Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06189


This item is only available as the following downloads:


Full Text
I- -
jfnil^ XXIV
Sabbado 3
n nliMO publlca-ae loilot o diat que uto
, La de KuarJa: o preeo da aailgnatura he
Lf WO r por quvul, pay.i JiaaladM. 0
'flm-oi do aialenaiitea aao iuaerldoa i
l"loV 20 Por l'nh, em l*P dir'
I ,.nit. e a rcpetlfoe pela meudr. () nao
SSoaaie; PaBarao 80 r.. por llaha e 1(10 r.
in i) l' dlirereote, por cada publlcacio.
PHASES DA LA NO MEZ UE DEZEMBRO.
.mcmu, a 3, 5 hora #47 mi, da Urde.
,'chii: '" Ahora* e2& mo.damanb.
iitLe"". a 17, ai 8 borai e53 ma. da maob.
Vo, >& 3 ,nlB ** Urde-
PARTIDA DOS CORF 106.
Golaana Pranla*, ii aega. aextat-feira.
Rio-G.-da-Norte, quinlaa-felraa ao mrin-dia.
Cabo, Serlnbiem, Rlo-Formoao, l'orlo-Calvo
e Maoel, no 1.*, a II e 21 de cada me.
Caranhuna e llonlo. a 8 e 53.
Boa-Viia e Plores, a 13 t8.
Victoria, i qulntaa-felraa.
Ollnda, todo* as diaa.
PUEAMAR DE HOJE.
Primcira, s 10 hnraa e i> minutos da manh.
Segunda, ai 10 boraa e 30 minuto da Urde.
de l>rzrmhro de 1840.
Tf. 971.
DAS DA SEMA1A.
27 Segunda. 1 Margarida di- Habata. Aud.
doJ.4otorph.doJ.dv.edo J M.daJ. v.
28 Terca. S. rrgnrio. Aud. ilo J. do e. da
1. v, e do J. de paz do 2. dial de t.
21 linaria. S. Saturnino. Aud. do J. do c. da
2. v. c do J. el i- pac do 2 din. de t.
30 Quli.lv B. Adr.
1 Seita. S. Eloy. Aud. doJ. doclv. r do J.
di pai d> 1 diit de l.
2 Sabbado. S. Ilibiana. Feriado em lodat
a* reparllcca.
3 Domingo. S. Francisco Xavier.
CAMBIOS NO DI V I l>M>r/K\lltRO
sobre Usaras a 15d.parifooors.*
Paila
Uaboa 120 pn rento de pt.all".
a Rn.-dr-iniieiro ao tar.
Deac dr lell. de li" i< tirona a I X o mea
t acocada romp.de Haberlo*. *'<"f ";*'']
flio.-Onca lieapaiihulaa 30,800 a SI/OOl
MoVdaa d. 0/100 y. r/000 a I//200
de 0/100 n. lli/200 a I/400
de 4/im... /200 a M30>
PralaPatacocs l.raailelroa 1/940 a 1/W
> Peaua columnarioa. 1/140 a '/"*'
Dltoameaicanoa..... 1/900 a 1/9*'
DIARIO DE

PABTE 0FFIC1AL.
LEI N. 51* M? 28 DE OtTTUDUO DE 181&.
lixanio a despena e oreando a receita pata o ixtrei-
ciodeiH\9a 1850, e /cando em vigor desde a sua
publicacio.
norn Pedro Segundo, por graga do Dos e unnime
scclaroacflo dos potos, imperador constitucional e
defensor perpetuo do Brasil, fa/emos saber a lodos
os nossos subdito que a assembla geral legislativa
Jecretou o us queremos a lei seguinlc :
CAPITULO I.
UF.SPEZA OERAI..
I Artigo i.* A despoza geral do imperio para o exer-
ricio de 1849-1850 lie litada na quantia ........
116 26,802:177,039. a qual ser distribuida pelos seis
diversos ministerios na rrma especificada nos arti-
gos seguintes:
Art. 2." 0 ministro e secretario de estado dos ne-
gocios do imperio he autorisado para despender com
os obieclos designados nos seguintes paragrapbos
8 nuanlia de ------ -......3,023:951,000
1. DolacSo de S. II. o Imperador 800:000,000
2. Hita de S. M. a Imperatriz 96:000,000
3. Alimentos de S. A. o principo
imperial
i. Ditos da princesa a senhora I)
Isabel
5. Ditos da princeza a senhora D.
Leopoldina
ti. Dotago da princeza a senhora
D. Januariaealugual de casas
7. Alimentqsua princeza a senho-
ra I). Mara Amelia
8. Dotaco de S. M. a Imperatriz
do Brasil, viuva, a dtiqueza de Bra-
ganqa
9. Alimentos do principe o Snr.
D. Luiz
10. Ditos da princeza a senhora D.
liara Isabel
11. Ditos do principe o Snr. D.
Filippe
12. Ordenados dos mestres da fa-
milia imperial
13. Secretaria do estado, sendo
feilas as dspezas do expediente pela
caixa dos emolumentos que nella SO
arre.cadam
IV. Gubinotc imperial
13. Concrlho de estado
16. Presidentes das provincias
17. Cmara dos sonadores e se-
cretaria
18. Dita dos denotados, idem
19. Cursos jurdicos, incluida a
quantia de 18:000,000 para a conclu-
so do novo edificio delnda
20. Escolas d> medicina
21. Academia das bollas-artes
22. Museo
23. Junta docommercio
2*. Archivo publico
25. Empregados de visitas de sail-
,>de nos poilos martimos
2fi. Instituto vaccinieo
27. Crrelo gcral o paquetes de
vapor
28. Canses, ponles e estradas ge-
raes, sendo 72:000,000 para a obra da
seguranca da tnonlaiiha da cidadeda
Babia; 30,000,000 para a estrada ja
principiada entre a capital da provin-
cia do Rio-Granle-do-Jioilo e oulra
rahbaj 50:000,000 para urna da Pa-
entre a cidade da Fortaleza e a de
or ras. locando na do Ico; 10.000,000
I ara oulra desde a capital da provin-
cia do Espirito-Santo al a povoa-
cilo do Cuyathc, em Jlinas-Ceraes;
20:000,000 Pra a de Lages quo eom-
muniea a provincia de Sunla-Caiha-
riua cotn a do Itio-Crande-dorSul;
10:000,000 para auxiliar a erurc-
decominercio c navegacao Kre
as pr(,vincias do ParA e Coyaz pelus
nos Tocanlins o seus conlluentes;
e t:500,oQO para melhoramento da
invegacflo entre as provincias do Pa-
ra e Matto-GTss, pelos ros Tapjoi
e Arins
29. Catechese o cvlsac,}o de In-
dios
30. Estabelecimento de educan-
Js no ParA
31. Evenluaes
No municipio, da corle.
32. Escolas menores de instruc-
Cilo publica, licanilo elevado! a 800g
res os ordeuados dos professores de
primeiras lellias da corto
33. Bildiothvea publica
34. Jardim boUnico da Lagoa-de-
Freilas
35. Ditodo passeiopublico
36. .Instituto histrico
37. Imperial academia de me-
dicina
38. Obras publicas, (loando o go-
uwauaura1~>~-- ----
ta de 20:000,000 com a desappropria-
I clo das Ierras onde nasce o rio Cario-
I ca e aeus confluentes
39. Exercicios (Indos
140:000,000
Arl. 3." O miniatro e secretario de estado dos ne-
gocios da juslica he autorisado a despender com os
oltjerloa designados noi seguiteS paragrapiios
12:000,000
6:000,000
6:000,000
102:000,000
6:000,000
50:000 000
6:000,000
6:000,000
6:000,000
3:200,000
:>9:i00,000
1:900,000
28:800.000
118:594,000
204:920,000
285:400,000
90:670,000
81:100,000
20:000,000
5:900,000
8 852,000
6:220,000
11:635,0O0
14:800,000
756:000,000
quantia de
A saber:
1. Secretara de estado
2. Tribunal upremo de juslica
3. Ulacoes
4. Juslica de primcira instancia
5. Polica e seguranca publica
6. Cuarda nacional
7. Tel^graphos
8. Blspos.calhedraes, relacSo me-
tropolitana e parocbos
h. EventQaos
No mu nicipio da corle.
10. Cape 11 a imperial e cslbedral
do Rio-Ue-Janairo
11. Parochos e grojas pobres
12. Cuarda nacional
13. Corpomunicipal permanente
14. Lazaros
15. Casa de correcto e reparos
de cadoias
16. Presos pobres
17- Illuminacao publica
18. Pfcparaijflo de um edificio pa-
ra o forum da capital do imperio, se-
gundo as disposicoes do artigo 17
desta lei
19. Eventuaos
20. Ejercicios lindos
2,220:273,781
31:200,000
72:066,667
185:956,668
396:490,000
162:522,646
120:000,000
11:624,000
578:854,180
8:000,000
80:876,200
11:233,720
1S:iOO,000
252:047,700
2:000,000
72:000,000
25:000,000
122:000,000
30:000,000
20:000,000
30r:000,000
20:000,000
J:0O0,0OO
23:000,000
*:):533,000
8:598,000
:996,00
3:433,000
2:00*000
2:000,000
46:510,000
19:550,000
11:820,000
51:009,80O
12:000,000
Art. *. O ministro e'ccretario de estado dos ne- ,
gocos eslrarigeros be autorisado a despender com Jocxercito
os obieclos designados nos seguintes paragraphosa
,i- m. ..i., uno ni
22. Exercicios findos, ____i__
Art 6 O ministro e secretario de estado dos ne-
aocios da guerra ba autorisado para despender com
os dl.jectos designados nos seguintes paragrapbos a
quantia de 7,428:557,700 rs. a saber :
1. Secretaria de estado
2. Concelho supremo militar
3 Pagaduras, flcando augmenta-
da com a quantia de 600,000 rs. des-
de j a gralificagfto annual do paga-
dor do arsenal de guerra e fiel da pa-
gadura das tropas da corle
4. Escola militar o observatorio
astronmico ,
5. Archivo militar e oflicina litno-
graphca
6. Arsenaes e annazens de artigoi
bellicos, sendo 60 contos para compra
do espadas, pistolas, davinas earti-
Ibaria do novosysloma doPaixbans;
e 30 contos para a fabrica de armas
da Cooceicilo; supprimidos 480,000
rs. que vencem dous praticantes na
contadura do arsenal de guerra da
corle; e Picando percebendo o olli-
cialdamesnia contadora ordenado
igual ao que lem o primero ollicial
da secretaria do referido arsenal
7. Ilospilaes, ficaiido elevado o
vencimer.lo dos enformeiros do nu-
moroa 16,000 rs. mensaes, e o dos su-
pranumerarios a 14,000 rs.
8. Commando d'armas
9. Estado-maior-general, e pri-
mera e segunda classe, ficando eleva-
do a 2:000,000 o ordenado do auditor
de guerra da corte, e supprimidos os
lugares de auditores as provincias
ondo nflo ha commandos de armas,
assim como a quantia de 3 contos em
que importa o sold de um marechal
749:7'. 3,370
132:122,700
28:113,600
quantia de
A saber :
t. Secretaria de estado
2. LegacOes e consulado ao par
de 67 12
3. Dspezas extraordinarias no
exterior, idem
i. Ditas dentro do imperio
5. Difieronca entre o cambio par
de 67 1/2 e o de 27, em que se calco-
lamas remessas para pagamento das
quantias oreadas nos 2. e 3. des-
to orcamenlo
6. Ejercicios findos
402.000,000
120.000,000
20:000,000
15:000,000
210:000,000
Art. 5. O ministro c secretario do estado dos ne-
gocios da marinha he autorisado a despender com os
obejectos designados nos seguintes paragrapbos a
quantia de 3,443:523,873 rs. a saber:
1. Secretaria de estalo, (cando
supprimidos 800,0)0 rs. de gralifica-
clo a um ollicial aposentado, e 1:2O0
mil rs. que percebe oulro ollicial su-
pranumerano
2. Quarlul-gcneral da marinha,
supprimda a quantia de 784,772rs.
em que importa o accrescmo deven-
cimenlos concedidos A alguns em-
p rgados por diversos avisos
3. Concelho supremo militar
4. Auditoria eexecutoria, ficando
elevado a 2:000,000 o ordenado do au-
ditor
5. Corpo da armada eclassesan-
noxas
6. Dito de fuzileiros navaes
7. Dito de imperiacs marnheiros
8. Companbia de invalides
9. Contaduras
10. Intendencias e seus accesso-
ros
11. Arsenaes
12. Capitanas de porlos
13. FArga naval
14. Ilospilaes
15. Plures: sendo 20:000,00o pa-
ra a construcg3o de um no porto do
JaraguA da provincia das Alagas;
20.000,000 para a continuaco da o-
bra u da pona da Atalaia A entrada
do porlo do PjrA ; c 20:000,000 para
a construcetto de outro no morro do
San-Paulo da provincia da Babia
16. Academia de marinha
17. Escolas
18. Biblio'.heca
19. Reformados
20. Obras, /applicando-so 80 con-
tos ao melhoramento do porto do Ite-
cfe de Pcrnainbuco; 10 contos a
construcoAo do uina ponte de desem-
baruuo na capital do Cear ; 48 con-
tos a obra do caes da Sagraco na ca-
piial doMarannao, e a compra de
una barca de escavano para melho-
ramento do porto da mesma capital,
e 10 contos A abertura da barra do rio
Ceara-Merim na provincia do llio-
Grande-do-Norle
:tf. Dspezas extrtordinartas ee-
ventuaes
28:000,000
5:474.828
4:800,000
3:020,000
268:208,781
49:167,660
95:516,000
16:758,179
43:600,000
48:604,360
861 877,590
46:756,110
1,311:964,950
42:809,200
96:923,990
30:050,000
1:724.000
3:803,950
40:434,275
294:000,000
150;000,000
Mil I tl
10. Imperial corpo doengonbei-
ros e supprimida a quantia de 1 cont
e oitocenlos mil rs., em que impur-
q7 non non Ia so,,1 de M segundos-lencntes
d7.oo,oxio u omcillfS(ja terceira classe
12. Di los honorarios
13. Ditos de segunda linda
14. lieformachis
15. Frca de linbn, sendo 118 con-
tos para etapes officialidade dos
corpns do exeicito, ainda em lempo
de paz, excepto a doscorpos lisos;
supprimda a quantia de 1:1:276,000
ris do furragens na provincia de
Coyaz. assim como a do 33:000,000
na verba ollcialdado ; e ficando con-
cedida aos secretarios dos corpos do
exercilo a mesma gralificacio mon-
ga! de 4,000 rs. que percebem os aju-
danles e quarleis-mestres
16. Cuarda nacional destacada
17. Compra de cavallos
18. CraticacOes diversas, Pican-
do supprimidos os vencimenlos a um
tcnentc-general comman.laiido oxer-
cito, assim como ascavalgaduras e
fiestas de bagagem correspondentes
ao dito posto
19. Invlidos
20. Pedestres
21. Becrutamento e engajamento
do soldados, ficando ogoverno auto-
risado a dar 200,000 rs. a cada enga-
jado, o a regular o modo pralico ilo
engajamento
22. Fabrica da plvora
23. Dita de ferro de Vpanema
24. Presidio da.ilha de Fernando
25. Obras militares: sendo 16con-
tosde ris para construeco da do
quartel do Cear, o 16 contos para o
concert da fortaleza do Cabedcllo,
na provincia da Paiabiba
26. Diversas dspezas e eventu-
acs: sendo 30 contos para pagamen-
to aos proprietarios dos esclavos viu-
dos da provincia do Bio-Crande-do-
Sul, e libertados pela guerra
27. Exercicios lindos
199:680,000
71:610,000
70;200,000
12:030,000
55:197,890
582:308,760
11. Consulados
12. Becebedorias
13 Mesas de rendas e eolMfltMrtss
14. Casada mooda
13. Tvpographia nacional
16. Officina dasapolicns
17. Adininistracaodo propiiosna-
cionaes
18. Ditos de terrenos diamantinos
19. Almoxarifados existentes
20. Ajadas de custo aos emprea-
dos de fazenda
21. Curadora de Africanos lvres
ti. Medico de terrenos do ma-
rinllas
23. Descontos de assignados da nl-
fandega, coinmissoes, eorrotagens e
seauros
24. Juros dos emprestimos do co-
fre de orphfos
25. Pagamento dos mesmos em-
prestimos
26. Ditos de bons ausentes
27. Beposcoes, restiluicoes de d-
reilnseoulras
28. Corlo 0 conducefio de pao-
brasil
29. Premios conslniccrio de na-
vios brasileiros
30. Obras ; sendo 60 contos para
conlinuBCilo da alfarulega da Babia ;
20 cotilos para constrocgfio da de Ser-
pipe ; 53:669,874 para a do urna ou-
lra no poilo de Jaianagu da provin-
cia das Alagas ; e 20 contos para a
da cidado do Desterro na provincia do
Santa-Catbarina
31. CratificacOes
32. Supprimenlo tbesouraria
provincial do Cear
33. Emprestimo tliesouraria pro.
vincial de Pcrnambuco para ser sol-
vdo depois do termo de cinco anuos
em preslacOes, cuja importancia ser
marcada por lei
34. Evenluaes
35. Ejercicios lindos
138.000,000
101:600,(100
161:000,1.00
33:600.000
33:000,000
2:800,000
1 1:777.009
9:100,0 'o
I:o4.1,600
6 00,000
1:900,000
3:000,000
KO:O0O,0 i(l
80:000,000
200:00;), oo.i
:,0.iioil,0oii
)O:U0O,OO0
60:000,000
20.000,000
3,643:329,020
451:370,000
120:000,000
87:173,320
45:526,920
83:840,400
400:000,000
113:736,060
30:151,860
24:800,000
176:000,000
177:693,800
Art 7. O ministro e secretario de oslado dos ne-
gocios da fazenda he autorisado a despender cont os
obieclos designados nos seguintes paragraplios a
quantia de 9,983:870,775, a saber :
1. Divida externa fundada
2. Dita interna idem
3. Caixa de amortisagao, ficando
elevado o ordenado do respectivo co-
brador a 1:200,000; filial da Babia e
empregados no resgate e substituigo
do papel moeda
4. Pensionistas
5. Auonscnlados
6. Empregados de reprligoes ex-
tinctas
7. Thcsouro publiqp nacional
8. Thesourarias, sendo elevadas
0 2'classe a provincia do llio-Crande-
uo-Sul, e A 4* a de Sergipe .
9. Juzo dos Tetos da fazenda na-
cional
10. All'audcgas
2,797:867,000
3,391:716,000
12:380,000
525:660,010
258:579,195
45:376,666
76:800,000
262:000,000
41:300,000
850:000,000
223:669,87!
70:000,000
40.000,000
300:000,000
30:000,00(1
CAPITl'LO II.
RRCETA OERAt.
Art. 8. lio orgada a receita geral do imperio,
cornprehendidas as rendas rom applicagfio especial
quo no anuo desta lei o governo be autorisado a lo-
mar por emprestimo, na quantia de 25,717:222,220.
\rl 9 Esta receita ser efTcctuada com 0 pro-
ducto da renda gcral arrecaldo dentro do oxcrcicio
da prsenle lei sb os titules abaxo desgnalos.
1. Diroitos de inportagtt para
consumo, ficando elevada a 80 por
cenlo a taxa sobre a roupa, calcado o
oirs de marcenara quo florera de
paz cslrangeiro
2. Ditos de exportagao e de fial-
deagffo .
3. Ditos dos gneros reexportados
para a Costa Mrica, que pagarao
d'ora em diante urna taxa igual a me-
ta.le dos direitos de imporlagao para
consumo
4. Ditos da plvora eslrangcira,
idem
5. Expediente dos gneros e.stran-
geros despachados com carta de guia
6. Ditos de gneros do paiz
7. Armazcnagcm
8. Premios de assignados
9. Multas
10. Ancoragem
11. Direitos de 15 por rento das
embarcagOes cslrangeiras que pas-
sam a nacionaes .
12 Ditos de 5 por cenlo na > om-
pra e vonda de embarcages
13. Ditos do 7 por cento do expor-
tagao, ficando rcduzidos a osla taxa
os 15 por cent que aclualmcnte pa-
gam os courus do Bio-Crande-do-Sul
14. Ditos dos objectos exceptua-
dos (*), devendo o euro em barra pa-
gar d'ora em dianlo 1 por cenlo
15. Ditos de meio por cenlo .los
diamantes
16. Expediento das capaUzas
17. Tasas do correio geral, tiran-
do iscntas desla mposic.-lots gazelas
impressasno Brasil, e das cslrangei-
rasas que frem dirigidas as b.bho-
thecas publicas
18. Ilragagcm do fabrico das moe-
das de ouro e prala
19 lleuda diamantina, dos pio-
prios nacionans, dos arsenaes eesta-
belccimentos da administrarlo geral
20 Foros de terrenos e de man-
tillas, excepto das do municipio da
coi le
21. Ladennos ,
22. Siza dos bens de raz que tica
redolida a 6 por cenlo pagaveis a
vista
15,749:930,000
21:600,000
30:000.000
5:400,000
160.000,000
33 000,000
81:000,000
115:000,000
13:000,000
166:000,000
31:000, OOU
20:070,000
3,122^22,320
TU 000,0011
'i ooii.ooii
20.000,000
150:000)000
32:000,000
193:000,000
i, iio.i.oon
2:200,00(1
Os exceptuados dos 7 por cen
J*
:000,00o
mto dofxporlagao
s5o os quo smente pagara 2 por cenlo, aonio couros
do Bo-Ctaude, plvora Jabricada no paiz, e omn
' ou prala em brulo ou mauufacturado.

LADO



-M Dsnma ile mili legua alom da
rtelo
24. Dita addicional das rorpora-
ee J mflo mora
85. Mralos novoi velhoa, e de
i'hancellana
26. Joia* il,i.< ordena honorillraa
27. Dirima de chancellarla. Inus
l'or cenlo
-'* Matricula* doa curaos jurdi-
cos o das escolas di> medicina, e venda
de cartas de hachareis
-''. Multa das academias e por in-
raccflo doa regula montos
30. Legitimaccs
31. Sello do papel filo e propor-
cional
32 Premios de depsitos pblicos
33. Patentes dos despachantes e
eorrelores
34. Emolumentos de certidaos
35. Impostos sobre lojas, casas de
descontos, etc.
36 Hito sobre as casas em que se
vemlem movis, roupas, etc., fabrica-
dos em paiz estrangeiro
17. Dito sobre seges
18. Dito sobro barcos do interior
30. Dito de 8 por cenlo das lole-
li:l<
40. Dito de oito por cenlo dos pre-
mios das mesinas
41. Ditos sobro a mineraeflo
42. Taxi 13. Producto da venda do proprios
nacionaes, pao brazil, plvora e ou-
tros gneros de propriedade nacional
subjeitos a admiiiislraro peral
U. Cobranza de divida activa, in-
clusive melade da de rendas proviu-
ciaes anterior ao l." de julho de 18:lfi
45. Allienncflode capellas vagas
l'tculiart do municipio.
I Vi'.. Di/irnos
47. Decima urbana
48. Tercas partes de oflicios
49. (emolumentos de pnlicii
50. Imposto sobre as casas de lei-
13o e modas
31. Dito de patente no consumo
de agoanlente
52. Dito do gado do consumo
53. Dito dos cavallose bostas quo
entram n eidade
54. Mein siza dos escravos
35. Sello de herancase legados
.">. Ilendimenlo do evendo
Extraordinaria.
57. Agio de moedas
38. Alcances de Ihesoureiros o re-
cebedores
59. Contribuicflo para o Monte-
po
60. Dons gratuitos
61. Indemnisacilo pela arrecada-
e3o de rendas, c pela medieflo do ma-
nnlias e outras
62. Juros de apolices
63. Premios de lettras
64. ftereita eventual
C5. Reforma de apolices
66. Reposices e restituices
67. Producto da moeda de cobre
inuiilisada
68. Dilodos contractos comas no-
vas companhias do miiieracflo
69. Ueipaneccutes de depsitos e
caixas publicas
Depo$Uo$.
70. Emprestmos dos cofres de or-
philos
71. Rons dedefuntos casenles
72 Consumos das alfandogas e
consulados
73. Depsitos das alfatiJegaseou-
tros
74. Premios de loteras
75 Salario de Africanos livros
4:100,000
45:000,000
80:000,000
12.000,000
40:000,000
ii mili,nuil
3:000,000
50,000
620:000,000
7:000,000
6:000,000
2:500,000
450:000,000
10:000,000
8:000,000
10000 000
302:000,000
104:250,000
60:009,000
190:000,000
232:000,000
520:000,000
20:000.000
400.000,000
600,000
4:000.000
8:400,000
126:000,000
115:000,000
1:000.000
100:000,000
25:000,000
6:000,000
10:000,000
380,000
20 000.000
420 00o
3:000,000
10.000,000
20:000,000
PERNAMBUCO.
Art. 10. No caso de deficiencia da recoila coral
sera o dficit prcenchido com emissao de bilhetes,
ou lettras do thcsotiro, ou apolices da divida pu-
Blica. r
[Contiuuar-st-ha.)
Repartidlo da polica.
EXTRACTO DIARIO DOS DAS 30 DO PASSADO,
El." DO CRRENTE.
r.lram presos :- ordem do Sr. desembargado!'
(limara municipal do Recifc.
HU EXTRAORDINARIA EM 6 DE NOVEMBRO
DE 1848.
rasior.iciA no s. aioo ai.buquiqur.
Presentes os Srs. Dr. Nery, Barros, Rarala, Caudi-
no abrin-se a sesillo, sendo lula e approvada a
acta da antecedente.
O secretario leu os sepilite* oflicios
L'm do Exm. presidente da provincia, apprnvando
a arremataeflodo imposto das aferices, feta por
rhnmaz de Aquino Carvalho por a quantja de
10:002,000 rs sb llanca de Jos Morera da Silva.
Que so lavrasse o competente termo para ser as-
signado pelo arroma!,iule e seu fiador e se llzessem
participacesao procurador e contador para passar
as lettras.
Outro do contador, a presentando as contas por el-
lo o o procurador interino issignsdas, da recolta e
despeza feita pelo mesmo procurador durante o lem-
po queestevo no exorcicio desto cargo Mandou-
soremetlerao Sr. vereadorGaudino para examina-
las.
Outro docordeador, informando a peticta do pa-
dre Joaquim Jos Ramio, que pedia para aforar o
boceo do Lobato. Adiado a requerimento do Sr.
Karata.
Outro do fiscal do bairro de S.-Antonio pedindo
se mandnsse pagar ao reverendo fie Jorge a quan-
tia de 8,000 rs. importancia do enterramento foi-
to no convenio do Carino de 4 cadveres, nos dias
24 de setembro 11 c 14 de oulubro desto auno ; e a
ello fiscal a do 4,000 rs. que despender com a con-
dcelo e aberturas de covas para os niesmos.
Outro do mesmo fiscal pedindo autorsaqao para
mandar fazer a limpeza das ras da sua freguezia ,
e lambem que se marcassem lugares para nelles se
fazerem despejos pblicos, e para praca das quitan-
deiras. Que ficasse adiado at o comparec ment
do Sr. vereador Aquino a quem se tiulia consulta-
do sobre a dcsignaeflo desses lugares.
Outro do fiscal do bairro do Recito pedindo igual
autorisaco A mesma deliberado.
Outro do fiscal do bairro da lloa-Vsta, no mesmo
sentido. A mesma deliberadlo.
Outro do mesmo fiscal pedindo so mandasse pa-
gar a Antonio Lopes Cu i maraes, thesourciro da ir-
mandadeda S-Cruz, a quantia do 14,000 rs. do en-
terramento feto naquella igreja, de 5 cadveres, nos
mezos do agosto, setembro e oulubro desle anno ,
segundo a conta que junlou i>j mesmo thesourciro.
Que se passasso mandado.
Outro do ajudantc do porteiro, Jos Clemente dos
Santos Siqueira, communicando achar-se bastante
doente segundo o attestado de facultativo que jun-
lou e que, por ora, nflo podia comparecer a repar-
ticilo Inlcirada.
Sendo lido o oficio do commandanto superior
deste municipio eito ao governo da provincia, e
por este mandado a cmara informar sobre disignar
a mesma cmara os lugares das paradas parciaes e
geral do bata I hilo da guarda nacional da freguezia
da Munbeca que fra restituida a este municipio.
Foi nomeado o Sr. vereador barata para indicar
esses lugares
Entrando em discusso o requerimento dos mar-
cenemos l.uiz Francisco Chaves e Antonio Teixeira ,
pedindo se Ihe mandasse pagara quantia da 426,000
rs., resto da de 776,000 rs., porque com ellas ajus-
tara o ex-procurador a factura de 14 urnas e 9 co-
fres do amarello para servirem n.is eleicoes do au-
no de 1847 da qual quantia apenas linha recebldo
350,000 rs. dehberou a cmara quo se olliciasse ao
ex-procurador, pedindo declarasse se era exacto'o
que reqiiiTiain ditos marceneros.
Foi remetlidoacommissaodecdiicacaoo reque-
rimontode I). Mara Francisca Marques do Amorim
relativamente a reedilicacflo de um muro.
Encarregou-se a Joaquim Fernandes deAzevedo.
arrematante da ribeira do mercado de S.-Jos o
concert de duas casas da mesma ribeira oreado na
120.000,000 quanlia de 78,000 rs. : sendo a obra foita sb a ins-
5000 ooo TOS d cordoT e lisc*' lo wrro, encontrando
5.000,000 acamara essa despeza com o producto da arreina-
lacflo.e disto se lueram participares ao procura-
dor e contador.
Os Srs. vareadores Nery da Fonseca e Barata que
na sess3o de 13 do pastado lrain nomeados para da-
rom a sua opimao acurca da proposta apresentada
pelo br. vereador presidente creando um distric-
10 de paz na freguezia dos Afogados, erara o se-
guiiile parecer que foi approvado :
a commissjoa quem foi presente a proposta
junta.para a dmsaoda freguezia dos Afogados em
districtos de paz tomando na devida considerarlo
a mesma proposlu, julga que a indicada dvisao he
conducente ao bem publico, e a commudidade dos
ahilantes que moram ao norte da estrada do Bon-
gi o porque cada umdos dislrictos om que assim
nena dividido o primeiro (distrcto actual da-
queiu rreguezia contara ruis do 75 casas habi-
tadas, na conformidade do arligo 2.' do cod do oro
criui.. un'un-,!!. ,1.,.,,-, .1., tr ........ .__1. K..
240:000,000
40:000.000
6:000,000
18:000,000
Mino da Fonseca, por ter quebrado a cabrea a um rala. y "' /<"MWa- ~ -
ir*!rt rnrr#% nn *nt I._____: _____ I
preto forro, e o proto Joaquim, escravo, por ter
quebrado a rabees de um pardo ;--e do delegado do
2. dis'nclo, o paisano Marlinho Diogo da Costa,
do qual nlto consta o motivo da prisHo.
0 1." Amanuense,
Aprigio Joxi da Silva
....
r.EIACAO DAS PESSOAS DESPACHADAS PEL\
POLICA NO DA I. DE DEZEMBRO.
Para o MaranhSo, Jos Rodrigues Ramos Maia.
subido portuguez.
Pura a Parabibs, Joaquim da Silva Cuimaries, le-
vando era sua companhia tres pessons de sua fami-
lia ; Antonio Francisco de Oliveira; Victorino Perei-
ra Jiinii, levando o seu escravo de nomo Jos; e An-
tonio da cruz Cordeiro: Itrasileiros.
Para as Alagoaa, os padres Filippe Renrcio de Re-
zende Pinto Jos deSouza Bai boza e Jos da Rocha
i.ins, levando em companhia Lourenco, e Anna Joaquina de Jess, Brasileiros.
1 ara Goianna, Jenuno Corra Lima, o seu irmflo
de nome Pair.cio Corre. Lima, Brasileiros
"u" N?S?, 8r* 1" O'. Ovidio Ferrejra da Sil-
va, iriiMieiro.
ofZ'ml^-----~*Roch de (),ivei^ lc"n-
ceniea a t
Despacharam-se as petiefies de D. Antonia Joa.
quma de Magalhaes de Antonio Xavier Carneiro
de Aiilonio Joaquim do Moli Pacheco ;2) do Dioe
Jos de Olivara de Francisco Antonio da Silva Va-
lente de Jos Antonio Pereira Rodrigues de Jo3o
Francisco do Reg Maya de Jos Mara Marlins de
Joaqu.,., Solero ue Farias de Jos Pinheiro Jacomo
ueJuoBessa.Ue Joaquim Fernandes de Azvudo '
delLooiiardoRuliuo de Frailas [i), de Manoel Joa-
quim de rigueiredo de Manoel Jos Vieira de Ma-
noel remandes Anluuos V.llaca, de Miguel F.licio
da Silva de Ricardo Jos do Frenas Ribeiro de Sa-
ralirn J0SP dos Santos de Thoniaz de Aquiuo Car-
vallio do Vicente Jos de Brilo e levntou-se a
sessao, Ku, Manutl tirreira Acaule secretario nto-
nuo a escrovi. Higo Albuguerque, presidcnle. -liar-
rw. r. Ntry da J-omeca. ilamede. Karata
K01 ja ordem,dos vordadeiroa libera*, dos que quo-
rcm tndo rx)b o imperio da* leis, e nada, absoluta-
mente nada, debaixo do dominio daanarchia, nem
com a influencia da* paixfle* deaencadeada* e phre-
oelic** que sem provocar essaatheorias barbaras
eselvagen* que tecm arrastrado militas dezenas de
noisos irmffos para o matadouro, para o campo
da devastarn.
O benemrito olllcial, cujo nome jcilmo, deu
auccinl* e abreviada conla da accSo nooflicio que
abaixo Iranscrevemos :
Hlm. eEim. Sr. Apresso-me a communicar
V. Ex. queataquei hoje o* rovoltosos no lugar
denominado Maricota, onde se achavam com to-
das as torcas reunidas, e intrinchoirados em posi-
efles vantajosas: renhido o sanguinolento foi o
combate, e o inimigo desalojado de seus postos
avancados, indo fazer-se forle na poquena malta
contigua esobranceira ao meo campo; e, porap-
proximar-se a noile, nflo foi perseguido, nem o
campo explorado : avalia-so em grande a perda
a dos revoltosos, entretanto que na columna do
mol commando poucos morios houvcram e alguns
feridos, em relacHo ao mortfero fogo do inimigo,
que duroumais de quatro lloras.
A Iropa legal sob meu commando cobrio-ee de
gloria pelo denodo nenthusiasmo com que *e ba-
> leu apezar de ter Porto mais de tres legoes de mar-
cha com sol ardentissimo.
Em outro ofllcio darei conta i V. Ex. dos por-
menores da acco e do motivo por queempenhe
o eombate com desvanlagem de posieflo, e a ho-
ra ser ayancada, e enviarei a relaco dos bravos
legalistas que mais se dislinguiram.
Ora, romo anoiteceu e o inimigo havia, de pre-
veneno, incendiado as casas do meu campo, vim
acampar nesla villa, para Iratar dos feridos.
Dos guarde a V. Ex. Acampamento d torca
legal em operacfjes na villa de Iguarass, 30 de
novembro de 1848, as nove horas da noite.
Hlm. e Exm. Sr. Jos Joaquim Coelho, general em
ebefe. Jote Vicente de Amorim Deserra.
A1, f. A peca de artilbaria flcou inutilisada
ao quarlo tiro por quebrar-se a falca : abandone!
a carreta e liz conduzir a peca o armaeflo.
Meditemos horneas sisudos sobre o contado nes-
te documento ; atlenlem para o desespero com que
os revoltosos insistiram no combale; ponderem na
deshumanidade com que toram elle* incendiar o
acampamento da torra legalista t e digam-nos se
nflo sao desalmados e trahidores propria consci-
encia aquellos que ahi bradam todos os dias que o
governo ha mandado etpingardear a homent inermes,
que anda naS tem declarado o fim para que etlaS reu-
nidos.
He cora grande magoa que nos oceupamos agora
desemelhanteaeontecimenlo; nUo porque nos nflo
regosigemos de qualpuer triumpho da legalidade
sobre a rebelda, porm sim porque entendemos
que este numero do Diarlo, que ha deapparecer no
dia do anniversario do nosso augusto monarrha
n:o devera con ter a noticia de um s successo que
indicasse desnao entre os Brasileiros, cujo pai
eonmum he o mesmo Imperial Senhor; mis esta-
mos na rigorosa obrlgacSo de inleirar o publico de
ludo quanlo tor occorrendo por essas paragens onde
os revoltosos tcnlam fazer-se fortes, e pois somos
obrigadosa vencer a nosst dr; restando-nos, entre-
tanto, o prazerde asseverar que este jornal n3o ha
concorrido, nem mesmo indirectamente, para quo
os nossos concidadio so estojara como que suicidan,
rflo em pro de urna causa lano mais degradante
e criminosa quanlo he a do capricho, a dos inle-
resses pessoaes o mesquinhos.
Tratufort*..........
Direitoa novo* evelhos.......
Ditos de chancellarla........
Dizima da mesma.........
2* decima de mflo mora.......
Matrculas do curso jurdico .
Sello lixo ..........
Dito proporcional....., ',
Premios do* deposito* publico*. .
I.renca de despachantes da altandeg
Emolumentos do certidrtes.....
Carlas de hachareis ,......

Applicailo ao papel viodu.
Imposto do loja abertas.......
Dito de barcos do interior ,,<...,
Taxas de escravos......!".!
Tolal. .
55l7,||j
50?V
7,u
83,051
71,013
307,200
1:810,80o
1=758,780
166,619
28.000
9,220
^56,000
1:678 J00
14,400
68,000
Rccebedoria, 1. do dezembro de 1848.
Oescrivao,
aYano*; Antonio SimOet do Amaral.
Vio vigenlo do. Porto.
. _
Navio entrado no dia 1.0
Rio-de-Janeiro 5 18 dias, brique dinamarquez J0h
na, de 150 tonelada,, capitn E. P. Ol.usen, el
pagem 7, em lastro ; a A morim Irmflos. q '
lina do Sal ; 17dlaa, barca sarda Sagrado-CoracaM,
Jeiu,, do 176 toneladas, capitflo Paulo Jos C,Vr
ssas,0'car8a sal 5 a Le Breton **-
Rahia ; 7 dias, escuna Hollandeza Antjt, de 161 in
neladas, capillo E. Reaten, equipagem 7, car
assucar ; a Brander a Brandis. ga
Ruenos-Ayres; 32 dias, brigu oriental Mentor dfl
160 toneladas, capilflo Lourengo Carlos Neson
equipagem 10, carga carne; a Nascimenlo & Arac!./
Rio-de-Janeiro; 20 dia, briguo brasileiro nrato
de 247 toneladas, capitao Augusto Antonio Coulo, equipagem 14, carga barricas vasias alas.
tro; aTliomaz de Aquino Fonseca.
dem ; 21 dias, brigue-escuna braslfeiro OUnda d
182 toneladas, capino Marciano Fcrreira, equini-
gem 9, carga pipas vasias e mais gneros; ao Vi-
pitso. Passageiro, o primeiro cadete Joaquim Soa.
res de Figueiredo, Brasileiro.
Buenos-Ayres ; 31 dias. brigue francez Arago, de
176 toneladas, capitflo SimSo Deyrien.equipagera
9, era lastro ; a Luis Bourguir & Companhia.
Navios sabido no mamo dia.
Rio-de-Janeiro; patacho brasileiro Aurelio, caphlo
Joao Antonio Comes, carga assucar, ago'arienia
ealgod.10.
Livoruool; barca ingleza Nortal, capitao Thomaz
Kirie, carga assucar e algodSo.
dem ; brigue ingleza Urgent, capilflo Ceorge Bisset
carga assucar e algodflo. '
Santos; brigue austraco Bona-Malnilda, carga a
mesma que trouxe.
Road-lsland ; gatera americana South-Americi, ca-
pililo Nalhaniet Sowle, carga a mesma que trouxe.
1 araluba ; brigue dinamarquez Uirano, capilflo I
i. Balmiiz, era lastro.
COMMERCIO.
ALFANDEGA.
RENDniENTODO DI A l.o........... 3.823f(m
Detcarga para o dia 4 >le dezembro.
Escuna Outesie laboado e barricas abatidas.
Brigue Kile morcadorias.
Brigue Verialo barricas vasias.
Brigue -Spraf bacalio.
Brigue OUnda pipas vasias.
CONSULADO GERAL.
RENDIMENTO DO DIA I.
Coral ........
Diversas provincias
363,992
127,270
Weclarayes.
ADMINISTRACAO- DO CORREIO.
nrnTC?n^nal,8?-55d;,en5U'a lorio
prximo flndo, isentado a taxa docorreioaseaietas
..npressas no Brasil, eas eslrangeirasque torera di-
rgidas as bibliolecas publicas, que ora acaba de
ser-me communicadopela directora goral doscor-
reos, ora seu ofilcio de 14 do crrante, sb n. 3S,
Uz publico estaadministraciJo, para conhecmen-
loae-qucmconvier.que desdej seacha em vigor
a despostlo daquella lei.
Correio, 29 de novembro de 1848.
O Administrador,
Hruno Antonio de Serpa BrandSo.
PUBLICACAO1 AGRCOLA.
Manual pa tico do fabricante d **suar, por
Agostinbo Sommier. Esta obra ensina pratcamente
o modo de fabricar o assucar demonstrando os in-
convenientes da enliga pralica osmeios de as re-
mover e finalmente ludo quanlo se precisa para ti-
rar maior e melhor resultado de sua factura e esta
escripia em urna liugoagem que qualquer pessoa
percebe; poden engenhos cora ella s errarflo se quizerm : vnde-
se por 2,000 rs., na praca da Independencia lvra-
na ns. 6 e 8. '
Avisos martimos.
Para o Rio-de-Janeiro s*he, com muita brevi-
dado ovelciro patacho Alfralo, forrado o encavi-
491,262
Bzoirs, 1. di DiziMiao di ig**.
Hontem noile os revoltosos foram batidos no si-
to d.-fiurarmdo Maricou p,ii columna ao mando
do comsigo dous menores. m or*, '....." Ido bravo coronel rio,,-. --------1. ..., ..., ,.
teme. ;asPar Cavalcanic de Albun..ern,.0ViM.A: I_____" .. .. ",*"'"..... "" ~......
CONSULADO PROVINCIAL.
REGIMENT DO DIA 1.........., 608(277
IMPORTANCIA DOS RENDIMENTOS ARRECADADOS
PELA UECEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS C.E-
RAES DA PROVINCIA DE PERNAMBUCO, EM TO-
DO MEZ DE NOVEMBRO PRXIMO FINDO.
A saber :
-rar Cava.c.ntede A.buquerqueUchOa |,ndo m^isdigno da^^V^^^ ^. |
CBBL.
Foros de trrenos Jg mgrili. .
Laudemios.........
Cza ilns \u , .-...,.,.,..,,,,,,,,,,, .,,,. ..,..,..,
do de rotire com excedentes commodo* para passa-
geiros ; lambem recebe escravos a frete : quem no
mesmo quizer carregar, ou ir de passagera dri-
ja-seao seu consignatario, Francisco Alves da Cu-
nda na ra do Vigario, n. II, primeiro andar.
Para o Rio-de-Janeiro sube; ho dia 7"de dezem-
bro, o patacho S.-Crus : para o resto da carga, pas-
sageiros e escravos a frete, trata-se no largo do
Corpo-Sanlo luja de masa raes, n 25.
-- Para a Babia sabe, em poucos dias, com a car-
ga que houver, a sumaca tlor-do-Agelim : para a
mesma e passageiros trata-se com o mostr tter-
nardo de Souza ou com l.uiz Jos de S Araujo, na
ra da Cruz, armazcm n*. 26.
Ob'igue portuguez alaria-Feliz capilflo Lou-
renco Fernandos do (,-rmo, ahe para o Porto no dia
l2do correte por ter a maior parto de seu earre-
gamento prumplo: quora no mesmo quizer carre-
gar ou ir de passagem para o que tem excellen-
tMcomniodos, trate com o capilflo na praca, ou
como consignatario, Antonio Joaquim do Souza
Ribeiro.
Para o Rio-de-Janeiro sabe impreterivelmente
no dia 15 de dezembro o brigue Assombro forrado
de cobre e de primeira marcha por ler o seu car-
-----.,.,,. cgmiicntu quas cuinpieio : para o rea i o da carga e
77,7"-|Pss,,geiros trata-se com Julio Jos Fernandes Ma-
s:597,3l2|galhfles, na ruada Cadeia do Recere, botica n. 61.
MELHOR EXEMP
38,978
25,000
,-HOa ni**


*s
.. pira o Araealy tahe at o flm da semana o
Ante Flar-io-Rteift: quem quizcr carregar ou ir
jenastagem dirija-ae a ruado Vigirio, armazcm
n. '>
- Para a cidede do Porto pretend; sahircom bre-
viiladn a barra Hejla-Pcrnambucana, capullo Manuel
l i.mi'iM'o Noguera, por ter a niaior parte de sua
carga engajada : quem nella quizer carrogar, ou ir
je pattagem, para o que offeroce bons commodos,
ciiiMul-*e rom o consignatario, Antonio Francisco
deMoracs, na ra da Cruz, n. 34, terceiro andar, ou
rom o capitfio na Praca-do-Commercio.
- 0 brigue brasileiro fiero segu para o Rio-do-Ja-
nero com a maior brevidade recebe carga e escra-
voj a Trate: a tratar com Leopoldo Jos da Costa
Araujo, na ra da Moda, n. 7.
- para Lisboa pretende sabir no dia 10 de dezem-
[)ro a barca portugueza lgeira, da qual he capitiTo
Antonio Jnaquira Itodrigues : quem quizer carregar
ou ir de passagem para u que tein os melhorese as-
seiados commodos, dirija-se ao mesmo, ou aosseus
ciisigiialarios Francisco Severiano Rabcllo &
ro.
Lcilo.
Domingos Alves Matheus ftra leilfo por inter-
veneflo do corretor Uliveira e por conla o risco de
quem perlencor, de diias ancoras t ancorte e do
nterin veame e cordoalha de um brigue : segunda-
feira,* dedezembro, as II horas da mantiSa ein
ponto no armazem do Araujo, boceo do Conexivos,
nu Recite.
Avisos diversos.
Jos Soares de Azevedo, professor de lingoa
fraceza no lyco, tem aberto em sua casa, ra do
Hoza rio larga n. 36, segunde an Jar, um curso de
pliilosophia e oulro de lingoa francezi. As pessoas
> que desojaren) estudar urna ou outra dcstas disci-
plinas, pdem dirigir-se indicada residencia a
qualquer hora.
CURSO DE RHETORIC\ E POTICA.
Vr. Joilo CaphJlrano de Mondonga tem aberto no
convento de S.-Antonio desta cidade um curso par-
ticular de rhelorica e potica; as pessoas que o.qui-
zeremn-equentar, poderilo diiigir-se ao mencio-
nado convento a qualquer hora dojdia.
CRSO DE HISTORIA SAGRADA E KCCLESIASTICA.
Fr. Joflo Cipistrano de Mondones tem aberto no
convento de S.-Antonio desta cidade um curso par-
ticular de historia sagrada e ecclesiaslica : as pes-
soas que o quizerem frequentar, poderito dirigir-se
ao mencionado convento a qualquer hora do dia.
--Manuel Luiz Pereira faz sciente ao respeitavel
publico, que.lendo apparecidooutrodc igual nomo,
de hoje em diante se assiguar Manoel Augusto Can-
dido Pereira.
Procisa-se alugar urna preta escrava de boa
conducta para uina casa estrangeira de punca
familia a qual saibacozinhare coser : na rua Nova,
n. 19. segundo-andar.
Quem aununciou querer comprar um appare-
Iho para ofilcial da guarda nacioual senJo ainda
precise dirija-se a rua Nova, n. 28, loja de selleiro,
de Antonio rerreira da Costa braga.
O corpo de voluntarios precisa engajar alguns
cornetas pelo lempo que for necessario c se offe-
rece a maior vaiilagem possivel: a tratar no Aterro-
da-l)na-Visla,n..40 das 6 as 9 horas da mandila o
das 4 as 6 horas da tarde,
Precisa-se alugar urna ama para o serrico inter-
no de urna rasa : na praga da Independencia, n. 4.
I.sva-se e engomma-se roupa com muita por-
fcigo, e eommodo prego : na rua de S.-Francisco,
n. 48.
Amanhffa, domingo, haver carne de vitello e
de carneiro muilo superior e cni conta : defronte
doquartel de polica, u II.
Jos Libralo [Barrozo vai ao Aracaty o leva
em sua companhia o scu moleque Luiz.
Kaz-se ver a quem convierquo se vende a mui-
ta acre litada venda, sita na esquina do Varadouro
em linda: quem a pretender pode dirigir-se ao
dito Varadouro venda do Manoel da Silva A mor m ,
que so dir quem est autorisado a vende-I?.
Aluga-se um sobrado de dous andares e slito ,
com um grande quintal, o umi casa terrea no fun-
do do mcamo.que bota para a parte da mar gran-
de na rua Imperial, n. 169 : a tratar no Aterro-da-
Hoa-Vista n. 27.
--Aluga-se um moleque de 12 annos para todo
oservigo interno e externo : na rua da Guia, u. 46.
Na mesma casa compra-se urna rotula usada.
Quem pretender arrematar o consumo das ma-
langas dos gados das freguezias da Mu beca 8.-
Lourencn-da-Matta S.-Amaro-Jaboatao, Varzea ,
Afosados, Casa-Forte pcrlencenles ao municipio
do Itecife dirija-se a rua Impeiial, casa de Silves-
tre Joaquim do Nsseiasento, que esta autorisado
para esto fim.
O bacharel formado Caetan-.- Maria de Paiva Lo-
PesGama, uo podendo, per causa da rapidez de su
l'rtida para o Rio-de-Janeiro no vapor $-Sebastido,
despcdir-se do todas aquellas pessoas que durantu
sua residencia nos la provincia Ihe prodignlisaram
tantas provas de consideragSoe estima, prcvaleco-
sc dtemelo para pedir-Idos dosculpa Por essa in"
voluntaria omiss0o e alWncar-lhes que sempre pc-
"horado de acrisolada gratidito te ufanar de me-
fccer-lhesalli occasiOes repetidas de seus servicos.
No oitaoda matriz de S.-Antonio, n. 11, cii-
gomiua-see lava-se com muilo asseio promptidao1-
e piejo cominodo.
Aluga-se o segundo andar da cata da rua d
Moda, n. 9 ; a tratar na ru* do Vigario, n. 5.
I'recsa-se alugar um preto que entenda do pa-
tria : na rua da matriz da Roa-Vista n. 26, ou an-
nuncle.
AHeneao.
A pessoaquelhc faltar um cavallo que foi adia-
do no dia 8 do prximo pastado, procure na la
Nora loja de alfaiatc n. 11, que, dando os signaes
cerlos, Ihe ser entregue, com testemunhas, o lajn-
bem se Ibo dir quem oachou.
Aluga-se o segundo andar da cisa da rua da
Senzclla-Nova n. 42 : a tratar no armazem da mes-
ma casa. ;' itii i. -ni
Precisa-se de um homom para Irabalhar como
feiior do um sitio e que enieuda de plauiii\0c
paleo do earmo, rt. 11, segurido andar.
Sociedade liarmonico-
Theatral.
O primeiro secretario faz sciente aos Srs. socios ,
que a direccAn tranafero {para mellior occasio a
recua marcada para o dia 2 do correte.
Offerece-se urna mulber j de idade e de boa
conducta, para fazer companhia a urna familia ca-
paz, dando-se-llie o sustento e casa para morar:
quem de scu presumo se quizer ulilisar dirija-se a
rua da Paz casa sem numero, junto a cochoira.
Carlos de Candi, natural da blgica retira-se
para os portos do norte.
Aluga-se, ou vende-se um pequeo sitio na
Varzea.com casa de vivenda muilo commoda c
com bastantes arvores de fructo : na rua estrellado
Rozario, n. 19.
CASA DE MODAS FRANCESAS.
A. MII.LOCIIAIJ.
Esquina do Aterro-da-Roa-Vista, defronte do
chatariz.
Recebeu-se pelo ultimo navio um muito lindo sor-
limento de modas ; chapeos de aenhora e meninas ,
tanto de setim seda, e de palha lina de todas as
qualidades ; loucas da ultima moda para senhora;
i icos bonetes de velludo bordado, para montara;
camisinhas bordadas de todos os padro.es; mante-
letes-palitos ultima moda do Pars; ricascapellas
o ramos linos rfe flores de cores ; I uvas de pellica,
lisas e enlejiadas ; (raneas de seda de todas as cores;
ditas dealgod.topara enfeitos do vestido ; capellas e
ramos de llores de larangeiras entre finas o de di-
versos modelo para noivados ; bicos de blondo ; cha-
peos do luto para senhora ; ricas plumas do todas
as c6res, para cabega e chapos; bicos de lindo;
ricas lilas para cinteiro; litas de todas as qualidades;
liras o cutre-meios bordados ; cambraia de lindo;
meiasosoda; saiotes declina etc. Fazem se con-
tinuadamente chapeos, toucas e vestidos de senho-
ra de gosto fiel a moda por prego eommodo.
-- Jofio Anlonio Connives da Fonle, retira-se para
fura do imperio.
Jos Rodrigues Ramos Maya, subdito portuguez,
retira-se para lora da provincia.
Ao respeitavel publico.
O proprietaiio do armazem de vinho
da rua da Madre-de-Dos n. 36, de-
clara que esteeslabelecimento nao tem
oulro armazem filial, como alguem ha
que o inculca ; e para conhecimenlo do
publico, faz o prsenle annuncio.
-- Antonio Nobro de Almeida Jnior tem juslo e
contratado comprar ao Sr. Manoel Jcronymo da Sil-
va a parte que o mesmo tonino sillo da olaria dis-
trito da capaila de N. S. do l.oreto freguezia da
Muribeca quo Ihe tocou por fallecimenlo de sua
sogra Eugenia da Costa Cordeiro: quem so julgar
comdireiloao mesmo sitio, haja do declarar por
esta mesma folha ,noprazode oito dias contados
da data destoannuncie. Recife, 29 de novembro
de 1848.
De quarta a sexla-feira da semana passada, rou-
baram da casa n. 13 da rua do Collegio o seguinte:
um relogio de ouro com crrenle de traspasso no-
vo, matcomovidro quebrado, e a cubera sepa-
rada porse haver quebrudo a mola; um castiga!
de prala de moldo anligo ; um boho de ouro com
diamante ; un a Hete de peio esmaltado preso a
oulro menor por tuna correntinha de ouro. lloga-se
a todos os Srs. relojoeiros, ourives, ou outras quaes-
quer pessoas a quem forem offerecidns laes objec-
tos mi driles tiverem noticias queiram approdeii
de-lose anuuncar, ou dirigir-se ao lllm. Sr. ina-
jor Firmianno Jos Rodrigues Fcrreira na casa im-
mediata a supradita. ,
AGENCIA DE PASSAPORTES.
Tiram-se elTectivamenle passaportes para dentro
e fura do imperio, o despaedum-sc escravos ; ludo
porcominodo preeo ; na rua das Trincheiras, sobra-
do de um andar, n. 16.
Da fazenda de Antonio Manoel da Silva deno-
minada Aincixas comarca da villa do l.iuioeiro
deseucamindaram-so desdo o principio do moz do
jullio do correnle atino, cinco annii.es, sendo tres
bostas e duas crias das mesmas as quaes leemos
signaes seguidles : urna he de cor castauha grande
o nova e a cria da dita de cor ru(o-prel; outra di-
ta ruca j algttma mais vellia sendo a cria da
mesma de edr caslanha com urna pinta de cabel-
los brancos na Insta ; outra dla ruca com piulas po-
drezes sendo alguina cousa carcunda aida no-
va ; todos estes animaes tem o ferro MS do lado di-
re i lo da urellia : qum dos mesmos livor nolicas
dirija-se a rua da Cadcia do Recife, cas do Sr. Jo-
s Pereira da Cunda ou na freguezia do S.-Amani-
ja boa tilo, noengenjio nnvo da CunceQSo e na fal-
ta ao major Julio Vrcira de Mello e Silva na referi-
da fazonda que recebera de gralilicaco 30,000 rs.
Aluga-se o sobrado de dous anda-
res, pertencentc a .Manoel da Silva Amo
rim, no principio da ladeira do Varadou
re, em linda, para psssamento da Testa,
ou por anno : a tratar na venda do mes
mo, ou na ruada Cadeia do Recife, loja
n. 5o
Aluga-se o bem condecido sitio na estrada do
Cordeiro, de Nuno Maria de Seixas, s proprio para
algum negociante estrangeiro ou outra pessoa que
tetina tratamonto : na rua do Amorlm, n. 15.
Alugain-sc dous sitios com milito boaa acommoda-
sflet um na camplnba da Cata-Forte e oulro na rua
da dila povoacao com cocbelras e cavallaricet; asalm
como variat casat, de procos comiiiodoi para se pas-
tar a festa : a tratar na rua do Amorlm, n. la.
Novo pao Provenga c b>la-
chinha regala.
Na padara de urna s porta na praca da S.-Cruz,
estar lodos os dias venda o excellenle pilo Pro-
venca, ea botachinha de regalo, j quer urna, quer
outra suficientemente approvadas pelas pessoas que
teom usado, assim como o angopflo, bolachas de
toilos os tamaitos, e entre estas a 30 em libra, s
d'agoa e sal, foradnhas e muilo toiradtnhas e lu-
do uuanto se fabrica nestes estabelecimentos. O pro-
prietario desta padaria de novo assevera a seus fre-
auezes que nada emprega no fabrico do pao e bo-
tachinha rogaba e mesmo em qualquer nutro ar-
tigo que possa projudicar ou alterar a saude, e s^
o ssamckorfariutia, mai *Wiot mante.ga
|ajunundoozelo, asseioe todo o esmero possivel
aflm de bem servir seus freguezet, e tirar a sua
subsistencia. Na travessada Madre-de-I'eoa n. 13 ,
leposito da mesma padaria tambem te acha a ven-
da o mesmo que na S.-Cruz e na rua do Collegio,
venda do Sobral, etc. smenlo a bolacbiuda re-
gilia.
FUNDIfAO DE FERRO.
Na fabrica de Rowman & M. Callum enge-
nheiros machinistas o fund.lores de ferro, na rua
lo llrum, un Recife, contina haver um grande sor-
timento de taixas para engenhos e moendas de can -
na, de todos os tamaitos e dos modelos os mais
modernos e approyados. Na mesma fabrica conti-
nuam-se a construir de encommenda machinas de
vapor, rodas d'agoa, rodas dentadas e todos os mais
objectos de macbinismo, com a pcrfeicojn conde-
cida, por preco eommodo.
Rowman & M. Callum desejam chamar a alten-
cao dos Srs. propietarios de engenhos as machinas
do vapor construidas na sua fabrica visto serem el-
las de um modelo muilo forte c seguro e todas as
pegas perfeitamenlo adaptadas urnas as outras, por
meio de tornos automticos, machinas de aplainar
ferro, e outros apparelhos modernos: alm disto, as
maclinasdesua coiisli'UCQiio leem as vanlagens sc-
guintes: possuemuma cisterna de ferro, onde a agoa
destinada para a caldeira se deposita por meio de urna
bomba movida pela machina, e onde so acha aquen-
lada pelo vapor superfluo anles do ser por meio da
segunda bomba de l introducida na caldeira, afim
de nflo esfriar a agoa nella existente, pola indroduc-
cto d'agoa fria, [como be de costume em machinas
inferiores ] e assim produzir grande economa de
combustivel.
Alm da supradita economa de combustivel na
producefio de vapor, estas maednus possucm urna
modificado nova das vlvulas por onde o vapor en-
tra e sabe do cylndro, pela qual a mesma quant-
tlade de vapor produz maior efleito do que as ma-
chinas de construecnoanliga augmentando assim
deuma maneira, nflo pequea, a economa do com
buslvel necessario para mantera machina em mo-
vimiento.
As ditas machinas possuem tambem um appare-
lliu pelo qual a quanlidade d'agna nlroduzida na
caldeira se acha regulada automticamente com a
maior certeza pela machina mesma evitando des-
ta maneira o grande perigo que existe as machi-
nas, onde por causa da mcsquiuha economa dos
fabricantes o fornecimento d'agoa para a caldeira
ha de sor regulado por mo de negros.
Estes esclarvcimentossito res pe i losa mente offere-
cidosaosSrs. proprictarios Je engenhos, que anda
perseveram em o methodo fraco, dispendioso c
insalisfaclorio do moer rom animaos, aflm de sa-
tisfuze-lus que, no emprego deslas machinas, pito
exislco mcnu motivo para receio neni de explo-
sflo, nem de quebra nem de demasiado consumo
de combustivel ; e Rowman & M.c Callum nflo
tecm pequea salisfacflocmasscgurar-lhcs que pe-
la pericia dos seus administradorese odlciaes, pela
lerfcicflo dos seus instrunieutus apparelhos e pe-
a abundancia e boa qualidado das suas materias
primas, seacbam habilitados para construirem ma-
chinas de vapor do lodosos lmannos e para todos
os (ins ; assim como toda especio de machinismo ,
com urna petfeiQto nflo inferior as obras {das inelho-
res fabricas de Inglaterra e mui superior s geral-
tnenle importadas daquello paiz.
lisos e lavrados de |t* de aples de palu l
caberla .lilas para m-nmas, MlMUdoi do melh i
gosto ; loucadosda ull.nitmo.la de Pars ""'''*
mais ordinarios para meninas de ir na escola .llores
linas e plumas para chapeos c pan rabeen ; lucos do
seda ; mantas de pfl de aples ; litas de IWlM M
qualidades. Na mefna casa eonlinuain-s a Ia/, r
chapeos, toucas o vestidos de senhora da ultima
moda e por preco mais eommodo do que em outra
qualquer parle.
Lotera do liicatro publico.
O Cacto do existir perto de metade
dos hilltetes da lotera por vender, deu
occasi3o a que as respectiva- rodas nao
podessem ter andamento no dia ai do
corrente, como se nnnunciou ; persuadi-
do, porm, o theioureiro que semelhantc
venda nao deixar de ter impulso, marca
novamenlc o dia () de dezembro prximo
luluro para o referid.) andamento, e es-
pera que esta nova designarlo ser im-
prorogavel.
--0 Sr. Antonio Joaquim Pereira queira procurar
um carta viuda doPorlo em mo do Maunel Jos
Comes Rraga na rua da Seiizalla-Velda, n. !H.
I'ergunla-se ao Sr. Antonio Go-
mes Villar, se ainda lie credur do Sr. J.
Ht'ranger, e de que quintia, visto correr
por aln de bocea em bocea que sin nierce
j fez cessSodoque llie est devendo o di-
to Sr. Bcranger: a sua resposla servir
de governo ao projndicado.
Compras.
MUDANfA.
D. W. Baynon, cirurgilto dentista dos Esta-
dos-Unidos respeilosamento noticia aos seus
amigse ao respeitavel publico, que tem mudado a
sua residencia da casa n. 40, da rua da Cruz do Re-
cife, para a de n. 26 da rua da Cadeia do S.-Anto-
nio, terceiro andar aonde ullimamento resida o
retratista americano Kredericks, e aonde daqui em
diante o annunciante lera muilo gosto de receber os
que precisaren! dos seus servicos professionaes.
Luiz llollandcr subdito hollandez, retira-se pa-
ra os portos do norte.
-- Precisa-sede um official decharuteiro pagan-
do sea 200 rs o eento : na rua nova do S.-Amaro
casa terrea n. 20,
-- Quem quizer mandar engommar roupa dirja-
se as Cinco-I'ontas, n. 108
--P/ecisa-so de um mogo para caixoiro de pan*
lia mas que abone a sua capacidade : na prac.a oa
S.-Cruz padaria de urna s porta.
O vordadeiro fabricante do excel-
lennle pito de Provenga, quo estevo
na padaria franceza do Aterro-da-
a-Vtsta, tendo de retirar-se da
provincia, offereco-se a ensnar a
fabricar o referido pito com todas
as particularidades; assim como
cnstna a fabricaras falias chama-
das da rainha.: quem se quizer ins-
truir nestas fabricaces dirija-se
na praga da ItiVa-Vista, defronte
matriz, venda n. 88, por estes seis
dias, pois que nflo se podo mais
demorar.
Acaba de chegar um rico e bem augurado caval-
lo, bastante gordo, com boas marchas, para se
vender a quem tiver bom goslo na rua Nova, arma-
zem n. 67. .
Roga-seaos Srs. devedores da viuva Arruita,
que queiram pagar seus dbitos quanto anles pois
o prazo j do sufliciente alias serflo seus nomes pu-
plicados por extenso.
30,000 rs. de gratificacto
a quem touxer a escrava crioula, de nome Ca Iba ri-
a com urna nina cabrlnha do annos cujot sig-
naes acham-se neste Diario nos ns. 20 a 250 : a es-
crava foi seduzida por o pai da cahrinha o qual he
pescador ou pombeiro e mora em urna destas
praias at I'u-Amarello.
CASA HE MODAS FRANCRZAS NA RUA NOVA, N.
52, I. ANDAR.
Madama Theard tem a honra de participar ao res-
peitavel publico e particularmente a suas Tregue/as,
que acaba de receber pelo ultimo navio, viudo de
Kranga um itndo sortimento de chapeos de setim
pa-
se ja
--Compra-so urna espada praleada lalini cana-
na e banda : na rua do Itan&el, venda de Jos Ro-
drigues Coelho& Companhia.
-- Compra-so um preparo da guarda nacional,
ra oflical subalterno : na rua do S.-Rita, n. 91.
-- Compra-se una cartera usada que nflo
muilo pequea : na rua larga do Rozarlo n. 26.
Compram-se 400 palhasde coquoiro para ba-
nheiro : no Aterro-da-Roa-Vista, n. 29.
~ Compram-se escravos que sejam offlcias de car-
pina, de 18 a 25 annos e de boas figuras ; pagam-se
bem sendo de bons costumes e peritos no seu ofli-
eio pois silo para urna encommenda do Itio-de-Ja-
neiro : na rua do Amorim, u. 35, a fallar com J. J.
Tasso Jnior.
Vendas.
FOLIIimiS PARA 1849.
VOUUNIIA DE PORTA, alOOrs.
Dita do AI.CIREIRA, contendo, alm do kalcnda.
rio, una collecgflo de segrodos e remedios para uso
domestico, a 320 rs.
Dita a quo se reuni o AI.MANAK adininislralivo,
mercantilc industrial da provincia : este almanak es-
t accrcscenlado com todos os estabelecimentos .de
porta a berta, a 320 rs.
Vendcm-sc na praca da Independencia, livraria
ns. 6 o 8 ; no Alerro-da-lla-Vista, holica do Senhor
Morcira ; e em Olinda, botica do Senhor fiapozo, rua
do Amparo.
Vemle-se panno fino azul,
proprio para fardas volunlarios, e junlamente casimi-
ra encarnada no Aterro-da-Boi-
Visla, loja n. 24.
Vendem-se resmas de papel .almago, branco
prelina do primeira c secunda qualidades ; ditas
do peso branco e azul ; libras de rap do Rio-de-
Jatieiro Andataby ; linha em carretel de 200 jardas :
na praga da Independencia, loja de miudezas, n. 4.
Vendein-se barris com quatro ar-
robas de superior cal vigem de Lisboa,
por preco muito comhiodo: na rua da
Cadeia do Recife, loja n. 5o, de Cunba
& Amorim.
Vende-se panno de algodo da Ier-
ra, a 300 e lio rs. u vara : na rua do
Queimado, loja n. 29.
Diversas obras em martirn.
Vende-se, na Miado Cabug, loja do
Duarte, alineles proprios para senlioras;
e earteiras, almofadas, bolons e outras
militas galanlarias de bom gosto, o me-
llior que tem apparecido neste genero,
ebecadas pelo ultimo navio de Ti anca.
ACOA DE TENCIR O CABELLO.
Contina-sea vender a agoa do tingir cabello e
suissas : na tua do Queimado, n. 31. O metilo do.
applicar a dita agoa acompanha os vidros.
Tapetes em oleado.
Na rua do Cabug, loja do Duarte, ha
um sottimento de tapetes de oleado, pro-
prios para mesas de jantar, de meio de
sala c consoios, do mellior gosto que tem
apparecido no mercado: recommendd-
se.-os aos Srs. eslrangeiros, para orna-
mento de suas salas
Vendem-se meias de lindo [.ara homem ; ditas
de algodito ; penciras de rame; bixas de llambur-
go que tambem se alugam ); pilulas da familia :
na rua do Rozrio, padaria junio a igreja, defronlo
I da botica do Sr. Prannos.



.AR ENCONTRADO


.i
a .1,ooo
Coiiliniia-.se a vender, na ra da
.riu, n. (o,caixas coin cera de Lisboa,
siirtimrnlo \ un,ule (lo comprador.
Fardo,
m barrica* a 4,000 rs. ; sacras grande, a 3.500
rs., Jilas pequeas a 2,800 1. : 110 armazem do J.
J. Tasso Jiinior, na na do Ainurim, 11. 3.
Vendem-se cortes de casimiras finas
na t na do Crespo, n. <), toja
de Domingos (iiimar3es.
Vendem-se. na loja de Firmianno Joa Rodri-
gues Ferreira, no l'asseio-l'uhlico, ns. 9 o II, ricos
cuites de cambraia de seda ; ditos de cambraia de
barra; ditos de cambraia de qnadros do cores,
muitosuperiores; cores ; cambraia branca fina ; diales de 13a e seda ;
ditos de tarlalana de seda, de muito bom gosto;
lencos de scilu para imlo e para boiubrosde seuho-
ra; chitas finas de bom gosto ; madapolflo entesta-
do e muito fino ; casimiras de bom gosto polo ba-
rato preco de 5,000 rs. o corte ; corles de vestidos de
eliila com barra de muilo bom gosto; chapeos do
palha de cor propria para o campo e passeio; o ou-
Uas militas lazendas de bom goslo ludo por preco
commodo.
Vendem-se sapalOes de como de
lustro, pelo haratissimo pceo de a,)Go
e 3,ooo rs.; ditos para senboras e meni-
nas ; sapaloes blancos para homens e
meninos, por preco cominodo: na ra da
Cadeia do l'.ecife. i. 9.
Vendem-se dous lindos moloques de 12annos ,
muito sailios ; urna mulalinlia de 7 annos, com prin-
cipios de costura : na ra larga do lluzario a. 35.
Camlnaiu de seda.
Vcnde-sc cambraia de seda, de lindos padiO>s, a
7,00rs. o corle: na ra do Crespo, loja n. 9, de
Domingos Cuimarfles.
Vende-se, ou aluga-sea padaria dasCinco-Pon-
tas 11 154, com todos os seus pertcnces : a tralar
na roa Direila n. 24.
-- Na ra da Moda, n. 7, conlina-sc a ven.ler su-
perior colla fabricada no Rio-Grando-do-Sul.
-- Vendem-se presuntos para fiambre; queijos
londnnos; ditos de prato ; latas com bolachinba
lina de Lisboa ; ditas do, aramia ; conservas novas i
mostarda ; pules conisal fino ; lulas com marmcla-
da nova ; ditas com bervilbas ; carnudas com mas-
sas Unas ; vinlio moscatel de Setubal; dito Sberry ;
licores linos ; e oulros mais gneros, par preco coni-
modo : na ra da Cruz, no Itecifo, n. 46.
Lotera do Hio-dc-Janeiro.
\'endem-se meios bilbctes da terenira lotera'pa-
ra iiulcmnisaco do tbesouro publico : na ra da
Cadeia-Vi'lba, loja de cambio, n. 3S.
Vende-se na ra Direita, venda n 53, urna boa
escravac-ioula que sabe fazer todo o arranjo de
nina casa ; urna niulatinba de 10 annos, com prin-
cipios de costura.
-- Vende-se retroz preto, azul-fcuvle c sortido cm
Cores, de superior qualidade por preco muilo ba-
rato: no pateodo Caimo, 11. 17.
Fai mha de mandioca,
No armazem da ra do Collegio, vende-se farinha
de Magc, muito fina om saccas grandes : o tamben)
mais grossa de Cnravellas Ceara o da trra, por
menor prer-o de que cm ontra qualquer parte.
Veiidem-se barra pequeos cum cal virgem de Lia-
ba. a inaii cova que lia 110 mercado, por preco coni-
modo : na ru da .Moda aruiazeni n. 17.
Vende-se para pagamento dos credores a
venda da esquina li-fronte da igicja dos Marlyrios ,
com os l'uudos de "\ 000 a 400,000 rs. : quem'a pre-
tender dinja-se a 1 da Madre-dc-Deos, a Iratar
com VicenteFerreh la Costa o qual prometi fa-
zer negocio e vender aiato para realisar.
Saccas com mlio ,
a 5,200 rs.:
vendem-ss no armazem do Bacelar ,
fandega.
No armazem de Dias
no caes da Al-
Ferreira, no
caes da Alfandega, vende-se, por preco
muito commodo, potassa muito superior,
em pequeos Larris de 100 libras cada
nin, desembarcados ltimamente.
Vendein-se dous piannes de pti-
mas vozes e boa conslruceo : no auna-
sen! da ra da Crnz, n. qS.
runovimioda ficuiira;
F.xisle no armazem de molha.log, al ras doCor-
po Santo 11. 60 urna grande porcao deale genui-
no vinbo que se esta vendemio pelo diminuto-pe-
co de 1,120 rs a can. da e a ICO is. a garrafa ; Uin-
bem ha em pipas que se vender mais em conta : be
estoo melboide Indos os vinbos que se leeiu an-
nunciado pela sua simplicidade o ptimo paladar
quem urna vez o beber jamis deixai do o com-
prar.
Vende-se gomma di; mandioca, em
saccas : na (lia da Cadcia do l'.ecife, n. o
Vendem-se esleirs de palha de car-
nauba ; chapaos de dita, por preco com-
modo, em porcao c a reinlbo : ua ra da
Cadcia do l'ccife, n. o
Vpuale-se bolaclnnlia hamburguc-
za, em l,.tas, ebegada recenlemenle A
encllenle qualidade destas bolachinhas
a toiiiam muilo lecomimndavel
lo mu pianno do cxcellenles vozes c cm muito
bom uso, por metade de scu valor : ua ra do Quei-
madn, n. 17, segundo andar.
AVISO AS SENIIORAS DOCKIRAS.
Me rhegado no Alterro-da-Uoa-Vista, loja n. 48,
temos com 6 boectas pura doce, a 1,200 o terno.
- Vondc-so algod.lo da Ierra de superior qualida-
dc : na ra do Qucimado, n. 20.
- Vendem-se aceces da ex-
(incta companhiade Pernambuco
e Parahiba: no escriptorio de O
liveira I raaos & C, ra da Cruz,
n. 9.
Vende-se farinba e millioem saccas, por pro-
co commodo : ua ra larga do Rozarlo, n. 27.
-- Na ra da Cruz no Recife armazem n. 26 ,
vendem-se saccas com superior farinha de mandio-
ca, vinda do Ceara por preco mais barato do que
cm oulra qualquer parte.
Algodao trancado da fabrica
de Todos-os Sanios da
Baha ,
muito proprio para saceos de assucar e roupa do es-
cravos: vende-so cm casa de N. 0. Ifieber & Coin-
panhia na ra da Cruz, n. 4.
Vende-se ca.' virgem de Lisboa,
(llegada no ultima navio, em barris pc-
ipicuos, por menos do que em outra qual-
quer parte : na ra do Trapiche, arma-
zem n I7.
Vende-se cal virgem de Lisboa em barris de 4
arrobas chegada pelo ultimo navio, por preco com mo-
do : a tralar com Almeida & Fonseca,na ra do Apollo
Xa loja 11. 5 A, da ra do Cres-
po, de Ricardo Jos de
Frctas,
vendem-se cortes de chita com 10 cova-
dos, a i,Goo rs. : mantas de tarlalana, pa-
ra senhora, a 1,000 rs. ; pecas de brela-
nba de rolo, com 10 varas, a a,000 r* ;
e outras muilas faiendas por preeos com-
modos.
Vende-se limo cama de armneflo, com lona, qua-
si nova : no Aterroda-Boa-Vlsta, n. 48.
FAUELo ,
em saccas muilo grandes,
a 3s'6oo rs. a sacca:
no armazem do Braguez ao p do arco da Conceicflo.
Na loja da ra do Crespo, ao p
da arco de Sanio Antonio, n. 5 A, de
l'icardo Jos de Freitas Riheiro, ven-
dem-se chapeos de sol de seda, astea de
ferro, os, mais supei'orcs e modernos
3ne teem apparecido nesla praca, pelo
minuto preco de 5,000 n; ditos de astea
de halcia a 3,5oo e 4,000 rs., tambem de
seda, pre90 por que estao hoje os de
pnnninbo.
Na loja da ra do Ciespo ao p do
arco de S-Antonio, 11. 5 A, vende-se
casimira encarnada propria para golas e
canbes de farda a 1,^00 lis o covado
-- No armazem junto ao arco da Conceicflo que
foi do liando Rraguez vendem-se barricas de supe-
rior farelo de Lisboa a 4,000 rs. cada urna ; arroz
doMaranhflo, muito barato.
Vendcin-se saccas com farinha de
mandioca, de boa qualidade: na ra da
Cadeia de Santo-Antonio, n. 25.
Vinho bom c barato.
i
co muilo rasoavel, a vicia de sua muilo
superior qualidade : na ruado Trapiche,
n. 17, e ra da Cadeia, n. 34.
Agencia da (iinclicao
low-Moor, ra da Senzalla-
nova, n. 43.
Nesle eslahelecimento contina a ha-
ver iim completo aortimento de moendas
e meias moendas, para engenho ma-
chinas de vapor,e tachas de ierro batido e
coado, de todos os tamanhos, para dito.
Flores artificiaos.
Na loja da ra do Calinga, do Duarte,
acaba-se de receber um completo aorti-
mento de flores tinas, ramos, capcllas de
flor de laranja, pennas para enfeites de
chapeos de senhora e cabeca, guarnicOes
de vestidos de casa raen los : d-seio amos-
tras com o competente penhor.
Potassa.
Deseniharcou ha poucos dias urna por-
cao de barris pequeos, com muito nova
e superior potassa, e se achain venda,
por preco mais barato do que ltima-
mente se vendia, na ra da Cadeia-Velha,
armazem de Baltar&Oveira, n. 12.
Vinho barato.
Acha-se esUbelecido na ra da Madre-de-Deos,
n. 36, um armazem de
Vinlios da Figueira,
de ptima qualidade, a preco de 1,120 rs. a caada,
e a 160 rs- a garrafa ; e para nSo ha ver dolo do com-
prador serflo lacradas as garrafas o com rotlo, re-
cebendo-se a garrafa vasia, o dando-se immediata-
mente a outra cheia tambem ha barris muito pe-
queos proprios para quem passa a festa. O pro-
pietario deste esta beleci ment pede encarecida-
mente que se hilo illudam avahando, pelo diminuto
preco e sem conhoeimento de causa a qualidade de
sua fazenda digna por certo da estima lea verda-
deros amantes da boa pinga. Elle conta que quem
urna vez provar, continuara com goslo e sem arre-
pendimento. E o bom proco!!.' A todo o esposto
accresce o asseio e bom acondicionamento, o que
ludo se poder verificar em dito estabelecimento.
Vendem-se chapeos franeczes da
ultima moda de Pars ; bouets de palha
tanto de homem, como para menino de
superior qualidade e gosto o mais moder-
no ; chapees de mol i pretos e brancos :
ditos de massa sem pello, de varas fr-
i"
ht
Na esquina da ra do Vigario, n. 33, vende-se su-
perior vinho de Lisboa e da Figueira a 150 rs.
garrafa e em caada a 1,100 rs.
Vende-se muilo superior lagedo de Lisboa c
cal virgem cm barris de 4 arrobas, por mdico prec:
ua ruado Vigario, n. 19.
-- Na padaria da ra da Guia, no Rcdfe hatera
todos os dias a ven la o novo pilo de l'rovenca fa-
bricado poroutro modo que o actual o da melhor
farinba que ha no mercado : por este motivo nSo se
pode fazer senSo a 40. 80 o 160 r.
Vende-se, no armazem de Vicente Ferreira da
Costa, na ra da Aladre-Deos, scuieas em saccas
grandes .chegadas ltimamente de Triosto; vinho
.da Figueira embarra, o mais superior quo tem
vindo a esto mercailo do muilo conhecido autor Fa-
hiSo; vinbo abafado, em ancoretas de 4 e meia a 5
caadas.
no ar-
mazem da ra da Gru, n. 48.
CIIA'BRASII.F.IBQ.
Vende-se. no armazem de molhados atrs do
Corpo-Sanio n. eti, o mais escolente cha prodnzi-
Uo eniS.-Panlo, que ten nao a rile mercado
por preso multa ci.-.uudu.
Vendo-so, por n9o so poder conduzir pm 0 mal-
'1
na
mas e cores, para homem e meninos
ditos de palha da Italia, superiores ; di-
tos do Chilli muito alvos, assim como
todos os preparos para chapeos, ludo
chegado rceentemenle, e por preco o
mais commodo possivel : na rm Nova,
n. \'\, fabrica de chapeos de Christianni
& 11111 ao
Vendem-se saccas com tres quartas e meia de
farinha muilo alva e engommada, a 3,000 rs. : no
caes la Alfandega armazem n. 1.
Vendem-se dous quarlos o urna vacca com
cria por proco commodo : a tratar no Alerro-da-
Boa-Vista, loja n. 46.
Na ra Nova n. 20, loja de JoHo Fernnndes P-
rente Vianna vendem-se ricos apparcinos de metal
Tino para cha os melhorcs quo aqui teem viudo ;
superiores machinas parase fazer caf; ptimas fa-
cas de cabo de marfini; colheres de metal do prin-
cipe para sdpa cii, terrina e arroz ; as mais supe-
riores navalhas pira barba quo aqui teem vindo :
ludo por prec,o commodo.
Vende-se um berco novo de angico por muito
barato proco : na ma eslreita do Rozario, loja de
carpina, n. 27.
Vende-se a venda da ra de S -Thereza n. 60,
bem afrcguez.adaparaa Ierra, componeos fundos :
o motivo por que so vende so dir ao comprador:
a tralar na mosma venda.
-- Vende-se um lindo moleque do 14 annos: na
ra Direita confronto ao oitfio do lamnenlo, ven-
da n. 4.
Vendcm-so bonitos chapos ilo seda e de palhi-
nha para senhora e meninas ltimamente chega-
dosdel'aris, por prego commodo: no Aleiro-da-
Boa-Vista cusa do Madama Porta, n. 3.
Panno zul.
Vende-se panno azul, proprio para fardas : na ra
da Cruz, n. 17.
em grandes viagons : na ra larga do Rozario 1
segundo andar. "' *"
Vende-se o sitio do uom-Coalo, como i M ..
nunciou bom em ludo, no Manguinho, n is .!
preco commodo. 'por
Vende-se urna armacBo com halcSo, ootim.
para qualquer estabelecimento ou para un Drinei
planto queqneira botar venda : a tratar na meamT
que ora serve de fabrica do charutos, na ra du .,'
dorniz, noForte-do-Mattos, n. 9 at o da 7 j"
corronte que se da por prego commodo.
--Ainda est para so vender o sobrado de don.
andares e sotflo na travessa da Madre-Je-Dcos n 7
em ch8os livres, o qnal se vende por commodo ora'
co, e n5o ha duvida em receber alguma lattra am"
pagamento: trata-se na ra da Cruz, n. 50.
Charutos de Francisco de Groz
da fabrica da Babia.
No deposito u> ra da Cruz, n. 26, ha charutos
de todas as qualidados. tos
Cheguem fregueies ao barateiro da rna
larga do Rozario n. 36, ci m loja de
miudezas,
que vende ricos bahus para costura ; agulhas fran
oezas, proprias para senhora bordar j luvas de uei
lica para senhora, muito ricas ; ditas para honiem
assim como propriaa para montara ; oculos de to'
dos os graos de armac^o ; habados para toallias"
ricas aboluaduras para casaca ; bengalas do hinco .'
balota ; escovas para fato e para cabello, muito f
as ; ricas tosouras para costura; caivetes para Dan
as. muilo superiores: ludo por preco muito
ll T3 [O.
-- Vende-so urna porcao de cera do carnauba a.
superior qualidade, chegada do Aracaty no hi'alH
umdow: a Iratar com Antonio Joaquim de Son?
itibeiro. "
IVnas baratas.
Na loja da ru do Cahug, do Duarte
vendem-se pennas de pato, a 4, 5 e 6,000/
rs. o milheiro, ptimas para repartieses
publicas e cscrptorios : as amostras se
acham patentes aos Sra. compradores.
llantas de seda.
Na ra do Cabug, loja do Duarte, ven-
dem-se mantas de seda a 1,000 rs. A el-
las, antes que se acabeni, pojs estamos
com a festa na porta.
Escravos Fgidos
Na ra Nova, loja de ferragons, u. 23, na esqui-
na que vira para a Cainboa-do-liurmo, vende-se um
completo soi lmenlo de forro inglez chegado pro-
si mmente de Londres, por preco mais commodo
do que um oulra qualquer parte.
r- Vendem-se espailas praleadas de rico nadrOes ,
propnas para ofliciaea de cavallaria o infamara : na
ra Nova, loja de forrogens, n. 16.
Vende-se um ptimo oabriolet descobertA.
luilo bom estado com os competentes arreios.
Vendem-se saceos com farelo,
chegados ltimamente, pelo diminuto
preco de 3,4oo rs.: na ra di Sanzalla-
Velha, o- i38.
Vendem-se os fileiros e balero que
forn.-n di armacao vi Iba da loja do Duarte
proprios para qualquer estabelecimento
por preco muito commodo : a tratar
mesilla.
-- Na ra do Crespo loja de 4 poi tas n. 12, ven-
deinTse chapeos do castor pretos, do inuilo boa aua-
li.lade a4,40ll rs.
Vendem-se as melhores espadas praloadas e
douiadas, para cavallaria e infantaiia : na ra No-
va loja de ferragons, n. 25, na esquina que vira pa-
ra o boceo da Caiiihoa-do-Carmo por preco mais
commodo do que em outra qualquer paite.
Vende-se a verdadeira po*ca Rnssia, desembarcada bontem, piVpr-l.e^J^novoeTrleV''
em
Fugio.no da 26 do corrente, domingo pela
tarde, 11 m escravo pardo, muito claro do nome
Cregorio baixo, de bonita figura desdentado do
queixo do cima ; levou calcas azqes camisa bran-
ca um Irouxinha de roupa as costas; foi encontra-
do no mesmoiliaa larde em Olinda procurando a
estrada do serlfio de onde he natural; foi compra-
do no Caar por Manoel Jos Salgado ; ha de ser
cusloso a conheccr-se porque alm deirem trages
de matulo parece mesmo matulo levando cha-
peo do palha novo. Roga-se as autoridades policiaes
e ca pitaes de campo que o apprehendam 0 levcm-
no a ra da Cruz, no Recife', armazem n. 26 que
serflo gratificados.
Fugio, de bordo do brigue Sartorio, na manhfli
do dia 5 de julho prximo passado, um escravo ia-
rinheiro, de nome Francisco do nagflo Jang; re-
resenta ler 30 a 35 Bnnos ; tem um signal na face es-
querda, falla muito descancada ; levou calcas oca-
misa de algodflo azul, chapeotle palha pintado de
branco o balde de Irazer rucos o 7,000 rs. em ce-
dulas ; falla hespanhol: (quem o pegar leve-no a
ra da Moda n. 7, que sera bem recompensado.
Fugio, no dia 18 de outubro do engenho S.-
Joflo, 110 Cabo, Mu-colino, pardo trigueiro, de 19 an-
nos, estatua regular, cara redonda, olhos papuenos,
denlos limados ; levou duas calqas, urna de brim
pardo e oulra do riscado azul; quem o pegar leve-o
ao referido engenho ,ou a casado Lulz Comes Fer-
reira no Moiidego, que ser generosamente recom- v
pensado.
Fgio urna parda de nomo Anna da 40 annos
pouco mais ou menos, cheia do corpo de estatura
mediocre; tem falta de alguns denles adiante ; tem
o cabello corrido grande e sem estar amarrado ;
tem grossas ambas as capellas dos olhos; lio muito
falladeira ; levou vestido do chita pela panno da
Costa azul : quem a pegar leve-a a sua senhora I.
Miria Theresa de Moracs Mayor na ra da Cadeia
de S.-Antonio, casa de um andar n. ,ou a sen
irinflo o major Mu5 ur, que recompensara.
Desappareceu no dia |30 denovembro, una
prcla de nacao Angola do 3i annos pouca mais ou
menos de estatura regular secca do cjrpo an-
dar vagaroso o oomo quem ve pouco ; tem um dos
ps juchados ; suppOe-se nao andar fra da cidada.
Esla escrava servia ltimamente a Antonio da Cos-
ta Ferreira ,11o poder do qual vendeu agoa e outras
cousas de ven lagem ; levou vestido azul com vivos
brancos no collele do mesmo; panno da Costa, o
missunga no pescoco. Quem a pegar leve-a a roa d<
Cadeia do Recife, luja de ferragans le Antonio Joa-
quim Vidal, 11. 56, ou no Forte-do Mallos, ua ra do
Amoriui, n. 36, que sera recompensado.
Fugio, no dia 10 do novembro a escrava Feli-
cia de iiacflo Rengela de 40 annos pouco mais
ou menos; levou vellido de chita, saia de lila, pan-
fio preto costuma andar calcada intitula-se a al-
gumas pessoas que a nao conliccem de Torra ; 'fia to-
hilidadi) que esteja recolbid* cm casa como
, por i ^a lH'u''
preco commodo : 110 Alerro-da-Uoa-Visla em casa Ululo da procurar smilior; na oecasio da fuga Til-
do Sr. Miguel Segeiro laram alguns objectos como colheres de sOpe do
Vende-se lcali ao da Suecia ; farinha de trigo ctai Jo I"""1" 8 tcancelins com modalhas. proprias
SS8 e de oulros autores, cm meias barricas; vi- M" meninas leudo 9 peso de ll oiUvas pouco mais
nlio do Porto em pipase barris de todos os Inma-
uhos; fechadurasgrandode Inoca para portas de
armazem; coeiros de algodflo ; peneiras de rame;
por proco commodo : na ra do Vigario n. II, pr-
moiro andar.
Vendem-se SOOcpuros de cabra : 2 arrobas de
I pennas de ema por muito barato preco : na raa
larga do Rozario. loja de miudezas. II. 26.
o pas-
por ser experimeultdo
ou menos ; bem como alguma roupa branca alean
da roupa da inesma prela que cum antecedencia ti-
ntn tirado de casa. Roga-se a qualqucrpessoa a quem
-------------1 ----------------------O ----v I fvuviiiij >*w < i ^ *-------------------, ,---. ^j------, -^ w---
cal em barris pequeos ; arcos para barricas : tudo orem o fe roe i dos o diiosobjectos, os apprehenda o
avise a Manuel Carneiro Loaf, na ra Nova, n. 41,
segundo andar; bem como que captura a inesma pre-
la, contando com a gralilicacflo.
Pebn.: n ttp. pan. r. n rau.1848
MELHOR EXEMPL


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E73OZ3A1O_OLG4TY INGEST_TIME 2013-04-12T23:34:07Z PACKAGE AA00011611_06189
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES