Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:05904


This item is only available as the following downloads:


Full Text
/Inno de 1845.
Sexta, feira 51
O DIARIO publcale todo os das qne
nao forera de guarda: o pre^o da assgna-
tura he de 4/ r. por quartel payos aditmla-
dus. Os annunclos do asignantes sao inje-
rido a raio de 20 ris por linha, 40 r. em
typo difierentc, c as repetices pela metade.
s que nao forem assignantes pagao 80 r.
dor lloha, e 160 em typo differente.
PIIASES DA LA NO ME2 DE OUTUBRO.
I.ua nova a 1 as 8 h. c39 rain, dahianhaa.
Crescente a8 as II h. e 13 minuto da man.
I ua chela a 15 a 7 hor; -e 37' rain, da man.
Mengoante a 23 as 5 hor. e 55 ni. da tarde.
PARTIDAS DOS CORREIOS.
Coianna, Parahyba, e Rio Grande do Norte
Segunda, e Sexta feira.
Cabo, Serinhaem, Rio Kormoso, Porto Cal-
vo, e Macey, no 1. 11 e21 de cada mes.
Garanhuns e Honfto a 10 e 24.
Boa-Vista e Flores a 13 e 28.
Victoria as Quintas feira.
Olinda todos o dia.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira a 5 h. e 18 rain, da tarde.
Segunda as 5 h. c 42 minutos da manha.
de Outubro.
Auno XX N. *4i.
DAS Di SEMANA.
27 Secunda S. Elesbao aud. do 1. dosorph.
e do J. do C. da 2. v. do J, M. da 2. v.
28 Terca S. Sma"o e s. Judas Th.nl-
deo.
29 Quarta S. Feliciano, aud. do J. do civ.
da2.'v.,cdo J. de paz do2.*dlst. de t.
30 Quinta S. Serapio, aud. do J. de orph.
edoJ.M. dal. v.
'M Sexta S. Quintiuo, aud. do J. do civ. da
1. v., c do J. depai do 1. dist. de tard.
1 Sabbado 8 18 Festa de todo os San-
tos.
2 Domingo S. Victorino.
CAMBIOS NO DIA 30 DE OUTUBRO.
Cambio obre Londre. 2.7 d. p. 1J a 60 d.
Par 370 r*>ii por franco.
n T.sIhi.'i 120a 125p.c.pr. p. in.
Desc. de let. de boa firmas 1 '/, p. % me
Ouro Oncas hespnnhotas 3I#500 a XtffOO
i Moeda de 6/400 vrl. 17#400 a 17/600
de 6*400 nov. 17#000 a 17*300
ii de 4/000 /200 a 9/500
Prata-Patacdcs .... 1/1)60 a 1/980
Peso Columnare. 1/080 a 2/000
> Ditos Mexicano 1/920 a l/T
Moedas de 2 patac. 1/700 a 1/
Acedes da C* do Beberibe de 50/000ao par.
DIARIO DE PERMAMBUCO
PARTE OFFECIAL.
DECRETOS.
Tendo de partir pira provincia de S. Pedro do Ro-
HGrande-do-Sul; e sendo ncctisario providenciar obre a
in.ineira por qne, durante a roinha auieneia, devem re-
gular so e dirigir-so o negociodo eilado : hei por bem
derrotar o eguinte :
Artigo 1. O raen minitre lecretarioi de estado
etercitar, durante a rain ha anMnefa, as atlribuicoc
que pela onnsltucan e pela le cumpetem au poder
executivn. rom a aeguinte dcInracCe :
1. O acto que. segundo i Ici o o estjlua, no
dependem d* minha imperial asiignalura, onliuuaruo
n ser expedido em meu nOme, oomo se ptweaatit* esti-
veise, porcada um do* ministro e seerNfim. de us-
tado.
1." Otalo qne, egnndo af.lfftp os estylos. do
penden da minha imperial atsignsjljpp, ter-me-hio re-
mettido regulirmento para aiaj|flpe no lugar em que
eu eitiver.
Arl. 2. Se o bem do estado igir que, ante do ob-
terem a minha imperial nsiignatuta, aejin expedido c
executado 'alguna no t de qusf trata o 2. do artigo
antecedente, poder expediento eexnc.119.lo ter logar
provisoriamente em virtnda_.de reaolucca tomada, as-
ignada polo meua ministro e secretario de estado
reunido rm onnorlhn; devendo neate caso ser nnvida,
segundo a importancia dua meamos aeto, urna na mai
icrcoe do meu coneelho de estado.
Art. 3 Na falta un impedimento de qualqncr do,
nieus ministros o secretario de estado, serau ai roparti-
ce a eu cargo distribuida pelo que 6 carena ou esti-
verein desinipetlido.
Joa Cario Pereira de Almeida Torre, do raeu onn-
celbo de catado, ministro e teoretario do estado do ne-
gocio do imperio, assioi o tenha entendido e faca exo-
cutar cun os despacho nocesiarn. Palacio do Rio-do
Janeiro, em 29 de aetembro de 1845, vigeiim quarlu
da independencia e do imperio. Com a rubrica de San
Magettade o Imperador. Joti Carlos Pereira de Almei-
da Torree.
Tendo resolvido, que n onnoelheiro do ettado Joi
Carlos Pereira de Almeida Torre, meo ministro o se-
cretario de estado do negocio do imperio e uterina-
mente oiinnrrrgado do da juitca, meaoompanho na via-
gem quo ni" proponho faier at provincia doS. Pedro
do Rio-rande-do-Sul : hei por bein quedo negocio
di primeira das indicadas repartiere, neala capital, du-
rante a minha amencia, flqae incumbido o concrlheiro
do catado Manoel Alvea Brancu. mou ministro e secreta-
rio do estado doa negocio da faienda; o que do nego-
cio da segunda fique pelo mcsnio modo incumbido o
cnncelheiro Antonio Paulino Limpo de Abreu, meu mi-
nistro e secretario de estado do negocio ealrangeiroa;
observada OlinitruQoAc constantes do mou imperial
decreto deat* niesnia lata.
Jote Cailot.P*reira da, Almeida Torret, do meu onn-
cellio do-catado, ministro e orretnrio de etlodo do ne-
gocio do iuipWio, o trulla o'stim entendido e faca exe-
cutai eun 01 .despachos nrcetaarioa. Palacio do Rio-
dc-Jaiififtt, rm 19 de srlembro de 1845, vigsimo quar
to da independrlipin e do imperio. Com n rubrica de
engajado para o quinto balalhio da guarda nacional
detto municipio,Partioipou-te ao respectivo cora-
mandante tuperior.
PortaraAo director do arsenal de gnerra, determi-
nando, ponha disposicSn do terceirn commandante da
guarda nacional deite municipio 120 oioovinha e nu-
tras tanta agnlheta.
EXTERIOR
Sua MgetadC u Imperador. Josa Carlos Pereira de
Almeida Torres.'
GyveSio da provincia.
IXTEDIKKTE DO DA 25" DO COBttENTE.
OflioioAo cuinmnndanto da arma, rccninmrndnn-
do, que, durante o concert da cadeia dcsta ciclado,
mande reforjar a respectiva guarda.
DitoAo bacharel Bruto Jote de Soma, acensando
recebido o teu nfJicio de 17 teste met, rm que dn parte
de haver entrado, nene dia, nn ejercicio do lugar de
promotor publico dn tormo do Brrjo.
DitoAo inprctorJon thesuuraria da faienda, orde-
nando, fafa abrir aisentamento de pra9a a ei corneta
MXICO.
Declarardo de guerra feita pelo governo do Mxico aos
listados-Unidos.
Joa Joaquina Herrera, general de divUao, e presiden-
te interino da republioa mexicana ao oidad&oi di dita
repblica.
Faiemot saber, que o eongresso geral decretou, e pe-
lo governo execulivo foi iinccionado o iegninte :
O eongrcaio nacional da repblica mexicana, consi-
derando, que o congresio ilu Estadci-IInido do Norte
resol teo, por droreto sanecionado pelo poder exerutivo,
incorporar o territorio de Toxa a Unio-Aracroina :
que esta mnneira de c asirnlioroar do territorio, so-
bre o quae as outras nacos teem direitn, introdui
nma raontruoaa novidade, comprometiendo a pax d
mundo, e violando a suberania da nacc ; que esta u-
nuipar.au, contmiimada em prejuin do Mxico, eslava
dedn longo teinpo prfidamente preparada, emqiiantu
quo se proclmunva publicamente a rali o rdial uni.-nle
da parte da repblica mexicana, e que o* tratado exis-
tente entre ella e ut Estados-Unido ero eicrupulota e
legalmonte rcipeitados.
Que a sobredan anuexnciio de Tcxa ao Etdo-Uni-
d* deatroeo prinoipios cnmorvidoro da lociedado.
ataca todo os direitos, que o Mxico tom sobre aquellr
territorio, he um intuito a ana dignidade como iincjo
soberana e anienga sua independencia e sua existencia
poltica; que a le dos Estados-Unido, no que respeita
8 nnnexnco de Texni. em nada tlcatroe 01 direitos do
Mxico sobre esso territorio, dretot adunes, que cum-
pro faier rcspvilnr; que os Estados-Unidos teem calendo
nos pus os principios, que erviio de bne ao tratado
de amiade, cnmmvrr.io e nnvcgacSo, e mai especial-
mente a deiuircacdc tundas cora precisan antes de
1832, a quaea sao violada* por esta 118930; e finalmente,
que a injusta espoln.^ao, que 01 Eslidos-llnldin querem
fazer ao Mxico, da a este o direito do em pregar todo
na sena rrcuraos u todo o teu poder para retittir ole a
ultima mencionada unncxar;o.
O eongresso goral decretou :
1. A nacau mexicana chama lodos os scu filho
defem de tua independencia nacional, amoscada prln
iiurpA9ao de Texat, que lleve realisnr-e mis termos do
decreto de annrxaca'o adoptado pelo eongresso, c sano
cion.ilo pelo presidente dos Eitadus-Unido do Norte.
2." Cnntcguiulemente, o governo mexicano chmnar
s arma toda a torga do terra na cunforinilsde do
poder, que Ihe he concedido pela le existente, e no
inlercsse da i-onscrvacSo da iirdem publica, para a nnc-
9A0 de la iitltuicde, e nn cnso necessaro para ser-
vir do reserva ao excrcito. O governo, nos termos dos
poderes, que lite forao concedidos^ em 0 de deinubro de
1844, mandar organinir a _ton;a etproificada pelo dito
decreto sub o titulo deexercto defensor da independen-
cia o das le.
Asiignado, Miguel Artistnn, preiidcnle dos depnla-
do.Francisco Caldern, presidente do senado.Ap-
provado para ser impresso e publiradn.
Aasignado, Jos Joaqun Herrera. A D. Lus Cue-
vas.Palacio do goveruo nacional, cidado do Mxico,
4 de juihii.
(Diario do Governo.)
INTERIOR.
RIO-DE-JANEIRO.
S. M. o Imperador digna-se de tdmillir boje i tua
0 EQUILIBUIO FEMININO. (*)
Comervou-sc Deirona* em silencio por algum lempo,
e Rubinrau, anda abitado da acea que acabava de na-
sistir, nto penslva em perturbar aa meditacet deae
humero, que allli rile j ulgrn tao tolerante e bnnichao.
Aguardaia, em quonto ai mai uppoita cunjnctura Ihe
paisavao pelo espirito.
Do repente, Detroiiiia, como que arrancando-ie a
mil reflexde, apertou-lhe involuntariamente a mo, e
diate-lhe cora melanclica voz :
Quando em Mantea Ihe ped, que aqui viene, meu
charo amigo,- tb condicOri que von escrupuloso
detempenboa, nao pude cxplicar-me caihrgoricamcnle.
Priuiriro quo tildo, anda que eu preaenliise que seria
necetsario chrgar detagradaveit extremidades com o
conde, nio tinha diiso urna cerina. Nao quera confi-
ar-lhe ai camaa da noisa diffrrencs, porque crio mili-
to deliradas, voisn lie muito moco, e poda acontecer
que nao tivesio do tratar o conde esta noile oomo inimi-
g". Agora he differente. Vois tero boro roncao, Julio,
e lie srnaivel a amitade, que Ihe teitemunho, trunca,
lncera.....
"" *r....... excUmou o mancebo com abafada
mao de
o manorbo com
vot, o apertaodo, 00a apaixonado movimento, 1
Benedioto.
O Vid Diario u.' 243.
Siro, mou charo menino, replica brindamente Dei-
ron.ai, e he porque voaa he digno deala amitade, que
eu quero diier-lhe como eporque, apetar do que acaba
de panar-ae, nao deixo de ser um hornero boro e Ihano,
e que quer pax e affeicao.
Eu o ei! Sr. eu bcro o ei!
Ha dou roezc que recebo Saint-Amand em mi-
nha caa como um irmAo, do.que tero vot ido leste-
11111 nlia, epde por rnnseguinle julga-lo. Nao bavia pro-
va de benevolencia e affecto que Ihe eu nao desse. Ea-
qundrinhava tildo que podesie tornar-lhe a nossa socie-
dade Bgridavel, e puno diie-lo, tost que conheceo
meu cosiuinc, que uisso era eu bem desinteresaado,
pni que por gusto amo a solidan. Poit bem, em quant"
nieeu anim motlrava amante e tnceru..... tone, Ju-
lio, me concede que o meu comportimcnto era o de um
amigo ?
He verdade ho verdade I responde o rapas com
doloroao tom.
Bem, em quanlo eu inim o tritava como irniio,
tabe vmsc o que meditara o traidor?
Oh meu Den! disto Julio aentindo-se desfil-
ecer.
Tentava teduiir minha mulhcr! Propunha.se a
deihonrar-ino nao he to tao indigno lio infame .'
Sun, i 10 infame!
Nao era rarimu para Ihe eu nio faier a honra de
me medir com elle, e ante mata-lo, como uro impo
e traidor imitado 7
Sim um exclama com vehemencia o filho do
notario, largando iramediataruente a mi" do aeu inter-
locutor; 111.i rile nio he o nico amigo prfido, o ni-
co infame Outro ha aindi merecedor di sua colera, a
que ni Va. accumala de bondades, e que igualmente for-
anguata prelenca, pela* 5 horas da tarde, no papo da
cidade, em pequea gala, ai peasoas que le apresenta-
retn para o cortejo de despedida, que ha de ter lugar em
consequencia da viagem de SS. MM. provincia de
S. Pedro do Rio-Grande-do Sul.
SS. MM. embtreari domingo, ai 5 horas da larde,
em S. CbristoviSo, e partiro segunda-leira de manbia
a bordo da Iragata Comliluicdo
A eaquadra braiilera, 10b o commando do chele de
esquadra Grenfell, compOe-ae dos seguinles vasos :
Fragata Com/iiutcdo, commandante o capitSo de
fregitili Joaquim Jos Ignacio.
Crvela Eulerpe, commandante o capillo-lenle
Lamare.
Crvela Selt-dt-Abril, commandante o capiiao-le-
nente Bulbdes.
Brigue-escuna Fidtlidade, commandante o !. l-
ente Luiz da Cunha Moreira.
Brigue-escuoa finja, commandante o capillo l-
enle Moroni.
Patacho Argot, commandante o capilao-tenenteGa-
Ibardo.
Vapor lmperatriz, commandante o capilao-tenente
Carneiro de Campoi.
Vapor Imperador, commandante o capilao-tenente
La mego Costa. .
Vapor l'aqueie-do-IS'ortt, commandante ooapilao-
tenenle Pereira Pinto.
U vapor i'aquele-do Norte sabe boje para Sania Ca-
tharina, a lim de annunciar a prxima sabida de SS.
MM. II. ; e largar de Santa Calbarina para o Rio-
Grande, com o metmo objecto, apenas SS. MM. II
ebegarem ilba.
AcompanhSoSS. MM. a fragata americana Karitan,
e o brigue inglez Grecian.
O Sr D. Antonio de Saldanba da Gama e mais cria-
dos da casa imperial Iretraa o vapor Sampaytnse para
terem a bonra de acompanbar at lora da barra SS.
MM.
A companhia dos guardaa-marinhas e aspirantes fro-
tou tambero urna barca de vapor para rebocar, no cas
preciso, a corvetinba de entino equipada e manobra-
da oela meim compinbia, que tiinhem vai ao huta-
lora.
Em Santa Catharina, SS. MM. passario para bordo
do vapor lmperatriz, que os levar ao Kio-Grande de-
pois de terem visitado virios pontos daquella ilba. A
esquadra acompanbar SS. MM. at A barrado Rio-
Grande.
Vimos hontem urna carta de Buenos-Ayres com
dala de 15 do passado, que diz oseituinte :
a Aqui chegnu boje a corveta Bertioga, e dizem os
ofliciaes, que os almirantes interventores veem intimar
o hloqueio deste porto, e que devem estar aqui a cada
momento. Affirma-se, que a Bertioga veio trazer esla
noticia ao cnsul brasileiro, para elle pievenir o coru-
in ere io do seu paiz.
Em um poi .c'iptum sem dala, accrescenta acarla
oteguinle : Pode annunciar a.....que est intimado
o bloqueio.
[J. do Commercio de A de outubro.)
ra nacionaes e estrangeiros, sabio a gente s vergas, e
deo-se urna salta de 21 tiros, lano a bordo doi navio*
como as (ortalezai
A's 6 boras e 10 minutos chegario SS. MM. II. a
bordo da Iragata Constituicilo, onde mmediittmenle
loi arredada a insignia do ckefe de esquadra Grenfell,
e icado o estandarte imperial, que fui saltado com 21
tiros pelos vasos de guerra nacionaei e pela fortaleza
de Villegaignon.
SS. MM. forSo comprimentados a bordo pelo Sr.
Wise, ministro dos Estados-Unidos, e pelo comman-
dante da fragata lia-ttan. 0 commandante do vapor
inglez Cyclops offereceo-se para acompanbar S\ MM.
A esquadra sabiri esta manhaa pelas cinco horai e
meia.
(dem de 6 outubro. )
PERNAMBUCO.
JURYD0RECIFE.
QUINTA SESSAO ORDINARIA.
Preiiilencta do Sr. outor Rodrigues Sitli.
Dia ol.
Reo Silvestre de Jess.
Crime Tentativa de reduzir a eicravidSo pesioi
ivie.
Advogado O bacbarel Beovenuto Augusto de Ma-
gslhaes Taques.
O reo (oi condemnado em 6 annoi de prisao e multa
correspondente.
Hontem pelas 5 boras da tarde, SS. MM. II. des
pedirau-se do principe Aonso. A separaran foi
dolorosa : S. M. a lmperatriz, banbada em pranlo,
nao podia deiiar o augusto menino.
SS. MM. embarcrSo em S. CbristovSo, sendo a-
companhados porumluzido concurso de concelbeiros
da estado, senadores, deputados, camaristas, etc., etc.,
que liverao a honra de acompanbar SS. MM. atea
bordo da Comliluicdo.
Ao approximar-se esquadra a galiota que condu-
zia SS. MM. embandeirrao lodos os navios de guer-
mava o deaignio de destruir para sempro a sua ventura !
He preciso que tambero ello sejn punido; elle est no
iua prcic 119a: mu cu!.....
De lu iurle eslava nesse momento o detaventurado
mancebo dominado pelo srntiinrnlo datu.i falta, que nn
hetitou offerecer-se lio benvolamente colera de Be-
nedicto. Sem altancAn ao prrigo de eeroelhnnte cunfis-
5o, a nreexidade de drsrucnrrrgir a tua conscencn.
os remoraos aginados pelo que acabava deouvir so-
brepujaran a sua insensata paixio; nio pudia mais
guardar o irgredo de seut culpado projectos ; era-lhr
preciso confeaia-lo menino aquello a quero elle of-
feudio.
Ao rrjurr para Benedicto oa olhns, espera va elle en-
contrar esseolhar severo c carrancudo, que havia niel-
tido reiprilo a .Saint-Amand. Quol nio foi porm o es-
panto do rapas ao encontrar o rosto do amigo, leriu mas
afVrrluuso r qua-i risnnbo!
Tomnu-ihe Detronai a mo, f-lo sentar de novo
junto si, e com o inesmo acento nielanoolioo eterno
curo que ale all Iho fallara, aim cunlinuou:
_ Pobre e generlo ripis, er to eolio que me des-
cubre aa Iua hesila^n, a tua falla, 01 teu rcunirsos,
qne firm que le eu lastime e te perdoo ? Ah! necre-
cenlou pataando-lhst a niSo pelot I. uro r.abellot oomo
para recuroprnia-lo euro una caricia paternal, eu bem
tabia, que se o outro tinha um animo oovarde o tero f,
o leu, a desposto da tua paixio, era ebeio de nobreta e
de r.ourada bondade. Eu briu sabia quo aqu mesmo,
nrste lugar, ao roiniiiiinie.ir-te o roen petare, tu nio
upporlariai drsnpirdado 11 ten especlarulo, como essr
niiteratrl que acaba de cabr aos nieus golpe. Vs tu,
Julio, o teu irrcpendimentu revela urna nobre crealura,
dotada de insliuotoi puros, oque merece urna ventura,
PAO-D0-ALHO.
(Correspondencia.)
Nio ha um lugar da provnola, em o qual os rffeito
da poltica dominante se tenliao arntido rom mai n-
lensiu do quo neile, porque tambem ero neuhiim outro
a gente praieira he mais miteravel, e menos influente e
ronsidrrnvel do que nqui: cunta n crr comn, o tmen-
lo para rrali-ar n srntrinja do Eoclesiaste sobre a vaida-
de das coiisns mundanas, nao obstante a conveniencia!
e coiisbiiMncic soeiae, nio obstnnte a differenfja de
('unch-i-h. que a snciedndo o opnilu lera eiiabrlrcido,
r.r.st.1 a ever, digo, oomo se oporou ustn miidanea, que
jkm- em rivalidarte rssrurial o poder o a opioio^jttem
uianifrsin lioslilidade a aiiloridade com a sueiodade ;
o propietarios, os hoinrm ricos, roaii grados, inaii
inlrlligrnles, mais dedicados ao iervico publico, maia
probos, quo lempre e ero lodos na lempo douiinrio e
.crinan ao pas, protnriplo, demitlido, reformado!, o
opprimidos; o o proletarios, os analphabeto, 01 deaor-
deiros. os liomeni sem opiniio, sem nonsideraflo, oc-
cupando os rargo, dominando como reguos, como
baixs, opprimiudo, e tvratMliandn a todm que m nao
irgnrm \ eolia o Sr. Clnehorro ca ao sPao-dn-Alho, e
pasmar de eonhercr n gente, a quero elle collonou era
eropregim, 11 ni|urlles >111 o ealin npprimidni. e retirado!
das posices offieines : so lin fra odiosa uroa diaeiil-
sdo nominal para luvnr 11 fclin evidencia, 011 a institui-
ra : Yon. tal ves nio saibio, que .muito do nllieiaei
da guarda nacional proxiniAmente noiurados pelo ara-
mado Cliiclioiro, o inclusive o lenenle-coronrl, vende-
rn c byi'ollicrrao os poneos riera vos, quo linliau, para
pagar o titulo da nonira9io, e arranjareni otardainen-
lo Ha punco! dina, era dia de feira, nma rixa te Irivoa
cutre um dus mesnios ullieiae! n urna pessoa do povo, li
no af migue, por causa dn rabada de nina re, o o cato
ralave fri, porquii puxa de va, puxa de l, quaii quo ha
una agua soja, le na 1 oorrcsaeui logo cm ajuda do cura
pauheiru oulroa ullieiae, que deixrio os seus y" ta-
lliot *Q : grit.vva te contra o exclusivismo da familia
Cavalcnnti, porque nlgiim dille oroupivio 01 pintos
dn |; um iia nacional, e agora esses polios furio subititui-
dos por individuos de urna SO familia, quasi todos do
cortico dn Lavngein; pnuco me importa, jiororo, quo ci-
ne Sn. vendi escravos para ae fardaren, que le indi-
videro ato 01 cabello, que briguem pela rabada de boi,
- .:*.' ,.i-...- ,jiM^^^im'mimMmtmsMmatemmtmiimmim
que uro amor criminoso nunca pode dar. Procura, mea
tilho, pois que tarobem queres amar, um corceo oomo
o leu, e livre, o eu te prometi venturosus das. Entre-
tanto, d-nie a tua man, para que a serr contra o meu
peiio; conservare a Iua imitado al odia em qae to
votares outro amor, a uro amor virtuoio, e eolio val-
ia a rocus bracos. Felicltar-me-hei de enoontrar de ao-
vo um amigo oomo tu.
Por esta inesperada generoaidade Julio tentio-ie mais
culpado anda, e maii ae Ihe exaltou o roconheciraenlo ;
lancou-ae .1 mi que Benedicto Ihe oatendia, e a oobrio
de Ingrimas.
Esli bem [ conlinuou este, sei qae es sensivel; aa
lagrimas ainda assrulio na tua idade. Mas reflecte, fi-
lho, que vai a ser hornera, e que a firraeaa he urna da
nossa virtudes. Adeui, curi-te, e conta com o amor
de pii que t consagro
Ditas estas palavraa, Benedicto levantou-ie, diso
ideo 1 Julio, e io e com pasao grave loraou o oaminho
da quinta.
XII.
Enrretanto Joaephiaa eslava linda de joelhoi no moa-
roo lugar em que a hiviio proitndo o eu praienli-
uicntoi, e cheia desuni e de trsteta. Como ella ergua
na olhoi e de novo o tremendo os lanfava para o relo-
gin, ouvio urna bulla de pasioi ni aala que preceda a
fin que ie achava : ergueo-ie de uro aallo, voou i oulra
extreiuidade da sala, duitou a oabeca, e prucuruu deico-
bnr quera vinha; roa nada vio, e l aenlin urna mo
que 10 apoiou ao leu braco, e oomo que a repcllia bran-
daroeuio para de compaabia penetrar na sal, coja en-


que andeni de jaquela e clvinelloi, que vio raascatear
na feira; o que ru quera, au menos, he que ellos nui
deixaasem viver e respirar, que nlo opprimissem ai po-
vo, dn qual ae arvorrlo procuradores niaa quai | ac
elle* nln eunhecera aeua deveres, ae riles opprimoni pa
ra mualrar que teem autoridad, ae riles qucreni impr
pela violencia e pelo terror! Vine. nan sabero o que vai
por c, em que estado viidentu e opprrssivo aqui vive-
noa; nln ae miro outra cimaa que valsa anieacas, que na
taea Sra. todos oa dina nos fainn a familia da La vagom
ha de mostrar o que he, eque podera maia que o Ca-
valcnntic: o padre Vicemu he aqui, defacto, juii de
dircito, municipal, pr>iniotor,chefe de IrgiSo.e Pelrutin
cunds, aenluir de barago c cntello, o ludo, menos padre;
elle p6e c tlispoo de tudn. e nSt> tero no curacS o nos
labios aenlo vinganga. So Vma. o vissem, no dia du ocren
du Engenhn-Novo, de palileauaujo, armado de piatolaa,
edurindana, Lulas a aertnnrja, tul qual manda atonta
madre igreja, nln pndiio cunler o riso Base padre he
o motel de lodos os desalios e violencias, pmqueoque
elle dii hu cvangellio para todos, inclusivo o junde di-
rritit Molla, que assim mrsino sabe iiirnoa do que elle :
qiH'rem sabir o que teni feilo o delegado, induzido por
elle ? Oocao : prenden no tronco, no dia 27 de aelombro,
e mandn espnnrar com un chinitio ao guarda nacional
Miguel Aleanjo Rumio : Vims. dovidlo i' L rai conidio
.1.runenlo n.O \) : note-se, que esao guarda naainn.il j
servio no baialhao dealacado nhi no Reeifo, e he de ex-
cellenlc conducta civil o mural, como attcstiu na 7 rin-
cumentiii, quu Hit; remello : no mesmo dia mandn
prender no tronco a nutro guarda nacional de i......
'ranciseo Jos de Cartalho. o qual lem tarobein excel
lente contlucta, romo mostrlo nulros tantea diiotiuirn-
toa, que Ihu remello : nolcn Vina., que cases iloui infe-
ltics guardas narionacs, casados, ouerados do familia,
forfio prraoa no trono, seni que comniellustein erimo, e
so a pretexto do rccrutnmentn, como consta do ofltei
do delegado, que llio remello por copia : dibalde recla-
marn aeua direilos. debadle justificarlo as oxccpfes
legaea, que os favorecan, o delegado nein ao menos dea
]iachou "S jeqnrrinientos; debaltle requerirlo ellea Ao-
hras corpus depois tje presos lia 11 diaa som processo,
e aem snberem a causa da priao; n habeos corpui llic
fui denegado pelo juii do tlireito Molla, segundo o qual
s ha habeascorpus para oa praieirus, nada valeo a esae.
infeliscs, rujo crime consista em screm elles do partido
da ordfin : aabem o destecho disto, torio s.tilos nHn.il.
c de|iuia de la diaa da ln......i, porque un cmpenlio
%
porque mu cmpenlio si
meneo de perm-io, turan sollos depois de j cslarem
destinado* para a marinha, e atFeetos ao presidente, co
nio dito delegado no sen nfliciu : o cnllo? lato lie vio-
Ictieia mi liberalismo ? esla idade nao he do ouro ? Logo
Tollo.
Assentauoa, quo he de inlcresae a puplicagSo dos tres
documentos segumos, os quaes vierio com inuitoa uu-
iros.
DOCUMENTO N. ..
VERTIFICO, que Miguel Arranjo Rmnn foi reco-
Ihido a cadea tiesta villa.pelaa a' luirs da tarde do da 11
de aetembrt p. p pnr orden do llm. Sr. delegado des-
la enmaren, em dceluracJo do seu crime; pelas 7 horas
da iioutodaquellc meaiuti da foi rccolhido ao Ironco, e
ncata nccaaio fui esi-aueado com un chicote pelos lo-
dadna do doalavainenlo, que catavfio de guarda, en dito
prean anda so echa no tronco at n presente data. Pao-
do-Alho. 2 de mimbro de 1845. Manoel de Jesm Se-
animen, rarecreirn.
DOCUMENTO N %
VKRTIFICO, que Fraueisco Jos de Carvalho fui pre-
so pelas 5 1|2 horas da larde do dia 27 de felcmbro
p. p., e recolliido a radeia destn vilia, por ordein du
lllm. Sr. delegado desta comarca; pelas S horas da non
le do referido dia foi mandado pelo dito Sr. delegadu
paasarpara n tronco, rin cuja pri.ao ex ate alo Imje.
l> Seguimen, oarcerero.
DOCUMENTO N. 3.
fc.M rostosla so ofiletn do ;
lizJElj
M rosposlo an iflltindnW S., que neslc niumenln
iciilio de reeclier, tenho a diicr-llie, que oh presos Fran-
cisco Jos de Carvalho c Miguel Arcanjo Rumio sea
cbao destinados para a mariha, c cuino taea ja se ach
affectos ao Exro. preaitlento da provincia, temi apenas
sido demorados na prislo, a ver se aprcsenlln alguna
documento, em vista dos quaes S. Exo. os considero
isenlos de tal recruiamcnto.
Einquantn o diada prieln de ambos foi elfectuoda un
dia 27 do cnrrenle.daa 4 as 6 horas da larde. Dos guar-
de a V. S. Drlcgaturn, 7 do oulubro de 1845. lllm.
Sr. Dr. Jiiis de direilo interino do crnio, Joaquin Higi-
lio da Mulla Silveira./Vancca Jos de Jiarroi, dele-
gado do Pti-do-Allio.
orna correspondencia do Amigo da Verdad, inserta no
O.-novo de 28 do eorrente mes e anno contra o meu
amigo, o Sr. Antonio Martina Ribeiro, em qalida-
de de theeoureiroda administracio dosestabelccimrntos
de caridade, e contra a mesma administracio. e certo
de que o meu amigo nao estava disposto a responder
a voserias estupidas, ordidas pela malignidade, e com o
seu lundamento em srdidos inters***, assentei de es-
clarecer ao publico sobre essa asnatica corresponden-
cia. He asna ica a correspondencia ; porque, dexan-
do a transacta administracio um dficit real, ou debito
passivo de 17:203,680 rs., nio deiiou urna s letira de
debito activo, j vencida, de rendimenlos pretritos,
como, com falsidado e muta velhacaria, quer incul-
car esse individuo Amigo da Verdade. Ficaro
10:497,190 ri. em leltras; mas em lettras dos rend-
melos dos predios do patrimonio, anematados por
longostempos, e at por nove annos, queaindaseba
viao da vencer, e por isso subjeita a administracio ac-
tual a fases reodimentos contratados pela antiga admi-
nistracio por lempo,que ella nio abrangia. e excntrico
desua gerencia, e por pregos tao diminutos, que alguns
dos predios valo o duplo dos rendmeolps, por que
os tubjeilou a antiga administracio : ora, pertencen
do,por consecuencia,e.'scsrend intentos,de queprovierio
a* lettras, receita dos snnos futuros, responda esse
Amigo da Verdade, se semelbantes lettras se podem
abater no verdadeiro dficit? Alm disso, esies arren-
damentos, feitos a lempos luturos, foiio prejudiciaea a
actual administracio, nio s pelo barateamento daa
rendas, como porque a transacta administracio saccou
logo dessa* rendas, anda por vencer, maia de 3 contos
de res; pelo que a divida psssiva anda era maior, e
por isso verdaderamente o dficit nio loi s de 17
contos de res, mais sim de 20 contos de ris. Em-
quanlo aos 2:460,207 rs., pagos a Manoel Jos da Sil-
va draga, lorio pagos pela actual administracio (sem
seren por esta contrahidos) e nada tem com a transac-
la: pelo que vejo, o Sr. Amigo da Vrrdade vern mon -
tadoemmuito mo e lazarento sendeiro, e nio pode
deslustrar a brilbante conducta do cavalleiro.que mon-
ta o cavallo da batalba. He verdade qua a le i do or-
-amento votara o duplo doqueanujs prestava para as
desperas dos eitabelecimenlosde caridade, movidos lal-
vezos legisladores, da miseria em que se sehavao eises
estabelecmenlos e mortandad inmensa, nio s dos
mennos, como dos expostos; e com efieilo sem esse
accrescimo de receita nao seria poisivel, alm de tantas
vantagens, manler com extraordinario n.elboramento
os estabelecmenlos, duplicar o numero dos enfermos
do hospital de caridade, e telar-se a creacio dos ex-
postos na melhorordem possvel; hcando aasim respon-
didas essss aerias compararles artbemeticas do inbe-
cil Amigo da Verdade. Pelo que respeita aos 4 con-
tos de res, dados pela lei do orcamento, 2 conloa de
tis para o concert de predios, e 2 contos de res pa-
ra reparos da capella e edificios do hospital dos lazaros,
estes forio gastos segundo a aua applicacio, e anda
com excesso de 200 e tontos mil res as sobreditas o-
bras, mas nio basirao para ultima-las, e aquellea
forio applicados a concerlos de predios ; portn he de
advertir que os predios concertados, e algn* reedifica-
dos, soliem ao numero de trinta e tantos, para o que
nio podiio bastar oa 2 contos de res, nem anda 20
contos de ris, e note-se que s nos concertoi do gran-
de hospital de caridade para o seu possvel melboia-
mento tcem-se gasto 2 contos duientos o tantos mil ris,
que nioenlrao nadespeza dos trinta e tantos predios:
os 2 conloa de ris para pagamento do aluguel da casa
para o hospital de caridade nunca se receberio, porque
anda nio oro oecessarios. Ora, continuaremos a-
indaa dar palha ao sendeiro lasarento?.'...........
O crdito da actual administrarlo est lii seguro, e
arreigado na genle proba, e de senso commum que
nenbum alreguetado para o lorneciuieoto dos estabele-
cmenlos de caridade quer receberlogo a importancia
total de aeus gneros, ficando em conta fechada, por-
que teme,nao se mude de fregueta, ebe esta a raaio,
por que o Sr. (ueroz nio quera receber da adminis-
tracio o pagamento do fotnecimento das carnes verdes;
e como se foaio alongando maia o lempo, e elle nao
quizesso, apezir de reiterados alisos, presentar sus
contas para st rem salisie.las, a administracio, em ses-
siodc 11 de julbo do correte anno. deliberou que
losse admoestado. para vir apresenlar as contas, e re-
ceber o seu debito, com pena de se mudar a freguesa,
e enlio foi que apresentou suas contas at 31 de agosto
desteanno; e tendo-se conferido al oulubro do anno
miaittracio nio. pode ainda salislsze-la, por Saisset
sa ter ausentado, e nio apparecer algem por elle auto-
rissdo, para, com legalidade, receber esse debito. Pare-
oe-me, Srs, Redactores, quo seachio betn aoalvsadas
todas as invectivas do A migo da Verdade contra o meu
amigo Ibesoureiro da administracio; e que segundo a
verdade constante dessa analyse.nenbuma pecha ae pode
impor, nem a ana conducta, nem a conducta da admi-
nistracio actual; e que oa relatnos da administracio,
e contas correntea sio fundados em verdadea manilea-
tia, que a gana de vorazes insolentes nio pode olTus-
car. Tenhio, Sn. Redactores, a bondade de perdo-
ar-me o incommodo, que Ibes tenho dado, por aaaim
me ver obrigado em razio da amiiade,e de ter por na-
tureza
O I ni migo da mentira.
COMMERCIO.
Alfandega.
Renmmento do du 30.................5:828246
DesearregaO no/e 31
PatachoSlaeomirfarinha.
RrigueMana-Feliz batatas e albo!,
Brigue/lo haca Iban.
BrigueConceico-dt- Maramercaduras.
Correspondencia.
Sn. Jtedatiorei. Dando-me ao trabalbo
de ler
gravas
Irada ella impedia. Utas vox enlan, que desde lugo co-
iiheceo, e que Ihe parece desear du co, to branda e
deliciosa era aos sena ouvidos, prununcou eslas pa-
la vras: '
EnlSo, roinha chara amiga? dcixai-mo passar.
Poia nio rae enxrrgaia ?
Solev! nao:ne engao? auis mesmo vos, be-
nedicto? diz a dama enlhuaiaaroada, laneando-se n
braf ..s do marido. Oh I meu eoa, meu eo
vos arjau dadas!.....
Sem ilonda, sou eu, respondo Desronoia tran-
qiiillan.enle. E que he islo Nio me explicareis de q,.
procede cuta agilicen?
Oh! nao he nada! visto que aqui estis, e que
voeTrjo, ja nao tenho roedo, sou felu; nao, nio, nao he
nada.
Medo! repele Benedicto seniaudo-te ao lado di
mulher, porque lardei um pUCo a rvcolbvrme ? Bem sa-
bis que quai.do se falla de negocios, nunca mais se
acaba, fui eum Saint-Amand at quasi aup da aua
Eslbein, meu.mig,,, daseJosephina anda tr-
mula, esta bem. Lia-no reunidos, he
ao co. Nao fallemos maia nisto.
Pelo contrario, fallemos, porque aasJn me f.tei.
ouvir a vosta vos, cuj.. aoeiiloa nunca me lorio tiu ,.
gradave, desde..... de vera, desde bu,,, Uli,pu des-
de a, priuieirtit lempos du nusta casamento.
A* eslas palavras, Muta. Desronais olhou para u ninri-
do. A nevtia que IheefTiiarava avista potito otile., se
havia ditsipado ; examinando Benedicto epanlu.,e tua pallidei, da alteracio do anas tricoes, que smgular-
inenta cunlraalavio cosu a serenidade da vos. O susto
que ao principio sentir, ae apoderuu de novo della, e
quanlu eu pedia
p. p., foi pago de sua importancia, e se contina na
conferencie, a qual finda. ser tambem salsfeita: em
quento aos Srs. Manoel Antonio de Jess, e Lima,
sio pequeos pagsmentos, que nem valem a pena de
tratar-sc, que, por nio terem indo re ebolos anda
nio forio pagos. A divida de Saisset, procedida de for
necimento da botica, de 400 e tantos mil ris, a ad-
aem re Heir nucffoito quedevia produsir a sua exaltarn
continua, gritn :
Vos estis retido Se o estis, ero mimo do co,
nao m'o neguis.
Ferulo ? responde Dcsronaia sorrindo-se, com
quinto o rosto conserve a aua lividei. Praxa a Dos que
en na realidade o estivvase, ae tora case o preco
aemprv asaim me olhaaaeis.
Mas eiiiao de que he essa pallidet dn'roslo !
En aei ea repliea o Alarido mirando-se ao espe-
llm, eomo para verificar a crrleta dea asserflo, a Qui-
la cala fresca, e eu tenho fri ; nada mais be precis pa-
ra explicar o que vos admira.
Um puuco iranquitliaada anda dcsta ves pela simpli-
cidad,.' deala natural resposta, procura enlo adama ex-
plicar a sua agilacao, duendo:
por que
IMPORTAgAO.
MAMA-fELIZ, biigue portuguei, vindo do Por
to, entrado no eorrente met, a consignacio de Anto-
nio Joaquin de Souza Ribeiro, manifeatou o aeguinte:
143 rudas d arcos, 200 canaslraa albos, 33 ditas b-
talas, 15 ditas macies, C canas calcado; aJosAllon-
so Moreira.
23 canastras batatas ; a Francisco Guedes de A-
raujo.
r. caxas fecbaduraa para portal, 1 dita ferro esta-
nbado para dito, 1 dita fio de tela, 1 dita lio porrete, 6
barra pregos, 1 cunhete aerras bracaea; a l'eixeira &
Andrade.
lcaixapellea de liza, 21 barra pregos, 2 cunheles
froios de ferro, 2 ditos cotiros em branco ; a Jos An-
tonio de Carvalho.
2 cunheles freios de ferro, 1 dito couroa em branco;
a Antonio Ferreira Braga
5 caixdes vidroi para lampeos, 3 caxas figuras de
barro; a Antonio Joaqun) Pereira da Silva.
1 caisa cascos para chapeos, 20 fardos albos, 14 bar-
ra viobo, 10 ditos batatas ; ao capitio.
15 fardos albos, 3 caixaa linbas de-Roriz e de Gui-
maries, 2 barricas cevada ; a Lourenuo Fernaades do
Carino.
2 fardoa albos; a Ignacio Ferreira da Costa.
I barril presuntos e salpicSes; a Francisco Joaqun*.
Cardozo.
24 cunbetes 24 vasos para jardim ; a B. Lasaerre,
1 barril azeite de oliveira ; a Luiz Cardoio Monte-
negro.
2 cunbetes machados, 3 caxas linbas de Roriz e de
Guimaries, 4 cunbetes alhos, 15 barris azeite de oli-
veira, 20 saccas fejSes, 7 ditos tremosaos, 5 caixaa e
23 barricas cevada, 1 cunbete lrmas deestanho e li-
nbas de algodio ; a Jos Francisco da Silva.
1 caixa chapeos finos e cascos para cbapeoa ; a Bel-
cbor Jos Gomes.
2 caxas ropa, livros eoulros objeclos usados, 1 ca-
ma de ferro ; a Nicole.
51 canaslraa albos, 100 ditas batatas, 1736 resteas
de ceblas, 1 canastra macies; a Joio Alves de Car-
valho Porto.
20 caxas cevada ; a Joio da Costa Lima Jnior.
32 molbos d'arcos de pi para barris e pipas, 50 lia-
(ss de times; a Domingos de Oliveira Pinto.
1 cunhete obras de prata e de ouro com pedras, e
panno de linbo; a Joaquim Martina Moreira Hilarte.
20 volumes drogas, 1 condeca miudezas; a Antonio
Cardozo da Silva.
1 pacote panno do linbo ; a Joio Jos de Lima.
1 caixa talagajes panno de linbo e obras de pra-
ta; a Joio Evangelista da Costa Silva.
1 caixote meias panno de linbo e lencos ; a Jos
de Campoa da Silva Pereira Jnior.
5 volumes drogas, 20 saccas feijOes; a Joaquim Jos
da Costa Lelio.
12 barris vinho, 1 embrulho retroz; a Francisco
Manoel Borges.
31 barris azeite de oliveira 4 ditos pregaduras de
ferro 48 canastros albos; a Francisco Borges Sa-
rava.
1 cunhete serras de ferro ; a Antonio Jos Coelbo do
Rozario.
.2 caxas fecbaduraa para porta 3 ditas pentes c ca-
xas de chre, palitos, e pedras de aliar 1 dita bridOes
de ferro ; a Antonio Velentim da Silva barroca.
8caixaa Rodo vela (echaduras para porta* pontea
e marcas de oseo 4 barra pregos Jmiudos o aortidos
1 cunbete freioa o mareas, 1 dito ferros pedrezes o fa-
chaduras para eaixas, 2 barris machados ; a Joio An-
tonio dos Santos Andrade.
1 caixa coturnoade linbo 2 ditas machinhos o vio-
las 1 dits luvaa de cabello ou dina, 1570cabos da
cebollas; a Joio Antonio Maciel.
23 barricas cevada ; a Jos Francisco da Silva.
2 eaixas aera branca em granito; a Dionisio Hilario
Lopea.
800 resteas de cobollas; a Jeronymo Alvea.
40 canaslraa batatas, 1221 resteas de cebollas; a
Antonio Alvos Pedro.
1 caiiinha litro* o tafeti ; a Guilherme Serafim &
Compsobia.*'
1 cunhete pade marfim e oleo ; a Antonio Lopes.
13 canastras alhos 25 ditaa massies, ama dita pa-
litos ; a Manoel Rodrigueade Carvalho.
7 canastras albo* a Franciaco Antonio reas.
1 embrolbo ignora-se ; a Joaquim Ribeiro de Oli-
veira Guimarie*.
lOicanaatra batatas, 1 lancha; a Antonio Joa-
quim de Souza Ribeiro.
7 canastras massies; a Jos Gomes Moreira.
5 gaiolas pataaros 2 boioes conservas; a ordem.
1 feche foi has de louro ; a Alaxandre da Silva
ASIA brigue ingles vindo de Terra-Nota en-
trado no crrante mes a conaignacio de Crabtree C ,
maoifestou o aeguinte.
21 la barricaa bacalhio ; aoa consignatarios.
Consulado.
KEHDIMEUTO DO DU 29.
Geral718.63* Provincial215i 174
RIO DE JANEIRO.
CAMBIOS DO DI\ 4 DB OTDBRO.
Prefoi da ultima hora da prata.
26 1/2 a 3/4,
Camblot aobre Londres
a Parix ...
Hamburgo .
Metau. Dobroes hespanhoea .
da patria .
Pesos hespanhoes .
da patria .
Pecas de 6,400, velbas.
Prata.....
Aplices de 6 por cento .
a provinciaes ....


355
663
31,800
31,200
2,080a 2,100
1,920
18,000
101 1/2 a 102
74 a 1/4
72
(7, do Commercio.)
lloviinentu do Porlo.
A'auio entrado no dia 30.
Rio-de-Janeiro ; 22 das, brigue hrsailtiro Bom-Ji-
iui, de 223 toneladaa, mestre Pedro Jos de Salles,
equipagem 15, carga fumo, fejo. farinha e urna
porfi de plvora do governo ; a G. A. da Barros.
Passageiros, Alexandre Jos Alves, com sua familia,
Jos Rodriguea da Costa, Braaileiros.
.\avio sakido no mesmo dia.
Rio-de-Janeiro ; patacho brasileiro Paquete- do -Rio,
mestre Jo'Mara Regia, carga bacalhio.
OAiereo-cad".
No dia 29 nio entrou, nem sabio embarcacSo.
Editaes.
Tambero, que lembrauca! andar pelas maltas lio
alta noitc! aindaqaandu iiauliouvesscmmus encuniru*,
eomo voa nJo lembrasles du cuidado que me devieis dar,
quandu c.nntava que au eslivesseis ausente maia de um
quarlo d'llura P
Dearunaia responden A isto com longo e lerno olhar.
Pastea a postea foi a phisiunumia perdeudo essa tria ira-
mobilidade. Josephina ncanhou-se e abnixou os ollius.
Seu marido, sahindo em hu do seu silencio, Ihe disse
calas palavras, cun accnlu de profunda aeusibilidade,
e cujas notas pareoio que ja uio distilo ata sua vus ha
mniiu lempo:
Ouvi-rae, iiiiiili.i a mi; a, dcixai de me fallar assim,
qua nio faneis mu Un mal.
Que queris dizer? pergmita Mraa. Desronais por
extremo admirada dealaa palavraa.
ba e tranca ainiodc. Ora, como eu estou persuadido do
contrari, se loase una illusao, scr-oic-hia muito aen-
sivel a aua perda.
Que loucura be esta? dii a dama confusa, ereti-
rando a vista.
' Eacutai, Josephina ; ha algun lempo que cu creio,
nio que me tcnhsi* perdido a anillado, mas que os srn-
tunentus de urna iialurexa mais viva daniinba parle per-
deran muito de valor a vnStiis olhua.....
Ali!....... disse dolorosaiuente Mina. Dearonaia,
fasendo de repente una roenha do passado ; depois
procurando urna escusa trivial: Mas, vos mesmo, meu
amigo
=0 lllm. Sr. inspector da thesouraria de fazaoda
manda fazer publico, que, em conformidade daa or-
den* ji anteriormente publicadas, no dia 9 do mes de
novembro prximo futuro tem de (indar o prato mar-
cado pata a substituido das olas de cinco mil ris da
2.a estamps por valor igual, prineipiando-se d'bi em
diante com deacontos progressivos de 10 por cento cua-
cada mez. Secretaria da iljesouraria de fazenda da
Pernambuco, 25 de oulubro de 1845. O oflicial da
secretaria, Emtlio Xavier totreira d Millo.
Miguel Archanjo Monteiro da Andrade.official da im-
perial ordem da Hoza, cavalieiro da tic Chrtsto e
inspector da alfandega de Pernambuco, por S. M.
Imperial, oSenhor D. Pedro 11, que Utos guarde,tyc.
Faz saber, que no dia 31 do corrento (boje), ao
meio dia, na porta da mesma, se ba de arrematar, em
hasta publica, urna caixa com 110 eandieiroa de metal,
no valor de 144 000 rs., impugnados pelo amanuense
Domingos da Silva Guimaries, no despacho por factura
de Avrial Freres, n. 1383, sendo a arrematado sub-
jeita a direitos.
Alfandega, 30 de outubro de 1845.
Miguel Archanjo Monteiro de Andrade.
mBBBsmsmssBm
He verdade disae de proinpiu esta ; mas, meu
Dos.....
Deixai-me acabar. Que vos direiP Amava-vos ao-
bre ludo. Entretanto nlo querondo faier-voa soffrer
pela niiuha importuna constancia, lomei urna cruel re-
aoliiclo, mas que firmemente sustentei em alinelo
vossa ventura. Dnpliqnei os cuidados, aa uttences, o
telo ; quis que ordenasseia ludo e sempre ; que todos
qui vus obedecessem, e ou primuiru que todo; que
m-nhuiu do* vosso* desejua em fioi deixaase de ser enm-
arido.
He verdade ob Benedicto, vos sois to bom '.
ajuntvu ella. I disso a dama enternecida.
Esperai, depois me responderis Eu disse cal Mas, para que fussoia completamente folia, devia
eommigo: Jato he claro : ella lie sensivel mulla de-leu imitar a vusa inditferenca. Com cffeito, so ou hou-
mtlita vera deixadu adevinhar u meu i
vot-cao, maa meu amor nao a movera mais. Que milpi
Sim, paracer-me-hia que uto nlo tendea sempre muito loureira, Joaephiua.
lem ella? Nenliniua, porque a sua vontade nlu tem par-
le nisso. A nal meza he a unir culpada, que decidlo que
s um pequeo numero achasso encantos e novo incen-
tivo em un s amor.....
Mas, Benedicto, vos esqueeei* a vossa propria
frota.....
Esperai ainda Enlio, niinh chara amiga, me
sent eu bem desgranado. Porque, ca por miro, ouvis,
era cuino no primeiro dia.....
Ali! que meditis!...... dis a dama oommovidis-
snia.
Nlo, nio, engano-rae, era muito mais forte. Nio
sci, aventura de ser sempre vorso se juntara o poder
de antigs e charas recurdacAes; e depois o vosso espi-
rito, desenvulrendo-se, luniava urna forma aiiuja maia
aeductora ; vussa belleza sempre juvenil, e que aprecia-
ba melhur o aeu valor....... pois vos voa tendea tornado
; amor, niu voa houverei
vsjulgado obrgada a relribui-lu, nltendendu a este
excusan deattences? Nio devieis saber que a vossa ven-
tura era o preco do meu.....
Benedicto I interrumpe Jusephina, de oujos olbos
se escapan duaa perolaa, que Ihe eurrem pelaa afogueu-
das facea, Benedicto, v* auis um aojo !
Eu nio sou um anjo, ntinha ba amiga, maa a-
mo-vos.
Ab!...... exclamou Josephina, deplorando ainda
maia amargamente o passado ; depois trava com trans-
perte da mi do marido.
Mas, era ves de responder i ust tettemunho de ter-
nura, Desrunais sulla um grito de dr, e retira vivamen-
te o braco locado pela bala do casquilho.
(C**t'isar-#-*t).


Deelaracoes.
Antonio, estatura regalar, dentei limados
.3.
= Pelo lyco deita eidade ae fax publico, ipara co-
nhecimenlo dos respectivos alumnos, e de quem mais
possa ioteressar, que os eximes deste eitabelecimento
deveriO principiar no da 5 do prximo mes de Novem-
bro; aisim como que, indepeodeute de serem alumnos da.
casa, ser*8 examinados, no estudo das lingoas nacional I ca'ca de maaaedooie bastante suja; o qual fugio no di<
e latina, todos aquellas, que su julgarem habilitados pa- 28 desetembro p. p; sendo que seja negro com os
signaes a cima ditos, podera leva-lo na rus da Cadeia
- um Unl|d P'!' meio braco ; dihisdo redado seda preta:
t VI ?n U r r,,0,,h0, T "8U- um Pbicleide em bmo1: >">" Pio : na
lar idade 40 annos pouco mais ou monos, olhoi ver- ra Nove n. 12, segundoandar
melboa, oara redonda e descarnada, urna cova ocoi
bigo,|queparece ser quebrado, ho canhoto, pouca bar-
ba, um dedo do p un tanto torio, un corte de fouce
napa, levou camisa de riscado asul com listas branca
ra fazerem ditos exames; os quaes sao salidos no lyio.
Secretaria do lycfi, ti deoutubro de 1845. O se-
cretario, Jodo Facundo da ilva Guimardes.
i Avieo importante,
O administrador da mesada recebedoris das rendas
aerees internas tendo chamado pelos Diariot sos the-
sbureiros dos bens de mae mortt para virern pagar o
ultimo semestre de 44 a 43 sencido no ultimo de
uoho p. p. i neohum tem comparecido e por essa
omissio passa a remetter para juno relami dos de-
redores para se proceder a executivo se por ventura
nio vierem pagar at o ultimo do correte mex; o mes-
mo aviso faz aoi devedores da laxa dos escravoi de 44
45 e aos Srs. despachantes da alfaadegs para que
venbio pagar o quartel vencido.
Recebedoria 28 de outubro do 1845. Francii-
co Xavier Cavalcanti de Albuquerque.
Perante a administracio dos eatabeleoimentoi de
esridade, se hio de arrematar, a quem mais der, as reo -
dasdas casasseguiotes: ns. 17, 47 e 49 da rus do padre
Florianno ; n. 5 do becco da Carvalbs; ns. 32 e 34 da
ra do Fagundei; n. 11 da ra de S. Jos; o. 5 da tra
vessa do mesmo ; n. 34 da ra de Maooel Cuco; n. 18
por detrs da ra Nova, ; o. 31 da ra da Moda; d.
7 da ra deS. Tberexa; os. 70 e 98 da das Cinco-Pon -
tu ; n. 33. da ra de Hortas, e n. 65 da da Gloria.
Os licitantes ppderaS dirigir-se casa das sessoes, na
ruado Csbuga numero 5, boje (31), munidos de seus
fiadores donaos.
Sala das essOs da administracio dos estabeleoimen-
tos de caridade,29 de outubro de 1845. O escritu-
rario, A. A. de talda Branddo, ,>
O conceibo de administracio do 4.' batalbio do
artilbaria a p de primeira linba tem de comprar, para
ardamento daipracas do mesmo batalbio, barritioas de
pello de braga, ou de seda com luudo e virla decoa-
roenvernixado, panno a/ul, dito preto, casimiras, car-
mesim,brim, bollanda agrvalas de couro envernixado:
as pessoas, que quixerem vender os artigos cima, com-
pareci com ai respectiva amostras, ou propnstas, ou
ai epviem em carta lechada ao quartel do Hospicio at o
dia 5 do mex de novembro prximo futuro. Quartel do
Hospicio em Pernambuco, 28 deoutubro' de 1845.
Ftanciico Carlot Bueno Beeckamps, 1.* teneote fi-
gn le.
Administracio do patrimonio dot or paitos.
Nio tendo concorrido licitantes arrematadlo das
rendst da casa n. 4, sita no largo do Hospital do Pa-
raso; a mesma administracio maeda faser publico, que
ditas readss vio nova mente praca no dia 31 do corren-
te mez (boje), pilo meiodia: pelo que, as pessoss, que
se propuzerem a dita arrematado, poderad comparecer
na casa das sessdes da administracio, com seus fiadores.
Becile, 25 de outubro de 1845.
O escripturario,
J. lU.ila Cruz.
de Santo Antonio, n. 19, ou aonuncie para ser pro-
curada.
ONAZARENON. 132
acba-se a venda ns caa da F na ra estreita do Rosa-
rio, n. 43.
Joao Paulo Xavier de Salles solicitsdor dos au
ditorios desla eidade, mudou sua residencia da ra es-
treita do Rozario para a ra do Cotovello n 48
RATIFICAg.V.
O numero premiado da lista do seminraio annun-
ciado no Diario o. 242 de 29 do crrante be o.
110 com 10* rs. e nao n. 111 como est na lista.
Hoje, na porta do Sr. juiz do civel da primeira
vara, ser arrematada a casa meia -agoa na rus do Bom-
Gosto por execucio de Manuel Antero de Souza Reis
contra JosQuaretma Braoco.
Jos Joaquim da Silva Bairio em resposta ao
annuncio do Sr. Antonio Pereira dos Santos scienti-
fiea ao mesmo Sr., que apezar de o oflerecer no papel,
que apreseotou aos seus credores, como fiador, para o
que com antecedencia Ibe bavia fallado, eelle ae pres-
tado, todava, na occasiio de se dirigir aos seus credo-
res oflereceo ooutro fiador acontento dos mesmos ,
eo mesmo contina a fazer com aquellos que aioda
nio se dignrio assignar.
SOCIF.DADE
PHILO-DEAMTHA
Avisos martimos.
Para o Ceari sabir em poucos diss, por se achar
qoasi prompto, o berganlim nacional Echo : quem no
mesmo quier carregar $v ir de pasiagem para o
que tem excedentes commodos dirija-fe a ra da Ca-
deia n. 12.
Para o Ano legue Viagem em poucos diai o
bergantim nacional Fiel', capitio Manoel Marciaono
Ferreira : quen.no mesmo quizer carregar, ou ir de
passagem dirija-se a ra do Vigario, n. 23 a tratar
eom seus consignatarios Firmino J. F. da Roza &
Irmo.
Para Lisboa segu viagem com muita brevida-
de o bergantim '/arujo-Pnmeiro capilio Manoel
de OUveira Faneco : para carga e passageiroa, trata-so
com osconsignatarios Firmino J. F. da Roza & Ir-
mo ou com o capitio.
Para Lisboa segu viagem a escuna portuguesa
Xarujo Se Filhoi, capitio Francisco Antonio de Al-
moida : quem na mesma quizer carregar ou ir de pas-
iagem dirija-se ao capitio, ou aos consignatarios,
Firmino J. F. da Roa & Irmo na ra do Vigario ,
n. 23.
Para o Rio-de-Janeiro seguir,no dia 31 do cor-
lente mez, a barca Firmeza ; recebe alguma pequea
qualidade de carga, astim como escravos a frete : o
Srs.,que teem fallado para se transportaren! na referida
barca, queiiio entender-se com o capitio Narciso
Jos de Santa Anna, ou com Gaudino Agoslinbo de
Barros, visto ecbarem-se quasi preenebidos os cama-
rotes.
_ Para a Babia sabir, em poucos dias, o hiate na-
cional Boa-Fiagem: para carga e paisageiros tre-
ta-se com Novaea & Companbia na ra do Trapiche,
n. 34.
Para a Babia, com escala por Macei, sai impre-
terivelmente, at o dia 4 do crrente, a garopeira Sr. -
do-Bom-Fim: quem quizer carregar, dirija-se a ra
do Vigario o. 6.
Para o Rio-de-Janeiro sabir com a posaivel
brevidade o brigue nacional l>. Af/onto capitio
Bento Jos Vieira : quem no mesmo quizer carregar
ou ir de passsgem dirija-se a ra da Crux n. 45
caa de Nascimento Scbaefller & Companbia.
Avisos diversos.
= Da caa da ra do Pilar, em Fra-de-Portai, n
66, loriarlo dacabeca de urna imagem de Menino-
Deos, orna corinlia de ouro, com o peso de 2 '/ cit-
las : a pessoa, a quem for ella oflerecida, ou a vir nes
maoi de om mulalinbo, que sesuppe (er sido o la-
drlo, lera a bondade de leva-la a dita casa ; onde rece-
ber* B* ". de gratificacio.
Troca-se urna imagem doSenhor Crucificado,
encarnada de novo, eobra muito bem feila, e por pre-
?o muito commodo : na ra Direita, n. 87.
Roga-se a pessoa, que annunciou no Diario de
bonlem (29), se o preto, que tem em seu poder, tem
o signaos abano decandoi: naci Coila, de nome
O primeiro secretario lembra aos Srs. socios, que
amonbia ( primeiro de novembro ), ha sessio ordina-
ria pelas seis horas da tarde na casa do costume.
= Aluga-se um sitio no lugar do Caldeireiro, mui-
to prximo ao rio com duas cuas de vivonda inde
pendentes poco da melbor agoa que pude baver ,
coebeira casa para pretoi, estribara para 3.cavaNos,
baixa com capim e muilas arvores de fruto ; a tratar
na ra do Vigario, n. 19.
= Furlirio, da sala do consulado porloguez na
ra da Crux n. 7, segundo andar, um relogio de ou-
ro saboneta suisso com mostradoi do loutfi branca,
de tamanbo regufar; o qual se acbava preso em um
trsncelim de ouro ; he francez e d s de foitio chato ,
com passador tambem de ouro; tem urna pequea cha-
ve de metal em urna lila ; julga-se ter sido lurlado
por um marinbeiro doanle que costuma all ir pedir
esmolas: roga-se a qualquer pessoa a quem o dito
roubo for oflerecido o lome e leve a casa indica-
da que receberi 50s rs. de gratificado.
Faz se sciento ao respeitavel publico que a lo-
tera doseminario de Olinda te acba embargada, por
cujo motivo bajio de nio rasgar os bilbetcs, que tive-
rom libido brancos.
= Aluga-se, por prefo commodo uma boa casa
com commodos lufficientes para gnnde familia na
ra Imperial annexa ao litio do finado Machado ,
propria para se passar a feta : a tratar na ra Direita,
n. 82, primeiro andar.
Uio-se 500 rs. a premio sobre penbores de ou-
ro e prata e tamhem em menore quantias : na ra
Bella n. 37, primeiro andar, a qualquer hora do
dia.
K Precisa-se de um rapas Porluguez para caixei-
ro de venda anda mesmo sem Irr pralica mas que
d fiador a sua conducta ou entio de um pequeo de
14 a 16 annos : na ra do Cotovello, n. 49.
= Deseja-se fallar ao Sr. Antonio Jos da Silva, por
anthonomasia Heibiga por isso declare a sua morada
para ser procurad o; ou alias lara o favor de dirigir-se a
ra dos Martvnos, sobrado de um andar de varanda
de ferro n. 13.
= O abaixo assignado declara ao reipeilivelpublico,
que nio laca negocio algum com o bem de sua mii, a
Senbora D. Anna Francisca Fortes; pois os mosmos
estio por 6ir julgados por paitilbas e acbio-se em
litigio, por isso previne-se para se nio cbamarem a
ignorancia. Jos F'raneiieo Goncti/vei.
O abaixo assignado, teslamenteiro do
fallecido Manoel Jos Machado Malheiros,
avisa ao publico, que tem autmisado
ao Sr. Manoel Jos de Aroujo Machado,
para receber ludas as dividas activas da
casa do telendo Malheiros.
Jos Joaquim Dias Fernandes.
50^000 RIS DE GRATIFICAgO.
iNa noute de 21 do corrrenle,
urtro, de um sitio em S. Ama.
ro, um cavallo de sella, bastante
gordo, cor preta, cara branca;
este cavallo he bem conhecido
aqui, e pertenceo, ha pouco lem-
po, ao ir. Francisco Xavier Ca-
valcanti Lins : qualquer pessoa,
queoapprehenderjeveacasa dos
Srs. Russell Mellors & Com po-
nina, na ra da Cadeia, n. 39,
que ser recompensada com a
quantia cima.
Precisa-se de "200, rs. a premio dando-se para
seguranca uma cscrava mofa ou tambeni se vende por
preco commodo ; quem quizer, annuncio.
Alfonso Aaint Martin, receolemente ebegado de
Pariz, traz maoleloles de chamelote preto, liso eondea-
do guarnrcidoi de fica Iranjaa de retros e mantas
da mesma farenda ; ludo o que ba de maii a moda ;
corles de seda furia-cores com lillrai para vestidos ,
o melbor possivel; diloi.de tedi branca lavrada; luvas
Quem quier dar a quantia de 40j ra. na eidade
de Goianna para receber outra igual quantia nesta
praca anouncie por esta folba.
Quem precisar de um feitor de idade o na-
tural da liba para sitio, ou engenbo o que tem pra-
lica de lodo oservico de agricultura, e tratar de vaccaa,
dirja-se a ra larga do Roiario n, 29.
Antonio Carneiro Mochado Rios mudou a sua
residencia para a ra do Aragio n. 19.
Precisa-se de uma mulher moga para ama secca
de um menino em uma casa de pouca familia ; quem
esliver neitas circunstancias dirija-se a ra do Ara-
gio sobrado n. 12.
Aluga-se um sobrado de douiandares com ter
rado lora pioprio para grande familia na ra das
Cinco-Pontas n. 27 : a tratar no mesmo sobrado.
Aluga-se o sogundo andar da casa da ra do
Queimado, n. 8 : a tralar na loja do mesmo sobrado.
= Aluga-se uma casa na Passagem-da-Magdalena,
com mutia) commodos, corintia rra estribara, puco
de agaie beber muito fresca e parto do banbo : a
tratarmluada Cruz, n. 5.
= Precisa-se do uma ama para casa de pouca fa-
milia ; na ra do Fogo n. 15.
Aluga-se uma casa no lugar
do Monleiro, tendo a frente para
o rio Capibaribe, com os commo-
dos seguintes: uma grande sala
na frente, corredor ao meo e
o.utro dito ao lado para o servico
da mesma casa, seis quartos sen-
do um guarnecido de partileiras,
sala alraz, cozinha fra, e um quar-
to com tarimba para escravos, es
ribaria para dous cavallos, e um
(juaro no undo do quintal, o
qual serve para despejo, o quintal
todo murado e a casa toda env-
diacada, tanto pela trente como
pelo fundo, a qual lie bastante
fresca: os pretendentes fallem no
Aterro-da-Boa-Vista, no 3. an-
dar da casa n. 37.
Nicolao liarlerv embarca para o Itiu-de-Janeiro o
seo i scrato. mulato, Ilenlique.
Aluga-se o lorceiro andar do sobrado da ra do
Queimado o. 2 : a tralar na loja do mesmo sobrado.
= Precisa-se do 300 rs. a premio bypothecan-
do-se um pardo bom sem achaque algum, e uma ne-
grinha de idade do 10 annos, ou entio boai firmal,
por lempo de 6 mezes; quem quizer dar aonuncie.
= AlugSo-se os dous terceins andares com solios
do sobrado ns 4 e 6, do Atlerro-da-lioa-Vista ; o se-
gundo andar do sobrado n. 24, da ra da Aurora, com
quintal e estriba a ; duas casas terreas na ra For-
mla ns. 5 e 7, com quintal cacimba e mais min-
ino Jos pura grande familia ; outra dita com os mesmos
commodos, na ra da Soledade n. 35, por I2j rs.
mensaes : quem as pretender dirija-so ao escriptorio
de Francisco Antonio de Oliveira & Filbo na ra da
Aurora n. 26.
Alugio-ie, por anno ou para se psisar a (es-
la dous sitios com grandes casas de vivenda co-
ebeira, estribar ia banbo e porto de en.barque no rio
Capibaribe na Ponte de-Uclia, defronle do sitio de
F. A. deOliveira a quem qualquer pretendente de-
veri diiigr-se.
= Rogase a pessoa, que por engao tirou uma car-
la do correio de nome Jos do Moraes Maia de di-
ligir-se a ra da Cadeia do Recife, n. 24, embora es-
teja hberta.
Joao de Nepomuceno Barroso embarca para Por-
to-Alegre e Rio-Grande-do-ul a sua escrava Rila,
do afio Coste da Mina.
Quem precisar do uma ama para criar, dirija-
se a ra Direita n. 28.
Precisa-iede doui bomem que Irabalbem em
um litio muilo peito da praca ; tambem se alugio 2
escravos mensalmente dando-ie-lbes de comer pira
trabdlbarem no mesmo sitio : na ra da Cadeia do Re-
cife n. 2o, le dir quem precita
Da casa do abaixo assignado fugio um leu mole-
que de nome Joio, nac,io Mufambique, de idade de 15
annoi, cari redonda, olbos grandes, beicoi grossos e
sllenles, e com um signal do ferida no peito esquerdo
quem o encontrar, e Irouxer i ra do Hospicio o. 14,
do bairroda Boa-Vista, sera recompensado deieu tra-
baiho.
Jeronymo Martiniano Figueira de Mello
LOTEBIA DO THEATRO.
As rodas desla lotera indio imp'reterivelmente no
dia 25 de novembro prximo futuro visto ter-se rea-
lisado o andamento das do seminai io Oa respectivos
bilbeles acbao-soa venda na lujado tbesnureiro, na ra
do Queimado n. 39; na do Snr. Menores Jnior ,
ra do Collegio; na botica do Sr. Moreira ra do
Cabugi e no bairro do Recife as lojas de cambio
dos Srs. Vieira e Manoel Gomes.
Aluga-se o segundo andar do sobra-
do sito na ra Direita, n. 20, com bons
commodos: a tratar na ra do Collegio,
segundo andar n. i4< w
Aluga te o primeiro indar e loja, com toda as
suis deprndencias,da casa sita na ra Nova, n. 7; lam-
be m le aluna a loja do dito separadamente, por preco
mus barato do que linba-ie leito ; os prelendeuten
dinjao-se aos Srs. J. P. Aduur A C, ra da Cruz,
n. 21, aoRecile.
Praciii-io de um menino de 10 a 12 annos, para
eaiseiro, dos vindos, ha pouco, do Corto ; na ra d
Praia armaiem n. 66.
estrada nova, porto do Cachang perduo-se us par
de oculos de 4 vidros azulados, com aros de ouro: quem
os achar, leve ao corretor OUveira quo gratificar ge-
nerosamente. *
Agencia de passapnrtes.
Na ra do Collegio,botica o lO.eoo Atterro-da-
Boa-Vista loja n. 48, ti rao-so passaportes para dentro e
forado imperio,assim como despacbio-seescravos:ludo
com brevidade.
Precisa-se de 400f rs. a premio por lempo de
6 meces bypotbecando-sn por seguranca urna casa
terrea que rende 7/ rs. .mensaes, pagando-se 01 ju-
ros de 2 por cont ao mei : quem este negocio quizer
faser, dirjase a ra da Crus, n. 28.
= O abaixo assignado decan vf respeitavel publi-
co, que, dasde o dia 15 do correte deisou de ser seu
oaixeiro Bernardo Jos Brrelo da sua venda o. 92 ,
em Fra-de-Portas ; por isso avisa as pessoas que se
acbio devendo a dita casa, bajio do pagar tio smente
10 sbaixo assignado, por terdono da dita venda.
Domingos da Roza)
Compras.
Comprio-se 4 bancos de botar amostras em loja
de lazendaa ; uma carteira com pouco uso ; oa esqui-
na do Livramenlo n. 52.
= Comprio-ie para lora da provincia escravos
de 13 a 20 annos; sendo de bonitas figuras, pagio-se
bem : na ra da Cadeia de S. Antonio, sobrado de
um andar de varanda de pao n. 20.
. Comprio-se 2 esoravos do oflicio um pedreiro
e outro carpina, para uma enconimenda do Rio-Gran-
de--Jo Sul ; pagio-so bem ; na ra do Collegio ar-
maiem n. 10.
Compra-so lia de frexa e de ouira qualidade,
para enebimentos de colchos ; paga-se a 1 rs. a ar-
roba : na rus Nova, loja deselleiro n. 28 delronle
da igreja da Conceicio.
Comprio-ie doui escravos, peritos officiaes de
pedreiro, e dous carpinas ; na ra da Senzalla-Velha,
n. 110.
sssr Compra-se arroz pilado, hranco e vcrmelho, em
porces: na ra da Senzalla-Nova n. 4.
Vendas.
III. .luiaitu 11. UVi ...-. ~ ..^w...v wv-xf
= Domingo, 26 do correte, a bocea da noute na I preco em libra, 4,500 rs.
= Vende-se um moleque, de idade de 18 a 20 an-
nos de bonita figura e sadio sabe coziobar o diario
de uma casa ; na ra da Cadeia do Recife loja n. 42.
= Vendo se um bonito escravo crioulo de idade de
18 annos, proprio para o servico a que o quixerem
applirar ; na ra da Aurora n. 12.
= No deposito de rap de Gasse ra da Cruz, no
Recife, n. 38, acba-se a venda o muito superior rap
do Principe, chegado recentemente do Rio-de-Janei-
ro a preco do 1400 ra. a libra.
= Vende-se uma preta de naci Angola', rapari-
ga de 20 annos cose muito bem lava engomme ,
cozinha o tambem serve para quitaadeira sem vi-
cios neni achaques ; um preto linda pe;a molecio
de 20 tonos forcoso e proprio para engenbo e cozi-
nha solTrivelmente : na ra da Seozalla-Velba, o. 110.
ai Vendem-se 16 a 32 libras de rame cortado ,
para uso de fazer mecbas de fogo ; na ra do$ Quar-
leis n. 11.
= Vendem se ss seguintes obras : Pro/odia com-
pleta, I v ; Geograpbia Universal por lialbi, com
seu atlas; grande sorlimenlo de obras francezai, de
medicina o historia o igual loriiosaalo de obras por-
tuguezas; tinta lina de escrover a 320 rs, a garrafa ;
relroz da Italia de varias cores : na ra do Crespo ,
n.ll.
Vende-ae um bom estuvo ; oa ra do Queima-
do n. 17..
Yende-se azeite doce, a 360 rs. a garrafa, pa-
ra luz; oleo de linbaca, em botija, a 1900 n. o ga-
lio, em libra a 280 rs. ; queijos, a 1400 n. ; cha byi-
son, a 2400 n. ; dito cequim a 1600 rs. ; toucioho
sem carno a 280 rs ; cevada e cevadinhi a 160 ra.
a libra ; lutria a 280 n mscarrio e lanari a 200
rs.; tapioca, a 120 rs. ; msnleiga inglesa, a 960 is. a
francera a 480 e 70 rs. ; (abaco simonteda Babia,
a 280 rs. a libra ; bolaxinha inglesa, a 160 rs. a li-
li 1,1 ; espermacele a 800 rs. a libra ; viobo do Porto,
a 320 11. agarrafa ; cal a 140 rs.a libra; copos
giaodes de garra! a lliis. psraagoa; e todos oa
maia gneros mais em conla do que em outra qualquer
parle : no pateo do Terco, venda n. 7.
= Vendem-se por preco commodo barris com
excellenle vinbo da Figueira ; no armazem de Fran-
cisco Das Ferreira, no caes da Alfandega.
Vende-se pal a fra da provincia, uma escra-
va crioula moca, sem vicio, defeilo, ou achaque, boa
cozinbeira engommadeira e cose alguma cousa : a
lallar com R. J. Barata de Almeida.
Vende-se uma parda de idade de 20 annoi,
com toda ai habilidades, e urna cria de 4 mezes ; a
vista Uo comprador se dir o motivo da venda : oa ra
do Cotovello, 0. 48.
= Vende se um carrinbo de duas rodas, em moito
bom estado ; e um cavallo muito bom para carro: na
ra estreita do Rozario n. 43, segundo andar das
6 as 9 horas e meia da manba.
=\ eiiuem-so riquissimos chapeos de seda de todaa
as cores para senbora bem eofeitados, com riquissi-
mas fitas e flores; esle chapeos teem a commodidado
de se abrirem e fecbarem; riquissimos encerados a
polka, pera caslicaes, mangas e outros objectos ; um
sorlimenlo de capachos: na ra larga do Roiario
n. 24.
= Vendem-te oa 3 volumes da LegislacSo Militar,
de Cunba Mallos : na roa de S. Rita, o. 91.
es Vende-se urna porcio de carne, ossose latos sec-
cos e liogoas, ebegados do Aracatv : na roa da Crui,
venda n. 24
= Vende-se arroz vermelho pilado-, alqoeire pe-
a medida vlha a 7j n ; dous caixdes envidracidoi,
e leitoi a moderna proprioi para veoda, por preco
comoiodo : na ra larga do Rosario, o. 29.
Vende-so, ou troca-te por um litio, orna das
melbores oleras aiti 00 Coelbo ; na roa da Gloria ,
n.7.
Vende seo muito superior rap de Liiboa, che-
gado no brigue CotueicSu-di-Harta, na loja de Tbo-
maz de Aquino Fonseca, eiquina da roa do Clbug :


H
'-
FOLHINHAS
DE
Porta e.Algibeira
PARA.
1846.
Vendem-se na praga da In-
dependencia, luja de livros n. 6
e 8; na ra da Madre de Dos,
venda da esquina defionfe da
igreja; na Boa-Vista, defronte da
matriz, botica do Sr. JVloreira;
em Olinda, botica da ra do Am-
paro, e loja do Sr. Domingos,
nos Quatro Cantos.
Vende-se a casa lerrea
do pateo d Paraizo n. 24;
na ra das Larangeiras, n. I 'i,
segundo andar.
= Vende se uro relogio patente ngle, de prs-
ta, muilo bom regulador por preco commodo; na
Tila da Cadeia do Recite n. 38.
= Vende-se um pardo carreiro muilo moco e
proprio de todo o servido de caa e campo ; una negri-
nbade 15 annos, pouco oais ou menos, de bonita
figura faz renda e propria de todo o sertico de urna
caaa ; urna parda boa engommadeira lavadeira co-
zinbeira e coitureira muilo desembarazada para todo
o servico de urna casa ; um preto de naci muilo
proprio para o servico de sitio, ou eng'-n ho; todos sein
vicios nem achaques: na ra do Crespo, loja n. 4.
= Vendem-se 50 alqueires de arroz branco. a 7600
rs. o a retalbo, a SoOO rs. pela medida velba ; oa
ra do Carnario venda o. 7.
se Vende-se um cavallo ruco, carnudo bom de
sella eque da-se para te experimentar, por preco com
modo : na ra larga do Rosario n. 50.
= Vende-se um casal de rulas de Ilamliurgo por
til rs. ; laranjas pata eoibarque : na ra doCabug
loja de relojoeiro n. 7.
= Vende-so polassa muito nova de superior qua-
lidade em barris pequeos; na ra da Cadeia do le-
nle armazem de assucar n. 12.
= Vende-ae urna eicellente rabeca com sua cai-
xa ; na ra de Horlas, n. 140.
=Vende-se azeite de carrapato, a cinco patacas a ca-
ada ; oa'rua do Atterro-dos-Alogados, n. 7.
= Vende-se um lindo preto cozinbeiro, e outro
gaobador de linda figura ; na ra da Seuzalla-Y elba,
d. 110.
- Vende-se cha bysson cm calas de 13 libras, em
porc5ese a retalbo; e potaste americana ltimamente
ebegada ; meias barricas de farioba de trigo da marca
gallego: em casa de HatheusAuslin & C., na ra da
/llfandega Velba n. 36.
= Vendem-se saetas com farioba de Mego, a 4800
rs.; ditas com railbo 4000 ra. ; gomma de en-
gommar, a 12000 rt. o aiqueire velbo ; larinha de
S, Matheus a 3800 rt. eemsacca, a 4:200 rs. ; na
ra da Cadeia do S. Antonio, de potito de farioba ,
n. 19.
Vendem-se 6 escratas mogas, de 16 a 20 annos,
com boaa habilidades duaa sao recolhidas cosen) ,
eogommio e cozioho ; 8 eicravos mocos fortes e
boni para todo o tralialao tan lo da praca como do
campo: na ra do Crespo, n. 10, priineiro. andar.
ALERTA!
=Vendem-se chitas escuras e claras a 120 140 .
160, 180e200rs. ,o covado ; ditas linas, a 220
rs. o covado; superiores grvalas de setim prelo de
Macao pelo barato preco de 500 rs. ; psnnos finos
preto e azul a 2500 rs. o covado ; madapolio a Hin
u 180 rs. a vara; dito fino, a 200, 220 e 240 rs a vara;
bretaoha fina de linbo puro a 560, 640 e 720 rs. a
vara ; pegas da ditaa de 5 varas e meia, a 2800 e 5200
rs.; superior setim de Maco preto, a 3200 e 4200
rs. o covado ; esguiio de puro linbo muito fino a
1500 rt. a vara ; pecas de bretaoba de rolo a 1600 ,
1800 e 2000 rs. ; pecas de chitas a 4500, 6200, 5600,
5800 e 6000 rs, escuras; ditas de madapolio, pro-
prio para aapaleiro a 2400 rs. a peca ; dilos a 3200
e 3400 rt.; ditos finos, a 4000, 4400 e 4600 rs. a pe
(a ; madrasta fino a 5200, 5400 e 5500 rs. a [peca ;
madapolio enlistado fino a 5800 rt. ; chales de lia
e seda a 4500 4800 o 5000 n.; eortes de chitas
com 10 covados a 1500, 181)0 e 2000 rs. ; ditas fi-
nas da ultima moda, a 320O,*3500, 3800 e 4000 rs. ;
e outras muitas fazendas de todas is qualidtdes por
muito barato preco : oa ra do Collegio o. 1 loja
de Antonio de Azevedo Villarouco & Ii mi.
=Vendem-se 11 escravos ; sendo 3 pardos e 3 par-
das sendo um de idade de 14 annos muito claro ,
proprio para psgem 5 prelo. de 18 a 24 annos, to-
dos ehegados ltimamente do Cear ; na ra da Crui,
venda n. 51.
- Vende-se urna escrava propria para o servico
decampo, eeotende slguma cousa de coiinba ; na
ra doCabug, o. 11 junto a botica do Sr. Mo-
jeira.
LOJA ii \ KM i'KIU. \
Kn.'i doQueiiictdo N'?25
rGiLH^Ml SETTER
Vendem-se cortes de eollele de seda, uor^urao e
lanzinha muilo bons, a 1000 e 2000 rs. o corte;
dito de fus la o brtncoe de cores a 400 rs. o corte ;
lutai pretaa.de seda, lisas e bordadas, a 200 rs. o par.
=Vendem-so oa segtinlet litro*, por commodo pre-1
"
todo o servico de
da Cadeia-Velha
co : Historia de Napole|o tomo primeiro, cncader-
nado ; Guia de Peccadores, e exhortacao a tirtude ,
2|t. ; Mulber, ou os Seis Amoret, 3 v. em brocbu-
ra ; Archivo Thtatral ,2 ns.: na ru do Crespo ,
n. 12
= Vende-se um sino com duas arrobas de peso; 6
casticaes de lati, grandes, proprios par altar de igre-
ja ; 4 ornamentos para se celebrar missa ja usadot ;
um relogio de mesa ; e trocio-te 4 imagens grandes,
urna de N. S. das Dores outra da Conceicio outra
de S. Jos e outra de S. Antonio : no piteo da S.
Crux, loja de funileiro.
Vende-se urna molecota de bonita figura de
idade de 15 a 16 annos, cozinha com principios de
engommado, sem vicio albura ptima para muca-
ma ; no Atterro-da Boa Vista sobrado n. 3"8.
= Vende-se urna preta, de idade de 20 apios
pouco mais ou menos lava engomma. cozinha
faz renda e cose, propria para
qualquer casa de familia ; na ra
n. 30.
= Vende-se um sobrado de dous andares e solio ,
silo no Atterro-da-Boa-Vista o. 24 : a tratar na ra
Velba do mesmo bairio n. 55.
= Vende se urna negrinhs, de idade de 15 easios ,
muito linda e he recolhida ; urna dita de bonita fi-
gura de 20 annos lata e cozmba ; outra dita de 22
annos; dous escravos de naci com bonitas figuras;
um moleque de idade de 18 annos, ptimo para o
servico decampo ; urna escrava com urna cria de um
aono muito bonita figura : na ra Direita n. 3.
Madama Theard acaba de recebar pelo brigue
Armorique, ebegado ltimamente um lindo sorti-
mento de fazendas; como : chapeos de seda para se-
nhora dos mais modernos e de tartos procos ; blonde
do terdadeiro, branco e preto; peonas e llores do ulti-
n o goslo ; guarnicosa de flores de laranjas e de jasmios
para vestidos de noivas; ricat sedas e lilas para chapeos;
luvas de pellica e de seda preta ; e outras muitas galan-
teras, ludo por prego muito commodo.
= Vende-se superior cervep brancada melbor, que
existe no mercado tanto em porcSeacomo a retalbo ;
em cata de Jones Patn & Compsnhia ma do Trapi-
che, n. 10.
=Vende-se por precisio e preco commodo, urna
escrava, de 35 annos, com afumas habilidades ; na
ra do Padre Florianno, n. 23.
=\eodem-se sellins inglezes, elsticos, de patente,
cabecadas rolicas, sellins Irancezes, chamados regala-a-
bunda todos forrados de couro de porco ; talins e
cananas para oiliciaes de lileira e montados,espadas pra-
teadas,tanto de roca como semella.bandas de seda,ricas;
nilhues paru montara de senbora de todas as cuali-
dades ; e tudo quanto pertence a este estabelecimento,
por menos preco do que em outra qualquer parto : na
ra Nova, loja deselleiro, n. 28, delrontu da igxeja
da Conceicio.
ras \ ende-se a armacio da loja da ra Nota, n. 18 : a
casa, onde ella est, tem commodos para urna pequea
familia : a tratar na mesma ra, n. 32.
Veude-se cera em vela, da melhor
fabrica do Rio de Janeiro, e em caixinhas
pequeas de ioo libras, com o sortimento
seguinte:
6 libras de 3 em libra.
8 5
12 8
14 " 10
iG ' 13
ao i4
i!\ 16
ioo libras
felo mdico preco de is'44 f's ca^a '"
ira: na ruada Senzalla-velba n. no
RES 3s'8oo
A' bordo do brigue Le5o alqueires
pela medida .velba.
Vende-se larinha de mandioca chegada
ltimamente de S. Catharina de superior
qualidade tanto em goslo como na cor, em
porcao e a retalbo ; os pretendentes diri-
jo-se a bordo do'mesmo brigue, ou ra
da Cruz n. 54, ou ra de Apollo arma-
zem n. ai.
Rap imperial.
Este rap, imitando ao rap princesa
de Lisboa, vende-se em libras, meias li-
bras e oitavas as lujas seguinte: na
ra dos Quarleis Victorino de Castro
Moura ; roa do Crespo, Domingos An-
tonio Eerreira (na escadinha) e Gomes
& Carvalho ; pracinha do Livramento ,
Ferreira e liveira ; Atterro-da-Boa-
Vista, Tliomaz de Mattos Pereira Esti-
ma, e Caetano ; ra da Cadeia do lie-
dle, Cuedes e Mello. O preco he de as
rs. a libra c 3o rs. a oitava.
Farelo muito novo e o melhor que
ha presentemente nesta praca, a as'56o
cada urna sacca : na ra da Cruz do Re-
cite n. id primeiro andar.
la hijea de sabo da
ra Imperial ii. 116 tcm mui-
lo superior sabo, e vende por
preco commodo; e, sendo por-
cao, manda-sc trazer cma-
na para o Ktcic.
Na loja da praca da Lar
outras provincias, por serem bem acondi-
cionadas, e se afianca a qualidade do lo-
go, por ser feito com toda a perfeicao.
Rap di Gatst,
Ha cheeado recentemente a este deposito, tinda do
Rio-de-Janeiro pela barca Firmna urna superior
tornada do muito acreditado rap grosso e meio-grosso,
taltez o mais genuino em qualidade que al equi tem
tindo a esta oidado, e acba-se a venda em libras, meias
ditaso oilavas nss tojas dos Srs.: Joaauim Candido
Leal de Barros, Thomai Pereira de Mattos Estima ,
Manoel Francisco Rodrigues e Caetano Loiz Forrei-
ra no Alterro-da-Hoa-Vista ; Jos Thomax de Cam-
pos Quaresma e Teixeira & Aodrade ra Nota ;
Francisco Joaqun Duarte ra do Cnbug ; Victori-
no de Castro Moura Victorino & GuimarSes e Vi-
cente Jos Gomes, ra dos Quarteis; Antonio Do-
mingos Ferreira ejoio Henriqueda Silva ra do
Crespo ; Joaqtim Jos I.ody ejoaquim Dias Fernn,
dea, na ra larga do Roza rio; Jos Jorge do Botar io ,
ra do Livramento ; Jos Joaquitn Lopes Moreira, ra
Direita ; Silveira & Freitas, ra do Queimado; Gne-
des & Mello Pontea & Mello e Antonio Gomes da
Cunba e Silta ra da Cadeia do Recite.
=\ ende-se um cavallo alazao bom passeiro; na
ra das Cruzas n. 30.
Escravos Fgidos
dependencia n. 4 vende-se o
excellente rap pirinceza de
Lisboa, pelo mui lo mdico
preco de 5#500 res cada bote.
Desnecessario he tecer enco-
mios ao sobredito rap; por-
que sua primorosa qualidade
he assaz bem conh ecida pelos
amantes da pitad a luzitana;
restando ao vendedor dizer,
que afianca aos compradores
a boa qualidade do tabaco, e
que at nao din da tornara
recebe-lo depois de aborto,
urna vez que se llie ache al-
gairn pequeo (Weito.
Na ra No va, n. 35, junto
ao caldeireiro vendem-se lindos
cortes de cassas de challys e de
chitas de bom 'gosto, luvas, mei-
as, mantas e c!jales de seda, casi-
miras, pannos tinos, chapeos de
sol, riscadinraos para vestidos,
lencos de seiJa, e mui bons brins
para calcas* que se vendem por
preco comvnodo.
BOM E BARATO.
LOJA DA RA NOVA, N. 12.
Esta bem acreditada loja aca-
ba dereceber de Franca um com-
ple to sortimento de fazendas e ob-
jectos de moda, como sedas e se-
iins para vestidos, luvas, meias,
mantas e chales de seda, leques,
chapeos de sol, ditos para Senho-
ras, boas toalhas de linho e de
al^odo cortes de vestidos de
chally, de cassas e de chitas mui-
to finas e da ultima moda, que se
verdem por commodo prego.
Vendem"se charutos de fa-
mas da Babia, regala, meia re-
gaba e bahianno, de superior qua-
1 idade: na ra das Agoas-Verdes
n. 27.
Na ra Nova n. 26, loja de
alfaiate, acba-se um completo
sortimento de fazendas moder-
nas, e do ultimo gosto, chapeos
de castor brancos e prelos ingle-
zes, brins para calcas de todas
as qualidades bretanhas muito
finas, esguio, ricos corles de col-
lete de setim, gorguro, e casi-
mira, riscadinhos francezes, len-
cos para grvalas, de setim e de
cassas, mantas para grvalas,
suspensorios de seda, meias de
seda preta inglezas para homem,
assim como outras muitas fazen-
das por preco muilo commodo.
Vende-se o excellente doce de
gofcba, em caixOeszinhos, muilo, bem feito,
e em latas de flndres, de guiabas ioteiras,
de calda, muilo bem feito: na ra do
Crespo, n. i 3. andar.
Vende-se vinagre bran
co nacional, a 400 rcis a ca-
ada velba: na ra do Aterro
dos-A logados, n. 7, enoAtter r
l' li*.!do Maria da Cooceitio Cyprianna Florinda, Se-
Oa-WISta, I! riC.I Udl- r|hli Andri nibo de Sehlh!,. de um .nno, An-
Fugio, no dia 7 do crtente um cabra de no-
mo Luii representa ter 20 a 25 annos de idade, es-
tatura baiu sem barba alguma cara redonda ; le-
tou urna trouxa do roupa ; protatelmente elle bi de
ignorar oscaminhosdaqui, e hrde purguntar a alguem
porolles, pornioserdaqui, ma|simdo Cear, donde
teio, ba,3 semanas.: quero o pegar ,' ltve a ra .da
Crui, n. 10 que ser recompensado.
Desappareceo um prelo de nome Minoel, crien-
lo de idade de IQ annos, pouco mais ou menos, pou-
ca barba cara redonda orcinas pequeas, ps jo-
chados caoboto, com o braco esquerdo um pouco
trmulo ; tem um lobiobo quasi ao p d oototelo e
outro no quarto esquerdo ou direito, bstanle cor-
polent; tem a cara um tanto descarnada talla a mo-
da do sertio se bem que ja esteja oeste prar;a ha 10
para 12 annos; he canoeiro e padeuo : eate preto,
quaodo se retirou acbave-se empregado em conduiir
urna porcao de lijlo de um atierro por detraa doa Mar-
tirios para a ra do Palacete em um catallo casia-
nbo, de pequea ligu-a cauda grande., um pouco
tristonbo de cebeca ; cujo loi encontrado oa condcelo
do lijlo em caasambas at as 9 horas da nouto ; e nio
leudo apparecido at boje, 28 do crrente oulubro.sup-
pOe-se ter (por iotertenimeoto do esoratu) desappareci-
doocatallo.eque por este motivo ausenteu se o escroto;
letou camisa e ceroulas de algodao americano cha-
peo de palha teodo no dito chape pintada com tinta
preta urna fita e na frente um la(p : roga-se por
favor as autoridades policiaes e pesaoas particulares ,
por quem posiio ser encontrados, tanto o cavallo como
o escravo os mandem pegar o condaui-los a ra larga
do Rosario |unto ao quartel de polica n. 18 oude
se recompensar generosamente,
Fugio, no dia 11 do correte, urna preta de no-
me Joaquina de nscio Cacange representa 30 an-
nos, baia, ebeia do corpo, naris chalo, leiadecara,
cor fula com urna pequea costura na face esquerda ,
com falta de dous denles de parle de cima, sendo um
de cada lado, com carne sobre os olbos peitos pe-
queos e murobos; tem as nadegas um tanto arribit-
daa para traz, e be bem fallite; letou vestido de gan-
ga azul e panno da Costa ; anda um tanto suja : roga-
se as autoridades policiaes, at|ualquer pessoa ou carn-
panba, a apprebendio e letem aaeu senhor Domin-
gos da Silva Campos, na ra das Cruzes, n. 40, que
serSo gratificados.
Fugio, no dia 27 do correte pelas 7 horas da
ooute urna preta de nome Mara do gento de An-
gola de idade de 28 annos ebeia do corpo, um tan-
to fula com urna cicatriz de duai polegadaa na p di-
reita ou eaquerda ; letou vestido j desbotado de
flores miudas, e panno da Costa : quem a pegar lote
a ra Direita n. 82 segundo andar que ser bem
recompensado.
= Fugirio, do engenbo Boacica, no dia 24 do cor-
rente mea e anno 3 pretoa de naci Costa Caetano,
alto, grosso, barbado ; letou camisa de algodSo, calesa
de risesdo, chapeo de palha : Sebastiio estatura re-
gular com pouca barba cara talhada de sua naci ,
e com o mesmo vestuario que o primeiro : Floren-
cio bsiio secco pouca barba com o mesmo ves-
tuario e letou mais bata asul. Roga-se por Isvor as
autoridades policiaes e pessoas particulares, por quem
possao ser encontrados, os peguem, e letem- ao dito
engenbo ou na ra das Cruies, n. 30, que serio ge-
nerosamente gratificadas.
: Fugio, do engenbo Boa-Vista ,- comarca de S.
Aotio um preto de nome Antonio alto, secco, bem
prelo bonita figura meio bucal que taltes nlo
saiba dizer quem be seu senbor: quem o pegar, tete ao
dito engenbo a entregar a aeu senbor, Jos de Coito
Silta ou nesta praca a Antonio Luis do Amaral e Sil-
ta, que se gratificar.
== Fugirio, no dia 18 para 10 do correte do po-
der do depositario particular o major Jos Francisco
de Baa Salles, os escrotos seguintes, que forio do
padre Pedro Francisco Becerra : Jeao Cacange Joa-
quim Haca Francisco Caluanda,. Francisco, par-
cores de Frederico Chaves
MECHAS PHOSPHORKuAS,
Mu Aterro-da-Boa-Vista, na fabrica
de licores n, a(3, de Frederico Chaves,
acha-se estabelecida a fabrica, de medias
pbosphoricas, aonde acharad sempre
grande porcao de macos de lop a t5o
mechas, pelo diminuto preco de 3o ris
cada um, a retalho, e em porcao a ao ris:
tambem ha caixas que contm dentro ioo
macos, e outras mais, muilo boas paral'
e transportaren! pata o centro, e para asjrmw. ;
na cujos aigoaes nio sao lembredos : quem os pegar,
tete ao dito depositario que recompensar generosa-
mente.
= Fugio, no dia 23 do correte um preto da
Costa de nome Jos padeiro, do que tem as mies
grossas de calos, estatura regular ebeio do corpo,
um tanto barrigudo cor pouco preta talbos no ros-
to, de sua naci e marcas presas de leridss; tem em
m dos ps o dedo do meio cortado ; tem sido visto na
Boa-Vista Ponto-de-Uchoa e nos Apipucos : quem
0 pegar, lote o ra Direita, podara n. 82 que ser
recompensado.
NA T?. Dfi M,.r\DB.FAW*.T-l84$.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EGKI4BIEO_L5O58G INGEST_TIME 2013-04-12T22:13:57Z PACKAGE AA00011611_05904
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES