilaaria a cavallo Miguel Ignacio Leal Bruce,
bem como que-quanto ao regresso desses oiliciaes
deveroserolles comprehendidos na ordem expedi-
da pelo aviso de 24 de novembro ultimo, de que se
remelle copia a V. Exc acerca dos alumnos da esco-
la militar.Parlicipou ao commissario-pagador.
Dito.Ao mesmo, remettendo copia do aviso
mandando colligir do livro da companlua de caval-
laria desla provincia todas as notas relativas a Ma-
noel do O' Rodrigues Azedo, que boje seno como
alfercs quarlcl-meatre no corpo lixo de Goiaz, afim
de se poder conhecero motivo por que se Iheconta
a antrguidade de servico do lempo de menondade.
Dito.Ao mesmo, transmittindo por copia o aviso
pelo qual foi approvada a deiiberagSo que esta pre-
sidencia tomara de mandar abonar a gralihcacfio
activa ao major do engenheiros lunocencio Eusta-
quio Ferreira de Araujo que so acha encarregado da
direegao das obras militaros nesta provincia.-lntel-
ligenciou-se o commissario-pagador.
Dito.Ao mesmo, enviando copia do aviso em
que se communica que S. M. o Imperador houve por
bem passar para a 3.' elasse dos offlciaes do exercito
a Silverio Jos da Cruz, capililo cirurgnlo-mor do
corpo (ixo do Cear.Communicou-se ao commis-
sario-pagador. .,
Dito.-Ao mesmo, transmittindo copia do aviso
de que consta haver S. M. o Imperador determi-
nado que os commandantes das armas das provinci-
as uno fagan publicar pela imprensa a eorresponden-
io oflicial que dirigirem aos presidentes, licando
ao arbitrio desle tal publicado, quando julgarem
conveniente.
Dito.Ao mesmo, remetiendo copia do aviso em
que se communica haver S. M. o Imperador deter-
minado que os alumnos da escola militar perlencen-
les aos corpos ora estacionados nesta provincia ex-
cepeflo d'aquellcs que frequenlam ol.'o 2.unos,
marchen a reunir-so aos seu corpos, devendo re-
gressar para a cOrte a lempo de podrem matricu-
lr-se no futuro anno lectivo. .
Dilo.-Ao mesmo, transmittindo copia do aviso
de que consta havor S. M. o Imperador concedido
passagem para a 8.' companhia do 7.0 batalbao do
fuzileiros ao major graduado do 5. da mestna arma,
Jos Fulix Bandtma.l'arlicipou-seao commissario-
pagador. ,
Dito.Ao commissario-pagador, remettendo co-
pia do aviso oi'n que se declara que nao pode ter lu-
ara pretenciodo porteirod'aquella pgadona, Ma-
liano oa liis Esumdola Jnior, ao augmeiilo do
'especlivo ordenado, vislo que o goveruo se uQo
ocha autorisado a elevar os veucimenlos dos empre-
gados das pagadorias.
Dito__Ao mesmo, transmittindo copia do aviso
em que se autorisa o abouo das respectivas pratih-
cagoes aos empregados dessa pgadona a quem a le
do orcamento as coucedou, ordenando-se ao mesmo
lempo quo cesse o pagamento da de 30,000 res man-
aes que se coneedra ao addido d>}luella.rPar^_
Jiw, vioiua fi^US; TvCrS .\-V.wf, p v-
melhante vencimento suporior ao do praticinte, em
cuja vaga lera elle de entrar.
Dito.Ao agente da companhia das barcas oc va-
por, recommendando d as precisas providencias
para que o commandante do vapor Bahtana que aca-
ba de chegar dos portos do norle entregue a dispo-
sicSo do coronel Jos Vicente de Amorim Bezerra as
duas pracas do 6. batalho de cagadores quo elle,
conduzioda provincia do Marantao.--Participou-se,
ao commandante das armas. .
Dito.Ao director do arsonal de guerra, aulori-
sando-o a despender quairtia de cem mil res com
acompiade cincoenla resmas de papel cartuxinho
de que diz precisar esse arsonal para provimenlo do
seus armazens e continuaQao dos trabalbos do res-
pectivo laboratorio.-Scientincou-se o commissano-
Paportaria.-Demittinao o bacharel Joaquim Anto-
nio de I-aria breu e Lima do iugar ue professor u-
junto das cadeiras de iuglez e Trancez de lyco des-
ta cidade.-Fizeram-se as participarles do eslylo.
DEM DO DA 18.
onicio. Ao presidente da provincia das Alagas,
communicando que chegaram a esta cidado no da
14 as quarenla pra?as de artilharia commamladas pe-
lo lferes Antonio de Moraes Pimenlel, viudas no va-
por San-Salvador. '____.
Dito. Ao capitao do porlo, remettendo unsexem-
plarcs do aviso de 7 de novembro ultimo, mandando
Ldditar ao artigo 64 do regulamento das capitanas
dos portos certas disposicOes sobre matriculas.
Dito. Ao commandante das armas, enviando,
para que tenha o conveniente destino, a guia do l-
ente da companhia fixa de cavallana desla provin-
cia, iiiaiioei rrauuiacv MouleuO, a g. toi reme..!- a
pelo presidente do Rio-Grando-do-Sul. Partlci-
pou-so ao referido presidente.
Dito Ao commandante superior da guarda na-
cionsl do Recite, communicando haver approvado
a proposta de ofliciaes do 5. baUlhao da gurJ "
ciona do seu commando superior, abaixo decla-
rados.
1. Companhia.
Alferei Francisco Borges d'Assumpcffo.
2.a Companhia.
Alferes Carlos Jos Gomes.
* Companhia.
Tenenle- Firmino da Silva Amoro.
C.' Companhia.
Alfercs Severianno Francisco de Souza.
Dito. Aocommandanto das armas,- remetiendo
copia da portara do conceibo supromo militar de 28
de novembro ultimo, acompanhada do requer men-
t do capitao commandante da companhia de artll-
eos, Antonio Domellas Cmara, pedindo passagem
para a terceira elasse do exercito, para quo h. BX.
haja de mandar inspeccionar novanicnle o re.enuo
capitao, fazendo a junta de saiide as d^clara<,Oes exi-
gidas na citada portara.
Dito. Ao director do arsenal de guerra, partici-
pando que se expedir ordem o director do arsenal
deguorra da corte para fazer remeller para esta
provincia o fardamentoe mais artigos que seman-
daram apromptar para o corpo lixo de Ceara, ora
aqui estacionado, e declarando que nesta inteligen-
cia baja S. Me. de suspender a execucHo da ordem
desla presidencia mandando fazer naquella roparti-
cao o fardamento mencionado. cionlilicou-seo
commandante das armas.
Dito. Ao commissario-pagador, ordenando pa-
gue ao commandante suporior interino la guarda
nacional do Cabo, Agostinlio Bezerra da Silva Ca-
vlcanti.aquantia de 220/7Q0 ris, importancia do
sold, gratiicacrtes, etape e fardamento, quo ven-
cern! de 15 a30 de novembro ullimo um capitao
e31 pragasda referida guarda nacional, destacados
na Ponle-dos-Carvalhos, conforme consta da tulla
e pret quo remelle assignados polo referido com-
mandanto superior. Communicou-se ao mencio-
nado commandante supciior.
Portara Dividindo em dous o districto da suh-
delcgacia dos Afogados, e determinando quo o pri-
meiro comprchenua a povoacao leste nomo e a da
Boa-Viagem ; e o segundo, a da Magdalena. Fizo-
ram-se as participagOes do eslylo.
Dila. Momeando o doutor Luiz de Carvalho Paes
deAndrade subdelegado do primeiro dislncto Ua
freguezia dos Afogados. Expcdiram-so as partici-
pagOes-uecessarias.
Dita. Nomeando o cidadao Antonio Cardoso de
Queiis Fonseca Jnior subdelegado do segundo
distrelo da rreguezia dos Afogados. Fizeram-se
as convenientes parlicipacOes.
Dita. Reformando o tenente-coronol do 1. ba-
talbao da segunda legiao du guarda nacional dos mu-
mcpiosdultrej e Cimbres Jos Cactano do Medei-
ros. o reintegrando no dito fosto o tenonte-coronol
reformado] Joo Leile Torres Calindo.- Part.cipou-
se ao respectivo commandante superior.
Dita -Reformando o major do t." batalbao da
segunda legiao da guarda nacional dos municipios
doBrejo e Cimbres, Amrieo Xavier Pereira de Bri-
llo reintegrando no dlo poslo o major reformado
JoauSn e Almeida Catanho. Sc.cnt.l.cou-se o
commandanle suponorjcspectivo.
TRIBUNAL DA RELACAO.
SESSXO DE 16 DE DEZEMBRO DE 1848.
MMIDKNCU DO SK. DESEMDXBGXDOK XZEVRDO.
Achando-se presentes os Srs. desembargadores
Ponce, Ramos. Bastos, l.e.lo, Nonesi Machado, e oSr.
juiz de direito Pereira Monteiro. faltando con causa
o Sr. desembargador Villares, abno-so a sess3o as 10
horas do di. ... .
O Sr. presidente apresentou em mesa um oflioio uo
Exm. Sr. presidente da provincia, em que participa-
va havor sido removido de juiz de direito da comar-
ca do Ass para a primeira vara criminal desla cida-
de o bacharel Jos Thomaz Nabuco de Araujo, e o
bacharel Flix Peixoto do tirito e Mello para juiz ae
direito do Ass.
Julgamenloi.
Foxam proposlosejulgadososseguintcs feilos:
Aggravo de petigao de Antonio da Costa Rogo Mon-
teiro. Ncgaram provimenlo.
Habeas-corpui de Manoel Vioira deSampayo Jnior.
Man Jaram-no soltar.
Dito do'padre Josefas CandeiaseMello. I foran
de Manoel Thomaz dos Santos. (denegados.
de Nicolao Machado Freir. /
A appellagao civel em que s3o :
Appellante, Bernardo Jos de Barros appellado, Mo-
ren Bern. Desprezaram os embargos do ap-
pellado.
O recurso crimeemquesao:
Recorrcnte, o juizo ; recorridos, Manoel Ferreira Di-
niz e outros. Reformaram o despacho de que se
recorreu.
Fram mandados a diligencias as seguintesap-
pellagOes civeis em que s3o:
Appellante, o prelo Antonio da Cosa como adminis-
trador de seus filhos ; appellado, Ujnacio Joaquim
Accoli do Vasconcellos. Mandaran ao doutor
curador geral. .
Appellautc, Jo3o Carlos Wanderlc; appellado, Joao
Cailos Bezerra. Mandaran ao curador geral.
Foi assignado o diada primeira sessBo para serem
julgadas as seguinles appellagOes civeis em que
sao:
Appellantes, Jos Antonio do Amonm, sua mulher
eoulros; appellados, Claudio Pereira da Costa e
sua mulher. .
Appellante, Caelano Pereira Gongalves da Cunta ;
appellado, Chrislovo Dionisio de Barros.
Appellante, lienriquo Merges; appellado, Ignacio Jo-
s de Mello. __-A
Appellante, Luiz Pires Ferreira ; appellados, Manoel
Pires Ferreira e oulros. _
Appellante, Vicente Jos Gomes; appellado, Jos Es-
tanislao Ferreira. .
Appellantes, o juizo oosdoulores procurador-fiscal
e curador-gcral; appellado, JoHo Keller Com-
panhia. .,. ,
Appellante, o juizo; appellado, Antonio Filippo de
Barros. ... >,
Appellankc, a fazenda; appellada, Francisca Mana
deJezus. ...
Appellante, Vicente da Silva Ramos; appellado, o
juizo.
Oprocesso de revista em quesao:
R-corrente, Luiz Antonio do Scixas; recorrido, An-
tonio da Silva Castro.
ReviiOes.
' Passaram do Sr. desembargador Ponce ao Sr. des-
embargador Ramos as seguinles appellagOes:
Appellantes, Joao Manoel Mondes da Cunha Azevedo
e Kvaristo Mondes da Cunha Azevedo ; appellado,
LppeUane, Jo.lo Francisco deOliveira; appellado,
Manoel Joaquim Pereira. .
Appellantes, Manoel Figueira do Pana o I.uiz Anto-
nio do Mosquita Palcflo ; appellado, Francisco Al-
ves da Cumia. ,, ,
Appellantes, os mesmossupra; appellado, o mesmo
Appellantes, Joao Pereira da Cunha e outros ; appel-
lado, Francisco Jos da Costa.-
Passaraft do Sr. desembargador Bastos ao Sr. des-
embargador Lefio as seguinles appellagOes :
Appellante, o juizo de ausentes ; appllado, Jos An-
tonio da Costa Guiniarfles. -
Appellante, Manoel Pereira Guimar.les; appellado,
Agostinho llenrique da Silva.
Appellante, Anna Joaquina do Nascmento ; appella-
do, Diniz Antonio de Moraes Silva. -
Appellanlfl, Antonio Joaquim Ferreira de Souza;
appellado, i.audino Agostinho de Barros.
Appellante, Antonio Pinto de Azevedo ; appellados,
a viuva oherderos de Ignacio Francisco l^reira
ulra. ,
Appellantes, I). Mara Anglica Carneiro de Sampayo
o oulro; appellado, Antonio de Santiago Paes de
Mello.
Passaram do Sr. desombargador Le3o ao Sr. des-
embargador Nunes Machado as seguinles appella-
gOes :
Appellante, D. Anna Raymunda da Paz ; appellado,
Joaquim Flix da Silva
AppelIanles,JoseJoaoThomeRodr6ues;applla-
Aopillanles, os administradores eherilolros daea-
sa de Jo3o Maria Sve; appellado, Elias Coelho
Appellante. Antonio Manoel de Moraes dellMqtiila'
Pimenlel; appellada, Adna Francisca dos Re. >ii -
Appellante, Francisco Jos Barboza; appellado, Vn-
lonio Gomes Villar.
Passou do Snr. desembargador Nmie-- Macha '
ao Sr. desembargador Ponce a seguinlo oppellac.m
crime .
Appellantes, Mendes & Tarrozo ; appelhulo, Francis-
co da Silva Me leiros.
Appellante, Jos Roberto de Moraes Silva ; appelli-
dos, Christovao Starroi Companhia.
Appellantes, a viuva eherdeiros do Jos Velho llar-
reto appellado, Jos Luiz Pereira Lima.
Appellante, o juizo de direito crime ; appellado, Jos.-
Gomes.
Pediram a providencia do rcgulamento por nao ha-
ver na casa mais juizes desimpedidos para a uppel-
lago civel em quo s.lo :
Appellante, Bento de Burros Falcflo do l.aeer.la ; ap-
pellada, Petronilla Florentina da Soledado.
Distribuifoes.
Ao Sr. desembargador Ramos o recurso crime n
quesSo:
Recorrento, o promotor publico do Aracaty ; recor-
rido, Jos Cypiianno de SOQZ.
A appellagao civel em quo sao :
Appellantes, Mhnoel Jos de Siqueira c oulros ; ap-
pellado, Jos Francisco do llego llanos.
AoSr. desembargador Bastos o recurso crime em
que sHo :
necorronte, o juizo ; recorrido, Joaquim Mai tunan-
no Peieira do Azevedo.
As appellagOes civeis em quo s.lo .
Appellantes, Jos Luiz de Caldas Mus ostia mulher ;
appellado, Jo3o Baplisla Paes Barrete
Appellante, Manoel Antonio Ribeiro ; appellado,
LuizItandciraSoarcs.
AoSr. desembargador Leflo o recurso crime em
que s.lo:
Recorrento, o juizo; recorrido, Antonio Joaquim da
Anpunciagao.
As appellagOes civeis em que s3o :
Appellante, Francisco Soares da Silva; appellado,
Pedro Mullcr. ..... .
Appellante, Filippc Santiago Meira da Cunha : op-
pellado, Joaquim Marques da Costa Soares.
Ao Sr. desembargador Nunes Machado a appella-
gao civel em que sao:
Appellante, o juizo; appellado, Jos Antonio da Cos-
ta Guimanles.
Ao Sr. desembargador Ponce a appellagao civel em
quo sao:
ADpollante, o major Francisco Jos de Mello; appel-
lada, Francisca Anglica do Sacramento.
NSo foram julgados os feitos com lia assignado na
sess3o anterior, por haver faltado o Sr. desembarga-
dor Villares.
O Sr presidente declarou que as ferias legaea te-
an principio no da 19 do crrelo depois da au-
diencia da chancellara, e levanlou a sesillo as2 ho-
ras e meia da Urde.
Repartido da polica.
EXTRACTO DIARIO DOS DAS 17 E 18DO CORRENTE.
Frtram nresos-- ordem do Sr. dewmbarga.lor
raes, por amcagnr com urna arma a Rila M;" "
CclmentO ; os pardos Primo Felic.anno .la GosU o
C i il Antonio, por indiciados em crime do sc.li-
S!* Fancez'Carlos Conrado-Pryte, ^rtoom-
no-ara vizinhanga com grit^i 0P^JgJ
Francisco, para avcriguagOes ; a prcla (. amiiiia jia
rh do Jess, por briga ; o Porlugucz Justino Ja-
n,'im da R s, por suspeito do haver brido um par-
,bo de menorPidade;' o preto Antonio, ,o,;anda.
le do- os pretos Benedicto, oscravo de Joao lla-
theus e L no, escravo do Dr. Thome Fernandos, e
a "ca M-ri Francisca.-Desles tres l.lt.OIOS......
consta o motivo das pnsOes.
O i. Amanuense,
Aprigio Josi da Silva
EXTERIOR.
CORESPONDENGIA DO DIARIO DE KHH*MMNj
LUba, 12 de novtmbro de 18*8.
Erna das questOes que aqui ^*&
una polmica mais larga nosjornaes^he a d tadm,
tro que se est organisando, o para o que secreou
le da mesma o conselheiro Antonio lose d Asila, o
homem do nosso paiz que mais se ten dado ao esta-
ppeiiuuics, judo a ...-----------<; -_ dg sejencas econmicas, eque as suas vi.ip.ns
do, Anastacio Francisco OnjS^maMn^M dows ^ ^^ conhec,mentos cadaslraes,
I cujos resultados ja publicou pela unprensa.
capella de Nossa-Sennora-da-Conceigao da Mou-
ta'4
MUTILADO
NUMERACO INCORRETA



2

f
Nfo sei leo negociosa levara a rffeito, porque redactor Jo mesmo o Sr. II. Mi Mara Coi roa Jo La-
n Mtrfl f BOUS pal/, d< alguns lcii)|ii)s i e.sla par- cerda.
I'.iII.i-s da vin.Ia ilo principo ,:o Joinville rom
te, tu ii-ur luJo o quo lio til em lollra mora
|iiiiim .cmiue uuti Ji/nr que un pai/qnu llo tetll
un radaalro nflo ndoaar boa administrado, nem
ter l'om sistema tributario.
a mu i cus ministerial exalta multo esta medi la,
cont era de esperar; pelo lado contrario! imprcu-
su opposicionista de todas M cores nflo cmbalo u
ineJiJa, nem a poJia combater ; mas, como som-
pra Macha lad* vulnoravol para ferlr, o por conse-
gualo para fu/cropposigo, nclia i|uo agento do-
m i na iitc nSo he a propiia para por om execugoo
cadusli o, a que alin disso nflo so cifrara ueste s as
nocessidades do palz.
(luir questo, que lumbem rliamou milito a at-
tencAo da imprenta Ja opposicfio, enasta niio m
su ella linlia lo la a rusiio, fui n deduego que se
manJou fazer aosjuros que se pagaram relativos no
1." siniestro de 1847. A lei do meios, ou do reoeita
que est em execuco, determina que dos juros da
divida interna se deduzam 2a por cenlo ; porm os-
ta lei, publicada cm agoslu do 1848, no podia ter
elFeito retroactivo c vi
gorar para o que se VCDCeu
ein 1817. Segundo os annuucius l'eilos pela juntado
crdito publico, em cousequencia de una portara
do ministro da fa/euda, Jo juros Jo 1. semestre
de 1817 que se teem oslado u pagar so deduz, niio
so os 35 por 100, mag a Jccima quo os mcsinos
jurosestavam subjeitos. lista arbitrarieJaJc basca-
da, segundo a mesma portara, o o argumentos da
imprensa do governo, n'uin protesto quo existe no
parecer Ja coinmisso Jo fazenJu Ja cmara dos
ilepulajos; islo be, quo se podium fazer taes deJuc-
iol's, capilalisandoasua importancia, lein si Jo li-
lamente impugnada pela imprensa da opposigo,
como ii ni roubo, o lem Jado lugar a altos clamores
da parte dos juristas.
Suscila-se tamliein outra quesliio Je grande trnns-
cendencia no seio Jo gabinete ; c be esta a das trans-
ferencias dosjuizes governo, por experiencia,
sabe que o poder judicial be pouco ail'elo, om geral,
a prepotencias, o querendo transferir "Iguns mem-
brosda reluci de Lisboa, quejulgn favoraves aos
presos | olilicos, tora suscitado esta questao no s
no cnhcelho Je ministros, mas lambem no concelbo
de estado, onde julgo que tem encontrado grande
opposicao, o lio por issoquo se falla da nofneago
de novos membros para o Jilo concelbo do otado,
alirn Je ver se se obtm un voto favoiavel ueste
assiimplo le umita importancia para o governo
Tem-so fallado, posto que vagamente, de confe-
rencias havid.as entre o duque de Saldanha o os co-
iileos ilos diversos partidos polticos, alien do ver se
seconsegue urna conciliario entre todos os mem-
bros da familia portuguoza pormou taes confe-
rencias no se teem realisado, ou se so (izeram no
produziram resultado nlgum, porque o nosso esta-
oo poltico contina a ser o me sin o.
( governo manJou proceder ao lancamento da
dcima do ." semestre le 1818 com toda a brevidn-
dc, provalvemente para obter alguna recursos, de
que Macha completamente fallo; poisquo o atraso
Jos pagamentos be cada da maior.
Espalhou-M o boato Je que o nosso governo, para
trazer em seu auxilio lord fufincrstoii, ofiTeceru no
governo inglcz fazer urna reforma as paulas das
alfunJcgas, e quo o governo nglez responJera no
ser agora occasiio opporluna para taes reformas.
lleescusaJo J/.er que este boato deu lugar a altos
clamores da parto da imprensa opposicionista, e
cora tal motivo o Estandarte publicou um artigo
furibundo no qual nao s ataca o governo inglcz,
como inepto, fallo Je creJto, e Je piestigio, mas
applicaos inesmos cargos ao nosso governo, que
diz ser um macaqueador do governo iiiglez-oin to-
dos os seus actos e procedimenlos.
O anniversaro do principe real leve lugar no dia
10, com as solemniJadcs Jo coslume. SS. MM. e AA.
ia augusta aapoaa par.. Lisboa, paaaar algum tetn-
); e al- so di/, quej < silo preparados aljamelos
no palacio do llelcm. l'ar.'COquo ven em suu com-
panhja o barrio de Muncorvo, nosso ministro cm
LonJros.
Ksta quadra lem sido verJaileiramcuta do nfoli-
ciJiules. Alrm do caso borrorosoda lillia quo assas-
sinou sua mili, do quo Ibc fulloi na miaba ultima,
o que, segundo so aswgurs, fui ella a nica quo
cousummou to bonroroso crime, falla-so de um
Pililo que n'tima desordem assassiuou seu pai, nos
sitios da Appcllago ;-trdo um pastor que assassassi-
nou a amnte nos campos Jo Coimbra ; -Je um ra-
paz pequeo, que assassinou seu irmilo menor, cas-
Irando-o; Jo um moleiro quo uiatou una lillia,
e Je outros casos funestos que teem contristado to-
dos os nimos.
Da Italia nada se sabe de importante. O ar-
misticio anda dura, c se ni elle terminar nada se
podo saber do positivo sobro a futura sorto da
llaiia.
Na Allemanha be ondo os nimos estobas-
lante agitados, e onde a democracia va i fazenJo
progressos quo lero pruvavclmonte em resultado
a dcsmombrugo duquelle poderoso imperio.
COMERCIO.
ALFANDEGA.
RENMMENTO DO niA 18..........
Descarregam hoje, i 9 de dezembro.
liriguc Itwis farinba e bolacbinba.
alachoAlert la boas.
Ilarca Jules merca Joiias.
Brigue Convicl0-S-ilarii idiu.
Burea Tejo figos c batatas.
liriguc Sun-Manoel-I mercadorias.
5:493,571
que estavam em Cintra vieran! capital para dar
beiiantffo quccslevu muilo concorrido.
Tinha-sedilo com aulcrioriduJequoo duque de
Saldanha eslava despachado morJomo-mr Ja casa
real; e parece que e.-tc despacho leve elTeitivaniente
logar no di ilus anuos do nrincepe real. O Estancarle
que BSSOgura o faci o censura altamente, porque na
mu o pin i fio esle cargo devia ser conferido ao conde I tu"M"."
desamparo, (libo do marquezdo Sampajo, o ultimo'
mordomo-mr, o que bu urna prova de ingratido
que se Ja ao dito conde que era merecedor o digno
do tal cargo, nao s pelos servicos que tem presta-
do ao tbrono constituicional da raulia; mas por a-
quelles que preslou seu pai a causa Ja [bardado,
sendo urna das priineiras victimas da usurpago, que
Ibc manJou sequeslrare arrasar a sua casa ; em in-
demnisago do que llie couferio o Imperador I). Pe-
dro o Jilo cargo, com ordenado mais avullado. Pare-
ce que o Estandarte nfio dexa de ter rasilo ; porin
os servicos passados ja caducaram, e o duque do Sal-
iianiia he boje quem da as cartas.
Contina a perseguir-se alguna dos individuos in-
flueiitcs da opiniflo progresista, e ltimamente foi
preso o capilo Samora que foi da guarda miinci-
pal, e assaltada a casa do Sr. Moraes Monta, porm es-
te nao oprenderam. O quo he realmente digno de
censura he que neslas priscs cassaludas figuram co-
mo principacs agentes osargento Araujo, Candido Jo-
s do liveira, eoutrosque silo OS denunciantes o les-
leiuunhas no processo polilico (|iie so segu contra
os indiviJuos que se acbam no I.nnoeiro.
A imprensa ministerial tem fallaJo estes Jias de
tentativas revolucionarias da parle dos progressis-
lase miguelislas, lauto em Lisboa xomo as pro-
vincias donde Iranscrcvem car tus quo tralam do
mesmo assuinplo. A imprensa progresista, respon-
demlo a islo, liega o fado, e diz que he um pretexto
para novas perseguicOes conlia os progressistas.
O Sr. Julio Comes Ja Silva Sauches publicou um
novo folbeto sobre o estado du nossa fazenda em
1816, guando ello foi ministro da fazenda.
IMPr.TA.CAO'.
S -Manncl-Primeiro brigue porluguoz, viudo do
Porto entrado ueste mez, consignado a Manuel Joa-
quiui Ramos c Silva manifeslou o seguinto :
4 caixaa e 30 ancorlas ligos ; a Justino Antonio
Piulo.
:i paroles fio pon ele : a Domingos Jos da Cunta
Lagc.
9 caixas fecbaduras 15 canstras albos 16 ditas
castanlias eouricos. 39 ditas macScs, 2 cunhetes
fouces 1 dito encbs 1 dito freios, 1 caixa pontos,
1 dila caixas de cbifro 1 dita ferros de engommar
e csndieiros 100 rodas de arcos de pao; a Antonio
Valcnlim da Silva Barroca.
15 barris pregos caixacs 5 ditas enxadas ; a Ma-
noel Goncnlves da Silva.
1 caixa fecbaduras 6 barris pregos caixaes; a
Francisco Xavier Marlins bastos.
1 caixa colim de algodo ; a Jos' Antonio de
Paria.
1 barril presunto ; a Jos Antonio de Carvalho.
1 caixa panno de linbo ; a Amoriin e Irmo-
1 cmbrulho sola 5 cbxsb 'linhas ; a Tlioma/. de
Aquiuo Fonseca.
4(i barris vinbo, 2 canstras mages; a Manoel
Duarte Rodrigues.
2 cumele.-, o 2 cauastras rnaces, l cunhete uvas o
conJecus, 1 dito castanhas 2 barris salpices; a
Joaquim Ja Silva Castro.
15 pipas vinbo 12 temos conJoQas.l cunhete
fecbaduras ;a Miguel Antonio Ja Silva Costa.
1 caixotinho e 2 cirios de prata 71 barris pregos,
9 Jilos enxadas, 4 caixas fecbaduras, 6 pacolcs fio
pori'ete 1 caixa retroz ; a Manoel Joaquim Ramos e
Silva.
5 barrissalpicoes e presuntos, 2 ditos pcixe, 10
canstras majaes 150 resteas de ceblas; aordem.
3 pipase 50 barris vinbo; a Francisco A!vcs da
'"lo ditos elsticos coleados de algod.lo ; a Augusto
'V/.i i de Abrcu 1 jumento ruco l caixa com per-
tenecs pira o me*mo ; a JoSo Narciso da Fonsoca.
10 pipas vinagro do Lisboa 25 ditas vinagre tin-
to 15 caixotes bolanhinhs de agoi o sal 100 barr.,
aemoias 20 pipas vinho tinto, 10 pipas e 120 barris
vinbo branco, 20 barricas farinha de trigo 150 va-
ras Je lagedo, 100 caixaa batatas; a Tliomaz de
Aquino Fonsoca.
4 meias pipas e 25 barris vinlio tinto da Figuera ;
a Joaquim da Silva Castro.
1 caixotinho livros improssos ; a Miguel Jos
Alves.
30 barris cal ; a Luiz Jos de S Araujo.
13 gamelas le cera branca 20 barricas de dita em
grumo ; a Jos Pcrcira da Cunta.
15 barricas alpista ,5 caixas cera lavrada ; a Fir-
mino Jos Flix da Rosa.
1 caix.lo chapeos de pal lia 1 barril vinho branco ;
r Manoel do Rogo Lima.
8 barricas cevada, 2 barris gasso 2 barricas mal-
vas 8 ditas linhaca 2 ditas grama ; a Jos da Ro-
cha l'arsulifis.
3 barriscas linhaga 2 ditas flor de sabugo i Cai-
xa oleo apareci e (iosde linbo ; a V. Bravo & C.
2caixasagoa ingleza 1 barril rosas, 1 dito re-
sina amarella 3 ditos linhaca; a Jos Maria Contal-
ves Ramos.
4 caixas loucinho ; a Vicira & Ralar.
1 caixote passas ; a Severiano Jos de Carvalho.
2 caixotes com diversas drogas I gral de ferro ; a
Antonio Paes da Cunta Mamcde.
i caixa missanga ; a Antonio Carlos Forrcira Soa-
res.
27 barris chouricos, 25 pegas de cabo de cairo ; a
Manoel Ignacio de liveira.
1 barril cbouricos; a Joaquim Antonio dos Santos
Andrade.
12 barricas figos, 3 ditas cera em grume, 700 mu-
llios de ceblas; a Antonio Pereira Rorges Jnior.
4 queijos ; a Antonio Padro das Nevos.
4 caixotes marmelaJa ; a Antonio Fcrreira Lima.
100 barrisca!; a francisco liaRMda de Almcida
Jnior.
4 pipas vinagre tinto 11 ancoretas vinbo tinto,
KUilas vinho branco 30 caixas figos, 300 mullios
ceblas, 5 barris peixe salgado ; a Antonio Jos de
Mallos.
1 caixa brochas sortijas 2 caixas agoa do Ingla-
terra 1 Jita com capsu las Je cu ha hi ha, 1 caixa com
frasquinlios Je vidro ; a Poticarpo Jos Layne.
1 lata vestiJos de senhora 2 caixotes* marmela-
-S5
corrente pelas 10 horas da minb.la, munidos deau-
torisaco Jos sous Madores, e all Ibes serSo apresen-
tadas as mais condicOes do contrato. |
Escriplorio da companhia, cm sossfln de 13 do
dezombrode 1848.
O Secretario,
B. J. ltrnundtt Hanoi,
BAIRRO l>0 RECIFE.
Chafarizos da ra do tiraratermo medio
da arrccmliicflo no ultimo se-
mestrepor mez. 300,000
da ra da Cruz fioolooo
do Forle-do-Mattos 250,000
da Conceico 300,000
IIAIRRO DE S.-ANTONIO.
Chafarizos do Passeio
do Parsizo
da ra do Sol
do Carmo
da Hi'ieia
da ra imperial
BAIRRO DA BOA-VISTA.
Chafarizos da Solodado
da Praga
Os da caixa e ra da Aurora por
administraeflo
1:450,000
330,000
500,000
350,000
800,000
6(10,000
200,000
2:840,000
30,000
300,000
330,000
CONSULADO BRITANNICO F.M PERNAMBUCO.
Faz-se saber aos subditos brilannicos, residentes
em Pernambuco, que no dia sexla-feira, 29 do cor-
rente mez, pelo meio-dia, ter lugar no consulado
britannico, ra do Trapiche, o ajunlamenao dos
subscriptores habilitados para os flus designados no
acto geo: i.- cap. '87. Cusldo britauicu, os
18dedozembrode1848.
II. Augustus Coieper,
Cnsul.
a Antonio Pcixolo de
impressos a .Francis-
co Porto installou-se um centro di^clor carlista,
como existo um em Lisboa. No do Porlo figurara
o visconde de Ferrreira, Antonio Joaquim da Costa
Carvalho c outros.
OSr. Pussos( Manoel j cliegou ltimamente a esta
capital, onJe lenciona demorar-se algum lempo.
O aniversario da morle do duque do Braganga
vcn(icou-so esto auno- no dia 26, por ser Jiasautili-
cado a24 A funcgo fnebre fez-se cora o coslumado
esplendor, o uOo liouve espectculos nom no dia -i
nem a t.
I>iz-se que na redacgo Jo Estandantt lio uve urna
especie de bemarda' por lio quererem alguns dos
follicularios escrever de graga, declarando que, so
nao llie pagavam, nSo cscreviam mais urna linlia.
Parece que a cousa se acommodou anuinJo s suas
exigencias. A Unio, publicando o laclo, folga com
a desordem dos negocios do seu adversario : esle,
raizes Je flores ;
Carvalho.
1 caixio livros o folhctos
co liadfok.
400 cabos de ceblas, 1 molulio de caf ;*a Marga-
rlda do Jess.
5 canstras mages 2 dilas castanhas;. a Anto-
nio Joaquim Santos Andrada.
4 canstras magnos 2 ditas caslanhas; a Jos Luiz
Pereia.
C caixas (ifcos; a Francisco Moreira Pinlo Bar-
boza.
1 caixa nozes o doces, 1 canastra mages 1 bar-
ril conservas ; a llenriqne Bemardes do Olivcira.
1 canastra nmgaes ; a JoseCongalves da Fonto.
13 caixas ameixas seccas 1 barrica flor do sa'bu-
guciro ; a Antonio Jos Pedro Goncalves.
2 caixas pentes ; a Jos Joaquim Lopes Moreira.
'2 barris pregos. 1 safra do ferro, 2 canaslias ce-
blas o mages; a Domingos Jos Pereira da Costa?
1 caixa mcela c batuques 2 Jilas ccvaJa i sac-
ca .butoques ; u Manoel Antonio Torres.
1 barril vinbo ; a Jos Francisco do Araujo.
2 cunuslras mages : a Jos Joaquim da C
ciel.
Costa Ma-
1 caixa fazendas ; a Jos Carlos Ferreira Soarcs.
2 caixas pcnles o fazendas; a Manoel Antonio dos
Santos.
3 caixas pentes o fazendas; Joaquim Monteiro
Ja Cruz. .
1 cuntile fftneiras;a Vicente Jos de tirito.
1 cunlictedocesccco; a Joaquim da Costa Maya.
2 cunhtles obras do prata ; a Antonio Francisco
Maya.
1 caixa retroz, 2 pipas, 2 meias Jilas o 6 barris vi-
nho 5. canarlras casiunhas, 1 Jita mages; a Jos
Muluquias Leal.
150 canstras batatas 1 caixo linhas do algodo,
4 caixas urdiles; a Antonio Jos de Siqueira.
Conceico-de-Uaria briguo portuguez vindo do
Lisboa entrado neste mez, consignado a Tliomaz de
Aquino Fonseca manifeslou o segu ule. :
20 pipas vinbo tinto ; a Thuniu/. Je Aquino Fon-
seca Jnior.
1 barril vinho linio ; a Jos Cundido do Carvalho
Meduiros. i.-.
1 barril vinho linio; a Caudillo Agosliuho ce
Barros.
6 caixas amanJoas cora cascas 10 barris azeile
doce, 100 ditos ligos ; u Manool Joaquim liamos e
Silva.
2 caixas apparelhos para violas ; a Joo Jos da
da 1 Jilo castanhas ; a Manoel Coclho Cintra.
40 caixas loucinho ; a Francisco Severiano Rabol-
lo&Filbo.
4 saccas figo : a Joo Jos da Cunha Lago.
1 bali calgaJo 1 caixote massa; u ordein-.
2 vaccas cora crias ; a Moreira & Duarte.
Thomai-Mellors baica ingleza, viuda de Liver-
pool entrada nesto mez consignada a Russell Mel-
lors &C, manifeslou 155 toneladas de carvo de
pedia, aos consignatarios.
CONSULADO GERAL.
RENDIMENTODO DIA 18.
Geral........................ 5:247,408
Diversas provincias............... 578,492
5:825,900
Avisos martimos.
i
CONSULADO PROVINCIAL.
RGINDIMENTO DO DA 18.......... 4:108,0(56
Mov ment do Porto.
Navios intrads no da 18.
Illia doSat (T.abo-Vcrdo ); 23 dias, patacho dina-
marquez Apenrad-Packel, de 130 toneladas, capi-
to P. J. Ilemmet, consignado a ordem.
Antuerpia ; 38 dias, brigue belga Eugeni, do 220 to-
neladas, capilo II.. II. Schapcr, equipagem 12,
carga fazendas e mais gneros; a. N. O. Bicber&
Companhia.
Babia ; 12 dius, patacho brasileiro Alagoense, de 177
toneladas, capiloaAntunio L. dos Reis, equipagem
12, carga farinha de mandioca ; a Amorim Irmos.
Ceursuy; 3* dias, briguo nglez tyAi/iinA, de 181 to-
neladas, capilo Williain Rouget Du Frocq, equi-
pagem 12, em iaslro; a Le Bretn Schramm.
Navio tahiios no mesmo dia.
Portos do sul; vapor brasileiro San-Salvador, com-
mandantc o primeiro lente Antonio Carlos de
Azercdo Coutinho. Alm dos passageiros que
Irouxc dos portos do noifo para os do sul o va-
por liuhiima, leva a seu bordo: para Babia, Rer-
nardinoMai da Silva, Rodolpho Seckmann ; para
o Rio-do-Janeiro, Jos Francisco Mamede de Al-
meida, C. Luiz, Leonel Martiniano de Alencar e
31 recrulas.
China ; barca ingleza Kerelaw, capilo J. R. Wilson,
carga a mesma que trouxo.
Obur vaca.
Chegou, no dia 16 do corrente, vindo da Rahia,
o vapor brasileiro de guerra Urania, commandantc o
capito-lenente Jos Edward Wandercolk, trazendo
a seu bordo Ooltlciaes do batalho do primeira li-
nha, 2 Jilos Ja armada nacional, 2 cadetes, 2 pri-
meiros sargentos, 1 cabo, 1 saldado, 1 criado, 3 sol-
dados com ha i xa o 4 ditos presos.
Weclaraces.
BEBBBDBB
porem, negando o facto, diz na, sn liouve dsssas'Cruz.
iiesorens ua redago do Estandarte, foi quaudoerl "caixao chapos de seda t dilo ditos do castor,
A aJminislrago Ja companhia di Bebenbo con-
trata a venda d'agoa nos chafarizes de cada um dos
bairros Jesta ciJaJe,' por lempo de um anuo, a pa-
gamentos niensues, o com quera mais der sobre os
...--------. !,;.& j--i n--------1-----I..I.I ,.k lidian^ .O.
I" -A"-3 "."' "V^Kii uiiuj, ui'IULbiiu.-------!!L'j2.....-
comparecoraoiMcriplorio da companhia no dia 22 do1 Novo
Para a Babia segu viagem com muita brevida-
de o bom conhecido hiato Exalacdo, por ter parte da
carga prompta; quem no mesmo quizer carregarou
ir de passagem, dirija-so a ra da CaJela do Recife,
loja de ferragens, junto ao arco da Conceigo.
Para o Aracaty sahira com brevidade o hiato
Novo-OUnda, por ter ji tratada parle do seu carrega-
mento : quom nelle ainda quizer carregar, ou ir do
passagem, se entender com o mestre do mesmo,
Antonio Jos Yianna, ou na ra da.. Cadeia-Vclha,
n. 17, segundo andar.
Para o alaran hito segu, com a msior brevidade
possivel, o veleiro biate nacional San-Jos : pode re-
cetor anda alguma carga miuda.-os pertendenles
dirijam-se a ra da Cruz, armazem n. 26.
- Para Lisboa sabe, mpretcrivelmente no dia 22
do corrente o brigue nacional Viritto,; anda rece-
be alguma carga a frete c passageiros, para o que
offerece bonscommodos : a tratar coffl o consigna-
tario T. de Aquino Fonseca na ra do Vgario n.
19, ou com o capilo, na praga
Para a Babia sabe, impreterivelmente no dia. 22
do corrente, a sumaca Flor-do-Angelii, com car-
ga que tiver a bordo : para a mesma e passageiros,
trala-secom o mestre, Bernardo Je Souza ou com
Luiz Jos de S Araujo, na ra da Cruz, n. 26.
Para Lisboa partir, com a manir brevidade pos-
sivel o ltale porluguez Especulador fabricado re-
centemenle; tem parle de seu carregamento promp-
ta faltando-lhe cerca de 3,000 arrobas : quem nelle
quizer carregar a frete, dirija-so ao consignatario,
Firmino J T. la Rosa na ra do Trapiche, r.. 44.
Para o llio-de-Janciro segu, com brevidade,
o brigue S.-Manocl- Augusto, capilo Manoel Si infles;
recebe carga a tretc passageiros e esclavos : quem
pretender carregar .ou embarcar, fallo com o.Jilo
capilo na pruga, ou com Manoel Ignacio do Oli-
vcira na praga Jo Commercio, n. 6.
-- O briguo portuguez Uariu-Ftliz, de que he ca-
pilo Lourengo Fcrnandes do Carmo forrado e en-
cavilhaJo de cobre do boa marcha, sahe para o
Porto em poneos dias, por estar prompto de seu
currogameiilo e s recebe passageiros para o que
lem liqdos commoJos : quatn nelle quizer ir de pus- ,
sagem se entender com o consignatario Antonio
Joaquim de Souza Ribeiro, no seu escriplorio da ra
da Cadeia n. 18, ou com o capilo, na praga.
A burea nacional Ttntativa'-Telit segu para o
Rio-de-Janeiro com muita brevidade, por ter gran-
de parte do seu canega ment prompta : para o res-
to e passageiros para o que offerece os mais ricose
asseiados commoJcs, assim como para escravos,
trata-so na ra da Moda n. 11, com Silva & Grillo.
Para o Rio-de-Janeiro segu, com brevidade, o
brigue-escuna nacional Olinda : tem parle de sua
carga engajada para o resto, passageiros e escra-
vos a frete, Irata-se com Machado & l'inheiro, na ra
da Cadeia do Rccife, n. 37.
Para Lisboa pretende sahir, no dia 2* do cor-
rele, o briguo brasileiro Firato : quem quizer car-
regar ou Ir de passagem para' o que tem. os me-
Ihores cCmmodos dirija-se ao consignatario, Tlio-
maz de Aquino Fonseca na ra do Vigario, n. 19,
ou ao capilo na praga do Commercio.
Vende-so a escuna americana Outesie, forrada a
encavilhada de cobre, com velas novas, e prompta
para seguir viagem: os concurrentes dirijam-se aos
consignatarios, llenry Foster & Companhia, ra do
Trapiche, cusa n. 8.
para o Rio-Crande-do-Sul seguir breve opa-
tacho Dous-de-ilarco, o qual anda p.lo .receber al-
guma carga o escravos a frete : quem no mesmo qui-
zer carregarou embarcar escravos, entenda-se com
os consignatarios, Amorim Irmos, ra da Cadeia,
n. 39.
Leo-
Curistophers & Dneldson, lendo do liquiJar
certas cuntas, fsiolcilo, por inlcrvengo do cor-
redor liveira, do seu deposito da preciosos o bem
conhecidos vinhos de champando, excedente Ma-
deiro, Porto, Xerez, Clarete, e licor de cerejas, lano
engarrafados, como alguns dos vinhos om Darris,
em lotes grandes ou pequenos volitado dos pre-
lendentcs : sexla-feira, 22 do corrente, s 10 oras
la nrnnhlU n pii n rinayein. TU*. dO TrapiCRe-
V
MELHOR EXEMPL/3


Avisos diversos.
_. I'reci-*0 de um Porluguez com prefei enca
ll"l,0 jmilha* quosiibn plantar fruleiras vor-
'. rlli0 flore* para tomar conla de um sitio-no lu-
"r doKemcdio, o nollelrabalhar o fazer o mais ser-
Ico quo o dono delerminar pagando-se-lhe men-
ilmenlo l J.OOOrs., comondo a su.i costa : na ra
doCresi10> n, 14, terceiro andar, das 6 s 8 horas
da inanlia e das 2 s 4 da tarde para fazer o ujus-
ie o qual oflo acra elTeituado senflo a vista de do-
cumentos que abone a sua conducta
_ precita-te fallaraosSrs. Marlinhoda Silva Coa-
., ouMartinho da Silva Costa Jnior : na ra lar-
,a'doRozario, n. 20.
precisa-se de um caixeiro do 12 a 14 annos na
,,iu estreita do Rozario, deposito de sssucar, n. 43.
.. precisa-so alugar um quarto .para dormir um
homem solleiro: na ra do Collegio luja de ba-
liu>, n. 13, sedirquem precisa.
A abaixo assignada, viuvade Joa-
qu'nn Jos Lourcoco da Costa, pelo pre-
seule declara que tem nomeado seu ein
tado bastt{|e procurador, a seugenro,o
Snr. Manoel A ntoniod'Azevedo, por pro-
curacolavradi em notas dotabelliao Sal--
les, os 18 do correte; o qual ica autori-
mJo a receber os alugueis de seus predios,
c cuidar cm todos os-negocios que diga ni
respeito administrcao do seu casal ; ti-
rando de nenhum et'feito todas as procu-
rarles que a abaixo assignada, e seu de-
funto marido, assignaram anteriores a di-
ta procuracao.
Cicilia Roza da Cosa.
Precisa-seMUraoSr.Joaqfffldaotta e Su-
va a negocio de seu interesse : no caes do Ramos,
venda da esquina.
Precisa-so do um menino para caixeiro: no
Nfarincipio da ra da SenzaJIa-Vellia, Confronte ao bec-
f/co de Campello, armazem n. 126.
Precisa-so de dous moleques diligentes para o
servico de una casa : na ra da Senzalla-Velh, con-
fronte ao becco do Campello, armazem n. 126.
A prota Jacintha alaria da Couceiciio faz ver ao
respeitavel publico que so acha separada de seu ma-
rido, o prolo Paulo Miguel, perpetuamente, por son-
lenca do juiz ecclesiastico, lendo feilo partilba dos
bens do seu casal: por isso se acha no plono gozo
desousdireitos para poder vender, comprar o fazer
qiiarsquer transaccOes. A rogo da preta Jacintha
alaria da Conceicilo, Uanotl Lucas dos Santos i Oli-
u'ita.
mm$.
Boje
descarregam na allandega paisas, amen-
doas e vinho muscalel.
-' John Wilson roga a todos os seus credores que,
no prazo do olio das, hajam de apresentar su as con-
tas em o consulado de S. M. Britannica, rua do Tra-
picho.
-- Perlence melad de um quarto, n. 4,000, da
quinta loleria a beneficio da cultura d'amoreira.no
Rio-de-Janeiro, a D. S. Carneiro Jnior.
Vendas.
moro,
algumas
A. Baumann, afinador e
concertador de pianos do
principe de Joinvie e de j
S. A. a Sra. princeza D. (
Francisca, tem a honra de |
prevenir o respeitavel pn-
buco que chegou ultima- |
mente n'esta cidade; e as |
pessoas que quizerem ulili- j
sar-sede seu prestimo, o a- gg
eharao na casa de sua resi- g
dencia, rua larga do Rosa- g
rio, n. 14, primeiro andar, g
V2
--Maris Rita da Concoicjlo embarca para o Rio-
de-Janejro o seu escravo pardo de nome Manoel.
Furlaram no.dia 9, de baixo do co-
piar de urna casa no Poco-da-Panella,
um cachimbo de barro branco, muito
com ggarnicoes de prata : quem
J7>
gros
sso.
- Vendem-sc oito molecotes de na-
93o ; um preto de meiaidade ; um pardo
bom cozinheiro ; tres moleca com
habilidades, hu o muito barato,
pois deafji-sc lechar as cotilas dcste an-
uo: na rua das Larangciras. n. \!\. se-
gundo andar.
.- Vende-se urna casa torrea sita e:n bom lugar,
na rua do Nogueira : na rua da Cruz, n. 50, ao dir
quem vende.
Aterro-da-Ba-Vista, lojan. 78.
Vondem-so sapatOes de bezerro para homom, mui-
to bem feilos, a 1,280 rs,: aollesquo so esta o lin-
dando. '
-- No armazem do Araujo, beceo Uo Concalves,
aega-so urna poreflo de taboado de cedro que se ven-
de-por prego commodo ; a tratar no mosmo.
Farinha de mandioca.
Vendem-se cm saccas grandes, por preco commo-
do : ao lado do Corpo-Santo, n. 25.
__Vende-se unvbalclo de loja, com afrento en-
vidracada ; quatro tabolcUs; urnas poucas do vidra-
casde vidro* grandes, para.qalquer armaclo de lo-
ja : na esquina da rua da Aurora, loja de louca, nu-
mero 62.
Vende-se una escrava que cozinha e lava sof-
frivcl, e tamhem vende de taboleiro ; advertorse que
nSocm achaques: no Atcrro-da-Ba-Vista, n. 11,
casa da calunga.
C ale; (I o-
Vendemrse, pelo barato preco de 3,000 rs. o par,
bor/eguins para senhora ; ditos para tromcm a
3,600 is. ; botins francezes a 5,500 rs. ; sapa tos de
lustro franceses para meninas. 1,300 rs. ; ditos de
Lisboa a 1,000 rs.; sapatos inglezes, a 3,2oa rs.;
ditos de setim branco para senhora a 1.600 rs. ;
botins do Lisboa a 2,500 rs. ; sapatos de lustro do
entrada baixa e de urna sola para homem, a 2,000
rs.; ditos de duraque para meninas, a 500 ; ditos de
lustro com colchles, a 500 o 640 rs. : na rua da Ca-
lleja do Recite, n. 35. Advete-seque lio a dinheiro.
Vinho barato.
Acha-aeeatabelefi.lona rua da Madrc-de-Deo,
n. 36, um armazem do
Vinhos da Figucira,
do ptima qual.dade, a preco .le 1.120 isa ranada,
e iMra.agarrafa e para nloheter **>>mi-
prador ser.lo lacradas as garrafal Con. lulo,>J-
cebendo-se a garrafa vas.a, o .lando-so "i".1*-
monteaoutra'chela: tambem ha barr* ""'Pe-
queos proprio para quem passa a IWfcBR*
rielarlo deste estabelecimenlo pode encarecida-
menle q.e senao illudam avahando, pelo diminu o
preco e som conhecimento de causa a qualidade de
sua fizenda digna por corto da estima dos verda-
deroaSmanie* da boa pinga. Elle eonta que quem
urna ve/provar, continuara eomgosto o sem arre-
Je, dimento. K o bom preco!!/ A todo o e^oato
aceresceoasscioo bom acoiidicionamenlo, o que
ludo se poder verificar cmdilo eslabclccimento.
mantas para meninas.
Na rua do Gftbug, loja do Duarle,
vendem-sc mantas para meninas, cm
a 1,000 rs : c lencos
do
ponto pequeo,
garca a 1,000 rs.
-- Avisa-se aos freguezes e a quom gustar do quo
he bom queja so acha a vend por atacado e a r-
sallio todas as qualidades de. doces do pelz tanto
seceo como de calda o inais bem Falto que po lo ha-
ver por ler sido fabricado com o mais superior as-
sucar.como se doixaver no caj aeCCO o'seu l>ri-
Ihanlismoe linda cor : lambem so vendem bonitaa
caslanhasconfoitadas e confeitos. Prepara-se para
um desser ludo que quizer, e outro tanto se fjra
para se presentar o mais rico cha, co.uposto das
nielhorea diversidades de bolos, sequilbos e espoces
.a moda do paiz e de dilTerentes paites ostrangeiros.
Na rua da Aurora, n. 20, terceiro an lar.

J. A. S. Jane, artisla, tem a honra de avisar ao
respeitavel publico, que contina a por dentes atti-
licises de porcellana, assim como tnmhem lira as
caries dos nsturaes que tanto damnificam os dontos o
rooperam para o mo balito da bocea, nlo sendo li-
radas ; calca com ouro, prata c metal branco os den-
les Turados, na sua residencia, na rua. estrella do
Itozario, n. 16. O annunciante assevera a todas as
posos que so quizerem ulilisar dos seus servicos,
que n.lo exige paga alguma, nflo Picando os denles
18o bem postos que mo so possam dilTerencar dos
proprios nsturaes, podendo-se mastigar com os mes-
mus toda a comida som a menor dr nem receio, e
por rujo motivo o annunciante espera na bondade
de todas as pessoas que precisaren de seu prestimo
que mo o deixem de procurar, a vista dos muitos
exemplos quo tom dado s pcsBoas que o lem pro-
^ legido.
Precisa-se de um bom trabalhador
de macera : na rua da Sanzalla-Velha,
l'.ulii'i.i n. q4- \
- Precisa-sb de urna mulher para o sorvico de
urna casa dopouca familia, sondo pelo sustento e
vestir: na rua do Qeimado, 11. 57.
-- Pedro Das dos Santos remelle para osporlosdo
sal oscravo l.uiz, crioulo, do 14 anuos, perleucente
aoSr. Manuel Barboza de Souza, morador no Ara-
caiy.
--Alua-so urna preta quesaiba vender na rua
loda oqualquer venda : na oa-Vista, travessa-do
Quiabo, n. 1.
No escriplorio de Jos de Almeida
Barrcto Basto, rua da Cruz, n. 63,
assigna-se para a impressSo da seguinte
obra:
Contraen torios do Conde de Tracy,
sobre o espirito das leis, de Montesquicu,
e memorias sobre os ineios de fundar a
moral de um povo. Subscreve-se por
4,ooo rs. pagos no acto da entrega da
obra.
Aviso importante.
Aspessoa8quo teem procurado-o delicioso rape
Xuvo-Lisba J o rdem mandar buscar 110 seu .uni-
eo deposito, na rua dos Quarleis, n. 24, pois j
acha despachado.
O bncharcl Joo Paulo Monteiro
de Andrade d licSes de francez, inglez,
ihetorica e geographia : quem se quizer
ulilisar de seu prefini, dirija-se rua
das Cruzes, sobrado n. 18, primeiro an-
dar.
- Jos Rodrigues de Arauio Porto embarca paro o
lliu-do-Jaueiro o seu escravo Manoel, crioulo.
o levar rua da Cruz do l\ecife, n
receber 10,000 rs. de olvicaras.
Furtaram, ha tres dias, debaixo do copiar de
urna casa no PQO-da-Panella, um cachimbo do bar-
ro branco, muito grosso, com guarnieres do prata :
quemolovar rua da Cruz do Recife, n. 10, rece-
ber 10,000 rs. de alvicaras.
-- Alugam-ae dous sitios com multo boa* acominoda-
8e* um na campinha da Casa-Forte e outro na rua
da dita povoasao com cocheirai e cavallarlccs ; assim
como varia catas, de precot commodoa para se pas-
tar a fetta : a tratar na rua do Amorim, n. 15.
Na rua do Crespo, n. 11, deseja-se fallar com o
Sr. Joaquim Jos Ferreira natural da freguozia de
S.-Maria-de-Adarife, emPoitugal a negocio de seu
inleresse.
. Da casa de Jercnymo Martiniano
Figueira de Mello desapareceu urna
bengala de canna da India com csto
de ouro lavrado : quem a liver e quizer
restituir/ poder leva-la rua do Hospi-
cio, n. 14 na certeza de que se entregar
a importancia pela qual a houver com-
prado, querendo-a receber.
Aluga-seo bemeonhecido sitio, na estrada do
Cordeiro, de Nuno Maria deSeizas, so proprio para
algum negociante estrangeiro, ou outrapessSa que
ten ha ira lamento : na rua do Amorim, n. 15.
Iiesapparcceu, no da 4 do correte da casa
de Rotho & idoulac rua do Vigario n. 4, um ca-
chorrinho de raca ingle/a com os signaes seguin-
les : pequeo, todo prolo, o orcllias grandes: quem
o achare levara casa cima, ser bem recompen-
sado.
. Lotera do theatro publico.
A venda dos respectivos hilhelesest quasi para-
usada, e por esta ras:1okdeixaram ainda as rodas de
ler andamento no dia a do corronte, segunda vez
para este Rm marcado. A vista, pois, disto o thesou-
reiro se escusa por ora de marcar novo dia, o que
far brevemente; visto que est disposla a empregar
todas as diligencias para quo as ditas rojas andem
antes da festa.
Osherdoiros do fallecido coronel Francisco da
Bredrodoe Andrade declaiam que obtiveram jul-
gamento em grande revista no tribunal da retaceo
do MaranhSo, na causa quea seu fallecido pai, so-
groo avO, dito coronel, havia proposlo a Sra. D^.
Maria de Pinito Rorges, a respeito da venda da sua
parte no engenlio Calugi, por cujo julgamonto Ihcs
compete haver da mesma Sra. a quantiu de 11:000/
ris, que havia recebido, e por a mooda da dala
em que leve lugar o recebimenlo ; com os juros na
mesma especie, desdo t mesma data do recebimen-
lo : e por isso que, para pagamento dos annuucian-
tes, nflo basta a parte que a dita Senhora tem no
referido engenho, c lhe>i consta que se pretende ven-
der a casa de tres sobrados na rua do Alterro-da-
Boa-Visla ; fazem o presente para que ninguem
compre a.s ditas casas, por eslarem subjeitas ao dito
pagamento por torca d'aquelle julgado.
I'raxedts da Fonseea Coutinho.
Vende-se urna loja de calcado,
ou s a armacao, em urna das
melhores ras, para qualquer es-
tabelecimento : na rua da Gadeia
do Recife, n; 35.
I>>"
!>
i '
r:>.::
i",
m
Nesta loja existe una grande porcilo do ris-
cado monstro que, para se acabar anles Ua
festa vonde-se a 240 rs.
Compras.
Compra-se, em segunJa mfio, um adereco ou
gargantjlha de ouro : na rua de llortas, n. 112.
Compram-se douscavallos para conduzir car-
gas, ou mesmo de estribara quo, por algum defei-
lo sirva para o mesmo lim : na rua do Hospicio,
Compra-so um oculodever aolonge : na rua
Nova, n.,16
Compra-se um par do brincos de ouro : na rua
Nova, n. 16.
Compra-so um adereco, volta, ou cordno gros-
so e algunsiranselins usadas : na rua do Torres, n.
46, segundo andar.
Compram-se effectivamenle, botijas o garrafas
vasias; no Aterro -da-Boa-Visla fabrica de licores,
n. 17.
...
Vendem-se pavios para candieiros francezes,
dos melhores numoros, pelo diminuto preco de 700
rs. a grosa para quem comprar 5 grosas daqui
para baixo e em duzia a 70 rs. : na rua larga d
Rozario, n. 20, junto a padaria.
Vende-se um cavtllo nmiio pequeo, proprio
para menino, oque be bom carregador baixo: na
ruadaCadei, loja do Jos Fernandos Bastos.
Vendem-se 4 negrinhas de 12 a 16 annos, com
algumas habilidades ; 3 pardos mocos de bonitas fl -
guras ; 3;cscravas de nacflo ; 1 moleque ; 4 escravas
mocas do bonitas liguras ; urna parda de 22 annos ,
que cose e engomma : na rua liireita, n. 3.
Iolassa.
Desembarcou ha poneos das urna por-
cao de barra pequeos, com muito nova
. superior potassa, c se acham venda,
por preco mais barato do que. ltima-
mente se venda, na rua da Cadeia-Velha,
armazem de Bailar Si Uliveira, n. 12.
-- Vende-so urna canoa de carrea, de conduzir
familia ; delrs dos Martyrios cstaleiro do Manoel
ds Silva Mariz.
Vendem-sc 6 lindos moleques de 12 a 18 annos ;
4 pretos de 25 a 30 annos 4 pardos de 12 a 20 an-
nos ; 2 negrinhas de 12 annos ; 2 mulatinhas do 16
annos com habilidades; 4 pretas do 16 a 20 annos ,
com habilidades : ua ruado Collegio, o. 3 so dir
quem veude.
Vcndc-se una canoa que carrega 300 a 350 li-
jlos de alvenaria a dinhoiro ou a troco do lijlo :
ao lado do Corpc-Santo, n. 25.
~ Vende-se a venda do ISecco-Largo, n. 1 : a tra-
tar na mesmo venda.
Loja de quatro portas da rua
do Cabug, do Duarte.
Jucos de blonde, prctos ; ditos prctos
c brancos imitscao de blonde ; ditos
de linho, francezes ditos inglezes ; ditos
do Porto, ditos feitos na trra, proprios
para toalhas : luvas de pellica eneitadas ;
ditas bordados a retroz, com lindos dc-
senhos ; ditas lisas de exquisitas cores ;
ditas para homem, brancas e de cores';
e de seda d qualquer cor, de senhora
e homem ; ditas de fio da Escocia, finas ;
tas ordinarias a 200 rs. o par; fitas la-
vradas de nmeros 6, 9 e 12 ; flores
artificiaes do dr de laranja ; capellcs,
ramos, de peitos e sollos ; lencos de seda
de senhoras e homem ; chapeos de palha
da Italia, de senhoras e homem ; ditos
redondos de inassa, brancos, com abas
largas; bonetes para meninos. Todos
estes objectos se vendem por procos
commodos, e se do as amostras aos Se-
nhure compradores.
-- Vendem-sobamscommcl : na rua da Cadea
do Recife, n. 8. Na mesma casa aluga-so um preto
que entenda do servico de easa e de cozinha.
-- Vendem-se 6 pranchoes de sicupira de -26 a 30
palmos do compriinento e muilo grossos, por preco
commodo : na rua da Cruz, n. 46.
Vende-se um rico piano com cicellentes vozes :
na rua do Queimado, n. 17. *
Na casa de modas france/as, no Atcrro-da-Boa-
Vista ,n. I, primeiro andar, ha para vender ores
de todas as qualidades; chapeos de plha cnlcitados
para senhora ; plumas com passarinhos brancas e
de cores para chapeos e caliera ; capellas de laran-
geiras ,(por preco mais barato do que em outra qual-
quer parte.
Charutos de Havana
Na rua do Trapiche-Novo, n. 16, existo urna por-
cilo dcstes charutos do superior qualidade : bem co-
mo um pequeo sortimciito do lastros e candelabros
os mais elegantes possiveis: ludo mnilo proprio pa-
ra a festa.
Continila-se a vender manteiga nova, a 400,
500, 600 e 800 rs. n libra ; caf cm grflo a 120 rs. ;
dito moldo a 160 rs.; bom cha a 2,000 rs.; bo-
lacha Ingleza, a 200 rs.; cevada nova, a 100 rs. ; car-
nauba d" 6, 7 o 9 em libra a 280 rs. ; espermacete
de 6 cm libra a 880 rs.; macarrflo c talharim a
200 rs ; letrla, a 280 rs. ; familia do Maranhilo, a
100 rs. j queijos .novos, a 1,600 rs. : no pateo do
Carino loja do sobrado de Gabriel Antonio, n. 17
-- Vonde-se urna bomba de despejar pipas ; um
braco de balanza do autor Bomlo ; mu peso de 4 ar-
robas e outro de meia arroba : na rua di Senzalla-
Vova, n 4.
Vende-se um moleque de 13 annos, bem ro-
busto ; urna mulalinha de 11,annos, com principios
de costura e de ongomir.ar; urna- preta boa cozinbel-
ra, oque vende ha rua ; urna dita boa costurara e
rendeira lie 18 annos ; urna dita do 18 anuos quo
engomma e cose ; um parda, que engomma cose,
faz lavarinlo'e cozinha : na rua Nova, n. 21, segun-
do andar.
--Vende-se um sobrado de um andar, com mui-
tos commodos quintal o cacimba, em chaos pro-
prios na rua das Tnncheiras; um violo do muito
boas voze : na rua da Cadeia do lecife, n. 23, se-
gundo andar.
Na casa de modas franeczasde Madama Millo-
chau .esquina do A-terro-da-l!oa-Visla defronte do
chafariz, ha para luto corles de vestidos mantas de
bareg e chapeos do senhora da ultima moda a
goslo.
Peniias de pato.
Na loja de quatro portas da rna do
CabOg, do Duarte, vendem-se pennas
de pato a 4)Ooo e 5,000 rs. o milheiro,
proprias para reparlices publicas e es-
criptorios.
No deposito do Me. Calmont & Companhia na
rua de Apollo, armazem n. 6 acha-so constante-
mente grande sortimentodo ferragens inglezas para
engcnlms de assucar corro sejain : taixas do Ierro
coado de dilTerentes modelos, os mais modernos;
ditas de ferro batido ; moendas de ferro do mode-
lo adoptado para armar cm madeira ; ditas todas
do ferro, lano para agoa como para animaos; ma-
chinas de vapor de fdrea do quatro cavallos o de al-
ta pressflo o mais moderno esimples que he possi-
vcl ; repartideiras ; espumadeiras ; resfriadeiras do
ferro estanhado; formas de ferro: ludo por preco
commodo.
Na jua daCrnz, no Recife, n. 24, vendem-sa
velas de carnauba do primoira qualidade do G es
Vendese cha brasileiio a i,700lem libia ,em caixasde arroba e meia ; steiras do
re n Ultra na rna An Rnaarin n \"\ p I carnauba, muito baratas; courinhos miudos supe-
rs. a libra .na rua do osario, jn. l, eirjores .charulos superQJea de lUvani, regalo^ 9
I na ?'.'.?. U0 Y-1 gario f "' *l< JrcgaiiajciiauoadepairM, iiu uo ivaii.
ENCONTRADO


"f s
h
=5^;
^
\
-- \ en Icm-so presuntos para Hambre qucijos
lOMrtnoi ; ditos de prato ; lulas rom holarhiiiha
na de Lisboa ; ditas Jo aramia ; conservas nova i
musanla : poto* com aal lino ; lalas com marmela-
la nova ; ditas com hervi'haa ; cai-.inhas com mas-
Mi linas ; vinbo moscatel de Setnbal; dito Sherry ;
licores linos ; coutros mais gneros, par prego com-
modo na ra da Cruz, no llccifo, n. 46.
A 1,800 rs. a peca de 20
'jardas.
Na leja do Cuimarfies & Companhia ra do Cres-
po ,ii. 5, vendem-so pegas do algodaozinho de boa
qualidade com un pequeo loque de avaria,
pelo barato prego de 1,800 rs. a peca de 20 jardas.
Cobre
para forro de navios e para caldeireiro: na ra da
< ruz, no liedle, n. i7.
Vende-se cal virgem de Lisboa era barris de 4
arrobas negada pelo ultimo navio, por prcco cotnmo-
uo : a tratar com Aluicida S Fonseca.narua do Apollo.
Algodao trancado da fabrica
de Todos-os-Saitos da
Babia
milito proprio para saceos deassucar e roupa de cs-
cravos vende-so em casa de N. O. Bicbcr & Com-
panhia na rua da Cruz, n. *.
Chapos do Ciiili.
Na praca da Independencia, n. 37 ha superioesr
chapeos do Chili, chegados no ultimo vapor.
Cigarrill.os despatillos.
Oproprietarjodo armazem n.66, atrs dn igreja
do Corpo-Sanlo no Recife, faz sciento aos fuman-
tes do bom tom que elle recebe por todos os vapo-
res vindos do sul, estes deliciosos cigarrilhos quo
sao do nico deposito bespanhol que ha no Itio-de-
Janeiro.
Vende-se un lindo molecotc, de
17 a 18 annos de idade, que sabe cozi-
nhar : na rua da Cadeia do Recite, n. 3t.
RUA DO CRESPO, N. 5.
Novos riscados ndiahna, a
280 rs. o covado.
Na ioja do Cuimarfies & Companhia vendem-se
osnovos nscados indianos, do quatro palmos de
largura cores hxas e padrOes muilo modernos, pek
barato prcco de 280 rs. o covado.
Vendem-se acedes da ex-
tincta companhia de Pernambuco
e Parahiba: no escriptorio de O-
liveira limaos & C, rua da Cruz,
n. 9.
Vende-se ca.' virgem de Lisboa,
chegada no ullima navio, em barris pe-
queos, por menos do que cm outra qual-
quer parte : na rua do Trapiche, arma-
zem n. I7.
Conliniia-se a vender, na na da
Cruz, n. 60, caixas com cera de Lisboa,
sortimento vontade do comprador.
no vinho que se est vendondo pelo diminuto pro-'
codo 1,120 ra. a caada o a 160 rs. a garrafa ; tajri
bem ha em pipas que so vender mais cm conta : ha
esto o melhor do todos os vinlios que se teem an-
nunriado pela sua simpliridado e ptimo paladar :
quem urna vez o beber jamis deixar do o com-
prar.
- Vonde-se farinha e milhocm saccas, por pro-
co commodo : na rua larga do Rozarlo, n. 27.
Vende-se algodflo da torra de superior qualida-
do : na rua do Queimado, n. 20.
Btalas,
chogadas ltimamente, em canastras de arroba e
meia pelo diminuto preco de 1,200 rs, cada canas-
Ira: no caes da Alfandcga, armazem 11. 1.
Vende-se nm lindo presepe, por
barato preco : na rua d Alegra, n. 4a.
Fijao barato
Amiantas andas ?
Vende-so un relogio do ouro, palenle inglez o
mrllior ,sem duvida, que tem apparecido porque,
alm de ser moderno bem formado e do boa ma-
china he o melhor regulador possivel: a vista he
que decide : na rua Moda, n. 13 primeiro andar],
de manha at as 9 horas c de taide das duas em
dianta.
Venden-se urna negra moca, de boa
figura, lvadeira, cozinheira e costureira,
c propria de lodo o servico de casa e cam-
po j nm mulato moco, de boa figura e
bom sapaloiro, sem vicios, nm acha-
ques 1 na rua do Crespo, Ioja n. 2 A, se
dir quem vende.
"joquad ojuod
-moa o qos soiuoied ocjbiso sbjisouib sv oja a sj
0f9 e sojpenb a' sbjisji op miji| o[)iiAo.i o 'SJ 009
b oqui| op uaad|ft o|Joa o sj 000'OS b sapapUBtit)
a saojpcd sin 1 s~|n 1 1 j op s/ooojs.1 sepas : 'W ooo'i:
b ,i|.i||u.i Bjsd ,i|n'|'i|i:nli jouodus oi;niu op uejni
-jo3 ep saijoo sj 000' b 'paso >e|'ep S3|nqa sj
000't Bpuazsj |n3 op sbiubui -sj OOO'S op o5
-ajd opotuuioa o|ad siipoiijiasse s.uorj sopuiud iuuj
o saojped ,i|iiK,i[a op 'eposap sj|m|a : sj 00S'8 b
' joijalns oijntu apuazaj e\ ap BjBjqiuBoap sojip
sj 000 o b 'epos-BSUBa apsa)J90soui!ssinb|j i p
-BAOa O 'SJ 00f B l.'.lll.1li:| ap sutil |ml IIKI.I o BSSBO
op s.io.ipil'sZjjubjj srin|j : sj i):,- 1: soui] C11111111
SJZUDI18JJ SopBOSU .' OpBAOO O' 'SJ OSt 8 09S B SdOJp
-Bd sonuoq ap SUSSIO 000'C b opsjjatu ou sq an
sajoi||aiu sop 0 SJ OOS't a 000't 'OOS'E b vjtjq
-iiiii.i op sa]joa : saJOpBjduJoa sop oipuoiiii b upoj
(..i.i.u.iui ojjii ojujuq o apspBnb Boq BnsB|adanb
' s.i]ii 1 iiHjs SB 'L'Ji.'Jll BJd OUIOJ o] llll O BJed UIUL'I
' sapB|ij|Bnb sb sapo) ap sspuazsj upoiuouijijosop
-ii||ojsd o 09IJ mu ap tua|B 'japuaA vjBd vq ojujj|
V juiuiif oiiwsn;) ap oi,:aBSojduo;) ep oaaoq o "ujud
Biiiiibsa zbj enb 'ee u sfo|' opsuiianO op snj bm
Vende-se para pagamento dos credores, a
venda da esquina derronte da igreja dos Narlyrios ,
com os fundos de 300,000 a 400,000 rs. : quem a pre-
tender dirija-ae a rua da Madru-de-l)eos, a tratar
com VicenteFerreir wda Costa o qual promelte fa-
zer negocio e vender barato para realisar.
PUJIOVINIIO DA FICUE1RA.
Existe no armazem dn mnlhados 1 >-.iH ,|.. r.
po Saulo n. W, urna grano) poVcJJo tJesTo"euj-
om saccas de 3 quartas, pelo diminuto preco 5/
rs : 110 caes da Alfandcga armazem 5.
Lonas nglczas.
Vendem-se pecas de lona ingleza, de
boa qualidade, e por preco mais barato
do que em outra -qualquer parte : na rua
da Cadeia do Uecife, armazem n. 12.
Ko_ Aterroda-Boa-Vi ta de-
fronteda bonecra,
ha chegado um novo ecompleto sortimonto do cal-
cado Irancez de todas as qualidades, tanto para ho-
mem como para senhora e meninas : bem como os
bem condecidos sapatos de Nantcs, e do Aracaly
por preco commodo.
Vende-se espirito de 36 graos, em pipas e a re-
talho : na destiladlo da travessa da Concordia.
Vende-se, no armazem do Vianna no
Forte-do-Mattos,
um completo sortimento do taboas de pinho da Sue-
cia, chegado prximamente, tudo serrado a vapor,
sendo taboas do 10 a 30 palmos de comprido, sem
nos proprias para se envernisar e pinho de riga :
os entendedoresdirijam-se para ver, queso acruda-
rfloda qualidade e preco barato.
Saccas com milho novo,
'ar 2^800 ris.
No Passeio-Vublico, n. 15, vendem-se saccas gran-
des com milho muito superior, pelo barato preco
de 2,800 rs. a sacca.
Balcias.
Vendem-so balcias para esparlilhos e vestido de
senhora : na rua do I'asseio, fabrica de chapeos de
sol, n. 5.
Vende-se a verdadeira potassa da
Russia, desembarcada hontem, por pre-
co muito rasoavel, vista de sua muito
superior qualidade : na ruado Trapiche,
n. 17, e rua da Cadeia, n. 34.
Agencia da fundicao
Low-Moor, rua da Senzalla-
nova, 11. 42/
Ncste cstabelecimento contina a ha-
ver um completo sortimento de moendas
e meias moendas, para engenho; ma-
chinas de vapor.e tachas de ferro batido e
coado, de todos os tamanhos, para dito.
l\o Atcrro-da-Boa-Vista de-
fronte da bonecra.
ha um sortimento de meias de seda, de
Lisboa, proprias para os Srs. sacerdotes,
as melhores que aqu teem apparecido, e
se vendem a 4,000 c 5,ooo rs.
Vende-se muito superior vinho do
Porto, em caixas de urna duzia de garra-
fas, a proco commodo: na rua da Cruz,
n. 4o.
0!0:0!0WI*Wla9!o7l*10l!0
Vende-se na rua da Cadeia do
Recite, n. 37, cera em velas, fabri- I
cadas no Hio-de-Janeiro, em urna i
das melhores fabricas, e em caixas
' pequeas, muito bem sortidas, por 1
ser de 3 at 16 em libra ; e tam- \
bem ha velas de urna e de meia libra,,
brandos, por proco mais barato do '
que em outra qualquer parte. i
ha spalos france/es de couro de lustro para senho-
ra a 1,900 rs. o par. Cbeguem freguezesquo o lera
po he proprio. A ellos, que se estilo acabando.
Superiores charutos baratos.
Na rua Nova, n. 56, deposito
da estrella ,
acha-sc um sortimento de superiores charutos da
Bahia.de diversas qualidades pelo mais barato
proco possivel ,eafiancando-se pelas qualidades aus
compradores.
Toucas para enancas
Vendem-se toucas para criangas, Tornadas com
peonas e outras com llores, pelo diminuto prcco de
2,000 a 3,000 rs.: na rua do l'asseio-l>ublico, n 13
-Vende-se muilo superior lagedo de l.isqoa 'e
cal virgem em barris de arrobas, por mdico preco-
na rua do Vigario, n. 19. v
-- Na padaria da rua da Guia, no rtecife llavera
todos os das a venda o novo pilo de l'rovciica fa-
bricado poroutro modo que o actual e da mllior
farinha que ha no mercado : por este motivo nSo se
pode fazer senao a 40, 80 e 160 rs.
Lionas de carretel.
Na rua do Cabug, Ioja do uarte,
vendem-se linhas de aoo yds., o 700 rs.,
e de 100 yds., a 280 rs. A' ellas, antes
antes que se acancm.
CIIA'BRASILEIRO.
Vende-se, no armazem de molhados atrs do
Corpo-Santo, n. 66, o mais excollente cha produzj-
do.emS.-I>aulo, que tem vindo a este mercado
por prego muito commodo. '
Mcias de seda, de Lisboa.
Wa fu do Cabug, Joja do puarlc,]
-- Vende-se urna mobilia de Jacaranda o cadeiras
de oleo em muito bom estado : na rua das Cruzes,
. 31.
Vendem-se saceos com farelo,
chegados ltimamente, pelo diminuto
preco de 3,4oo rs.: na rua da Sanzalla-
Velha, n. i38.
Farelo,
em bar c*a a #,00o rs.; saccas grandes, a .oun
rs., ditas pequeas, a 2,800 rs : no armazem de J.
i. Tasso Jnior, na ruado Amorim, n. 3.
Afadeira de pinho.
Vende-se a melhor madeira de pinho que tem
vindo a este mercado: na rua da Madrc-de-eos,
armazem de Vicento Ferreira da Costa.
Vende-so um bonito moleque de 13 annos; um
dito de 12; urna mulatinhade 7 annos, mui linda ,
e que cose : ludo para fechar cotilas do venda este
anno : na rua larga do'Rozario, Ioja de miudezas ,
n, 35.
Vendem-se saccas de gomma de
mandioca ; esteirasde polha de carnauba
chapeos de palha de dita, por preco com-
modo : na rua da Cadeia do Recite, n. 9.
Aos Srs. armadores.
Vende-se trina, volantes de diversas
larguras, egaloes entrefinos e falsos ; ren-
das douradas e plateadas ; espiguilhas de
Milo ; setins de cores a 600 rs. o covado :
na rua do Cabug, Ioja de quatro portas, do
D uarte.
troca-ae por urna escrava, sendo boa : na m. .1
Pires, n. 59, se dir quem vende. uo
Perfuma ria. '
Vende-se na ra do Cabug, Ioja do
uarte, lindissimos vasos de crystal e
porcelana, com espirito finos, e banhis-
agoa de Colonia ; e umitas outras perful
marias, sempre novas, e por precos com-
modos.
Vendem-ae barril1 pequenoa com cal virgem de 11.
boa. a mal ova que ha no mercado, por p,eco c.,'
modo : na rua da Moda armazem n. 17. w
Um adereco de ouro para
pescocode senhora obra muito rica : vonde-se n.
rua das Cinco-I'ontas n. 25. n*
JNova refnaco Franco- ^
Brasileira,
Na rua da Concordia, n. 8, por
detrs do C'armo.
O respeitavel publico achar em dita re-
flnacilo assucar de qualidade superior re-
finado a moda de Franca devendu mere-
cer a preferemja tanto pelo asseio da aua
fabncacSo, com pela clareza, pureza o bom
gosto, licando dito assucar refinado ro-
commendavel por suas qualidades hygie-
nica sendo desembaracadb de mo chei-
ro, potassa,, mel,assidose outras subs-
tancias mui nocivas a sade.
O prepos-iHo o$ teguintei:
Refinado em pSes ou ton Oes, primeira j
qualidade. a 160 rs.: a libra ; dito d se. 23
guuua quaiidade a 140 rs. a libra ; refina- &
do em po, primeira qualidade a 140 rs. a
libra;dito de segunda qualidade, a 120
rs. a libra.
Vende-se urna parda do 17 annos engomma-
deira e costureira ; urna prcta cozinheira engom-
madeira, ecom una cria de 6 mezes ; urna dita com
as niesuias habilidades ; 1 preto do elegante figura
muilo bom canociro ; -1 moleque do 18 annos do
nacilo : todos estes cscrovos se vendem porseu dono
terde reliiar-se no pateo da matriz deS.-Antonio,
sobrado n. 4 se dir quem vende.
al de Lisboa.
Vende-se muito nova e superior cal
virgem de pedra, desembarcada ha pou-
cos dias, e cm barris pequeos de quatro
arrobas e meia : na rua da Cadeja-Yelha,
armazem n. 12.
FARELO
em saccas muito grandes,
a 3600 rs. a sacca:
no armazem do Braguez ao p do arco da ConceicSo.
Tapetes oleados.
Vendem-se na rua do Cabug, Ioja do
Duarte, tapetes de oleado, para mesas de
meio de sala, consolos, commodas, e me-
sas de jogo : pi oprios para ornamento de
salas.
Vendem-se sapatdes de couro de
ustro, pelo baratissimo preco de 2,56o rs.;
ditos de lustro para senhora a 1,000 rs, ;
ditos para menina a 800 rs. ; sapoles
brancospara homem a 1,000 e 1,200 rs. ;
ditos para menino a i',ooo rs. : na rua da
Cadeia do Becifc, n. 9.
-- Acabado cliegar um completo sortimento para
os srs. armadores, bem como trina volantes lar-
gos e estrcitos, gal.lo de todas as qualidades finos
o ordinarios; c oulros muitos objectos que se acbam
a vonda na rua larga do Rozario, n. 24.
Rap novo Lisboa.
A elle antes que se acabe.
Quem nlo tomar una pitada desto rap, certamen-
te nflo-sabera apreciaros deleites da vida contem-
pornea. Acaba de chogar do Hio-de-Janeiro, e ven-
de-se no deposito do mesmo, na rua dos Quartcis ,
n. ~2\,
Vendem-se barris com quatro.ar-
robas de superior cal virgem de Lisboa,
por preco muito commodo: na rua da
Cadeia do Recife, Ioja n. 5o, de Cunha
& Amorim.
Vene-Se urna casa sita na rua do Rozario da
BM-yiU, n. t, que ronde 7,000 rs, mciuaei, gu
Vende-se urna salva de prata ; 3 relogios de ou-
ro ; 2 correntes 2 cordOes ; 2anneloes l allinete
1 um par de brincos de pedras : na rua do Queima-
do, n. 14.
Vende-se um piano em muito bom estado de
boas vozes o de fabrico inglez : na rua Nova n 22
casa de Casimir Carnier, rolojoeiro. '
Vende-se um piano em bom uso, de boas vozes
por proco comm odo; na rua larga do Rozario, n 48
primeiro andar, se dir quem vende.
Escravos Fgidos
Fugio a esrrava Joaquina, Mozambique do al-
tura extraordinaria cor fula, cara redonda e com
algumas marcas de bexigas, denles abortos ; tem o
beico superior furado ; he bem parecida ; lem sido
vista no Recife: quema pegar leve-a ao Manguind ,
sitio defronte do Sur. neroniano que Sera recom-
pensado.
Contina a estar fogido o pardo Antonio de
30 a 40 anuos ; heofllcial desapateiro; foi escravo
do fallecido Fr. Caetano, e depois de llerculano Jo-
s de Freitas ; consta que %nda pelo sul desla pro-
vincia. Roga-se as autoridades policiaes, que o ap-
prebendam o levem-noa rua Direila, a Joaquim Iter-
nardodeFigueiredo, que satisfar todo e [qualquer
despeza.
Fugio, de bordo do bripue Sertnrio, na mnnlia
do da 5 de julho prximo passado, um escravo m-
rinheiro de nome Francisco do nagito Janpa ; re-
resenta ter 30 a 35 annos ; lem um signal na face es-
querda," falla muito descansada ; levou caigas e ca-
misa de algodflo azul, chapeo de palha pintado de
lira neo o balde de trazer racOcs e 7,000 rs. em ce-
dulas ; falla bespanhol: quem o pegar leve-no a
rua da Moda n. 7, que ser bem recompensado.
Fugio, no dia 18 de outubro do engenho S.-
Joio, no Cabo, Marcolino, pardo trigueiro, de 19 an-
nos, estatura regular, cara redonda, olhos pepuenos,
denlos limados ; levou duas caigas urna de brim
pardo e outra do riscado azul; <|uem o pegr leve-o
ao referido engenho ou a casa do Lulz Gomos Fer 1
reir no Mondego, quo ser generosamente recom-f i
pensado.
Fugio, nodia 10 do corrento, a tarde, o prclo
Antonio de nacao Angola que representa ter 4(
annoa pouco mais ou menos, porm'lem anda t
cabello preto ; be de estatura regular ; levou caigas
de algodo branco um tanto curtas camisa o cha-
peo de palha; tem os ps em balxo um Unto gros-
sos e o melhor signal que tem lio ler urna ferida
pequea em urna perna d muitas rlictoricas, 01
para melhor he esperlalhilo ; be de suprr quo lo-
masse a estrada de Olinda | or Ibe dizerem que por
esto caminho se vai para o serillo ; veio doCeai 111
vapor passado. Roga-se as autoridades policiaes
pessoas do povo c capules decampo que o appre
hendam e levem-no a rua da Cruz, no Recife 11. 37
segundo andar, que sero gratificados gencrosr
niciile.
Fugiram, no dia 8 do corronto, do engonli
Ramos freguezia do i'o-do-Alho dous escrav.
criouios um do nome Angelo, alio, prclo, nm pon
co vesgo desdentado na frente bem ladino de 3i>
e tantos annos : Diogo, de estatura mediana, pe*
alguma cousa apalhctados, gngo.de 20 e tantos afi-
nos; suppOe-se que o primeiro tei ido para o Ca-
tuc reunir-se aos rebeldes e o segundo estar-acoi-
lado por certa pessoa nesta cidade Quem os pegar
luve-os ao mesmo engenho ou na rua do Collegio ,
n. 5, que se recompensar : bem como so protesta
contra quem os tiverocculto.
Fugio, na noile do dia 12 do crrante o cabra
acaboclado de nome Raymundo, do 30 anuos pou-
co mais ou menos, de estatura regular, ebeio do
coi po, cara larga, ps grandes ; levou calcas de bnm
bruen, camisa de madapolao, chapeo de palb 1
umsurnTo com alguma roupa che pro vavcl mu;
de de trajos. Este escravo pertcnco a Mauoel Jus'*i_
Poreira Pacheco, do Aracaly. Hoga-se as autoridad,
policiaes ecapilos de campo, que o apprelieiida*.^ |
e leveni-no a rua da Cadeia do Recife 11. 34, cana d
Jos Antonio Ilaslos quu se recompensara.
?WH. Ni TTP. t)t H. r.;DI rAMt 1848
:
1
MELHOR EXEMPL


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ET30INS54_37LGCK INGEST_TIME 2013-04-13T02:26:35Z PACKAGE AA00011611_06202
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES