Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06118


This item is only available as the following downloads:


Full Text

i
lnno de 1839. Quinta feira
, r ,y
Tudo agora depende de nos reesmos; da nossa prudencia, modera-
So, e energa : continuemos como principamos e seremos apontados
um admiraco entre as Kaces mas cultas.
Proclamadlo da Assemblea Geral do BrauL
-----------.----- Subsereve-se para esta folha a 3#ooo por quartel pagos adiantados
wesia Typografia, ra das Crines D. 3, enaPracada Independencia
JD. 37 e 38, onde se recebem correspoudencias legalisadas, eannuuciosj
insiriudo-se estes giatis, sendo dos proprios assignanles, e vindos assig-
tiados.
Partidas dos Correios Terrestres.
Cidadeda Parahiba e Villas de sua pretendi...................\
Dita do Rio Grande do Norte, e Villas dem............,......fSegundas e Sextas Feiras.
Di'a da Fortaleza e Villas dem..........................\
Vill de Goianna..................................' ,.
Cidade de Olinda..................................X?oi <
Villa deS. Anto..................................Quintas leiras
DHa de Garanhuns e PovoacSo do Bonito.....................U'as lo, 24 de carta mez.
Dilasdo Cabo, Serinhaem, llio Formozo, e Porto Calvo............dem I ll( e ai dito dito
Cidade das Alagoas, e Villa de Macelo............'.............dem dem
Villa de Paja de Flores.................................dem 13, dito dito.
Todos os Correios partem ao meio da.
h DJ Setembro. Numero
CAMBIOS.
Setemro. 4*
Londres...... 31 a3ii|apor t?ooo ccd.
Lisboa....... i)o por o/o pre-aio, por metaloflerecdo.
Franca.......3io a 3i5 reis porlranco uoiii.
Lio de Janeiro 3 por o/o de premio.
IIU Moedas de (jjjUco rs., Velhas i4#Joo a i5/?ooo
Ditas i, ,, Novas i^joo a itjf5oo
Ditas de igooo n., XJIioo a 8#3oo
PRATA Pataces Braiileiros.......Infijo a i#65o
tt [Pezos Columnarios--------------ijjrUo a tSfo
tos Mexicanos------------------i(ioo a I#S4
Premios das Letras, por muz I i/S a lt|ipor loo
Moeda de cobre 5 por loo*.

Das da Semana.
i Sequnda-----S. Estevo Rei...............Ses. da Tbez., e Aud. do J. de O. dai.v.de m
3 TeVra.....S. Eufemia V. M..............P.elaco, Audiencia doJ. de D. dai.v. de m.
U QuhVu------S. Roa de Viterbo............Sanio da Theouraria Publica.
5 Quinta-------S. Antonio M................Sesso ra Tbez., c Aud. do I. de D. da a. vara.
6 Sexta.....S. Liban V. M..............SessSo da Thtz., c Aad. do J. deD. da i.-
y Sabbado-----Itjum S. Joo M.-----(-------.....INoha desp.
8 Domingo- Natividade deN. S. -----------
Man cheia para o lia 5 de Setembro.
As a horas e 54 minutos da tarde. As 3 horas e 18 minutos da nanliS.
tara.
RIO DE JANEIRO.
SENADO.
Sessao em 3 de Agosto de i8fy.
Presidencia do Snr.Diogo Antonio Fcijo.
Reunido numero sufficiente de Snrs. sena-
dores abre-se a sessao e lida a acia da an-
terior, approvada.
Expediente.
O Snr. primeiro secretario l um officio da
cmara dos Senhores depulados, acompanhan-
do a proposta do poder executivo que ixa
asforcasde tena para o anno financeiro de
18,0 a ib'4i, com as emendas approvadas pe-
la referida cmara ; a imprimir.
Sao approvadas as folhas do subsidio dos
Snrs. Senadores, vencido no terceiro mez da
presente sessao, e as dos vencimentos dos em-
pregados e despezas da secretaria e casa do
senado.
O Snr. Hollanda Cavalcanti requer que se
nomte um membro para substituir o Snr. mar-
auez de Barbacena na commissao de fazenda
urante a sua mok&a- Posuxa votos esle re-
querimento, nopassa.
Ordem do dia.
Primeira parte.
Sao approvadas em terceira discussao, para
ser remettida a outra cmara, indo primeiro
commissao de redaco, a resoluco do sena-
do, que declara no gozo dos direitos de cida-
do brasileiro o padre Jos Antonio Caldas e
para serem enviadas saneco imperial as
resolucoes da Cmara dos Snrs; deputados ,
que autoriso ao govern o para mandar passar
cartas de naturalisaco a Joo Huclcbens, e
Joo Diogo Sturz.
Segunda parte.
Entra em primeira discussao a resoluco of-
ferecida no seguinte parecer.
A commissao dos actos legislativos provinci-
aes, tomando em consideradlo o requerimento
do Snr. senador Costa Ferreira, feto na ses-
sao de i-] docorrenle, examinou a lei n. 79
de 96 de junho de 18J8, d'assemb'ea provin-
cial do Maranbo pela anal foro creados
para as diversas comarcas d'aquella provincia
prefeitos e sub-prefeitos e acba que a dita
lei provincial milla.
1. Porque com as attribuices conferidas aos
prefeitos: sub-prefeitos, emais agentes da po-
policia foro invadidas as attribuices dadas
aos Juizes de paz, e de direito ebefe de policia,
pelo cdigo do processo que geral e ni-
co para o imperio e so assemblea geral com-
pete alteral-a, derrogal-as, etc.
_ Tin,, cgf i'as!a e odios? a disnosico do
artigo segundo da dita lei provincial, prohi-
bindo que os vice-presidentes nao posso de-
mittir os prefeitos, e sub-prefeitos, quando ,
peta ici geral os v ice-presidentes exercem to-
das as attribuices e gozo das mesmas pre-
roeativas que os presidentes.
3 Por conceder aquella Le provincial aos
.prefeitos. sub-prefeitos e secretarios das pre-
feituras honras militares, que pelo V do ar-
tigo 10a da constituiso compete ao poder
executivo. ,. .___
i. Por invadir o artigo 19 da dita le pro-
vincial a lei de 18 de agosto de iii, quecre-
ou e organisou aguarda nacional.
Porlanto, a commissao de parecer que se
adopte o seguinte pro.eclo de resolu ao^
AP assemblea geral legislativa resolve.
Arligo nico. E' nul a e de nenhnm ef-
feito a lei n. 79, de a6de Julho de 1U8, da
alca pJvLldoMaianho que ere-
ou na dila provincia prefeitos, sub-prefeitos, e
agentes da policia.
Paco do senado 29 de Jullio de 18 '9,
Vellasques. Lopes Gama. Alencar, com
restric oes
O Snr. Almeida e Silva faz o seguinte re-
querimento.
Requeirro que se peco ao governo escla-
rec mentos acerca das reclamacoes dos pertur-
badores da ordem publica da provincia do "Ma-
ranbo, sobre a revogaco da lei de aG de ju-
lho de 183", e sobre a expulso dos portu-
gueses residentes na referida provincia. S.
R.
E' apoiado, e posto em discussao, ficando
suspensa a discussao da resoluco.
Le-se um segundo rcquei ment do Snr.
Almeida e Silva para que volte a materia
commissao.
U Snr. presidente declara que este segundo
requerimento fica para ser tratado depois de
vencido o primeiro.
Dando meio dia fica addiada a discussao
para se passar a outra parte da ordem do dia.
Terceira parte.
Continua a discussao do requerimento do
Sr. Alencar apoiado na antecedente sessao ,
pedindo^jue o arligo segundo do projecto da
cmara dos Srsdeputados, que interpreta o acto
addicional, e o arligo primeiro do projecto do
senado, sejo remetlidos urna commiso pa-
ra combinando-os, dar-Ibes urna nova reda-
ceo.
Dada a hora fica a discussao addiada O Sr.
presidente d para ordem do dia a continua-
co da discussao da resoluco que annula a
lei do Maranbo n. 79, de i88; primeira
discussao da resoluco annulando a lei da so-
bredita provincia n. 66 de i858, c depois do
meio dia acontinuaco da materia addiada.
Levanta-se a sessao as 2 horas.
CMARA DOS DEPUTADOS.
Sessao em 4 de Agosto.
Presidencia do Snr. Aiaujo Vianna.
As 10 horas da manh faz-se a chamada ,
e logo que se rene numero legal de Snrs. de-
putados abre-se a sessao, le-se e approva-
se a acta da antecedente.
O Snr. primeiro secretario d contado ex-
pediente lendo os seguintes officios.
Do ministro da fazenda, partecipando que
constando por officio do cnsul deste impeno
em New-York, ter-se fabricado ali urna porco
de olas de 5oooo reis, de que remetteu urna,
que foi a qui reconhecida falsa, e sendo de to-
da a urgencia antes que estas notas conlra-
feitas sederramassem no imperio, mandar pro-
ceder a substituido desta classe que a qui
circulava, o governo autorisado pelo arligo 15
da lei de 6 deoutubro de 181% mandou em
3 de fevereirode i8vH fazer a substituico em
todo o imperio das notas de 5oUooo res, em-
pacando nesta operaco notas nao de dilleren-
te feitio que ainda nao possuia mas das ou-
tras classes das imittidas em virlude do decre-
to do 1. de Junho dei834.
Aparecendo em circulaco no mez deno-
vembro do dito anno urna das referidas notas
falsas, e representando o inspector da caixa
da amortisaco a necessidade de marcar quan-
to antes um praso dentro do qual a substitu-
ico devia findar, e considerando o governo,
queoprazo de um anno era suficiente para
em todo o imperio se faser a mencionada su-
bstituico por portaria do 1. de desembro de
1838, determinou que elle findasse no 1. de
l'evereiro do corrente anno, continuando-se a
convidar por annuncios nao interrompidos, in-
sertos nos jornaes os possuidores a vircm
dentro d'aquelle piazo apresentar as ditas no-
las as eslaces compeltentcs para serem subs-
tituidas. Expirado o prazo representou a
praca do commcrcio, e alguns particulares re-
querero a sua prolongaco mas o governo
entendeo dever indefferir-lhes por motivos,
que sao obvios. E' oque lhc cumpre com-
municar em resposta ao officio que de ordem
d esta cmara llie foi dirigido em 3o de Julho
ultimo. A' terceira commissao de fazenda.
Do ministro do imperio remetiendo a co-
pia do decreto de 94 do mez prximo passa-
do pelo qual se faz merc a Antonio Joaquim
;\ unes da pensa annual deduzentos cqua-
renta mil reis. A' commissao de pensoes e
ordenados. ,
Remcttc-se commissao das assemblcas le-
gislativas provinciaes urna representacoda as-
semblea legislativa de Goyaz representando
o quanto difficultozo, e prejudicial aos ha-
bitantes da freguezia do Julgado de Couros d'
aquella provincia o recurso ao bispo de Per-
nambuco, pedindo a desmembraco desta pe-
quena freguezia do bispado de Pemambuco.
Fica sobre a meza para ser tomado em consi-
deraco pelo Snr. presidente o requerimento
de Anacfelo Jozedc SouzaCastro, tenente co-
ronel reformado de primeira linha.
Le-se c approva-se um parecer da com-
missao do orcamento da fazenda sobre a re-
presentaro da assemblea provincial do Piau-
hy cerca da convevincia de continuar-se na
villa da Parnaiba um edificio para alfandega,
allegando que as sommas que se despende
animalmente com o aluguel de um predio par-
ticular, que sirva de alfandega importarla
embem poucos annos na que seria preciso
d ispender-se de urna vez para construir-se um
tal edificio. A commissao do orcamento da
fazenda nenhum parecer pode por ora nlcr-
por semquesejaouvido primeiro o governo,
e de parecer que o seja ; e bem assim que
omesmogovernofaa levantar a planta e fa-
zer o orcamento da despeza de um ediffi-
cio para alfandega na provincia das Alagoas,
indicando ao mesmo tempo o local emque mais
conveniente seja collocal-a.
Le-se o parecer da terceira commissao da
fazenda sobre o requerimento do Snr. deputa-
do Ylonlezuma para se saber se o artigo 18
da lei de 11 de outubro de 1837 est aluda em
vigor vista do art. 3- da lei de ao de oitubro
de 1838 ; e se aquelle art. *tfl autorisa o
governo a emitlir metade da despeza oreada
sem aitenco ; reeeita mensal, ou se a auon-
saco feita n aquelle artigo referido se limita
to somente a urna anticipa o de renda e
nunca a poder o governo augmentar sem ex-
pressa roncesso do corpo legislasivo a divi-
da nacional sempre que em seos clculos, jul-
gue a despeza defficiente.
A commiso conclue o seu parecer, sendo de
opinio que na lei do orcamento que se discu-
te se insira o seguinte^artigo. .
A autorisaco concedida ao governo pelo
arti"o i* da lei de 11 de.outubro de 1H37,
para' emittir bllhetes do tbesouro, quando
a receita for deficiente deve ser cumplida le
maneira que a somma dos bilhetes em circula-
do nunca exceda a quarta parte da renda an-
imal obervando-se de mais todos as oulras
condicoes prescriptasno dito artigo.
Le-se igualmente o voto em separado do hr.
Mara do maral, em que conclue que o artigo
l3da lei de 11 de oulubrode 18 7, nao esl
em vigor
O Sur. presidente declara que em conformi
dade do regiment da casa tanto o parecer,
como o voto em separado, ficao addiados
Sr. Vianna pede a palavra pela ordem c
requer que o parecer e voto em separado vo
a imprimir.
Consulla-se acamara, c esta decide pela af-
firmativa.
O Snr. Montezuma pede que va' a imprimir
coin urgencia.
Continua a discussao addiada na sessao an-
tecedente sobre o requerimento do Sr. Lanas
para que se pergunte ao governo quaes sao os
lentes da academia de medicina da Baha que
acumulo empregos e quaes elles sejo.
Nao havendo mais quem falle sobre a ma-
teria o requerimento posto a votos, e rc-
geilado
Le-sc, e entra em discussao o seguinlc.
lici|iieiro qnescpccaao governo o officio ,
infonnaco, ou represenlacao do presidente do
Pemambuco, relativos deslituico do ex-ius-
pcclor da alfandega de Pemambuco Manoel
Zeferino dos Santos ; igualmente informan-
do quanlo renda aquella alliidega em 18.14 o
t8-;5 em diante at<: a demissio do referido
inspector -N. Machado.
O Snr. Carneiro Leo oppoe-se primeira
parle deste requerimento nao duvidando cm
tudo approvar a segunda. Oppc-sc a pri-
meira parte do requerimento, por que enlendo
que o que se |>ede contrario ; ordem do
servico [tublico. Mostra em como as infor-
maces das autoridades superiores a respeito
de seus subalternos nao se devem lomar pu-
blicas ; e que o presidente de Pemambuco nao
exilio a deslitui ao deste empregado Julga
que si acaso' se quer sustentar a boa ordem do
serv o\ nao se "devem exigir taes inl'ormaves,
e porisso vola contra a primeira parle do re*3
querimento, eapprova asegunda.
0 Snr. Nunes Machado, sustentando o seu
requerimento, declara quetendo a palavra pa-
ra fallar sobre o or amento, o nao podia lazei
sem que viessem eslas informacoes que pede ,
eque julga muito necessarias.
A discussao fica addiada para se passar a ou-1
Iros objectos,
Ordem do dia.
Primeira parte.
Elcicoes de Sergipe.
Continua a discussao do parecer da com-
missao especial e emendas apoiadas.
E apoiada a seguinte emenda.
Sao nullas as elcicoes feitas em i836 na
provincia de Serpipe a actual legislaurra, c
slo ESJ3 communicado ?.o govrno para que
mande proceder nomeaco de ovos eleito-
resdo mesmo modo que sepralicou com os
collegios de Pianc Rio do Peixe, e Campia
Grande da provincia da Paraiba, recommen-
dando, e fazendo saber1 pelos presidentes das
provincias da s autoridades, que se ou-
Iros abuzos apparecerem, ficaro infractoraj
da Id privadas de terem representado na
cmara dos depulados. Salva a redaccao.
Carneiro da Cimba. _
1 e-se e apoia-se o seguinte requerimente da
additamento. .
Reqneiro se peca ao governo copia do avian-
do ministro do imperio expedido a cmara
munipal daParaba sobre eJeieoes firandsj
noentantoaddiada adiscuaso do projecto n<
a3 dele anuo. -.\ une. Machado.
OSnr. llennqucde Hcsci.de vola contra o.
addiamento porque julga que o pedir-se e^
I
f



2
DIARIO
D E
PEBNA M B CO
r'1 i .) II
yy
se documento : camir;i municipal da Para-
ihanada tem comas eleices deSergipe: por
tanto appnnando paya que se peca o officio,
que se requer igeta o adJiamenlo.
Dopois defallarem sobre o addiamcnlo os Sis
Nunes Machado Ottoni, e Cameiro Leo,
posto a votos e nao approvado.
Achando-se na sala i 111 medala o Sur. mi-
nistro da fazenda recebido com as forma li-
dadesdo estilo c otCupa o competente lu-
gar.
Segunda parle.
Discussao do orcamcnlo.
Continua a discussao addiada sol)re a fixa-
cao da despeza do ministerio da fazenda,
e emendas.
Tomo parto na discussao os Snrs. Cus-
todio Correa ministro da fazenda Gonsalves
Martius, Paula Candido Rontes Vesgueiro,
Henrique de Reseade, e Cameiro Leo, e
anda fica addiada pela hora.
O Snr, ministro retirase com a mesma for-
malidade com queenlrou,
O Sr. presidente d para ordem do din a
mesina materia, e levanta a sesso das duas
tioras e meia da larde.
obtendn em 7 deste mez. passagem do dito Ba-
la I Lio Provizorio de Ca adores, para o do
seo Commando deixou de se aprezenlar e
est auzente.
DU0--A0 mesmo remeltendo-lhe as guias
dos soldados Joze Francisco de Jezus e Mi-
guel Joze Carlos ltimamente vindos do Rio
Grande do Sul.
da 37.
OfBcio Ao Director interino do Arsenal
de Guerra remeltendo-lhc para ser compe-
tentemente archivado o Consellio de Disciplina
feilo ao dizertor da ( ompanhia d'Artfices An-
tonio Lasaro do Sacramente.
PortaraAo Commandante interino do 3.
Balalhaode Artilheria mandando d'ordem
do Exm. Snr- Presidente communicadaem
ofticio de hontcm datado dar demican ao
soldado Antonio Joze Bizcrra por 'ser o ni-
co arrimo de sna pobre Mai.
PERNAMBUCO.
COMMANDO DAS ARMAS.
Bxraoranra noniA at de agosto.
OfticioAo Exm. Presidente communi-
cando-lhc que deixou de ser nspecionado
pela .Itinta da Sande o Alfares da Guarnicao
da Parahiba do Norte Joo Concia I'eio,
romo ordenara em seo officio de 2;) de Julho
ultimo por nao ter sido encontrado nesla Ca-
pital e nem topoucose recolhido a eUa co-
mo se llie determinara em o annuncio de 3
deste mez insirido no Diario de Pe nam-
huco.
DitoAo mesmo Exm. Sur. devo! vendo
Iba o rer|uermenio do brigadeiro Reformado
Aleixo Joze de Oliveira que ao Govcrno Im-
perial suppliea va atraa de lbe mandar i ju-
ta r aanlij'uidade do Posto de Coronel da dala
da proposta que a elle o elevou a exemplo
d ostros em iguacs circunstancias", e pagaros
solos que como tal deixou de pereeber e in-
formando que o referido Hrigadeiro em vis-
ta dos exemplos citados c comprovados cs-
tava a seo ver no cazo de ser benignamente
diluido entretanto que o pagamento dos ven
< menlos atrazados, s devia ser realizado
quando por ventura conseguirse contar a an
tiguidade pedida.
Dito^o mesmo Exm Snr. transmitlin-
do-lhe o requerimento do Alferes de 1. Linba
Antonio Bernardino dos liis, que em razo de
sua auliguidade c servicos supplicava ao
Govcrno Imperial a promucao ao 1 oslo immr
diato e informando que o Supplieantc ti-
nba regular comporlamenlo sem ola e fci-
to as Campartbas de Jacuipe c Panellas de i83a a |835 ,
leudo sido nesla ultima ferdo. Que por is-
las razocs e haver ueste mez marchado para
a Provincia do Y'aranhao dchcllar a faceao
que 011/011 pertubara publica Irnnquilidade,
eslava a seo ver nas toda aCOntemplataS do Govcrno, conseden-
do-lhe o Posto requerido.
Di loAo inspector da Tbezouraria de-
voi vendo-Ihc o requerimento do Capilla Al-
danlo d ordens Manoel Joaquim ihOlivcira .
que pedia se lbe mandasse forneeer nova
Cavnlgadura, por se ter vencido a que
recebera a 7 de Agosto de i83a einforman-
do que sua pretcni o era firmada nas dispozi.
coens do iodo Plano que acompanhou o De-
creto de 6 de Dezembro de ib" 10 que orga-
ni/ou o 1. Regiment de Cavallaria de
I inba da Corle 110 qual se eslipulou seta
annos para o consumo das Cavalgaduias con-
sedidas aos ohViaes, que as devem ler pela
nature/a de seos c\ercirios.
J>itoAo ('ommandante o <* Bsalho
Provizorio de Caradores Expedicionario ao
JV/aranlo enviandolhe ns guias ou es da
officio dos Officiaes do Batalho soh seo Com-
mando.
DitoAo Major Commandante lo Danaai-
to dandolbe varios esclareinicnlos que pe-
dir acerca das sobras do rancho dos remitas.
LitoAo Director interino do Arsenal jie
(tierra mandandoasserltar praea voluntario
na Comnanhiad Arlifices ao raiiuno Joze Joa
jurmdo Nascimento, por ler ionio infornta-
na a preciza ptidao
ioAo Commandante interino do 3..
ffalalhiio d'Artilheria mandando considerar
Vm deligencia as ordens do Inspector do Ar-
senal deyMarinha ,*lo soldado Joaquim Joze
Barr t .'
rtoA o mesmo mandando considerar
dtzertor o soldado Antonio Joze Mauricio, que
TI1EZORARIA DA FAZENDA.
EXPEDIENTE DO DA 5C) DB ACOST,
Officio-Aolr.spetor da Thezouraria da Pro-
vincia das Alagoas parleripando-lho a' remes-
sn pelo CapitSo Teen te Joaquim Joze Igna-
cio Commandante do Brigue de Guerra na-
cional Costanca das cento e cincocnla gra-
nudeiras, e do corrame que eucomendou
1
do lempo para esse fim ssiicedido os vol cravo de Joaquim Pereira.de Mendonca fa-
baixo declarados eni marcas vio apona- leseido alogado segundo a visloria que
dasnoEdilal afixado na Porla da mesma lie- n'elle se proceder ^
parlicao coutendo algumas mercadorias ava- i Dos Guarde a V. Fx. Prefeitura da Cu-
riadas e oulras em estado deseonlueido pelo marea do Rccife 4 de Selembro de i83q.
prezentc se adverte aos seus Proprietarlos a Jllm.l'.xm Sr. I'rancisco do Reg Barros, Pre-
que as despaehem ; as primeiras no precizo
termo de 5 das e as ultimas no da Imita
contados desta data findos os quaes se pro-
ceder a venda dcHes cm hasta' publica e a
consumo aquellas que pelo seu m.o estado
deixarem de ter licitantes sem | que contra
o multado deste procedimcnlo posso alle-
gar couza alguma.
E para que ebegue ao conhecimento dos in-
teressados se raandou publicar pelo 4)ario.
Alfandega de Pcrnambuco 3 de Selemliio
dfc 18 9.
Vicente Tbomaz Pires dcFigueircdo Camargo.
Inspector.
I Maquina de madeira 1 barril 1 cai-
xa 'i barricas 1 dita U molhos de canu-
dos 1 barril ludo em estado desronbecido,
t Barris 5o caixas vidros 15 ditas, 11
ditas 99 ditas 53 ditas 16 ditas i cai-
xas com rap 8 ditas s barris 1 dilo 1
canastra, 1 barril \ molhosd'albos, 1 pbr
cao de fohas louro 1 a caixas va/.ias ,
ricas, 1 barrica, 3o ditas, 16 ditas,
de tipoia ludo em mo estado.
1 Kir-
1 bar-
I pao
>ara o Corpo de Policia c tambem a quan-
ia de 5:;ooUooo reis em IS'otas rcslo da
prestaco de t:oooUooo reis que se refere
a ordem do Tribunal do Tbe/ouro I-'ublico
Nacional de 3o de Marco do crrente auno.
DitoAo Inspector do Arsenal da Marinba
para declarar com a brevidade possivel
visla da relacao que se lbe enviou das em-r
banacoens com que se fisero despezas por Direilos de 7 por cenlodc Ex-
csla Provincia n 1 prox. passado anno financei- poilacao
ro quaes das mesmas estivero eslacionadas ,- Tiitos de 2 por cenlo de dita
e quaes somenle aporlarao. Di los deAncoragem
DiloAo Director do Arsenal de Guerra Ditos de depozilos que excede-
para mandar entregar ao i Pillo Stiro' rao de auno
Gomes da Cruz os quatro Caixotcs rom as Emolumentos de Cerlidoes
cenlo e cincuenta granadeiras eos 15o cor- Sirade5 por cenlo das ven-
reames que pelo mesmo Arsenal se aprom- j das das Embarcaces Nacio-
ptarao para a Provincia das Alagoas a fim naes
de serem embarcados no Brigue de Guerra Papel dos Passaportcs Impe-
h acional Constanca que se destina mesma raos
l'rovincia. Mulla por infracao do Regu-
I orlariaAo Tbezoureiroda Fazcnda man- : lamento
dando entregar ao Capitao Tencnle Joatjuim
Joze Ignacio Commandante do Brigue de
Guerra Nacional ConsUuca a quanlia de
5 700U000 reis em olas do Novo Padro afini
de leval-a a l'rovincia das Alagoas e en 1 re-
gal-a a respetiva Thezouraria da Fazenda.
- A Paula be a mesma do numero i83.
MEZA DO CONSULADO.
Pendimenloda Meza do Consulado de Pcr-
nambuco no mez de Agosto p p.
ai:i8iU5;o
tU-oi
4:2i4U4ai
u6U3t
4L!o.^o
4oU5oo
U200
3U85o
THEZOURARIA PROVINCIAL.
Rendimenlos das Provincias.
Dizimo do Assucar das Ala-
goas
Dito do Algodo de dita
Dilo de dilo da Provincia
Dilo do Assucar de dita
Rendimcnio Provincial.
P.izimo do Algodilo dcsla Pro-
vincia
Dilo do'Assucar de dita
Dito do Caf de dita
Dilo do Fumo de dita
458U63I
56fUo.5/f
5gU6q5
4U/75
zidente da Provincia Francisco Antonio de
S Brrelo Prefeito da Comarca.
CMARA MUNICIPAL DA CIDADE DO
REtIFE.
I. SKSSA ORDINARIA DE 17 JUNIIO DE l83).
Presidenda do Snr Silva.
Comparecern os Sms. Rios, Souza, Cha-
ves Oliveira e Figueiredo ; fallando com
cauza os mais Snrs.
Abeita a SessSb e lida a Acia da antecc-
dcnle foi approvada.
O Secrelario dando conla do expediente
mencionou o segninte ofticio
Do Juiz de Direito .'oa Joze Ferreira de
Aguiar designando o dia 19 de Julho prxi-
mo futuro as 10 horas do dia para ler princi-
pio a 4- Sesso dos Jurados; dciiberou C-
mara que se olliciasse ao Donror Promotor pa-
ra vir manbaa fazer o sorlimento.
Conlinuou-se com apura o dos votos pa-
ra a Eleicao dos Membros Assemblca Pi 0-
vincial.
E por ser dada ; ora levantou-se Sesso;
e mandaro fazer a prezentc em que assigna-
rao. E eu lulgencio Infante de Albuquer-
qne e Mello Secretario a escrevi. Silva ,
Pro-Presidenle. Rios Souza Chaves ,
Oliveira e Figueiredo.
Est conforme,
O Secretario.
Fulgencio Infante de Albuquerque e Mello.
Administra-a5 dos Estabelccimentos de Ca-
rldade.
Perante a Adminisliaia dos Estabelcci-
mentos de Caridade se liade arrematar a quem
mais der as rendas da caza D. 3 na ra de S.
Tbcreza : as pessoas que se propuzerem a ar-
rematal-as podei. comparecer no Grande
Hospital fiestaCidade no uia t do crtente mez
as 4 horas da tarde.
Salla fias Sessoes d'Administrac/a dos Fsta-
belecimentos de Caridade 4 de Selembro de
|839.
J. M. da Cruz.
Escriplurario.
Co ni municado.
i
EXPEDIENTE DO* DA 32 DE AGOSTO.
PortaraAo Thezoureiro das Hondas Pro-
vinciaes determinando em conformidade das Taxa de 4o rs. por sacca de
ordens do Fxm. Prcsidenle de 19 do cor- Algodao inspectado
rente por copia que entregue ao Coman-
dante Geral do Corpo de Policia a quan-
lia de ciooUooo reis Consignada pela l.ei do Fjlade 40 rs por fcicho dito
Orcamento N7< para a remonta dos (a- Dita de ao reis por barrica e
\alos da Companhia de Cavallaria do mesmo
Corpo.
DitaAo mesmo determinando em virlu-
tle da ordem do Exm. Presidente por co-
pia que promptamenle abone dous me/es de
sidos a chantados ao 3 Comandante do
Corpo Policial Francisco de Paula brrelo ,
que tem de partir com brevidade para t'om-
mandar o destacamento da Comarca da boa-
Dita de 160 porcaixa de Assu-
car
saeco
Descont de iG por cento dos
ordenados de Julho
ue lbe compele desde que foi' deira fie sicopira para conslrurao ; hum mas-
ira o sohrcdilo Pobl por ter lio de jo palmos de cumplimento c 33 pol-
1 hi-evidade para a Comarca da das de grossura, esleirs d'Angola pc-
visla.
PortaraAo mesmo ordenando que en-
tregue promptamenle ao sobredilo ollicial a
(Miintia de t>4coo reis para a compra de huma
cavalgadnra q
despachado pa
de partir com brevidade para
boa-vista.
lhn. Snr.Posto huvt- opcdiilologo
que recebi o seo ofticio de boje as couvenienUa
ordens para o pagamento do pedido que o
acompanbou lodavia apresso-me em par-
liripar-lbe que, no cofre nao existe dinbeiro
algum aim de que V. S. recorra. como
diz no predilo ofticio ao# Elxm. Presidente
para providenciar respeito.
Dos Guarde a V. S, Thezouraria das
beodas Provinciaes fie Pcrnambuco aa fie \-
gostofie 1839. O Inspector fia Thezouiariu
C*) l'>aplist ereira l.obo Jnior. lllm.Sr.
Amaro Francisco de Moura, Administrador
I acal da Repartico das Obras Publicas*
Liquido 35:4oi384
Pernambuco 1 de Selembro de 18J9.
O Administrador.
Miguel Arcanjo Montciro de Andrade.
Se o 3o do art. 179 do nosso Cod. Fund.
3 845Uo"3 p concede a lodo o l idadao o direilo de pelico ,
3:36tU318 i desle sagrado direito jamis devenios abozar ,
8U677 's' '" '1 devem-se fazer aos Poderes Legislali-
5UJ85 vos c Executrvos reclamacoes justas q' de modo
algum se opponhao aos interesses Naeionacs;
4tUjPo e seos Poderes devem de prestar a mais seria
. allenco a estas queixas ao contrario deverao
a6Ua 4U44o E' das representacoes derigidas ao Corpo Le-
gislativo pelas Provincias da Babia e Minas
2U010 Geraes insertas em o Diario de Pernambuco
n 175 tendentes a esclavatura, com que
&jU2()5 nos oceupamos deslas repre-cnlai oes cujo
scopo (' pulverizar o direito mais sagrado do
- A Pauta he a mesma do numero 18a.
ABSENAL DE GUERRA.
O Arsenal de Guerra compra brim ma-
Jiiversas Repartiyocns.
ALFANDEGA DAS FAZEKDAS.
EDITAD.
Achando-se nos Armz- desla Alfand, alem
derneiras ; huma canoa fie barro de fa/er
lou.a ) e finir de ai eia para amacar cal: as
pessoas que laes gneros liverem derijao-se
ao mesmo Arsenal para se fazer os ajustes ,
e pnferir-se a quem por menos vender.
Arsenal de Guerra 4 de Selembro de 1839.
PilFFEITURA.
r-ARTE DO DIA 4 DE SETEMDRO.
Illm. e Exm. .cnr. -Sou a parlecipar a V.
Exc. que rnente forao nrezos hontcm a nii-
nha ordem Pedro Francisco pardo, e Ja-
cinto Goncalves prelo, pela 1. palrulha do
districto da Ribcira por hriga cujos przos
tivciau o competenle destino ; eque o Sub-
Prefeito da I ieguezia de S. Antonio me com-
municou que ontem pela manbaa appancera
no comoroda praia fio Corlume das 5 Ponas
o cadver db preto Domingos caneiro (s-
iiomem redusil-o a escravidao. E' assim
que se falla a equidade natural assim que
os representanles pedem aos nossos Legislado-
res que Ibes concetlao direito pan opporem-se
as nossas leis ao artigo 171) do Cof. t rim. ,
que com mi 11a a pena de pannos de prizo a
aquclle que rcduzir a escravidao a pessoa li
S ii', que se achar em posse de sua lihcrdade.
os que:
v res:
' Nao serao os Afrf anos homens li
fez a lei alguma exceptlo ao principio
consagrado no artigo supracilado ? Nao ser.i
exactissimo o principio das Inst. de Libertinis
omnes liben nascunlnr c da L. 3^ (f, fie
Regul. Juris finines bomines mquales sunl i1
Dcixantlo porem estes principios nos f|iiaes
S nao podera con>ir o inleresse mostraremos
quao mas de rasoes e fundamenlos sao as re-
presentacoes que ora combatemos.
Em a repi-esentaiao pela Babia pedese a
deroga cao da Lei de 7 de Novembro de i83i
na parte que reputa livres aos Africanos im-
portados logo que se;a6 postos em trra. t
A raso em que se funda esta petico |>ara a
derogacao da lei, foi quir a mais poderosa
que os Legisladores tiverao em vista para ob-
star-sc a violacao d'ella : convidar-se por
tanto a Iransgressao da lei, afastar-se esla
grande barreira que acha os prevaricadores.
A medida jicdida disem os Representan-
tes tendea afaslar o perigo aque urna boa
liarle dos represenlanles est exposla pois
quetendo-seintrodnrido Africanos por con-
trabando nao faltar um dia quem Ibes lem-
,


DIARIO
D E
PIRNAMBUCO
bree disperto odireilo que a citada lei Ihes J cano tem diminuido depois ft yiagem de Co-] visitas domiciliarias, e que
contere, resultando d'islo grande damno lomhb ; e Malthus diz que as privacoes inse- elle nem o Caelaninho viriao
na 80 individualmente aos que o tem mas pariveisde um povo dominado, achar-se- tudo elle cstava salisfeilo do comportamento
amesma lavoura em geral Sf. Se adespeito d'st a verdadeira causa. | do General, que liavia tomarlo medidas s-
da Leide 7 de .Novcmhro de iJi considerar Recorramos ainda a experiencia dos Scnho- las. Que o Fortuna participara a denn-
s aos__|n'e|'sesm Africanos importados no res, el les quedigao que numero de escravos cia ao Caetaninho', de quem era particular
tem comprado e que numero tem nascido amigo c que os Mancos a publicarlo por to-
e que numero tcm morrido clles que digao, da a parte viudo assim a frustrarcm-su todas
quanto monta, sobre cada ioo, asna perda as deligcncias c a elle ser olhado lerrivel-
annual. Na Jamaica onde liavia c ha um mente pelos conspiradores que tres vezes o
consellio de proteccao a favor da cscravatura ,inzer.io assassinar. Dcclarou-nos os nomes
vio-se por um registro apresenlado Assem- aos seus assassinos julgamos dever patera
bh'a que em i^i? achara-se iifjUooo escravos, ocriill-los para nao inutilisar a marchada
e em i8 achara-se3i;Uooo .- em 181 { 3i5Ui Justica.
e em iSi5 3i3TJ: e maior derresci ment ob- \ bisse- nos mais que urna vez fra salvo da
servou-se ainda emoutras Colonias. Com is- morte pelo secretario do General, a que! es-
to prova-se nao so que a reprodcelo dus lava summamenle agradecido. Que entao ,
escravos nao pode recompensar a vantagem a instancias do Caetaninho fra preso nos
que tem o trabalho livre sobre o forcado co- congregados pelo Pacheco, Administrador
mo lambem que pessoas de muitas proprieda- do Concclho c mettido no Aljube : que den-
les ficara reduzidas a metade, eque os Se- tro das 24 horas o Pacheco s o fra ver pe-
por isso j nem" proposto Libello de suhnegados ; sua N adras
ao Porto. Cora U*J. Antonia Florinda Pcssoa de \ ello em
Brasil, dilicultando assim o contrabando
pois oue o perigo da perda nao cessa ainda de-
pois. do desembarque, arrostrad os refracta-
rios todos os perigus que acconlecer saliendo
laes negociadores pie apenas tem de escapar
s Vstase vigilancias do (loverno durante a
viagem e jue finda esta fnnpieia lodo o seo
poder? Ao anima-sedes! arle a infraeco da
lei e nao se tornar esta Ilusoria ? O Bra-
sil est ohrigado a valer-se de todos os meios
que leudad a terminar o Commercio de cscra-
vatura aa Costa dArica |X)is que no Trata-
do com Inglaterra de a3 de Novembro de i3a6
i'oi este o desejo que o Brasil manifeslou. A
honra nacional, os Dlreitoa do homem exi-
gem total despreso para com as representacOes.
Se os representantes receia segundo di
sem que nao-faltar quem avise aps Africanos
de seos direitos cumpre que arrepie da car-
reira criminosa em que cada um estiver nao
se peca ao Governo que determine a reducro
de escravido a pessoas livres que vierao por
raeio da (orea aportar em um paz onde tra-
ta-se de extinguir com o andar dos lempos a
escravido.
Temos pois demonstrado,que a derogacao
da lei na parte indigilada, tornar-se- Ilu-
soria : convida ao trafico ; contraria ao nos-
so sistema de Governo e por consequencia
dupa de completa rejeicao.
Exige a nossa segurunca pessoal, exigem os
principios da Sciencia Econmico-Poltica (pie
se nao iniprtem Africanos no Brasil, e por
isso o Tratado que temo* cana Inglaterra -nos
convinhavel.
A escravido se cppe a accumulacao de ca-
pi laes, q-ue conslituein a riqueza ; um ob-
stculo a toila invenco, ou adoptan de toda
descoberta propria fl facililar a produc.ao ; e
se oppc ao exercicio de toda arte, que exige,
da parta do artista toda alinelo intclli-
gencia e destreza. O eseravo nao procura des-
envolver sua intelligencia se nao para escapar
a violencia de seo Senhor ; nao tem motivo
para toitiar-se maisinlelligente e induslrioso,
pois que nao pode dispor dos productos de sua
industria. Exinguese n'elle lodo o princi-
pio de aclividade, nada o excita a faser pro
gressos : v que os seos exforcos para melhor e
mais rpido trabalho nenhum bem produz pa-
ra elle e nem para sua mullier e seos filhos.
Os castigos corporaes podem milito exigir (cr-
ios movimen tos-do corpo, mas nao pode cre-
ar esta energia que d um trabalho esponta-
neo. Alein disto urna forca pie fosse desti-
tuida de destreza intelligencia e moralidade ,
nao poderia pro\luzir, e ainda menos conser-
var avulladas riquesas qualquer que fosse
o grao de sua energia.
Os solidos argumentos em Economa Polti-
ca os fados HH prosa "i a nossa assercao. Em
quanto os Krnanos mesmos cultivaran os seos
campos a Italia era elogiada pela ferlilidadc
e abundancia de viverts; porem cabio a agri-
cultura quando Coi abandonada aos escravos:
liesajjarocerao os pequeos proprietarios ; e o
iiesnio paz que apresentava oulr'ora o as-
pecto risonhode um sem numero de Villas ha-
bitadas por horneas livres e liecs tornou-se
una vasla solido onde apenas se via aqu e
all alguns [Kilacios magnilicos. O Conde de
ycrnstorl conlessou que depois que libertou os
seos Aldeoes a sua randa annual se achava
augmentada pelo melhoramcnlo da cultura
em o valor de 17:698 rixdollcrcs. Em quan-
to durou o rgimen feudal lempo em que
todo trabalho era exercido por escravos, o
Commercio tinha pouca extensao : as fabricas
nhores devem de ter era vista o porvir ,
lar de substituir a estes bracos livres.
O Acadmico Bahanho.
A Conspiracao Bracharense.
rasSode ter ella oecultad) no inventario nao
si'i bens j existentes ao tempo da morte da
Mfii do nn uncante mas tambem todos os
escravos gado, e predios do ca*al 5 e por ser
constante ipic a dita sua \ ai!ra-la em qualida-
de de curadora de sen muido demente tem
vendido sem Hcnca do Juizo alguns escravos ,
e pretende alienar desta forma lodos os bens ,
d annunciantes protest o leiviodicarest 1 bens
alienados com loda a nullidadc em prejuizo dos
descendentes.
I eseja-sc fallar ao Sr. Too Luiz, vin-
do hfl lempos em um dos vapores da Babia,
cajo Sr. li cm algum tempn ali estabelecido t
qneira annunciar sna moradia ou fallar com
o annuiiciaiile lia na do \ gario I). do/e.
Pferdeese do principio do atierro dos
Aflbgados at o Jeqoi nmeaiKio com drogas
debotot -. a pessoa que o tiver adiado, ou
delle souber dii-ija-se a padaria no mesmo at-
terro I), dtele pie ser recompensado.
Quem precisar de uma ama parda for-
&
e Ira- dindo-lbe os papis que provassem a denun-
cia mas que elle responder que o" nao re-
conheeja por Aulhoridade nem por amigo,
que se pozessefra, alias grilava : pie eolio ra, com muilo 0111 leile, e sem (illio diri-
os conspiradores convencionrao mandalo, a-se a ra do lio/ario larga sobrado de dous
preso para o Porlo ou para a (ialliza com o andares unto a botica D. oito, no segundo
um de o assassinarem na estrada; porm que ansiar,,
Iloje 15 do corrente tomos procurados pelo o Juiz substituto'e o Delegado suspejidera a r^j- Jlo Manocl Tereira de Abren faz sci-
Snr. Francisco GoncaKes orJespanliol que marcha, e requsitra ao Adminislrador,' ente aoThezeureiro da l.oleria do Seminario-
denunciou a Conspiracao <{e Braga, e delle pcdndo-lbe a razao da prizao que esle a de- d'OIinda que no primeiro do corrente mez
obtivemos varios apontamentos sobre a men- r,i > e entregara ao preso ; que o carcereiro do lbe l'urlarao uma carleira em a qual forao dois
cionada conspiracao os quaes offerecemos aos Aljube lbe pedir que negisse tudo ; que en- Bilbeles iNs. ,<&5"( e j5'o e por isso s-
nossos freguezes, debaixo da respansabilda- taofizera a sua declara Ao em (Irma, e fra mente ao annunciante devem ser pagos -
de do dito Sur.
O Ilespanhol chama-scD. Francisco Gon-
cales ; e joven tri;pieiro e boa figura : na-
tural de Villa Noia Partido de Sant-Iago
de Compostela: a sua ocenpaco Advogado ;
seu Pai um Cavalheiro Administrador de
Rendas. Sahiu da sua trra om destino a
esta Cidade para se divertir e liie deu pas-
saporte em 17 de Janeiro passado o Capilao
General de Galliza.
mandado para a priso do Castello.
(('ontinnar-sc-)
os
nao a
premios aprescnlando os Bilbeles, e
\ outra pessoa ainda que os a])iesente.
S3* Aa ra de 1 lorias C4za IJ. 4i ensina-sc
pequeos a ler. eacrever, contar. Gramma-
tica Porlugiii'za e termos le civilidade por
muito romniodo preo, com lod 1 o cuidado,
6 applicaeao ; quem perlendcr admillir seos
na na
1 tam
THEATB PIUJCO.
Grande Galla.
Da Sette e Oito de Setembuo ,
Anniversario da Independencia do Brasil. filhos dirijase a mesma ca/.a
Uma mageslosa Overlura dar principio ao bem se receben pequeos pensionistas,
grande cxpci lacillo leste dia quesera execu-1 C7" Aluga-se urna caza terrea no atierro
Chegandoa Tuy entrara elle em um lio- tado pela maneira seguinte Hepresentar-se-'dos AITogados xim seis piarlos, duas boas
tcquim onde dous homens estavao fallando ha um Drama anlogo ao Dia, cantan- salas e mais uma de juntar, cozinh ca-
na ra Direita pa-
ma pie tenha bom
Que desejando evilar esta conspiracao para DRAUWN ou O Da de Jubilo. I cfodefronte do be*.
salvar a Eiberdade do seu Paiz elle^ se diri- tST Dia oito. ja r;*" r\a ra Diieita sobrado D. ?4 por cima
gira primeiro a Braga, onde felizmente en- Em applauso Independencia lo Imperio da padaria do Sr. Machado, precisa-se de
contrra dous Hespanhoes com quem travra representar-se-ha a excellente Peca OS Ire/xulos mil veis n premio le ires por ccnlo ao
amisade, os quaes o introduzrao em varias DOIS PEDROS ou O Impe ador da Rl-ssia mez sobre firmas acontento: annuncie. =
casas, recominendando-lhe porm muito que ka Hollaisda. | Na mesn caza precisa-se alugar um bom si-
se (ingisse Realista, porque era o gosto da Em ambos os Dias estar o Theatro de-en- 'to perlo lesia Praca Cirjo preco nao exceda
Ierra: dizenilo-lhe at que dissesse que as emente armado. O expectaeulo principiar a du/entos al duzenlcs e cin Oentl mil res
listas vermelhas'que trazia as panlalonaserao chegada do Exm. Presidente da Provincia. ananaes, ou mesmo um bom sobrado de um
nao de militar. I --------------- : ailar no bairro de S Antonio que o seu
Que assim inlrodusido elle procurara 1- COMPANHIA DO BEBIRIBE. aluguel naoeseeda de des a dozc mil reis,
songear as pai\oes dos diversos partidos fin- Para conhecimento los Srs. AcrionlstaS la jirelerindo-se o silioao sobrado,
ginilo-se Liberal com os Liberaes e Carlistas Companhiaemprehendora doencanamento das tZf O Sr. Joo dermano le Paula diri;a-
com Miguis, os quaesoaccredilrao a ponto agoas se fas publico, que at o ultimo de seartii Po*a I), onze no lerceiro andar, ane-
cie lhe confiar os seus segredos pois que elle Agosto foi realisada a quantia de 6:o98ooo gocio que lbe diz n speito.
se lbe mostrou como cm commissao de Navar- rs.,correspondente a ', p.o/o sobre 3:o4p Acces CT Quem pettzo* roupa engomada com
ra elhes apresentava sempre as noticias le pertenrentes a n5 subscriptores-, eque no nerleieo derija-se a ra sirena do Rocano
Hesnanha com anlicipacao as quaes depois dia iodo corrente expira o prazo de 3o dias lado direito indo para o Carmo no segundo
vinbao confirmadas pelas folhas pblicas, marcado nos Estatutos para rea I sarao lasen- andar do sobrado por cima da botica do Sr.
Oue conseguida a amisade rom o Caetaninho, tradas : o que nao obsl ante continuar por Paran! 10 qte icbai com pun traclai^
amisade pie se cimentara nao s pelos fin- mai-algum tempo e nominalmente a chamada! No bairro da Boa vista atraz da l
gidos sentimenlos poliiicos como por gualda- d'aquelles Srs., qiie por rentara se possafl es- pnmeira casa a esquei da do Sr. Heren
de de profissao elle Caelaninho o levara querer de suas assignaluras. Contina a sub- ves da Silva, tres Seboras solteirai
umanoileaoseuquarlo, onde lbe mostrara scripcao para o resto las Aceiies; e logo que gnao a lcr, s, rever, contar, doutrini
varios papis concernentes Conspiracao, se prehencha o numero lasque eslao distri- coser, bordar, marcar, fazerflorr
entreelles o Diploma pelo qual D. Migelo buidas censar a emissao lasque restarem a penna como de panno miis<-a, too
accreditava sen correspondente : que lbe lis-' fim de que os actuaes Aeeionislas lenha sobre e violao ; os Sis. pas de familia
o Al-
sera
spondente : que lhe lis-' tim le q
Irabalhava ha seis mezes nesta boa obra, ellas a preferencia em tempo opporluno
erao em mu p:queno numero e nao
produ
ziao senao mercadorias grosse'ras. O mesmo
espaco de Ierra que no tempo feudal produca
to poued, boje produz Ir/, ou quatro vezes
mais do que entao.
Par combaterem a opiniao que sustenta-
mos trasem a terreiro a reproduccao dos es-
cravos pois que disem ellcs, se o eseravo
pouco Irabalba a tudo compensa a sua mul-
tiplicacao. Lsquecemse que a morte dos es
s superior a sua reproduccao; por
yjuanlo todas as eonsas que impedem a facul-
lade da repiolnccao na raca humana ,
appariTcm na miseravel coiulico do eseravo ;
orciipaes nocivas a saude exposicao as in-
temperies do clima trabalho aturado mo
alimenlo. babilacao pouco commoda des-
costos la vida moleslias mal curadas, mo
menlo dos filho &. &c. ludo o compro-
va. Si', cres.e em uuniero 0 povo que e lel.z.
UParie Saudos miseraveis caMas da In-
dia ona.ias. Os Ciganos c Lasaron!
le. iNapulw tem dbsesckfc, O i* povo Amen-
e confiando-lhe o plano e as |forcas com que
se contava e o nomc do General Macclo-
nald que os Torvs ibes promeltiao elle fi-
cra ao fcto de tudo assim como dos indi
viduos que cm Lislioa, Tras-os-IMonles e
Beira estavao na Conspiracao.
Rento Jos Fernandes Barros ,
I* Secretario,
ria chrisl,
fazer florea tanto de
ar pian no,
que ijise-
rcm mandar suas lilbas as quaes ser bem
tratadas dirijo-se a imnciouaiia casa j e
mesmo se accetto seis pendonistas.
VZf Um Biazileiro de meia idade pessoa ca-
AO PUBLICO. paz e de bous costumes, ofi'erece o seo presti-
Partecipa-sc respeilosamente aos habitantes mo a qualquer Pai !e familia que queira e-
da Cidade do Recife e seus 'arredores que ducar os seos filhos em Primeiras Letras Con-
Que elle Caetaninho o apresentra a todos Mr. Rvan celebre Mgico Americano E- tar eGiamalica Porlugueza e Franee/a ,
s implicados, dos quaes fora comprimenla- quilibfisla Indiatico, sem competidor, do em SU* casa, ohrrRando-s elle a dar Uco par-
pirticular estim nrlnrianlniPnix Tlu'alro de S. Carlos em Nova Orleans cu tlcular todi atas a pessoa pie lbe con-
tusa, principalmente Theatro de S. Carlos em Nova Orleai;?., cu ticular todos vs
; que entao chegra jas extraordinarias representaces na arle Ma- vicr lazcresle i
de aie as exnedicoes ica mercftra tanto applauso e approvacao D. 3 i.
negocio, dirijase a ra Aova
os impli
do com
quando rstivera doenle
participaco de Lisboa de que as expedices ica meretVrao tanto applauso e apir
de Navarra tinho sabido e conhecendo o dos habitantes la Corte do Rio le Janeiro i tST Quem precisar de um feilor para cn-
perigo elle se resolvra a denunciar a cons- pretende dar algumas reprezenlaeoes antes de genbo do que tem nuiila pralica dii ija-se
[lirac'ao, porm que primeiro traclra com os par ir para a America do Norte, oque ter i a espuma db heco do Padre loja de alfaiale
Coronis Miguelislas Fuoe Fuao que ten- lugar logo cionavofaze-la rebenlar ia Raia masque os seus inslrumenlos lePbysica. Mr. Ryan C?- Preclsa-se d alugar um sobradinho,
elle dera outro plano dividindo-os em dis- se aeba hospedado em caza do Emprezario jn- on ;-r.i primeiro andar de sobrado em algu-
j com o fim de melhor os agar- lo ao Theatro onde o pedern procurar os ma das mas principaes dos bairros de Si
lancia nao so
Santo
;id II-iw nu nuil it mu i; iiii-iiiui \/b ui^ni ^ '"*""" 1 *-..*". w|......------- j -------- i --------- ------ '-------,-------------------- -----------
ir mas para em todo o caso fruslrar tneihor pn ledenles aos Camarotes c Bilbeles de seus Antonio ou Boavisla : ra do Queimado D.
os seus planos ; que o lia do rompimenlo tlt; espectculos. G. J. Ryan. o,
endia da chegada do Macdonald que
pena da chegada do Macdonald que o
M......de Lisboa avisara dirigir-se para
esta Cidade, ondeo Caetaninho tencionva
vir fallar-lbe na eompanhia lele Hespanhol.
Oue entao elle lera a denuncia ao General Pa-
dua ao|A de i ( ; porm que a sua denuncia fra mal
m ull
lhe respondio que a Lei nova se oppuul
Avisos Diversos.
on annuncie.
Hum ro lis--iir ep pro vado le I.alim se
propf,eadar Hces de (iramntka latina eiu
razas particulares quem quizer dirija-se ao
pateo de S. I < il) 3 lado da \ ira ao.
Allnga-se-buma morada de Casa terri?
Er Manoel Joaquim do Reg Barros pre- na PoVoarq d I'clciic. ao p da igreja,
vine a quem convier, que elle e seu irmao | com armacb de venda etlos os seus prrten-
da que pavmaas que elle fizera Francisco do liego Barros como herdeiros de j ees : que
espondio que a Lei nova se opnuuha a sua raai D. Luiza Balbina Pessoa de Mello tem I da Boa v
quem a perlendcr dirija-se ao Atierro
ista D. 33,



D
IABIO DE "PERNAMBUCO
y O Sr. Manoel Ignacio da Cunta, mo-
rador em Olinda na ra do Amparo, que se
offerece para fazcr qualquer viagem para o
mallo dirija-sc a ra do Crespo lo;a D. 4
S3f- Arrcnda-se un bom sitio no lugar do
Monteiro para passar o vero com casa pa-
ra grande familia senzala para escravos ,
coxera e rom muitos ps de boas frucleiras ;
quem o pretender dirija-se a ra do Crespo
loia D. 4. .. .
jg- Celier Cornu & Companhia avisa a
os seu freguezes que mudou o seu cstahelc-
cinienlo de fazendas por grosso para a ra da
Cruz D. i no primciro andar do (Consulado
IJolandez ; RSWira com que tcm despachado
ultimamenle diversas fazendas entre ellas as
seriantes um bom sorlimenlo de litas mel-
aste seda ditas de linho bicos de filo de
linho, fitde ditos los de linho ditos de
seda., gravatas pre, seims lisos e Iav-dos,
mantas de filo deseda, cassas de bom tom ,
laques de todas as qualidadcs suspensorios
de algodo ; agoa de colonia espingardas de
espoleta c A c.
W- Os Senhores Socios do Gabinete Lite-
rario de Pemambuco que nao comparecerao
aoactodainstalacao, que leve lugar no da
primeiro do corrente tenhao a bondade de
Ir inscrever-se no livro respectivo o qual se
acha na taja de livros do Sr. Figueina piu-
ca da Independencia 11. <7 e 38.
t=> O Sr. que vende urna loja de fazendas
em muito bom lugar queira aparecer na ra
doQuciniadol. 5 haver se agrada e mesmo
. para ver se afeilua negocio com urnas letras a
vencer.
Avisos Martimos.
PARA O RIO DE JANEIRO segu via-
gem com muila brevidade o Patacho Nacional
Novo Especulador, Capitao Joo I.uiz Ro-
drigues 5 quem no mesmo quiser carrejar, ou
hir tle passagem dirija-se ao mesmo Capitao,
ou a sen consignatario Manoel Joaquim Ra-
mos e Silva. .
PARA LISBOA oBrigue Brasileiro Cons-
tante no dia a* do corrente ; quem no mesmo
quiser carregar assucar a 200 ris por arroba ,
ou ir de passagem para o que tem cedientes ,
commodos, dirija-se ao Capitao Manoel -\iar-
ciano Ferrreira na praca ,oua Thomaz de
Aquinol'onseca.
PARA A BAHA seguir com a maior bre-
vidade a Escuna Emilia; quem na mesma qui-
ser carregar ou hir de passagem dirija-se ao
Capitao Jos Raimundo da Silva, ou a Ma-
noel Francisco Ponlcs.
PAR A O HA.> RE a Barca Franceza lien-
rique e Luiza de primeira classe sahira at
odia 5 de Setembro ainda tem lugar para '.
4oo sacas 5 quem quiser carregar ou hir de
passagem para o que tcm exfolenles commo-
dos 'dirija-se a os scus consignatarios 13. Las-
serre ra da senzalla velha.
~C o ni p r a s
C7 O Commandante do Corpo de Polica
compra cavallos para o esquadro de primeira
lnha e remonta da companhia de cavaflaria
do mesmo Corpo; quem li er -ompareca
na secretaria respectiva lodosos dias das nove
horas as duas da tarde.
ZZT Urnas laboadinhas requesitas ; quem
-tiver annuncie.
Vendas
tST Urna negra de naco ,-de idade de 95
annos, engommadeira cozinheira lava de
sabo, e boaquitandeira ; na ra do Caldc-
reiropordctrazda Jgreja dos Martirios e-
cima '9.
yy ftap areta preta em libra a iom) di-
to do Lima' 1000 "dito do Varejo a 8. o, po-
tes de tinta fina 14o pecas de bicos estreitos
4oo dito 'i4o dito 480, e em varas a ',0 rs.
e mais largo a f'o rs.. gramnas para segurar
cabello -o o masso caixinhas de tirar fogo
a >-o, ditos em potes, ditas em caixinhas de
velinhas a 1 o potes de grai.xa* 1 ao dita em
flandes 100 potes de Unta ingleza aoo bo-
toens deduraque para casacas e jaqueta 100
a duzia .sabonete de cheiro para barba 4o rs. ,
facas dtncsa em duzia 1*00 pentes de mar-
rafa J*o a duzia ditos de dentes abortos 00,
a'oa de colonia i o a duzia, liaba parda,
,,'rVta e azul felicite 1!00 a libra, peanas
deescrever 1600 quartcuao agullias em la-
tas de des milbeiros de n. -a u a f 000 ; as-
simeomoum sorlimento de fitas de gazC, o
de bicos finos e rendas 5 na ra dos quarlcis
D. 3. ,
B9- Urna pida creoula moca coznlia
cnsaboa e fas todo o ina servico de urna ca-
sa j na pracinha do Livramento loja D. ao.
C? Chitas finas a 160 aoo aao, afta,
cada covado, madapoloa 180, aoo, 240.
a8o, e .^oo a vara chillas a 160 o covado ,
pecas de chitas finas a 54io 6800 7 aoo 01-
to mil rs. io5oo 64oo, e 8:00 pecas
de madapolo 44-"o, 4800, 35oo, 4ooo, 4iho,
55oo e de arda a 3t'o : pecas de bretanhas
de cinco varas a 1600 bretanhas de rolo a
448o 56oo 6000 75oo cazerairasa 90,
1600, aa.fo a5b'o o covado pannos finos a
a4o 35ao 44*o 64oo 9000 metiiis
deriscasde cores a aoo a jarda e o covado
a ico eoulras muitas fazendas por preco ba-
rato : na quina da pracinha do Livramento
loja do Burgos.
<> O Compendio de Thaologia Mofal pa-
ra uso do Seminario de Olinda em Pernambu-
co pelo Padre Manoel do Vonte Rodrigues
d'Araujo lente desta faculdade em o sobre-
dito Seminario. Esta obra acha-se adoptada
para o ensino da materia de que se ella oc-
cupa no Seminario desta Diocese no Ar-
clnepiscopaldaBaliia eno do Maranho ;
muito hem impressa e cncadernada. Recile
loja de livros do arco da Conceico ; praca da
Independencia n. 67 e 38 ; e defronte do Col-
ico loja do Sr. Pinto; em Olinda, ra
de Mathias Ferreira, sobrado amarello onde
ha outras obras venda; e acha-se tambem o
dito compendio em mo do Sr. Padre Joaquim
d'Assumpco, escrivo da Cmara Episco-
pal. Preco 8000.
ssr Resumo de geografa recentemente im-
presso nesta Cidade pelo methodo mais cla-
ro possivel til a quem queira obter conhe-
cimentos deste esludo, e proprio para os alum-
nos de escolas primarias adquirirem principios,
para com maior desenvolvimento chegarcm ao
completo conhecimento deste mesmo estudo ,
pela mdico preco de 5oocadaum compendio;
no atterro da Boa vista D. 16 e na ra do
Collegio botica D. 5.
Z^f l-uas mesas de meio. de salla duas
banquinhas, duas duzias de cadeiras, duas
cmodas tudo de mogno c de muito bom
gosto chegado. prximamente de Hamburgo;
e'm casa de Hermano Mehrtens, ra da Cruz
D. ai.
Cj- Calsado para senhora e para homem,
de todas as qualidades tanto de Lisboa, como
francez ltimamente chegados pela Camelia ,
entre os quaes hotins muito bem feitos cha-
peos do Chille espadas bandas de retroz
para officiaes apparelhos dourados para G.
N. e outras muitas coisas por preco com-
modo ; na praca da Independencia loja n. 7 ,
c 8. .
SST Joo Francisco Santos de Siqueira o
seu sobrado que tem no monteiro, o qual alem
de ter um pequeo sitio que vai a margem do
rio capibaribe tem todas as mais proporcoens
de quem tem bom gosto com estribara para
seis ou mais cavallos, senzalla para bastantes
escravos coixeira no seguimento do sobrado
que admitte dois carros cujo predio s se
vende a quem souber dar o verdeiro valor o
sitio he todo murado, e tambem se vende com
toda a bobilia que he de bom gosto ,. que
existe no mesmo sobrado e se vende um ou-
tro sobrado mais pequeo com urna olaria a
marpem do mesmo rio a qual he sem a me-
nor duvida urna das melhores e maior que
existe neste Recife e tem todas as proporcoens
para quem neste negocio se quiser estabelecer,
cujo predio s com a vista se lhe saber dar o
verdadeiro valor; quem de tudo pretender ou
em separado enttfnda-se com o annunciante ,
na ra velha de manha at as 8 horas e a
tarde at as 5.
fgr Urna prcta creoula de idade de t6 an-
nos engomma cozinha lava de sabao, e
cose cha ; defronte do telheiro do porto das
canoas casa D. 5a.
C3 Ou troca-se por urna escrava que te-
nha alguma habelidade um escravo creoulo
bom otBcial de sapateiro, com idade de a5
arinos ; na ra da Gloria D. la.
S2j- Urna escrava creoula de ida,de de V,
annos engommadeira cozinha o diario de
urna casa com urna filha de idade de 3 an-
nos ; no botequim de Jos Caetano atraz do
Corp Sanio.
S2^> las camas grandes dejacaranda por
preo commodo ; na ra da laranjeira loja de
marcineiro.
C? Urna escrava de muito boa figura de
idade de ao annos, cozinha o diario de urna
casa engomma, e lava ae comprador se
dir o motivo ; na ra larga do Rozario D-
cima 1 i.
e^ Pellesdegoraz muito inteiras ebem
encarnadas a 800 cada urna e sendo esco-
lladas a mil ris adverte-se que se' tomando
de seis para cima se do a f-oo rs. escolladas ;
na trempe casa terrea ao pe do sobrado novo.
jgr Na ra do Vigario D. 7 um negro de
angola de bonita figura.
t^r Urna casa de laipa com armacao para
venda na estrada de Joo de Barros com a
frente para o beco do espinheiro ; na boa vista
casa que faz frente para a ponte velha.
t^" Urna loja com cera com todos os seus,
pertences na ra das Cruzes D. 4 dois re-1
logios de parede e alguns de algibeira fi-
tas para os ditos caixas de marroquim para
ocuios um oculo de ver o longe e um lapi-
dario por preco commodo; a tratar na mesma.
13* Superiores queijos de serto do serid ,
tantos grandes como pequeos, superiores
caixes ae doce de goiaba de assucar branco ;
vinho engarrafado a 4oo e em duzias para ci-
ma a 36o e todos os mais gneros de venda
|wi preco commodo '. na ra do Rangel venda
D'4- .
c^" Azeite de carrapato a cinco patacas de
garrafa para cima ; na ra de S. Joo em Ca-
linda casa n. 5.
, ssr Panno de linho de boa qualidade em
pecas por preco commodo ; na loja de cabos
defronte do Corpo Santo n. 5.
Cf O capim de urna pequea baixa na
solidado ; a tratar na ra das Cruzes L). 4
Z5?~ Urna escrava creoula de idade de 17
annos cozinha o diario de urna casa engom-
ma ; cose e lava bem de sabo ; na ra de
Otas D. 15 em casa do escrivo do Jniz de
Paz.
3^" Urna escrava de naco angola moca
e de bonita figura c hbil para todo servico
com especialidade de vender na ra de que
tem muito pratica ; na ra velha casa terrea
D. 8.
ZZF Urna canoa de carga prompta a na-
vegar de carga de 5 toneladas; na ra do Fa-
gundesl> 2".
tSF Um grandebanheiro de cobre estanha-
do por preco commodo ; na ra de Hortas
D.4*.
12?" Urna venda com poucos fundos, na ra
eslreita do Rozario I). a8 ; a tratar na mesma.
y?* 5oo palmos de Ierra quasi loda quadra-
da com a frente para a estrada do espinheiro ,
com muitas arvores de fructo trras bastan-
tes plantaeoesde outras lavouras o que tudo
com a vista dos compradores se mostrar, tr-
ras proprias e estas mui descancadas pertcn-
centes.ao proprietario Silvestre Antonio de
Laage morador no mesmo sitio.
S3* Um jumento muito bom de primeira
muda ; as 5 pontas vanda D. 10.
S^- Urna uegra e urna molata com habeli-
dades para o servico de lima casa e um negro
muito bom trabador de sitio e urna armrco
de venda as cinco pontas decima a3.
EJ- Urna casa terrea sita na Boa visia ao
voltar da S Cruz para ra do cotovello deci-
ma 3 bem construida salla forrada, e chaos
proprios ; a tratar na ra do Caldereiro por
detraz da Igreja dos Martirios D. 3o.
ry Na ra nova loja Francesa de Frederi-
co Chaves 5 superiores chapeos de cas-
tor branco e prcto ditos de seda superiores
a os de massa ditos de castor branco e pardo
para meninos ltimamente chegados de In-
glaterra formas de muito bom gosto e por
preco commodo.
y Rap Hamburguez ; na ra da cadeia
velha n. 17.
O" Tabeado de pinho de todas as larguras
e comprimentos ; assim como urna porco mais
ordinario ; no armascm atraz da casa da
opera.
XZr' Terrenos na passagem da Magdalena ,
.abeira da estrada entre as duas pontes com
arvoredos de fructo tambem se afora perpe-
tuamente ; a (aliar com o seu proprietario Jo-
s Joaquim Bezerra Cavalcanti.
SSi'" Urna escrava de naco angola de ida-
de de 14 annos cozinha o diario de urna ca-
sa com principio de costura engommado;
na cemboa do Carao I) 11.
$3" Urna armaco para fazendas ou miu-
ij por i uuo com pape passauo por nove
annos, na ra do Livramento junto a botica
do Sr. Manoel Romao ; a tratar na mesma ra
loja nova de fazendas D. i.
ICf" Ummolequede 16 annos, de idade de
muito bonita figura proprio para criado por
ser muito deligente e fallar bem com os
officios de bom sapateiro e cozinheiro ; um
dito proprio para todo o servico ; urna preta
creoula coslureira engommadeira e cozi-
nha ; urna dita de naco com 6 a 18 annosde
idade de bonita figura propria para anpli-
car-se ao engommado ou a outra qualquer
coisa ; na ra larga do Rozario D. 7.
digas sabidas os dedos dos pes crios e dos
grandes alguma coisa compndos, consta que*
passara pela ponte do Recife acompanbado por
outro moleque ; quem o pegar leve a praia do
collegio armasem de carne secca de Gmlhcrme
Soares Botelho.
SE3- Ao amanhecer do dia 4 fugio um es-
cravo do abaixo assignado de nome Francis-
co tendo os signaes seguintes ; creoulo al-
tura regular corpo retan ado cara compn-
da com testa larga, e cantos tem suissas ,
beicos grossos tem entre um e outro peito
urna costura grosso pouco mais ou menos do
coroprimento de um dedo levou comsigo al-
guma roupa que pode arranjar tai escravo
do Sr. Cap Antonio Maiheos do lugar da es-
pera termo do Limoeiro ; quem o pegar e le-
var a prensa do abaixo assignado na ra da
Madre de Dos ser recompensado. Jooo dos
Santos Porto.
XW No dia primeiro do corrente desapare-
ceo um escravo de rime Matheos bem preto,
estatura baixa grosso do corpo, cabellos cor-
tados ps curtos levou vestido camisa e
calsa branca bastante suja e sem chapeo ;
quem o pegar leveao forte do matos ra do
Amorim a casa de Antonio Jos Francisco Vei-
ga quesera recompensado.
SS^- fto dia dois do corrente as dez horas
do dia desapareceo um moleque de nome Anto-
nio de naco banguella representa ter i >
annos de idade um tanto fulla nariz chato,
orelhas pequeas dentes alvos ps e mos
bem taitas levou vestido camisa de chilla
azul e calsa branca; quem do mesmo moleque
der noticia no sobrado junto ao theatro que
tem tanque d'agoa em baixo ser generosa-
mente recompensado.
S7" Vicente creoulo de idade de 16 an-
nos baixo, beicos grandes, olhos ditos, e
olha um tanto em branco coixo do p esquer-
do o qual nao assenta no chao com duas
feridasnas pernas fugioa um anno ; quem o
pegar leve a ra da senzala velha n. Jo refi-
naco da Manoel Ignacio do Nascimento qne
ser recompensado.
C5" No dia 2 \ do p. p. fugio um negro de
nome Jos mocambique cor preta estatura
ordinaria de idade de 3a annos levou ves-
tido camisa e calsa de hrim e jaqueta de ga-
a ; quem o pegar leve a Francisco Augusto
la Costa Guimares na pra a do Commer-
Sy No dia aa do passado fugio um escravo
do nome Miguel, alto, cor pouco preta e
o maior signal que tem, ter o queixo tacha-
do de um lado por ter bastantes grandulas, ou
alporcas quasi todas ou todas ainda aber-
tas porem esto feixando; roga-se a todas
as pessofls que vivem de prender escravos f-
gidos e muito principalmente a os de tara ,
e mesmo a os Srs. empregados de Polica para
o prender e remette-Io a casa do seu legitimo
Sr Antonio da Silva Gusmo que pagar to-
da a despesa e dar urna gratificaco a quem
o conduzir.
ts^ Nos dias a d'Abril, e 39 do p. p.,
fugirao ao abaixo assignado dois escravos, o
primeiro do gento da Costa de nome Vicente ,
talhado denles limados, baixo e grosso ,
pouca barba, cor vermelha pescoco curto ,
pscheios de cravos e mal feitos, tem em um
dos peitos a marca P : o segundo do gento de
Angolla ainda nao falla bem claro e por
nome Joo alto, gordo cor retinta bar-
hado com falta de um dente na frente as
pernas e ps grossos e mal feitos, tem urna
marca no peito esquerdo que representa o
palheto de urna chave ; levou vestido seroula
e carnizadestoupa. OUerece-secincoenta mil
reis de gratificaco por cada um as pessoas ,
qued'elles souberem, eos quzerem declarar,
alem das despezas da apprehenco que tam-
bem se pagarn. Antonio Al ves Barbosa.
I
Escravos Futidos
SSF" Desencaminhou-se de casa de sua se-
nhora um moleque muito bucal de idade de
o anuos, de nome Domingos, olhos api-
tombados e muito na flor do rosto e quan-
do encara com a vista a travessada as na-
itioviiiiento do Porto
SiAVIO SAHIDO NO DIA 4.
FALMOUTH ; Paquete Inglez Spus Cap4
James.
PuST SCRIPTUM;
Por cartas do Cear sabemos que o Vapor
Pernambucano qued'aqui havia sabido a 109
do p. p,, cntrou ali no dia la tendo feliz-
mente podido salvar-se do arrecife aonde to-
couao nortedaquelle mesmo porto de cuio
perigo s teve a perda do sobresamo e de
algas tabqas de forro. Eis a razo de sua de-
mora sobre oque nos apressamosa noticiar ,'
para se nao dar pezo a qualquer noticia que
possa correr desordens no Maranho.
RECIFE NA TYP. DE M. F. DE F. 1W9.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EYJLCIP7W_DFFX0G INGEST_TIME 2013-04-13T00:08:22Z PACKAGE AA00011611_06118
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES