Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06187


This item is only available as the following downloads:


Full Text
'
Hnno
XXIV.
Qunta-feira SO
., i rio publica-* todos os das que nSo
\w ffiarda: o preco da asignatura he
" u mo ri I"" I'**' do, assignantes ud Inserido a
"""".ror.. poi Uaha. 40 rs. ein lypo dlf-
rjo oc f p.ticde pela metade. O nao
'''"""lite PgarSo M Pr linhl'e l(i0 M
fvpo aillereoic, por cada piiblicacao.
Chases da la no mez e novembro.
-i. a 4. s 3 horas e44 mln. da manh.
1""Za a 10. as II horas e 16 mln. da tard.
>*" |7 s ^ hora|) e jy m,n da (ard
CS!^7 horas e I0 min-da tard-
PARTIDA DOS CORREIOS.
Goianna e Parahlba, is segi. e seius-feiras.
flio-G.-do-Norte, quintas-feirss ao rnelo-dia.
Cabo, Serinhaein, Uo-Koruioso, Porto-CalTO
e Macelo, no l., a II e 21 de cada mez.
Garanhuns e Bonito, a 8 e 23.
Boa-Visu e Flores, a 13 e 28.
Victoria, s qulnus-feiras.
Olinda, todos os das.
PREAMAR DE IIOJK.
Primeira, as 8 horas e 30 minutos da manh.
Segunda, s 8 horas e .Vi minutos da tarde.
de Novembro de 1848.
If. *.
das da semana.
27 Segunda. S. Margarida de Siboia. Aud.
d(i J. 'lo- im ph.do J. el, e do J. M. da 2. r.
28 Terca. S. Gregorio. Aud. do J. do c. da
1. t. e do J.de paz do2. dlst de t.
2'J Quarla. S. Saturnino. Aud. do J. do c. da
2. v. c do J. de paz do 2 di^i. de t.
30 Quinta. + S. Andr. ,
1 Sexta. S.Eloy. Aud. do J.do civ. e do J.
de paz da I dlst de t.
2 Sabbado. S. Bibiana. Penado cm loda
as repartieres.
3 Domingo. S. Francisco Xavier.
CAMBIOS NO DA 2!) DE NOVEMBRO.
Sobre Londres a 25 d. por 1,000 rs. a 80 das.
Pars
* Lisboa 120 por cenlo de pumo.
Rlo-dc-Jnoiro ao par.
Drsc. de lett. de boas Armas a 1 t ao me
Acedes da comp. de Heberil.e, a.W- a"P-
rVro.-Oneas hespanhlas 30*800 a .H/OOn
Modas de#400 v. 1T/000 "
de 6/400 n. I6#2t)
. de 4/000... 9/200
PralaPatacOes brasileiros 1/940
Pesos columnarios. l/>40
Ditos mexicano..... 1/900
I7/00
16/400
9/30D
1/W0
1/960
1/920
ARIO DE
parte orrici/a.
MINISTERIO DA GUERRA.
Illm. Kxm. Sr. Tendo sido nomcado, por de-
creto datado de liutitein, o brigadeiro Jos Joaquim
foelhopara commandanle das armas dessa provin-
cia ilpli-rmiiiou S. M. a Imperndorqueo parlicpas-
e i V. Exc. para que lite faca dar posse nflo obstan-
\,. falta da respectiva patente.
Deps guarde a V. Exc. Palacio do Rio-de-Janeiro,
tni 17 de novombro -de 1848. ano*/ Felizardo de
Squm e Helio. Sr. presidente da provincia de l'er-
namliuco. .*.'. .
Cumpra-so e registre-se. Palacio do governo de
Pernambuco, 29 de novembro de 1848. Ferreira
l'rnna.
I Aggravode pelicflo de Luiz Jos de S Araujo. Nflo
tomarm conhecimenlo.
Revista civel em que silo :
Recorrenle, Manoel Jos Valladares; recorrido, Jos
Angelino de Busselle. Julgaram a favor do re-
correnle.
GOVERNO DA PROVINCIA.
Illm. e Exm. Sr.Desejando ardenlemenle, nilo
obstante a obscuridade do meu oslado, prestar-me
aoservico do meu paiz, e especialmente da bella e
heroica provincia de Pernambuco; nilo tendo cm
vista mesquinhos inleresses, eso o bera dos meus
patricios; guiado sempre pelos principios deorJem,
de justic ; verdadeiro tolerante ; vendo a grande e
patritica dedicaeflo dos honrados e briosos Pernam-
liucsnns, uue so teem alistado no brioso balalhfio
de voluntarios desla capital, de que he V. Exc. dig-
no commandanle, tenhoa dislincta honra de offore-
m-mcpsra capelina lo mesmo bstalhOo, restndo-
me o prazer de assim dar ao Exm. presidente desla
provincia e ao publico urna convincente prova dos
sentimcnlos de que me acho possuido ; e serei bem
recompensado, se esto meu offereciment fr por
V. Exc. aceito, e pelo presidente approvado.
Dos guarde a V. Exc. como he misler.Convenio
de S.-Antonio do Itecife, 25 de novombro do 1818.--
Illm- e Exm. Sr. concellioiro Sebasliilo do Reg
Barros, lente-coronel e commandanle do batalhflo
de voluntarios.-/-Vei Judo Capis/runo de Mendonca.
Illm. Sr.Apreciando lvidamente os sontimen-
los deque se musir animado o reverendo padre
niettre Trei Joflo Capislrano de Mendonca no nllicio
que dirigi a V. S. com dala de 25 do corrento, le-
nhu resolvido aceitar o patritico ofTerocimento pelo
qual se ello prope a servir o lugar de capellilo do
coriii! de volan'-MriO', e inclusa remello a portara
de nomcaeflo, afim de que V. S. Ib'a transmita com
a expressoo dos louvoie3 e agradecimontos do go
vcnio.
lieos guardo a V. S. Palacio do govorno de Per-
nambiiro, 28 de novembro de 1848.Ilerculano ler-
ttira l'enna.Sr. eonsflhetro Sobasliflo do llego Bar-
ros, commandanle do b.ilalliao de voluntarlos.
EXPEDIENTE DO DA 28 DE NOVEMBRO.
Ollicio. Ao inspector da tliesouraria da fazenda,
Iransmittirido o aviso de urna Ictlra da quantia de
:H,003 rs. sacada pela tbesourana da provincia do
llio-Grande-do-Norto sobre a que esta a cargo do S.
S.cafavor de Tbeotonio Cocino Cerqueira. Sci-
enlificou-se o presidente da mencionada provincia.
llilo. Ao contador de marinlia, ordenando pa-
gue lodos os vcndiincnlos ovonUgens de embarca-
oao segundo lente d'armada Manoel Antonio Vi-
tal de Ohveira, desdo odia cm que ello coinecou a
roadjuvar a ronimlwilo encarregada do melhora-
mento do porto dosta cllade ; e provenindo-o de quo
lia providenciado para que o mencionado segundo
tenente embarque em un dos navios de guerra aqu
existentes, continuando no mesmo servico em que
so clin. Neste senlido ollciou-s ao commandan-
le das forcas navacs c ao inspector do arsenal de ma-
finha.
Dilo. Ao agento da companhia das barcas de va-
por, recommendando d suas ordena para quo seja
|'oto disposicflo do brigadeiro commandante-em
ebere das forcas em operacOes o soldado desertor do
qusrto corpo de arlilharia a p, Ignacio Pereira C-
l>rl, que vcio da Parahiba no vapor San-SebasliaO.
~ Psrlicipou-se ao mencionado brigadeiro e no pre-
sdeme da provincia da Parahiba. .
bito. ao inspector da thcsouraria da fazenda,
Iransmitlindo o aviso de urna lellra daquantiada
585,000 rs'. sacada pela Ihesouraria da provincia do
Hio-;rande-do-Norlo sobro a que esta a cargo des.
S. e a lavor de Joaquim Jos de Torres. Communi-
cou-scao presidente da mencionada provincia.
TRIBUNAL DA RELACAO.
SESSAO DE 28 DE NOVEMBRO DE 1848.
mFSIDENCIA DO SNa. DESBMBAIICADOr. AZEVBDO.
Achando-se presentes os Srs. desembargadores
lotice, Villares, Bastos, l.eo. NunesMachado, eos
Srs. juizes do direilo Pereira Menteiro e Silva Guima-
raes, abiio-so a sessao.Eram 10 horas.-Um quarto
vdepois dessa hora compareceu o Sr. desombargador
Hamos.
Julgaram-se os seguinles processos :
Hubeoi-curput pedido por Antonio Jos da Silva Soa-
V res. beliegaram. ,
Uem ped-.do i.or.M.daquias Gomes de Jezus Vianna.
Conceder h^lB^HHBB
Wem pedido por Joao Antonio Bezcrra. Conce-
deain.

L
ILADO
Appellaces civeis em que silo i
Appellante, Lenoir Puget i Companbla ; appellado,
Manocl Eilippe d Fonseca Candi. Mandaram
averbar a dizima.-
Appellante, Jos Xavier Rodrigues Campello ; appel-
lada, I). Ano Joaquina Wandcrley Lins. Conlir-
maram a sentPnqa. .
Appellante, o iuzoda fazenda; appellado Antonio
Ribeiro deMoura. Mandaram com vista aodcs-
embargdor procurador da coro.
Appellante, Concalo Jorge da Costa ; appellado, Mi-
guel Comes de Souza. Mandaram com visia ao
doutor curador geral. ,.,
Appellante, o senador Francisco de Paula Cavslcan-
ti de Albuquerque; appellado, ojuizo. r Julga-
ram rtullo o processo de f. 14 em dianle.
Appellante, o juizo; appellado, Nicolao O.B.eber
& Companhia. Julgaram nullo o processo pola
incompetencia dojuiz. ,...
Appellante. a fazenda nacional; appellado, Mattieus
de Arauj Caldas Xexo. Mandaram com vista
ao desembargador procurador da corOa.
Appellante, Ignacio Correa de Mello ; PP?0.
Francisco Poreira Pinto Cavalcante. Despez-
ramos embargos, r...^
Appellante. o iuizo da fazenda; appel a.lo, Franc.s-
o'oll.pliAa de Almeida, tutor do Joflo Ozono de
Castro Maciel Monleiro. Con firma ram a appei-
Iuqo.
Appella?0es crimes em que so:
Appellanle, a justica ; appellado, Ilerculano Fer-
rcira. Julgaram improcedente a appellacao.
Apellantes, Manoel l.uiz da Costa o Jos l.uiz da
('osla ; appellada, a jusliga. N3o tomaram co-
nhecimento da appellacilo.
foi assignado o dia da primeira sessao para serem
julgadas as seguinles appollaces, em que sao :
Appellanles, Luiz Comes Ferreira & Companhia ; ap-
pellado, Manoel Elias deMoura.
Appellante, Vicente de Mesquita. por scu.curador;
appellado, Antonio de Paula Souza Leo
AppoHanlos, Bernardo l.asserre & Companhia; ap-
pellado, Jos Joaquim da Costa Maciel,
Appellante, ManoelIIV re ira_do Bombn ; appcllados,
Pedro Jos de Mello o oulros.
Appellante, llarlholomou Francisco de Souza; appel-
lado, Manuel Paulo Quinlella.
Appellante, o coronel Manoel Cav.lcanti de Albu-
querque; appellado, Claudio Dubeiix.
Appellante, Mana Joaquina de Andrado ; appellado,
Jeronymo Caldino da Tnndade.
PassaramdoSnr. desembargador ponceaoSr. des-
embargador Ramos as seguinle appellac.Oos:
Appellanle, Jos Gomes Villar; appellado, Leopoldo
Jus da Costa e Araujo. .
Appellante. lUnriquo Mergos; appellado, Ignacio Jo-
s de Mello.
P.issaram do Sr. desembargador Ramos a o Sr. des-
embargador Villares as soguintes appellac,0es :
Appellanle. Pommateau ; appellado, F. Poiricr.
Appellanle, Jos Rodrigues do Paco ; appellado, Ma-
noel Eilippe da Fonseca Candi.
Appellante, Luiz Pires Fe reir; appcllados, Manoel
Pires Ferreira e ouiros.
Appellante. Poncianno Lourenco da Silva; appella-
do. Jos Pereira do Oliveira. .
Appellanles, J. Danet Woifop & Companhia ; appel-
lado, Frcdorico Colln. ,
Appellante, Francisco de Barros llego; appellado,
. Joflo Carlos Leiie de Albuquerque.
Appellanle, Manoel Peivira Cuimarfles ; appellado,
Agoslinbo llenrique da Silva.
Passaram do Sr. desembargador Villares ao Sr.
desembargador Bastos as seguinles appellaces :
Appellante. Jos Estanislao Ferreira ; appellado, Vic-
torino Poreira Maia. .. .
Appellante, Joflo Alves de Carvallio Porto; appellado,
Jos Joaquim da Costa Maciel.
Appeliantes, Joaquim Antonio de Amor.m e sua mu-
ll.er; appellado, Claudio Pereira da (.osla,
Appellanle; Viconle Jos Comes; appellado, Joflo Ls-
ApXT6!"... n.ymnda da l'.z ; appellado,
Joaquim Flix da Silva
Passaram do Sr. desembargador Uaslosao Sr. des-
embargador Lcflo as seguinles sappellacoes:
Appellante, Josefa Epifana da Fonseca; appellado,
Manoel da Fonseca Silva.
Appellante, Jos Concalves Sen na ; appellado, Do-
mingos Jos Pereira Pacheco.
Passou do mes.no Sr. desembargador Bastos ao Sr.
desembargador Nunes Machado a seguinto appel-
lac3u: u i
Appellante, Antonio Ribeiro Cuimarfles; appellado,
o promotor do julzo.
Passaram do Sr. desembargador Minies Machado
aqSr. desembargador Ponce as seguinles appel.a-
COos :
Appellanle, Antonio Pedro de Mendonca.Corle Real;
~-..ii.i. M.ria Candida doMagalbfles. j ?,
AppriMloi Antonio Comes viii..; s?pc..u, .....
cisco Jos Barbota.
Appellante, Bcrnardino (ornes de Carvalbo ; appcl-
lados, Bernardo LaSserro&. Companhia.
Appellante. Francisco Jos Barboza ; apppellado, An-
tonio Cornos Villar.
Appellanles, Jos Antonio Lourenco e Antonio Co-
mes Villar; appellado, Juhflo Beranger.
Distribuict.
Ao Sr. desembargador Leflo a nppollaco crime do
jury da Parabyba em que he appellado o reo Jos
Cp.nos.
Ao Sr. desembargador Nunes Machado a appella-
cilo crime de Joo Manoel Mandes da Cunba Azevedo
e Evaristo Mondes, em quo be appellado o junto.
Ao Sr. desembargador Ramos a revista cvol cm
que sflo recorrentes, Calliarina e seus lilbos ; re-
corrido, Vicente Pinheiro de Lemos.
Ao Sr. desembargador Bastos o recurso crime do
iuizo de dircito do Rio-Formoso em quo lio recorri-
do Sebastiflo Jos de Carvalbo e Silva.
Levantou-se a sessflo as i horas da tarde.
Repartidlo da polica.
EXTRACTO DIARIO DO DIA 29 DO CBRENTE.
FOram presos :- ordem do Sr. desembargador
chefe de polica, o paisano Joaquim Tavaros de Mel-
lo para recruta ;-do subdelegado do Recife, o par-
do' Concalo Comes de Souza, por formento leilo em
Manoel Jo iquim, o o prelo Vicente, escravo de M-
ximo Jos do Andrado, por ser encontrado lar Je da
uie;-d.) subdelegad" da Roa-Visla, o prelo Jos.-,
escravo do Francisco Augusto ;o do subdelegado
de S -Jos, o preto Pedro, escravo de Podro d'Abrmi.--
Desles dous ltimos nflo consta o molivo das prisftes.
O 1. Amanuense,
Aprigio Jos da Silva
concobidas em momentos de delirio, larguem asar-
mas, que erradamente empunharam contra a ordem
publica e contra as leis.
Apezar de ludo isto esta provincia acha-se em
perfeila tranquillidade, nclla nflo rospira a menor
desconfianca de alterado, gracas ao genio pacifico
e ordeiro dos seus habitantes, o o actual administra-
dor est desembalado para continuar a dar todas
as providencias tendentes a nflo consentir o progres-
so do mal de urna sua vizinha e irmfla; mil louvo
res sejain dados ao Exm. Sr. Dr. Joao Antonio .1
Vasconcellos.
! Crrelo Oficial Parahyba.no.
CORRESPONDENCIA DO DIARIO DE PERNAMRI'CO.
llio-d'-Janeiro, \3de noremlmdr 1848.
I'ouco oh nada ha actualmente que pOSaa recla-
mar meneflo as columnas do Diario a quadra be
estril.
ACha-te j sanecionada a lei doorcamento, e vi-
gorando suas disposiefies desdo : do correnle, dia
em que foi publicada Algumns dessasdisposices,
comoj cm oulra occasiflo notei, sao inexequiveis
o muilos embaracos talvez tenhara de causar ao go-
INTERIOR.
PARAHIBA DO NORTE
Por occasiflo das noticias de deso-Jens apparecidas
na provincia de Pernambuco, S. Exc. 0 S presiden-
te desta provincia, a quem tacs noticias chegaram
oflicialmenle, leu logo promptas e enrgicas provi-
dencias, mandando anuartelar 200 nracas .1 guar-
da nacional com os competentes ofllciaes, e fez mar-
char no dia 11 do rorrele um destacamento dp 50
pracas do linha e polica para l'edras- le-F^go Este
destacamento ol rhegado, sendo requisitado pelas
autoridades de Covann,seguid para aquella cida-
do sb o commando do tenoulo Claudino Agnello
Castcllo-Ilrancd, por constar que os sodiciosos, sen-
do batidos em Ignarass e Na/.aielh, procuravam rer
fugiur-se, o.i atacar Covanna : no dia 12, em con-
sequencia do participacOes olliciaes das respectivas
autoridades policiaes, S. Exc. fez marchar deslaca-
meutos da guarda nacional aquartelada para o
mesmo poni de Pedras-le-FOgo, e Albandra, limi-
trophes a Pernambuco, e com tanta promptidflo foi
essa marcha que sua aproximaeflo nos ditos pon-
tos suppOe-se que se deve o nflo terem os se.tlcTobS
progredido em seus errados planos, tentando sua
marcha para os lmites d'esla provincia. A Torca
d'Alhandra lambem foi requisilada pelas autorida-
des de Coyanna, o immediatainenlo seguio sb o
commando do capitflo Jenuino Antonio de Almei-
da. Nos dias 13 e 14 anda seguiram para os refe-
ridos lugares mais destacamentos comman lados po-
los lenles da guarda nacional Severiano Elyzio de
Souza Couvoa, Adelgicio Jesuino de Vasconcellos
o Cervasio Vctor da Natividade, os quaes chegados
a-seus deslinos estacionaran!. Vendo S. Exc. que o
segundo e teiceiro destacamentos do Pedras-do-
Fgo nflo Rtoum requisitados pelas autoridades do
Coyanna, mandou para all no din 15 um olllcial
intclligonte e hbil de primeira linha, o Sr. capitflo
Luiz Estanislao Rodrigues Chaves, para comman-
dar toda a forc. reunindo tambem a d'Alliaiidra,
quando l nflo se zesse precisa sua conseryaeflo.
No dia 16 constou que os sediciosos principiavain
a dnbandar-se, o por isso S. Exc. dcixou de man-
dar mas tropa para Corada cidade, os cuida do
conservar os destacamentos em sous pontos,' e de
augmentar a frca da guamieflo respectiva, lie do
notar que o espirito publico desta provincialem-.se
desenvolvido e mostrado de urna maneira digna de
lodo o elogio : todas as autoridades o a guarda na-
cional tcem-sc prestado com a mclhor boa volitado
para oservico e marchas, as quaes todos observa-
ram o contentamento que a cada soldado aconipanha-
va : o govertiu enconlra na populacflo todo o au-
xilio e as melbores inlences, eassim coadju/ado
tein S. Exc. mostrado muila promplidflo, energa
o actividade na expedido de suas ordena a favor
da causa publica. No meio deludo islo, o que he
muito para louvar, nonhuma. queixa se lem ouvido,
neohuma violencia so ha praticadu por mais leve
que seja, pelo contrario lodos nulrein desejosde ver
resUbolecida a paz.
Nflo passe em esquecimento a promplidflo com
que o Sr. capitflo do porto fez reunir em virludo de
ordena da presidencia urna grande parto da gente
da capitana, a qual engrossou as lilo.ras da lorSa
expeuicionaris.
lio de esperar quo os nossos compatriotas que le-
.ntaram o eatandarte da desordem, brevemente des-
vendados de ^engaadoras e auaremt. 5g.oo
U lll'im" lll l 'U l .n ir i >!{ ., .*-. -------------------------x* -
verno, nflo fallo das facultativas, seuaodas que im-
pOem obrigaciio. Assim, por cxemplo, di/.-se que
nflo sera executada a medida quo na lei so conten,
proposla por Nunes Machado, impondo 80 ; sobro
obras estrangeiras, contra a qual se lom levantado
um clamor universal; e por qualquer dos lados que
se encare, nflo se llie achara urna so vantagem.
Que beneficio pode resultar fazenda publica, ou
ao paiz desse passo retrogrado na economa poltica r1
Como augmento de renda, he claro que ha de ser in-
fallvelmonte improficuo, porquo tilo excessvo im-
posto be equivalente a prohibicm; como meio de
dllicultar a entrada dos productos estrangeiros,
que cm concurrencia com os nacionaes lazcm de-
finhar as industrias ctabclecidas uo pai/^ o princi-
pio nflo pode ter applicacflo entre nos : ainda nflo
vi as elasses laboriosas clamarem por falta de traba-
Iho, ou queixarom-se que seus productos nflo pos-
sam sor vendidos pela concurrencia dos estrangei-
ros. Pelo contraro, os altos salarios que se pagam
aos bomens de ollicio. e a nflo accumulacflo dos
mesmos producios, provam sufficicntemonto, nflo so
que o principio nflo lem applicacflo, como que as in-
dustrias nacionaes nflo bastam pira satisfazer as
nossas necesidades sempre crescentes. E se, oni
virtuilo de tilo excessivo imposto, frem taes arti-
gos eliminados da lista das importaces, a procura
dentro do paiz ira constantemente augmentando, e
por conseguinte llavera augmento nos prec,o* ao
ponto mesmo tic chegar ao monopolio; eilasalgi-
neiras de nos outros consumidores he quo hilo de sa-
bir as cusas para tal brincados!*. Mas, dizem os
defensores da'medida, que, nflo sendo ella prohibi-
tiva, leudo s em vista proteger os artigo nacio-
naes, nflo priva a quem que* que queira comprar
os estrangeiros, e entilo satfsCacJ o seu gosto pa-
gando mais caro. Isto he, a medida he una pona
inflingida quelles que prehram os producios estran-
geiros aos nacionaes. Costo de Vor esse patnotis-
l'.nlrctanto, cu-que nunca desejoi ostentar
mo
11
lll" 1.111. uian.u, v-u .j..~----------------------1-- ------------
catonismo, que gosto do andar cqm o meu sapaiflo
ingle/, poique he commodo e atura dous mezos do
servico activo, bc de compra-lo por 7 ou 8 miJ res
emvezde quatro, que era quanto elles cuslavam;
e ficarei unida contento se os encontrar no merca-
do, e nflo fr obligado a andar nos das do chuvas
com os botina foilos pelos sapaleiros da ra do Ouvi-
dor, que com a sua solinba trazom os p.-s em perni-
ciosa bumidade.
Ainda por um outro lado a medida he ma, como
milito bem observa um artigo do Jornal do Commer-
io: vem indirectamente alimentar, ou concorrer
em favor do trafico de Africanos, contra o que tanto
se lem pronunciado o mesmo Nunes Machado; por-
quantoda necessidade de maioremprego de bracos
as ollicinas e fabricas resulla que os eseravos serao
chamados para ellas; e entilo ,'sem ser preciso ja no-
tar o mal que em tal caso ha na competencia do tra-
balho de eseravos com o do bracos livres: os possui-
dores destes nflo doxarflo de fazer disso um mono-
polio, empregando o maor numero delles que Ibes
fr ossivl: e por conseguinte, longo de ariimarem
c promoverem aemigracflovre, tratarflo da intro-
dueflo de Africanos. Ora, ninguem contesUra que,
a concurrencia de trabalho de eseravos no mercado
vira a ser para os obreiros livres, lilbos do paiz, in-
comparaveimuntc mais lemvei doqueaimportacflo
estrngeira, porque esta desapparece logo que o lu-
cro deixe de almenU-la, ao passo que adepreem-
efln no valor do Irabalbo causada pelo emprego de
avultado numero do Africanos sera progressiya e
constante :' logo, a medida deve ser antes considera-
da como um incentivo ao contrabando, o um pre-
mio ofierecido a quem o excrce, com grave prejuizo
dos particulares o detrimento da fazenda publica.
Consta que por intermedio da praca do commer-
co subir ao governo urna represenUcflo, ass.gnada
por muilos negociantes.Ipcdindo que se nflo pozesse
desde ja a medida em execneflo, e que seja dado um
prazo rasoavcl para ao menos haver lempo de Che-
gar a noticia aos outros paizes, alim de nilo vir a
acontecer que encommendas e remessas fetas an-
tes de vigorar aquella disposieflo cheguem cesof-
fram os ellitos della. He natural que Torres atien-
da a estas bem fndadas razOes, e tome a mesma
resolucao que tomou a respeito tos dreitos duTeren-
ciaes, cuja execueflo, como j anteriormente disse,
foi prorogada para Janeiro de 4850.
As entradas de longo curso no raez passatk mon-
u.aiii. 142 ggibartg*f**; mm.M toneladas;


'..i
ieosteirai a isa, rom so,075 toneladas, ilm de _>i
raporoa. No meamo do anuo Misado foram as
pniiieuas de 70 embarcagoes, o as segundas deSM,
cora 17,850 toneladas donde ser qdea noast m-
poiueno Ii'in augmentado prodigh smente,
jeja agora occaallo de pergunlar porque
raz
al
I .iImv
. se nflo
a navegng.io cnstcirn por vapor iihi em Pernam-
"ico, o menos ste llib-Formoao, cora acola por
un portes intermedios? Parece-me que as van-
lagaa qiatdani derem resulUr sSo ncoolestaveis
I ove lugar hontem, ,romo j Ihes havia dito, a con-
voeaeoo dos collegioseloitore.es, para eleger-se o do-
puletlo neis mi;, do ministro da Instiga. Era can-
ino lo a-prosidencia da mesa, por parte da opposigflo,
noroiiegio da corto, Aires Bronco, o Francisco Cof
es de (.ampos por parte do governo: Aquelle leve
. rotos,eeatem lie tres collegios conhecidos tcm
Ku/cliio 188votos, o trarflo da Parahyba 62: he mu
pouro curioso comparar-se a rotacSo que pelos
msanos eleilores tireram ambos os candidat
anuo passado.
Collcgio da corle.
tos no
I88 1817.
Eu/ebio de Queiroz.......150. 98 votos
Mito da Parabyba ....... 46 .. iOf
:\>
10
Collegio tic KMherou.
Kiizcbio do Queiroz..... 37 <
Danto da Parahyba ....... 10'
..' ,. Collegfo ih EttreUa.
I iizobio de Queiroz..... \\ .,
Barto da Parahyba.......".'. !l
!>'aqn ja se podo concluir al esperanzas que d-
/em nutriros que qiicriain tiesta queslflo derrolar o
ministerio: e lamliem erro isso para desengaar
aquelles que pensar que entre nos ha opinies po-
lilicas formadas. E 1 e preciso dizerque a opposicflo
empregou lodos os seus estoicos, queimousou ulti-
mo cartucho, fazendo questflo de honra para o parti-
do ; emanante que o governo pela sua parle, conscio
do resultado da lula, para torna-la roais honrosa e
ilc. moslroii milito pouco estoico, o deixou
oommisses, na qual se ii;i,wm altamente o procodi-
menlo do dictador, ese recapitula de noy a pesada
serio de pravos que. a confoderneflo teom feito a
Franca ea Inglaterra.
Mu i tos ilanioies levanlam aqu os nossos agriculto-
res de assucar, por causa doqueelles chamain patio
queda ascanuase as faz niorrorantes que lenliain
'iisriilo Base mal que ha poucos anuos se manifes-
lou na provincia smente nos engenhos dos termos
no San-Goncalo e Itaborahy, vai-se oslendendo tam-
iiem nos do Campos, tanto que ass/fras desla comar-
ca que eoslumavain ser de 16 e 18 mil caixas, ( nflo
ca xas grandes, como as que vi em l'ernambuco,
aiiandoja eslive, tal vez ueste auno nflo exceda de
15. A omina cailiana he a que est suhjeita a este mal;
mas nflo assim a crioula.oque faz que haja engenhos
que Tacam suas safras socoro esta. Toiii-lhes, po-
rm, valido o hom prego que sempre d o assucar, e
aindamis a agoardentu, que so esta vendendo a
8SJ000 rs. em pipa, oque nflo admira, porque no
principio dcste anuo vi vondi)-las a 106/000. rs. To-
do o assucar que 110 mez passado aqu entrou de Per-
nambuco toi vendido, regulando o proco, para o
esas resnlugflo comprehende odlciaes que ha bem
poneos dias foram licencisdos pelo niosmo Minoel
Folisardo.
Povondo nr-se hontem emexocugflo o imposto do
80/0, perinittin Ferraz que fosspm despachadas as
obras de marcenarla, roup.i feita.e calcado, nos das
14 e 15, a bord dos navios que j livessem atracado
a ponto da alfandcga para iloscarropar, o foi por isso
que esta no (lia 14 ron ton 64:623g37l ; sendo que s
naqiiolles nbjectns ohezaram os importes de din-i tus
dos despachos a 10:614/170, pela manera sesointe :
de mobilia, 7:9>5S430, decalcado, 5:013g940,
deroupa, 3:635/000.
lia cousa ito quatro dias tom as plices baxado
um pouco, as rendas que so lzeram hontem regula-
ran! a 88 e 87 1/2: nflo sei a que se deve attribuir es-
sa baixa.
slenles de Pernambuco, Rio-de-Janeiro eS.-Pim,
homons cujos ttntimentoi e conduela abonoi r/n.. "'
de moderapo 1 prudencia. *9
E he um desses homons o que vai arralar ludo < <
Hasta por boje.
" .
DIARIO OKPSRHl.Rnc)'.
axoirz, aa sz sorzoio g igg
O rapor Paraeine, chegado boje dos portos
do
Tamb-m o cambio sobre Londres baixou de 25I8".'' t>"-* i"* U* at 18 oda Bahi.
a 24 1/2, o nessa raso lomnu o gorerro nestos ulti-|al 25 do correnle, bem como as duas cartas do nos-
so correspondente no Rio-de-Janeiro, que inserir
l'.om, do-2.S300 ate 2/800 rs.,e odequalidade Si.pc-
r,l0' -^!,u0 ls- de Campos nflo achou maior proco
de 28800 rs. s
A<
um
apolices da divida publica teem chegado a
neg que muilo deve alegrar 10 thesouro nu-
il ico : eslflo a 90.
Os descontos do
mez passado regularan) a 6 o
' por .',. <) cambio sobro Londres est a 25
mez passado rcgulou do 23 o *
a 25 \0
que foi por
Os saqm-s
partidos
que possam lutar com o governo, e que
esto rara Indo, sem ser preciso eni|irogar h'
violencia: basta oscu nomo para "
tv
nga e
r......razer adeptos. Em
Moiiiorov ossaqiiaromas, para tornaren) sua victoria
mais brilhantc
, a24,
quanlo o governo sacn 40,00 1 libras
lotees orgam-so em libras 160,000
Entrou hontem de mannfla dos portos do norte
o San-Salvador ; mas, como era domingo e os em-
bregados nflo estiveram para a massada, s boje
Hoque sedislribucm cartas, no entanlo al n hora
om quoescrero esta a inda se nflo den ordom para
que o i'ararnre nflo saia ta madrugada do amanhfla,
o que deve causar desarranjos .10 commercio, por
nao iiaver tempo de responder a lodas as carias
recbalas. He natural que al a ultima hora ain-
' a veulia a_ ordem do transferencia, ao menos
Pra amanhfla de tarde : porm quero sempre sogu-
rai-nic, mandando ja esta para e correio, conclu-
"ido aqu o que tinha a dizer com mais algu-
nias rellexOes.
O Mercantil
nieneiona-los;
moneflo delles
lano
ni.'.is que os jomaos
le
fazem
(.oilirmo.i-se 1 noticia que dei-lhcs da nomeaeflo
iiooiympio Machado para Mallo Crosso, e da troca
do Percira Pinlo com Siqueira.
0 Correio Mercantil tem-senecupado com a ida do
inajor Joflo Pedro para Pernambuco, como director
< o arsenal do guerra : ten. sido um pouco exagera-
do l.ntro anln, nflo mo enenrrego de nizer a dolosa
no Manoel I elizanlo nesta parte, por ter sido elle o
iiesmoquedemittio-odn eommando de artiliccs em
chai'piirda'||IK'X'S d d'ICPlor d arsei,il'. ""c-
<:ompraz-mc cilar-lhes as pnlavTas do um artieo
dclnndodo Mercantil dt 11 do e-rrcnl
'lentheses ; prestes a ser bombardeada. Nflo des-
:'".sava o Sr. Pena a fortificar-se, contina o
sincero Mercantil; eos guabirus davam claramen-
e a entend r que as dcniissesc a leacgflo eome-
com que
em
pa-
('rian loija que hovvessc tropa .ivffiienle
.\flo fallarei boje de negocios theatraes,
tanto me tenho oceupado, reservando faz-io
mitra occasiflo. Talvcz soja isso urna fortuna
ra alguna dos leitoresj masestou certo que aquel-
los que vcui no ihealro a giando escola, e que
sahein que a secna lie um dos mais facis cami-
nhos civilisagflo ilos poros, nflo podem dcixar
de acompanhar-nie nos desejos que tenho de rr
o povo pernambucano desenvclror todo o goslo e
paixflo polas artos de que he capaz. Assim, pois,
especie
apreciado gencio Ivrico!!!!!
/'. s. Aisle nioinento me informan que o impos-
to de 80 por cento sobro as obras leilas vai ser posto
em execueflo desde j, e nflo sera adiado comoiup-
I>ti7, poisque o governo julga nflo poder laz-lo,
dando 11 llera I Intelligeiicia ao artigo da meama lei
do 01 g.imonto, que diz que assuns disposicOes dp-
VOm vigorar desdo o dia .lesna pul.licagflo.
dem, 18 de notemliro.
Como previ, quando me dispunba a prtr no cor-
reio a que cima lica, Boiibe da transferencia da sa-
ado vapoi para a Ludo de boje. A| rovoit.irci aiu-
1110 iota para alguma cousa mais
M. c -----, ..D....Um v*,, VUII9IUC.il OS
inoiros, aquello jornal assim se exprime : ... he o
presidente de Minas, conlra cuja adminislracflo ncm
una queixa exista, um dos primeiros demittidos
c quem be nomeadopara o substituir um dos mais
pinoncticos energmenos da grel saquarcma! E islo
quaiidose manda para a provincia do Pernambuco o
Sr. Ilerculano, liiloo havido como homcn modera-
do ; para o Itio-do-Jaiieiro o Sr. Pedrcira, que goza
osmesmos crditos. Logo, estes dobs presidentes
nao lora 111 noiiiedns com vistas t\e seren instru-
mentos do parlido saquarcma, e porconseguinto dis-
se o Blereanllurna lalsidade quando nllirmou que'
l'enna ia consignado ao barflo da BoS-Vista. Tase
palavras do mesmo jornal sflo sua mclhor iuslilica-
oflo.
Voltaram hontem da praiade Saquarcma os em-
pregadoa que para la liuliam ido, em virtude .lo
naufragio do lantfoan ; scmi re alguma cousa sal-
varam do carregamento, e j mullos dos gneros se
acham rccolhidosao trapiche da ilha das ('.obras.
Por doclarag.-.o do governo, om ollicio ao inspector
.la alfandoga, sflo considerados os chifres e euros i dos que se julgaram poterido'rVrwenUdo".' "do
s;:ccosnocaso.os gneros nflo sul.jeitos a oorrup-lainda ministro Sooz Franco, con ir. aquel ^..on l
g,o de que trata o rogulamen.o do22dojunho Se.cflo.m.......uogov.,,,,, nciu',1 ouvir 'o procwdor
Por decreto de 3 do correnle foi .concedido a C &*&3!?^**^*W"i. ^ ">
Augusto Taunay, director da acadci. ia de bollas ar-
tes, o privilegio exclusivo por 10 annos para o esta
hclecimento do carros ligoiro, com quatro SSSentoi
com adenonunagflo de Urhaws, paia transito den'
tro da cida.lc; a (uilhcrme.Sucl-ow, tambem
[Jji
Da o lempo que
iicrivsrentar.
Tcndo-lbes dito om urna das minhas passadas que
a iiomeagflo do l)r. Pinheiio Goimarfle para (dliciai
da secretaria da faz.....la era (.(Tensiva .las dispon-
go, s d.i lei de 4 de outubro de 1831, dar-hWbei cun-
ta do que a csso respeilo lia occorrido para eonlir-
r aquella minba opiniflo. Havendo os onip.cga-
por nflo se qi.erer compronif tler, dando um p.-
queirflo icmiIvo a questflo, fez com. que o e-
que
rece.
go, io fflsse rem.ttido ao concellio de estado, 1
ra que a secgflo de fazenda, sendo relator Aires
Branco, inlerpozesse seujuizo. Este, depois do tj-
nnulladas as
villa deSa-
ma ropre-
conheci-
menlo, quose iifloudiiiilli'iam volos que estavam no
, Caso de seraceitos. que loriam influido 110 resultado
MJ^to^W^^" 'le Mor.- Ida apuragflo, visto qOo a diTerenoa do 5tti.no volado
novo A,,.,i,2p^n?i. a .! ,,V'a occorr,Jo de. Pnmeiro aupplente to ...uno pequea ; todas as
novo. As atas de Buenos-Arres aleangam a 18. domis tasfles, porm, produzidas pelos ssignata-
que parece, pois que a crcagflo de noros vehculos
prora queos que existem nflo sflo siillcionlcs
lev
se \j jornal ao Uoin
diz: Nflo Sabemos
mas o que he certo he
que eslava reunida desd
do para tomar em considcragflo''u'm'me
general llosas, dando couta da missOn .
mos dins cousa de 60,000 para rcmelter polo pa-
quete Crane.
Fm o Jornal de 14 do correle pnblicou-se um of-
ficio do'ministrn do imperio ns presidentes das pro-
vincias, que revela do parto do gorerno o maior ze-
lo e cuidado para com oslas. Ah se diz que, sondo
um dos maires empenbos do gorerno imperial pro-
mover por lodos os meios a sou alcance os melhora-
menlos de que raregam as diversas prorincias do
imperio em cada um dos ramos da publica adminis-
Iragflo, ordena aos presidentes que, medid que
forem podendo. dem-ll.e esclarecimontos sobro a
instruceflo publica com todos os detalhes e n.inu-
ciosiilailcs, sobre obras publicas, estada da agricul-
tura, mineragflo, industria, salido publica, propaga-
gflo da rncina, estado do commercio, correios, n-
cleos do coloinnisagflo, calcchese e civilisagflo de in-
dgenas, ele etc.; devendo ludo vir acompanhado
de competente.-, redoxfles, e indicagflo das reformas
que a necessdade reclamar. Quanto a mim, julgo
que be isso que as prorincias de ha muilo recla-
man! e necosslam, e nflo dessss Ihcorias de conces-
sfles e franquezas prorinciaes, que nflo pas-am de
palarrr.es ocos de qualquer ideia ulil: olho o gorer-
no para as prorincias, cuide de seus mellioramcn-
tos, anime o sen commercio, facilite os meios de
transporte, c deixo fallar aos Srs. das franquezas,
que leem tanto de sinceros neste ponto como cu de
romano: lio poder foram elles centralisadores. exa-
gorados, e a tal ponto que por um aviso declararam
que oseinpregados pblicoselcitos para asassem-
blas provinciacs nflo poderiam tomar assento sem
previa lieenga do governo gcral. Queira Dos que o
governo leve seu intento aisnte, e nflo o deixe ficar
em palavras, para depois langar-nos en dolorosas
decepgoes : is provincias leem necessidades que nflo
pdem deixar de sor satisfeilas.
As ultimas noticias que temos de Buenos-Ayres,
trazidas pelo paquete inglez Spider, coiifirmain as
supposigoes deque oSr. Southern nflo seria recebi-
do no carcter de ministro inglez : Rosas decidida-
mente recusou-se a isso. Urna carta transcripta no
Jornal do Commercio d alguns pormenores a esse res-
peilo.
lio qnasl sabido o resultado da eleicAo de Euzebio,
poisque sfaltam dous 011 Iros collegios ; dos co-
nhecidos lom elle 523 votos, o o seu competidor
260. Confcsso que esse resultado excede a minha
expeclalra: sempre acreditei, e assim o disse, qne
o ministro sahissa cleito ; mas, altendemlo aos es-
forgos da nppnsicflo, e enragein com que faziu.
queslflo de honra para o parlido, julguoi que elle
tivosse calculado bem as suas torgas, e, pois que os
oleilores (jnliam sido foitos sb o dominio de 6ua
opiniflo, dizia euharer una dilTeienga do 150 vo-
tos, mime*o alias oxcessivo para concedei-se a erro
le calculo polas illusOes .le um partido que se sup-
pe bastante poderoso. Mas nflo acontecen assim, e
aquella diU'eronca ainda ser maior com o collegio
de Campos de 90 oledores, que nuda nflo lio conde-
cido. Creiom ainda em forga de partidos, em Iri-
umphos da opiniflo liberal, torrente do senlimonto
nacional, o outras queijandas.'!
O brigadeiro Jos Joaquim Coelho osla nomeado
commandanle das armas para Pernambuco, e Seara
para siil.stitui-lo na Baha.
As ultimas datas do Minas-Geraes j dflo a posse
do novo presidente Souza llamos.
Nflo roneliiirei es'a sem fallar-lhes de neeocios re-
lativos a essa provincia. O Correio Mercantil sahe-se
honlem.com urna carta escripia de Pernsmbuco, a
qual pinta a esta provincia em tal estado, que os
mios desprevenidos nflo pdem deixar de assus-
tar-se. Ferreira Penna s esperara a sahida de Cos-
ta Pmio para dar comeco -obra do deslruicflo e ani-
quilamenlo ; encerrado, desdo quocliegra, no ga-
binete cm dous nlTiciacs a irabalhar secretan ente
preparara por certo cousa tenebrosa que (razia os
espiutos no niaior susto ; as eloiglos iam ser venci-
das a rfirca do baionrlas, a opiniflo publica havia do'
reagir, eenlflo... horror.... o boro do correspon-
dente osiremece e fecha os nlhns do ponsamento para
mo v. o que negreja no horizonte do futuroa bel-
la e briosa provincia de Pernambuco vai sor derasta-
tfa ; os guabirus dizem que o Imperador Ibes fez a
coneessilo do um presidente seu, po-quo soube quo
elles tinham torcas e queran) a separagflo, procla-
mando I. Jan.iaria. Depois de citar muitas cousas
quo ha va ni de ser foiins fnote-so bem-tudo isso
havia de fa;er-tt, o presidente ainda nflo tinha prali-
cado um so desses horrores; mas o correspondente
julga-so coro direito do ter presumpgoes contrarias)
continua a faer consiloragoessnbre o primeiro rei-
nado, sobre os negocios de 1817 c 1824, mo sei com
que lim ; lalvez para poder exclamar nom--Dcos
illumine o Imperador.
Questflo quo cu desojara rr renlilada e decidido
lie essa-se de farto existo ohi.opines rabosas que
dosejom 3 separagio, ou meros delirios do levianos
mogos, quo mal saltem o quo precisam as provin-
cias^ l!iclino-mo a crr que as primeiras nflo po-
dem existir, porque qusesquer dous dedos de rede-
xflo deslroem-na ; as segundas nunca pdem inocu-
iar-se na parte pensante da provincia. Isso-, porlan-
to, nflo paisa de um ardil quo nem merece as honras
do urna discussflo seria, em a qual eslou promplo a
cmpeubai-ii.e
Tornando ao quo dizia, nflo posso deixar de lamen-
lar essas cxageragOes ridiculas, principalmente p./r
saDoram esses homons quo est muilo longe do ca-
rcter de Fcrreir Penn o sentin enlo de persegui-
gflo e aniquilamento. Sempre que acabo de lr os
ariigos do Me/cantil Costumo repetir o que disse
liocsge a J. Agosliubo de Macedo :
""os
no lugar competente.
Essas cartas narram mu circurostanciadamenle
as oceurrencias havidss na corte nestes ltimos diu-
e pois pooco temoso,ue accrescentar por boje ao nue
nellas se contem.
Em todas as provincias do sul continuara a reinar
o mais completo socego, o os seus habitantes mi-
nifeslaram sympathias e adhesflo ao noro minisi.
rio, bemdizendo os actos de moderagilo o jnstica
porque se elle rai distingindo. Assim, pois, D.
smente em Pernambuco que trmula a bandeir*,
da rerolta ; mas temos fe que ella dentro em breve
se ahitera ante os eslandartes do legalidade, equo
o ulterior comporlamenlo de nossoa concidados
larar essa nodoa laucada na historia de sui rid
pela imprudencia e precipitagflo de alguns .resvai-
rados.
S. M. o Imperador honre por bem demiltir do caryl
godo 2 rice-presidenle desla provincia o Sr. Ma-
noel Paulino deCouveia Muniz Feij, e dode3."0
Sr. Francisco Honorio Bezoira de Menez.es, dignan-
do-se de nomear para o 2. lugar o Sr. tenente-co-
ronel Isidro Francisco do Paula Mesquita e Silva,
para o 3. o Sr. vigario Venancio llonriques de Rf-
zende, e para o 4. ( vago pelo fallccimenlo do Sr.
Manoel Barbosa da Silva )oSr. commendador Fran-
cisco de Carvalho Paesde Amlrade.
OSr. concelhciro Eusebio do Queiroz Coutinho
Mattoso da Cmara, actual ministro da justiga, li-
nha obtido ma brilhante rcelcigflo para o lugar de
depulado a assen.bla geral legislativa pela provin-
cia do Rio-de-Janeiro, como minuciosamente refere
o nosso correspondente O grande numero de sof-
fragios com queS. Exc. foi honrado, pron erdente-
mo uto quo a poltica dominante rai ganhando ler-
rpno, porque essa rotagflo Ihe foi dada polos proprios
eleilores feitossba influencia do governo passado.
O Kxm. Sr. brigadeiro Jos Joaquim Coelho adia-
se nomeado commandanle das armas, desla provin-
cia, como se v do aviso do ministerio da guerra quo
ah fica exarado na Parle Offieial, c segundo annun-
ca o nosso correspondente.
OSr. Honorio Pereira do Azerodo Coutinho foi de-
finitivamente nomoado secretario do govorno desla
provincia por carta imperial de 14 do correnle.
O Sr. Dr. Jos Ildefonso deSouza llamos lomera
posse da presidencia de Minas nodia*desto n.ez, e
fra acolhido na provincia de um modo muito obse-
quioso.
O Comi da Tarde refere que o cidadflo bra.-ileiro
Joflo Duarle Dias, que tora estudar medicina em Pa-
rs, suicidra-se naquolla cidade depois da baver to-
mado o grao do Dr. Qual seria o motivo por que es-
se mogo se decidi a acabar com a propria existen-
ca, quando havia le minado suas fadigas escolares,
o eslava preparado para comegar a colher o fructo do
seus trabalhos ?...,
Quanto Babia, podemos asseverar que o Sr. Sou-
za Martins ia governandode modo a merecer os elo-
gios e a eslima deluda a gente sensata.
A 19 do correnle, aqueridara o primeiro 'bililhflo
de infantaria da guarda nacional daquella provincia.
nioiisagcm dojures, quesequeixa dalalta que fazem os ufllciaes
"'>r""-r-;> es-1--", sj cnuuciivua aiaiiioes: o parece-u.o que ah
.....sirva-te de algoz
Tenaz venia do quo le roe por dentro.
K assim be porque a verdade pode muito; ainda
no dia 16 1 enet ia n terranlil o nun ilisso 11 : l'ari.
bocumenloa olciaes, cujas datas alcangm a 28
do correnle, consttuem-nos em circumstancias de
noticiar aos lcitores mais um (ri umphoda causa da
legalidade sobres da rerolta.
Depois de bem aprestados, os revoltosos que infes-
taran) ftarreirps o Una fizeram-se fortes no engenho
deste nome; mas o relente major Jgnacio de Siquei-
ra Leflo Silra Cruz os foi encontrar ahi frente dos
bravos quecommanda, e aps urna luta, durante a
qual tove de rr expirar qm dossous corajosis sol-
dados ao pisso que os nresmos roroltosos per.loram
nflo menos de tres e ficaram com muitos feridos,
nflo s os obrigou a correr precipitadamente to-
mando caminho de Agoa-Preta, senflo tambem fez-
Ihes onze prisioneiros que conserra em boa guarda,


i-eiuupeia cnegada do Sr Soullien. .,. ZZTZ\\.'* "k"" '.""J'}"'- iiy< mmrece-1110 que aunque nflo r. stasse duvidajo qu era a provincia del .
um projeclo de resolurfo, wSAZ uW1" t 1 ,"n'",, lnUll,' ,:,.,W> Sue "a ""'<> lempo Minas a que e>tava volada do prefere.iHa ausacrificor,e so havercm deixado illudir pelos m.ra.gos da
v,-preseniauo por una das | reclama contra as repetidas licengas; do sorlo quelespiator.o, silo na misma oceusiflo nomeadospre-'ordem.
_ .1.._!.. .........:.!-
V ji 1.1 UUV.ua .i..|JWll.l.^
MUTIl


Na la arrefecendo no selo e activMade de que hi
/Vilo exuberante prova, o sexagenario o prestante
.njor s pr-se no encalco dos fugitivos, e eremos
quo conseguir desaloja-los do ponto onde se fram
acinlonsr.
Ohtivemos tres nmeros da Preue, osquaos hab-
tum-nosa transmillir a nossos leitores os impor-
iinicisiii-cesos que rcccnt inionto ti vera ni lugar no
eoninte eiiropu.
\ Franca ficra tranquilla, posto quo o general Ca-
vaignac tivesse sido obrigado por uin voto da as-
emhlc nacional n modificar o gabinete de que era
chefe. .
[r. Senard, ministro do interior, foi domiltido e
substituido por Mr, Dufaure; Mr. Recurt, ministro
das obras publicas, fordcmiltido e substituido por
Mr. Viven ; o Mr. Vaulabelle, ministro da inslruc-
Cfln publica, foi demiltiJo e substituido por Mr.
Freslon.
Os tres novos ministras exigrram que o estado de
sitio Msse levantado antes de seren publicadas no
Honileiir as suas nomcncOes, porni esta diMciildado
foi cortada pelo general Cavaignac, o qual propoz
submettar a quesillo docisilo da asscmblca. Coro
effeito, no da 1*do outubro, antes da snssno publi-
ca, liouve reuniflo as diuVentos secces, om que
esta dividida aquella corporacilo, para o(im do no-
nier-se urna commissilo de quinse momhroscucar-'
regada de recebar urna cnmuiiinicacfln do governo
relativamente ao estado de sitio. A igannos pela
jiscussilo que entilo houve, o estado de sitio sera le-
vantado, o Paria entrar de novo no pleno gozo do sna
lilterdade.
F,m Montpellierdeu-se um grande banquete de-
morratico, no qual se iizeram numerosos brindes.
I'jiulo que fsse o festim, cspalbarum-so os convivas
pelas ras da cidade cantando a Carmagaole c o f i
ira. <> itos bprriveis si levantaram por toda a par-
le. F.ntio os principaes mencionaremos os seguin-
ieS: t Morram os fanticos 1 vlvaUarlti! vvaltas-
pail! viva n repblica social I viva Laissic 1 viva 93 !
viva Robespiorre v'vlt horresco icferens o iufer-
, no! vira a guilholina viva a frca I ;*)
Grande be a civilisneo da Franca i E lio assim que
os Srs. socialistas querem regenerar a especie huma-
na '. Dos ilc bondade, aiiartai de nos tio pernicio-
sos doulores, nflo permittais que se propaguem na
trra da Santa-Cruz ifio funestas doutrinas.
A Inglaterra ficra era paz.
Tinba terminado em Clonmel o julgamento de
M. O'Brien, o ebefe principal da ultima-revolla na Ir-
an M. Depois do discurso do procurador geral, o
presidente do tribunal peigntou ao Ilustre aecu-
sailo so tinha alguma rasilo que fazer valer para que
niln fsso lavrada contra ello nina senlenca de morle.
M. 0' Itricn levanloo-se e dissocom urna voz firme
e sinora :
Mylords, eu mo pretendo depeulpar minba con-
duela. Ivi rslou em paz com a miulia consciencia,
a qual me diz quo cunipri :o mcu dever para Com a
minlia patria, e que fiz o que todo o Irlandez deveria
terfeilo. Presentemente estou preparado para soffrer
ludas as consequencias dos meus actos. Piononciai,
pon,a viissi sonti'iiri
0 presi lente, depois de ter advertido a Mr. O' Bri-
en de que o jury o tinha recoinmendado a clemencia
rel, | ronuciou a pena de morle uestes termos : O
nosso dever uos ordena a decidir quo sejais con-
duiidit aplacadas execiiQes para alii serdes onfor-
cado. A vossa cabrea sei depois corlada, e o vtisso
enrpo esquartejado. Dos lenba eompaixflode vossa
alma!
A eniocflo foi geral, mesmo entro os mmbros do
tribunal. O condemnado foi o nico quo conservou
os u sangue-frio, e depois de ter aporta >o a mflo
a alguns amixos, sabio debaixo da guarda do go-
vcinailyr da prisito.
Os nossos leitores terSo ficado sem duvida borro-
risidos ao lerem as poucas linhus que deixamos
escripias cima, o em verdade cisla a crer que no
si-culo 19 anda haja um povo que soja regio por
li'is'lilo barbaras, o mesmo que tolere laes mons-
Irucsid-ds !
"sjornaes ingleses annunciam que o colera so a-
cha realmente em Londres.
Conformo as ultimas noticias de Edimburgo os
rasos de coleta alli observados nflo perteiiciatn epi-
demia asitica.
Havia socegonosPaizes-Baixos. A primeira cma-
ra dos estados geraes lilil adoptado por uma grail-
do mnioria os dozo projects de modilic.ic.ilo le
fundamental, ja volados pola segn la cmara.
Na Hi-spauha nada de extraor linario liavia acon-
tecido. Tnihani sido pr. sos na frunteira polas autori-
dades francesa os ebefes revoltosos Patricio de la
Kicosuia eMoreno de las Pena*, aos quao fram apre-
hendidos papis mpoilanlafluoiirovam a sua conni-
vencia com crios clubs raucuzes, leudo por lim tra-
balharein para fazer cahir ao mesmo lempo os go-
neracs Cavaignac e Narvaoz.
L'ina rovoluglo sanguinolenta levo lugar em Vi-
cua.
O imperador, querendo submetlera Hungra, no-
nicara o barlo Jellalieh chefe dos Croatas, governa-
dor daquello paiz, o ordenara que dous batalhOos
''granadeirospartissom imme liatameute para all.
' Un parto destas tropas oppoz-se a esta ordem, e
e,l> consequencia disio fdram ellas acompanhadas
em una marcha por um rogimento de courareiros.
''legadas quo fossem as poutesdo Dauubio, o po-
v" do campo, que fiaieruisou com os granadeiros,
di'sliuioas ponles e os fez parar.
logo depois appareceram alguns guardasnacio-
nacs, que se duclararam om favor dos militares. Os
ouraceiros, nao pudendo mais passar as ponles, re-
Irocederam, Vm combate se travou entilo entre os
Kranadeiros o povo o a guarda nacional de urna par-
leum regiment de fuzileirs polacos da outra. O
foidlicio durou no Leopoldstadtato meio da e es-
londeu-so depois a toda a. cidade, onde uma parle
"a guarda nacional baleu-secorajosamenlo contra
os alujantes e opovo do campo.
O combato no arsenal militar foi mu renhido. As
tropas UcfcHilcram o edificio pelo espaco de quinze
hora, e rijo o abandonaram senlo depois que o fogo
"icaUo pelo povo comecou a fazer desaliar o le-
lhauo.
''as 4 para as 5 horas, a secretaria da guerra guar-
'"cida smenle por 30 liomons foi tomada de as-
v**jto, e o ministro respectivo, o conde de Latour,
"i brbaramente assasainado as laucadas e niarte-
'"'" Seu cadver foi penduratlo no lampeflo do
fuleo,- onde licou es posto aos insultos da pomMaca
"d'ureetda.
t
'*) ferno fiam dados por um grupo na occasi.to de pas-
wrem pela frente da igreja de Nolre Dame.
A assnmbla nacional declarou-seem sessfio per-
manente, e enviou uma doputacllo ao imperador a
lim de Iha pedir que formasse um ministerio popu-
lar, e reyogassn a nomeaeflo do harSo Jcllalich
O ministro da justica foi meso, osoulros minis-
tros, excopto M. M. Dbllioffe dollornhorn, escon-
der m-sc.
A familia imperial abandonu o castello de Schuen-
brunn odirigio-sn para Lintz. Todas as tropas que
esta va m no castello, bem como as oito companhias
vindas de frn, acompanharam o imporador. O povo
do campo ficra scnhnr da cidade, e percorria ar-
mado todas as ras.
Kntretanto esperavam-se numerosos pronuncia-
mentos da parto das provincias em favor do impe-
rador, o qual antvs de deixar a capital expedir um
correio ao vigario do imperio allemito, archiduque"
Joflo, .seu lin, para o fim do reclamar o anoio mate-
rial do poder central allemo, e do protestar contra
todo o ataque feito pelo governo provisorio de S'ion-
na s prerogatlvas da corda imperial. Ksperava-se
que um exercito prussiano e saxonio entrara bre-
vemente na Bohemia e na Silesia, o que um contin-
gente bavaro penetrara pelo lado da Alia-Austria
listes refrcos permittiram ao imperador o dispor
do suas tropas para o fim de operar a subinissSo
completa da capital do imporio.
Qualquer que soja o estado actual da cidade de
Viinn.i, diz a l'retii, o resultado definitivo da rc-
volucao quo acaba do efleetuar-se alli, ser prova-
velmcnlc o segu nte :
Os Slavos de uma parte, os Tyroleses da outra rcu-
nir-se-hilo em torno do imperador contra (I democra-
cia de Vicua. O imperador mo entrara mais na-
quelln cidade sen.to na qualidade de imperador sla-
vo. Os Hngaros serSo os nicos que se ajuntarilo
aos demulalas de Vienna, bem como j em marco
acontecer. Mas a posicao est mu mudada A
democracia viennense e a Hungra acharam cnlflo
um ponto de apoto oo parlamento em Franchfort.
Mojo esto apoo Uics fallar intoiramente. No
lites rosta mais quo um so meio de stlvaco. He re-
volucionar todn a Allemanha, e fazer proclamar
repblica por toda a parle. Se clles conseguirem
isto, eslo salvos; mas, se o no tzerem, sent es-
magados daqui a um mez pelos Slavos e pelos con-
servadores reunidos."
O mov ment de outubro em Vienna heou oco-
meco da repblica, ou o fim da revoluco na Alle-
manha.
da, de 202 toneladas, capito Lodovico Mafoi, e-
quipagem 11, carga sal; ao capitao.
Boston j 43 das, escuna americana Ouletie. de 99 to-
neladas, eapitflo \V. II Caulfiold, equipagem 6,
carga farinha, barrica vasias, breu, alcatrito, resi-
na e mais gneros; a H Foster & Oompanliia.
Navios tahidoi no menino da.
Rio-dc-laneiro; polaca brasileira N.S.-do-Carm9,
capitfloioiln Cyrillo de Sonsa Carnoiro, cirg.i as-
sucar e ago'arJente. Passageiro, 1 oscravo a en-
tregar.
Portos do sul; vapor brasileiro San^batliaS, com-
mandanto o primeiro tonente A. Torrezno. Alm
dos passageiros quo trouxo dos portos do norte
para os do sul leva a sen bordo : pira Macei, Dio-
go Burnet, Ingles ; para Bahia, Gasparino Morei-
ra de Castro com 1 escravo, Procopio Marques de
Araujo G. Carlos Ferreira Franco. Gustavo Ane-
ceto de Souzn com escravo, Pedro l.eao Vello-
so com oui escravo, Justniano l.ailo Valioso,
Jnaquim Amaro de Souza Paraso com t escravo,
Baltasar do Araujo Arago Boleto com 2escravos,
Domingos Jos da Silva Cunto, Joto Bicardo da
Costa Drumond, Ceonel Kstollta Fernandos Noto,
Jos Fitippo de Sampaio com 1 escravo ; para o
Ro-de-Janeirn, tlomicano Ferreirn Montciro de
Barros com t escravo, Antonio Jos Tcixoira Bas-
tos com sua souliora o 2 ilhos, Luis de llollanda
Gavalranto, o cap tilo Manoel Lopes Maciel, o alfe-
resJoaquim da Cosa Rogo Monteiro, o l)r. Octavia-
no Cabra I Raposo da Cmara com 1 escravo, Cao-
tano Mara l^ipasGama, o prmcirotenenle Pedro
Afonso Ferreira.
HIHTAL.
COiVIMEaCIO.
ALFANDEGA.
RENHIMENTODO DA 29........... 1:178,924
Deioarregnm koje, 30 denavembro.
Brgue Atsombro liacas de vi mes.
Brigue Jfi'/e m farinha.
CONSULADO GERAL.
REND1MENT0 TtO DA 28.
Miguel Archanjo Monteiro de Andrade official da i'm-
prial ordem da Rota, cavalleiro da de Christo e ins-
pector da alfandega de I'ernambuco, por S. M. o
Imperador, que feos guarde, etc.
Faz saber que no dia | de dezembro, ao meio-dia,
na porta da inesma, se hilo de arrematar em hasta
publica 500 massas para chapeos, no valor de 126,000
rs,, e 2000 forros de papel para ciiapos, no valor de
I45,"000rs., impugnados pelo guarda Jos dosSan-
tosl.ages, no despacho por f.iclura, sob n. 2167:
sendo a arrematarlo subjeita a pagamento dos di-
reitos.
Allaruleg, 29 de novembro de 1848.
Uliguel Archanjo Monteiro de Andrade.
Avisos martimos.
Geral -...
Diversas provincias......
1:825,818
- 1,779
1:827,597
CONSULADO PROVINCIAL.
BEt\DIMF.NTO DO DA 29.......... 1:195,134
RIO-DE-JANEIRO.
CAMBIOS K0 OU 17 DF NOVKMB^O nB 1848.
Cambios sobre Londres.......24 1/3
-Pars.........nominal.
llambiirgo......720
Metaes. Oncashcspanhlas.....31,200 i 31,500
ila patria.......30,300 a 30.500
Pecas de 6,400, velhas 18,ooo a 18,500
Pesos hespanhes......2,030 nominal.
.. la patria.......2,020 a 2,030
* PatacOes...........2,020a 2,030
Apoliccsde 6 por cont......87 1|2a88
provinciaes.........87 1|2a88
(Jornal do Commercio.)
BAHA.
CAMBIOS HO DIA 24 DE .X0VF.MBB0 DE 1848.
Londres..............24 a 24 1|2
Paris................nominal
Hamburgo............
Lisboa..............120 p. c.
Para o Rio-de-Janeiro sabe, no da 7 de dezem-
bro, o patacho 5.-6Vu5 : para o resto da carga, pas-
sageiros e escravos a frote trata-so no largo do
Corpo-Sanlo, loja do massames, n 25.
Para a Babia sabe, em poucos dias, com a car-
ga que houver, a sumaca Flor-do-Agelim : para a
inesma e passageiros trala-so com o mcslr Ber-
nardo dn Souza ou com Luis Jos do S Araujo na
ra da Cruz, armazcm n. 26.
Para a ridado do Porto pretende sahircom bre-
vidade a barca Hella-Pcrnambucana, capil.to Manoel
Francisco Nogueira, por ler a niaior parte de sua
carga engajada : queni nclla quizer carregar, ou ir
de passagein, para o que oflerece bons_ commodos,
entenda-se com o consignalaiio, Antonio Francisco
dolinos, na ra da Cruz, n. 34, terceiro andar, ou
com orapilflo na Praca-do-Commerco.
Para o Aracaly sabe at o fim da semana o
hiate Hur-do-Hccife: quem quizer carregar ou ir
de passagein dirija-se a ruado Vigario, armazem
II. 5.
-Para o Rio-de-Janeiro sabe impreterivelmcnte
no dia 15 de dezembro o brigue Assombro forrado
de cobre e do primeira marcha por ter o seu car-
regamento quasi completo : para o rcslo da carga c
passageiros trata-se com Jo.lo Jos Fernandes Mn-
galhflrs, na ra da Cadeia do lleccfe, bolica n. 61.
0 brigue brasileiro Ntro segu para o Rio-dc-Ja-
neiro com a maior brevidade : recebo carga c escra-
vos u frote: a tratar com Leopoldo Jos da Costa
Araujo, na ra du Moda, u. 7.
Para o Rio-de-Jnneiro segu, imrreterivclmen-
le no dia 30 do rorrelo o patacho Aurelio : s rece-
be escravos a frote e lem cxccllenles commodos
para passageiros : a tratar com Jo.to Francisco da
Cruz na ra da Cruz, n. 3.
Para Lisboa preiende sabir no dia 10 de dezem-
bro a barca portuguezn Ligeira, da qual he capilo
Antonio J-aquim Rodrigues : quem quizer carregar
ou ir de paSsagem para o que lem os melbores e as-
sciados commodos, dirija-so ao mesmo, ou aos seus
consignatarios Francisco' Severiano Rabello c<
lho.
-Quem precisar de uma mulMr pra ama de um
casa de pouca famil, a qual coznha lava, engom
m t faz todo o mais servia interno de uma ca* .
dirija-se ra de Horta, n. Il.
No Aterro-da-Boa-Vista, n. I, primeiro andar,
ha para ven derramos do llore mui fina, ploma,
pasarinhosbrancoedecArJs, chapeos de ptna ,
mais barato do que cm outra qualquer parte.
-Jos Rodrigues Ramo Maya, subdito portugus,
retrase para fr da provincia.
Precisa-se de um nfflci! de charuteiro pgn-
do se a 200 rs o cento : na ra nova do S.-Amaro,
casa terrea, n. 20. .
-OfTerece-seumamiilher de muilo boa conduc-
ta para todo o servico interno de uma casa: quem
de seu prestmo se quizer utilisar, dinja-se a ru.
Augusta n. 1 ,. ..
Que.m quizer mandar engommar roupa airija-
soas Cnco-Pontas, n. 108 *
Precisa-sede um moco para caixolro da paua-
ria mas que abone a sua capacidade : na praca na
S.-Cruz pallara de urna s porta.
OfTerece-se um caiseiro para tomar corita ue
uma venda por balanco ou sem er por balanco ,
do que lem bastante prtc* quem o pretender .
dirija-se a praca da Independencia, n. 10 das 10
horas da mantilla as 2 da tarde.
Precisa-se aluRar uma escrava para casa de pou-
ca familia que saibacosinhar e engommar : a tra-
tar no largo do Lvramento n. 10.
Luis Hollandcr, suh IHo hollandes, retira-se pa-
ra os portos do norte.
Aluga-scum sitio na Passagem-da-Magdalena ,
lodo murado ,'com o seu competente portao.casa
no centro 3 quartos, cozinha, 'solflo bastante fres-
co banho no fundo por preco commodo : na ru
Direita n. 3.
--OSnr. Domingos Valerianno Alves de Souza
queira annunciara sua morada, que se lito desoja
fallar, ou dirja-se a ruada Crus no Recite, arma-
zem n. 26.
Os cidadSos que teem de servir na
companliia de cavallaria de voluntarios,
queiram dirigirse hoje ruada Auron,
n. 8., das8as io lioras dn manlia, edas
\ s G horas da tarde.
-- Acaba de chogar um rico o bem augurado caval-
lo, bastante gordo, com boas marchas, para se
vender a quem livor bom gosto: na ra Nova, arma-
zem n. 67.
O dono do deposito do charutos da ra larga
do Rosario, n. 32. fas ver aos sous fregueses, e a
todos os pretndeme que tom o seu deposito sor-
liilocom varas qualidades de bons charutos, por
preco que couvencionaivm as partes sendo : sena-
dores dopulados, hemilios, bldanos e pernambu-
canos, cigarros de la Havana viajante cavalleiros
da Bahia non-plu-sullra, regalos de la Havana, re-
gala de superior qualidade superfino, e outras
mais qualidades de charutos : bom como roga as
pessoas que teem contas no seu deposito, de 47 a
48 do as ir resgatar pois tambem precisa, e
julga que com isto ulo aggrava a pessoa alguma.
Dn-se aset de carrapaln de vendagem na ra do
Queimado, n. 34, as prctas que quizerem pdem
apparecer, dando um pequeo contiecmenlo de
seus Srs.; assim como tambem se vende brrs.va-
sios do mesmo trafico j servidos e por proco com-
Netaes.
Oncas hesponlilas.....
mexicanas .....
pecas do 6,400 ......
Moda de 4,000 ......
'atarnos brasileirns.....
hespanhes. .
mexicanos .
. 31,8008 32,000
. 31,200 a 31,400
. 17,200 a 17,500
. 9,200 a 9,400
. 2,000 a 2,020
. 2.000 a 2,020
. 2,000
C Ver can til. )
VFovimento do Porto.


Navioe entrados no dia 29.
Rio-de-Janeiro, Rabia n Macei ; 10 dias e 16 horas e
do ultimo porto 17l|4de horas, vapor brasileiro
Varai'inr., do 241) toneladas, commandante o capi-
l.to de fragata Manoel Francisco da Costa Pereira,
cquipagem 30 Passageiros, Manoel Concalves Cb-
valcante de Albuquerque, JoSo Alexaudre Ferrrei-
ra, Brasileiros ; Pedro Von Soimslon, Hollaodes ;
Jos de Almeid Monteiro, Portugus; o alfares do
primeiro batalhilo de caladores Domingos Alves
Braiico Monis Brrelo, 5 pracas de piel do prioiei-
\ o batalli'io de cacadores, 2 desertores do corpo de
armada, 6 recrutasdo mesmo corpo e 2 escravos a
eolreonr: Aiirrliaiio Mximo Sudrn, para o Mara-
nliflo; Eduardo Teixeira Freitas. para o l-ar ; o
cirurgiilo-mor Sabaslido Jos Gomes e Antonio
JoMartins com 1 escravo, para Pcrnambuoo.
llhas do sul; 15 das, brigue austraco Bona-Malhil-
Lciiocs.
() corrotor olveia far leillo, por conla e ris-
co do quem pertencer de cerca de 172 barricas de
farinha de trigo avariada : sexta-feira,-primeiro de
dezembro as 10 horas da manblta no armazem
do llenry Forster & Companhia, trapiche dn llamos.
Domingos Alves Malheus far leilo por inter-
vencio do correlorOliveira e por conla e risco de
quem pertencer, de duas ancoras 1 ancorte e do
inleiio veame e cordoalha do um brigue : segunda-
feirn, 4 de dezembro, as II lloras da minlila cm
ponto no armazem do Araujo, becco doConcalvos,
no Recife.
Avisos diversos.
Antonio Nobro de Almeida Jnior tem justo e
contratado comprar ao S'r. Manoel Jcronymo da Sil-
va a paite que o mesmo tem no sillo da olaria dis-
tricto da capella de N. 8. do Loreto, freguezia da
Muiibeca ,quo Ihe tocn por fallec monto de sna
sogra Eugenia da Costa Cordeiro: quem se julgar
comilirwito ao mesmo sitio, haja do declarar por
esta mesma folha no prazo de oito dias contados
da dala de.slo annuncie. Recife, 29 do novembro
de 1848.
O Sr. Antonio Clemente Estoves do Larras mo-
rador em Beberibe, dirija-se a ra do Rangel ,11.71,
para so tratar nogocio do seu interesso.
-- togs-se ao Sr. que no mario u. 26* pede as
contas do fallecido Jos Pinto Morera, haja do an-
nuncar a sua morada para ser procurado visto n5o
ser aomie anaunciou,
modo.
Deposito de rap andarany
c imperial.
Na ra da Crus, n. 63, primeiro andar, e*cripto-
rio de Jos de Almeida Brrelo Baslos, vende-se o
bem acreditado rap andarahy e imperial, f.liricado
no Ro-de-Janeiro, sendo o nico deposito nesta
provincia ; assim como sempro se achara no mesmo
deposito o melhor cha nacional brasileiro, em cai-
xnhas de 5, So 16 libras, por preco commodo.
D-sedinlieiroa premio em pequeas quantias,
sobre penhore de ouro c prala : na rua do Cabug,
loja de iniud-.-zas, n. 5.
-Os Srs. Vicira Pexolo & C. tem uma carta na loja
dos Srs. L. dos Santos & Campanhia, na ruado Cres-
po, ii. II.
OSr. Severo Antonio da Costa tom uma carta
de seu interesso em casa de Novaos & Companhia,
na rua da trapiche, n. 34.
Precisa-se deumpreto cozinheiro, oudenma
ama que saiba cozinhar, lavar e engommar : na rua
da Cadera de Santo-Antonio, n. 21.
-Antonio Joaquim Vidal & Companhia deixaram
do vender a retalho espirilos de prodcelo brasi-
leira, desdo 28 do correnlo, em sua venda da rua* do
Amorim, n. 36.
Alugam-se, para se passar a festa em S.-Anna-
de-Denlro, duas casas muito frescas, com com-
modoi sufilcienles para qualquer familia por mais
numerosa queseja e bom bantio : a tratar no mes-
mo Ingar com Joflo Venancio.
Jos Nunes de Faria, Brasi-
leiro, retira-se para fra do impe-
rio, a Ir.-ilar de sua saude.
Alugam-se as loja do sobrado da rua da Senzal-
la-Velha n. 52: a tratar na rua Nova, n. 65, primei-
ro andar.
Roga-soaos Srs. devedores d viuva Amida,
que queiram pagar seus debito quanto antes, pois
o praso j he uhleiente, alia serflo seus nomes pu-
plicados por extenso.
Aluga-se um primeiro andar em qualquer rua
do baiirodo Recife, ainda que sej.t pequeo ou
mesmo uma sala e uma alcovasmenlo : quem Itver
annuncie, ou dirija-se a ruado Rangel, n. 11.
Perdeu-se uma i-orca de ferro de eixo de car-
ro : quem a achar pode leva-la na rua Nova, cochei-
radoSr. Adolpho, que sera recompensado.
Lotera do theatro publico.
O Tacto de existir perto de melade
dos liiltietes da loleria por vender, den
occasiSo a que as respectivas rodas nao
podesseni ter andamento no dia ai do
torrente, como se annunciou; persuadi-
do, porni, o thesoureiro que semelhante
venda nao deixar de ter impulso, marca
novaoientc o dia 9 de dezembro prximo
futuro para o referido andamento, e es-
pera que esta nova designa cao ser m-
prorogavel.
Aluga-se o segundo andar do sobrado da rua
das Trincheiras, U.46: a tratar no primeiro andar
da mesma casa.
ILADO
O



i

;T

"
30,000 r. de gratificarlo
.1 quem louxera escrava crioula, de nome Calhari-
na rom una flha cahrinha de 3 anuos cujos tig-
naM arham-se nelu Diario nos ni. :'ii a :.'..i: a es-
crava fui seduzida por o pal da rjil)rinha oqual he
pescador, OH pomheiro e mora cm urna deslas
jimias. al Pao-Amarado.
Compras.
Compram-se caer vos que Man o lucias de ear-
Ema, de 18 a 25 minos e de boa* lauras ; pagam-se
em sendo de bons costumes e peritos no seu offi-
eio poisslo para urna enromnienda do lo-de-Ja-
neiro: na rus do Amorim, n. :',:>, a fallar cora J. J.
Tasto Jnior.
Co'npra-sn um scllim com pouro uso, ou tam-
ben) enn) arreios agradando : na ra do Cotovel-
lo, n. :n.
~ Compra-so um preparo da guarda nacional, pa-
ra oflleial subalterno na ra de S.-ltita, n. 91.
Vendas.
FOIJIIMUS TAHA ISJfl.
lO/.IIIMIA DE POMA, a f0.rs.
Jlil.i de Al l.lHKIItA, conlcndo, alcni do kalenda.
rio, una colleccio de segredos o remedios para uso
domestico, a 320 rs.
Dita a quo so reuni o ALMANAK administrativo,
iii'iiimtile Industrial da provincia : esle almannk os-
la accrcscenlado com todos os ostahelecinicntos de
jiorta aborta, a 826 rs.
Vcndeni-se na praca da independencia, livraria
lis. (eS;no Alorro-da-lfoa-Visla, botica do Scnhor
Morena ; e em Olinda, botica do Scnhor Rapozo, ra
do Amparo.
- Vendem-se presuntos para liambre; queijos
londrinos; ditos de pratoj latas com bolachinlia
flna de Lisboa ; ditas de aramia ; conservas novas .'
mostarda ; potes com sal fino ; latas com marmela-
da nova ; ditas com bervillias ; ciixinhas com mas-
sas linas; vinlio moscatel de Setubal; dito Slierry ;
licores linos ; eoulros mais gneros, par preQO com-
ino.lo : na ra da Cruz, no Itecifo, n. 46.
Vendem-se toros de angico, juka e de outras
qualidades, milito bonitos para se fazerem trastes ,
por preco commodo : no Aterro-da-lioa-Vista fa-
brica de licores n. 17.
Lotera do Rio-dc-Janciro.
Vendem-se maios bi dictes da terceira lotera pa-
ra intlemnisacSo do thesouro publico : na ra da
Cadeia-Wlba, loja de cambio, u. 33.
-- Vende-ge, na ra Dircita, venda n. 53 urna boa
esrrava crioula que sabe fazer todo o arranjo de
nina casa ; urna mulatinlia de 10 annos, com prin-
cipios de costura.
-- Vende-se retroz preto, azul-ferrete e surtido em
co"res de superior qualidade por preco muilo ba-
rato: no pateo do Camo, n 17.
Vende-se un bom cavallodecor' preta, gor.lo,
com toilos os andares : no.Aterro-da-Boa-Visla lu-
ja do Sr Frc lerico Chaves.
Npdia i do prximo merdo dezomlno, pelas 10
boras da manbSa ,se andnrflo na cusa onde resida
o fallec lo Bernardo Jos de Sonza Moi.teiro, na na
da Moda no primeiiosolirado, a esquerda, entran-
do pela ra da Madre-de-lieos, os movis e inais
perlcuees ao dilo fallecido : quem os quizer com-
prar dirija-seao segundo andar da dita casa.
Fai'inli.i de mandioca,
No armazem da ra do Collegio, vende-se familia
de Mag, milito fina em saccas grandes : e tambe n
mai.s grossa de Caravcllas pCcara e da trra, por
menor preco de quo em onira qualqoer parte.
Toncas do Rro-de-Jaueiro.
Na rita do Cabug loja de quatro por-
tas, do Dtiarle, recelien-se pelo ultimo
vapor do Mil um sorliincnlo de toncas
de Ifia, pora senboras, a a,5oo rs.,- e
com miar a ter por todos os vapores,
conforme sna cxlraccSo.
Figos de Comadre,
cm seiras e barris de urna arroba : defronte da por-
tada alfandega armazem ii. 20.
A inda resta a vender na loja de
quatro portas da na do Cai.ug, do
Duarte, nina pequea poi cao de chapeos
de pallia da II.lia, para hnmem e se
nhora, a 6,ooo, i,aHo,c 5,ooo rs. A'
ellos, a ules- que se acahem.
\'endcin-c barris pequeos com cal virgem de Lis-
ba a oais r.ova que ha no mercado, por prejo com
nodo : na ru.. da Moda ariua/.rui n. 17.
Vende-se para pagamento dos credores a
venda da esquina efronte da igreja dos Alai ivi ios,
com os fundos de "VOOO a 400,000 rs. : quem a pre-
tender, dirija-se a ida Madre-de-lieos, a tratar
com Vicente Ferreia la Costa, oqual promelte fa-
zer negocio e vender arato (tara realisar.
Sacras com milho ,
a S.ttOO rs. :
vondem-ss no armazem do Bacelar, no caes da Al-
fandega.
No armazem de Dias Ferreira, no
cafes da Alfandega, vende-se, por preco
niuite commodo, potassa milito superior,
empequenosbarris.de 100 libras cada
um, desembarcados ltimamente.
Na loja de quaho portas da ra do
Cabug, h. i C, do Dii-rt.^ vendem-se
bengalas de cannada India, de casi Oes de
prataede madreperola, e de ganchos,
porprecos commodos.
*
CHA' HYSSON,
de ptima qualidade a 4/24U rs. a libra : na ra d
t.rut no Kreifr armairm n. 13.
Vendem-se 3 lindo moleques, do naijlo ; um
lireta, de IN anuos, de habilidades, com urna cra de
iMiMj 1 preto de meia idade, por 150,000 rs. ,
;ior sen dono se retirar para lora : no paleo da ma-
triz do Santo-Antonio, sobrado n. 4, se dir quem
vendo.
Vende-se agoardento do Franca, verdadeira,
em barris pequeo-. : na ra da Cruz, u. 38.
Vendem-se dous piannes de pti-
mas rozos c boa consIruccSo : no arma-
zem da ra da Cruz, n. }8.
Vende-se urna preta de Angola, propria para
andar vendendo na ra ; um pardo bom ollicial de
alfaiate: na ra doCaliuga, n. 1 C, loja do Duarle.
Vende-so am prcloaiigico, anda moco, sem
achaques be mulo fiel no ciimprimento de suas
oliiigagoes por 360,00 rs. o motivo por que so
venda so dir ao comprador a quem so afianca a
qua I idade do iiiesmo preto : na ra da Gloria, n. 66.
Vende-se um cliecbo e urna sabia da matta
muito cantadores : na ra do Cotovello n. 31.
PUROVINIIODA FIGUF.IrU.
Existe no armazem de moldados, atrs do Cor-
no-Santo n. 66 urna grande porco deste genui-
no vinbo quo se esta vendendo pelo diminuto pre-
co do 1,120 rs a caada e a 160 rs. a garrafa ; tam-
bem lia em pipas que se vender mais em conla : be
esto o melliorde lodosos vinhos que se teem an-
nunciado pela sua simplicidade e ptimo paladar:
quem urna vez o bober jamis deixai de o comprar.
Vende-se um molcque do bonita figura com
principios de sapaleiro : na ruada Cadeia do Uecil'e,
0. 59.
Vende-se gomma de mandioca, em
sacras : na ra da Cadeia do Becife, n. q.
Vendem-se esteiras de palha de car-
nauba ; chapeos de dita, por preco com-
modo, em pon;."10 e a retalho : na ra da
Cadeia do Kecif'e, n. 9
Vende-se
za, em latas, chegada recentemente A
excedente qualidade destas bolachinhas
a toruan muito recommendavel : no ar-
mazem da ra da Cruz, n. 4^-
GHA'BBASILEIRO.
Vende-se, no armazem de molbados atrs do
Corpo-Sanlo, n. 66, o nmis excedente cha produzi-
o em S.-Paulo que tem viudo a este mercado ,
por preco muito commodo.
Vendem-se velbulina preta; meiasde linbo pa-
ra senbora bordadas; c lisas para padre; hem co-
mo 011I ras militas f^zendas por preco commodo: no
Aterro-da-Roa-Vista, n. 60, loja de 4 portas.
bolachinba hamburgue-
Farclo,
Sll barricas a 4,000 rs. ; saccas grandes, a 3.500
rs., ditas pequeas a 2,800 rs no armazem de J.
i. Tasso Jnior, na ra do Amorim, n. 3.
Conlina-se a vender, na ra da
Cruz, n. Go, caixas com cera de Lisboa,
sortimcnlo vmtadedo comprador.
Vende-so farinlia de mandioca muito supe-
rior a 3,000 rs. a saeca : na ra da Praia, becco do
Carioca no ultimo armazem.
Vendem-se corles de casimiras finas
a5,noors. : na rtia do Crespo, 11. 9, loja
de Domingos Guimares .
Vendem-se, na loja de Firmianno Jos Rodri-
gues Ferreira, no Passeio-Publico, ns. 9 o 11 ricos
c'tes de camb'aia de seda ; dilos de cambraia de
burra ; ditos de cambraia de quadros de cores,
muito superiores ; ditos de cambraia de dlTercntes
cores ; cambraia branca (na ; diales de lila e seda ;
ditos de tarlatana de seda, de muito bom gosto;
le.cu- do seda para mfio e para hombros de senbo-
ra ; chitas finas de bom goslo ; niadapolilo enfiesta-
do c muilo lino ; casimii'.is de bom gosto pelo ba-
rato preco de 5,000 rs. o corte ; cortes de vestidos de
Chita com barra de muilo bom gosto; chapeos de
palha de cor propria para o campo e. passeio ; o ou-
tras muitas fazendas de bom goslo ludo por preco
commodo.
-- Vendo-so urna esccava crioula do 30 annos pou-
co mus ou menos nueciigomma, cozinha e faz to-
do o servico de urna casa : na ra Imperial, n. 12.
Vendem-se sapa toes de rTturo de
lustro, pelo baratissimo pirco de a,5Go
e 3,ooo rs.; ditos para senboras e meni-
nas ; sapates brancos para homens e
meninos, por preco commodo: na ra. da
Cadeia do Mecife. n. 9.
Vendem-se dous lindos molequesde 12 annos ,
muito sadios ; urna mulaiiuha de 7 arfnos, com prin-
cipios de costura : na ra larga do Rozario n 35.
Vendem-se 6 lindos moleques, de 12 a 18 an-
nos ; 4 prclos de 25 a 30 annos ; 4 pardos de 12 a 20
anuos ; iiin.i mulalinha de 7 annos ; 3 negrinhas do
12 annos todas com principios de habilidades ; 4
pretas com habilidades de 16 a 20 annos : na ra
do Collegio, n. 3, so dir quem vende.
Vende-so una cabra com dous cubrlinhos, o
urna marqueza de coadur em bom uso, ludo por
preco commodo: na na da l'iaia do Cardcireiro,
11. 11.
Cambraia de seda.
Vende-se cambraia do seda, de lindos padiOes a
7,000rs. o corle: na ra do Crespo, loja 11. 9, de
Domingos f.uimarftes.
Vende-se, 011 aluga-se a padaria das Cinco-Pon-
tas 11 154, coir lodososseus pertences : tralsr
na ra Direita n. 24.
Na ra da Alocda, n. 7, conlina-se a vender su-
perior colla fabricada qu Rio-Craiidc-do-Sul.
Vende-se urna prela criola do 17 anuos, mui-
lo sadi.-i que cozinha, engoumia liso o he propria
para engenho por saber fazer pilo : as Cinco-I'on-
tas, n. 32.
Vende-se, por nfio se poder conduzir para o n>at-
lo um pianito de excellenies vozes e em muito
bom uso. por metade de seu valor : na ra do (incl-
inado n. 17, segundo andar.
AVISO AS SENI10RAS DOCRiriAS.
He chegado no Atlerro-da-Boa-Vista, loja n. 48,
temos com 6 bocetas pora doce, a 1,200 o lerno.
Vende-te alfodlo da trra do tuperior qualida-
de : na ra do Oueimado, n. 90.
Vendem-se acedes da ex-
tincta companhiadePernambuco
e Parahiba: no escriptorio de O-
liveira limaos & C, ra da Cruz,
n. 9.
Vende-se farinha e mil lio em taccas, por pre-
co commodo : na ra larga do Rozarlo, n. 27.
Na ra da Cruz no Recife armazem n. 26 ,
vendem-se saccas com superior farinha de mandio-
ca, vinda do Cear por preco mais barato do que
em oulra qualquer parte.
Algodo trancado da fabrica
de Todos-os-Santos da
Baha ,
muito proprio para saceos de assucar e roupa de es-
cravos : vende-se em casi de IN. O. Bieber & Com-
panhia na ra da Cruz, n. 4.
Vende-se ca! virgem de Lisboa,
chegada no ultima navio, em barris pe-
queos, por menos do que em outra qual-
quer parte : na ra do Trapiche, arma-
zem n. 17.
Vende-se cal virgem de Lisboa era barris de 4
arrobas chegada pelo ultimo navio, por prego commo-
do : a tratar com Alraeida & Fonsrca.na ra do Apollo
- Vendem-se roscas muito superiores, viudas
ltimamente do Porto : na 1 na Nova n. 3.
Va'loja 11. 5 A, da ruado Cres
po, de Ricardo Jos de
Freitas,
vendem-se corles de chita com 10 cora-
dos, a 1,600 rs. : mantas de tarlatana, pa-
ra senhora, a 1,000 rs. ; pecas de breta-
nha de rolo, com 10 varas, a 2,000 rs
e outras muitas fazendas por precos com-
modos.
Vende-se urna cama de armac.lo, com lona, qua-
si nova : no Aterro-da-Boa-Vlsta, n. 48.
Vendem-se escovas e almolacas para limpar ca-
vados o mais superior que ion aparecido ; bem
como molas para esporas feitas en Lisboa e lti-
mamente chegadas : na ra do Queimado, n. 4.
FARELO
em saceos muito grandes,
a 3s(ioo rs.' a sacca:
no armazem do Braguez ao p do arco da Conceicllo.
Chapeos do Chili.
Vendem-se na praca da Independencia n. 37, mul-
los superiores chapeos do Chili, chegados no ultimo
vapor.
Na loja da ra do Crespo, ao p
da arco de Santo Antonio, n. 5 A, de
Ricardo Jos de Freitas Hiheiro, ven-
dem-se chapeos de sol de seda, astea de
ferro, os mais superiores e modernos
que teem apparecido nesla praca, pelo
diminuto preco de 5,000 rs; ditos de astea
de baleia a 3,5oo e 4>ooo rs., tambem de
seda, preco por que esto boje os de
panninho.
Na loja da rtia do Crespo ao pe do
a ico de S -Antonio, n. '5 A, vende-se
casimira encarnada propria para golas e
caiihoes de farda a i,/Joo res o covado.
Altcnco.
Na ra Nova, loja de alfaiate, n. 14 acha-se um
riquissimo sorlimento do obras feitas ; bem como
um esplendido soitimento do fazendas do melhor
goslo como sejam : panno lino pelo, a 4,000 e
5,500 rs o muito fino a 6,000o7,000 rs. o covado ;
riquissimos cortes do casimira elstica, do melhor
gosto que Un apparecido no mercado a 8,000 rs. o
corto; cortes decollelcsde gorgiirUo a 3,000 rs.;
selim maco dn superior qualidado a 3,000 e 4,000
rs.; merino preto lino a 2,000 o 2,500 rs. ; dito
muilo fino, a 4,500 o covado i assini c.-mo outras
muitas fazendas por preco eummodo.
-- No armazem junto ao arco da Conreicao que
fui do Ruado llraguez vendem-se barricas de supe-
rior trelo de Lisboa a 4,000 rs. cada urna ; arroz
do Maiaiil.no. muito barato.
Vende-se alcatro da Suecia, de
boa qualidade, em barris bem acondicio-
nados com arcos de ferro: na ra do Vi-
gario, ti. 4.
Vendem-se saccas com farinha de
mandioca, de boa qualidade; na rtia da
Cadeia de Santo-Antonio, n. a5.
Panno fino azul.
Na ra Nova, loja do alfaiate, n. 14, vende-se
panno azul fino a 3,500 e 4,000 rs. O covado 6 dilo
muito fino, a 7,000 rs. o covado.
Vinlio bom e barato.
Na esquina da ra do Vigario, n. 33, vonde-se su-
perior vinbo de Lisboa e da Figueira a 150 rs. a
garrafa e em caada a 1,100 rs.
Vende-se muito superior lagedo de Lisboa, e
cal virgem em barris de 4arrobas, por mdico preco:
na ra do Vigario, n. 1.
s
Til!
I wn I o
Na loja da ra do Cabug, do Duarte
ha fitas pretas, Lvradas, a mo, 340 e 3o
rs. a vara.
L11 vas de pellica.
Na loja da ra do Cabug, do Duarte,
ha lirvasde pellica, bordadas a seda de
cores, e enfeitadas de setim e hocos, e
de cores exquisitas, as mais novas que lm
por terem vindos no ultimo navio d
Franca.
Na padaria da ra da Guia, no Recito, haveri
todos os das a venda o novo p9o de l'rovenc* fa-
bricado poroutro modo que o actual e da melhor
farinha que ha no mercado : por este motivo nSo
pode fazer senfio a 40, 80 e 160 rs.
Luvas de pellica.
Vendem-se luvas de pellica, enfeita.
tadas, para senboras, pelo diminuto
preco de a,5oors. o par. V ellas, na ru
Nova, n. 3o, loj de Domingos Antonio
de Oliveira.
Vendem-se, no armazem de Das Ferreira, cai-
xas de macarrSoe Ulharim a 3,000 rs. edealetriai
5,000 rs.
Vendo-se, no armazem de Vicente Ferreira da
Costa, na ra da Madre-lieos, torneas em saccas
5randea chegadas ltimamente de Trieste; vinlio
a Figueira ,em barris, o.mais superior quo tem
vindo a este mercado, do muilo conliecido aulor Fa-
biio; vinbo abafado, em ancorlas de 4 e meia a i
caadas.
Vendem-se saceos com farelo
chegados ltimamente, pelo .diminuto
preco de 3,4oo rs.: na ra da Sanialla-
Velha, n. i38.
Vendem-se os fiteiros e balcSo que
i'oram da armaran velha da loja do Duarte
proprios para qualquer estabelecimenlo,
por preco muito commodo : a tratar na '
mesma.
-- Na na do Crespo, loja de 4 portas n. 12, ven-
dem-se chapeos de castor pretos, de muito boa qua-
lidade a 4,400 rs.
Vende-se a verdadeira potassa da
Russia, desembarcada hontem, por pre-
co muilo rasoavel, vista de sua muito
superior qualidade : na ruado Trapiche,
n. 17, e ra da Cadeia, n. 34.
Agencia da fundicao
Low-Moor, ra da srizalla-
nova, n. 42.
Neste estabelecimenlo contina a ha-
ver um completo sorlimento de moenrfas
e meias moendas, para engenho.; ma-
chinas de vapor,e tachas de ferro batido e
coado, de todos os lmannos, para dito,
e superior potassa, e se acham venda,
por preco mais batato do que ltima-
mente se venda, na ra da Cadeia- Velha,
armazem de Baltarck Ulivtir, n. 12.
Escravos Fgidos
Fugio, no da 23 do correnle mez o pardo An-
tonio ollicial de sapaleiro de cor trigueira esta-
tura ordinaria ; foi ltimamente escravo do Sr. Iler-
culano Jos de Freitas ; anda pelos Afogados ondo
dorme : quem o pegar levo roa Direita, em casa
de J. aquim Bernaido de Figueindo que generosa-
mente recompensar.
Paga-se bem a quem pegar um molequo que
fugio, no dia 2ttdo correnle, de casa de seu senhor,
na ra dos Quarteis, junio da botica do Sr. Jos Ala-
ria ; levou calcas pretas de melim e camisa do mes-
mo panno; tem 2 Jou 3 cicatrizes as cosas j anti-
gs chama-se Marcianno.
Fugio, no dia 26 do correnle, domingo pela
tarde, um escravo pardo, muilo claro, do nome
Gregorio baixo, de bonita figura desdentado do
qucixo de cima ; levou calcas azues camisa bran-
ca um li'.iiiMnha do roupa as costas ; foi encontra-
do no iii.sinoilia a larde cm Olinda, procurando a
estrada do serillo de onde lie natural; foi compra-
do no Cear por Manoel Jos Salgado ; ha de ser
cusloso a conhecer-se porque alero de irem trages
de matulo parece mesmo malulo, ovando cha-
peo do palha novo. Roga-se as autoridades policiaes
e capitRes de campo qurf o apprehendam e levoin-
110 a ra da Cruz, no llecife, armazem n. 26 que
seriTo gratificados.
Fugio, no dia 24 do correnle, urna preta criou-
la de nome Dellina de 25 a 30 annos baixa e gor-
da nariz chalo : quem a pegar levera ao Aterro-d-
lloa-Vista, n 29, que ser gratificado.
Fugio, no dia 28 do correnle, as 4 horas da Ur-
de, do sitio do Deburque, uina preta, de nome Joan-
na crioula de 20 anuos pouco mais ou menos;
foi escravadeJos Concalves do Arnujo, genro de
Francisco |Goncalves da lazenda do Poco-da-l,a-
maaum lado do Hrejo-da-Madre-de-l>eos> descon-
lia-se que fosse em atgum Oomboi para as parles da
dita fazenda ; lie de boa estatura, cheia do corpo ,
cor afulada rosto um tanto achatado ; tem teos-
las com bastantes lanlos ja cicatrizados que pare-
cen do chiclo ,e nos dous bracos marcat de bexi-
gas por ser vaccinada ha pouco lempo ; levou ves-
tido de chita com lislras azues e rouxas j desbota-
da outro de chita de (amagcn verdo lina.porm vc-
I lio camisa de uiadapoliio ja velba com o ha bailo
arrancado, panno da Costa anda por embainhar,
por'ii usado ; costuma Irazer uui annel de mutal
aniarelio em um dedo; foi comprada ha 26 dias ,
ao Sr. Francisco Josfi luiarte, negociante de escra-
vos morador na ra da Concordia: quema penar
levc-aaol'usscio-Publico, casa de buhar, que sera
COl4lpCiii/.
;
i; ... ."TEjU-L-.U.-----JU--------===
*BBN.: NA TTP. D DE fABU. 8d8
MELHOR EXEMPLAR ENCONTRADO
L.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EWAWR547S_JY92DT INGEST_TIME 2013-04-13T01:26:16Z PACKAGE AA00011611_06187
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES