Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06165


This item is only available as the following downloads:


Full Text
\
Anuo
XXIV.
Sa Miado 4
n MARW publica-se todoi o diasque nSo
Ar uarda: o preco da assljnatura he
?1U0 por quartel. ,*.< rt.<,/o.. 0,
de .,"; o, do asignantes o inseridos i
^d 20.. norliiiha, 40 r.. era typo dlf-
rtatoau ronct|coes pela melado. O nao
"'?",.'.. e. nagarli A. por linhae 100 r.
;;/f,!ro dilk-reole. por cada publlcacfio.
PIIASES DA LA NO MEZ OENOVEMBRO.
/v.t a 4, 3 horas e 44 mln. da manh;
f' X a 10. a 11 hora e 10 mln. da tard.
"J2, a 17, s 4 Lora, e 27 mln da lard.
T2T 25, 7 hora, e 10 mi. da tard.
PARTIDA DOS CORREIOG.
Colauna e Parabiba, a segs. e tcxlts-felras.
Rio-G.-do-Ndrle, quintas-feiras ao inelo-dia.
Cubo, Serinhaem, Rio-Form.no. Porto-Calvo
e Macelo, n I, a II < ?l de cada rae/..
Garanhuna e Bonito, a 8 e 53.
Boa-Viata e Florea, a 13 e 28.
Victoria, i quintaa-feiraa.
Olinda, todoa oa das.
PREAliAR DE 11JK.
Priuicira, s 11 hora e 42minutos da manh.
Segunda, s 12 horas e (i minutos da Urde.
de Novembrode 1849.
!f. 141
JA*. IA SKWANA.
30 Srgunda. S. Serapiao. Aud. do J. doi or-
pifio ilo J. el*, r do i. M. da 2. t.
31 Terca. S. Quintn. Aud. do J.goc. da 1.
. e do J.depatdo2. ditl. 9( t.
1 Quilla, (fr-ir Fesn de tuu o Santo.
i lulnt... Cuiiiiiic-inoraco dos drfunlj.. Fe-
riado.
3 Sexta. S. Malaquia. Aud. do J. do clr. c
do J. de paz do 1 dist de t.
4 Sabbado. S. Carlos Horroinro. Aud. do J
do c. da 1 v. e do J. de pa/. do 1 dist. de t.
5 Domingo. S. /.icarias.
CAMBIOS NO DA I DE NOVK.MBRO.
Sobre Londres a ile 26'/, i. por 1| rs. a 60 d.
Paris
i !.lb3i> 190 por cento de premio.
Hlo-de-Janelro ao |>nr.
;>,,, da I. u de boas finir* a I o me
Acedes da co.np. de Keberlbc. aft0/rs. ao >.
Otiro.-Oneas hespaiihola 31*006 a 31/500
MoVdas de 0/400 y. 17/500 a 17/800
de 6/400 n. 16/400 a
de 4/O0O... 9/400 a
fralaPatacfies brasileiros 1/970 a
. Pesos columnarioa. 1/970 a
Ditos mexicano..... 1/920
16/600
9/500
1/90O
1/W0
1/V40

MBUCO.
T-

PARTE OFFICIAL.
RELAT0R10
t
t'Km <|ii* o i: vin. Sr. deseiiiliAi'giMlor An-
tonio 1 Costa Pililo i uiii lmhi a nd-
iiiiiii-iiac;ii( rtewt provincia ao i.mii.
Sr. eoinmendanor neroniano I'Vrrelru
Prima.
lllm. e Eum. Sr Nomeado presidente testa pro-
vincia por caria imperial de cuja data me nflo re-
cord, tomei posse da administraeflo no dia 15 de
julho prximo passado, c a 17.do corrente mez depo-
sitei nnsmflos de V. Esc. a pesada, bom que lionorosa
t;in l.i de que havia sido encarregado
Arliaiiilo-se, qtinrulo cheguei n esta capital, osani-
ii i-. iiiiula um punen agitados, effeito inevitavel dos
nefandos e di-teslavcis acontecimentos dosdias26o
27 de junho ultimo, nos quaes seguio-sc immodiata-
^mcnte a descoberla dos criines e vergonhosas preva-
riracoes commeltidas na tliesouraria Jas rendas pro-
vinciaes, os partidos dominados por odios invetera-
dos, que a imprensa patenteava com furor, mpnta-
vnm-se mutuamente aquellos deplnraveis aconteci-
mentos : estranho ao paiz, sem conheciment dos
homens o das cousas, entend que devia observar o
reconliecer a minha posicilo, epor issopouco pres-
suroso em pralicar actos que podessem offender, co-
mo que deliberadamente, os interesses dos niesmos
partidos, os fui dispondo pata aceita rom O meu pro-
gramina administrativo, haseado na observancia re-
ligiosa da conslituicSo e das leis, na imparcialidade
e moderaeflo para com todos.
Unidos partidos que havia concebido esperanzas
exageradas, leve de vollar no terreno da resudado,
enao seacliava mal collocado, o outro a quem nilo
fiz um so favor, pareceu contentar-se com os rgidos
piincipios da Justina, de sortc que por sua conducta
levou-me a fazer delle urna dea vantajosa; esta si-
tuadlo nilo poda dcxarda produzir os mehores re-
aullados, pelo que portence ordem publica ; e tai-
voz que os niesmos partidos a i ma venham a reco-
uiioeer uno, se lie louvavel sustentar com a (lineo
eus principios polticos, procurando sempre o tri-
umplm dellos, he tambem indispensavel, para obter
esse fim, seguir tmente as vias lgaos, fazendo in-'
lervirem sous esforfos a probidade e a honra.
Ai-hi'i reuiiiila a assembla legislativa provincial,
sanecionei lodos os projectos que por parle dola me
Imam apresentados, menoB um quo se me afigurou
contrario conslituiciTo, e iudubitavelmcnte aosin-
Icresscs pblicos ; versavam esses p'rojoctos sobre
divisas de districJos e parochias, instruCQo e saude
publica, creaeflo de novos municipios, lixac.lo da
lonja policial, rcorganisafilo da thesouraria da fa-
zenda, ornamento da despeza e iccoita provincial, e
diversas medidas de intcesse local, como ponles,
obras publicas, etc. Das leis, que mo refiro, nem
todas tiveram a inda plena execucao.
Um dos meus primeiros cuidados foi informar-me,
se a revisno da qualilienco de votantes eslava con-
cluida, para poder ler lugar a eleit;iio descamaras
municipaes ejuizesde paz : acbando-os em comple-
ta anaichii, dei as providencias que cabiam em nii-
iiliasattribui^Oes, solicitci do governo imperial ou-
tras, e do modo possivcl a eleicio so lia de fuzer no
dia 19 de iioveinbro prximo futuro, havendo-so
expedido as ordens necessarias pora que este impor-
*tauteaeto soja concluido com regularidade c soce-
go ; e por cssa occasifio dirig urna circular nos func-
cionarios pblicos, fazejido-lhes sentir o dever que
Ihes incumbe de respeilarem a IMierdude do voto,
para que o triumpho Seja legitimo, o se manifest
por aquella partido que tiver verdadeiramente a
maioria.-E para mostrar que nflo toncionava fazer
urna cousa dizendo outra, como lecm praticado al-
gumssadministtacOes, esciupulisci, depois de mar-'
cado.o dia da eleicHo, emdemillire nomearempre-
gadosde polica, reservando-me para considerar om
occasrio opportuna aS representac,oes e propostas
que se me faziam acerca de taes objectos.Se o vo-
l he livre, e o povo'nfio precisa do tutela da autori-
uai'e para o emitlir, sera lalvez convenionte, mas
lunes justo, que se nomeem empregadoscom o fin
Pparente do melhor cumprimentodc deveres, quan-
uona rcaliiladeo que em casos lees ordinariamente
se Pfelende he quo elles abusem de sua posicSo,
exercenilo no anim dos votantes, por tflo variados
niolivosqueseoCferecem, urna influencia criminosa
epouooleal.
Sendo urgente redrganisar-se a thesouraria das
rendas provinciaes, a assembla estabeleceuein le
as liases, c commelteu i presidencia o respectivo
ttgulameiiio quo fui j posto em execueflo; n'el.le
doptaram-se algumas ideias quo miiilo proficuas
em sido em oulras provincias-; esla alteraQilo, ou
ntes radical mu Janea desyslemn na tiiesouraria da
fazeuda provincial, e n iio"meac;"io dos empregados
que recado em'pessoas de probidade e conhecida-
"lenie habilitadas, aiiancam, principalmente leudo
elles de ser dirigidos pelo seu digno inspector, que
na nova reparlicSo mo bavera possibilidade de com-
meller os crimes infamissimos que se perpetraran!
" que foi ezlncta.
nanlo so | assado he para mim duvidoso que,
apezar dos meios que judicialmente se ha recorri-
' |"), evitar se possa o grano prejuizo da fazenda que
em do ser liquidado mediante processos complica-
dissimose muio demorados.
Nos apuros em que por causa dc.tes dcploraveis
II slJC('ossos s aciiavaui oa empregados provinciaes e
"lO uoitpn< jorisicirC Glij VVTP '*rt lr;ihalln iliarjn
resolv lomar dos cofres da tiiesouraria da fazeuda
_ADO
por emprestimo ou em virlude do decreto de 7 de
maio do 1842 a quanla de 50 conlos de ris para pa-
gamento de seus ordenados o jomaos; e, lendo dado
parte dcslc procedimenlo ao govorno imperial, ha
provavel que o confirme.
A assembla, quem sempre serei grato pelas
muitas provas de confianca com que julgou conve-
nienlodistinguir-me, deu-me ampia faculdade para
reformar diversas repartieses ; n9o live lempo para
o fazer, nem mesmo para colligiro disporos mato-
raos que exigem tantos rcgulamcntos; V. Exc.
cabe desempenharesta importante tnrefa.
' Acliam-S nn provincia, ea mor parle em sua ca-
pital, mais de dou.s mil homens de frijas de terra e
mare de polica, como so poder ver dos mnppas
que existem na secretaria ; faco o melhor conceito
ilos officiaes, e persuado-mo que a tropa lein disci-
plina, e esl perfelametilo no cuso do cooperar,
quando seja preciso, pura n tr>anulc.n(flo da segu-
ranca e Ininquilldudo public.i, quanlo mais que nilo
descubro motivos quo induzam a suspeilas, queal-
guem baja quo inlente perturbar a ordem c a paz de
que goza a provincia ; lia j dous niezes esla par-
le que nem sequr linlia uppreliensoes a osle res-
peito. "i
A presenca do maior porgilo de forcas nesla capi-
tal obrigou a um dos mcus antecessores a determi-
nar que se frzessomem diversosqiiarteis o fortalezas
os concertos necessarios para sonccoininodarem al-
guns corpos e contingentes do outios: desses traba-
Ihos havia sido incumbido o administrador das obras
publicas; sendo, porm, evidente que esleemproga-
do da classe dos provinciaes nilo poda desompenhar
com celeridade o vamagem para os cofres pblicos,
por falta deorcamenlos, tantos deveres que Ihe fo-
rain mposlos, apezar de seus bons desejos, resolv
nomear director das obras militares ao major Inno-
cencio Eustaquio Feneira de Aiaujo, a quem orde-
ne quo fzesse os orgamentos indispensaveis, guar-
dada a mais severa economa, para se continuar nos
reparos e edilcac,oes novas que eram precisas, e em
face dcstes documentse de todas as requisiedes que
foram feilas pelos com mandantes dos corpos e for-
talezas, exig, em confornudade do decreto em outro
lugar citado, que a thesouraria da fazeuda preslasse
as quantias oreadas que, segundo minha lembianca,
nao exceder ni a vinlo conloa de res, o que anda se
nfio parlcipou ao governo imperial, que eslou certo
approvai cala despeza, alenla a nucessidade de
conservar na provincia as torcas do linha cima men-
cionadas. *
A guarda nacional niio se echa em estado de reali-
sar os sorvicos para quo foi instituida ; ns leis e de-
cretos que Ihe servem de regiment nilo sito em gran-
de parle observadas ; a legisla.cflo proviiicial,-que Ihe
diz respeito, contrbuio muito para a desorguuisa-
cilo desta parto da torca publica.
Dcu-seo maor impulso, em virlude de ordem do
governo imperial, aos trabadlos preparatorios qua.
teni em mflo a commssiio nomeada | ara cuidar dos
inellioramentos do |orto; autoisei a despeza que
so julgou sullicienl'e, o ton lo dadoconla ao mesmo
governo, naohouve lempo de me dar resjiosta.
A admnistraclo das obras publicas nSo leve ba
organisacilo; oceupava-me emcolligir lguns ma-
lcras que servissem para se fazer um trovo regula-
menlo que corresponda melhor aos (ins desta re-
particilo, ila qual nSo so pode prescindir, principal-
mente poracliaroni-se em conslrucQo diversas es-
tradas, ponles c ou ti as obras. Nilo clieguei a nomear
a commissflo a quem tencionava cncarregar detL'
trabalho, pela fulla de pessoaspara isso habilitadas,
liaveudo na provincia apenas um enguiihciro, que
tez esludos regulares de engonharia civil.
Nomeei urna cominis.-o de tres menibros para
formular novos eslalulus que regulcm oscollegios
dos orpliilos edasorphfas, que, para conseguireui
os litis que se leveem vista com estes estabelecimen-
tos, piecisam de consderaveis reformas, especial-
meulu para evilar quo progrida o dficit que j ap-
pareceu em sua receita, senJo msmo indspensavel
collar por muitas desuezassuperfluas, para queces-
se detodoaquelle mal que atneaca o futuro do tilo
benfica insliluQilo.
Nilo me foi possivel visitar de urna maneira pro-
veilosa asreparlcOeS publicas da provincia; o ex-
pediento da adminslracflo absorvia a melhor parte
do lempo; julgo, porm,dever informar a V. Ex.,que
os empregados de todas ellas sao em geral dignos, o
quo nunca live necessidade de fazer nem ao me-
ti- una advertencia a qualquer funecionario pu-
blico.
Podra cntretera V. El. com muitos outros nego-
cios; mas, nao leudo dianle dos olhos um s docu-
mento, receei ser inexacto as informac/ies quo
houvessc do dar ; alm do quo em breve chegariio
elles ao seu coiiliecimciilo.
Entreguei V. Ex. a adniinislracao da provincia,
estando ella em perfeila paz ; este f acto moliese-
bremancira ongeiro, se se quizar ler em conside-
raciio as apprelieusOos quo suu siluacilo, ha basUn-
les mezos.lem causado ao governo imperial e capi-
tal do Imperio. Ossuccessusdol'ajau-de-Flores silo
tristes coiisequeucias do aconleclmcntos anteriores
minha adniinislracao.
eseju V. Ex. a mais prospera c duradottia pre-
sidencia, tanto psra gloria de V. Ex., como princi-
palmente paia proveilo do povo pcinambucaiio, a
quem a natureza dolou de dislinctas qualdades;
amigo da liberdade, generoso, docd, bospitaleiro.
Dos guarde a V. Ex. Itecie, 22 de oulubro.de
1818 lllm. e Exin. Sr. Ilerculano Ferreira l'enna,
presidente da provincia de Pernambuco.
Antonio da Costa Pimto.
GOVERNO DA PROVINCIA.
EXPEDIENTE DO DA 7 DE OUTUBRO.
Ofllcio. Ao inspector da thesouraria da fazenda.
Em cumprimento do disposto no artigo 9. do de-
creto n. 138, de 7 .le maio do 1812, pnsso as mftoS de
V.S. as inclusas copias do ofllcio de II de setembro
ultimo em que o director interino do arsenal de
guerra solicita que so mando proceder diversos re-
paros as ol1icnas o nrmazens do almoxa rifado do
mesmo arsonal; das informacOes quo a respeito
desle ofllcio me de rain o major director das obras
miiitares o o coronel commissario-pagador, edo or-
^amento dasdespezas a fazer com os indicados re-
paros, na importancia do 88O/000 ris.
De posse desses documentos que vilo designados
sol os nmeros 1, 2, 3 e t, e a pos de salisfeilo ludo
quanto dispoo o precitado artigo, V S. darn suas or-
dens para que a pagadura militar seja suppn la com
a qnanlia indicada alim do habilitar-so a satisfazer
os pedidos que Ihe enderezar o sobreililo major, pa-
ra constituir-so em crcumslancias de levar a efreito
os concertos a que me liei reerdo. Scienlilicou-
se o cominissario-pagador, 0 director itilorino do
arsenal do guerra e o major director das obras mi-
litares.
Dito. Aojuiz de paz supplente do 5." ilislricto
da fregiiezia de Iguaiass, dizendo que os c-scriviias
de paz dos districtos do tora das eidades o villas silo
veuladeiros tabellies de olas nos mesmos distric-
tos, e [os podem excrcer todos os actos que aos so-
breditos labellUles-competen) as villas 0 eidades,
lendo alm disto a vanlagzni de lavrarem as escrip-
turas independejile do distribuico como ludo he
mais que claro na lei de 30 de oulubro de 1830, o
nos avisos de li de abril de 1831 e 14 de agosto
de 1838.
Dilo. ao director interino do arsenal do guer-
ra, ordenando mande apresenlar ao commandanlo
das armas, afim de quo Miente pinga na companhia
Je artfices, o aprendiz menor daquclle arsenal, An-
tonio liernardino de Albuquerque. Participou-se
ao commanJanle das armas.
Dito. Aojuiz municipal da primeira vara, de-
terminando que, depois de verificado seesliionas
circumstancias de sercm restluidos a liberdade os
ex-sentenciados a degredo na Iba de Fernando, (o-
raldo Jos Pereira, Pedro Francisco da Silva, Euse-
liio Indio cManoel Felis da llosa, mande-oS S. Me
desembarcar de bordo do brigue-escuna Andorinha
que os conduzio daquclle presidio. Scientilicou-
se o comniandanle do mesmo brigue-escuna.
I> 10. Ao inspector da thesouraria da fazenda,
dizendo que pode contratar o arrendamento doar-
mazem perlenoenlo a fazenda publica, sito no l'orte-
do-Maltos, com o nico licitanle que comparoceii
respecliva rromalacllo, o cidadfio Ju.io liaptisia,
lima vez que, com as seguranzas legaes, se obrigue
elle 11 imgar pelo mesmo armasen a renda annual
de 200^000 lisem prestacOes mensaes.
Poitaria. llesolvendo que so prerncha avaga
de mujor do 6. batalblo da guarda nacional do mu-
nicipio do flecife, expedindo-se patente do mencio-
nado poslo ao lente reformado Jos Theodoro de
Sena. Coinmunicou-so aocoininaudanle superior
respectivo.
ItCpartitpao (le polici.
EXTRACTO DIAIUO DO DIA S DO COMIENTE.
Foram presos : ordem do delegado do l.dis-
tricto, o cahoclo Antonio Joaquim da Costa, por ser
sentenciado, e o soldado de artilharia Joaquim l'i-
dellis, cojo motivo de prisHo ignorn-se :e do sub-
delegado da Roa-Vista, o prcto Antonio Jos Pinto,
por briga.
O 1. Amanuense,**
Aprigio Josa da Silva
ntCirt, 3 DZ NOVIMHKO DE 1846.
O Exni. Sr. drsrmbargador Antonio da (osla Pin-
to parti boje, de feitir, para a corte a bordo do va-
por San-Salcador.
Concoiridoeslcvc, na verdade, o embarque de S.
Ex. : o mo pequeo numero de cidadaosde todas as
classes e categoras que p acompanharam al o caes
o Collegio, que ah o esperavam, que 9 levaran)
mesmo at o vapor, eque ncsle o aguardavam;
oempenbo com que toda essa gente se esforcava por
ve-lo pela ultima vez; os vivos signaes de senti-
mento quo divisamos as faces dos circumstanlcs,
quando elle deixou o caes afim de passar-se para a
galeota que devia de conduti-lo t barca; ludo
isto, dizemosns, veio convencer-nos de modo mui
satisfactorio quo nos nflo engaamos aoasseverar-
mos hontetn que o Exm. Sr. Costa Pinto conquistara
as simpaliiiss es 2!Tel?no dos bons l'ernatnbneanoa.
Ao retirar-se dentre nos, S. Ex. quiz deixar-nos
mais urna prova de sua inleireza, justica e imparcia-
lidade: cssa prova he o rclatorio que aprsenlo 11
ao Exm. Sr. Hereula no Ferreira Pciina, e com qie os
loitores depararflono lugar competente.
Meditem os homens honestos sobre esse valioso
documento, c certo adm iranio, como nos, tanta llia-
neza, tanto amor verdade, tanta disposico
para eonfcssa-ls alloc boni som.
Correspondencia.
Srt. Redavlorts. Leudo O Diario Novo n. 239 ahi
depare! com um cominunca.lo tributando sinceros
agradecimenles a commissile adniiuistraUta da s.
II. T. pelos relevantesservcos queacabam do pres-
tar sociedad', chamando a seu gremio os Srs. Jo-
s Cvprianno e Dliveira, curiosos de primeira clas-
se, ja bein conhecidos por seus tlenlos. Eu faltara
ao meu dever se, como amanto da secna, nilo lan-
casse mdo da penna para agradoeor a quem quer
que soja o tutor do dilo communiculo, os bous de-
sejos que mustia tor pelo adianlamenlo o perfeicilo
da arte drammetica : rogando-lho ao mesmo lempo
a assiduidado de seus escriplos, sempro que Ihe a-
prover anniiar os jovens curiosos.
Sirvam-so, Srs. Redactores, de dar publicidade a
estas linhasemsigiial de agradecimento de um seu
asignsiile
Um amante da icena.
LO^MERCO.
ALFANDEGA.
RENDIME.NTO DO DIA 3........... fcWMM
Deicarregam Aoje, 4. /enoremfcro.
Rale Gil-HUu familia.
Barca l-igeira cal.
Ilriguo -Aurora farinha.
Barca Xitia inorcadorias.
CONSULADO GERAL.
RE.NDIMENTO DO DIA 3.
Oral.............
Diversas provincias'. .
572,84*
5,196
578,040
CONSULADO PROVINCIAL.
RE>DlMENTO DO DA 3.......... 427,008
Mov men lo do Porto.
Navio$ entrados no dia 3.
llio-de-Janeiro ; 27das, brigue dinamarquez Milita,
de 131 toneladas, caplo B. Moller, equipsgem 9,
carga carne ; a (andino Agostinho de Barros.
Rabia; 14 das, brigue portuguez Maria-lelis, de
24C toneladas, cnpitio l.ourenco Fernandcs do
Carmo, em laslro ; a Antonio Joaquim de Souza
Itibeiro. I'assageiro, um escravo a entregar a Jolo
Francisco da Cruz.
Elsinour pela ilha de Santiago ( Cabo-Verde ); 55
dias e do ultimo porto 22, barca americana Walter,
de 242 toneladas, capiliio Richard Ranken, equipa-
geni 10, carga taboado, cabos, lonas e mais gene-
ros ; a L. 6. Ferreira & Companhia.
Cdiz; 25 dias, barca inglcza Clio, de216 toneladas,
capitilo Philip deS. Croix, equipagem 12, carga
sal ; a l.c Bretn Scliramm.
dem ; 30 dias, barca ingleza Chapicus, de 281 tone-
ladas, capitflo David Guthrys, equipagem 13, car-
ga sal; n Johnson Palor & Companhia.
Batavia ; 75 dias, barca hamburgueza -ma e Loui-
ie, do 204 toneladas, capitflo llenry llaesloop, e-
nuipagom 13, carga arroz o fumo ; a N. 0. Bieber.
Itio-Grandc-do-Sul ; 30 das, barca americana noA-
nac, de 300 toneladas, capiliio John E. Basto, c-
quipagem 15, carga couros,; ao capitflo. Vem
reficscar e segu para Salft).
Londres ; 50 dias, brigue inglez Vrgent, de 229 tone-
ladas, capitflo John Bissel, equipagem II, em las-
lro ; a Dean Yuille & Companhia.
Liverpool; 42 dias, barca ingleza John-PanUr, de
272 toneladas, cspitflo John Humphrys, equipsgem
13, carga fazendas ; a Roza & Rraga.
Rio-de-Janeiro; 17 dias, barca brasileira Tentativa,
de 280 toneladas, capitflo Manoel Mara Murgo, e-
quipagem 15, carga pipas vasias, sabfloe.uiais g-
neros ; a Amorim Irmflos.
Baha ; 13 dias, fragata de guerra brasileira Conr-
liluico, commandanlo o capitflo de fragata Joa-
quim Jos Ignacio.
dem; 21 dias, barca americana Adelaid, do 249 to-
neladas, capiliio Samuel Camag; equipagem tO,
carga azeile de palma e gomma ; ao capilflo.
dem ; 14 dias, barca franceza Jenne~Nelie, de 151 to-
neladas, capilflo J.Tomberal, equipagem li, em
lastro ; a Didier & Colombios.

Pl
I


s

\aiiui sabidos no mtimo Ha.
Cetra; vapor brasileiro Ptrnambucanm, comman-
danto JoSo MiliUo llenriqucs. Vai em commis-
slii do governo.
Aracaty; huto Itrasileim Duvidoso, capitflo Jos Joa-
quim Alves da Silva, carga varios miera*. Pas-
sugeiros, Antonio Alvos Itiboiro, Manoel Cuinos
Chavad, Brasileiros.
Rio-da-I'rala; barca ingiera Chapwui, capilflo Da-
uid Cuthrys, carga a tnesina que trouxe-
liio-dc-Janeiro por Macei e Rahiu ; vapor brasileiro
San-Salvador, commaiidaiilo o 2. (cnanto Antonio
Carlos do Azeredo Coulinho. Alm dos passageiros
que In.iixo dos portos do norte para os do sul
leva a seu bordo: para Macei, l'aulu Joaquim
Tellli Jnior, Manoel Teixeira Soarescom un es-
clavo, Joflo Jos do Miranda, Jos da Cunha Coti-
linho, Americo Netto de Frmiano o Moracs ; pa-
ra a ltahia, Pedro Muniz Brrelo de Aragflo com
"in escrayo, Christovflo Dieslel, Joflo Ebcleng,
Bento Jos Fernanries do Almeida com um escrav-.,
Daniel Cactano da Silva Campos, Luiz Jos deSi-
queirn Mondos com utn cscravo, Jofio Ladislao
Japiass de Figueiredo Mello com um escravo, I).
Mara Joaquina Andrado, Francisco Fogags de Bi-
tancourt com um escravo, Fernando Jos da Ito-
clia Jnior com um cscravo, Uclmiro Pereira da
Molla com um cscravo, l)r. Honorio I'creira de A-
zeredo Coulinho, Victorino Jos de Almeida Frei-
las, Antonio Luiz AfTonso tic Carvalho, Nicolao
AlTonso do Carvalho, o preto Antonio e sua mu-
Iher; para oRio-de-Janeiro, o Exm. Sr. Antonio
da Costa Pinto, doutor Candido da Silva Ro-
drigues com um escravo, Manoel Reruardino Bap-
tista Pereira com um cscravo, Antonio Pereira
Prests, Jos Mendos de Freitas e 4 escraves a en-
tregar.
matacrs dostea mposlos, conforme ja seachim
antiunciadas. *
Outrosin, para conhecimento.dos conlribunlo,
que desdu o dia i do prximo mez de novbinbro, al
aqurlleumquc deve principiar a arrcmulagflo polos
novos arrematantes, sorflo csses impostos arrecaria-
dos nos municipios de Olin la o Iguarass, e no in-
terior da provincia pelos respectivos colloclores, e
no municipio do Recite pelos seguintes agentes Ho-
rneados pelo consulado provincial, o destribuidos
pela mam-ira seguiute:
Para cobrar o imposto de 2,500 rs, na cidade do
Recito, Venceslao Machado Freir Pereira da Silva;
nas freguezins dos Aflogados o Varzea, Eslevflo dos
Aojos da Porciuncula ; nas freguezias da Murihcca e
Jaboalflo, Joaquim Ribeiro de Aguiar Monlarroyos ;
na freguezia do Poco, Jos Joaquim de Oliveira Ba-
diu-in ; e na freguezia de San-Lourengo, Francisco
Antonio de Luna.
Para cobrar o pedagio das barreiras, Jos Joaquim
(Imbelino de Miranda o. Jlo Eugenio dos Santos, es-
to pura o da harreira d<> Ciquia, e aquella para o da
barreira de Motocolo'iib.
I. para constar se niandou alllxaro presente o pu-
blicar pelos Diarios.
Secretaria da thesotiraria da fazenda provincial da
Pernamhuco, 31 de oulubrode 188.
O segundo escripturario,
Antonio Ferreira d'Annunciaco.
theatko nacional.
IDITAK*.
O lllm. Sr. inspector da thesouraria da fazenda
provincial, em cumprimento da ordem do Exm Sr.
presidente da provincia, de boje datada, manda fa-
zer publico que parante o tribunal administrativo da
mesma thesouraria vai novaineuto a praga para ser
arrematado, a quem mais dor, no dia 9 de nuvembro
prximo futuro, o por ter havido liotacKo da terca
parle, o imposto de um por cento do producto de
cada Icilo, que nSo fr felo por ordem judicial ou
administrativa, novator de ris 1:800,000 por auno.
E para constar so maudou allxar o presente o Pu-
blicar pelos Dianot.
Secretaria da thesouraria da fazenda provincial de
Pernambuco, 3t de outubro de 18*8.
O segundo escripturario,
Antonio Ferreira da Annunciaca'o.
O lllm. Sr. inspector da thesouraria da fazenda
provincial, em virtude da resolueflo do tribunal ad-
ministrativo, manila fazer publico, pela segunda vez,
que em cumprimento da lei, pcranlo o mesmo tri-
bunal, se hSo de arrematar om hasta publica, a quem
mais der, no dia 9 de novembro prximo futuro, os
impostos scguinles :
Dizimo do capim do planta nos municipios do Itc-
cifo c Olinda, avaliado annualmenle por 1:019,000
ris.
20 por cento sobre a agoardentc que fr consumi-
da nos municipios abaixo declarados :
l'K
Recite, avaliado annulmenle por
Nazareth, dito dito
Sanlo-Antflo, dito dito
Cabo, dito dito
Ro-Formoso e Agoa-Preta, dito dito
Serinhflein.ri todito
l.imoeiro, dito dito
oaranhuns, dito dito
Cimbres, dito dito
Flores e Floresta, dito dito
Roa-VislaeEx, dito dito
10.208,000
62,000
201,000
42,000
40,000
23,000
90,000
46,000
29,000
30 000
SAN-IR 4 N CISC O.
I10JE, 4DENOVEMRP.O.
Uenelicio de um particular.
Crunde drama do Rio-de-Janciro, intitulado
A CARGALIIADA.
Os iiilervallosdos actos serfo preenchidos com bel-
las sinphonias o dancas.
FARCA
Est bem l>f>in, gosto disso.
lio esto o divertimolo de que o beneficiario laucn
mfio para com elle satisfazer a seus benignos .protec-
tores, rie quem espera loria protergflo.
Eutrar chegada das autoridades.
THEATRO NACIONAL
DA
RVA DA PRA1A
DOMINGO, 5 DE NOVEMBRO.
A beneficio do Sr. A. J. S. S. represenlar-sc-ha o
inui lindo drama em quatro actos, que tem por Ululo
30,000
A arremalagflo de cada um dos ri-ndmenlos ser
eila por tempo de dous annos e nove mezes. contar
doprimeiro de outubro rio correnteauno, al 30 de
juiho de 1851, sb as mesmas condicOes da anterior.
As pessoas que so piopozercm a esta arrematado
coniparecam na sala das sessoes do sobredito tribu-
nal, no dia cima indicado, pelo meio-dia, compe-
tentemente habilitadas.
E pura constar se mandou anisar o presente e pu-
blicar pelos Diarlos.
Secretaria da thesouraria da fozenda provincial de
Pernambuco, 31 de outubro do 1848
O segundo escripturario,
Autonio Ferreira da Annunciaca'o.
Jos Camello do Reg Barros, juiz de paz supplenle do
primtiro diilriclo da freguezia do l'o^o-da-l'anelln,
etc., etc.
Fago saber que a cmara municipal desla cidade
me dirigi oollciodo Iheor seguinle :
lllm. Sr. Tenrioa cantara municipal niincxn-
do, sb proposta de um de seus ntembros, o em vir-
tude rio artigo segundo do cdigo do processo, ao
segundo dislricto riessa freguezia, a parle do terre-
no que vai em rumo certo da barra rio Camaragibe
com o mesmo rio a passagem rio Caldeireiro, visto
que a lei provincial n. 173, de 20 de novembro de
184C, queencorporou esse terreno a essa mesma fre-
guezia, nflo declarou a qual districto ficava elle per-
toncendo, e mesmo porque enteuda a cmara que
desta .i niuxarfir) esulla commodidadn populagflo
riaquellcs lugares : assim o manda communicar a V.
S. para sua intelligencia, c para que faca disto mes-
mo scienle por editacs a referida populagflo.
Dos guarde a VS. Paco da cmara municipal
do Itecife, em sessflo de 31 de outubro de 1848
lllm. Sr. Jos Camello do Reg Barros, juiz de paz
do primeiro districto da freguezia do Poco l)r
Ignacio Nenj da Fonteca, pro-presidente. Joa'o Jos
Ferreira de Aguiar, secretario
E paraquecheguea noticia de todos, mandou la-
vraro presente que ser alisado no lugar mais publi-
co da freguezia. Primeiro districto de paz da fre-
guezia do Poco-da-Panolla, em 3 rie novembro de
1848. Eeu Francisco Jos AlvcsCama, escrivilo ju-
ramentado o cscrivi.
Jos Camello do llego Barros.
O lllm. Sr. inspector da thesouraria da fazenda
provincial, manda fazer publico quo tondo-se res-
cindido os contractos da arrematacSo do diziuodo
gado vaceum, de 2,500 rs. sobre o mesmo gado con-
sumido, c do pedagio das barreiras do Ciquia Un.
tocolomb, por nao quererem aceitar novas letlras
o respectivos arrematantes, se realisaram as arre-
Os inlcivallns do drama sero preenchidos com
beliissiiuas ovcrluras.
No lim ilo drama o oinprczario cantar a sempre
nini aplaudida aria
O LUNDUM ROMNTICO
com as mais modernas quadras feilas por urna I-
luslro pessoa desla cidade. E terminara o cspccla-
culo com o jocoso entremez
eCS^lE BSJvEiIIISy5P "
ou
A CRIADA ASTUCIOSA.
Principiar o riivertiincnto s oito e mcia horas da
noite, com a chegada das autoridades.
x g--
. --Aluga-so o primeiro andar do sobrado da ra I reir Campos, icrea de tres escravas
^ova, n. 5 : a Iralar na Inja do menino sobrado. I Antonia, Benedicta a Rita, sendo a
Alugam-se osera vo de ambos os sesos e al-1 das duas ultimas,
guns moloques : na ra do Collegio, n. 4, ou na|ncsla cidade da
ra rioQutimado loja n. 8.
No dia 9 do correle pelas duas horas da lar-
de appareceu om casa dos ahaiso assignados, na
ra da Cadeia do Rccfrf, n 37, o pediniln-lhes que
o comprassom, um moleque, de noine Jos, que diz
perieneer actualmente ao Sur. Francisco SerapiAo
Pereira, do engenho Roacique : este moleque, vfndo
do Mar.inh.lo em novembro do 1845 esteve em po-
dr dos ahaiso assignados para ser vendido o quo
niio pudendo conseguir-so foi por ordem de seu sc-
nhor entregue aos Srs. Kalkmann & Rosenmund;
como, pois, aos abaixo assignados nfio convm com-
prar o dito molequo rogam ao Sr. Pereira ou ao
seu correspondente tiesta praca quelra vir tomar
conla dellc certo que se nflo responsahilsam por
morte, fuga, ou outro qualquer incider.te que ao re-
ferido moleque possa provir. Itecife, 2 do novem-
bro de 1848. Machado & Pinhtiro.
Dfo-N 200 a 400,000 rs n juros de um o meio
por cento ao mez, sobre pcnlioros de < uro : na ra
larga do Rozario ns. 6 o 8.
Precisa-se deum ollicial de latoeiro, que cn-
tonda bem do seu ofTicio: paga-se bom ordenado :
no Alerro-da-Boa-Vista n. 65.
Precisa-se rie urna cioula para ama Jo urna
casa rie pouca familia: no Aterro-da-Uoa-Vista n.
65, se dir quem precisa.
Precisa-se de 150,000 rs. a premio, pelo lempo
de 10 mozos, com hypoiheca em urna ptima escra-
va do -jo anuos quem os quizor dar, di rija-sea ra
Augusta, n. 28.
Offercco-se um rapaz brasileiro para caixeiro do
qualquer estabclccimenln, o qual d fiador sua
conducta o subjeitanlo-se a dar algum tempo de
graca : quem o pretender aununcie.
As pessoas que desejarem aprender grammati-
ealmente a Imgoa franceza dirijam-se a ra do
Sebo, sobrado n. 50. No mesmo sobrado precisa-so
alugar urna prela para o servico de urna casa.
-Aluga-scaprimeiro andar do sobrado atrs da
matriz da Boa-Vista n 26, bastante grande, cozi-
idta puxada fra inuito fresco, por ser rio lado da
sombra, e est bem tratado a Iralar na loja do
mesmo sobrado ou no segundo andar.
--OsSis. estudantesdas Alagas, que pretendan!
lugar o primeiro andar do sobrado atrs da matriz
da Boa-Vista, n. 26, seapparecerem cin lempo sor3o
servidos.
I
,Pr nouif,
primeira ns
Avisos martimos.
--O patacho portuguez l.iberdade sabe para Lis-
boa no dia 4 de novembro impreterivelmente : para
o resto da carga ou passageiros trata-se com o
cap tilo do mesmo patacho, ou com Francisco Se-
verianno ltnbello& Filho.
-- Para o llio-de-Jaueiro salte, com a maor brevi-
riailo possivel o brigue nacional Sociedade, de pri-
me! ra marcha quem no mesma quizor carregar, ou
ir de passagem para o quo tem hons commodos ,
dirija-so a Jos Marcellino da Rosa, na ra da Ca-
deia rio Itecife loja rie fenagens da squina, junio
ao arco da CbnceicSo, ou a Novaes & Coinpanbia, na
rita do Trapiche, n. 3i.
--Para o Rio-de-JaneiVo sahp, com toda brevida-
de o brigue brasileiro ConceicOo : quem nelle qui-
zor carregar ou embaicar escravos a frote, dirja-
se ao capitito Frucluozo Jos Pereira Dulra ou a
Manoel Alvos Cuerra Jnior.
Est a carga para o pura com escala pelo o Ma-
r n hilo a escuna Uarla-Firmina que pretende sa-
bir em poucos das; anda leccbo alguma carga,
almda quo tem engajada : Itala-se com Jos Anto-
nio Basto, na ra da Cadeia do Itecife.
Lei loes.
Por ordem do respectivo juizo, se continuaran a
vender em 'eilfio publico as hzondas da loja do l.ri-
lido Antonio Jos Antuncs Guimares: segunda-
feira, 6 do corrente, as 10 horas a manhila, em o
armazem do conetor Oliveira, ra da Cadeia do
Itecife. Advcrte-se que continuarilo os leilOcs nos
dias quo se annunciaiem, at se concluir a venda
tolal das referidas fazendas.
~ Brende'r a Brandis &.C., far3o leililo por inter-
veneflodo corretor Oliveira, de perfeilo sorlimento
de cutilloiia, e ferragens finase grossas, ele: ter?a-
feira, 7 do corrente, as 10 horas da maiihaa, no seu
armazem, ra do Trapiche-Novo.
Avisos diversos.
Offerece-se urna mulherj de idade, de muilo
boa conducta para ama de urna casa de !:oinem sol-
leiro para todo o servico de porta a dentro : na ra
da Mal iz, ii. 29.
*| ATTENCAO'.
O primeiro autor do pflo, denominado Pro-
tt venca que al boje fabricou este apreciado
ti pilo, faz scienteao publico que o deisou rie
fabricar na padana e pastelaria franceza no
! Alerro-da-Boa-Vista, o se daqui em diante
C| na mesma padaria o nito fabricar igualmente
j; como at agora, a culpa nflo he sua.
Jos Rodrigues Ramos Maya.
wmmmmf wvmmwm mwmwmwm
Antonio Crauon 6 Companhia sucessores de
Hehrad, na ra Nova, n. 69 avisam aos seus fregue-
zes cao resneitavel publico que acabam de rece-
bar pelos ltimos navios chegados da Franca mn
sorlimento consideravel tal quo : latas de sardinha
homilas, lingpicas com trussas, covellores, etc. '
doces diversos cognac velho, kirsch o absinthe d
verdadeira marca wermouth vinho de llordeus em
quartolas ecm garrafas, J. Julien Roussillon. Ri-
ves aJtes muscatelle, frontiguan licores finos sor-
tidtfs com i iquissimas garrafas marraschino de
Zarra ago'ardenle de Dantzick ilita agoa de ouro
agua do flor do laranja vordadero azeito doce de
Plagnol, etc. : ludo rie primeira qualidade, e por
prego commodo. Charutos regala da Babia, rega-
los da llavana e outros.
-Quem tiver um relogo do prata em hom estado,
e que seja bom regulador, querendo vender, diri-
ja'-sea rus de Hurlas, n 52, que se dir quem quer.
Na mesma casa se contina a vender vinho rio Porto
engarrafado ; cervejn ugloza muilo nova; m.m-
teiga ingleza e franceza muito boa ; espermacete
muilo lino; farnha do reino da melhor; assucar re-
finado : ludo por preco mais commodo do que em
outia qu&l(|uer parlo.
Jorge Ropcr retira-so para fra do imperio.
--Francisco Vieira do Carvalho, Portuguez, faz
saber ao publico que retira-sc para os portos do sul,
a Iralar de seus negocios.
Nas Cinco-Ponas, padaria n 40 precisa-so de
umamassador ,e que tambem sirva para entregar
pilo. '
A mesa regedora da irmandaiie do Sr. Rom Je-
ss das Dores em S. Concalo faz scienle aos do-
votos do Sr. dos Afilelos que transferid a festa do
mesmo Si. para o dia 12do corrente.
- Flix deCantalice raudou-se da ra estreila do
Rosario para a ra Nova, n. 21, loja de alfaialo, e
espera que todos os seus freguezes, e as pessoas que
precsarein de seu prestimo ubi continuem a procu-
rado com sua proleccflo; esmerando-so ello no des-
empeubo de sua arle, e agora* com toda a vantngcm
para os bem servir, por estar n'uma loja onde oftero-
coalin da prompliHo desusarte, um novo e pti-
mo sorlimento do fazendas de goslo para vertir;
como seja ricos pannos finos, os mais modernos
corles de calcas de casimiras de cores e prelas, al-
inea, merinos preto, o melhor possivel setim prolo
de maco para coletos, corles de coletes do seda,
gurgufflo c fnslOes, brins de liuho para calca, alpa-
ca ile llnho riscada de cores; esta fazenda se turna
rccommendavel por ser fresca e propria para pali-
lorcs, jaquetaso calcas para a festa, e outras mui-
tas fazendas por prego muilo em conla para agradar
uos bons freguezes.
-- No da 3 do corrente appareceu, no porto de
Manuel Antonio da Silva Molla, perto de 500 lijlos
doalvenaria grossa que fram deilados do noite, e
um preto quo eslava em una canoa diz que fui um
pardo, o qual anda nflo appareceu, julga-se screm
lu lados: quem fr seu dono podo vir lomar cunta,
e querendo vendc-los o mesmo Multa os comprar a
seu legitimo dono.
Aluga-se o segundo andar do sobrado n. 59, da
ra do Rangel, com duas grandes salas oto quar-
los vista de mar, quarlo na loja para prclos caa-
do e pintado de novo : a tratar na praca da Indepen-
dencia, lvraria, lis. 6 o 8.
No pateo da matriz de S.-Antonio, n. segun-
do andar tiram-se passaportcs para dentro e fra do
i m per io despacha m-se escravos o correm -so fu I ha s :
tudo com a maior brevidade possivel e por prego
commodo.
O abaixo assignado faz scient" ao respeitavel
publico quo ninguom faga negocio com Justina Ma-
i, po.s que so scliarn fmbrid.
Parah!b*-rio-Norto. cujo orno"
.....' "' 'iiicuiiinuo pnr cania da fuga que fizermn n '
muta do dia 87 pura 28 do passtrio; por culo nmt!
roga-su as autoridades policaes desla cidade do lu
eifeprendam 01 sohrcditos Jusiina Mara do ElDirii
Santo, ou Cervazio Benovatu |erera Campos ll
quo chegue precatora desta cidade. '
Manuel d> Almeida Bastn
--Precisa-se de um feitor quo trahalhe, enteinl.
de hort, arvoredos jardime ysccas: na Magdal/
na, estrada.nova, primeiro sllio com portan ,i
ferro. UB
st.-p.-ai,
SESSA CERAL E EXTRAORDINARIA.
Nflo leudo sido possivel rcunir-se no dia 2t (|0
prximo passado sufllciente numero de socios para
haver sessflo goral, o primeiro socrotaro de novo os
convida a comparecorom que est designada plra
liojef*), eem a qual se |deve tratar de negocios
concernentes ao disposto no artigo 35dos estatutos
cujo ser definitivamente resolvdo pelo concelho
com assstencia dos socios presentes, como Ihe he
permilldo. caso deize de comparecer a maiora da
sociedade.
O rapaz brasileiro de 16 annos quo so offereca
para caiseiro de qualquer estahelocimento, oxcepto
venda ou padaria, dnja-se a ra larga do Rozario
II. .('-.
Jos Florencio Congalves, com renda na traves-
sa do Queimado, n. 5, participa ao arrematanto das
sgoas-ardentes, que deixou de vender dito genero
desde o dia 31 de outubro prximo passado.
-- Aluga-se urna casa na ra da Palma, n. 6 com
dous quartos, cozinha separada, cacimba, ele'
Os abaixo assignados declaram que nada devern
da extincta firma de Sahastiflo Jos da Silva & llar-
ros ; porm so alguem se julgar seus oradores queL
ram lera boudarie de apresentar sitas contas que
promptamenle serflo pagas. Sebasldo Josi da Sil-
va. Jos de Barros l'imentet
O vgario do Santo-Antonio do Recife convida
o autor do artigo, assignado pelo Catlico Carranca
do Oarfo de 2 de novembro, baja de declarar qua'l
foi o pobre a quem negou elle alleslado do pobreza
qual foi o rico ou ao menos remediado a quem* de
alleslado de pobre, e qual foi o individuo rico ou
poltre a quem pedio, ou de quem recebeu qulk
alguma por alleslado de qualquer natureza.
De camiubo dir-lhe-hei, que quanrio mesmo elle,
ou algum outro houvesse sido engaado por alguem
que Ihe pedisse alleslado de pobre nflo o sendo tul-
voz, nao poda ser sso molivopara que fsso com
tanto desabrimonto tratado nessa correspondencia
do Catholico Carran, qunnto mais que nenhum
attestado obriga ao Sr. Dr. Olegario a cousa alguma.
O vgario de Santo-Antonio tem sido tilo escrpulo^
so a tal respeito, que de alguns (nflo pagsam de 3 ou
4) exigi attestado de outras pessoas que ohabli-
lassem a dar estes alleslados, visto como tendo pou-
co tempo de parochia nflo tem podido a todos co-
nhecer. E felizmente assim procedeu, porque bem
previo que por lm o Sr. Dr. Olegario se Itavia de en-
fadar com tanlo pobre. Compre, porm, declarar
que lodos esses a quem tenho dado attestado nao
furniam talvcz a vigsima parte da pobreza da ati-
aba parochia. O mappa dos morios do mez de se*
toiiibio ultimo, publicado no Diario de 23 de outu-
bro, aprsenla exactamente otorgo de pobres, Ne-
nhum alleslado mais desta data em diante ser a-
presentado ao escriplorio homoeopalkico assignado
pelo vgario Venancio llenriques de Rezemle.
Precisa-se de um caixeiro para venda, compra-
tica oo sem ella, de 14 a 16 annos e de boa conduc-
ta : na ra de Dorias, n. 31.
Precisa-se de urna ama deleito : no largo do
Tergo, n 16.
Aluga-se a casa terreada Iravessa do Livramen-
lo, n. 12: a trata na ra larga do Rozario, n. 39, se-
gundo andar.
O ahaiso assignado, senhor do engenho Jar-
dim, sito na freguezia do Cabo, desejando cumpriro
pagamento de 7:300,000 rs., que deve a Manoel Men-
dos Caminha, em qunlro pagamentos de 1:500,000
rs., para cumpri-los o primeiro em maio de 1849, o
segundo em mao de 1850, o terceiro em maio Je
1851, oquartoem maio de 1852 e 1:300,000 rs. e/n>
maio rio 1853, vende pela mesma quaulia e cornos
mesmos piazos a inelade ilo mesmo engenho, com
a com icao do comprador o'dcsobrigar desta divida.
O mesmo engenho acha-se moente e corrente, sa-
froja rie 600 a 800 pnes, com cercado para sustentar
annualmenle 4o aiiiinaes, com matas sudicientes pa-
ra o costeio do mesmo, alm disto com a vantagem
de ter urna parle no engenho Buranhem, comprado
ao mesmo Caminha por 1:055,000 rs. O mesmo abai-
xo assignado nflo duvida subjeilar-se a licar rie reo-
deiro no mesmo engenho, pagando a renda respec-
tiva ao comprador ; o quando o mesmo comprador
queira entrar para o engenho do rendeiro ofio duvi-
dara ceder-lho com a mesma condieflo : a pessoa a
quem cunvier esto negocio, queira dirigir-se ao dito
engenho, ou no Itecife,. ra do Quintado, n. 4, >**
gutiilo andar. Manoel Joaquim do llego Brrelo.
NOVO DICCIONARIO DA I.INi'.OA NACIONAL.
Ocdirlor do novo diccionario da lingoa nacional,
cuja publicagflu lem silo aiiiiunciada nos riilforen-
tes jomaos desla ciliado leudo vencido as dilllcul-
riadus que se lem oppusto a realisagflo da idea que
coitccbcu para a impressao desta obra, e que eran)
inherentes a natureza dola. Declara que o primei-
ro volunto se achara proinplo ale ao principio do
prximo futuro mez rie fevereiro : o aproveta esta
occasiflo para pedir riesculpaaos IIIms Srs. assignan-
tes, pela demora que lem occorridu; a qual, por
certo, nflo lem sido por falla de deligencia.de sua
parte
- 0 Tr buno est hojo a venda na ra Nova loja de
soleirodoSr. Cirueiru, o luja de oncuJornador casa
n 8, ao nielo dia.
Roga-se ao Sr. Manoel Camello Pires que, caso
Ihe seja entregue uina carta escripia por Lourengo
Bezerra Cavalcante de Albuquerque, abonando em
nm cont Oliveira, nada d nom abono, porque essa carta fui
roubada com urna carteira e mais papis o diniieiro,
na casa de rancho de D. Rosa, nas Cinco-Pnlas, ao
mesmo Oliveira.
Miguel Anjodo Reg Barros faz scienle ao res-
peitavel publico que d'ora em diente se assignara
ria do Espirito-Santo, ou com Cervazio Renovato Pe- por Miguel Anjo Ponce de Len.
MUTIL


Lotera lo lhe/*~ *ib!ico.
Otliesoureiro de- :.,....... im rnarca-
jp o da ai do correntc rnei de novembro
para o andamento das rodas, ejilga que
iiicsnio andamento ser irifallivel vista
<]a rapidei com que o billietc* se eslo
vendendo nos lugares do costume.
Aluga-se o segundo andar do sobrado da ra
niria n. 20, com bastante! commodos para fami-
lia a tratar na mesma ra n. 93, primeiro andar.
.'. precisa-se fallar com o Sr. Joflo Climaco For-
na'ndei Cavalcante, senhor do engenhn Telha em
Serinlifiem para negocio de seu interesse : na ra
da 1'raiB, n. 37.
Anda na algumas casan para alu-
jar na Capunga, ao p do porto da Na-
co, com muito bons commodos : a tratar
no sobrado ao p do dito porto.
.. o(Terece-se um rapaz brasileiro para caixeiro
de ra, ou qualquer estabelccimenlo, excepto venda:
na ra de S.-Francisco casa n. 24, da esquina quo
volta para a ra da Florentina.
Pordeu-seumclo bastante grande, do Terra-
Nova todo branco e muito m.inso,: quetn o tiver
achad'oleve-o a ruada Cruz, no llecife, n. 45, ou
m Ponte-de-tlcha uo sitio da viuva Amorim quo
ge gratificar.
Aviso mportaiilissimo para
qucni j tiver o seu dinhei-
ro perdido.
Apromptam-sode novamenlequaesquer qualidades
de palitos do fogo, os quaes j cstejain perdidos por
u maisn niio tirar mais, tornando-se perfeitamenle
os melhores que pdem apparecr neste mercado;
podcinlo-sp fazer n massa de qualquer cr, por pre-
til muito couimodn : os preten.lentes dirijain-sea
relinacilo da rua do Aragfio, que achariio com quem
tratar.
--(labaixo assignado declara ao rcspcilavel pu-
tflico.queninguein receba una ledra daquautia de
120,000 rs. neceita peloSr Manoel Cardusoda Kon-
sec un IV de setembro de 1848 a tres mezas, porque
Ihn foi desemeaminhada da sua loja, defronte do
Corpo-Santo, n. 17. Joo LeiledeA'evedo.
Os Srs. Antonio Rodrigues de Moris e Jolo R-
beirqde Souza queiram fazer o favor de dirigir-sea
na Nova, n. 38, segundo andar, para receberem
urna carta ; poil n pessoa com quem fallaram a pri-
meira vez ignora va o lito negocio.
Joio Jos Rodrigues LofiW declara ao arrema-
tante das agnas-ardeutes do producn brasileira, ou
a quem perleuca, que deixou de vender dito genero
em sua venda., sita na ruada Cruz, n. ;)(>, desde o
da 30 de outubro de 1848.
O abaixo assignado pede a todas as pessoas que
se julgarcm seu credor, quo aprescnlein suas conlas
no pra/.oilcoilo dias. contados do primeiro deste,
c aquelles que as niio apresentar no dito prazo mar-
cailn, o abaixo assignado protesta uSo as pagar ; as-
sim como pede a lodosos sous devedores hajam do
ir salisfazer seus dbitos, do contrario usar dos
rucios judiciacs.
Manoel Joto Corrti Braga.
-o abaixo assignado fazscienle aos seus amigos,
que fomprou a bem condecida venda de Jos da Pe-
nda, na na Direita, n.'23, o por estar hem sorlida
cunvida a todos para maiidarcni comprar lia tnesma
venda, prometiendo restriccSo om ludo quo vender,
assim como recebe em commiss.to qualquer genero
do paiz para vender : quem do seu prestimo se qui-
zit utihsar, ti i rija-so a mencionada venda.
Joo fypolilo de Metra Lima.
--Fugio, no dia 28 de outubro correnle, urna es-
crava crioula do notne Germana, com os signaesso-
guinles : estatura regular, secca do corpo, testa
grande v suhida para fora, nariz pequeo e afilado,
ollios pequeos, cor fula, com umn costura pegada
ao cabello na frente da testa, e uns cabellos brancas
na mesma costura, levou luda a roupa, panno da
dista azul cercado de mtame branco, com franja
nas duas cabeceiras, e j foi vista no Pombal, pois
estaescrava foi do Sr. Francisco Joaquim, escrivlo
dosorphflos, morador no dito lugar: quem a pegar
leve-a a ra do Crespo, loja de miudezas, n. 11, quo
ser recompensado.
Aluga-se a casa de ti es andares, sita
pafvrua d> Vigaiio n. 5, proprin para qual-
quer estrangeiro, ou met>m> para familia,
em andares apartados : a tratar na mesma
ra, n. 7.
Aluga-se o segundo andar da casa da ra da
Senzalla-Nova, n. 4: a tratar no armazem da mes-
ma casa.
Precisa-se de dous contos de res a premio, dan-
do-se de hypolheca um predio, sendo em urna das
principnes ras: quem quizer fazer este negocio
anuncie.
Fugio, sabbado, as 10 horas da noite, do sitio
do Sr. Cabriet Antonio, no Cordeiro, um cavallo rus-
so, capado, levou nm selim ingle/ o urna manta do
patino azul,- foi visto ua mesma noite na Malta-da-
Torre : quem o levar ao dito sitio, ou uq Recife, ra
doVigano, n. 23, quesera bem recompensada.
-- Htnnel Amero de Souza liis deixou de vonder
go'ardenle no seuestalielociinenlo da ra da Cuia,
u. 57.
~ Aluga-se a casa da ra da Trempe, n. 13, repa-
gada e de novo pintada por commodo prego : a tra-
tar na ra larga do Rozan, II. 14, primeiro andar.
;~ Precisa-se alusar um prelo : na Praia-do-Caldei-
rc|fo, n. 2
~0 Sr. Domingos Aflbnso de Mello Albuquerque
queirainnunciarsua inorada parase tratar negocio
quelhedizrespeilo. ,
Uro rapaz brasileiro se olTorece para caixeiro de
1"lqner eslabelccimonto sulijeitando-se a dar al-
guna lempo de grac,a : quem pretender annuncie.
Precisa-se alugar urna escrava quo seja muilo
"oa cozinlnira esa iba compraros respectivos ai-
ra"jos dando-se por isso dez mil rs. mensacs alm
" vestir e milis trato : na ra da Florentina, casa da
"quina quo Oca confronto ao oilOo do quartel do
vallara, se dir quem precisa.
Aluga-se a casa de dous a 11 lares o slito do Ater-
ro-da-Boa-Vista, n. 48 : a tratar no mesmo Aterro,
" 33, primeiro andar.
O CHITO DA PATRIA N. 12
| .est venda na praca da Independencia, n. 12; na
rua Noy,, u. 47 ; na Iraveasa do llozario, loja de eu-
wdern^o.
Quem annunciou querer alugar, ou arrendar
um sitio porto da praca nu nos seus arrahaldea
qnorrndoum nnlugarda Tacaruna o bem conhc-
cidn sitio do Kalgadinho pela grande oasa a exten-
s.lo de terreno dirija-so ao Aterro-da-Boa-Vista ,
n. 47, segundo andar. Adverle-so quo para ir para o
tito sitio se pode fazer 4>or trra e por mar visto
ter porto da embarque e desembarque.
Precisa-se do urna preta para lodo o servico
no Aterro-da-Doa-Vista, n. 1, primeiro andar/
Na casa de modas francezasdo Aterro-da-Itoa-
Vista n. I, precisa-se de um pequeo brasileiro', de
14 a 15 anuos.
Precisa-se de una ama deleite : no Aterro-da-
Boa-Vista n. 26, primeiro andar.
O Sr. padre Calisto Correia da Nobrega, mora-
dor em serra redonda, quoira mandar pagar a quini-
na de 222,230 rs. que dovo desde 1842 a 1844; bem
como os Srs. Manoel Cavalcante da Silveira, morador
outr'ora na Paraliiba, 53,520 rs. de 1842 ; Pedro
Barboza de Souza Cavalcante, morador em Ubaca,
11,600 rs. de 1842; Manoel Joaquim de Mello 8,000
rs. de 1842; Antonio Machado Bilancourt, 8,000
rs., de 1843 ; padre Candido Jos Coelho vigario
de Fstremoz, 62,000 rs., de 1842; Manoel Theodo-
rode Alinela Albuquerque, morador na Parahiba ,
13,000 rs., de 1842; Jos Pinheiro Salgado de Arau-
jo morador no cngenlio Ubaca, 24,400 rs. de
1843 ; Filippe Diniz Cavalcante, morador m Tim-
b 9,000 rs. ,de 1843; Bunio Martins Goncalvcs Lis-
boa ,21,500 rs. de 1846 ; Antonio de Medeiros
8,000 rs., de 1845 ; Joaquim Theodoro Alves, 36,380
rs. ile 1842; Joio do AllemSo da Cmara Sisnciro,
19,000 rs., de 1843; Francisco Soares da Silva
morador no Cabo, 12,000 rs., de 1842; Augusto Car-
los de l.emos Pacheco, 46,340 rs., de 1843; Jos
Thooiaz da Silva, 22,920 rs., de 1843; Manoel Joa-
quim Antunes", morador naVarzea, 6,900 rs. de
1843; Joaquim Ensebio, 7,600 rs. do 1841 : ua ra
Nova, n. 18, loja de alfaiate.
O abaixo assignado, j cansado com os seus remis-
sos devedores, por inusa delles, acha-sc um pou-
co atrazado para com seus credores heobrigado a
lanQ.ir iu3o dcsle mcio uu m para estes como pa-
ra outros quo d'ora em dianlc seriio lembrados pa-
ra que vonham ou mandem saldar suas contas. O
abaixo assignado esl corlo que esse meio para
muitos he desagrailavel, poimolbem para os an-
uos e vejam se um artista be capitalista para estar
no ucseinhnlco de tantas quautias que moutam a
coulosderis pelo que ir continuando j quo as-
sim o quercrem.
M. A. Cj.
No dia sabbado, 21 do correte, foi ejilregue
em um sobrado na ra da Florentina um barril com
vinho por engao : a pessoa a quem peitenccr pode
dirigir-se a venda do Sr. Nicolao, esquina do becco
que segu para o llieulio novo, que, .dando os sig-'
naes, o recebar.
Na padaria da ra da Guia, no Recife llavera
todos os dias a ven la o novo pilo de Provenca fa-
bricado por outro modo que o actual e da nielh.ir
f.n i n ba que ha no mercado : por este motivo nflo se
pode fazer sen.lo a 40, 80 e 160 rs.
Na ra Direita, padaria n 26, da-se pilo de ven-
dagem a prctas, sb responsabilldade de seus se-
n bores.
~ Aluga-se b bem condecido sitio na estrada do
Cordeiro de Nuno Maa de Seixas, s proprio para
algum negociante estrangeiro ou outra pessoa que
lenha tratamento: na ra do Amorim, n-15.
O Sr. Jos Noberto Casado Lima queira declarar
a sua morada.
JoTo Manoel Goncalvcs retira-se para a cidade
do Porto a tratar de seus negocios.
O acadmico Joo Ladislao Japiass do Figuoi-
redo e Mello retira-so para a provincia da Babia, e
declara ao publico que nada devo a esta praca-
Compras.
Compram-so escravos que sejam ofncias de car-
pina, de 18 a 25 annos e de boas liguras ; pagam-se
bem sendo do bons costumes e peritos no seu offi-
eio pois alio para urna encommenda do Rio-do-Ja-
neiro : na ra do Amorim, n. 35, a.fallar com J. J.
Tasso Jnior.
Compram-se portas e janellas'de a-
marello ou louro, e grades pui-Vas mes-
mas, inda que tenham sido servidas:
quem as tiver annuncie para ser procu-
ado.
-- Compram-se, para fra da provimia 3 bons es-
cravos mogos o de bonitas liguras que sejam bous
odiciaos decarpina e pedreiro : nagam-se bem: ua
ra do Tiapichc, n. 34, a tratar com Novaes & Coin-
panliia.
~ Compra-so o pagarse bem la de frecba su-
mauma ou barriguda na ra Nova, n. 28, loja de
selleiro quasi om frente da igreja do N. S. da Con-
cerno dos militares.
Compra-se urna casla de sobaste branco e en-
carnado com estola manipulo, boleo e veo ; urna
casula de sanaste verde e rouxo com estola, mani-
pulo, bote,!) e veo; um calix com patena e colherim;
urna pedra 'ara que seja pe.nena : no Forte-do-
Mallos, prensa de algoillo do Joaquim Jos Ferreira
Compra-sc urna venda co:n poneos fundos, os
quaes niio exeedam de quatroceulos a quiulierftos
mil ris : na ra da Gloria, n. 85, so dir quem a
pretende.
Compram-se calungas de presepe : ua Boa-Vis-
ta ra da Alegra n. 42.
Vendas.
Vcnde-se a verdadeira potassa d.i
lliissia, desembarcada Iiontem, por pro-
co muito rasoavel, vista de sua muito
superiorqualidade : na ruado Trapiche,
n. 17, e ra da Cadeia, n. 3$.
CHUMBO.
Vcnde-se chumbo de muiiicSo : na ra do Amo-
rim, n. 35, casa de J. J. Tasso Jnior.
FARINHA DE MANDIOCA A 2,500 RS.
Vende-so no armazem do Braguez ao p da Cou-
ceico, e ua ra do Amorim, n. 35, rasa de J. J. Tas-
so Jnior.
- Vendem-se dous bonitos escravos :
na ra do Apollo, n. aa, armazem de as
sucar. *
vendem-se pregos americanos n 4. em barre-
quiuhascoui 100 libras: na ra do Trapiche, a. 8.
nar------; w
Vendero-se bina ltimamente chegadaa de
llamhiirgo granitos, a 800 rs cada 'urna : tambom
ealugam por precocommoJo : na ra do Colle
gio, 0.9.
C"i 111 pan lia d.Ymarca enmela
Pntrien Rohilliard acaba do recebar urna peque-
a quantidado deste muito apreciado vinho tanto
em garrafas grandes, como tambom em garrafas pe-
quenas est vendendo o mesmo por pre'co muito
mdico no seu escriptorio Ja ra do Trapiche-No-
vo, n. 18.
Para acabar.
Vendem-se sapatos de lustro de urna sola, par
hemeni, pelo barato preco de 1,000 rs.; borzeguins
para senbora a 3,200 rs. ; ditos gaspeados para ho-
rnero a 4,500 rs. ; ditos de ponta de lustro a 3,200
rs.; bolina francezes, a 3,000 rs.; sapatOes ingle-
zea a 3.300 rs. ; sapatos de duraque de Lisboa
800 rs.; ditos para meninas, a 500 rs. ; ditos de lus-
tro e com litas para ditas a 1,000 rs. ; botins de
Lisboa para homem a 2,560 ra. ; sapatos de lustro
e marroquim para meninas a 500 rs.: na ra da
Cadeia do Recife, n. 35.
. Vende-se um preto moco, de bonita ligura e
que be ptimo cozinbeiro : na ra do Trapiche, ar
mazem de assucar, n. 19.
Vendem-se na ra da Cruz, no Recife, arma-
zem n. 26, saccaseom superior farinba do mandio-
ca vinda do Cear ; sola ; cera de carnauba ; pen
nas de eroa ; chapeos de palba.
Vende-se, na ra Direita, n. 23, venda que foi
de Jos da Pcnha, vinho, a 160 rs. a garrafa, isto pa-
ra suprir a falta da ago'ardente porque na mesma
venda niio so vendo mala ago'ardente por causa da
multa e vende vinho barato por niio ter risco. Chc-
guem freguezes que a pinga he boa.
Sabao porlugucz.
Vendc-se sarao branco, fino, da
fabrica de Lisboa. Este sabo lie conlic-
cido em Portugal por sbulo de sedas, c
por too proprio para lavar as mesillas,
filos de linho e toda a qualidade de fa-
zendas fiuas : vcudo-se em caixas de
arroba, e s meias arrobas, sollo, ua ra
da Cadeia do llecife, loja de ferrageus
de J0S0 Jos de Carvalbo Moraes.
Vende-se umn mohilia do Jacaranda e outros
mais trastes : ludo com pouco uso : na ra das Flo-
res, n. 21.
Vendem-se lOgaifose 10 eolheres de prala de
lei a 200 rs. a oitava : na ra Direita, n. 122.
Vcnde-se una loja de ferragens, contando pou-
eos fundos e de grande vanlxgcm pela sua situa-
dlo, alm das proporcOcs que ofTercce para qual-
quer oulio eslabelecimento por ter duas frentes:
na ra do Queimado, n. 35.
ATTEN^AO'.
Vendem-se boles dourailos lisos c de todos os
tamaitos proprios para fardas pelo barato preco
do 3,500 rs. a groza : na ruu Nova, 11. 39, luja do A11-
drade & Moreira.
Roldes.
lie chegado, por o ultimo navio de
Franca, um completo sortimenlo de boldes
da ultima moda us ida em l'aris ; a saber .-
abiiln kIim-.is ainarelhs para casaca das
pessas de grande tom, e para roii|ras
de meninos ; e de seda, propriasde nfel
les de vestidos de senbora ;e de Pedro II,
0 inelhor dourndo que aqu tem appire-
cido ; e para cavllaria da guarda nacio-
nal, iufanlaria de primeira linha, carado-
res, artfices, e outras corporacSes milita-
t\s; as.si.n comocordesdeesquisitascores,
de seda c algodo, c de debrum, para
casacas ; e suas amostras se acbam paten-
tes aos senhores compradores : na loja
da ra do Cabug, de qualro portas, n.
1 C, do Duarte.
Vende-se una casa do podra ocal a moderna,
no lugar da Capunga porto do rio a qual est ren-
dendo 10,000 rs. mensaes : no pateo da 8.-Cruz a
tratar com Jos Nunes de Olivcira ao p da botica,
ns. 608.
Vcnde-se urna honila crioula de 20 a 22 annos ,
com algumas habilidades ; urna parda tambem corr
abetunas habilidades, propria para una casa de fa-
milia por ser de muito boa conduela o que se
flanea : na ra do Fogo, n. 23, se dir quem vende.
Vendm-se duas portas de costadinno de ama-
relio : na ra do l.ivramento n. 6.
Vende-se urna negra moca, de bo-
nita figura, que cozinha, lava e coze ; un
moleqiic de mu linda figura, proprio pa-
ra todo servico e pira pigem ; um muta-
tinbo, de 11 a i3 annos : todos sem vi
cios nemachaques: na ra do Crespo,
loja n. a A,se dir quem vende.
Vendem-se seis travs de muito boa qualidade,
leudo ii 1 ola palmos de comprimcnlo : na ra da Ca-
deia .lo Recife, n. 43
--Vendem-se superioros charutos do Manilha, che-
gados uiiimamenlo: na ra da Cruz, armazem n. 18.
Na rua de Agoas-Verdes,
n. 46.
vendem-se 4 escravas para lodo o servico de 18 a
20 anuos por commodo proco niio silo viciosas c
leem boas habilidades ; 3 moloques de naclio ,-do 12
a18annos;um dito para fra da provincia que
(rabalha mili bem de carpina ; dous escravos de boa
conducta ; para lodo o, servico.
Vendem-se caixas de vidro, mu
bem enfeitadis, para guardar joias, por
preco commodo: na loja de quatro portas
da rua do Cabug, n. 1 C, do Duarte.
Vende-se um mulatinho de II a 12 annos de
bonita ligura. e que he proprio para pjgem : na
Boa-Vista, armazem do Rufino.
Cabug,
- Vemlem-ae 5 lindes moloques de It a
3 preto do 25 a 30 anuos ; 3 pardo de 16 a Mnno>
2mulalinhasde7al4anins; :l nj-gnn i dn 1 o a
12auno, todas com princif os do. |",hU" '*
pretasde20a 23 annos, rom habilidades, na /ua
do CoMi-ko. n. 3, so dir quem vende.
feodem-aa 3 lindos moleque.-! .le II a 18 ""*
sem vicios nem acnaques : na roa Direita. SH
Vonde-osunia praU da Cosa anula moca, ou
(roca-so por um inolcquinbo : ua rua Nova., ven-
da n. 55.
Lo'.eria do lUo-de-Janciro.
Aos 30:000,000 de rs.
Bilholes da segunda lotcria concedida ao thesoii-
ro publico, para indemnisaQo da prestac^lo que oa
o thealro de S-Francisco da corte, cujas rodas le-
rflo o sou devido andamento at o dia 8 do crrante:
vendem-se na rus da Cadoia do Recifo, loja 11. 51.
Potassa nova e superior.
l %
Vcnde-se a aSors.cada libra,na .
^. rua do Apollo, armazem n. 18, ou 4*
*" na rua da Cadeia, n. l\o. S
> <*
OAAljM*A*AA'IJvAI^IUlftlMbAI#
Vendem-se 4 bonitos moloques, do 16 a 18 an-
nos, de nac.lo, sem vicios ; 1 escravo do bonita fi-
gura, carpina.; 1 dilobom canociro, e ganhador de
rua, afiianija-SR a boa conducta ; 1 dito boffl carrei-
ro e trabalhador de roca ; 1 mulatinho, de 13 annos,
bom para pBgem, ou para oflicio ; 2escravas mocas
boas para toilo o servido; 2 negrinhas, do 13 a 14
annos, sem vicios : na rua do Vigario, n. 24.
Vende-se 11 dinhoiro 011 a prazo, por inteiro,
011 por melada una legua de Ierra no riacho Caru-
r termo da villa de Alhalaia com um legoa de
fundo .confronto a Ierra denominada Casa-de-Pa-
Iha 1I0 Jos Pires da Silva que lica do lado lo sul
d dito riacho: o preco de toda torra a dinheiro
be ile um cont e iluzenlos mil rs. ,e de cscenlos
mil rs. pendil melado : a prazo ser pelo que so ajus-
tar : ua rua doltangel, 11. 45.
Agencia da fundicao
Low-lloor, 1 ua da .Seiicalla-
nova, 11. 4*2.
Neste estabelecimento contina a ha-
ver um completo sortimenlo de moendas
c meias moendas, para engenho; ma-
cbiuas de vaporee taclias de ferro batido e
roado) de todos os tamanhos, para dilo.
Na loja de qualro portas da rua do
11. l C, do Duarte, tem um
compelo sortimenlo de perfumaras, por
precos mais commodos do que cm outra
qualquer parte.
Vende-so. ou troca-se por urna preta urna ca-
bra de 25 annos de bonita ligura que engomma ,
cozinha, rosen faz lodo o mais scjvco de urna ca-
sa na 1111 do Hospicio, n. 42.
-- Vendem-se, na rua da Madre-de-Deos, n. 31 ,
do lado da alfaudega ceblas cm moilbos o dispen-
cadas a mil rs. o ccnlo ; peneiras de urame muito
finas c a boa essencia de aniz.
Vende-se una preta de Angola, do 20 annos,
de bonita ligura c que engomma c cozinha: no
becco do Sarapalel, sobrado n, 12.
Vendem-se barra pequeos com cal virgem de Lis-
boa, a mal nova que ha no mercado, por prejo com-
modo : na rua da Moda armazem u. 17.
Aleias de seda de Lisboa.
Na ruado Cabug, n. 1 C,'do Duarte,
acaba de se receber um sortimenlo de
meias de seda, proprias para os senhores
sacerdotes, e para homens e senhoras.
A boa qualidade deslas meias s com a
visla se poder conbecer a sua duracSo.
Vinho da Figueira, barato.
Na rua do Amorim, n. 36, conliua-se a vender
ptima pinga da Figueira, a 140 rs. a garrafa. Adver-
te-so que o barato preco por quo se vende en na-
da desmerece a qualidado dos mais j annunciados
a 160 rs., e para conbecer a sua qualidade precisa-so
de pouco dispendio com o qual se podera verificar
ila veraci lado deste aviso.
Vendem-se. lonas inglezas eslroitas e sorlidas,
da qualidade n. 1 a 6, cm porches grandes ou pe-
quenas : em casa do Me Calmonl & C, rua do Cor-
po-Sapto, 11. 11.
IfARMELADA NOVA.
Na rua do Codorniz n. 11 est a amostra e diz
quem tem paia vender em primeira mlo, a inelhor,
mais fresca o bem conservada marmclada chegada
agora na barca eire cm latas de urna o duas lei
bras sem a mais pequea mancha e toda conTer-
como se pode examinar.
O b m vinho verde
para refresco, e pelo preco de 160 rs. a
garrafa: no pateo do Terco, n. i3g.
Vendem-se, por prego commodo, no armazem de
Dias Ferreira no caes da Alfandega saccas com mi-
Ihoc farinba.
Uo armazn de Antonio Aunes, no caes da Al-
fandega ha urna poreflo de bom Jacaranda que
se vende por preco commodos : trata-se na rua do
Trapiche, n. 34.
-Vcnde-se urna preta de 18 anuos, de elegante
ligura com todas as habilidades precisas para urna
casa de familia'; um bonito moleque de nacflo, de
18 annos ; um prelo muilo bom canoeiro c de ele-
gante ligura : estes escravos vondem-se para liqui-
ilacilo : no pateo da matriz de S.-Anlonio, loja n. 4,
se dir quem vendo.
Vende-se urna escrava moca, que engomma,
cozinha faz lodo o servico de una casa he muito
sadia e nSo tem vicios nem achaques: na rua do
Aragilo, n.29.
Vendem-se sapatos foitos no Aracaty boa -
zenda, por preco commodo : na rna do Trapiche,
4.
LADO



Vciule-10 um mulatinhoacaboculado, de idade
de t a ii .unios : oa ra do Cabug, loja de miudo-
za5, ii. i I).
Fnzpicla para escravas.
Vende-s* na ra da Cadeia do llecife, loja de Joflo
da Cunta Mngalh.les zuarte, fazeuda porlugueza,
milito propria para roupa de cscravos, por ser de cor
escora e nlo deshotar em pecas a 240 rs. o re-'
vado.
Vendem-se, na ra Jo Crespo, loja de i porlas,
ii 12, chapeos de castor pretos da muito boa qua-
Jidade a 4,000 rs.
~ Vende-se um jumento bonito e novo: na ra
rio Cabuga n 16.
Yende-se urna colleccao de leis do Bra-
sil, desde 1808 at 1846, sendo at 1840
do Ouro-Preto, e de entao para c da ty-
pographia nacional na livraria da esqui-
na do Collegio.
No Atcrivwla-ltna-Visla, (lc-
fronte da calunga,
li3ochegados nimio bons marroquins couros do
lustro o bezerros francezcs : ludo de superior quali-
dade e por preco commoilo.
CHA' I1YSS0N,
de ptima qualidade a 2/240 rs. a libra : na rua da
CrUl uo Recite armazem n. 13.
FARELO
a 3sooo rs. a sacca
nos rmateos ni. 1 e 3 do enes J.i Alfandega,c no de 11.
35 da rua do Amorim.de J. J. Tasso Jnior,
Yendc-sc um cscravo caiador, e que entende
de plantacAcs de sitio ; urna Caixa ile nuisir.i con-
tendo differenlcs pecas ; um rico aderero de ouro ,
com diamantes, para senhora ; um relngio de ouro
e outro de prata ; um annel com dia mentes ; urna
corrente e enclela do ouro; alguns garios de prala;
urna ilu/.ia de cadeiras ; um cannap; duns bancas
ile oleo ; urna carleira de amarello para escriptorio;
urna cama de armacilo do angico e com onxer-
ges; e oulros muitos ohjtctos (>or proco commodo:
na rua Dircila, sobrado 11. 16.
Um novo sortimenlo de
ri-cado monstro.
Vendom-se na loja de Cuimarilcs & C, que faz
esquina para a rua do Collegio, 11. 5, novos risca-
dos monstros de padrOes modernos o lindos, pelo
nicsnio preco de 320 rs. o covado.
Fcijo barato.
Vende-se feijfio mulalinlio em saceos de 3 quarlas,
por preco mais mdico possivel : no caes da Alfan-
dega, armazem de Antonio Aunes Jacome Pires.
Vende-se um bonito cabriolel sein cubera : na
rua .Nova, n. 54.
Vende-se um sitio na rua Dircila dos AfogadoS,
todo murado ,com tres porlocs dous na frente o
um no fundo casa terrea com bastante commodos,
tres cacimbas com boa agoa lauque para lavar rou-
pa diflerenlesarvoresdefructo, ejterreno proprio:
tambem se troca por algmn predio tiesta praca : na
rua Dircila 11. 78.
- i
i'tj Vende-se um escravo caiador, o que he pro- \i
1 priopara oservico de casa o do sitio pelo |j
i mdico preco de 320.000 rs.: na rua Dircila, g
?i sobrado n. 16. ig
Vendem-se dous lindos cscravo* proprios para
nrmazcni do assucar, ou outro qunlquer servico
na rua de Apollo, n. 22.
Vende-se salca-parrilha por preco commodo:
na rua da Cruz, n. 10.
Y litio barato.
Aclia-se estabelecido na rua da Madrc-de-Deos,
11. 36, um armazem de
Y litios (la Figticira,
de ptima qualidade, a preco de 1,120 rs. a caada,
e a 160 rs a garrafa ; e para n3o haver dolo do com-
prador serilo lacradas ai garrafas e com rotulo, re-
cebendo-so a garrafa vasia, e dando-se immediata-
menle a outra cheia : tambem ha lia iris muito pe-
queos proprios para quem passa a festa. pro-
pietario deslo cstabelccimento pede encarecida-
mente que se nflo illudam avaliando, pelo diminuto
preco o sem conhecimenlo de causa a qualidade de
sua fazenda digna por certo da estima dos verda-
deros amantes' da boa pinga. Elle conta que quPin
urna vez provar, continuar com goslo e sem arre-
pendimento. Eo bom preco!!.' A todo o exposto
accrcsco o asscio e bom acondicionamento o que
ludo se poder verificar em dito eslabclecimenlo.
Na loja do Passeio-Publico ,
11. 19 de .11 a noel Joaqun)
Pascoal Hamos,
vende-se riscado de algodflo para cortinados a 120
rs. o covado, o 2,400 rs. a peca com 24 covndos;
riscado monstro ; a 280 rs. ; corles do casimira a
4,000 rs. ; ditos de lila a 2,000 rs.; caslor para cal-
cas a 200 e 360 rs. ; madapolio, a 3,000 e 5,500 rs.;
r 1 sea dos frsncezes a 200 rs.; dilos muito linos a
280 rs. o covado ; chales de larlatana de seda, a 9,000
rs. ; manas de seda a 10,000 rs. ; lencos de gar-
ca a 1,000 rs. ; ditos de seda, a 1,000 rs.; panno fi-
no azul, a 4,000 rs. ; dito prelo de 3,500 a 5,500
rs.; chilas encarnadas muito finas padroes moder-
nos, a 280 rs. o covado; e outras muilas fa/endas
por prego commodo.
Vende-se alcatro da Suecia, de
Loa qualidade, em Larris Lem acondicio-
nados com ateos de ferro: na rua do Vi-
gario, u. 4.
~ Por consonso do governo imperial, vende-se o
engenho Camassari, distanlo desU cidade qualro lo-
en*, pertcncente ao palriniouiu dos conventos do
Carmo da provincia da Itahia : quem o pretender d-
rtia-Kft rasa a Lima Jnior & C. no bsir.-o Jo Re-
cite, rua da Cruz, n. 28.
Vende-se hum bonito moleque do 13. annos, o
urna mulatinha de 7 annos, propria para dar-se a
huma menina : na rua larga do Kozario, n. 46, pri-
meiro andar.
Vendem-se dous pianos fortes, de Jacaranda,
com o machanismo de muito aprovada e nova inven-
eflo, chamado repetidor patente de Collard ; chj-
rulo do llavana por preco mais commodo do que
em oulraqualquer parte; urna machina de lytogra-
phia com pedras, tintas e mais pertences; un com-
pleto sortimenlo de instrumentos de msica, tan-
to de metal como de madeira ; bustos de gesso re-
presentando muito fielmento a rainha Victoria e o
principo Alberto; relogios de ouro e de prata, che-
gados u I ti lilamente da Suissa. Estes relogios que
silo muito bem acabados se lornam muito recom-
mendaveis a qualquer particular e adverte-se que
ha entre ellos alguns que andam oito dias sem preci-
saren! de corda : na rua da Cruz, n. 55.
Algodo trancado da fabrica
de Todos-os-San tos da
Baha ,
muito proprio para saceos de assucar e roupa dee.s-
cravos: vende-se em casa de N. 0. Bieber & Com-
pauhia na rua da Cruz, n. 4.
Vendem-se aluetes de peito para senhora', com
o retrato verifadeiro de Pi IX nico papa liberal
que lem hav'ulo no mundo ; botOes para camisa a
nacional,1! verdeo amarello ; navalhas chine/aspara
barba: ditas inglezas ; oculos para vista cansada;
finissimas tesouras para unhas e para costura ; pa-
pel do peso ealmaco a 2,600 rs. a resma de 85 ce-
dernos; pennas para secretaria a 320 rs o quar-
teirflo; meias para homem a 160 rs.; tira mole-
que de 12 anuos ; urna negrinha da mesma idade
urna mulatinha de 7 anuos : ludo para fazor dinhei-
ro nara a festa : na rua larga do Rozario n 35, loja
do l.ody.
Na loja da na do Crespo, n. 5 A,
ao p i\o arco de Sanio-.\ ntonio. vendem-
se pecas de ma.lapolao fino, entestado,
a 5,5oo rs.; ditos de gallo dourado, a
4,ooc rs.J pecas tic Lrclanhade tolo, com
10 varas, o 3,000 rs.; peras de cassn dequa
dios Lrancos, proprias para Imbuios,
com 8 varas e meia, a 2,600 rs.; sarja de
seda, pela, cota qtinlio palmos de largu-
ra, piopria para vestidos 1 .fiini rs o covado ; montas de tarlatana,
para senhora, a 1,000 r>. cada urna ; di-
tas de la c seda, para meninas, a 2,000
rs., e de seda a 7,000 rs.; casimiras enfes-
tadas, proprias para palitos e calcas, a
2,5oo rs. n covado ; corles de cassas linas,
com G varas e meii ;'i 2,5oo rs.; & piltras
multas fazendas, por preco comiiuxlo.
Churu los da llavana,
viudos no patacho hespanhol luracart : veudem-se
na rua da Cruz no Recita, armazem 11. 13.
Pechincha.
No Altcrro-da-lloa-Vista, n. 78, vendem-se spalos
de cordoA.lo do lustro para senhura a 1,000 rs ;
ditosdc marroquim, a 800 rs ; botina de durable
p ara senhora a 2,000 rs. ; sapalos de bezerro de
sola o vira, para homem, a 2,240 e 2,560 rs.; bultos,
a'6,000 rs. ; bonetes de riscado a 320 rs.
Vende-se um elegante carro do 4 rodas tollo
or cncnimcnda us Estados-Unidos ; lio muito
ieve e i>do muito bem accommodar cinco pessoas
e serve para um 011 dous cavallos : na cocheira lo
Miguel, no Aterro-da-Roa-Vista ou na rua do Tra-
piche-Novo, n. 18.
Vcndcm-se dous lindos molcques sadios c sem
dcfeilo algum um de 7 annos e o outra de 4: no
Alerro-da-lloa-Vista, n. 26, segundo andar.
Vende-se farinha de mandioca,
de muito boa qualidade e goslo : na rua
da Cadeia do bairro de Santo-Antonio,
casa n. 25, primeiro andar.
Vende-se a dinliciro, ou a prazo, mcia legoa
do Ierra de frente, com urna legoa de fundo na
margem do rio do Una, da parle do sul con-
fronte a trra do engenho Japaranduba principian-
do na barra da Trombeta-, pelo rio de Una cima al
onde se completar a mcia legoa cujos fundos vilo
terminar com a trra concedida por sesmaria ao fal-
lecido sargento-mr Antonio Casado l.itna, as mar-
geos do rio l'relo em que eslflo situados varios cn-
genhos : tamhem su vende melade da dita trra, a
saber: a meia legoa da margem do rio Una com o
fundo tambem de mcia legoa e na mesma forma a
outra meia legoa de fundo : o prego da meia legoa da
margeiii do rioUna ho do dous cunlos de ris a di-
nlieiro ; o da outra meia legoa he de um cunto de
res, e sendo a prazo ser polo que se ajustar: aa
rua do llangel, n. 45.
I
Contia-se a vender, na rua da IS
|| Cadeia do Itecie, n. 37, cera em fej
\ velas, fabricada no Hio-de-Janei- ^
10, em tuna das inelbores fabri- M
cas, em canas soi lillas ao goslo do
comprador e por preco commodo
L^ Iw^B^'Ai^c.vitwiis-^'.ii'.KSAa^i^ssaiHSaai
Vende-se, no armazem de Vicente Ferrcira da
Costa, na rua da Madre-Deos, semeas em saccas
grandes chegadas ltimamente de Trieste; vinho
da Figueira em barra, ornis suporior que tem
vindo a eslo mercado, do muito condecido autor Fa-
biflo; vinho abafado, emancoretas de 4 e meia a 5
caadas.
Vendem-se chapeos de castor branco ,
J|^ 4,000 rs. : na rua do Queimado, n. 22.
pa34*9, branco c amarello, de bons pa-
Ir5c ; ditos de masa, para fardamento
de cacadores ; ditos de vidro, de diversas
cores : na rua do Gabug, loja de quatro
porlas, do Duarte.
Cerveja preta em botijas.
Contina-sea vender esta tSo afamada cerveja,
em lotes de urna barrica para cima a vontado do
comprador: em casa de Frederico Robilliard na
ruado Trapiche-Novo, n. 18. Na mesma casa ha
tambem um pequeo resto da mesma cerveja em
botijas muito propria para casas particulares.
Sapa loes de 3 solas, a i #000
No Aterro-da-Boa-Vista, loja, n. 78, acaba-se da
rece he r um novo sortimenlo de sapatOes de 3 solas,
tanto de ps pequeos como grandes. As pesioss que
encommendaram, be lempo de virem a elles.
Riscados monstros.
Veudem-se luperiore riscados monstro*, j bem co-
nbecidos tanto pela qnalidadt como pela largura em
demasa, pelo barato prf 90 de 280 ra. o covado. F.stes
riscados sao chegados Diurnamente : as cores sao filias,
e os padroes mullo modernos e de bom gosto : na nova
lujada Estrella da rua do Cdllegio; n. 1.
Firmino J. F. da Rosa vende muito superior pan-
no de algodSo trancado feito na Baha muito pro-
prio para saceos de assucar assim como para roupa
ile escravos por ser muito encorpado: os preten-
deres dirijam-se a rua do Trapiche, n. 44, primeiro
sudar.
Vendem-se luvas de
Vende-se um bonito sortimenlo de
boloes de seda, para casaca ; dilos para
vestidos de meninos; dilos amarellos, de
redro II; ditos para militares, de ca-
-..II....'.., :.r._i..'. J-. 11 ptima para todo o servico do urna casa : na ruada
vallara e inlantana, ditos para libres delMaugueira,.9.
pellica para
senhora, enlatadas, 2,800 rs. ; ditas
apra bomem, de diversas corea, de pou-
to inglez, a 1,000 rs. ; di las dealgodo a
5oors.; diias de seda a 8uo rs.; ditas pa-
ra senhora a 1,280 rs. ; lencos de grva-
la, de seda, de 1,000 rs. a 1,600 rs. ; ga-
l6es entre-finos de diversas larguras;
espigubas, gal5es falsos, e volantes, por
prceos commodos ; bicos do Porto, de di-
versas larguras, de 80 a 160 rs. a vara ;
dilos francezcs, de bonitos padroes ; litas
de seda, n 9 e 12 ; flores francezas ; l-
eos de area a 1,000 rs.: na loja dequstro
portas da rua do Cabug, n 1 C, do
Duarte.
No armazem de Dias Ferreira, no
caes da Alfandega, vende-se, por preco
muito commodo, potassa muito superior,
em pequeos Larris de 100 libras cada
um, desembarcados ltimamente.
.Machinas para copiar carta.
Em casa de Frederico Robiliard na rua do Tra-
piclie-Novo, 11 18, ha um pequeo resto destas ma-
chinas lao uteis e necessarias a urna casa do com-
merci com seus competentes livros e pertences :
tambem se vendem livros separados papel em ros-
mas e tinta de cscrever: ludo proprio pata as
mesmas.
--Vende-se, para fra da provincia, ou para en-
genho, una escrava crioula, de 24 a 25 annos, do
bonita figura perita engommadeira costureira e
cozinheira : no Aterro-da-Boa-Visla, n 26, segundo
andar.
TIJOI.OS DE MAI1MOIIK.
J. Saporili vende lijlos de marmoro brancos e
azues de 10 pollegadas quadradas por preco com-
modo no seu esciiptorio da rua da Cruz, n. 18.
Vinho bom e barato.
Na esquina da rua do Vigario, n. 33, vende-se su-
perior vinho de Lisboa e da Figueira a 150 rs. a
garrafa e em caada a 1,100 rs.
Vende-se papel almaco e (rete, azul e branco,
muito m conta : em casa de Frederico Robilliard ,
rua do Trapiche-Novo n. 18 : bem como lio pro-
prio para cqser saceos para assucar.
Vende-se ca.' virgem de Lisboa,
chegada no ultima navio, em barriape-
i|nenos, por menos do que em outra qual-
quer patrie: na rua do Trapiche, arma-
zem n I7.
Na venda de Rento Jofo ('.ardoro, na rua Direi-
ta, n. 95, ha superior cal de Lisboa, em barrls de 4 a
5 arrobas chegada- prximamente, por mais com-
modo preco do que em outra qualquer parle.
I stqjos.
Na loja da rua do Cabug, n. 1 C, de
Duarle, de qualro porlas, lem estojo*
de navalhas com pertences, por piceos
commodos.
Vendem-se sapa I oes de couro de
lustro ; dilos de couro branco de sola e
vira, dilos para meninos de sola e vira,
por precos commodos; na rua da Cadeia
do Hecife, n. 9.
- Vendem-se acedes da ex-
tincta companliiade Peruambuco
e Paralaba: no escriptorio de O-
liveira Iraios & C, rua da Cruz,
n. 9.
Vende-se muito superior lagedo de Lisboa, e
cal virgem eC| Larris de 4 arrobas, por modieo preco:
na rua do Vigario, n. 19. ....
Casimiras elsticas.
Vendem-se superiores corles de meta casimiras els-
ticas de pura \i, pe lo barato preco de 2OO0 e 3/000 ra,
e corte de caifa : na aova laja da' estrella, da rua do
Collegio, n. I.
Vende-se urna preta de inya, moca, e que lie
Vender cal vlrftm da Lisboa1, em barril i ;
srrobas chegada nelo ultimo narlo, por preco coui
do : a tratar com /.Imelda k Fonaeea.na rua do A"
Vende-so un mulatinho da 8 a 9 annos, do i,0
ni la figura, e que he bom hbil: na rua Nova T~
14, primeiro anda< onde se dir o motivo por'nu
so vende. qu'
Vende-se os maii ricos e mais
modernos corles de vestidos, de
seda de cores, tanto em gosto, co-
mo em qualidade, chegados no ul-
timo navio, tendo a superioridade
de nunca mofar, e comai corados
cada corte : na rua do Queimado,
quatro cantos, loja da casa amarel-
la, n. 29.
Vende-se caivetes de cabo derm-
drc-perola, de urna folha at qualro ; di-
tos de punhal; tesouras para unhas, fi-
nas ; ditas de costura ; ditas com caive-
tes ; colheres de metal do principe, para
cha ; saca-rolhas de patente ; eslojos de na-
valhas ; aliadores, com sua competente
pedra; dos melhores que teem apparecido
na loja de quatro portas da roa do Cabug,
do Duarte.
Cijuarrilhos hespanhes ver-
dadefro*.
Quem nlo traga urna fumaca nroduzida por estn
deliciosos cigarrilhos nSn se pode contar no nume-
to daquelles que sabem apreciar os deleites da viUi
contempornea : c as pessons que se julgarem \,y
tas circumstancias, dirijam-se atrs da matriz do
Corpo-Santo, no Recite, venda n. 66.
A 1,600 cada un.
Na loja de Cuimarftes & C que faz esquina para
rua do Collegio, n. 5, vendem-se brrelos J sed
para padre, pelo barato preco de 1,600 rs. cada um.
FAHF.LO,
a 4,500 rs. a barrica : no armazem n. 20, de Joaquim
da Silva Lopes, confronte a guarda da alfandega.
Escravos Fgidos
Fugio, no dia 21 de dezembro do auno prximo
passa 1U1, o pardo Jacob de 18 annos sueco do cor-
po cabello estirado; tem falla de um denle ni
frente o um pequeo talho na maca do rosto ; u
mais visivel sigual ho 1er as costas a marca de um
caustico; foi visto em l'indoba e consta ler seguido
em compauhia de alguns tangednres de gado para
Goianna ou pedras-de-Fogo : quem o pegar leve-u
a Jos Luiz Pereira na rua Nova, que gratificar.
Fugio, ao dia 23 do prximo passado o escra-
vo Hcnedicto de nacSo Costa alto corpo regular,
barba fechada o com suissas al por baixo do quei-
xo .falla muito bem rosto com marcas de bexigas,
porm j antigs ; costuma andar com calcas do al-
godo azul, camisa branca ; mas he do suppr qua
mude de'trage, por ter mais roupa : foi escravo 1I0
fallecido Joflo Flix dos Santos, de Goianna e foi
vendido tiesta praga : quem o pegar leve-o a rua da
Alfande^a-Velha n. 36, ou atrs da matriz da boa-
Vista, n. 18.
Fugio, no dia 27 do prximo pasudo a pre!
Mara, crioula, alta alguma cousa fula ; levou ves-
tido do cassa cor do rosa usado, saia preta de lis-
tras, panno prelo usado, com ourela felpuda, Je
20 a 25 annos ; anda calcada, foi'escrava do Sr. hr.
Janseii, de Oliuda : quem a negar leve-a a S.-A1111-
ro ao p da funiligflo a Joflo de Freitas Guimarflet
qu recompensar.
No dia 30 do prximo passado pelas 6 horas e
meia da tarde, fugio do deposito geral onde se
rchava a' preta crioula de nome Leonor esmera
do Sr. major Antonio Manoel do Moraes da MesqiiH
l'imuntel, quo se actiava penhorada por execueflode
I). Anua Francisca dos Res Miranda ; a qual escrava
va he de estatura regulr ; tem um pequeo defeilo
em um olho quando lem de iirmar a vista ; lera 32
annos de idado; levou vestido de chita meia escura
e de quadros miudos : quem a pegar leve-a a rua il
lorias, n. 140, quesera bem recompensado.
- Fugio 110 dia 3 de selembro prximo passado,
urna prela do nomo alaria, do naclo Angola; fcices
miudas, estatura regular, levou vcslido de chita j
desholado, o panno fino; de idade pouco mais ou
menos de 30 a 40 annos; tem os dedos dos ps abor-
tos; levando em compauhia nm filho de idade de
10annos, por rime Luiz : quem os pegar pode en-
trega-Ios na cidade de Areia a Manoel los Goncal-
ves Lisboa, que ser generosamente recompensado
por ser seu proprio senhor.
No dia 2 de selembro prximo passado, fugio
da cidade de Areia, provincia da Pirahiba-do-Norte,
urna escrava do nome Calbarina, Je naca Angola.
idade de 30 a 40 anuos, com os signaes seguinte:
estatura regular, secca do corpo, nariz chalo, olbos
grandes o vermellios, bracos grosss 0 com -marras
de fogo em um delles, sendo as ditas marcas feitas
com ferro como costumam ter os negros Africanos;
tambem costumam apparecer-lhes cravo nos ps, em
rasflo deja ler lido boubas, e usa de tomar tabaco:
quem a appreheuder poder levar a dita cidade em
casa de Manuel Jos Concalves Lisboa, que genero-
samente gratificara.
Contina a estar fgida desde 15 de selembro
do correte anuo, a preta Luzia de 20 anuos pou-
co mais ou menos; tem os ps grandes ; he bem pre-
ta ; tem o braco direito esmorecido e Ira-lo em um
lenco dos peilos ; levou saia branca cabeeflo de al-
godflo c panno da Costa velho : quem a pegar ou
souber onde ella existe, pois pode estar em alguma
casa com o titulo de forra ,queira dar parte na ruuf
dj Mocda, n. 21 quesera gratificado Ilcando sub-1
jeila a possoa que a liveremsua casa e So a quei-
la acusa-la a pagar todas os dial de servico desdo o
dia da fgida. /,
I'ehn.
NS TYI. DE
F. DE
rARUM8
i
MUTIL


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EXR7HQ47M_HNO0TA INGEST_TIME 2013-04-12T23:17:40Z PACKAGE AA00011611_06165
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES