Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06048


This item is only available as the following downloads:


Full Text
:...... v
ANNO DE i838. SEGUNDA FEIRA
CAMBIOS.
Noverobro 3 ,
.Londres i s. St. por i#ooo ced.
Lisboa o a 90 por .oo premio, por metal. Nom.
rancajo a 5*5 Rs. por franco.
K10 de Janeiro aopar.
Maedas defijHoo '^^o as velhas novai 1^700.
4#ooo8jliooar.jSboo
Pesos Columnarros > 0qo a 1 |7o
ittos Mexicanos i#(7<> 'F9
Tatacoens Brasiieiros 'i)|f68o a 1^700
Premios das Letras |>ur me* 1 a i|4 por 100.
Cbreap. c. yisconto. >, \
PARTIDAS DOS CORREIOS TEtlRESTES.
Cidde da Paraiba e villas de su. pretenco .' ...
C^ade do Kio Oran *e do Norte, e v.llas dem gegUd.,. SmIm feiru.
C dadc da Fortaleza e villas dem .......j
Villa de (joia'mia............'
'Cidade de Olinda............
Villa de Santo Anto .... :
Dita deGaranliuhs e Povoacao do Bonito. .
Dinas do Cabo Scrmliaem, o Formoso, e Porto Calvo
,<:idadedas Alagoas, e Villa deMaceid. ...'..
Villa de Paj''de Ubres.....
Todos os correios partem ao raeio rtia.
5 DE OVEMBRO. NUMERO rifo/
Tudo agora deptnde denos mrsmos ; rfa nossa prudencia,
modcraco e energa 1 continuemos como principiamos,
e seremos apontadoscom admire cao enlie as iXaces mais cul-
tas. ,.<'
Proclamarao da Assemblea Geral do Brasil.
Todos os dias.
Quintas eirea. ',
Diae 10, e 34 de cada mei.
dem 1 11, e ai ditlo dido.
dem dem.
dem 17, dittoditte
Subscrevese para esta folha a mil res mensaes pagos adi-
antados nesta Typogralia, ra das Cruzes U. 3, e ua Praga
da Independencia D. 37 e 8, onde se recehem correspon-
dencias lega Usadas e annuncios.- insiriudo-se estes gratis
sendo dos prdpriot assignantes, e vindos assignados.
1 > (. ,' 1
. 1 DIASpAiSEMANA.,
5 Segunda S. Zacaras. Aud. do Juis do crimede tarde e sesso da Tlies. P.
6 Terca S. Severo B, KelacSo de mauliS aud. doJ. dos Or', de larde.
7 Qua'rta S. Finiendo II Sesso da Thetouraria Provincial.
8 Quinta S Seyeriano M Relaco de roaiili. < audiencia do J. do< y Sexta S.'Tbedoro V. Sesso da Thesouraria Pub. e aud. do Juiz do Civel de tarde. Q.
mng as 11 h*ras e 5f> min. ila laide > ,
10 Sabbado (jejum S. Andr Avelino. KelacSo de'manh, e aud. do V. G. de tarde.
11 Domingo O Patrocinio de N. S. ,
Mar chea para o dia j de Novcmbro.
As 6 boras 54 minutos da manb As 7 boras 18 minutos da tarde. ....
PARTE OFFICIAL.
RIO DE JANEIRO.
' CAM\RA DOS SENADORES.
Sesso em 1 de Setembro de 18 38.
Pressidencia do Snr. Marques de Bae-
pendy.
Feita a chamada eachando-se presente
I numero legal dos Snr.s. Senadores, t> Sr.
Presidente abre a sesso, e lida a acta da
anterior heapprovada.
O Snr. primeiro secretario da' conta do
expediente. ..
Ordem do dia.
Contipua a dseusso addiada na ultima
sesso do rt que rime uto 4o Snr. Paula
Souza, pedindo inf.rmacoes ao governo,
feito e apoiado na -. primeiu discusso. da
resolucao n. 3o, que manda indemnisar
a Ignacio, Rigaud e outro, e faser um em-
prestimo extraordinario de 6j:oooU. de rs.
ao cofie.provincial de Santa Catharina.
O Sr. Presidenta declara addiada. a.dis-
cusso por ie achar na ante camaia o mi-
nistro da guerra.
Sendo introducido com as formalidades
do estilo toma assento e continua
a segunda discu>so adiada pela hora na
ultima S'sso da emenda addiliva da c-
mara dos Srs. deputados, sobre engajamen-
to de estr.'nge.iios, feita ao artigo 1. da
ptoposla do governo que fxa as f o reas
de Ierra para oaniie financeiro de i839
a l84oj conjunctamepte com a emenda
do Sr. Paula Souza, apoiada en 29 do
mex de agosto
Dada a hora, fu-a a discusso adiarla, e
retirando-se o ministro com as formalida-
des do estilo, o Sr. Presidente d para or-
dem do dia a materia dada para boje.
Levanlou-se asessa as duas horas da
tarde. '
CMARA DOS DEPUTADOS.
-
Sestad em 1 de Setembro.
Presidencia do Snr. Araujo Vianna*
Logo que se rene numero legal de de-
putados,. he aberra a sessai, lida e ;ippro-
vada a acta du anterior. ,,
O Senhor primeiro secretario da' conta
do expediente. ...
Ordem. do dia.
Primeira parle. > ,
v Entra em discusso o artigo addilivodo
Snr. Ferreira Penna a resouQo que ai
nalla a lei provincial de Srgipe que de-
nieiio um juiz de direito. .
Depois de algum debate .0 artigo he re-
geitado, a resolucao adoptada, e remetida
a rommUso d,* reda< cao.
Entra em discusso o artigo 4 do pro-
jeclp,,,. que jnterpre^ o neto addi.ci.onaL, .e
drscolrendo largamente sobre a materia o
I Snr. Moma Magalhes, fiua a discusso
, addiada pela hora.
Segunda parte.
Entra em i. discuss- o seguinte, com
as emendas da commisso.
A primeira commisso de fazenda tem a
honra de apreseotar para entrar em i. dis-
cusso o projtcto de lei do ore.minio para
o auno de ibg 184, redigido con.for
meo que se venceo em segunda. Pele
que respeila receita a commisso concor-
dando cara as razes expendidas pelo Sr.
ministro da fazenda no acto da dicuso ,
a reduzio soroma de rs. 1 5, \.\b.(j 4s'ooo
aceitando os clculos du thesouro pelo que
respeita an agio das mi das rposices ,
e resliluieoes e augmentando com mais
20 contos a renda das correios : e sendo a
despeza iixado nos diversos ministerios de
rs. i5.6a5 207s'46 segu se que temos
j ;um dt ficit na importancia de rt>is
5ao.73s'574 sem contar anda rom a dif-
l'eienc de camb>o nos pagamentos de nos-
su divida externa e na dispezas com o
corpo diplomtico'; difTerenca que ao
cambio actual ( j8 ) sobe a bem perto de
i,3oo contos mesmo sem fallar ainda
n despezas j decretadas em diversas l.eis
nesta sesso e na passada a* quaes nao
voaqui comtempladas por nao terem si-
do taesleis remedidas officialmente com-
misso 1 como devetia ser mas que por
seos clculos levem passar, talvez de i5o
cont "S. A commisso nao pode deixar de
coi templar a .differenca de cambio por-
que estando este, to baixo e nao baten-
do anda boas razes para presiimtr-se que
no auno finanr/eir. d'esta lei lenha consi-
deravelmente melhorado d certo que to
grande soroma nao pode ser considerada
coroo eventual. Este defict cumpre que
seja preenchido para qute.nao fique o go-
verno em embaraces para que, nao perigue
o crdito publico, e mesmo porque sen
do a maior parle das despezas de nattireza
tal que se han de I. /. r urna vez que
por iei se decreta o resultado ser que
nao se dando agora os meios ter a c-
mara no armo seguinte de dar crdito para
havec-se dinheiro por meio de ernpiesti-
mo como at aqu tem sucedido peta pra-
lica errada.de se votarem desprxas sem se
dar ao mesmo lempo o crdito correspon-
dente : ora o Brazil nao pude, e nem de-
ve continuara viver de emprestimos que
i podem ser loleradusou q-iando spem-
pregados productivamente em melhora-
mctitos do paiz ou quando sao declinado
para manler a.dignidade da naco e de-
fender a integridade do imperio. A com-
misso j leve, a honra de expor ao con.be-
cimeuto da cmara a sua opinio na qua!
ainda presste : a cmara porem que em
sua sabedoria nao tem dado grande peso
opinio da commisso resolver como me-
Ihur enlender>,
A commisso deve declarar cmara
que nao contemplou no orcamento urna
emenda ofvrecida pelo Sr. deputado Ca-
sado e que foi.aprovada por isso que
dizBndo.csta emenda que o, govorno fi-
ca aulorisado para despender cota um fa-
rol no porto de Jaragu da provincia das
Alagoas a qnanlia ; que psra o mesmo se
aclia oreada todava commisso nao
consta qual seja sta q'antia *
Por fim a commisso olferere diversas
emendas, e artigos additivoa, as ia/5es,
em que se funda para os apresentar por
brevidadeaqui omilte ; mas no acto'da dis-
cusso ter a honra de expol as conside-
raeo da cmara,
. EMENDAS.
' Ministro do imperio.
9. Suprima-ge 1:33311333.
10. Supiimi-se 499U999/
17. Admilie-se incluida a qnanlia de
8:o para compra do terreno fronteiro
academia de Bellas Arles.
Ministro da'justtea.
3. Sprima-se 93U53.
"Ministerio da marinha.
\.\. Accrecstnte-se mair 5:odU pra
a obra do farol no Ceara na conformi-
dade da planta e orcamento.
Ministerio'da guerra.
8. Suprirtla-se 84oU.
^ r8. Suprima-se as palavras des-
de j. -
Ministerio da fsz'nda.
1 t. Suprmase -l5:oooU.
Aitigos Addilivos. "-
' Alt Doi. de julho de iH<9 em dianle,
nao podero as thi'Sora'rias pro'vinciaes
ser encarregadas d administraclo das ren-
das provnciaes, n os inspectores,' c ibe
soureiros que destrairem dos cofres1 ge-
raes a favor dos provinciaes son ms
que exede as siyrtificaces marcadas no
orcamento para supprimento dodifictda
receita provincial sed ordem expressa do
ministro da fazenda alm do- perd ment
do lugar, cm que incorrem fco obriga-
dos a indemnisar os cofres geraes.
Art. A receita e despeza da cmara mu-
nicipal'dn Rio de'Janeiro, ser d'ora era
diante fixada pela assemblea geral en
proj> co separado cuja discusso se "se-
guir a do oreamen'o gerl. Para
este fim a cmara municipal principi-
ando no anno de 1839. apresentar ateo
diatodemaio o orcomento impresso de
sua receita e despeza para o anno futuro ,
eo bala neo do-anno fin do regulando-se a
semelhante respeito pela legislaco finali-
ce ira em vigor. 1
Art. Nenbuns fundos seri desfinados
para obras publicas sem que sejo decre-
tadas estas -por lei especial; exceptuo-se as
sommas necessbrias para reparo das exis-
tentes e das que para o futuro se fize-
rem e para conluiuseao das j come-
cadas. '
Art;i Fco rregados os artigos 34 da
lei de 8 de oilubro de i832, e todos os
mais artigos das diversas leu do orcamen-
to declarados permanentes pelos quaes
fot o governo aulorisado a facer reformas
em diversas estacrs publicas. '
Ait. Os dono consignatarios', e car-
regadores de quaesquer embrcac5es na
cienaes ; joustestrangeiras ; que de>qnaes
tro ou com parle somente da carga de-
clarando que se destino a porlos estran-
geiros, assignaro lermo perante o ins-
pector das alfandegas de nao conduzirem
pao brasil e presturo fianza idnea igu-
al a*b valor que a mesma embarcaco carre-
gar d'este genero do qual nao sero alli-
viadas sem altestado do cnsul do lugar a
que'se destinar de que para ah o nao
co'n'd litio. No c.iso de que a em bar cacao
enha ordem sur a fianca prestada em
dinheiro.
Art. E quando mbaredeo se desli-
nar a portos do imperio para ahi carregar
ou completar o c ir: eamento prestaiio a
mesma Sanca da qual somente seio os
ditos donos, consignatarios ou fretadores
relaxados, mostrando altestado do inspec-
tor da aifandega-d* porto a que se desti-
nar, que ah deo entrada o carregou.
Arugo Os qu riolarem as presentes dis-
poscoes fic5s sgiios, aiern do paga-
mento do valor da fia oca a pena de da-
Us nonos de prslo, e os consKiles qiie ro
cumprirem fielmenle cora que Ihes he
determinado nesta lei, incorrero na pena
de perdimento do lugar, e na multa de a
por cento do valor da fianca.
Sao apoiadas diversas emendas, e ar-
tigos additivos.
A "discusso fica addiada pela hora.
O Snr. Presidente d para ordem do
dia a continuado da mesma materia.
Levanta a sessa depois das duas horaa
da tarde.
PERNAMBUCO
..
THEZORARIA DA PROVINCIA.
.....
Expediete do da 2 de Novembru de
i838.
Officlo Ao Exm. Vice-Presidente da
Provincia, informando, que nenhuma
duvida pode lia ver ero se mandar abonar
osConegos da S de Olinda as Congruas
das'Cdeiras vagas.
Dito*-*- Ao Procurador Fiscal interino
exigindoque, em consequeheia da parte
cipaco do Administrador d Rcebedori
das Rendas Internas de que na mesma
Kepartico ten apparecido para serem sel-
lados varios autos que tratlo de arremata
coens de Bens de Raz e de ad'<>dicac5es
aos Credores Exequ.n'les sem que delles
conste t-r-se pago a competente Siza re-
quisiteas Authoriddes compeles todas as
providencias que julgr convenientes para
evitar o prejuiso da Fasenda Publica.
Dio Ao Administiador da Mecebed>-
Ha de Reddas Internas partecipaudo-lhe
o conteudo do precedente otficio.
Cifo_ Ao Administrador d Mesa d
Consulado disendo Ihe que'x'e^tiudo fs*
vigor b disposico da Le do O.camenlo
Provincial que mandoua^rrematar o Di-
simo das Mmicas do ftecife e Olinda',
nu pode ter applicaco nesta Provincia o
ait.' 98 doRegulamento do CooPuUdo ; e
prevenindo-d de que nao s> conprclren*
quer dos paitos do imperio Mirem em la- deudo em dilo isimo Caf, c Tabaco,


I i*
DA R 10 D E i B-B N A AI B UG Ol
__v_i_^z>us:
deve este ser cobrado na exportacio na
forma da Legislacio, e ordena existen
le.
Portara Ao Thesoureiro da Fasenda
mandando entregar ao Thesoureiro das
Rendas Provinciaes dez contos de res
para supriment das despeas a seo cargo.
Dita Mandando carregar era rece i la a
o Thesoureiro das Rendas Provinciaes a
qoaotia constante da precedente Portara.
D ta Mandando pagar o Procurador
Fiscal interino a quantia 5o mil reis do
eeu ordenado do mez de Outubru ultimo.
Dita Mandando p*gar ao 2 Escri-
plurario da (^ontabilidade da mesma The-
zouraria Jo^e Henriques Machado a quan-
tia de 5'333 reis do seu ordenado do mea
de Outubro ultimo.
Dita_ Mandando pagar aos Embrega-
dos da Reparticso da Saode a quantia de
l8;s'493 importancia do Salario que ven
ceio ro me7.de Outubro utlimu.
Dita Mandando pagar ao Thesonreiro
da l-asenda e a seu Fiel e ao Escrip-
turaioencarregado da escripturacio de Li-
vro da Receila e Despesa a qmntia de reis
33$335 ao i." e a de aos' reis a cada um
dos dous ltimos, importancia da gratifi-
cado que percebem pelo encargo do tro-
co e substancia do papel delaceado re-
lativamente ao mez de Outubro prximo
passa do.

DIVERSAS REPARTICOENS.
ALFANDEGA DAS FAZENDAS.
A Polaca Austraca Barn Parcolim ,
viada de Celte entrada em a do corla-
te Cap ti o A. Bonnicelli consignado a
A. Schramro.
Manifestou o seguinle.
aoo Banics com farinha 3o pipas
com vinho, 4o barricas com dito 37
qmrtolis com dito 5o cestos com vinbo ,
5 birricas com verdete 5 caix >s com o-
leo d'alfasema 1 dita com alcanfor 5o
macos de ervas para amarrar ai eos 1 cai
xa com preparos para tanoeiros.
Fora do Manifest*
7 Vazos com bizas, 1 caixa cosa figuras.
A arreraatca de urna caixa de Colari-
dIios urna maquina e duas taxas de fer-
ro ter lugar boje b do corrente pelas ll
horas impreterivelmenle.
MEZA DO CONSULADO.
_ A Pauta he a mesma do num. a34
OBRAS PUBLICAS.
Nosdiasia, i3 e i5 do corrente
mez de Novembro se proceder a ar-
rema lacio do /\ la neo da estrada de Pi
do Alho desde a valla aue separa as torras
doa Engentaos Brum e Poeta at a estrada
denominada do Barbalho avahada em
Rs i8.835jfc'7i. Os Licitantes sio con-
vidados a comparecer competentemente
habilitados de Fiadores idneos em os re
feridos das ao meiodiaa dar os seus lances
na Repaitico das Obras Publicas, aonde
acharas patentes em qualquer dia til as
horas do expediente as respectivas Descri
pcoens 0< menlos, e Condicoens p-ra
examinarem.
Iospeccio'das Obras Publicas 3 de No-
vembro de i838.
Moraes Ancora.
I ela Administraca Fiscal das Obras
Publicas se visa a todas as pessoas qae
I- id canoas nov./s e v Ibas paos de jan-
gadas pedras de Cantara e Lages de
Lisboa, pranxoeus de uboado T e oulros
quaesquer objectos na Praia do Colegio ,
comprehendida entre a quina da Casa da
Guarda e do ultimo arrnazem de carne
defronte que tendo o Exm Vice-Presi-
dente destinado esta mesma Paria para ar-
recadaco das madenas pedras e mais
objectos da sobradila Repartilo e tendo
se disto raesmo avisado aos mesmos Suis.
pelo Diario nanitas veses e continuando a
existiie.m no di" lugar os mesmos obje-
ctos ; que seo donosos faci tiah remo
ver quautoantes e ponjue depois senio
qoeixem do proced nenio que aparecer -,[
faz-se pela ultima vez o presenta aviso.
Amaro Francisco de Moura.
Administrador Fiscal.
PRFS.TURA.
Parte do dia 1.* de Novembro de i838.
lllm. e Exm. Sr. Forio presos hon-
tem a miuba ordem e tivero destino ;
Valenlim Jos Soares pardo peJo Sub-
Prefeilo da Freguesia do Recifo por le
querido violentar a um Alrnocreve para llie
vender urna carga de farinha Anua Jo-
aquina tambem parda,, por um Com mis -
sario de Polica da mesma Freguesia por
ebria, e deso deira; Felippe Miguel dos
Alijos preto pelo Sub-Prefeito da Fre-
guesia de S. Pedro Mrtir, por ser vaga-
bundo; e Vlanoel Antonio do Monte,
pardo pelo Sub-Prefeito do Cabo por
ler assassinadoa uro menor de nome An-
tonio filbu de. Joao Paulo de Maeedo.
Nada mais consta das partes boje lecebi-
das n'esta Secretaria.
Dos Guarde a Y. Exc. Prefeilura da
Comarca do Reeife 1." de Novembro de
1838. lllm. e Exrji. Sur. Francisco do
Reg Barros Presidente da Provincia.
Francisco An onio de S Brrelo, Prefei-
lo da Comarca.
Que influencia podem ler os morios na tiosomenle, concedeo la bena alguma eoq
nossa poltica para que se revolvi as so- za minoiia. Mas o Snr. Antonio Ra-
as cinzas ? Nio nada mais mis iuvel do mundo Ibi ncmeado Prefeito de Alcanla-
Parte do dia a.
Illm e Exm. Snr. Forao presos hon-
tem a miuba ordem, e liverio o com pe
teute deslino: Antonio Jos Piulo bran-
co e Antonio preto escravo de D. YJa-
ria deCarvalho pelo Sub-Prefeito da fre
guesia do Reeife este por ler s-ido encon-
trado pela 1 hora da manba debaixo do
Trapixe d'Alfandega velba e aquello por
ler sido tambem encontrado tarde sem des-
tino ,- Jos, tambem preto, escravo de
Jos Goncalves Ferreira pelo Comman-
dan le da Guarda da Alfandega par ter
pericndido violar ao Contra-meatie do
45a igue Olinda para o roubar o que o
brigoo ao dito Coiitra-raestre a gritar e
pedir soccorro ; Antonio Jos doa Santos,
e Manoel Antonio Potra Lea, Feilosa
Pita Dos Dar, indios Jos da Silva e
Paula Simplicia pardos Benedicto preto
vravo u major Azevwuo e Candido Jo-
aquina pardo pelo Sub-Prefeito da fre-
guesia de Santo Antonio ,01.* #2.* por
eslarem em desordens armados de facas
flaaaengas o 3.' por estar ebrio e ter in-
juriado a outrem a 4 por esur na ma
protferindo em altas voses palavras obsce-
nas em preseuca de familias honestas eo
5." e 6.a por seren vadlos e poderem ser-
vir 110 Exeicito ; Jacinto de Mt deiios Gal-
vao, blanco e Felicia prela escrava de
Rila Mara Theodora pela 1. palmilla do
districto da Ribeira, esta para urna averi-
gua ci e aquelle por estar a espancar a
urna prela em urna taberna ; Jos, tam-
bem prelo escravo de Manoel Caldoso
da Fonceca por urna patrulha de Polica ,
por estar fgido ; e Antonio Jos de Bar-
ros pardo pelo Sub-Prefeito de Jguaras-
s por ser bstanle, perverso e ladiio.
E' oque consta das partes boje recebi-
das n'esta Secretaria.
Dcos Guarde a V. Exc. Prefeitura da
Comaica do Reeife 2 de Novemb.o de
i838, &c.
crelario tratando dos prenles de Depa-
ta dos comprehende na sua classificacio
tanto o parentesco por afinidade : os Srs.
Joaquim Goncalves p quira Jos de Moraes Reg sao prente-
por a'ffiuidsde o primeiro do Snr. Go-
mes Belfort e o s-gundo do falecido Ig
naci Correa de Ar'ujo. Nem esta cir-
cunstancia de ser prente de um Depulado
falecido eacappti ao lance da Chronica! .' '
rnarm parte no Governo, a exercerem
nellea justae regular influencia que Ibes
cabe, segundo asnossas ihstitoicoens Sic --
Si o Governo Representativo he o Go-
verno das maiorias si a maioria parla-
mentar be que deve influir no G< verno,
he evidente que o Sr. Camargo obrou com
muito acert quando tirou da maioria os
agentes de que tratamos. Esse Snr. com
ludo nio empregou a membros da maioria
MARANHA.
A Chronica levou muito a mal que o Sr.
Camargo nomeasse para as Prefeituras e
oulros eropregos a Depul&dos e prenles de
Deputados ; *> para provar que ahjuns dos
nomeados e5o prenles de Deputados,
*io-sj qoasi f01 cada a lemctar ao troco
cummuua do genero humano o nosso
primeiro pae___No enlanlO urna grande
saplisfacio deve ficar a S. Exc e vem a
ser que o ex Secretario do Governo, sem-
pie prevenido contra a actual Administia .
cao nada mais li v sse a diser dos Pref. i -
tos o de qu.- si todos os novos enspregados ,
si nio que alguna delles erao Deqntados e
alguus prenles de Deputados pe* parece
que aqslrahiia issa circunstancia de
nenbum peso tac lamente confetis* o de-
zapirdado censor que a rscolha foi bo* na
sua geoeraJidade. E que mais se podra
exigir P Compre notar que o nosso ex-Se-
qoe orna similhanle lembranca. I'.ste Sr.
Reg aiuda prente de 3 elleiiores!
Ueve-se confessar que nislo de genealo-
gas o nosso ex-Secretario huma Aguia
Mas ser em verdade a qualidade de De-
pulado e de prenle de Elleitor ou
Depulado, motivo de excluso '( Nao.
Que importa pois essa circunstancia si
>s individuos de que se trata sio apios
para os emptegos ? Quanloa nos esta-
mos convencidos de que o Snr. Camargo,
nomeando aiguns Deputados pira >s Em-
pregos nova mente creados nao fes mais
do que seguir a prlica e estillos const lu-
cionaes. Podamos, para conipr'ovar a
nossa asserefo cifar muiros exrroplos de
uacoesexlranhas ealgumas dellas ha,
onde sio passa a excesso ; mas contena-
nlo-nos por ora eom os da nossa mesma
casa. O que observamos no Brasil ? Di-
putados nomeadas para os importantesem-
gos de Ministros de estado Piezidenle de
Provincia Commandantes de Armas &c.
e nemguem se lembrou anda de censurar
esse proqedimento do Governu porque a
mesma Constituica o permute. Si isto
pratica entre ne pratica constitucional ,
porque rasio se far um crime ao Senhor
Camargo de haver seguido essa pratica ?
Queris sabel-o / E' porque foi o Snr. Ca-
margo, e nio o Snr. Antonio Pedro, quem
con ferio essas nomeacoens
Ootra circunstancia que a exaltou a bilis
do chronista foi o nio haver o I residente
entre tantos individuos nomeados para
differentes empregos eicolhidoa mais do
que um pertencehte oppo^icfio : e nte-
se que ahi se avanca que o u partido da
opposicio pelo menos lio numeroso co-*j
mo o do Governo proposiclo qoe se
pode tradozir por esta outra a mino-
ra menos ta5 numerosa como a maioria.
Apage Que elegancia A assercao de
que s foi escolliido om membro da op-
pozicio inexacta ; porque lem do Snr.
Antonio Raimundo para a Pr feilura de
Alcntara forao nomeados Juizes de Di-
reito, para Guimaraens o Snr. Monleiro ,
para Paslos BWOS o Snr. Porto no que
a Chronica nio toca e primeiro escriplu-
rario do Thesouro P. Provincial o Snr.
Desiderio os quaes lodos pertencem
oppiniiobemtevi. Mas precindindo dessa
i'xcepcioqae prora a imparcialidade doSr.
Camargo naquillo que compativel com os
principios do Governo Consllucional pra-
tico donde devia esse Snr. tiraros agen-
tes da Administraca si nio da maioria
que sustenta a mesma Administrarlo ?
Quera a Chronica queesses agentes ios
sem lirados da minora desacreditada da
minora que gueirreia o poder e desejara
derribal-o ? Essa pratica seria totalmente
nova : ella s servira de comprometler o
Governo que a adoplasse. ivSo sabido
que nos paizes constilocionaes a maioria
que influe no Governo, porque ella que
representa a naci e que a minora e go-
vernada e deve resignar se ? Ja ti vemos
occasiio de desenvolver urna similhante do-
ctrina nesta mesma foi ha; mas como a nos-
sa oppiniio pode parecer de pouco peso,
nos a reforjaremos agora com h de hum
parlamentar dislincto que passa pela pri-
meira capicidwde do Brasil, o Snr. \as-
concellos
Cmara lerrp >rai:a iratando-se da 1.'
discualio da Le de fixacio de forcas de
Ierra : O Governo P.epresenlativo n
Governo das transaccoens. Ora o que de-
ve faser n om tal Governo Ministerio 'l
Nio todo qoanto enlende melhor, mas
quauto a maioria julga mais conveniente a
o pois sem oflensa dos principios vitaes
do rgimen representativo..........
Temo mui'as veses declarado como enten-
demos o Governo representavo o Gover-
no das maiorias : he, porisso que temos
chamado as maiorias parlamentares a to-
ra porque as circunstancias peculiares
dessa Ccmaica nio permeltiio outra eoora.
Concedarod-o. Si foi por esse principio
que o Presidente escolbeoo Snr. Antonio
Raimuido para Alcntara deve lio bt ni
conceder m>s o Sor. Li>boa que os Prfe
los das demais Comarcas forio tirados da
maioria poique as circunstancias pecu-
niarias dess permute. Expressemo-nts com claiesa :
si o Picfeilo de Alconlara foi tiiad<> da
minora he porque a minora preponde
ra iressa (ornara, ou por outra he por
que aquillo que he mo ria na provincia ,
passa a ser maioria em Alcntara ; admit
tidn esse principio para as denuis nomea-
ces seg^ie-se que os Prefelos das nutras
1 ornare, s forio tirad s da maioria porque
a maioria prepondera nesgas Comarcas,
como bem demonstrarlo as umas elleito-
iaes em 1836 Explicada fica a poltica do
Snr. Camargo pelo mesmo principio invo-
cado na Chronica Mas o Snr. Leonel a
pedra de escandolo : por cauza dessa no-
meacio atrooo o Snr Lisboa o ceo e a Ier-
ra com clamores ; p rasoeos contra a nomeacio do *>nr. Leonel
sera necesario que o Chronista provasse
alguma couza era desabono desse Sor. e
nio o insultaste. Advria-se que o Snr.
Leonel o maior antagonista do Snr. Lis-
boa e que este nio perde occasiio de cavar
o seo odio conlra elle. O Snr. Leonel em
fim aquello qoe pelas baixas intrigas dos-
Snrs. Costa Ferreira e Miranda, foi
injustamente dimitlido de um lugar de Fa-
senda que exercia com muita inielligencia
e em qoe acaba de ser reintegrado pelo
Snr. Calraon o qoe prova qoe elle servio
dignamente. Para encurtar rasoenas ae-
crescentaremos : qoe do roesmo silencio do~
Chronista a respeito de quasi lodosos no-
meados se colhge qoe escolha foi boa na
sua generalidad* e isto era o raaia que-
se poda esperar de um Administrador in-
telligente e bem intenoiooad*.
( Do Iuvestigadar Constitucional N. ao5.)
EXTERIOR.
O Correspondenle particular de Madrid
em dala de 7 de Setembro commonica ao
Nacional de Lisboa o seguale :
Madrid. A mudanca ministerial que
aponlei a V. m. no ultimo pargrafo da
minha carta de 4 verifieou-se. Desde ea
primeara* dcsavencas entre o conde deLo-
chana e os Srs. Castro e Mon pvrdeu o
ministerio sua forca moral, r o conde de
Ofalia fez muito mal em nio buscara pri-
meira occasiio opporlona para desfazer-so
destes dous rnexperienles e prmuroidos ho-
mens pois era sabido al qoe ponto se
cbava desacreditados no paiz o primei-
ro em rasio de certos rmpregoe que deu
ero Havana de huma maneira algum tanto
questionavel ; eoegundo pela escanda-
lusas preferencias que fez n<>s pagamentos
de airaros a certos empregado, dentando
perecer de fome oulros assiro como tam-
bera por certas penes que W diz assignia
sobre as rendas da llh- de Cuba enlie ou-
Dice esse Snr. ee anno na|trs huma a D R. T. Morreu pois esta
ministerio sendo mui sentida a asida do
respeitavel conde d'Ofaha.
Os novos ministros sio o duque de Frias
Uceda bomem de poucs falla* e com-
poe versos medriocremente, porein tolai-
nienl inepto para ser presidente do con-
selho, de ministros, e aeorHario dos nego-
cios tstrangeiros.
Dom Domingo Ruiz de la Vega para
graca e justica ; este senhor he senador
pela provincia de Sevilha homem patn
la intelligenle, auctor e poeta magis-
trado ncoiToptirel, em buma paavra,


DIARIO DE PERNAMBUGO
5
nunca leve Hespsnha hornera mais honra-
do no ministerio. Estere emigrado em
Londres desde i8a3 at l8J4, *endo to,
proverbial seu bom nome que fo eleito
pelos infieles pura repartir os socconos
qae aquella naci prodigara aos seus com-
patriotas.
O marquen de Montavirgem proprieta-
rio na provincia de Lea e director das
rendas, para a fazenda. Este senhor he so-
hnnlio do famoso Sierra Pamhloy, que
lauto je distinguid nos anuos de l8ao at
i8a3 : nao tem nada de ignorante: he im-
periarbavel no meio das calamidades publi-
cas e far maito caso dos ra inores das
viuvas dos cessantes e dos frades e frei-
rs enclausurad.is que Ihe pedirern sua res-
pectiva assign cao.
O marque/, de Vallegoneza Valdric por
appt'IJido, he homem comtemplalvo ere-
servado, e parece educado por jesutas ;
portin tem talento e pode se quizer ,
fd/.er bem sua patria.
O general Late continua no ministerio
da guerra.
O general Aldama hura mu bom oftk-ial
de cacallara e homem honrado, poiem
duvidoqu<; tenh grandes coiih-rmenlos
Ene senhor despachar interinamente o
ministerio da marinha.
A rainlti governadora chamou ao senhor
Istmiz porem este senhor nio se atreven,
a encarregar-se do ministerio; e posso af-
flrmar a V. m que S. M., segando di-
zem pessoas do palacio, nio julga provavel
que este ministerio possa durar alen de
alguns mezes.
As cortes seio immedintamente convo
cadas pira 15'de Novembro prximo.
Os commissionados financeiros, que to
disparatadamente forao mandados a Paris
pelo ministerio Mon, esto j em caminho
de volla para Madrid havendo gasto bons
reales a esta exhausto thesouro e eis aqu
o absurdo de nao ha ver querido entrar em
arranjoscom o* Senhores Latiste e C. e
Safforit C; e agora pergunto eu que-
rem estes senhores renovar sua ollera ?
Assegura-se aqui que ministro da In-
glaterra- voltar mu breve a esta capital ,
e desde j asseguro que tem feito grande
falla pira contrastar os tramas da corte das
Tallaras que por vezes nos fas dvida*
se he ou nio nossa amiga e alliada.
Repito a V. m. qu Espartero vai ata-
car eespero tomar Eslella d'huro mo-
mento a outro. Torna se necessario hum
successo desta natureza para estabeleeer a
forca moral que temos perdido com o des-
granado xito da empreza sobre Morella ,
que nos custou 3 cheles, i4 offieiaes e
j6 sargentos e soldados, morios; e 5 che-
fes 91 officiaes e 18j3 feridos e en-
fermos.
Escrevem de S. Sebastio, dizendo que
acabavao de passar ao bando de Munagor-
ry a instancias de Lord John Hay, ,\ offi-
ciaes.de arlheria Carlista e que se igno-
ra qual fui o objecto de huma entrevista
que o dito Lord leve com os cheles Carlis-
tas Ibero e Alza por isso que fui noc-
turna e secreta.
O General Narvaez d pa le drsde Al-
magro da aprehenc-o que se acaba de fazer
do che fe Carlista Cuenta Cuentas e derrota
de sua guerrilha ; igualmente diz que o
Brigadeiro O. Trinidad-Billcta fizera fuzi-
lar na Cidade Real ao miliciano nacional-
de Cava laria Manoei Dorales, homem que
finga liberal exaltadsimo por cumplice e
capa dos roubos do infame Palillos
G General Oraa chegou a Segorbe com
sua divisao, e oGeneml Borso com o Bri-
gadeiro Valdez acabivao de sahir ero per-
seguicao de Cabrera Korcadelle e Llangor-
tera. Listines da a ler as cutas que rece
hemos das immediacoes de Valencia pin-
tando os estragos qae tem feito aquellos in-
fames, que nada bao respeitado .nem ex-
ceptuado maito duiheiro levara .'
He prova vel que os tres candidatos mais
votados pela provincia de Cdiz para S-
nadores serlo o Infante D. Francisco de
Paula o General Tacn e o Geoerl ftlo
reda era cujp evento se o governo conhe-
ce o que mais cenvem dever aconselhar
a S. M. eleija a S. A. R. pondo 6m desta
maneira voluntaria expatriac-u daquella
Ilustre personagem ( 'Do Naconal. )
ANNUNCIO
O actual- arreraatjute do Imposto de
as'000 por cabeca de gado vacum aviza
ao respeitavel Pdblico que a carne nesta se-
mana de 3 a 9 do'crreme he de a4 > e
que os assougues sao nos lugares docostu-
me.
AVISOS DIVERSOS.
_ O Brigue Carolina transfere a sua
salii ta (p"r inconveniente) para o dia 3 "
feira 6 do correte em cujo dia devem os
Srs. embarcar de minli cedo.
_ O leilio de Aim Fradel e Dingla
Freresacaba impreterivelmente boje 5 ,
na ra da Cruz D. 60, principiando logo
s nove horas da manli.
_ Joaqtiim Jos de Cirvalho ProfTes-
sor de sciencias Malfiemalicas applicad s as
ai tes; faz sciente ao respeitavel publico
que faz o curso <3s materia* seguinles.
Arithmelica -\lgeb a elementar Geo-
metra elementar, e Descriptiva, e ap-
plicadas asarte. Sterografia Mecnica
apphc-adas as arle. A Iraduzir e. pronun-
ciar a nigua Franceza, Desenlio e Pin
lua a oleo. Ra das Flores D. i5.
Quem precisar de hum rapaz portu
guez de idade de .8 a o anuos para caixei
ro de qualquer oceupaco mercantil o
qual sabe bem ler, escrever com perfei-
co, e tem toda a pratica denegocios.com-
merciaes dirija-se a Fora de Corlas na
venda do Sr. Cypriano, que ah se dii.'
quem he o annunciante.
_ Peranle o Juiz> da a. Vara do Civel,
se ha de arrematar par arrendamento o si
tio do Jang periencente a Manoei Ignacio
Torres do qual he consenhor o Orfio ne-
to de Juio de Dos de Jezus, no dia 5 do
corrente raez de Novembro impreterivel-
mente por ser a ultima praca : 03 prtten
denles podem compareecr as 4 horas da
tarde do referido dia para darem os aeus
lances.
_ Desappareceo 'da Cidade de Olinda
huma vaca caatanha clara, grande, com
hum bezerro mascarado; qnem della der
noticia ser recompensado, dirigindo se
para esse fim aos Atfogados, em huma
Aula de meninos junto a Ponte.
_ O abaixo assignado faz publico que
Auiuis Jos da Sania Cruz morador na
ruado Amparo de Olinda Ihe tem em-
penhado a varios arinos sua escrava de
nome Anna Mara de cor parda, nao Ihe
servindo de pretexto o tel-a o dito Santa
Cruz na sua caza por quantn para a ter
paga salario della e pira evitar queslSes
faz o presente nnuncio.
Joio Percira d S Iva Guimaraes
i Precisa-se de huma ama para caza
de pequea familia que faca o ser vico in-
terno e externo da mesma, ou que tenha
algnm menino para fazer as compras ; na
praciuha do LivraueutO'loja D. 20.
_ A pessoa que annunciou no Diario
de honlem piwisar de 3.ao>>o'ooo rs. a pre-
mio dando para seguranca huma pro-
pned.iae, dinja-se a esta Typ.
__ Quem quiser allugar hum bom ca-
noeiro ou mesmo para servente d'obras,
procure na ra Direita venda nova D. ij
qne achara com quem tratar.
d^ Arrendn-se o siti denominado Ja
car com boa caza de vivenda dita de fa
zer familia e coxeira para 6 a 8 civallos.
ment, nem dispor dos bensda testadora,
he claro, que nao pode o mesmo testa-
mntelo, nem os herdeiros naquelle tes-
tamento instituidos vendareis bens alguns
seja de raz movis ou semoventes, ou
pertenca a heranca il falerda D. Ma i
Cesar liandeira de Mello e Brilo, ou a re
ferida testadora J nem por qualquer ou'ra
manera alienal os ; e esses herdeiros da
falecida testadora Catkarina Alejandrina
Cezar como o seu testamenteiro nio sSo
pessoas competentes por ora para as ar-c'-s
que contra a mesma testadora se4podia
enraminhar: oque ludo os ab-ixo assig
nados fasem publico a fina de constar a
quem r-onvier.
francisco Camello Pessoa de Mel>o.
D Mara Francisca Pesoi de Mello.
Os Srs. Antonio AITonso l'ereira ,
Francisco Ribeiro Pavo Manoei Joaquim
(jomes Domingos Jos Martin* Vieira .
Francisco Jos Vieiade Veras. Francisco
Manoei da Cunha de Medeiros ; e as Sa-
lidoras 1) Francisca Anglica Mara San-
xa das Merca; queira mandar procurar
humas cartas viudas do Ass, no armazem
de porta larga sobrada de hum andar pa-
teoda Matriz de Santo Antonio.
Na noite de 19 para 20 de Setembro
ultimo furtara 4 cavallos dos quaes 3
en5 de estribara e hum quartao do si-
tio pertencente ao Sr Francesco Goncalves
da Rocha na Solidade com os signae*
seguinles : hum ctvallo preto bom carre-
gidor tres p> calcados ea frente aber-
ta tem a ponta de huma 'das orelhas raxa
da, e est em grao ; -hum d>to melado,
dinas pretas, novo, bom carregdor, e
esquipa em gr >; hum dito castanko.
grande os Ires ps calcados., tambero car-
reja e esquipj tem o ferro apagado e
est em grao : hum quartao castnho ca-
pado grande calcado do lado direito :
quem dilles tiver noticia ou souber queira
dirigir-se ao mencionado sitio caza de
sobrado db lado de N. Senhora da Soleda-
de, ou ao pateo da Matriz do Sacramento
da Santo Antonio armazem de Porta larga
sobrado de hum andsr que ser generosa
mente recompensados, assim como protes-
ta-se contra qualquer pessoa que os tiver
comprado, ou os tenha escondidos ou aga-
zaibados em suas ca/.s.
A pesoa que quizer allugar huma
caza para passar a fe-la com hum bom
quintal, e bons arvoredos e hum bom
poco, na entra.a da Cara^ Forte defronte
da Capella de NosSa Senhora das Necessi-
dades : dirija-se ao pateo de S. Pedro aci
m d loja de livros segundo andar.
Precisa se entregar boma carta ao
Sr. VInoel dos Anjos Mendonca vinda
do Altinho ; e como se ignora, dirija-se
as 5 Pontas venda D. r6
Quem annunciou querer alugar hum
sitio, querendohum na Varzea, com o
rio na porta boa caza ou outro na estra-
da do Pombal grande todo coberto de
arvoredos de toda a qualidade, e mais de
3oo coqueiros emuitos cajueiros caza
grande com cmodos para grande familia ,
eqnarto separ-ido para escravos dirija-se
a ra da Praia sobrado por cima do bar-
bel ro. -
_ Perdeo-se huma ordem da qunntia
de cem m-l re<, passada por o Sr. E'sleva
PaisaoSr, Joio Hiplito de Mein Lima
hum bom pomar de Urangeiras as mais com o pertence a Jos de Sotrza Cardozo pa-
escarecer o brilhantismo que so (ti cora
tanto gosto.
Precisa-se de hum cai'xeiro portu-
guez de idade de 16 a 2o anuos que seja
entendirto eoapaz de lo nar c.nta fie hu-
ma venda por bataneo ; annuncie para ser
procurado.
No dia i." do corrente pelas i horas
da tarde do beco da Lingoeta furtaio hum
na vallo de cjr sbranquicado, eo casco da
mo direita lachado, com huma marea na
nessa mi assemelhando-sa a hnm P, o
qual consta que passou pira os Affogados :
quena della souber o p-gue e leve o ao
sitio do Sr. IVixotoem Belem ou no Re-
cife ero caza do Sr. Vicente Ferreira no be-
co Upado que ser bem recompensado.
A abaixo assignada. faz soienle so
publico para que pessoa alguma confie por
venda ou por outro qun'quer negocio di
seo filho Jos Nacerlo Lima nem mesmo
elfectae venda alguma de bens que nao
mostr p-rlencer Ihe por legitimo titulo,
pois queelU nio se responsubilisa e mui-
to menos oseo progenitor.
Thereza de Jezus Grata
Quero tiver para alugar algum pre-
to ou prela pjra vender pin para o mato,
e mesmo na l'rsca, pag&ndo-ae a venda-
gem, annuncie, ou dirija-se as 5 Pon'as
(Hilaria B. Ja lado do nascenle.
ft^ Robase ao Sr do Engenho Serra-
ra fregue/.ia de Jaboalao ero const-
quencia do se > annuucio no Diario n. a35
sobre hum escrav0 de nome Antonio que
diz ach'ar se no dito seu Engenho que no
caso de ter o dito escravo os signis se-
guinles o queira remetter ao abaixo as-
signada no atierro da Boavista no 3* andar
da caza D. 65, que generosamente se grati-
ficar ao portador Ligio o dito escravo.
a 12 de Agosto de nome Antonio, de
oacio Congo de idade de 5o aun s pouco
roais ou menos com principios de olrro ,
edepadeiro; baiio, corpo nio muito re-
f orea do falta de denles na frente an-
dar vagaroso pancudo do ventee princi-
palmente (juando comia ; tem hun* careos
de sua Ierra pelas footes e lados do rosto ,
tinha sussas pequeas tem o appellido da
Congregado: este escravo foi captivo da
caza de Paulo Jordo morador no Brejo da
Madre caza licou em administracio ; seus Admi-
nistradores o venderte aos Padres da ex-
tincta Congregacio de Peruarobuco, e es-
tes o vendera ao abaixo assignado.
Jos Rodrigues do Passu.
Em resposta ao atrevido e insultante. av-
zo annimo, publicado antes de honlem
ero o numero 209 deste Diario, rogj o a-
baixo assignado ao respeitavel publico
queira intregar o divido despreso esse
meio caviloso, com que se perlendeo afion-
de
doces possiveis, e varias outras Iructeiras ,
lodo plantado de roca, e de legumes pr-
ximo todo a drsfructar-se : o arrendamen-
to se az com algumas condiedes, que no
acto do arrendamen o se dirio : quem o
per tender dirija-se ra da Roda ultimo
sobrado de bur s ailar novo, de manli
al as 8 horas e de tai de das 4 ere dian -
le.
3* Quem precisar de huma pessoa ca-
paz de administrar qualquer obra tomando
a sua corita deliberar e mandar fazer ludo
quanto pertenec ao levantamenlo della at
ti na I isa r pelo ajuste que poder fazer eom
o proprietario annuncie: o metmo se offe-
rece paca administrar qualquer silio nao
sendo mudo d/slanle da piaca o qual tero
agilidade para isso.
Q^ Despntando-se por aeco judicial
sobre a inofficiciosidade do testamento da
falecida Catharina Alexandriua Orar de
Mello e tendo-se notificado o testamen-
teiro J. s Ignacio Soares de Maredo para
nio cumpnr a dispoaices do dito leiia-
ra ser paga por o Sr. Antonio Baptista Ri-
beiro de Farias; pede-se a quem a tiver a-
ehado e a quizer entregar dirija-se a ra
do Liv ramento D. 1 quesera recompen-
sado ; e dverte-seque o Sr. Antonio Bap
lisia j est de acorao para a nao pagar.
_ Pi 1 cisa se de alugar bom pequeo
silio, para passar a Festa eque nio sie-
ja longe do Recile pois nio deveri ser
a distancia mais de tres quartos de huma
legoa ; quem o tiver annuncie por esta fo-
Iha para ser procurado.
_ Roga-seencarecidamente a qualquer
.pesscaque souber ou liver noticia de hu-
ma loallia rica de cacund com seo hico,
que furtano de huma das tribunas da Igre-
ja de N. S do Terco no dia de ada festa ,
depois do Te Drum ; pois deve saber quem
tal fes que esta Igreja he su-nroamente
pobre que r.5o tem para seo guizamenlo
quanto mais para pagar huma toalha que
emporia em mais de 5o mil rs, : qnem del-
la tiver noticia declare ao Thesoareiro da
mesma Igreja au aaanale rcslitaiia par/ vio
talo, pois saindo elle de hum malvado, seu
inimigo que tem querido roubardhe os
seas bens, apenas pode servir para demons-
trar huma alma negra e vil e tanto assim,
qae nao se alreveo a declarar se. Roga
outro sirn aolllm. Snr. Prefeito da comar-
ca queira laucar suas vistas para quem com
tanta addacia e por uro meio la5 indigno
se atreve 9 zombar das leis, insultando a
honra alheia, ezombando ale doresprto e
ac lamento devidu a S. S. suspendendo en-
tretanto o mesmo lllm. Snr. o seu juiso
sobre a existencia dessa inculcada pronun-
cia de que falla o mesmo aviso pois que
nao passa ella de huma nova invoocaO
com que essl vil calumniador quiz depri-
mir o crdito do abaixo assignado, e nem
hepossivel que peranle as justica da co-
m m ea do Brejo lenha tido o menor acces-
so as maldades e perfidias desse monstro
bem conhecido para que assim comroctes-
sr-m ellas tamanha prepotencia contra o a-
baixo assignado, que alias nao duvida l-
mala, bem como o mundo inteiro por tes-
temunhode uss cees. Antonio Cor-
deiro Moniz Falcad.
_ f-relende-se huma mulher branca,
parda, ou prela de bons cos u mes qu
saiba coser engomar, eco/.inhar, para
o servico de huma caza capaz de peque-
a familia: a pessoa, que se ach.r neslas
circunstancias, queira dirigir-se ao atier-
ro da Boavista casa D. y priroeiro ao-
dar, que achara coro quem tratar.
- Quem precisar de ama mulb^r parda
idosa para ama de rasa de homem soitei-
ro : dirija se a Ribeira do Peise cazinba
D. 7.


*4
oda
DIARIO DE PERNAMBCO.,,
ii iiii iitti ii'in i mn'mi'HiiiiiiHW'lrtuiiiH iimim i
i
Quera precisar de mandar conduzir
material para obras em cassambas, ou
mandar i-onduzir entuliio t ludo por pre-
co commodo sendo no bairro de "Santo
Antonio dirija-se a ra Direita D. 54
Quem precisar, de roupa engomma-
da com todo asseio e proroplido dirija-se
a ra do Jardim D. lo.
AVISOS MARTIMOS.
PARA O ASSU segu t age 11 ate! o
da lodo corrente o flrigue Nacional Ro-
za para csrg* e pasagiros para qu
offerece sofriveis commodos traU-se no
forte do mallos com o propietario Firmi-
no Jos Felisda Roza.
PARA O ABACATY, ssgu- .viagero
at o di iodo cirrcule, om carga ou
setn ella <> Hule Especulador; qiiTn qui-
sercarregir ou ir de pissagetn, dirja-se
a bordo do dito, que est ancorado defron-
te da lingo'da a lral.tr coro o Muir 3 imin -
gos Antonio de Azcvedo.
PARA O M ARAN SAO', nhiri com
toda "brevidade que for possivel o boro
conhscido Brigue Olind ancorado defron-
te do trapiche da elfartdega telha qu.-m
quiser carregar ou hir do passag:m diri-
]a-se a casa ds viuva Gjnsalves refreir
& Filhos ni ra da Cruz
PARAOASS', eTourns, a bem co
ohecida Sumaca Laurentina Brasilira, Ca
pito Antonio Germino das Neves, pelen -
de sahr com toda brevidade; quem na
mesma quiser carregar ou bir de. passagnm
para oque tem excedentes comrnodos di
rija-se aoCapito ou ao sea propnelario
Lourenco Jos das Noves, ra da Cruz
n. 3a. v
Un arm'asem de sal cor os ses per-
(ences e muis urna armario em um quar-
to separado pira miudezat : as 5 pinta;
D. 43.
Bielas azues e verdes proprhs pa-
ra capotes : na ra do Qu<-imado Toja de
fazendas D. 2.
Urna negrinha de idd.e de 11 annos,
de bonita figura com principio de costu-
ra e muito geilosa pira ludo quinto se
Ib ensinar : na ra de Aortas D 65.
Uma escrava de 20 annos di idide ,
de bonita figura muito sadia com 'prin
cipios(re engommare costura : na ra Di-
reita no segundo andar do sobrado da qui-
nado beco do serigdo.
Urna casa em Olinda na ra do Car-
roo n. 13 com dus 1*1*4 na frente muito
frescas, coto grande quintal com Urangei
ras limeiras rioqui-iros mangueiros ,
dois ps de sap ty com cacimbt e ter-
reno para se edificar mais 6 casas defron-
te de S Pedro Apostlo, sem qu- faca fal-
ta ao mesmo quintal que be quasi um
sitio : a traiar em Olinda sobrado de dois
andares defronte da faria de S Se.hasiio,
e na mesma casa ouannuncie a sua mo-
LEILAO'.
Que pretendem fazer Cahtree Heyurt
i Companbia terca feira 6 do correble ,.
de fazendas limpa* e avadadas na casa
de sua residencia ruada rooed 1 n. 140
Que fazem B. Lss&rre di Companhia.
no dia 7 do corrente pelas 10 hors da
manli na ra da s-tn/.alJa velha D. \ de
um porclo de fazenda- limpise avadadas ,
entrando no numero das p imeirasuma par-
tida ddlas franoezas.
" -- Qje fasem Lenor Be-uehet & Pu-
get de fazendas limpas e avariadas a sa-
ber : cis a< brancas e de cores, chitas ,
vestidos de cassas c de fil gangas sar-
jas para coletea sedas egarca para vesti-
dos bicos de fil de sed ede, lindo es-
pelhos ricos e militas outros objectos de
canquelberi.is e bejoleras francezas no
da quart feira 7 do corrente as 10 horas
da manda no seu armasen) na ra da Cruz
numero 5.
Qttepretende fazer HarrisonsLatbam
e ILbbcrt, do fazendas limpis e avariadas,
sendo das ultimas alguns fardos de chitas
Coromandeis&c. na casa de sua residencia
ra da alfandega velha n. 9 na segunda
feira 5 de Novembro.
COMPRAS.
- Urna Imagem de S. Antonio que
tenha de vulto palmo e meio, cora seu me-
nino ; quem tiver annuncie.
VENDAS.
O Numero G5 do Carapnceiro; na pra-
ca da Independencia loja de livros nme-
ros 37 e 38 ; e nao tena continuado a ser
publicado em razio dos amitos a fazeres da
officina.
Um moleque de idadede i4*i6 an-
nos cozinba o diario de urna casa ensa-
boa, e com principio de coser e eagomroar:
na ra das Flores D. 13 dt meio dia as
3 horas.
-- Una negrinha creoula de idadede 10
13 annos. cozinba o diario da urna casa:
na ruado Padre Floriano D. 23.
Charutos da Habana de superior qiia-
ldade na ra da cadeia velha D, 14;
rada.
Um prelo de naco muito sadio e
proprio para lado o servicio: na ra da la-
rangeira D 3.
-- Urna negrinha de nco da 10 an-
nos de idade ; na ra do Queimado De-
cim 10.
-- 'Ou troca-se por um moleque de 7 a 8
annos, urna preta creoula de idade de
4o annos cozinha o diario de urna casa ,
refina assucar, faz doces de varia,' qualida-
des lavadeira engomma e cose e se
d a contento para sn ver as habelidades :
na ra da Florentina na terceira casa do
lado direito vindo da mar.
- Urna venda .no piteo de S. Jos, D
I cam poucas fundos e muito commi-
da no aluguel e tem sabida indepentente
da dita para morar familia : a tratar na
mesma.
Urna preta de 18 annos de idade, co-
zinba engomma, eludo faz com perlei-
cio ; e urna escrava de 20 annos, cozinba
e lava roupa : no paleo de S. Pedro agina-
do de um andar D. 8.
Um herco de conduru' novo com sens
cortinados de cassas: na ra do Nogueira
n. 710.
Urna .preta creoula de 22 a aj an-
n s de idade : cozinha eug' mma e co-
se* lia ra do Crtllegio no 3. andar do
sobrado D.9
f)uas meias agoas no bairro. de S. An-
tonio e urna negra que cozinha o dia-
rio de urna casa e engomma : na ra de
agoasvendes venda n. 1
-- Bolins e sapatos a botjnados para ho-
mem sa patos de marroqu ni para senho-
ras a Gjo o par ditos de duraqu" prelo e
de cores ludo chegado ltimamente de
Lisboa : no tterro da Boavista D. 9.
Urna du/.ia de cadenas e duas b in-
quinas de angica de bom goslo e com
pouco uzo : na ra Direita no segundo an-
dar do s .brado da quina do beco do seri-
gado.
Um torno de hi onzn e que. trabalha
sobre um veigailio de ferro cm quasi du-
as polgadas quudradas com nina roda de
a arrobas e rueia de peso com marcha e
lodos os mais aparelhos de ferro e ulgun
ferros de asso proprios para lorniar : na
ra das Flores casa ultima junto ao arma-
sem de porta larga.'
As maltas ds areias junto engenho
com piador ^ e um casa lerrea sila na Boa
vi.ta na ra do eotovel) ), 4 o soltar para
S.Cruz, a'qu tem urna porta e duas ja-
nellas acabada de ser construida a nuijco
lempo, com a sala forrada e chaos pro-
prios : na ra estrella do Rozario loja de
enVaderndor.
U* miudetas ou loja dpcoii'os : fta /m Di
riiii loja de cou.os D. : 8.
Das moradas de casas de taipa na
Matriz da Vaiz^a rom Ierras foreiras a mes-
ma ftlitiiz calada e rebocada; urna por-
co desap'itos para tropa a preco de 1000
rs : na venda drfronle da Igreja da Penda.
-- Um molatinbo de 3 annos de idade;
na s didade cisa que fui do B.ndeira nu
mero 17.
-- Djas vergas de pedra quesirvem pa-
ra parladas tem de co.iip-iment > 5 pal-
mse meio: na pr.iciiiha do Livramenlo
D 33
- Urna esciava creoula com 16 annos
de idade cam principio'* de costura en
gommado e renda e li lavodeira : na
ra Direila no segundo andar por cima da
botica que fui de Ignacio Neri D ir.
-- Urna rede o para', de muito bom
goslo de azul e branco acba se na loja
do Sr. Viegas ra do Crespo.
Urna negrinha de naco cozinha o
diario de urna casa com principio de cos-
tura e de idade da 3 a 1 j annos ao
comprador se dir o motivo : na ra nova
D 14.
Um moleque do gento de Angola ,
de jdade de 14annos sendo para fora da
provincia, e azeile de car rpalo a 1760 a
caada ea relalho a 1920 : na ra do es-
tvelo D. n.
Um pianno com boas Tozes propria
para principiar aprender e por preco
commodo : na ra do Crespo loja Deci-
ma (J.
Urna banda nova para official,
por commodo preco e um estojo de cirur-
gia : na ra de agoas verdes D, 36 das
(i as 8 horas da maiiha e das 3 as 6 da
larde.,
Urna negrinha de i3 a li4 annos,
de linda figura engomma., cozinha o
diario, de urna casa, e lava de sabo : na
ra Direita D. 30 lado da Igreja do Livra-
menlo.
Urna negra creoula para fora da trra
ou para o mano e outra de naco mu-
cambique para trra de bonita figura e
com habelidades } na ra de Horlas sobra-
do de um andar D. a5 de manh at as
8 horas e do meio da as 3 horas.
Tres cepos bons para lalho* de carne:
na cunboa do CarmoD. ao onde tem um
(albo.
ESCRAVOS FGIDOS.
No dia 13 do passado fugioum escra-
vo de nome Manoel de
nacao com os
giquia com bastantes cajoeiros com
meia legoa de Ierra propria : no Remedio
casa grande ao p da Igreja.
Tres cabras boas leileiras: na rua do
cotovello patsando o beco das barreiras iij
primeira diaria.
-- Os verdadeiros e genuioos poz anti lii-
lioscse purganlivos preparados por Ma-
noel Lopes boticario cbimico da Corte do
Rio de Janeiro .' na pracj da Independen-
cia n. o.
-' Urna loja deeouroscom muito pon
eos fundos, e sila em muito bom lugar:
nesla Typografia se dir.
-- Urna escrava do gento de angola, co-
zinba o diario de urna casa, engomma : na
rua d larangeira D. 13. .
-" Um moleque de nBco sem vicio al-
gum bom cozinheiro e tem principios
de.aifaiatt, o mol vo da venda se dir ao
(Jlo.'e secco do corpo rosto coropridoe
descarnado bem barbado ja idaso, tem
falta d" "m dente na frante e urna sica-
tiiza cima de urna das fonles piovenienlo
de urna cacetada', que Iba derao foi ves-
tido de cada, de biiiu velha. e camisa de
algodo rola as costas quem o pegar le*
ve no co.. turne dosCoelho sobrado por ci-
ma da casa di bilanca.
Pelas 8 horas da noite de 23 de Ou-
tubro, desapareceu da casa de Antonio
feixeira Lopes qi,u seu escravo de nome
Miguel, nacocongo, representa 18a 20
annos de idade sem barba, estatura or-
dinaria cor retinta, cara redonda, olhos
vivos, cabi'ca comprida lem os dedos
dos ps muito pequeos e alguns- acaval-
gados por cima dos outros, tj no braco di-
reito tem a marca T sigual quo trouxe de
sua trra j levou vestido calsa e camisa d
algodo da Ierra e urna chave de urna cai-
xa que tem pinduradg ao pescoco ; este ne-
gro a todas as susphas de ler sido furtado ,
por jsso roga -e a todas as Aulhoridades
policiaes, ao Illm. Snr. Prefeito Sub-
Prefeitose Delegados desta e Ibais Comir-
cas queliverem noticia do referido es-
cravo, o faco prender, assim como os
conductores do mesmo o faca recolher
na cadeia desta Cidade aonde o annun
ciante protirsla proceder contra os delin-
quentes Cum todo o rigor da le.
No dia 24 de Agosto do corrente, fu-
go da casa de Joaquim O.. Elester mora
dor na rua da Cadeia velha D. 14 1 um es-
clavo de nome Benedicto de idade de
l8a iqanuos, official de chapeleiro es-
tatura de 7 palmos pouco mais 011 menos,
roslo redondo cor meia fulo', tpm a Bi-
guaes pequeos por cima dos olhos e anda
muito gingando, levou urna camisa de ris-
cado azul e calsa de panno da costa ; com
laes signaes fcilmente pode ser conhecido,
e sendo preso qualquer das Authoridades
Policiaes o podem mandar para a casa ci-
ma mencionada que muito bem gratifi-
cara aos apiehendedores com cem mfi
ris..
-- No mez de Setemhro- fugio do. Con-
vento de S. Antonio di Villa de I;;uars-
u*, um escravo do nomo Custodio na-
ci congo estatura regular cor fulla
com camisa e seroua de estoupa, e dizem
andsr nesta praca ; quem o ppgar entre-
gue ao Reverendo Fre Apolinafio no
Convenio desta Cidade
Urna negra de nome Joonna de na-
cio reb lio baixa de idade de 18 annos,
tem has costas urna pequea ferida de urna
remada, levou sai?, e panno prelo j velho
fogio no dia 3o do passado *, quem a pe-
gai leve a rua velha casa nova que tem
venda.
- No dia 28 do mez passado fugio um
negro de nome Franci co de naci ben-
guella *>lto e cheio do corpo canellas
finas, quando falla gagueija algma cois;
quem o pegar leve a rua do crespo lado do
norte D 5, que sei recompensado
Fugio no ultimo de Drzembro do an-
no p, p. urna negra da costa ja id'sa de
nome Catharina, alia um lanto fulla, que-
brada de ambas as yerilhas quando anda
deita os peitos para fora ; quero a pegar le-
ve a rua do rageo D. .I7 hue ser bem
lecompensado doseu trabalho.
MOVIMENTO DO POIITO.
sgnaes seguinies : bem prelo com c-ami
sa de esloupa calsa de brim tem um de
do da mo direita cortado meio bucal ,
sabe Irabalhar em padaria ; qumi o pegar
leve na padaria da ra do Peikoto das 5
ponas.
Fugio no dia 3o de Setembro-um
negro de nome Joo de naci congo .
idade de 4o annos cor preta nariz da-
lo beicos grossos barba serrada lem
um golpe de espada na cabrea do lado es-
querdo, altura de 5g polgadas official de
funileiro consta estar guardado em casa
particular Irabalhando pelo officio por
ler ido encontrado algumas vezes de noite
para as parles d is 5 ponas o que prova-
do se protesta pelos dias de sarvico ; en-
tretanto reenmenda-se a todos, os Srs. A
gentes de polica ecpitaes do empos a
apprehenco do dito escravo e o leve, a
fabrica de caldereiro na rua nova D. 14 ,
que se recoropehsar.
-- No da 3 do corrente desaparecen 1
e.'cravo de naci angico moca de estrtu-
ra proporcionada Uvou vestido camisa de
algodozinho calsa branca bstanle suja,
temos ps grossos e manqueija por cauza
de bixos que tem nos dedos,- quem o pe-
gar leve a rua da sanzalla velha 11. 34 que
ser gratificado.' f ,
- Nbdiasi de Outubro desapareceo,
uto preta de ndme Duartc ntfo conga Perh4 ha Ti. dm. r, vt r. i838.
NAVIO ENTRADO NODI 3i u.
MARANHAO' ;; 33 das Escuna Nacio-
nal Virginia Capillo Francisco Bernar-
do de Mallos carga varios gneros *
Francisco Marques Rodrigues ; passa-
geiros para o Rio Manoel Rodrigues
INunes e Tclenlino Augusto Machado
comume-cravo; para Santos Antonio
Teixeira Gudinbo, levando em sua com-
panhia Joaquim dp Lemos, e 4 escravos,
para os portos da AlVrica o.s pretos forros
Joo Bulante com sua mulher e um filbo,
Luiz dos Santos e sua mulher, e uro
escravo a entregar.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EBN0HT36Y_3EQQH5 INGEST_TIME 2013-04-13T02:45:13Z PACKAGE AA00011611_06048
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES