Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:05986


This item is only available as the following downloads:


Full Text
"T
Aniio de 1848.
Sexta-feira 16
j D14HI0 puUica-ie to4j* o din que n o
f,yem de guardi i o preei di amqrntiir* he d e
4j00 rs. por quartel, pagnt niHintadit. 0 an -
vincios dos assignantei s m inseri Im raio d e
j ii. porlinlia, 40 ri. e:n-lypo difieannte, ais
'p0IcM pe'.a inetade. O que nlo lrem asiig -
puntes pajaro 80 rs. por l'm1". e 161 em typo
difl'erente, por cada puhilcar.ao.
PHASE3 DA LOA NO MEZ. OE DNH0.
1.na nova, I, ao 10 min.da tsrd.
desenle a 8. 2 horas e56 mi. da Ur.l.
I.ua chcia a |6. s 0 horas e 39 mi. da tard.
Miugoantea 24 i 4 boras 8 min. da manh.
PARTIDA DOS
EIOS.
Goianna.Parahlhai leguoda e li
Rio- Cabo, Serinlicm, RioFormoso, 'Porto-Calvo e
Macelo, no I.*, a II a ti de cada mcz.
Garanhuns a Bonito, a S e 21.
Boa-VuHae Flores, tile 28.
Victoria, s quintas-fairas.
Olinda, todo os das.
PKEAMAd DE HOiE.
Fruncir, as horas o 30 aiinutos da Urde.
Segunda, s 4 liorai e 54 mioulos da roanha.
de afunho
Anno XXV. N. IM
DAS DA SEMINA.
2 Segunda. ** I. OiUva. S. Joo de 3. Fa-
cundo.
I Terra.>> 2. Oilava. S. Antonio, padroei-
ro da provincia.
14 Quarta. S. Baaileo Magno. Aul. doJ. do
e cirdo J. da pat do 2 dist de t.
15 (.hiiiiia. S. Vctor. Aud. do J. de orph. e
do J. municipal da I. v.
8 Seila. S. Aureliano. Aud.do J.dociv. edoJ.
de pai do I dist. del.
T Sabbado.S. Therew Rainha. Aud. do J. do
eiv. eJ. da paz do i dist. de t.
Domingo, da 8S. Trindade S. J.ei
CAMBIOS NO DA li DE JNHO. ,
Sobre Londres a 25 d. por IJ rs. a das. Nom.
Paris 145 350 rs. por franco. Nom.
Lisboa 105 por 100 de premio.
Desc. de lettrai de boai firmal a I "/ ao mez.
OuroOacis hespanhola.....SOJIOOO a 11(000
Moedaideoroovelh. I#900 a I7#fl00
de 6f400 oov.. iGjGIO a IO>7<>0
.de 4000... 9f0"0 a 9|80O
Prole Pataces brasiliros. 2#001 a JJI0I0
. Pesoicolumnare... I#980 a 2J0OO
a Ditoi mexicanos.... tfD a IjjfUOO
Miuda............ U0 a l#930
oncio. |Aecss dacorop de Belieribo, a 5"000 rs. ao par.
DIARIO DE PEE1AMBUCO.
PARTE OFFICfAt.
MINISTERIO DO IMPERIO.

lllm. e Exm. Sr. Niio obstante ter sido concedida
V. Exc. a demissao que pedir do ^argo de presidente
dessa provincia; todava, julgando o governo imperial
conveniente que V. Exc. se conserve no exercielo do
nfimo cargo at que chegue o scu guccessor, por en-
tender que a coiitlnuacao dos seus servleos multo pode
concorrer para que alil se inantenha a tranquillidade
publica: assini o communlco V. Exc, para seu co-
uhecimento ; prevenindo-o de que ncsla data se no-
meia o vice-presldcntc, que, na sua falta, ou impedi-
mento, dever servir em primelrn lugar, aiim de que
a elle pane V. Exc. a adu.inistraco da me9ina provin-
cia, quando Ihe nao seja possivel espacar case acto at
que cliegue o sen successor.
Dos guarde V. Exc Palacio do Rio-de-Janeiro, cm
2 de jiinhode 1848. Jote Pedro Oos de Carvallo. Sr.
presidente'da provincia de Pernambuco.
deve opparecer no resultado final. No anno de 44, tendo I rocho, e urna certidao da cmara municipal. Tendo si-
dado essa 25 parochias 21,919 voUntes com o excesso de do Irvada a queslao ao conhecimcuto ao presidente na
6,491) sobre o anno de 42, no de 47 deram 31,20 com o provincia, j pelo meimo Juiz de pai, ja por um dos
excesso de 9,287 sobre o anno de 44, e de 15,783 sobre o meinbros da junta que se tinha opposlo a este excesso
de 42. Parlicularisandoalguinai, observa-ie que, tendo foi respondida que essa duvida c outras que podessem
a freguezla da Escada no anno de 42dado 1,005 votantes, | apparecer deviam ser decididas, conforme a lei e as de-
P1SPADO DR PERNAMBUCO.
J). Jolio d* Purifieaco Marquei l'erdigo, cotugo rrgranle
di Santo Agoitinho, pororoca de Dtot e dainnla t apoi-
lolica, bitpn de l'ernambuco, do coiwtlho de S. ,M. l.e C,
ete. Uf.
Sendo de nosio dever regular a disciplina eccleiiasti-
ca, gcralmentc obiervada e regulada, qual os reveren-
dos sacerdotes regulares e seculares devem exactamen-
te sustentare manter para decenclado culto, c edifica-
c.io dos fiis ; e tendo nt presenciado que as nrocis-
sues a cominunldades religiosas vao incorporadas de
um s lado, com justo reparo dos espectadores deatc in-
slito procedlmento, liavemos por conveniente deter-
minar que as communldades acompanhein as procls-
sdes (quando nestas liajam de comparecer) incorporn-
dole de ambos os lados no lugar de sua competencia.
Declaramos por esta occasiao, que as corporacfirs re-
ligiosas jamis deven acompanhar as procIssOes, col-
locando-se no ultimo lugar, que compete ao reverendo
clero. Pelo que prohibimos esta inverso de ordem,
crino contraria a le que a esubeleee.
Determinamos Igualuieute que lncorra na pena de
suspenso, (pio fado) a nos reservada sua respectiva ab-
solvico, todo aquelle clrigo que e incorporar com o
reverendo clero na* procissoes, ou ouiros actos pura- _
Male eixHMttK*. o***** *mV ffilgH t4>.0>-. ^rMim.
enca e cahformidade, que todos comporWin S Tom- ficadora i
ptente cola ou sobrepelliz.
l'alieio daSoledade, 27 de abril de 1848.
Jodo, bispo diocesano.
CIRCULAR AOS REVERENDOS PAROCHOS.
Constando-nos que, em algumat fregueiias desta ca-
pital, tem sido praticado o inaudito procedlmento de e
solemnisarein cncommendacoes de corpas presentes,
seiuque iolervenha a assiatencia do reverendo c ero.
que para este fim deve ser convocado, segundo o ritnal
prwcrkitopela anta igrej, quaiado taeaencommcnda-
ceabajam de ter lugar, havernay por conveniente ile-
terminar que os reverendo parochos facam ceitar este
abuso, jainaii conseotindo suapritlca em suas matri-
/.esoucnellas respectivas, parecendo-nos desnecesia-
i-la inaior providencia a respeito, qual prealaremn, se
ciu nao Ic-i sumcienle, para que a disciplioa da santa
igrrjaaeja sustentada, com conviu.
Palacio da Soledad, 8Ue junbo de 1848.
Joo, bispo diocesano.
-m^m
INTERIOR.
' RIO DE-JANlCmO.
SiSSA tM 2S DE MAIO.
rLUfiA BR DOS 8BHAOOHB8 POK l'BBNAMIDCO.
fAUOEB.
u rdram pretsnte* i commissao de conalituicp epo-
dres os diplomas dos Srs. Ernesto Ferrelra Francac An-
tonio Pinto Chichorro da Gama, senadores elcilos pela
provincia de Pernambuco na> ultimas eleicdcs a que se
proceden naquella provincia para preeucliei os lugares^
vagos. A couiinissao val cumprlr couvo doloroso dever
de dar o seu parecer. c
A rommiisao desejra uo encontrar motivos que h>
icsaeiu repcovar estas eleves. Nao he |>equeno o iift
commodo que soUrem s povo com frequentcs rcueli-
foei destes actos, e nao He nada lisongeiro ter de relatar
premeditadas Irausgreisdes das leis. Mas tao vilenlos
lram os nieios empregados para abafar a libcrdade do.
voto eleitoral, esse pi imeii o eleinenlo de vida do governo
irpresentatlvo. que a coaamilsso nao pode delxar de le-
vantar ana fraca vo contra a vlolacSo mais aberta de um
dos mals sagrados direitos do liomem e do cldadao.
< Das acu* e mals papis que furam presciiies a coiu-
uiissao, luaMlfesta-se ter sido violada a le em todo o pro-
cela daa-etelcdei. K commisso coiiiecar pela* quali-
flciffct.
No auno de 1847 fram quallficados 62,215 votantes,
entretanto, que s o havlam sido 32,184 no 1842, urna das
poca* combinada com n de 1844, que a le manda con-
siderar para e determinar o muro dos eleitores. Um
Ut exceiso nao pode ser explicado pelo crcsclmcnto na-
tural da populaco. Nilo era possivel contar com o aug-
mento to numero los editores, nielo ordinariamente
einpregado para assegurar as vomcocs ; aislo se opnu-
nha a lei, a qual presrrevia exprrssnmente fsse o menor
das dnai ultimas elrices, permittindo apenas que se
acereseentasse una quinta parte quando a iiso dsse lu-
5ar a populaciio. Para chrgar, porm, ao inesiuo lilu,
escobrio-sr um mel que fui a presentar um grande
numero de votantes, inulto embora fo.se limitado o dos
que este deviam eleger.
por falta de neerasarlaa iuformacoes no pode acom-
inissao faier comparacao enlre as qalilicaces de 44 e
47, tendo apenas noticia das de 25 parochias no anuo de
44. Mas es|at s por li mostram j a grande dill'crencaquc
em 44 deu 1,319. e no de 47 deu 2,014; a de Ipojuca na
prinieira daquellas pocas 234 votantes, na segunda 1,585;
e, apezar de tao prodigioso augmento, ainda na terceira
1,985; a do Bom-Jardlm na prlmeira 919, na segunda
1,110, e na terceira 2,098; adeGaranhunsem42deu7I,
as seguintcs qualifieacoet 815, e as ultimas 2,299. Es-
las cifras nan ilstaiii bem o espirito que dirigi este acto
preparatorio das rleicdrs. Com esta observacao geral
palenla-si! o vicio que acompaiiha as eleiedes desde
sua origem, sendo claro que uas votafei dos collegios
parochlaes inlervierain votantes a quem a lei nao d es-
se direito, e que lalvez nem exiitaiu. sen lo ficticiamente
representados por ou ras pessoas Al ni do exposto, que
por si s mostraa illegllimldade destes actos, tem a com-
misso de accrescentar alguns factos particulares que
provaut os nieios tortuosos, a fraude e a violencia que.se
empregaram.
a Mu-h'ormoso. Nesta freguezla, as autoridades poli-
ciaca com o corpo da guarda nacionsl, que eslava forma-
do, e com o destacamento da polica, pretendern! coa-
gir a junta de qualificacao no excrcicio de suas funeces,
interviiido directamente em suas deliberaedes, s quaes
se oppunham quando Ihcs nao agradavam, para o que
se apresentaram com frca armada dentro da igreja Es-
tes factos fram levados ao conheclmento do presidente
da provincia pelojuiz de paz presidente da junta, o qual
em difi'erenles ollicios pedia providencias para'o livre
excrcicio das attribuices da junta, e para se munter a
tranquillidade da villa, e nenhuma providencia fui dada,
alm de se recommendar ao mesmo delegado, que era
ao mesmo lempo commandar.le da guarda nacional, e
contra quem se fazia a representacao, houvcssc de con-
tinuar a manter a ordem como tinlia feilo at cutan.
Neste estado de coacco em que se achava a junta, resol-
ven a sua maioria retiiar-se para mitro lugar, para pro-
ceder jiislificacio que foi fazer, em um capella filial;
dando de tudo parte ao presidente da provincia: entre-
tanto que a maioria assim obrava chamando oulros elei-
toret para completar a junta em lugar doi que se tinhain
dcixado licar, estes ltimos convocaran! oulros, e drbai-
xo da presidencia dojuiz de paz segundo supplente fez-sc
igualmente nutra qualificacao. Nao sendo possivel trans-
en-ver toda a correspondencia do juiz de paz e da Junta
com o presidente da provincia, conlenta-se a commis-
seguinte da uiesma junta de 23 de Janeiro :
i Jaaaw tV( Om*, i......*+. jm*u,.tVm*,
UlO COlll O ot bllllltl. u ll||tlJf ^n^ltrUiMltn lolMfllU tUX
i IregueziaTabalxcTasslgnadaTpn" org'o"S P'ftseiu a lei, as decs
ao conheclmento de V. Exc, c ca. Embaracado o ju
seu presidente levou
seus ollicios de 19 e 20 do corrente, as violencias c mals
actos arbitrarios praticados pelos dous membroi da maio-
ria e pelo delegado supplente de polica deste termo,
Francisco Antonio Baudcira de Mello, por occasiao da
formacao da inesma junU, e trabalhos respectivos dos
das 17 e 19 do mesmo mez crrente; esperava certa-
mente que V Exc na qualidade de presidente dcsla
provincia, e responsavel pelo socego e tranquillidade
da inesma, dsse providencias necessarias e tendentes.a
l'jirr evitar um roinpimento que estava prestes a appa-
recer,'provocado pelos referidos meinbros e delegado
supplente, apoiados na forra publica de que dispunham,
com o liui nicamente de sujiplantarem a maioria da
mesma junta, e podrein desl'arte fazcrcui a qualifica-
cao a seu bcl-prazrr ; mas infelizmente teve esta de ver
frustrada as aun justas esperanzas com pasmo seu~e dos
pacficos habitantes desta freguezla, amantes da ordem
e da monarchia; pols que, longe de V. Exc. desapprovar
um tao arbitrario procediinento, ao contiarlo vlramcom
a maior aorpreza que V. Exc. mui expressamente os in-
sullou ou encorajou, segundo claramente se deprehen-
de do contexto do olncip de V. Exc. de24 do mesmo mez,
no qual declarou que se ha recomiuendado ao mesmo
delegado para que einpregue todos os nieios ao seu al-
cance, alim de que (forman palavras) continu a man-
ter aqui a ordem ; o que importa o inesino quedizer ou
recommendar ao mesmo delegado que continu a vio-
lentar os mesmos abaixo assignados no livre excrcicio
de suas funeces, e tanto mais se convencem os abaixo
assignados desta verdade,quanto veni escripto no Diario-
Novo ii- 18, de 23 do correte, folha olttcial.tim artigo de
fundo, cstigmalisando a maioria dos membros da mes-
illa junta, e especialmente ao seu presidente, a quem
mui formalmente se ameacou, declarando-se que elle
se havia de arrepender do procediinento (alias inulto Ic-
eal) que havia tido ueste negocio. Ora, conslderando-
cisnes do governo e da presidencia, ou pelo juiz de paz
ou pela junta, segundo coubessem as atlribulcrs de
um oudeoutra. Com esta resposta julgou-ie autorisado
o juiz de paz a darassento ao novo inemhro, sustentan-
do a uplulo que havia manifestado, c da que o presiden-
te linda noticia ; e por um despacho seu, esem audien-
cia da junta, considerou membro della a este novo c ex-
pcllio o outro. Contra esle acto reclamot a maioria da
Juma; c nao querendo o juiz de paz nem receber o pro-
testo que esta havia felto contra semelhantc excesso de
autoridade, asscntou a mesma de se retirar para evitar
alguma violencia, e foi reunir-se em outro ponto; do
que tudo deu' parte ao presidente da provincia, assim
como do lugar onde eslava reunida. Tentn o subdele-
gado do lugar dissolver por frca aquella reuniao.'que
alias no era clandestina : e daqui resultou o clebre
processo de conspiraco, organisado pelo chefe de poli-
ca, de que j o Mino paisado se fallou nesta casa. A
frca foi empregada para aterrar os nimos ; para o pro-
var, he bastante transcrever um artigo de nina justifica-
cao dada no julio de paz do 3." districto, c julgada por
sentenca : l., que a qualificacao a que se proceden na
dita freguezia teve principio na igreja matriz eultlmou-
sc emeasa do vigario, em urna sala oceulta, e que duran-
te o lempo em que funcclonaram estava a povoacao oc-
cupada por urna frca de paisanos e trlnta soldados de
prlmeira linlia, com duas srntiuellas unto dila casa,
impediudo a qualquer cidado de reclamar o seu direi-
to, sendo entao a mesa legal dlssolvida da_ igreja pelo
jni/. de pa. E deste modo se fez a qualificacao desta fre-
guezla, sendo notoria a violencia empregada at con-
tra os proprios membros da junta.
Sennhiem. Reunidos os cleitorcs, mas aluda an-
tes de formada a meta, espalhnu-se a noticia de que,
por urna decisao do presidente, cm execurao de urna lei
provincial, parle daquella fregueila ficava pertencendo
nutra. Como, porm. nao houveisc certeza dcs-
sa desmembraco, coinecaram os Irabalhos da forma-
cao da. juula com lodosos rieitores da parochia. Termi-
nado esle acto, apparecru a deciio do presidente, que
deterininava a diviso : e entao levantou-se a duvida se
eslava legal a junta urna vez que tlnham tomado parte
na sua formacao eleltorcs que j nao pertenclam pa-
cochia. Sendo discordes as opinles, o juiz de paz, de ac-
crdo com os membros da unta, nftloinn ao presiden-
,u.. da .tuvida. A resposta rol que cum-
as decltes do governo e as da preslden-
_rido o juiz de paz com esta resposta, inslou
de novo, pednido una cxpllcarao ; eento declarou sua
opiniao, que era que ajunia eslava lllegal, e que de
viam ler novaincnte convocados os eleilores que per-
tenciain freguciia. A islo respondeu o presidente da
provincia o mesmo que da prlmeira vez. Com elleito,
nao era prudente arriscar urna decisao que fitesse per-
der tuna maioria que eslava segura. Nritai circunstan-
cias, o juiz de paz toinou a deliberaco de obrar segun-
do a opiniao que j havia manifestado ao presidente, e
que esle devla esperar liouvesse de regular o seu pro-
cediinento ; julgando Ilegal a junta pelo vicio da sua
formacao, dissolveu e convocou novamentc os eleilores
para o outro da. A junta naoquiz reconhecer esle acto
do Juiz de paz, c passou a convocar outro juiz, que nao
era o que devora substituir pela ordem das substitui-
eors ; e tanto ella como o mesmo juiz de paz participa-
rain o occorrido ao presidente, o qual entao reprovou
O procedlmento do juiz quando elle devla esperar que
ltoviesse ocontecer, e entretanto que sempre se havia
llegado a dar os necessarios esclareciinentos a quem o
eoisullava com desejo de acertar. O que tudo c todas
ts mais occurrcncias de entao sendo levadas ao conhe-
clmento do governo imperial, balxou o aviso de 29 de
marco de 47, que claramente condemna o procediinen-
to do presidente em todo este negocio. Deixando-se cor-
rer as cousas sem urna decisao. queria-sc aproveltar um
resultado favoravcl, quaesquer que fsscm as causas que
o prodiizissom c tudo isto demonstra o dolo c na le
oin que as elelces ci am dirigidas.
< Po-d'.4to. Depois de funeciouar a junta dozc dias,
dcraiu parle de docnles dozc meinbros, os quaes fram
substituidos. Estes novos, com os que havlam fieado,
resol veram auuullar lodos os actos prallcados pela jun-
ta durante o tempo que tlnham servido os membros
Impedidos. Nao querendo o presidente da unta con-
seiuir neste arbllrarlo procedlmento, conseguio que o
se n'iaioria da mesma junta collocada as inesmas ou bjecto fsse submcttldo ao presidente da provincia,
ainda peiorc cir'cumslaiicias do que quando suspendeu fEste, porm, deu sua coslumada resposta i Cunipram
os trabalhos de qualificacao no da 17 do correte, vista, w leis, as decises do governo e da presidencia. Como
destes e de oulros factos que fallain tao alio, tanto mais
quauto V. Exc. se nao dignou de dizer una palavra acer-
ca da prestaco da frca para fazer manter a oylein, cu-
ja necessidade ae rcclamou ; e desejaudo por suas pes-
soas e vidas o abrigo da perniciosa influencia da polica
deste termo e mu peiiimo ageotes.apoladospor V.Exc,
a quem infriictuoaaiueulc bao recorrido: teem delibera-
do,usando do arbitrio que Ihe conl'cre oait.4da lei de 17
de agosto de 1816, procurar ouiro lugar retirado desta
villa, onde sem perigo ilumnente de suas existencias
possaui proseguir em seus respectivos trabalhos, visto
que nao foi acatada a propria casa do primeirn dos abai-
Xo assignados, que se vio aggredida, e insultado esle no
da 19 do correle pelos referidos meinbros e delegado
supplente, acompanhados de frca bruta e mais pessoas
armadas. K termina o ollicio declarando escolher ou-
tro lugar, c chamar quem substltua os membros da mi-
nora. He bem para deplorar que em um ollicio dirigido
rrrlnieira auloridade da provincia, se einpregue una
lingoagein como esta, em que elle lie tao claramente ac-
cusado de connivente com os perturbador* da ordem
mas essa inesma lingoagein, que alias se achn reprodu-
zida em oulros inultos ollicios das autoridades de outfas
aroclilas, mostra a convieco geral de que por paVte
dtssa mesma prlmeira autoridade nao se pouparam
mcios de chegar a um fim. Duas qalilicaces, pon,
fram felfas nesta parochia, e.ja se sabe, prevaleceu a
uue foi presidida pelo juiz de paz segundo supplente; e
cm todos os factos que se pratlcaram desde a formacao
da primeira junta, he bem patente a iutervencao arma-
da das autoridades pollciaes.
i/m iSeita freguezia oslentou-se o mesmo appa-
ralo 'de orea armada. Depoil de loru.ada a mesa, inten-
u o iuiz de paz presidente expellir um dos membros
para imoduz Ir outro, debaixo de preUxtode confn.ao
de iioine, sendo cello e notorio que este nao era eIrtior
da na "c lia, e nem .esidia uella no lempo da. ultimas
eleocs o que ludo se prova con. un. ite.Udo do pa-
a junta a quem se ileixou a solucao da duvida nao havia
de reconhecer ter obrado contra a lei, as decises do go-
verno e da presidencia, conlinuou, como era de espe-
rar, a sustentar a sua prlmeira deliberarlo ; o juiz de
na' vio-se obligado a ceder maioria. entao foi altera-
da a lisia j approvada, c fez-sc a qualificacao segundo
arbitrio de que j se havlam feilo aquclles ensaios. L
eslava, porm, o concelho de recurso, que podia destruir
os actos arbitrarlos que liaviam sido prallcados ; e era
misto torna-lo favoravel. Para isto conseguir alicrou-
Ma lista dos supplenlcs de juiz municipal. Mas islo nao
bastara, era necessario arredar o presidente da cmara
municipal. E como, quando ha vonlade, nao faltam pre-
testoi, foi ella suspensa. Aconleceu, porm, que nesse
lempo eslivesse ausente, por molestia participada a c-
mara, o vereador inunedito ao seu rjrcsidrnie o qual
nao foi envolvido na suspensao, por nao ter tido parte
i acloque a ella deu lugar. Na espera da reunan do
concelho j eslava restituido ao seio de sua familia esse
vereador ; e elle havia tomado a presidencia da cma-
ra, sem que ninguein Ib'o conleslasse. Comparecen pa-
ra tomar parte na formaeo do concelho, e foi repellido
pelojuiz municipal debaixo do pretexto de que havia
modado de domicilio. Reclama o vereador dlzcndo que
elle7se ausntala por molestia, que disio havia dado
parto cmara, de qne havia feilo menean na acta, que
havia deixado sua familia no lugar, eachando-se no seu
domicilio, esleve exercendo o lugar de vereador, tendo
cenado o seu impedimento : he preso, e metlido na
enxovia. Recorre o desgracado ao presidente da pro-
vincia com a exposicao do facto, c com os attestados do
morocho e cmara municipal, que provavam snas as-
serces. E como ao mesmo presidente da provincia se
havia dirigido tainbem o juiz municipal justificando o
seu acto com a raiao de inudanca e domicilio, a este
responde o presidente qne, c era certo, como clted.sse
queaqiicue rldadflo havia mudado o domicilio, nao po-
da mSisexerceras fuuccoes de vereador, e nem as que
. Ihcs andain annexas. E deste modo coniuinmou-se esle
laclo de iniqudade. A commisso nito pode prescindir do
transcrever as primeiras e as ultimas palavras da repre-
'senlacao que aquello vereador rnderevou ao presidente
da provincia.
lllm. e I-'.mii. Sr. Preso na cadcla desta villa em
umaeuxovia inmunda epastifera, confundido com ne-
gros captivos e criminosos de .norte, multo doentc por-
que a molestia que sofl'ria se tem aggravado, ou pelo ar
que respiro, ou pelas prlvaccs que snfl'rn ; daqui mes-
iiin me dirijo a V. Exc para recontar-lhe o alternado
cnniiui linio na minha pesioa oontra o poder eleitoral,
ai ten i ido que aftecla a repulacao de V. Exc; se por
ventura bem Informado do caso nao der urna provi-
dencia.
Segue-se a exposico do faci, e termina a repre-
sentacao deste modo : qual he a causa ostensiva da
ininlia prisao ignoro ; o que me consta he que ha um
processo contra mim formado com a rapidez do ralo,
sem que en fsse chamado para elle, apezar de me a-
cbar preso ; por amor de Dos, Exm. Sr., cu faco a V.
Exc. urna transacciio para bem da eleicao de V. Exc. e
do partido praleiro ; livre-me desta violencia, e-eu de-
sisto da i,lea de ser membro do concelho municipal : se
leudo crime, quero defender-me ; mande V. Exc. para
bem e crdito de sua adminislraco que se me d nota
da culpa para saber se o crime l.e afiaucavcl ou ina-
lianravel : proceda V. Exc. como homem justo, instru.i
aos seus agentes para que cesse a perseguicao, urna
vez que eu cedo o lugar do membro do conselhO mu-
nicipal. Era preciso que fsse mui profunda a cou-
viccao deslc infeliz, de que seus males provinham do
proprio presidente, que quera vencers elelces cus-
tasseo que cuslasse. para que sem o pensar Ihe lane.as-
se em rosto una Injuria na occasiao mesma que lin-
plnrava sua prolecrao.
Estes factoi provam a interveneao directa c violen
la das autoridades em todo o processo das eleices a- eo-
merar pelas qalilicaces.
- Ipojuca. As Irregularidades parochia conslaui dos documentos seguintcs : 1." Una
eertidao do escrivaoda cmara municipal, que diz : =
ola da formacao da mesa : nclla nao declara quem f-
ram os membros que compozeram a junta. Principian-
do na qualificacao, vc-se que do numero 190 salta para
o numero 693, continuando a numeracao seguida v-te
o numero 823, c salla para o de 884, contina outra ve/.
a numeracao seguida at o numero 1,228, e neste nume-
ro nao ha inn.c escrplo abaixo delle : e contina a mt-
nieracao seguida, vai ao numero de 1,789,. e deste salta
para o numero de l,73 .... c deslc modo contina anda
a Irre^uLiridade da eaoripluracto. 2>E' a propria acta
do collegioparoolilal, em que se l o seguinte : N.in
consta do llvro que rom uibjuI^J- imita uualiiica-
dnra.... a numeracao doscidadaos quallficados he suin-
maineute irregular, nm mesmo numero he alguma* ve-
es repetido, muito l'requenlemeiiit: lotorcaudoC. c o
que he sobretudo mals nolavcl he que a numeracao re-
trograda do numero 1,845 para o numero 1,781.... o
trabalhos da qualificacao acham-sr assignados por una
junta composla de 6 membros,
ii Em umitas freguezias fram presididas as juntas
por juizes de paz. incompetentes, que nao qtieriam ceder
o lugar aos maii votados que se achavam presentes, e
que reelamavain presidencia como acontecen cm Goi-
anna, Tracinihaem, Bnnito e outras parochias. Ulnas
retel allrgava-se, e Isto havia sido sustentado pelo pre-
sidente da provincia, que o presidente da junta devla
ser o mesmo juiz que havia fcilo-a convocacSo do* elci
lores, como aeontcccii na Escada c outras partes, ainda-
mcsino que coinparecesseiii oulros mals votados. Ea-,
pezardoque, depoisilc dcciics terminantes do gover-
no imperial que reprovavain aquella inlelligencia dada
pelo presidente, mullos dos juizes competentes, funda-
do! naquellas decises imperiaes, representasaem ao
presidente a illegalidade daqucllcs actos, e pcdlssem
liouvesse de marcar ouiro illa parase proceder una.
qualleacio regular, nenhuma providencia foi dada, e
essas quallflcacoe*. assim illegaes, lram manlldas. Ou-
tras veiesas mesinas cmaras convocavam os juizes me-
nos votados, nao estando impedidos os mais votados,
que nao deixavaui de reclamar se Ibes deferisse a presi-
dem la, e nao eram alltendidos debaixo do incsmo pre-
texto, como aconleceu em Nazarclh, segundse ve-do
seguinte nllieio do primeiro supplente do juiz depazan
presidente, a lllm. e Exm. Sr. = O segundo supplente
do iuil de pat do 1. districto desla Ireguciia fui convo-
cado pe* cmara municipal de Natarcth para dar an-
damento ao processb de qualificacao : este acto abusivo,
contrnettldo pela cmara municipal, que, levada por es-
pirito de partido, fea essa convocacao do segundo sup-
plente, nao se mostrando e verificando o impedimento
do primeiro supplente, deu causa a que este segundo
supplente convocasse os eleilores..... Outra* vezes
prelextava-sc nao estar juramentado o mais votado,
quando as inesmas cmaras punham dlmculdade pres-
larao do juramento ;e, o que mais he. ah se exiga ra-
tificacao do juramento quando, por ler cessado o impe-
dimento do mais volado, oqueocra menoslargava o ex-
erclcio, como aconleceu no Rio-Formoso ; c esta doutr-
na lambem leve o apoio do presidente da provincia,
que assim o ordenara. Em muitas freguezias fram
qualirtcados reconhecidos proletarios, e at menores,
como aconleceu cniTIjiicupapoe nezerros.segundocons-
ta de attestados de juzes de paz e da parochia, dos cl-
dades conspicuos dos lugares. Os incsuios concelhos
de recurso mandavam nscrever pessoas que nao esta-
vam as circumstaucias de seren qualificadas, e que
nem liiiham apparecido seus nomes perantc as juntas
da iiialificacao ; r tudo contra attestados das pessoas
. > a ____ _U_ ...rl-llA ..,. I\l\ .. I i i I I I .1 .
f
gradas dos lugares, que conheciam os individuos di-
que se tratava, como aconleceu no Cabo. A formacao '
des-es mesmos concelhos eram mullas vezes Illegaes,
nao sendo convocados aquelies que a lei chamava, c at
liouvc presidente desles concelhos que por una limpies
ordem velo ordenar aojui* de paz presidente da junta
liouvesse de lancar na lista dos quallficados nomes que
nrlla nao iam comprehendidos, debaixo do pretexto de
que por descuido be que nao haviam sido nclla conten -
piados, como aconleceu cm Goianha. Estes manejos fij-
ram empregados em lodas as freguezias.
Eleicvet primaria. -- as assemblas parochlaes re-
petlram-ss os mesmos artificios de fraudes e de violen-
cias queja haviam fatsficado as qalilicaces. Ameacas,
processos, prites, apparato de frca armada, violencias,
fraudes, todo os mcios que a razao condemna e a lei re-
prova fram aproveltados para supplantar a vonlade
bcui manifestada da grande maioria di provincia. Para
mostrar que os acto* entao prallcados nao fram mais do
que fieces elcitoraes, bastar comparar o numero de
votos dos eleilores con. o dos votantes; as mesmas ac



T"
22*!!fi ca.s?: o 3E37.ta2rL: ntte ",eu pro,esto ao co,,hec"'
,2
"""""M2. MI; Serinhaem 484. 482. : Nazarell 854
f ftS i221, kft ;iicada 1>287 >' ; oS-X
'*;''7 *" ,'W>5' '*" Anda ...ai. e.n Papacaca
mSTSS! rrtS,,tet,. ""votado leve 459 loto ;
nivoH.to.l.l8ol'Vlila eram os volantes 201. o
tais votado leve 220 votos: cm fininl ##.. ........
aV, Exc. haja de
iibeclmento do govtrno
seguinte:...
II horas do
conforinlda-
se recebera.n, e achon-.e'ser "o nSn.VroT'jK'leSdS
occorrido nao haver liberd-.de no rcccbimento porauc
diversos inspectores de quarteirao i porpocoque selam
chau.andoa. pessoas de seu, quartire. podara,.!"
junto a mesa trocando as listas dos que se aprese la-
vara, subsistituindo-a. con, outras.isto'por aquee, ve-
tantes que mals fcilmente se dcixavam ate."" ate
mesa nao pode obstar pelo estado assu.iado.e ra cje
a
cin
ni i.
somnrcle^r^'r.l50 05Peci,ica ih. l3 CXCC8, *luc se "So pode justificar,
eleva observar aur tn ma,. ..... ___' ,.J """'
S'"^r'.""Jas estas assemblas cabe a
.bsenafaofe-.u acerca dos dous primeiros de
1te ''1,nda' ist0 "Muc o eletore* immr-
_._._.. ju teeiii os mesuras votos, ou seeuem-se com di-
'culote do1"',rcs' ou ***? "' Eral .
Tos estef!p nn,,,?Mmcieuledcsuppi.tes. To-
?,?c ,,. S l,rova bastantemente que n ss
Sclru rVCV,afa.0' Psi""a simple, d,
indm c''t;"",,0 '""' pWMW a polica. R
.lindan ais patente a coactan ue se exe.ee.. .
sset collc-
esignacao
tan fazer
jue se exerccii e.n todas
accrcsccntra inais o sc-
i'Mas eleices, a comnilMio
gura te:
.nccsTt'" .'' ''"',0 co"f an eleices com algn,
iZnuJaT TVert,"b!,d0S os balboa cleitorac,
,,crw!" . S S* C a,n,,fVas. dilundindo deste modo o terror
nos pacficos liab.lai.tes. Sem Callar em alguns distur-
bios qucl.vcrc.n lugar en. algu.nas freguesas, que i-
!"?" "! a",nfus,' c..a /"'den. as asserablas def-
ines
guardas tamben lardados c armados de ccete, al.n
de concorrer multo para por a mesa em coaccSo cer-
teza que tinba.n diversos membros della da existencia
de urna Airea de polica, que disfamada se achara im.
proximidades da povoacao e com um corneta prom-
plo.-...
8o nao votarain os dous districtos; .'i., que entrou na
organlsacao da mesa um individuo que, chamando-sc
Manoel de Marros Accioli Mello, oue Servio na mesa da
qualificacao de liarreiroa, onde Be parochiano, e obteve
votos para suppl' nte de eTeftofr, to.nou assento com Ma-
noel de Parros Wanderley, da freguezla de Dna(*o
mamo e quemj te fallou na qulifica(Ho dtila [tegueiia ) ;
6.*, finalmente, que, durante os das 18 e 19, parte de20,
(quando acabaram-se os irabalhos) estiveraiu diversas
Torcas armadas na povoacao. em casas do profesor, vi-
gario e juii de paz, com multa municao de guerra, viu-
da da capital, guerrilbas pelas maltas contigua s es-
tradas por onde devia transita, o povo, c semine lias na
porteira do quintal do vigario, por onde se entra para a
povoacao ; um piquete de 130 pracas no engcnlio Ilhe-
tas, do subdelega o, c outro na estrada geral, um desta-
- ...... por gente ar-
j.iaila de faros defpontas ecacetes.aqual affl.iia deonlras
ftvgantas, e que a urna loi roujiada. 2. Que no referi-
do d.a. ;. uma boia da tarde, fecharam-sc todas as loias,
vendas, arma/ens.e os cnsules estrangeiros arvorarau
suas banderas. .\ Que os grupos armados que percor-
riam as ras da cidade espaucava.n a todos s cidadAos
do partido da opposicao, e ameacavam a todos com eri-
V a ",orra"' os guabrs, morraui os Portuguezes
4.n Qc os e.dadaos da opposicao (oran expcllljos das
in.itri7.espelos grupos armados de facas de ponase ca-,
cetra. G. Que em todas as freguezias aleuns individuos'
e os inspectores de quarteirao respondam a chamada de
lodos os votantes e por riles votavain, apezar de nao cs-
tarem presentes. O artigo 4. e mals tres que se segueu.
tendera a mostrar o desmando desses magotes de povo
nos adros das igicjas, andando eutre ellas os delegados,
ubdelegadose os.inspectores de quarteirao que ludo
i. lodos estes factos, constantes da justificacao
O comportamento das autoridades poleiacs
o terror queralo fazer a eleco : e de.iuu-
. lain, por isso que pralcadas ua presenca da pii.ncira
autoi id-de da proviucia. as insnuaccs que hava.n de
eicominunicadas as do interior da provincia paraobra-
em ..o nies.no sentido, como comelleito obrarain.
., rutara. Foi igualmente presente .i commissiio
mura justii.cacao, dada no juizo municipal da cidade da
\ ictoi .a, c julgada por sentenfa, da qual constam ex-
cessos da mesina nalureza, praticado prl. auma.-
des poleiacs do lugar. Seus arligos s.o us srguiutrs :
l. o delegado deste ir...o, ...,,i,.,i-ci Pedro Itezerra
lcmim.r l^r?l'!j I*11''0' e- ,BMel,*> Antonio
Z?21'id9* Mrrondfc c '"ais inspectores de polica,
r'" '",Mado,?'", P',!sup8. reci uta.uento e promettido
perseguir aquelles individuos que nao votarem nara os
toleravam.
mostrain
que con. o terror
me l.ontem na villa deste termo, na qualidade de iuiz
h..VUM, T0 ",aS V0Ud0 d0 di,,ritt0 ,,a ",atr"-. "
Cl ",0 lo respectivo jniz de paz, o coronel Gas-
par de Ilenczes Vasconcellos de Drmnniond, par* pre-
sidir a assemblea parochial, observel que na mesnia
villa exista urna frca armada, e que para ella entia-
vam de vez e.n quando os grupos capitaneados por ins-
pectores de quarteirao c cabos de polica, e.n virtuoV
das notficacoes mandadas fazer pelo delegado Cactano
?.riltesW1 Wan?r"r. contra o que reprsen-
le! ao dito delegado, requisltando-lhe por duas vezesque
lizesse retirar da villa a ines.rta rorfa," visto ser elfo
prol..l>.,la pelo art. 108 da le de 18 de agosto de 38, no
da da cle.cau-primarla a uma distancia menor de ma
legoa do lugar da eleicio ; c como elle Insislisse em
conserva-la, pondo asslm em coacrao nao s a iniu,
senao tamben.i os volantes, inultos dos quaes por es-
ta causa se retiraran, logo da villa e-cu livesse alm
dlsso denuncia de pessoas fidedignas de que na vespe-
ra daeleicao uiilia viudo para a villa tuna porcin*
gente armada, cujo armamento exista occullo era di-
versas casas, tomei o aecrdo den-io dar principio na-
quclle dia ios trabalhos elelloraes, e retirar-u.e da
villa, lazendo reduzir a termo o occorrido ; sendo que
depo.s disto conslou-n.e que o delegado fez sen.nre
installar a assemblea parochial, a qual se acha funecio-
nando sob a presidencia de Jos .Marcellino de barros
li-anco snpplcntc em sexto lugar do juis de paz do
2. d.str.cto. estando alias este em ejercicio,! assim
como o do lerceir... que he o n.ais vitinho do dlstrirto
! ? Vi? '"0"1 po'" con'g""e competa, na furnia
da le, presidir a assemblea parochial, no caso de rtue
mentod,eVaSF*'',Tddo: l'Sfi < o .o conhecl- n.
cas m,e e.".trn.l' ,1 'i B" dC dar M P'vdeu- tudo de rtrbo adverbum, affir!
de nJ'e S rn"? Cl" SUa sabcuo"a. a'" eansaco deste processo he c
avrtadedonvnn^n l" *? !""" Ie c exprima oue esta mesa seachava no
L,. i a ,P,0V0 nao da )0l";,a desta freguezla. Dos
guarde. --O delegado a quemo juiz de paz se havia dirigi-
do para faser retirar a rea. negouque ella existss! :
a ..... faelo constante em toda esta villa, pois que he
sen. duv.da que ..ella exisleo deslacau.cnlo dapilici.
e tcui v.ndo bastante genic armada acompan
respectivos iuspectores e cabos de polica <
incsmo c varios eleilores observaram ao entra
ra esta villa, nao posso nrsse estado de perfeifa
preencher os deveres do ineu cargo, e por isse
hada dos
como eu
arara ao entraren, pa-
" coaeco
dVfoiVler'Xoraes-
debalxo
ohiii Be Vp
da pro
Eicada. neproduzira.n-sc nesla fregu;
-nos fados que na de Serinhaem. Km eo^.sequecia "o
docitado omcio do ju^'de'^r^deTir
terror rajjMg, tomada a povoacao, o i'u'ii'dTp'az
issembiea pa.ocl.ial, sumumi. ....'.
adiou
dia c
'!3fi'i',.ca,J"';,andodc|'"1,lico quellesnoe s<
taz-lo. heguem-se mais dous arligos que tendera a
votantes de entrarem para esta cidade a
i em seus votos para as eleices de eleilores, aiiiearando-
ILVL'e. *lf/25** C t,a7:,nd a'e"' debaxo de pristes
i a C'dade' ".d<' frain aleu,,s recolhldos a uma
,...{.",l'sua1.s<'Su>,'da.0,de"1'"''' conservados ate a
S.H hY," 'a 2 : 2' Vc ,nPor F-ancisco de
i. dii.ivri? ;a,"a,'ge"",,d' guarda "tonal, no me*-
n.o uia Uvera igual procedimenlo com outros votantes
n quera tambera conservara debaxo de prisao. 3 i-stc
artigo prova os disturbios causados por ...agoles de no-
vo, acoinpanhndos das autoridades policiaes eda cuar-
c,onZnrt'" ;,o" SKS "a Pr,a da iK"'Ja >(">. o .cn-
nne. rl .""* a68rcdid'" a'B"" cldadtos a
quera ;. lorca se toinaram algunias cdulas, que em
sua prop.ia face eran, rasgadas ; 5. que alguns inspec-
?"!"!.hL".?--e..,"-clUrado h."'cn..e boje con. os
eu pane de Sr^^S2-A!fcffi
co nnuamo r subdrlcad a pron.ocao di raesa e"
coinquanto estivessen. adiados os tr.balhos eleiloras
X VfrS U'"a mesa co' 'Ve? :
senuo ell.s JO, e com 17 supplentes. Entretanto mi
Sra^4*das auLh,al:" ^
daB|nesii!,ar.'ochilT D,.,llon2-^ a o'"a- presidencia
aa mesa paiochial, o juiz de paz supnlente em snsrmutn
bfac3,iSaC'tZNh1 '","C" -Pl'"ete" ue^efie
Kundo E.?" "e 'UBar' eo"'nando-se aquelle sc-
fic d droh h.aUSUr,'a!'-ll,C "'" di,eUo flue "'
cio': W ,,Bs.':""-.0.p,""e'7 aupplente o segunte oli-
llegaln ,'e c cTn^"? ST* q",e V'"- "e il"r"'",'"o
vieSr ni. ldaS as dr cle.Vn h a.,BeM P3ro'l*l Hue lera de proce-
dores vaejs or e.'eUre? ",,e "ein eleger dousP.ena-
quera
mlf?T!~!2.Jl*1. '-...
ZC.M"a Jlresid'"Ca ; sendo alm disso
ma.o.ia dos .-.dadnos expellido da igrej
l lita* i'ii,,,,.. fa_^.. ". > P
polticos, cu. cujo numero devo ter
tores
volantes de seus quarleirons, formados at a igreia ma-
in.-., era cuja porta se conservara formados at que Ihcs
sao dada, a, listas pelos inspectores, os quaes acn "
bamos votantes at a mesa, onde sao entregues as is-
Ut pelos votantes. B
Estes faelos nao precis ara de comnicniario elles
rova, claramente a violenta intervencao das aulori-
ades policiaes e da guarda nacional. Bastarla dizer que
.es.no fo. praiicado as outras asserablas paro-
les. Mas a coiuniissao anda tomar algn, lempo
ao senado coi a narrajao que se segu.
Afogadc- Um officio do jus de paz presidente da
_-Parui'ma1'. ,,,."',gido "o presidente da provincia.
le Tu^ie"1;"^68 "^ fW eu p
const/do" neu ,ll? "^ 5 tei''P co.npetenle. M
...*r!:.., '"eu 'P'oina e da respectiva acia da can.
todas as
res-
como
mesa
i.aselcicoes que deven, ter lugai amanha. 19 do .
rente : cusa a crcr que boje, vspero desse acto, fs-
,nZZYJ*0* C vareJad0S divsos eng.nhos de peoa,
influentes a pretexto de apprehendcr arraaraenlos. cuta
cs enea alias se nao verilicou ; que una frca policfol
esteja i.npcd.ndo na povoaffo o livre transito dos cida-
d..os, aineacando-os, alerrando-os, e at espancando : e
lZa?r'0'Uhdr*6ad,,'SCUS '"'atores, ofticaes
imB.m ''". eumeapilio do corpo de pollda
to na. .id^ TU e"' Pr,a a CX'Kir votos P*ra a c''aPa
rtopa.tido dominante, cora araeacos de i'erseguices
nnlXZZ"" di.n0lu' ""ipregos. e outraf "aW
? L trea,/iues l.zeram remuneracoes de qnamias
con. que se achara mnni,la c ........ .....;'." .
bsda"?r,V ^^ "W* mposfo de'cand da-
lles IZ.L P1d e,".>raica "< as fraudes elcilo-
lo'^irl PMPM V.n. que nesladala te-
candoTh on '^"- pl"idpnle da P'ovinca. WrnW
MSSSrJS&M occorridu' c assemblea parochial contra o procedimenlo intruso de
oseldto.es a emC'n EL"'t*0 J''n'a'"cnte cm
r iT compete a formaco da mesa pa-
lr .;"< c?nquencia desle acto arbitrario re-
ti.ou-seojuiz inais votado, cora alguns elcito.-e e o-
dVm.'.f PXa 'nura elpitio <' '>.a cipeUa fi ia
da n.esn.a freguez.a. Para s paientear a frca da coac-
cao que se e.npregava, note-se que. lendo o u de
paz mals votado que havia sido excluido da prs acu-
cia, ap. escudo um protesto nara ser laora. ..."
un escrivao que se atrevesse a toina-lo, dando-se uns d
f uapeiloi c outros de doentcs. Ento recorren o uiesni.
ou
e
recorreu o inesiuo
i que se achara munidas as pessoas sobreindicadas
eale,.ndo a ludo Uto, e abusando do augusto norae
l;.?t"lde l,"P"adt'r, e de V. Exc. tomo he
TE n. r"1, ,en?0: 1ue a8,,il" haJa eleices livres '
rudo nesta freguezia he alarma, ludo he terror : c ,eu
te eslava exercendo suas funeces, requeren ovamen-
le o pri.ne.ro supplenie para que elle o lomasse eo
escrivao vlo-se obrigado a declarar que eslava em esta-
do de coaccao, pelo recelo de soflrer alguraa violencia
e desacato, como ludo consta de cerlidoes.
tn/i.Para se mostrar afalu de llberdade na elei-
cao desta freguezla. Iranscreveiu-se alguns arligos da
justificacao de que ja se fallou quaudo se ira ton da qua-
lihcacao desta paroehia : 4., que so se fez a chamada dos
votantes do priu.eiro distrelo da freguezia, e que. no
da segrate, quando alga... votante do segundo ou ter-
ce.ro i.ir.cto ia votar, loraava-se-lhe a cdula que Jeva-
ca.nenloda policia no lugar de Barreiros, distante niela
legoa da igreja matriz, para impedir certos volantes de
entrar na povoacao Observe-se inais que esta eleicao
foi le la debalxo do terror, causado pelo famoso processo
de conspiraran de queja se fez ineiiso, no qual fram
pronunciados eleilores da paroehia, e anda nao bastan-
do nada disto, fram notificados para verein jurar leste-
iminlias, na vespera inesiuo da eleiciio, un eleitor e dos
supplentes.
Po-d'Alho. Depois do facto horroroso, eoinnietti-
do contra o presidetuda cmara, que ja foi relatado
quando se tralou da qualificacao desta freguezia ; faci
que por si s era bastante para incutir maior terror nos
animas, fonnarain-se procesaos, e flxeram-se prises
com o fin de preparar s cousas para o dia das eleices.
Formada a mesa, e continuando ella cin seus trabalhos,
apezar do apparato de gente armada, no dia 22, dirigi o
seu presidente o seguinte officio ao delegado : lllm.
Sr.Constando-me que com nianifesta infraccao do art.
108 da lei de 19 de agosto ca militar armada dentro destavilla.com o manifest fin
de aterrorisar os habitantes, e mesura a mesa, e tanto as-
slm que recebi officio de um inembro da mesina mesa
eleitural, n capitn Francisco Cavalcanli dos Santos, que
lio.tem imite fra preso pelo inspector de quarteirao
Antonio Diaria Oconel de Jersey, faci este extraordina-
rio, e que com o mesura inembro fram presos quatro
cidadaos inais ( seguem-se seus non.es e qualidades),
requisito a V. S. a dispersan de senielliante forra, pois
que me julgo cin coaccao, e nao conlinuarei a funecio-
nar emquai.lo i.5o fr satisfeita a ininha legal requisi-
oio O delegado em sua resposta nega o facto da frfa
armada (que he o que faziam todos os outros ), e entre-
tanto reconhece a existencia dessa frca, procurando dar
explicares aos faelos allegados, masque sao destruidos
por outras deelaraces.
. k Tijucupapo. Da propria acta da eleicao primaria
constada presenca da lrc.i armada, dividida em pique-
tes por mandado do subdelegado, que se achavam posta-
dos em todas as entradas da freguezia. O inais consta
de um tii.ro do secretario do coilegio, ao con.mandan-
te superior, que diz o seguinte. -- Incluso remello a V.
S. a certidao que por despacho do Sr. juiz de paz presi-
dente desta mesa, clarado na petican de V. S., liz extra-
Inr do livro das acias da eleieo desta incsnia freguezia,
" miando a V. 3. que a nr or-
devida ao susto e horror de
que esta mesa seachava possuids, e cujas vidas esta-
vain em risco. Dos guarde, etc.
A commissiio teria de repetir a i.icsma exposieo se
houvesse de discorrer por todas as freguezias. Em mu-
tos lugares mudava se o lugar da reunao sera necessi-
dade, como aconteceu em Ipojuca. Em outros forma-
ra m-se processos dehaixo dos mals frivolos pretextos
para arredar certas pessoas, c quando erara Humillados,
outros se formavain logo aos mesuras individuos. Mul-
las vezes se introduia gente armada dentro das igrejas,
cercando a mesa, como no Eimoeiroe Jaboato. Outras
vezes appareciam inais cdulas do que os qualificados, e
erara todos como em Tijucupapo. "Ein Garanhunsfoi for-
mada a mesa com os elei tures que o senado havia repro-
vado Km alguns eollegios, como en. Tijucupapo e inais
outros, procedeu-se a tirar a sortc entre raembros em-
patados, os quaes j haviam sido desempatados, e que
It'vinin arr onniklriado coiuu les, como he ezpressp
no aviso de 26 de feverelro n. 26, do qual havia perfeito
eniiheciniriilo nos coilegio onde ti.iha sido citado. E
at h ouve juiz de paz presidente da mesa parochial que
.......don intimar aos votantes que comparecessem, sb
pcTia de seren multados em I0M00 ris, como em Fi-
res
Estes faelos pralicados em todas as freguezias pro-
van, mais que milito a fraude e a violencia que aconipa-
nhain estas eleices, desde os primeiros aclos prepara-
torios ; fraude c violencia que as annullam completa-
mente.
feudo sido mostrada a nullidade das eleices prima-
rias, ja pelos faelos ..ellas pratlcados, e j pelos que o fd-
rain nasqualificaces. a consequencia he que nao pode
ser valida n eleicao fe i ta pelos eollegios eleitoraes, pela
.llegitimidadc dos eleilores que os couipozeram.
Por todas estas rases he a coinmisso de parecer
que, annuladaa eleicao felta, se mande proceder i nova
eleicao de daus senadores pela provincia'de Pernambu-
eo, que devera preencher as vagas delxadas pelos Srs.
concelheiros Andrada Machado e coronel Jos Carlos
Mairink ; ofticiando-se neste sentido ao governo.Kls-
ennde de Ulinda.Honorio Hermelo Carneiro l.eo.
VOTO SEPARADO.
Nao podendo eu concordar com a opinao dos ineus
nobrescollgasdacoinuiissao de constituidlo, quene-
pa assento no senado aos Srs. Antonio Pinto Chichorro
da Gama e Ernesto Ferreira Franca. Horneados senado-
res por I erna.iiL.ueo, vou cumplir o dever de expr as
rases que me determinan..
Dous partidos exagerados se combaten denodada-
mente en. Pcrnainbuco, aspirando cada um a influencia
nos negocios pblicos : quaesquer que sejain os princi-
pios que os animan., nao sao menos certos e conhecidos
os excessos com que se hostiiisain. A urna eleitoral de-
via chaina-Ios a combale, como aconteceu. O partido
vencido, hilando na sua derrota fez. distribuir no sena-
do um volumosn mpresso anonrmo em que resume c
Iranscreve o l.idador, jornal rdeme .losen lado, que por
toda a parle Ugura fraudes, violenciase coaccao na elei-
cao, revestindo os lacios com a cor do seu partido, e
juntando como provas assercesde seus partidarios, re-
vertidas Iguinas do carcter de autoridade. se outro
resumo da impresa contraria se apresentasse, teria-
nios um perfeito contraste: porm nao aconteceu as-
sim, i.e.ii os nonieados senadores pleiteara a sua causa
entregue a raiparcialidade do senado, a quein curapre
por de pane as voserias dos partidos, e examinar os fae-
los e suas provas legaes, para lirar uma conclusao dic-
na delle. B
Examinados os diplomas imperiacs, a lisia sxtupla
e as acias daapuracao geral, e dos eollegios elelloraes
...leas peyas oD.caes reinellidas commissao c apresen^
lados no senado, nenhuma duvida se oflerece sobre a le-
galidade dos diplomas.
..le nnf,onla o* os diplomas com alista sxtupla de
na.?, 1 i.a consl.,tuifa. o S^ Chichorro e Franca occu!
mri.,V. ? l,r,m'iro V'gundo liipr. Confrontada a
raraiua hsla con. a acta da apuracaa geral. os seis da-
quella sao os primeros seis de.ta. A apurato geral con-
tera exact-raenteo. voto, apurados nos eollegios elei -
n!;. ac,M inlu ".e,,h""'a "vida. reela...aca-o ou
.otesioseencontra.aleradaapur.iao e.n separadodc
votos duvidosos que nada inflne, como logo direl.
I,"lu,"le~*': TO Sl- SouM l'elxeira, o menos volado
da lista sxtupla, leve votos...............Uf
OSr, baiodeliainarac.iiiinipiiiiin.I.Vnin." i-rn
e aos.inmediatos -73. Aqu mcsino ha eran
nia.oria a favor da lista mas, ainda quando fstem 7
los os votos que Ihe pertencem, e validos os outrnt -
seria por isso aRectada. Dao
A'vistade uma superiorldade tal e de nao ter hv
reclamafo nos eollegios eleildraes, e de ter sido reeO
nhecida valida a eleiyao pelo poder a que primeiro r
submettda, pareca nao caber mais questao porm
iinpresso anonymo uo est por isso ; declama com. "
irenia violencia, e quer a todo o custo que se annullV
eleicao, recorrendo principalmente a irregularidad a
as quallicacrs dos votantes. Mas querera o euad
entrar neste vasto e labyrinihoso exame, a que a le ina
cou preco especial, eentrrgou em ultima instancia l'
poder judiciario "
Pretende-se que as qualificacesem 47 fierain rxce
der limito o numero dos votantes de 44, que j esccdUi
muito os de 42, devendo em 47 ser menor o numero ni"
se exigir maior renda; supponhamos que assim ac'../
cesse, como tirar a lllacao tomando como hoinoeeii.,*
duas operacoes lo diversas ? "
Em 42 e 44 os juizes de paz fazlain as listas dos vi-
tantes, e como a lei nao mpunha multa aos que fu,'
vara, n.uiios nao comparecalo, e as reclamaces era."
decididas pereniptoriamenle, e umitas vezes tumulto
riainente pelas mesas das asserablas parochiaes. Ho|f
interpe-se juizo sobre todos os cidadaos, e s5oquallfic.
dos votantes os que se julgaui terem os requisitos eoi
que nao sao inscriptos no livro da qualificacao goza, i
beneficio de 3 recursos cora sullicientes inlervallos pjr,
poderem pausadamente usar delles c obterein o dircito
se o teeni, deserem inscriptos. Quera pode calcula, j
dillerenca numrica que pdeu. produzir estes don.
inelhodos ? Oque nao admitte duvida he que o meihodo
actual assegura melhor o dreilo de votar ; e sobretodo
que a lei de 46 marcou uma forma especial no proceita
das qualificaces, attiibundo-o em ultima instancia ,
poder judiciario, e estabeleceu prasos lxos para os re-
cursos, lindos os quaes prescreve o dircito de Inscripcan
ou nao inscripeo ; e o senado, que nao he superior i
lels, siin guarda deltas, deve respeitar estas prescrin
ces, e tomar como vlidas e inenntestaveis todas a
qualificaces que passarain einjulgado.
Removida esta base sobre oue mais trabalha o lm
Presso anoiijuio, reslaui as vehementes arguces de
Iraudes, violencias e coacfes. era que inulto abunda 0
Lxaador, donde tudo foi extrahido, produilndo-se en.
prova, pela maior parle, juslificacnes sera citacaa de
parte, e outros .documentos arranjados entre os narlid
ros, mas nem uma prova legal que demonstre ollida
de as clei(es, e quando nullidade sepodesse provar
en alguin ou alguns eollegios, J moslrei que a snnerlo--
i idade de votos na lisia sxtupla he tal, que ,e pdem de-
duzir 670 sera licar alterada *
Coneluo, pois, que, a vista dos diplomas imneriaej-
Msta sxtupla e actas respectivas, os Srs. Chichorro i
franca devem tomar assento no senado.
Paco do senado, 2& de maio de 1848.V: p. ve
Fergueiro.
PERNAMBUCO.
Je liamarac, iinmedlatoem votos. 175
Diererca...........671
,. Amelade da dillerenca. 335 '/,
Donde se conclue que. ainda quando se annullas-
sem 070 votos aos da lista sxtupla, esta continuara a
eonter os mesuras nomes, eomesino acontecera quan-
do se Ihe diminuissein 336, acrescentaodo-se aos outros
mais votados.
Nao vale a pena examinar se sao nullos ou validos os
ASSEMBLEA PROVINCIAL.
6." IHliO ORDINARIA,
KM 15 R JHNHO DB 1848.
Presidencia do Sr. rigario .izn-ato.
Soumio. Afprovarao de tres acitu. Expediente.
Oeelar aea do Sr. Joi l'edro. Parcer da
commiuaO de eonitituieaS e podret cere* dot
relatorioi da adminilrarao. Kejeicao do re-
qnerimiato em que o Sr. Jos Pedro pedio ur.
gencia para a diicuiia deite larecer. Par-
certtda eommitiao' de peticaei.Aditmenlo do
projecto n. 15, em leg unda dilcuitan'. Re-
jeicodode n. 17, leimbem em eegunda di-
cuiiao'.
. A* iV e 3quartos hora* da raanhaa faz-se a chamada
e verifica-se estar... presentes 20 Srs. deputados.
O Sr Prndente declara aherta a sessao.
,?JL}L ffer,'ari/> l a approvada depois de ter declarado oSr. Jos Pedro, que
2 had, a "?a po" te,r estad0 doen'. bein assim
que ja pavia participado isto mesura ao Sr. 1. secreta-
rio. ,cm outra sessao en quecomparecra; accrescenUn-
do que, se se dcsseui tacs fallas d'ora em diante, era por-
que ainda subsista o inesmo motivo.
10Eeni4e" ca'rrani" "d" eapprovad" cufddi dia.
OSr. 1. Secretario menciona o seguinte
EXPEDIENTE.
ouVra?mm?,.d?'eCretaio da P"itoncia. remetiendo
outro em que a cmara municipal de Golanna pede a
lobado nara o'?0"0 de V"" *lt 80urc ^da "" "
n?,dLPa couuno d-aquella cidade. Inteirada.
au?heui auuieni.ca da acia da nova apuracao geral dos voto, ka-
?.?!?,"*a,iU'r" effeC"V0S es"rpl-nlegs da ...embrear
que p.ocedeu a cmara municipal desta cidade era vir-
tude do parecer de commissao de poderes. Inteirada
Outro do iiiesrao, parlicipando haver S. M. o Impera-
dor nomeado 1. vice-presidente desta prouincia ao s
Domingos Malaquias de Aguiar. Pires Ferreira, e ter a
presidencia convidado a este Sr. a prestar jurameuio
anle a assemblea. Inteirada. juramento
a^K r,:nl,e.ri'nento eu que o coiiego Lourenco Crrela
fe ^.dn !ar' C. ad "a ^ta San-Jos do Recl-
ra^nof mu'f* '|Ue emOVa 8 'nconvenentesque
einhrinH ? a'reguezia cora a de S-Antonio.
suii,ea,"t V'0" ","?'" --U" apuntadas en,
e ecCesiastc^ co,,u,,l,,a de Sw^SSBB civil
,.,2ltI{'J").'lUC ocidadao D'ngo Baptista Fcrnaudes, co-
n o peisa do povo, reclama da assemblea uma medida
dcgdor,TZ':n,aVelafi r,'"a a8 rlcutow. e rei
de n imtnll ha.na|.r'r* *" 'o. proveniente
,'",''auno" arl|ltrarla,..cnte laucado pela cmara
ranicipa!. "^ *.!** -Jeorcamenlo
Outro era que o padre Jerony.iio Harrciros Raoeel. ar-
our acancL" lK '""^ d" e,,rada da V.etoriaf a 1 ga '
que concluir a obra arrematada, e pede assemblea.
teBZ^fcf^V*^ a lei Provil'cia' ". 186.
ic a ae uezembro de 1846, mande pagar-lhe coninra-
miras d."i."Ifaaba,er -juros S5ff:.?353L
inissao de razenda e orcainenlo provincial
Outru en qup Mara Gullherinina de Olivelra, profe*.
as^,,d.';'.l','""'"'i,S ,e.M'' da cidade da Vic'f'a Joe
assemblea augmento de ordenado, igual ao que vence a
e::^S,0 daC'dadP de ^ia".na' A' commissiio de"-
zenda c orcainenlo provincial.
Outro en. que Manoel Eustaquio de Carvalho, arre-
ii arante do imposto do gado consumido no municipio do
.'^'.hme0;.lT"en',,UKd, '847a mA- encontrandogra,.-
Si ?i i e",bara0 Para haver o referido im-
posto dos crjadore, que mala,,. pVa seuproprlo con-
IMllluu-i...... -I..., ____ > r '
w-^-w=wsiaattBe^^
dos c
fesrarnhH'J?!' ,,,drc ^"lul"' Rafjel da ffi Pro-
nio oden "n C B'a"""a" 'atina do balrro do Reiife.
era,Pranre^-.C"""Uar,"0 rclclo do seu magisterio,
or, o ,Jpn ? ''"e pa'eCC' e aSo lhe sdo rosslvel,
ur sp !R Hnlr* c.0,,'rle,ar empo preciso para jubi-
emi-.' nf.,.nHeVe"d.U "car Privado'do's mel, de subsis-
lenila. quando mais nec, ssta delles, Implora da assem-
blea a mere* de aposentadlo dira parte do ordenado
.I
i.
..
I>
i.
.i
i.
e
.i
t
X
II
.!
ai
c
i.
d
II
ri
si
II
M
I*
i (
[ca
Sil
H
'M
...
I Cl
I n
la
.i
' ei
se
ni


correspondente a mati A conunijsSode instruccao publica.
Outro .-ni que Fr. Joio-de S.'Cyrilo, religioso carmeli-
tano pede a assembla seis inezes de licenca para ir ao
ftio-de-Jaueiro impetrar ao delegada da sauta a apos-
xtolicaoaeu breve de perpetua seculai-lsaco. A' com-
imssno de negocios ecclesiaslcos.
GSr. Laurentino:Achando-sc na crsa a apuracio geral
da deputacSo provincial, e sendo de uecesiidade abso-
luta o chamimento de supplentes "para os lugares dos'
Su. de pillados que estilo impedidos, por isso que a'
casa, por falta demembros, tem deizado de fuuccionar,'
eisto de modo un pouco vergoulioso ; vou mandar
a mesa mu requerimento ueste sentido.
O Sr. l. Secretario t o seguinte requerimento :
Requeiro que se inaudem chamar 8 supplente* pa-
ra substituireiii aos deputados efcrectivos que se acham
com assento na cmara qatrien nal.Araujo UeltraO..
Anoiado, entra em discussao.
Km seguida he tambem lid e apoiado o seguinte re-
querimento :
Requeiro se mandem chamar dez suplentes. Lau-
imlino A. P. de Carvalko.u
O Sr. Laurentino : Sr presidente, sou informado
que, para se preencher o numero legal dos membros
deita casa, he preciso que se chamem 10 supplentes
porque no numero dos que leem de ser chainidos a-
cliam-se : o Sr. Dr. Villela que esl impedido o Sr
Lemenha, que acaba de ser despachado comraaudante
das armas o Sr. Carioca, que, segundo consta, ja< na
eternidade e o Sr. Ai ruda que est na corte. D-se
pois, a falla destes Srs, e tendo a casa falta de Miem-
bros, pelo que ha deixado de fuuccionar, cuten.lo que
se devein chamar untos supplentes quantos sao os de-
putados que faltam : mas, supposto que este numero se-
ja o de aetc, requeiro, todava, que se chamem dez,
visto que tret dos que hao de ser convidados, tambem
se acham impedidos.
O Sr, Barrlo : Sr. presidente, parece-me que su
se devein chamar tantos supplentes quanto sao os mciu-
bros desta casa que nos consta estarem legtimamente
impedidos. Nos sabemos que se acham nesse caso 7 se-
nliores deputados, porque esto no Rio-de-Janeiro por
eonsequencia so podemos chamar igual numero de
supplente*, A cmara municipal, pois so deve de
expedir diplomas aos supplentes precisos para precn-
cherem esi numero Em vista disto opponho-mc ao
requerlihenlo tal qual se achaconccbido, c apenas vo-
tare! para que se chamem sete supplentes.
O Sr. l."Secretario 10 o seguinte requerimento :
un lugar dos deputados que se acham legtimamente
/npedidos. Barroso.
Apoiado, entra em discussao, conjuntamente com os
deinais.
5rIl!f'P'J111!?^da- ,e m-d0 ''de abril de ,8^''
dos estatutos do lyceo desta capital
n.iQn a .rrelatorl0 d0 Exra- vlce-pres(dente Ma-
2 L T [?*'in> f' doloroso commissao que
naopodesse deaeobrir nelle um s pensamenlo, una so
Idelaproveltosa, para o recomoieudar attencio c soli-
citude desta assembla c mais doloroso anda Ihe fol
o ver nelle, que, para justificar essa alluvio de demia-
soes, dadas a esmo e sem algum outro motivo alm do
manifest fin de restabelecer na provincia o detestavcl
dominio de urna faccao, justamente abominada por
quasl todos os Pernambucanos, injusta e indevldamente
se acoimoudeeivadade corrupcao c venalidade a urna
boa parle doa nossos comprovincianos empregados pu-
0 Sr; Laurentino: -- Sr. presidente, o nobre deputado
parece-me que squiz substituir por outros os termos
do mcii requerimento ; porque, quando eu requer que
se chamassem 10 supplentes, liz logo ver que, para p-
dennos ter o numero de 7, era preciso que se chamas-
sem 10 ; porquauto neste numero eutravain dous au-
sentes e um inorto ; por eonsequencia o requerimento
do nobre deputado he o mesmo que o meu, isto he,
quer que se chamem 7, descontados os que esto impe-
didos. Eu quero que se chamem 10 supplentes em at-
i.iicao aos impedimentos. Voto, pois, pelo meu reque-
limento.
O Sr. Barrato: Sr. presidente, anda insisto no meu
requerimento : elle esl mais bem concebido do que o
do nobre deputado. O nobre deputado pedio que se
cliamassem 10 supplentes, que. addicionados aos tres
impedidos, prefaiem o numero de 13: por eonsequen-
cia, vimos a ter na casa uo 36 deputados, mas 39 : c
como nao he este o numero que a casa deve de conter,
contino a votar pelo meu requerimento tanto mais
quanto aumente temos certeza do impedimento de sete
Miembros, que sao os que se achanr no Rio-de-Ja-
nciro.
OSt. Beltrwo' i Ped a palavra para sustentar o meu
requerimento, que est mis no caso de paasar do que o
do nobre deputado. Requer que se chamassem Ssup-
plentcs, porque o Sr. Carioca niorreu, e o Sr. Lemenha
est impedido.
o Sr. Joaqun Vitela : 0 Sr. Lemenha nao pude vlr,
pela sua qualidade de coinmandautc das armas.
O Sr. Jo$i Cirios : Mas elle pode nao aceitar: ainda
niuguem sabe com certeza se elle aceitou o nao.
0 Sr Jos Pedro entende que se devein chamar 10
supplentes, porque existe igual numero de faltas ; visto
como, alm dos sete Srs. que esao uo lllo, ha mais tres
que nao leem comparecido, e que, pelo ficto de nao
coiiiparecerem, iudicain que au vi rao tomar assento.
.lulgada a materia discalida, sao rejeitados os tres re-
(]uci menlos.
1 ni Sr. Deputado: Naoqnerein supplentes.
I.-se o seguate requerimento :
Requeiro que a copia authen tica da acta da ultima
apura;o, procedida pela cmara municipal, seja remet-
lida coiumissn de constituicao e poderes, para dar o
seu parecer acerca da alterarn que soffreu a apurarn
l'eita pela coiniiiissao.-.S. R.Cunha Alachado.
Apoiado, entra em discussao, e he approvado.
ORDEM DO DA.
Leitura de projeetos e pareeere: segunda discussa'o dos pro-
^^ i'rloi ni. loe 1.7 doanno paseado; lerceira do de n. \\
tambem do anuo pateado ;f primeira de n. 6 deete anno.
O Sr.' 1." Secretario le o seguinte parecer:
ii A commlssao de constituicao e poderes leu e consi-
gui alternamente os dous relatnos que esta assem-
bla coinmetteu ao seu exanie ; c, depols de refleclir
maduramente sobre o seu con tedo, passa a expr o que
pude colligir dellcs de mais ulllidade e prove tu para es-
la bella provincia, incontestarelmente digna de jnaior
itteiifo, ennsiderac.no o respeito, do que s vezes cos-
luinam ter para com ella, assim o ministerio, como al-
fitins daqucllcs que elle propde corda para o governo
'l'lla ; do que, entre uniros mullos, sao um triste exeni-
plo, assim o Exm. vlce-prcsidente Manoel de Souza Tci-
xeira, como o Exm. presidente actual, o qual, posto que
....... ....>___ ____:. .__ ________I.__:.. __; .
E he de notar que lie tao injusta, tao immerecida, e
tau destituida de todo o fundamento essa grave argui-
cao, que nao um so desses empregados. Para.emfim, responder a es-
sc veto de Inqualificavel Injustlja, a commissao lembra
o pequeo periodo que aqu transcreve do relatorio do
Exm. concelhelro ex-presideute Chichorro da Gama, li-
do seis dias antes na prsenca daquelle mesmo que as-
sim doesta a seus patricios. Se os resultados nao leem
correspondido ao meu empenho, apeiar da cooperacao
da assembla legislativa provincial, das autoridades e
empregados de todas asclasses, que commlgo tecm ser-
vido, e a quein aproveito a occasio para dirigir louvo-
rea e agradeclmentos, resta -me ao menas a consolado
ne que para consegul-lo mostrei semprc desejos arden-
tes, e nao deixel de empregar todos os meios que esti-
veram a meu alcance.
A commlssao pede que se impriman) ambos os rela-
toros e este parecer no jornal da casa.
Saladas cominisides, 8 de iuuho de l848.--Dr. Loa-
renco trigo de fjotireiroCunha Machado.
O Sr. yoi Pedro: Pefo a palavra.
U Sr. Presidente : O parecer fica adiado.
OSr. Joe Pedro manda mesa o seguinte requeri-
mento:
Requeiro a urgencia, para ser discutido hoje mes
ino o parecer adiado.
Apoiada, entra em discussao, e seguidamente he rejel-
tada.
tCoiKfNuar-si-Aa.j
lll/UIIO Mi CEKNAHIUCU.
a-imj3> 2o a>a uwsixd sj aoaa.
Ordeni do da para a sessao da assembla d'ainanha
(16):leitura de projectos e parcceres;~discussao do pa-
recer da commissao de constituicao c poderes acerca dos
relatnos da administracao ; continuado da ordem
do dia de hoje;-e terecira discussao do projeclo n. 23 do
anno passadu.
Ainanhaa (16), ao meio-dia, comparecer ante a as-
sembla legislativa provincial, aliui de prestar o jura-
mento do estylo, o Exm. Sr. commendador Domingos
alaquias de Aguiar Pires Ferreira, 1. vice-presidente
desta provincia.
Prestaram-hos oa Times de 2 e3 do prximo paisado
malo : e do que uelles encontramos de mala nteresse,
passamos a dar eonta aos nossos leltores.
Mr. Smith O* Brlen, M. P. 'um do dieres repealers)
resignara o seu lagar de representante da Irlanda, e o
motivo que tivera para dar um talnasso, foi ter sido as-
saltado em Llmerlk em a noite de 30 de abril, e tratado
com o maior desrespeito por urna inmensa inultidao
que cercara o edificio em que elle e seus compatriotas.
Messrs. Meaglisr e Mitchell, estavam sendo entretidosem
un lardo pelos membros do club da confederarn de
Sarsfleld.
As jancllas e portas da casa fram laucadas por trra;
[ledras e outros projectit forain arreme(ado< para den-
tro, eat armas fram disparadas contra os confedera-
dos, osquaes em sua tlefesa vram-se obrigados a des-
pedacar algumascadeiras e bancos, para com el les se
deienderem; urna efllgie de Mr. Mitchell foi qoelmada
da parte de fra, eo barril de alcatro para csse lim era-
pregado fra collocado lao junio do edificio, que o logo
le Ihe pegara com grande terror de todos quantos den-
tro estavam. Felizmente,a polica c as autoridades locaes
chegaram a lempo de salva-lo de total incendio, e os
desordeiros fram dispersados; mas, depois que as tro-
pas se retiraran!, a gentalha setornou a reunir, invadi o
edificio, e havendo quebrado copoi, garrafas, [pratos,
mobilia, emfim tudo quanto encontrou, retirou-se sa-
tisfeia, delxando bem maltratados dous pollciaes que
all tinham sido postados.
Pars, a capital da repblica franceza, eslava tranquil-
la, nao obstante os esforcas que laziain os communlstas
e.terroristas para excitar o povo. Em L'unogcs, os mais
violentos procedmentos tinham tido lugar, o povo se
apoderara da cidade, desarmara a guarda nacional, e
Horneara urna commlssao de salvacao publica: em El-
beuf, Nisines, Puy-de-Dome eem varias outras cidades
e districlos tinham occorrldo serias desordens, tudo
por causa de eleicdes: em Ruchefort o povo, crendoque
se liaviaiii coinuietlido fraudes contrarias ao nteresse
dos republicanos,posea fogo urna eleiloral, e em ou-
tras partes rasgara as listas linaes; emVcndc tinham
licadn de cima os legitimistas, e diz-sc que nem um s
republicano fra clelto.
A assembla nacional devla rcunir-se no dia 4 de
malo, e depois da elei;ao do seu presidente, vice-presi-
dente e secretarlos, a primeira cousa que deveria tomar
em considerarn era a intua de governo para a rep-
blica.
O grande banquete c fcsla nacionaes tnhan sido a-
di idos para o da 10.
Km o dia 25 de abril fura publicada a nova constituicao
austraca, suas de(ermlnac.oes relativas ao ministerio
e ao parlamento sao como se segu:
Os ministros saorespousaveis por lodos os actos 011
proposlas que lizerem no exercicio do suas fenles.
Esl reaponsabilidade assim como a detenninaco
das autoridades a quem as queixas devein ser dirigidas,
e que sobre ellas devem decidir,serao determinadas por
urna lei especial.
" A dieta, que em eonjiincco com o Imperador exei -
ce o poder legislativo, he dividida em duas cmaras, o
senado c a cmara dos deputados. A durarn da dieta
be limitada a cinco anuos, e ella derer rrunir-sc lodos
os aanos.
Araujo, Braailelro ; Adolpbo Schratnm, Allemao; Eli-
sa Davis, Inglesa.
Fahia ; hiate americano Henrietta, uapitao II. Cook, car-
ga parte da que trouxe.
lina ; hlate brasileiro Novo-Deetino, capitao Eslcvao Ri-
beiro, carga varios gneros.
\Ubservaeoes.
Fundearam uo Laineiro, para acabarem de carregar, a
polaca sarda 6'on<*-6'orirlto, capitao Marco Revello, a
barca inglesa Martha-Shallrrop, capitao John Croku e a
barca austraca Joaea/mo, capitolovani J. Esluparicli.
;dital.
Joo Xavier Carneiro da Cunha fidalgo cavalleiro cata imperial, cavalleiro da ordem de Christo, e admi-
. lustrador da mesa do consulado desta provincia, por
S. M. o Imperador, que Otos guarde, ele.
Faz saber que, no da 20 deste inez, aomeio-dla, se lia
de arrematar em piara, aporta da mesilla, Ulna caixa
comassucar branco de n. 6, do eugenho Gindaby desta
provincia, consignada a Manuel Alvcs Ferreira, ap-
prehendida por falsificarn da tara pelo guarda cont
rente do trapiche Cumpanhia : sendoa arremalnco li-
vre de despeas ao arrematante.
Mesa do consulado de Pcrnambuco, 15 de junho de
1848.
O administrador,
Joo Xavier Carneiro da Cunha.
Deca racoes.
l'ARA OS POBTOS DOSUL.
Na parte oficial fica publicado um aviso de 2 do corren-
te, em que o actual ministro do imperio, ao passo que
cominiitiica ao Exm. Sr. doutor Vicente Pires da Motta
havcr-lhe sido concedida a deinlssao que pedir do cai-
go de presidente desta provincia, ihe recommenda se
conserve no exercicio de seinelhante cargo, at que che-
gue o seu successor.
Nao entraremos no mereciinento das rasrJes que leva-
ran) o f.xm. Sr. Molla a solicitar a sua deinlssao: mas
oto podemos deixar de lamentar que elle houvesse'ioma-
do essa resolufao. Entendemos que ella foi menos pro-
veitosa a nossa patria; porquanto, nao s reconhecemos,
com o novo gabiuete, que a estada de S. Ex. aqui havia
de concorrer para a iiianiitenrn da tranquillidade pu-
blica, seno lambeui temos eonvicco de que, se conti-
nuasse a administrar a provincia, S. Ex. nao pouparla
eslbreos para proporcionar-lhe todos os melhoramentos
moraes e materiaes, que ella tem direito. E esta nossa
conveeo he tanto mais profunda, quanto lomos teste-
inunha do afn com que, nos poucos dias de sua admi -
nistracao, o Exm. Sr. Pires da Motta se empenhou por
faxer reparar alguna dos propros nacionaes, e quasi to-
das as estradas, de cujo mo estado teve conhecimcnlo;
dndose pressa em informar-si' das clrcumstancias dos
deinais ramos do servico publico, na nlenco, semdu-
vida, de remedalas, semprc que assim o entendesse ne-
cessario.
mais cauteloso e mais sagaz que o primefro, vai comp-
ilo lentamente pondo em pltica o nefando plano, qae
aquello comecara a executar, de restabelecer na provin-
cia o dominio de urna faccao que ella justamente abo-
mina, e que nao he possivcl que tolere mais uadirecrao
os seus destinos.
" Quanto ao relatorio do Exm. concelheiro ex-presi-
'Iriitr, Antonio Pinto Chichorro da Gama, a acarada e
rllectida leitura dellc convenceu a commissao da neces-
lii/ade de pedir a attencao desta assembla sobre a par-
te que diz respeito s cadeias publicas c principalmente
siibrea falta de execucao da lei provincial n. 107, de 9
'i'1 malo de 1842, autorlsando a presidencia a mandar
''instruir, nesta capital, umapriso penitenciaria e uina
rasa de rorreeco. '
A administra(o das obras publicas he outro ramo,
sobre o qual a commissao pede toda a altencao da as-
snnbla, bem como sobre as obras do theatro publico,
que tamos sacrificios leem custado provincia, e que
anda demandam um grosso cabedal para a sua oon-
clusao.
- A commissao considera tambem digno de todo o
cuidado c de mu seria attencao oque diz o referido r-
latorio sobre o inrlhoranirnto do nosso porto, de que de-
fiende lio sti o commrrclo de Importadlo c exportacSo
ua nona provincia, e conaequeniemente uina grande
pane das renda* publicas do estado, seno tambem to-
das as uossas relaces com as mais provincias do impe-
rio, c com todos os poros do mundo civilisado. Como es-
# vrela pertence a administracao gerafi a commissao
'fmbra a ideia de uina represenlacao aos poderes polili-
cm do estado, pedindo-lhes proinptas providencias a es-
" respeito.
A instruccao primaria c secundaria tambera foi to-
mada em consplrracu no referido relatorio. Urna e ou-
^ he ah representa Ja como necessilada de reformas.
commissao lembra a reviao das leis que a regulam,
Com as duas cartas do nosso correspondente de Lis-
boa, que publicamos em o numero passado, recebemos
seis cxemplares d HerolueSo de Setembro, datados de 8
13 de malo prximo lindo.
No ultimo desses exe tupiares, isto he, no de 13, depa-
ramos nos com estas linhas:
Chrgou o paquete esta madrugada. Traz folbas de
Londres at 8. Do Timee do mesmo dia transcrevemos
o seguate:
* Expreuo de Pars.
{Pelo telegrapho elctrico de Dover.)
> Recusando o papa declarar guerra Austria, houve
urna insurreico ; o ministerio demittlo-sc ; deram
24 horas ao papa afim de decidir. Se recusar, formar-se-
ha um governo provisorio em Roma.
Assim, pois, o sanlissimo padre Pi IX, cujo nome cor-
ra de bocea em bocea como o do novo redempior do ge-
nero humano; o pontfice que mais se oceupra da
sorte dos lioniens cujo destino fra confiado aos seus
cuidados; o mais denodado dos apostlos da liberda-
de, que bao apparecido ueste seculoem que vivemos;
o governante que mais concesses lizera ao povo, eslava
em risco de ser depusto do poder por ease mesmo povo,
por ae nao ter querido curvar aos caprichos de meia llu-
via de individuos, (|uc, talvez sem motivo multo justifi-
cado, queriam derramar saugue! Grande Dos! Como
sao incomprehensivela as cousas deste inundo! Rontem,
o magnnimo Pi IX victorlado, admirado, saudado com
enthusiasmo por todas as naces de um e outro hemls-
pherio; hoje, despresado, repudiado, c perseguido tal-
vex por aquelles meamos a quem serapre tratou como te
fram seus filhos I.....
O senado compc-se :
Dos principes da casa imperial que tiverem comple-
tado a idade de 24 annos;
Dos membros Horneados pelo imperador por toda
vida, em referencia classe, ou nascimento;
De 150 membros que devem ser eieitus pelos gran-
des pro prieta ros ten itoi i es den ti e elles mesmos C por
toda a duraran de cada parlamento.
A cmara dos deputados compe-se de 383 membros.
A eleco de lodos os membros desta cmara de ver
ser regulada segundo a popularn, e de tal sorte que el-
la possa representar todas as classes de cidadaos.
n A eleco dos membros de ambas as cmaras ser
regulada para a primeir* dieta por uina lei-provisoria.
A lei definitiva para as elcicoes ser determinada
pela dieta reunida, a qual marcar o subsidio que dere-
vo ter os deputados segunda cmara.
Cada cmara elege o seu presidente c os ou'.ros fun-
cionarios, c he a nica competente para examinar e de-
cidir da validade das eleices.
Os or minos de ambas as cmaras uo pdemexer-
cer o dircilo de volar, seno por si mesmos e nao devem
receber instrucfes de seus conslituintes.
As scsses de ambas as cmaras se rao publicas: ex-
cepto smenle quando a cmara decidir o contrario.
Os membros nao podero ser presos nem processa-
des durante as srsses da dicta, excepto se acamara
respectiva expressaiiientc der para isso o seu consenli-
incnto, ou se fr apandado em llagrante.
' Todo inenibro que aceitar empregos do governo dc-
ver ser subjeito nova eleirao. O governo nao pdc re-
cusar admisso na cmara a ncuhuin inembro eleito.
As cmaras sdevem reunir-sc quando nisso con-
cordar o imperador.
commzid.
Alfandc^a.
RENDIMENTODODIA15..........3:980/135
Descar'regam hoje, 16 de junho.
PatachoCatharina mcrcadorias.
Urigue Aurora dem.
Ilriguc aura idem.
Barca Ligeira cal, ceblas c batatas.
Barca Dyeon barricas vaslas.
CONSULADOGERAL.
RENDIMENTO DO DIA 15.
Geral...................
Diversas provincias............
. 1:832/107
134/408
1:1)66/516
CONSULADO PlIOVINCIAL.
RENDIMENTO DO DIA IA..........1:634/705
.Voviinenlo do Porto.
A'ari'o entrado no dia 15.
Bahia ; 8 dias, brigue brasileiro San-Mavnel-Augusto, de
236 toneladas, capitao Manoel Slmes, cqiiipagcni 14,
carga carne ; a Manoel Ignacio de Oliveira. Passagei-
ro, JoSo Tavares Rapozo.
Navios sahidos no mesmo dia.
Portos do norte ; vapor brasileiro Bahiana, commandan-
te J. 11. Otton. Alm dos passageiros que trouxe dos
porto* do sal para os do norte leva a seu bordo : para
oCear.Maximlaiio.PereiraBorges, Brasileiro; para
o Maranho, Antonio Gabral Pages, Ilespanhol, e 2es-
cravora entregar ; para o Para, Heurlque Kalkmaan,
Allemao.
Rio-de-Jaueiro ; patacho brasileiro Valcnte, capitao Fran-
cisco Nicolao de Araujo, carga assucar e ago'ardenle,
e 1 eac-rav a entregar.
Liverpool; galera ingleza 6'olumoui, capitao D. Creen,
carga assucar e algodao. Passageiros, Antonio Jos de
O paquete a vapor brasileiro Imperatrit, comiuan-
dantc Jesuiuo I.aniego Costa, deve estar aqui al 18 du
corren le c seguir no dia i inmediato.
A administrarlo geral dos eslabclccimcutos de ca-
ndado manda faxer publico que, no dia 19 do corrate,
pelas i horas da larde, na sala das suas scsses. contra-
ta, com quem por menor precu der, os seeuintes gne-
ros : tannli i de mandioca, assucar refinado, dito em ca-
loro, cafe em grao, cli. hyssou, manleiga franceza, arroz
pillado, azeitedoce, dito de carrapalo, loucinho de San-
tos, viudo branco, dito tinto, vinagre de Lisboa, letria,
macairo ou talara), tapioca, pao, bolacha, sabo e le-
uda de mangue d'axas regulares. Ospreleudcntes dlri-
jam-se ao lugar c hora aplazado, monillos a suas pro-
postas.
Adiiiiiiisirai, ao geral dos cslabcleciiucntos de ra Id i
de, 14 de junho de 1848.
O ese. ipiui ario,
F. A. Caralcanti Coussciro.
- Tendo sido pegada, no mosqueiro deste porto, una
canoa grande de conduccao do objectos, pela marinda
geni da corveta de guerra nacional Euterpe, a qual la
em direcro barra, conduzida pea correte das agoas:
manda Oor. capitao do porto l'a/.cr isso publico, para eo-
nhecimento do respectivo proprietaro, ao qual ser-lhe-
ba entregue mostrando pcrtcncer-lhe.
Secretara da capitana do porto de Pcrnambuco, 15
de junho de 1848.
.1/e.ruiirfre Bodriguel dos Alijos.
Secretaria.
O escrivao interino da primeira seero do consula-
do provincial faz publico, de ordem do Sr. administra-
dor interino do mesmo consulado, que, no dia 20 do
corrente.a 1 hora da tai de.se lio de arrematar em praca
porta desta repartieo 13 barricas com assucar branco,
coniendo 105 arrobas e 19 libras, avahadas em 174/229
rs., c apprehcndidas pelo marcador da nspeccao do
assucar, Pedro Uaptista de Santa Roza : sendo a arre-
matarn iivre de despezas ao arrematante,
ilesa do consulado provincial, 15 de junho de 1848.
Jos Quedes Salgueiro.
O t.ilicll .ni do registro de hypouccas avisa a quem
convier, que a lei do registro impOe pena de perda
de preferencia no artigo i7, e dos mais effeitos legaes
do artigo l3aos credores que uo prazo de um anno nao
i egisti areiu as esc ipturas anteriormente fcilas res-
pee ti va lei ; cujo prazo lindaae em 25 do correte.
Assim como que nenhuma garanta de preferencia tecm,
nem cflcilo nenhum legal gozam as escripluraa posterio-
res a mrsma lei, sem que sejam primeramente regis-
tradas artigo 14.
E para que os interessadus nopercam o sea direito e
possain obstar os grandes inconvenientes que dere
acariciar scmelhante descuido faz o presente aonun-
cio. Rccife, 9de junho de I8l8. Fulgencio Infante de
Albuquerque Mello.
Cartas seguras existentes na administradlo do crrelo \pan\
os Sr.-. abai.ru :
Antonio JosCoinibraGulinarcs.
D. Clara Josephadc Mello Borges.
Domingos Rodrigues de Andrade.
Eduardo Francisco Nogueira Augcilm ilha de Fer-
nando.
Filippc .1 .losen de Castro c Albuquerque Olinda.
Ignacio Antonio Barros Falco, Olinda.
Jos Mara Silva 'lachado.
Lourenco Trigo dcLourciro, Olinda.
Luiz Alves de Azevedo Machado.
Manoel Antonio Ferreira Gomes Mauoel Ignacio iIa
Oliveira, Manoel Jos Lopes Manoel Jos Ribeiro f'a-
va lante I,i ni i Manoel Pedro Alvcs Moreira Olinda.
Rodrigo Castor de Alliuquerquc Maranho.
GRANDE COSMORAMA.
De hoje em diante continuaro estar expostas.
das 6 horas da lai de-eni diante, no lugar do coslnme, asi
seguintes vistas:
1 A calera nacional, em Londres.
2." Boia-fogo, no Rin-dc-Janelro.
3. o monte Corcovado, no Catete, no Rio-de-Janeiro.
1." A magnifica ponte pensil, no canal do Meney, ni
Inglaterra.
5." Obanho universal de Plimontb, na Inglaterra.
6. A alfandega de Dublin, na Irlanda.
7- O interior da inatris de San-Jos, que se est edifi-
cando em Pernambuco.
s. A duqueza d'Orleans, na sala da cmara dos de-
putados, com os dous menores principes, na revolueo
de fevereiro, em Pars.
9. A cidade de Dresda com sua magnifica ponte de
pedra, na Allemanha.
Iti. Toda a cidade de Pars, pelo arco do lrumpbo.
II.' Ocastello deConvay, na Inglaterra, em urna noite
12. 1 'miel de Londres por liaixo do rio Tamisa.
13." A erup{o do monte Vesuvlo, na opera da ultima
noite em Pompea.
14. Agrande scena da opera o ralsilicador de mo-
da. ...
Y B.__A pedido de inuitissimas pessoas vao, por esta.
vez, ser expostas as duas vistas de Hota-fogo e Corcova-
do, no Rio-dc-Jaaeiro; bem como o interior da matriz
de San-Jos, as quaes nao sero mais repetidas, ape/.ar
que liajain novos pedidos.
A beflesa de tao magnificas vistas, como as da presen-
te expnsico, recoininenda-se ao respeltavel pubfao.
Os dildetes vendeni-sc entrada a 500 ris geral-
mente.



THEATRO PUBLICO
O GRANDE ESPIO DE VENEZA
O Angelo lyranno do Padua.
Em bcneflcio do actor Antonio Lopes Rbeiro.
Domingo, 18dejunho, ser desempenliada com toda a
pompa e brilliantismo como foi na primeira vci neite
theatro: os intcrvallos serio preenchidos com dancas
das jovcns danzarinas deste theatro.
Publicafoes Litterarias.
AMOR EMELANCOLA, 01 A NOVISSIMA HELOISAS,
O- SEGUIDA DA NOITE DU CASTELLO E DOS CIUME
I") BARDO.
Os mais importantes poemas do Sr. Antonio Feli-
ciano do Castilho, ornados com tres estampas tinas
lythographadas. Vcndem-se a 3,000 rs., na loja de
JoSo daCunha Magalhfes, na ra da Cadeia do Re-
cife.
CALARAR.
Aclia-so preslcs a entrar no prelo um drama na-
cional sol* esto titulo, composiciio de J. Fcrreira Vil-
lela
Nnda diremos sobre tal obra por ainda a nflo ter-
mos I ido : porm suppomos, e he de esperar do um
moco que tetn algunsconhecimentos dramticos c
una particular prcdilccc^o pela secua n.lo encele
una rarraira tflo hrilhantecom nina obra n.lo digna
lo ser lula principalmente pelas pessoas que pos-
gtiom goslo por poesa de tal genero.
.Suliscrcve-s na rua da (Jadeiu-Velha, loja du li-
vros da Snra. viuva Carduzo A y res & Kilhos e no
palco do Collcgio, loja do Sr. Honrado.
PUBLICACV AGRCOLA.
1
^aliio a luz e aclis-se venda por 1$
rs ni livrara da prora da Independen-
cia, ns. 6 e 8, o manual pratico do fa-
bricante de assucar, tendo por epigraplie
o pioverbio quem qner os fins qner
os racios ; obra interessantissima para
os nossos agricultores.
avisos man unos.
Para Genova o brigue sardo Daino, capllao Manoel
Ii.11/.a no. rpcehe carga afrete: quem pertender carregar,
dirija-seaos consignatarios, Olivcira Iranios & C.,na rao
da Cruz, n. 9.
Para o Porto sahe, mpreterivclmente no da 18 do
torrente, o brgiie portuguez Ventura-Felit: recebe ni-
camente passageiros, para o que tcm inulto boas coin-
morios: a tratar com os consignatarios, tiendes 8t Tarro-
zo. ni ra da Cruz n. 40, ou com o capllao, Zefcrino Ven-
tura dos Santos, na praca do Conimrrcio
Para o Rio-rnnde-do-Snl sahir na presente se-
mana nao havendo inconvenientes o patacho Invtnii-
vel, o qual pode receber alguus escraros c passageiros :
os pretendentes pdem tratar com Amoriin Irmiios.na
ra da Cidria, n. 45.
Para o Rio-Grande-do-Sul pretende sabir ein pon-
eos illas o brigue-barca rntrosa ; o qual tem bons com-
modos para passageiros c escravos i quem quiz.er carre
gar, ou ir de passagem pode entender-se com o capi-
tao, ou com Auiorim Irmaos, na rua da Cadeia n. 45.
1
Avisos diversos.
O nlmixo assgnado deixou de ser
caixeiro do Sr. Nuno Mara de Sexas,
desde o da i5 docorrente.
Jos Joaquim de Oliveira Baduen.
----loriara ni, na imite do (lia 1-i para 15 do corrente,
do quintal da casa do pateo do Carino, n. 24, e da estri-
bara cin que ae achara, um cavallo russo, grande, di-
nas c cauda brancas, com o sabugo Ja cauda aparado,
bastante gordo, tem a labia do,pescoco inuilo larga,
com o cupim cabido ao lado direito, c com urna cica-
triz na man direita que ainda nao est perfeitamente
*a, cujo cavallo desconfia-se que sabio da estribara
sellado por appsrecer a corda cortada muito junto ao
amarrado do pescoco : quem o apprenhcnder ou der
noticias certas na casa supla ser bem recompen-
sado.
Pede-sc aos Srs. cantaradas que estiveram na torre
do trlrgrapho no dia l4,dachrgada do vapor do snl.que
l! varam hu orlo o mandem restituir.
OLIDADORN.288
acha-se a venda : tras o Ilustrado parecer da comms-
sao de poderes do senado.
Na ra da Senzalla-Vclba, n. 0, primeiro andar,
prrclsa-se de nina lavad, ira que lave mullo bein.
Quem tirrr um sitio distante desta praca mcia
legoa, com pasto para 10 a 12 vaccas annualmcnte ,
casa s.iilrivcl. estribarla, balxa para capim dlrija-se ao
A Icrro-d.a-r.oa-Vista venda n. 88. I
Precisa-sc alugar uina ana secca, que seja de bons
costumes para urna casa de pouca familia. Diiiglr-se
ra do Raugel, n. 60, segundo andar.
-- Aluga-sca loja da' ra Dirrita, n. U4, por lis rs.
nirnsaes : a tratar na ra da Cadeia do Kccife, u. 32.
---Arrenda-se nina casa sita na ra da S.-Cruz, n.
38 cnin bastantes commodos e mu pequeo sitio que
tem capim para sustentar dous cavallos animalmente ,
e algumas arvores de Inicio : a tratar na ra Nova, n. 3.
Quem precisar alugar una ama de casa parda ,
para o servlfo do Interior de nina casa de grande ou pc-
quena familia de boa conducta c com as habilidades
necessarias para dito emprego, annuucie porrsia folha.
H CHAPEOS DE SOL ||
Rua do Passeio-Publico n. 5.
Nestalojirha presentemente um completo sorli-
mento do chapeos de sol modernos, tanto de panni-
nlio como de seda furta-cres e de mais cores co-
ntiendas; ditos para liomcm, senhora, meninos e
meninas ; guarda-chuva para o lempo de invern ; o
guarda-sol. Estes chapeos silo lilohcm construidos,
que seallanga a qualidado ; sio de marca grande ,
com-32 pollegadas o proprios para este lempo por
serem de seda c de panninho trancado. Ncsta fa-
brica lia sedas de coros e panninhos trancados e
lisos de todas as cOres para cobrir qualquer arma-
eflo de chapeo do sol : tamiiem seconcerla qualquer
chapeo do sol, e vendem-se baleias para vestidos.
Trmandade do Divino Espirito Santo.
O tliesoureiro pede a todos os Irmaos que tlvercm ca-
pas cin scu poder o favor de leva-las na ra do Queinu-
do, loja n. 11, ou ao nosso irmlo Lima, na ra du Cru-
ie : isto at o dia 24 do corrente, por ter nestea das de
dar posse ao novo thesoureiro eleito.
= O Sr. Manoel Figuera tem urna carta, vinda de
Portugal: na padaria da ra do Pire, ao p da calxa
d'agoa. j
= Jos de Souza e Silva, tendo de retlrar-se para fra
do Imperio, deixa por leus bastantes procuradores a Vic-
torino de Castro Moura e Autonio Lopes Perera de
Mello. .
Traspassa-se o arrcndaiiicnto dos engCnhos taja-
buss e Cajabussminlio, sitos na freguezia doCabo.per-
lencentes ao mosicii o de San-Bento, da cidade da Para-
liiba do Norte, moentese correntes, o primeiro d'agoa, e
0 segundo de beatas, com safras j criadas para moer
neste anno.coinprehendendo bolada,animaes cavallares,
alambique, escravos, e o mais precito para o laboratorio
dos mesmos engenhos, constante do inventarlo abaixo
descripto e sua avaliaces; sendo a dinbeiro os escravos,
bolada e os anlinaea de roda, e o mais a prazos rasoaveis
e com Urinas nesta praca; quein pretender dirija a
Jos Lourenco da Silva Jnior suas propostas em cartas
fechadas, e compareca na ra larga do Rozarlo, casa n.
36. I. andar, no dia 17 do corrente mes de inaio, pelas
11 horas do dia.
Safra criada de planta c soca, avahada ein
2,700 paes, a 3000........8:397/000
Rossavelbaenova......... 500/000
Metade do valor da roda d'agoa..... 150(1000
Assenlamento novo de 7 taixas e mais 2 com
defeito............. 740.O00
Moenda .............. 1:300/000
Parol, repartideira, cucos, pomba e escu-
madeirs............ *)/l>00
2 tanques de madeira para inel..... 500/000
Assenlamento para rtame ..... 100/000
Estufa ... .......... 120/WO
500 formas a 320 ........... }?>&*
1 alambique rom scus pertcnces..... 400/000
5 carros ferrados a 50/000....... 250/000
1 caua grande........... 100/000
70 bois de carro, a 50/000......3:500i000
I trlhciro para casa de vi venda nova, avalla-
do pela metade.......... 150/000
3 taixas com defeitos........ (JO/000
( asa de rccolhcr bagaco....... 200/000
580 bracas de valioso a 720. ; 417/600
1 pipa de amarello para condueco de mel 12/000
Icasadetelha........... 30/04)0
40 escravos, entre machos c fcmeas, *>o/00n 12:000/000
29:1060600
ingnito Caiabuttuzinho.
Safra criada de planta e socas, avallada em
1,875 paos, a 3/000.........
Rossa..............
Moenda.............
4 taixas inteiras e5 remendadas no assenla-
mento .............
Parol, repartideira, cocos, pomba e caadeiras
365 formas, a 320..........
30 bois de carro, a 50/O00 ........
40 animaes de roda, a 40/000 ......
1 casa de farinha c seus perlences ....
I dita de vivenda..........
I dita para lavrador ..........
I dita u..........
1 dita .........
2 carros ferrados, a 50/000.......
Mel que existe em dous tanques.....
5:025/000
262/800
1:900/000
500/000
20/000
116/800
1:500/000
1.600/000
70*000
300/000
60#000
50/000
40/000
100/000
500/000
Soturna Rs. 12:644*600
IGREJA DO CORF SANTO.
A mesa regedora da irmandade do SS.
Sacramento da freguezia de S.-Pr -l'e-
Iro (loncilves do Hecife roga a todos os
irmaos da mesmA irmandade para que
se sii v,un comparecer em reunio geral ,
domingo, iM docorrente pelas 9 -horns
da niinlia afim de se proceder a cle
cao da nova mesa, que tem de reger no
anno vindouro de 18480 18 Ir.
Na ra Formosa, esquina da ra da UniSo precl-
sa-se de duas criadas.
Em correspondencia ao annuncio que declaran o
Sr. Joao Pinto Regs de Souza o nbaixo assignad ein
rrsposta Ibc diz que muito deseja c igualmente que
no praio dos referidos tres das, que elle annuncinii no
Diirio ta t'crnambuco 14 do corrente para que os ere-
dores apresentcm suas emitas mas como tambem o
balanco da dita venda em que he socio o mermo Sr.
Joo Pinto para que a vista do balanco se possa co-
nhecer das mpugnacoes que ha entendido por elle.
Franciico Jote tomei de Uliveira.
Desapparecc'ram, do. porto da serraria da ruada
Praia-de-S.-Ria n.25, 4 pranchOcs de louro, coma
marca AM : quem dellcs'ver noticias, leve-os a mes-
illa serrara que ser recompensado.
A mesa regedora da irmandade de San-Benedicto ,
erecta no convento de S. .Francisco desla cidade ha-
vendo determinado expr vista dos fiis ein solemne
procissao scu santo"padroeiro, cm a tarde de 18 do cor-
rente,-roga aos moradores das ras seguintes que quei-
1 ain ter limpas as testadas de suas casas: ao sabir, ra
da Cadeia de S.-Aulonio para o Recife ra da Cruz, Ta-
imen os, Trapiche, Vigario, Moeda, Madre-de-Deos, Col-
legio, Qucimado, Direita, pateo do Terco, ra de Agoas-
Vcrdes travessa de S.-Pedro, pateo do Carino, ras da
Camboa-do-Carmo, Flores Nova Trincheiras estrel-
la do Rosarlo Cruzes a recolher-se. _
Francisco Lulz Concalves, Uratileiro rclira-sc
pera fra do imperio a tratar de sua sade.
-Clergue I mio retii am-se para fra do imperio; e ro-
ga a al; 11 ni a pessoa que se julga credora que aprese ote
sua coma para ser paga.
Piceisa-se de um caixeiro portugus ou brasilriro,
de idade de 16 ou 18 anuos, que tema alguuia pralica
de venda: as (Ineo-Pontas, n. 21.
Na noiie de sexla-feira, da procissao do -'enhor dos
l'assos, achou-sc uin lenco com la-'arinlo : quem forseu
dono procure na ra da Gloria, 110 sobrado n. 87, segun-
do andar, que, dando os signaos, ser enlregue.
D-sc dinhriro a premio sobre penhors de ouro
eprala, eu hypolheca ein casas terreas e boas firmas.'
na ra do Rosario estrella 11. 30, segundo andar, se dir
quem dt.
Antonio Manoel da Costa e Silva rrtlra-se para fra
do imperio a tratar de sua sade.
Severino Antonio Rlbeiro Vianiia relira-sc para
fra da provincia a tratar de sua sade.
Carlos F. I'oiugdestre, subdito ingle?, relira-separa
fra do imperio.
RETRATOS COLORIDOS DO DAGUERREOTYPO.
O abaxo assgnado avisa ao respeitavel publico que*e
retira positivamente ain o vapor Imperalriz viudo, do
norte, eqne so pode trabalhar boje e ainanliaa.
Carloi D. Fredrieki,
Professor de daguerreotypo,
Compram-sc diarios velhos no botiquim Cova-da-
Onca na ra larga do Rozarlo, n. 34.
h Compra-se uina toalba de lavarinto, de bonito mo-
delo : na ra Nova, loja n. 5.
Compra-se pecas velhas a 17/000 rs., e pataedes
brasilelros e bespaohea a 2/000 rs.: na ra da Cadeia,
loja n. 38.
-Comprain-seiOO garrafas vaslas a 60 rs. : no pa-
teo do Carino esquina da ra de Hortas, lado direito ,
n.2.
Compra-se o jogo da gloria, sendo j usado : quem
tiver annuncie.
Vendas.
SORTES.
' Novo divertimento que contin dual partes primeira
o llvro do* destinos novainente escripto pela Sibylla de
Cuines ; segunda o manual de alguns jogos de socieda-
des, extrabidoa do de M."" Celnart, e trasladados em Un-
goa verncula, por 640 rs.; Acasos da Fortuna, ou livro
de sortes divertidas em que, por virtude de .dous da-
dos vem cada um no conheciinenlo do estado, rique-
ras herancas. amizades, etc., que ter e outrai mul-
las e galantes sortes annuncladas no principio da mes-
illa obra. Ultima impresso, expurgada dos inultos er-
ros e defeitos das precedentes. Augmentada de um no-
vo inethodo de fazer mais de mil declinas nicamente
com o irabalho de lancar os dous dados. Um tratado das
sinaa ou dos defeitos e prognostico dos doze signos do
anno 640 rs.; Divcriiinriito campestre, ou descobri-
mento da sortede cada pessoa, que a quizer tirar ou
dlverlir-se, coi rgida, emendada e accrescentada tra-
zendo 110 IIm uina parle da mythologia dos deoses fa-
bulosos, por 480 rs. Vendem-se na praca da Indepen-
dencia liviana ns. 6 e 8.
Vende-se una canoa pequea ou baldan por
prc o eommodo : no Atcrro-da-8oa-Vista, n. 17.
Vende-se una porcao de espanadores de todos s
nmeros, por preco mais coimnodo do que em outra
qualquer parte : na ra Direita, casa terrea 11. 44.
AOS AMANTE? DA HOA PITADA.
Vende-se, a 40 rs. a oitava, o muito superior rap de
Lisboa, ehegado ltimamente : ua ra do Queimado ,
becco da Congregarn, 11. 41.
PHOSPHORO
em libras c em oncas : no Alerro-da
Boa-Vista fabrica de licores n. 17.
Vende-se, ou pennuta-se por casas o escravos ,
um grande sitio, perto da praca com boa casa inul-
tas fruc le ras, mais de 500 pesde mangaheiras, coquei-
ros urna grande planta de capim e grandes baixas para
continuacao de plantas um cercado que sustenta, na
niaior fine a do vrriio, trinla vaccas de Icite uina boa
malla com boas madeiras para cercas e boas lenhas
para olarias com mais de quatro mil ps de coqueiros,
ierras para plantacdes de mandioca e carros : a tratar
no Aterro-da-Roa-Vista, n 62.
Vendem-se6 cscravas, sendo2crioulas de 26an-
uos que engoinmain, cosem chao cozinhain e lavain
de sabao; duas lindas mulatas de 25 annos com as
inesmas habilidades ; um bom moleque de I.s annos, de
naco Angola um elegante escravo de nacao bom pa-
deiroc canoeiro : ua ra das Cruzes, n. 2?, segundo
andar.
S#S# 8A
B\ Vende-se inanleiga nova de boa qualldade, jm|
j* a 960 rs. a libra : no botiquim da Cova-da-On- ^^
ffi)) 9a na ra larga do Rosario, n 34. IPraj
mB
Vende-se a Noitc do Cistello e os ciumet do Rardo,
poemas seguidos na conflss'o de Amelia, por A. F Cas-
lillio : na praca da Independencia, livrarla, 11. 6c 8.
Vendem-se coqueiros em bom estado de se plan-
lar, a 200rs. cada pe : na ra do Qucimado, n. 53.
Bilhetes do Rio-de-Janeiro da lotera do
theatro de S .-Pedro-de'Alcntara,
vendeiu-se na ra da Cadeiado Recife, loja de ferragens,
n. 56. .
Vendem-se 3 escravas muito mocas, sendo duas
pidas e urna parda todas acoslumadas ao servico de
engenbo, una das pretas entendedo servica de casa :
na ra da Cruz, n. 43, primeiro andar : se aira ,,o moti-
vo por que se vende. s ,
Vendem-se novos livros de sorMfi
para a imite de San-Joo, sb o titulo -A
Joven Fernumbticana colcndo aletn
das sortes oulras poesas i'<;ilis as molas
e aos rapa/es do bom lom : no pateo do
tiollegio. loja nova de livros, n 6, de
Joo di Costa Dourado.
Vrndem-se por muito eommodo preco calas de
ptima folha de flandres : na ra Nova loja defronte
da Conceico dos militares.
Vende-se um preto de Angola de 16 a 18 annos
pouco mais ou menos : ua travessa do Qucimado, 11. 3.
- Veude-sc um escravo de nacao Angola, de 22 an-
nos muito robusto diligente c que sabe cozinbar :
na ra do Crespo, n. 13, primeiro andar.
Caivetes finos para pennas.
Vendem-se caivetes finos para pennas pelo diminu-
to pceo de 200, 240 e 320 rs, : na ra do Queimado loja
dr iniule/.as, n. 24.
Vendem-se pautas das alfaudegas do imperio do
Brasil mpresias no Rio-de-Janeiro : ua ra da Crut ,
n.20.
AgO
a de tingir cabello-
Compras.
Conlinuam-se a comprar patacOas brasileirose
hospanl.es, a 2,003 rs., e peca, a 16,700 rs. : na na
da Cadeia-Velha, n. 38.
Compra-se um seliin inglez em meio uso: na ra do
Queimado n. i.
Coniinia-se a vender agoa de linglr cabellos e suissas:
jh..TjaVa do Ondulado n. 11. 0 inetbodode applicar a di-
ta agoa acompanhaos vidros.
Vende-se urna prcla de 20 annos, que engomma e
co/inti.i : ua ra do Passeio, n. 19.
Vende-se tuna casa terrea na (loa-Vista, ra da Man-
guen-a ,n. II, que tem lanipeiio na porta, com duas
grandes salas 6 quartos, cozinha lora, carimba, quintal
baslautegiande, todo murado e com diversos arvoredos
de frucio na ra do Arago, n. 27, a qualquer hora do
dia. F.sta veuda be le la de necrdo < com ronsentimen-
todo livpolhceario da casa o Sr. Antonio Jos Duarte
Jnior.
No pateo do Collegio, n. t, loja nova de
livivs, de Joo da CoUa Dourado
vende-se papel de peso inglez tle supe-
rior qualidade, em resinas e meias res-
mas.
s= Vende-se um linda negrinha de 7- a 8 annos ; um
moleque de 16 anuos de bonita figura ; uin preto de
mullo boa conducta sapateiro, c que cozinha o diario
de urna casa ; uin dito bem robusto que he uiestre res-
tilador ; um pardo de 20 annos, ptimo para pagein ;
tima prcta com habilidades : no pateo da matriz de S.-
Antonio, sobrado n. 4.
- Vende-se um bonito espelho grande, proprio para
sata feitoem Lisboa por preco muito eommodo : na
ruada Uadre-de-Deus, u o, c dir quem vende.
-- Vendr-se uina negra de mela idade, boa lavadeira
e ptima eozinheira : no Aterro-da-Boa-Vista, n. 26, se-
gundo andar.
Ra do Queimado, n. 46, loja de Maga-
Iliaes & Irma o.
Vendem-se ricos cortes de cambrAla abena, a 4,60r
rs.; ditos, a 4,000 rs.; ditos de cassa de cftr, a 3,000 rs.-
cortes de cambraia lisa muito tina, de 8 varas e uieia *
4,200 rs.; ditos de 3,200 ra.; lencos bordados, com blc a
560 rs.; curies de collete de fustao de cores, padrees n.
dernos, a 1,280 rs.; ditos, a 800 rs.; brim tran9ado par.
do, de puro linho, a 600 rs ; merino preto fino, a 3,000
rs.; casta de babado fina, a 360 rs. a vara ; chita de ca-
berla de cor fixa, a 200 rs. o covado; cassa Uta, a 400 n
a vara ; camisas de ineia, das melhores que teein appI
recldo, a 1,400 rs.; muito boa fazenda paratoalhas, com
4 palmos e mel de largura, a 600 rs. a vara; setiin pre-
to lavrado, a 3,500 rs. o covado; chapeos de sol de seda
a 5,500 ra.; brim trancado de cores, de inui ricos pa-
dres e puro linho, para calca ; lencos de setim paragra.
vata; ditos de seda de cores; riscados francezes largai
multo finos; ditos inglezcs; b i eos largos e cstreitoj,
a rendas.
Cortes de calca a
i#rs.
Vendem-se cortes de caiga para homem, da fazcrid
denominada mselo de 3 j o ? covados a t/
1/200 rs. o corle: esla fazenda he muito barata e os
muito boa qualidade, he escura e serve para a esli-
eflo presente, assim como tambem serve para jaque-
tas e palitos: na ra do Collegio, loja nova da estrel-
la, n. 1
= Vende-se una boa inorada de casa de pedra e cal,
em chaos proprios com quintal, sita em S.-Jos-do-
Manguinho defronte da igreja, pelo precn.de G50/rs
ou troca-se por outra no Recife : a tratar no mlsiiio lu-
gar vendada esquina ou na rUa da Gula, n. 46,
-Vende-se uina esa avade Angola, de 19 a 20 anuos,
de boa figura que engomma, cose e cozinha; na ra
Nova, n. :6
Vendem-se 6 cadelras de palhlnba, de pao d'olco,
tres bancas de condur ; uina commoda de amarello:
na ra larga do Rozarlo, n, 48, primeiro andar.
Vendem-se tres moloques de 16 a 18 anuos; 3 pre-
tas do 15 a 30 annos nroprias para todo o servico; 4
pardos de 10,14, !8 c 26 asr.o: scr.de uin delles bom
carreiro ; duas inulatinhasdc 7a l4 annos ; una negri-
nha da 10 annos com principios de habilidades ; 3 pre-
tas de 20 a 25 annos com habilidades : na ra do ColA
legio n. 3, se dir quem vende. *
Na ra de Agoas-Verdes, n. 4G,
vende-se um escravo multo necessario a uin senbor de
engenho, por ser offlcial de pedreiro e meslre de as-
suca i,- um bonito pardo que he bom pagem e carrei-
ro ; um moleque de nacao, de 20 annos ; um escravo dt
naoao bom carreiro ; uina bonita moleca de 16 auno,
duas escravas para todo o servico ; um bonito niiilailnlio
de 11 annos ; nina moleca de 14 annos; uin escravo dt
boa condneta e que be nfiicial de sapateiro.
Vende-se uina preta crioula de 37 minos ponto
maisou menos inulto sadia ; heacostumada a vendet
na ra e nunca faltou com o selo diario que d : por
crcuinstan.-ias que se drao ao comprador, se vende
por menos de aeu valor e sendo para fra da provincia;
na ra da Cadeia-Velha, n. 25.
Vendem-se sapatdes de couro de
lustro superiores, pelo baratissimopre-
co de Q,56ors : na ra do Cabug, loja
de miudezas, n. 4 de Manoel Joaquim
Da.
= Vendem-se os seguintes livrot: o Panorama, 8 v.,
Magasin pittoresco, ein francez, 9 v. ; Archivo po-
pular, 7 v. ; Universo pittoresco 3 v., contendo 6 an-
nos ; Galera religiosa, l v. ; Historia do brasil, 2
v.; Hecreo, Jornal' de familias, 5 v ; A distraeco,
1 v. ; Museu pittoresco ,1 v. ; Masen dos antigos e mo-
dernos 3 v. ein formato grande, comjricas estampas,
obrapropria para os escultores ; Architeclura de Andrr
Paladio contendo 5 livros, obra multo rica propria
para os engenheiros: na ra Nova, n. 26, primeiro an-
dar, a qualquer hora do dia.
= Vendein-se dous pares de campotelraa de vidro
crvslalisado, sem uso alguin, por mdico pre;o : no bec-
co do Sarapetel, sobrado sem numero, no segundo an-
dar.
Na ra do Queimado, n. 24, Loja de miu-
dezas.
Vendem-se estojos com duas navalhas, para barba
multo finos ; caivetes de I a 3 folhas, inulto fino.-, ca-
bal de madre -pcrola ; chapeos enfeitados para bapliu-
dos de meninos ; ditos para boinem e menino, de palha
da Italia ; bicos linos para [albo de vestido, estrello i
largos; luvas de pellica para senhora, a'1,600 rs.; ditas
Iiara homem, ponto inglez, a 1,600 rs.; meiaa cruaspara
lomem ; ditas de cores e brancas; ditas para menino;
ditas pretas para senhora, de algodao; ditas de seia:
suspensorios de feda, e" ditos de borracha ; calas o
inassa de tartaruga, redondas e quadradas. Tildo te
vende por preco mais eommodo do que ein outra qual-
quer parte.
Vendem-se coifas e meias ditas de loa de diversai
cores e padrOes, do inelhor goslo que tan viudo do 11 io-
de Janeiro : na ra laiga do Roxario, n. 24.
Vende-se uina preta de 14 annos de bolilla figura,
que cozinha o diario de uina casa cose chSo e nao ten
molestias o que se aliancaao comprador: na ra d)
Concordia, passando a puntesinha, a direita, segunda
casa terrea.
Vende-se brim escuro de linho inuilo fino aSOti
rs. o coVado ; fustao pintado a 320 rs. o covado ; Irncoi
encarnados finos para tabaco a 3/200 e4/ rs. a-duzia'
ahapos de sol, de seda a 4/800 rs. : na ra doQurinw
do, loja n. 8.
No armazein da ra Nova, n. 67, ba um grande sor-
tmenlo de cadeiras de palhinha que se vendan a 28/.
31/, 40 45/. 50/, 7J/ e 96/ rs. ; rslojos com rpt-
Ihos para navalhas a 1600 rs ; um sortimento de uif-
s.is, bancas, sopbs, camas de annajao e sem ella ; ri-
cas carteiras de viagrm com estojus e mais pcrlencrs i
2palanquius, sendo um da Oahia ein inclo uso;'
oulros inultos objectos que a vista dos pretendeuie
se faino patentes. Aflauca-sc a coiiimodidade d"'
pi-ecos-
Escravos Fgidos.
Roga-sc as autoridades' poli iaes e capile' e
campo que apprehcndam o escravo Feliciano, aiw-
bastante reforjado do corpo semblante alegre, cor
prcta, beicos grossos .denles apartados por nalureM.
barbado mas sem suissas; levou diversos tragescm |"n
sacco de eour. Kste escravo fui ha pouco compr""'
vindo do Urejo-de-Arcla : quem o pegar Icvc-o a man'
Cadeia do Recife, n. 5, que ser generosamente ""
compensado. .
Contina a estar fgido o escravo Rayinundo !*
24 annos de naci Angola pertenecnte a Manoel <"
Aaevedo Maya. Este escravo se oceupava em ganliar n
ra : quem o pegar leyr-o ao Atcrro-da-1o.vVista, ven-
da ii. 44, que sera gratificado.

PeRIU. : NA 1YT. DEM. F. DEFAKIA. 148
ILEGIVEL
ti
MUTILADO


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EAY80JUN9_O3KS1W INGEST_TIME 2013-04-13T01:57:07Z PACKAGE AA00011611_05986
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES