Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06133


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno pe 1839. Terqa Petra
fsJUMTr-" depehde de nS ntmoa< d n<-ssa prudencia, 'moder*
*m Hm 8-4 : conlin"f,no* principiamos e seremos apontados
tm admirado entre as Naces mas cuitas. p
Proclamncao da Aisemblea Geral do Bratti.
Partidas dos Correios Terrestres.
Cidade da Parahiba e Villas de sua pretenco. .
Dita do Rio Grande do Norte, e Villas dem .........
Dila da Fortaleza Villas dem.......... ...............
Villa de Goianna.................................
Cidade d- Olind...............* ..............
Villa deS. Anto...................*.' .\"" ..\\\\
Dita de Garanhiins e Povoaciio do Bonito............
Citas do Cali, Serinhaem, 'Rio Formozo, c Porto Calvo".'!."!.""'
Cidade das Alagoas, e Villa de Macei.............
Villa de Paia de Flores............ ...............
lodos os Correios partem ao meto dia.
24 de SetembroI Numero 207.
| | Segundas e Sextas Fciras.
. Todos os das.
. Quintas feiras.
. Diat lo, e ai de cada mex.j
. dem i ii, e ai dito dito.
.dem dem
. dem 13, dtto dito.
CAMBIOS.
Setemro. a3.
Londres......3> por ffooe ed.
|-lsboa....... 9 por o/o premio1, por ntctaoferccd.
frnc".......3oo reis por franco noflt.
hio de Janeiro ao par.
OLRO Moedas de 64oo r.r Vena t(fooo a lijh
n m* j .' Rova* ,3*"> '**
.-, p1"- deD ***"" 8Wa fjfr
FHATA Patacoes Braiileiros -----------l56o a iftfm
Pos Columrrartes ---.-.. ,|jfo ,1^
_ Olios Mexicanos-----------------w i|i5o i#Jto
Premios das Letras, por me* I tfi a 1 ip por loo ^
Moeda de cobro 3 por loo. dt disc.
Das da Semana.
33 Segunda--- S. Lino P. M.....-.....Sesso da Tnes. Aod. do.T. de D.daa.o. de m
"Terca.....N. S. das Mercec..........RelacSo, e A ud. do J. de D. da i Wi-
35 Quarla--------S. Firmino P. M.----------- Audiencia do J. de l>. da 3. v, de nianr
36 Quinta--------S. Cypriaeo e Jusiiniauo.....Re. t essio da The*, e aud. do J. de D da i o
a7 aexta.....3. Ctsme e Uamio Irs. Mm. Sesso da Thex e aod. do J. de D. da 1 vara "
38 Sabbado------S. Venceslao Uutjue. .---------- Ral. e aud. do i. de D. da 3. rara.
39 Domingo------S. Miguel Arcanje.-----------
More chera para o dim a< de Selembro.
As 4 horas e 5o minutosda samba. As 4 horas e 54 minutos da tarde
RIO DE JANEIRO.
ASSEMBLEA GERAL LEGISLATIVA.
SENADO.
Sesso em 17 de Agosta de i83c>.
Presidencia do Sr. Diogo Antonio Feij.
Reunido numero sufticientc de Snrs. sena-
dores abre-se a sesso ,' e lida a acia da an-
terior approvada.
O Snr. primeiro secretario d conta do se-
guinte Expediente:
Dous "ticiosdo primeiro secretario da cma-
ra dos Snrs. debutados : um acompanhaado
-duas proposics que auctorisa o governo a
mandar passar carta de naturalisaco decida-
do brasileiro a Francisco Ferreira Borges,
e a Bernardo Xavier Pinto de Souza natu-
racs do reino de Portugal ; e outro acompa-
nliando urna proposico que reduz a dous an-
uos, sem dependencia de previa declaraco
l'eita na respectiva cmara municipal, o lem-
po da residencia no Brasil que a lei de 33
de ouliiliro de i81< determina que tenlio os
que pertendem naturalisar-se; commisso
deconstituico.
Sao liaos os seguintes pareceres :
1. Da commisso deconstituico, sobre um
officio do ministro do imperio, no qual par-
ticipa que por communicaco da provincia
de Minas Geraes, augraentaro-se mais qua-
tro districtos eleitoraes $ sendo a commisso
de parecer que, inteirado o senado se ar-
chive o referido officio ua secretatia do se-
nado.
a. Da commisso deconstituico, nos ter-
mos seguintes :
A commisso de constituico examinou a
representaco da cmara municipal da cida-
de de Alcntara na provincia do Maranho,
m que se queixa dehaver a assemblea legis-
lativa provincial exoibitado das suas atribui-
coes em quanto prximo o termo de suas
sessoes por um simples parecer da commis-
so de poderes apprvado em urna so discus-
so, cerceou o circulo eleitoral d aquelle mu-
nicipio, declarando 11 ulas as elei oes parochi-
aes da freguesia de Santa Helena, e da c-
pela curada do Pinheiro bem como os elei
tores que d'ellas emanaro ; enviado o parecer
o presidente da provincia, expedioeste ordens
cmara municipal da capital para que taes
eleilores nao lossem admittidos a votar nos
collegios eleitoraes da provincia para a elei-
codos membros d'assemblea legislativa pro-
vincial na presente legislatura geral e por
quanto taes arguices importo nao menos que
violentas infraeces da lei de ta de outtibro de
i*'\, que no artigo 11 1, exige que o pro-1
iecto de lei ou resolu o dos casos dados,
nassara' ao menos por tres discussoes ; que a
sse papel informe e incuria^no devia o pre-
sidente dar andamento e execuco ; e fi-
nalmente que a liberdade deopinio. outor
gada aos depulados das assembleas provincia-
les no exercicio de suas funeces, nao se es-
3. As commissoes reunidas de constitui-
co e de fazenda exmnaro atentamente o
projecto de lei oflerecido pelo nobre senador
o Snr Lopes Gama concernente s bases pa-
ra o ajuste do casamento desua alteza impe-
rial a Snra princeza D. Jaratara, e n elle vi-
ro a observaucia fiel do artigo 1 la da cons-
tituico.
Se parecercm algum tanto subidas as quan-
tias consignadas para dotaco de sua alteza
nos artigos a. 4- e5. do
imperial,
Erojecto, pelos apuros actuaes do tesouro pu-
lico, ponderao as commissoes reunidas que na
bem fundada esperan a do pro-resso da ri-
quesa que nos afianco os recursos naturaes
do Brasil, nao devem reflexes de momento
acanhar a generositlade nacional, de urna ma-
neira pouco digna d'ella, edo decoro dos au-
Segunda parte da ordem do dia.
Interpretado do acto addicional.
Continua a discusso do requerimento do
Snr. Arencar, apoiado em a do corren te
pedindo que o artigo do projecto da cmara
dos Snrs depulados, eo i. do projecto do
senado que interpretad alguns artigs do ac-
to addicional, sejo remettidos a urna commis-
so para os combinar e dar-lhes nova re-
daceo
E' oflerecido e apoiado este outro requeri-
mento,
Requeiro que se discuta antes de deci-
dir-se o primeiro requerimento se os artigos
sao idnticos e s depois da volacao se trate
do 1. A lenca r.
Dada a hora, fica addiada a discusso.
O Snr. presidente d para ordem do da S
gustos esposos: hesitao todava, acercadas continuado da discusso do parecer da com-
propnedadesemquecomprcfereuciaconvenha'misso deconstituico. sobre a representaco
lundar um patrimonio, se noaitigo vinculo da cmara da cidade de Alcntara: discusso
de Juguara na provincia d Minas Geraes, o do parecer da sobredita commisso, sobre a
qual se naja de comprar, conforme indica creaco de quatro districtos eleitoraes em Mi-
0 artigo do projecto ; se as trinta e tres fa- as Geraes conlinuacao da terceira
zendas de crear gados, de propriedade naci- discusso da rcsolu o que concede lo-
nal, situadas na provincia do Piauhy como terias as fabricas de Andr Gaillard: e Joa-
lembrao outros. lendo um dos seos mem- quim Jos da Silva : terceira discusso das for-
bros requisitado intormaces sobre o objecto .; cas de mar.
e desengaando ogoverno que uenhuns esclare
cimentas existio na secretaria de estado dos
negocios do imperio para nao empecer ne-
gocio de lanta importancia, e urgencia pro-
poe as commissoes que se submeUa delibera-
cao do senada.
Quanto aos outros artigos do projecto. pu-
ramente ateidentaes no contrato esponsalicio,
entendemas duas commissoes reunidas que se-
jo igua mente admittidos discusso.
Paco do senado, i5 de agosta de i^3p.
Levanta-se a sesso as duas horas da tarde.
PERNAMBUCO.
GOVERNO DA PROVINCIA.]
EXPEDIENTE DO DIA 1 7.
Officio Ao Inspector da Thezouraria das
Rendas Provinciaes, respndendo ao seo offi-
- ci a que acompanbou a factura dos Livros
\ isconde de S. Leopoldo. '.larquezde Bar- encomendados para uzo do Liceo que conser-
bacena. V'arquez de Paranagu. Alves ve os referidos Livros na mesma 'Ihesouraria
Branco.Vasconcellos, vencido no artigo 6. at secunda ordem.
Nao me dado emiltir opinio sobre os Dito Aomesmo, ordenando que mande
meios pecuniarios para dotaco do casamento abonar ao Engenheiro J. Boyer a quantia
de sua alteza imperial, quando a vista do ar- quesefizer necessaria para a despeza da obra
tigo 130 da constituico, entendo que nao do conserto do arrombo do Atterro dos Ar-
pode esse casamento ser feito seno a aprazi- rombados, ficando na intteligencia deque a re-
mento do imperador ; e assim sou de parecer ferida dever ser paga pela Cmara Alunici-
que o projecto nao deve ser tomado em con- pal deOlinda em tempo opporluno.
sideraco, seno depoi de ser o imperador re- Dita Ao Commandante Geral do Corpo
conhecido maior. de Policia ordenando-lbe, que mande ven-
Paco do senado, 16 de agosto de 189. der em hasta publica com todas as forma I ida-
Hollanda Cavalcanti. deslegaes os 37 Cavallos constantes da rela-
4 Das commissoes reunidas de fazenda, ma- cao que acompanbou o seu officio de a do
rinha e guerra sobre a resoluco da cmara crtente mez, eque seacho iuoapazes de con-
dos Snrs. denotados, approvando a penco tiauar a servir.
concedida a Antonio Joaquim ^unes ; e as Dito Ao Desembargador Juiz Relatar da
commissoes sao de parecer que a resoluco Jnnta de Jttstca, enviando-lbe o processo
entrando em discusso se;a approvada. ,deum reo militar afim de o rever e aprc-
Os 1. e4- [receres fico sobre a mesa, e sentar em sesso da mesma Junta,
o 3. tm a imprimir. Dita Ao Inspector Geral das obras
itiu uc auua 1UU1.LUU uau se es- mu uc LuiiMiiuitdu a* nuil i eierimj aOHIU a
tende ao arbitrio de conbecer da legalidade | representaco da cmara municipal de Alean-
dos poderes dos membros que anda tem de tara
a____.__ I .. '. 1 .. t *-i llltl*1*Q fti \ t iV 1 it l.i 1 CnrO
entrar na legislatura futura ; enlende a com-
misso que de rigorosa justica pedirem-se
informaces ao governo, onvindo previamente
o presidente da provincia, afim de deliderar-
se com claresa, que alias nao se colbe bem
dos ducumenlos a que se refere a representa-
co.
Paco do senado, 17 de agosto de 183g. -
M. de Paranagu,-rV, de S. Leopoldo.
Fica tambem sobre a mesa a redarn das
emendas do senado proposta do governo e
emendas da nutra cmara sobre a fixaco das
loicas de trra.
Poe-se em discusso o parecer da commis- rente,
sao de constituico cima'referido, sobre a 1 ito Aomesmo, approvando o mappa
demonstrativo dos serviros feitos pelos pracas
da Companhia de Operarios Engajados em o
mblicas, approvando ascondieces com que
oi arrematada por Rufino Coelho da Silva
a sexta parte da estrada de Santa Anto cujo
termo remelteo com o seu officio de 14 do cor-
O Snr. presidente declara que a discusso
do parecer fica addiada,
Primeira parte da ordem do dia.
Continua a terceira discusso da resoluco
que concede loteras as fabricas de Andr
Gaillard e Joaquim ose da Silva, conjuuc-
lamente com as emendas A E d este anno da
commisso de commercio.
mez p. p. que remetteu com o seu officio
de a do correte.
Dita Ao Inspector do Arsenal de Mari-
rieba, para mandar proceder aos consertos que
sao absolutamente indis|)ensaveis
Dito Ao mesmo enviando-llie a tabel-
la dos precos porqu podem ser alugados os
servicos dos operarios engajados.
Iflualremessa foi feita ao Director (kjkr-
senal de Guerra, ao Engenheiro Boyer, e ao
Encarregado da obra da Al/andega.
Dito Ao Chefe da l.egib da Guarda,Na-
cional de Garanhuns, para fazer remelter ao
Commandante Interino do lerceiro Bata I bao
de Artilheria os vencimentos do Corneta do
segundo Balalha da dita Legio Antonio da
'hindade Ferreira, que foi recolhido ao
Hospital Regimentar para ser curado da mo-
lestia que padece.
Dito Ao Commandante das Armas, com-
municando-lhe o contetrdo no officio su-
pra.
' ito -- Aos Agentes da Companhia dos pa-
quetes de vapor, enviando-lhe a conta da des-
peza feita pelo Arsenal de Marinha com o
soccorro mandado a bordo do Paquete Per-
nambucano afim de que mandem satisfazer ae
referido Arsenal.
Dito Ao Inspector do Arsenal de Mari-
nha, commnnicando-lhe o conteudo no prece-
dente officio. .
Portara Ao Commandante do Brigue
Consta 115a para passar para bordo do Bri-
gue Escuna Nictberoy o primeiro Tenente
Fernando Vieira da Rocha, afim de ser ali
Emnregado em qtianto durar o impedimen-
to do primeiro Tenente Jos de OlVeira edo
Piloto do referido Brigue Escuna que se acho
doentes.
Officio Ao Commandante do Brigue Es-
cuna, Nictheroy commmucando-lhe' a ex-
pedceo da ordem supra.
Da 18.
Officio Ao Inspector da Theso tira ra,'
enviando-lhe.uma relaco dos passaportes de
Policia passados pela Prefetura da Comarca
de Santo Anto desde 18 de outubro de 18.T7
al oultimodeJunho de i838, acompanhada
da importancia dos emolumentos ali recebidos
pelos ditos passaportes, afim de ser recolhida
aos cofres da Thesouraria.
Dito AoPrefeho da Comarca de Santo
A nto communicando-lhe oconteudo no pre-
cedente officio.
Dita Ao Inspector Geral das obras publi-
cas ordenando que mande conseriar a lei-
chadura da Priso dos Calcetas do Forte do
Buraco, assim como aprale do paiol do
mesmo Forte conforme requisita o flmmau-
dantedas Armas.
. Dito Ao Commandante das Armas,"
communicando-lhe a expedirn da ordem su-
pra.
DitoAo Administrador Fiscal das obras
pnbcas, ordenando que mande mais um.
calceta para o sen ico da fortaleza do Brum.
Dito Ao Commandante das Armas, com-
municando-lhe o conteudo no precedente offi-
cio.
DitaAoJuizde ireto da primeira va-
aa do Civel, rcspondendo-lhe que nao pde
ter lugar a dispensa do servico da Guarda
Nacional que o Escrivo dos Feitos da Fa-
zenda requer para o seo Escrevente.
Dito Ao Director Interino do Curso Ju-
[ridico deOlinda, respondendo-lbe que ateo
presente nenhuma communicaco foi dirigi-
da pelo Ministerio a Presidencia, relativa a
destribuico da qnota marcada o anno passa-
do pela Assemblea geral para os Professores do
Collegiodas Arles e Empreados dos Cursos
Juridicos.
Dito.-- Ao Inspector do Arsenal de Mari-
nha, approvando a creaco de urna escolla de
primeiras Ledras no mesmo onde os respect-
vos Aprendizes aprendi a 1er, cscrever e
contar por espago de duas horas em cada da,


DIARIO D R
P1R N A M B U C O
baraco.
Pert.-Ao Major Comandante do Deposito.j\,
mandando organizar a ronia'do que se esta mpctenle destino
a d( ver do faldamento ao Sargento O). Medir! Uia >.
Pedro Nolasco da Silva, desde OutubrOi Mu. e Exm. SurFor"o privos hontcnw
de H33 alcudia cm que passoua perlencer'piinha ordem e twerio boje destino: Mi-
ao Deposito devendo enviar aconta a Se- ;;uel da Costa t arneir.) indio, pelo Sub-
crctaria Militar. Teilo de Santo Antonio por estar armado
Dita-Ao Qi i artel Mcslrc ATonso Henorato e urna haionea -mra off.-nder a outrem s
Pastos mandando a requesieo da Thesou-,
sendo cscolhido para Mestre um dos Empresa- fim, e se actualmente ofeieciaisto algum em- ria
dos que ti ver a neecssaria aptidao mediante
Destipendio de una gratificaco mensal.
Portara .Ao Director interino do Ar-
senal de Ollera ordenando que admita no
BUmero dos respectivos Educandos ao menor
abandonado Vfanoel .fos de Lima.
OfficioAo Commandantedo Bri;ue Cons-
tan; a pura destacar o Piloto do mesmo para
liordo do Brigue Escuna Nidherov, visto a-
gtiar-se (lente o primeiro Teen te' Fernan-
do Vieira da Kocoa, (pie foi mandado servir
no dito Brigue Escuna.
PiloAo Commandanle do l'rigue Fscuna
Nitberov comrounicando-lhe o conlcudo no
precedente oficio.
Porlariu-Ao Commandanle Geral do Cor-
po dePolicia para mandar para o tuga]* de-
nominadp Arrombado seis soldados, e binn
(.abo os qnaes devero ficar a dspozico do
Kngenheiro Mover.
DitoAo Engenhcro J. Boyer commu-
nkando-lhe a expediecoda ordem supra, bem
como que dever a prontar una ca/a em lugar
proprio para servir de quarlcl acs menciona-
do-; toldados e Cabo.
COM MANDO DAS ARMAS.
Exvr.niF.NTE do da a no coattEnTB
Ao Exm. Presidente, cnviando-lhc de con-
l'ormidadc coin o seo pBicio de i( dV.goslo ul-
timo novas requisices contendo ibjeci .-
que se acbavo nvolvdi s ein anti; a que
nao tintino sido pelo Arcenal deGucaru no lo-
do salisl'eitos.
it > Ao mesmo Exm. Snr. communi-
cando-lhe que o Corneta de Guarda INaco-
naes de Garandas Antonio da Trindade IVr-
reira que por doente lora recolbido ao Hos-
pital Regimental, nao se acbava addido ao
Corpo de Polica e ncni tinba por ali sos
vennmentos os ques durante a sua estada no
Hospital devendo revi riirem em beneficio do
mesmo niister se Pasia iueao Commandanle
do dito Balalhao houvesse de dar a respeilo as
convenientes ordens
Dito Ao Inspector da Tbesouraria de-
volvcndo-lbe as guias de Florencio Antonio ,
Ignacio Francisco e Serafina dos Aojos sol-
dados da Forca da Poilcia afuii de que Ibes
rana cobrar os vincimentos que se esl ivao
a dever aos Canlas Narionaes de Unas que
servirlo na Cuerea de Panellas Joao Saaret
d1 A/.e\cdo ke Manoel do O' do Nacimento.
devendo depois lser o pagamento na forma
das ordens eslahelecidas.
EXPEDtETfTE DODlA i'v.
Ao Exm Presidente, cidiressando-l]
Proeesso leilo ao soldado desertor do Depol-
to Manoel Andr Tiburcio, para ser pre-
sente a Junta de Justica e obter del la final
sentenca.
Portara-Ao Quarlel Mestre Affonso lio-
n iralo Bastos mandando de rcqui/.irJo do
Inspector da Thczouraria cobrar os vencimien-
tos que seestavao a dever aos inanias Naeio-
nacs de (Juna que servirlo ni Guerra de
Panellas Manoel I odrigues da Penha Mo-
fle ii i.i baioncla-para of nder a outrem ,
fluido foi denunciado; Con calo Gomes dos
Santos-, e Mara Joaqun i pardos, pela
Sqntinella da Ponte do Bairro da Boa-vista
por brga ; e Jo/e prelo escravo de Wil-
li-iii Al.iy ingle/., c Ignacio tambera preto,
escravo de Francisco Antonio de Oliveira
pelo Commissario de Polcia do Manguitlio ,
pelo mesmo motivo
E'oque consta das partes boje receladas
nesla Secretaria.
Da ai3.
Illm c Ex na Snr Forao pre/.os bontejn ;
mi M-
(
_
pela i. palmilla do lis-
res e Cidadc Rodrigo e foro substituidos
por Sbeily e Oyos. Di/.em que o Conde
Dlas Navas est nomeado Embaxador para
.ico.
Asearlas de Bayonna de 4 t,G correte ,
ditera o seguinte ; Foi inviada ba Real ordem
a Maroto por Montenegro, Ministro da
guerra de D. Carlos em dala de i -< do me/,
passado, na qual depois de tratar da exe-
cranda conduela dos Christinns que tem
laucado logo as cerras dos pacficos bahlanlcs
de lava propagan e escrevem em termos
os mais indignos as maiores intrigas por
entre os poneos apostatas do partido Real,
alim de fomentarem a desuniao entre Cabrera
o illo Marorlo e indu/.irem oprimeiro adeso-
bedecer as ordena do sen ligitimo Soberano
Montenegro continua asseverando (|iie o Co-
ninba ordem. etivero boje destino Mara i verno viga oprocedimen lo dos traidores, e-
ie/.ar dos Res, Joao Francisco do Espirito prevenir;] os meos de circnlacao epropagaco
ianto, Claudino rlypolito, e Francisco Luir, de semelbantes imposturas, queS M. <\c-
de Seixns pardos
trido de I ora de orlas ,.11., e o por es-
pancamonto ov por se querer oppor pri-
zao do e o \ por querer tirar os ditos
i
testa e est firmainenle detreminado apunir
lodo e qual querdoi seus vassalos ou seja
militar ou paizano, que partecipar ou
for conivenle em semelbantes maquinacoes.
A seguinte passageni foi extrahida de hua
carta do I enera! Carolo escrita a lium dos
seus a migos na fronteira ; Eu conbeco os
noel Mauricio e Joao Severno, Casendo de- | pre/os da mesmi patrulb-i : Joaquim Joze dos
noiso pagamento na forma das ordens estibe- : Santos Vital e Manoel Lobo de Carvalho ,
lecidas. brancos por um OHicial de Polica por de-
Dia 16 /ordem : .loatme Honorata de Jezus parda, meus inimigos os quaes traliallio com o
AoExm Presidente, remeltendo-Mie*m- pela t. palrulba do Carmo por l'a/.er a!ar-! maior ardor na mesma aniquilacao ; eu nao
pc'entemente informado o requeriment do dos com encommodo c'a v.i/inban a 5 Ancclmo, Paco cazo das suas intrigas porem si
recruta Ignacio Joaquim Passos Jnior que prelo. escravo do Padre Joao Francisco IV-
pedia demi o allegando, e trovando conf'dn- toza por um soldado de Polica por ser de-
cumenlos, que nao podia ser violentado a ser- zordeiro ; e Ancclmo Ramos tambem pre-
virna 1. Linba por estar izempto na forma lo, pela, palrulba da Boa-vista, por es-
da I ei. lar ebrio e n
DitoAomasmoExm Snr., remetiendo-' Nao occorreo inais novidade.
Ibe competentemente informado o requer-'
ment do Major Fernando da ("osla que pe-,
da o ajuste de suas coutas e o pagamento
da gralifcacao de Campanba e quanlilativo
marcado para uazas quedeixon de peacelter
durante o lempo que este destacado na Provin-
cia do Pan!.
Noticias Esran cauzarem algum mcommodo, ou prejuizo,
amesma vihganca ser tal, que exceder mili-
to aos sanguinarios aconlecimenlos de Estella
(TheFimes )
Cont'snoiidei.cias
Sis. Redactores.
I isem os Znngesde n sas ((ilmciaspie lu-
do est perdido, que se acba sim remedio o
Perpinban ">!\ de Jullo.
O General (>' Pcnnell allacou em 17 do Brasil; que be necessaria huma prompla
DitoAo director do Arsenal de Guerra, corren le com 1 L'000 bomens 11 batlia- cura aos males da I alna osquaes so se po-
mandandoasselar prara na Companbia d'Ar- lb"'i Carlistas entrmeberados em roda der. alalbar or meio d'uma austera tbera-
tifices emqualidade de voluntario, ao Pai- da villa do 1 uetna desbaralou-os tomonas peulica., excedendo-se at mesmo toda a mo-
/ano.ToaoRomaodeSou7.a, oflicial dealfaiate suas posices c socorreo o Cenca! Aznar deracao e prudencia nos diagnosluos da mo-
desse conveniente destino, visto que por talla l ,. ,ora necessara ;u.lid;io. que se acbava inserrado na dita villa Palto lestia ; isto' que sem atlendencia a origem do
de rubrica, e s;ll nao -xliao ser cobradas DiloAo Major ommandanle do Dcpo/i- b- pvirfiM. Iste acoolecimento que lie mal, devem-sc npplicar remedios custicos,
lo, mandando a-senlar pr.ica emipnidada de da mais seria importancia, prova nincanari- e irritantes anda que csi.m.ilen. a parle ol-
volunlarioao 1'ai/ano Jo:io Carlos Garateante dade de Cab:e/u que tendo segundo elle Pendida. Mas pergunlo, sera essa medicina
('Alhuquerqun que se quera dedicar ao diz aoooo homens dtebaixo do sen com- bem indicada ? Julgo em meu iraco modo de
sei vico Militar mando, nao tratou de socorrer as tropas que pensar contraria aos principios d Arte. Oh-,
PortaraAo Coronel Director da Arsenal sercarao Lucena. servemos' pos os symploinas de 1:111a tal cnler-
de Guerra, mandando abrir senlo de praca Alexandria 6 de hilbo- midade a fim.de que, con. cotibecimenfos
na Companbia d Artices em qualdade de Em hua carta do Cnsul Austraco datada mais exactos possamos caractensar a molestia ,
voluntarios aos Educandos do mesmo Arsenal em Aleppoen-.(i do mez passado selose- e vermosse com elleilo be tao jiengosa como a
Antonio Jo/e Montciro Flix Jo/e ilicia guinle : Oexercilo Oltomano commandado pinta. Os aturados padecimentos d um (io-
Francisco de arvalbo I .essa Francisco Al- por Hafiz-Pacha sessou bonlcm de exestir verno transado tiranno, e eslrangeiro ese-
ves Ribeiro Joao da Paixo Joao Fernando depoisde buacurbonodade trezoras OsTurcos rao-nos separar |)rematiiramenlc d'urna Ve-
de Xoronha Joaquim Mililo do Amaral arremcssro as armas abandonaran a sua treple nossa declarada inimiga ,e en tafo la-
como se deprebendia de seo officio de 4 desle
me/.
Dito Ao Administrador Fiscal das O-
lnas idlicas, diseiulo-lbe que ficava entre-
nue do sentenciado Francisco Pedro que se
destinara ao servico 4 Buraco.
Dito Ao Commandanle interino do For-
te do I uraco discndo-lbe que o sentenciado
Francisco t'edro bia substituir ao Calida
que lora sollo por ter cumprido sua scnU'i.ei.
Dito Ao Major Comandante do 1 l!a-
talao 1 rovisorio Expedicionario ao Maranbao .
acusando recebido o seo olcio de 3 de Agos-
to ultimo, que acompanhou o mappa da For-
ca sob seo Comandante e rclaco das pracas
que deixaro presta oes cm soccorro dj suas
familias nesla apilal.
Dito-U mesmo dis.ndo-lbe que a lelura
dos aun uncios de despididi Icilas pelo l-
enle Francisco A (Tonco Xavier Pastos e o
Alfe.rcs Francisco Joz do ro/ario, ambos
do l'atalbao do seo Comando, fo-lhe taosen-
sivei quanto salisfaloria a do seo ollicio de
> d'Agosto ultimo que revelava a talcidade
de laesaiiiiuncios. Que querendo re.-taln!ceer
o crdito desiesdous ollicios avia mandad ) dar
publiiidade pelo jornal ao seo dito olbco, com
o nue se sanara o mal 1)110 gratiluamentc Ibe
causn o Redactor Sentinella da Liberdade
Paraibaua
Dto-Ao Major Commandanle do 1 lia
,.n.;_ t___:....!;,, ,1, ('.,,.!.. *________i- _-
.u.iiau lutuui.0 il- \..^4v.a..w* 3 ii' '.i/.a 1 un 1 c
i biilo o seo olcio de iq. d^e Agosto desle anuo,
c di/.eiido-llie qqe ficara mlendo de sua ebe-
gadaa Provincia do Maranbao e da ma,nera
ilencii.mi com que elle e a Expedicao Pora re-
ebido pelos habitantes, e Autoridade da
na
l)ito-Ao mesmo ordenando-lbe a remessa
(',i relaco das Pracas que deixaro nesta
iilal conforme se Ibe tinha anteriormente
terminado.
Jilo-Ao Major Commandanle da l'oil.ilesa
d.) lirum, diseiulo-lbe que so era prohibi-
do, a tirada d'areia do Islbomo de Olinda ,
i.) mesmo Istbcnio 4 e suas ribanceiras na
I irle cosaprebeudida entre a Forlaiesa e o
., re do Buraco, e nao as comas quenas
mar oerecera e leilo do Ro. [Eidas somante consta que Ibro pre/os l.onicm
Dito-Ao mesmo para informar se o Labo- a minha ordeai Ridoro d'Oiveaa Camj
j poda tiabalbar no fosso da Forlilc-a, lianco, pelo Sub-Prefeilo de Sanio Anlonio
isa que oulrora fui edificada para esse j .or^inquietar urna familia c Tbomazia Ma-
l liciano Jo/c Joaquim Manoel do Carmo aililbaria e niunices efugirao em diversas gueira se nos aprsenla a suspirada Iudepen-
Neohum ddlessecheOU ao Eu- dencia. Ficaos Brasileiros senhores do ler-
e oquei-
conviniia adoptaren) o
que mais accomodado
scestao r dever ao ex-soldado Fui/, lo/e pelo a Ibrabim Pacha, que dcsarmasse os Sa- fosse aos reciprocos interesses d'uma iNaeo ,
"c repassarem o novamente Constituida. A forma Bepresen-
\endo lazer o pagamento na forma das ordens Fufrales a fim de nao perlurharem o socego lativa f abracada como a melhor.
dequego/avao An anbaoudepoisa guardaavan seo grito d um G<
Pessoa e Jo/e Anlonio. direccoes.
i itarAo Quarlel Mestre A (Tenso Honora- frates, cuja pasagem tinba prevenido Ibra- reno que occu pao e com a aca ,
lo Baslos mandando" de requ/.ic.'io do Inspe- bim Pacba. Os babilanles da Cidade de A- jo, como l disem ,
clor da Tbe/.oiiraria cobrar os vencimenlos que lepopcdiro por meio de ba reprezentacao svslcma deGover
que lepo peni rao ,_p
J"
temi (pie servio na guerra de Panellas, de- liados Hafiz Paelu
vendo (iizer i
eslabc'ecidis.
'ROVLMA!..
rno
antes de
TI1EZOURAIUA
overno leilo liara a Sacao ,
ca 'adoexerctoEgypcianocommandadoporDs- e um Rei fcilo para o l ovo. Nao ouvi discr
man Pacha ,. comessar apassar o Eufrates .! eolio que a Naco trabalbaria so para a eleva-
segundo oque dclreminar o.ycras-Kier Fgvp- cao. e slenlos.! riqueza dos i.ovemantes,
cianno. Cs F.;v|)cios linbao aprisionado ma- riem que o Povo se deixaria coniluzir cegamen-
A Tbe/ourara Provincial nos diasaf, e is de (l ooo Turcos e en I re os |)ii>ioneiros te pela lyrannia de um Rei, que abusando do
5 docnrrenle mez paga aos Prolcssores de se ciiconlraio alguna oficiaes glezes os poder confiado se lornasse injusto e perse-
.(|ual(|iierclasse que seja os vencinienlos ale o qnaes lem sido inuito bem tratados por Ibra- guidor de seus subditos^: porem mal soa\a i os
fim de ,limbo desle coi Tente anuo.
Tbc/ouraria ProviiicialdePernambu.ro a3
de Sdcmbro de i*3o.
Joo Manoel Mcndes da Cunba Azevedo.
i iiczourciro.
k IV('>';iS jt('<);! I'J ICfieMS.
ALFANDEGA DAS FA/.EADAS.
- A Pauta be a mesma do numero i83.
MEZA DO CONSULADO.
- A Pauta he a mesma do numero iqp.
PREFEITURA.
VARTE DO DIA 'J l DE SETEMBHO.
Illm. e Bxm SnrPasparles boje rece-
i
i...
;iii
bim 'Pacba bvmnos ein louvor da Consiilui o, quaudo
Marcelba -,5 de lulho. j a tracoera ambicio de embosca !a tenla-
Fm V> do correle ; se sabia cm Alexandria va, sordina, e sediciosamente contra o ine.x-
a morle du Sullo. Em c) hira Crvela perlo Monarcha que mal aconselhado peloi
Turca ebegou a Aiexandria conuuzuio a mesmos queoitaia, abri caminlio u uis-
bonlo Kegil Bey Cmissariodo apilao Taclia, cordia demolindo o edificio apenas eomeca-
(r.earregado de anunciar ao Vece Rei apre- do. Vimos poresse terrivei exemplo serem os
/enea do mesmo cm Rbodes ; o qual Ibe pro- nossos perseguidores os do mesmo Monaicba.]
punha de por a Esquadra Turca debaixo da D'abi data pjnossossofiimenlos. Ocoatagia]
sea proteceo, e garanta por Cftllza das foi
|)erlur!iaeoes que /o hceavao na Tui(|iiia em vernar. J rmo 'o amor" da Patria mas a.
eqoei a da morle do Sullao A resposta sede insa'iavcl das rique/asque com oiga ras.o
de Mebemel all, ainUa nao be condecida, impera no coraeao dos Brasileiros Nada os
Sal e-s que elle despachen! o Parco de vapor farla ludo c piuco c eis a primaria raso
t'ar-NegVo, ao Capilao Pacba Atoche- de todas as nossas desaven as polticas ^ He
cu o .'.!e\andria AskielT FPende invado pe- verdade que uns vivem de barriga eheia, pm
,1o joven.Sullao pata partecipar a morle do sen quanto que a maior parle, ( o pobre povo ) a
av a Vd,<-mel-Ali. tem pregada no espinnaCXr. ( lama contra a
JornaldosDebls, dizqueosRussos niofi/ero rebcldia dos povos tacha") de flacas as I.eis ,
a mais piquena demonslracao no Bospboro. edeseiando violentar a I.ei fundamental que-
I ndres ode Agosto. rem governar ao arbitrio das paixes. Disem
A nossa correspondencia de Madrid chepa qu Po\o ainda sem cullura nao .leve ser go-
ao i. do concille. O Ccneral Esparte 10 1 avia vernado por Iris tao benficas, fundadas ein
informado o govci no que logo que as h rii- principios de cquidade e na boa rasao de u
licacocs d'Aniurrio estivessem acabadas elle apcrl'ci ILEGIVEL
I
%


I I
1
social tloutiina de espartos velhacos Soli-
c-ila-se meios fortes com que se amedrente o
incauto Povo. Mas pegunto gue parle tem
a ignoranca/o Povo as ms acges dos avisa-
oes, em quem deposilou sua ponfianca
seu bem estar ? Que culpa tem ella era-se
partir dlnhciro a raaos chelas como caslanhas
a meninos e coi
Cpntaudo-.se com
asistas trabalha cora a mi do gato para [ prudentes ,**e se acazo houverem de lomar
nos agrilhoarem c carregar-nos de ferros ; i a calumniarme cu duvida nenhuma terei em
querem-se erapoleirara nossa cusa, nao sao, os chamar ao Jury Tribunal competente bn-
nem scro nunca Republicanos. J conheceis de a verdade se patcntca e cnlo eu Ibes d-
a rasao do mal que vos aflige convem re-tl re que sendo liomem nao tenho a viilu-
e- medial-o, |>oreracora valor, prudencia, e de de osa turar como dito meo Mano,
as rejignacao. J sabis por excmplo que os vos- Qucirao Vossas Mercels por obzequiar-
pnra
re-
corrirair-se urna divida enorme, sos Represenlanles nada azem : que alisorvem me eserir esta o seo diario,
ma bolsa alheia-? Que culpa o lempo em discusses inuteis sobre a falla do Son de Vossas M
tem o povo na tortuosa administraco dos chi-
mados Sabios, ou sabidos, que entregues n
corrupto dos vicios e maldades, su da eu
bempa. cular euidem em detrimento de seus
seme liantes ?
Km que culpado o povo que seus Procu-
radores com algumas honrosas excepees ,
zumbando dos mteresses de seus consliluintes ,
soteubao empreado at boje ojempo em
tvolas discusses e vans iheo as, e seria-
mente s<5 tratera de impolgar o poder e der-
ribar oque est de cima/ Que eulpn temo
povo de se arranjarem lanos afdhados com
niame-la injuslica doproprio mor, cimento ,
no em tanto que o bomem laborioso o hones-
to pa. de familia v-se curvado com o pezo dos
tributos e lodo o genero de vexacScs ? E
concederla o povo poderes para ser opprimido
e maltratado? Creio que nao. E haver em
oulra parle dos mundos conhecidos algum po-
vo por seu natural to pacifico 'o pru-
denle e sofredor como o povo Rrazileire '
Nao decerto. Desenganemo-nos pois que o
mal parle desses mesmos parsitas que de
nossas substancias se alimenlao ; elles sao que
nos tem sobrecarregado de imposlos e tributos,
sao elles, que jamis salisfeilos com osuper-
Ruo a custa de nossos suores c fadigas tra-
tad de immoraluar, e corromper os bons.cos-
lumesdos povos ; a elles se deve a ruina da
Patria e nao ao povo humilde que em si-
lencio gemedebaixo da carga e consirangido
acredila em qualqtcr oulro avemtureiro. As
rebellines, que entre nos vao apparecendo ,
nao sao, senao (Ibas da perfidia e dcsleixo
da maior parle dos Representantes, eda cor-
i-11 ; i. > < 1; Magistrados venaos, que nao s
poslerga as Leis por dinbeiio, como pela
niais criminosa coudosecn encia. excilao os po-
vos a se rcvollarem. Basta de engao, nao
nos Iludamos mais. Realisa los os pronsticos
de nossas obser\ aees em nossas maos est a
nossa salvacao sejamos prudentes, porem
nao nos debemos conduzir cgamente p ir bel-
las appai encas e exterioridades : sigamos a
v nlacle que o remedio ser prompto e eficaz.
Se o deleito existe entre nos pela conhccHa fal-
ta de luslracao e\erdadeiros principios de
sahedoria; c se huma, bera que Divina,
Cousliluicao em nada lein melhorado a nossa
sorle como crer que urna oulra forma de Go-
verno venba reformar os inveterados coslumes
adquiridos, ou herdados de nossa educaco
tassada ? Em que melhorariamos com huma
publica ? Quem seriao os seus Govcrnantcs?
Os mesmos qne boje com huma Cousliluicao ,
que ponen dlfer s cuidad de cnxer-se e
Salisfazer seus illimilados prazeres por meio da
opprcsso e tyraniiia de seus mesmos {uni-
os mesmos que assim como trafra o Pa de-
seja^trair o i'illio ; os mesmos em fin que
nao toru duvida em alraicoar a propria Patria
para ihupar-lhe o s,iiiue, e reduzil-a a mais
nefanda ,. eabjecla e cravido. O remedio
nao esl tanto na nuidanca dasleis como no
aperelcoa ment da rasao, e observancia del-
tas. As sedieocs sservem de diminuir e
e lira uecer a nossa popu lacio e lomar-nos
dyois ao mais frentico despotismo. Os que
n illas representas;, e influera sao outros tan-
tos avenniieiros que valendo-sc iU> descon-
tenlamento, causado por nossos moslracos, in-
c.ta e .-eilu/em as classes menos avizudasa
cavarem sua propria ruina.
Saqueia nossas iilades devastad os nos-
sos campos perturbad a ordera publica ma-
tai) e perseguem atrozmente a seus mesmos
COncJdados..' mas, linda a bonenda catstro-
fe, que vem a ser desses {runos d lime
i Mcrceis muito ,
obrigado c Patricio
Joz Francisco de Souza Magalhaens.
Sis. Redactores. -Nao posso consentir en
una inevaclidao qu descubro no ultimo pc-
Throno e que apenas adiaulad as I cis lr-
bularias com que se vos pprime : ; salieis
qne os diuhelros pul lieos em vez de serem
desiinados as verdadeiras necessidades do lis-
tado sao destribuidos com araplidade e pro-
fu/ao entre favoritos, c imitis Crlenos : rlodo.do Comraunicado que vep transcripto no
que nossas I,eis eIao quasi reduzidas a dona- seu Diario de boje N. volj. Tratando o Com-
livos cenlas, e que tudo sto sai de nossas mitineante da nomeucao de un Juiz p.erma-
coslas: que a reproducn dos Em pregados terti nenie para substituir aos suspeilos e impe li-
lornado grande numero d'liomens vadios, e dos, diz nao comprehendemos, eatjlga-
ociosos queso se oceupa de subir a cousa ma- mos mui pouco 'e d que esscTttiz exerca di-
ior, ou emprego mais gordo, lucrativo. fiuilivamente urna das varas do Civel, e ou-
No vos afasteis dos limites da Constituido.,' Ira do (Iriine conservando sempre a m sma
porem emendai a mo no conbecimento doser- qualidade de substituto porque apnartce o
ros: resist, nao com as armas ensanguen- inaudito abuso de ser snb-sl iluto de si raesmo
tando vosso paiz mas sim co a Lei,e a rasfo ; &c. &c. Multo respeilo os talentos do Au-
para islo leudes o 'o do Art. ^g da mesma lor do Comraunicado, quera quer que elle
Consliluicao em que vos authori'a o clireilo de seja mas pesso-lbe hcenca para de: lar ir-lbe,
E
pelico. Sede exactos, e escrupulosos em
vossas Elcicocs: escolhci pessoas de bem e
de reconhecido merilo prefer sobre ludo a
Proprielarios abastados c Senhoras de Ierras.
Sao estes que molhnr cstao no caso de prcsla-
rem servicosa Patria c que devem gratuitos ,
evolunl.-'riosserviremde Iicprescnlanles Pro-
vinciaes para darem instrueges aosGeraes,
prescrevendo-lhes as rearas que devem seguir,
segundo ovlo da Provincia. Torcos > he
conessarmos que o Legislador que regulou as
Inslrucgoes sobre lileicocs foi pouco minu-
cioso em prevenir os abu-os ou em n mediar
os inconvenientes da ignorancia falla sera
duvida de experiencia, e observando; mas
que a devenios notar convencidos de ser em
parle, pouco adniissiveis entre o nosso povo,
e julgoque em qualqur outro. Acostar me-
he a opiniq de nm Poltico moderno que
diz faculdade.de eleger Representantes
*) deve perlencer a verdadeiros Ci ladaos inte-
ressados no bem publico c liga los a Patria
por su as posscsses : este lircilo nao perlence a
urna populaga vadla de indigentes v ij ibundos,
d'almas vis e mercenarias : a | a!avia Povo
nao designa em tal caso urna populada imbcil,
que privada de conbecimenlos c de bom sen-
so pode a cada momento tomar-se o instru-
mento e cmplice de turbulentos detr.ago ;os.
que intentaren! perturbar asociedade: deve
ser attendido e olbado como Cidado o bo-
mem que vive honcslanientc do (rucio de sua
possessao o pa i de familia que possue Ierras
em Im paiz. O arlisla o mcrcador eoas-
satarado, devem ser protegidos relo Estado a
quem servem a seu modo mas u-O devt ni ser
considerados verdadeiros mcmbns, senao
quando por seu trabalbo, c industria rt-nliao
adquirido Bens de raizes. C'est le sol, c'est
la glebe qui fail le ciloyen A tena consti-
tueabasc phisici e polilica de um I stado ,
THEATRO PCJBI KQ.
ffoje >^ era beneficio de Josefa Candida de
IMello e C. se ha de por cm scena um bri-
dice com rasao oulro.. No meu humilde mo- Ihante Expectacnlo pela maneira seguinte
i\r\ <1\ MM.. !I.S ___^ ._______ .1-,____*- ...- i\ I 1 .! *____ 'n____! ni
que nao foi exaclo : he verdade que o Substi-
tuto dos Junes do Civel e do (.rime, o Sr.
Dr. Carneiro da Cunha foi nomeado Juiz
Interino da segunda Vara do Civel, mas he
tambem verdade que pelo fado desla nome-
aco elle deixou o primeiro cxercieio c ncsle
caso j mais se pode dar o inaudito abuso de
ser elle substituto ele si mesmo. Creio Srs.
Redactores ter dito(|iianlo basta para provar o
contrario do que a respeilo se le no Gomara-
nicado rstando-me rogar-IIhs que '.c dig-
ncm adniillir cm seo Diario estas poucas li-
nhas bem como a Portara que lbe segu ,
com o que muilo obrigar ao
Seu Amigo e Assignantc
J. R. F.
O Prcsidenle da Provincia allcndcndo
ao mcrecimerito 6 mais parles que concorrem
na pessoa do Racharel Formado Francisco
Joao Carneiro da Cunha e auctorisado pelo
Art. 11 da Lei l'ro\incial N. ;p de iy de A-
brilde i83S ; o Nomeia para exeroer interi- seus com plenles fiadores. Consistorio da Ir-
namenle o lugar de Juiz de Oireilo da segn- j mandade do Apostlo S. Pedro -j i de Silem-
da Vara do Civel desta Comarca em quanto( br de 18J9 -O Padre Vicente Percira da
durar o impedimento do Radiar A Urbano Sa-' Silva Gui maraes, Escrivao.
bino Pessoa de Mello perecbendo o ordenado \~j- Precisa-se de um creado hbil e prc-
eemolumentos que lbe compclirem. Palacio fere-se creado conpeiro e que d conbeci-
Lentcsdasdivrsas aulas san de um mrito re-
conhecido.
Avisos Diversos.
\CT Offerece-se para ama de casa <\c ho-
niem snlleirn ou casado com poitca familia,
urna parde meia idade e de loa conducta ,
ptima oosinbeira c engomadeiraetc. : quem
recisarannuncie dar se procurar.
Os >( ;;t:iiial,u'n da cava di fallecido
Sr. Antonio Marques da Costa Soarcs pie-
vcm as pessoas a quem convier (ue a ul-
tima Pa a para a venda dos bens j anniin-
ciada fica transferida para o'dia >] do cor-
rente ; e igualmente tem aprevenir aos Srs
que perlendercm comprar os Engenhds Tra-
piche e Agoa-fria e trras adjacentes, que
no dia 4 de Ouiubro tenclonarh partir para
os dilos Engenbos aoude os enconlrorao para
convencionarem qual quer negocio relativo a
est fim.
L^" Urna Sen hora se offeresse para ama de
urna caza de porlas para dentro e da fiadora
sua conduela ,110 liceo do 'adr i). '.
C71 Peanle a Me/a actual da Irniandac'c
do Apostlo S. Pedro desla Cidadc, e do lllm.
Sr. r. Juiz do Civel da 1. Vara se hade ai-
rematar a quem mais der as rendas das casas
de seu Patrimonio por tres anuos ; sendo as
seguinlcs Pateo de S. Pedro ti moradas de
casas D. 10 11, I, i3 i e 15 leco
da VracSo urna dita D. art Ra de Hurtas,
duas ditas 9 e ai Re o do I.nbalo, urna
dita D. a4 Rua do Padre 1 loriano duas
ditas D. ly e ai Rua do NogUeira urna
dita D. o. Defronte do Quartel da l'olicia,
tuna di'a I) y Palco do Hospital do Paraizo,
urna dita I), o Rua \ ellia da Koavsta du-
as ditas I). 14 c .'8 lina doAragao, uma
dila I). 1 Rua da Gloria urna dila 1), > -
Ruada Sentalla velba do Rccife una dila
l). 4o. = As pessoas que as quizeicm arre-
matar podero comparecer no Consistorio da
mesma Irniandade no dia v6 do corren le mor.
deSelcmbro pelas 9 horas da nianh com os
do Governo de Pernamhuco iJi de Agoslo de
iWy Francisco do Reg Harros.
lotera DA ROAVISTA
O Thesoureiro da mesma faz publico que
as rodas da a. parte da 3.* L (cria a favor
das ni iras da mesma Igreja correr impre-
tcri\clmente no dia 7 do mez deOutubro pr-
ximo vindouro.
do de pensar julgo que ninguem deveria sei Represeulare-ha a belissima Tragi-come-
Eleitor sem que possuisse pa a mais de dois da denominada o-Grande Capitao Bellia-
contos de reis e ao menos um por bens d
iz. Uesla e.aiK-ira estara o mal s.in.-.d > .
que possuisse j
"e ra
e as
nossas cousas lomaran mais acertada d.r.'cc.lo :
nao se multiplicaras lanas lisias nao appa-
receraO tantos ambi< osos: as caballas dimi-
nuiras, c a intriga, edesunio nao alenta-
ran o crime c a destruicfb do nosso frtil ,
e invejado Paiz. Cousllnigao, e Pedro a. ,
SOCIEDADF, THEaTRAL.
be
m servirao aesses tigrjs
c>m (i,,ura humana P Coisi alguma ahi (ica
desgracados trapilhos e ruin/id a fome ,
pa miseria Pernambuctnos convencei-vos
Silesias verdades suslenlai a Cjuslilui ao o
j Nosso Jovem imperador e a iniegridadc do
T Imperio e nao consi;ilacs que se altere o Pac-
Jo fundamental. xNada de Dictadura legal ,
empri' ilegal que seria acabar com a Cons-
tuicao e com o Throno de nosso aluda in-
Bbceiil N'onaicba em qncm devenios fundar
ludasnO"is e-peancas. Dcsconfiai da
kiuc encarando as dficulddes do embucailo
Iregresso pregan e acoii-elba imaginadas
.Repblicas, SO com o fun de lianslurnada a
'' )rdi:iii,pUi,l.iicin o gnverno dispolico ; csse Go
verno odioso que vilmente, sempre nos avil-
Ipu e a quem por Iwixa bumiliaco deve-
-*hos ,-ic hoe o iriso ;:lra/.o. Os malrriiQS
nada mais. U6 o que devemos sustentar.
(.'om liaba he, c perseveranca conseguiremos O Emprczarlo acaba de receber do Rio de
a nossa felicidade e viremos a ser um Povo' Janeiro pela Rabia agrande Peca A Re-
rio a qual se desempenbar com todo oas
sci pompa e brlbanlismo qne pede oseo
utor. No fim da Peca canlar-se-ba o Due-
lo Vou na barca de vapor Dar fim o d-
vertlmento com o jocoso eengracado Fnlre-
mez (jue se intitula Os Louqunhos por a-
nior.
livre, e respeilado. Sao estes os bous desejos| conciliacao- coniposla pelo Dr. Soarcs, an-
de quem anbella aventura e presper la.ie de lor do l'.spezo Pinlor a qual mandn vir
sua Patria p,ra ofTerecer a Illusirc Sociedade. Anda ha
O verdadelro Brasleiro.
Snrs. Redactores.
Dezejando < 11 d tendera honra do meo Ma-
no o Reverendo. Padre Prior do Convcntodo
Cuno do Recite, Frei Thomaz de Santa
Maiianna de Jeztis IWagalbacns menos ca-
lada pelos seos em los (islo b seos companhel-
ros ) que mais serio capazes de olmllarem
as suas virtudes ; come feilo fallei spbre o
procedimento d'e)lea terem arrendado o En-
genbo sem que o dito meo mano como Prior
estvesse jirezenle. Agora porem querendo
elles dar hum colorido ao atrevido anuncio
cmserido no seo Diario de i4 do concille ,
lembraro-se de dizerem que eu andava sol
P
alguns lugares para Socios; os perlendenlcs
diriia-se ao Sr. Ucrculano Jos de Frei las ,
riuijai)
lina j'racinba do Livramenlo.
protesta-se proceder contra quem a liver
nao entregar na camboa do Carmo I. 9. j
THEATRO DE OLINDA.
Ultima Recita.
i" de Onlubro dia do Ponto Beneficio
da primeira Dama- Tragedia Fayol Du-
do e a Fura- Creada Rclorica.
COLLEGIO PFRNAMPCANO.
Boa-vista na l'ormoza
O Collegio Peinambucano encerra em seu
citando Letras contra o Convento ; e como nao! seio todos os preparatorios que a lei e ge para
obstante en estar serio que o Publico piolas Academias oe Direito e de Medicina do
acreditar em semelbanie aleivoza 5 por isso Imperio, a comecar desde Pritneiras Letras*.
que en no Caco figura nlguma na quella Co-, assim como as materias que formam o curso
iiiiinidade por isso be necessario dizer ai cora pcelo de ("ommcrcio paraos alumnos
aquclles Padres que sejao mais honrados c-| que lera de didicar-se a esta profissao. Os
nenio de sua conducta : quem esiiver ncslns
circunstancias dirija-se a caza de paslo da rua
dos Qurleis D. oilo a tratar com o dono.
C5" Na rua do Colov; lio casa D. v; ha
quem se proponba a tomar algnnias ci auras
j desmamadas para se acabarem de crear com
lodo o mimo eamor; ,e lambem se recebem as
(pie liverem ama para se creareni com Icile
IS1 mesma caza lava-so, e engoma-se leda a
qualidade de roupa de bomem e de Si nhora ;
tambem secse tocia e qualqur costura bor-
dados laberintos c marra-se.
%^T Roga-sc a pessoa que livor em Br.a
casa uma escrava crioula de nomo Fran
a qual inlilula-se forra e lem os signis -
tes, prenha, baixa fula, pe apalbelados, o
uma sica^'is na pona esquerda. e foi osc
do fallecido Lima morador ora S. Goncalo .
e
e n.-.ii
tSW \ ende-se urna crila de a annos com
as segulntos abelidadee ptima cozinlieira, e
lava de sabao. engoma bem, e coze cha na
camboa do Carmo I) 9.
fe^> Carlos Van Nos Professor da Lngoa
ingleza no Lvcco desla (idade tem a honra
de noliciarao rcspeilavel Publico, que pode
adniillir lo sen esludo particular aleo nu-l
mero de quattxi Srs. que se queia dedicar L
a aprender as lingoas Franccza Inglesa tul
a Hospanhola tanto a Icr e traduzir como I
escicvcr c fallar des d as tres horas da lar-
de at s nove da noile na sua residencia rua
de S. Francisco junio casa nova do Sr. Ir.
Tcixcira, como igoalmcnte em suas proprinsj
cazas as seis horas e selle da man'h. Os Srs.
Rstrangeiros que deseja aprender a lingca
Nacional, podcmdirigir-se igualmente a ca-
za do cima mencionado.
C7* Pedc-se encarecidamente a ccrlo Com
mandante de umdos Ratalhoes de Guanta na-
cional que por amor das suas entranbas quan-
do heuver de ir passar Dias (ora desla praca ,
que deixe pessoa que osubstilua : ese deixa'
fa a com que este seu successor vi le no cttm^
primelo de seos deveres, para nao acontecer ,
que um Guarda Nacenal por urna falla de
servico sofra qualro dias d^priiafl I exei po se
be de Lei ]Islo pede um qne tambem grs'a
de ver ......
XST Aluga-se o 1. c andar pa praciaha do Livramenlo loja D. ao lado do
poentc.


Precisa-se alugar urna ama de leite; na nuncio a quem convier, que nos dias 4? a5,
praca da Independencia loja de chapeos nu- ,e 9(>do corrente se ha de arrematar em hasta
mero i i. hublca na praca do Commercio perante o Dr.
tST O accionista das cautellas correspon- Juiz do Civel da primeira vara, o -Brigue
Triumpho Americano com todos os seus per-
tences cujo inventario se apresentar no acto
da arrematadlo sete escravos marujos um
sitio na onte d'Ucha com casa de vivenda, e
ardores de fruclo, e um dito no arraial.
d> Precisa-se de urna ama para mama-
mentar urna crian a ; alugo-se 4 escravos
para o servico de campo ; e compra-se urna
canora que traliallie com um cavallo.
tsf Precisa-se de um criado para um en-
genho distante desta praca 4 legoas ; quem a
isto se proposer dirja-se ao segundo andar do
sobrado D. i o delronte do Theatro.
Avisos Martimos.
dentes as tres loteras avisa ao publico que as
rodas da Lotera da Boa vista correm imprele-
rivelmente no dia 7 de Outubro conforme
annunciou o Sr. Thesoureiro por isso avisa
a os apachonados destes jogo concorrao a com-
pra das cautelles da mesma Loteria as b pon-
tas \>. 9.
M.r- Manoel Ignacio da Cunlia brasileiro
de idade de 'o anuos se offerece para levar
cartas particulares ; dirija-se a Olinda na ra
do Amparo casa D. 35.
sxy* A pessoa que precisa da quantia de
1:700 000 a premio diriija-se a casa de No-
vaes & Bastos na ra do Queimado onde se
diz quem se prope a efrectuar este negocio.
tST A quem llie faltar uns oculos de tarta-
ruga e vid ros de cor dando os signaes I he PARA O MARANHAO' subir imprete-
ser entregue na praca da Independencia n. 1. rivelmente nodia 3 t do corren te o bem co-
\2W~ O Padre Mauricio Borges da Costa, nhecido Brigue Nacional Temerario Cpito
declara para conhecimento do publico que e pratico Jos Alaria do Nascimento ; quem
mora nhuma casa terrea no pateo de S. Pedro quiser carregar, ou ir de passagem para o
D. 15 por um contracto oneroso -^que ce- que tem excellentes commodos dirija-se ao
lebrou com a Irmandade do mesmo Santo Pa- (Japito ou ao seu consignatario Manoel
dre como consta do respectivo Livro dos ter- Francicco Pontes.
mos e da certido que se deo ao annuncian-1 PARA BAHA e Macei o velleiro Patacho
te. sendo por isso que quandoem ihap, a re- Dois Amigos que sabe at 1 < do corrente;
ferida Irmandade se pro pos a arrendar em quem quiser carregar ou bir de passagem di-
hasta publica os predios de" seu patrimonio i rija-se a Manoel Joaquim Pedro da Costa, ra
excluio essa casa sob locada aoannuncianlc ; pe da Cadeia n. 1.
rem tendo-se feito publico que a mesa actu- PARA O CEARA'e Acaracu' a velleira
al pretende arrematar de arrendamento os Sumaca Feliz Americana sabe at o dia a&
ditos predios em leilo no seu consistorio; do corrente ; por ter seu ca.rregamento quajj
declara o annunciante o exposto para que no completo; quem quiser carregar, dirija-se
caso, que a sobre dita casa seja ta bem ex- a Manoel Joaquim Pedro da Costa,
posta ao mesmo leilo ninguem lance nella ;'
porque o anunciante prosteslauppor-seao des-
pejo por ter bemfeitorias e estar em vigor o
contracto com elle celebrado que nao foi res-
cindido por sentenca.
j3=" O abuixo assignado faz publico que
Leilo
co ; no pateo do Carmo no primeiro andar do
sobrado onde mora o~ Tabelio Guilherme.
SS" Panno de linho e bretanhas de dito em
peas de 6 varas : em casa de Hermano Me-
lirlens ; na ra da Cruz D. a3.
ssy Um pardo moco de bonita figura, pti-
mo para pagem vende-se por nao ser preciso
a seu Snr. a dinheiro ou a praso ; no ar-r
masem de Silvestre Joaquim do Nascimento.
tsy Urna corraca nova bem acabada de
doia boys e dois ditos muito mansos ,, do ser-
vico da mesma ; na ra do Livramento loja
D. 9.
tsr 4o libras de massas para fogo de arte-
ficio ; na ra de Hortas D. 17.
tST Superiores charutos da Ha vana e da
Cachoeira chegados ltimamente ; na ra do
Cabug loja do Snr. Bandeira.
ES" Urna casa terrea sita na ra do Adique
desla Cidade, tem soto, grande quintal mu-
rado e ameaco por urna escriptura da me-
lado do oito de um sobrado de dois andares
que ja se est edificando o que melhormente
se far patente a vista do comprador ; a
tratar no ultimo sobrado da viuva do Peixoto
as 5 ponas.
E^" Um preto de naco mucambique bom
serrador e tem milito boa figura ; na ra da
Aiegria casa confronte a um porlo.
Cr* Urna viola com excellentes vozes, e um
bom metbodo para violo ja ntado. por preco
commodo ; no atterro da Boa vista loja de sa-
pateiro dcfronle do beco do ferro.
XSf Urna (lauta de bano com 4 chaves de
prata nova e" de muito boas vozes; na ra
do cabug ao entrar lado direilo passando a
loja de fazendas da quina oulra de miudezas
de d uas portas.
3" Um preto de idade de 16 annos com
principios de sapaleiro ; as 5 pontas nume-
ro 133.
%ST Urna mesa grande ordinaria, e urna
do Li-
das faces fugio em i5 de Junho do anno p.
p., levando camisa e calsa de brim ;' quem o
pegar leve ao seu Senhor Santos Braga, na
ruadamoedan. i4> que ser recompensado
do seu traba I lio.
ts^* Fuginodia i3docorrente urna ne-
gra de naco de nome Mara do Rozario de
idade de ti annos bem fallante, com 03
denles perfeitos olhos alvos com um par de
rozetas ordinarias as orelbas estatura mais
de que regular,, mas nao muito alta e gros-
sa do corpo, com todos os dedos das mos e
ps perfeitos levou vestido de chita azul com
ramos amarellos ; quem a pegar leveao atier-
ro da Boa vista D. 17, que ser recompen-
sado.
t*9" Fugirodo engenho Fumas na fre-
guesia de Santo Anto 4 escravos no dia 28
de Julbo do corrente, um casal marido e mu-
lber ambos creoulos o macho de idade de
jo annos ,
menos na
baixo
frente
, barbado
cor preta
um dente de
carreiro de
nome Joo a inulher mais alta que o negro ,
cor fulla denles limados de nome Felippa ;
nodia i3 de Agosto outrode nome Joo an-
gola de boa estatura bem barbado os
peitos cabeludos pomas finas vista espan-
tada e descampada com cantos crecidos ;
outro de nome i'aulo. congo, bem preto,
pernas bem tiradas /ja barbado, olhos ver-
melhos ; com um denle de m'enos na frente ,
tem em um braco urna marca de Ierro tem
de idade 20 annos desapareceo a 17 de Ja-
neiro de i837; quem os pegar levemos ao dito
engenho o nesta praca a seo corresponden-
te Jos Andr de Oli.eira as 5 pontas D. i 1 ,
ou na ra do alcete a Antonio Brasilino de
Hollanda Cavalcanti, onde se pagar toda a
despeza e se recompensar com generosida-
de a quem os pegar.
t?" Nodia ao de Agosto, fugio ou furta-
ro um preto. de naco rebollo, de nome Gre-
gorio de idade de \t a 5o annos, altura re-
gular olhos pequeos, e a vermelbados ,
nariz chato pouca barba grosso do corpo ,
pernas bambas e moles mete alguma coisa
os joelhos para dentro ps apalhelados tor-
C3- Que fazem CelierCornu & Companhia
da arma o da loja da ra Nova D. 10 toda duzia decadeiras uzadas ; na pracinha
inteira, ou em partes, terca feira i\ do cor- vramento loja D. 90.
Francisco I ereira da Costa deixou de ser seu rente as 10 horas da manb na referida loja. XS3" Urna rotula quasi nova, po- preco
caixeiro Francisco NunesCorreia. tsr Que fazem Russell Mellors & Compa- commodo ; na ra doRangel venda do Uento.
XST ASenhora que se chamar SenhoYilia nhia por intervenco do corretor Oliveira | %3~ Compendios resumidos de Geografa
Maria da Conceico que tem transacoes pa- de um ptimo sortimento de suas bem conhe- reeentemente impressos nesta Cidade uteis nozelos grossos falla descansada e palavras
rao Rio de Janeiro, queira mandar buscar cidas fazendas e entre ellas chitas da nova quem quizer adquirir conhecimentos desta es- como de matulo, levou camisa de estopa,
urna carta no bolequim do Snr. Albuquerque Hollanda de padroens modernos, terga feira tudoem breve tem po, pelo mdico preco de calsa vel ha com listras desbotadus rola nos
joelhos e amarradas pelas verilhas foi ca-
ptivo no lugar da alagoa grande, onde era
casado com urna preta forra de quem tent do-
e a
pois se tirou por engao no correio com o -^ do corrente as 10 horas em poni, no seu Soo reis cada compendio : no atterro da Boa-
mesmonome armazem da ra da Cadeia do Recite. vista L). it, e ra do Collegio botica Deci-
tsy Em dias do mez passado na estrada ^ST Que fazem Jorge Deane & Companhia, ina 5.
de 1 onte de Ucht'-a achou-se urna toalha de por interven,o do Corrector Oliveira de. C3" Na ra da Cruz escriptorio de J-s
is filhos um macho e outro lemea
bretanha com lavarinto, e bico em roda; quem um completo sortimento de fazendas Jnglezas Antonio Gomes Jnior sacas^com farjnha de nao ser furtado sopoe-se ter h ido para a com pa-
lor seu dono apareca na casa n. ti da ra da sexta feira > 7 do corrente pelas 10 horas da mandioca muito fina c feita na Muribeca.
Cruz, no primeiro, ou segundo andar. manb no seu armazem da ra da Alfande- => Um moleque de idade de n annos,
Cf A pessoa que diz ter para vender cho- ga velha. proprio para aprender qualquer officio ; no
colate de musgo, annuncie. | \- Jos Ramos de Oliveiro continua no becodo peixe frito I). 4.
S2T Chrisloyo Uiestel, com casa de cam- dia i\ do corrente as 'oliorasda mnnh com 6^ Para liquidar.ode negocio na tra-
bio na ra da cadeia doRecile faz sciente ao o leio de queixos flamengos chegados de Lon- vessa do Rozario loja O. 10, miudezas, e
respeitavel publico, eem particular as pessoas dres defroute da escadinha do caes da Alfan- canquelberias pelo custo sendo os seus pre-
que com elle tem feito transacoens ; que pre- dega. jos bastantes commodos ; a tratar na mesma.
tende fazer urna viagem para fora da provin-
c
o m p r a s
Escravos Fgidos
cia por cujo motivo previne as pessoas, que
asua casa lca no mesmo giro de commercio -------
com a adminisiracao do .W. A. Schramm o c? O Commandante do Corpo de Polica "ZT Fuginodia i3 do corrente um escra-
3 nal se responsabelisa por todas as transacoens compra cavallos novos, grandes e gordos pa- vo de nome Fernando do gentio da cosa,
o annunciante em as quacs este;a obrigada ra o esquadro de primeira linha e compa- de idade de Jo annos de boa estatura bem
a sua firma, e do dia du sua partida em vante nhia de cavaliaria do mesmo corpo; quem os feito de coi po, falla-lhe o dedo minimo do p
fica enca regado de promever os negocios ten- tiver dirija-se a secretaria respectiva das 9 hoi- direito com officio de pedreiro e serrador;
denles a casa de cambio do annunciante O Snr. ras do dia as duas da tarde. quem o pegar leve a ra do Fagundes D. 3,
Gregorio Anlunes d Oliveira. Recife it de tST Urna negrinha doente de qualquer en- que seni recompensado.
Setembro de 1 83q. ^ fermidade nao sendo aleijada equelenhade tSr" Nodia ai de Fevereiro pelas 7 horas
Emconsequenciadoannuncoacimaoabai- idade de .i a > o : na ra nova armazem ao p da noile desapareteo da casa de i'anoel Jos
assignado declara que se responsabelisa por da ponte que se vende qnartinhas. da Silva JNeiva na ra estreita do Rozario so-
las as transacoens (citas por o Snr. Chrislo OT Urna escrava que seja boa cozinheira brado de dois andares que tem por baixo
xo
tod
vo Dieslel em as quaes esteja obrigada
firma do dito Senhor. A. Schramm.
que seja Doa cozntieira urauo ae uois anaares que lem po
a engommadeira e entenda alguma coisa de tenda de barbeiro, um moleque meio biual,
costura; quema tiver sem vicios, dirija-^e e que pouco sabia fallar apeliddo pelo no-
pe
tj- O abaixo assignado faz sciente ao res- ao segundo andar do sobrado D. 10 defrone me de Gaspar, sendo pelo de Joo no poder
itavel publico, que se acha provisionalmen- do Theatro onde se pagar bem. de V'anoel Adriano da Costa morador as >
-__------------------------------------i- pontas quando d'antes o possuio ; tem
V e II Cl a S boa figura cor bem preta tem dois
te prvido no emprego de Solicitador de cau-
sas nos Juizos da primeira instancia desta 1 i-
dade por despacho do Fxm. 1 residente da Rel-
lano datado de .tdop. p.; e que sua resi-
dencia he na ra atraz de S. Jos casa Deci-
muito
dentes
ma
cr
Quem precisar de urna Senhora bran-
da parte de cima aberlos paia os lados e as
vyjta gcngivasdosdehaixo algum tanto roxa re-
f/y- presenta ter de idade 1 a 1 o-annos, foi vis-
j to com camisa de paninho ja rota pelas costas ,
E3" Meios bilhetes da Loteria da l'oa
a tres mil e oito centos e quarenta ; nesta
pografia.
icy Urna negra de angola que eozinba ? ralsa de lirim nardo de listras
ca viuva de idade, e muito capaz .para : muito bem o diario de urna casa, engomma da no assenlo com chita de pinturas encarna-
dentro de urna casa spelo sustento, dirija-se bem elavaroupade sabio e varrella ; na das ;, quem o tiver recolhido talvez por enga-
ao becodoOuvidor casa de Joo Paulo, que ra da penha D. 1 <, no lerceiro andar.
____j
. v un iimi
se dir.
tST Quem precisar de um brasileiro para
caixeiro d<- venda do que tem pratica dan-
do fiador a sua conducta annuncie.
UT recisa-se alugar um moleque, com
principios de sapaleiro; na ra deS. Pedro
D..2- ou annuncie.
r-y- Em qualquer dos 3 bairros desta Cida-
de eem qualquer ra que seja, precisa-se
alupar encarescidamenle urna casa que o seu
alu-uel nao exceda de 7 a H ^ 000 da-se bom
fiador e alguns mezes adianlado; a pessoa
que a pretexte mora na ra Direita 1). i* por
cima da padiria do Machado.
xsy Os liquidatanos do casal do ladeado
Sr. Antonio Marqnes da Costa Soares, an-
tsr Boa tinta de escrever engarrafada a
4?o
cadeia velha aula de primeiras letras n.
54 e na ra nova loja 4 defronte da Ma-
triz.
Jgy Meios Bilhetes da Matriz da Boa vista ;
na ra do Cabug loja de relojoeiro junto do
Sr. Bandeira
S"" A cusa que faz quina para a Estancia ,
com um grunde quintal, cacimba robera,
casa para escravos e estribara a dinheiro ,
ou a praso com boas firmas ; na ra do Li-
vramento a fallar com AJanoel Teixeira Ba-
cellar.
_ C" Urna negra mo a de na o sem vi-
cios nem achaques e hbil para todo o serri-
no ou delle tiver noticia certa qne por
meio della elle venha a mi de seu legitimo
e sem ser engarrafada a oo ; na ra da Sr. dirija-se a casa a cima dita que rece-
ber 160,000.
SS7- INo da 33 do p. p. fugio um escravo de
nome Miguel, alio de cor pouca preta e o
maior signal que tem he tero queixo inchado
de un. lado por ter bastantes grandulas ou
alporcas levou calsa e camisa de mangas cur-
tas tudo de algodao transado ; quem o pe-
gar leve a ra do Queimado a seu legitimo
Sr. Antonio da Silva Gusmo que dar cem
mil rs. de gratificaco.
cr Benedicto negro de naco angola, de
idade de a5 annos, estatura baixa cor um
tanto fulla com um dedo da mo esquerda
nhia da mulher no dito lugar ; quem o pegar
leve a ruada Madre de I eos n 24 ou atraz
da Matriz da Boa vista casa terrea peg da ao
primeiro sobrado quesera recompensado do
seu trabalho.
t3- Nodia 19do corrente desapareceo urna
escrava de nome Thereza de naco congo ;
de idade de 38 annos, alta, magra, falta-
lhe um dente adiante levou vestido de chita ,
camisa de algodao e panno da costa des-
appareceo andando vendendo em um tabolei-
ro louca Ingleza ; quem a pegar leve a Soli-
dade em casa de Joaquim Xavier da Maia que
ser recompensado.
S^- Km a5 de Ma.o do corrente nesapare-
cerodois escravos da serrara de Joo Antonio
Baptista Munizde. a praga ambos serrado-
res e bastantes ladinos e do gentio de an-
gola. Suspcita- se que elles se inlulem forros ,
e tenho mudado os nomos ouque foro il-
ludidos com alguma-^pessoa. Os seus signa-
es sao. o de nome Manoel he de naco songo,
cor preta boa estatura e tem umaqueima-
dura de fogo da parle direita no beii,o inferior
e falta de"denles no mesmo Jugar em que Ihe
re pucha a boca o que lhe .jrma um grande
deleito sem de idade ,6 annos, e pouca bar-
ba. O de nome Andr tem de idade 32 an-
nos alto secco do corpo bonita figura ,
cor fulla de naco rebollo. Levaro bas-
tante roupa ; quem os pegar leve ao Sr. a ci-
ma que ser generosamente recompensado
de sen Irahalbn.
S2T Desapareceo no dia a5 de Junho do
frrenle do sitio do cajueiroda passagem de
Magdalena, um moleque de nome Felisber-
to do gentio de angola, com os signaes seguin-
tes ; ollios grandes cara redonda pescoco
grosso, pernas alguma coisa arquiadas e a
direita mete para den ti o e tem no peito esta
letra L ps grandes e tem algumas sica-
trizes pelas costas levando urna camisa de
estopa velha e seroula de dita e tem umaj
mo alguma coisa inchada e alguns bichot
nos ps tem de idade ib annos qualque
capito de campo ou oulra qualquer pessoa!
que o pegar, ou denunciar aonde elle exislt
verificado que seja ter de gralificaco 5o,oo< >
por Joaquim Jos da Silva Bairo ua ra di j
cadeia do Recil.
cortado pelo meio com urna sicatru en urna j RECIFE NA|T YP. JDE|M. F, DE k\.iBgJ


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E33T40GKN_H3RPSM INGEST_TIME 2013-04-12T22:49:08Z PACKAGE AA00011611_06133
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES