Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06011


This item is only available as the following downloads:


Full Text
ANNO DE 1836. SEGUNDA FEIRA
2! DE NOVEMBRO N. *53'
Pt*Nunuoo. Tvr.OR M. P. de Pama. 1836.
DAS da semana
21 Sepunda S. Columbano Aud do* Jai Sea. do Cr.
de m. e de t. ses. da Thezouraria Publica e
Chanc.de t.
22 Ter$a S. Cecilia V*. IVel. de m. e and. HoJ.ile
O. de t.
23 Qnarm S. Clemente Scs. da Th. P. L. ch. as 4
c 2 ni. ii;i ni
24 Quinta S Joao da Cruz Re. de rn. aud. do J do
C. de m- e Ch. de t
25 Sexta S. Catharina ses. da Th. P. aud-do J.'de
O. det.
26 Salta-lo S. Pedro Alex. Re. de m. c aud.
d<> V. G. de t. em Olinda.
27 Domingo 1. do Advento S. Margarla de Saboia
Tido sita depende denoia. mutler.-icao. e enertria.-conliiiiiomox com
principiamos, e remin sinntados com admira
Qao entre h Nacoes r^ais cultas.
troelamafi da ii>t*lln Btral i* Braill
9nb*creve>*e a 1000r. mensaes pagos adiantadns
nesta Tvpocrana. ra das Cruzcs D. 3. e na Pra-
ca da Independencia N. 37 e SU : onde e receben)
correspondencia* letcalisadas. e annuncioft; insorin-
do se ente eratis leudo doi proprios assignantes.
rindo assignadoa.
CAMBIOS.
Novembro 19.
J_i()nHre 38 I)-.. St. poi I,, red. oii nraia a
40 porcento de premio Nomina.
L Franca255 Ra. por franco
11 io de Jan. 6 p. c. de prem.
Mneilas de 6400 I3..2'M) I3.,400
4000 6..t;Xla6lK)
Pezos I4I0
Premio da prata 50 p. c
dn lettras, .por mea 1 a 2 por o[0
Cobre 25 por cento de descomo
*****
, PARTIDA DOS CORK BIOS.
Olinda _Todos os da ao meto 4,'a>
CoiaiiH, Alhandra, Paraiba, Villa do Conde, Ma-
manfcuaue. Hilar, Hea. de S. Joao. Hrcjo d'Ai.-ia,
Kainba. Pnmbal, Nova de Souaa.Ciiladc.do Natal,'
Villa*de Goiaoninha, c Novada Plineeta, Cidade
da Fortaleza, Villas do Aqiifr*, Monte mor novo,
Aracatv Cascavel. Canind, Granja, Imperatri,
S- Bernardo, S. Joao do Principe, Sobrar, Novad*
RlKev, li, S. Matbens. Reachodo aiiRue. S,
Antonio do Jnrdim, Qiicxeramohim. e Parnahi a
Segundas e Sextas (piras ao meio dia por via da
Paraiba. Santo AntSo Todas as quintas feiras ao>
meio da. Garanbiins, e Bonito Ro dias 10 e 24
de rada mei ao meio di. Ploresno dia 13 de
cada iin-z no meio di. Cabo, Serinbaem, Hio Por- -
mozo, e Porto Calvo nos dias 'i, 11-e 21 de cada
me.________________" _________
i "i i l I

T
f
PARTE OFFICIAL.
RIO DE JANEIRO.
ASSEMBLE*. GF.RAL LEGISLATIVA*
CMARA DOS DEPUTADOS.
SessaS de i de Setembro.
CoittinuacaS do n. antecedente.
potra Pin disemsfo o seguinte :
A Assemblea Geral Legislativa resol-
fe: -.--.-
Art. i. O GoYerno fica aulhorsado
a conceder carta de piivilegio exclusivo
por Barcos da vapor, por e-paco de quin-
ce annos, Companhia que organizar Jo-
to Gomes Neto, para navegar nao sp o
Rio Jequitinbonha, mas anda os de Coo-
tas e de Porto Seguro e Canavieiro*. O
Governo fica outro sirn auior'sado para
augmentar este prazo por tiinta annos,
altando se reconheaa a necessidade deste
augmento, para justa indemnisacaS das
despetas que fuer a Companhia, a fim
de tomar navegaveis os ditos ros.
Art'. %. Em todas e>ts agoas con-
tinuar a ser lirrea navegarhoje com-
mumroente usada.
Art. 3. O Governo fica autorisado a
conceder Companhia, as margens do
rio Jequitinhonba, 16 sesraarias de legoa
quadrad.i cada huma.
Art. 4. Todas as maquinas, barcos
de vapor, instrumentos de ferro e ago
importados para servico da Gotiparihia,
ser isentos de quaes quaes quer direi-
tos de importacaS por espato dos primea-
ros cinco annos, ficando a Ct-mpanhia
pavada deste privilegio logo que se pro-
ve ter havido abuso da sua parle.
Art. 5. FicaiS insertos do imposto
do dizimo, os gneros produzidos naa tr-
ras que forero concedidas Companhia
nos primeiros 5 annos. Pelo que respeita
a mineracad, fica ella sujeita s leis do
paiz.
k Art. 6. A Companliia fica obrigeda
dar priocipio nsvegaca por vapor no
prazo de a annos, acontar dacelebracap
de contracto com o Governo, sob pena de
perdimento dos privilegio coqcedidos, a-
lem da muleta que Itie for importa no mes-
mo contracto, bem como a f*zer condu-
zir gratuitamente no seus brcos de vapor
os Corieios do Governo, seo papis e
cargas com a limitacaS total de dea arro-
bas ea individuos por viagem.
Art. 7. Os terrenos concedidos pe-
1o Governo Companhia, sera por el-
a peididoa, se dentro do prazo da teta
annos os nao fixer habitar por Colonos
Europeos em numero superior a sessenta
casaes por legua quidrada. No fien de
hum anno de residencia no Brasil, serio
estes Colonos considerados Cidados Bra-
sileiros.
o Ait. 8. Fic revogadts, etc.
Poco da Cima i a dos Depulados, 19
de Odtub.ro de 1835J. A. de Lemo>.
A. J. de Lcssa.
Concordo CQtn o parecer, menos na
coocessio de 16 leguas de trra, por en-
tender que 8 legoas .-lo sunVlentea para
o fim pertendido.Bentode QUveira Bra-
ga.
O Spr. Fernande* da Silveira ofierece
a seguinte emenda substitaitiva ao 1. art.
da resolucaS.
O Governo fica autorisido a conce-
der carta de privilegio exclusivo para bar-
cos de vapor, por espaco de quarenta
annos, Companhia que organizar Jo* 5
Gomes Neto, para navegar na5 t o rio
Jequitinhonha, mas anda o de Contas,
Porto Seguro, Caravellas, e Canavieiras.
SeguQ a segunda parte do art., etc.
O primeiro art. he regeitado, eappro-
vada a emenda substitutiva.
Qs arts. a., 5., e 4. -;,u approvados, e
o .'i. be regeitado.
Ao art. G. he apoiada huma emenda
do Sur. Fernandos da Silveira, que diz :
a Em lugar dedous annos -- diga -se
quatro &c. 0 art. he approvado com a
emenda.
Ao art. 7. he apoiada outra emenda do
Sr. Fernandes da Silveira, que diz : Em
lugar de 60 ca-aes de Colonos diga-, c
30.1
Timbem be apoiada outra emenda do
Snr. S.'U. Martin-, que declara: Em
l> dpt de 60 casaesdijja-se 12O Colonos
ete.
O art. be approvado com a emenda
do Snr. Siuza Martins, sendo regeitada
a do Sr. Fernandes da Silveira. O proje-
cto he adoptado, e passa Com. de Re-
t u-cao.
Entra emdi-cusfio a prnposta do Go-
verno pedilo hum credto supplemen-
tar de dous mil contos, remetlida em pin
jecto de resolucaS pelas Commi-<9des reu-
nidas de Orcamenlo e terceira de Fazenda
rom aa emendas das mermas Commis-
;es.
0 Sr. Resende remelle Meza o se-
guinte requerimento em lugar deresolve
diga-sedecretaque he apoiado e en-
tra em discus-io.
O Sur. Ministro da Fazenda lembra,
que tem havido precedentes na casa, em
que objectos de idntica natureza tem pas-
sado em resolucSes, como o crdito pata
pagamento de prezai, alem da resoluqa
apresentada pelas Comtuiises da Diplp-
macia e Fazenda sobre o pagamento dos
subditos Portuguezes, pelo que na6 so de-
ve approvar a emenda.
O Snr. Resende in-i-te na sua opiniag,
e diz que quanto ao pagamento das Pie-
zas talvez esse objecto nao tives-e pas-
sado se houvesse sido por meio ** Decre-
to, ou ao menos teria lirado para o anno
seguinte e nao passaria quando > se a-
rhava 5i Deputados: deroais como tra-
ta-sede mposices, o que he materia de
grande pezo, a poder passar em reaolu-
caG nto nenhuma haver, aindamesmo
oOrcamen.o, que dessa maneira nao pos-
sa passar.
O Snr. C ilmon nao ulga procedentes
as rases do Se. Ministro : pelo que res-
peita o cred tu para o pagamento das pre-
zas nenhuma analoga Iba acha com o
objecto em questaS, o qual convert ser
tratado por Decreto, visto o dbale ir
versar nao sobre negocio ordinario, mas
sobre hum emprestimo que inrlue impos-
tos, materia que por sua gravidade deve
ser b'Mn meditada e pa.ssar pelos tramites
es'abelecidos, com sabedoria, pelo Reqi-
mentu ; e depois damas algumas rcle-
xes vota pelo requerimento-.
O Sr. Ferteira da Veiga declara na6
ver rega eslabelecida entre o projecto de
Decietoede resolucaS, tendo at agora
decidido, por sssm dizer, o arbitrio da
(Jamara p'>is que objectos de grande irn-
poi tancia tem pasado em ResolucaS e
oulros de menos ontidade ho sofrido tres
dscussSes, as qoaes no caso presente jol-
ga de mera formalidade, por tcern de-
corrido bastantes dias e a impoi tancia do
ohjrclo haver sem duvda chamado sobre
elle a atiencaS dos legisladores ; observa
que estes argumentos ja fjraS brilhante-
ocento desenvolt idos pelo Snr. C'lroon
por orcasio de discussaS do Tratado
cora Portugal, e que Ihe parare estar o
requerimento do Snr. Rezende em con-
tradieco cora os argumentos hontem pro-
ducidos em favor da urgencia, pois que
no intervello, que decorre do huma ou-
tra discussaS, pode a Cmara ficar priva-
da das luies e bons pensamentos dos Ilus-
tres Deputados que tem de retirar-se; que
o requerimento naS deve passar por ir
contra q argumento que hontem moveo
a Cmara a dicidir-se pela urgencia, ra-
zaS entre outras pela qual vota contra
elle.
O Sr. Maciel Monlero apoia o reque-
rimento do Snr. Rezende, demonstra a
necessidade das tres discussSes, e, res-
pondrtelo ao Sr. Ferreira da Veiga, diz
naS haver contridicca da parte dos
membros, que votaraS pela urgencia e
querem tres discussSes, m*a' sim nos do
lado contrario, poique os Deputados que
y o taray peta urge ocia o que queria era
que se discutisse a materia antes que
(jamara se fraccionaste sem que por tal
qufiraS a discussaS de sallo.
O Snr. Soura Martins reronhecendo
que a materia meiece todo o exame, nao,
julga dever-se dahi tirar o corolario, d-
qoe materia interessanle nao deve passar
em res(do9a5j observa que a Cmara
reconheceo a necessidade deste crdito;
parece-lhe que m tesolucaS nao se trata
de materia nova, que se a ('.amara est re-
Mil vida a approvar o crdito pedido pelo
Governo, pode faze-lo era huma 5 dis-
cussio, bem como se esi indinada a ne-
ga-|o taro bem o pode liaser em boma dis-
cussio nio se devetido perder tespo pa-
ra talvez nada se lser, romo aconteceo
com as leis de fi naci de Torcas que tive-
rio tres discussSes e depois de virem dr
Secado cainro, oquetnlvex acconlega
l.-i doorcameuto se vier com emendas, e
mesmo a este projerto, prolongando-se
as disctiss&es para no fim nio apparecer
resultado algum, quando o Paz reclama
tantas leis.
O Sur. Cornelio vota pelo requeri-
mento : observa q\se Cmara nada tem
feito a culpa he da maioiia combteos
argumentos do Sr. Souia Martins, ju'ga q-
o Governo deve convencer a Cmara da
necessidade do crdito, a d.leude a op-
posicio de ser laxada de Cuutradctoria
por yotar pelo requerimento pois que
ella naS quer que o crdito teja discutido
de improviso.
O Snr. Alvares Machado respondendo
ao Snr. Cornelio entre outia couaas,
declara que lera sempte votado pelas e-
conomias naCamaia raras veses por
penses, mas que se for necessario im-
por a Naci para rhamar a uniera o Rio
Grande e Pai votara' por este imposto :
obse va que a tarafe, incumbida ao Go-
Terno he manter a iulegritade do Impe-
rio al ebegar a poca de entregd-o
as mos doSeohor Dom Pedro Segun-
do......
O Snr. Maciel Monteiro estes sa5 os
votos de todos.
O Snr. Alvares Mochado sesaS os vo-
tos de todos, ent6 ( dos devem concor-
rer para esee fim e para elle nao *e
concorre deixando o Governo desalma-
do, t-em fondos, em frente dsa reheliSes
do Rio Grande c Para' ; e depois de ter
defiendid a opiniao dos que votSo con-
tra orei)uerimeuto, tambera contra elle
se pronuncia.
0 Snr. Vasconcelos opina em I<*f*ga
discu-saSem favor do requerimento.
Dada por discutida a materia be re-
geitada o requerimento por /}(> votos
contra 44-
Entra b Projecto m duru sao comQ
ResolucaS,


9
Proposta do Governo.
A Asserublea Geral Legislativa resolva :
x Art. i. OGoveino he aulhori-ad<> a
emitir at dous mil coritos dereis emA-
polices da Divida publica interna a tim
deoconer as despes.s cora a pacificaceo
das Provincias do Par*', e S. Pedro, de-
vendo dr hutna eonta e-pacificada do
seu emprego a As-emblea Geral Legis-
lativa, logo que c ssem os motivos inde-
peodeute do B.Ianco Gerel da Receita
Despe.
Emenda da Commissio.
Art. i. He Concedido ao Governo
un endito complementar de dous mil coo-
tos para occoner as despezas extraordi-
narias (titas com a pacifieaca das Pro-
vincias do P^ra' e S. Pedro do Su!, em
oannos financiaros de 1835, i83(i, e de
.1.836 a l837, ficando comprehendidos
nes'a quantia os 220 contos credilados no
artigo 4 da lei de 22 deSeterobio do an-
uo passado, e os a5o contos auctorisados
no projecto de loi, appmavdo na pre-
sente sessaS, que suspende algum.is ga-
rantas do Cidadio na Provincia de S.
Pedio do Sal.
Depois de terem fallado os Snrs. Vian-
na, a Ministro da Fasenda fioa a materia
diada, cuj continuado he daila para
ordemdodia seguinte as it horas, de-
Ten do antes discutirem-se varias reso-
lucSes.
Levantou se a SessaS a 2 horas da tar-
PERNAMBUCO.
GOVBRNO DA FROVlllCI.
Expediente do dia 19.
0FFIC10S.
AoEm. Presidento do Provincia d*
Paraibi do Norie enviando-lhe os Po-
cessoajulgados pela Junta de .Instiga dos
Soldados da Guarnici da me-nu Provin-
cia Oelano M -chado de Almeida, Fa-
ll Antonio, e Fel Joquim Pe.eua.
Ao E*m. Presidente do Rio Gran-
de do Norte remeltendo-lbe o Pioces-n
iulgado pela Junta de Juslica do Reo
Soldado do Destacamento da mesma Pro*
Tiricia Joaqun) Jos de Vas< onceo-.
Ao t.'omroandante das Arma* trans-
niiltindo-llie osProcess ds Reos Sol-
dados do 4- Corpo de Artillara An-
gelo Custodio Barbosa, Jos Alves da
Silva, Hanoel CLu'iino Gumaraes, e Jo-
s Correia, julgados p.-la Junta d< Jus-
lica, a fim de que Ihes faca dar o deslen
competente.
Ao Inspector da Thesouiaria para 01-
deoar que dous Embregados das extintas
Repartieres va5 [prestar os seus sei vicos
bo Artenal de Marinha durante o lempo
quefor mister.
Ao Impector Ger.il das Obras Pu-
blicas repondviido lheq'.e n<5 sendo pre-
ciso ao enca regado das plantas da noa
esliada doSul, Trime Pereira Lago a
casa que elle tem oceupado pe ten-ente
ao patiimonio de N. S n'iora da Boa-vid-
ge m. pois que se acha fornecido da com-
petente harrara propiia par* os seu:tri-
bal hos, que nao exigein urna residencia
fixa ; lhe intimara' que.cumpra o despa-
cito da Presidencia di 11 do coi rente me%
entiegando a chave da me-ma casa ao A 1-
linistiadoi da referida Capel'a Jos Go-
mes Ferreira, visto que nao saSatten-
diveis as raides poique deixou de o fa-
ftft
Ao Inspector do Arsenal di Mari-
nha partecipando-lbe que fui expedida
ordem so Inspector Ja Thesnuraria para
nia/idar para o Arsenal osdou Emprega-
dos que requisitou em seu ollicio de 17
do coi re rite
- Ao mesmo partecipando-lhequefoi
expedida ao Coamaudaole de Regido do
Porto ordem para reconhecer coraopra-
|ieo de Carta Geral a Manuel da Silva
Nevos conforme requisitou em seu ofli-
tio desta data.
DIARIO
PORTARA.
D EPE R N A'M>B U C O.
LIIIWBH K.t.1*aUMMhUMSl.M^arjBI9*JJL IW_" JMWWH1 IWS_fBa
Ao C- o m mandan te do R gl-.to do Por-
to o> dentudo que reconheca a Manoid
da Silva Neves, como PratieO de Caria
Geral, n-5 obs'ante ter dexido de ser
mencionado n*rel.ics5 que acompaohou
a Portara de 9.9 d<> mez passado e que o
deixe exercer as funceos liberen tts ao
dito Et>prego, enmj requ's'tou o Inspc-
toi do Arsenal de Marraba.
Navios defpachados no 'lia 19.
Escuna Braveir, Virginia Mestre Joa-
quim Gcnsaives Maia Para o Mara-
nba.
DIVERSAS REPARTICOKNS.
PKEFEITIRA DA COMARCA DO RKCIFE.
Paite do dia 19.
Illm. eExm. Sr.
Foi rerolhido ao Calabou^o de Polica o
preso Jos Faustido pardo rem--ttido
pelo Sub-PrefeitO da Frcguesia da Luz ,
por ser costumado a furiar Cvalos, e
n^ se querer emp'egir em serv90 al-
60,n- .
O Commissario de Polica do P01 to das
Canoas ac-ba de partecipar-me que on-
ii m pelas 7 horas da imite cahira parte
da casa, q'esta'edificando na ra da Cruz
Franci'co Antonio de O iveira, resultan-
do de ficar un menor pisado di cartera e
doventre, e um pivto com urna peina
quebiada.
Nada mais consta.
Dftoa Guarde a V. Ex. Secretaria da
Pe fetura da Comarca' do Recile 10. de
Novemhro de i836. Jllm.e Exm. Sr.
Francisco de Paula Cavalcanti de Albo-
querque, Presidente da Provinci.Vla-
noel do Nascimento.da Costa Monteiro.
HK/.A DAS DIVERSAS RENDAS.
A pauta he a mesma do N. 241.
COUREIO.
O Biigue Aurora, de que he Capta5
Joaquim Soares Mii im, sai pata o iVlara-
nli do dia 18 do correrte.
Pata aro Amsade Felir recebe a malla
para a Bahia no dia 2o do coi rente as 11
horas do dia.
CMARA MUNICIPAL DO RECIPE.
SessaS Extiaordiinria de 18 de Agosto de
i636.
Presidencia doSnr. Silva.
Comparocera 01 Snl;ores iMirandi,
Suiza, Pesaos e S. Paio, fdltandu 10:11
cauza os mais Snrs.
Aberta a Sci-si, e lida a Acta da an-
tee* dente foi sauccionada por estar con-
(arme.
O Seereeretrio teudo feto ^ le d<*expedente uiencionou os ofHcios se-
guinte :
Um do Exm. Presidente partecipando q'
n6 poda ter lugar a despensa, q'estn Cma-
ra, em seu officio de 11 do correte inez,
requisita dos exercios e grandes para-
das a que esta sgreos seus Empregi-
dos, como Guardas Naiionas vi-tn .1-
charem s- ja dispensados das Coard.,
serrco este nuis pesado : inteirada.
Outro do mesmo Exm. Presidente di-
sendo nao poder saptisfaser a requisi-
Cao desta Garuara sobre as pedr.is da Fer-
naudu por terem de ser todas consumi-
das pelas obras publicas, o nem se em
hasUnies para quantas se tem de fazer ;
iuUirada
iiio do Fiscal do B.iirro do R#cife
lemeltendo a relaga das pessoas multadas
00 seu Bajrio no meses da Junbo, e Ja-
Ihn do correnl anno emportando na
quinoi.i decent, e oitenia mil res in-
teirada.
Ouiro do Pief'ito de^ta Commarca pir-
tecipando que end> o r.ini. Presiden-
te ordenado, que passasse para a%Secicta-
ra da P.efrifura osLivros di Matricula
dos Guardas Nacionae-- houvesse a C-
mara de remetter 05 do I. e 2 B*ta-
Ifiao dos m suios G a daj, queeacha-
vio no archivo desta mesma Cma-
ra que se olliciusse parteoipando que n>5
se achavuo uoarchivo de-t 1 (.'ani.i .1, os
Linos icquisitadrs.
Outro do Fiscal desle Baiiro, pedindo,
qut se llie jnandasse pagar a tia de ...... importancia da conserlo
feilo na ljada Praca da Independencia
n. 35 ; qu- se p.sssasse mandado.
Uutro do Fiscal di Boa vista pedindo
que se lhe mandase pasear mandado da
quantia da 200$ is. que se fea necessa-
riu p.iraaobia do a- Camaia oencombio : que se passasse o
mandado exigido..
Outio doJuiz (ie P^z da Fregiesia de
Jaboata, partei ipsndo ter aoroeado in-
tei inamenie para seu Escriva a Andr d'
Aluquerque e .X'ello, e que a Cmara
liouvisse de appiovar dita nomeac><5 :
Commissad do Seobor Pessoa e Sao
Paio.
A Comuiissa appresento'u sen parecer
sobre o officio 'do Exm. Presidente e
do< Juises de P^z, que nomea Candida-
tos p.iraseus E-ciives o Sr. Silva, lar-
gando a Cadeira pedio o adiamento do
parecer eassim se decidi.
A Commissa apiesentou o seu pare-
cer obre o novo mtdouro no lugar do
sitio de Antonio t oelho da Silva, me-
diato ao antigo 110 riti do Coelho,
o Sur. Silva, largando a Cadeira, pedio
0 adiamento do parecer, que assimsedo-
cidio.
O Sr. Vareador Souza aprestntou ase
guite Propoata fendo uma das prin
1 ipaes attriiiuices desta illu-tie Cma-
ra promover todo o beneficio a prol dos
habitantes de s*eu Muri ipio como lhe
recoinmeridado na Lei ce sua creacaS
do i. deOnttihio de 1828 tlof artigos
4 71 ella se exprime desta rnaneira.
As Cmaras delireiad em geral sobre
os meios da promover a Iranquilid'de,
seguranga, saude, e commodidade dos
seus h me em consideraca as escavac.5es, e
li ni pesas das ras do Livramenlo em
seguindo, ot as 5 ponas, a da Penha, tra
Vesaa e Pateo de S. Pedro, ra larga do
Rosario, do Fogo, Beco do Peix< frito, e
do Padre, cujos leitus tem creseido em
forma que em pules estad ao niel dos
calsades, e nos din de grandes ebuvas as
a^osso!>em sobre as ni'smas a ponto de
empedirem o tramito, deixandoum ja-
macal podido <|uu de necesiidade, enfes-
ta same publica, e que n demora
(fas a<'is ali extagnadas, as mesma p 1-
dem causar a ruortedos lubitantis; n;a-
!*, que exigem ifesta lllustre Cam^r^
prompta a medida: cuja p'opo.-la il-
pois de dfi-titidi foi appiovida, aj<
Cmra delibeou que se iuiothoriasse ao
Sor. Fiscal resiieciivo p*ra, logo que
melhcrasse a estar.) cuidar do Ii'acl-
menlo das rus indicadas na referida -> 0-
po la.
Apresentou He um requerimento de Si
mo iViacoado Bit.iii.ourt a Mello pedin-
do, que tendo servido o lugar de E-cri-
v<. de Paz d Extinto Joiso de Paz do
tf-rceiro Di-^tricto da Madre de Dos da
Freguesia do Recile, e tendo sido nova-
mente Borneado Escriva de Paz da<|op|.
la Freguesa emvirtud da Le de i'4 de
Abril do crreme anuo, honves'-e a Ca-
marade approvar dita nomeaca, e p*s-
sar Provimenlo na-(orina da L-i : a
Comtn .ssa doSnr. Pessoa e S. Pao.
Tendoo Procurador Piaxedes a presen-
tadoas coutas do 3 quartel findo no ultimo
de Junho ; fui nomeada umu Commissap
composta dos Snrs. Pessoa ,S, Pajo a
fim de as tx minar.
Despacha 1 a5-se alguns requerimentos,
a por ser dada a hora, levantou seaSes-
sa e inandaraS faser aprsenle arta em
que tssignaraS. E eu Fulgencio Iifan-
de Albuqqerque a Helio Secretario da
Cmara a e-rre*. Silva Pro-P. Miran*
da, Soua, Pe.-soa, S. Paio.
Collgio Eleitqral da Cidade do Recifle.
No dia 16 horas do Costume icuriin-
do seos Membrosda Meza, e muitos Sis.
Elritores que assis'io a apuravio, d u-.-e
piincipio a eftitlacio desta coolandci-sj
I3 listas, proceden-se a sua leitura e nu-
meraco de votos sascessivamente at o
por do Sol: no dia i7 da nn-suia foi ma,
na hora de lindar os tiahallios achou se res-
tar apenas 6 .listas: no dia 18 concorreudo
a lotol.idade.dos Editores, depois das u
horas concluio-se toda a apuracio, e obti-
vero mioria os Sis. que a bailo se desig-
nio. Antes de prineiniar-se a Uviar a
aeta, o Sr. Eleit^r J. T. Machado Frei-
r Pereira da Silva, propoz a siiprerodos
V t s dalos ao Exm. Sr. Pievidente da
Provincia ao Sr. Commandaute das Ar,
mas, eoa S.cre, rio do Governo fundido
no art: 79 daC mstiluicio, eserrloeo.nl-
ju vado pelo Sr. P. q' deixou a cadeira aol.*
Secretaiio, lorio ambos,cmhalidos pelos
Sis. Dr. Pedio F. C. de A. e T. C.
[lailiri-, l'uridod"S uo artigo 75 da mesma
con(iluic.o, eait: [\ da Lei da Reforma :
depois de alguma divcusso, sendo posta
a materia, votos, Collegio decedio que
fossem validos os votos dad s aos 3 Candi-
datos: entiou depois em di-.cu.-sao se po-
deria ser votado o Cidadio Manoel Zeliu-
no dos Santos, pronunciado por crime de
responsabelidad ; po-.to votacio decid
ose quesim. Depois lirio se partecipa-
cues de Eleiiores que nao podero compa-
recer por motives justificados e 011 tros
que hi S votar o'oulros Col 'ep i os. Nao oua
ve neuhuma mol. la. Fela e li la a acta, foi
plenamente api ovada, sguira se s assi-
giulmas, eo enserra.rnento do Cullegio pe*
les 6 horus da tarde do dia 18.
Deputados Provinciaes pelo Collegio do
Recile.
OsSenbores V>.lo9
Dz. Tbomaz Antonio MacielMont. 61
Dr. Pedro Francisco de Poulo Ca-
valc.nte de Albuquerque....... 60
Padre Antonio da Tiindade Au 1 unes
Mena....................... 60
Doutor An-elmo Francisco Pereli.. 6a
Duutor Antonio Penguoo Maciel
Vlonteiro.................... 60
Coronel Francisco de Paul Caval
cante da Albuquerque......... 59
D.utor Joaquim Numes Machado.. 59
mcula Jos V.iii S.i g-.do........ 58
Padre loaqim Rafatl dja Silva..... 58
Dz. Lui/ Francisco dv P. C. de Al-
buqneique................... 57
Cpitad Mauoel Iguai 10 de C. M ... 57
Doutor Francisco do Piego B.*rm.. fj
Doutor Manoel Mondes da C. Azev.. 56
Antonio J- Domingos Alfonso Nan Ferreir.*... 56
Luiz ftdrigurs Sette............ 55
Coronel Franii-co Jacinto Pereira.. 55
Cap. S basta5 do Reg Bario..... 55
Josa.de AlbuquerqueCsvalcaute... 55
Dr. Manoel Frinci co de P. C. d'A. 55
Izidro Fropcisco rl- P. M. e Silva.. 55
Padie Mmoel da Fonceca e Silvo... 53
Doutor Elias Coelho Cintra....... 5l
riancis o -\nlonio d'Ulivcira...... 53
Padre Venancio Hemiqun de R.... 52
Dr. Felis Pt-ixoto de Brito e Mello.. 5a
U.. Agostinho ''a Silva Neves...... 52
Di. Francisco Xavitr P. de Biii".. 5i
Joe Theodoro Vi. F. P. da Silva.. 5i
Major m. do Na-cimento da C, M... 50
Joaquim Correia de Araujo....... 5p
Francisco do Carvalho P. de A.... 4^
Df. Antonio All'xiso Fereir..... 4^
Dr. Francisco Elias do Rtgo Dantas. 4^
Dr. Jouquiii Manoel V. ue i l'o... 4$
Dr. JoseTb Podemos ale hoje recollier a volsco dos
seguinles Colegios paia Deputados
Geraes, e nao diremos outra re-
Jacio, sem queebeguem todos
os dos outros CoUegio8.
Apuraqio de 9 ColJegios Recife O-
liada Cabo Suato Anto Pao do A-


DIARIO DE P K R N A M B U C O.
5
]ho [guarac Go;anna Nasareth e
Seiinbem.
Os Srs.
H'illamla Cavalcanti, ,. .
Sebastiio do R-go Barros .
Francisco ilo Reg Barros.
Di. Luis Francisco de P. C. de A.
Dr. Ant."Peregrino M. Mouteiro.
D/. F. P- Almeida Albnqueique.
Di. Maoo 1 Ignacio Catlcanti de
Lacerda ......
Dr. Pedro de Araujo Lima.
Dr. J. Nunes Maxado.
Dr. Joo Maurico da R->xa Vand.
Dr. Joaquina Maiicel Vieira de Mello. i9a
Antonio d.i Costa R"o Monteiro. ^ 174
Padre Manoel do Monte R. A. 172
votos.
DDO
. 5i9
. 34
3n
281
227
226
2"5
i93
em
PARA'.
Apre Ex. as copias dos cilicios indinos, que
agora nismo accab de rece be r, dos
quaes eonbecera' V. Ex. que a cau'.a da
Liidade vai gaohando terreno de dia
eco dia na desgracida Provincia do Para,
eque breve obtei completo triunfo.
Dos Guarde a V. Ex. Marauhad
16 de Ootubio de 1886. Illa, e Exm.
Senbar Piesidente da Provincia de Per-
namhnco. Antomo Pedro da Co-ta Fer-
rea.
IRin. e Exm. Senhor Neste mo-
mento acaba de chegar a no'iria ca deno-
ta do Eduardo ; e como a marina par-
te para essa Provincia a Escuna Do-
us Amigos, oSnr. Presidente enrarrega-
me de a faier chegar ao conhecimento-'e
V. Ex., o que assim tenho a honra de
cumplir, transmitindo a V. Ex. porro-
pa o oflicio dirigido peloCapda de Mar,
6 Gnerra Maria't. OofTeial encarregado
de o a(regar dsse, que o Eduardo t-.-ri-
doem urna perna apenas escapou coma
niulber em urna Igarit, e que presu-
me-se ir procurar as rabeceiras do ca-
pim. S. Ex. boje tem passado bastante-
mente incommodado. Tenho de rele-
rar os meo reapeitos como de V. Ex.
muito respeitador, e attmcioso criado,
Bernardo Joaquim de Mallos. Para 1 t
de Outubio de 1836, as6 horas da tarde.
Conforme--No impedimento do Secre-
tario e do Ollli.il Maior Jos Candi-
do Vieira, t. Oliicial.
Illm. e Exm. Snr. Anreco-me
em partecipar a V. Ex. o mais felis resul-
tado da expedica mandada sobre o Rio
Pequeo, e Grande o qual he da m*ior
sapti-ficad, por qu; a Aitilbaria ; Em-
barcaides e familias ludo cahio ero nos-
so pxder ; o Portador ir.ellmr informa-
r a V. Ex. em quanto eu detdhadamen-
1e na5 doi urna parte crcon-tariada.
Nesta oceasiio envi a V. Ex. tinto e
dous doentes e mais geri'ti cunstante da
Rtlacad.
DeosGnardea V. Ex. p>r mullos ali-
os, bordo da Curveta l\.-g.-nerac*<5 sur-
ta no Rio Aca> i3 de de Oulubro de
de i83b\ lllro. e Exm. Snr. Francisco
JosedeSousa Soares de Andrea-, PrWi-
dente, e Commanditite las Armas da
Provincia do Pai .F- nli-i iro \1a. atl Cpi-
niandante da Frca Nval Confoi m
Bernardo Joaquim de Mallos, Serrtlaiio
do Governo Conforme No imped-
mtnio do Secietario, e do Ollicial Maior,
Jos Candido Vieira.
mu
EXTERIOR.
Franca -- Maicelhi, 7 de Sttembro.
A-teguram-ooa que o Piiacipe de Ca-
pua voltra aos oossos muros e que re-
cebera por va de Mr. Cara 11* Encarre-
gado dos Negocios do Governo Napoliano
em Pai is urna communiracio do Rei ten
irmao. Offerece-lhe uitii peosio tora
tanio que xe a sua residencia em Bruno,
cidade dos Estado-, Austracos. Tei-se-
bia permilUiq regreiso do Principe a
aples e al mesnia Corte se nao
tive-se pertendido para sua esposa as hon-
ras devidas ao grao d Princesa e por
conseguate pira seus filhos os diieitos da
linha real. Esla perlencio parecen intei-
ramente nova c nao jiMilicada peIo tere lentes em que. se fundam os principios
da heranca dos tlirnnos. Quan-'o o Rei
d" Pn>s-ii ca-ou con Mad, de Ligiii'-c ,
nao Ihe as igmluu mitra giaduapto nera
ouiras honras se nao as que Luu 14 con-
cedea a Mad. de iM linlenon. Seo Prin-
cipe de Optia escuta e-tas raii.s, ludo
podoi oouciliar-se, sua felicidade do-
mestica o a razio do estado BOU ma-
trimonio e a digoidade da casa de Bour-
bari. ( Gezette du Midi.)
Pars 9 de Setembro. A^eguram
hoje geralmente que 0> uovos Ministros
no C< nselbo da hontera tralaram daquea-
tio Hespanhola e conroiclaram en que
nao era poaaivel modificar nem alterar eoi
cou^a algu-na a poliii quella uaeo tinlia seguido o ultimo Gabi-
nete e que por iaso m nao poda a-
doptHr-se outro pai tido sent o de conser-
var o statu quo. (Cou.slilutioiiiiel.)
U'u dos primeiros actos do novo
Ministerio deve de seranomeaco de um
Embaxador de Franca junto da curte de
llespanba, deferido al hoje pelo mnilo
que se piolongou a crise ministerial. Este
Embaxador nomeou-.se hoje.
Entre as personagens eslrangcras
que loivm recebidas como membros da
academia de sciencias de Baviera O'l'am-
se os seguintes : Lrd Jolm Rosst.1 Mr.
Abercroroby, o Doutor Bowring f Sr
Wilson professor de (Kford Mr. Au-
gusto Tlueri y, hilonador de Pars, e
Jos da Costa de Maredo secretario da
Academia de in'criprySes de Lisboa.
Os peridicos de B< uxella dizem
que tornaram a apparecer all Os Santimo-
nianos. Seu chefe chamase Cats ou De
Cats. J pregaramem algomas ras, mis
o povo nao pode comprebende-los.
N. Drot, peridico dos tribuna**,
le se o seguate : -- Cada um ti acta hoje
do projecto de conspiraco prxima a re-
bentar na noite de antes de bontem. Os
fact< s que se dt por mais cellos paiticu-
larmenle sao estes.
Na noite de 3 para 4 devia-se ceresr e
im-endiar a Prefeitura da Polica e cor-
rer ao mesmo tempo ao palacio de Neuilly.
Urna junta republicana devia manter-se
permanente em casa de um aterrador de
viuhos da ra de ValoU-Batave e dirigir
0 pUno de ataque contra a capital.
O Prefeito da polica, n-truido a tem-
po pelos seus agentes secret's pediu um
reforcu da Guarda Municipal quecollo-
cou asim como dilTerentes brigadas de
eropregados de'policia no pateo de ?.ua
casa. Deram se 01 deus rigorosas, itqwr-
tiram-se cartuxos, edispoi-se lud para
obrar ao pi-imeiro signaI.
Tom-ram-se igualmente precauc,5ef>e!n
toi'o os p;>ntos ila capital ; crusavam na
em todas as diieccSes numeres patru
Ibas, e i aoanbecii sein que se ltese
preodido iiingueui tenia um h. mem na
ra de Valoinlave f ()ue eslava se>ilado
a urna mea, leudo n'uma aljibeua um
lenQo de cartuxos o una pitla n'oulra.
Encontrou se urna lista de sujeitus que
se p^uderam boje, chegand. u seu nu-
mero a qoarenU.
A aothoidde est prevenida e.po-
lic-a ontMiu ras sUrt iuv ftigaces. A-
cabam oedic.einos que se ap nharam Da
ra Rvoli de i5-> a 2ooespingardas.
Uma caria de Haya em d ta de 3l
de Agosto diz o segumte : -- O Re nao
pode approvar as propo-tas a resp. ito do
Luxemhurgo que com tfTeito pancera
rrealWaveis. S. M. recebeu mal a per-
sonaren! que seencarregou do induzi-lo
para ceder s ditas propostas, e enviou
iostrueces a 1 espeit- deste negocie) para
Fran' k'ort. Deixa ver-se nesta condiic
ta alguma cousa que parece suggendo
pelos Gabinetes do Norte, e que se op-
nuem aos desejos das outras cortes.
Serapre que a lei Inglesa seolercea
a muleta adjudica uma grande parte e
geralmenie a metade ao denunciante do
Crate ou delicio. Daq nasce que ha da
outra paite do estivitu um* classe nume-
rosa, de industriosos felismente nao couhe-
cidos aqu, c mon i ilormers). Siucomuiummeute ho-
mensijue depoisde terem pertencido rom
ordeoado fixo polica tem ju'gadoem-
1 prego mais commodo o de denuncian-
->
tes e ba alguns que ganham ne.-te ollcio como o monumento onaij vern rivel da an-
u
de 5o#a 5o mil francos por auno. Por in
fu m icio deum dis'es o famoso Carla*' ,
cit<-u-se o Lord actual Mayor de Londres,
eMi. Garrat, seu socio no 'omnt' r. -. rio
porcelana ante o ragistra<|0 de \\ e^imi-
nster como aCCilfados de tercm posto di-
lua do sen armasen! ro Po'rtugal-Slreet ,
du.is caxas de gneros em coo ti a venci
dos estalolos sobre este ptr'liciiUr. Pro-
vada aquella o magistrado de Westmius-
ier tee que condemrnr o .sen coliega de
Londre.s ^ o soii'> desie cm 4oschtlius
( 5o francos ) de muida. E' como e en
Franca desse a masuia aenteni;a o corre
gedor de h CroixRouSsa contra o de Ly-ni
( Journal des Debis. )
Turqua. Constantinopla, lo de A-
gOstO.
Eis-aqui o que se d sobre o que succe-
deu a mu tos Ulemas. A dislriliui(;ao dos
retiatos dosSuliioem nmito-qu.irtei- x-
ritou o maior descontentamento sob-e
ludo entre as tropas de marinha ; vaiios
soldados foram castigados por teiem in
sultado o Giio-Senhor sobre ludo por
causa do seu pouco fervor tu f Mahom--
tana. Re-u'tuu do proce.-so que muilos
i U'emas lorm nlnratu rin segred'i este es-
piiio de insuboi dinacio. O Sultio cha-
niou sua presenca a i9 de Julho seis sol-
dados de niais obstinados e depois de os
ter feito iutei rogar no que o-acensados
defenderam com exaltaco a cau>a d re-
ligiiu l-los enfonar ; e na rnesma noite
Si-u-corpos foram arrojados ao mar. Com
estes actos de rigor suffocou a conspiracio,
que seguramente tarta 1 c-untado ; por n
nao se pode negar que tem desgo-tado so-
bre modo o exercito esta distiibucio de
retraio* as suas iileiras. Dizem que o
Sultio iracta de fazer inaugurar na grande
mesquita, anteriormente templo decan-
ta Saphia uma elTigie do profeta Mafu-
ma, ( Mercure de Souabe. )
( Do Diario do Governo de Lisboa. )
VARIEDADE.
Ura dos nossos correspondentes, uficial ,
da Vlaiinha Real, que commaod i va um
bergautiin estacionado actualmente em
Alexandria, nos remelle dados mu enri-
i.-os acerca do projecto api-sentado ao Vi-
ce-R.i d Egypto de demolir as pyrami-
des para asempregar na cortadura do Nilo,
eos moi i vos que tere o dito Prncipe pata
nio ceder proposicio. A carta a ue-
gunte :
u [gnoM! he cliegou noticia do mondo
sabio a aff onta que esleve ameaeaudo e-tes
monumentos giganascos, que sio o a-som-
bro dos no>soi viajantes, e que no-sas ar-
mas consagraran! em certo modo novamen-
te. As pyeamides do E.:yi'to, que aotos
sculos tam 1 espertado; eses monumen-
tos, cuj noticia levaram r.o-s >s sold.-dos
a! i menores aldeas a Franca, toca Va m
j n 1 nlti'iio momento da sua existencia,
tendo-se ornada' propr a M-theme'-Ali a
su democio para empreear os nwteriaei
na coitadur.i do Nilo. Nuroeou-se urna
comm'ssio que examina se-se lo monstru-
osa emprea era factive- ; e deve-se a nos-
so Cnsul geral, o sabio Mr. Munaul, o
ter->e absud nado este projecto, proprio
do vandalismo.
P.,n5m para que se nao tenba por fal-
so, ou se lache qwido menos de exagera-
do um faci lio extraordinario, convir
levar ao conhecimnl dos vossos leiu-res
alcumas das rases que Mr. Aliamul He- t
' i*____ _-...., o..u Rui (
cu, ecujaforca convencau o vice Re; de Lysipo.
b ___;. __1_____. ,U Pnr.l ul)t,m
I {' laca bumaiu ; o-am na anliguidade
um 1 ds sefe niaravilhas du mundo, ed-el-
l.-s a nica tiue lem peimauecido anda em
|,. Na Insto: i.\ e na pintura sao a- pyra-
miies o objeotos que mais .He. tam os o-
Ibos, e a imaginsvi c que raaiores recor
daces despertara; estas mbnumeatos sfo
inieiessaiites pira Lodos os povos, e mu
p aquellas imffiortac palavras deNopolefo:
Pensai que do conten pa m 40 seculos! >
Nao est 1 a nica vvi Pin que a igno-
rancia, e a cubica, Mirprelieuiieudo a cre-
dulidade ou a bai bariJade de alguns Prin-
cipes, sttggeiiran a idi de destruid as
grfidos pyramides; mas s a tentativa
baslou para manchar para sempre a sua
memoria. Um daquelles a quem mais li-
sonjeoii aesperanQa deeucootiar ihesouros
as pyramides, fui o Cild'a Abdallah Ma-
moun ; abriu com muito ir.luho, e a
cjsto de munas desp' zis a maior das tres,
e alem de nada ter encontrado, soffreu a
irrilfo de seus conteporaneos.
k O sabio viajante rabe Abdellatf diz
na sua relacio do Egypto que o Subi Mi-
likel-Oihomiu, persuadido por alguns cor-
tesaos poucos judiciosos a demolir as glan-
des pyramides, empregou grandes meioa
para o effeito ; poiaaqueao cabo de oito
mi zes, e de enormes despesas ;^ viram
obrigados os demolidores a 1 enunciar a sua
empreaa, sem outra vantj?m raais que a
de ter feito inuteis estragos na mais peque-
a das tres.
As grandes py;amides sao um deposi-
to que o antigo mundo legou ao solo do E-
gypto, e que os senhores deste pais confor-
me vio succedendo, tem que transmiti?
intacto posteridade, depoi* dos cuitas mo-
mentos de seu transito pela tarra. Devem
anda por espaco de outroi quarenta sca-
los de-aliar o lempo e os homens, quaudo
desde os Pharas at aos Califas, e desda
o Rti Maris al Mourat Bey, tem Vto o
vento do deserto dispresar ao redor dellaa
o p de vinte imperios diversos, a de mui-
to rahares de geracea.
Sio ser na vtrdade Mehemet-Ali
quera depos de uma oarreira de creayas
e progie-so levante a mo contra monu-
meiiios, nio lio utes cerlamente como oa
c.maes que tem aberto, e oscaminhos de
ferro e cortadoras do Ndo que tem execu-
tado, mas que se achara consagrados na
memoria dos homens.
Vos mesmo pois aois o nico para
quem appelo em nome da Franga e da Eu-
ropa, supplicando-vcs lejeiteisos projec-
tos daquelles a quem AbJellatif chamava
gentes faltas dejuiso.
E-ta enrgica suppca teve eleto; aa
pyramides serio respeitadas e tirar-se-
hao das pedreiras donde eslaa sahiran os
materiaes necessaros para a cortadure, q.
so conlini com actividade djb xo da di-
reccio daoso compatiiota Mi. Linant,
conbecido ja por suas atrevidas viagens ao
interior da frica.
a Nio este o unic servco que tem
feito s sciencias Mr. Mirr.aut. A elle aa
celebre Champolon ss de ve a conserva-
cio dos restos da grande templo de Deudo-
ra, atacados j para a conslruccio de nio
sei (|tie e.lificio. Tem em prega do til e
felismenle a sua fortuna o s us mo-
mentos de orio em reunir os materiaes de
uma preciosa collecjio de antigudades Egy-
pciaa e Gregas, cuja proaima ebegada a
Pais furmai uma epocha nos anuaes das
sciencias, na qual os artistas a os sabios
podei io exei cer a sua critica acerca de um
monumento histrico, de que a loglalena
se ulgou possuidora desde que o Duque
d- Waiwi k descubri as escavaces da
Tivoli um grande a o de marmore, qae
em o seu nome, equesejulgou ser obra
comarVaTniopras palavras do Consol. O tunoso vaso de bronze em que o ce-
Z V* tende! adqmrido um nome cele- lebre artiaf Grego rep-esen.ou Alex.ndr.
b.e pe"- vos-as grandes empresa-; e por com os a-tributos de Baccho, .ehou-a. em
ellasWi.ado, apesar ^ vossos detraed Hm. a'i em poder de M.. M.n-ut, nao
ympatia da Eur, pa. A execuc,a .
r.s, a
do acto de van iahsmo que se vos propoe
promovera contra vj a opiniio de todos
os homens que lenhara umi^ i -t, por le-
ve que stja, da lustoi ia, e j disse a V. A.
que es-a opinie lem a maior influencia e
poder nos pases civilisados.
.e pudendo duvidar disto ao comparar es-
ta admiravel obra cm o que di/.em della os
authores antigos. N.quella cabeqa lio no-
bre, tio cheia de geni., eque parece qae
man la a quanto a rodena, se reconhecem
os rasgos que nos tem couservado a> meda-
Ihas de Alexandre ; ve-se aquella lere in-
aJer nos pases civiusauos. -----------, ___
Olh-B-ao na Europa as pyramidei cimacio da cabeca Sobre o hombro etquer*


DIARIO DE P ERMMB.CO.
fio que o aitista fez palpAvel; a historia
ns di7. que Lys'po a ropfcva em lodo os
oa bustos e estatuas do P incipe Mucedo-
sni; vei-m s- fin fira a que I les olhoi lio
forrijosos e acariciadores, que segundo
expressio de Plutarco os tinha Sello o ar-
tista hmidas. E' urna cousa assombrosa
este vaso de Lysipo.
(Constitotionnel.)
( Do Diario do Governo de Lisboa. )
1 i
CORRESPONDENCIA.
Snrs. Redactores.
A ntrracio dostrabalhos doCo leg-oE-
Ieitoral, que Vmcs. fiterio, nio be exac-
ta, em quanto dizerem, que a Missi do
Espirito Sanio foi celebrada por un dos
Administi adores da Parocliia ; ab, meus
caros Redactares, que o Reverendo, que
celehroii Missi, nao he Administrador
dos Sacramentos, sim Portugus, e bem
Portuguez. he um facto sarn carencia de
piova E o m.is he, que se elle nio p-
pnece-se, nio haveria Missa! Com effei-
1o ha muito burlar a Le! Que Fregue-
zia .' Que P.racho I. Nio se impute esta
falta a Cmara Municipal, que com ante-
cedencia olliciuu ao Reverendo Viga- o Ca-
balme para cantar a Misia. Ora, Snrs,
Redactores, que queriio Vracs., se o gra-
de liberalao nem se quer sabio Eleitor na
sua Parochi ?
Doutor A'cantara.
AVIi.08 PARTICULARES.
Precisa-se de um cont de res a juros so-
kre hipoteca em escravos que se moitra-
ra5 livres e dse robaraca dos: a quem cou-
vier este negocio annuncie.
WT* OSnr. Fraocisco de Paula Lopes
Yisnna, dirija-se a ra da Cadeia em O-
linda D. 4 afim de se ultimar certo nego-
cio, e dar inteiro coojpria.ento sua pa-
lavra a respeito do que convencionou, e
fis-se o presente annuncio por ignorar-se
* res^eoc'' do mismo Sur.
1/9* Quera pieci$r de um hornera pa-
ra caixeiro de aJgum Eogenho, ou mes-
me para administrador, pois para esse fi n
tem coohecimeiitoi suffi. entes, e d fiador
asuacouducta, dirija-se aira/, da Matriz
de S. Antonio na ca-a que tem bilhar ou
dectarea sua morada para ser proourado.
*9~ P'ecisa-sede urna casa terna que
lenha boos cmodos e que seja no Bairro
de S. Antonio : quem a tiver dirija-se a
Boa-vista Botica do Victorino no pateo da
Matriz. r
' 0bsixo assignado roga encare-
cidamente aos Surs. que Ihe romprarao
chapeos, no lempo em que esteve de cai-
xeiro dos Snrs. B.ierly & Fillios (boje S.
Bnerly & Comp.) Iba manden, atisfaser
lio diminutas qoiotiai, (cujas lorio discon-
tadas em seu ordenado, do que tem recibo)
que pela demora que tem decorado, e j
terem-se-lhes pedido particularmente (no
que nio tem sido alienado) he -que Se v
brigadoa laucar mi desteqneo meio.
JozeLuizGuaico.
tflaT Quem quiser folhas corridas e
psssaportes, tanto para o Imperio como
para Reinos estrangeiros por preco muito
cmodo, procure na ra do Pires lado do
falescido Gervasio Pires, na quinta casa
D. 5, das 7 horas da rranhi at as 8, e a
Urde das 3 as 5, acbar quera os tira com
revidade.
XF" Roga-se ao Sr. Joio Carlos Perei-
ralhupina, E-tudante no Curco Juiidiro
da Cidade de Oliuda, queira procurar u-
ma earta viuda de Queixerabim na Pro-
vincia do Cear, aqual se Ihe entregar
iado pessoal recebella, por importar inte-
resse do mesmo Sur., e a deve procurar
na rea ao correr do muro da Penha junto
o Sor. Jos Bernaides.
WP1 Quem ijuiser tomar 200$ res a
juros dmdo prata ou ouro, por seguran-
es ; aonuncie, ou dirij i se a Fora de Por-
tea venda debaixo do sobrado do beco lar-
on. 2i.
Admlte-se um caixeiro que tenha
pralica de venda e faseoda, e paga se con-
forme o seu raereciraetito); a quem conve-
nha dirija-se a venda do Porto das canoas
da ra Nova ca-a da esquina que volta para
a ra das Flores, ou em Apipucos em casa
de Joaquim do Reg Barros Pessoa que
quem pretende. mesmo aloga um ca-
noeiro escravo ou forro para conduccio de
tijollo.
Tf9* OSnr. R."**Jesuta quequ-r sa-
ber do Diario em qae se annunciou as ho-
ras do pagamento dt Loterhi do Semina
rio ; pelo Snr. Thesoureiro se responde,
que, se o Snr. Juzuita se desee ao ta-
bilho de ler os Din ios, se que as-
sgnante hava encontrar este avi-o, que
por ser (o antig > ninguem o ignora, so o
Jezuita da moJa inimigo da literatura ; e
saiba itiais que independente destaa boias,
muitos tem ido buscar o seu premio e nio
vemsem cile, COtno lem acontecido com
O Amigo da razio.
Na ra do Rosario estreita casa D.
2>, 2." andar do ludo do Noi te precisa-se
de urna ama de leite, forra, ou captiva, a
qual se pai>ai 2$50O rea por semana.
ITJP Quem tiver e quiser alugar urna
escraua quesaiba rosinhar o diario J unid
casa de pequea familia, e vender na ra :
annuncie sua m irada para ser procurada.
f3P* O Doutor Matiguier avisa aoics-
peitavel publico que por ora esl residan-
do un beco do p-ixe frito D. i, 1." andar :
onde continuar prestar-segratuitamente
s pessoas mea >s favorecidas da fortuna, e a
ocudir aos chamados de todos que quiae-
rem utiliar->e de sua Arte.
W Quem annunciou no Diario de
Sexta fcira querer urna ama para cssa e
com a condicio de comprar na ra efazer
o servico para duas pessoas de familia tio
somente, dirija se atrs dos Martirios casa
D. io achara com quem tractar- adverte
outro sim que fartodo servico que preoi-
zaremasduai pessoas dias em o annun-
cie, porem nio de maior familia, visto as
auas forcas serem diminutas para maior
trafico,
tf" Quem precisar urna ama de leile,
dirija-se a ra do Peixoto as 5 Poetas ca-
za de Francisco Antonio.
*&* Nest* Praga deseja-se fallar ao Sr.
Francisco Coneia Barros, e ao Sr. Joio
Antonio da Ponceca Chaves, queirio an-
nunciarem as suas moradas por este Dia-
rio, para se Ihe fallar a negocio de ambos.
ARREMATADO.
Persnteo Snr. Doutor Juiz da 3. vara
ao Civel se hade arrematar a quem roais
der fio'los os dias da lei por renda annual
os predios seguintes : urna casa terrea na
ra do Queimado de quatro i orlas D. 11
propria para lojade fasenda : Um sitio de-
nominado Curaba em Brberibe com algu-
mas arvoresde fi uto e maltas : outro sitio
denominado Bringuel tartbra em Bebt-ri-
be com instase raadtiras de construccio,
bastante mande : um sobra o e seu sitio
na Povoaci'i de Beberibe: e u>n sitio de-
nominado Barreiros tambtrn em Beberibe;
asavaliag'-s dos mesmos predios se pode
ver n<> escritorio que se ac.hd em mi do
Porteiro do Juizo.
COMPRAS.
Npgros ladinos que (enhfo boa figura :
no ultimo sobrade ao p da ponte hindo di
Nova para a ponte ladodireilo no leiceiio
anda, das 7 horas ate as 8 da mauhi, e das
3 as 4 da tarde.
Vy Um moleqne de naci, ou crilo,
sera vicio, de bonita figura, de 16 a 20
anuos, que tenha of&r-i He sapateiro, ou
principios deste, ou tiob m .em esles, u-
ma vez que tenha asmis qualidades, assi-
raa apontadas. Quem o tiver, e quiser
vender annuncie, com a maior bitvidade,
que Ihe ir possivel.
%W Urna caiteira de urna so' face para
urna pessoa: quem tivar aonuncie para
ser procurada.
Uun porfi de relias de libes e
meia de cera viuda de Li&boi : quera a ti-
ver annotirie para ser procurado.
fcy Urna cisa terrea que valha um
cotto e cem mil reis; a tractar com San-
tos Braga, ra da Moeda n. i4i.
f^ Um ou do stoneis que tenhio ser-
vido de agoardente, e alguraas pipas que
servissem do mesmo genero ; quem os ti-
ver annuncie por esta folha p*ra ser pro-
curado.
VENDAS.
Barriz com urna arrouba e 16 libras de
toucinho de Lisboa com a sua competente
calda fresquinba como qnando foi em bar-
rica do, muito alto ebom sabor, a 8$ reis
a arrouha ; lilri fina a aoo reis a libra, -
zeited'>ce a 28O a garraf', pacas a 281 a li-
bra, fios a 200 reis a dita, papel almaco
atul a 3-5J200 a resma, dito dito b anco ?
a 9.5,")(50 dita, moringues da Baha a 3/0
os grandes, e 240 os pequeos, e tobosos
mais gneros, tudo por preco cmodo ,
ecaixasde 6 libras a i$/\Q0 reis a libra;
na rila da Cambo* do Carmo venda D. 3.
UlV Paia vender ou fretaro muito vel-
leiro e bem construido Pataxo Americano
Virginia forrado e cavilhado de cobre
prompto a seguir viagem para qoalquer
Porto : os pertendentes dirijio-se ao seu
Consigutacio John Malhues na ra da
Cruz n. 56.
W9 Uo>a par de rozetas de diamantes:
na Typonrafia deste Diario.
iqsjr Um cavallo castanho bem novo
gordo e bom carrega Ior na casa junto
ao poitio da Ordem 3.a de S. Francisco
%&* Urna barretina com aparelbo dou-
rado, um orreiame de lustro, um ja-
qu de pao fino g dois bnneis para Guar-
da Nacional e por preco coraraodo ;
no beco d<* Adique D. 5.
&" Urna e.-erava moca do geotio de
Angola : na ra Velha D. 7, do lado direi-
toebegandoa Santa Cruz.
VP Uma rede do Para muito propria
para tipoia, e de bom gosto: n.* ra do Ca-
bug luje de relojoeiio de Claudio Joze
dos Santos.
W&* Um capote de borraxa que nio
entre ag.,a, proprio para o lempo de cho-
va, e rtinis um seliin uzado : na ra de Do-
mingos Pires D. 1 a.
(J*" Urna mulata de bonita figura de
i6annoscom afabilidades necessarias : na
luade HortasD. 68.
fcp1 Tamarindos em alqu^iies por prp-
CO cmodo : atraz da Matriz, da Boa-vista
segunda cas a esqnerda.
VC^ Urna canoa de carreira nova com
30 palmos le cumprida, e 3 e m* io de bo-
ca, com corrente, e ra liado por preep com-
mojo : na ra da praia, serrara junto ao
tanque d'agoa do Pacheco achara com
quem tratar.
Epr" Urna medalha de habito de Chris-
o, propria para Detem bargador, d mui-
to bom gosto, crava lo em pedras finas : na
ra da Cruz n. 32.
%y Pastas para o 5. anno, e boa tin-
ta pieta, e encarnada, para tscrever4le :
na loja do Eucadernador Fraca da Inde-
pendencia D. 26.'
W" Chitas limpas a meia pataca um
rovado, e 1 iscados de lioho azul a i30 reis
ti bem cada ume >vado, pl'lilhasde linho,
bietanhasde hamburgode differentes qua
hdde-; chitas finas de milito bom goto
para cobertas; lim-simo madapolio para
quem tem bom gosto, chitas pret9 para
luto, e boas meias cuitas para boln-.: na
loja nova de Man .el Francisco da Silva,
na Frac nha do Livramento, e na meama
casa nma 1 ca radeira da Bibia.
?xy Un excellente piano forte che-
cado a poucode Inglaterru : na ra Nova
D. 34.
acjr Vlarroquns, e buenos de boa
qualidade, sip-tos virados para hom< m a
760, ditos pai a mulher 720, ditos de bi
ierro pura homem a 1 ^440 esola e vira
a i^760, tudo asatisfacio do comprador:
na ma do Livramentoloja de con ios D. 9.
1E9* Urna preta de idade de 30 annos,
naci Angola, sabe cosinhar e lavar de sa-
bio, boa quitandeira, por preco cmodo:
na ra por detraz da penha D. i9.
Urna escrava da 14 aunos, bonita
Oftr-w mrnu a aii ammammma^J
figura; cose chao, cosinba o diario deu-
macasa, ensabaa, e principia a engomar-"
sera vicios, nem deftitos: na ruado Roza.!
rio esheita D. 18.
ALUGUEIS.
Um silio no.lugar do Remedio com una
pequea caza de vivenda com varios alvo.'
redos, boas baixas com capim de planta
e mui pe to do emba que ; a pessoa que 0
quiser alugar dirija se ao ateno dos afr.>.
gados laiio do uasceute botequim D. 45
que Ihe dir quem oalug; dfeite-a'
que tana bem se faz. negoiip d Venda con!
o mesmo sitio.
Aluga soum 2.0 andar de sobrado, nio-
demose com buns commodos para fim.
lia, e igualmente loja do mesmo sobia-
do, mui proprio para negocio detoirania
ou venda, por nio ter repai tmenlo, tu-
do preco como lo, e tambem se aluca ca-
da um.a cousa de per si ; fallar com Joa-
quimPereira Xavier d'Onvei.a em a sm
errara na ra da praia, das 9 horas do
dia, at as 4 da tarde, ou no atierro dos
Afogadosemo i. andar do sobrado on-
de morou Antonio Rtbello da Silva Pereira.
ACHADOS.
Quem perdeu urna caiteira, com duaa
letras e urna sedula, dirija-se a Piacioha
do Livramento loja D. a3.
FURTO,.
Por diversas vezes, se tem furta-
do do armasem das cazas novas do Mes-
quita na ra do porto das Ganoif al.
guroas penas de brolla* pertencentesa
moendas de Engeoho ; dase de grattica-
cio ciacoeuta mil re. pessoa que pegar o
ladrio que tem taes abdidades o mesmo
sabendo quem elle s- ja e queira deda-
ra-lo ( certo do premio ) opodei faaer
dinjindo-se acata D. i3 na ra do Trapi-
Xe a'Alfandega velha a fallar cora o abuzo
assignado de que se guardar o devido
segilio. As.-im como o mesmo abaixo as-
signado compra de novamente a todos os
Srs. que inadvertidamente tem comprado
ditas aos Iadi5es que Ihas tem vendido ,
fica^ndo certo de que por um tal favor Ihe
sei 4 eternamente agradecido.
Salusliano Augusto Pimeata de Souz
( Peres.
Talas das mares cheias no Pono dt
fernambuco.
.4- -Segunda
Sl5 -T:
16 Q:
-S"7" Q:
518- -S:
S l9' -S:
aO 1):
o
o
4h .30 m
5- -4 >.
6 30 a
7~ -18 M
8- - 6
8- -54 N
.9- 4a
Tarde.
NOTICIAS BI A RITIMAS.
Navios entrados no dia 19.
Liverpool; 49 d'as B. Iuglez Mary
Quera of Scols, Cap. Telly : vai ios gne-
ros.
Ral fax ; 40 dias; Barca Ing. Louisa,
Cap. Abell : bacalho. Esta Barca sabio
no mesmo dia para a Babia.
Sahidos no mesmo dia.
Barcelona Barca Hespanhola I/abel
a. u Cap. Antonio sxadoens : varios gene-
ros.
Aracaty; S. Ave Mara, m. Antonio,
Joze dos Santos : varios gneros. Passa-
geiros 9.
Demerara; B. Ing. Rtward, Cap. Be-
nevik. : lastro.
1 1 <
Pebsj., na tip. b M, T," Faria 1836.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EU4SCTA2G_FZN3JC INGEST_TIME 2013-04-13T00:12:09Z PACKAGE AA00011611_06011
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES