Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:05926


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno de 1843.
Quinta feira $7
APIARIO publica-s todos os 3las que
nao forem de guarda: o prego da ssigna-
Uira he de 4/ rs. por quartel oagoi adianto-
dos. Os aiinuucios dos assignantes sao inse-
ridos a ra/.5o de 20 ris por linha, 40 rs. ein
lypo difireme, e as repelales pela melade.
O i que nao forem assignantes paga o 80 rs.
pur liaba, e 160 ein typo difireme.
PHASES DA LA O MKZ DE NOVEHBRO.
Crescente 6 as 3 h. e 55 minutos da tard.
La cheia a 13 as 10 hor. e 35 min. da tard.
Mengoaute a 22 as2 hor. e 6 m. da tarde.
La no,va a 29 as 9 h. e22 min. da man liaa.
l'AliT1D\S D0SCORRE1OS.
Goianna, ParShyba, e Rio Crande do Norte
Segundas ejjftexlas feiras.
Cabo, SerlnhKn, RioForrooso, Porto Cal-
vo, e Maceyjtio U 11 e 21 de cada me*.
Garanhuns e Sjtnito a 10 e 24.
Boa-Vista e Piles a 13 e28.
Victoria as Quintas feiras.
Olinda todos os dias.
PREAMAR DE HOJE.
Prinicira as 2 b. e 54 min. da tarde.
Segunda as 3 h. e 18 minutos da manha.
de Nvembro.
Anno XXI N. 9.66.
H
DAS DA SEMANA.
24 SegundaS. Porciano, aud. do J.dosorp.
edoJ. doC. da 2. v.,edo J. M. da 2. v.
25 Terca S. Jucunda, aud. do .1. do civ. da
1. t., e do J. de pai do 2. dist. de t.
26 Quarta S. Belino, aud. do J. do civ. da
2.* v., c do J. da pai do 2. dist. de t.
27 Quinta S. Auxilio, aud. do J. de orpli. e
aoJ.M. dal. v.
28 Sexta S. Papiano, aud. do J. do civ. di
1. v., edo 1. dep-u do I. dist. de tard.
29 Saubado S. Saturnino, aud. do J. do civ.
da 1.' v., c do I. de pat do 1. dist. de t.
30 Domingo S. Troyauo.
Camb. sobre r.ondres27a27'/,d. p.la aGOi
u Pari '555 res por franc
CAMBIOS NO DA 2fl DE NOVEMBRO.
d.
por Tranco.
I -Lisboa 115 a 125 p. c. pr. p. m.
Desc. de let. de boas firmas 1 Vi P- "/ me
Ouro-Oncas hespinliolas 3l#O0O a 31#590
Moed.de (i/W vel. HW'JO a loSOO
. de (iflO!) nov. 1GJ200 a 181400
de 4/000 9/0)11 a il^Otl
Proio-Palaces .. 1/880 a 1/920
Pesos Cotuinmre*. l/"20 a 1/940
Ditos Mexicanos 1/84H a l/88c
Pratamiuda. 1/880 a 1/TbJ
Accoei da C. do Beberibe de 50/000ao par.
DIARIO DE PERMAMBCO.
,
AVISO.
achava o alferes do primeiro bnlalbao "de catadores, Jo-
t Carlos de Almeida Torres.
DitoAo presiilenlo das Alagas, dizendo, que (ci-
ta inteirado de haver prorogado por niais tres me/es a
licenca, com que se achata nesta provincia o cabo do se-
gundo batalbao de artilharia pe, Jetuino Malinos
Carneiro LeSo.
DitoAo commandante das armas da corle, parlici-
11E como produelo das assignaturas de um jornal,
que o seu proprelariodevesuppnras nao pequeas des-
pezts.qae eiigem as emprezas desle genero. NSo he is-
to, pnrm, o que tem sucoedido ao do Diario de Per-
nambuco, do qual alguns subscriptores, nao satisfeitos
com deixarem de pagar a asignatura de um quartel, a-
peoas principia este acorrer, como se acba estipulado I pando, que seguia para aquella capital, com lieenva, o
nts respectivas eondicoes, demoroum seu poder, com llnente da quarta classe do exercito, Carlos Marlins de
grave prejuizo do empreiario, e nio leve descrdito seu, Almeid
a importancia de seis, doxo e mais mezes. A' esles,
pois, se dirige o mesmo emprezario, rogando-Ibes ba-
jo de quanto antes inJemnisa-lo do que se acbio a de-
ver-lhe, entregando ao cobrador d?sta folha as mensali-
dadei, oujos recibos Ihe forem por elle apreseotados, ou
traiendo-as praga da Independencia, Itvraria, nmeros
6 a 8.
PARTE GFF.CIAL.
__ i ) i x r i i ./,, .
Cornmando das Armas.
EiPEDIENTB DO Da tO DO CBRENTE.
OlcioAo presidente da provincia, solicitando or-
dens, para que tone, transportado a provincia -do Ceara
no vapor, que ora segu para o Norte, o cabo de etqua-
dra do primeiro batalbao de Cuzileiros, Jos Barroso
Valenle, que aqui aportou, vindo da cite no brigue-
eicuna Gwarapes, com destino aquella provincia
DitoAo subdelegado da freguezia de S. Fr. Pedro
Gongalvet, dizendo-lbe, quo havi* remedido o soldado
Francisco Nardes ao respectivo coronel commandante
do primeiro batalbao de cscidores, lim de ser casti-
gado.
DitoAo coronel commandante do primeiro bata-
IhSode capadores eiigindo a guia de toccorrimeoto do
cabo do primeiro batalbao da Cuzileiros addido ao de seu
cornmando, Jos Barroso Valente, e ordenando, que o
excluisse naquella data do mesmo batalbio, por haver
de seguir provincia, do Cara, para onde obteve pas-
tagem.
DitoAo mesmo, mandando castigar, como julgas-
so conveniente disciplina, ao soldado do butulho de
seo cornmando, Francisco Narde, pelas razdes aponta-
dnoos olTicios do subdelegado do Recife, que annexos
Ihe remellia.
DitoAo coronel commandante do segundo batalho
deaitilbaria A p, enviando-lhe a guia, que pela pro-
vincia das Alagas toi passada ao primeiro cadete Maxi-
miano Henrique da Silva Santiago.
DitoAo mesmo, mandando incorporar ao batalho
deieu cornmando o soldado Joaquina Antonio da Sil-
va, e dizendo-lbe, que esta praca vinba paga de seus
vencimentosal o ultimo do met prozimo passado.o que
opportunimente Ihe enviara a respectiva guia.
DitoAo coronel commandante do primeiro bata-
lbio de capadores, commuhicando-lbe a prorogagio, por
mais tres mezes, da licenga, com que desta provincia foi
a capital do imperio o alferes do batalbao do seu corn-
mando, Jos Carlos de Almeida Torres.
PortaraNomeandoo concelho de guerra, que tem
de.julgar, pelo crime dedeserco, o soldado do contin-
gente da provinciana P*r*hba do Norte, Manuel Fran-
cisco do Nascinento.
OfrioAo commandante das armas da curte, diien
do, que (cava scente de baver b governo imperial pro-
rogado por mais tres mezes a licenca, com que all se
DitoAo presidente da provincia das Alagas, di-
zendo, que se bavia aproseotado o primeiro tenento do
segundo batalbao de artilharia p, Antonio Jos de
Mello, quedaquella provincia veio com um mex de li-
cenca na frmB da lei, e nao assim o cabo Luir Jos da
Rocha, com destino a ser incorporado a companhia de
artfices, como S. Exc. communicavu em seu offlcio de
7docorrente.
DitoAo commandante das armas dacrte, scienti-
fleaodo-o de haver aportado a esta provincia no brigue-
escuna Guarawpu, com passagem para o batalbio
provisorio da do Ceara, o cabo de esquadra do primeiro
batalbio de fuzileiros. Jos Barroso Valente, e que se-
guira a seu destino,logo que se apresentasse occasio; e
duendo mais, que havia transmitido as guias dos sol-
dados I.oureoeo Dias da Silva e Joaquim Pureira Maci-
el, que vierio annexas ao seu oflicio do l. de outubro
lindo, ao respectivo batalbio.
DitoAo presidente da provincia doCcar, envian-
do-lhe a guia do cabo de esquadra do primeiro batalbio
de fuzileiros, Jos Barroso Valente, quo, com passagem,
veio da corto para aquella provincia.
DitoAo coronel director do arsenal ('de guerra,
transmittindo-lhe as guias do segundo sargento Ernes-
to Jeronymo Goncalves dos Santos, e soldado Manoel
Pedro de Lima, da companhia do artfices, queda pro-
vincia das Alajas lorio enviados ao'commando das ar-
mas.
DitoAo presidente das Alagas, scientificando-o
de se haver apresentado o soldado do segundo batalbio
de artilharia i p, Joaquim Antonio da Silva, com des-
lino a ser incorporado ao respectivo batalbio, e que ha-
via remedido is estates competente* as guias do se-
gundo sargento Ernesto Jeronymo Goncalves dos San-
tos, e soldado Manoel Pedro de Lima, da companhia de
artfices, e a do primeiro cadete do segundo batalbio de
artilharia i p, Maximiano Henrique da Silva San-
tiago.
DitoAo commandante das armas da corte, dizendo,
que havia enderecado pagadoria das tropas, a (im de
ce averbarem as notas occorridas nos respecliuos assen-
tus.asjuias dos alferes da tercera classe do exercito,
Joaquim Jos Pe eir Vianna Joaquim Pereira Xavier
deOliveira, que pensas vierio ao seu oflicio de 8 de
outubro lindo.
DitoAo presidente commandante das armas da pro-
vincia da Babia, scieotificando-o de baver remedido ao
respectivo batalbio as guias dos soldados Instinto Jos
Alberto, Agostinho Caetano, Joio da Costa Lima e
CbristovioSimf'onio da Conceicio, e bom assim a re-
lacio de mostra das pravas do quarto batalbio de arti-
lharia & p. quo em 26 de setembro do anno lindo mar-
cbrio para esta provincia; e dizendo mais, que o pri-
meiro lente Luiz Antonio Lacombe. de que trata o
aviso da reparticio da guerra de 26 de setembro ulti-
mo, transmidido por copia annexa ao oflicio de S. Exc.
de 8 de outubro lindo, achava- se no goso da licenca na
forma da lei, concedida em dito aviso-.
DitoAo presidente das Alagas, scientificando-o
dse baver incorporado ao segundo bstalhio de artilha-
ria i p, a que pertence, o primeiro cadete Maximiano
Henrique da Silva Santiago.
EXTEI0R.
FRANCA.
O MAKECIIAl. 1UQEAUO SOBRE A RECENTE CATASTROPIIE,
OCCORRIOA EM ALGERIA.
(Corto oo prefeilo.de Dordegno.)
Exceideuil, 0 de outubro.
Meu charo prefeitn. M. Rivet, chef d'eioadron,
Irai-me d'Argel a mnii ilepluravel noticia. O exeroitn e
povn d'Algeria catan clamando pela minlia volia. Ra
lio do aolii'jn tinli ou para queitar-iuo du abandono do
governo na presenca dos mena iiiimigos, da impronsn,
para estar prfidamente decidido a nunca voltnr a Al-
eria leiian ruin a coininimii, quo ou pi'din. Todava,
esai-s acnnteeiinentoa sao lio gravea, que nao me per mi t-
lem demorar a iiiinha vulto no posto do perigo. litou,
pur tanto, roaolvido a partir depuis d'ainauliaa; o pecn-
voi, que me mandis ninanhia qualro cavatina de posta
para me lovarcm a Perigneiix. Reservarei incia hora pa-
ra eommunicar-vos as novidades. Coiu tudo, urna pata-
rra per ora
Abd rl-lvolrr coirn pelo Osle da provincia do 0-
ran; a giiarni(ao do Djemina fui intoiramonto deslmi-
da; perdemos all um lenonte-coroucl, um rhefo de es-
i|n;nlro, um el ir fu de batnlhflu, todu ofllcincs da co-
lumna, e pcrtodc-400 Soldado*. O general Cuvnignnn,
iufiirmado da np|iroximac3o de Abd-cl-Kadcr, o do re-
volta das Irib n margein esquorda do Tafna, seguio
immediatamenle para aquella |iarlo, o doo duna comba-
tes ronliidos, cujus rusuliadus nimia ignorarnos', se bom
quo baja cerina de ter olio entrado ein Tloinoen.
" Este grande suecosso de Abd-el-Kader duvo do tor
caosadn a provincia a mnior cominnC,1u. D* musa parte
commettrao-ic alguna erro* eransus; manifestarlo'su
symptonias de rovolla rin Hiuitu* outror puntos; o ao"
general Bourjolly deo bastante que faior o suffaear a in-
surreicaii sobre o Mina : ella deve du ter ganhndo ter-
reno.
lie ni o l o de temer, que a guerra curorce de nov
Ab! osles ocontooiinontos justifican mais que muito a rai-
nlia (ip|iosiclo n um ajrstenifl, quo sem nccissidade nug-
iiii-nt .ii a ndininintraco civil, *o passo que iliiliinuio u
exercito, a fim de encoinbrir por otso meio aa desjicins
do tal nugmento.
o O meu cornean est partido por tanto infortunio,c
por lauta cogueira dos nosaos guveriianle, o da im[iren-
sb, que no governa muito mais du quo nos queremos
eonccdcr-llie.
arechal, duque d'hly.
A RAIjNHA MARGOT.
por aifontirr Ulumi.
(*)
PRIMEIRO VOLUME.
CAPITULO III.
UM BXI POETA.
O nutro dia e os quo se segurao, passrio-se em fea.
taa, bailes tomeioi. Continua a operor-a a mesina
tusan entre os don pan idus Tildo crin caricia e ter-
nuras a faier perder a rabees su mais enraivado hngue-
nolr. Tinlia-so visto o padre Cniun jontiir e d,ir-e
devassido omu o baro du Courlaumer o duque di-
Guise subir o Sena em barco enm inusicn, de compnnlna
rom n principo de Conde: e|-rei pareca ler-te divor-
ciado da un habitual melancola, eja nao poda calar
sen seu cuchado Henrique. Ein fin a rniuha-mli tan
alegre, iSo occupad.i niolava de jnins, de bordados, de
prnachus, que perda o mi.....i
Os hugueiiute, uni puurn eacryadns por esta novo
Capua, eomecavtu a revestir > gib.a do seda, a arvnrar
aa divia, e a alardear anta cena jnnella, como se ca-
tlluRews foran. Era tal a rearca.> ipie pur t..da a parto
surga ein favor da rcligiau reformada, que se julgaria
() Vido Dimrio n." 205.
querer faier-ao tudn a crle prolealante. O proprio *l-
mirtiite, apesar da sua experiencia, se bavia como us
uniros deixsdocahir no laco, o de lal mudo linha a ra-
hece exaltada que urna tardo havia caquerido, durante
duna liorna de marcha, oeu palito, oceupacao a que de
ordinario *( entrega va, desde as duas da tarde, momento
{Carta ao editor do Scmaphote da Marteillet.)
Li no vuso jornal nina carta, que e suppoo havrr
sido por mi ni ilirigida ao prefeitn de DujrdogM, He bem
verdsde, que, no saber do nr.onteeiinenlo d'Afren, e-
ereri quelle funceiunariu, qio lio um dos meo amigos
mais vellins, para mandar-ino rovallns de postas Exci-
dcuil; o oommiiniquei-lbu a o me ni o lempo infornia-
eflo, que linha reerbido a respeito daquelles Irislea n-
conlecinienlns. Ten,lo n iniuhn carta suln escripia ob
a impresaii, que elle ilrvin de pnoliuie, na pono rr-
cnrdar-nie cxuetaiuente do loriuo,ilc que me serv; mas
nao beaitn em del tarar, ipir os meu sonliraealoi fnra
ineorreclanientu exprimido pela pessua enoiiiregada de
fnier o exlrnrtu des>o despacho (porque s mu exmelo
fui publicado), relativo ao sueeesn d'Africn a qual
tiimuu a entrar em euiuuleracc, c|uo nunca ilevuro
ter figurado n'iintn tal piibliuncAu Aflirmu mais, que
ininlin cari fui nteiramento confidencia
tw- *?, ^Hjcm
cunlinha a
todo o* da miilia Ierra ocircunivinhos, quo pens
puderem ser otis o V. uiogcatade.
O duque recordando-so do pretendido prujecto de
que Henrique fallara a Mirgands no da do sua nup-
cias, applicou ouvido menlo.
__ Bom, bom | responden Carlos com o seu sorrisn
em liii* acaba va dejarlar.at as olo huras da nuito, tem-jdesengrncailo, quantus mais iiiellior. Maudai, manda-
po em que e piinbn nutra ves mes* para cear. os vir, Henrijue. Mas qucni sSo esses gentis-homens
A lardo cm que o almirante se havia deixado levnr i
ente mi rivel esqneciiuento do sous ciislumcs, cl-rci
convidado pora merendar com elle, a
effusoea do um amigo vellma outro; e nloera ininha u-
tencJn, quo fosso publicada.
a Ignoro as circunstancias, que derio lugar & pu-
blicacao duuma carta, cujo eontedo foi tio eslranha-
mente pervertido. Lastimo o com veras, mas teoho pla-
na conviccio de que isso foi leito contra as intencoes e
com inscienciado prefeito de Dordogne, por algum in-
dividuo indiscreto e malicioso.
O manchal duque d'hly, governsdor general d*
Algeris.
RUSSIA E POLONIA.
Escrevem de Barlim, em data de 9 do paliado (outu-
bro), que pur noticias de S. Petersburgo consta va, que
brevemente se esperava, qrjo#losse abolida frac linha
divisoria entre a Russia e o reino da Polonia, oque esta
(icaria assim plenamente incorporada ao grande impe-
rio. No t "de Janeiro de 1846 cessara de existir o li-
mite d'alfandegas entre a Russia e a Polonia, de modo
que a producciopolaca pode entrar na Hussi, livre de
direitos, e as lazen las russianas podem igualmente pli-
sar para a Polonia. O commerciod'ambos os piizei ser
por esse meio mutuamente beneficiado. Especialmente
os pobres Polacos, cuja industria manufacturera foi
violentamente tolhida pela revolucio do 1830, podem
encarar este novo ataquo sua independencia, segundo
foi estabelecida oo congresso de Vienoa, ante como
urna felicidadedo que como urna desgrasa. Dizem ser
ntencio do imperador unir o grande caminho de ferro,
oraernprogresio entre S. Pelersburgoe Moscow.por urna
ramilicacio com a Warsovia, e lambem continalo at
Odesia. Por este meio seesteoderS ocommercio a*
industria poloneiei at os mares Negro e Caspio.
\Gatela de Augtburgo di* que o imperador da
Russia bavia renunciado a sua intoncio de passir Si-
cilia pelo Bosphoro o pelo F.streito de Dardanellos. A
recepvio feita ao grio duque Constantino (obierv* o
Journal des balt) pela popolaco chrislia de Con-
tiotinopl* talvez tenba influencia nessa determinacio
do imperador. Depois da sua in*peccio 4 Russia Me
ridional ir o imporador por Lcmberg e Vienna ao
lago de Com*>, onde se enoonlrari com a imperatris,
edeciJir, se ella ba de continuar a sua viageui por
m*r ou por trra
D. Carlos e a princeza da Beira chegrio Genova
a 8 do passado.
PRSSIA.
O Siele dii, que a municipalidade de Berlim ende-
recra um novo memorial ao rei. Na sua lessio de 9
manifestou a assembla dos delegados da cidade o deso-
jo do faier constar ao rei os seus unliinentos polticos
na mensagem, quo soapresent* todos os aonoi S.
M. noanniversariodo sou nascimento. Diiem, que,
conheccndoGuilhermei.'a impossibilidde de luctar
por mais lempo contra o espirito liberal dos soussub-
dit s, tinha resolvido dar monarchia urna constitu-
ci geral, que ser publicada durante o racesso do*
estidos prnvinciaes.'i
a O nosso correspondente de Berlim (observa o SiV-
cle) mo contradiz esta ultima noticia ; mas diz. qu*
deve sor recebida com grande cautella, pois que as re-
solucoos do rei nio so sontas de repetinas r'f6e
O negocio da primeir* mensagem do magistrado de
Berlim ainda nio est terminado. O ministro de estado
Von Thiele enviou a municipalidade o texto da rea-
posta real, declarando ao mesmo lempo que o rei nio
objelava sua publicarlo no* jornaes. Em breve lam-
po, qurde um qur de outro modo, serad certMima-
aa*ai*jBi**MjSjij*gjj*Haa
disto o almirante, a quero el-rei tinha, ha alguna da*,
Carlos IX havia
Hoiriquo do Navarra e oo duque de Cuino. Depo da
mercada, havia ello pasando com ve don convidado
para a un cmara, o all Ihe esplir-ava o eugenhosn
mi caiiinio dr iimn arinodillia de tubo*, que elle ines-
iii o ha vi* inventado, quando de repente inlerrompen-
do-se :
__ Oslmrnnto nio vir purea etn tarde? pergun-
tou elle. Quera o vio boje, e pode dar-mu noticias
usaP
Eu diste cl-rri do Navarro, e so a sun saude desse
cuidado a V. magetlado, puilerin Iranqiiilliaa-lo, por-
que o vi esta manilla pela cu hora, o do tardo *s
qualro.
__ Ab ali dirseel-roi, cojo nlliu, pur um instan-
te distrshdoa, se filarlo com presaruladura curiusidn-
de em seu cimbado, soi bem niadrugadur, Henriqu-
nho, para marido muco.
__ Sim, Sr., repnndeu i Bearnei, quera saber du
almirante, quo ludo abo, aa algn gcntis-liumeus que
*inda capero, ja cttorio ein caminho.
Anda grnlu-houiein no dia du votan nuivado
tinliea uitnccntn, e todna os dia vos chegio mai,
querei eniao inv*dir-no? dio Corlo IX riudu-sc.
O duque de Come framio a testa.
enhor. replicou Henrique, fulla-so de urna em-
presa contra Flandre, e eu reno em derredor de mm
Sem dunda han do ter valcntci.
_ Nao sci, Sr. to oa mcui genlit-lioment valrro
jamaia us de V. ma(telade, o do Sr. duque d'Aujou,
na do Sr. duque de Guiso, mas couliefu-ot, c contu que
lilu do faier u que pnderCm.
Etperaia inututP
__ Anda dez ou dote.
_ Como ic chuman?
Ei-capUo-mc agora o numet, Sr. eexccp;3o de
um dcllet, que me lio reonnunendodo por Tclgny co-
mo um ciiinpleln gcntilhonirn, oque ac chama de La
Mole, nao tubera diser.....
De La Mole ? nio be um Letao do La Molo, repli-
cn cl-rci, que era mu versado na acierleia genealgica,
mu Pmvencal?
_ Justamente, Sr.; como vedes, recruto al na Pro-
venca.
__ E cu, diste o duque de Guise ci>m snrriso inniba-
dor vuu mai longe ainda du quo S. magettade cl-rci
de Navarro, porquo procuro al no Piemonle todos oa
catholieo teguroa quo alia potso encontrar.
__ Pouco me importa, acudi el-rc Carlos, que sejlo
eslhfllicos ou hugucnoles, com tanto quo srjao hornen
eafurcadu.
Paro diser catas palavras que cm sen espirito confun-
dan bugueno'es ecatholicus, havia cl-rci tomado um
r lio indifferente, que o mesmo duque de Guise ficuu
admirado.
V. iiingestade uceupa-se dos nossos Flamengos,
concedido o favor do enlrar no seu aposento sem ser
annnncindo, e queouvira as ultima* palavras deS. uu-
geatnde. '
Ab! oit-ahi meu pai o almirante, exolamou Car-
.u IX brindo oa brncoa; rllate de guerra, do gents-
homens, de valurotm, e elle quo chega; oque he or
iionn, o ferro vulla-so para ello ; meu ounbado de Na-
varra e meu primn de Gito ctpcrlo refor9os para o
vusso exercito. Ditto lio que tratramos.
Eette ref ireoa chegio, dii o almirante.
Tendea dellet noticias, Sr. almirante? porgantou
o Bearnet.
Sira, Sr. de meu filho, e particularmente de M.
do La Mole; hontem ostav elle eio Orloant, e amanhia
ou depois etlar cm Paris.
Que tal! o Sr. almirante he entlo nigromante, pa-
ro taber otsim o qua te fas a trnt* oo qu*renta legua*
do dittonei*. Ca por mira, quitera bem saber com igual
ccrlesa, o qnu se pastar, ou o quo se passou i vista
d'Orlans. r ...
Conservou-se impnssivcl Coligny a este Uro do duque
de Guise, que clarimento alludia a raorto de Franoitoo
do Guite. teu pa, mnrto cm frento de Orleant por Pol-
Irut de Mr, nio tem suspoila do que o almirante hou-
ve*so acontclhado o enroe.
__ Senbor duque, replicou ette com oalma edigni-
dtde, suu nigromante todas as vetes quo quero ober
bem pusilivamenle o que importa not moni negocio* oa
nui d'el-rei. O mou curreio ohcgou de Orlean* ha urna
hora, egracsi poda, fes Irinto o dutt lego** no da.
M. de La Mole que viaja s csvallu nio fit maia quo des,
o t chegor o 24. Eia-aqui toda a mgica.
Bravo!. meu pai, bem reapondido, disseCarlos IX.
Moatrai ede* rspitea que be prudenei a par da ida-
do, que vo* tem encanecido barba e cabello; por imo
vmo* manda-Ios conversar nos seu trnelo* amores,


*
mente todoi os documentos submeltidos i leitura do
publico. Til he opiniSo doi horren que eslo rm
posicSo do entender situacio iotelleclual da Allema-
nha.
(Times)
INTERIOR.
RIO-GRANDb-DO-NORTE.
Correspondencia do Exm. Sr prndenle da provincia
com os juizt, de dirtilo eche/e di polica d i mesma.
N. 41. Srirnte, pelo seu officio datado de hontem,
daa razoes juitfca(va> da prisio da Filippo Joaquim
do Natcimento, que Y nica passou a nimba disposicao
cono recruta, cumpre-me dizer-lhe que tenbo des-
tinado o mesmo individuo para o servico da marinba,
para que he julgado mais proprio e em. occasiio
opportuna Ihe darei o conteniente destino. Dos
guarde Vmc Palacio do governo do Rio-Grande-do-
Norte, 21 de maio de 18*5 Dr. Casimiro Jote di
Atoran Sarment. Sr. chafe de polica desta pro-
vincia.
N. 42.Scieoto, pelo oflicio que Vmc. me diriga litar edita!.
boje datado participando me o naufragio da canoa
Moclo, que deiti porto sabio com destino |>ara a vil-
la dos Touroa, levando dea saccas de farinha quu re
metti para essa villa, a fim do ser distribuida pelos po
bresd'alli, cumpre me dizer-lbe que nonbuma duvida
tere em mandar repartir as 3 saccas, que se appr*ei-
tro pelos pobres de Muri- ondedeo a costa
a mencionada canoa ; mas para isso he mister que
Vmc me indique urna pessoa, que possa ser encarre-
gado de distribuir a dita farinha, visto que j estou
informado que o inspector de quarteirio,ScbastiioCoe-
bode Souza, nio merece conceito algum. Dos guar-
de a Vmc. Palacio do governo do Rio-Grande-do-
Norte, 24 de maio de 1845.Dr. Casimiro Jos.e
Aloran Sarment. Sr. ebefo de polica pesta pro-
vincia.
N. 43. Ao mesmo, mandando capturar o de-
sertor Ignacio Jos do Espirito Santo.
N. 44.Ao mesmo, aecusando a recepcio do ofli-
cio, que acompanhou a relacao dos pobres do termo
dtfS. Jos.
PERNAMBUCO.
CMARA MUNICIPAL DO RECIFE.
1.* SESSA5 HDINARU AOS 22 DE KOVF.MBKO DE 1845.
Preiidencia do Sr. lego Albuquerque.
Presentes os Srs. Ramos, Carneiro Monleiro, Mello
Cavalcanli, e Nery da Fonseca, faltando com causa
participada o Sr. Oliveira, e sem ella os outros Srs.,
abrio-se a sessio, sendo approvada a acta da antece-
dente.
O secretario deo conta de um ofBcio do Exm presi-
dente da provincia, communicando ter defignado ojuiz
do direito da 2.* vara do crime desta comarca para re-
cebar a lista dos cidadios, que form qualificados jura-
da eamboi do Carmo, dosappropriada Jos da Coala
Dourado, e da da ra do Horario, pertencente a Fran-
cisco Martina Rapozo. Quanto ao ultimo ficou ad-
diado, por ter a camarade entender-se com a directora
da companhia do eocanamento daa agoas, e quanto ao
primeiro deliberou-se que se autorisisse o procurador a
acceitar leltras avencer-se deoutubrode 1846emvante;
porque por ora nao ba quota marcada no orcamento
municipal para essa despea, e he preciso que se pega
a assembla provincia.--Emvirtudu de'reprcsentacio do
mosmo procurador, deliberou-se que se officiasse so
cord.ador para assistir, a roquiscio dos iscaes, ao
exames e termos, que se houverem de far.er.sobre con
IruccOes e edificaefies, que oflendio as posturas, o no
mesmo sentido aos iscaes
Um olTicio do fiscal do Poco-da-Panclla, partici-
pando terom rendido as multas d'aquella freguezia a
quaotia de 40,000 rs.
Outro do contador, pedindo, para que se marquen
os trinta dias estabelecidos pelo decreto da assembla
provincial de 17 de maio do anno prolimo pisssado para
pagamento dos impostos municipaes. Mandou-se af-
dos, e presidir a junta revisara, nos termos do capitulo Joio da Molla Botelbo. e do Francisco los Rapozo,
3. do regulamdnto n. 120,de lodo Janeiro de 1842. iodos eom deapacbos do Exm. presidente da provincia
1842.,
Ioleirada.
utro do mesmo Exm. presidente, exigindo iufor-
niacio sobro os suppleotcs dos uiies municipaes do
termo desta cidade, hem como dos empregados du po-
lica, quo teirn sido juramentados pela cmara, e or-
denando, outro sim, que se participe a presidencia,
logo quo se |uramentarem toes empregados. Itespon
deo-se, que tmenlo osjuizes de paz ero os ompre-
gadoscom attribuirdes policiaes.que a cmara lea jura-
mentado, e cuja relacao remelle; e que ficava intoi-
rada da recommendacao feita em dito officio.
Um do o (Tic i u I niiiior da secretaria do governo, no
impedimento do secretario, remetiendo actos legislati-
vos. Mandou-so archivar.
Um do procurador da cmara, participando que o
doutor Joio !'. rreira da Silva protend. que te Ihe pa-
gue 4:000,000 rs. pelo terreno das Cinco-Ponas, a
razio de 20.000 rs o palmo. Deliiierou-se que urna
commissio, composta dos Srs. I.uiz Francisco, e Car
neiro Monleiro, tratasso com aquelle doutor, a fim
do ver se se evilao as difliculdades de um processo.
Outro do mesmo, participando que os arrematantes
dos talhos, que lorio postos novamente em praca, pa-
garlo as suas arrematac,ois. Inteirada.
Outro do mesnio, participando que Manoel da Sil-
va Santos, arrematante das casas ns. 33 e 55 da pra
(a da Independencia, odereceo por fiador, cm lugar do
primeiro, quo nao quiz assigoar a lianca, a Joio da
Silva Santos. Deliberou-se que se lavrasse novo
termo.
Oulro do mesmo a reipcito do pagamento da casa
u Acaremos anilina a conversar em noasoa guerras. Sio
oa bous consellieims quofa-eiii na ln.na rea, meo |iai.
Ide, Sr., embura, lenlio que fallar au almirante,
Ot ilota nionri'boa rclirrio-sc, el-rei de Navarra li-
diante, e o duque de Guise aps -, mas foro da porta lo-
nimi cada um para o cu lado dejuiia du iimn fra reve-
rencia.
Coligny una ponto inquieto hnvin-ot seguido conloa
elhoa, porque nunca via |>roximadoa cates dosis odias
tao arraigados, sern recein de que trrebcnlasso algumo
cenlcllia. Carlos IX perrrbco <> que ce pose va noaeu
espirito, vei a elle, e encontandu o braco no aeu :
Sede tranquillo, nicu pai, en aqui elou para man-
ler a ludo* na uliriliencia o no respeirn. Son verdade-
ramente re dr|iuis que minhn m.ii nio lie maia raiuha,
o ella n.o he maia rainba deadoque Culignv be nicu
pai.
Oh! Sr., diaae o almirante, a raiuha Colherino.....
He lima perturbadora. Com ella n;io lia pai pos-
aivcl. Estes catliolicoa ilalianos ao mis oudiabradoa
que a enlcndeiii de cxtrrininar. Ko, pelo contrario,
nao a quero pacifcar, maia aiuda dar poder ana da re-
ligiio reformada. Oa outros alo milito diesolutor,
rneu pai, e mo cscondaliai i :nm o> icus a morca e de-
veeeidrs. Ora, querea que te falle francamente? con-
tinuos* Carlea IX cada vea maia expansivo. Ko dcscon-
i de ludo que me ladeia, excepto doa mena novoa a-
zaigos. A ombicSo de Tnvannea me he suaprila,
Vieillevillo s guala de bom viubo, e seria capas de Ira-'
hiraaeu rei por um barril de malvaiia. Monlmorcn-
cy a cuida em caca, opaaaa o sea lempo entre cara c
t'alcoes. O conde du Ret be Hespanhol, os Guises sao
Lorrenos. Nio ba Franceica cm Franca, creio cu, Deas
me perdoe 1 aeniu en, rneu cunbadu de Navarra e lu.
Maa cu estou alado ao ihrono, c nao posan comnandar
oe exeroitoe. Por do snais deiiiu-me cacar minha
vpnlade era Sl-Germain o Rambouillel, Mcu cunbadu
Outro do mesmo, pedindo inslruccdas para orga-
nisar o orcamento, que tem do servir de 1816 a 1847.
Deliberou so que fosso mencionada a quantia de
1:900,000 ra. para pagamento de Jos da Costa Dou-
rado, e a importancia precisa para a assignatura do
Jornal do Lommcrcio, ond.' sio publicados ostraba-
Ibos das cmaras legislativas.
Outro do mesmo, pedindo providencias sobre ai
guias do procurador, que nao sao muitas vejes apresen-,
tadas pelas portes na cunladoria. Mandou-se informar
ao procurador.
Deliberou-se que se mandasse levar em conls as des-
pezas com os protestos de prevenejo feitos, das ledras
de Caetano Tbeodoro Antunes Villaca, por ter falle-
cido o segundo garante Joio Antonio Martina No-
vaos.
Um officio do presidente doconcelho de salubridide
publica, acompanbado de dous exemplarea do regi-
ment interno do mosmo concolbo.Inteirada, man-
dou-se archivar.
ForSo approvados dous pareceres da commissa'o de
edificarlo, um sobre os requerimenlos de Ignscio Nery
da Fonseca, e Francisco da Silva, e oulro sobre um
terreno pedido pela cmara na ra do Iirum para praca
publica, deliberando se que se officiasse ao governo
no sentido doa mesmos pareceres
Approvou-se um oulro parecer da commissao de po-
la fies sobro requerimento de Joio Manoel de Siqucira..
pelo qual se maudou pagar a importancia de 323,280
rs de fornecimento de luzes para a cadeia, sendo que
chegue para islo a quola marcada na lei do orca-
mento.
Forau mandados a commissio de
nos Ibes sejio concedidos, urna vez qua os requerenttt
se obriguem a deixar livres as pracas, ras a Uavessas,
que pela planta da cidade sejio precisas. Beoife, %
de novombro de 1845.Ramos.
A commissio de edificacio, tendo em vista* o des-
pacho do Exm. presidente da provincia,pelo qual man-
dou ouvir i esta cmara sobre o terreno pela mesma
pedido na ra do Brum para praca publica! bavendo,
outro sim examinado as respostas do engenbeiro
m clice e procurador-fiscal da fazeoda, e estn
do informada de quejse da Cunba Teixeira an-
da nio posaue titulo legal pelo qual possa ter di-
reito a inderonisacio de bemfeilorias feitas em parle
do terreno pedido, e nio podendo o mesmo terreno
ser dado sem a clausula implcita de salvar as servi-
dos publicas, entende a commissio que neste sentido
se responda ao Exm. presidente. Recife, 22 de no-
vembro de 1845.Hamos.
A commissio de peticoes, a quem foi presante o
requerimento de Joio Manoel de Siqueira, (ornecedor
do azeile para luzes da cadeia, no qual pede a impor-
tancia da 323,280 rs., valor do azeile que fornceo at
junho do crrente, conformando se com o parecer do
procurador o da contadoria, be de opino que se Ihe
mande pagar, nio excedendo a quota votada pela lei
do orcamento. Recile, 22 de novembro de 1845.O
veri ador Mello Cavalcani.
1 SBSSA OHDIXARt A AOS 24 DE NOVEMBRO DE 1845.
Presidencia do Sr. liego Albuquerque.
Presentes os Srs. Ramos, Carneiro Monleiro, Mello
Cavalcanli, e doutor Nery, faltando com causa parti-
cipada oSr. Oliveira, e sem ella os outros Srs., abrio-
se a sessio, approvando-se a acta da antecedente.
O secretario deo conta de um officio do procurador
da cmara, em que relata as oceurrencias, que tiverio
lugar por occasiio da absolvicao das multss, em que
incorrrio os teberneiros do bairro da Boa-Vista.
Inteirada, mandou. se Ibo officiasse exprimiodo pe-
sar pelas injusticas por elle soflridas.
Oulro do engenbeiro|cordeador, representando que
na secretara do governo se nio Ibe tinha entregue a
planta da cidade, conforme a ordem do Exm. presi-
dente, em officio do secretario.
Assignou-se o etpedienre e levantou-se a sessio.
Eu Joo Jos Ferreira de A guiar, secretario o es-
crevi.
Reg Albuquirqui, presidente. Mello Cavalcan-
li. Carneiro Monleiro. Hamos. Dr. Nsry da
Fonseca
COMMEBCIO.
Alfandega.
- edificacioos re.pND.ETp do du26..... .13:191,636
querimentos de Manoel Jos da Silva Guimares, com 1 n .. ycarr<9 *; "
urna planta do engenheiro emcbefe.deManoeldaCunba B''8"e-Bar*e//_bacalhio
Cumiarnos Ferreira, de Manoel Luiz de Mello, de
para informar;- mandando-se redigir a resposta, quo
tem de ser dada ao mesmo Exm presidente sobre o re-
querimento de Manoel Alvos Guerra, corr.o caixa o
procurador dos arrematantes do imposto de carnes ver-
des nesti cidade.
Desparbario-se as peticoes de Francisco Augusto de
Lomos, de Joaquim Januario de Lima, de Francisco
Gomes Moreira, do Antonio Lino da Silva, de Joio
Manoel do Siqueira, de Joaquim Jos Carneiro Mon-
leiro, de Francisco Jos Alves Gama, de Amaro Anto-
nio de, Faria, de Jos Francisco da Cosa, de luio
Lopes de Souza, de Jos Ramos de Oliveira, de Jos
Rodrigues dos Passos, do Jos Gorjio, de Manoel Fer-
reira dos Sanios, de Manoel Martina de Almeida, de
Manoel Pereira de Catiro, do Marcellno Jos Lopes,
de Mara Elena Pessoa de Mello, de Ricardo da Silva
Nigromonte, de Jos Anacido da Silva, e de Joaquim
Jos do Espirito Santo; edada a hora, levanlou-se a
sessSo. Eu ./oflo Jos Feriara de Aguiar, secretario
a escrevi.
Ieg> Albuquerque, presidente Carneiro Monlei-
ro. Hamos.r.J\ery da Fonseca. Mello Ca-
valcanli.
Pareceres, aque'se refere a acia supra.
A commissio d edificacio vio os requerimenlos
de Ignacio Nery da Fonseca, e Francisco da Silva, em
que pedem ao Exm. governo da provincia, por afbra-
mento, terrenos alagados na ra do Alccrim, e nos fun
dos da ra da Gloria; e he de parecer quenenhum
inconvenienle soflre a municipalidado-que taes Ierre-
de Na vari n lie multo novo, o milito pnuoo experimenta-
do. Alora de que |iareee-iue rm ludo muitocom aeu
pai Antonio, que aa niiilherea anuj.re perderlo. S lu
ineu pai, e .111 incsmu tcni|> bravo como Julio Ccaar, e
aabiu como PlalSo. P,.r ludo iato, nao aei, na verde-
de, o quo devo fater. So cnuacrvar-lo aqui como con-
scllieirii, aceoviar-t algores Como general. Se me a-
eontelfiaa, quem commandara, ao commandaa, quem
me aciiuac!liara!'
Senlior, dase Colligny, he preciso vencer prinici-
ru, ojis a victoria vira o conaclliu.
Ho oten parecer, meo pai; puia bem Irio a>
ouuaas de ateurdu com elle. Segunda reir parlira pa-
ra I landre c eu para Aiubaiae.
V. niageatailn dcia Paria?
Sim. Esluu caneado de Imlu cale barulbo, do to-
daa calas fcalaa. Eu nao suu borneas de acc.ao, aou mu
visionario, Nio nasci para aar rei; minha vncacio era
de poeta. Em ijuaulo caliverea no guerra formars urna
eajievie di: couielbu, que governar; eludo ir bem,
ora lauto que niinlia mii nio tonhn parte nelle. Por
saina, ja prvveiri Rmiaard, que fosie 1er commigo, o la,
auiboa luugo do buiicio, lunge do rhuudn, lunge dua
moa, asombra da* .irv.nr*, na* margena do riu, uu
ouvindo o iniirmuriu doa regatos, fallaremos daa cousas
deDeoa, nica- compensado que ha na torra para aa
coman humnos. Ora, eacuta ealee verana, jielna quuea
envide! a vir fa/cr-me companhia ; li-lu esta rua-
BarcaJitcarvio.
BrigueJohantaboado.
SumacaNova-A'uroiacharutos e fumo.
BrigueSword- /"ii/imarcador ias.
IMPORTACAO.
CEZAItlN/4, brigue americano, vindo do Terra-
Nova, entrado no correle moz, a conslgnacio de Hcn-
ry Forster Companhia, manifestou o segu ote :
2,000 barricas com 2,000 quintai de bacalbio, 150
barris breo e 70 caixa* che ; a ordem.
Srf'OHD-FJSHt galera ingleza, vinda de Liver-
pool, entrada 110 crtenle me;, a consignarlo deM.'
Calmont Companhia, manifestou o segtinle :
2 caixas lencos de seda, 65 fardos e 26 caixas fazen-
das de algodio, 23 canas fa/endas de linbo, *8 fardos
lazendas de lia, 50 barris chumbo de municio, 1 bar-
rica rame de lati, 50 barris salitre, 17 laxas, 2 cai-
tas o avulso ferragens de*macbinismo, 25 quintaea ar-
cos de ferro, loO caitas folhas deflandras, 2 barricas
louca e vidros, 51 barris manteca, 102 prcas da ca-
bos, 2 caitas papel, livros e tinta ; aos consignatarios.
33 caixas a 8 lardos fazendas do alRodio, 7 caixas
ditss de linbo, 1 barril manteiga ; a Jones Paln &
Companhia.
80 barris manteiga, 22 caixas e 2 fardos fazendas
de algodio, 17 caixas ditas de lia e algodio, 4 fardos
dilas de lia ; a James Cochskolt d Companhia.
33 fardos e 12 caixas fazendas de algodio, 2 ditas
ditas de linbo, 3 faidos ditas de lia, 4 caixas lencos de
seda, 1 fardo lencos de algodio, 100 barris manteiga ;
a Jobnston Paler & Companhia.
8 fardos e 1 caixa fazendas de lia, 28 ditas e 10 far-
dos ditas de algodio, 6 caixas fazendas de linbo;
James Crablree & Companhia.
u coiiviuei
1ia>-
Coligny
aorriu-se. Carlos IX passou a mi pela fron-
te, amarlodo c lustrosa curiiu nina jiloco de 111.11 Km, B
c0111ec.nu a declamar os seguintos versos, em guisa de
cauto compasiadu:
Se te ausenlas de mini, charo Ronaard,
Sei que a vos do ten rei p'ra logo dividas;
Mas buiu lie p'ra letubreie que lu saibas
Quo a cadu instante maia rcvnlvo o aro
Os lidoa campos da sutil poezia :
Ealas notas que vs, cu quix inandar-laa
P'ra n'alma i'iucender eiilhutiaaiuu.
Basta d'nninrca 'os fiis caxciroa;
Ncm j he lempo de cuidar cm flores:
Segu, Ronsard, leu rei. quo tanto te ama
Peina verana qu' era ondas de ti correui;
E maia te Higu : se no fresca Ainbuiso
Te nio vaea reunir commigo i presas,
Larga briga hovera entre na ambos.
Bravo! Senlior, bravo! diise Coligny; eu cntcn-
do mais daa cuuaas da guerra, do que depoexia; mas
parecc-me que estes versos voleen na maia lindos que
lt.iiia.inl, I) .rat e mesmo M. de l'Hospital, chancellar de
r'r.uico, poasio fater.
100 toneladas de cirvio de podra ; a Joaquim B*ap.
lista Moreira. '
1 embrulho papel ; a N. O. Bieher & Companhia.
3 voluroes objectos de botica ; a D. Arbuckle.
8 caixas fatendas de algodio, 2 ditas ditas de lia a
algodio ; a J. Koller.
I barril ago'ardente ; ao capitio.
10 caixas e 2 fardos la/eodas de algodio; a Henry
G ibson.
II caixas faxendas de algodio, 1 embrulbo amostras;
a Ridgway Jamisson & Companhia.
19caixas ell fardos fatendaa de algodio, 1 barril
manteiga; a Adamson Howe & Companhia.
28 fardos e 19 caixas fazendas de algodio, 6 fardos
ditas de lis e algodio, 5 caixas ditas de linbo, 6 ditas
linhas de algodio, 1 dita rriudezas, 1 dita aderece*, 3
barris e 1 caixa ferragens; a G. Kenworlby & Com-
panhia.
50 barris manteiga ; a Lalham & Hibbert.
35 ditos dita a J. Pinto de Lemos & Filbo.
58 fardos ell caixas fazendas de algodio, 1 fardo
fazendas de lia, 1 barril carnes; a Deane Youla &
Companhia.
4 caixas (aren Jas de algodio, 3 ditas objectos de se -
leiro; a W. C.Smitb.
22 fardos faxendas de algodio. 2 eaixas ditss da lia,
4 ditas diUs dalia e algodio; a II. Hoy le & Com-
panhia.
16 fardos fateodas de algodio, 1 dito ditas da lia; a
Fox Brothers.
4 fardos fazendas de algodio ; a Rozas Braga &
Companhia.
1 oaixa instrumentos nuticos, 1 dita joias; a Chris-
tophers & Companhia.
26 volumes cabos, 2 fsrdos lonas, i caixas roiude-
zas. 1 dita adercos, 100 gigos batatas, 5 caixas bis-
coutos, 74 presuntos, 64 queijos, 4 barris carnes, 1
dito ooslarda, 1 barrica louca ; a ordem.
2 caixas ignora-se; a C. Austin.
52 embrulbos, ocluidos os declarados no manifest
amostras; a diversos.
Consulado.
- RENDIMENTO OO DA 25.
Geral2:542j93.fi Provincial1:083*048
Movimento do Porto.
Ah,! mcu pai, eiclamnu Carlos IX, nio diteres tu
a vei ilad.i! porquo, vs lu, u titulo de poeta, he o que
en ambiciono in.ui que todos; o como eu diiia ha al-
guna diaa, Ronaard :
Aa doutaa regraa du caatalio cio
Tem maia alto lugar, culto maia uobre,
Que aa regras fras du reger os horoena :
Ambos tratemos ua cabrea c.'r.is,
Mas eu accitu-as, tu, pueta, d-las.
O lomo santo quo te abrasa o esp'rilo,
Per ai mesmo fulgura ; cu pelo mando.
S*aoa deozes peco qu' entre lia decidi,
mimo aeu tu s; eu aun a inagein.
A* almas todaa essa lyra arrostro ;
A miui os c.orp.ia he quo lu me deitos ;
E onde nunca cutiou furo lyrauo,
Alto dominio leus suaves veraoa.
Navios entrados no da 26.
Ilha-de Fernando; 4 dias, palscho biasileiro 5. Jote-
Americano, de 152 toneladaa, capitio Jos Anto-
nio Malozinho, equipagem 12, carga pedra; a Gau-
dioo Agostinho de Barros. Trax do ex-com-
mandante da liba, o tenente-coronel Leal esua
familia, o lente Delgado, o os empregados, que
forio mudados, 34 prisioneros, 11 sentenciados, qua
acabiriodecumprir seu degredo e 13 pracasde 1.*
linba.
Ass; 10 diss, patacho brasileiro Trcs-ii-Marco, de
196 toneladas, capitio Antonio Albino de Souza,
equipagem 12, carga sal e palha de carnauba ; a A-
morim Irmios. Conduz 1 escravo i entregar, que
segu para o Rio-de-Janeiro.
Navios sabidos no mesmo dia.
Rio de-Janeiro por Macelo e Baha ; o vapor braaileiro
Correio-Brasileiro, commandante o 1.* lente Joa-
qun) Salom Ramos. Passageiros, Joio Custodio
D'Uodaim, commandante do Transporli-Brasileiro-
N. 1, que nauragou na costa do Norte, e um esers-
vo ; o escrivio da armada, Manoel Joaquim da
' (ueiroz, 4 recrutas de marinba, urna escrava a en-
tregar, dous guardas nacionaes, com 2 presos de
aentenca, 8 pracas de marinha, que lorio do Trans-
ponte-N. 1; Ellen Fay, e 1 (iba menor, lnlezes.
Rio de-Janeiro patacho brasileiro Tres-de-/Marco,
capitio Antonio Albino de Souza, carga'a meama,
que trouxe.
Editaos.
A cmara munioipal desta cidade, em virtud da re-
soluto da assembla provincial de 17 de maio prximo
passado, marca o prazode trinta diaa. contados da pu-
blicado deste, para pagamento das licencas abaiso.de-
claradas, estabelecidas por a lei n. 120, d? 8 de maio de
1843; fiodo o qual, serio multados, com a multa de 5
3* rs., todos os que as nio tenbio pago, na confor-
midade da citada resolucSo.
LlCBNCAS.
Para cacar 10*000
ter ci com coleiri 2*000
armar barracas volantes 6*000
Seiihur, disse Culigny, eu ja sabia quo V. ruages-
ladc converaava com as Musas; ignoravo porm que
dellaa liouvesse formad seu principal cunavlho.
Depnis do ti, rneu pai, drpuis de ti; e he para nio
ser interrumpid lias minhaa rclaces Cornelias, que (o
quero por testa de turbia us negocios. Ouve pis ; he
preoiso nesto inclnenlo que cu responda a un uovoJUa-
drigal, iiiio o ineu grande c querido poeta me remel-
le..... Nio poaso porianio dar-te esta hora todua oa
papis que sio necessarius para lo por ao crrenle da
grande qucsliu que nos divide, Filippe II e eu. Ha,
oleni disto, nina especie de plano do campanha que os
idciis ministros linhio (Vito, procnr.ir-te-hei ludo ialo,
para te dar amanilla de maiihaa.
A que boro, Senlior?
As det; eso por acaso eu citiver ocoupad curo
us idciis versos, uu fechado no meo gobiuute de tiaba-
Ihu..... entra do meamu rundo, e loma todna oa papis
que achares sobre a mesa, ou naquolla oaruiri verme-
Illa; acor uto leba de engaan eu vosj etorever a
Ronaard.
Ailcu, Senlior.
Adeoa, ineu pai.
A ni Jo do V. mageslade?
Que fallas lu cm mi p Vcui ana meus braceos, ao-
bre o meu corafio ho o leu lugar. Vera, meo velho guer-
rciro, vein.
E Carlos IX, tirando si Coligny quo so iaolinsva,
encostiiu ua labioa no* acua cibelina broncos.
O almirante relirou-sc encliugando urna lagrima,
Carlos IX ulliiiu para ello em quanto o pode ver; ap-
plicou u ouvido em quanlo podo ouvi-lo ; e quandu uto
vio, ncm onvio maia noda, inclinou, emo era de aeu
cusime, o eabec.i sobre o hombro, e vagaroso pas-
sou da cmara em que se achara para o seu gabinete
d'ariuaa.
(Canit'nuar-s-Att).



Por cidi un cirro, pu cirroca d'aluguel 4*000
Pin brir ecouguei as ra principies 12*000
caa* de buhar 3000
> f a do fogueleiro o de vender pol-
, ; 20'.OOO
Para abrir coebeirss publioai 6*000
ter deposito de madeiras, aonde nlo bou-
verem serrsriis 6*000
Para tercanoi subterrneos deesgolo para a ra 5*000
depositar materiaes oa ra 3*uO
. ter botiquins 30*000
soltar logos de artificio, e machinas ae-
rostticas 30*000
Para armar palanquea, curros e tablados para
festejos pblicos 30*000
Para ter empanadas volantes 2*000
d fincar na ra paos para bandeirs 1 000
Registo de ttulos e diplomas 2*000
Qusoto ai cordoeces, e licencjs para edificacioe
reedifics.cSo aerio pagas no acto da concesslo dai
meimai.
E para que cbegueao conbecimento de lodos se pu-
blica o presente edital.
Paco da cmara municipal, 25 de novembr de
1845. Manotl Joaquim do lego e Jlbuq-ierque,
presidente. Jado Joi Ferriira di Aguiar, se
cretario.
Miguel Arekanjo Montiiro da Andrade.ojficial do im-
puta! oriem da /loza, cavaleiro da de Cknelo e
inipector da alfandtga de. l'tmambuco, porS. M.
Imperial, oStnkor D. Pedro ll,jjuetoi gurdele.
Fsi saber que do dia 27 do correte, a porta da
mesma, ao meiodia, se hio de arrematar em hasta
publica 28 pecas de seda para vestidos, no valor de
800,000 rs., impugnadas pelo amanuense Gabriel Al-
fonso Regueira.no des pscho por factura, o. 18l0.de Di
dier Colombiei & C., sendo a arremalacio aubjeita a
direitoa.
Alfaodega, 26 de novembr de 18-15.
Miguel Anhanjo Monteiro de Andrade.
Deelaracoes.
= Pelo lyco desla cidade se fas publico, que no
dia 6 de fevereiro do anno prximo futuro iro a con-
curso ai cadeiras de primeiras ledras para o sexo mas-
culino das povosc,es de (iuianninba e Pedras-de-Fgo,
comarca de Goianoa. Os candidatos, que as referidas
cadeiras se quizerem oppor, babilitem-se nos termos
da le. Secretaria do lycflo desta cidade, 25 de nevem-
bro de 1845. O secretario, Joto facundo da Silva
GuimarHee.
= O administrador da mesa da recebedoria das ren-
das geraes internas avisa pela ultima vez aos colecta-
dos do bairro da lioa-Vista, para que veohio pagar a
taxa deescravosde 42 a 43, e de 44 45; do S. Anto-
nio de 44 45; do Recife de 45 i 40, pena de se pro-
ceder a executivo, se nao vierem pagar at o lim do
crrante, cujas relaces j se acbio tiradas. Recebe
doria, 26 de novembr de 1845.
Franeiieo Xavier Cavalcanli de Albquerque.
O empregado da recebedoria daa rendaa geraes
desta provincia encarregado de arrecadar diversos im-
posto*, como consta de diversos annuncioa feitos por esta
mesma folha, tendo perdido cinco c nhecimentos desde
o prineipio da ra Direila at o paleo do Terco, perten
cenes as pessoss leguinles : de Benlo Joio Cerdoso,
morador na rusDireitt dousconhecimentos, 1 do impos-
to de sua taberna do valor de 19*200 rs, e outro de es-
cravos de I2s'rs ,este doanno de 1844 1845,eaquelle
de 1845 1846 corrente ; de Jos da Costa Carvalho
Goimaries, tambem morador na ra Direita, 24*000 rs.
de imposto de sua taverna do corrente anno de 1815
1846; de Jos Andr de Oliveira, morador nai Cinco-
Pon tas, 1 conhecimento de 10*000 rs de tsxa de escra-
vos, e outro da viuva de Manoel de Jess Psrafitas, mo-
radora na ra Augusta desta cidade. do valor de 16*000
rs., t mliern de taxa de escravoa de 1844 1845, ecomo
o meamos j tenhlo pago as respectivas quantiss,
obtido novos eonbecimentos, declara-se que esto aquel-
es de nenhutn efleito, e quem osacblr baja de rosliuli
los na mesma reparticio, querendo, Recife, 24 de no
vembro de 1845.
COLLECTORIA DA CIDADE DE OLINDA.
O colleclor da decima e mais imposlos da cidade de
Oiinda|az publico a todos osseus cautelados, com
prehendo nos limites marcadosdesdeoannodel839,
que do dia 1. dederembro prximo futuro principia a
vencerse o prazo de 50 das uteis. determinados no
artigo 20 do espitle 6 do regulamrnto do 16 de abril
de 1842, para a cobranca, a bocea do cofre, na aasa da
cmara da dita eidade, do 1.* semestre do correte
anno ( de 1845 a 1846) da decima urbana; e que
eate mesmo praso arrecadar as mais imposicoes,
que esto a seu cargo, pertencenlea ao mesmo anno
financeiro; (indo o qual, incorrerO na multa de 3 por
canto, determinada no $ 1. do j citado artigo 2, alm
de serem executadoe. Outro sim, fax constar todos
oa devedorea dos impostos dos annos anteriores, que
vio ser quinto antea remedidas as relaces de seus
dbitos so juizo dos feitos da fateoda, para serem exe-
cutados; as quaes j eslo exlrahidaa e promptas: e pan
qoe ebegue noticia todos, manda fazer publico pela
presente. Collecloria de Olinda, 15 de novembr de
1845.O escrivio, Jo/lo Goncalvee Rodriguei Franca.
COMPANHIA DE BEBERIBE.
A adminitracio da companbia de Beberibe faz sci-
ente aos Sn. accionistas, que em sessio de 20 do cor-
rente resolveo espisiir at o dia 20 dedeiembro prxi-
mo futuro o recolbimento das prestecoes em atraso ;
o que, lindo esle prazo, perders o direilo d'accionistas
lodos aquelles, que nio tiverem realisado as prestacoes
de 60 por cento at agora exigidas, revertendo as suai
entradas em beneficio da companbia, de conformidt.de
com a disposto do srtigo 9 dos estatuios. Adverle,
outro sim, que nlo llavera prorogajlo do praio, nem
contemplarlo com pessoa alguma. Escriptorio da com-
panbia, 24 de Novembr de 1845.O secretario, II.
J. Fernandee de barros.
dos bens do fallecido Manoel Jos Ma-
chado Melheiros hoje, 27 do correte,
pelas 11 horas da manhaa, no escriptorio
do dito tallecido, na ra da Madre de
Dos, n. 5, primeiro andar.- Os bens,
cojo escripto se acha em mao do porteiro
do juizo, sto'os seguintes: a metade do
"mito conhecido hrigue nacional I-'eliz,
forrado e pregado de cobre, e promp-
to a seguir viagem para qualquer parte;
uin carrinho de duas rodas, pintado e
forrado de novo ; um cavallo para'o mes-
mo carro, e que tambem serve para mon-
tara ; quatro escravos marinlteiros, e dous
ditos de servico de ra ; e finalmente
.i"j saccas com farinha de mandioca : o
que udo, sem reserva alguma, ser ven
dido impreterivelmente naquelle dia pelo
maior preco, que se offerecer, e por ser
esta a nica praca. Os senhores, que de-
sejarem examinar 011 fazer examinar o
brigue Feliz, poder tomar, no escrip-
torio referido, urna ordem, para que a
bordo tal exame Ihes seja facultado.
A companbia italiana dar a repeti-
do da applaudidissima opera sentimen-
tal LUCA DE LAMMERMOOH em
tres actos chefe d' obra de Donizzet-
ti, hoje 37 do corrente. A ge ral ac-
ceitacao com que foi recebidoeste lin-
dissimo drama trgico, faz esperar
toda a companbia um numeroso concurso.
Os bilhetes de camarotes, e platea ven-
lem-se em casis do director, na ra No-
va, n. 7. JV.fi. Esta recita he a nona
para os Srs. assignantes.
> PUBLICACALITTERARIA.
Acha-sesobo prelo, na corte do RiodeJineiro, tra
dunda por Jacinlho Alves Branco Munii Btfreto, a 1a-
guinte obra :
Um granadeiro da guarda-imperial sobre o sepulcro
de Napoleio Bonaparte ; historia da vida pblica e pri-
vada do mesmo.
Subscreve-se na praga da Independencia, livraria n. 6
e_8, 2*000 rs., pagos na occasiio da entrega da obra.
Avisos diversos.
Avisos niarilimos.
URSA DE RENDAS INTERNAS PROVINCIAL.
O escrivio e administrador da mesa de rendas inter-
nas provincisea d'esta cidade fax publico, para que ebe-
gue ao coohecimentude todos os proprictarios de pre-
dios urbanos Jai quatro freguezias d'esta cidade e po-
voaejo dos Afogedos, que no dia l.de dezombro pio-
xisno futuro se principia a contar os trinta das marca-
do! por lei para o pagamento, a bocea do cofre,da deei-
ma urbana correspondente ao 1." semestre do corrente
anno financeiro de 18451 1846, e lindo eise praio pa-
garlo oi.devedore a multa de 3 por cento do valor de
eui dbitos, de conformidade com o regulamento de
16 de abril de 1842. E para que chegue a noticia de
todos mandei afiliar o presente e publicar pela im-
prensa. Recife, 25 de novembr de 1646.
Luix Franciico de Mello Cavalcanli
O arsenal de guerra pr carrapato, dito de cuco e fio de algodio: quem taei g-
neros Itvcr mandar suas propostal, em carta fechada, a
directora do mesmo ersenal, at odia 28 do corrente
mez. Directora do arsenal de guerra, 25 de Novem-
br de 1845. No impedimento do escriplurario, o ama-
nuense, Joo Ricardo da Silva.
Adminitracio dos estebcltcimenlos di caridade.
Parante a edministraciu dos eitshelecimenloi de cari-
dade, le biodeirrooiatar, por trez innoi, a quem maii
der, aerenda das oasas seguintes : ns. 17, 47 a 49,
da ra do padre Florianno; n. 5, do becco da Carva-
Iha ; ns. 32e3-i, da ra do Fagundes ; n. II, da ra
de S. Jos; n. 5, da tnveisa do mesmo; ns. 30.
34 e 38, da ruada Calcada ; n. 18, por detras da roa
Nova ; o. '31. da ra da Moda ; n. 7, da ra de S.
Therea ; n. 70. das Cinco-Pintas ; o. 33, da ra
deHortasj n. 66, da rui da Gloria ; n. 8, traveisa
dos Expostos, e 7,da ra da Viracio.
Os licitantes podero dirigir-se a casa das sessdes da
ruadoCabug. 5, polas 10 horas da manilla do dia
28 do correte, munidos de fiadores idneos.
Sala das sessdes d'adniinislracio doi ealaheleeimentos
de caridade, em24 de novembr de 1845. O escriplu-
rario, A. A. de Caldas frandao.
ParaoAss o brigue Amphittite, capillo Ma-
noel Duirte, tai com brevidide: quem no mesmo qui-
-er arrogar, fallo com Manuel Ignacio de Oliveira, na
ra de Apollo, n. 18.
Para o Rio-Grindesegu com brevidade'o brigue
Jpiter; recobo alguma carga (rete, aisim como es-
cravos : pde-se tratar com Jos Xavier Viinna. ra da
Cruz, ou na luja de ciboi do Sr. Mamede, ra do Viga-
no, n. 7.
Para Lisboa pretende sabir, no dia 15 de de/em
bro, o brigue portuguez T/iumpkanti, capillo Sijverin
Manoel dos Res ; quem no mesmo quizer carregar, ou
ir de passagem, dirija-se aos seus consignatarios Oliveira
I raos di C., na ra da Cruz, n. 9, ou ao referido ca-
p lo, na praca doCommercio.
= Vende-seo brigue americano Cixarim, de lote de
218 tonelsdss, mullo bom de vela, forrado e encavi
Ihado de cobro : os pretndeme* dirijao-se aos consig-
natarios Henry Forsler A C., oa ra do Trapiche-Novo,
o. 8.
Para a Rabia sabe.com a maior brevidade possivel.o
patacho nacional Eipirito-Santo : quem no mesmo
quizer carregar 1 u ir de passagem, p ira 'o que tcm ex
olientes commodos, dirija-se a ovaes & C., ra dolteria do seminario de numero
Trapiche, 34.
= Yende-se urna tareera, que pega em 24 caixas
de assucar gosto, construida de boas madeiras, e feita
as Alsgoas; est piompta de ludo; .he nova ; ainda
nio le/ viagem alguma, a extepcio da em que veio de-
pqis de acabada ; e be muito boa de vola : quem a qui-
zer procure a Antonio da Mlva Gusmo, oa ra do
Queimado, n. 30, e, na sua falta, seu caixeiro Maia.
Para o Aracaly seguir, com a maior brevidade, o
bem ronbecido biale foro Olinda: quem nelle pre-
tender carregar, se entender com Antonio Rodrigues
Lima, na praca doCommercio, ou na tuadaCadeia-
Velba, n. 1, I.o andar.
Para o Rio-de-Janeiro seguir em breve o pa-
tacho Felicxdade : quem no mesmo quizer carregar, ou
embarcar escravoa, pode tratar com Amorim Irmios,
ra da Cadeia, n. 45.
Daniel de Sant'Anna Barros e Silva roga as pessoss,
que IhesSodevedoras, hajo de ir sotisfazer seus dbitos,
na ra da Praia, n. 20, al o'fim de dezembro prxi-
mo: do contrario usura dos meios, de que at agora nio
tem1 querido lancar mi, visto estar esgotada toda a sua
paciencia.
Joaquim Juvencio da Silva embarca para o Rio-
de-Janeiro o seu escravo cabra, de nome Luir.
O Sr que deseja fallar com Manoel Porfirio de
Castro Araujo, dirija-se a ra da (jddeia do Recife,
o. 51.
=5 Alugio se os dous terceiros andares com solio,
dos sobrados ns. 4 e 6, do Alterro-da-Boa-Vista, o se-
gundo andar com quintal e estribara do sobrado, n.
24, da ra da Aurora; troz casas terreas novamenle a-
cabadas, com quintal, cacimba e mais commodos para
grande familia, na ra Formse, ns. 6, 6 o 7, por 20*
rs. mensaes: quem os pretender, dirija-so ao escripto-
rio de Francisco Antonio de Oliveira & Filho, na ra
da Aurora, n. 26.
Alugio-se dous sitios com grande casa dV vivvn-
da, coebeira, estribarla, banlio e perto do desembar
que, no rio Capibaribe na Poolo-do-Uclia, defronte
do litio de Francisco Antonio de Oiiveira, quemaual-
quer pertendente se poder dirigir. ^
.- Joio Jos de Lima cmliirca para o Rio-do-Janei-
roum escravo por nome Antonio, pertencents.fi seu
senhor Joio Mauricio Wanderley.
O Sr. Theophilo Jos Lemos baja de ir remir os
penhoras queempenbou na paduria da ra Direita ,
n. 69 visto j se ter lindado o prazo em 23 de ou-
tubro p. p. e se ter findado o mez que pedio fra do.
trato: oque se fax scicnle para, no caso de os nio ir
tirar, se usar na forma da lei.
= Rogase aos Srs. II & C. e mais seu espoleta,
dsnioseimportarem coma vida albeia, e mui princi-
palmente de pessoss, que nio Ibes devem nada e nem
leein rabo de pulba; pis slo faltas de experiencia para
tudoquant toca a espertezas como S. Ss. e por iisose
ufanao eom grandezas do que poueo Ibe cuita a ga-
libar. Continuar-se-ha.= O Ca-te apera.
= OHerece-te urna mulher de muito bonscostumes'
para ama de urna cssa que cozinha bellissimamente,
laz doces de todas as qualidades e entonde de varias
iguarias de massas : quem do seu prestimo piecisar ,
dinja-sea ruado Azeite-de-Peixe, n. 14.
= Jos de,Almeida Vasconcellos declara que mu
dou interinamente a sua residencia para a ra da Ca-
deia do Recife, n. 49, segundo andar ; e roga a seu
inimigo Antonio Domingos Ferreira da ra do Cres-
po modere a sua paixio do contrario o chamara
respomabilidado.
Roga-ae a pcsioa, queacbouom bilbete da lo-
1620 da ultima que
Leiles.
Hoje 27 do corrente i 11 horas, 4 porta
do. armazem do Seobor Francisco Das Ferreira no
caes da Alfandega, Bolli & Chivannei ferio leilio de
urna porfi de licores e de vinho champagne.
= O correlor Oliveira lar leilio de cerca de cento
e oito gigos de louca ordinaria ( sendo 4 da fina ) de
soitimento o msis adaptado a este mercado, e bem co-
nhecido de quanlos negeceiio em tal artigo: seita-fei-
ra, 28 do crranle, l 11 horas em ponto, no arma-
zem terreo da caa, n. 23, da ra da Moda, no Forte-
do-Matto. ,
Joio keller & Companbia fario leilio, por in-
tervenr;io do correlor Oliveira, do grande e variado
lorlimento de fazendas proprias d'esle mercado, e re-
cenlemente chegadas: hoje 27 do correte s 10
boras da manhaa em ponto, no leu irrnazein, nsrua
da Cruz
I'elo juizo de ausentes se faz leilao
correo o qual est com o nome de Zeferino da Cunba
Restos escriplo as costas de dito bilbete, que faca o
favor de restituir dizendo. por esta folha o lugar de sua
residencia para sor procurado.
= Guilherme Augusto Rodrigues Selle embarca pa-
ra o Rio-de-Janeiro o seu escravo Jos, pardo.
.\ luga-se urna casa de sobrado de
quatro andares,na ra do Trapiche-Novo,
inulto fresca, e com muito boa vista para
o mar : trala-se na ra da Aurora, n. 58-
Precisa se de um ofllcial de funileiro ou mes-
mo aprendiz; em Fura de-Portas, ruado Pilar, ven-
da n. 137,
COLLF.GIO S. ANTONIO.
= As ferias comedio neste collegio no dia 29 do
corrente novembr efindionodia 12 de Janeiro de
1846. Recite, 25 de novembr de 1845.=0 director
Bernardino Freir de Figueiredo Abreo e Caitro.
= D-se dinbeiro a juros com penhores de ouro e
prata, mesmo em pequenai quantiai, na ra da
Praia, n. 22.
*= Da Passagem-da-Magdalena n. 20, fugio, na
noute de 24 para 25 do correte um cavallo de estri-
bara rodado, quesi branco, gordo, poder ter 12
annos, dinas e cauda quaii branca, urna cova no
aangradouro prxima aoi peilos, e urna aiientadura do
sollun : quem o entregir na dita caa, receber genero-
sa paga.
Manoel Antonio Alvarea de Brito avisa a quem con-
tier que vai ao Rio-de Janeiro tratar de seus neg
cios, deixandoaseucunbado o Sor. Gabriel Alonso
Rigueira eaoSr. Antonio Joaquim de Souza M-
ximo encarregados da direefio de sua casa ebem as-
sim da liquidacio do qus devem ai casal de seo falle-
cido pai. Outro lim, convida a todaa ai peiioai que
se julgarem susa credoras pira que apresentem tuas
contal neites 3 das, a (im de serem pagas.
= Na noute de 21 para 22 do corrente novembr
da casa da ra da Gloria n. 73 foi extraviado um
oiissal romano rico e novo, linda socapado de mar-
ruquim encarnado boloes e passsdores dourados as
filas feches do praia edicio de Lisboa do 1820. O
ladrio foi um portador do mallo, que d'alli trouxe
urna carta do um Reverendo saierdole a outro desta
praca : fax-se esle aonuncio.para que oinguem se cha-
me a ignorancia.
3= Preeiia.-ie aiugar pretas ou moleques para ven-
derem quartinhas pagando-se-lhes conforme o ajus-
te ; oa rus do Raogel, lo ja de louca, n. 17.
> Deaappareceo, no dia 25 do corrente um ca-
cborrinbo pardo pequeo muito gordo e manco ,
na ra do Crespo ; desconfia-se ter ido para o Recife,
por ter desembarcado, neste dia, de urna navio ebega-
do ltimamente de Lisboa ; pede-se a petaos que o
achar, o (ivor de o levar a ra dai Crutei n. 41 qus
er recompensada.
= Aluga-se urna padaria na ra Imperial com os
utensilios promptos a trabalbar a casa tem ai melho-
rescommodidades possiveis pira padaria, ou outro
qualquer estabelecimento: a tratar na ra Direita ,
o. 82, primeiro andar.
Aluga-se, por proco commodo urna boa e af-
ielada casa tendo duas salas, 6 quartos coxinha ,
copiar e quintal murado sita no Alerro-dos-Alogs-
dos : a tratar na ra Direita n. 82, primeiro sndsr.
Precisa-se fallar com alguns capiliei do matto ,
para te Ibei enesrregir da captura de um escravo e
como nao sio conhecido pelo annunciante se las o
presente annuncio : no Corredor-do- Bispo n. 8.
Deseja-se fallar ao Sr. Francisco Jos da Silva
Pereira, que he professor de primeiris leltras, a ne-
gocio de seu interesse: e, como su ignorejsua moradis,
roga-te queira annuncia-la
Aluga-so urna meia agoa na campia da ruada
Alegra: a tratar na ra Velba = Aluga-se urna cssa terrea nova com muiloi
commodos e um grande solio quintal s cacimba ,
na ra da Palma n. 17 : a tratar oa praca da Inds-
pendencia loja, n. 3.
solicitador vitalicio da justicia
da relacao, Jos Ribciro do Amaral, es-
t residindo na ra Bella, casa; n. 12-
ass Adverte-se 10 Sr. Manoel Simplicio Csrnsiro
Leal, quevenha, no prazo de oito dial, remir 01 seui
penhores, visto que nio deo resposta a carta do aviso,
qui! se Ihe msndou ; e nio o fazendo no dito lempo,
serlo vendido! para pagamento, e o meimo Sr, ficiri 0-
brigado pelo reatante.
= Preciia- servico de sitio, sos quaes se dsr de comer, e o jorqal
que se conveucioQtr: procurem na ra da Cadcis do
Recife, n. 52. aonde sebaro com quem tratar.
= Permutarse um terreno proprio, com 75 palmos
de frente e mil e tantos d.i fondo, at a baixa mar do
rio Capibaribe, tendo na frente da ra Imperial grande
obra principiada, em toda a largura, para duas grandes
rproprisdades, com oito vios, ludo de pedra de cantara,
capaz de leantarem-se bo'ns edificios, por algum litio
perto da praca, cujo valor nio exceda de quatro cootos;
convindo a alguem, procure fallir nal Cinco-Pontai, n.
60, 00 Sr. Jos Martins da Crux, ou no Remedio, sobra-
do que lera olaria.
= Aluga-se, pelo lempo da festa, para alguma fami-
lia pequea, urna casa terrea na ra do Jogo-da-Bola,
em Olinda, por preco razoavel; a qual est pintada o
csiada do novo : quem a pretender, dirjase Olinda,
loja nova da ra de S. Benio ; e no Recife, ra de Apol-
lo, n. 28.
Roga-se ao Sr. Manoel Rodrigues do Pasto, por-
teiro do curso-juridico de Olioda, queira ir ao Recife,
ra de Apollo, n. 31, quose Ihe quer fallar a negocio
de seu inleresse, do meiodia s tres horai da tarde dof
das uteis.
- Aluga-se duas excellenles cual, para se patsir
festa, em Olinda, na ra de S. Bento, delrontt'da la-
deira do Varadouro, parede-meias casa do Sr. tnsa-
te-coronel Manoel Ignacio ; quem ss pretender, diri-
ja-se mesma cidade, ladeira da Misericordia, n. 3.
Precisa-so do urna ama do bons costumes, que
saiba engommar, para o servico interne de urna casa do
pouca familia ; quem se julgar nestss circumitaocisi,
dirija se a Fra-de-Portai, ra do Pilar, n. 145, pri-
meiro andar.
Joaquim Pereira Arantes pretende comprar s sr-
macio e laxendas das lojas ns. 11, 13 e 15 da praca da
Independencia, que foraodeJoio Baptista Mirques da
Silva, e boje perlencem Joio Iternardyio de Sena.
= Aluga-se um sitio na margem do rio, entre a Ca-
punga e a Passagem, no lugar mais bonito, com casa as-
sobradada, cotinha, quartos para preloi e estribara f-
ra, laixa para capim e boa agoa de beber ; quem o
pretender, dirija-se ao Aterro-da-Boa-Viita, no tin-
que d'igoa.
Aluga -le o primeiro andar do tobrado da traves-
sa dos Expostos, n. 18, com commodos para urna gran-
de familia : quem o pretender, dirija-se 10 segundo
andar do mesmo.
= Precisa-se de urna ama de leile qus nio tenbs
filho que seja sadia e tenha muito e bom leile ; na
ra das Cruxes, n. 22, segundo andar.
Aluga- se urna casi terrea na ra Bella com
duas salas 4 alcovas urna dispensa coxinba fra ,
ludo grande quintal, cacimba e porta para um grao-
de aterro que tem pegado a mesma casa : a tratar na
ra do Collegio, n. 15, tegundo indar.
SOCIEDADE HARMNICOTHEATRAL.
A commisiio administrativa tem a satislacio de ao-
nunciar aos Srs. sociosem geral que, tendo dado an-
damento as obras do Tbeatro de Apollo acol-
se j levantadas as galeras: e, para que nio baja in-
lerrupcae alguma roga aoi Sn. que auignrio
novss acc8es do empreslimo voluntario, e aquelles,
qu ainda eslo a dever prestacoes timadas bsjio de
realisar seu pagamento ao thesoureiro, DelGno dos Ao-
jos Tsixeirs.
= Aluga-se o primeiro sndsr do lobrsdo n. 43 da
ra Direita : a tratar na mesma ra, venda, n. 23.
== Manoel Buarque de MicedoLima embarca para
a entregar ao Sr. te-
Porlo-Calvo o escravo Vicente k
nenie-coronel Jos* Luix Beltrio Mavignler.
^= Aluga-se o armazem de porta larga, dai casal de
Joio Jos Carvalho Mocara da esquina da roa da Au-
rora que outr'or servio de coebeira : a tratar na loja
de Joio Jos Carvalho Morios.


MH
-
- Aluga-se um caa terrea no pateo de S. Pedro,
com portloparta roa deHortai: a tratar na ra larga
do Rozarlo n 30, segundo andar.
- Rogase a pessoa, que mandou enserir um an-
nuncio no da 24 do corrente com aa lettrai A. F. C.
15., de declarar ce se entende com Antonio Ferreira da
Coala Braga.
- Aluga se urna casa terree muito larga, na ra
daSoledade, com dual salas, 6 quarloa corredor ao
lado cozinha fra com um grande quintal murado
e outro cercado : a tratar na ra da Aurora n. 58.
- Ollerece-sc um rapai branco natural do cen-
tro da provincia, para caixeiro de toja ou de ra, para
cobranes*, com inteligencia preciaa, e que di fiador a
sua conducta ; quem de leu prettimo precisar, annun-
cio.
=* Antonio Bernardo Vai declara, que, tendo ap-
pareeido outro individuo de igual nomo, assignar-se-
ba d'oraem diante Antonio Bernardo Vaz dv Carta-
SOCIKIMDK THEATRAL
tai.iej.se.
O primeiro secretario avisa aos Snn. tocios, que oa
bilbeles para a recita do dia 29 do corrente diitnbuem-
se nos diss27, 28 e 29 em casa do respectivo ibesou-
reiro na ra do Queimado n. 67. O conceibo
administrativo reune-ae no dia 28 do corrente em ca-
sa do presidente, para approvacio de convidados.
LOTERA do theatho
O theioureiro desla lotera, havendo por este Diario
declarado ai cauaai, por que as rodas da mesma deixa-
rao de (er andamonto no dia marcado declara agora ,
que no da 18 de dezembro proiimo futuro se reali-
zara a extraccao da mesma lotera nlallivelmeate.
__ Agostinho Henriquet da Silva embarca para fra
da provincia o teu eterno Boque de Angola._______
ebegada ; oieias barricas de farinha de trigo ca marca
gallego : em cata de MaiheuiAutlin # 0., na ra da
iifandega Velba n. 36.
= Vcnde-ieum preto, de 18 annos, do iioa figu-
ra ; urna pardo, de 20 aonos, com officio de carreiro,
e ambos proprios do todo o servico de caa e campo;
urna preta de 2-2 annoi, pouco mais ou meoot boa
figura e com habilidades, qu se dira ao comprador ;
na ra da Cadeia de S. Antonio n. 25.
= Vende-se aieite de carrapato a cinco patacas a
caada ; no Alterro-dos-Alogodos n. 7.
9
*
CHA' HYSON
DE-BOM GOSTO,
E SUPERIOR QUAL1DADE
O
O
i

&
0
Compras.
Compra-se o resumo de rhetorica por Francisco
Freir de Carvalbo ; na ra do Crespo, n 10, primei-
ro andar.
Vendas.
FOLHINHAS
DE
ALMANAK
PARA O AMVO PE 1046,
contendo os nomes de toilos os emprega-
dos pblicos da provincia, dos consoles,
negociantes, mdicos, cirurgi5es, botica-
rios, e dos ptincipaesoflciacs da guarda
nacional, &c &c ; vendem-sc na praca
da Independencia, livraria, n. 6 e 8.
>- Na ra Direita, sobrado de
um andar, n. 56, vende-se a casa
terrea da ra das Cinco-Pontas,
n. 93.
-Na ra Direita, sabradodeum
andar, n. 56 vende-se, por muito
mdico prego, a casa terrea da ra
do Rangel, n. 49, com vinte e
cinco palmos de frente, c setenta
e sete de fundo, cozinlia fra,
quintal murado, e outros muilos
commodos, e que rende mensal-
menle 20^000 ris. Est t casa
acha-se hypothecada; mas o hypo
thecario nenlium bice pe a sua
venda.
= Vende-stum preto de idade de 30 annoi, lem
vicios muito robusto canoeiro, carreiro e pescador,
porprecocommodo ; no Atierro da-Boa-Vista, fabri-
ca de licores n. 26.
= Vendem-se 2 cavalloi, um alazio e outro ruc,o ,
de muito Loni andares : na ra das Cruzet, n. 50.
=\ endem-se 3 caiioes proprioa para amostre de
padaria, ou refinacio ; umjogode balances grandes
com correntei de ferro e um terno de psol de ferro
de duas arrobas at meia libra; nesta lypogrepbia te
dir.
Pela medida velha
vende-se farinba, ebegada .ltimamente de S. Ma-
tbeus, de superior qualidade, e por menoi do que em
outra qualquer parle, bordo do patacbo Vtnu, de-
fronte do caei doCollegio, e na ra da Cruz, n. 64, a
fallar com Manoel Antonio Pinlo da Silva.
RIJA DO CULLEGIO,
Loja n. I.
Vendem te superiorea gravalai de etim preto a rJOO
n ; casimiras, dai maii modernii, a 1,200 e 1,400 rs.
ocovado; panno fino, preto e azul, a 2,600 rt.; meias
desenbora a 280 rs. o par; chilaade lodasaa qualida-
dei, de 120 a 300 rs.; uiadapoloc, de 140a 280 n.;
ertei de.cbitai de todaa ai qualidadei, e do mentor
goato i superiore riicadoi Irancexei, a polka, a 360 ra.
o covado; e outrai muitai fazendaa, ja annunciadas
neste Diario: na mesma loja cima.
= Vendem-se corles de Iini6iimai chitas a polka e
aveludada i 4 n. ; lonas da Iiuasia n 1 a 880
n. a vara ; ditai o. 2 a 480 ra. : na roa do Crespo,
o. 16 segunda loja para quem vem da ra das Cru-
aei.
- Vende-te eb byison em caiiti de 13 libras, em
porcetearetalbo; e potaasa americana ltimamente
Yende-se a as'56o ris cada libra: q.
na ra Larga do Kozario p. a4- <>
obfadoov&v&eF = Vendem-se saccas com milbo a douu rs e ai-
queire medido a 3200 rs.; na ra da Cadeia de S
Antonio n. 19, deposito de farinba.
Vende-se a verdadeira potassa rus-
siana da melhore mais nova,que se acha
neste mercado, a a50 rs. a libra, adver-
tindo-se que se vende por este preco por
se adiar em barris grandes : em casa de
J. J. fasso Jnior.
ATERBO-DA-BOA-V1STA,
LOJA,N. 14.
as Vende-se panno preto superior, cr fixa a Al
ra.; algodio americano trancado, de liitrat nimio
forte para prctos pelo barato preco do 240 n. o co-
vado ; riicados fraocezes a polka a 360 rt. o covado;
e oulraa muitai faiendas por preco commodo.
Aot pintores.
= Yende-se colla superior, da Babia em porco
de arrobas e as libras maia barato que eoi parle al-
guma ; na ra da Senzalla-Velha n. 110.
-. Vende-se vinagre branco
nacional, a 400 ris a caada ve-
lha : na ra do Aterro-dos-Afo-
gados n. 7 ; no Alerro-da-Boa-
Vista, fabrica de licores de Fre~
derico Chaves ; e na ra Direi-
ta, venda, n. 53.
= \endeth-se camas de angico; ditas de tmarello;
marque/as de angico dos moldei maii modernos que
ba ; cadeiras de dito; jogosde bancas de angico ; ditos
de Jacaranda; commodas de angico ; dilat do tmarel-
lo ; cadeirat para meninas ; puebadoret e laloes para
gavetas ;'tudo por preco commodo : na ra da Cam-
boa-do-Carmo n. 8.
= Vendeni-se 8 escravos mocos, bont para o tra-
balbo de campo ; dous casaes de ditos (catados) boni
para o trabalho de campo por a isto estarem acostu
madoa ; 3 cscravet mocas, eogommio e cozinbio ;
duas tiitas boas quitandeiras; 3 pardas, o urna be boa
para ama de casa ; na ra do Crespo, n. 10, primei-
ro andar.
= Vcnde-io urna excellente casa,toda de pedra tal,
com oiles dobradoi om um dos melhorn lugarea da
ra do Amparo em Olmda deronte do sobrado de
Joaquim Jos Rebello com 3 salas, 5 qartos, com-
nba quintal o maia arranjos : a tratar na ra d
Crespo loja, n. 10.
Rap de Lisboa.
i Vende-se na praca da Inderendcncia o. 4 ,
ehegado prximamente a 4000 rs. o boie.
= Vende-se un carrinbo do duas rodas em muito
bom estado ; e um cavall muito Lom para carro : na
ra estrellado Rozario n, 43, segundo andar, das
6 as '.) Iioras e nina da rnanliaa.
Vi nde-se potassa muilo nova e de superior quali-
dade, em barris pequeos: na ra da Cadeia do Re-
cite, arniazeni de assucar, n. 12.
Yende-se um cavtllo alazao cachito novo de
5 annos com bons andarea o muito manco al
proprio para montara de srnbora ; as Cinco-Pontas .
padaria, n. 63.
$m Vendem-se saceos de milho; ditos do arroi de
casca ; tudo novo : tambem se vendo medido a vonla-
de do comprador : na ra da Cadeia do Recile ar-
mazem n. 8.
e= Vendem-se 18 escravos sendo A tnolequet pe
cas, de 12 a 18 annoi, bonitos ; doui pietoi cuti-
nbeiros de 20 annos; 3 pardas de 20 annos, com
(labilidades ; 9 prelas, de 18 a 26 annoi, com habi-
lidades ; um fardamenlo para inferior de guarda na-
cional completo : na ra das Flores, o. 21.
= Vende-ie urna escrava de navio de boa figura,
de 24 annos, ptima quitandeira ; um escravo de na-
ci de 25 annos, ptimo carregador de palanqun. ;
um crioulo para o servico de campo: na tuadasCru
zas, n. 22, segundo andar.
s= Vcndem-se algumai pipas quartolas e barris
vasios de ateito arqueados de ferro ; na ra da Sen
zalla-Velba n. 110
= Vende-ae urna escrava, moga, de boa figura, cn-
gomma e coiioba perleramente ; no arco de S. Anto-
nio, n. 2.
='Vendcm-sc saccas com alqueire de farinha de boa
qualidade, porprecocommodo; na ra Direita ,ti. 9.
be Vende-se farinba de mandioca muito superior,
a 3600 rs. cada sacca ; charutos da Haba em gran-
de! porroei e nao sio lora de preco; no largo do Cor-
do Santo n. 4.
= Vende-ie um lindo mole que de naci Angola e
Venderle por 20* rs., o diccionario de Mo-
as da quarta edicio ; na roa Nota loja n B8.
Vende-ie una porcio de caverna! grandei de n-
cupira propriai para canoa aberta ou de condunr
agoa; na ra de Apollo n. 28 a tratar coril loto
Eateve da Silva.
Vendem-ie aneoretes de axeilonaa ; urna cor-
rete de ferro de ancora de navio'; coirot de tlgo-
dlo j retroz lortiilo ; chapeos de sol, de seda; urna
bomba grande de cobro e guarnicio de bronte ; urna
grande porco de bronte em obra utada ; fechaduraa
grandes para portal; lapalo ordinarioi para borne ;
todo te vende por preco commodo: na ra do Viga-
no o. 9. .
__ Vendem-se as verdadeiras pilulas
vegetaes do Dr. Brandretb, e agoa-raz a
ao ris a libra: na ra do Cabug, botica
de Joao Moreira Marques.
Vende-se urna canqa de carrega
agoa em muito bom estado, por preeo
muito commodo ; e tambem se aluga :
quem a pretender, dirija-se ra Nova,
venda, n 65.
Vende-se um relogio patente suisso,
de ptima conducta; na ra etlreita do Rozario, n. 31,
primeiro andar.
Jto novo deposito de padaria e refinacio, na ra
larga do.Tu xario n. 23, .ende-se pao muito bem
trabalhado ; bolaxa ; boJaxinhae biscoulo doce dito
agoado ; (alias propnas para cha ; assucar branco re-
finado msscstadoe branco em caroco ; caf moido ;
tudo muilo em con la.
cotn cadeias, tudo de ouro, muito bom
regulador, por preejo commodo : na ra
Jjarga do Kozario, n. 5o.
Vndese larauja da trra e da Chi-
na: no silio grande envidracado da estra-
da do Monteiro.
o Vendc-se urna mulatinha de bonita figura de
idade de 12 a 14 annoi; na ra da Cadeia-Velba ,
60.
= Vende-te lia de todas as-cores, com as compe-
tentes pecas de talagarca e padres para bordar ; pe-
oras de filtrar agoa ; na ra da l'roi n. 38.
= Vende-se urna casa meia-egoa na travesa do
Serigado que rende mensalmente 7 rs. e se vende
por 50O rs. por seu dono ter-se de retirar para fra
da provincia ; na ra da Praia venda no becco do
s= Vende-se a padaria da ra da Senxalla Velha ,
n. 00, a dinbeiro, ou a prazo : a tratar na mesma pa-
daria. ,
= Vendem-se dous pretos de naci de idade de
20 a 30 8nnos, sem vicios nem achaques, propriot
, ira o servia de campo, ou para ganho ; um ca-
vall rozilbo-foveiro muito bom do sella carrega-
dor baixo at mcio ; ludo por preco commodo, por ter
o dono de relirar-so : no Alerro-da-Boa-Vista, n. 26,
primeiro andar.
= Vendarse um preto moco de bonita figura, por
preco commoao ; na ra do Livraincnto, n. 21.
Buns Livros.
= Vendtm-se os livros seguintes : um jogo de dic-
cionarios franceies; Kelly, lo Cambista; Senebier,
Frail de Cbange; Jaclot, Sciencia de Guarda-hvroi-
Tenue des livres; Partidas dobradas; Colonia Chre
lienne ; Arilbmelique, et analyse logique ; Histoire
de Napolen com retrato ; Tratado de operacoea de
banco; Cuarda-livros mod.rno: na ra das Cruxes
loja de encadernador, n. 39.
= Vendem-se travis de todos os comprimentos ;
encbamoise mios travessas; caibros por preco com-
modo ; na tua da Concordia, armazem, n. 4.
z= Vendem-se 8 escravos de nacjio de dada de 22
annos, e entre elles 3 bonitos moloques de idade de
14 a 18 annos, lodos com bastite pratica de servico
decampo ; 4 escravas de naci do idade de 14 a 24,
annos com varias habilidades ; todos do-se a -con-
tento : na ra Direita, n. 3.
*= Vendem-se chapeos de senbora muito bem tit-
iritados o de goslo o mais moderno possivcl ; um ri-
qusimo sortimenlo de filase floras da todas as quali-
dsdes e bom goslo ; assim como guarrices de flores
para vestido desenhora ; pennas para chapeos ; ""-
es de chapeos para se apromptaiem : e um riquissi-
oo sortimenlo do cambraias finas: na ra larga do
Rozario n. 24.
= Vende-se chumbo fino para caca de n. 1 a 7
na tua Nova, lojas de (errageni, ns. 26 e 29.
as Vendc-se um pequeo sitio com cssa de vivenda,
muito fresco a margem do rio agoa de beber al
proprio para olaria, e cam propones para viveiro; ven-
de-se por commodo pre?o, e at com prazo na metade
do ajuste : na ra de Agoaa-Verdes n. 21.
Vende-se cevidinba nova em barricas de duas
arrobas, ltimamente ebegada porprecocommodo;
em casa de I. D. Wallbopp & Companbia na ra da
Cruz u. 16.
= Vende-se potassa russiana, nova, e superior;
cal virgrm de Lisboa mais barato que em outra
qualquer paite : na ra de Apollo n. 18.
= Vendem-se superiores cartas de jogar Irance-
xai; no Aterro-da Boa-Vista loja de ferragens,
n. 76. __
aa Ha para vender na ra do Trapiche o. 40, um
sor ment do bons e excellenles violtos, para uso par-
liculare ; tambem mui superior ago'ardente de Franca
e cerveja branca e preta, de Londrs(de Barclay & C).
a molbor que pode baver : estes gneros veem em cas-
coi e engarraladoi, e vendem-se em port;io ou por
barrica por pret;oi muito commodos, em quanto nio
entrar o Diez da esta em caa de Cbristophers ai Do-
naldioo.
= Vendem-se chapeos finos, de castor, e panno
do algodio para saceos; na ra do Trapiche-Novo
n. 5, casa de Joao Slewart.
Vendem-se, ou alorio-se terrenos da propriedadd
do sitio do Araca em S Amaro com frente para a
ra de Luizdo llego e ra nova do Lima ; vendem
se tambem vilellatmuito gordas, por preco commo
do: na ra das Flores, cartorio dos orpbios, nos das
uteis.
- Vendem-se ricos apparelbos de metal, chegados
prximamente de Inglaterra, conlendo o seguinte: cafe-
teira bule, assucareiro e mauteigueira : na ra No-
va loja da ferragens n. 23
- Vende-seo superior biscouto fino, era latas gran-
des e pequeas, por preco commodo ehegado lti-
mamente de Liverpool pela galera ngleza uurd Fuk ;
na venda da viuva deS Araujo ra da Cruz, o. 66.
.....I
Vende-se urna casa terrea com 4 quarloa coxi-
nhafra. salaadianlee atrs, as alcovas envidraca-
das com urna rotula e duas janellas envidiadas na
frente do becco do Tambi, n. 22; na ra do Aragio,
0.44.
Vende-se ou troca-se por urna casa terrea, um
terreno aito no Alterro-dos Afogados entre o Ma-
cambirae a viuva do fallecido Pavio ; o qual tem de
frente 55 palmos a fundo at a margem do rio Lapiba-
ribe; na ra Praia. ns 9ell, tanque da?oa
Vendem-se relogios de ouro patente mglet; na
ra da Crux, n. 13, casa de Ridguay Jsmisson & Coto*
- Vendem-se velas de carnauba de 6,7, 8 e 9 em
libra por preco commodo ; na ra da Conceiclo da
Boa-Vista ,n. 68. -
' Vende-se uro prelo de Angola de 26 aono ,
de bonita figura ; urna escrava crioula de 15 annoi ,
d muito bonita figura sem vicios nem achaques;
.vendem-se por precisio : as Cinco-Pontas n. 71.
Vende-te um fardamenlo completo para inferior
do esquadrio de guarda nacional, tudo em bom uso ,
t muilo emeonta ; na Csmboa-do-Carmo, n. 12
__ Vende-se um escravo pardo, de
idade, pouco mais ou menos, de 18 annos,
muito fiel, e humilde, ptimo pagem, e
altaiatc : na ra do Cabuga, loja de miu-
dezas, n. i'D.
__ Acaba de chegar do Bio de Janeiro
o muito sui erior rap denominado prin-
ceza novo de L'isboa, sendo este o nico
rap que se pode por a pardo de Lisboa:
vende-se as lojas dos Srs. Guilherme $et-
te, ra do Queimado ; Victorino &Gui-
maraes, ra dos Quarteis ; Antonio Do-
mingues Ferreira, rpa do Crespo, ou no
deposito, na roa de Apollo, n. 18. O preco
de cada libra Ke istooores
Escravos Fgidos
- Fugio, no dis 22 do torrente preta Maria de
naci Congo, de idade de 18 a 20 annoa, altura e
corpo regulares, algu ma cousa magra cor bem pre-
ta olhos avermelhados beicoi grosios denles al-
vos paitos pequeos e em p, mios grandes -pes
ainda maiotes, grosios e leics falla muito xplici-r
do e he algum tanto regrista ; lovou vestido deabo^
tadoquasi branco e panno da Costa novo embanha-
do ; julga-se ter levado mais roupa e por isso talvoz
tenba mudado de traje ; a mesma andava vendendo pi
da padaria do Sr. Moura d'onde levou urna toalba :
quema pegar leve aosobrado novo da esquina da ra
da Palma logo ao sabir do Pocinho, que ter recom-
pensado.
= Fugio, no dia 13 do corrente, urna preta de no-
me Maria, de naci Ca?*nge representa ter 30 an-
nos estatura regular cara becbigosa, nariz chato ,
denles alvos piapalbetadoi ; levou vestido de chita
azul de flores amarellai aia de metim preto Usada ,
panno da Costa azul com matsmes brancoa as pon-
tai e be vendedeira de frutas; coatuma andar pelos su-
burbio! desla cidade vendendo e comprando: quem
a pegar, leve a ra do Queimado, n. 21, que teri re-
compensado.
Fugio o preto crioulo Izidoro alfaiale e bo-
lieiro; loi escravo do Exm. bario de Itamaraca ; he
muito conhecido nesta cidade : quem o levar a roa da
>enzalla-Velha n. 110 receberi de seu senhor ,
Alves Vianna, generosa gralilicacio.
Fugio, no dia 9 do corrente um preto de naci
Costa, corpo regular .estatura alia bastante retinto,
com muilos signaes de bechigea no rosto, p>s grostos :
quem o pegar, leve ao escriptorio de Joio Piolo de Le-
aos # Pilito ou a ra da Aurora n. 8, que ser
recompensado.
- Fugirao, do sitio do abaixo assignsdo no Ar-
raial dous escravos ainda bucaes de naco Costa ,
um de nome Francisco outro de nomo Manoel am-
bos de estatura alta sahiiio juntos; levarlo camisa e
ceroulas de estopa "tendo a camisa do Francisco um
remend-as costal, e chapeos de couro j machucados;
tendo o Francisco urna costura -proveniente de um ta-
Iho na taboa do pescoco e o Manoel outra costura em
um hombro : quem os pegar, leve ao dito sitio ou na
ra das Flores, n. 33, quesera gratificado.
Joi Antonio Coma Jnior.
60f000 rs. de gratificacio
a quem pegar o escravo de nome Jos de naci Mo-
camhique marinbeiro de bordo do brigue Jpiter ;
cojo escravo veiopara trra na noute de 23 para 24 do
corrente com os signaes seguintes; estatura regular ,
cor preta nariz grande e muito chalo com marcas
de Lechigas; levou calcaa e camisa de algodio azul
trancado, e barrete a ingiera na caneca ; quem o
pegar, leve na ra da Cruz casa de Jos Ravier Vian-
na ou na ra to Vigario loja de massames de Fran-
cisco Mamcde de Almeida n. 1.
Fugio, oo dia 24 do corrente, um jardo de no-
me Tbomaz alto, espigado, cor escura /fpanella fina,
baalante conhecido por andar vendendo ftcendsa com
prelo atrs com taboleito ; quem o pegan} leve a es-
trada nova da Magdalena primeiro portpa de pedra
e cal do lado direito ou na ra Nova, laja a. 62; que
lera generosamente recompensado.
- No aia2dcorrente. pelas 5 hora da tarde,
desappareceoda casa n^eV'Wo Frte-do-Matio urna
preta de idade de 60 annos, pouco mais ou menos ,
de nomeGenetre, com os signaes seguales : levu
panno fino prelo j usado aaia preta e O* baigo des-
la outra branca cabecao dealgodo/inhd, anda sem-
precomum pona mi e costuma, quinao sabe de
casa, mudar de roupa na ra, para a nao coobuoerem :
roga-ae as autoridades que a prenderem a mandem
na dita casa que se pagaraC todas as deajaiai que
se fizerem ; assim como se roga a todas as pttsoas, que
dola souberem a levem a dita esta ou na ra do
Collegio, venda n. 5 que se gratificar genero-
samente.
PERN.

NA TT>
1)B
M. F.. DE I'AI'.IA----:5q5,


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EFAI7WYXU_Q8X6VP INGEST_TIME 2013-04-13T01:42:33Z PACKAGE AA00011611_05926
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES