Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06126


This item is only available as the following downloads:


Full Text
>r
..'
Anno de 1839. Sabbad
Tudo agora depende 'de nos raesmos; da nossa prudencia, modera-
feSo, e energa: continuemos coreo principiamos e seremos apontadoa
eom admiracao entre as Naces roas cultas.
Froclamacao da Assemblea Geral do Braiil.
lldlli -------------------
Subscreve-se para esta folha a 3|ooo por quartel papos adian lados
psta Typografia, ra das Cruies D. 3, e na Praga da Independencia
i. 37 e 38, onde se recebem correspondencias legal isadas, eannuucios;
insirindo-se estes gratis, sendo dos proprios assignantes, e vindos assig-
taadoa.
Partidas dos Correios Terrestres.
Cidade da Parahiba e Villas de sna pretendi...................\
Dita do Rio Grande do Norte, e Villas Idro...................(c _^,... -. !?.;.,
D:!2 ds Fcrtsitsa vuj.. Jd.ti..........................>Segundas e Sextas Fwras
Villa de Goianna.........<........................./
Cidade de Olinda..................................Todos os dias.
Villa deS. Anto..................................Quintas lenas.
Dita deGaranbuns ePovoaco do l'.onilo..................... Dias lo, e ?4 decada mez.
Ditas do Cabo, Serinbaem, Rio Formozo, e Porto Calvo ,...........dem 1 11, e ai dito dito.
Cidade das A Incoas, e Villa de Maceid.........................dem dem
Villa de Paja de Flores...........................,......dem 13, dito dito.
Todos os Correios partem ao meio da.
H? ^L. ^-^ > tM|? A^rt^kl \l \ Vk^ 1:1>
CAMRIOS.
Sf.tf.htro. i3. .
Londres......3 por lfooo ced.
Lisboa......% 80 por 0/0 premio, por metal offerecido."
Franca.......3?o a 5a5 res porliaiico norn.
1 > lo de Janeiro 3 por 0/0 de premio.
CURO Moedas de tifioo rs., Velhas i.(*noii a
Ditas ,, ,, Novas i3^8oo a
Ditas de 48000 rs., 8^100 a
PRATA Pataces !li aiileiros.....- idilio a
,, Pezos Columnarios--------------- tftSlio a
fos Mexicanos------------------- ijf54o a
Premios das Letras, por me 1
Moeda de cobre 4 !><>'" <
i;8 a 1 ip por lo*
i4#
14^000
Sffioo
l/"6oO
I #600
i#J8o
Dias da Semana.
9 Segunda-----S. Sergio P. ---------------------------Ses. da TUcr., e Aud. do I. de|f). da .'v.de ia
10 Terca---------S. Nicolao de Tolentino.---------------Relaco, e Audiencia do J. de D. da 1 ,|v. de m.
11 Qua'iU-------S. Tbeodora a renicteuU-------------SessSo da Theooraria Publica'.
11 Quinta-------S. Auta V. M.----------------------------Rcl. Ses da Thcz., c Aud. do J. de D. da 3. v.
13 Sexta---------S. Felippe VM.-------------------------SessSo da Thcz., e Aud. do J. de I). da 1. nra.
i4 Sabbado-----Exaltaco da Santa Cruz-------------,Rcl. e aud. do I. de 1). da 5. v. de a.
i5 Domingo- O SS. Nomc de Mara------------------ ^
Mart che'ta para o da 14 de Setembro.
As lo lioras e 54 minutesd 1 manh. -- As 11 horas e 1 minutos da tarde.
cao Estrella e a Capital da provincia de Minas Gc-
raes. A' commissao de commercio.
Do secretario do senado, remetiendo o pro-
jecto de resolucao approvado pelo senado de-
clarando que o padre Jos Antonio Caldas de-
ve estar no gozo dos direitos de cidadao bra-
zileiro. Vai a imprimir.
Va i commissao do commercio o requeri-
mentode Gaspar Jora dos Res.
O Sur. Ponte Visgueiro (pela ordem) pede
que seja dispensada a imnresso da resolu-
cao do senado a cerca do padre Caldas,
pois esse projecto i foi impresso e publicado
as folbas desta cidade e todos lem conhc-
cimento delle. Pede tambem sua urgencia,
pois trata-se de reconhecer cm hm indivi-
duo o que lia demais sagrado, os direitos de
cidadao.
Cnsulta-se a cmara sobre a dispensa da
imprcsso e decide pela aftirmaliva.
A urgencia he apoiada, e entra em diseus-
so.
O Snr. Clemente Pereira declara que nao
se oppe a essa mnlerio, mas quer queella se-
ja tratada m terhpo competente ; 110 senado ,
quando se tractou deste negocio nao foi elle
declarado urgente; para que pois liado esta
declaral-o ? Vola pois contra a urgen-
** RIO DE JANEIRO.
ASSEMBLEA GERAL LEGISLATIVA.
SENADO.
Scsso em 8 de Agosto de i83t>.
Presidencia do Sr. Diogo Antonio Feij.
Reunido numero sufticiente de Snrs. sena-
dores abre-se a sessao e le-se a acta da an-
terior.
Ordem do dia.
Continua a segunda discusso, addiada pela
hora na ultima sessao do artigo 1. da pro-
posta do governo ; fxando as forcas de trra
para o anno financeiro de 18 Jo a 184 con-
junctamenfe confas emendas da cmara dos
Snrs. deputados ao 2. do mesmo artigo, e
com a do Sur. C. de Lages, apoiada na sobre-
dita sessao.
Dada a hora fica addiada a discusso.
O Sur. presidente tl para ordem do dia
as nicsmas materia dadas para hoje.
Levanta-se a sessao as 2 lioras c 5 minu-
tos.
CMARA DOS DEPUTADOS.
Sessao em 9 de Agoslo.
Presidencia do Sur. Aiaujo Vianna.
As 10 horas da manh faz-se a chamada ramara eclaral-o
e logo que se rene numero legal de Snrs. de- cia.
putados abre-se a sessao,-le-se, eapprova- O Sur. Nunes Machado moslra quecmhii-
se a acta da antecedente. ma das sesses passadas foi vencida huma
O Snr. primeiro secretario d contado ex- urgencia, nao para se tractar de reconlier
pediente lendo os seguintes officios. % em um individuo os direitos de cidadao hra-
Do ministro da guerra, remetiendo asin- zileiro massim para da-los a hum estran-
formaces que lhe foro requisitadas acerca geiro que se pretendia naturalisar. Portanlo
do requerimento dos.ofticaes de primeira li- nao be muito que agora se approvn esta ur-
nha do exercito matriculados na escola mili- gencia e tanto mais que o individuo de que
tar, os quaes pedem ser contemplados com a falla o projecto be hum cidadao Brasilciro
gratificaco addicional. O ministro declara que se acha esbulhado dos seus direilos.
que o goveruo entende que os suplicantes O Snr. Gomes Ribeiro declara quohaven-
como discpulos da escola militar .nao csto do este cidadao sabido eleito depulado pro-
incluidos as disposicoes da lei do 1. deontu- vincial das Alagoas he urgente que se di-
hrode (814 P's empregados naquelle estabellecimenlo militar, leiro.
para ofim que dispoe a mesma lei se nao os Discutida a materia, a urgencia he posta a
que vem designadamente marcados no decreto votos e approvada.
da organisaco da escola. A'commissao de O Snr. Presidente declara que depois do
marinba e guerra. expediente tera' lugar a discusso do proje
Do ministro do imperio partecipando que cto.
na data de b do correnle otFici;ira ao presiden- Le-se e remelte-se a commissao de poderes
te da provincia de Pernambuco, afim de re- lium oflirio do Snr. depulado supplente |iela
metter a secretaria de estado dos negocios do provincia do Para' Marcellino Jos Cardo-
imperio os esclarecimentos que a cmara dos so, em que partecipa que, em razo de sua
Snrs. deputados exige em oficio datado de 5 molestia, nao pode cumprir a honrosa misso
do correntc a respeito dos guardas da inspeceo de vir tomar assento na cmara,
desaude do porto da capital da provincia del Vai a imprimir o parecer das commisses
Pernambuco, A' commissao do orcamento do reunidas, sobre a proposta do governo para ti-
imperio. car em vigor por mais hum anno asuspen-
Do ministro da juslica partecipando que sao de garantas na provincia do Rio Grande
raco algunia do Sul e na provincia do Para' declarando
as comniisses que a suspenso de garantas
s peder' ter lugar na provincia do Rio Gran-
de do Sul.
I.e-se o seguinte requerimento.
A commissao /le redaccao requer que seja
rcmeltida ao simado a seguinte emenda que
por engao deixou de ir incluida entre as
que se fizero nesta casa proposla do go-
verno sobre a fixa o das forcas de trra para
o anno Ihianceiro de i84o a i84.
Emenda :
Noart?4 da proposla supprimao-se as pala-
vras 011 que Ibrem encarregados de commis-
ses importantes.
Paco da camarados deputados 8 deagoslo de
8J9. Jos Ccsario de Miranda Ribeiro.
aio lendo havido anda deliber
obre o officio do presidente da provincia do
Espirito Santo que foi dirigido a cmara
dos Snrs. deputados, com'o aviso desta secreta-
ria de estado dos negocios da justica datado
de 4 de mato de 1816, relativamente aos emo-
> lumentos que devem perceber os promotores
pblicos rcmette o ofheio do promottor pu-
blico do municipio de Nilherony e mais pa-
pis juntos, versando sobre idnticos objectos.
A commissao de justi a criminal.
Do ministro do imperio, remetiendo o offi-
cio do marques de larbacena, datado de 3o
de junhode i856 com os papis que lhe an-
do annexos ; e bem assim a consulta do tribu-
nal da junta do commercio, datado de 7 de
julho do anno passado c reformado em O do
corrate mez, versando ludo sobre a construc-
Pauino Josc Soarcs de Souza. T- J. M. de malidade com que entrn
Brilo.
Tomo parte nesta discusso os Snrs. : Nu-
nes Machado, Alvares Macbado, Miranda, e
Oltoni.
O Snr. Miranda Ribeiro d;i ainda algumas
explicaces sobre o objecto em questo.
Julga-se discutido o requerimento c posto
a votos he approvado, N
Continua a discusso sobre o requerimen-
to do Snr. Nunes Machado.
Depois de fallarem na materia os Snrs.
Souza Martins, e Hcnrique de Resende fica
questo addiada pola hora.
Eutra cm discusso a resolucao vinda do
Senado, para que se conceda carta de natura-
lisaco ao P. Caldas.
OSnr. P. Alencar aprovetando o exem-
plo que anteriormente I be foi dado pelo nobre
depulado que oflereceu huma resohi o como
artigo additivo o parecer outra que se dis-
cuta, ofTerece agora igualmente como additi-
vo o parecer da commissao concedendo dis-
pensa, a hum individuo residente noCear pa-
ra obter carta de naluralisacao. Espera que
ai-amara nao achara' inconveniente.em deci-
dir agora este negocio.
O Snr, presidente adverte que nao pode
ter lugar o qucqiier o nobre depulado, por
que (rata-sc agora de huma resolucao vinda
do senado.
O Snr P. Alencar nao se lembrava desta
circunstancia c desslc de sua prelenco.
Nao bavendo mais quem peca a palavra, he
approvada a resolucao.
Continua a discusso do parecer sobre as
eleices de Sergipe com as emendas apoia-
das.
Estando fallando largamente sobre a mate-
ria em discusso o Sur. Mau'liiotdc l>rito, o
Snr. presidente adverte que acba-sc na casa o
Snr. ministro da fazenda.
O Snr. Marcelino de Brilo, como muito
tem que fallar continuar na scsso seguinte
A discusso fica addiada, .
0 Snr ministro da fazenda recebido eom
as formalidades do estilo e oceupa o com-
petente lugar.
Segunda parte da ordem do da.
Continua a discusso do orcamento da fa-
zenda.
1 c-se e he opoada a
Snr. Bandetra de Mello.
Ao 5. Tendo fallecido o padre meslrc
Lui/. Florentino de Almeida Calaiiho btim
dos empregados aposentados de que faz men-
co o orcamento diniinua-se na rubrica com-
petente a quaulia de (J00U000 res que elle
percebia.
Leein-sc mais as seguintes emendas que sao
apoadas :
Ao 9. do artigo 7. Aeerescenlc-
se a importancia dos juros das A plices emi-
tidas na provincia da Baha, cuja emissao
foi contrariada pela ordem do thesonro de 26
denovembrode i836, fundandrJ-senadispo-
sices do artigo 31 da lei de a4 de outubro de
l3. Salva a redaco. Calmon.
O goyerno fica autorisado a dar huma gra-
lificaio de a4Looo por anno ao actual |>or-
leio da allaiulega da IJahia. J. Pedrera.
Moulesiinia.
Houve hum forte debate em que lomo par-
leosSnrs. : P. \ isgiieiro, Calmon, Candido
Baplisla, Anliada Macbado Ribcgode An-
drada e Oliven a.
A discusso anida fica addiada,
O Snr, ministro rtira-se com a mesma for-
segointe emenda do
Snr. CoeTho Bastos prope que baja scs-
so a manb, (10 de agosto) apesar de ser
dia Santo.
Consultada a cmara, decide pela nega-
tiva.
O Sr. presidente dpara ordem mesma materia, e levanta a sessao as duas
horasc meia da larde.
PEBNAMBUCO.
GOVERNO DA PROVINCIA.
i
ExPEDir.NTE no ni a 10,
OfficioAo Commandante da* Armas, sig-
nficando-Ihe de conlbrniidade com o que pon-
dero em sen oflicio de 9 do correle, que ex-
peca as convenientes onlens a fin de que pos-
sa verificar-se na provincia do Maranboa dc-
misso que por officio da-Presidencia de 99 do
mez prximo passado se mandn dar aos sol
dadados Joaquim Rodrigues de Sena, c .lo/e
das Virgcns Costa visto terem marchado pa-
ra aquella Provincia no segundo Ralalho
Pro\ sorio.
Dito Ao Inspector da Tbezoiirara das
Rendas Provinciaes, para mandar pagara An-
tonio Josc de Menuon a auctorisado pete
Prefeito da Comarca do Brejo a quantia de
cjtU54o res pelo me,smo Prefeito dispendtda
comoaluglic da Casa que serve detjuailel
ao Destacamento sustento dos presos pobivs
de Juslica, luz, e agoa para a respectiva la-
dea, coutros objetos desden >. de Outubro
ali'ofini de Marco do anuo financciio prxi-
mo passado.
Dito Ao Prefeito da Comarca do Brejo,
ronimuncando-lhe a expediccSo da ordem su
pa.
Dito Ao Commandante (letal do Corp
de Polica ciiiinnunicaiulo-lhe. que a Presi-
dencia conceden por despacho desta data de-
misso ao terceiro Commandante da Compa
nbia montada do mesmo Carpo Felippe Be
nicio Cavalcanlc de Alhii(|iicique Jnior por
assim o ha ver requerido.
DitoAo Director do Arsenal de Guer-
ra, ordenandolhe, que mande entregar ao
Commandante do Forte do Huraco urna cahri-
Iba alini de seren ali montadas algumas pe-
cas que se acbao desmontadas conforme re-
qUUttOU o Commandante das Armas.
Dito Ao Commandante das Armas, com-
mnnicando-lhc o contetido no precedente of-
f icio,
Dito Ao Cirnrgio Encarregado da tac
cia ciniando-lhe uninuasso COoteodo lami-
nas de puzfaccinico chegado recentementede
Londres, a fin deque aw deslrihua pelos Yae-
cinadores dos diflerentes Municipios da Pro-
vincia.
COMMANDO DAS ARMAS.
1 AVF.nir.MK do m a 5,
OfficiorA l'xni. Presidente, renietlcndu-
llie competentemente informado o reoueri-
mento do Sargento Quartel Mesiredo Depo-
sito Pedro Nolaseo da .Silva que pedia se
lhe mandasie abonar o fardameolo que lem
vencido c que se est a de*er.
Dito-Ao mesmo Exm Sr. pondefansjo-
ll.e o estado de ruinado iecto da casa que
serr d'arrecadaco ao Hospital Regtmental.
e pedindo que com urgwsaia se piocedesse
ao necessario coucerto
Dijo-Ao Major Commandante inlciiaw da
Jl'ortalcsa do jrum. (li\ol\euii>-lbe as re-


o
DIARIO
DE f&R NAJinC.O
*m
luisicoes d'agoac luzes pertoncentes aos presos
tjae d'ora cm diapte taes raquisi Tus devio
ser directamente enviadas ao Prefeilo da 'Ce
marca por ser o encarregado de fazer todas
"as despezas de semelhante nalureza.
Dilo-Ao mi'smo para que fizesse obstar a
conlinuacoda tirada d'area no Isthomo d'O-
linda da parte lugares adjaecntes e cstabelecendo a maneira
de se levar a effeilo esta medida*
Dito-No mesmo sentido se officiou ao Com-
mandante interino do Forte do Buraco.
Dito-Ao Commandante interino do J. Hala
I bao dArtilheria, mandando cm vista das ra-
zes que apresentou om seo oflicio desta data
e atlendenclo sobre tudo a conveniencia do er-
VcOk| passara aggregados alguns Sargentos
que marcharan Provincia doyMaranho> e
promover outres em substitualo comoefecli-
vos.
Porlaria-Ao Maior Commandante do De-
pozito mandando d'ordem do Kxm, Sr. Pre-
sidente communicada em olHcio de 4. do cor-
ren te, dardemico ao reuula Antonio-Can-
dido Flix da Cuuba por nao estar as cir-
cunstancias de,servir na Primeira Liaba*
Dita-Ao Commandante interino do 3. Ba-
la Iho dArtilheria,' mandando de requi/.i-
e0 da Thezouraria cobrar os vencimentos
que se estavo a dever ao ex-soldado Joaquina
da Silva Alagoas fazendo depois o pagamen-
to na forma estabelecida.
Dito-Ao Quarlel Mestre A(Tonso Honorato
Bastos mandando de requmeo da Thezou-
mria cobrar os vencimentos que se estavo a
dever aos Guardas Nacionaes de Unna que
servirao na Guerra de Panellas, Antonio Fir-
miano 1 iliciano de Arauio Pereira, Anto-
nio Fernandes de Araujo, liento Joaquim de
Mcdeiros Lucas Evangelista Cosme Ta-
vares Rodrigues eCyprianode lanos Lobo,
cujas guias Ibe enviava fazendo o pagamen-
to na forma das ordens respeito. '
Dito-Ao mesmo mandando semelbanle-
menle cobrar os vencimentos dos sidos* que
Barril io na Forca da Plaina Gonsalo Gomes
dasNeves, Agostinho Antonio, Vicente Fer-
reira Manuel Baptista e Manoel Joze de
S. Auna, constantes das guias que llie en-
viava.
da 6.
Oliicio-Ao Exm, Presidente significando-
Ihc que leudo o Guarda Nacional do Balalho
de Olinda Manoel Ignacio Lopes de Oliveira
destacado actualmente no Forte P;io-amarello,
oblido no dia 3 do correnle rcenos |;ura n'r
asna cara em Maria-farinha, siicedeoqne ali
julo Alferes Antonio de Coulo e Sargento
On,.rlel Mestre Luiz Gomes Ferreira do
mesmo Balalho fosse insultado espaneau-
do pic?o e conservado em um tronco at o
do soldado Joo Ferreira i. ltimamente vin-
do das Alagoas que pedia o pagamento dos
faldamentos atrazados, e vendaos que se
llie cstava a dever durante o tempo que
servio naquella Provincia.
Dito-Ao Inspector da Thezouraria, com-
municando-lhe que ao Commandante inte-
rino do 3. I'aia lli.-io de Arilheria havia orde-
nado que recolhesse a aquella Repartica a
quantia de :i8U"7ao rs. proveniente dos
vencimentos que havia tirado para" o desta-
camento das Alagoas de 19 de Abril do cor-
renle anuo 1 31 ileJnllio, por isso que O
mesmo destacamento se recolheo pago de taes
vencimentos ate o dia cima indicado.
Dito-Ao Commandante interino do 3. Ba-
talho d'Arlilheria, ordenndo-Uie a entre-
ga na Thezouraria da quantia referida no
officio precedente.
Tendo ; pouco constado por carta de Per-
nambuco que na Sentinella Peridico da
Parahiba apparecera umannunciocm nomedo
Tcnente F'rancisco AflFonso Xavier Bastos e
do A Uleros Francisco Jos do-Rozaro, ambos Indios das Agoas Bellas.
*0________ .1 _. J .O______-__Ll^. I.^ L>.. 1.. I I. r .. I 1 t 1 1. 1 -I\ i I nn\vnni\Itnt
o ultimo officio dcste o coheciment., e fa- referidas Embarcaces que para isto for suf-
ctura dos Livros que remetteo para o Liceo
desta Cidade.
Dito-Ao mesmo.partecpando-lhe a nomea-
cao feita em Francisco Joaquim Padilha para
o lugar de Escriva da Collectoria do Muni-
cipio do Pao d'Alho no.que respeita a arreca-
daco das Rendas Geraes em consequencia de
ter fallecido Joo Mathas Padilha queoex-
rcia.
Di A 11.
Offico-Ao Fxm. Presidente do Tribunal do
T.hezouro Publico Nacional com as segundas
vas de duas Letras na ttalidade de mil e
seis cenias libras slerlinas que por canta do
Rendimento de 1 por cento de armazenagem
addicional foro remettida em i5 de Agosto
pp ao Ministro do Brazil em Londres im-
portando ao cambio'de 3o dinbeiros doze eoli-
tos eoito ceios mil reis.
Dito-Ao mesmo com o Balando da ReceitaJ,
e Despeza Geral do mez de Maio pp..
Dilo-Ao Exm. Presidente da Provincia in-
formando a Representaco do Director dos
lia 5 em que foi sollo e anresentou-se ao
respectivo Commandante do Forte que por
ollicio de honleni datado communicoii o suce-
dido e parecemlo-llic que de semelhante
precedimento se deve lomar conhecimento, a
iiniilc nfio ficir impune o ataque feito na
pfeBMM do dito (inania pedia a S. Ex. tomas-
se cm cpnsideracao este negocio e providen-
cias-e ra maneira que mi.lhor en tendease.
Dilo-Ao Prclcilo da Comorca trnamelo a
ciiviar-lhe Ignacio Antonio Rodrigues, que
acompanhou o seo oflicio desta dala, porque
' pelas indagac.cs que se fizero se conhecco nao
ser elle desertor.
flx.V'
Oliici-Ao Exm. Presidente commuuican-
do-lhe que nao se podiao verificar as de-
mudes que por ollicio de 29 de Agosto ultimo
e despacho de 17 do mesmo mez havia man-
dado-dar nos soldados Joaquim Rodrigues de
Senna e Jo/e das V irgens Cosa, .or terem
ditos soldados marchado para o Marauho no
2. batifltaO Provisorio, eque houvesse de
dizcr-lhe se quera que se exjiedisseni ordens
liara ali niesino seren demil'ido.
DitoAo mesmo Ex*m. Sur. enviando-lhe
1 duppiicado o mapjia da Forca de 1. Linha
c\islenle na Provincia 110 mez do A gas lo ul-
timo.
Dilo-Ao mesmo Exm. Sr. enviandoHie
para que liouvesse de emeaminhar a Re-
partica da Guerra as inbrmace de condu-1
la dos Ollieiaes, Inferiores, e Cadetes do i.'
alalbn de Allilharia c Deposito perlen-
eeisM ao primeiro semestre do crtenle an-
uo e dando as rases por que dcxava de
enviar as do (j. Bulalli.io dej Caradores em
sen iio no Hi<> < rande do Sul.
Dilo-Ao mesmo Exm. Sur., pedi lo-lhe.
a eipedicco de suas ordens para que fosse
mandado apre/enla'r ao Commandante da loi-
tale/a (! Buraco a (iabrilha do Arsenal de
Guerra allm de montar unas pecas.
Dito-Ao niesnio Exm. Sur. enviando-lhf
Commandantes de Companhias do Balalho
l'ernambucano de Cacadores de c. w Linha
destacado nesta Provincia, edo meoCom-
mando annuncio em que publicando-se
as despedidas destes dous Officiaes qliando
embarcaro na Parahiba se manifestavo ao
mesmo tempo sentimentos exagerados que
excitro a observaco de algumas pessoas e
que podem compprometter-los na oppiniao
dos que os nao ronfieceni ; ficro elles bs-
tanles surprehendidos t e rescentidos com tal
noticia e se me dirigiro protestando-me o
Tenenle Baslos 5 que ncnbum annuncio linha
mandado fazer nem sobre despedida nem
sobre outro ohjecto e que era falca e por
elle reprovada quaJ quer declaraco anpare-
cida i'aquella Folha tomo produzida por
elle e.o Alferes Rozaro que apenas encar-
regra o Redactor da mesma Folha de publi-
car que se despeda de seos amjgos aquem
abrevidade da viagem lhe nao permittio pro-
curar pcssoalmente sem nada mais imcum-
bir-lhc.
Os mesmos OBciaes me pedirn que levas-
sc ao conhecimento de V. Exc. esta declara-
cao, asss pezarosos de tal vez meiecerem do
(ioverno de V. Exc. de seos Gamaradas e
Coneidados um eonwilo desfavoravel em
consequencia de urna puhlicaco imprudente ,
impoltica, e falsamente publicada om s no-
mo.
Dvendo eu zellar a repulago dos meos su-
bordinados e principalmente a dos Officiaes ,
c. Commandantes de Companhia ; cumpre-me
Dito-Ao Commandante das Armas pedindo
para expedir as suas ordens para serempagos
os Guardas Nacionaes de Unna Joo Soares
d'Azevedo e Manoel do O' do Nascimento
dos vencimenlos que lhes forem devidos
vista das guias respectivas
fieiente ; como tudo assim acaba de ordenar o
Exm. Snr. Presidente em officio de 3 do cor-
rente.
Inspecca do Arsenal de Marinha de Per-
nambuco era 5 deSetembrodc io3a.
Alexandre Rodrigues dos Anjos.
Secretario.
Pela Administraco Fiscal das Obras Pu-
blicas se hade comprar quatro cenias e si neo
varas de brim quem o liver e quizer vender
pode comparecer na Salla da sohredila Ad-
ministraco para Iractar do ajuste e com-
.prar-se a quem por menos vender.
A. F de Moura."
A. F.
PREFTEIURA.
PARTE DO DIA I DE SETEMBRO.
Illm. e Exm. Snr. Fora prezos hontem
minhaordem, -tiverao boje o competente
destino; Jacinto Valerio branco Ricardo
de Normanda pardo Bernardino da Trin-
dade Grvala .prelOj Joze da Silva Pimen-
tel branco Domingos Joze das Neves,
e Alexandre Antonio I'raneo pardos Joa-
3um Izidro da Silva branco Trajano
a Silva Pereira Tihurcio e Lourenco dos
Santos Rodrigues pardos, pelo Sub-Prefeito
I da Freguezia de Santo Antonio o 1 por
Dito-Ao mesmo com o requerimento de estar bastante ebrio, e suspeita de ter furtado
Francisco Ferreira de Jezus a fin de ser pago j urna porco de roupa o a por ter dado
dos vencimentos militares que lhe forem de-1 urnas caceladas em outrem depois que
vidos. I saira do Thealro seguindo-o at a ra ui-
Dito-Ao Insdector d'Alfandega dizendo-lhe reita e os mais por estarem em horas do
em resposta ao officio de aa de Junbo ultimo silencio em convivencia em um beco cOm
acerca de estar o Guarda mor da mesma a encommodo da vizinhanca e ncontraven-
mezes impedido, e achar-se o Ajudante do' cao das ordens.
mesmo fazendo as auas vezes e o lugar desle Nada mais consta das Parles boje recebidus
oceupado pelo Guarda Joze Jacinto dos San- nesta Secretaria. ^
tos, que pretende a quinta parte do respecti-
vo ordenado que esta pretenco apexar de
Nao tendo comparecido no i." do corrente
asseverar a V. Exc. que os referidos Tenenle
Baslos e Alferes Rozario sempre fora reco-
nhecidos, como Militares de sentimentos Mo-
narchieos, havendo Mililado em deferentes
commoeoes que tem rehcnlado debaixo das
Bandeiras do Imperador, e da Legaiidade,
sem jamis empuiibarem as armas faior da
demagogia, e da rebellio. or esta occasio
desvaneeo-me em acrescentar (pie milito c
muito confio dos Officiaes e mais Pracas do
Balalho de Pernambuco que commando ; e
(pie eslou iutimamenle persuadido que sem-
parecer justa nao pode ser attendida., porque, mez revista geral seno huma p|ucna par-
na forma do Regulamento todos os mpre- te dos expostos q' existem em cazas particbi-
gados que sao obrigados a servir no imped- res: manda a Administraco dos Eslabeleci-
ment de outros so tem direilo aos venc- mentos de Caridade fazer puolico. que no dia
mentos dos impedidos no cazo destesos dei- 1. de Outubro prximo futuro, as 9 horas
xarein de receber por algum motivo. da manha hade ter lugar a dita revista e a
Portara Ao Thezourciro da Fazenda ella dever comparecer com os expostos todas
mandando enlregar ao Thezoureiro da as pessoas, que o deixarao de fazer; pos
Thezourarja Provincial conforme re- sendo este comparecimento huma das condi-
ciuizico da mesma a quantia de dez contos ces do Termo com que se effectuaro asen-
de reisem olas do Novo Padro por conta tregns dos mesmos expostos nao pode ames-
do snprimc-iiio de i5o 000U000 de rs. mandan- ma Administraco dcixar de estraohar a falla
do abonar pelo 18 arl. iSdaLei deaode do seo cumprimento -, Picando as mesmas pes-
Oulubro
PP
Diversas liepartigoens.
ALFANDEGA DAS FAZENDAS.
viuda de Li-
A Barca Ingelza Isaliclla
verpool entrada em
soas certas de que nao comparecendo sero
os referidos exposlos recolhidos respectiva
caza. J. M. da Cruz.
Escripturaro
Os Credores do'fallecido Joo Joze de.Sou-
za Subdito de S. M. Fidelissima s5o convi-
dados a comparecer na Chancellara do Con-
sulado na segunda feira 16 do corrente pelas
, para deliberaren! o que
horas da manha
(8 Fardos com fazendas d' algodo '44
cixas com dilas dito 8 lardos com ditas de
reos acfaarei na estrada da honra e da fide- linho 8 caitas com dilas dito ao ditas com
idade ao Soberano irConslituico e.iln- djlta de la 3 embrulhos com ferrajens ,
legridade do Imperio. Deus Guarde a V. Ex.
Acampamento na Villa de Ilapicur-Meirim
' d'AgOSlO de 18)9. Illm. e Exm. Sr An-
tonio Pedro de S Brrelo, Commandante das
Armas da Provincia de Pernambuco Jos
Thomaz llenriques IMajor Commandante do dita.
Balalho de Pernambuco expedicionario ao
Vlaranhao.
n n do correnle Capi- mais justo e conveniente for relativo ao expcJ-
to Thomas Rymer consignada a M, Cal- lio do dito fallecido,
mont & Comp.
Manil'eslou o Seguinte.
Consulado de Portugal em Pernambuco,
aos 13 de Selembrode 18J9.
Joaquim Baptista Moreira.
Cnsul.
J'M"xv/ 1111 'mu 1,.\ III- .'III. un > i ..-. -......,...- -j----.-------------------------1
comjK'teiitenHiilc inloiiiiado o jejueriniciiloj o referido Joze Lucio Correia accompanhando
THEZOURARIA DA FAZENDA.
EXPEDIENTE DO DIA 6 DO CORRRSTE*
OfficioAo Exm, Presidenie nwlindo para
alfendcr a representaco, pie incluza o acom-
panhou do Administrador da Meza de Ren-
das Geraes para o Agente da mesma 'Rcpar
lico Joze Jernimo de Souza Limociro ser
dispenso do serviro das Guardas Nacionaes por
mais trez mezes ; fun de concluir alguns
lancamentos de que se acha encarregado.
Dilo-Ao Inspector da Thezouraria de Ren-
das l'rovinciaes remetendo-Ihe para ficar cer-
to de ludo 6 que tem occorrido com a caza
de Sahnel Phillips de Londres, relativamcn-
le aos supprmenlos que la/er por onla da Thezouraria Provincial,
e ordem do Geverno da Provincia ao Doulor
Ljl de Carvalho l'aes d'Andrade e a Jo/.c
lucio Concia, para as Comissoens deque
l'oro encacregadcV a correspondencia "havida
com a dita caza aconipanhada de huma conta
das addicocus que lhe sao respeclivas e com
5 barricas com dilas 5 caixas com ditas,, A Crise actual, e a Cmara dos Deputados.
i volume com drogas, 1290 caixas com sa-j
bao 1 dila com garrafas de serveja
toneladas de carv.o
ferro 2 caixas com
2001
Fora do
Oslo iTiiora-se.
A posico critica em que se acha o imperio,
de, pedra 44 dilas de marchando para sua total dissoluco pela es-
louca 120 gigbs com Irada das funcces a anarqua em que vive-
mos, aquasi acephalia cm que estamos, o-
Manifeslo.
- A Pauta he a mesma do numero i83.
MEZA DO CONSULADO.
- A Pauta be a mesma do numero 199.
CORRER).
Existe Tiesta Administraco urna caria segu-
ra vinda doCear. para Vtoriano Antonio Bor-
ges a pessoa inleressada venha re-eber
O Pataxo ero sai para o Rio Grande do
Sul com escola pelo Ro de Janeiro no dia 20
do correnle.
Illm. Snr. Inspector do Arsenal de Ma->
linha, faz constar pela ultima vez aos Snrs.
I'nipi-icliu-ios dos Navios velhos encalhados
em (lillireiiles lugares que arruinao ao Por-
to, quenoprazo imprelcrivel i\v. o arfes.,
contados da dala d'este faco remover os mes-
mos Navios para as paragens que jior militas
Vezes Ibes lem sido indicadas pelo Patro Mor;
< crios de que o nao fazendo em dilo prazo, fa-
ca esta Reparlico a remoco, cuja despeza
briga a cmara dos depulados a tomar urna
direeeo a escolher um ponto em que se enl-
loque para dominar o movimento revolucio-
nario que na cmara dos deputados est o
banco de dores dos ministros, ai se formo ,
e deslroem os gabinetes ai reina o movimen-
lo ouve-se a voz do povo. No momento em
que je cspidharSo as terriVeis noticias que 000.
tanta raso assuslaro a popular.o e lodos
os amigos do imperio iuteiro e unido toda a
cmara se achava em urna |iosico dubia a-
migos e inimigos nao sabio qual seria o sen-
tido em que devia volar no fim da discusso ,
todos os fados da cantara .todos os differentes
grupos que compem estes lados acusavo ao
ministerio e ja com censuras, j com elogios
querio subjcital-o sua tutella : o ministe-
rio a tudo se recusava queria governar com '
o a polo e sem o apoio das cmaras ; nunca
de sua boca se ouvio urna proposico positi-
va que podesse offender qualquer dos lados
da cmara. Eslc estado de incerteza era um
mal para o paiz que na3 circunstancias em
que se achava nao poda esperar que a c-
mara ou o ministerio se decidissem ; era pre-
ciso comhaler a anarqua e n'essc combate
ser indemnizada com o producto da venda em nao se empenhar ministerio algum prudente
hasta publica das madeiras perteucentes as I sem ter o apoio firme e decidido da cmara ,


D I A R II) T> E f ERNAMBDCO
5
**!
I
sem estar de acord com ella. Sao duas en-
tidades milito fortes o ministerio c a cmara
? o terreno em que se firmar o pacto de al lian -
a 011 se proclamar a declaraco de guerra de-
Te ser firme e nao fofo e minado como es-
tava terreno em que ambos os poderes pisa-
vao ha quatro dias.
A este respeito porm parece que o horison-
tc poltico se rae aclarando : a cmara j deve
saber o que, quer o ministerio. A emenda do
ministro da guerra para que em nosso exercito
scalislem estrangeiros a licenca pedida para
que o general Andrea v presidir a provin-
cia de Santa Catharina demonstren clara e
positivamente o pensamento ministerial, cla-
ra e positivamente provou que o ministerio
rnicnde pacificar o imperio com forca, e s
cora forca. A emenda do ministro da guerra
a lei de fixaco de forcas de Ierra evidencia a
todas as luzes o proposito deliberado em que
esta o ministerio de completar quanto antes o
uumero de pracas decretado ; a nomeaco do
vencedor da rebeilio no Para indica que o
ministerio quer seguir as ideas do rigor da
energa vigorosa e da disciplina militar em
seo ultimo apuro que a disciplina militar ,
* energa e o rigor sao ideas que se incar-
naro no general Andrea e que marco todos
os passos de sua vida. Est determinada e
bastante fixa a norma que o gabinete de 15 de
abril pretende seguir as actuaes circunstan-
cias cmara incumbe tambem fixar e
determinar sua linha de proceder.
Ou ludo ou nada eis o dilemma em que
eslo enllocadas as cmaras pela forca irresis-
tivel dos fados occorridos confianca plena
ou opposico d um sdia O Brasil nao com-
porta nutro meio para salval-o da crise ; aos
legiladores cumpre escolber e escolber sem
liesilacao: deliberar por mais tempo seria
perder-nos que em quanto deliberrnosos
Landos rebeldes marchao, attacao e ven-
eem e depois ai dos vencidos !
Quando na cmara dos deputados se apre-
sentou o. oHieio do ministro pedindo licenca
para que o general Andrea fosse presidir San-
ta Catharifia rebentou a mina ; mais aluda
nao estavo as coisas dispostas e os diversos
oradores da cmara enlrro em mutuas recri-
minaces sem se lembrarem antes sem se
atreverem a attacar ou defender o ministerio,
altaque e defesa que ero a necessidade da
* occasio. A populaco tudo vio ento o que
nao esperara ver : um tumulto de vozes des-
cnmpassndas retumbou pelas abobadas do sa-
lo em que se reunem os cleitos da nacao e es -
sas vozes nao tinho direceo alguma : os che-
r* fes perdero-se na multido ninguem mais
ou vio a.voz do commando e pela prlmeira Vez
vio a nacao brazileira um seo representante
resignar o posto de honra desacorocoado da
salvacao publica, talvez Iludido sobre as
inlences da casa !....
Ilavia desejo de comprometter o presidente
nomeado de tirar-lhe ainda antes de entrar
na administraran da provincia que lhe era
confiada a forca moral que se faz to precisa
na actualidade quando parece que cada qual
s confia emsi. Imprudencia grande im-
prudencia foi essa sem din ida A cmara
est em um momento critico como o paiz suas
. deliberacoes devem ser immediatas rpidas
como a inspiraran ; em casos arriscados deli-
berar ponderar hesitar perder-se : a no-
meaco do general Andrea ou devia ser votada
sem discusso, ou devia ser discutida em ses
sao secreta. Todos esses discursos que se fize-
ra n'essa occasio servira nicamente para
revelar ao paiz o estado moral da cmara.
Nao tememos por certo que as invectivas
(angadas contra o cx-presidente do Para le-
uha grande influencia em sua futura admi-
\ nislra.ot dictados antes pelo despeito e pelo
desejo de esligmatisaralguem em tao melin-
' drosa circunstancia fora inteiramente contrs-
tanos |iei.i ;i .uiuu liiaiui'iii que lia CamSra VO
lou pela dispensa pelo sentir do senado pe-
los discursos do nobre senador o Snr. Hollanda
Cavalcanti, e mais que tudo pelo pensar da
populaco que est hoje mais inclinada ao go-
verno do ex-presidente do Para do que as u-
topias e desmazelos de alguem. Protecco aos
bons e castigo aos mos eis o que queremos
todos e no entender da grande maioria da
uaco o general Andrea protegeo os bons e cas-
tigou os mos. Talvez esteja engaada mas
^a'o sao dois ou tres discursos inspirados pelo
espirito de partido que a demovera de sen er-
Disscmos que a cmara deve saber boje o
que quer o ministerio ; que lhe incumbe tam-
bem dizer o que quer e que o procedimento
anterior do gabinete linha collocado os lados
da cmara em posico duvidosa. Nada mais
<-< n lo e si mitras provas nos faltasscm so-
ldara a deliberaco da casa quando um mem-
bro da cmara propoz que houves&c sessao no
sabbado dia santo dispensado. Os partidos
que e combatem na cmara quiierao tomar
folego recpnliecer o terreno em que pisavao ,
combinar o plano de attaque e de defeza. Pa-
rece-nos todava que essa deliberago nao ser
lida -por melhor; qnando nossa fortuna par-
ticular corre i inminente pergo nao dormimos,
nao 'descantamos em quanto o nao remove-
mas essa reflexo foi feita quando o semi-exa-
minado lhe respondeu que os conceilos geo-
mtricos era somente a extensao e o espaco ,
que tem tres dimenses logo o que o exami-
nador negou foi, que estes fossem os nicos
elementos constitutivos da Geometra. Se s-
to nao a verdade, para que nao se oppuz o
semi-examinado ? porque se calou en tao r1
nao aescancamps em quanu u n<-< n-muvc- jb^-wpumh^ ^ "(i ----- j
mos, -quando a patria periga quereriamos lemos os annuncios contra o semi-examinado ,
tambem que aquclles que estamos collocados em hum se dizia, que a Geometra abrangia
assummidades do edificio social eque oc-nao si) o espaco limitado, como tambem o 11-
cupao lugar de honra e de grave responsabilU \ limitado ; e n'outro, que a extensao, e o es-
dade, nao descancassem, nao dormissem em pago como dados da Geometra sao considera-
uanto se nao dessem as providencia* mais a- dos Ilimitados ; c que com islo nao se ahrma-
( equadas para arredar o mal. Isto o que va que a Geometra oceupava-se em medir o
diz o que pensa o povo, c erra fatalmente o espaco Ilimitado. Ncsscs annuncios pois nao
representante do povo que d'elle se segrega ha cousa que possa aprovelar ao semi-exaim-
nara nao ouvir seus grosseros mas quasijnado; ixwque em summa se collige dellcs,
sempre rasoaveis pensamentos. que os dados da Geometra sao a exsencao e o
Doisdiasihavia decorrido depois que a- espaco illimitado ; eque os principios, que
qui nos chera as trislissimas noticias do sao as definicoes, c os axiomas dizem res-
Maranlio e de Santa Catharina: tempo de peilo ao espaco lemitado ; bem como as propo-
sobra linha havido para todas as med taces, simes, que nao sao outra cousa que expressoes
e aquillo q' se nao delibera em dois dias nao se das propnedades da extencao. 01 isto o que
delibera nunca. Em nwmentos de crise huma se disse no concurso, e se temdito nos annun-
hora de hesitacoe demora pode aggraval-ae cios ; e oqne o semi-examinado nao quer ._,
ornal-a fatal' conceder pois smenle considera a extencao por (S. .Salvador) cbe;arem os seus instru-
Medilem'os' legisladores no estado actual do e o espaco lemitado como conceilos geometri- metilos de Phys.ca. Mr. Ryan se acha hospe-
Brasil, e veia s a srave enfermidade que o eos; ao passo que no exame reconheceu que dado em casado Empresario junto ao Thcatro
D ...' l-*L LT~:-^. Ji;.;_ riompiria cnmnrnhende todas as nroprieda- onde o noderao procurar os nrclendentes aos
. COMPANIIU DO BEBIR1BE.
At o dia 10 do corrente foi realisada a
qu:intiadei4 736U008 rs. corrispondenle a
4 p. 0/0 sobre o valor de 7^68 Aaes perlen-
centesai7i Subscriptores. Continua arca-
lisaco dos 4 p. 0/0 e a inserpeo de noves
Accinnislas, entretanto que se nao faz a cha-
mada nominal.
O i" Secretario Bento Jos Fernandcs Barros,
COSMOUAMA.
Todos os dias at uarla feira 18 do cor-
rcule, ha mudanca de paineis a hora he.
das t as q da noite.
AO PUBLICO.
Parlecpa-se respetosamente aos habitantes
destaCidadedo Beeifc, e seus arredore^ que
V1R. RYAN, CELEBRE MGICO AME-
RICANO, EQUILIBRISTA INI I ALIGO,
sem compelidor do Thealro de S. Carlos em
Nova Orleans, cujas extraordinarias epresen-
taces na arle Mgica merecerla ttoto a|>lau-
soe approvacao doshabilaulesda Corle do Ro
de Janeiro, pretende dar algumas repri'seu-
taces antes de partir para a America do Nor-
te, o que ter lugar logo que pelo prximo va-
nrasu, evciuus o gime cmci**. ,|v ^w ,--------,------------------ ; ,
acometteo e que araeaca sua existencia politi- a Geometra comprehende todas as proprieda-
ea pode ser curada com palliativos. Pela ma- des possives da extencao Nao se persuada
neira porque encaramos a posiSo do paiz osemi-exammado que estas ideas sao inova-
no recuariamosantea ideia sem duvida at- \ coes do examinador .elle e nos as temos be-
lerradora d'uma dictadura legal! Salve-se bido na fonte de abalisado Filosolo, e e quan-
0 j3rasi 1 to bastara para as respeitarmos quando nao
(Do Diario do Rio de Janeiro.)
onde o podero procurar os pretendentes aos
Camarotes e Bilhetes de seus espectculos.
Avisos Diversos.
ty O Provincial do Carmo cmais Reli-
Correspondeaea
to bastara para as respeilarmos quando nao .^ ^---------------
eslivessemosem completa convieco. O t" es- giosos que boje compe nesla Provincia a Or-
t respondido pelo que acabamos de dizer. 7 \ dem Carmelitana avisao ao Rcsneitavel Pu-
suppomos que de bom grado o examinador ce- blico que o engenho Ubaca esta legalmente
derao monopolio que se quer fazer da sciencia arrendado por 9 a nnos ao Sr. Joamum Fian-
mathematica c entregar ao despreso esse cisco uarte para pagamento das dividas eon-
desmarcado amor proprio: mas estamos certos, trahidas pelo Reverendo Prior Fr. Thomaz de
Senhores Redactores. que nao consentir que se diga que a ideia | Santa Marianna de Jezus Magalhes e que
Como nos tenha escandalisado a maneira do infinito mathemalico negativa pela ra-, por isso ninguem deve mais ad.antar ao mes.no
pouco sizuda porque se tem portado o auclor sao de se compararem certos .mposs.ve.s como Prior d.nhc.ro algum ,>or emprest.mo nem
dos annuncios'coiU.a o examinador de Geome- infinito. Com eeito a ideia do infinito pos.-1 fazer genero algum de con relo com o mesmo
tra no concurso da substituto das Cadeiras tivo concebida em Mathemat.ca a cada pas-, sobre bens do dito Convento sem conseno do
de Geometra e Lgica do Collegio das Ar- so ; e se assim nao fosse os nmeros inteiros referido Provincial e mais I adres,
tes. i>ermitta-se-me, que como espectador nao poderiao ser infinitamente grandes; as j=r Ro d.a .a para ,3 do p. p. mezd Ago-
desseacto, responda o amuinco q.le ull- fraeces nao seria infinitamente pequeas; to lurtaraode caza del ranc.sco Manoel da Su-
mamente appareceo no seu Diario de 7 do cor- nao se faria ideia do encontr das parallelas ; I va lavares na ra Nnv. sobrado 1). 7 quatro
rente; porquanto receio que em consequen- dessa tangente trigonomtrica infinita e de aneis, e um par de botoes de ,,un .0 de on-
da de sePter'proteslado nao le dar mis respos- multas outras coisas que se conederao im- ro cortados a saber ; se ido um anel de a -
posta prevlccaai(r,iorancia. ea raais refi- possives, mas que nao o sao senao relativa- maCao larga de onn. av ado .,,,.1,, um h.i-
n^l madade TSa assim a por-se em mente as nossas limitadas faculdades e meios lhante grande credondo em qmi, oulro de
pllenla a honra? e crditos do rderido ex- ao nosso alcance. Quando se compara as ouro com esmalte estico todo da mesma ar-
Edor I randezas que se nao podem obter com o gura sendo circulado lodo pelo me.o de bn-
Responderemosseruindo a ordem numrica infinito para se fazer ideia dessas grande- lbantes pequeos, sendo a cravacao de pra.a,
Jin*^*^, e diremo ; ^^ e nao para as negar ; logo o infinito obra de lora ; oulro ...ais pequeo estre.ti.dio,
TS^rZ^sZlVdera se derigra5 positivo, e nao negativo. Tanto verdade o prsers,. a cravacao de ouro com pequeos
[S^^T^^J^ovrM^i e que afirmamos que huma demonstrado tn- diamantes em todo o circulo oulro tamben,
eqo eraSexIminadc^Te o'ignorane. como'a- gonoraetrica prova bera a ideia dessa tangente maispequeo porem ^t e dejn^ la-
pora confessa nao ha duvida que a elle se di- que se trouxe por exemplo ;e n Algebra a frac- v rado tendo lai.il em em todo o circulo do
gora comisa nao na ouviu.i que a 1 rn,]Pza posit va ma or me.o pequeos br.lbnnles, eravados no mes-
&1Z3S: ,u rjfiSLTi poUe^hiBni,, o que^imbem **.mooT,^^^^^
blema indicado no fijo; logse o reso.ve- ^^1 Fuo^s^ue ^'' 1 ^JSS^^JFS^'
?JZSStt*XS5tt ^^S^L^^uS^^ em recompensa o valor das n,,nas pecas se
SaX^ ua^aTl^aproblla S.o e espa?o i.limilado ; c en.ao nao dk *$ \^
tal, equal se acha propos.o o puldico, queo.nfin,to malhemal.co e lmma ideia ega- V^J^QS^^ZmSS^
capazdercsolucoarithmetica, e resolucao tiva. Stquanto a esta advertencia so diremos, se b-sn krlo o lad.ao sijade seus esua>o5,
muito fcil; mas nao se a dar, para que o que se a nos se d.r.g.sse nao daramos rts- o 1.1del, ...
publico conbeca. que. a pezar qualquer ^J^J^f^^
^^^^T^rf^^l ^raZ; inda' que o semi-examinado e^ O A.feres IVancis. Joze do .W.ario
suafrandeeapacidade. i' que tendo dito o negu as verdades que expendemos, quanto
semi-examinado na segunda advertencia do sen ao que se passou ho concurso; que as altere;
annuncio, que ainda ignrava a resolucao do que descame os nossos argumentos; em un
problema, claro fica me por nenhurn modo |ue tudo fassa para ver se tem rasao. Nos Ibe
o sabe resolver; logo no somente hum mo- deixaraos o campo para qnanto qiuzer pois \
do particular que ignora sao todos os modos, estamos salsfe.los de ler mostrado ao publico ,
O auclor do problema, ou antes o supposto que elle scm.-examinado e ignorante na mc-
auctor, na-o pod^ querer atrapalhar, se o tafisica da geometra, que nenlium lino aritb-
caracterisas.se cora a nao concedi da quantia mlico lem; eque nao sabe fazer uso desla
da letra, como hum dos dados; e por isso ciencia.
mesmo nao se podeconcluir que elle igno- Queua Srs. Redactores por amor do ere-
^-^3*** v jiitcun i. i .mo.** rfv*.^. *^* .-*... %,
da Provincia da Paralaba do Nortee boje Co-
mandante da >. Comp. do latalhao Pernam-
bucano Expedicionario 80 Maranbao saben-
do que na l'olha da Provincia da Parabiba.
A Senlinella da I,ibenladeappareceo bi.nia
despedida do anniiiicianteem que se inaniUs-
tio sen ti.lientos Republicanos ; faz salier o
resjiclavel publico', que he calumniosa tal
despedida, pois o aiuiunciaule apenas fez pa-
ra aquella folha o aniiunelo de que se des|R;dia
de seos amigos c conliecidos por nao le-
todos : e
niip elle icno wueirao oi>- nniai' i"- ------- ----- 1 .
,lS I-- Inra: dilo, e honra d'l.um empregado publico que lempo de procurar pessoalmen.c .
"deproposi.0, fica nao merece desconeeTo adm.tt.r no sen bem ,. .nlocMpendo Indooma,^,
uc piupusuu, > ... ... ,___... __i ;, i:wka< l*mol i.iiili- 11 ia fino i\c< acor u:
ne
sssi'^irS: 2.t 7;: ,; %** z ^ -^-^; T.......,i .^- .^. ......-
na prouuzr quanuo hixhj uua. n 1 u nunciante que publique os senlimeiilos que
o caso que se permitisse resolver o problema cieado
por meio da quantia da letra, seria a propor-.
^o i36: ioo::x: que dara essa quantia como -
nucr o semi-examinado no acto do concurso?!!!
' ^. II-________.-1____1.1..OT., ,.,..,,.
Hum dos que assislira o concurso.
preciso publicar que tal problema nunca
existi oque sedeo ao semi-examinado forai
LOTFRIA DO SEMINARIO.
Havendo j pouca afluencia de *^x?*
certos dados para organisar hum problema ,; de p.vm.os dos bilhetes da Lote..a do S -
debaixo de certa hypoibese; mas o semi-exa- ] ario .rOl.nda: o actual 1 heaonn .0 tem -
minado querendo colorar o grande espicha, tinado os dn.s.njar.as ^"%l
adullerou oque se passou e apresentou ao ras da manha al duas da tarde para pagare
publico hum problema completo na persua- resto dos bilhetes premiados,
sao que era insoluvel ; porem com tanta inle-
licidade que ficou mais espichado. 4 c ver-
dade que ouvimos o examinador dizer Cem con-
sequenc'ia de ter dito no principio do exame ,
que nao emendara erro), que es'ava tao ba-
biluado a repellir o que Ibe pareca inexacto ,
que quasi ia duendo que nao era assim ;
TUEATRO PUBLICO.
Terca feira 17 se representa a grande Peen -
Lucrecia lion/ia os pretendentes a Camaro-
tes e !>lbctcsdirja-se ao Sr, Jos i'crnandes
Brasil.
niinriante que publique os senl.menlos que
lbeallribue. O annuncianle declara que des-
de que cbnhecido como Offiral foi sem-
pre reputado como hum Militar Monar-
quista adbezo boa ordem e essencialmente
fiel ao Imperador, na Guerra da Independen-
cia na Baha, na de- 1824 e nade Pa-
ih lias e Jacuipe dle assas patcnleou seos
seiilimentos de fidelidade e d i i(.K ao a cauza
da Monarqua, da Independencia edalnte-
gridade do Imperio: lem prtanto direito a
merecer mesma opinio quando acaba de
marchar para est-Provincia aprl do Throno
e da Legilidadc. e contra os vi/ rebeldes
que i assalao. Villa dellapicun-mirm. Pro-
vincia do Maranhao 4 de Agosto de .8J1.
I laneixo Joxe do Rozarjo AlferesComman-
dante da a, Comp. do Batalhd de Pcrnamb.


DIARIO DE PERNAMBUCO
"j- Quem annunciou precisar de 100,000
juros sobre pinhores dirija-se a ra nova
D. 26 no tereeiro andar.
tsr A pessoa que se' quiser prestar a sevir
de ama de urna casa de pouca faraiha diri-
ja-se a na de Hortas D. 43.
^ Qiiem precisar de urna ama para todo
o servico de urna casa dirija-se ao beco do
Ai>reo defronte do botequim de Jos Caetano ,
no segundo andar.
S2T Os Srs. Antonio Pereira de A guiar e
Bernardo Jos Ferreira, annunciem suas mo-
radas
Sir Precisa-se de um abel caixeiro para
tomar cpnta de urna loja nesta praca dando
fiador a sua conducta ou mostrando attesta-
do quem estiver nestas circunstancias an-
nuncie.
sy A pessoa que annunciou a venda de
urna olaria no montciro esto promptos a
descobrirem o segredo de cozinhar vinte mi-
lheiros de lijlos com 5o j 000 de lenlia, por
que nao sendo o dito segredo, como o de abe-
llia fcil be provar-se o que se expendeo an-
S7* Bonecas de gomma para escripturacr,
a 60 rs. cada urna ; na loja de livros da tra-
vessa do Rozario.
**9" Um refe novo j no beco do' calabouce
velho I >. a.
SS?" Um escravo de naco angola de idade
de 16 annos, de bonita figura ; na ra da
Penha D. 11 casa de serrador.
t^" Peimas de ac patente de superior
quadade duas cmodas de mogno do ulti-
mo gosto e duas secretarias ; na ra da ca-
deia ve I lia D. i4-
S2?" Dois sofaz de mogno com assento de
molas forrados com damasco azul e do ul-
timo gosto ; na ra do Queimado D. 16 no
primeiro andar.
tW Um escravo de muito bonita figura ,
e tem muito pralica de socar assucar ou se
troca por urna boa escrava que saiba vender
na ra e fazer todo o servico de urna casa ;
na ra do Vigario n. 17 no terceiro andar.
SS^* Ou troca-se por outra ou por algum
terreno no Recife, ou por escravos urna casa
terrea nova e com solo na ra de S. Fedro
ina, lan lie pruvai-scuijuc o*.^,~------ -~- .------- f ,.,--------r ,,
teriormente que vem a ser as vantajosas Mrtir, na Cidade de Olinda ; a lallar com
commodidades que se diz tem o forno ; nao Antonio da Silva Gusmao nr ra do Quei-
se falla pois com exageracoens. Entretan-' mado.
to, sendo o que se diz segunda vez a respeto, | tsr Palhasde coqueiros a 1600 o cento ,
nao seja assaz suasorio a qualquer indivi- na emberibeira sitio de Raimundo Gomes da
do que vomita hesilacoens e duvidas ,' Fonseca. _
ropa-se ao mesmo que dirija-se a referida ola-, c?- Na refinacao do forte do mattos D. 43,
lia eseute-se sobre o forno por espa o de assucar refinado a 100 rs. a libra esendoem
a4 Loras, em ocasio que estiver coziphando porcao mais enecnta.
me ento conhecer se o annuncio he com- ssr Extracto de abgsmthe e licores de
posto de mentiras-, e extravagancia. decravode quahdade suprior; em casa de
tST Achou-se duas letras urna de 35,ooo "Hermano Mehrtens ra da Cruz D. a3.
e outra de 3a,44o ; quem for seu dono pro-' ts/- Urna escrava de naco cabinda com
cure na botica da ra do Vigario n. 7a, que bonita figura, lava de sabr, e coaiiha o
dando os signaes lbe ser entregue. diario de urna asa > na ra DireitaD. 20 la-
S~r Felippe da Silva Forto avisa a to- do do Livramento.
das as pessoas de quem tem pinhores em sua ssr Ou troca-se por urna casa um sitio em
mo a vencidos, que os vao tirar 011 re- Bebinbe debaixo em chaos propnos ecom
formarem os seus tratos, no praso de 3 dias bastantes arvores de Inicio ; a tratar na ra
do contrario os vender a presenca de duas tes- das Trincheiras D. 15.
temunhas para seu pagamento. I ^ Urna preta de nacao boa bocete.ra ,
jg-OSr Domingos da Roza queira an- engomma c coznha o diario de urna casa ;
nunciar a sua morada para se tratar negocio no forte do mallos prenca do Brito.
. 1 t*jr Urna cabra negra boa lavadeira en-
rProsa-se de urna ama que saiba co- gommadeira e cozinba o diario de urna ca-
zinhar eenpommarbem e/iue faca todo o sa na ra nova casa ao p da ponte, lado
mais servico de urna casa; a fallar no atierro esquerdo no pnme.ro andar onde mora o Bnlo.
da Boa vista no sobrado pintado de amarello XST Sacas grandes com farellos prxima-
derronte da >! rtrb. mente chegadas da America a Jaoo a saca ; no
E3" Alupa-rse urna canoa aberta que car- armazem de Antonio Joaquim delronte da es-
rega 4oo lijlos; na ra de S. Gonsalo L'eci- cadinha da alfandega.
" | XzT' O sitio denominado L-acunda com um
ur O Sr. que quera trocar a preta pela sobrado de pedra e cal, com bastantes arvo-
molalinha "queira aparecer para concluir o redos de fructo baixas suficientes para plan-
aiuste na'rua Direila venda da quina do be- tacoens de capim e pasto para sustentar an-
i !,.., .o.u nualmentc 6 a 8 vaccas de Icitc e muito ter-
co do sen gado. .
jy A. pessoa que annunciou querer 600 reno desocupado para planlacoens de lavoura;
mil rs. e outra de 100,000 anuuncie suas mo- a tratar no mesmo sitio com seu proprietaiio no
"' fim do ultimo beco que tem na estrada do
* tZT Furtaro do pescoco de urna menina, Rozarinho.
urna volta de cordao de ouro com 15 oilavas | SST Urna duza de cadeiras de palhinha e
e urna Cruz com 3 oitas a pessoa a quem um camap ; urna ou mais duzas de lacas e
forofferecido farofavorde lomar e levar garios com cabos de prala para mesa e sobre
no principio do alieno dos al'fogados em casa mesa, e a^casaes de chicaras muito finas pa-
de Silvestre Joaquim do Nascimento. | ra cha e cafe ; na ra nova ao pe da ponte ar-
tS- Arrenda-se um bom sitio parapassaro mazem que se vende quartinbas e fazendas
vero, no lugar do Montciro, com boa casa baratas. '
ty Barricas com louca fina e de excel-
lente goslo, contendo cada urna um com-
pleto aparelho a saber ; 10 duzias de pratos de
oilo e meias-polegadas ijisopeiros, i ditos
pequeos 18 pratos travessos duas sopei-
ras y 4 terrinas para mullios 4 pratos cober-
tos duas seladeiras, 5 travessas para podins,
doisourins duas barias com os seus com-
petentes jarros duas duzias de ti ellas 13
chicaras e pires para cha M ditas para ca-
f com os mais perlences anlogos rudo
por preio commodo ; defronte da lingoeta ,
ra da alfandega velha n. q.
C^- Boa tinta de escrever, engarrafada a
4Po, e sem ser engarrafada a 3ao ; na ra
Uii 1 .uh-i.i Velllit 11. J| IIO [II lliirii 11 ilinii'.
C?- Ou troca-se duas negras sadias por
dois moleques ou um negro voltando-se
a diferenca convencionada as negras urna
creoula de idadede o annos, perfeita cozi-
nheira e ensaboa bem e a outra de angola
de ao annos, engomma liso, cnsahoa, ecom
principios de cozinba ; na ra da cadeia velha
n/ 54 primeiro andar.
^j" Duas protas mocas com boas habeli-
dades urna muala de 50 annos de idade, en-
gomma cose cozinha, e ptima para ama de
urna casa urna preta quitandeira por a5o f ,
e um preto de 20 annos de idade cozinha o
diario de urna casa e bom servente de ra ;
na ra de agoas verdes casa terrea D. 37.
C7" Huma negra crila de 8a annos bonita
figura boa cozinheira cose cbam faz renda la-
va de suban e ptimaengomadeira ao compra-
dor se dir o motivo na camboa doCarmo l. 9.
tST Urna preta de bonita figura boa en-
para grande familia senzalla c cocheira ,
com muilos bons arvoredos de fructo ; a tralar
na ra do crespo loja D. 4-
Avisos Martimos.
' PARA LIVERPOOL a bem conhecida Ga-
lera Ingleza Emilie de primeiraclasse (AI);
quem quiser carre'gar, ou ir de passagem di-
ia-sc a Me Calmont & Companhia.
HARAOCEARA'.e Acaracu a Sumaca
Feliz Americana, segu viagem at o dia a5
do corrente ; quem quiser carregar ou ir de
passagem dirija-se a VTanoel Joaquim ledro
da Costa na ra da cadeia n. 1.
PARA A BAHA com escala por Maceio
o velleiro patacho Dois Amigos forrado c
pregado de cobre sahir com a maior brevi-
dade possivel. por ter seu carregamento qua-
si proinpto ; quem quiser carregar ou ir de
passagem dirija-se a Manoel Joaquim Pedro
da Costa na ra da cadeia n. 1.
C ompras
tsr O diccionario de Moraes da quarta edi-
co ; nesla Tipografa.
%& Um Magnum Lexicn e o primeiro
tomo de Selecta que eslejao em bom uzo ;
nesta TypograGa.
Vendas
XST Um preto rreoulo moco com ofticio
de canoeiro : na ra do eolUgiu D. b lado de
ierra no primeiro andar.
gommadeira costureira e cozinheira ; urna
dita creoula com as mesmas habelidades ; urna
dita de naco propria pra todo o servico ; e
um preto bom cozinheiro ; um dito de todo o
servico ; na ra largado Rozario D. 7.
SST Um sitio com urna casa de pedra e cal ,
na estrada da ponte de Ucha com 11 quar-
tos, i salas cozinha fora estribara para 6
cavallos senzalla rara pretos, a casa he
toda envidrassada duas baixas para capim ,
terreno para planlacoens arvores de fructo
de todas as qualidades ; a tratar na ra Di-
reita D. a ; na mesma casa arrenda-se outro
mais peqiftno com casa de vivenda terreno
para plantacoens e arvores de fructo.
BT Panellas e potes de ferro de todos os
tamanhos ; no esenptorio de Luiz G. F. di
Mansfield.
XST Urna molata e urna negra moca com
boas habelidades duas voltas de trancelim de
ouro letria as libras barris de manteiga ,
caf muito superior as arrobas e as libras e
tambem moido farinba de maranho muito
nova paos de chocolate a 90 rs., e genebra da
liollanda ; as 5 ponts D a3.
cy- Seguras erichs e malhos de pao per-
tencente a officio de tanoeiro por preco com-
modo ; na ra estreita do Rozario venda que
faz quina para o pateo do Carmo D. S!\.
zsr Urna por o de madeira de louro de
5 a Jo palmos de boa quadade ; a tralar
na ra da praia serrara de Joo Antonio Ba-
ptista Mu 11 i/..
t t de ris ou com os fundos que convier ao
comprador em fofa de portas n. 19 ; a tra-
tar na mesma.
S3^" Urna padaria ; urna da melhor casa
desteestabeleci ment ja a freguesada ese
acba trabalbando a dinheiro ou a praso
com boa firma a contento ; quem a quiser an-
n nete.
C?- Ou arrenda-se um sitio nos affogados ,
perto do embarque, tem commodospara gran-
de familia arvores de fructo, e terreno para
lantacoens ; a tratar no mesmo lugar com
os Rodrigues de Oliveira.
SSr" Mo armazem 'de lernaudes Jos Bra-
guez ao p do arco da Conceico feijo mo-
latinlio muito barato para escravos e fari-
nba de mandioca.
S2T Muito bons queijos do serid ; no ar-
mazem do sal da Boa vista.
CS* Superiores charutos da Havana e da
Cachoeira ; na ra do Cabug loja do Snr.
lianileira.
Cf Urna pequea venda com poucos fun-
dos e a casa lem commodos para familia, no
largo do Terco D. a lado direito ; a tralar na
mesma. _
$Sj~ Biscoto do Porto chegado ltimamente,
licor francez de diversas qualidades sag' de
primeira sorte superiores sabonetes de bar-
ba e vinho de Lisboa muito superior por
preco commodo ; na ra das Cruzes l). 7'.
tz?~ Urna porcao de travs de mangue de
5 a 3o palmos, por preco commodo ; na ra
da Florentina sobrado ao p da mar
SS7" Urna escrava natural do Cear de
idade de 18 annos proprio para todo o servico;
na ra da Cruz n. aa em casa de Manoel -Ri-
beiro da Silva.
C7 l m molque de idade de i5 annos de
bonita figura proprio para pagem ; um dito
de ao annos muito reforcado ; um dito de
18 annos de boa presenca cozinha o diario
de urna casa ; urna- moleca de idade de 1 a
annos, cose cha e tem boa figura ; urna es-
crava boa quitandeira e bem comportada ,
faz doces de todas as qualidades com perfeico;
urna dita com unja cria faz todo o servico de
urna casa ; e um escravo de meia idade mui-
fiel todos ests escravos se do a .contento e
se a fianco as boas vendas; na ra de goas
verdes D. 33. '
Escravos Fgidos
No dia a3 do p. p. fugio urna escrava
de nome Joaquina uc naco angola secca
do eorpo rosto redondo c bem preto levou
vestido de chita azul e outro preto; quem a
pegar leve a ra do Queimado sobrado D. 1 g ,
que ser recompensado.
ey A chase a mais de um anno e meio
fgida urna negra da costa de nome Catha-
rina ( se nao mudou o nome ) alta fulla ,
i|uando anda abre as pernas e deita os peitos
Iiara adiante ; quebrada de ambas as veri-
has e por isso sobre sahe-lhc a quebradura
para fora consta que anda pela Villa do Ca-
bo roga-se as atithoridades ou qualquer
outra pessoa a prendo, e erremeto a Boa-
vista ra do Arago D. 37 onde ser satisfeita
toda a despeza.
C? No dia 7 do corrente fugio ou furta-
rao um moleque de idade de 14 annos, de
naco angola com a perna direita meia torta,
e com frulas as canelas e outra no tornoze-
lo da perna esquerda levou vestido urna cal-
sa de brim transado pardo, e bastante compri-
da*; quem o pegar leve a Boa vista no becd
do Veras confronte ao de Joo Francisco epi
casa de Cbristovo Prato, que ser recom-
pensado.
tsy No dia aa de Julho do corrente des-1
appareceo da casa do Padre Manoel Jos Gon-<
salves na ra da Florentina perto da mar ,' -
um moleque de nome Benedicto ainda bu^
cal vestido somente de camisa de chilla azul;
quem souber ou pegar leve a dita casa a ci-
ma que ser gratificado o moleque ter 6 a 7
annos de idade.
S2T No dia 1 a do corrente frigio um preto
de nome Domingos de naco Imbaco alto,
pernas finas ; quem o pegar leve a trempe" ca-
sa pegada ao sobrado novo que ser bem
recompensado.
SSF" No dia 10 do'corrente as 8 da noite ,'
urna negra de naco angola de nome Joa-
na estatura regular de idade de 3o annos,
cor meia rulla tem a cara bechigosa e pre-
nha de 7 mezes levou urna troixa de roupa;
quem a pegar leve a ra da allandega velha
casa de pasto que ser generosamente re-
compensado.
tST Fugio urna negrinha de idade de la
annos vestido de metim verde ps grandes ,
e apalhetados belfcos grossos bonita que
parece creoula fugio no dia 6 do corrente,
de nome Francisca e de naco beuguela ;
quem ti pegar leve a ra Direita padaria D.
33 que ser recompensado.
CT Joomolequede idade de 18 a 20an-
nos muito conhecido por ser carcunda da
costa estatura pequea rosto comprido ,
beicos grossos parece creoulo rugi no dia
7 do corrente levou camisa de algodozinho,
e calsa de estoupa ; quem o pegar leve ao pa-
teo do Carmo venda D. 7 que ser recom-
pensado.
tZF Fugio no dia 3o de Agosto um negro
de nome Raimundo de naco angola de
idadede a\ annos levou vestido calsa de
ganga azul, e camisa de algodo da trra de
mangas curtas secco do corpo tem urna e-
rida na coixa que nunca sara ; quem o pegar
leve a trempe na primeira casa terrea da qui-
na ou na ruadas Cruzes D. 9.
C? No dia 9 do corrente pelas 7 horas da
noite fugio da casa de Manoel Buarque 38
Macedo una preta de nome Mara creoula,'
de idade de 3o annos altura regular ps
largos grossura medianna cor preta bei-
cos grossos dentes' limados com marcas de
feridas de bobas pelos bragos e urna em cima
do peito direito de um tumor que t'evc a pou-
co levando com sigo seu filho cabrinha de (5
ainda pago ; quem a pegar leve a casa do di-
to a cima na quina do beco do serigado no se-
gnudo andar que ser- recompensado.
SS?- No dia a4 de Agosto p. p. rugi um
preto de nome Logo naco calabar, estatura
regular idade de 5o annoS cara redonda ,
um pouco I tillo picados das bechigas bar-
bado muito regrista tem urna perna um
pouco mais torta do que a outra, e um joe-
ho grosso ralto de cbelos no alto da cabeca,
levou vestido camisa de estoupa seroula de
algodo e chapeo de palha ; quem o pegar
leve a ra das Quarteis D. 5, que ser recom-
[iiTisado. ,
Moviniento do Forto
NAVIOS SAHIDOS NO DIA i3.
RIO EE JANEIRO por Mace, e Bahia ;
Barca de Vapor Nac. Pernambucana M.
Francis Cobby ; passageiros Manoel Jos
de Souza Vianna com um escravo ,' Aire-
res Felis Jos da Silva Piauhense Anto-
nio Manoel de Arago e Mello Joo Poli-
rarno do Reg Barros rom nm criad" -
N1 miau Jos das Chagas, com a escravos ,
Jonne Antonio Lodero, Ignacio Pias>
Lima com a escravos e Francisco Fer-
reira Lima.
ENTRD0S*N0DIAi3.
RIO DE JANEIRO ; 2i das, Sumaca Nac."
S. Domingos de~ ob-tonel., equip. 11 M.
Manoel Ignacio Ferreira carga carne sec-
ca ; G. A. de Barros ; passageiros o fi-
jse Ignacio da Silva, e a escravos.a entre-
gar a Antonio Luiz Gonsalves Ferreira.
PH1LADELPHIA ; no dias, Brigue Ame-
ricano Thecdorede 199 tonel. equip. 9 ,
Mestre A. A. SLerd carga diversos gene-
ros; a Matbcus Autrem Companhia.
OBSERVACOENS
Seguio o seu destino o Patacho Ingle/ Lady
Louisa que havia entrado por franquia no
dia 9. ____
<
RECIFE NA TYP. DE M. Fr DE F. 18J9
_


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EE03H6MCO_5AX3BW INGEST_TIME 2013-04-13T03:18:15Z PACKAGE AA00011611_06126
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES