Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:05901


This item is only available as the following downloads:


Full Text
A nno de 18
Tere feni gft
O DIflI publlca-se todos os das qne
no rorem de guarda : o preco da assigna-
tura he de 4/rs. por quartel pago adianto-
doi. Os apnuncios dos assignantes sao inse-
ridos a riio de 20 reis por linha, 40 rs. em
typo'diflcreiite, c as repetlrSes |>ela mrtade.
Os que nao forein assUuantes pagao 80 rs.
Jor liuha, c 160 cm typo difireme.
PHASES DA LA NO MEZ DE OUTUHRO.
I ua nov a 1 as 8 h. e 39 min. da manhaa.
Crescettte a8 as 9 h e 13 minutos da man.
T.ua cheia a 15 as 7hor. e 37 min. da man.
Mcngoante a 23 as 5 hor. e 55 m. da tarde.
PARTIDAS DOS CORRFJOS.
Coianna. Parahyba, e Rio Crnude do Norte
Segundas e Sextas feiras.
Cabo, Serinhaem, Rio Pormoso, Porto Cal-
vo, e Macey, no 1. 11 e 21 de cada mes.
Garanhuns e Sonito a 10 e 24.
Boa-Vista e Flores a 13 c28.
Victoria as Quintas feiras.
Ollnda todos os das.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 2 li.
Segunda as3h.
e 54 min. da tarde.
c 18 minutos da manhaa.
de Outubro.
Anno XX N: MI.
MAS#A SEMANA.
_27 Segunda S. F.lrsbio aud. do J. dosorph.
n e do J. do C. da 2. v. do t.J*. da i. v.
28 Terra S S. Siniao o s. Judas Tliad-
deo.
29 Qu.irta S. Feliciano, aud do J. do civ.
da2.'v.,edo J. de paz do2.dist. de t.
30 Quinta S. Sorapiao, aud. do J. de orph.
edoJ.M. da I. v.
31 Sexta S. Quintiuo, aud. do .1. do civ. da
1. v., e do J. depaz do 1. dist. de tard.
1 Sabbado S Fcsia de todos os San-
tos.
2 Domingo S. Victorino.
CAMBIOS NO DA 27 DE ODTUBRO.
Cambio sobre Londres. 27 d. p. l*60d.
Pariz 370 riMs por franco.
Lisboa 120a 125p.c.pr.p. in.
Dfsc. de let. de boas Urinas 1 '(V- "L" me*
Ouro-Oncas hespanliolas 31/500 a 3HHI
Moeda de (ty-iUU vel. 17*400 a I7#600
.. i> de 6/400 nov. 17*000 a 17'300
i. de 4/000 9SO a 9/500
Prafa-Pa tacos .... 1/980 a 1/081.
Pesos Colmnnarea. 1/OS0 a 2*00;)
Ditos Mexicanos 1/920 a 1'50
Moedas de 2 patac. 1/700 a 1/720
AccSes da C do Heberibe de 50/000ao par.
DIARIO DE FERMAMBUCO.
PARTE 0FF.CML.
Governo da provincia.
ExrRoiEirrRDO niA 23 d coaaETE.
Oflirin A" pre.idcnto da reinlo, exigndnn sen pa-
recer >b>e nm fl" do nnmn.aiidonte das armas cer-
ne d prrs Monee) Jos dos Santos.
Dit,,\ Exin. presidente da Baha, agradecendo a
remesia dn excmplar dn estatuios dn respectivo somi-
nsrio dos i.rphAna que Ihe havia pedid.
JJ1A promotor publico di> lenn de Floros, de-
clarando infundada a queixa quo dirigi entra o rea-
pectivo jnis municipal, por linver drapr.innncad um
Ten, sem previamente nuvi-lo; I por nln haer dispo-
siclo IrgislatTa, que mponha ao jnix proceaaanto a o-
brigacA de mandar mivir promotor antes de pronun-
cor-.e cerca de qualqner recurso, quede urna sua de-
calo hajn algum reo inlerpiisto; 2., porj harer S. mo.
uffluiadn nos autos do pronesso do mencionado re i, co
m a asevera o referido jnis',
Dit.i Aoengenheirneiu clirfo das obras publicas, ail-
tnriunndo-o a mandar proceder ao eonnertoa, de que em
nllicio de 22 deate mes dit precisar a oadeia denla cidade;
e significando, que as d.'peas, quo coni casi* m.noer-
tos se nVcrem. devem ser pagas pela verba do 14 do
artigo 43 da lei provincial n. 444, nn pela das even-
tnaes. se naquelln nlo ooiiberem. Oflloou -se respai-
lo ao rbofe de polica, no inspector il iheaourori das
rendas provineioes, o ao inspector-fiscal das obras pu-
blicae.
Portara Resol vendo, que a parte da dstriot deMo-
rangoape. constante do littoral dcll.i desde a bocea do
rio Doce at Mara-Fonnha. pasae a formar um nutro
dislrirlo de polica.Partoipnu-ae ao chelo de polica,
sobre coja proposu se tomn osla remluca.
EXTERIOR.
As folhas inglesas aleonen al 8, e as franoea* ale 5
do correte (aeiemhro).
O principe de Gallea, o principe Alfredo, a prince-
sa real e a princoia Alie continuavioa residir na i I lia
de W.ght.
O duque de Cambridge embarcava a b para Uniendo,
donde te propnnhn seguir para Malinea.
A '26 do pausado houve em Londres grandes regosijos
para celebrar o anuiversario do ras cimento do principo
Alberto. (J parque c a turro de Londres derlo aa salvas
do eslylo. O principe Albino acaba do cliegar aos 26
anuos de idade.
A 3 do correle presidio o duque de Wellington em
Dover una enmmissSo de nfli'iaea do porto para untar
dos nirlhoramenlos quo all se prnjeoiA... Os engenhei-
ros de Morth-Keuk fura chamado para darem a ana o-,
pini.i.i si.lne o plano, que rst ooi aMteiiipl'Cao. A> re-
laces de [)..er mu slende, Calais e Buulogne eouti-
nuao mmi umita actividade.
A Inglaterra acaba de estabeleeer tima carreira de va-
pore para CeylSo o as Indina-Onenlaes, assim romo
i[ue ja iciu para a Amerca-do-Norte e ludiaa-Ocriilen-
taes. Ariii.i'incnte oeenpa-e em csircitar as anas rela-
Coes coni China por nicio da poste dr LaboSu porto ai
Norte da i I lia de Borneo, e em coiiiiliniiicarcoiii aa suas
possessoe da Australia por va do mar ,1a Indias, pr.i
o que lenoiona fundar mu otlabelecioientn as ilha de
Niioibor. admiravelmenio aituadaa para deposita de car-
vi, e para a arribada doa Vapore, quo faci a louga
viagem de Hong-Kong ou da Nova-Galea d" Sul.
A eaquadra de ensam que se ach'ava na baha de Bis
caa acaba ale entrar em Cine (Irlanda), a saber, a n"
Quten de 100 pecas o Albion de 90, n Fanguard de 80 e
tnnope de SI). O resto do navios enlrou na baha de
Baniry.
A prospera viagem de 14 das, que levo o inmenso
vapor Gre t-Britain de Liverpool para Nova-York ac
ba de coueorrer poderosamenic para destruir o prejurtn.
que havia contra o pnrafu.o motor, e de rccomuien.lar a
ana adopcao em logar das roda al aqu usadas. Os tres
vapores de forro, quo actualmente se conslroem nos es-
taleiroa de M. M. J. Hoagson & C, desuado, para
carre.re de Lver,...... Nov.-Yo.k, paia do ...e.rao
porto ao Rio-de-Jeiro e Bucno.-Ayres, todos tcem o
paraFu.o motor em lugar das rodaa.
No caiuinho do ferro de Birmingharo a Gloceater leve
lugar nm daaaslre a 31 do passado. 0 conductor J no
Ward fi morlo. algumaa pessoas ferdas. qneimando-se
duas eai-rnagens, e finando doua engenhoa qnasi des-
truidos.
Alguns correspondente do Timos contendem se ser
conveniente enllocar o busto de Oliverio Oomwcll un-
ir os.dos soberanos lirilaunieos, que liSo de Collocar-se
na novas salas do |*arlanienlo; o addus'im longas oon-
aideraciVs em pro e contra a admissao desso busto entre
os das testas cornadas.
Mr. Ward, ministro da igreja anglicann, qne fui cen-
aurudo pela unversidado de Osford. e privado do direi-
to de ensinar nella. acaba de ae oonverter ao ca li -licu-
lo. Ria rcsolncao cauaoo muila impresslo no corpo
cathedralioo, s nm estudantos da referida universidade.
Segundo um jornal ingles alguns raxinbms do partido
eonservadnr.descontentes cm as medidas de Sr Rober-
to Peel relativas A Irlanda,tcem tirio amudadas conferen-
cias, e tencionln mostrarse hnslia ao gabinete, quando
se abrir o parlamento.
Pormou-sn em Londres urna companhia nglea com
o fondo de 500.000 libras esterlinas para fundar nm es-
tabeleeimeuto eoinmereisl em Adintrecque, aldeia bel-
ga, situada a 3000 metros ilo territorio francs.
A eatatislica criminal de Inglaterra Galles do annu
de 1844 mostra um resultado, que no era notado, ha
batame lempo, alo he, a sensivel diminuicao dos cri-
mes. o que se attribiieem grande parle ao augmento de
traba|li,, una fabricas, e ao progresso da agrieoltura.
L-se no Time do 1.0 do oorrenlo (aeiembro) : 0
magnifico lempo, que tem reinado nos distticlos meri-
dionaea da Inglaterra fes deaapparecer o reneio do inn
eolhela. Podemos, pois, Contar com oereaes sufllcien-
te para < consumo do pas al o anno aeguiute.
Em Diimferline (na Escoca) houve um tumulto a 28
do passado. Muitos operarios reunirSo-so entrada da
noute. e aehando-so em numero de perto do dona mil di
rigirto-so fabrica de Mr. Alexander. ecomecro a ar-
rojar pedra as janrllas. As autoridades e a pnlioia inter-
viero. porm nlo conseguirlo apasigoar molim, se-
nlo depojs de quebradas as vidracas da fabrica, e do ar-
rumbada pnrla principal. Mr. Alexander o ana familia
conseguirn escapar ana ainotinadores. Pooco depms
ehegou Iropa, e oa grupos tinhSo-se dispersado. Allri-
bue-sc a deo.-dem o ter-se negado Mr. Alexander a oon-
i*rvar na salados, nuo vcucao OS operarios em 1643 e
mu _..-/
pelo imperador deMarrocoa comoombaixadnr ao rei dn 0 vice-almiranle liarlo de Hugon, membro docon-
Kranee-es, acaba do desembarcar em Marselha a 1 dn I celtio do almiranlado, ebegou a Cberbourg 1 28, a
ourreiite (setembro). I bordo do vapor Ho*/lur.
Os j.irnaea franeexe piiblieSo o tratado definitivo a I ^ corvela sueca (.'arltcrona. procedente de G ttem-
jutladoentrea Fraeoao o imporiode Marrnos O r- I hourgo, entrou em Best a 30 do paliado, comman-
tiido ciinsta de aele artigos : depois das formalidades do J.a,a a,jf \jnn capillo de correta. Este navio
es.ylo. o artig. primeiro di,, que ... don plenipotencia- (riiuinii cn|iflccj (,8 anna, de rico valor, deque O
nm
ceses.
1844.
0 EQUILIBRIO FEMIMNO. (*)
IX.
Quando ae achara., ambos a alguna pasma di.Ion les da
casa. R.,bineau, quo ae nflo poda couler, disae Saiul-
Aniand :
Estamos na ra, Sr. conde, e aqui puaso diie-lo:
delesto-o e iborreco-ii!
Ah! sli! dis.eSainl-Amand com grande sangue
."" "Sr. vcx.u-se cm aquella nimba hII.oi.c1oiii.Iim
Mn.a. Dearonai? P.,, D4 tem ras*.., n.eu charo Sr ;
esla prca vale era mais nem menos a do lbum, e en
nm pnr iisoH delestri e aborrec uaqiielle lempo, pelo
cunirario.....
Do lbum! exclama Rebineau exasperado; o Sr.
u poda saber disso, se alguem Ih'o di.se.se .....
O Vis* DUtrit 240.
A agilacan amdn no se desvanecen na Irlanda. Hnu-
vo novos olvorotos nn condado de Clare. Em Rochdahe
houve urna grande reunilo- do carlistas, que pretende
continuara promover a resistencia aoa planea dos nraii-
gistaa.
A 4 do oorrenle (setembro) houve rm Belfasle nma nu-
merosa reunan de iirangislns. Lord Rollen, Mr. VVatanii,
coronel Verner. o nutra* notabilidades protcstar.te
t'or.lo recebidas enm grande eiilhusiasmo, agitando os
circiinisiaulea IrnQos ct\r de laranja, e dando repelido
viva. Ncsla reunan censurrAo-sc as medidas dd go
venio errea dus culholicos da Irlanda.
Em Portunniith rcreliero-so noticias do vicc-alnri-
ranle Seyui'sir, ci.inii.andanlo da esluco do Mr l'adl-
hro, que tem n sen pavilhlo na nao Collingwood do 80
pefss. A 9 de abril havia i bogado a Valparaso, prut
denlo de Callao, e dall se diriga a Toity, o fin de dea-
e.iipeuhar a ana misslo.
As milicias dn Ierra de V.sn-Dienien alcanc.-o al fin*
de Abril. A stuiicSodos Ingleiea na Niiva-Zelsndia n
era favoravel. Pedirao-e reforgos para Van Diriurn
par* evitar que ... indgenas expul.em os subditos brl? glP' "
tanniaus.
Os fundos pi.rlugueses fieaslio na bul** de Londres a
64 1|2, e os hespaiihocs a 38 3|5\
El-re Luis Philippe, ea familia real do Franja per-
maueeilo no caslell.. de En.
O principe de J.iiuvlie ehegou ai. Havre a 31 do pas-
sado. a bordo da corvla a vapor Phildo; acunipanl.adu
pelo ministro das obras publicas, e pelo general Houde-
t..t, ..jndaiilc de campo do el-rei. O principe tinba ido o
Brgliluii para examinar a doCa flucluaiile, uu piirlo de
refugio, inventado por Mr. Taylor; eachuii' llivencao
lio boa, que rei Lus Plu'li|.pe lenoinua mandar cons-
truir urna doca acineanle para servir en. Treport.
0 Monitor refere, que o genera) De la Roe fui nuica
do grande .ffi.ial da egilo de honra; e Mr Rocho, as
menino Mr. Pourccl, ofjiciaes da uiosina ordem.
Mohamed Ber Serrur, principe marroqiiino, enviad.
Esemduvida m'o di.serao. Nrsse lempo e.lavs
alguem em termo de ler ronimigo as melhores inlelli-
geucias. Enlio alguem o achara indigno du menor al-
tencau ; vai se nao quartdo, gra9aa a nao aei que indis-
posiclo qne o pos A njorte, comecaro de repente as
ternuras em seu proveHo. Ora, ajfca, eupiqnei, e envi-
.lei Indo, manobre em ilencio, observet, espici. Em
liin offereee-se a nccasiS de o derribar, e tal ves de me
eu habilitar pelo momo acto. Befn v Sr. que eu ni..
detia deixar escapa-la. Mas creio que istu he ba e leal
gurrra enlro-rivaea.
E que me aproveila toda essa lgica, Sr. meu I
Perd a minha feloidadc, estou desesperado, he neces-
ario qne me singue.
Ai! pnia qurrvingar-se? nio teja lo arrebatad!
Qoer um duelo? a que elevar elle? Quer A rapada
quer pistola, Vm. lio n.ulo nervoa e anda mai n..-
ijo para |rr um braco seguro, apelar da ua uurageru,
e eu n*o quero mata-lo.
E eu, sim, quero morrer!
laso be biiarro! mas eu nao quero, repito, faxer-
Ihe nem mu arraul.lo. E nrin me fique Vm. por tal obri-
gado; nlo he ido em ni.m magnanimidade, sim boro
eos... Una fcridc i.rna-lo-hia mais iniereasaiilo anida,
Ie he ju.Luiente o que me nlo Caria cunta. Noelado,a
quo o redui, Vm. eal perdido ; a pessoa, de quem *e
ro, Sid Ahmi.la Beu-Ali e o ende De la R-.e, c.nven-
eionrJ em que os limites, que n'ontro lempo senara-
5o Marros eaTurq.ua, dividi ajrora a Argelia
M.rroeoa. Nenhiima djs altas parte cnlralanies pas-
sar al.n da reapeelivaa frontciras; neiiliuma levantara
edifiooa ua lnha das froiiteras. a qual oonlinoar* oo
evisiia antiM da conquista da-.Argelia peiu* Fran-
No artigo segundo fi.io-sc os limites: ludo >
(ue se aeha a Leste da linhi Iracadi pelo plenipolen
eariu* pertenco Argolia; ludo tc.ee a Marr.ions. 0 artigo terceiro assignala a linha.
designando os terreno* o as tribus, que pcrteur.em a co-
da urna das parios. No desorto de Sobar nSo su fixio li-
mites, visto que a torra lo lie ausceptivel do lavoura,
seivindo so dn transito para as Iribus rabes de ambo
os pases, que all vierein procurar pasio <>il a agoa de
i|uo correa... Neate deserto ambia o alia parles con-
tratamos exorneoS dn modo que melllor Ibes cnnv.nlia
a plentudede seos dirnitos sobro os re*neolv..a subditos.
No artigo aetmo prescreve e, quo todo o individuo,
que ae refugUr no calado da nutr parto contratante,
oio ser restituido em quonto qnera permiuecer no
territorio onde se rofugiou. Ele artigo nao t.m nppli-
eaco tribu., nem a Abdel Kader o seus partidistas
Em P.rl foiio bello lempo. O estodo da collicila he
extremamente aoliafaclnri... Na Picarda, o nos .lepar
lamentos ao Norte de Paria, o producto da florad* pro-
media ser milito abundante, o dequalidade nao inferior
do anno passado. Esporava-se, quo o precn desto go
ero nlo augmentas* mais.
A ciiuimissa.i cncarrega.la de examinar aa vanlagen
los barca a vapor em lempo de guerra, acaba do .pre-
sentar .i sen parecor, DO sentid da memoria do princi-
po do Jonvlle, reo..mmendaiido augmento dos vaaoa
lessa especie, divididos em duas cla.e. na vi as de guer-
ra o transpones. A cominstlo oomproli.-ndo no seu
exame nlo s o catado de navegaclo a vapor em Franco,
romn na propria Inglaterra, e musir que ha moitn a
faier.paj-ixLTeJi'a'. ?'vajiores do nerja cjiui gstp p
(oficia. tS
O Jornal dai Debatti annanci, que (res funecion-
rios ii.tinii ipaes de I'.uiz psrtirio ulliin,menta para
Londres. O primeiro beum dos ebefes da preleilura, o
segundo um arebitecto, eolercetro um inspector de
mercado, etc. O eu fim be visitare* estabelecimento
onalagos das principal1 cidade Dritanntcas, para estu-
ilareiii o melboramento. que podem introilutir-se no
novo mercado de Paril. Tambem lencionSo visitar a
Hullanda ea Prusia.
O Saiional antiuncia, quo qualro ergeanls majan
de um ri'oiiiienU) da guarnicao de Pari/ levaiSo batxa,
o forao obrigado a servir como soldados, por orden
do general Sclineider, por terem ss'istido como teste
munlias a um .ludio enlrc um odicial e um inferior
do mesmo corpo.
Como o Conilitutionel avncasse que o conlra-lmi-
rapte Cecile, depois de ocrupar a il a de Brasilan
(Arcbipelado da Philippinas) livera or.ie:n do a eva-
cuar, o Monitvr conliadi/ a noticia, declarando que
o que o couira-almi
rante nunca lomou posseda ilha.
vjtt-se na Sentmel a de Toulon : A indagc5ei *
que se proceden, por causa do incendio do Moni mi.
nlo producirlo pelo em quaolo re-ullado algum. ni-
camente ie sabe que o crine loi cmnmeltido por al
gum dos gales. 'I'inha chegado a Toulon Mr. Alard,
chefo da polica preventiva de Parix, e eipera-se que
pela sua sagacidade ebrgue a docohrir quem linos
autores do incendio.
A esquadra de evolucei enlrou em Toulon. O al
miranle Leblancdevia comecar em breve a inspeccio
da* divena* aua, de que compoe a eiquadra
No da A do corrente sabio de Marselha o comman-
JatltO do vapor Archtmidei, que vai paro Suez, edaln
para a Cbina, com noval initruccoe para a esquadra
franceza all estacionada.
mi cx-
itar del
Irala, nao pode mai. lenlar engonar-me, convencida
como eal de que eu ealou de ludo instruid. ha deantea
dar brac a torcer que deiiar-lhe urna de.sa. olhade-
laa..... Vm. sabe? depois do qual um linniem podo dci-
var-.e ci.ndcmuar. E ria eu deitar a perder esla excel-
hnte posiclo? Ni..! Ouca, Sr. Robuicot, Vm. tem cx-
cellenles quulidadca.....
Aeabema com iatol exclama eslo, que, apetar
enfurecido, c.ta a ponto de ae deixar dominar pelo
nidade do o. mo.
Urna palavra a.....
Seiihor!.....
Mas eu uflirmo-lhe, o o pnsso jurar, que o que Ihe
digii he para seu beiu 0 Sr. tem excellenies >|ualida-
do. mas iHinbein os defeitos inlierei.te aauaj.ivoi.il.-
dade, a que o impedir de levar a couaa ao seo fin.
Pelos acua eacrupiiloa vio-se Vm. i.brigado obrar ter-
giversaedes, que produxMSLa aua prrda, No v o Sr.
que quaiiiiu a genie se drfMa^,, mu deve haver-se io-
nio quando se lauca a liflpc forfoa.t deaprnar con-
ideraeoe secundaria, e ir direili. ao fin. Se Vm. nao
livc.se pensad no marido, leria precipitado o descnlre-
obo, e agora nao estara onde eu o pus.
Eiouao aa suaa licea, meu Sr. Trale-mo como
humen).
Tralo-o corpo amigo, o quo be melbor; agora que
que o
rei de Suenia faz presento ao duque de \unalo.
A noficia do Tahiiy lio nssa ilha cm aocego, ape-
nar de ler bavido urna tentativa de insurrecto, que foi
iilliii-ad i pelo esforco do capillo Rruit. Escrevem dal
Marque.a, que all se senta falta de minliment*, o
que o clima havia influid batante na moran Jada doi
Europeo.
U Journal da f.cy.len diz, que urna tromba de ago*
causou grandes damnoi no povo de Aarlandeween.
Destruio dua pontos, voltou um barco no Rheno, em
resultado do que pereceo um doi barqueiroi; arreb-
tou seis vaccasa urna grande distancia, e destruio varias
casa.
O rei de Hollanda e a sua real familia linliao ido pli-
sar algum lempo em urna bella posseisio no grio-du-
cado de Luxemhourgo.
O Journal dt U'iyt diz, que um furaclo causou
grandes desastre* na Hollan la. Em Zevenbergen del-
(ruin completamente 1! casas, o damnificou 126; del.
truio igualmente 21 granjas, e 32 licrao damnifica dai.
Tres moinho forSo derrocados, morrendo Ir pesioii
sob ai suas ruinas, e lican lo varia* outrai (erida*.
Em Alsmeer e outroi ponioi derribou o luracio al-
gum* casas, earrancou muitas arvorei.
A dieta suiss* ullimou as suas seisdes a 23 de a-
gosto, o o presidonteencerrou a logislatura com o dii-
curso do cstuma. Ant.s do encerramento tornou a
vutar-ae sobre a quesllo dos jeiuitas, eds diversa
proposicOes que 8 fizerio i obtivero maioria a que
propunba queaquesto ie ulgaiie federal, e que
diz respeito prohibigao da introdcelo doi jeiuitu
na Suissa.
A dieta elegeo tambem o elado maior do exereito
federal. Dos seis coronis federae quatro perleocem
aoartido radical, e dous ao conservador. Doi cinco
nt^a-coronnis tres slo conservadores, e outros tre*
O concelho eomullivo de Zuricb, coneedeo lo dou-
lor Sleiger o direito de cididio, dispensando-o de p-
gar oidireitos que montavioa 100 franco* iuilo*.
A situarlo da Suissa:nlo be Iranquilisadora. Em
Rasilea, Genebra e outros canlSes leita do commu-
nismo faz paselytos, mesino nos mancebos dai princi-
paes familias, que se exaltio com ai doutrina* anar-
ebica. ereceava-ie novos translofno. Entretanto a
Austria nio perde de vista a Suissa. pois teme que o
radicalismo penetre na Lombardia e no Piamonte,
por sso conserva um Bordan de tropas, o qual leaeba-
va unido, com pequea nterrupcSes aos corpo* de
nbiei vacuo d Bavi'era. Wurteinberg e Badn; e vigilo
ai fmnteira da Allemanba, da Suissa e d* Franga
S. Sanlidade publienu ltimamente um breve ao
qual reprehende os ecclesiaiticus da Westphllia, e fe
queita do ler abi retrogratiado a relign calbolica, a .
..rden-ndo aos mesmoi ecclesiastico que se dirijloa
6 de setembro a Muniter, pir receberem in.truc^oei
dos seu bispos.
Corrin enr Roma o rumor de que D. Cirios logo
que lenha esababo de tomar o hanboi em Grocui
dirigir Aquella capital, onde habitar o meimo pala-
cio em oae viverlo ioui pii Carloi 4.' iD Mara
I.ui7a durante a sua emigracAo. Ajuntava-ie que
seu filbo primognito tmha feito novas instancias para
que Ibe eoncedSo acompanhar leu pai; por oio an-
nuio a ellas o governo francs.
Parece que noeoncelbode ministro* de Franca, ae-
gnmlt sediiiaem Boma, bouve divergencia deopi-
niOei A cerca da partida o filbo de D. Carlos; una o-
pmarao que a la presoticaem Boorgeaera maii peri-
god para a Hespanha, do que estando em Roma:
outros pelo contrario, suttentrio que em Roma linha
mais liberdade para obrar legundo melbor Ihe comi-
eaie *
""*
o trei de um golpe da aun acolledle posiclo, trate aa
menos de aprvoUir-c da sua dewgrac*. Ora ah tem,
esta noitfl mostrou-se Vm indigno da ana felicdade.
Pul* que! Vm. va embebedar-so, quando sibia que eu
lli andava a csnVeita do sen primeiro deapropoaito I
Que ociiileceo ? Que li em soa alma como n'om livro,
surgir a *uo vodade, dei-lhe urna esperada, o resul-
tad fui ma asneira, oumo eu previa, lio Ito doce sa-
borear de c.iiupanhia a propria gloria faaer invejososl
Lembre-so da fbula do corvo o a raposa, a aproveite a
li(A.
_ J acaben? liase Julio, anda mais hiimilhado,
porque rei-onliecia a verdade do que ae Ihe dixia.
__ Sim, Sr. Desle modo, recorde-se para o futuro,
iine un.a volitado firme e activa, c urna discrelo a toda
prosa durante ataque, sao da mii* absoluta necessi-
dade. Po. eata ves.....
Basia de gracejo*. 0 sen diap a aua hora?
-- O Sr. lie mnn chanca, digo-lh'o eu! responde o
conde dirigindo-se para a o**a.
Sr. conde! exclama Julio exasperado e dlendo-0
pelo brar;.., aabo o Sr. que lia ultraje* que podou Zurcir
o seu ruiiseiilimenlu P
Ab! I.io he oulr* oousa! He utnarwva tirando a
bidropbobia,
Quero viogar-mc!
)
ir


Novn agitirOrg comelo t senlir-ie *m algn pon-
to da Italia Em Paudua parece ter-io deseo bei lo
una conpircio, em consequencia do que a pol eia
fez numeros pri-c. Porta onde com maiur funda-
mento g lemem deiordeni be no Es'idoi Pontificios.
Aisnciedides serreta da Toscans trahalhio para con-

rilolugar militas Testas. He esta a primcira vez que
orei dos jjclgas visita oscu paiz natal,depois de qua
torce annos, que reina na Blgica.
Noticias de Cotha de :i desetemliroannuncifio que
a rainha Victoria co principe Alberto tintino partido
d'alli naquelledia.com directo a Inglaterra, fazen-
do osen transito por Colonia e Antuerpia, d'onfle
seguir um levantamento naa legicdei romana.. Alm,parlrno jrec,amen,e 'pa,a a illia de Wighit.
disao os revolucionarios tem em seu apoio o numero-1 o gro-duquo de Badn chegou a 9 de sctembro
sos contrabandistas, que a ultima redcelo das pautas
decretada pelo governo pontifirio tem deixado na in-
accio, e que divididos em bandos infeslo o paia, as-
olio ai estradas, servem de agentes sos emissarios es-
trangeiros, e at se falla de quererem atacar Ancona.
Contina a lallar-se do casamento do duque de Mor
dos com urna das lilhas do duque de Modera, e da ir-
rua daquelle com o principe berdeiro de Lucca.
A familia real de aples tinba voltado i capital
das Duas Sicilias, regressando da sua eicurslo a Pa-
lermo.
A Gaxeted'Augtburg diz que em consequencia doa
riovoi tratados de commemo que acabio de celebrar
entre aples, a Franca e a Inglaterra, varias potencias,
entre as quaes se confio a Austria, a Russia e a Ame
rica septenirinnal, Irabalbio activamente para con-
cluir com aples vantajosos tratado, e suppSem-se
quea viauemde Mr.de Brnrkausi'n,enviadoprussiano en
aples, nao tem outro ohjeclo que o de dar a conbe-
cer que a Prussia representa em aples a liga das al-
iandegas allemlcs, isto he, a situaQlo actual de rela-
cOescommrrciaes, e que tem intlrureOe do seu gn-
verno, para entrar tamben- em negociaron com o gsbi
nete napolitano.
A tranquilliilade publica nao te tinba novsmenle
perturbado em Leipsck e o concedi municipal tinba
dado ordem para se revogarem as medidas excepcio-
nuts que so havilo adoptado. Comludo una nume-
rla (urca militar anda necupava a cidade ; e as rondas
erSo feitas pela guarda civil, a quem se unio como
voluntarios os mancebos do commercio. A comrnis-
sSo do inquerito, progredia nos seus Irabalbos, e era
presidida, pelo concelheiro intimo, Mr. de Langeun.
Por ordem do governo Torio convidados todos os jor-
nallas a cirrumscreverem-se aos limites presciiptos
pela lei da imprensa, e nao espalharem a deicoofiancc
no pubico, durante a inslruccao do proresso.
Um regiment que [eslava de guarnico em Dresde,
passou a acantonar-se as aldeiai visinhos. A exalta
rio dos nimos na Saxonia parece ir ceden lo o lu;ar a
urna tranquilidade completa. Ha motivos pera esmerar
que, grabas i firmeza do governo, a ordem e airan
quilidado nao tomarlo a allerar-se, e que as sessoes
da prxima dieta baver mais serenidade do que de-
via espirar-se. Asiegurio que os Irabalbos prepa
ratorios da diota nio se lom interrompido, e que a
imprem do governo eitf constantemente oceupada na
impressSo dos projectos de que derecn oceupar- se os
Eitados.
Aflirma-se que nss conferencias de Stolxenfels se
decidi adoptar medidis vigorosas contra os membros
da nova seita catbolici allemia, e que Rouge e Czertki
recebCro ordem de nao tahirem dos seus povos na-
taes.
A ('azetle de Augsbourg annuncia, reTerindo-se
noticias de Munich, que a princesa real de Baviera
dra luz um lindo iiiTnntc, no dia 25 de agosto. A-
junta, que o rei e a rainha de l'russia, que se achilo
naquclla capital, serflo os padrinhos do recem-as
Cjeq,
O principe de Mctternich achava-se na sua posses-
sfio de Johannisbcrg, onde era visitado por varios
diplmalas allemfies. S. A. devia dirigir-se Yienna
para os meiados de setembro.
A rainha Victoria de Inglaterra, seu csdoso o prin-
cipe Alberto, o rei e a rainha dos Belgas chegriio
Coburgo a 20 de agosto. .Na fronte ira linhflo ido es-
perar SS. JIM. as autoridades do paiz, e grande nu-
mero de camponez'es dos povos mmedialos, que so-
bre carros vistosamente enfeitados concorrerlo i
prestar homenagens rainha da Giam-Brelanha A'
entrada da cidade, junto um arco trinmplial, vno-
se dous grupos de lindas meninas, vestidas de bran-
co, com cintos verdes, que offerecerto a S. M. versos
cramalhetesde flores. Nomeiodo bullianlismo dos
ricos uniformes das personagens, (|ueacompanhavo
SS.MM., Tazia singular contraste o simples trajo preto
doslords AberdpeneLiverpool. Os augustosviajanles
atravessro a cidade entre salvas de artilharia e re-
piques de sinos, Muilas e brilhantes fesus se fizerSo
cm Coburgo em obsequio da rainha de Inglaterra,
que all se reuni enm a familia do sen esposo, o
muitos principes das casas reinantes da Allemanha.
Cm tima das noites represenlou-sc no theatro o dra-
ma'de Schiller, intitulado A noivadeMe'ssina, a
que assistirSo SS. JIM. e Aa.
No dia 26 de agosto, anniversario nataliciodo prin-
cipe Alberto, houve um grande jnntar em palacio.
Urna das galanteras, que faz tanta honra popula-
Cao de Coburgo comoao gro-duque, quea ordenou,
foi, que, durante a permanencia de S. M., n3o se via
miiguem fumar pelas ras. Os Inglezes teem icado
sorprehendidos deque n'um paiz protestante, ede-
baixo das janellas do palacio o'onde l.uthero anathe-
matisra as pompas romanas, soja o domingo um dia
de festa divertido, como nos paizes catholicos.
A rainha Victoria, o principe Alberto, orei ea rai-
nha dos Belgas partiro a 27 de.agosto para Cotha,
Carlsritho, de volta da sua vagem a Coburgo.
Mr. Kanitz, ex-embaisador da Prussia em Vienrja,
foi Momeado ministre dos negocios eslaugeiros, em
lugar de Mr. Bulow, que pedio a sua demisso, em
consequencia do mo estado da sua saude. Hiz-se
que Mr.Kanitz he autor de urna constituicHo, que foi
submettida no re, para serniithorgada nacAu prijs-
siana.
O governo prussiano prohibi a todos os militares
o assistirem as reuinies da sociedade dos Amigos
das luzes.
Os habitantes de Colonia dirigirfo ao rei de Prus-
sia urna peticdlo, supplicando-lhe a publicaQo das
bases fundamentaes de urna conslituigito, a livre no-
mcagflo dos seus concelliciros municipaes c burgo-
metres, e maior I,ililude na participado dos nego-
cios pblicos.
Parece que as desordens, que rebentrfo em I.eip-
sick, se cstenderiio Posen e Silezia.
O rei da Succia, acompanhado de seu lilho o prin-
cipe Gustavo, tinha partido para a Noruega, aliin de
encerrar pessoalnicnte o Slhorthing daquelle reino.
S. M. nomeou urna regencia para governar o reino
durante a sua ausencia, aqual secompe dos minis-
tros dos negocios estrangeiros, reino e mantilla, e
do concelheiro de estado, barilo dcStael.
Assegura-se que o imperador c a mperatriz da
Russia faro em breve urna viagem a Berln, donde
a mperatriz se dirigir a Florenca, afim de ver se
restabelece a sua debilitada saude.
Apezar do exercito do Caucaso se ter apoderado de
Dargo, residencia de Schamyl, diere dos Circacia-
nos, julga-se que a campanha desleanno tem sido
infructuosa, de maneira que o conde de WoronzoJ
dividi as suas floreas pelas guarnices e acantna-
menos da linha de observagito. O principe Alexan-
dre de llesse, quo servia no exercito do Caucaso, cm-
harcou no Mar-Negro para voltaraS. Pelersburgo.
Com ludo, o imperador Nicolao, em data de 6 de
agosto, dirigi ao conde de Woronzoff una carta
congratulatoria pelos seus triumphos, e o nomeou,
em recompensa dos seus servidos, principe heredita-
rio de WoronzofT. O czar promoveo lambem tenen-
les-generaes alguns majores-generaes do exercito
do Caucaso.
Segundo ma corresponpencia de Constantinopla,
transcripta na Gazette de Augsbourg, o ex-seraskier
Rizza-Pach recebeo ordem "para ir desterrado para
a sua possesslo de Tschirijan, e nilo sahir d'alli sem
expressa autorsaeflo dosultflo. A sua queda altri-
buo-sc a influencia da sultana Atia, que, n'uma con-
ferencia, quo leve com o sultilo.olitcvc a demissSo do
eraskier.
Algumas provincias da Armenia-Turca se teem su-
blevado com motivo de um novo imposto, que lhes
exigi a Porta-Oltomana.
De Vera-Cruz, cm data de13dejulho, escrevem,
que nada occorria respeito da guerra entre o Mxi-
co e os Estados-Unidos.
Herrera, presidente interino do Mxico, publicou
um manifest, convocando o congresso extraordina-
riamente, a fin de tratar de varias reformas consti-
tucionaes, c de decidir sobre a quesillo de Texas.
O governo mexicano fez urna nova divisilo da rc-
pjjbCa em dexilcpartamenloc militares; o quinto
eomprehende rVova-LeiJo, Coahiula, Tamaulipas e
Texas, o que denota que o poder executivo contina
a considerar os Tsanos com subditos do Mxico.
(/Jiariu do Governo.)
gassem os rimoi aos arrematante dos tslboi, preferin-
do se, por iguse precos, qi creidores, e quo te fixisse
novo edital pira a arremalcSo do imposto do aleriflo
no dia 25 do corrente.
Oidenou-se a inlormacio de alguns requerimentos,
mandados ouvir pela presidencia, e despacharlo le os
"He Antonio Maris Marque, Amand Olliver NecolleV
Cdmpanbia. Claudio Jos Theodoro, Faustino deCar-
vallio, Francisca Mara do Naieimento, Francisco Jos
Alves Gama, Flix da Trindade Pereira Lelo, Gui-
Iherme Coller Cox, Joaquim Goocalve do Cabo, Jos
Francisco de Souta Lima, Jos Antonio de Azevedo
Santos. Jalo Bernardo de Mallos, Jo GoocalvesFer
reir da Silva, Joio da Silva Maii, Jos Martina Pi-
nbeiro, Joaquim Jos Caineiro Monleiro, Isabel Joa
quina Vellozo da Silva, Luiz da Costa Leite, Manoel
Antonio Concalves, Manoel Luiz Goncalves, da ordem
3.a de S. Francisco, do procurador da cmara e de Ri-
cardo Romualdo da Silva.
Nada bavendn mais a tratar-te eneerrou-se a ssil <.
E eu JoBoJos Ftrrelra dt Aguiar, secretario a esrre-
v. Reg sflbutjuerque, presidente. Oliveia.
Carneiro Vonteno Cinlra. liego Barros.
JURYDORECIFE.
QUINTA SESSA6 ORDINARIA.
Prtiidenaa do Sr. oulor Roduguis Stlli.
Dia 27.
ReoFrancisco Cyriaco da Silva.
Crime Fenmenlo.
AdvogidoO bichare! Jos Bernardo Galvio Al-
canforado.
O reo loi condemnado em 30 din de priiio e multa
correspond nte.
PEBNAMBCO.
CMARA MUNICIPAL.
SESSA5 EXTnAOHDINARlA AOS 22 DE OL'TI'BRO DE 1845.
I'reiidencia do Sr. .ilbuquerque.
Tendo comparecido os Srs.Oliveira, Carneiro Mon-
leiro, Cintra e Reg Barros, laltando com causa parti-
cipada os outros Sis.; abro-se a sessio, sendo appro-
vada a acta da antecedente. O secretario deo conta de
um mIIcid do presidente do roncelbo de salubridade pu-
blica, acompanhado da relelo das pessoas, que dei
xarao de comparecer vaccim no oilavo da.__Inteira-
da. mandou remetler ao procurador pira a cobranca das
multas.
Um do procurador di cmara sobre repos(5ei, man-
dadas fazer, do imposto de afericSes.lnteirada.
Outro do mesuiu, inlormando o requrnmenlo de
Manoel Rodrigue! de Albuqueique, sobre o qual man-
dou o Exm. presidente da provincia ouvir a cmara.
Doliberou-se. que se respondesie ao meimo Exm. pie
sidenle rom a inlorniacao,
Uutro do contador, remetiendo o bilnnco da receta
e despeza do 4.a trimestre do anno finaneero findo.
A'commissio de polica.
Mandou se proceder ultima pnca pira i irrrmila-
cao dos imposlos da ilericao das medidas, e talhos dos
acouues da Boa-Vista e Cinco-Pona, tendo havidu
lanzadores aes di primeira fieguem, e a orne lio s-
mente da segunda, e nenbum pretendente i afericao;
onde passariSo alguns dias, e durante os quaes te- em virtude do que deliberou acamara, queseenlre-
Coi respon'Jeticia.
Defacto, prosegM Saint-Amand depois de rofler-
lir um puui-o s como ae espire si fallara, ete negocio
aiiid.i poda ter sua sabida, e.....
Que quer diier com isu? Pcrgunta Julio in-
quieto.
Oh! meu charo, Vm. he milito dirimo. Polo pas-
udo ibro-lhe a luinha nlma ; quanln no fulurn anda nio
rhcganiot ao ponto de faier jogo desoubcrlo.
Hajuato. Eentao?
Puja bem, eu arranjarei isto. Ho preciso tomar-
saos certas preraucoe porque a vm publica dara lu-
gar arasnmrnlos e iuterpreUee, enlu lie justo que
Mma. Dearonaia aeja para aemprc victima da ui cabera
de Vm.
F.itoo a auas orden. \
Eu he qiieolou sua, replicn o conde, incli-
nandu-ae civilmenlH ; u ludo he obrar com diacrifi.
Eu Ihe ecrcverei neales doui diaa: e cuino esianius ago-
ra de acord, vohtmos para cima ?
bo. Nao punku niaia rila nule na pea na aala.
Nu tem ranau. O muviniento, o barulhu u diilra-
brilo. No mai como for da sua vnnlada.
E Sainl-Amiiid, dando denovu o braco no falli do
notan, eiurou para a oaaa do pai,-
Seja como for, mu de n terminar a vida! diaae
X.
Conervou-e Mma. Dearonais durante oa dous diaa
poateriorca ao bailo Je Robineau, em ra rasa, ulu fl.
lou a niiigiiem; triste e peuautiva naoaahi da au* c-
mara em ludo chic lempo. Benedicto, oceupadu em di-
rigir un* vinle jurnaleiroa, que em urna daa eslremida
dea da lapada revolvan na terrna, apparocia em caan
a horas da comida, de aorte que Josephina eslava cutre-
Kueai niesmn na finca do termo.
Basto que a huuveaae ferido ao vivo a acea do baile,
Tlb n maneira por quo Saiiit-Ainaud tirara partido da
imprudencia de Julio houvcsae anda aggravado mais a.
comequenciaa, ulu poda ella omiaeguir reprimir a af-
fectuoaa incln .(lo que ha iiiaia Je um mes Ihe inapira-
t o de >f.rac.idu hlbo du notario; como conde o hnvia
previsto, o aeu ancioso cuidado era extremo. Ella U-
nhacom effi'ito, em cuiiaequcneia de aua propria levi-
audade, dado por alg..... leinujsjfgar, a que o conde on-
cebesse al^umaa eajirrancaja^Brade lie- quedearobrira
dep.ia iiiciodeeacapar-lhaai Hnndo-o com a mia per-
fe it iudirfrreiiQa maa qunndu iato podrase engaar por
alguna dias o conde, como ella u acradilou ao menea,
aa>deria na actiialidade cooliouar eaae engaito ? Com um
hoiiicui to affuulo, o inoidenle du braoelete pcriiiiin.i
Srt. Redactores. Emquanto a praa pela sua im
prrnaa ra neasa prafa oapalhandn com inaudiln despe-
jo, que a provincia esl em um calado flureaoente de
tranquilliiiade, de riquesa, ele, ele, noa aqu varaos
seiiliiidn ns lerrives rffetoi do dominio deaic partido
nimoral e infame, em cujas garras entendeo ministe-
rio das conciliacOt, quo nos devia laocar coinn pasto de
abntre, sem niporlar-lhe inrsmo, que esta provincia
va de ibyamo em ahyaiun al a anqnilacAo. Pura nmoa-
tra aento um resumo dos tctoa, que teem i ln-gado ao meu
coiiheemento, ncciiridoa depois que ella cidade e co-
marca fui entregue diicrifao de autoridadei praiei-
ras.
Nos ltimos di de julho, logo depois da posse do
novo delegado, e em frente do seu engciilin, na estrada
da capital, soffreo dous tima, de que resulto a ainpula-
c,ao de iihi braco, u etlrangero Joaquim Piulo, a quem
os assaiainiis roubrio oitocentose lautos mil ris. Ksin
genlilcia praiciru nio fui consignada no orgio uflcial.
cuja larrfa he mentir.
No principio de agosto fui asiassnado era una rua
dcsla cidade, aa 4 horas da tardo, com um tiro de pisto-
la, n ni pobre hoinrm este aasaasino foi preao, porque
o povo nao ac niostrno iiidiffcrente, e o peraeguu o a-
garrou. Deata demonstraran de st'goranca, e de pruteo-
cio da pulica nao falln a tulla uflcial no seu quaJro
de venturas.
Em dias do mesnio mes de agosto foi o acougue deata
cidade arroinbado e ruubado : o ac.uugue fica junio a ea-
deia, o ao quartcl da polica; urna esla proximidade de
na/ln rsui no caao, arin duvid, awr<|na a polica au se
importa cun ealaa hagiucllua, visto que o noaso catado
venturoso he mu ocano onde cates pingos d'agoa dea-
ai'parerem iuseusi vcliiienle.
Mano! I Antonio de Olivera, reo do tentativa do mor-
le, prnlicada cm un menor de 44 auno, mora junto a
esta cidade, na estrada publica, e a oaaa do inspector de
'luarteiro, Floriauo Julo da Silva; cate aasaasino he qua-
ai sempre valo cm aua caa, mas nio lie preso, h m mi
isso recra, poique dis, quo he praiciru, e lie com cffei-
to, e bem ae sabe, que mu das venturas do quadio ri-
soujiu do jornal ollii i-'l he que o prniciroa pussAu ma-
lar asna voiilndc aciu iiicominodos de josnga.
Manuel Josde Curvalho, Joie de Carvallio e Mathas
Campos de Carvalfao, proreasadoa e pronunciados por
tentativa de norte na peaaoa de Jos Ignacio, a quem lo-
m roo um recrnlo, que este ci.nduiia, muri nu rnge-
nliii do subdelegado do primeirodiatreto da Eicada.Ma-
noel Antonio Das*, de quem avahe u publico so serio
un nao protegidos. U que alias nao deve ser cousa ecu-
auravel noa ulhos das nassas autoridades, por se man
um punto liiiiiiuosu nu quadru de venturas do orgio uf-
lcial.
lima pairullia de polica foi prender a Francisco Ro-
drigues, por ter ferido a una uiiiliier, e ent-.-ndeu que em
lempos venlurusos o mcllior modo de fazer, que nio ha
ju criminosos, ho manda-Ios desla para inelli.r, o pur
iiiiilu matuu-u .- como nu era jiossivel deixar do se fa-
xer um pruresso, fe.-se na o delegado, o doulor Bel-
trau, nao prununciuii n palrulh; e ja ella estara prorap-
ta para oulra, se o digno juii deCinto, para quem se
Bppcllon, nao livease proiiuiieiadu us assassuua.
Teui-ae esjialliadu licita cidnde una poriu de cdu-
las fvlsas, e a vui publica denuncia, como introductor,
mu tal Uathas de Curuar, agente de um figuran da co-
marca do Bonito, indiciado do i n ti o duchan de lava pa-
prliuhos; mas a uossu polica nio toma coutaa disso,
porque o tarto ho um dos pormenores do quadru du
ventura, que Pernambuoo offervec. teiiuiidn u umao
.nicial. "
-#
Um tal Ixdorn, praieiro de topo, o proteaidifdu dele,
gado, dii'in, furto*, ha punco lempo,, una tanca d,
rurraes dcsla cidade, introdiixiu a na boiad donni ,llu
amigo inspector de qilartorio. o a f.i vender la par, u
Sul : o faeln nao dcixa do corroborar a vontuR da ipl0
aomo devedorrs actual polica
O inspector de Olhns-d'Agoa, Francisco Jos de**Kia.
enncellna, prenden, ha poneos dia, um ladran dacaviU
lo, de nonio Raymundo, i ordem dn delegadu, maa n,|.
toii-o depois, disem que por aer primo da Sro. iiiapct-tu.
ra. E diglo, quo nao eslamos em Itnipos veniuroaua J
O eoimnandanln lio drilacaineiito deata culada g,.(ia
innito de psstucadas, e, para gosar da artuac veiiturai,
rene do vez em quandn a ana sucia, e vai a un litio dis.
tanie d'aqui mai de una legoS dar urna partida d> pros.
ibul" nixTin, que urna minio, enounlrandn-o una pa.
irulha de malulos, que rondara iirdem do nm inspee.
lor ou subdelegado, de rompanhia com una ruoretrii,
na levou ambos presns a preaenca du delegad, quo o
mandou enibora. O axcmplo he edificante, e prova e-
lailo venturoso.
A 40 do correle foi roubadi a luja de ni lapsleiro
deata eidnde. Orubera, que lato foi alguin ^"aerjo. por-
i|iie o oigan ulnatl assegura, que todos estamos de por-
ta abena, ronfiailu n pnlioia.
Pasii'a na ras delta idadn*'Vrrdado he qne de non-
le, lempo em que a polica e todoa nos dormimos de par-
ias abertal, mu criminoso de inorie, de noinn Rumio,
por ter assassinado uus presos, que, nomo sargento de
polica, coiiduiia do Bonito; dixein qoe ho amigo du
......imandaiitf do destacamento, e tem ur irmftii prafj
delle, e bem vcem que, e aaaiu lio, deve parlilhar das
venturas,em que nadainus*
Taiobem anda por aqu publicamente um desertor de
uarinha, mas lem a pi otenlo das nuloridadoi, o nada
reteja.
A 48 do enrrente, no meio di feira, um aiigeto, que
tem pareiilctuo cun a polica judieiara desla nidada,
cshofetcuii iSu cruelmente a um miacraiel, que o dei.
xou lavado ero sanguc : Fui preso, maa logo sollo, purquo
so auiibe do tal parontesro.
Kis-aqu, meas charos Srs. Redactores, o oontngrii-
te. que a cidade da Victoria da comarca de Santo Aulle
nfferece para complemento do quadro de venturas ina-
preoiaveii, que Pernambuno ostenta naa columnas do
orgAo nflical; eia uni parle do nnssu qonhlo daa feli-
cidades, que Pernaiubuco deve aa sabias adiuiniatraenoi
dos Srs. Souta e Chiohnrro, a quem I) -ni perdue.
Sou, etc. Um morador da Victoria.
Fublicacao a pedido.

Jallo subindo ao leu quarto pur urna cscada particular. |pclu cvntrariu levar todas as hjputheaei meimo aleui da
verdade. Era pur Unto de absoluta neceasidado nio ae
avistar ella Cun Julio, ou diapor-ae a esqueoer todos os
rrsguardus. Ora, apelar de namurada e eatouvada, Ju-
aepliina nao tinba cliegado anda a essr ponto. Fea pola
uiuilua calreos sobre ai mrsioa para sobrepujar essa af-
incan, quo o doiuinava, anda que multas vcies Iho
moBlraisciu aa lagriiaaTs>a que aos olbos burbulbaviu,
i|ii4u doloroso seria o sacrificio no caso de consum-
i a r-se.
Illm. i Exm. Sr. Jos Luiz da Silva Gumiries,
advogado publico nacomarca do Ro-Formoso,ecollec-
tor dai diveriai rendas nicnmes do municipio do mes-
nio nome, vem inte V. Eie. queixar-se do bachsrel
Fernando Aflonso de Helio, actual juiz municipal e or-
pblos daquelli comarca, e consiste la quein nose-
gui.te. Tendo sido aquella bacharel oomeado pelo
governo da provincia, em principio do anno de 1842,
para servir o lugar de juiz municipal e orphloi dos ter-
mos reunidos de Rio-Formoso e ^erinhlem, entrou el-
le em o exercicio de seu emprego, mostrando logo, que
o seu limera, nio s exercer is uneedet de julgsdor,
como igualmente de advogado, o que ae deprehende dos
documentos de nmeros I 17. onde se ve, ilm de va-
ras cartas escripias por Joaquim Pereira de Mendon-
ca, leu intimo amigo e correspondente, o rateunhode
urna pelicao de seu proprio punho, ledenlo a una dss
causea do referido Mondones, o qu anda se verifica
confrontando o com o documento n. 8, que he a co-
pia extrabida dos autos, com urna lgeira alinelo Tej-
a pelo lupplicmte, que a nstincia delle juiz tirou-a
a limpo e auignoo.
O documento n. 9 prova, que o meimo juiz aconso-
Ihou e dirigi a Manoel de Albuquerque Barros em
urna causa de inventario e libello, que perante elle li-
tigava com a viuva e herdeiroi do finado Joaquim
Tbeoderode Barros, e ido ni 10 17 timbem pro-
vio, que advogou aconselhou a su ntimo amigo
Albino Jos Ferreira da Cunha, na execucio, que mo-
va ao menor Joaquim, berdeiro do .finado Luiz Jos de
Araujo, inJo al villa de Serioblem, pan dalli me-
Iboimente levir effeilo a relerida execucio, reque-
rendo i ti mesmo ( a titulo de resistencia ) a penbon,
busc e priso de Joaquim Correia de Araujo, tutor le-
gtimo do dito menor, que le achava na posse de sem
hens como se v do nscuuho por tus propria leltri,
lob n.lS, cnnlrontido com a certidlo extrabida dona-
tos, sob n. 16; resultando de ludo isto baver lido o re-
ferido tutor preso e sumariado por elle juiz, nica-
mente pira liiongearao seu amigo, o esequente.
Os documentos ni. 18 e 19 proveo mais, que o dito
juiz aconselhou a Joaquim Fieire de Mendonca Lelo,
e advoiou a causa do embargo, que Ibe encamiohsvi
Mara Rita, como e do rsscunbo leilo por sua let-
ira, que remelteo por escripto ao supplieante, para ti-
rar a limpo e asiignar, e os documentos Je ni. 20 i 22
iguilmente provio, que ello negociou com ai ptitilhu
dos invenanos do caul de Manoel Jos de Cutio Aria-
jo, e do casal do finado Joaquim de Souza Sanios, coa
o coberdeiroi Jos Joaquim de Miranda ( boje* falleci-
do), e Antonio Jos Pimental, eicrivio do jurv daquel-
le comarca.
Negociou lambem com ai arrematacoei de dous es-
cravoi e varios animaes, penborados aos berdeiroi do l-
Ao terreiro dia depnii do baile e quandn te il servir
jnntar, receben um bilhele do marido, que a presas I lis
escrevia, que s pur nuite puderia elirgar casa, vista
nimio tinha de r immedialameule a Mantea a entender-
se em o engenheiro por causa de empeeillio, que, pur
parle daadministracao de puntes e calcadas, se qeeriaa
por aos Irabalbos que eslava executando.
Leo Joscphina o bilhete, p-lo com ndift'eraTJJc sobre
urna nieaa, e nio rnidoii inas ueste incidente, que ilias
----- u,.,u aiit.B*, iim.i tiiiu lumtm limo iiii iiitino, iiup n.
Por oulra prlo, n prmeiroi momentoi penanu ella I nada linha de extraordinario. Entretanto depois do jon-
queSaini-Amaud.para ae vingar du drsdeni.ei.m que aal lar, sem motivos precisos, mas em consequencia desss
auaa priiueiras declarucOu huvilu aidu tratada. io liini- calado de temor vago, quo a uto deixava, urdeiiou aul

*

t
laaau a for(a-li a renunciar oulro amante ; maa nloap-
parecia o Oonde e esta singular diacricau uuiuecuva a isa
quietar Mma. Desrunais. Prefera ella, como acontece
eoin todas as iiuagiuafes vivas, um perigu aaria o pr-
senle I um risco vago o esperado : mil euiijerUraa fes ,
as auas suppoiifSi-s com {avao rasoaveis, inuliiplicando-
ae acabaviu eiu absurdas, e lual que as rejriuva, ellas
voltava logo. Todava se uto podo formar juiso ccrlu
aubro aa intencea aecrelai o rears de Sainl-Amaud, aa-
seiiiuu ao menoa que o seu despullo devia ser estremo
c por couaeguinio leroivel, o deale modo abandoiiuu-ae
a um terror tanto nuil vivo, quinto lbo faltava urna
peaaua imparcial, a quera ae contiaaae, o que podesse a-
caluiar-lhe us excessos da imaginario perturbada.
criadoa, que niug em recebessem, sem cniuludo aui-
inar-ac a designar especialmente o ronde, e reaigaou-ie
a passar a tarde s.
Pelas8 horas obro-se repentinamente a porta do ss-
lao, o Saint-Amand apreaeniou-se.
Josepliina eilreineceo, ergueo para elle us olhns, e
aeulio-se morrer de niedo. Curo rtt'i-ilo a singular ex-
pressio da physionoiuia du casijuillio nto era para tran-
qmlliaur : linha u roato ligeiramenle contraliido, a fa-
lles por extremo paludas, o silbar irnico, o ao sueimu
lempo resoluto ; o depois de flear por alguin lempo ini-
inovel, din(1io-au para Josepliina. J eolio baviaellc
consffgudo que no roslo ae mutlraiiem a lea arica o
*



1
=
nado reverendo Antonio Alves da Silva Freir, e aoi
herdeiros do finado Manoel do Nascimento da Silo,
segundo ie v doa documenloi de na. 25 i 28 e 29 no
vors, ohrigando al ao escrivio Manoel Antonio Coe
iln Oiiveira Jnior a lavrar noioa auloa dearre-
itagio, a pretexto de le tarea) perdido o primeiroa,
lijo importe j havia receido dos anematantes, oque
videncia da leilura do citado documento sob n. 28,
iodo o de n. 17 oque acompanbou o de n. 26 ao dito
eaerivSo Coel o.
I Alero dos crmcse prevsrieacSns prsticadas pelo dito
juiz, al aqui mencionada!, outraa muitai fallas tm
He commeltido no ejercicio de aeu emprgo ; fez des-
apparecer o procedoTrima de turto de esclavo, em que
foi reo Antonio Jos da locba boje fallecido); u qual,
tendo ido preaae processado. tora por elle solt a pro-
testo de o haver despronuoeiado por criare de furto de
cavallo; faiendo ae par* iaio huma emenda com urn
borrio da tinta em a verba, nn rol de culpados do sobre-
dito escrivio Coelho ; nio obstante haver sido a pro -
nuncia confirmada pelo juiz de direilo do crime, que
eolio era da c .marea, o bacharel Alvaro Raralbo U
choa Cavalcanti, em grao de recurso interposto, e er-
re'oadn.por parle do reo, pelo advogado Pedro Alejan-
drino Ortis deCainargo: no meo u, contra a le, curador
geral dos orphloi, ao esorivao do jury Antonio Joa Pi-
mental, bnvendo alia sesadvogados no (oro ; e final
mente, le arrematar contra a lei, por aforamiento per-
petuo, Ierras possuidas pelos Indios de Barreiros, aem
proceder a necessaria medirlo, mandando paasar con-
tra ellea mandado de despejo; e como no quizessem
abrir mo de aua propriedade, Torio proceaaados, e
perseguidos por crime de resistencia, oto Ibe escapan-
do mesmo nem al mulherra I 1
Esle tartos, poito que o tupplicante nao exiliiise do-
cumento algum para oa provar, pela impouibilidade de
o haver, em coniequencia de dependerem do despacho
dojuiz lupplicado todava sao de ordern tal e to pu
blicoi naquella comarca, que dispensad ao supplicanle
desia obiigaclo, or constar em de autoa existentes no
cartorio do escrivio Jos Tiburcio Valeriano de Noro-
oba.
He tal desmornlUacJo e deiconceito publico, em
que tem cahido aquello juiz, que, alin de nao inspirar
a menor confianca entre aa parles, que peratite elle li-
tigio nio pode amis manter a ordem eatabelecida
pelas leii para regularidade do loro; comente e tolera,
que o escrivle deacatem aoi advogadoa, documento n.
30; que eitea reciprocamente se injurien) em allegarles
e cotas de autoa documento n. 31 ; tambero oa acn
selha naa cauaai que perante ti tratio, documento ci-
tado n. 29; apreieota-M, ora como uiz severo, ora
fazendo papel de mdianeiro e conciliador, documen-
tos n. 32 e 33; ese algum por ventura requer ocum-
primento da lei, elle se nega mandando al desentra-
nhar de auloi o seui requerimento|, como luccedeo
com o supplicanle e consta do documento n. 54 ; o
mesmo lempo que. o condemnou em quarenta mil ris
de multa e trinta diat de suspencio, pelo simples facto
de baver empregado em unas allegacdes as pilavras
lagello da bumanidade com relerencia, nio a elle
juiz, mas a pessoa contra quem litigava, documento n.
35, por se acbar cobrando urna divida paga.
Outros muitoi factos criminoso! poderia o supplicanle
inda referir, que depoem contra aquellejuiz, dosquaes
tem documento!, e se nio faz, be porquu os al aqui
mencionados aio maia que sulTicienles, para que V Kc
enlre no conbecimento da conduela irregular e crimi-
nosa dense magistrado, que nao < ora ante qualquer in-
dindide, tornando-se dest'arle um perseguidor pu
blico, um flagello dos pacficos babitanle daquella co-
marca.
A vista, poii, do eipendido, tem iquelle magistrado
commellido os crimea olaaiilicadoi no artigo 129 Io.,
3 ', 4 \ 7.o e 8 e artigos 133 e 139 do cdigo cri-
minal; por isso requer o supplicanle a V. I'.x., que,
tomando em cOnsideraciotodo o allegado e provado com
os documentos juntos, se digne manda-lo responsabi-
lizar esuspender.do exercicio da vara de uiz, que in-
feliimenle oceupa em dita comarca, fai>ndo-o punir
na forma lei, noque espera Justina, portento: Pede a
V. Ezc. assim o delira. Com os 35 domnenlos men-
cionados.Recile 24 de outubro de 1845.
E II. M.
Jote Luit da Silva 6 uimarta.
m
m. *
neladai. capillo Allon Campbell, equipegem 1(5,
carga bacslhio ; a James Crahtree* Compaobia.
Editaes.
O lllm. Sr. inspector da thesoursria de faienda
mana fazer pul Mea, para conbecimento dos interesas,
dos. a ordem do tribunal do tbesouro publico nacional
do 9 desetembro ultimo, abaizo transcripta, que mar-
ca o primeiro de abril do anno luluro par* comecaro
descont gradual, na forma da lei de 6 de.outubro de
1835, as notas de cem muris da 2 'estampa (verde).
actualmente em substituido na erte; e convida aos
poisuidores das mesmas notas, para que quanlo entes aa
faci trocar por outras oa mesma thesouraria, visto es-
lar prozima poca em que vio deixar de ser recebidas
as estuches publicas da provincia. Secretaria da the-
souraria de fazenda de Pernambuco, 16 de outubro de
1813 O ofBcial-maior, Ignacio dosSanlosda Fon-
itca.
Ordem a qu te refere o tdilal lupra.
N. 124 A. Manoel Alves Branco, presidente do
tribunal do tbesouro publico nacional, participa ao Sr.
inspector da thesouraria da provincia de Pernambuco,
que, por portara desta data, ordenou, que se marcas-
seo primeirt de abril do anno futuro para comecaro
desronto gradual, na forma da lei de 6 de outubro de
1835. naa olas de cem mil res da 2.* estampa (verde),
actualmente em substituido nesta corte, a fin de que
mande fa/.er publico por editaes, e nos peridico por
repetidaa veies.para conbecimento dos inleressados.Tbe-
souro publico nacinal, em 9 de setembro de 185.
Manoel Alvet RrancO.
= Em praca de 30 do correte se arrematar, ante
acamara municipal desta cidade, a afericio e revisao
daa balanzas, peso e medidas do municipio do Recife,
a quem mais der sobre 10:217.745 rs.
E para que ebegue ao coobecimento de todoi te mao-
dou fazer publico pela imprensa. Recife, 25 de ou-
tubro de 1845.Vlanoel Joaquim do llego e Albv-
quirqu, presidente. Joio Jote Femia dt Aguiar,
s cretario.
Pira o A segu viagem em poucos dias o
bergaiHim nacional Fiel, capitio Manoel Marcianno
Ferreira : quem no mesmo quizer arregar, ou ir de
passagem dirija-ie ra do Vigario, n. 23 a tratar
com leus consignatarios, Firmino J. F. da Roza *
Irmo.
Para Lisboa legue viagem com muita bre vida-
de o bergantim 7 aru jo-Primeiro capitio Manoel
de OUveira Faneco : para carga e passageiros trata-se
com osconaignatarios Firmino J. F. da Roza & Ir-
mio ou corn o capitio.
Pare Lisboa segu viagem a escuna portuguesa
Tarujo& Filkot, capitio Francisco Antonio de Al-
incida : quem na mesma quizer carregar ou ir de pss-
sagem dirija se ao capitio ou aos consignatarios.
FirminoJ. F. da Roia&Irmao, na ra do Vigario,
n. 23.
Para o Cear segu, em direitura deste porto, o
bergantn) nacional gum carga passageiros : trata se com o capillo Ma-
noel Jos de Azevedo Santos, ou na rui da Cadeia do
Recife, n. 12.
A sumaca Santa-Mara-Roa-Sorte pretende sa-
bir al 10 do me i de novembro para o Aracaty : quem
qun) Alves defronte do trapiche novo ou com Vic-
torino Teizeira Leile na ra larga do Ro/ario n. 4 ;
pois j* tem a maior parte de seu carreganientoprompio.
Para o Rio-de Janeiro seguiri.no dia 31 do cor-
renle mez, a barca Firmeza ; recebo alguma pequea
qualidade de carga, assim como esrravos a frele : os
Srs. ,que teem fallado para so transportaren) na referida
barca, queirio entender-se com o capitio Narciso
Jos de Santa Anna. ou com Gaudino Agoslinbo de
Barros, visto acbarem sequasi preenchidos o cama-
rotes.
Le.loes.
Det taraces.
COMMErtfclO
Alfaiitlega.
RKNnmHTTo ooou 27.................7:lili531
DucarregaO hoje 28
PatachoSlavomirfarinba.
BrigueMaria-Felizmercadoriai.
Consulado. -
BENDIHEHTO UO DA 25.
Geral665*786 Provincial101*110
= Pelo lyco deita cidade se faz publico, para co-
nbecimento dos respectivos alumnos, e de quem msis
possa inleressar. que os ezames deste estabelecimento
deverao principiar no dia 5 do prozimo mez de Novem-
bro; assim como que, independente de aerem alumnos da
casa, serio examinados oo estudo das hngoas nacional
e latina, todos aquellas, que ae julgarem habilitados pa
ra fazerem ditos ezames; os quaes sio validos no lyro
Secretaria do lyr, 27 de outubro de 1815. Ose
cretario, Jodo Facundo i Silva (turnarais.
. U arsenal de guerra precisa comprar qustro ca
vinolea e cem arrobas de cabo de linho, velbo; quen
tees gneros liver, mande trazer suas propostas, em car-
ta lechada, e um clavinote por amostra, a directora do
mesmo arsenal, at o dia 29 do correle mez. Direc-
tora do arsenal de guerra, 25 de outubro de 1845. No
impedimento do escripturario,
O amanuense, Judo Ricardo a Silva.
= Pela presente-sao nomnenle convidados ossenho-
res accionistas do tbealro publico dosta cidade, para
virem realisar aa acedes, que sobscrevrio para a edi
ficaclo do mesmo em casa do tbvsoureiro Jos Ramos
de Oiiveira.
Administracao do patrimonio dot orphdos.
Nio tendo concorrido licitantes arrematadlo das
renda da casa n. 4, sita no largo do Hospital do Pa-
raso ; a mesma administracio manda fazer publico,
que ditas rendas vio novamenle praca no dia 31 do
corrente mez, p< lo meio dia : pelo que, as pessoas, que
se propazessem edita arretecao, poderad comparecer
na casadas sessfies da administracio, com leus fiadores.
Recife, 25 de outubro de 1845.
O escripturario,
J. U. da Cruz.
A COMPANIIU ITALIANA
QUtNTA-FEiiiA, 30 do crreme mex
dar a 8.' reprrtenta^io lyrica para completar as asaig-
natura, que j lrfti pagas : e pela ullins res se repre-
sentar a anulo appluuriida peca, cm tres actos, do Sr.
Chv. Onnietli o
ELIXIR DE AMOR.
0 liilholo de aasnarulM e plmea, assim como os fo-
llielu di, trailiiif.lii da pe^a, vcmleni re desde j em ca-
do director, rua Nova, numero 7, segundo andar o
no dia da recita no botiqmm do tbealro : aoa Se-
nl'ores, quo inscrevrio sen nomea para esta ultimo
reeita do Elixir, serio garantidos os billielcs uloodi..
Me. Calmont & Companhia fario b lio, por in-
lerven(io do corretor Oiiveira de algumss fazendas
ingieras para realisarem (aturas principalmente de
urna porclo de lindos lencos de riquissima seda pe-
los e de cores psra o pescoco da ltima moda e pro-
prios para a fesla em lotes a vontadade dos comprado-
res assim como de urna caixa de d algibeira, ultitiamente el egados de Londres : quarta-
feira 29 do corrente as 10 horas da manilas no
seu arma/em largo do Corpo Sanio.
Kalltmann & Rosemund, tendo transferido o seu
ultimo leilio de fazendas, por nio lerem podido despa-
char a lempo grande por dio d'ellas modernas, e ultiina-
nente importadas, lardo mesmo leilio por intervenca
do corretor Oiiveira quinla-feira, 30 do correle, as
10 horas da manha em ponto, no seu armazem da ra
da Cruz.
Avisos diversos.
ivisos manfnnos.
Movment do Porto.
_ /Vacio mirado no dia 27.
lerra-Nova; 30diai, brigue ingles A ta, de 210 lo-
serenieade habit.iM, e oom~T.Tai71in.aTel tora, oiica-
rai.d.. con. Joaepbi,, die-|hc :
Perdo.r-n.e-ha o Sra. haver contrariado a so,
ordenar rui i.lm muUo proaumpcuso; mas ae fui indis-
creto, aenti-lo-hei infinito.
- Sabe mu bca> o Sr. conde que assi.aa visitaa nos
al<>aempre8radarpii, reipondeo o..m alterada ros a
bella meca, eforando-io pur nao perder a presenja
despinto. '
A Sra me enranla, replica Saint-Aroand, senlan-
du-se muito junto k ella, que se nao trereo a faier-lh'o
sentir. P,.r eerlu que *,. entrar a examinei, e me pare-
ce.. q.,e me ulliara a Sra., croo ae ollia para uro im-
portuno.
Munoa o aer V. Ex. aqui. reaponde Josephin
il ab.lad.1. e sentiudo a necessidade de tratar delu-a-
damenlc i. oonde.
, ~ Verdejo he, quo n que lenho a diser-lhe no be
naldo d'.ntereiie, pruaegoio eale, liniiland-ie a rea-
ponder enm leve iiiclincA de rabee i ete ultime
eoniprimento. E primeiro que todo queira perm.tlir-
me que Un- reslilua um jola, que por acaso achei na.,
sei Junde, mas que me parnre com rftviiu na.
Ao duer rila palnvrai o petit-maitre lirn d'algibei-
ra e pos aobre a mesa o bracelete de Joaephioa.
O patacho Oliviita segu para o Rio-Greode-do-
Sul no 1 de norembro: os Srs., que leem escravoi pa-
ra embarcar, derrm tipromptar seus passaportes.
Para o Ass segu com muita bievidade o ber-
gantim Deoi-ti-Guardt. para oode recebe carga a fre-
le e passageiros: os prelendenles podern Irstar na ra
da Cadeia do Itecife armazem n. 12.
Sr.coi.de......... replica eata confusa e rermi-llia.
si.ppiii.l.a-o maii generoso. Em vci de in'o apreaentar
UrBIIII, 11,1c........
Digo-llio, minhn Sra., que aehei esla j.iia por aca-
so, o que he quanlo drllasei; pirere-me que merejo
mi lea um elogio do que urna reiimr.i. Porni he caco-
aade occupsriiio-noi comale frivolo inridenle; cun-
tas lenho a c.mfiar-lt.o auinmanienle maia iinporlanlea.
En o migo, r.-iponduo Jusepbina, dominada pelo
modo decidido deSiint-Ainand.
Poia bem, miiibaSn..' come^arci por perguntar-
Ilie, te no intimo do icu corafao nao lente abaolutamcii-
te baver-me feilo algouia ii.jualiga?
Sr. onde......liaao n dama eo.baracada^
A Sra. lienta? he ulna coufiaalo, e eu a acorilo.
Mas coiivcolia que ha um mes; depoii dn noaaa oo.i-
vernagi.- no caramanchel, roe fas a Sra. representar o maia
eilraraganie papel I.....
.Que quer V. Ex. diser com aso?
Ali!..... ni fojaiooi daquciiSo. A Sra. tem roui-
i<> espirito, e eu nt aou basiaiiicmenio lulo, para na
cnganarmoi um ao oulro Fallcuini francamenle, poia
Ine oaeqoivocoa auada noa levarlo. Sim cunrenha
<|ue leu. aido cruel ouromigo. Nio aei na rerdade o que
furafeito de uiiiu, ae me nio austera urna secreta eape-
A CARRANCA.
Sahirhojeo n. 38, e acbar-se-ba venda, as 10 ho-
rss da manilla, na praca da Independencia, livrana n-
meros 6 e 8.
Hoje 29 do corrente se liio de arrematar, na
porta do Sr. doulor juit do civel da segunda vi ra, a ar-
macAo e mais objectos da venda de Manool Jos l.uilo ,
penhorados por Antonio da Silva Guarni.
Precisa-se de ums ama de leite para acabar de
criar : no pateo do Parairo n. 13.
No dia 29 do corrente pelas 4 borss da tarde ,
na porta do Sr doulor juiz de direilo da segunda vara
do civel, ra do Sol iii a praca, para ser arrematado
por venda urn terreno no lugar da estrada que vai
para a llaiza-Verde por ezecucio de Manoel Joaquim
Lamas contra 0. Anna Joaquina Wanderlei Lins.
M. rcellina Rita Mara dos Prateres embarca para
Porto-Alegre, pelos porlos intermedios, as suas escra-
vas Hita e Isabel, de navio Costa da Mina.
Jlo Vz de Oiiveira embarca para Porlo-Alegre,
pelos porlos intermedios, os seus escrovos, Cristina,
Simiana, Antonio, llalbino, Luiz, Jos, Rufino, to-
dos crioulos, e Antonio, crioulo do Luanda.
= Do porto da ra Helia lurtaru urna canoa de car-
reira.com oletreirona popaFlr-do-IUo.muitoma-
neira, com embonos e pintada nio de Iresco : quema
pegar e levar a dita ra, o. 37, sera recompensado.
= Aluga-sea casa grande do Cajuero com o seu
competente sitio e vivoiro o sitio aoba-se bem plan-
tado de pomar um bello parreiral, e outrai arvore
de fruto casa tem bstanles eommodus para urna
grande familia dacba-se bemarranjada ; tamhem se
alugio 4casss no mesmo lugar, com bons eommodos
pata se morai ou passar a lesta tendo todas banho,
por se acbarem perto do rio ; adverte-ie que se alu-
gio todas juntas a u m s alugador ou cada urna de
per si ; aluga-se mais urna otaria na Passagem da
Magdalena, drfroote da Cajiunga tendo barro den
tro para toda obra terreno para planta, oes e pasta
geni de vaccas : a tratar no mesmo sitio do Caj, iro ,
qualquer horado dia.
= Precisa-se de um csizeiro capaz que entenda
doservico de padaria e quede fiador a sus conducta,
para lomar cunta de urna dita por balando, edi-se boni
rdenado : nal Cinco-Pontas n. 63.
rauca. Eu previa o que havin neecsaarinincnte de acon-
tecer, islu he, alg.iii.a aaneira da fiarle de uiun rabean
louc-i o aem experiencia, e isto nio podia deixar de b-
ter-llio si-ntn- a imprudencia de urna ntfcicn, de que
|alM ad eu au digno, rala dn minha devolacao ab-
aoluia, e.que nunca so deameniir.
Meniaenli.iienloa a seu reapeilo, respondiJiw-
pluna. pura quem cada patarra do oonde be um Jtffti-
cio, nunca vnrirao, pc;-lho quo me acredite, porque
alo fuidudoi na estima e sonaidvrsco deridua a um*
peaoa.....
Oh I Sra., interrumpe o casquilbu com um sorri-
o, cuja expressao leva o temor de Jmppbins a aeu co-
uiilo, a Sra. queradoplar eaaa lingnagem diplomaliea,
que eleniii a quenoei, e nenhumn reaolre. Ora aqu
'i a verdade : lia uniM-rri dclicinaamciile bodas o ea-
iriliniaa, que c-oiliri eu poder dos aeu. ciinanloi, e
ae diverlcn em abu-ar dWIo ora delcilaudo a cate a
expensas daquelle i ora, por aiibit* nmm.bra, que niu he
a que parece iem praxeres, rea'.iiuiudo aun gracm t
infelix, para que o primeiro nio lepcriuada milito de-
pressa que por elle deaceo o ceo Ierra.
Que ideiaa me imputa o Sr.! disse Jusepbina, a
quem u despoitu loma mais afltoiila.
Sero vaidad, julgu-as justas; desgrac^dameote
J. W. Graham retira-se para fra do Imperio.
Quem precisar de urna ama secca dirija-se a
ra da Penha n. 21^.
Precisa-se de dous homens que Irahalhesn rn
um sitio muito pe lo da praca ; tamhem M alugio 2
esrravos mensalmenle dando-se-lhes de comer para
Irabalharem no mesmo sitio : na ra da Cadeia do Re-
cife n. 2o. que se dir quem precisa
Precia .-se alugar urna prcta que saiba fasef to-
do oservico interno e externo de uma cas que seje
fiel e de boa conducta ; na ra da Conceicio da Boa-
Vista sobrado o 8.
-Da casa do abaizo assgnado fugio um seo mole-
que de nome Jlo, nar|n MuQambique, de idade de 15
annos, cars redonda, olhos grandes, beicos grossos e
alientes, e com um signal de ferida no peitoesquerdot
quem o encontrar, e tiouzer i ra do Hospicio o i 4,
do bairroda Boa-Vista, seri recompensado deseo tri-
balho.
Jeronymo Martinian Figutira de Mello.
Dentista.
M S Mawson cirurgiao dentista a instancia
de varios amigos, tesolveo-se a demorar por ora a sui
viagem para o Sul; entretanto hi scieote que lece-
bco um complelosorlimenlo de denles aitificiaes de no-
va insencio ; lambern contina a limpar dentes e
chumbar com ouro c prsta e faz toda as mais ope-
racoes pertencentes a sua arte : na ra Nova o. 2 ,
segundo andar.
LOTERA dothkatro.
A rodas Jesta lotera andan impreterivelmente no
dia 2 de novernbro prozirnn luluro visto ter-se rea-
lzado o andamento das do seminado Os respeclivoi
hiluetes acbao-se a venda na lujado thesoureiro, na rus
do Queimado n. 39; na do Snr. Mene;es Jnior ,
ra do Collegio ; na botica do Sr. Mor- ira ra do
Cabu o no bairro do Recife as tojas de cambio
dos Srs. Vieira e Manoel Gomes
Aluga-se o segundo andar do sobra-
do silo na ra Direita, n. o.o, com bons
eommodos: a tratar na ra do Collegio,
pgtindo andar n. 14.
= Uma senhora de bons costumes se enearrega da
crircao de meninos de peito, imprdidoi deiimpedi-
doi, e tambem recebo meninos para desmamar,
no quo prometi esrnurnr-se: quem do seu preitimo
se qui/er ulilisar, dirija-se ao pateo do Terco, n. 26,
segundo andar : na mesma casa vende-ie um relogio
e parede,muito bom regulador,por preco commodo.
Casa da Fe9.
RA ESTREITA DO ROZARIO, N. 43.
Tendo o Ihesoureiioda lotera do tbealro marcado o
da 23 de novembro para o andamento das rodsi delta
olera pelo novo regulamenlo de 27 de abril do anno
). p.; o proprielario do estabelecimento da casa da f,
onde se vendem cautellas da mesma lotera do Ibeatro,
convida a todas as pessoas, que gostio deste inleressan-
te jogo, concorrio quanto antes a comprar das suas
cautellas, e nio esperem para os ltimos das prozmos
ao andamento das rodas, a lim de que nio venho a
(icar sem ellas, pela muilaextrarcio que estio tendo, e
nesmo pelas garantas quo tem a bem dos comprado-
es ; affiancando Ibes que no dia marcado pelo Ihe-
soureiro correrlo infallivelmente as rodas, fiqueai ou
nio bilbeles.
0 proprielario convida a lodos os seus freguezes, que
compraren) das suas cautellas, a virem ou mandarem
na casa de seu estabelecimento,no dia em que correrem
as rodas da lotera acidia, das 4 horas da tarde at as
8 da noule.onde acharad a lista da eztrsccioda mesma
lotera, a mde saberem no mesmo dia os premios que
porsorte Ih.s liverem sabido Os precos das cautellas slo:
decimos a 1,000 rs., vigsimos a 500 rs.
_ =Na praca da Independencia,livraria o. 6 8, pre-
cisa-se fallar aoSr. Laurenlino Antonio Moreira de
Carvalho.a negocio de importancia.
=F. Uuprst,nio tendo.por falla de tempo, podido
despedir-se pessoal de lodas as pessoas de la amizade,
dirige ibes,por este,os seus comprimentos de despedi-
da, e Ibes ofTerece os seus sersieos na Babia.
Aluga se o primeiro andar e loja. com todas u
las dependencias,oa cala sita na ra Nova, n 7; tam-
bem se aluna a loja do dito separadamente, por preco
mais barato do que linba-se leito : o preteodeotes
dinjio-seaosSrs. J. P. Aduur i C, rus da Cruz,
n. 21, no Recile.
= Ansa-se ao respeilavel publico que o terreno, an-
nunciado i venda nos Dia'iot ns. 238 e 239, sito na
ra do Brum em Fura de Portal, da parle da mir
pequea, com 53 palmos de frente, elSOdelundo,
allerrado e promplo, com uma casa de madeira, esta
bjpolhecadu e paotiorado pelo juizoda 2.' vara, cs-
envio Reg.
=Aluga-se uma casa na povoaclo do Monteiro, a
terceira da carreia que foi de Domingo! Rodrigues do
Passo, com 2 boas salas, 3 grandes quartos, cozinha
lora e estribara, quintal murado com portio para o
rio, e por preco commodo : na ra d'Alegria ,
n. 56.
Traspassa-se a venda da ros do Fogo, d. 20,com
todos os seus perlences ; a tratar na mesma.
a*w^^iaa)aalaiiMMiMiiaiiMiMBaaMMM
fui dell.i victima. Agora continuar a Sra. a deaoonhe-
cer i. ainnero ardor de um curacio que pela Sra.
baieP.....
Sr. condepanpplico-lhc..... nio possoourir se-
mrlhanle expressoes.....
Al. cxclaim.u eale nom exploilo, e trarindo da
repente da mi de Joiephina que elle reten, mo grado
cu enlAo lie permillido i. una mullier, porque ho mo-
ja e bella, exultar al i loucura a paiviu de um liomeru
le bem, e qumido ae enfada de. espectculo dwa desas-
ir.-. produxidoS nriaa pobre alma cunaternada, fica salva
ringiudo 11; norar u fructo das auas uLraa, opaasari iran-
quillaineuie a lluras experiencias) E em quanto aenwia
em aeu camin... tormentos icm oonta, beara ella tran-
quilla e aerena!.....
O Sr. me obriga a fazer uro papel infama.'..... diz
Joiephina traiuida de terror,
Nio reipondeo o conde; reeulheo-so por um mmen-
lo, como quem ie diapuiihi sussr Je um argumento,
que couaiderava cwiuu decisivo, mas que i empregara
em prupria defeza.
iCn

rr
."-M"
_
Jos Leonardo embarca parto H o-d>*- Janeiro o
seu eacravo Joaquim de oacSo Angola, o a sua es-
crita Joaooa criuula.
No da 50 do correrte h* a ultima praca na
porta do Sr. doutor joii de orpbSoa da arrematadlo
dos move'e o urna cscrava pertencentesao fallecido
padre Joaquim Goncalves. Rodrigues: dos etcriptoa ,
que se adio t-m mi do porteiro Amaro de Faria ,
constaS as qualidades e valures
Auga-se o primeiro andar da casa n. 69 da ra
Nova fufada de papel e asseada com estribarla
para dous cavallos a largo : a tratar na ra da Auro-
ra o. 22.
Antonia Batilia Sioides embarca para o Rio-Gran
de-do-So I e Porto-A legre sua escrava de notne i/a
bel, de Dtc&o Kebolo.
Alaga se o terceiro andar do sobrado n. 0 da
ra do Qucimado e os segundo e teroiro andares do
faqoeiro na ra do Amorim: a tratar na ra do
Queimado loj* n 9
Na ra da Sonralla-Nova esquina do Becco-
l.argo n 42 ciiste urna mulher forra sem filho
muito sizuda com ptimo e Abundante leito para
criar : quem a precisar, pode all procura-la.
lunada Francisca do Espirito Santo embarca pa-
ra o Rio-de-Janeiro o snu escrar > Jacinlho, crioulo.
Alusa-se urna ama com bom leke ; na ra da
Cadeis-Velba, n. 26, se dir.
Aluga-se um terceiro and.ir com solio e cozinha,
na rus do Trapiche n. 34 : a (aliar com Fernando
de Lucra.
Fugio da Passagem-da-MBgdalena um capul-
lo cattanho, grande, pekcoco bastante largo, e bo-
nito, 4 pe* calcados, estrella na testa : quem o achou,
lee na ra de Agoas-Verdea sobrado n. 66 ou na
ra Nova loja n. 52 que ser gratificado com 20a
rii.
Precisa-sede 400l ra. a premio por lempo de
6 meses bypotbecando se por seguranca urna casa
terrea que rende 7/ rs. mensaes, pagando-se os ju-
ros de 2 por cento ao mei : quem este negocio quizer
fazer, dirija-so a ra da Cruz, n. 28.
Para esclarecimento daverdade, e juslilicscio da
calumnia, responde-seao autor do Ixconiro annun-
cio inserido neste memo Diario na 231. 232 e 233,
que a cmara municipal bem sciente esta de que na -
quelle terrado sem pro houve cano que serve de des-
pejo das agoss, que recebe do telbado, e nao de agoas*
inmundas, como diz em seu mordaz annuncio : o que
bem claro est nao s a vista dos moradores daquella
ra, como tambem de todos, quantos alli pa-aao.
Declaro ao Snr. Joio Baptista Clemente quo,
acbando-se vencida, ba 18 metes, a hypotheca que fez
da sua casa do Hanguinbn; e lendoeu em consequencia
solicitado por ve'ea o meu embolso, ao que se tem lei-
to surdo ; por isso vou promover o meu direito e en-
td nao s pagar i o que devo como tambem as cus-
tas : o mesmo annuncio tambem diz respeito ao Snr.
Lie... J F. P. 0. M P.
O abaio assignado roga ao Sr. David Alves do
Sacramento e Silva o (av rdeir.ou mandar pagar a
quantia de 4ii0 rs. que pedio emprestada em marco
do correnle anoo. Jos /lodriguti Coelho.
= Domingo, 26 do corrente a bocea da noute na
estrada nova periodo Cacbang perdi se u-c par
do orillo-, de 4 vidros azulados, com aros de ouro: quem
os acbar. leve ao correlor Oliveira que gratificar ge-
nerosamente.
= O abaizonssignado declara ao respeitivel publi-
co, que, dosde o dia 15 do correnle deiiou de ser seu
caiieiro Bernardo Jo>e Brrelo da sua venda n. 02 ,
em l'ra-de-Portas ; por isso avisa as pessoas que se
acbo devendo a dita casa, hxjio de pagar 13o smente
aoabaiio assigoado, por ser dono da dita venda.
Dumingoi da Hoza.
Compras.
Compra-se urna correte do bom ouro, de 20 a
30 oitavas, sem feitio : quem tiver annuncie para ser
procurado. *
Cumprao-se quartu!os-e barril vasios : na ra
Direila n 9.
Compran-so doui escravos peritos officiaes de
pedreiro, e doua arpias; na ra da Senzalla-Velha,
n. 110.
No armazem o. I do caes da Alfandega, comprase
urna bomba de ferro pira cacimba,em bom uso.
CompraS-segarralas e botijas valias, e tambem se
troci por generoa de venda : na ra do Reng I
n. II.
i'it.....n i," i '---------i
Vendas.
FOLHIINHAS
DE
Porta e Algibeira
PARA.
1846.
Vendem-se na praga da ln-
dependenca, loja de liyros n. 6
e 8; na rua da Madre de Dos,
venda da esquina defionte da
igreja; na Boa-Vista, def. onte da
matriz, botica do Sr. Moreira;
em Onda, botica da rua do Am-
par, e loja do Sr. Domingos,
nos Quatro Cantos.
= Veodem -se listas gerae* da lotera do seminario de
(Jlioda ; Da praca da Independencia, livrana ns. 6 e8
Vende-se um ptimo re-
logio de ouro, patente horizon-
tal, muito bom regulador, por
preco commodo: nesta lypo*
graphia.
Vende-se a casa terrea
do pateo do Paraizo n. 24:
na rua das Larangeiras, n. 12,
segundo andar.
= Vende-se urna negrinha deidadedel5 annos,
de muito linda figura e ptima para mucama por
ser recolbida : no Atterro-da-Boa-Vista, n. 21.
= Vende-se por barato preco urna cadera de
arruar ; na rua de Agoas-Vei des, sobrado n. 66 ou
na rua Nova, loja n. 52.
m Vndese a venda sita na rua das Cruzes, n. 25,
a vontade do comprador: a tratai na mesma rua casa
n. 30.
- Em casa de Fernando de Lucca, na rua do Tra-
piche n. 34, acabio de ebegar : queijoslondrinos;
salame*; arenques em barris pequeos ; presuntos in-
ulezes; conservas de frutal de umitas qualidades em
vidros e em latas; pipinosem barris, tudo muito fres
ro ; tambem se acbs sempre um grande lortimento de
vinbos de todas as qualidades: como: vinho Xerry ;
dito da Mudeira ; ditodo Porto ; dito do Itheno ; di-
to de Malaga, em meias garrafas; Clorelte tinto e
brinco; Sauternes ; Tliaut ; Preignac, e mais oulros,
todos da melhor qualidade; um deposito de genebra
da Hollanda da primeira qualidade em frasqueiras ;
e de vinho do Champagne da celebre e bnm cunhecida
marca Lnnson Pere & Kil ; marraachino; bran-
dy ; ago'ardente do Franca ; cognac ; vinagre bran-
co ; cerveja ; velas de espermaceto ; rap rolio ; cha-
rutos regalia a 20 e 35 rs. o milbeiro e em por-
fi mais em conta.
=i Vende se urna porfi dr quintaos de ossos; em
Fra-de-Portas, venda n. 92.
\ emie-se urna preta recolbida de bonita figura ,
do idadede 15 annos, sem vicios nem achaques ; o
motivo da venda se dir ao comprador; na rua da Au-
rora n. 22.
= Vende-ie um moleque de idadede 14annos ,
poueo mais ou menos de bonita figura ; yioa preta
de idade de 20 annos, propris para todo oiervico : na
rua da Cadeia do Becie loja de Joio da Cunba Ma-
galbaes.
-= Vende-so urna escrava de naci lava cozinha ,
e be boceteira de boa conducta e figura ; na rua lar-
ga do Ro/ario loja de miudezas, o. 35.
= Vende-se farinha da terrra a 3200 rs. a lacea,
e medida rasa a 5500 rs. ; i,a rua do Raogel, o. 25.
= Vende-se potassa nova, e barata, meiasde linho,
mullios de arcos do cestanho violados e direilos,
meias barricas com larinba nova da nurca galego ,
barricas com dita, de SS e SSS ; peneiras de rame:
na rua do Vigario n 9.
= Vende-se um relogio de ouro, patente suisso ,
com suai competentes cadeias tambem de ouro, e be
luiiii rrgulador ; um alfinele do ultimo gosto para so-
nbora por preso commodo : na rua larga do Hoza-
rio, n. 50
Vende-se um diccionario de Moraes, da quarta
edicio, por preco commodo ; na rua Nova loja
n. 58.
=\ ondem-so barricas vasias, que servem para assu
car, e de boa qualidade; na rua larga do Rozario ,
paJaria n. 18.
= Vendem-se meias barricas de farinha da marca
SSSF muito nova ; na rua larga do Rosario, n. 18.
= Anda existem alguna terrenos para se venderem
em lugares proprios para se edificar com 50 pal-
mos de Irente, e 150 de fundo, utoi na rua nova
por iletra/. da rua da Concordia e partam com as tra-
vistas do tallecido Monteiro, e Caldeiieiro por pre
co muito commodo : e a sua planta acba se na rua lar-
ga do Rozario junto ao quartel de polica n. 18 ,
onde se tratar do ajuste.
= Vendem-se duas esersvas de naci de bonil
figuras, de idade de 18 a 24 annos, urna dellas cozinha
e lava de sabio o a outra be ptima quitaodeira; urna
crioula, de 2 i- anuos, cozinha lava e engomma ; urna
parda de 24 annoi engomma liso cose chio cozi-
nha e lava ; um escravo de naci Costa ptimo para
carregar palaoquim; um moleque, de 15 annos, pro-
prio para todo o sorvico : na rua das Cru/es n. 22
segundo andar.
=Vende-se a armaelo da loja da rua Nova, n. 18 : a
casa, onde ella est, tem com modos para urna pequea
familia : a tratar na mesma rua, n. 32.
= Vende se cera de carnauba, muito clara e cou-
roi de cabra ; na rua do Trapiche-Novo n. 18, pri-
meiro andar.
= Vende-se potassa muito nova, de superior qua-
lidade em barra pequeos; na rua da Cadeia do Re-
cile armazem de assucar n. 12.
= Vende-se urna eicellente rebeca com sua cu-
li ; na rua de Hortai n. 140.
= Vende-se um lindo prelo cozinheiro e outro
gaobador de linda figura ; na rua da Senzalla-Velha,
o. 110.
- Vende-se cb hysioo em caixas de 15 libras, em
porc&ese aretalho; e potassa americana ltimamente
ebegada : em casa de Matbeut Austin & C., na rua da
ifandega Velha n. 36.
=Vende-se aieile de carrapato a seis patatas a ca-
ada ; na rua do Atleirodos- A logados n. 7.
= Vende-se assucar mascavado de arroba para
cima, a 2080 n.; na rua D.reita, n. 53.
= Veodem-ie dual estraves de na> ao com bastan-
tes habilidades, sem vicio elgum; no paleo da S. Cruz,
prVendem-ie saccas com farinha de Mago,
rs.; ditas com milbo a 4000 rs. ; gomma
gommar, a 12000 rs. o alqueire velbo ; arinba de
S. Matbcui a 3800 rs. eemiacca, a 4200 n. ; na
rua da Cadeia de S. Antonio deposito de farinha
n. 19.
Vende-se um litio na Boa-Vhgem ; na rua da
Florentina n. 3.
Vende-se um (ardamenjo completo para inferior
do eiquidrio tudo em bom oso e muito em conta ;
na Camboa-do-Caroio n. 12.
= Vende-se urna escrava, de 22 annoi, de bonita
figura engomma, cozinha e he muito boa lavadei-
ra de sabio e varrella ; duat ditas de 20 annos, pro-
priai para venderis azend, e quitandas, por lerem
a 4800
de en-
de boas'figuras; orna negrinha e urna mulatinbi, pro-
prias para se educarem : na rua larga do Rozario n.
46, segundo andar.
Vendem-se chapeos do Chile a 3*000: na rua da
Cadeia do Recife, loja de Joio da Cunba Magalbics.
= Vende-se urna negrinha de idade de 15 annos,
de bonita figura, sem vicio algum ; no Atterto-da-
Boa Vista n. 21.
=Vende-se nailba de S. Miguel, no lugar da
Alaga duas legitimas, constando de doua formaea de
partilba; na jui Direita venda n. 63.
=Vende-se a historia universal pelo abbade Millot ,
emportuguez, 10 v. com pouco uio'; no Atterro-
da-Boa-Vrita n. 3*.
Vende-se Man escravo de naci, de meia idade ,
ptimo para litio, por ter bailante pratiea ; na roa
Direita, n. 18.
* Vendem-ie 6 escravit mocas, de 16 a 20 anuos,
eom bou habilidades duas sio reo- Ihida, coiem ,
engommio e eozinbio; 8 escravoi mocos forte e
bons para lodo o trabalho tanto da praca como do
campo : na roa do Creapo, n. 10 primeiro andar.
= Vende-se urna preta moca, recolnida mu bem
parecida, boa engommadeira co'inheira, coiechlo,
e lava de sabio ; na rua do Aragio n. 1, segundo
andar.
= Vendem-se caixas com muito boai velas de i"bo;
no armazem do Vieira Guimariei, no cae di Aifan-
dega.
= Vende-ie orna escrava de naci de idade de 22
annos com muito bonita figura boa engommadei-
ra cozinha o diario de urna caa ; urna dita de ida-
de de 15 annoi, recolbida ; 3 escravas de naci, um
moleque o um mulatmbo ; 3 escrava do naci lavio,
cozinhioesioquitandeirai, a350 n cada urna : na
rua Direila n. 3.
Vendem-iedual pardal*com 4 filhos de menor
idade ; um mulatinho de 13 annoi: na rua do Ca-
bug loja de Pereira & Guedei.
Vendem-ie 30 colherai de prala; 6 cordCei de
ouro ; 3 pares de brincos ; duas cruzes ; 2 trancelini;
urna corrente de relogio ; dual estrella para official;
8 botoes de punlio ; 4 ditoi de abertura ; um allinelo
com diamantes; 4anneloei; urna moeda guarnecida;
3 relogios ; tudo de ouro ; pralos rasos e lundos, a 880
rs. a duzia; caslicaes de vidro, a 1440 ra. o par ; copos,
100 e 120 rs. ; cera amarella a 240 rs. a libra
uceas de fejio mulatinho e outraa muilas loucaa
gneros de venda por preco mais commodo do que
em outra qualquer parte : na rua do Rangel, n. 11.
Vende-se um prelo de Angola de 30 annos ,
com otlicio de canoeiro ganhador de rua ; bom ca-
ranguegeiro, e proprio para o aervi^o de casa eem
vicios; na rua do Crespo n. 12, loja de Jos Joaquim
da Silva Maia,
ALERTA!
=Vendem-se chitas escuras e clarai, a 120 140 .
160, 180e200n. ,o covado ; ditas finas, a 220
rs. o covado; superiores gravataa de setim preto de
Macao pelo barato preco de 500 rs. ; pannos finos
prelo e azul a 2500 rs. ocovado ; madapoln a lO
o 180 rs. a vara; dito fino, a 200. 220 e 240rs a vara;
brelanha fina de Imbo puro a 560, 640 e 720 ra. a
vara ; pegas de ditss de 5 varas e meja, a 2800 e 5200
n.; tuperior letim de Maco prelo a 3200 e 4200
rs ocovado; esguiiode puro linbo muito fino, a
1500 rs. a vara ; pegas de brelanba de rolo a 1600 ,
1800 e 2000 rs. ; pegas de chitas a 4500, 5200, 5600,
5800 e 6000 n, escuras; ditas de madapolio, pro-
prio para sapateiro a 2400 rs. a pega ; ditos, a 3200
e 3400 rs. ; ditos finos, a 4000. 4400 e 4600 rs. a pe
ga ; madraste fino a 500 5400 e 5500 rs. a pega ;
madapolio entestado lino a 5800 rs. ; chales de lia
e seda a 4500 4800 o 5000 rs.; cortes de chitas
com 10 covaoos, a 1500 1800 e 2000 rs. ; ditas fi-
nas da ultima moda, a 3200. 3500, 3800 e 4000 rs. ;
e outraa muitas lazendas de todas i* qualidades, por
muito barato prego : na rua do Collegio o. 1 loja
de Antonio de Azovedo Villarouco & Ir mi.
= Vende-se a armagio e mais pertencea da venda
n. 7 no Becco-Largo do Recite propria para qual-
quer principiante, por ser o sluguel da casa, onde
ella est, muito barato ; na rua da Sonzalla-Velba ,
n. 102.
= Vende-se um rico psndeiro com parafuxos, e
coberlo de pergaminbo excellenle para se tocar en.
prezepes; na rua das Cruxes, loja de encadernador ,
n. 39.
BE1S 3#8oo
A' bordo do brigue Lelo alqueires
pela medida velha.
Vende-se farinha de mandioca chegada
tiltimamente de S. Cutharina de superior
qualidade tanto em gosto como na cor, em
porcao e a retalho ; os pretendentes diri-
jao-se a bordo do mesmo brigue, ou rua
da Cruz n. 54, ou rua de Apollo arma-
zem n. ai.
Farelo muito novo e o melhor que
ha presentemente nesta piara, a a'56o
cada urna sacra : na rua da Cruz do Re-
cite n. aG primeiro andar.
Rap imperial.
Este rap, imiUndo ao rap princeza
de Lisboa, vende-* em libias, meias li-
bras e oitavas as lejas seguintes: na
rua dos Quarteis Victorino de Castro
Moura ; rua do Crespo, Domingos An-
tonio Ferreir (na escadinha) e Gomes
&c Carvallio ; pracinha do Livramento
Ferreira e Oliveira ; Atterro-da-Boa-
Vista, Tltomaz de Mattos Pereira Esti-
ma, e C'aetano ; na la Cadeia do Ke-
cile, Guedes e Mello. O preco he de 28
rs. a libra c 3o rs. a oitava.
Vende-se um piano inglez horizon-
tal, pelo mdico preco de rjo'ooo ris ;
na rua do Crespo, loja n 16.
__ Vende-se cera em velas, da melhor
fabrica do l.6 de Janeiro, e em caixinhas
pequeas de ioo libras, com o sortilljento
seguinte:
6 libras de 3 em libra.
8 5
12 n 8 )i
i4 IO
16 i 12 n
20 >J )) 4 16 ! h.
)ras
pelo mdica preto
bra: na rna da italla-verha lio
__ Vendem-se" velas de carnauba, fa-
bricadas com 1 e coco, muito alvas
e specas, e (13o ffl| s^fcoa luz, por proco
commodo : na rua'-- do Mundo-Novo
n. 17.
A fabrica de sabo da
rua Imperial n. IlGteni min-
io superior sabSOj'vende por
preco commodo; e, sendo por-
cao, mandase trazer em ca-
noa para o Recife.
Vende-se vinagre bran-
co nacional, a 400 ris a ca-
ada velha: na rua do Aterro-
dos- Afogados, n. 7, e noAlter-
ro-da-Boa-Vista, fabrica de li-
cores de Frederico Chaves
fia loja da praca da In-
dependencia n. 4 vende-seo
excedente rap princeza de
Lisboa, pelo muito mdico
prtco de 5^500 ris cada bote.
Dcsnecessario he tecer enco-
mios ao sobredito rap; por-
que sua primorosa qualidade
he assaz bem conhecida pelos
amante da pitada luzitana;
restando ao vendedor dizer,
que aanca aos compradores
a boa qualidade do tabaco, e
que at nao duvida tornar a
recebe-lo depois de aberto,
urna vez que se lhe ache al-
gum pequeo deleito.
As Senhoras do grande tom.
Na loja da rua do Crespo n.
11 de liento Jos da Silva Ma-
'allics, lia um riquissimo sorli-
mento de cortes de vestidos de
sedas e de cambraias, de diffe-
rentes tecidos e de gosto mo-
derna; assim como elegantes cha-
peos de crep.
Cscravos Fgidos
= Fugio, no da 15 do corrente do lugar de
Ponte-de-Ucba um pardo acaboclado com os sig-
naet seguintes : domis de 40 annos de idade, estatu-
ra media, magro, barrigudo, laltodequaiitodol ot den-
tes bocea frangida beicoa recolbidos, e com ares de
aparvalbado, de oome Gaspar ; levou camisa de esto-
pa ceroulas de algodo e urna troiinba com camisi
de nscado e calcas de estopa : quem o pegar, leve a
rua da Cadeia, delronte da igreja de S. Francisco,
quesera recompensado.
Fugio, no dia 13 do corrente, de um ailio na
Giqui urna preta crioula de nome Escolstica ,
representa 24 annos de idade estatura regular falla
pouco intelligivel; tem falla de um dente na traite ,
andar disfarcado; levou vestido de ebita rouio ja usa'
do saia de lila preta camisa de bata velha panno
preto e urna louee de rocar; quem a pegar, leve ao
largo do Collegio loja de chapees defronte da casa
de MagalliJes Bailo.
= Fugio, deum sitio doengenho Junqueira om
escravo de nome Antonio de navio Congo estatura
regular pouco se enlende de iua falla secco do car-
po ; levou ceroulas de algodio e camisa de bala:
quem o pegar,leve a rua daa T; incbairas, n. 18,que se-
ra gratificado.
Fugio um preto de navio Angola de idade de
30 annoi, alto, secco, pernas tinas denles limados ,
he bem conbeeido por ser pedei'o; tem varios calos Mi
oaos ; levou caifas e camisa de algodio : quem o pH
gar levo ao principio do Atterro-dol-Afogadoa ,. n.
31 que seri recompensado.
PERN. } NATYP DJE M. F DI FAMA, 1 e7| 5.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E9WGAOW8X_1R95D9 INGEST_TIME 2013-04-13T02:48:03Z PACKAGE AA00011611_05901
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES