Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06089


This item is only available as the following downloads:


Full Text
ANNO DE 1839. QUINTA. J'EIRA.
I
CAMBIOS.
Abril ti
Ladres 3c 1/4 por ijooo eed.
Lisboa 80 por looprerniO, por ranal, oUerecido
Franca 3io a SiS^s. por (raneo.
Rio d Janeiro ao par.
Miedasde6400 r5fioo es vainas noval 14/90.
1 ,, 4J000 8/100 a 8'3op
Pesos Colurnnario* if68a a if7'0
itlos Mexicano* if6{o a i/65o
Pataces Bratiteirot i|68o a 1 ji^oo
Preniioadas Letras, porroei 1 i\{ a 1 ira por toe.
Cpfareapor 100
-

moi'
PARTIDAS DOS CORRIOS TERKBSTES.
25 DE ABRIL. JNUMEKO
02
Tudo agora dependa de nbs mesmos ; da noaaa prndenav
moderacao a, energa : eoniinuemos como principiamos
e seremos aponlados eom admira cao ende ai Nac5ei tuais col
las.
Proelainaeio da AtiemMta lferal do Brai.'l
Suhsereve-ic para esta folha a3/ooo ri. porqoartel, pagos adf-
nitedos ntst Typogiaha, ra das Cruzas L). 3, ana Prafa
da Independencia 1). 37 a 38, onda st receben correspo"-
,dencias legalisadas,. cannuneos: insirindo-ta estes fratli
atado dos propriof a (signantes, a viudos asignados.
DAS DA SEMANA.
Cidade da Paralha e Tillas de soa preteneo ....
Cidade do. Rio <'mude do Norte, e illas dem .
Cidade da Fortaleza e Tillas dem .......
Villa de Goianna............1
Cidade de Olinda......... Todos os
Segundas e Sea tas reiral!
Villa de Santo Anto
Dita deUaranaoda a PoroacSo do Bonico.....
JiUM do Cabo, Sariahaera, Kip Formoso, a Porto Calvo
Ciiade das Alagoas, e Villa de Macei......
Villa de Pajai/de Flores..........
Todos crrelos partera ao naci dia.
Quintas fairas.
Dia* 10, e^dceada mas.
dem 1 11, a 11 ditto dido.
dem idem.
dem 13, di o dina
a'a Segunda S. S.Her e Caio Mro. Audiencia do i. de I)ir. da 1. vara de mand.
a3 Terca S. Ii'fgo M. Hel. e aud. do.luitde l>r. da I. vara de manhS.
4 (^utrt* S Fiel de Sigioaringa M. SrssSo da Tliez. Prov.
i5 Quinta 3, Marcos Kvang. Re e aud. do .luz de I) r. la 1. vara de m.inli.
a6 Seila S. Pedro de Bales B. Seso da Tbrz e aud. do J. de U. da 1. v. demanh.
in Sabbado S. Tertuliano II. Bel. de ntaiih e aud. do J. le I) de 3. vai ile 111.
? Domingo Fgida de N. Scnliora. Luacheia as 5 hor. ei minutos da tard.
I
Mar chcia para o dia ao da Abril.
Al 1 horas e .'15 minutos da maulla. As 3 horas a 18 minutos da tarde.
3LfX R
PERNAMBUGO.
1839 = N. \.
FraneUev rfb'R-go Bffros, Presidente da
Provincia'de Pern trunuco. Facosaber
a todos os eus nsfcrtwvaM que a Asam-
blea- Legislativa Provincial Decretou e
eu'Siilceionei Resolucio srguinte.
Artigo A Le Provincial de 10 de Ju-
'tvho de 18*7, nao demeiiuio oordensdo
do qu>tro centos mil res, que percebia o
actual Substituto das Ctdeiras da Francez,
e Inglet do Licei> desta Cidade.
Artigo a. Ficio revogadis nesta Provin-
cia todas as DisposicSes em contrario.
Mando par tanto a todas as auctoridade!
a quena o conhecitoento e execussio da refe
rida Resolucio pertenece que a cumprio,
faci cumprir to inleiramenle como nella
e conten.* O Sec elario desta Provincia a
faca imprimir, publicar e correr. Cidade
do Reote de Pernambuco 10 de Abril de
i83g$ dcimo oitavo d Ihdependei;cia
e do Imperio.
L. S.
Francisco do Reg Barros.
---------------------!--------1----------------K
misso do SS. Sacramento da Freguesia de
Seiihhaem em hum projecto do resolucio,
(|U9 sendo apoiado e julga l deliber.icio foi a primir-se.
-nobocaef
a. pirle da Ordm do J"3.
Entrou em discussio o artigo \ 1 da Lei
do Oicamenlo ddiado ha Sdssio anlece-
dente, que Foi approvado.
Ao artigo 43 o Snr. Peixoto de Brito
oflTereceo esta emenda sdduiva. Depois
da palavra -09- accresennte-se e 4> *
snprima-se a conjunccio -e. Depois das
palavras sendo o pagamento dos impostos
dos 8 e 9 diga-se e a.f sunprimindo-se
a mesma cuii]iuuco e. Foi app'iovado
o artigo com a emenda ofTerecida,
Foro approvados os art. 4 > 4^ e ''>-
O Snr. Nibuco de Araujo decUrou que vo-
tara contra este ultimo artigo.
O artigo A"] foi approvado com as pala-
ra Ficio em vigor os artigos 4> 4'
4, 4^ &n' > e re8r''ado rligo 44 ^a
Lei do ornamento de a de Maio de |838.
Forao approvados d ins itigos additi-
vos bum do Sr. Lopes Gama nos segu n
tes termos. Em quanto se no concluirem
*^
s duas estradas do Pao do Alho, Santa
Carla de L toela qual V. Ex. manda i Antio, no se ferio' outras por arremata-
executar a Resoluco da Assemblea L.gis icio ou admimstracio couqlumdo-se lo.
egi
Jatia Provincial, que bouve por bem Snc-
ctonar, fixando o ordenado do Substituto
das Cadeias de Francez e Ingle* do Li-
ceo desta Cidade n forma cima decla-
rada.
Para V. Ex. ver.
Jos Xr Faustino Ramos a (Vi.
Registada a f. 98 do L. 1. de Leis
Provmciaes. Secretaria da Provincia du
Pernambuco em 10 de Abril de i8g.
Jos Xtter Faustino liamos.

Fot Sellada e publicad esta Lei na
Secretaria di Provincia de Pernambuco em
10 de Ablrilde 1839.
Jernimo Mu limeo Figueira de Mello.
ASSEMBLEA LEGISLATIVA PROVIN-"
CIAL.
Acta da a. Sesso da Assemblea Legisla-
tiva Provincial de Pernambuco aos 19 de
Abril de 1839.
Presidencia do Snr. Maciel Monteirtt.
Fea a chamsda eachando-se presentes
al SnVs. Dpotados, faltando com cauza
participada os Snrs. Tiburlino, Neri Fer-
reira Maoeel Cavalcanti e Lemenha
Lins o Senhor Presidente abno a Ses
io. da e anprovada a Acta da anteee-
ent, o Snr. 1. Secretarle detlarou que
no bavia expediente.
1. parte daordem do dia.
Leo-*e bum parecer da Comissid de Ne-
gocios Ecclesiasticos apprvando o Compro-
davia as partes das diferentes estradas ,
que ja se achio arrematadas.
E o spguUt"do Snr Biserra Cavalcanti
assim os officiaes da Guarda Nacional,
que por avanzada idsde ou molestias cr-
nicas se tornaren! incapws d continuar no
servico serio teformados com todas as hon-
ras inherentes as suas Patentes. (| (.,
ltimamente o Snr. Lopes Gma man-
dn mais esta emenda. Os Amanuenses
das Prefeitdras serio proposlos pelos res-
petivos Prfeitos, os quaes os podero
suspender prtecipando logo ao Presiden-
te da Provimia pHra decidir como for de
justica. Foi regeit >da.
Passario terceira discossio os artigos
approvados da Lei do oreamento.
Entrando em terceira discussio o Proje-
clo da Forca Policial, o Snr. Carneiro Le-
lo offereceohuma emenda substitutiva aos
artigos 1. e 2. do Projecto uestes ter-
mos :
Artigo 1. A Forca Policial de toda es-
ta Provincia para o auno que lem de correr
do 1. de Julho de 183g ao ultimo de Ju-
oho de 1840 constara' de5n Pracs for-
mando bum Corpo com posto de bum Esta-
do Maior e Menor, e cinco companbias
de infantera rganisada da rh^ineira se-
fuinte : 1. Commandanle Geral hum,
a. Commandanle Geral hum, Ajudante
hum, Secretario hum, Quartel Mestre um,
Cirurgiio Mor bum, os tres ltimos com
fradu*co de segundos Commandanles,
Cspellohum, Cirurgiio Ajudsnte hum,
com graduacio de terceiros Commandanles,
Sirgento Ajudante hum, Sargento ^ V Vlestr hum,1 Corneta mor com graduacio
de priraeiro Sargento hum. Ta,aU*- 'S'
1. Organisaco de cada Compinhri de In-
fantera. 1. Com mandante hum, a. dito
hum, 3. ditos dos, 1. Sargento hum, a.
ditos 4< Furriel hum C*lus deis. Cor-
netas dous, Soldados 78 total 100. Para as
cinco Companbias de Infantera 5oo, Esta-
do Miior e Menor 11, estado completo do
Corpo 511. Artigo a. Os ofnciaes que
compoem o Estado Maipr do artigo 1. terio
os venciments correspondentes as grada-
c5es marcadas no mesmo artigo.
ulra do Snr. Peixoto de Brilo. Se no
passar a emenda substitutiva aos artigos 1.
e a. do Projecto subsista o rligo 1. que
foi regeitadi na segunda discussio.
Outra d) Snr. Lopes Gama. Artigo pa
ra rollocar se onda convier O Cirurgiio
Ajud nte tera' mais 10U rs. mensaes de
sold.
K finalmente esta substitutiva ao 1. da-
da pelo Snr. Nibuco de Araujo A forca
Polii-ial para o anno financeiro de 1839 a
1840 ser a meara a litada para o auno
financeiro correte que Foi rejeitada. A
discussio fiou addiada per baver empa-
te na votacio.
Entrou em discussio o Projecto numero
16 do correte com as emendas approvadas.
Foi approvado.
Fori approvados em primeiro discussio
os Projertos dest aano nmeros a5, 26.
3t e 34) e rejeitados os dos nmeros a8
99.
Orftfa a hora o Snr. Presidente deo
para ordem do dia : Leituras deProjec
tes, Indicares, .e Paieceres de Commis-
soet. Continaa|o da materia designada,
primeira discussio dos Projecto numero*
id '4J s'egu-ida do numep> 17. e tercei-
ra do numero 18, todos do curenle anno

Thoinsr Antonio M-iciel Monteiro,
da Renda Garal da Provincia, que tero dei*
xido de remetter desde o anno de 1837,
contri) a dsposicio do artigo 43 da Lei de
5 de Deaembro , a qual conti-
nua em vigor pelas Leis posteiiores : sr-
vase po>tanto V. S. de levar a mencio-
nada resolucio ao conhecimento do Exm.
Snr. Presidente da Provincia a fim de
expedir a necessaria ordem a respeito.
Dos Guarde a V^f5.: Societaria da As-
semblea Legislativa Pioviocial 23 de A bul
ce 1839. Illm. Snr. Jernimo Martinia-
no Figueira de Mello, Secretario da Pro- (
vincia J.]ie Tliomia M.ibuco de Araujj
Jnior, 1. Secrlario.
Piesideate.
-
Jos fhomaz abuco de Araujo Jnior,
1. Secretario.
Fumino Pereira Monteiro.
3. Secretario,
EXPEDIENTE DA ASSEMBLEA.
Ilrm. Senhor. 'Pendo a Assemblea
Legislativa Provincial resolvido, que o
Exm. Snr. Presidente da Provincia a vista
do raquermento que acompanha do Guar-
diio do Convenio de Santo Antonio do Re
cife denois de mandar avaluar o terreno,
ou armasem de que faz menco o requeri-
riiento, informe qual o valor que o mesmo
tem : manda enviar a V. S. o mencionado
requerimento pira o faser prsenle ab mes-
mo Exm. Sr.
Dos Guarde a V. S. Secretaria da As-
semblea Legislativa Provincial de Pernam-
buco a3 de Abril de i839. Illm. Snr.
Jernimo Martiniano Figueira de Mello,
Secretario da Provincia. Jos Thomat
Pahuco de Araujo Jnior, I. Secretario.
Illm. Snr. A Assemblea Legislativa
Provincial ac*ba da resolver a requerimen-
to de um de seus Membros, que se exigisse
do Inspetor da Thesouraria a Cojiia dos ba-
lances de Receitae Despeii, e Orcamenlo
GOVRNO DV PROVINCIA.
Expediente do dia 16 de Abril de
l83y.
Officio Ao Exm. Hispo Deocpzano, ><
cusando a recepcio o seo onicio de i5 d 1
corrente acompanhado do ('ompromisso d<
I mandade de S. Jete de Rn Mr, q' Ihe
bavia sido enviado com officio de 3 deste
rnez, afifa do ser approvado ta parte Ra-
li giora conforme a resolucio da Assemblea
Legislativa Provincial e communicando-
Ih que supondo a Presidencia que bou-
ve engao na sua dh-ecco por isso que
s encontra nelle o despacho pelo qual S.
P?x. Reverendissima exige iiiformacio do
Reverendo Parodio o reenva para que
S. Ex. depois de prs tica das as deligencias,
que ju'gar neceisarias h'ja de o remetter
cofn a sua approvacio na forma exigida.
Dito Ao Inspector da Thezouraria ,
ordenando em conforraidada do que rezol-
veo a, Assemblea Legislativa Provincial,
que informe com urgencia se das Rendas
Provinciaes artecadadas pela Meza do Cr 11-
suladose deduzem porcentagens em benefi-
cio deseos Empieg'dos, ou par* indamni-
zaclo de despezas feilas com a mesma Ite-
partico.
Dito Ao Comiiandaiili- da liba d>s
Fernando, communirando-lb-; que vulu
para amesma liba, o Brigne 5ji ventura,
levando a seu bordo mil sacas do farinba ,
e deffarenres outros objectos para forneci-
mento da mesma liba constantes das rela-
ces, e conhecimei tos que se I be remet-
Um"
Dito Do Secretario da Provincia to
Inspector da 'Pbezouraria rommnni-
cando-lhe de orden de S. Exc. o Sr. Pre-
sidente que a Assemblea Legislativa Pro-
viacial resolveo, qu o mesmo Inspector
fosse convidado para assislir discussio do
Oreamento Provincial.
Dito Do mesmo ao Secretario da As-
semblea Legislativa Provincial, enviando-
Ibe dous exemplares da Li do Orcamenlo
Geral para o anno financeiro de 1839 a
1870, requisitados pela mesma Aisemblea.
Dito Dito, enviando para ser levado
ao Conhecimento da Ass^milea, um cfficio
do Director do Liceo, p-dmdo que seja
conservarlo na respectiva Secre-u-n a Em-
prrgo de Amanuensu creado pcio^gula-


)4II0 1PEENAMB G O
mmmm
ni
ment de a5 de Oulnbro de 1837.
Dito Dito entiendo um omcio ai
Camera Municipal do Racife em 'que da
cont doe odos que en seo favor Wtem
nos eos cofre desde o i. de Outubro de
1833 at o fim de Setembro de i838.
Expediente do dia 17.
Officio Ao Inspector da Thezourara ,
enviando-lhe copia da Avizo expedido peta
Secretaria da Marinha ^em Tinte de
Marco ulliaio a cerca da apreseiiUcao na
mesma Thezourarias de vsriss guias, e
mappas do Arcenal de Marinha.
Dito Ao rasmo, enviando-lhe urna
nota perteocenle ao Contribuate do Mon-
te Pi Geral dos Servidores do Estado Ma-
noel Coelho Cintra Steriomelra da Alf-n-
dega, a6m de que Ibe faca abrir os preci-
sos assentos e proceder aos respectos
descontos.
Dito Ao mesmo, para mandar pa-
gar ao Director do Licu a importancia dos
cbjeclos por elle comprados para a respecti-
va Secretaria em cons*quenca de autoras-
9*5 que Ibe foi dada pela Presidencia em
officio de i5 de Fevereiro desle anno.
Dito Ao Director do Liceo, com-
muncando-lbe a expedido da ordem Su-
pra.
Dito Ao mesmo commanscando-lne
que a Presidencia convera em que o Ba
charel Antonio Vicente do Nascimenlo
Feloza passe a reger interinamente a Ca-
deira de Latim do Liceo al que ella seja
legalmente prvida.
Dito Ao Commandante Geral do Cor-
pode Polica communiando-lhe em res
posta ao seo officio de i5 do corrento que
pode demittir o soldado da 4* Companhi*
Joaquina Manoel de Olveira, visia n6
poder elle continuar a servir em conse-
quencia das molestias que padece.
Dito Ao Reverendissimo Cabido da
S de Onda solicitando novamente a
informacio exigida peU CommissaS dos
Negocios Ecclesiasticos obre o requer-
mento do Reverendo Ccnego Francisco
Antonio Pinto no parecer que por cpia
ae Ibe remelteu em officio da 3 do cor
rente mea.
Dito Ao Inspector do Arsenal de Ma-
rinha para ordenar que o Brigue B-a-
ventura d a ve lia para a litan de Fernan-
do no dia 18 do coi rente depois que ti-
ver recebidos os Despachos para aquella
Ilha.
THEZOURARIA DA PROVINCIA.
Expediente do dia 21 de Abril de 1839.
Officio Ao F.xra. Presidente da Pro-
vincia informando o leqoerimento de Jos
Lourenco de Silva Jnior.
Dito Ao Contador da mesma Thesou-
raria com as copias das otdens do Ti bu-
nal do Thesouro Publico Nacional nme-
ros 37 e 38 do corrente anno.
Dito Ao Inspector d'Alfandega com
urna represen taca o do Cnsul deS. VI. Bri-
tnica fim de satisfaser pela sua parte a
o despache do Exm. Snr. Presidente da
Provincia que acompanhou.
Dito Ao mesmo com outra repreaen-
taca do Cnsul Dinamarqus psia o mes-
mo fim do precedente officio.
Portara Ao Tbesooreiro dos ordena-
dos e Addiccens miudas mandando pa-
gar Joa5 Baptisla Ueibs a quantia de
a44Uioors., importancia de vares mo-
vis que apromplou psia a mesma Tbesou-
raria.
Expediente do da a3.
Officio Ao Procurador Fiscal interi-
no com a canta da quantia de rtlltf 7a rs.
que demas deve Faaenda Publica o ex
ColUctor da Dtcirna dos Predios Uibaos
Antonio Moteira da Costa para promover
a'sus cobranza, procedendo contra o mes-
mo a forma da Le.
Dito Ao Director do Arsenal de Guer-
10 para informar qual foi o destino que
teve ambulancia que se havia mandado
apromptar para a expedca da Babia,
que por ni t*r lto e,te destino foi reco-
Ihida ao mesmo Arsenal em la de Maio
8 Liio' AoPrefeito da Comarca, de Ga-
ranhuns acompanhando urna relac de
recrutas que da mesma Comarca viera
para esta Capital, afim de satisfacer as du-
vidas que respeito da mesma ofierecen o
Encarregado da Cotabilidade Militar,
para poder ter lugar a eonta que pela di-
ta relacaS deve ser feita.
Portara Ao Thesoureiro das Rendss
Provinciees para entregar ao Procurador
da Cmara Municipal da Olinda Anto
tonio Nunes da Mello a quantia de rs.
666$ pedida pela mesma Cmara por con
ta do emprestimo concedido por o Exm
Sor. Presidente da Provincia para a lapa-
gem do arrombo do atierro contiguo Po-
voacad dos Arrombados.
Dita Ao Collector de Diversas Ren-
das do Municipio do Bonito declarando
Ihe que na cobranca do Imposto de rais
12U800, nao se pode faser abatimiento al-
guna aos Collectados, a que por tanto eum-
prindo o ai t. 18 do R<>gulamento de i4
de Janeiro de 18 Ja, deve faser os lan-
camantoa aliviando os Collectados que
forera indigentes, podando entrar nesta
ordem os que a5 tverem de fundos as
suaa lojis a quantia de iSoUooo res.
Dita Ao dito remettendo-lhe por co-
pia a Portara da mesma Thesouraria de
i5 de Mio de i835, a Instruccoens de
i3 de Osembro de i833 e o 5. do
art. 9. da Le de i3 de Outubro de
i836.
TRIBUNAL DOS JURADOS.
Sasso do dia 18 de Abril de 1839.
Jury da AccuzaccaS.
Denuncia do Doutor Promotor Publico
Jos Bernardo GeWaS Alcanfordo cootra
Joxe Ignacio da Freita, por crime da
tontiva de morte ; o Jury achou materia
para accuzacCaS.
Quei xa de Francisco Mena de'Souz ,
contra Jos Joaqum de Goveia par cri-
me eslerionato ; o Jury schou materia para
accuzaccad-
Sumario ex officio contra Jo Soare<
Passos por crime ; o Jury achou mate
te ra para accuzaccio.
Diversas Reparticoens
MEZA DO CONSULADO.
A Pauta be a mesma do num. 88.
COP.REIO.
Existe na Administraco do Correio ama
carta seguara vinda de Maranhio para Cor-
dulo Pe> is de Carvalho.
A Sumaca Boro Successo de que Ca-
pitt Francisco Gomes de Figuaredo sai
para o Rio de Janeiro no dia '7 do cor-
rente.
PREFKITURA.
Parle do da a3 de Abril de 1839.
Illm. e Exm. Snr. Forad presos hon-
tem a minha ordem a tiveraS o compe-
tente destino ; Carlos Joa5 Flenckenburg,
branco, Sueco, pelo Sub-Prefeito da Fre-
gnesia do Recife requisica do respe
divo Cnsul, por briga a bordo do Bri-
gue Fribelen ; Lucio Flix Pereira tam
bem branco pelo Commandanta da Guar-
da di Cadeia, por ae ter ntroduzido ne
Salla livre com hum punhal, para tentar
contra a existencia do* presos Francisco
Eloi Xavier, e Joaqum da Silva Res ,
e resistir entrega do mesmo punhal ;
Flix de Valois Cesar pardo, a Sar-
gento do Ba tal bao Provisorio pela 1. pa-
trulha do distrcto das 5 Ponas por ser
encontrado no quintal de urna casa cuja
inquilina eslava A bradar que a queriio
roubar ; Thom Viera, tambero pardo ,
pelo Sub-Prefeito da Freguesia da Boa-
vista por queixa de seu pai, a por ser
de conducta incorregvel 5 Jos Francisco,
preto, pelo Commissario de Polica do
distrcto da Jo6 de Barros, por ter sido
encootrsdo com urna trouxa de roupa ,
que hava furtado j Joa5 Pedro, branco
Maxmianno Corroa da Silva preto, pi-
lo Sub-Prefeito da Freguesia da Si 01.
por briga com um visinbo, a quem ame-
acou com ama faca de pona depos de o
ter bastantemente injuriado eo a. por
ter tomado saptiifaca uro G. N. que ero
outra occaaia o hava condusido preso, e
querer espancal-o por nao o ter entad di-
xado fagir ; a Clemente Joaqum de S.
Anna pardo por um soldado do Corpo
Policial por ter furtado urna baca de a-
rime que Ihe foi apprebendida.
E' o que consta das partes boje re-
cetadas n'esta Secretaria.
Dos Guarde a V. Exc. Prefeitura da
Comarca do Recfe a3 de Abril de
1839. Illm. e Exm. Sr. Francisco de Re-
g Barroa Presidente da Provincia.
Francisco Antonio de S Brrelo Pre-
cito Jury de Sentenca.
Sumario ex officio que mandn proce
der o Juix de Dimito da Villa Nova Co-
marca da Boa-vista e no Jury desta (Jomar
ca foi sentenciado a pena ulima ; appellou
para a Capital ficou condennado a 7 an-
nos de prizi.
Sassao do da 19.
Jury de Accuzaccio.
Denuncia do Promotor Publico contra
Flix Jos da Silva, por crime de morte ;
o Jury achou materia para accuzaccio.
Sumario ex officio contra Joaqum Igna-
cio da Cuoha por crime de furto de um
cavado ; o Jury achoa materia parajaecu-
zucc'8.
Sumario ex officio contra Pedro Alexan-
drino por crime de faca de pona ; o Jury
achou materia para accusaccaS.
Jury de Sentenca.
Sumario ex officio contra Josa F>iastino
de Souza por crime de furto de cavallos ;
o Jury sbsolvao.
Sessa do da aa.
Jury de Sentenca.
Sumario ex officio contra Jos Bento
por crime de morte ; o Jury condemnou
em 7 annos de prisa.
Sumario ex officio contra Mantel Joa-
qum por crime de ser preso com um esto-
que ; o Jury o condemnou em 35 das de
prisa5.
Sessa do dia a3.
Juiy jde Acciizact.
Denuncia de Jos de Sonta Ribeiro con-
tra Jos Per-ira Campos, e aeos doui es-
oravoa Francisco Jos por crime de tenta-
tiva ; o Jury achon materia para aecuzac-
cao.
Sumario ex officio contra Francisco de
Souza Pereira por crime de faca da pona-,
o Jury achou materia para accuzaccad.
Sumario ex officio contra Agostinbo Ma
noel do Sacramento e Antonio Morera
da Costa Jnior ambos por furtos de
cavado ; o Jury achou materia para aecu-
zaetjao.
Jury de Sentenca.
Sumario ex officio contra Pedro Ale-
jandrino por crime de ferimenlo ; o Ju-
ry condemnou em 5 annos de priza sim-
pas.
Sumario ex officio contra Joaquim Ig
naci da Conba por crime de furto de
cavallos o Jm y condemnou em 46 das de
prizaS.
EDI TAL.
A Cmara Municipal do Recife etc.
Faz saber que pelo Exm. Presiden-
te da Provincia Ihe foi remedido em vir-
udu do Aviao expendido i>ela Secretaria
de Estado dos Negocios do Imperio em
data de aa de Janeiro do corrente anno,
hum exampiar do Manual do Agricultor
receotemeote publicado na Corte do Rio
de Janeio publicaca que concorrendo
Unto para o augmenta da industria a ri-
queza Nacional ltenlos beneficios que po-
dara resultar ao melhoramento da Agri-
cultura aa leitura ser feciltado na C-
mara Municipal aos lavradores que qui-
zerern eonsultal-o
E para que chegua ao conhecimento de
todos passou-se aprsenle que ser pu-
bl irado.
Paco da Cmara Municipal da Cdede
do Recife em Sessa6 de i3 de Abril de'
1839.
Joze Machado Freir Pereira da Silva.
Pro-Preiidenle.
Fulgencio Infante d'Albuquerque e Mello*
Secretario.
S. PEDRO DO SUL.
Artigo da officio.
Illm. e Exm. Sr. O regente, e= nome
do imperador ha por bem ordenar o se-
guinle, e respeito dos escravos que os
rebeldes tem armado e com os quaes tam
bem hostilisio as forc i" Todo o escravo que r preso e tiver
fcito parte das forcas rebeldes ser logo
abi ou no lugar mais prximo era que
possa ter logar correcciouaimente punido
com duzentos a mil acontes por ordem da
authoridade militaron civil, independen-
lemenle de procesaos. Depois de aasm
castigados sei remullidos para esta ca>
pital publicando se seus nones e aenho-
res afim de que aaibio o destino de seus
escravos a possio dispr dalles camo Ihes
coover com tanto que nio reverti
provincia do Rio Grande em qusnto nio
esliver plenamente pacificada ao qua por
si, ou por aeua procui adores se obrigarao
por lempo, peanle o Juis de direito ,
befe da polica encarregado de fuer a
entrega aos que se legitimareis,
a* Os escravos que, ao lempo da publi-
cacio desta providencia fue re m parte da
forca armada dos rebeldes, eque abando-
nando o seu partido se apresentarem ao
general em chefe ou autboridades que
este designar ficio amnistiados e isentos
de lodo o eervico forcado e ser-lhes-ha
passada a caria de alloma para ficarem
gozando de sua plena liberdade.
E para qua nio fiqaera expostoa i reac-
c&es e vngancas ou por alguma funesta
casualidades a recahirem naa mioa dos
rebeldes serio, costa do governo,
transportados para fra da provincia.
3a Os escravos que se apresentarem e
estiverem as circunstsncias da dispsirao
ainecedente serio avahados por dous lou-
vados, hum nomeado pelo procurador
fiscal, ou peloa fiscaes q e suas rexea fize-
rem, a o outro por seu dono, se estiver
presente, n sua falta, pelo que designar
ou tiver designado a respectiva cmara mu-
nicipal ou pelos fiscaes desta detjda-
menta authorisados. Esta avaliacio ser
feita sumrmirhsimmente e V. Ex. ex-
pedir as precisas ordens para que nio
dexem de haver oa lou vados de que trata
o paragrapho antecedente. Se os escravos
pertencerem aos subditos imperiaes fiis
ao seu juramento, ao trono a patri* ,
ser-lhes-ha o preco da avaliacio pago, logo
que o reqoererem. Se, poim em
essea escravos pertancentes aos rebeldes ,
seus collahoradorea e prolelores, lera
lugar o sobredito pagamento depoia da divi-
da indemnisacioe daliqoidacio final, sen-
do para esse fim depositadas no cofre da
thesouraria provincial as quanlias em que
Ion m avahados.
Transrailtindo a'V. Ex. esta ordem do
regante em nome do Imperador espero
que se desvelar em adoptaras medidas a
fazer todas as diligencias que possio produ-
zr o resaltado qua dellas ae espera: para o
que Ihe dar toda a publicidade pelos pe-
ridicos por editaea n s cidades villas ,
povoaces e qusesquer outroa pontoa da
provincia e por quaesquer outroa meioa
que o ppor tuna ment occo rrero. Deoa
guarde a V. Ex. Palacio do Rio de Janei-
ro em 19 de novembro de 1838. -'Ber-
nardo Pereira de Vasconcellos. Sr. pie-
sidente da provincia de S. Pedro do Rio
Grande do Sul. (
Compra se a registe-se. Palacio do go-
ver no em l'oito Alegre, 10 de Janeiro
de 1839. Brilo.
( Campeio. )
(Jornal do C. da a d'Abril.)
O brigue escuna de guerra americana
MUTILADO


I
<-, >
niaioBE i> te R N"A m 0 c"o

r
Dolphin entrado hontem (a d'bril) de
Montevidi,' troaxe noticias daquella c-
dade at 3o da met ptssido.
Ainda nia recubemos as nossas cartas ;
as, algunos que Tinaos, dizem que cor-
ra, era Montevideo o boato de tersido
batido o general Santa Crua pelo exercito
aliad t chileno e peruano com huma
perda de 3,ooo homens- Notamos po-
rm que, nessas cartas, nena cedizo
lugar aea poca era que se dra a ae-
clo. Da Buenos Aires nao se tiohfo rece-
bido noticias recentes en Montevideo :
as ulinas que haviio erfo de 10 de marco.
A questio argentina continuiva no mes-
roo estado e os Franceses tinhlo detido
dous barcos americanos que quizlo en-
trar era ba paqueno p>rtoaosul do Rio
da Prata.
Segundo diz bum dos oficiaos do brigue
escuna Djlpliin parece qua o general
Rivera veio a Montevideo em principios
do mea de marco pira tomar poase d*
presidencia e que se retirara de novo
para o exercito.
O piquet Cockatriee chegoa a Montivi
l uo dia 17 e sigui pare Buenos-Ai-
res no da 18 de marco.
A Elisa entrada hontem (2 d'Abril) do
Ro Grande nao trai noticia alguma d
roaior iDteresse. A* sua sabida daquell*
porto no dia ai de marco nao liavu
chegtdooSr. ministro da guerra.
Rio Grande 9 de marco.
Disem p>ssoas que tem vndo do Estado
Oriental que o coronel Jernimo Jacinto
se prepara va para vir reunirse nossa
forca estacionada aquera de S. Goncalo
com perto de 6 jo legal sta*; e que o coro-
nel Josa Rodriguen j vinha em marcha
com alguma gente e mil cavallos, com o
mesmo fo. Tambera se falla em Calde-
rn estar reunindo alguma gente.
O tenente coronel Carlos d zea que
chegoa da Estado Oriental rom trinta ho-
mens e se acha reunido a seus amigos
compinheiros d'armas. ( Mercantil.)
(J. do Commercio.)
Aos Pas de Familia.
Sendo educacio da mocidade o mais
importante objeoto das naces cultas ,
que nella soliente encarad a fonte mais cer
ta e segura da felicidade d is fam'liss j son-
do ella demais, quera, apoiida sobre
solidas bases, pode nicamente tornaros
homens capazes de preencher as diversas
funcces que forera um dia chamados ;
he com grande satisfaco que nos ocupa-
mos boje de recommendar todos os Srs
paisde familias do Brasil, o novo collegio
Ce educacio fundado em a villa de Fon-
tenty aux-Roses, nos arrejeres de Pa-
ria, (*) pelo Rev. Dr. hw da Silva Tava-
res, Presbtero Portuguez, antigo mim-
bro da congregarlo dos Agostinhos refor-
madas do reino de Portugal, com o nome
de Fr. Jos da Sacra Familia oppositor da
faculdade de theologia da universidade de
Combra e professor de mathematicas ele-
mentares, de geographia de chronologia
e de pbilosofia racional e moral do real
collegio das artes da mesma universidade.
Este collegio be especialmente destina-
do para d -r a educacio religiosa moral
civil, physea e litteraria aos mancebos de
Portugal e do Braal (**) cujas familiaa
pretendem que tiles adquira a instruccio
que a Franca e sobre ludo Para, offere-
ce com largueza a todoa os estudiosos, mas
que muito mais ainda pretendem, que el
(*) Fontenay-aux-Roses dista de Pars
duas legoes de posta que andad por urna
legoa portagueza. Seis varen por dia se
commdnica esta villa com a capital por meo
de ctfrruagens de deligencia qne dentro de
urna hora vencem a pequea distancia que
. assepela.
(**) Este especial destino do Collegio
de Fontenay-aux Roses nio exclue a ad-
4 missiodeslumno* franceses, ou de qual-
queroutra naci, cuja convivencia e fami-
liar trato muito interessa aos portugueses e
brasleiros. Oensino dasdiferenlea dis-
ciplinas feito por professores especiaea, e
em cadeiras especiaes, concilla todas as
vantagens da que carecen em geral os col-
legio* 1 por causa do mos simultaneo.
les nfo voltem para seos lares ou absolu-
tamente estrangeros a* sos patria., bivendo
perdidosos lingos carcter nacional por
falta d'instruccio, que nio poderlo achar ,
em escolas pursmente estrangeiras, ou (o
que he ainda mais frequente), completa-
mente ignorantes sollos e corrompidos
por se terem engolfado nos vicios a iue os
arrastrara a verdura dos annos em paiz re
moto, onde slo quasi sempre infructuosas
as mais discretas providencias da precauco
paternal.
Para chegar este importante fa leve
o dootor Jos da Silva Tavares a boa for-
tuna de arhr vago, para estibelecer o seo
collegio, um excedente edificio ns villa de
Fontenay-aux Roses, nos arredores e
vista ds eidsde do Pars Bim ar espa-
cosoe nobre aposento, bellos jardins, ex-
cellente parque, instructivos e vacados
pesseos as visinhancis, asss proxirnida-
de do centro da instruccio franceza e dos
ira mensos recursos d'uma grande capital:
asss distancia dos perigos e da corrupcio,
eia aqui aa vantagene que o lool offerc
para este importante estabelecimento. Qua
to s que devem resultar do formal e do
pessoal do mesmo estabelecimento confa
o director que as soas intencoes fundadas
todas no smor da religiio da boa moral,
da verdadeira e solida instruccio e sobre
o mais sincero e cordeal amor da >-ua patria,
achario fiel e exacta execuco na virtude,
zele, e sciencia dos distinctos collaborado-
res queja lem reunidos em torno de si .
e que se propSe ir chamando poucoa pouco
medida que a necessidade Ih'o demandar,
eoverdsdeiro merecimeoto se lhe pre-
sentar.
Materias d'ensino no collegio de Fontenay
sux-Roses. (1)
Primeirss letras Lar, escrever con-
ar.
Linpus Latina grega portugueza,
franceza italiana allemf.
Geographia geral Antiga da ueia i-
dade moderna.
Geographia especial de Portugal, do
Brasil. de Franca de II-spanha d'In-
glaterra d'Italiu d'Allemanha.
Historia sagrada e ecclesastica
Geral_ Antiga, dameiaidada, moder-
na.
Especial De Portugal, de Hespanha ,
do Brasil, de Franca, de Inglaterra d'I-
(alia d'Allemanha.
Litteraria Geral, d Portugal, do
Brasil de Franca de Hespanha d'In-
glaterra, d'ilalia, d'Allemanha.
Rhetorica, potica, e coaiposices Ilitera-
rias.
Mstheraatica Arilbmetica geometra,
algebra. trigoometria ele. (1;
Pbilosopha racional e moral.
Elomentos de Pbysica, chimica zoo
lgia mineraloga botnica.
Prendaa ou arte de recreo.
Desenho Linear, de figura, depsisa-
gem de lilhographia, d'architectura.
Pintura, gymnastics dansa, esgrima,
picara, nilacio. t
Msica vocal, e instrumental Pianno,
rebeca finita etc.
N. B. Oensino e prslica dos exerccos
da religiio calholica apostlica romana a-
companba lodo este ayslema de educacio
desde o principio al o fim.
Condicoes d'sdmsslo no collegio de Fon-
lenay-aox- Roses.
Todo o alumno que pretender ser admit
tido no Collegio de Fontenay hux-Ross
deve apresentar ao director os seguintes
documentos 1
I. Cer ti dio de baptsmo da idade e
de que he chrstio calbolico romano.
(1) A asas disciplinas se irio aceres-
centando ootras medida que forem pre-
tendidas. Urna escola theorica e pratica
de commercio ser establecida com a maior
brevidade possivel.
(a) Os ealudantes que se destim a re-
cabar o grao de bicharel em letrss e em
scienciis as academias de Franca e bem
assim os que se propon a frequentar as es-
colas polytecbnca, de S. Cyr 4c., rece-
bem nesle eolllegio a instruccio neeesssaria
para fazerem os seus eximas preparatorios.
a. Declarar se fo ou nio viccnado ,
teve bexigas sarampo ou febre escarlatina
e que nio padece mal contagioso nem tem
vicio orgnico.
3. Nomeere amanear um corresponden
te em Paria, que aeja responsavel pelo pon
lual pagamento do preco da pnalo dentro
dos primeiros quinze das de cada trimes-
tre eque hajade tomar conta do alumno
no caso que este por motivos justos dev
sabir do collegio, aem haver lempo de pre
venrseos pasou tutores.
O preco da pensio annual he interina-
mente (3) fizado em mil e duCentos fran-
cos.
Neste preco se comprehende a caza ca-
ma, mesa, roupa lavada,o concert e
rt no vacio do enioval, o tralamento as
doencas ordinarias, o ensrao d% todas as
disciplinas que cima Iica5 mencionadas e
tambera o desnnho a gymnasiha e a mu-
sica vocal, o fornecimento do papel tin
la, pennas reguas, lapis e livros strc
lamente necessarios para uso dss aulss in-
clusivamente da do desenho,
Nio se comprohendem porrp n>ste pre
eo e devem ser p desperas :
1. Do dreito universitario.
a. Do tralamento de donnea em que
seja neceassrio fizar juntas de facultativos ,
ou applicflr remedios e fazer operaedes de
costo extraordinario ;
3 De todas oulm prendas on arles de
recreo :
4- Da renovaco dos objertos do cnxoval
que dever ser feita antes dos periodos mar-
cados da sua duracio
Ao preco annual da pensio devem os
pis ou tutores sccressentsr no psgamen-
to de esda trimestre a qu*ntia que Ihes a-
gradar para ser destribuida semanalmente
ao alumno, para elle a despender nos seos
innocentes e moderados brincos ou appe-
liles ; o que lera sempre lugar debaixo da
vigilancia do director. Ests quitia nio deve
ser menor q' 1 nem maior q' 3 francos por
semana. Sobre ella se pagar o estabeleci
ment das pequeas lesSes que soffrer da
parte dos disturbios da tenra mocidade.
Eia 1 qui urna abreviada noticia acerca do
exo-llene collegio de Fontenay-aux Roses,
o qusl, epezar de nao havermos visitado ,
todava ihe ufo contestaremos a excellencis
sobre todos os setuaes collegios da Franca ,
e quic* mesmo da Eurcps para a educa-
cio da mocidade Brasileira j po'que pes
soas de abalisado cooceilo, recentcmenle
chegsdas da Franca nos aosegurao ss
grsodes vantagena de um tal estabelecimen-
to, j em fim porque bastara o nome res
peitavel do Dr. Fr. Jos da Sacra Familia
para por si t imprimir-lhe o msis subido
concaito. Nos lvemos a fortuna de co-
nltecer este Ilustrado portuguez, e nos
honramos de ter ouvido suas sabias lices ,
tendo-o at por uossq exsminador era al-
guna exames preparatorios na Universidade
de Coimbra. Seo elogio est feito pro-
nunciando se o seo respeitsvel nome, e
penssmos com lodo o fundamento, que
esta assercio merecer a confirmacio e o
apoio de quantos de nossos patricios resi-
dira em Coimbra, e ali frequentara as
aulas da Universidsde. He, pois fundar
do neste conbecimento pessoal que temos
do erudito portuguez o Rev. Dr. Jo ds
Silva Tavares, que nos nos congratulamos
boje com todos os pas de familias que
bem desejarem dar seos filbos nma edu-
cacio screnlifica moral, e verdaderamen-
te religiosa-t, para oque nenbum collegio
da Europa nosso ver, oGf-ieco lio se
gura garanta, como o de Fontenay-aux-
Roses. Basta a consid. relo nica deque
os Etludantes Brasleiros, que forem ali
educados sob os cuidados e direcefio do Rev.
Dr. Jos da Silva Tavares, colherlo a alta
vantagem de bem entenderem e maneja-
ren o idioma portuguez circunstancia es-
ta que nio offereee qualquer outro colle-
gio da Europa, rasultando dahi que mu-
tos Estudantes educados ns Franca quasi
sempre ignora aa bellazas da lingua de Ca-
rnees com quinto recabad no mais urna
(3) Diz ae interinamente porque o di-
rector reserva para depos d'um anno de
experiencia o publicar o prospecto definiti-
vo d'eate collegio acompanbado dos seos
regulamentos internos para peifeito co-
nbecimento de todos os pas de familia.
educacio bem pensada. Os Srs. pas familias residentes na Babia e qua me-
Ihoraente aequiserem instruir das vanla-
gens e condicoes do novo collegio de qne
fallamos poderlo dirgir-se 6 esta typo-
grafia do Correio Mercantil, onda com
muito prazer Ibes prestaremos lodos os es-
clarec mantos, exbibindo Ibes o prospecto
que nos fo dado por um amigo recente-
mente chegido de Pars na galera Cres
Por nossa parle muito fulgimos podar
ser o 01 gio de ama lio ulil noticia Unto
mais apreciavel para os dignos paia de fa-
milias quanto he certo que nada da mas
proficuo para os povos cuites do que a
creaclo de semelhmtes estabelecimentos ,
mbora em paiz estrangeiro por ser delies
qne a mocidade pode t nenie colber os
magnficos dotes de urna perfeita educacio,
que decidii sempre da fortuna dos impe-
rios, ecenjuoctamenl dados individuos
--m particular. Que os Srs pas de fami-
lias se penetrem bem deUs verdades, re-
conhecendo profundamente que a educacio
da mocidade, adoc,*ndo oscostomes e cor-
rigindo os vicios, prepara aos cdadios um
futuro dloso e brilhante, e s ternas mfiis
de familias a doce consolacio de poderem
umdiadizer, com justo orgulbo, a'ex-
mplo de urna Ilustre Matrona Romana
Et bcec ornamenta mea sunt.
(Do Correio Mercantil.)
CAMDIOS
Rio de Janeiro, 4 de Abril.
Londres............ 39 i/j
Pariz...............
Hamburgo...........6o5
Ouro em barras.......
Dobies Hespanhoei... 3i,3ooa 3i,4oo
da Pati ia ....
Pezos Hespanboes .... 1,85o
da Patria....... 1,840
Moedas de 6,400 velhaj 1 5 700 a i5y5o
novas 14.800 a i4,85o
a de 4,000..... 8,o5oa8,ioo
''"la...........------91 ag i/a.
palices de 6 p. c. jurro 79.
5 nominal.
(J. do Commercio.;
Avisos Diversos.
i .
Precsa-se alugar urna escrava que
sejs deserabiracada e hbil para o ser vico
de orna casa de pouca familia saliendo en*
gomar coser, e coainbar : na roa de S.
Francisco tercer? andar do sobrado D.
10, onde se dii quera a pretende.
_ Shbado 37 do correte se bada ar-
rematar por quem mais der por ser a ulti-
ma praca fo Sor. Dr. Juiz de Dreito do
jeisco Joa Carneiroda Cimba,
te jogo de bilhsr de marca o
duvidaque ha em Pernam-
doa^sj seos pertences : a saber
^ rae superfino quaz novo
propio do mesmo billur tlelas da
medeira fina marchetadas e ftizadas,
huma fita por sima das tabellas de madeira
fina de aa 3 dedos de largura marcador
com ponteiro de maifim, e para fazos de
oraa e com seo pao de cobrir o dito bi-
liiar, i3 maesas, j taces ora seu cabido;
7 bolas 5 pausinbos de madeira fina hu-
ma iluminarlo de a8 luses com 14 vistas;
duzia a meia de esdairas americanas quasi
novas, 1 banquioba de ama relio com g-
rela e chive, cem ferragem dourada tudo
avahado pelo diminuto preco de 26 >^ rs. :
as pessoM que o perlenderem para se tira-
rem de duvidis queirad dirigir
se a ra Direita sobrado de a andares D.
20 onde existe o mesmo buhar das 6 as
10 da manbl e de tarde das a em vanle ,
onde se Ibes mostrar' ludo coa toda a n-
dividniclo.
_ Precisa se da urna casa que tenha c-
modos suficientes para grande familia (bom
quintal e cacimba ) no bairro de Santo
Antonio ou Atierro' da Boa Vista nio se
olhara o preco dosUuguel com tanto qua
seja boa quera a tiver annuncie a mora-
da.
Aloga-se um preto servente : na ra
do Cabug loja de miudeaas ; a na mes-
ma casa cima ae d duzentos mil rs. a
premio de a por cenlo ao mez e coa fir-
mas a contento*
Cvel Fr
um excell
melhor se
buco com
com paon


am

mbuco;

_ Francisco sntonio dasCbagis ex Es-
crivlo do Joizo Ecileiiaslico propbe-se
solicitar causis no no referido Juu >
Eccle-isslico eolio no secular para o
queetcompel''nlemente habilitado-, quem
qauer pois utilisar-se de sea prestimo di
rija se a mi d Cruzes no carto-io- do
Eicri vio Ciraco.
* Precrsa-se de un horaem para feio'
equesejaaolleiro : na ru das Crurej De
-cima 9
_ Arrenda-se por tiempo de um anno ,
urna morada de casa lerrea construida t
poaco lempo no logar demanguinho e
defronte do sitio da Senhora D Lauriana ;
contendo a mesma piopriedade 4 Dons
quartos, boas sallas, cozioha estnbTi*
psradoiscavallo e sea quintal, e pelo
preco o mais commodo possivel r os p'*-
tedentes entendo-se com o Eserivlo Al-
meida que far o arrendaraento.
. Mr. Kissel relojoeiro francez, no
atierro da Boa vista acha-se prompto a
concertar quslquer relogio que llie sej
confiado pelo mais com modo preco elle
obriga-se restituir o dinheiro que liver re-
cebido em pagamento da qnalqaer cncer-
to, qae nio for bem execut'do.
_ Lova-see engomroi-se roupa tanto
liso como de pregas ese faz preguinhas
em aberturas de camisa :*na ruado Ran-
gel obrados de a andares defroi'te dos di-
versos recebimentos,
_ Urna mulher honesta e Je bons eos
tomes se offerece para servir em qua'quer
casa de hornero solteiro para todo o servico
de po/ta dentro, por preco coaarondo ,
qoem a precisar dirija-sea ra de S. Tig-
resa D. io.
_ A pessoa a quem Ifie f.lisr o 4 tomo
da historio da revolucio frairceza escripia
no mesmo idioma o qual se tomou a um
preto por se julgar furtado, dirija-sea ro.
nova D. ii.
Precisa-se de 1:900,000 a juros p-lo
tempo que se conveneionnr com a devid
seguranca : oa ru do Raoge1! D. 4.
_ Aluga-se urna rsetava cjm mnilo
bomleite parid 1 a una mez e s-ra flho
por este ter morrido : no paleo dg S. Po-
dro sobrado D. a.
__ O abixo assignado leudo noticia ,
que oproprietsrio do engenho Penedo tra
ta de vender ou ja tero vendido dito enge
Tjho faz publico a quem convier que elle
be legitimo herdeiro da quanlia da uro cou -
to e durento9 e setenta e q'iatro mil e qua
tro centos e vinte e dois in corno c7Xhl*
do formal de partilhas pelo inventarlo qu-
e procedeo por all'-cimento de vn Mli
Maria Ignscia da Cortreie.5., coja'heran
ca ficoo como reposici de sju mino J >r,e.
Theoduro de Serpa incabecido 00 mesmo
engenlio e nio tendo este pago m sus
vida tal heranca como taro bem oaitras di-
vidas a que so obrigou: por eaBdlecirr.'n
todeixou odito,engenho para '
ptgarem suas divroas e o rest
fazenda ser para o seo filho na
nio Theodoro Serpa 5 o
ta do testamento do mo mo
e nio tendo da mesma sorteo beVde'iro pa
go ao annunciante : portanlo faz publico
pelo presente Diario por isso que perten
de haver dita quanlia de qualquer propri
tario, que existir no dito eng-nho =Joa
quim Jernimo de Serpa. -
_ Quem precisar de um portugus pa-
ra feitor de sitio que entende d tudo
pertencente a sua oceupaco annnncie.
__. Precisa se alugar um preto oa urna
pret* para carregar um taboliro de f alen-
das e miudesas tendo urna pessoa que vai
acompaohada para facer as vendas: ni Boa
arista na ra do sebo D. 7.
_ Quem precisar de um hornera hbil
que ensina ptimeiras letras em casas part-
calares annuocie.
A pessoa qae no Diario de 24 do cor-
rente annunciouqueiir alagar dio escravo
para qualquer servico desla praca dirija-
e a ra de Hjrtai I). 4),
_ A qoem Ihe faltar urna preta, pouco
correte na lingo poilugueza dirija se a
roa da Aurora a casa de Antonio Jos Go-
mes do Correio oa no sitio de itvisivel.
_ Qualquer S'. donj da navio que
quiser receber em o dito um praiionie
o qual mostrar documentos que comprove
sua conducta, anouncie |ara ser prtenrado.
__ J'racisa se de urna casa terrea ou um
obrado de ua tnJar qa tenba com-
I modos sufic^entss para grande familia *
que osea singue! nio exc'sda de |.f,ooo e
la-se um anno ndiarrtado j aendo -m b.a.
ra annuncie.
--
Avisos Martimos
_. .
P4RA O RIO DE JANEIRO segu vi
ern com toda brevidadi* o Patacho IVfJvo
Especulador, Capito Jo5 Luii Rodrigues;
quem no mesmo quisar narnegar ou hir dv
j.isagem dilija s** ao raesmo Capitn ou
a seu coosig islario Manoal Joaqun Ra-
mos e Silva.
PARA L1SB0V tocando nos Acofea 1
Escuna Purtugurxa Roa.i novae da pri
aoeirj marcha sshir em paucas diaa por
se acliar prumpta a maior parle de sua car-
ga e tero ptimos cmodos :para piss^gei
ros : trata-se na ra da Cruz n. 25 ou 5j
lici 1 ao
m elle se
te d sua
al Arito-
ero cons
ito mano,
_ Qu fazero Fox & Sloddart por in-
lervencio di cjrielor O iveira de boro
-ortimento da fazendas ingl-v.as quinta,
feira a5 d> correle, peas 10 horas da
roanhi no eeu .irmasem da ra da similU
nova n. 1.
Q re pretende fdzer R sas i Bragas
de urna poroso' de gigo com brtatas com
arvaria vind s do Havre pela Galera Alhali*
ao pe' da tsca lina (foja a5 do correte,
polas 10 bocas,da maulia por conta e risco
de quem prettner.
C g eii p r a s.
_ Djs selinsem bom azo cjm todos
>s scua arreios ou sem elle: na ra nova
D. la.
Urna Lgica d Condillac em portu
juez ; quem liver anouncie.
_ A d nheifo a vista u-ui venia no Re-
cita sendo ern bun lupir : nuuncia.
_ Um citante: a tratar no forte do mal-
lo cora o Cap:ha ib uu anuun^ie.
A historia'Eoc!e,J>lca de. 3;rt,cm
portugu'z ; quem iiver anriu:cL'.
Laraugeirus pequenas para mular:
ua ra de agoas verdes sobrado D 10.
Uro preto pedreiro e outro wpi-
tia : na cambx doCirmo sobrado de um
andar O. 12.
Vendas
_ Lonas da Russia de superior qualida-
le e proprias para cama de vento e por
preco commodo por serem poucas pess.is:
na ra do Vig^rio armasem n. 3t.
No Recife na ra da Cruz no escri-
plorio de Jos Antonio Gomes Jnior, n
11 fsrinha da Moribeca de superior qua-
dade ; assim como urna pequea pociu
ia barricas de frelos e ditas c.im lernen-
le de linhaca.
'mm Urocaxorro novo, ptimo para quin-
tal por prego multo commodo ; na ni.
da Pnha ao lado do Livramento segunda
casa d--pois do be'co docarcereiro indo para
a mesma Penda, sob>ado de uro andar,
na mesma casa se engoroma e lava roupa a
prtco commodo.
_ Barricas e fexes para asiuclr por
prece commodo; e ama morada de sobra-
do de um andar no biirro de S. Antonio:
3 tratar na ra da Crui n. 8.
_ Urna negrinha creoula de idade de
i3a 14 annos be bastante experta, e
bem parecida : a tratar com Joaquim Ma-
ra de Carvalbo na repartico dos reodi-
mealos geraes no paleo da Penha.
Um escravo mocosem vicio algum ,
alto e bom carregador de cadeii inha e
he caiador : oa ra velha sobrado Deci-
ma 34.
_ Um escravo de aa annos de idade ,
muito possant; e ptimo rotador decaixas :
na ra nova D. 3{.
Urna carroca de conduzr materaes
para obras, e propria para cavallo indo
acompanhada de seus competentes arreios,
e doia sil.Ii5; sendo um novo e, outro
em bam uzo : a tratar com Loure.nco Jaa-
tano de Siquira, morador no-sitio do
j)-iR,moargidoi'Micicl Monteiro no lo
i;-.\r do Man^uiuho.
_ m ,.Ul.de 10 annoa muita es-
perto, prou.io p.ra aprender Iqualquer
olfi io : na rui das Cruzas sobrado de um
andar D. 18.
Um., sobra Jo de dois andar rs e solo
sito na ra do Amorim n. J5 : a trat.r
no mesmo dan 6 horas <* msnbi .9 e
das duis da larde em diante.
_ Uma boa cisa de podra e eal na po
voacao do Mjnteiro fiouleira ao uilo do
norted.. Ij'eja coro'4 sallas, 6 quarlos ,
um solio cozinhi o casa para prolos : a
tratar na B.a vista sobrado que d roa d-
Rozarlo faz quina para o largo da Santa
Cruz diS i horas da lard- em vante ou
na ra do Crespo loj i D. 8 d eiscode Aodradc.
__ Uro escravo de naci d ao annos ,
ptimo para todo oservic. ; uma preta d
3o annos por 4J)i0(J coziuha engom
ma e lava roupa ; a molequjs da to a 12
annos por 34o,000 cada um prop'ios
para aprender qualquer officio ; e uma ne-
giinha de linda figura a de idade de 10
annos por 3ao,ooo : na ra de agoas
verde casa terrea D. 37.
_ Sacas de milho de alqueira velho a
a56o : no armasem de Antonio Aunes ,
junto a Alfandega.
. Um sitio na estrada de JoaO de Br ,
ros Vstante grande com boa casa por
lio de pedra e'cal : a tratar no dito com o
proprietario Jos Correia da Silva Lobato,
adver-se que a propriedade est livre o de-
semharassada e tambem se vende a reta-
II10 par quem quiseredeCcar casa*.
_ Um pirciode oera de carnauba e
pe^as de bretanha de linho purp com i4 *
rasemeia: na ioja.de Mano>l, Fiancisco
da S-lva na pracinha do Lrramento.
_ Urna pr>H da costa moca robus
ta lava coznhi faz doces e be qui-
lsnd< ira : no paleo do Sacrameuto em casa
d-s Joo Biptista Pereira Lobo.
_. U,na grande cisa na Boi vista., no
tildar d. rirtnme dos Cjclhos junto a
oliriadoSr. Miguel Caineiro com bis
(antes commodos f ta a moderna toda
iravejada coro sotio e tn-p ira oit5;-s
dobrados, grande quintal que vai al a
cimboa na qual tero porto de desembir
que e com terreno ao lado pira se ede6-
car outra grande cisa: a tratar na ra de
S. Goaisao Ol.
_ Uma escrava de naci Loanda de bo-
nita figura cozinha lava roupa tem
principios da engomando e cose sofrivel;
um escravo pardo de linda figura da ida Je
de 18 a ao annos ptimo pagem um
dito de ndcii. official de carpina tem a6
annos de idade un Jilo cieoulu de idade
de 18 annos, bom trabajhador de campo,
uma escrava da cosa, muito boa quitandei-
ra por iio,000 pasaando a I,;r Martirios no primeiro andar do piireiro
sobrado.
. Duas escravas ama de naci songo
que representa ter a5 anuos de idade de
linda figura, eom habelijade a outra
quitandeira da costa da mina que re-
presenta ter 28 annos ; no segundo andar
da casa de mirante, na ra da i'eriha, <-n
seguimenlo do fundo da Igreja do Livra-
mento.
EscravosFii"(Ios

------------------, .!
_________________- __________________________
_ No da 16 do corrente fugio um ne
gro de nome Antonio com os signan* se-
gu riles : representa ter t8 a ao anuos
de idade, cor pretta estatura regu-
lar, levnu vestido camisa de baela azul,
e riiais um chapeo fino e miis outros fa
ctos suj 03 se ter hido para a Pura Lilia ,
por ser de la natural por isso recomend -
s asautboridades policiaes para o fi.n de
ser preso e conduzido a ra da Praia em
casa de Jos Luiz de Souza Barhosa.
_ l''u(Mo o dia 19 do corrente um ne-
gro de naci angola official de pedreiro,
de nome Joo Pedro um tanto fullo al-
to com baiba e uro sinl na ponta da bar
ba de cabellos na parte esquerda ba mui-
to fallante, levou calsa de brim brauco e
camisa de madapolo ja velha adre te-
se que o ditoVgro tem roupi fjn por isso
lenha mudado de faci ; quem o pegar le-
ve a ra do Amorim venda n. 12?' que
gaalificar.
Ni dia primeiro do corrente fugfo
uma preta de nome.Mifgtrida creouaVda
ao annos Je idade, com oe signam S"gain-
los : baixa do oorpo e grossa ; olliM e
b.ci ordinaria denles podres e quebra-
dos oa frente nariz chato peit >s graa-
des e cados mo e-ps peqaenus anda
sempre veadendo fructus e as vies lerte,
v. suda de saia preta e panno velho, tero
sido encontrada em fora de .portis roa
da Cru e bfeo da lingoeta roga-sa as
auib Tidades policiaes, capites de cam-
po, que a virem a snmlsm prender elevar
arua nova D. 3 j que s-,r recompeusido
de seu trabalho.
. No dia.18 do icorreute fugio uma
escrava de'nome Felisaida de naci de
idade de aa anuos alta, bem pret de
cor e de bonita figura tem um peque-
o guio no buioo debaixo que intorta pa-
ra uma banda tem os ps coro signa! de
bixoa, levou uro vestido de ganga verde
com o corpode rascado azul ; quem a ne-
gar leve na ra dj sol na ultima casa.
4. No dia la do corrente, fugio um
pelo de nom-s Caetano de naci caeange,
estatura biixa secco1 do corpo, pansa -
do com uma orelha furada, tem ama maro 1
redonda em uma das barrigas da pernas,
levou vestido camisa, de algodiatzinho o
calsa dadilo transado ; representa ter de
idjile ao annoi julga se ter hilo para o
sertio pois ja foi furtado de 11 annos
para a Villa do Apodun ; quero o pegar le-
ve as 5 ponas D. aa que ser recompen-
sado.
_ No dia aa de Fevereiro desipirecea
uma negrinha do caminho da Estancia,
de idade de 13% imanaos., bastante ma-
gra roeia fulla com as juntas dos pi e
mos inchadas coin'aroas leri las na cos-
ta do marcas de.bechigas olbos grande ,
boca grande beico grosso denlea lar-
gos a ftioa orelbas pequeas e o p de,
urna tero uma marca grande de ferida no
hombro esquerdo um calombiobo, he que-
brada do embigo Ua uma funda levou
saia de chita roixa ja velha amarrada pelo
hombro, oero camisa echama-se Mara
Benedicta quem a pegar traga a esta Ti-
pografa.
_ Roga-se asauthoridades a quem per-
tence a inspecio deste ramo da.polica, e di-
r< clament sos Sr. Sub Piefeito do So-
gado e Varzea e Delegados do Remedio
e Bemfica o obsequio de atlenderem es
signaes seguinles para procederem a apre-
hendi de uma escrava fgida a a de Fe-
veiriro p. p. Francisca de naci costa, de
idade de 47 annos alia secca com #3
peitos descarnados leve signaes de lalbos
no rosto com falta de denles no queixo
inferior lera a perna direila xaimbra,ou
torta, quaudoanda, Lila ebeia de liugua
(vulgarmente dilo ) : esta negra finge-se
forra e anda venden Jo e comprando pelo
Mojiteir o e Vanea, julga-se eslar acoi-
lada e quem quer que o lenha i'eito ou
que tenlia a ttulo de comprada protesta-
se haver-Uie os das de servico e; a im-
pusii,io rigorosa de tudo.quanto a le corn-
alina em taes casos j qusm apreender leve
a ra de agois verdes sobrada D. 5 por ci-
ma doassougue que satisfar toda a dea-
pexa.

,______
Movimento do Porto
NAVIOS ANTRADOS NO DIA a3
RADIA ; 5 dia BrigueEscuna de Guer-
ra Americano Duifim Commandaute
-M- kins : segu para o Norte da America.
DA PESCA ; loroizes Baica Ameriuna
Mormel de a8o lunei., Capitad David
Smiib carga azeito de peixe ; segu pi
raoNoite da America.
BSERVAgOENS
Estes Navios ficato Tundeado no lameirio,
e durante a noile leguiro o seu destino
PERX. NATYP.DEM. F, DEF, 189


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E85SOO3TD_YRTQ1P INGEST_TIME 2013-04-12T23:59:21Z PACKAGE AA00011611_06089
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES