Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06185


This item is only available as the following downloads:


Full Text
jinno XXIV
Terja-feira 38
ni i RIO publlca-ae todo o dlai que nSo
i de iruarda: o preco da asignatura he
i'MUu r. por quuU\.pt**4**to: Os
" UpIo doa aasbjuantes nao inserido, a
inl'- "dt OM. pot lli.ua, 40 rs. cin typo dif-
""ffi, tur ;>etlcoe pela meladc. 0> nio
'"Tni'neet parS 80 rs. por lint... e 160 rs
m'V0",erenle' DOr C*dj l"bllt-
[FIIASES DA.WA HO MEZ OENOVF.MUno.
PARTIDA D08 CORREI08.
Goianna e Parablba, i segs. e scxtat-feirai.
nio-G.-do-Nortr.qiilntat-relrii ao ineio-dia.
Cabo, Si-rinhacn, Uio-Formoio, Corto-Caito
e Macelo, do I.*, a II e SI de cada mex.
Carauliun* e llonllri, a 8 e 33.
Boa-Vista e Florea, a 13 e '28.
Victoria, > quintas-fetras.
Ollnda, todoa odla
PREAMAR DE HOJK.
Priinelra, < 6 horai e 54 minutos da manh.
Segunda, i 7 liorat e 18 minuto* da tarde.
le Novembro de IfHf*.
N. 867.
das da semana.
27 Segunda. S, Malparida de Sbela. Aud.
doJ. doaorph.do i. clv. e do M. da 2. v.
a8 Terca. S. Ovalarla. Aud. do J. do c da
1. v. e do J. de | i do 2. din i|r I.
2 (luana S. Saturnino. Aud. dn J. do c. da
2. v. c do J. dr pa/. do i disl. de t.
.10 Quinta. >> S. Andr.
Sexta. S. F.loy. Aud. do J. do civ. e do J.
il.' pan do I < 1 r de t.
2 Sabbado. S. Bibiana. Feriado cm todas
a reparticoes._
.'I Domingo. S. Francisco Xavier.
CAMBIOS NO DA 27 DE NOVEMBRO.
Sobre Londres a l'i d. por 1,000 n. a 0. din.
Pars
Lisboa 120 por otnlo de pi*.mo.
n.i;-'U'-1 incira *> I ar.
Desc de lett de boas liriuis a 1 % ao niei
Accoesda como, 0> Rtberlbe, a.Vt/rs lop.
Ouro. -O.IC15 hespanliol.is :h)#H(Xl a I#DW
Mudasd.uyiOO v. IT/UOU a T#*W
. detono n. 16/200 a IWI
. de1>HX)... 9/200 a MU)
Pmlo-Patacdes brasileiro l/MO a 1/90
. Peso columuarios. 1/940 a 1/Wi
Ditos mexicano..... 1/900 a 1/92"
DIARIO DE
___PARTE OFFtCIAI.
GOVERNO DA PROVINCIA.
emerjun aos criEres da guarda nacional.
Tcndosdn o brigadeiro Jos Joaquim Coelho Ho-
rneado commandanle f m chefe das forcas em opera-
rles nesl provincia, destinarlas a combater a revol-
qese ae-reaentaem vario* lugares, e ha vendo por
sin cessado, como dispoe o artigo 14 do regulamen-
todeH de malo de 18*3, o ejercicio de commandan-
le ilas armas interino m que se achava o coronel
Francisco Jos Darrlasceno Rotado, assim ocommu-
nico Vm., para seu oonhecimertto e governo.de-
clarando-lhe outro sim, quedever corrosponder-se
directamente coni o referido brigadero, c rumprir
suasordens, tanto a respeito do emprego daquella
parle da guarda nacional quo j seaclia destacada
em virltido de delorminacBo da presidencia, como
Me quaiquer nutra que haja de pegar em armas e de
'entrar em rffectivo servigo .por assim o exigirem
ascircumstanciss, enviando-Iho os respectivos map-
pns, para que elle possa com perfotoconhecimcnto
de causa delerminar as operagotfs. que mus convie-
rem ao restabelecimento da ordem publica.
Dos guarde a Vm. Palacio do governo de Pernim-
liuco, 26 do novembro de 18*8.
IUrculano Ferreira. Pbnnx.
EXPEDIENTE DO DA 25 DE NOVEMBRO.
Ofllcio. Ao commandanle das frcas navaes, ap-
provando a deliberacao queS. S. tomou do distri-
bruir por cada um Js cir.coenta e seto presos que
ram recolliidos a Iragala ComliluffuB, duas calcas,
duas carnizas e um bonete, cuja dospeza ser paga
pelo ministerio da justica.
Dito. Ao presidenlo da provincia do Rlo-Cran-
de-do-Sul, remetiendo urna copia do ofllcio do co-
ronel commissario-pagador, do qual consta o moti-
vo porque foi smente desle mez em dianta que po-
de ler lugar a susnensilo da prwUgflo que aqu dei-
xra o capililo do leYceiro batarhao de fuzloiros,
Antonio Eduardo da CosU.
Dilo. Ao delegado do termo de Goianna, decla-
rando, alim deque faga constar ao arrematante do
fornecimento do sustento e vestuario aos presos po-
bres .la cadoia daquella cidadey quo por despacho
proferido cm sesillo dotiibunal administrativo da
f.izend.1 provincial, foi approvado o contrato porque
elle se obrgra a fazer tal fornecimento, suppnim-
da a respectiva quarls condigno.
Kilo. Ao inspector da thosouraria da fazenda,
Iransmitlindo o aviso do urna lettra daquantia de
S34,OOOrs. sacada pela tliesouraria da provincia do
Rio-Crande-do-Norte sobre essa a cargo do S. S. e a
favordeJooquim Ignacio Pcreira. Scientilicou-so
ao presidente da referida provincia.
Dilo. Ao director do arsenal de guerra, orde-
nando mande aproinptar e entregar ao inspector do
arsenal do marinha desla provincia, mediante a de-
vida ndemuisac.no, cinco mil carluxos embalados
o adarme 13 para fornecimeiilo da corvla huterpt
e biigues-scunas Pira/, Con6po e Legalidad.
Parlicipou-se ao inspector do mencionado arsenal.
Dilo. A" mesmo, remoliendo um pedido do ar-
senal do marinha para o concert do oito espingar-
das c duas pistolas pertencentes acrvela Kulirpe,
ilimdoque S. me. mande satisfazer dko pedido,
cuja despeza sera jiuga por aquella repartiflo.
Coinmuiiicou-se ao inspector do arsenal de marinha.
Dito. Ao inspector da thesouraria da fanenda,
Iransmitlindo o aviso de urna luttra da quanlia de
"50,000 rs. sacada pela ihesouraria da provincia do
fiio-Grande-do-Norte sobro essa, e a favor de Tlieo-
lonio Coolho Corqueira. Inteirou-so opresidonte
da mencionada provincia.
Dilo.-AocommaudanU superior interino da guar-
da nacional do municipio do Cabo, dizendo licor ger-
ente de tercm-se retirado em completa debandada
os revoltosos que alacaram o piqueto postado na
Ponie-de-Carvalbos. deixando no campo um solda-
do Meado; e declarando que honlem marchou dcs-
' capital unta frca de cincoenta pracas de linha,
que j Uevera ter-se-Ihe apresenlado, cumprlndo
porlanto, que S. 8. faga despersar os revoltosos quo
se achaiem reunidos e armados, mandando recolher
a mesnia frga esU capital, logo que esteja con-
cluida esta diligencia. -
Dilo.Ao subdelegado jo 3.distnclo de Grvala,
declarando ficar inleirado do quo S. me. participa
relativamente a^acilicago da revoltaquc ameagava
esocegodos habitante d'aquelle districlo e mullo
estima que elle continuo a gozar deiranquillidade,
lor haverem aquelles que prelendiam perturba-la
cedido aos meios do brandura e pcrsuasSo que S.
."ic. empregou, e que cortamente 180 sempre pree-
r|veis ao uso d frca.
QuiDhoe.ro das glorias que adquiri o exercito | quem se intrigara na ullirm. lula eleiloial, e que ha-
lirasileir em diversas lulas favor da independen- vjain tij0 i)aS(ante disposigHo para resistir as mil
ciaodasinstituigOes fundamentaos da monarchia,
cu n1o desejaria desembainhar novamente a espada 1
senflo para combaler inimigos externos; ligado a
_ \ m m _..-f--_.--~J... mi ffiimnrifl
ODIllll/ jiain iwiiii;uii.i ai......D----- --------------* w
Pernambuco pelos lagor mais sagrados, eu gemena
do dr se visse anda derramado sobre oslo da pa-
tria o precioso sangue deseusilhos: mas, sopai-
xes reprovadas o egosticas, abusando da crcduli-
dade de uns, o lisongeando a ambieflo de outros,
conlinuarem a atlentar contra o governo legitimo do
paiz, o dever de defendo-lo ser por mlm desempe-
uhado com a dedicagfio proprja do soldado liel ao
seu juramento.
PornainlHicanos Iludido! ouvi a voz de quem vos
falla como vosso verdadoiro amigo; dcpon.lo asar-
mas fratricidas que empunhais; poupai A nossa pa-
tria os horrores e desgracas da guerra cir.i; n.o deis
ouvido* aos que vo seduzem par iins sinislros,
apresentai-vos s autoridades legitimmente cons-
lluidas, o confiai na clemencia do monarcha e na
justiga do governo, quesaberproteger os dircitos
de todos.
VivaS. M. o Imperador, oSr. D. Pedro II!
Viva a constituig'ao poltica do imperio !
Vivam os briosos'defensores da cgalidade
c da ordem !
Viva o Esrn. presidente da provincia'.
Quartel-genoral na cidade doRecfe, 27 do novem-
bro de 18*8.
Joi Joaquim Coelho,
Ccncral commandanle em chefe.
imposigOes e leva-lo de vencida. S. Ex. nao so man-
doupr em liberdade as quatro victimas do genio
reaccionario do subdelegado, senio tambem, para
dar um teslemunho solemno e que deseja acabar
com as risas locaes, dirigi a respeito um olico ao
chefe de polica da provrncia, nanando-lho circums-
tncladamento o acontecido, estigmalisan'do em ter-
mosfortes o enrgicos o espirito do partido, o de-
clarando-lho haver resol viiio :
1." Que fosse demttido o subdelegado Germano
pela violencia com mett'nl, ficando, alm disso, sub-
jeito quaiquer proceaso de responsabilidade em
que livesse incorrido.
2." Que fosse demilldo de professor interino da
cadeira da villa do Cintra o padre Jos Paulo que,
por sua conducta provocadora constava ter excitado
os animse tentado promover disturbios.
3." Que dsse as instrucg&es convenientes s auto-
ridades policaes de Cintra para serem dovidamente
reprimidos pelos meios legaes os desordeiros e tur-
bulentos daquelle dislrcto.
*.* Que chamasse sua preseiifa os quatro preso
a que nos temos rcrerido,inquirisse-os, e, se julgasso
a proposito osfizess e assignar termo de hem viver,
procedendo a quaes qoe oulras averiguagoes que
julgassenecessarias.
0 presidente que assim procede nos merece mul-
to; e pois nlo podemos deixar de prevalecermo-nos
da opportunidade para demonstrar com fados quan-
ObldQt.i eltitoies.
Dr. S0U7.1 Franco
Dr. Angelo
14
1
RESULTADO DOS 1* C0I.I.KGI0S.-25* II.IITORI.S. ;
Dr. Souza Franco
Dr. I'acs
Dr. Nahiirn
Conego Gasgnr
Jos Pinto
Dr. Angelo
Presidente Coelho
21'*
i
i>
1
1
1
1
Repartido da polica.
EXTRACTO DIARIO DOS DAS 26 E 27 DO CORRENTE.
FOram presos : ordem do Sr. desembargado!-
chefe de polica, o paisano Antonio Jos da Cruz,
para recruta, e os imperiaes.marinlieiroiI|joJ>o l0 pen9ou bem o nosso correspondente na cOrle, na
Joauum Mannho e Manuel de Moraes o Silva ;--do Pel,suu v J
, ,_____1.. ,i c _inn>i .1 iiii.in in> rsi'rnvo ..kci.tn sm nnp. ao Diferir na sua caria de 27 uc
subdelegado de S.-Antonio, o preto Jos, escravo
de Joflo Alves Machado, pwsuspeito, o o Porluguez
Antonio Joaquim Ferreira de Souza, para avongua-
coes -do subdelegado do Recife, o pardo Manoel
Francisco Correa, por ler furtado um relogio a bor-
do do brigue ero ;e do subdelegado de S.-Jose, o
preloManoel Joaquim da Silva Carioca, do qual nao
consta o molvo da pris8o, assim como dos segundos
e torce i ro.
O 1. Amanuense,
Aprigiv Jos la Silva
UIAItlO UE PBRMAUBUCO.
dominando era chefe rnQes nesta piovlncia.
PROCLAMA CAO.
Momeado commandanle em chefe das frgas da
rilVinnia ..up. .I:.i: ... i.i.n..nSnn milltnraa nttm
nXCITt, VI SX MOVEMBaO DX 1848.
0 vapor San-Sehastiao, chegado hoje dos porlosdo
norte, trouxcrnos jornaes do Para at 8, do Mara-
nhaoat 15, do Cear e Parahiba at 20 docorrente.
Para como que dava signaes de nova vida sb a sa-
bia administragao do Exm. Sr. Jeronymo Francisco
Coelho.
S. Ex. nflo perde de vista nenhum dos pontos por
onde possa encaminhar a sua obra meritoria ; que-
remos dzer, nao desperdiga nenhum dos meios que
se Ihe lguram como os mais asados para habilila-
rem-no a elevar tilo importante provincia ao grod*
prosperidade que ella devedeattingir.
Conscio do que dentro tae meio o primeiro e o
mais poderoso he a civilisagao dos habitadores da-
quelle solo t3o favorecido polo Casino, S. Ex. ha
estabelecido misses em Porto-Alegre; Andira e
districlo de Villa-Nova-da-Rainha; no ros Ig o
Japur, e final ment om Santa-Cruz, Gorl e llaituba
do rio Tapajs.
As tres primeira dessas missfios j tinham recebi-
do brindes, ferramentas e roupas na importancia de
l:500000 ris ; e todas ellas promettiam resultados
tanto mais pro speros quanto estavam encarregadas
a clrigos virtuosos e dedicados ao bem da humani-
dade, cujos osforgos redobrados iam ser dentro om
"breve coadjuvados por dous companheros escolh-
dos, que S. Ex. mandara chamar Babia por inter-
medio do Exm. arcebispo metropolitano
Ao psso quo o Exm. Sr. Coelho esforgava-se des- Dr. Souza Franco
farte por-esclarecer e moralisar o povo confiado ao
eauo commandanle em enere das lorgas da l""F VPV ,. ... ... c,.c.
Provincia para dirigir as oporaefles militares, que MM cuid.dos, traUva de p dique o desmando Dr. Souza Franco
Idaquolles de seus agentes que ousavam abusar da M<
nra porcffo de utoridade que Ihe eUv con ferie*. As- Dr. Souza.Franco
"esta nobre missno, uuanto deuloro a nocesridade
em man,.,.__- _- 1._____.^".'.. ._.. n... Ana-
i-uicib para uirigir as oporagocs minian
vosereiiiprchendida alim de restabeleccr-se a r-l \ aaentcs aue ousavam abusar da
dem publica, e mantera em toda a su plentude quolle de seus agentes que
1 solierania da lei, eu tanto avalio e prezo a honra por^flo de utoridade que Ihe eUV comera*. -
desl. nobre missao, iiuanto depioro a nocesridade lendo o subdelegado da villa de Cintra re-
em que possa ver-me do recorrer as arma para des- ,,m Ia" *e"ao i;^.i.,.,m
1
LADO
ocesino em que, ao referir na sua caria de 27 de
eclembro prximo passado, inserida no nosso nu-
mero 232 de 17 de outunro, que all se dizia que o
Exm. Sr. Coelho pozera de lado a causa do Sr. Souza
Franco e apresenlra-so canditado na clec3o a quo
tinha de proceder-so por ter sido estenomeado mi-
nistro, allirmou que nao suppunha a S. Ex. capaz
de commcller semelhante traigao.
Sim, quando se exprimi desla forma, o nosso
correspondente nada menos fez seno dar-nos mais
urna prova da justica e imparcialidad com que
cumpre sua missao : o resultado da volacfto veio
attestar o scu juizo acerca do Exm. Sr. Coelho, o
nos nos comprazemos do registra-lo nesta pagina
do Diario, nao s para gloria de S. Ex., como tambem
para confusao do desalmado quo se nao pejou de ca-
lumnin-lo iflo cobarde o vilmente.
1* COLLEGIOS CONIIECIDOS.
Capital.6d eleilores.
Dr. Souz Franco
Dr. Nabuco de Araujo
'" Igarap-Mirim.-l eleilorn.
Dr. Souza Franco
Dr. Paos
Conego Gaspar
f(gia.it tUltoret.
Dr. Souza Franco
Carhoeira.H elei lores.
Dr. Souza Franco
famel.--'26 eleilore*.
Dr. Souza Franco
Dr. I'aes
jMfl/0Z(w.-23 eleilorts.
Dr. Souza Franco '
Bragatica.M eleitores.
Dr. Souza Franco
Tusiass.i eleilores.
Dr. Souz Frnco
Presidente Coelho
iVac(jpii.l2 eleilores.
Dr. Souza Franco
Gurupa.i eleilores.
57
2
1
20

16
>."i
L>^
1 a
u
Porlo-de-Ms. 9 eleilores.
MonfAlegre.-9 eleilores.
Salaret*.~5 eleilores.
Dr. Souza Franco
>',
Nao concluiremos a parlo do nosso trabalho de
boje, dedicada as noticias do Para, sem quo annun-
ciemos aos le i lores: Io, que as villas do Camela,
Santarm e Rarra-do-ltio-Negro haviam sido eleva-
das categora de cidades, bem como do villa a .
fregueza da Villa-Nova-da-ltainln ; 2", que no dia
20 de agosto so istallra em Macap a commissSo
sanitaria, deque fallamos cm oulra orcasio ; 3.',
que essa commissao der comego aos concertos do
hospital, comprara diversos utensilios o roupas, e
eslava sendo codjuvada polos esforgos combina-
dos de 05 pessoas do ambos os sexos, que j linhan
contribuido com a somma de *18/000 ris ; *., fi-
nlmenle, que s 2 horas da tarde do da 1." do cor-
rento naufragara na pona do baixoda Tijocao bri-
gue porluguez MalhiUles, proredenle do porto de
Lisboa, ficando em tal oslado, quo perdeu todo o
carregamenlo, o teria doixado no mar todos os pas-
sageiros e a equipagem so osla se n5o houver dado
pressa em aproveitar a lancha e o escaler.
Do Maranhao nada sabemos que nos induza a re-
celar seja perturbado ah o socego publico. Enlre-
tnnto, notamos quo o Observador osla em guerra
com a presidencia, e esquecido dos-pomposos elo-
gios que outr'ora tecra ao Exm. Sr. Amaral apre-
senta-o como o homcm monos apto para governar a
provincia. Nflo sabemos dos motivos quo influram
para tal mullanga no comportamento doscollegas;
mas he (al a idciaquo formamos do presidente ag-
gredldo, qucsuppomos a ras.to do sua parte.
A 4 deslc mez, o exagerado espirito do partido
producir em Vianna urna soena tanto mais escanda-
losa, quanto houvera lugar no recinto do tribunal
do jury. A Revista refere minuciosamente a oceur-
rencia no artigo quo abaixo Iranscrevemos ;
a Maisum conflicto de jurisdiegao entre s auto-
ridades judicarias de Vianna, o mais um escn-
dalo filho da exgerag.To dos partidos Os jurados
ichavam-se reunidos namiclla cabega de comarc, e
na ausencia do juiz do direito e do juiz municipal,
dispunha-so o 1." snpplenlo dcste, Francisco Ma-
noel de Araujo, a abrir a sessfio e dr comego os
trabalbos, quando so aprsenla o 2." supplonte,
Alexandrc Jos Mendes, a disptitar-llie a presiden-
cia ; e, apezar das judiciosas observagOes que Ihe
sHo fetas pelas pessoas sensatas, n3o desiste do seu
louco intento. O l.o supplonte, vendo que a crimi-
nosa contumacia do 2. podia dar lugar a serios des-
aguisados, lovantou a seatSo, o rotirou-se com o
Dr. promotor, e vnlo e tantos jurados. O 2. sup-
plenle, nada obstante, noma um promotor inte-
rino (o celebre Thomaz do Aquino), o dispoe-se a
funecionar com os jurados de sua parcialidad. I.s-
tavam as cousas uestes termos at as ultimas noti-
cias que tomos de Vianna.
K O pretexto para semelhante desacato era, se-
cundo nos consta, a quesl.1o.da legalidade da no-
meaeflodo 1. supplente, queslflo punamenlc admi-
nistrativa, e j competentemente resorvida cm favor
do mesmo. Com efTeto cusa a crr em tamarilla
reluctancia e obstinagflo, mas nada he para admirar
da parte da crassa ignorancia, iisulUtJa pelo maldi-
to espirito do partido, milito principal mente em
urna trra como Vianna que j tem sido thcalro de
lanas oulras scenas desagradaveis, quer no foro,
qur na arena eleitoral. O mao cxemp.lo \i% por
dentis contagioso. .
As nossas Icis por outro lado, mcumbindo a juizes
Icigos e ignorantes a subsliluigflo dos lettrados, pois
lano monta essa multiplicidade de juizes munici-
paessupplentos, n'um paiz ainda to pouco adian-
lado em civlisagao, parecem dar lugir a osle e ou-
tros que taes inconvenientes. Ao menos as faeges
quo de ludo abusam, nao perdom o menor ensejo
que se Ihes offerece para satisfazer paixOes. E se o
espirito do partido ganha at os Juizos lottrsdos, se-
gundo j observamos cere dos que teem runccio-
nado em Vianna, como se pode esperar quo delle se
moslrem isentos csses nmeros juizes Icigos
{") Faltam tres collegios do Rio-Negro com ** erei-
tores, cuj unanimidade se espera que recaia no
Ur. Souza Franco; coExm, Sr. Coellio, presiden-
te, comraahdante das armas e das frgas navaes da
provincia, geYalmente bem quisto, apenas tove um
nico voto perdido.'
1 1








't
No cntantohe de esperar que S. Ex. o Si. presi-
dente: ila proYinrj, a cujo coulierimento (levo ter
flh'gado o orcorrnlo, provoja o mal ile promplo rc-
nn'iid, dando coin o roalumado criterio e liMMlH
aquellas providencias que o caso pede.
fieara Reara tranquillo. O Cearense c o llrasilelro
eoiilinuavain ten opposicflo ao governo ; mas (inham
por contendor o Pedro II que riada poupava para
ronvencc-los da injustica com qucalacavam a po-
lilicadominantc, equo de quandoem quanto tambem
desriaapersonalidades.opiinhasob o dominio do pu-
blico certos actos pouco honrosos do magistrados o
outros funrcionarios pblicos, pertencentcs ao lado
rujas ideias combate.
Ao dizer do Pedro II, o processo contra os assss-
sinos de Facundo era um novo trama do partido
ilerabido para perseguir os carangueijos.
I'araliiba gozava de pe reila paz :a populo?io es-
lava dominada dos mais louvaveis sentimentos de
orden o respectivo presidente, coadjuvado pelo
capilOo do porto e pelas decais autoridades, ludo
ilispunha para soccorrer esta provincia logo que
ella Ihe reclamasse auxilio mais poderoso do quo
esse de que j demos conta aos Icitores.
Ao noticiar tflo louvaveis disposices da presiden-
cia, o Corrcio O/pcinl Parahilmno faz votos aos eos
para que os nossos nnaos Iludidos largucm as ar-
mas, e voltem aos seus domicilios. Agradecemos
sinceramente ao contemporneo o inleresse que
loma pela sorto dos nossos conprovincianos.
P.ccom mondamos aos conscienciososredactores do
Diario Novo a leilura do seguinte documento,' espe-
rando a sua resposta
lllm. e Exm. Sr. Tenlio a honra de offerecer
>, ai consideracao de V. Exc. os dous odicios juntos
do delegado do primeiro districto desta oidade os
quaes so dignara devolver-me, um de 12, eoulro
de 14 do corrente mez, em que requisita a dems-
sin dos subdelegados dos districtos de Santo-An-
tomo, de San-Jos do Recife, da Ba-Visla, do
Poco-da-Pauella,da froguezia da Varzea o dos A-
logados, e pe?o a V. Exc. toda a atiendo aos mo-
tivosdesua requisito, que mui justos me paro-
ir com, ao monos pelo que respeita aos subdelega-
dos da Boa-Vista, Argados ePoco-da-Panela (*)
por cujas demissOes milito devo instar a V. Exc
. cumo indisponsavois para a punieflo dos rrim'i-
hosos, emesmo manuteneflo di ordem publica
que, romoj fiz ver, nao posso considerar segura'
oui vista dos recejos do que so acha o publico pos-
* suido.
O delegado de quem venbo do fallar merece-me
mteira conliauca, por sua honradez, sumira enor-
" g"a e genio proprio para a polica ; por isso nfio
posso concordar na demissSo que pede para o ca-
< so de ser desatendido, entretanto que Ihe acho
toda a rasflo para o fazer nos apuros em que se ve'
c eu mesmo c8o posso inteirainente responsabili-
sar-mepela polica da capital, tendo entretanto
autoridades polcaes nicamente deminha con-
Manca o ilelegado.
Aguardo a decisflo de V. Exc. para remetiera
devida proposta, seV. Exc.se dignar altcnder
minha requisigao.
. Dos guarde a V. Exc. Secretaria da polica de
l'ernambuco, 17 de agosto de 1848. i,lm e
Exm. Sr. desembargador Antonio da Costa Pinto
presidente da provincia. -Antonio Henriques de Mi-
randa, ebefo de polica.
Corre quo os revoltosos preiendem aclamar ou
j aclamaram um governo provisorio em Iguarass.
Somos mulo escrupulosos em transmiltir noticias
que nao tenham o cunho da verdade, o por isso nflo
damos peso a somelhanto boato. Entretanto, nilo
podemos esconder o quanto nos sorprendea noti-
cia que tambem se ospalhou de estar naquella villa
obrando de commum aecrdo com os mesmos revol-
tosos o Sr. Antonio Borges da Fonscca, cujos prin-
cipios democrticos ato assaz conhecidos, e que
por mais de urna voz ha declarado, nSo so pela m-
prensa, como de viva voz, que nao tomar parte em
movimento algum quo nao tenha por lim dcbellar
a monarchia, e proclamara repblica.
Ser possivclque aquellesquc, aorevoltarnm-se,
tomante invocavam o nomedo Imperador, attenlcm
contra os direilos do Sr. I). Pedro II ? Seria com o lim
de arrastrar o incauto povo a mais este acto de lou-
curae perfidia, ^econi ufana so contou a histo-
ria da fggjdf lo imperador da Austria testa do
milhares de.soldados, inculcando-se assim a im-
potencia 'dajflopa contra a rebelda ? Quem sabe!.'...
A ambieflo do* manejo be 13o poderosa, deslumhra
a rasflo a tal ponto, que lio capaz do conduzir o ho-
memaos maiores desatinos!
Como qur queseja, nflo vemos em lodo isso so-
n3o miserias, decepcOes, oHIusps tanto mais la-
mentaveis quanto pdem (er consequencias funes
lisiimasaopaiz ea todos que nflosouberoui resis-
tir-lhes.
DOS de borrdade, espargi vossos raios de luz so-
bre os Poroambucanos desvairados ; desvendai-os, e
arredai-os do precipicio que Ibes estilo preparando
os falsos liberaes !.....
Consta que o Sr. Francisco Honorio Bczerra de
Menezos, at buje conservado nos caraos de 3." vice-
presidente, e commandante superior da guarda na-
cional por esso niosmo governo quo a opposicflo de-
nomina reactor e lyranno, determinara ltimamen-
te que so rounisse no engrudo San-Jo.lo a guarda
nacional da ilha de Ilamarac, sem quo para Isso
houvesse ordem do presidente da provincia. Que
destino ter o Sr. Honorio dado, ou pretender dar
a essa forca.' Ter ella do ir engrossar as lucirs
dos revoltosos, sendo assim sacrificados os pobres
guardas nacionaes pela criminosa imprudencia de
um homem que, atienta a posiefo que oceups, de-
vera ser dos primeiro* a dar o oxemplo de amor
ordem, e do adhes3o ao governo imperial f As ac-
tuaes circunstancias da provincia e os factos que
todos os das presenciamos tornam cerlamcnte mn-
lo suspeito este procedimento do Sr. Honorio; mas
nos limitamos por agora a referi-lo, esperando que
orri poucosdias esteja perfeilamente esclarecido, e
desdo j ficamos preparados para ouvir do Diario
Novo que o Sr. commandante superior se revolta
contra o governo para resistir perseguidlo deque
tem sido victima.
goiio, capilfio Joaquim Jos Concalves, carga as-
sucar, ago'ardente e sal. Passageirns, Carlos da
'o-.a llibeiro, Antonio Joaquim Pacheco Bastos,
Portuguczes
Em cnmmissflo ; brigue-escuna brasileiro Lsgalida-
'/'. commandante o capitao-tenente Joflo Custodio
d'llondim.
"kdtaesT
.\cstcs ltimos das tem feito a opposicflo grande
alardo da marcha de urna forca revoltosa do I.imoei-
ro sobre a freguezia do Tracunhaem do municipio de
Nazarelh; forca que se diz ter sido mandada por
Hcnriquc Pereira de l.ucena, que alias fura conser-
vado pelo governo da provincia no cargo de delega-
do, o quo se aproveitou dessa vantagem para Iludir
e armar os pobres matulos em nome do governo e
contra o governo. He mais urna prova da lealdado
com que os homens da opposicflo estilo dispostos a
servir os cargos do confianca, e do espirito reactor
de que lodosos das he aecusado o govorno da pro-
vincia pelos orgaos da mosma opposicflo.
O lllm. Sr. inspector da thesouraria da fazenda
provincial, em virlude da resolueflo do tribunal ad-
ministractivo, manda fazer publico, que em cum-
primento da le, perante o mesmo tribunal, vai,
novamente apraca para ser arrematada a quem mais
der, no da 30 do corrente, os impostos abaixo de-
clarados :
2:500 rs, por cabeca de gado vaceum que for con-
sumido no municipio do Recife avallados animal-
mente por 56:000/000
Dito no municipio de Olinda por 4:900/000
20 por cento sobre a agurdenle que for consu-
mida no municipio do Recife, avaliado novamente
por anno em 8.200/000
E para constar se mandou allixar opresente, e pu-
blicar pelos Diarios.
Secretaria da thesouraria da fazenda provincial
de l'ernainduro, 2-i de novembrn de 1846.
O 2." Escriturario,
Antonio Ferreira Entre os passageiros trazidos pelo vapor S. Se-
bastio vcio olxm.Sr. desembargador Antonio Joa-
quim doSiqucira, que em cumprimenlo de ordem
imperial entrogou a administrarlo do Rio-Grande-
do-Norte ao Sr. vicc-presidenle Joflo Carlos Wan-
derley, para ir tomar conta da presidencia da pro-
vincia do Espirito-Santo.
COMMERCO.
ALFANDEGA.
RE.NDIMENTODO DA 27........... 2:632,828
Ducarregam hote, 28 de novembro.
Rrigue Mara mercaduras.
Brigue Armorique dem.
ValacUo-Alfredo- pipas vasias> barricas abatidas,
alcalr.lo o sabao.
Brigue Assombro barricas vasias.
CONSULADO GERAL.
RENDIMENTO 00 DA 27.
fiera I .........,
Diversas provincias
981,259
*
981,259
CONSULADO PROVINCIAL.
RENDIMENTO DO DA 27........... 877,224
Movimento do Porto,
Miguel Archanjo Monteiro de Anirade oficial da im-
perial ordem da Roa, cavalleiro da de Christo ins-
pector da alfandega. de l'ernambuco, por S. M. o
Imperador, que Deo guarde, etc.
Faz saber que no dia 30 do corrente, ao meio-dia,
em basta publica, na porta da alfandega, se hSo de
arremar mil forros de papel para chapos, no valor
de8,000rs.;42massosde taublnhas para ditos, no
valor de 34,700 rs.; 20 ditos de palinhas, no valor
de 80,030 rs.; 16900 fundos de papel, no valor de
110,000 rs.; 960 massas para chapeos, novator de
220,800 rs. ; 1040 ditas para dito, no valor de 239,200
rs. ; 2600 fundos de papel para dito, no valor de
50,000 rs.; 170 duzias docourinhos para ditos, no
valor 177,000 rs.; 12 cardicos, no valor 12,000 rs.;
60 chapeos de palha para homem, no valor de 180,000
rs.; e 50 duzias de courinhos, no valor de 45,000
rs. : ludo impugnado pelo guarda alanoel da Fonse-
ca de Arauj l.una, no despacho por factura, n. 2153 :
sendo a arrematadlo subjeita a direitos.
Alfandega, 27 de novembro de 1848.
Miguel Archanjo Monteiro de Andrade.
- O brigue brasileiro Kero segu para o Rio-d 1.
neiro eom a maior brevidada recebe carea e .
voa a frele: a tratar com Leopoldo Jos da Cog:
Araujo, na ra da Moria, n. 7. *f
' A polaca N.-S.-do-Carmo aaho para o Rio-fe.i,
neiro improlerivclmentenodiaai do correnle^n"
da recebe alguma carga passageiros e escravos ,
fre e : a tratar na ra do Vigaro 11, primeim
andar, casa de Francisco Alves da Cgaha.
- Para o Rio-de-Janeiro aegue, bjffnMerivelm,,,,
te no dia 30 do corrente o yHatbfXnlio: so rae.
be escravos a frete e tem excellentes conimodn.
para passageiros: a tratar cero Joao Francisco a
Cruz na ra da Cruz, n. 3. a"
--Sahe, no dia 30 do corrente a escuna nicin.
nal Moria-Firmina, para o Para com oscala par n
Maranhno : quero quizer ir de passagem para qu,i
quer dos portos, e mesmo para o Cear, dirija./
a ra da Cadeia do Recife escriptoHo de Jos kn
Ionio Bastos.
- Para LisbOa pretenda sahir no dia 10 de dezem
bro a barca portugueza Ugeira, da quat he caoitl
Antonio Jnaquim Rodrigues : quem quizer carregar
ou ir de passagem para o que tem os mel drese as-
seiados commodos, dirija-se ao mesmo, ou aos seus
consignatarios Francisco Severiano Rabello &
Filho.
>p-..,
Aviaos diversos
Declara^oes.
I*. 0 subdelesad
m!?^ltarilll?U'' AJ,"e/d"."que co7n'er|feitoaforao-
mitlido pelo Exm. Sr. Costa Pinto.
Ara Ai.tft.. r, Q ..._j_ .
Naviot entradoi no dia 27.
Para o portos intermedios ; 16dias e 6 horas e do
ultimo porto 16 horas, vapor brasileiro San-Se-
basima, do 300 toneladas, commandante o prirnei-
ro-lcncnte A. Torrezno, equipagem 29. Passagei-
ros : vara esta provincia, Manocl Francisco da Sil-
va com un. escravo, o cadelo Amalio Maya, Tihur-
co Francisco de Torres e Vasconcelos com sua
senhora Francisco Urbano da Silva Ribciro com
sua seniora o 4 escravos, Reinaldo Francisco do
Moura, I.inval Odorico Mourn, Fernando Cerauei-
ra Carvaldo, Dr. Octaviarlo Cabral Raposo da C-
mara com 1 escravo, 2pracasdeprel e 4 escravos
a entregar; para osul, o presidente da provincia
do Espirilo-Santo desembargador Antonio Joa-
quim de Si.jueira com 2 escravos, o secretario Ala-
noel Joaquim Henriques Paiva corn 1 escravo o
caprtao Joflo Francisco Cllelo com I carnerada.
Cezar Augusto Alarqucs, 1 cadete e 2 recrutas 1
dito para a mariulia e 1 escravo a ontrogar '
Rio-fira.ido-do-Norte; 5 dias, patacho brsloiro
Diligente, de 184 toneladas, capilflo Francisco de
Castro, equipagem 9, em lastro; a Jos Antonio
do Alagalhiles Bastos.
Parahiba ; 24 horas, hia te brasileiro Pureta-de-Mu-
ria, de 16 toneladas, capilflo Alarqucs Pint Furta-
do, equipagem 4, carga toros de mangue; ao ca-
pilflo.
,."' '"seal de guerra precisa contratar a prom-
tibcacflo de 318 barretinas com pennachos e cordfles
de Ifla, 318 pares de dragonas de 18a e 16 bandas
de laa : a quem esto contrato convier comparecer
na sala da directora do mesmo arsenal nos dias 25
27 e 28 do corren lo, afim de se iralar da ajuste e de-
vidos esclarecimentos. Arsenal de guerra, 24 de no-
vembro de 1848.
O oscripturario,
Francisco Serfico de Auit Carvalho.
-- O arsenal de guerra compra 3,975 varas de brim
iso, 180 covados de panno prelo, 2,624 covados de
bolla nda de forro, 318 mantas do Ifla, 2,181 covados
de panno azul o 636 pare* de sapatos : quem (aes g-
neros se propozer a vender, comparecer na salada
directora do mosmo arsenal, no dia 28 do corrente,
com sua proposta cm carta Techada, e as amostras.
Arsenal do guerra, 24 de novembro de 1848.
O escripturario,
Francisco Serfico de Ans Carvahlo.
Tendo o lllm. Sr. inspector do arsenal de mad-
rina de contratar, em virtude d'ordem superior, a
factura com brevidade de quatro tanques de ferro
para o brigue de guerra nacional Caliope, pelo mo-
delo que ser apresentado na occasiflo do contrato
isso no da 29 do Corrente, pelas 11 horas da ma-
nhfla ; assim o manda fazer publico para a apresen-
tacflo, em ditos dia e hora, dos concurrentes refe-
rida factura, a qual ser contratada em vista de
propostas com quem a fizor pelo menor praco.
Secretaria da inspeceflodo arsenal demarinliade
Pemambuco, 27 de novembro do 1848.
Alexandre Rodrigues dos Anjos,
Secretario.
Cartas seguras existentes no correio geral pa-
ra os Srs. Fernando Candido de Albiar, em Olinda,
Jos Antonio do Alagalhflos, Francisco Jos Pereira,
mestre do brigue de guerra Calliope.
Avisos martimos.
Navios sabidos no mesmo dia.
r. Z, !ia cR'0-de-Jnciro sahir em poucos dias,
o palacio S.-Crus : para carga o passageiros trata-
se lado do Corpo-Santo, loja de masa mes,
- Para a cidade do Porto pretende sahir coro bre-
vidadea barca Uella-Pernambucana, capilflo Alanoel
Francisco PJogueira, por ter a maior parte de sua
carga engajada: quem nella quizer carregar, ou ir
do passagem, para o que olTeroco bons commodos,
enlei.da-secoinoconsignalaiio, Antonio Francisca
doAloraes, na ra da Cruz, n. 34, teiceiro andar, ou
com o capilflo na Praca-do-Commerco.
hT ? Aracaty sabe^al o fim da semana o
\m\eHor-do-Recife: qu&h quizer carregar ou ir
de passagem, dirija-se a ruado Vigaho/armazom
.kwui? R,i-de-'"neirosV,e' mprcterivelmentc
rodia^dedezembro, o brigue Assombro forrado
de cobre e de prtmcira marcha por ter o seu car-
regamento quasi completo : para o resto da carga e
passageiros Irata-se com J0O0 Jos Fernandes Ala-
galhiles, na ruada Cadeia do Recefe, botica n 61
--Para o Aracaly segu con. brevidade, por ter
parte da carga prompla, o hiato Duvidoso : para o
resta da carga, trata-se com Jos Alanoel Martina,
ao lado do Corpo-Santo, loja de massame, n. 25,
ou com o mestre Jos Joaquim Alves.
O patacho Alfredo forfado e ancavllhado de co-
bre, sahe para oRio-de-Janeiro com a maior brevi-
dade possivel, recebe carga e passageiros, para o
niiolam .i-'--'---------.j J *
n -. MM.puvacwiiuiuuua V lUlliLri'iu ictuiJU CCra-
VIS I ffHl> IratBP onn. sv oa.a Annelnn^la*.! W?____
'"'U ZZ alS1 JtUnt-'St"y' Cap'5 JS Tm-| ^" ^"'V^'eom o s^ctsfgn.U^S:
Rio-Crndc^do-Su., brigue brasileiro Dous-dcAAl^S^ ^^ "" ^ d **"
A UMAO N. 46
acha-se a venda nos lugares do costume : loja dQ
Sr. Cerdoso Ayres, no Recife, e na doSr. Coitinh
na esquina da ra do Collegio : contina a desmis-
carar as calumnias do Diario Novo. \ publcacaodes
la rolda he certa as lerdas, quintas-miras esabba-
dos; nesle numero e nos antecedentes encontraran
os leitores a historia fiel do estado do paiz.
--O Sr. Antonio Carlos Figueira mande receber
no correiu um maco de folhetos, vindos do Rio-de.
Janeiro.
--D-sodinheiroa premio em pequeasquantias
sobre penhore de ouro e prata : na ra do C'abus'
loja de miudezas-, h. 5.
-Os Srs. Vieira Peixoto & C. tem)uma carta na loja [
dos Srs. L. dos Santos & Campanhia, na ruadoCres^
po, n. 11.
CASA E MODAS FRANCESAS NA RA NOVA. N.
u. 52, l.o ANDAR.
Aladama Theard tem a honra do participar ao res-
peitavcl publico e parlicularmenlea suas freguezas
que acaba de receber pelo ultimo navio, vindo de
r ranea, um lindo sorlmento de chapeos de selm
lisos o lavrados, de grs de aples de palha lisa
o aberta lilas para meninas, enfetados do melhor
gosto; toucadosda ultima moda de Paris; chapeos
niais ordiuanos para meninas de ir na escola ; flores
linas e plumas para chapeos e para caboga ; bicos
sed"'" "'ntas de grs de aples; fitas de todas ai
qualidades. Na mesma casa continuam-s a fazer
chapeos, toucas e vestidos de sen hora da ultima
moda o por preco mais commodo do que em outri
qualquer parte.
Da ra das Trincheiras, becco do Sarapatel ,
ra do Collegio, Crespo e Cabug, perdeu-se uma
carteira de algibeira contendo. alm de varios pa-
pis 165,000 rs., sendo 3 sedulas de 50,000 rs., i
10.000 rs., 2 de 2,000 rs. e 1 de 1,000 rs.; como a
pessoa a quem perlence esse dinheiro be bstanlo
pobre, roga-se encarecidamente a quem achou dita
carteira e queira reslttui-la de leva-la em Olinda,
ao reverendo doutor Alanoel Thomaz de Oliveira 011
na ra do Collegio, n. 14, lercciro andar a Jos
l.eodegano Rocha Farias,osquaes se acham aulo-
risados a recobe-la o recompensar com 40,000 rs.
-- Precisa-se de um caixeiro para tomar conta de
uma venda por balanco, o qual d fiador a sua con-
ducta : no pateo do Carmo, loja do tarlarugueiro,
-- Precisa-se de 300,000 rs. a premio com hypo-
theca cm um escravo ou escrava na rua da Ruda.
a. 14. '
-AntonioJoaquim Vidal & Companhia deixaram
lo vender a retalbo espirilos de producQflo brasi-
leira, desde 28 do corrente, em sua venda da rua do
Amorim, n.36.
--Alugam-se, para se passar a festa em S.-Anna-
ae-lJenlro duas casas muito frescas com com-
niouoa sufllcienles para qualquer familia por mais
numerosa queseja e bom banho : a tratar no mes.
mo Ingar, com Joflo Venancio.
No dia 28 do corrento, linda a audiencia do Sr.
vr. juiz da primeira vara do civel ha de ser arre-
matado um sobrado de 2 andares silo na rua Diro->
ta 11.,43, por execueflo movida contra Antonio Ala-
noel do Naseimenlo e sua mulher.
Sabe-seda um escravo que anda fgido, o de-
clara ser de um Sr. Alanoel Ignacio morador na Boa-
Vista : quem for seu dono, dirija-se a rua doQuei-
mado, n. 10, que so dar noticia.
--Alugam-se as lojas do sobrado da rua da Senzal-
la-Velha n. 52: a tratar na rua Nova, n. 65, primei-
ro andar.
Roga-sc aos Srs. devedores da viuva Arruda,
que queiram pagar seus dbitos quanto antes, pos
o prazo j he su luciente, alias serflo seus nomes pu-
plicados por extenso.
Dcsapj aieceu. no da 25 do correte mez, uro
negro fulo, criollo de dade 40 anuos pouco mais
ou menos, do nome Gabriel, altura regular com bas-
tante cabellos branros na barba, levou vestido ca-
misa, e calca de algodfloasul, e chapeo do palha no-
vo com fila 1 reta larga, cjo negro he escravo do
capilflo Joflo 'molo de Vascocellos Castro, resi-
dente em Alarnanguupe, e veio para ser vendido nes-
ta praca. Quem opegar leveo na rua da praia ao a-
baixo asaignzdo, armazem n. 20 que ser recon-
pcusado. Antonio Pereira tiendes.-
Precisa-se de uma pessoa para trabalhar em um
escriptorio, a qual deve' ter solvvel lettra saber a
lingoa portugueza gramnalicalmente, e se suuber
francez melhor ser : na praca da Independencia,
livrria ns. 6e8 se, dir quem precisa.
--Aluga-se o primeiro andar da casa da rua larga
do Rozarlo, dofronte da botica de Bartholomeu ,
com bastantes commodos : a tratar uo Recife, rua
da Cruz, n. 53, segundo andar.
Precisa-se alugar urn prelo para conduzir todos
os das pilo para fra, dando-lhe o sustento : na rua
larga do Rozario, padarla n. 48.
Gustavo Aniceto de Souza, tendo de relirar-se
desta provincia, declara que nunca leve coritas com .
pessoa alguma e que nflo deve sequr um real.
Aluga-se um primeiro andar de uma boa casa
na rua de Apollo, 11. 22 : a tratar na mesma, ou no
armazem abaixo.
Aluga-se um primeiro andar em qualquer rua
do bairro do Recife anda que seja pequeuo ou
mesmo uma sala e uma alcova smenlo : quem ti ver
laiiiiuncie, ou dirija-se a ruado Rangel, n. 11.
MUTIL


Hoje, 28 do rorrenle novembro,
erante o lllm. Sr. Dr. juiz da primeira
'vara do civel, e na cava das audiencias,
sero arrematados, por ser a ultima pra-
ca, os escravos Joao Cabinda, Jos, Do-
t t _
lingos, Joao, ftlarianna e Hita, Congos,
penborados a Gabriel Antonio, por exe-
cucao de Antonio da Silva & C.
.- prccisa-s Je um feitor para engenho que de
fiador idneo de sua conducta nao tenha ramilia ;
ierve pessoa idosa pois n3o he para campo : no en-
genho Novo da Muribeca.
..Jos Joaquim Anastacio fazsciente aos Srs. ar-
rematantes das agoas-ardenles, que deixou de ven-
der dito genero, desde odia primeiro do correte,
na sua venda da ruados Coelhos, n. 13.
--O abaixo assignado faz scieute ao publico que
traspassou a sua toja de bahus sita na ra do Col-
legio n 20 ao Sr- Manoel Francisco Alves : por to-
so quem se julgarcredor da dita casa, dirija-so ao
abaixo assignado no prazo de oito das.
Joaquim Rodrigues Campos.
JUIZO DOS FEITOS DA FAZENDA.
As 4 boras da tarde do dia primeiro de dezembro
Ensimo l'uliiro porta da casa da residencia do
Int. Sr. Dr. jliiz dd feitos na ra do Hospicio se
liflo de arrematar os bous seguintes: de renda, o pri-
meiro andar do sobrado n. 1 da ra da PCnha a va-
lindo em 200,000 rs. por anno sequestrado aos her-
deiros de Jos Mauricio de Ollreira Maciel; um escra-
vo de nomo Miguel, de 50 anuos de nacio Cacan-
ge, avahado em 200,000 rs. sequestriido a 8. C.
Mauvernay; um dilo du nome Manoel, de 40 annos,
de nac.lo Congo, avallado em 450,000 rs penliorado
iC G.B.; um sitio na l'assagcm-da-Magdalena,
tendo de largura na Trente 260 palmos, e de fundos
600 ditos no centro do sitio, avallado de venda om
(100,000 rs., penliorado a Antonio de Souza Hangel;
tres escravos de tiacjto Angola de nomes Joaquim ,
Antonioe JoSo avahados por 409,000 rs. cada um,
sequeslrados a Pedro Alexandrinho Comes ; 2,000
1 barricas vasias em bom estado avahadas em 800
t.rs. cada urna sequestradas ao dito Pedro Alexan-
drino Gomes
Pcrdeu-se urna porca de ferro de eixo de car-
ro : quem a adiar pode leva-la na ra Nova, cochei-
ndoSr. Adolpho, que sera recompensado.
MIi"n!lV
O verdadeirb fabricante do cxcel-
lennle pflode Provenca, que esteve
na padaria franceza do Aterro-da-
Ba-Vista, tendo de retirar-se da
irovincia, offerecc-se a ensinar a
abricar o referido pilo com todas
as particularidades; assim como
cnsina a fabcaras fatias chama-
das da rainba: quem se quizer ins-
truir nestas fabricaefles dirija-so
na piara da lia-Vista, defronte
matriz, venda n. 88, por estes seis
das, pois que nio se pode muis
demorar.
- Quem perdeu urna leltra no dia 23 do corren-
te, dirija-se a ruada Senzalla-Velha, n. 46, que,
(lando ns signaes Ibeser entregue.
Quarta-feira S8 do brrente, haverilo pelas
6 horas da manhla a porta da igreja da Madre-do-
lK'os'500 esmolas a iOOrs. cada una: quem a ti-
ver no caso de as recebar apresentc-so a hora indi-
cada.
- Precisi-so de um pequeo de 10 a 12 anuos,
pura eaixeiro na padaria da la do Burgos no For-
te-do-Matlos, n 31.
-OSr. I. B. I. armador, slrva-se de pagara
pequea qu inlia que deve na rua do'Burgos n. 31.
- Tendo-se extraviado urna letlra
' de 200,000 rea sacada pelo abaixo assig-
nado, e aceita pelo seu mano o Sr. Lino
Jos de Castro e Araujo, a vencer
em abril prximo futuro, pessoa algu-
nia a podei negociar sb pena de per-
der porque o abaixo assignado posi-
tivamente declara n3o ter feito transac-
c3o alguma com a predita leltra, e mes-
mo no caso della apperecer, n3o ter vi-
gor qualquer para com o aceitante, vis-
to havermos assim combinado.
Manoel Porfirio de Castro Araujo.
- Prccisa-se de um rapaz de 18 annos para cima,
Pra raixoiro do uma venda, e que della tenha pra-
lica : na travess do (Jueimado, n. 5.
-h s azelte de carrapatode vendagem na rua do
Quemado, n. 34, as pretas que quizerem podem
apparecer, dando tini pequeo cnnhecimenlo de
"usSis.; assim como tambern se vende barrisva-
sos do raesmo trafico j servidos e por preqo com-
niodo.
-- Francisco Antonio Pereira Braga, tendo passa-
uo uma ordem da quanlia de 1:000,000 de res, ao
Sr- Leopoldo Jos da Costa Araujo, sobre Jos Anto-
nio Pinto, e como o inesmo Sr. Araujo rao nao pas-
suo recibo nem o Sr.- Pinto a aceitou, por sso
u,a letlra passada em 22 do correte, da mesma
quantia.
~ Aluga-se uma casa torrea, na rua Bella, com
du*s salas, tres alcovas, cozinha fra, quintal e ca-
c,mb : na rua do Collegio, n. 15, segundo andar.
Aluga-se o segundo andar<||irsobrado da rua
Trincbeiras,n. 46: a tratado primeiro andar
da mesma casa.
"ara as pessoas que tencionam seguir
' viagem.
Na rua do Hangel n. 9 continuam-se a tirar pas-
saporles para dentro e fra do imperio despacham-
se escravos, e correm-se folhas, ludo com brevidade
exuberante prova no decurso de 8 annot. A qnal-
qner hora do dio poder ser procurado o anuunci-
Lotera do tlieatro publico.
O facto de existir perto de metade
dos bilbetes da loteria por vender, deu
occasiao a que as respectivas rodas nao
podessem ter andamento no dia ai do
crrente, como se nnnunciou ; persuadi-
do, [lon'ni, o tbesoureiro que seinelhantc
venda nao deixar de ter impulso, marca
novamente o dia 9 de dezembro prximo
luturo para o referido andamento, e es-
pera que esta nova designado ser im-
prorogavel.
Aluga-se o segundo andar da casa da rua da
Senzalla-Nova n. 42 : a tratar no armazem da mes-
ma casa.
Aluga-se o bemeonhecido sitio na estrada do
Cordeiro, de Nunp Mara de Seixas, so proprio para
algum negociante estrangeiro ou outra pesaos que
tenha tratamonto: na rua do Amorlm, n. 15.
Alugain-ic dous aitioi com milito boas acommoda-
fftea om na campinba da Casa-Forte e outro na rua
da dita povoacao com cocheiras e carallarlcea ; assim
como varia caas, de precos coniiiiodus para le pau-
sar a feata : a tratar na rua do Amorlm, 11. 15.
-- O Sr. Joaquim Dias l.emos tem uma carta, viu-
da de Portugal, na piara da independencia n. 3.
Vigiles, fabricante de pianos ,
na rua do Queimado, n. 1U,
tem piauos de novo modelo, feitos de prepsitos pa-
ra esto paiz ; sSo riquissimos, de macliinismo e
vozes superiores o que se aflanca ao comprador :
Umbem concerta e atina pianos. por proco com-
modo o vende cordas camurcas e todos os avia-
menlos necessarios para ditos instrumentos.
MUDANCA.
D. W. Baynon.cirurgito dentista dos Esta-
dos-Unidos respeilosamento noticia aos seus
amigse ao respeitavel publico, que tem mudado a
sua residencia da casa n. 40, da rua da Cruz do Ite-
cifo, para a do n. 26 da rua da Cadeia do S.-Anto-
nio, terceiro andar aonde ltimamente resida o
retratista americano Fredericks.e aonde daqui em
diante o annuncianle ter muito gosto de recober os
que precisarem dos seus servicos professionacs.
Novo pao Provenga e bola-
cbiitha retalia.
Na padaria de uma s- porta na prar;a da S.-Cruz,
estara todos os dias venda o excellonte pito Pro-
venga, ea bolachinha de regalo, j qur uma, qur
outra suflicientemento approvadas pelas pessoas que
leem usado, assim como o'antigo pflo, bolachas de
lodosos tamaitos, e entre estas a 30 etn libra, so
d'agoa e sal, furadinhas e muito toiradinhas e lu-
do quanto se fabrica nestes eslabolecimentos. O pro-
prielario desta padaria de novo assevera a seus fre-
quezes, que nada emprega no fabrico do pBo e bo-
lachinha regala e mesmo em i|ualquer outro ar-
tigo que possa projudicar ou alterar a sade, e s
sini a melhor farinha a mais superior manteiga ,
ajuntamo o zelo, asseio e todo o esmero possivel,
alim de bem servir seus freguezes, o tirar a sua
subsistencia. Na Iravessa da Madre-de-L'eos n. 13 ,
deposito da mesma padaria tambem so aclia a ven-
da o mesmo que na S.-Cruz e na rua do Collegio,
venda du Sobral, ele., smente a bolachinha re-
gala.
--Na casa de modas francezas, de-madama Millo-
chati, na esquina do Ateno-da-Boa-Yisla defron-
le do chafariz ha para o escolhimenlo das senlio-
ras um lindo sortimenlo de toucados, chapeos de
seda o de palha, tanto para senhora como para me-
ninas; camisinhas e punhos bordados para vestidos
afogados o montara ; bicos de blonde ; capellasde
flores linas, de laranjas; ramos de ditas para en-
feitesde veslidosde noivas ; fitas de ledas asquali-
dades; bicos de linho ; muulcletes-palils du seda
edebico; trancas o boles para enfeitcs de vesti-
dos; Invas de seda verdadeiras, curiase Compri-
das; capellase Dores linas para bailes; plumas pa-
ra cabera e para chapeo ; bicos e rendas bordadas ;
cambraiae tarlalana ; mejas brancas de seda, lisas
e bordadas; gravatinhas do lila para senhora. Na
mesma casa continuam-se a fazer chapeos, loucas e
vestidos do senhora por prego coramodo, e da ul-
tima moda.
A o respeitavel publico.
O proprietario do armazem de vinbo
da rua da Madre-de-Dos n. 36, de-
clara que este eslabdecimento nao tem
outro armazem filial, como alguem lia
que o inculca ; e para conliecimento do
publico, faz o presente annuncio.
30,000 rs. de gratificacdlo
a qem touxer a escrava crioula, de nome Calhari-
na com uma filha cabritilla du 3 annos cujos sig-
naes acham-se neste Dihrio nos ns. 210 a 250 : a es-
crava fui seduzida por o pai da cabrinha o qual he
pescador, ou pombeiro e mora em urna de.stas
praias. at Pu-Amarello.'
Compras.
~ Compram-se escravos que seiam officias de car-
Eina, de 18 a 25 annos e de boas figuras ; pagam-se
em T sendo de bons costumes-e peritos no seu olli-
ei poiss.lo para uma encommenda do Itio-de-Ja-
neiro: na rua do Amorim, n. 35, a fallar com J. J.
Tasso Jnior.
Compram-se barris de mcl: 110 largo da Asseoi-
bta, loja de lanoeiro, de Antonio do ICspirito-Sanlo
Senna.
Compra-se um preparo da guarda nacional, pa-
ra ofcial subalterno : na rua de S-.-ltita, n. 91.
Vendas.
Vandem-se 18 travs de camacary e macaran-
duba : na rua do encantamento, armazem de lotiza,
40 p da cacimba.
Vendem-sc sapatfies de couto de
lustro, pelo baratissimo pirco de a,50o
e 3,ooo rs.; ditos para scnhoias c meni-
nas ; sapatdcs brancos para homena e
meninos, por preco commodo : na rua da
Cadeia do Itecife. n. <).
Vcndem-so dous lindos moloques de 12 annos ,
muito sadios; uma mulalinhn de 7 annos, com prin-
cipios de costina : na rua larga do Itozario n. 35.
Vendem-se 6 lindos moleques, tle 12 a 18 an-
nos ; 4 pretos de 25 a 30 annos ; 4 pardos do 12 a 20
annos; uma mulalinha de 7 annos ; 3 negrinhas do
12annos, todas com principios de habilidades; 4
pretas com habilidades de 16 a 20 annos: na rua
do Collegio, n. 8, se dir quem vende.
Vende-se uma cabra com dous cabritinhos, e
uma marqueza de condur em bom uso, ludo por
greco commodo : na rua da Concordia, ultimo so-
rado da parta do nascente.
Cambraia de seda.
Vende-se cambraia de seda, de lindos padtOes a
7,000 rs. o corte : na rtra do Crespo, loja n. 9, de
Domingos CuimarSes.
Vende-se um sellimem bom uso : na rua No-
va loja n. 67.
Contina-se a vender, na rua da
Cruz, n. 60, caixas com cera de Lisboa,
sortimenlo vcnlade do comprador.
Na rua de Agoas-Verdes, n. 46, vende-so, de uma
pessoa que se relira uma encllente escrava de na-
(3o com boas habilidades ; 3 ditas de 16 a 20 an-
uos ; urna parda de 25 annos boa ama de casa por
saber fazer ludo, por 300,000 rs. ; 3 bonitos molc-
qnes ; um bom escravo para lodo o servido.
Vende-se farinha de mandioca muito supe-
rior a 3,000 rs. a sacca : na rua da Praia, boceo do
Carioca no ultimo armazem.
Vende-se, ou aluga-se a padaria dasCinco-l'on-
las n. 154, com tndosos seus pertcnces :.a Iralar
na rua Dirt-ila n. 24.
Vendem-se corles de casimiras finas
a 5,ooo rs.: na rua do Crespo, n. 9, loja
de Domingos Cuimaraes.
Vendem-se 4 niolecotes muito lindos ; 5 ne-
grinhas sendo algumas de nac.lo; 2 pardos de 20
annos ; 8 escravos : todos por preco commodo : na
rua Huella u. 3.
Vende-se urna preta crioula de 17 annos, mili-
to sadia que cozinha, engomma liso e he propria
para engenho por saber fazer po : as Cinco-I'on-
tas, n. 32.
Vende-se, por nito su poder conduzir para o mal-
lo um pianuo de excellentes vozes, e om muito
bom uso, por melado de seu valor : na rua do .Quei-
mado, n. 17, segundo andar.
Deposito de rap andarahy
c imperial.
Na rua da Cruz, n. 63, primeiro andar, escrplo-
rio de Jos de Almeida Brrelo Bastos, vende-se o
bem acreditado rape andaraby e imperial, fabricado
no Bip-dp-Janciro, sendo o nico deposito tiesta
provincia ; assim como sempre se achara no mesmo
deposito o melhor cha nacional brasilciro, ein cai-
xinhas de 5, Se 16 libras, por pre?ocommodo.
Vendem-se, na loja de Frmianno Jos llodr-
gues leu en 11, no Passeio-Publico, ns. 9 e II, ricos
cortes de cambraia de seda; ditos do cambraia de
barra ; ditos de cambraia de quadros de cores,
muito superiores ; ditos de cambiis de dilTerontes
cores; cambraia branca fina ; chales de l.'m e seda ;
ditos to larlalana de seda, de muito bom gosto;
leen, de seda para milo e para hombros de senho-
ra ; chitas linas de bom gosto; madapolflo en fes la-
do e muito lino ; casimiras de bom gosto pelo ba-
rato prego de 5,000 rs. o corto ; cortes de vertidos de
chita com barra de muito bom gosto; chapeos de
palha do cr propria para o campo e passeio ; o un-
irs militas l'jzendas de bom gosto ludo por preco
commodo.
Chapeos de palha para
senhora.
Veodem-se chapos de palha', arren-
dados, muito superior fazenda, para se-
nlunas, mais baiatos que cm oulra qual-
quer pnrte: na rua Nova, n. 3o, luja de
Domingos Antonio de liveira.
Vaccas paridas.
Vendem-se 2 vaccas paridas, muito novas o acoslu-
madas ao pasto : na estrada de Belin no sitio jun-
to ao do Sr. Claudio, ou na rua dos Taooeiros, ar-
mazem n. 5.
Vendem-se esteiras da India, pam
forrar salas, a prero muito commodo,
por se querer fechar contas : na rua da
Alfandega-Velha, n. 3G, escriptorio de
Matheus Austin & C.
Vende-se, no lugar da Baixa-Ver-
de, na Capunga uma casa do taipa com um ter-
reno e um vvoiro no fundo lugar para banheiro ,
com embarque a desembarque por pre;o comnio
do : na rua das Cinco-Pontas n. 25. Na mesma ca-
sa vende-se uma espada praleada um lalim, bar-
retina o canana ludo para ollicial da guarda nacio-
nal por preco muito barato.
Vcndem-se cortes de seda para
vestidos, tanto branca como de corles
muito linda fazenda; boas mantas de
seda de furta-cres ; chales dito ; cortes
de barege de seda, de excellentes gostos ;
uvas de pellica, brancas e decores, para
senhora ; ditas para homem ; lencos de
garra com ramo de matiz, fazenda nova ; e
outras fazendas por preco muito commo-
do : na rua Nova, n. 3o, loja de Domingos
Antonio de liveira.
-- Vende-se um pardo de 20 annos, official do al-
fa iate e boticiro, muitosadioe robusto: na rua Di-
reita, n. 36, primeiro andar. .
vende-se uma banda para ouciai de quaiquer
corporaco de tropa com pouco uso : na rua Nova,
n. 10,
- Vende-se uma negrinha de 8 annos, proP
para se educar 011 dar-sede mimo .1 uma menina,
por ser muito linda c esperta ; um tiiileque
annos, muito robusto; um prelo de 22 annos, hom
eoilnhciro ; uma mulalinha de it annos, que <" <
soffrivel ; urna preta de llcflo Costa de M aunes,
de linda figura que Bligomma com pcrleieao .rose.
e cozinha; uma dita boa quilandolra, a que ne uc
boa conducta, o que se afianca ; uma dita de 18 an-
uos que engomma, por 300,000 rs. por ler uiu
ilefeiloeinuin olho ; urna dita de 15 anuos, tnuilu
linda, que cozinha e vende na rui; um pelo bom
trabalhador de enxada : na rua Sova, n. 21, segun-
do andar.
Chapeos do Chi.
Vendem-se na prat;a da Independencia n. 37, mul-
los superiores chapeos do Chili, chegados no ultimo
vapor.
Farinha de mandioca,
em'saccas : vende-se ao lado do Corpo-Sanlo, lo-
ja 25.
Na loja 11. 5 A, da ruado Cres-
po, de Ricardo Jos de
Freitas,
vendem-se cortes de chita com 10 cova-
dos, a 1,6*00 rs. ; inanias de tarlatana, pa-
ra senhora, a 1,000 rs. ; pecas de brcla-
nha de rolo, com 10 varas, a -.1,000 rs ;
contras militas fazendas por precos cant-
il) Ou 00.
PRELO
emsaccas muito grandes,
a 3foo rs. a sacca:
no armazem do llragucz ao p do arco da ConceicSo.
Farclo,
em barricas a 4,000 rs. ; sacras grandes a 3.500
rs., ditas pequeas, a a.KOOrs 1110armazem do J.
J. Tasso Ju nior, na rua to Ati.orim, n. 3.
-- Na rua da Mocda, 11. 7, ronlinia-se a vender su-
perior colla fabricada 110 Itio-Cramle-do-Snl.
ISa loja da rua do Crespo, no n
da arco de Sanio Antonio, 11. :1 A, de
liicardo Jos de Freitas Ribeiro, ven-
dem-se chapeos de sol de seda, astea de
ferro, os mais superiores e modernos
que tcein apparceido ncsla praca, pelo
diminuto preco de 5,000 rs; ditos de astea
de baleia a 3,5oo e 4,000 rs., tambem de
seda, preco por que estilo boje os de
panninho.
Vende-se 1 ponche de panno azul, forrado lodo
de baca ao posto despatillo! com 32 palmos de
roda, em bom uso, por preco commodo na rua de
S.-ltla, n. 91.
Vende se panno de algodo da tr-
ra muito superior : na rua do Crespo,
o. a3.
Vende-se una cesa de um andar
sita na rua do Hospicio no bairro da Boa-
Vista, muito fresca e com linda vista,
e que est livre de hipolheca : a tratar
no Alterro-da-Boa-Vista, loja da esqui-
na do becco, n. /|0.
AVISO AS SENIIOIIAS DOCEIRAS.
He chegado no Atterro-da-IJoa-Vista, loja n. 48,
temos com 6 bordas para doce, a 1,200 o terno.
-- Vcnde-so algodo da lena tic superior qualida-
de : na rua do Queimado, n. 20.
Vende-se tima preta com uma cria com dous
annos, por prego commodo por necessidade : no
pateo do Paraizo, n. 21.
Vendem-se chapeos fiancczes da
ultima moda de Pars ; bonets de palha
tanto de homem, como para menino de
superior qualidade e gosto o mais moder-
no; chapeos de molli pretos e brancos ;
ditos de massa sem pello, de varias for-
mas e cores, para homem e meninos ;
ditos de palha da.ltali.i, superiores ; di-
tos do Chilli muito alvos assim como
todos os preporos para chapeos, ludo
chegado reeentemente, e por preco o
mais commodo possivel : na rua Nova,
n. 44 fabrica de chapeos de Chrislianni
&c Irmo.
Continia-se a vender manteiga ingle7a nova a
500, 60Oe 800 rs. ; cha hysson, a 2,<>00 rs.; cafe
moido, a 160rs. ; ditoem gr.lo a 120 rs ; bolachi-
nha ingleza, a 200- rs. ; doco a 200 rs ; pastas a
320 rs. ; alelria, a 200 rs.; toucinho de Santos, a
200 rs. ; espermacete a 880 rs a libra ; carnauba de
6, 7 e 9 em libra ; caixOes de doce de goiaba de 6
em arroba a 800 rs.; queijos novos a 1,600 rs. : no
paleo do Carino, loja do sobrado do Cabricl Antonio,
11.17.
Lotera do Kio-dc-Janciro.
aos 20:000,000 de rs.
Acham-sca venda na ruada Cadeia, n. 24, na
loja de cambio da viuva Veira & Filhos blhetes
e meios dilos da segunda lotera para indeinuisacio
do thesouro publico da prestarlo mensal com que
auxilia a Joflo Caetano dos Santos, emprezario do
theatro de S.-Francisco,
Na loja da rua do Crespo ao p do
arco de S -Antonio, n. 5 A, vende-se
casimira encarnada propria para golas e
canliues de farda a i,'i>o iris o invado.

figuras ,de 18 annos; urna preta de 18 annos, de
l humia ligura na rua da Madre-de-Deos, toja n. 34,
LADO


Vende-se ca.' virgem de Lisboa,
chegada no ultima navio, em barris pe-
queos, por menos do que em outra qual-
quer parte : na ra do Trapiche, arma-
zem n. ly.
Saccas com milho ,
a 5,200 rs. :
vendem-ss no armazeni do Bacelar no caes da Al-
i.indega.
No arma/em de Dias Ferreira, no
raes da Alfandega, vende-se, por preco
milito commodo, potassa muito superior,
em pequeos barris de 100 libras cada
11111, desembarcados ltimamente.
Potassa.
Drsembarcou lia poneos dias urna por*
rao de barris pequeos, com muito nova
e superior potassa, c se acbam venda,
por preco mais barato do que ltima-
mente se venda, na ra da Gadeia-Velba,
armazem de Bailar &(Jliveira, n. 12.
Algoro (raneado da fabrica
de Todos-os-Santos da
Itahia ,
milito proprio para saceos de assucar e roupa de cs-
cravos: vende-se em casa de N. O. Bieber & Cum-
panhia na ra da Cruz, n. 4.
Flores artificiaos.
Na loja da ra do Cabug, do Duarte,
acaba-sc de receber um completo sorti-
mento de llores finas, ramos, capellas de
llor de laranja, pennas para enfeites de
chapeos de senhora e cabeca, guarnicSes
de vestidos de casamentos : d-seao amos-
tras com o competente penhor.
Vendeni-se presuntos para fiambre ; queijos
lomlrnitios ; ditos de pralo ; latas com bolachiuha
fina de Lisboa ; ditas de aramia ; conservas novas
mostarda ; potes com sal fino ; hilas com mermela-
da nova ; ditas com sardinhas ; ditas com hervilhas ,
caixinhas com massas finas; vinho moscatel de Sctu-
bal dito Sherry ; licores finos; c outros muitos mais
gneros por preco commodo : ni ra da Cruz, no
Recito, n. 46.
Vcndem-se 5 lindos moloques, de 12 a 18 an-
nos; G pretos.de 20 a 25 annos, bons para todo o
servico, sendo um bom carreiro ; um pardinho, de
11 anuos, bom pura pagem ou para aprender ollicio ;
una ma mulatinha, de 15 annos, com afumas ha-
bilidadeaj urna ncgrinlia de 13 annos; urna prcU que
Diigomma bem.coze c cozinha ; duas ditas para lo-
do servico : na ra do Vigario, n. 24, se dir quem
vendo.
Vendem-se os fiteiro* e balefio que
forain da armacao velha da loja do Duarte,
j>ropiios paraqualquer estabelecimenlo,
por preco muito commodo : a tratar na
mesma.
Luvastlc pellica.
Na loja da ra do Cabug, do Duarte,
haluvasde pellica, bordadas a seda de
cores, e enfeitdss de setim c Crocos, e
de cores exquisitas, as mais novas que ha,
por terem viudos no ultimo navio de
.Franca.
Vende-sc a verdadeira potassa da
Russia, desembarcada hontem, por pre-
co muito rasoavel, vista de sua muito
superiorqualidade : na ruado Trapiche,
n. 17, e ra da Cadeia, n. .Vi.
-- Na ru do Crespo loja de 4 portas n. 12, ven-
dem-sc chapeos do castor prctos, do muito boa qua-
lidade a 4,400 rs.
Vende-se um alambique de cobre ,
com serpentina do mesmo metal de carga de 9 ca-
adas por 250,000 rs. : na ra do Collegio, toja n 9.
Fitas baratas.
Na loja da ra do Cabug, do Duarte
ha fitas pretas, hvradas, a 120, 2/.0 e 320
rs. a vara.
Vendem-se sacros com Carelo,
chegados ltimamente, pelo diminuto
preco de 3,4oo rs.: na ra da Sanialla-
Velha, n. i38.
a duzia ; e de 100 jardas de iG, iao e a8o
rs. ; crep de cores e preto a 900 rs. o co-
vado ; bandejas de mcio charao a IC, 2O
e 28 rs. a pollegada ; suspensorios finos
escovas para cabdlles (inglezas) ditas para
dentes, finas, e enterfinas, filas proprias
para senlura de senhoras, com Cranjas e
sem ellas, de ns 9 e 12 a 1,00o rs. a vara;
papel proprio de carlorio a 2,200, 2,600
c 3,Goors. a resma; trancas de cores,- tan-
to de seda como de laa a 120 rs. a peca ;
trina branca c amarella: as amostras se
.irham patentes aossenhore compradores,
mediante o competente penhor.
CBA* HYSSON,
de ptima qualidade a 2/240 rs. a libra : na ra da
Cru no Recito armazem n. 13.
Na loja de quatro portas da ra do
Cabug, n. i C, do Duarte, vendem-se
bengallas de canna da India, de castoes de
prata e de madre-perola, e de ganchos,
por procos commodos.
Vendem-se 3 lindos molequos, de naclo ; urna
prcta, de 18 anuos, de habilidades, Com urna cria de
6mezes; I preto de mela idade, por 150,000 rs.,
por seu dono so'rclirar para lora: no pateo da ma-
triz de Santo-Antonio, sobrado n. 4, se dir quem
vendo.
Vende-se oca amarella cm barris de 13 arro-
bas, a 500 rs. cada arroba ; p9 pretos de fumo em
barris de 7 arrobas a 300 rs. a arroba : na ra da
Cruz, n. 1,
Vendc-se familia e milho em saccas, por pre-
co commodo : na ra larga do Rozarlo, n. 27.
Na jua da Cruz no Recito armazem n. 26,
vendem-se saccas com superior farinha de mandio-
ca, vindadoCear por preco mais barato do que
em outra qualquer parle.
Pens do rio Preto, em que esto situados varios on-
Penhos: tamben) se vende metade da dita trra ,
saber : a meia legoada msrgeo do rio Una com o
fundo tambern do meia legoa e na mesma forma a
outra meia legoa de fundo : o preco da mei legoa da
margem do rio Una he do dous coutos de ris a di-
nheiro ; o da outra meia legoa he de um cont de
ris e sendo a prazo ser pelo que se ajustar: na
ra do Itangel, n. 45.
Vende-se, no armazem de Vicente Ferreira da
Costa, na ra da Madre-fleos, somas em saccas
grandes chegadas ltimamente de Trieste; vinho
da Figueira em barris, o mais superior que tem
vindo a este mercado, do muito condecido autor ra-
bino ; vinho abafado, em ancoretas de 4 e meia a 5
caadas.
Na ra do Cabug, loja de quatro por-
tas, do Duarte, vendem-se capachos
5oo rs redondos ecompridos, para aca-
bar.
Anda resta para vender urna pe-
quena porcao de bonetes de panno risca-
do, a 280 rs. : na loja de quatro portas
da ra do Cabug, do Duarte.
Pecbincba.
Na loja de quatro portas da ra do
Cabug, do Duarte, vendem-se setins de
diversas cores a 800 rs. o covado.
Bicos de cores.
Vendem-se na loja da ra do Cabu-
g, do Duarte, bicos bordados, de cores,
do ultima moda usada no Rio-de-Janeiro,
a 110 rs. a vara; as amostras se acham
patentes aos Srs. compradores.
Bicos de seda.
Na loja da ra do Cabug, do Duarte,
vendem-se lceos a imiacao dos de Lolnn
de brancose pretos de diversas larguras
linhas de 200 jardas, a 16, 12O e 7oo rs!
Agencia da fundir o
Low-Moor, ra da eiizalla-
nova, 11. 42.
Neste estabelecimento contina a ha-
ver um completo sortimento de moendas
mcias moendas, para engenho; ma-
chinas de vapor,c tachas de ferro batido e
coado, de todos os tamanhos, para dito.
Farinha
Vende-se.muito boa farinha em saccas,
e por barato preco: no ultimo armazem do
caes da Alfandega,de Francisco Dias Fer-
reira.
Vende-se ago'ardente de Franca, verdadeira ,
em barris pequeos : na ra da Cruz, n. 38.
Vende-se a dinheiro ou a prazo, por inleiro,
ou por metade urna legoa de Ierra no riacho Caru-
r termo da villa de Alhalaia com urna legoa de
fundo .confronte a trra denominada Casa-dc-Pa-
Iha, de Jos Pires da Silva, que fica dolado do su I
do dito riacho : o preco de loda a ierra a dinheiro
lio do um cont e duzentos roil rs. e de seiscentos
mil rs. sendo metade : a prazo ser pelo que so ajus-
tar : na ra do Itangel, n. 45.
Vendem-se acedes, da ex-
uncta companhia de Pernambuco
e Parahiba: no escriptorio de O-
liveira lrmos & C, ra da Cruz,
n. 9.
Vende-se cal virgem de Lisboa em barris de 4
arrobas chegada pelo ultimo navio, por preco comnio-
ao : a tratar com AliiindaHt Fonseca.narua do Apollo
A 1,600 cada um.
Na loja do Cu i ma riles & C, que faz esquina para a
ra do Collegio, n. 5, vendem-ae brreles de seda
para padre, pelo barato prego de 1,600 rs. cada um.
FARELO,
a 4,500 rs. a barrica no armazem n. 20, de Joaquim
ai Silva Lopes, conrronle a guarda da alfandega.
Toncas do Rio-de-Janeiro.
Na ruando Cabug, loja de quatro por-
ultimo
toucas
rs.; e
tas, do Duarte, recebeu-se pelo ul
vapor do mi
de laa, para
um sortimento
senhoras, a
de
continala a ter por lodos
conforme sua extraccao.
a,5oo
os vapores,
Figos de Comadre,
cm sciras e barris de urna arroba : defronte da por-
ta da alfandega armazem n. 20.
Ainda resta a vender na loja de
quatro portas da ra do CaLug, do
Duarte, urna pequea poicao de chapeos
de pal ha da Italia, para homem e se-
nhora, a 6,ooo, i,a8o,c 5,ooo rs. A'
elles, antes que se acabem.
Vendem-se barrii pequeos com cal virgem de Lia-
boa, a man nova que ha no mercado, por preco com
modo : na ra da Molda armazem n. 17.
Vende-so para pagamento dos credores, a
venda da esquina defronto da igreja dos Martyrios
com os fundos de 300,000 a 400,000 rs. : quem a pre-
tender dinja-se a ra da Jladre-de-Deos a tratar
com Vicento Ferreira da Cosa o qual promelle fa-
zer negocio e vender baralo para realisar.
-- Vende-se a dinheiro, ou a prazo, meia legoa
de trra de frente, com urna legoa de fundo, na
margem do rio do Una, da parte do sul con-
fronte a Ierra do engenho Japaranduba principian-
do na barra da Trombeta .e!o rio ie Una cima ate
onde se completar a meia legoa, cujos fundos vilo
terminar com a Ierra concedida por sesmaria ao fal-
lecido sargento-mr Antonio Casado Lima, as mar
Pee hincha.
No Attorro-da-Boa-Vista, n. 78, vendem-se sapalos
de cordoAflo de lustro para senhora, a 1,000 rs ;
ditodemarroquim.a 800 rs.; bolins de duraque
para senhora a 2,000 rs. ; sapalos de bezerro de
sola e vira, para homem, a 2,240 e 2,560 rs.; botins,
a 6,000 rs.; bonetes de riscado a 320 rs.
Vinho bom e baralo.
Na esquina da ra do Vigario, n. 33, vende-se su-
perior vinho de Lisboa e da Figueira a 150 rs. a
garrafa e em caada a 1,100 rs.
Vende-se muito superior lagedo de Lisboa, e
cal virgem em barris de 4 arrobas, por mdico preco:
na ra do Vigario, n. 19.
Vinho barato.
Acba-se estabelecido na ra da Madre-de-Deos,
n. 36, um armazem de
Vinlios da Figueira,
de ptima qualidade, a preco de 1,120 rs. a caada,
e a 160 rs- a garrafa ; e para nSo haver dolo do com-
prador serfio lacradas as garrafas e com rotulo, re-
cebendo-so a garrafa vasia, e dando-se inmediata-
mente a outra cheia : tambem ha barris muito pe-
queos.. proprios para quem passa a tosa. O pro-
prietario deste estabelecimento pede encarecida-
mente que se nfio illudam avaliando, pelo diminuto
preco e sem conhecimento de causa, a qualidade de
sua fazenda digna por certo da estima dos verda-
deros amantes da boa pinga. Elle conla que quem
urna vez provar, continuar com goslo e sem arre-
pendimento. Eo bom preco!!.' A todo o exposlo
accresce o asseio e boro acondicionamento, o que
ludo se poder verificar em dilo estabelecimento.
- No armazem junto ao arco da ConceicSo que
foi do (nado Braguez vendem-se barricas de supe-
rior fu re lo de Lisboa a 4,000 rs. cada urna ; arroz
do .Maranhiio, muito barato.
Quadros de santos com molduras
da moda.
Na loja da ra do Cabug, do Duarte,
acaba de se receber um novo sortimento de
quadros com moldura dourada em metal,
em ponto grande e peqireno, de 32o at
2,000 rs., dndo-se as amostras aos Srs.
compradores, com o seu competente pe-
nhor.
-- Na padaria da ra da Guia, no Recito llavera
todos os dias a venda o novo pilo de l'rovenca fa-
bricado poroulr modo que o actual e da melhor
gosto que tem apparecido no mercado, a 8 000 rs n
corte; cortes decolletesde gorgurSo a 3 000
setim maco de superior qualidade a 3,000 e 4 oi
rs.; merino prelo fino a 2,000 e 2,500 rs. dt
muito fino, a 4,500 o covado ; assim c-.rao outra.
muitas fazendas por prego commodo.
1 :' wmm
%
DEG PORTAS N2
O dono deste estabelecimento tendo j sal-
dado contas com alguns de sens credores,
desejn saldar o resto antes de lindar o anno,
e para esse fim tem resol vdo vender todas as
fazendas por diminutos presos, a saber: pe-
Sas de madapolflo lino com pequeo toque
e averia a 3,200 o 3,500 rs.; dito limpo,
a 3,000, 3,500 e 3,800, e do muito largo e
lino a 4,000 rs. ; pecas do chitas escuras de
-bonitos padrOes a 5,500 5,800 6/ e 6,500 rs.,
finas entrando algnmas de coberta a 7,000
rs e o covado a 150,160,170, 180e190rs.
corles de cassas de bonitos goslos e tintas
lixas, a 2,200, 2,400, 2,600 2,800 e 3,000 rs ;
princeza de duas larguras a 640 e 800 rs. j
merm a 1,800 rs., e muilo fino, a 2,500
rs. ; pannos finos, a 3,500, c 4,000; pannos
de bonitos goslos para mezas de mcio de sa-'
la, a 3,000, 3,500 e 4,000 rs.; brim de linho
com lislras de cores que valcm 1,600 rs. por
1,000 rs.; dito escuro, a 480 c 560 rs.; dilo
de algodSo a 320 rs. ; los de linho lino a
6,40 e 7,000 rs.; algodlo da trra, a 190 !
rs. ; riscados trancados de lislras, a 160,
170, 180 e 190 rs ; algodio trancado azul,
americano, muito encorpado, a 210 rs.; cha-
les de chita a 800 rs e de outras qualidades,
a 1,000, 1,500 c 2,000 rs.; urna grande por-
cSo de bonetes de palhinlia Tina de velludo
de cores e de outras muitas qualidades, para
homem e meninos, a 160, 240, 400, 640 o 1/
rs.; e outras muitas fazendas, que, por oc-
cuparem muito lugar, deixam de seren an-
nunciadas, asquaesse vndenlo sem limi-
tes tilo smente aflm de fechar contas.
Vende-se um scllim inglez, com todos os prepa-
ras e com pouco uso: na ra das Ciuco-Pontis
n. 69.
Escravos Fgidos
Luvas de pellica.
Vendem-se Iuvms de pellica, enfeita-
tadas, para senhoras, pelo diminuto
preco de 2,5oo rs. o par. A' ellas, na ra
Nova, n. 3o, loja de Domiogos Antonio
de Oliveira.
--Vcndem-se escovas e almoacas para limpar ca-
vallos o mais superior que tem apparecido ; hem
como molas para esporas, feitas cm Lisboa, e lti-
mamente chegadas : na ra do Queimado, n. 4.
Para o novo esquadrSo de voluntarios.
Vendem-se talins, cananas; bonetes e palatinas pe-
lo (gurim approvado, por menos preco do que em
outra qualquer paite : na ra do Cabug, loja de sc-
leiro, n. 3.
Vcndom-se, no armazem de Dias Ferreira, ca-
xas de macarr3oe talharim a 3,000 rs. edealelriaa
5,000 rs.
Vende-se alcatro da Suecia, de
boa qualidade, em barris bem acondicio-
nados com arcos de ferro: na ra do Vi-
gario, u, 4-
Vendem-se saccas com farinha de
mandioca, de boa qualidade; na rna da
Cadeia de Santo-Antonio, n. 25.
Panno fino azul.
Na ra Nova, loja de alfaiate, n. 14, vende-se
panno azul fino, a 3,500 e 4,000 rs. o covado, e dito
muito fino, a 7,000 rs. o covado.
Fugio, no da 18 de outubro do engenho S.-
Joo, no Cabo, tlarcolino, pardo trigueiro, de 19 an-
nos, estatura regular, cara redonda, olhos penuenos,
denles limados ; levoii duas calcas, urna de brim
pardo e oulra do riscado azul; quem o pegar leve-o
ao referido engcntio ou a casa de Lulz Gomos Fer-
reira 110 .Mondego, quesera generosamente recom-
pensado.
Fugio, de bordo do brigue StrtoHo, na mantilla
do ilia 5 de julho prximo pastado, um escravo ma-
rinheiro, de nomc Francisco de nac.lo Jang; re-
resenta ter 30 a 35 anuos ; tem um signal na face rs-
querda, falla muito descansada ; levou calcas e ca-
misa de algodflo azul, chapeo de palha pintado de
branco, o balde de trazer raeOcs e 7,000 rs. em ce-
dulas; falla hespanhol: Iquem o pegar leve-no a
ra da Mocda n. 7, que sera hem recompensado.
Fugio, no ilia 20 do correte, do Ciquia, o cabra
Simplicio de rosto descarnado e com algumas mar-
cas de bevigas ; tem os ps grossos e oscalcanliaes
com principios de aristins cm cima do peito do pe
direito tem um taino que passa de urna e outra par-
le ptovenienle4e una ancora que lhe cabio em ci-
farinha que ha no mercado : por este motivo n3o se ma ; levou camisaSic algodSo da Ierra calcas de iis-
pode l'a/er sen3o a 40. 80 e 160 rs. -
-- Vende-se, por commodo preco, um piano ho-
risonlsl, fabricado pelo Broadwood k Sons, melhor
autor inglez, o qual 11S0 tem falla e he oplimo para
se aprender a tocar: na praca da Independencia, ns.
6 e 8, sedir quem vende.
Allencto.
Na ra Nova, loja de alfaiate, n. 14 acha-se um
riquissimo sortimento e oLt fit. : hem *nmn
un esplendido sortimento de fazendas' do melhor
goslo como sojam: panno lino preto, a 4,000 e
- 5,500 rs., e muilo fino a 6,000e 7,000 rs. o covado
- riquissimos cortes de casimira elstica,} do melhor
cadoj vclho, jaqueta preta chapeo lo palha; con-
duzio um caVallo rodado, grande, capado cauda e
dinas um lauto grandes; tem em um dos ps o cis-
co branco; levou urna carga de farinha : quem o pe-
gar leve-o ao pateo de N. S. do Torro venda n. 7,
que seta recompensado.
Fugio, 110 dia 22 do correte do engenho Ara- r
riba-de-Pimenlel ,da freguezia do Cabo, 11 m escra-
vo do abaixo assignado de nomo -Uoaventura ,
crioulo, de 30 unos, do estatura regular, cheio do
corpo coi uo Quita prola cabera um lanto gran-
de ; tem os dentes da fenlo quebrados.pouca barba,
perfeitode ps em ios, de bonila figura, bastante
ladino com ollicio de carreiro, e trahalha de car-
pina com a iiifio esquerda, por ser canhoto ; levou
urna baca encarnada nova, e a roupa que linha no
corpo por fugir a pi silo ; desconfia-se lar leva-
do urna escrava comsigo, do cunhado .do abaixo as-
signado, Antonio de Carvalho Azovedo que ha 2
annos anda fgida, de nomo lira/i da do gento de
Angola baixa, cheia do corpo, cor fula cabeca pe-
quea e cmprala beicos grossos, bem parecida,
de 22 anuos: quemo pegar leve-o ao engenho do
abaixo assignado, ou no llecife a Francisco Josa
Silvelra com armazem de assucar, na ra de Apol-
lo n. 10, que se gratificar com 50,000 rs.
lanocl da locha Gvedu.
Fugio, no dia 20 do corrente um preto de ne-
me Pedro,de naclo Mocambique alto, grosso do
corpo; tem um signal na testa e urna cora na alto
da cabeca, cara lisa ; hocanoeiro; foi escravo do Sr.
Calilo, na Boa-Vista -quem o pogar levo-o a ra da
l'raia-de-S.-Rita, o. 25, ou 34, que ser bem re-
com eiisado.
Fugio, no dia 23 do corrente do bordo do^pa-
tacho Duus-lnnaoi, um preto de mime Joaquim,
estatura baixa, denaco Angol; representa 95 an-
nos ; suppe-seandaraqui dentro da cidade: quem
q pegar leve-o a ra de Apollo armazem n. ,4, que
ser gratificado.
EKRATA.
Na declaracilo dos Irabalhos da relajo publicada /
no Diario n. 266, em lugar de so 1er desprezados
os embargos de Uanool Claudio de Queiroz, leia-ss
despresados os embargos do Agostinho Henriqiies
Sa Silva o sua mu!!:cr, que e!!? npnoseram na appel-
lacSo em que litigam com o dito Queiroz.
PEBN. .' NA TTP. DEM. F. DE FABIA. 848
MUTI


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EQ0CY8GFV_5EW57A INGEST_TIME 2013-04-13T01:57:40Z PACKAGE AA00011611_06185
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES