Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06180


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Ann
XXIV.
Quarta-fera M
ni i IIIO pudllca-se todo* i1*' >" nLS
P i ,...! P'e d asignatura he
*/" .. ""il P' l*nh. rs. em typo dlf-
,jw.u m -" .;' lic0<., pela inelade. O nao
""""' ,S t rs. por linda e IW1 rs
S>#*****por cadj pubiiM5-
'pHASBS 1>A LA WO HEZ URNOVKUBRO.
_,. 4, s 3 doral c 44 niin. da usas*.
A*"? VO as 11 dora* e 10 min. da Urd.
l"C i?; a 17, s 4 dora e 27 mln da Urd.
t%>*'7 *v e l0 min- **tard-
PARTIDA DOS CORREIOS.
Goianna eParahlba, i segs. e sextas-felra*.
Kio-.-do-Nortcqiilntas-fcIras ao nirio-dia.
Cabo, Serlnhaem.filo-Forinoso, Porto-Calvo
r Macelo, no 1.', a 11 e SI de cada ruex.
Garanduus< Bonito, a S e23.
Boa-VItu e Florea, a 13 e 28.
Viciarla, ai quintai-felraa.
Ollnda, lodoi osdiai.
PRKAMAR. DE ilOJlV
Prlmcira, s 2 horas e 0 minutos da tarde.
Segunda, asidoras c 30 minutos da inand.
(t e Novembro de 184*.
IV. <.
das da semana.
20 Segunda. S. Filis de Valols. Aud. do J.
dos orpd., do J. el, edo J. M. da 2. .
21 Terca. S. Apreseutacaode N. S. Aud. do J.
do e. da I.t. e do J.de paidn'2. dlst de I.
22 Quarta. S. Cicilla, Aud. do J.doc. da 2,
v. c do J. de par. do 2 dist. de t.
23 Quinta. B. Clemente. Aud. do J. de or-
phaos c doJ. M. da 1 y.
24 Sesta. S. Joao da Cruz. Aud. do J. do clv.
i- do J. de paz do I dist de t.
25 Sabbado. S.Catliarina. Aud. do J. do c.
da-1 v. e do J. de paz do I dist. de t.
2o Domingo. S. Pedro Alexandrino.
CAMBIOS NO DA 21 DE NOVEMBRO.
Sobre l-ondres a H d. por 11000 r. a 00 das.
. I'aris
> Lisboa 120 por centn de piarlo.
,i Ulo-de-J.ineiro ao par.
Dse de lelt de boas firmas a 1 % es mea
Aec.-Vesda con.... de B^rlI^aWW. O.
rt.ro.-Oncn, liMpanholae J#H0| a *"
Moedas detiMllO v. 10/SOO a //WH
derJ/4'Wn. 10/201) a 15/400
m de 4>00... 9/200 a 9f-W
PraUtPataches l)rasileiros 1/940 a l/9|
. Pesos columnarlos. 1/W40 a I/W
Ditos mexicanos..... 1/900 a I/W
3)1 ARIO DE:
PARTE-0FFICIAI.
MINISTKRIO'DO IMPERIO.
fiin-de-Janeiro. Ministerio dos negocios do im-
perio, em 5 de setembro de 18*8.
Illm. e tito*. Sr. Sendo prsenle a S- M. o Im-
perador o ofiicio de V. Es. de 23 do mez passado,
companheudo o que llie dirigir o juiz do paz da
frecuezia dos Silveiras, no qual pcrgunla so deve
considerar ou nao como nullo o concelho municipal
de recurso quo so reuni naquella villa era abril des-
te anno, visto que se deram as scguinles circu instan-
cias primeira, ter comecado o concelho os seus
trabamos a 16, e concluido a B3 do dito mez, del-
irando de estar reunido durante os qumze das mar-
cados pela lei, cono fundamento de nao terom ap-
narecido recorrentes; segunda, devendo o concelho
Ser presidido por um membro da cmara municipal,
fegr estarem impedidos os juizes municipaes supplen-
- tes foi de faci presidido por um vereador supplen-
t quando no mesmo concellio ftinccionou um vo-
rc'ndoreirectivoservindo do presidente da cmara,
ou segundo membro do concelho: ha o mesmo au-
"usto senhor por boro approvar a resposla por V. Ex.
dada ao referido juiz de paz, declarando que deve
ser considerado nullo o dito concelho, tanto por nao
ter funecionado durante os quinze dias prescriptos
na lei, como por ter sido presidido por pessoa incom-
petente, qual he o vereador suptenlo, quando se
acliava presente um veroador efTeclivo, a quem a le
rhamava para primeiro membro do referido conce-
lho, na qualidade de substituto legal do juiz muni-
cipsl, nflo lhe sendo permillid a opciio como esta
decidido pelo aviso de 9 de novembro de i8i, 4.;
devendo portsso proceder-se a novo concelho no da
ja designado.
Heos guarde a V. Ex. Jos Pedro Dias de Carva-
Iho. Sr. presidente da provincia de San-Paulo.
Rio-de-Janoiro. Ministerio dos negocios do
imperio, taJ dejwtaubu da list.
Illm. e Exm. Sr. Sendo presente a 8. M. Im-
perador, coiii o ofllcio da V. Kx. n. I7 de 85 do mez
passado, a copia do que V. Ex. expedir ao juiz de
paz mais votado da villa daSan-JoUo-do-Rio-Claro,
approvamlo a Jeliheracio que ella tomara do man-
dar proceder a nova qualificncio, visto que a dispo-
sig.lo do aviso de5dejulho ultimo, ordenando que
subsista a que foi feila pelas juntas organisadas eom
oseleitores de 1847, se deve entender nicamente
com aquellas a respeilo das quaes se observaram to-
das as formalidades da lei, e nao com aque las que
padecem visivel nullidade. como aque leve lugar na
referida villa sb a presidencia de um individuo que
nao era juiz do paz: lia o mesmo augusto senhor
por bem approvar o procedimento da v-Es-> .*
assiin llt'o manda coinmunicar para seu conhoci-
menlo. .
Dos guarde a V. Ex. Jote Pedro Dias de Caru-
Iho. Hr. presidento da provincia de San-Paulo.
Rio-de-Janeiro. Ministerio dos negocios do
imperio, em 6 de setembro do 1848.
Illm. e Exm. Sr. Sendo presente a S. M. o Impe-
rador o ollicio de V. Es., n. 25, em data do 21 do
-Biez passado, podindo que se xe o sentido do arti-
fgo 108 da lei do 19 da agosto de.1846, que determina
que nos sosenla dias anteriores o nostrinta poste-
riores ao dia da cleicflo primaria so suspenda em to-
do o imperio orecrulainento, visto que por causa
das expressos clenjir primaria que so rcere
a secundaria, entendem alguna que aquella disposi-
cilo legislativa nSo he applicavol sen.lo eleic.no de
eleitores, eoulrossuslentam que por idenlidade-de
usllo, ou ao menos por analoga de direito, no com-
prehensiva da eleiQSo de vereadorese juizos da paz :
nouve o mesmo augusto senhor por bem declarar
uno a mencionada disposico smenlo se refere as
eleieoet pHmarias, que silo aquollas em q.ue a "man-
sa dos cidadlos votantes elege os eleitores, u1o so
podendo portento applica-la as eicijfles de vereado-
rfsejuizes de paz, porque cssas sao directas; eas
palavras da lei devera enlen ler-se no sed sentido
restricto, enoamplia-lo. j
Dos guarde a V. Ex. Jos Pedro Das di Curva-
Iho. sr. presidente da provincia del'emambuco.
Rio-de-Janeiro. Ministerio dos negocios do
imperio, em 6 de setembro de 1848.
Illm. e Exm. Sr. S. U. o Imperador, a quem foi
presente o ofllcio de V. Ex. 0.105 com data de ap do
niez passado, que acompanha o q'uo lhe dirigir o
commandnte do balalhSo de guardas nacionaes da
cidado de Sorocab, perguntando so deve fornecer
assentinellas que requisitar a mesa parochial para
guardar a urna no dia das eleir,0es de 7 do correntc
mez : houve por bem approvar a decisiio de V. Es.,
dectarando aquolle commandante que o artigo 108
da lei de 19 de agosto de 18(6, comquanto prohiba
arruniamonlp de tropa e qualqer osteulaqSo de
Torc niililar, totlavia nilo deve ser entendido em rc-
l.ieio a sen ti nellas que frem necessarias e a mesa
requisitar para a guarda da urna, como he oxpresso
no artigo 61 da dita lei. O que communico a V. Kx.
para seu conheclmcnto; ciimprindo, porcm, ponde-
rar-lhe que a disposic.no do citado artigo 108 smen-
"^vl*ae refero s eleicoes primarias, que silo aquellas
era quau raassa dos cidadilos-votantes elege os elei-
tores ; nSo se podendo, porlanto, applicar a mcsina
tures ; nao se puueuuu, punoiuu, spimuai a w^w.
dtaposi^ilo eleicOes de vereadores e juizes do paz,
Msftlsasi.ta;jala> diferts?. aa labffrS! ds l! do-
vm entender-se no sau sentido restricto, e n3o sm-
P 'era guarde a V. Ex. J-i P'dro DiasdeCarva-
Iho. Sr.Tro*Wento da provincia do San-Paulo.
nio-de-Janeiro. Ministerio dos negocios do im-
perio, em 6 d setembro de 1848.
Illm. c Exm. Sr.-Semlo presente 11 S. II. n Impe-
rador o ofllcio de V. Exc. n. 100. de2adomczfindn,
acompanhando que na data do IC do mesmo mez
lhe dirigir o iuiz do paz da freguez.a de Mog.mir.m.
no qual participa que a junta de qualil.cacno fo. all.
formada com os eleitores e su ppl en tes da 18*1; mas
nuc, nilo se tendorcunido at entilo o concelho mu-
nicipal de recurso, forzoso lie proceder-se e eicflo
de7 do correnle ez de setembro com os qual.fica-
dosno anno passado, em vista do aviso de odejti-
Iho ultimo e portara do governo dessa provincia de
21 do dilo mez; aeonteeendo entretanto que dos ci-
dadflos qualifleados no anno passado mudos fiearam
posteriormente pertencendo, em v.rtudo de novas
divs.les decretadas pela assomblea legislativa pro-
vincial, is froguezias da Penha e l.imelra, onde se
acham qualificados pelas respectivas jun as no cor-
renlo anno, deixando de o ser por aquella paroch.a
de Mogimirim ; e que por consequenc.a entra em
duvida se a mesa deve ou nilo receber as cdulas des-
tes cidadfios, apezar do perlencerem a nutras paro-
chas; o, no caso afllrmativo, so devera ace.ta-as
rndistinctamente ou om soparado; parecendo-lhe
inconveniente em qualquer dos dpus arbitrios que
Ma adoptatlo : o mesmo augusto senhor houve poi
bem declarar que V. Exc. resolvou com acert res-
pondendo ao mencionado juiz de paz que, nao po-
dendo os cidados de-urna parochia concori-er para
a aleic3o de outra a que niio pertencem, como se oe-
duz da lei regulamentar das eleicoes e lie exprosso
em diversos aviso* do governo imperial; es'nao in-
mez oleicSo de vereadores e juizes de paz, nilo
resta outro arbitrio a seguir-se senSo o de aceitar a
mesa nicamente as cedulM *W comparochianos
que estiverem qualifictAbs, recesando as que rrom
presentadas por cidadilos das outras parochias._^0
que communico a-Y. He. rrtra WCorrTicctmantr)
H Hoos guarde a V. Exc-Jos Pedro de Carta-
Iho.-Sr. presidente da provincia de S.-I'aulo.
Rio-de-Janoiro. Ministericrdos negocios do im-
perio, em II de setembro de 18*8.
Illm. e Exm. Sr. Foi preaente a S. M. o Impera-
dor o olBcio de V. Esc. de 7 de mez passado, propon-
do a seguinte questo : ....
Quem na formacilo do concelho municipal de re-
curso deve sor- chamado para substituir o eleilor
mais votado da freguezia calwca do municipio, na
filia loUl do eleitores, como acontece na de Ipojuca,
cabera do municipio do Cabo, cujas eleicoes fOram
annulladas pela cmara dos dopulados.
E o mesmo augusto Senhor manda declarara v.
Esc. que, applicando-se no caso prosente o mesmo
principio quo regulou a decisiio imperial de 8 de
marco de 18*7, pela qual na fall de juiz de paz e
supi'lcnle devens as juntas sor presi lid**) pelo juiz
do pax do districto mais vizinho, enlonde-se que, na
falta total de eleitores da parochia cabeco do muni-
cipio, deve ser convocado, para composic5o do res-
pectivo concelho municipal de recurso, o eleilor
inas volado da parochia mais viznha.
lieos gusrde a V. Exc. Jo Pedro Das de Carva-
llo. Sr. presidonto da provincia de Pornambuco.
rtio-de-Jsnoiro. Ministerio dos negocios do impe-
rio, em 15 de setembro de 1848.
Illm. e Exm. Sr. Fram presentes a S. M. o Im-
perador os oflicios de V. Exc. de 7 e 12 do mez pas-
sado, acompanhados da crculai quo em do mes-
mo mez expedio V. Exc. s cmaras municipaes des-
sa provincia, prevenindo as seguintes hypotheses de
duvidas que na ele3o das ditas cmaras e na do jui-
zes de paz toriam de occorrer >
i. lasfreguozias da Alagoa-Je-Baixo, Assump-
eflo de Cabrob, Ipojuca, Serinimem e Jaboalflo, as
quaes n3o oxistem eleitores, ou por nilo terem sido
eloitos em novembro do anno passado, ou por os ha-
ver declarado Ilegtimos e nullos a cmara dos !>rs.
2." as freguezies em que as juntas dequalifica-
cSo, composta de eleitores da actual legislatura, ora-
dora do sua leglimidade s posteriormente houves-
sc decidido a respectiva cmara, .concluirn! os tra-
ball.os da revisfio da qualilicacno dos ">tlos-
3. Na freaueziaa onde oa ditos traballios do re-
viso nao fram comeados pu concluidos o.n con-
scuencia do aviso de 13 dedezembrode 1847.
4 as frecuzia*onde nflo estivessem concluidas
as novas qualilicacOes ao lempo de azer-se a eloicilo
das cmaras raunicipaes o juizes de paz.
E inleirado o mesmo augusto Senhor do ludo o
que V Exc. pondera nos mencionailos oflicios, houve
^l^&wMn V.Exc. sobre a primeira
hypolheso, ordenando que as froguezias onde no
a eleitores, ou porque mo forara eleitos, ou por-
uf acamara dos deputado* deca.ou as eleicoes il-
Cimas" nulla, se procedesse ua fr.. do artigo
b Fa W-i de 19 de agoto do 18*6 como insina em
cisoVemlhanlVo Secreto n. *80. de 2* de oulubro
'"'IL na segunda hysotheso, isto he, na*tro-
msmmm
reconhecam como validos os actos Piados por
taas juntas, por isso que nfr ando ate l.oje a cama
ra dos Srs. depulados decidido a Juv.da que llie foi
alTecta pelo aviso de 18 de abril do crranle anno, e
tendo por outro lado reconhecido l'a':
ores do quo se trata, deverHo reput.r-se, vsl.do os
actos or-alies praticados, emquanto o contrario nilo
nrpeUmosm, cmara decidido, devendo nes a par-
le consi .le?.?! revogada disposieflo daquelle avi-
so e a do de 19 de ma.o Umbem deste nno.
3.0 Qll0 bem decidir V. Esc. sobro a tercera y-
pothese. ordenando que as freguez.as onde os tra-
ba Iho de revisto nflo eslavam .inda comeesdo*i ou
coi." luidla servissera os eleitores da actual leg.sla-
U4* Quo as freuuezias ondo se der a quarta hy-
pothese, isto he. onde nao estiverem a.nd. conclui-
das as novas qualificacOes ao lempo de fazer-se a e-
leiciio, cumpre que para olla se convoquen os cida-
dilos qu.lilicados no anno anterior, como en a
semelhante foi ja decidido par av.so expedido so
presidente da provincia de San-Paulo ora '>fJu'"
do correte anno, cujas disposicoes devera V. hxc.
aver observar noisa provincia em lu,lo^uiee* el'"
r.ir applicavol. E porquo desellados olcios do_V.
EXC se infere que.seleicOo das cmaras mun.c-
paese juizes de paz nao\oderiam sin *"
no d.a 7 do correte, ha Su. Mageslade o Imperador
por bem que4 a ler-se reulisado essa hypotl.ese, de-
signoV Esc quanlo antes novo dia para as mesm
eleicoes, caso o nilo leuda ja foito, recommendando
s autoridades respectivas quo empreguem.todo os
esforcos para que ellas se facam com a dev.da regu-
la, idade, e se concluam a lempo de pode.en. as no-
as autoridades entrar no exerc.c.o de su.s func-
ces no di. 7 do Janeiro prximo roturo. O que ludo
communico av! Esc. para sua ...lell.genc.a e go-
Deos guarde V. Exc. Jos Pedro Dias de Carca-
tho. Sr. presidento daprov.nc.a del'emambuco.
COMMANDQ DA* ARMAS.
Quarlel do commando d,u arias na cidade do Recife,
10 dt novembro de 18*8.
OltDEM DO UIA N. 78.
O commandante das Ifmss interino ijw Jjjfjf;
para quo surta devido cffclo, e possa c^gaoCO-
nheimento dos interessedos, o.lcelo de. 11 le ou
tubro ultimo, pcrdo.n lo os erimes *l**.5
ercao* e de secunda simples, aos m.l.tarcs dos ,J f
feruntes corpos do exorcto, e da .B"^""'0,""!
o. destacamento, quo -tiveram o iM>rlH d*-0
commottor, decreto quo lhe M *ffif!j*
pelo Bxm. Sr. presidente da provincia a 18 do cor-
rente.
DECRETO.
C >ir,mlscrando-mo dascircumstancias em queso
achara os militares dos difTerentes corpos do excre-
to, o os da guarda nacional em destacamento, que
tivVam a inrelcdado de desertar, aparUn-lo-se de
suas bandeiras : l.ei por bem pcrdoar-lhes o cr.mo
de primeira desercHo, e o do segunda ^fle,pn-
sentando-se os reos dentro do praso de l
contados da data da publ.cacao do Psenle decreto
em cada provincia, incluindp-so tambera neslo in
dulto os quo estivorom sentenciados, ou para sen-
tenciar. O concelho supremo militar do justica as-
sim o tenha entendido, c especa os despachos no-
cessaros. .
Palacio do ltio-de-Ja..eiro, em 11 de oulubro de
1818, vigesimo-setimo da independencia, e do, im-
perio. Com a rubrica deSua Mageslade o Impe-
rador.
Cumpra-so eregiste-sc. Ilio-de-Jancro, em,33
de oulubro de 1818. Vasconcelos. Conde do Hio-
Pardo. Mascarenhas.
Conforme. J'" DapUsla lerreira.
Francisco Jos Damasceno Rosado.
Repartoslo da polica.
EXTRACTO DIARIO DO DIA 21 DO CORRENTE.
Fram presos ;- ordom do Sr ^f*Jjreadoj
chefo de polica, o prclo IgoncielJos Fe Jira^ da
Cos, por ter nsulUdo a palrulha da alfa dega i
ospadosManocl JacomoPere.ra, WV"fiLj
f,o' -Seto, a parda Francisca Manada Concei-
Cffo. por insultos ;-do subdelegado do necia, o
SrrtJoOo, escravode Francisco Sever.ano .ale-
lo Dor insultos foitos a francisco Euzcb.o de ..
?M--e do subdelegado da Boa-Vista, o paisano
elixJos de Souza, c o prcto liberto Benediclo.-
lestosdous ltimos, assim como uos segundo, ter-
cero c quarlo, n.lo consta o motivo das pr.socs.
0 1." Amanuense,
Aprigio Josi da Silva
aai^^="^'
b
oif
DIARIO DE PEM.8[)1)CQ.
azoirs, ai i novembro sz iee.
Nunca iremos encontrar-nos com os echos da op-
posco nessa carreira do insultos, improperios o
chcameos, que ellrs quotidanamcnle vomitara
contra o Exm. Sr. Ilerculano Kerreira l'enna ; nflo
s porque falla-nos a habilldade precisa para cntrar-
mos na asquerosa lula das descomposturas e dos
duestos; scnilo tambem porque entendemos quo
S. Exc, por sua vida toda, por seus precedentes
honrosos," ost nimismento sobraneoro aos lros
da maledicencia, da calumnia c da torpeza, em ver-
dade impotentes quando empregados contra rula-
daos ctijo meiito lie lito reconhecido como o .le
S. Use.
Entretanto, sempre que cnlro os vis embustes
com que a opposico pretende macular a reputarlo
do Exm. Sr. IVnn.i, lobrigarmos algum quo possa
ser lcvanamenlc acreditado por aquellos quo abra-
can, a Mtvem por Juno, dar-nos-hemos pressa em
desmonli-la.
Isto posto, n.to nos he possivcl consentir que pas-
so dosapercebida essa historia dos Srs. lenles
Barrozo o Monta".ro, deque a opposic.no se ha pre-
valecido para inculcar quo presidencia ja comee*
a descontiarda tropa do 1." Unto, o afana-so porfa-
zersahir da provincia todos os officiaes com que en-
lende nflo dever conlar. Sim ; narraremos o fado
tal como se passou, e a vista da nossa narrativa os
homens sensatos e mp.rciaes fjearo habituados
para ajuizar da ba-f com que os opposicionislas
buscam avahar os actos da adminisiacilo.
Requsitado pelo Sr. coronel Rento Jos I.emenha
Lins, o Sr. tenento Monteiro servia no quartel-gene-
ral do co mmando das armas desla provincia na qua-
lidade de aju.lonte de ordens, quando aqu chegon
o vapor Imperalris, trazendo a noticia da nomeaco
do gabinete de 29 de sctemb.o; no da immediato ao
desta chegada, o Sr. Monteiro solcita e oblem do
presidente de enlfio, o Sr. Antonio da Costa Pinto,
tres mezos de licenqa com osiospectivos vencimen-
tos para tratar de sua sai.de onde bem Iho convies-
so : aocabo de una semana, contrata sua passogem
para o Rio-de-Janeiro ern um navio do vela, por en-
tender quo Iho era mais commoda, ova .pagadoria
militar solicitara guia ; mas, havendo esta reparti-
coduvdado dar-Ufa tal qual ello a prclen.lia, por
entender que lhe nao compeliam todos os vencimen-
lo, procura o Exm. Sr. Penna, c pedo-ll.e que di.
solva semelhante duvida, ponderando-lho os Irans-
tornol que lhe proveriam da demora da viagem, e
solcitando-ll.e, de mais amis, tima carta de rc-
commendaso para o Exm. Sr. ministro da guerra.
Bondoso como he, S. Es. accede promplamente ao
pedido do Sr. Monteiro, c era consequencia, nflo s
dispe as cousas de modo que a gua lhe seja passa-
da quanlo antes; mas tambem lhe prometle a carta,
que o Sr. Mon lero vem receber c leva no mesmo
dia da partida I.....
Eis-aqiii como o caso se passou: o Sr. Monteiro
de vosso correligionario, o por conseguinte o seu
teslemunh vos nao pode ser suspeito: cscrevei-lhe,
exig delle urna informado circumslanciada acerca
do ludo quanlo Lavemos referido; o se ella contra-
riar, em um s ponto, o que ah fieadto, transcre-
vei-a em todos os vossos jornaes, fazoi-a correr a
provincia, o imperio, o mundo todo, c derfarlo li-
vra-vos da pecha de calumniadores desalmados,
lias nHo; S no adoptareis o nosso conselho, por-
que sabis melhor doquen.nguem que o Sr. Mon-
tairorct.rou-se daqui mui lvremente, o se vos re-
solvis a escrevere publicar o contrario, lio porqno
entendis que tilo rcvoltante falsidado podo aprove-
tar aos vossos negregados planos de subversilo.
Isto quanlo ao Sr. lente Monteiro; a respeito,
porc.n, do Sr. tonente Barroso, o caso he muito di-
verso ; mas de lo fcil explicado como est'outro de
que acabamos de Iratsr.
j MUTILADO



O B. Ilarrozo | cilcncc no 5.' baUlh.lo do fuzile-
ros, quo .'linda lom no Maranhao parle da grillo de
queso compe i no rhog.ir a esla ciclado dosenvolveu
i ,.n (loiijiiienio iBq irregular, (|iicsejiilgou inces-
tarlo inanda-lo servir como addido no 2." hatalho
do arlilhaiia a |c. Esla coiicceflo nilo foi siillicienlc,
pois iquelle a quem a applcaram, nada melho/ou de
conduela depois de a lnvrr rcceliido, lano que as
clises mnis irriteadas, e d'enconlro as ordens supe-
riores, dormia Tora do quartcl. E neslas citoums-
tanriaso quecumpria fazer? Deixar quo corresse
arelolia um ollical que assim so dcslisava do cum-
plimento dos scus devores ? NSo, NrUmenta o
expedienta a adoptar que menos prejudicial poda
scrao 8r> liarrozo era manda-lo incorporara esse
reata do reapoctivo balalhflo que atada se acha no
Maranliflo : c fui jallamente islo oquesepralieou.
Para que, pois, iprertar os fados, o dar-Inca urna
origem diversa dnquella que na roaliladc tecm ?
Semel liante procedinienlo s quadra ;: quem nilo
lem ronsciencia, a quem reputa convinliaveis todos
os metas que se lhc figuran aptos para comlu/i-lo
a iini (ni qualqucr, embora deslenoslos, embora
reprnvados, embora criminosos.
Coloramos terminar aqu, pois que hemos do-
monslrado quanto temdeaJeivoia a mputacito de
que fui victima o Exm. Sr. presidente por causa da
retirada dos Sis. lenles Barroso e Monleiro; mas
nfo o la remos, sem declararmos alto e bom son
que S. Kxc. confia inlciramenle na tropa de linha
da guariiigfio; ~ que est corto de quo ella nto
trahira seus doveres, ncm abandonara jamis o pos-
to .le honra em que so acha collorada ; que olha
para cada um dos bravos de que se ella compita co-
mo para una forlc columna do llirono, da consti-
tuidlo jrala e da ordem publica; o que est
tanto maia (irme neasas Ideias quandoainda a bom Coral
poneos dias recebou urna prova da justeza do seu '
juizo na maneira porque se porlou no combato de
Mussupinbo a (rcelo da sobredila tropa que to-
mou parle nesse grande fcilo d'armas.
O digno delegado de polica com aquello zelo e
aclividade quo tanto o distingue o Sr. Antonio mea Claro, recebando pela madrugada do dia 2 do
em i ente ( outubro tilo tralo nova parti duas
o tres horas depois para o local do delicio acompa-
nhado do cscrivflo o Sr. Malinas Jos Peroira o cin-
co iliacas.
Vi villa do Paco j:i encontrn o cadver deposita-
do o preso o assassioo. I'rncodeu logo a corpo de
delicio, qualilicou e iulcrrogou o roo, inquiri
duas tcstemunlias at s 4 para 5 horas desse dia ,
i|liando vollou para esta cidade, conduzinJoo par-
ricida.
Esperamos ver mui breve concluido o processo o
satisfeila a juslica visto quo o matador nflo nega o
attentado.
Aqui nilo podemos esquivar-nos do louvar o Sr.
Claro, pelo seu zelo, actividado e energa, embora
desla vez nao fsso preciso todo
houverem cdificacocs os infractores serflo mulla-
dos em 13,800 ra. >
Froguezia de San-Jos, 20 de novembro de 18(8.
Ignacio dos ftii Campillo.
llcclaraces.
O eserivflo ebefo da segunda seceflo do consu-
lado provincial, de ordem do lllm. Sr. administra-
dor do inesnio, faz constar aos Srs. propietarios do
predios urbanos dos bairros desla cidade e fregue-
zia dos A togados, que no dia 1. de dozembro pr-
ximo futuro so principia a contar os trinta dias u-
teispara pagamento da respectiva decima do 1.se-
mestre de 1848 a 1849 ; assim, poia, os que deixa-
rcm de pagar nesso prazo a mencionada decima in-
enrrem na mulla de 3 por cento sb o valor de sous
preciso todo o esforco da sua
parto para a captura do criminoso ; pois outros tal-J dbitos, o sofito promptamenlo execulados. Segu-
vez so nao movossem do suas casas, deixando i pro-Ida seccilo do consulado provincial, 16 do novembro
Prccisa-se de um caixeiro porluguez ou
Iciro para um depoaito do padaria, quo cntcn.i. '
meama e de dador a sua conducta : no pateo a*
Cruz, padaria n. 6. ""'""' a,"
Dosapareeeu, doarmazem n.7da ra ,ia cr
i negocio qu,.
videncia esse cuidado, o trabalho da captura.
Para funecionarios comoo Sr. Claro a polica he
um pesado onus para outros he um divertimento,
poique vivom na indolencia e sabem monos do
que so passa na cidade, do quo qualquer homem do
poro. K durma urna populacho sb a egido de taea
auloridailes!
Oh providencia quanto nao deves ser venera-
da e adorada! I
{Do Observador.)
de 1848.
Theodoro Machado Freir Pereira da Silva.
COMMERCIO.
ALFANDEGA.
RENRIMENTODO DIA 21........... 6:230,504
Detcarregam hoje, 22 de novembro.
Barca fella-Pcrnambucana mercaduras.
Brigue Furet batatas.
Brigue Mara botijas vasias e farelo.
CONSULADO GERAL.
RENDIMENTO DO DIA 21.
provincias............
Publicaron pedido.
Em cumplimento ao despaoho supra, certifico que
a ccrlidfio Jo que (ai nicncflo a nclicflo retro lie do
leorseguiiln
As folhas 184.Francisco de Castro Montea. Eu el-
r.^i vos envi muito saudar. Mandando ver no meu
ronccllio ultramarino o requerimento que aqui me
Tez o meslre de campo do terco da genio treta l>o-
raiiigoi Rodrigues Carneiro, em sen nonio o dos
mais ofheiaes dolle, sobre a ruina oni quo se acha a
capella que fez o me>trc- le-campo llenrique Dias na
Istancia, em que o tal terco assiste, e por esta cau-
si se mo poder nclla (azor a fosla de Nossa Senhora
da Assiimpcao que se cjsluma fazer em aceito de
gracas pela victoria que no seu dia se alcancou con-
tra os llollantlezea, nom dizer missi cem a decencia
necessar.ia, cojo damno nflo p^dia ler remedio se
cu nao concorresse da fazenda real con as cusas
da rcedilicac.au da dita capella, por ellos nilo lerein
nossespara o fazer, sendo lambcm necessario capel-
l:io para se dizermissa o administrar oa Sacramen-
tos, eos ornamentos precisos para a mesinn capel-
la. Ful servido resolver que pelas sobras dos dizi-
inosse laea .-, ucdilioacao desta capella, do que me
parecen imsar-vus para que ncsla forma tacata por
era execueflo esta minha resoluco; o ao provedor
da la/onda so avisa quo assim o exi cute. Escripia
em Lisboa a 4 de agosto de 1703--Rei--Conde de Al-
vnrl'.ira o govoniador de l'ernambucoJoflo llap-
lisla Campcllo, esciivao da fazenda leal a (iz re-
gistrar.
Carlorioda Ihesouraria da fazenda de Pernambu-
eo, 1 de novembro 18--No impedimento do car-
tulario, o 2 u rscriplurarioda contadura, Jos Fran-
cisco Ouncatves.
Declaro que a CorlidSo supra foi copiada do lvro
deciini) de registro do catalagu as fallas 134. Da e
era m supm.
los Francisco Goncalvcs.
tui%vtiBi;:iaauns5aaj
VzlKllDADE.
I'M PARIICIDIO!.
Anda nilo nos haviamos esquecido do funesto e
horrivel attentado do dia 23 de agosto, quo temos de
jolaiarao publico um destes Crimea execra veis ,
pnraqucm um famoso legislador nao julgoii dover
impor penas, por Ihe parecer de impossivel exis-
lenca o parricidio !
No da primeiro do oulubro s 4 h ras d tardo
pouro mais ou menos foi mora I mente brido em
sua casa poiico distantoida villa do Paco, eom um
tiro o infeliz Januario Vicente da Costa Nevos, aju-
danlc da guarda nacional da mesma villa, por seu
propiio (illio Leandro da Costa Nevos ; quo nilo sa-
tisfoilo con oque platicara, abri a cabeca da vc-
tima cm duas parles, c rachou-lhe o labio superior
coma cronha da mesma granadeira con que usou
alirar sobre o autor de seus dias :.'
Nflovalcu atflo desventurado pai toJas as supli-
cas quo sooui emprcgaraquelles que se acham um
lito critica circunstancia; o perverso duplcava do
esforcos retrucando esla bocea nao me hade repre-
hender mu* /! !
Eis o c/ime do infeliz, eso porquo sou filhoen-
ndoudever assassiua-lo I Quo poca I e que u.o-
1:130,421
6,343
1:136,766
' BEBBBDBBa
SiTo convidados os Srs. accionistas da enmpanhia
do Rcberibpara se reunircm emassembla geral,
no dia 22 do corrente, pelas 10 horas da mandila, no
es; rptorio da companhia, afim de se concluiremos
trahaihos comecadns na reunido do dia 15.
Rocife, 17 de novembro de 1848.
Francisco Antonio de Oliveira,
Diroctor.
aaataaaaBaaaiBHBaBaaaaisaasBBsaBasQ^BSBBaaiasH
..oanuis
pcrfeicnoja co.ihe.
Pul)licflc^ Litteraria.
CONSULADO PROVINCIAL.
BEMXMENTO DO DIA 21.......... 961,227
Movimcnto do Porto.
Navios entrados no dia 21.
Coltenburg ; 51 dias, patacho sueco lert, do 170 to-
neladas, capito J. A- Luinherg, equipagen 9, car-
ga taboado, entenas e alcatrito ; ao eapilio.
Parahiba ; 24 horas, hiate brasilciro ConceicAo-Flor-
dos-Virtudes, do 24 toneladas, capilito Elias do l'a-
raizo, equipagen 3, cargaj toros de mangue; ac
eapilio.
Macei ; 6 dias, transporto brasilciro Pirapama, ea-
pilio Cantillo l.ellis da Fousera. Com madeira
para o governo.
Sabio a luz o resumo da historia do Brasil, com-
posto pelo professor publico S. II. de Albuquerquo.
Este resumo, intermcdiadopelas mais helas estancias
do poema Caramur e terminado por quatro interes-
santes ndices cbronologcos, e por urna estatistica
dos hachareis formados em direito, offerece ao leitor
inslruccilo o recreio, e a commodidade de encontrar
em um volume omito bem impresso e por mdico
preco aquilloque s adiara em varias obras e pd>
mais dinheiro. Acha-se a venda na ra do Crespo,
loja n. 16, do Sr. Jos Azevedo de Andrade; e em O-
linda, ra doMalhias Ferreira, sobrado, n. 6. tiros.
4,000 rs.
Nestes mesmos lugares pdem os Srs. assignantes
procurar os seus exemplares: porcada umdosquaes
s paga r.1o 3,000 is.
Avisos martimos.
EDITA ES.
-- O lllm. Sr. inspector da Ihesouraria da fazenda
provincial, cm virtude de rcsolucito do tribunal ad-
ministrativo, manda fazer publico quo em cumpri-
mcnlo da lei, perante o mesmo tribunal, vito nova-
tamente a praca para ser arrematado por quem mais
der, no da 23 do correte, os impuslos ubuixo de-
clarados :
2,500 rs. por cabeca de gado vaecum
que ii'n- consumido no municipio do
Becife, avahado annualmente por. 56:000,000
Dito do municipio de Olinda por..... 4:900,000
Dito do municipio de Iguarass..... 1:900,000
20 porccnlo sobre a ago'ardonte que fr
consumida no municipio do Becifo, a-
valiado annualmente por.......10:208,000
izimo do capim de planta nos municipios do Ite-
cife e Olinda por ler havido licitaciodc mais da ter-
ca parto, avaliadoannualmente por 2:006,666.
E para constar se mandou allixar o presente c pu-
blicar pelos Diarios.
Secretaria da Ihesouraria da fazenda provincial do
Pernambuco, 17 de-novembro de 1848.
O segundo escriturario,
Antonio Ferreira d'Annunciacilo.
O fiscal da froguezia do San-Jos, abaixoassig-
nado, faz publico, para que tenham o devido conho-
cimento os artigos das posturas em vigor aballo
transcriptos:
TITILO III.
I Artigo 4.o Nenhum morador laucar, nom man-
dara lanzar as ras ou lugares pblicos, quo nflo
lorcni para este tlm designados, lixos ou iinmundi-
ces, ou qualquer cousa que possa inconimodar, ou
causar damno ao publico, sb pena do 6,000 ra. de
multa, sondo conslrangidos a 24 horas de prisao os
esclavos ou criados, que, por ordom dos senhores
ou amos, o flzercin.
Art. 6 o Todos os moradores Scrflo obrigadoa a
lera fronte dosuas casas sem lixo ou iinmundice
varrendo-as pelo menos de tres em tres dia: os in-
fractores scrflo multados em 3,000 rs.
TITULO VI.
Para a Parahiba o hiate nacional Espadarte sabe
improlerivelmcnte no dia 24 do corrente: quem nel-
le qur/er carregar, ou ir de passagem, diiija-sea
ra do Vinario, n. 5.
Para 0 Rio-de-Janeiro sahe, no dia quarla-fei-
la.omuilo veleiro brigue americano Lalona;\.em bons
rom modos para passageiros: trata-so com os con-
signatarios,, na ra do Trapiche-Novo, n. 8.
~ Para oltio-Crandc-do-Sul pretende sabir breve
o patacho Dous-de-Agosto, o qual inda pode receber
alguma carga, assim como escravos e passageiros :
os pretenden tes pdem entender-se com os consigna-
tarios Amdrim Irmflos, ra da Cadeia, n. 39.
Para o Itio-de-Janeiro aahir bieve o patacho
nventivel, por ler parte do seu carregament promp-
ta, ainda pode contratar-seo rentante frete : quem
no mesmo quizer carregar, embarcar escravos,' ou
ir de passagem. para o que tem bons commodos,
podo entender-se com os consignatarios, Amorim
Irmflos, ou com o capilito a bordo.
Pnra o Havre deve seguir infallivelmenle al o
dia 24 do corrente a b:irca franceza Jeune-Ktlly. ea-
pilio Tombaiel, de primeira marcha, e com ricoae
assciados commodos para passageiros somonte tra-
ta-se com os consignatarios, Didier Colombiez & C.*,
ra da Cruz, n. 8.
Para a Rabia segu al o dia 24 a sumaca San-
to- Antonio-de-Padua, com a carga quo livor : quem
quizer carregar ou ir de passagem, dirija-80 a ra do
Mgario n. 5.
Cara o Aracaty segu o hiato Flor-do-Recift:
quem quizer carregar ou ir do passagem, dirija-so a
ra do Vigario, n. 5.
Lcila.
-- O corretor Oliveira far leilflo da esplendida mo-
bilia prrtencenle a urna familia respeitavel, prxima
a rctirar-se da provincia, copsislindo em sofas, ca-
dciros, consolos, mesas redondas, dita para jantar,
cadeiras do halanco, guarda-ioupa, commodns, can-
dieirodo globo, tiom de cozinha, louca a muilosou-
tros ohjcctos, inclusive algumas obras de ouro e de
prala, de bom gosto : quinla-feira, 23 do corrente, s
10 horas da manhila, no segundo andar da casa da
ra da Aurora, que forma esquina com a do Aterro,
na Boa-Vista.
Avisos diversos.
ralidade!
Aos gritos
dolorosos da victima acudiram visi-
nhos, o que fez com que a fora se evadisso o foi
entilo que esSc desgranado pai se vio obligado a de-
nunciui como seu matador aquello por quem mo-
mentos antes leiia arriscado essa vida quo eslava
pIlunrPVir!f!?^,"St: UU llc,UiaVei 8iluaa
Art. 2. Ninguem poder torfogesou fogaroi-
ros em portas, para qualquer uso que soja, sb pena
le 2,000 rs. : da mesma forma so cnleuder cm oual-
quer parte da ra." '
TITULO XI.
Art. 8 Nonhum vendedor do couros poderi
manda-Ios expr ao sol em outros luyare un nftn
sejamareial do Brum, das Cinco-I'onlas.Cabanga,.
Cortume dos Coelhos, emquanlo nesses lugares uflo'Rio-do-Janeiro.
- Pcrdeu-seuma carteira de algibeira de couro
prelo, com alguns papis e carias dentro, desde a
ra da Cadeia al a ra da Madro-de-Doos, a qual
nada tem de valor senito para o dono, cuio nomo es-
ta escripto. denlro : quem aarhou levn-a a ra do
trapiche, n. 40, que sera gratificado do seu traba-
lho com 10,000 rs.
Aluga-se um segundo andar na ruado Codor-
niz, no Forte-do-Mallos, com commodos para fa-
milia : a tratar no mesmo sobrado, nno im inr
baixo fabrica de charutos.
-- Precisa-se do um menino de 12 ai
caixeiro de venda : na rus de llorlas, ri. 16.
Achou -se um sellim inglez, de pouco uso, sex-
la-reira passaia demadrugada em um sitio em
5.-Jos do Manguinho : quem fr seu dono, dirja-
se a na da Cruz, no Recita, n. a.
Altiva -se um sobrado de dous andares, na pra-
ca dfl Boa-Vista ; a tratar no mesmo lugar, botica
quo lem por
, para
umoculodecaixaoncarnada. Jo um soca
tapador no vidro'de cima : roga-se a quem fr flC?
cido, de o apprehender o annunriar por esta f i
ou dlrigir-se ao mesmo armazn cima. '
- Roga-se aoSr.br. Filippo do Olinda Cami,,!!,.
ou quem suas vezea fizor nesta praca, o favor de en, '
parecer na Praca-do-Commercio, n 6, a n
Ihe diz respailo.
FUNDIfAO DE FERRO.
Na fabrica de Bowman & M. Callum *
nlieirosmncliinista.se fundidores de ferro' na f~
do Brum, no Becife, contina havnr um grande ?"
imento do laixaa para engenhos e moendas de f,
na de lodos os tamaitos o los modelos os m,
modernos e approvados. Na mesma fabrica con|S
nuam-se a construir do enconmetida machinas i
vapor, rodas d'agoa, rodas dentadas e lodos i
objectos de machinisino, com a
cida, por preco com modo.
Bowman & M. Callum deaejam chamar a alten
co dos Srs. proprielarios de engenhos as machina'
do vapor construidas na sua fabrica visto serem t
las de um modelo muilo foi te o seguro o todisi
pecas perfeitamente adaptadas urnas as outras or
meio de tomos automticos, machinas de plajoar
ferro, o outros apparelhos modernos: alm disto
machinas de sua construceflo teem as vantagens'se
guintes: possuem urna cisterna de ferro, onde a en
destinad para a caldeira se deposita por meio de un
bomba movida pela machina, e onde se acha aqui'' i
lada pelo vapor superluo antes de ser por meio aV
segunda bomba de la introduzida oa caldeira afin,
de nflo esfriar a agoa nclla existente, pola indr'odue
eflo d'agoa fria [como he de costume em machina<
inferiores ]e assim produzir grande economa il.
combustivel. "
Alm da supradila economa de combustivel na
producgflode vapor, estas machinas possuem urna
modificaeflo nova das vlvulas por oudo o vaporen-
trae sahe docylindro, pela qual a mesma quanti-
dado do vapor produz maor ellVito do que as nu
chinas de construceflo antiga augmentando assim
de urna maneira, nflo pequea, a economa do com
bustivel necessario para manter a machina em mo-
vimento.
As ditas machinas possuem tamben um appare-
Iho pelo qual a quanlidado d'agoa introduzida m
caldeira se acha regulada automticamente com a
maior certeza pela machina mesma evitando des-
ta maneira o grande perigo que existe as machi-
nas, onde por causa da mcsqiiiuha economa dos
fabricantes o forneciment d'agoa para a caldeira
ha de sor regulado por mito de negros.
Estes esclarecmentos silo respeitosamente oere-
cidosaosSrs. proprielarios de engenhos, que anda
perseveran em o methodo fraco, dispendioso e
insalisfactorio de moer com animaos, afim de sa-
tisfaze-los que, no emprego destas machinas, nflo
existe o menor motivo para receio, nem de explo-
sflo, nem de quebra ncm de demasiado consumo
de combustivel ; o Bowman & M. Callum nflo
tecm pequea satisfacfloemasscgurar-llies que pe-
la pericia dos seus administradores o ofDciaes, pela
perl'eicilo dos scus instrumentse apparelhos o pe-
la abundancia e boa qualidade das suas materias
primas, so acham habilitados para construirn ma-
china* do vapor de todos o tamaitos e para todos
os lins ; assim como toda especio de machiiismo ,
com uina perfoieflo nflo inferior as obras das tnelho-
res fabricas de Inglaterra e mui superior s geral-
mente importadas daquelle paiz.
-- Urna pessoa que pretende retirar-se para fra,
vende a sua venda do pateo do Paraizo n. 14, com
commodos para familia :a tratar na mesma venda.
Aluga-se o primen o andar de um sobrado na
ra de Apollo, n. 22 : a tratar no armazein da mes-
ma casa.
Aluga-se um primeiro andar, ainda que seja
pequeo ou mesmo urna sala e una alcova smen-
te em qualquer ra do bairro do Becife: quem
tiver annuncie, ou dirija-so a ra do Rangcl, n. II,
que se dir quem precisa.
--0 abaixo assignado comprou por conla do
Sr. Joflo Antonio Poilo, da villa dos Touros 5 meios
bilhetes de dcima oitava lotera do theatro publi-
co, de lis. 896, 897, 898, 899 o 900.
Jos Ptreira.
-Quem quizer fazer algum negocio com um titu-
lo de formal de parlilha de um herdeiro cxislcnl\
naprovincia da quantia de 152,314 rs., cujos henar
sflo existentes na ilha do S.-Miguel em Portugal,
dirja-se a praca da Independencia loja n. 14, que
se far lodo o negocio.
O Sr. Joaqun Ferreira de Moraes queira ir bus-
car urna carta, viudo de Portugal, em Fra-de-Pur-
tas, n. 95.
Aluga-se um molequc para cozinhar: quem ti-
ver annuncie.
Na casa de modas francezas, de madama Millo-
chau na esquina do Atcrio-da-Boa-Visla defron-
tedo chafa i iz ha para o escola i ment das senho-
ras um lindo sorli ment de loucados, chapeos de
soda ede palha, tanto para senhora como para me-
ninas ; camisnhas c punhos bordados para vestidos
aTogadose montara ; Lieos de blondo ; capellas de
(loros finas, de laranjas.; ramos do ditas para en-
feites de vestidos de noivas ; Atas de todas as quali-
dades; bicos de lnho ; manteletes-palitos de seda
edebico; trancas o botes para enfeitcs da vesti-
dos ; luvas de seda verdadeiras, curtas e compri-
das; capellas e flores linas para bailes; plumas pi-
ra ca boca e para chapeo ; bicos e. rendas bordadas ;
cambraia c larlatana ; mejas brancas de seda lisas
e bordadas ; gravaliulias do lita para senhora. Na
mesma casa conlinoam-sea fazer chapeos, loucase
vestidos de senhora por proco commodo, e da ul-
tima moda.
, A pessoa quo annunciou, polo Diario de sogun-
da-feira 20 do coi rento querer comprar urna car-
teira em bom uso, dirija se ra Augusta, venda
n. 58 que ah ha urna em muito bom uso o por pro-
co commodo.
Vignes, fabricante ele pianos ,
na na do {itcimado, 11. 118,
(em pianos de novo modelo, folios do prepsitos pa- ,,
ra;eslo paiz; sflo riqujssimos, de macbiiiismo e
vozes superiores o que so alianca ao comprador: f
tambem couceita e afna panos; por prefe com-
modo e vende coras camurcas e iodos o avia -
montos necessarios para ditos instrumentos.
ecisa-sedeuoiaCiixcirv -= '-- s !**BSaSi
I". ... t... ., :.ecsa-s ede a.aCiixc;.-5 3 i2 s """'-;
I David Lzaro, subditoallomflo, rctira-se para o para urna venda e qued fiador a sua cunducU
' Itia-do-iniieiro I ...- .1.. .i:*._ ___.
| no Aterro-da-Boa-Vista venda n. 90.
MUTILADO


i
.
--
y
Lotera do thcatro publico.
O laclo de existir perlo de mefede
* jos Itilhetes da lotera por vender, den
occasiSo a que as respectiva; rodas niio
podessem ter andamento no dia 31 do
corrente, como se annuncioii j persuadi-
do, porcn, o tliesottreiro que scmelhanlc
ven l.i nao dcixar de ler impulso, marca
novamentc o dia 9 de dezembro prximo
luturo para o referido andamento, e es-
pera que esta nova.designaran ser im-
proiogavel.
_ Salte liojo a luz a Verdade, novo peridico po-
ltico, popular, impresio na lypographia UniHo, ton-
(li) por missSo derrocar as doutrinas pervesas, in-
cendiarias, e anarchicas, semeadas pola facgdo de-
sordeira, esclarecer o povo sbreos interosses mais
vilaes da sociedade, a prcserva-lo contra os perigas
a quo nos querem levar aquelles quo aecenderam
na provincia a guerra civil. Vondo-se avulso peto
proco de 20 ris, nos lugares seguintes : na loja de
livrosde H. V. Coutinlio, ra do Collegin, n. 1 ; na
de Cardoso A) res, ra da ('.ule i a do Itecifo, n. 31; c
na botica de Viuva Cunh*, na praca da Boa-Vista.
.. a veneravcl ordem tercoira de S. Francisco, em
observancia do artigo 173 dos sctis estatutos lem
de celebrar na ua igreja n commemuracAo geral dos
seus irmflng fallecidos, com ofllcio solemne, inissa
cantada, serm.to o absolvicilo UiAI, no da 23 do
corrente pelas 9 horas; por sro recommenda a
lodos os 11 nulos o cumprimento do referido artigo ,
o espera que nao tallein a um acto de tanta canda-
da lembraodo-se do ntigo adagio boje por nos,
ainanhda por vos,
Nos das 22 e 25 do corrento peranle o Snr. Dr.
juizdocivel da segunda vara, na sala das audien-
cias ; depois desta, se ha de arrematar um sobrado
do tres andares, u. 9, n ruado Queimado: quem
o pretender comprela, que sdo as ultimas prunas.
--No dia 24 do* corrente, peranle o Snr. Dr. juiz
do civel da primeira vara na sala das audiencias,
, depois desta se ha de arrematar urna casa na ra
''do Mondego n. 135, com una otaria, que bota o
fundo para a camboa do Manguind : que-m preten-
der comparece, que he a ultima praca.
Ao respeitavel publico.
O propietario do armazem de vinho
da na da Madre-de-Dos n. 36, de-
clara que este estabelecimento nao tem
oulro armazem filial, como alguem lia
que o inculca ; e para conhecimento do
publico, faz o presente annuncio.
Oabaixo ajsignado faz ver ao respeitavel pu-
blico, que pessoa alguma contrate negocio d. ven-
da, ou hypotheca com Andr do Albuquerque Mello,
sobre urna pequea parle que o mesmo tem no
engenbo Soccorro ia freguezia do S.-Amaro-Ja-
boatiio,c igual mente duas casas de taipa em o mes-
mo engenbo, visto que a mesma parte e casas so
acliam embargadas pelo anuuncianto pelo jnizo do
civel ecartorio do escrivdo liegos, para pagamenb
da quantia de 1:404,000 rs.; por isso faz o presente
annuncio para qu pessoa alguma se chame a igno-
rancia. Ignacio l.uii de Albttquerqut.
Castao Rstellila Cavalcanti Pessoa esludante
no quinto auno do direito contina a onsinar os
preparatorios, excepto laliin : quem de seu prest
nio se quizer utilisar o encontrariio sempre assiduo e
activo alim de com brovidado dar a cameos seus
alumnos,ajudado pelo methodo quo emprega, as-
sirn cuino sucedeu no anuo electivo, dirija-se a ru
cstreila do Rozario, n. 15.
-Joo Grillo de Souza Carneiro llrasilciro vai
fazer urna vilgem ao Itio-de-Janeiro.
- I'iocisa-so lugar urna prela : n ra da lrala-
do Caldoireiro, venda n. 2. .
Offerece-se um rapaz brasileiro para caixeiro
de qualquer oslubclccimcnto, excopto venda: na
ra de S.-Fiaucisco, casa da esquina que volta para
u florentina.
-Precisa-se de um feilor que cntenda de jardim :
na ra do Mondego, n. 109. .
-- Offeiece-se urna mulhor pan ama de qualquor
casa, para oservico de portas a dentro.: quem de
ni preslimo se quizer utilisar, dirija-se a praca da
, Independencia 11 19.
-No Atcrro-dalloa-Vista.n. 1, primoiro andar ,
precisa-sede urna prcta captiva, para lodo o servgo
de casa.
-- oga-se ao Sr. J. F. S. baja, no prazo de oilo
das, Ir rcsgalar urna casaca de panno preto, j usa-
da e 4 cadeiras ; do contrario serio vendidus para
pagamento. ,
On. 13 do Grito da Paira acha-soa venda nos
lugares do costumo.
A administraefo da casa de I.enoir Puget &
Companhia mudou o escriptetio para a ra do Tra-
piche-Novo, n. 4, segundo andar.
0 lllm. Sr. capitiio Manoel de Araujo Cavalcan-
ti de Albuquerque, residente no engenho Mussupi-
nlio, queira mondar receber urna carta, quo para S.
s- existe na ra do Hospicio, n. 9
Aluga-sea casa da ra da Trompe, n. 13, repa-
rada c pintada de novo : na ra larga do Kozano, n.
MiPrimeiro andar.
Precisa-se de urna ama para urna casa cslran-
B-'ir de pouca familia, quo saiba bom engommar e
'azor o mais necessario : adverlo-so que nao precisa
cezinliar: nu ra da Cruz, armazem 11. 48.
Jos Rodrigues Coelko t Companhia fazem pu-
blico, principalmente aos Srs. arrematantes de agoa-
rdente de prodcelo brasileira. quo deixarara de
vender dito genero na sua venda da esquina da ra do
"ngel, n. 1, desde o dia 20 do corrente em dianle,
<> consequencia do saris. 6.o7., titulo.II, H. 27
das posturas da cmara municipal; pois que, tendo
0 snuuncianle pedido bilhetes aos escravos, ellos
Dotain-lhe em cima do balcdo 10 rs. odizom-llie
qui est bilhetc forte que ndo precisa de reforma.
Deposito da Estrella.
0 abano assignado avisa ao respeitavol publico e
todas as pessoas que sahem apreciar a deliciosa fu-
v ""ca, que acaba deesUbelecer, na ru Nova 11. 56,
un deposito de superiores charutos de todas as qna-
hdades.com o titulo do DEPOSITO DA ISTRELLA,
-"Cotiteudo uelle as qnalidades seguintes: os verda-
deros deputados, San-Felix, emilios, senadores,
melindres, quem fumar sabera, viajante, cavalheiros,
r,"gS*0? flp llivim Ioairn Ja I* llnvana. resala
Je diversas marcas,' e outras mais qualidadesquo so
motlrardo ao comprador, eque se vendem tanto
relalhocomo om porgos, conforme o comprador
uizer, isto he, com um pequeo ganhn; prometien-
do, alera de servir a tojas as pessoas com prompli-
flo o agrado, empregar lodos os mciosnya conser-
var sempreas mclhnrcs qualidades do^^utosque
possam vir da Babia, e dos fabricados o^n, pois quo
conformo a proloccdo quetiver ira anrlindo o seu
estabelecimento. Joaqun liernardo do litis.
Manoel Pereira de S Taz publico que no da 17
do corrente comprou a venda da run do Santo-Ama-
ro, pertencente ao Sr. Francisco Alves Voigas, e que
nlo so responsahilisa por qualqner transadlo ten-
denlo a csse estabelecimento, por ser esse o trato;
e para constar mandou publicar o presente.
Perdeu-so na noite do sabbado, 18 do corrente,
desdo o Manguinho at a ra Nova, um canudo de
casquinha de por vela em lanierna de carro: a pes-
soa quo o achou, querendo reslltui-lo, pode dirigir-
se a mesma ra, n 14, primeiro andar, quesera re-
compensado.
Na ra do Qeimado, n. 20, existo urna carta pa-
ra oSr. Jos Ferreira dos Santos.
Os abaixo as9ignados rogamaos Srs.
credores de Januario Jos da Silva, sesir-
vam opresenlar-lhessuas contas, bem co
ino os documentos que as legalisem, b.-
lim de providenciar-se o que fr possivel
cm beneficio dos meamos, isto no termo
pre/ixo de 20 dias, contados da data do
presente, findos os quaes nao seo mais
attendido9: na rua da Cadeia, 3;. Rect-
fe, 18 de novembro de i8.'|8.
Machado & Pinheiro.
Alugam-seas seguintes casas: urna casa ter-
rea com quintal, cacimba e mais commodos para
grando familia, na rua do Seve, n. 2, por 14,000 rs. ;
outra dita com quintal muito grande na rua do Se-
bo, 11 40, por 16,000 rs.'; outra dita pequea na
mesma rua n. 54 por 7,000 rs. mensaos; outra d-
te pequea no Aterro-dos-Afogados, por 5,000 rs.
mensaes: a tratar no escriptorio do F. A de Olivei-
ra, na rua da Aurora 11. 26.
Joaquim Francisco natural da villa do (.onde,
em Portugal, faz publico que de hoje cm dianle so
chamar Joaquim Francisco Parodes.
FUNDICAO
r .
D'/i vnon/i.
C. Starr A C, engenheiroi, cou fundico de ferro e
bronze, e ferrara, ludo ero poni grande, movido por
duas in.-ii'liin.-isde vapor, montadas as casas novas na
rua da Aurora em Sante-Amaro avisatn aoa seut Tre-
gete!, e ao publico em geral, que tcem acabado dea-
promtar para vender variaa machinas de vapor de bal-
xa e (te alia preisao, e de diverso! lamanliiis : estas mV
eblnas sao prvidas le bombas para supprir a caldelra
com ogoa j quente, c com vlvulas com os seus arrau-
jos mullo simples para regular a ijuantidade da mesma
ngoa ; mas os annunciantca, ionge de iacaiflaiCiU rsiss
invenedes como suas, adveitem iiie a primeira foi adop-
tada pelo celebre Savary em 1698, e a segunda inventa-
da por llrindlev j mais que cen anuos passados, c
ambas introduzidus nesta provincia cm 1835 pelos au-
nunciantes na machina de vapor do engolillo Caraune
(o primeiro fabricado nesle imperio) o qual anda eslu
em eil'ectiva operajao, c desde eutao se lia eitrahido
pertodeutna duzia das mrsmas machinas, fritas nesta
fabrica, contendo os mesmos apparelhoi, e com summo
aproveiumento dos compradores ; portanto Implnglr
isto agora como cousa nova, era impostura. Os aniiun-
eiaiiics leem sim a satisfa(lo de informar ao respeitavel
publico, que liau conseguido um inelhorauento de nao
pequea importancia, e verdadcirameiue nuvo nesta
paiz, que be por incio de urna modilicaco da caldelra
e um simples arranjo de canos e regislos, apiovcitar
o fogo superlluo do assenlaincnta para faier mover a
machiua de vapor sem mais gasto de conihusiivel de-
pois do engenho ler ganhn sua marelia : esta muilo mil
lembran;a tem sido riperimentada com bons resulta-
dos cm os cngenbos Trapiche e Jardim. Esta fabrica es-
t sempre sortida de
Moendas de tambores abertoa para huchas de lin-
del ra, grandes e pequeas, coi seus perteuces.
Ditas com aguilhes acunhados chamadas meias
muendas, de todos os tamaitos e com rodetes de ferro
ou sem riles, para agoa ou animis.
Ditas inteiras, todas de ferro, endependentc, com a-
inarras diagonaea de gancho, invencao dos annuncian-
ii', c iii 11 ito approvadas pela sua ortidao e facilidad'c
d'srinar c desarmar.
.Alambiques de ferro, cousa nova e multo approvada.
Moiulios e prensas de mandioca e Ionios de farinha.
Carros de ntao e arados de Ierro.
Orando sooliento de bromes, aguilboes, chuuiacei-
rs, parai'usos e mais pertenres de engenho.
Rodas e rodetes de varios tamaitos.
Boceas e crivos de fornalha.
Hucha para carrosas, serra d'aco para serrailas.
Holineics, bro zes e roldanas para navios.
Os aiiiiuiicianlcs, pelos longos anuos de pratica nes-
le paiz, pela grande capacidade e commodos de seu
novo estabelecimento, c pelo crescido numero c multa
cspoi ieiteia o pericia dos seus operarios e eiitpregailos,
ollereecn aos frrguezes vanlagens noo possuidas por
nenliuma outra fabrica neste imperio, e esliio, portanto,
verdadelrainente habilitados a emprehender c execu-
tar com a inaior proiuplidao e perfeicao qualqner obra
de engenbaria ou inachiiiiimo.
Va a praca
peranle o lllm. Sr. doutor juiz de orphSos desta c-
dade, na sala das audiencias, o bem cenhecido o
acreditado horgantim brasileiro Sanla-Maria-foa-
Sorlt,-, de 222 toneladas, de ptima construceflo
nacional forrado o repregndo de cobre, em mui-
lo bom estado bempromplo de arv.-redo, inassa-
me, amarrares e sobressaluntos com tombadilho
guarnecido de amarello, e bstanlos commodos,
boa lancha o famoso bote com suas palamentas e
armaces; bom como dous excellentes escravos pe-
ritos marinheiros .abordo do mesmo navio, fon-
deado na volta do Forte-do-Mullos, aondo os preten-
deutes devem dirigir-so para verem o respectivo in-
venlario : ludo livro e desembnracado : a primeira
praca ser sogunda-feira, se houver audiencia e as
outras duas nos seguintes audiencias aonde devem
comparecer os competidores ; cujo producto tem de
ser pora os credores do casal do linado Jos Goncal-
ves Cselo. ,
--Aluga-sc o segundo andar da casa Ua rua da
SenzalU-Nova n. 42 :u tratar no armazem da mes-
ma casa.
Aluga-seo bem conhecido sitio na estrada do
Cordciro, de Nuno Maria de Seixas, so proprio para
algum negociante estrangeiro ou outra pessoa que
teuha tratamcnlo : na rua do Amorlm, n. 15.
Deda raco.
O arrematante da aforico declara que tendo a c-
mara municipal desta cidade, marcados os mezos de
oulubro, novembro e dezembro desto corrento an-
uo para n aferic.lo do, pesos me lidas, o bataneas,
o que (Indo este prazo os fiscaes respectivos passis-
rllo a multar todo aquello individuo quo dentro do
referido prazo nflo liveraferido ; e para quo alguem
por ignorancia deixe de aferir e por consequencia
suhjfiitar-se n ser multado em 1,000 rs. por cada um
peso e medida niio aferido ; por isso avisa aos in-
teressados quo quanto antes corram a lloa-Vista ,
rua da matriz, n. 33 a cumprir esse dever, pois u
me/ de dc/cniliro ( para quando guardam ) n3o he
sufllciente para o arrematante vencer tanto tra-
balho.
-- Os credores de Couto Vianna & Filho leem au-
torisado a Cco: Kenworlhy & Companhia, credores
tambem dos mesmos, para venderem a casa do so-
brado de dous andares, n. 33, na rua do Amorim,
bairro do Recife, a melado do sobrado na rua da Ca-
deia, n. 27, que Ihes fram adjudicadas por sentou-
ca para seu pagamonlo : quom quizer comprar um e
oulro predio, entenda-so com os cima menciona-
dos, queestoaulorisados para cssa venda.
-- Sr. Jos Antonio Brandflo Gomes queira an-
n'unciar sua morada, pois se Iho deseja fallar.
Aviso importante.
Vicente Jos de llrito agento do doutor Bran-
dreth faz publico quo no dia 13 do corrente dcs-
pactiou novo provimenlo de Diluas yegelaes que as
vende om sua botica da rua da i'.adeia. II, 61.
Alugam-sc dous sitios com muito boas acommoda-
;dcs um na campinha da Casa-Forte e oulro na rua
da dita povoa(ao com coebeiras e cavallarices ; assiin
como varias casas, de presos commodos para se pas-
tar a festa : a tratar na rua do Amorim, n. 15.
-OSr. Jos Noberto Casado Lima queira declarar
a sua morada.
: Aluga-se o segundo andar do sobrado da rua
Direita n. 20, com bastantes commodos para fami-
lia : a tratar na mesma rua n. 93, primeiro andar.
30,000 rs. de gratificado
a quem touxera escrava crioula, do nome Cathari-
na com urna lillia cabrinha do 3 anuos cujos sig-
naes acham-se nesle Diario nos ns. 2t0 a 230 : a es-
crava foi seduzida por o pai da cabrinha o qual he
pescador, ou pombeiro o mora em urna dcslas
praias at Po-Aniarello.
--Aluga-se um sobrado de um andar com loja
tambem repartida na rua da Umita, novo e muilo
fresco com commodo para urna grande familia, no
fundo da casa do Guerra a Iralar com o mesmo
Cucrra.
Alugam-sc e vendem-se biebas
bamburguezas, por preco tasoavei : nu
i na das Cruzes, n. f\o.
na
boliieliinha te-
nia larga
no arma-
cacimba .
irmazeiu-
n. f) A,
de B-
Compras
Compram-so escravos que sejam oflicias de cr-
Kina, de 18 a 25 annns e de boas figuras; pagam-se
em, sendo de bons costumes e peritos no seu ofli-
eio, pois sito para urna ncmmend do Itio-de-Ja-
neiro: na rua do Amorim, a. 35, a fallar com J. J.
Tasso Jnior.
--Compra-se unta carroQa cm bom estado, com
seu competente boi, sendo bom e estando em boas
carnes; tambem se compra gmente a car roca ou
smento o boi: no Mondego, n. 83, ou annuncio.
Compra-se urna negra de t8 o. ?.'
anuos de idade, que sej de bonita figu-
ra, c saiba engommar, cozinlur e cozer
pciTcitamentc : na rua da Gadcia do
Recite, n. 37.
Compram-se dous (alins com pastas c cananas,
do rsqadrflo da guarda nacional, em bom estado :
na iua >la Cadeia de Santo-Antonio, n. 14.
Compra in-se q ua tro duziss do pranchOes, de
muilo bom amarello : quom o tiver c quizer vender,
annuncic para ser procurado.
Compra-so umcavallo gordo para sela : na rua
Direita sobrado 11. 1G, na esquina qqe volta para a
travessa doS.-Pedro
Vendas.
Chapeos do Chili.
Vendcm-so na praca da Independencia n. 37, ohm-
ios superiores chapeos do Cbili, chegados no ultimo
vapor.
Vrnde-se cb nacional, ebegado
iillimamente do Rio-dc-Janeiro, a i,aoo
rs. a libra : na rua do Rosario, n. i3.
-1 Na rua das Cruzes, n. 22, segundo andar, ven-
dem-se 3 escravos, sendo nina mulatinha de 20 un-
nos, que engomma, coze elido, faz renda e lava de
salido ; urna pela da Costa, de bonita figura, quo
c.zinha, lava e hequitandeira ; um lindo moleque,
do nagao, de 1G minos, com principio de cozinba.
Vendo-so urna cama cm bom uso, e por preco
commodo : na Camba-do-Carmo, n. 8.
Vrudom-se, no armazem do Dias Ferreira, cai-
xasdemacarrdoe talharim a 3,000 rs. edealelriaa
5,000 rs.
Vende-se sal de Lisboa a bordo da barca Bella-
Pernambucana : a tratar com Antonio Francisco do
Moracs, na rua da Cruz, n. 34, terceiro andtr.
Novo'pao Provenca c b:la-
cliiiiha regala.
Na padaria de urna so porta na praca da S.-Cruz,
estar todos os dias venda o encllenle po i I'ro-
venea, el boUchiuha do regalo, j qur urna, qur
outra suflicientemente approvadas pelas pessoas quo
leem usado, assim como o (anligopdo, bolachas de
todos os tamaitos, o entre estas a 30 em libra, s
d'agoa e sal, furadinhas e muito totradiohas o lu-
do quanto se fabrica nestesestabelecimontos. O pro-
prielario desta padaria de novo assevora a seus fro-
quezes, que nada emprega no fabrico do pdo e bo-
iachinha regala e mesmo em qualquer outro or-
tigo que possa projudicar, ou alterar a sade, e s
sim a tnelhor farinha a mais superior manteiga ,
juntando o zelo.afseioe lodo o eamero poss:ve.
afluido bem servir seus freguezes. o tirar a sua
suhsiatencia. Na travessa da Madre-de-l eos n. la .
deposito da mesma padaria tambem so acha WO-
da o mesmo que na S.-Cruz e na rua do.tomfW;
venda do Sobral, ole., smento
galia.
Vende-setim casal de escravos
do Hozario 11. 20, junio a padaria.
~ Vendo-se a louca vidrada exisUnl*
/cm da rua do Kiieanla monto ao peda
por proco commodo : a tratar no mesmo
Na loja da rua do Crespo,
ao p do arco de Santo-Antonio,
cardo Jos de Freitas Ribeiro, vende-se,
pura liqnidacao, urna porfo de corles
de casimiras, superiores em qualidade,
a 4,000, 5,ooo e G,coo rs. A elles, antes
que se acabem.
Vende-se, por precisdo urna escrava de nac"">
Angola.de 18annos,de bonita figura que cozt-
nha odisriode urna casa engomma solVrivelmenlf.
cose e he ptima para o arranjo de urna casa : em
Fra-de-l'ortas pateo do Pilar, n 10.
Vende-so unta canoa de condu/ir familia : airas
dos Marlyrios estalciro de Manoel da Silva Mariz.
Ceblas, hlalas e inacaes,
prximamente chegadas na felia-Ptrnumhuratia:
vendem-se na rua da Cadeia do Itecil'e, armazem
n.6L
Xa rua B>ircla, n t,
vende-se canella superior em grandes o peque-
as porcOes pelo barato prego do S00 rs. a libra,
sendo este prego vanlajoso para os compradores ,
para 0 que indaguen) ao mercado.
Vendem-se espadas praloudas para ofllciaesda
cavallariae enfantaria : na rua Nova, loja de Ierra
gens, n. 16. ..,',,
Vendem-se,eirsolivamentc, lijlos do n 1 vena-
rla grosu de muilo bom barro e bem cozidos, por
menos prego possivel posto ns obra ou na otarla,
como melhor convier aocomprodor : na rua cstrei-
la do Hozario, 11. 15.
Vendem-se, ou Irocam-so por urna casa de po-
dra e cal, ua cidado do llecife ou mesmo por es-
cravos duas casas novas, do taipa o unidas, bem
arraigadas com janellas do vi dragas enllocadas
na travessa da rua Iteal da Capunua : a tratar com
o padre Jos Antonio dos Santos Losasa 110 pala-
cio da Suledadc, que fura qual(ucr negocio.
Vendem-se toucas para criangns ornadas com
pennas o outras com flores polo diminuto prego do
2,000 a 3,000 rs. : na rua do Passeio-l'ublico loja
n. 13.
PARA A FESTA.
Na rua da Calcada, por detrs da Ponha n. f.,
se fazem chapeos para seohora por 2,000 rs., e
poado-sa os aflmenlos p6r s,dHO ra : ditos de se-
tim enfeitados com lilas e llores sendo este o me-
nor prego e por outros precos maores conforme
frem enfeitados; vestidos para sonliora lie l.imu
a 4,000 rs. conforme a qualidade e Irabalho, e son-
do para menina por prego mais em cotila ; espar-
tilhos, por 640rs, del'eitio, e pondo-se os mmen-
los a 2,000 rs.; toncas e todas as mais costuras pro-
prias para scuhora, bem como camisas para honicni.
de abertura atis c adiante : ludo por prego com-
modo, com porfoigdo e sem demora, por quanto
s;"2 oltO pessoas? ceserem. A fusta esla 1 porlw ,
bom he quo quem precisar ndo deixe para ultima
hora cnmoqtiasi sempre acontece.
Vende-se um cano de duas rodas,
com coberla de couro de lustro C penco
uso : na rua da Sanzalla-Velba, n. tlA],
cocheira do Augusto.
Vcnde-sc a peso difi'erenles obras deouroeprn-
ta.pelo valor inlrinsecco, assim como um negro,mu-
go, olio csadio : na rua do Crespo, n. 17.
Vende-se nina casa terrea, edificada na rua ta
Gloria n. i", com sala adknle o airas, 2quarlos, co-
zinha fiira, quintal muito grande 0 cacimba do mui-
lo boa agoa : eslu casa vende-se para com o diuhei-
ro pagai-se urna hypolhccj aoSr. Julido Pbrlolla :
os prelendenles dirijam-se a rua Nova, n. 31.
Vende-se alcatrao da Suecia, de
boa qualidade, em barris bem acondicio-
nados com ai eos de ferro: na rua do Vi-
gario, ti. 4*
VALSA PARA PIANO.
Acba-se venda urna brilhante valsa para piano,
compnsta e gravada nesla ciliado; e por isso o autor
espera que os amantes da msica silignem animar
esla industria aqu'i rcenle, o promclto ir dando x
luz oulras pequeas composigOes vocaes o instru-
mentaes: no palco do Collegio.'n. 6; rua larga do
Rozario, n. 35 ; c no Recife, rua da Cadeia, leja dos
Srs. I Listos 0 l.eil.'oi
Vendem-se lijlos de marmoro brincos c azues,
de 10 pollegadas qMitradas c por prego commodo :
em casa doJ. Saporili, na rua da Cruz, n. 18, pri-
meiro andar.
Vendom-so pas de podra para filtrar agoa ; 2
travos do magaranduba. tendo uina 64 o outta 61
palmos ; travs de sicupira, de 40, 45 o 50 palmos do
comprimento e 10 pollegadas .de grossura na rua da
Pruia, serrara deCardiul.
-- Na rua da Cruz no Recife armazem n. 26 ,
vendem-se saccas com superior farinha do mandio-
ca, vinda do Cear por prego mais barato do quo
cm outra qualquer parle.
Vendc-so 1 ponche de panno azul, forrado todo
de Inicia ao gosto hespanhol com 32 palmos da
roda, em bom uso, por prego commodo : na rua de
S.-Uita, n. 91.
Vendem-se sapales de
couro de lustro muito bons, por
2,56'0 e 3,000 rs.; dilos brancos;
ditos de lustro para senlioras e
meninas, feilos no paiz, por pre-
go commodo: na rua da Cadeia
do Recife, n. 9.
Vende-se urna canoa abuela de carga de 700 li-
jlos ou tambem se aluga : na rua da Cadeia do
S.-Antonio ,n. 21.
Vendem-se dous moinhos para moer caf sen-
do um novo, c oulro com alguin uso, por prego
commodo : na padaria do palco da S.-Cruz, n. 8.
ILEGIVEL


4
I
Vcndcm-.se aros de ferro
largos,
na loja Je ferragens da na da Cadeia do Ilccifo n.
? i, proprioa para prpns, toneis e cavas.
Vende-se rarinli.'i de trigo SSS, do muito supo-
norqualidade, cni por<;ocs,c etn muas barricas ;
o outras familias de dillerentes marcas; ricas fecha-
duras proprias para portas do loju e armazens;
vinho do Porto de todas uqualidade* um pipas e
bal ris de quai lo a oiluvo; coeiros ile algodilo ; cal
virgem de Lisboa, am barra pequeos pelo niais
barato preco do que om outra qualquer pane: na
rundo Vigario, annazem do Francisco Alvcs da Cu-
nlia oii no primeiro andar por cima do incsmo or-
in.i/eui.
4,?000 e ^OOO rs.
Ventlem-sc cliapos tic sol de
seda, de 4 e 5,000 rs. : na loja
da ra do Crespo, n. 9, de Do
mingos Girnares.
Na ra da Moda, n. 7, conlina-sc a vender su-
perior rolla fabricada no Rio-Crando-do-Sul.
-- No armazemjontoao arco da ConcaicSo, que
fui do linado Rraguez vendem-se barricas de supc-
tior farelo de Lisboa a 4,000 rs. cada una ; arroz
do liarauh.to, muito barato.
Vcndem-se cuixas de vidro, mu
bem cnf'eiladis, para guardar joias, por
preco cotumodo: na loja de quatro portas
da i na do Cabog, n. i G, do Duarle.
t *
Vende-se, no paleo do Terco, jj
f venda n. 7, vinho da Figueira, de 4
* superior qualidade, a 1G0 rs. a gar- '\
\ rala. |
Cuadros de santos com molduras
da moda.
Na loja da ra do Calinga, do Duarle,
acaba dse rcccbcr 11111 r.ovo.sortiinenlo de
quadros com moldura dourada cm metal,
cni ponto grande e pequeo, de Z10 al
>.ooo rs., dando-se as amostras aos Srs.
compradores, com o sen competente pe-
nhor.
Chapos de massa.
iN'a loja da ra do Cabug, do Duaite,
vendem-se chapeos de massa, aba larga,
proprios para rapazes do bom gosto an-
da rem pela Testa, a 3,ooo rs.
Vende-so madeira yelha para olaria tabeado
de pinlio usado para estacadas -. a tratar na barca-
ca de virar navios com Manocl Jos Soares.
UMA GKANDK I'ECHJINCIIA.
Vendem-se meias para meninos, de
lodos os lmannos, por i?o rs. cada um
par, ea dnzia a i,4o rs.: no Atcrro-da-
2-.
J'oa- Vista, loja n.
Vende-se um mulalinlio acubiola-
do, de 10 a la anuos de ide.de: quem o
pretender, dirija-se ra do Cauug,
n. 1 D.
Na padaiia da ra da Cuia, no Recifu, baver
lodos os iliasa ven la o novo pilo de l'rovenca fa-
bricado p.oroulro modo que o actual e da melhor
farinha que ha no mercado : porrslo motivo nilo se
pode l'.izer seno a hO, 80 e 160 rs.
Na loja n.SA, da ruado Cres-
po, de Ricardo Jos de
Frcitas,
vendem-se cortes de chita com 10 cora-
dos, a i,(icors. : montas detjrlatana, pa-
r scnbora, a 1,000 rs. ; pecas de breta-
nli.i de rolo, com 10 varas, a 2,000 rs ;
oonlias umitas fazendas por precos com-
modos.
Vende-se um par de dragonas,
lima banda c una espada, ludo pcrlcn-
cente a ollicial supeiior ; assim como
saccas com farinha de mandioca, de
muito boa qualidade : na ra da Cadeia
do bairro de Santo-Antonio, n. a5.
No annazem de Dias Terreira, no
caes da Alfandega, vende-se, por preco
muito cominodo, polassa muito superior,
em pequeos barris de 100 libras cad 1
um, desembarcados ltimamente.
-- Vende-se urna preta de Angola, de 20 annos ,
de mullo bonita figura e com habilidades na ra
Nova, n. 16.
Vendcm-se esleirs da India, para
forrar salas, a preco muito commodo,
por se querer fechar contas : na ra da
Alfandega-Vellia, n. 36, escriptorio de
Malbeus Auslin & C.
VenJc-so 1, venda da ra do Pilar n. 137 do F-
ra-de-1'ortas, com os fundos i vonlado do compra-
dor, a qual lem commodos para familia, e pagape-
quenoaluguel : a tratar na mesma venda.
~- Vendem-se 3 lindos moleques, de naco ; urna
preta, de 18 anuos, de habilidades, com urna cria de
6 mezes ; i prelo de niela idade, por 150 000 rs
por seu dono se retirar para fura
Vcndem-sc 5 lindos molcquus, do 12 a lan-
nos ; C pi dos, de 20 a 23 annos, bous para lodo o
servico, sendo um bom carroiro ; um pnrdinhn, de
14 anuos, bom para pagem ou para aprondor cilicio ;
urna linda miilalinhu, de lannos, com nlumas ha-
bilidades; umn negrinlia do 13 anuos; una preta que
oiigomma bom.cozo c cozinha ; duas ditas para to-
do servico : na ra do Vigario, n. 24, so dir quem
vende.
Champanlia cometa.
Um pequeo resto se vender inais enconta, para
fechar a factura antes da festa. d-se urna garrafa
em tito de quebra : na ra da Cruz, n. 17.
Vehdem-se presuntos para hambre ; queijos
londrinhos ; ditos de prato ; latas com bolachinlia
lina de Lisboa ; ditas de araruta ; conservas novas ;
mostarda ; potes com sal fino ; latas com marmela-
da nova ; ditas com sardinhas ; ditas com herv Ihas ;
caixinhas com massas finas; vinho moscatel de Setu-
bal; dito Shcrry ; licores finos; c outros muitos mais
gneros por preco commodo: ai ra da Cruz, no
llocife.n. 46.
Vende-se, por commodo prego, um piano ho-
risonla!, fabricado pelo BroadwoodSons, m^lhor
autor inglez, o qual nao lem falla e he ptimo para
se aprender a locar: na praija da Independencia, ns.
6 c 8, sedir quem vende.
Vendem-se os mais lindos cortes
de seda para vestido de senhora, sendo
brancos e das cores as mais bonitas que
se pdem imaginar, e por commodo pre-
co ; bem como ricas manas de furla-c-
res, c de miii delicados padroes; lencos
de garca com ramo de matiz e barra asse-
tinada ; luvas de pelica para senhora,
de todas as cores e com hellas ; bellos
cortes de vestidos de barege de seda,
outras muitas fazendas, tudo por preco
commodo, na ra Nova, defronte da
Conceicao, n. 3o, loja de Domingos
Antonio de Oliveira.
Vende-se, na margem do ameno
Tapibaribe, no alto da Capunga, um ex-
cedente sitio, o qual por sua posirao ele-
gante, pelas immensas fructeiras, superior
vveiro. baixa de capim e boa casa com
extraordinarios commodos, pode fazer as
delicias de urna familia de subido gosto,
nao s durante lodo o anno, mas parti-
cularmente pelo lempo de festa : 11'elle
murain aciuaiirienle u.s caixeirs du Si.
Ciabtree. Quem o pretender, dirija-se
ra do Crespo, loja n. i5.
l\ovoannazem de violtos, na
ruadas Cruzcs, n. 57.
Vende-se nesto armazcm superior vinbo do Lisboa
Figueira, pelo commodo prego de 160 rs. a garrafa,
c ,120 rs. a caada do linio, o branco, a 200 e 1,460
rs., a caada. O proprietario desle novo estabelo-
cimento enanca que os fieguezes que I lie compraren!
a primeira vez hilo do continuar.
- Vende-se um habito do Christo, esmaltado ; urna
negrinlia de 12 annos ; una mulalinha de 7 anuos ,
que cose soltrivelmeiite: na ra larga do Kozario,
tuja i ..;.
A inda resta
qualro portas da
Duarle, urna pequea poicode chapeos
de pal ha da Italia, para homem e se-
nhora, a 6,ooo, 1,280,0 5,ooo rs. A'
elles, antes que se acahem.
FARELO
a 3sooo rs. a sacca
nos rmate us ni. 1 e 3 do caes da Alfandega.e no de n.
33 da ruado Amoriin.de i. J. Tasso Juulor,
Um novo sortimento de
riscado monstro.
Vemlem-so na loja de Cuimarfles & C, que faz
esquina para a ra do Collcgio, n. 5, novo* risca-
dos monstros de padrOcs modernos o lindos, pelo
mesmo preco de 320 rs. o covado.
Agencia da (undicao
-ow-lloor, ra da Senzalla-
nova, n. 42.
Nesle estabelecimenlo contina a ha-
ver um completo sortimento de moendas
e meias moendas, para engenho; ma-
chinas de vapor,e tachas de ferro batido e
coado, de todos os tamanhos, para dilo.
Vendem-se sophs de oleo bancas pequeas
deamarello, ditas grandes com 2 gavetas, louca-
doiesde Jacaranda, um trem com osnetho dito
um relogio patente de prata 2 cuixas de praU, sen-
do urna dourada : na ra da Cadca de S -Antonio ,
n. 15.
Vende-se urna parda moca, de boa figura, que
engoinma, cose, cozinha, o he ptima para tomar
contase una casa por ser de boa conducta : na
ra do Fogo, n. 23, so dir quem veude.
el
a vender na loja de
na do CuLug, do
Farinha
Vende-se muito boa farinha em saccas,
e por barato preco: no ultimo annazem do
caes da Alfandega, de Francisco Dias Fer-
reira.
Vcndem-se 3 raccas boas de leito, as quaes, nilo
d.To mais pelos bezerros estarem grandes ou tro-
cam-se por outras que doom bastante leile e uuc os
bezerros sejam pequeuos voltando-'so o que for ra-
cnJ?*na, urna barrolina do apparellio rico, tudo de
omciil da guarda nacional, em muito bom estado,
por preco commodo: as Cinco-Pontas, n. 25, so
dir quem vendo.
Na loja de quatro portas da ra do
CalmA n. i C, do Duarle, tcm nm
coinpleTo, sorlimcnlo de perfumaras, por
precos mais commodos do que em outra
qualquer parte.
-- Vcnde-se ago'ardente de Franca, verdadeira,
em barris pequeos: na ra da Cruz, n. 38.
Vende-se a dinheiro ou a prazo, por inteiro,
ou por metade, urna legoa de Ierra no nacho Caru-
r termo da villa de Alhalaia com urna legoa de
fundo confronte a trra denominada Casa-de-Pa-
Iha, de Jos Pires da Silva, que Oca do lado do aul
do dito riacho: o preco de toda a trra a dinheiro
he do um cont e duzentos rail rs. e de solcenlos
mil rs. sendo metade : a prazo sor pelo que se ajua-
tar : na ra do llangel, n. 45.
Vendem-se barris pequeos com cal virgrm de Lia-
boa a mal nova que ha no mercado, por preyo com-
modo : na ra da Meda annaxem n. 17.
Vendem-se mui indos curies de
barege de seda, de gostos, modernos,
chegados ltimamente de Franca ; ditos
de la transparente, de bonitos padroes :
na ra Nova, n. 3o, loja de Domingos
Antonio de Oliveira.
Vende-se, para pagamento dos credores.a
venda da esquina defronte da igreja dos Martyrios ,
com os fundos de 30,000 a 400,000 rs. t quem a pre-
tender dirija-se a ra da Madre-de-Deos a trata
com Vicente l'errcira da Costa ; o qual prometa fa-
zer negocio e vender barato para reasar.
Vende-se. no lugar da Capunga com frente
para o Capibaribo ,um sitio coa excellente casa e
mais commodos necessarios: na ra do Ciespo ,
loja n. 10.
Vende-se urna negra muito moca,
de boa figura, lavadeira, costureira, e
que cozinha o diario de casa ; e um mu-
lalinho de 12 a i3 annos; ua ra do
Crespo, loja n. a A, se dir quem
vende.
Vende-se, no armazem de Vicenta Ferreira da
Costa, na ra da aladre-Deos, semeas era saccas
grandes chegadas ltimamente de Trieste; vinho
da Figueira em barris, o mais superior que tcm
rindo a este mercado, do muito couhecido aulor Ca-
billo ; vinho abalado, era ancoretas de 4 e meia a 5
caadas.
Chnrutos da Ilavana,
'.'!!!''"* nn niilarhn haaniinhnl flHrjmq vendem- na ra da Cruz, no Uecife, armazem n. 18.
Pee hincha.
No Allerro-da-Boa-Visla, n. 78, vendem-se sapatos
de cordoAo de lustro para senhora a 1,000 rs ;
ditos de marroquim, a 800 rs.; bolins do duraque
para senhora a 2,000 rs. ; sapatos de bezerro de
sola e vira, para homem, a 2,2*0 e 2,560 rs.; bolins,
a 6,000 rs. ; bonetes de riscado a 320 rs.
Vende-se, a dinheiro, ou a prazo, meia legoa
de Ierra de frente, com uuia legua de fundo, na
margem do rio do Una, da parte do sul con-
fronte a trra do engenho Japaranduba principian-
do na barra da Trmbela pelo rio de Una cima at
onde se completara meia legoa, cujns fundos vilo
terminar com a Ierra concedida por sesmaria ao fal-
lecido sargento-mr Antonio Casado i.ima, as mar-
gena uG no 1 rciO cii c;c cSbuC aliviados ysnes c-
genhos: tambera se vende metade da dita torra a
saber : a meia legoa da margem do rio Una,. com o
fundo tambem de meia legoa e na raesma forma a
outra meia legoa de fundo : o preco da meia legoa da
margem do rioUna lio do dous conlos de ris a di-
nheiro ; o da oulra meia legoa he de um cont de
ris e sendo a prazo ser pelo que se ajustar: na
ra do llargel, n. 45.
Na ra do Cabug,loja de quatro por-
tas, do 1) inric, vendem-se capachos
5oo rs redondos ecompridos, para aca-
bar.
Ainda rcsla para vender urna pe-
quea porco de bonetes de panno risca-
do, a 280 rs. : na loja de quatro portas
da ra do Cabug, do Duarle.
Vendem-se luvas de pellica para
senhora, enfeitadas, a a,800 rs. ; ditas
apra homem, de diversas corea, de pou-
to inglez, a 1,000 rs. ; ditas dealgodao a
5oo rs.; di las de seda a 800 rs.; ditas pa-
ra senhora a 1,280 rs. ; lencos de grava-
la, de seda, de 1,000 rs. a 1,600 rs. ; ga*
loes entre-finos de diversas larguras ;
espiguilhas, galSes falsos, e volantes, por
precos commodos ; Lieos do Porto, de di-
versas larguras, de 80a 160 rs. a vara;
ditos francezes, de bonitos padroes ; filas
de seda, n. 9 e 12 ; flotes francezas ; len-
cos de garca a 1,000 ja : na lojadeqmtro
portas da ra do Cabug, n. 1 C, do
Duarle.
tanlogie ps pequeos como grandos. As pessoas un*
encommendaram, he lempo de virem a elles.
^ Firmino|J. F. da Rosa rende muito superior pa*
nrfle algodSo trancado, feito na Babia muito pro
prio para saceos de assucar assim como para roiiDa
1I0 osera vos por ser muito enorpado : os prelei
denlos dirijara-se a ra do Trapiche, n. 44, primeiro
Vende-se ca.' virgem de Lisboa
chegada no ultima navio, em barris pe!
quenos, por meos do que em outra qual-
quer parte: na ra do Trapiche, arma-
zem n. I7.
>- Vende-se muito superior lagedo de Lisboa
cal virgem em barris de 4 arrobas, por mdico pre0.
ruado Vigario, n. I. ~
na
Vende-se muito bom doce de ginja e caixinhas
de marmullada pequeas e grandes ; no pateo do
Carino, venda n. 1.
Saccas com inillio ,
a 5,200 rs.:
vendem-sg no armazem do Bacelar, no caes da Al-
fandega.
Potassa.
Desembarcou ha poneos dias urna por-
?ao de barris pequeos, com mu rio nova
e superior potassa, e se acham venda,
por preco mais barato do que ltima-
mente se venda, na ra da Cadeia-Velha, tf
armazem de Bailar & Oliveira, n. 11.
Vendem-se os Piteiros e balcSo qc
foram da armaco velha da loja do Duarle
proprios para qualquer eslabelecimento,
por pre5o muito commodo : a tratar na
inesina.


Vendem-se pavios para candieiros francezes.1
pelo barato pre?o de 70 rs. a duzia e cm groza-
700 rs. : na ra larga do Rozario, n. 20, junto a na.
daa. '
Cham pan ha da marca cometa.
Frcderico Robilliard acaba do receber urna peque-
a quantidade desle muito apreciado vinho lano
em garrafas grandes, como tambem em garrafas pe-
quenas, e est vendendo o mesmo por preco muito
mdico no seu escriptorio da ra do Trapiche-No-
vo, n. 18.
Vendem-se acedes da ex-
ttncta companla de Pernambuco
e Farahiba: no escriptorio de -
liveira limaos & C, ra da Cruz,
n. 9.
- Vende-te cal virgem de Lisboa em barril de (4
arrobas chegada pelo ultimo navio, por preco comino-
do : 1 tratar com Almeida Ai Fousec, na ra do Apollo.
A 1,600 cada um.
Na loja de Cuimare & C, que faz esquina para a
ra do CollegiO, n. 5, vendem-se brreles de seda
para padre, pelo barato proco de 1,600 rs. cada um.
FAItELO,
a 4,500 rs. a barrica : no armazem n. 20, de Joaquim
da Silva Lopes, confronte a guarda da alfandega.
Toncas do Rio-de-Janeiro.
Na ra do Cabug, loja de quatro por-
las, do Duarle, recebeu-sc pelo ultimo
vapor do sul um sortimento de toncas
de lila, pera .senhora*, a a,5oo rs.; e
continuar a ter por lodos os vapores,
conforme sua exlraccao.
Figos de Comadre,
em seiras e barris de urna arroba 1 defronte da por-
ta da alfandoga armazem n. 80. \
K=.xr=:,^^^^
venuo.
Ccrveja preta cm botijas.
Contimia-sea vender esta tilo afamada ccrveja
em lotos de urna barrica para cima a vontado d
comprador: em casa do Frederico Itobilliard na
ruado Trapiche-Novo, 11. 18. Na raesma casa ha
tambum um pequeo resto da raesma cerveja em
botijas muito propria para casas particulares.
Vinho bom e barato.
Na esquina da ra do Vigario, n. 33, vende-se su-
perior vinho de Lisboa e da Figueira a ISO rs. a
garrafa e em caada a 1,100 rs.
Sapaloes de 5 solas, a i7000
No Aterro-da-lkM- Vista, loja, n. 78, acaba-se da
veiiue-se urna espada praleada, um Ulira com'eceber um novo sortimento de sapaloes Ja 3 solas,
Escravos Fgidos
Fugio, no dia 16 de Novenibro o prelo AS-
pito de 24 a 25 annos, baizo reforcado cor fu-
la, olhosagatadOs, alguraa barba, pernas arquea-
das ; lem urna cicatriz no dedo grande do pe Jim-
io de nm talho do machado ; andar atoleimado; le-
vou camisa e calcas de algodflo da trra : quem o
pegar leve-o a ra de S.-Francisco, n. 30, que se-
r gratificado.
Fugio, no dia 20 do correte, o preto Jos Ma-
theus alio; tem osdentesda frento faltos ; Ja foi
surrado ;suppOe-se ter seguido para o serillo. Ro-
ga-se as autoridades policiaes b capitOes de campo ,
queoapprehendam clevora-noa ra Je Apollo, ar-
mazem n. 22, que serSo generosamente recompen-
sados.
Fugio o escravoMaximianno, cabra de 35 an-
nos pouco mais ou menos, cabellos alguma cousa
corridos; lem urna helida cm um ollio j bastante
creseida ; tem os dedos dos ps bastante a licrtos uns
dos outros e principalmente os pollegacs ; he alto,
grosso docorpo pouca barba ; quanuo est crimi-
noso (lea gago ; ha denuncias que tem andado pola
cidadu de (Muida. Itoga-se as autoridades policiaes
o capitites de campo, que oapprehendara e levein-o
ao Alerro-da-Boa-Visla, casa amarolla, que llca com
a frente para a matiiz segundo andar, quo serSo
recompensados.
Pugfo, do engenho Rio-Formoso no dia 10 do
coi rente, um escravo de nome Joaquim perlcu-
cente a Francisco da Rocha Wanderley com os
siguaes seguntes : pardo claro, cabello pichafm ,
ollios agatados ; tem no rosto urna marca de um ta-
lho, altura e corpo regulares ; veio ha lempos do
serillo ; costuma iiitilular.so forro : quem o pegar
leve-o jo dilo engenho, ou a SebastiSo Jos Comes ,
l'enna, na ra do Collegio, onde aera gratificadar
com genarosidade.
i'KBN. : NA TTP. DI af.
f. DITABIA.iSS
ILEGIVEL


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E2AGYA48E_X5ZK1N INGEST_TIME 2013-04-13T01:25:55Z PACKAGE AA00011611_06180
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES