Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06033


This item is only available as the following downloads:


Full Text
_^JM
ANNO DE i838. ^AKTA FEIRA
CAMBIOS.
Outubro 16.
Londres a8 l)s. St. por i#oqp ced.
Lisboa qo a q5 por 100 premio, por metal.
Franca'34o a' 345 Rs. por franco.
Riod'e Janei ro Mopar. '
Moedas deOjCoo i3#aoo as velhas novas i4#
bjjooo %frK>o *Paf>
Pesos Columnarios 1^690 a i#7'o
Dillos Mexicanos ijjj8a a i#t>yo
Patacoeus Brasileiros 1^90 a 1^(700
Premios das Letras, par 11.cz 1 a 1 e i[3 por
Cobre ao par .
00.
PARTIDAS DOS CORREIOS TERRESTES.
17 DE OTUBRO IJMEUO 2&
Tdo agora, depende de n6s inesmos ; da noss prudencia,
moderaco e energia: continuemos como principiamos,
e seremos apontados com aiimiikco entre as Kaccs uiuis cul-
tas.
Proclarnacao da Assemblca Geral do Brasil.
YZidade da Paraiba e villas de sua pretenco ....
Cidade do Rio Vanle do Norte, e villas dem .
Cidade da Fortaleza e villas dem.......
Villaje Goianna............
Cid ote deOlinda..........."
Villa de Santo Antio "......
Dita deGaranliuns e PovoftCuO do rtouto. .
- DittasdoCabo Sehnl.aem, Rjo Fornioso, e Porto Calvo
Cidade das *lagoas, e Villa de Mace......-
Villa de Pajau' de Flores. ". ".' *
Todos os crrelos putem ao mcio da.
Segundas e Sextas feiras.
Todos os dias.
Quintas feiras.
Dias 10, e ap de cada mez.
Idcm 1 11, e li ilillo diJo.
dem idem.
dem 17, diltodilto
Subscreve-se para esta foiba a mil reis mensaes pagos adi-
antados nesta Typogralia, ra das CruMS D. 3, na Praca
da Independencia I). 37 e 58, onde se recelicui correspon-
dencias legalisadas, eannuncios: insimulo e estes gratis
sendo dos proprios assignantes, e viudos assic,uados.
DIAS DA SEMANA.
|5 Segunda S. Teresa de Jess. Aud. do Juiz. do crime de tarde e sessdHa Tlics. P.
ifi Terca S. Maitiniano M. KelacSo de maub aud. do J. dos Oif. de tarde.
17 Omit S. lleduvirges. Sesso da Tliesouraria Provincial.
i> Qiinta S. Lucas Evangelista. Itelaco de maub e audiencia do J. dos 01 los de larde.
La nova ns 11 boras c 49 min. da manli.
19 Seita S. Pcdrn de Alcntara. Sesso da Thesouraria Pub. e aud. do Juiz do Civel de t.
'.o Sabbado .V Joc Caucio Itelaco de manli, e aud. do V. C de tarde.
a Domingo S. rsula e suasCompantteiras.
IMar: cheia para o dia 17 de Outubro.
As 3 lloras 4? minutos da manli As 5 horas G minutos da tarde.
PARTE OFFICl^L.
R!0 DE JANEIRO. .
CAM\RA DOS SENADORES.
a I
Sesso em ai de Agosto de i838
Pressidencia do Snr. Mrquez de Bae-
pendy.
'
Feita a chamada eachando-se presente
numero legal dosSnrs. Senadores, o Sr.
Presidente abre a sesso, e lida a acta da
anterior heapprovada. .
O Sor. primeiro secretario da' conta d
expediente.
. Ordem do dia.
He approvado em terceira* discusso
par* remetter-se a cmara, dos Snrs. de?
putados, a resoluco do senado queap-
prova a tenca concedida ao coronel Tho-
naaz Antonio da Silveira ; e, cm primeira
para passara segunda a resoluco que au-
torisa o di rector da escola de medicina da
corte, para admitir os exames prepara-
torios a Luiz Manuel Velho da Silva,e sen.
do approvado admili-lo a matricula, do
primeiro anno.
Approva-se, em primeira discusso o
parecer da commissao de couslituico so-
bre o officio do primeiro secretario da c-
mara dos Snrs deputados, que acompa-
jitiou os autgrafos da -resoluco que ap-
provou a penso concedida uos fillios do
alescido visconde de Ale miara.
Continua a segunda discusso, addiada
pela hora na ultima sesso, do artigo 5.
do projeclo de lei, sobre direitos heredi-
tarios dos llios ilegtimos, com as e-
Hiendas da commissao e do Sur. Paraso.
Discutida a materia approva-se o ar-
tigo 5 unnimemente com o primero,
ii parle que manda que us filhos Ilegti-
mos berdem a totahdade dos bens, na
Lilla de descendentes, nao passando a
parle que tiara dos ascendentes. Os pa-
ra gratos a. e 3. nao passa, nem a emen-
da do Snr. Paraso.
Dada a hora fiea a discusso addiada.
*. O Snr. Presidente d pata ordem do
da a continuaco da materia addiada, e
trabalho de cammissaii. .
Levunlou-se a sessa as duas horas da
tarde;
De Ordrm do Snr. Dr. Manocl Merides
da Cunba Azcvedo, Juiz de Direilo do
Crime da segunda vara, desla Cidade,
publicamos o seguinte.
O Regenle inlerino em nomr do Impe-
rador o Senbor Dom Pdro Segundo De-
creta o seguidle Regnlanienlo.
Art. 1. Todos os Actos do Poder Le-
gislativo Geral, e os do Governo Geial
xpediuuH para sua eocussap, ser-i im-
pressos por copia, ou (ransumpto, em for-
mato de quarto dcbaixo do titulo de
Collecco das Leis do Imperio do Brasil.
Os que de linos e do oulros Actos se
publicarem em cada anno, formaro bum
Tomo da dita-Collecco.
Art. a. Cada Tomo da Cilleco das leis
dolmp rio, sera' dividido em duas par-
tes ; contendo a primeira os-Actos do
Poder Legislativo Ger.d e a segu da os
do Poder Execulivo mencinados no Arti-
go 1.
Art. 3. Cada huma das partes de um
Tomo sera' dividida em Secqes, conten-
do cada Saccio todos os Act-is que titerero
sido expedidos com a mesma data.
Art. 4- As paginas de cada huma das
partes, em que o Tomo se divide, lera a
sua numerando propria ; comecando pelo
primeiro numero da numeraco ordinaria
oa primeira pagina, e continuando segui-
damente em cada urna dessas partes.
Esta numeraco far-se-ha no meio da
margem superior de cada pagina.
Artigo 5. Da mesma forma reg direse-
guid 1, se fara' a mumeraco das Secc5*s,
que se contiverem em cda parte do Tomo.
rt. 6. Sero lamban numerados as
suas respectivas parles os Actos Legislati-
vos, e execulivos, sem e faser distinc^o
de Leis e Decretos do Poder Lugislativo ;
de Decretse Regulamentot do Poder Ex
eculivo .* seguiudo porema numeracu de
bum aoulroTomo, de maneira que con-
tinu sem inl .rupco, alguma qualquer
que se ja o Tomo, e o anno da publica-
eao collocado o numero ao lado esquer-
do cima de cada Acti.
Art. 7. Adiante do numero de cada A-
cto fara o respectivo Ministro transcre-
ver a sua data, e summario mui succin-
tamente.
Art. 8. Tanto a numerago, de que
traa o arligo t. como a redaeco dos
sumroarios, sera' f}| dehiixo da. ins-
pececo do Ministro e Secretario de Esta-
do da Repartico a que perUncer o Acto.
. Art. 9. Para a exacta numeraco, de
que Irada o arligo t. hacera' no Gabine-
te Imperial bum livro em que. seja re-
gistado o numero do Acto que forussigna-
do, assim como transcripta a sua data e
summario, debaixo de inspeceo do* res-
pectivos Ministros, que autertlicarocom
a sua assignatuia.
Art. 10. Das secretarias de Eitado se
reineltero a Typographia Nacional as co-
pias ou transumptus que sebio de im-
primir, e incluir na C -llecco com as
d..tas e sumarios. Estas capias seao con-
feridas, esubscriptas pelos olbciaes mores,
e remettido* os originaes ao archivo pu-
blica, logo que por eiles forera revistases
ultimas provas da impressao : no que se
Ib.-s recomeuda todo o cuidado, e desvelo
possivel.
Art 11. A numeraco das paginas, e
das S.'ccoes sera' eila pelo administra-
dor da I) pograpbia Nacional.
Art. la O mesrao administrador for-
mara' no principio de cada anno hum n-
dice exaclo de lodos os Aclos, que live-
rem sido incluidos no Pomo do anno An-
tecedente ; transcrevendo o numero da-
ta summaria e paginados que duran-
te u mesmo tivereitf sido inseridos tiesta
Collecco, e fazendo preceder de hum
asterismo1' os Actos, de que trata o Art.
t5.
Art. 13. Este ndice ser dividido cm
duas parles ; contendo a primeira os A-
clos do Poder Legislativo ea segunda os
do Poder Execulivo,' e ser distribuido
como os m.iis Aclos.
Art. 14- No principio de cada Seccio
ser declarado o Tomo n feita numera-
co de que traloos artigos antecedentes ,
na forma dos Modelos juntos.
Art. |5. Os Aclos Legislativo e Exc-
culi vos sobre Tencas Pencoens, Jubila-
c^'S e Aposentadoras ; bem como so-
bre o Orcamenlo Contas da Cmara do
Municipio da Corle, e oulros, para que
hou ver especial ordem do Governo serio
compendiados em summario para serem'
assim impressos e incluidos na respectiva
parte de cada Tomo
A r-:speito da reda'cao, numeraco,
autbenlicidade e guarda dos originaes
desle summario se observar o dispesto
nos Arls 9. e 10.
Art. it. Oa OiGciaes Maiores das res-
pectivas Secretarias de Estado remettero
directamente, na Cario as outras Secre-
tarias de Estado aos Presidentes dos Tri-
bunaes e da C mura Municipal e Che-
fes das 11'pirlicaeu> Publicas : e as Pro-
vincias ao* respectivo* Presidentes, os
exeinplares impressos das Lais Decretos,
e RegilUmentOS, que sutcienetes forem
para serem distribuidos pulas Autorida-
des.
Arl. 17. Quando huma Secco conti-
ver Actos da uiais de buma Secretaiia de
Eatado ser a rcmessa s Autoridades ,
na forma do artigo aulexedente acompa-
nh'di de olhcio dos respectivos Otficiaes
M'iures, contendo o numero, data, e
reaumo do Acto ou Actos remetttdos ,
parteocentef as sujs Ilepartifes.
Art. i' O AdoainistratJjr da Typo
gra Maciouai na bypolhesa do artigo
uritccedeiile remetle'ra ora a huma ora a
outra das Secrelarias de Elado os exem
plires sobrdaos ; piocedendo de manei-
ra que o trabalho da remessa seja distri-
buido com a possivel igualdade.
A^t. 19. Estas rerai-ss.is seio averbadas
ein Iivros pira essa Bm destinados, ber-
tas nuaiemlos rubricados e encerra-
dos peios O.lijiaes Muores das respecti-
vis S-crelanas de Estado ; deixando-ss ero
cada pagina espej sullajieute para notar a
data do recebnauto, e da public?o dos
vcIjs ramettid.
Ait. vo. As Scretarias de Eslado os
Pretidentea dos Tribunaos e Cbeles das
Heparticoeiis da Corle aecusaro o rece-
bimeuto immedialamente ; e os Presiden
les das Provincias nao sodaro parte de
baverem recebido os exempl.ires que Ibes
uverem sido remetlidos, logo que Ihes fo-
rem entregues, mas tambera participira
haverem-us distribuido pelas respectivas
Autbondades e lerem sido por tilas re-
bidos, e devidamente publicados, decla-
rando as datas da publicaco ora cada Co
marca.
Art. .ai. Os Presidentes dosTribunaes
e das Relacoes os das Cmaras Municipa-
ps ,*os Cheles das Repartic ens Publicas,
e os Juiscs le rao Livro por elles abeitos .
numerados; erubriedos nos quaessefai
carga aos respectivos Secretarios ou Ecii-
ves, dos Actos L#{t. o Execulivos, q' Ihes
forem remellidos ; declarando se o nume-
ro dala summario de cada bum des*
les Actos ; e sendo assignadas as verbas
drssa carga pelos mesmos Presidentes ,
Chefes de Repailices, eJuises,e pelos
Secretarios, ou Escrivaeus. Debaixo da
hnma l verba se com prender o lodos os
exemphresdas S: ce.oens que se tivercm
recebido na mesma dala.
Arl. 1*. Os livros das Relaces dos
Juises de Direilo Hlnnicipaes sero
fornecid 1 por cunta das despesas do Mi-
nisterio da Juslica ; es dos Juises de Paz
e das Cmaras Municipaes lorio forneci -
dos por estas graiultuienlq.
Arl. s3 Oa Presidentes dos Tribucaes,
e Rt-lacoens Cbeles de Reparlices Pu-
blicas e Juises providenciaro que os
Secretarios e E.ciivaeos aprsentem todos
os Aclos referios expedidos 110 anno an-
tecedente ; e os faro eucadernar haven-
do possdiilidado ou ommassar coser ,
fe archivar com rotulo v. g. __ Tomo i.*
da CollecoSo das Leis do Imperio do Bra-
zil, &c.
Arl -i!\. Os Juises de Direilo logo
qu: receberem os exeinplares dos Acloi
Legisidtivos cu l'i\ -i-uiixos os laro
publicar us Cidadcs ou Villas, que fo-
rem cabecaj de C>marca por Editaesa-
(ixados no lugares niais pblicos dellas ; o
enviarlo disso Certidaonos respectivos Pre-
zid-utes das Provincias.
Alt. a>. <' Ollicial M.iior da Secreta-
ria de Estado dos Negocios de imptrio ,
logo que reetber o ndice, de qua trato
o-, urligos lij e i3, o distribuir da un-
neira piaiicada com os man lACtOl p' las
Autoridades di cestume 5 e exigir dellas
que Ibe comiauniquera se leceberlo lo-
dos os ae.los constantes do meucionudo
ndice ou se bjOUVe' lalti da ulgum e
qual, a Gm do se prov.denciar como for
coavinii hle.
Arl. at. Iguaes remessas u txigencias
faro os Pr sidentes das Provinciis us ou-
tras Auioiidadts dellas palasquaes li\e-
rem nido distribuidos ou mandados dis-
tribuir os mencioiicdos a los.
Art. aj Quando forem Mibstiluidos os
Secretarios, ou Kscrivaens far-sa ha en
tremados Tomas, ou macos dos mencio-
dosACtos ,e d;s que inda uao estiverem
eocaderuadS, ou cmmassados j o de lu-
do se fura carga ao SecieUrio ou Escu-
va qe substituir.
Os secretarios, ou .Escrives contra
quem for piovadaque pjrdro ou con-
sumirlo alguus dos referidos Actos que'
liverem recebido sero processados,
punidos na forma de Direilo.
Arl. a8. E'n quanto se nao establecer,
e orgauuar o Archif o Publico serio ai-


2
DIARIO DE PERAMBUOO
ii
chivados aa Secretaria de Estado dos Ne- a
godos de imperio sob cargo e direcco
o OlHcial Maior df lia [os originaes de-
clarados no Art. 10.
Art a, Fica revogado o Decreto de
vj de Junho de t833 sobre a numera-
rio das Leis Resoluces ou Drcrdos.
Bernado Pertira de Yar-concellos Mi-
nutro e Secretario de Estado dos Negocios
da Juslica encarregjdo interinamente dos
do Imperio ; assim o terha entendido, e
faca executar cnra os despachos necessarios.
Palacio do Rio de Janeiro em o primci-
ro de Janeiro de mil oitocentos e trinta e
cito, dcimo#timo da Independencia e
do Imdei io,
Pedro de Araujo Lima.
Bernardo Pereira de Vasconctllos.
PERNAMBUCO.
GOVERNO DA PROVINCIA.
Expediente dodia i3 de Oulubro de
iS38.
Officio Ao Cornmamlante das Armas
communicando Ihe que attendendo a
Vice-Presidencia ao que Ihe repesentou o
Sentenciado a Gales Bernardo Jernimo
deCaivalho pedindo ir cnmprir a sua
sentuncj na fortaleza das 5 ponas foi
espedidaordem ao administrador fiscal das
obras publ cas que remeta com a compe-
tente guia a#6m de ser applicado aot tra -
baldos da dita fortalesa.
Dito Ao Administrador Fiscal das 0-
bras publicas ordenando que remeda ao
Command'inte das Armas, cota a com-
petente guia q sentenciado de qae tracta
o officio supra.
Dito Ao Ccmmandante Superior
da Guarda Nacional de Goianna, devol
vendo-ihe as propostas que arrompan ha-
rio o sen officio de y de Agosto deste sn-
00, visto que nao declarando ellas a id,-
de, rpudimento, residencia, a. dos Ci-
dadios, propcstos para offieiaes como
muito couvern a 6m de que o governo pos
sa approval-as comconheciment de cau-
ta ; curapre que as faca organisar segun-
do o disposto uas inslraccdes que por co-
lia se Ihe envio, procedencia antes na
orma dosartigos A.e^. contra aquellos
offieiaes qae nao seliverem fardado den-
tro do praso legal, ou se ouverem ausen-
tado da Comarca por mais tempo do que
Ihea he permetido.
DIVERSAS REPARTICOENS
TRIBUNAL DA RELLACAO'.
Sesso de 16 de Outubro de i38.
Appellaclo R.' Antonio Jos da Costa A-
raujo.
Bandeira. D. Mara Torquat do Car-
mo Xavier. (Reformada )
Embargos. Antonio Negueira de Quei-
roz.
Posthumo. Antonio Jos Bandeira.
(Recrbidos.)
Appellaco R.' Padre Jos Gomes
FToies.
Chaves. Caetano da Costa Montciro.
(Conformada.)
Revista Civel. Manoel Mara dos Ao-
jos.
Ferreira. Antonio Jos Evangelista.
[Decidida a favor do Recorrente.J
MEZA DO CONSULADO.
A Pauta he a mesms do num. -?i6.
CORREIO.
Existe na Adminstracad do Correio des-
ta Cidade urna Caita segara para Pedro
Antonio Teixeira Guimaraens vinda rfo
Rio Grande do Sul.
ARSENAL DE GUERRA.
O Arsenal de Guerra compra em por-
fo papel car'uxiirho meios de soda pa-
pel almasso aparado ', cera branca em po,
carvo de pedra cangrinas esleirs pa-
7 palmos de grocura 1 quem os tirer din-
a se ao mesmo Arsenal para tratar.
Arsenal de Guerra iG de Outobro de
338.
Jos Carlos Teixeira.
Director.
ARSENAL DE MARN HA,
Pelo Arsenal de i\I irinli 1 se faz publico
que nos das i5 iG e 17 do crrente
mez se hade vender em hasta publica 70
sacos de fu inli arruinada, p*rtencente
ao numero das que vierio do Rio de Ja-
neiro por Cunta do Governo para serem
vendidas ao PovO desta Cidade ; as qmes
foraorevertidas da Villa de Giianna ,
restante das que pira o mesmo fira de se-
rem vendidas foro enviadas para a raes-
ma Villa.
Pel reffjrido Arsenal igualmente se faz
publica que nos das cima incados conti-
nuar a venda da porco de cal) >s velh >s ,
de huma pipa de vnho quo por falti de
concurrentes nao foi concluid 1 nos das
que se annunciaro*
Arsenal da Mirinli 1 de Permmbuco i5
de Outubro de i83''i.
Francisco de Assis Cabral e Terve.
Inspector.
OBRAS PUBLICAS.
Pela Administraco Fiscal das Obras
Publicas se hade vender em hasta publica,
a quem miis der na conformidade do
ai ligo 33 do Regulamento, uma poiclo de
madeira velhi, tirada da ponte da B^a-
vista, aqual s serve para lenha o sea-
cha n.>frente do armasen em Palacio
veIho por detraz di casa da RellicaS;
dividida em quatro porco's ; e cada urna
destas,*avahada em 6,^oo res: os per-
tendentes concorrei na SiII1 da dita Ad-
ministracio no dii 18 do correte ao
meiodir, pode ndo desde ja hir vera di-
ta madeira no mencionado lugar, que
llies ser mostrada pelo \lestre Carpina
que se acha na officioa no mesmo lugar.
PREFEITURA.
Parte do dia i5 de Outobro de i838.
lra. e Exm. Sr. Forio presos hon-
tem a minha ordem e tiveraS destino :
Joo Jacinto branco manijo da f'scuna
Lebre pela i.' patrulh 1 do distrido de
Fura de Portas da Freguesia do Recife ,
por ter espancado a urna preta e insulta-
do e resistido a raesma palrulha; Jos
Fernandes preto m.irujo da dita Escu-
na, pf la mesma palrulha por estar ebrio
e ser encontrado rarde ; Josa tambem
preto escravo de Jos Bernardo Mara ,
tambem preta escrava de Antonio Ramos,
e Francisco tambem preto escravo de
Mara Izabftl pela sobredita pitrutha o
1 ."por ter maltractado com punta pe os
medingos que se arhavo d> baixo do
arco do Hom Jess a a. por estar fgi-
da eo ultimo por estar ebrio e a dor-
mir em ura beco no meio da roa ; Mara
da Conceico parda pelo Commissario
de Polica do refferido districto por ser
dsordeira e ter ferido levemente a dois
pardos e Romno d 1 Nascimento tambem
pardo, por outro Commissario de Polica
d 1 mesma Freguesia por estar eb'i io e
vagar pelas ras srm deslino,- Pedro e
Francisco pretos, escravos este do Te*
ii'nic Mendes e aquello de Jos Luiz ,
pela 1. palrulha do districto da II be ira
de Santo Antonio por briga ; Joo Ma-
ra pardo msrujo da refferida Escuna,
pela i. palrulha do districto das Cinco
Ponas por estar a tirar lencos das alg -
beiras de pessoas estranbas e f sendo *c-
ces i n't orjsas ; Manoel preto .escravo
d Francisco Constantino Raposo pela
mesma patrulha por estar ebrio ; Anto-
nio da S Iva Pinto, branco por hum
soldado de Polica, por desordena Jos
preto, etciavode Manoel Cardoso por
outro S' Idadj por ferira outro preto com
cabecadus ; Manoel Teixeira dOS Reiis ,
branco por outro soldado de Polica por
estar atravessando gneros de primeir oe-
cessidade que bio ser vendidos ao Povo;
Jos Antonio de Lima pardo pelo'Cora-
mandante da Guarda da Ribera n'-f->
tos este escravo de Jos do Rosario e a
quelle de Marcelino Jos Lopes peloSub
Prefeitoda Freguesia da Boa-vista o i.
por estar ebrio, o a.* por estar fgido;
e Joo e Antonio, tambem pretos e
escravos, este de Antonio Roberto da Sil-
va e aquelle de Jlo Augusto de Castro
pelo Commissario de Polica do districto
de Santo Amaro da dita Freguesia por
briga. s
Iv oque consta das partes hoje recebi-
das o'esta Secretaria.
Dos Guarde a V. Exc. Prefeitura da
Comarca do Recife i5 de Outubro da
1838, Illra. e Exm. Snr. Francisco de
Paula Cavalcanti de Albuqueique Vice-
presidente da Provincia. Francisco An-
tonio de S Brreto, Prefeito da Comarca.
PROMOTORIA PUPLICA.
Illm. Snr, Pela terceira vez depreco
a V. S, que se digne de mandar por bem
da Juslica Public 1 que o Sub Prefeito da
Sede Oluidi satisfaca a requisico que fiz
a V. S por officios de r3 >ie Agtsto e i3
de Stlembio do correte a respe to da pa-
lrulha que malou prs Manoel Josa da
Santa Anna : a nenhum dos predit s ofi-
cios deo V. S. resposta e se ha 11 ou caso
que mereca a attenco da Polica e da
Juslica he este a respeito do qual tenho
sido ince sanie em exigir esclarecmentos
como he de meo dever.
Dfos Guarde a V. S. Recife r5 de
Outubro de 1833. Illm. Sor. Francisco
Amonio de Sa Brrelo Prefeito da Co-
marca. Jase Thomaz Nabuco de Araujo
Jnior.
Illm. Sr. Dr. J. de Direito Interino da 1.
Var.i do Crime. Denuncio perante V. S.
contra o preto Vicente Ferreira morador
na Freguesia de Munbeca por ter morto a
seo sogro o pardo Jos Goncalves na rna-
nba d>> dia a 5 de Agosto do eorrente an-
uo no lugar* do Oui tuoga da sobredita
Freguesia : A. e J. esta com o Corpo de
delicto junto digne-se V; S. de nundar
noti6car as Testemunhas a margem o pro-
ceder como he de direito.
Recife 15 de Outubro de 1838.
Josa Thoaiaz Nabuco da Araujo Jnior.
illm. Snr. Doutor Juiz de Direito da a.
Vara do Crime.i. Perante V. S. denuncio
de Manoel Alves da Fonceca e de Manoel
Francisco de Souza presos na Cadeia desta
Cidade e consiste a denuncia em ha ve-
re m os denunciados m uto com se>s faca-
das que n Gorpo de delicto junto dcscreve
a parda de nome Lourenca no fsthmo que
desta Cidade vai pva a de Olinda no dia
14 do mez de Setembro do eorrente anno ,
a qual foi pelos Denunciados enterrada
no mesmo lugar e ah achada pelo Sub-
Prt'feitode Olinda, porque ma perna
da en feliz, fura da Ierra o saogue e al
guns ibjectos que ella condozia e que es-
tavo espurzidos no chao revelaro o deli-
cio atroz, sobre o qual digne-se V. S. de
proceder. A.eJ.estaom os Documen-
tos junios e mandiidj notificar as Tes-
temunhas e Informantes dezignadas a mar-
geni.
Recife i5 de Outubro de i838.
Joze Thomaz Nabuco de Araujo Jnior.
TRIBUNAL DOS JURADOS.
Sesslo do dia 8 de Outubro da 1838.
Jury de Stntenca.
Sumario ex c ffi.:io contra o Reo Jalo
dos Res Soares por uzo de aruiis defe-
zas ; foi ob.olvido.
Denuncia do Uontor Promotor Publico
contra Caetano de Souzi Monteiro por
ter lirado dois presos do poder da Policial
loi ttbsoL ido. a Tesmunhas de vista .'
er.s do artigo 73 do Cdigo d"oProcesar
a circunstancia do flagrante delicto.
Denuncia do Doutor Promotor contra os
Reos Manoel Gomes e Manoel Jos Ri.
beiro por ferimentos leves ; foi absolv-
do. 3 Testemunhas de vista !
Sesso do dia 10.
Jury de Sentenca.
QueixaXde Antonio do Carmo contra
Antonio Carneiro da Cunha por ter esto,
prado e raptado asm flha menor de \A
annos Silveria Mara do Monte; aecusa-
do pelo Doutor Promotor por ser o que.
xoso miseravel ; foi condemnado em S an-
nos de pristo e adotar a olfendid* grao
mximo do artigo aa7 do Cdigo Cnm i
nal.
Por certo que estes dois julgarnentos da
crimes de eslrupo e de rapto a se^eri.
dade com que Jury os puni a iotei-
resa e mil xibiliuidu com que triunfou
dos empenhos, que o cercarao em prol
dos Reos acreditaio os dignos membros
que o composera creditaro a institu
cao : forio dois triunfos que as familias
alcancaro foro dois pinhores da invio-
labilidade dos lares do Cidado duas Ii-
coens de mo.alidade, que Dos queira a-
proveitem Grafas aos Jurados d> Recife
em os quaes dois Pais inlelises encontra-
rais a reparacao di honra de suas Pubis vi-
ctimas da perfidia e da ingratidode bar-
baros seductores; longe o punbal em um
Pazemqueos Tribuuaes fase ni juslica e
vingo a afronta do Cidado !
CORRESPONDENCIAS.
fgavsiic, seo paoaue jsngda da 6 a j mesmo motivo; Joo ,-e 'oaquim pre-
Sesso do dia 9.
Jijry de Sentenca.
Sumario ex officio ontr.i o Reo Jos
Gomes da bilvae oulros ptr fiKto de es-
cravos no anno de 18JG o Juiz de Direito
depoisde ouvr o Jury que declaroo que
o Reo nao tinha emprega.lo violencia con-
tra o escravo julgou a cai'sa perempta
por :o ssr robo portsm furi crime
particular e sa nao darem a excepco-
Srs. Redactores. Magoado de ver in-
justa e publicamente menoscabada no seu
Diario N. aaa a repu>aco de hum ho-
mem de bem a amisade me obriga a res-
ponder pero meu Amigo Sr. Manoel Anto-
nio Das Senhor do Engenho Jundi ,
tanto mais que mu persuadido eslou de
que elle o nao far, Quem nao eonhece
de perto este Sr. nao pode fazer idea do
seu genio, dos immensus cuidados qua
continuamente o occupaS, da sua falla de
saude t do'sacricio que faz em esertver ,
f mesmo dictar a mais pequea carta ,
nem deuuanto he sijsce'>t!VfI de esqnect-
mentos, que prejudica os seus proprios
interesaos ; e por i-so nao Ihe descalpar
a omisso, que tere de lego que chegou
ao seu Engenho o escravo do Sr. Joao Ne-
pomuceno Paes de Lira Iho haver imme-
diatamenta partecipado ; mas quem o co-
nbtee como eu, sentir a mesma indigna-
co que sinto de ver este Sr., por huma
causa insignificante ('porque o seu escra-
vo tanto poda adoecer em Jundi como
no seu Engenho ou qualquer outra parle)
menoscabar o crdito de hum homeoa hon-
rado, e absolutamente incapaz dos baixos
e vis sentimentos que Iba suppoem. O Sr.
M. A. Das nao tem adquirido a riqueza
que tem com o servidb de escravos alheios.
Eu, qae durante aiguns annos lora sen
visiubo, nunca ouvi dizer a huma unir
pessoa, que lie losse capaz de consentir
00 seu Engenho escravos alheios. O Sr.
Diasque lora incapaz de tal, quanda piu-
co po'sstiia mmto menos o he agoia qua
est verdaderamente rico, e to incapaz
de demorar em seu poder de propozlo
hum escravo alheio para se ulil 1 >r do seu
servic.i, que ha mais de l raezes tem per-
dido o servico de hum qua eu Iheven-
der e esl no Engenho Goija de ci-*
mi, pVIodesieixo, ou esquecimenlo deo
mandar buscar, etmto he verdade isto,
que rendo-mo ha pouco tempo escnploo
meu Amigo Sai Francisco Seve 100 Ca-
valcanti de Lacerda que o dito escravo
andaali seachava, eque lena mmto des'
gosto se em seu poder fugisae ou adoeces-
sa e havendo Amigo to grande omisso, responden-
me o seguinte O Sango se Ihe disser
que o nao mandei buscar por lidis o meu
amigoW'j acredita e o mais breve que
poder o hei de mtiidar bu iar Esta res*
posta me trouxe ha \.\ ou i5 lias seu
honrado To, e meu Amigo o Illm. Sr.
Manoel Tliom* de Jezas, o no di* i3 d_
eorrente escravos do meu Amigo Sr. hro n
cisco Severino Cavaleante vindos do Gor-
jai me disserao, que o dito escravo anda
l est. Eii aqu como o Sr. Vkaoel An-


DIARIO DE
11 '......H^BmmaKmmmimmm:
Ionio Dias lie capaz da aproveilar o servico
de escravos alheios,, e note-se, .que da
Jundt a Gorja he oais paito do que ao
Kngenho do r. Pas de Lira. Mus pa-
rtera eu dizer para justificar meu aai.
{jo, mas mu dos nativos pirque o nao faca
lie julgar otespeitavel Publico mais >u lul-
gente qua o Sr. Paes de Lira. Tiobera
persua lulo estou de que o meu Amigo Sr.
M. V D.ai nao hade approvar esta minha
resposla porque eu sei carao elle pensa,
e qu 10] ma> eu na panso em lud Vuoelle,
e, aprore, ou oo aprove, foco oque
me insta o nteu coraco.
Prezo-mu de ser
De Vais.
Muito aliento Veuer. e C.
Jos Venancio l'imenla de Carvalho.
Sfs Redactores. Que em Pernambu"0
so oo posaa travar coiob.te algum Ilitera-
rio sem se sillar para algum i qufesiio
p'ejsoal ? r1 ... Ha coma pasmosa / I 1
Que di rao as Nacea poli.lis vendo que es-
tiraos lo alrazado-t em polmica* cient-
ficas que anda nao sub unos desviarmo-
iios de semtl i nu-s monstruasidides ? i
Srs. Iledaclores, eu son hura assignan-
t* do seu Di trio, e as ultimas contesta*
coes qua ora Vejo contra o Carapuceiroe
o Argos j lera tocado as metas a que po
dia chegar a* odiosas personalidades. Ha
triste recordar-se l Todava nao me pa-
recen parto de hum miseravel gosto de
abandonar a controversia q unido laleeem
prov.is coiilra seus adversarios. Nao Se-
nliores. Pelo contrario ambos os Redac-
tores sio bastante Ilustrados; mas est-ma
parecendo que ambos ellea eslo aass des-
apercebidos.... Parece-me entrever hum
excitamento suggeiido sublilmente pelos
que se ihteressa barbarisar o paiz por lu-
das as formas sem nos senlirmos !
Quira DeOs nao seja5 fomentadas de
proposito para algum estampido, de (anta
importancia que d motivo afechar-sea
mlhor lote de civilisaco que lernas em
Pernamhuco !... Nao ha a piimeira vea
que se dseja brutolisar huma Provincia ,
como hum seguio meio de aplanar dilli.
culdades.. .' Deas queira que u me en-
gae, ti experiencia mostrai o resto.
Fax Vobis.
Variedades communicadas.
Epstola a.*
Meu Filhos. Eu o Afistor vosso Pa
vos envo muito saudar. Teraho lido a
vossas famigeradas produc<,es, que assaz
me-tem regalado este peito : porein meos
fiaros Filhos advirto vos qae expichas-
les-vos completamente em aiuibuirdes, a
quem atlribus a Correspondencia do Jo-
z assim como a jocosa Denota da Nao
Argos -foi seo aetor .pessoa mu diffe-
renle, da que vos pensis; porem que
deveis saber para procedeidei contra ella
na coriformidade da Nov. IU _. ad perpe
luam re meiy. roa, nada de formar cas-
tellos no w attacando e insulWftdO s
pessoas decaiacter, a cuja honra toa nun-
ca haveis de tocar Qem com a pona do
dedo. Nao sei, de que serven os vossos
loo olhos, dos quaes 5o devem velar,
m quaoto os outros 5o dormem e o que
est me-pan-etndo he que os vossos loo
olhos nio talen por hum eesle achacado
das almorreimas, pois que nada vedfa
por ehVs e creio q0 j estar5 lodos a-
dormecidos nio pela sonoia finita de Mer-
curio mas pela inisu puhl,ci: suppo-
nho, que muito breve pissarei pelo de-
go toda vos ver convertidos nio era Pa-
Urc T* T ee9 dam"a'los, ( Virgem
J\. Senhora I O que ser dos moradores
dltoda, se tal prediclo se realisar! .'
Vallia-llies ao menos a receita do finado
Cirurgio Joaquim Jo. di Fonceca pu-
blicada no D.ario N. a.5 ) e dtiwixa da
prottecao nio da D?osa Juno, mas do
Dabo-Coxi. Advirto-vjt anda, filio-
rura meornm |ue mallia-sem frrrofrio,
e muito perdis, em quererdrs olfuscaro
crdito do bum conceilusdo G irapuceiro ;
pirque ella est de tal mannN enraizado
no pensar dos homens sabijs, ecofdalof^
<{***, emrrrrereTdesdsaCrediii lo, desacre
ilai vos,- outro por Molo deve ser o vosso
norte, se quiserdes raptar a eslimaco ,
e o conceilo de que ello boje goza. Eu
e vosso At Cr otopo somos de voto, que
nao deveis consentir que durma hum s
dos vossos olhos pita vermos, se assim
tudo lobrigais e nao atiris botes em fal-
so. Tomai este conseibo do vosso piu-
dente Pai qua vos estima o Aristur
P. S. Vosso A t vos enva a sua bencio,
eeu vos envo a minha.
PRRJAMd c o
!LU', i"____L '"" i;
aTrundar huma olaria ; quererrdo htmtt
margan do Capibiriba com barro den-
tro, tertdosufliciencia pira trab.dharem as

Eu Cosme Siricia,*TenenH do celebro
Exercito dos M-ntecaptos, condecorado
com a medalh* dos melhores cachacei-
ros &c por ordem superior do Gene-
ral em Cht fe o Exm. Sr. Jo. Firmo
doutrinario fac> saber a (uem uonvier
o segurnto
BANDO.
Eu Jos Firmo doutrinario General e
Coramandanle em Chefe do Exercito d> s
Mentecatos Superintendenlo privativo
das A/emolas doutrinarias, e em geral
Azemolei o de todas as Animslias mal
doutrin.-idas, Presidenlo e Censor per-
petuo do rohre orgulho, &e.
Determino ao Cutuiqha*, tesla de ferro
do incompiravel, inestimavel, e nunca
asss borrado Argos, qua eslej erta
(e bem alerta !) para quena i hija deicui-
do em cliamar-me a responsibilidade.
tem. O mesmo determino, e deter-
minado temi a lod- e qualquer Cfila da
Azemolas doutrinarias da minha especial
superintendencia, qua por dtgrci te-
nha abordado s plagas de Olinda. O
que tud>> vos ordeno para neo melhor ex-
pediente e vossa indiligencia ; e assim o
tenh es entendido. Dado nos Pacis da
minha residencia do Alpendre de iNossa
Senhoia do Rosario da Olinda aos iodo
correle mez e anno.
Juca Firmo.
Corra sem sello ex causa.
Est conforma ao original.
Cosme Sncia,
c^s, cujo invenlaiio se apresentar na oc-
Casi lo da venda. i
fr^> Arr ndi-se o sitio da estrada dos
pessoas que indica com hum forno que Aflictos, do falecido CirurcUo IVixoto:
. influencia de Bacho
Na elassedo Nobre O.'gulho
ou #
Empadinha bem quentnhi.
Certo Marujo da (ripulacio da au Ar-
gos que mito concorreo para a au ba-
; lar no banco da Costa na noite do i.*
deste mez de Oulubro, em que ella es le ve
quasi indo apiqne, eomo he notorio?
pedio (valha a veidade)a certa Authorida-
dedo distnclod'aquella banco hum altes-
lado para poder entretanto engajar-se em
outro n<>vio cono fez declarando nos ter-
mos martimos que elle eslava entio qua-
si preia mar pelas ervas. ou hum
miserea tur por ser o da dos anuos da
sua Dulcinea_ e ter feito ponto em seus
trabalhos amorosos, que Iba deaoa sus-
pirada conquista.
Assim a palavra Nobre p,u lio __
passa para a ciasae das indeimveis
como liberdade Paliioiism Fil>>so-
n.i &c. que servem para ludo. Tal po-
de ser a sucia do Escrivo da au : quem
a nao conhecei que a compre, diz o A-
dagio e diz o '.
k V I/iO* 1)1 VWKSs
__ A ahiixo assignada em consequen-
cia d'um annuucio que saio no dia i5 do
crtente de venda UeliuiHi escrava de
nome Jsela, feito por Mauoel Lourenc
Branco : aviza a qua! qner pessoa qua
nao contrete negocio algum de venda ou
hypotheca, sob pena de responsabilidade ;
parquea mesan alnixo assignada esl em
leli jio com o dito Branco.
Jpanna Caetana di S Iva.
_ Faz-se qualquer negocio qua faca con-
tieorajium vinculo de tetras na llha de
S. Miguel : a fallir na Praci da Indepen-
deocii, lo de Sirgueiro.
^ Precisa-se de bu vi ama de leite ,
forra ou captiva, que tpnb* hom leite:
a raa argi uu RozaW M. (, i.' andar.
\ pessoa que annuiiriou no Diario
de segunda feira 5 do correte qu-rer
leva i5 milheiros deiijollo, e outro de
llha, e tambe m se d huma canoa, por
venda, ou msmo no arrendamenlo ; fa-
lo na ra do Palacete a Antonia Brasilino
de Holfandi Cavalctnti que dir a pessoa
quearrenda, ou mesmo ah tratar se-hs
da ajuste econdices, dis G as nove da
manli e dis a os 6 da lardea
^9 preseas, que pretenderen) mirtyri-
sar escravos dinja se ao annuncianle,
que Ihes dir de quera poder aprender a
por custicos, onde, quanlos e deque
orea ; no que o moco he ins gne por ver
sen pai practicar, a par de m iti avareza
e vilania. Nao so lema, qun apezar des-
la educacio o menino he a vii lude ambu-
lante, tem o coraco de huma pomba ,
hehum santinho! Nao se demorem po-
rem porque cedo parte para o Penedo.
O Bom Jos Firnn.
O Vigario do Poco da Panelli par-
tecipa sos seos parochianos qu em os
dias 2i e a8'do correle mez de Outu-
bro petas sinco libras di lardo S. Exc.
Rm. lem determinado confe.ir o Sanio
Sacramento da Confirmacao nebta Matriz;
pata o que devom c ncorrer os adultos e
menores que aind.i se nio tiverem ChrU-
mado, sendo que aquelles devem vir Coi.
fi ssados, para maior pe feico.
A abaixo asignado previne ao Pu-
blico para que ninguem faca negocio al-
gum de compra, ou venda ou outro
qualqu r com seo filho Jos Noberlo de
Litna poi^ que ella nao se respous.-bili-
sa j e menos o seo progenitor.
Tliereza de Jezos Grieta.
Alugau se dois ptimos andares e
hum armazem na ra da Cruz do bairro do
Reoife, muito piopios para afgurma caza
de commereio : na Praca da Independen-
cia loja de livros N. 37 e 38.
O Sr. que morou em hum rs cazas
na ruada Bka de S Pedro Msrrvr da Ci-
dade de lind 1 e ficou deveidb oiio me-
zes queia manda-Ios pagar* alias se an-
nanciar stu nome.
Quem liver huma caisa terrea no bair-
to da liudvisia, e que seo ailuguei nio
exct da de oito at drz mil refc aununcie
por esta folha, ou dirija-sn a Praca da
Boa vista D. 3.
iEg** Troca-e bra negrinha de co com idade de 10 a 11 anuos, por
frums negia de bonita figor, anda mea-
os pretendentes dirija -se ao a.4 andar da
caza da ra lar,-a do Hoza rio I). 4, a truc-
lar edm Franci co Antonio de Souza da
duas horas da tarde em vante.
8^ Ficou transferida a venda do Bri-
gue A le des em leilo pira hoje 17 do
crrente na Praca do Commercio s 11
horas da manha.
Quem precissr de 100,000 res at
um conlo ife res a juros, dando pinho-<
res de ouro ou praia oufirnusa con-
tento : dirija -se a esla Typografia,
_. Arrenda-se um sitio para passagent
de Festa ou mesmo por anno, na es-
Irada do B.-lein : (juem o pe tender diri-
ja-se a mesma estrada no sitio que fici
pegado aCappelli de Bflem ( njo tem por-
lnode podra ecal ja arruinad.
-- Quer-sc comprar urna laxa que s
arha no Cais da Altandega com a mirc
Diamante wro : quem for sen dnno que-
11 aiinunciar ou diiigir se a icjt do Sr
Joaquim Juse d<; Mello na roa da Cadeia
velha.
_ Arrenda-e para passar a festi o
por anno u n stlio di estrada do Monteira
com urna grande ca*a do vvenda ara co-
xeira e estribara o bastantes arvoredos da
divenas qualidades : na ra Nova tercei-^
ra indar D. aJ.
Precisa-se de r cont e quinhentos a
premio de um e meio por cealo ao mez
sobre hypoiheca era urna tute de um so-
brado : quem prelenilcr aununcie.
_ Qualquer Snr. quesouber bem a ar-
le de Botanici equiser ensinar com a
paga que se ajuslar ; queira annunciar.
Alluga-se um sobrado de dois anda-
res sito na rm velba da Boa-vis a D. aG :
na roa diColIvgio n. 9 andar.
_ \rrenda-se hum silio na margen do
Capibaiibe junto a Olaria do Toque com
boa casa de vvenda poco d'agoa com tan-
que est ti baria e casa para escravos : nal
Aterro da Boa-vista casa de Medico Brito.
w- Moga se aoSrnhor Fiscl que tenba
a bmdide de dar aiguns passeijs pela roa
d6s C/uarteis d'sla Cidade das se ho->
ras da noite em dianle para observar o
que por all vai. De una ou de duaa
das cesas que (icio entre a da esquina d raa do Ckbug e a Hospedara do Senhor
Brindio derrama-se agoa to ftida liar
pestfera, que nio be possivel sofrer o ter-
liveimau dniro Urna cloaca abalada ,-
mo lendo vicios, pois he para embarcar (O'pos morios de oito dias a piaia a ai-;
para fora da Provincia : quem pretender s imunda, chero de porros; em fin
este negocio dirija-se a rtl* Direita D. 20 nada lia que exafe lio mo cheiro como a
lado do Livramenlo. ; ag0l com a qual os taes Seohorts das ca-
fl^P Hum brazeiro de boa conducta zas mencionadas favorecen as venlai don
q^ie lem bastante pralica de ser caxeiro de seus viziuhos e,do respeilavel Publico,
loja bolequim venda, psdnia, e de j que qitando pis^a gali soas boas pitadaa
ra e que sendo preciso dai fiador i j de rap. V o Senhor Fiscal all, obser.
comalo preferindo porem empre^ar-Se ve as putas de quem esla ra molhadi,
para fora da Provincia olferce-se para i inquira a vizinhanca e depois favorega
caixiiro de qualquer das oecupaces indi-
c.tdas ; quem o pretender aununcie a sua
morada para ser procurado.
fc~3> Hum Estrangeiro deseja-se em-
pregar era qualquer hum Englobo
de administrador, ou mesmo caixei-
ro, d,o que tem bastunte. pratira ,
por ter j ocenpado esse lugar : lambem
he bstanla apto para CHx vend, comanlo que seja para fora da
Provincia : quem o pretender annuncie
para ser procurada.
_ Quem'precisar de hura hornera para
escrever era algum eartorio annunce;
idverte se que sobre soi habilidade e
hom deiempenho de seos deveres d fi tdor
contento.
__ Alugl-se hum sobrado com su loj
em qualquer humi bv>a rui do Recri por
preco deHjOsrs., ou mai -endo do a-
grado do quem pretende: a tractar atr'ai
do Corpo Santo D 66 em a caza do pasto
Italiana.
_ O actual administrador d 1 Casal do
fallecida Antonio Marques ds Costa Soa
res, (>r. scienle a quem convier, que,
lio da \cj do enrrento mez s. lude ar-
rematar impreteiivelmente ni Praca .1
Juiz de Direito di Civel da iS Vara n 1
roa il'Aurora, -a quem roais dero Brigu.t
Br-sileiro Sao Jos*'; Triumphante forra-
da de cobre, de boa marcha prompto a
seguir viagera cora tod^S os seus pertrft-
com urna oumaiscondemnaces as iIk-
hcira dVsses Senhores aspira como elle*
favorecem as ventas de vizinboa e d'esta
sea criad 1, que mora prximo, que,
sendo dolado de um I m pedapo de nariz,
natu 1 almente mrlhor quinhao Iho caba el
bello cheiro de crnica.
Se nio cessar a cauza vio para o 0JI10 d
Sol os noraes d'esses Senhores que favore-
cem as vent s dlieias ; assim Iho aHirma.
Um dos favorecidos.
__ Fin los os dias da Lei so hada arre-
matar pnr venda a casa do Thealro desta
Ciilide qae-se ach era Praca par exe-
cuc 1 qun encaminhao os administradores
da Compsnlii (ieral extin'a dosta Cidado
contra o (Jipilio Anl mi Pereira Pinto do
Faifas e mois herdeiros do falea-
cido Capitio Mor Antonio Josa Sonto a
ua mu'her pelo Juizo do Civel da a Va-
ra Escrita Cunbi acha-se avahada cat
des cont'.s e quitro rentos mil rs, que ps-
r ce ser mttade do seo verdadero volar.
__ Antonio Alves Ferrrira e sua raa-*
Iher annunciaoao r?speit3Vel publico, q'
por assim Ihe ser convoniento tem cissadw
os podet'es que ciicedero p r urna procu
raci hisiante ao S.Mihur Anlooio Manaba
Paz Birreilo finid tamb.-ra cassados o
nn mo Srnhor fori transpiitados a outro
procuradores t eerca da negocios psta
iva tes aos sitaaaciaalra.



*
No atterro da Boa vista casa D. 7
junto |ao marcneiro JoioBaplista, con"
mu-se e teogic todas as qualidades de n-
zendas por preco commodoc com muita
brevidade.
Nao-se duvida comprar a casa do 3
andares com frente par o beco do azei-
te de peixe o fundo para o beco da a-
D IA R I O D B PER N A MB II tS O.
cifeb* arinini'iada para *e vender no
gursr
elogio di'
D-
ario do hontem; mus precisu-se que a ven-
dedora desobrgtra a m^sroa casa 'lo em-
bargo que ucila sefcrh i feitn em razio di
tendedora ser rimada a grande leposi-
cao que tem a i'.i/-r aos herderos da terca
dos'b-ns do s''U fallec do sogro, e bem as-
sim fazer sobn- mrlilhas, que alias nao
h.e pequ"na, e os bens da oif-mn vendora
seri'oj s d prsenle rasa isto i< ito nao se
duvida comprar. A quena ja foi otTere-
cido e se inf.irmnii.
-- Per.-mt.? o S-\ Juz de Paz da Fre-
a da Boa vs!a lia de s-r arrematado
mesa, piuoorad.a a Joaqun
Clemente de L-mos par excrucl > di C-
mara Municipal tiesta Cidada hojs 17 do
corrate.
Rogt*M ao Sr. Empresario a acto-
res do Thealro. publico desta Cidade.,
q.ue quando bouverem de fazer seos
beneficios, nao illudo a respcitavel
publico, com promesas de babinnos. e ou
tros chamaris desla iaia para atrahirem a
curiosidad'- do mesmo publico pois que
estando este informado de que se acha pro-
hibido semelbante danca ( talves porque
seja na' nos decente urna aeco muda do
que o sem nmeros de immoralida les e
al Obscenidades que lodos os dias se ob-
servo em oosso Tbeatio, a f;C.e da Au-
tlio idide ) he muito depe;o da paite de
qualquer actor que busca a prolercio do
publico, o entre}ar-lhe urna noticia e
bilbcle convidando a quese digne ao es-
petado de sen hfnclkio o, depois ter o
descara meuto de dizer (com urna cari mais
larga que a vasta exlenco do occeano ) Eu
bem vuulade linba de daucar'o Imano,
mas nao possso I Quem foi que obri-
gon a prometer -aquillo que ni > .poda
cumprir ? Sejo mais sizudos, e querido
lizerem seus convites seje depois de obla-
ren C se isso foi possivel ) a licen ,a da res-
pecliva Authornlade. O observador de
uas promecas.
- Precisa-se da um criado para servi-
do de casa com preferenc a ao que souber
ler e cscrever o de fiador a suj conducta;
neeta Typografia.
Padre Antonio Tbereso de Ol
vpira Aolunas faz sciente a quem mais
Ibe convier om se acha em pr^ci para
*or arrematada em asta publica, a quero
mais der urna su. parle que tem na mo-
rada da casa de 3 an Jares n. 1 .\ 1 sita na
ra da moeda no forte do Millo livre e
dtistmbara>sadi pira quem a prelendr,
com muito lind 1 vista pira ornar, aonde
h'je mora Santos Brapa quem na mesma
parle quiser lancar dirija-se a residencia do
.Sr. Di\ Juiz do Civel da segunde vara pe-
Ls 4 horisdi laido no* tl3s segundas a
quintas feiras.
Da-se uposjoo a juros sobre ptnlio-
re'3 de 011 ro 011 pr.ua ; quem os quizar
dirija-se a ra Direita loja de Cjuios
II-18
Quem tem para alugar a casa na
iqa vellia 1.0 p d:i 6. Croz I). 7 dirja-
se ama das Fiares casa irltima junto ao
,imasom de porta larga.
----A parda que do sobrado da ra d is
Flores se oleieiv paca <*m tuna casa COtl<
jihar, engommar e iic, dirija-so a rus
do Livramsnto sobrado de um andar nu-
I
1102.
O Sr. que se dirigi a ra da laran-
geira a casa D. 6 para negociar um p\an-
mo queira comparecer na mesma casa,
pousesl resollido a dar-so pelo que
llereco.
AVISOS MAItiTJMOS.
PARAOASSTJ', eTouros, a bem co-
nbecida Sumaca l/iun-ntina Brasleir<< che-
gtda prximamente do memo porlo e
.retende sabir com toda brevidade; quem
na mesma quiser carregar ou lijr de passa-
gem para o qu* lem rxcellentes conimodos
priji-se ao Capito ou ao seu prepriela-
rio Lourenco Jos das Neves, ra da Crua.
n. 3a.
PARA O HAVRE, a teuita veileira
Barca Franceza Henry & Louiae ; quem
nella quiser carregar ou hirde passagem ,
dirija-se aos seu consignatarios B LMtef
re ti C .mpinhia ra da sanzalla* velha
numero 4-
PARA LIVERPOOL, a Barca Ingle
Eak, Oapitlo B?!l, de primeara eUase,
sabii oro toda brevidade ; quem quis-r
carregar ou ir de passagrii dirija-se aos
Consignatarios llinsoiis Latlam & lleb-
bert rna da Ifandega velha.
' PARA A BAHA, o Brigoe Nacionil
Carolina com muita brefidade j quem
quiser caireg.rou ir de passsgem dirija-
ceabordo ao Capilao B-rnardipo Pe reir
da V-iga ou a Gaudino Agostiinbo de
Barros, detrado CurpoSmio. Gj.
LEILAO
- Que fazero Johnaton Pater & Com-
panba na ra da Madre de Dos (|Uar
U leira pelas 10 hor.'S da maulla de fa-
zendas limpis e avariadas.
V l M ) A -*
___Os dois volumes dos Annes do T-
cito ea Historia de D. Joio de Castro ,
ludo em muio bom uso, e por preco m-
dico : nesta Tfpografla
Superior sal do Assu' epalbas de
ca'mabuba muita alva e boa : a bordo
da Sumaca Laurentina Brasibira fundiada
confronte ao trapiche do pilourinho ou
na ra da Cruz n. 3a.
Um carrinho de duas rodas com
os arreios ero bom estado muito manei
ro e por prec commodo : na prac da
Boa vista botica D. 3.
___Um molequecreoulo de idade de 12
anuos, cozinha o diario de urna casa, e
ptimo para iodo o ervico de urna casa :
na ra 'lo sebo 1). i5.
Um molalo boro fficial de sapalei-
ro v>m 3o annos de idade bonita figu-
ra sem vicios nem achaques c minio
preprio para pagem : na ra do muro da
Penha D. 18.
Urna casa terrea na Cidade de Olin-
di no lugar de S. Theresa com bastantes
conomodos pira familia coziuba fora e
casa paraescravos e com aoo palmos da
atterro para quintal \ assim como tamben
se alaga para a festa : a tratar na roa do
Palacete cssa terrea junto ao lampio.
A qaarta parle de urna morada
de casa terrea cdlocada na ru* de Hartas
de>t Cidide : tratar na casa terrea con-
fronte ao beco do adique onde se esta le-
vantando um sobrado novo
-- No armasem de Jos Rodrigues P reir no beco do cipim ao p do arco da
Conceico, caixas de pa>sis potes de
ovas ancorelas de azeitonas e birris
com figos.
Urna venda rom poucos fundos na
ra do Rangel D. 8 : a tintar na mesma.
Urna canoa sberta de 5oo a too lijo
los por preco commodo : no estalei.io do
F/gueir^loatraz dos Martirios.
Um enxoval para enanca mu!,o
sofrivel Com lodos os seas pertenees sen-
do coeiros d" giseinira bardados de damia-
co la enfetados camisas de diversas
qualidades, pannos de lavariuto em bie-
lauha edu cassa de cacund Souquinhas
de cambraia e de fil ele linho ludo d.e
muito bom gusto : na ra estrella do Ro-
zario no segundo andar do sobrado D.'ci-
ma 3a.
Urna escrava creoula de. idada de
3a mnos pouco mais ou menos, caro al
gomas habelidddes : na ra da Gloria De
cima 48.
Um negra moca coznhera e
engommadeira ; e um cavallo ruco hum
rarregador de baixo ale meo : na ra do
Cabug loja" de ourives I). I
--- Sarja pr. la de muito boa qualidde
para forros de sobrecasacas por prreo
rnnimodo : na praca da Independencia
numero 33,
Urna vends cora poucos fundos no
aterro dos affogados defronle do viveiro do
Muniz, que pode vender diariaroeute 20
mil rs.: a tratar com Guimsrfies Ferreira,
na ra do Colleglo.
Cem palmos de Ierra em largo, fun-
do abaixa mar de capibaribe cujo terreno
he de propriedade e sito no atierro dos
afTogadosjuntoaoSr. Antonio Rabello: na
ra de ngoas verdes sobrado D. 10.
- Urna escrava de 20 annos de dade,
engomma cose co/inha, e ludo faz coa
perfeto,- urna prela de mea dade, co-
ziinha.', e laya roupa : na ra de agoas
veides*sobrado D. ab#defronte do consisto-
rio de S Pedro. ,
-- Una negrnhade naco de iJade
de 10 a, 11 nnos, cozinba o diario de
urna casa lava de sabo e ptima .para
lodo o servico : na ra Direita D. ao lado
da Igreja do Livramento. #
Daisescravos de naci costa mu
robustos e propros para o servico da !-
fandega nao tem vicios nem achaques ;
urna-escrava de naco ,-cozinha, ensa-
boa e he perita engommadeir-a, tanto de
roup de homem couo de Senhora o que
se pode vrr pois se d a contento lem
muito b'iisc ^turnes ,e a figura he bem
agradivel: passando a Igreja dos Martiri
os no primuiro andar do primeiro sobrado.
- Urna prela que sabe cozmhar o di-
ario de urna casa lava d- sabio e varrela,
boa quilandeira ,e tambem propria para o
se vico de campo por ser possanie : na ra
do Livrame lo do lado da na Direita no
teiceiro andar do sobrado D. 18
Um preto a 3o annos i sem vicios nem achaques,
trabalhador de enchada e ganba na ra :
na ra Direita D. 3o venda que foi
do Jos Lourenco.
- Urna casa na campia da casa forte,
de pedra e Cal com 3o palmos de largo ,
e 70 de fundo com duas salUs 4 tos cozinba fora estribara e cacimba
com boa agoa para beber as trras- sao
proprias muito fresca com boa vista : a
tratar no primeiro andar do prmeira so-
brado passando a Igreja dos Martirios.
Umacadera com sua caixa e Corr-
ame e um banhelro de cobre tudo por
preco com modo : na rus de Hurtas D. 4a
--- Um casal de escravos de bonita figu-
ra sendo o escravo bom cozinheiro a tre-
pador do coqueiros engomma e sem vi-
cios ea pref|, cozinha engomma la-
va e he muito boa escrava dar-se b
motivo da venda, na ra Direila no pri-
meiro andar do sobrado novo que faz qui-
na com o beco do sergado.
KSCitAVOS FGIDOS.
- Fugio no da 19 de Marco de i835
um negro creoulo de nome Joaquim o
de estatura e corpo regular, rosto re-
dondo cor fulla pbuca barba pernas
finas pi pequeos muito ladino falla
muilo bem e desembarassada quando f4-
la he rindo-se este negro e filbo e crea-
do as mallas cm tempos de"o-utros Sr.rs ,
andou nnscatiaiido p^los mattos ja esle-
ve no rio formoso, e a 8 annos que eslava
na praca ja vendeo miudezas no arco da
Concec > d 1 ponte do Recife.gtem muito*
exinhecimentos pelos'mallos prenles e
Seriri -res mocos ; quem delle souber e der
noticias lea de gralificaco loo.oao na
praciuha do Livramento D. 19
- Fugio no dia i4 do correte do en-
genhi Ilipirema de cima, um negro de
nome Jnstn ano do gento'de angola ,
otatura para men;s da didinaria grossu-
ra regular olbos juntos muito ladino
que parece creoulo hunda muito mpina
- atada e ainda com sc -t- izes de ser aponco
surrado muito tocador de berimho e su-
cias levou vestido camisa e semuli de al
godo grosso muito a paixonado pelo em-
birque e por isso sec fativcl ser encon-
t'i.do em parte de embarque ; quem o pe-
gar, pod-rao entregar no mesmo engenhoa
Manoel Bento Machado ou no Recile a
Joio Manoel Rodrigues Valen^a que de
rjuilquiTuin se'o bem recompensados.
Fugio no di 1 15 do correte urna
escrava de nome Roza naci camondon-
go com os 5gns.es sgsiota : representa
ter 3oannos de idade, estatura regular,
rosto redondo ,- e tem urna orelbs rasgada
de brinco mel um tanto um joellio para
dentro levou dois vestidos um branco de
cassa bordado por bslxo de outro de chita
branca com palmas roxas ja uzado, e urna
saa de lila prela ja velha, e um panno
preto ja uzado, e por isso roga-se tod .s
nulhoridades encarregulas da polica des'a
e mais Comarcas, e lodos os cnpjies do*
cmpo >u mesmo oulra qualquer pesioa
que delli souberem, a farau prender, u
levar ao seu Sr. Francisco Jos de Souza
morador na Solidade casa n. 17 quB se.
rio generosamente recompensados.
Do lugar do llibero fundo Comarca
da Villa do JLimoeiro em o dia t de Janei-
ro do crreme fugio um escravo de no-
me Francisco, creoulo, fullo rosto liso
c m busso de barba de boa esia'luMQ
copo a porporcionado pernos um lano
finas temo andar um tanto a camblado,
mu lo bom almocreve pos he do que vive
ja foi vislo na Boa vi-la uzando deste offi-
cio t'eni de idade a4 annos pouco m 03
oumeuo.s, uza tambem de vender miude-
zas ; quem o pngar leve ao seu Sr. Frap>
cisco Pe eir de Liceoa no sobredito lugar
ou ao Sr. Manoel Jox: Alendes, ou a casa
do Sr. Joaquim Luiz de Mello Carioca,
que ser g-nerosamenle reeorppen>ado.
Fugio no da j de Outubro um mo-
leque de nome Joao do gema de ango'a,
cornos signaes seguinles : representa ler
18 annos, estatura regular bem pareci-
do bastante alegre falta-lhe um dente ,
outem urna grande aheita junto apresa, t-m
urna perna aiqniada com um grito no p
voltaudo paradentrb e uma sicatriz 1111
cada lo. nozc-lo da p rte de dentro, levou
vestido calsa e camisa branca e um bon
de panno azul com uma lira de couro da
lustro; consta andar aqu na praca e oc-
culta-se de noite para as parles da capunga,
tambem anda pela Cidade de Olinda onde
esteve alggm tempo ; quem o pegar leve
dentro do Recife na ra da Cruz n. ti ,
que ser bem recompensado.
Antonio Cordero Muniz Falco pro-
testa nos termos da le contra toda a qual-
quer pesso-i 'que tivercm seu poder dois
escravos creoulo que lhe fugiifio a i5 do
correte as 8 horas do iba, de nomes Tbe-
odoro e Agostnho ambos roaos 0 crias
do sertSo porem ja sao pretos feilos o
qnese airibue bhm luda a certca que ri-
les loro seduzidos por pessoas conhecidas
doserlo dos meamos e moradores nos
arredores do lugar, e roga igualmente as
nulhoridades drsla e de outras Comarcas ,
pessoas particulares e capjtea do campo
de fazerem toda a dejigencia para os ap-
prehender poi* tem os signaes seguinles:
o primeiro tem altura regular preto bas-
tante he mu fallante c talvez se enti-
tule forro ^o signal mais vindico que
lem be ler pouco cabello na cabeca pro-
veniente de um i molestia que teve levou
vestido cslsa e camisa branca e jaquela
de ginga axul ; o segundo ha alto cor
lambem preta tem os ps cambados que
quando onda parece ter as pamas meias
tortas, ese prometa recompensar a q\iem
os apresenlar na ra velha na casa do Sr.
dos mencionados escravos.
MOVIMENTO DO PORTff
NAVIOS ENTRADOS NO DA 15.
BALTIMOR ; 4 da Escuna Amenci-
*iaSi-hooner de 98 Tonel., Cap. Tai-'
lar, carg varios gneros : ao m^-smo
Capitio.
LIVERPOOL; 43 das, Brigue Ingler.
Obrarum de i5o Tonel., Capilio Da
niel JJ Pchklebmk carga Bicalbu .'
H Lallum&Hbbert.
ARACr\TV p-lo Assu' ; G das do u'H-
mo porto B iguo Escuna Aiacaly de
15o Tomladas, Capio Joo Antonio ,.
caiga sil alg idio e sola : a Antonio
Joaquim deSouza Ribeiro.
OBSERVAQES
D?u fundo no lameirio a PoUct Sarita
Mercurio vinda de MARSELHA era
47 das.
P. a Tip. db m. r. ib t. 838:


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EOWC6ONV0_BW5VUG INGEST_TIME 2013-04-13T03:12:45Z PACKAGE AA00011611_06033
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES