Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06093


This item is only available as the following downloads:


Full Text
ANNO DE 1*39 TERCA FEIRA
G A M B
Si *

k>
Abril 19
Londres ^o i/4 pn- ifnoosed. >
Li'bo 80 por loo premio, por metal, oflerecUo.
Fianca Sao a 35reis por franco.
Rio de Janeiro o pr ,
Moed.a de r#*oo i5|j('Oo a velha, novas i 4*ooo 8faoc.a 8.
' Pezos Columna-ios igbfoa 'j?;oo.
Dittos Mexicanos i#6$o a i#65o
Patacrs Biazileiros ijj68o a ijj^oo.
Premios das letras, por mez 1 i/4 a I 1/1 por lo.

PARTIDAS DOS CORREIOS TBRRESTBS.
3o DE ABRIL. NUMERO 99
Tudo agora depende de nos Jmesmos j da nossa prudenoia
modrraco, e energa : continuemos como priucipiamoe
'seremos apontados com adiniraco entre as Naces mae
caltas. "
Pfoclamaca da Asscmbtea eral do Bratii.
Cidade da araiba e Villas de soa pretencSo .3
Cidade de Rio 'irn- e do Norte, e Vdlai dem |
C dac'e a (tartaleta e villas Idm '.....
Villa oe Goianna ... *y ...... .
Ci'lade de Olinr'a ............
Villa de Santo A ntio ...........
Dita deGaranhns e PovoacSo do Bonito. ... .
Di-.tas do Cabo Serinbaam, Kio r-orraoso, e Porto CaUo
Cidade das Alagoas. e Vil de Macei......
/illa de Paiau de Plores. Todos os correios part jm ao meios dia. ^
Villa
Segundas e Sextas fera.
Todos os dias.
Quintas fenas.
Dias io, e 94 de cada mea
dem 1 ii, e 11 ditto d.Uo.
dem dem.
liem 10, ditioditte
Subscreve-se para esta folha a "bjfooo por qtarlel pagosadtJ
amados tiesta Typogrxfia, ra das Cruies 3 e na Praco
da Independencia D. .^7 e 38, onde se receben) corresp /A-
dencias legalistas, e anouncios; insirindo-se estes gratts
' sendo dos proprios assignantes e vindos astgioados.
DIAS DA SEMANA.
29 Segunda S. Pedro M. Audiencia do J. de Dir. da a. vara de manh.
30 Terca S. Catbarina de Sena. Re. aud. doJuia de Dir. da 1. vara de naanfal.
1. de Maio Quarta >J S FelippeeS. Tiago Ap.
1 Quinta S. Atiianasio B. Re. aud.- do Jun de D.r. da 1. vara de manb.
3 Sexta >f? InvencSo da Santa Cruz.
4 Sabbado S. Moica May de S Agostinho. Re. de manb e aud. do J. de D. da M.
5 Domingo A Matemidade de N. enbora.
Mar cheia para o dia 3o de Abril.
As 6 horas e 54 minutos da manol. As 7 horas e 18 minutos da Urde.
y PERNAMBUCO.
i83g so N. 68.
Francisca jlo llego Birros, Presidente ds
Provincia de Pernambuco. Fuco saber
todos os seus habitantes que a Assem-
bles Legislativa Provincial Decretou e
eu Saoccione a Resolucio seguate.
Artigo nico. Nss duas Freguesas da
Cidade de Oada s bavera' aro Sub Pre-
feito. .
Ficio revogadas todas as Disposicoes em
contrario.
Mando por tanto a todas Auctondades
a quem o conhecitnento e execucio da refe
rda Resolucio pertencer, que a eumprio, e
faci cuosprir lio inmiramente como nella
aecontem. O Sec etarindesla Provincia_a
faca imprimir, publicar e correr. Cid-dn
do Recife de Pernambuco ero 13 de Abril de
1839 > d,cimo oitevo dt Independencia
e do Imperio.
L. S.
Francisco doR*go Barros.
Carta de Le pela qual V. Ex manda
execuiar a Resolucio da Assemblea Legis-
lativa Provincial, que honve por bem Sec-
cionar, mandando que hsja um Sub-
Prefeito as doas Freguestaa da Cidade de
Olmda, na forma cima declarada.
Para V. Ex. ver.
Jos* Xavier Faastino Ramos a fez.
Rpgistada a f. 101 v.doL i.deLeis
provmcUes. frer-taria da Proveca de
Pernambuco em i3 de Abril de 1839.
Jos Xavier Fauslino Ramos.
Foi Sellada e publicada esta Lei na
Secretaria d.. Provincia do Pernambuco em
i3 de Ablril de 1839^
Jernimo Marltoisno Figueira de Mello.
Inspe co das obras publicas 27 de A- 1
brilde 1839.
Joio Francisco Bastos,
Eserivio interino.
Pela Administrarlo Fiscal das Obras
Publicas se hade vender em hasta Publi-
ca a que ji mais der ama porca de le-
Iha velha de urna casa da taipa sita no
lugir denominado Zumb na estrada
nova do Pao do Albo com icondic5 de
demolir a dita casa a sua custa a pessoa
que bouver de comprar podem compare-
cer na Sala da sobredita AdministracaS,
no dia 3o do crrante tendo com antece-
dencia hido ao dito lugar vera quaotida-
d da telha dirigindo-se ao Snr. Tenente
Joaquim Ignapio de Barros Lima, para
mostrar a referida caza.
Moure.
A. F.
>
Diversas Repartcoens
MEZA DO CONSULADO.
a
A Pauta be a mesma do nutn. 88.
OBRAS PUBLICAS.
Terrenos de Marinba.
Canvida-se a todos os possuidores dos
terrenos de Marioba -deade o Forte do
Mallos at oTrapixe novo, por mandado
do lllm. Sr. Inspector Geral das Obras
Publjcs, Enc*rreg*do de fazer executar
a medicio, e demarcacio doa referidos ter-
renos pra que hajio de comparecer por
si ou por seus procuradores os dias Ter-
cas, quintas, e Sabbados, as selle horas ds
manhl, afira de assistiram a dita medi-
5fo.
PREFEITURA.
Parte do dia a8 de Abiil de 1.839.
Illm.e Exm. Snr. ForaSpreaoa hon
tem a minlia ordem o tiverad destino :
Seiafim Jos de Sooza branco pelo Snb-
Pn frito ds Fieguesia do Recife por ler
dado uns soacosem outro; Francisco Dor
netas, pardo pelo" Sub Prefeito da
de S. Antonio, por ter sido chamado
por Anacleto Alves da Silva para faser
amas pinturas em sua Salla, e raptar-lhe
a aneloens e 4 voltss de cordo de oiro e
um par de fuellas de prata de suspensori-
os } Luiz Ferreir. d Cos la e Jos de A-
f ,-vedo Paasos brancos pelo Sub- Prefei-
to da de S. Pedro Mrtir, este por ser te-
dio e viver sem empregiotil e aquella
por conlravenci5 as Posturas da Cmara
Municipal como laberneiro.
E' o que consU das parles h cebidas n'esta Secretaria.
Dos Guarde a V. Exc. Prefeitara da
Comarca do Recife a8 de Abril de
l83tt. lilao. eEjHn. Sr. Francisco de Re-
go barros Presidente da Provincia.
Francisco Antonio de S Barrete Pre-
feito da Comarca.
m parte do dia 39 de Abril.
Illm. e Exm. Sr. Consta das Parles
boje recebidas que for6 presos hontem
minhe ordem e tiver6 destioo : Francis-
co Fernandes Profiri pardo, pelo Sub
Prefeito da Fregueiia do Recife por ter
dado ames fcdas em Rafael Antonio ;
Constantino JosTee'ra branco, Ma-
noel da Ressurricio Cbrisottomo e Si-
mio da Costa Lop^s, pardos e Jlo pre-
fo, encravo de Joio Francisco pelo Sub-
Prefeito da Freguezia da Bo pedido deseu patrio, por Ihe ter extravia,
do varios objectos de sua taberna em jogos,
e ser encontrado dentro da mesma no ei-
ercicio deste mo vicio com outros o a% e
3* por eslsrean armados de cacetea e diri-
giris insultos a dois Comminarioa de Po-
lica que sa acharad de ronda no logar da
Estancia, e o 4" por deitar a correr, a for-
ca de reinadas, um Cavallo que puxava u-
ma carrosa e encontrando esle com nm
preto eseravo o deitara por larra pas-
sando Ihe por cima a dita carroce, resol
lando quebrar Ihe urna perna ; e Antonio
Jos Gomes, pardo, por oro soldado de
polica por estar bastante ebrio.
Nada mais occorreo. Dos Guarde a V.
Etc. Prefeitara da Comarca do Recife 39
de Abril de 1839. etc.
EDITA ES.
O Coronel Joaqoim Bernardo de Figuei-
redo Juiz de Paz do Bairro de Santo
Antonio do Recife em virtude da Lei.
Faz saber aos Senhoree Editores que
compWtsV Colegio respectiv*b ," que es-
tando mareado o dia 3 do prximo mez de
Maio para se proceder a Eleicio de hum
Senador vago por falecimento do Marocha!
Jos Ignaio Borges ; e juntamente a no
meacaS dos Memoras para a nova Assem-
blea Leglativa Provincial, como acaba
de partecipar-me a Cmara Municipal des-
la Cidade em oficio de a5 do correte ,
recibido no dia 27 : que he o logtr da
reuoia5 a casa do Jury desta Cidade pelas 9
huras da mantisa do referido dia.
E para que chegue a noticia a todos
mandei passar o presente que ser afixado
no' lugar do costme, e publicado pels
Im prensa.
Baisro de S. Antonio do Recife tg de
Abril do 1839. En Ionocencio da Cunha
Goianna. Eserivio o escrevi.
Joaquim Bernardo de Figueiredo.
D'ordem do Exm.'Snr. Presidente vai a
Concarao a Cadeira vaga de Ltiro deste
Liceo; ce Candidatos que pertendero-
por-ae a ella deverS api esentsr-se ao
Director do Liceo os seos requerimentos
legalisedot ate a8 de Maio segando ha de-
terminado no Regolamento daa Aulas,
porque a 4 de Junno tem de principiar as
provas an mesmo morcadas.
Liceo a~8 de Abril de 1839.
Lurentino Antonio Moreira de Carvalho.
Director.
RelacaS das Revistas respectivas a todo o
destriete submetttdo a Rela$a5 de Per-
nambuco que se acha no Supremo
Tribunal de Justica mas sem anda-
mento por falta de preparo.
Revista Civeis.
Atfreseptadas em Janeiro de i836.
' Mara da ConceicaS Arroda e Bonifa-
cio Cebral de Mello.
Izabel Mara da ConceicaS, e Luir Ma-
ra da ConceicaS.
Em Junho.
Cosme DamiaS da Silva a Jacinto Soa-
rea Bolelhos
Em Julho.
Sersfim do Souz Oiiveira o molhir ,
com Valentim Dias dss Dores, e outros.
Ero Siembro.
Antonio Retallo Silva Pereira, a Fa-
zenda Publica.
Ero Novembro. i
Jos i Vai Salgado e Roque Antunes
Corroa. ,
Apresentadas em Abril de 1837,
Os Administradores do Grande Hospi-
tal da Caridade de Pernambuco e Fran-
cisco Antonio de S Brrelo.
Em Maio. ,.
Zicariss Goocalves Lima com Manuel
Joze de Campos.
Em Junlio.
Angelo Custodio da Silva Fragoso
Jos dos Santos Silveira.
Apresentadas em Janeiro de 1838.
Manoel Jernimo da Costa Uchoa, o
Policarpo Jos d'Albuquerque.
Em Mtrcu.
Tbomaz FerreiraSoaies e Jos Rodri-
gues Lima.
Joad Evangelista da Costa Silva e a
Fasenda Nacional.
Ero Abril.
Manoel de Carvalho Paes de Andrade ,
e a Fasenda Nacional.
Em Junho.
Bernardo Lssserre e Comp. com F.-an-
cisco Goncalves da Rocha.
Em Setembro.
Jos Rodrigues de Oiiveira Lime e D.
fgnacia Mara Xavier.
Antonio de Albuquerqae Maranba e
Jos Ignacio de Albuquerque Maranba.
1 EmjOutubro.
D. Anoa Mara Jos de Mello e Jote
Pinto.
Em Novembro.
Pedro Fernandas Ferreira e outros ,
a D. Rosa Mario de Vasconcellos.
Apresentadas em Fevereiro de 1839.
Antonio Fernandes de Azsvedo, e Jofo
Mara Seve.
Francisco Pedro Baodeira de Mello
a Foseada Publica.
Bento Loiz da Gama Maia, e D. Anna
Joaquina de Vasconcelloa e outros.
A Fasenda Publica e Joaquim Goecal-
vea Meirellea.
RevisUs Crinas.
Apresentadas em Dezembrode i835.
Francisco Estevea Abreo o Miguel Ar-
canjo Rodrigues Lima.
Em Fevereiro de 1837.
Joaquim Alves da Craz e Vicente Fer-
reira da Silva.
Em Setembro.
Manoel Josa Pereira Jonior e'Alejan-
dre Ferreira dos Santos com a Juitioa.
-*-


i-
BBJfl
mm
_
OIAR1I Dt PEENAMBUC
di Silva Tf
gnj Janeiro de i89.
Francisco NrtM J> Cav-lcante, e o *mm
Promotor Publico de Pernambueo.
uu,v c,traS8 solemnemente no. telo oa represeu- w.w win^w-------- ,.
, .lr*ireni lacio Nacional, que a Provincia seria ar- xara o seu posto lo*o que a Asseroo
Adverte-se.as pesso.s que der.g.'en ac M rel,r...e del la a ua eodB.nc. ;
ao Secretario cora o prep.ro que este b
nicamente de 5U6oo rs. cada Revista, e
que deYerio declarar qual d*s pHe o des-
pende para se escreer nos autos e a nua.
poder aar contado a que deeabir.
Rio 3o de Merca d* tSig.
Secretario.
Cyrino Autonio de Lemos.
AOi'POSigAO' DE 1858.
Capitulo Piimeiro.
Resignscio do Cargo de Rente do Impe
rio pelo Eira. Snr. Diogo Antonio I'ei-
j. Estado Poltico do Brasil na aber
luradaSessio de As emblea Gsral Le-
gislativa de 1838.
Odia igdeSetcmbro de 1837 di ,es
temiinbe da abdicaco forcada qu pe
segunda vez se fasia no Brasil, da Primei-
ra Magistratura da Naci. O Exm. Sor.
Diogo Antonio Feijo' elevado pe* Urna
Eleitoral ao Sunpremo Cargo de Regente
do Imperio de q' lomou poase em la do Ou
lubro de 1835, mostrou u-n carcter me-
nos adaptado as auas novas funcgS s, da q
es que tinba anteriomeute exercido. cono
universal apluaso como miiiistro da Coroa
na poca calamitosa; |qne principiara ero
7 de Abril de i83i. Bea que conceituado
nesse lempo como urna das pessoat, que
pi ofessavio ideias de extreme liberalismo
ou pref'eilo Republicanismo elle soube
conduzir-se por ama man ira tio pruden-
te e enrgica, que todas as faccSes que se'a
presentarlo armadas em campo nos ule-
reases quer do ultra liberalismo, quer do
absolutismo que devia seguir-se a restau-
rarlo do Principe que havia abdicado ,
forao inmediatamente combatidaa e des-
trocadas, salvando por este modo o Imperio
do risco de urna dissolncio social, e de todos
os horrores inbeuienles a de^enfreada a-
narquia : elevado porem a Supprema Ma-
gistratura em consequencia da nomeada de
to importantes aervicos, a sua energa
comecon a declinar : osseus actos envohi
bem ou mal fundaraent'das suspeitas ;
mesmo tempo que se contentou em mandar! gundo.
_. M.u Aa iRIft mesmo tempo que se contentou em manaar i &----- _____.
P nrseu Promotor com Jos par. aquella um Presidente-com alguma. De perfeito accordop... co estes pr.u
A Jost.ce porseu Promotor com lttnJ, m. nromBt .dH6 ,m. cip0,, nova Admin.atr.c.6 looge d
se ap-esentar em atttude hostil com o U>r-
po Legislativo tomou na preeenca delle a
poaic.5 que Ihe assgna a Constitus do
Estad; solemnemente declarou que dai-
munlces e orna promessa fd- am-
nistiaros rebeldes que arrependidos,
a obediencia da Autoriza-
la legal : a respailo desta ella de-
clareva solemnemente no. seioda represen'
* I\I..i!ai.>.I ma a P*Aomnin aoria ai*.
rancida ou por bem ou por mal, as
leras que a domina vio ,' a resneito daquel-
la as su is expressS** ressumbravam certa
eonteop lacio para com os revoltoso, e
tendiam a afrouxar os nimos dos lega
listas. A nedicio de Porto-Alegre (disse
ella na mesma oceasif o em qae com tanta
energa se prouunciava acerca, da rebebi
em poucos dias comp'ehendeu a Provin
ta ute'a O bem do estad aconselliou
medidas consiliadoras. O Gorvarno tem
deixado entrever aos sediciosos que se o
ii'seio de no sacrificar Brasileiros ao es
lado da Guerra, tem feito dar espaco
reflexia no caso da contumacia para' em
movimento todos os recursos dn Estado
para sugettal-oe a obediencia. Qual se
ra' acauza (perguntavloalgumas mais de-
aapaixonadas) dessa exlraordiaa diflV
renca entre urnas outras expresas?
No podendo a rasio descobrir-lhetfalgu-
ma, que plauzivel fosse as circunstan
cias locaes ou em a naturesa do crime ,
ellaa a iam procurar nss simpsthias e
se persuadiam de que sendo a guerra do
Para urna guerra de castas o Governo sin-
ceramente em penbava em subjugar as
mais baibaras e menos uteis ; e sendo a
guerra do Rio-Grande urna guerra de prin-
pios, o Gjverno uzava para com oa re
beldes desta Provincia da um* moderis >
altamente criminosa. Com effeito are
beliio de Porto Alegra no tinba compre-
hendido a Provincia inteira. O facto dfs-
mtntie esta assercie pla consideraco bem
obvie de que tal re. elo encontrava urna
resistencia lio tenas e tio forte, que a nao
tinba podido domar que nio tinba podi-
do assenhorear-se dos pontos mais impor-
tantes. Quanto ai medidas concilia loras
e quautoaoespaco dado a reflexio dos re-
beldes ludoi*toinvolva pu-a perda da
for<;a moral e physica da Legalidade que
assim >e apresentava froxa por um lado.e
par ctitro lado deixata lempa a que os
rebaldes organisassem osseus pdaos, reu-
oi^sem e disciplir-aisem forcas aomcienles
oaa repellirem as do Governo .legitimo.
Kias deas proclamadas na Tribuna, espa^
II A .l_ .j. ,. *... w. .- .i minna mlitrii.
Ol leus flctB cnruMi -.*..-..-. r---------- ^ ,
alguma couxa que deixava logara Ibadas Pl_[?"" V.?..D.1" V*1
smente combatidas fortaleciio a creoca
Dem OU mai mnaameni-ua suspensa; ~------------- >
as suas principaes nome.ves recairam em de uos formavio a de oulros e produ
passoasque.oullnho contra si precon- fio a castastropbe de 19 de Setembro, a
ceitos desfsvoraveis, ou se tornarlo cele- qual no irouxe o menor aballo a pat nem
bres pela sua completa iac.pacid.de; 6- as fortunas, disposlo estav.oos ammos para
tulmente; nada mais restava do homem aquella econtecimeoio I A rebebi, da te
reputado extraordinario, se rtio urna tena- P"al da Provincia da Baha da qual adi
\ 1 > 1____ ,,,i r.ll>>afnn. If.vu em outras cantas
reputauo exiraorumario, se nao urna lena- !-......- ------------ -1-
cidade indomavel, e de alguma ninneira ante fallaremos, leva em outras cauzas a
rustica, para com o Corpo Legislativo,
contra todos os principios, queservem de
norma de conducta aos Gorvernos nos Es
tados Representativos.
E' da essencia dos Givernos Constitu
cionaes huma Opposicao e he inherente
a opoaicio o desejo de Goveruar.
Tirado este desejo, toda a Opposicao fi -
caria sem estimulo sem aefio e por
consequencia aulla ; tirada a opposicao
altera-se-ba essencialmente a ndole do Go-
terno que, de temperado passaria entio
pare ebscloto, Urna Oposicao exista no
Brasil, como em todos os outros pases
constituidas pelo mesmo modo, a qual
tirando todos os das novas forcas das
proprias resislenciss do Governo, apruvei
tando-e hbilmente dos seus descuidos
ganheva e pisaos largos na opino Publi-
ca o terreno que o Governo, sem oAber,
ou sem querer nutrelisa-la a passos largos
Iba ceda.
A guerra til, que infelismente se ba-
ta asseudido 11a Provjncia de S. Pedro e-
raoeacolh falal traque o governo de
va naufragar. A tibieza que se nota-
vo as providencias por elle expedidas a
espeito daqaella Provincia contrastara
de urna maneira singular com a energa, de
que o mesmo Governo, ao principio d
tua exiateneia tioba dado proras a res*
neito da Guerra Cinl, que achou cceaa
J Provincia do Pra\ Para esU elle a
ressoa-se em mandar tropas emuarca-
9oe d* ri**i pr*w e *o
sua ongem.
Chamado a Regencia interina do Impe-
rio um cidadao, que por sua ca|acidade ,
experiencia e siaudesa bavii conseguido o
retivrasse del la a sua eoflfianca ; esip
proiedimenlo t5 freeo como justo Ih
grangpou por tal manara as vonlades, que
10 fim da Sessa de 1837 e,,av' h',b,,.,'
tada com as medidas, que tnham pareci-
do rzoaelmcote necssarias para concluir
a pacricac6 da Provincia do Para e sub
jugar a rebalda na Provincia do Rio Gr-
de. Assim, seo Governo se via rodeado
de consideraveis embaracos, elle va-seUm
bem assistidodoapoio d opinoS publica,
e da conBauca do Corpo Legislativo.
Era a primeira obrigacaS do Governo a
redic da rebelda na ultima Provincia ,
de que temos fallad ; e com effeito o Go
verno empregou desde logo todas as di
gnciaspara desempenhar esse dever. EJ-
le na5 se limitou a enviar admoestacs .
e conselhos mandou um General dos mais
habis 5 mandou pelrechos e monjoens
de guerra em abundancia mandou em
barcacSes de guerra proprias para operare*
de aceordo com as forcas de trra as e
goas interiores da Provincia ; mandou 6-
nalmente soldados. Era bem de praver que
os desafeicoad >s nova AdministracaS ,
n*5 podendo ngr os esforcs que ella
empregava por d^empenhar urna das pri
meiras eondirnens da sua existencia politi
ca pretendessem ao menos rebanar-Ibes
o valor oculcandoque estes effdctivos e
promptossoccorros, principalmente de tro
pas,eram d.vdos s diligencias daAd-
miiistracad qu# tinba expirado ; mas por
que motivo na5 tinba essa Administraos
feito o mesmo que
se
va 'aser a
cojo favoravel resultado se Ihes afogarara
infallivel, estandji o Governn a bracos com
a rebelda na Provincia do Rio Glande.
Estas deas germinavam e am lavrando
debaixo de impenelravl segredo ; m..s ap-
parecendo o successo de Selembro foico-
zo era aos dissidentestbindonarem as su-
as preUncoens ou a presentaren!-se ex-
temporneamente em campo- liste ultima
expediente Ihes paree-o prefeiirel, no
da 7 de Novembro do auno paaSado foi
aivorado na Cidade da B.hia a estandarte
da revolta. O grito revolucionario esten-
ca /mciis em i robos foi mmediat.mente
>uS>cadO : oa Capital, os facciosos an-
da que abandonados das pessoas de consi-
deracad por empregos, ou f jrtuna su-
vam sfnhores das lorti6c,-co> ns do ar-
mamento e mais artigos blicos dos
c< fres pobl eos e todos os das engrossa-
vam as suas fileiras com pessoas nttrid pela hom>geoeid intxresse de avultada sold. Suffocada a
rebelliaS nos dois pontos lealdade des
Bahanos se esforcou por contel-a dentro
di Cidade em quanto a noticia de US de-
astroso se nteomento naS chegava ao Go-
verno Geral. Ella ohegou com eff.-ito e
s'providencias expedidas' pelo G.vn.no,
e energic.mente secundadas pela popula.
c-5 do l'aiz e pe>a forcas que se Ihes
reuniraro obliveram apagar o volcad revo-
lucionario. As armas iraram triumpbantes na Cidade em i5 de
Marco seginte. Esta lica deseganou os
agitadores e na5 appareceram lent de novas desordena em parta afguma do
Imperio. No Para as ultimas hordas ca-
nilles e.ram batidas as remotas maltas ,
a que se linbam refugiado.
Se a nova Administrarn oblinbi as
armas as vantag^ns que acabamos de es-
boca r naS era menor a bauefica influen-
cia que ella exercia sobre as ideas. A
[mprensa tomou na generalidades, um
novo camiubo. Em lugar de suscitar os
desejos de mais lata berdade elle se res-
tringi a radicar a que eslava consignada
as Instiluicoeas a disseminar as luzes ,
a promover os raelhorameutos materiaes ,
emfin a restabelecer a Moral e o Culto ,
q'a cadea nio interrumpida das nossas com-
micoens internas tinha se nio intuir-
mente abolido ao menos em grande parte
i-esfiado. Debaixo da influencia d'estss
vistas principaes da Administrado huma
nova era de paz de illastnc de pro-
gresso e de mora I da de comecou a des-
contar para o Brasil e veio doidar os seus
enlutados horiaontes. Se o ardite da
guerra civil anda na6 e->tava extiocto np
Rio Grande o G averno naS descanoava
sim palo menos a apparencia de que el
le abandonava a Provincia discripcaS da
sus soi te

\dministraca"o actual ? Se a tropa existen-
tes no deposito desta Corle, e que naS
montava anda sumcientemmte disciplina
da ella poda ir concluir a sua discipli-
na no theatro da guerra : se esss tropa nio
se achava anda em estado de faser frente
ao iimigo no campo aberto ella, com
a assistencia de alguna Veteranos poda
defender os pontos fortificados deixando
assim disponiveis as guarnicoes aguerridas
para operaren! na campanha.
Alem destas vantagens physica buma
vantagem moral tambem se consegu' a de
naS menor importancia : Legalistas e re
beldes, veriam qua o Gavorno Geral sin-
ceramente se empenhsva em restabelecer
com promplidaoa ordem e a tranquilida-
de ; e o dessiento dos s"gundos cresccia
na proporcaS do alent dos primeiros ; po 1 ";-
rem o Governo transado entend, que de- na dibgeoca de ap ga -o : por todas, a.
vtaconfiar multo em Instruye, escril.s outras parte, a popuUc.o resp.rav.^da.ejo.
m m.neioade Gabinete fim um system. <'" deo.dem de "^**+
ZtZZl e pouco em forcas ; dando ss- tthilidad., e de regular progresso e
_' _____!-:'j ., 1 sombra da Monarqua Cansttctonal con ^
tra a qoal no ousava.m mais apresentar-se
*s pretencoens da pura Democracia.
experiencia e siaudesa hav. consegu.do .KL m medida, do .Cual Gjjrn. a J -JJJ<> ^Z^ZT
ma reputacio brilhante e extensa, o Exm. guerra apresentava par. a Legibd.de hum -" ^g'' ? Sele de Abril. )
Snr. Pedro de Araujo Lima mostrou lo- aspecto inteiramente favoravel e risonho;
,>o no seu primeiro acto que comprebeodia e os rebeldes vencidos em quasi lodosos
' .. _____....... ._-,..; _____i i^riu.n itn rnmnletamente
da
roelhor da que u seu aotecessor, o maqui-
nismo do GovernoConslituciooal. A op-
posico tinha vencido nos debates da Tri-
buna e ra Impransa, curopria que a oppo
sico viesse paia o thatro das operafes
por em pcatira e dar desenrolvimentoas
theorias, a que no tinhao podido resistir
os seus adversarios. Algumas das primei-
ras capacidades da oppesico cump'iram
com effeito a obrigacao em qua se baviao
constituido para com a Naci que tinha
esculado osseus priocipiosj ellas accela-
ram as pastas, e incetaro a sua carreira
mostrando-se perfeitameote penetradas da
ndole do Systema Representativo. Este
Systema suppoem como condicoessen-
cial para o andamento dos negocios a har-
mona dos Poderes Polticos ; esta harmo-
na nao se pode darsem a existencia de re-
ciproca contiaoca entre as pessoas que ex-
rceos esses poderes : logo qua tal con fl-
anea falla, indisdensevel que a de um
delies se retirem da acea, dissolvendo-
se a Cmara lemporia ou demittiudo o
Ministerio : e nio podendo p'o'r hora ter
logar entre ni o primeiro expediente o
qual constitue um verdadeiro appello pa-
,ra a Naci, indispensavel i seguir o se-
encoatros terira sido completamente
derrotados se o desagradavel a-conteci
ment occorrido na Capital da Provincia
da Rabia naS produziaae urna diversaS no*
cuidadosmeios e as forceado Gor. Desde
mu tos anuos existen nao" B na Babia ,
como em outras Provincias do Pfovte, ho-
raens temerarios imagnacSes esquema-
das genios orgu'-hosos e possuidos do
mais zallado espirito do bairrissao, que
julgam ser degradado insupparta vel terem
de procurar ne Corte, alguna recursos que
nella existem concentrados. Esta orgulho
tem dado oiigem a deias de separca6 ,
mais ou menos ramificadas, mais ou me-
nos desenvolvidas e por vexes levadas a
effeito aempre com infeliz successo para os
nnovadures que t vem a dimeuldada da
quelles recursos, mas no aprecam ea
garantas que elles ofTerecem que de
zappareceriam po roo'menlo em que fos-
sem descollocados para as respectivas. A
existencia r testa do G verno *de huma
pessoa que proffess.va em Poltica sen-
timentos oppo>tos a toda a cenlralisacio,
oareceoa nlgumas dessas imginacos ar-
denles oflerecer ocCasiaS azaila para r e-
I vanle o pVno da meditada separado,
Exterior.
Lmites de Nova B^unsw-ich Invsso de
Mame Captura dos-invasores.
Os papis de Nova Brunswich rfcbi-
dos pelo ultimo Correio dio urna noticia
muito extraordinaria pela qual sio par-
cialmente explicados os objectos da Sesaio
Hecreta da L gisl'tura do Estado de Mame,
e prospectos de pertuibacoes exlernas mui-
to mais prosimas aos confias do territorio
do que as da fronteira Canadiana toinaS-
ae tao distinctoi que nio poaem denar do
ser entendidos. Msl podemos acredita, que
o objecto seja provocar a guerra e que es-
la ovasio se deslioe a estimular o Governo
geral a urna apreasada accommodacao d u-
maqnestio ha muito agitada ; mea seja
qual for o motivo felgamos de que o ata-
que lenha sido promptamenle repellido e
nio duvidamos que a* for segundado Sir
John Harvty recebei os iuvasores muito
bem. Abaixo apres. otamos a oarracioda
Sent nella de FrwaVrieton as obeir95ds
da Crnica de S. Jofto.

I
/
.
^- ~
---<


BIARI9 SE PERNAMBCO:
*
Invasio da Provincia.
Em a nos-a edic*o dje quarta feira m-n
Clonamos que al sabbado poderiaroo
jcommunicar alguro coma definitva-a res-
/pelo da fallada invasio da Provincia c
\ aquellas esparancta se reabsario pela captu-
Va i e prisio na cada.i diqui de tres dos
befes da recente invasio.
Parece que durante as ultimas sesses se
relas da Legislatura de. Main se decretou
a ommi de 10,000 II. para at despezas d'u
mi invasio experimental n'-quelU parle,
de-ti Provincia, que te denomina o ter'i -
torio disputado.
I) conformidade cois esta resoluco e,
segundo pensamos, com mstrueces do
Estado de Maine armou-se e abasteceo-
sn urna partida composl* d'um Cheiife, do
Agente de Terra, de dou Advogados para
f.z-rero da conselh -iros legaes e de doui
ou tre ofi: aes, com crea de dtenlos
homans aasalarado* como coadastaveis es-
peciaos e armados d espingardas para re-
presentaren] o duplo carcter d'officiaee de
pac, e gente de mlicia. A exo"d bttm levoucomsigo tres pecs d'artlharia.
Almtados em carros eom quatro psre-
llus d- cavailos entrou e*ta expedicio na
Provincia na segunda feira d'esta sema
na, tr rendo comiigo algumas partidas de
leulndores que encontrarlo no esminho, e
acampando se parto de trinta milhis distan
les da embocadura do ri0 Reslook. Entre-
tanto deaticou se a Zfoodslork segando
inferimos um troco de lenhxdows, que
se apo-sira u'arnns, e mumces entran-
do forca nos arsenaes pblicos "aquella
praca e na-sua volta pelo rio cima conse-
guido prender os Srs. Mclulire, agente
da trra r Cushman um dos conselheiros
legaes, eBartlett, qua sabemos intitular
SeDafisman.
Estes cavalheires tinba daixsdo a trapa,
que ia mais adiante debaixo do c ominando
do Chenfff, o qual parece que os precede
ra p-ra experimentar aquelles lenhad >res
que elles havia apandado, exigindo d'el-
les obrigaedes para o pagamento de certas
gmenas ao Estado de Vlaine e exercendo
vatios actos de senborio altamente, insul-
tantes e ffensivos para com o .governo
do paiz, e em despeito da authoridade de
Sua Magestade nVsta po Ingleses.
Fatigados d'esforco accompanhado com
toda a probabilidade d'algum consideravel
grao d'anxiedade, os individuos em ques-
no de companbia com o Coronel Webaler .
que bem condecido n'esle lugar e um
\lr. Pilll) rty, tintin ido descansar ero
caza de Mr. Fitiheiberl, que mota cerca
de 8 milliasi-m linlia recta distante do ri
de S. Joo junto a Toxique, onde forao
presos como a cima dissemos, e marcha
rao para Woodstork, donde forao lugo
onduzdos debrixo do cuidado du Capitn
Couliffda.Milicia de Garitn paraoquar-
lel general, e apenas spole apromptar
urna ordem e pnsfo, fota lavados huntem
paia callea.
A tropa comm -ndada pelo Cherife lo-
go que aoube, que os seus che fes tintin
sido apauhados promptamente relirou se
com quatro, ousincosubditos de Sua Ma-
{e8l.de que elles luih-o prendido e jul-
gamoS que temaia urna posicio dentro da
Jmha do lado Uritaonico, onde provavel-
menta esperar reforcos e instruccoes do
Poder Exrculivo do Estado de Maine, se
antes d*isao forem expulsos ou priaiona-
dos pela forca armada, que se (era reuni-
do p-.ra acudir a actual urgencia.
Ja lempo de vollar ao que aqu leve Ju-
gar. Passou-se a quarta feira sera que
se obtive-se lguma mformacio positiva do
Tenante Goveruador, anda que como a
cima dissemos, so recebera no sabbado
boatos da invasio da Provincia. Com tudo
apenas se tecebeo tal noticia publicou-se
ama proclamacio de S. Exc. que se achata
na columna teguinte e qual responder
todo o coracio Ingles ; e convem dizer a-
qui que as armas que fora5 tomadas em
\Voo secreta invasio d'um prfido inimigo fo-
, rao eulregues a j esli uo arsenal de
VVoodsloik.
A proclamacio appareceo na quarta feira
noiie e fot enviada urna capia delta por
Mi. Me Pbeison ao Cberife deCarlelon ,
a quena elle encontru no rio de Chute ,
Ba sua volta da scena da acyo; tendo ido
alli mu convenientemente para contar, e
moderar aquellas exaltados senl intentos que
tinba sido excitados por ms aggressio
nao provocada na quinta feira ao meiodia
um destacamento do Regiment 36compos -
lo da peito de 90 homns, sob o comman
do do Capitio Nugent d'aquelle corno,
mu chou em carros para VVoodstock, onde
devia ler chegado a noite passada ; fora
seguidos pelo TVnente Coronel Maxwell,
i|ii-oornnunda o Regiment e'expediaS
se 01 dos para por se a parte superior do
paiz em estado da defeza, orgaaissndo se
urna forca suficiente de milicia que sera
s corrida com reforcos da parte debaixo,
sesssim for pr ciso.
Abaixo demos at esta noita ama nar-
rsclo dos importantes acontec roen'.os da
semana passada a cujos mais serios resol-
tados podam ser antecipados. D'a robas aa
partes prevalece grande exaltarlo ti aquel
les que lio infundadamente invadiraS esta
Provincia j viraS assaz o earactar resola-
t< de sen b*hit mes para satisface los e
que os Estados Unidos na y podem arranca
los ao Estado Parental; entretanto que pe-
los successos que agora occorrem, pode o
G verao de Sua Magestad conhecer que
a ce-sao de qu>lquer porcio do territorio
Ingles nio deve ser feita sem o consenti
ment d'aquelles subditos da Rainha que
oceupi OU berdvra oslo.
Em quinto aquellas individuos qua pos-
s5 entrar as trras em questin, algumas
repi esentsc5s do governo do Estado de
Maine fetas por intermedia do Governo
Ge ral teria encontrado aliencao da parte
d > Poder Executivo d'esta Provincia. Nio
s tem elles deixado de o fater mas at o
ataque iotegridade das possessoes Ioglazas
n'esta parte, l'oi dirigido em segredo, e
intentado com sorpresa : todava forao mal-
logrados pelo valenta a leal comportamen-
lo dos bravos com quena elles se mettersS,
a que a nfo ser a captura dos chefes e as
representaed^s o influencia do Cherife do
Condado deCarlelon, Ibes teria dado u-
ma licio que elles ter5 provavelmente
prendido menos fatalmente, eme teria
sido escriptacom caracteres de singue.
O Coronel V Veb-ter, a que se allude na
relacio sopra veio cidade a noite passa-
da e foi preso esta manhi cedo e metti
do no careare. Um Djutor Yankee que
andava viajando sob pretexto de vender
medicamentos com urna garranba n'uma
mi e urna arma na outra foi mandado
para a cadea de Woodstork. A SentineU
'a* (Traducido)
PAR1Z, a de Marco.
Noticias d'Hespanba.
As barbaras execuc5es ordenadas pelo
General Maroto for5 formalmente des
approvadas por D- Callos, que deslituio
immeuiatameiile este general, e o declaroo
traidor, e fra da proteccio da Lei, se el-
le se nio sppresentasse em continente na
sua presenca para responder da sua con-
ducta. Teria Maroto praticado estes san-
guinolentos excessos psra arruinar a causa
do Pretendenle e preparar a sua dtfeccfo ,
como oaununcia diversas corresponden-
cias da f 1 oiiicira ? Nos o ignoramos ainda ,
e toda esta tragedia continua a estar invol-
vida de grande oysterio.
Maroto, depoia de ha ver publicado bo-
ma proclamacio, parti de Eslella para a-
nir-sees suas tropas na Ribera, deixmdo
ordem de fusilar no dis seguinte, 9 de
Fevereiro, ootros 7 cfficiaes superiores,
ou persoiiagena presas em diversos pontos
da Navarra. A noticia desta segunda ax-
ecuco ebegou sotes da hontem a Bayona ,
e sonbe-se qne por entre as victimas se a-
chava o coronel Oger, primo do general
0. Francisco Gsrcia fucilado na ves pe-
ra ; I) Ramn Dallo, antigo esmoler do
estado maior-generaldo exercilo ; o com-
mandante Ub-go, e os eommandantea dos
fortes do Pui e de Santa Rarbsra situados
ptrio de Eslella.
Instruido dcstes acontecimentos, D. Car-
los se derigio a Alissua villa situada a
n legoas de Eslella. Mas no da sguint>
rile letrocedeo para Bergara. O Maiqoes
de Valdespina ministre da guerra deu a
sua denissio, e o Duque de Granada ve
Ibo septuagenario, iuimigo de Maroto,
homsm fantico e incapai Toi designado
para o suhstiluir interinamente ; este pon-
to ser conferido ao conde de Ctssa Eguia.
Dous batalhes o 5 de Guipozcoa e o
5* de Navarra, forao chamados a todas
pressa ao quartel do Pretendente. Este
ultimo dice que queria ver Villarual des-
terrado a a annos ; e Balmsseda preso i
Igumas semanas por ordem de Maroto.
Villareal foi appresentado por D. Sebas-
liio : acredita-sa geralmente que elle ser
reintegrado no coinmnndoem chefe do ex
eicito.
Espalbou-se hontem a notici*, que Ma-
roto se tinlia pss. Roiiba, condozndo comsigo 8 batalhes:
anta noticia requer conBrmacio.
Eis aqmi oque nos escrevem de Bayona :
Hepois de esperarmos % dias, todas s
incertezas cessara pela ebegada de docu
osen tos oficiaos. Est presen temer te veri
6cado qua Maroto obra va segundo a sua
pfoorra vontade para desembarsesr-se de
seus mimigos pessoaes, e qne os fuzilou
sam processo e sem orden de D. Carlos,
a quem ella nio deu parte,
Escrevem de Navarra que por ordem
dj U. Ca-los foi imposta huma contribui-
cio da cincoenta mil pezos fortes as qua-
iro Provincias que obedecem sos seus de-
cretos.
A ii de Fevereiro s 7 horas da manhi*
hum ajudante de campo do general Maroto,
chamado Bures foi preso em Urdach ,
no momento em que se passava para Fran
ca elle foi conducido psra Estella. \ ai
mandou Maroto pedir a Bayona 4o >''
francos, para pagar s suas tropas. O
Phare de Bayona diz que Maroto perdoou a
oiorte ao coronel Ubaga hum dos con-
demnsdos. Muitas pessoas de distinecio,
assim militares como Sacerdotes se tem
posto a salvo.
Noticiss do Mxico.
O Restaurador do Mxico tras os de -
tslbes a tespeito dos acontecimentos que ti-
vera logar em 14 de Desambro naquella
Cidade.
O povo se sublevou a favor do faderalia -
mo -, alie obrigou' Bustamante chegar
sua varanda e a gritar : a Viva a federa-
cao vos tetis a fauerscio dice ella de
pois o povo sa derigio ao Convento de S
Domingos sonde so achara preso Valentino
Gomes Ferias mais de 3 meses por ser
federalista. O povo ia arrombar as portas,
qusndo hum dos chafas ordenou que Fa-
nas foese posto em liberdade. Foi igual-
mente posto em iiberdsde, Jos Maris Al
puche o Infante que tambem estara pre-
so pelo mesmo motivo e ambos fors con
dundos em triunfo pelan ras da Cidada ,
dirigindo se depois cass do general Ur-
res federalista. Eissqni o general Ur
rea i ; exclamou o povo, Viva o aalvador da
repblica o sustentculo da faderaco o
vencedor do impostor Cesar P rio dss 9
horas do noite, os grupos se dividirad em
pelotes e se retirarse para suas cazas,
sem com metieren a menor desordem. Fe-
lizmente neata dia ninguem foi mese.do,
e a tropa qua se bsvia postado em diversos
pont -a leve de retirar-se por nio ter
nada a f.zer. (La Presse)
THEATRO.
Amanli i de Maio em beneficio de
Antonio Lopes Ribeiro, Actor do mesmo
Tbeatro subir a scena o seguinte divert-
ment : Reprnseotar-se-ha a Peca O Ty-
ranno da Grecia ou O Principe Heta-
dee Foi oiTerecido ao Beneficiado este
tfo bem delineado Drama por um seu A-
msnte que se deo so trsbalho de o Irsdu-
cir em boa proca por conhecer o bello, e
aublime, e quanto poder deixsr satisfei-
los os que sma a Scena, para se ntreterem
as bellas e innocentes virtudes que ornsS
este Drama como lamber O horror aos ty -
ramios e dspotas que quasi sempre sio
desgranados. Sara ornado da carro triun-
fal Msica bellica a tropa ; nada se om-
ositii do sen brilliantismo, psra que fique
setisfeilo o seu Traductor. Os ntervallos
dos actos serio preeoehidos de boas pecas
de Msica. Findo o Drama cantar-se-h
o Duelo Pitsnguiohss a chorar ; fio-
dsndo todo o diverlmenlo com a bella
Farca O Hollandes pagar o mal que uo
faz pedido de muitas pessoas.
Avisos Diversos.
_ Vende-se orna venda na trempe sur-
tida com peucos fundos, acomodos psra
familia, dinheiro ou i praso : a tratar nos
4 Cantos da Boavista com Domingos Gon-
catves da Cruz : tambem troca-se um mo-
leque com 3 annos de oficio de capateiro ,
por urna negra.
__ O abaixj assignsdo fas publico 'pelo
presente annuncio que o Sr. Francis-
co Jos lirtlem, morsdor no bairro da Boa-
vista hipotteuu sp-calinenle por Escriptura
publica ao annunciaute una propriedsde
de casas de dous audares, sita na ruada
Senxalla velha D. 38 para pagamento da
quantia de 8 335,fl43tm que o mesmo Se-
nhor est debitado ao annunciaute e para
que ninguem faca com aquelle contracto
alguna a cerca da mesma c*za por isso se
declara o encargo da meama.
Juo Vaz de Oveira.
M Arremata-se dusentos garrafes ,
sendo cada um a 720 rs. em praca publica
por exeiucio de Mara Joaquina Ramos so
fallecido Antonio Rossado Simes pela Jui-
co do Civel da primeira Vara na roa do
Fagundes boje terna feira 3o do coarente
mee o anno, pelas 4 horas da lardt.
_ Na noite de eext- feira da semana
passsda pardeo se da ra de S. Rom Jeius
das Crioulas (por detrac da ra NuvaJ al a
ra larga do Rosario urna caria e urna
factura deencommendas: quem as lver a-
chtdo, easquizer restituir, dirija-te ao
Brandio na casa da pasto da ra dos Quer-
ais D. 8, qua mu lo agradecer semelban-
te entrega, ou gratiGcar o trsbalho se a
pesaos o exigir.
Qnem precisar de urna mulher par-
da de boa conduela para ama de casa
de homem solteiro ou casado com pouca
familia : annuncie ; adverte se que he ja
de idade.
_ Ha para vender batatas novas ebegs-
dss ltimamente a 1000 reisoGigo no r-
mazem de Antonio Annes confronte ao
caes da Alfandega.
_ L'iva-sa e engoms-se lntolisj, co-
mo de pregas a faz-sa pregunhss em a-
berturas de camisas cum perfeicio: na
ra do Rangel sobrado de dous andares do-
fronte dos diversos recebimelos.
Quem precisar de um Portuguss para
Csxeiro : annuncie.
AlgumSnr. Estraugeiro ; ou mesmo
filho do pss que precisar de hum cos-
nheiro estrsogeiro ou mesmo para faser
jantares grandes de banquetes pois que
sabe cosinhar toda a qualidade de comida
dirija.se a roa nova Pedera D. 16.
Preciss-se allugar mensalmenle huma
Canoa grande que pegue em quinbentos ,
ou mais lijlos de slvenaria queme t ver
queira annuciar amoradia.
s Preciss-se de allugar doss negras ott
moleques que saiba vender eseil*- de car-
rapato ; na ra da Cooceicio da Boa-vista
D. 19.
_ O Snr. Profiri Jos dos Reis, nata-
ral de Lisboa filho do Snr. Jos Joaqun,
dos Reis, eo Snr. Joio Lopes da Silva na-
tural do Rio de Janeiro oficial de alfaita
queirio auuunciar a moradia a negocio de
1 Aerease.
_ Qnem perlender ai rendar huma casa
terrea boa com um grande quintal na roa
da Trempe para a da Solidada defronte
de Herculano Alves da Silva ; procara na
referida casa a qual ha bem fcil de conha-
cer-se por ser a nica envidracada.
. Quem precisar de um rapaz Brssi-
leiro da idade da a5 annos, para Ca ixeiro:
annuncie.
_ A peisoa que annunciou ter um so-
brado de um andar na Boavista, driia-se
a esta Typ.
. Naa mais da loa nova desapareceo
da praia junto a serrara do Cardeal urna
canoa pequea com a proa quebrada, ten-
do em sima da poupa as letras seguales
A. P. L. e no da i!\ desapareo outra
com a mesma marca e tem 4<> 4$ po'mofl
da cumprido, e do mesmo lugar a paos de
jangadas : quem dalles souber ou der no-
ticia podar dar parta na mesma serrara
do Cardeal, quo ser genarosamania re-
compensado.


^p
DIARIO DE PKRNAMBUCO;
Acben-aenodia^daM-rconoba-
eodeJoio Frc, u neo contend.
SoYroao.Unt. prcas de rouPa de me-
fe Af-gio D. i a, que dando o, s.goaes lhe
Rle,o!5r.i.nunc5ou querer comprar
gu.rd. I-uca i"j^ f ,,rS* d
Rozario aobrado de um aod*r U. 8.
_ Precisa se arrendar um sitio perto da
traca, quetenha bastante commodos pa-
ra grande f.rai e algara P't P" "
cas, preferindo-se pelos logares da sol
dade : quena titer aonunoe.
Appareceo em una sitio um preto ain
da bued, a qa he driJ' 9e a '"*
d palacete cas. aovidrassad. da noto, que
dando os sigo.es se Ihe dita onda existe pt-
ra Ihe ser entregue.
Quem precisar de una profesar par
.nsioar primeiras letras gramm.t.c lt
ni, rhelorica, e mus C. em algara "Uge
Dho ou mesmo seil5 annoncie.
N.roadoQueimadolo]* D. 7 a!
.g*-seutnpretopr. podara do que tero
bastante pratica.
Aluga-seuma ama de leite para criar
preferindo-M preta escrata ; quetn Uto:
anuncie.
_ Quem annunciou querer comprar
nm guarda roupa dirija-ae .0 convento
de ST Francisco a fallar cora tv. Jos d.
N. S. da Saude. .
No da *7 de Abril furtarao do pi-
meTro andar da ruado Vig.rio por eiads
botica do Sr.Peixoto, 4 toltaa de corda
de ouro para menino a aneloes sendo uro
grande letrado outro dito man pequen,
coa um diamante e um par de Gve l de
tirata para suspensorios de molde de pasa;
no: roga-se a qualquer peuoa, pr.nc
plmente aosSrs.ountes, que no caso de
Lserofferecidoalgumas das peisaa a c.
m. mencionadas, lenbio a bood.de deas
tomar e far.6 um grande fator paiteci
par .oseo dono Anacilo Alte, di Sil, nc
arsenal de guerra ficando eternamente
.decido alera da recompensa.
A pesad que annunciou querer ten-
dorna aobrado de um andar u-Bm vil,
airija-se a esta Typografia.
Avisos Martimos
PARA LISBOA tocando nos Acores
Escuna Portuguea Rota nova e de pri
meira marcha sahir em poucos das por
e acbar prompta a maior parte de sua c r-
* e tam ptimos cmodos para pm^gei
roa': trata-se oa ra da Cruz n. 25 ou 57
Leilao
Qoe f.z o corretor Oliteira de um
bom sorlimento de fazeod.s logizas e
francesas, Quinta feira 2 de M.iO, pe.
10 horas da m.nhi no seu armssem da
ra da Conceicio.
No da 3o do correte pelas 11 horas
a maobi havoia leilaS de urna porcio de
figos passss aromas e outra de azeito-
na no armasem .0 p d. alfandega nota.
__ Que se faz sabbado 4 de Maio na ora
ca do Commercio pelas 10 horas da m.nhi
um oa em m.i lotes para meihor ser-
vir aoa compradores 3 morad de casas
tarreas notamente edeficads sitas em
roa de S. Amaro em Fora de port.s cad*
urna contando duas sallas sendo uma n<
frente e outra atraz, 4 quartos, quntale
eacimba, defroole da. ditas um terreuo com
alicorees de 10 milheiros de lijlos com ino
palmo defiente 400 de fuudo pom
aoais ou menos com urna casa de pedra t
cal para arecadacao da ferra mente, 0 r
4 soesma obra e i.caixilbos de pe>toril,
la ditos de portas e oulros m.i arranjo,
indespensaveis para edaficaca da dita ohr
0 na mesma rao 9 casas de sobrado e 3
aoradas de casas no fundo da dit.s, rende
te iodtspensaltfmente pira pagamento da
htpotbeca a que as ditas h-.Ui sug-ius as
pessoas que sequiserem informar dos ditos
predio antea do leila dinja-ae a ra da
cadeiatelba o. 37.
_ Qoe faiem Rota & Braga de uma
porcada gigoe com batatas variada., vin-
oa do Havre oa Galera Athalie no cae.
dkalfeadega bojeio do correte, m 10
horas da manhl, por cinta e risco d-
quem pretencer.
Compras
_ Um goarda-roupa e um goarda-
louea em bom ata : quem ti ver .anun-
cie.
_. Um Diccionario do Vieira Ingle.
Portugus j. diado : na roa nota bo
tica do Sr. Pinto se dir.
-i' Uma casa terrea com commodos para
pouca f.milia tambera par. estabeleci
ment de negocio aend< no largo do Ter
c 1 ou pateo de S. Pedro : oa pr.ca da
B tista botica qoe foi do fallecido Jlo
l'erreira da Cuaba.
V e n d a 8
_ Uma escrava d. costa de idade de
i**5 annos eng'imm-a liso, coioba
n-m o diarfo de uma casa lata de sabio ,
e afianca se nao fogir que per iss-J da se a
contento: na ra D reit. do lado do Li-
vramento sobrado D. ao.
_ Duas escrataa ama de oaefo songo
que representa ter 5 annos de idade de
linda 6gora, eom babehdadee e outra
quiland ira da costa da mina ejue re-
presenta ter a8 annos ; 00 segundo andar
da casa de mirante na roa da Penha, en
segoimanto do fundo da Igrej do Lira-
ineuto.
_ Dois negros, ainda mocos, sendo
um padeiro, e uma negra, todos do genti >
de angola : na prace da Bja tista oa teoda
io Saraiv. se dir.
_ 3 bocetaa eotidraswdat e doie ta-
boleiros : oa ra que tai para o Hospicio
na quarta casi torre nota do Exm. Sor.
Jo> Cailoa Marink, oa mesma cata ae
continua a tender o resto da f-iendas de
uma loja consislindo em tarioa objecto.
inglezes e franceae.
_ F.rellos em sacas por predo com
modo : em csss de N. O. Bieber oa ra-
da Cru. n. 63.
_ Feixes para assucar no fim da ra
da cideia pnmeiro armasem entrando para*
a pr.ca do Commercio.
3qnrtise ama besta : na ra es
treitado Rozario loja de eouroa D. 16.
_ Uma escrata de naci aogola de
idade de 06 aunos, boa latadeira, e eozinha
o diario de uma casa, e he boa quit.ndeira:
na roa da Conc;ic o da Boa vista D. B. .
_ Qd.tro escraros de naci inda mocos
muilo ladinos e robustos prOprioa para
o servico do mato ou de arraatem de aaso-
car por cmodo preco ; ama moleca de oa-
clo Loaoda de bonita 6gurt, idade de 18
nnos engoma cotiobe o r*a *e
bio, sem ticio nem achaque o qoe ae a
Banca ao comprador nm cocrevo pardo de
bonit. figura com 16 a 18 annos moilo
boa figura e nlo tera tieio afgum pas-
sando os Martyrios 00 primeiro sobrado 1.
andar.
Uma po'co de cera de caraabobt ,
a b'etanhas finas de linbo paro : na loja
de Manoel Francisco da Silva, n. praci
aba do Litram -ato.
_ Um. mol.iinh.de id.de de f.5 m 17
nnos boa rendeira cose liso cixiob..
e engomm. aofritel : do bsco do peixe
frito D. 4.
3 escrat. de a5 a 3o annos de
\-l pa e boas compradeir. e teodedeirafl de
ra : eom mol.tinhode la annoa, bom
au pegera e aervente de uma casa o.
ru. deago.s terdaD. Z"]^
_ Portada de pedra tindas do porto ,
moito bem l.trad. com hombreir. do
(iras de 1 a ps de comprido, e 3 de largo,
soleiras com 3 de largura e 10 da comprido;
nma escrata propria par. o rtico de cam-
po por ser a taso acostomad o um dito da
costa bom padeiro e serrador ; e 6o palmos
de terreno com grande telbeiro de pedra e
cal sito por detrat da roa do Fagunde : a
tratar na ra do Fagunde D 3.
_ Um. Cee terrea oo*i e feita mo
deroa com aotlo na raa de S. Pedr,
Manir de Olioda quaai ao ebegar ao 4
onto. ou setroc por outra qualquer 00
Reate, Toluodo;i o que #for de rexlo :
a tratar com A >ionio da Silva Gusmio na
ra do Queimado.
aUp de Lisboa 3,100 a. libra dito
da Baha a 1080 dito do principe a 96 >.
dito do Varejlo a 8-o cha isson de pri-
meira orle a 16jo dito perol a \gw ,
dito sequim a 8->o, tinta de escretor a a>o
meia garrafa, dita inglexa em pote a 160
dita enearnaoSi a aoo o frasquinho linln
de cores sortidas a libra i44o dita preta ,
parda", o azul ferrete a 1600, dita branca
para alfaiate a nao bules de tidro de
varias qajadades ditos de duraque di
toe de metal am.rello, pentes de tartaruga
para marvefa*, superiores bichas che-
asidas ujlim.mente tudo se vende a preco
barato : na pr.ca da Independencia D. ao,
e na ra dos Quarteis D. 3.
_ Uma boa casa de pedra e cal oa po
voaclo do Monleiro fronleira ao oitio do
norte da Igreja com 4 salla, 6 quart-a ,
um solio eozinha e esa para pietos :
tratar na Boa vista sobrado que da roa d
Rozario faz quina para o Isrgo da Santa
Ouz das 3 horas da tarde em taate ou
na roa do Crespo loja D. 8 de Jos Fren-
cisco de Andrade.
Callas com charutos de superior
qu.lid.de a i6jo ; e ditas com pisis por
preco com modo e orna porcio de bari
cas tazias ; na ra 1 ot. vebd* O. 33.
_ Uma mobilb. composta de ia cadeiras
com asento de palioha uma marquesa
de dito orna comod. de columna urna
eapinha tara am orelh fur.da, nio sa
mencin a o trajo com qoe aahio por ter sido
ja visto com outrosdifivrenles e tem (ido
visto pela estancia e estrado do manguinhoi
tr-bdh.ndoera um po"fo de um sitio t\
P'de sea qum o pugar l-vr .0 seu S n.
ru* da roda D. ao que pagar toda a des-
les* com generosidad*
__ A 18 de Jtilb do.nno pas-ad> fugio
um cabra de nom Francisco de idade de
16 nnos Oqu.I foi cria da viuva do P-
rcente! moradora para a bandas de Idajuca
e t mbern foi escr.vo do Adm:ni-tr*dor do
engnho camorim qaem o pe^.r leve o
ra d. praia sobrado D. 26 que aera gra-
tificado.
_a Rog. se as .utliorid.de poliches ,
capitie de campo e pessoss particulares,
que soub?rem aondeesi acoitada a o>*gra
Felisarda com os aignaes seguiules : ca-
ra redonda olho pretos altura regular,
ceceado corpo pi compridos escrava
de Jaquim da Silva Ferreir. fgida no
di. 16 do correte lavando saia preta de
lila panno preto e vestido de chita ja
desbotado de appreheode-la e levar ou
mandr o casa des>u Seohor na rus larga
do Rozario no segundo andar do sobrado
D. 1, que gratificar ao conductor.
.
ama comod. de
mes. de meio de sal.. tudo de madeira
, com pouco uto, e por preco eom
ng'ea
modo ;
quem quiser aonuucie.
Escravos Fgidos
_ No da aa do correnta furtarao uma
negrinha de nome Felicidde que repre-
sen! 3j auno de idade secca do corpo,
apontando Ihe os peilo corfl vestido de
ama ganga ainzenta e azol e um panoo
da costa de liatra azul a branca ju'ga-se
ter aido levada para o mato ; quem dell >
titer noticia ou a pegar leve a ra da Con
ce cao da Boa tista n. loja de fasend.s
defronte da Igreja, qoe teceber a5,ooo
de gratificacio.
Fugio do engenho Cotas da exti ca
f eguezia da Luz, um escr.vo de nome
VJanoel dogeuib de angola alto, fulla,
tem os pe e os dedo grossos e fotairo
debixoaque lete he um tanto beicudo ,
e bem ladino ; quem e prender dirija-se
ao proprietario do mesmo engenho oa
nesta piaca ao Sr. Antonio da Cui na roa
velba ao entrar por delrax da Matris pri'
m irj sobrado do lado esquerdo que seid
recompensado.
No dia aa do correte desapareceo
uma negrinha de nome Felicidade he no-
va pouco fol'a nio sabe ras desla Ci
dade, levou veatido de ganga azul clara ,
panoo da eost novo c r fulla rep esen
la ter i5 annos de id-de Com os peitoa
.ponteado n.riz pequeo e pouco chato
olhos grandes o beico de cima um tanto
comprido, com urna marca no hombro es
querdo qoe pareee ser de bechiga ; quem a
peg.v lete a ca defronte <- Jgre" <
Conceicio da Ba vista, que recebar 5a
mil ris de grat ficacio.
No dia *o do correte, fugio om
preto Mucambiqae, de nome Augusto ,
alio, gordo uo barba com ama mar-
ca 00 peito esquerdo S e que and.t
ervindo de cangueiro c.rregar m.teriae.
dir. a praia do collegio he moito nato
ral qoe ende por qoalquer d >s praia; qoem
delle wober ou titer ooticii dirij.-ee a ru
do Vig.rio D isooao sitio ao.camioho
doCordeiro de Nuno Mtria de Seixas ,
que ser bem recompensado.
_ Raga se encarecidamente aos Snr.
Prefeito eoa.mi>sarios e mais .alhorida-
des poliei.es como civis o militares ca-
pitie* de campo e de embarcac6>s, m<-
tre pedreiro e don3S de obra e psos
particulares que virem ou touberem de
um molato de nome Harnardino 1 com offi
co de pedreiro, de id.d de aa anoos
pouco mais ou menos fugio no di. 7 para
8 do correte com os sign.es s*gui le :
b.ixo grosso d r.orpo ps largos mi ia
grossn e cora falte de u o ha 00 dedo pol
gir d. mi esquerda, caballos crespo, olhos
Movimento do Porto
NAVIOS ENTRADOS NO DIA 07.
RIO DE JANEIRO; 16 dias, Brigue Es-
cuna Nac. Na vagante de iti tonel., M.
Maooel Antonio de Oliveira carga car-
ne : a Amorim&Irmio ; passageira D.
Aldina Gomes de Oliveira.
DITO ; 17 dia Pal cho Nac. Franci im
de ao3 lomel. Capillo AntoiMo (jarcia
Miranda: proprietario Jos da Silva Ne*
ve's; pass.geiro o pardo forro Jos
Mar-a.
LIVERPOOL ; 35 dias, Barca de Vapoi
Nac. Pernambucana de a3o tonel., Cap.
Franeiseo Cobb : a Companbia ; passa-
geiros Jonh Rey Jonh Esquith Ar-
chebado Fino Haberlo Craoda Cons-
tantino Masbado Catibo, Cailoi Nel ,
e Jorge Nile.
SAHIDOS WO MESMO DIA.
RIO DE JANEIRO por Maci e Bahas
Barca do Vapor N.c. Bibiana Cora-
maadaote Henrique A. Smith i. Te-
nente da A. N. I } pess.geiros o Exm.
Conde Ney Dr. Angelo Custodio Cor-
vea Jo.quim da Cunha Lobo Jos
Marte Manriques D Candida Maria de
Miranda Toralo Henrique da Siltaf
o Alfere Miguel Gabriel Ignacio d.
Silt. os Diputados pela Protiocia da
Par.hiba o. Bacbarei Joaqoim load Fer-
reira da Costa Antonio Jos Ferreira
d. Costa e uns criados dos, mesmos ,
Martenieno da Roch. lia-tos cam ora
esciavo de nome Luiz e A. J. de Mi-
randa Falcic*
PORTO ; Bngue Portoguez Flor do Bei-#
rix Capilio Jos Tboma de Lima ,
cirga.s>uc sea Jos Joqum da Cru Antonio Do-
mingos Pereira R.mos e Joo Jos de
Braga.
DITAS NO DIA a8
LISBOA ; B'igue Porlugoex Nova Arai-
sade M. Jaio Pereira .Borges carga
assucar e oulros gneros.
STO KOLMO ; Brigue Sueco Tribeten ,
M. Born Imam carga .ssuc.r e couros.
CANAL; Brigue Sueco Emilia M. Fio-
demberg carg. asucar.
GOLHUVIBURGO; Brigue Sueco Cari, *
M. Neyborg carg. assucar.
OBSERVA^OENS.
Ne di. 37 as a horas suspeodeo a Barca
Americana Globe, que eal.va no ^aj"-
ro, e .eguio para o sol ; e a Galera,
Americana Cantan Pakti aahio para oca-'
bar decarregar no lameirlo.
gar da mi esqueraa, caD.uos crespo, _VD M p r\v v ,o?fi
de gato, tem 2 roeto piuudo de pannos, PERJ, KA TYP. DE M. F, DE F. iMf>
I II FfX/FI f j]


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EPBK8D6FH_SW84Z0 INGEST_TIME 2013-04-12T22:57:55Z PACKAGE AA00011611_06093
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES