Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06013


This item is only available as the following downloads:


Full Text
ANNO DE 1836. QUARTA FEIBA
2.3 DE NOVEMBRO N. 9$5.
w
PiRiAHiioro, Tvr.na M. f.d* ?** l*3.
DUS DA SRMANA.
ti Segunda S. Columbino Aud 'tos Joise*. do Cr.
de m. i: *> t. ses. da Tliezourana Puliliea c
Chae, de I- '
22 t'rr^a ?. Cecilia V. Ilel- O. do t.
'_': Uuarcn S. Clemente Se*, da Th. P- L. oh. t
e '! m. da ni
24 (Imilla S Joa* ilti Cruz Hel. de m. and. do J Jo
C. de m- e Ch. de t.
25 Sexta S. Catliarina es. da Th. P. aud. do J. de
(). dt
26 Sbado S. Pedro Alox. Kcl. de m. e aud.
du V. ti. de t ciu Olinda.
27 Domingo 1. do Advento S. Maigurida de Salioia
Tt.do agoraapande d ihumi du nos pro-
dnc. modf.rMsio. e energa icontinuemoa coma
lipincipiam.i., vremo pintado coin admira'
r; io cutre N'aces utaiecalfaa.
Pruclamrr o da Au'mbini Otral A* Wr.-iiii
8ilhKcreve.se lOOOr. BlOtiaOf PBgOl adianlailo*
nema rypiigrana, ra da* Cruzes I). 8, e na l'ra-
ea da Independencia N. 81 e .IX : mide e receben
ebtfOaphdcnCiaa legalistas, e aiinuitcnis: inaerrn*
,1.1 s. -.i,,. jii'K niiiii il.n propriui asiigiiHiiteK.
e rindo .iirn."iH.o.
fOndrea M
CAMBIOS.
Soocmbra 2J.
[)- et. P"i l ctd. ou prata a
T .. '___
ju_*tiv.iircs So ti- "' P"' '.. "
) portento de premio Nomina.
Lisboa 55 por i>|<> premio, p>r metal, Noin.
Franca255 lis. por frmeo
Mi de Jan. G |nc> de |wm.
Momias de ,,400 |S..*K) 13.,1'Hl
4<>0O 6.,?O0a G8U0
Pezn l440
Premio da prata 50 |i. c-
das lettras, por me* I '-'r.orojO
Cobre 25 |Kircer.to de descont '
PAUTIOA i><>S COIl II ROS.
Olinda_Todos os dias ao mrin da.
fluan*. Alhandra. I'ararba. Villa do Conde, Ma-
mauxuape. Hilar, U>a> de S. Joo, Brejo eVAreia,
Rainha, Pombal, Nova de Sooia.Cidade do Natal,
Vll'as dr (loinnnJnha, e Nova da Prinee*, Cldario
da Forlaleza, Villas do Aqiiirs. Monte oior'nor,
Aracal. Cascavcl. -Canind. Granja, Imperairi*,
S- Bernardo, S.'Joodo Prineipe, Sobrar. Novad'
BlRev, Ico,'. Maihens. Heiehodo sangu*. S
Antonio do Jardim. Quenermiioliim. e l'arnahi *
Secndas e Sextas (eir.- ao ii.cio dia por \ ia da
Paraiba. Santo Anio-Toda* a> i|iiins felfa a*
meio da. OaranHoa, e Bonito no* .lia It e 24
rada me a ao meio dia. Cabo, Serinluieo. Rio For-
tunan, e Porto Calvo- nos da 1, He 21 de cada
mea- '__________-=====
PARTE OFFICIAL.
RIO DE JANEIRO.
A39F.Mlir.l-l GBRAL LEGISLATIVA.
CMARA DOS DEPUTADOS.
SessaS de 3 de Selembro.
A's iO horas di manhi brese a sessSo
e lida a acia da antecedente he approva-
da.
O Sr. i. Secretario d cunta do segua-
la expediente.
Hiim OlBcio do Secretario do Serado
participando que aquella Cmara aduptou
e vae dirigir Sanccio Imperial a reso-
lucio que approva a perisio alimentaria
de i'j#>000 mensaes a D. Auna Batboza
de Jezus: a imprimir.
utio com igual partecpacaS a res-1
peito das pensSes concedidas a Jezaina E-
'oiilia deMedeiios, e D. Izabel Maria He-
redia ; e declarando pertenreiem aot Ern-
piegdoi da Junta do Comrnercio os e-
xnolumentoa de arqueacaS e matrcula-
depositados na Meza de Diversas Ren-
das de'ata Corte: fica a Cmara inteira-
Outro com idntica partecipacaoa res-
peito da tenca de i00$ ts. annuaes ao Te-
jiente Coronel Fredesyindo daSilraLei-
te: fica a Cmara inteirada.
Outro do mesmo Secretario com a pro-;
posic'6 declarando que n apo>entadoria
de Paulo Jernimo Bregaro uo empiego
Je Administrador da E.tva d'Alfandega
deslaCorte, se devei contar o lempo de
servico que leve em qaalquer outia re-
p.titica publica &c.: a imprimir.
Remelte-se 3. Com. de Fasenda hum
requerimento dos moradores da Lagoa de
Rodrigues de Freitas.
Julgo-se objecto de dcliberacaS, e vio
a imprimir os seguintes projectos.
A Assemblea Geral Legislativa re-
solve: .
Art. nico. A lei da fixacao das lar-
cas de tena para o presente anno finan-
oeiro, lica em vitor pata oanoo Hnan-
ceiro de i837 a 183, comas aeguintea al-
tsiatjoes: .
K 1. Atlitaforca podera ser elevada
desde j ao seu estado completo, licando
oGoveino autoruado a-recrutar nacon-
lonnidde da Lei de seis de O.lubro de
i835. .
a. O Governo lica aulon.-ado a con-
ceuer desde huma grat.li.acc de
campan!" da 3. paite do respectivo sol-
do, .letn do* Diail vencimentos, a todos
os individuos que izeiem ptte das eipe-
dicJoes dirigidas aqnslquer ponto do Im-
perio, ou nelle se acbarem, e ronjunta-
mente cooperarem para orestabalecimento
da ordem.
Paco da Cmara dos Deputados, 3 de
Setembro de i835. J. T. Nibuco de
Araujo.
Art. Ut'i'O. A lei da fixicao das
f.ircBS de mar pira o presente anno finan-
ceiro, ficar em vigor para o aniio finan-
ceiro, de i837 a i838, com as seguimos
alteraces:
i. As torcas navaes poderio desde
j ser elevadas a 3,000 pracas em tCfecli-
vidade de serrico.
a. O Coverno fica de-ide j aotot isa-
do a formar successivamentequatro rom-
panhias fixas de marinhei'os de OO pra-
vas cada huma, ahatehdo-se esta toreados
determinados no 1. desta resoluca, co-
mo for mais conveuienle.
3. Os Oflciaes da Armada, quando
estiveretD embarcados, gozars da mais
meio sold, alem dos vencimentos que ac-
tualmente tem.
Paco da Cmara dos Deputados, 3 de
Setembro de i836.J. t. Nabuco de A-
raujo.x
A Assemblea Geral Legislativa re-
solve:
Art. i. O.Gnverno tica aotorisado
a promover aos posios inmediatos os mi-
litares doExercito e Arenada', que na.s
Provincias do Pai e. Rio Grande do Sul
fizerem ou tiverem feito servidos relevan-
tes causa da legalidade contra os rebeldes
das ditas Provincias.
AH. 2. Os dios militares qtieforern
mutilad-, ou ficarem aleijad-s, goz
por toda a vida, de t*, a tuetade do sui-
do que tiverem.
Paco da Cmara dos Depulados, 5
deSetembro.de 1836.J. T. Nabuco
de A.
Continua a discussio da urgencia adia-
da na sesso antetior.
Lem-se osseguintes requetmentos:
n Que seja a terreira Corami^so de Fa
zeeda incumbida de apreseiilar buma
medida legislativa sobre a circulado das
olas que se dizem roubads doTne>ou
ro.Vas. un ellos.
Emenda additiva ao requerimento < o
Snr. Vatcoiicellos. Q-e avja nomeada
huma Cotnmisio Especial para o cbje-
co do requetimento.Souza Marti: s.
Se pas-ar o requerimento do Snr.
VaaConccHoi1, propfiiho que a Commis a'o
do Orcammto tribaitie conjuntamente
com a terecira Commi^sio de Fazenrla, co-
m> ifttd> e havia deteiuiinado. E. F.
da Vci^a.
Requeiro que se p'.C'5 inforinages
ao GoTerno : pi uneira, se j sabe com cu- %
teza a quanto monta o roubo das olas f--
lo noThesouro; segunda, se j appare-
ceraS todos os tales, que e>t. os. Souza e O.'ivteira.
O Snr. Henr quede Rezeude em respo--
la .-i observacesdealguns Sors. Depila-
dos diz que nao nega Comtnis'io d3
Praca do Comrnercio o direito de Petci5,
mas que riio reconhece n'ella o diretto
de intimacio deque >eservio no sea ofii-
rio ao Mini-tro da Fatenda ; faz huma
pequea analy e aos'acontecimentos O'c>r-
rid'.B por occasiio da eicecucaS do lei de
Outubro de i835 ; toca na lei do anno
passado sobre este memo objecto ; vola
puv huma Comioissio qualqoer une d o
seu 'parecer sobre o roubo do Thesouio
e medidas a lal re peito lomadas peloG-
verno e que para se halar do meio circu-
lante votar eritio por' huma Com. Es-
pecial,
Dada por discutMa a materia e pcslos a
votos os requerimentos sao regeilados os;
do Sr. Vasconcelos e Souza jrclit9, fica^
prejudirado o do Sr. Ferreira da Veiga, e.
a 1>prova-.se o do Sr. Souza e Olivcira,
. Ordem do dia.
Entra em discussa5 a resoIuaS desta
Cmara de i853, que declara ficer appro-
vada a jubilac6 concedida pcr decreto de
?4 de Janeiro du frrente anno, a Joze
I heodoro da Roza Gama, na radeira de
framroatica latina, da Cidade de Cabo
Fri, com o ordenado aonual de a40$
rs., &c.
Snr. Paim offerece a seguinte emen-
da :
Fcio .tpprovadas as jubilacSes dos
piofes ores pblicos, concedidas pelo Go-
verno geral antes doA'to A Idirional, e
que ainda ua5 tenba sido appr'ovadas
pelo Coipo Legislativo. Salva a redc?io.
He apoiada e entra era di-eussa5, ed-
do-se a materia por discutida a resoluca
he approvada c adoptad.', e bera assim a
enr-'rida, e ludo se remelt." Com. de Re-
darefOi
Ent'-a em di cussaS oseguinta:
A A spa)blta Geral Legislativa decre-
ta :
A i^ralifiraca dos Conselheiros de
Guerra e Vogre* d > Oonsellio Supremo
Miliar, ser de o rs. mensaes, salvos os .sidos de S'jas res-
pei tivas p -Icoles.
Paco do Senado, cm 30 de Setembro
de i833.--Waiqu Presidente. Luiz Joaquim Duque Estra-
da Futiado de Mondonga, I. Secielario.
Luiz Joze de liveira, a. Secreta-
rio.
Fica addiada pela hora para se passar
outra parte da ordem do dia.
Entra eto dscussa o art. 1. da pro-
posta do Goveno; pedindo o crdito du
dousmil contos, com a emenda das Coma,
reunidas.
OSnr. Vasconcellos manda meza a
segtiinle emenda, que be apoiada na *ua,
primeira parte, ficando a segunda para o
ser quando'entrar no a. art.
Emenda abstiturtiva proposta do
Governo, que se dicute, quando ella ae-
ja desgracadiminte approvada.
Art. nico. He abano ao Governo
hum crdito supptemeotar, na importan-
cia de mil e quatro ceios ontos, para M
seguintes despezas extraordinarias.
1. Paraos corpos do Exercito, &*
e assm lod. s osoutros objectos especifi-
cados em.
Esta quaotia na8 poder ser empre-
gda em oulros objceos que na6 aejio 09
tiesta lei designado. .
* OGovernrylre aulhojisado, quando
seja necessario: 1. 'diapor dos fundo
da Caixa dos Dvposloa que as lais lhe tem
permittido empregar em fundos pbli-
cos: r .
a. A mandar desde j para a **
de Amorlisaca5 a* consigoa55es de bilbttfjs
da Alfandega i'
3. Ana6 amortisar a divida pubjica
se na6 com o excesso de receita sobre as
despezas:
4. A dispor do fundos Brasileros
empregados nos emprestimos eshaogeitos.
Vasconcellos.,,'
OSnr. Ministro da Fazendaa -bontem
fui enxuvalhado tiesta casa eaccommetti-
do por hum dos seas merabro: talvez que
se pense que aso foi hum accesso de colera
a que csse pobre honiena be augeito; a!*
na6 foi tal; foi sim bum accesso de 1ou-
cura. Nioquerendo en lomar lempo a
Cmara para responder a hum louco, dei-
xarei de parte ese pobre maluco....( 4
ordem! ordem.)
O Sr. Torres estas cousas enxova-
lbio a Cmara.
OSnr. Ministro observa ao Sor. Depa-
ledo que bontem elle extranhara que o
Ministro se senlisse dasLeosuras dealgnu
Srs. Deputados, mas que atlendesse o Snf.
Deputado Torres a que huiu Miuiatro es-
t exposto... ,
O Snr. Ton esm approve bontem
oque sedisse, assim cerno nao o appr-
vo hoje.
OSnr. Ministro entra na materia e a-
gradece Cmara o voto de urgencia que
deo para entrar em discussio esta materia,
apezar de que tal urgencia lhe parece ta.
etica parlamentar: en longo discurso paa-
sa em revista o procedimento da Cmara
dos Deputados e -uj cpposica5 que nao
tem deixJo de votar por supprttientOfl
.1- ,- *
I
i
j


9
DIARIO DEPERNAMBUCO.
de dinheiro aoGjvernocm circunstancia
aigumas muilo menos melindrosas do que
as actuaes em que o Gov rno esl obrigado
pacificar du.is P.ovinci.is, que se achlo
tn reholla : demonstra a necessidade do
crdito de dois mil cou'os, e depois demais
outras reflexes em contestacfo ao voto se-
parado dos dois Srs. d.i Commissio do Or-
camenlo responde aos argumentos ppre-
sentado pe > Sr. Vianna na ultima seSsIo
em que se tratou de tal objerlo.
Annunri edi a chegala do Sr. Mioistro
da Justica, he elle admiltido cora as fo nu-
lidades do estilo, oceupa o lugar q e Ihe
pertence e fu a 1 ilura de du.s proposta
do Govorno, fiudo o (pie retira-se cura as
mesmas formalidades do costume.
OSr. C.lmon toma parte na discus-
sio por lar assignado o voto .separado e pa-
ra contestar ao Sr. Ministro da Farenda,
cuios argumentis em extenso discurso pro-
cura destruir, demonstrando nenhuraa ne
ce8idade haver de se Ihe dar o crdito de
dois mil contos, rvmattando cm declarar
que se se Ihe mostrar que ha dellicit e que
io precisos fundn para pacificar asduas
Provincias, boje queja assuas capitaeses-
li em poder das torcas do Governo, mu-
dar de proposito na certeza de que, se tal
conseguir o Sr. Ministro, sei para elle
Deputado bu 111 doto Apollo.
O Sr. Souza Maiiins largamente
combate os argumentos produzido pelo Sr.
Calmon, e pronum ia-se a favor da conces-
lo do crdito de dois mil conlos, tanto ma -
is que a Naci com essa concessio nio pode
ficar levada buraa vez que passe a emenda
da Coramis.-", que s o concede na hy-
pothese que a receita ordinaria nio rhegue
par as de-pera utraordinaria.
Tendo dada a h-.ra o Sr. Presidente
marca a orden do dii seguale e levanta a
Sessio sduis horas emeia da larde.
PERNAMBUCO.
GOVRRNO DA PKOVmCi.
Expediente do da 22.
OFFICIOS.
Ao Commamhnte das Armas respon-
dendo Ihe que o Mestre Joaquim Josede
Santa Anna pode recolher a Thesouraria
e Arsenal de Guerra os a. is caix5es que
condono de agoa pieta como parteci-
pouem aeo Oficio de^a data e exigir da
mesma Thesouraria o sea pagamento que
acaba de ser ordenado.
Ao mesmo enviando-lhe urn officio
do Prefeito da Commarca do Recife que
rtquesita ordem para os Commandantes
daFortalosa Jj Brame Buraco m.mdaiem
faser faxina pelos presos das referidas For-
td lesas nos Mangues que Ihea Hca5 prxi-
mos a fim de tornar menos perigoso o
transito desla Cidade para a de nd <,
e ordenando-Iba que saptisfac. a esta
requisicad.
PORTARAS.
Ao Inspector da Thesouraria pira man-
dar pagar a Juaqnim Jos de Santa Auna a
quantia de to$mo res do f< ele de sais
caixes que couduzio do Acamlianierit.>,
conteudo dous, armamento i|UH foi man-
dado recolher ao Arsenal de Guerra, e
qii tro com os archivos, do extinto Cora-
mii-aiiido do dito A o npimento da I'ur-
ca do Centro, e da Agencia doComman-
danle mandando receber osquatro lti-
mos.
Ao Director do Arsenal de Guerra
para receber de Joaquim Jos de Santa
Ana*, e faser caiiegar .o respectivo almo-
x.rife o armamento de que trata a Por-
tara antecedente.
DIVERSAS REPARTICOENS.
TRIBUNAL Di RELLACJAO.
Sebsa de 23 de No vembro
Na Apprllacao Civil do Juio do C
>el.da Va/Ja de Macei AppelljnieJ He-
lenna Maria dos Piase res, e cutm, c Ap-
pellada Luisa Maria do Carmo e outros :
ik< tumtia conhecimento da AppellacaS
por ser a presentada ooTiibuoal forado
le IDO marcado ta Lei.
Na Appelaca Civel do Juico do Civel
da Villa de Sobral, Appellanle Jos Ffn-
cisro de Souia, e Appell do Deiderio
Jos da Silva Barros ; foi julgado nullo o
Processo.
|\a Appellaca Civel do Juizo dos Or
fasdesta Cidade Appellanle Antonio Jo-
aquim de Almeida, e Apelado Alheilo
Laveniere ; foi a Sentenca reformada jul-
gaudo-se a favor do pp liante.
1'REFEITI.RA DA COMARCA DO BKCIFE.
Parte do da n.
Illm. eEzm. Sr.
Parcipoa V. F.x., que das partea rece-
das consta, que fortS pr^S's a minha or-
dem, e recolhidos aoCalabouso do Corpo
de Policia, d'onde tivera o conveniente
destino; Guilberme Ferr mettido pelo Sub-Prefeito da Freguesia
de Sn'o Antonio por ter ferido ao cri-
onlo IVanoel da Crur, do que se prodeu
nosdevidos termos; Francisro Jos Oias,
Soldado da Companbia de Artfices, re-
metido pelo Offuul da Segunda Runda
d Polica, por ter sido encontrado em
horas incompetentes ; Luiz preto escra-
vode Antonia Florencia, moradoora na
casa Forte por ter dado urnas bofetadas,
e pont.pes ero huma mulher, e Lu-
cas cabra, escravo de Joa Rafael Cor-
deiro, por ter tiado de huma faca de
pon' a para feir aura carniceiro ; am-
bos remeltidos pelo Commandante da
guarda da Ribeira da Boa-vista-
Nada mais consta.
Dos Guarde a V. Ez. Secretaria da
Prefeitura da Comarca do Recife 22 de
Novembro de 1836.Illm. a Ezm. Sr.
Francisco de Paula CavoKanti de Albu
querque, Presidente da Provincia. Ma-
noel do Naaciraento,da Costa Monteiro.
OFFICIO.
Illm. e Ezm. Sr.
Os Prefeitos das Comarcas na5 sessa
de me requisita!" fardamentos para as pra-
qs engajadas em saas Cooiraarcas, por
ordem que receb-raS de V. Ez. e argu-
mentad coa os artigos 5. e 14 da Lei Pro-
vincial de9 de Jucho do armo que rege,
aqnelle que por marcar as gratilicacSes
de 25$ is. annuai para uro firda-mtn
to e a de 10$ rs. para um capote de do-
us em dous unos as piacas do Corpo
que Commando e este por esj ressar-s--
que osengij dos nasCommircas lenlia
09 vencimentos de Soldado Policial. Co-
mo porem a Lei seja ambigua por ru
declarar, se estas graliQcacSea devem ser
dadas antes, 011 d pcis dos lempos ven-
cidos rogo a V. Ex. se digne esclaiecer-
tne a respeito para podereu responder
a aquellas autboridades lembrando eu a
V. Ez. <|uef'lles reclaraia os fardamentos
pan os ingajados, nao so em vinude
da menshnada Lei ; om p' r que o. Sol-
dados >em s ui deitinctivos neolium res
peilo inlundem aos infractores das Lei,
que por ordem dos respetivos PreLitos
devem ser porelles presos, ou persegui-
dos.
DeosGnarde a V. Ex. Q.iart-1 do Cor
po Poirid i9de Novembro de 18 56.
Illm. e Exm. Seobor Francisco de Pauh
G^va'cante de Albuquerque, Presidente
da Provincia.
Fraacisco Ant n>o de S Brrelo,
Commandaute Geial.
i HHI
ALFANDEGA DA8 PAZENDAS.
O Mstico If panhol S. Joa, indo de
Malaga, entrado im 19 du coirente Ca-
pita Martin Roae, Consig. a Joa Pialo
de Leaos.
' Manifeston 6 seguinte :
80 pipas rom vinho, 4o barris com a-
zoile -oce, 4 ,0 Cajxas com passas, 5o
potes com uvas, 5o barris cera aceitunas,
2oo Cciras rom Jigos, 1200 raolhos de a-
Ihos, a5 balita de papel de embrulhar,
i caixa coro ssrja de seda, 4 ditas com bi-
xas, 1 Porca de sehol'as.
Fora do Manifest.
i2 duzias de chapeos de palha.
WRZA DAS DIVERSAS RFNDAS.
A pauta he a mesma do N. 241.
CORRF.IO.
O Rergantim Flr de Beirs, de que he
Capilao Jos Thomaz d<* Lima se para
o Pe-rlo Do da 30 do corren te.
CMARA MUNICIPAL DO RECIFE.
Sessa Extraordinaria de 1 de Setembro
de 1836.
Presidencia do Sor. Silva.
Comparecera o Pesiioa, Cmara, Mamede, faltando com
cauza os maisSnrs.
Aberta a Sessa, e liria a Acia da an-
tee', dente foi sanecionada por estar con-
forme.
O Secrecretario tendo feito ? leitura
do expediente menciooou os officios se-
guintes :
Um do Exm. Presidente da Provincia
para que a Cmara houvesse de por em
p'tica a resp.-ito das embarcacSes, que
rhegassem dos P01 tos de Lombardia, e de
Mila as medidns que julgasse mais con-
veniente ; por aso que naquelle Reino a
(!h. lea-nioi bus continuara a lavrar e
que presentemente ameacava Mila ; in
letrada eque se transmitiese copia do
dito officio ao Snr. Provedor da Sao-
de; fim de poder empregar as medidas
neressarias.
Ojtro do raesmos Ezm. Presidente
disendo, qne a duvida em qu> esU' es>a
Cmara sobre os elleitores da Fregueria
d pertencem a mais de hum termo, fica des-
solvida, rompetindoaconvocacao a Cma-
ra, ecujo teimo estiver rollocada a Ma-
Irii de.semelhanles Freguesias. Quanto
a outra duvida sobre a autoi idade a quera
deva Competir a execuc& do que dispo
era o Artigo .5. da Carla de Lei do i.
de Oulubio de 182, n.id pode ella ex-
istir, qoando osJuires de Paz nio fai ti-
rada a Juii dicio, que tmlia pertencen-
te a eleigo : int* irada.
Outro do Joir de Par. e do Vig^rio da
Freguesia de S. Pedio G msalves pedin-
do, que a Cmara haja de de-idir sobre
a pe-soa a quem compete afixaca das
listas, visto elles m se julgaien pes^oas
competentes p n exprimir a Lei, e to-
mar urna ctliribuii i, que p's-a nao
competir-lhes : a C maca resulveu, qffe
se respnndesse com a decisa5 dada pelo
Exm. Pres dentp, a respeito diauthoii-
dade a quem Compete a Gxaca das refe-
rid is lirias.
Ouliodo lns|-.e> t .r do Arsenal pedin-
do houve-.se a Cmara adoptar as rdeos
necessM-is, a iim do aSeridor ir afferir
ai medidas, e os pesos daquella repartica,
vi ti> nao o querer Lzer por ser a paga
pou^a : int- irada, e ra-oheo, que ficasse
adiado.
Outro di Fi>Ct pediodo que se pas-s^se mandado da quan-
tia de 22>4oo rs. emporte da de-pes le
ta com a limpesi da Ponte do dito Bur-
ro, e em que remeta as listas das pegso-
a^ multadas naquelle B irro nos nieges de
J'inho, J ilho, e Ai>osti cujas multas som
m* a quantia de 6 $ rs. tjne se passas^e
mandado.
Outro do Vereador Manoel Fes Nu
oes de Castro, p dindo que a Cmara ha-
ja de o dispencar de comparecer emsuas
Sess5es visto existir ainda os motivos, qo8
ja u'outia occasia fil ver a esta mesma
Cansa : inteir.nl.i : eque sechamasse o
emediato.
Outro do Padre Manoel da Fonceca e
Silva dando razes porque nao podi.i
compa.ecer para prestar juramento, e
tomar posse do cargo doVereador ; q.
teirada.
Outro do Padre Joaquim Antonio Gon-
salves Lessa apresentand 1 motivos de rno-
lestij cjueo empedia a comparecer pa*
ra prster juramento, e tomar pose do
caigo de Vereador a vista do que houves-
se de chamar o iinmejiato : a C .mar
cooredeu a escusa e esoivcii que se cha-
maste o emediato.
Outro do Snr. Veriador Luiz Jos de
Sampaio parterjpand" que motivos de
mox'-lia o impedia de comparecer na
Sesa5 do i. d Selerobio : interada.
O Fiscal Barata representou a Cma-
ra que ljouves.se de dr aigumas delihe-
races a respeito do gado que por ve-es
lera aparecido com moteis, e como (al
incapaz de t-er mm to, eesquartejado pira
o consumo publico: d.-liberou a Cunara
que se ofGcianse ao Sin Ooutor iied co
da saude a Iim que, de acord com o mes-
mo Fiscal houvrsse urna vez por ou-
Ira de faser a devida averiguaca reti-
rando o dito Fiscal do canal todo o ga-
do que pelo mesmo Medico da Suade
fosse julgado em mao estado.
A Comroi-sad apresentou o seu p recer
sobre o requerimento de Vicente Ferrei-
ra dos Gutmariel Peixolo e o Snr. Ve-
reador Cmara pedio o seu adamento
por nao estar ao laclo desta negocio, po-
is queria examinar lodos os papis a res*
peilo para poder dar seu voto com rec-
tidio.
Compareceu o Snr. Ignacio da Cmara
prestou juramento, e tornou pose do car-
go de Vereador.
Compareceu o CidadaS Joa5 Carneiro
daCunha'prestou juramento etomou pa.sse
do cargo de Joiz de Paz da Freguesia de S.
Lourenco da Malta.
Entrando em discuss5 o P.recer da
Commisa5 aJdiada sobieos requerimen-
tos dos Marchantes da Boa vista, queper-
tendem faser um matadooro; delberou
a Cmara que se conced ase lic.nc, su-
jtitando-se os pretendenles as coadigSes
que Ibes foi pr.p atas as quaes sesugeita-
ra a a-signar um termo.
Oespacharao-se alguns requerimentos,
por ser dada a hora, levatitou seiaSas-
sao e mandara faser aprsente acta em
que assiguara. E eu Fulgencio Inun-
de Albuquerque e Mello -Secrelario da
Cmara a esrrevi. Silva Pro-P. Miran-
da, Cmara, Pessoa, Mamede.
EXTERIOR.
Hespanha. Madrid, 31 de Agosto.
* Artigo de Officio.
O Governo de S. M. nio lem noticia
alguna officlal do encontr pouco fivora-
Vel as nossas tropas que se suppoem ter
succedido n.-s imaiediai.5es de Jadarque.
O que sabe oGov.rno que em esultado
de ter rhegado a Guadalajsra ura artilhei-
ro prfugo com a atterradora noticia de
que as nossas tropa* li-iliam soffi ido um re-
ver as mios do chefe ficcioso Gmez, as
autboiidades daquella cidade cuneo deam
na sua as'a:iacio, e na dos ofes pbli-
cos para Alcal, co'iio o veriGcaram. O
Governo apressa-se a dar ao pblico estas
noticias, que sao as nicas que possue, pa-
ra tranqmlis'-lo, e aclamar a sua natural
uiquietacio assegurando que o far do
modo com as que successivamenle se fo-
rera recebend' as quaes nio duvida o Go-
verno annunci.rio a completa derrota dos
faccioso,, se se altender s posices que
oceupavam as tropaide S. M. OBrigad-i-
ro Pu g Samper a 27 do ro> rente, de Se-
pulve.ia as seis horas da tarde, e nove da
note dir, que se achava em enmmuntra-
co com o bitalhio da Bainha Guvernado-
ra, que foi a Segovia, e cujo ebefe oIfere-
cia unir se-lbe a 28 na e irada real de Bo-
ceguillas, era quaoto que a columna da


DIARIO DEPERNAMBUCO.
Guarda Real, que sahiu de Madrid para
Arando se mova convenientemente e
cono cqnhecimento das ou'.ras columnas.
A lerceira divisio do ejercito do Norte
<"omaindada pelo Brigadeiro Aiaix ( por
inJisposiqi!) do Tenente General D. Bl-
domero Espartero ) achtva-se a 27 ein
Pearanda, e sahira a 28 ao amarillecer
para Riaia. O General Man o eslava a
[26 era A'maz in cotn a tropa do seu im-
mediato command), e ltimamente, lioje
pela manba muito cedo entrou em Alcal
a columna que as ordens do General liaru-
tell sahiu e.-t noitede>ta capital, e testa
da qual se tei posto j a estas horas o Mi-
nistro de Guerra, Maiquez de Rodil.
Qual juer pois que podesse ser a vei da-
de da asser^io do soldado prfugo, nio ha
motivo que justili.jue o temor que alguraas
pessoas podem Ir concibido vista Has
aterrada ras vozes que os inimigos da Cons-
tituicio, e da nossa augusta R.driha secom-
prazera em propagad. O Governo vela
pela seguranca do Estaco, e suj-itar a
urna rigoicsa investigacio judicial a con-
ducta das ulhoridades de Guadalajara.
( Supp. Gazeta de Madrid. )
Tivemos Folhas, e noticias de Madrid
at 3 do coi rente.
O Gabinete continua va do mesmo modo.
Muitos e interesantes Decretos trazem aa
Folhas datadas de 30 de Agosto ultiiu.
Por um desses Decretos se manda proceder
um empestimo nacional de aOO millies
de reales, vencendo o juio de cinco por
cento, e devendo amortisar-se por (liar-
las partes dentro dos quatro annos seguin-
!) p r ouirj De reto da manan data
de maodam *eoder todos os edificios,e mo-
vis pertencentfls s di 11'. rentes Casas regu-
lares, extractas pelo Decreto de 8 de Mar
{O deste auno, e igualmente os de'mais bens
que oio tivessem applicacio paiticular se-
gundo este Decreto'; e o producto da
venda deve logo entrar no Thesouro para
faier face as de pezas torrentes.
Publicou-se lambem em 30 de Agosto
um Decreto, declarando em vigor as Leis
fe tas pelas G01 tes em 18a0 e i82i sobre
extinecio dos bens vinculados.
A faccio d carlista G >mez havia obti-
do ventagens sobre a columna commanda-
da pelo Brigadeiro D. Narciso Lpez oas
immediacSes de Jadarque ; sendo po-
lm logo depois atacada pela devizo d'Es-
artera capitaneada pelo Brigadeiro D.
>idio Alaix, soll'reu grande p rda, e teve
de 1 elirar-se segundo consta das pailecipa-
qes ofliciaes que hoje transa e vemos no
logar comp. tente.
Julga-se que o 6m do cabecilba Gmez
ver se censegue reunir-se aos bandos de
Cabrera Quilez, e el Serrador, paia a-
meacar a Capital, e por em alarma o ha-
bitantes, e o Governo 5 no entinto as no-
ticias dio por imprbvavel a realid.de deste
intento em consequencia da viva p. "se.'.ui-
cao que continua a fazer se a estes rebel-
di s.
Basilio passou o Ebro em a6 de Agosto
cora os restos da 101 faccio, espera-se
quesoffra novos reveses da parte das Guar-
das Naciooaes das margens oppostas da-
quelle lio, que ja se aehavam prevenidas
com algumas forcas tambem de iropa re-
gular.
( Do Diario do Governo de Lisboa. )
GiS-Bretanln. Londres 26 d'A-
gosto.
Mr. Epcen explicou aoseu companhei-
ro de viagem aerosttica romo um aero-
nauta pode tirar pai lulo das diversas cor-
rentas de ar e lhe as-.egurou que pasan-
do por cima do mar ou coi lando urna
grande exttnsio de agua se pude por
meio de um systeraa que elle adoptou per-
manecer em equilibrio tantos das na at-
rnosphera como horas se poda e tar
CuiiKn me o systema seguido al aqui.
O ponto ruis elevado da asrenso l-
timamente veiitcada aqui lo i de sis mil
ps. Mr. Ilodges, que durante todo o
ascenso deseuvolveu um valor notavel,
aochegar a esta altura e ver debaixo de
seas pi a immensa nutropole como se lo-
ra a palma da mo'', experimentou urna
grande surpreza. Os viajantes fizeram um
I Iji iude s-ude do Rei e 0.1 Rainha e 00-
tro a do Duque de Bruuswk que espe-
ran! os acompanhar em urna viagem ae-
| rea assim que otempj e as rircumstn-
cias o permiltam.
(Standard. )
BscreTen de Constantiuopla em da
la de 27 de Julbn que a esposa do Almi-
rante Roussin tinha visitado a iimi do
Sulto., recebendo-a s portas do pala-
cio qaatro euuurhos Abyasinos. As aias
da Princesa a espera vam no vestbulo para
a levar habitacioque se Ihe tinha desti-
nado. A hei! Pe i.-hef Himn celebre
pur suas encantadoras poesas, e que de-
sempenba ao lado da Princesa as fumcSes
de secretaria seiviu de Cicerone a Mad.
Roussin para visitar 0 interior do palacio.
( Murning Poat. )
I lera 28. Sexta feirs ultima que-
brou-se o sello da heranca de Mr. Ro-
Ihscbild em Inglaterra. Clcula-se esta
heranca em um milhio de libras eslerli-
nas. Os d reilo-, para a fazenda publica
sobem a i5 mil libras.
Alera ds 200 recnias que devem
siir immediatamente para S. S> ba-tij a
bordo do Cutter General Evans sair de
P01 tsmouih o Cutter O-prty com 5j arti-
Iheiros no dia 26. O coronel Cjiurchill
Commandante do terceiro regiment ; o
capitioTownley ajudsnte do Brigadeiro
General Chichenter, eocapitio Duneau,
que commanda o destacamento rio lam-
bem noGsprey. Estes refoicos anda que
pouco consideraveis provam a di-po-i-
cio em que se est de satisfazer aos pedi-
dos vindos da leg o ; esta medida resta-
belerer a confi-nca. Sabemos que den-
tro de poucos dias se expedirio pa> a toda a
legiio os novos subsidios annuaes de ob-
jeclos de vestuario. Os co orsela dores se
apiessaram a apreseotar as suas oflVtas
com antecpacfo para provar a con flanea
que Ibes inspira o novo Presidente do C-
selho de Ministros de II. spanha.
Com sommo conlentameuto anun-
ciamos que a ultima modificacio ministe-
rial de Madrid produziu a maior satisfa-
ci ns Cuy, e tanta contenga que um
grande capitalista Mr. Richard Thora-
ton offereceu por disposcio do Co-
ronel Ctrbonell os fundos necessarios pi-
ra enviar a S. Sebastiao os 200 homens que
havia allistados e cuja partida tinha sus-
pendido o Encarr'egado de negocios de
Hespauha por falta de fund s. O Coro-
nel Carbonell vacillou em executar simi-
Ihante re-olucio pelo mu effeito que po-
den' pioluzir, motivo poique es'e* ho-
mens peimaneoeram em d- p sito. O Ge-
neral Evans partir brevemente cora el-
les as.-im como muitos olfiiaes.
( Courier. )
Sib mos que se vai fazer un recurro
ao povo Ingles a favor dos Polacos actual-
mente refugiados no-te paiz e nio duvi-
dam is de que tenha a melhor acceitacio
da parle de todo* os amigos da humanida
de. Com edito, nio se Ira. ta somonte
de soccorrer homens cuja vrtude e pa-
triotismo tem admirado a necio Ingbza ,
e sympatbisado com ella. O recuiso de
que fallamos tem crcum-tan< ias particu
lares que o ie. onmenil -m. E' sabido que
a Cmara dos Communs votou unnime-
mente no dia 10 do corruite tssim como
fez o auno pascado a quantia de 10 mil
libras e-ler I ri-.s p.na OC'irer s neces-i-
dades dos Polacos refugiados em Inglater-
ra ; masdtsde aqude lempo vieraui bus-
car a ylo nesle p.'iz outros 100 uovos re-
fugia ios Polacos, e sobe o total driles a
una 5oo individuos. O ChanceMer do
Excbvquer Mr. SpiingRice recusa con-
ceder s ccorros aos novos refugiados e
nio quer reconhecer senio as lelaces for-
madas anteriormente, pertendendo eco-
noinisar o sobrante da quanlia posta sua
d'-[>o-ici'>.
O mo'ivo que o Governo allega em seu
apoio que se se estenderem os socroc-
ios aus novos refugiados, estimult-se aos
que se achem no continent; a seguir o seu
exemplo, ese expoem Inglaterra a ver-
se sobre-carregada de expatriados. Jul-
g^mos que o Governo se equivoca ueste
ponto. Nio buscam ns refugiados um a-
sy'o note pau por eleicio m.'S por ne-
res-idade e neste caso se schaoi o loo
Polacos que desemlnicaram na Inglaterra
desde o anuo passado. Arrojado? estes
inft-Iiz s da Prus>ia e Frane, vieran a< porque nio encontravam outro refugi-, A
determinagi.> pois do Ch cheqoer a respeito dos refugiados Polacos
1 un lase em dados errneos ; porcm co no
e-ta decisi > do ministio formal, nio
pode prescindir-se dlla nO momento. Os
desgranados Polacos nio encontrara outro
meio na sua mi^eiia senio o de confiar
na >yinpatbia e g^nerosd^de da naca lo
gleza. Estamos seguros de que na5 ticar
defraudada a sua Coiifanca.
( Moining Adveit'ser. )
Lisboa 16 de Setembro.
Com extrema satisfaca declaramos aos
dignos Membros da Soriedade Patritica,
que o seu lllustre Presidente os convida
para a primeia r. un publica, Domin-
go 18, pelo meio dia na sala doantig)
costme.
Koi nos presente o avio assignado pelo
Sr. Ribeiro Saiaiva de cujo patriotismo
esperavamos que n^5 retardarse aquelle
acto; e poc isso aulb-uti amos o seu con-
texto, oritinuarad as galeras a prest n -
cear a innoeencia de tal assemblea, cuja
8uppre-.-a honorisou tanto os Liberaes,
em face do revoltante pretexto que se
desencantm uos alicerces do abnolutismo.
T01 nar.- a ser publicas as discus 5es, que
oerulia se tiveram de fser em qusnto o
jugo de ferro nos fl gellava.
( Do Diario do Governo de Lisboa. )
THEATRO.
Hoje Quinta feira if\ de Novembro a
Beneficio de Luiz Joze da Silva Ca inca,
Mara Joaquina da Conceicio e Thomaz
d'Aquino Lpes Actores do Theatro se
r-presenia a grande Peca As Duas Rivaes
Ingle/asAi ia, Dueto, e Enlremez da Ro-
da viva.
AVIZOS PARTICULARES.
Antonio Machado Dias Jnior residente
em Pariz, faz scienle ao publico que elle
tem constituido seu Procurador b stante
nesta ('idadedo Recife a seu P.. Aridnio
Machado Dias por procuracio feta em Pa-
riz '<) 14 de Agosto d>> cociente anuo pela
mal revoga inleiramenle a Prncoracfu fe
ta nesta Cidade aos 10 de Junho d.- i833
da qual se ni" podei valler para causa
alguma, nenbum dos Procur. coiisi luidos ou por i lie substituido-.
13r* Na Typografia deste Diano pre-
cisa s de um bomcm loria uu captivo pa-
ra dar tinta.
ma caza de pouca familia que sabe engo-
uiar e co>inhar sofi ivelmeule, e sabe ira
tar de deente ; dirija-se a ra Dire.t.i pa-
daria D. 34.
jrjp" Precisa s d'uma pes oa forra ou
cativa que entend de padeiro para macu-
ca : na tua Direita padaria D. 3.{.
tajrjT D .*e a premio, por 6 mezes, de
um a seis c mos de res com firmas a con-
tento : no Recife ra da Guia n. 16.
Itjr* Na 1 m d- fronte do muro da Pe-
nha rasa junto a da I). 7 ha os Diccionarios
Ingleses para vender.
fjry Oui m precisar de urna ama de
hito dirija a ra da Cadeia velha loja ti.
199 que ahi ncbaracom quem Ira. tar.
jrjf Na l\ bnca da 1 ua daCadcia velha
D. 45, precisa-sede umabl pequeo que
de fiador de sua conducta.
*ty O S'. Joaquim Francisco de Pau-
la Esleves Clemente que ra dirigir-Sfl ra
do Qucimada pas ultimar o negocio d
1 ta queassignuu, e se acba ven i la a Ir-
ze mezes, tantos quantos tem tuto de aii-
mido que por se ignorar a certeza da sua
iiK'iadia nio se teuu chamado ao compe-
tente Jui/.o.
jrja^ Precisa-se de um Prsiicc, para
levar um Navio ao Maranbio, quem esti-
ver nesta circunstancia dirija se ao It cifa
i ua da Crue n. 12, a tallar com Jote Anto-
nio Gomes J.mior.
ry* O obaixo assignado faz publico^
e participa a Senbor.i Auna M.ii4 morado-
ra em Jab>jasi m 7. de Novembro, appareceo em ca^a do
abaixo at-dgnauo um preto de noiiie Juio,
naci Bn*a, que diz ser escruvoda dita Se-
nil ra afim deo abaixo assiguado o com
piar, como o abaixo assiguado nio co-
nheie a dita Senhora, e neui queira ter
alguma responabli jade, pur ^aao faz pu-
blico pira que aditaSnra. o mande balsear
ou quereodo vender dirjanse a padaiia no-
va sita no Forte do Mallos n. 43, para se
tratar do ajuste, adve lindo que o referido
pelo dtelara nio eslar fgido, e sim que
anda fora de casa gar.bando por vonta.de e
licencia de sua Serihora.
Joio Manoel Pinto Cl
aves.
D-se 700$ res a juros de 2 por
cento ao mez : quem os precisar procure
na ra do Queimado sobrado D. 7 3. an-
dar, que se d'r quem os da.
JOT" Quem liver preloi caooeiros e os
queira si. gar, dse-lbe diariamente 560
res que para o Ir. fio da passagem da
Magdalena ; adverte-se que nao precisa ser
multo bonscanoe.ros; quem os liver diii-
ja-sea,5 P. nas U. ,7 a fi||4r Com Jo2e
Mana de Amorim.
**> J^Mnud'Amorini, declare ao
Sm. Honorato Joze d'Oliveiro Figueredo,
que por'engao foi publicado o nomo do
seo linio Joze And. d'Oliveia hn.or
nio leudo este concomido par. o brinque!
do do foRoem qgeslio, e.imeSor. Hono-
rato. Tenho com isto respondido ao Snr.
Honorato, que tanto deseja ver o seo no.
me no Diario, persaadindo se l.lvez, que
por este meio se far maia conhecido, ou
que me desacreditar para com o publico,
com urna t..o redicula quantia.
.**" A pessoa, a qu-m f Itar urna ne-
grinba, que nio sabe diser qoem seo se-
nbor, e onde m< ra, procure no trro
da Boa-vista a ca-a n. 18 que faz esquina
com o beco.
jcy Noarmasemde assucar da ra da
Cacimba n. 5 >xi te urna carta para o Snr.-
Manoel de Queiis, natural de Barcellos
e morador no lugar de Santo Amaro.
jq^ Quem quoer slugsr pa>a ser>ico
de casa um mol cote anauocie para ser
prO'uradn.
tJT^ Rebate se urna letra rom boas fir-
mas da quanlia de ura cont de reis, pare
se venc-r daqui a dois me^es; a quera con-
vier anouncie para ser procurado.
/y Qut-m precisar de Pasaporte, e
fo!ha cornda com brevjdade, dirija.se a
H.-pedaiia Italiana atrn di> CorpuSanto.
Ur^* Quem tiver um bom procurador
na Cor te do Rio de Janeiro que queira en-
ca re^ar-se de mandar tunar cunta deuri
pt.ticular pira procurar, dindo-se boas
luvas p'-lo Irabalhu procure straz da Ma-
triz da Roa-vistan. 10 para tratar do dito
particular, ouanuuniie por e-ta folha a
su< motada.
jr^T* Roga se ao Snr. Joze Jonqumque
foifeitor doSn'-. Antonio Lian lio *m um
aiiiuem Agoa-fria, 8e que a n la quer oc-
cupar-se no mesmo exercimo prucure a vi-
uva de Joze Marques d
tio na e-teda dos Aflictos.
erjr Quem piecisar de um padeiro ,
muito praiico no trabalho deste officio
mesmo para outro quilquer servico, a-
nunrie.
/y Precisa-se de pretos serventes ,
quem os liver e quiser lugar a 56o rs. di-
arios pode falar com Domnaos Jos Ro-
se lio Ir'gut-s d'Azetedo na iaa Nova D.
a9 por sima da loje de Re'ojoeiro.
Piecisa se de urna ama com Unte
pus ciiar ura menino quem astiver ns
1 reunataaeiaa aUiija-se ra Nova D. 29
por cima do Relojoeiro.
No beco do Ouvidor sobcsdinbo
D. 1 se continua a tirar pa^s porte pa-
ra qualquer parte e corrsr folhas com
liiendnie, por pieco m, isim coujo qualquer E cripluraeao Judi-
cial.


DIARIO DE P ERMAMBCO.

COMPRAS.
ma Estatua deG-sso, 011 pao de qiia-
li'o palmos de ultura maia ou menos pale-
ad* que tenha a c;ib/ca de engon-o, e ura
brac/i c-lrdo onde se Ihe possa pendular
unid balanga de pez.ir deoilaras; quem ti-
jera onu ocie.
XJT Un almofariz de bronte que seja
grande: na praca da Boa visla D. 16.
Jty Um Habito de Aviz, esmaltado:
queru liver dirija-se o Praca do Indepen-
dencia loja de livros n. 37 e 38.
VENDAS.
lima serava de naci cacange de 26
annos, com 1oia filhos, um de ti ex infle,
>oulro dedoi-, propia paraq,i..|quer ser*
"co de utna cas.<, e boa vendad ira : na
ra Velha sobrado de dois andaies.
1^^" Uma preta de a5 .tinos, coslnha,
eldva de subi, e multo boa para vender:
Miiu das Ag as-verdes D. 4. d ladu da
sombra.
Isa parrillia chegada ltimamente, de
Franca : oa luja de fxn la junio ao ar-
,00 do Santo Antonio de Manoel Jo/e (ion-
,calv>s liragi.
jr^r* Ven le-se, 011 Iroca-se 2 moradas
de ca-a de pedra cea!, qii'iital murado, no
principio da na dos Affogados, por uma
,em qualquer tLis ras, deote BairrQ : quem
perteoder xiniunrie.
%^ Polassa da primoira qualidade re-
cantemente chegado etn bairiz fraudes e
.pequeos : na rua da Cruz n. 56.
W 150 pe.ssas de ouro velhas de 6400:
no ai masein de assucardc Msnael Gon9.1l-
ves da Cruz na ruado Trapixe novo.
JFW Q'tijos l -qoalidade; clironomelro superior dois
sentantes, e um relogio de ptente JngleZ,
taboado de pinho de todas as qualidades,
.plvora fina, e salitre, por preco cmodo :
na rua da Cruz n. x6.
%&' Um bom sitio, em Frapozo cpm
tod.i qualidade de fruteiras, e tenas surii-
cianle para plantacoens de roca, ou outra
qualquer coisa e casa de taipa um tanto ar-
ruinada : no Rio Doce a filiar rom D.
A una Joaquina viuva de Antonio Mathias
jBizor ra.
jCaT" Pecas d'ouro de cnobo antigo : na
rua Nova,.lo.ja de.ferragem D. 10.
fcJJP Papel .escrito para eurbrulhar p< r
.prego cmodo.; det'ronu da escadinha da
.Alfandega armasem de Antonio Joaquim
-Fereira, e na esquina do beco do rapim,
na loja de Silvestre Goncalves dos Sanios.
W Saccas de arroz brinco, e duas Jo-
dias de serra grandes aparelhada : na roa
do Rosorio larga O. 8.
ttW ,Umi carteira de das faces de mui-
to bom uso cun as suas competentes gave-
linbas por preco cmodo, tiol>em uma
porcao de louc* da Babia vidiad* : na rua
da Moeda ao p da Borboa.
J^F" 3 canoas deamarello proprias pa-
ra carreira, ama com a 5 palmos, outra
com 30, e outra com 36, as quaes esli
deroute da Fifia do Collegio, por preco
cmodo : ua rua do Cabug loj 1 D. i, ao
p do Snr. Baudcira.
HW Un cavallo ruco bom carregador,
al meio, e gordo, preco cmodo : na ca-
za junto ao por lio da Ordem 3. de S.
Francisco Di 7.
%W 700 a 800 barricas vasias : no ar-
masen novo por detraz do Thcalro na es-
quina da parledeS. Francisco.
WP1 Utn Ecriptorio, e guarda roupa,
obra do Porto, de Jacaranda, coto- o- com-
petente guarda 'livros euvidracado, ludo
em iimio bom estado, e por pirco como-
do; emoalteiro dos Afogados, em o i.
anda do sobrado onde morn Antonio Re-
* bello da Silva Pereira, das 6 as 9 horas do
dia, e das 3 da larde em diante.
Wr- Uma armacio de loja de fasend^s,
tita na rua das 5 punta*: na mesma r-^ia lua
i). 26. l
%W Uma cabra de 20 a 2a anuos, Uva,
.cose, ecoMuha: no Pon bal sitio de An-
oniojoze da Costa Ribeiro.
Jt&* Noitosuperior tinta pra rsciever
.? telhas de vidru; ya iu da Crui loi^ n.
0.
Muito boa farinha de cnandi- ca
por mepos meia pat.-ca oalqueire, do que
a.e vende, tantos relalho corno por junto :
na padaria da 1 ua do Peixolo ds 5 ponas.
W* Uma escrava de navio sem vicios
e nem achaques, bonita figura, rose, en-
goma, lava, e cosinlia sofrivelmepte: na
1 ua Velha D. 7, lado do sul.
ajrjr Urna pela de naci de 32 annps,
engoma liso, e cosinha o diario de urna ca-
za, lava muito ln ni de -ahio e vat relia : ua
rua de S. Thervza D. 27.
IQ^ Um palanquim moderno, e qna-
z novo : na rua da cadeia Velha loja n. i9.
ir^P Na rua do Queimado loja noya de
ferrage.ns e rniud-iis, de Joze Antonio M.
Basto & Comp., I para vender as eiuin
tes obras cheg.'das ultimameiile do Porto
Brincse rosetas Jelilag' com diaman
ts Jo uliimogoslo, casligaes de prata, s-
peviladeira com pialo de dila, e oulras rna-
is < bras ludo do ultimo gusto; assim como
selins, armas de cassa e todos os maia per-
tences.
*jry Na rnrstna loj b para Vtnr'or
uma niulnta de boa figura, e r.orpo, de i-
dade de 18 r 20 annos, sem vicio algom.
a3T Dois ricos pandeaos com chaves,
roberto de progaminho, propiios jni^i a
hrinca\deira do presepios: na rua Nova
loja de l'eiragem D. i0-
rjf Urna espada- de hainha de asso de
mnito bom gosto de ponta direita, uma
laida de pao fino azul papa G. N. tudo
novo na 1.11.1 do Livranx uto loja D. uG do
Si'. F.rculano.
jC^ Panos linos Tasados de differeiles
cores proprio para calcas pur s^rem de
muito boa qualidade a dez patacas cada
covado a yisla faz f : na l>>ja nova ,de
Manoel Francisco da Silva na Pra.cinhado
Livramento e vende se todas as fasendas
o maja liar.-to possiyel a d'"beiro a .vista.
jry Urna cscrava robusta n ptima
para o seryieo decampo quem qui-er di-
rija-scarua da Sanzalla velha padaiia n.
5i.
%ry Urna barretina com todos,os seos
preparos, dois jaqueis urna banda um
par de dragonas uma esp 'da branca, um I
livrode Cirurgia de muito boa qoalidade ,
umfeirode dentes tudo por prego cora
modo na rua do Fagundes na casa' do fa-
lasrid > Joo Ribeiro da Costa.
t^ Un sito no alto do Rio dejpo
juca do Cravat com tres casas demora-
da, de telha, um cercado de vara e
lodosos p boas para ludo tendo dos rogados de
algodaS hum do anuo passado, e ontro
deste armo, atacado de roca por entre I
o algoda tendo o dito citio bastantes
ps de laranjeiras, cafe, e diversas frotas,
estemesmo cilio tem uma legoa de fren-
te e outra de funto aoride se axa buma
engenhoca piompta de tudo, com seus
cobres, e di-tilac^o, casa da morada nova
que anda Ihe faltad algornas poi tas, .
e hum bom cerrado de vara com muito
bom cmodo para hora eogenho de agoa,
muito boas can.-s, e rocas : mais um cilio
na lagoa comprida distante da Villa* de
Sanio Antio buma legoa ; mais -huma
parte do engenbodas cacimbas em dusen-
tos e cincoenta o tantos mil res: a falar
a Jicin'o Jos de Mello, m U3 1 <'j as
5 nontis, sobre aualquer dos objeclos ,
eeste dar' todos os esclarecimeuos pre-
cisos.
ARRENDAMENTO.
Anend,.- e por preco cmodo um sitio
na estrada do Ilo>ariuho com militas frolei-
r^s de 1 tict o ; na mesma estrada defronte
do sitio do (.ilescido Manoel Joze de Al-
1111 ida 1 har com quem tractar.
ALUGUEIS.
Aloga-se urna famotfl ca-a p3ia passar a
fs-ta ou mesmu por auno em Onda no
principio da ruada Biquinba uutoau bal-
do, com grande quintal: quem pe tender
di rija-te a rua dos Qati Uta D. A que acha-
ra com quem trac la 1.
FURTO.
Por diversas vezas, w t*-m furta-
do do armasem das cazas novas do Mes-
quita na ruado pirto das Canoas al-
gurnas penas de bronce perlencentes a
m endas c|e Engenbo : dase de grat.hca-
90 cincoenta rnil rs- pessoa que pegar o
ladiio queiem taes abdidades o inesrno
sabendo quein elle srja e quera decla-
rado ( cerlo do premio ) opodei faseJ
dinjindseacaza i3 na rua doTrapi-,
xe o'Alf.ndegij velha a fallar com o ab .1x0
assignado da que se gurdala o devido
segiPo. As.-im como o mesmo'abaixo aa
signado compra de novamente a lodos os
Si-, que ioalverlidamente tem comprado
ditas aos ladiesque Ibas tem vcmlido ,
ficando certo deque por um tal lavur Ihe
seu eteruamente agradecido.
Salusliano Augusto Pimenta de Sonta
( Peres.
ESCRAVOS FGIDOS.
O abai vo assignd-> roga a todas as auto-
ridades Deliciaos t-uito desta Comarca do
Recife cerno da do interior, a^sim como a
qualquer pessoa particujar qu teodo no-
ticia deum moleqoede nome J-So por al-
cuuhogpxenin fgido em 3 de Ab.il p. p.
com es signaes gignaes srguinies: canopi-
o, idade 18 anuos pouco mis ou menos,
cara redonda e.-tatura regular, seco do
coipo, cintura fina, ascan^lLs das pernas
rom algumas sictrizes de feridas que teve,
falla njui desembaracada, que parece cri-
ou'o, e escrevo de Joze Carvslho da Cos-
ta, o faci prender e levar a rasa do anun-
ciante no Rucife rua do Trapixe depona
do caesda Lingoeta D. 11 que sei paga
qualquer despeza que fizer, gratificndo-
se alera disso o portador com 50j5Jreis a-
inda mismo aqelle que der noticia aonde
elle existe, e pela qua.l seja aprehendido.
Antonio Josa da Costa Araujo.
trjJJ^ Desde o dia x 1 do correte te acha
fgida uma nera da Costa de nome Clau-
diia, que representa ler 20 annos, que '
costuma vender Iaranjas, de estatura baixa,
quando f< gio levou aaia encarnada, pao
da costa, consta ler andedo pela Camb' a
do Carme, e rua do Rosario, e tambem
pela Casa-Forte e Monten o : os aprehen-
dedoresa levarp a rua Nova loja de Cal-
deireiro O. i4 que sei satisfeitoa deseu
trabalhn
fjrjjjr Benedicta, crioula, de 40 a 50
annos, fgida a 9 meies, rtfeita do corpo,
boa estatura, tem os pez um tanto gros-
sos, e apalhetados ; fgida do Eugenho
Genipapo teimo da Villa de Porto Calvo
para esta Prapa opde se acha acollada, su-
pe-seem casa de urna filba parda casada
il nome Quileria moradora por detraz da
IgrejadeS. Joze : quem a pegar ou della
der noticia tem de gratificacio 20^ reis
assim como se perseguir com tudo o 1 igor
da Lei quera ron^ervalla em sua compa-
nhia, e faz se todo o negocio de venda com
a mesma escraya : rua Velha D. 3 lado do
norte.
YW Fugio no dia i7do corrente um
negro por nome Lourenco, na gao Calabar,
he raarinheiro, porem a muito que ni o
embarca, altura ordinaria, seco do coi po,
olhos angallados, bern fallante, tem o de-
do iudex da mi corlado ; levou vestido
calca e camisa de algodo e bon de mar*
jo: rogase aos Snrs. Capiaens e Mestres
de Embarcaies o nio recebao o sen bor-
do,^ o mesmo pede se as Authoridadcs po-
li i ii s o nio dtixem tranzilar de urnas pa-
rnoutias Comarcas; e qualquor Capilio
de Cdtti- > que o encontrar" o podar pren-
dere o levar a rm do Vigariou. ai, ou em
Fora de Portas n. 36.
t7.j>" Recumenda-se aos Capitaens de
caoipo um escravo de mei iddde, de na-
ci Angola, betn retinto, giosso do corpo,
inrbado, com u falla explicada grosaa, e
muito piosuulico; o qual du andar com
calta, camisa, e talvex jaquela, chatna&e
Ben.diiio, e fugio a diaa da Parabiba do
Norte : os aprehende Jares levtnwio a rqaj
dos Quarteis D. 7.
Do Engenbo Caixoeira, juno a)
Villa de Goianna, fgido dois pretoa. um
.' *.____ai:___1 a~ :j..j_ j_ .
de nome Miguel, de idade de uQ annos
i
bem parecido, e nutro chamado Damin
da mesma idade, eapparencia; ha noticia
que hura est preso em Mossoro ao pa
do Aracati. Os appreheodedores levem-
nos aodito Engenho Caxoeira, ounoRg.
cife a caza de Joze Antonio AI ves da Silva,
que serio gneros., meo la recompensados,
Fugio era ltimos dias do mez de
outobro de 1836 hum escravo de nome
Mximo, crioulo^olBcial de Carpina, do
Engenho Genipapo na freguc-zia de S. A,
to, de estatura mediana, idade de 3o c
lanos anuos, hem herbado, e encabelado
por peitos e peinas, cara redonda, o mes.
nio olbos e caheca, lumador, pronloem
fallar, por travieso e timido foge, procua
raudo quem e compre, casado e tem fi-
Ihos no rcesnio Engenbo ; costuma procu-
rar logues dvservicu de seo officio, pelo
(pie lem sido enseriado com iecato pelo
intens-e ; como fosse no cabo Eugenho
Moribcquin'ia, o no craur.t asima de S.
Ant.i no EiJgoho( Veilenle): as-im
com empenho pede-ae teja aprthtmdido,
de que se dar ba gratificacio, levndo-
se ao mesmo Engenho Ginipapo, ou 110
Recife no aterro da Boa- la D. 7 ao pro-
pi ietario do tuesmo Lourenco Joze da
Carvalho.
No dia 6 do corrente desaparereo
un prelo bocal por nome Francisco de
nac" Songa com uma marca no peito
diieito, alto, magro, cor preta, oihoa
claros com esp-.cie de cantos bons den-
tes, aIguus cabellos na barca, moco per-
nos fina, anda algum tanto curvado, le-
vou vtslido omisa de chilla azul de qua-
dro-, cica de estopa nao saber dizero
nome do Sr. Qualquer Si', que o entre-
gar na. rua de Orias sobrado D. n de A-
gostinho Heniiqaesda Silva, ou na rua do
Crespo loja de Jos de Metieses Jnior le-
ra cem mil rs. de tomadia. Promele-ss
nao indagar d'qnde elle vem sendo qua
alguemo tenha o podera restituir receben-
do os ditos cem mil rs. e se o nao fiser sa-
ben do-se se promover quanlo for possi-
vel contra o delinquente.
jtp" Nu dia i4 de Junhp do annop.
p. fugio hura prelo por nomo, Juad, por
alcunha, ladino, de nafad carabimda,36
anuos de idade, estatura legular ma-
gro tem uma coroa pelo uzo de carre-
gar peso, pouca barba olbos grandes,
a perna direite um tanto arqueada, anda
e falla muito apressado, gagueija, e tem
o cosume ttemer osbeifos, e he canoei-
ro ; aderte-se que este preto foi escra-
vo de hum partido de do engenho Pixa,
por issojulga-se andar pelo mallo : ro-
ga-se a todas as Aulhpiidades Policiaca
e aos Capitaes de Campo o prendi e o
faca condusir i rua de Ortas sobrado D.
il de Agostinlio Henrique da Sra, oa
a rua do Crespo loja do Juse de Mene-
ses Jnior, que aerad bem recompensa-
dos.
Taboas das mares chelas no Fono d
fernambuco.
14Segunda |
gi5-T:
.3 16 Q:
a _
^17-Q:
2 18-S:
q 9
-S:
a0 -:
o
4h.30 m
5-4a
t-30
7 I8
8 6
8-54
9 4a
Tarde
NOTICIA* MARTIMAS.
Navio entrado no dia 22.
Liverpool ; 36 dias; Galera Iogleza
Dryope, Cap. Robst H-imiltoii : [asends:
Crublree. Ton. 34 1.
PBRj., NA TIF. OU M. F. F/.RIA itt-


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EXYFDBHFJ_E6AOWF INGEST_TIME 2013-04-12T22:20:44Z PACKAGE AA00011611_06013
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES