Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06110


This item is only available as the following downloads:


Full Text
m**m^
^ar


, >
HC a'mVi O'Bi
Saio it.
ElWres3o M|r ifooo sed. ... .
.Lisboa 8o por loo premio, por metal, oflereciao.
'Franca 3ao a 3a5reis por Tranco.
Rio de Janeiro ao par.
Moedas de S/foo i5jjTioo*as velhas, novas U/900.
4#ooo 8#aoo a 3,{3oo.
PezosColumnarios ij?68o'a ijfroo.
litios Mexcat*s i#6*4o a ijjTboo.
'ataces Braiileiros i#68o a ijfaoo.
ramios das Ult M, por mez 1 i/l 11 171 por 160.
PARTIDAS DOS CORREIOS TERRESTES;
Cirlade da Pal aiba e Villas de saa pretenco 2 2 3?.
Cidade do Ra Ci'dacie da Fortalea a Tillas Idam .....'.{
Villa de tloianna ..... i ''!
Cidade da Olinda ......;;...'
Villa de Santo A nto i : 5 3 .'
Dita daGaranhans Povoaco do Bonito. ....
Dtasdo Cabo Serinhaem, Rio Formoso, o Porto Calvo
Cidade das Alagoas, c Villa de Macei. .....
Villa de Paiau' de Floras. .
Todos os correis partcm bo meios da.
25 DE MAIO NUMERO ho.
Tudo agera depende de'n6s mesraos ; da nossa prudencia
snoderaco, a energa : continuemos como principiamos
e aeremos apoOladosj com admiraco eutie as INaces mas
Cultas. ?,
ProCiumacdo da Asamblea Geral do Bratil.
Segundas e Sextas fefra;
Todos os das.
Qointas feiras.
Dias 10, e a< de cada mes
dem i 11, e 11 ditto d tloQ
dem idem.
I la> 13, ditto ditto
Subscreve-se para esta folha a 3jjfooo por quarlel pagos ad -
antados nesta Typograia, ra das Cruies D. 3 e na Praca
da Independencia TJ. .^7 e 38, onde se receben) curiespuu-
dencias legalisadas, e anuuncios; nsirindo-se estes gralis
sendo dos proprios assignanles e viudos assigaadoj.
OAS DApEMANA.
ao Segunda >fc 1. oitaya S. Bernardino de Sena.
*i Terca % a. oitav* S. Mancos II. M.
aj Quarta Temp. jejum S. Riu de Cassia Viu. Sesso da T. P.
a3 Quinta S, Bazdeo Are. IUJ. e aud. doJ. de D. da a. vara de mauh.
a4 Sexta Temp. jejum S. Afra M. Sesso da The, a aud. do Juii de Dir. da 1. vara de re.
a5 Sabbado Temp. icium S. Gregorio 7. P. Re. de manh e aud. do J. de D. de m.
a6 Domingo de SS. Trindade.
Mar cheia pera o dia a5 de Maio.
Ai a horas e 5{ minutos da manh. Ai 3 horas 18 minutos da tarde.
-t-------
PERNAMBUCO.
GOVERNO 1.1 PROyiNClA.
Expediente do dia a2 de Maio.
Officio -'- Ao Commandante das Armas,
para mandar escucar d<> servico Militar as
pricas constantes da rellacio que se Ihe
enva e que Torio jugadas incapases do
mesmo servico pela Junta de Saude.
Dito Ao Inspector da Thesourarja ,
para mandar abonar s familias dos Te-
nenies doptimero B.lalho de Oteadores
dsta^Provincia Jlo Francisco do Reg
Brrelo, e Jofo Francisco Cavalcante, o
accreseirao do sold desta Patente desde ao
de Agosto de i8.'8 data da Proposta ero,
que forio promovidos conforme requi-
sitou o Exm. Presidente do Rio Grande do
Sal.
Dito Ao mesmo, communicando-lhe
que a Presidencial tem Horneado em execus-
joa lei Provincial numero 67 de So de
Abril deste anno os empregado que devem
servir na Thesouraria dai Rendas Provin-
ciaes, constantes da rellacio que se Irte en-
via, e ordenando, que os faca entrar em
pxeicicio do 1. de Julho fueturo em di-
aule.
Dito Ao mesmo, respondendo-lhe
que na ariemattaclo do Imposto de ao
por cento do Consumo d'aguardeute do
Municipio do Reci'fe, deve dar a preferen-
cia requerida por o arrematante Thom
Pereir* Lagos, visto ter elle ja arrematado
o rendimento de taes Imposto* e sugeiUr-se
10 mesmo onus, e conveniencia offerecida
Hooutro prndente Antonio Rodrigues
Smico, com o que nada se prejudica a
Fasenda Publica.
Dito Ao Commandante Slpercr da
Guarda N., ordenando-liie, que mande dis-
pensar do servio.) da mesma G. Nacional
nos dias de S crelaria ao Oficial da mesma
Sec.etaria Jos Ignacio S jar es de Ala-
cedo.
Dito Ao mesmo para louvar e agrade-
cer aos Corpos da primeira Legio da
Guarda Nacional de seu Commando o ac-
ert unifarmidade, e pericia no deseu-
vovimento das eVoluces cem que se a-
preseuiara no parada do dia 19 do corren-
,p) e manda lo despensar de todos osexer-
cciosateo fiai de Agosto futuro; para
otranlur aos corpas da segunda Lego, o
i ouco esmero as manobras, a o desiuho
no acceio e o pouco numero de Pracas
cm que se represeutaro em dita Parada,
'Pira obrigal-os sos mais rigorosos exerci-
Cl0 ; e finalmente para expedir as pre-
cisas ordens a fim de que a Guarda Naci-
'"I de n as Teses a Guarnico da Praca,
'"st)ir diminuido o numero de Pravas
d* primeira Linha,
Dito AoComm. das Armas communi-
candollie o ronteudo na ultima parte do
precedente oficio.
Dito Ao Inspector do Arsenal de Ra-
[!", para reroetter pura a Provincia do
r' do Patacho Laureniina t 01 objc-
tos mandados aprontar pelo mesmo Ar-
senal e requisitadoa pelo Exm. Presiden-
te daquella Provincia.
Dito_ Ao Director do Araenal de Guer-
ra para remetter para o Ceara' pelo Pata-
cliu cima referidos es objectos manda-
dos aprointar pelasua Repartico.
Dito Ao Co nmandante Geral do Cor-
po de Polica para mandar postar diaria-
mente no Deposito urna Guarda composta
de hum oficial Inferior, um Cabo e nove
soldados.
Dito Ao Coramandante das Armas,
rom mu n raudo Ibe a expedico da or-
dena sunra.
to respeitavel para todos os Cidadaos.
Faz saber mais que em observancia das
Postaras Municipaes no art. ai prohibe a
todos sem excepcaS d pessoa deitarem fo-
go solt, como Buscaps palas ras pena
de 3o j' res e 8 dias de prisio e para que
chegue a noticia a todos mandei publicar
por esta folha.
Olinda A de Maio de i839.
Antonio Manoel Lobo.
Diversas lleparticoeiis.
MEZA DO CONSOLADO.
Pauta he a mesma do num. m.
PREFEITRa
Parte do dia a3 de Maio de 18 jg.
Iflm, Eam. Snr. Fora presos Kn-
tem a minha ordem e ti*era5 o compe-
tente destino : Francisco Xavier dos Pra-
leres e Francisco Cordeiro Lima par-
dos pelo Suh-Preftito da Freguesia de
S. Antonio este por ser desertor d Com
panhia d*Artfices e aquello por estar d-ii-
tado junto a Ponte da Boa-vista e faser-
se suspeto ; Jos Ignacio preto forro ,
e E'ias Paes Moreira pardo Capitaens
de Campo pelo Sub-Prefuits d Boa-vista |
por terem morto liontem a tarde em deffu-
za propria o preto JoaS Congo escravo
de Jos Francisco da Rocha Guedes que
se chava fgido e occu'to no logar da
estrada nova de S. Amaro e bavia ha
poneos instantes ass cada a outro CapitaS de mato, que com
aquelles o hia capturar em cousequencia
de recommendacoens, que bavia tido de
seu respectivo senhor, cujo preto cos-
tumado commetler impanimeute sema-
liantes attentados amuacav.i assassinur
tambem os ditos presos e o teria feito
nio ter sido immediatamente morto.
E' o que consta das partes hoje recebi-
dat nesta Secretaria.
Dos Guarde a V. Esc. Preftitura da
Comarca do Recife a3 de Maio de
1839. Illm. e Exm. Sr. Francisco do Re-
g Barros Presidente da Provincia,
francisco Antonio da S Barreto Pre-
feilo da Comarca.
EDITAL.
O Fiscal da Freguesia de 5. Pedro
Mrtir da Cidade de Olinda faz saber a
todos os moradora desta Freguesia que no
dia 3o do correnta ba de sabir a Procica
de Corpo de Daos esperA que todos te-
uhio com maior limpesa as frentes e tra-
vesis de sud moradas, para hum aclo
Diarjo de Pernaonbco*
'Ser sabedoria', 014 apathia ?'
Tal era a proposica, cujo desenvelvi-
mento oceupava um circulo., do qual fac-
amos parte. O estado em que se acha
esta Provincia disiaS uns 6 devido ao des-
engao em que estad os Pernambucanos
de qua tudo quanto nio for tranquilida-
de publica conservaca do actual Gover-
no, obediencia e respeito s auctorida-
des legalmente constituidas um erro ,
um atraco para a nossa liberdsde se por
?entura nio for causa de cabirmos em ama
escravidio peiordoque aquella, em qua
vivamos, quando o grito de Liberdade
foi ouvido na trra da Santa Cruz.
Querio oi'lros ( cujo numero era me-
nor ) que o nosso estado fosse antes urna
total 'apitlm' do que um verdadeiro co
nhecimento dos nossos deveres como que
possa ser laxado de falta de paixoens de
incapacidade de sentir um povo que
sabe obedecer 1e e por isto sabe ser li-
vre 5 que est sempre prompto a correr em
auxilio das provincias afilelas pela anar-
chia ; que prodgaliza osea sangue em de-
feca d'ellas ; que deposita o seu ouro no
regasso da vi uva as mos do orfa e
dos necessitados; e que finalmente, in-
flamada sua alma pelas mais fortes pai-
xoena do amor liberdade do odio a-
nrchia, quer ver sua patria par dos
paia.es verdaderamente livres.
Por acaso existir a sabedoria nessas des-
granadas Provincias que, a despeito dos
seus proprios intresses tem querido sub-
trabir-se com falsos, pretextos ao (In-
vern por ellas, e por nos todos creado
muito a nosso contento para entregar-se
as voraces garras da anarchia 7
Que sabedoria tem apparecido no Rio
Grande na Babia, no Maranbio e no
Para? O Rio-grande^, (concedamos por
instantes que ser a seu favor o resultado
dessa sanguenta lula ) tei a mesma felici*
dade que tem tido os seus Veznhoa Hes-
panhoes ,- a Baha anda nao enchugou de
lodo as lagrimas, e o sangue ; Maranbio
principia a desgracar-se a si e a inquie-
tar as Provincias que cuidio de inviar-
Ihe auxilios *, e o Para aiuda vacila no
roeio dos passados desastres.
I1.' por tanto do nosso lado que existe
a sabedoria e a apathia existe no Rio-
grande, e Maranhio, pois se existe ali aa-
divid.ide pare o roubo pira oassasaiaio;
para o incendio elles sa5 apathicos para os
seus verdadeiros intresses sao apathicos
para os afJctos mais ternos de humauida-
de ; nos pelo contrario somos sabios por
nos conservamos na ^erdudaira postet,
naquelle estado que pode nicamente fa-
cer a nossa perfeita felicidad naquelle
posto que nos mando conservar a lei, e
a religia.
Qua qoereriamos nos mais ? Quicemos
a independencia tvemol-a e d'um modo
quase milagroso. Quicemos um Governo
Conttitucicnal Representativo, este o
que felizmente dos rege. Quizamos um
Chefe que fosse Brasileiro-nato tal o
Imperador o Sr. D. Pedro II. Quicemos
ainda algumas modificaces na Constitui-
cio ali est a lei da reforma. Agora o
que nos resta ? Gozarmos em paz de
tantas e to grandes felicidad?*. 'Tudo
agora como diz a nossa epigraphe de-
pende de nos mesmos ; da nossa pruden-
cia moderacfo e energia : continuemos,
como principiamos e seremos apontados
com admiraco entre as naces mais cul-
tas.
A falta em seguir-se religiosamente este
conseibo dilado pola sabedoria da Assem-
blea Geral, acaba de por em maior com-
bustad partido d'um Gomes d'um bala-
io e d'outros desta estofa no malfadado
Maranbio cujas desgracas sao maiores do
que havemos publicado como se vea d'es-
ta correspondencia particular que a bai-
xo copiamos.
Para mesmo talvez ae veja de novo
bracos com a anarchia se seu sabio, e
honrado Presidente afrouxar um pouco,
o estado d'actividade, e defesa em que o
deixou o Ex-Presidente Andrea. Esta Pro-
vincia est entre Syla e Clmybdes : d'um
lado tem a subjugar a anarchia e d'outro
ambicao.
A pouco entrou pelo lado de Demerai a
no territorio de Maranbio urna Missio In-
glesa cujo sacerdote procura chamar ao
sea sistema os indgenas subditos deste
Imperio. O Commandante da expedico
do Amazonas a penas te ve disto noticia,
promptamente officiou aquello Missionario,
estrauhando-lhe to criminoso procedimen-
to de modo que quando l chegara as or-
dens do entio Presidente Andrea ja o
Commandante bavia feito o tea dvor,
mas nos nio sabemos do resaltado deste
negocio.
A Naci Francesa como ja havemos
dito ainda conserva perto de Macap, e
em urna Una dentro do lago do Amap ,
um posto militar guarnecido por duzen-
tos bomens do primeira linha 1 protegi-
do por embarcares de guerra. Muitos
rebeldes da Provincia tem para aquello
ponto fgido onde achio guarida e so-
corro.
No Amazonas, o seas dislrictos s po-
der conservar-sa a paz com as armas naa
mos, particularmente no Rio Madeira ;
onde os Indios nao esto completamente 0-
bedientes.
Os rebelnes, que forio levados al'" *

I
J
ILEGIVEL
1


r
V
DIARIO DPERNAMBUCO.
ra
C.zueiras do Rio P eto cu T.p joz a
Iravessaraa l-ira firme t auieacao nota
mente Luzea.
as iromi diacoens dos Breves e Gura
p apartcum as reses canoas com g'ote sus-
pei'a.
Todos estps pontos verdade esta.
vj dtlendidoa pelo Ex-Piesi tente, econ-
tiuuiva a se!-o pela piudencia do actu-
al. Mas este estado n6 L lium es-
tado de videncia? Poder eanservar-se
sempre ? Seo Governo do Para' atracar,
que novas scenas d'horror vio de novoap-,
ptrpcr no iheatro dessa infeliz Provincia,
digna de m-llior soile pala fertilidad do
eu terreno ?
noderemos ri* dar este estado o
nomo de 'sabedoria ?' Seremos notos cons
tituciooaes os lameos livres ou os a-
nai chistas do Para do Maranha, da
Babia e do Rio-grande ? Km quanto el-
lea talhaS os campos nos colhemos as ri
esa collieiUs, q' nos produzem os nossos ci
pos ; em quanto elles tocad fogo aos sr-
mazens ni enchapaos os nossos do ni-
cessario edo til; em quinto elles ss-
aassina aos patricios aos amibos e aos
mesmos prenles ni corremos a dar-lhe
a vida e a tranquilidade. Se isto apa-
tbia, viva a appathia e vivad todas as
Provincial qoe forem a pallucas nesie
sentido.
MARANHA'.
Mea caro amigos
Maranbo 7 de Malo.
Soube neste momento que o Orejo no
da 25 do mez pa los rebeldes em numero de 9oo, e que de-
pois de um forte con.bita em que forio
victimas, o Angelo Baptlsta Mendes Com-
mandante do Destacamento Jlo Muniz
Ferreira genro do Severino, Jofo Jpze Al-
ves de Sonta Tenente Coronel do Burity,
Pedro Alexandrino de Aodrade, e o nosso
bom Lucio; pode o nosso Severino mila-
grozamente escapar-se com toda a familia
para a ootra banda do Rio Parnabiba dei-
xando a Villa entregue a pilhagem sob a
perversidad* de seus possuidores. Muitos
outros, da familia do Sevirino, consta
terem sido igualmente victimas, mas como
V... os naoconhece dezo dos relatar.
O mais completo temor tem apoderado o
animo dos lbeos; unssiodevoto que o
Presidente tenba na soa porta ama guar-
da, outros, que va' para bordo de algu-
nas Embarcacio. Em fim meu amigo, in-
da em parte alguma vi gente lio desani-
mada e tfo iraca. Que. dira se elles
estivessem no Breio ? Do que escapei
J ? \l
Mais nsda posso diser porque a malla es-
ta* a feizar por instantes.
Seu amigo
P. F. M.
Exterior.
"!
PER'.
Lima, a8 de Janeiro.
O ezercito do norte soffreu um revezque
por certo nao esperavamos, quando todas
probabilidades nos annunciavam buma
.victoria segura. Tinha marchado o ex-
rcito mais de loo legoas para aproxi-
mar-seso chileno situado enlre Huaraz,
Carhuaz, Yungay e Caraz, tendo conse-
guido slcancar a sua retaguarda na Ponte
ala Ruin, onde circunstancias superio*
res ao nosso poder impediram o termo felis
da eampanha. As marchas forcadas do
ezercito em lempo de agas e outras dif-
fieuldades, nascidas de marchar sobre bum
paiz que o inimigo deizava talado na sus
jelirada, dimiouirfo a nossa forca. Ti-
zbamos perdido em doentes, c.ncados,
e extraviados, i,3oo homens, e por
eonseguinte a nossa forca consists em
4,o5a homens, ao passo qoe oeiercito
chileno, reforcado por tres liatallies pe-
iuvianos, contava 5,50o. Oslnimigosoc
cupavlo as iur spngnaveis posices de Ce-
e tinbid fortemeote fortificado o seu
campo, com animo de esperar-nos naquel-
le ponto. Nao era prudente ir ao seu
encontr ; a razio nos aconsslhava que
narassemos na nossa marcha para nos
reorgaoisar, reforcar e esperar melbor oc-
casiio. Assim o tinha resolvido S. E. o
sunpremo protector, e o ezercito marchou
* Yungay para observ.ar mais de perto o i-
nimigo.
Acbavamo-nos nesta siluacto, no dii ao,
as 6 horas da roanhf a, deu parto o general
de um movimento geral do ezercito ini-
migo, com direcelo ao nosso campo* Ira-
mediatamenle se derio oidens para occu
par as posices queso tinhio marcado pa-
ra esteciso, e o ezercito formou a sua
linlia apoiando a esquerda no rio Hua-
raz, a direita em buma montanha. A
nossa- posicfo era inespugnavel porque
oceupavamos bum monte immediato e em
frente do nosso campo, que domina va. o
ciminho por onde deviio passar os ini-
migos. Era pois aquella ponto a chive
mesmoda balalba e cuja oceupacio in-
teressanle importara em demasa a ambos
os contendentes ; mandou se pois occu par
por huma companhia do batalhio syacu-
cho. A nossa direita e em muita distan-
cia, mas junto a posicio qoe devia dispu-
tarle, apresentou-se bum bttalhio inimi-
go que, sof reos algum tiros da com pa-
bia cyieucho, deizou o posto. Com o ob-
jecto de sustntalo a todo o custo, man-
dn se por desgraca nossa ao coronel Gui-
larle com a Columna decacadoies, auxilia-
da df pois por tres Compendias mais que
formavio huma forca effeclva*de 7 jo ho-
mens. Eata columna era a melhor tropa do
ezercito que devia ser apoiada segundo
o ezigissem as circunstancias, pois eslava-
mos persuadidos que ali ia com prometer-se
a batalha como um ponto esseocial a vic-
toria.
Julgavamo-nos felisea da nossa posicfo,
quaodo vimos marchar pela esquerda bu-
ma pequea partida inimiga, com o des-
tino a oceupar o lugar qoe, havia meia
hora, d imiaava o coronel Guilarte. Com
assombro do ezercito, viu-se marchar es-
ta forca e collocarse no cimo sem de-
parar um so tiro, retrocedendo a nossa for-
te columna pela direita, e abandonado ver-
gonhosissimamente esss posico. Desde a-
quelle momento, a nossa situ*cio complicoa
se de huma msneira quasi difioitiva em
prejuiso nosso. A influencia daquelle sucesso
dominoa todos os snimos, e, a contar des-
se momento, a desgraca foi continua e in-
Lcessanle, ate a perda da batalha. Logo que
a columna desceu
lasreeiros retirou-se ao trote por squelle ca-
minho escabrosissimo sem ser persegui-
do, e em distancia de huma legua, em urna
planicie formou-se para esperar a caval-
,laria inimiga e bate-la de novo, prole -
gei.do por este meio a retirada dos nossos
infantes. O inimigo na5 avancou um so
passo e quando toda a infantera tinha
passado aponte deCuitocoto, continua-
ras os nossoa lanceiros a sua marcha sem
serena molestados por essa cavallaria ini-
miga cuja jactancia nio ha por certo o
que para o futuro mais devenios temer.
SuflYemos hum grande revez, e esta
mesma desgraca, longe de intimidar-nos,
alentara' nossa coragem e producir' o he-
rosmo dando-nos em resultado a gloria
qu- tem tido outros povos na luta da sua
independencia.
Os reveses nioabatem coracoens magn-
nimos que na constancia do pitt iotismo
sempre triumpharad de s>u oppressores.
Si defendemos bum partido e m>*nos um
homem ; a justica de nossa causa animan-
do e reanimando nossos coracoens inlim-
mara' a nossa resolucad ; para salvar a
patria da conquista e o paiz da ignominia.
Anda temos dous eznrcitos, recursos a-
bundantes povos patriotas homens de-
cididos para repellir a agg esa5 chilena.
Se o triompho fugir de nossos novos es-
forcos 00 cmapo da batalha, temos bos-
ques ; moutanhas e meios de eternsar a
nena ate consumir no-sos inmigos.
Qjando tiverem desapparecido os Chilenos,
eutaS nos Jiefindefdrente que governe este
ou aqu-lltj homem este ou aquel le par-
tido eque em nossas contendas internas
se adopten estas ou aquellas resolucSes.
Fora Chilenos be o programen. Em
quanto nao sahirem do paiz guerra per-
petua. Eis o vol geral do Pe t e de Uo-
ivia, bem manifestado em occasioee so-
lemnes e nunca mais do que agora na
illustre4L festado a aua vontade de nunca capitular
coma oppressaS chi'ena. Oa outros po-
vos imitaraS o aeu exeroplo e morrere-
mos todos ou venceremos. Ha "inda es-
perancas e bum Deua que protege a nos-
sa causa.
( Eco del Protectorado Eztraordinaiio. )
D. 7. lado do Sul.
- Precisa-se de arrendar hum"{obradol
de um ou dois andares sendo as ras Di J
reita Agoas-verdes ; Ortas Pateo dl
Carmo Ltvramento e Panda : qnem J
tiver annuocie ou dirija-99 a padaria dal
ra do Peixotodis 5 Puntas que fsr (oda]
o negocio.
_ Qiem precisar de urna mulher p,r.
da e de meia idade para ama de casa de ha
mem soltei'o, ou casado com poucs fanj
lia : annuncie.
Qaem precisar de um mo?o Rrasilei-
ro de idade 18 annos de muito boa con-1
ducta para Caixeiro dj loja de ferrag^oa*
011 miudesas dando fiador a soa condu-
cta ; pode dirigir-se a ra Jos Qmrteis D
5 que se Ihe dir quem he o perlendente.
-_ Engomase lizo muio enconta : no
beco da O'dem Terceira de S Francisco
num. a ; e na mesma casa ha para vender
algumas ob'as deoiro sem feitio de Senho-fl
ras e de homem.
Correspondencia
Sors. Redactores Na entrada da Povo-
aca5 da Casa Forte ('Freguesia do Poco da
Paoella ) ezistem duss casas de taipa urna
emvolvida, sem ser jda* l^U80, forma a ponta do vertesedoan-
batida nem perseguida, principiarlo os !gul que descrevem a estrada da frente da
inimigos o seu ataque paja nossa esquerda mesma PoyoacaS e a ootra que va para
onde se acbava a divisio Moran: seis ho-
ras e um qusrto de bum combate 1> m
sustentado hora em demasa ao general
valente que defenda a nossa esquerda.
Necessario he dizel-o ainda que seja com !a3S viandantes urna desgracada raortee to-
dor. A nossa infantaria nio correspoodeu Id,T'" Authoridades competentes vendo
em tudo as bem fondadas esperancas que p'ecpicio est<5 caladinhas 1 Rogo-lhes
o Poco. Estas casas sch'6 se inteiramen-
te arruinadas tanto que a muito lempo
esta deshabitadas de maneira que estad
a desabar a todoaos momentos ameacando
dadores pubhquem
temos a'guma pro-
tinbamos do seu valor, moral e desciplma. P0'5 Senhores Reda
Seja que a traico ou cobarda do coronel ,0 avr se d'esl'arte
Guilarte influisse no seu animo, ou que videncia, antes que fique alguem debaixo ao Sicritio da mesma Ig
estivesse escrito no destino que assim ha- do Mond que eata' armado a beira da promptos.
_ Aluga-se o aynasem e primeiro andar
da casa da ma da moeda ulttrr-amente ree-
dificada : os perleodentes diriia se a ru
do Vigario D, in.
_ Na ra do Cotovello casa D. 27 ha
quam se proponha a turnar alguma crean.
ca ja desmamada para ser acabada de ere
ar, sendo isto feito com lodo o mimo e a-
mor, e tambem saoceita alguma de maa-
na mesma ca.a lavase ,ngoma-se, e coe-
se za5, lavarintos, e bardados, costuras de
alfaiatee marca se.
Faz-se publico qoe por engao echa-
se na Lista da primeira parte da terceira
Lotera da Matriz da Boavisla premiado
com 5?Uooo, o Bilhete numero 35qo
quando devia ser com aSUooo ; cajo en'
no leve lugar na composicio da mesma
lista; e recorrendo se ao plano melhor se
conheeera'.
_ Quem precisar de hum Feitor de bous
costumes, dirija-se a ra da Penba D. 5
hindo desta Igreja para a do Livramento
lado esquerdo casa de Alfaiate.
Quem tiver para alagar um molequs
que sirva para o servieo de huma casa de
pequea familia, que aaiba cosinhar, a
comprar na ra, e que seja fiel, dirija-
a ruadas Flores casa D. 3, ou annuncie a
moradia.
Quem livor para a lugar hum sitio, que
ten ha espacidade de ter vacada Leite;a-
nuncie.
Piecisa-se dealugar hum cilio anim-
almente, cito amargem do rio, desde o Ca-
jueiroaia Capunga ; quem o tiver an-
nuncie.
A!Iuga-se um preto que entenda do
servieo de Otaria ; quem o tiver annun-
cie.
Da-f quindenios mil reis a juros
dando-se piobores de prala e onro de va-
rias porcSes; a quem isto convier dirija-se
a ra de S. Gonsalo sobrado D. i4 que se
dir' quem os da.
A pessoa que annunciou no diario nu-
mero 111, querer comprar bum orna*
ment completo para Missa, dirija-se
ao sobrado contiguo a Igreja da Sjlidade
reja que os lem
via de ser os brilhantes batalhSes nfo se m,'s frequenta ia estrada ( oa quaze so-
batero como esperavamos. Forcada ajDfe ella ) d'esta Provincia ameacando a
esquerda, queso defendeu bizarramente,
rechazando muitas vesea os inimigos a ba
ioneta teve de ceder ao numero e aos rei-
terados ataques que as rezervas renovfo.
todos quantos por ella paosio e se assim
o Sr. Fiscal daquella Freguesia cuida no
comprimento de seus deveres tanto quan-
to procuroupicanear d'Asseml lea Legis-
Entio o general Moran a testa da nos- lal'va d'esta Provincia um ordenado para
sa brava cavallaria, atacoo a infantera ini- o lugar que ocupa
miga que foi protegida pelos seus coura
ceiros. Carregados com denodo, acut
lados e perseguidos ate o seu campo, nio
foi susiliada a nossa cavallaria por colum
na alguma de infantera ao passo que
a inimiga, formada ja no nosso campo,
lasia bum fogo vivo sobre os lai,ceiros.
Gm taes circunstancias decidio-se a bata-
lha em favor do ezercito chileno, sem mais
rasio que a incomprehensivel conduela do
coronel Guilarte e desse mysterio que
o fez abandonar huma posicaS inespugna-
vel que poda defender com 700 magn-
ficos soldados contra toda a forca chilena ,
e da qual fugio a vista de 37 homens que
nem bum s tiro dispararlo.
A valente conducta da nossa cavallaria
na soa retirada do campo da batalha be ou-
Sea leitor e' sssgnante.
O Passageiro.
THEATRO.
O Emprezario far representar amanba
26 do correute para a filustre Sociedade a
grande Peca Nova Rodolfo e Polesla, a
Fdrca o Euaaio de buma Tragedia.
Avisos [Diversos.
Aluga-se urna casa terrea na ra dos
Quarteis cuja precisa de se faser alguma
obra tem quintal e cacimba : a pessoa
tro titulo da sua honra. O regiment ate que a pertender dirija sea ra do Crespo
Compra-ss o Theatro Eclesistico
composto por Fr. Vicente do Rosario dos
Arrabios 5 annuncie ou dirija-se a ra
das Cuzee D. 4. junto a Tipografa do
Diario.
-Quem precisar de um caizeiro : an-
nuncie.
O Sor. Antonio Jcse de Figueiredo ,
pode aparecer na rus Nova ao pe da Ponte
noarmazem D. 27 para recebor urna carta
sua vinda do Poito,( tirada no Correio,
por outro de iguil nome.
No da 4 do correute fugio do sitio
de J,a5 R Magdalena um muleque crioulo de nome
Jos de idade iJ annos levando vestido
serolla e camisa de algoda da Ierra, e 'he
filhodo Certa : quem dalle soubei ou
quem o encontrar queira lvalo ao dito
sitio cima que sera bem recompensado.
Quem annunciou querer dinheioa
joros: dirija-se a ra de S. Goncalo na
Boa vista sobrado D. 14.
_ A pessoa a quem Ihe faltar urna ca-
noa de carreira a urna trave ; dirija-se a
o Porteo do Arsenal de Marinba que
dando os sigues caitos se Ihe entregar.


7
W
^
imm
DIARIO BE PERNAMBUC
Um ripaz de bons costuraos, pro
pen-te a ensinar prmeiris letras fora da
prsca e tamben por commodidade de aua
saude advertindo porem seja logar perto
da mesma praca: qualquer Sor. d'enga-
nho ou outra qualquer pessoa que quizar
utiliiar-se de seo prestio dirjanse R
d'Ortas D. 66, perto da Igreja dos Marty-
rios lado do puente qua acbar com
quena tratar.
_ Um brasileirocasado, e de boa con-
ducta prope-se a ensinar particular o nu-
mero de quiote meninos, a ler escreVer,
contar, Grammalica portuguesa, e termos
da eivilidade ; com toda a aptidio, zelo ,
cuidado e applicicio ; por menos do pre-
' cozinhar, e doa mala arranjos de cozinha.
Elixir Ophtalnico, inventado pelo
Or. K. Viller, a qual obteve de S. M. o
Rei doa Francezes on privilegio e ama
compensado por sua invencio. Este re-
medio tem por fim o fortefioar a vista e
iuutilisar o uso de oculos, e destruir qual*
quer inflimacio dos olbofl. Muitas pessoas
cujoaolhoa saachava to enfraquecidos,
que apenas podia5 distinguir com oculos os
objectoe com o uzo deste Elixir recupera-
ras a mesma forca de vista de que gosavaS
anteriormente. Acha ae venda na ra da
Cruz N. 45 en caza de Tobler Frerea &
mico especifico ca-
paz de fazer crescer o cabello o teatemu-
nlio dado por innumeraveis pessoas desta
Provincia basta para nter o seu elogio.
Ns mesma casi cima e na loja do Sr. Me-
roz Praca d* Independencia.
(J na Senbora de boa conducta usina
a meninas a ler, escrever, e contar ; eco-
zer cban, e bordar de todaa aa qualidades,
com perfeic', e cuidado; tinto as da-
C. A agoa aromatice para vivificar aa co-
res do rosto e destruir as nodoas da pelle,
co regalar : quem de sen prestmo se qui-e o oleo de ervas Suissaa j tobem acredi-
zer unlisar, dirija-se a rua nova de Santo: tadoe reconhecido pelo uni
Amaro, no bairro de Santo Antonio na pe*
nultima caza quaae ao cliegtr a mar peque-
a pegada ao sobrado ultim do mesnao la-
do qua? ah achara com quem tratar.
__ O Secretario da S -cieda.le Pastoril
convida aos Srs. Sjcos a compareeprem ho-
je 25 do crrente as 6 boras da tarde para
Sesso na caza de su s reunies.
_ Arrenda-se um aitio na estrada de
S. Amaro para Bilem, junto a camboa, qui desta Cidade, como aa de fora recebe-
com cusa de vivenda}, estribara caaa para a era sua caza pira asistir esup>ir, os
pretos com muitas arvores de fructos tempos que Ihesconvier os pais, ou quem
boa baixa que d muito boas verduras, e sms vezes 6zer: querendo utilizar se de
meles, com capim j plantado que pode seo piestimo dirija-ae a roa do Livramento
sustentar um cavallo annu*lmnt>: quem casa de sobrado D. 13 no segundo andar,
opertender dirija-se a rua do Rosario lar-1 Quem precisar de hum B asiliro de
ga sobrado de doua andares junto botica idade 30 annoa para Caixeiro de rua an-
1). 8. i nuncie.
_ Quem annunciou querer saber a no- Hoje a5 do corrente he a ultina pra-
radia de Jos Luiz Goncalves queira procu- ca (por no se ter podido ffectuar no dia
ral-o nos armazens ao p da pon'.e do Reci- aa como se annunciou por inconvenien-
te, tea que occorreraS) pelo Juizo do Civel da
_ O abaixo assignido fax publico que segunda Vara da casa aita na Boavista na
pessoa alguma faca negocio cora pro- rua do Gotovello bem construida, salla
priedade de um andar com o seu competen- forrada, chios proprios, cuja caaa he ter-
te sitio pertencente a Ignacio de Jezus Ban rea D. 5 : os licitantes compareci.
deira sita na rua da Gloria da Boavista '
Avisos Martimos
per estar toda a propriedade hypothecada
aoannunciante, por isso se devem enten-
der primeiro com o abaixo assignado. Jos ________________________
Antonio d'Azevedo Santos. |
__ D-se dinheiro premio de doia por PARA LIVERPOOL n muito superior
cento ao mex at a quantia de 4 contos de *>'<* ingle* Lord Cochrane *, Cipitio
reis sobre penhores de prata e ouro: Smilla, de lote de 4pp tonelladaa forrado
quem quijar dirija-ae a rua do Crespo loja e ancavilhado de cobre ; quem n'ella qoiser
de Antonio Chavier da Silva, que abi ae carregar ou hir de passag^m para o que
dir quem d. eBI excelentes conodos dinji-se a M.
- Na rua do Crespo loja de Santos Na- Calmont & C.
vssexistam aa seguintes cartas vindas da PARA "10 D^ S. FRANCISCO,
Cidade do Porto: para a Ex m. Senhora com escalla por Maceio o hiate S. Sebis-
D. Joanna Francisca da Trindade Cordel- q-en- !,e 1ulier c,rr?6\p_ 00 h" da,
ro, Antonio Francisco do Moraea ausente PMgf dirija-se a casa de MmoelI Jos
a JosP.rea de Mones, Antonio da Silva Goncalves Braga junto ao arco de Santo
Mendonca auzente a lllm. Senbora D. Ma- An'on'0* _-. J. .. ,. .
ria Siohorinha da Nalividade : a quem quer PAR A O CEAR A M.ranhao e Pa. a,
qoe ellas pertenciS ou que estiver encarre- deve chegir at o da 17 a 39 do corrente
gido de as receber as pode procurar na re- > <- BarCJ9 d" y*?0' d Companhia
feridaloja, ou em nao do lllm. Sr. Dr. B rasa le ra ; quem quiser h.r de passagen, ,
Dezembargidor Jos Libanio de Souza. ou carregar dinheiro a frete dirija se a Me.
- O Collector da Dacim dos Predios Calmont & Companhia.
urbanos, e maisImpostos do Municipio de
Olinda, faz sabir a quera conviar que do
dia i at o ultimo do prximo mez de Ju-
nho principia a arrecadar na Casa da C-
mara respectiva o segundo semestre do
carrete anno financeiro, e todaa as mais 0 cuho antigo, e qiie tenbad o pezo legal
Imposic^s que eslo a seo cargo e fiodo a 15,6ao em sedlas : no armazem de vi-
este praso proceder' exrcutivamente contra ros a0 lado'da cideia.
o ommissos com todo o rigor di Lei, ten- j __ q Tratado completo de Geografa por
do em vista primeramente os que esli a- Casado Giraldes em bom uzo : quem o li-
trtsados : e para nao alegarem ignorancia ver annuncie.
faz publico pelo presente. A re Militare forteficacio, por Mr.
Joio Goncalves Rodrigues Franca Gy de Vernon : annuncie.
F.sc ivo da Irmandade do SS. Sacramento | Prata velha de lei e cobre tarobem
da Freguezia de S. Pedro Mirlyr da Cidade yelho : na rua da Cruz 11 ,
d'Olinda aviza convida e roga encare-
cidamente a todos os I. I. da referida Ir-
mandade que a bem da mesma, e do ex-
plendor do Culto do nossn Bom Dos, e
Senhor, quoir5 conconer Domingo 96
do corrente pelaa 9 horas da muilii no
Consistorio da Igreja da S. Pedro Apostlo,
> fio de se eleger a nova Meza, que tem de
reger a Irmandade, e de decidir ontros ne-
gocios de grande transcendencia. O mesmo
Ir. Ecrivio espera do zelo dos II a maior
concorrencia para que nfo haja ou a ne-
ceasidade de se fazer eleicSes com 8 II. so-
mente em Meza intitulada Geral, ou a de
se dar por extincta e cabida a mesma Ir-
nmidade o que nio he de esperar.
Na rua Nova D. a5, % andar preci-
iise d'uma mulher qua ae eneairegue de
Compras
_ Continua a compra de pecas de 6,4>0
ou annun-
cie.
Vendas
_ Duas moradas de casas terreaa sitas
na rua da Boa Ora da Cidade de Olinda ,
indo para o rio do lido da Igreja ; com
grande quintil, e margen do rio por
conseguinte com bastantes proporedes para
augmentar o terreno, cam arvores de fruc-
to; a tratar cam Jos Tavarea da Gama ,
na Prici da Independencia D. 97.
_ Urna a la mp ida de prata para igreja
do peso de 1900 oitavas; rua da Cruz
D. 11.
Bisti muito boaa, e por p(eeo cem-
nodo, e una guitarra em bom estado : na
rua do Padre Floriano D. 26, lado do
oasesnta, se dir quem os vende*
Um pardo de bonita figura proprio
para pagem sem vicios : a fallar com An-
tonio di Silva Gusnio.
Urna preta ladina de nico muito
moca e hbil pira qualquer servico de
casa e com muita hibilidade para costura,
por ter bom ponto d'agulha: os pretenden
tes dirijiO'Se a fora de Portas de manhl,
at as 9 na tarde das 5 s 6 oras na ca-
aa n. na qutze confronte ao Arsenal de
Marinha.
Oto milheiros de tijollos d'alvenaria:
na rus da Cadeia velha do Rncife loja d
fazendas D. 34 se dir quem os vende.
Um escravo de 16 a 18 annos de
idade naci Angolla sem vicios e nem
achaques : tambem se vende um boi muito
bom pira carroca, por j estar acostumado :
na rm dos Caldcireiras D. 16 casa que faz
frente com o fundo da Igreja dos Martyros
se dir quem vende.
Caff moido de superior qualidade ,
em porcSes e a retalho e por preco con-
modo ; e igualmente ae recebe caff em
grffo para torrar e moer V em caza de An-
tonio Vaz d'Oliveira rua do Amorin N.
11>3 no Forte do M ittos.
__ Charutos da Ha vana'verdadeiros em
ciixinhas de n5: na rua da Cruz n. 60.
_ Una arnaclo franceza de amarelh
envernisido, toda envidracada e propria
para loja franceza ou de miudexis por
preco cmodo : na rua Nova D. 19.
_ Doia moleqaes de idade de onze a
doze annos benitas figuraa san defaito
algn e Umbem se rebatem algumss le-
tras e d -se algum dinheiro a premio com
penhorea de ouro ou prata : na pracinha do
Livramento sobrado D. ai no segundo an-
dar 011 na loja que foi de Hercuano Jos
de Freitas se dir sonda mora dito Frai-
las.
_ Bizas pretaa de superior qualidade ,
e por preco cmodo : no atterro da Boavis-
ta junto ao beca do Ferreiro venda D. 19 i
_ Des ou doze ou menos alqueires de
castanhis de caj : na rua Nova ao p da
ponte armazem onde se vende quirliulias e
fazendis barata.
_ Urna negra boa^cozinhera e engo-
madeira e anda moca aem vicios : na
rua Direita a* andar D. aa.
_ No Resife roa da Cruz, Eacriptorio
de Jos Antonio Gomes Jnior n. la con-
tinuarse a vender saccaa cera firinha de
mandioca muito fina superior a de Ma-
_ Urna canoa aberta nova eben cons-
truida, que carrega mil e cem tijollos de
al venara grossa : quem a quizer comprar
dirija-se ao eataleiro de Joio de Brito atraz
da Ribeira.
Superior azeite done engarrafado em
caixas e a retilh ; urna porcio de caix -s
com charutos da R.lu; urna porcio de
barricas de bcalhao vasias tudo por pre-
co cmodo ; ni rua Nova venda D. 33.
_ U ra sabe engonar, cosinhar, e coser;
nt rua do Crespo loja I) 6 lado do norte.
_ Una cordio da ouro com 46 oitavas,
a com 3 varis, urna cobra para pescoco de
senhora a trancelins de cabello para relo-
gio 1 fivella de cinto, 1 par de fivellas de
liga, 1 loneta de ouro 1 chave de-relogio
de ouro 1 fig de ouro com 9 oitavas 3
argj!5ts de ouro para homem 1 alfinete de
peito de senhora defilgran, a boles de
carniza de homem 6 rolheies de prata para
cb ; vende se tudo sem feitio no beco da
Ordam 3. de S Francisco N a.
__ Urna escrava de naci costa de ida-
de de a{ a a5 annoa engomma liso co-
zinha bem o diario de urna casa, lava de
sabio, e se afianca o comprador que nio
tem vicios de qualidade algum : na rua Di-
reita lado da Igreja do Livramento sobrado
D. ao.
__ Urna venda com muito poucoa fundos
e desobrigas a certos credorea, o maior nio
excede de 4'>,ooo e a cisa tem bona com-
modoa com 3 quartos quintal, murado,
portio para tras e ptima para rancho de
malulos sita as 5 pontas a ultima a di-
reita defroniedo fotte : a tratar na mesma
e se dir o porque.
_ Um escrava de naci, con una cria
de poneos das de nucida, eosinba o dia-
rio de una casa Uva bem e tem princi-
pios de engommado : no atterro da Boa
vista lado direito ao sabir da ponte Decima
10 no primeiro andar.
Escravos Fgidos
Manoel de naci Angolla, fogido em
7 de Outubro de i838 de estatura alta,
corpolento pouca barba e com as per-
naa finas ; representa ter 40a tantea annos;
comprado em i836 no logar dos M0061 a
Agostinho de Freitas Nones on urna pre-
ta de nome Mara sua mulher a qnal he
mora., eentrearoapa levou um cobertor
d'algodio trancado, enumerado com le-
tras de conta cujo numero ignora-se.
Paulo de nico Congo, d'eatatura baja, e
cor preta pouca barba e com una feri -
da em urna das pernas; representa ter tri-
la annoa, fgido no dia 7 daOutubrode
i838,em eompanbit d'aquelle. Nicolao
naci Angolla, fugio en das de Setembro
de 1837, altura ordinaria, cara redonda,
bastante barbado pernas finas, e com al-
gunas cotilidas na caneca o em ama das
orelbas: estes escra* quem os aprehen-
der leve-os a Antonio Germano Regueira
Pinto da Soasa proprietario do engenho do
Rosario freguezia do Serinhaem que be
seu senhor, ou a Manoel d'Atevedo Maia
& C. no atierro da Boavista D. 19 que
gratificar com cem mil reis por cada um. -
Roga-se aos Srs. Sub-Prefetos desta
e mais Comarcas, e as demais authoridades
policiaes, mesmo a pessoas particulares ,
qua souberom 00 virem um escravo de no-
me Joaqun naci Cabinda, que fugio en
a6de Agosto do anno pp. pelas 8 horas da
noilecom os aignaea seguintes t idade de a&
annoa pouco mais ou manos, resto redon-
do olhos o altura regulares, bonita figu-
ra cheio do eorpo cor preta e camba
alguma cousa do p direito he canoeiro ,
e entre os deste oficio apellidado por Joa-
quina pzinho; levou diversas nudas da
roupa como seja calca de panno preto di-
ta de franklim urna aobreoasaca de panno
cor do vinho, calca e carniza de brim
branco, ditos de algodio e de ehila azul,
aqueta de riscidinho de cor, chapeo de
seda preto e urna esleir ; rogaae diz-
ae, a qualquer das sobreditas pessoas, o
mande pegar, e'levirja loja de fazendas ntt
rua da Cadea do Recife n. 45 que ser
generosamente recompensado o conductor ,
advertindo-se que esta escravo he de Joa-
quina Goncilves Cascio.
_ Domiciana, fgida na noite da 10
do corrente mez com ferro ao pescoco re-
presenta a5 para 3o annos, se cea do corpo,
estatura regular, pernas finas, falta de
denles na frente: quem a pegar leve>a a
rua que va i para o Hospicio na quarta casa
terrea do Exm. Sr. Jos Carlos Marink ,
qua sera reoompansadoi
No dia 19 do corrente Maio fugio
urna negra de nome Theodora naci Lo-
anda idade 25 annos pouco mais ou me-
nos estatura baixa aecca do corpo, cheia
de panos no rosto e costas ; levou vestido
de riscado de liatras encarnadas e pao da
costa carregando duas gimelinlus na es-
beca : foi escrava de Rufino Henriques ,
morador ni Cidade d'Olinda,'e hoja de
Francisco Joze dos Prazeres Camboim,
morador na rua da Penda i. andar do
sobrado D. 13 : quem a aprehender leve-a
ao mesmoeobrado cima qua ser genero-
samente recompensado de seo trabalbo.
Movimento do Porto
No d'ua a3 as 11 horas da noite sabio em
commissio o Briguo de guerra Cons-
tanca'; Commandante o Cipitio Ten-
te Joaquina Jos Igoacioa
P. S. Para desengao de alguem decla-
ramos que-o tfficio do Sr. Dr. Juiz de Di
reito Flix Peixoto de Brito e Mello, trans-
cripto no nosso Disrio de houtem o o
por sua ordem.
plata*. NA TYP. DE M. F. DE F. 1839-
asjszaa


PRE0 CORRATE prmijco u de majo m im.
lMPORTAg\0
GNEROS;
ARTICLES
Aguda Milo.........
Agoa ras..............
Agoardente a5. gr....
Alcatifo Sueco........
,, Americano...
Alfaema...........
AI pista...............
Al vaiade...........
Amarras de ferro conL suas y.
Amendoa docecom casca mole]
A ncoras e aneoretas.....
rame ile ferro........
,, delato.........
Arcos de ferro........
Arroz pilado eslrartgeiro..^
Aielle doce............V."...
BACALHA^...............
Racias de lato..........;...
Rarrica valias em p........
abatidas.......
Ratatas....."'...............
Rexerros Franceses..........
Breu.....
Brim da Russia...........
a mitaeo....
Bola la fina...... .^..........
,, ordinaria............
Rolnxinha..............
CABOS da linho da patente
CafTe'....................
Carne secea do Rio-grande...
de vacca salgada......
de Porco............
Camenas Francetes de cores
Ca rvo de pedra...........
Cera amarella d'Angola.....
branca..............
Cha Hisson superior........,
,, ptrla..............(
Cerveja btaiKa..-...........
P................
Chumbo era barra...........
em lenrol..........
,, ele muriicSo........
Cobre para caldereiro........
,, forro e prego*....
ENCHADAS...............
Enzofre era canudo.."........
Epingardas lazarinas. ....
Estopa.................
Estando................
FANIMIA Amer. ora..
velha...


Fia 11 ceza ....
Mediterrneo
Bltico......
i...........
Feij3o..V.~. VT
Feiios abatidos
Folha de Flaudes...........
,, de ferro I nglez.........
Fiode vella.................
Farro ingles em barras......
,, ,, da Succia......
Lonca ordinaria ingle.a......
Steel Millan............
Spirits oftwpcntint.....
Brnndy a5. ..........
Tur Swedisch..........
,, American ....'....
I.avander .....<.......
Canarr Secd..........
White lead............
Cables-chain eict. lo site.
Sweet lalmonds soft shell
Anchors and grapnels..
I ron Wirt assoifed.....
Brass ,, .............
ron hoops.............
Rke white............
OH olive.............
Codjish ......*...
Hrat basins............
Flour Barris..........
dilto shooks.........
Polatoes..............
Cal/ skins, Freneh.....
Rossin...............
Ravens dutk Russian..
dilto imitatitn.......
Bread ptlot...........
,, navy ............
Crackers..............
Cordage..............
Cciffe................
Beef'dried, Rio giande
,, Montevideo
BeefSelted..........,
Pork Sahed...........
Sheep Skins Freneh col.
Coul.................
\ellow wax...........
white .........
'leaHysson .....*....
., JW:..........
Alebttld.............
Porter................
I.ead in barrs..........
Sheet .........
Shol atsorted..
Uraziers copper-.......
Sheathing and naits....
II oes ..................
Brimstons.............
Pn tugese guns ......
"PR'ng .............
Pewler...............
Floarnew Amer.......
od dito.......
Freneh..........
Medilerranean....
Ballit...........
Beans.................
Emply Uavannaboxes ..
Tin piales assorled....
Sheei Iron.............
'wines sail makers.....
1/0n Eng. in bar.....
Swedish.......
PRECO
ta#oo&
#8oo
?5oo
0ooo
#
lofooo iaooo
i30ooo
I07OO
J900
8#ooo
305oo
Avaliac
50aoo
ifef
4#ooo
#100
#1*0
#700
805oo
508oo
ihSo
515o,
t.
1
h'arthenware
#100
i$$oo
#110
io
{too
tj/ooo
tfat
IO/O0O IOJjOOk)l .
#56o #6oojLI>.
#000 ifoooh m
06(5 #700
1I601
i40eoo 18^000
50ooo 60ooo
t05oo 14J000
11fooo 1as000
90ooo 9?5oo
0 60oeo
3#6oo 4[0oo
0 aajooo
5ooo 505oo
ij/oo a|4oo
1J600 a0o4"
j 950000
f 3o#ooo
ofooo aflooo
14fooo 15jooo
I780
isooo
i0i5o
i06oo
40000
40000
ia0ooo
60ooo
fcNERS
lira
10IC
'960
OO
,04oo
3?ooo
306o3
(10000
5?ooo
tfooo i70ooo
058o #(3-i8
054o #ioo
056j 0too
ijooo 10100
4(5oo 406oo
0i60 |i9o
048o 056o
aafooo a4#ooo
180000 i^fooo
3O0OOO aa#ooo
aojooo ai0ooo
i50ooo 180ooo
40000 lO0oooSac
# 10000
ojfooo afooo
n#oriO 9JO0
|a8o #56o
505oo 60O(i
9|ooo 905<>o .
160 a i6j,Ct. iaciura.
Lh.
Ar.
\r.
D.
Ab.
80OOO To.
015o Lh
Kh
Ab
Fa.
NI,
i
n
Ab
GARRAFAS pretas.......
fiarrafoens empalhados.....
Genebra era pipas.........
em botijas........
I.NAS da Rassia largas...
,, a imitaco.
inglezas estreitas
MNTEIGA ingleza......
Francza.....
Massas sortidas............
Milho..........'.. ..;'].
jOLEde linhaca em pipa..
,, em botijas.......
Papel de peso coroioha.....
,; aliasco asul 1.a.....
3-..
branco..
florete...-r......
i 1
,, de erabrulhar marca g.
pequea.
Parnahibas ... .77.....
Pastas..................
Pimentada india........
iPixe da Succia............
Plvora-........'........
iPotassa d'America........
I ,, da Russia..."......
iPregos caibrar.........'
,, caizr.........
,, rpar do Reino..'...
,, da Ierra ..:.......
de centtrucf.....
Presuntos do Porlj.......
de outras partes.....
QEI.IOS Flamengos......
RAP da Babia...........
,, de Lisboa..........
Retroz...................
SAllO' amarello.........
Saceos vasios.............
Salitre bruto..............
refinado ...........
LSal Estrangeiro............
Salea parrilha.............
T\U\C') mtcpeiiun:......
1'ib iadu de piuho.........
Toucinho de Santos.......
,, de Lis'.>o..........
Vinagre de Portugal.......
,, do Mediterrneo...
Violto de Lisboa lilo PtlR.
,, oudos autores tinto
,, Milaga seceob.p. P.
,, Cette timo.......
Espanha.........
1 Sicilia.......'....
,, I'ip. Cat------
Moscatel quai tola.....
,, engarrafado.
B.inlciit ,, ...;.
,, Champagne ,, .....
Vidro p. v. de c. de toopes.
Vellasde Spermacete ...
)i ue ce do. ............
ABTCLES


M
M
1
H
)
II
Botl/es black.......
Dame-jeannes.......
(Un in pipes.........
in jars .........
Russihn wide........
,, imitalion ..
Eng/ish narrow .
Bulter nglish ......
Freneh ......
Maccarroni and v'erm.
Intlian Corn.........
OH linseed in pipes...
,, ,, injars.....
Paper /oler..........
almatso blice I...
,. a. e 3.
,, yollow .
fiorele.........
11 ii
Wrapping lar ge.
Small..
(yerman cut/attes.....
\futcalel rasins .....
Blach pipper........
Pileh Swedith.......
tiinpotvder ..
Poi ash American ....
,, Rutitan......
Pfails 4 1/1 ..........
pREgo

11
)
M
II
II
u
II
I
l \
tO#ooo io|poo
#800
#V)o 04oo
a088o a076o
80ooo 3o0ooo
a50ooo a6|ooo
5 010 8 in........
Hantt Oporto........
otlieri .......
Cheesto dulch .......
Snnff Bahia.........
Liibort.. ....
Veivt'/ia; Slk.........
Soap yeito*.........
Bag, i ..............
Salpeter ra,v........
redned......
Salt................
fartapariha.........
Tobaeo rVaependin
Pinebords.........
Bocn............
Fincrtar Porlugiiete
.1 Meditrra 'tea n
trine Lisboa P. /?/....
otheis brandt..
Atafaga,, P. ,,
Cette red
Catatona
Secilia
Sran. Pp......
Mutcalel c hogth
bottled.........
c/aret ...
, Chantpdigne
IFlndowg.p. 100*7./
Caadles spermecety
tallow ....
11
h
11
1

11
ii
11
t
i60ooo
#3oo
0a8o
#
a 0a 00
i06oo
i06oo
30ioo
30aoi
a08oo
a06oo
a04oo
ihoo
#000
0000
#56o
a05oo
#7 4o
9000
01So
0aoo
40ooo
a#ioo
10100
tftoo
11 10
0ooo
50O3O
#5ao
7fooo
036o
#36o
50000
a0Joo
i05o
10700
3f8o">
3fiu0
30100
a#6oo
a05oo
I06oo
I0OOO
088o
053o
30000
0a8o
9?5oo
05oo
0t8o
40100
a0oo
i03oo
i#aoo
#120
9I000
b'#ooo
0Goo
10000
3000o
80ooo
#35
#4 4o
#;0o
jaoo
0100
a08oo
705oo
i3
'4oo
ilo
180
, 100
if>0ooo i80ooo
306oo ooo
#o5o f> 35
3ja>o 53)0
5#4oo 5#6oo
40J000 4jlooo
18000 3i)0oo
aiooo 5#o00
Sofooo 80 #000
7?#oso 7*#00J
5i0ooo 540000
5o^*oo 5i0ooo
460000 4H|ooo
400000 450ooo
i50ooo 3u#ooo
30ooo 30100
4 So 00
i708oo
40ooo
#800
#aoo
Avalic
Be.
Mi.
Ha
>
Alq
Ar.
Ar.
Pe.
Ar.
' t
Pp.
i
11
11
ii
Oz.
40Soo
18000
6$4oo
08oo] Lb.
0110
i
Cs.
i#5oo
6J000
3084o
0i8o
408oo
408oo
0b*oo
iofooo
11 7#
9 fooo
i06oo
4o0ooo
4o0ooo
8o0ooo
8o0ooo
7000
7O0OOO
70000
JOOOO
70OOO
70J000
408oo
<08oo
160o 00
I5oo
408oo
Lb.

Ar.
Hu
Ar.
Ar.
Alq
Ar.
Ds.
Ar.

Pp.
PP.
11
ii

11
>>
)>
Dz.
M
ti
&
As.
EXPORTAgAO
D1RE1T0
Agurdente de canoa a.
Algodo, 1. qualidade.
Assucar h. encaizado, sobre fer-
ro novo ..................
B. ,.
M. tl a novo.
M. velho.
,, Bruto ou erabarricado.
Brauco Novo
Mascavado ,,
branco ensacado .......
Couros Secos Salgados......
Metosde sola,...............
><
11
ti
'.'?.';.".TT... 55# 6o0ooo
quality.
Rum aa.
Colln t.
1, 3.
Sugar in cases abovejer-
ros new white.....
Brouns
,, od broWis
1
7?4oo 705oo
604oo o05oo
104oo i#5oo
l#000 IfiOO
in barrils whit..
brown..
,, Baes white.....
Dry saltad l des.......
Hall tanned hides ..<...
a07oo 908oo
108oo 1085o
I700 i08oo
Jii5 #i3o
/5o i6oo
PP.
Ar.
Ar.
Lb.
ilu
7 P-
a
a
10
10
10
10
10
10
10
10
7
7
oto >> ta. 1
>>
I* SI,
ti
) 1
II A
II II
II II
1 II 1
II II PP \
1 i
FBETES
Assucar para Amsterdam... 3 i5 Ton. da 70 Ar. e5p. 0/0 de primagem.
Canal........ 3 i5 n
tin""....... 4 ii ii 11 "
11
11
11
Algodlo
ii
11
1
Couros
11
11
11

>
1
1 II
?1 H
II II
Ab
V.
Ab
1
11
11
F.
Ab,
Nh
F.
liamburgo.... 3 15
Trie.tre...... 4,, 10
Estados-Unidos 3/4 Ceatissimot por libra
Portugal...... 3oo Res por Ar. sera priidagen ...... ...... .........
Franca... 400 ,',' ,'/ e 10 po" centoCamb. 160 R. por i F.
Inglierra...... 7/8d. por libra 3r 5 poro/o .....................
Barcelona..... 400 Rs. por Ar. e 10 por cento, Camb. 8eo III. o pezo.......
Inglaterra.....4 por Ton. de 70 Ar.e 5 por cento.............
Franca.......ato liis cadj urna e 10 por oeuto Camb. 100 K. p. 1
Estados-Unidos 3/4 Centessirao por libra e5p. nto................#?
BSERVA50ENS.
\J Assucar brauco e maic. [lera oito qualidades cora
os ferros seguinles:
Branco 1. Sorte....B. 1 S. lis;
......1 S.
3. 11 .....11 3 S. ,,
11......ii 4 S.
5. ,,...... a a. ,,
6. ......., 6 S.
Mascav.l ,.......M. 1 S.
11 a i......i) 1)
>
11
1
i#3oo
10100
1010o/ Vale
i#5oo rs.
sobre es-
(>5o\tes ferros!
5oo
4oo
#t^ Subscreve-se na Typ. do Diario, ra das Cruzcs
d.i 3 a i3#ooo por anuo, 7#ooo por Semestre, 4#ooopor
semestre; vende-sa avulso 110 mesoso lugar a 4oo Rs. ca-
da; iirn ; e sendo para os aasignautes a 80rea.
\JS Direttos de mportaco sao de i5 por 010 sobre o valor
da Pauta, a excepeo do cha que paga 3o por ora 0 a Pl-
vora 5o por dito. Acrescera a estes direttos 5 por cento so
bre os valores da pauta, os quaes sao de arraazenagens, e
Expediente; e mais um quarto por cento por mes de arma
. senagera contados depois de 3o das sobre os gneros de es-
tiva 1 e qaatro mezas sobre hiendas.
CAMBIOS*
Ljondres, ag p. 10 rs. ced. 6odas efleclivo
Lisboa 85 a 90 por 0|0 premio, por metal, offerectdo.
Franca 3ao 3i5 Rs. por frauco nomin.
Riod Janeiro 3 por 0|0 de premio cainn
Moedas de 604oo i5#aooa i5#4oo as T., novas 5^000 a Offioo
Ditas de 4#ooo 8#3oo a 8#6oo
Oncas Espanhoes 17^500 a a8#ooo nominal Falta
Pezoscoluranarius "#700 a I07ao
Ditos Mexicanos i06oo a 10690
Patacoens firazileiios t#7io i#7ao
Premio das Letias, por raez, 1 1(8 a 1 ijap. iofl
Cobre a 3 p. opde disco uto
ka AtJtltJiaAAll
1MPHESS0 POR M. F. D FARlA.



Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EP4IACNOS_4PWXMH INGEST_TIME 2013-04-12T23:59:28Z PACKAGE AA00011611_06110
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES