Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06132


This item is only available as the following downloads:


Full Text
fe
1
Anno de 1839. Segunda Fetra
Todo agora depende de nos raesmos; da nossa prudencia, moder-
$*> energa t continuemos como principiamos e seremos apernados
om admiraco entre as JSacoes mas cultas.
Proclamacao da Assemblea Geral do Brasil.
IIII H i ________________
Subscreve-eepara esta folha a 3*ooo por quartel pagos adiantados
nesla lypografia, ra das Cruies D. 3, enaPracada Independencia
D. 37 e 38,. onde se recebem coirespoudenciaslega'lisadas, eannuucios;
insirindo-se estes giatis, sendo dosproprios assignantes, e vindos assig-
Vados.
Partidas dos Crrelos Terrestres.
Cdade da Parahiba e Villas de sua pretenco............,......\
Dita do Rio Grande do Norte, e Villas dem..................._ _
Dita da Fortaleza e Villas dem..........................>Segundas e Sextas Feras
Villa de Goianna.................................J
Cidade d* Ohnda................f.................Todof os dii#
Villa deS>. Antao .................................Quintas feiras.
Dita de Garanhuns ePovoacao do Bonito-------.................Dia lo, e a4 decada mes.
linas do Cabo, bennbaem, Kio r 01 mozo, e Porto Calvo............dem 1 11, e ai dito dito
Cidade das Alagoas, e Villa de Maceid................".........dem dem
Villa de Paja de Flores........... ...................ldem j dit0 dit0#
1 odos os Corraos partem ao meto dia.
i
23 de Setemoro. Numero 206.
CAMBIOS.
Setemro. 30.
Londres......33 por ffooo ced.
Lisboa....... qo por o/o premio, por metal offereciJo.
Franca....... 3uo res por tranco nom.
Lio de Janeiro ao par.
OURO Moedas de 6^00 rs., Velbas lifnao a iif;oo
> Ditas t. Novas i.i#8oo a 14*00
r,.,".m. D". de ^000 rs., Hoooa Jano
, PRATA Patacoes Rratileiros.......l/56o a i*58o>
,, Pezos Columnarios........,^go ti^Hx
flilos Mexicanos......r ^yja ,V
Premios das Letras, por mez I 1/8 a 1 ip por loo
Moeda de cobre 3 por 100. de disc.
Das da Semana.
S. Lino P. M.---------------------Sessao da Thei. e Aud. doJ. de D.da a. v. de 1.
N. S. das IMercez. --------- Helar ,*io. e Aurl. Aa I J.- I) ,l> -----.1_____i_
Mare chela para o dia a3 de Selembro.
As 3 horas e 4a minutos da manda. As 4 horas e 6 minutos da tarde
RIO DE JANEIRO.
1
ASSEMBLEA GERAL LEGISLATIVA.
SENADO.
Sessao em 16 de Agosto de i8?q.
Presidencia do Sr. Diogo Anlonio Feij.
de fragata Antonio Pedro de Carvalho.
E' approvado em terceira discussao, como
passou na secunda, a proposta do governo li-
xando as forcas de trra para o anuo financeiro
de 18 e a 1H41, a fim de ser remeltida com-
misso de redaeco.
E' approvado em primeira e segunda dis
cusso, para passar a terceira, a resoluco que
approva a penso de 4U rs. concedida, a
Jos Ignacio da Silva Ourives.
Sendo a ultima parte'da ordem do dia, tra-
balhos de commissGes o Snr. presidente con-
vida os Srs. senadores para estes trabalhos, e
d para ordem do dia a continuado da tercei-
Reunido numero sufticientc de Snrs. sena-
dores abre-se a sessao e lida a acta da an-
terior approvada.
O Snr. primeiro secretario d conta do se-
guinte Expediente *.
Uin officio do ministro interino do imperio,
remetiendo os autgrafos sanecionados das duas ra discussao da resoluco que concede loteras
resolucoes da assemblea geral, que auctori-, fabricas deAndr Gaillard e Joze da Silva,
aato o gqverno a conceder carta de nalurali- e, depois do meio dia continuaco da se-
zaco de cidado brasileiro a Joo Diogo Sturz. gunda discussao do projecto que interpreta o
Fica o senado inteirado, e manda-se parti- acto addicional.
cipar a cmara dos Snrs. debutados.
Outro do primeiro secretario da referida ca-
. mar participando q' adoptou e dirigi ;i sane-
cao a resoluco que declara o padre Jos An-
nio Caldas no goso dos direitos de cidado bra-
sileiro.
Fica o senado inteirado.
O Snr- Alomar prope o seguinte proje-
cto :
A assemblea geral legislativa decreta :
Artigo 1. Fica creada urna nova provin-l
Levanta-se a sessao ao meio dia.
CMARA DOS DEPUTADOS.
Sessao em i7 de Agosto.
Presidencia do Snr. Araujo Vianna.
As 10 horas da manb faz-se a chamada ,
e logo que se rene numero legal de Snrs. de-
putados abre-se a sessao, le-se e approva-
se a acta da antecedente.
O Snr. primeiro secretario d conta do ex-
cia que se denominar Provincia do Cariri nediente fasendo menso de que se remelle
at___ ..:____: 1____'___;ii. _i_ *>__._ 'j___________.____-_ 1 1 .
misso depois de expender as razes em que se
funda conclue sendo de parecer que o requeri-
mento seja enviado ao governo para o remet-
ter a assemblea provincial da provincia do Es-
pirito Santo, a quem competle defirU-o.
Le-se, e fica addiado, por se pedir a pala-
vra o parecer da commisso de commercio, a-
gricultura industria, e artes sobre a repre-
senta ;o do coronel de engenheiros Joo Vi-
cente Gomes, em que expe as vantagens que
devem resultar da empreza de'fornecr por meio
de canos subterrneos s casas d'esta capital a
agoa necessaria ao uzo dos seus habitantes a-
plicando-se para este urna parte da que para
ella conduzida pelos aqueductos pobhcos
segundo o plano por elle concebido, e or^ani-
Novo cuja capital sera' a villa do Cralo.
Artigo a. Esta provincia se compora'
1. Do municipio do Riacho do Sangue,
do orcamento o mappa demonstradvo da subs-
tituico e assignaturas do papel moeda.
Remelle-se commisso de marinba e guer-
Ic Inhamum, S. Matheos Lavras, Jardim ra, orequerimento de Joaquim Joze-de Souza
e Crato da provincia do < ear. I Vianna.
j. Dos municipios do RiodoPeixe* e Vae mesma commisso o requerir.iento de
Pinhaco da provincia da Paraiba.
i. lo municipio do liojari de Flores
Antonio Joze Fernandes.
Julga-se objeeto de deliberadlo, e vae a ni-
dos comprehendidos no antigo Julgado de Ca- primir o projecto da commisso de pensoes e
hrobo, da provincia de Pernambuco, ordenados que approva os decretos do go-
4i xDo municipio de Piranhos, da pro- verno do 1. de dezemhro de 1834 que a-
vincia de Piauhy. posentou com 45oUooo reis ao desembargador
Artigo i. As autoridadesgeraes que, em da antiga casa da supplicacao, Francisco de
virlude da conslituico e das leis existentes Franca Miranda; eoi, de 11 de Junlio
liouvessem de ser creadas nesla nova provincia, dei8.<9, queelevou essa quantia a qot)U rs.
vencero os mesmos ordenados que os da pro- que d'oraem diante -Jicara percebendo,
vincia do Cear. Julga-se objeeto de deliberaco, e vae a im-
Artigo 4 Logo que esta lei for saneciona- primir o projecto da commisso de marinba
da, se tirttro porsorle na cmara dos de- e guerra, que determina, que a do 1.? de
putados e no senado, d'enIreos oito depulados, outubro de iK34 comprehende os officiaes dos
e os quatro senadores do Ceara', quatrodepu- corpos do exercito queestudarem na escol-
aos edous senadores para representaren! a no- la militar,
va provincia. Le-se, e approva-seo parecer da commis-
Artigo. Na primeira eleico geral, que sao de pensoes e ordenados sobre.o requeri-
liver lugar depois qne esta lei for saneciona- ment de Joze Cupertino Ferreira, contador
da se elegero mais dous deputados e um se- do arsenal de guerra d'esta corte, em que re-
nador pela nova provincia, vinda ella desde tjuer que o seo ordenado'que de i;4ooUooo
cnto a ser representada na assemblea geral por reis seja igualado ao do contador do arsenal
seis deputados e tres senadores. I de marinha que de 1 ;6oo(jooo rei's: A com-
Artig 6. A assemblea da nova provincia misso depois.de espender os motivos em que
constara' de a8 membros. funda o seo parecer conciue sendo de opi-
Artigoj. Fico revogadas todas as leis e nio que se indifira a pretenco do suppli-
disposices em contrario. cante.
Paco do senado i4 de agosto de i83q. -
Joze ISlartiniano de Alencar Antonio Pedro
da Costa Ferreira, Jos Bento Leite Ferreira
de Mello, Nicolao Pereira de Campos Verguei- j compete a penso annual de aooUooo reis, que
ro Liop Antonio Feij. Joo Antonio Ro- 1 he foi concedida pr provisoes de 7 de selem-
bro, e ag de novembro de 1828, desde que
Ihe foi suspensa.
Le-se. e fica addiado por se pedir a pal
drgues de Carvalho, Francisco de Brilo Guer-
ra. Francisco de Lima Silva, Manoel Ig-
nacio de Mello e Souza.
Cousultado o senado, decide-se que o pro-
jecto v a imprimir e commisso de cousti-
Vae a imprimir um parecer da commisso de
marinba e guerra, queapresenta umareaolu-
co approyando a tenga concedida ao. capitao
sado ; e requer a esta augusta cmara a in-
dispensavel faculdade para levar a e'^eito a
olwa nrojectada por meio de urna companhia,
e mediante asclauzalas, e oondieces expres-
sadas nos artigos que acompahho o seo re-
querimento. A commisso conclue sendo de
parecer qne o presente requerimento e pro-
posta sejo enviados ao governo pela reparti-
co competlentente, para que posso ser to-
madas na consideraco que merecerem.
Le-se e fica addiado por se pedir a pala-
vra o parecer da commisso do orcamento da
fazenda, sobre a pretenco da meza da venera-
vel ordem terceira dos minimosdo patriacha S.
Francisco de Paula e^tabelecida nesla citjade
do Rio de Janeiro, sendo a commisso de pare-
cer que nao tem lugar, o que pede, que que
asgra as concedidas pelo alvar de a8 de set. de
1810a santa casa da Misericordia d'esta cidade,
se estendo ao hospital da ordem terceira de
S, Francisco de Paula.
Primeira parte da' ordem do dia.
Leitura de projeclos, e indicaces-
Julga-se objeclo de deliberaco, e vae a im-
primir o segninte projecto
A assemblea geral legislativa resolve :
Artigo 1.0 O corte do pao brasil fica re-
servado aos proprietarios dos terrenos que o
produzirem enaquelles por el les legalmen-
te autorisados eser pago o quintal pela fa-
zenda publica a HUooo reis as provincias das
Alagoas, Pernambuco, e Paraiba, e na do
Rio Grande do Norte CUooo reis.
Artigo a. Os proprietarios dos terrenos
que produzirem o dito pao fico responsaveis
pelo contrabando urna vez que fica garantida
a sua propriedade, e sero multados na ter-
ca parte do-valor dos mesmos terrenos cuja
somrra ser recolhidu no cofre da receita pro-
vincial. Salva redac o.
Paco da cmara dos deputados 17 de agosto
de 183j. J. M. Carneiro da Curiha.
Nose julga porem objeeto de deliberaco
outro projecto do mesmo illustre deputado em
que se declara que o crime de furto at a
quanlia de quatro mil reis sera' sumaria e
correccionalmente pelos juizes de paz, muni-
cipaes e prefeitos e juizes de direitos ap-
plicando em proporco do delicio as penas de
prizo simples com trabalho e multas corres-
pondentes.
Segunda parle da ordem do dia.
Continna a discuso adiada sobre o pare
convile do senado para a nomcaco de urna
commisso do seio aesta cmara.
O Snr. Barreto Pedroso continua a ter a pa-
lavra sobre a materia, declarando que suppoe
ter completamente provado que o nobre depu-
tado a quem se refere ( o Snr. Ribeiro de An-
drada ) nao o cdnvenceo de que nos pricipiosl
cemita a igreja matriz d'aquella rula. ~\ com-J da comissao bavio contradices. Respondeu-
No se jnlga porem objeeto de deliberaco o
projecto da commisso do orcamento da fazen-
da, que declara, que a Antonio Gomes Leal,
vra o parecer da segunda commisso do or-
camento sobre a pretenco do paroco da vil-
la de Linhares na provincia do Espirito San-
to em que requer que pelas rendas geraes do
imperio se mande fazer o concert de que ne-
do as censuras que o mesmo nobre deputad"
fez a representaco da Babia,' observa que s
nao devem lancar accuzacOes contra cidados*
sejo de que naureza forein semqticos Sis-
deputados estejo munidos das sutncieiile3
provas dos factos que pretendi sensurar-
Nao julga que os signatarios d essa represen-
taco sejo dignos de sensura por pedirem a
revogaco da lei de 7 de novembro de i3i;
e se ellos por tal acto merecem censura ento
o mesmo sdete laucar na assemblea provin-
cial de S. Paulo, que pedio a revogaco d'esta
lei, bem como outras assemblcas^ entende
qr.ei:io se devem insultar essas pretcnces o
sim uzar de outrosmeios e estes devem ser
aquellos necessarios' para supprir a falta de
bracos para a nosss lavoura. xlranlia a gran-
de sensaco que honlem cauzou na cmara a
palavra dictadura proferida por elle de-
putado. Mostra que a palavra dictadura
tem em tudo dinerentcs accesses e mili-
to diversa d'aquella em que a tomaro alguns
llustros deputados... Conclue depois de fazer
muitas observaces que o que pretende que
se arme o governo da necessaria forca para
repelir os rebeldes, para cortar a cabeca
da anarquia : para evitar que a naca so
sugeite- ao governo de um despola, que elle
desoja que o governo tenha a precisa forca.
O Sr And rada IMacbado pronuncia-se con- .
tra o parecer da commisso e a favor da o
pinio emitida pelo Snr. Ri! iVlostra que se nao deve annuir ao convite do
senado e que o mesmo senado exorbitou de
sitas attribuicoes nomcando essa commisso. j
O orador nao teme nem receia a dictadura ,
nem v quem no brasil tenha as qualidadw
para ser dictador. (Apoiados ) Ninguemtea
no brasil, exclama o orador, o direilo de ser
dictador, porque isso destruiria os direitos do
nosso jeven monarca. (Muitos apoiado), ,
<^uemser o bomem que no Brasil seja capaz;
de o ser !.. Ser o joven principe ? Nao : o
[irincipe brasileiro nao quer dominar no
hasil, seno pela conslituico. (Muitos ape-
ados ) O orador entre os dous males, o des-
potismo, e anarquia, prefere os malos d esta
porque os julga passageiros : os daquelle consi-
dera duradoros e reputa o estado da escravi-
do como o peior que pode haver, porque o
escravo perdeos sentimentos de homem. (A-
poiados). O orador interrompido pelo Snr.
presidente em consequencia dse adiar naan-
te sala o Snr. ministro do imperio.
O Snr. Mour Magalbos pede a palavra
pela ordem c mstra grnnd 1 i I i< !.-. I.- qii
se vae tirar de se decidir nuanto antes es- '
ta queslo que a vista julga que
deve recuar a discussao do orcamen-
to. Mostra que da dignidade d'esta cmara
resolver de promplo este objeeto, quer pro ,
quer contra 5 pois qne o senado esta a espera
d esta decisao e nada faz em quanto cmara
a nao decidir. Em vista d estas rasos propoe
a urgencia para se continuar com a discussao
d'esta materia.
A ingeucia apoiada e julgada discutida
e iiosta a votos, e nao se appiova.
O Snr ministro do imperio porincommoda-
do retirou-se da cmara.
Terceira parle da ordem dodia.
Discussao do Orcamento.
Continua a discusco da fixaco das despie-
zas do ministerio do imperio, e emendas apoia-
das e mais as seguinles do Snr. Ivioura Ma-
galbes.
Com duas estradas que parto urna da
villa de S. Francisco (proviucia de Santa Ca-


DIARIO DE PERNAMBUCO
mrsu
tharina ) para a villa de Coriliba ( provincia
S. Paulo) e onlra da, villa de I agos (pro-
vincia de Sania Catarina) por \Jiss5es (pro-
vincia de S. Pedro do Snl ) c melhorainento
das estradas existentes entre as'provincicia da
de Sania Catharina, S. Paulo, e Rio Grande
do Sul -io oooUooo reis.
toma estrada que parte da villa da Cacho-
eir (provincia da Balda) para a provincia do
Pihauhy, e vae terminar na capital do \la-
ranho lajoooUooo reis.
Com a estrada que parle da cidade da For-
taleza^ provincia do Ceara'.) para a capital de
Pernambuco i j -,oooUooo reis
Onde melhor convier Ogoverno fica au-
torisado a despender at a quantia de 20 000U
reis na compra de accoesda companhia do Rio
Doce.
Emenda ao a. ou onde melhcr convier
Com o instituto histrico geogrfico 'brasileiro
-*;oooUooo de reis. A direcAo do mes-
mo instituto fica obligada a dar conlas ao
governo do emprego da gralificaco consigna-
da etc.
O Snr. Limpo de Abreu por concenso da c-
mara continua a ter a palavra sobre a mate-
ria do orcamento : defende as emendas da c-
misso, e pronuncia-s contra as que tendem
a augmentar a despeza
O Snr. t eixoto de Menear sustenta a sua
emenda que acrescenta mais cincoenta contos
de res a dotaco de S. v. o Imperador.
O Snr. Paula Candido defende a emenda
que senta a cmara municipal d esta ci lade
deenviaraassemblea geral o orcamcnto de
sua receila edespe/a, c Iralar de demonstrar
a grande utdidade do collegio de l'cdro Se-
gundo, sendo de opiniao que se deve conser-
var a consignaco dede/oilo contos para este
collegio...
Algumas vozes Votos... votos... votos...
O Snr. Alvares Vachado oblendo a palavra
pela ordem observa ; cmara que esta questo
sobre o convite do senado deve ser decidida
quanto antes Entende que nao convem demo-
rar a resnosta, que se deve mandar ao senado;
nem to pouco convem demorar a discussao
da proposla, afixaao da receita e despeza ;' e
para que se possa conciliar um trabalho com
oulro julga que em quanto se discutir o
Hit te do senado as sessSes durar at as 3 ho-
ras da tarde come ando a discussao do or-
namento pe!a umaihora.
O Snr presidente responde ao Ilustre de-
putado que haja de mandar a meza o seo re-
querimento para na segunda feira se dis-
cutir.
O Snr. Nunes Machado observa que a dis-
cussao do reqiierimento deve ter lugar agora
mesmo, para que na segunda feira ja se pos-
sa dar a execusso, para p que prope a ur-
gencia.
A urgencia apoiada e approvada.
E lido e apoiado o reqiierimento do Snr
Alvares Machado para que durante a discus-
sao do parecer da commisso acerca do convi-
te do senado, as sesses da cmara durem mais
urna hora discutindo-se o parecer da com-
misso al a huma hora da (arde, e o orca-
mento da urna al as tres.
E'apoiada urna emenda do Snr. Vianna
para que Jurem 5 horas as sesses d esta ca-
"naia em quanto se discutir a le do orca-
mento.
E' apoiada urna addiliva do Snr. Andrada
Alachado, para que na discussao as elei Oes
de Sergipe se si;;a o mesmo que se adopta a
respeilo do parecer.
tY aj-oi.ifJa urna emenda do Snr. Gomes R-
beiro -para que as sesses principiem as 9 ho-
ras da manh.
Julgando-se discutida a materia 9 reque-
rimento do Snr Alvares Machado approva-
Andrada Machado.
A emenda do Snr. Vianna regeitada ; e
rica prejudicada a do Snr. Gomes Riberro.
Como alguns Snrs. deputados pedem votos
"bre o remenlo, c Snr. presidente consul-
ta a cmara se o jul;a discutido, ea cmara
decide negativamente.
O Snr. presidente d para ordem do dia
a niesnia materia e levanta asesso depois das
duas horas da larde.
ManiCpsrou o segufnte : 1 lissinia paralizacao do Tribunal da Relaco...
3i6 caixas com faseridas dealgodo, 197! Todos vern lodos sabem que desde o
fardos com dilas de dito, 17 caixas com ditas'principio do anno lutamos com a luz fosfo-
de linho, 47 fardos com didas de ditOj 6b' bar- rica d'esse Tribunal, e esse mal era ainda so-
ricas com ferragens 1 caixa com dita, 1 far- portavel por que no mezsempre avioduas,
do com papel, 1 caixa com dito, a jo ditas com ou tres sesses e enlio se julgavao quatro
sabio -i barricas com pregos de cobre, licai-
coro folbasdito, 1 dita com roupa 5o bar-
ricas cpra manteiga, 100 ditos com chumbo,
a5 gigoscom lona, 800 toneladas de ferro, 3o
bigornas, 6 amarras de ferro, 10 lencies de
chumbo, focaldeiras d ferro,' 1 caixas com
ferragem, 19 pessas de machinas, 19b" Panel-
las de ferro, 5o caixas com genebra 25 bar-
ricas com salitre, 1 cadeira de bracos. 1 (i rai-
com chapeos, 1 barrica com drogas. 37 dilas
com pregos.
Fora do manifest.
aoogigos com btalas, 34 presuntos. 3i
queijos 1 barrica com Ka res, 1 dita com ser-
veja 9 caixas com conservas, 6 barricas com
dilas, 1 caixa com instrumentos nuticos
dilas ignora-se 1 dita dila 1 quartola d'
agoardente de franca.
-A Pauta lie 1 mesma do numero 183.
MEZA DO CONSULADO.
- A Pauta he a mesma do numero 199.
PREFEITURA.
t
PAIITE DO DIA O DE SETEMMIO
film. eExm. Snr.Das partes boje por
mim recehidas consla somente que fora presa
lionlem a minha ordem pela primeira patru-
llia de S. Jos, Catharina Freir Pedrosa ,
parda por estar em desorden.
E nada mais occorreo.
Dos Guarde etc.
Communicado.
ou seis caiuas ; mas o seo prematuro encer-
ramento de mais d um mez esta parte,
tem aterrado os litigantes desconcertado os
Advogados e levado o^oliiinenlo todas as-
classes de. cinco Provinms que constititem o
Dest rielo e he isto.o que nos prometero a
T tes? Tal vez que quem noestiver em Per-
nambuco ou ao faci de nossas miserias pu-
blicas pergunte se as Relaces do Imperio
nao esto preenxidas com o numero dos De-
sembargadores que Ibes forao assignados in-
clusive a de Pernambuco ? c si pela afirmati-
va qual a razo de nao trabalhar o Tribunal ?
Nos diremos ; quem taes perguntas nos fi-
zer quanto ao primeiro ponto^ que mais
que verdadeiro tureni as Relaces do Imperio,
( a excepefo da do Rio de Janeiro ) nomes sem
pessoas por Dcsembargadores por que at
algos d estes depois que forao nomcados pa-
ra esses lugares ainda n'elles nao aparece-
ro, conlentando-se commandarem tomar
posse por Proeuraeo afim de perceberem os
7 mil e por isso nao de admirar que apare-
cendo v.g. a Relaco de Pernambuco como
com posta rde i4 Juntes actualmente s exis-
ton'esla cidade qualro H! e quanto ao secun-
do poni diremos que reduzidos assim os Pe-
sembargadores a um numero to limitado ,
demaneira que para trabalbarcm tem sido prc-
cizo xamarem-se Juizcs de Direito logo que
adoece um d'aquelles o que frequentemente
succede, feixa-se o Tribunal e aqu temos
por consequencia parados todos os le tos que
pendem na segunda Instancia, e de necessida-
de esmorecidos os pleiteantes que litijo na
primeira.
Quem d; motivo ; semelhante calamidadc ?
aparecer ? Quantos Processos inutilizados,
quantas despe/.as perdidas e quanlos reales'
nao pezar sobse os pobres litigantes sem
que para isso lenbo dado cauza ? Nos que
nao antipatbisamos com a Administradlo de
S. I'.x nos, que. embora nao tenbamos a on-
ra de ser amigo de S. Ex nao temos odes-
prazer de lbe-serostil rogamos-lhe para que
preste um pouco de alenco esta questo e
final resolva de maneira que] os abitantes
desta Corr.marca nao venhao a sentir males
irreparaveis. A questo bem simples e
S. Ex. pode dte e confiamos querer
nao ser cauza dos prejuizos daquelles quem
deve toda a proleco
LOTERA DA ROAVISTA
.0 Thesoureiro da mesma /az publico que
as rodas da'a. a parte da 5." Lotcria a favor
das'obras da mesma Igreja corrers impre-
terivelmente no dia 7 do mez deOutubro pr-
ximo vindou.ro.
eOSMORAMA.
, Vistas Novas.
Tendo rhegado j>elo ultimo navio Francez ,
Casimir Delavigne, urnas vistas novas, as
quaes nao podem entrar em comparaco com
as antigs tanto pela lindeza das cores ve-
racidade dos logares, e soberba dos edificios ;
o Director lem a honra de convidar de novo
aos amantes deste divertimento instructivo
para urna nova subscripeo feita a favor de sua
Senhora que trouxe as mesmas vislas, sendo o
preco de cada urna Uooo rs. por seis semanas,
mudando as vistas urna yez cada semana.
As vistas que presentemente existem noCos-
morama sao as seguintes :
1. .* Igreja de Santa Maria Maior em Ro-
ma Este magnifico lemplo que se pode pora
par da soberba igreja de S. Pedro, quando
nao lenha a sua vastido, o excede em rique-
zas de arebitectura e ornamentos he um dos
Seja-nos licito dizer. que o Governo ; por que j mais dignos de um eslrangeiro visitar. Ve-se
devendo elle estar bem inteirado de que I nella urna columna erigida por cima de um tu-
privada a l'elaco desta Provincia d'algs jui-' mulo o qual encerra as ossidas de varias
zes que sao Deputados e Scnarores e que co-' pessoas moras em santidade, que para Roma
mo taes nao sao coagidos a virem nos interva- sao mandadas das quatro partes do mundo Ca-
los das Sesses da Assembla Geral a servirem tholico
seos Empregos comocumpria nao deveria a a Adora-ao do menino Feos pelos Reis
licenciar outros que sem urgente preciso ,; Magos em Bellem Esta vista mui verdica e
ando pela Europa desfrutando em sanio ocia semelhante foi tomada sobre os logares onde
ospingues ordenados sendo-lhes fcil obter N S nasceo. V-se a Cidade de Bellem no
prorogaco de licenca nao se altcntaiulo nos fnndo do quadro, o menino I*eos dekado no
males que produz urna to fcil condescenden-1 presepio dcbaixo de urnas jbarracas de palha ,
que ; falla no cumprimenlo das eslipulaces ao mal q' elle proprio tem causado, aiitonza-
celebrada entre osgovernanles e governados |nos a concluir que preza mais proporcionar
ea consequencia necessana e que estes con-
tinuo com o seo sacrificio, sempre carregados
com o pezo das contribuices, destinadas a
manler a ordem social e aquelles impune-
mente descuido-se sob diferentes pretextos,
de suas ohrigaces dando lugar aossofri-
mentos dos governados.
Nao se pode contestar tue a das primei-
ras e essenciaes necescidades d'um povo ci-
vilizado a administraco da jusliea civil e
;i um ou outro individuo agradaveis distra-
ces do que um sem numero de cidados
rommodidades devidas e garantidas pelas
Leis. Um estado semelhante nao pode, e
nem deve ser duradouro ; forcoso que islo
ti nha um termo e n'este caz xegue a nossa
voz aos ouv idos do Governo e busjue este ,
quanto antes curar nossos males e facer-
nos sentir' os beneficios d fia Administraco
af'
PEHInAMBUCO.
&)ivor\;ix teparticoens.
ALFANDEGA DAS FAZENDAS.
Podemos sem duvida xamar-nos felices,
quando, sacrificando alga cauza q' nos pre-
cioza obtemos em compensadlo algum maior
berfi ; e sendo este principio de verdadeiro e
realinleresse que moveo o omem social a sa-
crificar parte de sua precioza liberdade e ou-
tros alfrfis commodos que poderia ter no estado
natural para se sugeitar ordem social ;
claro que esse omem para se, nao arrepender
de voluntaria cesso feita e nao maldi/11 as
leis que obrido e osgovernanles que o re-
gem deve dcsfi uclar todos os gozos prometi-
dos eaxarprompto remedio aos males que jca Avista do expendido, e nao tendo o onde vem os Reis magos adorarem-o tra/en-
re. (guando o contrario succede, temos | Governo dado, ale agora, remedio algum do eofferecendo-lhe mirrha encenso coii-
ro em p vm-se os camellos em que vicra,
com sua comitiva de lugares to longirjuos.
V* Palacio de Windsscr en 1 ondres Este
fialacio residencia dos Reis durante o Verlo,
ic um edificio antiquissimo muito 'afamado
pelas suas riquezas, como pela lindeza dosi-
llo amule est edificada.
4. Tomada do Hotel de Ville em Pariz no
dia a.8 de Julho de 18'o Foi este edificio
tomado e retomado por tres vezes pelas tropas
de arlos X e pelo povo depois de urna gran-
de mortandade de parte a parte Ve-se as fi'ei-
ras das tropas fazendo um logo cerrado sobre o
povo que com a handeira tricolor arroja-se
s ibre as tropas e as pe as d artilberia nao
desamparando o campo da baialha em quanto
nao fica senhores d elle. V-se a ponta d ar-
cle junta ao Hotel de Ville apinhoada do povo
guerreirocomhatendo pela sua liberdade con-
tra as tropas do imbcil Carlos X.
5.a \ isla geral do porlo e Cidade do,0
porlo. V-se esta anliga Cidade com todos-seos
edificios ; a ponte que atravessa o roagestoso rio
que a banha o telgrafo junto a um antigo
Convento etc
** 6. ~ Carthagena na Colombia Gdade da
Repblica da nova Grcnada. V-se os arsenaes,
as casas principaes das EstacSes publicas etc.
o porto com os navios mercantes e de guerra
salvando as fortalezas etc.
O U i rector do Cosmorama nao pode asss
testemunhar os seus agradecimentos sinceros e
affectuososaos seos nobres e antigos assignan-
tes deseja merecer a continuaco de sua Be-
nevolencia e concurso na presente nota sub-
scripeo certo de que a nova directora far
tudo quanto estiver ao seo alcance para mere-
cer a continuaco da eslima que tem testemu-
nhado at o presente ao sed marido.
5 e sincera leal ejusticeira: faca com que se-
criniinal a quem compele julgar as desaven- jao memt.ros da Relaco de facto aquelles
ras entre os individuos dar o seo seo dono que sempre lem sido uuicamente de l'ireito ;
por freo ma f dos litigantes assegurar ao rerre ouvidos instancias ruinozas negue-sel
cidado oneslo a posse, e o gozo de sua legiti- podidos que vad de encontr aos verdadei-
ma propriedade punir o crime desasom- !ros interesses do povo e sinlo os Deputados
l.rar a sociedade com o casligo dos mos e e Senadores que devem ser os primeiros
proteger innocencia inuslaii ente perseguida; cumprir as Leis que elles'mesmos fizero e
e por isso, nao se podem cilctl u os (laninos U cap influencia busco furtar-se : eseonos-
que sofrem o Publico e o Particular quan- so zelzo Administrador I ro\ incial julga que ,
doessa Administraco da Justica cessa o seo na esfera de suas attribuicoes se c'ompreende
movimento sejaqual foro motivo que para a faculdade de remover provizoriamente esses
isso aa. Perde-se com a paralizacao da Jus- ma|es apresse-se a fazer-nos esse bem e
li a Civel, por que multas fortunas nao sao cre mais esse titulo de reconhecimento de seos
augmentadas muiUs erdades aperfeicoadas j Patricios cuja sorte Ihe est confiada pois
Dla oscilaco einque^r ventura se a.xa o que. mais um beneficio mais a bencao.
Como ocurso de nossas reflexes nos levasse
direilode propriedade d aquelles que as pos-
suem ou dos que julgo dever-Ihes perten-
ao nosso Administrador Provincial
, aprovei-
cer; e d aqu vem que nao augmenlem suas tamos a occaziao para lembrarS Ex que
produces e por consequencia diminua a nao pequeo transtorno e nao pequeos re-
renda publica &c. &c perde-se com a pa- ctios tem causado no foro o sistema seguido
ralizacoda justica criminal por que sendo j de aeeumular em um s individuo jurisd'ices
geral i^ue os criminozos expiem qUC -pelas Leis I rovinciaes vigentes, nao-
sao compativeis de se exercerero conjunta-
de interesse
seos deudos e os innoscenles sejao promp-
tamcnle absolvidos e restituidos socieda-
de quem utilizo jazem ao contrario ,
uns e outros emparedados as prizes en-
Ik mus ao orror de seos destinos amestran- teqara substituir os suspeitos e e'mpedidos ;
do-se na escolla das maldades de que in- mas nao eompreendemos e at julgamos mui
signes mestres as nossas prizes e finalmeri- pouco legal, que esse juiz exerca difinitiva-
menle.
Nao procuraremos ventilar a questo si
se podia ou nao nomear um juiz permanen-
lirigue Ingle/. MaryQuem of Ssets, vin-
do de I.iverpooF entrado em o do corrente
" Wm. Kelly, consignado a Crabtree Heworlhy I ralizaco dos Jui/cs de prin:eira Instancia,
x C I niasem razio da penuciuza, absoluta e fte-
Icpcrdetado algum reslinho o'e moral que tal
vez ainda conservarse em sua desgrai ada po-
zicao. Sendo mais que exaclos os principios ,
que acabamos de enunciar resida, que anos-
sa Provincia se axa aclualir.enle soliendo os
niales que temos mencionado nao pela pa-
menle a das varas do Civel e outra do cri-
me conservando sempre a mesma qualidade
de substitutos, por que aparece o inaudito
absurdo de ser substituto de si mesmo. t o-
tanto 1 si afinal a Instancia superior iulgar as-
tia e assentar que esse juiz nM podia aeeu-
mular ;i sna indefinida jurisdico a d outra \a-
ra espida I quantas nullidades nao lero de
Avisos Di vernos.
C?* Precisa-se dura hbil forneiro, e nao
se olha a ordenado na ra Direita paderia
de sobrados D. 13.
*S" Aloga-se o 1. andar d um sobrado ,
na pracinha daLivramento toja D. 10 lado do
poenle,
'
BBBI_HaHn




DIARIO
*^" Precisa-se de um caixeiro 5 na venda
da praca da Boavista D. 7.
ssy ASenhora, a quem, per falledmen-
todehum seuneto, hllio do fallecido Jos
Joao ficou pertencenle um sitio cujo nom
*e ignora na Cidade da Parahiba e que
confina rom as trras de um outro sitio de-
nominado Sampaio queira declarar sua mo-
rada que se deseja tratar sobre este mesmo
sitio.
Ssr?Conrerta-se pentes de tartaruga, e
caixas de tabaco bem como toda e qulquer
obra de tartarugueiro, por preco cmodo ;
as Cinco Ponas tenda.de-funileiro.
tZf Orerece-se um sitio em Olinda ao p
de S. Joao denominado Virado, com encllen-
le vista raza de taipa nova excelienle agoa,
planta de capim para a a cavallos com cem
ps de arvoredosde esp'mho novas trras de
,toda a prpduccao e bastante para planlacoes,
com muila lenlia sendo alem disto muito
fresco o lugar ; d-se por cmodo preco, tan-
to que vista delle nao deixar de compra- Da ven(jer
lo ; a fallar no mesmo.
ts*" Arrenda-se um sitio denominado Ins-
tancia que foi do finado Manoel Anacleto,
com cxcellente casa de vivcnda urna grande
olaria tendo muito bom barro, e grandes
matas, pasto para vaccas deleite grande ter-
,reno para plantaces com duas baixas para ca-
pim de planta muitas arrores de fructo; e
arrenda-se com sete escravos oito vaccas de
leite e cinco bois mansos ; na ra das Flores
sobrado da quina D. 1.
S~y Peante a Meza actual da Irmandade
do Apostlo S. Pedro desta Cidade, e do lllm.
Sr. br. Juiz do Civel da a. Vara se hade ar-
rematar a quem inais der as rendas das casas
de seu Patrimonio por tres anuos ; sendo as
seguintes Pateo de S. Pedro 6 moradas de
casas D. 10, 11 ia, i3 i4 c 15--Beco
da Viraco urna dita D aft-Rua de lortas ,
duas ditas ,pej.U Beco do Lobato, urna
dila I). a4 Ra do Padre Florano duas
ditas D. 19, e ai Ra do Nogueira urna
dila D. o. Defronte do Quartel da Polica,
urna dita D. 9 Pateo do Hospital do Paraizo,
uma dila D. 1 o Rua Velha da Hoavisla du-
as ditas D. 14 e H8 Ba do Arago urna
dila D. 1 Rua da Gloria urna dita D. ?6 -
Ruada Senzalla vellia do Red fe urna dita
D. 40. = As pessoas que as quizerem arre-
malar poder comparecer no Consistorio da
meste Irmandade 110 dia r>6 do corrente mez
deSeleinbro pelas o horas da manha cornos
scus competentes fiadores. Consistorio da Ir-
mandade do A|K)slolo S. Pedro 9 1 le Setem-
bro de 18J9 -O Padre Vicente Pereira da
Silva Guimares, Eserivo.
t?' Aluga-se um pequeo sitio com duas
cazi-s terreas pegadas de pedia e cal ao p da
Solidde; quem o pertender falle na rua da
Cadeia do Recife defronte do ^beco largo N.
I a.
S2F- Aluga-se urna caza na villa de
Nazarelh da Mala propria e com arranjos
para um Theatro com platea prompta de
assentos para maisde <5o pessoas e varanda,
que pode ser dividida em camarotes para inais
de 200 e o scenario correspondente ; caza e
mais ulenci's ; onde j se tem dado algumas
recitas particulares ; qulquer pessoa que a
queira alugar t empreliender dar algumas
recitas de Novembro at o Entrudo prximo,
e que pude tirar grande interesse pelo concur-
so que lie prcsumivel ha ver nesses mezes at
para duas recitas por semana eutenda-se no
mesmo lugar com Franciico Gomes de Vascon-
celios.
SS?" A quem for oTerecido urna caixa com
100 arralel de rap Princesa da Babia com a
marca G -- desencaminhada de casa do abai-
xo assignado em aa do corrente, ou quem da
mesma tenha noticia, roga-se-lhe por obze-
quio queira ir decorar na rua da Cruz do Re-
cife n. 4 Antonio Pereira da l'unha.
tsr- A quem fallar duzia e mcia de colheres
de prata para cha emprestadas queira por
favor procural-as na caza N. 8 aa rua dos
Barbaros.
y O Secretario -da Sociedade Apollinea
convida os Socios da mesma se reunirem hoje
a3 do corrente para deliberarem sobre os fun-
dos disponiveis da Sociedade e cuntinuacao
la discussao dos Estatuios.
SS" Jqao liaptista 1 laudio Tresse aviza a
.todas as pessoas que tem deixado penhores na
sua loja, na rua Nova D. 5 confronte ao Cal-
leireiro que os vo tirar no prazo de oilo
dias, pelo mesmo Senhor se retirar da referi-
da loja.
E7- A Cmmissao Administrativa da So-
ciedade Harmnico Theatral em yirtude do
i a do art. 6.* dos Estatutos convida os mem-
bros da mesma a reunirem-se hoje 3 do cor-
rente pelas 6 horas da larde na cafa n.* 4 de-
fronie dalgreja do Corno Santo para delibe-
rarem sobre o disposto no art.{e fi do art. 5* [Jpiter ; quem no mesmo quizer carregar ou'Wco, qualn, calvas' cnvidraradas do..
cstran- transportar-se falle ao Capitao-do mermo '
geiropara catauro de qulquer occupacao, |.Tos Xavier Vianna 011 na rua do Vigano
?* Quem precisar de ym menino cstran
N.;.
PARA TRIESTE o superior brigue in-
. glez Chase Capitao James Rtchei. de pri-
j e i I a o
o qua sabe 1er, escrcver e contar e tem i.a
annos, annuncie sua morada ou diriia-se a
rua da Cruz loja de marcineirodo Sr. Antonio
Oomingnes que l achara com quem tratar.
XW OSr. que ficou por fiador
de urna loja na Solidade queira ir pagar"at inda quiser carrejar',' diriia-se aos Cosig-
o hm do corrente mez pois a bastante tempo natarios M. Calmut & C.
que se espera ; e se nao pagar no fim desle_________________
prao ter de ver o seu neme publicado.
CT Precisa-se de um padeiro que saiba
bem este officio ; na rua Direita padaria l>. 4^.
jy Quem pertender alugar um moleque
para o serano de casa m;;il
ja-se a rua da Penha D. 1 S.
W Deseja-se fallar ao Sf. Joaquim d'Al-
buquerquee Vello ; negocio de seu interesse; nhia por intervengo do corretor Oliveira .
pede-se-lne por tanto, annuncie a sua mora- AP ,,m ptimo sortimcnlode suaa bem conhe-
da para ser procurado. ridas fazondas e entre ellas chitas da nova
r preeisa-se alagar urna negra, que sai- Hollanda de padroens modernos terca feira
na rua para vender fruclas de um a { do corrente as 10 horas em ponto no seu
laucos ludo por preco cmodo ; na rua da
Cruz armazem N. S7.
t?" Um cazal do caxorros de fila muito
novos ; na rua do (Jotovello I), j.
Cy L'ma negra creoula rom r 8 annos sa-
juem tratar, imeira classe forrado e encavilhado de cobre; I be bem cozinbar engomar, e faz todo oser-
r do aluguel j tem a maior parte da carga engajada : quem vico de caza ; na fabrica de chapeos ao pe da
cadeia. '
C3"-Trczentos palmos de terreno no a'tterro
dos Anegados o qual he foreiro e naga ?o
res pr cada palmo ; vendem-se ;i dinheiio
V3j- Que fazem CelierCornu & Companbia
da arma ao da loja da rua Nova D. m toda
snio servical diri- inteira, ou em parles, terca feira >{ do cor-
rente as 10 horas da man lia na referida loja.
t3 Que fazem Russell Mellors i Compa-
sillo pagando-se dez mil res por mez e co-
mida ; no atterro da Boavista casa de funileiro
de Geraldo d'Amarante.
Ky Quem precisar de urna ama para cozi-
nharou engomar dirija-se ao beco do Padre
l. ->.
t?y Tendo um filho de Domingos Jos Pe-
reira Pacheco recebido em caza do Snr. Joo
Jos de Carvalho Moraes trezentos pataces ,
deo-os a um prelo para carregar e no prin-
cipio da Praca da Independencia perdeo de
vista o dito preto ; nao sabe com tildo se o pre -
armazem da rua da Cadeia do Becife.
na rua da Cadeia do Becife N. t
c
o m p r a s
Cy O Cdigo do Direito Romano; nesla
Typ sedir quem o quer
S5" Meio fanueiro completo CDm obras de
prala ; na rua da Cadeia D. f> *.
sy Os Diccionarios de Vieira e Boyer de
inglezpara porlugnez edeinglez para fran-
cez, a inda sendo com uzo.
Dois aparelhos de cha pequeos ou
^ 1 I----- --------- I"*' ""-*' -* vilo l'l-.l llt'IIW* IIU
to de proposito fugio, ou se por acaso se per- {mesmo sem ser aparelho ; na praca da Inde-
deo: roga-se por tanto a quem souber desle pendencia Ns. 11 e it.
successo queira partecipar na rua do Crespo
D. 5 i andar, que ser generosamente recom-
pensado.
C7* Nao pense o Auctor do annuncio inse-
rido no ario de quarta feira i5* do corrente
numero ol, que o abaixo assignado Inven-
tariante dos bens do cazal do falecido Capitao
mer Antonio Jos de Sonto, e de sua
mulher responde a sua miseravel pergunla
por dar-lhe importancia pois que he toda
digna do maior despreso mas nicamente pa-
ra fazer ver ao respetavel Publico, que ella
contem espirito de calumnia e de malignida-
de pornuc se o dito Auctor fallasse cqjn espi-
rito de zello, e interesse. dirigir-se-hia aps
carlorios onde existen) o inventario e os ter-
mos d'arrematacao e ah nformand(-;e cir-
cunstanciadamente certificar-se-hia de que
apesar de se haverem arrematado por execu-
cao da Companbia a casa do Theatro e mais
os sitios Jangada, c Saloio em Behiribe o
V e n d a s
E7-
gura,
ou .1 prazo,
a.* andar.
ZT' Lma por>o de pas de filtra'^ apea ;
no principio do atierro dos Abogados, no ieco
do Lima a fallar cotr. o canteo Bainiundo.
6^> Um sobrado proprios com quintal e cacimba silo na rua
da Senzalla nova ; na praja do Commercio lo-
ja de cabos N. 5.
tSS" Charapes sonidos de superior'qualida-
de ; na rua Nov a I) 7 e a 1.'
I V Chapeos de seda para Senhora che-
gados ulinameute de Franca: rua Nova
ai.
saf-Papagaios muito falladores. chegados
agora ('o Serlo por preco commodo ; na rua
ireila defronle do beco da lenba loja de fa-
zenda U. 9.
l^r Una escrava creoula moca propria
pamoservi o do campo; rua Nova 110 ter-
ceiro'undardaeasa onde mora o Dr. Paula
Gomes.
Escravos Fu <> idos
% Joio Xavier Pessoa de Mello faz puMi~
co que 110 dia ai de Julho desappnrwco um
se.) escravo de nome Jos de naco Camon-
dongo, comossignaes seguintes de boa es-
tatura sem barba, com os ps um tanto gros-
sos efovciros- roga-se a todas as aulrida-
Uma escrava de nacao de bonita fi-
lma hoceteira lava engoma e co- .
zinha o diario de urna caza ; rua do Collcio : "es Pl'ciaes o la .ao aprehend r e manda-
a andar do sobrado D. 9. | lo levar a rua Nova 110 "andar por cima do
C? Urna negra muito moca de muito lma Dr* Paul 5 que annunciaule pagar toda a
figura sobe bem engomar coser &c. para j "eaPeM flufl com (1ll) t'Sf'avo se fuer ; en-
fora da Provincia ; na rua do Crespo D 1 a ,lcl;ml piolesla-se contra qulquer pessoa
fallar com Francisco da Silva Lisboa.
O* Urna escrava moca com urna cria de
dez mezes lava e vende na rua ; prefere-se
para o mato ; na rua do Aragao n. 38.
vy Urna boa engomadeira e cuslureira
>ca tie muito noa i t' "*" 'i"" "'",""""-"""- pos* n
coser &c. para '''^l'023 q11*' com o dito escravo se fizer ;
do Crespo D 1 a i,lcl;ml? |>'olesla-se contra qnaqtter pO
que o tiver acoilado uzar dos nieios que a Ici
; faculta.
j- No dia 14 do corrente fugio um preto,
com os signaes seguintes-baixo, grosso do
corpo pouco barbado, idade pouco mais ou
de idade de a< anuos e OUtras creoulinhas mcnos ('t i4 a ** anuos lem os dedos .los p.'s
com principio de eustura ; a fallar na loja de trcl,!R'0S "I1S sob'-e oulros ; levou vestido (alca
Livros da Praca da Independencia N. J7 e 38,
que se dir quem as vende.
C=> Urna escrava com idade de i,a a$ an-
I.nos. de naco Angolla, com boas.babUida-
casat anda Ihe ficou restando a quanlia de des; na rua Direlia D. ao lado do Livramcn-
quatrocentos noventa e tantos mil res para, to.
rineo caixas para assucar de Qompri-
quina, que sera recom-
menlo e largura do coslume, pelo mdico pre
ro de 3aoo rs. cada urna feitas de amaicllo
elouro; em a rua de Santa Bita Nova caza
cujo saldo j est penhorado o sitio Porto da
madeira, que breve se arrematar para paga-
mento do resto. Pelo que, como esse acto d'ar-
rematacao seja publico resla-me a gloria de
ver desmacarada a infame calumnia do sobre-: terrea I). 18 lado do nasccnlc.
dito Aac'or o qual diz no seo annuncio oue tST Urna duzia de radeiras,
nada mais se deve a Companbia. A' vista pois : quatro bancas c urna me/a de
do referido claro fica que de mim nao par-! sendo ludo de Jacaranda cem.
te interesse algum em retardar a Partilha ,j rua da Florentina segunda casa de Joao Zur-
como assim me increpa o sobredito Auctor.; rich pegada aolam'peo 5 a mesma tamliem
Nao haduvida nenhuma que he cousa in- sevendem outros mais trastes para urna caza*
compalivel o dar andamento a Partilha antes j ur Ou troca-se por outros predios nesta
das contas saldadas. Finalmente Snr. Auctor,1 Praca urna quinta em Lisboa no lugar das
das calumnias prepare-se para ver refutados Caldas da Rainha ; vendera-se mais i mola-
os seos aleives ese for necessario com doeu- das de casas terreas na mesma villa, cuma
um gana pe
meio de salla ;
bom uzo ; na
branca oonduzindo toda a roupa em um sur-
rao de courodecarneiro : quem o aprehender
leve-o a'roa da Florentina caza, que fica ao
fundo da venda da ifulna
pensado.
W" No dia '8 do corrente fugio urna ne-
gra de nome Boza de idade o annos ; levou
vestido de chita vcrtle, cami/ade algodlo, cim
signaes de bexigas, cor fulla com duas letras
no pedo esquerdo; quem a pegar leve-a a rua
da Cadeia J). 10.
Moviinento me m-
que he
mentos irrefragaveis provare o que
Eutar de falso 9 calumnioso pois
em notorio que tenlio desempenhado os de-
veres de Invenlariantecom o maior zello, as-
siduidade efidelidade, como he proprio do
meo genio. Jos Mara de Carvalho.
8 Hum Professor examinado de I atim se|deria N. 5 ; una venda situada no p
propoema dar lices de Gramtica Latina em canoas ; a fallar na mesma caza,
cazas particulares : quem quizer d'
varzea na moda ; a fallar em Olinda no sitio
denominado Viraco.
tT' Urna casa terrea em Olinda ou troca-
se por outra nesta Piara voltando-se o que
for justo c tambem se troca por escravos ; os
perlendcntesdirija-se a rua da Guia na pa-
Ylo das
quem quizer dinja-se a
o pateo de S. Pedrovcaza I). 6 lado da Vira-
cao.
S&* Quem quizer hum Professor para en-
sinar fruncirs ] etras Gramtica Latina ,
Bhetorica e v'uzicacm algum Engenho ou
mesmo no Certo : annuncie.
ssy Quem pertender um sitio para passar a
festa, com boa caza de pedra e ca envidraca-
da beira da estrada perlo do hanho dis-
tante urna legoa desta praca com boas arvores
de fructo e militas flores ; estribara segura,
e o mais que se mostrar ; dirija-se a rua de
Santa Rita naya caza terrea l). 18 lado do
SSr* Urna prela engomadeira e costureira ;
urna dita da Costa boa quilandcira : urna dra
de nacao de muito bonita figura com princi-
pio de engomado e cozinha com 18 anuos
de idade; urna dila da mesma idade propria
para se applicar a qulquer cousa ; um preto
cozinheiro ; e um moleque de 1 a anuos na
rua larga do Rosario D. 7 por cima da loja de
miudezas.
G7" Superior potaga ; no armazem.de San-
tos Braga rua da Moeda n. i4a.
* t7" Paios novos a i-too a duzia; cale,
manteiga e nozes ; toucinho a a4 a libra ;
t chocolate a 3ao a libra ; lelria a 640 dia ;.bo-
nascente que afhar com quem tralar ; ad-| tijas de genehra e lodos os gneros de venda.
verle-se que se entregar a chave at bus de, muito em conta
naja
arlia
NAMOS ENTRADOS NO DIA sd.
CK.vl'.A ron Gl AMARE' ; 8 dias .lo ullimo
porto ; patacho nacional Laurenlina de 00'
toneladas ; meslre Antonio Germano das
Neves; equip. 1S 5 carga sal e mais
aeres : Lourenco Jos !as Neves. I\
geiros ->. brasileiros enm |M)rtuguez.
GUAMARK' ; 14 dias; brigue escuna naci-
onal I'el beracao de a 00 toneladas; mestre
Joao Antonio da Silva; equip.- 14 ; carga
sal, algodo, e palh* : liosas c Irmao.
asileira com urna fill
e dous brasileiros.
SAIJinoSNO .MESMODIA.
RIO DE JANEIRO; patacho nacional ero;
mestre Candido Jos'; I rancsco Gulai te,
taiga varios gneros. Passageiros j brasi-
leiros francs'con) sua familia a fami-
lia do Capitao dous escravos dos passar i-.
Passageiros urna hi
menor ,
i,i
ros
e mais tres escravos a entregar.
LIVERPOOL; barca inglesa Thomaz !*<
lor ; Capitao Ilrtiri llautbisin ; caiga al-
godao, e acucar; passageiro um inglcz.
PU1I.AELPHIA ; o brigue americano Od
Colbny ; mestre Moiss Law : carpa assu-
Outubroo mais tardar devendo desfructalo
at ins de Abril do anno prximo vindouro.
Avisos Martimos.
PARA o RIO DE JANEIRO, sahir com
muita brevidade por ter a maior parte do seu
cariegamenlo prompta o brigue brazileiro
pipas vazias que forao de
agoardente ; 3 escravos que sabem fazer' todo
oservicode familia e um negro bom traba-
Ibador de cuchada ; as Cinco-poutas D. a3 ,
onde lem lampeo.
C7" Um braco de batanea'com seos perten-
ces e pezos de ferro de meia arroba at mcia
quarta, proprio para balco de venda ou ar-
OttMDi ; urna porco de garrafas vazias ; um
rau.
BARCELLONA eon PuRTO RI O ; chi-
que bespanhol Palomo ; mestre (abriel
Bementol; carga couros e algodo.
LISBOA ; brigue porlugnez S Joao Baptis-
ta ; mestre Antonio Pedro de l'igueiredo ;
ctrga assucar e couros. v
SAHIUODIAst.
ARACATY ; sumaca nacional Felicidtde ;
mestre Antonio Rodrigues Pioheiro ; carga
varios gneros. Passageiros 10 brasileiros ,
um allemo e um escravo.
OBSERVAgOENS
No dia aoenlrou dentro do Mosqueiro a barca
inglcza isa bella.
-
ni



DIARIO DE PERNAMBUCO
PRECOS CORRENTES
GNEROS;
AR TIC LES
COde Milo............
\r-oa ras..............'..... Spirit o/twpenline
PREgO
Agoardenle a5. JT......... Brandy i5.'
Alcatrio Si:eco............. Tar Swedish
Americano
\lfatcna..................
-!p:5ts....................
\\ vaiade..................
Amarras de ferro conf. suas v.
Amendoa doce com casca naole
Ancoras e ancos etas..........
Aniageaa...................
Vame He ferro.......j.....
,, delato............*
Arcos de ferro.............
Arroz pilado estraneeiro......
Aceite doce do Mediterrneo ..
de Portugal.......
flACALHAl^...............
Hacas He lato..............
HarricM valias in pe........
,> batida...,...
Rtalas.....................
Beserros Franceses..........
Breu.......................
Brim da Russia..............
,, imitaco....
Bolaxa fina..................
ordinaria.......'......
ftolaxinha..................
ABOS de linho de patente..
Inglez...........
da Russia
de Cairo.........
Steel- Miln............ Hfooc i5|oo
S00
I i loan
8*000
3#ooo 3*5oo
# 400O
11*000 13*000
5#aoo 5#5oo
,, American.........-
Lavander.............
Canarv Seed ..........
iridie lead............
Cables-chain acc. losize.
Sweel almonds soft shell
Anchors and grapnels..
Osnaburgs.............
I ron ITire assoited.....
Prast n...........
Iron hoops.............
Rice white............I 6#"
......I kT
*095
ijfooo
1
#700
3#J0O
>> 91
1 I
II
Jame secca do Rio-gtanile...
,. ,, de Montevideo...
de vacca salgada......
de Porco............
Carneiras Francesas He cores
Ca rvo de pedr*............
Cera amarell d'Angola......
,, I.ranea...............
Cli Hisson superior.........
perola...............
Cerveja l>iai c i.............
preta................
Chumbo em han a...........
em lencol..........
de'munico..... ...
Cobre para caldereiro........
forro e'pregos....
ECHADAS...............
Cnxofie em canudo..........
ping ardas lazaias........
'. I o 11 a.....................
Erva-doce..................
Kstanbo....................
r AlUMiA Araer. nova......
,. vellia.......
Francea ....
Mediterrneo
Bltico......
OH olive.............
Portugal...........
Cndfish...............
tiras basins...........
Flour Barrelt..........
,, shooks.........
Polaloes..............
Ca If skins, French.....
Rosin ...............
Ravens duck Runan..
,, imitalion.......
Bread pilot...........
m navT............
Crackers..............
llordage..............
Ilcmp. Cable England:...
., ,, Russia patent
., Uoir........
Co/fee ...............
Beef dried, Rio g>ande
,t ,, Montevideo
BeefSalled...........
Po'rk Salicd...........
Sh'eep Skins French col.
Coa!..................
\ellow wax
while
11#500
#56o
I
I
*I00
48oo
*.O
#300
i4o
#8oo
9*000
Oj/ioo
1-300
l#0O
ia*ooo
#oo
1#000
#700
36/oo 4*ooo
6*000
000 i3#5oo
n#000 1 a#000
lI#000
8#ooo
# 4#5jo
i8#ooo a4*ooo
i8#ooo
18*000 5^*000
1 a#000 i6#oo
, # UiSoo
1#600 as5oo
IJ600 2.-J0U
>5*ooo 3o*ood
3o*0:.'0 35*000
33*000 u;*ooo
l6|ooo 1q*ooo
>
11
1J400
4 *ooo
4*0.0
ciios abatidos.............
ollia He I' I a ikIcs...........
He ferro Inglez.........
Kouccs de roca..............
He mcia roca.......
iode vella.................
Porrete.............
,, de Sapaleiro........
'trro ingles em barras......
., ,, Ha Suecia......
'leaHytton .........! #
Pearl..........
Ale bottled.......
Porler...............
Lead in bars..........
Sheel .........
,, Shot a flor! id..
Braziers coppev.......
Shealhing and nails....
Hoes..................
til un-tone.............
P 11 tugese guns ......
Racaiiif .............
Anise seed.............
Pewtcr...............
Flour new 4mer.......
,, od dito.......
,, French..........
,1 Mediterranenn....
,, Balite...........
tieans.................
h'mply Ilavannaboxes ..
Tin piales assorted....
Sheet Iron.............
Iledgin bilis large.....
,, ,, small........
Twines sai I makers.....
Pac* tread.............
Shoe ma'kere lliread. .
I ion Eng. in bars .
800
M5o
#85
i/o5o
1*800
4|4oo
4*4oo
11*000 13*000
15*ooo 16*000
16*000
#600
#56o
jfboo
I *4oo
4*6oo
JIQO
4/8oo
#4 80 #56o
iti#ooo 17*000
14iooo i5?ooo
1 4*ooo 16*000
14*000 i6*ooc
I3#000 l4^O0O
4*000 7*000
# i*aoo
a o/o >o a 1*000
9#000 lli#0'lu
#4 4o
*2io
;3oo f4oo
9#ooo I0#000
#9^0
(1 ',00 ; o a.
Swedish....... 9*100 10^000
aS
O
Cl.
01.
Gl.
Gl.
1)1.
Bl.
Ar.
Alq
Ar.
Lb.
Ar.
Lb.
Vr.
Lb
M
Ql.
Gl.
G .
01-
Lb.
a

Ar.
Ar.
Ql.
Pe.
B.
Bl.
Ql.
Ar.
B.
Os.
lo.
Lb.
Dz.
Q.
ir
M
Lb.
,
a
Ar.
a
y-
Ar.
Lb.
Ba.
>Sac
Hu.
Cx.
9'-
a
Lb
Ar.
Avaliac
Ql.
13*000
fioo
5afioo
8jjoo
5*ooo
a*4oo
3*ioo
1 ' ia,*8oo
4 #000
10*340
#aao
#'4"
#5oo
6#4oo
#4o
ia5*ono
ia5#ooo
8^000
#48o
/f6oo
6.0
S(o
^3*000
3*000
10*000
10*000
4 #000
I #600
4#ooo
14*ooo
14#ooo
14#ooo
i6#ooo
1*6-0
*5oo
3*0)0
1#000
ia#ooo
i5o
#fioo
1 ( 000
I 3 00
a*5oo
a#5oo
io^ooo
10*000
15*ooo
!45o
U8o
iao
.60
#'60
3*300
#3oo
la08i-o
I3#^
19.^ -O
ia#8oo
ia#8oo
a* 1 *ooo
16*000
8*000
#4 o
#340
tifio
6#ooo
#5 o
4#8oo
7*c - O
a.
O'
Lb.
Bl.
Ar.
Alq
Ql.
Ql.
Ar.
Ql.
Vr.
Lb.
Ql.
Ar.
Pp.
Pp.
Ql.
Lb.
Ar.
Ar.
Ql;
Pe.
99
Ar.
9
Bl.
Ql.
>
>
Ar.
GNEROS
NI.
Dz.
To.
Lb.
*
.-)
M
Dz.
Q.
Lb.
1
Lb.
Fa.
Co.
Ar.
Lb.
Ba.
Alq
liu
Cx.
01.
a

Lb
Ar
Lb.
Ql.
OL
C.q
Al)

it
n
PP
Ab
Mi
S
GARRAFAS pretas.......
fiarrafoens empalhados.....
Ge ne i na em pipas.........
,, embotijas........
LONAS da llussia largas^ ..
M 1, a imitac5o.
ingieras estreitas
L'>uca ordinal a ni|(la....
MANTEIGA inglesa.....
Franceza.....
Machados do Porto........
Massas sortidas..'..........
Milho...................".
OLEO de linhaca em cascos
,, em botijas.......
Panno de liuhode toloens..
,, in Testado..
Panellai de ferro fu. sort.
Papel de peso coroioha.....
almajo asul 1. ".....
. e3...
,, branco..
floreie..............
M ......
de einhrulhar marca g.
.. pequea..
Papelo..................
Parnaliibas...............
Passas ...................
Pimentada india.........
Pixe Ha Surcia............
Pol vora...............
Potassa d' A erica.........
,, da Uns-i.i..........
Pregos caibrar...........
,, caixar ............
ripar do Reino.....
da trra..........
de construeco....
Presuntos da Portj........
,, de nutras partes.....
Paios de Lisboa............
QUI5IIO.S Fiainengos......
RAPEHa Babia...........
,, de Lisboa..........
Retroz...................
SAB.A.O' amarello.........
,, do MeJi'.errano...
Saceos vastas.........
Salitre bruto.........".....
,, refinado...........
Sal listranneiro............
Salea parrilha.............
TA AC raaapandira......
Taboad He pmho.........
Toucinho de Santos.......
de Liiboa.........
Vinagre de Portugal.......
,, do Mediterrneo...
Viuho de Lisboa tinto PRR.
Ilraneo......
utores tinto
,, Malaga SCCCO b.p. P.
,, Celle tinto.......
,, Espanha.........
,, Sicilia...........
P.p. Cat....
Muicatclquai lola.....
,, engarralado.
,, Boideuz ,, .....
,, Clwmpagne ,, .....
Vi Vcllasdc Speriiiacele......
,. He cebo.......;.....

ARTICLBS
Bottles black........
Dami-jo'ius.........
(jin in pipes ..'.......
,, in jars.........
Russian wide........
,, ,, imitalion ..
,, Rnalith narrow .
Ratllienware........
Butler English new..
,, French ......
Porlnguese axes ....
Maccarroni and verm.
Indian Com........
OH linseed in pipes...
,, ,, iniars.-...
Porlueueie linnen Tnl.
Foldcct
Casi iron pols......
Paper loter..........
alnasso blice 1...
,. a. e3.
,, yelloff .
Jlrele.........
II M
IFrapping large.
" .. > Small..
Pastehoard........
Geiman cutlattes.....
Mutcalel rasins .....
Blach pipper........
Pitch Swedish.......
,, tunpowder ..
Pol ash American....
,, ,, Rutsian......
Nailt i in ..........
>>
i)
M
II
II
II
PREgO
9*000 10OOO
#750 #800
#5go |6oo
g a#64o
1a8*ooo 3o|ooo
a5*ooo a6#ooo
9#8oo 3*oi>
a#5oo a#600
ir.
>
1
i
OUtlOS
,, 5 0108 in........
Hams Oporlo........
,, others.......
Sauttgcs Lisboa. .
Cheetso dulch .......
SntifJ Baha.........
,, Lisboa..'....
Sewin Silk.........
Soap yetlow.........
,, Mediterranean
fa<..............
Sa/peler raw........
rcncd......
Sal!................
Saltaparilla.........
Tabaco Itiaependim ..
Pinebords...........
t acn..............
Finegar Portue,uese .
,, Medi trra -iean
rVinc Lisboa P. RR...
mide ..
,, other brands ..
Malaga,, P.
Cene red
Catalonia ,,
'(r .
Span. Pp ......
,, Atsentela hogsh
bottled.........
claret ...
,, Cliampaigne
JFindow G. p. 100.517./
Caadles spermecely .
,, tallo w......
11
11

i*4 00
I #000
#600
a#^oo
. #J6o
3*aoo
s
9
r
f
4*000
3*100
I*300
I#IOO
#1.0
7*000
4#4o
#900
3?6oo
7#5oo
#4*00
#'4o
8o
, 100
16*e 00 18*000
3#9oo 4#ooo
#040
<*5oo
7#000
a#ooo
1*600
i#ao
*88o
3#ioo
#53o
A*ooo
#,80
11#000
#5oo
#193
#aoo
4*aoo
a*ioo
I#30O
i/ao0
#uo
?ffaoo
*6io
afi&o
l*O0o
1 #000
4#o
8*000
#no
#.3o
#4 4o
/6j
190
i#aoo
4*oao
4',*ooo 5o*ooo
a8*ooo 3'>#ooo
ii5*ooo iao#
U5,f'0n 130*00
8o#ooo 1>D#00
8o#ooo 85#ooj
7o#ooo 75*000
70*000 7i#ooo
60#nao 6i#ooo
6o#oo.> 65#ooo
70*000 7#ooo
3#4oo 3#8oo
6#ooo io#ooo
ao#ooo aa*ooo
# 6#4oo
#800
#300 faao
c
O
a.
gT
liu
Gl
Dz.
Ct.
Lb.
11
um
Ar.
Alq
Gl.
Vr.
Lb
Re.
ii
11
11
i
11
11
1
M.
Hu
Cx.
Lb.
Ba.
Lb.
Mi.
Lb.
Ar.
Dz.
Ilu
Lb.
Hu
Lb.
99
Alq
Ar.
Ar.
Pe.
Ar.
99
PP.
Pp.

11
11
11
O.
ii
Ce.
Lb.
Avaliac
1ifooo
a4o700
1afijooo
a#ioo
18|3oo
i8#ooo
13*000
iactura.
#3oo
#3oo
#300
3#aoo
I3)
ao
#403
#>oo
a5#63o
3j(6oo
a#6oo
a*6ou"
1#803
i#8oo
1 #800
i#000
|56o
a#4oo
#3oo
3#aoo
*i5o
#8000
5o#ooo
#300
#300
10*000
16*000
16*000
16*000
8*5oo
5#.ao
5#iao
a#4o3
|oo
3*000
6*000
3*840
3#84o
O
o,
Ct.
um
Pip
Ds.
Pi-
pe.
Lb.
Alq
Lb.
9
Vr.
99
Ql.
he.

i
11
1
>i
11
Ar.
Hu
Ar.
Lb.
Ba.
Ql.
Lb.
>
Ql.
99
>*
19
99
Ar.
99
Dz.
Hu
Lb.
99
Ar.
\
#i8o Hu
4*8oo Ar.
6J000 Ar.
i!5oo Alq
I0#000 Ar.
7 7# P
# Ar.
a#6oo '
a4#ooo 1'-
a4*ooo pp.
67*000 99
6;#000 45*000 11
99
45#ooo 1%
4t*ooo 99
45*000 99
Zi5ooo 99
45*000 9 9
74*000 99
4*800 Dz.
9)(ooo ii
1'ifllJII ii
- #-70 p.
#5oo Lb.
6.400 Ar.
Nb
Ab
Nh
Nh
Ab
Nb
Ab
M
EXPORTAgAO'
,ui.it.ui de caima......
Casara.....
i Ijodao 1. sorte..........
1 2- .'".........
vssucar b. encaisado, 1. sorte
i
11
11
>i
11
11
11
1
11
*
1
11 11 11
,, Masca vado,,
a.
3.
4-
5.
6.
1.
a.
1 1
,, Branco em' arr.cado.
,, Mascavado
1
i
11
11
ii
M
2ewi os hecos balgados......
e. He sola .............
Chil'res da terr.........
., do Rin Gronde, novho.
E XP O RTS
iium aa. ...........
,, Caxaca ..........
Colln
a.
qualtty.
11
11
11
i
ii
11
ti
Sugar in cases while 1. q.
> ii
3.,,
4-
5.
6- ,,
orown 1. ,,
11 11 a. 1,
inbarrils whil.....
1, if brown...,
Dry salted ludes........
Tanned bids..........
Ox-borns.............
Pceo da Praca
f DQftlIMI
# 5u#ooo
63oo 6?4co
5jboj 54oo
1 #900 sobre f.
| .#5oo Dito 91 99
a#aoo a#4o 99
i i 4j*ooo .. ..O #.a5 a #000 4#5oo t'lMIUO 19 Libia 1 liii.i ('.. ule
POR
Pipa

Arr.
H
II
11
M
II
II
Avaliac.
mo
a#4oo
a#56o
POR
l'ipa
11
Arroba
11
11
11
tii
ii
11
11
ii
ii
11
1
llum
ii
Cento
Assucar para
11
ii
11
1
doAlgo
i
11
Couros
>i
11
Liverpool.......
A lll-.ll I llalli .
Canal........,
Genova........
Hamburgo.....
Triestre.......
Estados-.......
Estados-Unidos.
Portugal.......
ii
Franja........
Inglterra.......
Barcelona......
Inglaterra.....,
Franca........
Es taJos-U nidos.
a
a
M
3
a

11
1
11
11
ii
FUETES
10 Ton. e5p.
lo 1, de 70 Ar. e 5 p.
ii 1
11 11
ii ii
11 11
0/0 de primagem. Nomina
lo
ii
i

ii
11

>i
i

i
ii
n
11
11
i
>i
11
>i
i/a Centissimos por libra
aoo a a5o Reis por Ar. sera primager
600
3oo e 10 por cento Camb. 160 R. por 1 F.
5/8d. por libra & 5 poro/o
4oo Rs. por Ar e 10 por cento, Camb. 800 Rs. o pezo
3 10 por Ton. de 70 Ar. e 5 por cento.
a4o Reis cada um e 10 por cento Camb. 160 R. p. 1. F.
3/4 Centessimo por libra e 5 p. cento Nuntiual

0J3SEK VACOENS
Todas as mercadorias estrangeiras pago i5 por cento de dircitos a escepeo do'cha que paga 3o
por cento, e da plvora que |^aga 5o por cento sobre as avliacoens da pauta geral do lnipeuo; e
alguus sobre o valor dado pela parte. Alem dcstes dir.los pago mais 5 por cento de aimaseoagem
adcioual e expedente. Mas as cambraias de linho rendas de fil de seda e linho obras de curoe
prala 1 pe iras preciosas, e canolili o de prata, e ouro sao isnlas da armazenagem adeional e s pa-
mo 1 1/a p. c. de expeaiente. Sao isenlas de diicitos as maquinas anda nouzadas uo lugar; poreni pa-
oa* 6 por cento de espediente e armazenagem adeional.
Concede-se 4 inezesde nrmazenagem livre as iazendas seccas esos mulhados 3o dias e (indos el-
les'paga pela demoia que tiverem na Alfandr^a narazo de 1 ijl por cento ao mez.
Os vinbosc bebidas espiri'uosas importadas de pases que nao te.i. ti a lado cno Brasil pago du-
rante o asmo inanceirode 1 de Julho de 18.S9 a o as avaliacoensda pauta semanal incluindo-se uestes 1 i;2 por cento de expediente. Pago mais 3 1/1
le aimozenagem adeional. Advcite seque s fico sugeilosa estes direitos os vinhos e bebidas espirituo-
sas que lorein emba cadas nos respectivos pases do 1. de Julho deste anno em diante. Todas as beb:-
'as spinti ozas pago de consumo na Provincia 4o res por caada cabrados na parta da Alfandcga ;
%cepto a agoa-arden:e do fabrico nacin que paga s 30 por cento sobre o valor.
laia attestos e quiebras concedero-se a os despachos de lquidos os seguintts abatimentos; a saber:
de 5 \>> cento en garrafas ; de por cento em botijas, de 2 por cento em cascos e g-urafoens;
Os direitos de esnoriaco pag^-se sobre a avaliaco d uma pauta semanal na laso seg inte As-
sucar lo'por cento; lgod'o, Caf, ehumoii por cento; Agoa-ardente coaroj, e todos os mais
escepeo do Al-
geneos 7 por Cenio.' Alem denles direitos pagao-se as laxas de Itio r s em cada cana de 40 lis em
fecho, de ao risera cada barrica ousaco de assucar ; ede 4o reis em cada saca de algod o.
Couros, e lodos os mais gneros sao livres de direitos paia os po.'to do Imperio a excepc
godo Assucar, Caf e fumo que pago 1 por cenlo e as laxas por volme.
Os metaes preciosos nacionaes ou esirangeiros era baira ou ainoedados e O ouro em p pago a
por cento sobre o valor correte no mercado.
Os escavos exportados pago 5#joj por cada um.
REVISTA COMMERCIAL
Cambio Conserva-se a 33 e tem havido transacoens de alguma 'monta pelo Thomaz Mellors, que
parti para Live pool no dia ao do corren te : as noticias vindas do Rio pelo Brigue de Guena Pavuna
do o cambio naquella praca a 34 d.
Algodo -- Tem subido encons^uencia de noticias mais favoraveis de Liverpool, e podemos repu-
ta-lo lirme a 6#ioo as eutradas deste genero no decurso da semana tem sido regulares. Os inspecto-
res tem descobeilo varias sacas falsificadas que tem side tomadas, o que dever proJus.r um eO'eito
salutar a prevenir a repetico de taes fraudes.
Assucar Da ultima safra ha pouco em ser e os compradores deste genero mostro pouca vontade
de compra p >r terem completada os carregatnenlos de alguns navios, e por isso incliuamo-nus a crcr que
este genero anda baxar alguma couza.
Ccuros Sao olrecidos ao preco notado.
RECIFE NA TIPOGRAFA DE M.* F. DE FARIA. i83g.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EHZDISQXR_J91YNA INGEST_TIME 2013-04-13T00:20:09Z PACKAGE AA00011611_06132
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES