Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06043


This item is only available as the following downloads:


Full Text
ANNO m i-838. SEGUNDA FEIIU
.,, i, i
CAMBIOS.
Outubro 27.
Londres a8 Ds. St. por ijjfooo ced.
Lisboa 90 a p5 por 100 premio, por metal. ,Notn;
Lranca 34o 345 Rs. por franco.
Rio de Janei ro no par. ^^
Moedas de64oo i5#ooo as velhas novas i4#70o. *
,, 4$000 8i 00 a K#;>oo
Pesos Columnarios 0oo a i#7"<>
DiUos Mexicanos 1^70 a i#k)P
I'Uacoeus Brasileiros i#68o a 1^700
Premios das Letras por mez 1 a i|4 por 100.
Cobre a p. c. disconlo.
' PARTIDAS DOS CORRElS TERRESTES.
Cidade da Paraiba e villas de sua pretenco .
.dde do Rio Oraada daNorte, lias, dem' Segundas e Sextas feiras.
Cidade da fortaleza e villas dem ....... 1 ,
Villa-de Goianna........... I
Cidade de Olinda............ Todos os dias.
Villa de Santo AntSo.....-..... Quintas feiras.
Pita dGaranhuDS e Povoaco do Bonito...... Dias 10, e a4 decada mez,
Ditlas do Cabo Senuhaem, Itio Forraoso, e Porto Calvo dem 1 11, e aiditlodiUo
Cidade das Alagoas, e Villa de Macci...... I.lemideni.
Villa de Pajau"de Flores. .......' idfeni 17, dillodiljo'
Todos os correios partem ao meio (fia.
ic, DE OUTUBRO, NUMERO 35.
Tudo agora depende de nos inesraos ; da nossa prudencia,
moderac"iO 'energa: continuemos cojijo principiamos,
o seremos apoVitados om admiraro entre as NacJes mais cul-
tas.
, proclamaco da Asseroblea Geral do Brasil.
A
Subscreve-se para esta folha Ti mil rcis mensaes pagos ad-
antados nesta Typogra/ia, ra das Cruzes I). 3, e na Piar.
da Indcpendenqia D. 37 e 58, onde se recebem correspon-
dencias lega Usadas annuncios : insirindo e estes gratis
sendo dos proprios assignantes, e vindos assignado*.
DIAS DA SEMANA.
a<7 Segunda. S. Feliciano M. Aud. do Juiz do crimede larde e sesso da Thes. P.
T>u Terca S. Serapiao l. liclacfio de manli aud. doJ. do Orf. de Urde.
3i Quarta jejum) S. Quirine. sSesso da Thcsouraria Provincial.
1. de Novenibro. Quinta i< Resto de todos os Santos.
a Sexta CommemoracSo dos defnlos. S.Victorino. Bf 6 lia despacho. La chsia as 9 hora
e 14 min. da taide 1
3 Sabbado S. Malaquias B. BelaeSo de manh, e aud. do V. (i- de larde. *
4 Domingo S. Carlos Borronieo C.
Mar cheia para o dia 29 de Outubro.
As a horas 54 minutos da raanli -- As 5 horas 18 minutos da tarde.
PARTE OFFICIAL.
RIO DE JANEIRO.
CMARA DOS SENADORES.
Sesso em 28 de Agoslo de 1838. >
Pressideneia do Snr. Mrquez de Bae-
pendy.
Feita a chamad eachando-se presente
numero legal dos Snrs. Senadores, oSr,
Presidente abre a sesso, e lida a acta da
anterior heapprovada.
O Snr. primeiro secretario da' conta do
expediente.
Ordem do dia.
Approva se em ultima discusso o pa-
recer da commisso de consiiiuieo sobie
o officio da cmara dos Srs. deputados ,
que companhoo os autogrphos d reso-
luco que approva a pensad concedida aos
filhos do fallecido visconde de Alcntara.
Entra em primeira discusso a resolu-
co que manda indemnisar os cidados
Ignacio Rigaud e Antonio Joaquim Ro
drigues da Costa das perdas que soffrro
ha oceupacao das suas propriedades pelas
tropas da legalidade, durante a rebellio
que rebentou na provincia da Bahia em
7 de novembro do anno passado e a for-
necer ao cofre provincial de Santa Catha-
rina bum suprimento extraordinario no
anno financeiro de i838 a i83g, da qu-
tia de 60 contos de ris : conjuntamente
com o parecer das commisses de Legis-
laco e fazenda a respeito.
He apoiado o seguinte requerimento :
ao governo respeito a todos os objctos
da resoluco e em quanto elle calcula as
indemnisa tretanto a discusso. _- Paula Souxa.
Entrando era discusso fica esta adiada
por estar na ante-camara o minie tro da
Guerra.
Sendo introduzido o ministro com as
formalidades do estido toma assenlo e
continua a segunda discusso adiada ne-
b hora n\ paSsada scsso do art. i.*Ua
iroposta do governo fixando as forcaa de
..rra para o< anno financeiro de 1839 a
1840, conjunctamente cora a emenda,
pprovada 'pela cmara dos Srs. deputa-
dos ; ao n. 3 do mesmo artigo e om a
do Sr. Paula Souza oppoiada na lo'br*
dita sesso.
Dada hora, o Sr. presidente propoe
a prrogaco da sesso para se votar; e
nao passando, Cea amatoria adiada.
Retirando-seo ministro com as forma-
lidades do costume o Sr. presidente d
para ordem do dia as materias dadas para
boje.
Levanlou-se a sesso as duas boras da
tarde;
CMARA DOS DEPUTADOS.

Ses^ao em 27 de Agosto.
>
Presidencia do Snr. Araujo Vianna.
Logo que se rene numero legal de de"
pulads, he berta a sessaS, lida e appro-
vada a acta da anterior.
O Senhor primeiro secretario da'conta
do expedient.
' Ordem do dia.
' Segunda par't.
Nomeaco da commisso espeeial ex-
igida pela commisso das assembleas' le-
gislativas provinciaes, e saem nomados
os Snrs. Costa Carvalho com \ votos,
Va* Vieira i.\, r. Pedro de Alcntara aa.
Entra em discusso o segrale ;
A assembTea geral legislativa resol ve.
Artigo i. O secretario da escola de me-
dicina da corte do Rio de Janeiro aTem
do ordenado que iem de oiocentos mii
Passase a discutir o segundo artigo + Dito-. Ao Mejor Director do Arsenal
e falarido sobre ella os Senbores Coelho,
e Paulino, fica a discusso adduda pela
hora.
O Snr. presidente d ppra ordem do
dia a mesma de boje.
Levanta a ftssad depois das duas horas
da tarde.
PERNAMBUCO.
COMMANDO bas armas.
reis, ^ercebera' tambem a mesma gratifi-
carlo que actualmente rbmpeite ads
lentes substitutos da mesma escola.
Artigo*!. Fico revogadas tO somen-
te a'este fira,' todas as' leis em contraro.
Paco do #nado em 21 de Julho de
i838. Mrquez d Baependy presi-
dente.Conde de Valenca, 1. secreta
rio. Luiz Jos de Olivcira, 2. secre-
tario. '
He sera debate approvada, e adoptada.
Passa-sea discutir o seguinte.
Aassemblea geral legislativa resolve.
Artigo nico. Fico elevados os or-
denados dos auditores de marinha e fucr-
ra, destacone, a um corito e sciscentos
mil reis annnaes, e revogadas u.disposi-
c5es em contrario.
Paco da cmara dos deputados 19 de
setembro d t838. Cavalcante de La'cer-
da. Lima Sucupira.
Depois de um curto debato, a resolu-
co he approvada, e adoptada, e remet-
tida a commisso de redaeco.
Vae a imprimir com urgencia o orca-
mento para entrar em terceira discus-
so.
1 Segunda parle.
Continua a discusso addiada sobre o
1. artigo doProjecto que interpreta o ac-
to addicional, ea seguinte emenda apoia-
da do Snr. Gonsalves Martins.
As palavras do artigo 10 4. da lei
constitucional de 12 de agosto de 1834 ~~
precedendo propostas das cmaras -- di-
zem respeito asateriores -- economa mu-
nicipal competindo as assembleas pro-
vinciaes legislar sobre a .polica peculiar de
suas provincias, com tanto que era suas leis
nao offerido a legislarlo to imperio so-
bre sua polica era geral.
Tomo parte na discusso os Snrs. An-
drada Machado, Vieira de ivieiio, Tos-
la Mour Magalhes, Clemente Perei-
ru Souza Franco e Paulino, e da-
se a materia por sulficiememente dis-
entido. 1
i
Expediente do dia 26 de Outubro de
i838.
(jjfficio Ao Exm. Vice-Presiden!e, di-
zenao-lhe que a transferencia dos presos
de Justica para a Fortalesa do Bruna, por
occaia da arrematacao da Cadea moli-
vafa em 28 de Setembro do anno passado
o augmento da guaroicb da mesma For-
iaiosa e sua organisago em duas Com-
patibias com a loica ambas de 99 pra-
cas 5 que o cresddb numero de preses e
aeriapodo Deposito aii'; dera lg'ar a que
a forca das 2 Companhias eti i'4 de De
zembrodo mesmo anno fosse elevada a ia
baionelas ; que com a extineco dos Cor-
pos de Guarde? Nacone? destacados ps-
saro os 3 Corpos da Capital a dar o srvi-
co diario da guarnjcao ; porem reconhe
cendo-se que este servico pesavu sobre*
maneira sobre homens que nao havio
feito proffisso das armas, que titiho de
cuidar de mistura com os interesses do Pa-
iz dos seos resolver a Exm, Presiden-
te Francisco do Reg Barros augmentar
anda o Corpo d'Engajados com mais duas
Companhias organis idas das pravas entuo
existentes to Deposito e das que se fos-
sem recrutand ; que esta resoluco lia-
vido sido levado a effeto pela ordeln do
Dia ^6de Abril deste anno, e finalmente
que com o que levava dito prehenxia a
exigencia que llie fora feita em seoofficiode
ij do corrente. v
_ Ao mesmo Exm. Snr. remettendo-
Ihe os Procseos feitos dos soldados deser-
tores do 4- Corpo d'Artilheria Jos Al-
ves da Silva e Francisco Marca I de Souza
para serm presentes a Junta de Justi'a. ,
e diiinilivamente julgados.
Dito Ao Com man dan te Geral do Cor-
po Policial remeltendo-lhe o' Conseibo
de inveslig&cao a que se mandou proce-
der pela desordem havida entre os soldados
de t.* Linlia, de guarda nos Diversos Re-
cebimentos e de Polica na Ribein', e
disendo-lhe que posto pelo di-pimehto
das testemunbas se nao conhecessqal fos-
se o motivo da desordem, via se com tu-
do que o sobado de Polica J. P. do Ngs-
cimento se excedeo ferindo com huma
baioneta ao soldado -de Primeira Linia
M. C. de Carvaiho depois de preso ; po-
rem que estando o mesmo soldado casti-
gado 90 m a priso que sofrea S. S. o
poda por 'em liberdade se acaso outra
culpa Ihe mo rcsultou da yistoria, e Corpo '
de Guerra ,'devolvendo lhe o cobertor de
la, que Hie enviara", e disendo-lhe, que
pela sa qualidade, e presso lhe pare-
ca no'caso d ser comprado e a porco dos
mesmbs-, qu disia exislir se bem que
os achava um tinto cs'.reits*
pito Ao Prefeito da Comarca c'.i-
zerid-lhe que com o seo officio do boje ,
lhe fora entregue o soldado do 4 Corpo
d'Artilheria Francisco Xavier que fora
preso no Poro estando auzente.
Portara Ao M.ijor Commadsnte do
Deposito mandando dar depi';3j ad sol-
dado Antonio de Campos Pereira por ter
sido recrutado contra a Lei.
DIVERSAS REPART1C0ENS.
-------> 1 1 "-I----------------ir* 1 ,
ALFANDEGA DAS FAZENDAS.
EDITA L.
.Perante o Inspector d'esta Alfandega*1,
s hade arrematar, em hasta Publica,
na porta da Ihesma pelas 11 boras da
m.inha do dia 3 do mez vindouro, bum
embrullio com i(i bandeijas inverni^adas ,
aprehendida pe Guarda do Consulado
Jooda Silva Costa.
Alfandeffa &3 de Outubro de i858.
O Inspector interino.
Jacome Gerardo Maria Lmachi de Mello.
MEZA DO CONSULADO.
_ A Pauta he a "mesma do num. -3f-
PRFEIT'RA.
Parte do dia 27 de Outubro de i838.
Ilion, e Exm. Sr. Foro presos hon-
tem a minha ordem e tivcro destino :
Maria pr'eta escrava de Ignacio Fran-
cisco da Silva pelo Sub-Prefeito da Fre-
guesia da R'ecif; por ter sido encontra-
da tarde da noite e supor-se fgida ;
Jos da 'unha Porto pardo pela 2. pa-
trlha do Di'stricto do Corpo S^nto por
supol-o desertor de Marinha ; e Juliaj
Correia, tambem pardo, pelo Sub-Pre-
ifeitode S. Pedro Mrtir por lhe ter sido
apprehendida urna pequea faca do mesa
com ponta.
E'"oque consta das partes hoje receba-
das nesta "Secretaiia.
Dos Guarde' a V. Exc. Prefeitura da
Comarca do Recfe 27 d^e Outubro de
1838, IHm. e Exm. Snr. Francisco de
Paula Cavalcanti de Albuquerque Vice-
presidente da Provincia. francisco An-
tonio de S Barreto, Prefeito da Comarca.
EDITAL.
A Cmara Municipal da Cidade do Rec-
fe e seu Termo &c.
O i. artigo do projecto heapprovado tal do deiieto a que.se procedeo pela Prefei-
e qual, Gcaudv prejudicada a emenda, 'tura.
Faz saber que em virludeda resolucafi
do Exm. Vice-PrcsilsQie da Provincia,



frf
$
DIARIO D K PKRRAMBfCO.
cm oficios (Jactados de a8 de Setembro p;j
p, ,el do con inte miz tora priycif ie ,
no da 3f do mesmo ,. a arrematacao #h-
fcual das casas da Praca da lndependena)i
4e nmeros 17 e 18 ; e da Praca do
mercado do Bairro da Mm-vista ; ditas da
Riheira do Peixe, e ft-aca- do mercado
esla Bairro ; o Contracto daa affiricoens;
e o restante dos talhos doP Assougues dos
Bairros de Santo Antonio e Boa vista ,
recebendo-se todo e qualquer lanco que
os Arrematantes houverem de offerecer :
os enrindente dever comparecer en
casa de suas Sessoeris to mencionado da
habilitados com fiadores idneos na forma
da Le.
E para quechegue noticia de (odos
manda publicar o presente.
Recife em Sesso extraordinaria de a3
deOutubrode 18S8.
Jos ue Barros Falcio de Lscerda.
Pro Presidente.
Fulgencio Infante d'Albuquerqu.ee Mello.
. Secretario.
Por ordem do Exm. S/ir. Vice Presi-
dente vai a Concurso a subsliluica da
Cadeira de .Latira desta Cidade vaga
por cauza da Jubilaca que leve o seo
serventuario o Reverendo Lino Jos
Goncalves d'Oliveira. Os cadidatos que
aspirarem a dita substiluica devera a-
presentar os seos requerflhentos Legalisa-
dos aoDirector do Liceo, al o dia 5 de
Dezembro prximo, quando deve ler prin-
cipio a oposica na forma determinada as
Instruccoens de 1$ de Outubro do atino
passado : oque se faz publico para conhe-
cimento de todos os Aspirantes.
Liceo 27 de Outubro de 1838.
Laurentino Antonio Moreira de Carvalbo.
Director do Liceo*
ANNUNCIO.
O Administrador da Meza das Rendas
Internas faz saber que seu annuncio de
26 do crrante mez transcripto no Dia-
rio de boje he exteocivo aos Negocian-
tes e Marcadores dasta Cidade relativa-
mente a Taxa do Sello Nacional que de-
vem pagar de seus Livros Mestres e Dia- I
defende o Ro Grande e a passagem de S.
Goncalo, compe-sej de 3,200 homens,
animado* do melhor espirito e bem disci-
plinados..
. Q presidente era esperado no Rio Gran-
de no di 5 do corxente. Em Porto Ale-
gre, nada havia occorrido de importancia.
A expedicao da Babia chegou barra
do Rio Grande no i." do corrente. Huma
das e mbarcaces titiha entrado ; o resto
suppunha-se que poderia passar a barra no
di 4
O crdito de 4,600 cont- pedido pelo
Governo, e a inlerpretaco do Acto Ad-
dicional, era os dous principaes objectos
de discusses no Senado e na Cmara tem-
poraria. : asegunda propoet se ha va ven-
cido a primeira purera cabio na Sesfo
de 27 de Setembro, tendo sobre ella fal-
sas
Ws
rios tomo determina o art.
do citado
AJvar de 17 de Juoho de itfog; sob pen-
na de uuiuaue de a! escripiuracao -o dos
documentos querella se extrahir alem
das raaft qIe tem d'incorrer.
HecebeQria 27 de Outubro de itJ38.
Antonio Feneira Duarl* Velloso.
fado os Srs. Calmon Vianna e Henri-
ques de Resale, sendo regeitado o pa-
recer da commissio. <> voto em separado
do Sr. Carneiro de Campos, e aprovada a
a emen#a do Sr. Navarro que concede ao
Governo 3:^8o con tos de res.
DIVERSAS MOTIClAS.
Forao escolhidos Senadores pela provin-
cia de Minas e tomara assento os Srs.
B Pe re ira de Vasconct-llos, e Antonio Au-
gusto Monleiro de Barros.
__ O senado approvou em primeira, e
segunda discsso a resol oca > que concede
ao governo hu crdito para occorrer ao
dficit verificado no anno financeiro (indo,
e o que se calcula que haver no anno (i
nanceiro, que corre.
Foi nomeado e tomen assento, na
qualidade de senador pela provincia de
Pernambuco o Sr. desembargador Fran
cisco de Paula Almeida e Albuquerquo.
DIARIO DE PERNAMBUCO.
* Pouco espaco offerece b^e a nossa fo-
Iha para hum artigo mais circunstaciado veiem de vveres
sobre os negocio^internos, todavia noti-
ciaremos aos leitores, que elles promet-
tem hum mais esperancoso porvir .- a or-
dem publica reina em toda* as provincias ,
e mesmo no Rio Graede do Sul, as folhas
da Capital nao relatad esse n'ovo desastre
das armas da Legaiidade que por aqu
se tem espaihado. O mem*> Cidadfio e
o Filho do Sele que presuoiem de boas
informacoes a este respeito, gao o men-
cionad nos seus ltimos nmeros, antes
pelo contrario o novo Recopilador Cam-
pista transcreve o seguinte de outros jor-
naea:_
<( As noticias recebidas hontem do Rio
Grande, que chegau a 3 do corrente c^br.'}
sao bastante satisfatorias, e contradijera em
tudo as que a respeito dos negocios da pro-
vincia nos tinhao vindo por via de Mon-
tevideo.
Algumas cartas que vimos assegura
que ha via chegau'o ao Rio Grande hum
(4f&cial que acompanhra o hri^Ueiro Cal-
deronco Estafio Oriental, e que este ofrl*
cia| trasia oficios para o presidente com a
agradavei noticia de t aquelle brig%de-
ro reunido j para mais de 800 homens de
cavallaria bm os qnaes ficava para en-
trar na provincia.
Muitos dos prisiooeiros feitos na infeliz
acclo do Rio Pardo tinha conseguido fu-
gir das fileii as (ts rebeldes o havia-se
,oprescn*sde 'ee Ra Giande. Por elles se
saube que Netto eslava no passo das Pe
dras com 2:000 bomens, e que Canavarro
ha va marchado com 700" tura o lado do
Jaguat o. A columna da legalidad* que
ZIOTICIAS DO ESTADO 0R1EHTAL.
Por cartas recebidas de Maldonado pe-
lo patacho sardo Lerca com data de 5 do
cerrent* la he-se que a goleta de Guerra
Loba nue passon do ser vico de Oribe pa
ra o de Eructo Rivera stHiavia dirigido
para Paysand com o fim de se reunir
no-i paquetes Euphrasia e Rqsa que, ar-
mados em guerra, sob o enromando do
capito lhentop devis cortar toda a cern-
i un cacao aos sitiados com a repblica
Argentina .
Rivera havia encentrado huma grande
parte de suas loicas sobre Paysand, com
Jfco intuito de brevemente se apoderar d'a-
quelle ponto, oque certa raen te consegu-
ra talvez sem dar hum s tiro logo que
essas embarcacoVs de guerra cortem aos si-
tiados a nica va que tem para se pro-
Ortbe, nasua desesperacao rada res-
pe! ta ; fem Bandado prender varias ^es-
soas pacificas, oque nao deve admirar,
porque para elle he ham crime a opinio
de o/ae concileio be o melhor meio pa-
ra por fim aos desastres. Tal he a escas-
sez de mantimentos em Montevideo que
algn- nem por altos prf eos se podem ob-
ter. O estado da cidade he verdadera-
mente lastimoso e n'elle reina grande
fe mentaco.
CMARA TEMPORARIA.
As ultimas sesses da cmara electiva
exuberantemente pruva o pouco amor qffe
huma parte dos memhro que a
compe, consagra ao bem real do paiz.
Algumas medidas de importancia cuja
deciso pende anda de votacio da cmara,
tem deix^do de ser tratadas, poique, no
/nomento de serem postas em discsso ,
rayitos nobres depulados retira-se, e nao
permanecen na sala membros suficientes
para, poderem detiberar : o que j ler com
que o Sr. presidente levantasse ao meio dia
a sesso do sabbado e as 011 ze horas a de
segunda feira. isto acontece quando a-
inda lera de ser decididas m eleices de
Sergipe, quando ainda tem de ser adopta-
da a inlerpretaco do acto addicional !.'.. .
E' para absira proo derem que as provin-
cias envia >-cus depulados representicjo j
nacional? Nos sentimos nio poder apo-
sentaros nomes d'aquelles que tem ob-
stado aos trabalhos da cmara electiva.
Que importa que haja prorogacoes ,
cmaras por si mesmas se dissolvem ?
'como que estamos prevendo que oe^enn-
dalocbegar ao ponto de nao laver nume-
ro de legisladores para tratar da leidoor-
caniento, que tem ainda de voltar a c-
mara temporaria, por causa daa emendas ,
que I he tem posto o senado ; e das que-
por elle lera sido rehiladas. Como que
estamos prevendo segundo 'o que ja ou-
vimos, que nio baver na cmara vitali-
cia numero de membros pata discutir o
cysdito pedido pelo govemo.
Ja meditara.") bem os legisladores sobre
os resultados provaveis d'este dfeandono da
causa publica ? Sem lei do o reamen to o
governo poder recorrer do anno finan-
ceiro que finda mas *em o. recursos
pecuniarios que elle diz necessitar e
que a cmara j reconheeeo necessarios,
o que obrar elle ? Ou invocar a lei da
necessidade a lei das circunstancias e
asaumir poderes que Iba nao forem con-
feridos j ou deixar correr matroca a
au do estado. De ordinario nos governos
representativos as votaces das cmaras le-
gislativas sao que decidem daconservaclo,
ou queda dos ministros. Entre nos po-
rem actualmente parece querer-se adop-
tar huma nova tactita nao compare-
cendo s discusses aquelles, que nio sim-
patisa com as doulrinas das materias da-
das para ordem do dia privando por es-
se modo, que baja numero de membros
para deliberar-se.
Quem pausadamente correr os olho) so-
bre a sesso d'este anno, ser possuido de
reflexes mui serias. Ainda huma vez;
a sesso de 1838 oceupar hum lugar dis-
trncto na historia do paiz. Prenhe de
graves acontecimentos se nos apresenta o
futuro. Que de consideraces diversas
de tropel se nos aprsenlas agora quando
tracamos estas linhas sobre a poltica do
nosso paiz .'! Somos talvez hum visio-
nario; e por sao prudente he que restrin-
jamos nossas ohservaces sobre o porvir.
E quem o poder bem calcular no estado
de incerteza e de anxiedade em que
vivemos. De hum lado ambicies desa-
gradas j excessiva ahnegaco de amor p-
blico o que vale o mesmo, quasi uonbu,-
ma devoco civica : de outro lado em
ajguns, desmesurado empenhe em zelar
os imeresses propros ; menos amor da
patria do que i clmenlo ostenta, em
outros meno prudencia e reflejo do
que era de misler.
Nossa vida poltica he de dala mui re-
cente, mas entre ns vinga j; os icios
dus estados de antiga exiaqpcia. Entre
os Americanos do Norte concluida a luta
da independencia as paixus se acilm-
ra ; doze annodepois do grito de cone-
bem do Brasil: porem tememos os asal-
tos continuados do egosmo de outros....
Mas temos ido longo com as nossas re-
flexes. Ponhamos termo a este artigo,
supplicando aos legisladores que nio con-
cluso a sesso actual, excitando nov>j
marmurios da parte da popula cao ilhjsi ra-
da que faz continuados votos pelo bem
estar da patria e felicidade de-todos. __
O Cincinato.
(Diario do Rio de Janeiro )
deracio e de liberdade, o paiz voltou os
olhos sobre si mesmo e meditou sobre o
passado avaliou prudentemente o futuro.
Qua.1 o viajante, que. fatigado pjr huma
louga jornada e tendo de vencer anda
hum espado immenso, juncado de ujfi-
culdades, de cima de huma eminencia
contempla o terieno que andn, os pa-
ngos e trabalhos superados, eos que se
llie apresenta para suportar de novo ; re-
para suas Coreas e cauteloso, -porem ani
mado, contina sua longa marcha : assim
a cogfederacio americana completando a
obra gloriosa em que se empnhra re-
pousou por hum pouco medio {oda a
extenso do porvir, que so abra dianle
d'ella e reconheeeo que necessilava de
restaurar suas debilitadas (breas e aper-
feicoar a obra que devia resistir secu-
los. Os Estados da Unio con viera que
huma respeitavel assembla, que tiuha
por chefe o immortal Washintou refoi
masse o pacto federal, dando-lhe mais fer-
ca ; o povo nio tratou de agitar-se ; cada
hum empenhoU-se em fazer a felicidade
prop a e a do paiz em geral. Assim
loi que a Uniio Americana pode prospe-
rar. Mas ns !.'! ns desde a indepen-
dencia alimentamos desuiiiio e intrigas :
ns temos smente tratado de desmoronar
o edificio social brasrleiro. A cocrupeo
tem entre nos lancado profundas raizes :
e perece que vamos caminhaudo para hu-
ma poca poca medonba em que cada
hum tratar somonte de plbar e des-
granar completamente o paiz. Feliz-
mente ainda ha patriotismo entre nos; a-
inda h homens polticos que almeja o
RIO DE JANEIRO.
A assemblea geral ultimou ante-honlem
a apurcio dos votos, e foi acclamgdo Pie-
gente o Sr. Pedro de AraujoLima. Os re-
ceios que se conceba de hum adiamenlo
da posse para o auno prximo nio se reali-
za rio felizmente,; cessou esse estado pro-
visorio da primeira autoridade sempre
ferlil em muitas incertesas, em milita va-
cillaco as cousas e nos cspirltos. He a-
! qui o lugar de render o devdo tributo de
juitica ao bom senso do povo Brazileiro ,
pela maneira pacifica porque se conduzio
nesias eleicoens. Huma questio grave por
sua naturesa po.-ta decisao de mima-
res de eleitores lancica no meio do tur-
hilhio de tanjas paixoens contrarias ou di-
vergentes trminou-se sem o mais leve
incidente sem o menor disturbio. Este
facto honra a moderacio e as disposices
do paiz e tanto mais, quanto elle he ra-
ro ejn outras naces constilucionaes quasi
sempre expostas a violencia e s tempes-
tades de questoeus eleitoraes muito menos
importantes.
O Regente nio he hum homem novo ;
pelo ell'eao de imprevistos acontecimefttos
elle governa o Bra/il desd hum anno ; a
sua maneira de proceder nesta alta posi-
cio hecoohecida ; nio temos pois que
examinar de novo gual sera' a sua influen-
cia sobre os destinos nacionae-.' Collocj-
do cima da egiio em que porfiio os par-
tidos* polticos elle tem sabido nao trans-
cender a esphera das funecoens que lhe
devolve o governo representativo nao
iutervindo directamente na marcha da po-
ltica activa, e limitando-te a regular a
batanea entre os poderes dp estado. Es"-
te espirito do Regente he sem duvida ,
iiuuia uundicio ue esiauiiidac c ut> uui co para a autoridade suprema de que
tantj ha mj^er o Brazil alfadigadp ,de
mudancas tio repetidas nos membros rres-
ponsaveis do seu governo mudancas que
poem em duvida todas ascouzas e impt-
dem a sociedade de regularisar tranquilla-
mente os seu interesses.
Chamado a continuar o movmento pa-
rado da realpsa a exercer algumas das
altribuicoens o Regente perlence cOroo
ella,, a todos os partid -, he hum poder
neutro que por todos pode ser invocado,
gracas s combinacs eugenhosas da nao-
l a ibia constitucional.
O estado do paiz 110 mo#jcnto em que
se inaugura o Regente est longe.de ser
muito lisongeiro e satisfactorio ; avnissio
que tem a desempenhar he longa e ardua.
Apesar dos meios, empregados com ener-
ga, afortuna teabio as armas do impe-
rio em S. l'edro do Sul, e deixou anda
per hum momento victoriosa a* rabeliao.
Esta be a questio iriis laboriosa e de hum
desftebo mais difficil que depjroH o Re-
geute ao entrar no poder. He de espe-
rar todavia qu ajudado pelo patriotis-
mo dos Brazileros que em tantas occa-
zioens tem .mostrado hum afinco inabaa-
vel em sustentar a causa da monarchia e
da inlegridade do imperio consiga hum
pouco mais cedo ou hum pouco mais
tarde lser tremolar as cores nacionaes
sobre as torres de Piratinim.
Quanto aos elementos de desordem que
vislumb o era outras provincia deve-se
comfiar que as lices da lempo a marcha
da civilisaco, o pogresso da intelligencia
publica o conheciminto pratico dos males
que accanretio a revoltas, contribuirao
muito a auxilar huma poltica firme mo-
derada e esclarecida na grande ebra da
pacificaco do Brazl. Os embaracj fi*
nanceiros que complieioo estado aclaai
de ceusas sio penosos mas nio irre-
mediaveis, A forluna de muitas nacoens
a quem a providencia pao mimoseou como
a este paize q'nio posauio nem os seus fU*
MELHOR EXEM


L.-
DIARIO DE PERNAlBtJCO
A
,';Hi-sos nem o sea brilhanlo porvir, achou-
se en circunstancias infinitamente fleiores,
sem que, comtudo soffresse desastre algum.
rpido deseruvolvispento de tudas a in-
dustrias que uestes ltimos anoos apre-
zenla o Brazl garantem a segoianca do
'uturo e prometiera mijitos recursos ao
novo governo sabendo este dirigir a acli-
vidadee o genio nacional para as foiitesdus
riquesas. Pesa o Regente superar as dif-
ficuldades da sua missa firmar a onie,
a liberdade e o trono sobre a base da con-
cordia publca c tornar prospero e feliz
o paiz o maisespe/ancoso do novo inun-
da
(Do Jornal do Commercio de 8 d'QutBbro)
s
EXTERIOR.
Pariz 16 de iulho.
Chegoa esta manli bum correio de Vi-
enna com despachos de Conslanlinopla
para o presidente do censelho. Assegu-
ra-se que s exped rao ordens para armar
muitos v.nsus em Taulon e m Brest don-
de devem sabir tres vasos de terceira or-
d m para engrossa/ a esquadra o almiran-
te Gallois.
4- L-se ao Courier de Londres :
A Persia onde at agora se nao tiolu
publicado bum s jornal possue actual-
mente huma gazeta efficial ,' que ,
se publica regularmente desde o pricipio
deste anno. Como em Tehern anda nao
ha huma so imprensa de caracteres mov-
is a gazeta persiana apparece por ora li-
thographada.
A vista inesperada do imperador da
Russiaao rei de Suecia nao produzio em
blockolmo o eleito que se esperava. Te-
me-se que a presenta do autcrata nio te-
nha contribuido a augmentar as tenuVn-
cias absolutistas que germino na corte
de Bernadotte.
2odejulho. Noticias desta ma-
nila, corroboradas por varias conferenci-
as no palacio dos negocios estraugeiros ,
indicio huma nova poca nos negocios de
Hespanha. Diz-se que o governo de Ma-
drid pedio a intervenco do gabinete das
Tuileries para com o cbefe Munagorri.
Peasa-se que hum empregado da repar-
t:?:;;; de SwcSi partir jjam uiut ti-
^rregado desta misso. Falla-se d'hum
protectorado pra fazer cessar as provin-
cias bascas o flagelloda gerra civil, S^ria
a Franca e a Inglaterra que se encarre-
g de fazer respeitar a neutralidade
das tres provincias. Esta nova mocio pa-
ec* ter sido feita pelo conde d Tore-
1K.
L-se n'bura jornal Belga : Os recur-
sos secretos accumulados em Inglaterra
nosarsenaes dd ahnirantado excedem ludo
quanto se tem inventado t Hgora na ar-
te d malar gente, flfa balis sub mari-
nos bombas que lanco diluvios de fogo
no vasos inimigos sem que arlilhena
utimiga possa prejudicar os vapores quft as
vomito ; foguetes aquaticos de Congreve,
e mil outias invences que o governo tem
comprado, fazendo calar f orea de ouro
a voz dos inventores.
aidojulho. Passa por certo qUe
o marecbal Sonlt recebeo ordem de voltar
a toda a pressa a Paris para tomar con-
ta da pasta da guerra Preiende-se pai
ar com a aqtoridadedo seo nume a crea-
cao de muitos corpos de observacio desti-
nados para o Rheno Alpes e fronteiras
da Blgica.
_ O Vlennig Chronicle conforma -a
noticia dada pela Europa de huma remessa
de 5 milhesde francos para D., Cario.
{Do Despertador de aa de Seterebro.)
THEATRO.
No da 3o do corrente em beneficio da
nova Dana Josefa Candida de Mello Lo-
pes depois que for desempenhada huma
das melhores Ouverturas dar principio
a representacao da mu? linda Peca em 3
Actos, eque am'uito nos be Scena
neateTheatio denominada. O Hoiian-
dez orgulhoso Esta sublime composicio
por mais de huma vez tem atlrahido do
respeilavel Publico desta Cidide os seus
bem merecidos apitusos, e he de esperar
que nesta repeticao tenha a mesma sorle ;
porquanto % parte de Ca rice que faz a Da-
mera Peen he desempenhada pela mesma
Veneficiada, que apenar tas suas debis
forcas e pouca pratica de Theatro f.'r
todos osexforcos para a desempenhar o
rrrellioT q >e poder; ella, animada por a-
fjuelles nao merecidos aplausos que recebeo
do respeilavel Publico na sua i* represen-
taco (o que por nseio,desta muflo agra-
dece) te q~ue tomou a deliberaco de pela
terceira vez aparecer era scena em seu be-
neficio. No fim da Prca e vaesma benefi-
ciada cantar pela primeira vez huma das
melhoies Cavatinas ; rematando todo o
divertimiento com a mu jocosa farca de-
nominada A Parteira Anatmica He
este o divertimenlo que a Beneficiada tem
escolhido para preencher sta noile que Ihe
foi concedida e entreter a todos aquelles
amadores da Scena a quem pede toda a
desculpa amparo e proteccio.
4 V I Z IM I) | V l(. l S O H.
Quem percisar de urna ama de casa
mulber ja idos* para lodu servico decasa:
procure nobeco do Amorim ao lado es-
querdo sobrado que nao tem rotula andar
debaixo-
tf^> Na tarde do dia 5 de Novembro
prximo ter lugar na pona do juizdo
Civel da a* Vara a ultima Praca para a
ar rema lacio da caza do Theatro desla Ci-
dade : convida-se aosSenhores quequi-
serem arrematar para que hajao de con-
correr na mencionada tarde.
Findos os das da Le se ha de ar-
rematar em praca porta do Sr. .luir, do
Civel da a. Vara na ra Nova, huma
caza terrea sita na camboa do Carmo D 7,
com 180 palmos de fundo t e 25 de fren-
te pertencente a Antonio Joaquim Fer-
reira e sua muiner, que atouve por lie-
ranea da defunta sua sogra Ignacia The-
reza Benedicta de S. Jos y cuja caza he fo-
re.ira ao Convento do Casmo.
Precisa-se alugar huma cas terrea
com cmodos par pequea familia : an-
puncie*
Precisase de ama preta ou pirdn ,
de idade, e forra para o servico de ho-
Cui SG,!r;rO S$ itiia ; na 1 lia na
Florentina, vindo da mar direita ter-
ceira caza ter rea v
Q^S Apareceo no sitio de J^ Cathari-
na, n% Magdalena hum pardnho que
diz ser liberto na noute de quinta feira ,
25'do correrte dizend ter-^e perdido
de hum combov fjue naquelle dia sabia
para o Cer|ao do Ico. Roga-n: por tanto
a quem para o dito Cerlo for, haja 4*
tcr candade de dar noticia deste annun-
cio porque conservando se o dito meni-
no no sitio, em que ora se acba o rece-
ben a pessoaa qum elre pertencer dan-
do os signaos, fc send por elle ccyibeci-
(fo.
m. Preciz^se de bum. menino Portu-
guez que saibe ler e escrever, para huma
botica do Rio Grande do Norte ; quem
pertelftler fazer este negocio pode dirigir-
se atraz do Coi po Sanio D. 66 para se
fazer o ajuste.
__ Mr* K.issel lelojoeiro francez no
atierro da Boafista, acba-se prompto a
concertar qualjuer relogio que Ihe seja
confiado, por Thais com modo preco ; elle
obriga-sea restituir o diu'heiro que ti ver
recebidoem pagamente de qualquer con-
cert que nio for bem executado e est
prompto a tratar por anno com os seos
frefruezes por milito mdico preco obrb
gando-se a coacertar com (oda a brevidade
os relogios de seos freguezes tantas ve-
jes, quantas precisarem no decurso do
anno
Q^> A viza-se o Sr. 'Pnente Coro
nel Antonio Germano Cavalcantfe; e ao
Senhor Franctsco Antonio Cavalcante
Cousseiio h jao de apparecerera na loja
de ferragem D. i4 : na ra do Quema-
do para Ibes seren emtregues humas
c irlas vindas das Alageas
(f^. Prrdeu-se desde a ra do Livra-
meuio, th a Ponte da Passagem da Mag-
dalena um saco de ionna. com as sigui-
les pessas de ron pa ; toalbas d^ meza de
linb.i adamascado u danapos da mesma fazenda e varios ves
tidos brancos de cassas finas : a pessoa qu#
acbeu ou sou bar'di rija-se a Camboa do
Carmo casa terrea D. 11 que aea ge#ero-
zamente rlcompencado. ^ rn ......~ -----------
Aluga-sobuma loja de lm sobra.- domesiie Berto, que lie dar^ ;
do na ma Velha da Boavisla,' a qunl at [ "* McessajU ou a esta Ty
o presente servio de venda, e he lugar
de freguezia : quem a pretender dirija-se
ao seo proprietario por sima da mesm 1
Arrenda-se hum sitio com huma
boa caza de vi venda e cmodos sumeien-
tps para familia ; tem varias arvores
de fructo, e huma estribara para caval-
los ; tero annualmente pasto para ^(.i vac-
cisou mais e boa agoa de beber ; situa-
do no lugar do Arraial: quem o pretender
dirija-se a ra do Crespo D. 7.
PrecisT-se alujar huma casa terrea
cujo aluguel nao- exceda de &, mil res ,
em qualquer ra do bairro de Santo Amo-
nio tendo quinJal o cacimbt: quem a
tiver para alugar annuncie para ser pro-
curado
Preciza-se de huma negra de alu-
guel para a servico de urna casa 1 quem
iner innuncie.
Quem/ quizer comprar huma escra-
va mossa, bonita figura, cozinha o diario
de huma ca engoma lava de sabio
e barrella e he boa quitandeira : quem
a pertander dirija-se a ra Direita sobrado
n. ai que achara rom quem tratar.
Nesta praca encarecidamente ,' de
zaja-se fallar so Il|m. Spnlior Jos Fran-
cisco Senh<>r do Engenho Mariuna ; quei-
ra ter a bondade de annunciar a sua mo-
rada.
De7.eja-se fallar nesta Praca com o
Senhor Fnnci-co Dutra Macedo natural
da freguezia da Candelaria fillu do Se-
nhor Manoel Dutra e ao Senhor Fran-
cisco de Paula de Souza Portugal natu
aal do Rio de Janeiro fjlho do Senhor Jo
Antonio Rodrigues ; queira*o ter a bon
oade de annunciar por este Diario as su-
as moradas para se Ibes fallar.
Precisa-se alugar forros oa ca-
tivos que entendi de tratar de arvores
de truto : na ra da praia por cima do
hirbslro
Quem annunciou no Diario de 37
do correte vender farinha qoalro mil rs..a
saca pela medida velba : queira annunci-
ar a sua morada para ser procurada.
Alga-c i.u.i csr.os que pegne .!
quinhcutosl mil lijlos de alvenaria e son-
do de guenlos al frsenlos querseduas
paga nao se o mez adianlados aununcie.
O negocio que se tem com o Se-
nhor Ignacio dos Santos da Fonceoa, lie^
^ara eutregar-lhe huma caria remeltida
da Villa d.t Ass.
Preciza-se de trezenlos mil reiaaju-
ros do a por cento danao-se hum lindo
escravo por epoteca por espaso de 4 "no-'
zes ou jy tes se o qiser enbolsar com a
condicio de que se no dito lempo nio en-
bolsar ficar se com o mesmo escTaVo pelo
mesroo dinheiro : a quem este negocio con
vier annuncie.
Arren la-se um armasom de casa
terrea com tres portas, na ra da Santa
Billa, ultima casa da parte do mar com
embarque ao p, com balances, e pezos pa-
ra a compra de assucar, ou couros salga- ,
dos; a lalar com Jos Joaquim Biserra
Cavalcanti na Passagem da Magdalena.
Terrenos para se edificar casas na J
passagem da Magdalena, a boira d eslrada,
que rende nelhs; n se lugai se nao
a familia cap .7. a qual igualmente podi-r
se utilisar da' fi utas quem qOMer din -
ja-se ao campo de S Amaro, na venda
ifor-
ypogra-
fia.
_ Precisa alugar huma ras terrea,;
ou piiaeiro aunar na ra da Guia do R--
cife ou as travetsaa anexas que tenha-
q telbadi) vedado e porta segura qual-
quer ontra faha se despensa ; quem tiver
annuncie.
A venda junio a Botica de Joo Pe-
rejra da Silveira na traversa do Bosario,
nao se troca e nem se cede mais a casa ,
nem se tende por se ler tomado oulro
accordo.
_ Perdeu s*. urna Caitera com ranos
papis e 5 sed ubis de 10,000 res : a pe*-
soa queahou pude ficar com as Medulas e
faser o favor entregar n carteira < :m os
mais papis na loja de livros numero 3j
38 na Praca da Independencia qu oio sj
iid igai cousa aiguma ou mesmo pode
exar rm hum catia e mandar par quem
quiser ao mesmo lugar ou a esla Tvpo-
grafi.
Seoescravo quese peitende hypo-
lecar for ladino a de bous coslunies : o
pretendente pode dirigr-Sb ao 1 andar
do sobrado D. 10 defroHio do Theatro,
onde se di quera aevila o negocio.
_ No Kngenhti Serrara Fieguesis de
Jaboalo achasse bum negro idoso que
nio diz a quem pen* nce de nome Antonio:
a quem Ihe falla.- dito esciavo dando os
signaes lb ser entregue.
Quem tiver equiser alugar urna ca-
noa qoe pegue em mil lijlos : annuncie.
_. Arrenda-se para passar a fesla bum
sitio na Ponte de Uxoa com encllenle ca-
za, de vi ven da pintada e preparada de
todo com eslribiria qusrtos para escla-
vos, < Inicias : a fular com oVilias Boas na
r do Encantamejilo que ITie dir quem
arrenda. O mesmo Vill s B as precisa de
MR feitor habij em plaUcoeus para bum
com 185 palmos de fundo, ou ,joo a face
da cambfc, e pelo ccnti% com aoo, ou
qoo palmos de lundo, conforme' o gosto,
circunstancias dos pertendentes, falar
zerra Cavalcante no mesmo lugar, nos das
Domingos, e Santos a qualquer, e nos di-
as uteis das tres horas ate as tfeis da tarde,
salva as alteracs de suas occorrencias
.ueste ultimo periodo. Tambera se alora
p >rpetuamenle nos terrenos do cenlroj e
a face da camboa. assim como tambem se
ajustar a edificagao de qualquer predio,
a'vista da planta, que se Ihe apreseutar.
Osaforamentos perpetuos terfio principios
cornos a'oradores, que se aebio faladcs do
primeiro de Novembro prximo em di-
auie.
Aluga-se parte de urna casa, para a
Festa uu por anno em um sitio em S*
Amaro cooslando de dua sallas duas
camarinhss, sola ecosinha, ludo in
sitio de pessoa qu o encarregou de tra-
tar aisso
__ Arrenda-se um sitio na estrada da
Belem confronte o sitio do Sor. Joaquim
Mandes baa casa de vivenda baix, pac*
capim e arvnredos de fruto : os perteri-
dentes diria *e Broprietro no "fier-
ro da Boa-vis|a loja o. 10*.
_ Arrenda-se um sitio muilo grande
todo coberto de arvored s de fmto de toda
quaiidade cercado todo de madeira casa
grande cora commodos para familia eM-
cravos, pouco adianto do Pombal : ospir-
tenles dirijio-se u ra da Praia pur cima
do Barbeiro.
_ Na ra Nova. ). i deseja-se (Mu
a-> Sur. J ise Manoel Borgvs di freguesia
de Anzeda terino^ de Braga.
_ Boga-so u quem na noile do dia a5
do crrenlo acbou no beco <|ue vai da ra
das Cruzes ao Pateo do paraso na ocoa-
zio do toque dencolbr n msica hum
chapeo bram-o com bm pissaport-i : Uve-o
a rm Nova a Germano Jos Scirao Ar-
naud que ser recompensado.
Aqualquer Reverendo Sur. que C0n-
vierdisrras Missa de.f.ds o dia do Natal a
t odia de Res no lineen lio denorrjinido
S. Braz freguesia de Serinhaem : dirija-s
ao lu^ar da Sobdade casa terrea grande
defronte do Reverendo Fr. Manoel, para
se tratar do ajuste ; adverte-se nao hajrer
mesquinbez na pga. |
_ Quem quiser trocir urna Imagem de
Sant) Antonio d pilma e meiode vuilo
com o seu proprietario Jos Joaquim Bi- com resplandor de praM : annuncie, ou
l.ltiramcnle separado da pequea familia J de ptdreiro: aniUHcie. -
prociaji na ruado Palacete na sexta cas.i
larrea pissindoo sobrado do f decido Mi-
guel o*e Fontea juato ao lamniio.
_ O Sfir. Marcelino da (Insta mesj/p
de Muzica, queira terabondade de annun-
ciar ^a mqjada para se Ibo falar u nego-
cio de s^o nter sse.
__ No armasem de Antonio Joaquim
Pereira defronle das escadinbas d'Alfan-
dega vende se por piecos com modos e
enejados recen temerte charutos de su-
perior quaiidade em cai.xinh.as meias
caxinhis quartos de caixinhas bem
cooiio charutos muilo pequeos de simeri-
orqulidade, farinha de Mag, ervilhas
novas e milho
*i 1'rcciM su ojugar hum srn(
/IPLAR ENCONTRADO


H
4
B'IARl
imva
DE PERNAMBUCO.
Pee! publicacfo do seguiute :
S Jjo Jos de V asconcjellris e Sou-
z2 Dau parle a Vini1. que (^ont.-rn pe-
Jas 41t>raa o mefa da tarde chgau a lanxa
a bordo deata Ticuna do seu Commando
c -ua ao burris e :o barricas, o outras
miudesas e perguntandoeu aop.'trope~
] despacha respondeo que 4nha ficado
na Batea do regislo, e que em. virtude del-
les llie dero um recibo : eu o fiz logo
vallar no bate a barcaca cem o recibo pa-
. ra me trazer o despacho par* a vista d'elle
conferir a c.-yga e passir o recibo nelle ,
vollou o patra diztndo 'que la nao queriao.
mais nceber o recibo nem lao p;uco man-
dar o despacho .ou,ndo ato fui eu mes-
mo a bardo da Barca do registo omle roa
responden o Gjjardp Cavalcanti que o
raannheirotinbae::ig3o o recibo, e de
nada masqueria ,aber;eu orqfiuei duen-
do que a inorancia Ibi do Mirinheiio,
mis elle nao me qau i nder, tal.* por
fazerdependencia, oo por />u ser porto,-
gijez sobre quim. aioda labora intrigas de
individuas paucos sclawcido* entretan-
to a ooiteceo fu 1 sparregar lanxa para
evitar algum risco. esU fnanhia nao pude
encontrnr-ma rom Vmc., por isso Ihe par-
tecipo por escripia pjfa Vmc ver o que de-
ve facer. Bordo oa Escuna Portugueza
Quwdala5dOatubrode i338. j,,
de Vmc. seu criado Pedro Marques da
Silva Ribeiro.
- Perdeu-se no d> a4 do corrente
um boto redondo d^pV9 cora um bri-
znante lando cihidMo sobrado da rjja
Efifeita T). w, quena o achou pode entregar
no mesmo sobrado quesera bem recom-
pensado ... ,
___Tendo de s apresen tar no beneficio
das viuvas dos Bravos Pernambucanoa
morios m Baha um Drama cora 4 fi-
guras Americanas vestidas de pennas pre
tas ec>nv::!> i iju'-m as tivjrpara ah-
ir egufoet. emprestar! ou vender era.
ala' di ija-se ao Theatro at o ulti-
mo do corrente visto que o beneficio he.,
no primerio de > iverabro.
\ i uncin querer com,*,
dirija-stfa ra
n;n i'ollrs le ourives dirija-siTs
-,1 ..tV.oirte l$reja. .
- Precisa-se de co ooo para se dar.
ii) <: ,r"i se a proVc-ptdo do.
>hirnftno". mitun r*iiiM fare.r la fran-
sacao, trij i-s-- ;r :m do. Quej'raado uo
Bezudo anda." do v;bra.doD. 28, ou an-
ngncie.* ..:
Umacreouo muito capaza* offere-
cp a servir em urna c-isa de pouca familia ,
quem de seu prest ma se quiser utilisar ,
dirja-sea ra de Manpel Coco usa que
temo teiablo de S. liirn Jezus dos Ananes...
AVISOS MARTIMOS.
PARVO I, U i). JANEIRO, o bem
cohhecido BeagiiiiiiiJ Nacional Boro Jess,
Capitn Jaa'Rotjrigugs .Amaro per.tende
ahir com'toda hreyidde ; quem no m-'s-
mo quiser cYrreg*r "ou ir depVssagero, d-
rja-s% ao Capilo a Lardo ott'a Gadino
Agoslinho de Barios, na pracinha do Gor-
po Santo D. 6-.
,PARA LIVERPOOL com toda a bre-
vidade a superior G.dera Ingleza Emily ,
Capito Wardle d* primeira classe (A l)
forrado e encavilbado de cobre: quera
quizer carregar ouhr de passagedb dirja-
se a M. Cjlniont S C
tendente se dir o motivo urna port^o
de ripas dois terrenos de 5o palmos cada
^um de frente, e fundo de tio. chao
proprios % bem aterrado ; e um pa|an*
qatim era boa uzo : na solidado sobrado de
um andar com var'anda de pao I). 1 i.
Um molatinho de dade de i3 parra.
i/\ annos pouco mais ou mends: na ruada
cadeia velha n. 4p>
- Um moleque de dade de *4 anrjos
bonita figura e com principios de s-ipatei-
ro : ns ra nova D. 53.
Urna escrava de bonita figura de
idade^li 18 ao annos sera molestia al-
guma cozinha o diario de urna casa, en-
saboa engomma efaz pndelo e balinbo
assa carne de forno e he boa quintandei-
ra : na ra dos Quarteis D. 9.
.No armasen) da' ra do sol, e no.
P.ecife armasem do Sr. Machado, capim,
d p'anta sendo sempre verde a 2/I0 a
arroba, e loma-se at 3oo feixes de fre--
guszia cora condico de nunca se fallar.
Batatas inglezas era gigos, queijos,
Iondrinhos .presuntos'frescos charutos
da Habana posas Seidllezpra r.aixas gran-
des e pequeas, ludo chegadn ultima-
mente : na ra da Alfandega velha n. 3.
Urna venda na ra da Conceicfio da
ljoa vjsta D. 3o : a fallar na mesma. -
Farinha de Mandioca de Superior-
'qualidade a bordo da Sumaca Eugenia Fe-
liz fundiada na praia do col ligio sendo
etn porr;5es a 4>48o por atqueire da medi-
da velha.
Duas vaccis de leite muito um garrote e duas .novilbas : no lugar
chamado pirnamerim ou o!ho de vidro ,
sitio ppgadu ao Sr. Manoel Lourenco.
Chapeos do Chile de todas as qua-
lidades ja promptos e por a projnptar,
tanto de abas largas, qpmo de copa alta ,
e por preco o mais commodo possivel: na
praca da Independencia loja n. j e 8.
- Urna canoa de caire ira de um s.
p:o, anda em boa estado e pintada ,
que leva 5 a 6 pesseas : por detraz da
Igrej dos Martirios no porto das canoas
aondeexiste a dita.
-.-. Uma negrinba de i3 a 14 annos,

t '' C 0 fvi P K As.
- Uma porco de azeite doce ,.inda
ro--smo nao sendo pouca com raneo ou
comdutra qualqdr ruina cbm tanto que
sirva para luz : na Saudade sitio que
do fallecido Reaventara, ouannuncie*
VENDAS.
Guard-inspos muito bons de panno
de hubo do porto rap d 1 Bihia de areia
preta pannas de escrevor muito superio-
res : na praca da Independencia n. 3g. .
-- Uma prcta de naci com idade de
3 dimos quitandeira e iavadeira 5 um
moleqiv de 9 a 10 annos, a vista dos pre-
.(.* y ^c i%odftgora % -nBTVgoonttii cozinWo
diario de uma casa ejava de sab.o j'pa
ra Dir*ita O. uo lado daJgreja.do Liv(a-
mantn
Urna parelha decavallos. ja ,e,nsin.^-
dos para carrinho e um hora cavalla es-
quipador : no atierro da I! ja vista ca^ia
dq s^jeiro Emilio.
Um esciavo de naco costa. Ae jda-
de de;ao annos milito' forte propio |)|ft
0 servico de padaria por ter aiguaja, pra-
(tca um dito de angola bom para trd.ar
de cavallos uma negra ptima costureira,
pm moleque muilo ladino de idade de 10
anno^ e um dito de naco mucambique ,
de idade de 2a annos de linda figura,
sem vicios nem achaques : passand a
Igreja dos Martirios no primeiro andar do
prmeiro sobrado.
Os seguintes livros em Fra'ncez e
Porluguez : historio do Christianisaio por
Potter mestre francez por Cbamapier ,
elementos da legislaco natural por Per-
reau adoptado para o curso juridico re-
tencoes de ourina por Dubonchet ma-
nual de jardineiro quesles sobre o c-
digo do commercio por Herson mbrte de
. Coligoy cobridor Macn, historia da
polica de Pars, cdigos estrangeiros,
manual (le franmajpon grammatica In-
glez geografa de Marc Carthv cami-
nho de libellos manual dos tabelies,
pratica dos inventarios tratados dos tes-
tamentos linhas civis viagens- as duas
Americaj v ditas a volla do mudado >or
Doumont D'Arvle ; obras completas' de
Rousseau -folhinhas d. cos vida de Faublas desoito cdigo fran -
caz : na ra do Vgario n. it.
A posse de 60 palmos de um terreno
ajagado no srguimenlo da ra da Aurora ,
pagando de foro 3o rs. ao palmo e com
1 Ooo de fundo: a tratar na ra de S. Gon-
salo D. 11 das 6 da manh as 8 e das
3 da tarde em diante assim como uma
propriedade d casa terrea de pedra e cal,
com um grande quintal e cacimba ter-
reno na frente para se edificar duas gran-
des casas sita na solidado junto ao so-
brado da vuva do Martins.
_ Uma canoa nova, acabada de ser
conslruida ,'quecondijz 5ooa 600 lijlos -
foi
de.alvenaria grossa e recebe*jo em pa-
gamento arneta.de do valor em lijlos j^a
tratar narui de S. Gonsaln, ou na repar-
tjcio das obra* Pulbicas com Marcellino
Jos Lopes.
Por pceo eommodo urna parte de 1
sobrado de um andar com solio e trepeia
sito na ruado Fagundes em o qoal. mora
o escrivao das hyp ihecajs : a ira lar na
mesma ra casa D. 5. %
Uma pedra de filtrar agoa um fol-
ies proprio para ourives umacaxa para
relogio de parede nm relogio" de pan de
hora regulador fitas para relogio a 340
res : na ra nova D. ag.
-- Ou aluga-se para a fesla uma casa
ter>ea na Cidade de Olinda no lugar de
SvThereza, cora commodos para lamili,
qozinha fora e casas para escravos com
um grande quintal ja alterrdo ,. e coque!-
ros : a tratar na ra do Palacete casa ter-
rea junto a do lampiao-.
-- Uma escrava rom idade de -j4 annos,
creoula as suas habelida9.se dir ao com-
prador sendo para fora da provincia : na
venda nova defronte do Theatro.
Uma escrava1 de 3o annos, naco
congq lava muito bem de yarrela boa
quitandeira engomma e cozinha a
vista do comprador se dir o motiva ad-
ver-se que se prefere para fora da provin-
cia : alraz da Matriz da Boa vista na se-
gunda casa a Callar com Manoel Elias de
Moura.
Uma canoa de 4o palmos de com-
' prida e 5 do boca com uma forte cor-
rete de sua amarraco calafetada e pin-
tada pandeiro ludo construido de no-
vo propria para carregar familia : na ra
da Gloria D. i5.
* Um bom cavallo novo cairega-
dor eesquipador ; as 5 pontas sobrado
ultimo e junto aoem-que morou o Teen-
te Alfonso Honorato Bastos Quartel Mestre
do 4 corpo dV Artilheria.
Um terreno para edificar urna pro-
priedade com boa largura com alicerce
ila frente e de um lado comprando se ame-
acio panto que tem um palmo o dito
terreno tem de largurataga 3o palmos e
de comprimente 3oo ,. e outros tantos pal-
mos anexo ao mesmo e uma porco de
pedias para obra : o tratar com o Cardial,
naruadapraia serrara junto ao tanque
d'agoa.
Um pelo congo de idade de a5
a 3o annos, muito ladino nao tem vicio
algum bom trabalhador de sitio, vende
e compra bem na ra ao comprador se
dir o motivo e pelo ctfrnmodo preco de
35o,000 : na ra Di'reita D. 34-
--- O Patacho Simbatbia construido
em Cururipe da primeira iagem ,' for-
rado ecavilhado de cobre, o de excellente
marcha com todos os seus pe tences e
sobreselenles .* a bordo do mesmo fundia-
do na praia do collegio a tratar com Jo-
s Alejandrino Ferruje ou a Antonio
Jos de Magalbes Bastos.
Uma casa na campia da casa forte ,
de pedra e cal, com 3o palmos de largo ,
e ^5 de fundo com duas salas 4 quar-
tos cozinha fora, estribara, e cacimba
com boa agoa de beber, as" trras sao pro-
prias, muito frescas e com boa vista : a
tratar na ra dos Martirios passand a Igre-r
ja no primeiro andar do primeiro sobrado.
ESCKAVCl^ FGIDOS.
_ No dia a 1 do corrente fiigio hura
negro de nome Francisco, naci, Angola;,
de trinta annos pouco mais ou nanos, es-
tatura regular p grande e palhento ,
com barba na ponta do queixo e buma
belide na c-'ho esquerdo ; levou vestido
ceToulasd'nlgodozinho bastante sujas o
carniza de baeta azul j uzada : os apre-
hendedores levem-o ao Recfe casa de
Jos Francisco Marques, que serio re-
compensados.
Fugio na dia 18 do corrente uma
negra de naci carabinda de nome Ma-
ra com os slgnaes seguintes : altura re
guiar reforcada do corpo os denles da
I rente da boca podres e torios, beicOs
grossos os dedos immediatos ao mnimo
do p dreito mais curto em porporcau os
outros sendo o que he junto .ao minqno
mais levantado, est cora o cabello muilo
pequeo por ler sido raspada a caheca &
tem alguns cabellos brancos levou vesti-4
do de chilacom habidos, tendo entie (
corpo do vestido e babado uma' era men-
da da mesma chila por isso est mais
novo de que todo^> vestido levando mais/
por cima do dito uma saia de chita de lis-'
tras ja velha ; quem a pegar pode levara
ra do Livntmento do lado da ra Direita
no primeiro andar do sobrado D. 18.
P'ugio no ultimo de Dezembrodoan-
no p. p. uma negra da costa ja idosa do"
nome Catharina, alta um tanto fulla, que-'
brada de ambas as verilhas quando anda"
deita os peitos para fora ; quem a pegar1
leve ao seu Senhor na ra do Aragao D,
aj quesera b?m recompensado.
-- odia 14 de Maio do cerrente fu-
I go um escravo do gento de angola de
nome Antonio, bem conhecido pelo o al-
cunho de macaco escravo que foi do r,
Joaquina Pereira Xavier de Olivera, que
leve serrara na ra da praia hoje mora-
dor na casa forte, os signaes sao os seguin-
tes: baixo, magro, cara comprida e descar-
nada bem feito de ps e pernas os den-
tes da frente a cangulados, eabertos, pou-
el barba testa comprida olWos grandes
e na flor do rosto e vivos sabio com ca-
misa e calsa de estoupa chapeo de paha;
qgem o pegar leve a casa doPabre Joaquim
Gonsalves Rodrigues morador na ra dq
Fagundes que ser bem recompensado.
-- Roga-se aos Snrs. Sub-Prefeitos ,
aulhoridades policiaes pessoJfc particula-
ras c ca pitaes decampo dista o mais ca-
rnereas, hajo de laticarem suas vistas,
sobre u escravo creoulo de nome Edu-
ardo otficialde sapa t ir o altura regu-
lar secco do corpo bem preto cara li-
za ,' denles alvos quando falla gagueija ,
principalmente quando est mentindo ,
mui/o flota regrista e se intitula de for-
ro e muda o nome para o de Antonio
ou outro qualquer gosta muito de mon'
tar cavallo cujo foi escravd do Thomaz
FerTeira Ramos e -hoje he de Justin o
Candido de Mendello morador no Brejo
da Madre de Dos ; a pessoa que o
aprehender lenha apondade de levar a
rna do Rangel, ouno forte do naattos pren-
sa de algodo a entregar a Elias Francisco
Mendello on ao sea Sur. r.o B.-ejo ca
deposita-lo na cadeia que ser generosa-
mente recompeusado pois anda fugio des
de a5de Nevembro de 1837 e tem sido
encontrado na ra larga do Rozario, e
algumas vezes na estrada do Manguinho ,
montado a cavallo
MOVIMENTO DO PORTO*
NAVIOS ENTRADOS NO DIA a5.
RIO DE JANEIRO; 16 das, Brigue Es-
cuna Nac. Amisaded Luciano Dourado, carga varios gene-
ros : a Franca & Companhia ; passa-
gerosos Deputados o Padre Mestre Ma-
noel do Monte Rodrigues de. Araujo ,
Jos Mara Idelfonco Jacome da Veig
Pessoa fTrajauo Alipiode Olanda Cha-
cn. Jos Antonio Ue Souza Machado,
Joo Antonio Marques.
DITO 5 18 dias Brigue de Guerra Nac.
Constanca Commandante o Capito
Tenente Jpaquim Jos Ignacio ; passa-
geirOs o Exra. Presidente da Provincia ,
e 3, criados o Senador Jos Ignaci o
Borges cora 3escravos o Exm. Pre-
sidente do Rio Grande do Norte o a.
Tenente da Armada Francisco J,os de,
Olivera, o 2.' Sargento' Ilercurano
Gentil de Otiveira a soldados esciizos ,
eo paizano porluguez Manoel Jet Vie-
na Braga.
TIVERPOQL; 48 dias, Brigqe Jngle*
Raped da a5o Tonel. Cap. Guilber-
me carga va/ios gneros : a Crabtree.
SAHIDOSN* MESMO DIA
SANTQS ; Brigue Nac Dos Te Guarde,
Cap. Domingos da Silva Mouro carga
sal, e palhas.
Per ha Tir. p*M,r e r. -:? i38
MELHOR EXEMP
^ -


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EOH6BCL0G_BODSNM INGEST_TIME 2013-04-13T00:22:55Z PACKAGE AA00011611_06043
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES