Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06181


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno XXIV.
Quiita-feira 25
MAMO publlca-ae todoa ot dique ni*
Je." de guarda: l>r?f dl "i.K",a'ur* J"e
* (ros d lnnte 5o Inseridos a
",nn deOn. por Italia, 40 r. en. lypo dlf-
rJ*a rairrpe(Ml pela melade. Os nao
"r'riViiie* pagaran 80 rs. por l.nha e KM) r.
;'*"" iOcr"ote, por <*d* publicado.
. p||ASRs Da MI* O M.EZ OE NOVEMBRO.
PARTIDA DOS CORRBIOS.
Goianna e Parahlba, ii sega, e sextas-felras.
Rio-G.-do-Norte, quinUM-felras ao meio-dis.
Cabo, Serinhaem, fiio-Formoso, Porto-Calvo
e Macelo, no I.'. a 11 e 21 de cada mez.
Caranbuns e Bonito, a 8 e 23.
Boa-Vista e Flore, a 13 e 28.
Victoria, s quutas-feiraa.
Olinda, lodos os das.
PREAMAR DE HOJE. .
Primeira, da 2 hora e M minutos da larde.
Segunda, sM huras e 18 minutos da manli.
i
DIARIO DE
(1 e Noven, bro de 184?.
N. 6.%.
DAS d.v SEMAJA.
20 Sfgunda. S. Flix de Valol. Aud. do 3.
dos 01 |'h., do J> civ. e ilo .1. M. da 2. r.
21 Terra. Apreseutacao de N. S. Aml.do J.
do c. da 1. v. e do J. depado2 dlst del.
22 Quarta. S. Cicilia. Aud. do J. do c. da 2.
v. e do J. de p.i/ do 2 dist. de t.
23 Quinta. S. Clemente, Aud. do J. de or-
phiios e. do J. M. da I v.
24 Sexta. S. Joao da Orne. Aud. do J. do civ.
e do J. de paz ti I dlst d t.
25 Sabbado. S. Catliarina. Aud. do J. do e,
da I v. e do J. d pa/. do I dlst. de t.
20 Domingo. S. Pedro Alejandrino.
CAMBIOS NO DA 2 DE NOVEMBRO.
Sobre Londres a 25 d. por 11000 rs. a 60 das.
Pars
Lisboa 120 por ccnlo de pU,nio.
a io-de-Jiiielro ao par.
Dse, de lett. de boa* Urinas al o Uses
Accoesdn coinp. de Keberihe. iSVri.Mn.
Maro.Oncas hespanholas :M800 a IK*
Modas Argm v. luyWlO a J7JWH
. dru/iOOu. Il/4U0 a 10/400
. dc//K)0... 9/200 a t/**'
PralaPataco* brasileiros 1/910 a M
Pesos coluinnario. 1/940 a '#**'
Ditos mexicanos..... 1/900 a 1|92"
l
PATEOFFICIAla
GOVERNO DA PROVINCIA.
PER.NAMBIj'CANOS !
Os extraordinarios sucessos que toem oeeorrido
m varios municipios dcsia provine a estilo juslifi-
em\a do iim modo dcploravnl a appreJienses que
ijiili o Itrasil inleiro do que se a assignalada por
desastres a poca om que houvesse de perder as
Bosicfles ofllciaes o parlido que aqoi as ocoupra
lestes ltimos tinos. Dominar pele terror om nome
ja liberdade, ou revoltar-sc contra qual(|tier govor-
no que noo obedece em ludo a sua caprichosa ven-
tado eis oprogramma Vaquelles que hoje preten-
de expor-vos a imlas as calamidades da fuerra
Concertado o plan da revoKa para o momento
em quo se mudasso a administraeflo suprema do
Latao, faltava um pretexto |>ar leva-la a eftVito,
e esse pretexto procuraram eitas na dosttuieflo
de alguns empregados da polica e ofllciecs da
guarda nacional, pretexto cm al mosmo insigni-
licanlc, indigno de quem pugna smenle eni favor
d.-s principios, e tanto tiris fulil quanlo he cer-
to que rarissimas demissoes havia foito o gover
no quando appareceu em campo a resistencia ar-
mada. ,
Inlerrogai os fados e veris que nos municipios
deNazareth, Po-d'Alho, Iguarass, e Olinda iiRo
te tirilia verificado a mudanza de tim s empregado
quando ah levantou-se o grito da revoltn, e que
alguns d'aquelles mesnios que o governo conser-
viii nos cargos, confiando no scus protostos de
eaiiiauu, fr. ii O ji iiimiii.-i C uipltiSr CS Tiiia
pira resistir-IUe arcusando-o do reactor. Nem silo,
pois, as demissoes. mas o simples receio deltas o
que se allega como causa principal do un movi-
menlt), que comprometle a trauquillidado peral da
provincia, que embaraca sciisiveluienic o progresso
de seiu niellinrauntos, que enrhe emlim do susto
e cooslernai;3o as familias e os cidadAos pacficos.
Assim, pois, vae oom gerat espanto que aquellos
oii'smos que anda hontem nlo Conscnliam que pnr-
manecessem no mais pequeo emprego de conli-
snv quaa nSo fosse seu decidido partidario, jul-
gam-se hoje com direto a revolt ir-se para vingar,
como se fra um attenlado, k dustiiuicfio do um ou
oulro funeciooario que, fazendo alardo dasunop-
iiosic.no ao governo actual, servia-se da propria in-
fluencia do cargo 'para bosldisa-lo a ponto do con-
citar o povo rovolu..
w'c SiTi iio pOGf3 juias j'jsuicar-sc no
ronceito dcqualquor pessda imparcial, que a lega-
lidailc e a modrracilo dos actos do governo da pro-
vincia seriam bastantes pura descobrir aosollios dn
publico a iiiiquidade do qualquer tentativa do re-
sistencia aruikda, bem o conheceram os directores
do movimento o d'ahi procede a necessidade em
que se virai de recorcr s incriveis falsidades e
calumnias quo a sua iniprcnsa assoalbaacada rnn-
inciilo. A absurda, o para nos tilo degradante, ficcio
da influencia "eslrangeira sobre os deslinos da nossa
patria, a de p'rocessos adredo instituidos para in-
vulver os adversarios do governo, a do recrutamento
cm massa, a das prises a bordo dos navios do guer-
i*. e mil oulras coio que se procura inflammar as
jPmoes do povo, sao oiitrss tantas provas de que
aquellcs que assim procedem ii.o descobrem no
comportamento da adininrstraco motivo algum que
justilique scus clamores. Taes actos do violencia
nunca existirn), como o sabe toda a capital: quem
ns aflirma, obedece ao impulso, do paixOes ranco-
rosis, nilo aos dictaines da prop a conscieiicia.
Seduzida por taes meiOuma parle d populaco,
excitado o seu enlhusiasmo por proclamagOes in-
cendiarias, foi-lhes possivel formar o bando de
Iguarass, qoe, marcando logo com sngue hu-
mano as suas prmeiras pisadas naspraiasdo Rio-
Doee, fui levado so oxcessd de assallar a villa de Na-
Weth, sorprendend o aprisionando o destaca-
mento ahi sisteme, que no conflicto teve du ceder
a Miperiordade do numero.
NSosaiisJeitoscom estse oulrosallantados, ven-
do queso Ibes approximava a columna command.ada
pelo coronel Uezerra, os revoltosos, bem louge de
JispefSHr-so bu de dirigir ao governo qualquer reprc-
ntaeJo, como so fazer om todo o paiz livre quem
PuRna por direilos olTendidcs, quizeram dr no en-
gcnlioMussupinho a ultima piova das intcnefle com
que huviim empunhado as armas. ReuhiJo oi o
cmbale, assignalada a vicloria dos leaes defenso-
res da causa da le O'da ordem, e emquanto a hu-
'anidade deplora o sangue de tantas victimas que
"hi suecumbiram, ei-los, os promotores da revolta,
contando com ufai.ia as forjas de que dispOem para
wuefio de seus nefandos projectos, descreyendo
como triumphos a serie de crimes que diariamente
coinmctieni, e procurando anda aluciar por lo I Os
osmeios a paite menos avisada do povo para invol-
V|-Ja nos funestos conflictos que vflo apparecenJo
m varios lugares da provincia.
K poderlio ser anda lidos como liberaos aquellos
quo, despreando todos os meios que nossaa iiialt-
luicesofreieccm a qualquer partido poltico para
< triumpho pacifico de suas opinioes, s deposilain
conlianca no recurso as armas, e sacrifican! mo-
mentneasalisfac5o de suas vngancas e caprichos
orepouso e a prosporidadu ds urna provincia intei-
' iNoo : quem assim procedo nao lie amigo da
vardadeir liberdade, que s medra uo seio da paz,
liando a fiel observancia da costiluic,uo odas leis
bade garantir os direilos de todos.
j\ i'ernambuoanos! a missao queme io conuaa pu-j
to governo imperial quando se dignou oncerregar-
meda adminslrar;flo desta briosa provincia, he nm.i
misao de paz e modernc.SU, nica que pode estar du
aecedo com os seiltimontos do MAGNAMMOCHEKF.
DA NACXO, que om sua paternal soliCitude vela in-
cessantemcnle sobre o bem-estar dos" Braslleiros,
nica que eu po.leria aceitar, oflerecciido como ga
ranlias do seu fiel deseinpenlio todos os precedemos
da ni i n ha vida publica...
N;1u acreditis, pois, nos embustes com que alguns
hoinea mal Intencionados pretendem illaqucar vos-
sa boa-te, o converter em recursos de sua elevacijo
pessoal as obres inclinacOes de vosso reconhccido
patriotismo.
Observador escrupuloso da consliluicao o das Icis,
mantenedor do direilos do todos contra as usurpa-
ofles de quatquer natureza ou origem, empenhado
en promover a prosperidade da provincia lauto
quanlocouber na esphera de minhas attribuicocs,
descanso inteiramento no vosso amor ap throno e
as slituicdPS que nos regem ; e forte pelo testemu-
nho de minha conscienria, forte pelo vosso valioso
concurso, sl>ere sustentara auloiidadeque me es-
t oonfiada, ao mosmo tempo que o meu principal
cmpcnlio consiste no rcstabelcciuiento da ordem
publica. .
Pcrnainbucanos que estis illudilos! Rccuai, em-
quanto he lempo, da carreira do crme ; deponde as
armas que nSo podis empunbar sem grave offens i
mngestadod lc; confiai na clemencia do melhor
dos monarchs e nossentimentos do juslicaque ani-
mam o seu governo ; abandonai a causa d revolta ;
apresenlai-vos s autoridades legtimamente cons-
tituidas, e icai cetlos deque, recollicndo-vna tran-
quillos s vossas casas, acharis no presidente da
provincia o primoiro defensor de vossos direilos,
.... jjj. ni.m or nii.jmjAr tnaiioira nffondidos.
M VvaSuaMagostadoo^mperador oSenhor Dom i:e
dro II. ,
Viva a consliluicao poltica do imperio.
Vivara os briosos detensores da legalizado o da
ordem.
Palacio do governo da provincia de Pcrnamuuco
na cidade do Recife, 99 de novembro de 1818.
Hrrci-lino FanniRA I'fnna.
Dilo Ao director do arsenal de guerra, auluri -
facultivos que assignarain decl
he ou n3o curaVel.
onle da rclac.no, communicantlo
Scienti
lllllllUUIl w ,.v.."~. .- ,
enlificou-se o inspector da tticsourana da laztnda.
Dito.\o rr.csmo, participando que s;_ M. o I.
Mive por bem conceder ao bacharel I)
Ufa Mascarciihas juiz de direito do civcl
bou
Ass
Portarla. Coneedeno a Jofle Xavier (arneira
Rodrigues Rampollo a ilcmissfin que pedio do rargn
de siihdelt'gado do dislricto da l.u/ municipio do
Po-d'Alho, c nomcaiiilo para o substituir ao lenon-
le-coronol Manocl Lucas do AraujoPinhciro. I'\-
pedirani-so as parlicipacd-' do eslylo.
EXPEDIENTE DO DA 17 DE NOVKMHlt.
Offlcio.AO agente da companhia das barcas de
vapor, recommendando de as precisas providencias
para que sejam postas a disposiqo do coronel com-
man tanto das armas ntorno as quatrO prac,as do *."
balalhflo de artilharia a p, Irazidas da llallis pi lo
vapor fahiana.--f*ariicipuu-s o cemmandante das
armas e ao presdeme da Baha.
Poitaria --Ordenando ao inspector do arsenal de
mariuha forneca a lancha que o eommandanto das
armas interino requistar para fazer desembarcar
qiiairo pravas do 4. balalbilo de artilharia a pe,
vindas da Baha a bordo do vapor Vema/nbucana.--
Communicou-se ao commandanle das armas.
DEM DO DA 18.
(inicio.Ao eonsul da repblica franceva, decla-
rando quo om virtuile do aviso dn secretara do osla-
do dos nogocios esla nuciros de 25 do otitubro ulti-
mo, tica revogada a ordem pela qual so mandara por
a disposQoilo S S. o subdito Franco/. Joan Mnhulo
que so acha preso nliin de cumprir o contrato do lo-
cacode servicos celebrado nesta provincia por cs-
criptura publica com l'oirier subdito da mesma na*
cao Socotificou-se ao juiz do paz do i. dislricto
la freguezia da Boa-Vista.
Dito.Ao couimaudantc das armas, remetiendo
urna representacfto do inspector da pag.idoiia das
tropas da corte, para quo S. 8. ordene ao comman-
danle do 6. batalliHo de c.icadores que leudo em
vista a referida representacito, quo sera devolvida,
informe o que constar dos asseiltamentos procedi-
dos a respeilo dos descontos quo se inandou fazer
nos sidos do tcnente do l. batalliHo do fuzleiros,
Jos Joaquim da Silva Cosa.
Dito.Ao n esmo, participando haver-se expedido
as necessarias ordens, para que as pessoas constan-
tes da relacflo quo acompanhou o ofllco quo b. S.
driio a esla presidencia, indemnisem a causa da
administragao dos fundos do rancho do C. batalhao
do cacadores de 1 ,* linlia das parles em que so acham
debitadas para com olla.
Dito.Ao mosmo, communicando haver S. M. o
I. determinado que S. S. enve a osla presidencia
para ser transmltido a scerelaria de estado dos ne-
gocios da guerra q mappa meusal da guarda nacio-
nal queso acha em destacamento, o declarando qdc
esse mappa deve de ser em separado como so pralica
a respeilo dos corpos do exeretto.
Dito.Ao coronel commissarto-pagalor scienlii-
cando-o de que o capiuio do 3. halalhto de fuzilei-
ros Antonio Eduardo da Cosa roquereu ao presiden-
te da provincia do Bo-Grande-do-Sul fosse suspensa
desde o l.'de outubro lindo em diaute a consigna-
ciio de duas lerdas partes de seu sold, que doixars
tiesta provincia a beneficio de sua ramilla, atim do
que cesso de fazer esse abone ; e ordenando declaro
so dita susponcao pode ler lugar desde o 1.* do men-
cionado outubro etn dianle ou se ja satisrez o tocan-
te a aquello tiiez.
DiloAq Inspoetor da thesourarta da azenda,
transmillindo o aviso de urna lettra da quantia de
6:300,000 ris que a thesourana da provincia do
BioGrande-do-Norte sacou sobro essa a cargo de i>.
8. e a ordem de Barroca & Pinbciro.:-Parlicipou-se
ao presidente da mencionada provincia.
uiie.-Av co,Tir.:sd:r' dss armas, remeltendo
Manuel do
da tomar*
cado Brejo da Mad're-de-Deos seis mezes de liccn^n
som vencimcnto.--Cominunicou-se ao inspector da
Ibesnuraia da fazenda.
Dilo.Ao commandanle das armas, scioiililican-
do-o de haver S. M. ol. conce'i.lo ao .' cadete do
I." regiment do vallarla ligeira, Francisco do
Carvalho Medeiros, seis mozos dcliceiiQa som toldo
para vir tratar-de sua saido nosta provincia.Intei-
lou-so ao commissario-pagador.
Dito.Ao inspector do arsenal de mariuha remet-
iendo copia do conliccitnenlo em forma de urna bom-
ba de fogo e duas mil espoletas fulminantes que
pela intendencia da marinha da corte Tram envia-
das para esso arsenal no brigue-escuna l'irap'i.
Dito.Ao coronel conimissario-pagador, remet-
iendo um conta do faldamento que se esta a dovel-
as pracas de pret do 5. batalhao de fuzileiros, para
que depois de examinada salisaga a sua importancia
ao commandanle do icferido batalhao.-Pailicipou-
seao coinmandanto das armas.
Dito --A;; eom'nandanle das armas, communican-
do teiorn sido passados por decretos de do outubro
ultimo para o corpo xo do Cear o lenentc-coronel
commandanle do 3. baUlhJo de cacadores, Luiz
Antonio FatUta e para este balalhflo o tenente-coro-
uel commandanle d'aquello corpo Francisco Flix
Carvachal Souza e Mcnezes. Sciontificouse o com-
missario-pagador.
Dito.Ao mesmo, participando que para esla pro-
vincia vinlia o "capililo do 1" balalhflo de cacadores
Andrc Pinto Ddarle da Cosa Pereiraafim deserem-
aregaao como ajudanle de ordens do commando
das armas.luteirou-so ao coronel commissarto-pa-
gador.
DitoAo mesmo.Communicando queS. M o I.
por sua immediata o imperial rosoluco tomada so-
bre consulta do concelho supremo militar houvo por
bem mandar passar para a 3.' classe do exereilo o
2." trnentfl aldante do 4. balalhflo de artilharia a
p, Antonio "l'ereira dos Santos, que se ama na
' Dit'o.--Ao mesmo, remetiendo urna copia do aviso
da secretaria do etaJo dos negocios da guerra do
ou.; consta quoS. M. o I. dignaia-se de nomear para
o lugar do "Imoxarife do arsenal de guerra desla
provincia ao lenle da i.' classe do cxercito Joao
fteraardino de Vasconccllus.-Fizerain-so asportici-
pacocs (I < estylo. ,. .
Dilo.--Ao mesmo, participando haver .S M.^c l.
concedido liconca registrada ao cadete do 2o bala-
Ihflo de artilharia a p, Aprigio Jusliniano da Silva
Gttirnarflea para cstudamo curso jurdico do Olinda,
devendo o agraciado a presentar ccrlidao de freqnen-
cia delires em tres mezes. .
Dito.-Ao presidente da relaeflo communicando
que aos chefes de polica nomeados para as diversas
provincias do imperio e aos juizes de din ilo remo-
vidos de urnas para outras comniarcas nflo se c-xpo-
dirflo carias d'ora om diante devetidfl servir-lhes de
(iluto a copia authenlica do respectivo decreto pela
mesma inauoira que ate agora so lem pralicado a
respeilo dos deseinbargadores removidos.-Scicnti-
licou-sc o inspector da thesourana dn fazenda.
DEM DO DA 20.
OlTicio. Ao inspector da lliesoiiraiiii da fazenda.
Bemelto a V. S. a inclusa copia do olhcioque me
onderecou o coronel commissano-pagador em 13 do
crrenlo acerca da insuficiencia do crdito proviso-
rio abarlo para as despezas do ministerio da guerra
nesta provincia no presente exercicio de 18V8-1819
acompanhada deoulra copia da demonslracflo a quo
elle ahi se refero. De posso desses documentos c nos
termos do artigo >.' do decrelo n. 158 de 7 de maio
do 18i2, V. S. dai suas ordens para que sb respon-
sabilidade desta presidencia soja supprida a paga-
doiia militar Coma quanlia de 21:5048675 ruis que
o mesmo commissario repula como sullicienle para
fazer face as sobreditas despezas no resto do mez
correute. Communicou-se ao commissano-pa-
gador.
Dilo. Ao director das obras militares, ordenan-
do mande concertar o arrombamento que lizcram
na i.nsflo grande da fortaleza do Brum os presos de
justica que ahi so acham rccollidos. Scientiticou-
se o eommandanto das armas.
Dito. Ao coronel commissario-pagador, deter-
minando satisfaca ao palrflo-mr do porto desta ci-
dado a quanlia de 6/400 ris que so despendeu com
a conduceflo do armamento c munices para o arso-
nal de guerra. Parlcipou-se ao inspector do ar-
senal de marinha.
Dito. Ao inspector da Ihesourana da fazenda,
transmillindo o aviso de urna letlra da quanlia do
t oSOOOris sacad pela Ihesourana da provincia
doBio-Grande-do-Norte sobre essa a cargo de S. b.
e a favor de Canuto Ildefonso Emerenciano. intoi-
rou-se'o presidente do Rip-Grande-do-Norte.
TRIBUNAL DA RELACAO.
SEiS.lO DF. 21 DE NOVEMBRO DE IK8.
PREStDKNCfk do smi. DrSEunr.i;DOr.-Azrvrno.
Achanlo-se presentes os Srs. desembaMadores
Ronce, Banios, Villares, BasloS, l.cflo, e o Sr. jmz
do diroito l'ereira Montciro, atiri so a sessflo as lio-
ras do esl vio. ,
Ao meio-dia menos 10 minutos eomparcccu n Sr.
desembargad.H Nuncs Machado.
I'ropozcram-ie e julgaram-se os seguintcs pro-
cessos:
Habeuscoiptii pedido por Manocl Corroa de luna.
Nogaram a soltura.
Habeat-rorpin pedido por Joflo Vioira de Freilas.
Denegara m.
Aggravo de petioflo de Antonio da Costa llego Mon-
teiio. Deram previmento.
Aggravo de petic,flo do Manoel Pires Ferreira. Ne-
garam proyimeiilo.
Appciiar^Ocs civeis tm que sflo :
Appellante, Paulina The reza da Costa; appellado,
Chi'islovflo Guilhormc Brekcnfeld. Conlirmaran
a sentencia.
Appellante, D. Marianna llermogcnes da Coneeiclo
Sampayo; appellado, Joaquim Manoel de Carva-
lho. Confirmaram a seulence.
Appellante, a prela llosa por sen curador; appella-
d, Mara Carolina Ferreira do Carvalho. man-
dara m dar vista ao curador.
Appellante, Manocl Joaquim Soarcs; appellado, o
cuiador a licranca jaceule do finado Jos Francis-
co Collares. Mandaram vista ao curador geral
o ao Sr. desembaigador procurador da cora e fa-
zenda nacional.
Appellante, a fazenda ; appellado, Luiz Antonio Fer-
reira de Alhuquerquc tutor dos orpbaos tillios de
Joflo Bodrigues l'imenlel. Julgaram pela refor-
ma da senienca.
Appclla?es crimes em que so:
Anncllantc, o promotor publico; appellado, Fran-
cisco l'ereira da Silva. Julgaram improcedente.
Appellante, o promotor publico do Aracaly ; appel-
l'-do. o juiz de direito da mesma comarca. .\3o
lomaram eonheciment.
Aiipcllante, ajuslica ; appellado, Joso joaquim do
Sanl'Anna. Julgaram procedentes as rasoes da
appcllacflo.
Foi assignadit o dia da prinieira sessflo para seren
litigadas as seguintcs nppellagoes :
Appellante, Jos Lopes llosa; appcllada, I). Joaqui-
na Michaella de Castro Acciole.
Appellante, Antonio Jeronymo Lopes \ launa; appel-
lado, Domingos Pires Ferreira.
Vppollantes, Agostillo llenrique d." Silva e sua mu-
her appellado, Manoel Claudio do Queiroz.
Appclla'nlo, ojui/o ; appellado, Manoel l'lioma/ dos
Sanios.
Passaram doSnr. desembargador l'onoo ao Sur.
desenibargador llamos as soguitites appellaccs :
Appellante, J. Danel Wolfoop ; appellado, I redori.-o
poellante, Joao Alvos de Carvalho ; appellado, Jos
Joaquim da Costa Maciel.
Appellante, 1'onciannol.ourcnco da Silva; appella-
do, Joflo l'ereira dcOliveira.
Passaram do mesmo Sr. desembargador Pon ce ao
Sr. desembargador Villares as seguintcs appella-
cOes:
Appellante, o juizo de auzenles ; appellado, Jos An-
tonio da Costa Guimarfles. ._
Appellante, o juizo de auzenles ; appcllada, D. lian
cisca Mara de Jczus. ,:,.
Appellante, ojuizodos fetos; appellado, Antonio
Fellippede Barros.
Passaram do Sr. desembargador Ramos ao Sr. des-
embargador Villares as seguintes appellacoes :
Api cllante, Loureuco Jos das Neves; appcllados, Me.
Calmonlft Companhia. .,,.,
Appellante, Francisco Leocadio Vieira; appellado,
Joaquim Jos Pinto. ...,.,.
Appellante, Vicente Jos Comes; appellado, Jos Es-
tanislao Ferreira-
Appellante, l). Mara Rosa de Souza Magalhflcs ; ap-
pellado, Manoel Rodrigues do Paco.
Appellante, Jos Lopes Dmiz; appellado, Francisco
Pereira da Silva.
Passou doSr. desembargador Villares ao Sr. des-
embargador Bastos a seguinle appellasflo :
Appcllantes, Manoel l'ereira do Bomlm o outros ;
appellado, Pedro Jos de Mello e outros.',
passaram do mesmo Sr. desembargador Villares
ao Sr. desembargidor Leflo as seguintes appella-
coes :
MUTILADO




Appeilanle, Marcelino Jos Lopes; appclla-Jo, Mano-
el Klias de Honra.
Appellautes, R. Mara Elena Pesa'oa to .Mello e Podro
Cayalcant de Albuquerque Lina; appellado, Joa-
t|Um da -Silva Pereia.
Passaram doSr. desembarga lor Bastos aoSr. des-
embargador Lefio aa sogui: '< disertes:
Appeilanle, Bernardino Comes de Carvalho, appOI-
lado, Bernardo Lasserrodc Companliia.
Appeilanle, Antonio Pdro do Mondones Corle Hoal;
appi'llada, Mara Carnuda do Magaldfles.
tppellanlo. Bernardo Jos de Bai ros ;appeliado, Mo-
ren Dornel.
Appeilanle, Gabriel Antonio ; appcllados, l.uiz Fran-
cisco de Barros o oulros.
Vio liouveram dislribuiecs.
I evantoii-sc a sessOoas horas do es! vio.
Repartalo da polica.
EXTRACTO DIARIO DO DA 2 DO CBRENTE.
Fram presos ; ordem do Sr. doseni'iargador
rhefe le policio, o paisano Antonio Purnanibiico,
i orientar, armado de nm caivete ferir a uns pre-
los na roa da Cruz.;o lo subdelegado de S.-Anto-
nio, oPorloguez JosConos da Silva, por ter a ta-
berna aberla fra de lloras, e OS pretos Manuel, cs-
crnvo '!. Francisco Gavalcante, e Ignacio, osera vo
do Jos Francisco da Cosa, por se eatarem espan-
tan lo.
O 1.a Amanuense,
Apriyio Jos da Silva
Beriiffl .' Vienna quizoram tambam leras suas. Pars
me us s n'cessns de junho, nossos republicanos ha
d nis moj es, anecino ser metralhados, presos e jul-
g. como os insurgentes de Pars. El les os teem
ui.'lado al nos actos os mais crueis. M. M Dorns,
e Cbarbonnel fram morios em Paria,.M. M. Lich-
nowsy, e d'Auerawald h.lo si.lo morios em Frank-
fort. Os AllemSes eslflo satisfeitos. Os Parisienses nao
licararn sos
Durante toda a oommoeao, estes bravos desordei-
ros (lo orgulbosos do sen paiz, nfo tivoram mais
qne um. s pensainento : que dirflo a isto os Parisi-
enses ? Estarflo contentes do nos ?
( De urna gazeta allcmila. )
( Da Preise.)
MARII) I!'EllltIIIUICO.
B.ECIFE, 29 DE NOVEMBRO DI 1848.
A SORTK DA I-TROPA.
Netc-fork. -23 de lefamora de 1818.
a serle da Europa he um problema queso o lempo
pude resolver. A revolueflo muda de pliraso tantas
vezes que niln permita tirar ncnliuma inferencia se-
cura para o futuro. Nao ha anda muilos mozos, nem
mesmo muilassemanas, achavam-seos pnvos no a-
pOgn do poddr, e a estrella da I i bordado hlilhava
sobro thrnnos desmoronados ; mas lia esta estrella
nmpallideceu, o o despotismo parece agora tflo fir-
memente assanta do, e tilo activo nocoracffo da Eu-
ropa como nunca. Nflo prova isto nina ver.lado que'
.i experiencia de tola a historia ensilla, a qul he
que a m'ultidao ignorante, nao obstante a SU a foroa
physica, he inferior ao pequeo numero dos inlelli-
centes,osquaes porsua ilqueza o pos'Cflu compon-
snm bem esta falta .'
Porque rasflo. pde-so pergunlar, e com clIVito
mullos o perguntam, poique rasflo ospovos da Eu-
ropa nao conseguirn) completar mas aspirarles,
como o (izeram os hpinens la revoluijan americana i1
Combntendo por fins semelhantes, c mesmo idnti-
cos, ten.lo Inda a superioridaile physica do numero,
porque rasflo nao alcancaram ellos, e nao assegnra-
ram para sempro o dom precioso da liht'r.la.tc? Por-
que, em conteni de quasi lodos os homciis da 1103-
sa revolueflo, elles nflo souheram comprehender,
nem apreciar o objecto porque alniejarain.
Conseguir em um momento desmoronar os Him-
nos eos palacios, como izoram os povos da Europa,
he nada em cninparacflo do longo e perseverante
trabadlo que he preciso para reconstruir o novo e-
dilicio, para transformar em repubiieasoa voiujm
desmoronados Imperios. Esta parlo da obra que ps
nossos revolucionarioscomprehep-doram tilo betn c
esceularam lito fiel mente, parece quasi nflo ter en-
trado nos pensamontos dos sublevados do voltio
inundo. Elles doram o piimeiro golpe com boui suc
cesso, eahi pararam. Elles tivoram o instinclo do
derribar, porui faltou-lhea n inlelligencia para edi-
ficar ; o o republiranismq europAo, qu? em l-'ranga,
qur na Italia, qur na Allomando, qur na Inglater-
ra, nunca passar .le nm estado deconlina rcvolu-
clu o iiiaiuhia, omquanlo o puonflu liver niolhor
comprebendldo o verdadeiro carcter da liberdado,
o sen espirilo, a sua pralica.
A Fringa aoha-se actualmente em nina peor eon-
dieflo do que dchuixo do peior dos seus antigos dos-
polisinos roaos A Italia acha-se no mesmo estado,
ea Alleinanha nao esta inulto melhor. Quanto i Ir-
landa, (|ucm ha que desconlieca a causa do sua fra-
que/a, iiiem nflo v que a inlelligencia, asegu-
rando a uniflo dos o-forcos de seus linios, a tena, da
milito, levado liberdade i a prusperidade ? A ig-
norancia e nflo a imbecillidade leiu sido a sera a
polo das naeocs, ou dos povos ilo todas as naeoes.
Se ella nao lora, o dspota russianu podara ser des-
pojado do sua autocracia, c lo.lo o cidadflo poderla
sor uni principe, tanto quanto o permitiera os Jirei-
(s do homem, e o respollo que llio lio devldu.
SiIII, a surto la Europa bu UIII problema; c seria
quasi Iflo segur prophlar que para o futuro o cal
canhar de ferro lo poder de mu s machucar all
milhes de pescucos, como que a libcr.Jade reinaia
com a frescura e belleza que tem desenvolvido na
repblica ameiicana. O mundo marcha rapi Jmen-
le para um estado de cousas mellior, e com o andar
dos lempos todas as nacOos serflo I i licitadas pela
frca ilus ideias, boje em inovimciito, as quaes nao
loilem inorrereniquanlo o genero humano nao fr
regenerado; mas a consuiiimacao desta obra sera
retardada pela ignorancia dos povos. Nflo lia mui-
los mezes, buai como havemos dito, uchavam-se
elles no apogeo do poJ(>r, elles fOrain assim eleva-
dos pela forja physica bascada sobro uui instinclo,
roim Mos de inlelligencia, nflo souheram manter-
se no exalla-lo posto que ore ipavam. Esta circuos-
la ncia t.iiiiuii n.-cossaria a Volta .lo autigo, uilifcu-
soe disciplinado rgimen, yuem sfloat-ioalmeutoo's
dictadores da Eiirupar Os povos? .Nflo. Sao algu-
nias Ciibe(as ligadas a Corages ambiciosos que estilo
boje dispon.lo dos tliesutiros, e dirigndo as baione-
tas ds naques Olhai para .as no(icius que lodas as
seinanas publicamos, edizei so nao he isto verda-
de : diz. i se nflo lomos rasflo de allribuir a-falla de
intulligencia as reacgOes que csiao leudo lugar.
; The Sun Weekly. )
MAIS DMA PROVA 1)0 LIBERALISMO
DOS REVOLTOSOS.
Orlos de que era pequeo o destacamento que
eslava cin Bobcribe, os revoltosos acoilados no Ca-
luc fram sorprend-lo em numero de cen, e
depois do trocados alguns tiros conseguiram inva-
dir casa do subdelegado daquella povoaco, que
jaliisenffo acliava, poisque a linda abandonad)
seguido da familia, e so se rcliraram depois de liavc-
rem quebrado todos as movis, e roubado nflo monos
de oitoreatos t tantos mil rcis em cdulas e prala, urna
lettra dt dtnis coutos de iris, aceita por Manuel Ale-
xandro do Souza, vencida a 14 de maio prximo
passado, o ouro e a prala que ha vi a na casa, e toda
a roupa que nclla acharam.
E nao he isto urna prova convincente do liberalis-
mo \\os revoltosos ? Certoque sini: atacamiiiiia ca-
sa, acliam-na sein gente, eso a deixam depois de a
lereni saqueado cobarde e vilmente.
Nada poda denunciar mais claramente as malfi-
cas intences dos revoltosos.
dar laucar as ras ou lugares pblicos, que nflo
frem para este lim designados, lixos ou immundi-
ces, ou qualquer cousa que possa incommodar, ou
causar damno ao publjco, sb pena de 6,000 rs. de
inulta, sendo constrangidos a 2* horas de priso os
escravos'ou criados, que, por ordem dos senhores
ou amos, o lizerem.
Arl. 6 Todos os moradores sorflo obrgados a
ler a fronte de suas casas sem lixo ou immundice,
varrendi-as pelo menos de tres em tres dias : os in-
fractores serflo multados em 3,000 rs.
TITULO VI.
Arl. 2. Nnguem poder ter fnges ou fogare-
ros em portas, para qualquer uso que soja, snb pena
de 2,000 rs. : da mesma forma se entender em qual-
quer parte da ra.
TITIIIO XI.
Arl. 8 Nenhum vendedor de couros poder
manda-Ios expor ao sol em outros lugares quo nflo
sejamareial do llrum, das Cinco-Pontas, Cabanga,
Corlume dos Coelhos, emquanto nesses lugares nflo
houverem edlica^Oes : jos nfracloies serflo multa-
dos em (2,800 rs *
Freguezia de San-Josc, 20 de novembro de 1848.
Ignacio dos liis Compeli.
Declara^des.
COMMERCIO.
ALl-ANDEGA.
RENDIMENTODO DA 21........... *;2l,47
Descarregam hoje, 23 de novembro.
Itrigue Mara botijas vasias.
Barca Bclla-Pernumbucana nicrcadoias.
CONSULADO GERA1..
REN0l.UE.NTO DO DA 22.
Coral .
Diversas
provincial
3:162,1(0
427,007

CONSULADO PnoVIPTCUi?;
RENDIME.NTO DO RA 22...........2:412,812
loviinenio do Porto.
--Brevemenlo so hilo dealllxar editaos de con-
curso s freguezias vagas desta diocese. Recife',
21 de novembro de 1848. O pa ir francisco Jos Ta-
vares da Gama, secretario deS. Exc. Revm.
ARSENAL DE GUERRA EM PERNAMBIICO.
Convidam-soaoscidadflos brasileires que frem
artistas, eque quizerem trabalhar as ofucinas do
mesmo arsenal, pelos odelos de ferroiro, serralhei-
ros, alfaiale corrieros e surradoros, pdern com-
parecer na sala da directora, a/nn de seren contra-
tados com vantajosos jornaes".
cscripluraro,
francisco Sera/ico de Assiz Carvalho.
Avisos martimos.
Navio entrado no jtg 22.
Cear (8 dias, palacbo^ brasiliro S<,/a-Cruz, de
101 toneladas, capilflo Antonio, (ionalves Santos,
equipa ge ni 8, carga familia do'man di rica e Sida
a Caetano Cyriaco (U Cosa Moreira. Passagerros'
D. Juana Mana de Jess.Joaqum da Silva Pfrtfra.
I'orlugiiezes.
Navio saliido no mesmo 4ia.
Rio-de-Janeiro ; patacho brasiteiro Olweira, cilpi-
IfloJos da Cunda Jnior, carga assucar o sola..
I'assageiros, Joflo Vas de Olivoira 0 1 cscravo a en-
tregar.
Para a Parahiba o hiale nacional Espadarte sabe
improloi ivolmenle oo .lia 24 do correle quem nel-
le quizer_ car regar, ou ir de passagem, d rija-sea
ruu do Vgario, n. 5.
Para o Rio-Grande-do-Sul pretende sabir breve
o patacho Dous-dt-Agosto, oqual inda pode receber
alguma carga, assim como escravos e passageiros :
us pretendentcs pdem cnlcndcr-se com os consigna-
tarios Amorim Irinflos, ruada Cadeia, n. 39.
--Paia o Rio-de-Janero sahir bieve o patacho
hnencii-cl, por ler i u te do seu carregamentoproinp-
ta, a inda pode conlrotar-sc o retan te frete : quem
no mesmo quizer carregar, embarcar escravos, ou
ir de passagem, para o que tem bons commodos,
pode enlendor-sc com os consignatarios, Amorim
Irmflos, ou com o capilflo a bordo.
Para a Babia sogualo, o da 24 a sumaca San-
to-Antonio-de-l'udua, com a carga quo liyer : quom
quizer carregar ou ir de passagem, dirija-sea ra do
Vgario n. 5.
-- Para o Aracaty. segu o hiato Flor-do-Recift
quem quizer carregar ou ir de passagem, dirija-so a
ra do Vgario, n. 3.
l'tkta a ridade do Porto pretende sabir oom bre-
dadea barra llella-Pernambueana, capilflo Manoel
aucisco Noguera, por ter a maior parte de sua
carga engajada : quem uella quizer carregar, ou f
de passagem, para o que oiTereee bons commodos,
onleiiila-SB com o consignalaio, Antonio Francisco
de Moraes, na ra da Cruz, n. 34, tercoiro andar, ou
com o capit-o na l'i acu-do-Commeroio.
---------------------------------------_________
Leudes.
KDITAE8.
A ALI.EMAMIA.
A Allemanha he o macaco da Franca. Se paris faz
urna revopuciio, a Allemanha logo a copia : pouco
mais ou menos, como a mediocridade copia o genio
sern .-wiira rans, a Allemanha apressa-so em co-|
mor sapos. Caris love mas barricadas em fevereiro |
O lllm. Sr, inspector da ihcsouraria da fazenda
provincial, em vrlude de resolueflo do tribunal ad-
ministrativo, manda fazer publico quoemcumpr-
inculo da M, peranleo mesmo tribunal, vflo nova-
vamente a praca para ser ai rematado por quem mais
der.no da 23 ,boje; o corrate, osmposlos abaixo
declarados :
2,500 rs. por cabeca de gado vaceum
que fr consumido no iininicpio do
Recite, avahado animalmente por. .-.
Dito do municipio de (llinda por.....
Dito do municipio de Igoarass.....
20 por ccnlo sobre a ago'ardcute que fr
consumida no municipio do Recife, a-
valiado anniialmeirle por........
Iiizmo do capni de plaa nos miiiicipios'do Re-
cife c Olnda por ter havido licilaeflodo mais da ter-
ca parto, uvaladoannualiiiente por 2:006,666.
E para constar se maiidou allixar o presente e pu-
blicar pelos Diarios.
Secretaria da tbsourara da fazenda provincial de
Pernambuco, (7 de novembro de (818.
O segundo escripturario,
Antonio lerreira d'Annunciacao.
56:000,000
4:900,000
1:900,000
10:208,000
0 coirelor Olivcia far leilflo da esplendida mo-
bilia pertcncenlo a urna familia respeilavel, prxima
a relirar-se da provincia, consisti do em sofs, ca-
deiras, consolos, mesas redondas, dita para jantar,
cadoiras de balango, guarda-roupa, commodas. cen-
dieirodo globo, tiem de coznha, louca e muilos ou-
tros objectoa, inclusive algumas obras de ouro e de
prala, de bum gosto: boje, 23 do correle, s
10 Horas da manlifla, no segundo andar da casa da
ra da Aurora, que rruia esquina com a do Aterro,
nu Boa-Vista. '
- Leilflo que faz J. J. Tasso Jnior, por conla dos
Srs. Ridgway Jmiesoi& Companhia, de 62 barris
deinanlL-iga ingleza. llegados ultimamento, a qual
sera vendida pelo maior proco que se achar, em con-
sequoncia do mo acondecionamenlo dos barris, em
lotes a vontade dos compradores : sexta-feira 24 do
correnle, as 11 horas da mantilla, na porta da al-
fa ndega. r
Avisos diversos.
O fiscal' dafi-egucza do San-Jos, abaixo assig-
lado, faz publico, para quo tenham o devido conde-
na
cimento os arligos das posturas em
transcriptos:
vigor abaixo
~ Precisa-sc do um moco para caixoro de pada-
na que eolia alguma pralica e d fiador a sua
capacidade : na piaca da S.-Cruz, padara de una
so por i9.
-Antonio Jos Tcixcra Bastos relira-se para o
Bio-de-Janeiro. v
- Na ra Nova, n. 18, loja do M. A. Caj, rece-
beu-seum rico sorlimento do casimir de cores
mu.tosuper.ores;rustOesp.ra colletes, os mais (
nos que teem viudo ao mercado; merino casim-
qualquer fazenda par. homem; um. sortment de
obras fe.las .le lodas as qualhlades, tanto superio-
res como inferiores. Na mesma loja continua a rec-
berd. Balda charulos regala bornes popu-
lares ; assi... como vei,de-se um prcto da 40 nos
pouco mais ou menos, propio para o campo, ou
troca-so por um moleqoede 10 a 12 anno, ou por
umcabriiihat faz-se qualquer negocio a vista'do
n IIIIJUS.
Asegunda praca do brigue S.-Maria-Boa-Sor-
te, lio boje, 23, das 8 para s 9 liaras da manbfla ,
na sala das audiencia ; e a lerceira o ujtima ha de
ser na segunda-feira vindoura, as mesmas horas e
no mesmo lugar sonde devem comparecer os pre-
leiidonles.
S ciedade de leitnra fraiiceza.
em Pernambuco. '
Os Snrs. socios que ainda teom em seu nodo i
vros portencenles a crculacflo, que findou om uiZ
setembro prximo passado, queiram ler a bon.u
de de manda-Ios entregar ao secretario para se
dr elTeituar a resolueflo tomada na ultima, ses?,"
da mesma sociedade. *''?
Manoel da Silva Lopes az sconte aos coll,.,
lores, ou arrematantes do consumo de bebidas
piriluosas de producrjAo nacional, que deixou ,i
vender ago'ardente desde o da 15 do correte !.
sua venda da ra da Senzalla-Velha, n. 109. '
--O abaixo assignado faz publico que deixou rt
ser caxeiro de sua casa Jos do Aluieida Barrwn
Bastos; por isso esta desonerado <1o.fazer trans?
eflo alguma. Manoel Alves Guerra.
Precsa-se de um pequeo de 10 a 13 aun. .
ra Nova n. 30. ~ "*
-- Antonio Joaquim Pacheco Basloa, aubdilo nn.
tuguez, retra-se para fra da provincia. ^
AIiiso Saint-Martn,
com loja na praca da Independencia n. 38, tem n
ra vender chapos de seda do mais elegante eosi
parasenhora ; ditos de palha .berta e lisa, t, "
enfolados como smente os cascos ; boas fitas par.
os meamos, a 1,000 rs.; ramos do flores finas
1,500 rs.; capellas e ramos de llores de iarangeirs
e outras de fantezia ; manteletas; visitas e palii,,!
de aros de aples ondeados e lisos de blonde ver
dadeiro ; cortos de soda para vestido ; mantas o len
eos de seda grandes o com franja. Se levara da
dido. p
Boaventura de Mello Caslello-Branoo, faz pu-
blico que no assallo que soflreo no da 22 do cr-
reme ora sua casa em Bebribo, alm de muilos ob-
jeclos que Ihe fram roubados pela forca iusuigen-
todos bandidos do Brejo, foi urna lettra da qantii
do dons conlos do ris, saca la pelo aununciante
e aceita pelo Sr. Manoel Alexandre de Souza, veo-
cida a 14 do maio do crrente anuo, por sso pre-
vine o dito Sr. aceitante que a nflo pague a quem
Ihe apresentar. i
Os Srs. assignantes do Iris pdem mandar bu.r^
bar os ns. 16 e (7, na casa de .Novaos & Compaiiriii
o na loja de livroado Cardoso Ayres, onde ainda se
continuam a receber assignaturas para este excel-
lenle jornal.
Joaquim Jos Rebollo faz sciente ao Sr. arre-
malanto de bebidas espirituosas de produeflo bra-
sileira, que deixa de vender dito genero desde o da
30do corrcntomez.de novembro, na sua vcuda da
ra da Cruz, n. 41.
llonlem, 22 do correnle, polas 8 horas do da,
desenicaminhou-se, desde a ra da Uniflo al a rtu
de S.-Amaro, procurando para a do Sr. Bom-Jesus-
das-Cnoulas,-um proto com um bal de couro cor
de boi laranja, com 3 e meio palmos, levando den-
tro urna poreflo de roupa de homem, de sendora o
meninos, nolando-se para maior signal um palito de
alpaca j minio usado ; e levava na mflo um chapeo
prcto ja usado, o que ludo ia sendo couduzido para
ra da Florentina, n. 7, onde se gratificar a quom
der noticia dos ohjectos cima referidos.
Jos de Almeida Brrelo Bastos faz sciente ao
respeilavel publico, que deixou do ser caxeiro do
Sr. Manoel Alvos Guerra, desde o da 20 do novem-
bro do correnle anuo.
OSr. Jozeph Fachinette queira procurar urna
incommenda viuda do Cear : na loja da ra do Grea-
>o, n. 2 A.
-Jofio Marta Tarares Forreira rctira-se para o Rio-
de-Janoiro.
-- O director do theatro nacional da ra da Praa
declara que, alm das dez meninas que estflo quasi
ensaladas para o divertimenlo pastoril, precisa de
mais duas que tenham aptidflo para dito divertimen-
lo, quo serflo consideradas primeiras partes, e terflo
de gratificacao 40,000 rs cada urna : quem as livor,
dirija-seasenhorado director, no mesmo diestro,
das 6 as 8 horas da nole, ou a qualquer hora do dia,
sobrado, n. 35, prmeiro andar, junto ao Iheati o.
O Sr. Jos Joequim Moreira fem urna carta
escriptoro da Novaos & Companhia.
Aluga-se um segundo andar na ra do Codor-
niz, no Foi do-do -Mallos, com commodos para fa-
milia : a tratar no mesmo sobrado, que tem'por
baixo fabrica de charulos.
--Precsa-se do um menino de 12 annos, para
cixero do venda : na ra dellorlas, n. U.
-- Acbou-seum sellim inglez, de pouco uso,ses-
ta-feira passada demadrugada em um sillo em>
S.-Jos do Ma ng a i nbo : quom fr sou dono, dirja-
se a ra da Cruz, no Recife, n. a.
David Lzaro, subdito allemflo, relira-se para o
Rio-dc-Jaoeiro.
loaquin Lopes Cabral de
eive v
abri sua aula de desenlio e pintura em a casa da
rua Bella n. 35, segundo andar, onde leccona das
9 as 11 horas da mandila e das 3 as 5 horas da tar-
o A pel pres de 6,00 rs* ""saes, o desenlio e
8,000 rs., a pintura ; tambeiu leccona em collagios
do meninos meninas.
Agencia de passaporles.
Na rua do Collego, n. fc e no Aterro-da-Boa-Vis-
la loja n. 48, conlinuam-se a lirar passaporles,
tanto para dentro como para fra do imperio as-
sim romo despacbam-se escravos : (udo com bre-
vidade.
no
Artigo-4.o Nenhum morador laucar, nom-man-
I" nmga-su u
ca da Boa-Vista
n.6.
i suuraaa ue uous uuares na pra-
a tratar no mesmo lugar, botica
MIJDANCA.
D. W. RyB<,cirurginodenlisU, dos Esta-
dos-fj ni Jos, respei tosa menttf noticia aosaeus
amigse ao respeilavel publico, que tem mudado a
aua residencia da casa u. 40, da rua da Gru do lle-
cife, para a do ii. 26 da rua da Cadeia do S.-Anto-
nio, terceiro andar aonde ltimamente resida o
retratista americano Fredericks, e aonde daqui em
diantc o annuncianle lera mu i lo gosto de receber os
que precisarem dos seus servicos professionaes.
Precsa-se de um caxeiro portuguez ou brasi-
liro para um deposito do padaria, que enlenda daj>
mesma e de fiador a sua conducta: no pateo daS.-
Lruz, padaria n. 6.
Desapareceu, do armazem n. 7 da rua da Cruz,
umoculo decaiga encarnada, Jeum s cano, sem
tapador no vidro-do cima : roga-se a quera frolTere-
cido. deoapprchender e nnunrinr noreste folha.
ou dirjgir-se ao mesmo armazem cima. J
Aluga-se um molequo para cozinhar : quem ti-^
ver annuncie.
ILEGIVEL


*S
Roga-se ao Sr. Dr. Filippede Olinda Campe lio,
"nem siins vezes fizor nesta praga, o favor de com-
recer na Praga-do-Commcrcio, n 6, a negocio quo
lhe d' respeito. '
.- Urna pessoa que pretende retirar-se para fora ,
vende a sua venda do pateo do Para izo D. 14, rom
mmoilos pari| fnilia :a tratar na mesma venda.
.. luga-seo prlmero andar de um sobrado na
rua de Apollo, n. 22 : a tiatnr no armazom da nies-
ma casa- ,
Aluga-seum pruneiro. ondar anda que seja
iicaucno ou mesmo urna sala e una alcovn somon-
te em qualqer fu do bih-ro do Itrcile: quem
tivrannuncie, ou dirija-so a ruido Rangel, n. 11,
aue se dir quem precisa.
H .Quem quizer fazer algum negocio com um titu-
lo de formal de parlilha de m lierdeiro existente
naprovincia da quanlia de 152,314 18., cujas bens
silo existentes na illia do S.-Miguel em Portugal,
djrij.i-se a praga da Independencia loja n. 14, que
je far todo o negocio.
.. 0 Sr. Joaquim Ferreira de Moraes queira ir bus
car urna carta, vinda de Portugal, em Fra-de-Por-
tas, n. 95.
.- Na casa de modas frnncezns, de madama .Millo-
rlian na esquina do Atcrio-da-Boa-Vista defron-
le do chafar iz lia para o esoolh ment das seuho-
ras um lindo sortimenlode loucados chapeos de
seda ede palh.i, tanto para senhora como para me-
ninas ; cainisiiihas e punhos bordados paia vestidos
afogailose nioataria ; bicos de blondo ; capcllas de
(lores finas, de la mujas; ramos de (lilas para en-
feites de vestidos de noivas ; fitas de lodns as quali-
dades; bicoa de linlio ; manteletes-palitos de seda
e e liico; trancas o boloes para enfeiles do vesti-
dos ; luvas de seda verdadeiras, curtas c compri-
das; capellas e llores linas para bailes ; plumas pa-
ra cahega e para chapeo; bicos o, rendas bordadas ;
cambraiae tarlalana ; nielas brancas de seda lisas
i- bordadas; gravalinhas de lita para senhora. Na
mesma casa cunliuuam-sea fazer clttpeos, loucasc
vestidos de senhora por privo commodo o da ul-
tima moda.
A pessoa que annuncibu pelo Diario de segun-
da-feira 20 d coi rente querer comprar urna car-
) ii'ira em bom uso, dirija -se a ra Augusta venda
Si. 58 que all ha urna em muilo bom uso c por pre-
(o commodo.
Vigiles fabricante de panos ,
na ra do tem pianos de novo modelo, feilos de prepsitos pa-
ra este pai/; silo riquissimos, do macbinismo c
vozcs superiores o que so afianca ao comprador :
la ni lie ni ron ceita H alia pianos, por prego com-t
modo, e vende cordas camuas e todos os avi-
ntenlos necessarios para ditos insttumcntos.
Prccisa-se de urna caixeiro de 12 a 14 annos ,
para uina venda, o quedo fiador a sua cunducta :
no Alerro-da-Boa-Visla venda n. 20.
PARAA FESTA.
Na ra da Calgada, |or detrs da Pcnba n. 6 ,
sefazem chapeos para scohora por 2,000 rs., e
pondo-seosaviamentos por 8,000 rs. ; ditos de se-
tim entallados com fitas e flores sendo este o me-
nor prego e poroutros precos maiores conforme
forera enfeilados; vestidos para senhora de 1,000
a i.uoo rs. conforme a qualidade e rabalho, e sen-
do rara menina por prego mais em conta ; espar-
tillios, por840rs, defeitio, c pondo-seos aviamen-
los a 2,000 rs.; toucas o todas as mais costuras pro-
prias para senhora, bem como camisas para homem,
de abertura atrs e adianto : ludo por preco com-
modo, com perfeico e sem demora, por quanto
silooito pesspasa cosercm. A fests est porta,
bom be que quem precisar uo deixe para ultima
hora como quasi sempre acontece.
os das 22 e 25 do correte peranle o Sur. Dr.
juiz do civel da segunda vara, na sala das audien-
cias ; depois desta, se ha de arrematar um sobrado-]
de tres andares, n. 9, na ra do Queimado : quem
o pretender comparega, quo silo as ultimas orneas.
No dia 24 do crlente, peranle o Snr. Dr. juiz
do civel da primeira vara na sala das audiencias ,
depnis ilcsta se ha de arrematar una casa na ra
doSlondogo n. 135, com urna olaiia, quo bola o
f.in.lo para a camboa do Manguind : quem preten-
der comparega, que lie a ultima praca.
Ao respeilavel publico.
0 pinprietario do armazem de vinho
da ra da Madre-dc-Deos n. 36, de-
clara que esleestabelecimento n3o tem
otilro arinazem filial, como alguem ha
que o inculca ; e para conhecimenlo do
publico, faz o prsenle annuncio.
-Oabaixoassignado faz ver ao respeilavel pu-
blico, que pessoa alenma contrate negocio da ven-
da, ou liypolhrcacom Andr de Albuquerque Mello,
sobre urna pequea parte que o mesmo tem no
engenho Soccorro |a freguezia de S.-Amaro-Ja-
lioalio e igualmente duas casas de taipa em o mes-
mo engenho, visto que a mesma parte e casas se
cliam embargadas pelo annuncianle, pelo juizodo
civel e carlorio do escrivflo Roges, para pagamento
u quanlia de 1:404,000 rs.; por isso faz o presente
"nuncio para qu pessoa alguma se chame a igno-
rancia. lunado luis de Albuquerque.
Caetano Kstellita Cavalcanti Pessoa estallante
""quintoauno do direilo contina a ensiuar os
P'eparalo: ios, excepto lalim : quom de seu presu-
mo se quizer utilisar o encontrariio sem re assiduo o
afl'vo,aljnidecoin brevidade dar a tameos seus
"'""nos,aiudado pelomelhodo quo emprega as-
s'mcomo sucodeu noannoelectivo, dirija-so a ra
Ireita Uo llozario, n. 15.
-JoaoCirillodeSouza Carneiro, Hrasueiio, vai
azer urna viagem ao Hio-de-Janeiro.
Precisa-se alugar urna prcla : na ra da Prela-
do Caldeirciru, venda n. 2.
)flVrece-sc um rapaz brasileiro para caixeiro
de qualqer eslabelecimonlo excepto venda : na
rua de S.-Francisco, casa da esquina que volta para
a Florentina.
Precisa-se de um feilor que entenda de jardim :
naruadoMondego, n. 109.
Offciece-se urna mulberpara ama de qualqucr
casa, para o servico de portas a dentro : quem de
eu prestimo se quizer utilisar, dirij-se a praca da
independencia n 19.
-No Aterro-da-Boa-Vista, n. 1, primoiio andar ,
precisa-sede urna pretacaptiva, para todo o servico
de casa.
Ruga-seaoSr. J. F. 8. baja, no prazo de qilo
das, ir rvun\%r iima cmim de panno urelo. i usa-
da e 4 cadeiras: do contrario serio vendidas para
P( meato.
Lotera do theatro publico.
O Tacto de existir perto de metade
dos liillietcs da lotera por vender, deu
occasiao a que as respectivas rodas nao
podessem ter andamento no dia at do
corrente, como se annunciou ; persuadi-
rlo, porm, o thesoureiro que semellianlc
venda nao deixar de ter impulso, marca
novamente o dia 9 de dezembro prximo
(uluro para o referido andamento, e es-
pera que esta nova designacSo sera im-
prorogavel.
A administraeo da casa do l.enoir .Puget &
Companhia mudou oescriptorio para a rua do Tra-
piche-Novo, n. 4, segundo andar.
O lllm. Sr. capiUlo Manoel de Araujo C.avalcan-
ti de Albuquerque, residente no engenho Mussupi-
nlio, queira mandar receber urna carta, que para S.
S. existe na rua do Hospicio, n. 9.
A loga-sea casa da rua da Trempe, n. 13, repa-
rada o pintada de novo : na rua larga do llozario, n.
14, primelro andar.
Precisa-se de uma ama para urna casa cstran-
geira de pouca familia, quo saiba bom engommar e
lazer o mais necessario : adverlo-se que i.o precisa
cozinliar: na rua da Cruz, armazem n. 48.
Jos Manoel Francisco Hamos,
havendo acabado o curso acadmico, e
nao podendo despedir-se e reeebc'r a
ordens dos sens lentes e amigos, em con-
sequencia di sabida lonpressada do va-
por, oproveila-se da imprensa pata agra-
decer os obsequios que lhe lo rain pres-
tados, e para olerecer seus tenues
prestimos na provincia da Babia. De-
clara outro-sim nao dever a pessoa algu-
ma n'esta provincia.
Jos Rodrigues Coelho 5c Companhia fazem pu-
blico, principa luiente aos Sis. arrematantes de agoa-
ardente de pi oduceo brasileira. quo deixaram de
vender dito genero na sua venda da esquina da rua do
Rangel, o. t, desde o dia 20 do crrenle em diante,
em consequencia do saris. 6.* o 7., Ululo II, II. 27
das posluias da cmara municipal ; pois que, temi
o annuiciante pedido bilheles aos escravos, ellos
hotatnlhe em cima do balcSo 10 rs edizem-lhe:
aqu est bilhetc forte que mo precisa .do reforma.
Deposito da Estrella.
O abaixo assignado avisa ao respeitavol publico e
a todas as pessoas que sabem apreciar a deliciosa fu-
maga, que acaba de estabelecer, na rua Nova n. 56,
um deposito de superiores charutos de todas as qua-
lidades, com o titulo de DEPOSITO DA ESTRELLA,
coiileudo nelleasqualidades seguidles : os verda-
deros deputados, San-I'elix, emilios, senadores,
melindres, quem fumar saber*, viajante, cavalheiros,
regalos de llavana, sigarros de la llavaua, regala
de diversas marcas, o outras mais qualiilados<|uo se
rnostraro ao comprador, equesevendem tanto a
retalhocomo em porches, conforme o comprador
quizer. isto he, com um pequeo ganbo; prometien-
do, alem de servir a todas as pessoas com prompli-
dlo e agrado, empregar todos os n.eios para conser-
var sempre as melhorcs qualidades do charutos que
possam vir da Baha, e dos fabricados aqui, pois que
conforme a proteceflo quetiver ir sortinJo o seu
estabelecimento. Joaquim liernardo do liis.
Vai a praca
peranle o lllm. Sr. doulor juiz de orplulos desta ci-
dade na sala das audiencias, o bom conheridn e
acreditado bcrganlim brasileiro Santa-Marta-Boa-
Surte do 222 toneladas, de ptima conslrucco
nacional forrado o repregado de cobre em mui-
lo bom estado bemproinpto de aivredo, massa-
me amanacOese sobressalentos com loinbadilho
guarnecido de amarcllo, c bstanlos cominodos ,
boa lancha e famoso bote com suas palamentas c
armacoes ; bem como dbus xcellentes escravos pe-
ritos marinlieiros .abordo do mesmo navio, fon-
deado na volta do Forte-do-Maltos, aondo os preten-
den tes devein dirigir-so para verem o respectivo in-
ventario : ludo livro e desembarazado : a primeira
praca sera segunda-foira, se houver audiencia e as
outras duas nas seginles audiencias aonde dovem
comparecer os competidores; cujo producto tem de
ser para os credores do casal do tinado Jos Contal-
ves Casc5o.
Aluga-seasegundo andar da casa da rua da
Senzalla-.Nova n. 42 : a tratar no armazom da mes-
ma casa.
Aluga-se o bem conhecido sitio na estrada do
Cordeiro, de Nuno Mara de Seixas, s proprio para
algum negociante estrangeiro, ou oulra pessoa que
lenha tralamcnlo: na rua do Amorlm, n. 15.
Deca racilo.
O arrematante da afericHo declara que tendo a c-
mara municipal desta cidade, marcados os mezes de
oulubro, noveinl.ro o dezembro dosle corrento an-
uo para a aferieo dos pesos medidas, o bataneas,
e que lindo esto pnzoos (iscaes respectivos passa-
ro a multar lodo aquello individuo, quo dentro do
referido prsao nllo liveraferido; e para que alguem
por gnoiancia deixe doaferir ,e por coiisequcuria
siibjetar-sen sor multado em 1,000 rs. porcada um
peso e medida noaferido; por isso avisa aos 11-
teressados quo quanto antes corram a lloa-V'ista ,
ruada matriz, n. 33 a cumprir esse dever, pois o
mezde dezembro ( para quando guardam) nflo lio
sufllcieule para o arrematante vencer lano tra-
bsllio.
Os credores do Coulo Viannn & F1II10 teem au-
torisado aCeo: Kcnworthy & Companhia, credores
tambem dos mesmos, para venderein a casa de so-
brado dedous andaros, n. 33, na rua doAmoiim,-
bairro do Rccfe, a melade do sobrado na rua da Ca-
deia, n.27, quelites fram adjudicadas por sonlen-
ca para seu pagamento : quem quizer comprar um e
oulro predio, cntenda-se com os acuna menciona-
dos, que estilo aulorisados para essa venda.
-- OSr. Jos Antonio Urandflo Comes queira an-
nunclar sua morada, pois se lhe deseja fallar.
Alueain-se dou aillos com mullo boa acomtnoa-
sftea.umuacampinba da Casa-Forte, e outro ua rua
daditapovoaco.comcochelraj e cavallarlces; asaun
coiiio^vrlas casas, de prreos coiumodoa para se pas-
sar a festa : a tratar na rua do Amorlm. o. 10.
-OSr. Jos Notierto Casad !.::n """ 'Je-'srsr
a sua morada.
Aluga-se o segundo andar do sobrado da rua
Direila n. 20, com bastantes commodos para fami-
lia ; a tratar na mesma rua n. 93, primeiro andar.
30,000 rs. de gratificado
a quem lonxer a escrava crioula, de nome C.ilhari-
na, com urna filha caliriuha do 3 anuos cujos slg-
naesacbam-se neste Diario nos ns. 210 a 250: a es-
crava fui seduzida por o pai da cabrinha o qual lie
pescador, 011 pombeiro e mura om uma deslas
prams al Po-Amarello.
Alugani-se e vendem-se bichas
hamburguesas, por precio tasoavel : na
i ua das Cn17.cs, n. 4<>-
Compras.
Compram-so escravos que sejam offcias de car-
pina, de 18 a 25 annos e de boas figuras ; pagam-se
bem, sendo de bons costumes e peritos no seu olTi-
eio, pois ao para uma eneommenda do Itio-de-Ja-
nciro : na rua do Amorim.n. 35, a fallir com J. J.
Tasso Jnior.
- Compra-se uma carrosa em bom estado, com
seu competente boi, sondo bom costando em boas
carnes; tambem so compra smenle a carrosa 011
smente n boi no Mondego, 11. 83, ou anniincie.
Compra-se urna negra de it a i\
anuos de idade, que sej 1 de bonita lisu-
ra, c saiba engommar, cozinbar e cozer
perfeitamente : na rua da Cadcia do
Recile, n. i-j.
-- Comprani-so qualio duzias de pianchOes, de
milito bom amacollo : quem o livor o quizer vender,
annuncio para ser procurado.
Compra-se uincavallo gordo para sela : na rua
Direita sobrado 11. 16, ua esquina que volta para a
travessa do S.-Pedro
Vendas.
Cbapcos do Cbili.
Vendem-sena pingada Independencia n. :l", roui-
tos superiores chapos do Cbili, chegados no ultimo
vapor.
Vende-se cha nacional, chegado
ltimamente do Hio-de-Janeiro, a 1,200
rs. n libra : na rua do Rosario, n. i3.
Na rua das Cruzes, n. 22, segundo andar, ven-
dem-sc 3 escravos, sendo una molatinha do 20 an-
nos, que engoman, coze Chito, faz renda clava de
salino ; uma pela da Costa, de bonita figura, quo
CiZinlia, lava e he quilandcira ; um lindo moleque,
de naeo, de 16 annos, com principio de cozmlia.
V'endom-se, no ai inazeui de Dias Ferreira, cai-
xas do macareno e talliarim a 3,000 rs. odoalolriaa
5,000 rs.
Vende-se sal de Lisboa a bordo da barca Bella-
Pernambucana : a tratar com Antonio Francisco do
Moraes, na rua da Cruz, n. 34, terreno andar.
Luvas de pellica.
Vendem-se luv.s de pellica, enfeila
tadas, para senhoras, pelo diminuto
preco de Q,5oors. o par. \' ellas, na rua
Nova, n. 3o, loj de Domingos Antonio
de Oliveira.
Vendem-se saccas com farinha de
mandioca, de boa qualidade: na rua da
Cadena de San I o-.Antonio, n. ?.5.
Vende-so um venda com poucos fundos o com
bstanles commodos para rnoradia : na rua Impe-
lid, n. 31.
Vendem-se escovas e almofacas para limpar ca-
vados o mais superior que tem apparecido ; bem
como molas para esporas feilas em Lisboa e lti-
mamente, cliegadas : na rua do Queimado, 11. 4.
Vende-se uma porcSo avallada de travs de 35 a
45 palmos, madeira de qualidade; um escravo de
bonita figura ptimo para qualqucr aplicarlo, do
20 anuos ; um quarto novo; um cavallo do estriba-
ra ; um moleque de 10 annos sadio, e de bonita
figura : na rua do Crespo n. 5 A, loja do fazendas.
Vende-se uma mobilia de Jacaranda em muilo
bom estado, e cadeiras de oleo aiuda novas : na rua
daS Cruzes, n.3l.
Cbapos de paiba para
senhora.
Vendem-se chapeos de palha, arren-
dados, muilo superior Tazenda, para se-
nhoras, mais baratos que em oulra qual-
qner porte ? na rua Nova, n. 3o, I ja de
Domingos Antonio de Oliveira.
Vende-se um prelo mor;u de bonila figura :
na rua da Cadcia du Rccife, loja n. 28.
Vendc-sc 11 m carro de quatro rodas, com os
competentes arreios para duus cavallos: ludo em
bom oslada : na Poule-de-IJcha casa do Brcndcra
llrandis de manlia at as 8 horas e de tarde al
s 5.
Vtnde-sc um pir de brincos, muilo bem foitos,
foilos de Rangel, n. 17.
jN'a rua de Agoas-Verdes,
n 40,
ven lem-se, por precisHo, duas bonitas escravas com
elocuentes habilidades sem vicios nem achaques ;
uma parda boa ama de casa e que cozinha, coso e
engomma por 300,000 rs.; uma dita por 380,000
rs. ; um escravo de 25 annos de naco, sem vicios
nem achaques ; um bonito moleque de 12 annos.
Vende-se, no lugar da Baixa- Ver-
de, na Caponga una casa de taipa, com um ter-
reno e um viveiro no fundo, lugar para banheiro ,
com embarque e desembarque por prego commo-
do ; na rua das Cinc-Poiitas n. 25. Na mesma ca-
sa vende-sc uma espada prateada um lalim bir-
retina c canana ludo para official da guarda nacio-
nal por preco muilo barato.
Na rua nm violiiocom pouco uso, c de xcellentes vozes,
por commodo prego.
Vendem-se cortes de seda para
vestidos, tanto branca como de cores
muilo linda fazenda; boas mantas de
Bffda de furia-cures ; chales lito ; cortes
de barege de seda, de xcellentes gostos ;
luvas d pellica, biiincas e decores, para
senhora ; ditas para homem ; lencos de
garca com ramo de matiz, fazenda nova ; c
outras fazendas por preco milito commo-
do : na rua Nova, n. 3o, loja de Domingosi
Antonio de Oliveira.
Vende-se uma negrinba de 8 annos, proprio.
para se educar ou dar-se de mimo :i una menina,
porser muito linda c esperta; um moleque de 13
anuos, muilo robusto; um prelo de 22 annos, bom
cozinheiro ; urna mulalinlia de 11 anuos quo cose
solTrivel; uma preta do nagSo Costa do 18 annos,
de linda figura que engomma con perfeigo cos
e cozinha; urna dita boa quilandcira e quo he do
boa conducta, oque se afianga ; uma dita quo en-
gomma ; um prcio bom Irabalhador de enxada : na
rua Nova, n. 21, segundo un lar.
Romances de Bug. Suc, em portugus,
venda na livrana da esquina do Gollegio:
llat/ulile, ou memorias do urna joven, 8 v. onca-
ilcrnados.
Martim, o engaitado, ou memorias de um escu-
deiro, 4 v.
Salamandra, cmanse martimo, 3 v.
iudra huanie, Iraducgfio lisbonense pelos Casli-
Ihos 10 v. cncadernados.
Uysleiios de l'arix Iraducgo porUiPiisc etn 8
v. oucadoriiados
NAMKS.MA I.IVIIMUA :
0 Manije de Cieter, 011 a poca de D. Joflo I com-
plemento do Monaslicon ^, por Alex. Ilerculann,
v., 1848.
A Lusa Marroquiaa, drama original, novissimos,
em 5 aclos por A. X Percira da Silva, 1818
A vapora de um detafio na regencia de I). Joo Mi ,
purc p. de Lucen, drama tamben recente e origi-
nal em .'1 aclos,
O Soivo Catador, farga original em 1 acto por ('..
A. da Silva ; e mu los outras dramas e fargas mo-
dernas.
OBRAS NAITICAS.
0 l'ilolo Instruido ou tratado de pilolagem edi-
Cflo de (815,
Taboa da$ latitudes e longitudes dos principacs lu-
gares martimos da Ierra 1 v. br.
Taboat dos loijarithmus dos senos e la cente-, di-
to.los us graos e minutos do quadranto e dos nme-
ros naturaes, 1 v.
Tuboas de reducrio para conlieeer-se a dilTerenga
da latiludu, c apartamento do meridiano que so
obtem em qualqucr derrota ote. 1 v
K.riilicara'i din l-ilm iiauli.'.is .le Norie, Iraduzi-
da polo capiao-leneiilo J. II. de K. e Mello, 1 v. br.
Problemas naulico-astronomicos di Norie (serve
do continuago a cxplicago sobredila ) Iraducgo
do mesmo 1 v. br.
Diccionario de mariiiba, por J. I', de Amorim, I v.
Tratados das manobra* dos navios, 1. v. ; Voca-
bulario marujo 1 v.
Koteiro das Cartas do IIras i l desde o cabo do norte
ate o rio da Prata com a Patagonia Cliili e Pe al
o isthmo de Panam com as i I lias adjacentes e na-
vegago uestes mares, por A. L C. Almeida, 1 v.
Astronoma sphorica c nutica por.M. V. do Cou-
lo, Iv.
Na loja da rua do Crespo, ao pi-
da arco de Sanio Antonio, n. 5 A, de
Ricardo Jos de Freilas Ribeiro, ven-
dem-se chapeos de sol de seda, astea de
ierro, os mais superiores e modernos
que teem apparecido nesla praca, pelo
diminuto preco de 5,ouo rs; ditos de astea
de balcia a 3,5oo e 4*000 rs., tambem de
seda, preco por que esto boje os tic
panninho.
Vende-so um casal de escravos: na rua larga
do llozario, n. 20, junto a padaria.
VenJe-se a louga vidrada existente no arma-
zem da rua do hneantamenlo, ao p da cacimba,
por prego commodo : a tratar no mesmo armazem.
Vende-se, porpreciso uma escrava de nacSo
Angola de 18anuos, do bonita figura que cozi-
nha o diario do 11 ma casa engomma soUYivelmenle,
cose, e be ptima para o arranjo de uma casa : em
Fra-de-Portas pateo do Pilar, n. 10.
Vende-se urna canoa do conduzir familia : atrs
dos Marlyrios estaleiro de Manoel da Silva Mariz.
Novo pioa Provenca c bla-
cbioba regala.
Na padaria de uma s porta na prega da S.-Cruz,
estara lodos os dias venda o excollenle po i Pro-
venga, ea bolachinha do regalo, ja qur uma, quer
oulra suficientemente approvadas pelas pessoas que
teem usado, assim como oantigo pjlo, bolachas do
lodosos lamanhos, o entre estas a 30 0111 libra, so
d'agoa e sal, ruradinliai e mfito toiradmlias e lu-
do quanto se fabrica uestes eslabolecimentos. O pro-
irielario desta padaria de novo assevera a seus fre-
ouezes que nada emprega no fabrico do |>3o 6 bo-
lacbiiiha regalia e mesmo om qualquer outro ar-
tigo que possa projudicar, ou alterar a saude, e so
im a melhor farinha a mais superior manteiga ,
juntando o zelo, asseio e todo o esmero possivel.
lim lo bem servir seus freguezes, o tirar a sua
subsistencia. Na iravessada Madre-de-l:eos n. 13 ,
deposito da mesma padaria tambem se acha a ven-
da o mesmo que na S.-Cruz o na rua do Collegio,
vendado Sobral, etc., smonto a bolachinha re-
galia.
Ceblas, batatas c magites,
prximamente chogadas na Bella-Pernambucana :
vendem-se na rua da Cadeia do Recife, armazem
t.
Xa rua Direita, n. 76,
vende-sc canella superior, em grandes e peque-
as porgOes pelo barato prego de 800 rs. a libra ,
sendo este prego vanlajoso para os compradores ,
| para o que inuaf(uui u UWreWO.


| MUTILADO

M**'


-'.. .
=?
h


Vende-se farinha emilhoem saccas, por prc- Ga!)tl" n. i ('. do Dnarle vendem-se
Co commodo: na ra larga bcngallas de Canrva da India, do casloes de
prala e de madre-perola, c de ganchos,
por precos commodos.
Algodo trancado da fabrica
de Todos-os-Sanlos da
lalia ,
milito prnprin para sarcos de assucar e roupa de cs-
i-ravos : vende-se cm casa de N. O. liiebcr & Coin-
panliia na ra da Cruz, n. 4.
Flores artificiaos.
Vinlio barato.
Aclia-se eslabelecido na ra da Madrc-dc-Deos ,
n. 36 un armazem de
Vinlios da Figueira,
Ao 01 tima qualidade, a prego de 1,120 rs. a caada,
e a 160 rs-a garrafa ; c para nSo havor dolo do coni-
Ni 'i- e u ion rs-agrrala ; o para nao uavur uuiu uo com-
a ioja da na doLabnga, do Duarlc, i piador serao lacradas as garrafas e com rotulo, ro-
ncaba-sede receber uta rompido sorti- cebendo-sea garrafa vasia, e dando-se immediata-
I mente a ontra cheia : tanibom ha barris muito pe-
queos proprios para quem passa a festa. O pro-
de
de
ment de flores finas, ramos, capellas
ilor de lar a na pennas para enfeites
chapeos do srnbora e eiboc.i, guamicOcs
de vestidos de casamenlos: d-seao amos
tras rom o competente penhor.
Vpiidein-se 6 lindos moloques de 1 a 10 an-
uos ; 4 prelas de. 25 a 30 anuos ; 3 unios de 16 a 20
anuos ; um mulaliiiho de 7 anuos; :t nr-grinhas de
12 anuos, todas com principios de habilidades; lima
uiulatinhi de 16 annos ; duas prelas de 16 a 20 an-
uos todas com habilidades: na ra do Cotlegio,
ii. :i, sndlr queni vende.
-- Vendem-se 2 moleques de II o 16 minos ; 2 nc-
grinhas: i escravaa mocas com habilidades j um
inulatinho de rannos; g pardos mojos; um escla-
vo Itom calador: na ra Direita, n. .1
Veiidem-se relogios do paredo.de contado 8 illas,
ingjezes, chegadns pelo ultimo navio e garantidos
por seren de ptimo autor: na ruada Cruz n. 2, casa"
dedeo: Kcnworlhy& Companhia.
Luvasde pellica.
Xa loja da na do Cabug, do Dnarle,
ha luvasde pellica, bordadas a seda de
cores, e enlejiadas de selim e Crocos, e
de cures exquisitas, os mais novas rpie ha,
por tereni viudos no ultimo navio de
Franca.
Vendcm-se sellins ingle/es para montara do
senhora ; ditos elsticos de patenta, para homem ;
muros de porro o (ic bezerro cnvcrmzados : ludo
recenlemenle chegado : na ruada Cni7, n. 2, casa
do i.i'o : Kenwoilliy & Companhia.
Filas baralas.
Na loja da rtia do Cabug, do Dtiartc,
lia litas prelas, lavrndas,a 120, 2^0 e 320
rs. a vara.
-- Vcnde-so urna prcla do gento do Angola, de
:!."> anuos que cozinha e vende na ra ou se troca
por ontra que sejo ino^a esa iba coziuhar e rngoin-
n.ir boin : o inolivo por que se vende he por nao sa-
ber engonimar; na ra Imperial, u. 23
Vendcm-se saceos com fardo,
rhegados ltimamente, pelo diminuto
preco de 3,4<>o rs.: ha na da Sanialla-
Veilia, n. i38.
Ao madamismo pei-iiambu-
oano.
Vendem-sc ricos cortes de barege de seda; lti-
mamente (befados de Franca: na na Nova, 11. 26,
loja de Tinoco <\ Rocha.
HUIOS BARATOS.
Na loja defrontc da matriz da Boa-Vista vendein-
so bicos, a 120 rs. a vara o a peca a 1.000 rs.
DF.FflONTE BA MATRIZ DA BOA-VISTA N. 81,
vende-se Iinba de carretel, a 0 rs. e a -i00 rs. a
a diizia; sahoneto, a 120 ruis cada um ; sus-
penso! ios do borracha., a 200 rs- o par ; tntouras a
SO, 120 c 240 rs. ; agulheirus de vidro, a 200 rs. ; ti-
la de pos a 80 rs. a peca ; sapatoa de selim a 610
rs. o par.
prietario desto eslabelecimento pedo encarecida-
mente que so nfio illudam avaliando, pelo diminuto
preco e som coAhecimenlo de causa a qualidade de
sua fazenda digna por certo da estima dos verda-
dclros amantes da boa pinga. Kilo cunta que quem
urna vez provar, continuar com gosto c sem arre-
peudiincnto. E o bom preco!!/ A lodo o cxposlo
accresce o asseio e bou ocondicionamento o que
indo se poder vrrilicar ein dilo estabelecimento.
Vendeir-ee 800 pares de spalos, a dinheiroa
vista } esleirs j couriiihos de cabra; cera de car-
naba ; pennas de ema ; chapos de palha, feitos no
Aracaly : na ra da Cruz, n. 21.
florzeguins jaspeados.
Vendcm-se borzeguins ((aspearlos francezes para
homom pelo baratu prego do6,000 rs. o par ; ditos
para srnbora a 3,000 rs.; ditos com pona de lustro
para human), a 3,200rs ; bolins francezes, a 5,500
rs ; ditos de Lisboa, a 2,560 rs. ; sapatOcs inglezes ,
a 3,200 rs. ; spalos de duraque de Lisboa, para se-
nhora a 720 rs. ; ditos de lustro para meninas, com
lilas, a 1,000 rs ; ditos de lustro e de urna sola pa-
ra homem a 2,000 rs : na ra da Cadeia du Iteci-
fe n. 35. Adveric-se'que he a dinheiro.
Vende-se urna preta crioula, de muito bonita
figura que engomma, cozinha e cose chfio ; nilo
tem vicios nein achaques: na ra da S.-Cruz. n.99.
Vende-se a verdadeira potassa da
l'ussia, desembarcada bontem, por pre-
co mnilo rasoavel, vista de sna milito
superior qualidade : na ra do. Trapiche,
n. 17, c ra da Cadeia, n. 34.
~ Na ra do CrcSpo loja le I portas 11. 12, ven-
dem-sc chapeos de castor pretos, do muito boa qua-
lidade a 1,100 rs.
Vende-se mu alambique de cobre ,
com serpentina do mesmo metal de carga de 9 ca-
adas por 250,000 rs.: na ra do Collegio, toja 11 9.
Vende-se oca amarella ein barris le 13 arro-
bas, a 500 rs. cala arroba ; pos pretos de fumo cm
barris do 7 arrobas, a 300 rs. a arroba : na-ra da
Cruz, 11, t
Vendem-sedous pianos fortes, de Jacaranda,
com o michanismo de muito aprovada e nova inven-
efio, chamado repetidor patente de Collard ; cha-
rutos do (lavara, por preco mais commodo do que
emoulra qualquer parte; urna machina do lytogra-
phia com pedras, Untas e mais pertences; uii com-
pleto sorlimento de instrumentos de msica, tan-
to de melal como de madeira ; bustos do gesso re-
trescntatirio muilo fielmente a rainha Victoria 00
principe Alberto; relogios deouro e de prala che-
gados ultimamento da Suissa. Estes relogios que
sfio muilo bein acabados, se tornam muito recom-
mendaveisa qualquer particular e adverte-.se que
ha entro el les alguns que andam oilo dias sem preci-
sarcm de corda : na ra da Cruz, n. 55.
Gotas egypciaes.
Itemedio sem igual para a dor de denles, .ja bem
contiendo no itiu-dc-Jaueiro as provincias do sul,
pela sua eflicacia em alliviar rpidamente a dor mais
tenaz,qur seja,motivada pela carie.qur por inflam-
maefio; mas s a experiencia do urna prova Ihe da-
r o devido merecimento. Vondc-se no escriplorio
do Novaes & (".., ra do Trapiche, n. 31.
No deposito de Me. Caitnoni & Coinpanhia na
ra de Apollo, armazem n. 6, acha-se constante-
mente grande sorlimento'de ferragens ingloaespan
eiigenbos deassucar corro sejam: laixas de forro
coado ile dilTerontes modelos, os mais modernos;
ditas ile forro batido ; moendas de ferro do mode-
lo adoptado para armar em madeira ; ditas todas
de ferro, (auto para agoa como para animaos; ma-
chinas do vapor de fi'iini do quatro cavallos e de al-
ta pressio o mais moderno o simples que lie possi-
vi'l ; repaitideiras ; rspumadeiras ; resfriadeiras de
ferro cslanbado; formas de ferro: ludo por prego
commodo.
Tinta imperial.
I'ara lingir assuissas e cabellos ruivos ou bron-
cos, toruaiid-os perfeilamcnle pretos, sem damno
algum, e desta sorte macios c lustrosos. Vende-se no
escriptorio de Novis & Compauhia, ra do Trapi-
che, n. 31.
Vendem-sc meias de linlio para homem ; ditas
de algodflo ; peneiras de rame; bixas de llambur-
go( que tambem so alugam ); piluias da familia:
na ra do llozario, padaria junto a igreja, defrontc
da botica do Sr. Paran los.
Agoa de mcl
para fortificar e I impar o cabello, removendo a cas-
pa couservandu-lheo lu-lro e massieza e'promo-
vondoao mesmo lempo a acc/io salular das raizes,
o desla sorte faze-los crescer com mais vigoro bel-
leza. Ksta til e agradavel agoa he preparada e des-
tilada do niel de abelhas, conten nao s todas as
suasvirtudes, como lambem um aroma superior
aosmaia ugradaveis pcrfuaies.: vende-se no escrip-
torio de Novaes & Compauhia na ra do Trapiche,
n. 34.
Xarope do bosque do doulor
llolls.
Conlina-se a vender este xarope nicamente no"
esn ipti 11 ni de Novaes & Compauhia na ra do Tra-
piche 11. 34, e na ra da Cadeia do itecifo, loja da
iniudezas, n. 9.
Tinta solar.
g,
nba de rolo, com 10 varas, a a,ooo rt.
eoutrasmuitas fazendas por precos corm
modos.
Vende-se um mulatinho acsbocola.
do, de 10 12 annos de idade: quem 0
pretender, dirija-se na do Cabue
n. 1 1).
Yende-se am par de dragonas
urna banda c urna capada, tudo perten-
cente a oflcial superior j assirn enrno
saccas com arinba de mandioca, de
muilo ba qualidade : na ra da Cadeia
do bairro de Santo-Antonio, n. a5.
^o armazem de Dias Ferreira, n<
caes da Alfandega, vende-se, por preco
muito commodo, potassa muito superior
em pequeos barris de 100 libras cada
um, desembarcados ltimamente.
Vendem-se esleirs da India, para
forrar salas, a prc.o muilo commodo,
por se querer fechar cuntas : na ra da
Alfondega-Velha, n. 36, escriplorio de
AJatheus Austin & G.
Vende-se a venda da ra do Pilar n. 137 de F-
m-de-l'ortas, com os fundos vnntade do compra-
dor, a iiual tem commodos para familia, e paga pe-
queo aluguel: a tratar na mestna venda.
Vendem-se 3 lindos moleques, de nacilo ; una
preta, de 18 aunos, de habilidados, com unta cria de
tmezes; 1 prelo de meia idade, por 150,000 rs.,
por sen dono.s* retira* para fra : no pateo da ma-
triz de Santo-Antonio, sobrado n. 4, se dir quem
vendo.
Vendem-se 5 liados moleques, de 12 a 18 an-
nos ; 6 pelos, de 20 a 25 annos, bous para todo o
servicq, sendo um bom Carreiro ; um pardinho, de.
14 anuos, bom para pagem ou para aprender ofllcio-
urna linda mulalinha, de 15 annos, com alumas ha-
bilidades; urna nogrinha de 13 anuos; urna prrU quo
engomma bem, coze e cozinha ; duas ditas para to-
do servigo :na ra doVigario, n. 24, se dir quem
vende.
Vendem-se presuntos para hambre 5 queijos
londiinlios ; ditos de pralo ; latas com bolacliinlia
lina de Lisboa ; ditas de araruta j conservas novas ;
moslarda ; potes com sal lino ; latas com mermela-
da nova ; dilas com sardinhas ; ditas com herviihas ;
caixinhas com massas finas; vinho moscatel de Selu-
bal; dito Sherry ; licores finos; o outros muitos mais
gneros por prego commodo: ni ra da Cruz, no
lenle, 11 46.
-- Vende-sc, por commodo preco, um piano ho-
risonlal, fabricado pelo Droudwood & Son, mcllior
autor inglez, oqual nflo tem falta e he ptimo para
se aprender a tocar: na praca d.i Independencia, ns.
fies, sedir quem vende.
Vendem-se os mais. lindos corles
de seda para vestido de senhora, sendo
Inancos e das cores as mais bonitas que
S'1
Pe chine ha.
Na loja de quatro portas da ra do
Cabug, do Duarte, vendem-sesetins de
diversas cores a cJoo rs. o covado.
Vendo-sea casa da ra Imperial, n. 9 por pre-
go commodo: na ra Augusta, ti. 94.
Jucos (le cores.
Vendem-se na loja da ra do Cabn-
, do Pilarte, Lieos bordados, de cores,
do ultima moda usada no llio-de-Janeiro
a no rs. a vara .- as amostras se aclum
patentes ao* Sr. compradores.
Bicos de seda,
Nfi loja da ra do Cabug, do Duarte
venderr.-se lucrosa imilacao dos de Lulon-
de brancos e pretos de diversas larguras
Jinlias de 200 jardas, a 1G, 12O e 7oo rs.'
a duzia : e de 100 jardas de 16, 120 c ario
rs. ; crep decores c prelo arioors. o co
vado ; bandejas de mcio cbaraoa 16, 2O
ea8 rs. a poliegada ; suspensorios finos
estovas para cabdllcs (ngiezas) ditas para
dentes, finas, ecnlefinas, filas propras
part sentura desenlilas, com franjas e
sem ellas, de ns 9 e 12 a 1,000 rs. a vara;
papel proprio de carlorio 3-2,200, 2,600
e 3,6oors. a resma; trancas de cores, tan-
to de seda como de laa a 120 rs. a peca
trun branca e amarella; as amostras se'
acliam patentes aossenliore compradores
mediante o competente penhor.
CnA'llvccnv
Na loja de quatro portas da ra
( dono deslc estabelecimento tendo j sal-
8 dolo cotilas com alguns de scus ciedores,
^ deseja saldar o resto antes de lindar o anuo,
^ e pata esso fim tem resulvdo vender todas as
j. I'/'nulas por diminuios procos, a sabor: po-
t-^ cas de niadapolao fino com pequeo loque
n de avaria a 3,2000 3,:oors.; dito limpo,
M a:i,000, 3,5i0o 3,800, o do muito largo e
m lino a 4,000 rs. ; pecas do chitas escuras de
bonilos padres a 5,500 5,800 6#e 0,500 rs.,
^ linas entrando algumas do coborla a 7,000
rs o ocovadon 150, ICO, 170, I80et90ts.
corles de cassas dn IhiiuIos gcslos o (lulas
s X.iS, a 2,201), 2,400, 2.GO0 2,800 o 3,000 1S ;
& princeza de duas larguras, a 040 o 800 rs ;
^ merino a 1,800 rs. o muilo fino a 2,500 j
^ rs- 5 pemos finos, a 3,500, c 4,000; pannos
jq de bonilosgoslos para mezas do n.eio de sa- I
'" a :?'00 3>500 e *.00 >"s- J "''"> de linho
^ com listras do cores quo valem 1,600 is. por I
^ t,(()0 rs. ; dito escuro, a 480 e 500 rs. ; dito
H de algodilo a 320 rs. ; los de linho lino a I
52 6,400 e 7,000 rs.; algodiio da tena, a IDO j
Jg rs. ; riscados trancados de lislias a 160, I
ea 1"0, 180 c 190 rs ; algodiio trancado azul ;
*^ niericano, muito encornado, a 210 rs. ; cha-
S les de chita a 800 rs o do nutras quididades
gg a 1,000. 1,500 c 2,000 rs.; urna gratulo por-
ta ello de bonelcs de palliinhii fina de velludo
g^ do rorc-f, cdooulrasmuitasqualidades, para
3 homem c meninos, a 160, 240, 400, 640 o 1/
gj rs. ; eUtrea muilas fazendas que, poroc-
^ cuparem muito lugar, deixam de serem an-
^ nunciadas, asquaesso vndenlo sem limi-
I tes, Io stncnlo allm do fechar cotilas.
Esta tinta servo para marear a roupa por mais fi- se pdem imaginar, e por commodo nre-
naou grossa que seja ; e usa-se sem preparacilo t..m -- "^ f r
alguma engotnmandoa roupa e oscrevendo cem ^ bem cw^- HC.as manas de furta-C-
na ra da
do
\cndem-se Sflpaloes de
cotiro de lustro muito bous, por
2.5GO e 3,000 rs.; d (os broncos;
d tos de, lustro para senhuras e
meninas, feitos no paiz, por pie
go commodo: Da ra da Cadeia
do liecife, n. 9.
-Vcndo-se urna canoa libertado carga do 700 ti
jlos,ou tambem sealuga; na ra da Cadeia d
.S.-Anlonio n. 21.
penna de ganso expoe-se ao sol por urna hora, o
depois loiiia-se prela duravcl e impossivel de des-
bolar na luvagom : vende-so no escriptorio de No-
vaes c Compauhia na ra do Trapicho, u. 34, a
1,000 rs.
-- Na ra da Moda, n. 7, contina-se a-vender su-
perior colla fabricada no Hio-Crandc-do-Sul.
No ariiiazem junto ao arco da Conceiciio que
fui do finado llraguoz vendem-se barricas do supe-
rior fardo do Lisboa a 4,000 rs. cada urna ; arroz
doMaranhilo, muito barato.
i #
^ Vende-sc, no pateo do Terco, j
> venda n. 7, viubo da Figueira, de a
\ superior qualidade', a 160 rs. a gar-
* rala. 4
Quadros de santos com molduras
da moda.
res, e de mu delicados pa Ji oes ; lencos
de garca com ramo de matiz e barra a.-se-
tinada ; luvas de pelica para senhora,
de todas as cores e com belotas ; bellos
cortes de vestidos de barege de seda, e
ouiras multas fazendas, tudo por preco
commodo, na ra Nova, defronte da
Conceico, n. 3o, loja de Domingos
Antonio de Oliveira.
i\ovo armazem de vinlios na
ruadas Cruzcs, n. 57.
Vende-se neslc armazem superior vinho de Lisboa
e Figueira, pelo commodo prego de 160 rs. a garrafa,
e 1,120 rs. a caada do linio, ebranco, a 900 e 1,400
rs., a caada. O proprieiario desta novo estabele-
ci ment a llanca que os freguezes que Ihe compraren?
a pr i metra vez hSode continuar.
Vende-se na ra da Aurora, n. 4 uro jogo do
tambores antigos rodetes, aguilhoos e dous c.l-
Na loja da ra do Cabug, do Duarte, Je'ro,cs: tudo;muitocmconta.
acaba de se receber um novosortimento de
quadros com moldura dourada em metal,
cm ponto grande e pequeo, de 3uo al
2,000 rs., dando-se as amostras aos Sis.
compradores, com o seu competente pe-
ubor.
Chapeos de massa.
Na loja da ra do Csbug, do Dnaite,
vendem-se chapeos de massa, aba larga,
proprios para rapazes do bom gosto an-
Escravos Fgidos
- Vendem-se dous moinhos para moer caf, sen-
doomnovo, e outro com algum uso ,-por preco
comino lo : na padaria do palco da S.-Cruz, n 8
-Na ru da Cruz no Itecife armazem n.' 26
vendim-se saccas com superior farinha de mandio-
ca, viuda do Ceara por prego mais barulo do oue
cm ontra qualquer parte.
Vendo-so urna casa terrea, edificada na ra dn
l t '-;....."" aiiic c-anaf, a quarios, Co-
zintio roa, tjiiHilal muilo grande o cicimba de mui-
lo boa agua : esla casa vendo-se para orn o dinhoi-
lopagai-scumabypothecj aoSr. ju.lo Porlella
os prelendenles dir.jam-se a ra Nova, n. 51.
darem pela festa, a 3,ooo rs.
-- Vende-so madeira vcllia para oiaria ; tabeado
ile pinho usado para estacadas : a tratar na barca-
c,a de virar navios com ilanoel Jos Soares.
IJMA CHANDE I'FXHINCHA.
Vendem-se meias para meninos, de
todos os lamanbos, por i?o rs. cada um
par, ea duzia a :,4oo rs.: no Aterro-da-
Ua-Vista, loja n. il\.
Na padaria da ra da Cuia, no Itecife haver
lodos os dias a ven la o novo pilo de Provenga fa-
hricadp por outro modo que o actual e da melhor
farinha que ha no mercado : por esto motivo nflo se
pode l'azer senilo a 40, SO e 160 rs.
Va loj i u. ;> A, da ruado Cres-
po, do \\cardo Jos de
Freias,
vendcm-se tiSrles de chita com io cora-
dlos, a i,6oo rs. mantas de brlalana, |>a
ra senhora, a t,ooo rs. ; pecas de brela-
Fugip, no dia 16 do Novembro o preto Aga-
pite de 24 a 25 annos, bailo reforcado cor fu-
la olhos agatados, alguma barba, peinas arquea-
das ; tem urna cicatriz no dedo grande do p direi-
to de Um talhode machado ; andar atoleimado ; le-
von camisa e caigas de algodiio da Ierra: quein o
pegar leve-o a ra de S -Francisco, n. 30, que se-
r gratificado.
Fugio, no dia 20 do correte, o preto Jos U.i-
Ihetis alio ; tem os denles da fenle faltos ; j foi
surrado ;sup|0o-se ter seguido para o serillo. Ro-
ga-sc as autoridades pnliciaCs e capules de campo ,
que o apprehcndam e levcm-no a rua.de Apollo, ar-
itiBzemn.22, que ser.to generosamente recompen-
sados.
--Fugio, na noile do dia 18 do correnle ,um pre-
lo de Angola, de nome Jos, cheio docorpo, peritas
finas cara bastante larga ; tem um clomboem um
p da parto inferior, de nacencia : quem o pegar le-
ve-o a ra Formosa na tercena easa a sua senho-
ra Antonia Francisca do Alhuqiierque que rocon-
ponsar- O eacrav trabslha ha muilo no arsenal, por
isto bo bem couhecido.
Fugio o escravoMaximianno, cabra do 35 an-
nos pouc mais ou menos, cabellos alguma coosa
corridos ; tem urna belida cm um olbo j bastante
ereSeida ; tem os dedos dos pos bastante abortos uns
dos outios e principalmenleos pollegaos ; lie alto
gnwse docorpo poua barba; quatulo. esta crlrrrt
noso lica pago ; ha denuncias quu tem andado pela
(idade de Olinda. Roga-seas autoridades policiaca
c capitcs de campo, que o appreliendam e fevem-o
ou Aterro-ila-iioa-Visu, casa amareiia, quu uva CH
a frenle paro a maliiz segundo andar, que ser.to
recompensados.
,-'-------- "-' _! 7^=r^j=s
1'eBN. : NA TTP. OS. M. DEFABU. iW
MUTIL


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EOJPUGFPG_J7DY3D INGEST_TIME 2013-04-13T03:02:45Z PACKAGE AA00011611_06181
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES