Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06058


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Todo agora dapeod* d no* meamos ; da nossa prodanoa,
rooderaao e aoargia: continuemos como principiamos,
serano* aponUdos cora admirac entra as NaCes mus cul-
tas
proclamadlo da A tem ble ti ara I Jo Brasil.
Afltf) DE i838, SEXTA
Novembro i5- ..
fendres *8 ., Os. St. P^'300"*., NnM
Lisboa o* ag5 por looprensio, por m*UI. nom.
Fraaca 34o a 345 Rs. por franco.
Rio de Janeiro xopar.
Moeias de6|4oo i5ffooo as rellus turas i4#7*'
4|ooo8Jiooa 8jf3
PaseaCoUiraoarios ijf6jo 1*660
Dttas Mexieauos i#6o a i#6jo
pUclei 6rasileiro* if640 a i#63o
Presis* das Letras, por mes 1 a m4 por 100.
Cabra* f. discerni.
VM
PARTIDAS DOS CORREIOSTERRESTES
Cidade da Paraiba villas de sua prtteocao ....
Cidade do Rio <*-an le do Norte, Has dem .
Cidada da .Fortaleza e tillas dem......-
Villa de tioianna ... <
Cidade de Olinda..........
Villa de Santo Antlo .....
Dita deGaranbuns e Powoaelo do BontU. *',.
DiUas do Cabo Serinhaem, Rio Forraoso, Porto l*WO
Cidade das A lasoas, a Villa a Maei. ..... ----
Vila do *4*V de Floral. ........ t dem i3, diitodUU
Todos os corroios partem ao meio da...
Segundas a Seitas Uiras.
Todos os dias.
Quintas feirat.
Dia< 10, e 34 de cada mos.
dem 1 11, e 11 ditto dido.
dem dem.
Subscrev se para est folba a mil reif nvensaes pagos adl-
' antados tiesta Tipografa, ra das Crasos D. 3, ua Praea
da Independencia VD. 37 o 38, onde se recabem correspon-
dencias legalisada*, e annunciot: insirindo-so estes gralia
sendo dos proprioi assignantes, vindos aisignados.
DAS DA SEMANA.
19 Segunda 5. sarlinnho P. M. Aud. do Juii do erim* de Urdo e sotsto da Tbos. P.
i3 Terca S. Eugenio B. Kelacao de roanhS aud. do J. dos rf. de tardo.
i4 Qua'rta S. Clementiuo. SessSo da Tbesouraria Provincial.
5 Quinta S. Getrude V. Relaco de manh. audiencia do J. dos orlaos de Urde.
16 SesU S. Gonsalo de Lagos. Sesso da Tbesouraria Pob. e aud. do Juis do Civel de I;
17 Sabbado S. Gregorio T. B. RelacSo de manbS, e aud. do V. G. de Urde. Lu nota M
5 horas e a3 min. da manbi,
18 Domingo S. RoraJoM.
Mar cheia para o dia 16 d Norembro.
Al 3 horas 4? minutos da manb As 4 horas 6 minutos da Urde;
PARTE OFFICIAL.
RIO DE JANEIRO.
GUMARA. DOS SENADOR5.
Seeafoem 1* de Setenobro de 18 38.
PrasiidcaTcia Jo Sor. Mrquez de Bae-
pendy.
Feita chamada echando-se presente
numero legal dos Sito. Senadores, o Sr.
Presidente abre a sessio, e lida a acU da
anterior heapprovsda.
O Sor. priaaeiro secretario da' contada
expediente.
Ordem do dia.
Entra en ultima discossao o projecto de
\et sobre direitos Keieditarlos dos fi'hos
Ilegtimos, cuej as emendas apprevsdas
na segunda diicassio.
O Sor Teixe'na de Gouvea faz haae. re-
querimento para que o projecto va' a com-
tsisio de legislaeio para o redigir com as
emendas approvadas, o faser as observa-
coes que coovier.
He apoiado o requerimeBto, e, entrao
do em discussio, retirado a pedido de seo
aotor. 1
Progride a discussio principal por ar-
ligos ,e he approvado o artigo 1. do
pTOJtCtO.
Segue-se a discussio do artigo a. e tao
gppoifldes as segaintes emendas.
Salvo ocaso de rapto, coincidindo con
elle o lempo da eoncep co. Carneiro de
Campos.
,< Depois da pila ira rapto aceres-
cente-se : sendo a raptada asenor de 17
anuos, e nascendo o filhoat o dcimo mw
depois do delicio. SaWaa redaccio Oli-
Si apoiadas e fica a discussio adiada
elabora.
O Sor. presidente da para ordem do
dia, trsbalhos de commisses at o meio
4ia e, depois, a discassio dos objectos
de que tritio os pareceres das commissoes
iidos hoje. .
Levaotou-se a sessio as duas horas da
tarde.
CMARA DOS DEPUTADOS.
Sessa em n de Setembre.
Presidencia do Sor. Araujo Vianna.
Logo qne se reane numero legal de de
pulidos, be aberta a sessa, lida e appro-
vada a acta da anierior.
O Senhur primeiro secretario da' conta
do expediente.
Ordem do dia.
Primeira parte.
Continua a discussio adiada sobre a re-
solucio relativa a pretencio do te nenie
.coronel gradando, epuiado commisiario
do exeroitocommissariado, Joio Luis Fcr-
reirra Drumont.
O Sor. Coelho defende a jastic dopre-
tendente.
O Sor. Henrique de Resende offerece,
como sdditamento di su discassio, liutn
requerireento pedindo ao governo huma
relacio dosesspregados que servirlo at
a exiincci do cemmissariado, e sobre ou-
tros objectos a respeito.
O adiamento be apoiado e entra em
discassio,
O Sor. Vafe Vieira combate o addia-
mento moitrando qae elle deve ter lu-
gar.
O Sor. Asis Mascarenbas pronunCia-se
igualmente contra o addiameoto e a fa-
vor da justicadeste preteodente, cajo ne-
gocio est na cmara ha nove annos.
O Sor.. Henrique de Resende pede li-
cenca a cmara para retirar o seo adiamen-
to, na que a cmara asente'
Dando-se por discalida materia a re*
solucic heapprovsda eadotad.
Entra em discussio a.resolnci do anno
passado, qae declara a Luiz Antonio da
Silva Ferreira, praticaote da exlincta re-
pai-ticio do commissariado, estar compre-
hendido na resolu?io de 31 de oatubro de
i83i.
O Snr. F>rrera Penna prop5 o adia-
manto para se pedirera informadas ao go-
verno, e sendo apoiado, fica a discassio a-
diada pela hora.
Entra em discassio a resolucio do anno
passado que d-termin 1 que o terreno,
e obras comecadas, e o maleriaes desti-
nados para o.edificio nao continuado da
Cadea Nova, n ra nova das Flores, jun-
to ao mingue da Cidade Nova, fica5 p-
plicsdos para a construccio da ig> eja ma-
triz da freguesia de Santa Auna.
Sio apoiadas as seguirites emendas.
Que concede a freguesia da Gloria o
terreno suficiente 00 largo do Machado,
para a censtrucyio de sua matriz. Moo-
tesama. .
m- Artigo substituivo. As obras come-
oadas, e maleriaes destinados para o edi-
ficio, nio continuado da Cadea Nova, na
ra das Florea desta Capital, janto ao
mangue da Cidade Nova, e bem assim to-
do o terreno que for necessario fica
applicados para a construccio da igrejama-
triz da freguesia de Santa Anna. sob a ad-
ministricio da irmandade do SS. Sacra-
mento da referido parochia. Brrelo
Pedroso.
Depois de curto debate, joga se discut -
da a materia. O artigo da resluca he re-
gentado a sao app ptadas, e remetlidn a commissa de re-
daccad.
Segunda parte.
Contioaa a discussio do artigo i3 da
proposta qae reilabelece o juiso priva-
tivo dos feitos da fasenda, com as emen-
das ipoisdis.
O Sor. Franco pede retirar a emenda
qae havia offerecido, e a sabstitue peU
aeguinte, qua he appoiada :
as fetrlencaa cootra A /aseada jHtbli;
ca nacional fica comprebendidas as jus
lincaces de que trata o artigo 90 da lei
de 4 Ut Outobrode i83i : saleadas as
provincias em que nao bouverem reUcad
sera de loo mil reispara cima. Silva a
RediccaS.
Nao havendo mais quem falla jolga-
se discutido o artigo que he spprovado
com a primeira parte da emenda do Snr.
Franco, sendo regeitada a segunda parte.
A emenda do Sar. Gomes de Campos julga-
se prejodicada.
Os.outros artigos do PTojecto sao appro-
vidos sem debate.
O Sor. Gomes de Cimpos offerece o ae-
guinte artigo additivo, que he appoiado
e, sem discussio regeitado : -
As castas a qae a fasenda publica der
causa, nos pleitos que intentar sera por
ella pagas todas as veses que for veacida,
gpardando-se na condemnacaS e execu-
ca das mesmas cusas a di*posic<5 das leis
que regalad os processos entre os particu-
BaTM
D se por concluida a tegooda discos-
sa5 da proposta que psssa para a tercei
ra.
Entra em discussa oseguinte :
Artigo 1. O ihesoaro publico nscional
remetiera'a cada huma dss.lhesourariis
provinciaes a porcaS de notas da nova es-
tampa que julgar suficiente para a subs-
tituido ds que actualmente circulad nel-
las ; levando as mesetas notai impresso no
reverso o neme da provincia a caja circa
lac5 forem deslinadas.
Toman parte na discassio na Snrs. Re-
sende, Vianna, Calmoo, Sooza Franco.
A discus-ao fica addiada pela hora.
O Snr. Piesidenle d para ordem do
dia a mesma materia de hoje? e mais
hum projeoto sobre tencas $ e projecto
numero 133, deite anno, coocedendo
privilegio a huma compinhia qae ie pro-
pee a construir hum caain bode trra des-
de aruadoUnio, nos suburbios dosac-
co do Alferes at a pona do boticario.
Levanta a sessa depois das daas horas
da tarde.
PERNAMBlCO.
GOVERNO DA PROVINCIA.
Espediente do dia 7 de Noverobro de
1838.
Oficia Ao Coramandante das Armas,
communicando Ihe que a Presidencia tem
concedido dous mrtes de licenca com o
sold que Ihe competir, ao Tenente de
1 Liana Eslevio Mandes da Cunha
Asevedo.
Dilo A o mesmo Ordenando em com-
primento do Imperial Aviso de 31 de Mar-
co do corrente anno que faca dissolver o
Corpo de engajados emstenle o Fortileza
do Brum e dispedir as mais Pracas que
forio engajadas para o servico das outras
Fortaleza! ; e que organiza dos recrutas do
Deposito um Corpo com a denominaco de
Balalho provizorio de Cegadores que se-
fioteriwuTieirta GoBUMadado pela Com;
i
MUTILADO
maodante da dita Fortaleza Antonio G
mes Leal ficando na intelligencia de que
em quanto se nio organisa dito Corpo
dere guarnido das Fortalezas ser feita
pelo 4 o Corno de Artilheria : e porque
seja de presumir que algumas das Pracas
engan jadas queirio continuar a servir au-
tor isa a Presidencia ao mesmo Com man-
dante das Armas para contrariar com os
que pretenderen) assentar praca volunti-
riimente dindo-lhesas vanlageni cotice-
didis por lei: e finalmente ordenando que
em nome da Presidencia lotive ao mencio-
nado Capilio Leal, pelo celo com que
sempre se portn ao Commando d'aquelln
Corpo de Engaojados; e pela desciplina
e subordinacio que nelle soube manter y
sendo de esperar que contiune da mesma
maneira no Commando que se the vai
confiar.
Dito m. Ao Inspector da Thezouraria,
communicando-lhe o conteudo no prece-
dente oficio.
Dilo Ao mesmo ; communicando-lhe
que a Presidencia tem nomeado para Mem-
bros da Commissio de que trata Os artigos
108 e 361 do Regula melo da Alfandega de
2-2 de Junho de i83t as pessoas constante
darelacio qae *e he enva assignada pelo
Secretario da Provincia, e extrada da
que o Inspector da dita Alfandega Iba
enviara.
Dito as. Ao mesmo,* ordenando qua
informe com urgencia ,1o, quanto
existe nos. Cofres das Rendas Provinciaes
com declaracio do que se tem arrecadado
do 1 de Julho corrente anno financeiro-: 1
quanto
se tem despeodido nesttts quatro mezesem
cada om dos Artigos de dispeza marcada
na Lei do Orcamenlo Provincial desle
ann." 5 e 3 finalmente qnanto tem pro-
ducido cada um dos ramos da Recetta
Provincial nos mencionados mezes de Ju-
lho a Outubro.
Dito Ao mesmo, ordenando, qua
informe com urgencia quinto se tere des-
pendido nesta Provincia com as Repart-
oes da Guerra e Marinha do 1 de Ju-
lho athe o fim de Qtubro do corrente in-
no financeiro devendo reraettei conta
separada da deipeza de cada urna das di-
las Repartcoes.
Dito *. Ao Inspector Geral ^as obrss
Publicas ordenando Ihe que sobre" esleja
na faturada obra da Casa da Relacio a
guardando pela decisio do Governo Impe-
rial a quem a Presidencia tem consultado
a semehante respeito.
Dilo Ao Cnsul de S. M. Fedeliss-
ma nevta Provincia oomnmniceodo-lhe ,
que deixoo de ser satifetta a sua requisi-
co a respeito do Cosinheiro do -Patache
Bom Soccesso, Antonio dos Santos por
que tendo sido ordenado ao Inspector do
Arsenal de Maiinha que o fisesse de-
sembarcar de "bordo da Charra 16 de
Margo para onde consta ter sido recruta-
do imforma o dilo Inspector qae ni
existe a bordo d'aquella Charra prese
alguna de emeibania nomo)


DIARIO. DE P R R N A M B U C O.
_________________^____,. .'.--------,--------,. ...' ..iy.. )>-------------
fertMMHMMMWI I
S. Ejc. o Sor, Presidente faserj go doCorpo Santo.
Miguel Antonia da Coala, dem.
publico para constar a quem convier ,
que d Audiencia as partas todos os dias
uteis em 6 Palacio do Governo at as 11
horas do dia e que fora Peste tempo o
lugar na, chu Audiencia a alguem t sal
\oaefor sobre objecto do servico Pu
bhco.
Secretaria das Ordens do Governo
de Novembro de 18 38.
Jos Bernardo Fernandes Gama.
Ajudante d'Ordens de Semana.
i5
COMMANDO D\S ARMAS.
Quartel da Oommando das Armas de Per-
nambuco 14 de Novembro de i838.
Ordem Addiccional.
O Commandante das Armas determina,
2no perante a eommiso qualifcadra dos
Imciaes de i Linba do Exercito nesta
Provincia compareci as 10 horas da uta-
nhSa do dia 16 do corren te os Senho-
res Capities Joze Maris ldelfonso Jaco-
rae da Veiga Pessoa Antonio Gomes
Leal, Antonio Affonso Viana Segio
Tertuliano Castel Braneo Antonio Pats
Cortez Manoel Joaquim d'Oliveira An
Ionio Lins Caldas Antonio Benedicto
de Araujo Pernambuco, Manoel Joaquim
Paes Sarment e .M moel Jos de Serpa.
Os'Snrs Commandantes de Corpus L)e-
pzito e Classes mandar avisar os re-
feridos Senhores OEciaes.
Antonio Pedro de S Brrelo.
THEZOURAIUA DA PROV1NCA.
Continuacio Expediente do dia |3 de No-
vembro de i838.
Oficio Circular Aos Cidadai cons-
tantes da relacio abaixo transcripta, que
fora5 nomeados por o Exm. Snr. Presi-
dente da Provincia para Membros da
Commisso de que traelio os arts. 108, e
s>6t do Reg'u'amenlo d'Alfandega deaa de
Junho de i836.
Relacio das pessoas que julgo poderem
servir paras: CoiTiQ1Si06i|i da Pauta.
I. Sessao.
Suplente.
Caetano da Costa Moreira dem*
Para avaliaces d'Obras de Tanoeiro.
Lino Francisco Xavier ra dos Tano-
eires.
Manoel Este ves da Costa Forte do
Mallos.
Suplente.
Leandro Jos Ribeiro, Fora de Porras.
4- Sessao.
Casquinha e mais objectos de metal que
devo perteucer a esta classe.
Joaquim Henriques da Silva ra de
Crespo.
Joao de Freitas Barbosa Piaca da
oiao.
Jos Tbomaz de Campos Qoareama,
rus da Cadeia doRecife.
Reunidos a esta Sessao para avaliacio de
obras de Seriguero, e roais objectos ,
que I he perteirco.
Thomaz de Aquino Fonceca "na ra
Nova.
Joo Manoel de S >uza Marinlio na ra
da Florentina.
Suplente.
Jos Francisco
Carmo.
de Paula Camina do
Panos bielas
brins paninhos
facas de lan linbo ,
bem chitas.
baetoens J
bretanhas ,
, tonas, e oulros arte-
e algodo e tan
Manoel Goncalves da Silva na ra da
Catela doHecife.
Jle Mara Se ve riera.
Antonio Gomes Pessoa dem.
Suplentes.
Antonio Annes Jicome dem.
Domingos Antonio Gomes Guimaraens,
na rus do Crespo.
a. Sessao.
Cassas tisas bordadas d braneo ouro
preta e matiz, sedas filas rendas filos,
oulros artefactos deste genero.
Joaquim Viegas na ra do Crespo.
Manoel Ferreira Ramos dem.
Jos 3. Sessao.
Ferragetn e qnaesquer artefactos que
pertencio a esta CUsse.
Joaquim Claudio Monteiro na ra do
Queimado.
Joio Jos de Car valho na ra da Cadeia
do Recife.
Jos Dias da Silva dem.
Reunidos a esta Seesio para avaliacio das
madevras.
Salvioo Jos Ribeiro rus das Laran-
geiras.
Jote Moreira ra.do Rozaro estreita.
Suplente.
Antonio Francisco ra de Hartas.
Paroavaliaeie do ferro.
Amtonio Jos Rodrigues ra do Quei-
roado'.
Antonio Cordeiro dem.
Splanla.
Jdm-Lus Partir, ra Nev*.
j ^acakeuliaooea de ni-**an. I
Jsm Frtiteikw&iaajtiaM do Almeida, tkjtv j Jernimo Jos Bostorf, como FubiicaaH*.
Para obras de Ourives e de raetaes, e po-
dra* preciosas dequalquer naluiesa.
Joaquim de Oliveira e Souza no atier-
ro da Boa vista.
Vicente Antonio do Etpirilo Santo ra
do Arago.
Suplentes.
Francisco Coelbo da Silva ra dos
Martirios.
Jos Ignacio da Asmmpcio, atterro da
Boa-vista.
Manoel JosTavares da Silva, ra do
Cantiga
Para instrumentos de MathematicoS, e
pinturas de qualquer genero*
Joaquim Jo e de Farias Neves na Praca
da Boa-vista. ( He Militar. ) .
5. Sessao.
Drogas e quaSquer oulros productos qu-
micos.
Vicente Jos de Brito, ra da Cadeia do
Recife.
Joio Jos Innocencio Poge estrada de
Joio de Barros.
Suplente.
Antonio Pedro das Ne ves, ra da Ca-
deia do Reeife.
Jlo Ferreira da Cunha Piaca da Boa
vista.
6. Sessao.
Obras de marcenara de qualquer sorte.
Antonio Vieira Coelbo na ra Nova.
Antonio Ignacio ra de Hortas.
Suplente.
Jos Manoel Fiuza Praca do Comer-
cio.
7. Sessao.
Louca crislaes e vidros de qualquer
especie.
Antonio Teixeira Lopes rut da Cruz.
Jos Domingos da Costa Cardial ra
do Livramento.
Suplente.
Jos Mara da Coste Carvalbo, ra
Nova.
8. Sessao.
Papel, massas, molhados de qualquer
natureta.
Caetano da Silva Aze vedo Madre de
Dos.
Joa Pinto de Lemos ra dos Barbei-
ro-.
Suplentes.
Manoel Cardoso Aires ra da Cadeia
do Recife. V
Manoel Joaquim Ramos e Silva ra da
Madre de Dos.
Commisfu para as maquinas na eenfoi mi-
dud do ait. eo8 do legul amento.
Presidente
O Inspector da Alfaudega.
Me nbros
Gaspar de Menezes VascQnoellos de Dru-
mond como Agricultor.
Jse Ramos de Oliveira como Comerci-
an*}.
Elias Coelbo Cintra, como Empregado da
Alfaudega. ,
Recife de Pernambuco 13 de Outubro
de 1838. Manoel, Zafirino dos Santos.
O Secretario da Provincia.
Jernimo Mar tiano Figueira de Mello.
.'- _.H .." '- .' '
R
Diversas Repartigoens.
TRIBUNAL DA RELLACAO'.
Sessao de 1 5 de Novembro de 1838.
Nos Embargos de Andre Francisco Ca-
valcinti e oulros com Joio Vieira de Al-
buquerque na causa de appellacio Civel
do Juisodos Orlaos da Villa de Nasaietli,
Escrivio Ferreira ; se julgou pelo despre-
zo delles mandando-se cumplir o accordo
Embargado.
Na Causa de appeilaco Crme de An-
tonio Joaquina de Mello com o. Doutor
Promotor Publi*o,,EUcruo. Chaves..; te
julgou nullo o Processo de f. g em orante.
Na appellacio Civel do Jiiiso de Dtreito
da a Vara desta Cidade appcllantes Ma-
noel Jos Saares e sua mulher e oulros ,
e appellado Antonio Gomes Pessoa Es
crivo Chaven ; se julgou pala reformada
vnlenca app-llada ejulgados pro va dos os
Embargos de lereeiro.
Na appellacio Crime do Juiso dos Jura-
dos da Villa d<* S. Jo Comarca do Brejn
de Areia da l'rovincia da Parabiht do
Norte Hpellanle Cipriano de Abre* Fratt
ca", e appellado Jos Alves Bizerra Es-
crivio Ferreira 5 so julgou precedente o
Recurso mandando se remeHer o Proces-
so pera ser novament julgado cora oulros
Jurados.
O* Embargo de Caetano Pereira Gon-
calves da Cunha e oulros, contra Dona
Mara Theresa Joaquina Vellosa de Azeve-
do Escrivao Ferreira ; for5 diapresa
dos mandando-se cumprir o accordo
embargado.
MEZA DO CONSULADO.
Paula do Preco correle do assucar, e al-
godo, e mais gneros, que se despa-
ebafi na m>j rfj coSUdo de i'er-
nambuco, na semana de 1 Sao 21 do
mez de Novembro de i838.
Ass. B. N.
ti >
n >
i,5oo ,,


I. sorte.......... aU8oo
* ........... 2U700
3. ,, ........... aUooo
4 i* ........... aU45o
b* ., .......:... aU3oo
o. ,,............ iUi5o
Dito velho
1
? t


1
1. sorte.......... aU5oo
a. ,, ........... aU4o
3. ........... 2U00
4- ...'...... Ui5o
o. 1 ........... alJ000
o. ,, ........... 1 Uo5o
Ass M. N. 1. sorte
1,100 a. ,,
Dito velbo 1. sorte
800 2.
Algod-o 1. soi la

a.
3.
>
illtoo
lU5oo
iU3oo
lUaoo
7200
6U200
5Uadb
Jos M.iria Cesar do A mar I.
Joao Francisco Duarfe.
Feilores e conferentes.
ARSENAL DE GUERRA.
O Arsenal de Guerra compra paos de
j mgadas que sejio novos grossos e
sem lortuozdades ; e labou de pin lio ;
assini como convida a Carunheiros, Ar-
meiros ou Espiugardeir< s para trabalba-
rem no mesmo Arsenal.
Joio A-senio Barboza.
Ajudante.
PRFEITURA.
Parte do dia 14 do Novembro de r838.
Exm. lllm, e- Snn. Parlecipa a V.
Ex ordem pelo Sub-Prefeito da Freguesia de
S. Antonio, Antonio Soases, braneo
Manoel da Ora prelo Joaquina pardo
escravo de Goncalo Francisco Martina
Manoel Freir de Revoredo, braneo, o
i. por consentir um adjunto dt pretos
em sua taberna ; o a. por ter sido encon-
trado pelas onze horas da noile junto a una
escada e faser-se suspeito ; o 3. a re.
qiiisica de seu senbor por ser desobedi-
ente e o ultimo por suspeiu de ler ido
3uem mandara u.-sassinar a Joaquim Jos
e Almeida que na noite do da ia do
correle mez fora ferido gravemente coca
um'golpe de navalha no rosto esUndo
elle em sua loja, cujo assassino lem dei-
xado de ser preso % por nio ser conhecido.
E' o que consta das Parles boje recebi.
das nesta Secretaria. ,
Dos Guarde a V. Exc. Prefeitura da
Comarca do Recife 14 de Novembro d
1838. lllm. e Exm. Snr. Francisco do
Reg Barros Presidente da Provincia.
Francisco Antonio de S Brrelo, Preret-
to da Com are*.
fario de Pernambuco,
Do Nacional que recebemos de Lisboa
desde 11 ai de Setembro nada encontra-
mos de inleresse poltico a xcepcio do se-
guiitn re ros pecio na folha de 17 ea no-
licia de llespanha que eegue extrahida da
folha de 11 do dito mez : d'en'.o at ai ,
diz o mesmo Nacional que se nao linha
recibido o correio de HespanUa, e quo
constava ter esle sido interceptadlo- na im-
mediaces de Badajoz por huma guerrilha
carlista. lie nolavel a sinecridade cam
que o correspondente do Nacional em Ma-
drid assevea, que a di vis o de 54oo
homens do General Borso fizera dispersar,
e s cora a sua preseoca ou. noticia da sua
chegada os 7000 homens de Cabrera vic-
toriosos em Moreda Cabrera com 7000
homens quando muito, combateo muitae
vezes com Ora fel-o levantar o sitio,
picou-lhe a retirada ic. &c. ; eO ai es-
lava atesta de aaooo homens; Cabrea
com'7060 homens enlhusiasmados da vic-
toria foge precipiludamente de Borso com
5ooo soldados de hum exercito baAtde Un-
tas vezes derrotad!).'... He tpuUa.pbi-
lancia. Devemes crer, que se Cabrera
retirou-se ou fot estraotegia 00 be men-
tira do correspondente.,
Quanto ao mais de que se oceupa o Na-
cional consta ainda da eterna polmica,a
respeilo das eleices ,. naa quaes ten) occor-
rido escandalosos fados; e sobre pwer
rencia entre Carta de a6, e a Constilii-
cao de 38 : E qne se pode luorar, nesU
dissidencia ? ... A emigracio porlugueza
o explica.
BETilOSPECIO POLTICO.
O Ministerio Inglez vai-se sustentando
com a sua dbil maioriawliig em quanto o
povo discute as grandes reuaiea de Bir-
minghara, Manchesler e oulras povoacea
importantes complemento da r.efoima
que tem de Ihe proporcionar.smento ento
os benaficios do syslema liberal, e tira-lo
da ahjeccio em que o oonserva al^utoas
duzias de nobres lories e wbigs. O eara-
peio O^Connell trcbalha incansavel aa L-
latida para manter os direiios da sua pa-
tria _. e os exforco da sua eloq.ueneia UV
sem rival na Europa coroeca a,calar
pelas fras massas daqucues insulares e
disp las para recetier fl instruicio que
convem aos seus inieresses. Ao mismo,
tempo os torits cegos. pela ambicio do man-
do e poderio desconhecem inteiraroenle O,
estado da opiuiio e imposs.ibilidada de
retroceder no encelado progrerso, leu-
nem se e senta-se as cadeiras que apenas .
podem possuir os whiges, por seren al-
gumuuto mais favoraveis aos inteiesses
da liberdade.
A, reclamacio da Franca contra a per-
manencia do piincipe Napoleo na Suissa
lem encontrado a opposicO. qua d-via es-
perar-se da dignidado republicana que
sempre deslinguiu a confederaco Uelv.t-u--
ca. A firmeza do Conselho. de Turgovi*
inquietou de certo modo o commercio r ran-
ccr., mas he de cree que o. wwpincnto
ende as dus potencias smenle. ptoduzm*
huma gueira fiscal, huma guerra dono-


DIARO DE PE RIM A M BUCO
tas diplomticas. A alinelo da Franca
repartida entre ai suas colonias de frica ,
asduas cxpedicas marilinus qne tem de
enviar America e a questio Belga que
tao de peito a inleressa h ohriga a con-
formar-se ct>m o resultado da nota diplo-
mtica assignada pelo Ministro Montebel
lo representante rio Governo Francez. As
noticias que recebemos de Pais induzem
iros a crer que se usai do meio do blo-
qiUeio Oque faria psgr ao commercio
Francez os eieitos da imprudencia do go
vemo pois nao tem outro nome o enape
nho em hum negocio cujo termo nao pode
ser sitisfatorio. Outro tanto se pode di-
zer daresolncio do Ministerio acerca do
Mxico.
A posse das provincias Liburgo e Lo-
xemburgo deve terminar a questio Hol-
lando-Brlga; mas os interesses geraes e
os das mesmas provincias se encontrad des-
la vez en eppoiicio cora a letra do Trac
lado de i4 Brl'g ,s ajustado pela conferen-
cia de Londres e rectificado pela Blgica
com o pretext > de que o fazia ohiig ida pe-
la forca e nao por s-n i livre vontade. O
Senador B-lga L-febra-Meuiet acaba de
publicir huma carta bem explcita a este
respcito excitando os seus compatriotas a
correr armados d-feza de seus irmios os
Luxem-Limhurguezes que pertendem re-
clussar o dominio Holands. Esta carta
prodiizio na B-lgicaa mais vita sensacio.
O nasc ment do Conde de Pars or-cn-
pi mu lo a corte mas nao a c pital da
Franct. O R'i cidadio approveitou esla
ocoasiio para tentar resuscitar a etiqueta
palaciana e a pompa eclesistica dos dou*
radas lempos anlrgo-. Nao obstante o \t-
eebispo de Pau'scorrespondeu com ingra-
lidioa religiosidade de antigo Duque de
'Orleans e na sus oraco da festa do Te
Deuni'nao relractou os seus principios ab-
solutistas ou.para mellior dizer dinsticos.
O Rei Luiz Phrippe incorreu e erro de
-acreditar possivel a allianca da certos bo
-mens de longos anuos enlapados coma
causa do fanatismo e ty ranina com a revo
lucio e suas coasequeneias. Certas causas
e certos principios j mais podem aroalga-
' roar.sa he exequivel a sua destruicio ou
sujeicio mas nunca o congracal ...
Entretanto o autcrata do norte obede-
cido por todos aquelles que interessa em
viver dos abusos do absolutismo ou da the-
ocracia alia as armas liberticidas dos pola-
cos. Elle acabara com a liberdsde penin-
sular com a de todos os patriotas euro
peosse a distancia e as sentelbas de liber-
d* de que se divisa no proprio inp'rio
Moscovita uo contrariassem os seus abo-
mina vew p> ojelos. O seu fim principal
< he espraiar-se pelo Oriente, e rrnjar pa-
< ra fora da Persie al ao ultimo Ingl-z: ef-
fectivamente aaccio da Inglaterra s se
limita ao golpbo Pnrsico. Ao passo que a
sua diplomacia maneja estes assumptos ,
elle move a sua pessoa com incansavel ag
lidade a fnn de convencer verbalmrnte al-
guna soberanos da propriedade de sua am-
biciosa e cruel poltica. Agora pretende
tomar parte na confederaci Germnica,
e segundo as ultimas noticias dignas de
crdito depois de ter deixado na Suecia o
seu parido para obrar na primeira occa-
sio oppoituua passou a estrellar aa sua
relaces na Baviera com o fim de segurar a
.sua ascendencia ha Grecia posto avanca-
do quea Ruisia deseja ter no Mediterr-
neo.
As folhas de HVspinha alcanca te 7 do
corren te. O famigerado Ministerio Ofa-
lia l^via eni fim aaiccumbido. Sabidas s
as grandes pioraessas que elle fez ao tomar
conla dos negocios pblicos era o pri-
rneiro eoscio de hm rgimen doutrinario
lia Hspanha fallou se em ntervenci
da Franc para axpellir D Carlos das pro
arincias Vascongadas em hum sviiltailo
emprejlirao na tolerancia na ais ab-oluta
para Com todos os partidos _e nada se
cuaipito desle programma., A inleivencio
Francez* era hum ardil, sem nenhuma
probabilidade d* se levar a eff-iti o em-
piestimo do Laffile e Sal'ont foi legeitado
pira fazer a v.micos a Aguado cuja uzura
ra enorme e que raesroo assim nada quiz
dar a tolerancia consisti em deprlr ,
em fuziiar e eroprisionaf os patriotas da
~-Te*r*o da Granja. O Ministerio cabe
coberlode opprobri, e he substituido in-
felizmente'por bmerrs que nenhuma con-
fia nca inspirad.
A urna j recebeu os votos definitivos
dos habitantes da capital. E tt breve sabe-
remos qunl he o resultado deste apulamen-
to imprtante que tem da decidir a questio
entre os Carlistas os ordeiros e os pa-
triotas. Se o resoltado far favoravel
causa da patria, podemos litougear-nos
de que a victoria ser brilhante e gloriosa
vista dos inauditos exforcos dos uossos
contrarios.
N. 3$ d 9>de Junho de 18^7 que regu-
la no cato em questio temos respondido ao
nosso Correspondente. Os RR.
o Art. 44 O impostos de que Irala
0SS '" "* do Artigo 41 serio arreca-
dados em aaeeda de prata fazendo-se pa-
ra isso aavaliacao uessa antela.
O nosso Correspondente particular de Vla-
drid em data de 4 do corrente (setem-
bra) nos cerumunica o segninte.
Madrid 4. O general Arechavala go-
vernador de Bilbau conseguiu surprehen-
der o povo de Mungnia outro dia fazen-
do prisioneiros s fiiho do chefe ca lista
Zubala o ciinbado deste o tenente cor-
regedor dosenhorio de Vise Eguia vgario geral dos carlistas assim
como a seu accessor e outros 17 figuies ,
m-lando outros nove naqueila Villa. O
general Narvaez anntmcia o govrrno des-
de Almagro, que havia apreendid a guer-
nllia de Gines malande-lhe i3 ; na es-
caiiou hum s. Tambis fora morios 08
cabecillas Talego e Palillo, frito prisio-
neiro o famoso ladreo carlista Riylaiido .
que litiha cheios de terror os habitantes das
atdeias da la Mancha. Oaasi toda a la
Mancha, mas essencialmen'c ocamp de
Calatrab seacba liwpa da canalha c -rusta
Descubrise* huma conspir/ico -as
moiiUnlias de Santander, e fora presos
varios uos lubitantes principaes d'alguiis
d'aquelles valles.
O Bario de Meer d parte de que n'um
momento a outro espera aonunciar a toma-
da de Belga.
I Parece indubitavel que n general Ora
mandou fuziiar em Alcaniza hum fornece-
dor do exercito e trez seus commissionados
por nao haverem cumprido seu ajuste com
elle em mandar os suficientes viveres as
tropas diante de Morella. Consta <|ue
100 casas desta Cidade fora mais ou me-
nos injuriadas dudante o sitio 8 dellas
inteiramenta destruidas. Os chefes conde
de Negri, e Verasiegui fora os que as-
sislira defeza da praca.
O general Bv>rso chegou j a Segorbe
com 5i>oO infantes e 4oo cavados e os
65oo a 7000 carlistas que com Cabrera ,
Foicadell eoutios se acbava as imme-
diaees de Valencia fugira logo que sou-
beia deste movimento, em dirercin -Mas
de moyo e Alcublos; e outros for pelo
monte de Sao Salvador para Albalat po
rem ni.) se faz idea da muita riqueza que
tem roubado em lodos os povos da chama-
da Varzea de Valencia de raaneira que
j tem dinbeiio bstanle para lodo hum
anno.
Dun Juan conde major que foi da pra-
ca de Victoria no lempo dos ussassinatos*
de 17 de Agosto do anno passado e que
se achava ero 'prisa por aquelles successos
desertou para os carlistas ; porem o chefe
desles Sopebua sabendo o horroroso
crime de que elle fora aecusado o envou
preso e com IVrros para o castello de
Guevara
Acaba de fazer-se huma grande reforma
nn orpo de guarda- da Real Pesssoa pois
de 5oo que era ficou reduzida a foca
a3o ; j deve entender que lodos so ofB
ca es e filbos de familias respeitaveis que
tem de piovar sua nobreza de sangue para
poderem ser admitlidos.
(.orrespoiideiicia.
S'S. Redactores. Como visseemoDia-
iio de 7 do corrente huma portara do
lllm. Sr. Inspector da Tbesoumria ao
Sr. Administrauor da Meza do Consulado .
para fazer dilfeienca no agio da prata en-
tre pataces e prata miuda desejo que
por o mesmo Diario me fci obsequio
responder; seno caso dequ-- euqueifi
pagar os meus despachos em pecas de ou
AVISOS DIVKUSOS.
_ Arr fesla defrenle da passagem de Sinta Auna
i margem do Rio Instante areja la e em
[losici" onde pode estar huma familia
sua vontade pela largueza do terreno e
nao ser devac ida das cazas da visinhanca ;
na loja de Antonio Luiz Goncalves ra
do Oueimado achara com quem tratar.
_ Roga-se aoSr. Joaquira Jos Fer-
reira lmprensario baja de nao pagar o
seu fica que assignou em i4 do torrente
me/. com letra encarna la para entregar
ao abaixo assignado a quantia de duzcnios
mil reis vtslo que o dilo fica se desenca-
minbou.
Joio Francisco 'V.rreira.
_ A pessoa que j lempos bastantes
anuunciou neste Diaiioqueier saberse ex-
istia na Cidade da Paraiba Manoel Auto
nio Chaves para negocio de interesse, quei-
ra annunciar a so morada para ser procu
rado por hum fillio I gimo do mesmo,
chamado lainbem Manoel Antonio Chaves ,
e morador taiubem na Cidade da Paraiba,
e sendo para negocio do mem.> pode ter a
certeza de que se nio hade desajustar.
_ Segunda ft ira 19 do correnle bo o
segundo dia da arremauco em hsia pu-
blica, a quem mais der, porta do Sr. Dr.
Juis do Civel da a.* Vara, d'uma caza terrea
ila na ra da Camboa do Carino Di 7
ine o aiMiuiicianle. houve por heranca da
finad-su* S'gra em i83i por escriplu-
ra de transac em amigavel composieio ,
que obleve de seos Cunhados em i833,
por isso o aununciante est prompto a
mostrar os seos ttulos, por onde a possue.
_ Lima Senbora prone-sea f. tidos e cortallos da ultima moda assim
como recebe outras quaes quer costuras a
quem percizar do seu prsstimo, dirija-se
a ra da Roda D. 37.
_ Quero annunciou precisar de hura
Caixeiro para venda em S Anto dirija-se
a ra das Trinxeiras rasa D la.
_ Como pelo Diario de 12 do corrente
se aiinunciasse a venda de buma caza sita
na Cabanga perlencenle a Jernimo Sebas-
tian d' Uencaslro e no de 14 do correnle
aparecesse hum Sr. que se diz credor do
dilo Alencaslio ; por isso se declara que a
dita caza se acha bypotbecad < por Escrip-
tura Publica passada no anno de 1831 as
Nota-, do Tabelliao Dutra, boje Bezerra.
h, Precisa-se de 7005' rs. dando-se por
bypoibeca huma casa pequea no,valor de
4oos' rs. por es paco de 6 mezes; d-se-lhe
de juros a '|a por cento ao roez : annun-
cie ou dirija-se a ra Velba na Buavista ,
casa nova da quina que tem venda.
_ Quem annunciuu querer comprar
huma morada de caza neste bairrode San-
to Antonio, dirija se a ra doRang'l D.
5 lado direito.
_ A fabrica da ra do Rosario estrella
D a4 continua a reslilar agoardente d'a-
niz, e Reino.
ft^ Anda se continua a aforar, os
dousteiienos situados na eslrada da Sob-
dade para o Maoguinlio, defronle mesmo
da ponte e da parte da estrada que se-
gu do Manguind para a Igreja dos Af
flictos oomecaudo logo do fim da caza
nova do seu proprietsrio o Desembargador
Tboniaz Antonio Mactl Mnleiro con-
leudo o fundo de caza palmo aforado 120
palmos ditos e na ra4o de 3ao reis cada
Iwjm palmo: adveiiindo poem que hu
e outro terreno be todo encbulo e bene
ficiado, e promplo para logo se edificaren!
prupi edades independeiite de outro qual
quer iraballio quando pelo conlrnrio su.
cede coro outros terrenos por aq .ellas ime
diaces, em lamacal que re lein aforado
p> lo mesmo preco : os prelendenles enlen-
dao-se com o Escrv Almeida em seu
ro Taue o seu valor l*g >l he o de M,f rs1) -
me faro ..R.o sobre as mesmas de 5o oj Carlorio na ra das 1 nnche.ras que eS,a
"; s he menor preco. porque cerrm no munido de podeca pa.. fazer tats .fura-
mercado presentemente-
_. Com o artigo 44 ds Lei Provincial
melos
_'Precba se de 3 Oioo.if a premio
de o por cento por lempo d'um anno, dan-
do-se por garante.firmas, contento.
_ Alluga-se hum sobrado em J3-beribe
com estibaria coxeira e o nieldor'ba-
iibo e planta de capm a falar na ra No-
va a Manoel Joaquim Carneiro Leal. -
__ Quem por engao lirou do Correio
huma arta vinda da Cidade do Poito, pa-
ra Jos Pereim Cardoso mandada por seo
l'ai ,. a quera levar na venda D. ao na ra
Direita, pos desculpa o engao a quem a
abri.
_ Hum snjeito de capacidade prope-
se rereber em sua casa 10 meninos como
porcionistes, pelo mdico preco aonual
de aoosooo rs. ensillando Ibes prireeiras
Letias, Grammatica Portugueza Latim ,
Francs ,'Ingles, muzica e da nca lu-
do com bastante perfeicio. Na roa do
Quemado loja D. a de Fermino Josc-Rq-
drigues Ferreira se dari as precisas in-
foi macoes.
- Perdi desde a ra do Pires leo Pa-
teo do Collegio urna Carleira de algibeira
conlendo urna quantia niu pequea em
dulas, e urna letra de oulra quantia
m-iior de eem mil reis : rogo porm a pes-
soa que a avhar me restitua ou se tilo ,
Insta (| ie pelo meio que Ihe for mais f-
cil me entregue a Caiteira somenle j por
isso que ella conlem asseotos de tanta im-
porlancia que a sua perda me prejudica-
r mais : que serei grato a occasio do
recebimento o mostrai.
Antonio Luiz do Amara! e Silva.
Q^ Precisa-sede buma ama para dar
leile a huma crianca com tanto que seja
sadta : quem estiver nestas circunstancias,
dirija-si- a roa da Penha, defronte do o-
lio doLvrameo res no 1 e a.
--Precisa-se llugar pretos e pretas ;
quem es (ver annuucie paia ser procu-
rado.
Precisa-se de huma ama que sai ha
faser O ser vico de urna casa, nas 5 ponas
venda D. 9.
r- Na'noite de 4- P;"' 5. feira per-
deo-se um retracto anda por acabar fol-
io em mar fim desde a rus da Cadete do
Recife, ale a casa da nev do beco do thea-
tro aonde mais se prc-ume que tera*'ca-
bido, na eeeasii que a pessoa qum per-
tence tomara alguna refresco; pedece
mu encarecidamente a pessoa em cuja ma
elle para, a queira restituir niaud. a mesma casa da nev, ou annunciando e
pelo que sera' generosamente gratificado.'
Aluga-se para se passar a Fesla urna
boa casa no eilio da Igreja do poco da pa-
nella, com cmodos para familia : quera
a pretender dirija se a ra do Livramento
I). 11 3. andar.
Quem quiser dar aoq mil reis por a
meses dando-se de premio 1 af rs., e
para seguan;* desa quantia se hypoteca
um escravo de importancia ; a quem con-
vier annuucie.
.. Quem precisar de hum rapaz portu-
gurz p mesmo para venda, do que tem suhScien-
te pratica, capaz de lomar conta por batan-
eo, e d flanea de sua conduela : annun-
cie, par ser procurado.
- Offcrece-se para caxtiio de botica,
hum pbarmaceutico chegsdtrproximamen-
te de Portugal ; com b.stante pralica pa-
ra bem desempenbar a oceuparao a quess
dedica ; quem delle precisar dirija-se a
Manoel Gonsalves Braga, junto a meo de
Sanio Antonio.
.. Quem liver eqtiiser allugar huma es-
craca qiietenha boro leile, para crear hu-
ma crianca de hu roez ; dirjase ao pri-
mero andar do sobrado D 11 na ra
dosquarteis.
Ha <|uem se proponba aensnar La-
tim durante o lempo das ferjas, ospaisde
familias que se quiserem utilisar do pres-
tmo do aonuiiciaie dirijose a ra das
Triiicheiras I), a.3, adv'erle-se qu se dio
uasdlces por dia.
Alluga-se na ra da Penha? L). 4. hum
segundo andar e solio, bem preparado e
grande com modos no piimeiro andar
da mesma casa.
_ Hum bomcm do reronhrcida probi-
dade se olXercCM na,a fazer a likcripiura.ci'o
Meicanlil de quilquercaza de iieo o em
paitida simples ou dcbi-*da'com perfei-
cio e acoio : quem precisar aununcia
para ser procurado.


^-^-J
DIARIO DEPERNA MflC O
Precita-ede alagar idoleqaa pa-
ra o tervico de ama casa que sej fiel: na
ra das Flores asa D. 3, ou annuncie.
.. Quena perdeo na noite de Domingo
pira segunda feira um panno con mis
moedas embrulhadas dando os sigoaes
*certot para Ihe. erero entregues, dirjase
esta Typografia, que se Ihe dir onde
ais le a.
- Aluga-se para se pissar a fsta urna
casa com bastantes comm-dos no poco
da panelU junto a casa qo* foi do fallecido
OUveirinha : na rita das Trinchen as lado
dopoeote D. i4-
-- Aloga-ae urna casa para se pastar a
festa, na estrada do Monleiro, com 4
quartos cozinha fora boa agoa de be-
Jar dentro do sitio e com algumas Iru-
ctat: quem o pretender dirija-te a rep.r-
. ticio do sello, a fallar com Jlo Igoacio de
Que precisar de um routher creou-
I para ama de casa de um hornera aolleiro
ou mesma de pequna familia a qrtl "
becoziobar, engoraroar, ecozndar c
mo tambera reger urna casa dirjase a
ra Augusta na casa de duas portas e urna
janella com vidrassas defronle de um lanr-
A Senhora D. Aona Francisca de
Yaula pode mandar receber os foros ,de
ua trra em que tem casa o abaixo assigna-
do. Jlo Munis da S.lva.
OSr. F. P. L queira hira prac da
Independencia loja deourives n. 16 a fim
de receber certos documentos ali existentes
perlencentes ao mesroo Snr. e concluir o
trato feito desda 1833 constante dos mes-
mos documentos, poisja he segunda vez
que te faz o presente, para sua inteligencia
-- Offerece se um rapaz brasileiro para
aaiseiro de armasem, cobranca, ou outra
qualquer occupacio ; annuncie.
.- Arrenda se um sitio ua estrada do
Arraial, com boa casa de vi venda encl-
lente agoa de beber estribarla para cava-
loa, eoro bastantes arvo.edos que dio
fructos, e c.im pasto para 8 vaccas d Jeito;
quera o preteuder dirija-se a ra do Cres-
P-, Tf pedari da r. Dimita D. 34 ,
preciaa-se de um forneiro, e se d boro
ordenado.
Quero precisar de vos caixeiro por
tnguez para renda do que tem bastante
pratici drja-se a ra da Conceicio da
Boa vista D S.
Precisa-se de urna rasa terrea ou uro
primeiro andar que nio exceda i n 'ooo
o seo aluguel, o aquilino se obriga a ttaier
a casa muito bem tratar e todo o conserto
que precisar depois de sua entrada he feito
asaaeusta, nio offdrece fiador por estar
certo que qualquer proprielario nio exig
ra sabendoquera he o iuquilino; quera a li-
Ter annuncie.
Aluga-se urna casa no principio da
estrada da Vanea cora trras suficientes
para plantacoea ; tratar no Remedio no
sil i o de Francisco Nicolu.
Queni tiver um pianno e o queira
lugar por tempo do 3a 4 meses annuncie.
competentes consai a pesos : na rata da descasa defronle da serrara de Joa5 Ser
cadeia velha D. 58.
Prata velha qnem tiver itHluncie
sua morada.
Um escravo moco, sadio e sem vi-
cios que servia para o aervico ordinario
rador.
Duas moletas de idadede i* annos e
de naci BengoeHa de lindas figuras ; a
escravas de naci osera eogommlo e
ciinhfo o diario de urna casa com perfei-
cos que servia para o acniv." --' .;uti'>-' ------------
de urna casa, c que saib tr-balhar em um cg0 ; eduas moleques de iJ 14 annos:
. iv_..:._ ..uj. n ~.^n/t .Ir#ia dos Martirios no i. wan-
silio : na ra Direita sobrado D 3o.
- ma agulha de mariar anda com algum uzo : no armasem defi-onte da Cor
po Santo, por baixo do Consulado Por-
tugus.
- ma canoa velha inda que precise
de algum conserto j quero tiver annuncie.
YENDAS.
LE L A O'.
Que se faz na ra da Cadeia do Reci
fe Decima 6,
as 10 horas da manda de usa grande sor
11 ment de molduras douradas para qua-
iros estampas finas ornamento de salla ,
oro quadros e sem elles, espelhos grand. s
um grande sortimeoto de viubo de Ror-
cleaux de superior qualidade agurdente
la franca coletes a casacas de varios gos-
i>s bij otarias falsas, edita de ouro co
Hieres, garfus eeutros objaetos de pra-
', sinetes, caitas para tabao, pentes ,
lares luvas de liolio e de -jUd-t para Se-
lioras e para homens in
4-irargia de gomma elstica, e
ruedos de meninos, pedrea
W ouro, bahus de couro para viagem
vaixas para chapeos espingardas man
gas de vidro e outros objectos.
COMPRAS.
--. timi>ra Uma escrava de naci de idade de
*3 a *5 annos. de bonita figura, engom-
ma liso colinda o diario de uma casa e
lava roupa : na ra Direita D ao lado da
Igreja do Livramento
Dois cavallos muito bons e gordos:
na ra do Rozario defronte da Igreja, ven-
da D. i5. .
Um grande sortiroento de botins de
Lisboa para homens ditos para rapases .
sapitos de daraque para Senhoras ditos
de marroquim oleados pintados para co-
brir mesas ; elins inglezes de patente che-
gados prximamente chapeos envernisa-
bonitas cores talins, cananas para ot-
ficises promptostanto para cavilara co-
mo pasa invan'aria espadas de todas as
qualidades, e bandas prompt-s tudo po.
preco commodj : na ra nova loja Deci-
ma |5 e i4- -
.. Um cavallo rudado, de bonita figura,
mullo bim carregador, e esquipador. e
um alazlo p^ra aluguel : na praca da Boa
vista venda D 6.
Uma p eta moca cozinha o ditrio
de uma casa e he boa quitandeira a vis-
ta do comprador se dir o motivo : mi
Manguinhoantes de chegar a ponte lad
esquerdo casa de rotul s verdes.
-- Duas escravas de angola uma cozi
nha o diariode urna casa Uva roupa pap-
feitamenie e outra com um* cria e com
muito boro leite, e he boa quitandeira
toil.smocss e ^adias : na beco de JoSo
Francisco d fronte do Victorino Travasso
que he procurador de cauzas.
Um cavallo rudado bem novo, e gor
do arroga baixo e esqnipa: na casa
junto a> porto daOrdem Tereeira de S.
Francisco D ")
Um berco de conduro' novo e de bom
gosto com seus cortinados de cassa ainda
nio servidos : na ra do Nogueira n. 710.
4 Tone* para zeite de carrapMo : na
venda pordetraz doassougue da Boa vista
D .7.
-. Um excellente sobrado de uro so an-
dar com dua-i lojs. e um grande banh-
ro de pedra e cal sito no lugar do vara-
douro junto ao baldo : a tratar na ra dos
Qaarteis D. 4 5 assim como nm cavallo no-
vo bom erregador ; e 4oo barricas va-
lias Americanas um pouco mais pequeas
dos que as regulares.
Uma casa grande, e boa com bas-
da casa forte ero lugar de quina ptima
para nogocio e por preco mdico : a tra- q
1 ra da Cadeia do Keci para nogocio e por preco moaico : a ira- M"c r j a j ^ a
boje 17 do crrente, tar na camboa do Carmo D a; assim como nesta Cidadeao Padre Antonio da Tnnda-
. i .' ._ 3 cepos para talhode carne.

atentos de
ilroaj hiin-
'alsas pis
n, n. 1 1 11: na pra?a da Independencia
n. 59
Uma rede de pescr em bom uzo :
em fora de portas venda n. 18 defronte do
beco larga.
Uma preta de ao annos de idade, ta-
va engmma e he quitandeira ; na ra
di. cadeia velha D. 5o.
~ Um meio selim com todos os perten
ees e por prreo commedo : a praca da
ISua vista D. :.
Um terreno de prepredade sfto no
Atierro dos Aflog*dos dolado do nascente ,
com aao palmos le frente ais de 3ooo
de fundos, teodo propor;-8 ptra um gran-
de vivero, por preco medico cada um pal-
ano : na roa Direita ao 3. andar do ta
hrado D. i3.
Uma cabra bin aoilo boa criadeira
de mininos, tena tnnilo bom leite : na
jai di preia por detrae da toa do Fagui-
passando a Igreja dos Martirios no I
Uma venda na praca da Boa vista D.
16 do lado do poente que lera um con-
t de reis de fundo e com commodos su-
ficientes part uma familia: a tratar nt
mesma.
.- Um escravn que sabe engommar com
gomma fil de lindo, com muita perfeicio,
cozinda, faz doces, e entras couas, a
vista do comprador se dir o motivo ; e
uma casa terrea a ra do Jardim D. 1a ,
com soto e sacada de ferro toda envi-
dratsada e acabada da pouco e um car-
rinhode 4 rodas 3 arreies tudo inglez ,
5 canoas de 33 palmos de coropridas pro
prias para rarreira : na ra nova armasem
delooca D. n.
Umt escrava de naci cambinda de
idade de ao annos e com duas crias e
com muito boro leite para criar : no Atier-
ro d 1 Boa vista no terceiro sobrado do la-
do do sol junio a ponte.
Uma negra mucambique de idade de
10 a 23 annos, cora principios de coeinha ,
e eng->mroado; um braco de balance re-
focado; e um tonel pequeo para azeite
de carrapato rebatido e prompto : na ra
de Hortas sobrado de um andar D. a5.
Uma canoa de carfeira ainda quasi
nova que a cororaoda livremente 10 pes-
soas boadecarreira pintada de novo,
e com assenlo de palinha 1 os pretendentee
para verero vio atraz dos Martirios ao p
do tanque do fallecido Monleiro e para
o ajusto na ras Direita D a?.
. Peonas de Seeretaria : na praca da
Independencia n. 3o,
.. Todos os pertences de orna refinaclo
de assucar em muito bom uzo ou se
traspaasa a roesm 1 casa de refinar (por ven-
da ) para a(i continuar onde se acha etta-
cionada : no beco da pot D. 4 i m co*
mo dois quartios proprias para viagt-m.
Uma loja de couros com muito pou-
co fundos e sita em bom lugar trata-
se nesta Typografia.
ESCRAVOS FGIDOS.
Ka noite de l4 do crvente Buten-
tou-se um preto escravo, de noroe Joo ,
de naci cabund, ni parece ladino, ciieio
do corpo baixo di idade de i. annos ,
cor preta sem barba dentes afinados
oldo6 vivos levou camisa de riscado azul,
e serouia de algodio quera o pegar leve
a ra da Cruz D. 5a que ser recom-
pensado.
Roga-se a qualquer capitio de campo
e especialmente aos Srs. Agentes de polica,
queirio prender um mol. que crioulo de
uome Clemente da idade de i5 annos ,
tem no braco direito da parte de dentro
uma queiroadura ainda nio
compensado,- dverte-se que he escrovo
de Joftquim GonsalvesCascio.
Uma escrava de aa annos de idade ,
biixa grossa t cabellos pixaim muito'
pouco fulla cara redonda e begigosa e
as marcat ja apagadas um dente tirado
na trente nm caroco pequeo na tetta ,
olhos grandes nariz chato bracos groa
sos per as fiaas de nome Maria e por
eoslumechama-se Magdalena pcitot ata-
cados, esta escrava rsl fgida a % annos;
quero a prender leve a ra das Cruz a De-
cima t5, quesera bem recompensado.
Luiz preto creoulo de idade de a8
a 3o annos altura ordinaria, falta de den-
tes na fente alejado da dois dedos de
uma das mos pomas uma com o Joelho
entroduzidp para dentro ao andar desapa-
recen do sitio confronte a N. S. dos Affli-
ctos, em aa de Setembro ; qum o pegar
leve a ra da cacimba no armnsero de as-
sucar ru i ou a Jos Luis Paedes que gra-
tificara,
Fugio da Villa de Goianna ao ama-
nhacer do dia i3 do corren te, uma mola-
la tirando a cabra de idade pouca rosis ou
menos a5 a 3o annos de uome Antonia ,
com as signaos seguintet: estatura medi-
ana teca do corpo, ros o tirado e nio
mal parecido fisonoma Bgradavel, est
um tanto disfeita do corpo, nariz nm tan
tu afilado vestuario de edita branca ou
azul de palmas encarnadas, sapalos verdes,
ou pretos, papno fino azul escuro ja velho,
esta escrava foi raptiva de M -noel Gonsal-
ves Pereira Siraes ja morador nesta praca
de Pernambuco e hoje pertence a Joio
Domingues Pereira na dita Villa de Goian-
na ra do Amparo casa n. i3 ou loja
na quina do beco do Pavlo 11. ao. ; qual-
quer pessoa que a levar ser bem recom-
pensado do seo trabalho; e havendo quem
a queira comprar dirija-se a mencionada
casa : ou ao Recife em casa do Sr. Anto-
nio Jose de Magalhes Bastos; nota-so
mais que esta escrava tem Mii e padras-
to ,. em Serinhaem, e t ou 7 rraios nea-
ta praca todos escravot do finado Anto-
nio Marques da. Costa Soares ; a Mii da di-
ta escrava chama se Francisca e o padrat-
to Jlo., ambos assistentee no engenho do
dito finado Antonio Marques, em Seri-
nhaem.
No da 5 do corrate mandando Joio
de Alemio Sisneiro um eseravo ao enge-
nho da gaogadinba perto do engenho do
meio receber um pouco de dieheiro de Jo-
io de Carvalbo Pas de Andrade e at o
presente nio he apparecido julga-se es-
tar fgido cujo escravo tem os s gnaes
seguintet, de nome Benedicto do Alemio
como Iratio ua : ua creoulo cara bexigo-
zt, rosto com prido bem barbado, e com
lias grande por baixo dos qoeixos, be bem
condecido nesta praca ps pepuen<'S, se-
co do corpo e muito regrista roga-se
a todas as autdoridades competentes e
capiles decampo que o mande prender e
levar na ra aova D. 33 que sar bem
recompensado.
al, e na
Br..u, w., ..- perna direitadt parle de fora uma marca
tantes commodos sendo na principal rus de ferida os dentes de cima limados 01
'-- Hhot afomtcados corpo secco, estatura
oe promette ser altar Pode ser entregue
.'/ti __ r_j_. _.__:. J. T.. _
cepos para lauuur t:i3. 7 i -
-Latas com 10 milheirosde agulhas le ronel Tiburtino Pinto de Almeida e cer-
n. 1 a i a : ata praca da Independencia ta a recompensa.
ta a recompensa
Roga-se aos Sub-Prcfeitos desta e
mais comarcas e Authoridades policiaca ,
pessoas particulares que souberem ou vi-
rem um esoavo de nome Joaquim na-
ci camninda fugio ero 26 de Agosto do
corrente, pelas 8 doras da noite, com os
signaes seguintet idade de a5 annos.pou-
es mait o menos rosto redondo odo- e
altura regular bonita figura eheio do
corpo cor preta ecimha algum couza do
p direito de canoeiro e eutre os desle
offieioapelidado por Joaquim pesindo le-
vou diversa roupacoaao aeja calsa de pin-
nn preto dita de franqueara uma
sobrecasaca eor de vinho, eaJsa e camisa de
brim braneo dita de algodlo e de chilla
azu4 jaqueta de riscadinhode cores cha.
peo de seda preta ntna eeteira fina; quem
o p-garlevea loja de (atondas na ra da
cadeia do Racife u, 45, que sar bem w-
NAVIOS ENTRADOS NO DIA 14.
LISBOA ; 49 das Barca Brtsileira S.
Rita de 35o Ronel., Cap. Feleciano
Jos Gomes, carga earios gneros : a
Jos Antonio Gomes Jnior; passagei-
ros os Porluguezs Francisco Severiano
Rehello Jos Joaquim IVixoto Miranda
IJenriques, Maria Emilia da Penda Go-
mes, sua criada Maria Anglica Irabel
Maria Gomee sua criada Prudencia,
o Brasileiro Ero dio de Souia Loubo
Braudio eseu criado Cometi.
S\HIDOS NO MESMO DIA.
BAHA ; Patacho Brasileiro Simpalht,
Cap. Florencio Ferreira de Sampaio;
ca'ga varios genero;*; patsageros o Dr,
Jos \ntonio Peixolo de Lacerda Da-
niel Luiz da Roza Antonio Soares de
Queiroz, Eufemia Maria da Silva com
a cscra vos uma criada e um filbo.
Pfia4 JA Tir; ? Uji Pi : ;^38,


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ET5BK1DZ1_V5K2P6 INGEST_TIME 2013-04-13T01:03:10Z PACKAGE AA00011611_06058
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES