Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:05911


This item is only available as the following downloads:


Full Text
A mo de 1848.
:
i
Segunda feira 10
m
O DIARIO publica-se todos os da* qne
nao forem de guarda: o preco da asigna-
tura he de 4/rs. por quartel pagos adianto-
dni. O* annunclos dos asslgnantes sao infe-
ridos a rato de 20 res por linha, 40 rs. em
tvpo difieren te, e as repetic 5es pela metade.
s que nio forem aasignantes pagao 80 rs.
por Irnha, e 160 era typo differente.

PHASES DA LDA NO MEZ DE NOVEMBRO.
Crescente 6 as 3 h. e 55 minutos da tard.
I,ua cheia a 13.as 10 hor. e 35 ruin, da tard.
Mengoante a 22 as 2 hor. e 6 m. da tarde.
Iua nova a 29 as 9 h. e 22 min. da manilla.
PARTIDAS DOS CORREIOS.
Coianna. Parahyba, e Rio Crande do Norte
Segundas c Sextas felras.
Cabo, Serinhaem, Rio Formoio, Porto Cal-
vo, e Macey, no 1. 11 e 21 de cada raes.
Garanhuns e Monito a 10 e 24.
Boa-Vista e Flores a 13 e28.
Victoria as Quintas felras.
Olinda todos ot dias.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira a 1 h. e 18 min. da tarde.
Segnnda a 1 b. e 42 minutos da manhaa.
de IVvembro.
Atin Xg-lf.-981.
_______.. 11 iii .....
' DAS DA SEMANA.
10 Segunda S. Ninfa imwA h dos orph.
e do J. do C. da iMB. do J.
11 TercaS. Martinhoaurl'floJajIociv.dal.
v., e do J. de pai do 2.dis t. de I.
12 Quarta S. Diogo, aud do J. do civ. da
2.' v., c do J. de pai do i." dist. de t.
13 Quinta S. Eugenio, aud. do J.' de orph.
e do J.M. da 1. v.
14 Sexta S. Jucundo, aud. do J. do civ. da
1. v., edo J. depat do 1. dlst. de tard.
15 SabbadoS. Alberto, aud. do J.do civ. da
I.* v., e do J. de pai do 1. dist. de tarde.
16 Domingo S. Gonjalo.
CAMBIOS NO DA 8 DE NOVEMBRO.
Cambio sobre Londres. 27 d. p.1i a 60 d.
Parii 355 ris por franco.
.Lisboa 120 a I25p.c.pr.p. m.
Desc. de Jet. de boas Armas 1 '/ p. / mea
Ouro Oncas hespanholas 3I#000 a 31^300
Moedadn 6/400 vel. I7#000 a 17/200
\ de 6/400 nov. 16/500 a l?fW0
e 4/000 S&000 ?/200
Praa-Pataces .... '/> \(
. Pesos Columnares. 1/920 a I#94
. Ditos Mexicanos 1/000 a 1/9*0
. Pratamiuda. l/TJ* 1/7
Acces da C." do Beberibe de 5u000ao par.
DIARIO DE PERKfAMBUCO
PARTE OFKCIlU.
Governo da provincia.
EXPEDIENTE DO DI 5 DO CBRENTE.
Offi"n>A inspector da thesnuraria das rendas pro.
vinrac, declarando, p ir. ser transmitidas ao enoarre-
gsH dos negocien dcste imperio em Lisboa as novas
lellrss, qne S. me. negocinu rom Mondes & Oliveira^
DitaA prciidente da cmara municipal do Olinda,
ordenando, faca enm que o substituto das adeiras de
primeirm lettras da rrper.tiva ridade pasas a reger a do
collegi dos orphSus, era qnanlo durara (cenca, qnnao
sen prnfessnr foi onneodida para tratar desna sade.
Portara Encarregnndo o jnii du dimito da segunda
vari do orine drsta comarca da recepci das lillas do
cidadins, qne nella forem qualiflcndot jurados, e da pre-
sidencia da jnnta reviiAra. Parlicipou-se as cmaras
innnicipaes do Recifo, Olinda e Iguarass, ao chefe do
polica, aojnt do dirrilo interino da primeira vara do
crime e n enearrrgadn.
DitaDemiltindo o bacharel Jos Francisco Percirn
Vianna do lugar de promotor pollino do termo do G.i-
ranhnns.Nomeoii-se para n mencionado lugar ao ba-
charel Lourenco Machado Das, c enmmuninou-se ao
presidente da retacan, ao inspector da ihesouraria da f.
senda, aqjnis de direito do crime can municipa'. de Ga-
ranhuns, respcoliva cmara, ao dcmittiilo, e ao no-
meado.
Din Removendo para o 8." batnlhUo da guarda na-
cieual dcsle municipio o instructor do >., major Fran-
cisco Jos de Meneies Amorim. Norhenu-se para ini-
irui'tor do &. batiilhao ao alferes da terecira cIjiio do
ejercito Joaqun Jos Pon-ira Vianna, e participoii sr
ao inspector da thesnuraria da faienda e no cumman-
ilnnto superior da guarda nacional do Hccfe.
EXTERIOR.
conros.
ESTADO-ORIENTAL.
A esquadrilha oriental sorprendeo a villa do
Cualeguaychu, no Uruguay, cahindo em seu poder o
commandante da guarnieflo, algum armamento, ca-
valhada, e toda a tropa que guarneca aquello ponto.
O governo oriental ordenou, que so dsse despacho
todas as embarcaces neutras, que o pedissem, pa-
ra os portos de Soriano e Paisand, no Uruguay.
De Buenos-Ayres ha noticias ate o dia 4 do corren-
te. Nada haviaOccorrido (|e novo. As esquadras blo-
queadoras tinnTO delido muJros vasos menores do
Paran, eyja costa de Buenos-Ayres, com carga de
(jornal do Commercio.)
ALLEMANHA.
O burgo, 30 de agosto.
Sua Mageilade a rainba Victoria e o duque deCo-
boigo assiitirio a urna magnifica Testa de arcabuzeiros
que se celebrou em Golba; e a rainba loi quem gaobou
o premio por substituidlo. Hecostume, qusndo o du
que e os seui hospedes assistem a esta Testa, tomarem
parte as experiencias, tro virtude das quaea se bao de
conceder o premios; e urna vet que nio posiio aisistir,
elegerem um camplo que os substlua. A' vista disto a
riioba de Inglaterra elegeo por leu campeio o capilio
dos arcabuzeiros, que era um rico negociante de Go-
tlia. Foi este quecravou urna bala na pequea corda
deseobadi do centro do alvo, e ganbou por tanto o pri-
meiro premio, que se spretsou a a presentar rainba.
Coojistia o premio n'uma taca de ouro ricamente lavra-
da, a qual agradou tanto rainlre, quo quiz leva -li
cqMigo para a Inglaterra, como recordado da sua via-
gonA Allemsnbs. Em recompensa lez outro presente
ao leu feliz campeio.
No dia seguinle oflereceo o duque rainha o eipec-
taeulf de urna grande cacada de gamos. Fex-se urna ba-
tida Jera I, e grande, numero dellea loi enxotado para
um pequeo pavilbio improvisado,onde se achsva a rai-
nba. Os gamos, scossados por loda a parte, procuratio
romper a barreirs formada pela lioba dos oscadores,
nesta lucia Torio muitoe mortoi, e oulros feridoi conse-
guirlo Tugir para o bosque.
O duque doCoburgo, que conbece a paixuo verda-
deramente inlanlil de sm ora pelos fogos artificiaes,
Ibeoflereceo todas (i uoutes urna diverso deste gene-
ro. (Gaxttte Alltmande.)
SAXOMA.
Leypiick, 26 de agoito. .
O governo acaba do dirigir a todos o governadoret
de diitricto a circular seguinle :
< Cooptando no "ministerio dos negocios do reino,
que recentemeote se teem formado em varios pontos do
paii associaedes de cidadios, em que devito tomar par-
te, nio srmente o moradores das localidades ende ellas
se acbio estabelecidas, mas lamben) outras omitas pes-
ios; e outro sim que teem btvido varias reunideipopu-
lares, rtas quses se proloriro discursos sobre materias
religiosas, e do fim da discuuio se tomarlo delibera-
95ei be dose deer dirigir-so a todos os governadores
dos districtos, poodo em vigor a resolucio ltimamente
lomada pela dieta.
Prohibe-senos estados da con Tederaeao loda a as-
oeiacio, que tenba um fim poltico, ou que debaiio de
outro qualquer nome occulle fins polticos; e os seus
fundadores serio castigados com todo o rigor das h-is.
Tambero nio podero celebrar-se em nenhuin dos esta-
dos da confederarlo ai reuoides extraordinaria do po-
vo, nem fazer algum ajuntamento popular, lera a previa
sutorisaclo dos magistrados competentes; e naquellas
rMoidiit, que Torem autorisadas, jmaii poderi profe-
rir-se nenbum discurso poltico. Os miradores serio
severamente castigados, e principalmente todo aquolle
que, abusando de semelhantei reunidrs, ousar propdr
eellas quaesquer mensagens ou representac5ei
Em comequencia do que se ordena sos governado
res dos districtos, que tratem de dar aosseui funeciona-
rios encarregados da polica as inslrucees necesiarias,
para que bajo de er impedidas para o futuro seme
Iharrtei reunidos, fazendo constar is pessoas.que so hou-
verem collocad i Trente deltas, assim como aos donos
das casas onde ellas se celebraren), as penas em que in-
correm. No caso de infraccio, a autoridsde dever o-
brar com energa, e dar conta immediatamente ao go-
vernador do diitricto. (Gaxelte de L$ip\itle.)
(Diario do Governo.)
INTERIOR.
, RIO-DE-JANEIRO.
Sentimos extrema satisfacSo em annunciar, que
SS. MM. II. chegrSo provincia deSanta-Cathanna
m 11 do corrente ;outubro), pelas horas da tarde,
com 5 dias de feliz viagem.
Pelas 10 horas da mantilla do dia 12, depois de te
rem onvido missa, passrSo SS. MM. para bordo d<
vapor Imperatrix, no qual seguirSo para o porto da
cidade do Desterro; e ahi sendo, descerno para urna
galeota, e desembarcrSo defronte da praca, na pon-
te da Alfandega, onde forSo recebdos com as cero
momas devidas sua alta jerarchia ao amor que
lhes tributlo os Brasileiros.
SS MM. II., usando anda urna vez da sua reconhe
cida liberalidade, mandrio distribuir multas esmo-
las pelas elasses necessiladas ; fazendo-se notavel a
de 10:000/000 por parte de S. M. o Imperador, e a da-
diva de 1:2008000 pela de S. M. a Imperatriz, para as
obras da casa de caridade daquella cidade.
SS. MM. tencioniio seguir para o Uio-Grande de-
pois do dia 20 do corrente, tendo visitado os lugares
mais notavois da provincia. ^
O primeiro navio de vela da esquadrilha ro o (re-
can ; depbis a Raritan ; em terceiro lugar a Euter-
pe; eemquarto a fragata Constitwto, em que 13o
SS. MM. A Raritan em gaveas, com a gata ora atra-
vessada, ora arreada, andava tanto como a Constitu-
fdo em velas mestras, cutellos e varredoras Dir.em
os entendidos na materia (accrescenta urna carta
d'alli), que ao mo estado do fundo da fragata deve-
se isso attribuir.
__Por decreto de 29 de setembro foi nomeado che-
fe de polica da provincia das Alagoas o bacharel
JoSo Paulo de Miranda, Picando sem effeito o decreto
de 20 do mesmo mez, que o remova do lugar de juiz
de direito da comarca do Natal, capital da provincia
do Rio-Grande-do-Norte, para o de juiz do direito da
comarca do Penedo, na sobredita provincia das A-
lagoasi
O supremo tribunal de justica reconheceoqueo
desembargador Agostinho Marques Perdigiio Malhei-
ros he agora o primeiro em antiguidade para succe-
der na vaga que possa haver no mesmo tribunal.
Na barca franceza-Ankeber, entrada nesto porto
em o dia 18 do corrente (outubro), vierio de passa-
gem o ex-encarregado de negocios do impeno ero
Turim, oSr. Antonio Jos Cu perlino do Amaral, eo
secretario da legaco em l'ariz, o Sr. Dr.Sebastiflo
Riberro de Almda, que teve licenca para tratar de
sua saude. _.
Seguio hontem (19 de outubro ) para o Rio-
Grande-do-Sul, no paquete de vapor Todos-os-Santos,
o Sr. concelheiro Candido Baptista de Oliveira. Pa-
rece, que S. Exc. tem esperanzas de succeder ao Sr.
conde de Casias na presidencia da provincia.
O batalliHo de artilharia, que tantas vezes tem tido
ordem e contra-ordem de embarque, recebeo hoje
(16deoutubro)intimacaoparaestarnoquartel,prom-
pto para seguir para Pernambuco !
Est annunciado um paquete de vapor para o
Rio-Grande e Santa-Catharina, no da 19 do cor-
rente outubro). ...
O Sr. hrigadeiro Francisco Sergio de Oliveira
foi nomeado commandante da Iba de Fernando, pa-
ra onde vai partir inmediatamente, por ordem do
governo. ,. ,
Foi removido o bacharel JoSo Manoel Lopos de
Carvalho Pimentcl de juiz municipal e de orphaos da
imperial villa do Tocano e Pombal, para o termo de
S. Jos-do-Norte, na provincia do Rio-Grande-do-
Sul- ... A
O bacharel Jos Ignacio Babia fot nomeado para
logar de juiz municipal e de orphaos, no termo de
Nazareth, na provincia da Bahia.
Mais remoces Da comarca de Santa-cruz,
na provincia de Goyaz, paca a de Piracatu, na pro-
ncia de Minas-Geraes, o juiz de.,direito Theodosio
Janoel Soares de Souza : oda comarca de Piracatu
para a da Franca, na provincia de S. Paulo, o juiz
de direito Jos Bernardo de Loyola.
Recebemos a Gaceta-Mercantil de Buenos-Ayres
at 6 do corrente. A manifestacSo unnime da ca-
pital do imperio contra o vandalismo da Inglaterra e
da Franca as agoasdo Prata, causou all extraordi-
naria sensaco, e mais reanimou o espirito dos he-
roicos Argentinos, decididos antes a morrer mit ve-
zes do que consentir no vilipendio de sua patria. A
Sentinetla, em nome da imprensa brasilcira consti-
tucional opposicionistaagradece ao illustre redac-
tor da Gaceta-Mercantil o juizo que della faz, e as ob-
sequiosas expreaaOes que lhe dirige.
Entrou hontem (26 de outubro; neste porto, vin-
da de Santa-Catharina, a fragata americana /tentn.
que d'alli sabio no dia 20. SS. MM. II. continuav5o a
passar bem, e tencionavSo partir para o Rio-Grande
no dia 25. ..'..
Finalmente, I sabio hoje (27 de outubro: pata
Pernambuco a corveta Carioca, em quo vai o 1." ba-
talhfo de artilharia. Diz o Mercantil, que a corveta
tocar na Bahia. .
O Sr. Manoel AntonioGsIvo foi nomeado plenipo-
tenciario, por parte do Brasil, para entenderse com o
Sr. Hamilton. miniltro de Inglaterra nesta corte, sobre
a possibilidade de ebegar-se a um accordo na negocia-
do, para que este esta autoriado, de urna convenci
cerca da suppressio do trafico de oscravatura. Deo
lhe ponha a virtude.
__ Por decretos de 20 de setembro, lorio removidos
o juiesde direito Joio Quirino Rodrigues da Silva,
da comarca de Penedo, nsi Alagas. para a vara cri-
minal da de Garanhuns, em Pernambuco; Firmino An-
tonio de Souza, da referida vara para a comarca da ca-
pital da Parabiba do Norte; Lourenco Jos da Silva San-
tiago, da dita capital para a comarca do Alto Amazo-
nas, 'no Para; Joio Jos Ferreira da Costa, desta co
marca para a de Macapi; Jos Joaquim Pimenta de Ma-
galhies, desta para a de Santarem; e Claudio Manoel
de Caitro, de ebefe de polica da proviocia di Alagoas
para juiz de direito da comarca do Natal, o ebefe de po-
lica da provincia do Rio-Grande-do-Norte. ^
Forio tambera removidos os hachareis Pedro de Al-
cantara Cerqueira Leite, da vara civel de Oeirai, na
provincia do Piauhy. para juir de direito da comarca do
Parahybuna, em Minas-Geraei; e Firmino Hodrigues
Silva, deite tugar psra o da comarca do Norte, na pro-
vincia de Santa Catharina.
Alm da arbitrariedade do governo para com o
Sr. Ignacio Manoel Ale de Azevedo, de que j demos
noticia, forio mais declarados vagos os lugares de juiz
de direito da 1." vara criminal da capital do Para, para
que fc-ra nomeado o Sr. Alexandre Joaquim de Siqueira.
e de uz de direito da comarca do Pincipe-Imporial
no Piauhy, que nio havia tirado a respectiva carta o
Sr. Matheo Casado do Arau|o Lima Arnaud Pdra a
quelle piimoiro lugsr foi removido di comarca do San
taremoSr. ReymundoJos de Lima; e para esteno
meou o governo ao juiz municipal do termo de Naza-
retb.da provincia da Dabia, Andr Conino Pinto Chi-
chorro da Gama.
(Sent. da Monarcha.)
Sua Snntidade, querendo dar urna nrova de be-
nevolencia ao Sr. vigario da freguczia deSanta-An-
na, desta corle, que foi RomaJormar-se em theo-
logia, fez-lhe a graca de concedcr-lho o corpo de S.
Precilrana, virgem martyr de 16 anuos, para ser col-
locado no. altur-mr da sua freguezia; e nomca-lo
monsenhor e camarista secreto.
Consta-nos que o governo imperial dirigir ao
Sr. Hamilton. enviado extraordinario o ministro ple-
nipotenciario de S. M. B. nesta corte, um protesto
contra o bil, que subjeita os navios brasileiros, sus-
pcitos de empregar-se no trafico de escravos, ao ju|-
gamento dostribunaes do almirantado e vice-almi-
rantado inglezes. .
(Jornal do Commercio.)
RIO-CRANDK-DO-SIX.
PORTO-ALECriE, 1." DE OITL'BRO DE 1845.
Estamos aqu cm grandes preparativos para a rc.-
cepcao do Imperador, com cuja vinda ningueiri eon-
tava. Km viagem desta cidade para a do Rio-Gran-
de, encontrou-se o conde de Caxias, na laga dos
Patos, com o hiate que conduza a bagagem da casa
imperial, e pelo qual teve a noticia; de maneira
qu iiflop/oseguio : d'aquelle mesmo lugar mandn
virar de bordo abarca, emque i, eaqm se acha ;
devendo voltar para o Rio-Grando no da 4, para all
esperar SS. MM. O conde regressou a esta cidade
para promover e dar impulso aos festejos, que se dc-
vein fazer; e obrou bem, pois, so nSo voltasse, na-
da se faria, porque o povo est cansado com os pre-
liuizos, que a guerra lhe trouxe. lima subscripQno,
ara a qual assignou o conde com 2:000#900, ja mon-
" boje a 20:000>00 rs. As festas consistiraO em ar-
cos, luminarias, cavalhadas, theatro, carreras e
exercicio com as tropas; c para isso se lara urna-
campamento de campanha na capella de ViamSo,
distante desta cidade 4 legoas ; all ira o Imperador
fazer ideia do que he um acampamento, ci das evo-
lucflesde campanha. Nadasecolligeda intencfodo
Imperador em c vir ; pessoas dessa corte clizem,
luc S. M. vem ouvr a opiniao do conde a cerca da
uerra com o Estado-Oriental; que, nSo se decidm-
do nada a este respeito no concelho de estado, que-
ra elle Imperador por si conhecer o espirito desta
provincia a semelhanto respeito; outras pessoas
mandrilo porm dizer-, que em sua volta ira o con-
de acompanhal-o, tocarregando-seda pasta da guor-
i; mas esta edieafjnflo se verificara, em quanto a
iim, muito princifjflinente com os elementos, que
ministerio hoje mn.
{Senlmclla da Monarchta.)
BAHA.
Por urna carta de aulor fidedigno dirigida pessoa
e nossa privanca sabemos, que n'uma deltas noutes
isssadas um bando de faciooroios leve a inlernsl lom
ranea de iocendier um grupi de casas e bsrracas, para
o meio Ja confuiio e coosteraacio, augmentada! pe-
is ferezas.que praticavio com os habitantes, poder mais
o sua vonlade dar um saquo geral. Por cumulo de des-
raca bouve de pegar fogo a urna porcio de plvora em
U'hs, as quaes urna aps outra-iplodiodo levsvio o es-
trago para toda asparte. Anda por 26 o numero dai ca-
sas, qur totslmente quintadas, qur arruinada!, e aw -
lia-se em t50 contoi o prejuio em fazendat consumi-
dai pelo ligo Alguraas pesiois, cujoi nomei nada (a-
zem so caso, se achio rediida! nudo e miseria Ga-
lalmento fallando, veem estas noticias grandemente ra-
bater o brilhantismo dos negocios da Chapada, brillo
por demais exaggerado, e com que nunca nos oflusoa-
mo!.
Algumai das pessoas, que ultimsmegte subirlo com
bastante cabedal.andavio pouco contentea e psreciio ra-
lolvidas a quanto antes tornar a descer.
A principiante cheia do rio difBcultava, se de todo
nio empeca a exlraccSo dos diamantes.
Amanbia daremos mais alguna pormenores, lato ha,
te nio formo! anteeipados por outrot melhor infoc-
m idos.
(Comi Mercantil.)
CEARA.
MAIS DMA VICTORIA DO PDRHAL !
Em balde temos constante e efflcaimeole erguido
noiiai voies contra eisa infinita lerie de borrivei anor-
tes, comrfiettidas ltimamente na provincia com ama
desenvoltura, e ferooidade nuncaTviitas ; em balde to-
moi chamado a alinelo e solicitude do governo para
ponto tio eisencial da mola governativa, segoranca e
garanta de vida; em balde temos lembrado a activado
a polica no cumprimento dos wui deveres ; em balda
temos convidado o ergios da impreasa dessa opiniio
boje dominante, para reprovarem, a estigmatiiarem
laes gentileas; em balde temos mostrado que desie
tenivel syslema pode nascer urna fermenUplo de odios,
cujas consequenciaisio difficeis de prever.aa; em balde
temos procurado convencer que essas niquidadei, nada
honrando a politice, sio sobre maneira ofTensivas da
humanidade, moral, e religo ; ero balde temos lei-
to palentear que ass>< plano subversivo e feo be o ma-
nos asado para Tazer punir aa opinides porque a per-
seguicio em religiio como em polilica em tez de di-
minuir augmenta proslitos; em balde temo dado om
exemplo do prudencia, moderecio. e re.sgnario quasi
evBiigelica.actn que da nossa parle tenh pparocido
represalia aluuma a tantos escessos, loucuras, desa-
tinos; em balde temos supplicado, que se conlenteni
com se nos baver extorquido a livre manifestacio de
nasias conviccGes as urnas, e privacio de outras rega-
las e foros, dos quaes constantemente bao sido .sim-
ulados os miseros opposicionistas, que constiluem ex-
traordinaria miioria na provincia ; em balde temos
invocado o nomo augusto do Monarcba, que nio po-
dendo approvar que assim se trate urna porfi dos seus
fieise melhores subditos, nio doix do ler atraicosdo
pelo seu agente, que tem com aua adnvnitraeio
miocnmenle tereactra,e>xtralegal reiundo-noa sor-
te de salvagens. tanto importa o estado de barbariimo
em quo nos achamo ; nio be poisivel que cesiem ai
viotimas a cada instante, a cada minuto, a cada hora,
e i cada dia finalmente inmoladas e lubjeitei 4 forom
irrteistivel do punhal, e bacamarle !!!
E porque nio ha de isto acontecer, qusndo da parte
do governo e seus principaei agentes nio vemos par-
tir providencias que ponbio termo a eisa enfiada da
horroros i attentados, de que tem sido tbeatro esta
infeliz provincia ? Se S. Exc. tivesse demiltidoanu-
toridades.que tiverio o arrojo de proceisar as duu pri-
meiraj da comarca Je Sobral, e que mandarlo espan-
car publicamente o escrivlo do jury, nio seriamos de
ver ellas prem na ra os maiores criminosos, como
aconieceo na leisio ultima dos jurados, que alli teve
ugar : se igual providencia Tosi tomada para com o
que mandarlo matar os deputados proviociaes Miguel
Xavier, o Goveia, que em .Maria-Pereira desairo m
IS dias fizerij 13 morios, que nesla cidade enviira pa-
ra melhor vida o infeliz Labatut. nio haviamo* da la-
mentar a deastrosa sorle do noiso desventurado amigo
Joaquim Jos Pereira, do Cascsvel e os autores dessa
escandaloso homicidio nio continuassem a dispor das
honras, oemprexos, nio se atreveriio de tentar nova a
igual scen no municipio le S. Bernardo,nem tio pla-
co ousarilo passear alli impunemente, procurando pflr
em liberdadee sicario,que armarlo para roubar a oiis-
Unciu de honestos e pacficos cidadios; nio introdu-
tinloa consternacioe o terror nasociedade que dirigen;
finalmente nio lamentaramos tantas vctimas sacrifi-
cadas ao punhal, e bacamarle, como a do que faz men-
ea o a caria que abaixo transcrevemos.
Jranefy, 19 de outubro de 1845 No dia 9 do cor-
rente, junto da povoacio do Gaxoc, indo da sua ca-
sa para outra, JosGrugel do Amaral,fqj brbaramen-
te assassinado com 3 punhnlada,.sendo sangrado com
urna deltas; na noute desle mesmo da foi sus casa
ro.ubada em ludo quanto nella se achava. No dia k-
guinle sppareceo o cadver enterrado na areia dorio ;
nio le sabe ainda do motivo que para isto bouve : este
nosio infeliz amigo e correligionario era pessoa de mui-
la probidsde.e de boa lamilia.filbo de JosGrugel d'aa-
la cidada e casado na casa mais rica daquelle lo-
gar : vi mais este para a Fidelidade dsr expando a
seui bem aventurados oraVnMi! Parece urna talalida-
de, as victimas so sabem do lado da opoosaclo I
F4CTOS HOaROlOSOS.
O ma'nicipio da Granja, frtil sempre aa acontuc*-
mentoa extraordinario, como o que deo luga* a ida do


II......
-
Ii ;|j Jo pilicit em 42, acaba do pastar agora por
aceas luctuosissimas, e que de vei em quando costu-
mio apparecer oeste mundo para mostrar a fragilidade
humana Um pai matando aeu filbo, e este ao proprio
pal !! Oh niL'u Dos como referir tio lamentareis ca-
tastulres, sem que nao se oitremeca a natureza horro-
risa la oflerecendo taes templos ?'.'. Lia o caso. No dia
3 do correte Joio Alves Passos, com 2sequ*zi; diri-
ge-te a casa de um (i I lio do mesmo n >me, e apenas o
avista deapara- Ihe um tiro. Ferido mortal mente o
rapar, pode, anda que mal, fazeruso de urna davina
que tinba entre mios, e, descargando a sobre o pai,
ferio-lbo levemente : ette detgrscado ente niotalisfei-
to com o brbaro acto quo tinha posto em scena.epeia-
se do cavado, e lancando-ae sobre o ftlho, cometa a es-
bordua-lo com a arma que trazia, querendo dest'arte
por termo a existencia j precaria do infeliz ; etteem
situadlo tio melanclica I'inbra se de urna laca quo
tinha no quarto, e empregando-a no pai (ohmeu
Dos I ) vio-o immediatamente expirar nos seus bra-
501 !! os lequires, assim que virio o (im desastroso de
seu patra5, poserSo-se em lusa : pasudos 2 dias, fallo-
ceo o filho. E qual a causa de accio tio rara nos an-
naes dos delictos que mais degradio a especio humana ?
Oh nom be bom fallar-se nisto : a tentativa de um cri
ino horrivel trouxe a perpotruc,io de dous ainda mais...
" 1 ha qualilicuc.il> para taos.... a protec(ao dada e
urna infeliz icuii que nSo so quiz subjcitar a brutalida
do do seu... dao lugar.. .nio podemos mais continu-
ar !!!
(Peiroll.)
*3fc
MaRANHO.
triste f.st \o de c \xi vs.
Depois das celebrrimas elei(Oos de camnras e juizes
de paz, (citas 6 ponta de baioneta, est es9a misera ci-
dadesubjeila a urna especie de rgimen de terror, man-
tido pela inlernul tripeca, cujo membro mais saliente ho
o delegado de policia, ou nababo Furtado. Desde o da
20 do passado (sed'mbro quo anda all tudo em reho-
lico. As estradas teem sido guarnecidas de piquetes, as
rondas dentro da cidado dobradas; passa-se revista nos
cidadSos pacficos logo ao anoutecer, o prendem-s* lo-
dos os que so encontrados com bengalinhas de menos
de urna palegada de dimetro : isto ao passo que diva-
go impunemente, armados do cceles e parnahibas (')
os amigos o agentes dos mandSes. O Riado refere bom
numero de homens honestos ("), que leem sido victi-
mas desta hrutalidade. A tripera finge se atorrada,
para exeicer taos violencias, e inlundir terror na popu -
lacio.
Assim ho que esses entesados triumvirot de mi mnr-
to nio contentes com tercm, pelo emprego da violencia,
tolhido aos desgranados Caxienses a liberdade do voto,
tratlo agora de apoquenta-los e opprimi-los por todas
as monciras ao tea alcance, em desforco da justa c re-
gular opposiciq. que elle* fizerio as o'e cdei. Baixa o
tor| o vinganca, estpida c odi sa tyrannia hees consecuencia da qual asegunda cidade da provincia,
como que se acha redu/iila a dcploravcl condieo de um
pachalik da Turqua Isso nao lie policiar, he abusar
escandalosamente da autoridade e da Torca publicas; he
propriamenle tyranmsar.'I'udo, porm, se s nos cala-
mitosos lempos cm que vivowos. E blasona do liberal o
tal Sr Furtado, quo fat c'e\*5es com atropa, c oppri-
moos cidadnos rom aua polica brutal e iniqua I Hcr,
corlo he o rifio que diz=Se queros ver o vilio mello
!!.r o cargo na mi.
Para que so fique (azendo idel do que be esa ola -
bilidade improvisada, que juntamente com os Srs. Gro
gorioc Bedro Paulo, dicta hoja les em Caxias, trans
creveremos aqu corlo documentozinho, que a d bem a
conhecer. He a celebre nrdem pela qual manda ir a sua
preienfa debaixo dr priso a qualquer pessoa, que vio-
lentar a Iivre vontade dos raanle-. V-se em primeiro
lugar, quo a ordem nio Bssenta em baso alguma, por-
que nom odonunciante mostrou como o denunciado
coag a os eidodios a votarem nesto ou naquolle indiv
do, e nem era impossivel a um simples particular ler a
sua disposi(o os meios neressarios para excrcer tal co-
oicio : vfi-so cm segundo lugar, que ella nao ho mais,
que um miseravel pretelto, um oxpediento criminoso,
para aulorisnr os inspectoies de quarteirao acoogirn
livre vontade dos votantes, porque da parto da autori-
dade he que esli os meios pata exorcrr essa coaccio.
N'um paz bem governado, como Inglaterra, Franca,
ou os Estados Unid s da America, esse irrisorio o des-
pejado firman seria o corpo de delicio do Sr. Furtado;
no Brasil, porm, e sobretudu no triste estado do desgo
vernoemquo nos adiamos, um seinelhanle deilampa-
toiio he urna ordem que so cumpre, e Den o mandan-
te nem o executor della s.Un ni por sso o menor in-
commodo. Abi tcnlcs a famosa peca de architelura o
quo alludimos, e podis por ella avaliar o oosso lio -
mem.
Aqui apparrceo Joaquim Jos da Silva queixando-
se, de que Antonio Soarvs morador no lian.lima,procu-
ra coagir a algumas pessoas desse quarteirSo a votarem
cm cortos individuos, que ello indica, como diz o dito
Joaqun) Jote da Silva ter com elle praticado; e porque
semelhanle procedimiento seja contrario a loi, eu reco-
mend a Vmc. que proc da as necessarias indagaces, e
impeca que qualquer pessoa do seu quarteiro violente
a livre vonlade dos votantes, cquando o faca Vmc. re
mette-los-hadebaixo de prisa, a ininha piesenca. He
lcito a cada um procurai fazor recab{ a eleiciu as pes-
soas, que entender mais habilitadas; porm o nico
iiieio licito he a persuasao : asameagas, violencias, ou
corrupcio to meios criminosos (!.'!!...)- Dos guar-
de u Vmc. Caxias, l.'de setemhrooe 1845 Francisco
Joi Furtado, delegado de polica. Sr. inspector...
(Da lieoista.)
obter eada um o dominio exclusivo de suas delibera
roes, quando nenh'um delles tena numero lulBcienle
para trabalhar independetemenle do outro, o o que
no mollento se acha em minora nio te presta s reu.-
nfles do que enconlra em maioria sent profunda-
mente a necessidale da dar lempo a que os espirito*
sa acalmem, ea que a assembla se conttitua em osla-
do de molhor desempenhsr sua alta missio, e de pro-
duziros bens e melhoramentos, que a provincia recla-
ma, e que ora desesperlo de obter della al seus pro-
priot membros. Usando, por tanto, da attrihuicio, que
Ihe confere a lei de 12 de agosto de 1834 no artigo
24 $2.', ada os trabalhos da mesma essembla para
lempo opportuoo, que no acto da convocarlo ser de-
signado. Palacio do goverao do Para, 11 de selem-
bro de 1845.
JoOo Mara de Moraes.
Do TreU de Mato )
PERNAMBUCO.
JURY DORECIFE.
QUINTA SESSA ORDINARIA.
Presidencia do Sr. doulor Rodrigues Selle.
Dia 7.
(Conclusio.)
/ Antonio da Silva.
Reos i Benedicto da Costa Pereira.
( Luiza Mara Francisca.
Crime Ferimentos na pessoa de Antonio Gomes.
Accusador Francisco Jorges Mendes.
Defensor Bacharel Joaqun Jos da Fonseca.
Os reos forao absulvidot.
DIARIO DR PKRIBOGO.
Nosios lelore acharad m outro lugar o que encon-
tramos de mais notavel nos jornaei.quo recebemos hon-
tem do Norte pelo vapor S. Sebastido.
A presidencia do Coir contina a pesar com seus es-
candaloso iminoralidadcs sobro a desgrasada provincia.
as demais vio indo as coutas em apatliia.
Do Sol Itimmoi igualmente luniein o vapor ,S Ja'
rador. quo (ra milicias dn corle ale 29 de mtiibro, e
que ha de maia iuleres-
d.'i qnae ileixaMe copiado ,,
anule.
Coininuiticado.
m.
A BNFERMIDAIIE DO SR. DOUTOIt GOMES.
A vida desso varao virtuoso, vida quo nio be delle,
seniio da burnaoidado, em cujo servico elle a tein con-
sumido; a vida desse cidado tao chara seus nu-
merosos amigos, e tao precisa em geral aos habitantes
desta cidado, dos quaes urna grande parte nao falla em
seu nomo s-nSo corn reconhecimento, por ler sentido
o elTnilo da sua beneficencia, ou o prodigio da sua cl-
nica ellicaz e podorosa; a vida desso mdico distincto
por sua sciencia e philantrophia, por sua experiencia, e
dudicacao humamdado, em cujo servico elle nSo nlha
para o iuteresse, ou considerares sociaes, o s d pre-
ferencia a gravdado, e ao perigo; essa vida, em que
a liun anidado e a pobraz' lauto ae int ressSo; esta
vid. .. esta em perico, accomettida por urna doenra
grave, e mais grave pelas contingencias fatacs. que po-
dem occorrer : ha 15 dias soflre elle essadoenca, mas
os mdicos que o assistem n'io desespero do urna ter-
minacSo favoravcl : o pois que ho tunta a anciedadeda
populatfto em saber noticias da vida do seu amigo >
beinfeitor desse varAo justo e virtuoso, um dos mdi-
cos mais antigos e habilitados desta provincia nos nos
encarrenamos de satisfazer a essa ancedade dando conta
do que occorrer de novo, e far.emos votos aos ceos, para
que permillao quo a primoira noticia que dermos de-
pois desta seja a da suUacSo d) nosso amigo, para que
em brovo nos possamos congratular com estas numero-
sas familias, lancadas na dr pelo receo da morle do seu
mdico, e bemfeilor.
Por um amigo.
PARA'.
O vice-prelidente da" provincia, tendo com magoa
obserade a desorden) e intoleranri, que reina entre
os membros da assembla provincial, que obslio todos
os leus trahalbos e
inaccSo desd'a sua insiaiacao no dia 15 de agosto o
ximo passadoat boje, pela obstinacSo com que lucillo
conitanlestfWtf ambos os lados, que a dividem, por
Publicayao a pedido.
AO PUBLICO.
Demonslracao dos pagamentos fetos por Manoel de
Soub apeo ao Sr. Nuno Mana do Senas como
consta dos recibos no terso do 22 lettras juntas na pri-
meira demanda, desdo 26.do agosto do 1837 ao 1.'
de dezembro de 1842. quantia do 8:9il#070 rs.; sen
do o principal debito 7:595*660 rs. como da certi-
do aqui transcrita, e juros accrescidos na reforma de
algumas lettras 1:346*070 rs Fiancisco Jos d Re-
g, escrivSo vitalicio do civel desta cidade do Recife, 1
seu termo porS. M. I. eC., que Dos guarde, etc
Certifico, que dos livros presentados por parle do ne-
gociante Nuno Mana de Seixas, dellet consta baver o
supplicanle Manoel de Sou/a Itapozo, desdo que leve
compras, segundo urna conta apreseutada, e que leve
principio em maio do anno do 1837, e nalisou em fe
vereiro de 1841, comprou o relerido Repozo, em cu-
jo lempo ao dito Seixas, a quantia do 7:595660 is ,
quantia esta verificada pelo guarda-livros do mesmo
Sefli*, que deelarou nao baver o suppcaote Itapozo,
depois dell 1, comprado na casa mais cousa alguma: he
o que constava dos ditos livros, a que me reporto, o so-
bre o releiido pelo dito guarda-livros. Recifo, 25 di
oulubro do 1845. Escn vi e assignoi rmfdeverda-
do Francisco Jus do llego. N 15 rs. 160 p. g.
cento e sessenta rs. do sello Rccile, 27 de oulubro de
1845. sssumpcdo.Carvalho. E ainda o Sr. Sei-
xas fez areslo em todos os bens do abaixo assignado, em
9defevereiro de 1843, que n'essa poca monlavsS
mais do 40 contos deris, inliluUndo-so credor da
quantia de 7:252*450 rs.. e dhMo otta intitulada c
se nascido semelhanle debito I .' I e nem 11 lettras
laucadas na poca do acceito !! e nem lancsdas na
poca, que diste as endossou para ai rehater por precisar
de dinbeiro mas forao adiadas lancada na poca
los vencimentos, com a declararlo deterem pagas pelo
Sr, Seixis as pessoas, de quem diste tinha receido b
dinbeiro: iito mesmo confirma o depoimento dessas
mesmas pessoas, qoaserviro do tostemunha* nos pro-
eessos, e que deposero a verdide, isto be o motivo de
semelhantes acceites. Alm disto foi provado com tette-
munba visinhii do abaixo atiignado.e mais pessois.em
como niquelli poca doaccaile d'eisu lettras demin-
dadas, o'abaixo assignado tinba totalmente deixado de
comprar mercadorias para ogyrodeteu negooio, como
era notorio, pois que era negocio publico, e bija vista
aos credores do abaixo assignado, que nao deixarad de
diier a verdide : o livro diario he o quo o cdigo com-
mercial portuguet qualificounoste artigo 219:Todo o
commerciantedeve ter necessariamento um diario, isto
he um registo com todos os seguintes requisitos; que a
presente, dia por dia, porordem de data, sem lacunat,
entrelinhas, ou transportes para a margem, as suas di-
vidas activa*, ou passivas, as suas operaedes mercantis,
as suas negociacOes, acceites, ou endostos de lel'ras, ou
cieditos negociaveis, ai suas convenQoes; e em geni
ludo o que recebe, ou paga, seja qualquer que for o
titulo, etc. Ora, que presumpcio gota est livro diario,
que Ihe fallavao os principaei requititos d'onde tivetse
nucido o debito? pois ninguem he devedor a outro em
quanto nao recebe os objectotdeque se constituir deve-
dor (salvo em caso de perd,e de riico) ord. I. 4.', titulo
8.a, 4. Alm disto, que se presume biveodo o abii-
xo assignado contrabido debito, durante o espaco de 4
annos, com o Sr. Seixas na quantia de 7:595*660 rs., e
pagando durante o espaco de 5 annos ao Sr. Seixai a
iiuantiade8:941*070rs.,eainda sendo demandado pe-
la quantia de 7:252*450 rs? Em fim de lices tem
grandes, be um nunca acabar. Depois de le a irrazoar
afimil na primeira demanda, fez-se a primeira cooclu-
sio em 25 de juneiro de 184! e j se teem feito oito
conclusSet 1 diferentes jui/es, e ainda esli por jul-
gar! !! nio sei so Ibe aehio algum nio sei que ; se
porm algum juit for frouxo em seu julgsmento, o que
nio be de esperar, temos o resurto da relacio em sua
recta juslica, devido i alta e sublime ssbedona de S. M
I. e C. pela acertada nomeacio de tio dignissimos
Srs. desembargadores, que, julgando segundo o direi-
to e juslica, sem distineco de alguma dignidade, e nio
se corrompendo por afleicio, teem seguido a brilbante
carreira judicial, ele ; baja vista a demanda do Sr.con-
de de Farrobo com a Sra. D. Laurianna, e a demanda
de um Ext. senador do imperio com o abaixo assig-
nado. A verdade be cxa, custa muito a ebegar, mas
quando apparece he com a mentira enforquilhada. O
mal est feito, e nio ha remedio a dar-se-lhe, e nem
com a lei seguinte, o leva ao seu anligo citado :
Ord. liv. 3.", titulo 36. Do que demanda oquejem
si tem, palavras, so alguma pessoa for obrigada a outra
em alguma divida, e Ihe pagou toda, ou parte della,
eoque a rocebeo demandar outra vez o que tem j
recebido, e Ibo lor provado, soja o autor condemnado,
que torno ao reo em dobio, tudo o que j delle tinba
recebido, com as custas em dobro ; ou se Ihe ainda be
devedor em alguma psrle da divida, descoote-se-lbe
della o dito dobro, so aquillo que Ibe ainda dever pa-
ra isso bastar; e nio bastando, pague-lbo o autor por
seus liens; porm, so o autor, antosda li lo contestada,
so quizer descer do que a si pedia, quejem si tinha,
nule 1 ci Ii 1 larer sem pena alguma, smenle pagar
as custas om dobro parte, que Ibo fet l.-zer, at te des-
cer da demanda, 1.' E posto que no fim de tua ac-
i,:m, ou petitorio do libullo, depois declarar a cousa
certa, quo pede, protesto, ou diga, que levar em con-
ta tudo o que o reo mostrar, que tem pago, mandamos
que a tal clausula, ou prolostacio o nao posta escusar
la dila pena do dobro e custat, so te acbar que na
|uanlidade certa, que deelarou pedia, o que em si ti-
n a, etc.
E quem ha de restituir o crdito a quem o tirou,
e quem ha do restituir o lempo a quem perde o lem-
po que havia misler ? Ob lempo tio precioso, e
to perdido I Dilata o julgador os seut despachos, e
as lagrimas dos orphios, a pobreza dos arstados, por
seus pais esli privados dos seus direitos. mem mas
vivem como A dilacao tem dous males; o desen-
gao sem dilario be um mal temperado com bem; por-
que se nio dais o quo peco, ao menos livrai-n.e do
que padeco; livrai-me da tuspensio; livrai me do cui-
dado e do engao, etc. Recife, 8 de noeembro de IA45.
Manoel de Soma Itapozo.
esta lemma, e ai vendas teem regulado de
16*500i 17*500 rs. a barrica.
Dita de mandioca Teem entrado alguna carregameo-
lot, e teem-ie feito vendat pequeas de 3*
i 3*200 n. o alqueire.
Vinbos O carregamento, entrado de Litboi na toni-
na anterior, foi venJido a 118* rs. apipa
dimirciPRR, e outro entrido esti se-
mana exili em ser.
Entrarlo durante a semana 12 embarcocei, e sahirio
10; exitlindo hoj no porto 54: lende 1 americana, 1
auttriaca, 36 bratileiris, 1 francea, 4 ioglezu, 8 por-
tuguezai e 3 sardai.
*n
RIO DE JANEIRO.
CAMBIOS DO DIA 28 nE 0TBR0.
Prtcoe da ultima hora da praca.
26 3/4.
Cambios sobre Londres
Piriz .
Hamburgo .
Melis. DobrSes hespanhoes
i) da patria .
ii Pesos bespanhoei .
da patria ...
Pecas de 6,400, volbas.
PraU.....
A plices de 6 por cen^o .
provinciaei .
352 a 353
650
31,900 a 32,100
31,300 31.500
2.000 a 2,100
1,945 -
18,500
loa 1/2
75
72
(J. do Conimercio.)
BAHA, 4 DENOVEMBRODE 1843.
Cambios.
..... 26 a 26 1/4 p. 1,000.
.....365 o franco.
.....690 o marco.
.....120
31,500
31,000 a 32,000.
17.800 a 18.000.
9,400 a 9.600.
105 a 106
Ap. do Seg. Leald. 20 por cento de premio.
a do governo de 5 p. e. 55 p. e. de deic.
(Commireio. )
Londres ,
Pariz .
Hamburgo ,
Lisboa ,
Oncas heipanbolas.
mexicanas .
Moedas de 6.400.
de 4,000 .
Prata
Movimenlo do Porto.
cmme*i;io.
Alfandega.
kmhsiento do da 8..................1:123*528
escarrega koje 10.
Briguefom-Jessmeicadorias.
liriguoTriumphanledem.
Geral676*139
Consulado.
RENDIMENTO 1)0 DIA 7.
Provincial257*316
PRACA DORFC1FE, 9 DE NOVEMBRO DE 1845,
AS TRES HORAS DA TARDE,
IIF.VISTK SEMANAL.
Cambios Edectuirio-se lransacr;6es reglales de 26
'/ti 27 d. p. I* rs.
i
Navios sahidos no dia 8.
Babia; escuna brasileira Novo-Destino, capillo Joio
Malaquin Barboza, carga oacalbo e lazendat. Pai-
rageirot Antonio Sirqueira Lima Jnior, Pedro
Ciettno da Costa, Antonio Angelo Ribeiro, e 1 es-
envo Joio Sirqueira Lima, Jote Ribeiro de 0-
liveira.
Rremio; galera america Sumatra, carga a mesma, que
trouxe.
Lisboa; brigue portuguet Rota, capillo Jos Francia-
co da Costa Rxo. carga atiucar, ago'ardenle e arroz*
Paiiageiros, Antonio Jos de Figueiredo, Portugus'
Nicols Lacroix eiua tenbora, Belgar; Pirre Mil-
ln, Francez.
aos entrados no dia 9.
Terra-Nova ; 39 dial, patacho ingle/ Arckimides, de
188 toneladas, capillo W.m lloit, equipagem 11,
carga bicalhio ; a M-eCdmonl& Compendia.
Rio-de-Janeiro, Babia e Macei ; 10 dias, e do ultimo
porto 17 horas, vapor brasileiro S. Salvador, de 300
toneladas, commandante o 2.' lente Antonio Cou-
to de Azeredo Cou'.inho, equipagem 31. Patsagei-
ros ; para Pernsmbi|ap, o ol foi os Domingos Jos
Marlins, Joio Antonio de Paula Rodriguei, Lean-
dro Ribei'o Siqueira Maciel, e leu irino Antonio
Luiz, com 2 escravos, doulor Alexandro Pereira do
Cirmo, com 1 eteravo, Justino Nunesdi Coat, Se-
batlio Jos de Moraes Bello, Jlo Mirinbo Falcio.
com 1 escravo, doulor Jos Joaquim Ferreira, o 1'
lenlo Antonio Jote de Mello, Antonio da Silva Al-
lierin, Jote Antonio Pereira, padre Jos Hanriquei,
Joaquim Jos Rodrigues, e tua senbora Anna Ma-
ra, Bmileiroi; Roberto Mowes, John Swdy, Ja-
mes Wallace, Americanos; James Andratik, Aus-
traco : para osPortos do Norte, o Exm. presidente
doutor Joio Jos de Moura Magalbies, com 2 cria-
dos, doulor F. A. Patroni Martins Maciel Prente,
com tua senhora e 4 escravos, Brasileirot, e 1 escra-
vo a entregar.
Para, Maranbio, Rio-Grande-do-Norte, Cear e Pa-
rahiba ; 14 '/ das, e do ultimo porto 10 horas, va-
por brasileiro SebasliSo, commandante Manoel
dos Santo Ornellai. Passageiros ; para este porto,
padre Manoel da Vera-Cruz, Leandro Beierra Mon-
teiro, com 1 escravo. Jote Nunes Ribeiro, Victo-
rino Ferreira de Araujo Lima, Brasileiros; Diogo
H*Brone, Americano; Jos Joaquim Carneiro, Vic-
torino Jos Correia, Manoel Joaquim Camaeho, Do-
mingos Marques Guimariei, D. Maria Antonia, Por-
tuguere, 25 escravos a ordem, e 32 recrutas pera a
marinha.
Babia; 15 dial, patacho brasileiro Feriu, de 137 to-
neladas, capillo Joio Antonio de Souza, equipagem
8, carga farinba; a Amorim & Jimios.
NOTICIAS MARTIMAS.
Natos sahidos do Rio-de-Janeiro para este porto.
Oulubro, 19Brigue Incantavel-.Maciel,cirga faiinba,
22 Albe )i 23 Competidor,
i 27Corveta Cariota: trazo l.'balalhio
de arlilhi.ria a p.
imaginaria somma em duas demaiylas, cormeando a
primeira dous mezes depois do aiesto, e a outia cinco
roue'a"iaem'^!.Hn^n,'r3.Tri'neie,,",nl'e"' Lr.ci rd: s de irt. irn;n *^-'-i* >> -. .-^.ri P..
0 moira demanda, de cujas lettras demandadas nio existe
o real debito deltas, -por nao le terem recebido ai mer
cidorias de que laiem expreisi mencio as releridas let
tras, como so conheceo rio ex me feito em 25 de outu
bro prximo passado. por ex officto do juit do civel da
1." vara, o Sr. doutor Silva Novel, que fet, a fim deco-
nbecer a existencia do debito demandado na conlormi-
dade da lei, no livro diari& Sr. Seixas; e o resultado
foi nao se achtrem lineados osobjectos por onde tivei-
(*) Fecal de ponas, feitas do toreado.
(**) Como lejo os >rs. : Joo Joaquim de Lemos
(indo com la fimiliaj, Antonio Jos To-res Vianna,
um compositor da lypographia Imparcial Caliente,
pies de dia por ter urna bengalinba, etc
Editaos.
Assucir-Ai entradas ainda alo pequeas, e tmenle\Navios d aqu saktdot echegados no Rio-dt-Janeiro.
houverio vendes, do mascatado ennceado|0ulubf0' 20-Sumac Perota
a 2*250 rs. a arroba. I s "^-Br.gue zVeco Rom/im.
Algodio Sem augmento de entrada, nem do preco. '
Couros Nao bouverto vendas durante a lemana.
Airoz Vendeo-se a 7*200 n. o quintal do deicas-
cido por machina a vapor.
Racalbo Eolrou um carregamento de 960 barricas,
que, sedit, loi vendido a 13* rs., e deste
carregamento sahirio para oSul 360 bar-
rica!, tendo o deposito de 1,000 ditas.
Hlalas Vendeo-te a t *280 rs. a arroba.
Carne secca Com um carregamento chegido do Rio-
Grande o deposito be de 21 000 arrobas.
e m venda continuio noi precoi ante-
cedentes
Carvio de pedra dem a 7*500 rs. a tonelada.
Faiinba de trigo Nao eolrou carregamento algum
O lilil. Sr. inspector da thetouraria das rends
provinciiei manda ater publico, que, em virlude da or-
dem do Exm. presidente da provincia, ir* de novo a
praca, para ser arrematado a quem maii der, o reodi-
mento dis collectoriis dos municipios abaixo desrriplos,
or lempo de 2 annos o 9 metei, a contar do 1 .* de Ja-
neiro de 1816, tob as aviliar;Set annuars seguinles :
Bonito......................... 1 -.000 000
Flores.......................... 9AI.000
Boa- Vista....................... 627,000
O licitantes,dendamentu habilitadoi,deverOcompa-


rscer na sala da* leisOei da mesma thesotiraria, noj diat
17.1!) e21 de noTembro prjimo vindouro ao meio dia.
Secretaria da thfiouroria iu rendaa provincia** de
Pemamhuco, 3 de letembro de 4845. O secretario,
Luiz da Coila Portoearreiro,
= OIII manda convidar os credorea da divida publica lundada
por quantias maiores de 400,000 rs., para epresnta-
rem o* respectivos conheeimentoi, afim de seren pagos
em apolices. Secretaria da thesouraria do fazenda de
l'ernemboco, 7 de novembro de 1845. O oflciat-
maior, Ignacio dos Sanios da Fonseea.
Manoel Joaqun* Silveira, /cal da fregu zia da
Boa- Viita, em virtude da lei, etc.
1'eco saber aos propietarios de cafas de negocio, ea-
tabelecimentps de commercio ou industria, e pessoas
occopadas no traficj de comprar e vender, mestre* de
obras, earpinas, pedreiros.eanteiroa, vendedores de mi-
deiras, e todos aquelles,que venderem pelas ras e mer-
cados d* referida regueiia, aieile, niel, leite, feijo,
milho, arror, cal e outros gneros* que deveriS aferir
os pesos, regoas e medidas, de que iSo obrigados a utar,
at o fim de desembro prximo futuro; ndo o qual, se
rio multados, em conformidadedas posturas em vigor.
E para que cbogue ao conbecimento de quem coavier,
mandei publicar o presente. Boa-Vista. 10 de novem-
bro de 1846. Manoel Joaquim Silveira.
tre urna ou maii pessoss para om fim justo ou injusto.
Ora, corrrprad-ie os terrenos para dnUs, passa-e'e a
escriptura em nome s de un, mas como hu preciso
que o outro de metade do dinheiro, d-te-lhe urna re-
salva ; urn 3.", que be procurador do primeiro, quer
eiigolir-lhe esta resalva que traicoeiramente apanhara
ao2.; pergunla-se, que nome tem ialo? Aonde est a
contradiclo da conspiraclo para roubarem o ennunci-
ante ?
He porque o Sr. Mondes eslava persuadido que
islo ero negocios onde s podia reinar o myslerio e
o segredo, para os quaes ha quem diga quo S! S. lem
dedo; mas engana-se completamente. E com tudo
be de mistar ter ama fronte encruslada com dea cama-
das de metal, para diier, por sua part, qui he urna
falsidade o pedido da resalva e a negativa da entrega
(Ah peguei-te ca adocio ) Cois bem : suppoodo
que os portadores quelbe forio pedir a resalva, os bi-
Ibetes que Ihe lorio dirigidos, e outras tantas vetes
negada a resalva, que tudo isto nio existi (forte des-
OUVI-
que, tendo dado 2:000*000 de rs. a seu cunbado, o Sr. noel de Faria, sem qoe os annoncisntes sejlo .
Domingos Antonio Comes Guimaraes, para com ellesjdos, com pena de nollidade, e de a todo o lempo i -
comprar ubi terreno ao convento de Santo Aotopio'des- J rem baver seus dbitos pelos ditos bens em poder de
Deelaraces.
= O vapor S. Salvador fecba as malas para os por-
tos do Norte boje (10) as 3 horas da tarde, e sai as seis.
se vapor S. Sebastin fecha as malas para os por-
tosdo Sul boje (10) as 2 horas da tarde, e asi as seis.
COMPANHIA DO BEBIRIBE.
Sio convidados os Srs. accionistas para a segiin
da reuniao em assembla geral, de que trata o art. 17
dos estatutos, a qual tefe lugar no dia 13 do crranle,
pelas 9 horas da manhia, no escriptorio da companhia.
Recile, 5 de novembro de 1845.
O director,
Jos liamos d'OHveira.
O caix da companhia do Bebiribe avisa oa Srs.
accionistas, cujas entradas se acho em atraso, que no
dia 13 do torrente ha reunilo em assembla geral dos
accionistas, e que abi serio publicados os nomes de lo-
dos aquellas, que nio esliverem em dia; os quses, alm
disto, arriscio-se a perder as suas entradas, se assim
se deliberar na mosma reunilo, de conformidade com a
disposico do art, 90 dos estatutos.
Ocaixa,
M.G.da Silva.
ivisos martimos.
ss Yende-se urna barcaca, que pega em 24 caitas
de assuear a gosto, construida de boas madeiras, e feita
nss Alagoas; est prompta deludo; be nova ; ainda
oio fes viagem alguma, a excepcio da em que veio de-
pois de acabada ; e he muito boa de vela : quem a qui-
tar procure a Antonio da Nlva Gusmio, na ra do
Queimado, n. 39, e, na sua falta, 6 seu caixniro Haia
- Para Genova sabir! com brevidado a polaca sar-
da Hoza, capitio Dodaro; recebe alguma carga frele:
quem na mesma quixer carregar, ou ir de passsgem,
para o que tem cxcellentes commodos dirija-se a rasa
do Nascimeoto Scbaeder & C ra'da Cruz, n. 45.
=Vende-se o biate americano Emily-Etitcott, de
lote de noventa e cinco toneladas, de conslruccio
superior, foirado e encavilhado de cobre, novo, de
primeira marcha: os prelendentes dinjio-se aos con-
signatarios Henr. Forsler & C., oa ra do Trapiche-
Novo, n 8.
Para a Babia segu em poucos diss o patacho Flor
do-Maroim; recebe carga e passsgeiros : quem no
m os ni o quiter carregar, podo entender-se com os
coosigoatarios Ainorim Irmios, ra da Cadeia n.
46.
Para 9 Ass parte, com a maior brevidade possi-
vel, o bergantim nacional Fiel, deque be capitio Ma-
noel Marciano Ferreira ; recebe nicamente alguma
carga miuda e.passageiros, para o que lem os mais ex-
celentes commodos potsiveis : os pretenderles Iralem
com Firmino Jos Flix da Bosa & Irmio, na ra do
Vigario, n. 23, segundo andar, ou com o referido ca-
pillo.
Le la .
O corredor Oliveira fara leilio de variado sorti-
| ment de faxendas inglezas, fraoceiss, suissas e alle-
1 mies, de seda, lie, lindo e algodio, proprias do merca-
do, as quaes teem'-de ser vendidas, sem reserva, algu-
ma* a praio, e outras a dinheiro A vista ; quarta-feira,
12 do torrente, aa 10 horas da manbaa em ponto, no
I seu escriptorio, ra da Cadeia.
Avisos diversos.
O CLAMOR PUBLICO.
Sahio boje o n. 59 e acha-se a venda, na praca da
ca, livrtri* nmeros 6 e 8.
= Os abaito assignado* declario, que Luis Morei-
I ra da Silva Pinto deixou de ser seu caixeiro desde 8 de
novembro de 1845 Victorino Qj Guimaraes
- Do becco do Padre, n. 18, 1.o andar furtrio,
j hontem a tarde urna rola d'asa branca, muito mansa, e
[que tem o cuttume, quando canta, de fazer corlezias ;
I quem a vif, pode loma-la, e leva-la a mesma casa, pa-
ira abi ser gratificado.
I Casa da foi luna, ra Direita, n. 12.
Conlina-se a pagar as.caulellas da lotera do semi-
| nario.e achio-se a venda as cautellas da lotera do tbea-
I tro, que corro a 25 do coirente enlallivenle.
No dia i a do corrate abrem-sc, no
collegio Santo Antonio, os cursos de
geometra, philosopbia, rhetorica e geo-
graphi*.
O abaixo assignado, vendo o ennuncio^do Sr. Jos
Mendc* de Freilt no Diario de sabbado, n. 250, em
resposla ao do annunciante, do da antecedente, ero
petido no mesmo ti., tem a dizer-lbe, que nao he
| rom imaginarias conlradicdes de rabulice, que sese-
tisfazem accusaies de gravidade que se Ibe imputa.
E o que he coopirar ? He sem duvida o conloiu en -
caramento !) quo faieis anda com a resalva em vosso
poder, porque a nao mandis entregar a seu dono ? O
annunciante perante o publico pernambucano empraia
o Sr. Mandes de Freitss para Ihe dizer a que proposit
relem em seu poder um titulo de propriedad de um
Brasileiro P! Se nio responderdoa, os Irib naos do
meu paix vos to mar essas contas, e elle* melhor
do que eu qualificarao a vossa ousadia. Eipsinhado.
perseguido, i desaceditado por ageites a quem baju-
la ?! Pois o annuneianle bajula alguem ? quem dii
isto? o Sr. Mendes I Pois o Sr. Mendes he capar de
delender, dar, ou tirar crdito a alguem ? Islo he o
suprasumo do ridiculo. Se dissesse que pela pouca ida-
de, e falla de experiencia do mundo indutira o annun-
ciante a desacertos, fallara verdade, o maisslo baso-
fias dignas de riso. Por fim, o que se quer he a resal-
va, sim a resalva, cem veres, resalva, ou dous contos
de ris, do contrario eon Antonio da CunhaSoaret GuimaiOei
Desspparecrio, no dia 7 de novembro crtente,
por occasilo de irem no Recile vender duas cargas
de lenba, dous meninos simibranoos, de nomes Fran-
cisco e Manoel; o primeiro de estatura mediannu, tendo
de idade 14 annos, secco do corpo, um tanlo sizudo,
ouve pouco. anda bstanle moderado, he fiU'o legitimo
de Jos Comes, morador na freguesa de Muribeca, e
presentemente se schava o dito menino em companhia
de Luix Jos' da Soledade, morador no lugar da Barre-
la, freguezia dos Alogados; o segundo bailo, re-
presenta ter 12 annoa, bastante deacorado, secco do
corpo, anda moderado, cha-so na companhia do
mencionado Luiz Jos da Soledade: os cavallos om
que Torio, um he pedrez, e o outro castanbo com o
casco de um p lorio; o primeiro cavado est bstanla
carnudo, o segundo magreird : quem souber dos ditos
meninos, e dos cavallos, queira aprehende-los, e le-
va-Ios aoji mencionado Luiz Jos, na Barreta,que re-
compensar generosamente.
Ferreira & Braga embarcio para fra da provincia
o seu escravo Antonio.de naci.
Joio liaptista Herbster faz certo a todas as pes-
soas desla prega, que nio responde por transadlo al-
guma, que o seu lilbo Jos Carlos Herbster possa con
tratar em tome delle pa; porque, desde 2 do correte
novembro, deixou de existir debsixode sua adminis-
trarlo.
Na serrara da ra de S. Francisco, n. l", bu,
para vender, refugo de assoalbo de louro; no mesmo
armazvm continua se, como d'anles, a vender cal branca
e preta, lijlos de toda* ss qualidades, telbas, barro,
etc. tudo por mdico preco.
Oscredores de Manoel Ignacio da Silva Texeira
sio convidados a comparecer no escriptorio de Ma-
theus Austin &C, para se devidir a bem dos seus inte
resses boje, 10 do correle, as is 11 horas do
dia.
Precia-se alugar um preloou preta para vender
pi: a quem conver, podo dirigir-te a ra do Viga-
rio, n. 10, primeiro andar, de urna as qualro horas
da tarde, ou annuncio.
Comprou-te, por ordem do Sr. Joaquim Avellino
Tavares, residente na cidade de Lisboa, o bilhete n.
2917, da 2.' parte da 10 loteria i lavor das obras do
Ihealro publico da cidade do Recife.
= Precisa-se de urna ama de leite, parda ou preta,
forra, que nio tenha lillio, e que tenba muito bom lei-
te, para criar; na ra dasCruxes, n. 22, segundo an-
dar.
Me. Calmont'A C. avisio aos fregueses de cham
panba, que, depois do l.'de deiembro vindouro, o
preco pastara a ser, como aotigamente, 27,000 rs. por
8'80>
= Chegou grande quaotidade de rapo Novo-Lisboa;
ra do Crispo, n. 11.
Quem precisar de um forneiro, dirija-se a ra
larga do Rozario, ao p da polica, n. 19.
rnm Precisa-se de urna sma de regular conducta, para
oservico interno de casa de pouca familia ; quem qui-
xer, dirija se i Fra-de-Portas, ra do Pilar, n. 145,
segundo andar.
tan Fugio, na tarde do dia 7 do correte, do sobrado
da ra Direita n. 100, para o lado da* ras de Agoas-
Verdes e Hurlas, urna rola de Hambuigo; quema
cbou, queira leva-la 4 (lila casa, que, alem de se Ibe
licar muito obrigsdo, dar-se-lhe-ba a importancia da
mesma.
s= Aluga-se o primeiro andar do sobrado n. 2, jun-
to igrejados Marlyrios ; e, como o dito sobrado se
acba alguma cousa deteiiorado, lambem se contrata pa-
ra o prelendente fazer os concerlos precisos : quem o
pretender, dirija-se a.iua do Cabug, em casa da Anto-
nio Rodrigues da '
ejapparecebajo becco do Cam, da terca para
a quarla -aira, ama canoa meia aberra, com um banco
de menos, e lem pregadanos encolamentos urnas argo
las para amanar encerado ; a peasoa, que della souber,
dirija se i ra da OBeisfvelha, n. 50, ou i cidade de
Olioda, ladeira do" Varadouro, refinacio d; assuear,
que sera generosamente recompensada.
Aluga-se o segundo andar da casa o. 8 da ra do
Queimado : na toja do mesmo.
sO abano assignado, respondendo ao annuncio do
Sr. Anlonio da Cunha Soarrs Guimories, inserto em o
Diario de l'ernambuco n. 249 de 7 do corrente, tem a
notar duas coutas :
1.'urna perfeita eontradicio n'esse annuncio, e '
pouco escrpulo no annunciante em faltar a verdade.
Consiste contradigo em aisevcrar o Sr. Cunba,
la cidade, oSr. Domingo* patsara a escriptura de com
pra aumente em seu nome, e depoia Ibe dra urna re-
salvacom a declaracao de Iheperlencer melado do terre-
no comprado, e msis abaixo dizer, que, tendo confiado
de mim essa cautella, eu me neg a entregar-lhe. o
que importa urna conspiraclo feita por mim e o Sr.
Domingos para o roubarem A eontradicio he mani-
fest : o Sr. Domingos Antonio G. Guimariet, sebe
verdade, que Ibe entregara essa resalva, longe de o
querer nem levemente lesar, obrou um acto de boa f,
e talvez na conviccio de que, sendo o Sr. tunba ainda
menor, nio podes** intrrvir no contrato, e por isso Ibe
garantia assim odinbeiro, que diz baver-lbe dado: lo-
to essa supposta conspiraclo psra o roubar est em op-
posicio com a rpsalva,. e nio passa de leviandade e
pouca reQexo do Sr. Cunha. Quanto a mim affirmn
ser urna pura lalsidade o pedido da resalva, e a negati-
va da entrega; porque, acoslumado a um procedimen-
lo sempre honesto, ambicionando a confianza e consi
deracio de todos os que commigo entretem traosac-
edes, eu nio arriscara a perda da minba honra prati
cando um acto indigno de um bomem de prohidade, e
do qual nenhuma vantagemme podia resultar.
Quando o Sr. Cunha se achava espsinbado, perse-
guido e desacreditado por aquelles, a quem boje faz ba
julac,5es, eu cuide de o defender, e assegurar-lbe ua
replselo, e mal eiperava ter agora este premio prodi-
galisado por sua mo : eu, porm, voto a um soberano
desprero suss expressSes descommedidas, nio s por-
que'nio estou affeilo a trocas de palavras, que oflendio
a moral publica, como principalmente; porque osen-
limento doSr. Cunha a meu respeilo nao pode tra/er
quebra e mingoa em minba repulacio, e nem produzir
a menor sensa(3o desfavoravel no juizo dos homens cor-
datos, e que nos conhecem.
Use o Sr. Cunha doseu direto, se o tem; mas nao
declame maligna e calumniosamente ; ese por esta ver
e perdo seus doestos pode ser, que em oulra occa-
silo roe nio encontr lio paxorrento > phleumalico.
7oj Mendes de Frei/us.
O arrematante dii 'afcricao dos pe-
sos e medidas deste nnmicipiWabaixo as
signado faz publico, que d/ra'principio
mesma afericao no dia 3 de novembio
prximo futuro, na casa da travesea da
Concordia n. i. das 7 horas da manha
als 5 da tarde ; e adverte, que, na for-
ma do regiment respectivo, o prazo des-
te expediente para os eslabelecimentos
actuaes em todo o municipio deve expi-
rar no ultimo de dezembro do corrente
anno. Kecile, 3i de utubro de t845.
Antonio Goncalves de Maraes.
A luga se um molcque de 18 annos, bstanlo
hbil para qualquer seivieo ; o qual se aluga mensal-
mente pu por qualquer lempo, que se convencional :
quem o pretender, anounce.
= Precisa-se de um oflicial de cborutoiro ; na fa-
brica do pateo do Carino
= O vigario Lourenco Correia do S embarca para
o Rio-de Janeiro o seu escravo Raymundo crioulo.
Oflerece-se um homem lorro para criado, ou co-
zinheiro nesta praca, ou lora della ; queii de seu pres-
umo se quicer ulilisar, dirija-se a ra da Cru/. n.
34, primeiro e segundo andares.
Aluga-se urna casa no lugar da Capungn, a quem
comprar una aimacio, com todos os seus pertences,
ra venda, que existe dentro da mesma casa a qual
tem suficientes commodos para familia ; a tratar em
dito lugar, casa n. 51.
= Guilherme Augusto Rodrigues Solt embarca pa-
ra o Rio o escravo Galdino, cabra, por ordem de seu se-
nhor, o coronel Joaquim Bernardo de Figueir'edo.
= A pessoa, que annunciou no Diario de 7 do cor
renle ter um moleque para alugar, dirija-se ra do
Queimado, n. 14, segundo andar.
Na ru do Queimado, n. 14, segundo andar, pre
lende-se fallar ao r. Manoel Jos de Azevedo Amorim,
4 negocio seu.
Quem annunciou no Diario n. 249 ter um mole-
que para alugar, pode dirigir-se a ra da Crui, o. 37,
segundo andar.
Alicncao!
Acaba de ebegar do Rio-de-Janeiro, no brigue Bom-
Jims, o muito superior rap denominado Princea-
Novo-Lisboa, sendo este o nico que se pode pOr a
par do de Lisboa ; as pessoas, que quizerem comprar,
dirijao-se is tojas dos Srs. Cuilhermo selle, ra do
Queimado ; Victorino & Guimaraes, ra dos Quarleis;
Anlonio Dominguesl erreira, ra do Crespo ; no de
psito, na ruado Apollo, n. 18.
Roga-se ao Sr. Joio Paulo de Salles, que, no
prazo de Ires Jias, venba resgvtar o penbor de ouro,
que lem na luja de Manoel Ferreira Ramos, porsegu-
ranca do importe de fazendas que Ihe comprou ; e se o
nio liier no sobrtdilo prazo, ser vendido para satisfa-
zlo do seu debito.
ua Aluga-se, psrs se passar a Testa, urna casa terrea,
tita na cidade de Olinda, na biquinha de S. Pedro Mar-
lyr, com quatro quarlos, e um mirante, bastante fres-
co*, com cacimba, e um tanque para lomar bando, e
quintal murado : a tralar na mesma cata, n. 2.
= Aluga-se, por anno, urna boa casa terrea, com
grande quintal, e excellento agoa de beber, murado na
frente e cercado dos lados, lem boas laudas de maracu-
ass e meirim, parreira*. figueirase outras arvores,
dando fruto, ao pedo sitio da Sra. D Lauriana, no
principio da estrada dos Afilelos; com a condicio de o
morador ser obrigado entrega la, na sua tbida, coni
as mesmas bemleiloriss, com que a recebeo ; Irata-se
na ra da Cadeia -Vello, n. 25.
Na praca do Sr. Dr. juu de orpbios,* boje 10 do
cornnte, se ba de arrematar um sobrado de dous anda-
res, silo na ra do Queimado (outr'ora pracinba do Li
vramenlo), pertencente to fallecido padre Joaquim Guo-
calvet Rodrigues, por ser a ultima praca.
O revenndo padre Rento Manoel de Souta Castro.
Manoel Joaquim Letta, e Joio Jaciniho Moreira, ere
llores do casal da tallecida Auna Mana de- Jess, fa-
zem sciente ao publico, que ninguem compre bens d>.
dito casal'a Francisco Alies dos Sanios, a Jos Ma-
quero os mesmo* se acbarem: para que se nio possio
chamar a ignorancia, se fazo prosete, visto acbarem-
sa em litigio.
Aluga-se umt psdaria, com o principies ulenci-
lios, e melborrs commodidadet a urna padaria ou a ou-
tro qualquer entahelecimento ; a casa be assohrada-
da, e por isso propria para moradia ; sita na ra Impe-
rial, junto da fabrica de sabio : trata -ce na ra Direita,
o. 82, primeiro andar.
No da 6 do corrente, do 1.'andar do (obrado o.
16 da ra da Cadeia dn Santo Antonio, estando a va-
randa a enxugar. por volla de 10 para 11 boraidodia,
um lenco! grande de eassa lisa bordado de esconde dq
meio do lencol para baixo, faxeodo duas palmea oa
cantos,como se cosluma chamar, com folbos de caasa,
bordada,da India, guarnecido de bico francez de lar-
gura de meio palmo, cahio da veranda: foi visto, por
urna preta, um menino pardo apanha-lo, vestido da
caiga ejaqueta branca, chapen preto.cue entrou no cor-
redor da casa, e depois ahio, tomando pelo lado di.
cadeia ; a quem fdr oflerecido, ou o tiver e quizer res-
tituir, leve-o a dita casa, que ser bem gratificado.
Aluga-se um silio na estrada de Joo de Barros,
confronte ao atierro novo, com boa casa de vivends,
conlendo duas salas na frente, cinco quartos, sala da
janlar, coiinha fra, casa para pretoi, estribara para
cavallos, boa baixa para capim, boa agoa de beber, o
Ierras para plantacSes : os prelendente* dirijao-se a
ruada Cruz no Recile. n. II. .
Anlonio Jote de Figueiredo, Brasileiro adoptivo,
relira-se pan Portugal.
Na ra do Itangel, sobrado n. 9, ti-
r3o-se passaportes para dentro e fra do
imperio; e bem assim para escravo*, tu-
do por preco muito commodo e com brevi-
dade.
Antonio Gomes da Silva, piloto examinado do
ajto mar, luz put lico, queensina a arte de pil to, prati-
ca etheorica, assim como apona agulbas de.mariar
por novo methodo, o concerta varios instrumentos nu-
ticos : tolos os senhotes, que qui'erm, dinjio-se a
Santo Aiiim, ao p da igreja, ou a praca do Com-
mercio, d< le o meio din at a* duas horas da tarde.
Aluga-se urna casa na povoacio de Apipucos ,
com urna sala grande na frente, 4 quartos dispen-
sa copiar, quintal murado estribara para 3 caval-
los : a tratar na mesma puvoacio.com Pedro Jos Car-
Miro Monleiro.
Aluga-se um preto moco e robusto muito pos-
tante para socar assuear: a tratar n.rua de Apollo, n.
28, com Joio Esteves da Silva.
LOTE LA THE A TRO.
As rodas oesta loteria andio mpreterivelmente no
dia 25 de notembro corrente visto ter-se realiaa-
do o andamento das do seminario. Os respectivosbi-
Iheles acbao-se a venda na luja do toesoureiro, na ra
do Queimado n. 39; na do Snr. Menerea Jnior ,
ra do Collegio ; na botica do Sr. Moreira ra do
Cabug, no bairro do Recife, naa lojas de cambio
do Sra. VieWa o Manorl Gomra
= O Snr. Jos .Mana dos Sanios queira vr ou
mandar recober urna carta vinda do Rio-Formoao na
ra do Crespo luja da viuva Allomo & Companhia ,
ao p do orco de S. Antonio.
= Na ra das Trincheira*, n. 25 continale a
dar almocos jantares o seias por preco commodo.
Agencia de passaportes.
Na rus do Collegio,botica n l.eno Atterroda-
Boa-Vista luja n. 48, tirao-se passaportes para dentro e
fra do imperio, assim como despachSo-seescravos:tudo
com brevidade.
Aluga-se o segundo andar do sobra-
do sito na ra Direita, n. 70, com bons
commodos : a tratar na ra do Collegio,
segundo andar n. i4<
Casa da Fe9.
RA ESTREITA DO ROZARIO, N. 43.
Tendo o tbesoureiro da lotera do tbealro marcado o
da 25 de novembro para o andamento da* rodas delta
lotera pelo novo regulamentn de 27 de abril do anno
p.p.; o proprietano do eatabelecimento da casa da (-
onde se vendem cautellas da mesma loteria do Iheatro,
convida a todas as pessoas, quegostio desle intereasan-
te jogo, concorrao quanto antes a comprar da* nial
cautellas, e nao etperem para os ltimos das prximos
ao andamento das rodas, a fim de que nio venhloa
ficar aem ellas, pela muila extraerlo que esli tendo, a
mesmo pelas garantas quo tem a bem dos comprado-
res ; affiancando Ibes que no dia marcado pelo tbe-
souroiro correrlo iofallvelmente as rodal, fiquem od
nio bilheles.
O proprietaro convida a lodosos seus freguezea, qua
comprarem das suas cautellas, a virem ou mandaren)
na casa de seu estabelecimento,no dia em que corrrrem
as rodas da lotera cima, das 4 horas da larde at ai
8 da noule.ondo acharad a lista da eitrsecioda mesma
loteria, a fim de saberem no mesmo da os premio* quo
por sor te Ibes I verem sabido Os precos das cautella* lio
decimos a 1,0(10 rs., vigeaimes a 500 rs.
Iteim dio para a lurdet do* ouviiot inveterada ,
no sendo de nascimento.
=r Yende-se na cidade de Braga em casa de Joa-
quim Rodrigue* da Cunba ruada Cooega, n. 9, oa
na do Porto ra de S. Anna, em cata da Manoel de
Almeidu Krandlo, n. 1,19, remedio muito effieaiparaa
turder do* ouvidos inveterada,nio tendo de nascimento:
cuta um vidro ebeio 800 rs. lacrado com a tirana de
eu autor ; cujo remedio be na sua applieacao mui-
to luave e nada incomtnodativo :
Imtruecdes para uto daquelle remedio.
Pela manbaa em |ejum urna hora poueo saaii ou
minos depois de vos baverdes levantado da cama lan-
caresdentro noi ouvidosqualro ou cincopingas daquel-
le remedio assim mesmo fro como est t*p*ndo-o*
drpoia muito bem com algodao em rama; o metano
platicareis i Doote ao lancer-vos na cama ; em quanto
usareis aquelleremdiocvitareis.oquanto voslorpossivel,
de apaobar tent ou omito calor ; nao suando nem
moldando os ps ; abslendo-vos de comidas salgada* ,
aiedat, ou muito reimoii*.


= Alaga-te, para ama de casa de pouca lam lia, ou
de liomem solleiro decente, urna mulber forra, que sabe
lazer todos os arraojos de uma casa de portas a dentro ;
quem precisar, dirija-se & ra da Gloria, n. 2.
Compras.
Compra-se um tacho de tamanho regular, anda
sendo usado ; na ra de llortas, n. 112.
Comprio-se, para Tora da provincia, cscravos do
ambos ot sexos; sendo de 12 a Otnnos, cor bas figu-
ras pagio-se bem : oa ra Nova, loja de ferrageos,
n. 16
a Comprlo-se os tres tomos da obra cirurgica inti-
tulado Avisoao Pavo, por Aianoci Joaquim Uenri-
que de Paiva; quem tivor annuncie para ser procurado
' as Compra-se uma escrita cozinbeira, sem vicios
nem a;haques : na ra do Queimado, loja o. 8.
Vendas.
FOLHINHAS
DE
Porta e Algibeira
PARA.
1846.
Vendem-se na praga da In-
dependencia, loja de livros n. G
e o; na ra ta Madre de Dos,
venda da esquina defionle da
joreja; na Boa-Vista, defi onte da
matriz, botica do Sr. Moreira;
em Olinda, botica da ru do Am-
paro, e loja do Sr. Domingos,
nos Quatro Cantos.
Na ra das Larangeiras, n. ia
a. andar, vende-se, por milito mdico
preco, um ptimo sitio no pateo da Paz.,
povoaco dos A Togados, com urna bella,
nova, e espacosa casa, e diversos arvo-
redos de fruto, bem como larangeiras,
coqueiros, mangueiras, jambeiros, tres
cacimbas, urna das quaes be frita lia mili-
to pouco tempo, e d agoa potavel.
fy RAPE' AMERICANO. A
t? y
ftt Com este pomposo titulo se aprsenla no mer- iy- cado um encllente rape, digno por ceno da at- y
^ tencao dos apreciadores do utna boa pitada Os J^
fjr vendedores se ohrigo a entregar o dinheiro i '!$
f$) qualquer pessoa, que, tcndo-lhes comprado des- \
Vj> te rap, Ibc sinla algum deleito. v
(ft Vende-se no Alerro-da-l!oa-Vista, ns. 10 e %
h dependencia, Arantes; ra l.irga do Rozario, fa
Vf Lodi ; ra do Crespo, Guimaraes, Serafim & C ; iy
d|) ra do Collegio, Menezes ; Cadeia-Velha, Cu- ^
(jr nba & Amorim ; e na Lingoeta, Joaquim Jos ty
Rabello. ,
-<<&-<>:---< 3>
= AlTonso Saint Martin, lia pitucos dias ebegado de
Pars, ainda tem para vender manteletes e mantas de
gros de Naple, guarnecidas do ricas franjas de lelroz, o
que agora esla' na ultima moda ; e igualmente tem cor-
tes de seda (urta cores com listras grandes, padroes mo-
dernos, e o que ba de melbor em sedas ; e ditos de seda
branca lavrada, do mi Ibor gosto : na ra Nova, n. 12,
segundo andar, a qualquer hora do dia.
Vendem-se lindos riscadns franceses, polka, con
pequeo loque de avaria, a 160 e 100 rs. ocovado ; di
toilimpos a 2G rs. o covado : oa ruado Crespo, loj
n. 8, de Campos & Maya.
= Vende-se um moleque de idade de 10 annos,
bonita figura, em conta ; na ra do Hospicio, n. 42.
= Vende-se uma venda bem acreditada, na ra do
Collegio, n. 17, motivado pelo seu dono estar para re-
tirarse, por falta dosaude, para Portugal ; a fallar oa
mesma.
Vende-se um ptimo quarto, muito novo, carre-
gador e pass'iro, c em muito boas carnes ; no segundo
andar do sobrado n. 16, defrnnle do theatro-velbo.
ATTENgAO!
Vende so Uma tcalba, toda abeita de lavarinto, de
bom gosto ; na ra do Faguhdes, n. 27.
'a Vendem-so dous paos, sendo um do rede e ou-
trodetipoia, por preco commodo; oa ra Direita,
n.S2.
= Vendem-se os livros seguintes: um jngo de dic-
cionarios francezes, dos grandes ; Kelly, le Gembisto
L'niversel ; Scrrebier, Traite d'Echange ; Colonie
i Cbrlienne ; Ducbesse VMonlmorency ; Solidio, por
Zimmerman ; Hisloire de Napolen, com relralo
Atilbsfletica e Aoaljse lgica ; Gaarda-livros moder-
no : na ra das Crues, loja da encadffrnador, n 39.
= Vende-se ou luna-s, uma oatioa aberta, de car-
ga de 650 lijlos de lveosria grossa, fabricada do pro
jumo: quem pretender, dirija-se ra da Aurora,
n. 12.
Vende-se uma pipa, con arcos de ferro, que lem
servido de deposito de ago'ardente ; na travessa do Po
cinlio. n. 31.
Ve,i#%|B 8r8"lM ie *etim Pre, 8 600Tn., pan-
no preto e aanla 2,tO0 rs. o covado casimiras do goe-i
lo moderno i 1,200 e 1,400 rs. o covado; na ruado
Creapo, n 1.
boa estado ; e um cavado muito bom para carro : na
ra cstrerta do Rozario n. 43, segundo "andar, daa
6 as 9 boras a un la da manho.
sa Yendeui-se uceas com feriaba de Magc, a 4800
rs.; ditas com milho a 4000 rs. ; gomma de en-
gommar, a 12000 rs. o alqueira albo; farinba de
S. Methcus a 3800 rs. e em sacca, a 4200 rs. ; oa
ra da Cadeia de S. Antonio, deposito de farinba I
n. 10.
- Em casa de Meros relojoeiro, praca da Indepen-
dencia,ba,para vender-se.um sortimento de trramente
para ourives,como limas, cadinbos, piosas, tornos, tor-
nilhos damasquilbos.thesouras, escovinbas, rouge, etc.;
igualmente relogios de banca, de parede e de algibeira,
patente d'ouro e de prata, e pedras de cristal, etc.
sa Vendem se saccas de miibo oovo ; oa ra da Ca-
deia do Reeife, armazem o. 8.
Tambem se vende
novo rap, chegado de Lisboa, oa loja de miudeas do
Fortunato, na praca da Independencia, em botes, i
4*500 rs.
= Vendem-se 4 escravas mocas, de boas figuras,
cosem, engommio e cozinhao; 4 ditas boas quitandei-
ras ; 1 mulata de 32 annos, boa para o servico de casa;
uma dita de 15 annos, boa para ser educada ; (i cscra-
vos bons para todo o trabalho, do campo e da praca ; 1
dilo bom oflicial de pedreiro ; I mulatinho de 16 an-
nos, bom para pagem ; na ra do Crespo n. 10, primei-
ro andar.
a Vende se um carro de 4 rodas cm bom uso,
multo maneiro, por preco commodo; na ruado Crespo,
n. 8, terceiro andar.
-= Vende-se muito boa farinba de mandioca a
3600 rs. sem sacca e 4000 rs. com sacca ; na ra
do Torres n 14.
=Vende-se um escravo mogo, muito fiel, com ofB-
cio de sapBlciro ; na ra da ConceicSo armazem de
sal, a fallar com Joaquim Apolinario Pereira de Brito.
= Yeridem-se sellins ingleses do montana do ho-
mem e senbors, cabezadas brancas roldas e dalas.
barretinas com apparelbos ricos.para officiaes e soldados,
da guarda nacional, talins, cananas e correias para os
mesmos, espadas de roca esem ella, praleadas e do fer-
ro, bandas ricas, guarda-lamas de couro de lustro, ch-
balas de todas as qualidades, cintos de couro de lustro
para meninos, pannos de massss para baiso de casti-
caes e candiciros, bezerrot de lustro de superior quali-
dade, marroquins de todas as cores, saceos psra condu-
cir roupa em viagem, colchos de todas as qualidades, e
outros mullos objeclns por preco muito commodo : nal
lujas de Joo da Silva Braga, ra Nova n. 5 o ra da
Cadeia do Recifo o. 49.
=\ttdem-se riquissimos chapeos de seda de todas
as cres^ara senbora bem enfeitados, com riquissi
mas fitas e flores; estes chapeos teem a commodidade
de so abrirem e fecbarem; riqusimos encerados a
polka, para casticaes mangas e oulros objectos; um
sortimento de capachos: na ra larga do Rosario
o. 24.
- Vende-se cha hjsson cm coins de 13 libras, em
poredese aretalho; e potassa americana ltimamente
ebegada ; meias barricas de farinha de trigo da marca
gallego: em casa de Malbeus Auslin & C., na ruada
Jlandega \ el ha n. 36.
= Vende-se uma porfi de cavernas grandes do
sicupira ; na ra de Apollo, n. 28, a fallar com Jo5o
Estoves da Silva.
= Vendem-sn o tugo-SO muito boas bichas d'Ham-
burgo, mui grandes e as meIKores que ba ns trra ; e
vai-se as applicar, para mais commodo dos pretenden-
tes : na ra estreila do Kozario, defronte da ra das
Larangeiras, loja do barbeiro, n. 10.
Vendem-se dous esclavos, de idade do 25 a 30
annos, sem vicios ou achaques, proprios para o servido
do campo-; o motivo da venda he ter de retirar-so seu
senhor : (ambem se vende um cavallo rosilbo-foveiro.
bom carregador baiio e meio, ludo por preco razoavel;
no Aterro-da-l'ioa-Vist.i, n. 26, primeiro andar.
= Vende-se uma linda preta de 18 annos de
nac,ao Angola cuzinha lava e engomma liso sem
vicios nem achaques ; um lindo preto peca de 20 an-
nos ganhador e soesdor de assucar ; um casal dees
cravos com uma cria de um anno, proprios para cam-
po ; pertencem a uma pessoa que so retira : na ra
daSenzalla-Velha. n. 110.
= Vendem-se 17escravos, sendo 8 prelas, com ha
i!IhIniles. de 13 a 20 annos, de buninasfiguras ; 2 mo-
eques de 12 a 14 annos, mui lindos ; 1 mulata de 20
annos, com habilidades ; I pardo, oflicial de al.'aiate,
de 22 annos; o y prelas, de elegantes figuras : na ra
das Mores, n. 21.
= Vende-se uma parda de 22 annos, booita figura,
engomma, coso, cozinba, e lava da sabao ; uma escra-
va de naci, de 24 annos, ptima quitandoira; dous
moleques de nagau, de 14 a 15 annos; um dito criou-
lo, de 11 annos ; um mulatinho de 12 annos; um es-
cravo da Costa, bonita figura, proprio para carregar pa-
lanqun) ; urna escrava crioula, de 24 annos, engom-
ma, cose, cozinba e lava de sabao ; uma dita boa en-
gommadeira, cozinheira, cose e lava de sabio : na ra
das Cruzes, n. 22, segundo andar.
= Vende-se uma negnnba de idade de 14 ann s,
muito linda, com principios de engommado e costura,
fa/ bollinbos, bo recolbida ; um moleque de idade de
14 annos.; um dito de idade de 18 annos ; um dito de
idade de 20 annos, de naci, bom cozinbeiro ; um di-
to bom canoeiio ; tres cscravos, ptimos para o servico
de campo ; 2 escravos de 18 a 20 annos : tres escravas
de meia idade; todos por preco commodo ; na ra Di-
reita, n. 3.
= Vonde-se uma preta, moca e bastante sadia, a
qual sabe engommar e cosinbar solTrivelmente, para f
ra da provincia : quem a pretender dirija se i ra das
AgoBs-Verdes, n. 96
Livraria da esquina do Col-
legio.
* OBRAS CMMERCIAES.
Cdigoscominmerciaes portuguez,fran-
c, hespanhol ; Fontes do cdigo cornmercial portu-
guo* ; Diccionario jurdico com., odicau portug., poi
Fcrreira liorges, lvol.; Commentalios sobre a legis
lacio portugueza a cerca de seguros martimos, 1841,
1 vol.; e sobre averias, 1 vol., pelo mesmo ; .synopis e
jurdica do contrato de risco,! vol pelo mesmo; Juris-
prudencia do contrato mercantil de sociedade, coro lo
Vende h um carrinbo de duas rodal, em muito > a legislacao respeilo, enormes de artigos sociaes,
pelo mesmo, 1 vol.; Fontal, especialidi.de e excellencia
da administracio commarciaes, pelo mesmo, 1 vol. ;
Poslillsv.de com mere H>, distribuida em licoes, contendo
ludo oque a os coa mercii ules interessi saber, 1 vol.;
i-., ------- i. in i ..... r
Dircito mercantil de Silva Lisboi, 2 vol., contendo em
8 tratados as material leguinle: 1., sobre seguros ma-
rtimos; 2., sobre contrato de risom ; 3 sobre iti-
rias; 4., sobre lettrai de cambio e de trra, olas pro-
misiorias, bincoi do commercio, &o.; 5., sobre con-
tratos e causal mcrcintis, -obrigacOes, direitos e privile-
gios doi oegociantei ; 6 sobre a polica dos portoa e
alfaodegas ; 7., sobro juitos e (ribunaes de commercio,
coosulado.jurisdiccio e devere doi cnsules; 8., sobre
economa poltica ; Curso de direitocornmercial, por
Pardessus, nova edicao belga, augm., 3 vol., in 8.;
Iostitutosdodir.com., por Delviocourt, oovaed. bel-
ga, augm., 1 vol,; Comrneutario de cada um dosart.
do cod. do com., ou espirito do cod., por Locr, A vol.;
Direito cornmercial martimo, por Roulay-Patjr, 4 vol.;
Tratado de lillmenloi e banca-rotai, pelo mesmo, 1
vol.; exposicio criticadalegisl.com., porVineeo, 3
-vol.; Analyse do cod., por Mongalvy, 2 vol.; Tratado!
geral de com., de Ricardo, 3 vol.; o Cdigo eiplicado
por J. Rogroo, 1 vol,; Manual dos juiei de commer-
cio, col), de logisl. relativa i jurisd. com., por Gaise, 1
TI.; o Cambista universal tratado completo doscam-
bios, moedas, pesos e medidas de toda ai oaces, por
Kelly, nova ed.; o Indicador de camboi, 4 rol. (. Arte
de correspondencia cornmercial, 1 vol. ; Guarda-livros
moderno, com supplemeolo, contendo principios de
economa e direito mercantil; Tbeoria da contabilida-
de cornmercial e escripturacSo mercantil, por diversos
autores modernos.
= Vendem-se rica adragonai para civallaria da
guarda nacional, ai de capitao a 85.000 n. o par, aa de
teoente e alferes a 80,000 rs ; assim como bandas, de
borlas de ouro, muito ricas, para capitao, lente e al-
feres ; bonitas caitas de cbario, com 2 frascos ebeios de
cha, 1 dilo cba hysson superior, oulrocb preto, a 5j
rs. a caisa.; um par de serpentinas mgli zas, com mao
gas de ndro, por 36,000 rs. : estojos preparados de na-
valbase mais pertcoces, psra bomem, a 12,000 rs.; es
tojos geomtricos, cana de madeira o de lxa, de dife-
rentes tamanbos e precoi; salvas de caiquinba, bordas
de prata, tamanbo regular, preco commodo ; chapeos
de seda, para bomem, moderna, com abas decentes e
regulares, a polka; franjas de algodio, pars cortinados
de cama e janellas, de varias larguras, brancas o de cor,
do melhor gosto possvel ; um jogo de bagalella, bu-
lante grande e rico, com seus ps, por 60,000 rs.; bo-
nitas bandejas, de todos os tamanbos ; afliadore de na-
valbas, muito finos ; cambraas finas, bordadas, de cOr;-
panno para bancal de meio de sala, de panno encarna-
do, de liia e de algodio ; bicoi de linho, finos e de va-
ria! Isrguras; bol >ns de farda, de marinba e de outrai
qualidades, grandes e pequeos ; boteide melal bran-
co, com furoi, para calcas ; bonitos chales de seda da
Italia, de dous tamanbos ; mantas de soda, com flores
bordadas ; superiores lencos de seda preta ; sarja prela
bespanhola ; coites de vestidos de seda eicosseza que,
por terem algum pequeo mofo, vendem-se baratos, e
aos covados; na ra Nova, n. 30, loja do Cuaresma.
= Vende se farinba de mandioca muito nova de
Sania Catharina e S. Matheus, por menos preco
que em oulra qualquer parte em laceas ou medida
velha ; no caes do Collegio armazem de porta larga.
Vende-se faiinba de superior qualidade, por me-
nos preco do que em outra qualquer parte ; dita mais
trigueira propria para escravos : oa ra da Cruz, o.
5i, a fallar com Manoel Antonio Pinto da Silva.
= Vendem-se chapeos finos de castor; panno de
algodio para saceos; na ra do Trapiche-Novo, n. 5.
se Vendem-se sarcas com larinba do Rio-de-Janei-
ro de boa qualidado a ha rs. a sacca ; no armazem
de Manod Jos da Silva Marques na ra do Amorim.
= Vende-ie uma esenva crioula de elegante figu-
ra do 15 annos, boa engommadeira e cozinbeira, pa-
rida ba 15 dial com muito e bom leile ; vende-se
cun o lilhu : na ra larga do Rozario, vendado Joo
Jacinlho Pereira Cabrel.
= Vendem-se laceas com larinba a 3200ri. ,eo
alqueire rsio a 3500 u. : na ra do Rangel, o. 25.
--: \ ende-se un escravo moco bem robusto pro-
prio para qualquer servico ; na ra do Collegio, n. 16.
= Vende-se um pardo de idade de 20 annos, de
bonita figura bom carreiro com principios de car-
pina ; 3 pretos mocos ; duas pardas de idade de 20
annos, coiinbio o diario de uma casa o lavao ; toJai
por preco commodo ; na ra da Cruz, oo Recite ven-
da n 51.
= \ ende-so uma escrava de naci de booita fi-
gura ; na ra das Trincbeiras n. 25.
= Vende-se uma escrava crioula de muito boni-
ta figura lava bem tanto de varrella como de sabio ,
cozinba laz renda cose ese afiance a cooducla da
mesma ; oa ra de S. Rita o. *20 das 9 boras da
manhia em vanto
Rap dt Ga$s,
Ha ebegado recentemente a este deposito, viada do
liio-de-Janeiro pela barca Firmeza uma superior
fumada do muito acreditado rap grosso e meio-gn sso.
talvez o mais genuino em qualidade que at aqu tem
vindo a esta cdade e acba se a veoda em libras, meias
ditase oitavii or lojsa dos Srs.: Joaquim Candido
l.i al do Barros Thomaz Pereira de Mallos Eslima ,
Manoel Francisco liodrigues e Cictaoo Luiz Fcrrei-
ra no Alterro-da-Hoa-Vista ; Jos Thomaz de Cam-
pos Quaresma e Teixeira & Andrade ra Nova ;
Francisco Joaquim Duarte ruado Cabog ; Victori-
no de Castro Moura Victorino & Guimariei o Vi-
cente Jos Gomes ra doi Quaileis ; Antonio Do-
mingos Ferreira eJoio Henriqueda Silva, ra do
Crespo ; J aquim Jos I.ody e Joaquim Dial Fernn
des, na ra larga do Rozario ; JosJorge do Rotaiio ,
ra do Livramenlo ; Jos Jeaquim Lopes Moreira, ra
Direita ; SilveiraA Freitas rga de Queimado; Gue-
des & Mello, l'ontei & Mello e Afronio Gomes da
Cunha e Silva ruarda Cadeia do Reeife.
Vende-se na fabrica di tipirilos da ra de S.
Hila, n. 85.
Ago'ardente do reino......eUradlR....... 800
Dita de Franca............ ,. 7........ 960
Ago'ardente de eoiz........ ......... 640
Espirito de vinbo.......... ......... 1000
Cenebra...........,..... ......... 720
Dita....................botija.......... 200
Licores..................caada......... 800
"'tos...................garrafa......... 160
Ditos finos................ ......... 400
Ago'ardente em pipa preco conlorme o grao.
= Vende-se um bom escravo muito sadio e bem
lorilo, he cozinbeiro, ganbi na ra, eein eitiviidol fEKis.
navios, entende de armazem de Batucar, e alo bebe qua-
lidade de espirito algum: oa ra do Collegio, veoda da
esquina n. 25.
asa Vende-ie superior Champagne, novementa
ebegada; em casi de Avrial Irmlos ra da Cruz,
o. 20. .
= Veode-se potassa nova, e barata, meias de lioho,
mlboi de arcos de castaoho volteados e direitos ,
meias barricas com farinba nova, da mi rea galego ,
barricacom dita, deSS e SSS ; peneirai de rame:
na ra do Vigario o. 9. -
Vende-se superior essenc de aniz
em garrafas de no oncas, por preco com-
modo: no Aterro-da-Boa-Vista, na fabrica
de licores n. 36.
BEIS 38oo
A' bordo do brgue Le5o alqueires
pela medida velha.
Vende-se farinha de mandioca chegada
ltimamente de'S. Catharina de superior
qualidade tanto em gosto como na cor, em
porcao e a retalho ; os pretendentes diri-
io-se a bordo do mesmo brigue, ou roa
da Cruz n. 54, ou na de Apollo arma-
zem n. 3i.
. Vende-se a verdadeira potassa rus-
si ana da melhor e mais nova,que se acha
neste mercado, a 350 rs. a libra, adver-
.tindo-sc que se vende por este preco por
se achar em barris grandes : eni casa de
J, J. Tasso Jnior,
De Franca acahao de chegar (sem
exageradlo) as mais ricas e soberbas casi-
miras elsticas de quadros e de listras,
dos mais modernos gostos: vendem-se
na ra do C abug n. i6, loja do Fereira.
Na fabrica de vinagre e espiritos da
ra da Gloria, n. 5g, vende-se vinagre
tinto e lnonco de superior qualidade, em
pipas, quartolas e caadas; espirito de vi-
nho, agoas aflenles e licores de differen-
tes qualidades ; tudo por preco commodo.
- Vende-se vinagre branco
nacional, a 400 ris a caada ve-
lha : na ra do Aterro-dos-A fu-
gados n. 7, e no Aterro-daBoa-
Vista, fabrica de licores de Fre-
derico Chaves.
Vendem-se as verdadeiras
pilulas da familia: na ra do
Queimado, loja n. 6.
Escravos Fgidos.
- Fugio, no dia 17 de fevereiro do anoo de 1844.
do engenho Santo-Andr, um eicravo crioulo de nome
Joaquim, de idade de 20 annoi, pouco mais ou menoi,
baiso, bem preto, pernal linas, ps pequeos, olbos
a fu mocados, rosto tirado, 4c.; do mesmo engenho fu-
girao doui negros, ambos de nome Jos, um de idide
de 35 aoooi eoutro de 28, com o ngnaes seguintes:
um baiso. grosso, bem barbado e preto, pernal grossis
e meio arqueada!, ps grandes, olboi afuma^ados e de
Angola, lugio a 14 de agosto de 1845 ; o outro fugio i
25 de outubrodo mesmo anno, he alto, cor fula, bom
corpo, muito dislarcado e regriita, tem as pernss um
tanto finas, pes pequeos; levou vestido uma camisa de
cbila e ceroula de algodio, jaqueta branca de setineti;
be crioulo, esem barbe: pede-se a todas ai autorida-
des policiaes, que, (en o alguma noticia, queirao man-
dar prende-lose remetter ao engeoho Santo Andr; que
ser gratificado generosamente quem os trouxer.
De gratificado 50*000 rt.
Fugio, oo dia A Je lelembro deste anno, um escravo
pardo, de nome Pedro, catalura mais que ordinaria,
cheio dn corpo, rostu redondo, pouca barba, rom idade
de 30 annos, posto represente mais,por ter a cara algum
tan o enrugada, pemil finas para o corpo, e falla des-
cantada, tema tabaco e (urna, anda naturalmente apn I-
ado, e di o bragoi, e algumai vezes entorta a cibeci,
levou vestido camisa e calca de algodio da trra, e inti-
tula-so forro ; roga-se a toda ai autoridades, senhores
de engeoho e particulares, hajao de apprehende lo e
remetter Francisco Joquim Cardozo, marador oa
ra da Cadeia de Santo Antonio, n. 25, oode receberao
a gratilicacio de 50.000 rs., sendo maior a gratifcacao
conlorme a distancia, d'onde fr conduzido.
No dia 1. do corrento mez deiippareeo um ei-
cravo de nome Joaquim, nsc3o Beni, de idade de 30
annos, levando camisa e ceroula de estopa, e bem assim
uma calca azul, o qual he lurridor, e tem os signies
seguintes: baiio, espadaudo, pernas fins, pequeos e
uma cicatriz n'uma das ps ; quem delleiouber, diri-
ja-ie. i ra do S. Francisco, casa a. 16.
No dii ii do corrente novembro
fugio tim negro de nacao, mas que pare-
ce crioulo, altura regular, muita barba
denles podres na frente, nao muito pre-
to, e he muito ladino : chama-se Tho-
maz. Roga-se a todas as autoridades se
dignemfazer prendel-o e remetter a seu
senhor Manoel Cactano Soares Carneiro
Dlonteiro, morador no Aterro-da-Boa-
Vista n. 15.
NA TYP* OE M. F; DEFAMA1 8/| 5.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EELMEJ9HA_LRFKWY INGEST_TIME 2013-04-13T01:49:58Z PACKAGE AA00011611_05911
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES