Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06131


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno de
Sexta 1 ra
Tudo agora depende de nos mesmos; da nossa prudencia, modera^
til '.en.er8 : continuemos como principiamos e seremos apontado
com aarorracae enire as Waces mas culta.
Proclamaco da Assembha Geral do Brazil.
fc't!>
Subscreve-separ. esta folha a 3ooo por qv>artel papos adiantados
" lypograha, ra dasCrutes D. 3, enaPraea da independencia
D. 37 e38, onde se reccbem couespnudencias legalisadss, ean.iuucios;
Uii,nndo-se estes gratis, Sendo disproprios assignantes, e viudos assic-
nados. '
Partidas cos Crrelos Terrestres,
Cidadedn Paraliiba Villas desna preterco...............'. '. .\
Dita do Rio Kia-ide do Norte, e Ylas Idrn. '...............T
Dia da FnrilrM e Viiiai dem. ........................./segundas e bexta; roirw,
Villa (le Goianna.............................*..,"."."/ ''
Cidade dr Olinda..........,.......I .."."* ,'M ,.".*.'. l'i Todos Os das.
Villa deS. Anteo .............................Quintas C.rW.
D.ia daGattfabuns ePovoacSo do Bonils .................. l)ms lo; e a4 deceme*.
IJilasrto Cabo. Serinhaem, K10 l'ormozo, e Porto Caivo ............dem 1 11, e ai dilo .lia.
Cidade das Alagoas, e Villa de !>facci........................m |rfcm Jdem
Villa de Paja de Flores.........'.................., ,'/.' .* *Idem 17l> dit0 dt0>
Lodos os Correios partem ao meio da.
ETi^rneo. Nl!wfro~205-
4
16 Segunda -
i 7 Terca--------
18 Qua'rU-----
9 Quinta-----
lo Sexta-------
21 Sahbado -
'ii Domingo- -
ABK>SL
SlCTEUHO. If
Londres...... o3 por tfnno ired.
li>l>oa....... jo por 0/0 prc-nio, por tactal offier acuix
Franca....... 3oo reis por tranco uou>.
hio de Janeiro ao par. -
tXJRO Moedas de Mloo r*.,. Vetn* /neo m tSfima
^,u* ., .. Nov** i.i*oo mAmm>
PliATA Palacors. lUaxileiios--------- #id a431fc
Peres Columnarios.......- ljifo a iS
ditos .Mexicanos.......-----,'|i5 .^
Premios das Letras, por mez f i/tf a 1 iji por too
Mcela de cobre. 3 por 100. de disc.
Das da Semana.
u .ti. t------------------mci v. :^u um i uri. c uri no J. (te l>. nm 1
- Tcmp. jcj. S. hut.ijuio \\.-----Scssi,* V Til** C aad. do i. de IX A 1. ,a>.
- > 'lein,'. jr. S. Matneot Ap.- -
- r esta das Dores de B. S. -
Afo/v c/ie7a / As 5 horas e 4? m'nutosd 1 manliii. As i horas e t? minutos da larde
ligo addilivo overeado pelo Snr. Fcrreira de
. ello e nao approvado.
Terceira parte da ordem do dia.
E' approvado vjn terceira dteusso, como
pastOU ein setinda, o projeclo de le do senado
creando curses de psludns elemenlarcs sendo
o mesi#b projecto renieltido t commtssodcrc-
daceo
iara
RIO DE JANEIRO.
ASSEMBEEA GERAL LEGISLATIVA.
SENADO.
Sesso em '4 de Agosto de 18't>.
Presidencia do Sr. Diofro Anlomu Ferj.
Reunido numero sullicicnle de. Snrs. sena-
dores abre-se a sesso e lida a acia da an-
terior appro\a:la.
O Sur. primeiro secretario da conta do s-
quiote Expediente:
Lm ollicio 00 ministro interino do imperio
remetiendo a copia' do decreto pelo <|tial se
concedeo aocapio de fragata Antonio Pe-
dro de Carvaiho a ten a animal de taoUooo
reis.
utro do primeiro secretario da cmara dos
Snrs. de-pillados acompanliando a proposi-
cao da misma cmara approvando a penso
annnal de a4oUooo reis concedida a Antonio
Joa<|uim Nunes, em remuneraco dos ser-
vicos por elle prestados cauza; da ordem na putados abre-se a sesso, 1
provincia de S. Pedro do Rio Grande do Sul, se a acta da antecedente,
onde ficou aleijado de ambas as mos. () Sur. primeiro secretario d conta doex-
Vao s commissoes de marinba e guerra, e pediente leudo os septiiiitesolficios.
la/enda. Do ministro do imperio remeltendo o officio
Sao nomeado para a deputaca que tem de do presidente da provincia do Para datado dr!
receber o Sur. ministro da marinba, os Snrs. t) do mez passado em que responde ao avi-
Alves Urauco, Oliveira, e Monteiro de Bar- So uiiellie foi expedido por aquella secrela-
f.e-se e approva-se doCro parecer da mes- \ tamlxnn desorden nr> Maranbo e todava
sao para -que se remella para votou a nimara eonfirmando pie rctnaia cm
todo o imperio 11 m espirito de ordem:
Terceira ebutradicr^o : leve urna n-olta a
provincia (Jo Cara; o Cear sol'reo bouve a
nena de Panel'las c Jacuipo ; bcnive a re-
ma
a commisso de penses e ordenados o aeque-
rimento de Domingos de Azeredo Cotinho
Diupie Fstr.di, bibliotecario da escola de
medicinad esta corte
O.Sur Aiidrada Machado, como orpoda
I encarreeada do projecio de
commisso especia
OSnr. presidente designa para ordem do eleices depois de faz r algnmas bscrvagSes
lia primeira e segunda disctissao da reso-| sobre o syslema das clec"ies indirectas com
lueo que approva a penso concedida a Jos o pial sinao conforma, remtte meza 'pro-
Ignacio da Silva Ourives: e, depon las 11 jecto da referida" commisso, sobre a elecio
hora-, a terceira disciisso da Corea de tena.
' O Sur. presidente convida o Senado
Irahalhos de commisso.
Levanta-se a sesso a bora c meia da tarde.
CMARA DOS DEPDTAD05.
Sesso em iti'de Agosto.
Preslencia do Sur. Aiatijo Vianua.
As 10 horas da niaub laz-se O cbamada ,
e logo que se rene numero legal de San. d('-
e-se, e approva-
de senadores e depotados 6 assscmblea geral
egislaliva, e membrosdasassembleas pro\iir
ci.ves
ca
Depois deudo, vaca imprimir com urgen-
ros.
Primeira parle da ordem do dia.
I1
na de estado dos negocios lo imperio em
coirsequenciu da requisito d'esta cmara pa-
Continua a discusso addiada do requer- ra seren remedidos os respectivos diplomas
metilo do Sur. I opes Gama apoiado embdo aos dous supplentes mais votarlos, a fim de
corente, pedindo que fique addiada a discus- seiem por elles suppridas as faltas dos depu-
so do parecer da commisso de assembleas tados ordinarios que nao compareccro por
provinciacs que prope a annulaco da le aquella provincia na presente sesso. A com-
d'assemblea do Maranho que creou os preleir nnsso ue poderes
tos at que se discuta o projecto de reforma Do mesmo ministro, enviando a copia do
do cdigo do processo, i decreto-de 15 do corrente, pelo qual se on-
Segunda parle da ordem do dia. cede ao teen te coronel reformado Joaqnim
Achando-se na ante cmara o Snr. ministro Manoel da Silva a ten a anniKil d-d oitenla
da marinba introduzido com as formalida- ml reis, correspondente ao posto de major.
desdo estilo, e tomaasseuto | Vae commisso de nstrue.o publica o
Prosegue a segunda discusso addiada pela requer ment de Joaquim da Costa Doura.lo
hora na ulma sesso do artigo-i.0 da pro- Julga-se objecto de deliberacao, e vae a im-
posta do governo, fxando as for,as navaes pa- primir o projecto da terceira commisso de
ra o anno fixanceiro de"i8jo a 1841 conjuc- j'azenda que autorisa o governo a satisfazer
tamente com a emenda suppressiva la cama- a Jos Martins Vieira a quanlia de-i;pooU
rados Snrs. depulados e com a do Snr. Fer- reis em que fora a fazenda nacional condem-
reira de Mello, apoiadas na sobridita sesso. nada por motivo do injusto apresamento feito
Julgando-se discutido o artigo 4* e i_ ao brigne Oriente, por lord Cockrane na
galmentc o artigo 5. D da proposta com as provincia do Maranho segando a respectiva
emendas da outra cmara, passa-se a dis- sen tenca por elle obtida.
cutir o artigo ti. conjuctamenteeom a res-| Le-se, e approva-se o parecer da commis-
pectiva emenda da cmara dos Snrs depu- sao de marinha e guerra, sobre a preleneo
tados. :deLuiz Antonio da Silva Ferreira pratican'-i
OSnr. Saturnino manda meza aseguinte te do extincto commissariado edo te Agos-
emer.da, que e'apoiada : ItnhoNunes Montez escriturario da mesma
Sub-emenda emenda da oulra cmara: f repartivao. A commisso he de parecer que
-- Supprimcse as palanas -mesmo na pro- os supplanles se acho comprehendidos na
posta.
Julga-se a- materia sufficienlemenle discu-
tida.
Sem debate julgo-se discutidos todos os
mais artigos da proposta, e emendas da cma-
ra dus Surs. deputados, e artigos adtlitivos.
Retira-seo Snr. ministro da marinha com
as formalidades do coslume, e procede-se a
vota o.
Sao approvados os artigos da ,proposta, dis-
cutidos hoje com as emendas da cmara dos
Snrs. deputados e com a do Snr. Saturnino
ao artigo 6. sendo a proposta approvada
com as suas emendas para passar a terceira
discusso.
OSnr juesidente submctle a volacooar-
resoluco de 3i de outubro de irt3i, e
que
por cohsequencia o seo dierimento per ten-
ce ao governo.
Julga-se objecto de deliberacao, e vae a im-
primir o projecto da commisso de penses
ordenados que approva a aposentadoria con-
cedida pelo governo a Antonio Joaquim le
.Mello escrivo da intendencia da marinha
d'esta corte por decreto de a5 de junho de
1S/9.
Le-se. e approva-se o parecer da commis-
so. de inslruccao publica pedindo informa-
oes ao governo sobre o requerimento doSr.
deputado Dantas, no qual denuncia a pouca
regularidad na escolla de medicina da Ba-
ha.
Vae a imprimir o parecer da commisso so-
bra B ron las do Exm. tutor de S. .VI. I e
Suas angostas irmes. approvando a commis-
so as referidas con las.
Le-se, e approva-se o seguate requeri-
mento :
Pelo ministerio da marinba : Copia do
aviso dej.ldemaio leste anno, acerca do
segundo teuenie da armada Mareos J. Evan-
gelista, com os esclarecimentos acerca de sua
demissao e reintegraco.
Pelo da justha 1 Quaudo tomou assento
na rclacoda Habia o desembargador D. Nu-
110 Fngenio de Locio. e em que se funda
vencimentos que como tal reclama. Henri -
jues It! Resende.
Primeira parte da ordem do dia.
Entra em liscuso o parecer da ommisso
de conslituico sobre o flicio do senado
convidando a i;amara a nomear urna commis-
so de seis membros para conjuclamente com
a do mesmo senado tratar das medidas neces-
sariasao restabelcciment do paiz, c tranciuili-
dade nos diversos pontos do imperio, a cujo
cotivile anime a commisso.
O Sr. Ilibeiro de Andrada oppondo-se
ao parecer, observando acamara que antes da
entrar na materia, sgcitara a sua conside-
raco tres contradiccoes palpa veis A pri-
meira contradieco que nota o orador e' que
na sesso anterior antecedente um de seos
nobres collegas por Minas (o Sr Ferreira
i'enna) requere o que se nomeasse urna com-
misso de salvacio publica para trabalhar
conjuntameiitu coma do senado e a cmara
raaeitou esta medida l'epois outro nobre
cdpega seo pela provincia de Pernambiieo
(o Snr. J\uns Machadol fez una indicacio
para que sedirigisse urna mensagem ao go-
verno cuja indicaco (01 regeilada pela nobre
commisso de constituico ; um officio do
senado que o Sr. presidente quiz remelter
para a commisso ao que um de seos illustres
membros ( o Sr Brrelo Pedrozo ) dice que a
commisso nada linba a dizer sobre o objecto ,
porque a sua opinia a tal respeito se aebava
emittida no parecer sobre a indicaco do Snr.
Nunes Machado.
O Snr l'arreto Pedroso Apoiado.
O >nr. Ribeiro de Andrada.Duas horas
depois appareceo um parecer da referida eoin-
f missao sobre o officio do senado concebido de
tima maneira muito diversa.
fingtmda contradieco : quando e discuti
n'eata cmara o voto de gra as o estado do
Brasil era pouco mais ou menos o mesmo em
que hoje se acha: havia a revolta do Bio Gran-
de desconfa va-se ] da revoluco em Santa
( alharma, e arespeilo d esta provincia, a uni-
a lililenea que existe de entopara agora ,
a entrada dos rebeldes na Laguna : hara?
volta de Minas 5 houvc a rebellio da Baha ,
e nunca se falln em Commisso de salvato
publica; e hoje porque 03 rebelde entrvo
na Laguna qm-r-se j; urna eomaiissao do
salvaco publica Julga nois que o pare-
cer est em completa contradieco com os fa
ios d'esta cmara,
Nota o orador qm- urna esjK-cie le vertigem
tem atacado a individuos de todas as classes ,
os jornaes e os que se dizem amigos la or-
dem e da Eegalidade. Nos jornaes appare-
ceo urna representac concebida em termo*
taes qneameaco aaasemblea gcral.
Algumas vozes.Nao la/.em aiiuac,a* [. .
nao fazem ameacas I
O Sr. Ribeiro le Andrada Mostra que
pelo modo porgue est escripia a referida re-
presentac se d bem a eonheccr pie ella
l'eitd poraquellesquc trafico em africano.
O asador rebate a idea que seleiu espalhado
Je urna dictadura legal c mostra que o cor-
po legislativo em vista la constituyo do im-
perio nao tem autoridade |ira nomear um
dictador Becorrendo a varios artigos la eons-
tituco declara que em nenbum d'elles se
encontra a autrisacb pava se nomear 'sta
commisso de salvacio publica. UecUra que
ao corpo legislativo compre ministrar ao go-
verno ludo quanto o governo pedir ; porem as
medidas que as circunstancias actuis se de
vem adoptar sao actos do poder cxectitivo : o
governo pois que venba a esta cmara; que
proponba as medidas que entender sao noces- ,
sanas que acamara ih'asconceden, e se u-
nir.i rom elle praticar de outro modo ir
Contra a constituico Nota que esta ommis-
so que se pretende nomear ha le necestaii*
mente conferir com a do senado e d'aqui se
ha de seguir a Cuso de ambas ascamaras Pa-
reee-lhe sto nina convenco nacional que
outrora se puli em 10J1 ou i8.ii I
Mostra que os depu latios nao tem mandatos dot
seos eonstiluintes se nao para huma assem-
blea ordinaria e nao para urna assemblea ex-
tniordinaria e relbrmadora : mostra que tal
fo o estado da Franca na poca da convenco
nacional com as taes nomeaces de commisso-
es de salvaco publica. Nota em fim contra a
nomeaco da commisso poique entende que
o Brasil intero ha de sofrer muito torn taos
medidas
E' apoiada a seguinte cmcntfa.
Responda-se ao senado que a cmara em-
bora recouheca que a ordem si acha altera-
da em algumas provincias, nao podetodaria
resolyer-se a exorbilar das aUribuicoes que a
constituico (he conferir e porisso dcixade
proceder a nomea o por elle pedida de urna
commisso de salvaco publica para conferir
rom a sua ; mas que ella est, e estara sempre
prompla a ouvir todas as medidas propostas pe-
lo governo em prol do restabelecimente da or-
dem e destelada dar seo assenso a ellas |
por mais enrgicas que sejo, por-maiores
sacrificios, que reckmarem, rom Unto que
sejo justas e prometto ser prove losas.
Paco da cmara dos depulados 16 de a-
gosto de 8 '9. Ribeiro de Andrada.
.O Snr. Brrelo Pedroso, como inembro da
commisso ie constituico sustenta o parecer
o responde as observaedes do illuslrc deputa-
do que o precedeo, (oseado -lLc yer qyg a
I


a
tm
O I A I O DF, PRNAMBUCO
rommisvio nao esta' em mu radican mm os seos
principios .piando apresenlou esle- parecer,
noqoal se ocha emittida a mcsnu idea a res-
peilo do convite (lo senado que se aclia no
oulro sobren indicarlo do Sr. Mues Macha-
l(i. Moslia jiic as circunstancias do paiz nao
h.inas meninas que e-rifo qaando se ruapondeo
u (alia do l roo; moslra que o espirito da
desorden) eife rebctiao, yai augmentando", e
i; necesario op por o obstculo ao se? progros-
so ; para cojo (ini o orador desoja um goveruo
lorie que seiba mantr a ordena, e a inicgri-
dadedo imperio.
Aljamas w./cs Com a consliluicao.
O Sr. liando Podrosodeclara que nao quer
o despotismos para o evitar que elle quer que
ogoveruo lenha (beca precisa para suplantar
a anarqua.
O orador lira para terminar o sen discurso
na seguint sessao
Mullos Snrs. deputado pedem a palavra e a
disciissao fka oddiada.
Achando-sc na sala mmcdiala o Snr. mi-
nistro do imperio recebido com as forma-
lidade do estilo e oceupa o competente Ili-
gar.
Segunda parle da ordem do dia.
Discus-ao ilo < )rcn)en(o.
Continua a disetisrn da (ixac.io da desiie-
za do> ministerio do imperio e emendas apoia-
daa. oais as seguidles :
O govrno Boa autorizado a dispender a
quanliade cincoenla. eolitos annualmenle com
abertura deduas estradas, que communique
u provincia da Babia com a de Minas (ieraes,
c deSorgipc d'EI-rci dando annualmenle
conla circunstanciada assembla geral da des-
pea, e estado dos Ira baldos Montezuma.
Additivo. : |"ica consignada a quanliade
de/ mirtos de res para seren pelo goveruo
dislibuidos pelos diversos luspados a fin de
n elles seeslabelecerem aulas proprias a ins-
municando-lbeque a Presidencia nomenu'ao
Cadete do 3. I'atalba de Arlilberia Joo Ma-
rinlio Paes l'arrelo para *. Commandante
da Companhia Montada do Corpo de Policia ;
e ordenando-lbe que expessa a tal respeilo as
ordens que lhe cumpre dar.
I ilo Ao Inspector da Thczouraria das
Pendas Provinciaes coinmunicando-4ne o
nomea odeque trata o prndenle cilicio.
'gualcommunicaco foi dirigida ao Com-
mandanle Geral do Corpo de Polica
I ilo-AoInspector do Arsenal de Marinba ,
enviando-llic o con hecimen tojos ohjotos que
pelo Ministerio da Marinba Torio enviados no
liriguo Pavuna para a Escuna (": ararapes ,
a fin de (|de os laca desembarcar e rccolber
por mais ir/, me/es o Agente da, mesmo Re- se proceder em seo cadver a competen
pailicfio.lo/e Jernimo de Soma Eimooiro. \ istoria.
Portaria-Yrandand oarregarm Recelta ao i E' o que consta das partes boje recelidas
Tfcc/ou retro da Fazenda na Caixa do repdi- nesla Secretaria,
menlo de i por cento de Armazenagem addi-
cional, applicado ; amortizacao da Divida Ex-
terna a quanliade i>5,(ji reis viuda da
Provincia do Ccar proveniente do dito Hen-
il ment arrecadado na mesma Provincia at
i i de Agosto antecedente.
da 16.
OfGcio-Ao Commandante das Armas com o
requcrimenlodu Ruiz lo/.e para expedir as
lO/.t!
suas ordens a fin de ser o mesmo pago
que lbe forem devidOS.
venc men tos
I ilo Ao Inspector da Tluv/iuraria da Halda
O Administrador da Meza das Rendas Ge-
raesInternas lendo marcado opiado de 5
das a todos os devedores do Imposto da'Faxa
dos Eseravos rehitivo aos anuos anteriores ,
cujos livros lbe l'orao entregues pela Thezou-
raria Geral ,e vendo que 0 mesni) prazo est
(|uaze findo sem que lenliao comparecido pa-
ra saplisfiuercm os seos dbitos lembra aos
meamos, que quanlo antes o satisfaca, pois
que findo o mesmo prazo far proceder ex1-
culivamente conlra lo'dos conforme a Lci,
aos Arma/.cns do mesmo irseual ficaudo na |femettendo-tbe huma cerlido pela q.ual se que nao admilte contempla. So abroma.
nlel!i;;eicia de que as dua
S neen?
de cabo moslra ser I), .lo/.el'a Maria Pene'
que falta para completar a sita roquLsiro se- na mesma Provincia, Veden l'a/enda Pu-1
rao paja aqu enviadas da Corte em occasio blicada quanlia de j i 7 eis a fim dse
dignar mandar fa/.ei a competente arre.adaeao
opportuna
P'iio-Ao mesmo para cngajnr um P.ratico
quecondii'.a a Provincia do Varanba!) o I5r-
gue Pavuna oqual se devera fazer de vella
no dia i^docorrcnle
Dilo-Ao (Commandante do Rrit;ue.Pavuna,
para entregar a disposico do Inspector do Ar-
senal de Marinba os ohjeotM ($ve Irouse
iara a Escuna (ararapes e la/.er-se de \( I-
ii para o Corlo de seo deslino no dia \i do
lOradoraj Rebcdoria das Kendas 'Gentes Internas 14
- I de Sclemliro de 1 KJ Antonio l'erreira Duartc Velo/.o.
Peanle a Adminislraco dos Eslabeleci-
triKTao do clero, lendo em allencao aquelles
que niais possao nei'cssilar d'oste soccorro. Em
l^iae agosto de 18 9 Marinbo.
Consi;;ne-se quarenla conlos 110 ministerio
do imperio para o goveruo os emprear em
pagar a passagem dos operarlas de que mais
se precise nos arsenaes e obras publicas da
orle mandndolos engajar para esse fim na
Europa, e contratar com elles para quecim
melade dos oruaes que viercm ganliar, pa-
;uem a passagem que o goveruo lbe ouver a-
diantado. Aureliano.
Coiisigne-se iv^oooU reis para que o gover-
uo d<* principio ao canal do mangue da cida-
denova. conforme a plaa que existe na en-
mara municipal dcsta eidade. Salva a redae.ao
Aureliano. ,
Ao /(i das obras publicas, acresrcnlrse
inciuidos 4;>oli res para coulinuaco do cha-
fa riz de Malla Porros, para cuja conslrucao ja
!bi designada igual quantia no orcamcuto-do
annopassado. Salva a redaccao. l'a oda c-
mara 1 ti de agosto do 18 -u Freitas.
Na quoia consignada1 para o correio geral,
sOpprima-se io;oooU reisNa dila con-
signada para obras publicas, em'lugar de
1 j^oCJ LTooo reis, di;ja-se ^joool) reis
Paco da cmara, itdeagoslo de 1 rti). R-
beiro de Andrada.
Na emenda da commissao ao l suppri-
ma-se a quanlia de C00U reis. Ponles Vis-
Cueiro.
Na minba emenda'acrescenle-se no fim fi-
cado em vigor esta disposico desde j. Pti-
xoto de Alencar.
Noarligo 17, diga-se:- Canaes, ponles, es-
tradas geracs. e vojconlos com a estrada no-
va de Mallo Grosso quese communioa com S.
Paulo, l oo:oooUooo reis Navarro.
Para augmento da gratificaran dooHcial, e
guarda livros da secretaria do curso jurdico
ile Olinda oolooo reis. randeira de
Mello.
Tomao parle na discusso os Srs. Castro e
Silva e Limpo de Abreo, dfehdendp esle ul-
timo as emendas da commissao a proposla do
goveruo e reservando-se para a sessao serfnin-
te terminar o seo discurso,
OSnr. Joo Candido de Dos e Silva como
deputado plo Para', introducido na sala
, com as formalidades do eostume, presta jura-
mento, c loma assento
O Snr, ministro do imperio relira-se com a
mesma formalidade com ipie enlrou, e a dis-
Clisslo fica addiada pela hora.
O Snr. presidente d;i para ordem do dia
a mesma materia c levanta a sessao depois das
tinas horas da tarde.
|>cia mancim q e ulgar conveniente
I ilo-Ao Administrador da Recebedoria dc'uienlos de Caridade se Jiade arrematar a quem
Rendas Internas remellendo-lhe cincoenla e mais der as rendas daca/a que outr'ora foi
sele cerldoens nassadas pelo Escrwao daBi-loecupada pelos exposios as pessoas que as
/.ma daCliaic-i-Maria mostrandoaiuda exis- ^ui/erera arremalar podero atparecer no
tir em divida diversas verlas na imWrtancra Grande Hospital dcsla Cidaile 110 dia ia do
de 'cjSilJ a maior brevidade a sua airecadacan. 1 dores
orlaria-AoTbe/.oiirciro da I asen la para Salla das Sesses d'Administracao dos Esta-
corrente logo que tiver recebido o Pratico a passar por conla da The/ourasia da Provincia beleeimenlos de Caridade i(i de Selembro de
seo bordo. (|;, arabiba do Cofre da Recita Geral para ^9 3- M. da Cruz.
Dilo-Ao Engenbeiro Julio Roycr man- o do Mendinienlo de 1 p>r cenlo dearmazena-' Escri|.lurario.
dando emprcuendt-r a obra do concert "que ,nn ddieional pplica'ndo .i amorlisacao da'- Reanle a Adminislraco dff 'Patrimoniodos
julfia iircRssario fazer-seido arrombo do a t- divida exlerna, a quanlia de io8UiK7 reis Orlaos se hade arrematar a quem mais der as
trro da l ovoaco dos Arrumbados ficando arrecadada pela dita Provincia em o me/, de rendas do sitio do P.ozario as pessoas q'asqui-
na intelhjtCia de que pelo The/ouroria ,T,,nbo do comente auno, conforme rfoflieio zerem arrema lar podero comparecer na ca/a
das Reodas Provinciaes, se lbe prestan', a do Inspector da respectiva The/onraria de 8 das Sesses da inesma Adminislraco nos dias
Agosto ultimo, |H-, e 5 do crlenle mezas 4 horas da lar-
Dila-Mandando carrejar em Recilaao The- de com seos fiadores.
zoureiro ifo b'azenda na Caixa, do Rendimenlo Salla das SessrK'ns da Adminislraco do P-
lido no precedenle ofhcio e ordenando Quede por cento de armazenagem addicional Irimonio dos Orlaos 14 de Sctembro de iKcj.
quanlia para esse fim necessaria.
Dilo-Ao Inspector da 'I bezouraria das Hen-
d
as l'rovineiaes comniunicanito-llie oeonie-
forneca a quanlia necessaria para a obra, fi-
cando na intelligencia de que em lempo op-
portuno ser a mesma Thczouraria indemni-
sada pela Cmara Municipal de Olinda
l)ilo-A Cmara Municipal de (aranbuns,
rcspondendo-lhc, jne dte por em adminis-
lraco os rendimenlos que lbe pertencem viso
li rem estado em pa a os mesmos rendimen-
los e nao appaiecerem licitantes
Porlaria-Nomeaiido ao Tencnle Ajiidanle
(le 1. Linba Reformado Joaquim .lo/e de Sou-
za para Inslruclordo Esipiadrao de Caval-
lana da Guarda Nacional do Rio I ormozo.
apunado a amortizacao da divida esterna a
quantia de que trata a precedente Portara.
ANM \CIO.
A Thezouraria Provincial paga aos Empre-
!gados que liverem Emmolunienlos ou Propi-
nas at Marco desle coirenle anuo no dia ao e
a3 do andante mez de Selembro.
Thezouraria Provincial de Pcrnamhuco iq
de Selembro de 18 '<}.
Joo Manoel Vendes da Cuha Azevcdo.
Tbezoureiro.
J. M. da Cruz.
Escriplurario.
CantDti cetro
THEZOURARIA DA I'AZENDA.
r.xPF.niE.\TE no da 1 3.
OhVio-Ao Exm Presidente da Rrovincia ,
informando que o Palacio dos Gobernado-
res de Olinda nao se fazendo necessario pa-
ra o serv o publico be lium dos roprios
N..cionaes que deve ser vendido ; mas co-
mo se estoja a organizar o tombo dos roprios
desla Provincia, para delle se exlrabir huma
rea ao exacta da sua deseripeo e avaliaiMo.
BELLAS COUSAS DO METHODISMO.
Acertando de lero Esboco Moral e Polili-
. co dos lisiados IJnidosd'America do JNorto por
Achules Mur;fl ," lumia das obras mais esp-
inadas desle genero deparei com galantes no-
ticias a cerca da celebre Sceita dos Melhodis-
las e nao pude resislir ao desejo de Iraduzir
8 )i vt'rsjis ft(->|)}j rl (; ALFANDEGA DAS FaXEiMMS.
- A Pauta he a mesma do numero 18/.
MK/.A DO CONSOLADO.
- A Paula be a mesma do numero qc).
dosniens il lustres Eeilores. No cabo desses
extractos infio as nimbas humildes rellcxoes*
Huma, ou duas vetea por anuo (diz o Snr.
Achules vliiral) eslabelecc-se em cada dislric-
tonque se chama hum Camp RMetiog .
ou assembla do campo. Para esle cffeilo es-
colbem no bosi|iie bum lugar propicio ge-
ndmentfl ; margem d hum rio ou junio i
algunia fonle. I.impao hum grande espago
O Arsenal de t'uerra compra 00 rovados circular debai.xo da somlira anlLra dos gigantes
rom lodas as declarai oes necessanas, a (im de de pao azul para faldamento la tropa: quem da floresta, eali assenfa
que a Assembla Legislativa possa determinar perlender forneccr o dito genero compare-a no serrados;! maneira de bar
os que dcvcni ser vendidos, parece mais con- Arenal de Guerra as 11 horas do dia ao do lambem b
veniente rezervar a commuuicatao do que diz correnle.
respeilo ao dilo Palacio para quando se envi- Arsenal de Guerra 19 de Sclembio ce
i8dj.
Joze Joaquim Coelho.
ar a mencionada relaco.
l)ito-Ao mesmo enviando a conla do quanlo
e.xisle nos Cofres da 'I bezouraria dos qualro
ce tos mil reis que o Decreto de 1 i de Ou-
t'.tbro de fbS.7 permille aeceilar dos individu-
os que de/ejao ser izentos do recrulanienlu.
Dilo-Ao mesmo enviando a conla da impor-
tancia das ))() granadeiras compradas aos i\e-
cianles M Galmont t\ Comp.
Dilo-Ao Commandante das Armas para ex-
pedir as necessarias ordens para seren pa-
gos pela forma pralicada os Guardas Kaci-
CORRFIO.
A Sumaca Felicida iceebe a mala par.i
Aracaly boje ao as <) horas da maiiha.
4
pri;fehha.
PAUTE DO DIA IC) DF. SKTFM11HO.
111
10 troncos d'arvors
ness, onde se coloca
una especie de tribunas de sermfics,
ou pulpitos cada bum dos quaes possa acco-
niodar doze pregadores ao niesino lempo : mas
0 lugar mais noravel desse templo rustico he o
(i peno aprisco, ou snela sanelorum.
He esle hum sitio de obra d buma du/.ia
(!( melros^|uadrados fet'hado como bum oun-
0 ral d'ovelbas e alcatifado de palhas frescas
al(; a allura de bum p Todas as familias
religiosas vao, ou manda previamente plan-
tar sua barraca de redor do lugar limpo, de
maneira que no lempo marcado para essas reu-
o bosque asscmelba-se a buma aldei-
mees, o nosque asscmellia-se a nunia al
llm. e Exm, SurJ orao piv/.os bonlein nba de cboupanas campestres mudo pareci-
leila pelo Commandanlc Cobb da Barca de S Antonio, esla por ler insidiado a una la-
\apor I ernambucana da quanliade i85,(, 1 milia bonesla caquclle por ler lirado f ,un
reis. provenienle (!., Pendinienlo de 1 por Correio urna scdula de cinco mil reis: Anlo-
((iilode armazenagem addicional arrecadado nio preto escravo de f- rancisco Antonio de
pela mesma Provincia al i 1 de Agosto ulli- Oliveira pela 1. palrulba da Roa-visla ,
porler espancado a um pardo, edado urnas
I-eradas na mesma palrulba ; e l'elippc io-
nio.
I ito-Ao Procurador Fiscal remellendo-lhe
PJMNAMRUCO.
GOVERNO DA PROVINCIA.]
EXPEDIENTE DO DA I 6. _
OfBcio-Ao Commandante das Armas, com-
dous> expropiares de diversas ordens do Tribu-I ze de Porros, lambem prelo pelo .Sub-I'n>-
nal doTbezouro Publico Nacional dando es- leilo de Iguarassii % por se ler constituido sal-
(larecimento US duvidas que lem occorri- (eador -
do as medi oes de terrenos de IWarjnha. O Suh-Frefeilo do Rain-oda Roa-vista paa-
Dilo-Ao Administrador da Recebedoria de lecipa esla IVcleilura que bonlem pelas 5
Rendas Geraes Inlernas parlecipando-lbc nao : horas da manha se suicidara com una na\a-
ler oF.xm. Presidente da Provincia Hendido Iba, dando ii m grande golpe no pescaap
a suarepres-nlacao, cuque p. dio para ser i Francisca dos Santos, brama, Moradora' na
'.pensado do servio da Guarda BtoJIWiaJ | ra aliaz da Matriz do mesmo Pairro e que
silios de cozinha : cada bum toma conla du
sua choepana, como se ali devesse morar ior
ulgiins mezes. Todos os pragadores melho-
distas exorladores anclaos (elders) corre-
don s de circuitos &c., nao se descuidan de
comoirer ali na distancia de cen militas de
redor. ) hispo ou o pregador local ou o
cireuit rider m conforme ;s circunstancias,
comeca a ceremonia, dando hum psalmo,
que he cantado pelo povo : segue-se buma o-
racao depois bum dous ou Irez s-rmoes ,
Mgundoa inspiracao (bis plegadores que enr-
edan o pulpito. I esla iii.inelra continua o
servico (jiiasi M?ni ul( rruprao por sinco oh
-i;sdis: nao quero dizer com islo (pie lodos
esleja a onvir, ou a pregar por todo esae



* r
DIARIO
II R
puna m n u e
*
\X
|
lempo]; polo-contrario rada hum faz o que Ibe
parece, tomando a parle, que quer Das de-
voces ou nao se imporlandoabsolutamcnlc.
com ellas.
Ha hum IugarVescolhido para os mocos
d a mbos os sexos a fim de se cortejaren! e
predisporem seus casamenlos : e em verd'de
nada lu mais potico do que vaguear pidas
sombras da floresta ao claran da la enviudo
de longo o canto dos hymnos ou a elocpieneia
tunosa dos inspirados, de parrara rom huma
joven, cujos sentidos esto todos agitados," cu a
raso est abalada por esse rVmult', em ,,'uauto
A piedado,110 cota ao da mulber exoree huma
doce influencia, que a dtspde a amar, e nao
be para admirar, que nessos passeios c an-
dancias nocturnas se dirijan preces a oulrein .
<| lie nao a Dos, e se obten bao outros favores
dillerentes da graca do espirito Santo. ...
Com elleilo um campo merting lie'uffi
excellente lugar para toda laia dcncgnnns; un
ponto de reunan para vadios e rapazlas pa-
ra os que tem negociadas que propor, ou
concluir e para os candidatos., que ali -vao
arranjar votos as Eleices. Cada bum cuida
em seus negocios dorme come galanicia
as damas compra hum avallo exalta ou
abate a bum candidato O lugar snelo est
deserto; reina o silencio pela primeira vw em
torno do pulpito ; a la ebeia bom que no
meto do seu curso est assombrada por bo-
ma iiuvein passageira ludo paree convidar
ao repouso, c suspcnsio dos Irabalbos quan-
do bum pregador solitario e de joelhos no
fundo do lal pulpito ergue-so vagarosamente,
hcassaltado da inspiracao enta bum hym-
no a principio com voz fraca mas esta va i
crescendo gradualmente al ebegar bem de
pressa a meloda de Slentor.
Aigumas almas piadosas vu oulra ve/, as-
senlar-se nos bancos1, chega outros plegado-
res eacuriusidade reproduz logo bum audi-
torio. Segue-se huma ora cao enlbusiaslica ,
e palhotica na qual se pede a os snelos o-
rem pela converso dos pobres pcccadorcs que
ali eslao. Esta ora ao Ibes reprezenta a gran-
deza da misericordia de Leos as penas do in-
ferno exorlando-os a que abra mo do falso
peo, e \o fazer coiifisso diante de seus ir-
mus. Ei.guem-se sinco ou seis c caini-
nlia lentamente para o snela sanctorum,
e ; visla de lanos QOQvertidos o plegador e-
norgumeno inllama-se mais e mais ordena
a doussnelos, que vao oiar com cada bum dos
quechegao de novo. ,1 Ge-se o ncophylo de
joelhos sobre a palba, suspirando, aecusan-
do-se das suas culpas chorando e solucando
ao niosmo lempo que bum sancto de cada lado,
e tamben de joelhos Ibe berra na orelha que
Ibe loca huma descripeo a seu modo da glo-
ria de fleos c da maldade de Satans. Essas
dezoclo ou vinle pessoas, bomens, c mulhc-
res misturados no lal aprisco fazem huma a-
cougaria pie se pode ouvir na distancia de
aigumas taimas : lodos gritad cantad, retad,
choran e prega simultneamente As co-
rujas, e mochos alrahidus du cheiru das'eo-
zinhas, Ibes respondem dualiu dos arvoredos,
at que logem espavoridas com aquella alga-
zarra a que nao podem igualar.
Entre lano huma mocoila vagueara pejos
Iosques com o seu amante, e se demorara
mais, do que suppunba ; porqun o lempo
xoa nara quem se vea sos com o ubcelo ama-
do pela primeira vez., na primavera da vida,
sonhando em huma unio querida seculos de
felicidade, e gozando da realidade em decla-
raccs apaivonadas. A menina tornara a si
com a matinada, lidao-lhe n'alma mil ponsa-
inenlos.lodo osyslema nervoso se Ibe convulsa;
apodera-se do medo ; julga-so condemnada ,
logo, depois convertida : enlra no recinto sa-
grado e presto a accomellem convulsos his-
tricas : ella grita earpe-se chora soluca,
e rola sobre a peina em horroroso delirio. En-
to OS assisleules os pregadores eos snelos
augmentan a herrara, eo povo gritas Amen.
Cresce espantosamente o aterido : lo sincera ,
e ejemplar conreiso nu*dcvc ficar escondida
as llevas da noiie : vem.logo ardiles de ma-
dciias resinosas, que Iluminad estas secnas
de horror. 1
i A mi e irmas da rapariga accodem a o
tumulto; mas em vez de a soccoircrem ad-
mirad a misericordia de Heos que te aprou-
\C de.a chamar para a classe dos snelos. Ellas
BiUPt as suas votes s do povo e nao a con-
duzem sua cabana se nao quando tem de
todo perdido os sentidos No onlro din a mo-
ca coeidera-se snela e que j nao est mais
sujeiaa peecar, laca alias o que fizor Ah'm
disto ella tlar. a sua experiencia (que assim
Ibe chamad) pata edificaco -la communidade,
e relalar. em publico porque caminbos tor-
tuosos o Senbr se dignou de a chamar a si ,
exorlando s outras, que sigad o seu excmplo.
He lo furto sobre os ervos o poder da fissu auricular (pie be bum dos mais prufi-
milacao que raramenle apparcror bilma cuos Sacramentos la nossa Sane la Madre Igre-
cunversu destas sera nue outras mulheres ja! Entretanto admillein a 'unfsso publica
chiad tamlicm em heslerismo. Muitas vez.es no moio de pilos e borraras. De duas bu-
obra de vinle jiessoas de toda a idade sexo, e na ou taes eonfissoes sao sinceras, e \cr-
(or pe se a rolar promiscuamente sobre a dadeiras e nesle.caso mil torpezas c necea-
palha rom olhos arregalados, a bocea ebeia dos^ielndos devero causar grave escndalo,
de espuma no meio dos snelos, que orao e fa/.er corar de pojo as faces das donzellas,
canlao, soluca e chorad de gosto portar que esliverem pi senles &e. &c. oque he
lo assignalado triunfo ohlido contra o diaho. imminentcmente i minora I, ou serao leitas
O Alelhodismo ludo anivella, demaneira pro formula fallando-se verdado la-
que muilas vez.es se ve buuia negra velba pie zendo cada bum alarde de suas boas acates ,' e
gando a seu senhor, e hum negro iazendo abi temos lumia bvpocrezia ridicula, e hum
heneaos, e exorcismos a sua yav/inba ]\o verdadeiro insulto t Divindade,
imaginis, que/.ombo, ou que-vos liillo das Aeresee a plagosa-, errnea, e dcleslavel
farsas de Saint-Medard (jue tanlk bulla i- mxima de que hum Methndisla buuia vea
erd no lempo deNoltaire: e o pie dirieis, sanclifcado por meio de lierros, coulorscs,
(piando soubessejs que cm bum povo lo e- lagrimas, caramunhas ,-e oulras hugiarias do
minenlemente sisudo eslascuiU he a uiais es- mesino jaez he sancto, e fac,a oque fuer ,
palhada e talvez conle trez vt/.es mais segui- nao cometle peccado. (^ue bella doulrina
dores do que nenbunia ouUa :' para auclorisir os maiores crimes E be ola a
Oreis aqu, meus caros, e respeilaveis sabednria que nosvem Irazer os Sis. iMelbo-
Eeitores (pial a bella lleligio ,^que nos pre- distas? Virensinar os nossos esclavos a pre-
lendem encapar por c. os Sis ^issioiiarios gar-nossermes, a exorcismar-nos, &e. &c :'
v etbodislas dos quaes existe huma sucia Prelendero faz.er-nus a merco de lomar as
no llio de Janeiro e j ouvi diz.er (valbaa nossas caras patricias cnergumenas revclven-
verdade)que alguns desses Sis. lambem sea- do-se sobre a palba de mixtura "com rapaz.es,
ehai em I ernambuco ciicarregados damesma e ar abi com qualquer moleque ?
laiel'a. Que Keligio por huma parte lo le quaulos insultos nos tem l'eito varios 06-
|>a(usca, e poroutra lo extremosa, e estupi- trangeiros nenhum me parece tao grave c
demente ridicula (ue gua|>u mimo nos que- insuporlavel, como o dos l.ies Sis. Missiona-
rem fazer inlrodu/.indo-uos jpor*,c a Sceila naries %lelhodistas ; como se o Hrazil fosse li-
dos Methodislas A nossa mala da Meroeira ma horda de Caraibas, ou llolentols, como
paaecc-me lium sitio bem a/ado para a cele- seoEvangelho nos fosse desconbecido como
braceode hum Camp meeling. Cjuc su- se nao liveramos a ventura; de possuir aquella
cia ,que paluscada (pie pagodes pelas bar- mesma Keligio,, da (pial dizia o'grande Lord
laquinhas! As nossas jovens melhodislas va- I ayron ser a nica onde resplandeeia a luz.
gueaiii pelos bosquessem companhia deseos de verdade Keligio maravilbosa sobre a
respectivos {;amenbos e ali recebero excel qual assim se exprima o profundo Thomaz
lentes lices de moral, &c. kc. ; cnao ser MooreSalve, Jgreja unka e verdadeira ,
cousa digna de se ver, e ouvir lumiens e que s ocaminbo unicoda vida, cujos laber-
mu Hieres mocos, velbos, e meninos, ludo naculos B nao conbecem a confusai das lin-
eni hum novello rulando e debateudo-se em goas A minba alma repousa ; sombra de leus
hum eurral juncado de palbas, ludo canlan- snelos myslerios &c kc. Srs. Melho-
du, chorando, herrando urrando e com- distas, c no nosso Brasil oirlro oHicio. ^(s
pondo humajocbesla digna de todos os dia- nao carecemos de quem nos venba eusinar far-
bos i sas e mascaradas c eslabelecer pagodes de
Que de sanctinhas nao teriamos por c energmenos, nem queremos pais Malheos,
Quem deixariaj^dc ir Meroeira a o snela e mais Calbarinas iiregadores aposlolicos. Os
sanctorum muganoruai el paluscoruin para Brasileiros Dos*ouvado tem bstanle sen-
papar bous petiscos ,|'dcspejar boas jrralas, so para despiezar laes hugiarias. Vivad em
i a.norar LraganNar cavallos vender, e paz. no meio de nos; mas nao nos insullem.
comprar, arranjar vulus vnas claioos ,
dar huma^jgruza de ] pulos .. de ber- ancdota.
ros e de coices ludo para niaior gloria de Cerla Senbora indo passar o dia com huma
Icos, e salvaco,jdasj almas ue bello amiga, na occasio da despedida chegou-se a
(pie jocundo, e al decoroso nao sera para esta, e pedio, Ihe desculpassco nao chorar;
mini o ver a minba negra mi Calbarina tomar porque por mais que esprcmesa os olhos nao
huma atilinte ansia por modo d VJissior.ario eslava de vez para chorar, oque (aria em ou-
doVaralojo, e eu muilo serio, ede bracos ta occasio ; e nao cntenle com esta inaudita
cruzados (Uivindo-lhe hum sermo asctico j_ satisfaco logo que chegou casa escreveo
lecheado de movimenlos oratorios sein levalla a dita amiga huma estirada caria, lornamlo a
a chicote at o pulpito da cozinha lugar pro- pedir mil perdes da falla de lagrimas noaclo
prio e ihealro diguu de taes Massiluns fe- da despedida, cousa, queso dessa vez Ibe ac-
meas! contecera.
Como nao seria edificante overmos, por
ex., pai Man oidinarianienle bebado, co-
mo hum cacho plantado em presenca de ya-
ya Mariqunhas armado d bum rimal (de _______
liacbo) muilo grave e eircunispeclo recilando
psalmos preces, e orace* e hincando a sua
lisnada bencao sobre a humilde sanclinba a
hm de Ihe obler as gracas do Allissimo Di- A arle de fallar diz Plutarco o primc'i-
losa Keligio admiravel sceila bem eonlbr- ro conhecimento que se ensina a os meni-
ine s lucas do seculo Keligio, cm que oh- nos; mas, segundo a minba Opinio elles
lem-se a gra a Divina e a justifcalas por deveriao principiar a sua inslrucco pela arle
meio de bous pagodes', de gritos', de berros, de calar Muilosse lemarrependido de le-
do coices, d'esjiojadellas edesmaios! Kcli- rem fallado ; mas ningucm de ter guardado
gio, onde qualquer lorna-se snelo fazendo silencio.
o papel de bebado ou d'energumcno, ede- Pergunlando-se um dia a Dcmoslhenes a
pois desse acto pode a* seu goslojpraticar oque razo porqueos homens leudo duas ore-
Ibe parecer; porque ficou com o eorpo fecha- Ibas, tem Ca s lingoa respondeo o Ora-
do para toda laia de peccado Keligio em fim, dor : E' por que nos devenios mais escolar ,
em queo Ministerio Sacerdotal pode ser exer- que fallar .,
(ido por pal Mane cat por mi Calbarina Cauto de Llica era exlremamenle taciturno
Ditos. condkao d!".! enre ? na na inOincia e n/o gustara de fallar em
'Jal be a sceila, quecssesSrs. Missionarios presenca de ningucm; em a occasio em
prclendcm substilnir ao ullo de nossos I'ais, que se Ibe exprobava tal ostume respon-
ao respeitavel Culto CalhoJico Romano E (feo elle_: Embora nole-se o meu silencio .
baven homcm que lendo o jm/.o cm seu lu- rom tanto que a minba conduela se ja appro-
gar esleja por semelhanle lroca ? O que h radas eu nao gusto de fallar se nao quando
em o uussu Culto, que ran seja grave, serio, esluu em esladu de dizer cousas dignas de se-
auguslo, c sacrosanlo ? Quem j vio na sane- remouvidas.
la Keligio dc'nnssos Pais essas paluscadas de 0> cmbaixadores dum principe lendoconvi-
Cam'ps metings, esses regabofes, esses do a Zenon para um esplendido jantar, admi-
urros essas algazarras essas espojadcllas liraro-sc de o nao ouvireni dizer a s pa-
promiscuas de homens e mulheres, em fim lavra pelo que Ibe. pergnntaro oquedirio
lana extravagancia lana ridicularia, que ellesa o principe a seu respeilo li/ei-lhe,
revolla o senso commum ? Ibes respondeo o sabio que vos leudes vislo
Causa riso, e causa raira prelenderem os um velbu que sabe cala r-se no meio d'um
Srs. WelTiodstas, que nos Brazileii os abju- fcslim.
remos a solemne, augusta macgsloea ^ e Ve- Tfendo os Rumanos pedido a os Alheniense
nciabilissin;a PeligiflO Catbolica Apostlica qne se dignassem c.mccder-lhcs as bis que
Romana para aferacarmos huma Sceita brutal ^olon Ibes havia promulgado em ooiro lempo .
e.estpida, cujoculto pouco dista das Macha- con^l-egun-se u areupagu e, depois (ITia
naes. eSaturnaes do Paganismo!!! Oque madura deliberaras, fui resnlvido que se
nao declama esses Missionarios contra a Con- enviara Roma um dos sabios da Grecia,
Variedades.
.paraexaminar seosttsmaos ero dignos,
pela sua sabdori de possuirem, as leis que
pcdjo ; levando ordem para se Ibes nao ciim-
punicarcm as ditas leis no caso de seren os
dmanos pela sua ignorancia indign s
deltas. Esta deliberaco nao pude ser tao se-
creta que nao chegasse a os ouvidos do sena-
do que ficou bastantemente embaracado ,
per que enliio nao bavia em liorna philosophcw
assaz capaz.es de hitar contra um sabio da
Grecia. Tralou-se* por tanto-de imaginar
qual o expediente, de que deveriao laucar
m.io a fin de sal i rem com honra deste pai
dillicil. O sciuhIo nao enconlrou oulro meio
melhor que apprpscntar um louco a o phi-
losopi'O Grego a fin de que se o acuse
permiltisse que o louco prevalecesse seria
por islo lauto maior a gloria de Ruma por
ler um loiico Humano vinculo a um sabio da
Grecia, e, easu triumphasse esle ultimo,
nenha gloria caberia a Alhenas por ler nm
dos seus sabios feicbado a boca a um louco
Romano. O Embaixadr Alheniense, ten-
do'chegado a Roma fui conduzidn aoCapi-
piliolo onde, em a sala ricamente m Ralba-
da eslava um louco sentado cm a cadeira
curul vestido a senador rom probibicoex-
pressa de nao dizer fia so palavra. O Alhe-
niense linba sido prevenido de (pie esle Sena-
dor era muilo sabio ; mas que tiuba o siste-
ma de fallar mui pomo ; de modo que apenas
fui introducido na sala, sem diz.er palavrn ,
levando a o ar nm dos dedos da mao direila.
O pouco crendo que com esle sinal o Gre-
go queria fnz.er-lhe entender que rom o
dede.furar-l.beia um olho e lembrando-se
de que eslava prohibido de fallar levanlou
irez dos seus dedos querendo com islo sig-
nificar, que, se o Grego intencionara de
furar-lbe um olho, .elle, em recompensa
bavia de furar-lbes os dous olhos, licando-
Uieainda o terreiro dorio para esganal-n. Mas
0 pbilosopbn (pie linba levantando o dedo
querjdo laaer inlendcr queran ha mais qne
um Ente, quegoverna lodas as cousas creo,
que os I re/, dedos do louco signilicavo qne
em Deus n prsenle u passado e o futuro
sao o mesma cousa < dalii concluio, que re-
almenle u liumeni era sabio. Abri ao depois |
a mo e apprescntando-a a o lonco quiz
deste modo exprimir que nada era oeeullo a
IK'ns mas u louco lomando este sinal por a-
meaca d'um bofeto, que llie querio dar ,
appresentou a mo feichada quereudo fazer-
lbe vrrjue o bofeto seria recompencado com
um murro. O Grego, pelo contraro, i
prevenido em favor do lonco creo que elle
Iiretendia por esle gesto significar-lite qne
Jeos lem o universo encerrado em sua mo ; e
julgando por isto da profunda sabedoria dos ,
Romanos Ibes concedeo as leis de Soln.
Traduzido de Tilassir.
SILENCIO.
LOTERA DA BOA VIST A.
O Thesoureiro da mesma ftz pnblico que
as rodas da a. parle da 3. Lotera a lavar
das obras da mesma Igreja corrern impre-
lerivclmcnle no dia 7 do mez deOulubro pr-
ximo viiidouro.
SOCIEDADE TIIEaTRAL.
Domingo 12 o Em[)rezario far rejiresenlar
a grande Peca Jos i* na Assembla ou o
Escultor e u Ceg Nu fim du i* acto se carr-
tar o famoso ueto Italiano das Fistol las-
que oEmprezario enmprou por vinle mil rs.
para oRereeir a'lllustre Socredade a quem
pede toda a indulgencia na exeeucode lium
Duelo tao grande, aprendido sem acampa
nbamcnlo, e que bem |hiuco foi desempe
nhado por dois l'rofessores Italianos: |ielu
que, espera Ihedisfarcem ama jiroiiimcia du
idioma lao natural a quem nao he ta mesria
Naco protestando fazer lodo o possivel por
agradar a Soeicdado nico fim a qne se pro-
peem. Rematar ndvertirneto co!t> iocosa
lai>a-OVclho presumido Inda a'lao al-
guns Socios para preencher o n ; os pretenden
les podem dirigirse ao Thezoureiruo Sr. Her-
culano Jos de h'reilas na I r.icinha do Livra-
menlo.
Avisos h versos.
l_^- O Secretario da sociedade Minervina
aviz.a a os socios para a rennio na salta de
suas sesaSes hoje,ao do crente as horas
do costme.
O abaixo assignadoaviza a quem quer
que lenba direilo aos loros do terreno em que
o Aiiiiunciaiitc como Senboriu ulil levanlou
huma caza terrea na rea da Gloria da Boa-
visla I), ia que aim|)orlaii(ia dos ditos fo-
ros se acha (lejxirlada 110 I cjiozilu Ceral visto
que o AimniK ianle apcz.ir de ludas suas deli-
gencias nao lem podido saber quem he Sc-
nhorio directo.J'rancisco Voreira Uias.


ERNA MBUCO
Mr.Kissel rclooeira Franrra no at-
ierro da Boa vista, arha-sr promnto a concerr
tar qualquer rclogo que Ine seja cxmfiado ,
rio mais commodo preco, elle obnga-se res-
gruir o dioheiro <|-e t.ver recehido ra pl-
menlo de qualquer concert que nao tor liem
excciitado; a>>m como compra e vende reto-
rnos de algibeira de segunda mao.
i3T Os liqmdatarios do casal do fallecido
Si. Antonio Marques da, Costa Soares an-
ndcUo a quena convar, que nos dias a4, 5,
I i6 do corrente se ba de arrematar cni liasla
bublica na praca do Commcrcio peante o Dr.
Juido CiveJ da primeira vara, o Brizne
Triumpho Americano rom todos ot-MtU per-
tenoes cajo inventario se apresentar no acto
da arrematadlo sele escravos marojos, um
sillona Ponte d'Ucha com rasa de venda, e
aores de Inicio e una dito no arraial.
,.- Joa Cirojan, serralheiro franeez es-
tabelccido na ponte velha da Boa vista avisa
que elle faz todos os objeclos concernen
um moleque com nm carneiro para vender ,'
dii o terem Curiado no arreial de fora de por-
tas mas como suspeita-se elle o ter vendi
por ja nao ser a primeira ve/, que elle lem
uzododeste artificio, por isso roga-se enca-
rescidamentea pessoa que o comprou annunci-
ar por esta folha ou dirigir-se a ra da pe-
nha sobrado novo de um andar com tenda de
alfaiale as tojas, pois s se deseja saber da
verdade do que se ficar agradecido.
ssy Um rapaz brasileiro prope-se a ser
caixeiro de venda |K>is tem bastante pratica e
d fiador asna conducta 5 na ma do Rozan
(asa do Sr. Albuquerque 011 annuncie.
t3- Entiilbo gratuitamente 5 da-se as
obras da alfandega.
KST A pessoa que quiscr levar urna carta a
iimengeiihoemSeriiil.aem, dirija-se a ra
da Cruz lado da cacimba n. i4
\zr A pessoa que ti ver para alagar um an-
dar de sobrado no baiiro de S. Antonio, em
boa ra que nao exceda de 4,<>oo por mez j
IZ HUIOS OS oowiua iw.4hiv.i. ....... .,..... -
Ma arle, lano no que L respailo 0. neceas- dirija-se a ra birc-la toja de d.apeos D.J^
sarios para ascarroagens como para as casas, |
e mesmo para temperas dos nslruUM utos para
os trabajadores, com partcula, idade para
cntenos, e tambem concerta earrinhos ; as-;
sin como lem para alugar urna ptima co-
Avisos Martimos.
FRKTA-SE para qualquer porto do Im-
perio, ou eslrangeiro, o Brigue Brasileiro J-
piter de ?o toneladas a Tallar com o Capi-
llo si- a Jos Xavier Vianna, ou na ra do Vigario
quer porto ; na ra da Cruz emeasa de Ma-
theus Austin & Companbia ,, n. 56.
tST Umamolata de idade de 35 annos ,
boa engommadeira costureira e lavadeira
de varrella e capaz de ser ama de ma c344
e juntamente urna neffrinha creoula de |2 an-
nos "de idade sem vicio alguna ; na ^ ra de
S. Theresa casa terrea junto a ordem Terceira
doCarmo. j .
C5- Urna reta de na cao de idade oe ao
annos, excellente doceira", lavadeira, e co-
zinba o diario de uma casa-, na ra da praia
casa do Sr. Mendonca no primeiro andar.
W Urna casa terrea com soto na ra de
fora de portas } a tratar na mesma ra n. aoj,
tZT Umaescrava perfeita engommadeira ,
e excellente cozinheira com urna linda filha
molalinha de 4 mezes, e tambem se vende sem
a cria 5 na ra do Vigario n. 29 no segundo
andar. .
tST Um sitio com uma casa de pedra e cal ,
na estrada da ponte de Ucba com 11 quar-
tos i salas cozinha fora estribara para b
cavallos senzalla para pretos. a casa be
illa para
la duas
loda eirvidnissada duas baixas para capim ,
terreno para plantacoens arvores.de Inicio
de todas as q nulidades-, a tratar na ra Di-
rcita l>. ; na mesma casa arrenda-se ontro
mais pequeo com casa de vivenda terreno
para planlacoens e arvores de fructo.
e na ra da Cruz venda defronte da fundido
doSr. Mesquita.
CT Cbegadas ltimamente um sortimento
de moendas novas, assentamentos de laxas de
ferro batido para engenhos de assucar de todos
os tamanhos e qualidades', os pretendenles
dirijo-se a os armazens de Fox 01 Stodart ,
no Recife para as escolher com brevidade ser-
vindo este aviso igualmente para aquelles Se-r
nhores que tem na mesma casa deixado enco-
mendas deste genero
tsr Uma escrava creoula de idade de 20
anuos boa engomntadeira cozinheira lava
roupa e faz renda ao comprador se dir o
rnotivo ; na camboa do Carmo D. 9.
IS=- Um sobrado em Oliuda na ra do Am-
paro em chaos proprios ou troca-se por uma
casa terrea no bairro de S. Antonio: a tratar
00 becoda Bomba D. 5.
Escravoa Fus dos
nos de idade cose engomma e cozinha .
uma prcta com as mesmas habelidades ; uma
dita <|ue faz todo o servico de uma casa com
un filbo de dois annos ; um escravo moco de
boa figura bom carreiro ,~e ptimo taaha-
Ibador de machado e bice ; na ra de agoas
verdes casa U. H?.
ssr Botins para senhora bicos de
fil de
i^rNodia 18 do corrente desapareci uo
::r'e :;;;!a ^::^^-
oiber lc^e-osaodi.o sitio, ou na loja de ara segu com toda brev idade ,>oss,el a Suma-
:\ m-ronarua noval). .5, que ser re- ca Ave Mana e inda recebe alguma enga
"h mii.(la;quem quiser carregar Ja I le com o
WS?Roa-90 encarescidamente a Senbbra Vitrea bordo, ou no armazem de Vedw
ueman.Ui la/ci umatoalbade lavarinlo na & Oliveira ; na ruado VwaTIO.
JarCoaceS di Boa vista qne a val PAR.x O MaRANHAO salina mvprelj-
ZSaia,lar,Pl. i mais de rivelmente nodia ,r! do crrante o Be, co-
^cs do^ntlano J vender, isto no ^l^^mnal 1-^^^:^^^-^;^^ marro_
"''"-.''cu!!, uoao .baixo assignado que se cpliser anegar, ou ir de passagem para o quim de todas as core, g ptrtPfg
JZJE!Xl**> fallecido Capi.ao le tem exeellentes commodos d.nja-se ao tranca pennas d e escreve, lm ha d,
Mal!;i'randscoLen.cnhaLinS do englobo Capitio, ou ao seu consignaiar.o Manoel carnlerde n. -va .oodemuito boa qu
Quilebra na freguesia de Sermbaem termo e Francieco Pontes.
Comarcada \ illa do Rio Formoso vai por-----------,------ _
meio do plsenle fazer publico a quem con vi- J Vil U 1 ___
,,. nue be senhor de urna sortc de lenas ----------------------
er que m. sen. u fa/em Russcll Mellors & Compa- Independencia l).
tJf Em ao de IMaio do corrente nesapare-
cer.io dois escravos da senaria de Joo Antonio-
Baptisla Munizdesla praca ambos serrado-
res e bastantes ladinos .. e do gento de an-
gola. Suspeita-se que ellcs se intulem forros ,
e teuho mudado os nomes ouqufe foro il-
ludidos com alguma pessoa. Os eeus signa-
es s.io o de. nome M a noel he de na cao songo,
' "l,iV7lp"\n in- oorpreta boa estatura e tem urna queima
S2r- Tres escravos umamolata de ao _.in- i A_
ura de logo da parle direita no beic;o inferior
(i i
e falta de dentes no mesmo
lugar
em
que
Un
linho, travessas de tartaruga papel almasso
de massos de
para olliciaes ;
inlias de bretanba
na piara da
n. 3a-
C7" Na loa de encadernador
ao os
ha i id
repucha a boca oque.lhe forma um grande
defeito sem de idade ->6 unos, e pouca bar-
ba. O de nome Andr tem de idade aa an-
uos alto, secco do corpo bonita figura,
cor fulla de naco rebollo. Le va rao bas-
tante roupa j quem os pegar leve ao Sr. a ci-
ma que 'ser generosamente ecoinpensado
de seu trabalho.
VS" Acha-se a mais de um anuo e meio
fgida una negra da costa ue nome Catha-
ina ( se nao mudou o nome ) alta fulla ,
quandp andaalire as peinas edeitaos peitos
seg
vaiiide Jess cujas terreas por urna ma nina por inieiumiao un u..i<.i". v.....-. ""-- u r .
T se en em vo ido como perteiuc daquelle de un. ptimo sor.imento de suas bem eonbe- Ben.ham f. -a.le des Prenves.lud.e.a ras -Ar-
tZ^*3 foro compradas por idas la,endas eenlre ellas cintas da nova le poel.ca l.ubao execuefc de sentencas-
XSStfSfEtal rendeiro daqullle Uollauda de padroens modernos, lerja I ena roesso orlanolog.co Sf^-Ojm-
:S oCaimaoJos Cavalcanle de Al- a 4 do corrente as o horas em poni, uo^^u.Uo- Pereua eSonza Universal histo-
buuuen.t^ nos nudos do engenho saeoen- armazem da ma da Cudria do Bec, e. j tor.a 1 .nuezas das Nacoens Lira Anoerjon-
^^raprSo es,.s lernS nunca lorio or One faz Jos Bamos de Ohvena ,1* tica CoWcao de Cdigos os
nba e bandas H"y .. jT^"j' Z Z..... ^.^
Independencia '"a ad.ante ; e quebra.la de ambas as ven-
^ Ibas e por isso sobre sahe-lhe a quebradura
i na praca dalPar*'ora t0Ilsla (l"e an('a Fc'a ^dladoCa-
uin'les livro., rea"SC aill|rorida(les o'i qualquer
1 oulra pessoa apreendao, e a remtlao a riod-
visla ruado Arago U. 7 onde ser sallsfeita
toda a despeza.
a T Uesapareceo no dia 16 do corrento um
jireto creoulo de nome Joo barriga barxo.
grosso
.: ebeia
com sieatrises em um braco, cara
nariz chato sobrarceilhas grossos ,

..iKp a vendedora 1). Barbara, como proprie- Londres em icuo coricmu-pciu n-.u v.u i^------------------ -- .
SrJoIrdaW semnrefoi do eninh'o c sexla feira vo do corrente pelas o horas df EttkttattK-O -ElemmtO.de f^^^fP^
!MtedaCS3l. Capitao" querem n.anha defronte da escadinhada alfandega. Ima.ioi geogrfica manual devoto carias e
^Ue-la no" lor do cLiiho por Ihe 'darcni XST Que larem Celier Cornu & Companlua taimadas e pastas para meninos,
maior v.Er o abaixo .i Jo declara que da armado da loja ,1a ra nova D. u uA Duas commodas e duas ,
ellasesto litigiosas ciijadeclaracao faz para imeira ou em parles terca letra 4 tocoaV
,,ne os pretendenles nao se cliamem a igno- rente as .0 horas da manba na relenda loja^
ianria, alein de ja ter requerido por meios---------------------------------
Wacsao respectivo Juiz do,dito inventario C O 111 |) l U S__________
M>b\e o mesmo obiecto. Pedro de Mello e---------- -
2f_*u J. ss^-Uma carraca uzada, que esle-a em
t^- Prccisa-scjde um homem que enfeuda bom estado e que sirva para dois boys; quem
delorne.ro e masseira e todo o mais ser- tiver annuncie.
vico de urna nadara nao se olhando o seu I tST Un caxorro de filia que seja novo ;
'ordenado; quem esliver neslascircunstancias quem tiver annuncie.
dirija-se ao atierro da Boa. vista I). 3o, na
mesina pdaria se continua a fabricar pao de
farinha de trigo de superior qualidade chega-
do ltimamente e moiJo no vapor da ponte
velha ; assim como tambem na ra da seuzala
velba padaria n. ay.
i.^- Hoieao do corrente a reunio da &o-
1 ledade Apolnea pelas b horas da tarde 11a
sala de suas se*soens. para approvaco da re-
J01 ma dos estatutos.
ft^. As pessoas que quiserem mandar a-
zer chapeos de todas as qualidades 011 con-
certar irija-se a ra Direita lado do nas-
cente I). 11 e vende-se chapeos tanto para
homem como para senhora tudo da ultima
moda,
tST Aluga-scum negro canoeiro por mez ;
quemo livci dirija-se as 5 pontas D. 4 ou
aneuncie.
%Sf Precisa-se de um caixeiro para lomar
eonta de uma venda por balanco que d fia-
dor a sua conducU ; na botica de Victorino
Fian- ih n de Carvalho na Boa vista.
ssy- A pessoa que quer comprar um violo ,
dirii-sea ruada Cruz n. 1.
r Precisa-se alugar urna canoa d agoa ,
pequea emboca pi-ecise de algum concert
decaiiale; a fallar com Jos Higino de M-
"^ Nodii do correle Os 8 horas da
uoite tomou-se da ino de um prelo um pa-
pa,a.o que andav. vendendo quem or seu
ono diriilse ao afierro da Boa vis a D. ,4 ,
que dando os signaes lhe sera Pr t
t^- Urna canoa 011 barcaca que naveg
de Hara fora de loleda. a caixas de ai
sucar e que csteja em perfeitoestado -, na nia
damoedan. |4 casa de Sanio Braga.
XST O Commandante do Corpo de 'oficia
compra cavallos novos, grandes e gordos pa-
ra o esquadro de primeira Iinha e compa-
nhia de ca vallara do mesmo corpo; quem os
tiver dirija-se a secretaria respectiva das 9 ho-
ras do dia as duas da tarde.
O" Duas commodas e duas secretarias de
iBogno de gosto o mais moderno ; na ra da
cedria D. 14.
C7- Um sof de mogno com assento de mo-
la torrado de damasco azul novo e de mui-
to bom gosto ; na ra do Queimado D. 14 no
primeiro andar.
2y Duas casas terreas de pedra e cal em
chaos proprios sitas na Boa vista ; a tratar
na praca da Independencia 11. neja.
s_r Lma porco de barril de meias pipas ,
e quartolas varias e uma porco de vinagre
a preco commodo ; na ra nova D. 5 con! ron-
te o caldereiro.
C^- o sacas de farinha 3 mastros de sa-
pocaia para qualquer obra ; na ra Direita
U. a.
Vendas
E3- Uma negra de nacao Baca cozinha o
diario de urna casa lava de sabo, e varrela
de venda sadia e muito deligente estan-
do de ganho d um cruzado por da ; na ra
do Cotovello D. 37.
tST Urna morada de casa sila no loco da
bomba D. 5, com duas sallas a dianle e aira*,
com solo dois quarlos em baixo e dois em
cima quntale cacimba com porto ao lt-
do; a tratar no atierro dos allegados defronfle
doviveirodo Muniz., e junto a uma padaria
nova.
XST Uma porco de carvo parando pr*-
prio para lerreiro ; na ra do muro da penda
casa defronte das catacumbas D. 1. .
ssr 3o casaes de pombos por preco commj-
do ; na ra da I onceico da Boa vista D. al,
ou annuncie. i?
ta- O Brigue Americano Theodore de lote
de igj toneladas, forrado e encavilbado de
cobre', e promptoa seguir viagem para qual-
Pa'ulino Lins Wanderley ; quemo pe;ar leve
a ra larga do Rozario casa de Francisco An-
tonio Siqueira que ser recompensado.
I* ugio no dia ij do corrente um ne-
gro de nome Severino de. nacao cabund .
idade de 30 annos meio bu al dedos das
mos compridos olhos meios vesgos com
uma ferida grande na cabeca mas ja esl sa,
e nao tem cbelos no lugar da-dita, beicos ca-
bidos ps grandes e abertos para as bandas ,
limito nioleiio levou vestido calsa e camisa
de algodo -, quem o pegar leve ao beco da
lingoela venda grande que receber 40,0000
de gra ifica o
IST Matbeus creoulo de idade de i3 an-
nos fgido a 27 de Maio p. p. figura delga-
da secco do corpo, cara comprida cor ful-
la tem marcas de verrugas na banda de um
joelho pes largos ; quem o nemir leve
pegar leve a
ra de agoas verdes por cima do assougue para
d'ahi ser dirigido a seu Sr. que recompen-
sa m terreno alapado no seguimento da sara bem o trabalho.
$SF Leocadia creoula bem parecida ,
bonita figura cor nao inulto preta tem um
dente da frente da parte de cima quebrado e
um tallio em cima de um dos ollios levou
bastante roupa feita amoda saia de lila tran-
sada panno fino e sapatos consta andar
na Boa vista desde que f ugio no dia segunda
feira 16 do crranla ; quem a pegar leve a
na estreita do Rozario sobrado de dois anda-
res que tem por baixo tenda de barbeiro ,
que ser recompensado. e
ra da Aurora com 5o palmos de frente ,
15oo de fundo, pagando de foro 'o rs. ao pal-
mo ; atralar na ra deS. Gonsalo D. 1.
t7"Ura pardo de muito boa figura ; a fal-
lar com Jos Higino de Miranda.
Cj" l'ois bovs mansos de puchar carraca-, a
fallar com Jos Paulino de Almeida na Ma-
gdalena.
it-y fres errn vos de idade de ?5 flnnns. de
bonitas figuras ; um inoleca de na o ,' de
idade de l annos uma d'la de i3 anuos:
urna dila de 18 anuos com boas habelidades as
quaes se dir ao comprador ; e urna negra com
uma cria de 4 mezes ," todos estes escravos se
do a contento e ao comprador se far ver
quaes as suas habelidades ; na ra de agoas
verdes D. 38.
%ST Um escravo de nacao perito cozinheira;
na ra da Penba D. 1 casa de surrador.
d^p. Um pianno inglez com muito boas
vozes com seu competente mocho e estan-
te de Jacaranda por preco commodo ; quem
quiser annuncie.
tsw Latas de tabaco em p da Cacboeira ,
de muilo superior qualidade de a e 4 libras ,
vindo da Bahia no ultimo navio ; defronte da
escadinha da alfandega no* armazens de An-
tonio Joaquina Percira c de Antonio Anucs,
lUoviinento do Porto
NAVIOS SAHID0S NO DIA 19.
ARACACY pelo. Cear ; Sumaca Nac A A
mina, M. iV anoel Jos da Silva Rates, car-*
ga varios gneros; passageiros 8 brasilerosj
um escravo e um criado.
TRIESTE ; Irigue Inglez Broadoce, M. Ja-*
mes l.'elbite carga assucar.
RIO GRANDE DO NORTE; Brigue Escu-
na de Guerra Nictherohy Commandante
o Capilo Tenenle Antonio Conrado Sabi-
no.
RECIFE N A TTP. DE M. F. DE F. r 183^ |
_


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E88J7XENX_CYOD9G INGEST_TIME 2013-04-13T03:22:25Z PACKAGE AA00011611_06131
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES