Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:05898


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno de 184$.
O DIARIO publica-ae todos os da qne
nao forem de guarda: o preco da asigna-
tura be de 4/rs. por quartel fagot adtanta-
rfo Os annuncios dos asslgnantei sao inse-
rido a raiSo de 20 ri por linha. 40 rs. era
tvno difireme, c as repeticSes pela metade.
que nao forem assiernantes pagio 80 rs.
Ior linha, e 160 era typo differente.
--------------------------------------------------------------------------
PHASES DA LA NO MEZ DEOUTBRO.
1 a nova a 1 as 8 h, e 39 min. da manhaa.
7- i.f. a 8 i 9 h e 13 minutos da man.
'a ohe.^5a.7hor. e 37 rain, da man.
Men.nV23.s5hor.e&5 m. da Urde. |
Sxela feira 94
PARTIDAS DOS CORRlOS.
Coianna, Parahyba, e Rio Crande do Norte
Segundas e Sextas feira.
Cabo, Serlnhaem, Rio Formoso, Porto Cal-
vo, c Macey, no 1. 11 e 21 de cada mea
Oaranhuns e Honlto a 10 e 24.
Boa-Vista e Flore a 13 c28.
Victoria as Quintas feira.
Olinda todos o das.
PREAMAR DE HOJE.
Primcira as 11 h. e 42 rain, da manhaa.
Segunda as 12 b. e 6 minutos da tarde.
do Outubro.
Anuo XX tf. 95.
das da semana.
20 Segunda S. Aurelio, aud. do J. dosorpb.
e do J. do C. da 2. v. do J. M. da 2. v.
21 Terca S. rsula, aud. do J. do civ. da
1.' v., e do J. de pai do 1. dlst. de tarde.
22 Quarta S? Cordula, aud do J. do civ.
da2." v., c do J. de paz do 2." dist. de t.
23 Quinta S. Roino, aud. do J. de orph.
e do J. M. da 1. v.
24 Sexta S. Raphael, aud. do J. do civ. da
1. v., edo J. de pai do 1. dist. de tard.
25 Sabbado S. Crispim, aud. do t. do civ.
da 1. v., e do J. de pu do 2.dist. de t.
26 Domingo S. Evaristo.
CAMBIOS NO DA 23 DE OUTUBRO.
Cambio sobre Londres. 27 d. pA a 60 d.
Parli 370 rdlspW franco.
Lisboa 120a 125p. c.pr. p. m.
Desc. de let. de boas firmas 1 '/, p. /. mes
Ouro Oocas hespanbolas 31/000 a 31/500
Mocda de 6/400 vel. 17/400 a 17/600
de 6/400 nov. 17/000 a l?jM0
>. de 4/WO0 9/300 a 9/50()
Prnw-Patacoes .... 1/950 a 1/970
Pesos Columnares. 1/970 a 1/990
Ditos Mexicanos 1/930 a 1/960
> Moedas de 2 patac. 1/760 a 1/800
Acede da C.1 do Beberibe de 50/OOOao par.
DIARIO DE PERNAMBUCO
PARTE OFFECIAL.
Governo da provincia,
EXCEDIENTE DO DA 16 DO COMIENTE.
(Concluido.)
Oflicini A commandanle da arma, su inpeotnr
ila'ldetoiiraria Ha fa-enda, e a comniandaiite tuperinr
,la guarda nacional de Srrinlitem o Rio-Formo mien-
tifirand na di nomeaci do tenante de primeira linha
reformad, fcaquim Jun de Soma, par instructor da
referid guija naeional.
Dil__A j">' relator d junta de justica, tranimitlin-
d, para er a mesma presante, o pmoeno du r Anto-
ni J"(Dia.
Dito-A baobarol VioMlia Ferreira Gome, oonca-
Hendo-lhe dipeni> do lugar de delegad do termo do
Brrjo; o huivando-lhe os lervifloi, que prestou, quand
n'um tal empreg.
DitoAoengenheiro en Aera, pronnrando aber, te
acha inveniente, que te faca por adminilraco a obro,
para que te aoha a pretidrnoia autoritada pelo govern
impeiial. o que Inn por fim por o amigo palacio do
governadoret em Olinda em ettado de nelle to poder et.
tabeiacer o curso juridioo daqnella eidade; ou se a oh a
inelhur, aeja ella potta om arremataos; e ordenando,
que, decidirte pelo ultimo eat,frmalito e remeta as
condcoet, cora que deve ler lugar urna tal arremata-
(lo.
DitaAo commiatnrio-pagador, exigindo o teu pare-
cer cerca da conveniencia de ter provitoriament eiu-
pregadu naqiiclla pagadoria algum olllnial reformado,
on da torceira clatie.
Dito Ao delegado supplente do termo do Limueiro.
inleirandn-de hnver dado detlino ao reoruta de niaii-
nha Manuel Franciioo, cuja remeta aocuiou ou ofllcio
de 7 dette mei.
DitoAo delegado de Naiareth. intelligenoiando-o
da haver mandado tatitfater o 37/360 rs., pur ello
iletpcndidiii com 01 pretos pobre do en termo, do jo-
lln tetenibro dette anno.
DitoAo ohefe da legiSo da guarda naoinnal de Olin-
da, prevenindo-o de haver ordenado, que o nrtenal de
fuerra forneca, pr emprcalimo, o baixo de harinonia,
que S. 1110. requitito para o terno de oornotai do pri
lueiro batnlhao da roeaina legiflo.
DitoAo inspector do arsenal de marraba, cuinmu-
nicando haver inanJado indemnisor aquello arsenal du
que despenden com o furnecimento do racci ao ten-
tenciadut, que teguirao pura Fernando.
Farda$.
Para o officises ai mesmas que at gor, com dif-
ferenca de serem 01 boloet em distancias iguaes, teretn
duai abas com vistas carmezim ; bombas de ouro bor-
dadn ni extremiiiadei dai abas, e portinholas com
tre bolOei. Para n praca de pret, semelbantes a dos
officiaei.
Bandat.
Pira 01 ofliciaes superiores, depois da pera de ouro,
urna borla de canulio tambem de ouro, com dual e
niei pollegadasde comprido, e para os ofDciies, a pe-
ra e borla de canutilho.
Fiador.
Para o diario os meimos, que actualmente se usio
e para o dias de gala, fiador de ouro do mesmo feitio
que o actuaes. Conforme. Francieco dt Paula
Vieira de Atenido. Esta conforme. oflkial maior
Antonio Jote de Oliveira.
Jos da Silva Guimardei,
Ajudsnled'otdem.
INTERIOR.
Commando das Armas.
QUARTEL GENERAL NA CIDADB DO RECIFE, 21 DE OU-
TUBRO DI ibas.
Ordem do da n,' 60.
Sr. general commandanle das armas iluta provin-
cia manda faier publico as alterarse nos uniformes du
1." bitilhio de artilharia a pe, constantes das notai a-
baixo tnnscriptai ; o que ie levou a efeito em virtude
do avilo da repartieio da guerra, datado de 11 de no-
vembro de 1840, e que o governo imperial mandou
generalaar todos os corpos da referida arma: pira
que ie)So estrictamente observadas.
Alteraces feitas no fardamenlo do 1. batalbio de
artilharia, em viilude do aviso de 11 de novemuro de
1840.
Barrelinat.
Tanto as dos officiaei, como as das mais praca de
pretdevem ter urna tolipa de metal, para recebero pe-
nacho.
Penachos.
Para os officises de penna preta, tendo ds altura oi-
to pollegidas; para o ofliciaes montados, cocar de pen-
na preU, e psra as pracas de pret, de lia pret, tendo
de altura teii pollegadai.
Dragonat.
Para os ofliciaes, como as que usio os ofliciaes do
corpo Je artfices ; para os inferioret, semelbanle a dos
oliciaes, e para as mais pracas (le pret, as mesmas que
at agora : sendo a dos cornetas, atuei claras, mtela -
das de brinco.
EQOIUBI
RI0-GRANDE-DO-N0BTE.
GOVERNO DA PR0VINCI K.
Correspondencia do Exm. Sr. douloi Casimiro Jote de
Moran Sarment com ae autor id adt militarte
da provincia.
Mato.
(Contiouaeio.)
N. 16. Responden Jo aoofficio que Vnic. me di-
rigi em data du 15 do correte, no qual informa o
requerimento do cabo de esquadra Jos Rodrigues de
Paiva, e outros soldados da componbia de leu com-
mando ; cumpre-me diier-lhe, que deve a la in-
forma;iovir no proprio requerimento, conforme foi
recommendado a esta presidencia pelo aviso imperial
de 27 de junho do anno panado em execucio do arti-
go 8. dai initruecdei de 17 de Janeiro de 1842, eji
igualmente foi publicado em ordem do dia de 31 de
julho do meimo anno. Dos guarde a Vme. Palacio
do governo do Rio-Grande-do-Norte, 17 de maio de
1845. ; r, Casimiro Jos de Moraee Sarment.
Sr. capitio Francisco Pinto de S, commandanle da
companbia provisoria de 1.' linha deita eidade.
N. 17. Transmiti a Vme. o incluso cilicio, que
em dada do bontem me dirigi o cirurgiio ajudante
encarregadp da enfermara militar, doutor Thomaz
Cardlo'de Almeida, a fim de que Vme. me informo
cum urgencia sobre o contedo no moimo oflicio, de-
volvendo-m'o depois om a tua nformacio. Dos guar-
de a Vme. PaUcio do governo do Rio-Grande-do-
Norte, 19 de maio de 1845. Dr. Casimiro Jos de
Moract Sarniento. Sr. commandento da companbia
provisoria de 1.' linba desta provincia.
N. 18Conitando-me com certeza que o boticario
Antonio Ferraz de Caitro nio soube que te ia pro
ceder arrematado dos remedios para a companbia
do leu commando, que Vine me communica haver
tido lugar bontem, remet(endo-me a copia do termo
do conceibo de adminitracio, e bem aisim que por
isso nao compareceo, a fim de fszer o seu oflerecimeii-
to, niopodendo porconseguinte dar-se a competencia
to til em laes casos; ordeno-Ib^ que torne a por em
prava dito (ornuciinento, mandando afilxar edilaes
em doui ou tre lugares dos mais pblicos desta eida-
de ; e so depoii de preenebida ella solemne formali-
dade, devera entao o concibo de administrarlo re
ceber ai prupoitai, que Ibe forem feitai, a Km de se-
ren trazidas ao meu conbocimento, psra que eu baja
de resolver difinitivamenle sobre este negocio. Dos
guarde a Vme. Palacio do governo do Rio Grande-do-
Norte, 21 de maio de l8iS.Dr. Lastmiio Joe de
Moiaet Sarment. ir. eapitio Frincisco Pinto de
S, commandanle da companbia provisoria de 1.'li-
nha
N. 19. Representando me o cirurgiio ajudante
Thomaz Cerdoso de Almeida em officio datido de 18
do correte mei, que no dia designado para as ins-
peccoes das pracas da eompanhis do seu commando nio
enenntra no quartel urna s peisoa, que, ou Ibe apre
ente os doentes, ou Ibe diga que os nao ba ordeno
a Vme que do recebimento deitdem diante deve Vme.,
todos os sabbadoi, us 10 borai da manba, puntual-
mente mandar, como ja Ihe foi determinado em ordem
do dia de 25 de Marco do corrente anno, apresentar
ao mencionado cirurgio ajudante aquellos individuoi
da companbia provisoria, que eiliverem molestoi, a fim
de que se verifique sobre elle a devida inspeccio; e
quando ningem baja doenle isto mesmo deveri Vme
fszer constar ao cirurgiio na occasio em que olla se
apresentar no quartel. Cumpre-me outro sim recom-
mendar-lhe que tenha o maior cuidado em evitar oc-
casides de Sesintelligencia, ou com o predito cirurgiio
ajudante, ou com qualquer outro dos seus inferiores,
pnii que dellas s resulta transtorno para o servico
publico, ao bom andamento do qual se devem sacri-
ficar resentimentos e odios particulares. Quando o
referido cirurgiio fallar aos leus deveres, be de sus o-
brigacio participar-me logo, S'impre com a maior
moderacio, acora todas as circumstanciai, com que
ocaiose houver passado, a fim de que eu deas provi-
dencias necessarias e conducentei a chama-lo a ordem,
eao cumprimento dos seus deveres, que te cifrio ni-
camente em inspeccionar e curar os doentes, que Ihe
ffirem submettidos, no que tambem nio he licito a
Vme. intrometter-se, clasificando de contagiosa til.ou
tal eofermidade, ou dando outros alvitres, como elle se
mequeixou, que Vme. o fuera. Dos guarde a Vme.
Palacio do governo do Rio-Grande-do Norte, 22 de
maio de 1845.Pr. Casimiro Jote de Moraes Sarr
ment. Sr. capitn Francisco Pinto de S, com-
mandanle da companbia provisoria del.' linha
provincia.
PEftNAMBUCO.
JURY DO RECIFE.
QUINTA SESSA ORDINARIA.
Presidencia do Sr. doutor Rodrigues Selle.
Dia 22.
Reo Domingos Rodrigues dos Aojos.
Crime reduzir a escravidi pestua livre.
Advogado Antonio liorges da Fonseca.
O reo foi absolvido.
Dia 23.
Reo Pedro, escravo de Jos Haria de Carvalbo,
Crime fcrimentoi.
Advogado o acadmico Joaquim Mara de Car-
valho.
reo foi absolvido.
**exj&*3amxrxttmMrmsaKtmemmmmHeB*3**UBcammmnwKMB
Correspondencias.
Senkoret Redactores : Caua indignacio e riso ao
mesmo lempo ver fallar em dignidade, quem nio sabe
que ella seja, e exprobrar ignorancia e arrebala-
menlo d'espirilo do partido, quem tanto tem du urna,
como do outra cousa. He o que acontece com o cor-
respondente do Diario Novo n. 228, que se propoi a
insultar o digno commandanle superior da guarda na-
cional deste municipio, o Sr. coronel Francisco Jacin
tbo Pereira, o qual se acba em altura muito superior
soalranre dos seus de raetnres. Quem como elle tem
oceupado lugares lio importantes, e sernpre sabido ba-
ver-se com timbre e honra nos conjunctura mais difi-
ceis, nao podo dcixar de olhar com o sorriio do despre-
20 para a arguic, de que se leva pelo que querem os
seus ajudanie* de ordens, cujat produeces aisigna de
cruz, e de que sem respeilo a nenhuma consideraran de
honettidade para ludo esta prompto em istisfacio
partidos. A communicaciu e procedimento do Sr.
commandanle superior com os chefes das Ires legides
ha a provs mais foite da maneirs atlenciosa e justa, por
que para com elles tem procedido o Sr. Francisco Ja-
cinlho. Poder-so-bia ler aproveilado demuitascir-
tamaB!......i iijimimw miiii.!! aaMwawvMtMaMe
cumstancias para, servindo-se deiua autordade, mi-
chocar os que se flierio como sendo seus adversarios,
ecomo nio faltara quem oGzene, seem seo lugar se
acbra ; pofm bem longe disso lem-so havido sempra
com toda a moderacio ejuslica, procurando mantera
disciplina, igualmente o respailo i autordade, e acal-
mar a in itacao de caprichos de psrtidos ou nimixadei
particulares. A severidade usada com o commandan-
le do 3.' batalbio foi exigida por sua falta de telo a
subordmacio. Aponte o correspondente o que auto-
risa a um commandante de batalbio a desobedeess, s
ordens superiores, deixar tem guarnilo eidade, e fkr
posse a seus Subordinad i,sem ocumpra-iedo com-
mandanle superior. He urna indignidade a arguicio da.
ordens antedatadas: combinen) se os Diarioe dt Pernam
buco ni. 225 e 232, e ver-ie-ba a inconsistencia de se-
melbanle calumnia. He muito ficil dirigir ultragei
e fazer accusar;5es vagas, asiiin como be muito fcil ao
gaiato apandar um pouco de lama, e emporcalbar con
ella um homem de bem, e regateira deisbalar-se
em injurias de toda a torte contra quem a refrea ; mu
faier accusac.oes fundadas, pruva-las, d'isio nio tari
capaz o correspondente do Diario Novo. He melhor,
que o correspondente deixe-se de dar bartgadas; que
lembre-se, ojia o homem das alturas tem seu rsbaho
de palba sofJriveL Por mim pode assanbar-se a AicAo-
rin, poii Dio fiftariO maligno, que Ibes metilo a ca-
becinha na garrafa; e demas tambem sou o
Toxico.
Senhoret Redactores : Tendo apparecido, no Dia-
rio n. 237, urna correspondencia com o titulo de
Re/lexoee sobre a refutaco documentada dojuit de di-
reito do c, o Sr. Jos Vieira Rodrigues de Carvalko
, em que o seu autor, o Sr. Jos Lourenco de Castro
e Silva, declara por diverts vezei, que o leu conten-
dor perlence ao partido ordeiro noCear, bojeassom-
brosamente perseguido; permllio-me Vmci., quena
qualidade de Cearonse desminta esii isseitlo, como
urna falsdade iciente e intoncionalmente propalada.
Todo o Ceari sabe, que o Sr. Rodrigues de Carvalbo
he actualmente um dos correligionarios do Sr. Jos
Lourenco, e que. tendo renegado o seus velbos amigos,
tilvvz pan nio ter a gloria de soflrer com elle m
fortuna, ou para obter dos dominadores o desejado lu-
gar de depulido supplente, como acaba de verificar-te
na ultima eleicio geral, lio dedicado se Ibes mostrou,
que, eleitor, nao leve um voto para dar ao Sr. doutor
Miguel Fernandes Vieira, um dosCearenses quemis
favores Ihe fizera, e que mais merece de tus patria, por
suas excelentes qualidade!. Taes laclo, que cluiifi-
cio o Sr. Rodrigues de Carvalbo como apostiti e co-
mo ingrato, nao podiio ser ignoradoi pelo Sr. Jos
Lourenco, queesteve ltimamente no Ceir, oque no
Cear publicou o seu manifest, onde te v queseo
contendor j entio ae bavia lascado ooi bracos doi ho-
inens, que all dominio com vari de ferro, e com io-
suportavel jugo. Nio sei, portaoto, com que intenedes,
ara que fin o Sr. Jos Lourenco vem tciontemente
propalar o contrario.
Senbores Redactores, quero publicar estas poucii
linbas em abono da verdade, e por lavor aoseu cons-
unto leitor, &c., &c.
U Cearetue.
as pernat o Iivro,
relalo quem entnivn:
() Vide Diario n.* 236.
rmlu cora o litro, e mostrando i t nlhut por cima d
volunte, dou-the de nunnclh que le fac mu mudettu
Ningiif ni e deuar mais illmlir, rttt'ja cirio.
Era bem clara cita .illuii ao pnttailo. Juli etpcrava
com etfeito que a sua degrac.ida narln vina a pe
cuinludo deteuncerhiii-ie, e nao tnbendii comu defen-
der-ie, tornuu-te vermelho, e caluu-ae.
Ura vamiia la! prosee,uc a joven dama, em lom
mait teriu puroiii affecluuto, a la imprudencia euttuu-
Ihe oaru, eu etquocerei todava u icu erro, te me pro-
nietter tinceru urre|ieiiiiimonlo.....
Ob Sra., dii Julio admirado do to ver lio bran-
daiuculo reprehendido, queira perdoar-me, quo o rne-
recu. Um iualanle fui culpado...... Conceb inteotoa te-'
merarioi. Hoje..... na temo importuna-la.
Joaepliiua heaitou, depuit ieropre cukrind o roito
eom o Iivro, diatu:
Na verdade, ni csiauuia iqui para fallar diterett-
inenlo. Cuiitinue.....
Poi bem, contina o mancebo lodo commovido c
balbucianjft.... na primeiro que ludo convein diser-
Ihe, i|ue ante de me haver Sr. inoatrado urna compai-
iao lao tiubre e Un tocante, liavia cu rccoiiheoido a uii-
ulia inaulenuia...... nao llieagradcco meno a tua bn-
dadr..... tem ella nunca houvera en outado fallar na nii-
nha offciiaa, nem talvet aiieuuar-lhe a gravidade pela
continuo do nicui remortoi. I
A inda bem Itso he que be fallar com prudente
o honrad, dit Joiephinii'abrandand anda a vos, pur
quo condece que Julio tem ncceiiidado de ter ani-
mado.
E tanto mait precita he para mim etla indulgen-
cia, que ella ilrvo nio t a miiiba rehnbililacSo meu
proprio olhot, cum lambein eertat ideiat que me per-
aiittiru ser d'oW em diante veiKur.no tem urFeudvr a
oonteieo ia de ninguera.
_ l'oder-ae-lij taber quael to cual ideiat?
_ Oh! Sra., dii Julio fazendo-ie encarnado, nio
minara....... 80 depuit, quando o aeuliinenlo dl nicu
errot for meno vivo.....
Quand qiiitcr..... todava, etlou nriuta.....
De verat, madama?
e a cuuia te piule diier.
Pode a Sra. acreditar que me ou aparte afora du
retpeii que Ibe he devid?
Quo o empece enl.io?
O temor de explicar-me mal, e de oeeupa-la em
demasa com a mnh penoa, que tilo puueu o merece.
Se he a ino, dit Mina. Detronait cum tua irretit-
livel graca. Vi, uui t'urcou a tomar etso cotlurae, e por
um dia de mait!.....
Vuu entio tratar de ofaicr, contina o mancebo
maravilhado du tum eum que era ditat etlat palavrat....
Ora, a Sra. condece uiinba inii,tabe tua exceaiiva ter-
.SVi. Redactores. Tendo viato a curretpondenoia da
meu pni, Senhor Jote Carduso do Hei., que publi-
co o D.novo n 221, do quarta-feira, 8 do crrenle
mes; do outubro e emiteud easi curretpnndeneia ao-
Riiaacuet gravea a meu primo, o Sr, Manual Cardlo da
Foiiaera, tendo a mor parle detaaa iceuiacfiea de factn
uitribii ido a mim c a meu caaal, e por ventura inexao-
tat; en leudo ter do meu dever nio ia deixar paitar im-
uulumrt, porque entuu anda duiuimda da eduoacio qua
rrcvbique verdade deve tributar todo tacrificio:
por io, e porque uau de juato, que por aa ma tagaa-
les, que algnem lom empregad contra meu vellio pai,
e coniegiiimlo dele, que propale taes icoutacet a nteu
prira, tem reconhecer, que Ihe sio desarotat, niaii
ufFeiitiva du que nquelle a quem ai dirige, tanto mail
peccando por falla do exactidao, eu peco licenca a mea
mira, tua fraquea para commigo. He um erro, aaapa-
rece que etto to perdua ia roiia; meu pai deiua parta
me tem urna afTeiclo que meno viv nio he, a Sr. up-
pe raioavelinenle a villa ditto qua toda aminbaaen-
ibilulade ni he bailante para corresponder a tanto
amor.
Sem diivida. Ha nio vejo.....
L chego, muida Sra. Amo a meu pai e a minba
nii ouid tuda a minha alma ; comante me i fu reo por
agradar-lhei, e contribuir, quinto em mim cabe, para a
tua ventura.....
Iaau he de mu boro filbo.
Aro- bem. Mat acreditar-ioe-ba que iato me
ni baata ? Sim, ditto c oommigo: teeu pudetie iantar
outra ainnade etla, urna amiado mait iuiti, esiii oeD-
enianea cum oa muui guiloi, oom a minba idade........
Oh por excmplu, lueu ti vene urna irml!
Urna irmlP abaollilamente umairni!
Por certo um irmlo teria ru grande laiude,
ma urna irml! Nao v a Sra quanto prazer ha aoaii
rm ama-la, quanto Jo a relacoei cora ella man delica-
da, mait ternas, mait drliciotai ? Ora, eu ettou bem
ceno do que digo, te Deo me oonoedesse una irml, aa
nanea rae catara.
Comeffeito! dii Jotephina, quo, a detpeito da ana
loviandade, nio pode inleiraraente dissimular aiuae-
mocio.


-

9=
pai para declarar a tal reapeito o que em verdade ha,
asiim recordar aua memoria o que se (em panado.
Kan fi'iatiiu primo o Sr. Manoel Cardlo da tonteo,
que menamou para a ma co; fui cu que pudi ir r ara
ella, e procurei a enn)|>anhia desta meii primo, por i
ao qui' nio devia ser pesada a meu pai, o Sr. Jos Cardo-
aodut Reia, que por infelicidode osla cm mingoa d
mcioi para subsistir; eu na nao tinhn, a excepcio lio
pones bena do meu caaal aubjeitoa ana oredorci. Na
cata do dil.i meu primo lenho aido tratada cum toda a
considorac&o. e omitade por minha prima e aua irmia,
e pnr tndn a faoiilia; lenho a iiberdade, que as aenhnras
lenoslas deveni ler, conservo a umizade daa peatoaa ca-
pase! com quem cntrelinha. visitando-as, eaendo visi-
tada por Win pessoas, e alguma vetea fui rasa de
meu pai para Ihe tomar abnelo, o que nfio ae verificni
por elle te me negar, Nln fui meu primo, que rao acon-
srlhou, on dirigi para que eu fietie abilencio da he-
ranca, pnrm > meimo meu pai fui qnein mandn fater
a palelo para etie fim. tendo tomado o contelho oom o
Sr. dnutor Manuel Caetnin Soarea, como ello disie,
assim mo fet ussignar o termo judicial cierna abslenc.au;
do que me nao arrependi ainda.
Porquanto nao ha no meu casal bens que ebeguetn
par* pagamento daa divids, que deixou meu marido
Antonio de Soura Flores; de maneira que 01 pouquii
simos, me couberio da beranca materna, que esli em
poder de meu pai, at boje nao me podem (car livre;
e por isso, quando meu pai me escreveo, pedindo-tne
autorisa(ao pan os vender, eu nio pude satisfazer esse
seu pedido, e ihe respond, que nio Ibe poJia dar tal
autorsacio ; porque, cicedendo as dividas passivas do
meu casal, as possessocs delle, e tendo, por isso, eu
sepudo o conseibo e direccio de nvu pai, abstendo-
ino da beranca na conformidade do requerimento, que
meo pai fuera, nao poda desfalcar as possessdes do
mesmo casal, autorisaodoa venda de bens del le.
Eis o que ha de verdide, como tambem he verdade
ser o meu caral. deredor a meu primo, o Sr. Manoel
Cirdoioda Fonseca, e exacta a conta por este aposen-
tada ; e cerlamente te nao (orio lalvez as influencias de
pessoas, que se manteen de desunirem aquelles a
quem os lacos do sangue dovem ligar, pira tomarem
beixa e cobarde vinganca, aproveitando-ae do ensejo de
pequeas disintelligeocias, meu pai nao apresentaria
essa correspondencia de que me oceupo, e nao se daria
assim em espectculo ao publico, para seus desaflectos
ainda por cima se gloriarem ; mas eu devo vordade a
declaracio, que venbo d" lazer, e est u persuadida,
que o respeto filial, que eu trbulo a meo pai, nio se
esteode a obrigir a oceultaedes da verdade, tanto mais
no presente caso em damno da repulacio, e crdito de
um nosto prximo prente, quu sempre fui e he nosso
amigo, e nosso protector.
Esporo, Srs Redactores, merecer Ibes o favor de pu-
blicar por o seu jornal estas linhas, com o que muito o-
brigariO a sua, &c.
'' _______ <4nna Joaquina do Sacramento
&

Publicaciies a pedido.
Illm. e Exm. Sr. A portara do juiz dos feitos da
fazenda, ordenando, que os ofliciaes do jui/o nio eum-
prio ordens de outras autoridades, i que nio estio
subjeitos, he fundada em direito e em decisSes do go-
verno, que teem toda applicacio especie ; e algumos
d'ellas esli referidas na jurdica resposta doditojuix,
que destroe os fundamentos da representacio contra el-
le dirigida pelo procurador-fiscal interino, por causa
daquella medida, a qual, long. de embaracar o prompto
andamento das causas fiscaes, devo pelo contrario mul-
to concorrer para ello, por evitar, que os ofliciaes se
distraiao com diligencias de outros julios, que tam
bem teem seus ofliciaes para a execucio dos seus man-
dados, e cujos inleresses nio compete ao procurador-
liscar zelar, e menos receiar pagar-lhes cusas pelos seus
bens, quando por acaso lenha de occupa-los com dili-
gencias da fjenla, visto ser isento de as solver,confor-
me be de direita. Parece-me, porm, improcedente a
referida queixa, quo bem indica a pouca intelligencia
do representante com aquello juiz, o que cumpre evi
tar, a fim de lerem removidos os inconvenientes, que
de tal falta de harmona podem resultar ao servico publi-
co, e sos interesses da fazenda, alus zelados polo men
cionado juiz. Assim pens, e V. Exc. resolver, como
mais justo lor.
Dos guarde a V. Exc. Rccie, 18 de setembro de
1845. Illm. o Exm. Sr. Antonio Pinto Cbicborro da
Gama, presidente da provincia de Pernambuco.An-
tonio Ignacio le Azevedo.
Um. t Exm Sr. t'erho presente o respeitavcl
despacho da V. Exc., lob a data de 25 do crlente, pe-
lo qual V. Exc. me mandou informir i cerc da con-
sulla, que Ihe dirigi o inspector da tbesouraria da fa-
zenda no da antecedente, por occasiio de terem o con-
tador e procurador-fiscal respectivos duvidado, se com-
peta i V. Exe., ou i mim, como juiz dos foitos, a no-
meacio interina por mim ltimamente feta doescri-
vio, e solicitador do meu juizo, no impe limento dos
propriotarios ; e sentindo, que n'esse oflico se nio ti-
vesiem exposto, ao menos em resumo, as razoes da sus-
citada duvida para eitabelecer-se o ponto da questio,
plsso a cumprr* ordem de V. Exc significando-lbe
qoe em face da le de 11 de outubro de 1827, e da re-
soluto do 1.* de julho de 1830, que dio aos magis-
trados a altribuicao de nomear serventuarios pira os
oficios de juslica, nos casos de vaga ou de impedimento,
que nvsta parte nio alterario mas confirmrio o que
ja eslava disposto na ord do I. 1., titulo 97, 3.
7 e 8., e nosalv. de 23 de novembro dell'2. ede
8 de agoito de 1753, parece-me ter eu obrado regular-
mente, e dentro dos limites das minhas attribuicoes,
quando dei os referidos provimentos interinos.
He verdade, que pela lei de 3 de outubro de 1834
posterior a referida legislacio, se conferio as presiden-
cias a altribuicao de proverem provisoriamente os em-
pregos, cuja nomeaclo perlence an Imperador; mas pa-
rece-me, que essa attribuicio, por mais ampia que teja
na la lettra, soltre necessariamente excancio, quando
leis especiaos ja teem concedido igual direito outrai
autoridades, com, ou irm fimitacio de lempo, como no
caso vertente ; porquanlo be regia geralmente admit-
tida, que, quando entrio em colisio leis geraes e leis
especiaos, que mutuamente se nio revoglo, as eape-
ciaei (icio limiticei das geraes, sem distinecio deierem
ai primeiras, ou ultimas.
Accresce ainda, que, tendo a legislacio supracitada
dado aos julgadores o direito de nomear os serventuarios
interinos por cerlo lempo nio temi a mesa extincta
de desembargo do paco o de daressas nomeacSe, sa-
nio depois de (indo esse praio e bavendo passado esta
attribuicio para o governo imperial pela lei de 22 de
tetembro de 1828, claro est, que passou com a mes-
ma restrceo, e que as presidencias, em minha fraoa
opiniio nio podem exercer um direito, que nio tem o
mesmo governo, de quem faiem ai vezes; e que por-
tanlo o provimento interino das presidencias, nos ofli-
cios de juslica, pudo smente darse nos casos de vaga
todo o lempo, e nos de impedimento, quando este
he prolongado, e excede o lempo, que me retiro.
Finalmente, suppomio-.se, porm, que a lei de 3 de
outubro de 1831. tivesse derogado esta legislacio
qaantoaos provimenloi interinos de pouca durarlo, e
fsso conseguintemente licito s presidencias faxe-loi,
todas as veies que ebegasse aoseu conhrcimenlo o im
pedimento dos serventuarios vitalicios, nem por isio po
derioos julgadores deixar ( nenhuma lei o veda ) de
providenciarem interinamente sobre esta oceurrencia ;
porque do contrario ficaria inteiramente paralinda a
accio e administradlo da juslica, e no juizo dos leitos
accresceria a falta de cobranca dos imposlos e rendas
lodoi os inconvenientes, que dibi proviessem.
Sendo e>tes os fundamentos, que firmarlo, e regu-
la rao sempre o protimento interino dos oflicios de Jus-
tina, parec>J-me, que os oflicios do jui/o dos feitos es-
tio em circumstancias absolutamente idnticas, embo-
ra recebio ordenados do tbesouro nacional ; pois que
este recebimenlo em nada altera a sua nalure/a, nem
d.estruea attribuicio do juis, perante quem serven. V.
Exc., entretanto, resolver a nio fundamentada duvida
da tbesouraria, como ontender mais acertado em sua
sahedoria, supprindo assim a deficiencia das minhas ra-
zoes. Volta o oflicio do inspector da tbesouraria.
Dos guarde a V. Exc.Cidade do Recite. 30 de se-
tembro de 1815. Illm. e Exm. Sr. cnncelheiro An-
tonio Pinto Cbicborro da Gama, presidento da provin-
cia. Ojui/. dos feitos da fazenda, Jtrunymo Marti-
nianno Figueira de Mello.
do dinheiro e psoienria publica; mai pelo espinheco
ooro todot ni bancm dena metina platea !...
Ali! r.nntinuai. meu amiguinhn, adepoil veremoe ae
he a moa de P. rtugnexes, que ro ha da dar o trono,
ou te ato aqucllci.quo na eu proprio paii iibein ovaliar
o ente da'preiivel desaa abstracto do toda ai ideiat, de
tudas ai crema",de todot ot ahWtnsjarroganJo n ti o tri-
pliradu titulo de emprezario, autor e actor, aem a menor
ignificaclo; mal onm bastante para ormar eaparrellai
ao nono dinheiro, e ainda em cima deacompor-noa,
detcompnndo ;'i quem lho nio pJe dar o troco. Verc-
moa ae, a troca de inoia duzi de vimtem arreraeiiadot
pelo raprinbo deapeilnao, e deileal aoi boicot do truAo,
ainda elle tero rapa/ da reproduiir n'eato lupanar, por
exemplo, um Mo onm a eora imperial na cabrea, co-
mo fet cm certo lempo, por infamiilima alegora a.......
(a penna recaa eirreve-lo!) Veremol, io te eicapa in-
onlume, quando a frente de urna orgia recrutada na ri-
beira e noa aleonen (talvaa rarai excepcoei) despeja im-
properio a que chama arle, como ae arte te pndetio dar
em quadroa onde ha, nao o sublime da perveraidiide lin-
mana, anaa o torpe, o immundo_, uatquoroin doi viciot
mais va, temelhantei a reproientacio du par adullrro.
qoo na face de honradas fiuiiiliat pernambucanaa. oom
barregfln do um lado, e de nutro a hedionda e caricato
pertonagem do marojo desertor, nos rrgalava com o lu-
brico, bem taracoteado, e bem cheio de fieirns, dueto
do eaitiga e nutroa. Oh vinde, viuda hnju com iaio, r
oom oulrat moxinifada de votta grosseira lavr^, e de-
poia ponen importa, que atlribuaii a vnt,ini patricio!,
lio escorial como vl, o justo castigo do niaruiliula de-
sertor com fumoa do pertonagem.
Pouco importa mesmo, que no* oontei ero prosa nn
em vertoi quadro-j-edantea, como, o de qne forma t-
trahistea oa baiMoi da platea; ou, forginando 30 burri-
o.iea dilema!, enconiraatea a razio por que o nrpheo do
Lisboa allrabiu batalaa, e vos, axai de lenha...
A ilto alguem vos podrr consolar, ditendo-vos,que n
orpbeo all, faltando ao coropaito, fcou entendendn,
quer.om batatas nio era o melhor ineio de Ih'o faier
acertar; maa oorphen aqu, nem batatas, neru qualquer
mitra omisa Ihe he raiater; porque aub a clave de fi
bordio ninguera canta melhor que elle. Haja viata
umaaritta comioita pe\oMaieltroSipio puo,(\ic,hn pou-
nos annoa.cantou all para as bandas do Capibaribe, que
foi mciino urna consolarn. Assim, otiiiu he que he
oanlar. Assim tambero vo-lo afllrma, nao um doa ma-
lungoi quem deicompondei, maa um (entandeia ?)
Pernambucano.
d'alericlo e retilo das medidas, avisi-io i quem con-
vier, que ditos talhos e imposto vio novamenta em pra-
ca no dia 25 do correte. Afanoil Joaquim do Reg
i Albuqutrqui. presidente. J Aginar, tecretirio.________________________________
DecIaraQoes.
Compankia d Bebiribe.
Os Srs. accionistas da companbia de Bebiribe
queirio realisar urna preitacio de. 4 p. c. no praro de
30 dial, contados desta data em diante. Escriptorio di
companbia, 20 de outubro de 1845. O leerela'rio,
B. J. Fernandei Barro*.
O arsenal de guerra precita comprar o inslrumenlil
seguinle : oito clarinetes, ama requinta, doos flautini,
um pistn, urna corneta de chaves, um clarim de har-
mona, duas trompas, dons trombones, dous of-clyds,
um jogo de pralos, urna caixa de rufo e seos perlncas,
e um triangulo : quem estes instrumentos qaixer forne-
cer, mandar traze-l os, com suas propostas ero caria
fechada, a d'iectoria do mesmo arsenal,al o dia 27 do
corrente mez.
Directora do arsenal de guerra, 23 de outubro de
1845. No impedimento do escripturario, o amanuen-
se, Joo Ricardo da Silva.
ACOMPANHIA ITALIANA
QUISTA-FEIRt. 30 do correle mes '
dar a 8.a repmentaco Igrica para completar as aaa'g.
naturaa, que j frio pagat : e pela ultima rea ae repre-
tentar a muito apploodida peca, em tret acloa, do Sr.
Cav. Donizelti o
ELIXIR DE AMOR.
Ol bilhetcs do camarotei e plala, assim romo os fo-
Iheiot da irailuccAo da peca, vpndeni te deide j em ra-
ta do director, roa Nova, n. 7, segundo andar : aot Se-
nhorri, que inicrevrSo tena nomri para esta ultima
recita dn Elixir, lerSo garantidos os bilhetcs ate odia
29.
COMMEBCIO.
Alfandega.
Benmhento do du 23.................5:680j238
Deicarrega hoj 24
Brigue CamOsmercad orias.
Geral576*917
Consulado.
RENDIMENTO DO DIA 22.
Provincial64*891
Penetrado do n.ais profundo reconhecmento pelos
immensos favores, quo recebi de alguns habitantes da
comarca da Brejo, durante o lempo, em que por all
resid j e nao me sendo possivel de outra sorte tesle-
munbar aos meus dignos obsequiadores a persfila gra-
tidao, em que mo acho para com clles, cabe-me o pra-
1er de declarar por e>ta folha seus nomes por extenso,
para que o publico, nutricio apreciador do mrito, os
venere, e Ibes tribute a devida considerarlo, ei-los:
O Illustrissimos Senhores coronel Francisco Alves Ca-
valcanti Camhoim; vigario Pedro Marinbo Falcio, seus
pas, e manos; o tonente coronel Thomaz Alves Maciel
com seus filhos e genros; o major Caelano de Oliveira
Mello ; o capilao Jos Pedro de Miranda Henriques; o
doulor Lourenco Francisco de Almeida Catanho; JoSo
do Reg Maciel, e outras inuilis pessoas, pertencenles
s familias destes Senhores. Recite, 20 de outubro de
1815.
Brat Marcellino do Sacramento,
Afuvimento do Porto.
Foi quando comecci a reitabeleccr-me que me
veioeite detejo, que, ai do mira! nao poda teraatis-
fito. Ao menu attiin o pensava eu. Maa em um ventu-
rio dia, durante a minha convaleacenca, apparenco-me
Sra. inottrando lemblantu amigo enSo inexhvravel.....
Mala Sra. aahio que cala delicila intpiraglo me uocor-
reo: Grande Deoa! cxclaniei eu transportado, ouvi.let
aa minhaa atspplieai! Baai irma tiu pura, lio digna de
teramtda vos iu'u enviattet! Oulro genero du ternura
he ntenme, um ultrage, eso termina em deaeapera-
cSe, niatette atfeoto innocente nao poderia.....
Nena momento levaatou Julio a oabeca, e vio que ti-
nha Joaephina oa olhot cravadoi nelle oom lingular cx-
preiiiu. Perturbou-ie, inlerrompco-se, o accreacentuu
ha Iba atando:
...~ l'l""'d ,e "''preheniivel, pono conretiar-
lli^o, ni he aiiira, Sra ?.....
He.....in'..... dis Jotroliina com vox comino vida
eeuMo anaahir do urna profunda modiucio. U Sr. he
nm excallente muf, digno do eatima e de atalude..!....'
Fai oom o Sr. cruel, a diiau raearrepondo. Pela aua'vei
pe>d>ar-ma-ha vosi, Julio?
Ah! Sra., exclama ene confuto, trmulo e teiitia-
do arrebentar-te-lhe roraco aob o imperio deaio m-
lliar'qaa onvolve. film tanta bondade .'....... que Ihfl
nao reaittiria cita minha oabeca a.....
Silencio ,' interroinjieo de rujente a Sra. Detra-
0 nosso ineantavel dramaturgo (que MCI lego ) pa-
rece isla levar gilo de aoabar com ana giria, como ae
etliveramot icinprc do cttomago para engolir urania.....
Poit, estar o Sr. Gamboa portuadido, quo lho Dti
conhpcemoa as manilas ? que, querendo doaforrar-so da
platea, que em cerint occasioes o apupa, be do inisler
descompor a teut patricios, porque nos nao podo det-
eompor ant?! Miacravnl que muiloa diat nao leraii
leineiliante aiuelle em qoe .1 polica, dormitando, tala-
ron a inaior do todat at petulancias; e oom tanta Miel
dado para o marujo detertor, para um doa prebostes da
mantilla portuguesa, que, deixaudo o auditorio estupe-
facto de tanta untadla, esgueirou-se do palco tem le-
var, nao com batatas podre, cuvot chocos, cotooo ba-
tatifig caamurro n tbeatro de Lisboa, e quintos cat-
niurroa outao, cm qualquer tbealro do mundo, abutar
nais. Veni ubi alguem; eunvertareraot a este retpcilu
em oatra uccasiao..... Sr. meu irmo.
Era S.iint-Amand que cntruii iiiimediatamcnte. Sau-
dou elle profundamenm a dona da cata, bonrnu o Julio
com mu ligeiro luovmcnto do rabeca, euoelou nina
converaaco intignificante, quo ello tustentou por tres
quartoi d'hora com a aua facilidado c amabilidade or-
dinaria!, ci leerguco para subir, quando vio Julio
diipor-te a partir.
Orando presta tinba o mancebo de au menos achar-ae
..... Temoi nos Mceaiidado de dizer que o edificio de
prudente c hnneita ventura quu pela uwnhia selevaut-
ra, ja eslava doamttronado ? Urna palacra, uro hincar de
'.lima da doma haran Lisiado a derribar ludo; ainda
una vnt lia va ajipertado no crtelo do desafortunado
mancebo o intar. e a amor com o ieut imprliiutot de
sejna, coro aaauat lyr.inoie.i exigencia, lima mil!
de.denliar elle coti,". (Jilnee nome, quo doiuaiiha u
encaniava. O que Ihe eouviiiha era una amante, como
elle, upintoiada, ardentc, tcntual. a que tiveaae case
oltuit negroi coruscante! que acabava de reaccouder
todo o tugo que elle tuppoiera apagadot, quando o-
pitido tu e.lavan.
Q i amo aot terrorea de aeut pai, perfidia do que ae
ornara culpado para ooui BCnodiclo, nisao nao pentou
elle una o vet ero todo o caiainho. Uniamenle quan-
do pos ua pea ent caa rufleclio, que tiuha de responder
Navios entrados no dia 23.
Babia ; lOdias, escuna portugueza Tarujo / Filhos,
de 152 toneladas, captto Francisco Antonio de Al
meida, equipagem 9, em lastro ; a Firmino Jos
Flix da Roza.
Caravelas; lidias, late brasileiro Pensamento-Fe-
lu, de 38 toneladas, cipilio Andr Muniz Cordeiro
Grauna, equipagem 7, carga farinha e feijo ; ao
copitao.
[y'avio sahido no mesmo dia.
Babia; patacho brasileiro A'oro Saraiva, capilio Ma-
noel Rodrigues Pimenta da Cunba, carga varios g-
neros. Paisageiros Brasleiros, Francisco Muniz de
Medeiroi, Antonio Luit Alfonso de Carvilho. Gis-
parinho Moreira de Castro, com 1 escravo, Luiz Bar-
bosa Acetle de Brito, com 1 escavo, o tenente d'ar-
lilharia Luiz Antonio Lacome, Peres Jos de Noro-
nha, com I escravo, Caetano Vicente de Almeid
com 1 escrava, Joio Vctor de Carvalbo, Francisco
Marques doi Santos, e Ricardo Pinbeiro de N'as-
concellos.
LV1808 manlinios.
Edita!.
Miguel Archanjo Monleiro de Andrade.official da im-
pe iat ordem da foza, cavalieiro da de Canso i
inspector da alfandega de Pemambuco, por S. M.
Imperial, o Senhor Pedro 11, que Utos guarde,$c.
Faz saber, que no dia 24 do correnle(hojel. ao meio
dia, e na porta d'alfandega.sehiodo arrematar 36 pegas
de (azendas do teda para colotes, no valor de 220 rs..
impugnadas pelo amanuense Goncalo Jos da Costa e
Si Jnior, no despacho por laclura de Lennir Puget
& Companbia; sendo dita arremalacao suhjeila ao paga-
mento dos direitos.
Allandega, 22 de outubro de 1855.
Miguel archanjo Munleiro de Andrade
Nio tendo comparecido lancadores aos talhos do
acougue das Cinco-Pontas nmeros 1, 2, 3, 4. 7,
II. 13, 14, 15, 16, 17, 22, 23,.21. e ao imposto
a militas e aperlada! purguiitaa; maa aem hetilacio de-
cidio-se a mentir, pois que em fim o leu primeiro cui-
dado era dispor ni meioi de podar voltar quinta : e
logo, com pondo um temblante sereno, cutrou aurrindo-
u ou apuse-uto de toa mlf. Nao ha nada quo forme ot
liniueui, c o formo depretta, como aa paiiei; he pona
que ii maior parte aln deixc a probidade.
Apelar doieu permanente tcrrnr a rctpoito de Bene-
dicto, Mina, rtobineuu deixou-sc quasi persuadir, tanto
Ihe colorou o til lio pacificamente a sua visita. E domis
cm fin u liuincni terrivcl donuilava tanto lempo! Nio
hatera alguma eugeraco no que 10 disia sobre a sua
paitada vida?
Todava tndua ot sustos da pobre raSi le renovarlo,
I 'gn que Julio do a primeira vei a entender que pre-
tenda fater aegunda risita, cujo prnjoclo combaleo curo
uiua lgica quo nada bavia perdido de sua energa. Coro
itsuoontava Julio, e n> arnpiou carreira, vultando
sempre carga cm a tna poderosa cunaideracan: o me-
lhor ineio da confirmar la tuipeilat ser romper brus-
camente.
I'ar.i umita genio urna rasau do continuo raareduziila
equialo a uro novo argumento. Alem disto Julio cun
tal dealrexa ao moatrava indiffereuto, que sua roi o jul-
gava quasi curado.
Arrancn poil o mancebo aeguodo cunsontmento. I
Voou a Rhosny saltando de alegra oom sous loquea da
Para Porto-Alegre e Rio-Grande-do-Sul, sa-
liir, com muila brevidade, o patacho Olivara : quem
quizer carregar escravos a Irete enteoda-se com Joio
Vaz de Oliveira na rui da Crux o. 51, primeiro
andar.
= Para S. Matheo segu, at o dia 25 do corrente,
o Inste nacional Flor-do- liecift ; ainda pode receber
alguma carga a frete e passageiros : os pretendentes
dirijio-se a bordo do mesmo, a tratar com o capilio.
Para a Babia seguir breve o hiate Concetcdo-O-
liveira: quem no mesmo quizer carregar, pode tratar
com Amorm Irmios, ruada Cad.eia, n. 45,
= Para a Babia sai impreteriielmente no dia 25
do corrente, o btigue Anna e L'onstanca ; recebe
carga a frete commodo e passageiros, at o dia 24 :
quem pretender, enlenda-se com o consignatario Ma-
noel Ignacio de Oliveira, na rga de Apollo, n. 18.
Para o Rio-Grande-do-Sul segu em poucoi das
o veleiro patacho Emelrana : quem no mesmo quizer
embarcar escravos,para que o tam bons commodoaVede
enteoder-se com Amorm Irmios, ra da Cadeia, n.
45.
=Vende-se a sumaca brasileira Quatorte-dt-No-
vembro, forrada de cobre : a tratar com Gaudioo Agos-
tinbo de Barros na pracinha do Corpo Santo, n. 66.
A sumaca Santa-Mara-Boa-Sorle pretendo si-
hir at 10 do mez de novembro para o Aracatj : quem
quizer carregar entenda-se com o mestre Jote Joa-
quim Alves defronte do trapiche novo ou com Vic-
torino Teixeira l.eile na ra larga 4o Rozario n. 4 ;
pois j tema maior parte de seu carregamento prompto.
= Para o Aiacaty e Cear sai nestes 4 das a suma-
ca Felicidade, meslre Jos Joaquim Duarte, por estar
quasi Ilimitada; eso recebe alguma carga miuda, ou
passageiros : os pretendentes tratem com o proprieta-
rio Antonio Joaquim deSouxa Ribeiro, no seu escrip-
torio da ra da Cadeia, casa n. 18.
= Para o Aracaty sai at 10 do mez, que entra, o
patacho Maria-Luita, deque he mestre Jos Joaquim
Alves; tendo seu carregamento engajado,epodendo re-
cebar alguma carga miuda e passageiros: os pretenden-
tes tratem com Antonio Joaquim de Souza Ribeiro.
O brigue portuguaz l'rimavera, capilio Jos
Carlos Ferreira Soares, forrado de cobre e de primeira
marcha, acha-se a carga para a cidade do Porto: quem
nelle quizer carregar, entenda-se como dito capilio,
na Praca, ou com seu consignatario Antonio Joaquim
de Souza Ribeiro.
Le i loes.
= Kaikmann & Rosemund farad letlao, por inter-
vengo do corretor Oliveira, de variedade de laiendas
inglezas, franeezas, auissas e alterles, de seda, lia, li-
ndo ede algodio as mais proprias do mercado: quin-
ta feira, 30 do corrente. s 10 horas da msnba no
seu armaiem na ra da Cruz.
iuquietncio, porque seua desejos ja nio erao lio poro1
oomo da primeira vet. C liego o c aprraeiiiuii-ie a Jote-
pbina, mas la eslava lambem o cunda de Sainl-Ainand.
E cato lamas aneodolaa fastidiosat roferio, tantas frio-
leir.is insopporlaveii reeiluii, que Julio reconlieoeo ha-
ver ullrapassado de muito o pruzo que ana mai Ihe ba-
via marcado, e quetuail so nao jiodia demorar aem oau-
aar-llie morlaca iuquictacAra ; fui pulanlo obligad a
levantar primeiru o sitio, e o partir como linha viodo.
Teroeira permiielo, 'que ello obtero a poder da eln-
quencia, nao levoitnelhiir resultado. Ooonda que baria
ehogado a quinta alguna iiiinutoa antea que o niaiicobo,
nao a deixou senio depois quu o vio partir.
Aiuda por doat pa tres vetea lho aoonleceo o mesmo.
Julio citara exasperado, (ue! depoia de penas infini-
tas, a de maia calculo! e combinaroe do que he preciso
para gorernar uina provincia, obtor novo ounaouiiraan-
lo de seos paii, e quando ia alliugir o airo de 8U! inau-
dito! eiforcei, um demonio eucarnicailo ero saa parda
Iba havia de arrancar o troci dn teua trabnllma !
Qoati um mex te pasin sem que ae podeaie encon-
trar coro Joiopliinj i tos. Orcava-ae eniio pelo 4bb do
verlo, U pai de Julio coaturoava dar pnr cata poca a
ana primeira partida. Neuu aniiu cm applauto ap rett-
beleciinento do tillio, a tetla doria aer roail hrilhanW.
Julio, como he claro, arranjou ni coma de maneira a
ser ello quem oonvidaiae a fasailia da Rliotuy, rol van


Avisos diversos.
I OO DOAR.
0 $ecrotro da irmendade de N S do Terco faz pu-
plico que domingo 2fl do correnle he o da da
festividade de sua padroeira ; que a lesta'principiar as
10 hora da manfaia em ponto, e a procissio dever sa
hir ai 3 boras e meia da tarde, e correr as ras abaixo
declaradas : haver levantamento de bandeira na ma-
drugada do dia sabbado e noule vsperas; depois
do recolbimento de procissflo Tt-Dtum : espera-se ,
que oa moradores das mencionadas ras asseiem as
(rente* desuas casas para maior brilhanlismo.
Cinco-Ponlasata volla do viveiro principio da
ra Augusta ., a ontrar no becco do Peixoto, Cinco-
Pontat, becco do Marisco, ra de Hortas, traversa deS
Pedro Agoas Verdes, ras Direita Livramento, (ue-
mado a entrar no pateo do Collegio ra do mesmo,
ra de S. Francisco dita das Cruzes praca da lude
pendencia, ra do Cabug, dita Nova, Atterro-da-
Boa Vista at a praga de volta pelas mesmas ras at
o fim da ra do Cabug ras larga e estreita do Ho-
rario pateo do Carino ruado Hortas, a entrar em
iui igreja,
__ Aluga-se o sobrado de um andar, na ra da Vi-
rado, no bairro de S. Antonio: a tratar coui Antonio
Joaquim de Souza Ribeiro.
Ouem quizer dar de dois at quatro contos de
ris, com seguranca em predio, e com os juros de um
por centoao mez, pelo lempo de tiez annos, recebendo
os juro mensalmente, driija-se a rus do Fagundes, casa
D.7,que abise dir quem o quer; cujo predio bu igual-
mente line, e oesta cldade.
__ Joaquim Silverio de Souza embarca para o Rio-
de-Janeiro o sea escravo, por nome Manoel, de narao
Angola.
__ D. Francisca Hara da Silva embarca para o Rio
de-Janeiro a sua escrava, por nome Emilianas, do na-
ci Angola.
O Sr. J. S. S. tenha a bondadedeir, ou mandar
pagar a conta, que o mesmo Sr nao ignoia, no praxo de
3 dias; se nio, lera o desgosto de ver seu nome por ex-
tenso nesta folha.
Aluga-se urna casa na povoaco do Montoiro, a
terceiradacarreira que foi de Domingos Rodrigues do
Passo, com 2 boas salas, 3 grandes quartos, co'inba -
ra, estribara, quintal murado com poitao para o rio,
por preco commodo : na ra d'Alegria. n. 36.
acougue francez.
Ra (lo Trapiche, n. 58.
Domingo, 26 do corrente,
abrir-se-ha uir. acougue mo-
da de Pariz, aonde encontrar-
se-ha carne gorda, costeletas
de carneiro, bifes e ludo o que
diz respeito.a um lallio bem
dirigido : nas quintas feias e
domingos Iiaver sempre car-
ne de carneiro.
Joaquim Victorino Coelbo retira-se para o Rio-
de-Janeiio.
Quem tver urna imagem de N. 5. das Dores e
outradeS Antonio, sendo obras perfeitas e que-
rendo troca las, dirija se a ra das Trincheiras, n. 18.
= Precisase lallar com Joan Alves Correia genro
do alteres Lourcncinho, que antigamente moravo na
Gorila termo deTabaianna ou mesmo com a sogra
do mesmo Correia ou com seus procuradores nesta
praca, para negocio dos mesmos : na ra de Apollo,
o. 34.
-= Aluga-se o segundo andar o solao do sobrado da
ra Nova n. 65 por250s rs : a tratar com Anto-
nio Ferreira Lima ou na venda por baixo do mesmo
sobrado
( LO JA DA ESTRELLA )
H ii a do Quemado NV2 5
CILHERMZ SETTEw
Dese|a-ke tallar e entregar cartas vindos do Por-
te aos Srs. Antonio Lucio de Mallos Fernando Ca-
mello Oiorio Manoel Jos rVtonteiro Braga Jos
Luiz da Silva Carneiro, e Trajano llaptista da Sil
veira.
Sociidade Mtlpomenen'e.
Avisa-seaos Sr*. socios que o hilhetes para o es-
petaculo do dia 5| distribuem-seem casa do tbesou-
reiro ni ra da Cruz n. 43 nos dias 24 e 25 do
corrente.
advertid" dcata ve: a lingular oirc.umstancia do m en
cmilrar lenipro un quinta em Saint- Ainind o linb.i le-
vado a rrflrrlir aubre 11 caso, e asaenliir, quo neecsmria-
tnrnle era eipionadn. Pin bem! dime elle la coing :
Um lacio ha ilo Frustrar a IraicaO, e cu n empregarci.
Com effeilu, um dia pelas unte hura* 0S1 nianhaa, mel-
len na nlgibei'ra o billietodc convile, deai-o ao jardim,
aalluii ii muro, den em nu puuoo frequculada, e por
nulraa aemellianlca fui dar au oaujpn pelo lado ijo rm.
Corren campea e maliaa, e cliejrou herd.ide ein|ire
desviado dn estrada prine.ipal. *Alli pergnni.i mu o.n.i-
du se viera o cunde, e ae Ihe rcipoiide que m'm. K.itavn
cerln dial, exclama elle, centra para a ala ebrio de
jirater. Josephina eslava em fin lotlnba f
la-lho elle fallar, qnandn percebeo*t|iio doruiilava.
Cura o cotnvcllu encomiado i.'ura braco da pultruna, rc-
pnuiavs lubrc a delicada niSo de dedos afladus a eabe-
Ca, inclinada nm pnucu, de surte que pe rmiltia admi-
rar-ae n perfeilo iiM.deln dn coln .le cisne que a susli-
niio. Fieuu n mancebo imniuvel, deslumhrado, cun-
lemidandu cm delicia este ralo reitioeiro, eaie corpu
flexlve! engranado; denuil don omn oa olhua em um
objeclo brillunte, que jaxia ana pea da cade ir. Era mu
bracelete d'aeo, que icn duvida te liavia deaproiididu
do puntuda ji.vcn dama, eoi quaiito auim dorma. Ju-
lin deu um paisn, obaixou-ae, ipanlinu-.i o vio quo li-
nlia a tirina de Juaepliiua, olh> para ello clieiu do amor,
e beija-o. Mas como o fume por sobre a ihainine, ao
__________
Deseja-se follar ao Sr. Felieianno Pirry Vidal,
que veio de Portugal, ha 3 oa 4 annos, pouco msis ou
menos para negocio de seu interesse : no paleo da
S. Cruz na Boa-Vista o. 6 ou annunciesua mo-
rada.
Roga-seaoSr. Jo5o Augusto Bandeira de Mel-
lo o favor de comparecer, quanto antes aonde bem
sabe.
Da casa do abaixo assignado fugio um seu mole-
que do nome Joo, riui.ru) MuQambique, de idade de 15
annos, cari redonda, olhos grandes, Luiros grostos e
salientes, e com um sigoal de ferida no peitoesquordo
quem o encontrar, e trouxer i ra do Hospicio n. 14,
do bairroda Boa-Vista, ser recompensado de seu tra-
balbo.
Jeronymo Marliniano Figutira de Millo.
Alogao-se os primeiro e lerceiro andares da casa n
19, da ra do Apollo; ama dita terrea, ba pouco acaba-
da em Fura de-Portas, no principio da ra do Gua
rarapes, e esta com bons commodos para familia, tendo
um grande sotao com bonita vista pura o mar, Ojinda e
Santo Amaro : os pretendentes dirijao-se a mesma ra
de Apollo, armazem de Joio Jos Rodrigues Lofller.
Aluga-se o terceiro andar do sobrado, n. 9, ds
ra do Queimado; a tratar oa lo|a do mesmo.
- Quem pretender urna casa na Caponga. com
hom quintal para passar a festa, pelo preco de S0000
rs., dirija-se a ra do Queimado n. 57.
L e t ms fadat ha.
= Li, no Diano de Ptrnnmbuco, orna historieta do
Freguez de S. Jote contra os meus religiosos mocos,
a quem me parece dever desculpar-se; porque, como
l se diz. estao oom o sangue na guelra, sao.gamenbos,
e usao de seus conloes compridos, ou polka, por se-
ren todas oslas cousas preceilos impostis os regra do
meu anglico e serfico padre ; mas be necessario que
o Sr. Fregu; lance Umhem suas vistas piadosas para
os filbos do grsnde Elias, onde creio se he verdadeira a
fama, que as cousas d5o vao l muitoem regra : por
quant se diz, que o gamenhismo tem entre clles alguos
adoradores, e que por oulro lado tiem havido seus des
caminbos por entre a gente velha de certas ninbarias,
quo niovalem apena ; porque de certo, o que vale a
ilesappropriacSo de urna alampada e urna cora conver-
tidas nao sei em que ? de um sobrado n urna outra ca-
sa, que lioje podiSo dar boa renda ? a de urna duria de
escravos repartidos, que podiio dar bem uteis serviros.'
Tudo isto sao bagatellas, porm bsgatellas, quedeviio
merecer a altenro daquelle, que rege a casa, ede
quem tantas historias se contio; bagatellas em fim, que
se escapan ao olho perspicaz do Sr. Freguez, nao sao
desconhecidas do
fr. Calora.
Deseja-se fallar comoSr. Luiz Jos Vi I lela, e,
no caso do n8o existir, com algum seu herdeiro, para
negocio de seu interesse : no largo do Collegio, lojade
chapeos, defronte da casa de Magalbes Basto.
= Precisa-se de urna ama de leite: na ra das La-
ranjeiras, n. 12, 2. andar.
Contina se a azer ade-
remos de cabellos de milito ri
cogosto, pulceiras, minis, fi-
tas, tranceltas de qualqucr
modello, flores, &c., &c., tu-
do na mesma conformid.ide
Compro-seeflectivamente cascos despejados de
io becco do uiabo n. 4. do bairro da Boa-|inho ; botijas e garrafas vasias: na ra de S. Rita,
rtencente ao filho do fallecido Joaquim Jos n. 85.
na mesma
cima dita, por preco mdico:
na ra do Cabug, lujas de fa-
zendas, ns. 4 a t.
a= Torna-se a advertir, que so nao contrate a com-
pra do terreno annunciado pelo Sr. Manoel Zeferino
dos Santos, a vender-se por 500 rs. sem entender-si
com Jos Joaquii) Bezerra Cavalcanti na ra da Glo-
ria sobrado n. 59 a fim de que seja esclarecido do
bice, que a tal respeito existe em juio
= Troca-so um oratorio grande com um cruxifixo
grande, tudo dourado e encarnado de novo; no At-
terro-da Boa -V isla luja de miudezas n ,'i.
=: Precisa se de um cnixeiro que tenha pratica de
venda e possa tomar a mesma por balanco ; ao qual
se oflcrcce interesse : quem se sebar nestas circums
tancias dirija-so ao lterro-da-Boa-Vista loja de
miudezas, n. 54
Aluga-se para se passar a festa umu boa casa
terrea no Monteiro com duas salas mui grandes, 4
qui los cozinha fra cacimba quartos para pre-
tos estribara para douscavsllos dous quinlaes mu-
rados com poito e sabida para o rio: quem a pre-
tender dirija-se a Boa-Vista, travessa do Verss so
brado n. 15.
Precisa-se de 120j rs. por 3 a 4 mezes, so
bre 52 oitavasde ouro em obras, com uns poucos
de diamantes e 53 oitavaa de prala em obras pa-
gando-seos juros, que seconvencionarem; na ra das
Cinco-Pontas. n. 2, primeiro andar, se dir quem
faz este negocio.
loparar-se delle Un viva dr Millo, quo para e nutra
i,., ,, leva .un laliina. F.m breve oceurre-lbe u penaa-
meiilo da vcnliir de pnaauir eate tlieanurn, en vnntade
de n furlar que Ihe surge, to violenta fui, quo ae nen-
lio de repente com urna nudaein, que ale eniu llie fr
deaeunbecida. Depuit do se haver imeguradn que nin-
guem pudio teateniiinbar o sen lalrucinio, ainda elle he-
Kiiava, qu.indn nm lanviineuto pereuraor do anorda-
inenlo quo Hiero Mina. Dearonnia, nao innia peiisnu c
eteondeo o bracelete na algibeira, ficando alurdido cu-
nm o ladrlo 1111V911 que Ue apanhadu em sua priincira
pruea.
_ \h\.....diz Josephiiia dcsperland" do todo e mos-
irandn nlegria em reconhecer o filho do notario, bons
dial, Sr. Julio. Vm. entruu. espero.....?
__ Nenie imtante..... cuido a Sra. despertara.....res-
pondeo este anda todo perlurbadu.
__ Fez bem virver-ine. Eu me eslava nqni aburre-
cendo..... e mal diapoata...... N61 vamoa agora ounvor-
8,,r...... siicegadin oomo daquclla vei?...... lembra-ieP
MeuOeoa! ditia ouniaigu 10050, a quem pula o
coractoj c ella oontna aasiin, tornar-me-ba louco!....
Liuqlanto f.dlava, olr.ou por acaso Joscphina para o
braco.
__ I-; rta [ perd o meu bracelete. Ja sei, caliio-me
sem duvidanu jardim, quando fui passear.
V. esteodendo o braco para tocar a campanhia, pox os
olhos em Julio; cm cojo aeiublanto to mailifeato era o
A luga se o terceiro andar do sobrado d# ra do
Queimado, n. 32 : a tratar na loja do mesmo sobrado.
AlugSo-se a segunda e terceira casis da ra da
Mangueirado Prjo-da-Panella indo deslo lugar pa-
ra o Caldeireiro ladodireito, ptimas para se passar
a Testa ou morar; quem as pretender, diiija-so a rus
da Cru/. no Recifc, n. 6, segundo andar.
Aluga-so urna casa terrea na Estancia com duas
salas 4 quartos quintal a cacimba : a tratar no caes
da Alfandega armazem grande defronte da escadi-
nha.
Pretende-se effecluar a compra de urna casa ter-
rea, sita no
Vista, pertencenle ao 111 to do lallecnlo Joaq
dos Reis: a pessoa que se adiar com direito sobie dita
casa, podere comparecer no prszo de oito dias, do con-
trario perder o seu direito contra ella.
Nicols Lacrois, subdito Belga, e Pirre Masson,
subdito Francez, retiiio-se para Lisboa ; levando o t.
em sua companbia sua mulhcr, Mariana do Jess, Por-
tuguesa.
Aluga-se por preco commodo a loja ea cochei-
ra do sobrado o. 12 da ra do Arago : a tratar no
mesmo sobrado.
= Dosencaminbou-se, da loja do abaixo assignado,
urna lettra da quantia de 169^620 ts., sacada em 18 de
setembro p. p. a 50 dias, pelo annunciante e accei-
ta por Dsvis di Companbia : o acceitante j i est sciente
de nio pagar sanio ao abaixo assignado. Joo Lciie
d* Aztttdo.
= Aluga-se um prelo que seja fiel para o ser-
vico interno e externo de urna casa de familia dando-
e-lhe o sustento e dormida, pagando-se por mez o
que se convencionar: na ra da Semalla-Velha n.
48, segundo andar, ou annuncie.
= Aluga-se por commodo preco urna boa casa,
com duas salas 6 quartos cozinha copiare quin-
tal murado sita na ra Imperial annexa ao sitio do
finado Machado : a tratar na ra Direita n. 82, pri-
meiro andar
=" Precisa-se alugar um molcquo para servir a urna
casa ; na pr ea da Independencia n. 2
Aluga-se urna casa propria para se passar a festa,
da outra banda do Caldeireiro no silio Trapiche :
a tratar com Anselmo Jos Pinto de Mello no mes-
mo sillo.
LOTEIUA DO THEATRO.
As rodas Jesta lotera andio impreturivelincnto no
'lia 2o de novembro prximo futuro visto ter-se rea-
lisado o andamento das do seminario Os respectivos
bilhetes acbo-se a venda na lojado tliesoureiro, na ra
do Queimado n. 39; na do Snr. Mentves Jnior
ra do Collegio ; na botica do Sr. Monira ra do
Cabug ; a no bairro do Recife nas tojas de cambio
dos Srs. Vieira e Manoel Gomes
Antonio Joaquim Rcbello Pessoa embarca para o
Rio de-Janeiro o seu escravo crioulo de nome Fa-
bianno de idade de 10 annos.
= Quem quizer dar de um al dous contos de ris ,
com boas firmas ou bypotheca em um sobrado em
um dos melhoros lugares desta cidsde pelo lempo que
se convencionar dirija-se a ra do Arogo, n. 7.
Agencia de passaportes.
Na ra do Collegio,botica n lO.eno Altorroda-
Boa-Visla luja n. 48, tiro-se passaporlcs para dentro e
fra do imperio,assim como despacbo se escravos: tudo
com brevidade.
Oflerece-se um rapaz Portuguez para caxeiro de
venda, o qual ja tem bastante pratica do mesmo nego-
cio, ou mesmo para qualqucr arrumarlo; o qual sabe
ler oescrcversofliivelmenle: quem do seu pieslimo se
quizer utilisar, dirija-se rus do Nogueira n. 29, ou
annunciesua morada.
) enlista.
M. S. Mawson cirurgio dentista a instancia
de varios amigos, resolveo-so a demorar por ora a sua
viagem para o Sul ; entretanto faz sciente, que rece-
beo um complelosorlimenlo de denles ailificiaes do no-
va invencio ; tambem contina a limpar denles
chumbar cnm ouro e prala e faz todas as mais ope-
rantes pertenecntos a sua arte : na ra Nova, n. 2
segundo andar.
Aluga-se O scgtimo andar do sobra-
do sito na rui Direita, n. 20, com bons
coniniodos: a tratar na na do
segundo andar n. i4-
I------------------------------y.---------------------
i Compra-se um sellim ingle/., em hom estado ;
[oa ra do Kangel n. 54, onde eflectivamcete com-
' prin-se botijas e garrafas vasias.
Comprio-se quartolai e barris vasios : na tua
Direita n 9.
Comprio-se*oas eserevos pretos, msrinheiros,
ou proprios para isso, de 18 a 25 annos de idade: oa
ra da Cruz. n. 45.
Comprio-se dous escravos peritos oftlciae de
pedreiro e dous carpinas ; na ra da Senzalla-Velha,
n. 110.
Vendas.
Collegio
Compras-
Comprio-se os pertences de urna venda excep-
to a armacio ; na ra do Carnario n. 7.
Comprio-se ossos ; na ra Bella, n 30.
Compra se una escrava moca sem vicios, que
saiba engommsre coser : na ra Direita, n. 112,
segundo andar.
.= Comprio-se uns Senos, livro nutico; quero
tiver, annuncie.
^^mm^BKBmm^ammmsimaBtmmmmmmiKS momento, nd-
uu criado abrindn
eiiibaracn, quo ella o rxnninuu por
mirada, e.lojfn ae fes vermellia.
Que deaeja a Srn.P pergunlnu
a porta dn aala.
__ Veja no dneobre nu jardim o meu bracelete. Tam-
bem, njuntiiu ella, depnia quo o criad aereliruu, e o-
lliando de nuvn para Julio, eniia bagntrllu icinpro lia de
niiparecer, c nem cu aei pnrqnn ilelln me uecopn. Di-
ga-mr, be verdade quo a aua familia cata furmnudu una
conspirafiu para nua faier dancar?....
__ Sim, Sra.. responde o mancebo ainda abalado do
leu ainaltu. o quiscu meiinu ler a Honra do 1er o porta-
dor da carta, que mlnlia mili Ihe dirijo a este...
E como mi iiicmiin lempo lira va o billiclu da algibei-
ra, onde tambem cilava o furto, coSIKo primeiro veio
desgraciadamente o argunJ,, ineSteo-oalle ramtjqoe de-
preaia de novo na aljjibeira, njnf.i, peroan, tin felu
que o nio Inbrigaiio n dama, ferrado rJ%mi ollo'Sloiii a
oarla na mo sem ornar movenaV neni ilar urna palavrn;
inai ella nao entio o menor acanliamenlo, coinqn.iiito
primeiro recubrou a preienca de espirito, o para sem
duvida evitar uina explioac* diflioil, diise, cuino ae
muilo nnliiraliiiente bonvpue da fallar.
E entau? que fax Vine. ?.... do-me eaia carta.
O pobre ropas estendeo a mao, o eniquanto Juaepbina
deidobravn a carta, diiia ello mental mente :
__Oh cen! Ella v queienlio o aeu bracelete, e m'o
deixa!.... enlo comente quo cu a amo!....
v FOLHINHAS
DE
Porta e Algibeira
PARA
1846.
Vendem-se na pra^a da ln<
dependenca, loja de vros n. 6
e 8; na ra da Madre de Dos,
venda da esquina defionle da
igreja; na Boa-Vista, def.onte da
matriz, botica do Sr. Moreira;
em Olinda, botica da ru do Am-
paro, e loja do Sr. Domingos,
nos Quatro Cantos.
Vndese a casa terrea
do palco do Paraizo n. 24:
na riia.das Larangeiras, n. 12,
segundo* andar.
Vendc-se um ptimo re-
logo de ouro, patente horizon-
tal, muito bom regulador, por
preco commodo: nesta lypo-
graphia.
= Vtnde-seuma linda escrava de naci Angola ,
moca, engomma cozinha e cose tudo com perfei-
cao e he de boa conducta ; na ra estreita do Roza-
rio n. 31 primeiro andar,
= Vcnde-se um carro novo de duas rodas, ou tro-
ca -se por um velbo ; tambem veodem-se escovas para
lavar c escovar carros: na ra do Collegio fabrica do
chapeos n. 8.
= Vcnde-se urna corrente de ouro de lei com 34
oilavas sem feilio ; na ra das Cruzes, n. 42.
\ ende se, para pagamento de urna divida, um ter-
reno na ra do Uruin em Fra-dd-Portas da parte
da mai pequea com 33 palmos de frente elSOde
fundo atterrado e prompto com ama casa de ou-
deira, propria para algum eslabelecimento, por ser
de esquina : na ra da Cruz o. 43 se dir quem
vende. .
Vendem-se duas pardas com 4 filbos de menor
idade ; um mulatinbo de 12 annos: oa roa sio Ca-
bug loja de Pereira & Guedes.
= Vende-se urna das melbores vendas da ra da S.
Cruz n. .'i, a dinheiro ou com desobriga da praca ;
tem bons commodos paia familia : a tratar na mesma
ra n. 1, ou 5.
Vende-se um ornamento encarnado para le dizer
missa, e oulro rouxo com sebastos verdes amboa
em bom estado ; na ra da Cadeia do Recife loja do
Seve & Irinio.
= Vende se cera do carnauba, muito clara e coa-
ros de caba ; na ra do Trapiche-Novo n. 18, pri-
meiro andar.
Vende-se um piano, por 35ji rs. ; na roa das
Cruzes, n. 11.
= Vende-se urna preta de afio Casta de idade
de 18 annos, de bonila figura, com principios de
engommar ; na ra estreita do Rorario legando an-
dar do sobrado na esquina da ra das Laraogeiras.
Vende-se urna escrava, de idade de 30 a 25 annos,
sem vicio algum perita engommadeira de vestido* da
senhora e roupa de bomem cozinha perfeitamente ,
ensaboi lava de varrella e fsz todo o uiais srraojo
de urna casa com asseio e perfeifio ; oo pateo do Pa-
raso n. 23.
Cnm cute pcniamrnlii te Ihe exaltou a imaginadlo, e
perdo a eabefa; arrastrado por nina forc.a irresistivel,
espantado de si iiiesinn, cnlio ourvarcm-ae-llio oajoe-
ina. jiiolarein-ao a a mina, e aeiu mais poder cunter-ie,
eicorregnu d eadeiro, e cabio dnjiielhus.
' Qindn Jo.cpliina ii vi.t neiaa pustura tornna-sa palu-
da, c leviiu ai mina a, ulhua, exclamando na maior a-
jjiaf' e com desfallecida vol:
Pelo amor do Dos! levante-so Eu Ih'o peco.....
Julio.....Meu roslo!....
tin antes 14110 Ihe pndesso elle obedecer, oulra tos
limo da parlo do jardim por baixo das janellas da aala :
era a de Benedicto....
Julio liurroriioii-sc, orgaeo-se, e cou mudo e queda
como nina estatua. Senta que ihe nio era poaaivei sop-
porlar naquclle momento a presenca do Mr Deironaii,
lein morrer do vcr^uiiln. Arralarlo le-llie do ligripiaa
o. ullioi, e vollado para Josefina, disse-Ibe com vos
urda :
Adeos!.....
Sem duvida comprehendia ella o qoc na alma do man-
cebo so pasaava, puia quo nada fes para o dolar.
Benedicto pr.munciou aiuda ebj'imai palavru. Julio
desappareceo.....
[Cmtinmtr- -*.)


sir
vr
.= N ra das Crozes, toja do encaJemador, n. 39,
vn I '-se os irguintes livros:
VintMM de A ni or V v. 5000
O l'l>iunadctlu*i.nmi, 2 v. 2000
S' 'n* ,ou os cs|osos sem o seren, 4 v. 4000
Nova Heloisa, 4 v ,4 5000
Elementos do civilidade 1., 1500
O Tratado da tvri.nna 1 v. 1000
P. Virgilii Moronis opera, s o3." volumo. '2000
Dous Robissoni, 3v. 2800
Historia do Gilbras, 4 v. 4000
V'UgeoideGulliver, 3. 2000
Historia Sagrada, s n segundo volume 1000
Obra do marque/, de Poro bal, 1, 1300
Historia deCarloi VII 1 v. 1000
Orlando lurioio s-> o segundo volume 1000
Joanninba s o segundo volume 1000
Manual do cidadSo brasileiro, por Jozino doNai-
cimento Silva com a constituido do imperio
por F. L. de Carvalho Moreira 5000
= Vende-se uin pardo moco proprio para todo o
servido, e bu carreiro : a tratar com Joio Jos de Car-
valho Moraes no Becife.
=a Vende-se azeite de carrapato de caada para
cima a seis patacas; na ra de Apollo armaiem
n. 4.
as Vende-se potassa nova da Bussia ; cal virgen) ,
de Lisboa por preco commodo : na ra de Apollo ,
n 18.
= Vende-so potassa muito nova, de superior qua-
lidade cm harria pequeos; na rus da Cadeia do Be-
rile armazem de assucar n. 12.
= Vende-se a dinUeiro ou metade a prazo, com
firmas, que o cambio rebata urna venda cm muito
hora local sortida e bem afreguezada por motivo
do dono ser obrigado a retirar-se para Portugal, em
razio do mo estado de sade ; ouseda sociedade por
dous annosa qualquer pessoa que entenda do nego-
cio e que d fiador : na ra do Collegio venda o.
12, de Sebssliao Jos Gomes Penna, se dir.
= Vendem-se 18 escravos ; sendo pretaa de loa 22
annos com habilidades molequos de 12 a 15 an-
uos todos de bonitas figuras: na ra das Flores,
n. 21.
as Vendem-se saceos de milbo o barris de niel ,
tudo muito novo ; na ra da Cadeia do Becife n. 8.
=r Vendo-se urna etcellcnto rabeca com sua cui-
ja ; na ra de Hortas n. 140.
= Vende-se una casa terrea em chaos proprios, na
povoacio dos Afogados, ra de \ Miguel, n. 70, cons-
truida de pedra cal e oiloes aieieiros quintal murado
e cacimba : a tratar na ra elraz da matriz da Boa-Vis-
ta sobrado de um andar, n. 11.
Faunda muito baratas, qut conviddo aoi compradores
= Vendem-se brins de linbo hranco muito supe-
rior, a 500 rs a vara, panno de linbo a G00 rs.
dita, e querendo peca de 15 varas emeia por 8700 rs ;
esguiio superior, a 1280 rs. a vara e s peca de 12
jardas e meia, a 10 rs. ; cassa lisa muito fina, a 400,
480 e 640 rs. a vara ; lencos decamhraia de cercadu-
ra a 2-10 e 320 rs, ; chale- pequeos a 500 o C00
rs. ; pannos azues proprios para lardamenlo de pre
lol de acompanbarem colmos, pelo barato preco de
I i r '.!j u covado ; dito prelo bom, a 3300 rs.; ris-
cados para escravos, a 160, 180 e 240 rs. o covado ;
cortes de tarlatana de muito hom gosto 4U0O rs. ;
cortes de cassas as mais modernas, a polka a 4000 .
5000 e 6000 rs. ; cotins de qurdros e listras do todas as
cores, os mais modernos para calcas, a t |0 400 480 e
300 rs.; chales de seda a 3500 rs. sendo os melhores
queteem vindo ; lencos de seda a 800 o 1600 rs. ; e
outras muitas fazendas por preco muito commodo;
advertindo que tudo esta em bom estado : no Atierro-
da-Bo-Visla loja n. 14.
= Vende-so um lindo preto cozinbeiro e oulro
gaohador de linda figura ; na ra da Senzalla-Velha,
n. 110.
- Vende-se cha' hysson cm caitas de 15 libras, em
por(5ese aretalbo; e potassa americana ltimamente
cliegada : em casa de .Mutlieus Auslin & C., na ra da
i4fandega Velha n. 36.
= Vendo-se umu porcio do prata velha; na loja da
esquina do heceo da Congregacio n. 41.
=Vendem-se duas du'ias de facas e garfos para so-
bre-mesa com cali de maifim e follia prateada gar
fos so, de diveisos lamanhos, todos de prata ; colheres
de dita ; um apparelho de lampas do metal para pra-
tos ; cacao preparado ; ludo de superior qualidade :
na ra da Cadeia do Becifo n. 39.
= Vende-so por prego muito commodo urna
canoa de carreira nova e bem construida armada em
cter com runos duas velas, 3 bjudeiras e todos
os mais pertenoea ; carrega 8 pessoas, muito a vontade,
propria para passeio tanto no mar como no rio ; a
qual se acha de.'ronte da escadinba do Collegio : a tra-
tar noarmazemdo farinba defronte do Passeio.
=Vende-se azeite de carrapato a seis patacas a ca-
ada ; na ra do Atierro-dos-Mogados n. 7.
Vendem se dous pretos bons trabajadores de
encbadas, eumdelles he bom carreiro; na ra da
Crui, n. 5.
= Vende-se um banheiro com ps de roda, de
amarello ; um prezepe pequeo do Menino Dos; urna
mesa de amarello usada ; una marqueta de condu-
r; ludo por preco cominedo : na ra do Bangel ,
D.I7.
= Vendem-se, na praca da Independencia livra-
ria na. 6 e 8 os seguintes livros em francez por pro-
co muito barato : obras polticas de Bignon mem-
oro da cmara dos deputados 4 v. ; obraa completas
do abbade Mably 12 v.; obras completes do Madama
de Sonta 12 v.
= Vende-se urna cabra (bicho) parida que di
bastante leile, e mui propria para criar menino, por
er muito manga ; na ra do Nogueira n. 44-
*= Vende-se um sitio na estrada dos Alictoa, conti-
guo ao lado direito da casa de M. P. (Quntela ; na ra
do Aragao, n. 1, segundo andar.
= Vende-se um preto peca, de 20 annos; um par-
do carreiro com a mearos idade pouco mais ou me-
nos ; um uioleque de 14 annos ; todoa de bonitas fi-
guras sem vicios nem achaquea e proprioa para lo-
do o eervico de cata e de campo ; um casal de escra-
io* leodo um prelo de nacao e urna parda boa en-
gommadeira, lavadeira, cozinbeira, e que c se chao, e
lie muito desembarazada para lodo o servico de urna
casa : na la do Crespo loja o. 4.
Vende-se urna preta moca de nae,ao, ptima pa-
*
M
ra todo o lev vico, a vista do comprador se diri o moti -
vo, por que so vende : na ra Direita, n. 120.
= Vende-se assucar mascavado de arroba pera
cima, a 2080 ra.; na ra Direita, n. 53.
- Vendem-se no Atterro-da-
Boa-Vista, loja de miudezas,
de Tliomaz l'ercira de Mallos
Estima, superiores navalhas,
em estojos, chegadas ltimamente de Inglaterra e
pela sua qualidade se responsahilisa o annunciaote ;
gaiolas de apanbar baratas ; calungas trabalbados por
machina ; ramos de flores francezas de muito bom gus-
to ; agulbsa francezas era caitas ; ditas cantlas : pa-
pel decores ; dito de peso e meiahollanda ; boles pa-
ra calcas muito finos, do porcellana ; ditos para Ca-
mila brancoa e de cores; pontea linos do bfalo ; di-
toide marlim ; ditos do tartaruga ; luvas pretas de se-
da para homem ; ditas de loa com borracha ; carretela
do linha com 200 jardas; moias para moninos o me-
ninas ; ditas mui finas para senbora; gargaotilhas pre-
tas para luto ; fitas de seda lavradas de bom gosto ; ca-
ivetes finos para pennas ; tintado marcar roupa ; li-
nha de meada, muito (na; dita do peso; meias pretal
para senhora ; retro de todas as cflre; suspensorios
de seda ; leques; colheres de casquinha muito fina ,
grandes e pequeas; escovas para dontei ; ditas para
roupa ; ospclho. de damas j pos para denles ; bicos e
rendas; tbesouras douradas muito finas; e outras mul-
tas miudezas tudo por preco muito commodo.
Vendem-se 200 couros miudosde boa qualida-
do o tamanho ; na ra do Crespo, n. 4.
Vende-se urna venda com poucos fundos, na ra
Direita n. 120, cuja tem moradia para a ra das A-
goas-Verdei: a tratar na mesma.
Vende-so urna mesa do janlar, com abas dai
bandas por preco commodo : na ra Direita, n. 120, se
diri quem l m para vender.
Vende-se urna prela de naci Cacante, de vinte
e tantos annos, boa figura, ensaboa bem e faz todo o
servico de casa, menos co/inhar, e vende na ra : quem
a pretender, lano para a Ierra como para fura dirija -
so a ra da C'uz n. 40, que se Ihe dir o motivo por
que se vende.
Vende-se um excollento relogio de repeticio, o
caixadoouio, por prego commodo; vende-so, porque
o dono relira-se para fura da torta : na praca da Inde-
pendencia, livraria n Ge 8.
fapc de Caite.
Ha checado recentemente a este deposito, vinda do
Bio-de-Janeiro pela barca Firmeza urna superior
fornada do muito acreditado rap grosso e meio-gr< sso,
talvez o mais genuino em qualidade que at aqui tem
vindo a esta cidade e ncba-se a venda em libras, meiaa
ditas c oitavas nn lojas dos Srs.: Joaquim Candido
Leal do Barros Thornaz Peicira de Mallos Eslima ,
Manoel Francisco Bodriguei, e Caetano Luiz Forrei-
ra no Alterro-da-)ioa-Vista ; Jos Thomaz de Cam-
pos Ouhresma e Teixeira & Andrede ra Nova ;
Francisco Joaquim DuBrto ruado Cuhug ; Victori-
no do Castro Moura Victorino & Guimaraes e Vi-
cente Jos Gome6 ra dos Quarleis; Antonio Do-
mingos Ferreira ojoio Hcnriqueda Silva ra do
Crespo; J >aquim Jos Lody e Joaquim Das Fernn
des, na ra larga do Boza rio ; Jos Jorge do Rozario ,
ra do Livramento ; Jos Joaquim Lopes Moreira, ra
Direita ; Silveira & Freilas ra do Queimado ; Gue-
des & Mello Pontea 4 Mello e Antonio Gomes da
Cunha e Silva ra da Cadeia do Becife.
ass No deposito de rap de Gasse ra da Cruz, no
Becife, n. 38, acha-se a venda o muito superior ra
do Principe, chegado recentemente do Bio-de-Janei-
ro a preco de 1400 rs. a libra.
Remedio para a lurdez do* ouvido* inveterada ,
niin sendo de nateimento.
= Vende-se na cidade de Braga em casa de Joa-
quim Bodrigues da Cunba ra da Conega, n. 9, ou
na do Porto ra de S. Anna, em casa do Manoel de
Almeidu Brandao, n. 139, remedio muito cuica; para a
surdez dos ouvidos inveterada,nao sendo denascimento:
cusa urn vidrocbeio 800 rs. lacrado com a firma de
scu autor; cujo remedio be na sua applicaco mui-
to suave e nada incommodativo :
ln\trucc.0et para uso daquclle remedio.
Pola manhaa em jejum urna hora pouco mais cu
menos depois de vos baverdes levantado da cama len-
careisdenlro nos ouvidosquatro ou cincopingasdaquel-
le remedio assim mesnio fri como esta tapando-os
depois inuito bem com algodao em rama ; o inesmo
platicareis noule ao lancar-vos na cama ; em quanlo
usareis aquelleremedioevitarcis.oquanto voslorpossivel,
de apanhar vento ou muito calor ; nao suando nem
molbandu o ps ; abstendo vos de comidas salgadas ,
a/edas, ou muito reimosas.
Vende-se o excellente doce de guia-
ba, em caix5eszintios, muito bem feilo:
na ra do Crespo, sobrado n. i4, no 3."
andar.
BE1S 3s8oo
A' bordo to brigue Leao alqueires
pela medida velha.
Vende-se farinba de mandioca ebegada
ltimamente de S. Catbarina de superior
qualidade tanto em gosto como na cor, em
porco e a retalho ; os pretendentes diri-
jao-se a bordo do mesmo brigue, ou ra
da Cruz n. 54, ou ra de Apollo arma-
zem n. ai.
Farelo muito novo e o melbor que
ha presentemente nesta praca, a a?56o
cada qina sacca ^na ra da Cruz do Be-
cife n. >, prUheiro andar.
Veriae-se cffa em velas, ebegada
prximamente do Bio-de-Janeiro, tendo
o sortimento de 3 at 16 velas em libr,
e por preco mais commodo do que em ou-
tra qualquer parte : em casa de Manoel
Jos Machado Malheiros, ra da Aladre-
de-Deos, n. 5, primeiro andar.
Rap imperial.
Este rap, imitando ao rap princeta
de Lisboa, vende-se em libras, meias li-
bras e oitavas as I0J8S seguintes: na
ra dos Quarleis Victorino de Castro
Moura ; ra do Crespo, Domingos An-
tonio Ferreira (na escadinha) e Gomes
& Carvalho ; pracinha do Livramento ,
Ferreira e Oliveira ; Atterro-da-Boa-
Vista, Thomaz de Mattos Pereira Esti-
ma, e Caetano ; ra da Cadeia do Re-
cile, Guedes e Mello. O preco he de iS
rs. a libra c 3o rs. a oitava.
Na loja da praea da In
dependencia n. 4 vende-se o
excellente rap princeza de
Lisboa, pelo muito mdico
preco de 5^500 ris cada bote
Desnecessario he tecer enco-
mios ao sobredito rap; por-
que sua primorosa qualidade
he assaz bem conhecida pelos
amante-i da pitada luzitana;
restando ao vendedor dizer,
que aianca aos compradores
a boa qualidade do tabaco, e
que at nao duvida tornar a
recbelo depois de aberto,
urna vez que se lhc ache al-
gum pequeo deleito.
Vende-se vinagre bran
co nacional, a 400 ris a ca
nada velha: na ra do Aterro-
dos-Afogados,n. 7, e noAtter-
ro-dn-lioa-Vista, fabrica deli
cores de Frederico Chaves
Meios bilheies, quartos e
oitavos da lotera do Itio-de-
Janeiro, os meios a 12$ rs. :
na ruada Cadeia, loja de cam-
bio, n. 58.
Vende-se cera em velas, da melhor
fabrica do Bio de Janeiro, e em caixinhas
pequeas de ico libras, com o sortimento
seguinte : 61
tinas de 3 em li
8 M 5
12 8
i4 )) IO
16 12
ao 14
94 u \0
100
libras
)
pelo mdico preco de i'44 r^is cada li-
bra: na ruada Senzalla-velha n no
-*- Lencos de cambraia de
linbo muito fina, emuito bem
bordados a 7#000 ris cada
um: vendem-se na ra do Ca-
linga, lojas de fazendas, de Pe-
reira & Guedes.
A 20 neis.
Superiores palitos de tirar fogo : no
acougue francez na dos Quarleis.
--- No Becife, na ra da
Cruz n. 45, ha para vender
duzentos c tantos paos de jan-
gada, ptima madeira, ataca-
do e a retalho, vinda do rio If ei
rim.
A fabrica de sabo da
ra Imperial n. 110 tem mui
to superior sabo, e vende por
preco commodo; e, sendo por-
co, mandase trazer em ca-
noa para o Recife.
= Vendem-se superiores cordal e bordSe para vio-
lio e rabeca ; caisaide tartaruga para rap; agulbas
franceas de boa qualidade, em eaixinhai; na ra da
Cadeia do Recife loja de miudezas n. 6.
V ende-se um sitio no lugar do Gigui com ca-
la de laipa um bom viveiro que entra agoa em toda
mai com maii de cem ps de coqueiroi, e outras
maii arvores, muito bom terreno para mais plantacoes;
oo largo do Collegio loja de chapeos delronte da
caa de Magalbies Basto.
= Vende-ie a pesse de um terreno na estrada do
Manguind, junio a ponte, com 180 palmos de freo-
te com todoi o materiacs para caa e aliceres* da
dita; na ruadoRangel, venda nova delronte do bec-
co do Tren.
3c J7ende-se, por preco commodo um rico appa-
relho de porcellana para cha com seis pratos ; na roa
doQueimado, n. 11.
= Vende-ie urna preta de nacao Angola rapari-
ga de 20 annoi. cose muito bem, lava, engonima ,
colioha e tambem serve para quitanduira soin vi-
cios nem achaques; um preto linda peca molecio
de20 annoi forcoso e proprio para engenho e coii-
nha soiTrivelmenle : na ra da Senzalla-Velba, n. 110.
n= Vende-se superior (Ihsmpagne novamente ebe-
gada.; em casa de Avrial Irmaos, ra da Crui, n SO.
ss Vendem te duas escrava de nacao com bastan-
tes habilidades, sem vicio algum; no pateo da S. Crut,
n. 18.
=Vende-se orna venda em muito bom lugar, e afre-
guezada para trra ; a qual vende o que paga de alu-
guel: na ra Velha n. 65.
^5= Vendem-se dual eicrava de naro, de idade de 18
a 24 annoi, de bonitas figuras urna dallas cozinba ,
lava e terve bem a urna casa e a oulra he ptima qui-
tandeira ; umacrioula, de26annoi, de boa figura,,
engomma, eozinha e lava bem de varrella e sabio ; 2
molequei, de 14a 15 annoi; um eicravo de naci
Costa, de bonita figura proprio para carregar palio
quim ; um molatinho de 18 annoi, ptimo para pa-
gem ; um eicravo crioulo de 26 annoi, para o ser-
vico de campo ; orna crioula, de 24 annos, com ha-
bilidades : na ra das Cruiei n. 22 leguodo an-
dar.
= Vendem-se sacca com farinba de Mag, a 4800
rs.; ditas com milbo a 4000 ri. ; gomma de en-
gommar, a 12000 ra o alqueire velbo ; larinba do
S. Matbeui a 3800 n. e em lacea, a 4200 ri. ; na
ra da Cadeia de S. Antonio deposito de farinha ,
n. 19.
= Vende-se urna negrinha de idade de 14 annoi,
muito linda e ptima para mucama por ler reeo-
Ihida ; oulra dita de naci, de idade de 22 annos,
perita engommadeira ; um moleque de idade de 18
annos; 4 escravoi de nacao ptimos pira todo o ler-
vico ; 3 eicravn de idade de 28 annoi, quilandei-
raie lavadeirai; todoi de boa conducta : na ra Di-
reita n. 3.
= Vende-se um cavallo muito bonitoe gordo, pro-
prio para montara de tenhora por aer muito man-
co e ler bom andare; na ra dai Cruxei, esquina
do becco da Poli o. 2.
= Vende-ae resina de angico de superior quali-
dade em porcio a 480 n. e a retalho a 570
n. a libra ; na ra dai Cruzei, eiquina do becco da
Pol, n. 2.
= Vende-se uro bonito jogo da gloria por 1200
ri. com sua competente eiplicacio e ensina-se a
joga-loao comprador cato queira na ra do Ran-
gel, n. 41,
Escravos Fgidos
Fugio, no dia 18 do correarte, pelas 9 horai da
manh8a, um preto de nome Domingos, que represen-
ta 30 annos de idade pouco mais ou menos com o
aignaes seguintea : bastante aIToT, cor fula, um enei-
le redondo na testa e alguna lalbos nai fonle, denle
da frente lodoi quebrados, de afio Gabio ; levou
camisa e ceroulas de algodiozinho fino, e calcas avies;
foi viato no mesnio dia ai 7 borai da tarde na cida-
de de Olinda no Varadouro : quem o pegar, leve ao
sitio do Mondego, junto do Sr. Luii Gomes Ferrreiri,
que ter generosamente gratificado.
Deaappareceo no dia primoiro do correle uro
eicravo de nome Pedro de idade de 35 a 40 aonoi,
de naci Cacango bailante barrigudo de frialdade ,
desdentado do queixo auperior ps meios ochados,
pouca barba ja pintando cabello branco altura re-
gular bastante grosso ; levou camisa de madapolio ,
calcas de estopa branca aqueta de bnm pardo ja
velha chapeo de mana preta ; ha noticiai, que elle
anda na Venda-Grande, da parte do Sul : roga-te ai
autoridades policiaes, capitiei de campo e pessois
particulares a appreheniio do dito eicravo, e leva-lo ao
seu senbor Francisco Jos da. Silva na ra de S.
Francisco o. 68, quo lerao bem recompensados.
Fugirio, no domingo para segunda-feira 30
de letembro do poder do depositario particular o
major Jos Francisco de Faria Salles os seguintes es-
cravos, que pertencrio ao tallecido padre Pedro Fran-
cisco Bezerra ; a saber: Canuto, crioulo, alto, pou-
ca barba de 26 annos; tem um signal no queixo di-
reito lecco do corpo pernas finia : Antonio, caba,
de 22 annos estatura regular ps grandes signal de
ferida na perna esquerda cara redonda, grosso do
corpo com signal as costas da mo esquerda : Pau-
lo, crioulo cor fula, de idade de 16 a 18 aonos, ht-
eos grossos muito curto da vista pelo que anda com
a vista baixa como ceg : quem o pegar, leve ao en-
genho Jardim em Paratibe, quesera recompensado.
= Fugio no dia 15 do correte do lugar de
Ponte-de-UchQ um pardo acaboclado comossig-
naes seguintes: de mais de 40 annoa de idade, estatu-
ra media, magro,barrigudo, falto de quasi todos o den-
les bocea frangida beicos reculhidos, e com res de
aparvalhado, de nome Gaspar ; levou camisa de esto-
pa ceroulas dealgodio e urna Iroxinba com camisa
de riscado e calcas de estopa: quem o pegar leve a
ra da Cadeia dufronte da igreja de S. Francico ,
quesera recompensado.
= Fugio, de um sitio do engenho Junqueira um
escravo de nome Antonio de navio Congo estatura
regular pouco se entende de sua falla secco do cor-
po ; levou ceroulas de algodio e camisa de baeta:
quem o pegar, leve a ra do Trapiche, n. 18, que se-
r gratificado.
Fugio no dia 20 do correnle, um cabra de no-
me Cosme natural do serlio, do 28 annoa pouco
mais ou menos cara larga altura regular pi groa-
sos ; levou camisa de algodiozinho trancado e calva de
algodio azul ; ja lem sido pegado duas vezes oo Po-
do-Albo : quem o pegar, leve ao aranaxem de coaros ,
no becco do Goncalves n. 1 que seri bem recom-
pensado.
l'ERN.
KATKP.
PE *\,
F, JJE FA1UA.----184&.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ES67WA6SE_AONB4E INGEST_TIME 2013-04-13T03:24:49Z PACKAGE AA00011611_05898
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES