Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06186


This item is only available as the following downloads:


Full Text
nno
XXIV.
Qnarta-feira 29
nHRiOptibllca-aetodoosdiasque nao
, de guarda: o preco da asignatura he
uMfDIW Por tluarteL po<" adianMiio. O
* lmelos dos assignaiiles sao Inserido!
,,ao de 20 rs. por liaba, 40 rs. eiu typo dif-
I Lntr eas renetlcocs pela mctadc. Os nao
Sanies pagaran 80 rs. por liaha e U r,
ciVi trp d">'erente' Por cada Puulicaf
rpilASES DA LA. HO MEZ UE NOVEMBRO.
/v..ii(. a i, as 3 horas e 44 min. da mauli.
llTchti*. 10-**s horM e ,6 mln-da Urd-
(uoanM, a 17, s 4 horas c 27 mln da lard.
uiaora, a 26,s 7 horas e 10 mln. da tard.
PARTIDA DOS CORREIOS.
Golanna e Parahiba, s scgs. e sextas-felras.
Rio-G.-do-Norte, quintas-felra ao meio-dia.
Cabo, Serinhacm, (io-Formoso, Porto-Calvo
c Macelo, no 1., a II e 21 de cada mct.
Caranhuns e lionito, a 8 e 23.
Boa-Vista e Flores, a 13 e 28.
Victoria, s quintas-feiras.
Ollnda, todos os dias.
PREAMAR DE MOJ1..
Primcira, s 7 horas e 42 minutos da manh.
Segunda, s 8 horas c ti minutas da tarde.
de Novembro N. 26.
das da semana.
27 Segunda. S. Margarida de Saboia. Aud.
do J. -los orph.do J. civ. e do J. M. da 2. v.
28 Terca. S. Gregorio, Aud. do J. do c. da
1. v. e do J. de paz do2. dist de t.
29 Qoarta. S. Saturnino. Aud. do J. do c. da
2. v. c do J. dcpaido 2 dist. de t.
30 Quinta. >Jf S. Andr.
1 Sexta. .Eloy. Aud. do J. doclv. c do J.
de pai d j 1 dist de t.
2 Sabbado. S. Ilibiana. Feriado cm ludas
as repartieres.
3 Domingo. S. Francisco Xavier.
CAMBIOS NO DA 28 DE NOVEMBRO.
Sobre Londres a 25 d. por 1 000 rs. a 80 dias.
Pars
Lisboa 120 por cento de pii.nio.
Rio-de-Jani'iro ao par.
Dcsc. de leu. de boas firmas a 1 f,' ao mes
Acedes da coinp. de Heberibe, a50/rs. aop.
Ouro.Oncas hespanholas 30/800 a 9l#D0O
Muidas de de#400n. 16/200 a 16/400
de 4/000... 9/200 a 9f.m
PrataPataccs brasiieiros 1/940 a 1/MW
Pesos columnarios. 1/940 a l#9
> Ditos mexicanos..... 1/900 a 1/92
PARTE OFFICIAL.
GOVERNO DA PUOVINCIA.
' o presidente da provincia,, attendendo ao merec-
pienlo o mais parles que concorrem na pessoa do
ridadff0 Francisco Jos Sllvera, e conformanlo-sc
foiti a proposta do tenente-cordnol commandante
do corpo de voluntarios, lia por bem nomea-lo te-
nenie de Cavallsria do referido corpo..
Palacio do govorno de Pernambuco, 23 de novem-
|irode1848.
Hkhccmko Frrrbira Pensa.
N. B. De igual teore data, nomoando para tenen-
lPS:_da primcira companhia de caladores do so-
liredito corpo a Luis- de Pinho llorges; da segun-
da a Antonio llenriques Mafia Jnior;da lerceira
i a Claudino Benicio Machado ; da quarta a Cela-
,'no Pinto de Veras; da quinta a Manoel JosTci-
xeira Bastos ; da sexta a Amaro BoneJicto de Sou-
sa ; -- da stima a Pedro Jos Cardoso; da oilava
a Maximiano Francisco Duarte.
0 presidente da provincia, attendendo ao mereci-
nieiito o niiiis partes quo concorrem na pessoa do ci-
iladSo buiz Antonio Rodrigues de Almeida, e con-
formando-so coin a proposla do' tenente-coronel
commandante do corpo de voluntarios, ha por bem
nomea-lo alfores da companhia docavallaria do re-
ferido corpo.
Palacio do govorno de Pernambuco, 23 de novem-
brodelSt.
Hrfnr.ui.AN0 Fkrriira Prnna.

N. B. De igual tcor e dala nomeando para alfores:
da sobredita companhia a Thoroaz Antonio de Al-
meida ;da 1.a do curadores a Joo Marques Correa
e Manoel Kstanislu da Costa ;da 2-" o Dr. Anto-
nio Comes Tu va res e Antonio Jos de Castro ;--da 3.a
a Caelano Jos Mendes o Joo Antonio de Paula Ro-
drigues ;da 4,* o Dr. Thome Fernahdes de Castro
M.-i'iria o Antonio Jos Rodrigues do Souza Jnior;
da 5.' a Francisco Martinsdos Anjos Paula e Ma-
noel de Almeida Lima ;da (i a Jolo Rodrigues da
Silva e Joaquim Pedro dos Santos Bczerra ;da 7.* a
Joiio Lopes Guimar.les e Jorge Victor Ferreira Lo-
pes;da 8.* a Antonio Cardoso de Queiros Fonseca
Jnior o Joaquim Correa da Costa.
0 presidente da provincia, attendendo no nicroci-
mcnlo e mais parles quo concorrem na pessoa do
reveivndissimo padre mostr Pe Joilo Cnpislrano
de Mendonca, e coiifprmainlo-sc com a proposta do
tenente coronel commandiinto do corpo de volunta-
rios, lem resolvido nomea-lo capel 19o do referiJo
corpo.
Palacio do govorno de Pernambuco, 27 do novem
brodc1848.
Hbrcdi.ano Ferreira Penna.
EXPEDIENTE DO DA 27 DE NOVEMBRO.
Olcio Ao director do arsenal deguerra, ordenan-
do fornoga ao arsenal de marinlia, medante a com-
petente indemnisagiio, mil carluxos embalados de
adarmo 12 e dezaseis correias com escovinhas, todo
reipiisita.lo para o brigue .lo fierra C/f/ojM.--Per,lj-
cipnu-se ao inspector do arsenal de marinha.
Dilo.--Ao mesmo, declarando que deve de salis-
fazor qualqner rqoisicilo do commandante em che-
le das torcas em operaerte* ncsla provincia, briga-
deiro Jos Joaquim Coelho. ou do commandante das
forcas nuvaes, cap tilo de fragata Joaquim Jos Igna-
cio, ndependeuto do autoiisacilo especial lo go-
verno.Scientilicou-se ao mencionado brig.idciro e
sorommaiidanto das rtrgas nnvacs.
Hito.Ao commandante superior da guarda nacio-
nal do municipio doRecife, participando haver p-
provado a proposta de olFiciacs para o 1. baUlhlO
a guarda nacional sb son commando superior,
lim do que a faca publicar em or.lem do dia ede-
Icrmineaosridad.los nella contemplados quo solici-
tOMuauo antes as roipcclivas paitles na secre-
tariado governo.
HF|.A(;\0 do$ ciiladios contempladot na propotla ci-
ma mencionada e que foram approvailoi para
o i.' balalhaO d i guarda nacional dn llecife
KjTADO-MAlOr.
Tenente ajudanlo .. Joaquim Filippo da Costa.
Ajferes porta-bandeira Jos Bernardo Michildos.
"ito secreta lio .... Antonio Germano das Noves.
]. compaiiiu.
Capiao Antonio Augusto da Cmara Rodrigues
T Selle.
jenento Soverianno Banloira do Mello.
Alteres Joaquim Bernardo iRels.
Jos Cunea I ves TofiB Jnior.
2.a companhia.
Alferes Manoel Luiz da Veiga.
* Francisco Pinlo do Lemas,
1.a COMI'ANMA.
Capilo Joo Francisco Marques.
Tenente Claudino Jos de Siquoira. j
Alfercs Manoel Joaquim de Miranda Souza.
Portara. Reformando os oflicaes do 4.*bala-
Ihflo da guarda nacional do municipio do Recift
abaixo declarados :
Tenente ajudante Miguel Archanjo Fernan-
dos Vianna.
Alferes secretario Amaro Jos Ferreira
a da 2.a comp.a Pedro Antonio Teixcira
Guimaiile*.
da 3.a Jolo Carlos de Lomos.
da 4. Erancisco Manoel Berangor
Tcnt.a da -- Antonio Bernardo Quin-
leiro.
Communicoii-se ao commandante superior res-
pectivo, que propozera as reformas em vista de rc-
prcsenlacao docbefo da segunda Icgiflo c do com-
mandante do supradto batalhilo.
RcpartQo da polica.
EXTRACTO DIARIO DO DIA 28 DO CORRENTR.
Foram presos : ordem do Sr. desembargado!'
chefa de polica, o pardo Manoel Francisco dos San-
tos ;do subdelegado de S.-Anlonio, o pardo Filp-
po do Santiago, para avoriguaQes ;-e ilo subdele-
o----ir:.lA /t nai.mi l'uul.nik ')()I11|0*IOS
, iQoes .
gado da BoiT-Vsia, o paisano Caelano
Deste c do primeiro, n.lo consta o motivo das
prisocs.
O 1. Amanuense,
Aprigio Jos da Silva
EXTERIOR.
\
3." C.OMr-AMIlA.

--..%/ uuiiiiviiiio uau iciciiu.
Aireres Francisco Xavior de Olivera.
" Alvaro Pereira do S.
PACIFICO.
Valparaso. 29 di selembro r/e18*8.
IIKTROSMCTO POLTICO, ETC. Cllll.l.
O moz das fest vidades nacionaes he de pouco mo-
vimento poltico.
As scssOcs ordinarias do congrosso no foram pro-
roj ulas. Consequentomonto n.lo tevo de responder
o ministerio s intcrpollagos que so Iho tinham fei-
lo na cmara dos depulados sobre o oslado das rel-
ceos com Bucnos-Ayres.
Os assumptos especaes para que foram convoca-
das as enmaras legislativas cm sessflo extraordinaria
sito :
O tratado com a repblica do Per.
Projecto de le para abastecer de agoa pura as po-
voacocs da repqblica.
Caminho de Torro entre Santiago e Valparaso.
Adjudicarlo de terrenos sobrados dos Indios em fa-
vor das municipalidades. DeseccacHo do terrenos.
Reforma dos correos. Caminho de ferro cm Copia-
p. Segunda paite da le do rgimen interno. Au-
lorisaro ao governo para gastar al a quanlia do
50,000 pesos em un cstabelccmcnlo do colonos
nopaiz. Sobre o verdadeiro sentido do art. 162 da
euiislituieao relativo a vnculos. Sobro morgailns.
Sobre aboli^Qo do furo de senador o deputndo. So-
bre furtos o milios. QrgniiisaQflo do cstabelcc-
mcnlo. de Magallulcs em colonia martima. Sobro
navegacAo.
J lia pareceres das respectivas commisses das
cmaras sobre dous destes assumptos, quo s;lo de
summo ulerease para os cstrangeiros; um he a le do
navegacio pula qual se permiti aos estrangeiros a
propiedadodeembaicaqes nacionaes c o gozo dos
favores outorgadc.s bandeira, eoutro a construc-
clo de um caminho de ferro cm Copiap do nteres-
So para todos os que queram dedicar-se a in luslrias
mini-iras.
Na diplomacia s temos a mencionar duas oceur-
rencas : a troca de alguinas notas cutre o ministe-
rio e o encarregado de negocios do Per por motivo
do alguns arligos sobre os acontecimentos do seu
paiz em um peridico a quem suppunba S. m ca-
rador ofiicial, quo o minislerio doclarou nilo Icr,
bem que fsse protegido pelo governo.
A Mluac.lo do mercado be a mesma do mez ante-
rior : dcsprovimcnlo. Chegaram algumas em barca-
^oes,- mas scus,carrcgamentos nflo oram sulliclentes
para prcencher o vacuo dos nossos armazens. Esne-
ram remossas no prximooutubro; cromos, porom,
iino nao serflo de tanta.importancia como exigira o
estado da praca.
Em insumo,a situaeo do Chili be: no poltico,
mmobilidado; no adminsliativo, passos lentos
no (lescnvolviuienlo material; no mercantil, inac-
lvidade, esperanoas, e urna poca de prospejdado
em expectativa, se o governo souber tirar partido
das circunistancas; na marcha das ideas, progresso
uotavel.
LQUADOR.
Esta repblica esteve ltimamente amoacada de
urna guerra civil. Parece que havia combinar,fion-
tre os Equalorianos exilados na Nova-Cranada e no
Per para invadircm ao mesmo lempo o Equador
polas fronteiras do sul e norte e nsurroccionarem o
As autiridades peruanas, prevenidas a lempo dos
projectosdos refugiados do Equador, tomaram dispo-
oivJcso .'rbirira.T. =ous designios.
guando os emigrados em Novft- Granada passaram a
fronteira do norte em numero de 150, comuiaiidados
por um ebefe chamado Guerrero, acbaram-se sem
a|H)o, c em menos de oito das foram vencidos e per-
seguidos at os limites da repblica. Trnnquillisada
a repblica, coin este resultado, dos temores da in-
vasilo, poder Conlratiii-sessoasquestcs domes-
ticas na nova era que val abrr-lhe a futura eloicito
de presidente.
PKRU'.
O concellio de estado conceden ao cxecutivo as fa-
cuTdadcs extraordinarias que podio por niolivo de
um tumulto de Moquegua, auloiisando-o : 1.", a
mandar julgarem concelho de guerra do ollieiaes-
generacs aos autores e principacs cmplices da se-
dicOo occorrida as provincias de Tacna e Tarapaca
do departamento do Moquegua ; 2, a confiar o go-
vorno poltico e militar ao prefeilo do dito departa-
mcnlo; 3., atoinnr poremprestimo com mil pesos
para precncher o dficit na renda fiscal e fazer face
as despezas doservico publico. Esta resoluQo do
concelho de estado causou grande sensacq m
lima.
governo anda nolnba podidocontrabr o em-
prestimo, mas.isso nilo obslaulc, havia sabido para
osla forca destinada a dar estabilidade ordem
rcstabclccida.
O general San Romn, ministro da guerra, linba
dadoasuademissfo. Diza-so que o seu suecessor
seria o general Vivanco, enligo rival do prcsidenlc
Castilla.
B0IJVIA.
Em 0 do agosto abri o presidente o congresso. O
primeiro acto do corpo legislativo foi a declaroslo
doquetomavaa denominaciio de congresso extra-
ordinario, o so oceuparada modilicaco daconsli-
tuic;lode1839.
O Sr. Oualcta, chefe do minislerio, tinha-se demit-
tido cm consequencia de graves desntellgencas
com o ministro da guerra, militar de carcter pre-
ponderante. Parece que a anareba linba invadido
j a proprin adminislracSo.
Todas as vistas so volviam em Rolva para o gene-
ral Santa Cruz como nico que pode reunir e amal-
gamar os elementos heterogneos que levam o paiy
quem sabe onde. Tudo cm Bolivia be precario e
transitorio.
( mercurio.)
: Jornal do Commercio. )
O ESPIRITO DE REVOLTA.
I.ONDnES, 27 DR SETEX1RRO.
A experiencia dos niezes passados teem j plena-
mente convencido as mais ar.lentes partidarios da
revolucfo, assim na AUeQiaqha como na Franca,
que se o grande objecto de suas esperanzas deve um
dia realsar-sc, e so urna nova ora de prosperdade
nacional e de mclhoramenlo social ilevc basear-se
sobre as instituicocs da demo.r.icia imr.i, este re-
sultsdo nilo ser oblido pelos mcios, dos quaos ellos
esporaram originalmente a sua rpgoneracao polti-
ca. Infelizmente aquellos oslados se hilo de tal aor-
le siibmcrJo na voragem da anarebia, que a con-
sideraco (|ue de mais perto affecta, nilo smciilco
seu bem-eslar e a sua paz, senilo mesmo a sin ver-
dadoira liberdade, be o como lorminar estas desor-
dons; ns bomens comegam de perceberquo em voz
de urna obediencia passiva, ou de una baixa snb-
inisslo ao impulso da revoluc, um conflicto ani-
mado dos partidos be a cssonca do governo lvro, e
quo na I uta actual corre pergo a propria existencia
da sociedado. A lcenca rcpcnlinainciilc outorgada
aos principios democrticos por urna revolucilo que
siisprndeu toda a aotoridade, c propagou mil erros
i'Xtravaganlcs, den nasciinenlo a um paiti lo foriiii-
davcl em seu numero, e anda mais cm suas mxi-
mas, paitido que esla lilo prompto para fazer guer-
ra atierta a una monarebi i constitucional ou a urna
repblica moderada, como o esteve para assaltar se-
cretamente as mais absolutas formas da aulon.lade
que precedeu a estas mudaugas. Em Pars, a sangui-
nolenta contcstacio do junbo leve ao menos o mri-
to do acabar com todo o pretexto para a duvida so-
bre esto ponto. A opposico appareccu publica-
mente em armas, e o seu grito do guerra foi a ani-
quacflo da ordem existente da socieJade.
O partido conservador obLeve urna esplendida vic-
toria, e estabelcccu urna forma de governo militar;
porm o faci do 6,000 votos serem dados agora a
pin dos mais ousados presos de Vincenncs denota
Buflicicntcmenle as forjas qne ainda conservan) ns
lioinoiis da repblica vtrmellia, e a uniilo que anda
entre cllcs reina.
a Allemanlia foi preciso mais tempo para que
esta linba de distiucQo pudesse ser claramente tra-
gada. Ella fui Iludida pelas desordena las conecs-
sOos l'eitas mesmo polos prmeiros bomens, assm
em posigao como cm inlelligencia, s exigencias da
mullidilo; ella foi disfargada icio thibboUl commiim
da unidado nacional, pela qual cada partido siguili-
cava tudoquanto melhorconvnba aos seus proprios
ulteriores designios. Mas a verdadeira situag.lo do
paiz mo podia ser permanentemenlo occullada, ou
materialmente melhorada por estes mseravois sub-
terfugios; e o incidente que poz lim ao syslema de
limida connivencia de urna parte, o de dissimula-
g.loda outra, he urna vantsgcm csscncial na actual
situagio dos negocios.
A queslo da guerra dinamarqueza que tantos es
tadistas allemiles adoptirsm, animaJos poz um es-
pirito do naj ontondido patriotismo, servio nns
para medir o poder do partido revolucionario, don-
A prttnalra deciafio da assemblea cm PrankCnr'
conlrao armisticio dinamni que/, por loJa a Allema-
nha em positiva anarebia ; o segundo voto em favor
do armisticio reslituio o principio de governo a sen
proprio assonto, porm provocou de urna vez um
ataque armado d.i partido revolucionario contra
Suprema assemblea da uag.lo. O resultado tiesta lu-
la as mas de Fraiikl'ort lelizmcnto nilo foi duvidn-
so, e um governo quo levo o mrito, pela primcira
vez na Allemanha depola dos acontecimentos de
margo, dco;>p6ruma resistencia armada ellieaz aos
eslorgosda canalha, aoba-se om nina posig-lo mu i
dlfforenlede urna adminislrag.lo, cuja precaria e\is
lencia e cujos limitados po le es pareciam depon ler
de cada capricho do urna assemblea popular.
Mas, Comquaiito a causa da ordem c daautoridfl
do tenba sido com successo defendida pelas tropas
em Frankfort, assim como o tinham sido tres mezes
antes um Pars, eassim como o serilo en toda a
parle em quo urna competente torga militar for em-
bregada com rosolugoe disceriiimenlo contra urna
canal!,a amotinada, esta culi silo MO be SCIIA6
comeco de urna lula que Lio cedo nilo ser conclui-
da. Nos nilo duvidamos que a grande inaioii.i das
elasses medias na Allemanha e em lodosos pai/.es
civilisados eneontraro alinal meosde reprimir om
espirito do revolta quo ameag.i a sua propria exis-
tencia, o ataca mesmo a auloridade da lei. Mas ellos
n.lo COnSegUirSO urna pvwnpta o fcil victoria. I'ar
faz-la duradoura e segura, elles provavelnienle te-
rilo que sacrificara maior porgilo daquellas llberda-
des por amor das quacs originalmente se ajuntnram
ao uiovimeuto revolucionario.
A assemblea cm Frankfort, comquanlo eslcja qua-
si luda disposta a n.lo recorrer a medidas extremas,
todava aprsenla tinta minora formidavcl de pol-
ticos descontentes, fanticos, ou malignos, lima
maioria de 20 votos em urna quesillo de importan-
cia vital para toda a poltica do estado be urna baso
mu frgil para a nulnridade do um govorno, o posto
que a despre/.ivel impotencia dos radicaos em for-
mar um gabinete depns dos seus ltimos acciden-
taos sucessos devesse ter biimilbado ns suas prclen-
gOcs, todava elles estilo evidentemente em urna con-
digno de tornar mui incerla a adopeo daquellas me-
didas quo actualmente deveriam ser adoptadas. F.m
lloflin o partido extremo lem adquirido urna maio-
ria decidida, o toda a esperang de urna poltica mais
prudente o de um governo forte lie incompativcl
com a existencia da assemblea cm sua forma actual.
Soria absurdo, pois, menosprezar a frga do parti-
do revolucionario na Allemanha, ou desattender s
dilfieuldades que restam ainda a voncer antes que
o governo naquclle paiz possa ser restituido a urna
forma segura e respeitada. as assemblas polticas
allomaos os anarchistas silo mais numerosos do que
na assemblea nacional da Franca : fura da rasa el-
les s.lo mais formdaveis do que silo cm Franga, ex-
ceptuando smenlo aquellas cidades como Paris e
Lyon. J nilo lio possivel duvidar que elles esto
preparados para sustentar a sua detesta rol causa por
todos os mcios que a sociedade reprova e aborrece.
Elles hilo aineagado a assemblea em Frankfort; elles
hilo baixamenlo assassinsdo a dous dos bomns que
eram com rasao seus principacs ornamentos cm es-
pirito e eloquenca ; e estilo actualmente praticandn
cm Bailen, eem Wtiriombcrg todos osexcessos da
dosordem poltica, do saque agrario e do crimo san-
guinario, lie urna desgraca que os motivos c as yo-
gos que caracterisam propriamcnlea vida abando-
nada, e a ni na atroz dos criminosos emaireitores,
tenham sido actualmente revestidas pela paixo po-
lilca da rrga dos partidos, o da dlgnidade de op -
nioes professadas. I'or n, quandoodisfarec lie ar-
raneado a esles inlmlgos da raga humana, suas pu-
blicas enormidades silo inlinltaueute mais perni-
ciosas 0 abiiniiavos do que as mais serretas atro-
cidades dos rriinos particulares. Amorte c a des-
truirn sao a sua obra o o seu credo, o se o mundo
nao deve cahir de novo no barbarismo, deve ser
preservado da applcac.lo do tilo falaes o extrava-
gantes mximas.
Cnnlra estas multiplicadas nficnsas, o contra osle
espirito do insubordinscflo o discordia quo incliio
todas as violagdos particulares da juslga hiimaiia c
divina, a lei e o governo mo teem oulro recurso quo
o do poder militar. O interesso do genero humano
positivamente exigo o emprogode algunia Mrcn re-
gular superior Torga daquclles que despre/.im as
limlages do poder, equeusam da lilierdade que
Ibes he outorgada pelas nstilugoos existentes, so-
mente para acbar com estas inesmas islitoicdes,
Nos nilo apreciamos, polo contrario nos deplora-
mos Uin csto.do do colisas quo subslitue o poder mi-
litar ocla lvre e legitima lula dos partidos quo con-
cordan! em roconhcccr as condiges primarias de
sua existencia nacional cmuina constitug.lo eom-
mitm e nasobrigagOes universaes da inoralidade pu-
blica. Mas a responsablidado desta alllictva mu-
dauga posa sobre nquelles quo fazem as revolugocs,
e mi soDre aquolles que amaldigoam c compa-
tcm-nas.
Km os nossos das be pouco para roceiar-se urna
declaragio de bosiildado contra as liberdades de
um povoque lem usado do seus direitos com mode-
ragao e hoiieslidade. Osignal da guerra civil loui
partido do acampamento opposto, e todas as medi-
das at boje tomadas pelos governos teem sido res-
trictamente medidas de defenso. A ascendencia I-
limitada dos princios democrticos em a maior parte
da Europa tem j dentro de seis mezes conduzido os
paizesa elles subjetos melanclica alternativa do
governo militar ou dssolucHo social. Por mais do-
loroso que o remedio possa ser para todo o homom

'i
de a epidemia se tnha originado. O resultado tem | que deseja vei o seu paiz lvre a.sim como tranquil-
mostrado que nao escomemos uinc.itorio i.npro- lo agrande, elle lio iu.i raiiiel f l'^f[^u
' io H \ da enfermidade social. Na Allemanha, bem como na
prio.
* I
;
i
ADO
i




"'
Franca a sua frca dcve ser sentida anda por muito
lempo, e confiamos que, quando o periodo .le per-
turbacio o deescr. vidflo for passado. um progrosso
man natural e maissaudavel compensar as gen-
Cues futura, do malos quo seus pas tiverem suf-
Iri'o.
{T.'ir Times.:
i)uiiiiu)f:i'f:ii\uii!ii;o.
BECIFE, 38 DE NOTEMBBO DZ 1848.
Parto-so-nos de tlr ororaco ao vermos a ma-
nera como a oppos<;5o va poderosamente contri-
Imiiido para que se supponlia lora daqui que a guar-
da nacional, o melhor dos baluartes da eonstilucflo
edutlirono, esl animada desenlimentos anarchi-
ros, e moslra tendencias para a revolta; compnge-
nos nimiamente que osecbos da mesma opposi^o
se deso ao criminoso -tralialho de desacreditarem
dcsl'arlc to respeilavcl corporaciio ; ea nossa dr
e nnssa compungi sao tanto mais intensas, sflo
tanto mais profun Jas, quanto somos osprmerosa
reconheoer que os cidadflos soldados estilo sendo
calumniados, que aquellos que os aprosentam como
desobedientes a guvernn o inclinados a anarchia,
embaciando assim a sua reputacSo, apartam-sc in-
loiramente da verdadcquandoavnncam semelhantc
proposicSo.
Sirn; saiba a corte, saiba o Brasil todo que a
; uarda nacional penininbucana conserva-so fiel a
seus sagrados dorcres;que a pequea fiaecAo des-
sa honrosa phalange, que em un ou outro ponto da
provincia tem appareeido no campo dos revoltosos,
lia sido arrastrada para a ni por liomens pouco leaes
que, ao levarem-na para o precipicio, bradam-lhe
(ue estilo obrando em nome do governo e a favor do
governo ;--que os briosos guardas nacionaes, ora
aquartelados, e sob o mando do distinelo tenente-
coroncl Francisco Carneiro .Machado Itios no Hospi-
cio, c do valenle ca pililo Jos Goncalves da Silva no
quarlel do corno de polica, preslaram-se mu vo-
luntariamente a este servico, e nolleconlinuam de
boni grado e mnitissimo satisfeitos;que cssa bs-
toiiadaida dclles para Olinda no meio da tropa de
linhae em completo constrangimenlo he um teci-
do de alsidades c alcives, tanto menos acreditaveis,
qunnlo salla aos oltios que oSr. Francisco Carneiro,
sempre popular, sempre dedicado ao bem-estar de
seus coiteidadflos, e bem assim o Sr. cptalo Jos
Goncalves da Silva nflo concorreriam para que fs-
sem violentadas de/enas de compatriotas seus que,
obedecendo ao chamado da presidencia, fram tilo
promptos a coadjuva-los em a nobre missflo de sus-
tentar o imperio das leis, c mantera autoridado^lo
delegado legitimo do governo de Sua Magostado o
Imperador nesta provincia.
Esla consideraeflo tora per si s sufliciente para
desvanecer a impressfio que porventura houvcsso
delxado no animo dos incautos cssa tabula do
mogoslo com que se buscou derramara dcsconli-
nnca entre as fileiras da briosa guarda nacional do
l'ernambuco, 13o famosa pelo seu amor ordem,!
j>ola sua dedicoslo monarebia, e pelo denodo com
que sempre ha pugnado pela causa da logalidade ;
entretanto ella nflo be mais do que um argumento
secundario a nosso favor, se altcntarmos que seria
Joueura rematada conduzir para batalha Iflo peri-
gosacomoessa que figurara os echos da opposicflo
liomens conslrangidos, poisqueclles, quandosono
toi nassem ofTensvos frca no meio da qual se qu-
zesseobriga-losaobrar, de nada podoriam servir, o
transformar-se-hiam em fardos perigosos, o por
sem duvida rapazes de tronstornar o mais bem tra-
eado plano de aceflo.
Mais consciencia, Srs. da opposcflo; maisalgum
lino mesmo em vossos ardis: a eonlinuardes por
este teor, n5o adiantareis um passo sequr.
cessario refuta-las, porque o bom senso dos seus
proprios leilores, que observaron! os factos, dispen-
sa-nos desle trabalho. Filas at poderiam servir-
nos do divertimento, se nflo livessem o funesto effeito
de Iludir algurflas pessoas mais simplos, fazendo
com que se compromoltam pela causa da revolla que
nflo poilcra ja mais ter xito algum favoravel quera
a promove.
Tivemos o prazerdo lor no Diario Novo o manifes-
t assignado por oito dos Srs. doputados por esta
provincia ,-prazer, dizomos nos, porquo considera-
mos como urna vantagem que taes documentos ap-
parecam sb a responsabilidade de nomes conheci-
dos, e nflo dobaixo da capa do anonymo como at
agora tem acontecido. Oque sobretudo desojamos
be que cada um carregue com as consequenclas dos
actos que pralicar na hita que se acba Iravada entre
o governo e a opposicfo armada ; porque tetaos a
mais profunda convicQflo de que, esclarecidos os fac-
tos, nflo poder jamis ser favoravel a esta' o juizo
doshomens imparciaes. Sentimos que a estreiteza
do lempo nflo nos permita publicar desde ja a ana-
lyso que merece o manifest; mas nflo deixaremos
do cumprir opportunamenle esse agradavel dever.
dor do mesmo, faz constar aos Srs. propietarios de
Predios urbanos dos bairrns desta cidade e fregue-
sa dos A Togados, que nd da 1. j deznmhro pr-
ximo futuro so principia a contar os Irinta dias u-
leis para pagamento da respectiva decima do 1 se-
mestre de 1848 a 1849 ; assim, pois, os que deisa-
rcm de pagar nesseprazo mencionada dcima in-
correm na mulla rio; por cenlo sob o valor de seus
dehilos, e serflo promptamento executadns. Segun-
da seceflo do consulado provincial, 16 do novembro
de 1848.
Theodoro Machado Freir Pertira da Silva.
PUBLICACAO' AGRCOLA.
Manual pratico do fabricante de .assucar, por
Agoslinho Sommier. Esta obra ensina praticamente
o modo de fabricar o assucar demonstrando os in-
convenientes da antiga pralica os meios de as re-
mover e finalmente ludo quauto se precisa para ti-
rar maior e melhor resultado de sua factura e esta
escripia em urna lingoagem que qualquer pessoa
percebe; podendo-se mesmo dizer que os Srs. de
engenhos com ella s errarflo se quizerem : vnde-
se por 2,000 rs. na praca da Independencia lvra-
rians. 6e8. '
de prala de moldo antigo; um notflndooiirn
diamante ; um alllneto d- poito esmaltado m
oulro menor por urna cnrretitinha do ouro \\,Z a
a todos os Srs. relojoeimsrourivea. ou oiitriatin
quer pessoas a qi.cm rtreni. ofTerecid-is 'es hi
tos ,uu dolles tiverem noticias quoiram ann.oh
de-Ios c annuncar, ou
I'P'Ohv.n.
Avisos martimos.
COMMERCIO.
ALFANDEGA.
RENDIMENTODO MA 28........... 3:378,629
Detcarregam Aoje, 29 tlenovembro.
Patacho -Alfredo mcrcadorias.
Ilrigue Armorique idem.
Itrigue Assombro idem.
CONSULADO GERAL.
RENDJ.UENTO DO DA 28.
C.eral ..........
Diversas provincias
1:196,73}
39,103
1:235,836
CONSULADO PROVINCIAL.
REfNDIMENTO DO DA 28........... 634,183
Movimento do Porto.
Navio entrailo no da 28.
Rio-de-Janeiro; 16 dias, briguo inglcz- Quetn, de
206 toneladas, cptalo William Eagle, equipagem
12, cm lastro ; ale Rreton Schramm & C.ompa-
nhia.
.Varo taliido no mesmo dia.
Parahba ; hiato brasileiro ConceicaO-Flor-ilai-Virlu-
dei, capitflo Flias do Rozario, carga varios gneros.
Observaras.
Fntrou para o Mosquciro o brigue-escuna ameri-
cano hele, capitflo Silas Craltam, chegado bontcm de
Haltimnre.
EDITA L.
Para a Rabia salte, em poneos dias, rom a car-
ga que houver, a sumaca Flor-do-Agellm : para a
mesma e passageiros' trata-sc com o moslre Ber-
nardo do Souza ou com l.uiz Jos de S Araujo na
ra da Cruz, armazem n. 26.
Para a cidade do Porto pretende sabir com bre-
vidadea barca liella-Pcmambucana, capitflo Manoel
Francisco Nogueira, por ter a maior parte de sua
carga engajada : quem nella quizer carregar, ou ir
de passagetn, para o que olfereco bons commodos,
enletida-se com o consignatario, Antonio Francisco
de Moraes, na ra da Cruz, n. 34, tercoiro andar, ou
com o capitflo na Praca-do-Commercio.
Para o Aracaty sabe at o fim da semana, o
biate Fkr-do-Recife: quem quizer carregar ou ir
de passagem dirija-sea ruado Yigario, armazem
n. 5.
Para o llio-de-Janeiro saho, mprcterivelmento
nodia 15dedezembro o brigue Aaombro forrado
de cobre e de primeira marcha por ter o seu car-
regamenlo quasi completo : para o resto da carga e
passageiros trata-so com Joo Jos Fernandos Ma-
galhfles, na ra da Cadei do Recete, botica n. 61.
Para o Aracaty segu com brevidade, porter
parte da carga prompla, o hiato Dwidoto: para o
resta da carga, (rata-se com Jos Manoel Martins,
ao lado do Corpo-Santo, loja de inassanie, n. 25,
ou com o mestreJos Joaquim Alves.
O patacho Alfredo forrado e ancavilbado de co-
bre, saho para o Itto-dc-Janoiro com a maior brevi-
dade possivel, recebe carga e passageiros, para o
que tem assiados commodos e tambem recebe escra-
vos a frete : a tratar com o seu consignatario Fran-
cisco Alves da Cunha, na ra do vigario, n. 11, pri-
meiro andar.
O brigue brasileiro ero segu para o Rio-de-Ja-
neiro com a maior brevidade : recebo carga e escra-
vos a fete: a tratar com Leopoldo Jos da Costa
Araujo, na ra da Moda, n. 7.
Para o llio-de-Janeiro segu, impreterivelmen-
lo no dia 30 do correte o patacho Aurelio : s rece-
be escravos a frete, e lem excellenles commodos
para passageiros: a tratar com Joflo Francisco da
Cruz na ra da Cruz, n. 3.
-- Salte, no dia 30 do correnle a escuna nacio-
nal Mura irmina, para o Para com escala para o
Maranhflo : quem quizer ir de passagem para qual-
quer dos portos, e mesmo para o Ccar dirija-se
a ra da Cadeia do Recifo escriptorio de Jos An-
tonio Pastos.
-- Para Lisboa pretende sabir no dia 10 de dezem-
bro a barca portugueza Ligeira, da qual be cptalo
Antonio Jmquim Rodrigues : quem quizer carregar
ou ir do passagem para o que lem os moldures e us-
seiados commodos, dirija-se ao mesmo, ou aos seus
consignatarios Francisco Sevcriano Rabcllo &
Filho.
dirigir-so an Htm Sr n,
jor Firinianno Jos RodriguesFoircira na '...,' a"
mediata a stipradila. ,m-
Quem quizer mandar engomtoar roupa dir.
se as Cinco-Ponas, n. 108. d,r,J>-
Precisa-so de um moco para caixolro de d.i,
na mas que abone a sua capacidad : na n.. .*
S.-Cruz padaria de urna s porta. pra" '
"OfTerece-se um caixeiro para tomar conta ,t.
urna venda por balanco ou sem ser por balanen
do que tem bstanlo pratxa: quem o pretenda?'
dirija-se a praca da Independencia, n. lo das d
horas da manhfla as 2 da larde.
Prcisa-se alugar urna escrav pata P8sa de Boa
ca familia, que saiba cozinlmre oiigouimar : a ir
lamo largo do Livrantenlu n. 10.
Ltill llollamlcr, suh lilo hollandez, relira-sc n,
os portos do norte. ""
tio na Passagem-da-Magdalcn.
o seu coiti|irtonto portflo, cs,'
ra
Muga-so ti ni silio
todo murado com
no centro 3 quartos, oozinha, sotflo bastante fr!
co hanhono fundo por preco commodo n> r.i"
Diri'ita ti. 3. ua
OSnr. Domingos Valerianno Alies de Sou?
queira annunciara sua morada, que sn Iho daarli
Tallar, ou dirija-sea ra da Cruz, no Itecife rm,
zem n. 26. '
--Offerece-so urna ama para casa de um horm-m
soltetro, para o servido de portas a dentro -, ail.i
rozmlia, engumma o coso : quem de seu pnhUbmim
quizer utilisar, dirija-se a ra de llortas, n 74
Acaba de chegar um rico e bem augurado 'cava!
lo, bastante gordo, com boas marchas, para '
vender a quem tiver bom gosto: na ra Nova rm.
zem n. 67. ma"
--O dono do deposito de charutos da ra lare
do Rozario, n. 32, faz ver aos sous freguezes a\
todos os pretendentes, que tom o seu deposito' sor
tido com varias qualidades de bons charutos p0
proco que convencionarem as partes, sendo tena
dores, doputados, hemilios, haitianos c pcrmmbii/i
canos, cigarros de la llavana viajantes, cavalleiros
da Baha nun-plu-sultra, regalos de la llavana re-
gala de superior qualidado, superfinos, e outras
mais qualidades do charutos : bem como roga as
pessoas que leom cuntas no seu deposito, de 47 i
48, do as ir resgatar, pois tambem precisa, c
julga que com isto inloaggrava a pessoa alguma.
Na ra da Cruz, n. 13, existe urna carta viruta
de Lisboa para o Sr. Jos Joaquim Goncalves Basto.
D-sodinheiroa premio em pequeas quantias
sobre peiiliore de ouro o prata : na ra do Cabug'
loja de rniudezas, n. 5.
-^Os Srs. Vieira Peixolo & C. tem(uma carta na ioia
dos Srs. L. dos Santos & Campanhia, na ra do Cres-
po, n. 11.
t Diario Novo Je boje ( 28), Iralando da marcha
do urna columna que sabio desta capital, mostra-se
duvidoso acerca do seu deslino, e nos que nunca
tomos pressa em referir noticias que nflo eslejam
bem averiguadas, podemos agora responder-lhc com
o officio do valenle coronel Bezerra, que abaixo
transcrcYcmos :
Illm. e Exm. Sr. Aprcs30-mc a participara
V. F.x. que arabo de orcupa resta villa de Iguarassu
sem resistencia ; porquanto, saliendo os revoltosos
a marcha do minba columna, abandonaran) a villa,
que so ada deserta, eos pontos cm queostavain iu-
tnneheirados.
Consta queseguiram em direceflo do Pasmado a
icuntr-se com as frcas vindas do Limoeiro, afim
de voltarcm a entranhar-se na malla
Deosguardea V. Ex.Quarlel do commando das
lorcasem operaces na villa de Iguarass, 28 de no-
vembro de 1848sdez horas do dia. Illm. eExm.
ar. Joso Joaquim Coelho, general em chefo. Jote
ni'anda'ne rr"" e',rTa' Cur0n*1 8,'aduado com-
Quanto s falsidades e bravatas de que vem re-
ebeado o arligo do Diarlo Novo, nflo julgamos ne-
O Illm. Sr. inspector da thesouraria da fazenda
provincial, em virlude da resolueflodo tribunal ad-
ministractivo, manda fazer publico, que em cun
primelo da lei, peranle o mesmo tribunal, vai,
novamente a praca para ser arrematada a quem mais
der, nodia 30 do correnle, os impostes abaixo de-
clarados :
2:500 rs, por cabeca de gado vacrum que fr con-
sumido no municipio do Recife avahados annual-
Uietite por 56:000/000
Dito no municipio de Olinda por 4:900/000
20 por cento sobre a aguardentu que fr consu-
mida no municipio do llecifo, avaliado novamente
por auno om 8.200^000
F para constar so mandou allixar opresenlo, e pu-
blicar pelos Diarios.
Secretaria da ihcsouraria da fazenda provincia
do l'ernambuco, 24 de novembro de 1848.
0 2." Escripturario,
Antonio Ftrreira Lcilao.
O corretor Oliveira far leilflo por conta e ris-
co de quem pertencer de cerca de 172 barricas de
fannbado trigo avahada: scxla-feira, priroeiro de
dezembro as 10 horas da mantilla no armazem
do llenry Forster & Coinp anhia, Irapiche do llamos.
Avisos diversos.
Declara cois.
O vapor S -SeiaillHo recebo as malas
para os porlosdosul hoie, 29 do fr-
rente, os 11 horas, o dessas horas ao
meto da as correspondencias pagarflo
o poile dobrado.
- Tendo o Illm. Sr. inspector do arsenal de mari-
nba de contratar, cm virlude dordem superior a
factura com brevidade de qualro tanques de forro
para o briguo de guerra nacional Caliop, pelo mo-
delo quesera apresentado na occasiflo do contrato
tsso nodia 29 do correnle, pelas 11 horas da ma-
nhfla ; assim o manda fazer publico para a apresen-
tacflo, em ditos dia o hora, dos concorrentes a refe-
Domiciano Fcrreira Monteiro de Barros retira-
se para acorte do Rio-do-Janciro no vapor San-Se-
bntiiaS, prximo a partir; e cmo nflo possa tero
prazer de pessoalmcnle despedir-so de todas as pos-
soascom quem entrelem relacCes deamizade, o faz
por esto Diario, asseverando que se relira minio pe-
nhorado e summaaiente grato a todas as pessoas
com quem leve a felicidade do lelacionar-se, e olTe-
receatodos os sous amigos o limiladissitno prcsli-
mo que por ventura possa tor naquelle lugar.
AGENCIA DE PASSAPORTES.
Ttram-se efleclivamenle passaportes para dentro
e fora do imperio, o despacham-se escravos : ludo
por commodo preco : na ra das Ttincheiras, sobra-
do de um andar, n. 16.
Da fazenda de Antonio Manoel da Silva deno-
minada Ametxas, comarca da villa do Limoeiro.
desencatnintiarara-so desdo o principio do mez do
juidodo correnle anno, ciuco aniones, sendo tres
beslas o duas crias das mesmas as quaes leom os
signacs seguintes: urna he de cor castanha grande
e nova e a cria da dita do cor ruco-preta; oulra di-
la ruca, ja alguma mais velha, sendo a cria da
mesma de cor castanha com urna pinta de cabel-
los Drancos na testa ; oulra dita ruca cora pintas pc-
drezos sendo alguma cousa carcunda, anda no-
va ; todos estes animaes tem o ferro MS do lado d-
retlo da orelha : qum dos mesmos tiver noticias ,
CASA DE MODAS FRANCEZAS NA RA NOVA. N.
52,1." ANDAR.
Madama Theard lem a honra de participar ao res-
peitavel publico e particularmente a suas freguezas,
que acaba de receber polo ultimo navio, viudo de
Franca, um lindosorlmento de chapeos de setim
lisos e lavrados de grs do aples, de palha lisa
caberla ditas para meninas, enfeilados do melhor
gosto ; toucadosda ultima moda de Paria; chapos
mais ordiuarios para meninas de ir na escola ; flores
finas e plumas para chapeos e para cabrea ; lucos do
seda-,- mantas de grs de aples; fitas de todas as
qualidades. Na mesma casa cojitinuam-s a fazer
chapeos, toucas o vestidos de senhora da ultima
moda e por preco mais commodo do que em oulra
qualquer parte.
Da ra das Trincheiras, becco do Sarapatel ,
ra do Collegio, Crespo e Cabug, perdeu-se uma
caitcira de algibeira cometido, alm de varios pa-
pis 165,000 rs. sendo 3 scdulas do 50,000 rs. 1
10,"00 rs. ,2 de 2.000 rs. ,e 1 do 1,000 rs.; e como a
pessoa a quem pertence esse dinbeiro lio bastante
pobre, roga-se encarecidamente a quem achou dita
carteira o queira rcslltui-la de leva-la em Oiimla,
ao reverendo doutor Manoel Tliomaz de Oliveira ,'oti
na ruado Collegio, ti. 14, lerceiro andar, a Joso
l.erfdcgario Rocha Facas, os quaes so acham aulo-
risados a recobe-la e recompensar com 40,000 rs.
^CHAPEOS DE SOL
lina do Passeioy n. 5
O fabrcame dcslo estahclecinenlo advorte ao res- *
pcttavcl publico desta cidade que ello possue pre-
sentemente um rico sorlimenlo tle chapeos de. sol,
assim como chapeos de sol de seda furla-cres, dos
mais ricos que teem appareeido ueste mercado, e de
cores condecidas ; ditos para senhoras de bom tom,
adamascados, lavrados, cpm suas 'competentes fran-
jas de retroz, ludo que tom do n.ais moderno o do
melhor goslo ; um completo sorlmento de chapeos
do sol do panninho de todas as crese do lodosos
tamauhos, para liomens, senhoras e meninos : ha
tambem igual sorlmento do lamidas para cobrirar-
ma^es, tanto do sedas de cores, cmodo panninbos
trancados o lisos imitando seda. Advorte-se que os
freguezes serflo servidos com brevidade, e so ach-
rflo satisfeitos da boa qualidado, do bom gosto edo
born preco.
NOVO PAO DE PROVENA. Q
V Vende-$e lodos o$ dias. V
0 proprietario d.i padaria e pastellaria francr/.i \
do Aterro-da-ltoa-Vista. n. 50, desejando agradar W
A cada vez maii aosseua (regueies, reaolveu ollt-re- G
V ccr-lhes um po que se Tabrica em Proven9 por x
fff um procfss.) iniiitu (I i He rente da ordinario, e que, O
Sexlgindo fariuha d.u inelbore qualidades, mere- f\
ce a preferencia do publico, pelu sua alvura, "
pureza e delicadesa de sua fabricacau. A
S se faro p5cs de 40. 80 e 160 rs., c ser fcil V
cunhcca-los pela sua forma oblonga e elegante. A
Na mesma casa conllna-sc lambein a vender
bolinbos para cli de tudas as qualidades, e tam- Qf
~i bem a enfeitar bandejas ricas para bailes e sa- x%
0
De quarla a sexta-feiro da semana passada, rou-
;sratli da etiaa' n. 5 da i uu v C.Kiilvgiv Cguiutc:
Altxandre Rodrigues dot Afijos,
fi PsorivSA -Kr. .i. Secretario.
lado Kd.rmT.f*?to doconsu- vo, mascomovidro quebrado, e a coberta sepa- do
aao provincial, deordem do Illm. Sr. administra-1 rada, por.se liavor quebrado amla; um casticallna
0 ros.
Agencia de passaportes.
Na rita do Collegio, n. 1, o no Alerro-da-Boa-Vis-
la loja ii. 48, continuam-se-a tirar passaporlos ,
tanto para dentro como para fra do imperto .as-
sim como despacham-se escravos: ludo com-bre-
vidade.
O Sr.5evero Antonio da Costa tem uma carta
seu nteresso em casa de Novaes & Companlua,
ra da Trapiche, n. 34.
1
MUTIL
. ..." 1*1



Mudanp.
I AoUloin de enoadernaejlo que o I. F. C. ilo lo-
'niose Silva zarlo, n. 8. prvida le toilo n necossario para o hom
j,.scinpi'iiho >le qualquer ohra do ncadernaca'o ,
p0r mais rica que soja ; assim como tom e lambcm
ipromi'la qualquer emblema apropria.ln as mesmas
obras e |>romelle proinplidio por ler alguii.a.s
pfjsoas Iraballiando: lien como pode com facilida-
de parar urna grande poreflo de resmas de papel
diariamente : ludo a um preco moderado.
Dentista.
M. S. Mawson, cirurgiao dentista, tem
a honra ile participar a seus freguezrs, e
em geral o respeitavel publico, que tem
mudado sua residencia para a ra Nova
. 51, primeiro andar. Espera que todas
as pessdas que precisaren! de sen prest-
un) bem reconhecido nesta cdade por mui-
tos annos, contnucm com a sua proteccao
esmerando-se elle no desempenho d sua
arte, c remunerando-as coma sua prom-
ptido ecommodidade nos precos.
Precisa-sede urna mulh*r, ja de idade, c de
lina conducta para fazer companliia a urna peque-
'na f.iiiilia dando-se-llie casa para morar: na ra
jo H"gH n. 17 so dir queni precisa.
Precisa-se d* um preto cozinheiro, ou de nina
ama que aaiba coziuliar, lavar o ungommar : na ra
da Cadeia de Santo-Antonio, n. 31.
Antonio Joaquim Vidal fc Cmpanllia deixaram
do vender a relalbo espirito* de producQilo brasi-
leira, desde 28 do crrenle em sua venda da ra do
Amorim, n.Sfi.
Alugam-se, para se passar a fesla, em S.-Anna-
de-Rentro duas casas milito frescas, com com-
ino,los sullicienlcs para qualqiier familia por mais
i numerosa queseja c bom baiiho : a tratar no mes-
',ino Ingar, com Joflo Venancio.
- Jos Nunes de Faria, Brasi-
leo, relira-so para fra do impe-
rio, a (ralar de sua saude.
-Sabe-sede um escravoque anda fgido, e de-
clara ser de um Sr. Manoel Ignacio morador na lloa-
Visla .- qnem fr seu dono, dirija-se a ra do Quei-
mado, n. 10, que so dar noticia.
Alugam-se as lujas do sobrado-da ru da Senzal-
la-Velhan. 52: a tratar na ra Nova, n. 65, primei-
ro andar.
--Itoga-se aos Srs. evedurea u viuva Arruda ,
quequeiram pagar seus dbitos quanto antes pois
o prazo j be sufficiente, alias serSo seus nomes pu-
plirados por extenso.
Rcsapparcceu. no dia 25 do correrite mez, um
negro fulo, criollo de idade 40 annos punco mais
ou menos, do nome Gabriel, altura regular com bas-
tante cabellos brancos na barba, levou vestido ca
misa, c calca de algodilo asul, e cbapo do palha no-
vo com fita prcta larga, cujo negro he escravo do
capilo Joilo l'eixolo de Vascocells Castro, resi-
dente em Mamanguap, e veio para ser vendido nes-
la i'r.ica. Quem opegar leveona ruadapraiaao a-
baxo asaignzdo, armazem n. 20 que ser recon-
pensado. Antonio Vertir IHtndes.
Pergunla-se ao Sr. Antonio Go-
mes Villar, se anda lie rredur doSr. J.
Hi'ranger, e de que quantia, visto correr
por alu de bocea em bocea que sua mere
j fez cesso do que Ibc est devendo o di-
to Sr. Brangcr : a sua resposta servir
de governo ao prejudcado.
--Aloga-sc o primeiro andar da casa da ra larga
doltozario, defionto da botica de Bartholomou ,
com bastantes commodos : a tratar no Itecife, ra
la Cruz, n. 53, segundo andar.
-- Precisa-so alugar um preto para cunduzir. todos
os dias pilo para fra dando-lbe o sustento : na ra
larga do Roza rio, padarla n. 48.
--Custavo Aniceto de Souza, tendo de rclirar-se
Ji'sla provincia, declara que nunca leve contas com
pessoa alguma e que niio deve sequer um real.
' Aluga-se um primeiro andar de una boa casa
na roa do Apollo, n. 22 : a tratar na mcsina, ou no
srmazoui abalxo.
Aluga-se um primeiro andar em qualquer ra
do baiiro do Recife anda que seja pequeo ou
niesnio urna sala e urna alcovasmenlo : quem liver
'Uinuncic, ou dirija-se a ra do Itangel, n. II.
-- l'rccisa-so de um feilor para eugenho que d
fiador idneo des-ua conduela nao teuha familia ;
serve pessoa idosa pois nflo be para campo : no en-
Kenbo Novo da Wuribeca.
-JosJoaquim Anaslaci fazaciente aos Srs. ar-
remalanles das agoas-ardentcs, que deixou do ven-
'ler dito genero, desde o dia primeiro do corrente ,
asna venda da ruados Coellios, n. 13
Lotera do thcatro publico.
O facto de existir perto de metade
dos bilbetes da lotera por vender, d?u
occasiao a que as respectivas rodas nao
podessem ler andamento no dia ai do
corrente, como se nnnunciou persuadi-
do, porm, o thesouieiro que semelhantc
venda nao deixar de ter impulso, marca
novamente o dia 9 de dezembro prximo
lutnro para o referido andamento, e es-
pera que esta nova designacSo ser m-
prorogavel.
~.Muga-seo segundo andar do sobrado da ra
das Trincbeiras, n.46: a tratar no primeiro andar
da mesma casa.
Para as pessoas que tencionam seguir
viagem.
Na ra do Rangel, n. 9 continuam-se a tirar pas-
saportos para dentro e fra do imperio despacha m-
se escravos, o correm-se folbas, ludo com hrcvblade
o prego muito o inuito commudo, como se tem dado
exuberante prova 11 n decurso de 8 annos. A qual-
quer bora do dio podei ser procurado o anuunci
anto.
Oabaixo assignado faz sciente ao publico'que
traspassou a sua toja do bahus sita na ra do Col-
lpgio ,11 20 ao Sr- "danoel Francisco Alves : por is-
suquemscjulgarcrodorda dita casa, dirija-so ao
a^aixo assignado no prazo do oilo dias.
Joaquim Rodrigues Campos.
JlIZO DOS FEITOS DA FAZF.NDA.
As 4 horas da tarde do dia primeiro do dezembro
P'oximofuturo, porta da casi da residencia do
J'bn. Sr. Dr.juiz dosTeitos, na ra do Hospicio se
l'Ho de arrematar os bensseguinles: do renda, o pri-
meiro andar do obrado n. 1 da ra da l'cnlia ava-
hado em 200,000 rs. por unno scquestrailo aos her-
viros de JosMauricio de Uliveira Macicl; um escra-
vo de nomo Miguel, do 50 annos de nacSo Cucan-
Re. vahado ciii 200,000 rs. soqueslrado a S C.
Mauvcrnay ; um dito de nome Manoel, de 40 annos,
le narilo Congo, avahado em 45,u0 rs penhorado
a< C. R.; um sitio na l-assagem-da^Magdalena ,
ll'nilo de largura na frente 260 palmos du fundos
MOdiloa, no centro do sitio, avallado do venda em
00,000 rs., penhorado a Antonio de Souza llahgel ;
lVfes escravos do nacflo Angola do nomes Joaquim ,
Antonio o Joflo, avllalos por 400,003 rs. cada um,
*cqueslrados a Pedro Alexandritih Comes ; 2,000
'arricas vasias em bom estado avahadas oui 800
"cada urr.a ,'aequestradasao dito Pedro lexan-
4'crdeu-ae urna perca de ferro de e
r: quem a adiar pode leva-la na ra Nova
r* do Sr. Adolpho, que sera recompensado
O verdadeiro fabricante do excel-
lennle pflode Provcnca, que estevo
na padaria franceza do Aterro-da-
Ba-Vista, tendo de rctirar-se provincia, ofToreco-se a ensinar a
fabricar o referido pilo com todas
as particularidades; assim como
cnsina a fabricaras fatias chama-
das da rainba: quem se quizer ins-
truir nestas fabricacoes dirija-se
na pra^a da Boa-Vista, defronte
matriz, venda n. 88, por estes seis
dias, pois que nflo so podo mais
demorar.
Dase azeile de carrapalo de vendagem na ra do
Queimado, n. 34, as prelas quo quizerem pdem
appareccr, dando um pequeo conhecimento do
seus Srs.; assim como tambem se vende barris va-
sios do iesmo trafico j servidos e por preco com-
modo.
Francisco Antonio Percira Braga, tendo passa-
do urna ordem da quantia de 1:000,000 de ris, ao
Sr. Ixiopoldo Jos da Costa Araujo, soiiro Jos Anto-
nio Pinto, o. como p mesmo Sr. Araujo me nflo pas-
sou o recibo e nem o Sr. Pinto a coitou, por isso
que tica de nenbum effoilo dita ordem, visto haver
u na leltra passada em 22 do corrente, da mesma
quantia.
Teudo-se extraviado urna ledra
de 200,000 res sacada pelo abaixo assig-
nado, e aceita pelo seu mano o Sr. Lino
Jos de Castro e Araujo a vencer
em abril prximo futuro, pessoa algu-
ociar sb pena "de per-
porque o abaixo assignado posi-
outra suflicionlompntr apprnvailas pelas pessoas que
leem usailo, assim como o anti^opo, bolachas de
lodos os lainanhiii, o entre estas a 30 em libra, so
d'agoa e sal. furadinhas o muit" tniradinhas e lu-
do quanto so fabrica ncsleseslahnlecimenlos. O pro-
prietario desta padaria de novo assevera a seus fre-
quezes quo mida emprega no fabrico do pSn c bo-
lacliinha retalia c ninsiiio em qualquer nutro ar-
tigo que possa projndicar ou alterar a san,I-, e s
-siin a iiu-lbor r.irinh.'i a mais superior maiilcig ,
juntando o zelo, asseio e todo o esmero possivel,
allm do hem servir seus Treguezes, o tirar a sua
subsistencia. Na travessada Madre-de-i:eos n. 13 ,
deposito da mesma padaria tambem so acha a ven-
da o mesmo que na S.-Cruz e na ra do Collegio,
venda do Sobral, etc., smente a bolachinha re-
gala.
MCDANCA.
D. W. Ihtynon, cirurgiflo dentista dos Ksla-
" dos-t'ni.los ivspeilusamente noticia aos seus
"migos e ao respeitavel publico, que tem mudado a
sua residencia da caa n. 40, da ra da Cruz do lle-
i'ifi-, para a do n. 26 da ra da Cadcia do S.-Anto-
nio, torceiro an lar aonde ultimamento resiitia o
retratista americano Fredericks e aonde daqui em
iliantc o annunciantc lera muito gostn de receber os
que precisaren! dos seus servicos professionaes.
A o respeitavel publico.
O pioprietaiio do armazem de vinho
da ra da Madre-de-Dos n. 36, de-
clara que este estabelecimento nao tem
outro armazem filial, como alguem lia
conbecimenln do
a? o prsenle anntincio.
30,000 rs. do gratih'cac.lo
a quem tonxera cscrava crioula, de nome Cathari-
ua com urna filha cabrlnha de :t anuos cujos sig-
naes acbam-se neste Diario nos us. 240 a 25o : a cs-
crava fui seduzida por o pai da cabrinha o qual he
pescador, 011 pombeiro e mora em urna destas
praias, al Po-Amarello.
que o inculca : e para
pu
31 ICO
Compras.
K- o nndnr't
der ,
tivamcnle declara nao ter fe i lo transac-
cao alguma com a predita letira, e mes-
mo no caso dclla apperecer, nao ter vi-
gor qualquer para com o aceitante, vis-
to bavermos assim combinado,
Manoel Porfirio fie Castro Araujo,
Quarla-feira 28 do crrenlo, haverao pelas
C horas da mauhfla a porta da igreja da Madre-dc-
Dcos500 osmolas a 100 rs. cada urna: quem a li-
vor no caso de as roceber apresentc-se a hora indi-
cada.
Precisa-se de um pequeo de 10 a 12 annos,
para caixeiro na padaria da la do Burgos no For-
te-do-Maltos, n 31.
OSr. I. B. I. armador, sirva-sc de pagara
pequea quantia que deve na ra do Burgos 11. 31.
Prociaa-se de um rapaz de 18 annos para cima,
para caixeiro de urna venda, e que dclla tenha pra-
lica : na travessa do Queimado, n. i.
Deposito de rap anclarahy
c imperial.
Na ra da Cruz, n. 63, primeiro andar, osciiplo-
rio de Jos de Almeida Brrelo Bastos, vende-se o
bem acreditado ra| nndaraby e imperial, fabricado
no Rio-de-Janciro, sendo o nico deposito nesta
provincia ; aasim comosempro so achara no mesmo
deposito o nii'lhor cha nacional brasileo, emeai-
xinhas de 5, 80 1G libras, por pre<;o com modo.
-- Aluga-se o segundo andar da casa da ra da
Scnzalla-Nova n. 42 : a tratar no armazem da mes-
ma casa.
Aluga-se o bem conhecido sitio na estrada do
Cordciro, de Nuno Mara deSeixas, s proprio para
algum negociante estrangeiro, ou oulra pessoa que
teuha tralamcnlo: na ra do Amorim, n. 15.
--Alugam-se dous sillos com inuilo boas acommoda-
:6rs um na camplnha da Casa-Forte e oulro na ra
da dita povoacio com cocbelras e cavallariccs ; assim
como varias casas, de preco commodos para se pas-
sar a festa : a tratar na ra do Amorim, n. 15.
Vienes fabricante de panos ,
na ra da Queimado, n. .<2,
tem piauosde novo modelo, fetos de prepsitos pa-
ra este paiz ; sflo riquissimos, do machinismo e
vozes superiores, o queso afianca au comprador:
tambem conceita o auna pianos, por preco com-
modo e vendo cordas camurcas e todos os avia-
mentos necessarios para ditos iustrumontos.
Novo pao Provenca e bala-
chinha regala.
ixo de car-1 Na padaria do urna s porta, n prs^- a S.-Cruz,
va, cochei-1 estara todos osdias venda o excellcnto pflo a Pro-
Jo. I venca, e a bolachinha de regalo, j quer urna, quer
Compram-se escravos que sejam ofllcias de car-
pina, de 18 a 25 annos e de boas figuras ; pagam-se
bem sendo de bous costumes c peritos no seu olli-
eio, pois sflo para urna encommenda do Rio-de-Ja-
neiro: na ra do Amorim, n. 35, a fallar com J. J.
I'asso Jnior.
_ Compra-se urna mirada de casa terrea na Boa-
Vista que tenha bom quintal, nflo sendo no Alerro-
da-Boa-Visla, ou nos seus arrabables : a fallar no
Atorro, luja n. 60, do Sr. Angelo.
-- Compra-se um sellim com poOCO uso ou tam-
bem com arreios agradando : na ra do Cotovel-
lo,ii. 31.
-- Compram-se barris de mol: no largo da Assem-
hla, loja do lanociro, de Antonio do l'spirito-Sai.to
Senna.
~ Com pia-sc um proparo da guarda nacional, pa-
ra oflicinl subalterno: na ruadcS.-Hita, n. 91.
Vendas.
FIILiftiMS PARA IS4I.
FOI.IIINIIA Dfi PORTA, ,1160 rs.
Dita do Al.i;ilil-:il!A, contendo, alm do kalenda.
rio, una colIccciTo desegredos c remedios para u'aa
domestico, a 320 rs.
Dita a quo se reuni o Al.MANAR ndininislralieo,
mercantile industrial da provincia : este almanak es-
t accrcsccnlado com lodos os cstabnlcrimcnlos do
porta aberta, a 320 rs.
Vendcm-se na praca da Independencia, livraria
ns. li e 8 ; no Alerro-da-Ba-Visla, botica do Senhor
Morcira ; o em Olinda, botica do Senhor Itapozo, ra
do Amparo.
Vendein-se dous piannes de pti-
mas sot e boa ronslrucco : no arma-
zem da ra da Cruz
n.
48.
Vende-se urna prela do Angola propria para
andar venciendo na ra ; um pardo bom ollicial do
Ifaiate : na ra do Cabug n. 1 C loja do Dmirle.
Vende-so um preto angico amia moco, sem
achaques he nimio fiel no cumprimento de suas
obrigaces por 360,000 rs. : o motivo por quo so
vendse dir aocompradur, a quom so afianza a
qualidade do mesmo preto : na ra da Cloria, 11. 66.
Vende-so um checheo e una sabia da malta
milito cantadores : na ra do Cotovello, n. 31
Vende-so urna ocrava crioula d 30 annnapou-
romaisou menos, queengnmma.cozinha o f7. to-
do o serv'co dnnma casa : na ra Imperial, n !:.
Vendem-se meias <'e lnho para homem ; UM
do algo.liln ; peneiras da rame ; bixas de llambur-
go; que tambem so alusam | ; pflulas da familia :
na ra .lo llozario, padaria junto a igreja, defronto
da botic do Sr. Paranbos.
V^ndem-sedous pianos fortes, de Jacaranda,
com o macliansmo de muito aprovada e nova inven-
Qflo. chamado repetidor patente do Collard : cha-
ruto de llavana por preco mais commodo do qu
em oulra qualquer parle ; urna machina do I y logra-
phia com pedras, tintas e mais pertenecs; un cm-
plelo so'timento de instrumentos de msica, tan-
to de metal como de madera ; bustos de gesso re-
presentando muilo fielmente a rainha Victoria e o
principe Alberto; relogiosdeouroo de prata, che-
gados ultimamento da Suissa. F.stes relogios que
silo muito bem acabados, se lornam muito recom-
mendaveis a qualquer particular e adverte-so que
ha entre clles alguns que andam oito dias sem preci-
saren! de corda : na ra da Cruz, n. 55.
Vendem-se 18 travs de ramacary c macaran-
duba : na ra do F.ncaiilamcnlo, armazem de louca,
ao p da cacimba.
Vendem-se sapaloes de couro de
lustro, pelo haratissimo preco de 2,56o
e 3,ooo rs.; ditos para senlinras c meni--
as ; sapaloes brancos para bomens e
meninos, por preco commodo : na ra da
Cadeia do Itecife. n. 9.
Vendcm-se dous lindos moloques de 12 annos ,
muito sadios ; urna mulalinlia de 7 anuos, com prin-
cipios de costina : na ra larga do lio/ario n. 3"i.
Vendem-se 6 lindos moleques, de 1 a 18 an-
nos ; 4 prelos de 25 a 30 annos ; 4 pardos de 12 a 20
annos ; urna mulatinha de 7 annos ; 3 negrinhas de
12 annos, lodas com principios de habilidades; 4
pretas com habilidades de lfi a 20 annos: na ra
do Collegio, n. 3, so dir quem vende.
Vendo-se urna cabra com dous ealuilinhos,
urna niarqueza de coaduri em bom uso, ludo por
preco' commodo : na ra da Praia de Cardeireim,
n. 11.
Cambra i.i de seda.
Vende-se cambrai do seda, de lindos pudr*, js a
7,000 rs o corto: na ra do Crespo, loja n. do
Domingos Cumiadles.
Vende-se um sellim em bom uso: na ra No-
va loja n. 67.
Contna-se a vender, na ra da
Cruz, n. Co, caixas com cera de Lisboa,
sortimenlo vontadedo comprador.
Vende-se familia de mandioca muito supe-
rior a 3,000 rs. asacca : na ra da Praia, becco do
Cariuca 110 ultimo armazem.
Vendem-se corles de casimiras finas
a 5,ooo rs.: na ra do Crespo, 11. 9, loja
de DomingosGuimares .
Vendem-se 4 molecotcs muito lindos ; 5 ne-
grinhas sendo algumas de nac.no; 2 pardos de 20
annos ; 8 escravos : todos por prec,o roramoJo : na
ra Diroita n. 3.
Vendcm-se, na loja de Firmianno Jos Rodri-
gues Ferreira, no Passeio-Puhlico, ns. He 11, ricos
cortes de cambrai de seda; ditos de cambrai de
barra ; ditos de cambrai de quadros de cores,
muilo superiores ; ditos de cambrai de diflercnles
cores ; cimbraia branca fina ; chales de 13a e seda ;
ditos de tarlalana de soda, de muito bom goslo;
lencos de seda para mao o para hombros de senho-
ra ; chitas finas de hom gosto ; madapoln cnfesla-
do e muito fino ; casimiras de bom goslo polo ba-
rato preco de 5,000 rs. o corte ; corles de vestidos de
cinta com barra de muito bom gosto; chapeos de
palha do cor propria para o campo e passcio ; c nu-
tras militas fazendas do bom gosto tudo por preco
commodo.
Vaccas paridas.
Vendem-se 2 vaccas paridas, muilo novas o voslu-
m.'ulas ao pasto : na estrada de liolem no sitio jun-
to ao do Sr. Claudio ou na I lia dos Tanoeiros, ar-
mazem n. 5. .
Vcnde-se, no lugar da Baixa- Ver-
de, na Capunga urna casa ele taipa com um ter-
reno e um viveiro no fundo, lugar para banhero ,
com embarque e desembarque por preco commo-
do : na ra das Cnco-Pontas n. 25. -Na mesma ca-
sa vende-se urna espada praleada um talim, bar-
relina c canana tudo para ollicial da guarda nacio-
nal por preco muito barato.
Vendeni-sc corles de seda para
vestidos, tanto branca i-omo de corte
muito linda fazcmla; boas mantas de
seda de furia-cores 'diales dilo : cortes
de barege de seda, de cxcellentes gostos ;
luyas de pellica, brancas e decores, para
scnbora : ditas
bomem : lencos de
garra com ramo de maliz, faxenda nova ; e.
- Vcndem-so roscas muilo superiores, vindasloutras lazeiidns por preco milito coinmo-
ultimanieniedoPorto:naiuaNovan.3. do : na na Nova, n. 3o,'loja de Domingos
Vende-se bolachinha hamburgue-
za, em latas,. chegada recentemenle A
excellenle tjualidade destas bolachinhas
a tomam muilo rccommendavel : no ar-
mazem da ra da Cruz, n. .',S.
CIIA'BItASII.F.IBO.
Vende-se, no armazem de molhados, airas do
Corpo-Sanlo, n. 66, ornis excellenle cha produci-
do emS.-Paulo quo tem viudo a este mercado ,
por preco muito commodo..
PUltO VINHO DA FICfilR.
F.xiste no armazem do molhados atrs do Cor-
po-Santo n. 66 urna grande porcSo deste genui-
no vinho quo so est veodendo pelo diminuto p-c-
co do 1,120 rs a caada o a 160 rs. a garrafa ; tam-
bem ha em pipas que se vender maisem conla : lie
esto o melhor de todos os vinlios que se teem au-
nunciado pela sua simplicidado e ptimo paladar :
quem urna vez o beber jamis deixar de o comprar.
Vende-se um moleque do bonita figura com
principios de sapateirn : na ruada Cadeia do Itecife,
n. 59.
Vendem-se vclbutina preta; meias de linho pa-
re erto berdadas; e lisas p:r" padre: hm co-
mo outras muilas fazcdas por preijo commodo: no
Aterro-da-Boa-Vista, n. 60, loja de 4 portas.
CM
A iitonio de uliveira.
Cha brasileiro, hysson. m
Sempre se oncontrar muilo bom cha na
(Pf, nova loja de livros do paleo do Collegio.
2, n. 6, de Joio da Costa Honrado : vendo-se ,/
r(ij) do meia quarta para cima, por preco com-
*x, modo.
I
ffi-
9
rw W
Vende-se urna ucgrinha de 8 auno, propria
para se educar ou dar-se de mimo a urna menina,
por ser muilo linda e esperta; um moleque de 13
annos, muilo robusto; um preto de 22 annos, hom
cozlnhciro ; urna mulatinha de 11 annos, que cose
soilnvo!; urna preta de nacSo Coala de 20 annos,
de linda figura que eiigointna coro perfeicio cose
ccozinha; urna dita boa quilandeira, e que he de
boa conducta, o quo se afianca ; urna dita de 18 li-
nos que engomla por 300,000 rs. por ter um
defeito em um olho ; una dita ele 15 annos, muito
linda, que cozints < vendo na na; um preto bom
trabalhador de cnxada : na ra INova, n. 21, segun-
do andar.


LADO
rM


&
\cntleni-su 3 limlos molequos, de nacto) ; urna
preta, de 18 anuos, de habilidades, com urna cria do
Ginezps; I preto de meia idade, por 150,000 rs. ,
por sen dono so retirar para lora i no pateo da ma-
triz do Santo-Antonio, sobrado n. 4. se dir quem
vendo.
Vendo-se familia e milliocm saccas, por pre-
so commodo : na ra larga do Rozarlo, D. 27.
Ha ra da Cruz no liedle armazem n. 26 ,
vendem-se saccas com superior farinha de mandio-
ca, vmdadoCeara por pre^o mais barato do que
cm outra qualquei parte.
Agencia da futid cao
TiOW-Moor, rua da Senzalla-
nova, n. 42.
Ncste estabelecimento contina a ha-
ver mu completo sortimento de moendas
e meias moendas, para engenho; ma-
chinas de vapor,c tachas de ferro balido e
coado, de todos os tamanhos, para dito.
Farinha
Vende-se milito boa farinha em saccas,
o por barato preco: no ultimo armazem do
caes da Al(andcga,de Francisco Dias Fer-
ie ira.
Vcnde-se ago'ardenle de franca, vordadeira ,
em harria pequeos: na rua da Cruz, n. 38.
CHA'HYSSON,
de ptima qualidade a 2/210 rs. a libia : ta rua da
l.riu no Rrcifc aruiazciii n. 13.
Sa loja de quatio portas da rua do
Ciaboga, n. i C, do Dnarte, vendem-se
bcngallas de canna da India, de castes de
piala e de madre-perola, c de ganchos,
por preros commodos.
. FARELO,
a i,.',00 rs. a barrica : no armazem n. 20, de Joaquim
da Silva l.opcs, confronte a guarda da alfandega.
Toncas do Hio-de-Ianeiio.
Na^rua\(]o Cabng, loja de quatro por-
pelo
de
3,500
iillimo
toncas
rs.; e
vapores,
tas, do Dnarte, recebeu-se
vapor do Mil um sortimento
de lija, para senhoias, a
continuar a ter por todos os
conforme ana RxIraccSo,
Figos de Comadre,
cm soiras o barris do urna arroba : defronte da por-
ta da alfandega armazem h. 20.
A inda resta a vender na loja de
quatro portas da rua do Cabng, do
Dnarte, urna pequea poicao de chapeos
de pal ha da Italia, para homem e se-
nhora, a G,ooo, i,ao,e 5,ooo rs. A'
elles, antes que se acabem.
Veudem-ae barris pequeos com cal virgem de I.is-
ljOa, a ni.ii. nova que ha no mercado por preco coni-
moilo : na rua da Mocda armazem n. 17.
Vendc-sc, para pagamento dos rredores a
ven.! la esquina defronto da groja dos Martirios
com os fundos de 300,00(1 a 400,000 rs. : quemM pre-
tender dmja-se a rUn da Madre-dc-l)eos a tratar
com VicenteFerreira da Costa o qual proinetle fa-
zer negocio e vender barato para realisar.
Saccas com milho ,
a 5,200 rs.:
vendem-ss no armazem do Racelar, no caes da Al-
landcga.
No armazem de Dias Ferreira, no
caes da Alfandega, vende-se, por preco
muito commodo, polassa milito superior,
em pequeos barris de zoo libras cada
um, desembarcados ltimamente.
Polassa.
^ Desembarcou ha poneos dias urna por-
cao de barris pequeos, com muito nov.i
c superior polassa, c se acham venda,
por preco mais barato do que ltima-
mente se venda, na rua da Cadeia-Vclha,
armazem de Caltar& Uliveira, n. ia.
Algodao trancado da fabrica
de Todosos-Santos da
Italiia ,
muito proprio para saceos de assucar e roupa de es-
cravos : vende-se cm casa de N. O. Bicber & Com-
partida na rua da Cruz, n. 1.
e Parahiba: no escrip torio de O-
liveira lrmos & C, ra da Cruz,
n. 9.
Vende-se cal virgem de Lisboa, era barris de 4
arrobas chegada pelo ultimo navio, por preco comuio-
do : a tratar cora Almeida ti Fonseca.narua do Apollo
Luvasde pellica.
Na loja da rua do Cabng, do Dnarte,
ha luvasde pellica, bordadas a seda de
cores, e enfeitadas de setm e Crocos, e
de cores exquisitas, as mais novas que ha,
por terem vindos no ultimo navio de
Franca.
Vendem-se 5 lindos moloques, de 12 a 18 an-
nos; 6 pretos, de 20 a 25 annos, bons para todo o
servico, sendo um bom carreiro ; um pardinho, de
14 anuos, bom para pagem ou para aprender oflicio ;
urna linda multinha, de 15 annos, com algumas ha-
bilidades; urna negrinha de 13 anuos; urna prcta quo
oiigomma beni, coze e cozinlia ; duas ditas para to-
do servico : na rua doVigario, ri. 2i, se dir quem
vende.
Vendem-se os fileiros e balcAo que
foram da armacao velba da loja do Dnarte,
proprios paraqualquer estabelecimenlo,
por preco muito commodo : a tratar na
mesina.
Na rua do Crespo loja de 4 poitas, n. 12, ven-
ilem-se chapos de castor pretos, do muito boa qua-
lidade a 4,400 rs.
Fitas barata.*.
Na loja da rua do Cabng, do Duarte,
ha (tas prctas, lavradas, a 120, 240 e 3o
rs. a vara.
Vcntlem-se saceos com farelo,
chegados ltimamente, pelo diminuto
preco de 3,4oo rs.: na rua da Sanzalla-
Nova, n. 3o, loja de Domingos Antonio
le Oliveira.
Vcndom-se, no armazem de Dias Ferreira, cai-
xas de macarro e talharim a 3,000 rs. e desleira a
5,000 rs.
Vende-se alcatrao da Suecia, de
boa qualidade, em barris bem acondicio-
nados com arcos de ferro: na rua do Vi-
gario, n. 4.
Vendem-se saccas com farinha de
mandioca, de boa qualidade; na rua da
Cadeia de Santo-Antonio, n. 25.
Panno fino azul.
Na rua Nova, loja de alfalale, n. 14, vende-se
panno azul lirio, a 3,500 e 4,000 rs. o covado, e dito
muito fino, a 7,000 rs. o covado.
Allcncao.
Na rua Nova, loja de alfaiato, n. 14 acha-se um
riquissimo sortimento de obras feitas ; bem como
um esplendido soitimento de fazendas do mclhor
gosto como sejam: panno fino preto, a 4,000 e
5,500 rs e muito fino a 6,000 o 7,000 rs. o covado;
riquissimos cortes do casimira elstica, do melhor
gosto que lem apparecldo no mercado, a 8,000 rs. o
corto; cortes de col leles de gorgorito, a 3,000 rs. ;
setim maco de superior quaiidade a 3,000 e 4,000
rs.; merino preto fino a 2,000 e 2,500 rs.; dito
muito fino, a 4,500 o covado ; assim cuno' outras
muilas fazendas por preco commodo.
Vclhafn. i38.
Vendo-se, no armazem de Vicente Ferreira da
Costa, na rua da Madre-Deos, someas em saccas
grandes ,chegadas ltimamente de Trieste; vinho
da Figueira ,em b;r>, ornis superior que lem
vindo a este mercado, do muito conhecido autor Fa-
llido; vinho abafado, em ancorelas de 4 c meia a 5
caadas.
Na rua do Cabug, loja de quatro por-
ifis^o Uuarte, venCui-c capuchos a
5oo rs*$ redondos ecompridos, para aca-
bar.
Vende-se a verdadeira potassa da
Russia, desembarcada hontem, por pre-
co muito rasoavel, vista de sua muito
superior qualidade : na ruado Trapiche,
n. 17, e rua da Cadeia, n. $4.
Flores artificiaos.
Na loja da rua do Cabug, do Duarte,
acaba-se de receber um completo sorti-
mento de flores finas, ramos, capellas de
flor de laranja, pennas para enfeiles de
chapos de senhora e cabeca, guarnicoes
de vestidos de casamentes d-seo amos-
tras com o competente penbor.
.Vende-se ca.' virgem de Lisboa,
chegada no ultima navio, em barris pe-
queos, por menos do que cm outra qual-
quer parte: na rua do Trapiche, arma-
zem n. I7.
*** Vcndeni-sc 2/^*" '" g
fineta companhia de P ernambuco
Pichincha.
No Alleno-da-Boa-Vista, n. 78, vendem-sosapatos
de cordoAflo de lustro para senhora a 1,000 rs ;
ditos de marroquim, a 800 rs ; botins de duraque
para senhora a 2,000 rs. ; sapalos de bezerro de
aula ovira, para homem, 2,240 e 2,660 rs.; botins,
a fi.OT) rs.; bonotes de riscado a 320 rs.
Vinho bom e barato.
Na esquina da rua do Vigario, n. 33, vende-se su-
perior vinho de Lisboa e da Figueira a 150 rs. a
garrafa, e em caada a 1,100 rs.
Vende-se muito superior lagedo de Lisboa, e
cal virgem em barris de 4 arrobas, por mdico preco:
na rua do Vigario, n. 19.
Vinho barato.
Acha-se estabelecido na rua da Madre-de-I)eos
n. 36, um armazem do
Vinhos da Figueira,
do 01 tima qualidade, a preco de 1,120 rs. a caada,
ea 160 rs-a garrafa; e para nuo haver dolo do com-
prador serflo lacradas as garrafas e com rotulo, re-
cebendo-so a garrafa vasia, e dando-se inmediata-
mente a outra cheia : lanibcm ha barris muito pe-
queos proprios para quem passa a resta. O pro-
pietario deste estabelecimenlo pede encarecida-
mente que so nio illudam avahando, pelo diminuto
preco e sem conhecimento de causa a qualidade de
sua fazenda digna por certo da estima dos verda-
deros amantes da boa pinga. Elle cotila que quem
urna vez provar, continuar comgoslo e sem arre-
pendimento. F. o bom preco I!.' A todo o exposto
accrcsceoasscio e boro acondicionamcnto o que
ludo se poder verificar em dilo estabelecimenlo.
- No armazem junto ao arco da Conceiclo que
ro do lutado Itraguez vendem-se barricas de supe-
rior farelo de Lisboa a 4,000 rs. cada urna
do Maranhfio, muito barato.
arroz
Quadros de santos com molduras
da moda.
Na loja da na do Cabug, do Duarte,
acaba de se receber um novo sortimento de
quadros com moldura dourada em metal,
em ponto grande e pequeo, de 32o al
2,000 rs., dando-se as amostras aos Sis.
compradores, com o sen competente pe-
nbor.
-- Na padaria da rua da Guia, no Recife, llavera
Iodos os dias a venda o novo pilo de l'rovenca fa-
bricado poroutro modo que o actual e da melhor
farinha que ha no mercado : por este motivo nao se
pode faZer senOo a 40, 80 e 160 rs.
Luvas de pellica.
DE G PORTAS Nct
O dono desleestabeleciment tendo j sal-
dado contas com alguns de seus rredores,
desoja saldar o resto antes do lindar o anoo, |
c para esse fim tem resolvdo vender todas as
fazendas por diminutos procos, a saber: pe-
5as de madapolflo fino com pequeo toque
e avaria a 3.200 e 3,500 rs.; lito limpo,
a 3,000, 3,500 e 3,800, e do omito largo e
lino a 4,000 rs.; pocas de chitas escuras de
bonitos padrOes a 5,500 5,800 6/ c 6,500 rs.,
finas entrando algumas de coberta a 7,000
rs e o covado a 150,160,170, 180 e 190 rs.
corles do cassas de bonitos goslos e tintas
lisas a 2,200, 2,400, 2,600 2,800 e 3,000 rs .
priuceza de duas larguras, a 640 e 800 rs.;
merm a 1,800 rs., e muito fino, a 2,500
rs. ; pannos finos, a 3,500, o 4,000; pannos
de bonitos goslns para mezas do meio de sa-
la, a 3,000 3,500 e 4,000 rs.; brim de linho
com lislras de cores que valcm 1,600 rs. por
1,000 rs.; dito escuro, a 480 e 560 rs. ; dito
de algod.to a 320 rs. ; los de linho fino a
6,400 e 7,000 rs.; algodilo da trra, a 190
rs. ; 1 sendos trancados de lislras a 160,
170, 180 e 190 rs ; algodo trancado azul,
americano, muito encorpado, a 210 rs.; cha-
les de chita a 800 rs., e de ouras qualidades,
a 1,000, 1,500 c 2,000 rs.; urna grande por-
cu> de bonetes do palhinha fina de velludo
de cores e de outras militas qualidades, para
homem c meninos, a 160, 240, 400, b*oe 1/
rs.; eoutras muilas fazendas, que, poroc-
cuparem muito lugar, deixam do serem an-
nunciadas, asquaesse vendcro sem limi-
tes lio smente afim de fechar contas.
-Vende-se um sellim inglez, com todos os prepa-
rse com pouco uso: na rua das Ciuco-Pontas
n. 69.
Na loja da rua do Crespo ao p do
arco de S -Antonio, n. 5 A, vende-se
casimira encarnada propria para golas c
canhSes'de farda a 1,400 rcis o covado.
Vendem-se dous cscravos pecas, de bonitas
figuras ,do 18 annos ; urna preta de 18 annos, de
bonila figura : na rua da Madrc-de-l)eos, loja 11. 34.
Vpnde-se urna enma de arnmclo, com lona, qua-
si nova : no Aterro-da-Boa-VIsla, n. 48.
--Vendem-se escovas e almofacas para limpar ca-
vados o mais superior que lem appaiecido ; bem
como molas para esporas, feilas em Lisboa e lti-
mamente rhegadas : na rua do Queimado, n. 4.
Na loja 11. 5 A, da ruado Cres-
po, de Ricardo Jos de
Freilas,
vendem-se rolles de chita com 10 cova-
dos, a i,toors. : montas de tarlatana, pa-
ra senhora, a 1,000 rs. pecas de brela-
nha de rolo, com 10 vaias, a 2,000 rs ;
e outras muilas fazendas por preeos com-
modos.
Vende-se urna preta crioula do 17 annos, mui-
lo sadia que cozinha, engomma liso o he propria
para engenlio por saber fazer pilo : as Cinco-l'on-
las, n. 32.
Vende-se, por nilo se poder conduzir para o niat-
to um pianno de excellontes vozes e em muito
bom uso, por melado de seu valor : na rua do uei-
mado, n. 17, segundo andar.
que tecm apparecido nesla praca, pe|0
diminuto preco de 5ooo rs; ditos de astea
de balcia a 3,5oo e 4,000 rs., tambem di
seda, preco por que eslfio boje os de
panninho.
Vende-se urna cusa de um andar
sita na rua do Hospicio no bairro da Boa-
Vista, nimio fresca c com linda vista
e que est liyre de hipotheca : a tratar
no Atterro-da-Boa-Vista, loja da esqui-
na do becco, n. 4-
AVISO AS SENIORAS DOCEirtAS.
He chegado no Atterro-da-Boa-Visla, loja n ix
ternos com 6 bocelas para doce, a 1,200 o torno.
-- Vende-se algodfto da trra de superior aualiili
de: na rua do Queimado, n. 20. :
FARELO
em saccas muito grandes,
a 3sjoo rs. a sacca:
no armazem do Braguez ao p do arco da Conceca0
~ Vende-se una preta com urna cria com dous
annos, por prego commodo por necessidade: no
patoo do Paraizo, n. 24.
Vendem-se chapeos francezes da
ultima moda de Paris ; bonets de pa]|ia
tanto de homem, como para menino de
superior qualidade e goslo o mais moder-
no j chapeos de molh pretos e brancos
ditos de massa sem pello, de varias for-
mas e cores, para homem e meninos
ditos de palha da Dalia, superiores: di-
tos do Cbilli muito alvos assim como
todos os preparos para chapeos, ludo
chegado reeentemente, e por preco q.
mais commodo possivcl : na rua Nova
n. 44, fabrica de chapeos de Christianni
&C Innao.
Na ruada Moda, n. 7, conlina-sea vender su-
perior colla fabricada no Rio-Crande-do-Sul.
Farelo,
em barricas a 4,000 rs. ; saccas grandes, a 3,500
rs., ditas pequeas, a 2,800 rs : no armazem deJ.
J. Tasso Jnior, na rua do Amorim, n. 3.
~ Contina-se a vender manleiga intrleza nova .a
500,600 e 800 rs.; cha hysson, a 2,000 rs.; caf
modo, a 60 rs.; dito em grflo, a 120 rs ; holachi-
nha ingleza, a 200 rs. ; doce a 200 rs ; passas a
320rs. ; alelria, a 200 rs.; loucinho de Santos, a
200 rs. ; espermacele a 880 rs a libra ; carnauba do
6, 7 e 9 em libra ; caix6es de doce de goiaba de fi
em arroba a 800 rs. ; queijos no vos a 1,600 rs.: no
pateo do Carmo, loja do sobrado de Gabriel Antonio,
n. 17.
Chapeos de palha para
senhora.
Vendem-se chapeos de palha, arren-
dados, muito superior faienda, para se-
nhoras, mais batatos que cm oulra qual-
qief parte; na rua Nova, n. 3o, lija de
Domingos Antonio de uliveira.
Vende-se, ou aluga-se a padaria das Cinco-Pon-
tas n 154, con lodos os seus pertcnces : a tralar
ua rua Direita n- 24.
Escravos Fgidos
--\ende-se um pardo de 20 annos, ofllcial de al-
faiale ebolioiro, muitosadio o robusto: na rua Di-
reita, n. 36, primeiro andar.
Chapos do Chili.
Vndem-se na praca da Independencia n. 37, mul-
los superiores chapeos do Chili, chegados no ultimo
vapor.
Na loja da rua do Crespo, ao
da arco de Santo Antonio, n. 5 A
pe-
de
Fugio.no dia 18 de outubro do engenho S.-
Joilo, no Cabo, Marcolino, pardo Inguciro, de 19 an-
nos, estatua regular, cara redonda, olhos pepuenos,
denles limados ; levou duas calcas urna de brim
pardo c oulra de riscado azul; quem o pegar leve-o
ao referido engenho ou a casa de Lulz Comes Fer-y
reir no Mondrgo, que ser generosamente recom-
pensado.
Fugio, de bordo do brigue Seriarte, na mandila
dodia 5de julho prximo passado, un escravo ma-
rinheiro, de nomo Francisco do uncilo Jalifa; rc-
resenta ter 30 a 35 anuos ; lem um signal na fuce s-
querda, falla muito descalcada ; levou calcas era-
misa de algodo azul, chapeo de palha piulado de
branco o balde de Irazer ra(0es e 7,000 rs. em ce-
dulas; falla hespanhol: {quem o pegar leve-noa
rua da Moda n. 7, quo sera bem recompensado.
-- Fugio, no dia 23 do correte mez o pardo An-
tonio olliciul de sapalciro de cor trigueira esta-
tura ordinaria ; foi ltimamente escravo do Sr. Iler-
culano Jos de Freilas; anda pelos A fugados, onde
dorme : queai o pegar leve a rua Direila em casa
de Joaquim bernardo de Figueircdo que gencrosu-
monle recompensar.
--Paga-se bem a quem pegar um molcquo qu
fugio, no dia 20 do corrente, de casa de seu senhor,
na rua dosQuarteis, junto da botica do Sr. Jos Ma-
ra ; levou caifas prelas do metim e camisa do mes-
mo panno; tem 2 Jou 3 cicatrizes as costas j anti-
gs chama-so Marcianno.
Fugio, no dia 26 do corrente, domingo pela
tarde, um escravo pardo, muito claro, do nomo
Gregorio baixo, de bonila ligura desdentado do
qoeixo do cima ; levou calcas azues, camisa bran-
ca um trouxinlia do roupa as costas ; foi encontra-
do no mestnodia a larde em Olinda procurando a
estrada dq serlio de onde he natural; foi compra-
do no Cear por Manool Jos Salgado ; lia de ser
cusloso a coulieccr-se porque alm de ir em tMgcs
do matulo, parece mesino malulo, levando cha-
peo do palha novo, rtbga-se as autoridades policiacs
e capitffes de campo qua o apprehendam e levem-
noa rua da Cruz, no Itecire*, armazem n. 26, quo.
serSo gratificados.
Fugi, no dia 24 do corrente urna preta criou-
la de nome Delfna de 25 a 30 annos baixa e gor-.
ven-
Vendem-se luvas de pellica, enfeita-llticardo Jos" de Freitas Ribeiro.
tadas, para senhoras^ pelo diminutoldem-se chapeos de sol de seda, astea de
preco de a,5oors. o par. A' ellas, naruajferro, os mais superiores e modernos
da nariz chato : quem a pegar leve-a ao Aterrd-da-
Boa-Vista, n 29, quo ser gratilcado.
'ebm.: na tip. di u.
V. PE FAHIA. l84
MUTIt


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E93WU0CQP_QK5S1I INGEST_TIME 2013-04-12T21:48:41Z PACKAGE AA00011611_06186
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES