Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06034


This item is only available as the following downloads:


Full Text
asa
OTO DE i836. QUINTA FEIRA
C A.M BIOS.
Ontubro 17.
Londres a8 D. bt. por ijjooo ced.
Lisboa 90 a g5 por 100 premio, por metal. Nora.
Franca 34o a 345 Rs. por franco.
Rio de Janei ro oar-
Moedas de6S4oo i5fooo as velbas novas 14^600.
4|ooo0#iooapoo
Pesos Coluronarios ifogo a 1^700
Ditlos Mejicanos l#o8o a i#bi)o
Patacoeus Brasileiros i#bgo a 1^700
Premios das Letras, por mez 1 a 1 e i|0 por 100.
Cobre ao par.
PARTIDAS DO^CORREIOS TERRESTES.
1 Cidade da Paraiha e villas de sua pretenco ....
1 Cidade do Rio brande do Norte, e villas dem ... Segundas e SetUs feiras.
Cidade da Fortaleza e villas dem.......i
Villa de Goianna.......k .
C'idade'e Olinda............ Todos os das.
Villa de Santo Anlo.......... Quintas feiras.
ita dearanliuus e Povoaco do Bonito..... Das 10, endcada mez.
Pitias do Cabo Serinhaem," Kio Formoso, e Porto Calvo dem 1 11, e aidittodido
.Cidadedas Alagoas e Villa de Macei...... dem dem.
"Villa ch fajan' de Flores.......... dem 17, ditodillo
Todos os correios partem ao meio dia.
18 DE TBHO HUMKKO aa&
ludo agora depende de nos mesiuos ; jcuj.nossa prudencia
moderarlo e energa: continuemos como principiamos,
e seremos apontados Cort dmiraeo entra as N'acJes uiais cul-
tas.
Proclamaco da Assemhlea Geral do Brasil.
gH><
Subscreve-se para esta folha r m!l res rhensaes patos all-
antados nesta Tipografa, ra das Cruaes D. 3, e ua Praci
da Independencia D. 37 e .38, onde se receben correspon-
dencias legalisadas, eannuncios: insirndo-e estes gratis
sendo dos proprios assigaantes, e viudos assignados.
DAS DA SEMANA.
15 Segunda S. Teresa de Jess. Aud. do Juiz do crime.de tarde e sesso da Tlies. P.
16 Terca S. Maitiniano M. RelacSo de manila" aud. do J. dos Or. de tarde.
17 Qua'rta S. ileduvirges. Sesso da Tliesouraria Provincial.
18 Quinta S. Lucas Evangelista. Relaco de inanh e audiencia do J. dos orlaos de tarde.
La nova as 1 i horas e 49 min. da manila.
19 Sexta S. Pedro de Alcntara. Sesso da Thesurari Puh.
jo Sabbado >V Joo Cancio Relaco de manh, e aud. do Y-
ia L'oningo S. rsula e suasCpmpanheiras.
b Mur cheia para o dia 18 de Outubro.
As 4 horas 3o minutos da manb As 3 horas 54 minutos da tarde.
e aud. i lo Juiz do Civel de t.
ti. de larde.
PARTE OFFIGIAL.
RIO DE JANEIRO.
CMARA DOS.DEPUTADOS.
Sessa en 2i de Agosto.
Presidencia do Sor. Araujo Vianna.
Logo que se reuoe numero legal de pillados, heaberta a sesso, lida e appio-
?ada a acta da anterior.
O Senhor primeiro secretario da' tonta
do expediente.
Ordem do dia.
Continua a discussao do orcamento do
ministerio da fasenda, e as seguintes e-
mendas apoiadas,
Do Snr. Gomes de Campos Ao
17 artigo auditivo addicioue-se O ihe-
souro publico restituir' a cmara muni-
cipal os laudemios que individamente
percebem desde a promulgaco da sobre-
dita lei. Salva a redaeco.
2. Da commisso de orcamento As
matriculas da escola de medicina faro par-
teda receita geral.
3. Dos Snrs. Paulino e Vas Vieira,
os seguintes artigos additivos.
O governo geral pagar a provincia do
Rio de Janeiro a so mina que faltar para
completar a de 43o:36jUooo, que na lei
de 3 de outubro de S.\, foi decretada
para as despesas da mesma provincia, nos
annos fnanceiros de i834i a i835, e de
i835a i83b\
Esta soturna sera1 paga a mencionada
provincia integralmente em prestadas
mensaes, nunca menos de seis contos, por
cotila do credilo votado para o anno finan*
ceiro de i338,a 1839
4. Do Snr. Souzi Franco No arti-
go 14 addilivo acrescente-se -- ou trans-
portes perteocentes a naco que os en
viar.
O artigo 16 redia-se assim a tota-
lidade desla imposico sera' dividida em
duas parte do modo segu nle :
At um cont de reis sero applica-
irjos a amorlisaco do papel moeda, e o res-
tante entrar para a renda geral.
m Aoi. da tabella a que se refere o
artigo 1. depois da pilavra vitalicios, a-
crescente-se e geraes.
O 10. Substitua-se por esle Por
proviso de adv< gado ao por cento do seu
rendimeoto animal.
5. Do Snr. liaptista Caetano -- As mer-
cadorias poituguesas importadas 00 im-
peli pagaro de hora em diante 10 por
cento addicionaes aos i5 por cento exis-
tentes, em quanto o governo porluguez
nao modificar a tarifa das Ifandegas d'a-
quelle reino e collonias alteradas no au-
no prximo passado, sobrecarragmde os
productos do Brasil. Salva a redaeco.
6. Do Snr. Calmon O governo he
(utorisado, desle ja, a elevar osdireitosde
importaco de maneira que se estabeleca
a possivel reciprocidade entre o imperio,
e as nacoes com que nao livermos tratados
de com'tiercio.
Segue-se o projeeto que a commissao.de
orcamento offereee em substituidlo dos ar-
tigos additivos i4 i5.
A assemblea geral legislativa resolve.
Artigo 1. Os impostos addicionaes de
1 por cento, de expediente, e de 1 i\
por cento de armasenagem, creados pela
lei n. 109, de 11 de outubro da 18.5;,
Picio substituidos pelo novo imposto de 3
I p por cento, que se denominara* de ar-
masenagem addicional, observando-se na
sua cobra tica o que vae dispost nos se-
guintes pargrafos.
r.O novo imposto he dividido em
lodosos despachos para consummo, e nos
de reexportadlo, e baideacao para a Cos-
a d'Arica.
a. Fico porem isentos desta nova
imposico, e continuo a pagar os direi-
... ..i ...w. *......L,.in,.;,|_ ... i. j_
lUS IIIC OjJ| WHUtllVIUM.l, US JQUJIUJ UC
que trata o pargrafo nico do artigo 1.
da citada Lei, os gneros estrangeinos re-
meltidos com a carta de guia de portos do
imperio e os despachos por baldeaco e
ree portelo.
3. Sao isentos do imposto de i|4 de
armasenagem por um mez, os gneros
denominados de estiva, e por qualro me
ses, os que se deposito nos armasens da
alfandega; todos os que se demorarem
nesses depsitos, alem dos prasos mar-
cados, coutinnaro a pagar o 11) par cen-
to de armasenagem, seguado est estabe-
lecido.
A renda, que produzir esta nova im
pos cao, ser escriplurada com distineco
da do meio por cento do equivalente, e
expediente.
Artigo a. A totalidade desta nova im-
posico sera dividida em duas pir-
les, .enilo a ip. por cento applicados u a-
mortsaco do papel moed, e 1 p por
cento exclusivamente destinado a amor-
lisaco da divida externa em atraso ale a
sua completa extineco depois que com
o producto della se prehencher a cancio de
um semestre adiaatado, na conformidad;.*
dos contractos.
Artigo 3, Fica revegada qualquer legis-
laco em contrario.
Paco da cmara dos deputados 3o de
julho de 1638. Joaquina Francisco Vi-
unna. Carlos Carneiro de Campas.
Tabella a que se refere o artigo 10 das n-
mendas addilivas da commisso (Vide
a sesso de ao).
I. Por alvara' de oflicios de justica vi-
talicios, novos direitos de 3o por cento do
rendimentu ou lotacio de um anno, pa-
gos pelo despachado, ou agraciado.
a. Pelo valor de qualquer ordenado,
sold, aposentadora, lenca, penso cou-
giua, e gratificaclo annusl, e por qual-
quer augmento, ou maioria no caso de
accesso ou melhoramento, cinco por
cento pagos p la pessoa, que for, empre-
gada, eu agraciada por huma vez smen-
te, acobrados as pagadorias, e estac.-s
respectivas, durante o primeiro anno do
despscho ou merc.
3. Pela coufirmacau de doaedes 4 Pr
cento.
4. Do valor das flaneas prestadas em
juiso a por cento.
5/ Por habilitaci5 em juisode ausenles
para receber heranca, ou divida 1 por cen-
to calculado sobre o valor d'estas.
'i. Pur carta de Ululo de conselho....
toO reia.
7. Por dita da privilegio concedido a
qualquer fabrica ou impreca 5oU rs.
8. Por administracio de capailas vagis,
dadas por denuncia 3oU'rs.
9. Por confirmacio de ligitimacao, ado*
pcio compromisso r creaco de con-
trarias, e irmandad-i 3oU rs.
10. Pur proviso de advogado, o pro-
curador de auditorios 60U rs.
11. Por matriculas de negociantes 2oU
reis.
1 a. Por carta da emancipaco, e sup-
prlmanto de consentimento paltrao para
casatnenlo aoU reis.
13. Por carta de pharmacia 10U rs.
14. Por carta deDoutor, Racharel em
leis, e medicina, 3o rs.
O Snr. ministro da fasenda faz algu-
mas observa9oes aos clculos sobre a re-
ceita fixada pela uobre commisso do or-
catnento e combite algumas das avalia-
cas la i tas p la mesma commisso, Da
explicacts au que o nobre depulado pela
Proviucia de Pernatnbuco, (o Snr. Heu-
rique deResende) proferio na sesso de
hontem acerca de varias embarcaces que
passarem de naciona.es a extrangeiras e
que se tem empregado no trafico da escra-
vatura, e Ihe declara que se nao ficar sa-
tiseito com as explicacous, que Ihi tem
dad nao dovidarV dar-Ibes outras.
O Snr. Vaz Vieira sustenta a sua emen
da -, e mostra que he es ti a occasto pro-
pria du ser discutida e nao por meio de
urna resollido como discera o Snr. Hen-
rique de Rescude : mistra igualmente
que o sold pedido nao pissara de vinte
a trila contos de res, o ij te pide ser pa-
go em cinco ou seis meses segundo a
sua emenda que exige que esta sold seja
pago por preslaci minsaes.
.. O Snr. H 11 fique de Rjseade declara,
que elUdeputado discara qaa nao appro-
vava ti" 11 desaprovava a emenda do Sr.
Vaz Vieira. O iliustre orador contiua a
faaer vjrias observaces sobre a materia
do orcimenlo.
O Snr. A.oebispo da Rihia, ofjrece a
consideraco di camira o estado depo-
bresa a que eslo redolidas as religiosas
da Rabia, e pede que ellas sejo isentas de
pagir asegunda decima qua foi imposta
Ddscorpjracosdt mo murta, e nestesen
tido manda a mesa urna emenda, que he
apoiada, fasendoextensiva esta isencoaos
conventos, e recollumentos das religiosas
da proviocia da Rabia.
Falli mais sobre a materia do orca-
mento, os Snrs. Coelho, Ferrei a Penna,
eCalmon, e be apoiada urna eme.:da do
Snr. hispo deCuiab, que declara, que
a pissar a emenda do Sor. arcebispr da
Rabia, ella fique extensiva ao recolhimen-
da cidade de S. Paulo.
Tjma parte na discussao Snr. Paulino
e he apoiada huma emenda assignada pe-
los Surs. (i-im-s Ribeiro, e Nuues Ma-
chado, que d'clara que a passar as emen-
das d Snr. Arcehispo da Rabia, e bispo
de (Juiab, ellas se faco extensivas a ler-
das as provincias do impnrio onde houve-
rem taeestabelecinienlos.
Fifa a dscussaS adiada por dar a hora.
O Snr. Presidente da para ordem d6
dia a mesma de hbje. *
Levanta a sessa depois das duas horas
da tarde.
PERNAMRCO.
GOVERiNO DA PROVINCIA.
Expediente'dodia 15 de Outubro do
>.
Officio Ao Exm. Presidente da Pro-
vincia das'Alagoas eiiviando-lhe por co-
pia um oin^iod Inspector do Arsenal de
lYlarinlia e rogando-lbe haja de expedir
suas ordens para que na con la dos cem
paos vindos no Patacho Conceico'," e a-
comnauhadodoscu olbcio de 10 de Seteni-
brodeste auno, venlio especificados os
precas de cada um dos ditos po assim
cut) para qie seja satisleito o mais que
o referido Inspector reqsila.
Dito Ao Commindante das Armas',
ordenando-lhe em conformidade do Im
perial A.vso de .. Setembro p. p. qiw
faca recolber as sdis respectivas Cwsni >'*
OlEciaes du' Prinnira Linhi fue sa a-
cbo actualmente empregados na Instruc-
co ds G, lV.
Dito Ao Inspector da Tlusouraria,
enviando-lhe urna Nota relativa a Joaquitu
Francisco 15islos Contribuinlu para o
Monte Pi Geral dos Servidores do lista.-
do nGu de que pratique com esto Con-
tribainleo que se aclia eslabslecido para
com os mais. "
Diu Ao mesmo ordenando-lhe em
conformidade do Imperial Aviso de i5 de
Setembro do correle anuo que organise
urna exacta conta da to*J a despesa Vlili-
tar que se fiser nesta Provincia em cada
uovniez ; afim de ser iransmellida a Se-
cretaria de Eslado dos Negocios da Gui-r-
-
ra.
Dito Ao mesmo enviando Ihe por
copia o Regulamento N. 19 queda provi-
dencias sobre o pagamento do Sello, e
preparo dos Autos crimes que sobir em
as R-'lacoans por meio da recurso alim do
fin.- Ili" faca dar a devida execucio.
[)to A Cbefe de Le^ia da G. N.
de S. Antio, devotvendo*lhe a Proposta de
Oficiaes para o 2.0 Balalbo da mesma Le-
rio. que acompinbou o sen othcio de l5
de Desembto do anno passado a fim de'
que o fac orginsar conforme as Instruc
coens de que se Ihe envia urna tv>pi-
Dito Ao Inspector do Arseaal d**
Jtiartuh rwpondendo-iim qut o1*


"*p
DIARIO DE PERIJAMPUGO-
dos cem paos que trouxeda Provincia das pec'ito orcimento pata ser examinado pe- cerlo do calsamento das ras lo Bairro
los perlendentes era qualquer dia til as do Hecife e S. Antonio qaese cimo
Alagjaso PaU-ho Conceico na segunda
viagem que f por inconvenientes da Thesouraria da
(lila Provincia segundo parteclpou o
Exm. Presidente respectivo, porero fica
va se aprontando para ser reniettido.
Ditoi A o mesmo, rcspondcndo-llie,
que pode el'eicluar a compra das 70 pipas
le >goda que Torio ofierecidas pelo Ne-
gacianle Elias Riptista da Silva por 7,5o
reis rada urna visto que sci convente a-
prove lar o preco e fornecer dellas oAr-
UCPhl.
Dito Ao mesmo reapondcndo-lhe ,
que tendo o Imperial Aviso do ai de Agos-
to do corrale'nnno determinado que a
Presidencia fUesse exactamente observar
as ordens qae pela Secretaria de Estado
dos Negocios da Marinha Ihe forao expe-
didas acerca da organisaco e remessa
dos Mappas mensaes dos Operarios do Ar-
senal irtmesiraes dos seos respectivos
Bmpregad"S&c., e nao declarando por
oulrapatteo Aviso que pela mencionada
Secretaria llie foi expedido sobre este mes-
mo obierto que taes mappas a elle los-
sem directamente enviados pelo Inspector;
cumpre por isso que fique na indiligencia
deque o-deve enviar por intermedio da
Presidencia nao so para que ella possa
vellar no stricto cumprimeato do dito A
viso como para que esteja habilitada a
inspeccionar todas as Reparticoens, con be
eer o seu estado e dars providencias ne-
cessarias, para que eslejo e se conservem
na conformidade das Leis, que deve exer
cjlar e lser executar.
P01 tarn Ao Director do Arsenal de
Guerra, ordenando que mande concertar
2 portoens e urna das janellas do Quar-
tel do Hospicio, que clerecem pouca se
gufanca o hem aivm o portal de pedra
por onde se fz o despejo do mesmo Quar-
tel, conforme requisita o Commanante
das Armas.
Olficio Ao Commandanle das Armas,
commuocando-lhe, a expedico da ordcm
supra.
DIVERSAS REPARTICOENS.
ALFANDEGA DAS FAZENDAS.
A Escuna America Jack viuda de Bos-
ton entrada em it do crrenle Capitio
James Pyler consignada a Josepli Ray.
Manifeslouo seguinte.
627 Bar cas com farinha de trigo 5o
ditas com dita de roilho 10 ditas com
L Uxa 56 saccas com fe jo, 10 barri-
cu com arroz.
O Brigue Inglez Oberon, vindo de Ter-
ra \o\a entrado em 16 do crranle Cap
D. Brocklhurst ,' consignado a Harrissons
Latbam & Hibbert.
Man festn o seguinte.
i58o Barricas coro bacalbo.
meza do Consulado.
A Pauta he a mesma do num. 216.
OBRAS PUBLICAS.
Pela Administrarlo Fiscal 'das Obras
Publicas se hade vender, em hasta publica,
a quem mais der na conformidade do
artigo 33 do Regulamento, urna porco de
madeira vejha, lirada da ponte da B >a-
vista aqual s serve paja leoha e sea-
cha n.ifrente do armasem em Palacio
velho por detraz da cisa d RellacaS;
dividida em quatro porces -, e cada urna
destas avahada em 6.^00 reis : os per-
tendentes concorrerd na Salla da dita Ad-
minislraco boje 18 do torrente mtz ao
meloda, podendo desde ja hir ver a di-
ta madeira no mencionado logar que
Ihes ser mostrada pelo Vlestre Carpina
que se acha na oficina no mesmo lugar.
Nos dius 4 1 26, e 29 do crrante mez
ae pora em praca o concert da casa da Re-
beso avahada em Rs. 2:614U; 10. Os Li-
citantes sao convidados a com parecer com-
petentemente habilitados de fiadores id-
neos em os mencionados das ao meio dia
a daros seus lances na Repartirlo das O-
iras Publicas, a onde est palele p res*
horas do expediente.
Mora'cs Ancora.
PREFEITURA.
Parte do dia 16 de Outubrode i838.
Illm. e JKta. Sr. Forio presos hon-
tcm a minha ordem e tiverao destino:
Joaquim Francisco d'Atmeida prtQ ,
pelo Sub-Prefeilo da Freguesia do Recife,
p>r infrncco das Costuras da Cmara
Municipal, e desobediencia ao mesmo Sub
Prefeito ; Francisco Antonio, pardo,
pelo Sub-Prefeito da Freguesa de S. An-
loaio, por ter querido pelas 5 horas da
tarde lotear na ra do Palacete a huma
mulher estando elle armado de urna faca
de ponta que nao s lhe pode apprrhen-
der ; Bento Fernandes Viauna, pieto ,
por um soldado de Polica por ter dado
urna cacetada em um minino ; Jos Fran.
risco Gomes, indio, por nutro soldado ,
por estar ebrio, e a chiba tar a lium mole-
que ; e Joo Alaria Rodrigues, branco ,
pelo Sub-Prefeito dos A (Togados por de-
nuncia de tentativa contra a vida de hura
Cidado.
I'V oque consta das partes boje rebebi-
das n'esta Secretaria.
Dos Guarde a V. Exc, Prefeitura da
Comarca do Recife ib" de Outubro de
1838. Illm. e Exm. Snr. Francisco de
Paula Cavalcanti de Albuquerque Vice-
presidente da Provincia. Francisco An-
tonio de S Brrelo, Prefeito da Comarca.
Parle do dia 17.
Illm. o Exm. Snr. Forio presos lion-
tema minha ordem e tiveio destino :
Antonio Jos dos Santos pardo, mani-
jo do Brigue Escuna Duarte 3 pela i. "
palrulha da freguesia do Recife poj estar
em desordem com urna prela ; Francisco
Gomes Ferreira seroi-branco pe|o Sub
Prefeito' da Freguesia de S. Antonio por
estar bastante ebrio, e a querer es puncar a
sua mulher no lugar da Ribeira ; Antonio
prelo escravo de D. Maris Tde S Ama-
ro J, e Bonifacio Henrique, tambem
preio este pelo Commandanle da Guar-
da da Ribeira da Freguesia da Boa vista ,
por ter espancado a outro prelo e aquelle
pelo respectivo Sub Prefeito por le o
desobedecido e insultado ; e Manoel do
Nascimento da Boa-morte pardo, pelo
Sub-Prefeito da Freguesia de Iguatass ,
para recruta.
Nada mais consta das partes hoje reci-
bidas.
Dos Guarde a V. Exc. Prefeitura
d Comarca do Recife 17 de Outubro de
185 8, &c.
CMARA MUNICIPAL DA CIDADE
DO RECIPE.
3.* Sessio ordinaria de a 5 do Setembro
de i838.
Presidencia do S tibor Barros.
Comparecero os Snrs. Saropaio Oli-
veira Mamede, Chaves e Pes-oa ; fal-
tando rom causa os mais Senhotes.
' berta a Sesso e lida a Acta da ante
cedenla foi approvada por estar conforme.
O Secrelatio dandocontado expedien-
te mencionou uro oflicio di> Fiscal da Fre-
gus a dos A (Tugad us o qual havia ficado
; 1 f I i f: do na Sesso passada junto com o do
Parocho da mesma Freguesia. informando
ambos acerca do 1'roTessor de Primeiras
Letras da Povoaco da Varzea ; sendo
posto ditos ornaos a volacao ; a Cmara
resolveo que se officiasse com as copias ao
Exm. Vice-Presidente da Provincia.
O Snr. Vereador Saropoio aprpsentou o
seu pnrecer acerca das contas do Fiscal des-
te Bairro em que pede o pagamento de
160U160 rs. da despesa feita com a lim-
peza de.algumis ras do mesmo Bairro in-
clusive a remoco do intulho do Calabou-
co velho cujas contas sendo examinadas
esta vio exactas ; a Ornara resolveo que se
pacasse mandado
O Snr. Vereador Oliveira fez a seguin-
te proposts.
Requeiro que se mandtm faser o con-
arruinadas por isso qu empede o tranzito;
e a pedra que se va i arrancando das cal-
cadas o povo a vai estraviaudo o que tu-
do he em prejuiso desta Ilustre Cmara.
Passo da Cmara"Municipal do Recife
25 de Setembro de i83t. Jos Joaquim
de Oliveira.
Esta proposta depois de descutida foi
aprovnda, e resolveo a Cmara que os Fis-
caes do Bairro de Santo Antonio e Reci-
fe, apresentassem o orcaraento dos repa-
piros que fossem precisos e nesse fenti-
doofficiou-se a Cmara ; resolveo visto a
desigaildade nos precos deai{uroas casas
da Vic.i i da Iudependeucia q;ie se acba-
vo em i0ua**s circunstancias com outros
de precos regulares que se levassem a
quellas ao preco das outras, que justamen-
te reconheceo a Cmara nao serem exces-
sivos e islo em beneficio do rendimento
desta roesmi Cmara.
Arremtjrio-sO algumas casas da Praca
da Independ. nar terem andado em Prawa
nos dias da Lei e nao bave'r quem mais
dess.
Despacbaro-se algums requerimentos,
E por ser dada a hora levantou-se a Ses-
so ", e mandaro faser a presente em que
assignnrio. Eu Francisco Antonio Rabel-
lo de Carvalho Secretario interino a es-
crevi. Barros, Pro Presidente. Sam-
paio. Oliveira, Mamede, Chaves, e
l'essoa.
F.a.- conforme.
O Secrelario interino.
Francisco Antonio llabello de Carvalho.
EDITAL.
O Doolor Cace miro de Sena Madoreira,
Presidente interino do Tribunal dos
Jurados na 4.* Sessio Judiciaria do cor-
rete anuo, nesia Cidade do Recife.
Faco saber que forao multados por
nio terem comparecido na presente Ses-
so. para que forao sortindos os Seuho-
res Jurados; Gabriel Antonio, ( de San-
to Antonio) no grao mximo. Domingos
de Souza Siqueira no medio. Luiz
Guedes Alcanforde, e Luz da Silva
Santiago, tambera no medio. E no grao
mnimo Benlo Martins de Mello Joa-
quim Pefeira de Meudonca, Tenente
Jos Antonio Pinto Manoel Jase Vianna ,
Manoel Vera Cruz Los e Mello, e Vicen-
te Ferreira da Silva. Forio assiduos os
Snrs Jurados sorteados ; Brigadeiro Anto-
nio Rodrigues de Almeida. Antonio Jos
Bandeirn de Mello. Tenente Antonio h-
gidio da Silva Antonio Joo da Ressur-
reico. Bacharel Antonio Jos Alves Fer-
reira. Padre Francisco Xavier de Luna
Freir. FrancscoSimoens da Silva. P,'
Jos Leile Pita Ortigueira Jos Grigorio
de Albuquerque. Jos Goncalves de Mi-
randa. Jos Polcarpo de !> tas Ma
noel Ribeiro da Cunhi Olivein. Bacharel
Manoel Jos Pereira. Simplicio Lins de
Souza Fontes. Manoel Joaquim Pedrada
Costa, e Jos Antonio Pinto : e cha-
mados Domingos Malaquias de Agu-
ar Pires Ferreira. Bernardo Jos Mari ios
Pereira, Felis Francisco de Souza Maga-
Ihaens. Elias Josa Vlattins Pereira. 38-
o de Fieilas Btrbosa Francisca Mar-
tins de Lomos. Antonio Martins Rib iro.
Dr Felippe Lo>es Ntto. Francisco de
Salles e Albuquerque. Joo da Silva Sin
tos Jos Cicilio Carneiro Monleiro. Jo-
o Mara Seve. Jos da Silva Guimaraens
Jnior. Antonio Welino Ferreira Lopes.
Antonio Jos de Oliveira. Jos Ramos d<
Oliveira. .los? 15:nto da Costa. Manoel
Eleuterio do Reg Birros. Bento Jos
Fernandes Barros.
E para constar mandei lavrar o presente
por mim assignado, e para ser publicado
pela I m prensa-
Recife 11 de Outnbro de 1838. E eu
Felippe Binicio Cavalcanti d'Albuquerque
Ijscrivo o subscrevh
Cacemiro de Sena Madureira.
COMMUNICADO.
Outra Tez appsreco oombatendo a pro-
P'sico falsa, absurda, e delestavei de
Tracj, proposico comquosympalhisraS 1 ps do rarstno altar, assimeomoconfuna-
os Srs. estudantes Escriplores do Arpos
Olindense, islo he ; que he mais fe|iz
o povo, onde menos imperio tiverem as
dt ias religiosas : e de caminho ainda
tocarei em alguna tpicos do N. 7 desse
Peridico. Respeito o sab^er de Tracy -
porem amcus Plato sed magis amic,
veritas. Nao me admira que esse Phi-
losopho proferisse esta e outras proposi.
<5es; porque em fim era materialista:
mas dar se- casi> que os Srs. do Argos
abracando taes principios pretendi desse-
minlos por meio do seu Peridico? Se
elles fessem materialistas e atheos l com-
sigo, e com os seus amigos -, quando ihq.
toen apenas lamentara a sua cegueira
a desgraca de ver huns Mocos, .qijie mal
podem vencer os estudos Acadmicos, en-
frascados era dootrinas perigosas fu-
nestas : mas quaodo parecem querer ga-
libar pizelytos por meio de huma gaze-
ta e emp?nhados em menosprezar a Reli-
gia'o. o que b^-rn se deprehende de seus
escriptos ; ento j nao posso ser tolleran-
te a respeito de to fataes ideias e nao
cessareide as debelar at onde chegarem
as minhaslimiladas forcas.
J fiz ver em o outro raeu Communica-
do que os Annaes do genera humano
dizem o contrario do que proferio Tracy
citado, eabarcido pelos Srs. do Argos.
Aponte! os Fiis da primitiva Igreja a-
ponlei o Paraguay sob o rgimen qu si
theocralicodos sempre memora veis Jesu-
tas. Demonstre! a pueril conlradico dos
Srs. Acadmicos do Argos quando sus-
tentando o paradoxo de Tracy, afirmraO
mui posilivamen'e, que os Christios pri-
mitivos forao virtuosos i por consequencia
felizes) em quanto conset vrao aferr sua
antipa Religio d'onde se conclue neces-
sariamente que decahirs das virtudes
prnporcio, que nelles tiverao menos po-
der as ideias religiosas. Podera mostrar-
Ibes alm disto o testemunho de todos os
Legisladores, e verdadeiros sabios dAn-
tiguidade des de Moyss at Zoroaslro ,
des de Soln, Minos e Lycurgo at No-
na todos fundando a Cidade as ideias re-
ligiosas e reconbecendo que a Religio
he o primeiro o mais solido sustentculo
das leis, da Mral, e da prosperidade pu-
blica -. ii tdo- so pude prouuzir ex-'
tensamente no curto espaco de hum Pe-
ridico.
Agora Ihes appresenlarei nao j os pri-
meiras seguidores de J. C,, nao os Ind-
genas do Paraguay -, -se nao hum dos po-
vos mais civilisados, mais industriosos e
mai^ felizes do mundo quero dizer 5 os
Americanos do Norte. Para este eleilo
nao me ajudare da auctoriJade de War-
den que como seu c niipatriola, pode
ser (ido na coala de parcial 5 poim sim
recorrerei ao testemunho de hum sabio
Francez, A. Tocqueville que viajou
muito poresses Eslados ha poucos anuos,
e publicou ltimamente a Obra A De-
mocracia n'America Tenliao paciencia ,
e permilla ,' que me cale prora, e dei-
xo discorrer o citado Auctor- Os Srs. do
Argos queira abrir bem todos os seus o-
llios, e lomem este pio unha.
" Os Catholicos Romanos da Unio
Aoglo-Americana mostrao grande fidelida-
de as praticas do seu culto e sao cheios
d'ardor e zelo pela sua crenca. Entre
tanto elles l'orm 5a classe mais Republica-
na dos Estados Unidos Este tacto espan-
ta primeira vista : masa rclexo acil-
nenle lhe descobre a causa. Teuho por
i'ijuslo o accusai-re a Religio Catholica
d^ inimiga natural da Democracia. 1)**
difierentes doutrinas Chrisls o Cathole-
cismo pirece me pele contrario huma das
mais favoraveis igualdade dts condices.
Entre os Catholicos a Sociedade religiosa
nao se (ompoe, se nao de dous elemen-
tos : o Padre, o o Povo : so aquelle se
eleva cima dos Fiis: ludo mais he i*
gual Em materia de Dogmas o Calhole-
cismo anivella todas as intelligencias : elle
obriga s meudezas das mesmas crencas as-
sim o sabio, como o ignorante, tanlo o
hornera de talentos, como "o do vulgo: el-
le impSeas mesmas praticas ao rico e ao
pobre; irroga as mesmas austeridades ao
poderoso, eaofraco; nao transige co
ningrjom ; e appcindo a cada hum dol
hoibehs a mesma medida (oiga de con-
fundir lodas as classes da sociedade a os



O B fc
ERNAMBCO
5
das sao em presenca de Dos. Se o Ca-
tholecismo dispoe os Fiis para a obedien-
cia nSo os prepara todava para a desi-
guadade. O contrario direi do Protes-
tantismo que em fj'ral leva os horneas
rnuito menos paran igualdade, do qupa-
la a'independeneia.,,
tridos B azileiros em que desprezo se
tem nos Estados Unidos a hum desses in-
crdulos, q e num lie acceito nos tribu-
naes, como testemunlia Entre nos ha
quem faca alarde d o ser e aspire por
isso a maior veneraco da virtude!
Tenlio a meu ver combalido victorio-
" A unio Americana be o paiz onde smente a pestfera proposicio de Tracy ,
a Religio ha conservado mais verdadeiro i a qual doduz se ripiosamente das maxi-
imperio sobre os espirito*; e be ella to i mas do atbeismo ; porque em verdade se
natural, e utilao bomem quo opiiz ', hum povo he tanto mais feliz qunnio nel-
ondo a Religio exerce nos nossos dias le menos imperio lemas ideas religiosas;
maior poder, he ao mesmo lempo ornis segu se necessariamento que o povo
illu-trado e irais llvru...... Os A- | mais leliz do mundo seria hum povo de
mericiQOS confndelo to comp'.eiarnentc-
em seu espirito o Christiauismo, e a litar
dade que he quasi impossivel lazer que
concebaesla semaqoelle; o tal crtica
nao he entre el les dessas crencas esteris,
que. o pissada lega ao presenta que me-
nos parece viver, que vegetar no fundo
ateos ; porque de ceito entre atinas nao
so d a 'menor influencia de ideias religio-
sas, lila he lgico be exactsimo, dte
inqiiestionavel. Mas os Srs. Estudanles
do Argos nbracra>, edefendora o ab-
surdo de Tracy assim como ajndrao-ce
da auctoridade de David Hume (onlro a-
d'alma... Todos os dias m quer^ro prp- i llieo de chapa) u fim de profer rem aca-
bar doctamente que ludo vai bcm
11' Mnerica excepto o mesmo espirito re-
ligioso, que eu admiro ; e aprendo que
para a liberdade e ventura da especie
humana da nutra banda do Occaano so
falla crer com Spinosa na elernidade do
mundo, e sustentar com Olmos, que o
cerebro secreta o pensamiento. Em ver
d*.de & laas c;iisas nada tenho, que res-
ponder se nao que os que usa5 desta lin-
guagem nao cstivera n'America, e
nunca virao in-rn poros religiosos era
povos livres... .O despotismo be que pode
passar sem a Fe ; mas a liberdade nao :
pelo que a (leligiao be muito mais necessa-
ria na Repblica do que em huma Mo-
narcbia, e as Repblicas democrticas.,
mais, do que em qualquer das outras ;
porque como deixara de perecer a socie-
dad? se *o mesmo passo que se afrouxa
1190 poltico nao se Ihe estreita o laco
moral; e oque se far de hum povo se-
nhor de si, e que se nao submelte a Dos'/
Os Philosapbos do seculo passado explica -
va de hum modo mu simple o enfrique-
cimento gradual das crenca. zclo re-
ligioso diziaelles, deve extinguir se
medida que se augmentad, a liberdade, e
as bises.: mas be pena que os fados nao
esteja de accordo com esta theoria. Na
Europa h populacio, cuja incredulidade
s he igualada pela bruteza, e ignorancia,
ao mesmo tempo que v-so n'America
hum dos povos mais livres e mais escla-
recidas it mundo prehencher fervorosa-
mente lodos os deveres exteriores da Rel
gio. Quando cheguei os Estados Uni-
dos o que mais rae admiren foi o aspee.-
co religioso do paiz ; e qnanto mais li
me demrava, mais percehia as grandes
consecuencias polticas, que dimana des-
tes fados noros. ,, Qual lera mais crdi-
to para as pessoas sensatas e instruidas
.este testemunbodo hum sabio viajante dos
nossos dias, 011 o absurdo o paradoxo
de hum materialista e o pensar idntico
los Srs. Estudantes do Argos Ondense ?
De. da a imparcialidad". Tambero os A-
mericanos do Norte serao excey.oio di sa-
bia regra de Tracy? Apago com (anta
excepcao Pela conta do Argos estou ven-
do que as excepces ven a ser regra ,'ei
legra excepcio
Alas nao pensem esses Srs Acadmi-
cos q,ue se mo aeabou a plvora. Nao :
anda temos material para huma descarga
tremenda. Quando eu resida n'Ame-
rica (d\r. a este proposito o mesm > Tocque-
ville) opresentou-se no liibunal do Conda-
do de Chester, Estado de New-Ioik bu-
rn.1 ttslemunha a qual libelaron que nao
cria na existencia de Dos nem na im-
rnorlaiidade d'alma. O Presidente recu-
sou receber-lhe o juramento visto disse
.elle que a testemunha ha va destruido
previamente toda a f que se podia ter
in suas p .lavras. Os Jornacs refei irt o
fado sera, comment'ario algunv He pa-
na que ali uo escrevessem os nossos Es-
ldanles do Argos Oliodense ; porque el-
les adargados com a proposicio de Tracy ,
e deoutros ejusdem furfuris nao dei-
xaria de tallar pela proa oo pobre Prfsi-
dente mi i>oseando-o Idgo com os urba-
nos epith-'tos de pdanle cha ra lio ; je.
porque os Eicriplbrwi do Argos tem scien-
ria infusa c tal ver. detxionitraaaem que
a paLivra honrada de hum materialista e
fltboo coi responde a hum axioma das Ma-
lliiowticas. Mis vedes meus caros Pa-
lumnia de que os Padres sempre fora ini-
migos da Liberdade. Que sympalhia ,
que pirecem ter esses Mocos pela opinies
d'Escriptores materialistas e itfados .'
Trrthit sua quemque voluptas. No
sentir de innumeraveis sabios he da Igrc-
ja, que sahio o tractado para a emanci-
paco dos Africanos e abolico do infa-
me trafico d'escrav*ra. A S Apostlica
sempre oliiou com horror para esse com
mercio de carne humana : e os Padres fo-
no sempre ioimigosdu liberdade .' Inn-
mera veis Paires e al Frades sacrifica-
rao- e pi la Independencia da Grecia do
nosso razil.- eos Padres lord o sempie
inimigos da liberdade ; porque assim o
disse Hume e o repetem com maior in
iussica (nao direi ignorancia) os Sius.
Estudantes do Argos !
Anda acrescentarei a respeito da igual-
dade ou annivelamento de Cultos que
quer o Argos para o Uiazil o que di/, o ci-
tado Tocqueville. 4< A mor parte d'Ame-
riea Ingleza, diz eMe, foi povuada por
homens que depois de se terem subtra-
hido auctoridade do Papa, nao sesujei-
tarao a ren huma supremazia religiosa :
no depois a Irlanda comecou a mandar pa*
ra ali Catholicos Romanos. ,, Eis aqu os
elfmentos do que se comp-milia os Esta-
dos Unidos na Ep< cha da sua Emancipa-
cao poltica : logo obroii mui acertada-
mente o seu.Goveroo em declarar a liber-
dade de cultos : maso Rra/.il .' Onde es-
lo entre nos as lamillas Lulheranas Cal-
vinistas. Presbyleranas, Anabaptistas,
iMoravitas, &c. te. ? Sea nossa Consli-
luicio estabelecesse o mesmo principio se-
ria parto de loncos e anarclnStas.
Concluirei dizendo queapezar do Po-
vo Americano ser muito dominado das
ideias religiosas e por isso feliz contra a
mxima de T rifo y todava a gangrena do
Indiferentismo j vai lavrando pelas el is-
ses mais gradas ea seu tempo produzir
a morte das cieneas e da moral fe hu-
ma causa poderosa Ihe nao embargar o
passo. A Heligio he toda fundada no a-
mor ; e onde h indifferenca nao podo ha-
ver amor e conseguintemente Kelgiio.
Finalmente deixem-se os Srs. Acadmicos
do Argos de sustentar absurdos, e de tal
natureza que abale a Religiosidad dos
povos, Se gota do materialismo ia<
tln-i mo lenha essa doulrina l para si;
mas nao a queira ensinuar em Peridi-
cos ; sobre ludo nao se metta a decidir
de papo em materias de que nao enten-
dem. Esludem annos se quizerem ain-
da assim siber pouen ; sej*5 md> stos ,
reconhees, que anda sao pintainhos na
Repblica das letra*; pois o orgulho he
o m-^ior estorvo para a sabedor ia : assim
lh'o aconceha
O iliiano Calholico.
r
THEATRO.
sejarem gozar hum lal Espectculo deve-
i'o concorrer a comprar quanto antes os
Camarotes e bilheles,' pois a extraeco
destrs aproximar odia do diverrunenlo.
O preco he o mesmo de Mr. Valli.
/. *. p-l i) I V }?, R S .*.
de existe hunsanctos de ixecuco de sen-
tenca de reforma de psrlilha a favor de A-
maro Feruandes Gama contra Thomax
Antonio N unes e mais herdeiros do fa-
Ircido Coronel Amaro Bernardo da Gama
e que em virtude desta seatenca nlo pagou
ou conipozo dito falecido Thomazcomo os
de mais herdeiros o que deu motivo para
__ ser executado e a final ajunlaado o an-
uunciante duas certidoens para provar a
Qualquer pessoa que tiver mole- incoherencia do la le ido devedor, de quo
ques ou mulntiohos atb i,\* i5 annos os esperava ser d.eidido pelo Juiz e por lar-
qnizcr mandar encinar ollicio de carpiua I dar al que falecendo o dito Thotnar o
dirija-se ra da i'raia casa do Vianna nao aparecendo na sobre partilha deste de-
que se di' quom encina ou annuncie.' elaraco ilguma de srparoco de bens pa-
_ Hum pardo cazudo com familia ra pagamento dito Umbem nao aparecen
e quo d fiador sua conducta acosluma- ; nem tem sido possivl aparecer estes au-
do a viajar desta Praca para os Sertes des- los d? txtciicao que 9*3 alguina pessoa li-
la Provincia offerece-se a qualquer Se- ver pof engao ou guardado a pedido se-
nhor, que tenha commuoicaces paia o ja de queni for poder aprsenlar ou en-
centro, para fazer alguma viagem a qual- treg.ir ao Dr. Cacemiio d Seoa Madurei
qoer lugar, a ir buscar alguns anirones ra ou ao baixo assignado que ser re-
levar alguma carta e trazer a resposta cora compensado no valor que ero portar os au-
a maior brevidade possivel, em fim para ctos de cusas em dubro pira abreviatura
qua quer outro mis'er desta natureza e
promelte enmprir cora exactiiiio o que Ihe
for incumbido v mediante hum cmodo a-
! justo .* quem precisar de seu presumo baja
I de annunciiir a sua morada, para se pro
curar.
----- O abaixo assignado ensina Rhcto-
deata mesma execucio. Amaro Fernn-
des Gama.
Quem precisar de 100,003 reis al
um cont d<* reis a juros, dando pinho-
res de ouro ou prata ou firmes a con-
tento : dirija-se a esta Typografia.
_ Precisa -se alojar una ama de leite ,
rica, eGcograGa agora nestas ferias ; as forra, ou captiva: ni ra Direita Pada-
pessois que se quizerem utiiisar de seu, ria D. 6.
- Precisa-se de um minino para huma
Hotica que queira aprender a Boticario:
na ra do Rosario BjIci de Joao Pereira
da Slveira.
-- Ensina se faser esp.nadores a pretas
captivas por preco commodo : na ra do
Vigario andar debaixo N 3a.
Precisa-se da um dxeiro para to-
mar conta de urna venda por balance o
qual de*e dar fiador a sua conducta: quena
estiver nestas cercoslauoias, annuncie.
Quem tiver para vender huma caza
terrea, sendo do burro de S. Antonio
que nio seja de alto preco annuncie.
Quem precisar de hum rapas Bra-
sileo para caixeiro de loja de fasendas,
ferragens, ou outri qualquer oceupaco
excepto venda, pois sabe bera 1er, escre-
ver e cootar duija-sa a ra da Crua
venda numero 3a que se dir' a pessoa,
que se proponbe. A mesma d fiador da
conducta.
Allugi-se hum pequeo citio paras
para se psssar s festa *no Mo'ndego, com
boa casa de vivends estribara e portio
aolido, ebanho no rio, com com diver-
sas fruteiras com fructas ; a tracta ou
CVgoo nodia i5 da Corte do Rio de
Janeiro, no Brigue Bom Jezus, hum
Danc rio trazento com sigo a l'eci
Mahomet 4o, e tres novas Ouvertnras pa-
ra este Theatro : elle pretende apresentar
ao Publico desta Cidadc as suas habilida-
des dn Danca e Jogos pretende a dita Pe-
ca e Msicas na noite de seu expectacul ,
o qual j se est ensniando ; porem o dia
des,te divertimento ser quando tiver seus
Camarotes oceupados: as pessoas que d-
prrstirao, o procurem na roa Direita D.
zj i. andar. Alfonso Jos d'Oliveira.
rj^ A arremat.ico do Brigue Brasilei-
ro Sao Jos Triumphante ica liansferida
para a Praca do Commercio no da ig
do correte pelas II horas da mmh.
^> O abaixo assignado faz sciente ao
respeitavnl Publico que tendo se cazado
com D. Mariana Joaquina dos Prazeres,
Senhora do Erigenho Canha, da Comarca
de Santo Anto, em Maio de .\ acn-
teceo esla divorciarse, e justificar com
teslemunhas f. lias ter 5^ annos quando
cazou a fim de nao dar a meiacio dos
bi-ns do cazal; provando qiie najeco em
1780, quando provado est nos auto ,
as dades das irms mais velhas, huma
ter nascido em 1786, outra em 1787,
como consta dasceilides do Vigario ex-
Irabida do mesmo livio d'assentos dos
baptizados,' alem deslas, outra cerlidao
exlr.thidado Inventario onde se ach-5 des-
criptas as idades de todos os irmos: a
vista pois do exposto, faz scienle o abaixo
as-ignado que lodo negocio, ou qualquer
contracto feilo por ella nenhum eiu-.to
tem visto estarem <.-m liquidaces na Re-
laco. Manoel d'Albuquerque Barros,
!KP Na propriedade Cania sitia
na Ribeira de Araiipe Freguezii de Igua-
rass ta pos e e morada do abiixoassig-
nado ha para venderse tuboado do ama-
r- lio de superior qualidade, e bem serra-
do com 1 a palmos e meio de ompridoe
2 palmos de Itr. ara : os prelendenles diri-
ja se ao lugar cima a fallar com o au-
nuncinnle Luiz Antonio da Silva.
_- Alugase huma caza no sitio do Ca-
jueiro ao p da passagem da Magdalena,
por lempo da festa com mu i los bonscoroo-
doi para huma grande familia, com es-
tiibaria para hura cu dous cavallcs, com
liinbo nuiito perto : a trac'^r na ra do
Caldeireiro D. 2caza que faz freote com
o fundo _ Quem annuii'Mou pelo Diuio de
sbado N. 2aa ter huma caza para litigar
nao sendo para j e querer alguns me-
zes adiantados dirija-se ao beco da Lin
goela venda N 4 que an' s<5 dir quem
quer liser este ajusto.
__ OSocionista das caulellas da Lote-
ras da Matri da Roa vista, e do Livra-
Dent, aviza aos apaixona ios de taes jo-
aos, queellas esto prximas acorrers
rodas e por isso nao deixom de concorrer
a compra dellas nos lugares j annuuca-
dos.
_ Precisa se alugar huma prvfa pan
vender na ra azeile, que seja esperla e
fiel, ou hum moteque m guaes circuns.
tandas : a traclar na roa do C^bug loja
do mendezas junto botica.
Avisa-se aos Addidos do Corpo d'En-
gaiados islo he os paizanos que tem
Birodes que devem comparecer no dia
ifr, os 4 boras da tarde no Campo do
Era 1 io para faserem exercicio.
__ Quem souber eu litar noticia on-
rua do Coto velo O. 10 dt fronte do beco
das Rarn iras.
.-Quem precisar de hum caixeiro do
rus do que tem bstanle pratica e d fl-
anea a sua conducta, dirii ija-se no atier-
ro dos Afogados na carreira de casas do
Pov. casa da quina do lampeao ou an-
nuncie.
Quem anuuncioii querer comprara
grammatica filosfica de Jernimo Soares
lnrbosa dirija se a ra direita, laja de
couros, D. 18, onde se vendeiu mais al-
guns livros. e hum par de esporas de prata
por preco commodo.
Arrenda-se hum sitio com ama boa
ca>a de vivenda, e com cmodos suficientes
p ra qual quer familia tem varias arvores
de IVnetas e -com huma estribara para
cvalos, lera animalmente pasto par seis
vacas, e com b>a cacimba d'agoa de be-
ber, sito no lii^ar do arraial toda m
pessoa que o pertender dirija-se a ra do
Crespo D. 7.
_ Findos os dias da Lei se hade arre-
matar por venda a casa do Theatro desta
Cidade qae se acha em Praca por exe-
cuco que ei.eaminho os administradores
daCompanhia Geral extinta desta Guiado
contra o Capilio Antonio Pereira Pinto de
Ferias e mais herdeiros do fales-
cido Capillo Mor Antonio lose Souto o
sus muiher pelo JuisodoCivel da 2 "Va-
ra Escrivo Curiha acha-se avahada em
des conloa e qualro ceios mil rs. que pa-
r ce ser melade do seo verdadeiro valor.
Q^> Troca- e hu 1 a negrinha de na-
cao, com idade de 10 a 11 annos, por
huma negra de bonita figura, ainda mes-
mo leudo vicios, pois he para embarcar
para fora da Provincia : quem pretender
este negocio dirija-se a rtifDfreita O *Oj
lado do Livrssacato.


DIARIO DE PERNAMBDCO.
(&.-*
O Empresario do Thealro lembra
& Sf. Observador de suas promesas
quenada tem com o Theatro mais do
que ensaiar e papar: para udo o mais per-
lencente o Thealro he rcsponsavel o Sr.
Antonio Lopes na qualidado do Di recio r ,
o quat foi illodido pe. Comiqp Bar.eficia-
do do da Aulhoridide competente para dancar o
hahiano; quinto as obscenidades, e imora-
lidades, ja eslo na mo do Illm, Sf. Pre-
feito da Comarca as sedulas escripias pe-
la cara mais larga ( nao s do occeano ,
mas de todo globo terrqueo ) que seno
pejou de escrever immoralidades nos era
bihetes de Platea t mas at na moeda cor-
rente deste Imperio para deshonra, e
labj da Naciontlidade Brasilea, cuj
acuz-tco pettenceao Illm. Snr. Promotor
Pablico v. art. ->3o 3 e 4. e art. 379
do Cdigo Criminal ; equantoa promet-
ror-Dtos falsos de Iwhianos requeiraa
priso do dito Beneficiado que deve .ser
preso, e d9sta forma saptiifeito o respei-
tavel publico. -O Empresario somente
ensaiador e Pagador.
P. Theberge Medico Francez resi-
dente na ra da Jcadeia do Bairro de S.
Antonio, n. 2 partecipa as pes/oas que
precisaren) do seu prestimo. que elle de ho-
jeen! ante tem mudado a sua residencia
para a ra que vai da Trempe para o
Mondego primeira casa terrea a direita e
all presistir das cinco horas da tarde as
nove da naanb seguinte ; sendo electivo
na casa da ra da cadeia todos os dias do
meio da as duas horas da tarde e uestes
lugares e as horas designadas podera ser
procurado as pessoas pobres que se qui-
aereraulilisar do sen prestimo dirijo-se
as trreas e sextas feiras aos lugares annun-
ciados, que o mesrao annunciante se pres-
tar gratuitamente.
Precisa-se alugar urna preta capti-
va porem fiel e capaz de bem desem-
pnhar o servico de urna casa de pouco fa-
milia tanto de portas a dentro como o
servico de roa-, em compras &c. : quem
tiver ama escrava com as quididades apon
ta'das dirija-se do meio dia as duas horas
a casa junto a cadeia n. a ou a ra que
va da Trempe ao Mondego nrimeira casa
terreaa direita que adiar com quem tratar.
--- Segunda vez faz-se sciente ao Sr.
B. F. G. queira hir ou mandar pagar a
quantia de ifisooo da vacea que comprou
a um sea camarada no lugar da casa forte ,
mais de um mez sem ter precedido
endieo alguma de espera e do contrario
se publicar o sen nomepor -xtenco para
conheciroento do publico, c so proceder
judicialmente.
Quem achou urna baceta de prati
dourada perdida no dia 16 do correte
de fora de portas at nda querendo
restituir pode entiegar ao P.tdre B*nto Ma-
noelde Souza Castro morador na ra das
Trincheiras que sera' recompensado.
O sbaixo assignado, faz sciente ao
respeitavel publico para que nao faca) ne-
gocio de quahdade algum com sua Mi D
Francisco Almeida de Paula sobre os se-
us bens ou oulro qu dquer negocio qoe
possa prejudicar a sua fazenda sem que
nao spja a precenca do annunciante ; tam-
bera raga aoSr. qoe se quer fazer procu-
rador bstanse de sua Mi, que nao seja
tao piompto nos seus consellios e nem se
offereca tanto, queda lugar a supp'r-se
mil de sua pessoa por issoque est bem
recente o annuncio de urna viuva que
|ir cauza de um procurador ficou as esmo-
las ; contra o que protesta.
Manoel de Almeida Lima.
-- Arrenda-se ama casa de sitio para
pssagaem de fejta no lugar do Mangui-
nho sitio que fiea defronte da Capella de
N. Jos quero o pretender dirija-so ao
Forte do Mallos prenca de J0S0 dos San-
tos Porto.
No sitio do Arar junto ao Remedio
uforo se 00 pantos de trra com bas-
tante fundo; os pretenlentes dirijo-se
ao meimo, a tratar com Francisco da Cos-
. ta Barcellar.
Os Srs. Joaquim de Jezus Pinto,
Mercelino Jos Ferreira e Thomaz Fer-
reira Soaresqneirioannonciar a suas mo-
radas OU dirijo-se a botica de Joao Fer-
reira da Cimba na praca da Boa vita.
Qualqufr mulher brarica parda ,
,* preta maior de 4o annos de bons cot-
lumes sadia e sendo s que estiver as
circunstancias de precisar servir em casa de
um homem solteiro com o inleresse do sus-
tento e vist'r e ser bem tratad.* sem
grande penso de servico, dirjase a ra
da Conceicoda Boa vist:* cas. D. a t,a
quina que volta para a ra do Rosario.
Participa-se a todos os Srs. de enge |
ribos ou seuscorrrespondentes nesla praca,
e muito principalmente a aquelles que tem
feito encomendas de laxas de ferro .tanto
coado Cmo batido que podem mandar
escolheras que quiserem na casa D. 1 na
ra da sandalia nova.
Se com pitada de rap podesse mi- i
norar-sea forca do ftido que exalo as '
agoas sujas que se lanco na ra dos Qu-
arlis com dis-e no Diario de hontem
Um dos favorecidos fcil seria o re-
medio para aquelles que d'eJle uzassem ;
porem a experiencia me provou o contrario
porque estando cu untadas noiles pissadas
no botequim do Sr. Brando na occasio
em que alguns visinhos do mesmo Snr.
la rica rio na ra as taes pestferas ago;is ,
recorrir ao rap, e o mesmo fizero oulras-
pessoas que ali se achavo ; porem elle
de nada nos servio e nao ti vemos outro
remedio seno hir meter-nos na cozinh*.
E que tal est'a ra dosQuarteis, urna das
principies d'esta Cidade I.' Illm. Sr. Fis-
cal, V. S. he a quem cumpre evitar tao
grande mal, mal que at.ica e prejudi-
ca nao s a saade dos moradores da-
quella ra como dos que por ali trizito :
imponb 1 V. S. aos culpados as penas da
lei. Assim o espera em benefi io com-
mum. Um dos que sofreas o mo
cheiro.
Urna cartein perdida no camintro
desta para a Villa de Goianna contendo
1 a 000 em sedulas, um bilhete e um meio
dito da Lotera do Seminario ambos ru-
bricados as costas com os no mes Accicle
Lins 5 letras de pequeas quantas e
urna ,ooo vencida em Juho do cor-
rete auno, aceita esta ultima por Ri-
cardo Freir l'edrosa ao Coronel Anto-
nio Alves Vianna e endocada por e-te a
ordem de S< hastio da Cunba Acci'-le Lins
que he o dono da mencionada carleira o
qual rog 1 ao dito Ped osa nao pague dita
letra seno a elle annunciante e tambera
pede ao Sr. Thesoureiro da dita Lotera
nio pague qualquer premio que teoha sa-
bido em ditos bihetes rubricados, senio
ao annunciante e a pessoa que tiver ac'ia-
do dita carleira entregando-a promette gra-
lificar rom gencrosidade.
- O Propnetario do Botequim e cas
de pasto da ra dosQuarteis D. 8 fjz sc-
enle que de boje em liante tem a vender
sorvetes de todas as qualidades, propina-
dos com o melhorasseio possivel e jun-
tamente offcreceuma decente salla na fren-
leda ra moi fresca eonde qualquer fa-
milia pode hir tomar esse refresco, cora
todo commodo e recato o que o annunci-
ante promette desempenhar a contento dos
freguezes.
Precisa-se de urna ama parda ou pre-
ta para servico de casa de um homem
solteiro: na ra do Florentina vindo da
raai terceira casa terrea.
AVIS(B MARTIMOS.
_____s___________________
PARAOASS', eTouros, a bem co-
nbecida Sumaca Laurentin Brasileiro che-
gada prximamente do mesmo porto e
pretende sabir com toda breyidade; quem
na mesma quiser carregar ou hir de passa-
gero para o que tem excellentes commodos
dirija-se ao Capito ou ao seu propriet.i-
rio Lourenco Jos das Neves, ra da Cruz
n. 3a.
PARA LISBOA at o fim do'correnle
mez, por ter parte da carga prompln o
Berganlim Portuguez Viriato, ltimamen-
te fabricado e encavilhado de cobre ,
quem no mesmo quiser carregar dirija-
se ao proprietano na ra da Moeda n. i'p
ou ao Cpito Antonio Gomes da Silva ,
na praca.
PARA O AHACATY, a rauito velleira
Sumsca Felecidade Mestre Jos Rodri-
gues Pinheiro, quem na mesma quiser
carregar ou hir de passagem dirija-se ao
dito Mestre ou ao Consignatario Anto-
nio Joaquim d Soaza Ribeiro.
PARAOARACATY, segu vUgem a
Sumaca Conceicao Flor do Mar M. Joa-
quim Jos da Silveira ; quem quiser car-
regar' ou ir de passagem dirija-se a Anto-
nio Joaquim de Souza Ribeiro na ra da
cadeia ou a Anionio Rodrigues Lima na
ra da Cruz.
C O MPRA8.
Uta Pope Inglez, anda mesmo uza-
do ; quem tiver annuncie.
-. Ou aluga-se urna liteira : na loja
de fazendas defronte da Igreja da Concci-
^o da Boa vista.
Uns corazes zoes para serem engra-
zados : na praca da Independencia n. 07
eiS.
VENDAS.
Sicas de farinlia para engordar ca-
pados a preco de aa4 a saca e tambera
sacas para escravos a preco commodo : em
lora de portas n. io4>
__Urna porcSoda travs de diflVenies
comprime'ntos sendo at 5o palmos de
comprido e madeira de qualidade : na
roa da Cruz n. 56 a fallar a Joaquim Lo.
pes de Almeida.
* Uma venda com poucos fundo e
commodos para familia; na raa do Rangel
D. 9.
Duas mei.'S agoas de pedra e cal :
a tratar com Jos Bernardo na ra do mu-
ro da Penha D. 17.
A propri-dade de dois andares da
ruada Aurora D. 7 : a tratar na ra da
Cadeia n. 48.
Uma preta que sabe cozinhar o di-
ario de uma casa lava de sabio e varrela,
boa quitandeira ,e tambem propria para o'
set vico de campo por ser possaote: na ra
dOfeLivrameuio do lado da ra Direita no
le ceiro andar do sobrado T). 18
. Um osolatinha de idade de 18 an-
nos ,' e com algumas habelidides : uo pa-
teo do Terco noprimeiro andar do sobra-
do D 6.
Uma molala com aigumns habeda-
des de idade de aa a a.{ annos com
uma cria de 5 annos : na roa do Livra-
meuto D. 1 >. ao p da botica do Sr. Cha-
gas.
4 vaccas de leite 3 'dio leite e
uma prxima a parir feilas ao pasto e a
corda : no lugar bomgi sitio onde mora
Jos Joaquim Lobo.
Uma escrava moca de idade de ao
annos cozinhu o diario de uma casa na
Boa vista casa D. 7 em fente da ra do
Ar8glj. t
: Uma venda com poucos fundos :
na ra da Conceico da 15 >a vista D. 3o.
Capim de planta a i4o ao feixe : no
atierro da Boa vista na primeira venda ao
p da ponte.
Chapeos do Chillo muito finos de
copas a moderna ditos de abas largas ja
promplos e por a promplar : na praca da
Independencia tojas 0,708.
Dais escravos de naci costa mui
robustos, e proprios para o servico da ul-
fandega nao tem vicios nem achaques ;
uma escrava de naci cozinha, ensa-
boa e he perita engommadei>-a, tanto de
roupa de homem como de Senhora, o que
sepodevfr pois se d a contento, tem
muito bons cjstumes e a figura be bem
agradavel : passando a Igreja dos Martiri
os no p'imeiro andar do primeiro sobrado.
-:- Uma negra de naci moca e de
bonita figura cozinhs o diario de uma
casa cose cha faz, lavarinto engomma
e lava de sab >, muito p opria para todo
o servico de uma casa pelo preco de 35o
mil rs. em ruo de ter uma velida em um
olbo ; a tratar na ra do Amorim no se-
gundo andar do sobrado da quina do beco
que vai para o estaleiro do finado Jos Pin-
to.
- Um ci de filia novo, e urna por-
co de Brcos p>oprios para deitar por cima
dos fundos de barricas ; na venda por bai-
xo do Per.te no pateo da S Cruz.
6 CadcirasjAmcricanas com asien-
to de pao e rr verde ,- quasi sem uzo :
em Fora de Portas casa D. 104.
-- Uma casa na campia da casi forte,
de pedra e cal com 3o palmos de largo ,
e 75 de fundo com duas sallas 4 quir.
tos cozinha fora estribara e cacimba
com boa agoa para beber as trras s
proprias muito fresca e com boa vi$ta : a
tratar no primeiro andar do primeira so-
brado passando a Igreja dos Martirios.
Umacadeira com sua caixa e corr-
ame e um banheiro de cobre tudo [im-
preco commodo :- na ra de Hortas D. 4
Uma negrinbade naci, de i dad
de 10 a 11 annos, cozinha o diario do
uma casa lava de sabo e ptima para
todo o servico : na ra Direita D. ao lado
da Igreja .do Livramento.
Um preto de angola de idade de a5
a 3o annos sem vicios nem achaques ,
trabalhador de enchada e ganba na ra;
na ra Direita D. 3o venda que foi
do Jos Lourenco.
Uma escrava de naco, moca de
bonita figura sabe bem cosinhar o diaio
de uma casa, engomma sofrivelmente,
lava, ecosealguma coiza : na ra estrei;
ta do Rozarlo no lerceiro andar do sobrado
D. 29.
ESCRAVOS FGIDOS.
Fugio no dia 12 do corrente indo
vender azeite uma preta creoula bastan-
te alta cheia do corpo bonita figura ,
cuja escrava chama-se Mariana ja morou
era Mace ; quem a pegar leve a ra do
Cabug loja de miudesas de Francisco Gar-
ca Chaves.
Da-se 40,000 de gratificacio a quem
pegar ama escrava de nome Libana que
no dia 10 do corrente fugio pelas 7 horas
da noite com os signaes seguiotes cor
um tanto fulla cara redonda, nariz meio
chato estatura baixa cheia do corpo,
per'nas finas com uma pequeua ferida no
meio do dedo grande do p', uma maica
de bexiga logo abaixo de cada um hombro,
levou vestido de chita roixo em quadro ;
quem a pegar leve a ra do Livramento
1). 4 do lado esquerdo hindo pela praci-
nha ; esta escrava sope-se ter sido sedu-
zlds nw ir levado toda mua aue tinha
r ..,
em uma troixa n motivo nennum ter pa-
ra fugir, por siso o annunciante protesta
contra tal seductor logo que oblenha as
necessarias inforraacas.
Joo negro marinheiro de naco
Mucambique idade de 3o annos pouco
mais ou menos, estatura regular cor ful-
la com uma sicatriz em m dos lados do
rosto tem falta de um dente na frente ,
fugio em 17 de Abril p. p. do Briguo Am-
paro levando camiva e calsa de brim de
veila este negro foi escravo de Jos Luiz
Paredes, c intitula-se forro Benedicto,
naco angola, idade de a5 annos pouco
mais ou menos eslura baixa cor usa
tanto fulla com um dedo da mo esquer-
dt cortado pelo meio com uma sicatriz
em uma das faces fugio em i5 de Junho
p. p levando camisa de brim ; quem os
pegar leve ao seu Sr. Santos Braga na
ra da Moeda n. 142 que sero bem re-
compensados.
MOVIMENTO DO PORTO
NAVIOS ENTRADOS NO DIA 16.
RIO DE JANEIRO; aodias, Brigue Nac.
Febz Destino de aa3 Tonel. Cap. Lu-
iz'Gomes de F gueiredo carga carne
secca proprietano Pedro Gomes do*
S ritos; passageiros Ca los Augusto
Peixolo de Alencar com um escravo ,
D. Josefa Cavalcant Moura, com a escra-
vos e o Portuguez Manuel Antonio
Marques.
PARA ; 48 dias, Patacho Nac. Conceico.
Comraandante oi.Tenente Joaquia
Jos de Aguiar carga maderas i con-
dus 15 recrutas e um preso de Justica.
LIVERPOOL; 5a dias, Galera Ingleza
Emilia de ao8 Tonel. Cap. Jos II'"'-
ter Wardes caiga genebra t passsgei-
ro o Inglez Carlos Nccoman Lyne.
P>, BA Tl. DIM. T. K J. T
~ 83


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E4IFXCATS_XUVCY1 INGEST_TIME 2013-04-12T21:49:41Z PACKAGE AA00011611_06034
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES