Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06117


This item is only available as the following downloads:


Full Text
DE 1839* QARTA FEllU
Tudo agora depende de nos mesmos; da nos prudencia, modera-
fco, e energa : continuemos como principiamos seremos aponlados
com admiradlo entr as Naces mas cultas.
Proclamaco da Assetnbka Geral do Braul.
O i ------------------
Subscreve-se para esta folba a 3ooo por quartel pagos adiantados
tiesia Typografia, ra das Cruzes D. 3, e na Praga da Independencia'
i O. 37 e 38, onde se recebem correspoudenciaslegalisadas, eannuucios;
! insiriudo-se estes gratis, sendo dosproprios assignantes, e vindosassig-
ados.
Partidas dos Correios Terrestres.
Cidadeda Parabiba e Villas de sua pretenco...................\
I Dita do Rio Grande do Norte, e Villas Idm...................(o ,_j., o. c-
Dft- da Fortaleu .Villa* dem..........................Segundas e Sextas Feras
I Villa de Goianna................................../
Cidade de Olinda..................................Todos os dias.
Villa fcS. Anto..................................Quintas fe i ras.
Dita deGaranbuns ePovoaco do Bonito.....................Uias lo, e a de cada mes.
Ditas do Cabo, Serinhaem, llio fc'ormozo, Porto Calvo.......... dem 1 11, e 11 dito dito
Cidade das Alagoas, e Villa de Macei.........................dem dem
Villa de Paja de Flores... ..............................dem 13, dito dito.
Todos os Correios partan ao meio da.
4 de Setembro. Numero 191.
CAMBIOS.
Setrmuo. 3
Londres...... 31 a 3i ippor Ifooo ced.
Lisboa....... 90 por o/o premio, por metal oQerecido. v.
Franca....... 3io a 3)5 res por franco ora.
Lio de Janeiro 3 por o/o de premio.
OURO Moedas de 6#4oo rs., Velbas i^oo a i5?.)oo
Ditas ,, Novas Ujfooo a ia#5oo
Ditas de 4?ooo rs., ffioo a Sgiao
PK ATA Pataces Brasileiros---------- 1#6o a i#65o
,, [Pelos Columnarios.....--- ijjffilo a i|66u
Ditos Mexicanos-------------------- ijjf6oo a ifofo
Premios das Letras, por mes I 1/8 a 1 i|i por loo
Moeda de cobre 5 por loo.
Das da Semana.
x Segunda------S. EstevSo Re. -.............Ses. da Tbei., c Aud. do I. de I), da i. v.de m
3 Terca---------S. Eufemia V. M. *---------------------Relaco, e Audiencia do J de D. da i. v. de m.
h Qua'rla-------S. Rosa de Viterbo------------------------Sessao da Theouraria Publica.
5 Quinta-------S. Antonio M.-------------------------------Sessiio da The., e Aud. do J. de D.da a. vara.
6 Sexta----------S. Libania V. M.---------------------'-- Sessao d Tlies. e Aud do J. deD. da i. vara.
7 Sabbado-----lejum S. JoSo M.-------------------------Noba desp.
8 Domingo- Natividad, de N. S.--------------'-----*
Alare cheia para o da 4 de Setembro.
As i horas e 6 minutos da tarde. : As 2 horas 3o e minutos da manila.
RIO DE JANEIRO. .
SENADO.
Sessao em de Agosto de i83g.
Presidencia do Snr.Diogo Antonio Feij.
Hcunido numero sufficiente de Snrs. sena-
dores abre-se a sessao e lida a acta da an-
terior,- 6 approvada.
Expediente.
Fica sobre a meza as fol has do subsidio
dos Snrs. senadores vencido no tereeiro mez
da presente sessao, e a dos venoimentos dos
em pregados, e despezas da Secretaria e cmara
do Senado.
O Snr. Costa Ferreira pede ao Snr. Presi-
dente que tenba a bondade de dar para ordem
do dia a resolucao que revoga a lei provinci-
e logo que se rene numero legal de Snrs. de-
putados abre-se a sessao, lese e approva-
se a acta da antecedente.
O Snr. primeiro secretario d conta do ex-
pediente lendo os seguintes officios.
Do ministro da fazenda, remetiendo as co-
Sias autenticas do officio e ordem do tesouro,
irigidos ao presidente da provincia do Para,
e ao inspector da repectiva tezouraria e do
officio do mesmo presidente com os quaes
fornece os esclarecimentos exigidos por esta
cmara sobre a representaco da assemblea
legislativa da mesma provincia, relativa
ommisso de vales na importancia de quatro-
centos contos de reis
A quem fez a requisico.
Do ministro do imperio enviando acopia
do decreto de 3 de jnlho ultimo pelo qual se
al do Maranho que creou os prefeitos por faz merc ao coronel Jos Bernardo Salguei-
que nao acha justo que a sua provincia por ro, da tenca animal de ^oU reis. A' com-
ra u/a delle esteja soffrendo tantos males.
O Snr. presidente declara que tomar em
consideras*) o pedido do nobre senador.
Ordem do dia.
misso de penses e ordenados.
Do ministro da marinlia, enviando as in-
formaces que lhe foro pedidas sobre a
quanto montaao os emolumentos da secreta-
Continua a discusso, addiada pela hora na taria de estado a seu cargo nos annos fi nance i-
ullinia sessao do requerimento do Sur. Ver ros de i85 a 189.
gue'uo a)>oiado na mesma sessao, pedindo A quem fez a requisico.
ue a commisso de assembleas provinciaes in-1 Do ministro da guerra remetiendo quadro
ique quaes as leis que pareccm contrarias ao demonstrativo dos emolumentos que se rece-
espirito ou a letra do paragrapho 4- do ap- bero na secretaria a seo cargo. A quem fez
tigo iodo acto addicional. a requisico.
Da-se o requerimento por discutido, e, pos- Vae a commisso do orcamento da fazenda o
2
mappa demonstrativo da substituirn, c assig-
natura do papel moeda.
Vae a terceira commisso de fazenda a re-
presentaco da irmandade de Nossa Scnhora
mente com o artigo primeiro do projectodo se-
nado.
E' apoiado e entra em discusso o seguinte
requerimento.
Requeiro que o artigo segundo do projecto
da cmara dos deputedos. e o paimeiro do pro-
jecto da casa sejo remettidos urna commiso
para combinando-os, dar-lhes urna nova re-
daceo. Sala das seses a de agosto de 1839.
Alencar.
Fica a discusso addiada pela hora.
O Senhor presidente diz que sendo a outra
pai te da ordem do dia trabalhos de commis-
ses i-onvida aos seos membros a ocuparem-
se destes trabalhos ; e d para ordem do dia ;
terceira discusso das resoiuces sobre o padre
Jos Antonio Caldas, Joo Huctchens, e Jo-
So Dico Sturz ; paimeira discusso da reso-
lucao A F annulando a lei do Maranho n.
70, de i88, sobre prefeitos; e, dpois do
meio dia a continuarlo da discusso addiada,
e levanta a sessao.
to a votos regeitado.
Continua a discusso sobre o artigo
do projecto.
Le-se, e apoiada. a seguinte envenda
No fim do \. artigo accrescente-se as pa do Desterro da Freguezia do Campo Grande
lavras seguintes que lbr estabelecida em leis do municio da corte,
garaes.-Alencar. Vae a commisso do commercioa represen-
E' apoiada e posta em discusso. taco de Amelio Tralon, engenheiro, e ex-of-
Le-se apoiada e posta em discusso a se ficial do imperial corpo de engenheiros.
guinte emenda. Vae a commisso do orcamento da fazenda
No fim do artigo depois de r> polica judici- o requerimento de Joo Domingos Figueira,
aria accrescente-se que diz respeito inda- e Antonio Joaquim Peireira de Magalhes.
gaco e punico dos crimes nao policiaes. Lese e approva-se a redaco das emen-
Vergueiro. das desta cmara proposta do governb sobre
Julgando-se a materia discutida, appro- fixaco de (breas navaes para o futuro an-
vado o artigo 1. do projecto nao passando no financeiro.
as emendas. Julga-se objecto de deliberaco e vae a im-
Entra em discusso' o artigo 1. do pro- primir um projecto da commisso de pe'n-
jecto da cmara dos deputados, conjuncta- sese ordenados, que approva a pensso de
triuta e dousmil oitocentos e cincoenta reis a
Benedicto Jos Francisco, soldado do quarto
corpo de primeira linha concedida pelo go
verno pelo decreto de 5 de Setembro de
i85.
Julga-se objecto de deliberarn e vae a
imprimir outro projecto da mesma commis-
so que eleva o ordenado do lente proprie
tario da cadeira da aula do commercio a booU
reis, do e o lente substituto a 4ooU rs.
Le-se, e approva-se o seguinte.
Havendo requerido a esta augusta cmara
os nobres deputados pelas provincias de S.r ail-
lo Alagoas, e Para, se recommende ao go-
verno, que leudo de recrutar no imperio, to-
me na possivel consideraco o estado de de-
trimento em que se acho as comarcas de Co-
ritiba e'Macei, e a provincia do Para a
commisso de marinha e guerra, entendendo
que o governo deve estar mais as circuns-
tancias de avaliar os inconvenientes que have-
ria na continua o do recrutamento em as re-
feridas comarcas, e provincia, e competindo-
Ihe demais tomar as necessarias medidas para
verificar o numero das pra as precisas para
acudir as necessidades do ser vico publico,
dentro dos limites que as leis lhe tem marca-
CMARA DOS DEPUTADOS.
' Sessao em 3 de Agosto.
Presidencia do Snr. Aiaujo Vianna.
As lo horas da manb faz-se a chamada
do ; por tanto a commisso de parecer que
se communique ao governo a materia dos men-
cionados requerimentos a fim de que delibe-
re a respeito e que julgar mais conveniente,
Paco da cmara dos deputados de agosto
de 1839. Lima e Silva Carvalho de Men-
donca. Rodrigues Torres.
Le-se, e approva-se o seguinte.
Requeirro que se peco ao governo todas as
representaces officios, e mais papis tenden-
tes a destituirn do duulor Antonio de' An
drada Lima ex-inspector das Alagoas. Nu-
nes Machado.
E lidoo seguinte.
Constando que a escola de medicina da Ba-
ha tem tido pouca regularidade em conse-
quencia de alguns lentes exereerem diversos
empregos incompativeis com o bom desempe-
nho de suas fiinccoes, requeiro que se recom-
mende ao governo que tome em conside-
raco um estabelecimento lo importante, e
faca cessar semelhantc abuso. Rio 3 le agosto
de 1839. Dantas.
O Snr. presidente observa que urna indi-
caco, e como tal vae remettida comisso de
inalnico publica. ih.m-?.
Le-se e approva-se o seguinte.
Requeiro que se pergunte ao governo se
quantia decretada para obras militares no cor-
rente anno financeiro, sedesignou somma para
reparo da fortaleza da provincia da Paraiba. -
J. J. de Oliveira.
Lese, e entra em discusso o seguinte.
Que se pergunte ao governo quaes sao os
lentes da academia de medicina da Bahia, que
accumulo empregos, e quaes elles sejo. Rio
3 de Agosto de 18 ig.-Dantas.
O Sr. Ramiro oppe-se a este requerimen-
to, e moslra que nao ha incompatibilidade al-
guma comoexercicio de lente da academia ,
com outro emprego proprio da profisso da
medicina. Mostra que os lentes (orad aquel-
las horas em que devem estar oceupados as
aulas, podem fazeruo da ua clnica, e emp re-
garem-se em utios objectos. O orador ren-
de grandes elogios ao doutor Antonio Policar-
po Cabral e a outro lente.
A discusso fica addiada para se passar a mi-
tres objectos
Ordem do dia.
Primeira parte.
Leituras de projectos.
Julga-se objecto de deliberaco, evae a im-
primir um projecto de resolucao offerecido
pelo Sr. Ribeiro de Andrada sobre urna no-
va designadlo, e demarcaco de limites da
fabrica de ferro de S. Joo de loa nema,
O. Snr. Ribeiro de Andrada ( pela ordem )
informa cmara que esta a terceira de-
marcaco que se faz desses limites e lhe pe-
de a sua attenco sobre este objecto. Nao pro-
pe a urgencia, mais entende que este negocio
se deve decidir quanto antes para evitar um
grande mal.
Julga-se objecto de deliberaco, e vae a im-
primir nm projecto da commisso de marinha
e guerra; que declara ficar approvada a gr-
fica o de cincoenta mil reis por mez conce-
dida por decreto de 10 deoulubro de i835 a
Manoel JosedaCunha, pagador do Arsenal
de guerra e das tropas da corte para que-
bras nos pagamentos quehouver de fazer, etc.
Sejunda parte.
Eleires de Sergipe.
Coirtinna a discusso do parecer da com-
misso especial e emenda do Sur. Ribeiro de
Andada.
E" apoiada a seguinte emenda.
Que julgando semillas as eleices prima-
ras que tiverem lugar na provincia de Ser-
gipe em 1836, se reconheco legis as que
tivero lugar em a dita provincia no dia 3
de marco do crrente anno e se recommen-
de ao governo, que faca convocar a os elei-
torcs nomeados em o dito dia iiara que es-
tes 110111er 111 os deputados da presente legisla-
tura. Paco da cmara dos deputados 1 de a-
gosto de 18ig. J. J. Pacheco.
O Snr. Carceiro da Cimba discorre larga-
mente sobre a materia e concilio votanlo para
que se mande proceder a urna nova cleico em
Sergipe.
A discusso fica addiada.
Achando-se na sala,.inmediata o Snr mi-
nistro da fazenda recebido com as formali-
dades do estilo e oceupa o competente lu-
Terceira parle.
Discusso do orcamento.
Continua a discusso addiada sobre a fixa-
co da despeza do ministerio da fazenda,
c emendas apoiadas.
Sao apoiadas as seguintes emendas '
Suprima-seo i. que d respeito fun-
dico de typos. Rezendc.
Addilamenlo ao 17; inclusive a quanli.i
de n;oooUreis desdeja' para ultimarn do
caes do Varadouro da cidade da Paraiba. C.
Bastos J. J. de Oliveira Ferreira da
Costa.
Emenda additiva ao artigo 7.
Com supprimcntos s provincias abaivo de-
claradas
Asober;
A' provincia da Bahia
De Pernambuco
De Minas Geracs
Po Para
Das Alagoas
De Mallo Grosso
De Goyaz
Do Espirito Santo
Do Piauy
De Sergi pe
Do Rio Grande do Norte
Ce Santa Catbarina
Da Paraiba, desde j
Do Maranho, idem
66 ;oooU
iSojOooU
15o;oooU
805000U
4o;oooU
3o;oooU
a5;oooU
a5;oooU
ao;oooU
aojoooG
3o;oooU
l5:ooul.
tojoool
io;oool'
4iO0oU
(>t)j;ooolJ
Sala das sessses 3 de. agosto de 183g. D.
Josede Assis Mascarenhas, Knrarii.irab e Sil-
va, J. J. Pacheco, Caineiio da Cimba, C.
Bastos, Sanios Azevedo, Lima e Silva Caza-
do, Dantas Vieira de Mello Carvalh
Mendonca, N. Machado doutor Cinlra J.
J. de Oliveira, Veiga IVssoa Gonsalves Mar-
tins, Pessoa de Mello, Alvares do Ainaral,
Ferreira da Cosa, J. A. Mtrinbo, Ferrei-
ra Penna, Ribeiro Duarle, Navarro, A C.
Correa Luiz Corlas Coelbo, Pimcntel Bel-
leza, L. J. Rilieiro Reg IVIonleiro Ma-
cial Monleiro, B. Q. Torreio (ionies fii-
beiro P. Verguciro Silva Pontes M.
de Brilo.
Tomo parte na discusso os Snrs. Man-
nho, ministro da fa/.rnda Andreas, Ange-
lo Custodio Correia, e a discusso fica addi-
ada.
O Snr. ministro i-elira-se rom I mesma lor-^
nialidadecom que enlrou,
Ultima parle.
Eleiro dame/a.
Procedendo-se ao eaflrutiiuo eicile prest-
denlo o Snr. Araujo Via.marn.n j votos.
Procede-sc aesfcf* d"' vue-piesidentc, c


2
EN>MBCO
ohlivcrao materia de votos osSnrs. Rezcnde
41, e Brrelo Pcdroso 35.
Correndo secundo escrutinio sobre estes do-
is Snrs., sae eleito vice-presidente o Snr. Re-
sende com 48 votos.
Procedendo-se eleicao de secretarios sa-
em eleilos. para primeiro o Snr. Marcelino
de Brito com 66 votos; para segundado Snr.
NuncsMachado.com 5 para terceiroo Sr.
Alvares do Amarul com 5i ; pura quarloo Sr.
Ferrara Pena com 4 < Para r.meiro suplente
o Snr. Navarro com j votos, c para segundo
o Sn. Oliveira coin 3o.
O Sr. presidente d para ordem do dia a
mesnia materia dada para boje, c levanta a
sesso depois das duas horas da tarde.
PERNAMBUCO,
COMMANDO DAS ARMAS;
r.XFEDIENTE DO DA a3 de AGOSTO.'
OflicioAo Exm. Presidente procuran-
do saber a data da Imperial Resoluto tomada
sobre consulla do Con seibo Supremo Militar,
que ltimamente Reformouao. i. Sargento
Antoniq de Soiua Nevos e a mais cinco sol-
dados do 3 Balalhaod'Arlilhcria visto ha-
ver escapado esta circunstancia no oflicio de
commuuicacao.
THEZOURARIA PROVINCIAL.'
EXPEDIENTE DO DA 80 DF. AGOSTO.
Portarla O Inspector da Thezonraria
Provincial responde as duvidas proposlas pelo
Snr. Collcclor do Municipio do Cabo em seo
oficio de 19 de Julho prximo Gndo com a
solucao que lhe deo o Parecer Fiscal que
ginclu/.o se lhe remelle, recomendando-lhe a
maior exaccao na arrecadaco dos impostas
de que trata ; sendo para extranhar que por
duvidas to futeis da parte dos Contribuinlcs,
quacs as que elle expe no predilo ofBcio se
cmmaranhasse c dcixasse de proceder a co-
branza dos mesmos impostas por todos os mei-
os ao seo alcance.
Thezouraria das Rendas Provinciaes de
Pernambuco ao de Agosto de H'3g, Joao
Bautista Pereira LoboJHnior.
Illm. e Exm. Snr. Informando como V.
Ex. mandou por seo despacho de i3 do cr-
lente sobre o incluzo requeriinento de Maxi-
miano de Oliveira Mussurepe Inspector da
Barreira da Ponte da Magdalena, em que pede
o augmento da porcentagem do rendimento da
mesnia Barreira por quanto diminuiudo a
Assemblea Provincial esse rcndimeiito na ra-
zio de 200 por cento tambem ficou diminui-
da sua porcentagem cumpre-me ponderar :
que me parece de jusli a a pretenrdo do Sup
plicante porque se a porcentagem, que se
lhe arbitrou Coi calculada sobre as bazes que
o Regulamento eslabeleceo sobre hum rendi-
mento muito maior ,- mudando-se as bazes, e
diminuindo o rendimento a |>orcehtogem de-
ve crescer tanto quanto possa indemnizar a
perda q' elle sofreo tanto quanto poss i prefazer
piovavelmcnte nquanlia qucseconcideroucor-
respondentaos seos serviros. Informando sobre
este requerimento que me parece de justica,
ha lugar de observar a V. Ex. que sendo
a arrecadaco da Taxa das Barreiras commet-
tida Meza de Rendas Internas pelo art. 3g
da Lei 11. 73 dever deduzir-sc della con-
forme a Lei 11. 78 .'i porcentagem de 5 por
cento para os seos Empreados ? Quando ja
se deduz a porcentagem para os Inspectores ?
He visto que todo o imposto se consom com
os Emprcgados que elle nao allingc ao tm
para que foi criado que o imjiosta nao se des-
lina para as des|>czas da conservacao c repa-
ro das Ponte mas para a sustentaco dos
Emprcgados que lodo o Irabalho que tem ,
he contar o dinlieiro recebido. Parecc-me
que 9 art. o da i.ei n. 78, que estabelcceo
a eommissao de .r> por cento d ludo quanto se
arrecadasse se referi aos impostes do art.
. ca .cuja arrecadaco interven algum
trabalho da parle dos Empreados mas que
elle se nao pode referir ao imposto das Bar-
reiras cu jo Irabalho da arrecadaco se acha
lodo sobre os Inspectores respectivos e os so-
breditos Emprcgados mais nao fa/em que rc-
ceber o dinheiro que aquelles entregan : pa-
recc-rac que se nao pode entender a Lei de.
modo quede lugar njuslica de criar-ae
hum imposta s para bem dos F.mpregados,
< sem utilidade Publica 5 se o imposto foi cri-
ado para conservacao e reparo das Pontea ,
este fim e destino se converlem com tantas
porcenlagens. Digne-sc nois V. Ex. de es-
clartcr-mc a respeilo, c declarar-me se se de-
ve suspender poicentageui dos Emprcgados
das Rendas Internas deduzida da laxa das
Barraras.
Dos Guarde a V. Ex.' Thezouraria das
riendas Provinciaes de Pernambuco 2o de
Agosta de i8f), Illm. Exm. Snr. Frances-
co do Reg Barros, Presidente da Provincia.
O Inspector da Thezouraria Jo Baptista Pe-
reira Lobo Jnior.
da ai.
Illm. Snr.-Como se tcntiSo escuzado do
emprego de Agente das notas do Algodao
que desta Provincia se transporta para mitras
pelos Destrictos de Garanhuns Papacaca c
S. Benetlito os Gidados Manocl Joo d An-;
drade,.Jozc de Barros Corroa e Antonio Sc-
bastio Freir, cujas nomeages V. S. lcm-
brou a esta Thezouraria, e nao conhecendo
cu que os sunstitua, rogo -L e e icare idamen-
te quem se digne de indigitaroutros q* nao re
cuzem esse encargo, esperando que V. S.
pela sua influencia 110 lugar e servicos que
de continuo se extorca em prestar pelo bem
publico se empenhani a fim de que se nao
baldem as nomcaces c tambem se nao venha,
a inutilizar esse mcio de arrecadaco dos im-
postas da Provincia.
Deas Guarde a V. S. Thezouraria das
Rendas Provinciaes de PernambucO ai de A-
S;osta de 1839. O Inspector da Thezouraria
iodo Baptista Pereira l.obo Jnior. lllm.j
Snr. Lourcnco Bizcrra Cavbante Coronel
Chcfe de Lcgiao do Municipio de Garanhuns.
OflicioDo mesmo theor ao Prcfeito da
Comarca de Garanhuns, menos as palavras
cujas nomeaves V. S. lembroua esta The-'
zouraria. ,
Illm. e Exm, Sur.Recebi o fficio de V.1
Ex. datado de lionlcm em o qual responden-
do a reprezentaso que me derigo o Contador
desta Thezouraria pedindo providencias acer-
ca da falta dos Emprcgados da Conladoria,
significa que os Emprcgados que ialtarem por
motivos de molestia nao leudo oblido brenca
da Prezidencia devero ser chamado. para o
servico urna vez que o mesmo Contador nao
lenha dado por justificadas semclliantes fal-
tas c he de meo dever ponderar aV Ex.:'
a falla dos Empicados que deo lugar a repre-
zentacao do Contador nao procede de molesti-
as deque se prcvale.o ellcs para escuzarem-
se do servico. porque cutio lora cabivcl, e
elli.az a providencia qae V. Ex. lcmbrou ,
mas esta falla procede de se acharem a Em-
prcgados licenciados hum na Assemblea Ge-
ral C hum em pedido por molestia justificada,
de onde rezulla que a Conladoria apenas se
acha com a Emprcgados e por conscqtipncia
poressa falta impossibilitada d dezempenhar
os trabalhos que cstao a seo cargo : huma pro-
videncia por esta falla lie a que exige o Con-
tador c parece-me estar ao alcance de V.
Ex. com a nomeaco de Emprcgados Interinos.
Dignc-se pois V. Ex. d allender a reprezen-
laco do Contador.
Dos Guarde a V. Exc. Thezouraria
das Rendas Provinciaes de Pernambuco ai de
Agosto de 18I9. Illm. e Exm Sur. Francisco
do Reg Barros Presidente da Provincia.
O Inspector da Thezouraria Joao Baptista
Pereira Lobo Jnior.
PortariaMandando carrejar cm Reccita a
o Thezoureiro das Rendas Provinciaes to.-oooU
de reis em Notas que recebeo do Cofre da
Thezouraria das Rendas Gcraes por conta do
Decifit Provincial no crranle auno financeiro.
OfficioAo Thezoureiro das Rendas Pro-
vinciaes remetiendo por copia oottcio do Exm
Presidente pelo qual ordena que se pague ao
Procurador e Administrando dos Lslabeleci-
mento de Caridade a consignar. pa ra a caza
dos Espostos e Hospital dos Lazaros visto
que este pagamento he da natureza d aquelles
que nao admittem demora e antes devem ser
preferidos aos oulros.
Diversas Ilepjirieoens.
ALFANDEGA DAS FAZENDAS.
- A Pauta he a mesma do numero i83.
MEZA DO CONSULADO.
- ':Pauta he a mesma do numero 182.
CORREIO.
A Sumaca Fclicidade, Mostr Jo/e Ro-
drigues Pinbeiro sai para o Aracali no dia
12 do corrente.
O Brigue Matildes para aParahifea recebe
a mala amauhda as 11 horas do (|ia.
ARSENAL DE GUERRA.
O Arsenal de Guirra precisa de quem se
cncarrcgucda lavagein da roup s Ftucan-
(los : a quem islo convier procure no nicsmp
Arsenal, nos dias ulcis ao ijircciur para tra-
tar do ajuste.
PREFETURA.
PARTE DO DA 3 DE SETEMBTtO.
Illm. eExm. Snr.-Consta somente das
partes hoje por mim recebidas, que forao pre-
/os honlera minba or"dem os individuos
seguintes : Manoel pardo escravo da viuva
do Dr. Crespo J>eo Sub-Prefeito da Frc-
guezia de Santo Antonio por denuncia de se
ter assoclao i uns malfeitorcs Francisco
Severino tambem pardo pela patrulba da
Rilieira por ser encontrado debaixo de buui
telheiro e fazer-se suspeito ; c Matbeos,
pTclo escravo de Elias liaptista pel Com-
njandante da Guarda da Caxleia por ter fe-
rido a oulro os quaes tivero o competente
destino.
Dos Guarde a V. Ex. Prefeitura da Co-
marcado Recite 3 de Seterabro de i.3q.
illm Exm. Sr. Francisco do Reg Barros, Pre-
zidente da Provincia Francisco Antonio de
S Barreta Prefeito da Comarca.
CMARA MUNICIPAL D CIDADE DO
RECIFE.
SBSSA DE l6 JUNHO DE t839.
Annofinanceiro corrente.
Meia siza dos cscravos
Novos e vclhos direitos
Passaportcs dePolicia
Sello de Heraneas e Legados
Despacho de Navios pra fora
do Imperio
Taxa das Pontes dos Carvalhos
e Magdalena
Taxa do assucar
Taxa do algodao
Cinco mil rs. por escravo cx-
jiortado
8:a3iU68
Meza de Diversas Rendas Provinciaes a de
Agosto de 4839.
Luiz Francisco deMeRoCavalcantc. i
Escrivao e Administrador.
f
Rezumo da Exportado da Provincia no mez
de Agosto p. p.
i:o44U4
n3U54
12U600
1:04911971.
119U30G
187960
i73U3oo>
82U44
4oUooi>
Algodao
Assoca*
Couros
Agoardentc
Chifres
(obre vclho
Caf
Doces
Saccas 3:8oa
Caixas 1:141
F'eixos 3io
Barricas 2:9^4
J.atlas 4
Salgados 4:a75
Pipas a4
Barris ao
Gana (oes ao
4:36o
Libra . i:55a
Arrobas 3
Libras 1:10a
Alqueires 339
jarrafas a88
Barra 46
Meios ia5
i4ia5Uaoo
*:7J9u'4i
Presidencia do Snr. Silva.
Comparecerao os Snrs. Souza Chave? ,
Ros Oliveira Vianua e Figueiredo \
faltando com cauza os mais Snrs.
Aberta Sessao e lida a Acta da antece-
dente foi approvada.
O Secretario dando conta do expediente
mencionou o seguinle oflicio
Do Exm. Prezidcntc da Provincia ordenan- Parinha de Mandioca Alqueires
do que esta Cmara faca apuracao gcral de Licores
um Senador e Membros para Assemblea Mel
Provincial no dia designado, nao obstante Vaquetas
fallar aulhentica do i ollegio de Cabrob Mocda
em consequencia de haverem chegado tarde | Valof dos gneros m-
as ordens, que foro expendidas para este. udos fabrico e
fim. Cast0
O Snr. Presidente fez ver Cmara ser o Total da Exporlacdo ?6i:a57Uo3
objeclo da prezente sessdo ultima e geral N. B. A Exporlacao cima I01 efectuada
apuracao dos votos para as Eleicoesde um em i3 Navios sendo 1 Brazileiro 3 Porlu-
Senador, cm lugar do falecido Marcchal Joze guezes 4 ingleses 1 Francez i Ameri-
lgnaiio Borges e dos Membros Assemblea canos Inglezes e 1 Oriental.
Legislativa Provincial por ser este o dia -----------------
designado pelo Exm. Presidente ; e passan-, icrrmcn
do-se logo a desempenhar as solemnidades DISCURSO '
marcadas no a. Cap. 8. das Instruces de at Pronunciado pelo Sr. Denutado ( oelho na
de Marco dei8a4, deo-se principio apu- occasiao da discussao da dispensa pedida
racao c loi ultimado a dos votos para Sena-j pelo Govorno para itPresidir a Provincia
dor nesle mesmo dia constando da respe- de Santa Calharina o Sr. Depulado An-
liva acta o resultado da votayao e deliherou dras.
Cmara, que em imprmenlo das dilas
Instruces fosse levada ; prezenca do Re- Sr. presidente, o requerimento impor-
gente em Nome do Imperador por enler- la hum adiamento c o nobre depulado lun-
medio do Exm. Ministro do Imperio lista dou-o em (pie a constituicao ordena que tixla
triplice c certidao aulhentica desta ; e a vez que o governo presisa empregar mem-
mais ma.copia da mesma fosse remettda ao bros das cmaras he necessano <|ue de as
Exm. Presidente da Provincia. causas da urcncia, e que sao aquellas em que
O Snr. Presidente aprezentou ; duvida em o exige o bem ou a seguranca do estado,
que estova respeilo de mandar 011 nao em- O nobre depulado fundado nestadisposicao da
diurna apura do os votos do Col legio de Ta- lei moslrou se hum tanloduvidosoem conceder
caral visto ter aprezentado a respectiva a dispensa que se pede e exige csclarecimen-
Authentica unicamenlc volado o Cidado An- tos officiaes para com conhecinienlo assegurar
ionio Joaquim de Mello em lugar de 3 na seu voto. Ed como dependo daquella pro-
conformidade das Instruccoes depois de al- vincia alguma cousa podeiei inlbrmar quo
guma discucaopondo-se i materia vola o o esclareca e estou que podera arriscar seu
resolveo ;i ( amara que se incluisse os votas do votoafim de evitar demoras, que sem duvida
referido Collegio visto que em to mencionados vostos nao vinbdo alterar refe- presidente he bem desgracado o estado da
rida apuracao, provincia de Santo Catbarina preciso he que
apuracao.
E por ser dada ora levantou-se ; Sessao; se d providencias nurito enrgicas e promp-
e mandarao fazer a prezente em que assigna- tas ; porque toda a demora as circunstancias
rao. E cu Fulgencio Infante de Albuquer- acluaes pode muito aggfa varo mal.
qne e Mello Secretario a cscrevi. Silva ,
Silva
Ros ,
Prc-Fresideiile. Souza Chaves
Oliveira Vanna e Figueiredo.
Est conforme.
O Secretario.
Fulgencio Infante de Albuquerqe c Mello
Sabe a cmara que alguns movimentos se-
diciosos.j existido as immediaces da villa da
Luguna desde 1a de junho ; mov i me utos que
apparecerdo occasionados jxir bandos de amo-
tinadores e desordeiros que se armarao em
Ararangu surpreliendendo as guardas desle
jionlo do Camacho ,
e da Crnica tudo
Rendimento da Meza de Rendas Provinciaes cievidoas ms disposict uestes postas avan-
do mez de Agosta de 183y.
Divida activa do auno de
i836 1837.
Decima Urbana
Imposto sobre canoas
Dito sobre serraras
Dita sobre otarias
Lvida activa do auno de
l837 al8.vc.
Dcima Cubana
Imposto sobic serranas
Dilo sobre otarias
Dita sobre Fabrica de Tabaco
Divida activa do anno de
i838a 1839.
Decima Urbana
11111 insto sobre serraras
Dita sobre olarias
Dito sobre Fabrica de Tabaco
cados que forao atacados tumultuariamente
6 desarmados |>or paizanos.
As mas disposicoes militares fizero tambem
com que estes grupos sediciosos se nao dissol-
3oiU858 vessem logo ederao lugar a que se reunis-
3o8U8oo sem e organisassem em esquadres de 200 a
iaU8oo 3oobomens. He nesle interim laUooo des do Rio Grande aproveilaudo a occasiao
desta desordem invadirla a provincia pelas
; Torras com Perca de mais de |O0 liomens ,
7oaU*8i' Oommandados nao se sabe por quem se pelo
64U000 rahecilhaCanavarro se peloOnofre porque
6 Uooo tal foi a confusao e a desordem que as for-
laUfcoo cas da Laguua desampara ido a villa, sem
mesmo saberem de quem fgido. Faina dia
aa de julho que os rebeldes se apresentrao no
3.67aU8aG campada Barra, e no lugar do Passo e da
4Uooo Crnica. Os c'uladaos estavao armados desde'
i79Uaoo|os primeiros mov mentas e havia na -v illa
iaUaoo| Iropa de linba em numero de mais de Jco bo-
i/i


i
mea algumas canhonoiras a lanchos ar-
mados com pwas o rodizios o AuMnil
do guerra tudo befn municiado e tripulado ;
osle passo portanto podia e devia nacOJBttw
lilimente dcfondor-se enlrelanto abosar la
tudo isso a pesar das boas disposices e en-
thusiasmo do novo que se ochava em armas
no lugar do Passo acontecen que esse com-
mandante Villas-Boas, de quem j tenbo tal-
lado nesta casa, conservou a tropaemseus
<|iiarlcis e de noitc fez- a sua retirada sem
Jar bum tiro. J,ogo que constou a retirada
da loica de linba afona cvica desanimou ,
v tralou do retirar-sc tambera, c comee-ara o
os cidadoos a abandonaren a villa precipita-
damente ; as oanhonciras nao obstante ,
fizero muito fofjo; huma depois de ter
gasto toda a inunico atacou fogo ao casco e
abandonou-o ; oulra aos primeiros tiros ,
desmontou-se o rodizio e ficoii inutilisadi.
A escuna de guerra Ilaparica ficou cncalba-
c sabir a barra e assim escapon-se. Todas
as mais foro intimadas c renderio-se. Nesle
estado os rebeldes alravessrao o passo da bar-
ra c apodera rao-se da villa nomero buiu
juiz de paz e huma cmara provisoria e pr-
clamro a repblica.
O commandante superior como j disse,
fugio com a forca ; mas noto que quem fugio
foi nicamente o commandante, e que era tal
a indignarlo daquclles que acompanhavo es-
se commandante fugitivo que fot preciso que
hum outro official, usando de sua influencia,
evitasse que nao o massacrassem na marcha,
c at consta que hum cadete despira a farda ,
e rasgando-a llie alirra com ella i cara. Foi
deste modo que as nossas ibreas se recolherao
; Santa Catharina e chcgrr eidade do Des-
terro. Os rebeldes r senhores da Laguna ,
ahi cnconlrrb muitas mullicos armamen-
to huma peca colubrina e inultos navios
mercantes e algnns com carga.
Huma sumaca que tinha partido com ante-
cedencia da villa importando seu carrega-
mento talvez em icoconlosde fazeudas que
manda vo varios negocios para a ilha tocan-
do em Embituba para tomar a familia do
dono cabio em poder dos rebeldes e foi
por ellos rcconduzda para a villa. Huma
ranhoneira que antes de se saber do dcsas-
' tre da Laguna bavia partido com algumas
lanchas a levar de soccorroa esta villa, e ten-
do a noticia em viagem tcntou desembarcar
no mesnio ponto de Embitubn. Porm j este
ponto eslava lombem em poder dos rebeldes ;
a canboneira fez fogo ; porm depois de al
guns tiros, ahrio-se e foi a pique. Duas lan-
chas que iao comboiadas pela cauhoneira al-
gumas depois de terem ido parar ; altura
das T9rres, voltroa muil custo para a ilha;
de outra porm que levava humas 5o pra-
cas nao se sali ainda boje o destino que le-
voa cal j sejulga perdida.
Na cidade do Dcsterroo terror a confusao foi
exlraorJinaria ; o povo existe em armas. O
presidente com atropa quechegou de Santa
Calbarina trata de dofender-se no passo do
Mono dosCavallos, e se descaradamente bou
vor demora e que os rebeldes lentem hum
golpe decisivo sobre acidado, nao sci qual
ser o resultado. Nosles tormos julgo que
quaesquer que sojo as del>erac5cs que esta
cmara tem de tomar, ellas dovem ser promp-
tas e que devemos olhar nicamente paraos
males que tomos do remediar ; com estas vis-
tas pretendo votar contra o adiamento ;
quanto qtialquer que tonba de ser
ai o la cmara 'lia dove sernrompta. JV-io
alleguemos pois a ignorancia das causas ,
c na occasiio cni que a cmara vai dar o seu
voto nao convoni tirar o prestigio ao Hornea-
do : tudo teria lugar antes da nomeaco. He
o que tenho a dizer a respeito do adiamento
contra o qual voto.
presidio oslo auno-, o com que fundnman-[Presidente que, confirmando asordens dos
to? porque nao sabe fazer mappas, nem tem seos antecessores quanlo a preferencia, que
dinlioiro para os mandar fazer-ou comprar deva ter o Corpo Policial, e as obras Puhli-
porque
(les-
os Mappas peciuosr ignorara que toao otra- mito os clamores inrunaaaos ae que na i'be-
pregado deve dar as informaces que a Pre- zouraria smente erao pagas as pessoas da a-
sidencia pedir e pelo modo porque as pedir ? mrsade do respectivo Tliczoureiro embora os
Dcscon bocera acaso, que oCod. Criminal no seos crditos fossem mais anligos e sitas nc-
art. i54 pune aos que nao cumprem qualqucr cessidades mais urgentes e clamorosas.
le ou Regulamenlo exactamente expedido
pola competente authoridade ? A minha ad-
Srs. Redactores.
Justus.
Com quanto nao se dc-
miracSo foi tanto maior, quanto pela remosta va dar importancia aquillo, que s merece o
da Presidencia ao dito oflkio seconhece, que mais requintado desprezo ; o meo genio ini-
asrelacucs remeltidas pelo mesmo Dr. era.t migo de aloives, mentiras ou calumnias nao
informes e nao contrabat todas as declaraces me consente tolerar de bom grado os latidos do
exigidas polo Regulamento de 9 de Maro do gozo hydrophobico Hum habitante do Li-
anno passado e orncio de *6 de Janeiro do moeiro pela Correspondencia avulsa no seo
corrente; e como j antes a Presidencia. lhe 1 Diario contra o digno Prefcilo d aquella Co-
havia dirigido um officio pedindo os mappas, marca o Dr. Joao Mauricio Cavalcante da Ro-
do que trato son inclinado a crer, que o cha W. : sao latidos vaos, que pune o riso ;
Dr. Mondos smente remettia aquellas rea- mas (pue para nao terem a applicacaodo prin-
coes pro formula, e nao em cumprimenlo do ciqtio quis tacet consentir videtur diroi
seo dever, que sempre deve ter era "vista todo duas palavras acerca do ultimo pargrafo da
o Cidado honesto.
Parccc-aie taml>cm Srs. Redactores mui-
vn o os primeiros perseguidos pela Le ; on-
de emfim a honra vida, e propried.ide do
Cidadao pacfico be garantida na sua plcnilu-
dc ? A quem se deve este grande bem i Res-
pondas os haln (antes do Limociro. Quem
desconbecc os grandes servicos d'nquelle Pre-
feiloaprol de suas boas intences, sempre
hcmfazcjas, e generosas? A boa organisacao ,
e prompta operario da sua Polica o respei-
to consideradlo e prestigio de que all
goza ? O Sr. Corrcspondonle bem o sabe, e
l com sigo dir muito devagarzinho por
aqui mesmo vae o galo aos filbozcs ; e he o
que me taz morra-de raiva.....- O Pre-
leito emfim tendo n'aquolla Comarca cazas,'
trras, predios, negociarnos, amsades e
retacos pelos seos diversos Amigos, e paten-
tes all contiguos, est com os seos interesses
tao ligados quellc Termo que pode por as-
sim dizer ser comparado com a ostra pegada
ao rochedo. Eisaqaioque sobejamente as-
sogura a verdadeira garanliados seos disvellos
pelo bem estar d'aquolla Comarca.
Oticira o Sr. Iiabilante do Limooiro corri-
;ido-se dos seos vicios, o toinundo-se me-
tal eomczinha palinodia.
Apposlo sem risco algttm de pertla dez |'lor Cidadao sem ser Iao intrigante, Iralar de
todas as oulras classes de servidores do Estado,
devo declarar que o Decreto de ibi? determi-
na que os Ordenados dos Dcsembargadores
se nao possa reter, nem ainda para as ne-
cessidados da (itiorra, eque por tanto os Jui-
zes de Direilo nao eslo comprckendidos nesta
disposico ; e quando o estivessem o Dr.
Mondes ha de convir com a sua costumada boa
f que presentemente o Thezourciro nao t-
tem os ordenados dos Emprcgados Pblicos ;
que se estes nao sao pagos em dia he por falla
de dinheiro suficiente nos cafres Provinciaes;
o que finalmente esta falta provem nao de
dficit nos rendimentos, que para clles coslu-
mao entrar, mas de ser muito lemilada a im-
portancia do que eflectivamontc costuma re-
colber-se nos mozes de Junho Julho, Agos-
li 11 ni
mez
para

cst-i
Chole de Polica veto
Praca mamcommunar-se com outros' ejus- THEATRO D1 OLINDA.
dem furfuris para mordercm no Prcfeilo' do 'Ioc 4 (l corrente, em beneficie de Mara
Limociro, c nos seos Emprcgados: contra os Joaquina da Conoeieo so ro|)iosontar a Pora
quaes nao podendo descobertamente apresen- de-Antonio Xavier -O Divorcio por amor -1
larein fados para nao serem dismascarados jm> Av,!l ~ l'-'^arinho innocente o um Duelo ,
los Jurados; hum vae desencovar defunctos* c Pwta. A Muzica ser de orcheatn : a Be-
velhosde 17 annos para chamar criminoso ao neficiada nAo podendo onaitir atodos OBsetH
digno c honrado Cidadao Litiz Theolonio He- pfoleclorcs os Hilhetos estera rocebondo na
zerra Sub Prcfeilo da Villa do Limociro cu- entrada as gralilicacoos que se dignaremos
ja falsidadc se bem que fosse de promplo de- mesmos de jirotligalisar-Ibe. 0
monslrada pela Correspondencia da Senhora
Lira publicada no Diario de i3 ainda obser-
vara, que, se Jmiz Theotono he criminoso
sem ter-se procedido a devassa pela decisb do
Supremo Tribunal de Juslica e sem huma
sen lenca condemnatoria sem a qual nenhum
Avisos Diversos.
tZT O abaixo assignado faz scionlo ao Pu-
da mais fez,
aos Ministros
do que mandar pagar adiantado tro depois de lhe ter sido recusado o publicar- por ter que SCOnpoT mosma Regando as
, Magistrados e Omcaes de Jus- se huma Correspondencia asss virulenta oondicoos em tima camella estipuladas, pas-
ttibro de 18 h que mandou faser os pagamen- feilo e acaba gritando pelo Governo |ra do Modic-o llrifo.
tos aos quarleis deixiis de vcr.cidos ; e quanlo que hum tal Prcfeilo nao exista EquererJ IS" rrectaa-ae-de urna ama para homem
a rasan do AJvar nao he ella commum a ti- que o mande fuzilar ? Corlo que sim. E traz solleiro 5 quem pretender dirija-so a esta Ty-
pografia.
i.'T' Quem annunriou querer Irozonlos mil
juros hy|iolhecaudo nm escravo dlri-
dos os Em pregad*, que vivem dos seos or- por Areslooter o Prcfeilo hum engenho na
donados ? Provincia da Parahiba E querer que o
O Alvar,q' oDr. Mendos apona noq* de- Governo prive o Prcfeilo de ter engenho lora reis a juros hypothceando nm escravo dn>-
terminaj que o pagamento dos ordenados ou da Comarca? Cerlo que sim e nao peder ja a esta I yp-
propinas prefira aos juros, eos juros s tencas; elle empregado no Li moeiro ter engenho -j -' I elo .lin/o da toicoira vara do Civcl .
todaaquoslao por consegu i n le cosiste cm saber, zenda de gado, planlaccs, e nem negocio so lia de arrematar no da 4 do corrente, a
qual dos ordenados dever ler a preferencia se- algttm em outra qualquer parte conforme o quem nia.s dor por renda amiual a pn.pnoda-
gundoo estado dos Cofres Provinciaes,ona im- Cdigo vqtcrino da gana do Sr. Corrcspon- Je denominada Cnn-ais de S. M.;;nol sita 1
possibilidade de serem lodos pagos ao mesmo denle, por cu jo dedo bem so conbecc o (;-, In-uesiade Ipomea ; f.scnvao Sanios,
lempo, e om dia, como muilo convinba. Que- gante que perlende sem duvida que o Sr. 1 re-, isa-so do pingar hum moleqne ,
o Dr. Mondes patriota como Presidente a mancira de creanras, que se a- < l n 1 ;"i
cia sobre os defersores imi- calentao com carantonhas tulls das amas, sa de pe
j nor-
a doci-
Cor responde i cas
1 anuos de idade
quena familia
v. que soja fiel:
lem|
rer por ventura
he, ter preferencia
diatos do listado, que compile o Corpo de Po- pape a sea da sua raiva canina. Elle he sa- na na,
Licia, equiparado alias ao F.xerclo, nao obs- bio justo, c prudente, e mal seria separa nu das Mores ',). i
tanto o Dcerelo de 3o de Julho de 1768 que regular a sua Administracao demandasse taes
mandn havor sempre urna porcao de dinheiro advertencias gatunas.
adiantado nos Cofres para o seo pagamento Quem dcsconheec que a Comarca do Limo-
com prohibicao do so destrabir Querer ter eiro he huma das bem policiadas e que ape-
a preferencia sobre os pobres arlifices e orna- zar das grandes intrigas de que em lodos os
loiros das Obras Publicas, que vivem n'um lempos tem sido theatro goza actualmente de
para o semen de ama
que saiba rooi| I'
quem o livor \a t
o oento o cincoenta mil reis
com premio de dois por cento ae inez por
lempo de seis nie/.es dairlo-se boa firma :
annnncie.
ljm estrangero itllimamenle chogado
d'Hamburgo, aonde tem eiercido o lugar de
00-
11.11 da
tticos
sendo os ltimos ogerisadns jtelo po-
c respeilo s gnarda-livros de cuja arlo tem bastante
os face i no-
nao acha
Srs. Tledaclores do Diario,
f^i o officio, que o Dr. Manocl Mondos da
tliniba o Aevedo dirigi a Presidencia em da-
ta de 32 do pp. A;o.slo acerca dos mappas dos
criminosos, oque Vm. p'iiblcirao a seo po-
lidono Diario JV, 186 do 29 do dito mise 5 c
nao pude dcixar do lastimar, que esse Magis-
trado devendo ser o nrimeiro a dar o exem-
!o da obediencia c do seo zolo cm cumprir
restar todas as informa-
(.*).
mente dos agioleiros ?
Querer ler essa preferencia sobre os Arre-
matantes dessas tnesmas poucas, mas muito
ucees-acias obras os quaes por um con I relo
( paila religiosissinio son anda) tem direilo a Juicos porque nao poilem
recobcr as oorapelentcs paestaces segundo o' temjto de corlo Juiz de Direilo,
oslado das obras, o sao obligados alindar es- ex Juiz de Paz as sitas
tas om ((
nheciulenlos praticos ,' e theoricos podendo
mostrar documentos enfiestados quealirmao
tanto a sua babilidado como a sua conducta .
leseia-se emproe.ar cm inabiiior una raza (b
li
desoja-se empregar em qualquer urna ca/.a de
herorio, nao querendo exigir no iirincinio
(uanto nao se
As Iiistrucces da Prefeittira r.n a cs-
inlia da garganta dos taes reos de Polica Po-1 grande naga, cm quanto nao so cor.necer a
obrar como no sua pe i( ia : quem precisar annuneie para Ri
procurado.
a quem nm
grandes geremadas
lo praso sol) pona de pagarem mu- jierlurbadoras da Comarca contra o Major
icrer tel-a sobre os Prolessorcs Moma, os dois Gonsallos, e oulros des-
las &e. ? Qui
Pblicos da Provincia nao obstante a exprs- conipiinha derijo mandando-lbo di/er qui-
sa cciiveiponte recomendacao do art. 7 do lhe ira dar com um chicle, e com
Cap. a-daJ.ei Provincial 11. 43 i* Querer fi- oras
sa c conveniente recomendacao
na cara ; e o bom
nalmento ler sobra lodos os outros Emprega-
dos, que vivem smenle dos seos ordenados terapinho !) nem |
e nao tem tomo elle bona emolumentos, como ca gomer com o a
do
nosso
Cbo-
l\'a ruado Quoimado D. to loja que foi
do Sr. Joaquina da Silva Pereira seacha esta-
belecido Antonio load dos Sanios Ihaga &
Comp. com grande sortimento de azeoda
por procos muilo cmodos.
tj* Quem pon-izar do hum moco Hrazi-
2 Policia raquclc tompinbo (oh que. lciro paraoaixeiro de loja venda, e mesmo
linho !) nempiava edeixandoa Comar- para armazem; o d fiador a sua conducta pois
'estas, o d'ouiras detudotm alguna pratica : anjtmoie.
Roga-seaoSnr Joo Sergio d'Andra-
de queira innunciar a -na morada pira seUte
rallar.
Quem |>ro( izar de um rapaz Brazilciro
doidade i8 19annos de dado para < axeiro
,\c loja de fazeudas 0-1 ftrragem am
para ser procurado,


DIARIO DE PERNAMBCO
XSF" Roga-se encarecidamente a os morado-
tes da ra larga do Ro/ario que tem por cos-
tume maiularein os seus escravos botar agoa
su ja na ra que Iembrcm-se que elles s
no que moro em dita ra e juntamente
que l.iihaoeompaixao dos pobres, e "
iiari/es
dos moradores e dos que
infelizes
transitan
por essa ra, que parece mais despejo,
do que urna ra das principes outro sim
doelara-se a os ditos, que nos ainda temos C-
mara Posturas e Fiscacs que vo a mo
a tantas porcarias que nada mais fazem de
que empeslar esta Cidade.
C7" A pessoa que annuneiou querer com-
prar msicas para violo dirijase a esla Ty-
pgraia ; assim como se vende uiua flauta de
bano, com qnatro chaves de prata muito
boa e pr preco commod.
S^" Joaquim Celestino Gonsalves, est
authorisado pela viuva, e herdeiros do falleci-
do Joaquim Nunes Percha de Faria pra
vender dois sitios unidos com urna boa tasa de
vi venda de pedra e cal, e urna de taipa nos
mesmos sitios com arvores de ructo, pomar,
boa baixa para capim e terreno suficiente
al para vaccas de leite na Magdalena na es-
trada que vai para a estrada da Luz 5 quem
quiscr comprar entenda-se com o annunciantc
morador na ra do Crespo quina que volta
para a ra da Cadeia.
t3" Precisa-se de um negro alugado para o
servico de urna casa ; no forte do mattos casa
de 4 andares ao p da casa do Sr. Bellem.
S^- Precisa-se de um rapaz de idade de
i4 a 8 annos. para caixeiro de urna venda
na Villa de Goianna e que d fiador a sua
conducta ; na ra da Cadeia do Recife n. ao.
S~T A pessoa que precisa de trezentos mil
rs a premio de dois por cento ao mez dando
de hypolheca um escravo dirija-se a ra da
senzalla n. ti.
*^ A psima que rcccbco de um preto ve-
lho bastante'alto seceo do corp de ca-
misa c scroula de eslopinha suja e chapeo
de palha vclbo um panaeii com um landcs
de vender leite urna medida de contra mo-
tado e um coquinho de (landos para guardar,
ou por compra queira mandar entregar ditos
objeclos cm a praca da Independencia loja de
ourives n. 16 ; do contrario logo que o mesmo
negro apprcter e descobrir a quem vencho,
ou deo a guardar taes objeclos se proceder
contra essa pssoa vista do presente annun-
cio.
CJ- O moco Brasilciro que annuneiou que-
rer vender fazendas pelas ras dirija-se a
ra dos barbeiros D. i(i pr cima do bolequim
do Sr. Almeida, no'segundo andar.
SST Quem precisar de um caixeiro porlu-
ih pra fora da provincia ou mesmo para
engenho annuncic.
8^> Precisa-se de um cont de ris a pre-
mio de um e mcio pr cont ao me/. dando-
so sor u ranea em um bom sitio com casa de vi-
vond emuiloprlo da praca; quem qui-
ser dar annuncic.
%Z3 I recisa-se alugar um sobrado de um
andar ou mesmo um primeiro dito que te-
nha quintal, e tambem urna casa terrea, com
a mesma proprco ; quem liver annuncie.
S^" Na ra nova U. ari segundo andar ,
par cima do Sr. L)r. Paula precisa-se de urna
ciiada.
do corren te pelas 10 horas da manh no
seu armasem da ra da Gonceico n. 34 n0
primeiro andar,
C o 111 p r a s
C7" Urna escrava preta ou parda-, que
tenha leite para criar urna crianca ; na ra
de Agoas verdes casa terrea D. 3?.
CF" Um relogio inglcz de banca descon-
certado ainda falto de alguma peca ; nesta
Typgrafiase dir ou annuncie.
g^ Para um engenho distante desta praca
urna escrava boa coznheira, engommadeira ,
e que cntenda alguma coisa de costura ; quem
a tiver sem vicios e a queira dar a contento
pr tres das dirija-se ao segundo andar do
sobrado D. 10 defronte do theatro.
O" Ou troca-se urna carteira de duas faces,
que sirva pra escrever quatro pessoas, pr
urna em que s pde escrever duas j quem
este negocio quiscr fazer annuncic.
S_j- Um molatinbo que tcnba de ia a 14
annos de idade ; na ra do Cabug loja que
faz quina para a ra dos Quarleis ou an-
nuncie.
da a 48o ris Cada garrafa c sendo vendida a
pessoa conhecida engeita-se se ella nao sahir a
gosto do comprador ; na aula de pimeiras le-
tras na ra da Cadeia velha n. 64 > e na ra
nova loja franceza I). 1 /j.
Cy-' Tres moleques de naco lindas figu-
ras de idade de ia a id annos ; dois escra-
vos de naco de idade de 16 a ao annos, mu
ladinos e sem vico* ; urna escrava de naco ,
afianca-se nao ter vicios cozinheira de pro-
fisso engommadeira e muito bem educa-
da ; urna dita creoula ptima para um tabo-
leiro de fazendas engomma liso cose cha, e
cozinba ; na ra de Agoas Verdes D. iS.
tSF Supriores charutos da Havana c
ditos da Cachoeira : na ra do Cabug loja
do Sr.' Bandeira
537- Na praca da Indepndencia loja n. 11
e 12 talins com chapa na frente como dis-
tico de Pedro Segundo, bandas de officiaes, de
suprior qualidade choroens talins de car-
rancas barretinas para officiaes sargentos ,
soldados cordoens de todas as qualidades
para as ditas e plumas e um par de dra-
gonas pra segundo tenentc de artclheria ap-
[mrelho para barretina da G. N. a de cava-
lana vidros de pz antebeliosos de Manoel
Lopes tudo chegado do Rio de Janeiro.
Ct* Dois escravos de naco um official de
tr Urna barcaca que pega em 8 caixas marcineiro e torneiro e destilador de
prompla com todos apparelhos e muito idade de *6 annos e o segundo de i> proprio
boadevella, e bem construida; na ra do pra o trabalho de campo, ambos de bonita
Queimado loja de ferragem D. 5. j figura; na ra de S. Gonsalo na propriedade
O" Um moleque de .6 annos d idade de do fallacido Joo Baptista Branco a fallar com
muito bonita figura proprio para criado por Manoel Elias de Moura.
ser muito deligenle e lallar bem com os j ^ Urna loja com fazendas, em muito
officios de bom sapateiro c cozinheiro ; um bom lugar se vende a praso e com vanta-
dito proprio para todo o servico ; urna preta gem ; quem pretender annuncie.
creoula coslureira engommadeira e cozi- SS^ Urn molatinbo de bonita^ presenca de
nha urna dita de naco com 16 a 18 annos de idade de 14 annos; na ruada Gloria sobrado
idade, de bonita figura propria para anpli- de um andar D, 47-
car-se ao engommado ou a outra qualquer! tsr A posse de um terreno com 48 palmos
coisa; na ra larga do Rozario D. 7. j de frente e trezentos de fundo, com urna
ey Urna farda de G. N. panno muito casa da laip no atterro dos alfogados ; a Ira-
fino e por preco commodo ; na ra das tar na mesma casa com Jos Antonio GonsaL-
Trincbeiras I). i ves.
C7- Um violo de exccllentes vozes, em j tZT Urna espada de batana de ferro e
lxirn estado e por mdico preco ; na ra das urna farda nova de artilheria um armario de
Flores I). 6. I vidrassas proprio para alfaiale ; na ra da Ca-
t^f- Urna casa terrea sita na ra de S. Pe- deia do Recile L). 16.
dro entrando para a ra de Agoas verdes, com SST Urna escrava de naco rabolo de idade
duas salas tres quartos grandes cozinba fo- de Jo anuos boa lavadeira e quilandcira ,
ra cacimba com lioa agoa quintal com fundos com principio (le cozinha ; na ra do Cano
para ama de llortas cuja casa tem soto junto ao hospital do Carmo casa de um mar-
comduas salinhas c urna pequea alcova ; a cinciro.
Vendas
Avisos Martimos.
PARA O RIO DE JANEIRO segu via-
cem com muila hrevidade o Patacho Nacional
Novo Especulador, Capito Joo Luiz Ro-
drigues; quem no mesmo quiscr carregar, ou
hir de passagem dirija-se ao mesmo Capilo,
ou a seu consignatario Manoel Joaquim Ra-
mos e Silva.
FRETA-SE para qualquer prto o Bnguc
Inglez Rebeca Capilo Langford de lote de
a 5 toneladas, muito velleiro e novamente
forrado de cobre ; os pretendentes dirijo-se
a casa de JuuStfi aiei"
KX V.Mlj>.
r-..-.:;'.:

ra da Madre de eos.
PARA A BAHA a vclleira Sumaca Feliz
Americana at o do coi rente tem o carre-
gamento quasi todo mas recebe alguns vo-
l'umes miudos ; quem (piiser carregar dirija-
se a Manoel Joaquim Pedro da Co>la.
PARA LISBOA o Brigue Brasilciro Cons-
lanteno diaai do correle ; quem no mesmo
n 11 iser carregar assucar a aoo ris por arroba ,
ou ir de pssafjeni para o que tem excellentes
commodos, dirija-.-'.' an Capito Manoel Mar-
ciano IVinoira', na praca, ou a Tbomaz de
yxquinoFonseca.
JLei lo
Que faz, o Cndor Olivoira de um
liinento de fazendas Jngle/.as e Fi an-
illadas Cjuarla reir 4
bom sor
eczas limpas e
tratar na ra do Livramenlo I). 4 ou no beco
do Lobato com Antonio Coclbo da Paz.
t^- Urna escrava de naco angola de ida-
de de a4 anuos boa engommadeira cose
cha cozinba o diario de urna casa e faz al
gumas qualidades de doces ; na ra Direita
D. vo lado do Livraiuento.
^T Muito boas jangadas ; a tratar no ul-
timo armasem de carne junto a cadeia.
C5* Urna carteira de urna s face, inda no-
va e bastante enconta ; na Trempe sobrado
de um andar por cima de urna aula publica.
S~5" Tres portas de cosladinho de amarelo,
novas com treze palmos de altura, e seis de
largo ; na ra dos Pires D. 11.
SS5" Urna negra de naco baca, de idade
de a annos, cozinha bem o diario de urna
casa lava de sabo e varrella e estando
ganhando na ra d pr dia um cruzado ; na
ra do Cotovelo D. 37 ; assim como um ber-
co de amarcllo.
*-J- I )ois temos de medidas de pu novas,
urna balanca com seu compterite braco, dois
temos de medidas de flanue tudo por preco
commodo ; defronte da ribeira do pixe venda
por baixo do sobrado.
O" Um cavllo sufrivel para sella novo,
e carnudo ; na tremp pr cima d'aula pu-
blica.
C7* Urna escrava creoula de idade de 16
annos boa engommadeira, e costureira a
vista do comprador se dir o motivo; na ra
An ^ Cftu cr*trri(n 't** up1 andar em nue mora
o cirurgio Miguel Nunes Ferreira Guima-
res.
t^" Duas escravas de angola, urna de ida-
de de a 5 annos faz todo o servico tle casa ,
engomma cozinha e lava de sabo. e a ou-
Ira de idade de o annos com as mesmas ha-
belidades ; na ra do Cabug loja de miude-
zas junto a botica*
tZF" Urna negra de nacTo de idade de 9o an-
nos ,
ra
bonita figura tem principios de costu-
mma, e cozinha o diario de urna
engo
casa faz todo o servico de urna casa e qui-
landeira ; na ra de Agoas verdes sobrado pe-
gado ao fundo da Igreja do Terco.
C^- Um sortimento de chapeos de seda para
senliora de muito bom gosto flores, e fitas ,
ludo chegado prximamente de Franca; na
ra nova U. 1 b.
C^ Superior tinta de escrever engarrafa-
cr Urna prco de taboas de pinho con-
tendo perto do a 000 ps ja uzadas. mas nao
arruinadas; no armasem de Fox & Stodart ,
na ra da senzala velha n. 1.
i^T Um l)om qartu ; no sitio da capeli-
nhado mondego. '
i^~ Uuas e;uas e 8 quartos pr preco
commod ; no atterro dos affogados passando
o ultimo sobrado de dois andares primeira casa
terrea onde tem fabrica de tabaco.
tCF" Um relogio de ptente de sabonete ,
regula muito bem e trabalba sobre um dia-
mante e pr prego commodo ; na Camboa do
Carmo D. 10.
t~?~ Urna preta de naco cassange de 3o
annos de idade cozinha o diario de urna casa,
lava muito bem de sab, e boa quitandeira;
na ra do Fagundes D. i5 no primeiro an-
dar.
CJ" Seis mil e tantos conhecimentos im-
pressos ; na ra da Cruz na venda nova. dc-
Ironte da fuddico do Sr. Mesquita.
HJ~ Dois grandes quadros com relogio e
msica um rico relogio de cima de mesa
um candieiro ou lustro de vidro com oito lan-
ternas para oito luzes urna cadeira muito ri-
ca para Senliora, urna parelha de cavallos
para carro um carro de duas rodas muito bem
pintado e forrado de novo um carroca feita
na trra para conduco de materiaes pra ser
puchada pr boy urna caplla para missa,
com divci-sas Imagens de bom gosto, um pre-
sepio do Menino heos grande, com 3 vidros,
urna cela de S. Antonio obra muito boa e
outros objeclos de bom gosto pr preco com-
modo ; no atterro dos alfogados sobrado gran-
de junto ao viveiro do Muniz.
y Rap de Lisboa chegado ltimamente,
em libras easoitavas ; na loja de Antonio da
Silva Gusma.
Escravos Futidos
-?- No dia a3 do mez passado fugio urna
escrava de nome Joaquina alta secca do
corp rosto redondo bem preta represen-
ta a8 annos de idade, levou vestido de chilla
azul, e panno da costa ; quem a pgar leve a
ruado Queimado D. 19 que ser recom-
pnsado.
C7* No dia primeiro de Setembro do cor-
rente fugio urna molatinha de nome Cusma,
de idade de i3 a i4 annos pitos redondos,
e atacados bem parecida olho grandes e
bem pretos, sobranceilhas serradas e pretas,
dentes muito puco abertos com principio de
podres tem o dedo mximo da mo direita
um puco defeituoso por ter tido um pana-
ricio, os cabellos cortados e bem corridos, uza
de gaforina orelhas um puco grandes sa-
hio com um vestido de chita cor de caf com
raminhos pretos outro na mo de la bran-
ca com ramos de todas as cores ; quem a pe-
gar leve a Boa vista beco do Veras sobrado no-
vo de Victorino dp.Souza Travasso na qua-
lidade de procarador do Dr. Martiniano da
Rocha Bastos de quem escrava a dita mola-
tinha pis ser recompensado,"
SSF* Nos dias a d'Abril, e ao do p. p.,
fugiraS ao abaixo assignado dois escravos, o
primeiro do gentio da Costa de nome Vicente,
talhado dentes limados, baixo e grsso ,
puca barba, cor vermelha pescoco curto ,
ps cheios de cravos e mal feitos, tem em um
dos pitos a marca P : o segundo do gentio de
Angolla, ainda nao falla bem claro, e pr
nome Joo alto, gordo cor retinta, bar-
bado com falta de um dente na frente, as
prnas e ps grossos e mal feitos, tem urna
marca no ppito esquerdo que representa o
palbcto de urna chave ; levou vestido scroula
e carniza d'estoupa. Oflerece-se cincoenta mil
reis de gratificaco pr cada um as pessoas ,
qued'ellcssouberem, eos quizeremdeclarar,
alem das desp'zas da apprehenco, que tam-
bem se pagaro. Antonio Alves Barbosa.
C7" No dia *3 de Dezembro de i838 des-
appareceo um negro com idade de 3o a 4o an-
nos com os signaes seguinles ; estatura re-
gular nariz chato com algumas marcas de
bechigas no rosto urna pequea nevoa em um
olho tem urnas pquenas.glandulas no pseo-
00, que s se conhecem apalpando com a
mo seu nome Antonio e por alcunbo
conhecido pr Major ; quem o pegar o
leve a seu senhor Francisco Rodrigues da Cruz
morador na Cidade do Recife ra dos Quartc-
is que pagar cem mil rs. pelo trabalho.
C^ No dia aa do passado fugio um escravo
do nome Miguel, alto, cor puco preta e
o maior signa I que tem. ter o queixo incha-
do de um lado por ter bastantes grandulas, ou
al prcas quasi todas ou todas ainda abor-
tas prem eslo feixando ; roga-se a todas
as pessops que vivem de prender escravos f-
gidos c muito principlmente a os de fora ,
e mesmo a os Srs. empregados de Policia para
o prender e remette-Io a casa do seu legitimo
Sr Antonio da Silva Gusmo que pagar to-
da a despsa e dar urna gratificaco a quem
o conduzir.
tjT Roga-se a os Srs. Sub-rrefeilo3" desta
e mais Comarcas Commandante do registo e
autboridades pliciaes e pessoas particula-
res, aprehenco de um escravo de nome Fran-
cisco naco rabollo cujo escravo loi do fal-
lecido Gervasio 1 ires Ferreira e apelida-se
pr Francisco de Vera, ora official de pdrei-
ro baixo, cabeca sobre o grande, olhos
grandes e abugalhados um pouco alumaca-
dos, nariz mais afilado do que chato boca
grande, beicos grossos pitos batidos de
idade de ai annos julga-se ter sido seduzido
para embarcar levou vestido calsa de brim
branco e camisa jaqueta de chita azul des-
apareceo 110 dia afi do corrente; o mande le-
var na ra do S. Gonsalo a entregar a Manoel
Elias de Moura que gratificar generosa-
mente
tST No dia aa dop. p. fugio um negro
de nome Manoel cabra cor fulla estatura
bem baixa, de idade que representa 56 annos,
levou vestido camisa de baeta encarnada e
scroula de panno de linho. cujo escravo anda
bastante doente de urna prna e pucha por
ella ; quem o pegar leve a praca da Boa vista
D. 3.
Ct* No dia 37 do p. p. fugio um negro
ainda novato de nome I edro do gentio de
angola o qual levou vestido calsa e camisa de
brim branco grosso ; quem o pgar ieve a ra
da cadeia do Hecife 11. 18.
Movimento do Porto
fAVIOS SAHID0S NO DIA 3.
GUAMARE' ; Patacho Nac. S. Jos, Cap.^
Ricardo da Silva Neves ; em lastro. -
MACE10' ; Lancha Bom Sucesso M. Ba-
zilio Magno carga diversos gneros.
liNTRADO NO DIA 3.
ARACATY ; a4 dias Patacho Nac. Maria
Luiza de 111 tonel., equip. i5, M. Igna-
cio Marques carga couros sola e al-
odo; Antonio Joaquim de Souza R-
iciro ; passageiros 37.
'
BEC1FE NA TYP. DE M. F. DE F. iby.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EMLXEGHWB_R213GG INGEST_TIME 2013-04-13T01:48:25Z PACKAGE AA00011611_06117
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES