Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06188


This item is only available as the following downloads:


Full Text
MU)
XXIV.
Sexta-fera 1
nm n 10 publicare todo 01 diat que no
le curda: o preeo da asignatura he
'"/"mu r 1->T quartel. fijo fiaalntoi. O
V* io !" sifnanlfi >ao inseridos
'"" .l rt. por llnha, 40 r. ein tjrpo dlf-
""".. ras repelle*" Pla inclade. O nao
""' iira pasarte 80 rs. r-or linda e I(W rt
^'fjJ.udiUerenW, por cada publicado.
PHASES DA LA NO MEZ UE DEZKMBRO.
_,, a 3, ( 5 hora e47 mln. da Urde.
1 k.u a ID, s 9 horaa 26 luln.da ininb.
jfL., a 17, i 8 hora e 63 mlu. da manh.
**| a 2f>. l 2 hora e 3 mln. da Urde.
PARTIDA DOS CORREIOS.
folanna e Parahlba, t seg. e tritat-frlrts.
Hio-Ci.-do-Nnrlr, <|iintai-frirat ao ineio-dia.
Cabo, Serinliiieui, Illo-Pnrinotn, Porto-Calvo
t Macrln, no I.', a II r 21 de cada mea. Garanhunt e Bonito, a 8 e 23.
Boa-Vista e Plores, a 13 e 28.
Victoria, i quinlat-feirat.
Olinda, todos o diat.
PREAUAR DE BOJE.
Prlmelra, i 9 horaa e 18 minutos da manh.
Segunda, s 9 Itera* e 42 minutos da Urde.
le Dezcmhro If. *70
das da semana.
17 Segunda. S. Margarida dr Sil.oia. Aud.
ituJ.diMorph.do J. :i. r do J. M.da '.'. v.
\!N Titc. S. Qregorio, Aud. du J. du e di
1. V. r do J. de pa/ do i. ditt dr I,
29 (Miarla. 8. Saturnino. And. do J. do C. da
2. v. r do J. de pat do 2 din. dv I.
30 Quinta. >fr S. Andi.
1 Sexta. S. Kloy. Aud. do J. do civ. e do J.
do pat d i I dltt de t.
2 Sabbado. S. Ilibi.uia. Feriado en ludas
as repirllfocs.
3 Douiogu. S. Francisco Xavier.
CAMBIOS KO DIA.30 DE XOVKW0P.O
Sobre landres itfttf. por IfOunrs.aCii di it.
Paria
I.isliiia 120 por eruto de pu.iiin.
io-di-lnii'iro ao |jir.
Iirtc. dr lell. de boas Srm i* l I '.', o iue
Accoetda eomp. di Helteril-, a.'iO/r*. aop.
Oaro.-Oncat hrspanholas 30/80.1 a 3I/Wi
Moldas d.uyllll v. 17/000 a IT/(Hi
. de U/400 n. li#0il a II/4ihi
dej/UOO... 9/200 a :>fMM\
/ralaPatacdet brasilelros l/94i> a IJMio
Pesos columnarios. 1/tHO a I/MU)
Dito* mexicano...... l/90iPa 1/920
DIARIO DE FERVAMBUCO.
i_______-.
PARTE 0.FFIC.AI.
MINISTERIO DO IMPERIO.
jlio-de-ianciro. Ministerio dos negocios do im-
perio, em 8 de novembro de 18*8.
Hlm. oKxin. Sr. Sendo um dos maioresempe-
nlms 'lo governo imperial o de promover por todos
osnieios aoseualcance os melhoramcntos deque
carocsm as diversas provincias do imperio em cada
um dos ramos da publica dministraQIo; e tornan-
do-se para isso indispensavel que seus delegados em
caila provincia o auxilien) com as necessarias infor-
maces: ha S. M. o Imperador por bem que V. Ex.
remella este,secretaria de estado do negocios do
imperio todos os esclarecimentos qu poder minis-
irar sobre os aoguintes objectos :
I." Sobre a instruceno publica, declarando o esta-
do de adiamntenlo ou atraso em que ella se acha ;
o numero de collegios e escolas tanto publicas corno
particulares; o dos alumnos que as frequentam, e
seuaproveilamenlo ; a nalureza, methodo c livros
do ensino;. e finalmente, se ha na provincia algum
eslalieleciment publico destinado a educarlo da
niocidado e alguma bibliotheca.
2." Sobre obras publicas geraes, especificando o
estado das que estiverem m andamento, o propon-
do as que as necessidades da provincia reclamaren),
subieludoasque tverem porfim facilitar os trans-
portes e meios de communiCacfo com oulras provin-
cias, comosijam o.melhoramento das estradas exis-
tentes, a abertura de novas, o desenvolvimehlo da
navegaoSo fluvial, a abertura de canaes, e quaesquer
outrasobraa desemelhantonatureza vindoacom-
paiihada, a ser posfllvel, a proposta de cada urna da
respectiva planta e orcamento.
3. Sobre o estado da agricultura, mineraciio e in-
dustria : declarando em geral que gneros produz a
provincia, que nova cultura convir inlroduzir, e se
haalguma escola de agricultura, jardim ou borlo bo-
tnico; que productos mineralgicos encerra, ese
teem sido ou nfloanalysados.onviando amostras dos
que ainda onotenham sido para poder delerm-
nar-se a sua natureza e qualidade, o providenciar
sobre a sua exlracc9o no caso de que ella convo.nha ;
que fabricas existen), e que qualidade de industria
em cada urna dcllas se exerce. especificando se o seu
trabalho se faz com bracos livies ou escravos, que
numero de uns e de outros emprege cada urna, e que
quanlidade de productos manda animalmente ao
mercado : fazendo a este respeito todas as observa-
Cues que sirvan) a orieutar o governo as providen-
cias que deva dar para o progresso o aperreicoamen-
to de qualquor dos indicados ramos.
4. Sobre a salido publica, e especialmente sobre
o eslado da prpagaco da vaccina, e vantageas que
se tcnliam tirado das providencias consignadas no
rcguianienlo n. 464 de 17 de agosto do 1840, indi-
cando quaesquer alterares ou novas providencias
que a experiencia leba aconselbado.par. que*le
l-euclicio preservativo se propague o nao Talle jamis
na provincia, '.,, i
j." Sobre o estado do commercio, indicando quaes-
quer providencias que tondam a desenvolve-lo, e a
animar nessa provincia o espirito de associagao e
empresas.
ii' obre os correios, informando se o seu servio
be eilo com regulaiidado, e propondo todas aquel-
las providencias que concorram a melbora-lo.
7: Sobre os ncleos do colonisacSo que alu oxis-
lam, e a convenenaia do se formaren novos, indi-
cando o lugares que para esse m parecam mais
a"8.SFinalmenle, sobre a catechese e civilisacilo dos
indgenas, ipondo quanto occorrer acerca do mo-
do porqnenesaa provincia ten s.do ecutado o re-
gens que do suas proviiUmcaS toaban resultado-
li porque sobro tantos e 13o variados ol-jeclos bem
possa sucTedeT que no csteja V. Es. I^jM*
llar de prompto lodos osescl.rce.incnlosi queihcam
exigidos, acHe ha por mu.to recommendado, que,
medida quo sobro cria un. dellas Wr colhendo. in-
rormac.0es, as.transroitU sem demora a esta secrc-
''tg^dta'v. Ex. n.onede MontAUgr,-
SrWr:r.^oXrtdftot os presidenlos
das demaia provincias.
MINISTEBIO DA MAMNHA.
AVISO BE BE NOVEMBRO DE 1848.
llevog. o aviso de 17 de dezembro do 18"^~
embarqueados oliciaes ,Jf"ent' u ur av
servar o que a este respaila seordenou por aviso
de 9 de dezembro de 1845.
Su. Mageslade o Impe.ador, cor. f^ndo-se com
o que expzera o antocesaor da V. 6. en c '';,
52, de 24 de agosle ullimo, lia por bem detei n inai
que nos embarques dos ofiiciaes de fazeuda ae obser-
ve estrictamente o que a este respeitase ordenou em
aviso de 9 de dezembro de 1845, que el.aou dou=.
annos o lempo de taes embarques ; devendo aquei-
les ofiiciaes ser rendidos nofim.daale periodo, onde
quiirqueos navios em que se charemestivetcm es-
tacionado, fazendo-se os rnvenlanos segundo a
formalidades proscriptas no mesmo aviso, cl'cariue*
-__._._ rj_ .- .i., .i.,,,.,i,ii> du 1847 : O
Deoa guarde a V. S. Paco, em 6 de novembro de servavam na mencionada matriz o na casa de Jos Por-
18*8. Manoel Ftliurdo di Souia e Mello. Sr. Joilo ^ u|limamenle demittido do cargo de delegado de
Francisco Regis. polica. Entilo afn;a legalista assenlou de por em cer-
I co os revoltosos, e f-lo com tsnta habilidado e bravu-
GOVRNO DA PROVINCIA. raque a0 cab0 dealguns minutos ostava scnbora
Dovendo solemnisar-so com a maior pompa possi- de loda a villa, tinba em sen poder trinta e oito
velo da 2 de dezembro prximo futuro, anniversa- I nri,ioneiros nC|usve o capillo do guardas nacio-
riodo nascimento de Sua Magostado o Imperador,, v
S. Exc. oSr. presidente da provincia manda convi- naes Joaquim Ilias Borba, e augmenlava os seus pe-
dra todos osempregados pblicos para concorre- I.. cho. beUicM com lrnla 0 tantas armas lomadas
rem ao cortejo e ais stirem a grande parada que no -
mesmodia terto lugar, comparecemlo na palacio do
governo ao meio1 dia.
Secretaria do governo da provincia de Pernambu-
co. 36 de novembro de 1848.
O secretorio da provincia,
Honorio Vertir de Astredo Coutinlto.
GOMA1 ANDO DAS ARMAS.
Quarlel-general do caminando da arma da provincia
dePimambuco, 30 de novembro de 1848.
OltDEYl DO DIA
Havendo-me S. M. o Imperador, por decreto de 16
do correte, Horneado commandanto das armas d"es-
ta provincia, como se v do offlcio e aviso abaixo
transcriptos, faco scienle guarnico militar quete-
nbo assumido ocommando, para o qual.S. M. Im-
perial fol aorvido nomear-me, e que por tanlocessa
o tilolo do commandanto em ebefe.
OTlCIO.
- Illro. e Exm. Sr. Tcnho a satisfacSo de trans-
mita'a V. Ex. a inclusa copia do aviso expedido
pela secretaria d'estado dos negocios da guerra em
dala do 17 do crrante, do qual consta liaver sido
V. Ex. nomeado para commandanto das armas d'csla
provincia, prevenindo por esto occasiso a V. Ex. de
que convir que comprela amantia no palacio
do governo, para lomar posse do dito cargo. Dos
guardo a V. Ex. Palacio do governo da provincia de
Pcrnambuco, 29 de novembro de 1848 Herculano
Ferrtira J'etuut. illut. e Exm. Sr. brlgadeiro Jas*
Joaquim Coelho, commandanto das armas nomeado
para esta provincia.
AVISO.
aos vencidos, quo liaviam deixado no campo seis
morios o um dos feridos, que, por o oslar grave e mor-
talmente, nSo podra acompanhar nacarreira aquel-
es que, menos offendidos ou desejosos de escapa-
rom s penas em que baviam incorrido, fugiram
precipitadamente o cm completa deso dern.
Os valenlcs legalistas tiveram de lamentar o leve
ferimento do cinco de seus irmfos, bem como a
moitodo denodado capitiloJofio Marinbo, cuja-me-
moria devede ser-nos tanto mais chara, quanto he
certo quo elle ja nilo era domiciliario desta provin-
cia, c voou daParahiba, onde vivia tranquillo, a
reunir-se aos que estilo disposlos a dar as vidas pe-
la integridade do imperio, pelos direitos do Senbor
D. Pedro II, e pela constituigo jurada.
Este dislincto oflicial, cuja familia deve contar
com a proteccSo e amparo do governo, c cujo no-
mo jamis ser olvidado pelos amigos da or-
dem ; esto dislincto oflicial, dizemos nos, desde
quo apparecou no acampamento dos legalistas reu-
nidos cm Nazareth tornou-se digno da eslima e ad-
mrac.lo de todos os seus companheiros de fadigas
pelo afTan com que huacava tomar parte as empre-
zas mais arriscadas, as expIpracOos mais perigosas,
nosfeilos mais intrincados; elle falleceu logo no
comego da acQo, traspassado por duas balas, o com
atesta varada por urna palanqueta que Ibe arrome-
Logo que o commodoro llarbor e o Sr. t.orc sou-
beram em Montevideo da resoluc.no do dictador, es-
crevoram ;nodia 10 deoutubio) duas carias uo Sr.
Soulhcru, annunciando-lbe a prxima rhegada de
urna expedic,:1o tranceza e a quasi probabilidade quo
linha Ellaurldoconlrabir um einpreslimo em Lon-
dres.
0 Sr. Soulbcrn, apenas^recebeu estas cartas nn
dia 17 a noite, corren casa de Arana para inos-
trar-lh as, e est mandoii-as logo ao goveruador por
u ni geuro do Dr. Prez, llosas acoliieu-o mal, e lidaa
as carias devolveu-as, accresccntaudo: diga a Ara-
naque n.lo me lomo o lempo com toes frioleiras.
Tenbo fundados motivos para crer quo oSr. Sou-
tbern nao se demora aqu sena al a ebegada do
paquete Ketrel. S. S. espera os despachos do seu
governo pelo paquete deselembro, o se, como lie de
suppr, nada receber queoautoriso a annuiras anti-
gs o s novas exigencias do dictador, partir para
Montevideo, donde se diz seguir para o Hio-dc-Ja-
ueiro com o commodoro na fragata llaleigh.
Rosas contina a reunir gente, mas por hora nilo
lia moviinento que indique o destino que lliequer
dar.
Por esta occasio entendemos dever copiar tam-
bem o soguinte artigo do Comercio del Piala
Segundo somos informados, a escuna franceza
Venus, armada com duas pc?s c destinada conduc-
cilo do vveres e aguada para a esquadra franceza,
tinba ido ao Uruguay levar mautimentos aobriguc
Alsaoienne, all estacionado. Na ilha do Yaguari eu-
trcgou-llieoSr. commandanto Ledesma.quinze pre-
sos para conduzir a Martin-Carcia. Encalhando a es-
cuna na sua viagem rio abaixo, subi quasi toda a
guarnicilo s vergas c cnxarcias. Os presos, aprovei-
lando esta circumstancia, atararam o mostr, o Sr.
Giraud, que da popa itiNgia a manobra e malaram-o,
bem como ao commissario, o Sr. Colspellier, que
subir ao convs apenas nuvra o barulbo. Fcriram
mais tres homens, encravaram as pegas, e depois
fugiram nos escaleres da escuna para a costa ori-
ental, v
Copia. Illm. e Exm. Sr. Tendosido nomeado
por decreto datado de honlem o brigadeiro JosJoa-Laram d'uin troco de revoltosos sobro que se arro-
auim Coelho para commandanto das armas dessa]
provincia, determinqu S. M. o Imperador que o par- :
w1 J.*__... tf Vw aria ana H\a Fii'-.i HuP tintilla ll"i\
licipasse a V. Ex. para que Ibe faca dar posse nao
obstante a falta da respectiva patente. Dos guarde
a V. Ex. Palacio do llio-de-Janeiro, em 17 de novem-
bro de 1848. Manuel t'elisardo dt Suuza Mello.
Sr. presidente da provincia do l'ernambuco.
Cumpra-se e registre-so. Palacio do governo de
l'ernambuco, 29 de novembro do 1848. terreira
Penna. Conformo. Honorio Pereira de Azeredo
Couliiilto.
. Jos Joaquim Coelho.
DIAKIO UE PEBJVAHltUCO.
BECIFE, 30 DE NOVMDBO DE 1848.
...^^^ -*.
As armas da legadade obliveraro mais um Irium-
pbo sobre as da revolla no dia 28 do coi rente. Foi na
villa de Nazareth quo bou\e lugar a aceito entre cen-
to e oitonta bravos commandados pelo experimen-
tado torrente-coronel Jos Maria Ildefonso Jacomo da
Veiga Pcssoa eos revoltosos queoccBpavam aquella
villa.
Temos ante os elhoa a pailicipec,lo oflicial do com-
bate, o della nos sorviremos para uarra-lo com tod*
afidelidade.
Aodspontar 4o lia, foi a villa locada por tres
pontos pela frca legalista, dividida em tres parti-
das: a do centro trazia sua testa o sobredito le-
nente-coronel Jos Maria ; a da direita liaba por
commandanto o capito do quinto batoihSo defu-
zileiros, Angelo Baplista Mend.s; o a d.esquer-
da era conduzida pelo capltno reformado da guarda
nacional, Jbao Mariano Falco : os revoltosos, collo-
eados no coro da igreja matriz o em varias casas quo
dominavam as paragens por onde vinbam as parti-
das, eomo que confiados as vantajosas posic,6es,
receberam com repetidas descargas os defensores da
ordem;mas estes, forte, na sua consclenciu, fortes na
santidadeda e*u,a por Imente .brindo caminbo, e, depois de haverem lutado
por urna hora, conseguirn, desalojar quasi completa-
ente o in.migo, uja maior porc.50 corren emdeb.n-
jou com a cora geni que iiie era propri
Soestiveramos dominados dos senlimentos bar-
baros oferozes que ostentam os promotores da re-
volla, smente deplorramos o passamenlo deslo be-
nemrito cidado, e cobrramos de insultos ascin-
zasdosque, Iludidos por vitas promessas, morre-
ram em Nazareth, empunhando armas criminosas e
resislindo aceito das leis : mas, felizmente, ainda
nao perdemos a rasito, epois vertemos lagrimas de
dor por todos quantos terminaran) a existencia na lu-
la de que temos tratado.
Ainda com referencia communicacio oflicial que
citamos em principio, declaramos que inuito so dis
tinguiram no combato todos os legalistas que nelle
se acharan), lornando-se merecedores de todo o elo-
gio o Sr. capito Angelo Baplista Meades, os corajo-
sos soldados do quinto balalliSo dofuzileirds que o
acompanbam, os guardas nacionaes que com estes
cooperan), e bem assim o capitfo Paiva.
Urna partida dos revoltosos do Catuc, vindohoje
(30) o meio-d ao engenho Dous-lrmaBs, leve a in-
felicidade de cncontrar-se com um piquete do sex-
to batalhao de caladores, quo talvez suppozessem
ausento d8quelle lugar; e ah travou-se um conflic-
to, cojo resultado foi perderm os meamos revolto-
sos dous dos seus sequazes, e recolherem-se preci-
pitadamente ao seu escondrijo.
formalidades proscriptos no memo y,so'l" """r"' n.nw "- M Mricos que
portanto, revogado a de 17 de dezembrodemi: I-dada sem se importar com os riscos e pangos a que
' "Ideixm expostos os companheiros que ainu-s con-|eflam.........-
O nosso correspondente da corte, em urna des car-
tas que publicamos cm o n. 269, rorerio-so a outra de
Buenos-Ayres, inserida no Jornal do Cvmmercio do 14
deste mez: os leitores estaro sem duvida desejosos
de aprecia-la, epois vamos offerec-la sua medita-
t}3o. Ei-la:
0 Sr. Smilhern fez os maiores esfortjos par. ser
recebido no seu caraeler iblico, mas nada conse-
cuio. Tcvednas entrevistas com o general llosas.
Na secunda declarou-lhe este lerminantemente que
nHo receben nenhum agente diplomtico da Ingla-
terra nuonitoviesseautorisado para ajuslar ludo so-
bre as bases Hood com as modiucacOes propostas
neto governador argentino e mais reclamaeoes aue i-
nAou/staet)e'^1 da prolongarte da guerra
que coiniuunico a V. S. para seu cor.tiei;>mw
esecuc^o.
I.se no Jornal do Commercio de 7 e 18 desle moz:
k Pola secrelaria de estado iloi negocios da justica
baixaram os decretos sega i ules :
. Decreto de 2 docor.rcnle reintogranno o b.ieha-
rel Antonio (tomes Vil laca no lugar de juiz munici-
pal c de orphitos dos termos reunidos lo llelmonte a
Canarieiras na provincia da Baha, llcando sem cffoi-
to o decreto que o remover para o termo de Pililo-
Arcado.
dem idem reintegrando o hachare-I Jos Comes
da Silva no lugar de juiz municipal e de" orphitos do
termo do Pililo-Arcado na provincia da Baha, flcan-
do sen effeito o decreto que o remover para Bel-
monto e Canavieiras.
dem dem removendo o juiz municipal o deor-
phaos Ignacio Joaquim Barbosa lilho, do termo da
Parabvba-do-Sul, no Bio-dc-Janeiro, para os tormos
reunidos da Barra-do-Bio-Negro e Maues, no Para,
por assim o haver pedido.
dem dem removendo o juiz municipal e de or-
phitos Silvcrio Fernandesde Araujo Jorge, dos ter-
mos do Penedo e Porto-da-Follia par o termo de Ma-
celo na provincia das Magias, por assim o liaver
pedido. ,
Decreto da mesma data nomeando o bacharcl
Joaquim Jos llenriques para juiz municipal e de or-
phitos do lermo da cidado do Ouro-Prcto, capital da
provincia de Minas. *
dem dem nomeando o hachare! Caldmo Augus-
to da Nalividade Silva para juiz mumcipal e de or-
phOos dos termos reunidos de Penedo e Porlo-da-
Folha na pr.jvinc das Alagas. .
dem idem nomeando o bacharcl Alcxandre ito-
drieucs da Silva Chaves para juiz municipal e de or-
phfo do termo da Parabyb-do-Sul no Itio-de-Ja-
"Ttoern idem apresenlando o padre Luiz Justino da
Costa na nova freguezi deS.-JoSo de Paraguassu na
""dem Idem aceitando a desistencia que fez Ray-
mundo Ignacio da Suva Cyrhvco do ollleio de egcn-
SotX e civel d capital da provine do Para.
dem idem aceitando a desistencia que fez Fi-
li,.pe Rodrigues de Carvalho l.cssa do olfico de es-
crivBo.leorpliflM da villa do Ligarlo na provincia
de Sergipe.
< Tomaram o grao do hachare! em matlicmalicas
SSJose de Miranda da Silva Res, i. teuente do es-
U"ntonde Castro Vianna, capillo de artilhaiia.
(i Jos Pedro Nolasco Pereira da Cunha, 2." lenle
Vurmenegil-Io do Albuquerquo Porlocarreiro, ca-
uitaodeartilharia. ...
a JoSo Luiz de Araujo Oliveira Lobo, 1. lente de
engenheiros.
francisco Comes de Freitas, teuente **Manoel Jos Macliadoda Costa Jnior, r.Mx-nento
de arlilharla.
Bernardo Pereira do Carino, 2.* tonente.
Antonio Pedro do Carvalho Borges, 1* lente de
engenheiros.
Luiz Jos da Franca, 2.' teuente le engenhei-
ros.


j MUTILADO

. I
- -



V\|t||;i>\|>i:

i \i:i.\ iH. iii;.\ztiz\\,v BOTICARIO di: i.isiioa ,
AO IIAIIIIEIIIO.
lUonrher. A quo*(flo italiana depois dos ltimos
p grandee sopapos que Icvou pelas vonlat r> ambi-
riom Cirio* Allicilo MU retlu^iitah um dilema que
nada tem de enmprido oil n Sra. D Franca inter-
ven mi nlo ntervem militarmente. Kis-.qui ,
mestre ;i gravissma quesillo que na noile d< hou-
li ni se iljjrnlia na miiiha botica. o primeiro caso,
i!i/ia ii l)r. Ilermognei lomando a sua pitada I>, ni roneequenoi.l nceessarias silo o proclamar-.se
i repblica* eni todos os pai7.es por onde transita-
rem ou se aquartelarein os soldados francezes,. 6 dn-
-hii".>r-si< a guerra entren novo imperio allemlo o a
Sra, li. Franca ; o pslalarorn dentro desta as com-
mnfOos populares; o augment.r-se cm muitos mi-
II1O1 -s mala O dficit do thesouro fr.ncez e emiim a
aggreg.cSo da Sra. D. Saboia Sra. I). Franca, cousa
que as potencias limitroplies nflo pdenlo olliar com
as m;*ns deh.hio do braco. Porm, se a Sra. I). Freo-
i;i lllo interven) com as baionctas de Anstcrlitz, Je-
iii o Merengo,ilisseo barita de Canudo, temos que
i Sra. I). Austria papa oulra ve/, a boa posta de l.oni-
liardia, e ou faz nina paz vcrgwihnsa meu pruno
'-arlosAlberto, ou as aguias austriacas Ibc oceu-
putii militarmente o territorio sardo. Km qualquer
los dnus casos, disse n cidadflo Chirinipeau, veode-
d ir de agualdas, alliiiele.se agua de Colonia, a
grande tranca dito icar espectadora .' En aposto a
nimba rabeen, e o resto, nao chegaodo ella, ein |
nomo a minha palria ha tic fazer tremer a Entupa
ALFANDEGA.
RENDIMENTODO 1)1 A 30...........
Dttcarregam hoje, iledezembro.
Escuna Oule*ie mercadorias.
Brigue Hile farinha.
RENDIMENTO NO
Rcndimcnto total .
Kcstituiqdes.....
tuda, /hilo rust que os taes Austriacozinhos se apo-
deren! do norte da Italia, a Franca lica meacada
pelo l'orniidavel imperio allemao, e entRo a uossa
posieflo se torna perigOS. c poucu digna do uin esta-
iloda primeira ordem e <|iio ainda lia pouco fez
incllcr as coslellas para dentro a scus initnigos. A
Tranca nao abandona osen posto.
O meu pralicante, que contina com as snas fu-
macas polticas, dando una pausa mito do ilmo-
fanz, disseo scguinle : Meussonhores, e que me
dizetll i'(i novo poder que se est erguciido na Allfl-
manlia ? Tallo doantigo imperio allemao, represen-
tado pela diela do Francfort, e i|uu est apoiando a
Austiia' A unidade faz a lonja, e hoje, segundo
se collige das marchas oventuaes, os estados alle-
mflessflo todos por um e um por todos! E olliem,
soohorcs, que menito hei de espantar, cqiitinuou o
meu rapaz tomando um gesto diplomtico se vir-
olos uin excrcito de Bavaros, l'russianos, Saxonios
e Wurtembcrguezes sustentar a causa da Austria as
planicesda l.ombardia. E continuou pisando no si-
mla nz ii ni .i pouca de salsa-parrillia
Entilo pedio a palavra o meu amigo Jos Francisco
Lndiinha, sacristn da minha freguezia e que he
assign.ntedo Patriota, c disseque a culpa de tudo
istoi silo estes malditos republicanos que cornos seus
socialismos, communismos, bluscs o barricadas po-
zeramacousa ueste eslado Eu loco vi que o tal
Lamartine com as suas poesas, o Arago com as
suas astronomas, c o l.edru-llollin com as suas uto-
pias Hilo laziam cousa que livesse geito Com ofloi-
to os taes republicanos sito uns fracallloea I Os de
Mjlflo ora vez de corrers armas o exprom a ma-
can do peno as balas dos lyrartnos c dos dspotas ,
oceupam-seem intrigare discutir; c mal que lliu
Clieirp a esturro eorrem a pedir ao Cavaignac que
Ibes acuda pelo amor de Dos, e quauto antes!
aqu para mis, que niiigucm nos ouve, nos republi-
canos somos lodos uns fracalhOes 1 Muita belfa nos
jorii.es, rumia vinganca nos clubs, mas muita mi-
seria o muita abundancia de ragilidado quando es-
tamos debaixo.
I senaq cidsdBos, dizei-me onde esl o valor dos
Madrileos, Calculamos vclhoi e Castelhanos no-
vos, Saragocanns, Asturianos, Andaluzes, Navarros
e (.atables, que tremen, do espadio do Narvaez, el Premio dos assienados.
nuo 8.10 capazos de prorlamarein a repblica urna
emdivisivel as margena dos Manzanares, c pedem
o auxilio dosgaiotos de Paria o dos trabcanos do
Montemolni para plantara arvoro da lilierdadc na
patria do Cid e.da l'adilha ? E que medizein, cida-
il ios, as lana, roadas dos nossos irmflos republi-
canos da joven Irlanda ? Tanto barulho, tanto mue-
Ii'ig, tanta barricada nos jornaes, tanto exerciciodo
plvora secca, para no lim joelliarem ao tiod Su ve the
Aing e pedirem-lbc batatas em vez de pugnaren,
pela independencia c pelo evangclbo dos direitos do
Jioniemde que Talla o Tboinaz l'alnc, o outros quo
iiotiomeio para nilo abusar da Ilustrarlo dos meus
apreciareis collegas.
E que noticias me dito da repblica prussiana, da
repblica austraca, da repblica belga o da potoca ?
Os Cracchos, os Brutos, os Marios e os Cales nflo
passarfloda lettra redonda ? Mas que precisao te-
mos nos de andar l pela estranja a procurar mise-
rias republicanas, se por ci por casa as temos do
mestno tamanho .' N3o me dir3o oque he feito dos
nossos i.amartines, dos nossos Aragos, dos nossos
j.cdru-Rollins, dos nossos Blanquise dos nossos Bar-
bes? NSo me dir.toem que ficaram as luminarias
da llevolucilo de Setembro, do Patriota, do Nacional e
do E'co ? Onde diabo se alapou aquella clebre es-
quadra franceza que nos havia trazer o bonnet-rou-
gc, a tricolor o as barricadas ? Que republicanos
somos nos que temos medo de urna mode ferro que
pareco de estopa! K que so pregamos a fratemidade,
ocommunismoo o socialismo nos jornaes, as pra-
vas e nos cafs ? Meus amiguinhos, se isto contina
nesta pasmaeeira, largo a sacristia, entrego os tras-
tes a fera da Ladra, embarco para os Estados-Uni-
dos, e laco-me cidadSo da Pensilvania.
Mestre, assm dscorreram os taes meus freguezes,
e com elies o meu estiinavel pralicante. A noilo era
perreilamente iinti-ministerial. O doutor llcrmoge-
nes e um bacbarelito de bigode e perinha, e gue-
aeina sansimoniana, sahido ba pouco da unversi-
dade; he mocinho que aspira s pastas, faz seus ver-
sinlios humanitarios, e d artigos para osfolhetins,
com cujo rendiniento municia o estomago no Hotel
dos dous irmios unidos. Ho o dandy de certa fidalga
velha, que o veste e que Ihe prohibi o charuto
illa Ihe fornece o rap. O acadmico julga-se oulro
"enjamn Constant. Pretendeu ser delegado do pro-
curador regio na sua trra, e cmo n3o pilhasse o
erapreguito, he urna campanilla ministerial.
rhnu.pde agora os ministros pelas ras da amargura.
Oridad.to Clin minean era cabelleireiro cm Fran-
ca, casou rom urna Franceza que palmilhava meias
de seda, boje lem urna futrica em que ronde de-
daes, agulbas, apertadoros e agoa de Colonia. Repu-
blicano exalladissimo, mo vende UKj vintem do a-
giilliasquo n mi fallo na fraternidado, na igualdade
e na libordado Tem um berimbo em que loca o
Marselbeza, o perlenco ao club domen pralicante,
onde todas as Semanas, e porta fechada, sn ilecida
u felicidade do genero humano, lio auli-minislo
nal poros ministros andarem calcados: sapoiar
os ministros que andarem de chinelas pela ru.
O mou amigo, o sacrislto Jos Francisco l.adainha,
foi exaltado liberal em t80, c trazia entilo urna ben-
gala com um casillo de prala quedizia : l.ibcrdade
oumorle! Era membro nato das sociedades pa-
triticas, recitava versos no thoalro u Divinal, e l-
nha sompre janlar de borla cm casa dos patrilas
de.sse lempo .' Em 23 mudificou as suas opinioes, e
veio da Villa-Franca a i -avallo em um jumento cujas
orelhas vinhain ornadas do litas vermelhas .' Em 26
represeulou o papel da carlista com todo o entbusi-
asmo, ocomo jera sacnst.lo, fez quo o sineiro da
Ireguezia tocasse nos sinos o hymho da carta! EiJ
2S Iruzia a real elllgin sobre a sobropeliz, e depois da
resUurecflo lornou a modificar as suas opinioes po-
lincas, e he o lypo do liberalismo, lio agora repu-
blicano porque quer casar, sendo padre, com urna
trouxa que tem em casa, e da qual lem una sacris-
taoszinhos pequenitos.
Alestrc, o negocio com elleito est crespo, e apr-
senla dente de cue ho. Eu nilo dou grande peso s
taes iuteryences diplomticas, uein espero urna se-
gunda edicilo do convonio de Granudo, as vizi-
iii:m)IMF.nto no mezih novembiio ie isw.
Dirritos do exportaeflo do 3 por cento .
Hilo de 5 por rento.......
Tasa............
Capatazia..........
Dcima urbana.........
Meia ciza dos esrravos.....[
Novos o velbos dircitos......
Cinco mil res puv escravos despacha-
dos............
Meio sold e sello do patentes da guarda
nacional ..........
Emolumentos de passaporta dapolicia.
Imposto de 1*2,800 sobre serrara. .
dem de 2.&O0 sobre o consumo do gado
neste municipio, arrccadadodo da 2
alo 29 ..........
Sello de lie.-ancns e legados. .
Multas...........
Juros........
11:501.7!>l
3:814,970
972,000
1:558,0S0
3:732,753
768,900
239,200
nardo do Souza oucoml.uiz Jos de Si a
ra da Cruz, armazem n. 2.
"jo, n
Para a cidade do Torio pretende *!..
rld.de. barca fcB^rWk^JE^J^W
rrancisro Nogueira. por ler a n.sor MTta i|a
carga engajada
do passagem, p
entenda-S com o consignatario
quemnellaqiiizer carrogar 'o,',
!?.''asAa,"M"' p,,r, -ua oireroca bons oommou
25,000
323,800
1,200
38, tOO
4:320,000
251,200
, "el
de
ir
s.
sru
OU
nhaneas de Milfio. o re da Pruaaia perdeu o sonho
de imperador da Allciuauha! O rei de Sardenha.
lambem perdeu a inania do rei do Italia! A Franca
passou de monarebia constitucional a repblica mi-
litar A Polonia licou como eslava! E como c-siava
ou peiora pobre Irlanda! Tem-se conseguido der-
ramar muito sangue, lem-se feito muita desgraca, e
o cominuuismo e socialismo ficarain propriedde
das cabecas humanitarias de seus autores. Por ora,
mestre, o resultado du tanto barulho, as consequon-
Cias visiveis da bambucbala ruvoluciouaria de fevo-
reiro fui darom baixa a Luiz l'hilippo e alta ao ge-
neral Cavaignac.
Vi n le, patacos o fraternidado.
Sou, ein noinedanacilo e da rainha, soiami
Le citoyen UltAZ Ti/. ANA.
27:651,758
Mesa do. consulado provincial, 30 de novemliro de
18*8.
0 escrivilo da primeira secg.lo,
lodo Ignacio do llego.
MovmeiUo do Porto.
Navios entrados no da 30.
o,
COWMERCJO.
3:309,059
MEZ DE NOVEMDItO
Liquido .
Direitos de consumo..............
Reoxportac3o.........T.......
I! lldeai-.nl.....................
Expediente dos gneros do paiz, 4 por c .
Expediente dos gneros estrangeiros com
caria de guia, 5 por cento........
Armazenagem de mercadorias.......
Dita de plvora
Mullas
Emolumentos de cerlidocs
DE 1848.
145:793,394
7,308
145:786,086
142:996 714
42,430
165,785
869,097
8.550
1-699,113
2J157
2,240
Rs.-. 145:786,086
0 escriviio da alfandega,
Jitcome Gerardo Mara Lumachi de ello.
CONSULADO GEBAL.
RENDIMENTO DO DA 30.
Terra-Nova ; 32 dias, brigue inglez Spray, de 244 lo-
nejadas, rapitio Archibald Steel, equpagem 12,
carga 2,500 barricas com bacalho; a James Crab-
tree & Companhia.
Ilhas de Sandwich, lendo sahido de Road-lsland ha 2
anuos, galera americana South-America, de 606 to-
neladas, capit.1i> Nathamel Sowle, equipagem 36,
carga azeito de peixo; ao capitflo. Vem re-
frescar.
Rio-Crande-do-Sul ; 39 dias, brigue brasileiro Juno,
de 19 toneladas, capitflo Jos Francisco dos San-
tos, equipagem 13, carga carne, couros e sebo ; a
Amorim limaos.
Camaragibe; adas, biate brasileiro Novo-Destino,
de 21 toneladas, capilo Estev.lo Ribciro, equipa-
gem 3, carga assucar, arroz e couros; a Jos Ma-
nocl Martins. Passageiros, Manoel de Jess Mari-
nho, Manuel Antouio da Silva, Jos Alvos Pereira,
Brasileiros.
Navios sabidos no mestno dia.
Portos do norte vapor brasileiro Paraense, comman-
danle o capitflo de fragata Manoel Francisco da
Costa l'ereira. Alele dos passageiros que trouxe
dos portos do sul para os do norte leva a seu .bor-
do : para l'arahiba, Fabricio Comes Pedresa eSiJ-
va, Francisco Comes PcJrosa ; para o Cear, Joa-
qun Jos Rarboza ; para o Marauhflo, Jace Do-
CCakaat Kuoiman; para u -ara, o aiferes Celios
Frederico de Brito Inglez.
Rio-de-Janeiro ; brigue brasileiro Deslino, capitflo
Jos da Silva Ncves, carga assucar, ago'ardente, al-
godflo e mais gneros. Passageiros, J0S0 Marques
l'erdigflocom sua senhora, 5 lilhoa menores, uina
criada e 2 escravos.
l'arahiba ; brigue inglez Queen, capitflo W. Eales,
em lastro.
de .Mor.es. na ru. da Cruz. n. S4. 2X5 Jff
com o capitflo na Praca-do-Commercio '
Para o Aracaty sane, al o flm di .nm..
Mata Flur-do-Hecke: que,,, quizr carrKar "i'
dejpaU.gem,dirija.wa ruado Vig.rio, arn,.^
-Para o i; 10-de-Janeiro salie imnretari!-.. .
no di. 15 de dezembro o brigue ZZT^
de cobre e de primeira marcha por ler o ,.
regamento quasi completo : para o resto da cari! I
7T8T|K?Sge,r0< trat.a"Sr co.,n uiI J"s''1 ^mandes l?
31,724lgallnics, na ra da Cadea do lleccfe, botica n 61
______.__ 7 l,r|guo brasileiro ero segu par. o Rio-ile i
neiro con. a maior brevidado : recebo carga e ese,.'
vos a frele: tratar com Leopoldo Jos da Cus,"
Araujo, na ra da Moda, 7. ll
-l'aia oltio-dc-Janeirosegue, imprcterivtln.en
le no da 30 do corrente o patacho Aurelio : s rt'c,"'
be escravos a frete e lem excellentcs coniniodm"
para passageiros:. tratar com Joflo Francisco ,1
<-ruz na ra da Cruz, n. 3. Ui
-- l'ara Lisboa pretende sabir no dia lOdedezem
bro a barca portugueza Ugeira, da qual he capin
Antonio J..aqu,m llodrigues : quem quizer crreea
ou irde passagem par. o que tem os melhores e os-
seados commodos, dirij.-se .0 mosmo, ou aos so,,.
oonaignaUrioa Francisco Severiano H.bcllo &
Filho.
Leiles.
co
- O correlor Ol.veira far leilito por conla e ris-1
1 de quem pertenec-, de cerca de 17i harneas d
farinha de trigo averiada : hoje, primeiro de dezemf
bro as 10 horas da m.nhfi.J, no arm.zemde lien
ry forster & Companhia, trapiche do liamos I
-Domingos Alves Matheus far leilflo, por rmW
veneno do correlor Oliveira e por conta e risco da
quem perlonccr, de du.s ancoras | ancorle e do
rnteiro veame e cordo.lba de um brigue : segund.-
fe.ra, 4 de dezembro, as 11 horas da manhfla en,
Kec.fe".0 armazen,d0 ArauJ- b^o do Concalves,
Avisos diversos.
EDITA L.
,, Pfec,sa-se '"gai-um preto qde enlenda do p.
uncie rU' dan",r,Z da B"-VisU 26' ou
- Na ru. Direil. sobrada de um andar n. 33 .0
lX."^"01'0*' *". ,."tt'm bo",,l)os par. cha bandejas
mesmoSb'nUS/"fe,l',d.S?0,,, Yari,,s 'ntana. 2
mes no bolo ramos de flores, confeitos. ou de qual-
qualquer modo que roja .peleci Jo Umbem hm .
se bolos francezes c.inglezes, podios, pastis da a-
^n'? ,rCar.Tarr0zJe|pite' P>-de-l enfeitado
com alfins; tortas, tremedeiras, pasteles de gal, ?
e de peno doces de lodas as qu.lidades, tanto de
mo 3ecco: -hocpia ehi'Ua ,i -iesmo doce
com muit.
Ceral ..
Diversas
provincias
1:138,032
91,708
1:229,740
RENDIMENTO NO MEZ DE NOVEMBIIO DE 1848.
Consulado de 7 por cento 23:676,171
Dito de 2 por c....... /
Dito de I ............. 138,609
-------------23:814,780
Ancoragem para fra do im-
Peri................ 2:609,549
Dita para dentro do dito. 406,764
O IIIni. Sr. inspector da thesouraria da fazenda
provincial, em virtudeda resolueflodo tribunal ad-
ministractivo, manda fazer publico, que em cun
primelo da le, perimle o mesmo tribunal, vai,
in..a i;:..o SpraCapara o aneinuiuu a quem mais
der, 110 dia 30 do crrenle, os impostos abaixo de-
clarados :
2:500 rs, por cabera de gado vacrum que fr con-
sumido 110 municipio do Hecifo avahados animal-
mente por 56:000^000
Dito no municipio de Olinda por 4:900/000
20 [or cento sobre a agurdente que Idr consu-
mida no municipio do Itecife, avaliado novamente
por auno em 8.200/000
E para constar se mandou allixar opresento. e pu-
blicar pelos Diarios.
Secretaria da thesouraria da fazenda provincial
de Pernambuco, 84 de noverabro de 1848.
O 2.' Escripturario,
Antonio Ferrtira d'Annunciaca'o.
com alfins; lorias, tremedeiras, pasteles de a
10, doces de todas as qualidades, fi
mo 3ecco; hcelas che as do me'smo doce
enlcitadas com papis picados : ludo
perteicflo e comuiodo prcr.0.
Allnco.
Apossoa.que ihe faltar um cav.llo que foi adia-
do no da 28 de prximo- p.ssado procure n ra
" > e alf.i.10,11. que.'dando S ."gn.es
t. in-
da
Declara^des.
T A DMlNISTRAfAO' DO CORREIO.
Tendo o artigo 55 da lei n. 514, de 28 de outurbo
Sco <*0............... 577,760
- 3:016,313
Dito de ttulos
CertidOes. .
Siza de 5 p. c. ..
Dita de 15 p. c.
Multas.........
16/200
O Exm. barflo do Canudo he destes bardes da Ca-
nastra de quo abunda o nosso paiz. Inimigo capi-
tal da ortographia, o sou forte he fallar noscontos
n l?S?u o deixou aeu pai, que venda falo feito
?.!uhdosA,8,bebcs- Uepoisque o mao.iisaram a
custa do urabom janlar no Escoveiro, S. Exc. gosta
2om C"8rmem ,r,n,a Terrivelj'entrcgou-T
olit.ca, as financas sflo a sua balda favoriti Quem
>e qu.zer pilhar um almoco no Marrare he chai ar
IheoNckerdosalgarismos! Tentou ser goveruador
Civil das Uerlengas, e c0mo o governo o nflo despa-
Diversas provincias.
Dizimo doalgodflo da Parahiba. 1:183,551
Dito do algodflo do Rio-Crande-
do-Norle............... 35 288
Dlo do dito d'assucar das Alagas 144^202
593,960
15,240
49,050
3:095,250
30:584,593
prximo (indo, isenlado a laxa do correioas gazetas
S: ""diolee' eft" ""a.- KSdS
ser mi onJ,blloleca Publicai. que.ora acaba de
ser-mecommumcdo pe. director!, goral dos cor-
Correio, 29 de novembro de 1848.
O Administrador,
runo Antonio de Serpa BrandSo.
Deposito existente.
Ditos restituidos ,
1:363,041
31:947,634
6:794,600
. 2:952,760
O administrador,
Jo&o Xavier Carntiro da Cunha.
PBLICACAO'AGRCOLA.
"I,."ul Pralico do fabricante de assucar. do,
*Kh,oSfomn'er.EUobra ensina pr.licamentl
cnnvide(fbfl(,"-ossucar demonst.ntlo os in-
convenientes da ant.ga pratica os meios de as re-
mover e finalmente tudo quanto se precisa para ti-
ZrTZr melh<";"ltado Je sua factura e esta
nerceC^""1,8 ,",K0,e Iue qualquer pessoa
percebe; podendo-se mesmo dizer que os Srs de
engaitos com ella so err.rflo se quizerem Vende!
Avisos martimos.
?-- Para o Rio-do-J.noiro sabe, no dia 7 de dezem-
bro, o patacho S.-Cruz : par. o resto da carga, pas-
sageiros e escravos a frete, trat.-se no largo do
Corpo-Sanlo, leja de massames, 11 25.
CONSULADO PROVINCIAL.
iii:Minir\Ti> no ni a sn ... .i
.^.~ u.^"- pBge,ros trata-se com o mesire Ber-1 reUra-se p.r. fra da provicY.;'
*a P.r.a B.hi. sabe, em poucos dias, com a c.r-
. ... .lga<'ue "ouver, a sumaca Flor-do-Agslim .
Nova
hA^fe enlreeVcom'lMemunnaB, o
bem so Ihodiraquemoaehon .
sn, o',Ug"8e 8eu"d0 ad" la casa da ra u
m. ^ '"' **: "atar arn,aze,n da raes
cod,)cl,,3re^'SerUfBa nw",er Ja de iJade c de boa
,a, ,1. '.Para f"erc'nipanhia a una familia ca-
,nm 1 'S<""'00 suslCT"o c casa para moiar:
quem de seu presumo se quizer utilisar dirija-se 1
u da Paz cas. sem numero, junto a coebeira.
~~ Callos/le Ga'ldt, Jiatural da Blgica rclira-se
para os porlos do norte.
Precisa-se de um homom para trabalhar como
redor de um sitio ,.e que entenda de plautacOes : no
pateo do Larmo, n. 11, segundo andan '
A Sra. D. Francisca Escolstica Jos'epha da Cos-
la queira quanto antes concluir.0 negocioque mo
ignora, na ra Direita n. 122 ,'conforme se Ihe
BVISOU.
-Oengracadotjue.no dia 27 do pissado, reco-
ineu em sua casa um carneiro bastante grande, gorT
uoecapado, tcnba-a bondde do o soltar, enflo
quer que elle Ihe seja tirado de esa, pois sabe-se
aonde esl dito carneiro e talvez Ulvez, que por
esta gracs tcnba de iraedei. por ladrflo.
Aluga-se, ou vende-se um.pequeo sitio na
Varzea com casa de vivenda muito oommoda o
com bastantes arvores do fructo : na ru. estreit. do
Roz.no, n. 19.
CASA DE MODAS FRANCESAS.
A. MILLOCHAU.
Esquina do A terro-d-B'0-Vista, defronte do
cb.f.riz. .
Recebeu-se pelo uHsbo navio um muito lindo sor-
t,ment de modas ; chpeos de senhor. e meninas,
tanto de setim seda, e de palba fina de todas as
qualidades ; toucas da ultima moda par. senhora;
ricos bonetes da velludo bordado, para montara ;
camsinhas bordadas de todos os padrOes; mante-
letes-palitos ultima moda do Pars ; ricas capellas
e ramos (nos de flores de cores; luvas de pellica,
lisas e enfeitadas; trancas de seda de nadas as cores;
ditas de algodflo para enfeites de vestido ; capellas e
ramos de flores de lar.ngeir.s entre finas e de di-
versos modelo para noivados ; bicos de blondo ; cha-
peos de luto, para senhora ; ricas plumas de todas
as cores para cabeca e chapos; bicos do lindo;
ricas filas para cintelro; fitas de todas as qualidades;
tiras e entre-meiQs bordados ; cambraia de lindo;
meias do seda ; saiotes de olina, ote. Fazem-se con-
tinuadamente chapos, toucas e vestidos de senho-
ra de gosto fiel a moda por preco commodo.
Hoje, linda a audiencia do Sr. Dr. juiz do civel,
Gervasio Concalvos da Silva, tem de irem a praca '
para serem arrematadas de renda, a quem mais der,
3moradas de casas torreas sitas na Passagem-da-
Magdalena por exocueflo de Jos Francisco Concal-
ves, contra seu devedor Jos Alves de Souza Raogel.
Joflo Antonio Goncalves da Fonle, retira-se para
fra do imperio.
Jos RodriffiM RumncM.v. anlwliln n*rluii*7
MELHOR EXEMPL



Ao respeilavel publico.
,"\) prnprietario do armazcm de vinho
ja ra da Madre-de-Deos n. 3G, de-
clara n||C este eslabelccimento nio tem
ouiro armazem Mi ti, como alguem lia
qnn o inculca ; e para
conhecimenlo do

,ul|,lic'0, faz o prsenle annuncio.
-- oabaixo assignado identifica l seus alumnos
e igualmente a quem convior que hojo il princi-
pio lecionar os preparatorios quo particularmente
eniiii'1 em sua casa na ra estreita do llozario, n.
jj C.tulaiio Eslellila Cavalianli Penoa.
.. Antonio Noliro de Almeiila Jnior tem justo c
r0D(ialalo comprar ao Sr. Manuel Joronymo da Sil-
va a parte que o mesmo lem no sitio da olaria dis-
liicto da capella de N. S. do l.oreto, frcguezia da
jluribcca que llie tocou por fsl|ccimenlo de sua
jngra Eugenia da Costa Cordeiro: quem so julgar
coindireilo no mesmo sitio, luja do doclarar por
esta mesm* follia no prazode oito das contados
di data dealo annuncio. Recife, 29 de novembro
de 18*8. ,
Sr. Antonio Clemente Estoves de Larraz mo-
rador em Beberibe, dirija-se a ra do Itangel, n. 71,
para se tratar negocio do seu interesse.
.- De quarla a so x la-fe ira da semana passada, rou-
barain da casa n. 13 da ra do Coliegio o seguidle:
umre/ogio de ourocom corrento de traspasso, no-
vo, mas com o vidro quebrado, e a coberta sepa-
rada por so bavor quebrado a mola; um castical
,le prala do molde anligo ; um botan do ouro com
diamanto; um alible te (le peiio esmaltado preso a
outro menor por urna coi renlinha de ouro. Itoga-se
a toilos o Srs. relojoeiros, ourivos, ou outras quacs-
qupr pessoas a quem frein oirerccidus laes objec-
los, ou delles tiverem noticias queiram approbeu
do-Ios e annunciar, ou dirigir-se ao lllm. Sr. me-
jor Firmianno Jos Rodrigues Fcrroira na casa in-
mediata a supradita.
AGENCIA DE PASSAPORTES.
Tiram-se efleclivamente passaportcs para dentro
e fra do impeli, o despacham-so cscravos : ludo
.por commodo preco : na ra das Tiincbeiras, sobra-
do do um andar, n. 16.
|)a fazendade Antonio Manoel da Silva deno-
minada Ameixas, comarca da villa do Limoeiro ,
desencamnnaram-se, desde o principio do moz de
jullio do correlo anno, cinco animaos, sendo tres
bestas e duas crias das mesmas as quaes teem os
signacs seguidles: urna be de cor castanha grande
e nova, e a cria da dita do cor ruco-preta; outra di-
la ruca, j alguma mais velba, sendo a cria da
nicsina de cor castanha com urna pinta de cabel-
los brancos na testa ; outra dita ruca com pintas pe-
drezos sendo alguma cousa carcunda, ainda no-
va ; todos estos animaes tem o ferro MS do lado i i -
reito da urelha : qiiTn dos meamos livur noticias ,
dirija-se a ra da Cadeia do Recite casa do Sr. Jo-
s rereira da cunda ou na ireguezia do S.-Amaro-
Jaboatno, noengenbo novo da Conceicflo e na fal-
ta ao mejor Joflo Vicira de Mello e Silva na referi-
da fazenda que recebera de gralificaeflo 30,000 rs.
Aluga-se o sobrado de dous anda-
res, pertencentc a Manoel da Silva Amo-
rita, no principio da ladeira do Yaradou
ro, em 01 inda, para psssamenlo da festa,
ou por anno : a tratar na venda do mes-
mo, ou na ra da Cadeia do Recife, loja
n. 5o.
--Aluga-se o bemeonhecido sitio na estrada do
Cordeiro, d Nuno Maria de Seizas, so proprio para
algum negociante eslrangeiro ou outra pessoa que
tenha tralamciilo : na ra do Amorim, n. 15.
Aiugam-se dous aillos com uiuilo boas acommoua-
ces, um na campinha da Casa-Forte e outro na ra
da dita povoafao com cochelrai e cavallarices assim
como varias casas, de pr^os coiiimodos para se pas-
ear a fejta : a tratar na ra do Amoriin, n. 15.
Vigiies," fabricante de pianos ,
na rua di Queiiuado, n. 14i,
lem pianos de novo modelo, feitos de prepsitos pa-
ra este paiz ; sao riquissimos, do machiuismo o
vozes superiores, o que se afiance ao comprador:
lamben conceila e alina pianos, por preco com-
modo, e vende cordas cainurcas e lodos os avia-
oieutos necessarios para dilos instrumentos.
.Novo pao Provenga e bola-
chinha regala.
Na padara de urna s porta na praca da S.-Cruz,
eslara todos os dias venda o excellente pflo Pro-
venga, ea bolachinha de regalo, j qur urna, quer
outra suflicientemente approvadas petas pessoas que
teem usado, assim como o antigo pilo, bolachas de
todos os tamaitos, e entre estas a 30 em libra, s
d'agoa e sal, furadnhas e muito torradinhas, e lu-
do quanto se fabrica nestes estabelecimentos. O pro-
pietario desta padaria de novo assevera a seus fre-
quezes, que nada emprega no fabrico do pao e bo-
lachinha regala e mesmo em qualquer outro ar-
li.6o que possa projudicar ou alterar a sade, e so
siniamelhor farinha a mais superior'nvanleiga ,
j untando o zelo, asseio e todo o esmero possivel,
"lim de bein servir seus freguezes, o tirar a sua
Preeiin-io do um offlcial de charuleiro pegan-
do- ae a 300 ra o cento : na rua nova de S.-Amaro ,
casa terrea n. 20. ,
Quemquizer mandar engommar roupa dirija-
so as Cinco-I'oiitas, n. 108
Piecisa-sc de um moco para caixeiro de padt-
ria mas quo abone a sua capacidade : na praca ua
S.-Cruz pedera do time porta.
iTerocv-se um caixeiro pera tomar conta do
urna venda por balanco ou som sor por balance ,
do que lem bastante pretici: quem o pretender^
dirija-se a praca da Independencia, n. 10, das
horas da mandila as'2 da tarde.
10
subsistencia. Na Iravessa da Madre-de-Ceos, n. 13 ,
deposito da mesma padaria tambem so acha a yon-
da o mesmo que na S.-Cruz e ua rua do Coliegio,
venda do Sobral. etc., somonte a bolachinha re-
gala.
MUDANCA.
ES D. W. Baynon, cirurgiflo dentista, dos Esta-
^^dos-Unidos, respeitosamento noticia aos seus
migse ao respcitavel publico, que tem mudado a
sua residencia da cesa n. 0, da rua da Cruz do Re-
cife, para a do n. 26 da rua da Cadeia do S.-Anto-
"i. terceiro andar aondo ltimamente resida o
retratista americano Fredericks.e aonde daqui em
dianto o annuncianle lera muito goslo de receber os
1ue precisarem dos seus servicos professionaea.
Precisa-so aloger urna escrava para casa de pou-
c* familia que saiba cozinhar e engommar : a "
lar no largo do Livramenlo n. 10.
Luiz llollandcr, subdito hollandez, relira-se pa-
ra os portos do norte.
O Snr. Domingos Valerianno Alves de Souza
queira annunciar a sua morada, que se Iho deseja
fritar, ou dirija-se a rua da Cruz, no ltccil'e, arm-
is-, s, j$t
0 verdadeiro fabricante do oxcel-
leiinlo pflo de Provcnca, quo eslevo
ua padaria franceza do Aterro-da-
Boa-Vista, tendo de rctirar-se la
provincia, offerece-se a cnsinar a
fabricar o referido pflo com todas
as particularidades; assim como
cusma a fabricar as fatias emacia-
das da rainha: quem se quizer ins-
truir nestas fabrieacOes dirija-so
na praca da Boa-Vista, dofronte
matriz, venda n. 88, por estes seis
dias, pois que nao so podo mais
demorar.
Lotera do llicatro publico.
O faci de exislir perlo de tnelade
dos hillietes da lolrria por vender, den
occasifio a que as respecliva- rodas nao
podessem ter andamento no dia ai lo
correte, como se annuncioii; persuadi-
do, porc'in, o llie>oureiro que semelhanlc
venda nao deixar de ter impulso, marca
novamenlc o dia 9 de dezembro prximo
lulttro para o referido andamento, c es-
pera que esla nova designado ser im-
prorogavcl.
OBRADO DA RASAO'N. 2
ache-se venda nos lugares ja annunciados : Ira/
bous artigos e versos.
O Sr. Antonio Joaquim Pereira queira procurar
um carta viuda do Porto em inflo do Manuel Jos
Comes Braga na rua da Seiizalla-Vcllia, 11. 91.
louqniui Lopes Gahral Tcive
abri sua aula de desenlio o pintura em a casa da
rua Rolla n. 35, siguii lo andar, onde leccioua das
i as 11 horas da inaiilifla e das 3 as 5 horas da tar-
de pelo preco de 6,000 rs. mensaes, o desenlio, e
8,000 rs., a pintura : tambem leccioua em collcgios
do meninos o meninas.
seguir
Da rua das Trincheiras becco do
rua do Coliegio, Crespo e Cabug, perdeu-se urna
carteira de algibeira contendo. alm de varios pa-
pis 165,000 rs. sendo 3 scdulas do 50,000 rs. 1
10,000 r. 2 de 2.000 rs. e 1 de 1,000 rs.; e como a
pessoa a quem perlence esse dinheiro he bastante
pobre, roga-se encarecidamente a quem achou dita
carteira e queira reslllui-la de leva-la em Oiinda,
ao reverendo doutor Manoel Tliomaz de Oliveire ,!ou
na rua do Coliegio, n. 14, terceiro andar, a Jos
l.eodegario Rocha l'arias.osquacs se acliam auto-
risados a recebe-la e recompensar com 40,000 rs.
Vergunla-se ao Sr. Antonio Go
mes ViJIar, se ainda be credor doSr. J.
He'ranger, e de que quantia, visto correr
por ubi de bocea em bocea que sua merc
j fez cess5odoquc Ibe est devendo o di-
to Sr. Branger: a sua resposta servir
de governo ao prejudicado.
CASA DE MODAS FRANCF.ZAS NA RUA NOVA, N.
52,1.0 ANDAR.
Madama Tlieard tem a honra de participar ao re-
peitnvel publico e particularmente a suas freguezas,
que acaba de roceber polo ultimo navio, viudo de
Franca, um lindosorliment de chapeos de solim
lisos e lavrados de grs do aples de palhe lisa
caberla ditas para meninas, enfetados do melbor
goslo ; loucadosda ultima moda de Pars ; chapeos
mais ordiuarios para meHnas de ir na escola ; flore
linas o plumas para chapos e para cabeca ; bicos du
seda ; mantas de grs de aples ; fitas do toi'es as
qualidades. Na mesma casa continuam-s a fazer
chapos, toucas o vestidos de senliora da ultima
moda o por preco mais commodo do que em outra
qualquer parte.
Para as pessoas que tcnciouam
viagem.
Na rua da P.snge! n. 0 conlinnam-se a tirar pas-
saportcs para dentro e fra do imperio despacham-
se cscravos, e correm-se roldas, ludo com brovidade
o preco muito e muito commodo, romo so tem dado
exuberante prova no decurso de 8 anuos. A qual-
qner hora do dio podera ser procurado o anuunci-
ante.
Acaba de ctiegar um rico e hem augurado caval-
lo, bstanle gordo, com boas marchas para se
vender a quem tiver bom goslo: na rua Nova, arma-
zem n. 67.
O dono do deposito de charutos da rua larga
do Itozario, n. 32, faz ver aos seus freguezes, o a
todos os pretendentes que tem o seu deposito sor-
tidocom varias qualidades de bons charutos, por
preco que convencionarem as partes, sendo : sena-
dores duputedos, hemilics, habanos e pernambu-
canos, cigarros de la Havana, viajantes, cavalleiros
da Babia non-plu-sultra, regalos de la Havana, re-
gala de superior qualidade, superfinos, c outras
mais qualidades de charutos : bem como roga as
pessoas que teem contas no seu deposito, de 47
48 do as ir resgatar, pois tambem precisa,
julga que com isto nfloaggrava a pessoa alguma.
Deposito de rap andarahy
e imperial.
Na rua da Cruz, n. 63, primeiro andar, escriplo-
rio do Jos de Almeida Brrelo Bastos, vende-se o
bem acreditado rap andarahy e imperial, fabricado
no Rio-de-Janciro, sendo o nico deposito nesta
provincia; assim como sempre se achara no mesmo
deposito o melbor clia nacional brasileiro, em.cai-
xinhas de 5, 8e 16 libras, por preco commodo.
OSr. Severo Antonio da Costa lom urna carta
de seu interesso em case de Novaes & Companhia,
na rua da Trapiche, n. 34.
Precisa-se deumproto cozinheiro, ou de nina
ama que saiba cozinhar, lavar o engommar : na rua
da Cadeia de Santo-Antonio, n. 21.
Jos Nunes de Faria, Brasi-
leiro, retir-se para fra do impe-
rio, a tratar de sua saude.
Roga-se aos Srs. devedores da viuva Arruda,
que queiram pagar seus dbitos quanto antes, pois
o prazo j he suiUciente, alias serflo seus nomes im-
plicados por extenso.
Os muios bilhetes ns. 996 e 988 da ultima terca
parte da 18."lolcria do theatro publico, aonunciada
para correr no da 21 dcste mez, pertencem a Rosa
Fiuza Lima da cidede do Aracaty.
30,000 rs. de gratiflcacao
a quem touxer a escrava crioula, de nome Cathari-
na1, com urna filha cabrlnha de 3 anuos cujos sig-
naos acham-se neste Diario nos ns. 240 a 250 : a es-
crava oi seduzida por o pai da cabnnha oqual lie
pescador, ou pombeiro e mora em urna
jpiaiuB ot ru-uiSrc..3. .
Compras.
-- Compra-se urna carleira usada, que nflo seja
muilo pequea : na> rua larga do llozario n. 26.
Compram-so 400 palhas de coi|uciro para ba-
nhoiro : no Aterro-da-Boa-Vista, n. 29.
Compram-se cscravos que sejam ofllcas de car-
pina, do 18 a 25 anuos, a de boas figuras ; pagam-se
bem sendo de bons costumes e peritos no seu ofli-
eio.poissflo para urna encoinmenda do Itio-de-Ja-
neiro : na rua do Amorim, 11. 35, a fallar com J. J.
Tasso Jnior.
Com pra-se um sellim com pouco uso ou tam-
bem com arreios agradando : na rua do Colovcl-
lo, n. 31.
Vendas.
FOLHlllAS PARA 1841!.
FOLIIINIIA DE PORTA, a 160 rs.
Dita do ALGIBEIRA, contendo, alm do kalenda-
rio, urna colleccflo desegredos e remedios para uso
domestico, a 320 rs.
Dita a que se reuni o AI.MANAK adminhlraUco,
mercantile Industrial da provincia : este ulmanak es-
t accrcscenlado com todos os estabelecimentos de
porla uberta, a 320 rs.
Vendem-so na praca da Independencia, livraria
ns. 6 o 8; no Aterro-da-Ba-Visla, botica do Senhor
Morcira ; o em Oiinda, botica do Senhor Rapozo, rua
do Amparo.
Vendem-se resmas de papel almaco, branco
prclna do primera c segunda qualidades ; ditas
do peso, branco e azul ; libras de rap lo Rio-de-
Janciro Andarahy ; liuba em Carretel de 200 jardas :
na praca da Independencia loja de miudezas, 11. i
Vendem-se birris com tiuatro or-
robas de superior cal yrgem de Lisboa,
por preco muito coinuiodo : na rui da
Cadei do Uecife, loja 11. 5o, de Cunba
& Amorim.
Vende-se panno de algodfto da tr-
ra, a 200 e 220 rs. a vara: na rua du
Qucimado, loja n. 29.
A COA DF. TINCIR O CABELLO.
Contna-se a vender agoa de Ungir cabello
suissas: na rua doQueimado, n. 31. O metho de
applicar a dita agoa acompanha os vidros.
Uotnances de Eug. Sue, em portuguez
venda na livraria da esquina do Gollegio;
Mathildc, ou memorias do una joven, 8 v. enca-
dernados.
Martim, o engeitado, ou memorias de um escu-
deiro, 4 v.
Salamandra, romance martimo, 3 v.
Sudeu Errante, Iraduccflo lisbonense pelos Casli-
IbOS 10 v. encuadernados.
Mysteriot de Pars, Iraduccflo porluense, em 8
v. encadernados.
NA MESMA LIVRARIA :
O Monge de Cter, ou a poca de D. Jo5o I (com-
plemento do Monasticon), por Alex. Horculano, 2
v., 1848.
A Lua Narroquina, drama original, novissimo,
em 5 actos por A. X Pereira da Silva, 1848.
A tripera de um desafio na regencia de D. J0S0 III,
por C P. de Lucca, drama tambem recente e origi-
nal em 5 actos,
O Koivo Catador, farca original em 1 acto, por C.
A. da Silva ; e muitos outros dramas e farcas mo-
dernas.
OBRAS NUTICAS.
O Piloto Instruido, ou tratado de pilotagem, edi-
eflo de 1845.
Tabovas latitudes e longitudes dos principaes lu-
gares martimos da trra 1 v. br.
Taboas dos logarithmot dos senos e tangentes de
todos os graos e minutos do quadranle e dos nme-
ros naturaes 1 v.
Taboas dereduecdo para conhecer-se a diHerenca
dalatltude, e apartamento do meridiano que se
obtem em qualquer derrota etc. ,1 v.
Explicacal das taboas nuticas de Norie, traduz-
da pelo capilflo-tenente J. II. do E. e Mello, 1 v. br.
Problemas naulico-aslronomicos do Norie (serve
do conlinuacao a explicacflo sobredita ) Iraduccflo
do mesmo 1 v. br.
Diccionario do marinba, por J. P. de Amorim, 1 v.
Tratados das manobran dos navios, 1. v. J Voca-
bulario manijo 1 V.
Iloteiro das Costas do Brasil desde o rabo do iOrt*
aleo ro de Prala rom a Palepnnia Chili c IV111 alo
o isllimo de Panam com as ilhas adjecMlM na-
vegado neslcs maros, | <>r A. I. C. Alenla, 1 v.
Aslronoinin splicrice nutica por M. V. do ('Hi-
to, I v.
llantas de seda.
Na rua do Gtbug, lja do Duarle, \ci\-
deni-se mantas de seda a 1,000 rs. A el-
las, antes que su acabem, pois eslamos
com a festa na porla.
AVISO AOS SRS. DE ENCENIIO BOTICARIOS F,
REFISAUOIIKS
Agostinho Sommier & Companhia estahelcceran
um deposito de carv'io animal, em p e em grfio ,
do primrirn qualidade na rua da Concordia, n. 8,
aonde vendem pelo pceo de 1,500 rs. a arroba.
Tapetes em oleado.
Na rua do Calinga, loja do Duailc, lia
um SOrtimeiito de tapetes de oleado, pro-
picios para mesas de jantar, de meio de
sala e consolos, do melbor gosto que lem
apparecido no mercado : rccomtnenda-
se-os aos Sis. eslrangciros, para orna-
mento de su.is salas
SALSA-PAltltlLIIA DE SANOS.
Este excellente remedio cura todas as en fertili-
dades, as quaea ao originadas pela impureza do
sangue, ou dosystemn ; a saber:
Escrfulas, rhciimatismo eiupces cutneas,
brebuthas na cara, licmoii lioides docncas cliron-
cas, brehulhes, bertocija, tinha, inchai;Oes, doies
nos ossos e juntas,olearas, docncas vene'reas.cialca,
enfermidades que atacain pelo grande uso do mer-
curio, bidropisia exposlos a urna vida extrava-
gante Assim como, ebronicas desordena la cons-
tiluicflo serflo curadas por esta tflo til c appro-
vada medicina.
Rio-de-Jaiieiro 14 de dczcmliro de 147.
.Sr. I'rcderic II. boulliworlh.
Tendo cu lido 110 Jornal do \Commercio c no Mari-
do Itio de Janeiro por diversas vezes aniiuncios da sal-
sa-pan llia do A. B e I). Sands, que se vendo na
rua 1I0 llozario, n. 79, por Fredcrico II. Southworth,
a este me dirig o llie comprei urna caixa com 12 vi-
dros do dito extracto e achaiido-mo com um gran-
de tumor no suvaco do braco dircilo e parte do pei-
io, solTrcndo imniensas diVes por todo o corpo mo
deliberei a lomar o extracto da dita salsa ; e tendo
lomado dous vidros e usando delle, loro ao segun-
do vidro conbeci immensas nielhorcs, e continuan-
do, liquei perfetamente bom; e"leudo alguns
amigos meus feilo uso do dito extracto para rbeu-
inatismo, tem no uso dello por fim do lerem tomado
8 a 10 vi.iros Picado bons. -!(- que '.em nultado ma:!-
daicin-me do dillerenlcs partes encommendas da
dita salsa para fra desta cflrto a diversos que teem
eiflo uso dola e se teem restalielecido peifeilamente;
e mandando-me agradecer, assim considero ser um
acto de humanidade c obrigaijflo minha fazer publi-
co tflo cllicaz e salutar remedio. Joaquim l'errcxra
de .Sousa Flores.
Reconbeco verdadeiro o signal supra. Ro, 15
de dezembro do 147. Em lestemunbo de verda-
de Joaquim Jos de Castro.
Vcnde-se unicainento cm Pcrnambueo na botica
de Vicente Jos de lirito, na rua da Cadeia do Ro
cifo
I) i ve r sa s obras cm niarfim
Vende-se, na ina do (alnig, loja do
Duarle, alinclcs proprios paia stnlioras;
e carlciras, almofadas, bolons e outras
muilas galaularias de bom gosto, o me-
llior que lem apparecido nesle genero,
cliegadas pelo ultimo navio de Franca.
No deposito de Me. Calinont & Companhia, na
ruado Apollo, armazcm n. 6, acba-so ciinstante-
meute grande sortimenlo de erragens nglczas para
engciibos de nssucar con:o sejam : laixas de forro
coado de dilTercutcs modelos, os mais modernos;
ditas de ferro.balido ; moendas de ferro do mode-
lo adoptado para armar em inadeira litas todas
de ferro,tanto para agoa como para animaes; ma-
chinas de vapor de frca de quatro cavallos o de al-
ia pressflo o mais moderno e simples que he possi-
vel ; repartidoras ; espumadeiras ; resfriadeiras de
ferro cstanhado; formas de ferro: ludo por preco
commodo.
Fennas baratas.
Na loja da ru do Cabug, do Duarle,
vendem-se pennas de pato, a 4, 5 e 6,000
rs. o milbeiro, ptimas para reparlicoes
publicas e escriplorios : as amostras se
acham patentes aos Srs. compradores.
Tinta imperial.
Para tingir os suissas e cabellos ruivos ou bran-
cos, tornando-os porfeitamente pretos, sem damno
algum, e desta sorte macios o lustrosos. Vende-se no
escriptorio de Novis & Companhia, rua do Trapi-
che, n. 34.
Tinta solar.
Esta tinta serve para marcar a roupa por mais fi-
na ou grossa que seja ; e usa-so sem preparaeflo
alguma engontmandoa roupa e escrevendo com.
penna de ganso expOe-se ao sol por urna hora, a
iepois torna-se prela .duravel e impossivel de des-
botar na lavagem : vende-se no escriploro de No-
vaes & Companhia na rua do Trapiche, n. 34, a
1,000 rs.
~ Vende-se, pera fechar contas em casa de Kal
kamann & Rosenmund, rua da Cruz, n. 10 por mul-
to baratos precos, um resto de mobilia, consistindo
em commodas, mesas, cadeiras armarios, burras
de ferro e outros mais objectos.
Vendem-se instrumentos de msica militar;
rebecas,vioiese flautas do todas as qualidades;
pianos de armario, de eleganto modelo, o de pti-
mas vozes : ua rua da Cruz, n. 10 em casa de Kal-
kmann & Rosenmund.
Em casa de Kalkmann & Rosenmund ruf. da
Cruz, n. 10 vende-se champanha da marca cometa,
verdadeira por ser recebida dos proprios fabrican-
tes em Ay ; ago'ardento de Franca, de boa qualida-
de a 10,000 rs. a duzia ; um reslo de duzias do mui-
lo superior vinho do HI10110, a 20,000 rs. a duzia.
, 1











i
'
'
_AR ENCONTRADO
t
H '


Vendein-so presuntos para Mimbre; queijos
londrinos | ditos da pulo; latas coni liolaclnnlia
lin i de l.islioa ; ditas do aramia ; conservas novas !
mnslarda ; potes enm sal lino ; latas rom marmola-
da nova ; ditas com hervidlas; raixinias com n:.is-
Ml linas ; vinho moscatel de Setubal ; dito Sherry ;
licores linos ; e outros iii.ii-> gneros, por prego rom-
modo : na ra da Cruz, no llecife, n. 46.
Vendem-se toros do angico, juka o de outras
qualiilades milito bonitos para so fazerem trastos
por prego commodo: no Aterru-da-Boa-Vista fa-
brica do licores n. 17.
Lotera do Itio-de-Janeiro.
Vcndem-se meios bilbetes da tercoira lotera'pa-
ra in .-iuiis.icao do tbesouro publico : na ra da
Cadeia-Veltia, loja de cambio, n. 38.
-- Vende-se na ra Direita, venda n. 53, urna boa
escrava crioula que sabe fazer todo o arranjo do
nina casa ; urna mulatinliade 10 anuos, com prin-
cipios de costura.
Vende-M relroz preto, azul-ferrete o sorlido cm
r.n es, de superior qualidade por prego muilo bu-
rato : no palco do (.'armo, n. 17.
VcnJc-se un bum cavallo de cf prcta, gordo,
rom todos os andares: no Aterro-da-Boa-Visla lo-
ji do Sr Fredeiico tbaves.
No dia i do prximo mez de dezembro, pelas 10
lloras ila maiihila ,se vendcrilo na casa onde resida
o fallecido Bernardo Jos de Souza Moi.teiro, na ra
da Mi.ida no primoiio sobrado, a esquerda, entran-
do pela ra da Madre-de-Deos os movis o mais
pcrleiiccsao dito fallecido: quem os quzer com-
prar, dirja-seao segundo andar da dita casa.
Farfolla de mandioca,
No armazem da ra do Collegio, vende-se farinlia
de llag, muto fina em saccas grandes : e tambem
maisgrossa de Caravellas, Ceara e da trra por
menor prego do que em ontra qualqucr parte.
Luvasdc pellica.
Na loji da ra do Cabiig, do Duarte,
ha linas de pellica, Lordadas a seda de
cores, e enfeitadas de setim e Crocos, e
de cores exquisitas, as mais novas que ha,
por terem viudos no ultimo navio de
Franca.
A inda resta a vender na loja de
qtialro portas da ra do Cabug, do
Duarte, urna pequea potcao de chapeos
de pal lia da Italia, para homem e se-
nhora, a 6,ooo, i,q8o,c 5,ooo rs. A'
lies, antes que se acalictn.
Vendem-se barra pequeos com cal virgeme L-
---i a inaii BOTS -I-* a se creado, |iur |ncyu cuiu-
niudu : na ra da Moda aruiazeiu n. 17.
Vende-se para pagamento dos credores a
venda da esquina defronte da igreja dos Marlyrios ,
com os fundos de ^ 1,000 a 400,000 rs. ;. quem a pre-
tender dirija-se ai t da Madre-de-Deos, a tratar
com Vicente Ferris la Costa o qual promelte fa-
zer negocio e vender ^arato para realisar.
Saccas com milho ,
a 3,200 rs. :
vondem-ss no armazem do Bacelar, no caes da Al-
fa ndega.
No armazem de Dias Ferreira, no
caes da Alfandega, vende-se, por pieco
muito commodo, potassa milito superior,
em pequenos harria de 100 libras cada
um, desembarcados ltimamente.
Na loja de quatro portas da ra do
Cabng, n. i l, do Duarte, vendem-se
hengallas de canna da India, de cas'oes de
piala e de madre-perola, e de ganchos,
por precos commodos.
Vendem-sc 3 lindos moleques, do nacQ ; urna
preta, de 18 anuos, de habilidades, com urna cria de
fimezes; 1 preto de mela idade, por 150,000 rs.
por seu dono se retirar para fra : no pateo da ma-
triz de Santo-Antonio, sobrado n. 4, se dir quem
vende.
Vende-se ago'ardente de Franca, verdadera,
cm barris pequenos : na ra da Cruz, n. 38.
Yendein-se dous piannes de pti-
mas vozes c boa conslruccSo : no arma-
zem da ra da Cruz, n. $8.
PURO VINHO DA FICUEIRA.
Existe no armazem de molhados atrs do Cor-
po Sanio n. 66 urna grande porefo deste genui-
no vinho que se est veudeudo pelo diminuto pro-
co de 1,120 rs a caada e a 160 rs. a garrafa ; lam-
liem ha em pipas que se vender mais em conta : lio
esto o melhorde todo os vinlios que se tcem an-
nunciado pela sua smplicidade o ptimo paladar:
quem urna v*z o beber jamis deixar de o comprar.
-. Vende-se um moleque de bonita figura com
principios do sapateiro ; na ra da Cadeia do Itecife,
n. 59.
Vende-se gomma de mandioca, em
saccas : na rua da Cadeia do llecife, n. q
Vendcni-se esleirs de palha de car-
nauba ; chapos de dita, por preco com-
modo, em porco e a rclalko : na rua do
Cadeia do Kecife, n. 9
Vende-se bolachmha hamburgus
za, em latas, chegada recentcmente A
excellente qualidade destas boiachinhas
a tornam muito recommendavel: no ar-
mazem da rua da Cruz, n. 48.
Contiinia-.se a vender, na rua da
Cruz, n. Go, caixas com cera de Lisboa,
sorlimcnto vontadedo comprador.
Fardo,
em barricas a 4,000 rs. ; saccas grandes, a 3,500
rs., ditas pequeas a 2,800 rs 1 no armazem de J.
J. Tasso Jnior, na rua do Amorim, n. 3.
Vendem-se cortes de casimiras finas
a 5,ooo rs.: na rua do Crespo, 11. 9, loja
de Domingos Guimaraes.
Vendem-se, na loja de Firmianno Jos Rodri-
gues Ferreira, no Passeio-I'ublico, ns. 9 e II, ricos
cortes de cambraia de seda ; ditos de cambraia de
barra ; ditos de cambraia de quadros de cores,
muito superiores; ditos de cambraia do tullronles
cores ; cambraia branca fina ; chales de lita e seda ;
ditos de tarlatana de seda, de muilo hom goslo;
longos de seda para mlo e para hombros do senho-
ra ; chitas finas do hom goslo; madapolSo enfestu-
do e muito fino ; casimiras de bom gosto pnlo ba-
rato prego de 5,000 rs. o corte ; corles de vestidos de
chita com barra de muito bom gosto ; chapos de
palha do cor propria para o campo e pisseio ; o ou-
tras mulas fazendas de bom goslo ludo por preco
commodo.
Vende-se urna escrava crioula de 30 annos pou-
co mais ju menos queengoinma.cozinha e faz to-
do o servico de urna casa : na rua Imperial, n. 12.
Vendem-se sapatoes de couro de
uslro, pelo baralissimo preco de a,56o
F
Ricardo Jos de Frcitas Iliheiro, ven- Prador serio lacrada ai garrafas com rotulo
dem-se chapeo, de sol de seda, astea de ^^.'TOT^'h'* ,u- '>,
. ,| mente a ouira chela 1 tambem lia barril mudn rw
Ierro, os mais superiores e modernos quenot. proprioa para quem paisa a fela ,M>
3,ooo
ditos
para senhoras c meni-
nas sapatoes brancos para homens e
meninos, por preco commodo : na rua da
Cadeia do Itecife. n. 9.
Vendem-se dous lindos moloques de 12 annos ,
muilo sadios; urna mulalinha de 7 annos, com prin-
cipios de costura : na rua larga do lio/uno n. 35.
Cambraia de seda.
Vende-se cambraia de seda, de lindos padrtVs a
7,000 rs. o corle : na rua do Crespo, loja n. 9, de
Domingos GuimarSes.
Vende-se, ou aluga-sea padaria das Cnco-Pon-
las n. 154, com todos os seus pertences : a tratar
na rua Direita n. 24.
Na rua da Moda, n. 7, contina-se a vender su-
perior colla fabricada no Itio-Crando-do-Sul.
-- Vende-se urna preta crioula de 17 annos, mui-
lo sadia que cozinha, engomma liso o he propria
para engenho por saber fazer pao : as Cinco-Pon-
tas, n. 32.
Vende-se, por nao se poder conduzir para o mat-
to um pianuo de excellentes vozes o em muilo
bom uso, por melado de seu valor : na rua do Quei-
mado, n. 17, segundo andar.
AVISO AS SENHORAS DOCEIRAS.
He chegado no Alterro-da-Boa-Visla, loja n. 48,
teios com 6 bocetas para doce, a 1,200 o torno.
Vende-se algodfo da torra de superior qualida-
de : na rua do Queimado, n. 20.
Vendem-se aceces da ex-
mela companhiade Pernambuco
e Parahiba: no escriptorio ce O-
liveira lrmos & C, rua da Cruz,
n. 9.
Vende-se farinha e milho em saccas, por pre-
co commodo: na rua larga do Rozario, n. 27.
Na rua da Cruz no Recife armazem n. 26 ,
vendem-se saccas com superior larinha de mandio-
ca, viuda do Cear por prego mais barato do que
em outra qualquer parte.
Algodo trancado da fabrica
de Todos-os~Saiitos da
liahia ,
muito proprio para saceos de assucar e roupa de es-
cravos : vende-se em casa de N. O. Bieber & Com-
panhia na rua da Cruz, n. 4.
Vende-se ca.' virgem de Lab
CIIA'BRASIUIRO.
Venderse, no armazn de molhados atrs do
Corpo-Sanlo, n. 66, o mais excedente cha preduzi-
lo emS.-Paulo, quo tem viudo a este mercado ,
por prego muito commodo.
'.
ra
SE
-Ve.uW.o velbu'inaTpreta ; meiasdelinho pa- VZlr *
seuiiui, domadas; e lisas,para padre; bem co-l P \ 1 j
DouLcasmuilasraaeiutasporpieco commodo: nol ~~ "a loJa <-*
i'rrn-il:i.l!i.!i_VUl-. 1-t/l.T ...." !_ '
( t furias
08,,
chegada no ultima navio, em barris pe-
quenos, por menos do que em outra qual-
quer parte : na rua do Trapiche, arma-
zem n. 17.
Vende-se cal virgem de Lisbfla era barris de 4
arrobas chegada pelo ultimo navio, por preyo commo-
do: a tratar cora Almeida&t Konseca.narua do Apollo
Vcndem-se roscas muito superiores, viudas
ultimamen te do Porto : na ma Nova n. 3.
Na loja 11.5 A, da ruado Cres-
po, de Ricardo Jos de
Freitas,
vendem-se ertes de chita com 10, cova-
dos, a 1,600 rs. ; mantas de tarlataaa, pa-
ra senhora, a 1,000 rs. ; pecas de breta-
nha de rolo, com 10 va tas, a a,ooo rs
e outras mitas fazendaspor precos com-
modos.
Vendo-se una cama.de armaefio. com lona, qua-
si nova : no Aterro-da-Boa-Vlsra, n. 48.
--Vendem-se escovas e almofagas para limpar c-
vanos o mais superior que lem'apparecido ; bem
como molas para esporas, feitas cm Lisboa e lti-
mamente chegadas : na rua do Queimado, n. 4.
FAUELO
em saccas muito grandes,
a 3.s'6oo rs. a sacca:
no armazem do Braguetao pedo arco da Conceigq.
Chapeos da CIriii.
Vendem-se na praga da independencia n. 37, mui-
tos superiores oliapeos do ChUi, chegados no ultimo
rua do Crespo, ao p
seda, pre9o por que estilo boje os de
panninho.
Na loja da rua do Crespo ao p do
arco de S-Antonio, n. 5 A, vende-se
casimira encarnada propria para golas e
canhoes de farda a 1,400 rcis o covado.
No armazem junto ao arco da ConceigSo que
foi do finado llraguez vendem-se barricas de supe-
rior tai co de Lisboa a 4,000 rs. cada urna; arroz
doMaranhSo, muito barato.
Vende-se alcatrao da Suecia, de
boa qualidade, em barris bem acondicio-
nados com ai eos de ferro: na rua do Vi-
gario, n. 4.
Vendem-se saccas com farinha de
mandioca, de boa qualidade; na rua da
Cadeia de Santo-Antonio, n. 25.
Vinho bom e barato.
Na esquina da rua do Vigario, n. 33, vende-se su-
perior vinho do Lisboa e da Figuoira a 150 rs. a
garrafa e em caada a 1,100 rs.
Vende-se muilo superior lagedo' de Lisboa, e
cal virgem em barris de 4 arrobas, por mdico preg:
na rua do Vigario, n. 19.
Fitas baratas.
Na loja da rua do Cabug, do Duarte.
ha lilas judas, I a viadas, a 120, 240 e 3 jo
rs. a vara.
Na padaria da rua da Guia, no Recife haver
lodos os dias a venda o novo p8o de Provenga, fa-
bricado poroulro modo que o actual, e -da melhor
farinha que ha no mercado : noreste motivo nSo se
pode fazer senSo a 40, 80 e 160 ra.
Vendo-se, no armazem de Vicente Ferreira da
Costa, na rua da Madre-Deos, semeas em saccas
grandes chegadas ltimamente de Trieste; vinho
da Figueira embarns, o mais superior que tem
vindo a este mercado do muilo condecido autor Fa-
liiiio ; vinho ahulado, em ancoretas de 4 e meia a 5
caadas.
Vendem-se saceos com farelo,
chegados ltimamente, pelo diminuto
preco de 3,4oo ta.: na rua da Sanzalla-
Velha, n. i38.
Vendem-se os fteiros e ba!c9o que
forana di armacao velha da loja do Duarte,
proprios para qualquer estabelecimento,
por preco muito commodo : a tratar na
mesma.
Na rua do Crespo, loja de 4 portas, n. 12, ven-
dem-se chapeos do castor pelos, do muito boa qua-
lidade a 4,400 rs.
Vende-se a verdadera potassa da
Russia, desembarcada hontem, por pre-
co muilo rasoavel, vista de sua muito
superior qualidade : na ruado Trapiche,
n. 17, e rua da Cadeia, n. 34.
Agencia da Cundicao
Low-Uoor, rua da Menzalla-
nova, 11. 42.
Neste estabelecimento contina a ha-
ver um completo sortimento de moendas
ua auu uc ounio Antonio, n. 5
ao
A,
e incias moendas, para engenho; ma-
chinas de vapor,e tachas de ferro balido e
coado, de todos os tamanhos, para dito.
Flores artiiciacs.
Na loja da rua do Cabug, do Duarte,
acaba-se de receber um completo sorti-
mento de flores finas, ramos, capellas de
flor de laranja, pennas para enfeites de
chapos de senhora e cabera, guamiedes
de vestidos de casamentas : d-sc3o amos-
tras com o competente penhor.
Potassa.
Desembarcou lia poucos dias nina por-
co de barris pequenos, com muito nova
e superior potassa, eseacham venda,
por preco mais barato do que ultima-
mente se venda, na rua da Cadeia-Velha,
armazem de fiallarrkUliveira, n. \%.
Quadros de santos com moJduras
da moda.
Na loja da rua do Cabug, do Duarla,
acaba de se receber um nov sortimento de
quadros cora moldura domada em metal,
em ponto grande e pequeo, de 32o at
2,000 rs., daodo-se as amostras aos Sis.
compradores, com o seu competente pe-
nhor.
Vinlio barato.
Acia-sc cslabelecido na rua da Madre-de-Deos,
n. 36, um armazem de
Vinhos da Figueira,
delros imantea da boa pinga. Elle conta q
urna vez provar, continuar com goslo o sem
pendimento. Eo bom preco!! / A todo o exoQSi
accresce o aaioio e boro acondicionamenlo, o .
ludo se poder verificar em dito eitabelecimento
Vendem-se chapeos francezes da
ultima moda de Pars ; bonets de palha
tanto de homem, como para menino de
superior qualidade e gosto o mais moder-
no; chapeos de molli pretos e brancos
ditos de massa sem pello, de varias for-
mas e cores, para homem e meninos
ditos de palha da Italia, superiores ; di-
tos do Chill muito alvos assim como
todos os preparo para chapeos, |U(J0
chegado reeentemente, e por preco o
mais commodo possivel: na rua Nova
n. 44, fabrica de chapos de Christianni
5c Innao.
Vendem-se saccas com tres quartas e tneia de
familia muito alvaeengoinmada, a 3,000 rs. : no
caes da Alfandega armazem n. 1.
Vendem-se dous quarlos e urna vao
cria, por preco commodo : a tratar no Alerro-da
Roa-Vista, loja n. 46.
Na rua Nova, n. 20, loja de Jolto Fermndes pa.
rente Vianna, vendem-se ricos apparelhos de metal
lino, para cha os melhores que aqu team vindo ;
superiores machinas parase fazer caf; ptimas faJ
cas de cabo de marfim; colheres de metal do prin-
cipe, para sopa cha, terrina e arroz { as mais supe-
ores navallias para barba, que aqu leem vindo
ludo por preco commodo. '1
- Vende-se um bergo novo de angico, por mutf
barato preco: na rua eslreita do Rozario, loja de
carpina, n. 27.
Vende-se a venda da rua deS -Theieza n. 60,
bem afreguezada para a trra, com poucos fundos
o motivo por que so vende so dir ao comprador:
a tratar na mosma venda.
Vende-se um lindo moleque de 14 annos: na
rua Direita confronte ao oitiio do Livramento, veo-
dan. 4.
Vendem-se bonitos chapeos de seda e de pallii-
nha para senhora e meninas, ltimamente chega-
dos de Paria, por prego commodo : no Aterio-da-
Boa-Vista casado Madama Porta, n, 3.
Panno azul.
Vende-se panno azul, proprio para fardas: na rua
da-Cruz, n. 17.
Na rua Nova, loja de ferragons, n. 25, na esqui-
na que vira para a Camboa-do-Carmo vende-se um
completo sortimento de ferro ingles chegado pr-
ximamente de Londres, por prego miis commodo
do que om outra qualquer parte.
Vendem-se as melhores espadas prateadas e
douradas, para cavallaria e infamara : na lrua No-
va loja de ferragena, 11. 25, na esquina que vira pa-
ra o becco da Camboa-do-Cirmo por preco mais
commodo do que cm outra qualquer parte.
-- Vendem-se espadas-prateadas de rico padioes,
proprias para oulclaes de cavallaria e infantera : na
rua Nova, loja de ferragens, n. 16.
Escravos Fgidos
Ftigit>, no dia 23 do crrente mez o pardo An-
tonio nllicial de sapaleiro, de cor triguoira, esta-
tura ordinaria ; foi ltimamente escravo do Sr. Iler-
culano Jos de Freitas; anda pelos Afogados, ondo
dorme : quem o pegar leve a rua Direita em casa
de Jtaijuim Bernardo de Figueiredo, que generosa-
mente recompensar.
--Paga-se boma quem pegar um molequo que
fugio, no dia 20 do corrente, de case do seu senlinr,
na rua dos Quarleis, junto da botica do Sr, Jos Hv
ria ; levou caigas jireUs de melim e camisa do mes*
mo panno; tem 2 |ou 3 cicatrizo as costas j anti-
gs chama-so ajarcianno.
-- Fugio, no dia 26 do corrente, domingo pela
tarde, um escravo pardo, muilo claro, de nome
Grogorio baixo, do bonita figura desdentado do
queixo de cima ; levou caigas azues camisa bran-
ca um Irouxinha de roupa as costas; foi encontra-
do no mesmodia a lardo em Olinda procurando a
estrada do serlSo de onde he natural; foi compra-
do no Ceari por Manoel ios Salgado ; lia de ser
cuitoso a conhecer-sc porque alm de ir em trages
do matulo parece mesmo matuto levando cha-
peo de palha novo. Roga-se as autoridades policiae
t capitOes de campo 1 que o apprehendam e levfin-
no a rua da Cruz, no Kecife.', armazem a. 26, quo
ser3 o gra tilica dos.
Fugio, no dia 94 do corrente, urna preta criou-
la de nome Iiellina + de 25 a" 30 anuos baix e gur-
da nariz chalo V quem a pegar leve-a ao Alerro-da-
Boa-Vista, n. 29 que sera gratificado.
Fugio, no dia 28 do corrente, as 4 horas da tar-
de, do sitio do Deburque, urna preta, de iiome Juan-
na crioula de 20 annos pouco mais ou menos;
foi escrava de Jos Goncalves do Araujo,' genro de
Francisco Gongalves da fazenda do Pogo-da-l.a-
ma a um lado do Brejo-da-Madre-de-Deos; descou-
fla-seque fosseem algumeomboi para as partes da
dita fazenda ; lie de boa estatura, cboia do corpo ,
eor afulada rosto um tanto achatado ; tem ascos-
tas com bastantes lanhos ja cicatrizados que p10'
cem de chicote e nos dous dragos marcas de des''
gas por ser vaccinada lia pouco lempo ;'"levou ves-
tido de chita com listras azues e rouxas j desbota-
da outro de chita de ramagem verde tiua.porm <-"
Ido, camisa de madapolao ja veida com o babado
arrancado ,-panno da Costa anda por ombainhar,
porin usado ; costuina traecr um annol de metal
amarelioem om dedo; foi comprada ha 20 das .
ao Sr. Francisco Jos Duarte negocianto de escra-
vos morador na rua da Concordia quem a pegar
leve-a aol'asscio-PuMico, casa de bilhar, que sera
recompensado.
: J -1- .-.-
I" a.IIm. -.--------
UeI e a 160 rs, a garrafa; e para nSo haver dolo do com-
PeH\,: NA TTf. DEM. f. DS r.ABIA. 184*
MUTIL


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EA0IUZ1QZ_LMI2YN INGEST_TIME 2013-04-13T00:31:38Z PACKAGE AA00011611_06188
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES