Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:05980


This item is only available as the following downloads:


Full Text
/
fli.no de 1848.
Qn arta-fe ira
f) VIBRIO puli!ica-sc todos ss din ^Ub no
r.eo de guar; I"'*?0 < Otsignalnr^ lie de
ijOOn rs.porquartel, W?' adiautaifoi. Os'an-
ouncios ios sigilantes sn inseridos raslo do
Jo u. porlinia, 40 t. em typo diferente, e
"'feneti'ei |X>ln metade. Os que nao dre n aisig-
raitei pagarlo SO ri, por lihi, 8 18.0 en tjpo
diflerenU, por cad? pubcac.ao.
pi'.aes da"lo.mpmez,'de JTJNU.
l.naoOT. 1. 9 50 m>n. d" l'a-
(resecte a!. OS ? l'eTOS eH min. d lar).
I ua ebeia 11< (> D horas e 3l> min. da tard.
H uRoante a 74 as 4 Loras e 8 min. da manb.
p*p.tida nos corbkios.
(oiaiuu^Paraliilws segndase sextasfeiras
urJe-do-Hort quinta ciraiaomeiodia
riiiir.em, NioFornioio, Poito-Calvoe
MocW, no I.*, a It e ?l de cada rata.
fiar nimo**. Bonito. >t".
Bo.V.ta e Plores, a ti e8.
Victoria, s quiulM-feiaS.
Onda, todos odiai.
PilEAMArt DE MOJE.
Pr'uucir, s 0 horas e 18 minutos da manlia
Segunda, s 9 hora) e 42 minutos da tarde.
DIARIO DE
de Julitio
Anno XXV. W. 1.
--
DUS DA SESUKA.
0 Segunda. S. Marciano. And. do ]. dos
orpli.do J. do c. da 2. v r dn Al. da.&. V.
6 Terra. S. Norhert.. Aud. do J. do clve!. e
do J de paz do 2 disi. de t.
7 Quarta. o. Roberto. Aud. do J. do civ. e
do J. de paz do 2 clist. de t.
8 Oninta. Saluit-ano. Aud. do J. de orpll. c
do J municipal da I, v.
S Saita. S. Columbo. Aud.do J doclv. edo J.
de pai do l *it. det.
10 ?al)bado. S Marcan la. Aud. do J.do civ.
eJ. de paz do I dist. de t.
11 Domingo. Paschoa do Espirito Santo.
CAMBIOS NO DI A OH JUNHO.
Sobre landres a 2S d. por II ri. a a dial. Nom.
Paria J45 a 360 rs. por franco. Nom.
Lisboa 100 por 100 de premio.
Dese.delettrnsdc boas firmal a %, ao mez.
(Uro0.iril>espiiliols.... 70*1.00 a 81
Moedaidc6j.no velii
de *<>' niiv.
,, de 4(000... .
Prala Pitacei brasileiros.
Pe sos col u limares...
a Ditos meticanos....
HlJiOO a 16160
16)300 a IfiJsOO
9l"0
yn > a
l08O a
IfJU a
Miuda........... '*"
O/JOI
IJ08U
(#990
1J03O
'Arcosa dacomp. deBeberlbe, a Sn#00 rs. ao par.
^'T ruiiini, nmu ----------_----------1------------i i '..............
AMBUCO
**
EXTERIOR.
i----------r---------tt^~~
DIARIO DE i^NAMBUC
,-
COnHfcSPONDISNCM DO
tiiMai 18 de abril de Uf.
Parece-.ne ter-lhe dito, na minha ultima, fle o nosso
governo eslava decidido a fazer algunia* conceisfies ao
partido seteuibrista. e que issosonria opposicao da par-
t-do hondo cbrallsta mais exaltado. Seja o que fox,
o governo anda nao apresenlou ao parlamento propns-
tas algumosdeste genero, posto que e continu a fallar
nlsso, assim (iiieie procura chamar ao governo gente da
opposleto.
Entretanto, o gabinete acaba de dar ao partido pro-
KicssiiU urna grande vantagem, le nao quizerem que
seja a prlmelra concessao., oom a declaracAo da uag-coj.s-
tituclonalidadc do art 6 da carta constitucional, o que
da em resultado era nova le eleitornl que ae vai for-
mular pelo methodo directo, e pao pelo Indirecto, co-
mo te Ido'al agora, e como quera que cootinuaise
o serafracfio do cabralistuo exaltado, commandada por
Jos Bernardo da Silva Cabial.
Estaqueslao foi una das mal* debatidas que leeiulia-
k pido ha multo lempo na nossa cmara de depulados. O
governo, instado pelo opposicao para que manifestaste
a sua oplnio lobre a constilucionalid,adeoi4 nao-consli-
tuclQualidade do artigo C'J da carta, noif dlsso dependa
ser aeleicSo .directa ou indirecta, declarou logo no prin-
cipio da discusso, pflo ofgjio do eu presidente, o du-
que deSaldanh'a que gabinete nao cnimderaya a
questtt ministerial por ser de mera intei pretacao,
que niio julgava o artigo 63 constitucional. que aisim
deseiava que a cmara o considerasse, porque quera
que a elelcSo fsse directa, e que houvesse urna boa Ici
eleltoral, porque sm ella, todo o paii cousttucional-
menle cortstilulno cahia, ou ua repblica, ou no despo-
tismo ; e que u governo nao quera nem umauetn ou-
tra cousa. No caso, porm, da cmara resolver o con-
trario, o governo obrarla como julgassc conveniente.
Esttr declaraeao bastante explcita, se nao era urna ina-
nifestacSo decidida, de que a questao edevia crniside-
ar ministerial, equivala a isso, e assim o julgaram Din
e outro lado da cmara. Desde ent.io a opposicao tor-
nou-ie ministerial ueste ponto, elogiando e Colgando
com as declaracoes do govefno.Pelo contrario, a pha-
lange do cabraliatai puritanos, comecaram desde logo
a guerrear o governo j na tribuna, ji na iinprciMa. Na
tribuna Jos Cabral e m-us satlites clamavam vela cons-
litucionaUlade do ai tigo 63, que, segundo elles, conti-
nha o direito poltica, e por isio uo podia ser alterado
por uiua cmara ordinaria. Corroboravam este argu-
mento, or com prcleeces de direito jurdico, ora com
tutoras e faclos contrarias vantagem da eleicSo direc-
ta. Na imprenta o Jttatulurlt. orgao desta fraccSo, dvo-
gava a mesma doulrina. Alm dsso, os deputados inals
ntimos de Jos Cabral nao cessavam de incommodar o
governo, ora considerando a sua declaraco de pouca
monta, ora IntcrpeUando sobre insignificancias, ora fi-
nalmente coadjivando com o seu alinelo e abandono
as ntcrpellacoes da opposicao sobre alguns assumptos
serios, como por exemplo, o do fornecimento do exerci-
to, einquesemostiou que o novo mrtliodo adoptado
era mais prejudicial a faxenda publica do que o antlgo ;
e o despacho, para brigadeiro, do novo governador de
Angola, o coronel AdrTo Acacio da Silveira Pinto, que
igualmente se moatrou que tai despacho era contra a
lei. O ministro da guerra, abandonado completamente
pelos.oorlfos cabralistas.fex u.na trlsssima figura.e at
se cspalfcou o rumor de que sahla do ministerio ; porm
este rum&to se realisou.
A discujsao, pois, da questao cleiloral durou por mul-
los dias, e ainda maii durarla, se a lessflo do da 17 se
nao declarasse permanente at se votar a questao. Por
um lido oppunhain-se os argumentos que ja menclonei;
pelo outro sulentava-sc umbem com theorias e com
faetoi, uo s(i a desvantagem do methodo indirecto, mas
que o artigo 83 da carta no era constitucional, porque
no eatabrlecia o methodo de-exercer o direito poltico, e
' nao esse mismo direito. Conheceu-se logo que havia
seisao entre os inembros da maioria da cmara, nao so
porque advooavMi estes ltimos principios, mas tam-
ben porque a t/nido, jornal do partido cabrahsla. co-
inecou a sustentar que era preciso que o artigo b se
deelarasse nio-constuoional, e que annuir a opiniao
publica, que altamente reclamava isto. nao era fazer
concessci, em mostrar fraqueza. Soube-se umbem
que o conde de Thomar, em completa divergencia (ver-
dadeira ou apparente) com seu irmao Jos Cabral, se em-
penhava com os seus amigos, para que apoiasscm ini-
nisterio e vU**m oom elle.
Todava, a resoluco do negocio esteve por multo lem-
po duvldosa, mas j para o fim da discussio se dixia que
o,govenioaenceria. Comludo, ninguem esperavaque
fissa por una maioria lo eonstdcravel. pois que a vo-
tacaodeunela nao-ennslitucionalidade do artigo, isto
he, a frvor do. ministerio, 61 votos c contra 36, maioria
25 votos. ,
JosCabral e os seus adeptos ficaram furiosos, c desde
enlo declarara guerra abrrta c virulenta, nao so ao
governo, mas at aos que votaram contra o artigo, cha-
mando Ibes eunucos, c diriglndo-lhes outras dlatribes,
a tal ponto que o conde de Tnomar declarou r. mu jor-
nal, que ltimamente se comecou a publicar, intitulado
O Popular, e que dixem er sustentado por elle : que
nada tinba com o Eilandarte, e com as snas doutrinas.
Acrcdita-se que, era cmsequeneia da divergencia dos
dous irmaos, e da diviso da maioria que susienuva o
'(andarle, este cessar de publicar-se, sendo substitui-
do pelo J'opuiV, ua sustenUSo da poltica do governo e
do sen sequilo.
A cmara depois desta longa e acalorada discusso, ca-
bio n'iiina especie de abal,imento, e so tepi ulliinanente
tratadode-essunlpto de interesse secundarlo; porm M-
pcra-ie nova tempostade para a discusso das medidas
de laarnda, que vao entrar brevemeule ua ordem do da.
A comiusso d" fazenda da cmara j apresenlou o seu
parecer sobre a verba das despe/as do estado, na qual
fe* nmu rediiccao de 600 c Untos conlos de res. Acre-
dita-se que Jos Cabra! e a sua phalunge far grande op-
posi(So, c nesse caso duvida-sc inulto qUe o governo pos-
sa maniera declaraeao que fez, deque nao dissolveria a
cmara.
Na cmara dos parea houve tambem ltimamente nina
grande discusso, nao so sobre o piograinina politico da
governo, mas Umbem por causa de alguns factos escan-
dalosos, commeltldos por soldados e sargentos dos re-
Sments de granadelros da rainha, e n. 16, na noite <}o
u..| rln anima dn rainha. em une quebraran! alruinas
i conde de ahornar, morra parua. O marqdex deLou-
l, o condte da Taipa e outrds declararara que ram paltt-
lat; c isto deu lugar a interessantes debates.
Nessa iqesma sessao, o conde de Thomar interpellou
o OMtvrno aoeiwa da respnsta dada por Mr. Cremleux
depuosfila dafwuajliexes que foi felicitar o governo
provisorio de Franca, e em cuja repotU Me. Cremieux
emitllo oplnies desfavoraveis, niios contra o nosso g-
verno, mas contra a nossa rainha. O ministreidos nego-
cios eslrangeiros respondeu que a opinio de uin
inelnbro de um governo nflo era a opinio de lodo o go-
verno, e que alm dlsso o governo provisorio de Franca
estiva na melhor harmonia oom o governo de Portugal.
O governo contina a ter as suas reunies no edificio
do governo civil, onde se trata de poltica. A urna del-
tas diiero ter sido convidadas algumaspessoas influentes
do partido progreisista, e, segundo mis, aceiurain o con-
vite, outros dixem que nao. Tambem ae dix que occor-
reu ao governo a ideia de formar uui ministerio, do qual
fisessein parte todos os partido) polticos de Portugal
isto he, oempor um gabinete de dous carlistas, dous
progresiistas e dous mlguelisUs. Os exaltados de todos
os partidos, aquclles que, dominados pela ambicio e o
egosmo,nao qticrcm transac9o alguina com os seus ad-
versarlos polticos, i liaiiiaiu a isto patteliaria, o disein
que ospaiMj uuestaa eu> moda. Os moderados, pela
maior parte, acham que, podendo-se realisar sincera-
menlc ess Uausacco, seria Ulvex o nielo de acabarmos
com as nossas dissences polticas.
|'alla-se de que o partido aetembrista exaludo preten-
de fazer orna reuniao monstro, alim de declarar que nao
quer transigir com os eus adversarios polticos, nein
aceiu delles concessao alguuia Esta ideia j os joruaes
deste partido tcein manifestado, nao dando valor algum
declso favoravel eleicao directa, e proclamando l-
tanieuti-, que o poder he pi-opriedade sua, porque os a-
coiitcciinentos polticos de lia milito assim o inanifes-
tam. Acredlu-se que o governo se oppor a essa seu-
nio, e que lodo esse espalhafalo, ficara era nada, como
licou o banquete reformista ; pois bastou para o desman-
char djxer o governador civil que cnto era, ave quiria
insistir a lile.
Correu ulmaiuente o rumor de que havia uina nova
recomposieao ministerial,e que enlrava o conde de Tho-
mar para o ministerio do reino; porm este boato nao
se conlirniuu ; pelo contrario, o conde acaba de partir
para Cdiz, coiu o fim, segundo dixem, de ir buscar seu*
Otaos, que dei.xou em um collegio as proximidades da-
quella cidade. Ha, porm, quem uspeite que o objecto
4a viagem do conde de Tboiuar Hespauha. he outro,
e lenibraiido-sc que.ein 184-2, disse que a ao Ponto abra
car seu paf, e fez. a teveiuf o de 87 de Janeiro para a
restauracao da carta, agora asaegura-se que val a Madrid
com una mlsso secreu, e.suspeita-se ser a conelusn
do tratado de allianca olleiisiva e defensiva entre os dous
reinos de que j lite faliei.
Na o te do dial), toda u Lisboa ficou em sustos, etn
consequencia de ver ao anollecer rodar artilharla em
diversasdirecedes. Faziam-se mil conjecturas: segun-
do uus, o governo sabia que se tramava urna revolucSo
nas iiniHediacdes de Lisboa, que varios individuo! ti-
nham sido convidados para isso, e at se fallava da a-
chada de caixotes de plvora e armas : outros queriam
que era o inesino corpo'de artilhaiia que se quera rcjol-
tar, e que o governo o mandava dividir por varios pon-
tos: alguns asseveravam que os reglinenlos u. le IGse
queriam revolUr.proclamaudo o cabralismo puro: final-
mente soube-se que, como medida preventiva, o gover-
no de antemao havia determinado mandar para cada
brigada, das em que scacha dividida a guarnieo da ea-
pltai, a competente artilharla, c que verilicava naquella
noite essa dlsiiibulco, para eur ludo prompto ao pri-
iiiii i o slgual em, caso de necessldade.
Teem ltimamente apparecitlo alguns mpressos avul-,
sos, advogando as doulrinas republicanas. O prlmeiro
intitulado -- //unKm ndo he hqje he produccao do Sr.
Jos Mara do Casal Rlbciro, mancebo extremamente ri-
co, de Coiuibra. As suas doulrinas, posto que exaltadas,
niio sao subversivas. Porm, as do segundo, intitulado
He larde e que he asslgnado por Um patalea, Ignoran-
do-Be por ora quem seja o autor, aptrsentara coma
maior desfachatez os principios mals revolucionarios.
Nao se hesita all em dizer que he preciso que a rainha
abdique, c desde j, se quer sabir de Portugal tranquil-
lamente; do contrario, nein ella nem a sua dynaslia re-
naro em Portugal, porque ser proclamada a repblica.
Estas bravatas polticas sao enrgicamente combatidas
pela imprensa monarchica.
Falla-se de um convenio feito entre ossetembristas e
os miguclisUs das provincias do norte, figurando por
parte dos primeaos o Sr. Jos Passo. ix-se tambem que
os iniguelislas que se acham em Lisboa, decidirn! an-
nuir repblica, no caso de se chegar a esse extremo, e
que Influir multo para isso o conde de Barbaccna.
Parece que a nossa corle, pedir ao embaixador in-
alez, que solieltasse da sua corle a viuda de urna nao
de linbapara o Tejo, eajunta-se que o ministro inglez
anmiira a isso, e requlsitra a nu Principe-Hroenie, cujo
coinmaiidante he muito all'elcoado lamilla Coburgo.,
Fallase tanfbeni de se tcrein j embarcado minios caixo-
tes sabidos do paco, e que nelles tcein ido as joiasdaco-
ra. Isto, porm, sao meros boatos, que pouco ott ne-
iiliiiui crdito merecem.
Dii-se igualmente que, lord Palmerslon mandara pe-
dir tuna relarao dos nossos navios de guerra, e do esta-
do rni que se acham.
Allii-ina-se que o governo fizera com o banco um em-
presumo de alguns contos de rls em notas, para pagar
pelos rendimentos dos allandegas, em maio, melado em
notos e uielade em metal, de inanelra que. achandevse o
vidracas, atacaram a varios individuos, e deram vivas ao
agio dos notas a 56 por %, vem ocmpreslimo a sbn a
28! Parece que o governo fizera este emprestimo Tiara
allcnder ao pagamentodos empregados, a quem se Ibes
deve i algumas quinzenas, sendo um mllagre o modo
por que vivem; e sobi ctudo para pagar o prel aos^ol-
dados, pois que j se leui manifestado sedicao em al-
guna corpos das provincias, e ltimamente em r.lvas c
Esloincz, nos regimenlos ni. 4 e 2 de lanceiros.
Estes aconteciinentos servirn! para que, no ata zo,
logo depos da voUVio da quosto eleltoral, apparecesse
,as esquinas de Lisboa urna proclamaco accusando o
Kove.no de dcsattender s uecessidades dos *>"Worcs
fainba" ca?U e ao Sr. Jos Cbrtl. Isto basta para ma-
oifesur a origem do tal impresso
lleseracada.nente.naohe s nas provincias onde a tro-
!n.,3.e,?ainsubo.di.co. e te.n.cometlido excessos, |
insultando eslrangeiros, soureiuuv rl|> -i......-
Utotestado contra este procedlmento; c oxala que isto
niio suscite difficuldades ao governo. Em Lisbfta mesnio,
tnos seus arrabaldes, consta que alguns soldados teem
tacado os viandantes exlgindo-lhes dmheiro. Amrma-
se que o govorno e os comraandantes dos corpos teem
tomado providencias para que csses escndalos se nao
^s noticias, recebidas ltimamente da Madrlra, sao
pouco satlsl'actorlas. Parece que, querendo o governo re-
tirar dalll o batalho decacadoresn.fi, as autoridades
rcprcscntarain contra isto; c, suppondo a tropa que is-
to seria concessao felta aos progressistas, linham mal-
tratado alguns, solirctqdo dous, a quem deixaram em
perlgode vida. Na cmara dos depulados esta pendente
urna iuterpellaco sobre este assumpto.
OSr Manoel da Silva Passos esleve ltimamente do-
ente com urnacongestiocerebral, deque cacha ja res-
Ubelecido. Durante a sua enfermulade fui visitado pelo
duque de Saldanha, c ito deu que fallar a todos os par-
tidos, sbhrcludo ao progressista-
Falleccu o general Folque, commandantc geral do cor-
po de eneculiciros Era o decano do nosso cxercito, pois
onUva 102 anuos de dade. Era mullaj-rcspeiUdo e es-
timado, pela ua honradr/.. Sttccedeu-lKe no commando
o inai eclial Euscbio Candido, que uno goza de tao boa
'Torreuaqu a noticia de ter fallecido, na sua casa da
Guarda, o general inlguelista Povoas, de um ataque apo-
pltico ; porm esta noticia nao se cqnfirmou. Mas con-
lir.nou-se infelizmente a do falleci.nenlo do cirurguTo
Joo Jos Pereira, lente da escola medico-cirurgica, e
um dos ornamentos da mesma, pelo que se reputa a sua
inorte una perda para a scleucla. ,,.
No da dos anuos de S. M. a rainha. foram admitudos
no asvlo de mendicidade. onde se acham ju 7 pobres,
uials -25, que era o numero dos anuos, que fez S. H. Nes-
se dia liveram todos aquellcs infelizes um bom jantar,
costeado pur donativos depessoas beinfazejas.
0 governo fez um convite no Diario a todas as pessoas
que possiiain cucas hespanholas, ou soberanos ingleses,
a ircm trocados, por dinheiro em prata, a casa da uioeda.
Parece que es(a medida tem por fim evitar que aque le
dinheiro saia do paiz; porque os -rrtn teem sido lti-
mamente muito procurados.
8 M a rainha, por occaslao da semana sania, per-
doou ou coinmutou a pena a 26 reos, que se achavain
coudeinn.idii-. ., '
J se uublicnu a lei para os novos balalhoes nacionacs.
O numero tolal he 28; perteucendo 8 a Lisboa, 2 ao Por-
to, eosdemais distribuidos pelas pnucipaes Ierras do
reino. Obaulho, chamaddas obras publicas, ficaex-
"poT occaslao dos aunas da rainha houveraui alguns
despachos. O bario de'favarede, futuro genro do duque
de Saldanha, pois j se asslgnaram as escripturas do ca-
samento, foi elevado a conde; o barao de Vilia-Pouca
foi tambem feito conde ; o par Jos Plinentel Freir foi
creado visconde : os deputados Albano Caldeira, e Emi-
lio Brando, concelheiros; o deputado Fevereiro, com-
inendador; e houveram mals ouiras ineiccs.
Os iornaes de Coiuibra refercm um facto horroroso
acontecido em Soure. Parece que, tendo-se dcseiiipre-
gado um horlclfio que era mudo, inas.baslante entendi-
do, e que lluha ajuntado algum dinheiro, se fura hospe-
dar em casa de um serralbciro d villa deSoure.que sup-
punba sen amigo. Este, cubicando n dinhe.ro, determt-
hou inalado, o que Irvott a elleito, mas o crune foi des-
cube, lo por ..... aprendiz, qnc foi dar parte ajust.ca.
Preso o dito scrralheiro, e a mulhcr com quem viva,
esta declarou que nao era aquello o pri.neiro crlmc e
quecavasseni a horla, c acbanan as provas. (avada a
horta, donde o serralheiro dizla que tirava os proven-
tos para asgrandesdespezasque fazla, encontraram-
sesele esqueletos de infelizes que se tlnhain confiado
aquella fe a. A justica prosegue nas suas uidagacoes so-
b?e de(|.ie.ii erlm os cadveres; e o processo esta ins-
taurado aos criminosos. .
Acaba de esUbeleccrse nesta capital um eser.plorio
de agencia de uegocios cutre Portugal e o Brasil
para tratar de pleitos, reclamacfies, compras e vendas
e outras transac5des. O cscriplorlo esta estabedecido a
ra do Atco-do-landeira. e tem dous advogados, pa a
conheceiem dos negocios. Todos julga.n mullo uUI est.
estabelecinicnto para os subditos de ambos im, pa es.
O duque de Pal.nella chegou aqu no da 18, con a sua
fami i" ndo da MaVira. 0 estado da saude da duque,
sacra tal, que rol levada do caes para osen palacio lo
Rato, n'uma cama, aos hombros de niarinheii os O du-
nue segua a p rodeado dos^eus numerosos prenles e
amigos c de una inmensa mullulao que lomava parte
na sua dr. Parece que os ltimos desejos da duqueza,
en morrer ao p de suas lill.as. Com efte.to. les-lhc Dcoi
a voi tade. pois que a ..obre e virtuosa senhora falleceu
iioda20.lnaopodndo j resistir aos effeltos de una
grave allcccao pulmonar. O seu cadver fo. depositado
na ilreia de N. Senhora da Encarnacao, onde se. hzeram
as exequias, e dall trasladado, con. grande pompa, para
o ccm.te.io dos Prava, es, onde tem o seu jaz.go.
A no. te desta senhora tem sido geralmente sentula
nesta capital; porque era. um modelo de virtudes do-
.eslMS? ojjre ludo bei.eflce.tte en. extremo, puit que.
a.mdesocTorrer muias fan.ilias^. dava to-
dos os mezes de esmolas mais de 400/UOO .e.s.
^tRjf>iAMBUC>.
ASSEMBLA PROVINCIAL.
3. IIlllO OHDXMAaiA,
EM 6 DE JUNHO ItK 1848.
Preiidedcia d9 Sr. Trigo de oiireiro.
Som-.s.o. ^ppro^ro de *-*-/* *"
yedienle e projttloi. Admiuno do Sr. Bet-
Ifo. Ordem do dia.
As II e tua horas da manhaa faz-e chamada e veri-
ficase acbareui-e presente, 198. depuudos.
O Sr Presidente deoUra aberta a sessao.
O ir 2." 5rearo l as acUs das sessoes antecedentes
que sao approvadas.
OSr. l^Aerinrio d contado seguiute
EXPEDIENTE.
Umofficio do secretario da provincia, remetiendo as
emitas das cmaras municipaesdas villas do Brejo, San-
to-Antao, Nazirelh, Iguarass e Rlo-Forniozo, do ann
financeiro de 1846 a 1847; hciu como os respectivos or-
9amentos. A'commlsso de oontas nuiniclpaes.
Outro do mesBio, declarando que o Exm. Sr. presi-
dente da provincia fica sciente de se llover procedido
eleicao dau.esa que deve de reger os trabalbos da as-
sembla, assim nasessSu ordinaria deste anno, como nas
exiraordiii i.-i.is qi.i' houvereu. de ser convocadas. lo>
telrada. .
Outro do mesmo, participando ja ter sido enviada a
cmara municipal desta cidade unto copla do parecer da
coininiss.lo de coustitulcan e poderes, para que ella pro-
ceda u.na nova appuraco dos supplentcs dos Si s. de-
putados provinclaes, com inclusn e exeluso dos colle-
gios indicados no spbredilo parecer. Intelrada.
Outro do mcs.no, rcinctlcndo as emitas da cmara mu-
nicipal desta cidade, do anno de 1846 a 1847 ; bom como
o orcamento para o anno futuro. A' coinmissao de or-
camento e exame de comas municipacs.
Outro do mesmo. remetiendo um rcquerlmcnto, em
que Bernardo Jos da Cmara pede por afbramcnto o en-
genho liemhca, do qual lie usufructuario. ~ A* coniiius-
so de peticOcs. ... j
Outro do Sr. dcpulado/oaquini loso de Azcvcdo, par-
ticipando achar-sc irtcomnindado em sua sade. c uno
poder comparecer.--Inteirada.
Outro do Sr. deputado T.aurcnlino Antonio l'ereua e
Carvalho, redlgldo no mesmo sentidoInteirada.
ITns documentos das contas da cmara municipal da
cidade de lioianna. do anno lindo, do 1." de outubro de
1846 ao ultimo de setcnibio de 1847. A* comiuissiio de
contas muiiicipaes.
Una pelicao do vlgaiio da l'reguczla de San-Jos des-
la cidade, administrador das obras da respectiva igreja
matriz pedindo que a assc.nblca se digne designar lo-
go por umavc a quantla que for servida prestar para
a concluso das obras da referida matriz, aluda que pe-
la tbesouraria lmente receba em prestarles, a propor-
cSo do adiantamento das mesmas ninas, poique assiiii^
saber o peticionario com o que deve de contar.~A
commisso de fazenda c oofonoltle.
Ouira da irmandade de N. S. do Livra.nento desta
cidade, pedindo que Ihc enneedam fazer correr una lo-
tera das queja le fra.n concedidas pela le n. 104, de
9 de maio de 1842, com permisso de dividir em partes
essa lotera, como for mais conveniente.--A coinmissao
de pelicoes. .
Outra do portelro da secretaria do governo e do es-
crinturario da sala das ordens, represe.ilando contra o
lucio de nao seren compreheiididos na distribnicao dos
emolumentos da mesma secretarla, c Bedtndti sembla os mande incluir e. seinelhantc dlstrmui-
fo.
Sao apoiados, julgados objecto de deliberacao e man-
dados Imprimir os srguintes
r-anmcTos.
A assembla legislativa provincial de l'ernainbuco
Artigo 1 Flca o presidente da provincia autorisado
a mandar para a prefnela de San-Paulo, dous clephaii-.
liacos dos infelizes que se acham recolbidos no lasareto
de Santo-Amaro, alim de passaren. pela experiencia da
cura uovaiuente apresentada pelo rrancez Pedro A-
t'SASrt 2." Aescolhados dous pacientes deverreca-
hir sobre um cujo mal tlver quasi tocado o seu termo, e
sobre outro que ainda esliver no comeen da elephan-
.. Art 3 A soinina despendida com esta benfica ex-
periencia coniprehendcr, nao s as despesas, necesSA-
rias cura e alimento dos enfermos, como as que forciu
precisas para o transporte de ida e volta, as quacs sis-
sarao todas desde o momento em que, depos de resta-
belccldos, nao qulserem voltar.
Art. 4." O presidente devera dar couta a esta assem-
bla do resultado da experiencia.
Art. 5 Fica.n revogadas todas as leis c dispos.coes
"" Pico daasscniblca provincial legislativa de Pernam-
buco,6 de junlio de 1848.- O deputado Teiicira..
. A assembla legislativa provincial de Prinambuco
i'psolvp *
o Art. nico. Ficam siipprimldos os lugares de aju-
dantes do procurador-fiscal provincial, creados pe o art.
2 da lei provincial n 166. de 17 de novembro de 1846.
'.. Paco da assembla legislativa provincial, a de lunho
de 1848 liorna. Otiiieiru Campcllo Souza Uandexra.
A assembla legislativa provincial de Pernambuco
.. rt nico. O subsidio dos membros da assembla
legislativa provincial para tf prxima e vindoura legisla-
tura ser de cinco mil rs. diarlos, como regulou a le
provincial u. 127, de 30 de abril de 1844.
. Ficam revogadas as leis e dlsposices em contrario.
Paco da assembla legislativa provincial de Pernam-
btteo, ideJunho,le 1848 liorna
lt'onfinaar-ir-a.J
MABiff ja umwwfc
ji^JtJ-JfJi, fl JJJt\ U'-lflilJi >j 'S>'Je\ UO'
A orden, do diapara a sessao da assembla d'aina-
nhal?;. neasguinte: cilu. de l*r*!**
res e indicaces; pi iu.clradiscusso do projecto n 20,
que eleva a cathegoria de villa, com a denominado, de
Villa-Vicosa, apovoaco do Senhor-Bom-Jesus-dos-lte-
incdins da freguezia de Panellas, comarca do Bonito ;
2 do de n. 24. que faz extensivo aos socios e subconduc-
lorcs dos arrematantes do imposto de 2|500 rs. sobre OM
beca de gado raecum o abate que a cslcs foi eonccuiilo ;
el' do de n. 23, que eleva a 700/rs. o ordenado dt.
professor do collegio dos orphaos.
IMi/)ii(,a O presidente da provincia commuuica a Vine, que v
dar o conveniente deslino qu.iniia de cen mil ris ,
producto do beneficio que fez cm avor dos orplvios
desta provincia c agradece a Vine, esse acto de beae-
licencia que pralicou auxiliando o governo na iiilssM.

III


f

.1*.


fes
de proteger os estabeleclmentos creados em favor dos
referidos orphos.
Dos guarde a Vine. Palacio do governo de Pernam-
buco I de junho de 1848.
Vicente Pim da Molla.
A<
mtsr
C0MME8C0.
4:636/81 o
Alfandega.
RF.NDIMENTO DO DA .........
Deicamgam hnje, 7 de junlio.
Patacho -Catkarina garrafes vaslos.
Sumaca -Santo-Anlonio-dt-Padua azelle.
Brigue San- Domingot inercadorlas.
firigue Aurora dem.
rlgue Venlura-Felii idem.
IMPOKTACAO'.
San-Dominaos, brigue portugus, vindo de Lisboa, en-
tradono corrente mez. consignado a Mendes S Tarrozo,
maulestou o seguinte :
10 pipas e 15 barris vinbo tinto. 10 Larris dito branco;
a Oliveira luimos S C.
2 pipas vinbo tinto ; a F. H. Luttkens.
100 barris azeite doce; a Francisco Alvcs da Cunba.
40 pipas vinbo tinto. 20 ditas vinagre, 1 caiiote 1 cha-
les, 50 barris vinbo branco. 15 ditos chourlcas, 10 ditos
palos. 2j calzas touciuho a Mendes & Tarrozo.
calzas toucinho a Manoel Joaquim Marques
30 barris vinho tinto, 30 ditos vinagre a Joao' Bapiis-
ta .Complano. *
llardo lio ; a Manoel Luiz dos Res.
1 eaixao queijos ; a Francisco Lucio Coelho.
4 ancoretas vinho tinto, 4 ditas dito branco, 2 barris
palos c cbourlcos, 1 caixo vela de ceW, 1 dito chapeos
a Jnsc Francisco llelm.
12 barris azeitonas, 1 caixa com 1 vestido de seda e 1
touca, 2 botes velhoj, 422 inolhos de ceblas ; ao ca-
pitao.
1 braco de batanea ; a Antonio llcnrlques Rodri-
gues. *
2 pipas vinho tinto. 2 ditas dito branco, 5 barris dito
tinto. 5 ditos dito branco ; a Antonio Joaquim de Souza
111 linio. '
15 barris chouricas a Jos Antonio de Magalhes.
l barricas semeas, 1 dita castanha pilada, 1 caixole
queijos, I sacco rama de louro, 1 embrulho amendoas,
15 barris azeite doce, 20 barris vinho tinto, 5 ditos dito
branco ; a JoSo Antonio Carpiutciro da Silva.
redo, Miguel Fellcio da Silva, Anacleto Jos de Mendon-
ca. Joao Luiz Vctor Leltler, Jos Henrique Machad,
Kloriano Crrela de Hrlto, Joaquim Jos Alv*s de Albu
perqu, Pedro Jos Carneiro Monteiro, Jos Antonio
Goncalves de Mello, Amaro Soares Munlt, l)r. Cosme de
Sa Pereira, Thoinaz de Carvalho Soares Brandao, Anto-
nio Gomes Tavares. Candido Jos de Salles, Siino Cr-
rela Cavalcante Macambira, Francisco Antonio deSouza,
Luiz Pedro das Neves, Pedro Cavalcante de Albuquer-
jue e Amonio Goncalves Ferrelra.
Fram cliainados para servirem em dita sesso, e fo-
aa>n Presentcs na inesma Dr. Antonio Joaquim de Mo-
raes Silva, Antonio Joao da Kessurreicao Sllva Antonio
Vital de Oliveira, Francisco de Paula Goncalves da Silva,
brigadeiro Antonio Rorlrigues de Almeida, Flix Bezer-
ra de Mello Leito, Dr. Jos Hernardo Gaivo Alcanfora-
do, Jlo Pacheco de (Jueiroga, Joo Pinto de Lentos J-
nior, Joaquim Alfonso Ferreira, Manoel Caetano Soares
Carneiro Monteiro.
N. B. Todas as vistas mestrarao o que pede o autor
do drama, e a ultima todos os horrores de um incendio:
as jovens danzarinas executaro diversas daocas.
A beneficiada, nein seu marido, pelos seus inultos mis
teres, pdein ir repartir pessoalmente os camarotes e
billietes ; porin o crdito que goiam nos espectculos
dos seus beneficios, Ibes d a certeza que os seus protec-
tores voluntariamente e sein constrangimento algum
os irao na inesma noitc gratificar no tbeatro.
avisos martimos.
Para o Cear o hiate San-Benedicto : quem no nics-
mo qulzer carregar ou ir de passagem, dirija-se ao mes-
iie, na ruado Ainorim, n. 19.
-- Para a Babia segu, em poneos dias, a sumaca San-
,lo- Anlonio-dt-Padua; para o resto da carga, trata-se na
t. para que chegue ao conhecimento dos inesmos, |rUa do Vlgarlo. n. 5
ParaLisba sahe, com a maiorbrevidade possivel,
por ter a maior parte da carga prompta, o brigue portu-
guez .San-Domingo*, forrado e encavllhado de cobre '
olandei passar o presente, que ser publicado pela ini
prensa.
Dado e passado nesta sobredita cidade do Recife, aos
30 de Malo de 1848. Eu Jos Alfonso Guedcs Alcanfora-
do escrivao o escrevi.
yin Ionio da Silva Xtves.
Dcclaracocs
CONSULADO (ERAL.
RENDIMENTO DO DA 6.
S"1' ...............1:695*941
Diversas provincias.............103/451
1:799/392
CONSULADO PROVINCIAL.
RENDIMENTO DO DA 6..........3:575696
?Tf?^" nrMi ii na mi.....
Ylovamento do Porto,.
Narioi entradoi no dia 6.
Piew-Zealand ; 95 dias, tendo saludo de Mew-Bedfort ha
46 niezes pesca da baleia, galera americana Rolcondy,
de 359 toneladas, capilao J. Benjamn Studley ; ao ca-
pitao.
Rio-de-Janeiro j 20 dias, patacho brasileo Saudade, de
131 toneladas, capito liento Jos Gabino, equlpagem
11, carga carne a Gaudiuo Agostinho de Barros.
Bristal; 37 dias, barca ingleza Kroad-Oak, de 274 tonela-
das, capilao D. Me. Gralli, equipagem 14, carga
carvo ; a Russell Mellors S Companhia.
Rio-Grande-do-Sul; 24 dias, brigue brasileiro Peliz-Dei-
tno, de 207 toneladas, capito Manoel Luiz dos Santos,
equipagem 13, carga carne; a Pedro Diss dos Santos.
Passagriro, Onofie Martinho da Costa.
Barcelona e Malaga 60 dias e do ultimo porto 32, pola-
ca bespanhola Decidida, de 90 toneladas, capitao Sal-
vador Millet, equipagem 10, em lastro ; a Joo Pinto
James Adams, capito da barca ingleza denomi-
nada llealriee, actualmente surta neste porto, com agoa
aberta, necesslta tomar aconta, e sobre o casco e qui-
Iha.aquantiade do/.e contos derisalini defnzer os nc-
cessarios concertos que precisa para por a dita barca
cm estado tal, que capazmente possa fazer o reembar-
que de sen carregamento e proseguir sua destinada
viagem para Coquimbo. As pessoas quequierem e pre-
tenderem fazer o sobredito avanco sobre a dita segu-
ranza, poderilo enviar as sitas propostas ao consulado
britannico, antes ou no dia quinta-feira, 8 do corrente,
na ra do Trapiche-Novo, u. 12, segundo andar.
Consulado britannico em Pernambiico, 3 de iunlio de
1848.
O capilao do porto dcsla provincia faz constar aos
Srs. mestres de embarcaedes mercantes, tanto nacio-
naes, como cstrangeiras, que o Exm. Sr. presidente da
provincia, no oflicio que Ihc dirigi, com data de hon-
te:n, mandn por em pratica a seguinte providencia,
para por termo aos inconvenientes que resultain da pra-
tica abusiva de receberem ditas embarcarles, quaudo
j se achain visitadas, e fra da barra, pessoas estranhas
a respecllva tripolacao exigir-se na capitana dos
Srs. mes (res, das que frem nacionaes, o assiguarem, na
occasio de inatricularein as guarnieres, um termo, pe-
lo qual se obriguein a nao levar pessoa alguma, como
fazendo parte de duas tripolacdes, alm das menciona-
das as matriculas sob pena de incorrerem, pela lnfrac-
cao, as que as leis ou ordens em vigor, tenhain decreta-
no ; e nao se darcni os passes as estrangeiras, pasa
autorisareinas suas sahnas sem os mestres apresenta-
rem namesina capitana, qnando buuvessi de solicta-
los, um documento que declare terem-se compromet!
do a tal obrigaco no consulado de sua nac.au, por ter-
mo iguala essecima declarado, ou que lile seja equi-
valente ; passado o documento pelo respectivo cnsul;
e que, emfconsequeiicia, acha-sc essa providencia posta
ein execucao, na referida capitana, desde a data deste
em diante.
quem no mesmo qulzer carregar ou ir de passagem, pa-
ra oque tem bous coimnodos, dirjase nos consignata-
rios, Mendes S Tarrozo, na ra da Cruz, n. 49. ou ao ca-
pilao Manoel Goncalves Vianna, na praca do Commer-
cio.
Para o liio-de-Janeiro segu, no dia 9 do corrente,
o patacho Santa-Crux : para passageiros e escravos a
frete trata-sc ao lado do Corpo-Santo loja de massa-
mes, n. J&.
Para o Porto segu, com toda a brevidade, por
lera maior parte de seu carregamento prompta o
brigue portuguez Venlura-Felia forrado e encavi-
lliailo de cobre,capitfloZeferino Ventura dos San-
ios : quem no mesmo quizer carregar, ou ir de pas-
sagem, para o que tem oxcellentes commodos, di-
rija-se aos consignatarios, Mendes & Tarrozo, na
ra da Cruz n *9, ou ao referido capitao, na pra-
ca do Commercio.
Para o Rio-de-Janeiro sahe, a t o dia 8 do cor-
renio, por ter o seu carregamento promplo, o bri-
gue nacional ligeir*, forrado e progado de cobre e
de primeifa marcha : para escravos e passageiros,
Irata-se na fu do Vigario, n. 5.
copias de rnelos da presidencia contra Pedro ou con
tra Paulo ; porque esse Pedro ou esse Paulo he ueitt
conhecdo por. trilhar a carreira de hoinein de bein
se nao agradou aoSr. presidente F., ao menos tem p'r
curado viver honestamente c.in a sociedade e com sin
familia. Tome esse conselbo, Sr. Mortelro, quclhe Jj
um Arlilhtiro,
Roga-se ao Sr. autor do annuncio frito por este Va-
ro, de sabbado 3 do corrente, n. 125, que tnha a bon-
dade declarar, se dito annuncio com as iniciaes J. da(j"
M., se emende com Joaquim da Costa Morelra.
Manoel Lopes da Silva mudou a sua residencia pa-
ra a ra do Queimado, n. 14, segundo andar.
-Aluga-se o priniciro andar do sobrado n. 54 ; aa
Aterro-da-Boa-Vista, a tratar no inesino.
JSa Camboa-Curmo, sobrado n. 8,
ensinam-se meninos asprimeiras lellras.grammatica por-
tugueza, arltbmetica, doutrina christa, bordar e toda
as qualidades de costura. Ta'nibcm engomma-se para
lora,
Quem tiver uina preta e quizer alugar por mez, qUc
sirva para vender fazendas, annuncie para ser proco
rada.
Os Srs. Didier Coloinbiez Si C. despedirn! o caixej.
ro Emilio Didier, c nao pagaro inais nenhuma coma del-
le, a contar desta data. Recife, 4 de junho de 1848.
Preclsa-se alugar urna criada para s servico de u-
ina casa de pouca familia: fia." ra nova do Brjim, em
Fra-de-Portas, segundo andar do sobrado de Francis-
co Alves da Cunha.
Precisase de um boineiu para feitor de um peque-
o (itlo perto desta praca, e que saiba tratar do inesnw
auein esver ncsias circuinstancias, dlpji-se ao Corpo-
Santo, loja de cabos, n. i7.
Precisa-se de urna ama para urna casa de poucs
familia, que saiba coiinhar e engomniar : na ra da
Queimado, n. o.
Aluga-se um molerme para o servico de urna can
o qualcotinba o ordinario : na praca da Independencia'
loja n. 3. '
Alugam-se cadeiras de palhinha para ofticios e
festividades ; bem como mobilias completas ou mes-
mo as pecas que fizereiiMionla aos pretendenlea. nan
casas particulares, pH
Nova, armaiem, n. 67!
ra
Leloes
Capitana do porto de Pernambuco, 6 de junho de
1848.
de Lemos.
-Vat'io tahido no mesmo da.
Macelo, Dahia e Rio-de-Janeiro ; vapor brasileiro /mp-
rador, coinmandante o prlmeiro lenle Ignacio Eu-
genio Tavares. Alm dos passageiros que trouxe
dos portos do norte para os do sul leva a seu bordo :
para Macelo, Henrique Pereira de Lacena com 1 es-
cravo ; para Bahia, llartholoiueii Wandcrley Lins,
Guilhermc Hatefield com suasenhora e uina criada,
Brandis a Hrandis ; para o llio-de-Janeiro, o escrivao
da armada Jos Malinos Evaristo Lopes, Joo Antonio
da Cunha Porto.
EDITA ES.
Miguel Archanjo Monteiro de Anirade o/ficia! da im-
perial ordetn da Ro$a, cavatleiro da de Carillo e ins-
pector da alfandega de Pernambuco, por S. M. o
Imperador, que Deot guarde, ele.
Fajo saber que, no dia 8 do corrente, ao meio-dla, em
hasta publica, se bao de arrematar setecentas grozas de
torcidas, no valor de 200/000 rs., impugnadas pelo guar-
da Joaquim izdoro da Silva, no despacho por factura
ii/ 5018 : sendo aaneinataco subjeita a direitos.
Alfandega, 5 de junho de 1848.
Miguel Archanjo Monteiro de Andrade.
Miguel Archanjo Monteiro de Andrade, ele.
Faz saber que, qo dia 8 do corrente, ao meio-dia, na
parta da alfandega, se ha de arrematar, em basta publi-
ca, urna caixa com 2,435 mansas para chapeos, no valor
os -w/fww ., i*|'Mau(i9 pnu garua l.uii oezerra
Monteiro Padilha, no despacho por factura sob n.
5021 : sendo a arremataco subjeitaaos direitos.
Alfandega, 5 de junho de 1848.
Miguel Archanjo Monteiro de Andrade.
Redrigo Theodoro de Freitat,
Capito do porto.
Perante o concelho de administrado teinde contra-
ta r- se, no dia 7 (hoje) do corrente, a factura de fardamen-
tospara impci i.acs mariunciros, colxies e travesseiros de
de la, assim como tem de comprar-se o seguinte i bai-
ta azul brimnglez, cadaco, ganga azul, bonetes e
chapees de palha ." portanto todas aquellas pessoas que
tiverem taes objectos sao convidadas para coiuparece-
rem as 10 horas do indicado dia, na sala de suas scsscs,
com as amostras e propostas em carta fechada, em que
declarem o menor preco.
Sala das sessoes do concelho de administraco. 5 de
de junho de 1848.
O secretario,
Chriitovao' Santiago de Oliveira.
O arsenal de guerra compra osseguintes gneros,
que teem de ser remcltidos para a ilh de Fcrnando-
de-Noronha, a saber : 16 arrobas de bolacha 14 di-
tas de assucar branco, 22 libras de cha; 30 ditas de sa-
lan e 40 caadas de ago'ardente branca, e bein assim
6 limas chatas de desbastar,6 ditas meia-cannas,12 ditas
chatas menores, 12 ditas triangulas, 6 ditas pequeas,
6 ditas de roda, 4 limadles, tres t ineias resinas de pa-
pel almnco e 2 pecas de garraz : quem ditos gneros se
propozer a vender comnareca na sala da directoeia do
mesmo arsenal, trazendo sua proposta com seus lti-
mos presos em carta fechada, e as amostras, at o dia 8
do corrente inez.
Arsenal-de guerra, 5 de junlio de 1848.
O escripturario,
P. Serfico de Aitit Carvalho. '
O arsenal de guerra compra 60 quintaes de chumbo
embarras, 400 meios de sola e 29 cadeiras cain assruto
de palhinha : quem ditos gneros se propozer a ven-
der comparecer na sala da directora do mesmo arse-
nal, trazendo suas propostas com seus ltimos precos
em carta fechada, c as amostras, al o dia 8 do corrente
mez.
Arsenal de guerra, 5 de junho de 1848.
O escripturario,
F. Serfico de Auii Carvalho.
O arsenal de guerra compra as drogas precisas, que
teem de ser remettidas para a ilha de Fcrnando-de-
Noronha, a saber: 12 garrafas d'agoa ingleza, 4 libras
de aineixas, 3i libras de cevada, 4 libras de crmor tr-
taro, 2 oncas de conserva de rosas, 4 libras de emplastro
de aquilo gomnado, 4 libras de dito adsivo, 4 libras de
dito visicatorio, 8 libras de ilor de violas, 8 libras de di-
tas de rosas, 8 libras de gomma rabe, 16 libras de ga-
Ihas, 1 onca de hidriodato de potassa, 8 libras de poma
de viado calcluada, 32 libras de raz de alcacs, 8 libras
de raiz de valeriana, 8 libras de raii de serpentaria, 8 I -
bras de ruibarbo, 8 libras de raspas de viado. 8 libras de
sene, 32 libras de sementes de liuho, 4 libras de ungen-
to pupulio, 4 libras de ilr de papoilas, 12 fundas do
lado dlreito, 4 libras de linimento anodino. Os srs.
phannaceuticos que venda das ditas drogas, que se-
jam da njelhor (iiiuldade, se propozerem, coinparecam
iia-sala da directora do mesmo arsenal, uazendo suas
propostas com seus ltimos piejos, em carta feichada, e
as amostras, at o dia 8 do corrente mez.
Arsenal de guerra, 5 de junho de 1848.
Oescripturario,
/'. Serfico di Auii Carvalho.
Domingos llenriques de Oliveira far leilo, por inter-
venco do corretor Oliveira dos varios salvados, pr-
ximamente viudos do Hio-Grande-do-Nortc.pela barcaca
A'. -Joaquim nicstre Jos Francisco de Freitas consis-
t uilo em seis barricas de cobre velho de forro de navio,
duas ancoras com sepo de pao sete correntes de ferro
de differcmes bitolas e comprimeutos urna fema de
bron/.e, uina verga e urna retranca de pinho i Quinta-
feira, 7 do corrente. as ti horas da manha em ponto ,
no armazein do Sr. M. J. da Silva Draga, no Forte-do-
Matlos
Antonio Joi de Aran jo tendo de seguir viagem
para Inglaterra pela inicomparavel galera Columbui,
far leilao, por interveuco do corretor Oliveira, de to-
da a excediente mobilia de sua casa ha pouco compra-
da e por isso tanto monta nova, consistindo ein ricos
consolos e mesa de nielo de sala com pedras marino-
res ditas de jogo, sophs, cadeiras de sala, de encost
e de baiauco, tudo de Jacaranda ; marquezas, comino-
das, guarda-vestidos secretaria armario, toucadores,
lavatorios, um Icito com armaco de feitio moderno,
mesa de jamar aparador, guarda-louca, Um lindo ber-
co, candielros lanternas de sala veneiianas de apu-
rado gosto caixa para jogo de voltarete mesa imitan-
do charo, apparelho de louca escolhida para mesa',
dito dourado para cha, garrafas, copos, sopelras e muros
crystaepara enfeites de mesas e para cheiros tapetes
noros e militas obras valiosas de brilnantes ouro e
prata para adornse uso indispensavel de quem sabe
tratar-se com esmero : sexta-feira, 9 do crreme as
10 horas da manha no segundo andar da casa o. 62, na
ra da Aurora que furnia esquina e frente para o Aler-
ro-da-Boa-Vista.
Me. Calmont It!. faro leilao, por interv.encao do
corretor Oliveira, de grande porcSo de fazendas avada-
das a bordo da galera C'numdiii, na sua ultima viagem,
e de mitras limpas, para concluir facturas: quirlta-feira,
8 do corrente, as 10 horas da manha, no seu armazem,
largo do Corpo-Santo. .
Avisos diversos.
O Dr. Antonio da Silva Neves. juiz de direilo interino da se-
gunda vara do rrime, na comarca do Recife de Pernambuco,
por S. M. I, e C. que Deo guard ele.
Fajo saber quelles a quem convier, que na scguuda
sesso ordinaria do jury nesle termo, a que presid, ser-
viram na dita sesso os juizes de facto sorteados Marco-
lino Goncalves da Silva, Jos Antonio Pinto, Luiz da Vci-
ga Pessoa, Manoel Amero de Souza Res, Joo rcenlo
Barbosa, Auaslacio Xaxicr de Couto. Prxedes da Fonse-
caCoutinho, Jos Rabello Padilha, Cunalo Francisco
Martlns, Dclfino Goncalvw Pereira Lima, Francitco Ser-
gio de Mallos, Luiz Antonio Vielra, Joaquim Mendes da
ll"""* ~zcvc*o, Aitoiiiu A'i'CiBCO du oura, Antonio
Henrique Mafra Jnior, Dr. Jos Bento da Cunha Figuei-
TU ATIIO PUBLICO
DOMINGO, 11 DO CORRENTE,
A Freir Sanguinaria,
a Lenelicio da primeira dama
Joanna Mara de Frenas Gamboa.
A grande dillieuldade de se apreseutar ein scena esle
sublime drama do Archivo Iheatral lisbonense, he que
inais influe o director na sua execucn : multase multas
pessoas hao posto em duvida a solucao deste problema,
a qual o director responde com o mesmo que mostrou no
drama Pedro-Cem e outros, assaz diflieilimus em um
tbeatro, como o tiosso, cujo nico apoio he o publico, e
c o publico, que aluda sustem este desvalido estabele-
cimento, onde be precisoenvidnie.n-se in'riaaita fAreai e
fazercia-se os malares sacrificios par attrahir os espec-
tadores. r
AMESAREGEDORA
da irinandade do divino Espirito-Santo, convida aos irr
maos da inesma a reunirem-se em mesa geral no seu
consistorio (hoje) 7 do correla, as 5 horas da tarde.
LOTERA
DO HOSPITAL PEDRO II.
Tendo deser marcado o dil em que
devem correr as rodas da quinta e ulti-
ma parte da primeira lotera do hospital
Pedro II, o thesoureiro respeclivp me-
Ihor escolha n5o poda f.zer do que o
dia t8 do corrente mez, vespera do apos-
tlo S. Pedro em que umitas pesoas
costumam tirar sortes sobre o sen futuro
es tudo : assim, convida ao respitavel
publico a quem estsnmmamente agra-
decido pela concurrencia das o'utra-; pri-
meiras partes da inesma lotera para
que baja de se prestar a compra dos bi-
llietes, a fin de que se reali.se a sua ex-
traccao em um dia tSo proprio de se ten-
tar fortuna
Precisa-se alugar uina casa terrea, que tenha com-
modos para uina familia pequea, no bairro de S.-amo-
nio, e que nao exceda de l/OOO rs.: quem a tiver an-
nuncie.
Urna pessoa que tem pratica de eseripturaco, se
offerece a por ein dia qualquer escripia, ou mesmo es-
crever algumas horas da manha ou tarde, em qualquer
i'stiibclccimento: no segundo andar do sobrado n. 4 do
pateo da matriz de Santo-Antonio se dir quem he.
Roga-se aoSr. juiz de paz Manoel Antonio Viegas,
hija de entregar um requer memo que tem ein seu po-
der, para urna consiliaco, ha 20 dias sem o despachar.
Precisa-se de um padre para capello e ensinar ine-
nines, no losar de San-liento na comarca de Garanhuns:
na prensa de Joaquim Jos Ferreira, que Informar a
respeito.
CONSfcLHO AO TIP1TY DO PARA'.
Ue melho'r que o Sr. ilrrmcgido Moi teiro de Sal e AU
mocreve trate de procurar lavar as nodoas que o co~
brem como cumplc na morte de seu pal, segundo
diz o publico ; he inelhor que S. me. cuide de sua vida
que est multo escandalosa ; he inelhor que S. me. tra-
te de procurar por na loica ao Nloolo; lie meliior que
S. me. se deixe de estar zumbando da moral c da de-
cencia do povo paraense, aprcientando cm sua casa
vUiM ? face de dn n cdrde s *?2r''2r:dahs ::::c fe;
cuinplicc na morte de seu pal ; tudo isso he inelhor, do
qu s. me. andar solicitando na secretaria do governo
casas particulares, pelo lempo que convier- na
"ova, armazem, n. 67.
OengenheiroMilet mudou a sua residencia liara
ra do Aterro-da-Boa-Vista n. 3, segundo andar.
A pessoa que annuuciou, no Diario de Ptrnambura
querer comprar, para fra da provincia escravos de
ambos os sesos, dirija-se ra do Sebo, n. 33 i?j
inesma casa precisa-se alugar uina preta para vender
na ra. ucr
--Quem annuuciou querer comprar um diccionario
de Constancio, ou Moraes, sendo queira um de Moraei
ein segunda mo porin ainda novo, dii ija-se a S -Jos
do-Manguinbo venda da esquina.
OSr. Jos Gomes da Silva Portella qurlra ir tirar >
cama que se acta einpenhada na ra dos Martvrios n
36, no prazo de 8 dias, da data deste: do contrario ser
vendida para pagamento da divida. Rccie, 5 deiunlio
ue lvlo.
Retratos do daguerreotypo.
Ein consequencia da, contlnuacao da grande concur-
rencia, o abaixo assignado aindmio tem podido acabar
o seu trabalho-nesta cidade, e por ser pedido por mul-
las pessoas, avisa ao respitavel publico, que continua-
r a tirar retratos por inais tres ou quatro dias; c roga a
tndas as pessoas que lencionam aproveltar-se dos seus
servlcos, que apparecam com toda a brevidade possiveI
Corlas D. Fredricki,
l'rofessor do daguerreotypo.
Precisa-se fallar com o Sr- Jos Mendes de Brlto :
na ra do Codorniz n. 9, casa de Manoel Jos de Bar-
ros Veiga, a negocia de seu interesce.
Precisa-se deum feitor que emenda de jardlm ; na
ra do Amoriiu, n. (5.
Na ra das Larangeiras, casa n. 14, llram-se pas-
saportes para dentro e lora da provincia, assim como
corfem-se Toldas com a maior actividade possivel.
Una pessoa idnea- se offerece para ensinar a tra-
duzir, escrever e fallar correctamente o ingles e francez,
e bein assim geographia e arithtiielica por casas onde
hajan de dous alumnos para mal ; na ra do Collegio,
n. o.
O abaixo assignado avisa a seus amigos freguezes
que lhe eslo devendo contas muito atrasadas, que est
cansado de cobrar, tanto amigavelmente com judicial ;
nao podendo por estes meios regular nada do passido,
avisa que esl disposto a declarar por este jornal os no-
mes de todos os individuos, o lempo ein que conlrabiraiu
os dbitos e quanto, sem excepcao; pois a preciso que o
abaixo assignado tem para com seus credoies, he que o
obliga a laucar mo deste meto.
Manoel do Amparo Caj.
-O abaixo assignado, como procurador do lenle
Manoel Jos da Silva Leite, faz sciente n todos os seus
credores, que dentro de 8 dias aprsentelo sua con-
tas do que elle he devedor, para serein remettidas para
a liba de Fernando, aonde se acha destacado, para ai-
slin poder mclhor determinar seus pagamentos, sOb
pena de estarem por mais lempo no desembolsox>s qae
nao o bzerem. Recife, 5 de junho de 1848.
Joi de & Lopes Ferreira.
-r. P. Freir remette para o sul a sua escrava de
nonio Sabina.
Precisa-se alugar urna prrta para vender na ra e
fazer o servico externo de um i casa : na ra da Gloria.
n. 8S. Na mesma casa compra-se una preta de niela ida-
de que nao tenha vicios nem achaques
= Do-sc 1500000 rs. a premio: no Aterro-da-Boa-
Vista, n. 84.
Quem precisar de urna ama secca que cose, en-
goinma e coznba, dirija-se a ra de Agoas-Vordes;
n. 35.
-- Manoel Conteriul retira-se para feira do imperio.
Em uina casa franceza precisa-se de uina ama de
leite para criar uina crianca que s tem dous mezes :
na ra da Cruz, n. 10.
= Arrenda-se, pelo tempo que se convencionsr um
sobrado de dous andares com bastantes commodda-
aes c bein asselados na ra da Scuzalla-Vclha .
110 com dous grandes armazens para recolhcr e por-
to de embarque no lundo de um delles i a tratar na ru
de lionas, n. 140.
Para as pessoas que lencio*
nam seguir viagem.
Na ra do ftangol, n. 9, conlinuam-e a tirar pas-
saportes para dentro e fra do imperio, despachatn-
se escravos ecorrem-se foltias tudo com brevida-
de e por preco muito e muito commodo.
Obras de cabello.
Fazem-se, no Aterro-d-Boa-Vist, n. 26, sogdndo
andar (odas as qualidades de obras de cabellos,
comoscjam: traiicelifis para relogio o tunelas, de
diferentes modelos aderecos, pulseiras, firincos ,
allmetesecroscentes : tudo por preco commodo.
-Aluga-se a casa terrea n. 30 da ra do Sebo
qual tem bons commodos grande quintal com boa
cacimba de agoa de .beber algumas arvorus de
fructo com porlUo ao lado da casa: a tratar com
Manoel Pereira Tetxeirs ou na ra Nova, toja de
Teixeira & Andrade.
-Precisa-se alugar dous pretos padeiros : na rui
Direila, padanu u. 26.
-Mari Antonia Gomes do Mello remelle para o
Itio-do-Janeiro a sua escrava crioula do nomo Be-
nedicta.
- Est para se alugar o sobrado n. ti na na Ua
... -r-.- r-.u "uiiK.ui auitcilU UU puiiuL'ii w
mua: as chavos acham-so na botica da ra do n-
gel.


*
%
__Frcdcrico Knnop, Altemao segu para o Rio,
Arrcnda-se nina grande cata terrea abarracada ,
no logar do Mangiiinlio envidracada, com oito quartns,
quintal murado cacimba estribarla pelo preco de
lio mil res mensae* : a tratar na ra dcHortas n. 140
, Roga-seao Sr. Joao liorges de Cerqucira oobsequin
delrreceber as suas camisas e pagar o$ 19/ r. que fi-
cou restando no pra/.o de olto das : do contraro se-
ro vendidas as ditas camisas pelo que se acbar Otan-
do o inclino lein direlto a ellas; poii'j bastnin 3 mezes
de espera : tambem (cando sciente de nao poder eli-
gir quanlia alguma com o titulo de que ellas valiain
mal i mesmo se for ver os seus prenles pols Ja f-
ram avisados. Ra de S.-Francisco, n. 42.
.. Hernardo Jos Hontcirn avisa ao respeltavel publi-
co, que, havendo culro de igual nome de hoje cm
oante ic asiignar Hernardo de Serquclia {.'astro Mon-
telro.
A pessoa que botou na caixa da administracao do
crrelo a cartas lgulnte queira comparecer na mes-
iin administracao alini de satisfazer seus portes ;
do contrario, nao segulrao seu destino, i saber : Agosli-
ho t.ciio de Almeida em S.-Cathnri'na ; Jos da Sil-
va Pires, em Macelo ; Joaqulm Pinto Brasil, em o Rio
de-'Jaueiro.
JoSo Antonio Villa-Secca vende, por muito ma-
nos do seu valor, o seu sitie margom do rio Capi-
liaribe, solado do engenho da Torre, com excel-
lento vista boa casa icom sotiio cooheira estri-
bara para dotis cavallos, baixa para capim quo os
pode sustentar annualmante, cacimba com boa agoa
de beficr, todo cercado de limito e espinlio quasi
todo plantado de diversos arvoredos, alguna ja
dando, com grande planta de abacachis, onde os da
ptimos euroviveiro-quasi prompto : a tratar no
segundo andar do sobrado n. 16, defronle do llien-
tro velho.
Piecisa-se de urna preta captiva para o servico
de urna casa do familia ; na ra da Alegra, casa n
It, acliar.lo com que ti tratar.
Preeisa-se alugar um preto que seja bom co-
neiro para o servico de urnas familias ostrangeiras :
na ra do Trapiche-Novo, II. 10.
jg CHAPEOS DE SOL
Rna do P (meio-Publico
ii.
su
Hugi
Nesta loja ha presentemente um completo srti-
menlo do chapeos de sol modorno.s, tanto do panni-
,|io como do seda furia-cores e do mais cores co-
nhecidas; ditos para hoinom, sonhora, meninos o
meninas; guardn-rhuvu para o tompo de invern ; o
guarda-sol. Estes chapeos silo tilo bem construidos,
que se alianca a qualidade ; sao de marca grande,
com 32 pollegadas e proprios para este tompo por
serem de seda e do panninbo trancado. Nesla fa-
brica ha sedas de cures e panninhos trancados e
lisos de todas as cures para cobrir qualquer arma-
?flo de chapeo de sol : tamtiem se concerta qualquer
chanto de sol, e vendom-se baleias para vestidos.
i, marecneiro rancez,
na ra Nova, n. 45, acaba de receher, pelo navio Zi-
lia, um soitimento de trastes de mogno, domis
moderno goslo ; bem como folhas de Jacaranda,
mogno e outras madeiras do tutear ; fcrramcnUs
proprias de marceueiro ; e papel do lidia. O mesmo
se oncarrega do fazer toda a qualidade de mobilLa,
quo se poder desejar, por ler recebido deseuhos das
mobilias modernas que agora se ussm em franca.
lUJA DA CRUZ, !S. 40, SEGUNDO ANDAR.
I). W. Hay non, cirurgin dentista dos Kstados-IJni-
dosda America do Norte, tendo-se resolvido ficar
mais algum tempo nacidade do Pernamhuc, pe-
lo presente participa aos seus amigos o ao publico
cm geral, que elle sempre so achara prompto a qual-
quer hora para fazer qualquer operadlo que seja so-
bre os.dentes eomoaeja chumbar, llmpar, e extra
hir; enformar denlos sobre pifio o sobro chapa da'
melhor mauoira e com a mafor perfciclo conforme
ils ultimas descobertas, tanto na America coma na
Europa.
Den lisia.
M. S. Mawson cirurgilo dentista, bem conhecido
c acreditado nesta ridade tem a honra de fazer
scieqte ao rcapitavel publico quej tem regrossu-
do da sua v'uigem Macei ondea urgente neces-
sidade de militas familias respeitaveis daquella pro-
vincia o chamou para o oxercicio da sua arto. Na
na do Trapiche-Novo, n. 8, aonde estar sempre
prompto para fazer todas as opcracOes dentilicas,
Jcom aquella habilidade e conhcciincntos scicntili-
i'ns quo o diantamonlo e progresso da arle Ihe tem
feito conhecer.
Acabou o negocio do assucarque havia na ra
do Apollo, armazem n. 18, sob a firma de Elias, San-
tos & C., fleando a cargo de Elias Ignacio de Olivei-
ra a liquidacfo da extincta firma : quem so julgar
credora mesma, baja de aprcRcntr as suas cuntas
no pra/.o de 8 ilias, para serem iiniiiediatainenle par
gas, se frrm legues Recife, 2 de jiinho de 1848
Oabnixo assignado faz saber h senhora Joaqui-
na Ignaaia da Coala Miranda,que, lio mazo de 8 das,
conlados da dala desle, venha resgatar os seus pe-
nbores: do contrario, o aba'ixo assignado os vender
pura seu pagamento, chamando nlgumas testoiuubas
para presenciarem este neguciu. Meando _a dita so-
nhora obligada a pagar o restante que fallar' par
completar dito pagamento, que por corto os penh-
res nilo cobicni, como a dila senhora ja cala scien-
te disto.
Antonio Ptreira de Miranda.
--- D-se ilinhciro a premio sobre panhores de ou-
roc prala, hypolhcca em casas terreas ou boas Ur-
inas: na ra oalreUa do Rozario, n. 30, 2." andar, se
diiaquoui da.
Unta vvclha. 0
Desapparerr-u ilo lugar dos Golhos, n.
5, defronle do' hospital de ca idade. rio
dia 4 do corrente, as (i horas da tarde,
tendo na trsta e na Cunda nm'a mallia
branca, o resto do coipopeloi quem
a tivernchado' ten ha a bondadedeo man-
dar dizer na ra Nova, n. Go, que se
lhe pagara as despezas,e sei gratificado
, Jos de Souza e Silva ruga a todos aquellos que
sejulgarem sena credores iiprcscntnm suas contas
noprazocle8dias da data deale, para seren indeni-
nisados, assim tambem a todos os.seus llovedores,
quo no mesmo prazo devem liquidar suas cotilas.
1'ecife, 2 de juno de 1848.
-- (Jueni precisar do um caixeiro para negocio de
Venda de motilados oqualleiu muila pratica, o lio
pessoa muito capaz o seria, por sua idade assim o
permitir, dirija-so a ra larga do Rozarla; laja de
miudezas, n. 22, ou annuncie.
Offeroce-so um rapaz brasileiro para caixeiro
de qualquer estabeecimenlo o qual da fiador a sua
conducta: quemo pretender annuncie.
mmxf m nm.
Na fabrica do M. Callum & Companliia engef
nheiros machinistas e fundidores de ferro, na ra
do Brum, no Recife, contina haver um grande spr-
tirnento do taixas para engenhos o moondas de can
na, de todos os lamanhos o dos modolys os mais
modernos e approvados. Na 'ffiesma faljrica conti-
nqam-se a construir de encommeuda machinas de
vapor, rodas d'agoa, rodas dentados e todos os mais
objectos do machinismo, com a porfeicfloj conhe-
cida. por prego commodo.
M.{ Callum & Couipaubiu desejam chamar a alten
SiodosSrs. propriotarios de engenhos s'machinas
o vapor construidas na sua fabrica-, visto serem ol-
las de um model milito forte seguro e todas as
pecas perfeitamenle adaptadas urnas as outras por
meio do tornos automticos, machinas de apluinar
ferro,o oulros apparelhos modernos: alm disto, as
machinas de sua conslruccuo teem as vantagens se-
guidles: possuem urna cisterna de ferro, onde a agoa
destinad para a caldeira so deposita por meio de umi
bomba movida pela machina, e ondoso acha aqun
lada pelo vapor superfluo aules de ser por meio da
segunda bomba de l inlroduzida na caldeira, alim
do n/o esfriar a agoa nclla existente, pola indroduc-
(So d'agoa fra [como he de cusame em machinas
inferior.es] e assini produzir grande economa de
combustivel.
Alm da stipradita economa de combustivel na
prodcelo de vapor estas machinas possuem urna
modificado novadas vlvulas por onde o vaporen-
Ira e sabe do Cylindro, pela qual a mesma quanti-
dade do vapor produz maior etfeito do que as ma-
chinas de construcQao antiga augmentando assim
de una maneira, no pequea, a economa do com-
bustivcl necessaiio para manler a machina em ino-
vimenlo.
As ditas machinas possuem tambem um appare-
llio pelo qual a quanlidade d'agoa itilroduziila na
catdeira so acha regulada automticamente com a
maior certeza pela machina mesma evitando 'Ins-
ta maneira o grande perigo que existe as machi-
nas, onde por causa da mesquinha economa dos
fabricantes o fornecimento d'agoa para a caldeira
ha de sor regulado por mo de negroi.
Estes esclarccimentossilo respetosamente offere-
cidos aosSrs. proprietarios de engenhos, quo anda
perseveram em o melhodo fracn, dispendioso o
insatisl'aclorio de moer com animaes, alim de sa-
tisfaze-los que, no em prego .'estas machinas, nflo
existe o menor motivo para receio r neo\ de explo-
sSo, nein de quebra nem de deuiasinift consumo
de combustivel ; e Callum & Companhia nilo
teem pequea satisfaco em assegurar-lhes que pe-
la pericia dos seus adminislradorose olicTaes, pela
pcrfeic.ao dos seus instrumentse apparelhos o pe-
bundancia e boa qualidade das suas materias
-i-Compra-se uina negra que nao tentia vicios e seja per-
feitS eneoinuiadeira e coilnhcira: no Aterro-da-Boa-VJs-
la, n.2B, segundo andar.
--Compra-se uina escrava nioa, scni vicios nem a-
chaqurs c de bonita figura, que corlnlic e rngominc :
na un estrella doRnzario, n. 22, prlmelro andar.
Compra-se um inoleque de idnde de 14 a lannos,
que tenha alguma pratica de cozlnba : fluein tiver an-
nuncie. ou diiija-sc ao becco da I.lngueta, n. 12.
Compra-se um plano em meio uso, que sirva para
ensillar meninas : quem tiver annuncie,
Compram-sc potes de tinta, vasios : na ra da
Madre-de-Deos venda n. 5.
.'Compra-se Tilo Livlo e Horacio: na ra do uei-
mado, loja n. a.
--Conipraiu-ic duas veneilanas em bom estado : quem
tiver annuncie.
Compra-se malte : quem tiver annuncie.
Comprair.-se mil hacas de vimes, do
torio, (|Ue eu preco nao exceda de 240
rs. cada liara : quem as tiver annuncie
por esta folha, para se procurar.
Conlinuam-se a comprar patacoes brasileirose
hespanhes, a 2,000 rs. e pecas, a 16,700 rs. na ra
da Cadeia-Velba, n. 38.
feMM
Vendas.
1
primas se acbain habilitados para cuflVli'Uirem ma-
chinas de vp'bT do todos o tilrtitiihos e para todos
os tos ; assim como loda especio, de machinismo ,
com uiuaperfcico u3o inferioras obras das mlho-
ri/afciicf/* de Inglaterra e mu superior s g-|ter
mente importadas daquello paiz.
*
SOM'F.S.
Novo divertimento que rontein duas partes priiuojra
o livrodoadcstinoyiovaiiieiile escripto pela Sibylla de
Cuines ; segunda o manual de alguus jogos de socieda-
des, cstrahidos do de. M.'"" Celnart, c trasladados em lin-
gera verncula, por 640 rs.; Acasos da Fortuna, ou llvro
de sortes divertidas eiu que, por vlrtude de dous da-
dos vem cada um no couhecimento do estado, rique-
sas heraucas, amiades, etc. .que tcr.i e. outras mul-
tase galantes sortes annuuciadas no principio da mes-
ma obra. Ultima impresso, expurgada dos inuitos er-
roi e dcfcltoi das precedentes. Augmentada de um no.
vo melhodo de faier mais de mil dcimas nicamente
com ni i-a bal lio de lanjar os dous dados. Um tratado das
siuas oudosdefeilos e prognostico dos doze signos do
anno,C40 rs. ; Dlvertlmcmo campestre ou descobri-
mento da sortede cada pessoa, que a quizer tirar ou
divertirse, conigida, emendada e aceresecutada tra-
yendo no lim una parle da mylhologia dos deoses fa-
bulosos, por 480 rs. Vendem-se na praca da Indepen-
dencia livraria ns. 6 e 8.
Vendem-se chitas limpas, multo encorpadas e inul-
to fortes, a 130 e 160 rs. a rctalho, easpe;as a4^800ea
3/500 is. : na ra estrellado llozrlo, n. 10, tereeiro
andar.
Attencao
?
Na loja da ra do Queimado, n. 30, de Jos Ja-
quim de Novacs, continan haver um sorlimento
de obras feitas; chapeos d todas as qualidades ;
ditos para inoainos e meninas; ricos chales do seda;
mantas de seda ; longos de todas as qualidades; c
outros muitos objectos quo ha para vender.
MDANCA
DA
FUNDICAO
r
o vi unoRjj.
Este a litigo estabelecimento acaba de ser mudado
para os muito espacosos edificios construidos de
proposito na cdailo nova de S.-Amaro aonde exis-
tein todas as proporcOes para a facturado qualquer
nachinismo com a maior presteza e perfeigto : e
para commodidade dos frogue/os sera conservado
na antiga casa, junto a igreja dos Inglezes um es-
criptorioonde se recbenlo indas as encommendas
e ordena a respeilo leudo a loda hora urna barca de]
ferro emprogada exclusivamente no transporte'das
obras do escriptorio fundicao
AVISO IMPORTA.NTISSIMO.
O nbaixo assignado, agento do l)r. Ilrantrclh, faz
sciente ao icspeilavcl publico, quo pelo hiale ame-
ricano Git-Hra%, vindo do Boston, entrado ueste por-
to no correte moz de niai, ha recebido novo pro-
Vimento de pillas vegotacs do l)r. randrelb. Es-
tas pilulas, cojo autor basta para garantir sua excel-
lenciu,tornam-so muito recommndaveis por soi nin
medicamento iuteiramonte inollensivi), podendo op-
plicar-ss '.al s crian^'s 'recein-na?cfdali: ltima-
mente se teem applicado a urna inliaidado de moles-
tias julgadas Incuraveis, de cuja applicacHo se teem
tirado tilo feiizes resultados.quoparocc cada vez mais
resolvido o"probloma de um remedio universal: por
isso o abaixo asaicnad deixa de lhe fazer a apologa
devida, por sor um inodicamento ha muitos anuos
conhecido, nao s nesta provincia como em lodo o
imperio, nao havoudo mais a esperar do seu bom
resultado. Vendo-so na ruu da Cadeia-Velba, boti-
ca do agente n. 61.
Fe#n< Jos de uto.
Compras.
-Compra-se The Vicar of Wakefield ainda sendo
usado na ru do < respo, loja n. A.
- Cui..ja-:c o iarioteFernam^ro n 70, dei anno
de 1846: d-se mal* dn que o aeu
Prala, n. >8, ou annuncie.
valor : na ra da
No pateo do Collegio, n. G, loja nova de
tvroSf de Joo da Cuta Domado,
vende-se papel de peso inglcz re supe-
rior qualidade, em resmas e meias res-
nnis.
Vendc-sedoce seceo de mangaba, e de outras quali-
dades ; dito de calda : tambem se fazrm bolinhos para
cha bandejas dos mesinos muito bem ananjadas com
flores e ramos de allinim pao-dc-l enfeitado doce
de ovo pastis de carne e de nata eiupadas de carne e
1e peixe treinedeiras de lelte tortas de doce, e tudo
quaiiio he proprio para sobre-mesas : tudo muito bem
le loe por preco commodo : na run Dircila, sobrado de
(uin andar n. 33, ao p de dous de varandas lloaradas.
Vendf-se uina negra de meia idade, boa lavadeira
e optiina cozinbeira : no Aterro-da-Hoa-Vista, n. 26, sc-
guudn andar.
-Vende-sc um mulatinho muito Pind de 14 anuos,
b'nm copeiro e muito hbil para todo o servico, sein
vicio nem molestia, o que se fianca ; um dito dn 24 an-
uos, bom pafa todo o servico : na ra do Vigario, n. 24.
\ ende-ie, com acondifo de ser para lora da pro-
vincia nina preta crioula de 2t anuos ,' que muito
agradar ao comprador por ser robusta e de bonita fi-
Eura : quem fa negocio desta na Id reta dillicil ser
achar nutro igual : para ver eajustar na ra da flo-
rentina n. 16.
Vende-sc uina boa escrava de 6 a 20 anuos, coi
muito bom leite cque he perita cozinheira : afianca-se
no ter vicios de qualidade alguma i ao comprador se
dir o motivo por que se vende : na ra da Caricia de
S.-Amonio ii. il), segundo andar.
= Vende-sc o guarneciinento do botiquim Cnva-da-
009a, na ra largado lloiario n. 31, cujo botiquim be
inui espacoso com dous fog&es Din para cafe c outro
de ferro para coziubar boa aria na mesma cozinha c
por cima do mesmo inoradla para familia; est milito
bem aregnrzado, de ter muito bom cat c para co-
inoilidadc do comprador se cnsinar fraila fazer li-
cores, jaropes c ptima manteign |fa/.endo-sc com ca-
da carrafa de leite duas libras : quem o pretender p-
dela dirigir se ao nirsino cima que lodo o sacrifico se
far por sen dono ler de seguir para a Europa tratar
de siia sadc
Vonde-se um relugio de pnrede iuglez. assaz 111a-
gestoso com corda para oito dias que loca quar-
tos enras antes de declarar as horas; na ra Helia,
n. 18.
Aspa de linair cabello-
' nder agoa de Ungir cabello* c su.ssas:
Io.d. 31. Ouiethodode appliear MV-
Contina-se a ve
na ra do Queimad
ta agoa] acompaubaos vidros.
Vende-se uin pardo perito
afflral de
s.ipaleiro ,
do qual se allanta a boa conducta ; um molcquc de W
annoa.bom caruiceiro e caiioeiro.c'que he &* bomli hgn-
ra ; urna parda de ?0 anuos, que engomnia com pe im-
o, coziuhao diario de urna casa multo bem, cose id
da a qualidade de costura assim como corta um vca-
tldo de qualquer modelo; una preta boa lo/.intieiia, e
que he de boa conducta : na ru 1 da Penha, D. I, onn-
froute a torre do Mvramento priineito andar.
" Vende-se um bom eavallo, bonita ligara, de cor
casunho c bom carregador baizo, por prrfo commoao.
na ra Nova u. 21.
Begalosde la Havana.
Vendem-se os superiores charutos de la Havana, can-
tadores, regala e outras qualidades, ludo por prefo
mal* barato do que em outra qualqner parte : na ro
Direita, 11. 28.
Vende-se una escrava da Costa, de idade ac zuau-
nos, que sabe coiiuhar o diario de uina casa, lava, Unta
desabiio como de varela, he inulto humilde : o motivo
da venda se dir ao comprador: na ra de Sau-rrancis-
co, ao p da Poliuea.
Vemdcm-se leites multo gordos n por prot eoin-
inodo : na ra da lloda, n. 10. '
Vende-se urna negrlnha de 7 anuos, a mais linda
que se pode encontrar nesta familia: he muito lulipa e
de bom genio, propria paradar de mimo ou para mu-
cama do una menina : na ra Nova, 11. 14, segundo
andar.
Vende-se una preta da Costa, inulto inor.Tc de bo-
nita ligura 1 na ruado Hospicio, 11. 26.
Vendem-se liixas de llumlnirgoans
centos c a retalho ; tarilhem se 'higam'e
se vao appliear a ipial |iior hoi'J do di;i
011 dn noke, n 3go rs. cada tima, e as
mais rtgtilares, a ^5o rs : no antigo de-
posito de .Inaipiiiii Antonia Carneiro 111
na da Cruz do Recife, n -3 So mes-
mo vende-se urna porrao de pennas di; -
nna.
t= Vendc-se um linda negrinha de
lia/atas exceen/es.
I'ruz ,
menos
Caj
Vanoel Joaquim Gonfalvrs e Silva na ra da
11. 43, tem para vender superiores batatas por.
preto do queem parte i-lguina.
-- Na ra Nova, 11. 18, loja de alfalatc de aK A.
vcndein-se ricoscOrtes de cohete* degorgiirao de seda,
braircos e de cores ; merino ; casimira preta e de rres ;
biini branuo e de cores, de linho e de algodao ; dura-
3ue ; fraiikliiii ; pannos de todas as cores ; obras fritas
e todas as qualidades ; chapeos francezes ; dito* de
castor preto ; ditos de sol, de seda. Na mesma loja tam-
bem se vende uina canoa que pega em um inilbeiro de
lijlos de alveiiaria batida, por prefo commodo.
= Vende-se um molcque de 15 a l6,"annos : en Fra
dr-Portas ra dos Guararapes, n. 4.
= Vende-se geometra e algebra di; Lacroi* ; Selecta ;
Virgilio : SaliMliu ; Horacio ; Magnum Lexicn ; Kabu-
las ; Carlas de Cicero ; Salusllo traducido ao p da le
ira ; e outros muitos livros latinos : lia ra de S.-Fran-
cisco, outr'oca Mundo-Novo n.06.
Vendem-se todos os pertences de una venda ; bem
como dous calxdes da armacao : ludo por prefo com-
modo : na ru* da EI01 entina, n. 30.
='Veude-se, mi tioca-se porescravos motos c robus-
tos urna casa terrea na travesa do Lobato ao pe da
ordem terceira do Carino : no'pateo do Carino, venda
n. I.
SSS F
S S F
Vende-se superior farinha de Trieste :
no caes d'Alfandega. no armazem do Ba-
celar, ou na ruado Vigario, u. 9-
= Vende-se uina cadeira de arruar forrada de seda,
ainda nova ; macacos para arrumar carga ; encerados
de cobrir gneros : na ra do Amorlin, n. 16.
Vende-*e, 011 ln>ca-e una parda, sem vicio* nem
achaques que cozinha bem por um preto 011 preta ,
que nao tenha vicio algum : na ra da Cadcia de S.-An-
tnio n. 19, legundo andar. .,.'.- .
= Vendem-se calas de ptima folha de lunares, por
preto comiiiodo ; na ra Nova, loja defronle da Concei-
rin dos militares.
' -- Vendc-se un violao quasl novo e com boas voies:
na prafa da Independencia, n. 19.
Vende-so nu inuiatinho de 12 a 14 aunos, o;.timo
para pagem : na ra da Cadeia do Recife, n. 57.
8 anuos ; un*
inoleque de 16 anuos de bonita figuia ; un preto di;
muito boa conducta sapalciro, c que coiinha o diario)
de uina casa ; um dito bem robusto que he niestre rea-
tllador um pardo de 20 anuos, ptimo para pagem ;
uina preta com habilidades : no pateo da matriz de S.-r
Antonio, sobrado n.4.
Vende-se una escrava de bonita figura, que co-
llona e engomma : no becco do "arapatol, sobrado ,
n. II.
= Vendem-se espadas muito ricas para olllciae* e
olHclaes superiores : na ra Nova loja de ferragrns ,
n. Irt.
U harateiro do Ateno-da-Boa-Vis-
ta, n. 10, a prime!ra loja quem vem da ponte, est ven-
dendo fa7.enda8 que pelas suas boas qualidades sao dig-
nas de attcnto: cortes de cassas muito bonitas, a 3,000)
rs.; primores de cures, com listas, imltitao de seda, a
200 rs. cada covado; lentos de cassa para grvala, a I0O
rs.; cassa lisa, com vara de largura, a 200 r*. cada vara ,
fu*tao branco, multa superior, a 560 rs. cada covado ;
chitas multo bonitas e bous pannos, a 140, 160 e 200 rs.
cada covado ; cambalas bordadas, proprias para corti-
nados, com 10 varas cada peta, a 5,500 r*.
Vende-se um escravo muito robus-
to, de idade de 30.a a5 annos, muito pro-
prio para engenho, por saber trahalhar
bem em o fabrico de assucar, por ter
titlo disso bastante pratica assim como
tem principios de ollicial de carpina: ua
ra do apollo armazem n. 4 1 ('e >^-
F. Maia,
Vende-sc uin piano ten) defeito, bom para quem
quizer aprender.cujo prc^o nao desagradar ao com-
prador : na ra da Florentina, 11. 8.
=Vendc-se um estojo completo para engenbeiro por
muito commodo preto:, na prafa da Independencia,
ii.l7.
Vendc-se colla de superior qu.ajuladc das fabrica*
do Rio-Grande-do-Sul : ua ruada Mo'da. arniaiem n. 7.
= Vendem-se casaes de poinbos grandes, muito bo-
nitos bous batedores e por preto commodo : na 1 m
da Florentina, n. 16.
Vende-se nina preta de boa figura sem vicios nem
achaques : na ra da Cadeia do Recife, n. J3.
= vendcui-se 50 milheii os de nnbas de boi
co-Ponias, nainalanfa, armazem n 5.
i.na do Queimado, -i 46, loja de
lliaes ck Irmiio.
Vendem-se ricos ci'ntes de fimbrala abena, a 4,60*
rs.; ditos, a 4,000 rs.; ditos de cassa de cor, a 3,000 rs ;
cortes de cambraia lisa muito lina, de 8 varas c meia, *
4,200 rs.; dllos de 3,200 rs.; lentos bordados, com li-o. t
560 rs.; corles de colletc de fualo de cores, padroe* mo-
dernos, a 1,280 rs.; ditos, a 800 rs.; brhn traiifado par-
do, de puro linho, a 600 rs ; merino preto fino, a 3,00:>
rs.; cassa de babado lina, a 360"*rs. a vara ; chita de co-
ncita de cor fixa, a 200 rs. o covado ; casia lisa, a 400 ra.
a vara ; camisas de meia. ds nielliores que teem appa-
recldo, a 1,400 rs.; muito boa fa/enda para toalhas, com
4 palmos c meio de largura, a 600 rs. a vara ; seliin pre-
to lavrado, a 3,500 rs. o covado ; chapeos de sol de seda,
a 5,500 rs.; briol Irautado de cores, de mui ricos pa-
dicsc puro linho, para caifa ; leufos de setim para gr-
vala; dllos de seda decores; riscados france7.es largo*
inulto finos, ditos inglc7.es; bicos largos e eslrritos ;
e rendas.
No arniaicm da ra Nova, n. 67, ha um grande si>r-
llinento do cadeira* de palhinha que se vendeni a 28/,
3*,40 45/, 50/, 7J/ e 96/ rs. ; estojo* com espe-
Ibos para navalhas a l/BOO rs. ; un sorlimrnto de me-
sas, bancas, soplis canias de annafiio 0 sem ella ; ri-
cas ca teiras de viagem com estojo* e mais pertences (
2 paianqiiins seirllo mu da Babia eni nielo Oso ; e
outros muitos objectos que a vista dos prcteiidente
se faro patente. Aliaiifa-*e a coiiiinodidadc dq<
prefo*.
Na ra do Queimado, n. 24, loja de niiu-
i!c/.,is.
Vendem-se estojo* com duas navalhas, para barba,
multo finos ; caivetes de 1 a 3 folhas, muito fino, ca-
bos de madre-perola ; chapeos enfeitados para baptisa-
dos de meninos ; ditos para homeni e menino, de palha
da Italia ; bicos linos para talho de vestido, estreilos s
laroos; luvas de pellica para senhora, a 1,600 rs.; dn.w
para liomem, ponto ingle/., a 1,600 rs.; meia* erna* para
honieni ; ditas de cilios e brancas; ditas para menino ;
ditas pelas para senhora, de algodao; ditas de seda ;
suspensorios de seda, e ditos de borracha ; calxas de
in.iss.i de tartaruga, redonda* c quadradas. Tudo le
vende por prefo mais commodo do que ein outra qual-
quer parte.
Lnja do nicho..
Na esquina do I.ivramento loja do nicho vendem-
se chapeo* de aol, de seda 4/S00 rs ; l* de linho mul-
to grandes e linos a 6#000 r*.; ganga azul encorpada.
propria para escravo a 80 rs. o covado ; e outras mul-
I tas fatenda por baratissimo prefo.
na* < in-
liaga
. 11


M,
- Vende-se urna preta moca, com
habilidades : no pateo de S.-Pcdro, ao-
" lirado n. 4.
Vendem-se dous lindos moleques de 16 a 18 an-
jnos; dous pretos de 25 annos, sendo um dellebom
Carreiro ; tres mulatinhas de 7, 11 e 14 annos urna
negrinha de 10 annos, todas com principiosdo ha-
J>!M*!a4ei*; duas pretas de 20 a 25 annos, com ha-
bilidades ; um casal de escravos proprios para o
servigo de camdo, poriterem pratica ; 2 pardos de
16 a 24 annos, sendo um bom carreiro: na ruado
Collegio, n. 3, se dir quem vende.
Vende-se um lindo mulatinho com principios
de alfaiate da 14 annos, e que he ptimo para pa-
gem ; e mais escravos com habilidades e sem ellas:
na ra das Flores, n. 17.
Vendem-se, a retal lio ou por atacado, 46 far-
dos da fumo em fblha, vindo prximamente da Ba-
ha, de multo boa qualidade : na ra da Cadeia-Ve-
lha, loja de ferragens, n. 56.
Vende-se na ra do Crespo, loja 0. U, a His-
toria universal, por J. J. Barboza emlam; Com-
pendio das pocas e successos mais Ilustres, por A.
P. de Figueiredo ; MeditacOes do doutor Jamos Hen-
vor por/. F. da Ponte ; RevolucSo de Pornamhuco
em 1817 ; a Noite do Castello ; diccionarios de Cons-
tancio novos, por 11,600; o outros muitos livros por
barato prego ; e continuam-se a trocar estando em
bom uso e sendo boas obras.
Chocolate.
Na fabrica de licores de Frederico Chaves, no
Aterro-da-Boa-Vista, n. 17 ha sempre muito supe-
rior chocolate de sade, canella, baunilha e do fer-
ruginoso, este he muito conhecido pelas suas boas
qualidades.e por ser proprio para as pessoas quosof-
frem defrialdade ooutras molestias do estomago,a 1/
rs. a libra o o do sade, canella elbaunilha. a 400
reis.
Vendem-se 14 escravos do ambos os sexos, par-
dos e pretos de diferentes idades por barato pre-
$0 : sflo vindos do Aracatv : ao p do Corno-Santo .
loja n. 25. "
Vendem-so dous bracos do liaUncas grandes,
com conchas de pao; urna bomba de cobre para
despojar pipas : na ra da Senzalla-Nova, n. 4.
-- Na loja da ra do Queimado, n. 5, vende-se pan-
no preto fino a 3,000 e 5,000 rs. o covado.
Vendem-se 4 escravos, sendo : um moleque
de nagflo, de 16 annos, proprio para todo o servigo;
urna escrava crioula de 26 annos que engomma ,
cose chflo, faz lavarinto, cozinha o lava do sabflo ;
um escravo de nagflo de 28 annos perito padeiro e
canoeiro; urna escrava de nagflo de meiaidade, ven-
dedera de ra : na ra das Cruzes, n. 22, segundo
andar.
Na na das Ao-oas-Verdes,
n. 46,
vende-se um escravo de 30 annnos, perito pedreiro ;
um pardo bom pagem ; um moleque de nagflo de
18 annos; um escravo bom carreiro; urna bonita
noleca de 16 annos ; 3escravas para todo o servi-
do; urna dita por 150,000 rs. boa quitandoira e la-
vadeira ; urna linda mulatinha de 13 annos ; um ca-
vallo com todos os andares, anda novo; um escra-
vo de 24 annos, official de sapateiro.
BOA PlftGA.
Vende-se superior vinho da Figueir, em barris do
*, 5,6 e 7 em pipa: no armazem de i. J Tasso Jnior,
ra do Amorim, n. 35
Vende-se una escrava de bonita figura de 18
a 20 annos, com bastante leito.eque tem algumas
nabilidas sem vicio alfcum o motivo da venda se
dir ao comprador: na ra Dircita esquina do bec-
codoSerigado n. 93, segundo andar.
Vende-se urna moleca do 12 a 13 annos, de
ptima figura o muito forte para todo o servigo,
tanto do campo como da praga : na ru de Hortas,
casa terrea n. 62.
Vendo-secharutos de llavan-i, do diversas qua-
Jil.Mles, ltimamente chegados: na ra da Cruz,
armazem de Kalkmann & Rosenmund.
Casimiras lisas, a 2,400 rs.
cada covado, as melhores que tem vindo a esta praga,
nflo s pelas delicadas cores, como por "ser perfeita
fazenda ; ditas de listras, vindas ltimamente de
Franga os melhores gostos e melhor fazenda que
ha a 9,500 rs. o corte; meias casimiras a 3,500 rs.
o corte : panno preto o azul fino a 3,000 rs ; ditos
de cores, ae 4,000 at 5,000 rs.; dito preto a 6,000,
6,500, 7,000 at 11,000 rs. que nada deixam a dese-
jar ; e todo osortimento defazendas finase grossas
Sue so vendem a relalho o jior atacado: amado
ueimado n. 27 no novo armazem do Raymundo
Carlos Leite.
Vendem-se ricos cortes de colletes de gorgu-
rflo de seda; ditos de setim, pelo barato pregode 2,500
a 4,000 rs. cada corle : na ra da Cadeia de S.-An-
tonio, n. 21.
Vendem-se muito superiores chantos chama-
dos cagadores, em caixasde 125 cada urna, chega-
dos polo ultimo vapor da Rabia : em casa de Frede-
rico Robilliard na ra doTrapicho-Novo, n. 18.
Novos gambreoes.
Vendem-se superiores cortes da fazenda denomi-
nada gambreOes pelo diminuto prego de 1,800
rs. o corte : esta fazenda he de mui superior quali-
dadee seus padrOes rivalisam com as melhores ca-
simiras: na ra do Collegio, loja^nova da estrella,
. Vendem-se presuntos de Weslplealia, superio-
res : no armazem de Kalkmann & Rosenmund, na
ra da Cruz, n. 10.
para lavar roupa; vassoura para varrer salas e r
Setes: ludo ltimamente chegado dos Estados-Uni-
os : na ra da Cruz, n. 7, armazem do Davis & C.
Fogo pernambucano.
Vendem-se magos grandes de palitos de fogo de
muito superior qualidade, a 2,000 rs. o cento: na
fabrica de licores do Aterro-da-Boa-Vista, n. 17.
SUPERIOR FARELO, A 4,000 rs.
Vendem-se saccas com farelo fino de Trieste, che-
gado ltimamente, o qual he o melhor de todos que
aqu tem aportado, por ser o mais nutritivo: em casa
de J. J. Tasso Jnior, ra do Amorim, n. 35.
Casimiras elsticas
a 6AO rs.
Vendem-so casimiras elsticas de algodflo e 13a,
pelo barato prego de 640 rs. o covado : na loja nova
da estrella, n. 1, da ra do Collegio.
Leite liquido,
todo o anno, a 200 rs. a garrafa, s 7 horas da ma-
nhaa, e sendo freguezia se mandar levar : na fa-
brica de lie .res do Aterro-da-Boa-Vista, n. 17.
A 200 Rs. O COVADO.
iVo novo armazem de fazendas
de Itaymuntjo Carlos Leite,
na ra do Queimado, n. 27,
acha-sp o melhor algodflo trancado azul, proprio
para roupa de escravos a 200 rs. o covado o em
pegas a 260 rs. a jarda o qual se torna recommen-
davel pelo muito corpo nflo ler gomma ser muito
largo ede cor fixa ; ptima chita preta forte a
5,800 rs. a pega ; engragados pannos do mesa, de
algodflo encarnados protos e grandes, i 3,200 rs.;
ptimos brins trangados de linho, a 1,000 rs. a vara;
longos de cassa do cores, grandes, para senhora, a
480 rs.; ditos de seda para meninos, a 640 rs. ; ex-
cellcnte alpaca de linho ; chitas finas do ultimo ges-
to ; e todo o sot ti ment de fazemlas finas e grossas,
para vouder por atacado e a retalho o mais barato
possivel.
Na ra do Queimado, n. 30, ha pannos de boni-
tas cores, proprios para palitos ,e sobrecasacas, as-
sini como chapeo de castor, pelo barato prego de
5/000 rs.
Vendem-se dous escravos robustos.um de 17 an-
nos e outro de 15; um mulatinho bonito, de 8 annos;
urna escrava do bonita figura, de.20 annos, que lava
I" sab.To e de varrolla ; cera amarella; caixas de tar-
taruga feitas no Cear; malas de sola e de couro ;
sellins; cangalhas e mais pertences de viagern : ludo
em bom uso : na ra do Queimado, casa n. 33, se-
gundo andar, sedirquem vende.
Novas eliitas e riscados.
- Vendem-se acedes da cx-
tincta companhiade Pernambuco
e Parahiba: no escriptorio de O-
liveira Irmos & C, ra da Cruz.
n.9.
Vendem-se queijos londrinos ; presuntos para
Itambre; potes coro sal refinado; latas com bolachi-
nhasde araruta ; ditas com marmelada com duas
e-,4 libras ; massas finas ; conservas inglozas ; fras-
cos com doces de differentes qualidados ; Iotas com
sardinhas; ditas com hervilhas ; sag; cevadinha
passas superiores ; bolachinha de soda : ludo por
Srego mais barato do que em outra qualquer uarte
-Vendem-se presuntos, brdese tinas proprias
i
Vendem-se riscados de novos padrOes avelludados;
chitas pretas com flores encarnadas e ramagens de
diversas cores de superior qualidade, a 320 rs. o
covado; panno de linho muito fino, a 560 rs. a va-
ra : na ra do Livramento, loja nova n, 14.
Corles de casimira elstica
a 5,000 rs.
Vende-seexcellente casimira oslaslica pelo di-
minuto pregode 3,000 rs. o corte, d< padrOes es-
curos e propria para a presento estag&o : tambom
anda reslain alguns cortes de casimira de algodflo e
lila a 2,240 rs. o corto. A ellos antes que so acabem:
na ra do Collegio n. 3, loja de Ferrflo & Compa-
nhia,
Brins trancados.
Vendem-se superiores cortes de brins trangados,
dequadrosa listras de muito bonitos padrOes, pelo
barato prego de 2,000 rs. o corte : na ra do Colle-
gio, loja nova da estrella, n. 1.
Sapa toes de tres solas Ift rs.
- No Aterro-ila-Boa-Vista, loja n.
78, vendem-se estes sapatos pelo admi-
ravel preco de s rs. o par; sao to bous
e bratos, que quem os vir nao deixai
de comprar.
Cassas a 320 rs. o covado
Na ra do l.ivramento, n. 14, vendem-se cass
muito finas para vestido, a 320 rs. o covado ; chitas
finas do cores fixas, a 160 rs, e a pega a 5,400 rs.; cas-
sas pretas com 10 varas, a 3,000 rs. a pega ; riscados
de novos padrOes, a 220 rs. o covado ; meias d al-
godflo para senhora, as mais finas quo tecm appare-
cido, a imilagilodeseda, e outras muitas fazendas
baratas.
MM Yendetu-se chapeos de superior
*^^c;islr, brancos e pelos, por preco
mu'lo barato : na ra do Crespo, n. ia,
ojfc.de Jos Joaquim da Silva Maya.
ViNOKM-SE
colleccoes de vistas de Per-
nambuco ,
sendo as da ponteda Boa-Vista,pontedo Recife.Bom-
Jesus, Olinda, Pogo-da-l'anella o Cachang, feitas ao
beneficio da sociedade da Beneficencia allemila e
suissa : no armazem de Kalkmann & Rosenmund ,
no hotel Pistor, as lojas dos Srs. Luiz Antonio Si-
qura,daSnra. viuva Cardozo Ayres & Filhos, na
ra da Cadeia do Recife ; as lojas dos Srs. Santos
Neves c< Guimarfles, na ra do Crespo ; do Sr. Jos
deAlenquei SimOes do Amaral, na ra Nova ; e do
Sr. J. Chardon no Aterro-da-Boa-Visla.
code 2,56o rs. : na ra do Cabug, loja
de miudezas, n. 4? de Manoel Joaquim
Das.
Vende-se a taberna n. 86, ua ra do Pilar,
o melhor lugar de Fra-de-l'ortas a qual est bem
afreguezada, tem casacommoda para pequea fami-
lia e com quintal: alm disto ha outra conve-
niencia ventajosa que se dir ao comprador : ven-
de-se a dinheiro vista, ou mosmo a prazo a con-
tento com endossanle que agrade Faz-se essa ven-
da parqueo seudonooceupa-se em outro negocio,
o a pessoa que a administra nilo pode continuar. A
tratar na ra do Queimado, loja n. 21.
Meias cruas americanas.
Vendem-se estas exceflentes meias, muito proprias
para a presente estagflo, por conservaron os ps
filenles e seren de milita duragflo, pelo diminuto
prego de 4,000,5,000 e 5,500 rs. a duzia : na ra do
Collegio, n. 3, loja do Ferrflo & Compnnhia.
Panno-ferro.
Vendem-se corles de calcas para honiem da ex-
cellente fazenda denominada panno-ferro, a 1,400
rs. o corte : esta qualidade do fazenda toma-se re-
commendavel, por ser de padrOes oscuros e de mui-
to corpo : na ra do Collegio n. 3, loja do Ferrflo &
Companhia.
Chegaram diversos escravos para se ven-
derem muito em conta na ra das 1.a-
rangeiras n. 14, segundo andar, a sa-
ber : um lindo moleque do 18 annos ; 1
dito de 20 annos ; um preto de meia ida-
de bem para o servigo de urna casa ; um ptimo
pardo do 20 annos, bom pagem ; um dito de 10 an-
uos ; um dito de 22 annos, que tem muila propor-
g.to para marujo; um dito com principios de pedrei-
ro ; um dito de 38 annos, por 250,000 rs. ; urna pre-
ta moga, boa cozinheira ; urna dita de meia idado ,
ptima lavadeira ; urna mulatinha com urna cria ;
urna preta de elegante figura : estas duas ultimas
vendem-se para fora da provincia por prego mui-
to baixo.
-- Vendo-se, por prego commodo, urna casa de um
andar, sita na ra do S. Rento, om Olinda, n. 21,
em chaos proprios, a qual rendo mensalmente 16/
rs. : a tratar na ra da Madre-de-Deos armazem
do Vicente Ferreira da Costa.
No armazem de Vicente Ferreira da Costa na
ra da Madro-Deos, ha para vonder muito superior
vinho da Figueira chegado ltimamente em bar-
ris de quarlo at stimo muito proprio para gas-
to de casas particulares
mais ou menos : na ra do Crespo, loja n. 2 A
dir quem vende. *
Vende-se um bote.novo com qus.
tro remos, e pregado de cobre-, muito bom
para uso de qualquer navio ou para eos*
tear nos arrecifes : a fallar na rua do Tra-
piche, casa n. t. f
Vende-se, na ruadas Cruzes, n. 41, mar-
melada, e panno de linho, muito supe-
rior e mais ordinario: ludo por prego
commodo.
(pntinuam-sea vender,
na rua da Cadeia do Ke
cife, n. 37, caixas com
cera em velas c mais
brandoes fabricados
no R\o-de-Janeiro,e em
Lisboa: sortimentos ao
gosto do comprador, e
por mais commodo pre-
co do que em outra
qualquer paite.
Vende-se lagedo decantarla ou a varas ou por
pedras por prego commodo ; na rua' da Cadeia de
S.-Antonio, armazem n. 15
Vendem-se caixas de charutos regala de boa
qualidade a 2,000 rs. a caixa de cem charutos: na
rua da Cadeia do S.-Antonio n. 21.
Vendem-se cadeiras de balango muito boas e
commodas: 110 armazem'de Kalkmann & Rosen-
mund, na rua da Cruz, n. 10
Vendem-se vidros para espelhos de toJos osta-
manhos: no armazem do Kalkmann & Rosenniund,
na rua da Cruz, n. 10.
Vendem-so pianos inglezes da fabrica de Co-
lard: no armazem de Kalkmann & Rosenmund,
na rua da Cruz, 11.10.
Vendem-se 5 escravos sendo: duas pretas de
habilidades; duas pardas, urna de 17 annos, o a
outra quo cozinha, lava bem roupa e vende na rua;
um preto da Costa que se afianga a conducta: n
pateo da S.-Cruz, 11. 14, se dir quem vende.
Vende-se um violflo em moio uso e deexcellen-
tes vozes, por prego commodo: no becco Largo, ten-
da de barbeiro.
Vende-so urna preta de meia idade, crioula,
que faz o servigo de urna casa vende na rua e la-
va de sabfloe varrella, d-se por muito commodo
prego : no Forte-do Mattos, prensa de Jos Ribeiro de
Brito.
MEDICINA UNIVERSAL.
Pilulas vegetaes de James
Morison.
A medicina vegetal universal lie o resultado 90
anuos do nvostigacfles do clebre James Morison
Por moio destas pilulas consogio seu autor inau^
meras eadmiraveis curas desde as afl*ecg6*es que
atacam as mangas de peito at as molestias chroni-
cas do anciflo.
A Europa saudou esto remodio como remedio uni-
versal para todas as doengas, e at hoje ainda nn
foi desmentido tal tituJo.
Esta medicina vom acompanhada de urna receiu
que ensina e lacillita a sua applicagflo. Consiste em
tres preparagOes, a saber : doasqualidades de pj|.
lasdistinctas por nmeros, e um p : cada qual goza
de modos e acgOes diversas.
As pilulas n. 1 sflo aperitivas ; purgim som abalo
os humores biliosos e vlcosos, e os expulsan) com
eflicacia.
As don.a.expulsam com esses humores, igual-
mente com grande frga os humores serosos, acres
e ptridos, de que o sangue se acha a miudo infecta-
do ; percorrm todas us pait^ do corpo, 6 ces-
sam de obrar quando toeni exuulsado todas u lm_
purezas.
A tcrceii a preparagao consiste om urna limonad/j
vegetal sedaliya : he aperativa, temperante e alle-
gante : torna-se em commum com as pilulas e fcil-
lila-lhesos melhores efleitos.
A posigSo social do Sr. Morison, a sua fortuna in-
dependente, repellem toda a ideia do charlatanis-
mo ; e as admiraveis curas, operadas com ojseu
systoin 110 collegio do sade de Londres, sflo mais
que garantes da eflicacia do seu remedio.
Kecommenda-SQ esta medicina, quenflo pede nem
resguardo do tempo, nem do posigflo da parte do
doente.a lodos os que, atacados de molestiasjul-
gadas incuraveis, se quizerem desengaar di sua
virtude.
Oxal que a humanidade feche os ouvidos aos n-
teressados em desacreditar estes remedios Iflosim-
gles tilo com modos e tflo verddeiros.
Vende-se smente ero casa do nico e verdadeiro
agente J 0. Elsler. na rua da Cadeia-Velha, n. 29.
Yendere um crioulo de ptima figura, de 36 annos,
perito ineslie aapateiro, e que lamban entende de
todo o ervif o de padaria e algumaa cousa de enge-
nho : he muito humilde e por isio bom escravo : ven-
de-sc para pagamento de uina divida : na rua Direita, n
3, defronte do beoco de S.-Pedro.
FRESQUSIMOS QUHJOS DE QUAIBA,
chegajos do Cear no vapor Imperador : vendem-se na
rua da Crut, no Recife, n ig.
(ft= Vendem-se saccas de feijao ; ditas de farinh ; di-
tas de inilho ; ditas de arroz pilado ; -qneiloi tYcscaei do
Serid ; na rua da Cadeia do Recife, n. 8.
Escravos Fgidos.
Vidros para vidracas,
vendem-se em porgOes ou a retalho a vontade do
comprador: na rua da Cruz, n. 38, casa de Schaflicc-
tlin & Tobler.
Veqdem-se sapates de couro de
lustro superiores, pelo baratissimopre-
Livros militares.
Ensaio sobre os principios geraes do stralegia e de
grande tctica, obra nova, escripia pelo lente Bar-
reros, major do artilharia, 1 vol. 3,000 rs.; Compila-
gflo das leis militares, pelo Dr. V. J. F. Cardozo, 1
vol. in folio, 12,000 rs.; manejo de armas de infarr-
taria, 1 vol. 48t> rs.; manejo de armas cagadra, 1
vol. 480 rs..: na livraria da esquina do Collegio.
Historia de meninos para
qirem nao 'r enanca.
Esta obra conten : a noite das commadTes com os
rrades, a madrugada do frade, o anjo no convento, o
Josesinho da villa, a possossa pejada pelo conressr,
sror l'eduncia, delambida e um hysope, Gregorio
Robles eito Senhor dos Passos, a viuva roubada pe-
lo confessor e criada, o abbade astucioso, o proprie-
tano dcsabusado, o frade pejado, a beata escrupulo-
sa, a roliga cozinheira, o rei Miguel o sen hortelflo,
a bella roubaddra, o arrioiro e frade denunciante,
o outras muitas : 1 vol. em 8.", encadernado, prego
2,560 rs. : na livraria da esquina do GoHegio. Na
mesina livraria veiplem-so trozeuas de Santo Anto-
nio.
-- Vendem-so 4 escra vas, sendo: urna preta e 3
pardas entre as quaes urna lie muito moga de boa
iigura e ne eugommadoira e cosureiru ; um
casal de osqravos, com urna lilha do 14 annos poucb
Fugio, no dia priirteiro do correnle o preto Jo-
s do 25 annos do nacao Benguela de estatura re-
galar Cara um pouco compnda olhosafogueados,
pouca liarlia beigos grossos ; levou um ferro no p,
camisa e ceroulas de algodflo da Ierra ; consta Icr
passado no dia 2, pela ponte da Tacaruna para t
parte de Olinda. Roga-se ao*s capitflos de campoe
pessoas particulares, que o apprehendam e levem-
no a rua larga do Rozario, padaria n. 18, de Manuel
Antonio de Jess, que ser liejn gratificado.
Fugio, no dia 17 do prximo passado o prclo Avjy
Ionio de naco Hengnela, baixo, grosso do corpo pou-
ca barba cor fula com urna costura em um lado do
pescoco ; consta andar iiiesmo nesta cldade e ter sido
visto nas ras de S.-Amaro.', e suas adjacentes e no
porto das canoas da ponte da Boa-Vista : quem o pegar
leve-o a rua Nova, u. 67, prlmeiro andar, que teri ge-
nerosamente recompensado.
Fugio, no dia Jo de maio prximo
passado, um preto crioulo, de nome
Marcos, de 16 annos pouco mais ou me-
nos oficial de pedreiro de estatura re-
gular secco do corpo rosto compri-
do beicos grossos; tem todos os dentes
da frente e duas cicatrizes no poscofo
bem debaixo do colla rinhojda camisa, que
as encobre ; tem pouca barba suspen-
sorios com fivelas de prata ; cond uzia urna
trouxa com roupa do seu uso motivo
por que se ignora como andar vestido;
tem sido visto em Olinda : quem o pe-
gar leve-o a rua do Cabug loja de
inudcaas.,'de Jos Alves da Silva Gu-
inaraes, ou a Parahiba, em casa de Fran-
cisco Fcrnandes Luna, que ser gene-
rosamente pago.
Fugio, no dia 10de maio docorrente anno do t\-
eolio Constantino um cabra escuro, de nome loio .
e 22 anuos; he alto secco do ciirpo cara |redonda.
naris chato surrado ha pouco ; levou chapeo de pel-
lo camisa de algodio e calcas de algodo de listras:
quem o pegar leve-o ao dito engeubo uue ser grati-
ficado generosamente.
-- Fugio, no dia 26 de abril uina escrava crioula.
de nome Antonia de 40 anuos ; tem falta de denles na
frente; levou saia e panno preto : quera a pegar levt-a
a rua de llortas, 11. 122.
*
KHV. : NA TTP. D*M. F.' DEPARTA. 184"


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EMWYO8VFS_DNKRCO INGEST_TIME 2013-04-13T03:16:30Z PACKAGE AA00011611_05980
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES