Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06191


This item is only available as the following downloads:


Full Text
mu XXIV.
"^"
nniARIIf publica-se todo os diasque no
, ., ,|i>guarda: o prevo da anignatura he
/ 4JO0'1 r* I*"" qn^rtcl, pujo .mios dos assitriiantea sao Inseridos
S o de 20 rs. por linha, 40 rs. ein typo dif-
""',,. e as repetiste* Ppla inetadc. Os nao
.na'iim pagarSo 80 rs. por linha e KiO rs
ui iyP diftferente, por cada publica; ao.
pilASKS DA. LIIA NO HEZ DE DEZEMBltO.
/vin, a 3, s 5 horas e 47 mili, da jarde.
iLchtia, a 10>s (J I'0'81 e25 '>"-da manh.
iiia(wn,a17,s8 horas eS'Jmln.danianh.
"W. 2;'is 2 horM e 3 m,n-da tarde- I
Tersa-feira i>
PARTIDA DOS CORREIOS.
Ooianna e Parahiba, s Mgi. e sextas-feirns.
Ilio-G.-do-Norie, quiotas-feras ao meio-dia.
Cabo, Serinhaein, Rio-Formoso, Porto-Calvo
e Macelo, no 1., a 11 e 21 de cada me/.. t
(iaranhuna e Ronilo, a 8 e 23.
Boa-Vista e. Flores, a 13 e 28. -
Victoria, s qnintas-feiras.
Oliada, todos os das.
PREAMAR OE BOJE.
Prlmelra, aos 30 minutos da tarde.
Segunda, aos 54 minutos da manh.
de Dezembro de I84P.
N. 175.
das da semana.
4 Segunda. S. Barbara. Aud. doJ. dos or-
{liaosdo J. civ. e do J. M. da 2. v.
5 Terca. S. Geraldo. Aud. do J. do c. da
1. y. e do J. de paz do2. disl de t.
Quarta. S. Nicolao. Aud. do J. do c. da
2. v. c do J. de paz do 2 dist. de t.
7 Quinta. S. Ambroiio. Aud. doJ.de or-
phos e do J. M. da 1 v.
8 Sella, ijoj" Conceiciio de Notas Senhora,
Padroeirado imperio.
9 Sabbado. S.Leocadia. Aud. do J.-do c.
da I v. e do J. de paz do 1 dist de t.
10 Domingo. S. Melquades.
CAMBIOS NO DA DE 4 DR/.EMBRO.
Sobre Londres a 25 d. por 1/000 rs. a 60 das.
Paris
Lisboa 120 por cenlo de pu.nio.
- Rio-de-J.uieiro ao par.
Desc. de lett. de boas firmas al % ao m i
Accesda coinp. de Heberibe, 50/rs. aop.
Ouro.Oncas hespanholas 30/000 a 30/200
Modas de /400 v. 17/000 a 17/200
de U/400 n. 16/200 a 16/400
de 4/000... 9/200 a 9/300
/rolaPjtacocs brasileiros 1/940 a 1/980
. Pesos columuaros. 1/140 a 1/960
Ditos mexicano...... 1/880 a 1/900
IARIO

.i..
w
___PARTE OFFICUL
IKl N. 514 DE 28 DE ODJUBRO DE 188.
pixando a despeza e o (ando a receita para o exerciciode
fS9 a 1830, /cando em vigor desde a tuaptiblicnca.
( Conlinuago do numero 2.}
CAPITULO III.
Disr-osigCES cera.es.
Art. 11.0 governo fien autorisado a suspender o
provimenlo dos lugares de lentes, ou substitutos da
acailemja das bellas artes, que julgar desnecessari-
os, medida que Crem vagando.
Art. 12. Fica o governo autorisado para fazer lo-
ilis as despezas precisas para exploraguo do rio Pa-
ranahiba na provincia do Pisuhy, e scus confluentes
suscepliveis do navegaeflo ; e para o levantamento
de uma planta dos mesmos rios, devend apresenlar
di; ludo coma brevidado jossvI circunstanciada
nformacio ao corpo legislativo, eos respectivos or-
namentos; assim como pora man.lar sondar os rios
Madeira, fiuspor, Alegre, Aguapehy, Jaur c ou-
tros das provincias do Para e Malto-Grosso reconhe-
cer os embarazos que 3e oppoom passagem por
ellos, propOras medidas, e orear as despezas neces-
sarias para a livre communicagflo com o Paraguay.
Art. 13. Os paquetes de vapor cm sua passageui
pelo porto de Jaragu di provincia das Alagdas Io-
nio a demora de 12 horas pelo menos, e tambem
entrarflo no porto do Ro-Grande-do-Norie, onde de-
morar-so-liiio otempoquo o governo julgar neces-
sario.
Art, ti. Fica o governo autorisado n tomar tantas
assignaturas do peridico mensal da sociodado auxi-
liadora da industria nacional, quai.las frern as c-
maras municipaes do imperio, as quaes ser distri-
buido.
Ait. 15. Os substitutos das escolas de medicina se-
rio promovidos a lentes calhedralcos nas vagas
que orenrrerem em suas respectiva secgOes, segundo
aordrimde suas antguidades, como he da lei nas
demais academias do impeiio.
Arl. 16. A cada uma das provincias do imperio fl-
ram concedidas no mesmo, ou em diflorentes lu-
gares do seu territorio, seis legoas em quadro de
letras devolulas, as quaes serlo exclusivamente des-
tinadas eolonisagflo, e nao pdenlo ser roteadas
por bracos escravos.
Estas trras nflo poderflo ser transferidas pelos
colonos cmquanto nflo estiverem cffeclvameiite ra-
leadas c aproveiladas, e reverlerio ao dominio pro-
vincial so dentro de cinco anuos os colonos respec-
tivos nao liverem cumpridoesta condigno.
Art. 17. O governo. fica autorisado a reunir cm um
dos edificios pblicos da corle todas as justicasida
piimeira instancia com lodos os carinos civeis e
ciiminaes, bem como a relagflo e o supremo tribu-
nal de justiga, dando o conveniente rogulamento ao
forum da-capital do imperio, quo ser submetlido
approvaco do corpo legislativo.
Art. 18. Os juizes municipaes quesubstiluem il-
ion numen te. os juizo.-i de direito ou chufes de poli-
ca, conforme as dispdsicOes do art. 53 e 211 10 do
rogiilsmento de 3t de Janeiro de 182, tecm direito
ao ordenado de juiz de direito quando o substituido'
cixa de perceber o quo Ihe compele.
' Art. 19. Os dous amanuenses extraordinarios da
'secretaria da polica da provincia da Babia sero
considerados amanuenses ordinarios.
Art. 20. O governo fica autorisado a transferir pa-
ra Ierra a academia do marinba.
Art. 21. O governo be autorisado a indemnisara
Virginia Marques deSouza doquelbc fordevido pe-
la diferenga de ordenado de seu fallecido marido
Jacinlbo Silvano de Santa llosa, liel pagador do ar-
senal de marinha da provincia da Babia.
Art. 23. K disposieo da segunda parte do artigo
43 da lei n. 369 de 18 de setembro de 18*5, a reapeito
lo intendonlo de marinba da corlo, fica extensiva ao
intendente do arsenal da Balii.
Art. 23. Vmquunto nfloesliver definitivamente or-
ganisado o asylo de invlidos do exercito, do que
>r*la o artigo 10 da lei n. 342 de 6 de margo de 1815,
fica o governo autorisado para estabelecor um asylo
P'ovisorio para os invlidos da marinba, a que se
refere a mencionada lei.
Arl. 21. Concoirerlo com um da de sold para
as despezas do asylo de invlidos da marinba todas
?3 prseas de pret dos corpos de fuzileiros navaes o
mperiaes maiinbeiros, os ofiiciaes mariuheiros e os
mariiiiieiros de lodas as ciasses.
Serflo applicados para o inesmo fim, cmquanto
"5o rOrem reclamados por berdeiros legtimos, os
sidos atrasados dos desertores e dos que morrerem
"blntcstato, qur sejam ollicacs de marinba, de fu-
zileiros, uu ouLros empregados na armada.
Art. 25. O governo fica autorisado de llar nova or-
ganisacilo aos corpos de suad, tanto da mariiilia
cmodo exercito, reformndoos actuaosciiurgiOes
le por idade ou eufermidado no podrem conti-
nuar no servigo;
Bepois de organisados os respeclivos quadros so
Poderilo ser admittidos doulors em medicina ou ci-
"urgioos formados.
Art. 6. s ofiiciaes de marinba empregados no
servigo da companbia brazileira dos paquetes de va-
por perceberflo por inteiro o sold de Ierra.
Art. 27. Fica o governo autorisado a mandar de-
inor o forle do lium-jcsus na ciiade do llecil'o, n>-
/l'licando os materiaes continuacilo da obra do caes
VUJ nnrl.......i....._____-: I.. I
.ma Lluouv
Arl. 28. O governo tica autorisado amandaradi-i
utar tros mezes de sold aos oirtciaes do exercito;
quando frem promovidos, descontando sua impor-
tancia pela quinta parlo daquelte quo bouvcremde
vencer al reafombolso.
Art. 29. Fica o governo autorisado para augmen-
tar o ordenado dos guardas das alfandcg.is e'consu-
lados, c para dar-Ibes uma porcentagem rasoavcl,
segundo o servigo a seu cargo.
Art. 30. Fica igualmonto autorisado o governo pa-
ra augmentar, a titulo de gratificado, os vencimen-
tos dos empregados das tbesourarias do fazenda, ex-
cepto da provincia do Uio-de-Janeiro, devendo sub-
melter a tabella desses augmentos approvago do
corpo legislativo.
Art. 31. O governo lica autorisado para reformar
a rcparligo da casa da moeda, o formular urna paula
em que so marque a taxa que so deva cobrar pela
cunbagein da moeda-, fundigio dos metaes, alinagao
do ouro, o por ludo mais que fuer objecto dos Ira ba-
ldos da mesma repartigilo.
Art. 32. O ouro em p fica isenlo do imposto de 5
por coito que actualmente paga, e pode correr livre-
mcnle como mercdoria em lodas as provincias do
imperio. Esta isengiTo do imposto n3o de extensiva
ao ouro extradido'pelas compendias do mineragilo
que se charem incorpora las om virtude de con-
cessOes especiaes ou contractos, cujas condigOes
continuarlo a ser observadas.
Art. 33. Pelo titulo de cada uma data mineral que
d'ora em dianto se conceder, o pela raticaglo que
se baja do fazer da medigSo do cada uma das j con-
cedidas, cobrar-se-da para os cofres geraes o impos-
to de ii.
Art. 3*. Nas provincias onde so descobrirem minas
de ouro, e nflo residir o guurda-mr gem, nomea-
rflo os respectivos presidentes os guardas-mres
substituios que frein necessarios.
Art. 35. O prego mnimo de cada uma braga qua-
drada de terreno diamantino que sa liouver de ar-
rendar, na forma da resoluclo n. 37i de 24 >l setem-
Itro de 1845, fica reduzido a 5 ris annuaes. damenlo poder ser frito por qualquer prazo inferior
a qualro anrios, se assim couvior aos arrendatarios
e fazenda publica.
Art. 36. As apolices da divida contrahida pela pro-
vincia de Minas-Ceracs para conslrucgflo da estrada
do Parahvbuna sflo isentas do imposto do sello na
sua transferencia.
Arl. 37. Os ttulos do despachantes das alfandegas
del," o 2.' classos poderao sor conferidos a visla
de documento pelo quai os impetrante! mostrem ser
cidadflos brasileiros.
Arl. 38. Ficam sentos do imposto de 8 por cento
das loteras as concedidas pelas assemblas legisla-
tivas provinciaes a favor dos estabelecimontos de ca-
ndado o asylos para educagflo de orpliflos de qual-
quer natureza que sejam.
Art. 39. O governo fica autorisado para allienar os
predios urbanos pe tunenles nacflu silos i) i villa
deS.-Borgo da provincia do Itio-f.rande-do-Siil.
Art. 40. Ficam pertencendo provincia de San-
Paulo os predios silos no largo do collegio da capi-J
laida mesma.provincia queserviam de deposito do
orligos bellicos e de casa de fuudigo
Art. 41. Ficam incorp*oiadosaos proprios provitr-
ciaos doMaranliflo o unligo armazem a plvora, si-
to na capital, que se ocha oceupado pelos educandos
artfices, o a parle do tbeatro Uoiflo que perten-
ce ao estado.
Art. 42. O governo fica autorisado a empregar m
construrgflo das obras publicas da provincia do Pi-
auby os escravos, bois de curro, e mais perlenccs
das l'azendas naciunaes existentes na musma provin-
cia, som prejuizn do costeio dellas.
Art. 43. A divida activa provcnienlo de alcances
do ibcsoureiios, colloctores, ou outros quaesquer
empregados, ou pessoas a cojo cargo estejam di-
nbeiros pblicos, ser subjeita uojuroannual de
novo por cento em-todo o lempo da indevula do-
tengflo.
Aos devedores desla classo nunca se conceder
monitoria, tem tero direilo a porccnlagem ou
commissflo que porvenlura Ibos caberi, correspon-
dentes s quantias indevidamentc delidas.
Art. 44. Os habitantes da provincia de San-Pedro
do Itio-Grande-du-Sul licam i.enlos de pagar aos co-
fres pblicos quaesquer quaulias a quo porvenlura
se acliem obrigados a titulo de dons gratuitos para
as despezas da guerra.
Art."45. O governo be autorisado a dar porarre-
mutagflo algum ou algus ramos da renda publica, ou
parle de qualquer dellcs, quando essesytema possa
ser mais \antajoso aos iuteresses do estado, com-
anlo porm : Io, que a arrcmatagSo so nflo faga
com menos de dez ppr cento sobre o maior rend-,
ment que liver produzido o artigo da renda quo se
arrematar; 2, quotempo da arrcmatagflo nflo ex-
ceda a tres annos.
Art. 46. O governo fica desde j autorisado a re-
formar bs'reguiamenlos concernentos as alfandegas
e consulados, arrecadagilo da decima doherancas
e legados e da dcima urbana e a administragflo dos
bens de defuntos e ausentes.
Art. 47. As rendas com applicagflo especial serflo
arrecadadas e escripturodas conjunctamento com
as rendas geraes do imperio, abolida a disliucgflo
feila pela lei n. 109 de 11 de outubro de 1837.
Art. 48. O governo poder empregar na compra
deapolices da divida publica nove decimos dos sal-
dos existentes no fim de cada semestre nos cofres
dos iuros nflo reclamados da mesma divida; e bem
ussi.n o total dos juros que ellas voncoreni, o quando
acoiiteca que o dcimo restante em inbeiro nflo
baste para os que from reclamados, o llicsouro sup-
.,. i ...... r.ii.r gen-Jo denota indenuusado pelos
juros "das mesma's Vpolics,' que serflo comwrvadas
em deposito, e como caugflo nos referidos cofres.
Art. i9. O ordenado que compele aos solictalo-
res dos fritos da fazenda nas provincias onde liu re-
lacin deveser regulado pelos vciicimentos dos pro-
curadores fiscacs edos fritos da fazenda, liciindo as-
sim entendido O artigo 9.* da lei n: 243 de 99 de no-
vombro de 1811, o igual ordenado perobcrflo os so-
licitadores dajiistga c fazenda da segunda instan-
cia, onde os liouver.
Art. 50. Nas demandas em que decalur a fazenda
publica, ficai esta subjeila ao pagamento las cus-
as devidas parto vencedora, excepto asquo-coin-
peliemaosofliciaosdo juizo, quo em tal cuso nada
perceberflo.
.Ficum supprimidas as porecntagens chamadas do
execugOes vivas.
Art. 51. O governo mandar substituir as notas do
exmelo banco do Brasil que perlonceni aosinte-
ressados nos bens do casal d'; I). Maria Joaquina do
Azevedo Barroso, na importancia de 8:1918000 ris,
lepois do rcconliecldas verdadeiras.
Art, 52. O governo nflo poder applicar RS con-
siguagos de urnas a oulras verbas da presente lei,
neiii a servico nflo designadoliella.
Att. 53. Quando as quotas voladas nflo bastarem
para as despezas a que sflo destinadas, e liouver ur-
gente necessidade do salisfaz-las, ou de fazer des-
pezas com objeclos nflo contemplados na presente
le, nflo estando reunido o corpojlegislatvo, pode-
rflo ellas ser deliberadas emconculbo de ministros,
e aulorsadas por decreto.
O ministro em favor de quem fraherlo o crdito
dar ao corpo legislativo, no principio do sua inme-
diata sessflo, conla comprovada das rasos que moti-
varam taes despezas par seren definitivamente up-
provadas.
Art. 54. Nos orgamenlos futuros a comparagflo es-
labelecida lias duas ultimas columnas se fara sem-
pro entre a quantia pedida e a por ultimo votada pa-
ra o nesmo servigo, supprimida a comparagflo do
pedido actual com o anterior.
Art. 55. A prsenle lei fica em vigor desde que
for publicada.
Arl. 36. licam cm vigor lodas as disposigcics da
loi do orgameiilo anlecedenlo que nflo versarom par-
ticularmente sobre a xagSo da receita e despeza,
c nflo liverem sido expressamentu revogadas.
Arl. 57. licam revogadas os leis e disposigoes om
contrario.
Mandmos,portanto,a todas as autoridades a quem
o conbeciniento o execugflo da referida lei perton-
cer, que a cumpram eTagam cumprir c guardar Iflo
inleramciitucomonella se conlm. O secretario de
oslado dos negocios da fazenda a f.ga imprimir, pu-
blicar e correr. Dada no palacio do Itio-de-Jan.'iro,
aos 28 do mez de outubro do anno de 1818,vigesuno-
setimo da independencia o do imperio.Imperador.
Com rubrica e guarda. Joaauim Jos Rodrigue
Torrct. ,
Caita de lei pela qual V. M. Imperial manda exe-
cutar o decido da assembl geral legislativa, que
houvo por bem sanecionar, orgniulo a receita e fixan-
do a despeza geral do imperio para o exercicio do
1819 a 1850, leudo vigor desde a sua pubhcagflo, e
dando outras providencias, como nclla so declara.
Pura V. JI. Imperial ver. Jo.-c Mara da Fonseca
Costa a fez. Eutebio de Queiro: Coulinho Mallo** da
Cmara.
Sellada na chancellara do imperio, em 3 de no-
voinbro de 1818. Judo Carneiro de Campos.
Publicada na secretaria nc estado dos negocios da
fazenda, cm 3 de nuvembro de 188. Joiio Mara
Jacobina.
Hegistada na mesma secretaria de estado no livro
respectivo. Bio-dc-Janeiro, em .1 de iiovembro de
1848. ionquim Diniz da Silva l'aria.
COVERNO DA PBQVINC1A.
EXPEDIENTE DO DA 30 DE NOVEMBRO.
Oflico. A cmara municipal desla cidade, trans-
millindo os avisos da secretaria de estado dos nego-
cios do imperio pelos quaes se communicaa essa c-
mara queS. M. o Imperador houvo por bem exone-
rar do cargo de vce-presidentc desla provincia a Ma-
nool Paulino deCovoia Muniz Feij e Francisco Ho-
norio Bezerra de Menczcs ; c outro sim nomcar para
o segundo lugar o lenente-coroncl Izidro Francisco
de Paula Mosquita e Silva, para o tercero o vigario
Venancio lienriques do Itezendc, e para o quarto,
(quo se cha vago por fallocimento de Manoel Bar-
boza da Silva ) o commendador Francisco de Carva-
Ibo Paz do Andrade ; e prevenindo-a do que os con-
vida o comparecerem na asa dessa cmara ama-
nhfla ao meio-dia alimdo prestarem sem demora o
devido juramento por assim convr ao servico publi-
co. Scientlicou-se os nomeados edemittidos.
Dito Ao commandante das armas, communi-
candoqueS M o Imperador houve por bem conce-
der a demissflo pedida por Claudio Francisco de A-
raujo Franco doposlo da alferes do sexto batalhflo
de cagadores. Parlicipou-so ao commssario-pa-
gador.
Dito. Ao mesmo, enviando copia do aviso pelo
qual so determina quo pela pagadura militar desta
provincia se-slsfiga ao capitflo graduado do esta-
do-maior da segunda classo, l.uiz Estanislao lio In-
guesGlnves, residente na provincia da Parahiba, o
qu selheesliver devendo, vista do documonlos
que provo nflo tor sido pago pela tbosourana da-
quella provincia. Coinmuuicou-se aocommissa-
j-io-pagador. __
Dito. Ao rcclor Jo srscr.Si oe guerra, acicr
minando preste aoiuspeclor do arsenal de marinba,
medanle a devida indcmnisagflo, tros barris de pl-
vora fina oduzoiitas corroas com escovinias, quo
sao precisos para o sorvigo la fragata GonttHuiftio.
Intoirou-so o inspector do dito arsenal.
Dito. Ao commandanlo das armas, declarando
quo por aviso da secretaria da estado dos negocios
da guerra foicommiinicailu quenas provincias, on-
de nao existir mais quo um hospital reglmcntal, nflo
deve llavero lugar du director, por ser isso contra-
rio a le, o que nonbuna despeza de lal natureza se-
r approvada. Participou-se no commissario-pa-
gador.
Dito. Ao mesino, liansmttindo copia do aviso,
no quai se determina que aos olliciaes do exercito
que frern promovidos se nflo adianlom, sem ordem
do presidente da provincia, os Iros mezes desold
de que trata o artigo 28 da le do orgamenlo n. 514.
de -M de outubro ultimo. Ofleiou-se neslo senti-
do ao inspector da thesouiaria da fazenda c ao com-
missario-pagador.
Dito. Ao administrador do correio, participan-
do tureni sido Horneados Antonio Pedro lavare* par.i
0 lugar.de agente do correio da cidade deCoianna,
por ter sido demitlido Gongalo (.ornes de Sa l.citflo
que o excrcia, Jos Nuiles Montciro para ajudanle da
mesma agencia, e Julio Ferreira da Fonseca para a-
judante da agencia da villa de Serinhflem ; para que
faga os convenientes avisos aos nomeados alim de
que solicilom a expediglo de seus ttulos. Crtm-
inunicou-so ao inspector da tbesouraria da fazenda.
Pito. Ao commandante dasfrgas navaes, en-
viando copia do aviso da secretaria de estado dos
negocios da marinhaj pelo qual se ordena ponda em
1 i borda de o recruta Sarbinn Jos de Arnujo.
Dilo. Ao inspector da tbesouraria da fazenda,
Iraiismillimlo copia do aviso da secretaria do estado
dos negocios da justga, no qual so determina que
esta presidencia, quando julgar conveniente, faga
entrar no exercicio dos lugares para que torem no-
meados ou removidos os magistrados que porvenlu-
ra se acharen nesta provincia logo que presiden-
cia conslem ullicialmenle taes-nomeacGes ou remo-
gOcs, embora nflo apresontem os respectivos lilulos,
marcando-Ibes ueste caso um prazo, deulro do qual
os deverflo solicitar naquella secretaria. Commu-
nicou-se so presidente da rclagflo.
Dito. Ao mesmo, remetiendo copia do aviso quo
manda pr disposigflo desla presidencia naquella
tbesouraria a quantia do 136:152,900 rs. para as des-
pezas do ministerio da justiga no corronteaono (I-
nanceiro.
Dito. Ao co.nman lauto do corpo do polica, de-
terminando que faga organisar e remetter tbesou-
raria da fazenda provincial o pret do destacamento
do corpo sob seu coiiimaudo que se aclia na villa de
Floros, relativo aos mozos de Janeiro a margo pr-
ximos futuros, a fim de que, segunJo as ordens que
lem expedido, soja adi.inlada a respectiva impor-
tancia para ser levada pelo ofllrial que ora marcha
para a mencionada villa. Sciontificou-se o inspec-
tor da tbesouraria provincial.
Dilo%~ Aojuiz de direito da comarca de Flores.
Cumprndo que o delegado desse termo, Manoel
Pureira da Silva, ratifique quanlo antes o juramento
qie prestou nas mflos do sexto supplenle dos verea-
d.mis desse municipio por su nflo terem estes reuni-
do para fazc-lo.o sondo bem possivol que ainda se d
o caso de nflo poder *erilicar-se tal reunio, deter-
mino a Vine, que a realisar-se semclhanle hypotese
baja de ratificar o sobredito juramento. Oque Ihe
hei por muito recominendado, esperando que sem
perda de lempo aecuse a rccepgflo do presento of-
licio.
Pito. Ao commissario-pagaJor, doclarando que,
lendo de r.'colhcr-se ao seu corpo na provincia do
Para o alferes do quarlo batalhflo de cagadores, Car-
los Frederico do Brito loglez, e devendo tambein sa-
bir em commissflo do servigo publico o alferes Joa-
qun Jos dos Santos Araujo, pague Smc. a estes of-
iiciaes o sold e vencimenlos do mez de novembro
quo boje linda, o adiaiile-lhcs o do rao/, de dezem-
bro prximo futuro, passando a competente guia ao
primeiro.
Portara. llemovendo o tcncnte-coronel nomea-
do para o tirimeiro balalbo da guarda nacional do
municipio de Santo-Anio, Joo Filippo de Sjuza
l.eflo, para o 2. do mesmo municipio; ereintegran-
do no commando do 1.' batalbflo em que havia sido
reformado o lenente-coronel do segundo,Manoel Uu-
irte da Costa, (cando desta forma alteradas as por-
taras desla presidencia do 7 e 26 do crrente. Par-
ticipou'seaocommandantosiipoior da guarda na-
cional de Santo-Anio.
DEM DO DA 1. DE DEZEMBRO.
Oflico.Ao inspector da tbesouraria da fazenda,
transmiltndo copias do aviso da secretaria de esta-
do dos negocios da guerra de 15 de novembro prxi-
mo passado, da tabella da distribuigflo do crdito do
ministerio da guerra para o exercicio correhto, o
juntamente do orgamenlo, a vista do qual devera
ser na pagadoria militar classificada a despeza, pon-
do-seem harmona com elle o que se liouver des-
pendido desde junho ultimo.--Traiismiltiram-se co-
pias ao oommissario-pagador.
Dito.Ao commandanto das armas, remetiendo
copia do aviso polo qual consta terem sido passados
o alferes do deposito da Baha, Manoel Xavier Tor-
res para o corpo llxo do Cear, o alferes secretario
Dulecaricnso Drummoiid de Alencar Araripe e o alfe-
res Bento Ferreira Marques Brasil, arabos do corpo
lxo do Coar, o 1 para a lileira do 5. batalhflo de
cagadores, e o outro para o :i da mesma arma Sci-
uiiiilicou-seocommissario-nagador.
uin. Ao commandante do corpo de polica, com-
municando que o major Ignacio de Siqueira l.eo



-ADO

...


2

Silva Cruz participou que fizera seguir pura osla ci-
dade o soldado d'aquello corpo Jos Joaquim Ribeiro,
por padecer molestias que o impossibilitam do ier
vir, ordenando que deixassc a espingaida o o cor-
rame en) poder do delegado do Rio-Formos.
Dito.Ao inspector da ihetouraria da hiende pro
vincial, ordenando expoca as precisas ordena para
que da i|uota volada para as despezas evenluavs sejs
entregue ao eommandante o corpo de polica a
quantia indispensavcl para a compra de velas que se
leem de gastar na lluininac,ffodoquarlel do mesmo
corpo eni as nuiles de lioje o ainanhaa, como teste-
munho de regosijo pelo anniversario de s. M. o Im-
perador.Inleirou-se o eommandante do referido
corpo,
Hito.Ao eommandante das armas, remellen,lo
copia do aviso noqiial se determina que scnSoem-
prognem na guarda nacional como instructores, ou
era qualquer outra qualidade, e bem assim no re-
crutament, oQiciaes do exercito que nflo aejam da
3." classe ou reformados, fazendo-se seguir para os
respectivos coi-pos os das outras classes, e por em
disponibilidado os pertencentes ao estado mair do
exercilo com as excepcoes mencionadas no inesnio
aviso.
Dito,Ao inesnio, participando ler o Kxm. presi-
dente das Alagnns Teilo sepuir pata esta ciclado o ci-
rurgi&o-mr SebasliSo Jos (ornes que marebra
para aquella provincia addido a torca do 2.* balalho
de arlilharia a p e eslivcra empregado no hospital
militar da inesma provincia.
Dito. Ao prior do convento do (armo, Iransmjl-
t indo copia do aviso do qual consta que S. M. o Im-
perador bouve por bem permittira pormutaefio por
K. me. requerid* 'le urna casa terrea sita na ra do
Jogo-ds-JJola na cidade de (ilinda por outra lamhcm
terrea batanlo arruinada rom um pe(|ueno sitio no
lugar da Floresta,
hilo.Ao eommandante das armas, enviando para
que leilha O conveniente deslino a guia do auspt-cn-
ifn Jos das Chapas Aceioli que, pcrlencendo ao I "
balalhao de ruzileiros, levo passagem para o 5." da
mesma anua, e consta acbsr-se actualmente nosla
provincia.Conununirou-se ao Exin. presidente das
Magnas.
luto.-Ao mesmo, participando ler concedido a
lose Bernardo Fernandos Gama, lente da 1.a classo
do estado-maior do exercilo eajudanle de ordena
de pessoa de S. Kxc. trinla das de licenca de favor
com vencimento de sold, mandando adiantar-lhe
dous mezes do mesmo sold, e ordenando que so lite
proporcione passagem para as Magdas a bordo do
patacho l'impuma. Neste sentido olliciou-se ao
'ominissario-pagador e ao inspector do arsenal de
msrinbi.
Dito.Ao mesmo, participando baver-se ordena-
do ao director do arsenal de guerra da corte que
mandasse apromplar, ou comprar no mercado,
quando se obtivessem niais ventajosamente, eem sel-
lins para a companhia de cavallaria dcsta provincia;
devendo ser descontada a sua importancia na con-
siguaefio arbitrada a mesma companhia.Scientil-
COU-SO o coronel commissario-pagador.
Cartas de Tosen noticiam que os habitantes allo-
maos ilaquclla cidade cstavam tilo recoiosos de um
novo levantamculo dos Polacos, que linbam pedido
as autoridades a coiitinuac.'io do estado de sitio.
Julgava-se que, so o estado de litio losso levantado,
Posen se tornara o quarlul-general da mui temida
liga Polaka.
Os Turcos entraram a cidade do llucharest no dia
2i'> de setembro depois de teroni moito alguns millia-
res de paisanos que scoppu/cran a sua entrada, fin
governo fura eslahelecido composto do general rus-
so iumahel, Fuad Elondi, e Kostaki Kanlakuzeno,
candidato dignidado de llospodnr.
A Itussia, a Succia, a Dinamarca eallollamla go-
zavam de plena Iranquillidade.
aples licra em paz.
A qucstTo siciliana ainda notinha sido decidida.
O Conslilutionale di Subalpino do i:i de setembro
annunca que a l l do mesmo me/ as tropas hnga-
ras da guai nicao di' Milo reuniram-se no paleo do
palacio do governador, gritando : Morram os Croa-
tas Kl las exigiram depois quelites fsse conce-
dida a permissilo de voltarem ao seu paiz, e declara-
ran! que.se o niarechal Radetzky nSu consentisse
nsto, seretirariam sem a sua licenca. O marecbal
ordenou que vanos regimentos croatas entrassem
immedialameule u cidade, e ameaeou dizimar os
Hngaros, se porveutura no se aquietassem. lima
colliso entre aquellas tropas julgava-se inevitavel.
Ao receber esta noticia, o congresso da liga 'reu-
nido em TiirimJ depuluu o conde Mamiani ao rei
Carlos All eiio com urna rcpresentaco assignada
por lodos os representantes das provincias italianas
naquella assemhla, pedindo-lhc n> purdesse to
boa occasilo de restaurar a honra de seu valioso
exercilo, e de apagar os desastres que solTrra.
l-.in l'aivaos Hngaros eos Croatas linham-so ba-
lido mis com os oulros.
Mantua conlinuava ainda em estado de sitio.
COS1MEBC10, '
ALFANDEG.
RBXDIME.N'TO DO DIA 4............ 4:300,405
Deseargam hoje, 5 le de samara.
Iliate Sun-IIenedicto fumo e charutos.
Ifrigue San-Manoel-Auguslo pipas vasias.
dirigidos pela secretaria de estado dos negocios do
imperio.
Paco da cmara municipal do Itecife, em 2dcde-
zotnbro de 1818.
M. J. do llego t Albuquerque.
Presidente.
Joto Jote Ferreira de Aguiar.
Secretario.
=
Declaracoes.
Repartido da polica.
EXTRACTO DIARIO DOS DAS 8, 3 E 4 1)0 COMENTE.
Foram presos:a ordem do Sr. desembargado!'
i befe de polica, o Portuguez Raymundo Francisco
Ventura, por orientas ph y sicas, o pardo Juo Fran-
cisco Batios d'oiveira, por insultos, os crioulos
Francisco da Cruz, Joaquim Jos Fernandos, c o
pardo Francisco Querino Nunes;do subdelegado
de S.-Antonio, o paisano Antonio Jos de Lima, por
suspeito, eo pelo Joo, por andar fgido :do sub-
delegado do Recite, os Ingle/es Joio, e Joo Bau-
quer, por ebrios;0 do delegado do 2.* districto,
os paisanos Antonio Ferreira o Antonio Ribeiro da
Ressurreico.Uestes dous ltimos, assim como
dos terceiro, qiiarlu e quinto nao consta o motivo
das prises.
O 1." Amanuense,
Aprigio -los da Silva
nccirr, de dezzmbbo se 18*8.
O Sr. hachare I I uiz. Duarlc Pcreira fodemillido
do cargo de administrador da mesa do consulado
provincial; sendo nomeado para substilui-lo o Sr.
tenenle-coronel Antonio Carneiro Machado llios.
lirigue Olindi sabflo e fumo.
Galera Swr-Fitk mercaderas.
lirigue JJgeiro ideni.
Escuna Oulesie dem,
lirigue Hile idein.
1MPORTACAO*.
O arsenal de guerra tem de contratar o forne-
cimenlndo vveres, para o sustento dos aprendizes
menores do mesmo arsenal, porespacodc 3 mezes,
sendo do prmeiro de anciro ao ultimo de margo
prximo vindouro a saber : piles, carne verde, dita
secca, familia, l'cijo, arroz branco, loncinho, baca-
Iho, azeile doce, vinagro, assucar branco, cha
hysson, caf, manteiga o leuha : As pessoas que es-
le contrato Ibes convier comparecer-o na sala da
directora do mesmo arsenal ,no da 7 do corrente,
com sua proposta em carie fechada, aliin de so real-
sar os convenientes ajustes.
Arsenal de guerra, 4 de dezembro de 1818.
O escriturario,
francisco Serfico de Auis Carvalho.
--Pela delegacia da cidade do Recifo seacham
recolhidos lOquarlaos, sendo 6 allazfiea, 2 pedro-
zes e 2 casUnhos, pura seiem entregues a quem oa
reclamar.
PUBLICACAO' AGRCOLA.
Manual
platico do fabricante da assucar, por
Agoslinho Sommier. Esta obra ensina pralicamente
o modo de fabricar o assucar demonstrando os in-
convenientes da anliga pratica os meios de as re-
mover e finalmente ludo quanto so precisa para ti-
rar maior e melhor resultado de sua factura e esta
escripia em una ingoagem que qualquer pessoa
percebe; podendo-se mesmo dizer que os Srs. de
engenhos com ella so errarilo se quizerem : vnde-
se por 2,000 rs. na praca da Independencia torra-
ra ns. 6 e 8.
Avisos maritimos.
Oulesie, escuna americana, viuda de Boston, en-
trada no mez prximo passado, consignada a llcnry
Fosler i\ Companhia, menifestou o seguinte
121 harrs breu, 20 ditos alcalro, 20 ditos pixe,
2. ditos carne de vacca, 300 saccas fardos, I batan-
ea com pertenece, 4 barra pregos, i grade, 7 caixas
chapeos de palha, 3 arados, 3 meias barricas farinha,
I Cai\a caudieirose vidros, 1 di la doces, -2386 barri-
cas abatidas, 139 ditas com lampos-, lOOOps lie U-
boado, 1 caixa medicina; aos consignatarios.
CONSULADO CEBA...
RENDIUENTO DO DIA 4.
Cern .
Diversas
provincias.
2:095,675
128,690
2:821,305
i ___....... .. -
CONSULADO PROVINCIAL.
REMMMENTO DO DIA *.......... 2:041,486
MovimciiU) do Porto,
Kaviit tntradut no dia l.
Ro-dc-Janeiro ; 11 das, barca ingleza Mary-EIna-
belh, de 338toneladas, capio l'alreak I lise, e-
quipagem 15, em lastro ; a ordem.
Baltimore; 40 das, hiato americano Alexander-
Dgtlt, de 141 toneladas, cu pililo R. C. Cliusebo-
rangh. equipagem 7, carga farinha e mais gne-
ros ; ao capilo.
Mar-I'acilico, leudo sabido de New-Iiedford ha 24
mezes, galera americana Cortei, de 382 toneladas,
capito J. ||. Swift, equipagem 29. carga azeile do
peine ; ao capito.
Aracaty 8 das, hiato brasileo Navo-OUnda, de
,l"n?;,(1'',s capitao Antonio Jos Van na, equi-
80
pagem
tes. Joaquim Jos dos Sanios olOescravos a
t regar.
Navio taliido no mesmo dia.
ortos do sul; fale americano Alexander- Uyrtt, ca-
pito R. C. Chuseborangh, carga a n.csu.a que
trouxo. H
vm
Nos jornaesinglezes que ltimamente recebemos
deparamos com algumas noticias mais, as quaes
vamos transmittir aos nossos leitores.
O imperador da Austria acha-se em Rruns na Mo-
ravia, acompanhado do conde de VVesscmberg o do
ministro da justica M. liach.
Vienna contina anda dehaixo do dominio do
povo, posto que de 40,000 guardas nacionaes que
coma aquella cidade, so 18,000 eslejam cni armas.
Do i arias partes do imperio teem marchado tropas
contra a capital, mas parece que uo ha intenclo de
atacar a cidade, sonro somenie de rcduzir os seus
habitantes por nieio de um sitio rigoroso. Temen-
do isso, muitaa familias teem abandonado Vienna, o
smenle para Praga teem-se retirado nfio menos de
21,000 pessoas.
A Hungra HiHia resolvido sustentar com tropas o
movimonto de Vienna, porm na Transylvania mata
de 80 povoaertes, indigna las contra o governo hn-
garo por causa da conscrpc.io, haviam declarado
que estavam promptas para coinbaler pelo impera-
dor da Austria.
As noticias da nsurreico de Vienna produziram
grande exclamenlo em loda a Allemanha, e princi-
palmente em Munich, onde se desenvolver* um mili-
to mo espirito. Diversos escripios circularan) all
declarando quo o assassinalo do conde de l.alour,
ministro da guerra austraco, fra um uciu de necesti-
dade, eameacando mesmo com umasorte igual os
miuislros bavaros.
Em Cracovia varios conliclos lveram lugar entro
os militares e os paisanos por causa de una carica -
tura postada por estes as ras, representando o ge-
neral Laluur e o principe llelternich, a qual os pri-
"rla'SrpoMroZrussSa"" F^Z? r,?"? "J ," *** -
J..CwtneogeLatsl,hk f,hnb\d^
conferencias eom o genera) russo a esle roaS do no? ITh "^ 'Ce-Pr"entea nomeados. cumprin-
v (."lo. |uopoi esta forma a le e os avisos que Ihu fram
Para o Rio-de-Janeiro sabe, com muta brev-
dade ovelciro patacho Alfredo, forrado e encavi-
do de cobre com excellcnles commodos para passa-
geiros ; tambem recebe cscravos a frete : quem no
mesmo quizer carregar, ou ir de passagem diri-
ja-se ao seu consignatario Francisco Alves da Cu-
nda na ra do Vgario, n. 11, prmeiro andar.
Para a Rabia sabe, era poucos dias, com a car-
ga que houvor, a sumaca Flor-do-Agelim : para a
mesma e passageiros trata-se com o mestre Ber-
nardo de Souza ou com l.uiz Jos de S Araujo na
ra da Cruz, armazem n. 26.
O brigue portuguez Mara-Feliz oapilo l.ou-
renco lernandcs do Carmo, sane para o Porto no dia
12 do corrente por ler a maior parte de seu carre-
gamenlo promplo: quem no mesmo quizer carre-
gar ou r de passagem para o qun tem excellcn-
les commodos trate com o cap tilo na prac, ou
como consignatario, Antonio Joaquim de Souza
Ribeiro.
--Para o Rio-de-Janero sabe mprcterivelmcnte
nodia 15 do dezembro, o brigue Atsombro forrado
de cobre e de primeira marcha por ter o seu car-
regamento quasi completo : para o resto da carga c
passageiros trata-se com Jofio Jos Fernandes Ma-
galhes, na ra da Cadeia do Reccfe, botica n. 61.
Para a cidade do Porto pretende sahir com bre-
vidadea barca Uella-Pernambucana, capil.lo Manoel
Francisco Nogueira, por ler a maior parle de sua
carga engajada : quem nella quizer cairegar, ou ir
de passagem, para o que o (Tereco bous commodos,
cnionda-se com o consignataiio, Antonio Francisco
UeMoraes, na ra da Cruz, n. 34, terceiro andar, ou
coan o capito na Praea-do-Commercio.
O brigue brasileiro ero segu para o Rio-de-Ja-
neiro com a maior hrevjdade : recebe carga e escra-
vosafrele: a tralar cotn Leopoldo Jos da Costa
Araujo, na na da Moda, n. 7.
Para Lisboa pretende sahir no dia 10 de dezem-
bro a barca portugueza Ligeira, da qual he capito
Antonio Joaquim Rodrigues : quem quizer carregar
ou ir de passagem para o que tem os melhorcse os-
sciados commodos, dirija-se ao mesmo, ou aos seus
consignalanos Francisco Soveiiano (tabello &
I'libo.
~ Para Lisboa pretende sabir, no dia 24 do cor-
rele, o brigue brasileiro Virialo : quem quizer car-
regar, ou ir de passagem para o quo tem os me-
mores commodos dirja-se ao consignatario, Tlio-
maz do Aquino Fonseca na ra do Vigario n. 19
ou ao capitao na praca do Commercio.
- Prrdeil-M urna lel'ra da quantia do 100 000 !<
perlenccnlea Msnoi'IJosdo Barros Veicas a-it.'
por francisco Antonio da 811ra. cuja lott/a "S
clbo do 60,000 rs. por conla restando o aoeit.,!"
te 40,000 rs., a quem j se prevenid o dono para ni
pagar; mas por osle annuncio so previno algum si
mslro,pnrissoqueos 40,000 rs. smenlo tem
reno a elles o dito Veigas. '*
Hoje, lindo a audiencia do Sr Hr. juiz do rivi
Cervasio Concalves da Silva, tem do i rom a ni-ar.'
para seren arrematadas do renda, a quem mais de
3 moradas de casas ten 6as, sitas na l'assagani-d^'
Magdalena por execucAo de Jos Francisco Coiiol
ves, contra seu devedor Jos Alves de Souza Ranea|
Offerece-se urna mulher de 36 anuos com boni
costo mes, para ama secca de urna casa quem i
seuprestimose quizer ut'lisar, dirija-se a mam
Conceico n. 41. *
'--Faz-se publico que a sociedado al hoje 9X,
tente entre nos abaixo assignados na casa coinmer
cial da provincia de Pernaiubuco, com a (irh,a i
Russel Mellors& Companhia e da Babia coni a i
Mellors RussVll & Companhia, foi boje amignyei
mente dissolvida com a retirada do socio VVilliai
Cray dos mesmos cslabelecimenlos conlinuand!
porem os cstabelccinicntos no seu gyro debaixnd-r
mesmas firmas com al boje. James Mellors -. el"
muel M. Mellors. -Wiliam Gray. "'
( Extracto da gazeta de Londres de 17 de ouh,
brode1848.) tu"
O Sr. quo mandou a justar 400 palhas do coquei
ro, no Atorro da-lloa-Visla, n. 29, queira manda I ai
trazer al o dia 6 do corrente. m
. (s Srs, que subscreveram para a puhlicaco da
orthographia do Sr. Antonio Alvares Percira Cor ubi
impressa no Rio-dc-Janeiro, pdcui vir receber na'' J
livmria da ra da Cruz, n. 56, os exernplares ana"'
Ibes pertcncein (a 3.500 rs. os encarnados,e 3 000
rs. os broxados ) al o dia 9 do corrente, passado o
qual, os exernplares que sohrarom sero vendidos
s pessoas que os procurarem.
Desencaininhou-se urna lettra da quantia de
600,000 rs. sacada na Babia por Jos Joaquim da
Costa Pinto sobie os Srs. Novaes c Companhia
favor de Veilch Bravo & C., a vencer em 8 'do
corrente mez. J se acham prevenidos, tanto o acei-
tante como os Srs cambistas desta praca para neo-^
ci algum fazerem com a dita lettra.
CURSO DE RHETORICA E POTICA.
Fr. Joo Capistrano do Mondonga tem aberto no
convento de S.-Antonio dcsta cidade um curso par-
ticular de rhlorica o potica ; as pessoas que o qui-
zerem frcquenlar, podero diiigir-se ao mencio-
nado convenio a qualquer hora do/iia.
CCRSO DE HISTORIA SACHADA E ECCLESIASTICA.
Fr. Joo Capistrano de Mandones tem aberto no
convento deS.-Antonio desta ciliado um curso par-
ticular de historia sagrada e ("eclesistica : as pps-
soas que o quizerem frequentar, podero dirigir-se
ao mencionado convento, a qualquer hora do dia.
Aluga-se o prmeiro andar e solo do sobrado
d run dos Quartois, 11.10 : a tratar na praca da In-
dependencia, ns. 24, 20 c28.
-- i\a ra das Ti incluirs, 11. 21, lava-so e engom-
ma se roupa com pe feicSo e por proco com modo.
Carlos de Candi, natural da llclgica relira-se
para os portos do norte.
rUNDICAO
r
mmu-mmA:
C. Slarr iV C, engrnhciros, com fundicao de ferro p
bronce, e ferrarla, iiidorm poni grande, movido por
daas machinas de vapor, montadas na. casas novas na
na da Aurora em Santo-Amaro, aviiam aus seua lie-
guezes, e ao publico em ucral, que leem acabado de a-
promlar para vender varias machinas de vapor de bal-
sa* de alia presta, e de diversos Umaulios : estas ma-
chinas sao prvidas de bombas para supprir a caldclra
com ngoa j qnftte, c com vlvulas com os seus airan-
jos mullo simples para regular a quantidade da metala
ngoa ; mas os amuincinmcs, longo de inculcaiem eslal
iuvences como suas, adverlein que a primeira foi adop-
lada pelo celebre Savay em 1698, e a segunda inverna-
da por Priudlev ja mais que cen anuos passados, e
ambas inirodu/idas netta provincia em I8;t pelos an<
nnnelantet na uiacliina de vapor do cugenlio <-'araune>
(o primeiro fabricado ueste impeli) o i/ual ainda esl
cni ell'eciiva operayo, e desde en tao c ha etralndo
PerlO de urna duzj das mesmas innrliiuas, Pellas nesla
falinca. conteiido os mesmos apparellioj, e com suimno
apioveilameiilo dus compradores poilnnlo impingir
sto agora como cousa nova, era impostura. Os aiinuu-
cianles leem sim a salisfaciio de informar o retpeitavel
publico, que bao conseguido um mcllioraiiienlo de nao
Avisos diversos.
EDITA L.
traz
S.-
A cmara municipal da cidade do Recife faz saber
aos seus mnnlcipes o a todos quantos osle edital
virem.quo tendoS M o Imperador, por decretos do
.' do outubroe de 6 de novombro do corrente auno,
exonerado dos cargos de vico-presidente desta pro'
, vinca11 Manoel Paulino de Cotives Muniz Feij o
liancisco Honorio Bezerra de Menozes, nomeando
por cartas (apenaos do supradido dia 6 do novom-
bro para os referidos cargos, em segundo lugar o
lenle coronel Izidru Francisco de Paula Mcsquila
e Silva, em terceiro o vigario Venancio llenr.qiies
( eltezendc, e em qnarlo o commeiidador Francisco
do Carvalho Pac de An '
Jos Soares do Azcvedo, professor do lingoa
fraceza no lyceo, tem aberto om sua casa, ra do
Rozarlo larga 11. 30, seguhdo andar, um curso de
philosophia ooulro de lingoa franceza. As pessoas
quo desejarem cstudar urna ou outra destas disci-
plinas, pdom dirigir-se a indicada residencia a
qualquer hora.
O RHAHODA RASAO'N. 3
nrla;?^,?"'1'' T lugares J4 "unciados :
artigos nteressantes, e poesia.
--Amanhaeslaroavendaaop do arco de
Antonio, dou burros novos e muilo bous
-Constando 0 abaixo assiguado que alguem 'nes-
te cidade, que so diz procura.ior |de^lladan f viuva
Frcmonl, de Pans, declara quo por ora ainda ni"
f. iegaimenlo intimado ao mesmo abaixo assig, -
do alguma nova procuraQo da referida Madama viu-
va Fromonl, quo elle he o .procurador autorisado
rZ l0eUrf^Jegal' 1ue l,0Jo preaonUr a quem
convier. Joto Figncs.
Quem perdau unas chaves na estrada de Re-
te ,diiija-se 1 ra Nova, n. 19, que, dando s sig-
uaes Ihe ser entregues.
--Jos Massa regrt-ssa para Lisboa na barca Li-
geira.
VVilliam llenry Kughly, subdito brilannico re-
tira-se para fra do imperio.
Na ra da Cadoia, luja de mludozas n. 17, pre-
cisa-se de um caixeiro que entenda de miudezas.
pequea importancia, e verdaderamente novo nesta
paiz, que he por meto de urna modilicacao da taldiira
e um simples arranjo de canos e registos, aproveilar
o fogo superiluo 1I0 asseni imeniH para faier mover a
machina de vapor sem mais gasto de coinbuslivcl de-
pois do engciiiio ter ganho sua marcha : esla muilo til
lembranra tem sido experimentada com bous rctulta-
dos em os cngeiilios Trapiche e Jardliu. Esta fabrica es-
la seinprc sorlida de
Moendas de tambores .-iberios para huchas de 111a-
deira, grandes e pequeuat, com seus perlences.
Dilas com aguilbocs acunliados chamadas inda)
moendas, de todos oa tamanhos e com rodetes de ferro
ou sem elles, para agoa ou animis.
Ditas iule.iras, lodas de ferro, eudependente, com a.-
marras diagonacs de gaucho, invencao dos amiunciau-
tet, c mili lo approvadas pela sua fortidao e facilidade
d'armar c desarmar.
Alambiques de ferro, cousa nova e muito approvada.
Muinhot e prensas de mandioca e foi nos de farinha.
Carros de nio e arados de Ierro.
Grande soi lmenlo de bronres, aguilhet, chuinacei-
ras, parafusos e mais perlences de rngeiiho.
Rodas e rodetes de varios laiiianhoi.
Boceas e crivos de fornalha.
linchas para carracas, arrra d'aco para terraiias.
Holiueles, bro zet e roldanas para navios. "
Os anuunciantcs, pelos longos anuos de pr.ilicanes-
te pal/,, pela grande capacidade e couuuodos de sru
novo etlabeleciinenlo, c pelo criscido numero c umita
experiencia e pericia dos seu operarios e empregados,
oll'ei-eeeui aos frrguezes vautngeiit nao possuidas par
nen lUiua oulra fabrica ueste imperio, c esuio, portaiiio,
veriladeiraiucule habilitados a ciiipriliender e execu-
tar com a maior proiupiidao c peilccao qualquer obra ,
de cugeuliaria 011 inachiuismo.
Na ra do Quoimado, n. 14, se dir quem da d-
nbeiro a premio com pcu|iores do ouro. Na mesma
casa co npra-so ouro mesmo em obras quebradas. .
-- llesappnrnenu i| rua da Aurora, casa n. 24, I
um cozinho prcto, dos qualro pos calcados de ama- '
relio o a poula da cauda aparada : quem dello sou-
ber Taz muito favor mandar levar na mesma casa quo
muito se agradecer.
MUTIL
i.


^f^SS
3*
precisa-so alugr um prclo que scja sadio para
Jlu/ir pilo Para fora t0'los os ": na lua ',r8,
TRourio, piulara n. 48
Mara da I-1". Araujo inuilou a sua residencia <1<>
uiudoCarmo para ama das Triiicheiras, n. M
Linieiro andar.
,, i|uffi-se, para o lempo ila fesla ou vende- $
g 111 ti peqtieilO silio lia Capul gil cm rino t
^ jc pedia e cal, concertada o pintada de novo,
n cacimba le boa agoa d bolier baslan- d>
41 lesarvoredos de fructo, e ludo cercado de li- fi>
^ mjo : queiu o pretender dirja-se a casa do
sr.Jos Antonio de Lima, morador no mes- f(
+ 111" lugar- &i
?f ?#^##*S> f ^$*^#<
..Prxedes Gomes de Sottza Pitanga doutor em
iiii'iliriua, faz sciento ao publico que so acba re-
siJimio na priica du Roa-Vista sobrado 11. G onde
noilera ser procurado das 6 as \> horas da mandila e
Jis2 as i da tarde. Da consulta gratis aos pobres ,
em sua casa, ovai as casas dos que nlto o poderom
procurar.
~ Aluga-so um pnmciro ou segundo andar om
qualquer das ras do bairro do Uecifo anda que se-
ia pequeo : quem tiver annuncie ou dirija-so a
ra da f.*r*iz n. 18, das 9 s 2 boras.
<:CJ1APE0.S DESOLjjg'
liua do Passeto, n. 5
0 fabricante dcsle cstahclccimento advorte ao res-
lavcl publico desta cidade que elle possue pre-
., ..'.Milenio un rico sorlimenlo do chapeos de sol,
assim como chapos do sol de seda furta-cores, dos
inais ricos que teein apparecido ueste mercado, c de
cures conbecidas ; ditos para senhoras dchom tm,
adamascados, lavrados, coi suas 'competentes fran-
jas de retroz, ludo que lein do 11.ais moderno e do
melhor goslo ; um completo sorlimenlo de chapeos
deso de panninho de todas, as cores o do lodos os
tamauhos, para homens, senlioras o uieuinos : ha
Mmlieni igual sorlimenlo de fancndas para cobiir ar-
Biiirfles, lano de sedas de cores, como de panuiuhos
trancados e lisos imitando seda. Adverle-se que os
freguezes sero servidos com hrevidsde, esoacha-
rflo salisfcitos da boa qualidado, do bom gosto e do
bum pre;o.
NOVO PAO DE PROVENGA.
0
rV Vtndr-ti lodos o dial. O
@0 proprietario da paitara e p asti 11.11 a franceza i\
do Aterro-da-lloa-Vista, n. 50, dsejando agradar 'o'
fii cada vez ni.us aos cus freguezes, resolveu oll'ere- &}
V ccr-lhes un pilo que se fabrica em Provenfa por J*
5} ii-ii processo milito ditte rente do ordinario, c que, V>
a 1 v.jiinlii feriaba ras inclliores qualidades, mire-
y ce a preferencia do publico, pela sua alvina, W
n pureza e delicadeza de sua fab icacao. j\
\0 S se farao pes de 40, 80 e 100 rs., c ser fcil W
9conbcct-lo* pela sua forma oblonga c elegante. Q
Na niesma casa contina-se lambein a vender ~*
Qk boliulios para cha de Indas as qualidades, e Um- AjJ
T" lino a cufeitar bandejas ricas para bailes e sa- .
y risa, v
Agencia (le passiportes.
Na roa do Collegio, 11. 1, o 110 Aterro-da-R.>a -Vis-
ta bija n. 48, contiiiuam-se a tirar passaportes,
tanlo para dentro como para fura do imperio, as-
si.n romo dcsparliam-se cscravos : ludo com bre-
vilide.
Muda tica.
Aoflieina de encadernacilo que o P. F. C. do l.o-
muse Silva dirige aclia-seem a ra estrella do Ro-
zario, 11. 8, prvida (|e lodo o necessario para o bom
deseinpenho de qualquer obra de encadernac.no ,
por muis rica que sej* ; assim como lem e lamben,
aprompla qualquer'emblema npropriudo as mosinas
obras e promelte promplidio por ter algumas
pi-ssoas Irahalhaiido: bom como podo com fucilida-
de aparar una grande porreo do resmas de papel
diaiiainciiie : ludo a um prego moderado.
Pentisla,
/
M. S. Vlawson, cirnrgio dentista, tem
a honra de participar a seus fregiiezf s, c
em ge ral ao rcspeitavel publico, qu tem
mudado sua residencia para a ra INov.i
n. ai, primeiroandar. Espera que todas
as pnssoas que precisaren! de sen prcalt*
mobem reconbecido nesta cidade por mu
tos aortas, continuem com a sua proteccito ;
esmerando-se elle no desempenbo di sua
arle, c rernuneiando-as coma sua proin-
ptidao ecoinmodidade nos precos.
--Precisa-sealugar urna preta eacrava de boa
finduca para una casa cstnmgeira do pouca
familii,, quat saibn cozinhnr o coser : na ra Nova,
n. 19. segundo andar.
-Quem nununciou querer comprar umapparc-
Ihr pura ofNcial da guarda nacionl sendo nina
precise dirija-se a rna Nova, n. 8, loja de selleiro,
de Antonio Ferreira da Cosa Uraga.
Deposito de rap andaraby
c imperial.
Na ra da Cruz, n. 63, primeiro andar, escriplo-
ro de Jos de Almeida IJarreto Bastos, vende-se o
bem acreditado rap andarahy e imperial, fabricado
00 Itio-de-Janciro, sendo o nico deposito m-sla
Provincia ; assim como sempre so adrar no mesmo
deposito o nvlhorch nacional brasileiro, emcai-
xinhas- de 5, S o Ki libras, por prec.o commodo. O
r| vede-soa rolallm as seguinlcs casas : ra da
<:"di ia j Uecifr, n. 17 ; ra do Collegio, n. 0 ; pra-
da Inlopendencia, ns. e 39 ; ra do Queimado,
"s. 10, 16 e 33; ra do l.ivramento, II. *; ra 1N0-
v,l> n. 50; ra dns (juai teis, n. 2.
, Moje 5 do correte se ha de arrematar a casa
''rrea com otaria na ru.r do Mondego n. 135, poranto
Sr doutor juiz docivclda primeira vara na sala
das audiencias depois desta : queiri quizer fompa-
rc'.'aquu lien ultima pra^a.
-Maiioel I.U7 l'ereirn faz scionte ao rcsrJCllavel
publico, que,leudo apparecido outro de igual none,
UV buje euidiante se iissrgnai Mano-I Augusto Can-
dido l'ereira.
O corpo de voluntario precisa ongajar alguns
cornetas pelo lempo quo fr necessario e so ola-
rece a maior vantagem possivel : a Iralar no Alerro-
da-0on-Visla,n. 40, das lilis 9 horas du mauliSa e
das 4 as 6 horas da larde,
I'recisa-se alugar urna ama para o servio inter-
no de nina casa : na praq.a da Independencia, n. 4.
Lava-se o engomma- so roupa com muita per-
fcicao e commodo pre$o : na ra do S.-r'rancisco,
n. 48.
JOS Libralo [llarrozo vai ao Arar.nly eleva
em sua compauhia o scu moleque Luiz.
-- Faz-so ver a quem convier que se vende a mul-
ta acreditada venda sita na esquina do Varadouro
emOHnda: quem a pretender pode dirigir-so ao
dito Varadouro, venda do Manuel da Silva Amorim ,
que so dir quem est autorisado a vende-I".
Aluga-se um sobrado do dous andares e slito,
com um grande quintal, o urna casa terrea no fun-
do do meimo, que bota para a parle da maro gran-
do na ra Imperial, n. 169 : a tratar no Alerro-da-
lloa-Vista, n. 27.
Aluga-so um moleque da 12 annos para lodo
oservico internoe externo: na ra da Guia, n. 46.
Ya mesma casa compra-so urna rotula usada.
Quem pretender arrematar o consumo Jas nia-
tanQas dos gados das freguozias da Minibeca ,S.-
LourenQo-da-Matta S.-Amaro-Jaboalflo Varzca ,
A Togados, Casa-Forte pcrlencentes ao municipio
do Iteciro dirija-se a ra Imperial, casa de Silves-
tre Joaquim do Nascimonlo, qu"e est autorisado
para esto liin.
--No oiliiod matriz do S.-Anlonio, n. 11, cn-
gomma-se e lava-se com muito asseio promirlidSo
e ptor;o commodo.
Aluga-se o segundo andar da casa da ra da
Moda n. 9 : a tratar na ra do Vigario, n. 5.
I'recisa-se alugar um preto quo entenda do pa-
daria : na fu da matriz da boa-Vista ,11. 20, ou an-
nuncie.
Allenco.
A pessoa quelite faltar um cavallo, que foi adia-
do no dia 28 do prximo passado, procure na ra
Nova loja de alfaiale n. 14. que, dando os signaes
cei los, I lie ser entregue, com Icstemunhas, o tam-
ben! se Ihedir quem oachou.
Aluga-so o segundo andar da casa da ra da
Senzella-.Novr. n. 42 : a tratar no arniazem da mes-
illa casa.
I'recisa-se do um hoiiiom para trabalbar como
feitor de um sitio e que entenda le plntameos : no
paleo do Carino,|n. 11, segundo andar.
Aluga-se, ou vende-se um pequeo silio na
Varzea.com casa de vivenda muito coinmoda o
com bastantes arvores do fructo : na ra estreita do
Ito/aiio, 11. 19.
CASA PE MODAS FRANCIi/AS.
A. MII.LOC1IA.
Esquina do Aterro-da-lioa-Visla, defronlu do
chafariz.
Ilecebeu-sc pelo tillimo navio um muito lindo sor-
timento de modas ; chapeos de senbora e mciiinas ,
tanto de selim seda, e de pallia lina de todas as
qualidades ; loucas da ultima moda para senbora;
ricos bonoles do velludo bordado, para montara;
camislnbas bordadas de todos os padres; manle-
letes-palits ultima moda do Paria ; ricas capellas
o ramos linos do llores de cores; luviis do pellica,
lisas e enfeitadas ; trancas de se la de todas as cores;
ditas de algodno para enfeites do vestido ; capellas o
rumos de flores de larangeiras .entre linas e de di-
versos modelo para noivados ; bicos de Monde ; cha-
peos de fulo para senbora ; ricas plumas do todas
as cdrrs, para ca beca e chapos; bicos de I111I10;
ricas Illas para cinteiro; litas de todas is qualidad.-s;
tiras o entro-meios bordados ; cambraia do lin.hu ;
meias do seda ; saiotos de elina etc. Fazem se cuii-
linuadamcnto chapeos, loucas o vestidos de senbo-
ra de gosto fiel a moda por proco commodo.
-- Joo Antonio Concalvcs da Fonlo, relira-se para
fura do imperio.
Ao respeilavtl publico.
pioprietario do arniazem de vnlio
da ra da Madre-de-Dos n. 3G, de-
clara que este e.slabeleciinento nao tem
onlro nrnazem filial, como alguem lia
que o inculca ; e para conltecimento do
publico, faz o prsenle annuncio.
Aliigi-se o sobrado de dous anda-
res, pcrtcncentc a M.moel da Silva Amo
rim, no principio da bdeira do Varadou-
ro, em Oliuda, para p&ssamrnlo da lesta,
ou por anno : a Iralar na venda do mes
1110, ou na ra da Cadeia do Bccife, loja
11. 5o
Arrcnda-se um engenho que de boa caima e ro-
(h nao sendo as comarcas le Nazaretb o llio-For-
moso : quom o tiver annuncie.
AGENCIA DE PASSAPOIITES.
Tiram-se cITeclivamente passapoiles para dentro
e lora do impeli, o dcspacham-so escravos : ludo
por 10ni modo prego : na ra das liinchcias, sobra-
do de um andar, n. 16.
Aluga-se o bem conhecido sitio na estrada do
Corduiro, de Nuno Maria deSeixas, s proprio para
algum negociante estraugeiro ou outra pessoa que
tculra tratamcnlo : na ra do Amorim, 11. 15.
--Alu;.-iin-si-ilinu sitios cun iiuii 10 boas acommoda-
;es un 11.1 c-iuipinha da Casa-Forte e outro na ra
da dita puvoafo i-om cocheirai e cavallarices assiin
como varias casas, de pre;os coininodos para se pas-
sar afeita : a tratar na ra do Ainoriui, a. 15.

#
t33 D. W. naynon, cirurgilo dentista <
"*"*dos-Unido, respeitosamento nolic;
MIJDANCA.
dos Esla-
__a aos seus
amigos e ao respeilvel publico, que ten mudado a
sua residencia dn casa n. 40, da ra da Cruz do Ito-
cife, para a de 11. 26 da ra da Cadeia do S.-Anto-
nio terceiro andar aondo ltimamente resida o
retratista americano Fredericks, e aonde daqm em
rilante o annuncianle lera muito gosto de receber os
.,11o preoisarem dossous servidos professioiiaes.
30,000 rs. de graliicasao
a quom louxer a cscrava t.ioula, ds nnme Calhari-
ua com urna lilha cabrlnha de 3 anuos cujos sig-
naes achau-se ueste Diario nos ns. 240 a 250 : a es-
crava fui seduzidapor o pai da cabritilla oqual he
pescador, ou pombeiro e mora em urna dcstas
praias, alo l'no-Amarello.
PCKOIfiO fi FEIlliO.
Na fabrica da llowman ft M.e Callum enge-
Dheiros machinialai e fundidores de ferro, na roa
do llriim, no lieeife, coi.linia baver um erando sor-
timento de laizal pura ei.genlios o moendas de can-
oa de todos os lamanhos c dos modelos os mais
modernos e oppr'ovados. Na mesma fabrica con 11-
nuam-se a construir de eucominciida machinas do
vapor, rodas d'agoa, rodas dentadas e todos os mais
objectosde macliinismo, com a perreiciloja couhe-
ciilu, por preco commodo.
llowman & U. Callum desejam chamar a alien-
cao dos Srs. proprietariosdeengenhos as machinas
to vapor construidas na sua fabrica visto screm el-
las de um modelo muito forte c seguro o todas is
per,as pcrfeilamenle adaptadas urnas as oiilras, por
mcio.de tornos automticos, machinas de apluinar
ferro,o oulros npparelhos modernos: alcm dislo, as
machinas ele suu consti tiCQfio leem as vantngens se-
guintes: possucm urna cisterna de ferro, onde a agoa
destinada para a caldeira se deposita por mcio de urna
bomba movida pela machina, e, ondoso acba aumen-
tada pelo vapor superfino antes de ser por meio da
segunda bomba de l inlroduzida na caldeira, alim
de nilo estriar a agoa lidia existente, pola indroduc-
eflo d'agoa fria, [como he de coslumc em machinas
inferiores] e assim produzir grande ccoitomia do
combuslivel.
Alm dn suprudita economa de combuslivel na
prodiicgTo de vapor, estas machinas possucm una
modificarlo nova das vlvulas por onde o vapor en-
tra e sabe do cylindro, pela qual a mesma quanlt-
dnilede vapor prodz maior elle i (o do que as ma-
cbnasdo coustruccfio anliga, augmentando assim
de urna nianeira, nilo pequea, a economa do com
bustivel necessario para nianter a machina un niu-
vimenlo.
As dilas'machinas possuem lambein um appatc-
llio pelo qual a qtianlidade d'ngoa inlroduzida na
caldeira se acba regulada automticamente com u
maior cerleza pela machina mesma evitando des-
la maneira o grande perigo que existo as machi-
nan onde por causa da niesquinlia economa dos
fabricantes o fornecimento d'agoa para a caldeira
ha de ser regulado por m'm de negro.
Estes esclarecimcntossao respetosamente offere-
cidosaosSrs. proprietarios do ngenhos, que anda
perseveram em o melhodo fraco, dispendioso c
uisatisfactorio do moer com aninaes, alim de sa-
tisfaze-los que, no emprego destas. machinas, nfio
exisleo menor motivo para receio, nein de explo-
so, nem de quebra ncni de demasiado consunio
de combuslivel ; o llowman & M. Callum nilo
teeni pequea satisfaQfo em assegurar-lbes quo pe-
la pericia dos seus administradores e olTiciaes. pela
nerfoieflo dos seus inslrumeiitoseapparellios e pe-
la abundancia e boa qualidado das suas materias
primas so acliam habilitados para consliuiiein ma-
chinas de vapor do todos os tamaitos e para lodos
os lins ; assim como toda especie do n.acliinisino ,
com una peifeicio nfio inferior s obras ds welho-
res fabricas de Inglaterra o nuil superior s geial-
inete importadas daquello paiz.
CASA DE MODAS FltANCEZAS NA UL'A NOVA, N.
52, 1.ANDAlt.
Madama Theard lem a honra de participar ao res-
petiivel publico e parliciilarmcnlea suas freguezas,
quo acaba de receber polo ultimo navio, viudo de
Franca, um lindo sorlimenlo do chapeos do se'lim
liso*o.luvrados de gnis do aples, do paltos lisa
caberla .ditas para meninas, enfeilados do melhor
gosto ; toncados da ultima moda de l'aris; chapos
inais ordinarios para meninas de ir na escola ; dures
linas c plumas para chapeos e para cabida ; bicos de.
seda ; mantas de grs de aples ; lilas de ludas as
qualidades. Na mesma casa coiitinuain-s a fazer
chapeos, toncas e vestidos de senbora da ultima
moda o por preco mais commodo do que em outra
qualqtKT parte.
Lotera do Ihcntro publico.
O Tacto de existir pcito de metade
dos liilbelcs du lotera por vender, deu
occasiao a que as rsped iva- rodas nao
podessein ter andamento no dia ai do
corrente, como se nnnunciou ; persuadi-
do, porm, o tbesouieiro que senielbanlc
venda nao deixar de ter impulso, marca
novamenlc o dfa 9 de dezembro prximo
lulnro para o icfcrid. andamento, e es-
pera que esta nova de^ign cao sei im-
prorogavel.
O Sr. Antonio Joaquim Pcrcira queira procurar
um caria viuda do Porto em mito do Manuel Jos
Comes firaga na ra da Senzalla-Velha, 11. 9i.
I'crgun'a-se ao Sr. Antonio Go-
mes Villar, se ainda lie credor doSr. J.
Hranger, e.de que qiunlia, visto correr
por abi de bocea em bocea que sua merco
j fez cessSo do que Ibc esl devendo o di-
to Sr. Branger: a sua rcsposla' servir
de governo ao prejudicado.
Compras.
Compra-so urna carleira usada, que nilo seja
muito pequea : na'rua larga do llozario 11. 26.
Compram-so 400 palhasdo coquoro para ba-
nliciio : noAterro-da-lIoa-Vista, n. 29.
Compram-se escravos que sejam odelas de car-
pina, de 18 a 25 anuos a de boas liguras; pagam-se
bem sendo do bous costumes e peritos no seu olli-
eio, poissflo para urna encommeiida do l(io-de-Ja-
neiro : na ra do Amorim, n. 35, a fallar com > i-
Tasso Jnior. .
Compram-se 400 palhas de coqueiro, para ba-
nheiro: no Aleiro-da-Uoa-Visla, n. 29,dodia 0em di-
anlo. '
Compra-so urna escrava que saiba coser bem e
engomrar paga-se bem nilo sendo Viciosa : na
ra de Agoas-Verdes, n. 46. ,
Vendas.
FOIINIIAS DKPORTAR AI.GIHFJIIA COM ALU/iNAK:
vendem-se na livraria da esquina do
preco do costume.
Collegio peto
FOIJII\ll\S PARA 1S4).
FOl.lllMlV HF. PORTA, a IfiOrs.
Hila de AI.CIRKIRA, eantondo, stm da Uaienda-
rio, um.. eolleeeo de segredos e remedios para uso
domestico, a 1901*.
Dita a que se reuni 0 ALMANAK wluunisirahf,
mtrealU* industrial da piovinria : osle alnianak os-
la accreseentiido com lodos os estabelecimenlos do
liorta uberta, a :i20rs.
Vendem-se na praca da Independencia, livraria
ns. 6 c8 ; no At.rro-da-R-'.a-Visla, botica do Scnhor
Moreira ; c em Olnda, botica do Scnhor Rapozo, ra
do Amparo. -._.._
-Vende-so urna cscrava de 16 anuos, propna para
mucama [ or ser recolhida e de minio bonita ligu-
ra, a qual engomma, roso, la/, lavannto e marca : na
ra Nova, n. 21, segundo andar.
Vende-se urna bunila negrota pe-
ra, de narao, que engomma e cozinha ;
ulna dila criotila, que pZC c cozinba j
Utua moleci de idade de 1 '1 anuos, boa
para se ensio.'.r a eiigouiniar, por ser
muito lorie; lies jefeques de bonitas
liguras, df idade de |3, iT) e 17 annos ;
um bonilo negro de nanlo, muito moro
c bom para Irab.lliar em al:;nni armazem
le assucor, por j catar atosltunado a
esleseivico^ Um dito de meia idade,
bom para algum filio, por entender de
planiiii-or-s ; um dito que no tem- mai
de 2:" annos, bom ginlia'.lor, por .'ilosooo
rs.; 11 m nuiUlo bom. cozinl.iiio enSomo
marinlieiro ; todos esles escravos veu-
dem-sf baralissimos, por de cbar as tontas dcsle auno : na ra ta
Larangciras, h. i.'i, segundo'andar.
-- Veiidem-sooilo lindos moleques. de bonitas li-
guras, do 10 a 20 anuos, setn vicios ; :> pivlos de 20
a jannns; 1 dito bom cozinheiroe carpina ; 1 11111-
latinlio do 15 annos, bom para pagem ou para olli-
ciu; urna miilaliiiha recolhida, do 16 anuos; nina
preta de lucilo, de 16 anuos, de bonita flgura, quo
engomma, coze. faz lavarinlo e marca ; 2 ditas, quo
engoininam | erfeitamontc, cozem ecozuham; nina
dila de meia idade, que he perl'eilaineiite lavadeira 0
dn-sc muito em conla : na ra do Vigaiio, 11. 2, se
dir quem vende.
Vende-se urna carleira de amarello com pouco
uso, tuna cama do dito com colchos, caderas, so-
las o mesas do Jacaranda, cadeiras sofas e mesas do
oleoe oulros nniitos trastes : ludo por preco com-
modo : na mu da Cadeia de Santo-Antonio, 11. 18.
-- Vende-se una mulalinha, do II anuos, muito
linda, que o/e solTiivel j um moleque, de 13 an-
uos, bem robusto ; una parda, de25 annos, que en-
gomma, cozinha ecoz; una negra de 22 anuos,
que coze; una dita, de. 18 anuos, por 300,000 rs. ,
por ter um deleito no 0II10 ; 1 negro proprio para
trabalbar de enxada: n ra Nova, n. 21, segundo
andar.
AGOA l>K TINCIR O CABELLO.
Contina-so a vender a agoa de Ungir cabello e
suissas : na ra do Queimado n. 31. O melhodo do
suplicar a dila agoa acompanha os vi Iros.
Chocolate amargo (fe musgo
islndico, om thesouro do
peilo, preparado por Mr. J. G. C.
As Hflcccfios do pedo otTerccem todas um sympto-
ma geral e constante. A losse, esta doenca tito com-
mum quando descuidada, lit graves s3o suas con-
sequcnciasqianlo parece ligciraem seu principio,
tilo matadora por si s como todas as oulras doen-
easque consumero especie humana nSotinha pa-
a combate-la e destrui-la um medicamento especial
e nico. Todas as pastilhasexaropes que leem ap-
parecido at boje, leem sido impotentes.
Nilo tem acontecido islo com o chocolate de mus-
cu preparado rorJ. C. C. O principio que forma a
sua base principal ollerece propiedades incontests-
veis o reconhecidas depois do muito lempo, e nin-
guem ignora os l'elizes rdsultados da sua applicac3o
em todas as pbleogmasias agudas, ou chronicas ,
dopulmilo nlfeccoes do pelo plhysics, delluxos.
toces, etc. para dar totn o estomago, abrir o voli-
tado de comer conservar as gengivas e o bom ail-
lo mataras lombrigas, priiicipalinenle as enan-
cas.
Toma-so puro mascando-o, o pde-so lomar lam-
bein combinado em agoa como outro qualquer cho-
colate e com kilo, toinando-se una das dosos marca-
das em urna chavana dos ditos lquidos ou mais Ue
urna conformo a gravidado da doenca. Vende-se
nicamente na ra UO Queimado, n. 17.
liieos baratos.
Defronte da matriz da Roa-Vista ,11 84 vende-se
bico a 120 rs. a vara e a peca a 1,000 rs
Vendem-sa tesourascom toque do ferrugem a
80 120 e 210 rs. ; toicidas para candeiros francezos,
a 100 rs. a duzia ; agull.as francezas ein ca.xmhas,
a 320 rs. : 110 Aterro-da-l!oa-Vist, n. 8*.
EXTRACTO HE SALSA PAftlUUIA CONCEN-
TRADO DO Dll. MEAD.
Ha qualro anuos desde que esta superior prepara-
e.lo de salsa parrilba foi contienda no Brasil, princi-
palmente ao stonde he cohecida como um dos me-
lhores Tomcdios para todas as molestias prodiizidass
pela impureza do sangue, como sejam cscrolulas ou
alnorcas, molestias syplulicas o nicrcunacs, rlieu-
matsmo, chapas ulcerosas, tumores brancos, do-
encas do ligado e da cutis, debilidade geral, ele ; o
be tainbem recommendado para as molestias interio-
res, em quososuppoeiii os peilos e bofes atacados,
o bni assim n'aquellas 0111 que a conslituictTo esli-
ver arruinada pelo uso exagerado do prcparacOe*
mercuriaes. As curas que leem cffecluado tiestas
molestias s:1o tilo numerosas o completas, que all
toem ganhoo titulo de verdadeirorestaurador da sau-
de. A grande procura deslo cxcellento medicamen-
to para as provincias do norte, induzio os agentes
geraes no Rio-de-Janeiro os Srs. R. C. Vates C.
estabelecerein um deposito nesta cidade, ra do
Trapicrie, n. 34, escriptorio de Novas & C. Custa
2#000cada frasco envollo no seu competente recei-
luario.

LADO


i
Vende-sc farinha c milhoem saccas, por pre-
go commodo : ni rua larga do Rozarlo, n. 27.
Al^odao trancado da (abrir
lc Todos-os Sanios da
flabia ,
milito proprio para saceos deassucar o roupa de es-
cravos: vendo-se cm casa de N. O. Bieber & Com-
panhia na ra da Cruz, n. 4.
Vende-sc ca.' virgem de Lisboa,
chegada no ultima navio, em Larris pe-
queos, por menos do que em outra qual-
quer parte: na ra do Trapiche, arma-
zem n. j.
Vende-te cal virgem de Lisboa, em barril de 4
arrobas chegada pelo ultimo navio, por preco coinmo-
do : 3 tratar com Almelda & Fonseca.naruado Apollo
Na toja n. 5 A, da ruado Cres-
po, de Ricardo Jos de
Freitas,
vendem-se cortes.de chita com 10 cora-
dos, a i,oors. mantas de la;.alana, pa-
ra senhora, a 1,000 rs. ; petas de brcla-
nlia de rolo, com 10 varas, a 2,000 rs ;
contras muitas fazendos por precos corn-
niodo.
Liontina-se a vender, na na da
Cruz, n. (>o,caixas com cera de Lisboa,
sortimenlo vontaede comprador.
h
Fardo,
em barricas a 4,000 rs.; saccas grandes, a 3,500
rs, ditas pequeas a 2,800 rs : noarmazem de J.
>. lasso Jnior, na ruado Amorim, n. 3.
PRELO
em saccas muito grandes,
a 3soo rs. a sacca:
no armazn) do Bragucz ao p do arco da Concoicilo.
INa loja da ra do Crespo, uo pe
da arco de Sanio \ntonio, n. 5 A, de
Ricardo Jos de Freitas Ribeiro, ven-
dem-se chapeos de sol de seda, astea de
ferro, os mais su|ier:ores e modernos
qne teem apparecido nesta praca, pelo
diminuto preco de 5,000 rs; ditos de astea
dcbalcia a 3,5oo e 4,000 rs., tambem de
seda, preco por que estilo hoje os de
panninho.
Vendo-se, por nao se poder conduzir para o mal-
lo um pianito de escolenles vozes e em muilo
bom uso, por nielado de seu valor : na ra do Quci-
niadn n. 17, segundo andar.
AVISO AS SENIIOIUS DOCFJRAS.
He ehegado no Attcrro-da-l!oa-Visla, loja n 48
teios com 6 hcelas para doce, a 1,20Oo temo.
Vende-sc algodiio da tena de superior qualida-
de : na ra do Queimado, n. 20.
Vendem-se aeces da ex-
mela companhia de Pemambuco
e Farahiba: no escriptoi io de O-
liveira Irmos & C, ra da Cruz,
n. 9.
Na loja da ra do Ctespo ao p do
arco de S-Antonio, n. 5 A, ventle-sc
cesimira encarnada propria para golas e
canlioes de farda a 1,400 lis o co-
vado.
-- Na ra da Moda, n. 7, conlina-se a vender su-
perior colla fabricada no Hio-Crando-do-Sul.
~- Vendem-se presuntos para (iambre; nueijos
londrinos ; ditos de pralo; latas com bolachinha
lina de Lisboa ; ditas de, ararula ; conservas novas i
nioslarda ; pules com sal fino ; latas com marnela-'
da nova ; ditas Com bcrvillias ; caixiuhas com mas-
sas linas ; vinlio moscatel do Setubal ; dito Slierry :
licores linos ; e oulros mais gneros, pnr preco com-
inodo : na ra da Cruz, no llecife, n. 48.
po-Santo n. r>6 urna grande porclto desto genui-
no vinho que so est vendendo pelo diminuto pre-
co do 1,1)10 rs a caada o a 160 rs. a garrafa ; tam-
ben) ha em pipas que so vender mais em conta : he
esto o melhor de todos os vinhos que se teem an-
nunciado pela sua simpliridnde e uplinto paladar :
quem urna vez o beber jamis dcixar de o com-
prar.
Vcnde-sc goniiita de mandioca, cm
saccas: na ruada Cadeia do ccile, n. 9.
Vendem-se esteiras de pallta de car-
nauba ; chapeos de dita, por preco com-
modo, em porcao e a rctalho : na ra da
Cadeia do Recife, n.$
Vendem-se barril pequenoi com cal virgem de Lis-
boa, a mal nova que lia no mercado, por preco com-
modo : na ra da Moda arma/.cm n. 17.
CIIA'BRASILF.IRO.
Vende-se, no armazcm de 'molhados, atrs do
Corpo-Santo n. GC, o mais excellente cha produzi-
do emS.-Paulo, que tem viudo a este mercado,
por preco muito conimodo.
-- No armazem junio ao arco da Concerno que
Toi do finado Braguez vendem-se barricas de supe-
rior farelo de Lisboa a 4,000 rs. cada urna ; arroz
do Maianhio, muito barato.
Vnho bom e baralo.
Na esquina da ra do Vigario, n. 33, vende-se su-
perior vinho do Lisboa e da Figucra a 150 rs. a
garrafa, e em caada a 1,100 rs.
Vende-se muito superior lagedo de Lisboa, e
cal virgem em harris de 4 arrobas, por mdico preco:
na ra do Vigario, n. 19.
-- Na padaria da ra da Guia, no Recite haver
lodos os diasa venda o novo pilo de Provenga fa-
bricado por outro modo que o actual e da melhor
familia que ha no mercado : por este motivo nao se
poJe fazer se nto a 40, 80 e 160 rs.
Vendem-se saceos com farelo,
chegatlos ltimamente, pelo diminuto
preco de 3,4oo rs.: na ra d Velha, n. i38.
Vendem-se os fileiros e balcao que
bram da armacao velha da loja do Duarte,
proprios para qualquer estabelecimenlo,
por preco muito commodo : a tratar na
inesma.
Vende-se a verdadeira potassa da
Anda esla para so vendor o sobrado do dons
andares e sotflo na travess da Madro-de-Dcos, n. 7,
om chitos livros, o qual so vende por commodo pre-
co o nilo ha duvida em recebar alguma leltra em
pagamento -. trala-se na rus da Crin, n. 50.
Charutos de Francisco de Groz
da fabrica da Babia.
No deposito da ra da Cruz, n. 26, lia charutos
de todas as qualidados-
Gbcguem freguezes ao bariteiro da rna
larga do Rozario n. a6, cm loja de
miudezas,
que vende ricos bahus para costura ; agulhas fran-
oezas, proprias para senhora bordar; luvasde pel-
lica pura senhora, muito ricas;ditas para hornera,
assim como proprias para montara; oculos de to-
dos os graos de armaeflo ; babados para toalhas ;
ricas abotuaduras para casaca ; bengalas do junco e
baleia esenvas par foto e para cabello muito fi-
nas ; ricas lesouras para costura; caivetes para pen-
nas, muito superiores: ludo por preco muito
baralo
Vende-se urna porgSo de cera de carnauba de
superior qualidade, chegada do Aracalv no Inste
Duvidoio : a tratar com Antonio Joaqun)" de Souza
Kibeiro.
Mantas de seda.
Na ra do Cbug, loja do Duarte, ven-
dem-se mantas de seda a 1,000 rs. A el-
las, antes que se acabem, pois estamos
com a festa na porta.
Loleria do IUo-de-.lanciro.
Vendem-se meios bilhetes da terceira lotera Ipa-
ra indcmnisagio do thesouio publico : na ra da
Cadsia-Velha, loja de cambio, n. 38.
Farinha de mandioca,
Noarmazem da ra do Collegio, vende-se farinha
de Mag, muilo fina em saccas grandes : e tambem
maisgrossa de Caravollas Cear e da trra por
menor preco do quo em onlra qualquer parte.
Vende-se para pagamento dos credores a
venda da esquina lefronto da igreja dos Marlyros ,
com os fundos de 300 00(1 a 400,000 rs. : quem a pre-
tender dirija-se a ra da Madrc-de-Deos a tratar
com VicenteKeriei da Costa o qual promelle fo-
yer negocio e vender barato para realisar.
Saccas com milito ,
a 5,200 rs.:
vendem-ss no armazem do Bacelar, no cae da \<
fandega.
No armazem de Dis Ferreira, no
caes da A Ifandega, vende-se, por preco
muito commodo, potassa muito superior,
em pequeos barris de oo libras cada
um, desembarcados ltimamente.
MmoVlSHOnAFICUElRA.
Bsiito no armazem de molhados, irs do Cor-
Russia, desembarcada hontem, por pre-
co muilo rasoavel, vista de sua muito
superior qualidade : na ruado Trapiche,
n. 17, e 111a da Cadeia, n. 34.
Agencia da imdicao
Low-Ioor, ra da Menzalla-
noya, n. 42.
Neste cstabelccimento contina a ha-
ver um completo sortimenlo de moendas
e mcias moendas, para engenho; ma-
chinas de vapor,e taclias de ferro balido e
coado, de todos os tamaitos, para dilo.
Polassa.
Dosembarcott lia poneos dias urna por-
cao de barris pequeos, com muilo nova
e .superior potassa, c se acliam venda,
por preco mais batato do que ltima-
mente se venda, na ruadaCadcia-?elha,
armazem de Bailara Uliveira, n. 12.
-- Na ra do Crespo loja de 4 portas n. 12, ven-
dem-se chapeos de castor pretos, do muilo boa qua-
lidade a 4,400 rs.
- Vendem-se saccas com Ires quaitas c meia de
lamilla muilo nlvae engommada, a 3,000 rs. : no
caes da Alfandega armazem n. 1.
Vinho barato.
Acha-seestabelecdona ra da Madre-de-Deos
n. 36 11111 armazem de
Vinhos da Figtieira,
de ptima qualidade, a preco de 1,120 rs. a caada
e a 160 rs-agarrara; e para no haver dolo do com-
prador scrSo lacradas as gairafas e com rotulo, re-
cebendo-se a garraa vasia, e dando-se immediata-
mente a outra cheia : tamhom ha barris muito pe-
queos proprios para quem passa a festa. O pro-
pietario deste estahelecimento pedo encarecida
mente que se nao illudam avahando, pelo diminuto
preco esem conliecimenlo de causa a qualidade de
sua Tazenda digna por certo da estima dos verda-
deros amantes da boa pinga. Elloconla que quem
urna vez provar, continuara com goslo e sera arre-
pendimenlo. E o bom preco !.' A todo o exposto
accreseeoasscio e boro acondicioamonto, o que
ludo se peder verificar em dito eslabelccimento.
. -- Vendem-se espadas prauadas de rico padrocs
proprias para olTciacs de cavollaria e infjiilaria : n
ra Nova, loja de forragens, n. 16.
Vende-se um ptimo cabriole! descoherto em
muito bom estado com os compctcnti-s ancios por
.reg commodo: no Alerro-da-lloa-Vista em casa
do Sr. Miguel Segeirb.
Vende-sc alcatriJo da Sueca ; farinha de trigo
SSS e de oulros autores em mcias barricas ; vi-
nho do Porto em pipas e barris do todos os lma-
nnos ; fechadura* grande de broca para portas de
armazem; coeiros de algodiio ; poneiras de rame-
cal em barris pequeos ; arcos para barricas : ludo
por preco commodo : na ra do Vigario n. II nri-
111 m 111 andar. '
~ Vendem-se 300 couros de cabra ; 2 arrobas do
pennas de ema por muito barato preco: na ra
larga do Rozario, loja de miudezas, n. 26.
Vendo-so urna armacfo com balcilo, ptima
paiu qualquer estabelecimenlo ou para 11111 pi inci-
pianlo que qnerahoUr venda: a tratar na mesma ,
3 era serve uo fabrica de charutos, na ra do Co-
orniz no Forte-do-Maltos, n. 9, at o da 7 do
correule, que se d por prego commodo.
Peonas baratas.
Na loja da ru do Cabug, do Duarte,
vendem-se pennas de palo, a 4, 5 e G.ooo
rs. millieiro, ptimas para repartidles
publicas e cscriptorios ; as amostras se
acham ptenles aos Srs. compradores.
Tapetes em oleado.
Na ra do Cabug, loja do Duarte, ha
um soi 1 miento de tpeles de oleado, pro-
prios para mesas de juntar, de meio de
sala e consolos, do melhor gosto que tem
apparecido no mercado: recommenda-
se-us aos Srs. estrangeiros, para orna-
mento de suas salas
. Vende-se panno fino azul,
proprio para fardas dos Senbores
volunlanos, e juntamente casimi-
ra encarnada: no Aterro-da-Ba-
Visla, loja n. 24.
Vendem-se barris com quatro ar-
robas de superior cal virgem de Lisboa,
por pieco muito commodo: na ra da
Cadeia do llecife, loja n. 5o, de Cunha
& Amorim.
Vende-se panno de algodo da tr-
ra, a aoo'e sao rs. a vara: na ra do
Queimado, loja n. 39.
Diversas obras em marim
Vende-se, na ruado Cabug, loja do
Duarle, alineles proprios para senhoras;
e carteiras, almoadas, bolons e outras
muitas galantarias de bom gosto, o me-
lhor que tem apparecido neste genero,
chegadas pelo ultimo navio de Franca.
Vende-se urna venda muilo boa para quem
quizer principiar, o com os fundos a coiitendo do
comprador ou somenlc a armaco sita na ra do
Cal.leireiro n. 94: a tratar na mesma venda ou no
pateo do Terco, n. 139.
-- Vende-se um bonito cavallo, com muito bons
andares : na iraca dalloa-V.stu n. 12.
--Vendem-se pecas de madapoiao com 20 jardas ,
a 2.800 rs., ca retalbo a 7 e8 vintons : na ra do
l'asseio, n. 17.
Vende-se urna porco de costadiiiho de ama-
relio jassoalho de amarello ; dilo de louro :-tudo j
serrado por prego commodo : na.ra da Cadeia do
Renife, loja.de Joaquim Riheiro l'ontes. Na mesma
-- Vendem-se 3 moleques de 12 a 11 annoi .
gnnl.as de (3 a 15 annos; dous pardo, mu 'm^
0 escravasmogas. enm habilidades ; umoralo a!
unos : na ra Direita, n. 3. P l Jo*
"Acaba de chegarum cmplelo sorlimento n.,
os Srs armadores, bem como trina volante/.,'
gos e estrenos, galto de todas as qua idaies (i,'"
o ordinarios; c oulros mullos objeitos que so
a venda na ra larga do Rozario, n. 24 cseap,l'n
- Vende-so, por prego barato 6 pranches do i
cup.r. com 26 a 30 palmos de comprmelo 1'
lo grossos: na ra da Cruz, uo Recife, u. 46.
Rap novo Lisboa.
A elle antes que se acabe.
Quem mo tomar urna pitada desleran pari.m
le nflo aber apreciaros deleitesi d7v S""
poranca. Acaba dechegardo Rio-de-j.neiro, Z"
deceno deposito do mesmo, na ra dos Qu.rtei"'
Vende-se, por prego commodo, um cav.11
ilazam, novo carregador. passero o sordo"
larga do Rozario, n. 48, segundo andar. '
-Vende-se urna mobilia de Jacaranda, e cadeir..
de oleo em muilo bom estado : na ra dasCruze'
-- Vende-se urna casa terrea sita ao lado da m.ir,
de S. -Jos, n. 5, com mntos bous comnidos M
bom quintal: ao comprador se dir o motivo p"or n
se vende : na ra das Cinco-Pontas, n. 69. q e
JVa rua de Agoas-Verdes
n. 40,
vende-se, por preciso um bonito escravo ..)
oficial de podreiro de 26 annos ; 3 famozos esi"s'
vos de 18 a 20 annos ; um pardo de excellente con"
duela, por 300.000rs. ; dous bonitos moleques i
escravospara todo o servigo. 3
Vende-se um preto bom carreiro e deen*i,i.
para engenho: vende-se por precisilo de o oni.n!
ret.rar-se para fra por prego commodo : 0a ru
dasUrangeiras.fl. 10.. :.
Vende-se um apparelbo para ofi-
cial da guarda nacional, contondo os seguintes nh
jectos : urna espada pralcada muito nova, um u?
lim urna canana, urna banda com bacalhosde ou
ro em muito bom estado urna barrolina de mul-
to boa seda, apparelhada e muito moderna um.
dita em o mesmo estado : tudo por prego commo-
do : na ruadas Cinco-Poiitas, n.25.
-- Vende-se a armagSo da loja'do miudezas d
^eI^"d,'""0?"V.'Sta' 58' Pel baral0 P"9d
50,000 rs.: a tratar no mosmo Aterro, n. 8t.
Escravos Fgidos
-- Fugio, de bordo do brigue Sertorio, na manliita
dodia Sdejuiho prximo passado, uni escravo ma-
rinheiro, denome Francisco donagilo Jang; re-
resenta ter 30 a 35 annos ; lem um signa! na face es-
querda, falla muilodecangada ; levou caigas eca-
mlsa de algodSo azul, chapeo de palha pintado da
branco o balde de trazer ragOes e 7,000 rs. em ce-
dulas ; falla hespanhol: quem o pegar leve-no a
rua da Bloda n. 7, que sera bem recompensado.
Fugio.no dia 18 de outubro do engenho S.-
Joilo, no Cabo, Marcolino, pardo trigueiro, de 19 an-
uos, estatura regular, cara redonda, olhos popuenos,
denles limados ; levou duas caigas, una de briin
pardo e outra do rscado azul; ao r.ferido engenho ou a casa de Lulz Cornos Fer-
reira no Mondego, que ser generosamente recom-
pensado.
Desappareceu no dia |30 denovembro, urna
preta de nagto Angola de 35 annos pnuco mais ou
menos de estatura regular secca do corpo an-
dar vagaroso o oomo quem v-'pouco ; tem um ps i fichados ; suppOe-so nilo andar fra da cidade.
Fsla escrava seivia ltimamente a Antonio da Cos-
ta Ferreira no poder do qual vendeu agoa e outras
cousas do vendagem; levou vestido azul com vivos
brancos no collete do mesmo ; panno da Costa e
missanga no 1 eseogo. Quem a pegar leve-a a rua da
Cadeia do Recife, loja de ferragens.le Antonio Joa-
q 11 im Vidal, n. 56, ou no l-'oi'le-.lo Mallos na rua do
Amorim, n. 36, que ser recompensado.
--Fugio, no dia'0denovembro a escrava Feli-
cia de nag.no Rengela de 40 annos pouco ma(S
ou menos; levou vestido de chita, saia de lila, pan-v
po prelo costuma andar colgada intitula-se a a-
gumas pessoas que a nilo conhecem de forra ; ha to-
da probabilidade que esteja recolhida em casa com o
titulo de procurar senhor ; na occasi3o da fuga fal-
taram alguna ohjectos como colhercs de sopa o de
cha de prala 2 trancclinscom medalhas, proprias
do meninas leudo o peso de 14 otavas pouco mais
ou menos ; bem como alguma roupa branca alin
da roupa da inesma preta que com antecedencia ti-
uha tirado de casa. Roga-se a qualquerpossua a quem
frein offerecidos os ditos objeclos, os apprehenda e
avise a Manoel Carneiro Leal, na rua Nova, n. 41,
oi nZn H T a"u i-oiuea. a mesma avise a Manoel Carneiro Lea na rua Nova, n. 41,
m.i ri?. T,tB.y?ri -0115. p,rM.a" "gonas segundoandar; bem como que captura a mesma pre-
!!!".'!"f.Pa"8.1a^!.,,Ac,onal'sendo ""> Je ca- la, contando com a graliliMCflo.
i tit i 1 lio e outra de canutao.
UUA DO CRESPO, N.5.
Oovos i iscados indianos a
280 rs. o covado.
Na ioja de Culmarles & Companhia vendem-se
osnovos riscados indianos, do qualro palmos do
argura cores fixas o padrOCs ffliuto modernos pelo
baralo prego de 280 rs. o covado.
Vende-so urna mobilia moderna toda de jaca-
randa com pouco uso, consistrndo em snph, ca-
( enas. mesa redonda tremes com esnelhos. ituar-
Fugio, no dia 20 do prximo passado um p;e-
lo de nome Diouizio que diz ser crioulo, porm
no he, de estatura regular, bem delgado, bastan-
te prelo, picado das bexigas, pouca barba e levou-
as um tanto cresc.idas ; tem no brago esquerdo mui-
tas cicatrizes de feridas; he padeiro pois para iJ-
so lem as juntas das costas das mos todas cheias de
calos do amassar ; lem sido visto em algumas par-
tes desla cidado. Ruga-seas autoridades policiaes,
capites do campo e pessoas particulares quo o
apprehendam e levoin-uo a rua da S.-Cruz na Uoa-
Vista, i) 24, que sorao recompensados.
-- Roga-se a todas as autoridades policiaes a ca-
pitles de campo, que apprehendam um molequo ,
de nome Francisco, de 11 a 12 anuos ; tem urna inar-
da-vislidos, loucador grande, mesa de ianta'r' etas- de ?0me Franci" de 1' i2 *n"* i 6'" un"
tica, aparador, lavatorio, ulro biMtos Ttt a.de fg? nopeil4 I***0: f o do corpo cOr
iiMaci...........!.. ..-.i0" r fula; pertence a Antonio Jos Barreiros, cujo mo-
lequo fugio ha tmnqos: quoni o levar a ruada Ca-
lencentes a sala: estes trastes vondem-Ye^7que"a 3'ifaSc
jamiha lem de retirar-se : tudo em bom citado or ^ ?, T 7"."'r- i-- ". -.
ta do Recife, loja do Joaquim Kibeiro Puntes, sera
prego commodo : naSoleJade n 40 mi annin.r_1 -.--.---------1
ce. a-""- rcompensado generosaineuto.
- Vendem-se superiores oueiins .1,. un.< eh-L r'"?'0' Jia(ide novembrq, o preto Manoel,
gados proxim.n.o.tre coTtinua-se a ve,u er m fU'* rta'-*0' Br0SS0 'lo Cor,, : lom u,n taH, M"
ii.....t.-! ... .. .o inferior, e falta do dous denles na frente ; lem
os pesapalhotadose urna ferida na perna ; levou ca-
misa eceroulas do estopa e caigas de casimira ja ve-
II.a.. r..n. _... i., i. .__.. ..__. t. ..._ ........4.. um
--------------------- wiiuiiiu-gg i muer a -i
Iluta de escrever, na rua do Vigario,'venda n IV
A 1,800 rs. a pc?a de 20
jardas.
Na loja de Cujmaraes & Companhia rua do Cres-
po ii. 5, vendem-se pegas de algod.ozuiho de lua
qualidade, com um pequeo toque de avaria,
pelo barato prego de 1,800 rs. a pega de 20 jardas.
Ibas ; falla a moda do mallo por j ler estado em
engenho; lem sido visto em diversos lugares dos
arredores desta cidade: quem o pegar leve-o a iu>
do Trapiche, n. 30, quo sera gratificado. t
I'eb.v.: na typ. de m. r. de faria.\W
MUTIL


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E6MS5P05K_KUZZW3 INGEST_TIME 2013-04-13T01:59:44Z PACKAGE AA00011611_06191
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES