Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06129


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno de 1839. Quarta Fetra
^Tudo agora depende de nos mesmos; da nossa prudencia, modera*'
fo, e energa : continuemos como principiamos e seremos apontados
com admiracSo entre as Naces nas cultas.
Proclamac&o da Assemblea Geral do Brazil.
' 0-O- Subscreve-separa esta folha a 3ooo por quartel pagos adiantados
Ll Desta Typografia, ra das Cruzes D. 3, e na Precaria Independencia
D. 37 e 38, ende se 1 ecebem correspondencias lega'lisadas, eannuucios;
insirmdo-se estes gratis, sendo doproprios assignanles, e vindosassig-
nados.
Partidas dos Correios Terrestres.
Cidadeda Parahiha e Villas de sua pretenco...................\
Dita do Rio Grande do Norte, e Villas dem...................Segundas e Sextas Feiras.
Dila da Fortaleza e Villas dem..........................I B
Villa de Goianna................................../
Cidade de Olinda..................................Todos os das.
Villa deS. Anto..................................Quintas feiras.
Dita de Garanhuns e Povoaco do Bonito.....................Dias lo, e ib de cada mez. \
Ditas do Cabo, Serinbaem, Rio Formozo, e Porto Calvo............dem 1 11, e ai dito dito.
Cidade das Alagoas, e Villa de Macei.........................dem dem
Villa de Paja de Flores..............................* dem 13, dito dito.
'Iodos os Correios partera ao meio dial
18 de Setembro. Numero 203.
CAMBIOS.
Sktemro. 14.
Londres......33 por Ifooe ced.
Lisboa....... go por o/o precio, por metalofleraciJa.
Franca....... 3oo reis por I raneo nom.
hio de Janeiro ao par.
ORO Moedas de 6,(ttoo rs., Vellias i4#ooo a tifioo
Dilas ., ., Novas i3/8oo a iSfooo
Ditas de ifooo rs., fooo a gjoo
PRATA Pataces Rrazileiros-------------lgJSo a iSrjoo
;, Pezos Columnarios--------------- #380 a i^foo
iios Mexicanos------------------- ijfjlio a iftio
Preinios das Letras, por mez t 1/8 a 1 i|i por loo
Moeda de cobre 4 por 100. de disc.
Das da Semana.
16 Segunda S. Cornelia e Cypriano. Sesso da Tbez. e And. do i. de D. dai. v. de rr*
I 7 Terca---------S. Pedro de Arbues M.-----------Rclaco, c Ad. do J de I), da 1. vara ic nanh.
18 Quarta-------T. jej. S. Joze de Cuperliuo t. Audiencia do J ci 1). da 1. v. de inanb.
19 Quinta-------S. Januario t. M.----------------- Re SessSo da Tbez. e a id do J. de D. da .. f.
10 Sexta ----- Tenip. j. S. Eutaquio M. Sessu da Thcz c aud. do J. de D. da 1. vara.
21 Sabbado-----^< Temp. jej. S. Matbeos Ap.- -
II Domingo-----testa das Uores de N. S.--------
Mare chela para o dia 18 de Setembro.
As a horas e 6 minutos da manb. As a horas e 5o minutos da tarde.

RIO DE JANEIRO.
ASSEMBLEA GERAL LEGISLATIVA.
CMARA DOS DEPUTADS.
Sessb em 13 de Agosto.
Presidencia do Snr. Aiaujo Vianna.
As 10 horas da manh faz-se a chamada ,
e logo que se rene numero legal de Snrs. de-
putados abre-se a sessao, le-se e approva-
se a acta da antecedente.
0 Snr. primeiro secretario declara nao ha-
ver expediente.
- Julga-sc ohjecto de deliberaco, e vae a im-
primir o projeclo da commisso do orcamento
da fazenda em qne se determina, que o lesou-
reiro geral do tesouro publico nacional ter o
ordenado de i 000U000 reis. e mais 600U000
reis para quebras 5 e os seos dous fiis aooooo
reis de gratificaco alem do ordenado de
I joooUooo reis.
Julgase objecto de deliberaco, e vae a im-
primir o projecto da commisso de penses e
ordenados approvando o decreto do 4 de feve-
reiro de iH3i), qneaposentou o administra-
dor geral da correio de S. Paulo, Joaquim de
Abreu Rangel, com o vencimenlo anana! de
quatro ceios mil reis.
Julga-se objecto de deliberaco, e vae a im-
primir outro projecto da commisso do orca-
mento da fazenda, queautorisa o governo a
despender annualmente, pelo lempo de cinco
annos, a quantia de hum cont e duzentos
mil reis com o instituto histrico geogrfico
hrasilciro sendo seos directores obrigadosa
restar annualmente contas no tesouro pu-
lieo nacional. Outro sim o governo manda-
r fazer gratuitamente a impresso durante
o mesmo espaco de tempo de todas as publi-
cares peridicas do mesmo instituto histrico
na typografia nacional at o numero de mil
exemplares, dos quaes remelter para a secre-
taria de estado dos negocios do imperio cem
exemplares para sercm por ellcs repartidos pe-
las provincias do imperio
Lese, e approva-se um requerimento da
commisso de marinha e guerra pedindo ao
governo pelo ministerio da fazenda csclareci-
mentos a respeito da pretendi de L). Alaria
Jos de Mello Menezes Palhares.
Le-se, e fica addiada por se pedir palavra
o parecer da terceira commisso de fazenda ,
que indiffere a pretenco de Antonio de Cas-
tro Vianna.
Le-se, e approva-se o requerimento da c-
missan rjn fommercio ppdindn rrninslnncin
das informaces ao governo pela repartico do
amperio sobre a representarn de diversos ha-
bitantes da villa de Paraty da provincia do
Rio de Janeiro em que pedem que se con-
signe na lei do orcamento urna quota para a
continuacao da obra da nova estrada da serra.
1 e-se o seguinte parecer :
A commisso de constituico examinou a in-
dica o do Snr. Nunes Mediado propondo:
1. que por mi nsagem dirigida ao trono ,
se'convidem os ministros da coroa para virem
expora esta augusta cmara a causa das dcs-
ordens que apparecem em diversos pontos do
imperio e afiancando ao governo que o
corno legislativo est possuido do patritico
desejodeocoadjuvar na gloriosa empreza de
salvar a patria, a monarqua constitucional
representativa e o trono do Snr. D. Pedro
Segundo ; equenenluim depuladose reuni-
r do seo posto sem que se tenho diseu ido as
leii reclamadas para salvaco do estado: a.
que as sesses durem seis horas : 3. que se
convide o senado para unido com a cmara
dos deputados tratar de 'curar os males, que
affligem o paiz : e depois de ter meditado,
sobre f e 3. parte da proposta (nao se
oceupa
ndo d
a a. por sua materia pertencer
a commisso da meza) sent nao poder pres-
tar-Ibes o seo asser.so pelas julgar desnecessa-
rias e importunas
Julga a commisso desnessario oconvile pro-
posto aos ministros porque se as desordena
extistentes lem causa especial por el les co-
nhecicias, e oceultas cmara, c do seo dever
informar del 'es o corpo legislativo; mas a com-
misso entende, que a causa geral, e de
todos bem conliecida. Taes desordens sao sem-
pre a parlilha das naces, que como o Brasil ,
passo por urna crize revolucionaria pois as
revoluces nao podem deixar de traser con-
sigo a aniquilar.io de todos os elementos da
oidem social obras dos meios que se empre-
go para attingirao fim e ellcito inevilavcis
desta logo que se obtem. Acresse que a
nossa inexperiencia e outras circunstancias
inseparaveis da" mesma crise, fizero adoptar
leis, que tendo em vista cimentar o imperio
da liberdade, por mal calculadas rompero os
diques da anarqua, e deixaro o poder sem
aecb obrigaro por conseqiienca a impuni-
dade, esta-ilentou o crime 5 e eis por que elle
se tem manifestado lo audaz com as armas
na mo em tanta parte do imperio Mas se a
causa conliecida, o nico remedio efh'caz se-
r fazel-a desaparecer cortando-se o mal pe-
la raiz ; e como ? reformando-se adquada-
mente a legislaco sobre que esl montada a
administraco judiciaria E esta reforma po-
de o corpo legislativo emprehender sem que
os ministros venhaoaqiu expor as causas dos
nossos males ; e se medidas extraordinarias
sao necessarias dse jara a commisso que os
ministros antes, as proposessem, que as acei-
tassem ; e elles algumas propozero j, e nao
deixaro de ser propostas outras
Desnecessario tamhem, o importuno parece
a commisso, que se athance ao governo o em-
penho em que esta' de o coad juvar nos esforcos
da salvaco da patria, da monarqua consti-
tucional representativa, do trono do Snr. I).
Pedro Segundo, animadora espera nca da sal-
vaco : este o dever dos representantes da na-
(o e a ninguem licito duvidar do que
lambem o principal empenho da cmara dos
deputados, pois d'isso tem dado nao equivocas
provas, nao s na resposta a falla do trono ,
masainda mais votando forsas em numero
muto superior a medidas pelo governo,
tanto na presente como na antecedente ses-
sao, a fim de qne Ihe nao faltem os meios de
tranquilisar o paiz, cat eoncedeiido sommas
nao comprehendidas na proposla da lei do or-
camento, para que o serv ico publico nao so-
Ira embaracos por mingoa de meios pi-cunia-
rios e se a cmara tem manifestado to as-
signaladamentc seos sentimenlos, que necessi-
dade pode baver de osafiancar ao trono, que
dclles nao pode duvidar.
Nao considera igualmente a commisso ne
cessario, e oportuno que se afiance ao Irono
(pie nenhnm Snr. depulado ha de abandonar
a (amara emquanlo a sua presenca for neces-
saria : nao possivel admillir, que a cma-
ra dos depurados do Brasil commetta a terri-
vel lalta de abandonar o seo poslo na pre-
senca dos perigos que oprimem a naco!...
nao, ella sabera' manter-se n'ella e desem-
peubar diguainenle suas funeces ; mais nao
se affiance o cunipi iuieuto dos deve ts de que
nao pode duvidar-se.
Nao julga finalmente a commisso opportu-
110 que se dirija ao senado o convite indica-
do na terceira parle da proposta do iliustre
depulado. O senado j nomeiou urna commis-
so composta de tres dos seos membros para o
fim proposto : e se julgasse conveniente a
cooperaco de outra d esla cmara, a houver
solicitado e a mis competa n'esse caso 110
nomea-la. Extemporneo lora convidar o
senado para noi.iear urna commisso que elle
de laclo j nomeou : um ado semelbante no
estado em que se acha o negocio podem pa-
recer antes o'I'cnsa que convite.
A commisso conelue sendo de parecer, que
a indicaco do nobre depulado, posto soja fun-
dada em aprecaveis vistas de utilidade publi-
ca e aidente patriotismo, nao pode ser adop-
tada.
Cmara dos deputados 13 de agosto de
8 Pedrozo
O Snr. Nunes Machado pede a palavra.
O Snr presidente declara ficar addiado o
parecer.
O Snr. Nunes Machado, propoc a urgen-
cia, para que se discuta.
A urgencia apoiada e entra em discus-
sao.
O Snr. Henrique' de Resende oppe-se a
urgencia, e julga que a cmara nao se deve
ii'lremelter em negocios administrativos.. Ob-
serva que des le modo em vez de se adianla-
rem as cauzas para a salvaco do paiz mais
se vae anula embaracar. Vola contra a ur-
gencia lano mais, quanto tem ouvidodi/.er,
que o senado boje, 011 a manb, edira a esta
augusta cmara que nomeic urna commisso,
para que unida a do mesmo senado trabalbcm
sobre objecto de que lora incumbida. ]tecla-
clara em fim que nao se deve complicar o ne-
gocio ; eque quando vier esse convite dose-
nodo, emitir' sua opinio a respeito.
O Snr. Andrada Machado declara-se a fa-
vor da urgencia, porque quer acabar com es-
ta qucslo. Diz que ha de votar contra a in-
dicaco e a favor do procer. Cjuer que se
desterre esse terror papiro que tem aparecido
ha dias paraoqual o Ilustre orador, julga
nao ter havido motivo sufficiente Entonde,
que nem o senado se deve deixar guiar por es-
ta cmara nem esta cmara pelo senado.
O Snr Reg Monteiro vola contra a urgen-
cia porque tt materia do parecer muilo im-
portante, e julga que elle se nao pode discutir
sem quecsleja impresso cha deporisso man-
1 dar um reniierimcnlo a meza para que r.c
imprima.
Julgada discutida a urgencia posta a vo-
tos e approvada.
Entra em discussao o parecer da commis-
so.
O parecer combatido pelo Sr Nunes Ma-
chado, que perlende que o governo venha ao
seio da representaco nacional exjior qua-
es sao as causas dos males do Brasil, e quaes
os meios de que precisa para o salvar. E MIS-:
tentado o parecer pelo Snr. Cleinenle i'erei-
ra, que responde I obserwircs do Snr iN u-
oes Machado, e bem assim |ielo Snr. Gonsal-
vel AJartins que vola pelo parecer.
A discussao fica addiada.
Aeliando->e na sala immediata oSr. minis-
tro interino do imperio racehido com as for-
ma idade do estilo e oceupa o competente
lugar.
Ordem do dia.
Discussao do Orcamento.
Entra em discussao o seguinlc.
Proposta do governo para fixaco de reeei-
ta e despeza geral das repartieres do imperio^
justia e negocios estrangeiros.
Repart ao do mtoerio.
O ministro e secretario de estado dos nego-
cio* do imperio, autorizado para despender
com os objectos designados nos seguinles pa-
rgrafos a quantia de i,8a9;t>8iUooo reis, a
saber :
I. Dotaeo de S. AI. o Imperador aoo:oooU
a. Alimentos de Suas AltezasIm-
periacs i6;8ooU
3. Dota o deS AI. I. a duque-
za de Braganca 5o;oooU
.{. Onlenado do tutor, mestres, e
despe/as de inslrucco i8;c/4U
5. Regente ao:oooU
. Secretaria dentado 3i;g(5oU
7. Presidentes de provincias, e a-
judus de cusi 8S:4ooU
8. Cmara dos senadores, c se-
cniaria ali^aRU
g. Dita dos depuladas, idera a75;38lJ
10. Cursos jurdicos j)i-,(i6o[J
II. Escola de medicina 83;H4oU
1a. Academia de bellas artes o4a,U
13. Museo 4;oa40
14. Juntado commercio 315.5791!
id Empregados de visitas de Sa-
lido nos porlos martimos ao;oooU.
16. Correio geral, e paquetes de
vapor a78;oooU.
17. Canaes, ponles, e estradas
geraes 805000U
18. Construcco do monumento
vanladoa indepencicia no
RepartiiSa da Jusiica.
O ministro e secretario de estado pos nego-
cios da jusiica aulorisado para despender
com as objectos designados nos seguinles para
grafes a quantia de i.oJjoaiUoag rs. a sa-
ber :
I. Secrelaria do estado aS^ogUBoo
a. Tribunal supremo de jusiica 68 G00U000
3. Relams i75:a83IJ3j5
4- Cuaidas nacionaes aoo 000U000
5. I.i> 1 k>s relacaoecclcsiaslica 2i:fii3UiJ4
G. Teegialus $:>. j>. 1. *4<*
7. DeapesH cvenluaes 8.000U000
No Municipio da Corle.
8. Capea imperial, e calhedial
do tilo de Janeiro. 55:883Uroo
i). Paiocbos ia:a>4UaiO
10. lusticas terrloriaes ia:6ooUooo
II. Policia, e SBguransa publica 4o:8 1 Uaoo
ia- (Guardas nacionaes i5 aooooo
1 !. Ditos municipal penna-
mmtss a74:,55U8oo
14. La tares io:oooLooo
15. Casa de piWo com traba-
lbo e leparos de oidcas 64:oooUooo
iG. Conduco sustento j s
Ypiranga 45000I
9- L espesas ev entuacs Alunieipio da Corle. 405000U

30. Escollas menores de nstruc-
cao publica aG 576U
ai. Biblioteca publica. 74,4
2a. Jardim botnico i4;9D"
a. Passeio publico 354'oo
s4. Vaccina 15750O
a5. Illuniinaco 905579
aG. Obras publicas 141500811


'
wr
DIARIO DEPERNAMBUCO
vestuario de prezos pobres aaioooUooo
17. Dcspezas eventuaes aoroooUooo
Rcpartieo dos Negocios Estrangeiros.
O ministro e secretario de estado dos nego-
cios estrangeiros aulorisado para despen-
der coin os objectos designados nos seguintes
pargrafos quantiade a5j,346Uooo rs. [*]
a saber :
1. Secretaria de estado a8,348U8oo
a. Commissoes mixtas na corte 8,g6f Uooo
3. Dita em Serra Lea ao par
de 43 >]\ 6,7i8U;oo
4. Legaces e consulados aju-
das de custo copia do arqui-
TO porluguez e despezas im-
previstas ao par dito 13,3i aU5oo
Sao apoiadas as seguintes emendas de com-
misso :
A commisso encarregada de examinar o
orcamento da despeza das reparlices do im-
perio justica e negocios estrangeiros veir.
submetter cmara o resultado do seo traba-
lho indicando ludo quanto Ihe pareceo in-
dispensavel para esclarecer a discussa5 e re-
servando-se dar durante a mesma discusso
aquellas explicacoes que lhe forem pedidas.
Pelo que pertence repartico do imperio ,
olserva a commisso que a despeza oreada pa-
ra o exercito do anno de 184o a 1841 impor-
ta em re. i,8ag,6l3Uooo entretanto que a
despeza or ada para o anno financeiro corrente
foi de rs. 1,567,53H(Jooo, bavendo por tanto
no futura anno financeiro um augmento de
despeza oreada na importancia de -161, i45Uooo
rs. Pelas tabellas annexas ao orcamento f-
cil verificar e conhecer em que consiste este
augmento, e a commisso julga do seo dever
apontal-o cmara. Na rubrica < casa impe-
rial* apparece o augmento de 5 o 000U0000 de
rs. com a dota o de S M Imperial a Senho-
ra Duqueza de Braganca. Na despe/a com a
cmara dos Srs. senadores e sua secretaria ha
tambem um augmento de a,5a8Uooo reis e
na cmara dos Snrs. deputados e sua secre-
taria outro augmento de despeza na importan-
cia de 3,4ggUooo reis. Na rubrica *' escolas
maiores de instrueco publica nota-se tam
bem augmento de despeza a saber ; nos cur-
sos jurdicos a6,gooooo reis ; e as escolas
de medicina a8,b87Uooo reis. Observo-se,
alem dos que fico mencionados mais os se-
guintes augmentos de despeza :
j. Na unta do commercio 2,i7gUooo
a. No correio geral e paquetes
Ae vapor i38,oooUooo
as despezas oreadas para o municipio da cor-
te appareccm os seguintes argumentos
1. as escolas menores de instru-
co publica 3gaUooo
a. No jardim botnico 3,8<3Uooo
3. Na illuminaco 8,vogUooo
4. as obras publicas i5,KoUooo
A commisso declara que entre as despezas
augmentadas, algumas ha que foro decreta-
das ou autorisadas por lei e quanto es-
tas entende que nenhuma redueco lhe ca-
be piopor ; mas a commisso adoptou como
principio invariavel nao reconhecer nem ad-
inillir nenhum accressimo de despeza, que nao
se achasse plenamente justificado e n'este
.sentido nao podedeixar de pro|or algumas re-
duceoes que se acho com prehend idas pre-
cizamente nos colorarlos d'este principio. Tam
bem parece commisso que alguns ramos de
servico contemplados na reparticao do impe-
rio podem ser desempen hados com menor des-
peza do que aquella que oreada. Em con-
sequencia do que fica expendido a commisso
tem a honra de oCTerecer quanto ao orcamen-
to das despezas da reparticao do imperio as
seguintes emendas
Ao artigo a. 7 -Fm lugar de 86,4ooU
reis, diga-se7b,4ooU reis.
Ao $ 8.-Em lugar de ai4,78U reis di-
ga-se a 11; 1 a8U reis por abater-se o subsidio
correspondente a um senador.
Ao 10-Em lugar deyi;66oU reis diga-se
f6 040U rs. porsededu/.ira metade a con-
signado destinada compra de livros para as
bibliotecas dos cursos jurdicos e abater-se a
quantiade uoaoU reis na pedida para con-
cert e arranjo da sala dos actos da academia
de S Paulo.
Ao 15-Em lugar de ao;oooU reis diga-
se iq;j5t,U reis, por se abater a quanlia de
14'U res destinada para aluguel da casa em
que se acha a provedoria.
Ao ^ 17-Em lugar de 8o;oooU res dga-
se-5o 000 reis.
A o 18-Suprima-se a quantia consigna-
da de 4 000U res por ja ter sido concedida
esta mesma quantia em diversas leis.
Ao 19-m lugar de 4<>;oooU reis d(g-se
ao;oooU reis.
Ao aa-Em lugar de 1 {;agaU reis diga-
se u;798U reis, abatendo-se ; |. a quantia
de i;6q4U reis para sustento vestuario e cu-
rativo de mais ao escravos por depender esta
despeza da existencia dos ditos escravos que
por ora nao esto no Jardim Botnico ; a. a
quantia de 800U reis que se pede para utensis,
reparos e outras despezas miudas alem da
que se pedio o anno passado na importancia de
i;aooUreis.
Ao a5-Em lugar de go;57gU rs. di-
diga-se-8a;a7oU rs. por ser esta ultima
a mesma quantia pedida no orcamento do
anno passado.
Ao 26-Em lugar de i4i;o63Uooo reis
dga-se-io4',5ooUooo reis abatendo-se ; 1.%
a;oooUooo reis na consignaco para o chafariz
de Santa Rita; a., i4;oooUooo reis para
o encanamento de ferro para o mesmochafariz.
3. a;436Uooo reis na quantia consignada
para conservadlo dos iiqueductos e fontes
da cidade restabelecendo a mesma quantia
pedida o anno passado que foi de a6;ooolh8o
reis: 4- > 6 000U na consignaco pedida para
a obra do collegio de Pedro a. ; 5., i3aUooo
reis na rubrica dos vencimenlos do inspector
geral, e mais empregados das obras, esla-
belecendo a consignaco oreada em o anno
passado que foi de 8;436U reis; 6. a
quantia de i2;oooUooo reis para ultimaco
do edificio do museo nacional.
Pelas reduccoes que a commisso offerece ,
haver urna diminuidlo de despeza na im-'
portanci de iao;735U rs devendo porj
consequencia dar-se reparticao do imperio
a consignaco de i7obg48Urs. paraocorrer
a todos os ramos do servico publico que
esto a seo cargo,
Sao apoiadas emendas de diversos Srs.
deputados, e tomando parte na discusso os
Srs Oltoni ministro do imperio, Ferreira
Penna Paula Candido Marinho e Hen-
riques de Rezende', fica adiada pela hora.
O Sr. ministro retira-se com a mesma
formalidade com que entrou.
OSr. presidente d para ordem do dia
a mesma materia dada para boje c levanta
a sesso pelas a horas e 114 tarde. 1
PERNAMBUCO. "
Diversas Reparticoens.
ALFANDEGA DAS FAZENDAS.
- A Pauta he a mesma do numero 183.
MEZA DO CONSULADO.
- A Pauta he a mesma do numero igg.
CORREIO.
O Palaxo Novo Espiculador recebe a mala
para a Baha boje 18 as 10 horas do dia.
PREFEITRA.
PAUTE fnO DIA l6 DE SETEMBTIO.
Jllm. e Exm. Snr.Foro prezos hontem
inin lia ordem e livero boje destino ; Lui-
za de Franca e Mara pretas esta escra-
va de Joo Joze Luguinho pelo Sub-Pre-
feito de Santo Antonio, por briga e ter de
mais aquella dado urna dentado nesta ; e Jo-
ze tambem preto, escravo de Joo Baptista,
por um soldado de Polica, por ter insultado
a outro soldado e estar em desordem ,em urna
taberna.
E' o que consta das parles hoje recebidas
nesta Secretaria.
[*] A difl'erenca para mais desta addico,
comparada com a pedida, no orcamento passa-
do procede de ir calculada a despeza externa
ambio farde 4^ M^*
CMARA MUNICIPAL DA CIDADE
RECIFE.
DO
6. essa'oboiharia de aa jubho de i83g.
Presidencia do Snr. Silva.
Ma-
.p" Compareccro os Senhores Chaves ,
mede Oliveira, e Figueiredo; faltando
tom cauza 0= mais Snrs.
A berta Sesso e lida a Acia da ante-
tederrte foi approvada.
O Secretario .dando conla do Expediente
mencionou os seguintes omcios.
Um do Exm. Presidente da Provincia orde-
nando que esta Cmara posesse em pralica os
meios :t seo alcance para que nao desabem
os edificios que se acho contiguos Veza
do Consulado que ameassa eminente perigo.
a Cmara resolveo, que antes de se informar
cabalmente ao Exm. Presidente da Provincia
de ludo quanto tem havido o Snr. Procura-
dor quanlo antes mandasse demolir o piedio
pertencente Administraco dos Orfos avi-
zando para esse fim ao respectivo Fiscal para
ser presente afim de quadjuvar quanto se
fizer necessario para que se torne efiectiva a
mesma demolico ; ficando o mesmo Procura-
dor e Fiscaes na intelligencia de que deve-
r obrar da mesma sorte com todos os predi-
os que estiverem em edenticas circunstauci-
as.
Outro do Fiscal deste Bairro exigindo
quantia de 4Uooo reis para pagamento das
despezas de que est encarregado: que se
pa asse mandado.
Outro do Procurador exigindo quantia de
7,770 rs., que despendeo com despezas miu-
das na caza da Cmara c a de S, 14o reis ,
que despendeo com despezas miudas feitas na
caza do Jury ; todas estas despezas feitas de
Outubro de i838 Maio de i83g : que se
pacasse mandado.
Continuou-se com apuracao dos votos para
Elleico dos Membros Assemblea Legisla-
tiva Provincial.
E por ser dada a hora levantou-se Sesso;
e mandaro fazer a presente em que assigna-
ro. E cu Fulgencio Infante dAlbuquer-
que e Mello Secretario ; escrevi. Silva ,
Pro-Presidente. Chaves Mamede, Olivei-
ra e Figueiredo. Est conforme.
Fulgencio Infante de Albuquerque e Mello.
Secretario.
EDITAL.
A Cmara Municipal desta Cidade do Re-
cife.
Faz saber, que nosdiasi6, 17, e 18
de Setembro prximo futuro ter principio
arremataco animal de todos os predios doseo
Patrimonio sendo elles os das I" rajas da In-
dependencia do mercado deste Bairro e do
da Boa-vista os da Ribeira* do Peixe, e o
da Plvora ; e bem assim ter tambem prin-
cipio arremataco pelo mesmo tempo de
todos os contractos pertencentes ao mesmo
seo Patrimonio, que sao o das medidas das
affiri oes e revizisoes em todo o Municipio ,
e o do repezo nos Assougues. Igualmente te-
r principio a arremataco de todos os talhos
dos Assogues deste Bairro, e do da Boa-
vista e do suprimento do azeite para as
cinco luzes da Cadeia ; e que ser por quem
menos o fizer ; os pretendentes devero com-
parecer na caza de suas sessoes habelitados
com fiadores idneos na conformidade da Lei.
E para que chegue ao conhecimenlo de
todos se mandou publicar o prezente.
Recife em sesso extraordinaria de 3i de
Agosto de i83g.
Joze de Rarros Falcao de Lacerda.
Pro-Presidente.
Francisco Antonio Rabello de Carvalho.
Secretario interino*
Perante a Administraco dos Eslabelcci-
mentos de Caridade se hade arrematar a quem
mais der as rendas da caza que outr'ora foi
oceupada pelos expostos: as pessoas que as
quizerem arrematar poder comparecer no
Grande Hospital desta Cidade no dia ao do
corrente mez as t\ horas da tarde com seuS fia-
dores.
Salla das Sessoes d'Adminstraco dos Esta-
belecimenlos de Caridade 16 de Setembro de
i8jg. J. M. da Cruz.
Escripturario.
Perante a Administraco do Patrimonio dos
Orfos se hade arrematar a quem mais der as
rendas do sitio do Rozario as pessoas q'asqui-
zerem arrematar poder comparecer na caza
das Sessoes da mesma Administraco nos dias
18 e a5 do corrente mez as 4 horas da tar-
de com seos fiadores.
Salla das Sessoens da Administraco do Pa-
trimonio dos Orfos 14 de Setembro de 183g.
J. M. da Cruz.
Escripturario.
A Mensagem e o Parecer da Commisso de
Conslituico. i
Na cesso de i3 apresentou a commisso de
constituico seo parecer na cmara dos deputa-
dos sobre a moco do Sr Nunes Machado pi-o-
pondo i* que por mensagem dirigida ao trono
se convidassem os ministros da cora a exporem
cmara a sausa das desordens que apparecem
em diversos pontos do imperio ; afiancando ao
governo que o corpo legislativo est possuido
do patritico desejo deocoadjuvar na gloriosa
empreza de salvar a patria, a monarqua cons-
titucional representativa e o trono do Sr. D.
Pedro II. ; e que nem um deputado se retirar
de seo posto sem que se tenho discutido as
leis reclamadas para salvaco do estado ; a" que
as sessoes da cmara durem seis horas ; i" que
se convide o senado para unido com a cma-
ra dos deputados tratar de curar os'males que j
afligen o paiz.
A commisso, julgando-se incompetente pa-
ra dar seo parecer sobre o 20 ponto da moco ,
por ser da attribuico da commisso. da mesa ,
deo sua opinio sobre os outros pontos con-
cluindo que nao fosse n'esta parte adoptada.
Com a franqueza com que costumamos escre-
ver entraremos em algumas consideraces so-
bre o parecer da commisso de constituico. A-
pesar de todos os discursos que se tem feito as
cmaras para convencere-nos que o paiz nao est
em circunstancias calamitosas, e q,ue nada de-
vemos recear pela sorte do imperio, ainda assim
nao possivel levar a convieco ao animo dos
pacficos habitantes do imperio; rcinaosuslo,
e o procedimento dos poderes do estado mais
que as vozes soltas de alguns diaristas tem
augmentado os sustos e receios.
A moco do nobre deputado por Pernambu-
co indubilavelmente consequencia da mel in-
drosa con j unctura do paiz: e a respeito d ella nao
se pode dar opinio sem primeiro considerar
qual a posico que tomou o ministerio na ac-
tual idade. Si ha esperanca bem fundada que o
gabinete de 15 d'abril tome a dianteira'propon-
do providencias que alaIIem o mal ento a
moco nao deve ser adoptada por que traria de
necessidade comsigo discusses calorosas sem
resultado algum poltico visto que de duas
urna ou nao se iniciario medidas por parte
d'administrrco, ousehouvessemdeser inicia-
das toda a discusso precedente seria ociosa, e
talvez perigosa Confessamosingenuamenteque
as actuaes circunstancias do paiz muito recea-
mos das discusses sobre objectos as quaes
necessariamente haver ainda recriminaces, e
justificacoes. Si, pelo contrario nao ha espe-
; ranea de que o governo inicie as convenientes
1 propostas, ento a mensagem de absoluta
necessidade, por que os negocios do paiz nao
podem continuar a ser dirigidos por urna ad-
ministraco que se nega a aeco e que na
inercia quer viver esperando que as cmaras
tomem o governo do imperio e a responsabi
lidade das providencias tomadas : a mensagem
ento dara lugar a urna discusso que posto
seja perigosa ser todava menor o perigo que
d'ella possa provir do que a continuaco de tal
administraco ; seria a mensagem o meio pro
prio para fazer passar o poder para mos mais
enrgicas.
Hoje dissemos em outro artigo nos pa-
rece impoltico que a imprensa de sua sua o-
pinio a respeito do ministerio d'aqui a trez
dias talvez seja crme o silencio, e firme n'es-
sa idia n3o daremos humo humilde parecer
sobre a moco nem diremos como votaramos
a esse respeito si houvessemos de dar nos-
so voto.
A commisso de conslituico declara em seo
Sarecer que a causa das desordens que nos af
gem sao consequencias da crise revoluciona-
ria porque passou o Brasil, acrescendo a es-
sa causa a inexperiencia dos legisladores e ou-
tras circunstancias inseparaveis da mesma crise
que fisero adoptar leis que tenho em vssta
cimentar o imperio da liberdade por mal
calculadas rompero os diques da anarchia e
deixaro o poder sem aeco ; abrigaro por
lano a impunidade esta aleutou o crme e
es porque elle se tem manifestado to audaz,
&c Ora, eis ahi esto defendidos es ilia-
rislas que se tem assuslado com as noticias dos
progressos que vae fasendo o crime E quem
diria que a propria commisso de constituico
sairia a campo em defeza d'esses homens que
nao sabem mentir ao povo e disem sem re-
buco o que sentem a verdade?!...
Ser boje o remedio conveniente extirpar a
causa do mal ? eis a questo : e quanto a nos,
temos por impossivel que da maneira por que
sao tratados os negocios as cmaras, com a
morosidade das delibaraces que dizem ser
de essencia dos governos representativos com
a necessidade que ha de fallar a favor das
reeleices se extinguem com a brevidade
que o caso urge, as consequencias daciise
revolucionaria e se reforme adecuadamente.
a le;; -.I a cao sobre que est montada a adminis-
traco judiciaria. Que tropecos nao tem en-
contrado ua discusso ja em urna j em?
oulra cmara a lei de interpretadlo do acto ad-
dicional ?Iguaes ou maiores embaracos en-
contrara qualquer systema de medida que ti-
vesse por fim fazer cessar as consequencias da
crize revolucionaria que ainda dura e refor-
mar essa lcgislaco imprudente impoltica e
filha da inexperiencia.
Ser tambem a commisso de constituico
iniciada no plano de conspiracao contra a c-
mara dos deputados ?Esta pergunta que fa-
cemos combinada com o parecer que publica-
mos em nosso numero antecedente dar lu-
gar a largas viagens que podem ser emprehen-
ddas pelo pnsamento publico. Si Dos nos
der tempo nos nos aventuraremos a viajar*
l'or agora emque peze a praguentos s di-
remos :Pela maneira porque encaramos a
h
a
1
II
II
I


DIARIO
D E
PERNA.MBUCO
o
V
posiclo do paiz nao recuariamos ante a idea,
sem duvida j; aterradora d urna dictadura
legal Salve-se o Brasil !
( Do Diario do Rio de Janeiro.)
MAlOaiDADE HTECIPADA DO IMPERADOR.
Novas consideraces sobre as consequencias fu-
nestas que traria a realisacao desta dea.
No nosso n de hontem levados pela neces-
sidadede repellir, sem perd de hum momen-
to, a idea da maioridade do imperador desde
ja a qual temos por eminentemente perigo-
sa e fatal para a monarchia aprssnio-nos a
consignar algumas succintas consideracSas so-
bre este gravissimo assumpto lembrado por
hum orador na cmara temporaria como ex-
pediente menos perigoso do que o de huma
dictadura ; porm materia de to alta trans-
cendencia e que, a nosso ver involve to-
dos os destinos do paiz carece de maior des-
envolvimento, de eonsideragSes mais extensas,
aun apresentem em toda a evidencia as calami-
ades que proviriaS ao paiz se semelhante
projecto fosse levado a efleito, 011 mesmo ten-
tado. Faremos pois aqui, com o escalpello
da analyse, a dissecco desta concepgo des-
astrosa pelos meios da imaginaco e com o
auxilio das hypotheses apoderar-nos-hemos
deste monstro polilico, como de huma entida-
de ja existente para reconhecer o seu orga-
nismo, examinar as suas facilidades e predirer
seus movimentos, desde os seus primeiros mo-
mentos de vida at sua morte e decomposiglo,
se hum destino infenso ao Brasil conseguirse
que chegasse a ver a luz do dia.
A primeira das consideraces que se offerece
ao pensamento quando encara esta concepclo
assustadora he a do modo pralico por que
poderia ella realisar-se....! Que crie de ca-
lamidades que encadeamcnto de desastres,
que abysmo insondavel e horrivel se nao des-
i cortina quando se considera o assumpto por es-
ta face ? !... Seria o projecto levado a elfeito,
como se afirma que fra tentado por meio
de huma revolugo do exercito que combate a
rebelda no sul do imperio ? Seria pela deli-
beraglo das augustas cmaras legislativas ?
No primeiro caso, a for a publica, a quem
03 poderes polticos do estado tem confiado a
delesa da constituico e da monarchia contra a
rebi'llio, (icaria convertida em hum bando
insurgido i, a disciplina militar seria em hum
momento anniqullada ; a soldadesca, ensina-
da pelos seus chefes a rasgar a constituiglo a
altentar contra os poderes constituidos, nao
^ reconheceria mais o dever da obediencia ; este
fe sentimenlo essencial da forca armada seria no
mesmo momeuto substituido pela persuaso de
que a ella competa decidir da existencia do
governo e dos destinos do paiz : pelo acto da
rebelda que se lhe figurara como huma ac-
co de fidehdade e amor ao monarcha, como
hum feito glorioso e salvador do imperio, jul-
gar-se-ia credora das mais altas recompensas ;
as exigencias de retribuic&es e gralido nao
teria mais limites ; os chefes, que a amestr-
ra5 para a revolta nem poderia satisfazer
essas exigencias, nem reconduzil-a obedi-
encia e disciplina ; a minima resistencia a es-
sas inte rminaveis pretences seria por ella con-
siderada como ingratido flagrante a to alto
servigo ou como traicao causa que se lhe
inculcara como a causa da naci e da mo-
I narchia. Desde este momento todos os vncu-
los da subordinaco ficaria despeda cados; os
poneos que tivessem permanecido fiis e at
os proprios chefes da revolta seriao sacrifica-
dos ou forcados a fugir de hum lugar onde to-
das as existencias eslava em perigo onde
nenhuui direito era respeitado ; os mais au-
-*' dazes e immoraes dos agitadores tomara a e-
phemera direccao das massas armadas o ex-
ercito desappareceria e os batidos dispersos
ou iria engrossar as fileiras dos outros rebel-
des de Piralinim ou vagariaS pelo territorio,
praticando a rapia as atrocidades e a de.as-
taglo at que de todo se dispersassem.
E se do theatro da revolta estendemos as vis-
las para o campo dos primeiros anarchistas e
para a capital e provincias do imperio que
resultados se nao apresentaS de hum ?emel lian-
te movimento i*! Ainda na supposico mais fa-
voravel mas sem probabilidade, de perma-
necer unido o exercito depois de semelhante
acto de revolta a forca moral dogoverno fi-
caria anniqullada; o prestigio da legalidade
deixar a de corroborar forcas que aeabavaS de
rasgar a primeira das legalidades, a da cons-
tituico do estado 5 esse exemplo de rebel-
da daria alent e aniraaclo incalculavcl aos
nlieldes de setembro ; apopulaco, at alli
toiitida pelo sentimenlo de fidelidade ao jo-
verno constitucional c legitimo do imperio ,
ficaria. vacillante. entre forcas e gritos igual-
mente rebeldes e mais fcilmente adherira a apoiasse a raso infantil do imperador e esta
chefes seos conterrneos que acompanhavaS questlo secundaria, complicada com os inte-
suas pretences com as vozes insinuantes de resses ndividuaes dos chefes dos difterentes
patria, de independencia e de liberdade, do grupos, suscitara ainda por toda a parte dis
que aos outros que de longe lhes fora ensinar .sensSes e hostilidades abertas.
a revoltar-se contra o poder legitimo a pos- ; Levemos prem mais avante as supposices-.
tergar as leise a dilacerar o cdigo fundamen- admitta-se que se concordava na creacbde
tal; o equilibrio das forcas ficaria ento de to- hum conselbo director como a forma mais
do perdido ; o governo cercado j; de tantos plausivel e o meio mais fcil de saciar as am-
embaracos eatacado na sua propria existen- biges. Neslecaso, os que ficassem forado
cia por este attentado, nem poderia mandar poder conspiraras inmediatamente contra el-
novos soccorros, nem deveria enviar soldados le ; os presidentes de provincias os comman-
fieis a misturarem-se com a soldadesca infrene dantos das armas e das forcas de trra e mar ,
que desconhecia a sua autoridade : a dissolu- e todas as outras autoridades constituidas pelo
cao do exercito neste caso seria ainda ne- governo extincto julgar-se-hiao na vespora de
vitavel; a provincia estara irremediavelmen- sua destituidlo : a confian r.| no presante p no
te perdida; o terror mais profundo diluiidir- futuro desappareceria de todo; a autoridade
se-ia immediatamente por toda a exlenso do publica perderia em toda a parte a sua forca ,
imperio ; as esperancas c confianga dos agita- a aegao administrativa ficaria geralmente pa-
dores correriaS, como por hum movimento ralysada os desordeiros nao acharia5 mais
elctrico, em todos os sentidos at os ltimos obstculo algum aos seus planos dedesorgani-
confins do territorio ; eo fogo da* a narchia sacio, e o imperio acabara infallivelmente.
Pombinhos Farca Creada rhetorica. -
as
nes
THEATRO DE OLINDA.
Sexta feira ao Beneficio do actor Joaquim
Jos da Gama. Depois da 1.* Overtura e-
xecutada pela orchestra o Beneficiado recitar
hum Elogio a os seus benignos protectores -,
reprezenta-se-h a Tragedia Nova Castro -]
Duelo e a Farca Roda-viva.
O Beneficiado pelos seus muitos afaseres nfid
pode pessoalmenle hir repartir os bilhetes ,
esperando da Philantropia dos seus amigos ,
se dignem protgelo na entrada do Theatro ,
onde se achara para receber os eEfeitos de suas
generosidades.
COSMORAMA.
Todos os dias at quarla feira 18 o cor-
reule, ha mudanca de paineis a hora he
das 6 as 9 da ubi t.
Avisos Diversos.
. que o paiz abra ava Iranq
avas todo o edificio social. mente huma semelhante novidade e que
E nao se tenha este quadro por huma mera diversos ramos da administra lo marchava tu-
phantasia : aquelles que duvidarcm da sua do inalteravel: que teria utilisado a naci
realidadcaltenda profunda impressao que, neste mesmo caso, alias iir.possivel ? O im-
ainda ha pouco fez em todos os espiritos a perador ficaria governando si' em nome, como
coincidencia das insignificantes noticias (n- at agora ; o regente constitucional e eleito
significantes, comparadas com a hypolhese de pela naci seria substituido por huma verda-
quese tracta) de huma povoacao oceupada deira regencia revolucionaria, composla de
pelos desordeiros do Maranho, e de huma dezou vinte ambiciosos sem o prestigio da
simples e desatinada correria de huns pouens 'legalidade e por esta raso e pela disparida-
de anarchistas desorganisados na provincia de de das vontades e dos interesses, infinitamente
Santa Catharina. Se estes dous fados com- mais morosa em seus actos e mesmo impossi-
parativamenle to diminutos, obrigra as buhada para tomar medidas algumas quepo-
cmaras a tratar de medidas de salvarlo pu- dessem salvar o paiz
blica e o jornalismoaoccupar-se da questo Finalmente, figure-sea hypothese de que
de huma dictadura que acon'eceria se se des- o imperador era investido do exercicio do po-
se hum attentado de tal ordem comoarevol- der sem conselbo director. Como, na ida-
la de quasi todas as forcas do imperio contra o deem que se aclia escolheria elle os minis-
governo e contra a constituidlo ?! tros? Como considerarla os seus actos para
A nosso ver nem a administradlo nem o Ibes continuar ou retirar a sua confianca ?
corpo legislativo depois de hum tal atienta- Como observarla o espirito do eorpo legislan-
do teria meios para conter a desordem ; o ?o, e como calculara a forca das maiorias,
governo necessariamente baquearia eo im- para conservar ou despedir as administra oes?
perio ficaria perdido sem remedio. Mas, Como pesara a conveniencia das medidas da
cumpre proseguir as diversas hypotheses do administrago que nao achassem apoio as
assumpto. maiorias das cmaras para dimittir os minis-
Suppondo que, 011 por efTeilo de revolta do tros, ou dessolver acamara temporaria nos
exercito, 011 por proposta espontanea de al- casos de conflicto ? Como finalmente ex- tos de que ignoravamos ,
gnns membros das cmaras, a questo era agi- erceria todas as outras prerogativas que lhe I do imn de atrahirem o fogo a si ; o que sen-
tada no corpu legislativo que ililli ulil.idcs e confere a constituico ? O primeiro ambicioso do assm nada ha de extraordinario e nem
que desordem nao apareceria immcdiatamcn- insinuante, que delle se aproximasse toma- tao pouco de invejar o quanto sao defuma-
te? As cmaras nao concordaras seguramen- ra necessariamente a direccao do estado e ,
te em semelhante medida, que prineipiava em vez do regente da constituico cerrado da
por se rasgar o proprio titulo da sua autorida- confianca nacional a que de ve a autoridade ,
de constitucional; mas so o facto de ser pro- teriamos hum menino sem experiencia algu- para andar com huma senhora, vendendo fa
ioslo hum semelhante attentado (e nunca el- ma, servindo de instrumento a huma inlluen- \ zenda a pessoa que a liver, annuncie a nio-
e seria proposto sem que fosse sustentado por cia lunesla sem misso alguma sem res- radia.
hum partido), traria necessariamente grande ponsabilidade moral, dispondo arbitrariamen- 1^7" Precisa-se encarecidamente aliigaruma
agitaco confuso e tumulto as discussSes; te dos destinos do imperio E que fatal suc- casa terrea no bairro de Santo Antonio (dan-
esla desordem communicar se-hia populaco, cessao de calamidades se patenta ao conside- do-se mezesaddiantados, e fiador acontento,)
eaanarchia, fortificada as posi oes da legis- rar esta posico da monarchia e do monarcha ? e sila nasseguintes ras, Florentina Pateo
latina, nos baluartes da constituico por el- O golpe descarregado na constituidlo para e- do Hospital do Paraizo, Mundo novo, Roda,
la invadidos nao poderia deixar de se estn- levar ao exercicio do poder hum menino antes. Bom Jezus das Crilas, Flores, Pateo do Ca-
der pela cap
nao pode mais
tT Precisa-sc d m menino para cixei-
ro de urna venda ainda mesmo que nao tenha
pratica: no Mondego venda D. oc.
C?" Oirerece-se um rapaz brasileiro para
caixeiro de ra armazem ou despacho da Al-
fandega do que tem alguma pratica e d
conhecimento de sua conducta ; quem precisar
annuncie.
cy O Sr arrematante da Illuminaco desta
Cidade queira dispertar aos seos agentes que
accendm as luzes pois no dia 10 deste maz
as a horas da noite achava-se da porta de Joo
Carlos de Burgos at a Penha todos os lam-
pees apagados.
tn?" Um rapa/ Brasileiroe de bons costumea
se offerece para qualquer oceupaco; quem do
seu presumo se queira utilisar annuncie por
esta folha.
tZF" Quem perdeo um l no dia 14 do cor-
rente dando os signaos lhe ser entregue na
ra da Cruz armazem n. 33.
C7" A pessoa que annunciou precisar de
um caixeiro para tomar conta de urna loja de
fazendas : annuncie sua morada.
tU~ Os Snrs. Proprietarios da Olaria que
tem o forno milagrozo queirlo perdoar o vo-
mito que lhe lansemos no primeiro jacto cer-
que era doclados
dos : em fim continuem a pregar aos pe xi-
linos e nloaoque^Vive do mesmo negocio.
5^7" Precisa-se alugar una prcta cscrava ,
quem a tiver pode annunciar sua
ital e pelo paiz; e a imaginaco do lempo na mesma constituico designado, e'mo, Santa Thereza, Ortas, Agons verdes,
pude mais alean-ar as consequencias pro- sem conhecimento algum das pessoas e dos ne- Virarlo, Fogo, Eivramento Penha, RangeL
vaveisd'este impulso desorganisador! godos ; os perigos da lisonja e das tentativas
Se se figurar a hypolhese da maioria de hu- do corrunclo contra elle empregadas, para
ma cmara adoptar a proposta e a da oiitra re- mehor o levar aos fins ambiciosos de quem se
geital-a as consequencias sao ainda mais fu- tivesse apoderado de sua pessoa, perverteriaS a
nestas : o corpo legislativo deixaria desde esse sua ndole e inutilisariaS as suas felizes dis-
momento de existir ; huma das cmaras apre- posiges para em devido lempo, felicitar a na-
senlar-se-hia como hum corpo conservador da co; o principio monarchico seria desacredi-
conslituico e das leis e a oulra como o cen- tado todas as esperangas se esvaeceriaS o
tro do partido da revolta ; a populaco nlo presentimento da inevitavel progresso dos
poderia deixar de se dividir para sustentar males pblicos apoderar-se-ia de todos os es-
huma ou oulra cmara segundo as influen- pirilos e o imperio suecumbiria.
cias predominantes a disposiclo do espirito Taes slo as consequencias i nial 1 i veis da an-
e as convieces e interesses individuaes ; e o licipacao da maioridade do imperador por
grito da guerra civil resoaria dos salos da le- qualquer lado que se considere. No estado em
e Praia ;
moradia.
C/- A pessoa que tirn do Correio huma
carta de Antonio Jos de Oliveira e Miranda
viudo Vappor Pernanibucano, chegado do
Norte a esta Cidade em 11 do corren tu niez
de setembro roga-seolavor de a entregar na
ra da Larangeira D. 14 ou recolhel-a ao
mesmo Correio.
S2y Dezeja-se fallar aos Senhores Antonio
Pereira de Aguiar, e Bernardo Joze Ferreira;
os mesmos queirlo annunciar as suas mora
dias,
t-?" Ignacio Dias Lima, retirndo-sedes-
Supponha-se porem ainda, que as maio- da conslituiclo vigente he o nico palladio
! rias das duas cmaras concordavao na anti-
cipada maioridade : o regente do acto addicio-
nal o escolhido da naci para presidir ao es-
tado durante a menoridade em nome do im-
perador e em virtude da conslituiclo nlo
leria defensores na capital e as provincias ?
14 a resistencia legal de seus partidistas nao da-
rla lugar a inmediatas hostilidades em lodos
os ngulos do imperio
Mas, supponha-se mais que o governo le-
gitimo e os seus defensores oediaS ao grito re-
volucionario: que aspecto apresenta ainda
neste caso a capital e o paiz ? Na capital, as
ambicSes livros entlo de todo o embara o ,
principiaras os manejos para a organsaclo do
novo governo: huns quereriaS hum monarcha
investido imnu'diatamente de todos os poderos
da coma, dependente de corpo algum di-
rector ; outros preferiras hum conselbo que
que pode anda preserval-o da dissolugo:
lora daqui nao ha sono confuso anar-
chia edesorganisago. Quando hum paiz se
acha em quasi coral conflagraco quando a
concurrencia de todas as forcas sociaes a prol
da autoridade legitima he o nico meio de sal-
vadlo ; quando a fortificaco do poder he re-
clamada por toda a parte como huma necessi-
dade indispensavel e urgentissma lembrar
huma violaco flagrante da constituico e
chamar para o lome do estado hum menino ,
he a idea mais absurda e mais fatal que pode
alguem conceber. (Lio Despertador.)
THEATRO DO RECIFE.
Quinta feira desenove em beneficio de
Madama I.ui/a l'idanza Peca D. Alonso
Heiirique i Rci de Portugal Duelo dos
pedr-se de todos os seos amigos, roga-lhrs
o queirlo desculpar desta falta involuntaria,
acechando estopor despedida, e offerecende
se naquella Cidade para o que lhes poca ser
|ircstav(l. Faz igualmente sciente (princi-
palmente a seus credores) que ficou nesta ci-
dade encarregado de selis negocios e seu
bastante procurador Jlo da Cosa Lima mo-
rador defronte do Corpo Santo.
C7" Precisa-se de doz esclavos para o ser-
vico do campo : quem os tiver dnja-se a ra
do Rangel caza da residencia du J. de C. I ais
d'Andrade que achara rom quem Iralar ; c
adverle-sc mais que se dar o sustento aos
mesmos. .
tZF~ Precisa-se comprar nm ferro para na-
vio com pozo de 7 a 8 quinlacs, e una cor-
rente correspondente a dito Ierro, que sejaj
uzada mas que estoja em bom estado : quem
liver annuncie.
-"


r


DIARIO DE PE8MAM8CO
tsr Aluga-se urna preta captiva, com opti-
no leile e sera fiiho; nesta Typografia se
dir. ,
CT Qucm annuncion precisar alugar urna
canoa que carregatioo tijolos dirija-se as 5
ponas D. 4 .
isr Aluga-se um sitio na estrada de agoa
fria com boa casa de vivenda de pedra e cal ,
e com mais outra dita boa estribarla, senza-
Ja para prctos grande terreno para pasto de
vaccas boas baixas para capim born pomar
de diversas qualidades de fructo e com 8o
ps de coqueiros ; a tratar na ra da Cruz no
scjundo andar da casa da quina por cima do
armasem de trastes no beco que segu para o
porto das canoas.
ssr No oito da penha defronte das cata-
cumbas em urna loginba de urna porta e
janella s offerece urna mulher forra para
ama-de casa.
I j-j- A abaixo assignada tendo lido alguns
annuncios de Manoel Barbosa de Barros Jos
Bezerra de Abrcu Cavalcante, e Manoel de
Albuquerqne Barros para vandcrem a ola-
ria sita no monleiro para que ninguem por
ignorancia e confanca posta as pessoas los
re!eridos Snrs. comprem ou taco outro
qualqucr negocio sobre a dita olaria ; avisa ao
publico, que a dita olaria, eoutrosmais bens
que possucm os ditos Snrs. esto pinlierados ,
por dividas da mesma abaixo assignada, e a
cxecucao continua em seus termos. D. Ma-
ria Jos Lins Soriano.
j2f Quem precisar de um rapaz portuguez
para caixeiro de venda do que tem bastante
pralica e mesmo para engenho dirija-se as
5 pontas 4 ou annuncie.
SSS Arrcnda-se um bom sitio no lugar do
manguinbo a tratar na ra do Qucimado
D. i.
$^> Tirou-se do correio por engao por ser
de igual nome urna carta vinda do porto ,
para'Jos da Silva Moreira por isso queira
diri"ir-se as 5 ponas venda D. io.
S^r JoaoBaptista Claudio Tresse avisa a
todas as pessoas que tem deixado pinhores na
sua loja na ra nova D. 5 confronte ao cal-
derciro que os vo tirar no pi aso de oito di-
as pelo mesmo Sr. se retirar da referida loja.
S2T Aluga-se urna casa terrea no lugar do
atterro da Boa vista com um grande quintal
que vai a mar a ti atar na ra do Cabug lo-
ja de relojoeiro junto a botica.
t^T A pessoa que d 600,000 a premio, que-
rendodar 100,000, dirija-se a ra de Hortas
D. 4i. ,. ,
y^- Precisa-se de um fcitor que entenda
de ortalica e de arvoredos para um sitio per-
to da praca ; na ra do Crespo loja D. 4.
Sj Na casa de Nev do beco do ibeatro lla-
vera sorvete de manb do dia .18 do corrente
em diante. #
jy A quem falta duza e meia de colhe-
res de prata para cha, emprestadas queira por
favor procura-las na casa n. & da ra dos Bai-
beiros.
53- Felippc da Silva I orto avisa as pes-
soas de quem tem pinbores em sua mo ja
vencidos que os vSo tirar ou reformarem
os seus tratos do contrario os vender a pre-
zenca de 3 tcstemunbas para seu pagamento.
^^. Francisco Malaquias Soares avisa
que deixou de ser caixeiro do Sr. G. A. Bren-
des : Brandis desde o dia 15 do corrente.
l^j- Roga-se ao cal> de Policia que ron-
dn na madrugada do dia |5 no Bairro da
Boa vista queira perder o mo costume de
insultar na porta da 1 groja as pessoas que
voamissa; pois julga-se que este proceder
nao he do regulamento da Policia.
xz~ Precisa-se de um hbil forneiro e
nao se olba ao ordenado ; na ra Direila pa-
daria de 3 sobrados D- 1 i.
tjy Roa-se a os viajantes concienciosos
.je "ssarem pela a estrada do Appody e suas
imid'iaces o obsequio de ver se descobrem urna
sella grammatica porlugueza que se ex-
travioua'poucosdiasde un comboio que vi-
nha do serlao e no caso de algum a adiar ,
dirija-se a Villa do Aracaty a M. J. S. que
pela estima em que a tinha recompensar ge-
nerosamente.
X~r Os liquidatanos do casal do tallecido
$r. Antonio Marques da Costa Soares an-
nucio a quem convier, que nos dias a4, 5,
e b do corrente se ha de arrematar em hasta
bublica na praca do Commercio perante o Dr.
Juizdo Civil da primeira vara, o Bngue
Triumpbo Americano com todos os seus per-
tences cu jo inventario se api. s, niara no acto
da arremataco sele escravos marujos um
itio na I onte d'Ucha com casa de vivenda, e
aores de fructo e um dito no arraial.
52^- Petle-se ao Snr. b iscal do lairro do
coecife que por obsequio para bem do publi-
queira deitar urna vista d olhos pela tra-
.% do beco das almas para com effeilo ver
o estado em que est entulhado de toda im-
mundice. O Sacristo da Matric.
tS" Roga-se encarescidamente ao Sr. Sub-
Prefeito do bairro de S. Antonio que baja
de lancar suas vistas pela praca da Indepen-
dencia para ver um grande adjunto que se
ajuuta todas as noites por causa das negras, a
proferirem palavras obsenas.
ty Pergunta-se ao inventariante dos bens
da fallecida D. Anna Maria de Jess Nobullas,
viuva do tambem fallecido Capito Vor An-
tonio Jos de Souto qual a demora da parlilha
dos bens pois nada mais se devendo a patin-
eta Companhia visto se ter pago com as ven-
das que se fizero da casa do theatro desta Ci-
dae, e de duis sitios ein Bebiribe para use
fim nada mais deve restar se nao saber cada
herdeiro o pouco ou nada que possue.
S2?" Precisa-se de ama ama para urna casa
de muito pouca familia ; nezta Typografia se
dir.
Avisos Martimos.
FRETA-SE para qualquer porto do Im-
perio ou estrangeiro o Brigue Brasilciro J-
piter de voH toneladas a fallar com o Capi-
to Jos Xavier Vianna, ou na ra do Vigario
n. 7.
PARA o ARACAT5T, o patacho Varia
Lui/a Mestre Ignacio Marques, muito ve-
leiro c forrado de cobre ; quem no mesmo
qui/.cr carregar dirija-se ao dito Mestre ou
ao proprielario Antonio Joaquim de Souza Ri-
beiro.
PARA A BAHA com escala por Marci ,
o vclleiro patacho Dois Amigos, forrado e
pregado de cobre sahir com a maior brevi-
dade possivel por ter seu carregamentoqua-
siproinpto; quem quiscr carregar ou ir de
passagem dirija-se a *'anoel Joaquim Pedro
da Costa na ra da cadeia n. 1.
Le! i o
cr Que fazem Kalkmann & Rosenmund,
por inlervenco do Correlor Oliveira de um
intciro sortimento de fazendas c rrriude/.as ,
quinta feira 19 do corrente pelas, o horas da
manh, no seo armasem da ra da Cruz N*
00 primeiro andar.
Que faz o Correlor Oliveira de diversas
fazendas inginas e francezas qinrta eira
iH do corrente. pelas 10 horas da nianli no
seu armazem da ra da Cadeia n' 34 primeiro
andar.
ty Para liquidar, que pretende fazer
quinta feira Manoel Ribeiro da Silva de
urna porcao de moilics e cadernacs uzados ,
remos novos de canoas c outros objectos na
casa de sua residencia ra da Cruz n. aa.
C o- m p r a s
tW Um moinho de rellar mil lio prompto
com todos os ulencilios, ou com falta de alyuns;
nesta Typografia.
C7- m violo com boas vozes em bom
uzo c prefere-se de cor preta, e nao repor-
ta que seja encorduadode rame ; quem ti ver
annuncie.
Vendas
SST Ums flauta de bano com 4 chaves de
prata nova e de muito boas vozes ; na ra
do cabug ao entrar lado diieito passando a
loja de fazendas da quina outra de miudezas
de duas portas.
SST Um eseravo do gento de angola de
idade de 1 annos boin omcial de pedreiro ,
prefere-se para fora da provincia ; na ra do
Collegio botica D. 5.
%^j- Urna molata mora e sadia de ida-
de de 20 a i5 annos sabe coser alguma coisa
cha engommar e fazer todo.p mais servi o"
i de urna casa ; na ra da S. Cruz casa terrea
de janellas de vidrassas junto a um sobrado de
um andar.
C5~ Superiores charutos da lia vana e da
Cachoeira chegados ltimamente ; na ra do
Cabug loja do Sur. Bandeira.
X&- Urna venda com poucos fundos, e com-
modo para pequea familia no largo do Ter-
co D. -j ; a tratar na mesma.
SS7" Um selim em bom uzo com todos os
seus pertences ; na venda da q uina do beco do
peixe frito*
tc^" Urna mesa redonda para meio de sala ;
na camboa do Carmo D. 8.
te?" Por preco commodo 6 quadros delira-
dos da historia de Ignez de Castro dois es-
pelhos grandes um jogo de bancas de angico
um par de castijaes de casquinha um par de
mangas de vidro, tudo por preco commodo;
na 1 a nova loja de JVlarcineiro de Antonio
V ieira Coellio.
. Joao Francisco Santos de Siqueira o
seu sobrado que tem no monteiro, o qual alejn
de ter um pequeo sitio que vai a margem do
{io capibaribe tem todas as mais proporcoens
de quem tem bom gosto com estribara para
seis ou mais cavallos senzalla para bastantes
escravos. coixeira no seguimento do sobrado
que admitte dois carros cujo predio so se
vende a quem souber dar o verdeiro valor o
sitio he todo murado, c tambem se vende com
toda a mobilia, que h de bom gosto que
existe no mesmo sobrado e se vende um ou-
tro sobrado mais pequeo com urna olaria a
margem do mesmo rio a qual he.sem a me-
nor duvida urna das melhores e maior que
existe neste Recife e tem todas as proporcoens
para quem neste negocio se quiser estabelecer,
cujo predio s com a vista se lhe sabera dar o
verdadeiro valor; qucm de tudo pretender ou
nm separado entenda-se com o annunciante ,
na ra velha de manh at as horas e a
tarde at as 5.
S- Barricas com louca fina e de excel-
lente gosto, contendo cada urna um com-
pleto aparclbo a saber 5 10 duzias de pratos de
oito e mcias polegadas ij sopeiros i ditos
pequeos i pratos travessos duas sopei-
ras 4 terrinas para molhos 4 Pralos bef-
tos duas scladeiras, 5 travessas para podins,
dois ourins duas bacias com os seus com-
petentes jarros duas duzias de lijellas 1 a
chicaras e pires para cha 1 a ditas para ca-
f com os mais pertences anlogos, tudo
por pie. o commodo; defronte da lingoeta ,
ra da alfandega velha n. 9.
jar* 5oo palmos de trra quasi toda quadra-
da com a frente para a estrada do espinheiro ,
com muitasarvoresde fructo, trras tastan-
tes plan taces de oulras lavouras o que tudo
com a vista dos compradores se mostrar, tr-
ras propriase estas mui descamadas perten-
centes ao proprietario Silvestre Antonio de
Laage morador no mesmo sitio.
l^f Tres escravos de idade de a5 annos, de
bonitas figuras; um moleta de na o de
idade de i annos urna dita de 13 annos;
urna dita de 1H annos com boas habelidades as
quaes se dir ao comprador ; e urna negra com
urna cria de 4 mezes todos estes escravos se
do a contento e ao comprador se far ver
quaes as suas habelidades ; na ra de agoas
verdes D. 38.
SST Urna negra de nacao, de bonita figura
de idade do 34 annos proprla para todo o
servico ; e urna canoa aberta que carrega de
800 a 900 lijlos de alvenaria ; e um armazem
de saf com todos os seus pertences, e tem
comniodos para familia e quintal para ran-
cho de cavallos ; as 5 ponas I). a.J.
\ZJ- Urna molata de bonita figura de ida-
de de 1 i annos engomma bem cozinha o
diario de urna casa ou troca-se por um pre-
totanoeiro ; no principio do ai erro dos affo-
gados em casa de Silvestre Joaquim do Nasci-
mento.
S2F" Na loja de encadernador na praca da
Independencia D. ab os seguinles livros;
Alibert- Phisiologie des l'assions Jeremie
Bentham Traite des Pen ves Judiciares-Ar-
te potica Lobo execucao de sentencas -
1 roesso orfanologico Salustio Horacio -
Conidio Pereira e Souza Universal liislo
loria Riquezas das Nacoens Lira Anecreon-
tica-Colleccao de Cdigos os 5 cdigos
francezes Compendios de Geografa os Ira-
des julgados no tribunal da ra/.ao Direito
Ecclesiastico Elementos de astronoma gra-
mtica geogrfica-manual devolo- carias e
tabeadas ; e pastas para meninos.
G^- Um sitio com urna casa de pedra e cal ,
na estrada da ponte de Ucba com 11 quar-
los 1 salas cozinha fora estribarla para 6
cavallos senzalla para prelos, a casa he
toda en\ idrassada duas baixas para capim,
terreno para plaulacoens arvores de Inicio
de iudus as quaiidades ; a tratar na ra Di
reita U. a ; na mesma casa arrenda-se outro
mais pequeo com casa de vivenda terreno
para plaulacoens e arvores de fructo.
_y Urna esrava de nacao de bonita fi-
gura de idade de at annos cozinha o dia-
rio de urna casa e lava roupa ; na ra do
Queimado D. 19.
X3~ Uuas pretas de nacao urna com idade
de a5 anuos e a outra pouco mais ou me-
nos com 3o ambas vendedeiras de ra e
eoziuho o diario de urna casa ; na praca da
Boa vista botica D. 6.
IC?" Limt lia lauca grande propria para
pesar assucar com os pesos competentes ; no
aterro dos a [logados n. 17.
fcr O Brigue Americano Thedom, de lote
' 99 toneladas forrado e enoavilhado de co-
bre e promptoa seguir viagem para qual-
quer porto ; na ra da Cruz em casa de jWa-
theus Austrin & Companhia n. 5t.
te?" Relogios de ouro de sabonele, patente
inglez ditos de prata ditos ditos de ouro da
Suessia ditos orisontal dito ditos de prata
lito cordes de ouro para Senhora ditos
para homem aneis botoens alfineles de
brilbantes caixas de ouro ede prata, tudo
por preco commodo ; em casa de Carlos Du-
boil, relojoeiro na ra nova, porta larga.
t*F" Na ra do Vigario n. 7 moendas an-
tigs para engenho, muito enconta com
praso ou dinheiro e urna taxa grande de
ierro coado.
EJ- Na ra nova defronte da Igreja de N.
S. da Conceico na loja de Joaquim Jos Pe-
reira D. a a agoa para empretecer os cbelos
da barba e da cbeca, e na occasio da com-
pra se dar o metbodo de aplicar.
Xa- Urna preta creoula engomraadeira ;
costureira e cozinheira ; urna dita de na-
cao costa boa quitandeira e lavadeira
um preto cozinheiro ; um molecote; e urna
preta propria para lodo o servico ; na ra lar-
ga do Rozario D. 7.
Isc ra v os F u <>i d os
tsr No dia 9 do co rrenie pelas 7 horas da
note fugio da casa de Manoel Buarque de
Macedo umj pela de nome Maria creoula,
de idade de o annos, altura regular, ps
largos grossura mediaiina cor preta bei-
cos grossos denles limados com marcas de
feridas de bobas pe os hrai os e urna em cima
do peito direito de um tumor que leve a pou-
co, levando com sigo seu filio cabrinha de 6 m.
ainda pago ; quem a pegar leve a casa do di-
to a cima na quina do beco do scrigado no se-
gundo andar, quesera recompensado.
S27* No ('a !>. de .li-'lio do corrente, des
appareceo da casado Pao re Manoel Jos Gon-
salves na ra da Flore.-i-ia perto da mar ,
um moleque de nome Benedicto ainda bu-
cal vestido somenle de camisa de chilla azul;
quem souber ou pegar leve a dita casa a ci
iqa que ser gratificado o moleque ter 6 a 7
annos de idade.
X3" No dia 7 docorre-ile fugio ou furta-
rao um moleque de idade de 14 annos de
nacao angola com a perna direita meia torla,
e com feridas nr.s caetas e outra no tornoze-
loda peina esquerda levou vestido urna cal-
sa de brim Ira asado pardo, e bastante compri-
da; quem o pegar leve a Boa vista no beco
do Veras con.'.-onte ao de Joao Francisco em
Casa de ('.'irulovio Pr.itn quo cur rooom-
pensado.
SE?" Fugio no dia nove do corrente Ma-
noel pardo, de idade de i annos secco do
corpo beicoe grandes levou vestido calsa e
camisa de algodo e chapeo preto de seda ,
o dito foi-se ofXcrecer segundo consta a'uro.
hornera que eslava concertando urna canoa
de carregar assucar, para aprender a marujo ,
o mesmo homem recusara por nao saber se era
forro 011 captivo ; quem o pegar leve ao beco
da lingoeta vevda de Joaquim Jos Rebelo ,
quesera generosamente recompensado.
GT Na Madrugada do dia >4 do corrente
desopareceo da fabrica que se est fazendo no
Api puco dois escravos ainda bastantes brutos ,
um nagrode nome Julin, de idade de ao
anuos sem barba meio fullo bonito de
rosto alio bem feito levou vestido calsa
de brim, camisa de algodozinho cobertor
do baeta encarnada ; a negra de nome Mar-
garida grossa, de boa estatura bonita fi-
gura bem preta representa ter a4 annos de
idade, tall.os nos peilos levou um panno
da costa um cobertor de algodo e um de
baeta encarnada desconfia-se term sido se-
ducidos ou lunados ; quem os pegar leve ao
dito lugar que ser recompensado.
SSf" No dia 13 do corrente desapareo) um
eseravo de nome Francisco ainda meio bucal, '
deestalura alta de idade de 3o annos per-
nas finas pouca barba desconfia-se ter sido
furtado ; qucm o pegar leve a praga do Corpo
Santo em casa de Joao Antunes Guimares ,
que ser recompensado.
t~j" No dia 1 i do corrente fugio um negro
de nome Severino de nacao cabund ainda
alguma coisa bucal boa estatura olhos
meios vesgos os beicos meios cabidos ps e
mos grandes dedos cumplidos, e os ps
meios torios para as bandas muito moleiro ,
falla fina, levou vestido calsa de algodo e a
camisa arremendada chapeo de palha; quen
o pegar leve ao beco da lingoeta venda de Jo-
aquim Jos Rebelo que ser recompensado.
iVlovimento do Porto
No dia 17 do corrente nao entraro nem sahi-
ro embarcacoens.
--M
RECIFE NA TYP.DEM. F. DE F.- lo^*"


1
i*
Illustrissimo E ExOELLCKTISSiatO Seihor.
JCjM cumprimento ao Officio de V. Ex. de 5 do correhte raez em que determina que esta
Administrado' do Patrimonio dos Orfaos informe circunstanciadamente sobre o estado em que
seacba o mesmo Patrimouio tem ella adizer: Que o objecto que cunstitue o referido Patrimo-
nio sao' io5 propriedades de cazas, 4 sitios, u3 foros de cazas, e ao de sitios, que renden
annualmente ao:a33U6oo rs. segundo s'evidencia das relaces N.'iei; E que a sua despeza
annual he de i5:ai6U333 segundo a retacao' N 3, havendo alem dessas mais a de medica-
mentos para os Orfos doentes, roupas para os tnesmos, utericis concert do Patrimonio &c.
as quaes se uao podem precisamente orear. Das relaces impressas (*) que temos a honra de en-
viar a V. Ex. conhecer que o rendimento do dito Patrimonio no trienio findo em 3o de Ju-
nho do corrente auno toro de 18:17711300, eo do que se hade findar em outro igual da e
mez do anno de 1840 be o de ao:a33U6oo rs., vindo a haver a differenca de a:o56U3oo rs. para
mais no deste trienio.
Muito mais deveria render o Patrimonio se j se tvessem marcado os lemites d AWandega
das Fazendas pois oceupando ella parte do terreno que outrora servio de Casa aos extractos
Congregados, e nao estando estes lemites anda marcados nao tem podido esta dministraco
construir no terreno que ficar de voluto arraazens cora o que mui consideravelmente augmen-
tarlo as rendas attenta a sua localidade.
Se as rendas do Patrimonio neste trienio augmentaras receia esta dministraco que
assim mesmo nao chuem por ter augmentado tambem as suas despezas pois contando com
trez extinctos Congregados, que recebem as diarias n forma da Lei de 3o de Dezembro de 183o,
presentemente se acbo outros trez habilitados para as receberem, e devendo-se pagar a cada um
paradina de3:ooors. das que tem vencido desde aextincco da Congregado, com maisra-
zfio recis esta Administrado ter algum dficit, e que os rendimentos nao cheguem para fazer ta-
ce despeza. n
Alm disto ocorre, que contando esta dministraco com os fundos dos extinctos Carme,
litas descalcos ( vulgarmente Terezos ) cujo capital montava a 8:664U855 rs., qe renda o juro
annual de 4o7Uo4q rs. assim como com ai3oo rs. a que tambem montavao os foros, nao
ten. podido promover a sua arrecadaco, por ter o Inspector da Thesourarw reclamado este
capital e rendas como pertenceutes Fazenda Publica isto por nao ter a Le, que extingui
ditos Terezos, equedestinou a caza destes para a dos Orfao. declarado pertencerera-Ibes o
seu rendimento e sem duvida, porque sendo aquella ordem mendicante nao se supoz, que ti,
vessera rendimentos. 0 .
Tem sido esta Administrado subearregada de huma despeza que pelo art. a. da i.ei
de 9 de Dezembro de i83o que extingui a Congregado dos Padres de S. Fehppe Wen pa-
resse nao dever ser d'ella subearregada pois determinando o mesmo art. que tossem encor-
poradas aos Proprios ISacionaes toda a p.opriedade de qnalquer uatureza que tosse Pe"e"cenie
mesma Congrrgacao e sendo a sua Administrado commettida pelo art. 3. iFJJMJiromi-
ca nao sabe esta dministraco o motivo porque se paga mesma Fazenda a OecimaJos.pre-
dios urbanos, vindo a fazer annualmente huma differenca para menos nos rendimentos do I a
tiimonio de i:746U433 rs. k ,v. ,_. tsdn
Os predios, que fazera a maior parte do Patrimonio acbando-se quaz. todos en -estado
de decadencia, h.i forcoso a dministraco, paraq' elle, raais se nao arru.nassem ""*
cert.r. e encarregon a directo destes concert a b.rai Pf?-/"JL'.A.a'Io^tnbS
.gratificado de/ofs. mensaes q..e foiapprovada por Ofhcio de a4 f 0^ ^ ^
S .- Antecessor de V. Ex. Foi esta Administrado competid, a laucar otow mera
porque teudo as tranzactas Administrares encarregado aos respectivos inquih.os destes con
iertos, nenhuma mehora se obteve, pois tendo-se despendido em o anno passado ,.5050850 rs.
i
C) Sao as que se publicar ao na cunta do anno passado ^i836).


A
i
uestes concert este atino os predios, que n'aquelles forao concertados j tem sido quazi todo*
uutra ve/, reparado. % f- ,
Qiiando esta Administragao tomou posse da gerencia do Patrimonio dos Orlaos era 7 de
Junho prximo pauado achou alguns contractos celebrados por 9 anuos, com divercos inquiH-
nos e sendo elles insubsistentes vista da citada Lei de 9 de Dezembro de iH3o, e da Ord. L.
1 o ,'t. 6a 45 tenciouou annnllar estes contractos e nao querendo por forma alguma convir
..novelmente uo desmancho d'elles os inquilinos por terom a maior parte feito os concert
a cine se comprometieran fazer, e nao convindo entrar com elles em lide Judicial por obviar
a q
despezas resolveo em Sessao de a5 de Junho do crrente anuo levar este negocio ao couheci-
meuto d'Assembla Legislativa Provincial.
Existindo extagnados no Cofre da Thesouraria desta Provincia 1 3:oo4U389 rs. perten-
centes ao Patrimonio dos Orfos e ali depositados pela primeira Administragao e desejando a
presente promover o augmento das rendas do dito Patrimonio, por Officio de ao de Junho prxi-
mo passa lo pedio permisso ao Ex."'0 Antecessor de V. Ex. a fim de ser estaquantia recolhda
ao Cofre d'Administracao, para se dar a premio sob boas firmas, e merecendo esta nossa resolu-
co 1 afta approvaciio, que nos fui coiumunicada por Officio de 4 do inesmo niez recolheo-se
9:a4375a rs. por se ter abatido d aquella quantia a de 3:76oU637 rs. dedespezas, que se fise*
rao por a dita Thesouraria antes da instalagao d'Administracao, e destes posero-se a premio sob
boas firmas 6:384544 rs., que rende o juro raensal de 1 por -|
A arrecada^ao dos rendimentos do Patrimonio dos Orfos acha-se em um estado, que bem
fim de Junho de 1843.
Nada pode esta Administraro dizer a cerca do Collegio dos Orfos, se nao que be obr-
gada pelos Estatutos a dar tudo quauto exigir o respectivo Director, o qnal se nao for dotado
de huma probidade a toda a prova, poucos serao os rendimentos do Patrimonio para tatis-
f azer s suas requisicoes.
Subsistindo ainda os meamos mnlivos pelos quaes no anno prximo passado a transacta
Administragao nao instala/ o Collegio das Orfas isto he por nao haver cas 1 apropriada para
elle, nao tem podido esta Administragao conseguir o fim de hum ta til, qnao cari.loso Estabe-
lecimento, se bem que j se tenha lembrado do Edificio annexo a grejhda Soledade o que
se nao tem levado a effeito por falta de rendimento.
Eis o que tem esta Administraco a diser a V. Ex a cerca do estado do Patrimonio doa
Orfos, e espera que V. b\.n tomando em cunsiderago o que acaba de expen ler se digne dar
as providencias, que em sua sabe loria julgar necessarias a fin de que prospere huma institui-
giio ta pia.
Dos Guarde a V. Ex.* Recife em Sessao d'Adminitragun do Patrimonio dos Orfos
13 de Dezembro de 1837.
Ill.mo, e Ex.rao Snr.' Francisco do Reg Barros, Presidente desta Provincia.
O Padre Domingos Germano Affonso Regueira,
1 Presidente.
Joz Beato da Casta,
! Etcrivo.
Antonio Joz Pires,
Thesouretro.
Joo Francisco Bastos,
Procurador.
h
Antonio da Cunha Soares Guimaraens,
Fornecedor.


I \7i
in
PEZA ANNUAL DA ADMINISTRACAO' DO PATRIMONIO DOS ORFA'S.
i

Rendimentos de Predio conforme a relajad K. i
Idcrn de Sitios dem
ftflton de Foros de caza dem
dem de Sitios dem
Laudemius secundo as rendas
Dcspeza annual conforme a relajad 3
i9:4"5Ufao
3tf8Uaoo
17'lUloo
a66Ui8o
U ao:a33U6oo
i5:ai6U533
Saldo 5:11711067
OBSERVACOES.
Ainda que appareca este rendimento nnnal das Cazas e Foros de Sitios ha com tudo a
notar-se primeiro: Que da Cata n. 19 cuja renda lie de i:n4U8a.o rs. nada tem a Administra-
ca a receber at o fin de Juuho de i843 por o que esta renda tica em poder do rendeiro
Da,a satisfaco da Despeza que fez com a nowdificcSo da Caza. Segundo : Que dos Sitios
tarados a Felippa Mena Callado da Fonceca e a Antonio Kibeiro Campos, nada tem perceb-
do a Administrado, por q' ambos appresentara recibos de 10 auno adiantados, que se tindao ,
o primeiro em Fevereiro de .839 e o segundo em Abril de .84o 1 e sobre a invalidado de taes
aroramentos corre a Administradlo letigiu oom elles.
Todas as Cazas excepto as lujas da de n. 1 n. 3 7 8 a4 a5 39 4' 4 5 44,
, -,1 73 77 7Q 80 8q e qo que se acl.io arrendadas por nove anuos e as de n.
,5 V- po'r obterem os inquilinos respectivos pela Secretaria distado dos Negnos da Fazen-
JT conflrmacao do tracto, que fir*o com os extinctos Congregados, acbo-sa arreudadas por
trei annos que se bao de fiudar em 3o de Junbo de i84u.
falla das Sessoes d'Admiuistracao do Patrimonio dos Orfos em i3 da Dezembro
4c 1837.
.
Jox Bento da Cosa,
Escrivo.


IV
I
N.l
RELACAO' DO QUE RENDEM POR ANNO AS CAZAS, B SHIOS-
EXTINCTA CONGREGACAO' DE S. FELIPPE NERl> HQJE
, QUE FORAO' DA
DOS ORFA'OS.
Largo do Collegio.
Huma morada de cazas de a andares. .
RA. DO CoiXIGIO.
Huma dita. .
N.
Roa do Crbspo.
Huma dita de 3 andares.......N.
Boa dos Qoartkis
Huma dita de i andar......
Huma dita terrea.
Roa das Larahgeiuas.
Roa. do Bangel.
Huma dita dita.
N.
N.
Praca da Boa-vista.
Huma dila de a andares.......N-
Roa Velha.
Huma dita terrea.
N.
Roa da Gloria.
Huma dita de i andar. 5 ... N.
Boa de S. Godcalo.
Huma dita terrea.
Huma dita dita.
N.
Ra do Cebo.
Huma dita dit........ N.
Roa atraz do Acogci da Boa-vista.
Huma dita terrea........ Pi.
Boa do Bozario.
Huma dita dita.........N.
Boa da Cadeia do Rxcife.
Huma dita de i andar........
Huma dita oilo.
Huma dita de a ditos.
Huma dita ditos.
Huma dita de 3 ditos.
Huma dita de a ditos.
Huma dita ditos.
N.
N.
N.
Roa da Madre de Dos.
Huma dita de i .indar.
Huma dita de a ditos.
Huma dita ditos. .
Huma dita de i dito.
Huma dita terrea.
Huma dita dita. .
Huma dita dita. .
Huma dita dita. .
J.
N.
N.
N.
W.
N.
i rende por anno
3
4
5
6
7
8
io
ii
la
i3
i4
i5
16
17
18
'9
ao
ar
ai
a3
*4
a5
36
3
a9


*

i
'


tt
55iUoour
i:aoaUooo
6aoUooo
3oaUooo
5aUooo
ioaUooo
35oUooo
46U3oo
aooUooo
79U000
07U000
65 U 000
a6ooo
38Uooo
fe 280U000
460U000
45oUoo
460U000
, 1:114L820
370U000
600U000
i54Uoo
4o1U000
190U000
u 190 U 000
J> 100U000
> 100U000
100U000
100U000
8:77oUiao


-
re

_ importe. ......*..*
Huma morada de casas terreas. N.D 3o
Huma dita dita..........N. 3 3t
Huma dita dita........: N". 3i
Huma dita dita......... N 33
Huma dita dita. -.......N 34
Huma dita dita..........N. 35
Huma dita dita..........H. 3G
Boa do Torres.
Huma dita de a andares.......N. 37
Huma dita ditos..........N. 3o"
Huma dita ditos..........N. 39
Ba da Lapa.
Huma dita terrea..........N. 4
Huma dita dita..........N. 4
BtJA DO CORDOITIZ.
Huma dita dita. ....*.... N. 4
Huma dita dita..........N. 43
Boa da Moeda.
Huma dita dita......... N. 44
Huma dita dita..........V 45
Huma dita dita..........N. 46
Huma dita dita.........1 2* 47
BA DO AttORIM.
Huma dita dita........> N /8
Huma dita dita. f. 9
Huma dita dita.....* 2 o t
HuiiM.ta dita...... *'
Huma tiltil dita........." ^
Huma dita lita......... *
Huma dita de 2 andares......'a ce
Huma dita teriea.........N. 55
Huma dita dita..........N- 5b
BU A DO AZEITE DE PEIXP.
Huma dita dita..........JJ 7
Huma dita dita..........g- a ^
Huma lila de 1 anlar........* .9
Huma lita terrea.........Jj JJ
Huma dita dita..........jj- V1
Huma dita de l andar........J- ?*
Huma dita dito.........., J
rfcftWM dita de i andares. ...... u/
Roa da Cacimba.
Huma dita terrea.........JJ |jj
Huma dita lita..........\a a C
Huma dita dita.........."
BA DO BURGOS.
Huma dita dita. ..... .
Huma dita d.ta..........N- 69
Roa do Vigario.
Huma lita le a andares ( em concert ) N. 7n
Huma lita de. 3 h'ot. % ? a ^l
Huma dita de a lilos........* 7a
rende por anno
B^OtQO
tuno>
11 >Uoio.




'
Sooo
6-.ooj
i8li(M 3aUooo
I00U000
3oo ia5U>oo
i5GUooo
48U(oo
75U000
lnUoo
B5L)uoo
180U000
930uo
C4Uj
^)Uooo
1 3Uooo
63U>'Oo
43U.oo
55mo
5dU.oo
aqoUo o
5*U< O
3iLo 5Uo
Si'Uodo
* l ioIJuoo
* 1 $0o>o
1 64o.i l5 Uooo
a 11Uuoo
a5oUooo
6 lToo
>. >Uooo
3oo.
8*TTo-o
qoUuou
TI 4 \
liGoqLiau


*
Transporte,, ... .
Huma nqqrada de casas de 3 andacCs
Be A do Encantahehto.
).t dita terrea. .
|um dita dita. .. .
liiima dita de 2 andares.
Huma d,ita ditos.
Ra- da
Ra da
Gdia.
Jliim dita ditos.
Huma dita ditos.
I^uma dita ditos.
Hum -lit;i terrea.
Huma dita dita. .
Huma dita dita. .
Hima: djtadita. .
RuA DO
Huma dita de 3 andares.
Bec da LincorrA.
Huma dita de a ditos.
BCA DA
Huma dita de a ditos.
Huma dita ditos.
ditus.
ditos.
Huma dita
Huma dita
Huma dita terrea
Huma dtta dita. .
Huma dita dita.
Huma dita dita.
Huma dita dita.
Huid- dita dita.
Huma dita dita.
Huma dita dita.
Huma dita dita.
Huma dita dita.
Huma dtta dita.
H'iiiij dita dita.
Huma dita dita.
Huma dita dita.
Huma dita dita.
FOKA DB PoBTAS.
Sakzalla
. -mi
. N.
: n.,
Velba.
. K.
. N.
. m9
.. N.
. N.
Trapixe.
Cruz,
. N. 9! 73 rend po* anno
1
76
77
70
l9
QO
8.1
8a
83
84
H. 85
: R, 86
N.
N.3

. N,
N o
N.
N.
87
80*
89
90
9
9*
9.4
i
97
9?*
99
loO
IUI
IOS
io3
joA
10&
SITIOS.
Hum Sitio.-em Parnameirim.......
Huma tira de trras jinto ao dito*.
Hum Sitio no Bosarinho.........
Hum dito na Matta da Mirucira......

v
a
a




1
-



ti




,
.
.
.
.




a
ff6og&,a<
600U000
73ooo
f-Jooo
3HaUoe*>
3i$olooo
281U000
a5oUodo"
15o lio o o
65Uooo
5ooo'-
451OOO
5-tUuoo
a3oUooo
3g7ooo
617U000
6ooUouo
3uolloou>
utoL'ooo
43Uooo"
53Uooo
65(Jooo'
65Uooo,
ia3l)ooo
39U000
80U000.
80U000
8*>Uooo
H0U000
73U000
53Uooo.
53Uooo
65Uooo
55Uooo
.1. !.. ..... 1
iQ^4o5lJiao
* 85Uo
i'iUaoo
a/|oUooo
5rUooo>'
388Uao
Salla das Sesse* d'Adioinistracao. da Patrimonio'dos Orlaos, em i3 de Dezembro
de 1837.
Joze fenlo da Costa ,
Escri vao.
^----------------------- MtM>a______._________________



N. %
*
REL\CAO' DO WkV DA XTrC'tVCONGREGACi(V DES. FELIPPE NEKI, E HOJE DOS UR-
FADS, CM DECLARADO' DOS f UfiIH&
*rm* Ferreira Cons iIvps
Igfritlo Joz Vicente. Vianna
Hospital do Paralizo
Dito.....
FOROS DE CAZ A S\
a
*
1U440
1U760
Anua Mara da Cnceico -
Custodio Domingos Aves *
Jo*qurm Antonio Gomalves Lessa
Marcoluiu Gregorio da Silva
Lutreigo Moiiot'l de Carvafuo -
A t Ha- Joaquina Xavier de Mendonca
Vraiiotd Jo de Castro -'
Manuel da Silva Ferreira Jnior
M.ui 1 An loma da C.i u
ejpiiila Mara das Virgens
Antonio J'.s Mendes
Jo.rd Jos da Cruz -
Mana das or.s -
B.ikiUo Gonealve Ferreira
Roza .Marciaftia Lopes
Rita da Silva *
Mu .el Bodrigfte^ Pass
Autoio Jos U'odigues
Dito 6
Fe!icia>nna Maria da Trindade -
Antonio da Sdveira Bbrges -
Elids l. ptista da Silva -
Luix Antonio Mniz
Francisco das hagas -
Jos Antonio Lopes.
Dito
Dito -
Dito
Atona Joaquina de Jfztis A
Irmanilade le S. Rita Nova -
Herd'-iVos de JoSb de Oliveia Gouvim -
Jbs Mbria da l'aixao -
FVanciaco Pereri Botellio -
Jbaquhi Jos Fernandes
13 uireoco Jos de Carvalh'o
Antonio de Carvallio -
Jf.a Francisco de Souza Peixe -
Dito -
Jhamiim Miguel Esteves Sonto -
Jb*o di Reg Faltan ;
VrtW herdeirosde Jacinto Ferreira Horaetn de AUreu
Ditos i
Panciseo de AI incida -
Cosme l>ainia da Silva "
HecoHfiiienro ta Gloria -"
Wlt* J/fiAia do Cairo > e Hoza Maria da Cnceico -
Jos 'Jonuin Jorge Goncalves -


M


Upo
U73o

lUaflo
iU6ou
oaoo
f 1U000
* iUoo-
i 1U760
* lU.O
jU44o:
i36*>
m 1 (J1 ao
* rtiarf.
* aUa4o
1L000
_ aU^oa
i;4,,o'
a ll )00
IU4.1
* 1 L no
* aUi6>-
a lUaoo
1U000
lU'ioo a Lo no
a * lUW
4U-to a lllooo
lU'iOOr
J.U60O
1 iCcpo
a ljiao
iU5.o
I44 5U980
.---------
ilJaoo
t- i'^aoo
a il 280
i IJ1 w
I Uaoo
l (Jfino
n 1 tiO
>. iU5*o
iUOo .X
illSao aU;ao
lUiao
U9J50
iU4^o
iTJG..-o
lUCoo
iL88u
iC5ao
044
75U109
f
.1
i


f
Tin
Transporte s
Tinvii de Manoel da Cruz Franco.....
Dita..........
M r ranos Jos e Vicente Ferreira
M>n >el de Jezus Ramos '
Vadie Felislo de Araujo *
Jos Buit Mnnte -.....
Padre Jos Duarte Cedrina -
Dito.........."
Dito...........
Romana Luiza da ConceicSo -
Dita -.........
Jos Vicente Ferreira "
J Hospital de S. Pedro de Alcntara t
Ant'.nio los Rodrigues da Silva -
J s Vital Ferreia Pinto ...---
Maria T..eodora Vianna
Iguaiio Florencio -
Auna Joaquina Aa Coata .----
Marcianno do Espirito Santo ..-.--
Dito..........
Irrnandade dos Martirios da Igreja do Roznrio -
Dita.........
]!ita -" *.*"
He'ena Francisca de Azevedn ....
Herdeiros le Francisco de Sousa Reg -
Pitos...........
Dito...........
Ditos...........
Ditos..........
DitaS.......- -
Ditos ----- ... *
Ditos -.- -- -- *
Ditos- --- ...
Ditos .----.....
Ditos.........- -
i
lrmandade do SS. Sacramento do Ba rro de S. Antonio -
Joanna Maria das Doies ----- ^ -
Antonio do Carino -.-.-.
Francisco Manoel da Silva Tavares .....
Josefa Joaquina de S. Auna ......
Jos Francisco do R "Viuva de Manoel Pereira Dutra .....
Jos Domingnes Neves ......
Sirino Marques de Aranj > ......
Joaquina Jos Ferreira ......
Domingos Malaquias de Aguiar Pires Ferreira '
Francisco (lazado Lima ......
Joaquina Mara da Rocha .....
Martinlio Curreira fio lo/ario .....
J r Francisco de Moura .....
Foancisco da Roclia Preto -
Jgs Maria Huggiett ....
Jinicio Marcal .......
Vceute Goncalves Lima ... ...

1U440
111440

i

1U6.0
1U600
aUooo
lU5ao
i44<>
iU5oo
iU5oo
75I0
*U88o
iU5ao
1U000
1U440
iU68>
5Ua 00'
aUo<5o
iaoo
Uaoo
iU36.
IOOO
aU44o
iUo5 >
loOO
35oo
foOO
I6U880
J3U370


^T"
IX




t
>
>
>
Transporte, i l '. I i ~. I ~. ~. ~% ~. '. .
Pedro Marciaano '.. '................ ,-,
Manoel Luiz da Silva Loureiro...............
Thomazia Maria de Jezus.................
Joaquina da Aimunciaciu Rabelio........
Joo Eugenio dos Santos,..............
Joo Manoel de Siqueira.............. ,,
Felis Jos do Espirito Santo, ............. ,,
SITIOS.
Jos Bernardino Leal.............; 4U600
Dito ............... ioL'ooo
Dito....................... 64oo
Antonio Marques da Costa Soarea..............
Jernimo Lua da Costa............... ;,
Francisca de Paula da Paixio...............
Maria do Carmo. .......... ,
Falippe Mena Calado da Fonceca.............. M
Antonio Ribeiro Campos.........*..
Sebaslifo Antonio de Mello Reg*.............
Joaquina dos Santos Aief edo.............
Viuva Costa e Filboa..........;...... ,,
Dita......................
Jlo Pereira Danoasceno Chayes ..............
Jlo Jos da Crui.................
Antonia Maria. ... *
Antonio Leandro da Sila...............
Antonio Correia Seara......... .....
Antonio de Queiroz Fonceca...............
JoaoCaetano de Albuquerque. j............
i63U37o
5Uir3o
U800
U55o
1UG00
U5oo
U5ao
1U600
174U100
20U900
> 6OOO
n 3Uooo
M 8000
4Uooo
g$ 5oUooo
* looUooo
4Uoco
> 9U000
10U000
10U000 aoUooo
S| leUooo
3Uoo
1II600
ti 3Uooo
lUqao
aU5to
gtlooo
a66Ui8o
Salla das Sessoes da Administrado do Patrimonio dos Orillos eaa i3 de Dewmbro de 1837.
Jos Bento da Costa.
Eicrivp.
m tm 1 t^tt^^fT




(
)


I
N. 3
Demnstramelo de Despea anniial da Aministraco do Parimonios dos
Orfdos.
Empreados uAdiniusiravu.
Hura EscriptuFirio. Ordenado..........3ooU
Gralificacio....... i5o(J 45oUooo
Procurador; Ordenado. .... 3ocU
iGiat6caeo............i5o 45oUeeo
Adrogado. Ordenado. ....... loUooo
Sulicitadbr ,y ......... GdUoou imioUoco
Exlinctos Congregados,
Ilam Sacerdote a 1^600 drioi........... 5?WH00
Doos Leigoa a 600 ........... :8Uooo i:>_aLoo
Collegio dos Orfctos.
Hura Director................ Ordenado Guaooo
Vice-iiectoc.............. 4ooooo
, Mordorao................. 4- Uooo
PorleifO............... ooUoo
,, Profesor d< prime!* Letra.......... 5uoUooo
" dito de Murica............. $ ,, Cirurgiao..... ........ cria
' Comprador a Sao rs. diarios............. rrio
Releitoeilo a 3ao r,. ,............. '^
I Cozmheuo a .4?' mensaes............. 'J ^
Duas lavadeir-0 a 3aois. danos.............. 584Uooo
Cinco serventes..... '. .*
Commedorif s ao Director Vice-ireetor; Mordo.no, Portero, Enferme 1-
10 Comprador Roupeiro Uefeitoreiro, e Coainheiro a 280 rtu
diario............' V-ii'-iriiou
Idm. 5.0ri*6s idm................. '^ II;3l4l)0O
Idm a 5 servente* a aoi........ ____
\ Foros.
Ao Encapellado da Conce!ca5 d- Boa-vuta........... a>G"
j Decima.
, i:746U433
Dos predios urbanos.......... 15U4 i::65C8;3
i-uslicos..................______ J_____-
i5:ait5J3
Salla das Sesries d'Admi.iutracio do Patrim.n!. do. Orf.o. i3 de De.emb, o de i357.
Jos B'-nto da Cu.-ti.
Licrifo



Conta da Receita e Despeza d'Admtnistraco do Patrimonio
,837. RECEITA.
Janeiro. A balanco por S. do mei precedente em dinheiro effectlvo. ..... 3:69056i
3, Pelo que neste mez te arrecadou des rendimtmos do Fali imcnio f gundo
consiadoL. reapeclivo............... axjSlJW
Fevereioo a. dem dem............ 6a9Uboo
6:97i83e
>
V


^-
dosOrfs do 1. de Janeiro q 30 de Jrmho de 1837.
Xlll
1837.
Janeiro
Fevereiro
Marco
Abril
Maio
DESPEZA.
11 Pagos a Manol Cnidozo Aire, por diversos uttencis para o expedienta
TAdminstracaS.................I 6W88*
18 AosEmpregadosd'AdminislraciosfordeadtBiweiic.dwsem Dezembropp, t7o
Aos Extinctos Congregados *ua.s diarias ideal....... i 3jUitfw
10 Entregues ao Director do Cullegio dos Orlaos para pagamento dos Or-
denados dos respectivos empregados lo quariel vencido eru Dez^nibio
ultimo..................., 4 GooUooo
Ao dito para as despesas do corr?nle mei..........5 JoiU44
Pagos a Joaqun) Pereira dos Santos Pinto, pelo concert da caza n. 88 ti 70CJ00
3l A Antonio Joze Pereira id*ra n. 4............ 7 yl'oco
I Aos Empregados d'AdminisIracio seus ordenados vencidos em IftM.ro
ultimo........ .......... 8 6fT5oa
Aos Extinctos Congregados suas diarias dem. ......... 9 3'Uaoo
3 Entregues ao Director do Collegio dos Orlaos para as despesas do crlen-
te mez. ..................'o 64Ucj?.
Pagos a Sabino JozeVianna por huma varan la de fero para a casa n. 1. 11 4SUS.0
10 A Rozendo Alves da S Iva e Tlieoze da Silva Lacerda p lo as*
sentamento da dita varanda.............. It a5Uooo
18 A Pedr Jos dos Prazere m,' prestarlo do cotise lo da cass n. 68. '> L>noo
11 A Marcelino Joze Lopes p'do conseito da cia n. 10....... 1 4 98U140
1 Pagos aoa Empregados d'A iminblracSo vo oid-ndos vencidos nn Fe-
' reiro ultimo..................5 fyS.*
Ao ex'inclos Congregados *u;s diarias dem......... it 3JL6oo
'i A Joa6 Cliruaco Freir por mediran-emos que avino para o Collegio dos
Orios de 6 de Janeiro 18 de De>nilno do atino p. p.....17 iocUuoo
o Entregues ao Director do Collegio dus Oifios para as dt?. pesas do cor-
9 rente mez...................8 710U120
lO Pacoe a Joio Nepooiuneno de Mello pela impreaiju de 1000 exemplares
dad. da rcceita e dcspsa do anno lindo, e de a5* termos d'arrcma-
taces das rendas dos predi-s..............19 l3^''io
31 Por diversas daspesa muidas..............2o 0U400
Pacos aos Einpregadnsd'Adiiiinisirac'oseos ordenados vencidos em Mar-
' 5o nl.i-no. ................... 675.K,
Aos ex tinelos Congregados anaa diarias id.m.........aa Ol.4.0
5 A Silvestre Gwncalves dos Santos pelo cousertn da ca a n. ;).... a iaoUooo
18 Entregues 9 Director do Collegio dos Orlaos para pagamento dos rcpecli-
J vos l mprega los do quarlrl vencido nn Mai.co u nmo.....4 Cocouo
16 Entregues ao Director 00 Collegio dos O l'aos para as despesas do corren-
te rnz....................a* o;;U5ia
26 Pago'a Joo Baplista Fragoso pelo conserlo da casa 11. 100. ab 1(y},'.O
5 Ao* Empregados d'Adimnialrecffo seos ordenado lencidosem Aliril ultimo 27 ^Lioo
Aos exmelos Congregados suas diarias i.lem.........a8 84L000
" Fnirecues ao Director do Collegio dos Otfos para as despesos do coirtn-
" ..... 20 710U120
r A o dito para a Fesla dn Maternidade de N. S. l'adroeia do dito Colle-
*"" r .,..........3 s79-'!'90
Pagos Anua Maria da Concecio, pelo couserto da casa n. 93. 3i 5aL88o
a* A Rozendo Alves da Silva, e Tbeodoro Joze da Silva Laceida pelos Or-
' camenlos dos consenos dos predios............ 3a 3oUioo
,0 r.irecoea a Gonoalw Jozed Silva, eao dito Rozendo a a. piestario
dasobra. do Collegio dos Orfios....... .... 33 i:o.cUon
3i Pagos a Joio Joze Ferreira de Aguiar, Advogado d Administracio *eo
ordenado de 29de Junho i835 a la de Abril do anno passado a i5tU 0rij633
reis por anno. 2*.......' *
3i Pagos a diversos importancia de fano, e fcilioda roopas para oa .5iaUii5
"^4o3958


**
*^-KS=
X1Y
,84;> RECEITA.
t i- ;...... 6:q7iU836
Transporte.......... y/
Marco. 3i Pelo que ncsle ne se arrecadou do. rendidlos do P^tnmon.o segnndo
consta do Livro respectivo. ..
Abril 3o Pelo que oeste mes se ar.ecadou dos rend.mentos do Patrimonio segundo
consta io Livro respectivo. '..''* *777 y
Mato 3l Pelo qup neste mea se arrecadou dos rend.menlo do Patrimonio segundo 3.^3
consta do Livro respectivo................
I
I
n:353U395

Salla das SestSes d'Adroinistracio do Patri-
Doutor Simplicio
Fresi-
t
Francisco Rodri-
Escri-
Felis de Valois
Procu-
r


momo
dosOrfos 3i deMaiode 1837.
Antonio Mavignier.
dente.
gues Machada.
\>3o.
Soares Pereiri;
rador.
XV
i837
DESPEZA.
'-
Transpoi'te ....
Maio 31 Por diversas despesas miuddsfeitas como Collgio dos Orfios.....36
dem cum a Administracio.......,... 3;
1>
De balIancoporS. do dinheiro existente.
...
. :
q:43U958
63U48o
9U200
9:47GU638
1:87611757

i{353U395


-ttto
r-
iwiw.ii v un, i
i837
rceita;
Junho i A ballanco por S. do m precedente em dinheiro effectifo.. j A_*
Si Peloqurnruinarre.dQudo.rendmenVo.daplcwon.o(egundoconi-
ti do Liwo rcapectifO. .*........* *
XVI
1:8760757
3:i48U485
Salla dat Sessoes d'Adminiitra?Io do Patri-
O Padre Domingos Ger-
Prezi-
Joie Reo*
Ken>
Jolo Fraop
Procu-
Antonio da Cunha
Foriw


r

* -m
1837. DESPEXAS.
Juaho l5 Pago a Manoel Caadoto Aires per diferaos uttencis para o expediente da
AriininiMivca5. ...........38
16 A Vii (orino Jure de $ouza Travassot importancia das despees que fez
corno Soiiriudor 'timiuistraca. .........3q
Entregue ao Dirtelor do Collegio do Orfios para despesas do coYrrente. '(t
i 1 Pagosao Empregados d'AdmiiiistracuseoMoiderfsd vencidos em Maiu
ullrmo..........4 f '. 4
Ao ealiocto Congregados sitas diarisrdem. ........./j
3o De bullanco por S. que pasta debito do Lrvro i. *Ue C. do ProcoYa'or
por existir parte 11 tn5 do Theioureiro h transada Administrado*
Thomasde Aqoioo Pinto dudeira e parle etti rrrsB do actual PiOMira-
tlor Ignacio Jote de Mbraes. ..;....;.;<
bftJoO
687boo
67U&00
8btJ86o
961US4
:86U6f5
!
3:i48U485
momo
dos Orfloi 3o e Janbo de 1857.
mano Affunco Rigueiro.
dente.
to da Costa;
vo.
cisco Bastos.
radar.
Soares Guinures-
cedor


s
/
, -
XVIII
Conta da Receita e Despeza da.Administrado do Patrimonodos
i83j. RECEITA.
Junho i3 Receidos de Ignacio Joe de Maraes Procurador do Pal rimoaio, imporlan-
ca das rendas arrecadadas............... 1100/Uoo
ai Do dito idraa. *............ afc.Uooo
ai Do dito i'e............... 8o Agosto 1 Do dito Wem............... aH4| uoo
5 Do dito idem............... '2n
o Do dilo dem............... 188000
16 Do dito den............... 5oUooo
17 Da Theaouraria das rendas Geraes importancia do Saldo dos dioIleirtia ali de
po.-iado* pela 1.* A aa De Iznacio Josa de Moraes importancia dos rendeaairecadada.....
3o Do dito dem............... 6o
*.......
i2:58975a


XIX
Orlaos desde o 1. de Julho de 1837 a 3o de Junho de 1838.
1837. DESPEZA.
Julho 11 Pago* os Empregado d'Admioistracao seos ordenados vencido* era Junho
ultimo como da lolha.....,..........,
i 3 Aos entnelos Cougregados uas diaiias dem..........*
i5 A Jos dos Santos Pinheiio, por medicatnenios para e Collegio dos Orlaos. 3
37 Entregues ao Director do Collegio dos Orlaos para pagamento dos orJerm-
dos dos Emprvgados do dito Collegio do quariel vencido em Junho ultimo. 4
,, Ao dito para as depesas diarias do mesmo Collegio nocorrenle tnez 5
Agosto a Pagos aos Empregidos da Adininislracad seos ordenados vencidos em Julho
ultimo como da tolda*................Q
Aos eitiintos Congregados auasdiarias dem. .....7
y Entregues o Director do C .llegio dos O fos para as despesas do mesuio Col*
legio no coi rente met. ......,,.....,, 8
11 Pagos o Collector do B.ii 10 do Recite decima das rasas do dito Bairro do
i anuo financeiro de i86a i83;.......... .... 9
i iC A Joaquiua Roza da Silva pelo eoneeitoda casa n. 94....... lo
17 Ao Collector do Mauro de S. Antonio decima daa casas do dito Bairro do
anuo financeiro de i83ti a 1837. ............11
Ao dito da Boa-vista dem idem............. la
19 Ao Procurador da Cmara Muuicipal Prxedes da Fonccca Coutinho mul-
ta pela ruina da rasa n. 89................l3
31 A Manoel Figueiroa de Faria por diversos uttencisque vender para a Au-
la de Musca do Collegio dos Odios........ i5
elembro I Pagos a Joio Manuel de Barros Wanderley I.ins, pelo rebate de 1 letra de
fis. 1:600^ saccada por Jote Francisco Pe eir da Sil va, acceita pelo
mesmo Luis a 6 nieges a 1 por */* '
9 A Jos Benlo da Costa pelo rebate de 1 letra de Bs. 3:816^ a 6 mete e 18
das a 1 por "/. ao mea saccada pelo mesmo, Je acceita por Francisco
Jos da Costa. ................. 16
A Jote Claudico Leite por dito de 1 Letra de Rs. i:5ooj a 6 metes a 1
por */ caceada por Julo Mauoel de Baos Waniie. .ey Luis, ac-
ceita pelo mesmo Leite...............17
6 Aos extinctos Congregados suas diarias vencidos em Agosto p. p. como
da Folha.................. -8
Aos Empregadosd'Adminwtraca, seos ordenados idem. 19
19 Entregues ao Director do Collegio dos Ui fio, para as deipesas do mesmo
Collegio no correnle met .*........ao
3o De ballaneo por S. do dinheiro exiatente em caixa. .......
a7o83
81U 01.o
1271)400
600UOOO
70IU440"
80U000
8bU8oo
698U9.0
i.-4o4U63o
i5iU7oo
a43U9i6
83L'y69
I375
16U0M
i:4 0U000
3:504U544
i:4ioUooo
86U8oo
bvUoo
65;U6oo
n:68oUi87
i.-44bL5b5
/

i3:ia8U75a


-*
l837. RECEITA.
Trantpoi
etembro i Recibos de Ignacio Jo* "do Morte. gip*IHic de red.8 rrec.da-
da ................*.....
i3 Do dito
3o Do dito
Do dito

t
dem.
dem...........
i2:5&9tjyi)a
5Oooo
751)00
GUooo
348ooo
i3:ia8U;S2


,
.
XXi
,837. DESPEZA.
Outub. 4 Pagos aos extinclos Congregados suas diarias vencidas era Setembro.pp;
segundo a ib1ha .......... -.31
Aos'Einp.egadosd'A'dminislapo seos rarttfosidm. ...... 8
5 Entregues so Director do Collegio ^o ffios |*ua'as'dtipe2as do raesmo
"Collegio no crtenle mn. .......... .. ao
10 Pagos a Anlonio 'Jase Pinto por Si versos ntteucrs para'b Vxpeditnie da
Administrado.......-.-...-. *4
a AManoel Figueiroade Faria idem pal a Aula tle Muticab Collegio dos
Orlaos.................. a5
A Roiendo 'Alves "da Silva pelo'accreSsinto das tbrs que Ui no Collegio
i'jOrkios.t-eaue na6 eslavd tfontemplssas'ua'aifenaltaci-que lee ^
das detona.......... "........ a6
i4 AtioasateloaedaSilva idem dem H*sMe*petlfero. .^ t 7
io Entregues ao Director do Collegio oWOf fio pVra p*g- (tiento' dos orde-
nados dos'Empregs'dos 'do i'tb C^egio^^orttiw^to'ti iuVitie Wdo em J
'Setembro ultimo. ........... a8
Ao Encarregado dos concerlos dos predios do patrimonio para despesas, ag
a6 Ao dilo idem............... 3o
Norembro 8 Pagos ao* extinclos Congregados suas diarias vencidos emOulubro trtti-
mo ; cmoda Folha. .-.......' 3i
Aos Empregsdos d'Adniinislraca5 seo ordenados idem inclusive a/graii-
6caea5 do Procurador desde i. de A mil a 3i do p. e segunda a ful ha 3a
9 Entregues ao Director do Collegio dos Orlaos para as de*peias diarias do
correte mes..............w **
A Manoel Rodrigues Anjo para counuacao das depeas coa o concert
dos predios. ...........< *4
a3 Pagos a Joaqun Pereira Ramos por diversos uttencis queffex para a Au-
la do Collegio dos Orfos........ /......35
Entregues a Manoel Rodrigues Anjo para conlinuaca/das despea soiu
os concerlos dos predios. .........*
Dexembro 6 Pagos aos tinelos Congregados suas diarias vencidaseiu Koverabio uln-
rao como da Folba. ........*"'**** -fx
Aos Empregados d*Adminiatra<;a5 seos ordenado dem......o
6 Entregues ao Director do Collegio dos rfos/para as depeas dianas do
correte met..................39
A Manoel Rodrigues Aojo para contiuuacaS das despesas com o con cer-
to dos predios. ............4o
3i De ballanco por S. do dinheiro existrfhte emcaixa........
1 .i i. <
84000
boCJooo
684680
iai8o
aU84o
I SoUooo
3i(Jooo
670915
aooUooo
8U800
i6yU5oo
6;oU8oi>
aooUooo
65ouo
aooUooo
84ooo
gaU5oo
686Uo8o
aooUooo
4:5SUtiy5
i:645L;7co
6:n4U475


% '..( ..-*
XXII
i837. receita;
Outubro i AbaltancoporS. do mei precedente em dinbeiro cffeclivo. Z i S l i:448
5 Rbidos de Ignacio Jos de Moiaeaimportaucia da. renaas .recadadas. TaU-oo
10 Do dito ideo................... ?* nZ?
i7 Do dito dem................. o5^T
s Do dito dem................. gg
Novembro 3 Do dito idtm................. 556Uooo
8 do do idem .........;:;:::: SuE
18 Do dito dem................. fT .
3f) Do dito deu.................. 4ouoo
Detembro Do dito dem............ !-V'. "il^bo
i4 Reccbidot de Joa6 Pedro da Rocha laude mo por compra que fet a l-rancis-
co da Rocha Pre.o de me aMoa oo tundo da cata ti. 27 por 200J rj. Jj*"0
19 Do Pr^ur.do. Ignacio Jos de Moraea importancia de renda ..recadadas 4,40000
2 De Elias Coelho Cintra importancia d 1 letra Tenada hojede renda atrasadas
dt casa n. j3..................* *
1
%
. *
6:n4475
^


xxnt
.838.
DESPEZA.
Janeiro 10 Pagos aos extiuctos Congregados importancia de suas diarias vencidas
cni Dezembro ultimo segundo a Folhar ......... 4l
,, Aos Empreados d\Adminitraca5 seos ordenado idem. ...... 4a
ia Entregues ao Director do Collegio doaOfnos para pagamento dos orde*
nados dos Empiegados do dilo Collegio vencidos ao tiitiiCslre (indo
em Dezembro ultimo...............43
,, Ao ditopara as despesas diarias do mesmo Collegio no torrente mez. ,\\
iti A Mauoel Rodrigues Aojo para continuacafidas despesas cum o concer,
lo dos predios. ................4^
Feverero l Ao dito idem............... 46
7 Pagos os ex tinelos Congregados suas diarias vencidas em Janeiro ulti-
mo como da Folha............... 47
, Aos Empregadosd'AdiniuistrJca seos ordenados idem. 4^
8 Entregues ao Director do Collegio dos Olaos para as despesas diarias
do mesmo Collegio no correnle mei.........-49
12 Pagos ao Colleclor do Bairro da Boa-vista, decima das cazas do dito
Bairro do semestre vencido em 3i de Dezembro p. p.....5o
l5 Entregues ao Manoel Rodrigues Anjo para i;outmuac..5 das de>pet.as
coto o concert do predios.............01
A Geraldo d'Amarante dos Santo por iridios que poi ao Collegio dos
Orftos...................5i
8 Aos extinctos Congregados suas diarias vencidas em Fevereiro ultimo
como da Folha. ......53
Aos Eiupregado d'Administraca5 seos oidenados idem. ..... 54
Entiegues ao Director do Collegio dos Orlos para as despesas diarias do
correte mea .............55
A Manoel Rodrigues Anjo para continuacaS das despesas com o concer-
tos dos predios*................jW*
i5 Ao dito den.............. 7
Pagos a Manoel Figuero* de Paria por diversos uttencis que vendeo pa.
ra a Aula de primeiras letras do Collegio dos O tos.....58
a6 A Manoel Rodrigue Anjo seo ordenado de igdeutubio do auno p. ao
tm de Fevereiro ultimo a 4o* ra. mensaes........5g
Marco
3i De ballanoo por S. do dinbeiro existente eai caixa
8(K3oo
g25ot*
75oUooo
701U440
2 00 (J 000
20 o U 000
86U3oo
y2U5oo
661U600
38U6i7
aocooo
7&[J4oo
j3lU203
200II000
jooUooo
64UI60
I76U000
4:6761)777
5:y22U62
/
io:5993oo


i*im
s-^iOCU- *'......Ja^^^^f^r^JT*! m
xxwr
i83*.
Janeiro
Fevertiro
Maros
i
RECEPTA.
i A ballaoeo por S. 3o mex precedente em didbeiro effeatTo 7
4 Receidos do-Procurador Isuacio Jote de Morae importancia de rendas
arrecadadas ....,"...........
5 Do dito den,, ,..........
lo Do dito dem..........
i Do dito jjem ,,.............
.18 Do dito dtm...............
4 Do dito idem............
3o Do dito dem.......... .'
i De Alaria Theodora Vianna, laudemio por uenda qoefex a Francisco ta
Cunha Machado da rasa o. ao por I:3ooTJ ra. ?
7 Do .Procurador Ignacio Jos de Morae* importancia de renda ari**adad.
l4 Do -dito ideai ..
aa Do dito dem..... "T
a De Jos Claudino Lcite juro de i letr* de.i:'5oof rs. 3 meces, *'i?
/. em reforma d'outij de.igual quantia vencida hoje.
7 De Jse Fidelli. Barroto de Mello de i letr* vencida amSi dt>p. derrHas
atrasadas do tito grande de'Parnanieiiim incluarve r#*4<> de juro tte
a mezea e 7 diasa mno por /. S^iao rs. de emitas judictaos.
Do Pncurador Ignacio Josa de Moraes Importanaia de rnde- recadada*.
16 Do dito dem ...*
ao De Francisco Jos da Costa de 1 letra vencida hoje ... *
ai Do Procurador Ignacio Jos d Moraea importancia de rende* -arree''"'*
3o Do dito idem ......... 1
.".*.
ti

r 1
i:S4I7o
/ ~ 7
98 i U OOO
tKJt'OOO
a58Uooo
54nUooo
i87aoo
u5oUooo
325oo
117U000
a4-U5oo
76U000
67500
ia6U46o
ia3U4^o
409U600
3:8i 157U000
aiUooo
io;5993oo
\
&


XXV
s838.
Abril
Maio
Jualio
DESPEZA.
4 Pagosaos exmelos Congregados su., segundo a Folha.......... ^
.. Aoa EmnrePfldQ*dJ'ln)imtlrjira Mmj,l.,.,|A. ;j *.....* K
SEulreguUao Director do Coligo dos 0^ ^ 'L^ diarias* d
wesmo Coll no crreme mez .... jja
Ao dito para pagamento dos ordenados do Embregados da' do Colegi
vencidos no trimestre lindo em Marco pp 63
7 Pago* a Manoel Rodrigues Anjo *o ordenado renc'ido'em" l.mo Marco pp.
9 Lnli egaes a Manosl Rcdngut Anjo para continuacaS das despega com os
concertos dos predidios....... ^ g.
Pagos ao Padre Vicente Pereira uas diarias comb Congregado desde \ da
Novembrodei837 ao Rm deMa.cop. p. a i*'6oo rs.....66
a Aos exlmclObCongregadosauasdia. as vencidas eru Abril ultimo como daF. 67
,, AoslimpregadL<8 da AdminitracaS seos ordenados idem. ... 68
4 A Manoel Rodrigue Anjo seo ordenado vencido fem Abril pp. 69
Entregues ao Director do Collegio dos Orfos para as despegas diarias do
conente urer. ...... ...... 70
9 Fagos a Jos Joaquim de Freita Guimariea por 60 cobertas de panno da
Costa para os Orlaos......S........?l
i A Geranio d Amarante dos Santos por la 1 vidros une poz no Collegio dos
Orlaos.......,............ 7a
17 Entregela Manoel Rodrigues Anjo paia continuaca das despesas com os
concertos dos predios. ......,.,..73
31 Pago a Manoel de Figueroa de Faria por diversos ultencis que vender
para a Aula de 1." letras do Colleoiodos Orflos.......7-4
I A Joad Climaro Freir por medicamentos para o Collegio dos Orftos nO
auno de 1837, com abate de rapor0/........, 75
a AoCollector do Bairro do Rcife decima das casas do dito Bairro do se-
mestre vencido em Dezembro pp. ,.... .78
., Ao ditodo Baiiro de S. Antonio idem. .......... 77
6 Aos exmelos Congregados suas dianas vencida em Maio ultimo como
da Folha.............. .... 78
Aos Em pregados seos ordenados idem. .......79
7 Entregues ao Director do Collegio dos Orlaos para as despesas diarias do
niesmo Collegio no crrente mez............8o
,, A Manoel Rodrigues Anjo para continuaca das despesas com o concert
dos predios.................. 8r
Pagos ao dito sen ordenado vencido em Maia ultimo, v > 8*
A Manoel Figueroa de Farra por diversos ultencis para a Aula de 1. le-
tras da Collegio dos Orlaos.............83
Entregues ao Director do Collegio dos Orillos para a Fe&ta da Maleruida-
de de N. S.......... v......84
a3 Pagos ao Padre Jos Goncao suas diarias como Congregado de ai de No-
vembro de 1837 ao lim de Marco p. p.........85
86U8w
9.U5.U
696U000
750U000
4"Uooj
aooooo
a36U8oo
180TJ000
)aU5uo
'40U000
73lL'6oo
81U600
i9U36o
aoofjoou
9U60O
a58U536
68a590
139915
186000
9-2 U 5 00
717U600
aoolloao
40L000
39U8oa
a5oUooo
209U60
i
I
I
6:a63U3oi


*_
fcjwi*
tum

XXYl
i838.
RCEIfA.'
Abril
I
9
3
4
6
7
'20
ai
A ballanco por S. do roet precedente em dinbeiro efleclira. : : ;
Reccbidos do Procurador Ignacia Jos* de Moraes de rendas arreeadadas .
Do
D<.
Do
Do
Do
dijo
diio
do
dito
dilo
liiem
idem
idem
idem
idem
De Elias Coelho Cintra sua letra vencida hoje e por S. de rendas atrasadas da
casa
D. 73
*4 Do Procurador Ignacio Jos de Moraes importancia de rendas arrecadadas.
Maio
q5
4
10
11
i5
ai

Do
Do
Do
Do
Do
Do
dito.
dilo
dito
dito
dilo
dito
idem
idem
idem
idem
idem
idem
Junho
6 De J.a5 Manoel de Barros Wanderley L.ns importancia de 1 letra vencida era
o ultimo de Ferereiro pp. } inclusive ai'5oo rs. de juros de 2 meteae tf
diaseameiopore/o, e5i'o4ode cusua judicaes........
a Dejse Claudmo Leite de I Letra vencida boje......
7 Recebidos do Procurador Ignacio Jos de Moraes, importancia de rendas
arrecadadas. _...........
7 Do dito 'dero.............
5:9a25a5
6g3U5oo
838Uooo
208U0U0
3a5Uooo
358ooo
410U000
43aUm5
a58l)ooo
j46Uooo
io(J3(io
a3ollooo
lloVooo
laoUooo
f375oo
i:5a6U54o
i;5ooUooo
107U500
lOlUouo
i3:7o3988
Salla das Sesses d'Adminilracio do Patri-
Antonio
Fiee Pre-
JooFran*
Procu_
Antonio da Cunha
Frn*'
h
1


XXYU
1838
DESPEZA.
Junho 3o De ballaneo por S. ^So e^en,, L ''
exutente tm ciu.
6:363030!

I
1.703U9R8
inonio dos Orfos 3o de Junbo de i838.
Jote Piret.
zidene.
cco Bastos.
rador.
Soare Guimarlei.
cedor.
if
Parn. di Typ. de M. F. de Faria. i8*v


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EDZ9L5WTG_HJ1AOD INGEST_TIME 2013-04-13T02:45:07Z PACKAGE AA00011611_06129
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES