Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06199


This item is only available as the following downloads:


Full Text
jim*
XXIV.
Scxta-fcira I
n MiRtO |HiUlM-W todo* M dlaiqnp nio
0 a uarla: o rco da Mi(na(ura he
""'- _.......! _.., m.l.a.lmni (la
^'fl'pft'dillereiilf, por cada publicaf 3.
piUStS Di LA NO HEZ I* DEZB1IBRO.
.. ,. a S, as 5 horat e 47 min. da larde.
fr Xi. a 10, 0 boraa e '25 min. da raanb.
{loaal*. a 17, 8 hora* e M la. da man..
PARTIDA DOS COMIMOS.
Golanaa c Parahlba, arg. e eilat-felrat.
Rlo-G.-do-Nortr. qulntaa-frlra an uitro-ilia.
Cabo. Serlnhlein, io-Kormno, Porto-Calvo
MacUi, no I.*. a II e SI de cada mrx. v
Garanhunae Bonita, a R e 4.1.
Boa-Vliu e Plore, a i:l e -l.
Victoria, i quinlaa-fWras.
Uliuda, todo o dial
PREAUAR DE HOJK.
Prlmelra, s 8 hora c 30 minuto da inanh.
Segunda, ai 8 borai e 64 minuto da tarde.
rio Di'zcmbrn de IrU*.
Sftf.
wmmm
DKS Dt SEMANA.
i
II Secunda. S. Danum. And. tul. -lo or-
ptuoidol.riy. "I.i J.M.da i. .
1 Urca. S. Jualin. And. da J. do e. da
|. e do J. de pa do i. dill de t.
II Onarta. S. I.U/.I.V And. do I. do r. da?.
v. e do J. de paulo 2 dial, de t.
14 Quinta. Asnillo. Aud do J. de nr-
llM edo J. M. da I v.
Ift Seal*. S. Ku/.cbio Verelrne. Aud. d i J.
do el. rdoJ.depaidoldial.de t.
l Sabbado. S. Anania. Aud. do J. do c.
da 1 v. r do J. de pai do I dit de t.
17 omlngo.S. BarlhulouicodcS.Gemiuiauo
CAMBIOS NO DA M DE DP./KMBRO.
Mu Imam attd.porIfOOOra.aOdla.
l'ari
IJ'liM.i IJll p ir .-culo m piaa'"-
nii-.i.--iin.-ini ao par.
Hce.de lelt. de bn lirmn a 1' t ao niel
\...es da comp. de Beberll.e. ittfrl.M.
OM,.-Onca.l.e.pnl.olat M*iM a M*m
. Mo, da d.'/100 v. I7JUM a 7/iOO
. de0/400 n. lu/O" MJS?
. deTiOOO... 9/M) a 9/Wj
Prata Patacdei braaileiro 1/Ji> a l/JmO
. Peaoa columnarlo. 1/.M0 a /*
. Dito meiicauoi..... 1/880 a I/SW
DIARIO DE PERIAMBUCO.

___PARTE OFFICIAL.
MINISTERIO DA JUSTrCA.
Rio-de-Janeiro.Ministerio dos negocios da justi-
e,em 27 do novotnbro do 1848.
///*. e Exm. Sr.Corrmunico V. Etc.. para
din intelligencla, qtie por decretos datados de 95 do
Jrrenle houve S. M. o Imperador por bem remover
bacharel ios Thomar. Nabueo de Araujo do lugar
lo iuiz de dircito da comarca do Assu da provincia
do Hio-Crande-do-Norte para o lugar de juiz de di-"
roilo da primelra vara criminal do Recito, capital
dessa provincia, e dente para aquelle lugar o bacha-
rel Veli* Peixoto de Brilo e rilo. K sendo conve-
niente que o juix removido para essa provincia en-
tre ifilfficdistmente no verr.icio dn dito liiear. ha
or bem Sua Magestede o Imperador que V. Ele.
nesse sentido expeca as necessarias ordens commu-
nicando-lhe- que devet depois solicitar por esta s-
ncrcUra d'estado o competente titulo.
'' lieos guarde a V. ExcEutebio de Queirs Coilinho
Manato Cmara.Sr. presidente da provincia de Per-
nanibuco.Cumpra-sc e registre-se. Palacio do go-
crno de Pernambuco, 1* de dezembro de 1848.--
Ferreira Penna.
r\io-de-Jaheiro.--Ministerio dos negocios da jus-
tica em 27 de novembro de 184H.
lllm. e Exm. Sr.Communico V. Exc, para sua
nlclligencis, que por decroloi de 25 do crrante
houve S. M. o Imperador por bem remover o hacha-
re! Jos Francisco Arruda da Cmara do lugar do jun-
de direito da comarca do l'o-do-Alho dessa provin-
cia para o lugar do juiz de direilo da comarca da Es-
tancia da provincia de Sergipe. e desre para aquelle
lugur o bacharel Jos Tclles do Menezcs. E sendo
conveniente que este bacharel entre immediatamen-
te oo exereicio do dito lugar, ha Sua Magcstade o
imperador por bem que V. Exc. nesse sontido espe-
tis necessarias ordens, devendo elle dcpo> solici-
Im por esta secretaria d'eslado o competente titulo.
"Ikos guarda a V. R*r Eusebiode Qaetrtt* Coi ti-
nto IHattoio Cmara.Cumpra-ao e registre-se. P*j
lacio do goyeruo de Pernambuco, n do actomuro
de 1848.Ftrreirm Pi*na.
H II Na mesma data do cumpra-i, expediram-
se as convenientes ordeuiara plena execuQSo des-
ics dous avisos.
1.SEC.ClO.
Ilecreto de do novembro corrente, laxando mer-
c. Emvgdio Fernandes da Silva da serventa vi-
al ci, di olllcio do escrivfio do ju.xo muiiicipal da
cunda vara e annexos do municipio da corle.
dem de 10, nome.ndo ao rscrivOo deorphSosdos
IrrmoT reunidos de Relcm, Muanac Ourem.da pro-
v da do Para, Uarlholo.neu Jos Vicira, par. ser-
virolmcio d" escri.no da provedoria dos defuntos
ausentes dos mesraos termos. ,'
I cm de 14, fazendo nurcC a Candido Jos Velho B.-
lancourtde serveulia vitalicia do olfieio deescnvflo
dosSdo direilo civel e crime da pnme.ra vara
^Ide dem, nomeando o bacharel Antonio do Lo-
ci eSeMbs para juiz municipal o de orpl.aos dos
[rmos reunidas de Jacarchy eS.-Jose.n provmc.
d,!|Jc"trtade1Gdo novembro, nomeando o bacharel
Hanoel Tertuliano Thumaz llenr.ques para juiz mu-
Sjal o deophaos do termo da Piranga, na prfl-
'tmw'on fazendo merc a Berdardo Comes de
AWa srventi.vitalic. do oflioio do eolidedor
de capellas e residuos do municipio da corle.
GOVERNO DA WOV1NGIA.
lllm. o Exm, Sr. Acabo de receher o olDcio que
V. F." dir gio-mo em dala de boje participando o
resultado tfo ataque contra os revoll.-sos .ntrincbe,-
rados as maltas do Calde no da 10 lo jrrente,
e e,n rrsposU tenho a dixer que, cando sc.cn e de
.mloV.Ei. expoo, nflo posso, deixar de cong a-
lul^e con. V. Ex! por esto novo Iriumuho das
Wrcas legalislns. lano mais apreciael 9""bn .o
nossa perda consisti somonte na morle, ala mu o
...iv.1, dcumaireres, e no Cimento de um sol-
dado, o qucccrlamenlo se deve ao acert com que
V. Fx diisio a marcha das duas columnas, que tao
denodadamente avancaraoi sobro o acampamento
""Qutira'.'Toi V. Ex. aceitar os meus agr.decimen-
lopd? m.is e*steservi,o que presten .aicausa da or-
dem.na certeza de que em occasifio oppmUinr le
varal ao conhecimento do governo imperut nflo e
os nomes dos olllciaes que ma.S se d^lngu.ram
nestaaccao, como tambem aacircumstanc.asda ra-
milia do bravo alferes Meuczcs, que perdeu a vida
no campo da batalha. ... i n
I)-os guarde a V. Ex. Palacio do governo de I er-
nimbuco, 11 do dezembro do 18*8. Herculano ter-
reiru, puma. lllm. o Ex. Sr. brtgadciro JoseJoa-
quim Coclho, commandante das armas da provin-
cia.
lllm. Exm. Sr. Com rrar vi a communi-
caQ3o, que V. Ex. dirigi esta presidencia em olli-
cio de 18 do outubro prximo passado, do ha ver
^ tomado posse da administraeflo dessa prov.ncia, c
de gozar ella de tranquilizado. Administrando es-
la desdo o dia 4 docorronte mez, lisogoa-me do po-
der tambem assegurar V. Ex. do que tMbqullla a
cliei. o espero que nssim continu.
Sempre prompto me achara V. Ex. a cumprir ... da demissllo. ^2fi|^"5|^ I tirSsH^<^^^^^bAlXSi
orWuftoJneornonloseo^^^^
ao parlicuiar_oo ;
u iiaiutuiui uu ...
Dos guarde a V. Ex. Palacio do governo do Mi-
nas-Ceraea, 10 de novembro de 1848. lllm. o Exm.
Sr. Herculano Ferreira Penna, presidente da pro-
vincia do Pernambuco. Mi Ildefonso de Suma
llamos.
lllm. e Exm. Sr. Tendo a satisfaco de commn-
nicer V. Ex. que esta- provincia goza do tranquil-
idade.
lieos guarde a V. Ex. Palacio do governo da Baha,
j de dezembro de 1848. lllm. o Exm. Sr. presi-
dente da provincia de Pernambuco.
Francisco Goncalves Nartins.
lllm. e Ex. Sr. Tenho a honra do communicar
a V. Ex., que esta provincia goza de perfeila tran-
quilizada. ;
Dos guarde a V. Es. Palacio do governo de Ma-
cei, 13 de dezembro de 1848. lllm. e Exm. Sf.
Herculano Ferreira Penna, presdanlo da provincia
de Pernambuco.
0 presidente,
yoao Capistrano Bemdeira de Mello.
EXPEDIENTE DO DIA 13 DE DEZEMBRO.
Olllcio. Ao chel"e de rolicla, recommendando a
expcdic.no do sujs ordens para serem capturaJos os
soldados desertores do corpo de fuzireiros navaes
Jos Alves Pereira o Juvenal Francisco de Lima," cujas
confrontacooS constan da nota que romete. Par-
ticipou-se ao commandante das torcas navaes.
Portara- Exonerando do cargo de delegado do
tormo de Iguarass a Manoel Jos Serpa, a Hornean-
do para substitui-lo o coronel Manoel Thomaz Ro-
drigues Campello. Expediram-se as participagoes
do estylo.
os homens a tal ponto 1
Repartidlo da polica.
atroja** muiiIU DO DA 14 DO COMIENTE.
Frsm presos :a orden do Sr. desembargador
ebefe de policio, francisco das Chagas Riboiio, para
urna averiguaeo, a Manoel do Sacramente, por es-
pancamento;do delegado do 1.' districto, Jofo
AiTonso, Eusebio Marques da Silva Pao-Brasil; o do
2.8 districto, Antonio Francisco,da Paz ;do sub-
delegado de S -Antonio, o escravo Sabino.Dcstes
quatro nflo consta o molivo das prises.
0 1. Amanuonso,
A frigio Jos da Silva
INTERIOR.
CGRftESPONDENCU DO DIABIO DE PEItNAMDUf.O.
llia-de-Janciro, 27 de novembro de 1848.
Coma ebegada do vapor Impetalrte, entrado no
da 23 do corrente, tivemos noticias de Pernambu-
co al 16, que nos inteiraram dos acontecimentos
quo hi toem lido lugar; e frca be que confesso
que, por ma is que julgue aos partidos capazos do ex-
cessos e delirios, nunca pensei que o parldo praCi-
ro laiicasse milo das armas para conquistar as posi-
{Oes.cujo perda ern a consequencia necessaria da
queda da poltica que suslciitaya. Por mais que pro-
curo esclarecer-me, jamis atino com a rasflo quo
possajustilicar un tal procedimento; pois que, co-
mo partido poltico, sua misslo he combatir pola
imprensa e pela tribuna, afim de que, esclarecendo o
paiz, podesseum dia alcangar o tiiumpho de sua ciu-
sa. A rasflo nflo sodeixa demonstrar pelas'puntas
da bayonetas, nunca com o ribumbo do canhflo se
conquistara a opiniao publica ; antes pelo contrario
sflo esses os meios mais poderosos de crear o obco-
camento e o erro. O partido quo comprebendo sua
missflo politicr, que tcm ideias.e priocipios de go-
verno a realisar, nflo recorre as armas senflo para
sucidar-se.
Miuha sorpreza, portante, foi grande, mas a par
delta veio-me aconsolacAodequeos homens sensa-
tos, os polticos do todos os partidos, peuaam com-
migo, reprovam altamente esse passo, odizem quo
o partido praieiro quer por una ve aniquilisar-se.
A om deputado luzia induente o importante pela sua
posieflo, com quem conversava cu na occasiflo om
que recebemos a noticia, ouvi exclamar, pondo as
nulos na cabera : Aquel les homens estilo loucos ..
rompeu-sea minha allianca com clles: sompro dis-
se quo s quera opposicflo constitucional, equo
uuem pegasse em armas era meu inimigo. 0 mos-
ino Mercantil do 25 diz : Lamentamos do rondo de
nossa alma os acontecimentos de Pernambuco. Mal-
ditos sajan aquellos que os aconselharam com suas
palavras, o os que os tornarain inevilaveis com seus
actos. Mas, nassado o intervallo de lucidez, veio q
accesso febril, e.o mesmo jornalisla exclama com in-
- v r ..I-_ci culiicir atlfl ni!-
Crendoquea materia pensante da provincia nao
p lo adherir plenos revoltosos, nutro espera..Sas
dequeein breve tenham dcsapparec.do osaniolma-
doros; ocrcio mesmo que nflo sera preciso que o
governo daqui da corte mando mau MltM. poto
j-ulgo sunicientcs as que la so SChsM. Jadll4-
mo nessas occasies nunca a Idr? ho le mais,
o ministerio nflo se descuida, a acaba de deter-
minar que todos osoulciacs do segundo e quarto
hatalha-odo.rtilharia que tenham b^ o cuno
de sua arma eBosnio os que anda estojan* ludan-
do marchen, para essa provincia a rccoll.er-sa a seu
oorpos Os olliciaes do segundo sflo os sag ntes .
Capilflo, Hermenegildo da Costa Porto-Carreiro.
Ui'lante, Manoel Eloy de Olivetra.
Scjundo-tenento, Jos Pedro Nolasco Pereira da
Cunha.
Dito, Francisco Itaphaol de Mello liego.
Dito, Emiliano Bosa do Senna.
Dito, Tiluirtino Hilario da Silva Tavares.
Dilo, Jos Joaqun dos liis.
Alm de oflioaes vflo tambem alguns cadetes.
Pens quo todos elles irflo cm um vaso de guerra
quo est a sabir por qiialquerdessos das.
He ja rooheeidd o resultado final da clei^o, do
ministro da juslic-, que sabio elfito com 614 votos
havendo votado 944 elcitores ; o bsrto da Paral > I a
obtove nponas295. No anno passado, tendo votado
1,027 eleitores, leve aquelle 524 votos a este ..13;
boje com os mesmos eleitores o resultado he o que
se v ; islo he, o ministro sane elcito com ma.or nu-
mero de votos do que Paranhos, que foi o epulado
mais. votado com 613 votos, quando era secreta-
rio de Aureliano. Essa derrota anda ma.s ten -
mitado a opposic.no, que nflo so pelo ^cnnl'l,
como por una poreflo do peridicos avulsos, quaos
outras aves de procella, ataca o ministerio com mui-
ta violencia eexcossiva exageraQflo, """ s_f'"
fundamento, porque quem quer que fr que sei nflo
sclie dominado pelo maldito espirito de. partido, ha
de rerr.nl.ecer o Mfe"fTrudou? i'o^irc"u1ns"
nreseui* !<"" marchado com prujc. -
nccr.o principalmente, o ministro da fazenda, lor
res. que com tal imparcialidade e just.ca so tem Isa-
vi Jo nos negocios locantes sua roparticflo, que o
propiio *i<2 tem-so visto forcado a guardar si-
lencio a seu respeito. Ainda espero ver l-crraz sor um
dos seus maioros defensores.
0 mesmo ministro acaba de nomear urna com-
al issflo, composta de sete membros, para propdr as
alleraces que frcm convenicnlejt ao rcgulsmcnto
das slfandegas, tendo especialmente em vista : 1.
esUbolewr os moios de bem lscal.sar as rendas
publicas, e de prevenir o reprimir o contrabando,
tanto dentro dos portes como no litoral do imperio;
2.. rever n systema do impugnacocs estabelecido no
romilamenlo actual; 3 regular o syste.na de dep-
sitos do mercaderas cstrangeiras, do modo que la-
cilito e promova o commercio de transito *. auxi-
liar o desenvolvimento da industria nacional; o,
simplificar, se fr possivel f..z-lo sen P]0
liscalisaeflo das rendas, a escripturacHo das alfan-
degns. ICreio cu que foi esquecido um quesito mul-
to importante, o qual ho-reduzr ao menor nu-
mero os emnregados de todos as repartic.KS, para
melhpr andamento do servico publico. ) As pessoas
nomeadas slo : V. d'Abrantes. presidente da com-
mfssSo ; cnnsclboiro Joaqun Francisco \ianno, ex-
,ii,stn, da fazenda do'gabinctedo 20 dojane.ro
le 1843 ; Angelo Muniz da S. Ferraz inspector d sl-
fandega;Joaquim Teixeira de Macodo, escrivflo dn
mesma; rm Evangelista de Souza, negociante bra-
sileiro Joaqun Pereira do Faria, negociante por-
tiiRuez. muito entendido em materias do commer-
cio; e Diogu Berckhead, negociante americano ; pes-
soss todas muito habilitadas para indicar medidas
e reformas importantes. Tambem o. commet ido ao
concclho Je estado oexameda creac.flo dos bancos
existentes no imperio, para que a seceso respectiva,
sendo relator Vasconcellos, desse seu parecer, indi-
cando a ingerencia que deve o governo exercor so-
bre elles lie natural que Alves Uranco. membro da
scelo, divirja do Vasconcellos, pois que em 47 no
senado, om um debato havido sobro esse ponto, as
oniniOcs de ambos eram inteiramento oppostas.
Velo Todos os Santos entrado no da 19 temos no-
ticias do Bio-Crande-do-Sul al 11 : a provincia h-
cava tranquil la, e o presidente apromptava-so par
seguir para Uraguagana. O secretario do general
Andreas, Bernardo Joaquim de Mallos, veio nesse va-
por segundo uns para tratar do seus negocios par-
ticulares, segundo outros em comraissilo ao go-
verno, com communicjces reservadas : o que sei
hoque vollanodia30 en outro vapor que tem de
ir para o sul. ,
As noticias que temos de Buenos-Ayres por in-
termedio daquclla provincia, a seren verdicas, nflo
iflo mui solisratorias. lima carta particular trans-
cripU. no Jornal do ammercio diz que llosas espera-
va com impaciencia a resposta do general Guido,
sou ministro nesta cOrle, sobro a salisfaeflo pedida
pelos discursos proferidos contra elle; equo all r-
uav-se haver expedido orden ao general Mansilla
para passar Kotre-llios com 3,000 homens o o.OJO
cavallos das invernadas do norte alen dos 4,000 quo
Monte, tao milagrosas que imuuv.. -,--
sons teem adiado nellas remedio para molestias que
iLu .. i. l.MiihiiL mi
SOllS IUUII1 IieilUlaVJ llXiliaa i*,ia.x-...w r,----------------- --
suppunhamos incuravois ; dous ou tres banlios, ou
mcs.no algumas garraas que sebobam, be bastante
para isso. Ja la havia apparocido umeerto inonge,
Joflo Mara Agostinho, quo, fazendo espcculaQflo das
agoas sanias, quera tirar partido para busque anee-
lava-n s trannuilli.lado publica; maso subdelegado,
inteirado disso, p-Io as embiras, ^r*f"*""**
para a cidade, ondo na cadea devo estar muito me-
hnr do que conspirando.
0 capitflo de mar o guerra Cuilherme Parker foi
lomeado commandante da corvla 0. Irancisca.
pertencentc a divisflo do Ilio-da Prata, en substitui-
Qflo do capitflo-tenente BulbOes que passa a comraan-
dar a Dous-de-Julho.
Segundo as noticias recebidas pelo paquete inglez,
o vapor /). Alfonso nao podar ter reparado as ava-
ras que soffreu, o >" "* wvorpow-----:",
do auno. Esse vapor ja monte hoja a setecenlos
contns : s com os prepares que fez para ter um ea-
marim quando S. M. andar nelle, e tirar quando nao
for preciso, taslou-so pe lo de cincoenta conlos ;
mas, segundo dizem, he um vaso respeitavel.
O Wara do Rio de 25 (he actualmente a folha olH-
cial) Ira/, o scgiiinto: 0 governo britannico presen-
a teou o capilflo de mar a guerra J. M. Lisboa com
,. um cbronomelro do ouro, sobre o qual se le a so-
guinte inscrip?ilo : O'.Terecido pelo governo britan-
nirn ao capilflo Joaquim Marques Lisboa, da fra-
cata de vapor Affonto, em leslemunho da sua ad-
u miraeflo pola galhardia e humanidade com que
,, salvou muilas vidasdo subditos britannicos do cas-
co incendiado da galera americana Ucean Mo-
k narch.
Foi .iqui publicado o rolalorio que o ex-presidente
Costa Pinto fez ao seu successor. A maneira por quo
se elle exprimi, mrmente na Imparcialidade com
uuc iulgou os partidos que ahi se debatem, mereceu
geral applauso, o grangeou-lhe verdadeira estima.
Os gneros e fazendas salvos do naufragio da w
umzo oo.itos p:ira a fa/crnl publica, de trinta por
cenlo do direilo. He incontestavcl mo ao zc\o do
guarda-mr se devo o baver-so salvado Unta cousa.
Fdram ltimamente demiltidos quatro pralicantes
da allandega ; a creio que mais algumas demissoes
lerflo de verificar-se nessa repartieflo, porque o mi-
nistro o o inspector cslflo dispostos a po-la no pe en
que deve ficar.
Tendo eu dilo em urna das minbss passadas que
asbexigas aqui em muitos doentcs baviam sido
combatidas com feliz resultado pela homo-opalina ;
um Ilustre lilho da sciencia quo ah se estere.! por
izer a propaganda hommopalhica, dignou-se citar
minhas palavras. dando-llies a subida honra de re-
vesli-las do carador de fados. Beleve, pon, a pes-
so-i a quem me reliro, que alguma cousa diga a res-
peito daquclla medicina, bascado nos tactos que te-
nho observado, tanto qtiaiilo me he possivel compro-
ucnde-loscexplica-los; noque, desde logo decla-
ro, nflo me movo o intento de querer impor a S. 8.
as minhas ideias, ou aaelarear urna questeo que el-
lo devo ter discutido com bastante lucidez. Quo a
ortica dos medicamentos bomuiopalhicos nflo pode
ser desprezada sen grave mal da hunianidade, he
para mim cousa inconlestavcl, efora do alcance de
'lualuuerduvida para os espirites desprevenidos que
buscni a verdade despidos de certos prcconccitos.
Nflonuo eu admita a homa-opalliia como a nica
medicina verdadeira, capaz dedisnenssr e excluir
os systcnus o principios eslabelecidos pela velha al-
lopalhia; senflo como um vantajoso recurso thera-
peutico muito ellcaz om certas molestias. Aquella
nflo pode excluir esta, nem esta aquella ; o uem se
diga ceei lucra cela : o concurso de ambas he in-
dispensavcl, sendo cada urna applicada de per si,
conforme o carcter e natuieza do mal. as moles-
tias agudas, em que o mal sedesenvolvecom mais
presteza e energa, rccorrcrci sempro ao systema
homoupathico, pois que algum ostudo que tenho
feilo sobre isso, me tem convencido de sua superio-
ridade emtaes casos; ndoassim, porem, na mo-
lestias chronicas, em que, leudo o mal progredido
vagarosamente, precisa quasi sempre que a curato-
liba a mesma marcha. E como a honueopathia, ou
seus modicameiitos teem urna acQflo muito prompta,
nflopdera servir no caso em que seja mistar urna
cura com lenteza. Alm de que a loi dos seinelhantes
nem sempre lio exacta : e para nflo eslendor-me mais
do que conven aos limites desta, lembrare apenas
que com o nitrato de prata muitasvezes vencemos
a epilepsia, no entente que este sal nao produz o es-
tado mrbido que cura: mullos casos desses lam-
ben se dflo com o c.ixofic. J se ve, portante, quo se
s allendessemos ao xperienoa ,n komine sano -
loriamos de receiar muilas vezes aapplicaclo do mo-
dicamentos, cuja cfllcacidade ho altestada.pela ox-
ncricncia. Nflo me querendo alongar, concluire di-
kendo que ambos os svsleniaa .lovem ser pralicados,
quo ambos curam quando o mal he cursvel.
accesso icurn, ou uiva...j-------------------
de'Corrientes, tem ordom de reunir teda a frga
possivel, a obiar debaixo das ordens de*rquiza.
iambcm sobre a negociaeflo Soulliern, parece quo
^ i f __* .. ., .I i *m ale m ^ 11 !1 XI*
qc"ia' aind'a mVi horroroso, espalham se per toda
a sua superficie verdadeiros instrumentos de matonea
S TelZge, com o nomo de ;^J^U^ |. ""37 uTa'no^mprcou anda m^is a sua
oadesdemiUteas, quo'nao linh.n. recabido nol.c.I viado.
A nuestflo thoatral Noria que tanto deu que fazar
nosaiireciadoros daquclla cantora, lindou nflo sendo
cllaescriplurada; pelo que partir por esses dous
das para Valparaso. Iluem-me quo os ilcttanti
s-iis amadores teem fretado um vapor para.acompa-
iiharem-na em seu bola-lra com msica a botdo. o
seu beneficio do despedida recebeu as maiores de-
nioiislracOcs de sympalhias ; ojTereceram-lho mes-
mo na scena urna capelta de flores com um laqo de
brilhanlos de subido valor, comprado pelos seus
I apaixonados; bem como o seu reUslo poste om qus.-



'
i
m *




,r<> bordado por mo.le certas bellezas de alta po-
iclo, cm pruva de alle.to. *
Milito enthiutosmo tem causado uotlicatro fraii-
cei a Vwla i/t Poriiri.
Dnem que com a cliegada da paquete- ae ronflr-
mura a noliria da morto mis que a tiossa orle n.lu daru publiracSo olliciai
' nova sen...; dupois du da i de dezcmbro, pois ue
nao poderia havcr cortejo nesso da so ella csti vase

PERNAMBUCO.
QtARTEL DO COMMANDO SIPERIOIt INTERINO DA
Cl ARDA NACIONAL DE DUNDA EICUARASSI".
Ordem docommandosuperior, emWdedenem-
bro de 1848.
Cumprindo que o servico da guarda nacional seja
feto regularmente, manda o eommandante superior
inieriiiu da mesma, que os dous batalhoes do que
ao compOe a primeira legiSo se aprcsentem no cam-
po da parada no .lia 17 do correnle, pelo quo ordena
o mesmo commandante superior interino ao Sr che-
le interino da primeira legiJio, o faca constar aos
.Srs. commandantes dos referidos uatalhoes, para
que assim ocumpram.
O mesmo commandante superior interino, vendo
o estado de timidez cmqueseacham os respectivos
guardas, porterem os ex-comman.lantes dos mes-
mos uatalhoes, ahusando daautoridadc deque so
lugar competente, lie ludo quanto lemoa do dizer
o Icitores Acerca das noticies que recebmoa pelo
San-Salvador quanto a corte do mrerio; e poi
pe asaremos tratar da Dahia.
Essa provincia conlinuava a gozar de trnnquilli-
ridicos que bem se parecem com as fallas opposi-
cion islas que correm nesta cidadojeo Exm.Sr. Con-
calvcs Marlins cada da so tornava mais digno da es-
tima e amizade de seus concidedos pelo liem quo
ia dirigindo os negocios pblicos.
O Exm. Sr. general Seura haviachegado Bahia,
e tomado posse do respectivo commando de armas.
O Mercantil, dando novas de Sergipe, relata ose-
guinte:
A 7 de selembro ullimo correu o sanguo brasi-
ler em Larangeiras e llabaiana. O promotor Jos
lelles requereu a priado de tres membros da
mesa parochial de Larangeiras para assim com-
prirnir o voto da maioria quo alli pcrlence ao
partido camondongo. A igreja foi cercada por
um destacamento commandado pelo capililo
1 oritcs para auxiliar esla desptica prisflo en-
tretanto rompou o fogo. (dizem que da 'parte
da tropa; e travou-se o conflicto. Os camondon-
gos om maioria trataram da propria defesa, e da-
ni resultaram oitentn fenmentos. Des le acle-
CONSULADO PROVINCIAL.
REMHJIENTO DO DA 14.......... 2:144,79

toverno de S. M. Imperial, pelo seu delegado nos-
ta provincia, pondo em pratica seus principios de
juslica e amor para com os seus sbitos, osacolhe-
ra sumprecomo fiis alliados a causa da legalidade
comparecendo os n.esirios guardas 80 chema ment
do seus superiores, como ora Taz o niesmo comman-
uamo superior interino.
Danciscde Paula Souza I0.
MK
BiiiitJiPiUiiDce.
nrCITX, 14 DE DEZEMBKO DE 18<8
V4PO DO SUL.
0 vapor San-Salvador, chegado boje dos poitos
dosul, trouxe-nos a carta do nosso correspondcnle
na corle, que os leitores tero vislo sb a rubrica
competente; bem como diversos jornaes fluminen-
ses c bahisnos : estes at 6 do correnle, e aquellos
at 28 de novembro ullimo.
O Rio-de-Janeiro ficra om plena paz.
O gabinete conservava-se solidario : reinava en-
tre os seus membros a maior harmona, ao nassoque
a coroa como que scesmerava em dar-Ibes as mais de-
cisivas prov**- ,-cira stuacilo.o ministerio nada poupava por minis-
trar ao paiz os bens que este espera delle, o todos os
das recebia documentos de adhesSo lilo irrefragaveis
como essa votaeSo compacta c cerrada que obtove o
Exm. ministro da juslica.
Os desastrosos acontecimentos, que li3o tido lu-
gar nesta provincia, fizoram na corte a improssSo
que erad* esperar; queremos dizer, mereccram a
auimadversaoda tentehonesta csensata do lodosos
partidos: osprop.ios santa-luzias furos osreprova-
ram altamente, c protcstaram desligar-sodos loucos
que os provocaran!.'!! Eis o resultado da criminosa
precipilacflocomqueiDeia duzia do homons dege-
nerados bastearan! a bandeira da revolta nesta Ier-
ra, anda ha pouco [SO famosa pelo SfiU espirito du
or.lem : -connagraram a provincia fizeram quo
sederramasso urna grande porcSo do precioso san-
gue pe.nambucano; reduziram viuvez e
orpbandade muitas dezenas de mu Hieres e meninos
innocentes; commetleram o feio delicio de so re-
bcllarcni contra um governo benelico, que scesfor-
5*va por ser prudente e moderado ; -e, alm de
nada baverem conseguido aqui, ,9o desprezados e
condemnados por aquellos mesmos que inculcavam
ao incauto povo como seus mais decididos protecto-
res!!.... He urna licito meeira: Pra a Dcos que
Ihes aproveite.
camondonr/os comecaram a sofTror demissOcs o
perseguicOes. Em Itabaiana houveram mor-
* c. 1.rerJn,e"l0S tambem a sete do setembro.
Este da foi assignalado em quasi todas as pro-
vmcias por desordens, s quaes nunca fram es-
tranlias es autoridades, ni. <*aam n ~-~~-----
ma do quo fez na cite'o "governo d'eto O m"-
nistorio de 29 do sntembro achou nesle estado
quasi todas as provincias. He de esperar que ello
atienda ao que se passa em Sergipe, ondo (So ner-
seguidos os homons honestos que prestaram ro-
al apoio as adminislragoesrdos Srs. Tosa e Pc-
relti os melhoTes presidentes que essa provincia
* lem i ido, u
RIO-DE-JANEIRO.
CAMBIOS K0 DU 27 IIK NOVMi-O IIK 1848.
Cambios sobro Londres.......24 1/2
Pars.........390
llamburgo......70
Metaes. Oncashespanhlas.....31,200* 31,500
da patria.......31,000 a 31,300
i Pecas de 6,400, velhas 18,000 a 18,500
Pesos hospanhes......2,020 a 2,040
* h da patria.......2,020 a 2,040
Patacoes...........2,020 a 2,040
Apolccsde 6 por cento......88
i provinciaes.........871|2a88
C Jornal do Commercio. )
All A.
CAMBIOS NO DA 5 DE DEZEMBKO DE 1848.
Londres ...........24 a 24 1|2
Pars...............nominal
llamburgo............
Lisboa........-......120 p. c.
Mfaat.
Oncas hesponhlas........31,800 a 32,000
mexicanas ........31,200a 31,400
Pegas de 6,400 ........17,200 a 17,500
Modas de 4,000......... 9,300 a 9,500
Patacoes brasileiros........2,000 a 2,020
hespanhes.......2,000 a 2,020
mexicanos.......2,000
C Uercantil.)
Afovimento do Porto.
Correspondencia.
Entreunto, o governo lamenta a cegueira dos
nossos improvisados poltico,, o assim como appro-
vou a modcraco com quo o Exm. Sr. Penna cstreou
aqu. asua administrado deconformi.lado com as
instruccoes que trouxera, esl disposto a validar
todas as medidas de energa que S. Exc. assentar
de recorrer para concluir a grande obra do pacificar
e provincia e arranca-la ^oragem da anarchia.
Os verdadoiros Pernambucanos, pois, devom do
csUr tranquillos, e onlregar ao merecido desprezo
as bravatas com que a oppjsi C3o busca inculir-lbes
o terror nos nimos. A presidencia vela na sua sor
te, o nada esquece para loma-Ios felizcs. Essas bra-
vatas sSo os ltimos arrancos do ini.nigo impoten-
te o plirenetioo. que, ainda mesmo nos paroxismos
da morto,cobre de i.nprecacOes aquellos a quem nSo
podo fazer todo o mal que desejava.
Oque ah fica cscripto, o caria a que nos referimos
om principio, e as pecas olliciae, que exaramos no I
Sr,. M/c/or.-NSo pude ler com indilTerenca
a pequemna correspondencia do Sr. Francisco Paes
llarrelo do engenho Velho, inserta no Diario Novo
de.... em que S. me. sequeixa de havc-lo o Exm.
presidente da provincia removido do commando do
-' balalhSo de guarda nacional da frecuezia do Ca-
bo para o do 3." da mesma freguezia, attribuindo
ao mesmo lempo um semelhante acto vonladede
/azer urna tnverso gtral.
Embora nflo esteja nos segrodos da administracSo,
o por isso nOo possa bem conhecer os motivos que
ie\coh.xm. presidente para removoro Sr. Brrelo
eomludo posso dizer que nonhuma injuatica selhe
refe r ma "P8"^? en Que so ai-lia o Sr. l'aes Br-
relo. S. me. deve lembrar-sedeque. nomM.1I.4L
quairo para cinco uiezes commandante do a." b.ta-
Wflo de guarda nacional do Cabo, nunca loinou pos-
se nunca praticou o menor acto que possa ser ava-
lado como um servico. e mesmo al boje ainda
nao se acia fardado e titulado, como me consla,
eui virtud do que deveria excrcer as funccOes do
commandante, deixautlo o bataiho a roatrca ; e
como pretende agora reclamar contra um acto quo
do maneira algu lya o fnre ? Como classifica de inver-
sflo essarcmocSo, quando o presidente, precisando
los semeos do 2. balaltiHo, nflo tinha quem diri-
gir-se, pois quo o commandante nomeado nilo esla-
va prometo, nem o respectivo major? Ainda quei-
xa-sc o Sr. Paes llaireto dolor sido arredado do
commando d'um balalhil.j quo eslava mais prximo
a sua residencia para outro que Ihe fica mais arre-
dado istohe, sem duvida, graca do Sr. Paes Bar-
reto Pois S me. esta persuadido do que as nc-
ccssidadcs c urgencias do servico publico devem co-.
iierascominodidades d'um commandante do bata-
HiSo ? Pois ci o Sr. Paes Brrelo que deveria ser
respeilado 110 momento cm que, precisando a admi-
nistracSo llura chelo de batalhSo aclivo, encontrava
S. me. nomeado ha tantos mozes sem que ainda ti-
vesse dado o menor signal de vida ? Isto he oreu-
1.0 de mais, lenha paciencia ; poisS. me. loto tanto
de militar como eu de frade.
Ja v. portanto, oSr. Francisco Paos Brrelo oue
a administracSo da provincia em quiz fazer essa
tnytmo geralo que Talla S. me, nem tambem quiz
arredar de s. homeus quelhe possa.n prestar se'rv-
COJ. O seu acto lu dictado pelo interesse publico e
pela prudencia, sendo quo S. me. foi a ouuaa prin-
cipal delle, visto 11S0 ler at agora cumprido. me-
omado l8tteS ,0hMS,nU ca^' P.r,quomfoi
Sirvain-so, Srs. Bedactores. do inserir estas pou-
cas iiuha sem seu acreditado jornal. '
O Juno.
Navio, entrado, no da 14.
Limerick 32 dias, polaca sarda Calharina, de 179
toneladas, capitSoH. Cassanova, equipagem 12
cm lastro ; a ordem. '
Liverpool; 34 dias, galera ingleza Bamty-Uall, de
401 toneladas, capitSo James Macbeth, equipagem
10, em lastro; a Me. Calmont & Companhia.
dem ; 32 das, barca ingleza Roisendale, de 297 to-
neladas, capitflo E. Couldenff, equipagem 16, em
lastro ; a James Crabtree & Companhia.
Oran; 25 dias, brigue sueco Rapid, d?279 toneladas,
capuso Z. Dannbug, equipagem 12, em lastro : a
ordem. '
Tripani;C0 dias, barca siciliana Antonielta, de 315
toneladas, capitSo Jos Bailo, equipagem 14. car-
ga sal ; a N. O. Bieber& Companhia.
llio-de-Janciroe Bahia; 15 dias o 15 horas e do ul-
timo porto 16 horas, vapor brasileiro San-Salva-
dor, de 300 toneladas, commandante o primeiro
tenenle Antonio Carlos de Azeredo Coutinho e-
quipagem 29 Passaceiros : par esla provincia,
>. Mana Bernardina de C.usmSo Coelho com 5 fi-
tz iV.irsTOnt^,irfffTfe teld
Cos" '
llio-de-Janciro no dia 17 do correnle ; ainda --
be alguma carga epasiageiros para o que iem .
callentes commodos : trata-so com Francisco ai
da Cunha roa do Vigario, n. 11. AlrV
Vende-se a escuna americana Ouletit, foma
encavilhada de cobre, com velaa nova, e Mo"\*
para seguir viagem : os concurrentes dirijarn-i
eonsignatarioa, llenry Foster & Companhia r...'?'
Trapiche, caaa n. 8. do
Para o Bio-Crande-do-Sul seguir breve
lacho l)out-de-Marco, o qual ainda pode frcelier T
guma carga o escravos a frote : quem no m^smo rer car regar ou embarcar escravos, enten.la-se r
os consignatarios, Amorim IrmSos, ra da Cade!*
-- Para o Rio-Grande do-Sul sahir. breve o b
gue LeOo, recebe carga e escravos: quem Drti,
der pode entomjer se com os consignatarios i
rimlrmflos, ruadaCadeia, n. 39. "
A barca nacional Tentativa-Felii segu pin
Bio-dc-Janeiro com muita brevidade, por ter r,
de parte de seu carregamanto prompta : para oV
lo e passageiros para o que offerece os mais ricos
asseados commodes. assim como para escriw,
trata-se na ra da Moda, n. 11, com Silva & Cr||0'
Para o Aracaly sahe, impreterivelmente tu '
da 20 do correnle a mais tardar, com a carga
tiver a bordo ohiate Novo-Otinda, por terjaenra
jada parte de seu carregamento : quem nelle au
zer carregar, se entender com o mestre do res
mo, Antonio Jos Vianna no trapiche novo, ou .
ra da Cadeia-Vclba, n. 17, segundo andar.
-Paraoftio-de-Janeirosahe, com a maior brevi
dade possivel, o brigu nacional Ligeiro, de eri
merra marcha : para carga, escravos a frete eL
sageiros, para o que tem Mcejlentes commodos in
la-se com Manoel Joaquim Soares na toja de' fer
ragens, ao p do arco da ConceicSo, ou com No
vaes & Companhia na ra do Trapiche, n. 34. 4
-- Para o Rio-de-Janeiro segu, com brevidade o
bnguc-escuna nacional OUnaa : tem pule de sai
carga engajada para o rest, passageiros e escra-
vos a fete, trata-se com Machado & Pinheiro, di ra
aa cadeia do iteciie, n. 37.
Para Lisboa pretende sahir, no dia 24 do cor-
rente, o brigue brasileiro Viriato : quem quizer car-
regar ou ir de passagem, para o que tem os me-
ntores commodos dirija-se ao consignatario, T/10-
maz de Aquino Fonseca na ra do Vigario n. 19'
ou ao capitSo na praca do Commercio.
Avisos diversos.
loo Mar la SeVe com 1 escravo, Francisco Jos d
tosa Araujo, os Francezes Dr. Augusto Jernsleds
e Dr. Marius Forte, Flix Ferrcira d'AnnunciacSo,
Jos Fehsberto da Cosa Cama, alfores do primei-
ra Imha Antonio de Moraes Pimentel, 66 pracas de
pr.t, Manoel Lourenco Carneiro Monteiro e 1 re-
ci uta para a marinha ; para o Cear, o alferes Ma-
noel Xavier Torres ; para o Maranho, Jos Ricar-
do da Silva Machado com 1 escravo ; para o Para o
tenenle Manoel Joaquim de Barros, o piloto d'a'r-
mada EJuaito Augusto de Souza.
Taman.lar; 2 dias, brigue-escuna de guerra brasi-
leiro Andorinha, cominandante o capiSo- tenenle
Lourenco da Silva Araujo Amazonas. Passageiros
Pedro Delgado ttorha, Francisco Delgado Borba'
padre Ignacio da Cinha Souto-Maior, Francisco
I heodoro de Macedo.
Ceursey ; 32 dias, luger inplez Lavinia, de 157 to-
neladas, capilao JqIiii Le Lacheur, equipagem 9
em lastrv ; a Lo Bretn Sch.amm. V B '
Natos takido, no intimo dia.
Canal; briguo nglez 0/0, capitSoCeorge Miller
carga assucar. '
(rallar ; brigue dinamarquez Uaria, capilSo M
lionde, carga assucar.
Ueclaraces.
COWWCRCIO.
ALFANDEGA.
RENDIUENTO DO DIA 14...........i2:645,700
Detcarregam hoje, 15 dedezembro.
Brigue Wetlmoreland bacalho.
Brigue Randolfidum.
PalachoAter tabeado.
wi. ,,? deguerri preci8" con'ratr um ser-
vente coz.nheiro, para tratar da comida dos educan-
dos : quem nestas circunstancias estiver comnarc-
expnedS,lode8UdrCCl0ra qUt""Uer "-?
,. O escriturario,
francisco Serfico de At,i, Canal ho.
Avisos martimos.
iMrWfACAO*.
Alen, patacho sueco, vindo" de Colhcnburg en-
trado 1.0 correte mcz. consignado a uimon &
18 Companhia, manifestou o seguinle M,n,onl &
-|a.cSo';0:osJcons,^
CONSULADO GERA*i
REND1MENTOIVO DIA 14.
,l*!?,^? 8,be' '/"Prelerivelmento no dia 22
do correnle, a sumaca F/or-do-Angelim com a car
ge que t.ver a bordo : para a mesma c passTgeios"
rata-secom o mestre, Bernardo de Souza 08htoS
lu.z JoscdeS. Araujo, a ra da Cruz, n 26
- I ara Lisboa partir, com a maior brevidade no*
sivel.oh.a.e portuguez hsnteulador, lab "codo ~"
ceriiemenle; .em parte de seu c.rreg.men promo-"
la. faltando-lbe cerca de 3,000 arrobas : quero DMm
Ceral .
Diversas
prov;ncia-s-.;::::::;:;:;:;3:693;765
3:693,765
-cebecarga a ^T^ielZel^ST^
pretender carregar .ou embarcar, falle corno din
capilSo na praca, ou com Manoel nado de ni
ve.ra ia praca do Commercio, n 6 ''"
- O brigue porluguez Maria-Feliz de ou i. n.
O Brado da Homo n. 6 est hoje venda nos lu-
gares j annunciados, desde s 7 horas da manhili,
O vigario de S.-Antonio do Recife mudou sui
residencia da ra Nova para a ra Bella segundo
andar do sobrado do Eiras.
Urna parda de bous costumes, e que di fiador
sua conducta se oITcrece para ama do servico de
urna casa de pouca familia ; a qual muito agradar;
quem de seu prestimo so quizer ulilisar, di rija-sea
ra do Aragfio, om casa do lente Candido Leal
Ferreira. -
Na terca-feira 12 do correnle, a tarde, apa-
receu na ra Nova, n. 25, um rapaz que diz chamar-
se Antonio ; reprsenla tor 18 anuos; he forro, pe-
dia que Ihe dsscm de fazer mesmo pelo sustento :
portento se alei'om o juigor coid dlrcilo ao mes-
mo. pode dirigir-se a mesma loja.
Jos Francisco de Lima com refinacio na ra
Direita vendo no Diario de Pernambuco, de 14 do
corren te, um annuncio de nomo igual ao do annun-
cianle em que diz relirar-so para fra da provin-
cia declara o mesmo annunciante que nenhuma
parle leve em lal aununcio e nem com elle so deve
entender.
O abaixo assignado, tendo de paseara Testa com
sua ramilla na cidade do Rio-Crande-do-Norte, au-
scnla-sc desla praca por alguna dias.
Jos lourenco do Amaral.
Didier Robcrl & Companhia fazem sciente a to-
das as casas de negocios que nflo se responsabilisam
por quaesquer azendas que seus escravos tomarem,
porquanto a isso nilo estilo autorisados.
Em resposta ao anuuncio de J0S0 Rodrigues
Coelho no Diario de 'ernambico n. 280 : he mc-
Ihor que o mesmo Sr. osciloclafate do que de li-
yreiro vislo as obras que o Sr. tem a presentado ,
hflo do se parecer com a mesma chimica.
Joflo Bernardino de Sena, Brasileiro, vai ao Rio-
de-Janeiro.
"0Sr- Josquim da Fonseca Soares de Figueriedo
dmja-so a ra do Queimado, 11. 14, para o qae nSo.i
ignora.
Quem annnnciou querer comprar um cachorro
Tnuito bravo, dirija-so ao Aterro-da-Boa-Vista ,
n. 75.
Luiz Jos de S Araujo embarca para o Rio-Cran-
de-do-Sul o seu escravo, de nome Jos.
Jos Francisco Marinho carcereiro da cadeia
do R cife faz publico que na dita cadeia estflo pro-
sos os escravos : Manoel, do Sr. Saner ; Jofio do
Sr. Jos de Carvalho ; Joflo, do Snr. Manoel Jos de
Moraes : para que os dilos Srs. tratero de os soltar,
por isso quo estflo presos, o oriroeiro desdo 15 de
de/embrode 1846 o segundo' desde 23 de abril de
1847, o o lercciro desde 15 do maio do correnle
auno.
-- Rodolfo Sickmann, natural de Allemanha, vai
para a Bahia.
-- Desapparcceu, da Piranga, um boi grande la-
vrado, j vcllio : quem o adiar leve-o ao caixeiro do
cbafarizda ponte da Boa-Vista, que recompensar.
Hoje, 15 do crrenle, c'cpois da audiencia do
III m. Sr, Dr. julz do civil da | rimen a vara se li
I* arrem a lar, por ser a ultima praca urna casa ter-
rea na ra da S.-Croz 11. 44, freguezia da Boa-Vis-
ta por execucSo de Jos Lopes contra os herdeiros
do fallecido Jos Mauricio ds Oliveira Maciel.
No escriiptorio de Jos de Almeida Brrelo Bas-
to, ra da Cruz, n 63, assigna-se para a iropresiilo
da sagiiinieobra 1 Com mentarlos do conde dTrary
ttfllira i\ BdUlln.Ualaia A* U_....__.! .' U...n>i
Para o Itio-de-Janoiro sc*up Vm h,l--. d\ "guinteobra Com mentarlos do conde UeTiary
o brigue S.-lanoel-Auguao "RMtoJ^20'h)'nonVMloW de Montesquiea Jemofia
recebe carga a .rete pSeros o escf v 'TjJ "b i .,"!,iM i""'" mor" de.""? p0V.' ?"L!;
uvav w* NIDIWB w i*iiau*l IllUIfll US3 Ulll |IU>VU> OUI
creve-ae por 4,000 r. /pagos 110 acto da entrega da
obra.
A pessoa que annunciou querer escrcver nos
domingos c dias-saiilos, diiija-so a ra Imperial,
n. 39.
Appareceu, no dia 11 do correnle, pelas 10 ho-
ras da inanliSa, na ra Imperial 11. 37, urna parda
de nome Anua, com una cria do tres me/es. que diz
ser escrava do Sr. Joaquim Barboza de Moura, mo-
rador em Santo-Amaro-JaboalSo, pedindo para coin-
sgem se entender vZ V lr ue "s' r""or c- "i-n-u-i.iu.iiu, ,.cui..uu ,....- .-
Joaquim de. Sou tihir *0l,,nn,.r? Ant""o P-la : assim, o dito Sr. appareCa na casa indicada,
da Cadeia n 18 ou 2 A ?V?? cscr,Plor, Ja ra aliro de ver se podo azer negocio, assim como se faz
-- O pata'cho n.c,onTi?r^p,lil0r' "a ?"*' vcr ,0 dit0 Sr "3o rosponsabilis. pela fuga
iliado"ue1 co ZJ .' r"a,,0,e ncavi- dadi!. eaorava, 0u por ua|uer outro conteci-
iiiauode cobre, segu imprelenvelmenle para o i ment que possa apparecer.
MELHOR EXEMPLAF


*
.. jo.loOubois embarca para o Itio-de-Janeiro
,ri escrava criouli, de nomo Joanna.
_ y, rui das Cruzas, n. 3S, primeiro andar, pre-
<.i-se alugar uma prota, quo ilrva para vendar na
ra.
{'reservativo contra os bichos
quecorroem os livros.
.l.i.'io Rodrigues Coelho, encadernador,
h.i na co Queimado, n. 44 primeiro
andar, usa as encidernacoes dos livros
jc certa composicao chimica, ingleza,
que os preserva de corrupco ; e enca-
derna por commodo preco, e com.segu-
ranca.
..i,, nonriot, subdito francez retira-separa o
no-de-Janeiro.
Alcrro-da-Boa-Vista, n- 10,
pom malean cutieiro o.
armcho.
Acaba-se de recebar, palo ultimo navio chegado da
Franca, um sortitnenlode cutilacia fina, bem co-
mo : tesouras grandes para alfaiate ; ditas para cos-
tura da senhora molde rico e do ultimo gosto;
JL./ejardim para cortar llores; ferros de varios
mu/,js para o sscio das minas ; caivetes de mo-
ij jilos para aparar pennas ; estojo de viagem pa-
n'liomem; espingardas; bridos; cabezadas; chi-
rotes para carros"; Tundas; navallias para barba,
elc : ludo de superior qualidade.
'ofrerece-so urna mulher J de dado e de mul-
to boa conducta para ama de urna casa de liomcm
solteiro para todo o erviyo de portas a dentro : na
ruaVdha, n. 91.
Aluga-se um dos sobradinhos da travessa do
Carioca : na ra da Praia, n. 3.
*in>'a-so o primeiro andar do sobrado n. 43,
da ruda'Praia, com bons commodos e frescoj: a Ira-
tur com Thomaz de Aquino Fonseca, na ruado Vi-
pa.-No da 5 do corrente, perento o Sr. doutor juiz
'lanrimeira vara do civel, na casa das audiencias,
(inda estas, se ha de arrematar um escravo, poroxe-
cuedo de Jos Antonio de Oliveira contra Luiz do
llego Barros. ,.','",
-. Teudo-se desencaminbado do poder de Antonio
Rodrigues de Souza um valo de 240.000 rs., passa-
(lo por Francisco Antonio da Silva Valenle em um
dos dias do presento mez no lugar de Pedras-de-
Fopo.ecomo o dito vale foi pago pelo mesmo Sr.
Valenle aquello Souza fica elle sem efTeito algum ,
no caso de que fosse achado por alguom.
-- No pateo da matriz de S.-Antonio, n. *, segun-
do andar, liram-se passoportcs para dentro o fura
do imperio, tambom para cscravos, e correm-se
fallas oor preco muito rasoavel.
-Nooilfiuda matriz de S.-Antonio, n. 14, engom-
mi-sc e lava-se com asseioe presteza.
-- Precisa-se alugar um molequo para o serviyo de
urna rasa : na ra do Trapiche-Novo, armazcm u. 22.
--OSr. ios Lourenyo do Amaial deixou de ser
ciiieiro dos abaixo assignados desdo 11 do corrente.
Policarpo Jote Ijiyine $ O.
Precisa-sede urna ama deleite torra ou capti-
va : na ra da Santa-Cruz na Boa-Vista, n. 82.
Aluga-se una casa terrea na ra Augusta n. 30,
comduas salas, tresquarlos, cozinha fra, quintal e
cacimba : na ra larga do Rozario, padaria, n. 18.
-- Precisa-se de um traballtador de masseira,
que este so queira subjeitar a entregar pilo com um
preto cm alguma freguezia : paga-so bem : no pateo
da Santa-Cruz, padaria n. 6.
A'a rus das Cruzes, casa terrea n. 19, precisa-
so de una ama para o service interno e externo de
urna pessoa sofleira, o sem (illios. Dirigirse a mes-
ma casa qualquer hora.
A. P. de Figueircdo tem uberto
um curso de pliilosophia, geometra,.in-
glez e francez, na ra estreita do Rosario,
n. aa, primeiro andar.
-Na ra do Sol, n. 13, so aluga um moleque acos-
tumado ao sur vi yo de cass estrangeira e que cozi-
nlia e compra na ra.
- Precisa-se alugar um preto para conduzr pao
lodos os dias de mnh<1a para fra : na ra larga do
Hozarlo, padaria, n, 48.
- Furtaram, lia tros dias, debaixo do copiar de
urna casa no l'd'co-da-Panella, um cachimbo de bar-
ro branco, muito grosso, com guarniyes do prata :
inom o levar i ruada Cruz do Itecife, n. 10, rece-
lar 10,000 rs. de alvicaras.
-Ai renda-so um sitio na estrada de Relm que
yai para Santo-Amaro, com boa casa do vivnnda e
boas arvores fructferas: no Atorro-da-Ba-Vista,
n. 42, segundo andar.
-lcseja-so fallar rom o Sr. Jos AlTorlso Cuedos
Alcanforados negocio de seu interesse, ou com pes-
sua que saiba dar exactas informayos deste Senhor:
na ra do Cabug, n. 1 C.
- Os Srs. Fr. Manoel Joaquim do N. S. Mili dos Hu-
mens e vigark) Camillo doMcndonya Furlado quei-
ram procurarduas cartas queexistem na ra do Ca-
H, n 1 C.
#
* Na padaria do becco das Barreiras e deposito
9) da estrella n. 39 no Aterro-da-Boa-Vii.ta
) fabrca-sc o novo po de Provenya o qual he #
* fabricado pelo mclhodo de seu primeiro in- U
1 Iroductur nesta provincia com as melhorcs
* farinhaseasseioquo lie possivel: tembeui se %
l'izem falias do gosto bespanliol, liiscoulns,
% hiscoutinhos falias, bolinhos cavacas : ludo
* do melbor gosto possivel, e proprio para cha. &.
-O hachare! Miguel Archanjo da Silva f.osta.profes-
sorde inglz'c francez docolkgio das arles.avisaa
quero convier, queseachara regularmente no exer-
ociode seus trabalhos desde 10 horas da nianha
* uma da lardo dos dias uttis, no tercoiro andar
'la casa n. 56 da ra da Aurora.
Trocam-sc tres bonitos sanctuarioscom assuas
competentes imagens, assiin como as imagens do
.Clirist, N. Senhora o S. Jo.lo, para sobolaremem
satictiisrios; uma imagem de Chriglu.'grande, muito
l'K'pria para um altar de igreja, ou para algum ora-
torio particular, de se dizer missa em casa ; um inui-
0 rico o asselado piezepo do Menino Dos nascido,
'""du prorrio para os festejos dafnia: ludovindo
i
l'clo ullimo navio chegado do Portugal
^ruj (j0 Recfo, n. 34, terceiro andar.
na ra
da
Lotera do theatro publico.
A venda dos respectivos billutes osla qussi para-
usada, e por esta rasflo deixaram anda as rodas de
trr andamento no da 9 do crranle, segunda vez
para este flm marcado. A vista, sois, disto o llicsou-
reiro se escusa por ora de marcar novo dia, o que
rara brevemente, visto que est disposto a ompregar
todas ss diligencias para que as ditas ro las sndem
antes da testa.
Na na do Crespo, n. 11, deseja-sn Miar com o
Sr. Joaquim Jos Ferreira natural da freguozia de
S.-Maria-dc-Adarile, em Portugal, a negocio de seu
interesse. .
Aluga-se o bem conhecido sitio na estrada do
Cordoiro, de Nuno Mara deSeixas, so proprio para
algum negociante estrangeiro, ou outra pessoa que
tenna tratamonto : na ra do Amorlm, n. 15.
Agencia de passaportes.
Tira-se effectivamente passaportes pa-
ra dentro e fra do imperio, e tambem
para escravos : na ra das Trincheiras,
sobrado de um andar, n. t(i.
Itesappareceu, no dia 4 do corrente da casa
de Rotho & Bidoulac, ra do Vigario n. 4, um ca-
chorrinho de raya ingleza com os signaes seguin-
tos : pequeo, todo prato, o orelhas grandes: quem
o achare levara casa cima, ser bem recompen-
sado.
Fabrica de Todos os Santos
da ltabia.
Firmino Jos Flix da Rosa, com escriptorio na
ra do trapiche, n. 44, avisa aos seus freguezes ,
que receben pelo hiato S.-lltntdicto, novo soi liden-
lo do excedente panno de algodilo entranyado da-
qtiella fabrica ptimo para ensaccar assucar, e pa-
ra roupa de escravos. O annunciante conla que ,
alm da bondade da fazenda o desojo de animar u
iiu!!iiu!v;ncr.to s ss: fabrica inieirruciiie na-
cional promover o promplo consummo da sus ro-
ceta.
^!GWw ##99

Aluga-se, para o tempo da festa ou vende-
se um pequeo sitio na Capunga, com casa .
S de pedia e cal, concertada e pintada de novo,
9 com cacimba de boa agua de beber bastan- T
9 les ai voredos de fructo, e ludo cercado de li- 4
) mao : queui O pretender dirija-so a casa do ft*
Sr. Jos Antonio de Lima morador no mes-
A mo lugar.
Comoras.
Cs Srs. que subscreveram para a publicayito da
orthographia do Sr. Antonio Alvares Pereira Coruja,
impressa no Rio-dc-Janeiro, pdem vir receber na
livraria da ra da Cruz, n. 56 os oxomplares que
Ihcs pertcncem (a 3,500 rs. os encarnados, e a 3,000
rs. os broxados ) at o dia 9 do corrente, passado o
qual, osexemplares que sobrarom serao vendidos
s pessoas que os procuraren).
A o respe! tavel publico.
O proprietario do armazem de vinho
da ra' da Madre-de-Dos n. 36, de-
clara que este estabelecimento nao tem
oulro armazem filial, como alguem ha
que o inculca ; e para conhecimento do
publico, faz o presente annuncio.
Alugam-se doua litios com multo boas acommoda-
ffiea iim uacampinha da Casa-Forte e nutro na ra
da dita povoacao com cocheiras e cavallarices ; assiin
como varias caaaa, de precos commodos para se paa-
aar a festa : a tratar na ra do Ainoriu, o. 15.
|g|CnAPEOS desor
Ra do Passeio, n. 5.
O fabricante deste estahelecimento advotle ao res-
peitavel publico desta cidade que elle possue pre-
sentemente um rico sortimenlo de chapeos de sol,
assim como chapeos de sol de seda furia-coros, dos
mais ricos que tecm apparecido nesto mercado, e de
cores conhecidas ; ditos para senhoras de bom tom,
adamascados, lavrados, rom suas competentes fran-
jas de'retroz, ludo que tem do n.ais moderno e do
melhor goslo; yin completo sortimento de chapeos
de sol de panninho de todas as cores o do. lodos os
tamaitos, para homens, senhoras e meninos : ha
lamhoiu igual sortimento de faicnda mayi.'.s, tanto de sedas de cores, como de pantiinhos
tranyados e lisos imitando seda. Adverte-se quo os
fregueses serilo servidos com brevidade, esoacha-
rflo sstisfeitos da boa qualidade, do bom gosto e do
bom preyo.
30,000 rs. de'gratificaySo
a quem touxer a escrava crioula, de nomo Cathari-
na com tima filha cabrlnha do 3 anuos cojos sig-
naes acham-se nesto Diario nos ns. \Q a 250: a es-
crava foi seduzida por o pai da rabrinha o qual be
pescador, ou pombeiro e mora em uma destas
praias, al Pio-Amarello.
~ t!m moyo, filho das Alagoas, e de excellente
conducta se ofTerece para caixeirodo escripia, por.
ter ptima lettra, ou mesmo para cobranyas do qual-
quer casado negocio, pinda mesmo por mdico or-
denado, por isso quo desoja arrumar-so o qual d
fiadora sua reputayflo : a fallar na praca do Com-
mcrcio n. 2, primeiro andar, ou annuncio.
~ Aluga-se o terceiro andar do sobrado da ra do
Torres, pegado ao escriptorio do Sr. Joflo Pinto de
Lemos com uma boa cozinha e sotfio : a tratar na
ra da Cruz armazem n. 26.
O professor de it'glez e francez do collegio das
sites tem aberto um curso destas disciplinas em sua
cesa ra da Roda, n. 9 : as pessoas que quizerem
a prender as ditas lingoas pdem dirigir-se a refe-
rida casa do sua residencia.
-- licfronlc da matriz da Boa-Vista por cima da
botica primeiro andar, existe uma pequea trou-
xa do roupa suja deixada por urna preta ha 3 dias :
quem fdr seu dono a procure.
-- Aluga-se um sitio na Soledade, com bom sobra-
do estribarla, cacimba tanque para banffo jar-
dim putnardelarangeirasediversasfrucleiras : na
ra do Hospicio, n. 21.
--OSr. Antonio Carlos queira dirigir-se a botica
do Torres & Castro, na ra Direita, n. l'JI para Ira-
-tar e negocio do seu .ileress?
Compram-sn 10 a 12 quartolas vasias : na rm
da Senzalla-.Nova, n. 7.
-- Compra-so um cavallo bom sem achaques : nr
praca da Independencia, ti. 19.
Compra-se uma duzia de eadeirat do Jacaranda ,
em bom uso : quem tiver annuncio.
Compram-seduasescravasde bonitas figuras,
que saibam perfeitamento engommar e coser, o iiio
sejam viciosas: na ra de Agoas-Vcrdes, n. 46.
Compra-se um par de brincos com diamantes ,
ja usados: na ra da Cadeia loja de ferragens,
n. 59.
Compram-se escravos que sejam oOlcias de car-
Eina, de 18 a 25 annos, e de boas figuras ; psgam-se
em, sendo de bons eostumes e peritos no seu ofd-
eio poiss9o para uma encommenda do l(io-de-Ja-
neiro: na ruado Amorim,n. 35, a fallar com J. J.
Tasso Jnior.
Compra-se um cordo de ouro sem feilio, c que
no exceda de 20,000rs. : na ra do Vigario, n. 14.
Compra-se uma halanya grande o completa ,
com 4 a 5 arrobas de posos, anda mesmo nilo sen-
do nova: ]na ra Augusta n. 1.
Compram-so efectivamente, botijas e garrafas
vasias: no Alorro-da-Boa-Vista fabrica de licores,
n. 17.
Compra-so uma prela ou parda que tenha fi-
gura e alguma babiiidado: no becco do Sarapatel ,
sobrado n. 12.
F0LH1HAS PARA 1849.
FOLHINIIA DE PORTA, a 160 rs.
Dita do ALCIBEIRA, contendo, alm do kalenda-
rio, uma coiiecyao desegredos e remedios para uso
domestico, a 320 rs.
Dita a quo se reuni o ALMANAK administrativo,
mercantil c industrial da provincia : este almanak es-
t accresccntado com lodos os cstabelecimentos de
porta aberta, a 320 rs.
Vendem-se na praaja da Independencia, livraria
ns. 6 o 8 ; no Aterro-da-lla-Vista, botica do Senhor
Moreira ; e cm Olinda, botica do Senhor Rapozo, ra
do Amparo.
Loja de q na tro portas da ra
do Cabug, do Duarte.
Micos de blondo, prctos ; ditos prctos
e brancos iinitscao de Monde ; ditos
de Irnho, rancezes ditos inglezes ; ditos
do Porto, ditos feitos na Ierra, proprios
para toalhas ; Ittvas de pellica enfeitadas ;
ditas bordados a rclroz, com lindos de-
senlio* ; ditas lisas de exquisitas cores ;
ditas para bomem, brancas e de cores;
e de seda de qualquer cor,, de senhora
e homem ; ditas de io da Escocia, finas ;
ditas ordinarias a aoo rs. o par; fitas la-
vradas de nmeros 6, 9 e 12 ; flores
aitificiaes de flor de laranja ; capelles,
ramos, de peitos e soltoi ; lencos de seda
de senhoras e bomem : chapeos de palha
da Italia, de senhoras c homcm ; ditos
redondos de tnassa, brancos, com abas
largas; bonetes para meninos. Todos
estes olijectos se vendem por precos
commodos, e se do as amostras aos Se-
nhores compradores.
Vende-se cli brasileiro a
ri. a libra : na ra do Kosario, n.
na rtn do Vigario, 11.
1,-iou
1 1.
llantas para
Na ra do Calinga,
vendem-se mantas pira mcituias, em
1,00o rs ; e lencos de
meninas.
|oji do Dtnrle,
I
Nova reGnatpoFranco-'
I Brasilera,
I Na ra da Concordia, n. 8, por
) detrs do (armo.
i O respcitavel publico achara em dita re-
' flnacilo assucar de qualidade superior, re-
\ finado a moda de Franya devendo moro-
cer a preferenya taitlo pelo asseio da sua
1 fabricuyo, com pela clareza, pureza o bom
I gnsto ficando dito assucar refinado ro-
cotnmendavel por suas qualidades hygio-
I nica sendo dosembarayado de meo chei-
ro, potassa, mol, ussidos e outras subs-
tancias mu pocivas a sade.
t prtfot ido 0$ seguintet:
Refinado em pues ou lonOes, prmeira
qualidade, a 160 rs. a libra; dito de se-
gunda qualidade a 140 rs. a libra ; refina-
do em p. primeira qualidade, a 140 rs. a
libra; dito de segunda qualidado, a 120
rs. a libra.
ponto pequeo,
garca a 1,000 rs.
Vende-se um piano em bom uso, de boas vozes,
por preyo commodo na ra larga do Itozano, n. 48,
primeiro andar, se dir quem vende.
Vende-se uma casa sita na rita do Itozano da
Boa-Vista n. 19 que rendo 7,000 rs. mensaes ou
troca-so por uma escrava sendo boa : na ra do
Pires, n. 52, se dir quem vende.
Vende-so una salva de prata ; 3 relogios de ou-
ro ; 2 correles 2 cordes ; 2 anneles ; 1 allineto ;
1 um par do brincos de pedras : na ra do Queima-
do, n. 14.
Vende-se um piano em multo bom estado 00
boas vozes o de fabrico inglez 1 na na Nova n. 22 ,
casa du Casimir Carnier, relojooiro.
Perfumara.
Vende-se na 111a do Cabug, loja do
Duarte, lindissiinos vasos de cryslal e
porcelana, com espiritos (nos, e banh is ;
agoa de Colonia ; e muitas outras perfu-
maras, sempre novas, c por precos com-
modos.
Vendem-se os seguintcs livros muito em cotila:
missaesem segunda m.lo em bom estado ; Histo-
ria da antiguidadedeEyora,.! v.; Rhetoriea JeQuin-
tiliaoo, 1 v.; Caramur, poema, 1 v. ; Alniocrevo
de petas, 3 v. ; Itcvoluyqde 1817 1 v. ; Cantara o-
thica, 1 v.; D. Sebastiilo romaneo, 1 v.; Virgilio ,
3 v. ; Piloto do Brasil 1 v. : na praya da Indepen-
dencia, loja de encadornaylo, n. u.
Potassa.
Desembaicou lia poneos das urna por-
cao de liareis pequeos, com muito nova
c superior potassa, e se acliain venda,
por preco mais barato do que ltima-
mente se vendia, na ra da Cadcia-Velha,
armazem de Bailar & Oliveira, n. 12.
Vende-se um rico piano com cvcellcntes vozes :
na ra do Queiuiado, n. 17.
Vcndein-sc barris pequeos com cal virgein de Lis-
boa, a mais nova que ha uomorcado, por preco co-111
modo : na ra da Moda armazem 11. 17.
Nesta loja existe uma grande poryilo do ris-
cado monstro, que, para so acabar antes da
fesla vonde-sc a 210 rs.
Na casa de modas francezas, no Atorro-da-Boa-
Vista n. I, primeiro andar, ha para vender flores
do todas as qualidades ; chapos do plha enfoitados
para senhora ; plumas com passariuhos brancas e
de cores para chapos e cabeya ; capellas de laran-
geiras ,(por preyo mais barato do que em outra qual-
quer parte.
a casa de modas francezas de Madama Millo-
chau esquina do Aterro-da-Uoa-Vista defronto do
chafariz, ha para luto cortes de vestidos mantas de
barago e chapos do senhora da ultima moda e
gosto. J
Peonas de palo.
Na loja de quatro portas da ra do
Cabug, do Duarte, vendem-se pennas
de pato a 4)Ooo e 5,000 rs. o milheiro,
proprias para repartieres publicas e es-
criptorios.
leias de seda, de Lisboa.
Na ra do Cabug, loja do Duarte,
ha um sortimento de meias de seda, de
Lisboa, proprias para os Srs. sacerdotes,
as melbores que aqui teein apparecido, e
se vendem a 4>ooo e 5,000 rs.
Aos Srs. armadores.
Vende-se trina, volantes de diversas
larguras, egaloes entrefinos falsos ; ren-
das douradas e plateadas ; espiguilltas de
M ilao 5 setins de cores a 800 rs. o covado :
na ra do Cabug, loja de quatro portas, do
Duarte.
lni adereco de ouro para
pescoyb do senhora obra muito rica : vende-se na
ra das Cinco-Pontas 11. 25.
Tpeles oleados.
Vendem-se na ra do Cabug, loja do
Duarte, tapetes de oleado, para mesas de
meio de sal, consolos, commodas, e me-
sas de jogo ; proprios para ornamento de
salas.
Vende-se muito superior vinho do
Porto, em caixas de urna duzia de garra-
fas, a pceo commo'.lo: na ra da Cruz,
n. i'i.
Vende-se muito superior lagedo de Lisboa, e
cal virgem em barris de 4 arrobas, por mdico preyo:
na ruado Vigario, n. 19.
Na padaria da ra da Guia, no flecife haver
todos os dias a venda o novo po de Provenya fa-
bricado por oulro modo que o actual e da melhor
farinha que ha no mercado : por este motivo no se
pode fazer senSo a 40, 80 e 160 rs.
Lindas de carretel.
Na ra do Cabug, loja do Duarte,
vendem-se linhas de aoo yds.t a 700 rs.,
e de 100 yds., a 280 rs. A' ellas, antes
antes que se acabem.
CHA' BRASILEIRO.
Vcndo-se, no armazem de molhados atrs do
Corpo-Sanlo, n. 66, o mais escolente ch produzi-
do ettt S.-Paulo quo lem viudo a este mercado ,
por preyo muito commodo. '
1
R ENCONTRADO



3
,


Yendcin-sc barris com quatro ar-
rollas do .superior cal virgem de Lisboa,
por preco uiiiilo cuinmodo: ua ra da
Cadt'ia do lenlo, loja n. 5o, do Cimba
o Atnoriiii.
Vcudcm-so presuntos para liambre j quoijos
londriaM ; ditos de prato ; latas com bolachiuha
lina de l.isln'ia ; ditas de ara rula ; conservas novas :
mostarda ; pules com sal lino ; latas com marmela-
da uuva ; ditas com hervilhas; caixinhas com mas-
sas linas ; vinho moscatel de Setubal; dilo Sherry ;
licores linos ; e oulros mais gneros, por preco com-
mudo : na ra da Cruz, no Iteoifo, n. 46.
A 1,800 rs. a peca de 20
jardas.
.Na loja do i.uinuii ."ii-s & Companhia, ra do Cres-
po n. 5, vendem-.se pecas de algodiiozinho de hoa
qualidade con um pequeno loque de avaria ,
polo burato prego de 1,800 rs. a peca Ka roa Nova, n. 17,
vende-so um braco de balanza um peso de duas
arrobas, um dito de una arroba um dito de incia
arroba.
Vendc-sc para pagamento dos (-redores a
venda da esquina -lefronto da igreja dos Marlyrios ,
com os fundos de 300,000 a 400,000 rs. : quem a pre-
tender dirija-se a ra da Madre-de-Deos a tratar
com VicenteFerrein ,da Costa o qual prometa fa-
zer negocio e vender barato para realisar.
-- Acaba de cliegar um completo soitimento para
os Srs armadores, bem como trina, volantes lar-
gos o estreitos, galo de todas as qualidades finos
o ordinarios; o oulros muitos objeelos que se acliam
a venda na ra larga do Hozarlo, n. 24.
ap novo Lisboa.
A elle antes que se actibe.
Quem nilo tomar urna pitada destorap, certamen-
le nilo saliera apreciar os deleites da vida contem-
pornea. Acaba de cliegar do Itio-de-Janciro, e ven-
de-seno deposito do mesmo, na ra dos Quarteis,
n. 24.
Vende-se urna bonita negrota pe-
ca, de naco, que engomma e cozinba ;
urna dita crioula, que cozc e cozinba :
una moleca de idade de i \ anuos, boa
para se ensinr a engommar, por ser
nuiito forte; tres moleques de bonitas
figuras, de dade de i3, i5 e 17 annos ;
um bonito negro de nacao, milito moco
e bom para Irabalbar em algum armazem
de assucar, por j estar acoslumado a
este servil o ; um dito de me i a idade,
bom para algum sitio, por entender de
plantaces ; um dito que nao tem mais
de i> annos, bom ganbador, por 35o'ooo
rs.; um mulato bom cozinheiro e nao mo
marinheiro ; lodos estes escravos ven-
dem-se baratsimos, por detejar-se fe-
char as conlas dcste anuo: na ra das
Larangciras, n. i.'i, segundo andar.
Cobre
pail forro de navios e par caldcirciro: na ra da
Cruz, no Recite, n. 17.
Vende-se lanuda millioein saccas, por pre-
COcommodo : na ra larga do Rozario, n. 27.
Vcndc-sealgodfio da lena de superior qualida-
de : na ra do Queimado, n. 20.
Vende-se cal virgem de Lisboa em barril de 4
arrobas chegada pelo ultimo navio, por preco couiuio-
do : a Iralarcoin Almcida& Fomeca,narua do Apollo
Algodo trancado da fabrica
de Todos-os~Saiilos da
Baha ,
muito proprio para saceos de assucar e roupa de es-
cravos : vende-so em casa de N. O. Bicbcr & Com-
panbia na ra da Cruz, n. 4.
Chapeos do Chili.
Na (iraca da Independencia, n- 37 ha superioesr
chapeos do Chili chegados no ultimo vapor.
Cigarrilhos hespanhes.
Oproprietario do armazem n.C6, atrs da igreja
do Corpo-Santo no Rccifc, faz sciente aos filman-
tes do bom lom que elle recebe por lodos os vapo-
res vindos do sul, estes drliciosos cigarrilhos que
sio do nico deposito liespanhol que ha no Itio-dc-
Janeiro.
Bolachinha de aramia.
Vende-se a mais nova e superior, no
caes da Alfandega, armazem n. 7, con-
fronte a arvore: no mesmo tem saccas
com boa farinha, por preco commodo.
Presepes para o Nata!.
Vendem-se ealugam-se dramas de pastoras, ado-
raco dos neis, Fialdut e outros ; assn como ves-
tuarios proprios para os raesmos arias, coros, due-
los,etc.,urna rica illununscfio do gaz : na casa
junto ao tlu-atro no boliquim junio ao llicalro ou
na Capunga, casa do director do thcatio.
RA DO CRESPO, N. 5.
Novos riscados indianna, a
280 rs. o covado.
Na ioja de Guimares & Companhia vendem-se
osnovos riscados indianos, do quatro palmos de
largura cores fixas e padrocs muito modernos, pelo
barato prego de 280 rs. o covado.
- Vende-se um piano forte, vertical e de Jacaran-
da, rliegado ullimamente com muito boas voxes,
e do um machinismo de nova nvencSo para por ai
vi/.", mais bailas al dous lons o que torna este
instrumento muito vantajoso para cantona ; cha-
rutos do ilavana, por prreo mais commodo do que
en oulraqualqucr parlo; un completo sortimento
de instrumentos de msica, tanto de metal como
di-madeira ; bustos do gesso representando muito
i i i- lliu-lliu a ranilla Victoria e o principo Alberto ;
relogios deouroo de prata chegados ltimamente
da Suissa. Estes relogios que silo muito bem aca-
bados se tornam muito recommendaveis a qual-
quer particular, e adverte-se que ha ontro ellos
alguns que andam oito dias sem precisarem de cor-
da : na ra da Cruz, no Recife, n. 55.
Vendem-se accoes da ex-
tmeta companhiade Pernambuco
e Parahiba: no escriptorio de O-
liveira lrmos & C, ra da Cruz,
n. 9.
Vende-se um lindo molecotc, de
17 a 18 annos de idade, que sabe cozi-
nbar : na ra da Cadeia do Recife, n. 37.
Vende-se urna banca redonda de meio do sala,
de Jacaranda; um trem com espelho; toucadores pe-
queo; jogos do bancas de amarello; suplas le oleo;
mesas com duas gavetas ; um relogio patente, de
prata ; 2 caixas do prata sendo urna dourada ; la-
vatorio do amarello : na ra da Cadeia de S.-Anto-
nio, u. 21.
Vende-se ca! virgem de Lisboa,
chegada no ultima navio, em barris pe-
queos, por menos do que em outra qual-
quer paite: na ruado Trapiche, arma-
zem n. I7.
Contina-se a vender, na rna da
Cruz, n. Go, caixas com cera de Lisboa,
sortimento vontade do comprador.
Fardo,
em barricas a 4,000 rs.; saccas grandes, a S,50o
rs., ditas pequeas a 2,800 rs : no armazem de J.
J. Tasso Jnior, na ra do Amonio, n. 3.
PRELO
cm saccas muito grandes,
a 3s'6oo rs. a sacca:
no armazem do Braguez ao p do arco da ConceicSo.
--Na na estreita do Rozario, loja de encaderne-
ijio, n. 34, vendem-se as seguintes obras : o Panora-
ma, 8 v. ; o Museu Pittoresco, 1 v.; Historia de Por- I
tugal, 2 v. ; o Espino do campo neutral, 4 v. ; Eva-
risto e Theodora, 4 v.; Formidoro e Zulinda, 2 v. ;
Carlas de Elloisa a Abeillard, 2 v. ; Formosa donzclla
de Perth, 2 v.; Historia do Brasil, I v.; Justino Lu-
sitano 1 v. ; Vozcs saudosas 1 v.; Novo testamen-
to 1 v. ; Meditac/iesda F.rvei, 1 v.; Medilac,o de
Jos Agoslinho, 1 v. Poesas de Costa e Silva 2v.';
Malaca conquistada 1 v. ; Ceorgicas porluguezas,
1 v.; Eslaces do anuo, 1 v. ; ditas do dia, 1 v.'; Jor-
nal potico 1 v.; Caramur 1 v.; Animaes fallad-
les 3 v. ; Cora Serfica 1 v.; Manual Chrislflo 1
v. ; a Philosopha por amor, 2 v. ; Bruto, Iragcdia ,, 1
v.; Clara de Alba, 1 v. ; Elogio da loucura, 1 v. ; Mi-
sanlhropia c arrependimeulo, I v. ; Tito Livio, 1 v. ;
Historia de Inglaterra, 1 v.; Burro de Salustin 1
v. ; Crammalica latina 1 v ; dita ingleza 1 v.:
tambem se vendeui livrosem branco pura escriptu-
rago ; eucaderna-sc com niuila perfeieSo e segu-
ranza : ludo por prego muito rasoavel : bem como
Irocam-so quaesquer dcstas obras por outras.
PURO VINHO DA FICUORA.
Existe no armazem de molhados, atrs do Cor-
l'o-Sanlo n. 66 una grande porc,ilo dcslc genui-
no vinho que se est vendendo pelo diminuto pro-
co do 1,120 rs a caada e a 160 rs. a garrafa ; tam-
bem ha em pipas que se vender mais em conla : he
esto o mellior de lodos os Vinbos que se teem an-
nunciado pela sua simplicidade e ptimo paladar
quem urna vez o beber jamis dcixar do o com-
prar.

Vende-se na na da Cadeia do
lecife, n. 3?, cera em velas, fabri- ,
cadas no Hio-de-Janeiro, em urna P
das melliorcs fabricas, e em caixas |
pequeas, muito bem sortidas, por
ser de 3 al 16 em libra; e tam-
bem ba velas de urna e de meia libra,
brandoes, por preco mais barato do
que em outra qualquer paite.
Vcndc-se urna mobilia de Jacaranda c cadeiras
de oleo cm muito bom estado : na ra dasCruzes.
R. 31.
Vendem-se saceos com farclo,
chegados ltimamente, pelo diminuto
preco de 3,4oo rs.: na ra da Sunzalla-
Velba, n. i38.
t Vende-se um oilanle em muito bom estado,
por proco commodo : na loja de cabos do Sr. Caeta-
no da Cosa Morena.
" Vende-se um bonito raoleque de 13 annos ; um
dito de 12; urna niulatinha de 7 anuos, mui IThda ,
e que cose : ludo para fechar conlas do venda este
anuo : na ra largado Rozario, loja de miudezas,
n.35.
Vendem-se canoas grandes que servem para car-
regarareia lijlos, ou outra qualquer cousa por
pn-co commodo; as quaes estilo ao pedo chafariz de
Fra-de-Portas : na ra do Trapicho, defronte do
caes da l.ingocta, 11. 30.
Madeira de pinho.
Vende-se a raolhor madeira de pinho que tem
viodoa esto mercado: na ra da Madre-de-Hcos,
armazem de Vicnnle Ferreira da Costa.
Vende-se urna venda muito boa para quero
qui?.er principiar o com os fundos a conlendo do
comprador, ou somonte a armaeflo sita na ra do
Caldcirciro n. 94: a tratar ni mesma venda ou no
pateo do Terco, n. 139.
Novas pechinchas.
Vendem-se saccas com familia fina da Muribeea ;
ditas de fcijao mulatinlio o branco; ditas de arroz
pilado ; ditas de milho e de arroz de casca ; balaios
econdessas de verguinha, de todos os tamandoa ;
baldes paca compras; esteiras finas da India ; ditas
de Angola, grandese pequeas; ditas do Aracaly :
na ra da Cadeia do Recifo, armazem, n. 8.
Cal de Lisboa.
Vcnde-se muito nova e superior cal
virgem de pedra, desembarcada ba pou-
cos dias, e em barris pequeos de quatro
arrobas e meia ; na ra da Cadeia-Velha,
armazem n. 13.
Vcndem-se 8 lindos moleques de bonilas figu-
ras, de 10a 20 annos, sem vicios; 3 pretos de 20 a
25ar.nos; 1 dilo bom cozinheiro e carpina ; 1 mu-
lalinho de 15 annos, que ho ptimo para pagem ,
ou paraofiicio; urna miilatinba de 16 annos, que lie
recolhida ; 1 preta de 16 annos de nacffo, de boni-
ta figura que engomma cose faz lavarinto e mar-
ca ; 2 ditasque engommam perfeilamente, coscm
enzinham; 1 dita de meia idade, que be perfoita la-
vadeira e que sn d muito em conla : ni ra do Vi-
gario, n. 24, se dir quem vende
Vendem-se saccas de gomma de
mandioca ; esteiras de polh de carnauba ;
chapeos de palba de dita, por preco com-
modo : na ra da Cadeia do Necilo, n. 9.
Vende-se um rico trem de Jacaranda, com mui-
to pouco uso, por preco commodo : na rna atrs da
matriz de S -Antonio, n. 16.
Vendem-se 50 accOes da companhia de Bebe-
ribo: na ra larga do Rozario, n. 35, loja de miu-
dezas.
Vende-se urna parJa de 17 annos engomma-
de i ra e costure ira; urna preta cozinheira engom-
madeira, e com una cria de 6 mezes; urna dita com
as mesinas habilidades ; 1 preto de elegante figura ,
muito bom canoeiro ; 1 moleque do 16 annos de
na?!lo : todos estes escravos se vendem por seu don
terde reliiar-se : no pateo da matriz de S.-Antonio,
sobrado n. 4 se dir quem vende.
Vendem-se sapatdes de courp de
lustro, pelo baratsimo preco de 2,56o rs.;
ditos de lustro para senhora a 1,000 rs. ;
ditos para menina a 800 rs. ; sapatdes
blancos para lioinein a 1,000 e 1,200 re. ;
ditos para menino a 1,000 rs. : na ra da
Cadeia do lecife, n. 9.
Vcndc-se farinha de mandioca ; urna canoa que
carrega 300 lijlos de alvenaria ou Iroca-se a ca-
noa por lijlos : ao lado do Corpo-Sanlo, loja n. 25.
Vende-se urna escrava cozinheira e lavadeira :
no Aterro-da-Boa-'VistB, n. 14.
Venden-se urna negra moca, de boa
figura, lavadeira, cozinheira e costureira,
e propria de todo o servico de cosa e cam-
po ; um mulato moco, de be a figura e
bom sapateiro, sem vicios, ncm acha-
ques : na ra do Crespo, loja n. a A, se
dir quem vende.
"Vendem-se esleirs de carneiiba vindas pr-
ximamente do Aracaly por preco mais commodo
do que em outra qualquer parlo : na ra da Senzal-
la-Nova, venda n. 1.
A quantns andas ?
Vonde-se um relogio de ouro, patente inglez o
ipclhor sem duvida, que lem opparecido porquo,
alm de ser moderno bem formado e de boa ma-
china, he o mellior regulador possivel: a vista de
quo decide : na ra Moda, n. 13, primeiro andar.
'joquod ojuad
-ui03 o qos soiiio(id onjeisa snjjsoiub sv bjba *sj
0(9 a sojpanb a sojis;| op lunq '. opeAoo o -sjo09
e oi|iii| op ujb(I(i: .iijiij o si OO'OS sopop|enb
a soojpnd souiss|nbij opsezaooosd seprs -sj 000*
i! ai||O0 i'Jd opep!|anb jouodus o)nui op oejnl
-jo9 op soijoo i sj ooo'E 'pas o Ul op saiip 'SJ
000'* 'r-uazsj |BnS op sujiibui sj ooo'S opo5
-ojd opoiutuoo 0|ad epeiniossu sajorj sopuejS uioi
a saojped oiuaoia op t-pos op sj|bi|j : j OOS'8
' jouadns oiiniu Bpuazrj bk| op BcjquiB0 a(i so)|p
sjooo'?! 'ep9s-8ssB3opsoiJ9Dsnui|Ssinb|j \
-BAoo o -sj oot o BjnSjB| ap soui|cd \ inbo' essao
ap s.ini|ii!.l 'sbz.uiibij sii]|ip i sjS b souy oimu
S0ZJ3UBJJ si peosu opBAcj o 'W o?t o 09 > sayjp
-mi so)iuoi| op ssssea ooo'C a 0|ibjj3iu ou ii| onb
sajoi||aiu gop a sj uOS't 000't 'OOS'S SJO.
-iuiij op soijoa : sajopajduioo sop 0|i5uau*e epo)
inojojoiu oS.uil i>ibjb(| a opepuBnb uoi| nsufadanb
' sa)uin>,is sv 'i!5ejd a tJid ouioo okbuj o bjec! 0)Uv]
' S0(iB|i||unb S sipoi o(i sapua/Bj ip 0(110111 ;],nis op
-ii||ojsj o odij uin op ui.i| '.iO|iaaA Kjud iq oijiuj|
V Jojutif oiiuisioj ap ouu2jjfiioj ap ojjoq u uvd
Buinbso zi.-j enb 'oc 'u afoj' opuimanQ op biij b,\
'oy5ii3)i v
Vende-so farinha de mandioca ensacada muito
superior em porcilo o a rctlho por prego commodo :
tratar na ra da l.apq, n. 6.
Vende-se urna mulalinha de II annos, muito
linda que coso soffiivel e lem muito geito para
ser boa ungom madeira ; um moleque do 13 annos,
ln'in robusto ; nina preta de 16 anuos, que cozinlia o
diario de urna cusa o vende na ra ; u:na dita, por
300,000 rs.f, por ler um defeito em um odo : na ra
Nova, n. 21, segundo andar.
Lonas nglczas.
. Vcndem-sc pecas de lona ingleza, de
boa qualidade, e por preco mais barato
do que em outra qualqner parte; na ra
da Cadeia do Hecife, armazem n. 12.
Yende-se um lindo presepe, por^
barato preco : na 1 na d Alegra, n. 42.
Fcijio barato
cm saccas de S quartas, pelo diminuto proco da w
rs : no caes da Alfandega armazem 5. *
Vende-se. na ra do Trapicho, armazem do
i: lyinond & Companhia, n. 34, defrontc du Iium
Pistor, quoijos do Minas do superior qualidade, iral.
sos ou em latas de 12 cada urna, por proco comino
do, vindas dn llio-de-Janoiro no bngue hrasileir
Ligeiro, em 20 do passado, com urna viagom den
dias.
Batatas,
chogadas ltimamente, em canastras de arroba,
meia, pelo diminuto preco de 1,900 rs, cada cana.
Ira: no caes da Alfandega, armazem 11.1.
Vendem-se a5 libras de retror sorti-
do, de prime ira qualidade : na ra do
Torres, n. 46, segundo andar. ^.
Vende-se um moleque peca, de 12 a 14 annos-
na ra do Livramento n. 38 venda do lampeHo. n,
mesma venda precisa-se de urna criada que se s'ub-
jeito as compras.
Vendem-se 6 lindo moleques de 12 a 18 annos-
4 pretos de 25 a 30 annos; 4 pardos de 12 a 20 annos
urna mulalinha de7 annos ; 3 negrinhas de ti a y,
annos ; 2 pardas com habilidades de 10 annos \
pretas de 16 a 20 annos com hab I i dados : na nn 'j,,
Collegio, n. 3 se dir quem vende.
Na roa de Agoaa- Verdes, n. 46,
vendem-se 3 bonilas esoravas com habilidades \m,
escrava do 26 annos, por 300,000. rg.; dous mole-
3ues pecas do 12 a 18 annos ; um bonito escravo pe-
raro ; um escravo para todo o sorvico, por preco
commodo, por seu dono ter do retirar-se.
Urna mobilia moderna (oda
de Jacaranda
c com puOu su cunsisiiudo em sopn, cadeiras
mesa redonda iremos com espelhos, guarda-ve^
tidos, toucador grande, mesa elstica para jantar,
aparador, lavatorio. e oulros objectos perlencen-
les a sala : estes trastes vendem-se por esta famili
ter do retirar-se: tudo em bom estado e por prec,-,
commodo : na ra da Suledade n. 40, ou annun-
cie.
Charutos bons e baratos.
No anligo deposito de charutos da ra larga do
Hozarlo n. 32, acha-se um sortimnnlo do superio-
res charutos da ISaliia pelo mais barato prego pos-
sivel ; poisjha muito que se conserva neste dopo-
sito as melhores qualidades que teem vindo a este
mercado.
Chrislophers & Donaldson teem anda dos seus
bem conhecidose mui superiores vinhos do Porto,
Schcri e Teneriffe, tanto em barris como engarran-
do bom como ago'ardente de Franca, a melhor quo
ha c que vendem agora mais barato,para fechar
conlas: na ra do Trapiche, n. 40, no Recife.
Vende-se boa marmelada; muito bom doce 'de
ginja, a 320 rs. a libra : uo largo do Carmo, vend
n. 1.
Vendc-se muito bom vinho verde proprio
ra refrigerar o calor por nfio ler confeiSo, a 200
rs. a gairal'a, e a caada a 1,280 rs.: no largo do
Carmo, venda 1.
Vende-se, no armazem do Vianna no
Forte-do-Mallos,
uin com pelo sorli ment de t a boas de pinho da Sue-
cia, chegado prximamente, ludo serrado a vapor,
sendo taboas de 10a 30 palmos de comprido, sem
nos proprias para se envernisar e pinho de rig;
os entendedores di ri ja m-se para ver, queso agrada
rfio da qualidade e preco barato.
Saccas com milho novo,
a <2,?800 res.
No Passeio-Vublico, n. 15, veudem-so saccas gran
des com milho muito superior, pelo barato preco
de 2,800 rs. a sacca.
Balcias.
Vendem-se baleias para' espartilhos e vestido d
senhora : na ra do Passeio, fabrica do chapos d
sol, n. S.
Vendem-se cem mil lijlos de alvenaria, j ber
condecidos pel sua qualidade e turnando pelo mo
dico preco de 1:400,000 rs., e com o prazo de 4 a
mezes depols da entrega : na ra larga do llozarjo
n. 18.
Vendc-se espirito de 36 grs, em pipas e a re
talho : na dcstilaeflo da travessa da Concordia.

-- Fugio, no dia 3 do corrente, um escravo, de no
me Manuel, de estatura regular, cbeio do corpo
lem baslanles marras de bexigas ; levou calQ-s u
riscadojvelhas, camisa de algodlozmho : *uein
pegar leve-o a seu senhor, Miguel Jos liarhoza Cui
marfes na ra do Crespo, n. 5 quo gratificara.
Fugio, no dia i 3 do correle pelas 9 doras u
noite de S.-Amaro-da-CataruiW, um cavallo roJ
de, sellado com um selllm inglez: quem o aeliou
ptfde entregar na ra do Apollo u. 25, que sera ge
llorosamente recompensado.
-- Fugio, no dia 11 do correte, um molcqi"
crioulo de 18 a 20 annos pouco mais ou menos, >
nome Francisco, secco do cofpo, rosto um pou
descarnado alguma cousa vesgo um pouco g"6
quando falla mais apressado muito regrlsla ; le11
calcas brancas, camisa do madapolflo de pregas,
chapeo. Este moleque consta ter si lo encontrad
em urna casa de jogo na ra do Itangel, em uns fui"
dos do um acouguo, aonde linda isso por coslumc
mas agora foi quo o senhor soubo. Roga-se as auto
ridades puliciaes e cajiitiles de campo que o appr-
hendnm c levem-no na antiga'rua dos Quarleis,
18, que seiio recompensados. i
-a'ugioa escrava Joaquina, Mocambique, ue^
uWextiaordinaria cor fula cara redonda e coi
jlgamas mareas de bexigas denles abertos ; ici
beiQo superior furado ; he bem parecida ; lem *
vista no Recife : quema pegar leve-a ao Mn'"'
sitio defronto do Sur. Ilerculano quo sera m
pensado.
tu
Ni TTl. B* M. f'O"
raaiA.184
MELHOR EXEMPLAF


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E9QBUYNO1_AOOACZ INGEST_TIME 2013-04-13T02:10:09Z PACKAGE AA00011611_06199
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES