Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:05917


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Inno de 1845.
Segunda feira 17
0 DIARIO publicarse todos os dia que
n.o Ibrem de guarda: o preco da asslgna-
tura he de 4/rs. por quartel pagoi adianla-
rfoi. Os annuticios dos assignantes nao inse-
ridos a ratio de 20 rls por linlia, 40 rt. em
ivpo diflerente, e as repeti(ds pela metadci
()s que nao forem ssUnantes pagao 80 rs.
por linha, e 160 era typo difireme.
PHASES DA LA NO MEZ DE NOYEMBRO.
< rescente a6 as 3 h. e 55 minutos da tard.
T.ua chela a 13 as 10 hor. e 35 rain, da tard.
Mentroante a 22 as 2 hor. e 6 m. da tarde.
I,ua ova a 29 ai 9 h. e 22 rain, da manhaa.
PARTIDAS DOS CORREIOS.
Coianna, Parahyba, e Rio Crande do Norte
Segundas e Sextas fpiras.
Cabo, Serlnhaem, Rio Fonnoso, Porto Cal-
vo, e Macey, no 1. 11 e 21 de cada mea.
Garanhunj e bonito a 10 e 24.
Boa-Vista e Flores a 13 e 28.
Victoria as Quintas feiras.
Olinda todos os dias.
PREAMAR DE HOJE.
Prlmeira as 6 h. e 54 inin. da manhaa.
Segunda as 7 b. e 18 minutos da tard.
de Nvembro.
Atino Xll V- W
das da semana.
17 Secunda S. Gregorio, aud. do J.dos orp.
e do I. do C. da 2. v.l. da 2. v. do J.
18 Terca S. RnmSo, aud. do J. do civ. da 1.
?., e do J. de paz do 2.dls t de t.
19 Quarta S. Isabel, aud do J do civ. da
2.' v., c do J. de pai do 2." dist. de t.
20 Quinta S. Flix, aud. do J. de orpU. e
dpJ.M. dal. v.
21 Sexta S. Gelazio, aud. do J.do civ. da
1. v., edo J. de paz do 1. dist. de tard.
22 Sabbado S. Clcilia, aud. do J. do civ. da
1.' t., e do J. de pai do 1. dist. de tarde.
23 Domingo S.Lucrecia.
CAMBIOS NO DA 15 DE N.0VEMBRO.
Cambio sobre Londres. 27 d. p. II a 60 d.
Paru 355 ris por franco.
Lisboa 120 a 125 p.c.pr.ptn.
Desc de lct. de boas firma 1 '/ P- % m"
Euro -Onca. hespanhola. 31*000 a &1490T.
, Moedade 6/400 vel. 60 a KfS
. ., de 6/400 nov. 16*500 a 17*000
^/000 9/00' a W20U
Frea- PalaeUee.....l/80 a g
Peso Columnares. 1/*0 a 1/5HU
. Ditos Mexicanos 1/M0 a 1#|<'
. Pratamiuda. 1/700 a 1/780
Acides da C do Beberibe de SOiOOOao par.

DIARIO DE FERKfAMBUCO
=
PARTE GFFICIAL.
Governo, da provincia.
EXPEDIESTE DO DI* 40 DO CBRENTE.
[Concluan.)
OficioAo inipector da tbesouraria da hunda, au -
torieando-o a mandsr laliifawr a importancia do orea
mentwra ai deipeai da pagadoria militar no corren-
te met. ...
DitoAo joiz relator da |unta de juitica, tranimit-
tindo, para leiem a ella preientei, os processo dos sol-
didos do batlblo provisorio de linbs da c*rte. Antonio
Pedro deOlivein, Antonio Roberto do Sacramento.
Anselmo Goncalves da Costa.e Manoel Ignacio da Silva
IDBM O DU 44.
Officio-Ao Eim presidente de Santa Calbarma. de-
clarando, que os 1395 alqueires de larinha, 17 de fe-
iio. o 199 de errux, que daquelle porto para o delta
provincia, e deate para o da Parsbiba conduno o bri-
gueFa/rz-tVmVJo, ebegrao all em bom estsdo. me-
noi o feijlo, que le achou muito lurado do biebo.
DitoAo vicepresidente da provincia das Alagoai.
pesindo um documento comprobatorio da entrega, que
de seu armamento e equipamento llega baver n*.ue'-
la provincia feito o segundo sargento da companhia de
artirlcei, Jeronymo Goncalves doi Santos.
DitoAo inipector ds tbeiouraria da faiends, aci-
entificando o de ter aido approvada pelo governo impe-
rial a nomeeciode Joio Baptiata de Araujo para guar-
da da mesa do consulado.
DitoAo commaodante superior da guarda nacional
do muoioipio do Recite, commuoicando, que_ dos of-
ciaes propoitoi para o reipectivo quarto batalho appro-
vou smunte aquellei, que o vinbio para a quarta com-
panbia. .
DitoAo juis de direito do crime da comarca do
Brejo. intelligenoiando-o da evasio do reo Miguel Be-
zerra Torre Galindo, que S. me. requisitou; e preve-
ninilo-o de se haver, pela polica, recommendudo a sua
captura.
Dito Ao presidente da relacio, participando a-
cbar se licenciado, para deiiar de estar em esercicio da
vara, emquanto se no abre a asiembla geral legislati-
va, o jui de direito do oivel da comarca do Brejo-da-
Msdre-de-Deos. D. Manoel de Asiis Maicarenhai.
DitoAo inspector do arsenal de msrinba, recom-
mendaodo a exeeugio da dtdem imperial, que prohibe
o esUbelecimento decurraes de peixe nos portos das
provincial,e mandademolir01 quede presente bouve-
rem.se por ventura impedirem a nevegacio. Tambera
se offieiou ao chele de policia, para que pelos delegados
e subdeleg.dos dos dislrictos da costa Cune cun.pnr es
ta ordem. .
DitoAo delegado do termo do Brejo, enoarregan-
do-o do sustento da trez presos pobrea dejuitica, que
na respectiva cadeia listero; e declarando, que a dei
peta, que com iito fiaer, ler-llie-ba paga pela tbesqu-
raria daareoda provinciaes i vista da coola legalisada,
que apreaeotar. ;'... e l j
Dito- Ao preleito do hospicio de Nona aenbora da
Penba, identificando o de acber se o governo imperial
.'inteiradode haver seguido para as Alagas. i (iu de se-
rum all empregados na celbecbese, dous dos respecti-
vos religioioi. '
DitoAo inspector do anenal de mannba, determi-
nando, em eumprimento d'ordem imperial, que faca a
compaoharo m.ppa da reipectiva enfermara d'ua an-
tro decluatorio do numero dodoentea. nella einUo-
tei, doi que foilo diariamente medicadoi; e declaran-
do que pelo mesmo governo oi indeerida a preteocao
de Joan Augusto Pessoa ser conservado no logar de
guarda do elmosarilado daquelle araenal.
PortaraAo snearoo, exigindo relacio dos indm-
duoi, que neites ltimos tres annos, incluid o d
1845. delta provincia iihiro para a corte como recru-
lai de marinha.Ordem idntica te expedio ao olDcial
aiordem da preiidoncia.
DiUNomeando a Miguel de Araujo Ferreira sub-
delegado do segundo dislricto da freguezia de Maran-
guape; e para aupplentei deite, em primeiro lugar a
LuirAlves Ferreira, em legundo a Coime das Trevas
Teixeira, em terceiro a Miguel Archanjo Ferreira J-
nior, em quarto a Jos Lo.il de Andrade Lidia, em
quinto a Jlo Nepomueeno Gomei Cabete, e em sexto
a Joto Luix de Almede. Particpou-se ao chele de
policia, sobre cujas propoitas se firorlo eitaa nomeacSes.
DEM DO DI 42.
PortaraReformando na guarda nacional deNaza-
retb : o ebefe de legiao Jos Mana de Barros Be-
lo; o maior eommandante do quadrao Antonio Lon-
renco Tavares Jnior; o lenente-coronel do legundo
batalhioJ>sFraociico Lopes Lima; o reapectivo ma-
ior Manoel F^isberto Marinho FelcSo.- Forlo iudi-
tituidos : o primeiro pelo major Jos Porfirio Lobo de
Andrade Lima; o segundo por Francisco Bernardo La-
valcanti; o terceiro por Joaquim Goncalves Guerra; e o
quarto por Antonio Joaquim de Mello e Abroo: oo-
meou ae para o posto de m-jor da mencionada legio a
Amaro Joi Lopes Coutmho; e psrticipou-se ioi relor-
madoa e aoi comeados
Cmmando das Armas.
13 DE (in-
QUARTEL CENERAL NA CIDADE DO RECIFE,
VESTBRO DE ISAS.
Ordem dodian.i3.
Publica-se, para conhecimenlo delta goarniclo e de-
vida observancia, as leis, ahaixo transcripta!, de 6 de
marco ultimo, filando as forca de trra para oanno_fi-
nanceiro de 1845 1846, e de 29 de agoito de 1837,
a que se relere o artigo 2." da dita lei.
D. Pedro II, por grata de Deo, o unnime acclama-
co dot povos. Imperador Constitucional a defen-
tor perpetuo do Braiil.
Faco laber aoi ooisos subditos, que a assambla ge-
ni legislativa decrelou, e nos queremos a le seguro-
'9 Ar*tTgol. A. forc.de trra par. oanno finsneeiro g*fJ*JJ
de 1845 i 1846 constaras
j'l.s Dosofficiaes de linba, deque se comp>m o
quadro do exercito, e dos corpos fixol, e companhias
fixss.
i.' De quinze mil pracas de pret de linba em
circumitanciaa ordinarias, comprehendidoi o corpos,
ou companbiai fixai nai provincial, em que lr necei-
isria esta eipeciede rca, edovinte mil em circums-
tanciaa extraordinarias.
$ 3.' De leiicentaa quarenta e qualro pracis de pret
em compaohiaa de pedestrei.
rt. 2. Para se con.pktarem ai forfis filadas no
art. I., continuars em vigor as diapoiivoee da carta
de lei de 29 de agosto de 1837 menoi a parte, em que
a meama le exime o recrutado do servico, mediant- a
quantia de quatro centoa mil rii. O novoi alistados,
sendo voluntarios, servirs seii anrt*. e oito, se lorem
recrutados.
Art. 3.* O governo poder abonar a praeal dos cor .
poi do exercito. que. podeodo obter baixa por terem
completado o seu lempo de servico quirerem continuar
a servir, urna gratificaco igual ao sold de primeira
praca. em quanto forem praeal de pret.
Art. 4. A gratificaco addicional dos capellies e ci-
rurgiSes do exercito lera de quarenta mil rn mensaes;
quando, porm. o meimoi cirti'g'O'-a forem emprega-
dos em provincias, que se acbarem em estado de guer-
ra, na qualidade de directores de boipitaes militares,
em que bouver mais de um facultativo, ou como cirur-
giSei-mreide brigada, divisso. ou frca de operacoes.
lerio a gratificaco de aetenta mil lis.
Art 5 Nio havendo numero sufflciente de cirur-
giSe militara, poder* o governo ajustar por contrato
os que forem neoeisarios. por lempo limitado, esem
prelericao doa cirorBies eflectivoi do exercito.
Art. 6 FicSo revogadas todaa aa disposicSes em
contrario. _
Mandamos, por Unto, a todas aa autoridades, a quem
o conhecimenlo desta lei p-rtencer. que aoumprao e
lacfto cumprir e gu.rdar to inteiramenle. como nella
se contera. O secretario de estado doi negocios da guer-
ra a faca imp> imir publicar e correr Dad., no palacio
do Rio de-Janeiro, aoi 6 de marco de 1815, vigsimo
quarlo da independencia e do imperioImperador
Um rubrica e guarda. -Jeronymo FranctecoCoeilio.
DfcCRKTl).
O regente am nome do Imperador, o Sr. O. Pedro II.
Fax saber a todo! os subditos do imperio, que a ai-
sembla geral legislativa decrelou e elle sanccienou '
lei leguinte:
Art. 1 Par. ampielar a. forc.. es% Ierra decreta-
da! para os annos de 1857 1858, e de 1838 a,1839.
o aoverno tica autoriado a recrutaa, entre os ndadaos
brasileiroi de 18 35 annos de idade, o que forem
idoneo para o servico, aroda que sejo qoalieados
guardas oaciooaei, com lano que no tenhcta aeu Ja
vor alguma dai excepcOes designadas nn nUtruccaes
det0deiulhodel822.
Art. 2. O recruladoj poderiS dar substitutos id-
neos, e quando estes no sejio comideradoi taespelo
governo, lera lugar a subslitoio, mediante a quantia
de quatro ceios mil tii. que entrar eBeelivamaote
no. colre pubhcoi para le appjicar ao a.uile de volun-
ArrtS0 Os substitutos, que'nto* forem isenlospor
ella lei, accumularSao lempo da substtuico o de ser-
V90, que Ibes competa prestar, ou como recrutado,
ou como voluntario.
Art 4.* Ficio d.rogadaa quaeiquer leiiedisposi
con em contrario. Manda, portanlo, a todas as auto-
ridades a quem o conbeoifnento e execuco darelenda
lei pertencer. que a cumprao e lacao cumprir guar-
dar lio inteiramenle, como nella se conlem. U secre-
tario de estado doi negocios da guerra a faca imprimir,
publicar e correr. Hada no palacio do Rio de-i.oeiro.
ios "9 dias do mez de agoito de 1837, dcimo sexto da
ndepcndenc.a e do imperio l><6jo Antonio te.j
Jos Saturnino da Coila PereilW
Antonio Correa atara.
FOLHET1M.
M CAFRICH'dE PRINCIPE. (*)
x.
Como sedero pensar. Mr. de Frgea paslou urna noi-
le horrivel l-go que an.anheceo ve.lio-s. ero Den. 1ra-
balh... ron....... bengala, p... debuto do braco o rna,.e..
.K.load* que Ihe devia aervir para desenbr.r su* filh.. e
v.g^.ienc*m.nhou-se pelo, buaquea para o lado de
V'A.'1|.e'quo..uadr foise extrema, o rosto bavia lo-
mado e.sa tpreaaln de .eren, irialraa que er. ...n-I...
caracteres Hi.ln.clivoa de aua pbyaionomia; paseada a
prinie.r.explo.o, linha voltado acalma; apoiado en.
eu bu dir.ilo, determinad a arroatar todo par. tor-
nar a haver aua filh., h.vla ello feito um raciocinio bem
simples, que a aeu ver a todo responda.
De duas eou.j. um., diai. elle entre si; ou o conde
d'Artoiaania, uu rilo .m Carila. So a ama, oa.o com
ella ; ae a nae ama, que m'a entregue. E depoia. con...
so Ihe apreenta..e o peaaatnentu -a ideta da deshonra
de aua filha, turnava-se carrancudo e ameacador, cerra-
(J Vide Diari u. 256.
va ua denles, e He s.-us labios se escapavio me.c.a ruurte. Ma. logo repelli esta horrivel ideia. evull.v* a
jola brando. aenliroe..l..a. Se o principe na altender
a. minhaa ra.fiea, ditia ello, en.prcgare. oa olpaea re-
cursu, alleg.rci roeusservicu, minhascampanliaa, 1111-
,,has reridaa, e n.ais que ludo a estima con. que me l.on-
rava o defunctu rei; veremos, se o net ronega as divi-
das do ave Que he feito de Eloi? pe.uava elle depo.s ;
onde foi Gaau.n? na verdade nt n.o enlendo ora e.tas
ouusa., emmha hllia....... minea pobre filha....... que
m.ite para a desventurada menina....... A eala r.-flexio
p,rava o velho, enol.ugava com a oii as lagr.maa que
ll. eaeurtHiao a vi.la, pur... log ae rotllia de novo a
oaainhu um mais ardor, arrimando-se a bengala.
As pMt*ai quo o enonlravo. paravo para ve-Io, e
te de.eobri re.peilusa. ero presei.ca dea.n e.bea ve-
nrravel e eneaneeida. Em fin, pas.ai.do alleri.ad.o.ente
du temor esperanj. e da esperance a d.ind, ora aiw
dando, ora parand, chegou easiro a Verseillea.
Depoi. de se haver arranjado e alimpado d.rigio-se
para a parto do caslello occ.ipada pelo conde d Arlo...
Na aa precipitatio, Mr. deFrge. n havia reflecli-
do .em duvida, que era anida muito redo para apre.en-
t.r-.e a&. altesa; porque grande foi a aua admiraca,
quando um Sui.10 que eatava de guarda a um portio Ihe
dase:
Aqiii no passa.
DeForge., que ja preparava osargnmenlos qno jul-
va ....i. pn.prio. amver principe, e eslava oro-
pleumente bsrto na penosas rdei.a que o preoecupa-
I vo, aeguio o ieu camiobo lew reiponder.
pIrnambucT
JUBY DE OLINDA.
Da 14.
Autora A juslica.
Reo Joaquim lrancisco Baptista de Mello Oxala.
Crime Tentativa de morle. perpetrada na pessoa
do reverendo uoutor Antonio Jos Colbo.
O jury pronunciou o ru no mximo do artigo 205
com multa correspondente a metade do lempo, por en-
tender, que a se derio ferimenlos graves.
Autora A justica.
Ko O bacharel Estevio de Albuquerque Mello
Monte-Negro.
Crime Ferimenlos leves.
O jurv absolveo o reo por unanmidade do votoi
Communicado.
OS TRAPICHES DE ENBABQUB NA PROVINCIA DB
PEBNiuauco.
Sob eite titulo, deparamos com urna correspondencia
ao Jornal do Commercio o. 284. de 18 do me- (iodo.
coro a ass.gnalure-/"-. na qual. preven.ndo o corres-
pondeote, rndenle oeita provincia, ao fcxm. miniilro
da faxenda sobre a decisSo. que houver de dar relativa-
mente resposta de um trapiobeiro dada ao Sr. adminis-
trador docomulado, wbro o augmento arbitrario da
laxa nos volumesdo leu trapiche, se por venturo tiver
esse negocio de sor levado ao leu conhecimenlo, chama
particularmente a attenco de S. Exc. robre am outro
obiecto; iito he. atira-se furiosamente lobre osormo-
xms da ra d'Apollo, que, nada Ibe approveiUodo para
o caso em questio com a meia do consulado, legundo
m deprehende do officio de seu administrador, abeilo
tranicripto. qui smente derramar atoa atrabiles, e
sobro quem havia de ser ? Sobre a espioha de mUitas
gargantas, sobre 01 armiieui da ra d' pollo I. E le-
ra poisivel a quem ama o seo psix, as auai ioititUicSes,
e .leseia a prosperidade dello. deixar passsr ineoluroe
f sie araniel do Sr.T, todo fundado nicamente
ero deprimir tantas hohras alheias, e que se nio ani-
mou de fa/e lo aqui publicar, seno ns corte do .tio-de-
Janoro? Cerlo quen) E pira que fim aisim o pra-
ticou ? Seria para illudir ? Seria para chamar de mais
perto a attenco de S. Exc. que man loiente estada
posico commercal delta provincia do que o luppliean-
te_r_? .
Em lumma, por mais tratos que demos a imsgmacio,
nio.attiogimoi a outro fim, que oioieja o de seu pro-
prio proveito. e proveito. que preiume adquenr. nio a
adoeslando edeprimindo crditos, como at compro-
metiendo, se he posiivel, a meiroa adminiitracao do
consulado !
Tomamos, pois. vista d'ino a Urefa de seguir pas-
soa passo o tal correspondente, cuja awroa olo he pa-
ra desprezar. .
Prosegue He. contando urna hitoria dos trapiches
do lado do Moiquero, e doi da ru d'Apollo, eujo re-
sultado he que aos Irapicbes do lado do Mosqueiro era
permiltido o embarque e desembarque, por serem eoo-
liderados pontoi publico!, e poi conieguinle vedidoi
deisa faculdade 01 da ra d'Apollo, e aeereicenta: u-
melhante lyitema, alti mu vanlajoio a fisMhiaeo do*
dinheiioi pblicos, durou aptnai alaum mexa*;poroM,
(ando rouilo oenli perdido o. lucros, que provinkOod
exiitencia que, lei-ie urna representando ao entdo prndenle Oti-
la provincia o Sr. bario da Roa-Vistm.eute, sem du-
vida iltudido, mandou.queconttnuaisem 01 trapichee
da ra d'Apollo a embarcar e deiembarcar, obntaiai,
porm, ai canoas, lanchas, e alvarengas a vtrem ter
umviitonoi trapiches anligoi do lado do Motgun-
ro Ora, com effeito muito reloso be o correspondente
pelos dinhe.ros pblicos (alias pelo seu). que por du-
rar essa liscalisacao lo pouco lempo se molestou Unto. I
Quem lez a representado ao bario da Boa-Vista, a qual
sabio praenca do Exro. ministro? Forio lmente os
irmarenarios. ou o corpo do comroerc.o. que reconbe-
ceo os inconvenientes, que resultavio daqiella medida,
que coarctavao andamento do expediente diario da pra-
ea, alienta! as dfficuldadei e obstculos, que a cada
passo le enconlravio. e enconlrio anda boje oa marelia
de taes trapichea do Mosqueiro ?
E porque ordenou o Sr. bario da Boa-V,ila, que con-
tinuassen. os enmarques e desembarques ? Nio foi por
urna porlaria do Exm. ministro, e que anda existe na
thesouraria. o por estar, tem duvida. illudjtel luo
lera graca, mas fax chorar O bario da Boa-V.iU ii7ii-
dido oa provincia de Pernarobuco, isto na verdade so
he proprio de umT.
Ignora o correspondente, por ventura, a aotualidade
da provincia para o caso de que se trata, e qoe em na-
da est em harmona com a curte do Rio-de Janeiro, e
que por esse motivo se tem concedido a faculdade dea-
ses embarque* e desembarques, e que ludo isso resulta
em beneficio do commercio ? Conbece o corresponden-
te aqui algum ponto, que possa ser alfandegado, e que
lenha as proporcSes devidas para ae per em pratica o
que dicta o regulamenlo do cooaulado ? Julgo que nio.
Ora adeoa, ja Ihe dille que nio pa.sa aqui nin-
E Siiiiso, loso e imperligad no son uniforme, poi-
serex.lut pr diante do velh genlilhomem, quo .0
eiitio ae'aperorbeo da aua pre.enga.
_ Perdoe camarada, dille Mr. do Forges, maa he
preciso que eu fallo ao Sr. cunde d'Arloia em negooio da
mainr importanoia; o em quanto a.a.m fallara, procura-
va eac.par-e a direita e esquerd. da obstinada senti-
nella, que immovel como uroa rocha, cuiiteiilon-se com
respondrr-lhe:
_ Simo ...oito, mas s os frnecedorei tem permii-
|u de entrarem 1*0 cedo n palacio.
_ 0.frnecedres! acodio de Forges re.olvido a
tomar oulli.no partido; juatamenle Iragoaqui urna con-
aa que S. allea espera ootii a maior impaciencia ; aqu
ler; vejo voss mesmo ; e con. uro go.io oheiu de d.g-
nidade, o velh rooatrou ao Suiss o chapeo egaloo-
dodeLaixo do bra?o e de esgnelha, porque a bala de
Gaatun e oa dente, de Evao o havio deteriorado um
PU^U p0rqU8 nio dille logo! reapoudoo o Suiaao en-
fadado ; vamos la, podo paliar.
De Forgea nio havia eaperado a perro.sso.
Vencido este primeiro b.taculo, outrda se a presen-
tir.., roas .eria muito longo referir quanldiieabores
e mus aeolhimeiitoa de loda eapecie fin o pobre genli-
lhomem obr.g.do a soffrer antea de chegar a ante-ca-
niara do conde d'Anois. Em tud..a os lempos rol a la-
cai.dan.aracaiu.ole..teom; porem naquella poca
mais do que era qualquer oulra, erio al aate-oamaraa
iniciada, de urna mullida de rearlos agaloadoa, to
servs com os grandes fidalgos, cujas libres veetlio. 00-
mo vaidosoa e atrevida cora a g.-ute de beso, oujoa ves-
tid... e maneirai no annunoiavio nem fauato nsm alia
"preciso he tambero disor que Mr. de forgea bavia
muito pouco frequenlado a alta sociedad. Nasimplioi-
dndo d seu ooracio, o honrado capitio nio pensava, que
tanloa preparativos e ceremonias fe.sem oeceasanas pa-
ra fallara um principe; alm diato lembrava-se de ba-
.er fallado a el-rei Luis XV, e aera querer despreciar
principe, ditia elle, creio que o av nio valia menee
do que o neto.
Fatia elle esta rcflexlo, sentado na ante-aamara em
uroa banqueta do veludo, e fallando entre oa denles, e de
muito rao humr, entra dous grandes bregeiroa de
lanaiui, que a rirem-.e o olhavlo de revea. De repente
abrio-ae a porta e no mesmo momento entrou um ho-
raem de idade madura e vestido oom elegancia.
Antes de entrar no aposento do principe, para o qual
se diriga, o reoera-ohegado pos eaa Mr. de Forgei aro
olhar admirado eourioao, sobretudu quando vio eate a-
vaucar resoluto, e dispor-se a srgui-lo.
Mr. de Bexenva!, poia que era elle, austero a porta
qua ja 1a .brindo, o como que eaperoo a explieaeao deslo
prouedimeoto, oom effeito um poooo extraurdioane naa
IradiccAe* das ante-caraaraa doa prioripea.
Men Sr., dix o velho inoltnand.-ie oom polides,
cheia de digmdade, peco humildemente perdi da u-
berdade que lomo, maa pnia qoe roa., felii do que en
vai V. aenhoria ver Munsenhor o conde d Artota, quero-






Como, poit, compor um aranttl com Unta insania,
at inculcando da legislador? Oulro olTieio, amigo !
Diz mi is o stilado correspondente : entSo se con-
imuou a embarcar e desembarcar ni trapichee da ra
a" si pollo, a qualquer hora da noute, mesmo al de ma-
drugada, poique nada maii he precie1 do que a confe-
rencia do guarda, que percebe o memo que lite com pe
U nos amigos trapiche*. Nada ha maia resoltante e
nausealivo do i|ue ette furibundo paito m. nitro do nni-
10 amigo 7 uu Irapicheiro. Diga-nos pdis, Sr.
T, nlo atem Vmci. mesma couaa ? Nio alo collo-
cadoaoa seus trapiche da mesma msnaire, que os da
ra d'Apnllo, em lugares, que no Ibea cbrge a mar
sempre 7 Estes embarques nlo se latem as bolas das ma-
res, excepcJo de serem i noute, ou de madrugada,
que he exagerado, mas Toradas horas do ponto ? Co-
mo eoto ae admira o Sr. T ?
So o desejo irtesistivel demaldizer e enredar be ca-
pel de tanto .' Contina anda o correspondente dizen-
do : no atilamenlo de S. Exc. nao poder certamen
le eicapar. que de abusoe. que de extravio nio te ledo
dado com temelhanle eviterna, o qual he Un pouro van
lajteo.queet leem mudad para aquel/e lugar todoequan
toe negando com armatens de aiiucar, reliando apenai
urna pequea parle, que tambem ndo tardar a mudar-
sel Se qualquer particular pode arrendar urna cata, qne
lenha ae commodidadee de embarque, e efectivamente
embarque ludo quantoee que ra, com a simplei con/e-
lencia do guarda; te altim ditlo esla cata liver a varita-
gem dr /car datante dot lugaret, onde exittem atguar-
das e vigas, ele., cmo tejao a alfandega, contulado,
ele. camotera pottivel evitar o contrabando P Braais-
simn por esta nio esperbamos nos. O corresponden-
te be de palpa, heestapa/urbio, discorre is mil mara-
vilbas, nio ba duvida, e com tanto animo, que poda
correr tourot: emfim be mesmo umT em eorpo e
alma (ue de comixdes nio tem o correipondente na
mszellas, que as quer por ao sol! Aqui be-lbe ap-
plicavel aquello vulgarismo chama-lhe minha filha,
antee que-le ehamem Na verdsde, que o Sr. 7"sem-
pre julgou, que oaeu arantel nio chegaria a Pernam-
buco. e que passaria impunemente la pelo Rio-de-Ja-
neiro; enganou ae definitivamenie, e porque quiz. On-
de pngari o Sr. T, que nie seja oundo, e de mai
redargido ? Informe-nos por quem be, e mesmo a fe
de T,de elgumei(raio,contrabando, ou couta qne
inventar possa a seu geito : declare olugar e bora.emqur
frio feitos : eremos pamente, que nio ae avenluar a
estas ninbarias; no entretanto, que nos.. ao Sr. 7
melbor seria o seu silencio!! Nos Ibe indicaremos,
se nos obrigar a isso. es lugar s, os das, e at as boras.
em que aa apprebensdes se teem feito nos I apichu do
lado do Motqueiro, e Ih'as probaremos circunstancia
demente, para vergonha e oprobrio seu, e da magna
eomttantc caterva : tem entendido ?
Pergunlsr lbe-bems anda : de que lado se propor-
cionio aa vantagens para se eflectuar o contrabando e
extravio 1 Ser, por exemplo, do lado do Motqueiro,
cujos embarques -e fzem delronte das embarcaedes,
sem que tenbo i vista barca alguma de viga; ou na
ra d'Apnllo, que, (cando do lado opposto, e bem dis-
tante do Motqueiro, tem de pastar a carga, e ser regis-
trado por unas pouets de vigas? Responda-nos o ati-
Isdo correspondente7*com a sua estragada lgica;
certo.de que rontt a fronte o saberemot cumbater.
Est, por tanto, provado, e provado eiuberanlemrn-
te, que o correspondente do Jornal do Commercto, leu-
do smenle a mira no seu prnpno interesse, e nio nodo
bem publico, niocornu, quando lancou mi da penna
para vomitar aupina ignorancia. Basta (iur agora.
Copia do o/icio.
Determinando, mu positiva e categricamente,
o artigo 195 do reglamento desta adminisiraco, a qu<
estio sul jeitos os trapiches, que embaulo e draen.bar
ci gneros de seu fisco, que ossenhoies de taes trapi
4.
es interrompido por algum amigo neo, que me cha-
me a attencio aobre esta, ou aquella parte de algum ar-
tillo, em quemis salientes aio as falsidades, e as ar-
gulc5es injustas contra o partido, tob cuja_i banderas
mo alistei, e eolio resignacio msis que ordinaria me
he naeesssria, para que eu, nio obstante reconocen a
minba incapacidad para sustentar polmicas, me nio
aprsente em campo desmentndo as calumnias, e dee-
mascarando a impostura ; nio sob a capa doanonymo ;
nio com a lingoagem florida, e incada, que sa outraa
cabe; nas a deseo be rio, sob a nimba propria assig-
natura, e com os termos simples e cummuns, ao alcance
do todos. Mas esta resignacio perdeo de todo a sua fr-
ca,ahandonou-nie mesmo, ao ver,que um tal TV..que
rendo divinisar os agentes da actual policia em Santo
Antio, buscando justificar os actos arbitrario! por elle*
ll praticados contra todos os que se Ibe nio curvio,
trouze o meu nomea quettio, injuriou-me, e ealum-
niou me ; e desde logo lormei o projeclo de de respon-
der-Ihe, e responder Ibe de orna maneira aobriga-loa
enveritunnar-se, se vergonha pode ter.quem assim ata-
ca e calumnia a outro que nunca o oflendeo; e para ba-
liililar-me a faze-lo tratei de obler documento!, que
eomprovem a minba conducta, quando commandaote
Umente d'este destacamento nessa poca; e qual a ra
'lo, por que speramente me portei com esse reo de
policia, a que prend a requiticlo do delegado sup
pente daquella cidade, que contra elle bavia recebido
muitas e bm fundadas denuncias. Entretanto, nao
sendo possivel. que esses documentos estejio aqu com
brevidade, que desejo, visto que teem de vir do lugar,
em que os fados se psssro, resolv dirigir-me ao pu-
blico, rog*ndo to, que a nieu respeito tenha formado a vista das aecu-
acSes,deque o tal IV. me carrega,at que.de pos-e dos
documeptof mencionados, possa eu completamente
puliensa-las ; o a Vmcs. Srs. Redactores, pedindo-
Ihesa inserrio destai linhas; pela qual muito grato Ibes
ser o seu consiento leitor. Caelano Jos Hiendes.
'Lal
Norte, e as vendas teem regulado de 3; 150
4 3*400 rs. aiacca.
Manteiga Vendeo-se a 600 re. a libra da franceza.
Vnhos dem a 150j ra. a pipa do de Lisboa marca
PRR, e a 120f rs. de outros autores.
O movimento do porto durante a semana foi de 10
navioa entrados, e 7 sabidos; esistindo boje 57 : sen-
do 2 americaooa, 1 austraco,-36 brasileiros, 1 bes-
panhnl, 6 inglezes, 7 portugueres, 3 saldos el sueco.
COMMEHi-IO.
em
Alfandega.
RErTDWBKTO DO DU 15.............'.,.. 2:162*970
Detcarrega hoje 17.
fiarek*JTaA bacalhao.
BrigueGratn dem.
Barcalttmercadorias.
Movimento do Porto.
A'aoi'o entrado no da 15
Cortbagena; 42 das, barca inglesa Iiegulut, de 369
toneladas capitio Robert Millor Huntero, equipa-
gem 17, em lastro ; a Guilherme E. Smith, Se-
gu para o Maranblo, e hoje tirou carta de sade.
IVavio tahido no metmo da.
Genova; brigue sirdo sinna-Thcrpiither, carga at-
aucar e couros.
Navioi entrado! no da 16.
Babia pelas Alagoas; 19 das, e do ultimo porto 4 dias,
brigue-escuna de guerra brasileiro Caliope, com-
mandante o capilio-tenente Ernesto A Ivs Branco.
Traz 2 presos de juslica, 4 pracas do exercito e 1
menor.
Havre ; 54 dias. barca franceza Zilia, de 227 tonca-
das, capitio Boucber, equipagem 12, carga leren-
das ; a Lenoir Puget & Companbia. Passsgeiros,
Jos Pradenis, e Theodoro Cbavanne, Fraocezes.
Alcobaca ; 21 diaa, biate brasileiro S. Benedicto, de
34 toneladas, capitio Nicolao Lopes Ferreira, equi-
pagem 6, carga farioba ; ao capitio.Veta arriba-
do da viagem que'fazia para a Babia.
Naviot tahidot no metmo da.
Maranbio ; barca ingleza fsgutus, em lastro.
Ceara; brigue brasileiro Echo, capitio Manoel Jos de
Atevedp Santos, carga farinha e mais gneros. Pas-
ssgeiros, Tiburcio Germano Carneiro Monteiro, Jo-
s Joaquim Csrneiro. Antonio Joaquim Baptista de
Castro, Herculano de Araojo Salles, Domingos Jos
Nogueira Jeguripe, Ernesto Jos Cavalcanti, com 2
criados, brasileiro.
ObiervaeaS.
Abarca hespanhuls farctlonet, de cuja entrada de-
mos cunta no numero antecedente, veio em lastro.
de algum sellos a outros, ama vez que o nio faca ha-
bitualmentr, ou em grandes porcSes, ou por mais alto
preco.
Art. 223.
Consulado.
RENDIMBHTO 00 DU 14.
Geral574#347 Provincial-84j764
Editaes.
ches nio posiSo alterar as tazas establecidas, elijo, a
bem dose vico publico, que me informe ao p deste, a
razio, porque lem infringidoocitado artigo. Dos guar-
de, etc. Mi-sa do consulado, '25 de ayo-to de 1845
Sr. fulano, administrador de tal trapiche. (Assignado)
t) administrador. Jodo Xavier Cameiro da Cunha
Correspondencia.
Srt. Itedactoret. Profesan sentimentos eminente-
mente ordeiros ; vanglorio-me de peitencer ao mais
extenso e mais honroso dos lados politicos, em que bo-
je ae acha dividida a populacio d'esta provincia, oda
opposicio ; e por Uso, e porque vivo de todo entregue
aus meus n gocios particulares, quaai nunca me dou au
nauseabundo iocqmmodo de lr os immundos libellos
famosos, que diarimenle publica b lypoitrapbia impar
cial, cujo proprielario, escravo do interesse mal enten
dido, nio recua, nio se peija de a elle sacrificar qual-
quer repu tacao, lem mesmo exceptuar a de seu proprio
irmfio.
Eate meu proposito, porm, tem aido algumas ve-
r lera extrema bondade de diier-llie qneestiaqni al-
guem que inatanlemenle sulicila a honra de Ibe fallar?
" Detrmpenliurei, aim enluir, n com grande prater
a commiaain de que me enearrrga, fique oertu, respon-
aloo Mr. de lien-mal.
Ficar-lbe-hei milito obrigado. ajuntii Mr. dcFor
ge ; e an.bos acanodirin corU-iinento.
Em qiianiii istu se pasaava, u conde d'Artnit, prrgui-
Coaamenle dritudn iin mn dos mais elrganlrs leitoa, re-
pouaava daa f.idigaa da noiir, que tan agitada fura. Ara-
ba va de dfvprr'tar epcrmrrij impaciente Iguniaa carias
aberlat, qno depoia de lillas lancava em uiu acafate ero
forma de meta.
Dus sobre todas parecilo iiileresar-lhe altamente;
eii-nqui o que ellas continbio:
FBIMEIBA CAUTA
A MORSBNBOR O CONDE d'RTOJ.
Da uta barraca eU.Bagatilli
ae 3 htrat da nianhda.
MoNSENMOa,
Lag depoia da partida de V. alteza, aproveiiei-roe
PRAQA DO RF.CIFE. 15 DENOVEMBRO DE 1845.
AS TRES HORAS DA TARDE.
IIeVIST \ MERCANTIL.
Cambios Houverio, duiante a semana linda, transa-
i6es regulares a 27 d. p. tj ra.
Assucar As entradas em saceo lorio regulares, e em
caitas diminutas ; e em contequencia das
ms noticias rerebidas pelo paquete in-
gle?, os pre os teem afrouiado.
AlgodSo As entradas conlinuio pequeas, e as ven-
das nio ti-em excedido de5/j400rs. a ar-
roba de 1 soria, e 4 j 100 rs. a de 2
Couros Foiiozsuii procursdot, e obliverio de 120
13rWs. a libra.
AcodeMilio Vendeo-se a 20j rs o quintal.
Agoa>rar. dem a 260 rs. a libra
Airoi dem de 7j200 a 80 rs. o quintal, piladoa
vapor.
liacalbio Cbegirio durante a semana tres carrega-
menios, dos quaes un de 2,000 barricas
seguio paia a Babia, e dous com 4,852 di-
tas enlrato, e diz-so forao vendidas de
12200 a 12^00 rs. a barrica, exislindo
no mercado 5 100 ditas, que se estio re
talbandodela,8Ottl3i ra.
Carne secca As vendas forio diminutas, e nio eo-
trou carregamento algum, sendo o depo-
sito de 18,000 arrobaa.
Carneiras Vendeo se de 17a a 20a rs. aduziadepel-
les de reres sortidas, Irancezaa.
Cha dem a 1*900 rs a librado bysson, e a 2a ra. o
perola.
Encbofre dem a 1800 rs. a arroba em canudos.
rarmlia de trigo Com um carregsmmlo chegado dos
Estados-Unidos o deposito em primeira
mi he de 1,800 barricas, e as dos espe-
culadores de 2,500 ditas ; e aa vendas fo-
rio regulares de 16*500 i 17*500 rs da
americana, e a 16*600 rs. a de Trieste
Dita de mandioca Est mais fruuxa em eonsequencia
de lerem diminuido as lemessas psrao
Tenho a esperanca de que o oanaacu que a b.nga
crite ccaaiiiniiu na ana protegida aera muito cflle.ii
para oaeu promplo Ve.ialHdiciiueiil.i. Apeim* dcita.la
ndormeceo; maa pela gilacau fja nervoa, prevejo
que este muiiiu nao ser de longo dura(au, e receio
u deaperlar.
Aronu-c.i o que acontecer, roonsenher, detcance
V. alteta ein niiiii.
' Son cun o maia profundo -c.
Ora bem, a coma nio vai mal, pemou rom aigo o
conde depoia de baver lido eala carta, epego
SECUNDA CARTA
A M0NSESRUR O CONDE d'ARTOIS.
O administrador do correio geral desta cidade, por
urna segunda vez, torna ue novo a axer publico, para
conbecimenlode quem convier, oedital abaixo trans-
cripto, a lim de que, por insciencia de suai disposiedes,
nio venbio a soflrer alguma pena.
Artigot que aleido algumas laxas, impBem mullas ,
c. como menciona a tegunda parle do edital.
(Conclusio do numero antecedente )
Art. 212. Ros porlos, em que nio bourer agentes do
mar. os empregados da sade e polica requisitorio aos
commandantes dos navios as cartas e mais papis sub-
jeilos a port s, que ellos, qualquer pessoa datripola-
cio, ou passageiros trouxereui, e as farsS entregar nos
correios, com a declaraco dos nomes dos capities, e
navioa.
Esta mesma obrigacio incumbe aos officiaes da alfan-
dega, que devem ir a bordo dos navios entrados.
Art 213. Nio sio subjeitas ao porte as cartas relati
vaa ao navio, n. gociacio e mais nbjectos delle, urna
vez que o seu peso nio exceda a 12 oitavas.
Arl. 214 Em todat aa alfandegaa, mesas de consula-
do, de rendas, e agencias se examinar e promotera a
observancia desta ditponcio,aprebendendo-se aa ortai,
euviando-se logo com um ofllcio para a administrarlo,
ou agencia do curreio mais prximo, e lavando-se o con-
ductor dellas presenca do respectivo administrador,
ou agente, e na sus falla a autoridade policial do dis-
tricto, para cumprir o disposto neiie regulamento.
Art. 215. Se o infractor quizer immediatamente ta-
tisfazer a multa imposta, qualquer exactor daa rendas
publicas a pode receber, Uncu ndo, no verso do sobres-
cripto da carta, nota da quantia recebida. a qual data-
r e rubricar, e entregara recibo ao multado, e <
participar logo agencia do correio mais prximo, en
viando a quantia na primeira occasiio, que selbeol-
ferecer, da qual deduziri melede para quem competir,
por isso que a acquieacencia do multado o priva do di
reito de recorrer.
Art. 219. Os autos e mais papeia do foro deveridaer
condundos pelos correios na forma das leis e orden
em vigor.
Ait. 220. Os que falsificaren! sellos serao punidos
com a multa de 100* rs., e tres mezes de prisio, alm
da multa de 10 vexes o valor dos sellos, que se provar
terem vendido atsim falsificados.
Art. 221. Os que venderem sellos sem autorisacio
do governo aoflrero urna mulla de 10 20 ra.
Niosetuppde, que infringe es e artigo, quem ce-
Morsb.ihor,
O que eu recejara
despenar; aoavi.i
Va eua barraca de Bagalelle
ai 4 horas da manhd:
lonleceo. A menina acaba de
trie den um grande grito, eea-
s>uiide..-.e no. lertcuf irmcndo f.ier eompaixlu.
uepoia rliaraou puf *. pai, arraneou < rabrlloa c
doe.ladn deabalinenlo em que .cachava ar.p.ng. deo ludu, ugneat daiua.s viol.nta d
que enfiou a meu cuidad.., para f.ir-l deilar, ..I. Cunaegui aclnia-la pruaeltendu-lhe M
que .o. rTrciiiMu rm mulla fatiilidaaV gr.ifa n dnaal lleta, e be u que f-c.
criadas, que V. alie. (ve a folia lembranc* dcdeixarj
I Tenho a honra &o.
eaeaperacao.
cacrever a V.
em sua casa nceta qualidade.
O negocio complica ae. disse o runde; maa lain-
bem que diabu de lembranc. live cu de tomar sobre oa
liombroa nina cri.iif........ He que ella be bonita........
que iilhua....... que vivaridade. Em ludo o cato dou.
luid", ullioa nileiii arnipre u inrumiuodu que a gome
t'-iu por cuiiquial.-lu*. e maia bella cora denlo mundo
uio vale um. inuliier foriiiosa........ Vistenio-iios pri-
uirirjiurnte, e depuia veremoa.
Nealea penaanieiilu. tuouu a caropainba e appareoeu-
Ihe um guarda-rpa.
J bu di.? perguntou rile.
Moiinenliur, aio nove horas!
E fas bom lempo?
Magnifico. V.altesa quer ergoer-ae?
D'aqui a pouco. Dite-me nao vierto nuvoa cor-
reio. eat. manbaa ?
N*o, Munaenbor.
Est Lem.
A' eaae aumento balero porta, e urna vos flautada
pergunlon: ,
Pode-ae enlrar?
Entre, entre, bario; mas permita-me, que roe
lovanle, diaae o principe pattaudu au seu quario de
vealir.
Comu, Monsenhor! anda no leito? ah he im-
pordoavcl, dixe Mr. de Beteny.il.
Que querra, bario; voa oulros, mancebos do ul-
timo rnii.do, de nada duvid.it. C. por niun, gn.ts de
dormir, oiifr.aii-o; teri. digno de ter ..arnto uu par-
lamento. Acreditareia, que dorm um aumno so deadu
hontem?
Asctrtss, e mais papis serfi enviados
para os paites estrangeires gratuitamente, se o forem
osquedelles vierem para este imperio, cu com porte
igual ao que alb pagarem.
Art. 224. A disposiclo do artigo antecedente se ob-
servar com aquellas naedes em que as cartas, ou pa-
pis, ainda enviados por navios estrangeiros, pagao ta-
ta por o simples ficto de entrarem oo correio.
Art. 225. Quando as cartas e mais papeia, ou quaes-
quer macos, que forem para paires eslrangeiros, tenbu
de ser condundos por correios terrestres, ou martimos
do imperio, pagars sempre o tollo respectivo, indepen-
denle do porte maritimo, que tenha de sor cobrado pe-
la remessa para os lugares do sea destino.
Art. 226. as cartas, e mais papis, ou qiiaesquer
macos recehidos das naedeaeelrangeiraase lancera sem-
pre, venhio, ou oio porteadas, port' igual ao sello, que
se deve pagar nos correios martimos do imperio, alm
do terrestre, quando tenbio anda de seguir por trra.
Art. 227.- Todos os commandanlet, capitana, ou
mestres de navios tanto, nacionaes, como extrangeiros,
que vierem de portos eslrangeiros, sio ohrigados a en-
tregar ao agente dn correio todas as cartas avulsas, que
trouxerem, sob pena de mulla de 50 i 100* rs.
Art. 228. Sobre as cartas avulsas, que vierem de
paizes eslrangeiros, se lancari o mesmo porte, que nao
incluidas as malas, e alem deste mais 30 ra. por car-
ta, que serao dados ao commandante da embareacio
como gratificarlo.
Marera cuidado no correio em que os commandantes
oio abutem deste f..vor, fingindo cartas s com a mira
no inlere>se.
Art. 271. A mposicio dss multas he da competen-
cia dos admioistradoref dos correios, quando os de-
lincuentes forem aprehendidos em flagraute delicto, ou
oo caso do artigo 179.
Os administradores, informados do acontecimenlo,
mandars as petsoss, de que te trata, que reapondlo
vocalmente, ou por escripto sobre a aecusacio, que Ibea
be leita, marcndote Ibea praio, depoia do qual da-
rlo a sua decisio, e oo caso de ser esta pela multa, se
multado nio quizer pagar, para o que Ihe assigna-
raO prar.o, o participars ao juiz municipal, para ette
proceder exerucio.
Arl. 272. Da decisio do sdminittrtdor baveri- recur-
so dentro de 10 das,as provinrias para as thesourariai,
as quaes julgrlo definitivamente,e na coite para o tbe-
souro publico nacional Inlerposlo este recurso soraS
as mujtaa depositadas nos cofres das admioittracoea at
ulterior decisio
Art 273. Sea questio fr com algum agente do cor-
reio, ette a levar ao conhecimeoto do administrador
respectivo com a resposta do aecusado, se a der no pla-
zo marcado, e tempre com seu parecer : e o adminis-
trador proceder na forma sobredita.
Art. 277 Quando os multados nio tenbio meios
para sstisfazer a multa, ser esta substituida por pristo,
na forma do cdigo.
Art. 278. As multas prrtencrm fazenda nacional
Chiando houver alguem, que tenha descoberto is au-*
toridades o delicto, pelo qual foi imposta a multa, per-
tencer-lhe-ba metade delta.
Art. 280 As penas impostas pelo presente regula-
mento nio isentao das que tiverem lugar em virtude
das leis penaes.
Esta conforme. Oofilcial-maior, Jote Dias da
Lrut Lima.
O lllm. Sr. inspector da thesouraria das rendas
provinciaes manda faier publico,que, em virtude door-
dem do Exm. presidente da provincia, ir de novo a
praca, para ser arrematado a quem mais der, o rendi-
menlo das collectorias dos municipios abaixo descriptos,
por lempo de 2 annos o 9 metes, a contardo 1." de Ja-
neiro de 1846, sobasavaliscdesannusessegoinles :
Bonito.........................1:000.000
Flores......................... 951.000
Boa- Vista....................... 627,000
Os licitantes,devidamente habilitados,deveracompa-
reret na sala das sessdes da mesma thesouraria, nos dial
17 (boje), 10 e21 do novembroproximo'vindouroaomeio
da.
Secretaria da thesouraria das rendaa provinciaes de
Pernamhuco. 3 de setembro de 1845. 0 secretario,
Luis da CostaPorlocar retro.
et laracoes.
S Exc. Reverendsima tem marcado o dia 23
do corrente para a tolemnitsima procissio do Corpu do
Deot, devendo sabir, pelas 4 boras da tarde, da igreja
matriz do SS. Sacramento do bairro de Santo Anto-
nio, e seguir impreterivelmente pelas ras do Cabug,
das Crutes, da Cadeia, do Collegi d'ahi praemha
e ra do Livramento, ra Direita at a igreja do Ter-
co, ra de Agoaa-Verdes em direccio ao pateo do S.
De veras! diaa* o baria euro o aeu sorri.o airnplo-
rio e maligno ao raeaino trmpo. Arredil.-lo-liia fcil-
mente, .rcrctcenluii elle inenlelroenle, eainda nio fui
inuilo longo.
Na verdade he inerivrl quanlo durillo.
Ue por iato, obaervoii n bario, qne rtl V. atleta,
rala maiibin, lio frraco o rrpoua.du, c cun os ulhut lio
bullanles como os de una prnaioii.ria.
O cunde olbou-ae au eapelho, e au ver o sen rosto
palllo e fatigado, niu pide duvrdar da inlrnciu epi-
gr.rumalic. do bario.
Ora bem, eaiaianimbando; ama, com iffeito, va
ineamo tendea o ar de voa lerdea levantado nimio cedu.
Que elegancia I Onde idea voa lio bem veatidu P #
Ter V. alteza ctquecidu que almufa eata nianhia
em Trianon?
Ob! he verdado, tinha-me eaqueoido, dis inge-
nnamenie o oonde d'Artois.
O sugeilo disfarca, diaae entre ai Mr. de Brxenval,
apertemos curo elle. E depoia dirigindo-ae au principe
runtinoou:
Como S. mageatade se dignou faser-me a honra de
me convidar tambem, vim pur .qni para ter u praser de
acoiiipanhar a V. .lleta.
. Poia bem, meu charo bario, far-me-heia u favor
ero l ir aom miui rureio faser-vuaosperar; va me det-
culparea, niu be aasim?
Nio eja eala a duvida, retpnndeo Mr. de Beten-
val curo mal diatimulada alegra, eu ire a.
(Continuar-sa-ha.)


m
Podro, e largo do Carmo, d'esle as roa eatreita e
larga do Rozario, e d'eila finalmente a roa do Cabug
eiu di' eitura a referid malrif.
S. Exc. Reerendissima espera, que 01 moradores
daa mencionadas ruaa se eamerem, como louvavelmeote
coslumio. no asteio d'ellaa, e no ornato dai janella.
Becife, \14 de novembro de 1845.
O padre Frunc'Ko Jos Tavartt da Gama,
i .Secretario de Ele. Reverendsima.
O Illm. Sr coronel director do araenal de guerra
tem de mandar manufacturar urna bandeira imperial de
seda para o 1. hatalhin da guarda nacional deOlinda :
a qaero convier contratar a dita obra, comparece na di-
rectora do mesmo arsenal,al o dia 17 do correntemei
(boje). Directora do arsenal de guerra,13 da novembro
de 1845. No impedimento do escriplurario,o amanu-
ense, Joto Ricardo da Silva.
=s O arsenal de guerra precisa comprar ei dutiaa
do tiboas de assoalho de louro do 30 palmos, com 12
16 polegadas de largura, quaUo duiiaa de tahoas de a-
loalho de anurello de 30 palmos, com 16 i 18 polega-
das de largura, e urna duiia de costado* de amarelle de
30 palmos, coro 16 a 18 polegadaa de largura, sele
ps do ierro, aete cadeiras de palhinba, urna torradei-
ra para eaf e um pila : quem estes gneros tiver,
mandara sua* propostas directora do mesmo araenal.
at o di 17 do correle mei (boje). Directora do araenal
de guerra, 13 de novembro de 1845. No impedimento do
cripturario, o amanuense, Joio Ricardo da Silva
a O arsenal do guerra precisa comprar 263 pares
-de .patos para a tropa, o 2380 vana de brim ; quem
taea goneros tiver, mandar auas propostas em carta te-
lada, junto cutn aa amostras, a directora do -mesmo
arsenal, at o da 19 do corren te mer. Directora do ar
seal de guerra, 15 de novembro de 1845 No impe-
dimento do eteripturalio O amanuense,
Jodo Ricardo da Silva.
O administrador da mesa de recebedoria de ren-
das geraes internas avisa pela ultima ver aoa conecta-
dos desoairrosdo Recife, S.Antonio e Boa-Vista,que,
do dia 17 do crrante mez, mandari o agente deata re
>artic*ocom conhecimenlos assignados para recebero
imposto do banco e taza de escravoa. e aquellos que se
negarem pagar serio remedidos para juizo para se pro-
ceder a ejecutivo. Recebedoria 15 de novembro de
1815 Francisco Xavier Cavalcanii de Albuquerque.
O paquete ingles Exprest recebe as malaa para a
Babia e Rio-de-Janeiro boje (17) aa duas horas da
Urde.
COMPANHIA DE BEBIRIBE.
NSo tendo comparecido, no dia 13, numero suficien-
te de accionistas, licou transferida a reumio da compa-
ubia de Bebiribe para segueda-fera, 17 do correte
(boje),Ha9horas de menbie:roga-seaos Srs.accionistas,
bajo da nio (altar a reumao ; e adverle-ae, que se a-
brira a sessio, na bora marcada, com os que se sebarem
presentes. Bectle, 14 de novembro de 1845.
O director,
Jote Hamos a" Oliveira.
Avisos marilimos.
bonita Tiste, terrado para recreio, noprilcipio darun oia de terterogueiro da esquina do sobrado, quevol-
Imperial : quem pretender dirija-se mesma ra, nu- la para a ra daa Trincheiras. n. 2, ou no sitio do La-
mero 31.
O LIDADOR.
Para o Porto segu o brigue portuguez Maria-
Fslii capillo Antonio Luis Gomes: quem no mes-
mo quiser car regar ou ir de paesagem trate com o
capillo ou com Antonio Joaquim de Souza Ribeiro.
= Para o Aracaty a sabir, nestea oito das o pala
cho Mana Luna rnettre Jos Joaquim Ales; leudo
aeu carregamento quasi prompto e podendo anda re-
ceber carga miuda : quem nelle quirer cairgar en
tenda>*e com dito mestre ou com Antonio Joaquim
de Souxa Ribeiro.
= Vende-se urna janeo nova vinda do Porto; o*
prelendeulea entendao-se com Antonio Joaquim de
Souza Ribeiro.
= Par o Rio-de-Janeiro sabir impreterivelmenle,
at o fim do correnle mez, o brigue D. Affun^o, com a
carga que tiver : quem nelle quirer carregar, ou ir de
passagem, para o que tem expelientes commodoa, diri-
ja-so ao capilio. ou a ra da Cruz, n.45, em casa de
Naiciroento ScbaeiTer & C*
= Vende-so urna barcece, que pega em 24 caixas
de asscar a goslo, construida de boaa madeirse, e feila
nas Alagoat; esta prompta detudo; be nova ; anda
silo le viagem alguma, a excepcio da em que veio de-
pois de acabada ; e be multo boa de vela : quem a qui-
ser procure a Antonio da ilva Gusmao, na ruado
Queimado, n. 39, e, na sua falla, seu caixeiro Main
Para Maranbto aabe, com a maior brevidade
possivei o brgue-escuoa nacional aura, cepileo
Antonio Ferreira da Silva Santos: para carga e psssagei-
ro's, para o que tem escolenles commodos, traia-se
com o dito capilio ou com Novaes & Compaobia na
ra do Trapiche, n. 31.
Para o Rio-de-Janeiro segu com brevidade o
bem condecido brigue Bom-Jetvt, capilio Pedro Jo-
s de Salles: para carga, paasageiroa. e escravos a (rete,
a justar com Gaudmo Agoslinho de Barros, praciobs
do Corpo Santo, n. 66.
Para o Ceari sabe, com muila brevidade o bri-
gue brasileiro Independmlt: quem quiter carregar ,
ou ir de passagem dirija sea loja de cabo, de Fran-
cisco Mamede de Almeida ns ra do Vigario ou a
fallar com Manoel Alves Guerra.
= Har o Araeaty segu cun toda brevidade o hia-
to Movo-Ulimla : os pretendemos a carregar se pode-
res entender com Antonio Rodrigues Lima, na praca
do Commercio, ou na ra da Cadeia-Velba, n. 1, pri-
moiro andar.
Para o Rio-do-Janeiro sshira at o dia 18 do
correnle o brigue americano Coiope ihwaile ; tem
commodos para doua paasageiroa: trata-ae com oa
consignatarios Malbeus Auatin & Companbia.
Leiia.
O corretor Oliveira fara loilio de variado sorli-
mentode farendes nglezas francesas, auissas o alie-
mies, doaeda, lia, linho e algodlo, propria do mer
cado e as quaes leem de ser vendidas sem reserva .
algumaa a pravo e outras a dinheiro a vista : terca-
leira 18 do correte as 10 borsa da spanbia em ponto,
no aeu esenptorio ra da Cadeia.
Avisos diversos.
Aluga-se um sobrado de um andar com treequar-
to, um solio tambem com doua quartos, de inuito
O n. 67acha-se a venda, na praca da Independen
ca, livrarie na. 6 o 8.
O CLAMOR PUBLICO.
Sahiri hojeo a.' 6l,e echar-se-ba venda, as 11 ho-
ras da manhia, ni praca da Independencia, linaria nu
meros 6 e 8.
Hoje, 17 do correte novembro, na porta do juiz
doa feitoa da fazenda, as 4 horas da tarde, o ha de ar-
rematar por senda, por ser a ultima praca, urna escra-
va, Julianna, de idade de-5 annos. avahada por 3501/
is. Gertrudes, de 10 annoa, avahada por 2004 rs. e
Joanna de idade de 40 annos, avadad por 300a pe-
nboradas a Joiu Joaquim de Figueiredo, por eveeucio
da fa/enda provincial; assim, maia se hao de arrematar,
de renda annual. aa casas, n. 62 da ra do Mot icolom-
b, avahada em 38*400 rs. annuaee, e a de n. 25
no becco do Rozario do bairro de >. Antonio, avahada
em 72j ra. annuaes: ludo por execu(io da fazenda
provincial.
=Madama Mllocbau, que leve urna caaa de modas
Irancexaa na ra Nova, acaba de abrir urna loja de mo-
das france/as em (eral, na ra do Atlerro-da-Boa-
Viata, n. 5, aonde se achara aempre um sortimento
dos melhuros ohjectos de modaa : taea como chapeos de
aenbora e meninas dos padrSes maia modernos, dese-
tim, tafetaes, cbamalotes, crep, etc drese pennas
das maia finas, para cabellos e chapeos, urna porci
coneideravei doa mais bonitoa bicos, tanto brancoa como
pretua todos verdadeiro, bicos e rendas de Monde, tam-
bem verdadeiros, bicos omito largos para babados de
vestidos, objectos de bom gosto para vestidos, cambraia
de linho, jacones, casta lita e bordada, bareges, cha-
lie, lalstsna, madapolio francei, guimgamp, cassa,
fil de lioi'O, diti de seda branca e preta, lito e borda-
do, mantas de castas, detafetaea, e de 616, fitas de se-
lim, e tafetaes de todas as larguraa, gravataa de cassa,
taletaes e csmbraiaa de linho bordadas, lencos de bre-
tanbapara algibera, ditoa delinbo, de cambraia lisa,
e bordada, ditos de linbo d'Escoeia. lisos e bordados,
vestidos para aenbora,de cassa, filecambraia bordada,
eaparlilhoa para aenbora o menina, luvat de pellica,
de fil liaoe bordado, com dedos ou aem ellos, paase-
mentenaa, e mais objectos de iniudezaa para as mo-
distas e modas franceas, ludo por prego ra-oavel. Ma-
dama Mllocbau ae encarroa de fozer chapeos o vesti-
dos com promptidio, bom gosto, e por preco multo
barato.
= Pede-te encarecidamente as pessoas da ra dai
Cruzete fundos da ra do Crespo, ae acbarem um ga
lo ni a I tez, grande, perdido na noute de 15 para 16
docorreate.de o entregaren! na ra daa Cruzea.osbrsdo,
n. 41. que serlo generosamente recompentadaa.
= Na praca da Independencia, hvrana, ns. 6 e 8,
exisiem cartas para os Srs. Lopes Jnior & Irmo, e
Francisco de Asis Oliveira.
=.Na porta do juiz doa leitoa da fazenda, se hSa de
arrematar boje, as 4 horas da Urde, por ter a ultima
praca, 4 chapeos de arda por 8,000 re., 1 arinacio de
luja com baIcio por 12,000 ra., e de renda annual aa
casaa, na ra do Pocinbo, n. 6. avahada em 43,200
ra. poranno, e do becco dosQuarle-i, n. 13, ava-
llada em 100,000 ra annuaes: ludo por execucio da
lerenda provincial.
=Precisa-te de um bomem que entenda do aervico
de urna padaria, que aaiba perfeitamente amassar, bi-
Ibar e cortar, para adminiatrar oa escravos; e tambem
se di pi de veodagem a preloae prelaa, licando seua
senhores respontaveit : naa Cinco Pontea, o. 63.
- Aluga se um tobradinho na ra da Praia-de-San-
la-liila. n 22, delronte do Sr. tdendonca : nat Cinco-
Pon tas, n. 63.
Aluga-se, por 10 ra. menaaea o segundo an-
dar do sobrado da ra etlieita do Bozario n. 18 : *
trotar na ruH do Nogueira n. 27.
= Antonia Mana retira-se para (ora da provincia ,
ovando em aua companbia aun aobrinha o un filbu.
Deaeja-ae sater te sao vivos ou morios oa Srs.
Joio Nogueira Kreire e Francisco de Svusa Pinto que
assistiao oa ra da Soledade : roga-se a quem louber
noticias de algum doa ditoa Srs. o lavor de dirigir-se
a ra do Queimado loja n. 13, de Antonio Jos tto-
dngues de Soura.
Aluga se urna muito boa cata com teu sitio no
Monteiro com fundos para o lio do lado da sombra,
sem visinbaca junto e do lado oppoato a igreja com
umitas comniodidades mullo Insca com estribarla
para 3 cavalloa e todas aa maia prnporcoet: a tratar
com Jos Mauricio de Oliveira Maciel.
Aluga se o primeiro andar do aobrsdo ailo por
detras da caaa que serve de tbeatro publico muilo
fresco com frente para o rio : a tratar oa ra larga
do Rorario n. 18.
= Aluga-ae urna casa com muitos commodos no
Poco-da-Panella, junto ao aobrado do Sr. Joio Pires:
a tratar na ra do Queimado oa, n. 8.
= No escriplorio de Gaudiuo Agoslinho de Barros,
na pracinba do Corpo Sanio n 66 txiste urna carta
para o Sr. Antonio Jote Gomes de Carvaibo viuda do
Hio-de -Janeiro.
Antonio Mareellino Nones Goncalvea relira-so
para o Maraobio levando em aua companbia o teu
escravo Vicente.
Aluga-se um moleque para servir a um bomem
sem familia : na ra do Queimado loja, n. 8.
Aluga-te o arma/em da caaa da ra d i Amorim
n. 13 : a tratar no aegundo andar da meima cata.
=i F. N. Claco pretende abrir no dia 19 um cur
ao de geometra e outro de eritbmelica, oa quaea pode-
rlo aer Irequeotados simultneamente : aquellos, pois,
a quem isto convier, entendi ae com o annuncianlo
em a ra da S. Crui na Boa-Vista n. 38.
SOCIEDADE
riIILO-DIAM\TRA
O primeiro secretario avisa ao* Sra. aocios, que boje
ha sessio extraordinaria pelas 6 horaa da Urde par*
se tratar oe um negocio urgente.
Precisa-te de urna peaaoa que entenda de esca-
vacao de viveiro e que teoba anos para osle fim : oa
para..--------......--------, -
uiro juntoao Sr. Francisco Ribeiro de Brilo.
Aluga se, por 128 rs mensaes o primeiro an-
dar do aobrado da ra Direita n. 43: a tratar na
mesma ra venda n. 23.
Um hornera de roeia idade ae oflerece para rece-
ber divida cohravei o incohraveis com unt tantos
por eento dando Banca a tui conducta : quem pre-
cisar, annuneie.
Preeita-ie de urna ama ecea para te oceupar com
particularidade nm tratar meninos ; na rus dai Cru-
zes, loja de drogas, n. 58. ,
= Francisco Alvr Veiga deixou de ser caixeiro do
dados, e outros gneros : no mesmo eslaboleeimento
se recebe i commissio.'para vender nelle, qualquer ge-
nero, que sej na primeira ou na segunda mo, a se
empresta dinheiro sobre penhores do ouro ou prata:
ra do Queimado, loja, o, 14.
Casa da Fe9.
RA ESTREITA DO ROZARIO, N. 43.
Tendo de correr a lotera do tbeatro, confrmete
marcoo. no dia 25 do correnle, o cautelliata da caa da
F, de novo convida aot amantes de um jogo tio inte-
restante a eontinuarem com mais promptidio oa com-
pra dos bilhetet, o das auaa cautelle; visto que o an-
= Francisco Alvr Veiga deixou de ser caixeiro do {|menlo dM roJ de |er iof,||ife|. O nteresae. que
Sr. Domingos Garca Pararaio da sua venda da ra ode lirir dw,ejog0ie,ti na brevidade, com que an-
da Roda, n. 48: tendo de ret.rar-te para lora da direm i|rodtl. e JhiB00.iedeigDado odia, osama-
provincia fas tciente a todat as pettnta que iverem ^^ deyem reconhf,cer fac|mr-nte que quanto mais fe
penhoreadeouro prata o Pnn ^^,r*0__'T..T' demorarem na compra do.bilbele. na expectativa de o
fa/erem not diat prximo snnunciados, tanto asa
UDll UUI v un uu'V f a*" ** r -----
no prszo do 8 diat; o, nio eompirecendo, perderiS to
lo o direito.
_ OtSrt. Luis Peres, alfaiate, o Francisco Anto
nio Ponlual. queirio ir pagar aua cootaa na loja de
louca trz do Corpo Santo n.68; poii para man-
gaeio he lempo de sobra.
OSr M. L. V. qoeir comparecer na loja de
I .oca atraz do Corpo Santo n. 68 a negocio do teu
interette.
__ Arreada-so um grande armazn com quintal,
estribarla cacimba o portio para a ra da Guia por
preco commodo ; quem o pretender, dirija-te a ra do
Queimado. n. 10. terceiroandar.
Na fibrica de charutos, no Atterro-ds-Boa-Vit-
la loja n. 12. precsa-se de bona ofllciaea charuteiroa;
e tambem na meamase vondem excellente charutos de
regala, por preco commodo tanto em gorgio. como
retalbo.
Precisa-te arrendar, pelo lempo 1
sitio perlo deata praca que
ver, annuneie.
M. B. Conttanca lome
a aua etorava parda, Gertrud
Jos Soares de Azevedo ,
francote do lyceu tem aberto a
lingo
ra es-
irancoza ao ijcou > > --
treita do Rozario, n. 50. terceiro andar J*um curso de
ceooraphu e outro de ling i\ raANCF.r. que desejarem seguir urna ou outra destas' disciplinas
podem dirigir-te indicada residencia de fcanhi
at aa 10 boras e do tardo a qualquer hora. *l
- Precsa-ae de um caixeiro para teeda que da
mesma tenba alguma pratca : na ra do Amorim ,
17.
Quem precisar do um moco para padaria ou
outra qualquer oceupacio annuneie ou dinjl-so a
iua do Amorim o. 17.
- Alugad-se os segundo e terceiro andares da casa
da ra da Crua do Recite, n. ajf: a Iratar no arma-
zem da mesma casa.
' Aluga se unta cata terrea no largo do S. Jote : a
tratar no Atterro-da Boa-Vista n. 2 primeiro an-
dar.
= Aluglo-te ot tegundo e terceiro andaret da cata
n. 12, da ra do Queimado, ot quaet to muito
frteos e teem bastantes commodo : oa pretenderles
dirjjo-sea mesma ra loja de Antonio Jos Rodri-
gues de Souza.
- Na ra eatreita do Rozario n. 28, segundo an-
dar, en.ino-aeaadisciphoaaseguintei: geometra e
oglez. ,
Aluga-se urna aala na ra do Queimado pro-
pri- para algum rapa solteiro ou para esenptorio de
adsogudo ; urna coebeira para 3 ou 4 carros, na ra
da Praia : a tratar na ra do Queimado o. 2o.
Preciaa-ae alugar um prelo idoso, para Iratar de
um cavallo ; na praca da Independencia Imana ns.
6e8- J IS. tft
Preciaa-so de um caixeiro portugus de lt a o
annoa, p.ra um venda oque da anana tenba pra-
tca : na ra da Aurora n. 48.
Detappareceo, no dia 7 do corrento urna ca
na de carreira pequea e aberta cum o signaos
eauinte : tem ptneiro com tmetsSee para o roea-
mo. de tirare per; tem eavilbaa de cobre na caverna de
I a_ _____a. '... A,,l,r.ii I ild miNfl
la'nivni hmj i*.*.-- --
concorrem para o empate,e retardacio da etiraeeio Aoa
bilbetes, e as caotellat, pois: eootem com boa felieida-
de, se tiverem f.
Aluga-se um sobrado de um andar com loja,
com muito bona commodo. no principio do Aterro-
dos-Afogadot. delronte do viveiro do fallecido Munii,
n. 49: quem o pretender, dirija-te a ra do Livramen-
lo. loja, n. 18.
Adolphe Bourgeoi faz tciente ao reipet-
vel publico, e principalmente a aeusfregue-
zes, que elle mudou a sua coieira, da roa da
Aurora para a ra Nova aoodo o acbariS aempre
prompto a qualquer hora, tendo para este fim bons
cirroa e bon cavallot; astim como recolhe. na mesma,
cavallot o carros, ludo por proco commodo.^
= Jote Goncalves Maia de Azevedo retira-se para
lora do imperio, a tratar da aua aade.
Roga-te a pessoa que deixou de penhor na
ra Nova n. 22 um relogo de ouro coro sidra o
machina de platina, um trancelim e ume crrante atra-
veasada para relogo do vir resgatar no prazo de 3
das, te nio, aerio venddoa para ao pagar do dinheiro,
que ella ficou de levar no mesmo dia.
=Dio-se 300a rs. a juroa com ponhores de ouro ou
prata ; na ra Direita n 9.
Fra de-Porta., venda n. 92 que .ora recompen
_' O abaisoasiigndo declara ao respeitavel publi
... ___la. U.nnal Puriill".
LOTERA
DO
THEATRO.
Acha-se designado o dia 25 do presente mez para
terem aa rodas desla lotera o aeu imprelerivel anda-
mento. Este andamento tem de ser realiaado na for-
ma do novo reclmenlo dado as loteras, o alm dalo
ociedilo.de que osla mesma lotera aempre gorou, dase
animar oaainadoresa concorrerem para a prompta venda
dos respeclivoa blbetea.quo se achio expoatot n loja do
Iheanureiro, ra do Queimado, n. 39; na do Sr Ma-
erea Jnior, ra d<> Collegio; oa botica do Sr. Mo-
rnira, ra do Cabug; c no barro do Becile, nas lujas
de cambio doa Sra Viera, o Manuel Gomes.
Cumpreso Ibesoureiro adverta que ojihiDO, que re-
nula esta loteria, he novo, ja com eals)-loi transcrip-
to, e por elle terio visto o interestado, que os pre-
mio, que Ibes coulierein em sorte. Ibes seV pagos sem
descont algum, a excepcio somonte dos doua priaieiroa
premios grandes, que na lorma da le esli aubjeitoa
ao deconto de 8 por cenlo a favor do tbetouro publico.
Arrenda-se um sitio no lugar do Caldereiro, com
boa casa de sobrado, muito (naca e com todaa aaeom-
modidadea, coebeira, estribara, caaa para pretoa, boa
cacimba, o cm Iruteiraa de loda as quahdades ; quero
o preteuder, dirija-se ao armaram decapim da ra da
Concordia, n. 25, que achara' com quem tratar : no
mesmo armatem vendem-to 40 o tantea oitavas de ouro,
em obras.
=0 corretor Oliveira acha-te encarregado da venda
; lemeavilbaadecoDrenaca'roiii" de um mualo, cum principio de..fficio de carpinteiro,
proa e popa pintada de rinzento ja deabolado, quati bon, trahalhador. e prupno para todo o servico ; aot
La neo t auem touber da dita canoa queira leva-la a pret, ndenteste dir o motivo da venda.
= Antonio Gomes da Silva, pillo examinado do
.lio mar, laz pui lico, queensina a arle de pl lo, prati-
ca e tbeonca, assim como apona awulbas de manar
O abaixoassignado declara ao respeuave vuu" ca o loeorica, assim como .pun. -.. .- --------
que lem despedido o teu caixeiro Manoel Pereira por novo meibodo, e concerta vanoa matrumentos nau-
de S e Silva daatuatlojaa de louca da ra Nova; o por llC0,. lodol 0, ,enboiot, que qui-erem. dinjao-se a
i,u rita inhabililado par. receber qualquer divida per- Sant0 Amaro, ao p da igreja. ou a praca Uo Corn-
._____i... ...,.. l..i.. ou utraaualauer transac<;io. merc0. desde omeioda at as duft boraada urae.
lancele s mesmaa loj.. ou autra qualquer trntaccio.
Joaquim Alvet dot Reit.
O Dr. AlexBiidre de Souza l'ereira
do Carmo, tendo chegado da viagem, que
fez a provincia da Alagoas, contina no
exercicio de sua proiisso.
= 0 baebarelformado Fernando Pereira de Castro
Jnior retira-se na oura.com aua aenbora. para Mara-
obio, o leva em sua companbia cinco escravoeaeua.de
nomei Bernab. Clemeotna, Leopoldina, Luiz. e
Joaquina; e igualmente o escravoa de Antonio Cesar
de Berredo, de oome Josefa, ndro, o Amancia.
= Jos Goncalvea Ferreira e Silva embarca para a
Babia os escravos Jos, e Francisca, para terem entro-
guea a teu tenbor, o doulor Casimiro de Sena Madu-
CONVENIENCIA.
Faiem-se pintura por preco mait commodo do que
em outra qualquer parle, tanto na praca como no mal-
lo, porhaver para cate efleilo um completo torlimeoto
de tintat, oleo, vernises, papel para forrar salas, o vi-
droa de lodoa os Umanhoa ; quaesquer deales objectos se
vendem a relalho, e em aa porcea que ae preciearem :
trocio-so iroagena as mais perfeila; aaaim como se
vendem calungas grandes para presepios, e um lindo
presepio : na loja de droga, do pintor e fidraceiro,
ra da Cruze, o. 28, junto jjrpograpbia deste Da-
__ Aluga-se o spgundp andar do sobra-
do silo na ra Direita,^|o, com bon
commodos: a tratar na ruT do Collegio,
segundo andar n. t4*
- Ach-o aberlo o novo estabelecimenta de livro
Iranco/es, e outraa lingoa, bem como obra de prata e
"ouro contrastada, miudezai, e rap de todas as quali-
mercio, deade o meio dia at as dyAjioraa da Urdo.
Agencia de passaporles.
Na ra do Collegio.bolica n l.eno Alterro-da-
Boa-Vtta loja n. 48. tirio-te patsaportes para dentro e
fra do imperio,assim como deepechao-seetcraios-.tudo
com brevidade.
Compras.
Compra-e um macaco do Par, Maraobio oa
Angola aendo manco o da raca maia pequea, que
ba ; um metbodo para volio por Carulle em boaa
estado por preco commodo ; quem tiver, annuneie.
Comprio-ie duas quartolaa, ou toosi quem
tiver, annuneie.
Compra-se um ecala de fagote nova, oa usa-
da em bom estado ; na ra da Crus do Recife o. 21,
ou annuneie. ,
Comprio-te, para fra da provincia, escravos de
ambos os sexos; aendo de 12a20aooot, e de boas fi-
guras, pagio-se bem : na ra Nova, loja de ferrageot,
n. 16. _..
= Compra-te urna casa terrea', que aria oa ra i-
reita, N.S. do Terco ou mesmo nas Cinco-Pootai:
quem tiver, annuneie.
__Compra-se, para urna encommenda do sertio,
urna escrava moca at 95 anooa boa coatureira ,
engommadeira eoziaheira, doceira. que amarre bem
cabello ; aervo de qualquer quahdade ; porm prete-
re-ae preta erioula : quem tiver, annuneie oom bre-
" l'comprio te orna macbioa de copiar earla; oa
ra da Moeda defronte da casa n 9.
\- Compra-se aa obra de Fal.ntho Elisio am bom
estado por preco commodo ; quem tiTer, annuneie.


r
esi
^
=Compra-se o diccionario francaz por Joi da Fon-
saca e as fbulas de La Footaino ; na ra estreita do
Rozario o. 3.
Compri-ie urna porcao de ladrilhode pcdra de
palmo em quadro : na ra do Crespo o. 1 ou o
ouncie
Compra-se a Escoda Mystica de Jacob ou to-
sna-se emprestada por p-iuco lempo ; quem a tiver e
quizer emprestar m Ibe ficara obngado alm de
ser recompensado : na travesa da Madre-de-Deo ,
o. 9.
V Midas.
F0LHI1NHAS
DE
i
Porta e Algibeira
PARA.
1846.
Vendem-se na pra^a da In-
dependencia, luja de livros n. 6
e 8; na ra da Madre de Dos,
venda da esquina defionte da
igreja; na BoaVista, def onte da
matriz, botica do Sr. Moreira;
no pateo do Collegio, loja de li-
vros da esquina; e no largo do
Terco, venda n. 7; em Olinda,
botica da ra do Amparo, e loja
do Sr. Domingos, nos Quatro
Cantos.
Vende-se a casa terrea da
ra das Cinco-Pontas, n. 43: na
ruadus Larangeiras, n. 12, segun-
do andar.
Na ra dos Larangeiras, n. ia,
a. andar, vende-se, por muito mdico
preco, mu ptimo sitio no pateo da Haz,
povoaco dos A logados, com urna bella,
nova, e espacosa casa, e diversos arvo-
redos de fruto, bem como larangeiras
= Vendo-se uro moinho de moer millio muito
bom com seu caiiio e prompto de ludo; na travesa
da Gloria para a Alegra n. 11.
= Vendem-se duas quartohs que Serirlo de de-
posito de aieite ; na ra Nova, o. 16.
= Vende-se oleo de linbaca em grandes e peque-
as porcdes por preco muito com modo : a tratar com
Firmino Jos Felii da Roa & Irmao na ra do Viga-
rio n. 3, segundo andar.
da que carrega 10 a 12 pessoss muito bonita e bem
feita: a tratar com Mu noel Firmino Kerreira na Ira -
vessa do (ueimado n. 3.
( LO.! A DA ESTRELLA
Ra CUILKERME SETTV
coqueiros, mangueiras, jambeiros tres
:acimbas, urna das quues lie feita ha mul-
to pouco lempo, e d agoa potavel.
Veode-se um corrame para guarda nacional i
usado, por barato preco : na ru* Direila, n. 87.
=Vendem-sr cantigas paraos presepess por 400 rs.
na livraria, na 6 e 8, da praga da Independencia
Vende-se carnauba muito boa.em porcdes e a re-
talbo: na ra da Senzalla-Velha, n. 70.
= Vendem-se as armac,0es das tojas na ra Nova, ns.
18 e32,tambemse vendo urna s dellas.quetemcoiinno-
dospara urna pequea ramilla; e permula-se poralgun
predio nesia praca ou seus arrabales, vollundo-se. o
que for justo; lainbeni se vende a piazo com firma a
contento; laz-se todo o negocios vala dos pretenen-
les: a trstar na mesma ra, n 32.
= Vende-se, na ra da Senralla-Velba, arma/em n.
124, azeile de carrapalo, a 1,800 rs. a caada.
- Vende-se cha bysson em caitas de 15 libras, em
porcdese aretalho; e polassa americana ltimamente
ebegada; meias lisrricasde farinba de trigo da marca
gallego : em casa de MalbeusAustin & (.., na ra da
Ifaodega Velba n. 36.
= Vende se farinba de mandioca muito nova de
Santa Catbarina e S. Malheus por monos preco
queeo outra qualqoer parte em saccas ou medida
velba; no caes do Collegio arma/em de porta larga.
=Vendem-se riquissimos chapeos de seda de todas
as cores para senbora bem enfeitados, com riqussi
mal fitas e flores; estes chapeos teem a commodidade
de se abrirem o fecbarem ; riquissimos encerados a
polka, para cssticaes isangas e outros olijectos ; um
sortimento de cai>scnos: na ra larga do Rozario
o. 24.
= Vende-se, no Br eco-Largo n. 70, azeile de
carrapato a 1440 rs. a caada e em porcio por
menos alguma rousa.
= Vndese vinagre tinto, de superior qualidade,
emquarlolas ; na ra da Senzalla-Veiba, n. 110,
Pela medida velha
vende-se farinba, ebegada ltimamente de S. Ma
tbeus, de superior qualidade, e por menos do que em
outra quaiquer parte, bordo do patacho Penas, de-
fronte do caes do Collegio, e na ra da Cruz, n. 64, a
fallar com Manuel Antonio Pinto da Silva.
RA DO COLLEGIO,
Loja n. I.
Vender se superiores gravitas de setim preto a 500
rs ; casimiras, das mais modernas, a 1,200 e 1,400 rs.
ocovado; panoo fino, preto e azul, a2,600 ri.; meias
desanbora a 280 rs. o par; chitas de todas as qualda-
des, de 120 a 300 rs.; medepoldcs, de 140 a 280 rs.;
curtes de chitas de todas as qualidades, e do melbor
gosto superiores riscados franceses, a polka, a 360 rs.
o oovado; e outrsa multas hiendas, ja anouociadas
nesta Diario : na mesma loja cima.
* = Vendem-se cortes de inisiimas chitss a polka e
avoludadas i rs. ; I mas da Russia n I a 880
ra. a vara ; ditas o. 2 a 480 rs. : na ra do Crespo,
n. 16 segundo loja pata quem vem da ra das Cru-
Vendem >e esgu oes finitsimos do HnUo paia je-
quetas ; biins trancados, muito superiores; pannos
finos de todas as cores e qualidades; merinos; dura-
ques ; princo/as ; casimiras elssticas de novos pe-
drdes ; chlese mantas de seda; los de lnho ; brins
de quadros novos; e outras mu i tas fazendas por me
nos do que outras partes.
= Vendem-se resmas de papel meia hollanda de
superior quahdasle ; ditas de peso ; libras de retroz
preto atol-ferrete e sortido ; pbospboros americanos
do melhor autor que ha : na praca da Independen-
cia, loja de miudeas, o. 4.
= Vende-se boa orchata feita de pevide de roe-
lancia, para refresco; na ra Direita, refinaco, o. 10.
= Vendo-sea refinacio da ra Direita, n. 22,
com todo* os uttncilios juntamente 3 escravos que
sabem trabalhar perreitamenle ; e um bom cavallo de
sella, com bons andaras sellado e prompto de ludo:
a tratar na mesma com Braga & Campos.
Vende-se urna prets, de idade de 16 annos; na
ra das Trincbelres n. 3
= Vende-a, por estarse a retirar seu dono para
Portugal urna venda na ra do Collegio n. 17 ; a
qual se a:hs bem afreguizada: a tratar na mesma
venda.
Vende-te na fabrica di upirioi da ra de S.
Hila, n. 85.
Aco'ardente do reino......cenada......... 800
Dita de Franca............ >. ......... 960
Ago'ardente de aniz........ ......... 640
Kspintodu vinlio.......... ......... 1000
Genebra................. ......... 720
Dita....................botija.......... 200
Licores.............:;... c.mada......... 800
Ditos...................garrafa......... 160
Ditosfinos................ ......... 400
Ago'ardente em pipa preco conlorme o grao.
= Vende-se polassa nova, e barata, meias de linbo,
mullios de arcos de caslanho volteados eMireiios,
meias barricas com larinha nova, da m. rea gallego ,
barricas com dita, de S e SSS ; peneiras de rame:
na ra do Vigario o 9.
= Vende-se farinba muilo nova, do Rio-de-S. Fran-
cisco, a 3,000 rs. a sacca : na rus de S. Bita, n. 7.
I a m bem se vende
novo rap, chegado de Lisboa, na loja de miudeas do
Fortunato na praca da Independencia, em botes,
4*500 rs.
O9C>$<30909
- = Vendsjn-se duas escravas mocas e reeoIbJdes ,
tendo urna ss qualidades de coiinbsr bem retinar as*
suesf., fazer pio-de-l bolos, e engommar soflrivel ;
a outra be boa para mucama bastante vigorosa e sa-
dia : na ra estreita do Rozario n. 31
andar.
= Vende-se um preto de naci com principios
decozinheiro, muito bom srveme de pedreiro, por
trabalhar neaseservico ba mais de 6 annos, o he bom
= Vende-se urna canoa de carreire nova, pinta- carregador de palanqun para o que est muito pro-
prio por ser bastante alto e de muito bonita figura :
na roa do Crespo loja o. 12 de Jos* Joaqarm da
Silva Maia.
= Vendem-se cinco pares de brincos de diversos ta-
manhos ; urna formidavel volta para pescoco de seoho
ra ; douialfinetei para senbora; 4 canas de prata dov
radas para rap ; ludo novo e ltimamente chegado do
Rio-de-Janeiro ; um cordio grossode bom ouro, com
36 oitavas de peso proprio para homem sem feit io;
um relogio horisonlal, com urna correntinha ; tildo
por preco commodo : na ra da Praia; n. 22.
Veode-se um cliz de prata com patena eco Iher,
para sacerdote diier missa ; na ra do Rangel o. 17.
ttm Vende se, sem feitio, urna garganlilba com 24 '/
oitavas ; um trancelim, com passador, com 29oitavas ;
um cordio, com um coracio, com 6 '/ oitavas ; tres
annes, com um diamante cada um ; um dito de bri-
Ibantes ; seis colberes de prata, com 91 oitavas; um
adereco moderno ; um relogio de ouro, patente inglez;
um dito de dito horizontal, com corrente e trancelim
oa ra das Trincheiras, o. 18.
Vende-se a verdadeira potas sa rus-
siana da melhor e mais nova,que ee acha
neste mercado, a a50 rs. a libra, adver-
tindo-se que se vende por este pr eco por
se acliar em barris grandes : em casa de
J. J. Tasso Jnior.
- Vende-se vinagre branco
nacional, a 400 ris a caada ve-
lha : na ra do Aterro-dos-A fo-
Alerro-da'Boa-.
9
0
O
>
O
9
O
i
o
o
a
CHA HYSON
DE BOM GOhTO,
E SUPERIOR QUALIDADE
Vende-se a as56o ris cada libra: @
na ra Larga do itozario o. i!\.
M*.
- Vende-se um bom cavallo de carro sem acha-
ques, por preco commodo ; na ra Nova, n. 25.
a Vendm-se 200 garrafas com vinbo velbo, o me
Ibor possivel com mais de 16 anoos, para quem ten.
bom gosto: no pateo da S. Cruz botica do Gameiro.
= Vende se um carrinbo de duas rodas em multo
bom estado ; e un cavallo muilo Lom para carro : na
ra estrella do Rozsiio n. 43, segundo andar des
6 as 9 horas e tima da manhia.
Vende-se, com rebate, urna divida de 3:448,853
rs., e mais os juros decorridos desde 6 de de/embro de
1840 : i vista do negociador se du quem be odevedor
= M.F. P. =, e se Ibe presentarlo todos osdoeu-
menlos: a quem coovier, annuncie para ser procurado
= Vende-se um alambique de cobre, que leva 12
caadas; quero pretender, annuncie.
= Vendem-se duas pretss mocas de bonitas figu-
ras ; um moleque de 13 annos ; um preto muito* ro-
busto : na ra Bella n. 28.
= Vende-se urna escrava de afio de 24 annos ,
ptima quitandeira ; um moleque de narao Mocam-
bique de 15 annos; um dito de nac,ao Angola
de !4annos ; um escravo de na(io Costa de 20 an-
nos de bonita figura propiio para carregar palan-
quim : na ra das Cruzes, n. 22, segundo andar
Vendem-re chapeos de castor, do ultimo gosto,
a S t. ; ditos franceses da ultima moda, a 7 a rs.;
superiores chapeos de massa de elegantes formas a
jrs.; e de todas as mais qualidades a precos com-
modos ; chapeos finos de pa'lba do Chile e de quali-
des mais baixas al o diminuto preco de 3i rs. ; bone
tea tanto para hornern como para meninos da ulti-
ma moda ; lencos de selim bespanbol, pelo barato
pre^o de 'i rs. : oo largo do Collegio loja de cba
peos, n. 6.
Ha pira vender na ruado Trapiche, n. 40, um sor-
imenlo de bons e excedentes vinbos, para uso particu-
lar ; timbem mu superior ago'ardente de Franca e cer-
veja branca e preta, de Londres (de liarcley &C), a
melbor que pode baver: estes gneros veeuiem cascos
e engarrafados, e vendem-se em porcio ou por barrica
por presos muito commodos, em quinto nao entrar o
mez da festa, em casa
= Vende-se ujai
da res na ra do V
Jos Ramos de Olive;
tistopbers & Donaldson
opriedade de casa de 3 an-
n. 23 contigua a do Sr.
tero grande luno e largura:
fia da ra do Crespo que volta
a tratar na loja da es
para a do (Jueimado.
=\enem-s*- uns bons embonos para urna barcaca,
por pre^o commodo; oa ra da Mdra-de-Deoi, o. 28.
gados n. 7, e no
Vista, fabrica de licores de Fre
derico Chaves.
RAFE' IMPERIAL.
Este rap, imitando ao Prince-
za de Lisboa, vende-se em libras
meias libras e oitavas, as lo jas
seguinfes: dos Srs. Francisco
Joaquim Duarte, ra do Cabug?
Victorino de Castro JYloura, ra
dos Quarteis; Gomes & Carva-
llio, ra do Crespo; Domingos
Ferreira, escadinha da ra do
Crespo ; Ferreira & Oliveira,
pracinha do Livramento; Tho
maz de Moraes Pereira Estima,
e Laetano Aterro-da-Boa-Vis-
ta; Guedes & Mello, ra da Ca-
deia no Recife: preco 2^000
ris a libra e 30 ris a oitava.
- Vende-se carnauba muito
boa, urna porgo de cinco arro-
bas por prego commodo: na
ra da Ciuz n. 26, primeiro an-
dar.
Vende-se urna porco de 335 cou-
ros cortidos, liudos: na ra do Crespo,
n. 11.
Vende-se na loja de J.
Cardoso Ayres, ra da Cadeia do
Recife, urna obra publicada em
1843, intitulada Diccionario
de medicina popular, ou a Medi-
cina ao alcance de todas as cas-
ses da sociedade, pelo Dr. Cher-
novis: dous volumes em 4., con
temi 950 paginas; preco 10^000
ria brochada, e 12^000 euca-
dernada.
LOTERA
do Rio de Janeiro.
=i Vendem-se bilhetes a 24 rs. ; meios a \2
rs. ; quartos a 6 rs. ; o oitavos a 3,, rs. ; que tem
de correr neste mez : na ra da Cadeia loja de cam-
bio o. 38 : oa mesma pagao-se os bilhetes que sa-
birem premiados.
Livraria da esquina do Col-
legio.
OBRAS COMMEBClAES.
Cdigos eorammerciaes portuguez, fran-
cez, bespaobol; Fontes do cdigo commercial porlu-
g'uaz ; Diccionario jurdico -com., edicio portug., por
Ferreira Burgas, 1 vol.; Commentanos sobre a legis
lacio portugueza cerca de segaros martimos, 1841,
1 vol.; e sobre avarias, 1 vol., pelo mesmo ; Synopise
jurdica do contrato de risco,1 vol pelo mesmo; Juris-
prudencia do contrato mercantil da sociedade, coa to-
da a logislscio 4 respeito, e normas de artigoa sociae,
pelo mesmo, 1 vol.; Fontes, especislidede eeicellencia
da administracio commerciaes, pelo mesmo, I vol. ;
Pos tilla de comn ercio, distribuida em licOes, contendo
primeiro ludo oque aoscommerciantes intereiia saber, l>ol.;
Di'reito mercantil do Silva Lisboa, 2 vol., oontendo em
8 tratados as materias seguinles : 1., sobre seguros ma-
ri limos ; 2., sobre contrato de riscos ; 3 sobre ava-
r.as; 4 sobre lettras de cambio e de Ierra, notas pro-
missorias, bancos do commerco, &c,; 5., sobre con-
tratos e causas mercintis, obrigacoes, direitos e privile-
gios dos negociantes ; 6 sobre a polica dos p o ros e
lalfaodeges ; 7., sobre juizse tribnnaes de commercio,
consulado.jurisdicjio e deveres dos cnsules; 8., sobre
economa poltica ; Curso de direito commercial, por
Pardessus, nove edicio belga, augm., 3 vol., i o 8.*;
Institutos do dir. com., por Diviooourt. nova ed. bel-
ga, augm. ,1 vol.; Commeutario de cada um doi art.
do cod. do com., ou espirito do cod., por Locr, 4 vol,;
Direito commercial martimo,' por Boulay-Psly. 4 vol.;
Tratado de fallimenlos e banca-rotas, pelo mesmo, 1
vol.; ezposicio criticadalegisl.com., porVincens, 3
vol. ; Analyse do cod., por Mongalvy, 2 vol.; Tratado
geral de com., de Ricardo, 3 vol.; o Cdigo explicado
por J. Rogron, 1 vol.; Manual dos juizes da commer-
cio, coll.de legisl. relativa 4 jurisd. com., porGasse, 1
vol.; o Cambista universal tratado completo dos cam-
bios, moedas, pesos e medidas de todss ss narOes, por
Kelly, nova ed.; o Indicador de cambios, 4 vol ; Arte
de correspondencia commercial, 1 vol.; Guarda-livros
moderno, com supplemento, contendo,principios de
economa e direito mercantil; Tbeoria da contabilida-
de commercial e escripturacio mercantil, por diversos
autores modernos.
b Vende-se a Vida de S. Francisco Xavier, i v. ,
10/rs. ; dita de Fr. Bar tho lomeo do) Harlyres 2 v(f
5* n ; Horas da semana santa, cum eslampas 2#
rs. : oa travessa da Medre de-Dos', n. 9.
Vendem-se adragonas ricas, ohctgadag do Rio-
de-Jaoeiro ; apparelbus para barretina ; galfies de
ouro : na ra da Cadeia loja de miudazas, n. 9.
V ende-se farinba da Ierra a 3200 rs a saces ,
e medida o alqoeire rato, a 3500 rs. ; na roa do Ran-
gel n 26.
= Vende-se por preco razoavel para fechar coo-
las Chsropagne ; vinbo de Lisboa em barril pe-
queos de urna qualidade muito superior ; vinbo de
Bucellaa e Bordeaus, tanto em barra como engarrafa-
do ; muito boa cervejs branca e preta ; rap rolfo;
paoollaa de ferro de 3 pe; ps de ferro ; urna machi-
os para copiar cartas, com os livros competentes, re-
cibida ltimamente : na roa do Trapiche-Novo n.
16 escriplono de Frederico Robilliard.
- Vendem-se duas mesas novss de Jacaranda por
preco commodo ; na ra da Senzalla-Velba, armize
n. 144.
Vendem-se sacos de milbo; na roa da Cadeia
do Recife, n. 8.
= Vendem-se ossaes de pomboi, s 640 ,800 e 18
rs., e burrachos, a 240 rs.; no pateo de S. Pedro ,
n 3.
= Vendem se 4 escravas mocas, de boas figuras,
cosem engommioe connhio; 4 dilaa bou quitan-
deiras ; 3 pardas mocas, de boaa figuras, Urna tem
boai habilidades para mucama de urna caa ; 6 escra-
vos bons para o trabalho de campo e da praca ; um dito
ollicial de pedreiro ; um mulalinbo de 16 annos ,
bom para pagem : na ra do Crespo n. 10, primei-
ro andar.
Vende-se boje smente, at ll horas sarea-
parrilba muito nova ebegada prozimamente do Pa-
ra : no armazem de Fernando Jos Braguez ao p do
arco da Conoecio.
Vendem-se pentei de tartaruga da moda ater-
ios e lisos, e de marrafas a 1000 14(0 1600
2000 ri ; faz-se quaiquer obra desle genero tanto
nova como de concert : na loja de tartarogueiro no
paleo do Carmo do sobradoda esquina, que volta
para a ra dai Trincheiras n. 2.
= No depoiito de assucar e de caf moido oo At-
terro-da-Boa-Vista defronte do Sr. desembar'gador
Serqueira Lima, vende-se assucar de todas as qualida-
des refinado a 110 e 100 rs. a libra ; dito branco ,
a 80. 90e 100 rs. a libra ; dito candi a 320 rs ; ca-
f moido, a 160 rs. e tambem si arroba!.
Quem quizer comprar ou
arrendar a propriedade da Casa
Caiada, no Hio-Doce, falle com,o
seu proprietario Jos Francisco
Belm.
= Veode-se ptimo vinbo de Bordea uz emquar-
lolas e superior Champagne ltimamente chegado :
em cass de Avrial Irmios, na ra da Cruz, n. 20.
Vende-se um preto, de idade de 35 annos bom
capoeiro ; na ra da Conceicio do Recile loja de fa-
zendas n. 57.
- Na ra Augusta n. 34 vendem-ie canes de
rolai brincas, hamburguesa!.
= No armazem de Das Ferreira defronte da il-
fandega vende-se espermacete da 6 em libra, ameri-
cano chegado ltimamente por preco raroavel.
Escravos Fgidos
Fugio o preto crioulo Izidoro alfaiate e bo-
lieiro ; loi escravo do Esm. bario de llamarac ; he
muito conbecido nesta cidade : quem o levar a roa ala
Senzalla-Velba o. 410 receberi de seu senbor ,
Alves Vianna, generosa gratificacio.
No da 13 do corrente fugio um pardinho de no- .
me Jos, de dsde de 8a 10 annoi, da cidade de Olin-
da o qual perlence ao estudanle Jos Prospero que
reside oo convento do Carmo da mesma cidade, e o
lendo mandado fra a receber um livro de geometra ,
depon dis'.o.nio voltou osis e foi visto ns compaobia
de um preto na entrada da Boa-Vista ; be claro olhos
rindes bracos finos : quem o pegar, leve a ra Di-
reita o. 119. ao ajudaote Antonio Luiz de -Souzs ,
que gratificar.
PBBM. ; NATYP DE M. F. DI rARU l845.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EJN78EORW_YD82NN INGEST_TIME 2013-04-13T00:33:18Z PACKAGE AA00011611_05917
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES