Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:05918


This item is only available as the following downloads:


Full Text
---------------------
A lino
** W&.

Ter?a feira 18
O DI AMO publlca-se todos os'diae qne
no forem de guarda: o pretjo da nsslgna-
4/rs. por quartcl pagui aianla-
nincios dos assignantei sao inse-
ridos a razio de 20 ris por Iiulia, 40 rs. ein
ivp diffcrente, c as repeti<;des pela metade.
s qoa nao forera assignantes pagSb 80" rs.
l>or Italia, C 160 em typo differentc.
PHASES DA LA NO MEZ DE NOVEMBRO.
Crescente a6 as 3 h. e 55 minutos .da tard.
La chela a 13 as 10 hor. e 35 rain, da tard.
Menguante a 22 as 2 hor. e 8 m. da tarde.
La nova a 29 a 9 h. o 22 rain, da manhaa.
PARTIDAS DOS CORREIOS.
Oofnna.-Parahyba, eRlo Crande do Norte
Segunda e Semas feiras.
Cabo, Serinhaem, Rio Farinoso, Porto Cal-
vo, e Macey, no 1." 11 e 21 de cada mea.
Oaranhuns e onito a 10 e 24.
Boa-Vista e Flores a 13 e28.
Victoria as Quintas feiras.
Olinda todos os dias.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 7 h. e 42 mln. da manhaa.
Segunda as 8 h. e 6 minuto* da tarde.
de Navembro.
Anno XII !C. 98*.
DAS DA SEMANA.
17 Segunda S. Gregorio, aud. do J.dos oip.
> edoJ.doC.da2. v.M. da2. r.do J.
18 Terca S. Romo, aud. do 1. do clv. da 1.
v., e do I, de pax do 2.dis t. de t.
19 Quarta S. Isabel, aud do J do civ. da
2.' v., c do J. de pa do 2.a dist. de t.
20 Quinta S. Flix, aud. do J. de orph. e
doJ.M. dal.v.
21 Sexta S. Gelaxlo, aud. do J.do clv. da
1. v-, c do J. depai do I. dist. de tard.
22 Sabbadp S. Clcllia, aud. do J. do civ. da
|. v., e do J. de pai do 1. dist. de tarde.
23 Domingo S. Lucrecia.
CAMWOS NO DA 17 DE N0Vt!B*O.
Cambio sobre Londres. 27 d. p. li a 60 d.
Parii 355 rls por franco.
Lisboa 120 a 125 p. c. pr. p. m.
Desc. de le(. de boas (limas 1 'A p. /Jea
0ro Oncas hespanholas 31/000 a 31/500
Moeda de 6/400 vel. 16>00 a 17/100
. .. de 6/400 nov. 16500 a,f7HM0
. de 4/000 fJK2*.g}J-
Prora -PatacrJcs .... 1/WO a 1/920
> Pesos Columnares. t/'rJS a I/jM
Ditos Mexicanos 1#M0 a l/80
Prata iniuda. 1/700 a 4/360
Acces da C." do Beberibe de 50/)00ao par.
DIARIO DE FERHTAMBUCO
ADVERTENCIA.
No artigo eommunicado, que, em reiponlaa una cor-
respondencia do Jornal do Commercio, bontem publi-
camos, pg. 9'. col. 1.', linhss 69 e 70, em lugar de
rao corou, guando langou mi da pernio paro nonti
lar $uptna ignorancia, \6-ienHocorou.quando lan-
cou mo dapeina para vomitar tanlat fatsidadn, 'im-
proprios, de tnvolta eom a mot'i supina ignorancia.
PARTE 0FFCIAL
Governo da provincia.
EXPEDIENTE DO DA 11 DO CBRENTE.
(Concluida)
OfficioAoeoromendinlo das armai, icientifirindo-
odehiver permillido ao cirurgo Antonio Jos Dias
Martina retirar se do acampamento, para que fon en-
gajado ; e recommendando, providencie obre* lUa
lubstlurclo.Participou-se o coronel Joaquim Jos
Luit terse mandado pagar ao referido cirurgio o que
se Iba devesse.
DitosAo mesmo e ao commissario pagador, intel
ligenciando-oade aebar-se nesta provincia, licenciado
por trea meei. eom vencimentos, o cspello do quinto
batslhao de fozilerot. padre Manoel da Vera-Cruz.
DitoAo inspector da thesoursria da fizendi, ligni-
licando, que no pedido de augmento de quota para a
despeza da guarda nacional da provineia no presente an-
no (inaneeiro, contemple oa vencimentos do cornetas
engajados para o quinto batslhlo deste municipio.
Dito Ao inspector da thesouraaia das renda pro-
vinciaes, ordenando, mande indemnizar o arsenal de
guerra de 14B4610 n. que, segundo a conta. que Ibe
enva, despendeo eom diversos objectos, forneeidos ao
corpode polica. Pirtieipou-ie ao director do anenal
de guerra.
DitoAo bach'arel Vicente Ferreira Gomes, decla-
rando-te-lbe seiente de haver S. me. entrado no exerci-
cio do oargo de juiz municipal e d'orpbios do termo de
Iguarass no dia 9 deste mez.
DitoAo chele de polica, transmittindo, para fazer
cumprir, copia lo decreto imperial de 18 de agosto des-
te anno. que commuta em gales perpetuas a pena de
morte, em que o jury do Brejo condemnou oreo Ma-
noel Cosme, ora preso nesta cidade. Olficiou-ie a
respailo ao juiz municipal do Brejo.
Portara Belormando no segundo batalhSo da guar-
da naoional de Goiaona : o lente da segunda eompa-
nhia Antonio f-enborinbo Bandora, o respectivo alfa-
res Manoel Monteiro de Olivera, o capillo da tercera
Manoel Tertuliano de Sooza, o respectivo lente Jos-
qom Jos da Coate, o alferes da mesan Ignacio Jos de
Oliveira, o capillo da quarta Salyro Clementino Coelho
Calanho. e o da quinta Antonio Goncalves de Azevedo.
__Paricipoo-ieaocommandante superior interino da
guarda nacional de Goranna. por cujo intermedio lorio
estas rwlormii propollai pelo commandinte do relerido
balalblo; o iotelligenciou-se-o de bter sido, approvada
a proposta para os pollos vagos do mesmo.___________
INTERIOR.
RIO GRANDE DO NORTE.
Correipondencia do Exm. Sr. presidente da provin-
cia com osjuizes de diicilo chele de polica da mis-
ma.
N. lA o ebefe de polica, participando ter loma-
do posse, e entrado no eiercicio do cargo de presidente
desls provincia.
N. 2.Ao mesmo, remetiendo a ola dos ligniei
caractersticos do sentenciado I gales, Luiz de Morses
Cardoso, que se evadi da corte, a fim de que ezpeca
as convenientes ordens, para que elle leja capturado,
caso ippareca nesta provincia.
N. 3.Para poder esta presidencia, com verdadeiro
oonbecimento de causa, dar cumprimento ao que Iba loi
ordenado em avilo da.secretaria de estado dos negocios
do imperio, de 2 do corrente mez, releva que Vme.
me informe eom a pussvel brevidsde, te i populaclo
UM CAPRICHO DE PRINCIPE. (*)
XI.
Ao sabir dos aposentos do conde d'Arlois, Mr. de Be.
seavaj atnvesion de novo a ante-comara, onde o velho
gentilhumcm anda o esperara.
A' vista do bario, que se havia prestado voluntario a
servir de officioso mediador para com o principe, nao
pude Mr. de Forges comer nina eiclamtcao de alegra i
dao pnanlo nlguns pasaos para elle, sein duvidar que
virase encarregndo de o inirmluiir. Duruu-lho puueu a
i Iludo ;'unia palavra s de Mr. de Betenval baslou par
cJissipii-la. .
Uavia-se allli oontidn Mr. deF,irges; mas como che-
gara gradualmente ao paroxismo da irritaclo, nlo pode
ruis refrear-sc ; suLio-lhe ao rosto o logo da colera;
() Vide Diario n. 257.
te
de
di provincia contina ainda aezperimentera penurii
mmlimenloi, que o proloogamento da lecca bai
a muito produiido, e te o leu estado imperioiimen
eiige quaeiquer soccorroi da parte do governo. Dos
guarde a Vmc. Palacio do governo do Rio-Crande-do
Norte, 29 de abril de 18*5. Dr. Ca-miro Jos i
Moraei Sarment. Sr. chele de polica desta pro
vincia.
N. 4.__Ao mesmo, pedindo inforrr.icSe lobre
eontedo noi oflicioi do lubdelegado do diitricto d
Guarnir, que le Ibe remellen inclusos.
N. B. Ao meimo, remetiendo o decreto de 25 do
mez ultimo perdoando a 1.* e 2.* deiercio lim-
plei.
N. 6. Communico a Vmc, que em coniequencia
do ieu officio de boje, a que acompanbou a propoita
fiara luppleotei do delegado de polica do termo da
villa de Goanninba, qual dei a minba approyaco.
tenbo nomeido oicidadioi constantes da relaco junta,
uignada pelo leeretario delta presidencia. Deoguarde
a Vmc. Palicio do governo do Rio Grande-do Norte,
29 de abril de 1845. -Dr. Casimiro Jos de Moran
Sarment. Sr. .chafe de polioia desta provincia.
Hetacdo doi cidadot nomeadoi para exeicerem o cargo
de lupplente do delegado de polica dv termo da viila
de Gotanninha.
1. Jlo Tiburcio da Cunhi Pinheiro.
2. Jos da Costa Villar.Jnior.
5. Francisco Antonio Barbalbo. .
4. Jos Nicacio da Silva.
5. Francisco Herculano Barbalbo.
6. Manoel Jos Teizein de Moraei.
Secretaria do governo do Rio-Grande-do-Norle, 29
de abril de 18*5. O leeretario di preiideocii, Joo
Carlos Wanderley.
N. 7. Para leu eonbeeimento Ibe eommunieo, que
nesti data tenho dispensado a Joiquim Feliz de Lima
do cargo de subdelegado de polica do districto da villa
deGoianninha, e nomeado pino substituir a Jol<
Tiburcio da Cunha Pinheiro.por Vmc. indicado em 1.
lugar na propoita, que me dirigi com o leu ofllcio d'
bontem. Dos guarde a Vmc. Palacio du governo do
Bo-Grande-do-Norte 30 de abril de 18*5. Dr.
Casimiro Jos di Mrau Sarment. Sr. ebefe de
de polica desta provincia.
N. g Para teu eonbeeimento Ibe communico, que
nesta data tenho diipensido a Urbano Eiiide da Silva
Costa do cargo de lubdelegado de polica do districto
de Papary, e nomeado pira o instituir Jlo de A-
nujo Coila,por Vmc. indicado em 1." lugar na propoi-
ta, que me dirigi com o leu officio datado de bontem.
Deo guirde a Vme. Palacio do governo do Rio-Gran-
de-do-Norte. 30 de abril de 1845 Di. Catimtro
Joi de Maraes Sarminto. bi. ebefe de polioia desta
provincia.
N. 9.Tenbo neiti data exonerado do eirgo de
promotor publico dessa comarca a Manoel da Silv Ri
bero, e npmeado para o substituir a Bernardo Euge-
nio Peizoto : amm Ihe communico pira leu coohe-
eiwento. Dos guarde a Vmc Palioio do governo
do Rio-Crande-do Norte, 30de abril de 1845 Dr.
Casimiro Jos de Moran Sarment.Sr. junde di-
reito da commarca doAsi.
N. 10.Participando-me o Exm. presidente da
Parahibi-do-Norte, que na cideii publica a'aquella
provineia se acho presos Francisco Ignacio Lisboa,
e Jos Joaquina de Santa Anm, por baverem amboi
commltido morte neita provincia, segundo ao mesmo
Ezm. prndente iolormou o respectivo ebefe de polica,
cumpre que Vmc. me informe com a maior brevidade
posiivel ludo quinto Ibeconiter a cerca de tees indivi-
duos.Deos guarde a Vmc. Palacio do governo do Rio
Grande-do-Norte, 2 de miio de 18*3. Dr. Caii
miro Jos di Moran Sarment. Sr. ebefe de polica
desta provincia
N. 11. Tenbo presente o officio, que Vmc. me di-
rigi neta date, pelo qual, coniidenndo irrita a por-
teril de demissio do subdelegado de polica dodistric-
tu de Arez, Manoel Rodriguei Correia Jnior, propbe
demiiiio do actual, Alezandre Rodrigues deCsrva-
oum uro gestudo raifa e de desprrio atiruii ao chao o
chapeo que tiha na mo e calcou a p as armas do cun-
te (i'A r lu.
Nlo podra Mr. de Betenval oppor-se a este movi-
niemo i mas, querendo evitar um fieandal, Iravou do
braco de Mr. de Forges, e conseguio leva-lo conmigo,
ni'iido-llie ao ouvido :
Epganau-iio, aeonipanhe-roe.
Sorpriso, amedronlaiio, o pobre velho aentio que Ihe
morriau nos labios aa impreeacoes prestes a escapar-lhe;
o emu ,|uanto nlo oomprchendeise o sentido dessas my-
teriosns palavras, seguio todava o barl.
Ao pe dopoial eperava-o urna carruagem. Dm laeaio
de lica libr abri a portinbola ; Mr. de Betenval ooro
engracado gesto convidou o velho gentilhomem a aubir
primeiro, o tinnuu depois lugar.
Para Trienon, diss o baria.
O laoaio Iraiismillio a ordoin o cocheiro, ea carrua-
gem parti, oin quanio Mr. de Forges embalu eatloni-
l.. aeiunada comprehender, Bxava ero Mr. do Betenval
mu ulhar iuterrogador.
Hbil era aproieilar-se de lodos osarasot. aituto cor-
leilo, previo que a nlervenclO de Mr. deForgoa poda
er-lhe do atguma utilidade na eteeucao de teus pro-
jectei, e que em todo caso tirara grande partido das
Iho que o lubitiluio e i reintegricSo do referido Corren
Jnior. Em reipmti, pois, io seu citado officio releva
diier-lbe. que. com quinto reconbeca que ha contra o
dispoito oo artigo 25 do reglamento n. 120 de M de
Janeiro de 1842 a nomeacJo e demissio dos delegados
e subdelegados som prvis audiencia de Vmc.com ludo,
nlu pondenndo Vmc. alm desta ratp slgum outro
motivo pira a demissio do actual subdelegado de A-
rez. nlojulgo conveniente annur por ora J la requi
siclo. Deo gmrde Vmc. Palacio do go.erno do
Rio-Grande-do-Note. 2 de maio de 1845. -Dr Ca-
simiro Jos de Maraes Sarment.-Sr. hale depo-
licii deita provincii. 9
N. 12. Attendendo eo que Vmc. merequisitou
em leu officio desti dita 4 cerca di deresiilo do ae.
tual subdelegido de polica do ilistriato di villa de !>
Joi. e nomeaco de outro mdivid, que o substitua.
tenho nesta meimad.la ordenado arefefida demiisio,
e nomeado para ezercer aquelle cargo I Ignacio da Ro-
cha Aievedo Pinto, por Vmc. proposto em 1.- lugar:
o que Ihe communico pin sua mlelligeMi. JJeo
guarde a Vmc. Palacio do governo do Rfo-tjriode-
do-Norte, 2 de miio de 18*5.-Dr. Casimiro Jos,
de Moran Sarment. Sr. ebefe de polica deste pro
N 13.~Fico de posse do officio, que Vmc. me di-
rigi em dita de 24 do met ultimo, acompanbado da
copia di pronuncii por Vme. decretida contri o pro-
fesor publico de primeiras leltnsdessi villa, Jos re-
liz do Espirito Sanio. Deo guarde a Vmc. Palacio
do governo do Ro-Graude-do-Norte. 5 de maio de
18*5.__De Casimiro Jos de Moran Sanmnto.
Sr. iuii de direto interino da comarca do Ais.
N 14.Em respoiti ao officio que Vmc. me di-
rigi em data de 22 do mei antecedente, expondo o
inconvenentei.que te oflerecem, para que possa ter
lugar a reunilo do jury nos termos do Principo ou A
cary deisa comarca, cumpre diier-lhe que. se nlo
existe reoalgum noi referioi termoi, como Vmc. me
informa.iccreicendo alm diitoeitarem ntrinsitiveiiii
estrada, em consequencia da onerosa lecca que tem
vexflO'e continua a vezar esta provincia, he visto que
nenhum prejuizo redunda boa admnistrscio di justi-
ca de se nlo reunir o tribunal do jury n'aquelles dous
termos, e tanto maisqnanto se nlo marcou anda m
qualquer dalles a primeira sesslo; o que somonte da-
tera verficir se, quindo houver necemdade dse |ul-
garem roi, que por acaso all tenhlo com.netl.do le-
lietoi. Nesta conlormdade, pon. devera Vmc. re-
gular se para lahir Ua difflculdade. em que diz achir-
le I este respeito, io meu ver lem rizSo Dos guar-
de a Vmc. Pilacio do governo do Rio-Grande-do-
Norto. 5 de miio de 18*5.~0r. 6'aiimifo Joseae
Moran Sarment. -Sr. bachera! Luiz Francisco da
Silva, juiz de direto interino do Assu.
i, ^.^^
PIAHY.
BELATORIO, COM QUE O EXM. PIESIDEXTE Di PBVVI.IClA A-
BRIO AESSA5 0DINAIUA DA ASSKMBLA LECULATIVA
EE 1845. ...
Senhores da anembla legislativa provincial.
Como maior prazer venho boje asiislir4 installaco
desta a.teuibla, eiinceramente voi felicito pela vossa
reunilo.
Tendo sido oomeido preiidinte di provincia, que re
presentis, por cirta imperial de 4 de abril dooorren-
te anno, recebida na Babia 4 16dome.mo mer, part
logo pira o meu deslino, viljindo lempre com a rpi-
do, que me era possivel, e ebegando 4 esta cidade no
dia 27 de junbo, tomei no seguinte posse da admioii-
tracao da provincia. Em lio poucoi dus de governo,
nao pono de certo estar habilitado preencher aatii-
lactoriameote o preceito constitucional, que me tri/
boju'ao meo de vi, idquindo os conbecimenlos ne-
cesssnoi para inilrurr-vos do estido dos negocios p-
blicos, edil providencial, que mais reclama a provin-
cia para leu melboramento. Como, porm, ampia no-
ticia tendel das necemdadei do pan, que voi vio as
car, eeiteja eudiipoito a tornecer-vos pela lecretana
quantos esclarecimentos vos possio por ventura ser pte-
oiios em vossas doberacoes, espero sejo relevidoi o
ioevitiveis defeitoi do meu discurso, e nesta convicelo
entro j4 na materia dalle
. No intervallo d' vossa ultima a presente reuoiSo,
succedrao fados de inmensa importancia para os des-
tinos do imperio. Aos23 naiceo o Sr. D Alfonso, principe imperial, biptia-
do ios 25 din do mez de marc.0, e solemnemente reeo-
nbecido oa forma da comtituiclo ioi 6 de maio, por
successor de seu augusto pai, no Ibrono e cora do im-
perio, Esse precioso fructo, com que o Co abencuou
o feliz consorcio de Suai Magestades Imperiaes, forti-
ficando a dynastia reinante, tornou mii vaste, e mii
solida a base, em que repouia a oosia proiperidide.
A rebellilo do Rio-Graode-do-Sul, que, por miis de
9 innos, foi a injuria de ooim armas, e o sorvedooro
do singue, e do dinheiro da-naco, icibou ios 23 de
fevereiro. doui diai depois, que vira a luz o principe
imperial A Providencia Divina parece, que fezvir a-
quelle icontecimento api este, como efleito api a
sua cau, i fim de claramente idverlir-nos. que o
tlirono he o remedio dos nostos males, o grande penhor
da ventura do imperio a taboa de sus sanelo.
O pra/er, quecausivio lio fiuitai ooticin, s era
moderado pela lembranca dele baver ausentado d'arrtre
nos, oo mez de outubro do anno pasudo, a sereniasi-
mi princeza a Senbora D. Jinuiria, que, pideceddo
ainda por efleito da grave molestia, queem 1843 puze-
ra em perigo sua preciosa vida, teve necessidade de pro-
curar na Europa melhor clims, em que completamente
se restsbelecesse.
7VancMi/Ndad publica, e seguranca individual.
Tenho a satisliclo de declanr-vos, que a provincia
goza de perfeita tranquillidade lem embirgo dos acon-
tec mentos de 21 23 de maio, que quaii quebrioa
constante tradi^ao, que assigna a esta provincia paz e
soccego inalt raveii. Estes lacios slo besn conbecidoa
de vos, mu, devendo ser referidos por outm partes do
Imperio, eu vou ezpo-los brevemente, para que voaao
aiientimento seja urna prova irrefragivel da fidelidado
de minba ezposiclo. Nao ba ueste provincia pulidos
polticos bem descreminsdoi, ba, porm, urna lucia
mu travada entre urna inlluencia decibida, que longo
tempo loi predomininte, eaquellei, queetnpenbio to-
do* os seus esforfos, para que ella jamis le rehabilite.
Neste sentido diiputou le a eleiclo de deputados ge-
raes, embora ai apparencivi inculquam o contrario a
quem estiver ra da provincia, ou nlo tiver conbeei-
mento do que nella se paisa : aggravtrlo-ie odios, ap-
psrecrlo vingancu. Vos sibeii, que bouve atteolidos.
Os adversarios do Exm. Sr.viiconde di Parnabiba, iup-
pondo-o mandinte, ou cumplice de omatteotado com-
mltido, e de outroi, que le premeditivio, segundo oa
boatos, que corrifio, reunein le em grande numero no*
diaa 21 4 21 de miio, em distancia de urna legos deste
cidade, e, talvez dispnstos a entrar por ella se nlo fos-
sein alteiididos, dirigem ao meu antecessor o Ezm. Sr.
conde do Rio Pardo urna repreientaclo, pedindo a sa-
bida do Ezm. Sr. visconde da Parnabiba desta cidade, a
i nomeacio do tenente-roronel Antonio Jos de Car-
valho para commandar a polica. Annuindo-ie pruden-
temente a estes podidos, dispersou-se o ijuoUmenlo, e
a tormenta, que imeauava a ordem publica, eissipou-
se logo. Espero, que le nao reproduilo lemelbantea
lacios, e se pin evita-loa baila urna idminiitrivio jus-
ta e imparcial, eu vos iffiaoco, que jlmiis le repro-
duzirl.
A segunnea individual eilevecomo que inspenia
ni sta cidade nos dous meies anNMsUes ao em que to-
mei posse da prmidencia da provir/eiav No dia 16 de a-
bnl, Manoel Quiolino de Brilo, iieerdote, e ni flor
deieussnnos, cahio brbaramente aos golpes de 4si-
carios, 4i8 borai da noule, lempo de luar, oa ra do
Fogo, urna das principies desta cidade. O cipiteo
Tbeodoro Pereira de (lastro, que commandivi a polica,
foi mortoa tiros de pistola!, no dii 17 de maio,4i 9 ho-
ras da nouto, de brilbante luar. E pira cumulo de
horror, diz a voz publica, que foro agentes desle dous
ssssiiiinitoi soldados do corpo fizo desta cidade O
exacto eonbeeimento de tees tactos, ede quem sejloos
seus autore, depende doi procesaos, que se esto fa-
i .. ._.. I
confidencias d. velho. O que fallava era deterniina-lo
a fallar: cuusa fcil 8 um humean habituado a disi-
mular o seu pensamiento, oa por outra, a um hornero
aagat. ,
Eit-aqu romo se ello bouve.
4- Meu charo Sr., disto elle no tom o mais compade-
cido, en lanlimo-ii tinncramenlo. porque entendo quin-
to doto luffrer; purera quis primeiru que ludo, e mais
que tudo evitar eitrondu..... o que he teinpre desagra-
itavel..... Creia-me..... tranquilliie-so.
_ Que! o Sr. iiboria.....
Sim. Sr., ie tudo..... e quero aalvi-lo.
Oh! Carlota, Sr., aalve Carlota; salve minba fi-
Ihal eie.lamou o infelii velho.
He o quo eu quero fater, o que farei, fique cert ;
mas para isao, he preciso que me ajude, he necoisirio
queensaiba....... Vou reviver dtfa bem agudas; mas
em hiu, bem ve o Sr. que para rtrvi-lo eom resultado,
noiivcm qHe ii Sr. me refira todo* w purmenore deise
(alai aciiiiteeimento
acabado, oom heiit^io, este ezajjarocado exordio,
Mr. de Betenval aeorescentoo:
Falle purtantu, Sr., nao me ocoulte nada, eu o
eirnto.
De Forges, acareado pelas benorolai palavrai, e coiu-
pungentes periphrasos du bario, rererio-lhe miudaraen-
te ludo, o que sabia do rapto de Carlota, e terroiuon di-
tendo banhado ero lagrimal.
Bem v que he indispenaavel que roe en iviite
com o primiipe, que Ihe falle, nlo ha teinpo a perder;
cada minuto que deoorre be uro seculo de agona para
minlia filha.
Mr. de Betenval havia silencioso escotado o velho
geniilhoniein, seiu interrorope-lu: quando eite findou a
narra^o, diste elle:
Bem ditia eu que o engaarlo, mea oharo Sr.;
Carlota nlo eat ein Veriaillea.
Onde est ellaentao? pergnntoo Mr. de Forges;
oh! io o Sr. o sabe, nlo prolongue o meu turnsente,
Minha filha! onde est minba filha?
O Sr. ein pouro lempo o uberl, ae quitar tegnir o
meu conielbo ; confie em miro, Carlota ser-ihe-ba reili-
luida.
Oh! agradecido, Sr., muito obrigado por eiia
palavra, cun que cunto, o Sr. nlo ba da querer enga-
nar-me, porque seria eoota fcorrivel; maa d-ie prea-
>a, porque eu sotfro hurriveluiente, e o deaeapero na
mata.
Durante esta rpida oonverseclo, brilbante carrua-
gem havia atravetsado i Upada, ecbegado aTrianoa.


zendo, e que em breve serlo concluidos, como nfor
mou-me o chefe de polica. O certo he, que esta ci-
dade panou din de terror, tendo 01 teui habitantei d
procuraren seguranca f.'ira dalla, ou de te comera -
rem lechados emsuas casas. Agora > cooiai mudarlo
de face : a le ai reconquistando o leu imperio, e se-
gundo ai partea de polica, que recebo. Di occorre no-
vidade alguma na capital. Consta, que lora desta ci-
dade; as em aeu municipio, se commellerlo dous as-
ssssmalos ; em Jaicnz duas mulhere Anna, e Benedic-
ta matarlo 1 rancisca Pereira de Souza, cujo marido
vingou-se matando-as immediatamente. O promotor
publrtfl da comarca de Campo-Maior foi assastinado no
da 3 deebril do crrante anno. Em oficio dirigido ao
meo antecessor, em data de 5 de maio, pelo delegado
de Peracoruca, communica se, que em ama s noute
bouverio duss mortes, e alguna lerimentoa grates no
acto de aer atacada por 6 9 facinorosos a casa de Jos
Amaro da Silva, que foi um dos morios. Tantos at-
tenlados, de que ba noticia oflicial, asssai revelio, que
a impunidad*, que parece ameacar de dissolucao a so
ciedade brasileira em geral. tambem aqu predomina.
Eu protesto empregar os moios, que estiverem ao
meu alcance, para que nSo iquem sem punicio os au-
tores de taes crimes. Sem punicio, Senhores, um po-
vo anda pooco civilisado, como o nosso, nao conhece
freio ao crimo.
|(Coniuar-i-Ao.)
l ALJAifjry.-vpni g mibhihi
uiariq e prnaimco.
Recebemos jornaei inglezes, que alcancio a 6 de ou~-
tubro ultimo.
A corte de Inglaterra tnba voltado a 25 de setombro
da residencia de Osborne, na ilba de Wigbt, para ocas-
lello de Windsor, aepois de urna ausencia ue mais de
3 mezes; e all se achata ultima data.
M. Thiera era esperado tolos os diai em Londres
Tinbio-se alugado aposentos para elle e urna numerosa
comitiva no hotel de Mivart.
A eonversio de M.Tbomas Lloyd, de Beecbmount.
revogecaoconlinuava a fornecer noticias de adiniraclo
aos especuladores de mudancas, os quaes parecio con-
fundidos quanto verdadeira causa, que de repente in-
duzio aquelle cavalheiro a abandonar os seus antigos
principios torys, religiosos, polticos, constitucionaes, e
ludo. Se bem que Ibes custasse a crr, que elle livesse
em istasoseuengrandeciniento pe.soal; todava, se-
gundo um boato do Cor i Fxammer, devia H Lloyd
ser solicitado para acceitar a representado daquella ci-
dadecomo successor de Mr. Serjeanl Murpby.
As olbas de Paria, recebdas em Londrea, ebegavio
a 4 de uulubro.
Orei, arainba. e o resto da familia real de Franca
tinhlo regressado do castello de Eu para o palacio de
St. Cloud. K
Os ministros da justija ecommercio tambem hano
voltado de Eu para Par/.
Oajornacsminislenaes eopposicionistas gabavio-se
respectivamente de terem alcancado a victoria as re-
centes eleic dea. M. Marand, novo deputado por Col-
mar, declarado conservador pelo Moniteur e por oulma
orglosdo gabinete, loi reclamado pelo Lonttitutionnil,
e pelo Sicle, como candidato do seu partido ; porque
declarou. que leria votado contra a concuiso de una
indemnisaco a Mr. Pritcbard.
O Journal des I)chais refuta victoriosamente as pre-
tendes da opposicio. e moslra, que nos ltimos tros an
nos, em vea de ganhar, tinba perdido terreno. Nesse
espaco de lempo, diz elle, tiverio lugar 40 eleigoes; o
partido conservador triumphou em 31, a opposicio em
8, e os legitimistasem I. Da ultima ve forio os con-
servadores bem succedidos em 7, e mallogrados em 2.
Pela nossa parte, concluo o Debis, estamos muilo sa-
lisfeitos com esse resultado, e confiamos em que o par
tido conservador puder obter u inesma proporcao nase-
leicOei goraes, na expiracSo dos poderes da cmara ac-
tual, em 1847.
Oa jornaes do Havre diriio, que o governo francs
eslava determinado a vingar d'uma maneira singular o
insulto felo a sua dignidadepelos O'ahsde Madagascar,
e que o commando da espedidlo seria confiado ao prin-
cipe de Joinville. que devia jar a sua bandaira a bordo
da nao de linha Suffren. Aquellei jornaes accrescenta-
vio, que urna forca naval inglesa cooperario com a fran-
cesa, e que seriio preservados todos os direitos da
Franca a urna oceupacio definitiva de Mad3gascar. e
todos o seus direitos de soberana sobre aquella illia.
O Courrier Francaii. alludindo projectada expe-
dicio, insiste sobre a impoii :a de se permittir In-
glaterra, que cuopjreatm a Franca, sob o lundamenlo
de que be mistar dgaos Uvahs coohecimento da forca
e do poder da Franca, e encbe-los de um aalutar ter-
ror. t
O Nalional dedicou um longo artigo aos negocios de
Hadagascar, e a (im de provar o direilo da Franca so
berania remonta se ao anno de 1642, em que o minis-
terio do cardeal de Richelieu auturisou urna companhia
francea a oceupar e colonisar Madagascar e as ilhas ad-
jacentes. Depois relere se ao anno de 1670 em que o
rei (ranee; cassou os privilegios concedidos Compa-
nhia, e addio Madagascar corda de Franca, a Km
1686. dina elle, urna ordenanza nal proclamou de no*o
a annexacto da Franca oriental aos dominios da rora
francea; sendo esta declararlo de soberana confirmada
pelos edictos de 1719, 1720 e 1725 ltimamente
menoionou. que o tratado de Paria, de 30 de maio de
1814, restituio a Franca todos os estabHecimentos. qne
ella possuia alm dos limites da Europa, antes de 1792.
O.tfomreur publicou oito onienancas reaes, datadas
do castello de Eu a 23 de setembro, elevando dignida-
e jn*reS de Fr,n?, 'ente general Fabrier; M.
Jard Panvilher. concelbeiro do tribunal decontas ; Ti.
Laureas Humblot. antigo deputado ; M. Legagneor,
primeiro presidente do tribunal real de Toulouse ; M.
Mesnard, membro do tribunal de Casta t ion; M. Paulie
de Ivoy, e o bario KceJerer, antigoa prefeitos; e M.
Roussolin, primeiro presidente do tribunal real de
Caen.
O rei parti a 3 de outubro de St. Cloud para Paria,
e deo audiencia a murtas pessoas
S M. pareca go/ar de excedente sade
M. Guizot havia se recolhido no da 2 de Beausejour
para o palacio dos negocios estrangeiros.
<> Journal des Dbatt tambem annunciou em data do
L,de Amiens, que linha d<-ixado de existir a celebre
mstituiciopossuida pelos Jesutas em St. Acheul. No
fim de setembro abandonarlo a casa 40 dos padres e no-
vicos, mu tos dos quaes expalrilrlo-se.
O mesmo jornal infere de nao ter o governo russo
publicado os pormenores da expedicfto contraDargo, e
das subsequentes operares do exercito noCaucaso, que
ssuasonsequeocias havilo sido verdadeiramente de-
sastrosas,
O Algert annuncia um movimento insurreccionarlo
para Fleaacen. Sem dunda, dii elle, os partidarios de
Abd-cl-KidfJr.tproveitlrio-se do periodo em que as tri-
bus do Sul esli oceupadas em lser no Tell o seu de-
posito de provisSes. para tentarem coups de inams con-
tra os Douars, que (icario no Sabara para guardar os
rebanbos. Predominava igualmente grande agitacio
para Medeab. e o general Marcy tinba sido obrigado a
marchar contra os insurgentes.
OSemaphore de Mantilla de 30 de setembro cita
urna carta de Djemma, datada a 22, dizendo, que, leu-
do Abd-el-Cader apparecido na visinhanca de I.Alia
M gbrina, todas as tropas da subdivisio de Flemcen ti-
nhio marchado para a fronteira, sob o commando do
general Cavaignac.
No dia 3 de outubro havia corrido em Pariz o boato
de urna insurreicio nos estados pontificios, e da oceupa-
cao de Rimini pelos insurgentes, o qual boato foi de-
pois plenamente confirmado.
a Sabemos (diz o Journal del Debat), por urna
Exc., q me foi entregue ao dia 13 do correle,
com dala de 7, tenho dizer, que,sendo a bandeira,
que servia no batalbin, de que he hoje commandanle
(pela desgraca de Pernambuco) joio Paulo Ferreira,
propriedade minha, e de alguna olciaes, eu a entre-
go, nio por temer as ameaces que V. Exc. se digoou
fazer-me, porque. gracasaDeos, anda temos juizea,
que, guando se trata de lazer juslica, sabem desprerar
os verdugos dola, despeito do rancor, que Ibe ficio
consagrando, por nao se prestarem servir de instru-
mentos de mesquinhas vinsancas; us porque faco,
da parte que me toca, doacio ao balalhio, como j a
(inha feito a instancias do capillo Joaqun* Ribeiro
Pontea.
Quanto aos mais objectos pertencentes ao balalhio,
de que trata V. Exc., do cappa junto, enlucios in-
clusos ver, que as granadeiras e teus pertences j le
acho todos, ou se devetn acbar em poder deaie Joio
Paulo, e que as cornetas tiverio o destino constante
dos ditos oflicios. Comprnmetto-mo a pagar prompla-
mente o valor de um ou outro pequeo objecto, que
venha a faltar, por ter sido talvez extraviado no lempo
em que dito Joio Paulo commandava interinamenluo
balalhio. Dos guarde a V. Exc Paratibe, 16 de no
vemhrode 1845.Illrrl. e Exm. Sr. Antonio Pinto
Cbichorro da Gama, presidente desta provincia.
Fianciico di Paula Souia Leuo,
'lente coronel.
COMMEftCIO.
Alfandega.
RBNDiamifro do du 17.................6:629737
Desear regaB hoje 18.
BarcaJtlmercaduras.
UngueAragudem.
BarcaZiliaidem.
Antes de ae apear, diise Mr. de Betenral ao vclho ca-
pillo:
Atienda bem ao que Ido vou diter, etolireludo na-
da eaquec* ; elc he o precn do Carlota. Nos varaos en-
trar em Trinnoo; a rainba ah te anda aolualnicnle. Eu
vou v U, fallar-lbe-hei, intereasar-me-hei piirsua 6-
Ih; a rain lia he luda dfl buidade, e ha da com|iade<'^r-
e da aua dr. Canvem pnrm quo o Sr. mearan iiuplnrr
o apoiu ilc 3. niagedade. Una npriurntacio ero regra lo
iiupoaMVeJ; lu> iieoeisariu purt.int'i suacilar urna uc.cn-
aio, urna circiimtlanoia; e he dalo qu
reg, Eiilreiantii coniervar-ie-hn oSr. uccutlo naqud
lo naramnnchel, no lugar qne llie eu designar. Eu fan
que a raiiiha ecHcamiuho para ase lado. OSr. aolhi
laucar aos ps, e..... o inaia dis-lhe rct|iei(o. Estamu
eoteudidosP
Oh! Sr., crea que nunca esquecorei......
A ventura de llieaer til, meu charo Sr., he a mi-
nha raaia doce rccoiiijiens*, iluae Mr. de Betenval,
tura ita maior aiiicendadr... Ia-me eaquecendn u mai>
necelaarip i multo nnpuria que rale encontr pause |
carta, dalada de Millo a 29 de setembro. que a 24 fez-
e em Rimini urna tentativa do insurreicio. Afirmad-
nos, que essa tentativa foi projectada poralguns habi
lantes da cidade, e alguns refugiados llespanhoes e l'ie-
monte/.cs Cen desses refugiados desembarcarlo na
noule de 24 na visinhanca de Rimini e marcharlo in-
mediatamente sobra o forte de Sn Leo. situado a cur-
ta distancia da cidade. onde se suppunba, que linho
confederados. Entrarlo nelle, pozorio em liberdade os
numeresos presos polticos, que all estavio encerrados,
u d'pois apoder&rio-se de Kimini, onde detiverao as
malas, o interceptarlo os despachos. O cardeal Legado
de Forli expedio immediatamente tropas para Rimini;
e a 27 os insurgentes, que provavelmente no encon-
trarlo apoio da parto do povo da cidade e suas visinhan-
cas, evacuarlo precipitadamente a prafa, ao approxima-
rem-scas mesinas tropas, abandonando as armas. Al-
guns delles tornarlo a embarcar, e outros relugirlo-se
nos montes As cartas de Kologna nio mencicnio a oc-
curronciad'algum outro movimento ern Romagna. a
A primi'ra noticia daquella tentativa mandou o ina
reclial Radelski. couuiiandante do exercito austraco,
reforcara guarnicao de Ferrara.
Corra em Millo, que em Benevento se tnbio dispa-
rado varios tiros sobre o cardeal Legado eseu secretario,
que este fura ferido. Este boato exiga confirmacio,
tanlo mais quaoto Benevento nio he a residencia'do
cardeal Legado.
Urna carta particular de Faenza, em data de 24, con-
firmava em parte a noticia supra, e accrescentaaa, que a
cidade de Pesaro bavia seguido o exemplo de Rimini, e
que Sinagliae Ancona preparavio-se para unirse ao
movimento :
o A noute passada, diz o escriptor, marcbouum ban-
do sobre o castello Bolonba, pequea cidade da lega-
Co de Ravenna, para fuer junecio esta tarde com um
corpo de lOOguerrilhas, penencenles, pela maior par-
te, a Faenza, o qual rorpo tomou a sua posicio as
Iront ras da Toscana. O plano dos insurgentes be avan
Car sobre Roma.
Oulra carta do Toscana, datada a 20, mencionare,
quo o movimento de Rimini comecra a 22, e que o es-
tandarte da revolta foi levantado primeiro petas tropas
da guarnicio. IJm boato deque a com muslo militar
estacionada em Ravena ira correr os circuitos de Ro-
magna. provocou a insurre7io. Os refugiados residen-
lea em Florenca tinhio tornado a entrar na legacio.
Consulado.
B.F.NDIMKNT0 DO DU 15.
Geral159*292 ProvincialI2392l
editaes, a fim de queie ten ha disso conhecimento em
todos os lugares da provincia, e tenhio os seus habitan-
tes o lempo nacaawario para as apresentar na Ibesoura
ra O qne o Sr. inspector cumprir. Thesouro pu-
blico naeiooal, em 23 de agosto de 1845.Uamoel
Alies Branca. Cumpra-se. Tbasouraria de faen-c
da de Pernambuco, 12 de setembro de 1846Silva.
O film. Sr. inspector da thesouraria de fazeoda
mana fazer publica, para conhecimento dos interessa-
dos, a ordem do tribunal do thesouro publico nacional
do 9 de setembro ultimo, abaixo transcripta, que mar-
ca o primeiro de abril do anno futuro para comecar o
descanto gradual, na forma da lei de 6 de outubro de
1835. as olas de cem mil risda 2 'estampa (verde),
actualmente em substituido na cor te; e convida aos
possuidores das mesoias notas, para que quanto antee ai
faci trocar por outras na mesma thesouraria, vialo ca-
tar prxima a poca em que vio deiiar de ser recebdas
as estacOM publicas da provincia. Secretaria da the-
souraria de fase oda de Pernambuco, 16 de outubro de
1845.O ulicial-maior, Ignacio dos Sanios da Fon-
uca
Ordtm a qui e nfiri o idilal tupra.
N. 124 A. Manoel Alves Branco, presidente do
tribunal do thesouro publico nacional, participa ao Sr.
inspector da thesouraria da provincia de Pernambuco
que, por portara desta data, ordenou, que ae marcas-
seo primeiro de abril do anno futuro para comecar o
descont gradual, na forma da lei de 6 de outubro de
1835, Das notas de cem mil rit da 2.* estampa (verde),
actualmente em substituido neata corte, a fim de qu
mande fazer publico por editaes, e noa peridicos por
repetidas vezes.para conhecimento do* oteressadoa.Tbe-
souro publico nacional, em 9 de setembro de 1845.
________________^_______Manotl A Iva Rraneo.
Declaracdes.
JUovimciilu do Porto.
Navioi intrads no dia 17.
Babia; 11 das, patacho portugus Reitauraco, do
136 toneladas, capillo Alexandre Jos Crrela, equi-
pagem 9, carga lastro e pedral de amolar; a Firmi-
no Jos Flix da Roza & Irmlo.
Havre-de-Grace ; 34 das, brigue francez Arago, de
176 toneladas, capillo Deyrier, equipagem 11, car-
ga fazendas, manleiga e mais generoi; a Luiz Bour-
guire.
Terra Nov ; 39 das, brigue americano Indui, de 198
toneladas, capillo W." G. Cofn, equipagem 10,
carga bacalho ; a L. G. Ferreira Companhia.
Lisboa; 34 das, escuna porlugueza S. Joi, de 112
toneladas, capillo Francisco Gonealves, equipagem
10, carga vinbo, sal e mais generoi ; a Nascimeoto
Schaefler & C*
Navios lahidoi no mtinio da.
Babia e Rio-de-Janeiro; paquete ingles Expiesi, eom-
mandanle Herick.
Rio-de Janeiro; brigue americano Indui, capillo W.
G. Ludio, carga a mesma, que trouxe.
Editaes.
Publicaijao a pedido.
Jllm. i Exm. Sr. Em resposta ao oflicio de V.
i.ino qeella nio usficito que eu o serv em couaa abru-
ma do ludo iio. OSr. entendermeP
En o admira, responde Mr. de Forgcs, locado de
devotacJo lio delicada, de lAo nigenhoaa bondade.
Abrio-ac ii porlinbola .vlle de.crao. Paitado o por-
li", intr.Ml.nii;!. -< pc| tortuosas alamedas Je Tria-
non; ao chegar urna milita, disae Mr. de Bejenval:
He aqu; e retiate jiara o palacete, deixando la a o
velbo.
Miric-Antoinello linha i Trianon um amor de artilla.
me encar-lbaan deliciosa quima era ubre aoa e i. ac orgulhu.
No roco das pompas de Vcraallca, dolo de mu.i cor-
te galante frivola, entregue tod* as cducccs dn
luvenludo, toda as perniciosas lisonjarias do uro cir-
> do admiradores nrdenlcs e apaixonados, ajoveni
= 0 Illm. Sr. inspector da thesouraria da lazenda
manda convidar os credores da divida publica lundada
porquantias maiores de 400.000 n., para apresenta-
rem os respectivos conhecimentos, a fim de serem pagos
em apolices. Secretaria da thesouraria da fazenda de
Pernambuco, 7 de novembro de 1845. Ooflkial-
maior, Ignacio doi Sanioi da Fonseca:
O I]lm. Sr. inspector da thesouraria da faienda
desta provincia, em cumprimento da ordem do tribunal
do thesouro publico nacional n. 107, de 23 de agosto
ultimo, abaixo transcripta, manda fazer publico, que,
do primeiro de setembro de 1846 em diante, se prio
cipiar a fazer, nesta provincia, o descont de que trata
o artigo 5 da lei de 6 de oulubro de 1835, as nolsi
de 2,000 rs. da |. estampa. Secretaria da thesouraria
de Pernambuco, 13 de de setembro de 1845.
O oflicial-maior,
Ignacio dn Sanloi da Fonieca.
Ordem a que se refere o idilal lupra.
N. 107. Manoel Alves Branco, presidente do tri-
bunal do thesouro publico nacional, conformando-se
com o parecer do concelbeiro de estado, inspector geral
da caixa da auiortissc&o, ordena que o Sr. inspector da
tbesou/aria da provincia de Pernambueo mande an-
nunciar pilos perodicoi, e por editaes, que, do 1 de
setembro de 1846 em diante.se principiar a fazer nes-
sa provincia o descont de que trata o artigo 5 da lei
de6deoutubro de 1835, as notas de 2,000 da 1."
estampa, mandadas substituir pela ordem de 27 de ju-
bo do anno passado; devendo o meimoSr. inspector,
logo que receber esta ordem, transmitti-la a ledas as
eslacSesde fazenda da provincia, para fizerem os com-
petentes aonuncios pelas folbii onde as bouver, ou por
I------------------- |-^......, IW J II lili <
Della i .ii ol-, de Fr-mca 6 se Itmbrava dos verdes prados
do atulado co, das riiouhas jiaisagens da Suissa.
C.im a ojuda de urna genhosa firclo, aaualuiuou-sc
.i engaar os si>iisgostua simples e competir*, c. consc-
nio revetlir ns tuaa roait churas illo.cVs deludas as ap-
l>rnicias de uiiiii cngracaila renlidndr.
imprevisto. Est entendido, que nada f..i preparad....... A' sombra das .rv.Trea de Trianon ella te senta fels .
queSr. nSotoeooiihece......jue oacaaolie que o ln.u-1 ivre, a pitar a branda relva do aeu jardiiu. esoueci-
ce a-iui; que o Sr. procura conde dArlois..... q, I ,e da plana ,|e raioha, e dos inauportaveii aborreoiroeu-
a Providencia Iho enviou a rainha..... Km nm he pre-doa da ciiqueta.
ComerTcito, ao v-la simplesmenle vestida de uro pen
leador de niursulina branca, com um grande chapeo de
palha que Ihe oobria ni longua e bellua cabellos, |ier-
i-orrar cora uro livru na mo oa capriclinaoa caroinhoa
dessa raonha paiaagem, por ella desenliado, quero pode-
rla diter: Esta raulher he a rainha de Franca?
M.irie-Aiitnincite apraiia-so coro eale peiuamenlo, e
neisto, quanio nos, o que melhor pinla a candara e
poreu de iua alma.
Nesse din vinha ella jualamenlo veatida, como acaba-
moa de deacrever; s com a differenca que era ves de
niursulina era o veslido de laa branca, porque conieca-
a a faier fri, e ua belloa diaa orfovao polo aeu fiui.
J ella havia logo pola manilla, segundo o sen ostii.
rae, ti.,i,,do quinla, a queij.ria e o proabiteno ero
< ompauhia de Mina, de Pulignac. Ambo, de bracos tra-
V'adoa, tmhto divagado por caniiuho. Solitario., parando
qal para cheiror urna flor, all p,r* admirar um inaeclo.
alm para uuvir a susurrofonginquo da cidade. Quaudo
rainlra lo vio s pm-ae a meditar ; aenlod.i era um b^n
nislicji dciiava fluctuar o peiisaiDenlo no eapc.. r,
qoasuu com dittrahida ralo arranrava. tero a .. dar
MicnT4o, rom, de lenra herva, qne BlonohetU, ,u,
cabra favonu, vinba roer entre ua seua dedos.
= O arsenal de guerra precisa comprar 263 parea
desapatoi para a tropa, o 2380 varas debrim ; quem
taei gneros liver, mandar mu propostas em carta fe-
chada, junto com as amostras, a directora do mesmo
arsenal, al o dia 19 do crrante me. Directora do ar-
senal de guerra, 15 de novembro de 1845. No impe-
dimento do escriplurario O amanuense,
Jodo Rica/do da Silva.
' O arsenal de guerra compra cem arebeles de ei-
parto: quem este genero tiver, mandar sua proposta,
em carta fechada,a directora do mesmo arsenal,alodia
20 do correte mez. Directora do arsenal de guerra,
17 de novembro de 1845. No impedimento do escrip-
lurarip O amanuense.
Jodi Ricardo da Silva.
COMPANHIA DE BEIURIBE.
ConvecacBo para quinta feira, 20 do corrente.
Tendo-se marcado sugestivamente os din 15 e 17
do corrente para a segunda reuniio ordinaria deste
anno, determinada no artigo 17 dos estatutos, e nio
teodo, na hora marcada, comparecido accionistai, que
completassem o numero de 200 votos, que, pelo artigo
16, se fszem precisos para haver sessio em astembla
geral; seo pela terceira vez convocados os Srs. aicie-
nislas, para que bajio de reunir-se impreterivelsaente
no dia 20 do corrente, as 10 horas da raanhia no es-
critorio da companhia ; fim de que a administrado,
dando conta dos negocios a seu cargo durante os lti-
mos seis mezes, seja habilitada a fazer progredir a eos-
preza.de Janeiro em dianle, com a approvacio da recei-
(a e despeza para o semestre prximo futuro, e se to-
mem outras medidas, que se julgarem convenientes aoa
interesses da companhia. He, pois, indispensavel, que
esta reuniio lenba lugar; eaisim como o direelor nio
pode prescindir de a convocar na poca fizada pelos es-
tatutos, tambem os Sn. iccionislas nio se devem dis-
pensar de a ella comparecerem, sendo que o abandono
deste direito, anda mesmo por baier plena confiance na
administracio, pode prejudioar o preterir ns negocios
da associaeio Espero, por tanlo, que desta vez nio se-
ja frustrada a convocado, e que hora mareada se pos-
sa abrir a sessio, sem que ues tenhio o incommodo de
esperar por outros, ou de tornar anda para o mes-co
fim Beeife,' 17 de novembro de 1845, O direelor,
Joii Ramos de Oliveira.
COMPANHIA ITALIANA
Quinta feira, ao de novembro d 184S,
EM BENEFICIO DO BAIXO-JOCOSO
Paulo Franghi,
Ser representada, pela premeira vez,
a lindissiina peca em tres actos, chefe
d'obra do Sr. Cav. Donizzetti,
. LICIA DE L.UIEKIIIIIK.
H. h. Esta representar;3o n3o entra no numero
das assignaturas. Os bilhetes de camarote e platea
vendein-se em casa do director, ra Nova n. 7 Os
senhores, que fizerSo inscrever os nomes para esta
luiiccso, tenhflo a bondade de 'mandar buscar os
bilhetes ate o da 19, que rro dia 20 s se acharO no
botiquim do theatro. Principiar as 6 horas.
e ca-
rio inolinou se sobre esaa rega.mio, qne reapei-
[011 com oa labios.
Foi nesle momento que Mr. de Betenval ae llie apre-
tenlou.
Marie-Antoinetle ergnoo-se inimedial.mente
lendeo-lhe a mo.
O bario 1
toao roen
Ainda bem que sais exacto, disse a rainha oom nm
sorriso.
E como he pnsaivej dexar de ae-lo, quando se
trata de agradara V. rnageitade? re.pimdeo o bario era
tonrapaixonado.
Farece-me que nao alo todos do vossa opinio,
observon Ma'rie-Antoiiicllo; te a ctat-tidln he a polidet
dos rea e doa cortejo., nio he por eerlo a vil-lude doa
pnneipea, porque o conde d'Artoia ainda nio he ebe-
gado.
Mr. He Betenval, que viera, como o distemoa, a eate
convite oom aa mais gralaa esperaucaa, ua uuvi sem
reno despeil eala observacio da rainha ; mas lentou a-
provcilar-se della.
Roceio rauito, responde elle, que S. Una n5o
liossa vira.tislir ao aliOoco de V. m.gestade, pois q.,e
1110 incumbi de Ihe manifestar o ten petar.
Seu pesar? Credea que o conde d'Artoia tinta-o
I bea amargo? E de maja ule espera elle uuuerosas oom-


Avisos martimo.
- Par o Am pirte.no da 19 do corrente.o bergan-
tina nacional Fitl, capillo Manoel MarearooFerreira,
recebe nicamente passageirot.para o que tem os maii
excellentet commodos : a tratar com oa contignatarioi
Firmino Jote Flix da Roa & Irmio, ou com o refe-
rido capillo.
Para Liiboa aai cem brevidade o brigue porluguer
Tanj/ol.": para carga e paasageiroa, para o que tem
01 mait excellentea commodos, trata-te com Firmino
Joan Flix da Roa & Irmio, oa com o capitio Manoel
deOlieira Fanco.
a=Para Lisboa segu viagem com brevidade a cu-
na porluguea Tarujo / Filkot: para carga e pttaagei-
roi trata-te com 01 contignatarioa Firmino Jote Felii
da Roza dt Irmio, ou com o capitio Francisco Antonio
de Almeida.
Para Litboa tegua viagem o patacho portuguez
/Uiiawacdo:\)i* carga e paiiageiroa trata-te com Fir-
mino Jote Pelix da Roa <& Irmio, ou com o capitio
Aleandre Jos Correia.
= Para o Aracaly tagne com toda a brevidade o ha-
te fl/ovo-Olinda : ot pretendentet a car regar te pode
r5 entender com Antonio Rodriguea Lima, na praca
do Commercio, ou na ra da Cadea-Velhe, n. 1, pri-
meiro andar.
- Para o Porto tegne o brigue portuguez Maria-
Fclix capitio Antonio Luii Gomet: quem no mes-
mo quitar carrrgar, ou ir de patiagem trate com o
capillo ou com Antonio Joaquim de Soura Ribeiro.
= Para o Aracaty a tahir, oestes oito dita o pata-
cho Marta Luia mestre Jos Joaquim Altes; tendo
teu carregameoto quaai promplo e podando ainda re-
cebar carga miuda : quem nelle quirer carregar en
tenda-se com dito mestre ou com Antonio Joaquim
de Souia Ribeiro.
= Para o Rio-de-Janeiro tahir impreterivelmente,
t o fia do Horrante mez, o brigue D. Affomo, com a
carga que lver : quem nelle quiter carregar, ou ir de
patiagem, para o que lem excellentea commodos, diri-
ja-se ao capitio, ou a ra da Cruz, n.45, em cata de
Nascimento Schaeffer = Yende-te urna bareaca, que pega em 24 caixat
de estucar i gotto, contlruide de boaa madeirat, e feita
nas Alagoas; est prompta deludo; be nota ; ainda
ci (ei viagem alguma, a excepcio da em que veio de-
pois de acabada ; e be muito boa de vela : quem a qui*
acr. .procure a Antonio da >ilva Gutmio, na ra do
Queimado, n. 39, e, na aua falta, i aeu caixeiro Maia
Para Maranblo tabe com a maior brevidade
poativel o brigue-escuna nacional Laura, capitio
Antonio FerreiradaSilva Santot: para carga e ptssagei-
rot, para o que tem excellentet commodos trata-te
coni o dito capitio ou com Novaet & Companbia na
ra 4o Trapiche, n. 3i.
Para o Rio-de Janeiro segu com brevidade o
bam condecido brigue Bom-Jaui, ctpilio Pedro Jo-
t da Saltea: para carga, patiageiroi, e escrito! a frele,
a juttar com Gaudioo Agoslinho de Barros, praciona
do Corpo Santo, n. 66.
Para o Ceari tabe, com muita brevidade o bri-
gue brawleiro /ndtftndtnte : quem quiter carregar ,
ou ir de patiagem dirija-te a luja de caboa, de Fran-
cisco Mamede de Almeida ni ra do Vigario, ou a
fallar com Manoel Alves Guerra.
ri o
em
padaria, n. 69: e, nio compareceodo, aflen
nome por externo, e o negocio que se fex.
Precisa-se alugar urna canoa que pegue
1000 a 1600 tij loe-; na ra do Cabug n. ID.
Oh. I. Antonio din Santot Mendonc/a dirija-
te a ra do Cabugi loja de miudezat, n. 1 D para
receber urna carta vioda do Ceara.
Jos Francitco .Martms de Almeida relira-se,pera
'ora da provincia.
at: Alugi-se, por preco Commodo urna ceta no
Poco-da-Panel la pe lempo de fetta ou por anno.
com bastiles commodos muito fresca por ter do
lado da tooibra : a tratar com Jlo Ignacio do Reg ,
oa ra do Livramento, n. 2.
Julo Goocalvet Evangelista, mettie alfaiale ,
mudou seu esUbelecimento.|da ra da Cadeia para orna
oaaa de urna andar na mesar a ra, n._32, por cima da
loja de ttpateiro.
Precita-ae alugar um quarto ou meia-agoa .
menos de ribeira que tenba entrada p>-la ra e nio
pelo interior da cata ; quem tiver, annuncie.
Quemannunciou querer comprar urna eterava
com babilidadea para o te/lio dirija-so a ra lar-
ga do Rozario loja de miodezas n. 35.
Precisa-se de um leitor para um sitio perto da
prac,a ; oa ra Nova n. 57.
Aluga-te um grande armazem na ra da Moeda,
em que o Marcolioo leve armazem de assucar junto a
serrara do Joaquim : a tratar oa ra da Cadeia do Re-
cit loja, n. 48.
Precita-se de um oflirial de charuteiro para ir
Irahalbar no Monteiro ; paga-se bem : na ra Direita,
n.69.
Um homem brasileiro, acostumado ao traba
Iho de campo se ofierece para administrador de enge-
nbo faieoda ou para caixeiro ; tambem ensina pri-
meiras latirs: quem de seu prestimo precisar, an-
nuncie.
= Aluga-se, para se passar a Testa urna casa na
biquinha de S. PedroMartvr, na cidade de Olinda,
teu para o Sr. Antonio Jos Gomet de Carvalho viuda do
Riojatle-Janeiro.
a*'Alifga-se urna cata com muitoa commodos po
Poeo-da-Panella, junto ao sobrado do Sr. Joio Pirca :
t trttar na ra do Queimado !o|t, o. 8.
Antonio Marcellino Nooea Goncalvet retira-te
para o"Maranblo levando em tua companbia o teu
eteravo Viceote.
A luga seum moleque para servir a um homem
tem familia : na ra do Queimado loja, n. 8.
=t F. N Culeco pretende abrir no dia 19 um cur-
so de geometra e oulro de arilbmetica, ot quaea pode-
rlo ter Irequentados simultneamente : aquel les, pois, 11ida.
a quem uto convier entendi te com o annuncitolel -
por novo metbodo, e concerta varios intlrumentot nu-
ticos: lodosos tenhore, que quiierem, dirijio-te
Santo Amaro, ao p da igreja, ou a praca do Com-
mercio, deade omeio dia al la duat borat da Urde.
= Na praca da Independencia, livraria nt. 6 8,
aubtereve-te para ot
ANNAES
de 4*r
MEDICINA BBASILIKN5B.
Jornal mental publicado na corte do Rie> ele-Janei-
ro, e orgo da academia imperial de medicine: cada
n.'contem 32 paginat em 8. Irancet, rmpreeaio ni-
Leilues.
O corretor liveira fari ieilio de variado torli-
mento de firenda inglrzat, franceza*. auiatai e a He-
nil es de teda, lia, linbo e algodio, propriat do mer
cado, e ai quaet leem de ser vendidas sem reaerva ,
algumat a prato e oulrat a diobeiro a villa : bo-
je, 18 do correle ai 10 borat da manbaa em ponto,
no teu escriptorio ra da Cadeia.
Adamson Howie & C. ario Ieilio, por interveocio
do corretor Oliveira, de variedade de fa/endat inglesas,
propriat do mercado : quinta-feira, 20 do correle,
ai 10 horas da manbaa, no seu armasen), ra da Al-
ian lega- Velha.
Avisos diversos.
A CARRANCA.
Sahio boje o n.'44 e acba-te a venda, na praca da
Independencia, livraria nmeros 6 e 8.
Precisa-se alugar um preto para vender pi, dai
Chorra ao meio dia : no Atterro-dos-Afogadot, n.
87.'
A pessoa, que no Diario de bontem annunciou
comprar urna eterava com ot quetitot, que exige, di-
rija-saa ra etlreila do Rozario, primeiro andar.
Empresta-te dinheiro tobre prata e ouro : na ra
datCruzes, n. 11, primeiro andar.
A pessoa, que, no Diario de bontem, annunciou
querer Comprar urna escrata para o Serlio, dirija-ae
a ra Direila, n. 87, das 6 at 9 borat do dia.
Precisa te de um caixeiro Portugus, de 16 a
18 annot.para venda, que da mesma tenba pratica : na
ra da Aurora, n. 48, nu na ra Formota, o. 1.
O >r. F. 1. L. baja de comparecer no da 23 do
correle para o negocio,que nio ignora, na ra Direita,
pensecues? aeereacentnu Merie-AnUinetle com ironia.
Perdor-me V. mogeatade, en nio aei.....
EnlAo rttuo no melhor informada du que vt, poit
que tei ludo.
Que! V. roageatade.....
Hdiitem tud ouvi, digo-vua; intil he o fingimento.
He pr iaao que eu quit ver-vna, aqui, esla machia ;
porque lie precian que eaaa aeducel se nlii cffectiio
Va fullaveit de rapto, d casamento. Bem a.ibea que
iau he mpimsivei. Tel dctproporclo nio pode ter lu-
gar; nio oconsentiria el-rei.
Ignora V. mageiinde que o amor pode encurlar
uuilaadiateni-iaa? aventurnu timidanirnlc o barl.
O amor! E ereilea que aeja uro amor bem aerio,
eaae do conde d'Arioia, de nm principe do aangue por
urna raprigwinlia de no-nada?
Carlota hennbre, dase o bario; aeu poi perlencc
a urna daa maia amigaa familias du Languedoc.
.Va o nonliereia?
Pea.oalnieuir,uto; mea urna circumslancia fortui-
ta me pox mi reluci, ha muito lempo j.,, c.mi um gen-
lilkoniem, que tuiha este nurae, eae meniu enganu, de
Te ser o menino,
Contai-roe enlio issu, por favor,
U gcntiluuuiciu de quem conservo a lembranes,
2, com 4 quirtos., cacimba e tanque para te tomar
lianbo com um mirante quintal murado e be
bailante Ireica : a tratar na mesma casa.
- OSr. J. F. P. G. queira quanlo antet ir satisfa-
cer, na roa da Cadeia do Recife, 60, o que deve; alias,
ser o teu nome publicado por externo e a qualidade de
seu debito.
= Arrends-se urna caa de sobrado na ra de S.
Bita n. 14, sendo loja primeiro andar e sotio ,
ludo junto ou separado: os preteodenles dirijfto-se
a praca do Corpo Santo, a fallar com Jos Manoel
Fiusa.
* Quem quizer comprar ou
arrendar a propriedade da Casa
Caiada, no Bio-L)oce, falle com o
seu proprietario Jos Francisco
Belm.
- Manoel Luiz da Veiga avisa aos
amadores do lresco, que tem terrenos
para aforar, llvies das agoas do mar
promptos a edificar e receber qualquer
cultura, com frente para a estrada* que se
acabou, a qiiHivai para Olinda, e tambem
com frente para urna das melbores ras j
marcadas pela cmara que atraves-
m da ra da Aurora para a de Luiz do
Reg: a tratar na ra da Madre de-Ue-
os, n. 36, i. andir, nos (lias uteis, das
6 as 8 horas da manbaa, e nos dias san-
tos, no sitio do seu tallecido pai, do mes-
mu nome, em Santo Amaro.
= Pede-te encarecidamente aa pettois da ra dai
Cruzete fundot da ra do Crespo, te acharem um ga
lo mal tez, grande, perdido na noule de 15 para 16
do eorrenle.de o eolregarem na ra dat Cruset.tobrado,
n. 41, queterio generottmente recompensadas.
- Aluga te um tobradinho na ra da Praia-de-San-
la-Hila. o 22, delroote do Sr. Mandonca : natCinco-
Ponlat.n. 63.
Deteja-te taber se lio vivot, ou morios os Sn.
Joio Nogueira Freir e Francisco de Sousa Pinto que
aasistiio na ma daSoledade : roga-iea quem souber
noticias de algum doa ditoa Srs. o lavor de dirigir-ie
a rna do Queimado loja n. 13, de Antonio Jote Ro-
drigues de Soura.
Aluga-se urna muilo boa cata com teu litio no
Monteiro, com fundos para o rio do lado da tombra.
tem viunbaca junto e do lado oppotlo a igreja com
muitat coiiimodidades, muito Iretca com estribara
para 3 cavalloi, e todas ai mais ptoporefiei : a tratar
com Jote Mauricio de Oliveira Maciel.
Aluga-se o primeiro andar do sobrado silo por
detras da cata que aerve de tbealro publico muilo
fresco com frente para o rio: a tralar na ra larga
do Rosario n. 18.
= No eteriptorio de Gaudioo Agottioho de Barros,
na pracinha do Corpo Santo n. 66 ixitte urna carta
e Franc>
neo Aoto-
a loja de
para man-
a casar, vai itto para detoito ou vinlu annoa. No mo-
mento em que ae diriga igreja, a aua earruagem oin-
barafou-ao com oulraa da eorie, e ajuntou-ae mulla
grille. El-rei ia para Chnnlly, acompanhado de Mr. de
Choiseul; cmno nio podeaaem oa valedores desenliara
car o coiiuiilio, e arredar a mullidao S. mngeslado per-
guntou ao primeiro ministril qu.il era o motivo dalo.
Mr de Choiaeul fes um aignal, um ajudanto de eninpo
cliegou a porlinhula, e disae au re que a causa de linio
era o casamento de um anligo oflie.inl de ana casa.
_ Como ae chama csac uflieial? perguntuu o rei.
ljiiro-u, Sr.
Ide informar-vot, o vinde diter-in'u.
O njudante de campo fet n'uin insiantu a ana diligen-
cia, e veio dixer el-rei:
Snior, o oflirial chama-ae deForget.
Alt! oiihecii-o, cxclamou Luis XV He um bra-
vo, que tue aalvuu a vida na Allemanha ; disei-lbe que o
rei nio ae eaqueceo delle, E voliando para Mr. de Choi-
aeul : Vo> in'o leiubrarria, accreaoenloii elle.
E aeru diitida, u oflleial euearregado de levar an
aalvadur de Luis XV eaaaa boas e regias paiavras, ereia
va P perguntuu raiuba coiuiuuvida.
Era eu.
Poia bem, bario, su me toit fiel e devotado, como
em a roa da S. Crus na Boa-Vista n, 38.
Precisa-se de u/na pessoa queenlendado esca-
relo de viveiro e que tenha canoa para me fim : na
loja de tarlarugueiro da etquint do sobrado que vol-
ts para a ra dat Trincheirat, n. 2, ou no titio do Ca-
jueiro junto ao >r. Francitco Ribeiro de Brilo.
Aluga-te, por 128" mensaes o primeiro an-
dar do aobrado da ra Direita n. 43: a tratar na
metma roa venda n. 23.
= Francisco Alvet Veiga deixou de ser caixeiro do
Sr. Domingos Garcia Paramio da sua venda da ra
da Roda, n. 48 : tendo de retirar-se para lora da
provincia, faz iciente a todtt tt pettntt que tiverem
penboret de ouro prata e panno queirio ir lira- lot
no prazo de 8 diat; e, nio compareceodo, perders lo
do o direito. -
Precist-se de urna ima seoea parase oceupar com
partiuularidade em tratar meninos ; oa ra das Cru-
tet, loja de drogas, n. 28.
Ot Srs. Luis Peres, alfaiale, #
nio Ponlual, queirio ir pagar iusi c
louca atraz do Corpo Sanio n.G8;
gacio he lempo de sobra.
OSr. M. I.. V. queira comparecer na loja de
I ura atraz do Corpo Santo n. 68 a negocio de leu
ioteresse.
Arrenda-te um grande armazem com quintal,
ettribaria cacimba e porlao psra a ra da Guia por
preco commodo ; quem o pretender, dirija-te a ra do
Queimado n. 10, terceiro andar.
Na (abrica de charutos, no Atlerro-a-Boa-Vis-
ta loja n. 12. precisa-se de bont ofTiciaet charuteirot;
e tambem na metma te vendem excellentet cbarutoi de
regala por preco commodo tanto em porfi como
a reta Iho.
Preeita-te arrendar, pelo tempo de festa um
sitio perto detta praca que tenba banho ; quem ti-
ver, annuncie.
M. B. Conitanca lemette pira lora da provincia
a aua etorava parda, Gertrudis.
Jos Soares de Azevedo, profesor de lingo
francais do lyceu lem aberto em tua cata, ra es-
trelle do Rozario, n. 50. terceiro and*r um curso de
GF.OGIUI'IIIA e oulro de LINGOA FRANCEIA. At pestoaa
que desejarem seguir urna ou oulra dettat disciplinas
podem dirgir-se indicada residencia de manbia
al ai 10 borat, e de larde a qualquer hora.
Precisa-se de um caixeiro para venda que da
meima tenha alguma pratica : na ra do Amorim
n. 17.
Quem preeiaarde om moco para padaria ou
oulra qualquer occopacio aonuncie ou dirija-te a
ra do Amorim n. 17.
Aluga-se os s> gundo e terceiro andares da casa
da ra da Crut do Recife, n. 49: a tratar no arma-
zem da mesma casa.
Aluga-se urna casa terrea no largo da S. Jos : a
tralar no Atterro-da Boa-Vista n. 2 primeiro an-
dar.
as Aluglo-te os segundo e terceiro andares da caa
n. 12, da ra do Queimado, os quaei lio muito
fresco* e leem bastantes commodos : os prelendentes
dirijao-se a mesma ra loja de Antonio Jos Itodri-
guet deSouza.
Na ra ettreita do Roiario n. 28, tegondo an-
dar, en>iriDo-8e as disciplinas seguintes : geometra,
ioglez. '
Dettppareceo, no dia 7 do correte, urna ca
na de cerreira pequea e aberta com os tignaes
seguintes : sem paneiro com travetsSes para o ines-
rno, de tirar e por; tem cavilbas de cobre oa caverna de
proa e popa pintada de cinzento ja dotbottdo, quasi
branco : quem souber da dita canoa queira leva-la a
Fra-de-Portat, venda n. 92 que tora recompen-
tado.
CONVENIENCIA.
Fatem-te pinturas por preco man commodo do que
em oulra qualquer parle, tanto na praca como no mal-
lo, por haver para este efleito um completo sortimentn
de tinta!, oleot, vernirt, papel para forrar salas, e vi-
drosde todos ot tamanhos ; quaesquer destes objectos se
vendem a retalbo, eem as porcOes que se precisarem :
troeio-so imagent as mais perfeitas; attim como te
vendem calungai grandes pan presepio!, e um lindo
preiepio: na loja de drogas, de piolor e vidraceiro,
ra dai Cruzet, n.28, junto lypogrtpbia dette Dia-
rio.
= Antonio Gomet da Silva, pillo examinado do
alio mar, las pul tico, que ensina a arle de pil lo, prati-
ca e Ibeorica, aiiim como apona guilas do mariar
ha poucu o ditieis, ajudar-me-heia a salvar a honra dea-
ae homem, que salvou a vida do rei de Franca.
Nio podra rainlia, ao pronunciar etlaa paiavras,
cvilar um doloroto abalo j pehaava ii" perigo que cor-
ra essa rapariga, nn deaespcra(lo deaso velho militar,
iiuando aoubesae a seducen" e roubo de sua filia ; Marie-
Anloinetlo ignora? oque havia uccorrido de noite.
An ver o perturbarlo da rainlia, penaou Mr. de Be-
teuval, que era elegado u momento de dar um grande
golpe; alem deque nio podia mnia duvidar doa aenli-
raentoa de Marie-Anloinetle, au acabara ella d appel-
lar para a aua devotafao o fidelidade7 Ese ainda fa-
aem friaa assu.iipnlavr.it, nio fullava lem alto o seu
dhar?
Deixon-se poit rahir de joelhoi ana pea da rainfia:
Ordene V. inagotado, .liste com mal segura vot,
mas cum exprsalo lio apaiionaoTa, que ao nio poda
Marir-Antoinetto engaar, minha fldelidade, minia de-
volaciu nada alo i vista do meii amor
Hnvia-ae a aainh-i levanludo, indignada de tal auda-
cia; niaa ao ver o cabrlli'a branooa do aeu ridiculo ado-
rador, eatrnden a mi *o velho nortrtlu, e pregando
nelle o orgolhoa ollar, mudrrado pela etpreaalo de
Cuni|iaixlo e dcaprein, duac-lle framente -
Erguei-vua, Sr. barl, el-rei ignorar a voata ac-
Aluga-se o segundo andar do sobra-
do sito na ra Direila^ n. 20, com bons
commodos: a tratar na ra do Collegio,
segundo andar n. i4>
Casa da Fe9.
RA ESTREITA DO ROZARIO, N. 45.
Tendo de correr a lotera do tbeatro, confrmese
marcoo, no dia 25 docorrenle, o cautellista da eaaa da
F, de novo convida aotamantet de um jogotio inte-
resiante a continuaren) com mait promplidio na com-
pra dos bilbetes, e das suas cautellas ; visto que o an-
damento dat rodas deve ser infallivel O inlareaae, que
te pode tirar deste jogo.etti oa brevidade, com que an-
darem ai rodas: e echando-tedetignado odia, 01 ama-
dores devem reconhecer fcilmente que quanto maia re
demorarem na compra dot bilhetet, oa expectativa de o
fa/erem not diat prximos annuociadot, tanto mait
coneorrem para o empate,e retardacio da eitracelo. Aot
bilbetes. e ai cautellas, pois: coolem com boa felicida-
de, se tiverem f.
Adolphe Boorgeoi fax iciente ao reapeita-
vel publico, e principalmente a leui regue-
zet, que elle mudou a aua cozeira, da ra da
Aurora para a ra Nova aonde o achariO aempre
promplo a qualquer hora, tendo para ette fim bons
carros e bons cavados; assim como recolbe, na mesma,
cavados e carros, tudo por preco commodo.
LOTERA
DO
THEATRO.
Acha-se designado o dia 25 do presente mez para
terem as rodas desta lotera o seu imprelerivel anda-
mento. Este andamento tem de ser realisado na for-
ma do novo regulamenlo dado as loteras, e alm disto
o credito.de que esta mesma lotera aempre gorou. deve
animar os amadores a c mcorrerem para a prompta venda
dot respeclivoi bilhetei.qoe se acbio expottot oa loja do
theaiureiro, ra do Queimado, n 39; na do Sr Me-
neiet Jnior, ra do Collegio; na botica do Sr. Mo-
roira, ra do Cabugi; e no blrro do Recite, nal tojas
de cambio dot Su Vieira, e Manuel Comea.
Cumproao Ihesoureiro advertir que oplaoo, que re-
gula etta lotera, be novo, ji com etle foi transcrip-
to, e por elle terio visto os interessadoi, que oa pre-
mios, que Ibes couhrrem em sorle, Ibes terad pagos sem
descont algum, a excepto simiente dos dous primeiroa
premios grandes, qne na lorma da lei estao subjeitos
ao descont de 8 por cenlo a favor do (hesouro publico.
Arrenda-se um litio no lugar do Caldeireiro, com
boa cata de tobrado, muito frisca e com todas aaoom-
modidades, coebeira, estribara, casa para pretos, boa
cacimba, e cum Iruteiras de todas as qualidades ; quem
o pretender, dirija-ae ao arma/em de capim da ra da
Concordia, n. 25, que achara' com quem tratar : no
mesmo armatem veodem-ae 40 e tantas oilavas de ouro,
em obras.
= OSr. Joaquim Ferreira Pinto tem urna carta ,
na ra da Madre-de-Deos, n. 5, primeiro andar.
- O abaixo assignado lanca mi da peona para tei-
temunbar publicamente o quanto vive agradecido ao
Sr. Jos Valentim da Silva pela manera, que, por es-
pen de 3 annos, tratou em aua aula de latim ao teu
(lino Jos Mara da Trindade, ensinando-lbe, a expli-
cando-lhe tempre com toda delicadeza e melindre,
dando com itto provat de tua educacio, e de um boni
professor: e tendo o abaixo assignado o prater de por
ultimo ver ao dito aeu Gibo plenamente approvado na
academia de Olinda, pede ao Sr. Jote Valentim da
Silva, receba pullicaminte 01 volos de gmlidio de
quem com verat se Ihe confetti ter amigo e grato at
morrer.Manoel dos Sanloi Firmo i* Jttut.
A profetiora particular, que mora em o aeguodo
andar do sobrado, n. 10, delronte do tbeatro velho,
avisa aoi pait de tuat alumnas, e a qnem convier, que,
accedendo ao pedido de algumas pestoat, tem resolv-
do accelar meninas pensionistas: quem pretender, di-
rija-te a metma cata para o ajuste.
Domingos Alves da Costa, morador na ra da
Crui, faz saber ao publico, que mudou o seu nome para
Domingos Alves da Costa Rodriguea, por haver oulro
deiiual nome.
(lo, que vos faria ealir em desgrana para aempre. e en
voa perdn (*), oboondieSii todava, ajontou ella, de
que parlirea iiiimedialanienle para o eaalello de Verri-
rea, e me Irareit aqu Mr. de Porgea..... Ide.
Nio be precian ir to looge prooura-lv! diateale-
grementc u conde d'Ari.-is. aurgindu de repente de ama
eanuifada. O velho geiililhomem eslava, ha um ins-
umo, noa malina do Triunon, onde o rni.onirei. e Ihe
empreste! a minha earruagem para rollaraVerriret....
Se Mr. d Betcnva! ae der alguma presta, nio deixara
de alcanca-lo, aecresceulou u cunde com malicia.
Pois bem. dix a rainha sem coraprehender maia
nada dinir tnlimpiante du emula, da aua repentina ap-
pari(!o, e aubretudn da preaenca de Mr. de Forgea em
Tria non, nao, nio aer elle que us procure, meua
Srt. na he que iremoa ter cun elle....... Coode, ruan-
dai vir a minha earruagem ; va, Mr. do Betenval, ido
prevenir Mi|ignao, que us acumpanhar. Em
uid instante ealou aqui.
Em alguna minnlna tudo ae aproinptuo, ea rainha, o
conde d'Arluia, Mr. de Betenval e Mma. de Poligaae,
em urna calea sem anuas, aeguilo d'alli a pouco o ca-
lunhode Verrirea.
(CeatsiMMr-ee-ka.)
I') Hitorko.
...



Compras.
Compra-se a Escada Myatiea da Jaoob ou lo-
m-ie emprestada por poueo lempo ; quem liver e t
qurzer emprestar ae Ibe Geera abrigado alera de
aer recompeaiado : na travessa da Madre-de-Deot ,
d. 9 .
Com|ra-se o diccionario francas por Jone da Fon -
seea e affjbulas de La Kontaino ; na ra eslreita do
Rozarte 3.
Ca/iiBjr<5,se*s obrai de Feliolo Elizio, Betno
usadas, aendo estejio em bom estado, por preco com-
rnodo ; qeem liver, aonuncie.
Competo-te. para fra da provincia, etcrsvoi de
ambos os sexos; sendo de 12 a 20 fonos, e de boa fi-
guras, pagio-ae bem : ni ra Nova, luja de ferragens,
n. 18./
= Compra-se ama casa terrea, que teja na ra Di-
reita N. S. do Terco ou oieamo n*s Cineo-Pantas :
quem tier, annuooie.
com todos os otencilios, juntamente 5
labem trabalbar perfeitamente ; e uta bom cavallo
sella, com bons andares, sellado e prompla d3H
a tratar oa mesma com Braga & Campea. 1
= Vende-te por estar- se retirar sea dono para
Portugal, urna venda na ra do Collegio n. 17 ; a
qual se asba bem afreguizada: a tratar na mesma
venda.
= Vende-se farinha muito nova, do Rio-de-S. Fran-
cisco, a 3,000 rs. a aaeca : na ra de S. Bita, n. 7. 4
Tambem se vende
novo rap, chegado de Lisboa, na loja de miudezasdo
Fortunato, na praca da Independencia, em botes, i
4*500 rs.
Vendas.

FOLHINHAS
DE
Porta e Algibeira
PARA.
1846.
Vendem-se na praca da In
dependencia, loja de livros n. 6
e 8; na ra da Madre de Dos,
venda da esquina defionte da
igreja; na Boa-Vista, defionte da
matriz, botica do Sr. Moreira;
no pateo do Collegio, loja de li-
vros da esquina; e no largo do
Terco, venda n. 7; em Olinria,
botica da ru do Amparo, e loja
do Sr. Domingos, nos Quatro
Cantos.
Vende-se a casa terrea da
ra das CincoPontas, n. 43: na
ruadsLarangeiras, n. 12, segun-
do andar.
Na ra des Larangeiras, n. la,
3. andar, vende-se, por muito mdico
preco, um ptimo sitio no pateo da l'az,
povoaco dos Afogados, com tima bella,
nova, e espaco.sa casa, e diversos arvo-
redos de fruto, bem como larangeiruf,
coqueiros, mangueiras, jambeiros, tres
cacimbas, urna das quaes lie feita lia mui-
to pouco tempo, e d'agoa potavel.
== Vendem-se cantigas para oa pretepess por 400 rs.
na livraria. na. 6e 8, da prnca da Independencia
Vende-ae carnauba muito boa.em poryoea e a ro-
talho: na ruada Sen/a lia-Vi-I ha, n. 70.
- Vende-se cha bysion em caitas de 13 librea, em
poredeae aretalho; e potaasa americana ltimamente
cheicada; meias barricas de farinba do trigo da marca
gallego : em casa de MalbeusAustin & C., na ra da
/tlaodega Velba n. 36.
= Vende te farinba de mandioca muito nova de
Santa Catbarina e S. Matheua, por menoa preco
queem oulra qualquer parte em aacca ou medida
velba ; no caes do Collegio armazem de porta larga.
=Veiidem-se riquissimos chapeoa de seda d6 tudas
ai corea para aenbora bem enfeitadot, com riquisti
mas fitas e flores; estes chapeos teem a comrnodidade
de se abrirem e fecharem ; riquissimos onceradot a
polka, para catticaes mangase outrot objectos ; un
aortimento de capachos: na ra larga do Rosario
n. 24.
= Vende-se vinagre tinto, de superior qualidade,
em quarlolas; oa roa da Senzalla-Velba, n. lio.
Pela medida velha
vende-se farinha, ebegada ltimamente de S. Ma
theoa, de inperior qualidade, e por menos do que em
outra qualquer parte, i bordo do patacho Venus, de-
fronte do eaea do Collegio, e na ra da Cruz, n. 54, a
fallar com Maooel Antonio Piolo da Silva.
RIJA DO COLLEGIO,
Loja n. f.
Vendcm se superiores gravutas de setim preto a 500
rs.; casimiras, das mais modernas, a 1,200 e 1,400 ra.
ocovado; panno fino, preto e azul, a 2,500 rs.; meias
detenhora a 280 rs. o par; cbitaade todaaas qualida-
des, de 120 a 500 rs.; madapoldet.de 140a 280 rt.;
curtas de cintas de todaa as qualidadea, e do melhor
gesto superiores riscados Irancezea, a polka, a 360 rs.
o covado ; e oolraa muitaa faiendas, ja annunciadas
oeste Diario : oa meama loja cima.
~ Vendem-se cortes de li nissimas chitas a polk
avaludadas. a 4 ra. ; lonas da Rusta n 1 a 880
rs. a vira ; ditas o. 2 a 480 ra. : na ra do Crespo,
a. 16, segundo loja para quem vem da ra das Cru-
ie*.
= Vende-te boa orebata feita de pevide de me-
laocia, para refreaco; na ra Direila, refioacao, o. 10.
* Veodean-se retmaa de papel mua boilanda da
superior qualidade ; ditas de peso ; librea de retroz
preto, asal ferrete e aerlido; pbospboroa americanos
do melhor autor que ha : na praca da Independen-
cia, toja de miudeae, n. 4.
Vendem-se 20 arrobas de boa cera amarella; na
ra da Madre-de-Deot loja n. 7.
> Vende-ae a ret afio da rui Direita, n. 23
I
CHA HYSON
DE BOM GOSTO,
E SUPERIOR QUALIDADE
Vende-se a 2s'56o ris cada, libra: q
na ra Larga do lAozario u. i^. O

&
9
s> e
c&0>t/ dQ@&&$&$&dit>&&&$
= Vende se um carrinhu de dual rodas em muito
bom estado ; e um cavalio muito bom para carro : na
ra estrella do Rozario n. 43, segundo andar, das
6 as 9 horas e mina-da inanhau.
= Vende-se, com rebate, urna divida de 3:448.853
ra., e maia os jaros deeorridos desde 6 de derembro de
1840 : vista do negociador te dir quem be o devedor
= M. F. P.'aai) e su Ibe apreaeotarad todos os docu-
mentos : a qaletn convier, annuncie para ser procurado,
VendeSse a verdadeira potasa rus-
siana da melhor e mais nova,que se acha
neste mercado, a 250 rs. a libra, adver-
tindo-se que se vende por este preco por
se acbar em barris grandes : em casa de
J. J. as-o Jnior.
* Vende-se vinagre branco
nacional, a 400 ris a caada ve-
lha : na ra do Aterro-dos-A To-
gados n. 7, e no A lerro-da'Boa-
Vista, fabrica de licores de Fre
derico Chaves.
RAFE' IMPERIAL,
Este rap, imitando ao Prince-
za de Lisboa, vende-se em libras,
meias libras e oitavas, as lojas
seguinles: dos Srs. Francisco
Joaquim Duarte, ra do Cabuga
Victorino de Castro Moura, ra
dos Quarteis; Gomes & Carva-
Iho, ra do Crespo; Domingos
Ferreira, escadinha da ra do
Crespo ; Ferreira & Oliveira,
pracinha do Liyramento; Tbo
maz de Moraes Pereira Estima,
e Caetano Aterro-da-Boa-Vis-
ta; Guedes & Mello, ra da Ca-
deia no Recife: preco 2^000
ris a libra e 30 ris a oitava.
Vende-se na loja de J.
Cardoso Ayrcs, ra da Cadei do
Recite, una obra publicada em
1843, intitulada Diccionario
tv medicina popular, ou a Medi-
cina ao alcance de todas as clas-
ses da sociedade, pelo Dr. Cher-
novis: doi'.s volumes em 4., con
temi 950 paginas; prego 10^000
ris brochada, e 12^000 enea-
dernada.
Vende-se carnauba muito
boa, urna porco de cinco arro-
bas por preco commodo: na
ra da Ciuz n. 26, primeiro an-
dar.
LOTERA
do itio de Janeiro.
= Vendem-se bilbetes ,e 24 rs. ; meioa a 12a
ra. ; quartoa a 64 rs. ; eoitava a 3,. rs.; que tein
de correr neste mei : na ra da Cadeia loja de cam-
bio n. 38 : na mesma pagao-se os bilbetea, que sa
birem premiados.
= Vcnde-se Vida de S. Francisco Xavier, 4 v. ,
10/rs. ; dita de Fr. Barlholomeo dos Martyres, 2 v.,
Sff rs ; Horas da semana santa, com eslampas 2#
ra. : na travesa da Medre-de-Deus o. 9.
= Vendem-se adragooas ricaa chegadas do Rio-
de-Janeiro ; apparelbot para barretina ; galoes de
ouro : na ra da Cadeia loja de miudezas u. 9.
Vende-se farinba da trra a 5200 rs a sacea ,
e medida o alqueire raso, a 3500 rs. ; oa rus do Rao-
ge), n 25.
= Vende-se por preco razoavel para fechar con- des
tu, Champagne; vinho de (Lisboa em barris de-
perior; vinbo de
orno eogarrafa-
prela ; rap rol8o ;
nellaseferoIo3 ps ; pac de,ferro; urna machi-
na para copiar cartas, com os livroe competentes ._ re-!
cebida ltimamente : na ra do Trapiche-Novo n. del : na ra daa Florea, n. 1.
16 escriptorio de Fredeijeo Robilliard.
= Vendem-se caaaes de pombos, e 640 800 e lg
rs., e burracbos, a 240 rs.; no paleo de S. Pedro
0,3.
-b Vendem-te duas metas novas de Jacaranda por
preco commodo ; na ra da Senzalla-Velha, armazem
n. 144.
= Vendem-se 4 etcrava mocas de boas figuras ,
cosem engommioe connhao ; 4 ditas boas quitan
deiras ; 3 pardas mocas de boas figuras, urna tem
boas habilidades para mucama de urna caaa ; 6 escro-
tos bons para o trabalbo de campo e da praca; um dito
olicial de pedreiro ; um mulatinbo de 16 anoos ,
bom para pagem : na ra do Crespo o. 10, primei-
ro andar.
Vendem-se peotea de tartaruga da moda', abor-
tos e lisos e de marrafat, a 1000 1440 1600 e
2000 ra. ; faz-ae qualquer obra deale genero tanto
nova como de concert : na loja de tartarugueiro no
pateo do Carmo do sobrado da esquina que volta
para a ra das Triocbeirat, n. 2.
= No deposito de atsucar e de caf moido 00 At-
trru-da-Boa-Vista defronte do Sr. desembargador
Serqueiro Lima, vende-se atsucar de todaa ai qualida
dea, refinado a 110 e 100 ra. a libra ; dito branco
a 80. 90 e 100 ra. a libra ; dito candi, a 320 rs. ; ca-
fe moido a 160rs. e tambera as arrobai.
= Vende-se ptimo vinbo de Bordeauz em quar-
tolas e superior Cbampsgoe ltimamente chegado :
em caa de Avrial limaos,' na ra da Cruz, n. 20.
s= Vende-se um preto, de idadede 35 aonos bom
canoeiro ; na ra da Cooeeicio do Recile loja de fa-
Zendaa, n. 57.
= No armazem de Diat Ferreira defroole da al-
fandega vende-se espermaceti) de 6 em libra, ameri-
cano chegado ltimamente por preco razoavel.
FABRICA DE CHOCOLATE
de Frtdtrico Chaves, no lerro-da-foa-Viila,
N 26.
Acha-se sempre prompta grande quantidade de cho-
colate, das qualidadta seguinles: canella, baunilba,
anude e lerruginoso, muito til para as pessoas, que
devem usar do fero; afinca-se a qualidade: asa-.
mostras aao sempre francas eos compradores, e se vende
por prego commodo.
O barato
= Vendem-te os livroa seguiutes: um jogo de dic-
cionarios franceies dos grande* ; Kelly, le Cambu-
te univertel; Senebier Traites de cbange ; Cofonie
Chrelienne ; uclieise de Montmorencj ; Solidio por
Zimmerman ; Histoire de Napolen com retrato
Aritbmetica e analyse logique ; Guarda livros moder
00 ; Marquesa de Pon tanges; Partidas Do lira d as ; Te-
nue dea livros ; Tratado de operaedes de cambio ; Sci-
enciat do Guarda-livros por Jaclot : oa ra das Cru-
7.es loja de encadernador n. 39.
= Vende-se urna venda no pateo do Hospital,o. 14 :
a tratar na mesma venda.
= Vendem ae 4 escravas mocat, de bonitat figuras
sendo uina perfeita cozinbeira de 'orno o fogo que
sedar a contento sendo seu tervico muito limpo ;
urna mulalinha e urna negrinba, muito bonita : na
ra larga do Kozario n. 46, segundo andar.
=- \ende-se um icravo de bonita figura de ida-
do de 22 a 23 anoos, sera vicios; na ra larga do Ro-
sario n. 29.
= Vende-se um piano bamburguei com boas vo-
zea, pelo barato preco de 90* rs. ; na ra do Crespo,]
loja, n. 13.
=c Vende-ae um bom esersvo muito sadio e ro-
busto nao tem vicios; nao bebe qualidade de espiri-
to alguma, o que se aisegura he proprio para todo o
servivo de ra e de caaa por, ter.cozinheiro; he caiador j
nao se importa ser para fura da provincia ou sortao ,
pois j esleve em faienda de gado ; urna escrava perita
engommadeira de vestidos de senhora, e detodsreupa de
homem cozinbeira, laz todo o erranjo de urna casa
com perfeicio : na rus do Collegio n. 25, venda da
esquina.
=Vende-se um moleque peca, de 18 anoos, pou-
co mais ou menos; um pardo moco carreiro; urna
preta propna de todo o ser vico de urna cata : na ra
da Cadeia de S. Antonio n. 25.
= Vende-se una porcio de doce de goiaba muito
fino ; passaa; figos; farinha de matartna e amula ;
tapioca covada ; manteiga inglesa e francesa, muito
superior ; presuntos ; paios; linguicas ; chocolate de
Lisboa; macarrio; lalharim; letria ; azeite doce, car-
rapato e de coco ; sal de Litboa ; cha bvssoo muito
superior ; queijos novot urna porcio de fio para velas
o redo ludo por preco commodo : na ra Nova,
venda n. 65.
== Vende-te urna pequea porcio de cera de car-
nauba ; em Fra-de-Portat, ra do Pilar, venda
n. 137.
= Vonde-se um moleque peca de bonita figura de
17 anoos bom canoeiro trabalue muito bem de p,
nunca fugio nio bebe ago'ardente be muito fiel,
cotinba muito bem o diario de urna casa ; o motivo da
venda te diri 10 comprador; una canoa nova pin-
tada a oleo, muito forte que conduz 25 a 30 pessoas,
propria para nella embarcaren) tenhorat medrosas de oa-
noaa pequeas; tanto a canoa c .mo o moleque se aobaO
ezpoalos no porto da ra Nuva paia seren ezamint
dot pelos Srs pretendentet: na roa estrella do Roza-
rio n. (0. terceiru andar, todos os diaa uteit, das 6
at as 9 horas da maohit, e das 3 as 6 na tarde.
Vende-se urna parda de 17 annos de idsde ,
boa coslureira e com principios de bordado tem vi-
cios ; na ra do Hospicio n 26.
-= Vendem-se tbermometrot de azeugue e espirito,
por preco muilo commodo ; na prava da Independen-
cia, livraria, tu. 6 e 8.
= Vende-se um farda para guarda nacional, de
panno fino novo; nma barretina 001 plumee corddea;
urna dita de oteado ; talim 0 canana : na ra do No-
gueira, a. 27.
* Vende-ae azeite de carrapato a cinco patacas a
caada ; no Atlerro-dos-Alogodot o. 7.
Vendem se courot tniudos de divertat qualida-
beterrot; caizat de tartaruga fallas 00 Aracaty :
na ra da Crui, o. 2.
20 escravo ; sendo 3 pardal mecaa e
, com babilidadea ; 3 moleque
o ; 2 pretoi de 22 annos; um
20 annos ; 11 pretas de 12 a 25
iUs figuras, e com diOerentes babilida-
Vende-se ou permuta-te par casas, escrvos e
ainda mesmo por lijlos e tambem te aluga para te
pastar a letta um sitio no lugar dos Remedios ..toado
urna grande casa bem construida, e maia duat^^^H
nbas lugar de bom bando sendos caaa defronte di
igreja por preco commodo : a tratar as Cinco-Pon-
tat, sobrado, n. 160.
a Vendem-ae taceat com milbo a 3600 rt e al-
queire medido a 3200 rs.; na roa da Cadeia de S.
Antonio n. 19, depotito de farinha.
= Vendem-te chapeos de seda de cores para senho-
ra chegados proiimamente de Franca dos ptdroes
maia modernos a delicados; na ra da Cadeia do Re-
cife, n. 41.
._= Vende-te um escravo de naci do idade de SO
aonot, bom cozinheiro ; um dito bom carreiro.; doui
molequet, de idade de 14 a 18 annos ; um dito opti -
mo para enxada ; urna negrinba de idade de 14 annot,
com principio! de costura e engoinmado; outra dita
de 18 annos, cote e cor i n ha ; 3 ditas de naci da
idade de25 a 30 aonot, coiinbio e lavlo de tabio e
varrella; todot por preco commodo : oa ra Direita ,
n. 3.
= Vende-te um par de oculot de armtcio de ouro
delei, coro 4 vidros verdes, sendo os doos da frente
le grao para vnta ourta ; na roa Nova o. 38.
NAVALAS OA CHINA.
= Vendem-te at admiraveit oevalbti de ac da Chi-
na, que teem a vntagetn de cortar o cabello tem ofTen-
ca da pella deixando a cara parecendo estar na tus
briibaote mocidade : etteaco vem exclusivamente da
China eso nelle trabalhio doui dos melbores e mais
abalitadoscotileiroi da nanea excedida e rica chtadn de
Pekim capital do imperio da Chiea. Autor Show.
N. B. He recommendado o uio destat navalhaa
maravilhotat por todas ai sociedades dai acieooias me-
dico-cirurgicas tanto da Europa como da America ,
Asia e frica, nio a para prevenir as molestias de cu-
tis mas tambem como um meio cosmtico : vendem-
se unicamento na ra do Creapo loja, a. 15.
Vende-se superior essencia de aniz
em garrafas de 20 oncas, por preco coro-
modo: no Aterro-da-Boa-Vista, na fabrica
de licores n. 36:
v Vende-se o romance completo do
Judeo Errante, traduccao do Sr. (asti-
Iho ; As memorias de LalTarge traduc-
cao de Castilho 5 As vinte e cinco pri-
soes do 5>r. Adriano Em. de G. ; As es-
CHvares poticas ; collecc,o de quadros
historeos de Portugal do 3, 5, 6 7 e
8 iMatliamorpho.se de Ovidio tradc-
elo do Sr. Castilho ; As palavras de um
crente ; Livraria classica porfugueza n.
1 a i3 : na ra da Sanzalla-Velha ar-
mazem, n. 106.
= Vendem-se camas de vento e urna cama de ar-
macSo de oleo ; dous icgot de bancaa de ainarello ;
urna meta para jantar ; um estrsdo de louro ; um ber-
co de Jacaranda ; ludo por prec commodo : na rita do
Aragio o. 33.
Vende-ae um tonel vatio; na roa Direita n. 72.
Na ra Augusta n. 34 vendem-se casaca de
rolas brancas, hamburguesa!,
Vende-se um corrame para guarda nacional i
uiado, por barato preco : na ra Direita, o. 87.
Vende-se um piano por 20f rs. ; na ra daa
Cruzes n. ll, primeiro andar.
Vendem-se dous pretos cozinbeiros de idsde de
30 annos, por preco commodo ; ns ra da Crut, ven-
da u. 51.
= Vende-te oleo de linbaca em grandes e peque-
as porefiet por preco muito commodo : a tratar com
Firmino Jote Feliz da Roza & Irmio oa ra do Viga-
rio n. 23, segundo sndar.
= Vende-te urna canoa de carreira nova pinta-
da1, quecarrega 10 a 12 pessoas muito bonita e bem
feita : a tratar com Maooel t'irmino Ferreira na tra-
vetta do (ueimado n. 3.
= Vende-se.no 8: eco-Largo n. 70, azeile de
carrapato a 1440 ra. a caada e un poni Mr
menos alguma coate.
Vende-se cera em velas, chegasj
prximamente do Kio-de-Janeiro, pti-
mo aortimento, e por preco oais barato
do que em outra qualquer parte: na rul
da iMadre-de-Oeos, ri. 5., primeiro an-
dar.
Escravo Fgidos
Fugio o preto crioolo Iziaoro alfaiate e bo-
lieiro ; foi escravo do Exm. bario de Itartiarac ; he
muito conhecido nesla cidede : quem o levar a ma da
ventalla-Velha n. 110 reeeberi de aeu lenhor ,
Alvet Vianna, generosa gralificacio.
Fugio, no dia 9 do correte um preto de Dome
Manoel, com 01 tignaet segointes: estatura baixa ,
corposecco, rosto com prido, beicos grossos, com pan-
nos esbranquicado?, que Ihe manchad o peilo pesco-
coe rosto; lem por costume erasdriagt/-te, e he co-
ndecido por Caqzaoza : quem o pegar, leve ao ailio dot
Afilelos que tere gratificado por aeu tenhor Anto-
nio Hanoel de Moraes da Mesquila Pimental.
Fugio no dia 15 do corrente, una preta ion-
la de nome Thereza da idade de 40 annot, com
alguna cabelloa brancoa alta cara larga ; levou ttia
preta e panno da Costa azul j velho com um labo-
'eiiode bolos : quero a pegar leve a ra do Livra-
mento n. 35, quesera recompensado.
IPKBJI. } NATP DE M. F. DE MX> 1845.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E99U8O3FG_AIBX23 INGEST_TIME 2013-04-12T23:33:59Z PACKAGE AA00011611_05918
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES