Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06196


This item is only available as the following downloads:


Full Text
,


i
Arm XXIV.
Tcrya-feira 12
de Dezembro de I84.
PAlTIDA DOS CORRWBS.
Goianna e Parahiba, s egs. e sextat-feiras.
RloG.-do-NV>rte,qulnta-feiras ao meio-dia.
Cabo, Serinhacm, Rio-Formoso, Porto-Calvo
e Macelo, no l.*, a 11 e 21 de cada met.
Garanhuna e Bonito, a 8 e 23.
Boa-Vista e Flores, a 13 e, 28.
Victoria, s quintas-feiraa.
Olinda, todos os dias.
N.
70.
'n DMB' publica-ie todo o dlaique no
" Reguarda: o preco da assignatura he
i". 4UU0 r. por quartel, paga mUanladi. Os
norios dos assignantes sao inseridos
'""to de 20 rs. poi-itnha. 40 r.. em t*po dif-
leate easrepeli{fies pela metade. Os nao
^inantespagar3o80 rs. por linhae 160 rs
'^lypodifferente, por cada publicacao.
P1IASES DA. LA NO MEZ OE DEZEMBRO.
/VftcMtti a 3, s 5 horas e 47 mi. da tarde,
iieMi a ,0, 9 oras e25 min.da uianh.
jLl,al7>s 8 horas c 93mln.damanli.
U***' a *>, s 2 horase 3 min. da tarde.
DAS da semana.
11 Segunda. S. Damazo. Aud. doJ. do or-
(ihnosdo J.clv. edo J.M. da 2. v.
'erca. S. Justino. And. do J. do c. da
1. r. e do J. de paz do 2. dist.de t.
13 Quarta. S. Luiia. Aud. do J. do c. da 2.
v. e do J. de paz do 2 dist. de t.
14 Quinta. S. Agnello. Aud. do J. de or-
pbos c do.J. M. da 1 v.
15 Sella. S. Euzebio Verselensc Aud. do J.
dociv. edoJ.depazdoldist.de t.
16 Sabbado. S. Ananias. Aud. do J. do c.
da 1 v. e do J. de paz do 1 dist de t.
17 Domingo.S. BarlhulomeodeS.Gemluiano
CAMBIOS NO DA DE II DRZEMBRO.
Sobre Londres a25 d. por 1 fOOO rs. a 60 das.
Paris
Lisboa 120 por cento de pu.nio.
> JUo-de-Janeiro ao par.
Desc, de lett. de boas tirinas a 1' aome
Accocsda comp. de Hcberibe, a.Wrs. aop.
Omto.Oncas hespanholaa 30/GOO a 31/000
ModasdeVfOO v. 17/000 a 17/200
de 6/400 a. 16/200 a 10/400
. de 4/000... 9/200 a 9/300
PraaPatacflet braailelros 1/D40 a '/^J?1
Pesos columnarios. 1/940 a 1/960
Ditos mexicanos..... 1/880 a 1/90O
PARTE OFFICIAL.
GOVERNO DA PROVINCIA.
Ilim, fcr. Haj V. S. do informar acercado ano
presflU o juiz municipal supplcnte cm exerricio
do lermo do Cali o olticic incluso por copia,
Qouvindo a respeilo o subdelegado de que se elle
queixa.
Heos guarde a V. S. Palacio do governo de Pernam-
buco, 9de dezemhro de 1818. Htrculano Ftrreira
Pinna. Sr. desembargador choto de polica.
Handei ouvir o subdelegado da freguezia de Ipo-
iioa acerca do cootedo no oflflcio que V. me. me
dirigi coi dala de 4 do corrente, e logo que a
resposta dcUe chegar ao meu conhecimento, pro-
videnciarei a respeilo como fr de justica.
\ lieos guardo a V. me. Palacio do governo de I'er-
ambuco, 9 de dezemhro de 1818. Htrculano Fer-
riirn Ptima. Sr. Theotonio da Silva Vioira, juiz
municipal suppleriteem cxercicio do termo do Cabo.
EXPEDIENTE DO DA 9 DE DEZEMBRO.
Oflicio. Ao inspector da thesouraria da fazen-
,1a, transmittindo o aviso do urna leltra daquantia
de500,000 rs., sacada pela thesouraria da provincia
do Rio-Grandd-do-Norte sobro essa a cargo de S. S.
c a favor de Antonio Bento da Costa. Participou-
seaopresidente da mencionada provincia.
4)ito. Ao administrador da obras publicas, or-
riVnando mande orcanissrsem demora, o remeta
presidencia urna ccmta da divida passiva daquella
idminislracRo, com riistincefio do que perlence ao
pessoal e ao material, afim dequo se providencie
sobre seu pagamento.
Dito. Ao cheto de polica, rocommendando a ex-
pcJicao das convenientes ordens, para que sejam
presos Jos Theodoro de Azevedo, soldado do corpo
de fuzileiros navaes; Jos Francisco Concalves,
guanlio de nomcacSo; Francisco Antonio, primero
marioheiro; sos grumoles Januario Jos Thomoz,
Ladislao Lopes, Manoel de Souza tirito e Manoel An-
tonio deSouza, que desertaran de bordo dos navios,
da armada surtos neale porto, segundo consta da*
coiifronlacGes que roraetle. Scienlicou-ae o com-
manle das fdreas navaes.
Dito. Ao inspector da thesouraria da fazenda,
Iransniidindo o aviso de urna leltra da quanlia de*
500.0D0 rs., sacada pela theseuraria da provincia do
liio-Grando-du-Norte sobre cesa a cargo des. S. ea
favor dos negociantes Barroca & Pinhoiro. Parli-
cipou-sc ao presidente da referida provincia.
Dito. Ao inspector da thesouraria da fazenda
provincial, determinando mande pagar ao alferos-
ajudanle da fortaleza do Brum, Manoel Marques do
Amaral, a quantia de 5,100 rs. que sedespendeu em
todo o mez de novembro uliimo com ospresos do
justica, recolhidos mesma fortaleza, segundo
consta da conla que remello Scientilicou-se o
chefe do polica.
Portara. Exonerando do cargo de primero sup-
plcnte do delegado d'Agoa-Preta a Sebastian da Cu-
nta Acciolo Lins, o de segundo aAnlonio Feitosa de
Mello ; nomoando para primeiro supplcnte ao coro-
nel Francisco Alves Cavalcante Camboim. Fizc-
'ram-soasparticpaQ(3es do eslylo.
bita llcformando o major commandante do os-
quadrflo de cavallaria da guarda nacional do muni-
cipio do Recife, Joaquim Ignacio de Carvalho Mon-
dones, e Romeando para o substituir no referido pos-
lo o niajor reformailo Thoni'az Jos da Silva Gusinao
Jnior. Parlcipou-so ao cummaiidanlc superior
respectivo e ao nomeado.
hila.Nomeaudo cirurgiio-mc do corpo de poli-
ca o I)r. Jos Joaquim deSouza.E'spediraiii-seas
convenientes parlicipaccs.
Rila.'- O presidente da provincia, aden-JoAdO ao
que Iho rdprcsentou o tenento-coronel commandan-
Mo corpo de voluntario em oflicio de 7 do crren-
le tesolve conceler a dispensa quo pediram o t-
lente da 2.' companlna do mesnro corpo, Antonio
llenriques Mafra Jnior ; o alferes da mesma compa-
a l)r. Antonio (ornes Tavares, e os das 4. c 7.'
baclurel Tliom Fernandea Madeira do Castro e Jo3o
Lopes CuimarSes. Purlicpou-so ao respectivo
commandanlo.
Dita__O presidente da provincia, attendendo ao
"icrecmento e mais partes que concorrem na pos-
soi do cidado Bernardo Caldoso Ayres, e confor-
mando-se com a proposta do lencnle-coronol com-
fniidanto do corpo de voluntaros.dalada de 7 do cr-
enle, tenv resolvido nomca-lo aleresda 2." compa-
nlna do referido corpo.
Do igual teor e data nomoando para alferes da
sobredita companbia a Francisco Xavier de Olvera;
d4. a Joaquim Honriques da Silva ; e da 7." a Jos
Mariano de Albuqucrqii.--Scienlfcou-se o com-
mandanle do inenconado corpo.
Dita.o presidente da provincia, allendendo ao
inircciirteiito e mais partes que concorrem na pessoa
Jo alfores da 2.' companhia do corpo de voluntarios,
Antonio Jos de Castro, e conformando-sc com a
Proposlado commandante do mesmo corpo, datada
de 7 do corrente, tcm resolvido nom'ea-lo lente
da referida companhia. Comniunreou-'se ao com
faiidanto respectivo.
__________
eres o Rosa escrava da Antonio Joaquim de Azeve-
do, por briga ; os paisanos Manool TeixCirn dos Bcis,
por esUr espancando urna mulher, JoHo Nopomuce-
noellafoel da Silva llamos, os pretos Luiz, escravo
de Jos Marques, e Pedro Antonio Bento, o a prela
Mara do Rosario ;-e do subdelegado dos Afogados,
os paisanos Fredcrico da Costa Ros, Braz da Costa
Ros, Jos do Areujo Caldas o Jos da Costa Velloso
Ros Jnior.Dostes novo ltimos nflo consta o mo-
tivo das prises.
Fram apprehcndidas pelas frgas do governo as
mallas do Culuc urna negrinlia de nomo Eugenia
que diz sor escrava do Primo, setecavallos e quatro
ancoras.
O I.a Amanuense,
A frigio Jos da Silva
PEJnNAWBUCO.

It'>n.itifian IA iiili'i.l.
r-'-----t--------a -----
Gnmara municipal do Recite.
SESSAO EXTRAORDINARIA EM U DE NOVEMBRO
DE 18*8.
PRBSIDiNCIi DO S, HE00 AI.BDQOBRQE.
Presentes os Srs. Dr. Nery, Barros, Barata o Mamo-
de, abrio-so a sessSo, sendo lida o approvada a
.u.i ua rccuuciH.
O secretario fez a Icitura dos seguintcs ofTicios :
Um do Exm. presidente da provincia, romettendo
por copia a portara de 10 do corrente, pela qual t-
nha sulidividido o termo do Recife em tres districlos
de delegado, conformando-se com a proposta do
desembargador cheo de polica. Inleirada, o que
se respondesse.
Outro do juiz de paz do primeiro districto da fre-
guezia do Poco, pedindo que a cmara juramntame
o quarto supplente do mesmo districto, para o subs-
tituir no sen impedimento, por isso quo o nico ju-
ramentado he o terceiro supplonte, Francisco Duar-
te Coelho, e este, segundo os documontos que jun-
too, esta morando na freguezia da BOa-Vista. Que
se consollasso ao governo da provincia sobre qual
devia ser o procedimento da cmara A oslo caso, e so
ihe reuietlcsse o oflicio do juiz do paz, eos docu-
mentos que o acompanharam.
Outro do procurador Jorge Vctor Ferreira Lopes,
pedindo que a ramara o abonasse da quanlia do rs.
6,000 que despender com o sello das tres ledras da
afericSo. Quo se ahonasse.
Oulro do cordeador, apresentando a planta, que se
Ihe ordcuou levanlasse, da eampina da Casa-Forte,
com um projocto de aperfeicoamenle de suas mas e
Iravessas, e de um passeio publico ; igualmente re-
media as plantas do San-Jos-do-Manguinlio, Pon-
le-de-Uclia, eslrada de Beberibe, e dos Appucos at
a mencionada campia da Casa-Forto. Que fsc
ludo remedido commsslo de edilicagilo, para o-
mittir a respeilo a mi a opiniilo.
Outro do mosmo cordeador, pedindo o pagamen-
to da quanlia de 7,680 rs. que despender com sr-
venles para o levanlamenlo das plantas cima, se-
gundo a conla que junta va. Que so passasse man-
dado.
O Sr vareador Mamede, como membro da com-
missilode pclifoes, aprcsuulou o seu parecer relati-
vamente a de Rellarmino Aives de Amelia, arrema-
tante das medidas de farinlia dos mercados pblicos,
pedindo para ser desonerado deste contrato, por ter
o artigo 24 da lei do orgamenlo municipal vigonlo u
slleradu em suas bases. Quo so cousultassu o ad-
vogado da casa, remellendo-su-llie o requerimonto
da parte, o parecer da comniissAo o o termo por co-
pia da arremalacilo do referido imposto.
OSr. vorcador Barata leu um parecer, alteran lo a
dfrrsllo do bairro do Recife, como Cora encarroga-
do na sesso de 13 do passado, em virtudo da pro-
posta apresoulada pelos Srs. Caudino e Barros, a
qual, entrando em discusso, fui approvado, volan-
do contra o Sr. Barros, por nao estar a divisan le la
de confu m i dado com a indicada na referida propos-
la c mandou-se olliciar ao juiz de'pal do primeiro
dislricto do Recifu scienticando-o disto mesmo.
Suscilundu-se,em virtude do parecer acuna,a ques-
tSo Sobre quem couipetia presidir ka eleites do re-
len Jo bairro, visto como pela alteracHo da divisSo de
seu* diatrictos, passouojuiz de paz mais votado do
primeiro para b segundo, licandu lodavia o seu sup-
plente no primeiro districto, deliberou a cmara que
se pedissoeselarecimentos ao governo d& provincia.
OSr. vereador Barros fez o seguinte requerimen-
lo que oi approvado :
Requeiro que com urgencia so chame o quarto
supplcnte do juiz de paz do primeiro districlo da
freguezia do Pgo para prestar juramento. Sala das
sessOes, 11 de novembro de 1848. Uarrot.
O Sr. vereador Nery da Fonseca. fez lambem um
reuuerimentoque foi approvado, deliberando aca-
mara quo se convidassem para prestar juramento 3
de seus supplenles.
Despacliaram-se as peleos de Manoel Alves da
Silva costa Cuimarnes, de JoSo da Cosa Dourado,
de Manoel do Araujo Piuheiro, de Anua BenedicU
Comes, de Joflo Manoel Teixeira, deMarianna Joaqui-
- m .iva a luiz. Antunes Vieira, de Manoela Joa-
quiua"da Silva Figuciredo (4),e levaoiou-soa ses-
KXTRACTO DIARIO DOS DAS 10 E II DO CORRENTE. sao.Ku, Manutlltrrtira Accwli, secretario inte-
,PAr.m preao. :- orden do Sr. desembargada I rio a ^-^^h^*t"to,'"*
chtfe de polica, as prUs Felieidade.Mara do*Pr-1ro. Ur. Ntry da tonstea. Mamrii. -Barata.
AKIO OE PERN\WR11C0.
BXOirX, 10 DI DEBEMBKO DE 1848.
TIUCHPno AS FnC*8 DA LEGAI.IDADB EM PAJA-
UU'-DE-FLOES. PBISAO HE PHANCISCO BAR-
BOSA Noi;n:iHA PAZ.
Dos protege a causa da ordem, e pune os revol-
tosos! ..... Os pontos com que clles mais contayam,
acham-se todos em poder dos legalistas; asforcas
do quo elles mais alardeavam, c com quo todos os
das ameacavam a capital, estilo debandadas, c espa-
voridas ah corrom pelas maltas osorlas cm busca
de escondrijos onde se oceultem para escaparom
justa punidlo dos roubns c assassnatos que com-
mcltcram. llontem o Exm. Sr. general Jos Joaquim
Coelho, com a bravura e pericia quo Ihe conhece-
mos, desbarata os bandi Jos do Catuc; c no cnlanto
que os nossos letores recebiam jubilosos ISo impor-
tante noticia, que nos oprcssmoscm communicar-
Ihcs, tinhamos nos entro mtos um documento offi-
cial, de quo consta a victoria alcancada pelas tropas
iegaiistas de riores sobre o bando que, coramanrJa-
do por Francisco Barbosa Nogucira Paz, infestava
aquelle lugar, derramava all osangue pernambu-
cano, e por sem duvda se dispunlia a renovar nessa
paragom as scenas de horror, que no anno passado
servio de Iheatro o Bonito, o de que tilo largamente
se oceupou a imprensa; victoria tanto mais com-
pleta quanlo teve em resultado a priso dosebrodilo
Nogucira Paz, que agora respndete ante ostribu-
nacs polos actos que ah so Ihe imputam quasi que
quotidianamente, e pelo delicio que acaba de perpe-
trar, conduzindo ao campo da rovolta alguns ho-
.nens nexpericr.tes, segundo o affirma o documento
que ja citamos, e que he o seguinte :
lllm. e Fxm. Sr. A 16 do corrente ofice a V.
Ex participando quo meachava empossado cem
exorccio de delegado desta comarca, e que no din
seguinte hava entrado nesta villa Francisco Barboza
Nogucira Paz com 28 espoletas armados omuiucia-
doi, bem como os facinoras Jos Antonio Pereira,
Jo* Flix dos Santos Drasil, seu irmb Francisco Al-
ves dos Santos Brasil, acompanhados de 50 e tantos
sicarios, e de mais algumas pessoas desta villa, alli-
ciadas polo refundo Noguoira Paz, afim do obstar o
oxcrcicio da minha autoridade, plantar a desorden
na comarca, e derramar o sanguc humano, o que in-
felizmente aconlcceu, como passo a expor V. Ex.
No da 18 do corrento, oslando cm uiinha casa
s 9 horas da noilc, em companhia do varias possoas
queconservava para minha garantia.ouvimos grande
numero do tiros as ras dsta villa, e mudos in-
sultos a minha pessoa o demais empiegados noya-
mente empossados. Qucrcndo immediatameiue sabir
para repellir essa gente, deixci de o fazer por sor in-
formado que o destacamento de polica se Ihe liavia
reunido, c que os revoltosos seachavam com fortes
trincheiras na cadeia, na casa de Nogucira Paz, e em
outros pontos sobraneciros a outros quaosquer tiesta
villa-entretanto que cu nflo tinha frca sulHciente
para'baie-los. Fiz-me forte em minha casa' como
pequeo numero do pessasquo tmha, e immedia-
lamento ollicici para varios pontos da comarca, exi-
gin lo auxilios, que logo rocebi do commandante
superior, o qual com toda a energa fez marchar a
guarda nacional.
Exm. Sr., a peleja nosse da foi renluda, pols o
fogo durou tres horas, resultando delle o forimento,
mais ou menos grave, de alguns bravos; porcm nilo
podemos avancar sobre as trincheiras do inimigo,
pela pouca gente que anda lnhamos.
No da 19, s 5 horas da manhSa, chegando-mo
mais algum soccorro, mandei fazer trincheiras, e
s 6 acommelteu-me o inimigo, rompendoo fogo
sem mais cessarat s4 horas da tarde do da 20,
som apresentar vantagem a nenhum dos lados, quan-
do chegou cm meu auxilio o tenentc-coronol Sim-
plicio Pereira da-Silva.com 80 homens, tendo-se nes-
sa mesma occasiSo passado para o meu lado o sar-
gento do destacamento, Candido Pereira do Souza,
comvintoo tres pravas. Enloas tropas legaeson-
thusiasmaram-se, c acommcttcram as trincheiras
com sanguinolento combate, que esbarrou as 6 1/2
horas da tarde, quandoos robeldes do ponto da ca-
deia cobardemente o dcsampararam, como tambom
os do segundo ponto, fugmdo muitos om deban-
dada, e licando nao poucos prisioneiros, que fram
loco desarmados. .,
k Perdemos quatro cidadSos ; ti vemos 28 fendos,
e entre elles o subdelegado desta villa, o capitao
Pedro Jos de Campos, que levou urna bala cm urna
perna. Os rebeldes deixaram cinco morios no cam-
po; nao se podendo avaliar o numero de Teridus,
por ser cuusieravei, a ter lugiu a iiicr part.
Na acqao do combate fui preso o caudilno Fran-
cisco Barboza Nogueira Paz (causador de todo o
acontecido) e mais vinte de sous companliolcos, os
quaes todos n!to remedo j V. Ex., por esterera
as tropas bastante fatigadas, c sor preciso dar-lhes
alguns dias de descanso.
Por csse mesmo motivo, nao fiz perseguir os
fugitivos, como era do meu dever; o quofare o mais
breve possivel.
Nao havendn seguranca na cabeca da comarca,
fiz conduzir os presos para a povoacan da Scrra-Ta-
lhada, onde os conservo bem guardados.
Nao posso deixar do congratular-po com Y.
Ex., nao s pelo xito da acQo, como pela galliar-
dia o bravura com quo se portaran) as tropas legacs
a bem da causa publica; havendo-so distinguido
em coragem os benemritos tenonte-coronel Sim-
plicio Pereira da Silva, Antonio Simplicio Pereira
da Silva, Jos Peroira da Silva, Manoel Joaquim do
Magalhaes, Arnaut Nunos de Magalh3es, o niajor
ChristoVSo Jos de Campos, o subdelegado e capitn
Pedro Jos de Campos, e Lucio de Siqueira Campos,
aosquacs mais so devo o triumplio, e cujos servi-
qos recomniendo bondade c boa volitado do go-
verno.
Com mais demora remcdere a V. EX. omappa
d-is Mrcas legacs, c mais circumstaueiadamente no-
noliciarei a V. Ex. algumas cousas que tenham oc-
corrido cainda mo sejam oceultas, bem como oulras
que frem occorrendo.
Heos guarde a V. Ex. felizmente Sorra-Talba-
da, 26 de novembro do 1848. lllm. o Exm. Sr. Ilor-
culano Ferreira Peona, presidente da provincia.
Manotl l'trtira da Silva.
ENCONTR DAS FORCV IMAM AO MANOO DO MAJuR
SIQUEIRA LBlO COM OS BBVOLTOSOS DK UNA.
Urna carta particular, que temos vista, refere
que no dia 8 do corrente as torgas da legalidade ao
mando do brioso major Ignacio do Siqueira I*3o Sil-
va Cruz, estacionadas no engenho Cnmorim, que as-
senta na freguezia de Una, e pertence ao coronel
Cambiiim, baJ,oram.-aarevoiloaciS-iiuftQUsaram ap-
proximar-so desse ponto.
O fogo durou per algumas horas; e, terminado
elle, verificou-se que os legalistas haviam perdido
4 homens, etinhain 11 feridos, ao passo que via-se
no campo os cadaverns de 12 revoltosos, o sabia-se
que era extraordinario o numero dos scus feridos,
inclusivo o facanhudo Caetano Alves; csso caudilho
cujos crimes s3o muito conhecidos, para quo os re-
cordemos aqui.
O valenlo major Siqueira toi tocado em o braco
esquerdo por urna bala que, resvalando por urna
costela, oolfcndeu levemonte.
A carta hp pouco minuciosa : limita-se apenas ao
quo alii fica escripto, o nao nos habilita, porconse-
guinle, a entrarmos nos pormenores da accao, nem
Iflo pouco a noticiarmosaos leitores quantos foram os
prisioneiros feitos pelos legalistas: entretanto, he
mais que corto, que estos cobriram-so anda urna
vez de gloria, e levaram de vencida os bandidos quo
se arrojaram a ataca-los.
lie mais urna poreo do precioso sangue pernam-
bucano derramado pelos loncos que chegaram a
ticrsuadir-so que estavam as circumstencias dopo-
dreul connagar impunemente a provincia, e extor-
varcm o goverfio no legitimo exercco de suas at-
tribuicOcs. I'raza a Dos que n3o mais tenhamos do
oceupar-nos com semclhante assumpto, e quo os
nossos irmos Iludidos acabem de conhecer os scus
.erdadeiros amigos, e abondonem por urna vez os
desalmados quo com furor satnico os v3o arrastran-
do para o matadouro com embustes q malignos
como csso de que o capitao Borba inteirou a presi-
dencia no requerimento que registramos emo nosso
n. antecedente.
DESCRJPQO DA DERROTA DOS BANDIDOS DO CITOC
O documento que abaixo transcrevemos, e que va i
firmado pelo F.xm. Sr. brigadeiro Jos Joaquim Coe-
lho, d conta dos pormenores da acc3o com quo o
eximio general desbaratou os bandidos quo, acanto-
nados as maltas do Catuc, como quo buscavam
ameacar a capital, o derramar o susto eo terror por
entre as familias pacificas quodemoram as circum-
vi/inliain;as daquella paragem.
ContenUndo-nos, pois, com semelhantc transcrip-
ijo, nada ulu dircu.os cerca uesse feilo d'annaa
o qual evidentemente prova quo nada mais temos feito
do-que pagar um tributo ao mrito do S. Exc, sem-
I

AR ENCONTRADO


w*w
-. .; ^
-T


- .? *."-. %-7
I>re que o havemos denominado liravo o perito mili-
lar ; pois quo Me a brvaura de combinacao rom
a pericia serian) capa/es de lial.ililarcm-no a dirigir o
taque de modo que as forras legalista! nfio tivesscm
a lamentar sen 3o a mortc de um ollicial c o terinien-
to de um soldado.
Ql'ARTBX GRNRRAL DO COMMANDO HAS ARMAS DR
PeRWAMBUCO, 11 DB BUEM11H0 l>E 188.
Orilem do dia.
Tendo saliido na noit do dia 9 do corrcnte, com
ilelerminac3o de atacaros revoltosos do Cntuca nos
seus proprios intrinelieiramentos, fiz por cm movi-
inenlo, ao amaiiheccr do di 10, as duas columnas
que operam poraquelle lado ; urna ao mando do Sr.
coronel graduado Cypriano Jos de Almeida, com-
posu do (.obatalhflo de caradores sb o interino com-
mando doSr. major JoBo Cuilhcrme de Bruce, e do
corno policial sfi o commanilo do Sr. major JoffO do
llego Barros Fa lefio; e a outra, onde eu mciichava,
ao mando do Sr. coronel graduado Jos Vicente de
Amorim Bozerra, compoata do 4. baUlh&o de arti-
maa a pe ao mando do Sr. majorInnocencioEusta-
quio do Arau jo, do S.< balalhfio de fuzileiros com-
mandado pelo lenente-coronel Feliciano Antonio Fal-
efio, do corpo lixo doCoar ao interino commando
do Sr. capilflo l.uiz Xavier Torres, e do corpo de
l.oianna ao mando do Sr. coronel de guardas nacio-
nacs Francisco de Alhuquerque Marnnhao. Ao melo-
da, poucomais ou meos, rompou o rogo que foi
vivo; eos rebeldes, desalojados das trlncholras que
guarnecan) osen acampamento, fram Obrigados a
tleixar cm poder dos vencedores o proprio recinto
quo Ihes servia de deposito. Munices de lincea o
guoi ra, botica, ordena do dia dos seus intitulados ba-
ta I hes; ludolicou cm nosso poder depois de duas
lunas e mcla de logo.
O general, agradeceudo aquellos dous Srs. co-
rnete commandantes o bem que cunipriram suas
orden, !uva o so congratula com todos os Srs
olueiaes, olliciaes inferiores, soldados e mais pracas
que compunham aquellas tilo valenlescomo dislinc-
tas columnas, mo pudendo deixarde tazer particu-
lar meticflo do Sr. lenente-coroncl Feliciano Antonio
Falcflo pela maneira distinrta com que se portou l'a-
zendo a vanguarda com o balathao do seu tom-
maiido.
Sao igualmente dignos de todo o louvor os Srs.
tenentes de guardas nacionaes Joaquim Concia Lima
e do corpo lixo do Cear Jos de Souza Lima, que
sendo mandados corlar a retaguarda dos rebeldes!
( umpriram satisfactoriamente essa commisstlo.
\os Uvemos a infelicidade de perder o vidente
airares Joaquim Jos Gomes de Menezes, do .>. bala-
Inuo de fuzileiros, e de serferido um soldado do mes-
nio batalhflo.
A poida do iiiiiiiigo nau pude deixar de ser con-
sideras '
no
lie
terior das extensas maltas que I lie ser va in de r'e-
rugio.
a victoria, assim como as anteriores, d a
l a
bem para desojar que ella abrisse os los'aos incau-
Quanto ao mais que diz o boUlim, julgamos bas-
tante compara-lo com o proprio Diario Novo de boje,
para mostrar quanlo estilo atordoadosos seus redac-
tores : um allirmava s seis boras da mantilla do din
ti quo as freas libera'* do Tatuca, cnthuHasma-
das pela sania causa da liberdade, esperavam a
pe firme os Coelhos, llezerras, Bruces, Barros,
- Cyprianos, &c, para receberem urna lcito seme-
Ihantc de Mussupiulio e Maricota : o outro s
seis boras da tardo desse mesmo dia asseverava que
as sobreditas freas julgaram conveniente lavan-
Mar o seu acampamento no DIA 10 e fazer urna evo-
o lucflo militar para outro ponto.
Mi sera v el gente Pcrdcram a tramontana, o no
saliem a quantasandam !.,.
Entretanto, pouco nos importa quo continenlas
forjas Uluraes a fazer semelhantes ovoluces, com-
anlo quetenham o mesmo resultado dessa do quo
tanto alardeiam os redactores do bolelim, istobe, a
debandada e a fuga vergonliosa; porque, emfim, ellas
produzirflo a complela pacicacflo da provincia,
que, merco de DOS, se ultimar brevemente.
2m
VARIEDADE.
CorCLUSO DAS NOTICIAS ESTUANGEIRAS.
Carlas de Reme de 25 de outuliro annunciam que
oscamponezes da viziulianca dcFigurbo scsuble-
varam contra o governo daqucllo canillo, porm que
tropas enviadas de Borne os tinham dispersado,
hispo daquella cidade fra preso e levado para
l.ausanne cm ci nsequencia de ler animado o movi-
mento dos camponezes.
0 Piemonte ficra em paz, nilo obstante a consul-
ta lombarda estalielccida em Turin haver dirigido
ao rci Carlos Alberto urna rcprcsenlacflo na qual I he
pedia instantemente renovasse as hostilidades.
0 general de laMarmora fra Horneado ministro
da guerra; e Mr. I.uigi Torclli ministro da agricul-
tura c do comoiercio.
O general Itava em una proclamado que dirigir
ao exercilo, do qual fra nomeado commandanle em
chote, compromctcu-sc a nilo tor senio urna s af-
cicao, un s ponsamento, una s vonlade : a li-
berdade e independencia da Italia.
Como qur que os cidadfios Azeglio, Capponi e
oulros mombros do partido moderado recusassem
entrar para o gabinete toscano, o gran-duque decla-
rou que, se fosse obrigado a compor urna adminis-
trarao com M. C.iicrro/i p o nutras aliefu .!.......;.
.. ,._.., -v. niiioigu i,u. (iijuc ueixar ue ser con-
ieravel em consequencia do vivo logo que soll'ieii
isou proprio acampamento viram-se 8 morios: e
natural que oulros mu i tos stieeumbissem no n-
ja lliciua uo IIIOVI-
conhecer o valor que anima o soldado que detende e
tai oo governo, c sustenta a ordem publica; c lora
bem para desejar que ella abrisse os olhos aos incau-
tos que, seduzidos por meia duzia de desalmados
sacnlicam as suas vidas sem saber o porque, ou qu
osses cabecilhas, horrorlsados pelo numero do vidas
que teem sacrificado sua miseravel ambiefio so
chamassem ao silencio, procurando com o temed
minorar os odios quo tilo justamente pesam sobro
suas cabecas.
JOSK JOAOUIM COELHO.
0 B0LETIM DOS I1EVOLT0S0S.
Acabamos de ler um papel, impresso na typogra-
pliia do Diario Novo, com o Ululo de bolttim do ataque
do dia 10 em as maltas do Cnluca ; e.julgando que neni
sflodignas de inalyse as falsidades que conlm, del-
inelo revolucionario de Lime, se retirara para a
tilia de Elba) mas a altitudc resoluta daquella cida-
de Iriumpbou afinal dos escrpulos do gran-duque
0 cidadao Montanelli foi encarregado de organisar
o novo gabinete, o qual al a ultima data achava-so
constituido da maneira SOguilltO : Montanelli, mi-
nistro dos negocios estrangeiros o presidente do con-
cellio;Gueriazzi, ministro do interior; Marzoni, mi-
nistro ajuslica ; o professor Zanetti, ministro da
insliuccao publica. As outras nomeaces nimia no
cram conhccidas; mas o programma do ministerio
sera francamente democrtico. Sua primeira con-
dicao era aconvocac.no immediata de umaconsti-
luinte italiana, aqualdover reunir-se em Roma.
Valtclina achava-se em insurreic.lo manifesta : a
ponte sobre o Adda linha sido destruida. Dolzini
frente de 600 a 800 liomens armados desceradas
niontaiihas vizinhas a cidade de Cliiavenna, aprisio-
nara toda a guarnido austraca, e proclamara a re-
pblica.
Na Sicilia nada de novo havia occorrido.O terreno
neutral assignado pelos officiaes do marinha ingle-
zese Irancezes era respeitado por ambos os belige-
rantes, e presentemente a ilha goza da mais perfeita
tranquillidadc, sendo a boa ordem mentida do urna
parte pelo gove.no provisoiio, e na viziuhanca do
Messina pelas tropas napolitanas.
Roma o aples tinham licado em paz.
A AHemanlia contina em grande excitamento.
ORDENS DO DIA DO QARTEI^GENERAL
DO c\ri;cA.
Em o numero antecedente, promettmos nssub-
jeitar consideraco dos Icitores as clebres ordens
do dia, expedidas as maltas do Catuc em nome de
Joflo Ignacio Bibeiro Boma; boje vimos desempe-
nhar-nos da promessa, ftzendo a esses documentos
do arrojo de tal cabecilha, e da nescidado daquelles
que se deixaram illudir por ello, algumas notas que
nos parecem tanto maisnecessariasquanto loem por
fim tornar conhecidos do publico certos individuos,
que alii sao mencionados.
1. BATAIJIAO DOS LEGALISTAS.
Ordem do dia n. 1, 30 de miembro de 1848.
0 commandanle, cerlo do quanto os seus charos
patricios so teem prostado e se prestarlo ainda com
mais denodo o leuldada pela causa qu defendem,
nado nesta leal coadjuvaco, tem determinado, para
que com mais facilidade e promplidSo sejam feitos
os sorvicosaqui ueste acampamento, queseja com-
posto o corpo que tem a honra de commandar em
seis companhias, o qual logo que as circunstancias
o permitlirom receber urna exacta e completa or-
ganisaclo. Todava, sendo autorisado a agraciar
aquellos individuos que habilitados (rem para o
servico, julga consequente a elevar aos postos de
olleros ajudante Francisco Xavier Rodrigues de Mi-
randa (!j: para alferes commandanle da 1. compa-
nhia o 2.0 cadete Coriolano dos Santos (21: pira
aireresda 2." companlfia o l.o sargento JoaoBaplista
dos Passos (3): para alferes da 3.' companhia o 1.
sargento de guarda nacional Jos de Souza Monte-
verde Santiago : para alferes da 4." companhia Eu-
genio Amancio da laix3o(4): para alteres da 3.'
companhia o l.o cadete Francisco Xavier Cavalcanle
d'Almcida(5|: os quaes usaro logo de suas insignias.
Tamhem confirmo os postos de sar^ento-ajudanle o
cidadfiu Cilislino l'ereira Leite, e de sargento-vago-
meslre Joaquim Jos dos Beis. O commandanto es-
pera que os Srs. olciaes facam suas propostas para
inferiores o cabos de suas companhias, e se esfor-
cem para quo baja regularidade as pracas que pas-
sarem a commandar, para que sirva de exemplo aos
oulros corpos voluntarios : o finalmente espera que
os nosso* charos patricios j quo promptos esl.to a
defenderem a mais santa das causas reconhccain e
respeitem aos Srs. olliciaes. (Assignado) Joto Igna-
cio Jlibeiro toma.
Quariei do commando do i. balalhao dos legalistas,
6 de dezembro de 1818.
a ORDEM DO DIA N. 3.
O film. Sr. commandante manda publicar, para
conbecimenlo das pracas do sou commando, que nes-
ta data tem elevado aos postos de capitao os Srs. al-
feres da I.' compxnhia Manuel Coriolano dos Santos;
da 2.a Juao lia ni isla dos Passos ; e da 6.* Maxi miao
Delinques da Silva Santiago (6). E para alteres quar-
(el-mcstre o sargento vago-mestre Joaquim Jos dos
Res : outro sim passar a commandar a primeira
companhia o Sr capitao Passos; a 2.* o Sr. capilflo
Santiago, o a 6.' o Sr. capitao Santos. Determina
mais o Sr. commandanle que nesta tem elevado ao
poslo do sargento vago-mestre o cidadao Cbrislovfio
de Santiago Cmara (7).
COMMERCIO.
567,0)3
ALFANDEGA.
RENDIMENTO DO DIA 11...........12.
Descarregam hoje, Vi de dezembro.
Brigue Westmoretand bacalho.
Brigue kaniolf dem.
Barca -Tenlaliva-Fellx pipas. barrica, vasi...
fumo. '
Escuna Outuit breu e alcatro.
Burea Jane-Brtmn cerveja e lotlCa.
IMFORTAGAO'.
Westmoreland, brigue inglez*vindo de Terra-Nn.
entrado no crrante mez, consignado a UtiC '
llibberl & Companhia, manitestou oseguinto- "
2,500 barricas bacalho; aos consignatarios]
Itandolpk, brigue ingloz, viudo de Terra-Nova 0
Irado no correnta mez por franqua, consieiridn"."
ohnslon Pelar & C.mpanhia, maniteslou oseiui,,
2,450 barricas bacalho ; aos consignataiius
Janr-llruwn, barca ingleza, vinda do Glasgow
Irada no corrente mez, consignada a ltidewv i""
mison&Couipaubia, maniteslou oseguinie-
120lingoadas de ferro, 50gigos louca. 0ii.,
fazendas dealgodao; a Ridgway Jamisoi ftfiSS
panhia.
130 toneladas carvflo de pedra, loo barricas cor
Ja; a ordem. ,0"
125 barricas cerveja ; a James Patn & Comoanhii
1 pacota gazetas velhas; a Roben JaiTraT
125 barricas cerveja ; a Adausou liow'ie & rnm
panhia. m'

CONSULADO GERAL.
RENDIMENTO DO DIA 11.
Geral .
Diversas
i
<...................3:530,388
provincias............... 118,173
3:654,561
CONSULADO PROVINCIAL.
RE1NDIMKNT0 DO DIA 11.......... 1:908,801
Movtaicnto do Porto,
xariemos inlciram ente livics aos seus autores 01a-
^prazer dedecantar as imaginarias victorias \^^r^^^^^ ^t l
da revolta, se n/JO entendessemos do nosso deveri respeilo do progresso da democracia cm dillerentes
destruir urna dessas fa.sidades que os redactores ^W^
lhar,o l\ovo mventam a cada momento com o bem burgo, &c, haviam clubs democrticos, cujo objec-
lo era o eslabelecimento da repblica, e alguna ac-
crescentarain mesmo da repblica vermelha, o quo
excitou grande applauso. L'm deputado do llesse
Elcitoral assim so expressou :
y Cidadilos! Nos nao teremos repouso ernquanto
todos os principes allemaes nilo frem expellidos de
seus thronos!
Estrondosos apoiados cobrram a voz do orador
0 congresso resolveu nomcar urna commissao cen-
tral para dirigir a propaganda republicana na Alle-
maiiha, e outras commissOes mais encairegadas do
examinar os negocios relativos causa da reou-
conhecido (im do allicnar do Fxm. presidente da
provincia as affoices das pessas quo o nao conhe-
cem. Consiste ella em dizer-se que, ao receber a no-
ticia do ataque do Catuc, mandara S. Ex. soltar fu-
geles, o tocar msica por toda a noite s portas de
palacio, etc., etc.
He certo que urna grande parle dos bous habi-
tantes do Recite, rigosijando-se, como era natural
com a derrota dos bandidos do Catuc, concorreu
ao largo do palacio hora em que ah seacliavam,
como he docostume, as bandas de msica dos cor-
pos da guarnido, e que muitos delles fram ter
com S. Ex. e Jhe dirigiram seus cumprimenlos; mas
dentro os centenares de lestemunbas quo presen-
ciaram esse acto urna s nao haver, a nao ser al-
gum dos proprios redactores do boletim, que visse
ahi soltar-so um s foguete, c multo menos que ob-
servasse indicio algum do feslim no palacio do go-
verno.
Se fra o Iriumpbo dos revoltosos, nos j tea-
mos visto aturdida a'boa cidade do Recite com as
perigosas demonstrares do seu cnlhusiasmo c re-
gosijo; nias o governo actual c os amigos que o ro-
deiam, altendciido seriamente ao estado da provin-
cia, o deaejando sobro ludo o restabelecimenlo de
sua tranquillidad, estilo bem longe do querer imi-
tar o procedimento daquelles que hojo os aecusam, e
quo em eras n3o muilo remolas entendern, dever
solenin.sar com urna verdadeira bachanal as ras
desta cidade o simples irinmntm de urna eic'icu <
'dous senadores, ambos de fra da provincia, ali
pbtido pelos meios que todo o Brasil sabe.
blica.
Orei da Dinamarca abri no dia 23 de outubroa
Mago da dieta daqucllo paiz, pronunciando a sc-
guinle falla ;
Cidadaos da Dinamarca I
He com grande salisfacfio e prazer que me vejo
pela primeira vez ceicado dos representantes cleilos
idade
'a mi
depois quo su
a LEMBRANCA.
Os Srs. commandantes de companhia d'ora em
diante apresentarao diariamente um mappa de suas
companhias cujo modelo ser apresentado pelo aju-
dante. (Assignado) Joio Ignacio Hibeiro Romo.
Quartel do commando do\fi batalhaS dos legalisUis
acampad* us maltas da Catuc, 9 de dezembro de
1848.
ORDEM 00 DIA N. 5.
O lllm. Sr. coronel commandante manda fazer
publico para conbecimenlo das pracas e seu com-
mando que nesta data tem proposto para alteres do
seu commando aos interiores abaixo declarados : o
do meu bel povo. O amor e a humanidad com que
ellos sustentaran! a causa sagrada para mim epara
o paiz nos das da maior dilliculdadc depois que su-
b ao throno de meus pas, asseguram-me quo urna
mclhor era despontara brevemente para a nossa pa-
tria. Cheio de conlianca, eu venho hojo discutir com
os tenos do meu povo aquella consliluicao quepor
minlia livro o real resolueflo vos hei promeltido, e
por meio da qual he meu desejo, utinha esperanca
e meu orgullio, consolidara antiga gloria o felicida-
de da Dinamarca. Os meus ministros para quem re-
servo o livro ingresso nesta assembla, e o direito de
fallar em seu seio, se fr necessario, vos aprCscnta-
rao o esboco da constituigao; e, contando com a vs-
sa Ilel e enrgica coopcracilo, espero que a presente
dieta completar um amojmenlo conclusivo do 13o
importante negocio, etc.
A Russi ficra cm paz.
Os negocios da Walachia contiiiuavam ainda a
absorver a attenc5o publica na capital da Turqua.
A tranquillidade linha sido completamente resta-
blecida om.Bucharcst, graeas s medidas enrgicas
adoptadas pelo governo russo-turco.
. A?iu'l'{n"!i noticias da Persia annunciam a morte
u olmi uuquriie reino, e que em consequencia dis-
so subir pacificamente ao tbrono Mcrrediii Wirza.
aeu tillio. '
O paiz gozava da mais perfeita tranquillidade.
ta-Anna, e ao cidadao da *. companhia Antonio
bul! Alves. I'icam pertencendo estes Srs. odiciaesas
companhias que d'antes pertencam, devendo os
Srs. commandantes de companhia fazer as compe-
tentes nulas dos Srs. ofliciaes ora nomeados.
SERVICO PARA 0 DIA 10.
Pequcle da frente o 2. sargento da 3.* Rocha:
dito da retaguarda o 2." sargento da 1. Zacaras;
cabo para frente da 2.' Vieenie Ferreira, e da reta-
guarda o cabo da 3." Alcntara : guarda do ouarlcl
cabo da 2.' Calist.o. *
[\} Ex 3." commandante do companhia do corpo
do polica.Acha va-so s ordens da presidencia
quando aqui chegou o Exm. Sr. Ponna ; e foi demit-
tido por constar que eslava aluciado polos promo-
tores da revolta.-O faclo.de so adiar elle entro os
bandidos do Catuc, elevarlo ao posto de alteres aju-
dante, por domis justifica o quo a seu respeito se
dizja.
. (i) Pertoncia ao 6. batalh3o de capadores de 1.
linha, e desertou em das do mez passado.
(i) Era ordenanca eflectiva do Sr. coronel Rento
Jos Lemenha Lins, quando esle Sr. so achava no
commando das armas da provincia. Eotao morava
Navios entrados no dia 11.
Calais ; 46 dias, brigue sueco Adolph, de 220 tonela-
das, capitao E. P. Wikstrom, equipagem 12, en
lastro; a Me. (!almont& Companhia.
Assi'i ; 9 dias, patacho brasileiro Laurmlina, de fio
toneladas, capit.lo Joflo Martina da Silva Cardozc-,
equipagem 12, carga sal e palha ; a Lourenco Jos
das Neves. Passageiros, Julio Mariano GalvSo,
Francisco Xavier de Alhuquerque, Brasileiros.
Bahia ; 11 dias, hiate brasileiro FakalacnS, de 32 to-
neladas, capilflo Manoel Antonio da Silva Lobo,
eqtlipagem 5, carga termita tos, fumo e mais gneros; a Jos da Silva Mendon-
ca Vianna.
Natos sahidos no intimo ia.
Aracaly ; hiate brasileiro Duvidoso, capilflo Jos Joa-
quim Alves da Silva, carga varios gneros. Passi-
geiros, Augusto Dias Marlins, Brasileiro; Jos
Malhias Ferreira, Portugucz.
Rio-do-Janeiro; brigue brasileiro Ntn, capilflo Joa-
quim Ribeiro Mallos, carga assucar, ago'ardcnle e
lateado.
dem ; barca brasilera Tentativa, capitflo Manoel Ma-
na Miig, carga assucar e a go'ardcnlo. Passagoi-
ros, Joaquim Lopes de Barros CabralTeive com
sua familia.
Bahia o Rio-de-Janeiro; paquete inglez PeUrtl,
commandante o lente Crcsscr.
ObservacSa. .
Enlrou para o Mosqueiro o brigue inglez Westmo-
reland, chegado de Terra-Nova em 9 do corrente,
com baralhao.
Eulrou para o Mosqueiro o brigue inglez Bandell,
c llegado em 7 do corrente, com bacalho.
EDITA L.
-- O lllm. Sr. inspector da thesouraria da faicnda
provincial, cm virtudo do resolueflo do tribunal ad-
ministrativo, manda fazer publico que, em cumpn-
monto da lei, peante o mesmo tribunal, vai nnva-
menlo a [iraca uo dia 14 do corrente, o imposto se-
guinlc:
2,500 rs. por ealieca de gado vaceum quo fr con-
sumido nos municipios abaixo declarados.
Olinda.avalado novamente por anno cm 4:000,000
Po-d'Alho, dito dito 5:000,OOU
Nazaroth, dito dito 6.50O,U0U
Santo-Antflo, dito dito 6:300,000
Serinhflem, dito dito 7W.O00
Rio-Formoso eAgoa-Prela, dito dito 2:5OO,00
E nos municipios seguinlcs, nosquacs so paga ai
aquellos que talharem carno para negocio, e os cria-
dores o dizimo.
Bonito, avallado animalmente por
Limoeiro, dito dito
rejo, dito dito
Cimbres, dito dito
na prop, ia casa doS. S.-Apenas aqu chegou o Exm. ffl;JMo
r. lenna, e antes quo S. Exe. houycsse tomado Flores o Floresta, dito di
posse, esse individuo solicitou e obteve da presiden-
ca tres mezes de liecnca, cm cujo gozo anda es-
lava. .
(4J Ex-sargento do corpo de polica.
(5J FilhodoSr. Tiburlino Pinto de Almeida.Ha-
via desertado, do 5.' batalhflo do fuzileiros.
(6; Pertoncia ao 2. balalho do artilbaria a pe.
Desertou em dias do corrento mez.
i.) r^C TC.iiu c uauiuiuu que vtigo pi usa
desta cidade, com una capa de ltela encarnado s
costas, a pedir esmolas para Santa-Luzia, cuja ima-
gem trazia em urna salva.
2-500,000
3:500,000
1:600,000
800,000
2:500,000
3:500,000
3:500,000
dito
Boa-Vista e Ex, dito dito
E |iara constar 60 maudou aullar O presente o pu-
blicar pelos Dianos.
Secretaria da thesouraria da tezenda provincial de .
Pernambuco, 11 de dezembro de 1848.
O segundo escripturario, f
Antonio Ferreira da Annunciaca'o.
lieclaraces*
Le cnsul de la republique francaise i Fcrnarn-
bouc a Phonneur de prevenir ses concitoyens *r-
rivant en pays tranger, qu'ils sopttenus, aux ier-





inei de l'ordonnmce du '25 octobre 1833, de te pr-
,,'i>ler coniul*t de Franco, pour y faire visor
leun paiseporti. -
II est do son dovoir cgalemrnt d'inrormer les
I raneis nui habiten! calle province, qu'il est de
Icurinlret, s'ils veulenl s'assurer la prolrction du
. .iiisuUl, 'le se Taire inserir sur le registre matri-
cule, selon les prescrplions do l'ordonnance du 28
novcmbro 1833, apios avoir lome fois jtistifi de leur
nitiunalit.
I'ernambouc, le 11 docembre 1848.
Le cnsul do la rpuhlique franraise,
Aug.'* IIelle.
PilblicAC&o Litteraria.
Sabio a luz a resumo da historia do Brasil com-
pnsta polo professor publico S. H. de Albtiquerquo.
Ksle resumo intermediada pelas mais bollas estan-
cias do poema Caramure terminado porqui-
Iro mi"! essantcs indiers chronologicos o por una
oitalistica dos hachareis formados em direito offe-
rece ao leilor instruccao e recrcio e commodida-
de de encontrar em um volume muilo bom impresso
o por mdico proco nquillo que s adunia em va-
,,,<, ulnas o por mais dmlieiro. Acha-so u [venda na
ruado Crespo, loja n. 16, do Sr. Jos Azcvodo de
iiiiliaiUi e em Olinda ra de Mathias-Ferreira ,
.obrado u. 6, brox. 4,000 rs. Nesles mesmos lugares
pdem os Sr*. assignantes procurar os scus oxem-
plai'JS, por cada um dos quaes s paganlo 3,000 rs.:
vndese lambom na livraria da praca da Indepcn -
.; m'ia ns. Oe 8, a 4,000 rs. cada cxcmplar.
PURLICACAO' DIARIA NA II Mil A.
O TEMPO.
Jornal poltico, commercial, Iliterario e identifico.
Parle poltica. Sem ter urna opnlilo cgi a respei-
\ to de nenhum partid^, o Tempo adoptar os princi-
pios que Ihe parecern justos, reprovando sompre
os actos mos de quera qur que seja. Suas colum-
nas estarSo a bertas aos escriptos dos differentes par-
tidos, com tanto que nflo vSo ferir a delicadeza de
pessoaalguma. Para os artigos deque fr misler
ignorar-so o nome do autor havera um copista in-
capaz de violar o segredo quedellese confiar. Tai-
voz se oceupe com os cmaras ; mas he certo quo so
oceupar com a policia e assoio publico.
Parle commercial. Todos os dias dar o Tempo um
esboco exacto do-estado do commorcio do dia ante-
Cdento, as entradas esahidas das embarcacOes, as
noticias commerciaes que ellas trouxerem, etc., e
nosabbadaasduas ultimas paginas do lempo otfe-
recerilo um resumo do acontecido durante a sema-
na. F.sto resumo nSo he.menos de quo urna folha
j existente com o nome de Preco trrenle o que
continuar a sabir sob a mesma direcciio.
Varli Iliteraria. A lilteratura do Tempo ser folho-
lim, artigos sobre diversos ramos do commercio
poesas, criticas sobro as obras que se frnm dando
i luz, o muitosoiitros pontos differentes sobre que
so ha do escrever.
Parle identifica. Sendo o Tempo franco em rece-
bar escriptoa com que se Ihe quizer honrar, be raui'
loprovavel que se veja muilas vezes ventilare stis-
Untar quelites scionliflcas, qur medical, qur ju-
rdicas, qur mesmo de outras sciencias j alm das
descuberlas importantes quo chogarem ao conheci-
menlo dos directores do Tempo.
0 7'empo, tendo um numero de assignanles suffi-
cienie a sua.desnoza sahir luz, pola primer*
ver em Janeiro de 1849, e continuar diario. Seu for-
mato be o niosmo que o do Diario de Pernombueo ,
seu preco 20,000 rs. por auno; os annuncios dos as-
signantes scrSo impressos orfl/ emquanto que oa
de oulra qualquer pesio* seriio a 80 rs. por linha.
Asnoliciaseliegadasaocscriplorio do Tempo ale a
meia noiteestarao no-outro da ao romper da auro-
ra etti esa dos seus assignantes. llavera correspon-
dencias na Inglaterra, na Franca, em Portugal nos
Kslados-Uiiidos, em Pernambuco e no Rio-de-Ja-
neiro ; emlim nada so poupar para que o Tempo se-
ja eslimado por seus leitores, o augmente sua im-
portancia. .
Itecebem-ae signaturas na livraria da ra da
Cruz, no Rccifo, n. 56.
Avisos martimos.
Para o IIio-de-Janeiro segu, eom brevdade,
o briwe S.'Slanoel-Anguila., capitao Manoel SimOes;
recebe carga a Iretc passageiros e escravos : quem
protendor carregar .ou embarcar, falle com o dito
capitao na praca, ou com Manoel Ignacio de Oli-
vera na praca do Commercio, n. 6.
Para o Ho-Crando-do-Sul seguir breve o pa-
l\o DaHirde-Marco, oqualainda podo receber al-
Ruma carga o escravos n Trole quem no mesmo qui-
zer carregaruu embarcar escravos, entonda-so com
os consignatarios, Amorim Irmaos, ra da Cadea,
n. 39.
Para o Aracaly sabe no dia 12 do corronte o
liiatc Flor-do-Rcife .: para o resto da carga e passa-
geiros, trala-se na ra du Vigario, n. 5.
Para o Rio-ne-Janeiro sabe, com muit* brenda-
de o briguo brasileiro Lea, por ter a maior parte
do seu carregamento prompla quero no mesmo
quizer carregar, ou ir de passagem dinja-se ao pn-
leodo Carmo n. 17, a tratar com Gabriel Antonio.
Para o Rio-Grande do-Sul sahir, brevo o bri-
gue Lt&o, recebo carga e escravos: quem preten-
der pode enlonder-se com os consignatarios, Amo-
rim irm.los, ra da Gadeia, n. 39.
-- Para o Rio-dc-Janeirocguira cm poucos dias,
a barca Tentativa a qual est com seu enrregamen-
t engajado: pode, porm, receber escravos, e tero
bonseommodos para passageiros, para estes pde-
se tratar a bordo com o cap i Uto o aquellas com os
consignatarios, Amorim Irmflos.
-A barca nacional Tentaliva-Felh segu pera o
bio-de-Janeiro com muiu brevdade, por ter gran-
de parle de seu carregamento prompla : para o ros-
to o passageiros para o queoflerece os mais ricos o
asseiados commodcs, assim como para escravos,
trata-so na ra da Moda n. ti, com Silva & Grillo.
Para o Aracaly sabe, impre|erivclmcnle at o
da 20. do correte a mais tardar com a carga que
tiver a bordo n hiale Novo-Oimda. nor ler ja enga-
J"ua parte de seu carregamento: quem nello qui-
zer carregar, se entender* com o mestro do mes-
"><>, Amonio Jos Vianna no trapiche novo ou na
ruada Gadeia-Vclha, n. 17, segundo andar.
Par o Aracaly sabe, em poucos dias, por ji ler
da
5.
i-
|)I-
parte de leu carregamento prompla, o hielo Flor-do-
llecife, forrado o pregado de cobre : para o resto *
carga e passageiros, trata-se na ra do Vigario, n.
Para o llio-de-Janerosabe, com a maior brev
dado poasivel o brigu nacional l.igeiro, de pr
meira marcha : para carga, escravos a frelo opas
sageros, para o que tem excollonles commodos, Ira-
la-se com Manoel Joaqum Soaros na loja do fer-
ragens ao p do arco da f.oncoicfto ou com No-
vaos & Gompanhia na ra do Trapiche, n. 34.
Para o Rio-de-Janero segu, com brevidado, o
brlgue-escuna nacional Olinda : tem pirlo do sua
carga engajada para o resto, passageiros e escra-
vos a frete, trala-se com Machado & Pinheiro, na ra
da Gadeia do Recife, n. 37.
-Para o Rio-de-Janeiro sahe mpreterivelmento
no dia 15de dezembro o brigue j4Mom6ro forrado
de cobre e de primeira marcha por ter o seu car-
regamento quasi completo I para o resto da carga e
passageiros trata-se com JoSo Jos Fernandes Ma-
galhes, na ra da Cadea do Reccfe, botica n. 61.
Para a cidade do Porto pretende sahircom bre-
vidadea barca tlella-Pernatnbucana, capitao Manoel
Francisco Nogueira, por ter a maior parle de sua
carga ongajada : quem nella quizer carregar, ou ir
de passagem, para o que offeroce bons commodos,
enlenda-sa com o consignatario, Antonio Francisco
deMoraes, na ra da Cruz, n. 34, tercero andar, ou
comocapilSo na Praca-do-Commercio.
Para Lisboa pretendo sabir, no da 24 do cor-
rente, o briguo brasileiro Virialo : quem quizer car-
regar ou ir de passagem para o quo tem os me-
Ihorcs commodos dirja-se ao consignatario, Tlio-
maz de Aquino Fouseca na ra do Vigario n. 19
ou ao captflo na praca do Commercio.
Avisos diversos.
O Brado n 5 estar hojo as 2 horas da tarde i
venda nos lugares j annunciados.
Na ra das Cruzes, casa terroa n. 19, precisa-
se do urna ama para.o servico interno e externo de
urna possoa soltcira, o sem lilhos. ingir-se a mes-
ma casa i qualquer hora.
-- Na ra do Crespo, n. 11, deseja-so fallar com o
Sr. Jouquim Jos Ferreira natural da freguczia de
S -Maria-de-Adarife, emPoitugal a negocio de seu
inleresse.
-Na ra do Sol, n. 13, se aluga um moloquc acos-
tumado ao servico de casa estrangeira e que cozi-
nha e compra na ra.
-Precisa-sede um caixeiropara tomar conla do
urna venda por bal*neo o quo d fiador sua con-
ducta : se Wr brasileiro mclhor sera mas que nfla
seja filho desta provincia: defronte da matriz da
Boa-Vista n. 88, junto a bolica. "
Prccisa-se alugar um preto para conduzr pao
lodos os das de mandila para fra : na ra larga u
Itozario, padaria, II. 48.
O secretario da irmandado de N. S. da Conccigio
dos Militares, avista do artigo 18 dos estatutos que
regem a mesma convida a lodos os rmf.os para
quo no dia 17 do corrente pelas 8 horas da mandila
comparecam no consistorio da referida irmandado1,
afim de eleger-se o presidente que hade servir no
anno de 1849.
Precisa-se alugar urna olaria que aoja grande ,
no lugar da Roa-Visla : na ra da Scnzalla Nove
n. 7, ou annuncie.
Perdeu-se urna ordem de 60,000 rs. sacado por
Bernardino Jos Arantes a fuvor de Antonio Aunes
Jacome, contra Bernardino Freiro de Figueiredo
Abreu e Castro cuja est com o aceito pelas costas ,
por2mezoso se venceu no dia 11 do corrrente:
quem a achou, levcaiua da Cadeia-Velha loja ti.
28, pois o acunante j osla prevenido para uSd pa
gar.
Iloje, 12 do corronte Onda a audiencia do Sr.
doutorjuizda primeira vara do crvel, se lia de ar-
rematar um sobrado de um andar sotao silo na
ra Dircta n. 43 avaliado em 2:800,000 rs., por
execucao movida contra Antonio Manoel do Nasci-
menio'a sua mulher: he a ultima praca.
Prccisa-se de urna pessoa capaz para ama de
urna casa de pouca familia dando-se o sustento e de
vestir : na ra do Queimado u. 40, segundo andar,
passando a loja de chapos.
Precisa-so alugar urna prela que saiba coz-
nliai o diario do urna casa, lavar e engommar bem :
na ra licita, n.23.
Precisa-so de um caixeiro para loja de fazendas,
que tenba pratica : na ra Nova n. 42.
Aluga-seo segundo andar do sobrado da ra
Nova, n. 12.
Joaqum Pereira Molla retra-se para fora do
imperio.
Uabaixoassignado faz publico que ninguem
fuga negocio algum com oa bens do padre Alexandre
Bernardino Concalves do Reis visto como fui jul
gado dmenle por senlenca dada pelo juizo dcor
phiios de 11 do correle sb pena do seren julga-
dos nullos quaesquer li alo ou negocio.
Antonio liernardlno doi Reil.
Precisa-ae de um caixeiro brasileiro, de 14 a
16 anuos : na ra Nova n. 16.
Precisa-sede um pequeo que seja de menor
idado para servir de criado a um moco solleiro,
morador nesta cidade dando-se-lhe do comer e ves-
tir e para diante um salario conformo o comporta-
ment quo apresenlar : na ra do Rangel, n. 9, se
dir quem precisa-
Oabaixo assignado tem cncarregado ao Snr.
Jo3o Gualberto do Garvalho de promover a Cobran-
cadas dividas da loja que levo na ra Nova, n.5,
lano amigavei como judicialmente para ctijo lim
o dito Sr. Carvalbo desdo boje (tica autorisado por
procurado bastante ; por sso faz certo aos seus de-
vedores que n.1o devorao pagar a oulra pe-soa sb
pena do o fazerein segunda vez a dito Sr. Garvalho.
ItcciTe, 4 do dezembro de 1848. ./edo da Silva
Praga.
Precisa-se do urna ama para criar urna menina
de um mez: na ra larga do Rozario n. 20, segun-
do andar.
Sr. Antonio Annes Jacome tem cartas na ra
Qircila, venda, n. 4.
Aluga-se urna casa terrea na ra Bella com
2 salas, 3 alcovas, cozinha fra quintal e cacim-
ba: alralar na ma do Colegio, n. 15, segundo
andar.
Precisa-se do urna mulher idosa para amado
urna casa de pouca fmula, que seja fiel e capaz :
na rus da Moda, n. 15, primeiro andar.
Bernardo Mello de Figucirodo, subdito portu-
euez. retira-se para forado imperio. #
PerJeu-se, sabbado, 9 do cnenle, e larde,
urna cdula de 50,000 rs. : ha dsconfianca que um
molequeaapanhou: roga-se a qualquer pessoa que
der noticia, ou que a quera restituir, do dirigir-so a
ra da Cruz, a. 50, que receber seu acbado.
lo I cria do theatro publico.
A venda dos respectivos bilhetes osla quasi para-
usada, e por esta rasHo deixaram anda ai roda* oo
ter andamento no dia 9 do corrente, segunda vez
para eile flm marcado. A visla, pois, disto o tbesott-
rciro se escusa por ora demarcar novo dia, oque
Tara brcvomenle, visto quo est disposlo a cmpjegar
todas as diligencias para quo as ditas rolas inJem
antes da.fesla.
-- Dcsappareccu, no dia 5 do corrente da casa do
abaixo assignado um relogio de ouro sabonetc ,
com urna pequea cadea e chave tamhem de ouro;
cujo relogio foi mostrado no mesmo da 5, a tarde,
ao Sr. Meroz para o avaliar sendo o dito relogio j
usado, com as molas fracas tendo a caixa de dentro
muito fina. Roga-sc a pessoa a quem tenba sido ven-
dido ou empenhado a bondade de dirigir-so ao
qartel do primeiro batalhao de caradores de li-
nda ou annunciar sua morada para ser procura-
do : advortindo-se que Ibo sor embolsada a quan-
tia despendida sobro o mesmo relogio. J. (' ".
O baerurel Miguel Archanjo da Silva Costa,profes-
sor de inglez o francez do collego das artes.avisa a
quem convier, que se achara regularmente no exer-
ciciode seuitrabalhos des le 10 horas da mandria
at urna da tardo dos illas utois no tureciro andar
da casa n.56 da na da Aurora
--Precisa-so de u m caixeiro do 12 a finimos.
para urna venda : na ra da Florentina n. 30.
Arrenda-se urna casa do taipa bem construida,
no lugar da Tone e perto do rio : a tratar ni ra
Nova, armazn) n 67.
Aluga-se o primeiro andar do sobrado da ra da
Praia, n. 43, com muito bous commodos o fresco:
a tratar na ra do Vigario, n. 19, escriptoro dcTho-
maz de Aquino Fonseca.
Alugn-so o primeiro andar do sobrado da ra
do Rangel defronle da botica: a fallar na ra do Ca-
bug loja de miudoza de Francisco Joaqum liuarte.
Prccisa-sealugarumsilio perto da praca, que
tenba pasl" para Ires ou quatro vaccas do Icite, c quo
tenba arvoredos do fruclos, anda quo a casa seja
de taipa: quem tiver, querendo fazer este negocio,
dirja-se a ra de llortas n. 52, ou annuncie por es-
ta folha.
Na ra do Queimado n. 14, so dir quem d
dinheiro a premio com pcnborcs-
Troram-sc tros bonitos sinctiiarioscom as suas
competentes imagens, assim como as imagens do
Cbrsto, N. Scnhora e S. Joilo, para so bolarem em
sanctuarios ; urna imagem de Cluislo, grande, muito
propria para um altar de igreja, ou para algum ora-
torio particular, de se di/.er missaom casa ; um mili-
to rico e asseado prezepe do Menino Dos nascido,
muito proprio para os festejos dafesta: ludo viudo
pelo ultimo navio chegado do Portugal : na ra da
Cruz do Recife, n. 34, terceiro andar.
~ Aluga-se o bem conhecido sitio na estrada do
Cordeiro, de Nuno Mara de Selxas, s proprio para
algum negociante estrangeiro ou outra pessoa que
teuha tratamento : na ra do Amorim, n. 15.
Agencia de pasaportes.
Tira-se elTeclivamenle passaportcs pa-
r dentro e fra do imperio, e tambeui
para escravos : na ra das Trincheiras,
sobrado de um a mi
. Na padaria do becco das Barrcras o deposito
da estrella n. 39, no Aterro-da-Boa-Vi>ta
fabrca-se o novo pilo de 1'rovenQa qual he
fabricado pelo melhodo de seu primeiro in-
% traductor nesla provincia com as mclhorcs
farinhaseasseioque he possvel: tembe.n se
fazcm atias de gosto hospanhol, bscoutos,
biscoutinlios falias, bolinbos, cavacas : ludo
do melhor gosto possvel ,e proprio para cha.
##^S s
A. 1*. de Figtiein.do lem uberto
um curM) de pbilosopbia, geometra, in-
glez e francez, na ra estrella do Rosario,
n. aa, primeiro andar.
Iiesapparccou, no dia 4 do crranlo da casa
do Rotho & llidoulac ra do Vigario n. 4, um ca-
chorrinho de racji ingleza com os signaes seguid-
les : pequeo, todo proto, o orellias grandes: quem
o acharo levar a casa cima, ser bem recompen-
sado.
O Sr. Franklim Pinto de Azerbona, queira man-
dar receber urna carta, vnda da Pa rali iba : na pra-
ca da Independencia livraria ns. 6 e 8.
Alugam-se dous preto* robustos para aimazcm
de assucar, ou qualquer oulra occupac3o : no Ater-
ro-da-Boa-Vista n. 36, segundo andar.
Santos
Fabrica
de Todos os
da lilii.'i.
Firmino Jos Flix da Bosa com escriptorio na
ra do Trapiche, n. 44, avisa aos seus freguezos ,
que receben pelo hiato S.-llenedicto, novo sorlimen-
lodoexcellente panno de algodSo entrancado da-
quella fabrica ptimo para ensaccar assucar, e pa-
ra roupa de escravos. annuncianle conla, que,
alm da bondade da fazenda o desojo de animar o
dcsenvolvimento do urna fabrica inlcramente na-
cional promover o prompto consummo da sua rc-
ceiti.
*^^ *
Aluga-se, para o tempo da festa ou vende-
se um pequeo sitio na Capunga, com casa
do pedia e cal, concertada o pintada de novo,
com cacimba de boa agoa de beber bastan-
~ les arvoredos de fructo, o tudo cercado do li- C<#
mflo : queui oprelender dirija-so a casa do
Sr. Jos Antonio de Lima morador no mes-
mo lugar.


-- Quem precisar de roupas tintas do todas as co-
res por preqo mascommodo do que se costuma ,
dirija-so a ra de llortas, n. 116.
os Srs. que subscroveram para a publicaeflo da
nrlhograpdia do Sr. Antonio Alvares Pereira Coruja,
impressa no Rio-de-Janeiro pdem vir receber na
livraria da ra da Cruz, n. 56 os excmplarcs que
Ihes pertencem (a 3,500 rs. os encarnados e a 3,000
rs. os broxados ) at o dia 9 do corrente, passado o
qua, o: ese^plcrcs quo aourrc. serio yn,!'Jo;
s pessoas que osprocunrem.
Precisu-se de um caixeiro de 10 a 12 anuos, pa-
ra urna venda o qual tenha algum* pratica : na ra
irelti, n. 80, se dir quem precisa
9
i
0
Precisa-sede umaouduas pretas para vende-
rcm lom;n vidrada pagando-sc-lhes a vendagein :
na ra do Rangel, n. 17.
Ao respeitavel publico.
0 proprietario do armazem de vinho
da rua da Madrc-de-I)eos n. 3G, de-
clara que este cslaueleciineiito nao lem
oulro armazem filial, como alguem ha
que o inculca ; e para conbecimento do
publico, faz o prsenle annuncio.
Alugaiu-te dous ilis com muito boas acommoda-
;0es um oa campinba da Casa-Forte o oulro na rua
da dita povoacao com cocheiraj e cavallariccs ; assim
como varias casas, de prefos commodos para se pat-
sar a fesla : a tratar na rua do Amorim, n. 15.
^ NOVO PAO E PROVENGA. ft
Yeniie-si iodos o< dial. 17
0 propriolario da padaria c paslellaria francea \
do Afrro-da-lioa-Visli, n.50, desojando agradar vy
cada \ti mais aos seus fregu rs, resol veu ollero- |
ccr-lhes um pao quo se fabrica em Provenja por _
um processo muilo dillV-rcnle do ordinario, e que, yJ
exigindo farinha das melhores qualidadea, mere- x
ce a preferencia do publico, pela sua alvura, 17
pureza e delicadea de sua fabricacao. k
S se faro p.ies de "10, 80 c 100 rs., e sera fcil W
conhec-los pela sua forma oblonga e elegante. k
Na mesma casa contina-*e tambem a vender
bolinhos para cli de todas as qualidades, e tain- Q^
bem a eiifcitar bandejas ricas para bailes e sa- ,
, raus.
CORSO DE RHETORlCA E POTICA.
Fr. JoSo Capistrano do Mendonca tem aberto no
convento de S.-Antono desta cidade um curso par-
ticular de rhetorica c potica ; as pessoas que o qui-
zcrem frequentar, pdenlo dingir-sa ao mencio-
nado convento a qualquer hora du.dia.
CURSO DE HISTORIA SAGRAD\ E ECCI.F.SIASTICA.
Fr. Jo1o Capistrano do Men.longa tem aberto no
convento de S-Antonio desla cidade um curso par-
ticular de historia sagrada o ccclesastca : as pes-
soas que o qtiizerem frequentar, podorodirigr-so
ao"mencionado convento, a-qualquer hora do da
^CHAPEOS DE SOL:
Rua do PasseiO) n. 5.
O fabrcanto deste estabelecmento adverte ao res-
peitavel publico desta cidade que elle possue pre-
sentemente um rico sortimonlo de chapeos de sol,
assim como chapeos deso de seda furia-cores, los
mais ricos que teem apparecido neste morcado, o do
cines conhecdas ; ditos para senhoras de bom tom.
adamascados, lavrados, com suas competemos fran-
jas de retroz, ludo que tem do mais moderno e do
melhor gosto; um completo sortimonlo de chapeos
deso de panninh.0 de todas ns cores o de lodosos
lamauhos, para homens, senhoras e meninos : ha
tambem igual sorlimento de f.iaendas para cobrir ar-
macOcs, tanto de sedas de cores, como de pinninhos
trancados e lisos imitando soda. Adverte-se que os
freguezes sarao servidos com brevdade, e so acha-
nto satsfetos da boa qualidado, do bom goslo e do
bom preco.
Aluga-so, para se passar a festa urna casa na
bequiuha de.S.-Pedro, em Olinda, n. 2, com quar-
los miranio quinlal murado, cacimba e tanque
para banho, c bastante fresen : a tratar junto a mes-
ma casa, n. 3.
Aluga-se o segundo andar da casa da rua da
Moda n. 9 : u tratar na rua do Vigario, n.5.
30,000 rs. de gratilicacno
a quem louxer a cscrava criotila, do nome Calhari-
ua com una filha cabrinha do 3 anuos cujos sig-
naes acham-se neste Diario nos ns. 210 a 250 : a es-
crava foi seduzidapor o pai da cabrinha o qual lio
pescador, ou pombeiro e mora em urna destas
pitias al Po-Amarello.
Precisa-se alugar um bom coii-
nbeiio, que entcua bem de cozinha:
quem esliver neslas circumstancias diri-
ja-se na larga do Rosario, n. !\i, que
se dir quem precisa.
Compras.
Compra-te um cachorro bstanle
brabo, para botar sentido a um sitio :
quem tiver annuncie.
Compra-se um cavallo para sella que osteja
gordo : lio principio do Aterro-dos-Afogados, n. 39.
Vendas.
FOLIHMAS PARA 1849.
FOI.HINHA DE PORTA,a 160rs.
Dita do ALGIBEIRA, contendo, alm do kalenda-
rio, urna collcccao desegredos e romedios para uso
domestico, a 320 rs.
Dita a quo se reuni o ALMANAK administrativo,
mercantil industrial da provincia : esle almanak es-
t accrcscentado com todos os estabelecimontos do
porta aberta, a 320 rs.
Vcndem-so na praga da Independencia, livraria
ns. G c 8 ; no Atcrro-da-Ui\a-Vsta, botica do Senhor
Morcira ; o om Olinda, botica do Senhor Rapozo, rua
do Amparo.
___ Vendem-se a5 libras de retroz sorti-
do, de primeira qualidade: na roa do
Torres, n. 4^> egundo andar.
No pateo do Terco casa n. 28, vonde-se assu-
car refinado a moda da Franca, muilo alvo o sem.
calinga alguma, por pre^o commodo.
Veiidem-so 2C escraves cr.trc C'SS riM mo-
lequcs o negrinhas : na rua Dreita, n. 3..
Vende-se urna ponjto de cera de carnauba do
primeira sorte por preco commodo : na rua larga.
| do Rozar o, n. 24.


*



Vende-se a vcrdadcira potassa da
lUissia, desembarcada honlcm, por pc-
eo milito rasoavel, vista de .sua milito
superiorqnalidade : na ruado Trapiche,
n. 17, e ra da Cadcia, 11. 3J.
Agencia da fundico
Low-Moor, ra da Menzalla-
nova, 11. >52.
Neste estabelecimento contina a ha-
ver ii 111 completo sortimento de moendas
c meias moendas, para engenho; ma-
chinas de vapor,e taclias de ierro batido e
coado, de todos os tamanhos, para dito.
Potassa.
Desembarcou ha poucos das nina por-
cao de harris pequeos, com muito nova
c superior potassa, c se acham venda,
por preco inais barato do que ultima
mente se venda, na ra da Cadcia- Vclha,
armazem de Hallar ckOliveira, n. 12.
Na ra do Crespo lojn de 4 portas n. 12, ven-
dem-se Chapeos de castor pretos, de muito boa qua-
lidade a 4,400 rs.
\endi'iii-se suecas com tres quailas e meia de
larinha muiloalvaeengommada, a 3,000 rs. : no
caes da Alfandcga armazem n. I.
Vinbo barato.
Arha-se estsbelccido na ra da Madrc-dc-Deos ,
n. 36, um armazem de
Vinhos da Figueira,
de ptima qualidade, a preco de 1,120 rs. a caada,
e a IfiO rs a garrafa ; e para n3o liavcr dolo do com-
prador scrilo lacradas as garrafas o com rotulo, re-
cchcndo-sca garrafa vasta, o dando-sc inmediata-
mente a outra chela : tambem lia barrls muito pe-
queos proprios para quem passa a festa. O pro-
prielurio deslo estabelecimento pede encarecida.
mente que se nao illudam avahando, pelo diminuta
preco c sem conheciinento de causa a qualidade de
sua fuzenda digna por certo da estima dos verda-
deros amantes da boa pinga. Kilo corita que quem
urna toz provar, continuar com goslo e sem arre-
pendimento. E o bom preco!!.' a todo o exposto
cereseoOassoio e Iioid acondicioiamcnto, o que
ludo se podera verillcar cm dilo estabelecimento.
Vende-se alcalino da Sueciu ; farinlia do trigo
SSS e de outros autores em meias barricas ; vi-
ulio do Porto em pipas c barra de todos os tama-
itos; feehaduraa grande de broca para portas de
armazem; coeiros dealgodilo;pendras do rame:
cal em Larris pequeos; arcos para barricas ludo
por preco commodu: na ruado Vigario n. 11. pfl-
meiro andar.
Vendem-se barra com miafro ar-
rodas de superior cal virgem de Lisboa,
por pceo muito commodo: na ra da
Cadeia do Hecife, loja n. 5o, de Cimba
& Amoiim.
Vendem-se presuntos para fiambre; qncijos
londrinos; ditos de prato ; latas com bolaclnnlia
na de Lisboa ; ditas do. ararula ; conservas novas
mostarda polea com sal lino ; latas com marmota-
da nova ; ditas com hervilhas; caixinias com mas*
na linas ; vinbo moscatel de Sctubal; dilo Sherry ;
licores linos ; e outros mais gneros, por preco com-
modo i na ra da Cruz, no Itccifo, n. 40.
Farinha de mandioca,
No armazem da ruado Collegio, vende-se farinha
de Mag, mullo fina cm saccas grandes : e taniliem
mais grossa do Caravcllas, Cear e da trra por
menor preco de quo em onlra qualquer parte.
A 1,000 rs. a peca de 20
jardas.
Na loja de Cumiarnos & Companhia ra do Cres-
po n. 5, vendem-sc pecas de algodiiozinlio de l>oa
qualidado, com um pequeo toque do avarla,
pelo barato preco de 1,800 rs. a peca de 20 jardas.
Vende-so urna venda muito boa para quem
quizer principiar, e com os fundos a contendo do
eoinprndor ou smenle a armadlo sila na ra do
Caldcirciro n. 94 : a Iralar na mesma venda ou no
paleo do Terco, n. 139.
Vende-so, para pagamento dos credores a
venda da esquina ie fronte da igreja dos Marlyrios
com os fundos de 300,000 a 400,000 rs. : quem a pre-
tender dirija-se a ra da Madre-dc-Dcos, a tratar
com Vicente Ferris da Costa o qual promelte fa-
zer negocio e vender liareto para realisar.
Acaba de chegarum completo sortimento para
os Srs. armadores, bem como trina, volantes lar-
gos e cstreitos, galito de todas as qualidades linos
o ordinarios ; c outros muitos objeclos que se acham
a venda na ra larga do Itozario, n 24.
Rap novo Lisboa.
A ello antes que se acabe.
Quem nilo tomar urna pitada dcsle rap, certamen-
te nilo saliera apreciaros deleites da vida contem-
pornea. Acaba de chegar do Kio-dr-Janciro, c ven-
de-se no doposilo do mesmo, na la dos Quarlels,
Vende-sc urna bonila negrota pe-
ca, de nacao, que engomma e eozinha ;
urna dita crioula, que coze e eozinha ;
bom para algum sitio, por entender de
planlaioes j um dito que nio tem mais
de >S annos, bom ganhador, por 35o'ooo
rs.; um mualo bom cozinheiro enaomo
marinheiro ; lodos estes cscravos ven-
dcin-se baratsimos, por desejar-sc fe-
char as contas deste anno : na ra da
Larangeiras, n. 14, segundo andar.
Cobre
para forro do navios e para caldeireiro: na ra da
Cruz, no ItJfcifo, n. 17.
Vende-se farinha e milhoem saccas, por pre-
cocommodo: na ra larga do Rozario,{n. 27.
-- Vende-so algodao da lorra de superior qualida-
de : na ra do Queimado, n. 20.
Vende-so urna mobilia de Jacaranda o cadeiras
do oleo cm muito bom eslado : na ra das Cruzes,
n. 31.
Vende-se cal virgem de Lisboa, em barris de
irrobas ebegada pelo ultimo navio, por preco commo-
do : a tratar com Atmeida & Fonseca,na ra do Apollo
Algodao (raneado da fabrica
de Todos-os-Sanlos da
linliia ,
muito proprio para saceos de assucar e roupa do cs-
cravos : vende-se cm casa de N. O. Uiebcr & Com-
panhia na ra da Cruz, n. 4.
Chapeos do Chili.
Na praga da Independencia, n. 37 ha superioesr
chapeos do Chili chegados no ultimo vapor.
Cigarrilhos hespanlios.
O proprictario do armazem n. GG, atrs da igreja
do Corpo-Santo no Recifo, faz sciento aos fuman-
tes do bom tom que elle recebe por lodos os vapo-
res virulos do sul, estes deliciosos cigarrilhos que
silo do nico deposito licspanhol que ha no liiu-dc-
Janeiro.
ISolachinhn de ar.trtita.
Vende-se a mais nova c superior, no
caes da Alfandega, armazem u. 7, con-
fronle a arvore : no mesmo lem saccas
com boa farinha, por preco commodo.
Chocolate amargo (fe musgo
islndico, ou Ihesouro do
peilo, preparado por Mr. J. G. C.
As alTeccflcs do pcito offorccom todas um sympto-
ma (eral e constante. A tosse, esta doenga tilo com"
mum quandn descuidada, to graves sDo suas con
sequencias quanto parece ligeira em seu principio,
to matadora por si s como lodas as nutras docn-
cas que consomem a especie humana nilo tinha pa-
la combato-la e dcstrui-la um medicamento especial
e nico. Todas as piistilhas o xaropes quo leem ap-
parecido al hoje, teein sido impotentes.
Nilo tem acontecido isto com o chocolate de mus-
cu preparado 1 or J. C. C. principio quo forma a
sua base principal ofl'erecc propiedades incontesta-
veis o reconhecidas depois de muilo lempo, e nin-
guem ignora os felizcsrdsultados da sua applicacSo
cm todas as plileugmasias agudas ou chronicas,
do pulinfio all'ecces do pcito plhysica, dclluxos,
toces, ele. para dar tom ao estomago, abrir o voli-
tado de comer conserva! as geugivas co bom au-
to, maluras lombrigas, principalmente lias crian-
zas.
Toma-se puro mascando-o, e pde-sc lomar lam-
bem combinado em agoa como oulro qualquer cho-
colate e com leite, lomando-se urna das doses marca-
das em urna chavanados ditos lquidos ou mais de
urna conforme a gravidade da doenc.a. Vende-se
nicamente na ra do Queimado, n. 17.
RA DO CRESPO, N. 5.
Rovos rseados indianna, a
280 rs. o covado.
Na ioja de Cuimarfles & Companhia vendem-se
os novos riscados indianos, do quatro palmos de
largura cores fixas e padres muito modernos, pelo
barato preco de -280 rs. o covado.
Vendem-se acedes da ex-
tmeta companhia de Pernambuco
e Parahiba: no escriptorio de O-
liveira Irmos & C, ra da Cruz,
d. 9.
de 14 annos, boa
una moleca de idade
para se ensin&r a engommar, por ser
muito forte; (res moloques de bonilas
gura, de idade de i3, i5 e 17 annos :
.... ....- vgiu uc iMiau, uiimu uiuio
e bom para lrabalhar em algnm armazem
de assucar, por j estar acoslumado a
esleservicoj um dito de meia idade,
Vende-sc r.a rus da Cadeia do
Becife, n. 3;, cera em velas, fabri-
cadas no Kio-de-Janeiro, em urna 0
das mclhores fabricas, e em caixas 2
pequeas, muilo bem soilidas, por f
ser de 3 ate iG em libra; e tam- $
bem ha velas de una c de meia libra, 1
brandoes, por preco mais barato do J
que cm outia qualquer paite.
Vende-se um piano forte, vertical o de Jacaran-
da, ebegado ltimamente com muito boas vozes
ede um machinismodenova veneno para puras
vozes mais baixas at dous tons, o que torna este
instrumento muito vantajoso para cantona ; cha-
rutos do llavana por preco mais commodo do que
cm outra qualquer parte; u Ji completo sortimento
de instrumentos do msica, tanto do metal como
-2 TSi,-iTS ; us.ca s gssso represe::*.:: :::!c r.iitu
lielmento a raiulia Vicloiia o o principe Alberto ;
relogloaxleouroo do prala chegados ltimamente
da Suissa. Lstos relogios que 3o muilo bem aca-
bados se tornam muito reconiiiiendaveis a qual-
quer particular e adverte-se que lia ento ees
alguna que andamotodias sem precisaren) de cor-
da : na rus da Cruz, no Recife, n. S5.
Vendem-se os verdadeiros
charutos de San-Felix: na ra da
Cruz, n. 43.
Vende-se um lindo molecotc, de
17 a 18 annos de idade, que sabe cozi-
nhar : na ra da Cadeia do Uecife, n. 37.
~ Vende-sc a fabrica de fazor chapeos cora to-
dos os seus utensilios e armac.no muito propria pa-
ra qualquer estabelecimento, por barato prego:
tambera se vendom os chapeos que na dita exist rem,
ou o que o comprador quizer separado : no Aterro-
da-lloa-Vista n. 12.
Vende-se urna banca redonda dd moio desala,
de Jacaranda; um trem com espelbo; toucadores pe-
queo; jogos de bancas de amarello; sophs de oleo;
mesas com duas gavetas; um relogio patento de
prala | Joaixas de prata sendo Ulna domada la-
vatorio de amafello : na ra da Cadoia de S.-Anto-
nio n. 21.
Vendem-so dous quarlos, por preco commo-
do : no Alerro-da-Boa -Vista, loja n 46.
Vende-se um sellim cm bom uso : na ra No-
va, n. G7.
Vende-se ca.' virgem de Lisboa,
chegada no ullima navio, em barris pe-
queos, por menos do que em outra qual-
quer parte : na ra do Trapiche, arma-
tem n 17.
Conlina-se a vender, na rua da
Cruz, n. Go, caixas com cera de Lisboa,
sortimento vontade do comprador.
Farelo,
em barricas a 4,000 rs.; saccas grandes, a 3,50o
rs., ditas pequeas a 2,800 rs : no armazem do J.
I. Tasso Jnior, na rua do Amorim, n. 3.
FARELO
cm saccas muito grandes,
a 3s'6oo rs. a sacca:
no armazem do Braguez ao p do arco da ConceicSo.
-- Na rua estreita do Itozario, loja de eneaderna-
CTo, n. 34, vendem-so as seguintes obras : o Panora-
ma, 8 v. ; o Museu Piltoresco, 1 v. ; Historia de Por-
tugal, 2 v. ; o Espillo do campo neutral, 4 v.: Eva-
risto e Theodora, 4 v.; Formidoro e Zelin Ja, 2 v. ;
Carlas do F.lloisa a Abeillard, 2 v. ; Formosa douzella
do l'erth, 2 v.; Historia do Brasil, t v.; Justino Lo*
sita no 1 v. ; Vozes saudosas 1 v.; Novo testamen-
to 1 v. ; Jledilacfiesde Ervci, 1 v.; Medilacflo de
Jos Agostiuho, 1 v. ; Poesas de Costa e Silva 2 v.;
Malaca conquistada, 1 v. ; Gergicas portuguezas ,
1 v.; Kstacfies do anno, 1 v. ; ditas do dia, 1 v.; Jor-
nal potico I v. ; Caramur 1 v.; Animaos fallan-
tes, 3 v.; Corda Soralca 1 v. ; Manual ChrisWo 1
v. : a Philosopba por amor, 2 v.; Bruto, tragedia 1
v.; Clara do Alba, 1 v. ; Klogo da loucura, 1 v. ; Mi-
santhropia o arrependimenlo, 1 v. ; Tito Livio, 1 v. ;
Historia de Inglaterra 1 v.; Burro de Saluslio 1
v. ; Gramniblica latina 1 v ; dita ingleza ,1 v. :
tambem se vendem livrosem branco para escriptu-
rac.lo ; encaderna-se com muita perfeicilo e segu-
ranza : ludo por pre^o muito rasoavel : liem como
Irocam-so quaesquer dcstas obras por outras.
Vende-se gomma de mandioca, cm
saccas: na rua da Cadeia do Recife, n. 9.
boa, a mal ora ha no mercado. per preco me '
modo : na rua da Moda aruiairm o, 17. ^ w
CHA' Bit ASII.KIItO,
Vende-se, no armazem de fmolhados, alrii a
Corpo-Sanlo, n. C, o mais exeellento cha urodi,,
do emS.-Paulo, que tem viudo a esto merri,i
por preco muito commodo.
-Vende-se muito superior lagedo de l.iaboa
cal virgem em harns do 4 arrobas, por mdico o^L"
naruado Vigario, n. 19. v cv
-- Na padaria da rua da Cuia, tro Recite hateri
todos os das s venda o novo pBo d Provenga r,
bricado por Oulro modo que o actual, o da mlh,,r
farinha que ha no mercado : por este motivo Quo L
pode fazer sendo a 40,80 e 160 rs.
Saccas com milho ,
a 5,200 rs.:
vendem-si no armazem do Bacelar, no eles da ti
fandega. *'"
Vendem-se os fileiros e balcSo que
foram da armac3o velha da foja do Duarte
proprios para qualquer estabelecimento'
por prefo muito commodo : a tratar na
in es in a.
DE 6 RORTASN2
Nesta loja existe urna grande porcode ris-
cado monstro que para so acabarem antes
da festa voudo-sc a 2i0 rs.
6
Vende-se um estojo de algibeira para cirurgiilo,
usado : alianca-se a qualidade dos ferros : na prica
da Independencia, n. 38.
-- Vende se um preto de 18 annos, do bonitl fi-
gura, proprio para qualquer servico : na rua do Vi-
gario, n. 8.
-- Vendem-so as estampas lylhographadas Jos
Fxins. conde das Antas viseondi!'de.S da Bandei-
ra e coronel Antonio Manoci Soars Galamba : na
rua da Cadeia do Recife, n. 23.
No Aterro-da-Boa-Visla, de-
fronte da bonecra,
ha chegado um novo e completo sortimento do cal-
cado francez de todas as qualidades, Unto para lio-
mem como para senhora e meninas : bem como os
bem condecidos sapalos de afitee, e do Aracaty ,
por pre(ocommodo.'
No
de-
Aterro-da-Boa-Vista
fronte da bonecra,
ha sapatos francezes de couro de lustro para senho-
ra a 1,900 rs. o par. Chegucm freguezes que o tem
- 'ie proprio. A ellcs, que se estilo acabando.
po
PURO VINHO DA F1CUF.1RA.
Existe no armazem de moldados atrs do Cor-
po-Santo n. 66 urna grande porrno deste genui-
no vinho que se est vendendo pelo diminuto pro-
co de 1,120 rs a caada e a 160 rs. a garrafa ; tam-
bem ha em pipas que se vender mais cm conta : lie
esto o mellior do todos os vinhos que se teem an-
nunciado pela sua simplicidade e ptimo paladar :
quem una vez o beber jamis deixar do o com-
prar.
Vendem-se saceos com farelo,
chegados ltimamente, pelo diminuto
precode 3,4oo rs.: na rua da Sanzalla-
Vclha, n. i38.
Vende-se um oitanle em muito bom estado ,
por preco commodo : na loja do cabos do 8r. Caeta-
no da Costa Moreira.
Vende-se-u m bonito moleqiie de 13 annos ; um
dito de 12; urna mulalinbade 7 annos, mu linda
e que cose : ludo para fechar contas de venda este
anno: na rua largado Rozario, loja de wiudezas
n. 35.
-- Vende-sc urna casa terrea em bom lugar na na
do.Noguoira: na rua da Cruz, n. 50, se dir quem
vende.
Vendem-se canoas grandes que servem para car-
regar areia lijlos, ou outra quatqner coima por
preco commodo; as quaes estilo ao p do cliafarz de
Fia-de-Porlas : na la do Trapiche defronte do
caes da l.mgocla, n. 30.
Contihila-so a vender manleiga a 400, 300, 600
e 800 rs. a libra ; dom cha 2,000 rs.; caf mol-
do, a 160 rs.; ditoem-grno a 120 rs.; eevada nova,
a 100 r*.; carnauba de 6, 7 e 9 em libra, a 280 rs. :
esnormaeete de 0 em libra a 880 rs. ; litria nova
a 200 o 280 rs.; macarnlo c lalharim a 200 rs.; ba-
tatas novas a 40 rs. ; passas, a 320 rs ; bolachinha
ingleza, a QOOrs. ; dita doce, a 200 rs.; dita do ara-
ruta a 480 rs.; feijilo preto e mulatinho, a 400 rs
a cuia ; BiTf>z de casca a 140 rs. a cuia ; Tinho bom,
a 160, 200 240, 280 e 400 rs a garrafa ; CaixOes de
goiaba de 6 cm arroba a 800 rs. ; qncijos, a 1,600
rs : no pateo do Carmo loja do sobrado de Gabriel
Antonio n. 17.
Superiores charutos baratos.
Na rua llova, n. SO, deposito
da estrella ,
achn-scum sortimento de superiores charutos di
Balu'a.de diversas qualiJades, pelo mais barato
preco possivel, cafiancando-se pelas qualidades a-s
compradores.
Cbaruios bons c baratos.
No anligo deposito de charutos da rua larga do
Rozario, n. 32 acha-seum sortiinnntode superio-
res charutos da Babia pelo mais barato preco pos^
sivel ; pois ja lia muito que se conserva neste depo-
sito as melhores qualidades que lectn vindo a oslo
mercado.
Chrislophers & Donaldson leem ainda dos seus
bem conhecidos e mu superiores vinhos do Porto ,
Scheri e Teneriffe, tanto em barris como engarrafa-
do : bem como ago'ardente de Franca a mclhor quo
da c que vendem agora mais barato para fechar
contas: na rua do Trapiche, n. 40, no Recifo.
Vende-se boa mai melada; muito bom doce 'iIe
ginja a 320 rs. a libra : no Uigodo Carino, venda
n. 1.
Vende-se muito bom vinho verdo proprio pa-
ra refrigerar o calor pbr tifio ter ronreiflto a 300
rs. a garrafa c a caada a 1,280 rs.: no largo do
Carmo, venda 1.
Vendc-sc um eferavo de O annos, por pre^o
commodo que he bom carroiro e mestre reslilador:
na rua da Cadcia-Velha, n. 54.
-Vende-se um piano de boas vozes o era bom uso,
por precio commodo: na rua larga do Rozario, n-
4 8, segundo andar, se dir quem vende.
Afadeira de pinho.
Vende-se a mellior madeira de pinho que tem
vindo a esto mercado: na tOa da Madrc-de-l)cos ,
armazem de Vieenlo Ferreira da Coala.
-- Vende-se panno da algodao da ierra em por-
cio : na rua do yueimado ioja n. 18.
Y?ndftn-se p^p^j e pa|ha de car-
nauba ; chapeos de dita, por preco com-
modo, em porco e a relalhn : na rua da
Cadcia do llecifc, n. Vendem-ae barr pequeuoj com cal virgem de Lis-
Escravos Fgidos
-- Fugio, de bordo do brigue Sertorio, na manlifl'
do dia 5 de julho prximo pasudo, um escravo ma-
rinheiro de nomo Francisco de naco Jang; re-
resnla ter 80a 35 annos ; lem um signal na face es-
querda, falla muito descansada ; levou cajeas eca-
inIsa de algodilo azul, chapen de pallia pintado da
branco, o balde do Irazer racoa e 7,000 rs. em c-
dulas ; falla hespanhol : quem o pegar leve-no a
rua da Moda n. 7, que sera bem recompensado.
-Fugio, nodia 18 de outubro do engenho &-<
Jollo, no'Cabo, Mareolino, pardo trigueiro, de 19 an-
nos, estatura regular, cara redonda, olhos pepuenos,
denlos limados ; levou dtias calcas urna do brira
pardo e outra uo i iscado azul; nuera o pegar |c'""0
ao referido engoiiho ou a casa de Ltlz Comes rer-
fci, no MondceG, qc s;r* gn?rvs"mnte recom-
pensado.

Ptti.: na Trr. din. t. dk fabu. *&*$
MUTILAI


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E2Z9ACPCA_FEYGRE INGEST_TIME 2013-04-13T03:03:42Z PACKAGE AA00011611_06196
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES