Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06167


This item is only available as the following downloads:


Full Text
I
Atino
XXIV.
Jta-ia*. !
Ter9a-feira
nM}|;puhlica-c todos os das que no
, desuarda: o prcco da asignatura he
';'r(f(mil is- P""" <1<> >rtel, PaM a''''"''''"''"- Os
dc ;.,,cio do aMlgnaattj sao inserido! a
tf de 80 rs. por Unta. -10 rs. era typo dif-
r> .. asrP<"tSOCs pela meliile. Os n;io
nant" Icario 80 rs. por Unta 160 r,
iyp difterente,por c-lJ' PuUllcafao-
PHASK.S DA LA NO HEZ DE NOVEMBRO.
PARTIDA DOS CORREIOS.
Goianna eParahiba, as egj. e sexias-feir.is.
Rio-G.-tln-Norte.quintas-feiraa ao meio-dla.
Cabo, Serlnhaem, Uio-Formoso, Porto-Calvo
c Macelo, no 1.*, a II e 21 de cada mer..
Garanhuns e Bonllo. a 8 e 23.
Boa-Visw e Flores, a 13 e 28.
Victoria, s quintas-feirai.
Olinda, todos osdias.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira, s 2 horas e (i minutos da tardr,
Segunda, s 2 horas e 30 minutos da raanh.
e Novembro de 1849.
n. M9:
das da semana.
5 Segunda. S. Severo. Aud. do J. dos or-
phns do J. civ. e do i. M. da 2. T.
. 7 Terca. S. Florencio. Aud. do J.doc. da.1.
v. e do J. de par rio 2. rilst. de t.
8 Ouarta. S. Severisno. Aud. do J. do c. da
2, v. c do J. dc pai do 2 dist. de t.
!) Quinta. S. Tlieodoto. Aud. do I. dc orph
c do J. H. da 1 v.
10 Sexta. S. Andril Arellino. Aud. do J. do
civ. e do I. de paz d > 1 dist de t.
USabbado. S. Marl'mlio. Aud. do .1. do c.
da I v. c do J. de pa/. do I dist. de t.
12 Domingo. O Patrocinio de NossaScnhora.
CAMBIOS NO DA 0 DE NOVEMBRO.
Sobre Londres a 25 e 25'/, d. por l/n.a60d.
l'aris
Lisboa 120 por cento de premio.
Rl-dc-J.inelro ao rar.
Desc. de lett. de boas flrmis a 1 % ao mes
Acedes da COinp. de Hebrribe, f-W "o ':
Onro.-Onas hespanholas 3080t> a 3#non
Modas ietiOO v. 17/200 a 1/#400
, de 6/400 n. 10/200 a 16/400
. de/000... 9/300 a 0/4UO
PmuPatacfles brasileiros 1/WiP a l/TOj
Pesos columnarios. 1/DbO a j/^x
Ditos mexicano*..... 1/920 a IfiHO
PARTE OFFIC1M.___
GOVEKNO DA PROVINCIA.
EXPEDIENTE DOlilA 9 [>F. OIJTL'BRO.
OH/c'io. Ao inspeclora thesonrarin dn fazenda,
determinando de os precisas ordens para que na-
niiella Ihosournria se abra assentamenlo ile praca ho
corneta Clemente Jos ta Silva, que Cora engajado
para a quarla cumpanhia do 1. batalhilo da guarda
nacional deslo municipio, em lugar dn oiilni, Fran-
cisco luiz. a que sedeu dcmisslin. l'articipou-se
,o commandante superior respectivo.
nj|o. Ao director interino do arsenal de guerra,
aiilorisando-o a despender 50/000 tis com a com-
pra do carvio vegetal deque devem de ser prvidos
n; nrmazons desso arsenal para fornecimcnlo ilns of-
ficnas tle lerccjra o quarla ciasse. Communicou-
se ao commissario-pagador.
niio. Ao agente das barcas dc vapor, recommen-
dando a cxpedcjlo de suas ordena, para que no yapor
que se espera dos porlos do sui seja transportado
para Ooar o soldado Manuel Pcreira Virginio, que,
leii'lo regressado da ilha ilo Femando, onde tora
rumprir a senlcnca de seis anuos a traballios publ-
cos, deve dc lecolhor-se aquella provincia a cuja
guarnieflo pertcncia. Scenlilicou-sc o comman-
danto das armas.
dem no da io.
ullieio. Ao commandanle superior da guarda
nacional do municipio doRecifo, ordenando mande
louvar em orden do dia os nobres sentimcnlos de
que derart provas os guardas dn7.* batalhilo des le
municipio, declarando que nao quorimn recobcr es-
tipendio algum pelos servicos que prestaram nos
dias6e~ ilc selemliro ultimo, porentcndoreui que
nada mais havioi feito do que cuinprir com um de-
ver, tanto mais imperioso, quanto se tratava de sh-
Icmnisar oanniversario da independencia do impe-
rio pela qual se acham dispostos a einprelicnder e
realisar os maioi es sacrificios.
Dilo. Aocliefo do.polica, declarando nilo ser
possivolallender-sq ao que pede Amonio flimaco
MoreiraTemporiil,visto{como aquella secreta i ia jtem
muilo maior numero de empregados lo que aquelle
que permiti o respectivo rogulamento, o parecem
mais que sufrironles para o servico da repartalo
os que pella exstem, vencendo ordenados ou gra-
tiliraQriS.
I'orlaria. Conccdendo a Francisco guaci de
l'aiva a demissio quo pedio do.cargo de delegado do
termo de f.aranhuns. Scienlilicou-sc o chefe de
pulira e o dispensado.
idf no da tt.
Ollico. Ao inspector da thesouraria da fazenda
provincial, aulorisando-o a expedir as convenientes
orden?, pora que, emquanto nilo for nomeado tho-
soureiro para aquella repartico, sejam pagos pelo
consulado provincial os sidos dos oflieiaes e pracas
do enrpo de polica, e as demais dt-spezas que nelle
se fazem. Parlicipou-sc ao commanduule do men-
cionado corpo.
Rilo. Ao commandante das armas, declarando
quo a licenc concedida ao 1.* sargento do 2." bata-
liiJo de artilharia a p, Rerixirdmo de Souza Ma-
gilha"', |jp0 pojo exceder a tres mezes na forma
Portara. Tendo S. M. o Imperador permilldo
a Alexandro Joaquim Solero, com estobclecimcnto
demadeiras i:esla cidade, o haver por compra, das
maltas dc Una o Agoa-Prcta, 50 duzas de pranchfles
devinliatico una vez quo seobrigue a comprar aos
proprelarios quo so'acharein munidos do liecnca da
secretaria de estado dos negocios da marinha para o
corle de taes madeiras, segtinlo Consta de aviso ex-
pedido pela mesma secretaria de estado a 2de selem-
bro ultimo, o presidente da piovincia ordena as au-
toridades policiacs dessas paragens que no pniibam
bice algum condocefln de semelhaiiles iirancbes,
logo que ellas venliatn acompanhados is compe-
tentes guias para sercm manifestadas na capitana
deslc porto, e recommenda-llies todo o cuidado alitn
di que na execticilo desla ordem se no d o minmo
aliiist. Paricipoy-scaocapilfodo poito.
bit. Ordenando ao director interino do arse-
nal deguerra.enlrcgueao coronel chele da legiilo da
guarda nacional do municipio dc Olinda ceidas
anuas pertencenles a um dos balalhcs da referida
guarda nacional que foram rurolliidas ao mesmo ar-
senal alim de serein concertadas; c declarando quo
i entrega devo de ser realisada, se ja se houver ef-
Cecluailn o cqneerto das armas,o que cumpre que es-
tas vilo acompanhados do respectivo correiame.
<'Oinmunicou-se aocomm'andanie superior respec-
tivo.
DEM DO DIA 13.
Offico. Ao commandante das armas, recom-
mendando d as precisas providencias para quo o
commandanln do destacamento de'primeira linha
que se aclis na comarcado Uouilo se |ireste em ludo
S requisicocs do ebefo de polica, e mesmo obede-
f> as ordens deste magistrado.
.Rito. Ao mesmo, remoliendo um oflicio om que
'*carcereiro interino da cadeia dcsta cidade assegu-
r* que o soldado da lerceira companho do 4. bala-
uiai do arlilharia a ,| Agostinlio Francisco da
j -ruz, fui connivente na fuga de dous presos que se
vadiram d ptisio uo seguro, mesmo pela porla
emquo o sobredito soldado eslava do senlnella,
e recomn>iUdniiO' d as cuuveuicuius uicns para
que o mencionado Agostlnho seja punido como for
de le. Parcipou-seao chefe do polica.
Portara. Nomeando l.supplente do subdele-
gado da freguezia do Poco-da-Panella ao cidadilo
Antonio A y res Velloso. Scientlicou-se o chefo de
polica.
dem no ni a u.
Oflicio. Ao chefe do polica, aecusando a recop-
cilo dc sen olTicio acompanhailo do onlro do delga-
lo to Bonito, em que d parlo quo no dia 29 de so-
lembro ultimo filra assassinado, no rio Jaeuipinho, o
faeinoroso Manoel dc Moraes.
nito. Ao agente da companbia das barcas de
vapor, ordenando dr\ as precisas ordens para que
no vapor quo est a ebegar dos porlos do sulseja
transportado para a provincia do Para Jesuino Po-
dro de Souza que, Rayendo sido excuso do servico
do exercito, e pertencendo aquella provincia, roque-
reu que so mandasse facultar passagem para ella.
Dito. Ao commandanle superior da guarda na-
cional do Recife, declarando que alenlos os motivos
allegados pelo stilt lelegado da freguezia dos Afoga-
dos, de S. S. as precisas ordens, para que sejam dis-
pensados do servio do quinto balalliiodesto muni-
cipio os guardas Joflo Clirisostomo de-Albuquerque
e Frmino Firmo do Azevcdo, que soacham nomea-
dos inspectores do quarleirilo da sobredita fregue-
zia. Parlicipou-seao chefo to polica.
Dito. Ao mesmo, declarando que.atlontas as
rasOes allegadas pelo subdelegado da freguezia da
Roa-Vista, devcS. S. tiaras convenientes ordens, pa-
ra que sejam dispensados do servico do quarto-uata-
IhSo da guarda nacional do municipio do Recife,nito
s os guardas Joo Mues Correa e Joaquim Victori-
no Coclbo, seno tambem os do nomes Antonio Flo-
ripes Raposo, Francisco Paulino do Souza, Manoel
Mara de Caldas RrandSo, Joaquim de Santa-Auna
Monteiro Jnior o Aristidcs Duarto Carneiro da Cu-
nha, que, assim como aquellos, acham-se nomeados
inspeclores de quarleirilo da sobredita freguezia.
Commtinirou-se ao chefe de polica.
Dito.Ao delegado do termo de Goianna, parti-
cipando Ravcr providenciado para que, no dia 10 dc
cada mez, se pague o sol lo de todo elle s pracas do
corpo de policio, que estiverem destacadas. Scien-
tificou-se o commandanle do mencionado corpo.
Dito. Ao chefe de polica, dovolvemjo um ollicio
firmado pelo delegado do termo da Roa-Vista "esg-
nificando-lhe em resposta: i rmeiro.qucosobredito
delogado pode inscrever na lista dos jurados os cida-
dios que tivorem as qualidades para o serem, que
residirom no lugar denominado l'.iacho-da-GaiQa,
porque esta paragem perlcnco boje a freguezia lo
Santa-Mara quo faz parte daqutlle termo : segun-
do, que be ao subdelegado da mencionada freguezia
que devom do fiear subordinados os mora lores do
indicado lugar; lerceiro,. emfim, que releva que S.
me. communique da deliberadlo ao delegado do
Ex.
DEM DO DIA 16.
Ollicio. Ao agente da companbia das barcas de
vapor, recommendando a expodiciio das convenien-
tes ordens, para'que no vapor que acaba de chegar
dos potlos do sul sejam transportados os crimino-
sos Francisco Cavalcanto de Quclroz ccJooVioira
de Frcilas, este para oCoar o aquello para o Rio-
Crande-do-Norlo. Parlcipou-so ao chefo de po-
lica.
Dito. Ao inspector da tbesouraria da fazenda,
participando haver oconcelbeiro presidente da re-
lacio concedido quinze illas de liecnca com venci-
miento aojnizile direitodo civel da comarca do Ria-
Kormoso.Guslodio Manoel da Silva Cuimariies, para
vira esta cidade tratar desua sado. Scentillcou-
so o presidente da 'retallo.
Dilo. Ao agente da companbia das barcas de
vapor, determinando de as suas ordens para'quo
sejam poslos a dispnsicSo do coronel commandante
das armas nlerino os oflieiaes o pMCas do sexto ba-
talliao do rajadores, vindos do Maranhilo a bordo do
vapor Rahiana. Cmmunicou-se ao presidente do
Maranhilo o ao commandante dasarnias.
Dito. Ao inspector do arsenal do marinha, or-
denando romees S. inc. as lanchas quo requisitar o
commandanle das armas inluriiio para o desembar-
que do restante do sexto balalbilo do cacadores que
acaba de chegar do Muranhflo a bordo do vapor lia-
hiuna. Participou-so ao commandanle das armas.
Dito. ao director interino do arsenal de guerra,
acensando recebido o ollico em que S. me. d p*rlc
de liaver-.se ausentado o aprendiz Uernardino do Se-
na quo se achava clHSsilicado mancebo, oestava des-
tinado para a companbia do artfices, a roquerimon-
to da propria mili.
Dito. Ao commandanle das armas, recommen-
dando de as precisas "providencias para que siga
quanto nleS para Olinda um destacamento de 25
pragas do primeira linha, commundado porumof-
ficial, alim dc ficar dsposiciio do respectivo dele-
gado para manlora ordem o socego publico naquel-
la cidadi, impedindo a perpelragilo de crmes.
Communicou-so 80 chefo de polica.
Di0. Ao agente da companbia das barcas de va-
por ordenando de as precisas providencias, alim de
que no vapor cliegado dos porlos do sul seja trans-
portado para o norte o segundo lenle da armada,
Fernando Jos da Silva Manta, quo em cumprinVcnto
de ordem superior vai seguir para all.
DEM D DIA 17.
Oflicio. A cmara municipal do Recife, Irans-
mltmdo un aviso communicando a nomeacao do
Exm. llwcuUno Fcrrcira Pen-a par. presidente dss-
la provincia; e declarando que S. Fxc. ira prestar
juramento naquella cmara urna hora da tardo.
I Dito. Ao commandanle das armas, participan-
do haver concedido ao sargento do soxto batalhilo de
cacadores, Jo3o Baptista Pasaos, Iros mezes do li-
cenca com vencimcnlo do respectivo sold.
Dito. Ao desembargador Fumino Antonio do
Souza. Romclloa V. S., para sua inteligencia e
oxecucilo, a inclusa copia do decreto de 2 do crlen-
le, pelo qual hotiveS. M. o Imperador por bom no-
mea-lo clicfe de polica desla provincia.
Kmcumprimenlodo aviso dc doslo mez, a que
veio annexo -o mencionado decreto, V. S. deve de
entrar emexercicio, iiidcpendeiile da apreseiitagno
da carta imperial que solicitar inmediatamente da
seci ciara de estado dos negocios dajuslica; re la-
va, pois, que comparega agora mesmo ueste pala-
cio, alim oe prestar o juramento do eslylo c ir to-
mar conla do mencionado cargo. ~
O scu antecessor o juiz de Jrcilo, Antonio Henri-
quesde Miranda, lem ordem para lazer-lho entrega
da secretaria do quo eslava incumbido. V izeram-
se as parlicipacOes doestylo.
DEM DO DIA 18.
Oflicio. Ao commandante das armas interino,
ordenando expega suas ordens, para que so incor-
pore aoC. batalhilo de cacadores o respectivo ma-
jor, Joo Cuilherme de Rruce, ehegado da corto no
vapor Imptralrit. Sciontilicou-so o coronel com-
missario-pagador.
Dito. Ao agento da companbia das barcas tle
vapor, recommendando de as precisas providencias,
alim dc quo sejam transportados para a Corte a bor-
do do vapor Baliianna una praca do corpo de impe-
riaes marinheiros osis recrutas rom destino para
o mesmo corpo, que para aili S'-gtiom emeumpri-
mento do ordem superior. Parlicipou-se ao com-
mandanle da corveta Eulerpe.
Dito. Ao director interino do arsenal do guoria,
remetiendo a primeira va do conhccmenlo da pl-
vora nacional recebda no Rio-Jc-Janeiro pelo capi-
lilo e proprielario do brigue San-Joi, Jos Ramos
de Souza, para que a faca desembarcar e Iho de o
Cffmpelente deslino; o declarando que n pagailona
militar lem ordem para pagar ao icferido Ramos o
ficto por que elUajustou a condcelo da menciona-
da plvora, logo que Hu aprsente documento, pas-
sado por esse arsenal, di; haver cumprido ascondi-
goes do contrato.que remelle por copia. Commu-
liicou-se ao director do arsenal de guerra da cfte
e ao cotnmissario-pagador.
zetas que recebemos, referem oceurrencias seme-
ntantes em differentes partes do paiz.
Um facto de notavcl significaeflo acha-se ligado
com estes tumultos e disturbios, o be queomquasi
todos os casos elles proeedem do algum supposto
mal, e teem por fim assegurar alguns imaginarios
direitos; .lircitos que nunca livrmm existencia
seno no cerebro de visionarios o enthusiastas ; e
que, anda mesmo quo cxslissem, so impralica-
veis. Se houvcsse quem tentasse p-lot em pratica,
ellos acabariam por convetler a sociedade, tal qual
esla actualmente constituida em umsjstemade bai-
barismo, pelo qual o poder Irumpliaria do diriulo,
e o fraco icaria merce do forte.
Porm que onlra COUS seno tumultos o distur-
bios podemos nos esperar, quando vemos os jurnaes
do da presando e insinuando no espirito do povo as
iloiitiiiiasdu furierismo, assoclacionlsmu, commu-
nismo o de lodos os oulros ismos Estamos conven-
cido quo o espirito do desnrdem tino vai actualmente
lavraudo por diversas partes do paiz pode ser liaca-
lo dos dilFercnles lugaies em que se maiiifesta, em
linha recta, at o discpulo o apostlo do furierismo
na America. Kilo propaga incessantemeiito os mes-
mtis principios que pro.luzirain o ultima nsiirrcicao
em l'aris, pela qual mais de dez mil vidas lorain sa-
ci ilicadas sobre o altar do fanatismo ; e estamos ir-
lo que, se ellos laucaren! aqu t:1o profundas raizos
como teem em Franca, as consequencias seriio as
inesinas, e nossas ras na Jaran em sangue.
Temos entre nos abundancia de materias inllam-
maveis, as qtiaes, se urna vez forom incendiadas,
produzirilo una conRagracilo que causara sem duvi-
da nenhuma a destruido da sociedade e de seus me
Huiros interosses.
[The Wethly Herald.)
LONDRES, 31 DF. AGOSTO.
A HKPUllLlC DA I ll AM-V.
idi:m no da io.
QUino- Ao coronel commissaro-pagador, part-
cinanilo haver chamado pora servir do ajudante de
iinlcns junio n presidencia o alfores do 2. halalhfo
tle luzilf iros, Manuel Itaptsta Ribeiro dcFaria, que
iqu se acha com licenen do govemo imperial, e do-
cTaramio que, emquanto estvor em semelhanle ser-
vico, o mencionado oliicial deve de ser considerado
em commssiio militar, o recebar os voncimciilos a
que por ella bver direilo. Scentilicou-so o com-
manJaule das armas.
COM>1 ANDO DAS ARMAS.
(Juarlrl do caminando das armas na cidade do Recife,
b de novembro de \8\X.
ORDEM DO DIA N. 69.
Tcmlo o Sr. capitn Pedro Ivo Velloso da Slveira,
do -2.' balalhao de artilharia a p, excedido desde
2fi tic outtiliro prximo passatlo a liecnca de tros me-
zes que obteve da presidencia para tratar de sua sau-
do lora da capital, o commandanle das armas interi-
no, emeumprimento doart. 3. da le de 20de maio
tle 183.> o declara ausente, e como tal honesta da-
la chamado por edtal na forma da mesma le.
Francisco Jot: Hamasceno Ilutado.
EDITA L.
Francisco Jos Damanttno losado, offioal da imp'rial
ordem dn i'.rtueiro, condecorado com a medulhu dn
guerra peninsular, coronel commandanle do C." I>ata-
l/ido de cacadoies do exercilo, e interinu das armas da
provincia de Pernumbuco, tic, &C.
Faz saber que so ach ausente por excesso do l-
cenca desde 20 dc otilubro prximo passado oSr.
cap tilo do 2 batalhilo de arlilharia api- Pedro Ivo
Velloso iIh Slveira, e para que possa elle evitar a pe-
na designada no art. 1." d.i ei dc 26 de maro de 1835,
se procede na forma dootrl. 3.* da mesma lei ao pre-
sente chamamento.
Quartel do commando das armas de Pernambuco,
em 6 tle novembro de 1848.
Francisco Jos Damasceno (osado.
EXTERIOR.
O ESPIRITO. DE DESOltl.EM NOS ESTADOS-UNIDOS.
WIW-TOBK, 12 DE AGOSTO.
Ninguem que lea os jornaesdo dia, e lenba noti-
cia dos disturbios que frequontemento estao teniio
lugar nesle paiz, podero dexar do porceber que se
vai desenvolvendo entre nos um espinlo de desordem
ue, se Rflo fir comprimido, lera afinal consequen-
cias terriveis. N8o ha muilo que l.ouve em Pittsbur-
go um tumulto consideravel. pouco depois um outro
se manifesiou em Philadelphia,'e quasi todas ss ga-
A revoluciio franceza fui concertada e exectilada
sobre o prolcxlo de assegurjir urna maior mmuni-
iladc pessoal, e urna mais ampia liberdado poltica.
O socialismo e o communismo no foram inscriptos
em nenhuma das bandeiras dobaixo das qtiaes com-
balou o exercilo da emancpacilo no'dia 22 de feve-
reiro. Por mais maduros que eslivessem osprojec-
tos de certos individuos para a introduccao da nova
ordem de cousas proscripta por estas doutrinas, ne-
nhuma proflssAo publica so ha va anda feito dos
principios de desordem.e pilliagem. A nagilo, ou
pelo menos aquellos que se denominavam a nacilo,
clamavam a liberdado do imprensa, a liherdadede
dscussio, o livre excroiciodos direitos pollcos, a
idena emancipacflo pessoal, e reformas orgnicas
Ins quo fizessem dcsapparecer os males aob os quaes
o povo gemia, e ussegurasscm a prosporidade de to-
do ocidadfio.
A repblica da Franca,progenie da revoluciio
franceza, vai por seis mezes que opera plenamente,
e debaixo do crcumstancias liio favoraves para o
livre desenvolvmenlo de seus merecimontos, como
nSo lio piovavel que jamis encontr nenhuma expe-
riencia semelhante. O examo, pois, dos seus resulla-
dos, lacs quaes elles npparecem em viva realidade
peranle nos, he nilos um aclo do mabr inleresso
para o observador dos lempos, mas tambem um do-
ver para qiianlos teom repugnancia igualdado e 1-
herdade. ou revclaga dos meios pelos quaes taes
felicidades silo asseguradas. Um dos principaes
agentes da revoluciio acha-se actualmonle emigrado
nesta Ierra, o he ptovavel quo, sendo tilo pratco
observador, no perder a occasiilo, que se Ihe of-
ferece, de comparar aquillo com que depara debai-
xo da mais execrauel lyrannia que nnnca^fci.itio, com
o que tilo ardenlemenle deixou dehaixo de um go-
verno esodello de sua propria creaeflo. Paris baj
algumas semanas quo so acha realmente, e toda a
Franca virtunlmente, no que se chama um estado
de sitio ; esto estado de colisas, cuja inteligencia
a propria expresso facilita, mo hoadequadamente
illuslrado, tem mesmo pelas recentes noticias que
havemosdado de Ballingarry, ou do Thurles. A li-
berdado pessoal do cidadilo francez esta acabada ;
queremos dizer, ella lora de bom grado cedida por
amor da seguranca contra um mal muilo maior do
queogoverno absoluto. Os tribunaes dejuslga a
as formas do lei hilo sido substituidos por commis-
ses militares, as quaes individuos arbitrariamen-
te presos sao summariamentc condemnados a penas
que nada mais que a discricSo do juiz regula, e isto
a vista de provas que iienhnm tribunal nglez con-
sentira que fossem prodwzidas. '
Nciibum dircito, em poltico, nem constiljicio-,
nal, se pude dizer que existe actualmente em Fran-
ca. Aquellos quo eram derivados do rgimen rejoi-
tado, ou que foram assumidos sem opposigilo du-
rante um breve inlervallo de licencia, estilo agora
suspensos por consenlmcnto commum, e so seriio
resuscitailos depois quo autoridades ainda nilo cons-
tituidas coneordarem em delini-los, e dopos que
una tranquilizado que dove ainda ser estabelecida,
pcrmittir o seu excrcico.
Os privilegios que goza boje um republicano fran-
cez silo desmedidamente mais circunscritos do qua
aquellos quo um Inglez gozou durante a suspenso
do habeas-corpus na admiuistracSo de lord Sdmoutb.
Em Paris nilo lie permiltido celebrarem-so roeetings,
nem pblicos, nem particulares, seno cora condi-
COes lacs que nullficam o effoito que por nieo delles
so prelendem produzr. Os clubs, os janlaies, as
demonstracoes polticas, os protestos, os folhetos,
as repre'seiilacOos'. Tu Jo esta prohibido. A impren-
sa gome dobaixo da censura irresponsavel de um



-
\
LADO


ofllcialmi.itar, o qual suspendo, supprime eappro-
hende todas as publicares quo tendem a cmbaracar
ou obstruir sua poltica, e isto por meio do edictos
exactamente semelhantes quelles pelos quaes o
primeiro consil, quarenta e oito annos antes, de-
terminava quacs os jornaes particulares que deviam
continuar, c quaes os me deviam cissar. cnhum
gnverno Irancez, depois da proclamaeio da primci-
ra constituoslo, no lempo da dynmtia restaurada;
so aventurou nunca a obrar com tanta scveridado
contra um privilegio, om defensa do qual o' povo
franeez tilo .repelida o desesperadamenle ha com-
batido.
A moralidadedestcsexemplos he prodigiosamente
augmentada pelo facto do nflo serem elles os resulta-
dos denenhumas intcrrupcOes vexatorias, nem as
inanireatafOea do nenhuma tyrannia individual. Ne-
iihurna carreira podia sei mais desempedida do que
o fui a mais brando, mais moderado, e mais racionavel do
que o general Cavaignac. Nslo tein havido um s ex-
C6SS0 que nflo seja o desenvolv monto natural dos
principios originalmente proposlos, nem nina s inc-
dlda reprcssiva se ha tomado, que nslo seja dictada
por visivel necessidnde. Considerando a Franca co
mocllahe, podemos justameiito asseverar que por
nenhuma outra serie de acontec montos de confor-
inidadocom as probabilidades da historia poda ella
ser 18o faroravclmenlo circumslanciada como no
lempo presente. Nenhuma potencia eslrangnra
ni'in sequr murmurnu Oonlra a nova configuradlo
d<> corpo poltico, e deve se confessa-lo, a extempV
i anea administraban de fevereiro nilo enconlrou, ab-
solutamente fallando, nenhuma opposicflo.
O partido dominante, comquanli) em realidade
nilo livesso por si as alTecOes populares, como est
boje liem dumonslrado, foi iteixado em plena liber-
dade de secutar osseus proprio projectos, e todas
as dnsenocsdesapparcceran com a cordial aceta-
oslo la repblica. Nslo houve nenhuma reaegito pe-
la rasiio plausivel de nilo ter havido nenhuma ac?3o.
O corpo da nacHo nunca foi, iicni mesmo por um
monjenlo,inclinailo revolticno, o poucos phenome-
nos conhecemos mais notaveisdo que esta trpida e
passita lieulialdade com que os noventa e novo cen-
tesimos de urna nagio grande so resignaran), sem
nenhuma compulsflo, iiem terror i disposoflo capri-
chosa da fiaet;fio restante. No havia no paiz no
huin clamor, nem nenhuma outra fermentoslo que
a produzida pelo proprio partido dominante em seus
frenticos, posio que Infructferos esforcos para fa-
/er o resto do povo tilo turbulento como elles mes-
mos oeran; e nenhum disturbio leve lugarsenslo
sobre a paililha da inesperada pildagem do poder
administrativo. Eram republicanos os que comba-
terain em juulio de ambos os lados das barricadas, o
caberas se cortaran) de parle a parte, sem respeito
nciuao suffragio universal, num ao voto livre, nem
a soberana absoluta da asscmbla, nem a nenhum
oulro dos pontos de puro republicanismo.
yuasi que nao era necessaria esta prova addiccio-
ual para mostrar que he sobieopovo, na mais ex-
tensa e mais democrtica significoslo la palavra,
que iuevilaveliiiciite oabem os solu montos msepa-
raveis de laes periodos do desordem. Quando pelos
holetins semanaes do commercio o pelos prospectos
diarios do laxoslo mostramos quanto loin decrescido
u prosperidade da Kranga, lulo imagine o leitor que
estas desgranas bao recahido exclusivamente, ou
mesmo simplesmcnl<-, sobre os ricos. Os pobres sof-
irom lauto com as miserias do urna rcvuluc.no, quan-
lo solfrom com as calamidades de urna foine. Por
cada negociante fallido ou por cada propietario em-
pobrecido cincenta lavradorcs lieam sem pilo, ou
(incenla artistas sem arrimo.
Se repetimos o bem conhocido facto, do que mes-
o dchaixo-da democrtica c niveladora regrada
EgJ'pto, Itnhs chegado corte da sublime porta pa-
ra o expresso fim de ser "investido pelo sultslo com n
soberana dgqucllo paiz, visto que seu pai linha per-
dido o juico.-
Da Aujtria sabemos que na cidade de Vienna oc-
correram novos disturbios. O pov, exasperado por
ter o ministerio recusado garantir os projectos de
um aventureiro financeiro, arrombou as portas da
secretaria dos negocios do interior, e destriiio ludo
quanlo all achou, movis e papis. A guarda do
oilifico resisti ao ataque por nlgum lempo, e mu-
tos dos desordeiros foram feridos antes do conse-
guircm apossar-se delle. Afinal, alguns batalhSes
quo so derigiram para a scena da desordem lograram
desaloja-losdalli.
No dia 13 ainda grande excitamento reinava na ci-
dade. A assembla constilunte declarou-se em
sessslo permanente, e a commissilo de salvado pu-
blica foi restabolccida.
No dia 14, ogoverno oceupou com tropas as prin-
cipaes pragas la cidade, e prevenio assim urna gran-
de demonstroslo quo os estudantes pretendiam fa-
Rio-da-Prata ; barca ingleza Ctlio, oapi t;lo Philip
S. Croix, carga a mesma que trouxe.
do
HDITAL.
CURSO JURDICO.
gulhotina, cortaiam-se as cabecas a 15,090 popula-
res, entreunto que smente ,028 nobres moro-
ram, fazeino-io aiinplesmenle para mostrar que a
mesma proporcRo so tem exactamente sustentado
dobaixo do rgimen da actual, posto que menos
sanguinaria repblica. He o povo que dcbaixo des-
tegoveino popular esti suhjeilu a severidades dos-
Conhecidas iiiomiio em San-I'elesburgo ; silo os com-
merciantes, Silo os mecnicos, sfio os iavradores que
niais padecem, elles veem sualiber.lade de loco uo-
Oo encuitada, suas boceas tra.ncadas, soa sutistancia
estragada, o sua oceupaeflo aniquilada. liste mal
iislu foi pur uinguem promovido. Kilo he a conse-
quencia necessana Uo usua reroluQslo, islo he, da-
luella convulsiio poltica que suspende violentamen-
te ns garantas da ordem publica, o despieza a se-
guanla de propriedade e de vida que so ellas dslo,
para o lint de reconslru-las debaixo do alguina no-
va denominoslo ou sobrealgumas novas condic/ies.
O que os Franceses lulo ja perdido, he ludo quanlo
elles debaixo da velha constituoslo maisosiimavam ,
o que elles leeni a gauhar lie lfu acert e deseonhe-
cido actualmente como o era em a primeira hora da
revolutslo; o o que ellos presentemente abracam
com ardor he a esperanza do escapar com vida por
cutre o indefinido periodo da transico
(Thi'mU
I.UIIH liEl'EBNAllimiO.
acoirs, < dx novimbro di iss.
Vamos concluir o extracto dos jornaes inglezes
que ltimamente recebemos.
As noticias da Turqua alcangam a 30 de agosto!
O paiz ficr tranquillo. O divn linha enviado
novas nslruccOcs a Solimsln Pasha, recommndn-
dn-lhc guardasse muita reserva para com ogoverno
provisorio da Moldavia, evtasse toda a correspon-
dencia ollicial com elle, e niio fss> a llucharesl o.n-
quanto nslo recebesse urna segunda ordem.
Tiuham chegado a Conslantnopla os deputados da
Walacnia, e haviam sido receblos pelo ministro
dos negocios oslrangoiros, ao qual expozeram as
suas queixsu contra o principe liihesco, c fallaram
sobre outras materias que cram o ohjecto do sua
misso. Alli 'l'asha respondeu-lhes que a queslslo
devia ser debatida o ajustada em llucharesl, cquea
porta naquello momento nlo podia adoptar neiihu-
ina resolur;slo dafinitiva. Esta repentina mdanos
na attiludedogovcmoathoinano a rospeitoda VVala-
chia fra proluzila pela lingoagem amearjadra da
llussia. Como qur que a Turqua, sem obrar im-
prudentemente, nslo possa na nctualidade romper
aberiamenlo com a Russa, esporava-se que afinal
olla n-gularia a questslo mol lavo-walachiana em
conjuncQslo com aquella potencia.
O ejercito russo, na Moldavia, havia sido de pr-
ximo consideravolmcnte augmentado.
filho de Meheniel Ali, y
Vienna eslava j tranquilla.
I'ensava-se, porm, que ascousas nslo ficariam al-
li. e a ca la dia esperavam-se novas desordens de
um carcter mais violento.
O gabinete austraco- hava nomeado urna com-
missilo para o fim do examinar os males que pesa-
vanisohreospciiuenos negociantes, aflu de reme-
dia-los.
Chegra a Vienna urna depulacslocomposla de 150
memhros do ambas as casas do parlamento hngaro
a pedir ao Imperador se dignassn de ir a l'eslli, a-
fim de negociar urna paz ontro os Hngaros e os-ll-
lirios e Croatas. O imperador respondeu-lhes que fa-
ria tudo quanlo Iho fosse possivel para preservar a
integridade da cora hngara, mas que nslo podia
pensar em residir em l'cslh.
Quan lo a commissao voltou a Hungra, e deelarou
que nala hava conseguido, o ministerio hngaro
deu a sua demissslo. A dieta declarou-se em sessslo
permanente, eassumioum poder soberano. F.lla pu-
Idicou como vlidas as novas leis une o imperador
nilo havia sanecion ido, e ia adoptando as maisener-
gieas medidas, para assegurar a salvacfio e defensa
do reino.
A assembla nacional germnica em Erankforl,
rcllectindo melhor, revogou a resolucslo que havia
tomado, e approvou o armesticio concluido entre a
Dinamarca e a l'russia ; em consequencia deste voto
os exaltados invadjram-na, com o designio de dis-
solvevem-na, mas felizmento fram repellidos. Es-
los insensatos passaram depois a construir barrica-
das; ogoverno a principio nao os incommodou, c
procurou por meos brandos fa/.er com que se reli-
rasseni; mas, vendo que persistam em seus projec-
tos, o mu augmentando cm numero, ordenou s
tropas que desembaragassem as ruas.ao que os desor-
deiros so oppozciam. Entilo come^ou um combate
que duiou desdeas 2 al as 5 horas da tarde. A tro-
pa condu/.io-se com calma c moderaQlo, e comquan-
to das janellas o varaudas atirasseiii sobm ella; nflo
fez fogo senslo sobro os revoltosos que combaliam
p or tras das barricadas.
Depois que cessou o combate os insurgentes envia-
ran! urna depulsado ao ministerio, c exigram que $"
tropas evacuassem a cidade ; porm o governo, bem
longe de acceder a esta exigencia, reforcou-as com
um batallislo de infantaria, um esqi/adrslo de caval-
lariae 14 pecas de arttlhara A lula foi logo depois
restaurada, e pelas 9 horas da noite quasi todas as
barricadas tinham cabido cm poder dos militares.
Em Chemnitz (Saxonia) occorreram a 12 dsetom-
bro grandes disturbios.
O povo oppo-z-sc prisslo de alguns obreiros, e
sendo chamados os mililures para protegerem os
agentes polcacs, travou-se entro a tropa o a fana-
Iha um sanguinolento conflicto. Os militares Uve-
ra m um capitslu e 20 soldados morios ; a peiila do
povo ainda nslo era conhecda.> A populoslo comha-
teu cnthrincheirada por iras das barricadas que. a
pressa tinham levantado.
Na l'russia reinava grande excitamento. O minis-
terio, em consequencia de um voto da assembla,
havia dado a sua demisslo, e o rei ainda nslo linha
conseguido organsar um novo gabinete. -
A Blgica, allollanda, a Dinamarca, a llussia e a
Succia licavam em paz.
O colera-morbo continuava a lavrar por quasi toda
a Europa, ceir al; ltimamente havia arrecentado
em llamburgo.
Para rgul.iriJadodos examos preparatorios] fago
saber aquemeonvcr quo estes ficam distribuidos
pelos das da semina do modo seguintos :
Segundo-feira, das 9 s 11 c mcia geographia das
lie meia s 2 horas Istim
Teroa-feir, das 9 s 11 o meia rhetorica das 11
e meia s 2 latim.
Quarta-feira,das9 s II e meia geographia das
11 e meia s 2 horas franeez.
Sexta-feira, das9s II e mcia inglez, das 11 e
meia s 2 horas franeez.
Sahbado, das 9 s 11 o. meia geometra das lie
meia s 2 horas philosopllia.
N. B. Odia impedido por ser feriado passar- a
ser como a quinta-feira. Outro sim os despachos aos
s s serilo da-
julos, depois do
se far urna
lista dos que leem de ser examinados
Secretaria jurdica de Olinda, 27 de outubro de
1818.
O padre Miguel do Sacramento Lopes Gama ,
Director.
--Seguir om poucos dias pan o Ro-de-JanBirft
o brigue F/o3 o qual somonte recebe algn 0,
cravos e passageiros para o quo tem bons commo
dos : quem prPlender podo entender-se com o canil
Islo a bordo ou com os consignatarios, AuioriTff*
Irmslos na ra da Cadela n. 39.
Para a Parahiba o hiale naciona! Kipadartc Si
he improterivelmentn no da 9 do corrente, por tei
a niaior parlo da carga prompta: pnra o restante
passageiros, trala-se na ra do Amorim, n. :n;,
Est a carga para o Para com escala pelo 'o lia.
ranhSo a escuna M'aria-Firmina que pretendo sI
hir em poucos dias; ainda recebe alguma carea
almda que tem engajada : trata-so com Jos Amo-
nio Basto, na ra da Cadeia do Recife.
Leiloes.
se
Declra^oes
~ O arsenal de guerra compra azeile de carrapa-
to dito de coco lio de algodslo, pavios e velas de
carnauba : quem os meamos gneros se propozera
vender rompareoa na sala da directora no dia 8 do
corrente mez, com sua proposta, em carta fechada.
Arsenal de guerra, 4 de novembro de 1848.
O escripturario,
Franciseo Serfico de Attit Carvalho.
Oarsonal de guerra compra limas sortda, li-
males, cadinhos do norto de ns. 8, 10e12, rame
grosso de lalilo e trinca]; e bem assim papel almaco,
lito de peso, peonas de escrever, m issos de obreias
e lapes: quem os mencionados gneros se propu-
zer a vender, comparecer na sala da directora do
mesmo arsenal, no da 9 do andante mez, com sua
proposta em caria fechada e amostras.
Arsenal de guerra, 6 le novembro de 1848.
O escripturario,
Francisco Serfico de Aiiit Carvalho.
O liscal da freguezia do Santo-Antonio do Re-
cife faz publico para, que tenha o devido cumpri-
mento.o rtico 6 do titulo 11 abaixo transcripto.
Art. 6. Fca prohibida a ven la de garapa de
qualquer nalureza que seja : os infractores serilo
multados cm 30,000 rs. o soffrerslo seis dias de pri-
sslo; ona reincidencia, alm da mulla dobrada, sof-
frerslo 15 dias de prisslo.
-- O captslo do porto lesta provincia, tendo de
engajar, em cumprimento do ordem dj Exin. Sr.
presidenle da provincia.com data de dous do corre-
te mez, quatro marinheiros equalro grumetes para
a guarnoslo do brigu Caliope, convi la a maruja que
queira servir dessa forma a apiesentar-senesla ca-
pitana com a maior brevidade ; sendo o lempo de
ongajamento dem aires annos, como convencio-
uar-so; e a gratificoslo dar-se a cada urna pra^a
na ordem desses prazos, de 20, 30 e 40 mil res ao
que fr marinheiro ; e scmelhantemenle de 10, 15 e
20 ao que lr grumete. Alm dessas graticaoOes se
dar mais 1,000 rs. ao que engajar-se directamente,
sendo eslrangero, e 5,000 is. sendo nacional. Os
que se engajarern doverslo ter a idade de 18 a 40 an-
nos; e dar-se-ha a quem incumbir-so de agenciar
o referid'- engajarnenlo a gratificaclo de 4,000 rs.
por cada praoa, semlo eslrangera, c 5,000 rs. se fr
nacional.
Capitana do porto de Pernambuco, 4 do novem-
bro de 1818.
Rodrigo Theodoro de Frtitas,
Captslo do porlo
Joilo Kcller k C. farslo leililo, por interenoflo
dOcorretorOliveir, de urna caixa de fzen riadas, por conta e risco de quem pertencer, e de n'.
tras mais fazendas para liquidar contas :' quinla-fc
ra, 9 do corrente, as 10 horas da manbSa, no seu ar-
mazn), ra da Cruz.
Quarta-feira, 8 do corrento, se far Icil.lo (|e
urna poreflo de manleiga ingleza em barris e meos:
na porta do arma?.em do Das Ferreira, defronte la
alfandega, em lotes vontade do comprador.
O capillo James Durfee far loilslo, por conta e
risco le quom pertencer, e por intervonoiTo do cor-
relor Oleira, dedezcaixas de assucar branco, des-
embarcadas de bordo da barca americana Harritt q
para supprimenlos dos gastos feitos eom esla barca
neste porlo: quarta-feira, 8 lo corrente, s 10 horas
da manilla, no arrrazern do Ramos.. Na mesma oc-
casiiiu se exporSo venda 150 ps do cabos le cairo
de muito superior qualidade, e um bolo novo con
os competentes'remos.
Brendcr a Brandis & C, fariTo loilslo por Hilcr-
veiirfio ilo corretor Oliveira, de perfeito sorlmento
de culilleria, e ferragens finas e grossas, ela.: leroa-
feira, 7 do corrente, as 10 horas da mandila, no son
srmazcm, ma de Trapic!ii'-.\ovo.
Avisos diversos.
C0 3 HIERBO.

ALFANl)EGA.
RBND1MENT0 DO DIA 6 .,........ 8:78*,309
Deicarregam hoje, 1 de novembro.
Barca Tenluliua pipas e barricas vasias.
Brigue Franklim taboalo.
Escuna Ante mcrcadorias.
Barca John-l'anler idem.
CONSULADO GKRA1..
BENBIMENTO DO DIA 6.
f-eral ........................ 1 ;082,349
Diversas provincias'............... 14,321
1:096,670
CONSULADO L'UOVINCIAL.
REMUMENTO DO DIA 6.......... 1:173,770
"
>fovimrn(o do Porto.
O caixa da companhia de Reberihc est autorisa-
lo a fazer o primeiro dividendo da mesma; na rasiio
do 2,000 por cada urna acolo. Os Srs. accionistas
levem remetter as suas apolices ao cscriplorio da
companiia ; depois do que poderlo ir pessoalmento
recebero que Ibes toca, ou mandar para isso pessoa
competentcinenlc aulorsada.
Recife, 6 de novembro de 1848.
O secretario,
B. J. Fernanda Barros.
A administroslo da companhia de Beberibc, de
conformidade com o arl. 17 dos estatutos, convoca
os Srs. accionistas para se reunircm em asscmbla
gerai no dia 15 do corrento, as 10 horas da mandila,
no escrptorio da companhia.- .
Recife, 6 de novembro de 1848.
O director,
Francisco Antonio de Oliveira.
Avisos martimos.'
-A
Ihraini Pucha
----/
- Navio entrado no dia 6.
Cravellss ; 7 dias, hiale braSileiro San-Benedicto, de
3S toneladas, capilflo Manuel Mara, equipagem
8, carga familia do tapioca o madeira de amarello ;
ao capitfio. Segua para o Rio-de-Janeiro, po-
lm arrbou por causa do lempo.
Navios sahidos no mesmo dia.
. Rio-de-Janeiro ; brigue inglez Haga, caniilo Willia
-re uo i jMirick, em lastro.
- Para o Maranhilo e Para sahe com a maior bre-
vidade possivel o bem conheciilo briguc-cscuna
Uura, de primeira marcha: quem no mesmo qui-
zercarregarouirde passagem, para o que tem ex-
cellontes commodos, dirija-so ao capilflo na praca.
ou a Novaos 4C, na ra do Trapiche, n 34.
O brigue Sociedade sabe para o Rio-de-Janeiro
no da 12 do crrente: pude receber alguma carga
miu.la e escravos a frele, assim como tem bous com-
modos para passageiros: trata-so com Jos Marcel-
ino da Rosa, na loja de frrrgens ao pedo arco da
conceioilo, ou com Novaes c ra do Trapiche, n
-- Ainda rsl por vender o hiale Especulador, de
lote de 8 a 7,000 arrobas: os prctondenles pdem ir
examinar o seu estado no Forte-do-Maltos, atracado
a barcaca. e para tratar de seu ajuste a ra do Tra-
picho! n. 44. a Firmino Jos Flix da Rosa.
Para o Porto sabe o brigue porluguoz Maria-
rehz, capilflo t-ourenco Fernandcs doCarmo, Torra-
do e encavilhado de cobro o muito veleiro : (juera
no mesmo quizer carregar ou r de passagem, trate
com o dito capilflo, na Praoa-do-Commercio, ou
.com. o seu consignatario, Antonio ssqshn Jo Iu- e
I za Ribeiro, no seu eteriptorio, ra da Cadeia, n. 18. Francisco, n. 30.
S.-Marln, com loja na praoa da Independencia ,
n. 38 receben prximamente do Paria chapeos do'
seda para senhora do inss elegante goslo, tamliem
de palhinha abortae lisos, para sonhoras o meni-
nas nslo s enfelados como s os cascos ; llores li-
nas e fitas para ornamento dos mesmos que tam-
bem se vendem em'separa lo ; intnteletas ; visitas e
palitos do grs de aples ondeado e liso, agora no
furor da moda ; corles do seda para vesti.los de pa-
Ires os mais modernos ; mantas le seda c de fes-
lanl, bordadas d ouro o de maliz ; leos grandes
ueseda com franja, ole. : o para maior cornmodida-
le las senhoras que ditos objectos precisaren, se
ihes levarslo em suas casas inmediatamente logo
que para isso fr avisado o aniiuncianle. Na mes ma
loja conliniiain a haver as espingardas tronchadas ,
chamadas paleiras.
Roga-se ao Sr. Severo Antonio da Costa, se di-
rija a casa de Novaes & C, na ra do Trapiche, n.
3t, para receboruma carta do Mar.inhSo, de seu in-
teresse.
('Sr. Manoel Gonoalves Ferreira tenha a bnn-
dade do anhonciar a sua residencia, para negocio
que lhediz interesse.
AferipAo.
Thomaz ile Aquino Carvalho, arrematante do
contrato las aferoOes de pesos, medidas e balancas,
na conformidade do regiment da cmara munici-
pal de 12 de maroo de 1844, faz saber a quenveon-
vier quo lem estabelecido casa para esse fim, na Boa-
Vista, ra da Matriz, u 33.
No dia 8 do corrente se ha de arrematar, em
praoa publica do Sr. Dr. juiz lio civel da spgunila
vara urna casa terrea sila na campia da Casa For-
te com quintal murado avaliaila por 600/ rs. e quo
ho arrematada para so cuniprrcm disposioQc* que
dcxou no sen testamento sua proprictara I). Fran-
cisca Jovila do Paula.
O Sr. lenle do sexlo halalhilo, Remani Jos
da Carn, queira annunciar sua morada ou dirigir-
se ii ra .lo Calinga, loja de miude/.as, de Francis-
co Joaquim Duarie.
Engomma-se.com asscio e pcrfcioo roupa de
homem .senhora meninos, o cortinados, porpre-
OO commodo : na roa. do Fogo, n 15.
I'erdeu-se, na noilo de 6 do corrente no thoa-
tro da.ra da Praia al a ra da Penha tr ra Drei,
la, um lenco de cambraia de lindo com lavarinlo a
roda e bico da mesma largura : quem o adiar queira
leva-lo a ra da Penda U. 21 que receber 6,000
rs. de gralilicaoilo.
Alcxandre Lopes CalvSo embarca para o Rio-
Orande-do-Sl osseus escravos Francisco o Joilo ,
de naoflo.
Aiuga-se um armazem na ra de Apollo, n. 34:
a tratar na mesma ra,' n. 22.
O Sr. Jos Joaquim da Silva Madeira baja de se
nslo retirar para o Rio-Crando-do-Sul, ou l'orlo-Ale-
hre, sem que primeiro pagues sua leltra de 70,000
rs. vencida em 2 de dezombro de 1810 e que se
acha vencendo o juro do 2 por cento ao moz.
A pessoa que annunciou no Diario do 6 de no-
vembro precisar do um cont de ris a furos, So-
bro penhores de ouro, diriia-se a ra estrella do
Rozario n. 20, segundo andar, que se dir quem d.
Aluga-se o primeiro andar do sobrado da ru*
estreita do Rozario, n. 20, sondo para familia capaz:
a tratar no Passeio-I'ubllco casa do bildar.
Os credores de Coulo Vianna & Filho leem au-
torisado a Ceo : Kenwoilliy & Companhia credores
tambem dos mesmos pma vendeiem a casa de so-
brado do lous andares u. 33, na ra do morim ,
bairro do Recife, a melado do sobrado da ra da Ca-
deia n. 27", que Ibes fram adjudicatlas por sen-
tenca para seu pagamento: quem quizer comprar
um c oulro predio, cnleiula-se com os cima men-
cionados quo estilo aulorisados para essa venda.
A abaixo assignaila fazscienteao respeilavel pu-
blico que ningiicm faoa negocio le qualidade al-
guma com seu marido Joilo Pudro da Rocda sem .
que ella seja ouvida ; do contrario vigor nenhum
lera, e ella por nada se responsablisa. Recife ,
6 de novembro de 1818. Por Camarina- Mara da
Coiiceioflo, Narciso Jos da Costa.
~ l'iecisa-so de
te de carrupato : na
n. 36. Na mesma casa vende-so una cama pequea
deangco, por ijuilo commodo prcio.
Precisa-se do urna muiher forra ou capliva pa-
ra oslar e:n companhia do urna senhora es.traugcira,
e ajmla-la no servioo de casa e ra ; na i u de San-
uuns pretas para venderem azei-y
a ra das Cruzes, primeiro andar, 7



*
Precisa-so de urna ama de Icite : no largo do
,rt"'.,?m-sa casa terreada Iravessa do Livramen-
"., 12- a"iratii na rua'.larga do llozrio, n. 39, se-
U, i;
^ O abaixo asignado, sonhor do engenho Jar-
i sito na freguazia lio Cal), desojando cumprir o
amento do 7:300,000 rs., que deve a Manoel Men-
1 .cminlia, en) quiltro pagamentos do 1:500,000
n'ira cumpri-loso primoiro em maio de 1849, o
r'!, .',1o cm n'oio do 1850, o torceiro em maio de
^? nuarlo em maio de 1852 e 1:300,000 rs. .em
1tt-Ht '.,, HAn,U nol-i momita fitiwitliii a r>rtm t\a
ai ile 1853, vende pela mesma quantia e cornos
.mosprazoaa metade do mesmo engenho, eom
romlicio do comprador o desobrgar deata divida.
?i mosmo engenho acha-se moente e correntn, sa-
n- a da 600 a 800 pfles, com cercado para sustentar
iniiulmcnte40 animaes, com matas sudicientes pa-
tio costeio do mesmo, alm disto eom a vantagem
de loruma parte no engenho Buranhem, comprado
o mesmo Caminha por 1:055,000 rs. O mesmo abai-
' asignado nfloduvida subjeilar-se a icar de ren-
.leiro no mesmo engenho, pagando a renda respec-
livno comprador; e quando o mesmo comprador
aueira entrar para o engenho do rendeiro nflo duvi-
dar ceder-I lie com a mcsina condigno : a pessoa a
niicm eonvier esto negocio, queira dirigir-se ao dito
cn'enho.ou noltecife, ra do (Juimado, n. 4, se-
gundo andar. Manoel Joaqun* do lego Brrelo.
N0V0DICCIOIUHIO DA LINGOA NACIN \L.
(lediftordo novo iticcionario da lingoa nacional,
ciija piiblicaclo lem silo annunciada nos differen-
Jjornacsdesla cidade leudo vencido as difficul-
dailesque so lemoppostoa rcalisagao da ideia que
ennreheu para a impressflo dcsta obra, e que eram
inherentes a natureza dola. Declara que o primei-
r volunte acachara prompto at ao principio do
prximo futuro mez de fevereiro : e aproveita esta
ccasio para pedir desculpa ana lllms Srs. assignan-
iel pela demora que lom occorriilu; a qual, por
cer'io "So tem sido por falta de deligencia de sua
parle
_ Roga-se ao Sr. Manoel Camello Pires que, caso
Pie seja entregue una carta escripia por l.nurengo
pe/erra Cavalcante do Albuquerque, a"bonando em
nm cont do ris a favor de Manoel Rolemberg.0 de
Ohvcira, nada do nom abono, porque esJa caria fui
tuuhada com urna carleira o mal papis n diniieiro,
na casa de rancho do I). Rosa, as Cinco-I'ontas, ao
mesmo Oliveira.
Aluga-se o segundo andar do sobrado da ra
pima ,.n. 20 com bstanles commodos para fami-
lia .- a tratar na mesma ra n. 93, primeiro andar.
--Procisa-se fallar cooi o Sr. "Joflo Climaco Fer-
nn les Cavalcante, senhor do engenho Te I ha em
Serinliflom para negocio do seu inleresse : ni ra
da l'iaia, n. 37.
Yimiu lia. algumas casas p*u acalu-
gar na Capungn, ao p di porto da Na-
ci, com rnuito bous commodos : a tratai
o sobrado ao p do dito porto.
- Offerece-se um rapaz brasilciro para caixeiro
de rua, ou qualquer csUhelccimcnlo, escoplo venda:
na rua de S.-Francisco casa n. 24, da esquina que
volta para a na Aviso mportaiitissimo para
qtiofii j tiver o seu riinhci
ro perdido.
Apromptam-sede novainentequaesqucrqualidades
de palitos de foso, os quaes ja esiejam perdidos por
a niaoa nflo'tirar mal, lomanilo-se perfeitainenle
os iiii'lhores que pdcni apparecer nesle mercado;
poilendo-so fazer i massa do qualquer cor, por pro-
co mu to com modo : os prelcnUciites dirijam-sea
relin.-igflo da rua'do'Aragfio, que acliarflo com qiiem
tratar.
--Joflo Jos Rodrigues l.olller declara oo arrema-
tante dasagoas-ardenles do produgoo brasileira, ou
aquein perlcnga. que deixoii de vender dito genero
em sua venda, sita na ruada Cruz, n. 36, desde o
dia 30deniitubro de 1818
-- O abaixo as-signado pode a todas as pessoas que
scjulgaroinseu crodor, que a presenten) suas cenias
no prazo de oito das contados do primeiro deste,
e aquclles que as niio presentar no dito prazo mar-
cado, o abaixo assignalo protesta nflo as pagar ; as-
sim como pede a lodos os sous llovedores hajam de
ir salisTazer seus dbitos, do contrario usara dos
meiosjudiciaes.
Manoel Jos Correi Braga.
i O abaixo assignado faz scientc aos seus nmigos,
que comprou'a bom conhocida venda de Jos da Po-
lilla, na rua Direita, n. 23, e por estar bom sortida
convida a todos pura mandaron) comprar na mesma
venda, prometiendo restricto ero ludo que vender,
assini como recebe un commissflo qualquer genero
do paiz para vender : quem do seu preslimo se qui-
r utilisar, dirija-so a mencionada venda.
Joo Hypolito de Meira Lima.
Aluga-se a casa de tres andares, sita
ni rua di Yigaiio n. 5, propria para qual-
quer cstrangeiro, ou mesin) para familia,
em andares apartados : o tratar na mesma
rua, n. 7.
--Aluga-se o segundo andar da casa da rua da
Senzalla-Nova, n. 42 : a tratar no armazem da mes-
ma casa.
-- Um rapaz brasileirose olTerece para caixeiro do
qualquer eslabelcciincnto subjeilando-se a dar al-
6"ni lempo de graca : quem pretender annuncio.
Na casa do molas fiancczasdo Alcrro-da-lloa-
vsti fn. 1, procisa-se deum pequono brasileiro, de
14 a 15 anuos.
--Na padaria daruada Cuia, no Uccifo llavera
todos os das a venia o novo pilo de Provenga fa-
brica, !o poraulro modo que o ac.lual e da melhor
farinlm qc |,a 0 mercado : por este motivo nflo se
pode fazer senflo a 40. 80 6 ICO rs.
Na rua Direita, paitara n 26, da-so pao de ven-
dagem a prelus, s0b responsabilldade de seus se-
uliores.
Aluga-se o bem condecido sitio na estrada do
Cordeiro, de Nuno Maria deSeixas, s proprio para
Iguin negociante csliangeiro ou Ouira pessoa que
teuha traUmcul : na rua do Ainorim, u. 15.
O Sr. Jos Noberlo Casado 1,inia queira declarar
a sua morada.
v Aluga-se o primeiro an lar do obrado da rua
Nova, 11. 5 : b tratar na loja do mesmo sobrado.
Alugam-se oscravos de ambos os sesos e al-
t guns moleques : na rua do Collegio, n. 4, ou na
>ua doQuaimado loja 11. 8.
No dia 2 do correte pelas duas horas da tar-
de appareceu 0111 casa dos aba 1*0 ssiguados, na
rua da Cadeia do Recife, n. 37 o pedindo-lhes que
o comprassom, um mpleque, do nome Jos, que diz
perlencer actualmente ao Snr. Francisco Sorapiflo
Pereira, do engenho Itoacique : esto moleque, vindo
do Maranhflo em novembro do 1845 eslevo em po-
lr dos abaixo assignados para ser yendido o que
niio podendo conseguir-se, foi por ordem de seu so-
nhor eniregue aos Srs. Kalkmann & Rosenmund;
como, p'ois, aos abaixo assignados nflo convm com-
prar o dito moleque rogam ao Sr. Pereira ou ao
seu correspondente jiesla prega queira vir tomar
conta dellc certo que se nflo responsabilisam por
morte, fuga, ou outro qualquer incidei.te que ao re-
feridlo moleque possa provir. Recife, 2 de novem-
bro de 1848. Machado & Pinheiro.
-- Dflo-se 200 a 400,000 rs. a juros de um e meio
porcentoao mez,sobre penboros de ouro : na ri
larga do Rozario ns. 6 o 8.
Precisa-se deum oilicial de latoeiro que en-
tenda bem do seu ofJIcio : paga-se bom ordenado
110 Alerro-da-Boa-Visla n. 65.
Precisa-se de urna crioula para ama do urna
casa de pouca familia : no Aterro-da-Boa-Vista n.
65, se dir quem precisa.
-- Procisa-se de 150,000 rs. a premio pelo lempo
le 10 mezes com hypotheca em urna oplima escra-
va de 20 annos : quem os quizer dar, dirija-se a rua
Augusta, n. 28. .
-OITerccc-se um rapaz brasileiro para caixeiro de
qualquer estabeleciment o-qual d fiador sua
conducta e subjeitan lo-se a dar algum lempo de
gra^a : quem o pretender annuncie.
'As pessoas quedesejarem aprender grammati-
calmcntea lingoa franceza dirijam-se a rua do
Sebo, sobrado n. 50. No mesmo sobrado precisa-se
alugaruma preta para o servicode urna casa.
Aluga-se o primeiro andar do sobrado atrs da
matriz da Boa-Vista n. 26, bastante grande, cozi-
11 ha puxadarra muilo fresco por ser do lado da
sombra ,eest bem tratado: a Iralar a loja do
mesmo sobrado ou no segundo andar.
Os Srs. esludantesdasAlagas, que pretendan)
alugar o primeiro andardosobrado atrs da matriz
da lloa-Vista, 11. 26, seapparecerem em lempo serSo
servidos.
Antonio Granon 01 Companhia sucessores de
Hehrad, na rua Nova, 11. 69 avisam aos seus fregue-
zes cao resneilavel publico que acabam do reci-
ber pelos ltimos navios chegados da Franca um
surt ment consideravel lalqqo: latas de saedinha,
hervilhas, llngoicas com Irussas covellores etc.,
doces diversos, cognac velho, kirsch o absinthe da
vordadeira marca wermouth vinbo de Bordeux em
quarlolase em garrafas, J. Julien Roussillon, Ri-
ves altes muscatello, fronlignaii, licores linos sor-
ullos com riquissimas garrafas marraschino de
Zarra ago'ardenlo do Danlzick. dita agoa de ouro
agua do flor de laranja vordadeiro azeile doce de
Plagiiol etc. : tudo de primeira qualidado, e por
preco com modo. Charutos regala da Babia, rega-
los da Havana e oulros.
Quem tiver um relogio de prata em bom estado,
e que seja bom regulador querendo vender, diri-
ja-tea rua de llorlas, n. 52, que se dir quem quer
Na mesma casa so contina a vender violto do Porto
engarrafado ; cerveja ingleza muilo nova; man-
teiga iugleza e franceza muilo boa ; espermacete
muito lino ; hritiha do reino da melhor; assucar re-
finado : ludo por prego niais cominodo do que em
outra qualquer parle.
JurgcRoper retra-se paiafra do imperio.
rrancisco Viera de Carvalho Portnguez faz
saber ao publico que retra-se para os portos do sul,
a tmlar de seus negocios.
"NasCinco-Punlas, padaria n. 40, precisa-sede
um amassadur ,0 qup tumbem sirva para cnlregai
rs.
lo-
pflo.
A mesa regedora da irmandae do Sr. Rom Je-
ss das Dores cm'S. Gongalo faz sciente aos de-
votos do Sr. dos Afllictos que transferio a fesla do
mesmo Sr. pnra o dia 12 do corrento.
~ No da 3 do corrente appareceu, no porto de
Manoel Antonio da Silva Molla, porto do 500 lijlos
di! alvenaria grossa quo lram deilados do noile, e
um preloquo eslava em una cunda diz que foi um
pardo, o qual anda nflo appareceu, julga-se seren
Curiados : quem fr seu dono pode vir tomar Cunta,
e querendo vende-los o mesmo Molla os comprar a,
seu legitimo dono.
Aluga-se o segundo andar do sobrado n. 59 da
rua do Rangel, com dus grandes salas-, otoquar-
los vista |e uiar, quarto na loja para pretos caia-1
do e pintado de novo : a iralar na prac,a da Indepen-
dencia, livraria, ns. 608.
No palco da matiiz de S.-Antonio, rt. 4, segun-
do andar, liram-se passaportes para dentro e fra do
imperio despacha 111-se escravosocorrem-sefolhas :
ludo com a niaior bievidade possivcl e por preco
commodo.
Aluga-se urna casa na rua da Palma, 11. 6, com
dous quintos, cozinba separada, cacimba, etc.
Na ruadoQueimado, n. 14, segundo andar, so
dii quem precisa deumeonto do risa piemio com
penhorrs.
. Fergunta-se ao Sr. juiz dos orpbaos,
Jos Nicolao, porque nao tem mandado
proceder a inventario dos bens que fica-
ram per mu te de Jos de Lima, que
morreo dcixaudo ilhos naturaes ? Nao-
saber dessa morte ?
co muijo rasoavel, vista de sua mudo
superiorqual:dade : na ruado Trapiche,
n. 17, e rua da Cadeia, n. 3'|.
Vonde-se, por commodo prego, um preto afri-
cano, de 40annos,!quebc canoeiro, o lem urna chaga
em urna perita : o motivo por que so vende ho por
quererandar locando canoa : emOlnda, na venda
da rua da Boa-llora.
Vende-se, na ruada Cruz.'armazem 11. 26, una
marqueza nova 6 cadeiras, duas mesinhas, una
dispensa, urna mesa de jantar, urna commoda um
lavatorio e diversas miudezas.
Vcndem-seduasvaccas gordas, proprias para
acougue : no sobrado grande da Magdalena, no prin-
cipio da estrada nova.
He verdade, nao engaa
Nflo lie do imperio celeste
Mas da trra do Cruzeiro,
Excellente cha hysson
Original verdadeiro.
Rua eslreita do Rosario,
Numero quarenla e tres, .
Alm do commodo prego
Serve-se bem ao freguez.
Superiores casimiras, a 5,000
vehdem-se na rua do Crespo, n. 9
ja de Domingos Cuimares.
, Vende-so, por prego commolo, Van-cspen
obra de direito ucclesiastico e universal, em 6 lo-,
mos, por Joflo Pedro Cibert, doutor em Ideologa
e canon : na rua do Queimado, 11 II.
Vende-se um eaiidiciro do latflo de duas luzes,
eom pouco uso, por progo commodo : B rua larga
do Rozario 11. 32.
Vende-se, ou aluga-se urna olaria nova e bas-
tante grande, no lugar dos Coelhos, por prego com-
modo : a tratar 110 mesmo lugar, com Miguel Car-
nciro da Cunha.
Na rua do C bug,loja de quatro por-
tas, do Duirle, vendenvae capacho* a
5oo rs redondos c compridos, para ac-
bar.
Vendo-so urna cabra de 25 anuos, de bonita
figura que eugom 11a, coso, cozinhi o faz lodo o
mais servigo de una casa : na rua do Hospicio, 11. 42.
Vende-se mu ala ubique de cobre ,
com serpentina do mesmo metal, em muilo bom
estado de carga de 90 caadas proprio para en-
golillo : na rua do Collegio ir 9.
Anda resti a vender na loja de
quatro porlas da rua do Cabug, do
Duarte, tima pequea poicao de chapeos
de palba da Italia, |i,ia lumiem e se-
nhora^ a 6,000, 1,280, e 5,ooo rs. A'
elles, antes que se acabem.
Vende-so una preta ilo nonita ligura com al-
gumas habilidades : na rua do Queimado, loja do
fazendas, n. 42.
Hymno de Po IX.
Vende-se,lia rua do Crespo, loja de miudezas,
nv11. F.sta bella composgo musical, obra de um
insigne meslro italiano tem merecido os inaiores
applausosem todaa Europa, o.na corto do imperio.
A inusica lie escripia para piano, e as lettras siio
em porluguez e em italiano 1 cada follicto he ador-
nado do urna lylhograpliia que ropreSenla o retrato
do suniino poutilice a quem he dedicado o dilo
hymno.
ioucas do Ko-(le-.liiero.
Na rua do Cabug, loja de quatro por-
tas, do Duarte, receben-se pelo ultimo
vapor do mi I um surlimento de toncas
venda n.lo se vende mais ago'ardente por causa da
multa e vendo vinho barato pofnffo tor risco, cne-
guem freguezes quo a pinga he boa. .j.j
Vende-se um capoto de panno, todo bandado e
corrido de conloes de velludo, para senhora. oe mo-
da portugiiexa : na rua do Rosario estreiU, n. ,
por cima da tenda do barbero, liegundo aniar.
Fazendas baratas para liqui-
dado vendem-se na roa do
Queimado, nos qiiatro-caii-
tos n. 20,
a saber: cortes de casimiras elsticas o 5,000 rs. ;
panno preto fino a 3,800. 4,400 ,6.000 e 7.500 rs. o
covado); casimira preta elstica e fina, a 3,000 rs. ;
srja preta de soda hespanhola a 1,800, M**
2,500 rs. o covado ; hretanba de linbo fino a 6*0
rs. a vara ; esguiflo fino, a 16.0J0 rs. a pega; lengos
de soda preta, a 1,000 rs.; ditos superiores a 3,600
rs.; ditos de cores, a 1.280 rs.; luvas de seda pre-
ta a 320 rs. ; ditas bordadas do cores a 800 rs.
pannos para mesas redondas, a 4,000 rs. ;\ camisas
de meia americanas, a 1.600 rs.; moias pretas de
algodflopara senhora, a400 rs.; ditas brancas para
meninas a 240 rs.; cassa lisa fina a 600 rs. a vara;
hrim trangado do linho pardo com lislras, a 2*0 rs.
o covado; castores para caigas, a 240 rs. o covauo ;
lengos btancos de cassa, a 200 rs. ; cortes de cassa-
chila lina a 3,600 rs. ; ditos de chita, a 2,400 rs ;
brim trangado bronco de linho superior, a 1,280 rs.
vara ; dito cor de ganga, a 900 rs. a vara ; cassu
franceza de quadros de cores, a 320 rs. o covado.
Dolos.
He ebegado, por o ultimo navio de
Franca, um completosorlmento de boloes
da ultima moda usada em l'aris; a saber
abotnaduras amare
pessoas
le meninos
de gratulo
lis para casaca das
tom, e para roupas
seda, proprias de infei-
Compras.
DINRin.O AVISTA.
O major graduado Sebastiflo Lopes Guimarflcs ,
commandanle da oompanliia (xa de cavullaria de
primeira linlia, compra cavallys para a mesma com-
panhia : quem os tiver, dirija-se ao quarlel do sua
residencia, na rua Nova, n. 32.
Compram-so escravos que sejam ollicias de car-
pina, do 18 a 25 annos o de boas tiguras ; pagam-se
bem sendo de bous costumes e peritos no seu olll-
cio poissflo para urna encummenda do Uio-de-Ja-
neiro: na rua iloAmorim, 11. 35, a fallar com J. J.
Tasso Jnior.
COmpram-se calungas de presepe : ua Boa-Vis-
la rua da Alegra 11. 42.
Conicra-se, ou aluga-se urna casa de um audar,
ou mesmo terrea que lenlia grande quintal o si-
tuada no Atcrro-da-Hoa-Vista : a tratar 110 nosino
Atorro, n. 44, seguudo andar.
Vendas.
-i- Vende-se a verdadeira potassa da
ssis, desembarcada hn'tem, por pre-
de laa, para senboras, a a,5oo rs.,- e
continuar a ter por lodos os vapores,
conformo sua cxtracco.
Vende-se a loja de fazendas da rua do Passeio-
l'ublico, n. 5, ptima para um principiante, purser
pequea, que com urna dous contos de ris Mea bem
sortida a oual vende muito a rota I lio : a fallar ua
mesma rua n. 19.
Vende-se louga da llabia, vidrada alguidares
de lodo o soi tmenlo tanto em porgflo como a re-
laiho : 110 Iravessa do Marisco, 11. 24.
Vende-se a armagau de una loja de miudezas ,
sita no Alerro-da-Uoa-Vista lugar muilo afregue-
sado e proprio para lodo o-negocio pelo barato
prego do 60,000 rs : na* 1 ua da Conceigflo da lloa-
Visla n 9.
Vendem-se 3escravos, a saber: um moleque
de 13 anuos ; urna negrinha de 11 annos ; urna mu-
laliiihado7annos : ludo barato : na rua do Padre-
Flonanno, n.34..
Anda resta para vender urna pe-
quea porcao de bonetes de panno rsca-
do, a 280 rs. : na loja de quatro portas
da rua do Cabug, do Duarte.
Vende-se, ou ai renda-se um silio perto da pen-
ca urna lego no lugar da Imberibeiea, ou Boa-Vis-
ta com boa "asa de vivenda aviamenlos de fazer
farinba, e com outra casinha mais pequea, com
bstanlesarvoredosde feudo, como sejam: man-
gueiras, cajueiros, coqueiros, etc. : trras para
plantar 10 a 12 mil covas do mandioca todo anuo,
imlepcndeiite do pastoramento com lugar para
criar 6 a 8 vaccas de leile : a Iralur as Cinco-Ponas,
com Luiz Comes Silveira passando o becco do Ma-
risco sobrado do dous andares, no primeiro.
Veudom-scmeias de algodflo dobradas, feilas
no Porto a 3,000 rs. o masso ; cora lavrada pur e
alva em arroba a 1,100 rs. o em libras a 1,120 rs. ;
sai'dinhas do ruino a 4,800 rs. o uiillieiro e a 500
rs. o cenlo : ua rua da l'raa, armazem n. 37.
iSa loja de quatio norias da rua do
Cabug, 11. 1 C, do Duarte, vendem-se
bengallas de caima da India, de caslOes de
prala e de madre-perola, e de gandos,
por procos commodos.
Veude-se urna casa do pedra cal, a moderna,
110 lugar da Capunga perto do rio a qual est ren-
dondo 10,000 rs. meusaes : no pateo da S.-Cruz a
tratar com Jos Nunos de Oliveira, ao p da botica,
ns. 6 e 8.
Vende-se, na rua Direita, n. 23, venda que ro
de Jos da l'cnlia, vinho, a 160 rs. a garrafa, islo pa-
ra suprir a talla da ago'ardente porque na mesma
tes de vestidos de scnbora ; e de Pedro II,
o,,mdbor domado que aqui tem appire-
cido ; e para cavidhria da gardj naci-
nal, infanlaria de primeira linba, cacado-
res, artilices, c ontras corporacSes milita-
es; assi.n como cord5es.de esquisitas cores,
de seda algodao,. e de debrmn, para
casacas; <; suas amostras se acham paten-
tes aos senbores compradores : na loja
da rua do Cabug, de quatro portas, n.
1 C, do Duarte.
-Vende-so urna preta de 18 annos, de elegante
ligura com todas as habilidades precisas para urna
cana de familia ; um bonito moleque de nagflo do
ib uos ; .m reto muito bom canoeiro e '! "le-
gante ligura : estes escravos ven loin-se para liqu-
,lag!o : 110 imteo da matriz de S.-Antonio, loja n. ?,
se dir quem vende.
Vendo-so urna escrava moga, que ongoaima ,
cozinba faz todo o servigo de urna casa lio muito
satlia e nfto lem vicios nem achaques: n rua do
Aragflo, n. 29.
Vendom-solOgaifosa 10 eolheres de prata de
le a 200 rs. a oitava : na rua Direita, n. 122.
Vende-se una loja de ferragons, contendo pou-
cos fundos, e de grande vantagem pela sua situa-
cflo, alm das proporgocs que offeroce para qual-
quer outro estabeleci ment por ter duas frentes:
na rua do Queimado, n. 35
IIcas de seda de Lisboa.
Na ruado Cabug, n. r (', do Duarte,
acaba de se receber utn sorimenio de
meias de seda, proprias para os senbores
sacerdotes, o para bomens e senboras.
\ boa qualidade deslas meias s com a
vista se poder conbecer a suaduraco.
Vcndem-se lonas inglezas eslreitas e sorlidas,
da qualidade n. 1 a 6, em porgues grandes upo-
quenas : em casa do Me Calmont & C, rua do Cor-
po-Santo, n. 11.
MARMCLADA NOVA.
Na rua do Codorniz 11.11 est a amostra e diz
quem lem para vender em primeira inflo, a melhor,
mais fresca o bem conservada marmclada chegada
a "ora na barca Ligeira em latas de urna e duas le
brs sem a mais pequea mancha o loda conrer-
comosepdo examinar.
O b m vinho verde
para refresco, e pelopreco de .60 rs. a
garrafa: no pateo do Terco, n. i3g.
Vcndom-so, por prego commodo, no armazem de
Das Ferreira no caes da Alfandoga saccas com mi-
Iho o farinba. ..
No armazem de Antonio Aunes, no caes da Al-
fandega ha urna porgflo de bom Jacaranda que
se vende por prego commodos : trata-so na rua do
--Vendem-se, na rua da Madre-de-Deos, n. 31 .
do lado da alfandega ceblas em moilbos o dispen-
cadas, a mil rs. o cont: peneiras de rame, muito
finas e a boa essei.cia de anlz.
Vendo-seuma preta de Angola, de 20 annos.
de bonita figura, c quo engomma o coznna : no
becco do Sarapalel sobrado n. 12.
!CCoU0Sarapaiei ,souii.u... ... ..,.,.
Vendem-se barris pequeos com cal virgeinde Lia-
boa, a inaif nova nue ha no mercado, por preco com-
modo : na rua da Moda armazem 11. 17.
-- Vendem-se 3 lindos moloques de 14 a 16 annos,
sem vicios nem achaques: na rua Direita, n. 88.
Vende-es urna preta da Costa anda moga, ou
troca-se por um .moloquinho : na rua Nova;, venr
' "Vendc-so a dnheiro, ou a prazo, por inteiro,
0.1 por metade, urna legoa de trra no riacho Caru-
r termo da villa de Alhalaia com una legoa da
rundo confronte a torra denominada Casa-de-Pa-
II,.., de Jos Pires da Silva que fica do lado do sul
do dito riacho: o preco de toda a ierra a dnheiro
lie do um cont e duzentos mil rs. e de eiscentos
mil rs. sendo metade : a prazo sora pelo que se ajus-
far : na rua do llangel, n. 45.
Vendom -se 5 lindos moleques de 18 a 18 annos;
3 pretos de 25 a 30 anuos ; 3 pardos de 16 a 20 anuos
2 mulatinhasde7a 1annos; 3 negrinnaa de 10 a
12annos, todas com principios de habilidades; 4
prolasdeaOa 25 annos-, cora habilidades: ni n
do Collegio, n. 3, se dir quem vende.


---------Ul!
.4
t_____


Vnho barato.
Aclia-se estabelccido na rua da Madre-dc-Dcos ,
i. 36, iini urmazom do
Vinhos da Figueira,
do ptima qualidade, a prego do 1,120 rs. a caada,
e a 160 rs a garrafa ; e para n.lo liavor dolo do com-
prador scrito lacradas as garrafas e com rotulo, re-
cebendo-so a garrafa vasin, o. dando-se immediata-
mente aoutra clicia : tambom ha harris muito pe-
queos proprios parn quem passa a fasta. O pro-
prietario dcste cstabeleciinento pede encarecida-
mente que se no illudam avahando, pelo diminuto
preco esem conheciment de causa a qualidade de
sua fjzenda digna por corto da estima dos verda-
deros amantes da boa pinga. Elle conta que quem
urna vez provar,continuarcoingoslo e sem 8rre-
pendimento. E o bom preco !! .' A lodo o exposto
accresccoasseio e boro aqpndicionamcnto, n que
todo se podera verificar em dito cstabeleciinento.
Na lo ja lo Passeio-Publico ,
n. 19 de Manoel Joaqun
Pascoal Hamos,
vende-se riscado de algodo para cortinados a 120
rs. ocovado e 2,400 rs. a peca com 21 covados;
riscado monstro a 280 rs. ; corles de casimira a
4.000 rs. ; ditos de lila a 2,000 rs. ; castor para cal-
cas a 200 e 360 rs.; madapoln, a 3,000 a 5,500 rs.;
riscados frsneezes, a 200 rs.; ditos muito linos a
280 rs. o covado ; chales de larlatana de seda, a 9,000
rs. ; mantas de seda a 10,000 rs. ; lencos ca a 1,000 rs. ; ditos de seda, a 1,000 rs. ; panno fi-
no azul a 4,000 rs. ; dito prcto de 3,500 a 5,500
rs. ; chitas encarnadas muitn (as padrucs moder-
nos, a 280 rs. o covado; e outras muilas fazendas
por preco com modo.
Venderse alcatro da Suecia, de
Loa qualidade, em Larris bem acondicio-
nados com arcos de ferro: na rua do Vi-
gario, r. 4.
Vende-so um mulalinho acaboculad, de idaile
de 12 a 11 anuos : na rua do Cabug, loja de iniude-
zas, 11.1 I).
Fazemla para cscravas.
Vende-se na rua da Cadcla do liecife, luja de Joo
da Cunha Magalhfles, zuartp, fazenda portugueza,
muito propria para roupa de osera vos, por ser de cor
escura e nflo deshotar em pecas a 210 rs. o co-
ado.
~ Vendem-se, na la do Crespo, loja de 4 portas,
n. 12, chapeos de castor prrtos da muito boa qua-
lidade a 4,000 rs.
Vende-se um jumento bonito c novo: na rui
do Cabug, 11 16.
No A lernwla-Boa- Visla de-
fronte da caiimga,
Ji3o chegados muito bous manoquins couros de
lustro e hezerros francezes ; ludodo superior quali-
dade e por preco commodo.
CHA'FIYSSON,
de ptima qualidade a 2#>10 rs. a libra : na rua da
i.rut no liecife .armazem n. 13.
PRELO
a 3s'ooo rs. a sacca
nos armaren* na. 1 c 3 do caes da Airamlcga.e no de n.
.15 da ruado Amoriin.dc J. J. iasso .'unior,
Um novo sortimento de
ri cario monstro.
Vendem-se na loja do Cuimarles & C, que faz
esquina para a rua do Collegio, n. 5, novos ris'ca-
os monstros .le padrOes modernos c lindos, pelo
mUfflo preco do 320 rs. o covado.
Feijo barato.
Vende-se feijlo mulalinho em sarcas de 3 quarlas,
por preco mais mdico possivel : no caes da Alfan-
dega armazem deXntonio Aunes Jacomo Pues.

pmmm
Vende-so um escravo calador, o que ho pro &
m prio para oservicode casa o do sitio, pelo 5
m mdico preco de 320,000 rs. : na rua Direita, al
j* sobrado n. 16.
*m?mwwmmmm wmmvwmmwxfM
- Vendem-se dous pianos fortes de Jacaranda,
rom o machanismo de muito aprovada c nova invon-
cflo, chamado repetidor patente de Collard ; cha-
rutos-do llavana, por preco mais commodo do que
em oulra qualquer parte 5 una machina do lylogra-
p na com pedras, tintas e mais pertences; un com-
pleto sortirnento de instrumentos de msica Un-
to de metal como de madeira ; bustos do gesso re-
resentando muito fielmento a rainho Victoria e
se pecas de madapoln fino, entestado,
a 5,5oo rs.; ditos de gallo dourado, a
4,000 rs.; pecas de bretanha de rolo, com
1 o varas, a a,000 rs.; pecasdecassa dequa-
dios brancos, proprias para habidos,
com 8 varas e meia, a a,600 rs.; sarja de
seda, pela, com quatro palmos de largu-
ia, propria para vestidos de senhora, a
i,5oo rs o covado ; mantas de tarlatara,
para senhora, a 1,000 rs. cada urna ; di-
tas de la e seda, para meninas, a 3,000
rs.,ede seda a 7,000 rs.; casimiras enfes-
ladas, proprias para palitos e calcas, a
?,5oo rs. o covado ; cortes de cassas finas,
com 6 varas e meia a,5oo rs.; e outras
muitAs fazendas, por preco commodo.
Churu tos da llavana,
viudos no patacho hespanhol Huracn vendem-se
na rua da Cruz no liecife, armazem il. 13.
Prch.ncha.
No Atterro-da-Boa-Vista, n. 78, vendem-se sapa tos
de cordoAn de lustro para senhora a 1,000 rs ;
ilitosde marroquim, a 800 rs ; botius de duraque
p ara senhora a 2,000 rs. ; sapatos de bearerro de
sola e vira, para homem, a 2,240 e 2,560 rs.; bulins,
a 6,000 rs. ; bonetes do riscado a 320 rs.
~ Vende-se um elegante carro de 4 rodas feito
por encommenda nos Estados-Unidos ; ho muito
leve e pode muito bem accommodar cinco pessoas
o servo para un ou dous cavados 1 na cocheira do
Miguel no Alerro-ila-Uoa-Vista ou na rua do Tra-
piche-Novo, n. 18.
-Vendem-se dous lindos moloques sadios c sem
defeito algum, um de 7 annos e o oulra de 4 : no
Aterro-da-lloa-*Vista, n. 26, segundo andar.
Vende-se farinlia de mandioca,
de muito boa qualidade e goslo : na rua
da Cadeia do bairro de Santo-Antonio,
casa n. a5, primeiro andar.
Vende-se a diiihe.ro, ou a prazo, meia legoa
de Ierra de nenie, com una legoa de fundo na
margen do rio de Una da parle do sul con-
Ironle a trra do engenho Japaranduba principian-
do na barra da Tronibela pelo rio de Una cima at
onde se completar a meia legoa, cujos fundos vflo
terminar com aterra concedida por sesmariaao fal-
lecido sargento-mr Antonio Casado Lima, as mar-
geos do rio Prelo em que estilo situados vanos en-
geridos : tamhcni se vende melade da dita torra, a
saber : a meia legoa da margem do rio Una com o
fundo tambem de meia legoa e na inesma forma a
outra meia legoa de fundo : o preco da meia legoa da
margem do rioUna ho do dous conloa de res a di-
nheiro ; o da oulra meia legoa he do um cont de
ris, e sendo a prazo ser pelo que se ajustar: na
rua dollai.gcl, 11. 45.
Na rua das Cnizei, n. 41, vende-iecil de Lis-
boa, panno do liuho, marmelada em calzas de qua-
tra libras e meia, muilo nova e por preco commodo.
Vendem-se duas negrotas, de i5
annos, sendo una de Angola ; urna pre-
ta de nacSo Costa, de meia idade, boa co-
zinheira c quitandeira ; um moleque, de
14 annos ; um dito, de 18 annos, com o of-
fieio de sapateiro ; um lindo pardo, de 18
nrnos, ptimo para pogem : umdito, da
mesma idade, com o olficio de pedreiro ;
um dito, de i:> annos, bom cozinheiro e
eopciro, este troca-se por outro escravo
ou cscrava, 011 vende-se a prazo com boas
firmas, assiin como tambem se afianca que
he um ptimo escravo para se possuir, e
ao pretendente se dir n motivo ; tres ne-
gros, ptimos para otrabaliiu de campo ;
um dito, bom cozinheiro ; um moleque,
de 7 anuos, por j20*000 rs. por estar
com um principio de iialdade : todos es-
tes escravos sao vendidos muito baratos,
por se desejar fechar as contas desle an-
no : na rua das Larangeiras, n. 14, se-
gundo andar.
Machinas para copiar carta.
Em casa de Frederico Uobiliard na rua do Tra-
piche-Novo, n 18, ha um pequeo resto destas ma-
chinas t "10 uteis e necessarias a urna casa de com-
mercio com scu competentes ivros ev pertences :
tambem se vendem livros separados papel em res-
mas e tinta de oscrever: tudo proprio para as
mesmas.
Vinho bom e barato.
Na esquina da rua do Vigario, n. 33, vende-se su-
perior vinho do Lisboa e da Figueira a 150 rs. a
garrafa o em caada a 1,100 rs.
59S
o corte de calca: na ora loja da estrella, da roa a
Collegio, n. 1. ru* 'Vendem-se acedes da ex
tincta companhiade PernambucO-
c Parahiba: no escriptorio de O-
liveira 1 rotos & C, rua da Cru
n. 9. Z)
Vender cal virgem de Lisboa em barris d<- i
arroba* chegada pelo ulllino navio, por nreco rn. 1
do : a tratar cora Alruelda fc FonsecaTn K0Ap0,to.
Ci>arrIhos hespanhes ver.
dadeiro?.
Quem nflo traga urna fu maca produzida por este,
deliciosos cigarrilhos nao se pode contar no nume.
todaquellesque sabem apreciar os.deleites da vial
contempornea : e as pessoas que se julgarom nes-
tas circumslancias, dirijam-se atrs da matriz do
Corpo-Santo, no liecife, venda n. 66.
A 1,600 cada um.
Na loja de Guimarltes & C, que faz esquina para
rua do Collegio, n. 5, vendem-so barretes do seda
para padre, pelo barato preco de 1,600 rs. cada um.
PRELO,
a 4,500 rs. a barrica ; no armazem n. 20, de Joaqun,
da Silva Lopes, confronte a guarda da alfandega.
i",
m*
'V.iv.-V..

Conlia-se a vender, na rua da
Cadeia do liecife, n. 3"], cera em
velas, fabricada no llio-de-Janei-
ro, em urna das melbores fabri-
] cas, era caixas sortiilns ao gosto do
comprador e^or preco commodo
Vendo-ge,no armazem do Vicente rerreira da
Costa, na rua da Madre-De8a, someas em saccas
andes cliegadaa ltimamente de Trieste; vinho
da Figueira ,em harria, o mais suporior que tem
viudo a oslo mercado do muito condecido autor l'a-
biflo; vinho abalado, um ancorelas do 4 c meia a 5
caadas.
Vcndcm-so chapos de castor branco a
^fc^4,000 rs. : na rua do Queimado, 11. 22.
Yende-sc um bonito sortimento de
para
casaca ; ditos
; ditos amarellos, de
para militares, de ca-
'e
. : .,, :------'""""-1"" '"""< victoria e o
principe Alberto; relogios deouro o de prata che-
gidos ultimamento da Suissa. Estes relogios que
silo muito bem acabados, su tornam muito recoin-
mendaveis a qualquer particular, e adverte-so que
ha entre elles alguna que andam oito dias sem preci-
sarem do corda : na rua da Cruz, n. 55.
Algodan trancado da fabrica
de Todos-os^Sanlos da
Baha ,
muito proprio para saceos de assucar e roupa de esl
era vos : vende-so em casa de N. O. Dieber & Com-
panhia na rua da Cruz, n. 4.
- Vendem-se alfinetes de peito para senhora, com
o re trato verdade.ro de l'.o IX. .mico papa liberal
KnTi a n"",'.,l0; boWe Pra camisa a
nacional, verde eamarello- navalhas chinezaa para
barba: ditas inglezas ; oculos para vista cansada-
llniss.mas tesouras para uiiIies e para costura pa-
pe do pesoe almaco a 2,600 rs. a resma de 85 ca-
dernos; pennas para secretaria, a 320 rs o quar-
que de 12 anuos ; urna nugrinha da ujes.na idade1
doody rUa ,arga d R"r 'J3
Na loja da rua do Crespo, n. 5 A
ao 1x5 do arco de Santo-Antonio, vendem!
boloes de seda, para
vestidos de meninos
Pedro II ; ditos
vallaria e infantaria, ditos para libres d-
pagem, brancos e amarellos, de bona pa-
droes ; ditos de massa, para faldamento
de cacadores ; ditos de vidro, de diversas
cores : na rua do Cabug, loja de quatro
portas, do Duarte.
Saccas com milho ,
a .VJOOrs. :
wnem-si no armazem do Dacclar, no caes da Al-
Polassa.
Desembaicou lia poneos dias urna por-
cao de barris pequeos, com muito no\M
e superior potassa, c se acbam venda,
por preco mais barulo do que ltima-
mente se vendia, na rua da Cadeia-Vellia,
armazem de Bailar &Uliveira, n. ia.
--\cndc-se na rua da Aurora, n.4 u.n fago do
tambores anl.gos, rodetes, aguill.Oes o dous cal-
deirotcs: tudo minio barato.
fc"T"!* muit0 bo'" uocc ^ 8nja c caixinbas
de niar.ne-llada pequeas e grandes : no palco do
Carino, venda n. I. '
NOVA PUKLICACO
a renda na livmfia da nqmno do Collegio.
Lices acerca da soberana do povo e dos princi-
pios do governo republicano moderno, pronuncia-
das recei.temenle em l'aris peranto um numeroso
auditorio pelo sabio publicista il. Oriolan, proes-
sor na faculdadcde direito : Iraduzidas correcta o
helmento do texto da gazela dos iribunaes fmneo-
zu, com um prefacio do traductor A l>. de Figuei-
A traducco destas importanlos licOos que f
enthusiasticamentn applaudidas, vende-a n.
Ccrvcja preta cid bolijas.
Conlina-sea vender esta tilo afamada cerveja.
em lotes de urna barrica para cima a vontado do'
comprador ; em casa de Froderico llobilliard na
ruado Trapiche-Novo, n. 18. Na mesma casa ha
tambem um pequeo resto da mesma cerveja em
botijas muito propria para casas particulares.
Sa"pa.ocsdc5 solas, a .#000
No Aleno-da-Boa-Vista, loja, n. 78, acabi-se de
receber um novo sortimento de sapa toes de 3 solas,
tanto de ps pequeos como grandos. As pessoas que
fiCoiiiiiieuuaram, iio lo ipe de viran, a c!!cs.
Hiscados monstros.
Vendem-se superiores riscados monslros, j bem co-
nbreidos tanto pela qualidade como pela largura em
demasa, pelo barato preco de 280 rs. o covado. Estes
riscados sao chegados ltimamente: as cores sao flxas,
e os padroes multo modernos e de bom gosto : na nova
loja da Estrella da rua do Collegio, n. 1.
Firmino J. F. da llosa vende muito superior pan-
no de algodKo trancado feito na Babia muito pro-
prio para saceos de assucar assim como para roupa
do oscravos por ser muito encorpado: os prelen-
dentes dirijam-se a rua do Trapiche, n. 44, primeiro
andar.
Vendem-se luvas de pellica para
scnbora, enfeitadas, i a,8oo rs. ; ditas
apra iiomem, de diversas cures, de pou-
to irigiez, a 1,000 rs. ; ditas dealgodSo a
5oo rs.; ditas de seda a 8oo rs.; ditas pa-
ra senbora a r,a8o rs. ; lencos de grava-
la, de seda, de 1,000 rs.. a 1,600 rs. ; ga-
loes entre-finos de diversas larguras ;
espiguilhas, galoes falsos, e volantes, por
pircos commodos ; bicos do Porto, de di-
versas larguras, de 8o a 160 rs. a vara ;
ditos francezes, de bonitos padrSes-; fitas
de seda, n 9 e 12 ; flores francezas ; len-
cos de gar^a a 1,000 rs.: na loja de quatro
portas da rua do Cabug, n. 1 C, do
Duarte.
No armazem de Dias Ferrcira, no
caes da Alfandega, vende-se, por preco
muito commodo, potassa muito superior,
em pequeos barris de 100 libras cada
um, desembarcados ltimamente.
Vende-se ca.' virgem de Lisboa,
ebegada no ultima navio, em barris pe-
queos, por menos do que em outra qual
quer parte: na ruado Trapiche, arma-
zem n I7.
Na venda de Benlo Jo5o Cantazo, na rua Direi-
ta, n. 95, ha superior cal de Lisboa, em barris de 4 a
5 arrobas chegada prximamente, por mais com-
modo preco do que em oulra qualquer parte.
S'slojos.
rua do Cabug, n. 1
quatro portas, tem
cora pertences, por
C, de
estojos
precos
redo,
ram
., vende-se na
.ivraria sobredita, 1 vol. gr. in 12 de ntida ininres
sao em bom papel prego 2^000 rs.
Na loja da
Duarte, de
de navalhas
commodos.
Vendem-se sapstScs de couro t
lustro ; ditos de couro Lranco de sola e
vira ditos para meninos de sola e vira,
por precos commodos: na rua da Cadeia
do liecife, n. 9.
Vende-se muilo superior lagedo de Lisboa, e
cal virgem em harris de 4 arrobas, por mdico preco:
na rua do Vigario, n. 19.
Casimiras elsticas.
Vendem-se superiores edrtes de roela casimiras elaa-
|ip Hp nura lia. pelo barato preco de 9*100 e .1/nnr) r-.
Escravos Fgidos
No dia 2 de setembro prjimo passado, fue
da cidade de Arcia, provincia da Parahiba-do-Norii
urna escrava de nome Catharina, le naco Angola'
idade de 30 a 40 annos, cornos signaos teguinte*
estatura regular, secca do corpo, nariz chalo, oHjos
grandes o ve/mellios, bracos grossos e com marcas
de fogo em um delles, sendo as ditas marcas feitas
con) ferro como costumam ter os negros Africanos t
tambem costumam appareecr-lhes cravo nos ps, onL
rasSo de j ler (ido boubas, e usa de tomar tabaco
quom a apprehender poderi levar a dita cidade em
casa de Manoel Jos Goncalvcs Lishoi, que genero-
samente gratificar.
--No dia 30do prximo passado pelas<5 horas o
meia da larde fugio do deposito goral, onde se
rchava a preta crioula de nome Leonor escrava
do Sr. major Antonio Manoel de Moraes da Mosquita
Pimentel, que so aehava penhnrada por execuc.lo de
I). Anna Francisca dos liis Miranda ; a qual escrava
va he do estatura regular ; tem um pequeo defeito
em um olho quando tem de firmar a vista ; lera 32
annos do idade; levou vestido de chita meia escura
e de quadros miudos : quom a pegar leve-a a rua de
Moras, n. 140, quesera bem recompensado.
-- Fu2;; i;:; ilta oiomi,r< ..---i:;,,-. r.==---"-
urna preta de nome Maria, de naclo Angola; felcoei
miudas, estatura regular, levou vestido de chita ja
deshotailo, o panno lino; de idade pouco mais ou
menos do 30 a 40 anuos; tem os dedos dos psaher-
tos; levando em companhia ti in li I to de idade de
10 annos, por nome Luiz : quem os pegar prVIe en-
trega-Ios na ci'lade do Aria a Manoel Jos Condal -
ves Lisboa, quosor gonerosamento recompensado
por ser sou proprio senhor.
- Fugio, no dia 21 de dezombro do auno prximo
passado, o pardo Jacob do 18 anuos secco do cor-
po cabello estirado; tem falla de um denlo na
frente o um pequeo lalho na macla do rosto ; o
majvisivel signul he lernas costas a marca de um
caustico; foi visto em l'indoba e consta ter seguido
em1 companhia de alguns tangedores de gado para
Coianna ou podras-de-Fogo quem o pegar leve-o
a Jos Luiz Pereira na rua Noys 6 Krnli',csr
Fugio, no dia 23 do prximo passado o escra-
vo Benedicto de naclo Costa alto corpo regular,
barba fechada o com suissas at por baixo do quei-
xo falla muito bem roslo com marcas do bexigas,
porm j antigs ; costuma andar com calcas de nl-
godilo azul, camisa branca ; mas he do suppOr que
mude de trage, por ter mais roupa ; foi escravo do
fallecido Joflo Flix dos Santos de Coianna o foi
vendido nesta praga : quom o pegar levo-o a rua da
Alfandega-Vclha n. 3G, ou airas da matriz da Boa-
Vista, n. 18.
-- Fugio, no dia 2" do prximo passado a prela
Maria, cnoula, alta alguma cousa fula ; levou ves-
tido de cassa cor du rosa usad, saia preta de lis-
tras, panno prelo usado, com ourela felpuda ile-
20 a 25 anuos ; anda calcada foi cscrava do Sr. Dr.
Jaiisen ,do linda : quem a pegar levo-a a S.-Ama-
ro ao p ila fundicSo a Joiio de Freilas GuimarSes,
que recompensar.
--Fugio, no dia 5 do correnle, um moleque, de
nome Manoel, de naclo, de 17 a 19 anuos, muito
magro, barriga grande ps cheios de nixos o um
lano inchados olhos pcqueiios ; he muito bruto,
porisso nn falla hein|explicado: quem o pegar le-
ve-oarua da Praia-de-S.-Rita n: 25, ou 43, que
ser bem recompensado.
Fugio, ba perto de um mez, do engenho Bom-
Jcsus provincia das Alagas um escravo de nacilo
Angola de nome Antonio de cor preta, estatura
baixa, beicos grandes, olhos um pouco .afumaba-
dos ; tem una cicatriz no braco esquordo : quem o
pegar leve-o ao dilo engenho ou no liecife, a Victo-
rino de Castro Moura na rua da Cadeia, n. 20, que
ser recompensado.
Fugio, no dia 3 do correnle, nina preta da Cos-
a, de nomo Dellina que fui ltimamente escrava do
Sr. coron-l Joaquim Bernardo de Figueiredo e an-
teriormente do urna senhora moradora em 01111 Ja ;
coslu.na va a vender agoa pelas ras Direita, Mollas e
Agoas-Verdes ; levou vesli.lo escuro, cabcgiio do
cassa; ho magra moca, estatura regular, bastan-,
te ladina; quem a pegar leve-a a rua Formosa, n.
2, que ser recompensado.
-- Fugio, no dia 22 do prximo pausado do en-
genho Auumus, fregnezia do Rio-Formoso, urn ca-
tira bem verrnelho deJjoa altura bstanlo grosso,
bem fallante falla grossa c puxa pelo R, roslo re-
dolido olhos bem pequeos ; reprsenla ter 30 an-
nos supposto que elle diz ter 26 ; sabio com camisa
a comillas do iilgodilo branco o calcas de algodilo
da lislrasj velhas, poiin com remend mais novo
no lugar da bartuilha : q.uem o pegar lovc-o ao di- ^
to engenho a I). Maria da Conceicilo Azevodo, ou '
no Racife, a Joaquim Flix Machado que em am-
bas as partes se gralilicara com generosidado.
ERN. : NA TtP. 1>E M. -F.
HE FABIA.l84o
MUTIL


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EQ4BPM7UA_VGQB43 INGEST_TIME 2013-04-12T22:16:26Z PACKAGE AA00011611_06167
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES