Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:05982


This item is only available as the following downloads:


Full Text
nno e 1848.
Sexta-fera
O ," I 4liU) ouMicn-se lodos ai din que Xi'
rcm de gmt> 0 l1"? da lgnaluT lie de
,n0(t rs.porqiirtel, fagot adtantadni. Os n-
iineioa dos assisaanles sr"> inseridos a ras io de
. por linha, ors. em'lrpo dilerente, e as
beti'e pe metade. O que nao foro'n n'g "
Mio-'p""50 ,0 po'Bn'n, e 160 m lypo
iTcrente, por cada publioac:*.
PHASES DA. LA. NO HEZ. DE JUMIO.
I ,n now. a I, no 10 mo. cU lrd.
Ciescrnte 8, as I horas-6a na. d Uro,
i ul cheia lO. < hora e S min. da wrd.
HiuK""te ** ,,ora e 8 ,nio- ""b.
PAETIDA DOS CORREI08.
Gianoa, Paraliiba s segundes e sextas (jaira*
Rio-tlrande-do-Norte quintas feirasaonteioda
Cabo, Seriolie, RioForojoso, Porto-Cabroe
Macelo, no I.*, a II el de cede mez.
Garanhuns e Bonito, a 8 e 2.
Boa-ViU e Flores, lilil.
\iciori, as quinlas-feira.
(inda, iodos os das.
PREAMAP, DE HOJE.
I Primen-a, s 10 horas e 64 minutos da manha.
a, as 11 lioraj r I minutos da sanie.
DROD
FlIllllO
Anno XXV. N. 150.
DAS DA SEMANA.
!) "secunda. S. Marciano. Aud. do J. dos Sol
orph.doJ. doc. da t.v. e do M. da ?. v.
0 Terra. S. Norberti. Aud. do 1. do civcl. e
rio J. de paz do t dist. de I.
Quarta. 8. Roberto. Aud. do J.dociv. e
do J. de pai do 3 dist d t.
Quinta. Saluil ano. Aud. do J. deorpb. c
do J. municipal da i. v.
Sexta. S. Coumbo. And.do J.dociv. edo J.
de paz do I dist. de t.
10 Sabtwdo. S. Margarida. Aud. do J.do civ.
eJ. de paz do I dist. de t.
11 Domingo. Pasehoa do Espirito Santo.
CAMBIOS NO DA DE 8JUNHO.
bre Londres 15 d. por 15 rs. di- N"
Pris 315 "i" rs. por franco. Nom.
a Lisboa 100 por 100 de premio.
Dcsc. de lettras de boas firmas I I '/.
OiiroOneas bcspanholas....
Moedasdcfll 0 velli .
de-tf 100 uov..
, .de tlOOO .....
Prafa Petares brasileiros.
Pesos coluinnares...
Ditos mexicanos....
Miuda,....
9J500 a 30IHOO
IGJjOO a' ttfBOC
IGjSAO a
OjU'O a
14980 a
IJ980 a
ifsJu a
1*910
Atces daromp 'deBelieribe, a 5->00 rs. so par.
PARTE QFFI.CIAt,
ir
COVIWO DA PROVINCIA.
KXPEDIEN.VE DE 30 DO PASSADO.
OAici-. Ao commandante das armas interino, decla-
rando, em vista de aua informacSo de hontein (20 de
malo), que o cadete do 2. batalhno de arlilharla a pe,
Fraiiklim do Rcgo Cavalcanti de Albuquerque Barros,
iiuc sohio daqtil para a Pnraliiba, coin Itcenca do gpver-
. deve de ser considerado como lente, no referido
no, deve de ser considei
balalhflo, emquanto nao cohalar olricialmenic que se
acha rcstabelecldo da molestia de que aoOre, segundo
consta do docuineuto que acompanbou o ojncio do bxm.
presidente da mencionada provincia, que S. S. leve em
vista, quando deu a citada informacao. Omclou-sc a
respeilo ao Exm. presidente da provincia da Parahiba.
Dito. Ao julz municipal do termo do Rlo-Fonnoso,
ordenando que, sem a mnima demora, faja executar a
semenca que despronunciou os membros eflectivos da
cmara municipal dea villa, e os restituio ao exercicio
dos respectivos cargos. Parlicipou-se ao cidadao Ma-
noel Henrique Wnderley, que represen lra a respeilo,
Viseado em seis documentos.
Dito. Ao Dr. Ilernardo Rebello da Silva Pereira, ac-
cusando recebido o seu ofticlo de 24 deste mea (maio),
em que parlicipou liavcr entrado no exci cicio das func-
cocs dejuiade direilo do crime da comarca do Bonito.
Dito. Ao coinmlesario-pagador, ordenando indemni-
se o almnxarifado do arsenal de uiaiiulia da quanlia de
2S#IC0 ii'is, que despenden com.o desembarque do
quarlo baUlbao de arlilharla, no dias 24, 25 c 27 deste
mez i Dalo;. Parlicipou-s ao inspector do arsenal de
marinha. ,_
Dito. Ao agente da companhia das barcas de vapor,
ccoinuiendaudo mande transportar para ac&rle como
passageiro de estado, no vapor que cstacliegar dos
portos do norte, a Josc Matlieus Evaristo Lopes, cscri-
vo do briguc-escuna Canopo, que se acha preso a orden
do fcxiu. &r. ministro da marinha. Parlicipou-se ao
commandante do brigue-escuna Canopo, era resposla ao
seu iillicio de boje i'.'ii) de maio).
Portara. Ao director do collegio dos orphiios, orde-
nando d as precisas providencias para que os dous
aprendiies menores do arsenal de guerra, mandados re-
colher ao meauo collegio, para se applicareiu ao dese-
nlio, nao so sejain ensln.aJos a 1er c escrever, caso an-
da o ao saibam, ms tambem se diem ao cstudo de
inuaica, ra^raVOjdam aqela>s.do oflicios, de que ba tues-
tres no eslabeleclincnto sb sua dircc9o, para que tl-
verein dlsposlcSc*.
EXPEDIENTE DA SECRETARIA.
OlHcio. Ao !. secretarlo da astembla legislativa
provincial, transmittindo as coalas da cmara inunici-
p.il desta cidade, relativas ao anno nanceiro de 1846 --
1S47 ; bcui como o orcamento para o anno futuro Np
mesmo sentido, aecusando remessa das contase do or-
camento das cmaras do Brejo, Santn-Anto, Nazarcl,
Iguarass, Rio-Foruioso, Olirtda, Cimbres, Bonito, Ga-
ranhuns, Ba-Visia, Po-do-Alho, Limoeiro, Goianna e
Flores.
Dito. Ao mesmo, participando que o E*m. Sr. pre-
sidente da provincia, em allenco ao que representou a
cmara municipal do Recife. no officio que transmute,
autorlsou-a a pagar5:.)9R/l30 rs.,em letlrasa vencerew-
se desde junho de 1848 at junhodc 18&1.
Dito. Ao mesmo, enviando as posturas das canta-
ras muuicpas de Garanhuns, Ba-Vista, Sauto-Auliio
c Recilc. .
Dito. Ao mesmo, remetiendo titn olncto uo aami-
nistrador das obra9 pnblicas acompanliado do orca-
mento e planta para urna ponte que deve substituir a
dos Arroinbados, na estrada da Taca una.
DEM DO DA 31.
Officio.. Ao conmiaudantc das armas inlcrino, sei-
rntiOcamio-o de baver Iransmtlido secretaria de es-
tado do negocios da guerra o ofl'icio de S. S.. de 23 do
ror'reute, acerca do soldado da companliia lixade aval-
larla, Aulonio Jiiaquim da Silva.
Dito. Ao inspector da thesouraiiade fazenda. lUm.
Sr.Cumprindo a este governo envidar lodos os me ios
possivels, para que as rendas publicas no soltiam a
iiiiiiiiua quebra, nao posso approvar que a Joio pl'-
ta de Medelro se arrende por duzentos e um mil ris
annuaes o acmazcm n. 3 do Forie-do-Maltos, perlcn-
cente .-i fazenda nacional; no enlamo que, segundo cons-
ta do officio de V. S., de 25 do corrcnle, o referido ar-
nmcmj csteve alugado pela quantla de qualrocentos
c dous mil rc'i |Mir anuo. Releva, pois, que V. b. faca
annunciar por ediul. que o mencionado edilicio vai ser
arrendado a prestafoes mensaes, pagas adiantada, ou
sb banca idnea ; afim de vr.^e, mediante esse expe-
ilienle, evlta-se o grave prejui/.o que soffreria a inesma
fazenda, caso fsse aceito o lano do licitante Baplista
de Vlcdeiros. Assim respondo ao sru ciUdo olncio,
Dito. Ao mesmo, declarando, em rrsposta ao seu
officio de 27 dcste mez (maio), que as despezas coiu os
cuneenjs do palacio da presidencia tlevcm de correr por
coma da fazenda geral ; por sso que scinclnaiile edi-
ficio he nacional, e nao provincial.
Dito. Ao mesmo, ordenando, cul consequencia de
represrntacao do commissario-pagador.suppi^, coni a
quanlia de nove conlos de rl a rubrica i residi da
i/na de femando. Parlcipou-ie ao conimissario-paga-
dor. ..i
Dito. A' cmara municipal deoianna, declarando,
de contormidatleconi o parecer da ihesouraria das ren-
das provinciacs, que os 40O#0iO is.. pedidos por ella
para a compra de trastes de que p'ircisa a casa do jury
daquella cidade, devein de ser lirados iln quota votada
para as despeas ordinarias da mesma cmara, e nao da
designada para as evenluaes.
Dito. Ao che fe de polica interino, exigindo infor-
nacito acerca do contedo n'uin officio em que o cn-
sul deS. M. Fidclissima, nesta provincia, reclama, a sol-
tura do subdito de' sua naco, Antonio Alves Jnior,
que, segundo elle allega, cha-sc preso sem processo, lia
dezasele mezes.
Dito. Ao jui municipal supplcntc da I.' vara, para
que informe se na cadeia desta cidade ha presos que ja
tcnhain cumprido suas sentcncas, c alguns de quem se
uo posea conheccr se as leem cumprido, em conse-
quenca de nao existirem nos cartorlo os autos de sen-
tenca condeinnatoria, as guias coin que fram remcllidos
para aqu, nein assentainentos de qualquer natureza,
as prlses cu que se achain.
Hito. Ao administrador das obras publicas, deter-
minando mande tirar oh andamies que se fizeram para
as obras do edificio destinado academia jurdica de
Ollnda, c que ameacam queda inminente, por lerem
apodrecido; bein como que recominendc pessa encar-
regoda das referidas obras, ponlia em geguranca os ob-
jectos pcrtenceiites a ellas, para que nao scjaiu rouba-
dos. Parlicipou-se ao chefe de polica interino, em
rrsposta ao seu officio de 25 deste mcz.(maio), a que veio
annexo un outro em que o delegado suppleute de Olui-
d represenlava aseinelbanic respeilo.
Uilo. A' cmara municipal de Garanhuns, exigindo,
para seren Irausmiltidas asscmbla legislativa pro-
vincial, as aulhenlicas dascleicocs primaria>do collegio
daquella villa.
Portarla.Aos vereadores da cmara municipal do Rio
Forinoso, acuialuieote cm exercicio, ordenando que,
apeuas esta receberein, cessein de exercer as func;es
iiiunicipaes, epassein-nas aos vereadores que (orain sus
pensos dcllas pela presidencia da proviuca; visto niio
icicn c-J ditos voleadores sido pronunciados no processo
de responsabilidade, que respooderam.
Dita. Ao administrador das obras publicas, deter-
minando faca pregar asferrageus das portas ejanellas
do edificio destinado academia jurdica de Olinda;
pintar nao so oslas como aquellas, mas tambem as va-
raudas de ferro; levautar, emlim, urna parede na jauet-
la, por onde se nao rotibado algumas talioas.- Partici-
pou-sc ao iuspecior da ihesouraria de fa/.enda, -
ministrador das obras do uieucionado edificio,
presentir a respeito.
e ao ad-
qnc rc-
EXPEDIENTE DA SECRETARIA.
Officio. Ao I." secretario da assembla legislativa
.provincial, declarando que o Exm. Sr. presidente da
'provincia comparecer ante a mesma assembla, para
Icr o relatorio do estylo, amaubaa, a 1 hora da tarde.
Dito. Ao mesmo, intcirando.o de baverein sido exi-
gidas da cmara municipal de Garanhuns as aulhenlicas
das eleices primarias do respectivo collegio, pedidas
pela assembla.
Dilo. Ao mesmo, iransmilndo, com iufonuacao da
Ihesoiiraria das rendas provinciacs, um requeriniento
em que Augelo Custodio da Silva Fragoso, professor apo-
sentado de prinieiras Ultras, pede se lile mande pagar
lejraafirac'f que iulga tajiu direilo, pelo exercicio
de inais dedozc annos, nao inlerrompidqs.
Dito. Ao mesmo, remetiendo urna reprrsentaca'o,
emque ovigario de San-Scbastiao do Ouricury pede
urna quota sufficienle para a respectiva capella-matriz, e
compra dos ornamentos de que ella precisa.
Dito. Ao ini'suio, aecusando remessa de um officio
da cmara municipal do Rio-Fornioso, acerca das suas
rendas, acoinpaiiliado de informado da ibcsouraria das
retidas provinciaes.
Dito. Ao mesmo, euviandO Ulna representar ao cm
que o vgario da fregueza de Agoas-liellas pede quota
para os reparos da capella-mr da respectiva matriz.
.^-^t.iT.T-rav =J
v .-rrr-irj.irw
PERNAMBC0.
nao he meu. Nao se queira, pois, lancar o odioso sobre
o drputado que redigio a acia ; porque elle nao fez mais
do que mencionar .o que ae passou ; c, referindo o que
se passa, nao he responsavel pela veidade. ou nao-ver-
dade dos factos. Nein se diga que isto he novo ; porque
o regiment determina que a acia se rcdlja do modo co-
mo esta se acha redigida.'
Com oquedeixo dito, liel desviado de sobre mima
imputacao de talsidade que o nobre depulado me quiz
Irrogar. .... ..
O Sr. Lourriro : Sr. presidente, ja fui prevenido pe-
lo Sr. secretario. Km verdade, eslranhei inulto a acri-
monia coin que o meu nobre mig c collega censurou
a redaecan da acta; mas nesse ponto, como ja dise, fui
prevenida pelo Sr. secretario. A acta, Sr. presidente,
deve.com erteito, conlcr a descripcao exacta do que se
passa na casa; e se na realidade se passou na casa, co-
mo cu allirmo que se passou, o que a acta contein, o no-
bre deputado niio pode censura-la, principalmente em
termos to desabridos, como esse de que usou, dizendo
que a acia contiuha factos falsos.
Ora, o que he verdade he que o Sr. deputado terretra
Gomes disse aqu, que o Sr. Dr. Villcla linha chegado,
que o liona visto entrar....
O ir. Ferreir tomes Que constata achar-sc elle
na casa....
O Sr, Loureiro: Que llie consta va. ., bein; que com
elle se coniplctava o numero legal e que por consequen-
cia fsse chamado Ao incsm lempo dcclarou outro
Sr. deputado, (niio sei qual) que o Sr. Dr. \illelajase
liavia retirado, i nao eslava na casa. Ora, isto he exac-
tamente o que a acta menciona, e isto foi o que se pas-
sou na casa. Agora, se o nobre deputado. que com Un-
ta aspereza e acrimonia combate a redaccaoda acta, pre-
tende provar que nao veio esta casa, entao dire que
acta he inexata, c cnlao requercrci que della se illi-
mne a parte que diz respeilo a semelhante facto. Mas
cu nao ouvi o nobre deputado aliirmar que uao tinha
viudo : logo, a acta est exacta, porque conten o
- motivo para
altere a
que se passou: epor eonseguintc nao vejo moti<
lana acrimonia, nem lib pouco para que se >
i Connuar-lc-ha.)
ASSEMBLA PROVINCIAL.
4." SESSAO OHBINA1UA,
EM 8 DE JUNHO 1IK 1848.
Pfentdcncla do Sr. rigario ,'zevrtfo.
St'MM io. /Ipprotiafo da acta da sttso di 0. iinit-
so snOii a acta do din 7. Approvaco de
urna emenda aceta acta Ordem do da.
As II c ni. i .i horas da manha faz-sc chamada e veri-
fica-aeacharem-sc prsenles 20 Srs. deputados.
Q Sr Presiden/e declara abrrla a sessilo.
O Sr 2." Secretario faz a lcilura da acia da ressiio de (i
de junho corrente, a qual he approvada.
O Sr. 2." Secretario le a acta do da 7.
) Sr. Joaquim Vitlela: Peco a palavra.
O Sr. Preeidente: Ten a palavra.
OSr. Joaquim Villcla: Senhor presidente, eslou ad-
mirado da redaccao da acta que se acaba de Icr, e lano
mais admirado, quaiito ella conten urna lalsldade ; eu
honlem n5o vlm ante-sala;pessoa alguma nclla me vio,
nenl tao pouco fui chamado para vir lazer niiincro na
casa. Cirio que o regiment marca urna formula para
se rrdlgirein as actas quando nao ha numero legal para
havrr sessao, e nunca foi cosluinc nesta casa dizer-se que
o deputado fulano se retirou para uo baver casa: n-i
anno jassado c no atrasado deixou, em mullos das, de
baver sessao por fallar numero legal, c mesmo por se
icr nlgun deputado retirado, depois de ler lomado as-
senlo; mas nunca na acta se disse que se havia reinado
Pedro, Paulo, Sancho, ou Martlnho, para nao baver ses-
slft. Alm de que, Sr. presdeme, da acta mesma cons-
ta que faltaran liontcni outros deputados alein de iniiii :
como, pois, so a inim se ha de imputar o nao ler bavulo
sessao, a nao a lodos os uuc nao coniparcccraiii? Nao sei
realmente como interprete esta nianrira de redigir a ac-
ta : he um modelo novo que se quer inlroduzirna casa,
s a meu respeilo, quando niio fui cu s que laltel.
O Sr. Vicente Ferrer (2. secretarlo) : Eu redigi a ac-
ta segundo o regiment. Elle determina que se rcdlja
a acta narrando resumidamente ludo quanto se passar
na casa. Aqu se pa>sou o faci que a acta menciona. O
Sr Fe? eiri lion.es, depois de felU a chamada, disse
uue fsse convidado o Sr. r Joaquim Villela, porque
onsuvaesiarna anle-sala : logo, quando c.acia narra
esla cccurrencia, nSo menciona una falsidade. Uissc-se
que o nobre deputado eslava na antesala, e que depois
se ausentara. .-
0 Sr. ioaaiiim Villela : Resl.yeeu na ante-sa a /
Fcenle Ferm':-Niio sei. Se houve engauo, elle|
DIARIO HE PIRNAIIIICO.
jjaojitaak j a*'-* waati) ata asas.
vernador napolitano da i Idadella de Mesetna havia re
comecado com extraordinario rigor o bombardrameo-
to da cidade, c cm aples to grande era a impopular!-
dade do rci Fernaudo.que se considerava iuevilavcl urna
revolucio.
Km Roma,os operarios haviam lumulliiariaincnte exi-
gido augmento de salarios, e amecaratn a populacan
c mu ii mi driiionsti.-icao armada; mas nina carta dalli,
com data de 18 de abril, annuncia que -a tranquillidade
se achava rcslabelecida, eque 42dessesdesordciros ha-
viam sido presos. Fram removidos os cardeaes legados
de Ravenna, Irbino c Pasaro. e o hispo delegado de Ric-
ti, osquaes deviam ser substituidos por seculares.
Quanto ao tbeatro da guerra, sabemos que o campo de
batalha se acha presentemente transferido para o qua
drado formado pelas fortalezas de Mantua, Verona, re-
grano, e Pescliiera, lugar este em que semprc se lem de-
cidido da sorte da Italia ; mas he s agora que os Italia-
nos combatem por sua propria independencia, ca espa-
da de Ca los Alberto he a primeira espada real que se
desembalaba em dcesa de tao santa causa. O exercllo
picmoiitea compoe-sc de 50,000 homeiis animados do
mais puro patriotismo : he apoiado pela esquerda por
7,000 voluntarios que sedeslinam cm parte aoTlrol com
o designio de cortar a retirada dos Austracos ; pela di-
rrila lera em breve 8,000 homens de tropas' loscanas,
commandadas pelo general Ferrad que actualmente es-
t promplo para passar o P; ha demais o general Du-
rando coin lli balalhrs romanos e dous rrgimenlos de
cavallaria.quesemovccoin o fim de reunir-sc coin a di-
reita do ejercito sardo.e.se fr neccssario.de lazer june-
cao com os insurgentes venezianos, comraandados pelo
bravo general Zueohi. O general austraco Radetzkl lem
por sua parle, c pode fazer obrar no quadrado formado
pelas quatro forlalcaas citadas, um excrcito de 40,1100 ho-
mens, lodo de tropas regulares. O solo da llalla lera por
sem duvida de ser alagado cm sangue, mas nos sincera-
mente desejamos que os Italianos restauren! a sua inde-
pendencia e liberdade. c veuham a representar anda no
mundo o papel brilhantcquc j representaran.
O rci Carlos Alberto linha ordeuado que a bandeira
nacional naval fosse a tricolor italiana verde, branca
e encarnada, com as armas da Saboia no centro, cuma
cora por cima das armas.
A fortaleza de Pescl.iera anda se achava em poder dos
Austracos, sendo por conseguale falsa a noticia que em
ouiro numero hemos dado de que se linha rendido as
loicas do Picmonie.
Tinha havido umaacco entre as forcas de Dinamarca
e as da Prussia, na qual as primeirus Tram batidas com
consideravcl perda: ellas evacuaran! F.chcnforde, e ret-
rarain-sc para os quarlcis gencraes cm Daunewlrke.
Quanto Austria, nada de importante haTia oceUr"-
Ao'lcc'rrar os trabalbos de boje, o Sr. presdeme dn- rid0 .-r- -r <
assembla deu para ordem do dia da sessao d'anian-
haa: -.(fficoutinuaco da de hoje; lcilura de projeclos
c pareceres ; 1.' dlscusso do projecto n. 21 e2.'do
de n. 22, de 1847; ~l." dos de ns.2 c 9 do correte anuo
A 20 de uiaio prximo lindo, S. Ex. o Sr. presidente da
provincia uomeoii delegado do termo do Bonito ao com-
mandante superior Francisco Xavier de Lima.
A 27, dcinitllo ao doutor FlppeCarnciro de Olinda
Canipello do cargo de delegado do 2. distrcto do termo
do Recife.
A 30, reformo!! o referido doulor noposlo de lencnlc-
coronel chefe do 7. batalliao da guarda nacional deste
municipio.
A 2 do coi reme, nomeou delegado do Icruio de Flo-
res ao coronel Manocl Pereira da Silva.
A 3, nomeou subdelegado da freguezia de Una ao ci-
dadao Francisco Amonio Pereira dos Santos.
Tivcinos o 7iiM de 28 de abril. Kis-aqu o que colhc-
mos nelle : '
Hfi Inglaterra nada de novo havia occorrido, c com-
quantuanda durasse o cxaltamcnlo dos cartislas re-
iielers, oslilhosde Albion continiiavam a fruir as (lo-
curas da paz, esse dom preciosssiuio que so Dos pode
outorgar, e sem o qual ncnliuin puvo podera jamis, ser
Oiianto Franja, temos de onuunciar aos nossos
lellores, que, em vista do espirit de ordem de que se
achava animada quasi toda a populacao df Pars, t Blnv
guem rr.celav pela estabilidad" da repblica. No da 0
de abril tivera lugar sem o menor disturbio a confratei-
nsaeo do povo com a guarda nacional e a n opa de li-
nha. As eleices para a assembla nacional haviamse
feilo tambem regular c paeillcamente. Nos collegio de
iiue se linha noticia era Mr. lAiiiartinco candidato mais
vnkado, depois delle conlavain maor numero de volos
M. Duponl (de TEnir), Marrasl, Arago. Maric, Garnier
Pags", Brlhmont, Garnot e Crcmirux, lodos membros do
governo provisorio. Os inmediatos a esles eram Cor-
nieiiin, Brangor (o poeta), l.anieuuais e outros republi-
canos moderados.
Em L-jon as elclcrs laiiibcm seliaviam fetocom iran-
quillidade c ordem, e os ultra-republicanos ticarain
igualmente vencidos.
O governo provisorio decrelra a dlssolucao c dispcr-
s.o dos Allcmaes reunidos na frontera oriental da Fran-
ca ; pois que, em sua opiniao, tal reunios causava desa-
socego aos estados germnicos, c poderla contribuir pa-
ra que a repblica se visse obrigada a einpcnhar-se cm
urna guerra com os seus viznhus.
Disturbios de um carcter serio tiiiham todava oceur-
fldo em diflereules lugares. O estado de Beauvais, no
dia 24 de abril, era tal, que o ministro da guerra deu 01
dein para que dous balalhes do 29. regiment de li-
nha c ires esqiidres de eoracciros parlisseni imincdia-
tamenle para all.
". 0 cidadao Sobrier, propriclario da Commana de / en,
declarara que, se o governo provisorio nao se oceunas-
se seriamente com o estado actual da Polonia, elle abr-
rla urna subscripciio e alistara voluntarios em defesa da
independencia desse paiz.
Mr. Richard Rush, ministro dos Estados Unidos em Pa-
rs, dirigio-sc ao Hotel-de-Vi lie, e cm nome da IJniao
Americana reconhecra formalmente a repblica fran-
As noticias da Italia nao sao tao satisfactorias como as
de Inglaterra c Franja.
A Alba de Florcnca de 10 de abril annunclara que o go-
Comiiiunicado.
NECROLOGA.
I pallida doenca Ihe tocaua
Com fra indo o eorpo enfraquecido :
E nigaram eeui uno deste grito
A' triste Libilhina o eu direilo.
Candis.
O que he a vida, Sis.? Um baxel fraco e sem leinc
n'um anar tempestuoso.O que he o passamento ? a
asylo da velhice, a iiiansiio do justo, o nao temido termi-
no do 1.....i.-in virtuoso, do cidadao honesto, do lido es-
poso, do pa carnhoso. Ah o amigo que ora pranlea-
mos, o Sr. Jos Alcxandrc Gomes de Mello, pai de lau-
tos nossos patricios, como elle, virtuosos, probos o hon-
rados, deixa-nos no intimo d'alma chaga incuravel, co-
racao feito perineos!,Oh! que dr para sua carinim-
sa e virtuosa esposa! para seus amantes c obedientes li-
Ihos para todos seu verdadeiros amigos. Equcm seu
ininiigo' Seo ho'uvera, cerlo niio seria entre os Rio-
Grandcnses do norte, doccis por naturesa, Ulanos scui
alirctaeao, liosplalciros sem reserva, c generosos sem
vangloria. F. em verdade, Srs., nao sao esles es restos
inanimados do pai dos nossos patricios e amigos ? Nao sao
estes os restos inanimados de um nosso irmao? NSo silo
esles,allini, os reatos Inanimados do que conla entre vos
inultos prenles ? Nao nos liavemos reduzir como elle a
trra, pie nada? Quem, pois, se atrever a entrar nesla
casa sania e sagrada, no templo de Jesus-Clirlsto, com
coraciio carregado de odio? Oh nao, jamis, fras cinzas
de respeilavcl aneia. jamis leudes um s inlmlgo no
dia de hoje Quanlos vos crcumdam sao vossos amigos,
o pranlo d'ami/.adc que nao o da vil adulacao c prfida
hypocrisia Ibes inunda os rostos em hora to infausta, e
Ihcs dilacera as ulceras, ha pouco aberlas em seus cora-
ces. Siui, nossos coraces o scutcni, nossos suspiros o
publicaiu, nossas lagrimas o leslciuunham neslc mo-
mento de nossa acerba magoa c desventura. E esla pom-
pa fnebre, ultimo deaalbgo da lulelidadc de sua lami-
lla, e da Rratiriao de mis amigos, vem inda renovar a fa-
tal Icuibraiica do amigo que perdemos. Que scena luo
opposta!Eis-alll, Sis ,a pompa, a incertoia, a contra-
dicciio e.eill summa, o nada iniscravel das precedencias
e vangloria* do mundo I Nao ha innlto apellamos, entre
as nossas, aquella mao q|M ora jaz iuseusivel.inerte, fra,
c s cadver : nao ha multo, era o nome desse amigo,
aue ora laz mudo e sem vida, objecto-dc jubilo c dcnl-
"voroco para sua familia ; entilo o he de luto, de triste*;!
e de dr ; boje contemplamos aquelle rosto, que lao
charo nos ca, com estpido oihar! Hoje nos afogamos
pranlo, nossos ollios o buscam, nossos coraces o se-
Buem, e s venios a materia que vai dar a Ierra o que
era da Ierra! Oh mundo de llusao, valle de Ingrimas.
centra desgracado do erime, vicios a corrupjao. DeoK
liiou-le e levou para si urna alma pura c christia, que,
por sem duvida, goza o premio do justo-a bemavenlu-
la.on'ea, i>or de certo, foi a sua vida ; vida que medi-
mos nao coi o compasso do lempo, nao pelas oscilla-
ces do pndulo, nao pela assisiencia inspida de urna
lonea c laslidiosa scena, nao pelos repelidos c determi-
nados phenomeoos da natureza : nao ; assim vlvem as
bon.eus libertinos, sem virlude e sem gloria, ellcs en-
iram na carreara da vida, c dellas sabem sem o menor
nierccimeiilo: nao ; a vida do nosso amigo foi cheia de
virtudes c caridades christaes de que era dolada sua al -
na ingenua e bcmfazeja.
Cerlo, fraca c despida de o menlos, de hguras o de
Hopos de eloquencia, he mlnha pobre voz para cunie-
rar-llie os fe i los. Ab a dr mi embarga-----simo peso
[norme or sobre o pcilo....Silencio, dr cruel I humi-
cuorme por sol
. a
_


rj _______ili ... i i=
lha-tc ji, e urna ves por todas, aos docrrios inconipre-
hensivels da juila Providencia O amigo que perdemos,
Srs., deixou-nos cbarot amigos, Inicios de urna u-
ntao abencoada pela religio sania do Dens-Homem.
Pai desvelado buscou seinpre infiltrar-Ibes no coracRo
o amor virtude, e o horror aos vicios. Em paz e har-
mona viveu aempre com sua prezada esposa at ao mo-
mento de seu passainento.
O velho decrepito, a viuva inconsolavel, o orpbao in-
nocente, a pdica donzella, o mancebo virtuoso e pru-
dente, lidie deparavam uin arrimo, um bemfeitor, un
pai.
EPrec!S0 ser,a a eloquencia de uin Cicero, o saber de
um Scrates, e a philoiophia de um Platao, para tecer-
ihc os encomios ? Ah! a falta de vozes supra o nosso
pranto ; e nossos suspiros e solucos, certo mais exprs-
alvo tic voz to fraea qual dbil canna, sejain o elogio
do amigo que carpimos.
Onde me leva a dore o arrebatnnento f que digo eu !
illusao ? onde me conduzes ? que! de que pode prestar a
um corpo fro e icm vida lagrimas tristes, suspiros in-
discretos c declamacOes inuteis ? Porventura nao diz o
grande doutor da Igreja, Santo Agostlnho, que estas
cousas nao d.oallivio aos morios, e bein fraca consola-
cito sao dos vivos? Aos povos barbaros, que nao a nos,
dexeinoa, pois, tal genero de magoas Ilimitadas, nao
moderadas pelo balsamo salutfero da religio de Jesus-
chr'8t: nos entremcnles, a quem a graca de Senlior
enche de esperanzas, qnando nos revela a recompensa
do justo, vemos as santas escripturas que ha tempo de
chorar, c medida de lagrimas; que assim como o sol
nao deve jamis pr-sc sobre nossa colera, tambem nao
deve pr-sc mais de sete vezes sobre a nossa aflliccao ; e
a misma caridade que nos inculca a sculir a mortc de
nossos irmaos, nos faz esperar a sua resurreico, e nos
convida a comparecer na sua felicidade.
Perd.io, meirDeos! perdo! Delxai pela ultima vez
que duas lagrimas de saudades, presas em minhas pal-
pebras, rolem por sobre o corpo inanimado do anciSo
que generosamente me oflercceu amizade sincera c pu-
la, tal qual era sua alma !... He o unico signal que po:so
dar-lhe de minha gratldo e ainiade l;i nessa inanso
celeste em que, certo, agora habita. A trra Ihe seta
leve.
*.
crayos ; para o que deverao comparecer na dita recebe-
doria com suas notas documentada!, como o exige o art.
9. do regulameuto de 11 de abril de 184?. Outro sim,
convida aosdevedoresdos impostos de lojas abenas, d
imeHrfrT 7" i.0*' 1C"naS qUe n",Ka"' n> ros do
interior, subjeltat ao imposto os do imposto especial
dos ca cados e trastes estrangeiros, casas de modas, per-
turnarlas, etc.; os devedores da decima de mSo-morta;
anm de comparecerem na inesma recebedoria, e reali-
sarcm seus pagamentos, sb pena de serem seus dbitos
( nndo o crreme mez) remettidos a julso, para seren
executivamenle cobrados.
Recebedoria, 7 de junho de 1848.
Francisco Xavier Cava
THF
Cavalcanli de Albquerque.
r.ATBO PUBLICO
DOMINGO MIK) CORRENTE,
A Freir Sanguinaria,
a beneficio da primeira dama
Joanna Mara de Freitas Gamboa.
COMMEftCiO.
Alin RF.NDtMKNTO DO DA 7..........3:073/442
Descarrrgam hnje, 9 de junho.
PatachoCatharina mercadorias.
Prigue Leentmant-Pelerson dem.
Brigue San-Domingot dem.
A grande dfiiculdade de se apresentar em scena este
sublime drama do archivo Iheatral lisbonense, he que
mais inllue o director na sua execucan : multas e mullas
pessoas ho posto em duvida a tolueno deste problema,
a qual o director responde com o inclino que mostrou no
drama Pdro-Cem e outros, assaz difficillmos em um
thealio, como o uosso, cujo nico apoio he o publico, c
s o publico, que anda sustem este desvalido eitabcle-
cimento, onde he precisoenvidarem-sc todastas forras, c
fazerem-se os maiores sacrilicios para attrahir os espec-
tadores
N H. Todas as vistas mostrara o que pede o autor
do drama, c a ultima todos os horrores de um incendio :
as jovens danzarinas executarao diversas dancas.
A beneficiada, nem seu marido, pelos seus inultos mis-
teres, pdem ir repartir pcssoalinente os camarotes c
bilhetcs ; porcino crdito que goiain nos espectculos
dos seus ln'iir lirios, Ihes d a certeza que os seus protec-
tores voluntariamente e sein constrangimento algiim,
os a.ni na inesma noite gratificar no theatro.
LOTERA
DO HOSPITAL PEDRO II.
Tendo de ser marcado o dia em que
devem corrers rodas da quinta e ulti-
ma parte da primeira lotera do hospital
Pedro II o thesoureiro respectivo me-
Ihor escolha nao poda fitzer do que o
dia 28 docorrente mez, vespera do npos
tolo S. Pedro em que muirs pe.'soas
cosumam tirar sortes sobre o seu futuro
estado : assim, convida ao respeitavel
publico a quem estsummamente agra-
lecido pela concurrencia das outra? pri-
men-as partes da mesma lotera para
qne haja de se prestar a co-npra dos bi-
Ihetes, afini de que se realise a sua ex-
traccSo em um dia lao proprio de se ten-
tar fortuna
S0( ikd.wh;
PHLO-JJKANAT \
IMPORTAGAO'.
Catharina, patacho bremensc vindo de Hamburgo,
entrado no crreme mez comignado a Kalltmann &
Rosenmund, manifestnu o seguinte :
1 caixa obras de prata, ouro e chicara, 1 balaio ; a F.
A. Zletz.
5 caixas bixas, 2 ditas drogas; aJ. Tegelmcycr.
OOcaixas vinho, 3 fardos e I caixa pannos. 11 ditas
meias, 1 dita bonetes, 2 fardos fazendas de algodao, 4
caixas lencos, 3 ditas brins, I dita merino, 1 dita fazen-
das de seda, 2 fardos fazendas para collctes e calcas, 2
ditos fazendas para vestidos, 2 caixas bezerros enverni-
aadot, j0 barricas c 160 cestos cerveja, 1 caixa obras de
slrgueiro; aCJ. Aitley.
1 caixa fazendas para collctes, 4 ditas ditas de seda 1
dita dita de seda e algodao, 1 dita cambraias, 2 ditas
botocs, 1 dita bezerros envernizados, 1 dita blcos, 7
*Juas fazendas de algodao e laa;a J. 11. Keller & C.
1 caixa fazendas de seda e algodao, 4 barris tinta ,
caixas fazendas para collctes, 4 ditas ditas de algo-
dao, 1 dita cambraias 1 fardo lencos de algodao; a
Schafheillln & Tobler. 8
4 caixas pianos, 37 ditas fazendas de algodao, 24 ditas
liscados de algodao. 1 dita Htas, 38 djtas meias, 7 ditas
burras de ferro, ft ditas instrumentos de msica, 22 cai-
xai e 10 barricas ferragent, 1 caixa lithographia, 4 ditas
mobllias e espelhos, 64 voluntes mobilias, 21 caixas ca-
deiras, 1 dita colliercs de metal, 2 volumes biscoutos, 28
caixas vidros, 4 potes azeite, 1,024 garrames vasios, 18
gigos garrafas vasias ; a Kalkmanu & Rosenmund.
1 caixa bezerros rnvernados; a H. Ziiner.
(i caixas espingardas ; a M. J. Hamos c Silva.
I caixa pe lentes para chapeos; a A. L. Stauss.
II volumes drogas, 2 caixas palh.11...... chapeos; aC.
Krnger.
3 caixas linhas de algodao, 1 dita agulhas ; a J. D.
Volfhopp & C.
1 fardo papelao, 3 caixas pertences para chapeos, 1 di-
ta molduras, 100 barris cimento ; ordcttl.
1 caixa vidros ; a F. H. Luttkens.
1 fardo gorgurao; a Rothe 8t Bidoulac.
PUBLKMC. AGRCOLA.

Sahio a luz e acha-se venda por ajf
rs na livraria da pra$a da Independen-
cia, ns. 6 8, o manual pratico do fa-
bricante de a*sucar, tendo por epigrapbe
o proverbio quem quer os iins quer
os meos ; obra interessantssima para
os nossos agricultores.
avisos martimos.
CONSULADO GERAL.
RENDIMENTO DO DIA 8.
Gerai........
Diversas provincias .
, 1:128*491
87/653
1:216/144
- Para a liahia segu, em poucos das, a sumaca San-
to-Antonio-de-l'adua ; para o resto da carga, trata-sc na
ra do Vigario. n. ft
~ Para Lisboa sahe, com a maior brevidade possivel,
por ter a maior parle da carga prompla, o brigue portu-
gus San-Domingos, forrado e cncavilhado de cobre :
quem no mesmo quizer carregar ou ir de passagem, pa-
ra oque tcm bons coinmodos, dlrija-se aos consignata-
rios, Mendes t Tarrozu, na ra da Cruz, n. 49. ou ao ca-
pito Manoei Goncalves Vianna, na praca do Comincr-
cio.
--Para o Rio-Grande-do-Sul o brigue nacional Novo-Lo-
bo segu impreleriveliuente at 18 do corrente : para
passageiros c escravos a frete'trata-se com Manoel Ig-
nacio de Ollveira, ra da Cadeia, n. 40.
~ Parao Porto sal ir muito breve o brigue porlu-
guez Primavera capito Rodrigo Joaquim Correia ,
por ter o seu carregamento prompto : quem liver al-
alguina carga miuda a embarcar ou quizer ir de pas-
sagem para oque tcm minio bons coiumodos dirja-
se ao dito capio na praca ou ao teu consignatario
Antonio Joaquim de Sotiza Ribero.
Para o Aracaty sahe, nesles dias, o patacho Anglica:
tem a carga quasi prompta : para o restante e passa-
geiros tiala-secom Domingos Theonhilo Alves Rbei-
beiro, 110 hotel Francisco ou com Sa Araujo, na ru
da Cruz, n. 26.
Para a Babia segu viagam .0 hiate S.-llenedino, por
ter mais de meiadc do carregamento prompta : para o
resto e passageiros trata-se con o inestre e dono, na
ra do \miu im n. 10.
Para o Kio-de- Janeiro sahe, em poucos dias, o mili-
to velelro patachd Aurora: su pode receber passageiros
e escravos a frete, para o que tem multo bons comino-
dos : trata-sc na rita da Sloda, 11. 11, com Silva &
Orillo.
Leiot s.
CNSUL A DO PROVINCIAL.
RENDIMENTO DO DA 8..........1:411/111
Vovmento do Porto
Navio entrado no dia 8.
Rio-Grande-do-Sul pelo Rio-de-Janeiro ; 24 dias c do ul-
timo porto 10, brigue brasileiro Ltao, de 170 tonela-
das, capito Antonio Rodrigues Garca, equpagem 10,
carga carne ; a Amorim Irmaos.
Navio sahido no mesmo dia.
liahia ; garopeira brasileira Ftor-di-Victoria. capito
Joao Domingos de Ollveira, carga varios gneros e
um escravo a entregar.
Deca raides
O tabelliao do registro de hypothecas avisa a quem
convier, que a lei do registro impoe pena de perda
de preferencia no artigo i7, e dos mais effeitns legaes
do artigo 13 aos crdores que no prazo de um anno nao
registraren) ai escripturas anteriormente felas res-
pectiva lei ; cojo prazo lindase em S5 do corrente.
Assim como que nenhuina garanta de preferencia leem,
nem efi'eito neohum legal gozam as escripturas posterio-
res a inesma lei, seni que sejam primeirameme regis-
tradas artigo 14.
E para que os interessados nopercam o seu direito e
possam obstar os grandes inconvenientes que deve
acarretarsemelhante descuido, fazo presente annuo-
clo Recife 9dejunhode 18*8. -- Fulgencio Infante de
Albquerque Mello.
O administrador da recebedoria de rendas internas
geraesfai selente as pessoas que teem seus escravos ma-
triculados, que o presente mex he o designado para fa-
zerem as alterares que occorrem sobre os ntimos es-
Antonio Jos de Araujo tendo de seguir viagein
para Inglaterra pela imcoinparavel galera Columlms,
faraleilao, por intervencao do corretor Ollveira, de to-
da a cxcellente mobllla de sua casa ha pouco compra-
da c por isso tanto monta nova, consistndo cm ricos
consolos e mesa de nielo de sala com pedras marino-
res ditas de jogo, sophs, cadeiras de sala de encost
e de balanco, tudo-de Jacaranda ; marquezas, coinmo-
das,guarda-vestidos secretaria armario, toucadores,
lavatorios, um leito comarmaco de feito moderno
mesa de jamar aparador, guarda-lou9a, um lindo uer-
co, candielros, lantcrnas de sala venexianas de apu-
rado gosto ftiixa para jogo de vollarete mesa imitan-
do chanto, apparelho de- loiica escolhida para mesa ,
dito dourado para cha, garrafas, copos, sopeiraseoutros
crystaes para enfeltes de mesas e para cheiros tapetes
novos c mullas obras valiosas de brilhantet, ouro e
prata para adornse uso indispensavrl de quem sabe
tratar-sc com esmero : hoje, 9 do correte, as dez
horas da manha no segundo andar da casa n. 6J, na
ra da Aurora que forma esquina e frente para o Alcr-
ro-da-Boa-Vista.
O corrector Ollveira far lellao, em um so lote, e em
presrnca do Sr. cnsul de V M. Brltannica, e por coma
e risco de quem pertencer, do casco, mastreaco, vea-
me, corrrntes, botes c todos os mais pertences da barca
ngleza tteatriee, de 287 toneladas, capito James Adams,
tal qual se acha no anebradouro deste porto, onde anti-
cipadamente pode ser examinada ; assim como de todos
os ma miniemos para a intelra tripolaco da mesma bar-
ca, (seguudo os Inventarios que na occasio serao apo-
sentados) a qual se vende em consequencia de ter arri*
bado a este porto com agoaaberta, onde foi legalmente
condemuada, cm consequencia de nao poder tomar d-
nliero a risco para seus reparos e costeio, para seguir
sua recente viagein, que laza de Milford-Haven com
destino a Cokiubo: quarta-fira, 14 do corrente, ao meis-
dia em ponto, porta da associaco commercial desta
praca.
I.eilo que faz Joffo Jos de Lima, por coma e risco
de quem pertencer, de 20 barricas com sarduhas, e 5
barris com presuutos, vlndos do Porto pela barca /j>i-
rilo-Santo: hoje, 9 do crreme, as 10 horas no caes da
Alfandega, ariiiazem, n. 1.
-- Aabalxo assignada faz sejente que tem feito tocic-
dade, na sua>botica sita no largo da Boa Vista, com leu
lillio o Sr. Jos Marta Freir Qauelro, que paisa a ser o
agente do estabeleciinento, sb a firma de Viuva ( unlia
iC.
A Viuva Cunha.
Precisa-se de urna ama, para o servico Interno e e
temo de una casa de poma familia : na ra do lt ngel,
n.38.
O abaixo1 assignado, tendo hontem (7 do corrente)
assistido ao ajuutamento dos crdores do Sr. Ricardo
loso de Freilai Hibeiro, na qualidade de procurador
bastante deste Sr observou as indi>creptas pergunus
feitas ao dito .Sr. Ricardo pelo Sr. Antonio Pinto de llar-
ros, solicitador doi auditorioi desta cidade, a cujo ad-
junto tambem esse Sr. concurren, na qualidade de soli-
citador de alguns crdores do referido Sr. Ribero. En-
tre essas perguntas foi a de procurar saber a qualidade
das transacedes feitas com o Sr. Joao Hcnriqnes da Sil-
va, relativamente a urna porco de avultada sominade
ledras que Ihe descontou, e porque motivo ai inesmas
ledras nao fdram incluidas na coma que elle firinou, e
por um dos seus crdores Ihe foi saccada coin violencia,
como n sobredito Sr. Ricardo declarou em uin imprraso
que corren por esta cidade avulso. Depois que o Sr. Pin-
to ouvio a resposta do Sr. Ricardo deu a entender que
as inesmas transeccdcs fram simuladas, proclamando
estas mesmas ideias na presenta de quem o quis ouvir,
licando por Isso em duvida a reputacao do Sr. Ricardo e
de seu sogro, o Sr. Jo.o Henriques da Silva. O abaixo
assignado val passar a responder cathegoricainente ao
Sr. Pinto, em cuja resposta Ihe ha de mostrar que, se el-
le entender tanto do loro judicial, como emende da es-,
cripturacao commercial, nada sabe. Tambem Ihe ha de
mostrar que essas lettras em nada alterain o capital
apresentado. A resposta que prcmette dar o mesmo
abaixo assignado, como ha de ser extensa por nella ter
de publicar alguns trechos de diversas raridades, prati-
1 -atlas contra o abaixo assignado, pelg Sr. Pinto, guar-
dar paraadianle. No entanto, roga aos respective! p-
blico haja de suspender as ideias odiosas c desacredita-
reis, proclamadas pelo Sr. Piulo, contra o Sr. Ricardo
Jos tle i- relias Ribero e Joao tleuriqucs da Silva. Sirva
ao Sr. Pinto de regra, que nem a amizade e nem o in-
teresse obliga o abaixo assignado a esta publicarn, por-
que nem urna nem outra existe, quem obliga a esta l>u-
blicacao he o elleito de seu genio, porque nao pode
consentir que seja velpendiada a innocencia de seus
seint iban es. Adeos'. Sr. Pinto, recebera a He So do abai-
xo atilgnado, sein que exija de Vmc. paga alguma.
Manoel Jos Gonrativs Braga.
-- Aluga-e um ptimo escravo'moco, bom servente,
que cozinha mullo soflrlvel, muito limpo e sein vicios :
na ra do Queimado, sobrado n. 52, por cima de urna
venda.
Jos Leonardo embarca para o Rio-de-Janeiro a
sur cscrava Joaquina de na9.n0 Calabar.
= Precisa-se de um bom amassador as Cinco-Pon
tas, n 30.
-- Precisa-se de um bom forneiro que seja perito erd
seu oll'ieio c zeloso em suas obrigacoes dando-se-lhe
um ordenado yanta oso : na ra larga do Rozarlo,
n. 48.
-- Antonio Dias da Silva Caldeal ret|ra-se para a pro-
vincia das Alagdas, a ira larde seu negocio.
Joao llindseil, professor de desenho c retratista ,
approvado pelas academias de Munic e Dusseldorf,
pretende demorar-se aqu alguns mezes, na sua viagein
para a corte As peisoat que se quizerem utillsar de seu
presumo seja para retratos como para qualqucr outra
obra de desenlio dirijam-se a casa de Kalkmann 8t
Rosenmund, na ra da 1 ruz, n. 10.
-- Precisa-se alugar urna prcta para lodo o srvico de
urna casa de pouca familia dando-se-lhc o sustento e
10/ rs. mensaes : indo pela Trempe para a So!edade, la-
do esquerdo, caa n. 42.
O abaixo assignados fazein sciente ao corpo de
commercio desta praca, e a quem convier, que dlsiol-
vcran amigavelinenle a sociedade que tinham na sua
casa de negocio estabeleclda na povoaco do Paco-de-
(.'amaragibe provincia das Alagas desde o. dia 2 do
crtente mez c auno licando o socio Antonio desone-
r.-ulo tle todas as transaei,oes bitas debaixo da tirina
Antonio Jos Marques U t ompanhia por ter passado
dita casa e todo o seu activo c passlvo a poder do socio
Joao : e para constar lazeiu o presente, por elles assig-
nado. -- Recife, 7 de junho de 1848. Antonio Jos Mar-
ques. Judo francisco Marques.
-- O abaixo assignado scientifica ao corpo commer-
cial desla pra$a e>a quem nteressar, que tendo, cm 2
do crreme mez c anno, apartado amigavel'mente a so-
ciedade que tinlia com o Sr. Antonio Jos Marques cm
seu estabeleciinento na povoacao do Passo-de-Camara-
gibe provincia das Alagas se obriga por todas as
transacedes efleituadas pela extincta Urina Antonio
Jos Marqnes Ji Companhla : beni como, espera que
todos aquellcs $rs. que se acham em debito com a mes-
ma se apressem em saldar suas con las fcao mesmo abai-
xo assignado Recife, 7 de junho de 1848. Joo Fran-
cisco Marques.
OGHITO DA PATRIA N a
O primeiro secretario avisa aos ^rs. socios, que o h
Ihetes para a recita do dia 10 do corrente "principia,
ser distribuidos hoje, em casa do thesoureiro;' ,,'a
como que a commisso administrativa ic achara reunid"
pelas 7 horas da noite de hoje c de amanhaa para a '
provar.o de convidados; e que, Ando aquelle pra.
proposta alguma mais ser aceita. >
Paulo de Amorim Salgado, proprietario do tranich
da ilha do Jardlm, freguezia de Una, declara a todos
Sr*. de cngenlios, acostamados a mandarem aisucar"1
para o mesmo trapiche, para all serem embarcados n''
elle nao se responsabilisa por qualquer prejuizo'na
possa apparecer do dia 1. do corrente em diante, taii^
nos assucare, como em outros quaesquer objectoi aii"
depositados, visto o estado de anarcilla em que se acl '
a mesma freguezia, e ter invadido a casado administra
dor do mesmo trapiche uina patrulha armada de facas
cceles, na noite do nesnio dia, resultando ter este e> '
pregado bastante maltratado, podendo milagrosanient
evadir-se, cahlndo ao rio, do contrario seria victima e
nao achandn o mesmo proprietario desta manera n-'
soa alguma que o substitua at ver se apparecem aW
mas providencias *
Precisa-se alugar dous pelos padeiros: nariiam
reita, padarla n. 26.
yucjn estivr as circumstaneiai de servir para fe,
torde uin sitio: quelra dirlgir-se a pracloha do Con
Santo, n. G6. '
Precisa-se de dous cornos de ris a premio, dando.
se por hypoteca urna propriedade de pouco menos de
meta legoa distante desta praca, livre e desembaracada
quem tiver annuncle.
OSr. J. da C. M. quelra mandar entregar, no \ucr.
ro-da-Boa-Vista, n. 34, primeiro andar, o altas geoBra
pilleo, porSiinrncouri, qurS. Merc pedio emprestado
por 2 dial, desde 2 de dezembro prximo passado, ou
quesera melhor, a sua importancia, que he 10#000 r '
Precisa-se alugar um sobrado que tenha coinmodos
para grande familia, preferindo-se algum independen
te. e no Aterro-da-Boa-Viata : a faltar no A terro-da- "loi
Vista, n. 6, primeiro andar.
Aluga-se ou vende-se um sitio na Agoa-Fria, com
boa casa de vi venda baixa paro capim muito boa ier-
ra para plantacoes : a tratar na loja de chapeos no a-
teo da matriz de S.-Antonio n. '
A QUEM CONVIER.
Troca-te una escrava por um escravo que seja moto
de boa figura, e que seja proprio para qualquer trahV
Iho ; a escrava he recolhida, de boa figura moca $a.
be perfeitamenteengommar, cozinha o diario de nina
cata e cote chao. Na ra do Queimado, loja n. 4.
Jos Perelra Vianna val ao Rio-de-Janeiro tratar do
teui intereties deixando a sua casa de negocio no niei.
mo andamento debaixo da direceo de pessoa comne-
teotemente autorisada para esse lim.
. Aluga-se urna canoa grande, abena e concertada
de novo pelo tempo de tres meses : na ra da Floren-
D-ae um litio, na estrada do Arralal. a aualaoer
pessoa para inorar gratis so com a condieo de con-
servar a casa do mesmo sitio aberta e prestar attencio
a ludo quanto nellc exista: no Alerro-da-Boa-Visi'a
n. 70.
Quem precisar de
Avisos diversos.
d !9 t" e ''P" d* Silva te,n "">a carta, vinda do
Rio-de-Janeiro na loja de ferragens da ra da Cadeia-
do-Recife, n. 58, de Amonio Joaquim Vidal.
sal o a luz e acha-se a venda na loja de
livros do Sr. Dourado no paleo do Col-
legio.
Precisa-se de uin caixero que seja capaz c de boa
conduela para lomar conta de urna venda por batan-
eo ; nao se duvida dar-se-lhe bom ordenado : ua esqui-
na da Soledade venda que foi do Sr. Jos Machado
Sones.
Pede-ce aoSr llr. Silva Nevcs, que por si apr-
sente as rasdese fundamentos que tem para ai-cumular
duas varas do crime, afim de que uo sobrevenham
depois nullidades nos processos respeclivos.
Um dos procissados.
--Aluga-se uin preto proprio para qualquer servico,
tanto interno como externo e mesmo para o campo ,
por prerocoin.nodo : a tratar na ra da >. -Cruz n. 28.
una ama com multo bom e
abundante leite a qual he de muito boa conducta t
do inatto dirija-se a ra do Gollegio n. 8, primeiro
sonar.
. .Sr-AnlonoJos Marlins de Mello tem una carta
vinda do Porto no escriptorio de Antonio Joaquim d
Souxa Ribeiro. H
T"./'r'v^da r"'"ude do SS. Sacramento da
malrta da Boa-Vista avisa aos irmaos da inesma irmao-
dade para que, no dia 11 do crreme, as 9 horos da 111a-
nhaa comparecam no consistorio para a elelcSo da
nova mesa, = Consistorio da Irmandade, 7 de junho de
"" Jo" Oandidodt Caivalho Uedriros escrivao in-
terino.
"" A P jSS2a?" ,,odr I, quetw existir urna lettra da
quantia de 250/ n. vencida 110 dia 30 de abril do corren-
te anno, sacada por Luiz Ignacio Gonzaga, conin pro-
curador de Antonio Ferraz de Castro, e aceita por Fran-
queo de Paula Pires llamos Jnior, queiro aprcsenta-la
nesta cidade a Joaquim de Albquerque c Mello, na roa
do Gollegio 11. 7, segundo andar, para ser paga; cena de
que, 11.10 a apresenlando, nao tero possuidor direito a
premio algum, visto que nao foi apresemada at ao pre-
sente. '
Precisa-se alugar urna casa terrea, que lonha coin-
modos para urna familia pequea, 110 baliro de S -Anto-
nio, e que nao exceda de 10/000 rs.: quem a tiver an-
nuncle. .
Precisa-se de um padre para capellio e ensinar me-
ninas, no lugar de an-Bento na comarca de Garanhuns:
rja prenca de Joaquim Jos Ferrelra, que informar a
respeilo.
CONSELUO AO TIPITV DO PARA'.
He melhor que o Sr. Hermegldo Morteiro de Sal e Al-
nocreve trate de procurar lavar as nodoas que o co-
brem como cumplice na morle de seu pai, segundo
diz o publico ; he melhor que S. me. cuide de sua vida
que esta multo escandalosa ; he melhor que S. inc. tra- ,
le de procurar pi'.rno forra ao Nicolao; he melhor que
a. uto. se deixe de estar /.....liando da moral c da de-
cencia do povo paraense, apresentando em sua casa
vista e face de toda a cidade a Uargardinha que foi
cumplice na morte de seu pai ; tudo isso he melhor, do
que a. iic. andar solicitando na secretarla do governo
copias de rnelos da presidencia contra Pedro ou con-
tra Paulo; porque esse Pedro ou ene Paulo he bem
conl.ecido por trllhar a carrelra de hoinem de bem, e
se uno agradou aoSr. presidente F ao menos tem pro-
curado v ver honestamente cm a sociedade e com siia
tamilia. Tome este conselho, Sr. Morteiro, que Ihe da
Artilheiro.
r, *.";VaOCALo.pe,!,a S"va mudou ,u residencia pa
ra a ra do Queimado, n. 14, segundo andar.
-Aluga-se o primeiro andar do sobrado n.54: no
Alerro-da-lloa-Visla; .1 tratar no mesiifo: '
JVa Camboa-da-Carmo, sobrado n. 3,
f.?.lm',e ,nln'"a? "Pr'melrat letlras.granimatlca por-
lugueza, ariihmeuca, doutrlna chrlstaa, bordar e todas
fura. e co"ura- Tambem engomma-sc par
.^.','1! "ver Ul?a pr^ta e ''uizer aluBar Pr oi qe
rada er fa"nda' """unce para ter procii-
fi..".7.M!f,m"e cade,rM de Palhinha para officios e
csuvidades ; bein como mobilias completas ou met-
casa, n^f1?6 fi7ere' "na aos pretenden!, P"
Nova ?n*lareSa$ei" lc,"P 1uc convier: na rus
nova, arniazem, n. 07. -
Aos aduladores."
Todos os aduladores pretenden! ter pagos de seus tra-
balhos, c quahdo o nao sao a medida de seus'descjos,
tratam de o fazerpor suas proprlat uiot; e tejulgais
que cu minio pergnntai-o ao picanso.
Aluga-se um primeiro andar sotan na ra dosloj
Quarteis, com com.nodn, para tima familia : a tratar na fn"g *"" *"nr,a co,n
pra9a da Independencia, rts. 24, 28 c 2S. '"e!""0 sc fur ver
Retratos do dagurrreolupo.
rPn"',Cn.,ieq.U",Ca, a ""So da grande concui-
1.1 ; il MlnJ nd-.io ten. podido acabar
?.^? !,e,,*,dt,'' e Pr ter pedido por inni-
H fZr, ,"" a rM>?','cl publleS, que cotiuua-
todas as pessoas que tencin.,, apoveilar-sc dos eus
servicos, que appare9am com loda a brevidade possivel.
Car/o D. Fredricks,
Professor do daguerrcolypo.3
--Roga-seao Sr. Joao Borges deCerquelra o obsequie
de ir receber as suas cainitas e pagar os 19/ rs que li-
rt^JT'?3 "O,nrazo dc oi' <"a do contrario se-
rao vendidas as ditas camisas pelo que se acbar fican-
2enT.,n0,SCIdI'eJloa ella, PoJ bastara 3 mezes
f_e_,pe_r?..: l!,!nbem ficandotciente de nao poder exi-
o titulo de que ellas vallain
-. os seus prenles pois j f-
ram avisados. Rua de S.-Fraoclsco, n. 42.
1



5"P"*>!
Quem precisar da um caixoiro para negocio de
venda demolhados o qiial tem muila pratica, e he
pessoa muito capazeseria, por sua idade assim o
permitir,dirija-se arua larga do Rozario, loja de
miudezas, n. 22, ou annuncio.
Urna oiiclha.
Desappareceu do logar dos Goellios, n.
5, defronte do hospital de ca idade, no
dia 4 do corrente, as 6 horas da larde,
tendo na testa e na cauda urna malha
branca, e o resto do corpopreto: quera
a l i ver adiado tenhaa bondadcdeo man-
dar dizer na ra Nova, n. 6o, que se
Ihe pagarSo as despezas,e ser gratificado.
OfTerece-90 um rapaz brasileiro para caixeiro
de qualquer estabelecimanto, qual dn fiador a sua
conducta: quem o pretender nnuncie.
\tlencao !
Na loja da. ra do Qunimado, n. 30, de Jos Joa-
3uun de Novaos, contina a haver um sortimento
e obras foiUs ; chapos de todas as qualidade*;-
ditos para meninos e meninas; ricos chales de seda;
mantas de seda ; lencos de todas as qualidades ; e
outros muitos olijectos que ha para vender.
Agencia de passaporles.
NaruadoCollegio, n. 10, o no Aterro-da-Boa-
Vista, n.48, continuam-se a tirar passaporles tan-
to para dentro, como para fra do imperio; assim
como despachan! se escravos: tudocom brevidade
-
FIINIIHJIO' E FEIIIIO.
Na Tabrica de M. Callum & Companliia enge-
nheiros machinistas e fundidores de ferro, na ra
ilo Rrum, no flecife, contina haver um grande sor-
lment do taixas para engenhos e moendas de cari-
na de todos os tamanhos o dos modelos os niais
modernos e approvados. Na mesma fabrica conti-
nuam-se a construir de oncommenda machinas de
vapor, rodas d'agoa, rodas dentadas e todos os mais
objectos de machinismo, com a porfeigfloj conde-
cida, por preco commodo.
M.c Callum & Compauhia dnsojam chamar a alten-
cao dos Srs". propietarios de engenhos as machinas
do vapoq construidas na sua fabrica visto screm ol-
las de um modelo muito forte e seguro e todas as
pecas perfeitantente adaptadas urnas as outras, por
meio de tornos automticos, machinas de aplairta'r
ferro,o outros apparclhos modernos: alm disto, as
machinas de sua construccao loem as vantagens se-
guintes; possuem urna'cisterna do ferro, onde a agoa
destinada para a caldeira se deposita por mcio de urna
bomba movida pela machina, e onde so acha aquen-
lada-pelo vapor superfluo antes de ser por meio da
segunda bomba de l introduzida na caldeira allm
de mo esfriar a agoa nella existente, pola indroduc-
gSo d'agoa fra [como he de costume em machinas
inferiores Je assim ptoduzir grande economa de
combustivel.
Alm da snpradita economa dn comhustivcl.ni
prodiiegilo de vapor', estas machinas possuem urna
modiicagflo nova dos vlvulas por onde o vaporen-
Ira e saho do cylindro, pela qual a mesma quanti-
rlarlo do vapor produz manr ffeito do que as ma-
chinas de construcgo amiga, augmentando assim
deuma maru'ira, mo pequea, a economa do com-
bustivel necessario para manlor a machina em mo-
v ment.
As ditas machinas possuem tambom um appare-,
Iho pelo qual a quantidade d'agoa introiluziila na
caldeira se acha regulada automticamente com af
maioT certeza pela machina mesma evitando des-
ta maneira o grande perigo que existe as machi-
nas, onde por causa da mesquiiha economa dos
fabricantes o forneciment d'agoa para a caldeira'
ha de sor regulado por mo dn negros.
Kstos esclarec mentos sao respei losa mente offere-
cdos aosSrs.propriolarios de engenhos, que anda
perseveram em o mothodo fraco, dispendioso,., e
insalisfuclorio de moer com aninaus, afim de sa-
tisfaze-los que, no emprego destas machinas, mo
existe o menor motivo para receio nem de explo-
sfio, nem de quebra nom de demasiado consumo
de combustivel ; o M.c Callum & Compauhia nflo
teem pequea satisfagan em assegurar-Uies i|ue pe-
la pericia dos seus administradores e officiacs, pela
[ perfeiQOo dosseus instrumentos eapparelhos, e pe-
la abundancia e boa qualidade das suas materias
primas soacham habilitados para conslruirem ma-
chinas de vapor, de todos os tamanhos o para torios
os (iris ; assim como toda especie de machinismo ,
com uina perfeigito n.lu inferior s obras das melho-
res fabricas de Inglaterra e mui superior s g-|er
monte importadas daqnello paiz.
Obras de cabello.
proprias de marceneiro; e papel de licha. Omesmo
se oncarrega de fazer toda a qualidade do mohilia,
que se poder ddsejar, por ter recebido desenhos das
mobilias modernas que agori se usam em Franca.
HUA DA CRUZ, N. 40, SEGUNDO ANDAR.
D. W. Raynon, cirurgiflo dontista dos Estados-Uni-
dos da America do Norte, tendo-se resolvido flcar
mais alguma lempo na cidade de PernambucTo, po-
lo presento participa Sos seus amigos e ao publico
em geral, que elle sempre se achara prompto a qual-
quer hora para fazer qualquer oporago que seja so-
bre os denles como seja chumbar, limpar, e extra
nir ;enformar denles sobre piao e sobre chapa da
melhor maneira e com a maior perfego, conforme
ls ultimas descobertas, tanto na America Como na
Europa.
Dentista.
M. S. Mawson cirurgiSo dentista, bem conhecido
o acreditado nosta cidade tem a honra de fazer
sciente ao respeitavel publico queja tem regrossa-
do da sua viagem Macei onde a urgente neces-
sidade de multas familias respeitaves daquella pro-
vincia o chamou para ejercicio da sua arte. Naj
ra do Trapiche-Novo, n. 8 aond oslar sem pro
prompto para fazer todas as operares dentilicas ,
com aquella habilidade e conhecimentos scicntifi-
cos que o adiantamenlo e progresso da arle Ihe tem
feilo con hacer.
Acabou o negocio de assucar que havia na rus
do Apollo, armazein n. 18, son a firma de Elias, San-
tos fcC, (cando a cargo de Elias Ignacio de Olivei-
ra a liquidacilo da extincta firma : quem se jnlgar
credor a mesma, haja do apresentar as suas cuntas
no prazo de 8 das, para seren immediatamente pa-
gas, se forero legaes. Recife, 2 dejunho de 1848
bamseVHO apnlicar a qualquer hora do ,M\rica encadernaco, por 2/000 rs.; resumo dearUU-
,. J i. T i mlica cootendosoinenlc aa suas qualro operasoes ran-
OlO ou da noite, para commodidade dos
prclr Hlenles : no deposito de bixas ham-
AVISO IMPOItTANTISSIMO.
O nbaiso assignado, agento do Dr. Brantrolh, faz
scenle ao respeitavel publico, que pelo hiate ame-
ricano Gil-lira:, vindo de Boston, entrado neste por-
to no corrente mez do maio, ha recebido novo pro-
vimento de pilulas vogetaos do Dr. !'.randreth. Es-
tas pillas, cojo autor basta para garantir sua cxcel-
lencia,lornam-so muito recommendaveis por ser un
medicamento inteiramente noffensivo, podendo ap-
plicar-se al a& enancas recem-nascidas: ultima-
inente se leem applicado a una infinidade de moles-
lias julgadas incuraves, do cuja applcagflu se teem
tirado tilo feli/es resultados,quepa roce cada vez mais
resolvido o probloma de um remedio universal: por
isso o abaixo assignailo deixa de Ihe fazer a apologa
devda, por ser um medicamento ha muitos anuos
conhecido, n3o so nesta provincia como om lodo o
imperio, nSohavondo mais a esperar do seu bom
resultado. Vende-so na ruu da Cadeia-Vcllui, boti-
ca do agente n. 61.
Fcenle Jos de tirito.
Na ra das I.arangeias, casa n. M, tlram-sc pa-
saportes para dentro c lora da provincia, assim como
correm-se Tullas com a inalor aciividadc possivel.
burguesas, na ra di Gnu do Recife, n.
53.
= Veudr-se geometra c algebra de Lacrois ; Selecta ;
Virgilio : Salustiu ; Horacio ; Magnum Lcilcon ; Fabu-
las ; Cartas de Cicero ; Salustio traduzido ao p da let-
tra ; c outros muitos livros latinos : na ra de S.-Fran-
cisco, outr'ora Mundo-Novo n. 66.
No pateo do Colte%io n. (, loja nova de
livros, de Joo da Coila Dourado,
vende-se papel de 'peso inglez de supe-
rior qualidade, era resmas e meias res-
mas.
~ Vende-se urna negra de niela idade, boa lavadeira
e ptima cozinheira : no Aterro-da-Roa-Vista, n. -Mi, se-
gundo andar.
Batatas excellentes.
Manoel Joaquim Goncalves e Silva na ra da Cruz.,
n. 45, tem para vender superiores batatas por menos
preco do queem parte -Igunia.
Vcndein'-se todos os pertcnces de urna venda ; bem
como dous caixoes da armacito : tudo por preco com-
modo : na ra da Florentina, n. mi.
= Vende-sc, ou troca-se por escravos mocos e robus-
tos uina casa terrea na travesa do Lobato ao p da
ordem terecira dn Carino : no pateo do Carino, venda
n. I.
SSSF
S S F
Vende-se superior farinha de Trieste :
no caes d'Alfandega. noarmazem do Ba-
celar, ou na ra do Vigario, n.
, ... g.
= Vendem-se caixas de ptima folha de (landres, por
pirco commodo : na ra Nova, loja defrontc da Coucei-
cao dos militares.
Vende-sc um miilatinho de 12 a 11 anuos, ptimo
para pagem : na ra da Cadeia do Recife, n. 57.
Compras.
Fazem-se, no Alerro-da-Boa-Vistii, n. 26, segundo
andar lorias as qualirlades de obras de cabellos ,
cuino sejam : trtfncelins para relogio o lunetas, de
diiTerenlea modelos aderegos, pulseiras,. brincos ,
alunles o cresecntes : tudo .por preco eammodo.
I'iecisa -se de tima prela captiva para o servido
deuma casa do familia; na ruu da Alegra, casa u
II. acharan com que n tratar.
Precisa-se alugar um prelo que soja bom co-
peiro para o servico de urnas familias oslrangeiras :
na ra do Trapiche-Novo, n. 10.
J CHAPEOS DE SOL f-
lina do fJ'mma-Publico
n.
5,
Nesta lojn ha presentemente um completo sorli-
mento do chapos re sol modernos, tanto de panni-
nho cmodo seda furta-nires ,c do mais cOres co-
nhecidas; ditos para homem, senhora, meninos e
meninas ; guarda-ehuva para o lampo do invern ; o
guarda-sol. Estoschapos silo IflAhom conslruidos,
que seallanga a qualidailc ;so de marca grande,
com 32 pollcgadas e proprios para este lempo por
serem de seda e du pnninho trancado. Nesta fa-
brica ha seda de cores e panninhos trancados e
lisos do todas ns cores para cobrr qualquer arma-
gao re chapeo de sol : Umnem se concerta qualquer
chapeo de sol, e vendem-se baleias para veslidos.
Pug, marceneiro rancez,
na ra Nova, n. 45, acaba de receber, pelo navio Zi-
lia, um sortimeulo do trastes de mogno, domis
moderno goslo ; bem como foihas de Jacaranda,
moguo a outras madeiias do folear; ferraiuonts
Qmipra-se uiiia negra que mo (enba yiejos e seja per
le i la engOiniiiiideira e eo/.inbeini: no Alerro-da-llua-N is
ta, n. 26, segundo andar.
--Compra-se uina eacrava moca, sem vicios nem fl-
chaques e de bonita figura, uue cozinbce eugonune :
na ra estreita do Rnxario, n. 22, primeiro andar.
Compra-se um liiolequc de idade de 14 a 16 anuos,
que tenha alguma pratica de cozinha : quem livor an-
nuncie. ou dirija-so ao becco da Ltngueta, n, 12.
~ Comprani-se potes de tinta, vasios : na ra da
Madrc-dc-Deos venda n. 5.
Compra-sc Tito Llvlo e Horacio : na ra do Quei-
mado, loja n. a.
- Compra-se um scllim in^lcz cin meio uso : na ra
do Queiorado, n. 4.
--Conlinuam-se u comprar patacOes brasileros e
despatillos, a 2,000 rs., e pegas, a 16,700 rs. : na ra
da Cadeia-Velha, n. 38.
Vendas.
SORTES.
Novo divertiinrnto que conten duas partes primeira
o livrodos deslinos novamente escripia pela Sibylla de
Cuines ; segunda o manual de alguns jogos de socieda-
des, extraliulos do de M."" Celuart, c trasladados cin lin-
gos verncula, por 640 rs.; Acasos da Fortuna, ou livro
de sones divertidas em que, por virtude de dous da-
dos vroi cada um no conhecimentu do estado, rique-
tas lieranc.is. ami/.ades, etc. que ter e outras mili-
tas e galantes sortes annuncladas no principio da mes-
ma obra. Ultima imprcsso, expurgada dos muitos er-
ros e defeitos das precedentes. Augmentada de um no-
vo luethodn de fazer uiais de mil declinas nicamente
com o nabal lio di' lanfar os dous dados. Um tratado das
sinas ou dos defeitos e prognostico dos doze signos do
auno 640 rs. ; Divertimeuto campestre ou descobri-
mento da sortele cada pessoa, que a quizer tirar ou
divertirse, corrigida, emendada e acciesceolada 1ra-
zendo no fin nina parte da inylhologia dos deoses fa-
bulosos, por 480 rs. Vendem-se na prac.a da Indepen-
dencia livraria ns. 6 e 8.
Vendem-se chitas limpas, muito encorpadas c inul-
to fortes, a l.'lti e 160 rs. a retalho, c as pecas a 4/800 e a
5/500 is. : na ru.i estreita do Rozarlo, n. 10, terceiro
andar.
Regalos de la Havana.
Vendem-se os superiores charutos de la Havana, caca-
fadores, regala e outras qualidades, ludo por preco
mais liarat do que em oulra qualqncr parte : na ra
Direlta, n. 28.
-- Vcmdem-se leilflcs muito gordos e por preco COl-
modo : na ra da Roda, u. 10.
Vende-se urna botica com poucos
fundos, sita no largo da Santa-Cruz, adi-
iilifiro, mi a plazos: na prae-i da Boa-
Vista, n i.
= Vendem-se dous pares de campoteiras de vidro
en s tal i sado, se ni uso.algum, por mdico preco : no bec-
co do Sarapetel, snbrado sem numero, no segundo an-
dar.
No armazem de A.nlonio ,\nncs,
no caes da Alfandega, lia tuna porrao de
liacas de vimes para vender.
' Vende-se um prelo de nacao Costa, de idade de 25
annos.por preco commodo : na ra das I^rangeira, n.
14, segundo andar.
Vendem-se as verdadeiras bixas
ambuiguezis, vindaspelo ultimo navio,
aos ceutos c a retalho por preco mais
commodo do que em parte alguma: tam>
Agoa da tingir cabello
Contini'ia-se a vender agoa de Ungir cabellos e suissas:
na ra do Queimado o. 31. O metbodo de applicar a di-
ta agoa acompanhaos vidros.
- Vende-se una escrava da Costa, de idade de 20 ali-
os, que sabe cozinhar o diario de urna casa, lava, tanto
desabao como de varela, he muito humilde : o motivo
da venda se dir ao comprador: na ra de San-Francis-
co, ao i> da Potinca.
Vende-ae urna negrinha de 7 annos, a mais linda
3ue se prtde encontrar nesta familia: he muito limpa ,
e bom genio, propria para dar de mimo ou para mu-
cama do uiaa menina : na ra Nova n 14, segundo
andar.
Vendem-se bisas de ILunburgoaos
centos e a retalho ; tambem se clugam c
se vio applicar a qual'|oer hor do dia
ou da noite, a 3.10 rs. rada nina, e as
mais regalares, a aqo rs : no anligo de
psito de Joaquim Antonia Camciro na
ra da. Qruz do Recife, n. 43. No mes-
mo renale-se uina porcao de pennas de
ema.
Vende-se uina preta de 20 annos, que engouima e
cozinha : na ra do Passeio, u. 19.
Vende-se uina casa terrea na Hoa-Vista, ra da Man-
gueira, n.ll, que tem lampc.it> na porta, com duas
grandes salas 6 quartos, cozinha fra, cacimba, quintal
bastantegrande, lodo murado c com diversos arvnredos
de fian-to i na ra do Aragao n. 27, a qualquer hora do
dia. Esta veuda he feita de aecrdo e com consentimen-
lo do hypolbecario da casa o Sr. Antonio .lose Duartc
Jnior.
Na venda do Aterro, que l'oi do Maya, ha para ven-
der-sc e alugar-sc um grande sorliincnto de bixas de
Ilainbiirgu. chegadas prximamente, de uiuilo superio-
res qualidades.
Vendem-se os seguintes livros i Vertol, historia das
revoliicocs da repblica romana, cm tres vol.; historia
da revolucao de 1817 ein Pernambuco ; diccionario da
lingoa portugueza, por Constancio Pufendorf. direito
da natureza e das gentes, em dous vol.; Guizot, histoire
genrale de la civilisatiou en Europe, um vol ; dlctio-
naire universcl ducommerce, de la banqur, dous vol; o
egredo revelado, por J. A. de Macedo, Ires vol.; obras
do marque/, de Poiubal, 3 vol.; le grand dictioimaire des
jai-diniei s, oito vol. ; dcscripcao da cidade do Porto, um
vol.; Crotius, droit de la guerree! la paix, dous vol.: na
praca da liidepdndenci^, loja de encadernaco, u 12.
Aos agentes de batcil/u'es.
.Vendem-se su|ntoes de bezerros stipe-
riores, nroprios pua trops, e por preco
mais commodo do que em outn <|ual-
qger parte : na praca da Independencia,
n. 5.
Vendem-se chapeos de pllo de lebre, de loulra, de
castor, patentes superiores e finos : na ra du Queima-
do, n. 95.
Veadem-sc pecas de madapolao muito largo, a
20800 rs. e a 140 e i60 rs a vara : na ra estrella do Ko -
/ario. utH 3. andar.
dein-se 4 esclavas, sendo urna preta e 3 mua -
as quaes uina muito moca e de boa figura, en-
tra e cosiureir, c mais um casal com urna li-
annos, punco mais ou menos: na ra do Cres-
2 A, se dir quem vende
ni, i
tas, ent
gofa asa
Iba de l
arroja
Na leb'a nova de livros do pateo do Cal-
le Sio, n. f>, de Joq^da Costa Dou-
radi), receberam-se os seguinteslivms :
Manual do chrlstao ou as santas reflexSes para todos os
dias do me/, por Francisco Salignac da Motta Fcnelon,
arrehispn de Cambraia, seguido das oracoes quotidianas,
de, um excrcicio para o santo sacrificio da missa repre-
sentado em 36 estampas, de varias oracoes para antes c
depols da confissao esagrada cominunhao, rica encader-
naco, por 2/000 rs.; visitas ao Santissimo Sacramento
e a Mara Sanlissima, para todos os dias do mez, por Af-
fonso de Lignori, por 2/000 rs., rica encadernaco ; mea
de Mara ou devoco a Mara Sanlissima, com um exer-
cicio para o santo sacrificio da missa, representado em
36 estampas, e um modo de rezar e oiTerccer o santo ro-
tarlo, rica eucrdernaco, por 2/000 rs.; alma do peni
tente ou novo pensa ; o bem, consldcraco sobre as ver-
dades eternas, com historiase exemplos, rica encader-
naco, por 3/000 r.; semana-santa com una expllca-
co em cada dia das suas ceremonias e mysterios_,umme-
thodo para andar cm as estacSes, urna nieditacao sobre
a palxao, etc. etc., rica encadernaco, por 3/000 rs.;
tuiitaco de Christo.nova edifo revistareemendada.com
estampas muito linas, rica encidernaco, por 3/000 rs.;
compendio da historia sagrada com as provas da reli-
gio porperguntas e respostas para o uso das escolas,
rica encadernaco, por 2/000 rs licoes de arillinieti-
ca e breves elementos de algebra para o uso das aco-
damentaes, aoinmar, diminuir, multiplicar c repartir,
porSalvador Henrique de Albuquerque, em broxura.
por640;novo alpbabeto portugus,dividido por syllabas,
com prlncipaes elementos de doulrlna christaa, o me-
tido de ouvir ajudar a missa e urna preparacao para
confissao c a coiiiuiilia i, rica encadernaco, por 1/280
rs.; modelos para meninos ou rasgos de humaoidadr.
de pied.ide filial e de amor fraterno, obra divertida e
moral, adornada com 5 estampas, rica ende.rnac.ao, por
1/600 rs.; armazein de meninos, rica encadernaco, obra
muitointeressanle, por l/280ra.; conloa aomeuSjne-
ninos, para recrea-los, formar-Ibes um bom corafo e
corrigi-los dos drfeitinhos da sua idade, por madama de
Keuncville. traduzido da 10.a edico l'raucc/.a, rica en-
cadernaco, por I/.600 rs.; novo thesouro de economa
domestica, ou collecco de segredos e receilas, perten-
cendo s varias artes e oflicios, rica encadernaco, por
1/600 rs : hiographia de homens uesticidos, rica cnca-
dernac.-ii), por 1/280 rs.; aviso ao povo sobre os priinel-
ros soccorros que se hu de dar nos Urgentes, e antes
da chegada do medico, por Julio Leroy, boa encader-
naco, por 11600 rs. ; aventuras de Telemaco, cm por-
tuguez, 2 vol., rica encademacSo, por 4/000 rs. ; vida
de O. Joo de Castro, boa encadernaco, 1 vol., por 3/
rs.; diccionario das fbulas, boa encadernaco, por 3/
rs.; manual episcopal, 1 vol., por 2/500 rs. ; manual en-
ciclopdico, por 2/500 rs.
= Vende-se um linda negrinha de 7 a 8 anuos ; um
molcque de 16 annos de bonita figura ; um preto de
muito boa conducta sapateiro, e que cozinha o diario
de urna casa ; um dito bem robusto que he mestre res-
tllador ; um parda de 20 annos, ptimo para pagem ;
uina preta com habilidades : no pateo da matriz de S.-
Antonio, sobrado n. 4.
Vende-se colla de superior qualidade das fabricas
do Rio-Grande-do-Sul: na ruada .Mocita, arinasem n. 7.
Hua do Queimad'i, n 46, loja de Maga-
Ihaes & Irmao.
Vendem-se ricos corles de cambraia .iberia, a 4,000
rs.; ditos, a 4,000 rs.; ditos de casta de cr, a 3,000 rs.;
cortes de cambraia lisa muito fina, de 8 varas e meia, a
4.200 rs.: ditos de 3,200 rs.; lencos bordados, com bleo, a
560 rs.; curtes de collcte de fusto de cores, padres mo-
dernos, a 1,280 rs.; ditos, a 800 rs.; brim trancado par-
do, de puro linho, a 600 rs ; merino preto fino, a 3,000
rs.; cassade babadn fina, a 360 rs. a vara ; chita de co- '
berta de cr fixa, a 200 rs. o eovado ; eassa lisa, a 400 rs.
a vara ; camisas de meia, das melhores que teem appa-
recido, a 1,400 rs.; muito boa fa/enda para toalhas, com
4 palmos c meio de largura, a 600 rs. a vara; setim pre-
lo lavrado, a 3,500 rs. o eovado ; chapeos de sol de seda,
a 5,500 rs.; brim trancado de cures, de mui ricos pa-
drrs e puro linho, para calca ; lencos de setim para gr-
vala; ditos de seda decores; riscados francezes largos
limito finos ; ditos inglczes; bicos largos c cstreitos ;
e rendas.
Na loja nova de livros do pateo do Col*
legio, n. 0, de Joo da Costa Dou-
rado, receberam-se as seguintes novel'
las, todas de rica encadernaco:
Nnvosjogosde sociedades ; Solitario; tala llen, dote
de Suzaninha, 2 vol.;os segredos de triumphar das riiu-
Iheres: Camilla no subterrneo ; I). Remend de A-
guiar, 2vol.; vida de Pedrilho, 2 vol.; historia de um
piollio, 1 vol. ; caverna de Setroze, I vol ; Estrella por
Flor ian. um pugillo, 2 vol.; Lazarinlro, 2 vol.; Clara de
Alba, I vol.; Izabel, I vol.; D. Qulxote, 8 vol. ; Gil
llrai, 4vol.; Alfonso Braz, 2 vid ; diabo coixo, 2 vol.;
F.stevinho Goncalves, 2 vol, ; Guilhermc Tell, 1 vol. ;
aventuras de lloblson, 6 vol.; os verdadeiros orculos
das damas, 1 vol. ; ditos das senhoras, 1 vol. ; tala.
I vol.; caverna da morte, 1 vol. : todas estas novcllas
vendem-se por commodo preco.
Vondo-se, a retalho e por atacado um bom
sortimeulo de louga da Rabia, chegada oiliniamento
na ra ra l.apa, n. 6.
SALSA-PARRILHA DESANDS.
Ksle escolenle remedio cura todas as enormi-
dades, as quacs sao originadas pola impureza do
sangue, ou dosystema ; a saber :
escrfulas, rheumatismo crupges cutneas,
Incluidlas na cara, hcmorrlioides, donngas chroui-
cas, brebulhas, bertoeijn, tinha, inchagOes, dores
nosossos ejuntas,ulgaras, rloengas venermis,citica,
enfermidades que atacam pelo grande uso do mer-
curio, hidropisia espostos a una vida extrava-
gante Assim como chronicas desordena da cons-
tituigo serilo curadas por osla tilo til e appro-
vada medicina.
Rio-de-Janeiro I* du dezembro de 1847.
.Sr. I'rederic H. Southworth'.
'feadn en litio no Jornal dn Commercio c-nn Mari-
do Itio de Janeiro por diversas ve/es annuncios da salo
sa-parrilha do A. R e I). Sands que se vendo na
ra do Rozara, n. 79, por Fredcnco II. Soulhwortli,
a oslo me dirig o Iho comprei una caisa com 12 vi-
dros rio dilo oxlracto e achnndo-me com um gran-
de tumor no sovaco do braga direito o parto do pci-
to, soiTrcndo inmensas duros por todo o corpo mo
rlcliberei a lomar o estrado da dita salsa ; o tendo
tomado dous vidros c usando doli, logo ao segun-
do vidro conheci inmensas melhores, e continuan-
do liquei perfeilatnento bom ; e tendo alguna
amigos meus feilo usodo dito extracto pata rheu-
matismo, tem no uso delle por ini do terom tomado
8 a 10 vidros lenlo hons. do que tem resultado man-
rlarcm-me de diTercnlos parles oncommendas da
dila salsa para fra dcsla corte a diversos que leem
feilo uso del la e se leom rcslabelecido perfetsmente;
omandaudn-meagradecor, assim considero ser um
acio de liiiiiiaiiidado o ohrigagflo minha fazer publi-
co tilo oflicaz e salular remedio. Joaquim Ferreira,
de Sousa Flores.
Iteconhego verdadero o signal supra. Rio, 15
de dezembro de 1847. Em testemunho do verda-
do, Joaquim Jos de Castro.
Vende-se nicamente em Pernambuco na botica,
do Vicenlo Jos do Rrto, na ra da Cadeia do Re-
cife
Cortes de calca a
f#rs.
Vendem-se corles do caiga para homem, da fazenda
denominada mselo --de 3i 0 4 covados a l e
1/200 rs. o corle: esla fazenda he muito barata \j do
muito boa qualidado, he escura e servo para a esla-
go presente, assim como lambe.ni servo pura jaque-
las e palitos : na ra do Collcgio, loja nova da estrel-
la, n. 1
-Vende-se vinho de Champagne, marca cometa:
no armazem de Kalkmann Cruz, n. 10.
Vinhode Bordeaux.
DEPOSITO
NA KIJA DA CRUZ, N. 20,



A
'
Vende-se' urna moleca do 12 a 13 annos, de
optimn figura e muito forte para todo o servigo,
Unlo do campo corno da praga : na ra do llortas ,
casa Jorrea n. 62.
Vendem-se dous bracos do balangas grandes ,
com conchas do pao; urna bomba d cobre para
despejar pipas: na ruadaSenzalla-Nova, n. 4.
Na loja da ra do Queimado, n. 5, vende-so pan-
no preto fino a 3,000 e 5,000 rs. o covado.
BOA PlftGA.
Vende-se superior vinho da Figueira, etn barris de
*, 5,6 e 7 em pipa: no armazem de J. J Tasso Jnior,
ra do Amorim, n. 35.
Vende-se una escrava de bonita figura do 18
a 20 annos, com bstanle Icite c quo toiu agumas
habilidas, sem vicio alfeum o motivo da venda se
dir ao comprador: na ra Djroita esquina do buc -
codoSerigado n. 93, segundo andar.
A 200 Rs. O COVADO.
No novo armazem de fazendas
de Itaymunrio Carlos Leite,
na ra do Queimado, n. 27,
aclia-se o melhor algodSo trancado azul, proprio
para roupa de escravos a 200 rs. o covado e em
pegas a 260 rs. a jarda, o qual se torna recommen-
davel pelo muilo corpo nlo tcr gomnia sor muito
largo o d cor fixa ; optim chita preta forte n
5,800 rs. a pega ; ongragados pannos de mesa, do
alRodflo encarnados protos e grandes, a 3,200 rs.;
ptimos brins.trancados do linho, a 1,000 rs. a vara ;
longos de cassa de cores, grandes, para sen hora a
480 rs.; ditos de soda para moninos, a 6t0 rs. ; ex-
cellonte alpaca do linho ; chitas finas do ultimo gos-
to ; e todo o sorlimento de fazendas finas e grossas.
para vender por atacadoc a retalho o mais barato
possivel.
Na ra do Queimado, n. 30, ha pannos de boni-
tas coros, proprios para palitos .e sobrecasacas, as-
sim como chapeo de castor, pelo barato prego do
fiN>0 rs.
Vendom-se queijos londrinos; presuntos para
fiambre; potes com sal refinado; latascom bolachi-
nhasde aramia ; ditas com marmelada com dual
e 4 libras ; massas lirias ; conservas inglezas ; fras-
cos com doces de differentes qualidade* ; latas com
sardinhas; ditas com hervilhas; sag ; covadinha ;
passas superiores ; bolachinha do soda ; ludo por
prego mais barato do quo em outra qualquer parto :
na ra da Cruz, no Itecife, n. 46.
Brins trancados.
Vendem-se superiores cortes de brins trancados,
deqnadrose listras de muito bonitos padrOes, pelo
barato prego >le 2,000 rs. o corte : na ra do Colle-
gio, loja nova da estrella, n. 1.
Sapa toes de tres solas \ff rs.
No Aterro-da-Boa-Vista, loja n.
78, vendem-se esles sapatos pelo dmi-
ravel preco de ts rs. o par; sao tao bons
e baratos, que quem os vir nao deixai
de comprar.
Cassas a 3?.o rs. o covado.
Na ra do IJvramento, n. 14, vendem-se casss-
muito linas para vestido, a 320 rs. o covado ; chitas
finas de cores fixas, a 160 rs. e a pega a 5,400 rs.; cas-
sas pretas com 10 varas, a 3,000 rs. a pega ; riscados
de novos padroes, a 220 rs. o covado ; meias de al-
go I fio para senhora, as mais finas que lo'cm apporc-
ciilo, iinilagao de seda, o outras muitas fazoudas
baratas.
Vendem-se chapeos de superior
^castor, brancose pretos, por preco
mulo barato : na ra do Crespo, n. 12,
loj de Jos Joaqun] da Silva Maya.
Chocolate.
Na fabrica de licores de Fredorico Chaves, no
Aterro-da-Boa-Vista, n. 17 ha seoipro muito supe-
rior chocolate de sadc, canclla, baunilha o do fer-
ruginoso, este he muito conhecido pelas suas boas
qualidades.e por ser proprio para as pessoas que sof-
frem de fi ialdade e oulras molestias do estpmago,a 1/
rs. a libra o o de sadc, canella e baunilha a 400
ris.
Vende-se urna preta
habilidades : no pateo de 8.-Pedro, so-
brado n. 4-
Vendo-se charutos de llavana, de diversas qua-
lidade*, ltimamente chegados : na ra da Cruz,
armazem de Kalkmann & Hosenmund.
Casimiras lisas, a 2,400 rs.
cada covado, as melhores que tem vlndo a esta praga,
uo s pelas delicadas cores, como por ser pcrfeila
fazenda ; ditas de listras, viudas ltimamente de
Franga os melhores gostos e melhor fazenda que
lia a 9,500 rs. o corte ; ineias casimiras a 3,500 rs.
o corte: panno preto o azul fino a 3,000 rs ; ditos
de cores, e 4,000 at 5,000 rs.; dito preto a 6,000,
6,500, 7,000 al 11,000 rs. que nada deixam a deso-
jar ; e todo o sorlimento de fazendas finas o grossas
que se vendem a retalho o por atacado : ua na do
Queimado,n. 27 no novo armazom de Raymundo
Carlos Leite.
-- Vendem-so ricos cortesilc cohetes de gorgu-
rflo de seda; ditos de selim, pelo barato pregode 2,500
a 4,000 rs. cada corte: na na da Cadeia de S.-An-
tonio, n. 21.
Vendem-se muito superiores charutos chama-
dos engadores, em caixas de 125 cada urna, chega-
dos pelo ultimo vapor da llahia : em casa de Fredo-
rico Robilliard na ra do Trapicho-Novo, n. 18.
Novos gambreoes.
Vendem-se superiores cortes da fazenda denomi-
nada--ga ni hreOes--pelo diminuto prego de 1,800
rs. o corte : esta fazenda lio de mu superior quali-
dade c seus padroes rivalisam com as melhores ca-
simiras : na ra do Collegio, loja nova da estrella,
n 1.
Vendem-se presuntos de Weslplaalia, superio-
res no armazem de Kalkmann & Rosenmuud, na
ra da Cruz, n. 10.
w- YemliiA-8e acvoes da ex-
mela companbiade Pernambuco
e Parahiba: no escriptorio de O-
tiveira Irmos & C, ra da Cruz,
n. 9.
Fogo pernambucano.
Vendem-se magos grandes de palitos de fogo de
muito superior qualidade, a 2,000 rs. o cento na
fabrica de licores do Aterro-da-Boa-Visla, n. 17.
SUPERIOR FARELO, A 4,000 rs.
Vendem-se saccas com farelo fino de Trieste, che-
gado ltimamente, o qual he o melhor de lodos que
aqu tem aportado, por sor o mais nutritivo: oin casa
deJ. J. Tasso Jnior, ra do Amorim, n. 35.
Casimiras elsticas
a 640 rs.
Vondem-se casimiras elsticas de algodSoe 19a,
pelo barato prego de 640 rs. o covado : na loja nova
da estrella, n. 1, da ra do Collegio.
Leite liquido,
todo o anuo, a 200 rs. a garrafa, as 7 horas da ma-
ndila, o sendo freguozia se mandara levar : na fa-
brica de lic-.res do Alorro-da-Boa-Visla, n. 17.
colleccoes de vistas de Per-
nambuco ,
sendo as da ponteda Boa-Vista, ponto do Recife.Bom-
Jess, Olinda, Poco-da-l'aiiolla o Cachang, fei tas ao
beneficio da sociedade da Beneficencia alletnfla e
suissa : no armazom de Kalkmann & Rosenmund ,
no lintel Pislor, as lojas dos Srs. I,uiz Antonio Si-
qu>ira ,daSnra. viuva Cardozo Ayres & Filhos, na
ra da Cadeia do Recife ; as lojas dos Srs. Santos
Noves & Guimarites na ra do Crespo ; do Sr. Jos
do AlenquerSimOes do Amaral, na ra Nova ; e do
Sr. J. Chardon no Aterro-da-Boa-Visla.
Vid ros para vi (Iracas,
vendem-so em porges ou a retalho a vontado do
comprador: na ra da Cruz, n. 38, casa de Scliafhee-
tlin ct Tobler.
Vcndem-se sapatoes de couro de
lustro superiores, pelo baratissimo pre-
co de 2,56o rs. : na ra do Cabug, loja
de miudezas, n. !\, de .Manuel Joaquini
Dias.
Vende-se a taberna n. 86, ua ra do Pilar,
o melhor lugar de Fra-de-l'ortas, a qual est bera
afreguezada, tem casacommoda para pequea fami-
lia e com quintal: alin disto ha oulra conve-
niencio vantajnsa quo se dir ao comprador : ven-
de-se a dinheiro vista, ou mesmn n prazo a con-
tento com endossante que agrade Faz-se essa von-
da porque o sou dono oceupa-se em oUlro negocio,
e a pessoa quo a administra n3o pile continuar. A
tratar na ra do Queimado, loja n. 21.
.Hers cruas americanas.
Vendem-se estas excellentes meias, muito proprias
para a presente estagio, por conservarem qs ps
quentcs e serem do uiuila duragSo pelo diminuto
prego de 4,000, 5,000 c 5,500 rs. a duzia na ra do
Collegio n. 3, loja do Forrilo & Companhia.
Panno-ferro.
Vendem-se cortes de caigas para homem da ex-
celente fazenda denominada panno-ferro, a 1,400
rs. o corte : esta qualidade de fazenda loma-se re-
commendavcl, por ser de padrOes oscuros e de mui-
lo corpo : na ra do Collegio n. 3, loja do Forillo &
Companhia.
Chegaram diversos escravos pora se ven-
derem muito emconla na ra das 1.a-
rangeiras n. 14, segundo andar, a sa-
ber : um lindo moleque de 18 annos ; 1
dito do 20annos ; um preto de meia ida-
do bem para o servigo de anta casa ; um ptimo
pardo do 20annos, bom pagem ; um dilodo 10 an-
nos ; um dito de 22 annos quo tem umita propor-
go para marujo um dito com principios de pedrei-
ro ; um dito do 38 annos, por 250,000 rs. ; urna pro-
s moga, boa cozinheira ; urna dita do meia idade ,
ptima lavadeira ; una mulatinha com urna cria ;
urna preta de elegante figura: estas duas ultimas
vendem-se para fra da provincia por prego mui-
to baixo.
Conliuam-se a vender,
na ra da Cadeia do lie
cite, n. 37, caixas com
cera em velas c mais
brandoes fabricados
no Ro-tle-Janeiro,e em
L'sba: sortimenlos ao
gosto do comprador, e
por mais commodo pre-
c do que em outra j
qualquer paite.
Vendo-se, por prego commodo, urna casa de um
andar, sita na ra de S. -liento, om Olinda, n. 31,
em chitos proprios, a qual rendo mensalmente 16/
rs. : a tratar na ra da Madre-de-Doos armazem
de Vicente Ferreira da Costa.
Vende-se lagedo de cantara ou a vara ou por
podras por prego commodo ; na ra da Cadeia de
s.-Antonio, armazem n. 15
- No armazem de Vicente Ferreira da Cosa, n
ra da Madre-Deos, ha para vender muito superior
vinho da Figueira chgado ltimamente em bar-
ris de quarto at stimo muito proprio para gas-
to de casas particulares
Vendem-se [cadeiras de balango muito boas
commodas : no armazem de Kalkmann & .Rosen-
mund, ns ra da Cruz, n. 10
Vendem-se vidros para espelhoa da todos os ta-
maitos : no armazem do Kalkmann & RoseomuBd,
na ra da Cruz, n. 10. m
Vendem-so pianos inglezes da fabrica de G-o-
lard: no armazom de Kalkmann & Rosenmund,
na ra da Cruz, n. 10.
Vende-se um bote novo com qua-
tro remos, e pregado de cobre, muito bom
para uso de qualquer navio ou para cos-
tearnos arrecifes: a fallar na ra do Tra-
piche, casa n. 8.
-- Vende-c um crioulo de ptima figura, de 36 annos,
perito mestre sapalelro, e que tambem entende d
todooservifo de pillara c algumaa eousa de engO;
nho : he multo humilde e por i o bom escravo: ven-
dc-ic para pagamento de urna divida : na ra Dlreita, n.
."(, defronte do becco de S.-Pedro.
FRKSQVISSIMOS Ql'Ef JOS DE QUALHA
chegadosdoCcara no vapor Imperador : vendem-se na
ra da Crus, no Recite, n 18.
= Vendem-se aacca de feijao ; ditas de familia ; di-
las deuiilho ; ditas de arroz pilado ; queijos frescaes dp
Ser i di i: na ra da Cadeia do Recife. n. 8.
Vendem-se colfai c nielas ditas de I fia de diversas
cores e nadrftes. do njelhor gosto que tem vindo do Rlo-
de-.laneirn : na ra larga do Rosarlo, n. 24.
Vende-sc o sobrado de dous andares, no pateo* de
N. S. do Terco, que fas esquina para o becco do Loba-
to em chaos proprios, livre e desembarazado de hypo-
theca e de toda c qualquer questao judicial: arralar na
ra Dlreita, n. G5.
= Vendem-se os segiiintes livros : o Panorama, 8 v.;
Magasln pittoresco em francez, 9 v.; Archivo popular,
7 v. ; Universo pittoresco 3 v. contendo 6 annos; Ra-
malliele, 6 v. ; ualerla religiosa i v. ; Historia do bra-
sil, 2 v. ; Recreio, jornal de familias, 5 v. ; A dlslracco,
1 v. ; Muscu pittoresco 1 v.; Museu dos antigos e mo-
dernos 3 v. em formato grande, coin'rlcaa estampas
obra propria para os escultores ; Arcbitcctura de Andr
i'aladio contendo 5 livros, obra muito rica propria
para os engenheiros: na ra Nova, n. 2G, prinieiro an-
dar, a qualquer hora do dia.
= Vende-se um pardo perito oflicial de sapaleiro
do qual se aanca a boa conducta ; iitn moleque de 18
annos, bom carreiro trabalhader de cnxada e que be
de bonita Agora ; um dito de 16 annos, inulto lindo;
urna parda de 20 annos, que engotmna com perfil
rao, coziuha o diario de urna casa muito bem, cose to-
da a qualidade de costura assim como corla um ves-
tido de qualquer modelo; urna preta boa cozinheira,
que he de boa conducta ; urna dita de 22 annos, que co-
se, engomme cocinba solVivel: na rita da Penha, n.
I, confronte a torre do Livramenlo primeito andar.
Vende-sc uina escrava de 20annos, de bonita figu-
ra e que he muito robusta : na ra estrella do Rozarlo,
n. 10, tercriro andar.
Vcndem-se semenles de hortalice de diversas qua-
lidades, por preco commodo: na ra estrella do Ro-
sario venda n. 8.
-- Veudein-se ps de coqueiros, bons para se muda-
ren) : na venda defronlc do sitio da Tacaruna na estra-
da que vai para Olinda.
Vende-se, por preco commodo., urna barcaca de 10
caixas de muito boa construccao e prompta a fazer
qualquer vitgem : tambem se i'ai'ncgocio sobre um pre-
to ; na ra i* Mocda, "21.
--Vcndem-se na ra do Crespo, loi a. 11, Segun-
das linhas sobre a processo civil, por Manuel de A. S. de
I.obao, 2 v. ; Memorias econmicas da academia real das
sciencias de Lisboa 3 v. ; ditas de litleratura portiiguc-
za publicadas pela academia real das sciencias de Lis-
boa, 7 v.; e outros inultos livros por barato preco e
continuam-sc a trocar.
Paraho perdido
em Ingle? c tambem em portugus : vende-se na livra-
ria da esquina do Collegio.
Na ra do Queimado, n. 24, loja de miu-
dezas.
Vendem-se estojos com duas navalhas, para barba,
muito finos -, caivetes de 1 a 3 folhas, inulto linos, ca-
bos de madre-perola ; chapeos enl'eitados para baptisa-
dos de meninos ; ditos para homem e menino, de palha
da Italia; bicos Unos para talho de vestido, estreitos c
largos; luvas de pellica para senhora, a 1,600 rs.; dita*
para homem, ponto inglcz, a 1,600 rs.; meias cruas para
homem ; ditas de cores e brancas; ditas para menino
ditas preta para senhora, de algodao ; ditas de seda
suspensorios de seda, e ditos de borracha ; calas de
massa de tartaruga, redondas c quadradas. Tudo se
vende por proco mais commodo do que em outra qual-
quer parte.
No armazem da ra Nova, n. 67, ha um grande sor-
limento de cadeiras de palhinha que se vendem a ~
3Jjr, A0) Aty, 50/, 71/ e 96/ rs. ; estojos com espe-
Ihos para navalhas a 1/600 rs. ; um sorlimento de me-
sas, bancas, sophs camas de armacao e sein ella ; ri-
cas carteiras de viagem com estojos e mala pertenecs
2 palanqulns sendo um da llahia em mel uso ; %
outros nmiios objectos que a vista dos pretendentcs
se la rao patentes. Aanea-se a cominodidade dos
precos.
Vende-sc um piano sem defeito, bom para quem
qiiizer aprender, culo preco nSo desagradar ao com-
prador : na ra da Florentina, n. 8.
Vende-sc a botica do pateo do Terco, n. 6, por pre-
co commodo: a tratar na inesma botica.
Vendem-se tres moleques de 16 a 18 anuos ; 3 pre-
tas do 35a 30 annos proprias para todo o servico ; 4
pardos de 10, M, 16 e 25 annos sendo um delles bom
carreiro ; duas mulatinhasde 7a 14 annos ; urna negri-
nha da 10 annos com principios de habilidades ; 3 pre-
tas de 20 a 25 annos com habilidades : na ra do Col-
legio n. 3, se dir quem vende.
Na ra de dgoas-ferdes, n. 40,
vende-se um esCravo muito necc9sario a tn senbor de
engenho, por ser oflicial de pedreiro e mestre de as>
Vendeni-sc 6 cadeiras de palhinha, de pao d'oleo
tres bancas de condur ; urna commoda de atnarcllo '
na ra larga do Rozavlo, n. 48. primeiro andar.
Vende-se urna escrava crlnula, capaz de reger unu
casa, por ter todas as habilidades precisas : uas Cinco-
Ponas, n. Ut. Adverte-se que sO se vende para fr da
piafa. v.
Hoje estar a venda na piafa da Independencia1
uina vacca parida, de primeira barrica, com vinte dias
e que di tres garrafas de leite, pelo preco de 40/ rs. '
Vende-se urna preta crioula de 32 annos pouco
maisou menos multo sadia ; heacostuniada a vender
na ra enunca faltoucom o selo diario que da: pr
circumstanfias que se diro ao comprador se vende
por ments de seu valor e sendo para fra da provincia:
quem a pretender annuncie.
Vende-seduas flautas com excellentes vozes, sendo
urna de bano e a outra de buxo por preco barata: m
ra da Cruz, a. 10.
. Vende-se um preto peca de 14 an-
nos, por preco commodo : na ra da Ca-
deia do Recife, n. 8.
Vende-se, para fra da provincia, urna prou moja
que representa 24 annos de Idade, e he de elegante figu-
ra, com todas as habilidades de cozinha; doceira, engom-
madeira, costure!ra, refina assucare faz pao-del e bo-
linhos de todas as qualldades : vende-se por clrcumi-
tancias: na ra do Passeio, loja n. 21, se dir quem
vende.
=Vende-se um estojo completo para engenheiro p0
muilo commodo preco: na pracaula inUepcndciiciar
n.17.
VGtNUK-SE
Chd muito superior
babricado no Rin-de- Janeiro,<
Denominado Brasileiro,
o melhor quo tom apparecido neste mer-
cado, pela stta qualidade ser mais supe-
rior do que n do mesmo cha hysson, de
urna libra para cima por prego com-
modo : no (ni da ra da Aurora u. 4, a
fallar com Jos de Altnetda Barrlo Bas-
tos das 6 ns 9 horas da manhfla, e de 1
as 2 da lardo. No mesmo lugar tambem
sevondcclt familia, da mosma provin-
cia com as inesnias condigflcs.
Casimiras elsticas
finas.
Vendem-se superiores e excellentes corles de casi-
miras do superior qualidade o lindos gostos, pelo
diminuto prego de 5, 6 o 7g rs. o corte de caigas, sen-
do seus padrOes lano de gosto para o invern, como
ara o vero; a ellos antes que se acabera: na ra
do Collegio, loja dacstrolla, n. 1.
Escravos Fgidos.
Fugio,-ein mimbro prximo passado do engenho
Covas, J'regue/.ia de S.-Lourenco-da-Malta o escravo
pardo claro, de nomr Jos comprado pelo abaixo as-
signado ao Sr. Francisco Miguel de Siqaelra, morador na
comarca de Paja o qual tem os signaes segulntes : al-
to, reforcado do corpo de 22annos pouco mal 0u me-
nos, sem barba ; tem urna cicatriz em uina mac.ia do
rosto prxima ao canto do olho proveniente de un
coucc de cavallo ; foi bem munido de roupas constan-
tes de caifas, jaquetas, camisas e tambem rede, boto
de abertura, una pistola e diversos objectos que rou-
bou, assim como procurou para as partes do I.i-
uoeiro na occaslSo da fuga. O abaixo asslgnado ruga ao
mesmo Sr. Siqueira ou a qualquer outra pessoa que
noticia tlverdo referido escravo o favor de o appre-
liender e remctte-lo com srguranca que, alm de agra-
decer, satisfar toda e qualquer despeza ; assim como
oll'erece KO/000 rs. de gratificafaoa qualquer campanil
qVie o apprehender.
Mannil Lucas de Araujo Pinhiiro.
Fugio, no dia Jo de maio prximo
passado, um preto crioulo, de nome
Marros, de ?G anuos pouco maisou me-
nos oflicial de pedr
guiar
do I
da frente e duas ricatrizfs
pedreiro de estatura rc-
, secco do corpo rosto compri-"'
)cicos grossos; tem todos os dentes
e duas ricatrizes no poscoco
bem debaixo do collurinho/h camisa que
a-j encobre ; tem pouca barba suspen-
sorios com fivelas de prata ; conduzia i urna
trouxa com ronpa do seu uso motivo
por que se ignora como andar vestido;
tem sido visto em Olinda i quemo pe-
g-ir leve-o a ra do Cabug loja de
iniudezas,de Jos Alves da Silva Cni-
maracs, ou a l'uialiilia, em casa de Fran-
cisco Fernandes Lima quo ser
socar; un bonito pardo que he bom pagem e carrei- 'a ra deorias, n. 122.
gene-
rosamentepago.
Fugio, no dia 26 de abril urna escrava crioula.
de nome Antonia de 40 anuos ; tem falla de dentes ns
frente ; levou saia cpanjiopelo : quem a pegar lew-a
ro ; um moleque de nafo, de 20 annos ; um escravo de
iiar.-io bom carreiro ; uina bonita moleca de 16 annos ;
duas escravas para todo o servifo ; um bonito mulat'nho
de 11 annos ; urna moleca de 14 annos ; um escravo de
boa conducta e que he oflicial desapateiro.
Vendem-se as ordenafes do rein e leis do reino
de Portugal, accrescentadas com as leis extravagantes ,
decretos e assentos da supplieacao at o reinado do Sr.
D. Juan V ; eneadernadas em 3 v. em fulio com alguin
uso : na livraria da praca da Independencia ns. (i e 8.
= Vende-se nina boa morada de casa de pedra e cal,
em chaos proprios, com quintal, sita em S.-.Ios-do-
Hanguinho defronte da igreja, pelo preco de 650/ rs. ,
ou troca-se por outra no Ilccifc : a tratar no mesmo lu-
gar vendada esquina ou na ra da Guia, n. 46.
= \ende-se um faldamento completo, anda nio.ser-
vido para oflicial ou sargento de cavallaria d.i guarda
nacional : tambem se vender qualquer peca a vonlade
do comprador : na ra Nova, n, 16.
Vcndem-se 50 acedes da companhia de Beberilie ,
por sen dono retirar-sc da provincia : na ra Nova ,
loja n. ID.
-Vende-se uina escrava de Angola, de 10 a 20 annos,
de boa figura quo engomma, cose e cozinha ; na ra
Hava, a, i6.
100/000 rs.
Fugio, no dia 22 de marco prximo passado, do enee-
nho S.-Francisco em S.-An ionio-Grande, provincia das
Alagas, a escrava Denedicta, parda, muito clara, bem
parecida, cabellos corridos olhos pretos, beicos gros-
sos dentes limados pellos grandes, ps seceos ; tcinjio
braco direito um sino salamao e no oulro um coraran ,
fcito deagulha com tinta azul; tem 20 annos de ida-
de. Esta escrava he de Gunraln Kodrigues Marinlio ,
morador no dito engenho, aonde pode ser entregue, qe
receber a gratificacao cima ou nesta pr'afa a '"
Campos, na ra do Queimado, n. 4.
Conlina a estar fgido o escravo
Alberto, que se intitula por Manoel.dc nafo t-'abun-
tl des de 9 de abril do crtente auno ; julga-se estai
lelas parles de Seriiihiem, Goianna, ou Parahiba. n"'
-se as autoridades desle lugares que hojain T _.
prehender c remctte-lo a ra do lloiario da W"
Vista, n. 48.
-
1JEIIN. i NA TYP, DK M. F. DEFARIA.
m


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ESP55U5H0_GXPMEJ INGEST_TIME 2013-04-12T23:32:46Z PACKAGE AA00011611_05982
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES