Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:05888


This item is only available as the following downloads:


Full Text
P
Anuo de 184$.
ni m* m niwwnwum
Segunda feira 15
0 Di ARIO nnblica-se todos os dias nne
nao forem tura be de 4/rs. por qinrlel pagot adianto-
dos O annuncios dos assignaiiles uo inse-
ridos a raiSo d 20 ris por linha. 40 rs. em
tvpo ditlerente, o as repetidos pela motado.
O que nao forem assisnnntes pago 80 rs.
Uor liuha, e 100 eiu typo difireme.
PHASES DA LA NO HEZ DE SETEMBRO.
La nova a 1 as 7 b e 1> JnWi, da inanha.
Crescente a 9 as 3 h. e 4 nnutni da ta rd.
La cheia a 15 as 7hor. jM niin. da man.
Mengoante a 23 as 10 hofi* 6 ni. datarde. i
PARTIDAS DOS CORRE10S.
Coianna, Parahyba, o Rio Grande do Norte
Segundas o Sextas fe i ras.
Cabo, Srmi!,irin, Rio Formnso, Porto Cal-"
vo, e Macey, no 1 ., 11 e 21 de cada met.
Oarauliun e -imito a 10 e 24.
Boa-Vista e Floros a 13 e28.
Victoria as Quintas fciras.
Olinda todos os dias.
PRF.AMAR DE IIOJE.
I'rimeira a 2 li. e M niin. da tarde.
Segunda aSb. e 1 minutos da manha.
de Out ubro.
DAS DA SEMANA.
13 Segunda S. Eduardo, and. do J.des orph.
do J. do <:. da 2. v. do J. M. da >. v.
14 Terra S. Calisto, aud. do J. do riv. da
,1.' v., c do J. de pa do 1. dist. de tarde.
15 Quarta S. Tbeza, aud do .1 do civ.
da2.' v.,edo J. de paz. do2.di-' .' '.
10 Quinta S. Gallo, aud. do J. di b.
o do J. M. da 1. v.
17 Sexta S. Mariano, aud. do J. do civ. da
1. v., e do- J. de pai do 1. dist. de tanl.
18 Sabhado S. Lucas, aud. do -I. do riv.
da 1. v., c do.I. de paz do 2.dist. de t.
19 Domingo S. Pedro d'Alcntara
Auno XX V; **8.
CAMBIOS NO DA 11 DE OUTUBRO.
Cambio sobre Londres. 27 d. p. 1 i a 60 d.
,. Parn 370 riMs por franco.
.JsIwii 120alttj>. c.pr. p. m.
lese, delet. Aboas firmas 1 7, p. mi'i
Ouro Oncas flKpaiiliol-is 3IB00 a 32i0i
MoeiU*#40u ve!. I7#800 a 18/000
>. de 00 a I?*VM>
ii > iL- tfOOO 9/3011 a SV.WO
/'ral.. Paine., s .... 1/060 a 1/970
Pesos folumnares. 1/070 a 2flOO
Ditos Mejicanos 1/920 a 1/93'
Moedas de 2 patac. 1/760 a 1/800
Acces da C." do Ucberibe de 50/000ao par.
DIARIO
PARTE OFFCIA
Governo da provincia,
EXPEDIENTE DO DA 6 De COHDF.NTE.
(Concluido.)
OflleiniAo cnmninndante das armas, ao inspector
da tlii'nmrnria da fim-iul.i e no commnndante superior
uterino da gnnrdn nacional do municipio do Brejo, soi-
enlifiemlo-i. (la nomoacA do alferes de primoira linha
reformado Francisco Marques da Silva para instructor
da mcimt guarda nacional.
DiioAi Oiinimissariii-pagador. acntaaiidn remesas
dn tabellado nrcstnenlo para aa dcapeas rio mi materia
<)a guerra no cnrrpnie ejercicio; e rer.nniniendandi o
maior cuidado, para que ao nao exceda o crdito,
DiloAo clirfe de polica interino, declarando, que
doixa rie mandar condutir para o ('cara no vapor Cor-
reto-BrnJi/piro a presa Mana, por nSo hnver nelle os
comino.los neceatarios para que se a eunduza com a pre-
cisa aegurnnca.
DilnsA" presidenlo da rclarfio eao inspector da llio
iniraria da faienda, intrlligciiciniidn-os ria nomcacao do
juii de ilircitn Joan Joan .leMoura Mag-alh&ea para de-
embargador da mcsina relac-'m.
PortaraRevogando a parlo da do 5 do agosto dcale
annn, que mandou pastar patrnlc tic major de legio da
guarda nacional do Pao.do-Albo ao bacliarcl Lmirenco
Bexerra Carneiru da Cunba.Parlicipou so oo diere da
legiao rio Po-do-Alho.
IHIIIII i
INTERIOR.
RIO DE JANEIRO.
NOTICIAS DIVERSAS.
Durante a ausencia de S. M. o Imperador, (cao en-
carregsdos interinamente da pasta do imperio o Sr.
ministro da fazenda, e da pasta da ju-tica o Sr. minis-
tro doi negocios "strangeiros.
Temo* folbas de Montevideo at lodo corren-
te. Constara alli, mas nao oflicialmente, que tinba
sido tomada a Iba de Martin Garca, e que eslava guar-
necida, por urna (orea oriental.
A corveta ingle/a Curaron linha sabido de Montevi-
deo para Buenos-Ayres. Corra geralmeute que ia es
tabeccr o bloqueio daquelle porto, mas nada se sabia
de positivo.
Pelo patacho sardo Atrevido recobemos folhas
de Buenos- Ayres at i do passado. No dia 3 expedio o
general Rosas o decreto seguinlo :
Artigo I.* Os navios procedentes do ultramar que
nio estiterem comprehendidos no decreto de 13 de le
vereiro ultimo, podetad depositar o seus carrega-
ii. en los.
2.' Niosfio comprebendidos os lquidos.
3. O deposito teta permitlido por lempo de um
anno.
4.' Ocarregamentos depositados, no caso de nio
serem depacbados para consumo, pagarao 2 por cento
de deposito, anda que nao teohao estado depositados
um anno.
5 Dentro do anno do deposito, poderes ser reex-
portados do todo ou em parte para o exterior,pagando
o deposito.
6" Vencido o anno do deposito, sers os donos ou
consignatarios obligados a desptcba-los para consumo,
pagando o direitui de entrada, mas nao os do de-
posito.
(/. do Commeicio.)
Por decreto de 21 de agosto, bouve por brm S. M.
o Imperador que lodos os oflictaes do exercito e arma-
da, quo rerlamrao contia as classificaces dos quadroa
respectivos, sejo attendidos e classificados expressa-
mrnte na forma das ultimas inspecces de side, por
que passirio.
Peloapor5. iSAaiiaTo,pnlradohontem(2l deietom-
bro)doHtoGrandt, do-Sul,tivemos noticias de Montevioo
at 7 do corrente. Confima-se a da tomada da Colonia
pelas torcas de mar combinadas de Inglaterra e da Fran
ca. O general Oribe decrelou um recrutamenlo geral
de todos que posso pegar em armas, da idade de 14
50 annos.
__ No dia 19 suicidou-sc com um baraco, na fre-
gueiia de Santa Rita o menor Antonio Joaquim da
Silva, Portugus ; e na Ireguexia da Candelaria, um
escravo. de nome Tbomaz.
Consta que a psilidade SS. MM. II. para Santa
Calharina e Rio-Grande do-Sul lora definitivamente
marcada para o dia 6 de outul.ro.
Oxoi. gentil-homem da imperial cmara, D.
Antonio de Saldanha da Gama, de accordo com ou-
tros criados de S. M. o Imperador, fretou urna barca
de vapor, para terem a bonra de acompanhar at ra
da barra a fragata em que seguem SS. MM.
Sepultou-seante-bontem(24 de setembro)oa gro-
ja da ordemo.'de a Francisco de Paula, o Sr. Jos
Pedro Fernaodes.olueial-maior da secretaria do senado,
ecidadio geralmente estimado. A sua perda be motivo
de profunda dr para seus numerosos amigos. A trra
I be se ja leve.
S. M. o Imperador bouve por bem nemear urna
commissio, eotnposta do inspector da ilfandega da cor-
teSaturnino de Sousa e Oliveira, do eserivio interi-
no da mesma Antonio Nicolao Tolentino, edosd-
miaistrador do consuladoTbeodoro Lasaro de Su, pa-
ra que proponhio, atofim dedezembrodo corrente
anno, um projecto de reforma geral dos regulameolos
das alfandegas e consulados.
Diz-se que o Exm. bis'po capellSo mracompa-
nhar a SS. MM. 11. na sua visgem a SantaCatbarina e
Rio-Grande.
Sentimos muito annunciar que o Sr. senador
Antonio Carlos acha-se em perigo de vida, emeonso-
quencia d um ataque cerebral, de que fui atacado sab
hado (27 deselembrol a noute.
Teve hontem (25 de setembro) lugar, no edificio
da cajia du amortisa(3o, a reuniSo dos capitalistas e no
gocianles d'esla praca convidados pelo Sr. ministro da
fazenda. Fis oque alli se passou,segundo r- (ere o Mer-
cantil de boje :
S Exc. presidio reuniao, e dcclarouque o
convite era para ouvir a opinio dos eoncorrentes sobre
a actual falta que se dizia existir do meio circulante ; se
esta realmente exista; quaes suas causas e os meios de
as remover.
O Sr Joaquim Jos dos Santos levantou-se, e de-
clarou que, pelas remessas que ltimamente se tinhuo
f'iito para os porlos do Norte, e pela maneira por <|ue os
pagamentos actualmente se faziio na praca em meio
circulante, bilhetes do banco e bilbetcs do lliesouro,
eslava claramente demonstrado que a falta exista.
nanlo aos meios de a remediar, propo/. o mesmo
Sr. Santos que o governo deposttasse no banco com-
mercial urna quantia sufficiento de plices, quegaran-
tisse a soiiiina emittida ; e que so autoiisasso o banco a
emittir hilhetes pagaveis a 5 dias, os quaes deveriSo sor
recebidos ns estucos publicas, pagando o governo o
banco o juro das apolices que depositara n'estes mes-
mos bilbetes, com um carimbo de inutilatados.
O Sr. Ratton propox que, no caso urgente deemis
sao de papel, o governo depositasse na caixa da u-
ii.oi lisacto una quantia sufilciente de apolices, para
serem vendidas a queni as procurasse a um preco deter-
minado, e que seu importe fosse ompregado em resca-
tar o papel que agora se emittisse.
O Sr. Joo Samuel doelarou que nao existia seme-
Ibante falta do meio circulante, e que,urna nova emis-
so seria ruinosa para o paiz.
O Sr. Faria declarou-se igualmente com bastante
energa contra a emisso de notas. Nao nos consta que
bouvesse mais oradores, e apenas apparecro dilluren-
tus opinioes, sem so approxiinarem a um resultado. O
Sr, ministro insinuou que seria bom que os oradores
lormassem urna commissio e reduzissetn a escripto suas
opinioes. O Sr. Santos respoudeo a S. Exc. que,
visto as opinioes dos oradores serem tao discordes, r.So
era posaivel cunTormarem-se a urna s opiniao. De-
pois de mais afumas observacOes, terminou a reunido,
declarando S. Exc. que eslava prompto a recebor qual-
quer parecer por escripto que os concurrentes Ibe iiu i -
tessem dirigir.
Ouvmos dizer, alm d'isso, que o Sr. ministro
declarara poder anda emittir papel na soturna de mil e
tantos conloa; mas, nao se acbando S Exc. autori-
sado para isso (salvo se o r peU sua vontade), duvi-
damos at que dissesse senielbanle cousa, unicameole
por delerenciu opiniao de certos negociantes, em cu-
jo numero entra o Sr. Otioni, da ponte do Parahybu-
na, que querum o mercado abarrotado de papel para
poderem sattslarer aos Mineiros na compra de seu ouro
pelo piejo que exigirem, o para as altas espeeulaedes
de diamentes.
('en dia 16 be aqu esperado, dijem, com fimde fazer re-
'clamscoes a Oribe, por cansa das violencias feitas a
Iirasileiros residentes n'aquelle estado : o exercito todo
se movo para a Ironteira. Dos quera que o Caxits se
dirija com tino, e que tire vantaiem iJa posico em que
se acha Oribe, que com o bloqueio lera do em tudo a
salisferer, pois d'esta provincia he s qu Ibe podem ir
recursos. Oribe mandou D. AthanasioAguirra a con-
ferenciar com Caxias ; e se urna neutraliilade fr guar-
dada, os Iirasileiros nada aoflrer, e a provincia muito
ganhar.
Dever ja abi estar sabedores do resultado das elei-
ces ; e pode dizer se, sem receio de errar, que os de
pillados geraes e provinciaes naosSo seno os represen-
tantes da classe militar n'esla provincia. 0 Caxias s
recela agora nao ser escolhido, no caso de organisar-se
um ministerio santa-luzia puro. O barao de Jacuby
trhbalbou por esle lado a favor de Jos de Arauju e I'a-
ranbos ; com o que, dzem, decebir da graca rio Ca-
sias, que Ibe tirou o commando da Ironteira. O burilo
de Jacuhy seguio para Corrientes; uns dii.etn que a ne
yncio seu ; outros, que o mandado pelo Caxius.
Medina, general Iructisla, se prepara para passar a
linlia, ediiem quooflicitira ao coronel Villasboas, com-
mandante do coniboi, pedindo-lho licenca para seguir:
ignoramos qual tcnba sido a resposla do Villasboas:
suppe se que ser apparente o moviirento de Medina,
para Caxias melbor obler o que pretende de Oribe, por-
que esta sem cavalbuda, e nao (em meios de obter ca-
vallos
A vinda do Caxias Ironteira sera do granJo vanta-
gem, se o inleresse geral o dirigir, e nao o interesse
privado. Os Iirasileiros no podem dispor de sua pro-
priedade, nem mismo go/So de se^urunca nuquelio
estado -, quantos all vo sSo degollados ; e urna repro
sentacao dos emigrados Brasileiros foi dirigida ao Ca-
xias sobre tacs violencias.
(Senlmella da Monarchia.) .
BAHA.
Alguma cousa na, com efleito, cerca de Mililo e
da tiopa que guarnece a comarca do Hio-de-S.-
Francisco.
A presidencia da provincia^ vendo que a aglomera-
cao de gente na Chapada de dia em da se torna mais
consideravel, determinou que de 200 bomens que
existiio em Pilao-Arcado, 160 se aproximassem mais
do lugar das minas, e se vnssem postar na villa do
Rto-do-Contas, com o fim de alli ler alguma tropa dis-
ponivel que possa occorrer a qualquer disturbio que
por ventura occorra n'um lugar onde tanto povo reuni-
do existe como que sem autoridades nem polica. Esle
movimenlo preventivo do tropas despertou suspeitas
em'Mililo, que. ebeo de crimes enormes, tusjo re-
cis. Tratou, porlanto, de reunir de novo a sua gante,
que com elle eslava desfalcada na Chapada, e fugio
para as maltas do Garrapato. Nada ba, porm, que se
recelar pela tienquillidade dp ceotro. Alm da tropa
de lioba, que la est, confiada a um hbil militar,
mandou a presidencia organisar os destacamentos de
polica, e ordens nos consta que existem para que a
guarda nacional se preste a todts as exigencias que
forem feitas por amor da ordem e da tranqutllidade.
, [Uo Vommercio.)
RIO-GRANDE-DO-SL
tellas, 8 de setembro de 1845.
A provincia est em paz, e parece que nio ser alte-
rada, porque boje todos se oceupio em trabslbar para
relazar os males da revolucio. Alguns militares (ms-
alo dos novos legalistas) almejo a guerra com o estado
visinho, guerra que nos ser muito fatal, tanto por
nio termos cavallariasem numero como os Gastelbanos,
como porque a provincia ser logo invadida. O conde
da Caxias se ptepara para marchar ale Jaguaiao, o no
RIOGRANDE-O-N0RTE.
GOVERNO DA PROVINCIA.
Correspondencia do Exm. Sr. doutoi Cadmirojos de
A/oraes Sarment com a thesourariu provincial.
Julho 3.
N. 8. Mande V. S. entregar ao 2." tsente do
imperial crpo de engenheiros.Manoel da Silva Perei-
ra, a quantia de quarent mil rsde gratificaCSo, que
Ibe arbitro, poi haver feito a planta e oresmonto do
atierro, que se dte levantar no rio Salgado desta ci-
dade; devendo esta despera ser feita pela rubrica-- e-
ventuaes.- Dos guarde a V S. Palacio do governo do
Rio-Grando-do Norte 5 de julho de 1845.Dr.
Ca miro Jos de A/oraes SarmentXr. inspector da
tbesourana provincial.
N. 49. Imlorme-me V. S. com a maior possivel
brevidade : 1.a, em quanto monta a receita provin-
cial,deduzido o renditnento do disimo do gado vsecum
e cavallar, cabrum e ovelbum : i.*, qual a somma a
que chegio as arrematarles que desto ramo de receita
se venficrio para o anno financeiro de 1856 a
1837. Dos guarde a V. S. Palacio do governo
do Kio-Grande-do Norte, 3 de julho du 1845. Dr,
( asimilo Jos de Maraes Sarment. Sr. inspector
da thesouraria provincial.
ia 4.
N. 50.Com quanto me pareca, que em geral sao
muito relevantes a i zoes por V. S ponderadas en
seu odelo n. 129, hontem datado, contra a prelenyao
docidadio Joaquim Ignacio Pereira, expressada no
seu requerimenio, que mandei V. S. informar por
despacho do 1. do corrente mez, com tudo em by-
polliese, e a vista das circunstancias da provincia, na
actualidad por extremo critica em virtude da se, ca,
essas razes nao podenao ser attendidas sem ruanifesla
dureza, e quasi iniquidade, nao s para com os em-
pregados pblicos, i quem lia soccorri.lo o dito Joa-
quim Ignacio, senio lambem para com este, que
tendo smenle por pbilantropbia e bondad-, segundo
estou informado, dientudo o seu dinbeiro, nao o de
ve dexar de receber de um modo Uo sauvo, como o
que elle indica, e por forma alguma pesado e dcln-
mentoso a faienda provincial: por todas estas moinen-
tosas considerarles, pois, e porque os demsis empro-
gadosqueV. S. me dir terem de oulras vetes clama-
do contra igual medida dos meus antecessores, nio fi-
cariio de melbor condicio, se os seus companbeiros
nio procurassem pagar->e dos seus o denados por esle
methodo, de que lambem podem lancar mi, ordeno a
V. S. que salisfaca ao relerido Joaquim Ignacio em
lettras vencidas, quantas baslem para completo coi bol
so do que directamente se Ibe esliver d. vendo o que
V. S. mandarl verificar conforme be de estylonasre-
parttcesliscaes. Dos guarde V. S. Palacio do governo
do Rio-Grande-do-Norte, 4dojulhode lHV.'i. Dr. Casi-
miro Jos de Maraes Sarment. Sr. inspector da the-
souraria provincial.
Dia 12.
N. 51.--Informe V, S. com urgencia : 1.. qual a
importancia da divida activa : 2.', qual a importan-
cia da passiva at o ultimo de junho lindo. Dos guarde
a V. S. Palacio do governo do Rio Grande-do-Norte ,
12 de julho de 18i;"?. Dr. Casimiio Jos de Ma-
raes Sarment. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial.
N, 52. Iuloiuie V. S. com urgencia, qual a im-
portancia da receita da provincia, com que se pode con-
tar neste corrente anno financeiro, declarando qual a
quantia corta, e qual a incerta da do que ha reahssvel ;
devendo igualmente especificar, quaes os impostos, de
que provni. Dos guarde u V. S. Palacio do governo
do Itio-Gr ndo do-Norte. 12 de jurhod- 1845 Dr.
Casimiro Jos de Maraes Sarment.Sr. inspector
.la thesouraria provincial.'
ia 16.
N. 53. Em rospost.i ao ofiicio, que acompsnhou i
certidao do ponto dos empregados, partencento ao mez
ultimo,
5i.--Rospondendo ao cilicio que acompanbou a ba-
tanete da recoita e despeza leita no met lindo, e O or-
ea ment para o correte.
Dia 17.
N. oo'. Remetiendo leis perlencentea parte 2.a,
torro 7."
Dia 23.
N. 56. Communico a V. S. para sua intelligencia,
pie por pottaria desta dala tcnbo conerado aodoutor
Tbomai Canloso de Ahnoida do lugar de medico do
partido publico desta provincia. Deosguardea V. S. Pala-
cio dogoverno do Rio-Gr.inde-do-Norte, 17 .le julho de
1845.Dr. Casimiro Jos de Mvraes Sarment.
Sr. inspector da thesouraria provincial.
II a 24.
N.57.--Pedindo a rcmetsa de planta da obra do at-
ierro do rio Salgado desta ciuade, assim tambero o ofii-
cio do engeobeiro, que tudo foi enviado a 30 do mez
lindo.
Da B&
N. 58. Rcspondendo o ofiicio, que trouxe a planta
o orcainento do atierro do rio Salgado desta cidade.
N. 89.Mandando pagar o aluguel de urna caval-
gadura a o lente Jos Antonio de Sousa Caldas.
Agosto 1."
N. 00.Exigindo a remessa dos halancetes dar.
ceita edespe/a dos annos do 1842 a 18<5.
DiaS.
N. 01 Communico a V. S. para seu conhe;imen-
to, que nesta data indeliri a pretencio de Joio Fran-
cisco da Costa, que podiu sur reintegrado no lugar de
afcrivloi da mesa de Mossor.de que V. S. o demettira.
i.'eo.:liara- a V. S. Palacio do governo do Rio-Graode-
do-Norte, 8 do agosto do 1815Dr. Casimiro Jos
de Maraes Sarment. Sr. inspector da thesouraria
provincial.
-'. *a..:-*-^jb7ix2ttzzttmwpm"ti* PEMAMBCO.
CMARA MUNICIPAL DA CIDADE DO RECIFE.
SSSA EXTUaOilDINARIA AOS 27 DU SE I KMtiHO DB 1845.
Presidencia do Si: liego Albuquergue.
Achando-se reunidos os Srs. Hamos, Mello Caral-
canti, Carneiro Monteiro, Ciotra e Nery; faltando coro
parle du doontes os Srs. Ulivcira e Reg Barros; abri-
se a sessio, senao approvada a acta da antecedente. 0
secretario, dando conta do expediente, mencionu um
ofiicio do procurador dacamara, pedindo, se mandtsse
lanzar em despeza a quantia de 124IG0 rs. importan-
cia de sello de diversas lettras provenientes da arren-
dinenlos das casas da praca da Independencia.- As-
sim ordenou se.
Uutro do mesmo procurador, remetiendo as medi-
i.es da praca do Meicado da Boa-Vista, e casas das
(Juico-Ponas e Soledade. Mandado a contadoria pa-
ra lancar no livro respeclivo.-
Outro do fiscal da Boa-Vista, participando I impor-
tancia das multas no mez de agosto, e pediodo, se niao-
dasse pagar Gj i00 rs. Joio Domingues da Silva, e 6|
rs. ao pedreiro Antonio Victonuo Guiinaraes, de cor-
ridas e vistorias. t^ue su passasse mandado.
Dous odicios do secretario do governo, remetiendo
actos legislativos. Mandou-searchivar.
Outro do proprietarto da typograpbia Nazarena, par-
ticipando ler oiuuado seu estabelecimento para a casa,
n. 1, da ra Direita na p'jvoagio dos Afogados.
Uutro do fiscal do Poco, participando o resultado dat
multas no mez de agosto Intuirada.
Uutro do fiscal do Uectfe, sobre o mesmo ohjecto.
Inloirads.
Dous da cmara da villa da Boa-Vista, e dous ds vil-
la de Cimbres, aecusando recebimeoto d'outrosda desta
cidade,
Frao approvados osseguinles pareceres da commis-
sio deedifica^io ; o 1.a, sobre a peticio de Bento Jos
da Silva Magalbaes ; o 2.", sobre a pelicio da Manoel
Francisco Coixbra ; e o 3.", sobre a de Mosquita dr
Uutra:
a liento Jos da Silva Magalbaes requer licenca para
evantar um crouterio, ou parapeito oas propiedades
que est levantando na ra Nova desta cidade, confor-
me a planta que apretentou, e a commissio eotende
|ue est no caso de obter a premissio pedida, propon-
do alm disto, para que fique revogadoo accordio loma-
do im sessio do 23 de Janeiro do correteanoo, pelo
4ual s tjs podiio fazer laes edificaedes na ra da Aurora
e suburbios da cidade. Pago da cmara municipal, 15
de selembio de 1845.Ramos.
a A commissio de edificacio vio o requerimenlo da
Manoel Francisco Coirnbra, em que pede licenca para
lechar, com muro ou cerca, 11 palmos de terreno junto
a uuia casa de sua propriedide na rut de S, Amaro, cu-



2

jOterrfno.wnHont!Rmpnle8fonlnuCodenii)beo-|p.ri<>pr.^ro().heoiir>idBtoili lana e malva-iier moitrado ao Sr. general, que i
co. acha-se hoje dcvoluto pala nuvi planta da eidade.ldosa : n rnmnin, lie f.rrt qwe ,oril publicare "'
etc. He a cnmmiio de parecer, que est o luppli-1 rl na Sra Rmaa uro grande boneR.-io .o paix, eaa
cante no cano de ser deferido, na forma que reqoer, e
da informarlo do respec ivo (anal. Recife, 27 de te-
tembro de 1845. J. /<, A'commnjslo de editujAofoi presente oreqoeri-
mrntodeMesquitaADutri.emquepedcni lirenca pira
trt terreno demarinhan 351, no bairro do Recife. Jos
Fa osl i no Porto: e estando este terreno destinado par*
edicacoes particulares lie a commitsao de parecer
ru* nenhum inconveniente ba para a municpalidade
em ae IWr o trpa tembro de 1845. 1. H. de Oliveira.
Forlo tambem approvidoi os seguintei requerimen-
toi do 8r. Mello Caalcanli:
Requeiro para se expedir ordem a contadoria, a
fim de que esta aprsente com urgencia, urna nota dss
imposirOea municipaei, cuja arrecadacio se ada em
administrado, calculando o termo medio do sea ren-
dimenlo annual, a fim de seren arrematadas em con-
formirlade da lei. Recife em sessao de 27 de setembro
de 1845 O vareador. Millo Cavalcanti.
u Requeiro, le se nomeie una ronunissio, ou mes
oo algum vareador, que se rncirrrgue de apretentar
com a i oaivel brevidade a demarcarlo dos limites da
cidade edeaignacao dos lugares notaveis para o lanca-
mento da imposico da decima urbana no municipio do
Recile. em compeimento do decreto n. 152 de 16 de
abril de 1812, mandado observar pela lei provincial n.
430. queassim in*turou *S disposiioes do artigo 4,*da
lei de 20 de agosto de 1830, a fim de eslar prompio
em tempo para se proce er, pelas repartieres de la/en
da,ao> lancimentos da dcima dos predios urbanos Re-
cife, 27 de setembro de 1845. Overeadur, Millo
Cavalcanti.
Emvirtude do precedente requerimento foro nome-
ados os Srs. Cintra e Nery.
Estando a aproximar se o novo anno fioanceiro mu-
nicipal,e devendo,em cumprimenlo dos B. e 7." do
artigo i 9 da lei do orcamento n 145 deste anno, co-
brar-se mais neste municipio o dizimo de miuocas e
repesos dos afougues, requeiro que esta cmara orde-
ne ao Sr. secretario, que d'accordo com o contador,
tendo em vista as disposiioes do decreto de 31 de mar-
go de 1832, c 14 de Janeiro do mesmo anno, organise
com a possirel brevidade um regulamento para a arre-
cadacio dos referidos mpostos, que deve principiar em
o primeiro de outubro prximo futuro. Recife, em
sessao da cmara municipal, 27 de setembro do lSi.'i.
O vereador. Mello Cavalcanti.
Resolveo-se que se officiaise ao Eim. presidente
da provincia, pedindo providencias sobre a edificacao.
que se esta, fnzendo no arsenal demarinha.que oflendea
planta da cidade, assim como que se pedis6e a dessppro-
ptiaeao do terreno do duutor Joio Ferreira da Silva, na
praca das Cinco-Pontas, urna ver que pela cordeacio se
verificou alterar a planta da cidade, remettendo-se as
pecas comprobatorias.
Frio mandadas a eommissio de edificacao as peli-
ces, para serem informadas, por despacho da presiden-
cia, de Manoel Rodrigues de Albuquerque de Mesqui-
ta & Dutra. de Manoel Teixeira Peixolo e de Hito Ma-
ris d.-i Paulo.
De*pacbaro-se os requerimenlosde JosPereira Vi-
anna. .Manoel Ignacio Francisco de Paula Cavalcanti
de Albuquerque Manoel Alves Guerra. Jacintho Jus
de Mello Jus Cezario de Mello, Bernardo Rodrigues,
L. Aiinier. D. Mana Vicencia das Dores, Luit de
Franca Mello Jnior, Antonio Joaqtiiui de Fana Pa-
tricio, Anastacio Xavier de Couto, Angelo Francisco
Carneiro, Carolina Ferreira de Mello. Bento Jos da
Silva Magalliies, Joaquim Luu de Mello Carioca, Ma-
noel Ferreira Lima, Bernardino Franeiico de Aievedo
Campos, Antonio Florencio do Espirito Santo, Victo-
rino los de Souza Travasso, Jo>e Fernandos Eiras,
.Manoel Joaquim da >ilva, Jo- Antonio de Oliveira e
oulros. Manoel Antonio Goncilves e Manoel Fran-
cisco Coimbra.
Dada a hora levantou- se a sessio Eu Joto Jos Fer-
reira de Aguiar, secretario a escrevi. Htgo .ilbu-
guirqui, presidente. Hamoi. Carni.ro Mondi-
ro. Cintra. Aery da Fonteca.
DIARIO HE l'EVllllilO.
Deixamos copiado em outro lugar o que encontra
mos de noticias nos jornaes que nos trouxe a vapor.
Sebaitiao que ante-bontem aqui ebegou, procedente do
Rio, donde sabio no dia 1., e mais porlos doSul.

Correspondencia.
Sr. He dadores. No silencioso recinto do meo do-
micilio, todo dedicado a iiiinli vida privada, nSo un
eom tudo mu mikm.-.iitri>|ii> ou egosta, que dtele, un
negocios pblicos; poreni reconheeendo que ellei de-
Tera correr por mos maii habeii, e i|iie milito sr irrvc
no pai:, quando cada cidndln urcupado no desemprnhi
de aeu dever, ou como particular, ou como rmpregad"
publico snti'fai ai obrigace civisesociaea na iridia que
Ihr prrsrreveni as lei; cu. pois, cunitudu, algtins nio-
mentus consagro em lr ai tulla! publicas, que maiiulri
rneparecem; e nollas nimias vetescontemplo a doigr.c.i
domen paii, quandu vejo que lendiituicrpliiel de lano*
bena entre noa, (com bonrosai execpcSri) o tenh* acr-
vdo de niale, dcienvulvcnd intrigas, animando odioa,
irritando oa nimos em ve de os pacificar : nu drrura
de niiub.li distra^Oes deparei ruin ai rorrrapondencias
dos Sentires Roma, o Abren Lima no Dinrioi mimaros
duientos e Ireie o duzentos e quatnrir, cujas narra-
Cea animadas pela energa, que tanto o di.tingne, ie-
to snesorprebrndeii quantoa ileluridaelo do comporta-
ment de alguma* primas, que ellca eipoeiu a irri* pu-
Wica, cortamente m relos me rnolierio do tnrpor; r
pude depnii de rxtasiad oa oenlemplar, o bem diter a
mo da Omnipotencia, que rege os destinos das naces,
por TV deimaerarada lama nialidirenrin e tanto enredo,
unjo desenlace lleve levara ronvirciu ao inaia imprder-
nido cora^Ao, urna vet que nenhuma suspriflo eja ca-
bivel foiile donde emana llocirciimtianriadv, como
notavcl relatorio, cjmr isto fairr convencer ao mundo
intriro, que quem he cap.it de Irahir, pondo rin are*
taata baixeza, a seus lio uitimoa amigos e correligio-
narios romo oa Srs. Rumas, que ae pode diter, que coro
tn* typograpbia abrirlo a porta por onde entrn, e tal
propri.'mente fallando ni" menos; au pas porque fica-
ro na de boa fe de sen lado r.onheeendo o earaiitrr d
em drpniitarini actualmente, da anioridade publica
a ai. porque se moatrrSo au publico, o Sr, general ea-
peeialroenle, eom um denodo aiimmamcnte loiivavel
rom ideias mnilo ajustadas do carcter pernambiicano
e fallando a S. Eso. o Sr. presiden! urna lingnagem
franca e leal; roas perraiita-men Sr. general,que tambem
romo Prnambiirano residente de mais tempo na pro-
vincia. faja sentir ao Sr. general, que seu jiiil" i rM"
peiti do partid praieirn se resente anda da Ilusa,
em qye o roetlrln, e coro que provavelmente rapiario
a toe ba f : o Sr. general dix. que o partido praieirn
tem ma forja m> interior da provinria entre oa humeas,
que teem que perder, epnr istu projeota urna concilii-
rSo efo.
Ora. permitta-me o momo Sr. que lbe diga, que cata
era rrro. e para nonvenrrlo verenv ie o posso de-
monstrar : oa partidos polticos para rxiatirem devein 1er
om principia que na anime e nrii-nle, aeja elle rcrdadei-
ro ou pbantnsiico. sendo que a primeiro rxisle.emquan-
lo lioover bomciis que o profeiaein. que pondo em pra-
tira anal opiniVi. ellas so roiivertfl.i ero bem dn orie-
dade; ou enlSo deaapreeiAo-e por no serem decui|"~-
libad"! na MPMie*ii, irafalerrin e mnrrem por MsisB dir
trr: emqnnnto lis segundos, os phaiilaaticos, seguind
a roesnia aorle dosprinieiros! tem ulna exiatcncia mala
curta, e vivem, emqiinntoa ignnrannia da pnpulaflu
Ibes prmite emaranbar-se por entre os incauto
de boa f. at que desmaanarada n impostura, de qem
ia alimenta, aejn punido c.rm n ncceaaario despreto ou
algiimnrouaa roaia. e asiin aniquila.lo o partido Ora,
em Pcrnambiieo nasceo o partido denomimido rh"
mango, rujo caraeleristioo se ditin ser propugnar |>e-
laa librrd.vle poblinat, combatendo o prepoiideraiioia
neluaiva da familia Cavalcanti em Pernambliro, que sr
figur.ua rom urna perigosa oligorchia; isto deo iiiere-
mcuto no partido rbiniaiign na poca por assim diter
revolucionaria da regencia Feijo, com soat tendencia*
republicanas.
Ora, a ndole ou espirito desse partido, philosophioa-
mente fallando, nS era m, porni elle combatin ora
entidnde ficticia, um inimigo, que realmente na exis-
ta,- no rutanto elle por nlgum tempo vveo, animad
pr interesan d'nlguns; a saber em Pernambuoo pora-
quelles, que se tendo declarado representantes desae
partido, nSo vino sna elevara senSo cmn elle, e o sa-
crificio de seus antagonistas; cuja perseguirlo forolr-
snmente os fet mais ou menoa avultar. o tomn por isso
um apret de partido, i|iie por odoaidade se denomi-
na va aqu partido Cavalcanti, nu arstooralioo, e na cer-
ta animad pelo governo Fi-ijiiino e seu crculo, que
fsobre as tendencias republicanas como disso) encher-
gava uiaso um aalutar elemento para ncabrunbnr a pro-
vincia, traaendo- dividida, para assim mellior ser re-
preaenlada por erraturas suns, e pessoaa que I tomas-
cm siias direcces, o mineo Heriismbuc pdeme ler
om brlbo que fitesso sombra as exigencias dos nian-
d6ra da corle, on de anas inculcadas siraamsnencsat ;
ora, esse partido rabio com o Feijo, enhio principal-
mente, porque tocando por fortuna nona a administra-
r.io ao inli-lligoiile e eiuiiii-ntomenlu patritico circulo
de 19 de setembro, veio, pois, n provincia a ser admi-
nistrada por um Cavalcanti, que praticamcnte moslruo.
que na. exislia a lAo declamada e perniciosa influencia
de familia Cavalcanti; eaulesdelle mesmo outro Caval-
canti ni nimios moalrou, que suas viatai nfen erjo se-
n.1,1 sustentar a dignidade e deerx das autoridades c
brlbo da piovinria, e que nenhum nepotismo es domi
nava; fallo rm PeruambuR, o pe? os horneas Sensa-
to, e dcsapaixmtjdos que pequiicm oa actos das adoii-
iiii>tr:iri-s dos I'.viii. Srs. bares do Susaauia o Boa-
Vista, e iiinalrem qnaes furto o seus prenles Sera me-
ritri que fori rharaadoS as cargos pblicos, prelerin
do ao de niereriiiieul por estrauhos; finalmente esse
la,, solemne denmeiitido anda mais corroborado pela
patriolia admioi.lrnr.ao do Exm. Sr. barto da Boa-Vis
t.i, em que Prriiaiiibuco deo signaea de vida, e nomecoii
n mostrar de que era capel e merecedor; tudo, pois.
veio completar a exlinrcao do partido cbimaiigo, desva-
iieeendo se a impressln de seus correligionarin de boa
f; n enliiiilo a looga admiuiainiru do Sr. bar* da
Uoa-Visla ntravessaodo pocas mais un menus espinho-
aas seu genio eniprehendedor e carcter justo, furco-
sainenle deveria eneonlrar mulos, ou por ioveja, ou
mesmo porque iinpossivel serio nao trr desimiilrutcs em
laes rirrumslaneas, e em um pov unde domina anda
mais o amor proprio e interesic particular, que o pa-
triotismo; imitaran se, pois, descontentes e com espe-
rialidadr por causa dos innmeros pretndeme as elei-
coes.e senipre que se effecluavaos que sahiAo eleilos at-
Iribu* a en nierecimeiilo; e quando o deixav*o de ser,
culpa era do presidente, que u*w os recommriidava sin
reraniriite; eses desconteiiles fiterio de novo reunir os
fragmentos do partid chiniango, eos lioinent atrabila-
rios, ou utes us lu.meu quo dominados d'amor pro-
prio e oveja, ludo tinh.'io a galibar, o nadn perriil, co
iiircrto B reunir partido, recrulando se ni escolha; f-
cil Ibes fui em um povn anda pono instruido, eniliu-
aiasia pela franquetas liberaos, e cosu de seus d.reoi
ir uuviiido Ihrsas cantatas, u em iihib pooa, em que a
lieeuea da iiupri usa curre mais que todos os crimes im-
puncmente; tudu, pois, deo incremento n opposicsu
drsse partid praier : bordn ello dos chmaiigus a
guerra ao oepotismn que se fetreviver, alimentaudo os
ileacoutenles cm fagueras esperanzas, lisougruu us fs-
naileo e..in franquezas liberaos, sos ranourusos cun
pocas de vingaiica, ele.
Eia a historia do nascimento do partido praieiro, o
qual realmente combate sob nina falsa f; nascido por
dcspcito e viugaiica, ello touiou seiupru por elemeu-
lo a mentira, calumnio, e enredo, para poder tor-
nar lidiosos seus ailversarios : e leudo piulido Iludir
urna pory*" dos boineiis, que ou por boa f. ou por fa-
natiamo. le nao d*o oo trabalbo de esludar os faci
luesnins passadossob uossos ollios, din apreso aos ale
ves e descomedidos embustes da imprensa anarchisadu-
ra, despreaandu assim o salular preccito do Evang.
l:x fruciib-u eorum cogno$cetii ni.
Porania, Senhore* redactores, um partido tal no po-
de existir por mnilo tempo, a proximidade de sua mor-
a, deve ser calculada na ra* directa da maior parle do
seu dominio, quanto mus ellos engolfad! no poder fo-
rem mostrando ao publico, oo > que n*u daacrope-
nb*o mlaaan alguma mil i socleilade, como que lo el-
le, que praheso ludas as perversidades, que iinpuiili*o
clono! e caluniuiosauenla a lena odvenarios, ella me-
nius se aniquilaras : em taes cireunistaiieias, a a vala
do que loiilio francamente exposto, eu u*o sei, quero de
parte tenha bastante forja para conseguir ooiiciliacfies,
e menos conecbo qual ella posso ser -. suppunho, pois,
(1) Sabe Dos se nko be ss a pena com que eises Se-
nhoreseslAu expiando o mal, que, talvcx sera o prever,
causrto a sua provincia.
do ter. ero representantes eolid.menu respeitado,
de boa f. e mnito menos eslar to ramllicaiio e
seguro como elle se persuade existir no interior da pro
vineia, ondo seus babitanlea so vvondo do trabatho, so
desejSopat.e tranquillidade. -
Sao essas as convicefles do um seu muito respeita-
dor, oto. ...
O Pernam'iuoan agricultor.
CCWMEHCIO
Alfandega.
RBNniMEitTO oo bu 11.................1:773*220
DuearrigaO koj 13.
Brigue_"c*ofarioba e boUnnba.
BrigueArmoriqutmercadoriii.
BngueSultanaoiom de ferro.
Consulado.
gENDlMENTO DO OU 10.
Geral1:231 947
BRACA DO RF.CIFE. 11 DE OUTUBRO DE 1848 .
AS TRES HORAS DA TARDE.
REVIST K SEMANAL.
Cambio! Fizerlo-ie pequeas transccOes oo princi-
pio da semana a 26 / d. p. tf ndo
tullido depois i 27 d a cuja quutacaoie
eflectuarao tranicres regulaiei pala Co-
lumbui.
Auocir As entndaiconlinoao diminutas, be pro-
curado do 1*500 a 1*600 r. por arroba
sobre o ferro.
Algodao Nao tiverso augmento ai entradn dcste ga-
neio, eapezar da falta loflreo ditninui-
fo, tcndo-ie tendido a 5#200 n. a arro-
ba do de primeira sorte, o a 4700 rs. a
arroba do de segunda.
Couroi 0 depoiito be crescido, e bouverio pequenii
vendas de Ii5*l25rs. a libra.
Azeite doce ~Veodeo-ie a 1*750 n.o gilie d o de Me-
diterrneo, e de 1*760 1*800 ii. o dito
do de Portugal.
Bacalbao Nio ba ; espenndo-se do hoto lodoi o
momelos.
CirneieccaCbegou um cirregamento esta semana,
com o qual o deposito augmenloi', e boje
be estimado em 39,000 arrobii, iendo ai
tendal lido regulares,lem alleragao de pre-
cos da ultima levista.
Cflrveja Veodeo-ie de 3*600 a 48500 n. a duzia de
garrafas, bavendo abundancia.
Cobre dem a 600 rs. a libra do de prego e forro.
Estopa dem a 190n. a vara.
Fartnba de trigo Com um carregsmento. ebegado de
I'hiladellia, o deposito em primeira mi be
de2 000 borricas, tendo bavido vendn re-
gulares.
Dita de mandioca Nao lofTreo alteracfio de preco, com
quaoto entraisem diversos carregamentoi
durante a semana, o que be devido as ven-
das continuadas para ai provincias da Vt-
rabiba, Rio-Grande e Cesri.
Manteiga Cbegrao 700 barris do Havre pelo Armo-
riqut, os quaes, diz-se, ferio vendidos de
565 b 575 n. a libra.
Quejos flamengoi Venderio-se de 1 #260 i 1*300
ri. esda um.
Vinbo IJem a 140* n pipa do tinto di marca
PRR de Liibi.
Entrarlo durante a lemina 14 embarcacCei, e hi-
ri 18, exist ndo a esta hora oo porto 53 : sendo 1 a-
mericina, 40 braiileirai, 1 rmceti, 1 heipanhola, 6
ioglezai, 3 porlugueai e 2 sardas.
RIO DE JANEIRO.
CAMBIOS DO UU 30 HE SETEMBRO.
Pregoi da ultima hora da praca.
26 1/2
358
665
31 600 a 31,900
31,000 a 31,100
2.000
1.9J5
18,000 a 18,500
102
7* a 74 1/2
72
cravo do mesmo, doutor Jeronymo Villela de Castro
Tavsres, Manoel esoravo do mesmo, doutor Flix
Peixoto de Brto e Mello, Jlo eseravo do mesmo, e
1 toldado para o exeretto ; para o Par*, o presi-
dente e su senhora, com 4 escritos, odispenseiro
d'armidi nacional, e imperial Pelicianno Jo> Ra-
mos, e a paasageira da Babia, D Joanna Sllveria,
Braiileiros: da Babia para este porto, Joaquim Ro-
drigues Ruarte, Jos* Peixoto da Fonsera, Portu-
gueses; Jlo Pereira Lagos, fr. Antonio do Carmo,
fr. Joio deS. Bento : da Babia para o Mennhlo,
doutor Jos Thomaz doa Santos Almeida, llraiilei-
ros, e 1 cabo de eaquadra para o exercito.
/Vano tbido no mesmo dia.
Blhia ; patacho blgico Itoxata, cipitio Jobn Ricbe,
carga Cirvio de pedra para laitro.
A actos tntradoi o da 12.
Macen'j; 4din, barca ingiera Mary-Queen*r>f-Scot$,
de, 256 tonelada,capillo W "Kelly equipigem 12,
carga algodao ; a J. Crabtre & Compatible.
R icbmond ; 49 das, brigue-escuna americano Cum-
btrland. de 155 toneladas, capillo Anthony l'ht-
leps, equipagem7, cirg farinha ; a Matheus Aus-
tin & Compinhia.
Ass ; 7 das, patacho b'asileiro Oliveira, de 182 to-
neladas, capillo Jos Das Corroa daf>ilva, equipo-
gem 19, carga tal ; a Joio Vaz de Oliveira.
A'avios tahidoi no mesmo da.
Rio-de-Janeiro; brigue brasileiro Felit-Peitimo, ca-
pillo Jos da Silva Quaresma, carga a mesms, que
trouie.
Cotinguiba ; lumaca bratileira S. Antn o-fei-doi-
Marti, capillo Rento Jos Pereira, em lustro.
Purlos do Norte ; vapor brasileiro >. Sebaitiao, com-
mandante Manoel dos >antos Oinrlla.
Liverpool; barca ingleza Maiy Quten-o/ Scoli, cipi-
tio W." Kelly, carga a mesma, quetrouce.
Carsvellss; hiite brasileiro Conct/cSo, cipitio Joi dos
Santos Fontes, em lastro.
ansjajBjajjaJHBa
Provincial146*378
Editaes.
Camb o$ lobre Londres
* Pariz
Hamburgo .
Mtlatt. Dobroes hespanhoes .
da patria .
Peso bespmhoei .
da patria
Pecas de 6,400, velbu.
PraU.....
A plices de 6 por cento .
provinciaes
[J. do Ccmmercio.)
BABIA, 7 DB OUTCBBO DE 1845.
Cambios.
Londre ...... 26 i 26 1/4 p. 1,000.
Pariz....... 365 o franco.
Himburgo...... 690 o mirco.
Lisboa ...... 125
ncashespanholas. 31,500 a 32.000
a mexicanas .... 31,000 a 31.600.
Pecas de 6,400 .... 17.600 a 18.000.
Moedas de 4,000 .. 9,100 9,200. .
PraU .... 105
Ap. do Seg. Leald. 20 por cento de premio.
do governo 55 p. c. de deic.
(O Mercantil. )
Mu vilenlo do Porto.
Pente a cmara municipal desta cidade, nal mi-
nbiu de 14, 16, e finalmente de 18 do correte mez,
le lia de irremstar por tempo de um anno, contado do
1.' do dito met, o rendimeoto da afencio e reviiio, de
conformididecom o regulamento de 12 de marco do
anno prximo pastado i qoom mais der lobre
13:653,660 n., rendimento do anno (indo.
Ai pessoas que se propoierem a airemata-lo, pode-
ro concorrer nss indicadas pracas, munidos das ne-
ci'isarias babilitaroes, e fiadores idneos. E para quo
ebegue ao coobecimento de todoi so mandou faier pu-
blico pela imprensa. Recife, ll de outubro de 1845.
Luis Francisco de Mello Cavalcanti, pro-prtsiden-
le. JoSo Jote Firreira de Aguiar, secretario.
Pente a cimara municipal desta cidade se bio
de arrematar, as manhiis de 14, 16, e finalmente
de 18 do crrenlo, por lempo de um anno, contado
dol.s do dito mez, a quem mais der tobre o preco
medio dos tres ltimos annoi, separadamente, os ta-
Ibos dos icougues da Boa Visti e Cinco-Pontai.
As pessoas que se propoierem arremata-loa pode-
ro comparecer mi indicada praess, e pin saber dos
procos, oa contadoria municipal em qualquer dio til,
de niuafiaa. E pira que ebegue ao conbecinienlo de
todos, se mandou fuer publico pela imprensa. R. ci-
fe, 11 de outubro de 1845.Luiz Fr ancuco de Mel-
lo Cavalcanti, pro-presidente. Joo Joi Ftimra
de Ag mo-, secretario. a
- U Illm. Sr. inipector da Ihesouraria da laienda
delta provincia, em cumprimenlo da ordem do tribunal
do tbesouro publico nacional n. 107, de 23 de agosto
ull uno, abano transcripta, manda lazer publico, que,
do primeiro-de setembro de 1846 em diante, se prin-
cipiar a faier, nesta provincia, o descont de que trata
o artigo 5 da lei de 6 de outubro de 1835, as notas
de 2,000 rs. di 1.'estampa. Secretaria da lliesoureria
de Pernambuco, 13 de de setembro de 1845.
0 oflicial-moior,
Ignacio dm Santo da Fonitca.
Ordem a que se refer o tailal tupra.
N. 107.Manoel Alves Uranco, presidente do tri-
bunal do tbesouro publico nacional, conformando-se
com o parecer do concelbeiro de estado, inspector geral
da caixa da amortisscio, ordena que o Sr. inspector da
tbesouraria da piovincia de Pernambuco mande n-
nunciar pelos periodictft, e por editaes, que, do l'*de
setembro de 1846 em diante,s principiar! a nter nrs-
sa provincia o descont de que traa o artigo. 5 da lei
de 6 de outubro de 1835, nal nolis de 2,000 da 1.*
estampa, mandada! substituir pela ordem de 27 de ju-
Ibo do anno passado; devendo o mesmo Sr. inspector,
logo que receber esta ordem, transmitti-ia a todas ss
ei'icdesde laiendi di provincia, pira lazerem o com-
petentes innuncios pelas folhsi onde as bouver, ou por
editaes, a fim de que se ten< disso coiibecimenlo rm
lodos os lugire di provincia, e tenhio os seu- habitan-
te! o tempo necessario pan as apresentar ni tbesoura-
ria O que o Sr. inspector cumplir. Tbesouro pu-
blico nacional, em 23 de agosto de 1845.-Manoel
Alvn Branca.Cumpra-se. Thesourana de ftren-
da de Pernambuco, 12 de setembro de 1845 Silva.
f /Vacos mirados no dia 11.
Bibii; 13 diai, brigue portugus: Tarujo I, de 223
toneladas, capillo Manoel de Oliveira Franco, equi-
pagem 15, em ltiro; Oliveira Irmioi & Compa-
nhii. Paisageiro, Eduardo Ferreira Bailar, Por-
tugez.
I'biladelpbia ; 48 din. brigue americino zTclo.de 240
toneladas, capitio Atkins Uyw, equipagem 9, carga
farinha e mais geoeroi; a Matheus Austin & Com-
panhia.
Rio-de-Jsneiro, Babia e Macei ; 9 dias e l6horai,
vapor brasileiro S. Sibasliao, de 240 toneladas,com-
mandaote Manuel dos Sanios Ornellas, equipagem
24. Passagciros; do Rio para este porto, o Ezm. Sr.
bario de Suissuoa, Mircolioo, Salustio, Cervino,
Maooei, Paulino e Severo, escravos do mesmo, coro-
nel Jota Francisco de Miranda Ozorio, Theodoro es-
Miguel Arckanjo Monieiro de Andrade.official da im-
peiial ordem da fosa, cavaltiro da ae Chr.iio i
inspector da alfandega de Pernambuco, por S. M.
Imperial, oStnhor Pedro II, que Dos guarde.c.
Faz lber, que no dia 13 do correle aomeiodis,
ni port di mesma, se bio de arrematar em bast pu-
tlblic duas csnas com 400dutiu de suspenawios no
f valor de 300,000 rs., impugnados pelo guara Anto-
nio Francisco Utas no despacho por lectura de Avriil
Fires, n. 1153, sendo a arrematir,ao mbjeiti a direi-
tos.
Faz lber, qujnoda 13 do crrante, aomeio
dia. na porta da mesma, se ha de arrematar em basta
publica umi caixa com oilenta pecas de lencos do .seda
para pescoco no valor de 1:000,000 rs.. impugnados
pelo amanuense Domingos da Silva Guioiaries no
despacho por factura de M.'Calmout &C, n. 1160,
send a arrematarlo subjeita a direilot.
Alfandeg, 11 de outubro de 1845.
_________Migutl /frehanjo Monleiro di Andrade.
Ueciarages.
D.'ordem do lllm. Sr. director do lyco comido


,
^^
*
3
ao Sr. professor de priir.eirm lottrss Ja Goianninha,
Joaquirn Jos de I,uno Frene, de presente ncu cida-
de, para comparecer oa secretaria do mesmo lyio, a
lina de ser nuvid solire o abandono, que fez, daquella
cadeira; visto ignorar-se oode netla menina cida.de re-
side, e n3o ter sido encontrado para Ibe ser entregue o
offieio, que oeste sentido se Ihe dirigi em data de 7 do
corrente.
Secretaria do lyco, 8 de ontul>ro de 1845.
O secretario.
JoSo Facundo da Siloa Guintarde*.
- O arsenal de guerra compra mantas de 18a ; queni
este genero liver mandar sua proposta em carta
tachada a directora do rnaamo nisendl ateo dia i3
do rorrete iner. Directora do arsenal de gu- rra, ll
de uutulirode 1845.* No impedimento do escriptu-
rio o amanuense Jodo liicarao da Silva.
=U administrador d mesa de recebedoria de ren-
das internas geraes. tendo annunciado pelos Diam1.
que ningurin puders vender cartas de jugar lem seren
selladas,e papar o imposto de ernto e s<-ssecta lis por
cada biialliu, ninguem lem comparecido a sellar ; e
por essa omiiau elle ai por em execucio o artigo
4. do regulawento de 15 de junbo de 1845, que be o
seguinte :
Artigo 4.* As cortas que so acharem expostas a venda
ou ernusoem inflo de paiticulares sem o sello designado
no arligo antecedente, ou com o sello tarificado, si rao
apprehendidas, e aquello, tm cujo poder forein en
contienas, fica subjeito a urna rr.ulta de 50.000 rs
por cada baralbo, slin das penas do artigo 1(37 e 168
do cdigo penis.
E para quecbegue a noticia a todos, fago o presen-
te annunoio. Kecebedoriu, 11 de oulubro de 1845.
Franciico Xaver Cavalcanti de Albuqueroue.
=Cartas segur.ii etislonies na administraco do cor-
reio para os Senhores abaixo :
Agostinho Henrique da Silva ( do Rio-de-Janeiro),
Barlholomoo Rodrigues Chavea (do Para).
Gaudioo Agostinho de Barros ( do Rio-de -Janeiro).
Manoel Joaquim Carneiro da Cuoba (dem).
Pedro Tbom de Castro (dem).
Adminilracdo do paliimonio dot orpidos.
Perante a administrado do patrimonio dos orphios se
ba de arrematar a quem mais der, e pelo lempo que ha
de correr do dia d'arrematacio at olim de junbo de
1849, a renda da casa o 4, sita no largo do Hospital
do Paraizo: as pessoas que se propozerem a arrematar
dita renda, podero comparecer nacasa das sessSes da
mesma administraco, nos das 13 (boje), e 16 do cor-
rete me/, ao meio dia, com seus fiadores.
Sala das gestos d'adminislraco do patrimonio dos
orpbSos, 3 de outubro de 1845.
J. M. da Crvx.
Esciipturario.
Administratdo dos eslabelecimenlo* de caridad*.
Parante a administraco dos estabelecimentos de ca-
riddde.se nao de arrematar, a quem mais der, as reodas
das casas da ra ireita n. 8 ; na ra do Florianoo ns.
17, 47 e 49 ; no becco da Carvalha n. 5 ; na ra do
Fagundes ns. 52 e 34 ; na ra de S. Jos ns. 5 e 11 ;
na ra da Calcada n. 34 ; na ra da Roda ns. 3 e 7 ;
na ra Nova o. 43 ; por detrs da dita n. 18; na ra
da Moeda n. 31 ; oa ra d Fra-de-Porlas n. 73, e
no fundo da mesma n. 70 ; na ra de S. Thereza na.
4e7-; nasCinco-Pontas ns. 70 e 98; na ra de Hortas
n, 33, e na ra da Gloria n 65.
Ut licitantes poderaS comparecer na casa das suas ses-
soes, na ra do Cabug numero 5, no dia 17 do cor-
rente mez,' pelas 10 huas da manhis, munidos de seas
fiadores idneos.
Sala das sess&Vs da administracao dos estabelecimen-
tos de.caridade.em o 1.* de outubro de 1845. O ei-
cripturario, A. A. de Calda* Bramido.
(rete, dirijlo-sa a Gaudioo Agostinho dt Barros, oa
(iraca do Corpo Santo, o. 66.
Leiles.
James Crabtree & Companbia fario leilo por
intervengo do corretor Oliveira de minias fa/endas
inglesas proprias do mercado para linalisar algumas
facturas : terta-feira, 14 do corrente as 10 huras da
ii Riihaa em ponto no seu armasen!, ra da Crui.
Iloje, 13 do corrente ha leilaO de urna porrfn,
debtalas, em loes pequeos, por coota e risco de
quem perleneer no ases Ja Allaodega defronle d,
escadinba.
4 visos diversos.
. THEATRO publico.
A NOVA COMPANU1A ITALIANA
dar a 7.' represenlacio lyrica, em continvacSo das
24 prometlidas aos Srs. assignantes, quinta-feira, 11
de outubro. O director avisa aos >rs. que inscrevrio
osseuinomt-s para a compra dos bilbetes da 2 recita
do ELfcXiK d'amor, que elles j se tchio promptos,
que por isso os podem mandar,bucar, quando Ibes a-
prouver.
U agredo geral com que foi recebida esta peca faz
esperar a toda a companbia um concurso lio brilbante
como o que a hoorou na primeira repretenlayio, a que
pela duvida em que a lompaohia eslava de ser bem ou
mal acceita pelo respeitavel e Ilustrado publico,foi,para
assun diaer, um ensilo geral.
Agsra, porm, que a companbia est perfeitamen-
te convencida, pelos applausos que recebeo, do quan-
loella graduu, envidara lodos os seus islorcos para
oielhor detempenbo dos seus papis.
O dircotor declara que na nuule do seu beneficio
nao unlrcrs na platea mais pessoas do que aquellas
que ni'lla cabeui ; mas que os bancos, conlendocada
um 8 pessoas. nioestavio lodos desoecupados porque
alguns bi uve em que apenas eslavio 4 ou 6 pessoas;
e que se alguma conlusao appaieceo na platea superior
foi por no se guardar a disposicio eslabelecida a rea-
peilo dos lugaies, pois por eslarein numerados os as-
talos dos bancos nos meios bilbetes com que os Srs
espectadores -os divem oceupar, fcil be eslarem com
toda a comuiodidade, o quando por engao os seus
lugares eile|o oceupados, podem recorrer aos portei-
ros para os lazerem desoecupar.
O lnlhetes de camarotes e plalat, assim como os fo
Ihetos da traduccio da peca,acbio-se| a venda em ca-
sa do director, ra Nova, n. 7, e no da da representa-
cao no butiquim do tbealro.
L visos marilinios.
__ Segu viagem para o Assu'.em poucos dias.obri-
gue-ascuna Detiieraco: quem no mesmo quizer carre-
g,anlenda-se na ra da Cadeia du Recite n 40.
Para Lisboa sabir* at o da 20 do corrente, por
ter a maior parle detua carga prompta, o muito veleiro
brigue p.irtugue /ioia, forrado de cobre, de que be
capitio Jos Francisco da Costa Roto: quem nelle qui-
tar carregar, ou ir de, passagem, para o que tem mui-
to bons e as>eiados commodos, trate com o sobredita ca-
pillo, ou com os sejs consigoalarius Francisco Severi-
amio Rabello di Fillio, oo largo da Assembla.
= Para o Rio-de-Janeiro segu com brevidsde a
barca firmeza: para carga, passageiros e eternos a
OCLAMUR PUliLICO.
Sabio hoje o o.52, e acba-se a venda oa prica da
lodepeodencia, livraria ns. 6 e 8.
Lotera do seminario.
No dia 15 do corenle mez ao meio
dia, ndito as rodas desta lotera uo con-
sistorio da' groja de Nossa .v en hora do
Rosario, icjuein ou nao bilhetes, que o
Seminario os tomar por ana tonta : o
resto dos bilhetes acha-se venda nos
lugares j annunciados.
Participo ao respeitavel publico que no dia tab-
hado. 11 de outubro, as 0 horas da nuule, oo fim da
ra das Cruzes, por baixo da ordem terceira, sonde
se vendem bonetes, enlrou um menino de idade pouco
mais ou menos de 15 para 14 anoos, e furtou 5 bonetes
de panno, semio 1 atul claio com quartos de veludo
prelo, com pala de oleado, debruado ; um dito verde
escuro com quartos de verbutina preta; um dito cor
de vinbo, de 8 quartos, corrido de tranca de retroz pre-
lo; dous ditos de orolhas de lila, sendo um prelo e o
outro rouxo : 'qualquer pessoa a quem esta fazenda
fOr offerecida, baja de a tomar e juntamente prender a
quem vender, entregar a polica, e participar oa mes-
ma casa que aoouncia.
Thei esa Marta JeJetus.
Aluga-se o primeiro andar, loja comarmacioe
dependencias da casa, sita na ra Nova, n. 7
Bilhetes, meios bilhetes,
quartos eoitavosda lotera do
Kio-de- Janeiro, a 24^ rs os bi-
lhetes, e os meios a Vlfjl rs.:
na ruada Cadeia, loja de cam-
bio, n. .">}{.
Roga-se aos Srs. abaixo declarados de fazerem o
lavor deapparecer no Atierro -da- Boa Vista n. 21,
que se Ibes deseja fallar a negocio: Joaquim Galdino
Alves da Silva, D. Maria Jos, Jos Goncalves da
Silva, Jos Vjetia de Oliveira Maciel Antonio Ro-
drigues de Moraes, Antonio Pedro Rodrigues Guitna-
rfies l'ogg Jnior, fre LlinelgiUo de S. Emilia, frei
Joto de 6. Leopoldo. Theorpbode Souia Jardim, Jos
Fernandes Brasil Manoel terreira Chaves Joaquim
de Uliveira Mello Joaquim Albuquerque Fernandes
Gama Francisco do llego Joa. Jos de Uliveira
Maciel, Manoel Ambrono da Conceicao Padilba. Jos
severino Jobo Antonio da Silva Pessoa, Jos Fran-
cisco Carntiro J s Coelho das Nevos Antonio Jos
Uuarte Paulo e Mello Jos Antonio Rodrigues,
Antonio Joaquim de Freitss, Francisco da Fonseca ,
Cactano Auroiiaono Carvalbo Couto.
Agencia de passaportes.
Na rus do.Collegio,botica n 10,eoo Alterro-da-
Boa-Vista loja o. 48, tiro-se passsportes pera dentro e
lra do imperio, assim como despachao-s escravos: ludo
com brevidade.
Aluga-se o segundo andar e sotao do sobrado da
ra Nova o. 65 : a tratar com Antonio Fvrreira Li-
ma ou na venda por baiio do dito sobrado.
= Aluga-so primeiro andar do sobrado n. 1 da
ra Augusta : a tratar no segundo andar do mesmo so-
brado.
Na ruado Mundo-Novo n. 44, engomma-se e
cose-se loda a qualidade de roupa tanto de homem
como de seobora e por preco commodo.
= O abaito assignado avisa ao respeitavel publico ,
que elle tem concordado com o Sr. Jos Francisco Car-
neiro sepsrarem a sociedade que liobo oa loja de
selleiro, na ra Nova n. 47, que negociava sob a
lirmaBrito & Carneiro; que d'ora em diante con-
tinuara o mesmo negocio smenle sob a firma do abai-
zo assignado, que se acba responsabilissdo para com
qualquer parle que oa mesma luja lenba o socio de in-
dustria, Carneiro; a qual parte sera assignada peloa ar-
bitros a quem se aeba a liquidaco incumbida. Jus
Bernardino l'ereira de Brito.
Na nova fabrica de espiritos a licores na traves-
sa da Concordia ultima casa n, 19 por detraz do
Carino, ha um bom sortimento de licores finos e or-
dinarios agurdenle do reino e de Franca de aniz,
genebra em botija e em caada espirito de 36 graos ,
em grsndese pequeas porcoes. Estas espiritos slo fa-
bricaoos com toda a perleiclb, e as suas boas qualidade
se recommendao aos amadores do bom e barato : as
amostras sempre sio francas para os compradores e por
preco mais commodo do que em oulra qualquer parte.
= Firmo Antonio de Figueiredo mudou o seu de-
posito de licores e agoas-ardentesda ruada Roda, para
adetraido quartel, ra de S. Bom Jess das Crioulat,
casa amarelia, n. 6, onde contina a vender por preco
mais barato do que em oulra qualquer parte.
Aluga-se urna ama para urna casa de pouca fa-
milia cozmba o diario de una casa e eogomma :
quem a pretender, dirija-se a ra das Triocheiras,
o. 1.
Tendo-se terminado a sociedsde Saisset Se Com
panhia por venda do estabelecimento e liquidaco
perleocente aquella firma ao abaixo assignado faz es-
te participacao a lodas as pessoas, que sio devedoras ao
mesmo eslabelecimeoto que deverad vir qnanto an-
tes remir os seus dbitos : igualmente participa a to-
das as pessoas, quesejulgsrom credoras por lettras ,
ou por cootas da mesma firma Saisset & Compaohia, de
se apresentarem nt roa da Cruz n. 22 dentro de
ISdias, passados os quaes nSo be mais o annuncisn-
(e reaponsavel por tars ttulos por se ter lechado nesse
prazo a responsabilidad da extincla firma com a sa-
bida do procurador geral dos toe is de Franca. Re-
cita, 10 de oulubro de 1845. /. Soum.
Offerece-se urna pessoa com boa leltra para es-
crever em qualquer escriplorio, ou faier algums, es-
i ripiuracSo particular do que lem pratica ; ou mes-
mo para caixeiro de ra : quem do seu prestimo te qui-
/er ulilisar dirija-se a ra de S. Rita-Nova, n. 24, ou
annuncie.
Manoel Diat embarca a sua escrava Maria de
nsco pareo Aracaly.
G S. F. embarca para fura da provincia o es-
crvo Joaquim Cac.ange, do Sr. Antonio Amancio
da Cota morador em Mastangana.
Precisa-sede um caixeiro para una veoda que
teoba bstanle pratica e d fiador a sus conducta i na
ra do Livramento n. 38, venda junto ao lampeio,
= Aluga-le um segundo andar com bstanles com-
modos cacimba solio cozinba de ferro por I i
rs. mensaes silo na ra larga do Rosario n. 35 : a
tratar na loja demiudezas por baixo do mesmo sobrado
'Hoje, 13 de oulubro, se hio de arrematar u*
.alugueis da casa n, 127 sila em Fra-du-P<>rtas ,
avahados eui 240| rs. aonuaea e pelo lempo de 3 an
nos : os pietendentes compareci pois he a ultima
praca.
= Di-se dinbeiro a premio sobre peohores: oa ra
Nova n 63
Manoel l'ereira de S Jnior relira-se para fra
da Provincia.
Lava-se engomma-se cose-se e marca-so mais
bar.lo do que em oulra qualquer parte: na ra do IV
ore Floiiaono, n. 37.
Precisa-se de oliciaes de'alfaiete que teji pe-
utos ooofficio e que duem fiador a sua conducta ; oa
ra Nova n. 19.
Antonio Dias da Silva Cardial tem para vender
2o e tantas travs de camassari de caruncbo, de 40 pal-
mos de comprido : na rus da Praia, n. 17.
= PreciB8-se slugar urna ama, que tenba bom leste
para criar : no Allerro-da-Boa-Vista n. 36.
OTerece-se urna mulher para ama de um bomem
solteiro ou viuvo para coser, eogommar, e eolen-
de bem de connbar, e (em boa conducta : quem de
seu prestimo se quizer utilisar dirija-se a ra do Cal-
deireiro, a. 6.
= Qualquer senbor dono ou mesire de ombsrca-
ces, que tenba de ir ao Ass carregar de sbI, e quizer
ceber para aquella porlo um carregamento justo
unglul admenle diria-se a ra das Cruies, n. 40.
que achar com quem tratar ; assim como comprao-se
600 a 800 alqueires de fsrinba sendo boa e por pre-
co commodo.
i Precisa-se de serradores forros, ou captivos, para
serrarem urna poriio de pinho : alrai do tbeatro veiho,
armazem de Joaquim Lopes de Almeida caixeiro do
Sr. Joio Matheus.
= Na ra do Atterro-dos-Afogsdos, n. 7 d-se
azeite de carrapato de venda, a 2000 rs. a caada.
= Manoel Ignacio da Silva Teixeira participa aos
Srs. seus freguezes, que Ibes comprio pao que se al-
gum for passar os mezes de eslor para as partes da Pas-
sagem-da-Magdalcna, Ibe pode mandar o pi quo qui-
zer e a horas proprias por ter portador, que, o vai
levar a alguns Senhores freguezes sendo preciso s Ja-
mo seus nomes e moradia na praca da S. Cruz, pada-
na de urna polla.
S. J. V. M. participa a lodos os seus amigse
visinbos, que lendo elle inadvertidamente tallad com
oSr. Oale, o tendo depois conhecido, que, o nao de-
Ha ter feilo, recorrreo ao Exm. prelado, e foi absol-
Vido.
= O Sr. Henrique de Oliveira Soares queira diri-
gir-se a ra da Cadeia do Recile. loja de Joio da Cu-
nba Magalhes, para se Ibe entregar urnas encommen
das, vinda's do Porto.
= Alugio-ie bichas, e tamhem se spplicio : na ra
do Pilar em Fora-de-Poitas, loja de barbeiro, n. 114.
Precisa-se de 30 e 40 homeos forros, pu eacra-
vos, robustosa acostumados ao Irobalho de ps, para
fazerem urna levada de 300 bracas de ektensio a le
goa e meia distante desla praca : quem quizer eogajar-
se para esse fim dirija se ao engenho Ucba, fregue-
xia dos Afogados ou no terceiro andar da casa do se-
nador Manoel de Carvalbo, sita na ra do Collegio ,
onde achara com quem tratar, das 6 as 9 horas da
maobia e das 3 as 6 da larde.
Manoel Francisco da Silva manda para o Bio-de-
Jaoeiro o escravo Joio Curreia pardo, a seu seohor.
OSr. Antonio Jos Mendes Guimaies queira
annunciar sua residencia que se Ihe deseja fallar a ne-
gocio de seu intereste.
Aluga-se um sitio na Capunga para se psssar a
festa ou aonual; esta bem plantado de bortalica e ar
voresde fruto : a tratar na ra da Piaia n. 66.
Hojo 13 do corrente, se bao de arrematar,
por ser a ultima praca a porta do Senbor doutor Vu-
ela 8 quartolas e um alambique |de folha, com fun
do de cobre peni orados a Antonio Pereira Tyran-
no ; quem os pretender compareca as 3 horas da tarde.
Precisa-se de um pequeo Portugus de idade
de 12a lennos, que saiha ler paia ser adinittido
em urna venda com pratica ou sein ella maa que
d fiador a.sua conducta : a tratar na ra do Colovel-
lo o 31.
O abaixo assignado (ai publico e certo a quem
coovier que elle ota constituido procurador bastante
de Eugenio Saisset, e essa piocuracao casta e annulla
urna oulra procuracio que dito Saissel fes nesla cida-
dade antes de partir para a Franca na qual cons-
tituir oSr. Jos de S. Anoa Araujo ; e para quo nao
baja pretexto de ignorancia, faz publicj o expendido.
/'. Lulkens.
Aluga-se o segundo andar du sobrado sito na
ruada Penha n. 29, com bons como odos, o mul-
to frescos por preco de \i rs. mensaes : a tratar na
mesma ra veoda por baixo do sobrado do Sr. coro-
nel Joaquim bernardo.
Eu abaixo assignado declaro i.o respeitavel pu
blico que o Sr. Antonio Josquim Vidal deix u de ler
ingerencia alguma no negocio de miaba cass, desde o dis
30 de Miembro de 1845. Jodo Jos de Carvalho
Moraes.
Na loja do Joio Loubet, na ra do Bssteo-Pu-
blico, junto ao arco de S. Antonio, roDlioao-se a co-
Lrir chapeos de sol, de seda, para homem o senhora ,
de furta-c'ires '.'S, aistisn como de psnninbo de
lodas as qualiuu.ies : na mesma loja vendem-se chapeos
da sol, de seda para bomem a 6# rs ; ditos de
barra l.n'sda a T rs. ; tamben) se eoacertio por
muito menos preco do que em* outra qualquer parte.
Antoaio Joaquim Vidal declara ao respeitavel pu-
blico quedeixoude ter \ ing rencia que tinha oa
loja de ferragens do Sr Joro Jos de Carvalho Moraes ,
desde o da 30 de setemhro do corrente anno.
= Precisa-se de usa moleque de bom lamanho, pa-
ra tratar de um quartao em um sitio perlo desla praca;
pagad -se (i* rs. mensaes, dando-se o sustento : quem o
liver dirija-se a ra Imperial o. 39.
F. Dupret avisa aos seus devedores^que ttm eo-
carregado da tobranca de suas dividas a seu cunbado
Antonio Baptisla Ribeiro de Faria Jnior.
= Arrenda-se pelo lempo de festa o sobrado quo
(oi de Antonio Coelho da Silva. sibp no crtame dos
Coelhos : a tratar no mesmo sobrado.
sss Engomma se com perfeicio. e por preco commo-
do : na ra do padre Florianno, n. 68.
j,a-se o segundo andar do sobra-
do sito na rutt Direila
Alu^
com bons commo-
os : a tratar na ra do Collegio segundo
andar n. i\.
=s Calhanna Francisca do Espirito Santo roga a
pessoa, que apprvhender o seu escravo, de nome Joa-
quim, alto, secco do trpo e sabe dizer o sea senborio,
quo se acha fgido desde o da 29 de setembro do cor-
rele anno, de o levar a seu sitio na estrada do Moo-
teiro, ou na < ua larga do Ko/ario, no segundo andar do
sobrando, n. 30, que ser gratificada.
Oiiem quizer da- dous contos de ris a premio,
por lempo do um anno, com boas firmas ou hypotbeca
em urn sobrado, pagando-so 9 premio adiantado an-
aonuocie.
= Aluga-se urna loja propria para o estabeleci-
meoto de venda ; na ra ireita defronte do becco da
Penba.
Di- se dinbeiro a juros com penbores de ooro a
prata mesmo em pequeas quantiis; na ra da
Prsia n. 22.
Aluga se, para se passar a festa, um sitio na
Crur-de-Almas da Ponte-de-Ucha com boa casa ,
coebeira eslribaria quarlo para pietos, bom pomsr
de larangeiras muito car regados de boas laranjas e
outras rnuitas Iruteiras, cacimba de boa agua de beber;
ludo com asseio : a faltar no hospital dt policis com o
enfermeiro do mesmo; o qual tem tamhem para ven-
der um bom violto, de muito boasvozes.
Na ra do Trapiche armazem n. 34 ba um
deposito da melbor genebra de Hollanda em caitas de
urna duzia ; e urna porgao de Champagne da celebre e
bem conbecida marca Lanson Pi re et Fils ; e na
mesma casa ha para alugar um terceiro andar com solio
e cozinba.
O abaixo assignado faz tciente ao publico, que a
administracao de sua destilarlo e frabricu de licores, da
travessa da Concordia est entregue ao Sr. Eugenio
uperron para comprar e vender tudo quanto disser
respeito a ditu fabrica.Recife, 9 de outubro de 1845.
Gregorio Francisco de Torre* e Vascuncellos Jnior.
Roga se ao Sr. Joio Francisco da Cuaba qne
comprou os suburbios do municipio de lindt, do im-
posto de 20 por cenlo da ago'ardenle de produccio bra-
tiloira queira entregar o dinbeiro que recebeo das
tabernas da estrada de Belem a frca epresentando-
se armado de clavinote, a noule com um guarda-cos-
tas tamhem armado recebendo mal e indevidameole;
por quanlo esta cohranca pertence ao municipio do
Recile, cuja divisio be osfins da freguezia da Boa-Vis-
ta que linda pela camboa da Tacaruna a encontrar
com as agoas do riacho Agoa-Fria que he no princi-
pio do lugar do Salgadinho ; iito no prazo de oilo diat,
e, lindos elles, nio teodo entregado o dinbeiro recebido,
tere de soflrer urna denuncia.
Aluga-se o primeiro andar do sobrado da roa da
Cruz, nu Recita n. 55, pintado de novo : a tratar
no mesmo (obrado.
BOTICA CENTRAL DO INSTITUTO
Borneo pal hico do llrasil.
Possue lodas as substancias expenmeotadas na Eu-
ropa, nos Estados-Unidos e ltimamente no Brasil e as
dynamisacovs tallas pelos processos mecnicos do dr. Mure
Distribue gratuitamente a vaccina dynamissda e lo-
dos os outros preservativos necetsarios as epidemial
reinantes, e responde a qualquer consulta, que a res-
peito de livros, medicacoes, remedios e rgimen Ihe
for dirigida.
Pratica elementar da homeopathia pelos Srs., Har
eMarteus.
Enriquecida das primeiras experiencias puras taitas
no Brasil.
Preco 8,i000 rs e lOs rs. com urna boa encader-
nacio.
Folhona bomeopathica, 2.' anno, contando noticias
sobre o estado actual da homeopathia, o rgimen, e ot
estatutos do instituto homeopatbico.
Preco 320 rt. com grando abatimento a quem com-
prar porcoes maiores.
Dirigir-te por correspondencia 4 agencia do ioslituto
homeopatbico oo Rio-de-Jaoeiro.
Casa da Fe9.
Ra estreila do Bottrio c. 43.
= O abaixo assignado tendo ettabelecido, na for-
ma da tai e decreto n. 357, de 27 de abril de 1844,
artigo 35 urna casa do vender bilhetes e cautellas
de todas as loteras desta provincia prestando por es-
ta venda fianca como marca o mesmo artigo 35; con-
vida a todos os que gostio deste jogo a comprarem
as suas cautellas; cujas se acbio garantidas com a sua
lianca a fim de que os premios, que cada um liver
de tirar, seja no dia marcado pagos a vista du mes-
mas cautellas e ns mesma cata.
Presentemente as cautellas que se acbio a venda
tio as do tbeatro publico por ser a primeira lotera .
que est garantida com a tai cima na qosl nio be-
ver nullidado por ser o seu thesoureiro retponsavel
por qualquer abuso ou faltt que houver de aoparecer.
Brevemente se annuncitr o dia em que devem andtr
as rodas, pela grande extraccio.qua esli tendo as cau-
tellas por serem de diminuto preco que a todos
convida a sua compra. Os precos deltas cautellas alo :
decimos a 1/000 rs. e vigsimos a 500 rs.
Lourenco Jote Jiomdo di Lunna.


s
- Precisa-te de pretil para venderem aieite de car
'pato; pxga-sea 400 rs. a cunada: na ra da At-
Diiiptio n 16.
Compras.
Compra su um raixilho de atcuva, novo, ou usa-
do ; qui'fn liver, nnnuocie para ser procurado.
Compran te d anua velhos a 2880 rs a arrolla ;
e um piso de duas arrobas : natua da Senialla-Velha,
padaria n. 98.
Coniprao-so dousescravos peritos olciaes de
pedreiro e dous carpinas ; na ra da Senialla-Velha,
n. no. ,
Comprao-se boos escraios olliciaesde carpintei-
roe pedreiro, saudaveise que Dio tenhio oais do que
24 annos de idade ; na ra da Cruz 0. 45 eui casa
de Nafcimento Scbaefler & Compaohia.
= Compra-so palba de louca ; na ra Nova nu-
tro K.
Comprio-se 30 oitavas, paramis, deouro de
1 'i, em cordlo e em um trancelim; na ra das Cru-
rei, o. 59.
Compra-se urna porcio de taboas, que fossem de
andaime, duas travs de 86 palmos, e palmo em qua-
dro decamassari de caruncho ou massaranduba ver-
dadeira araroba ou sapocaia de pilo : na ra da
Concordia n. 3.
Vendas.
= Vende-se urna parda boa costureira e perita co-
xinbeira para lora da provincia ; na ra do Sev'e, ca-
sa de Jos Marianno de Albuquerque.
= Vende-se a venda p. 38 junto a ponte da Pas-
sagem-da-Magdalena : a tratar na mesma venda.
Vendem-se dous pretos, um he bom carreiro ,
na ra da Cruz n 3.
Rap de Ga$si.
Ha chegada recentemente a este deposito, indo do
Kio-de-Jaoeiro pela barca Firmeza urna superior
fornada do muito acreditado rap grosso e meio-grogso,
talvez o mais genuino em qualidade que at aqu tem
indo a esta uidade e acba-se a venda em libras, meias
ditase oitavas as lojas dos Srs.: Jiaquim Caodido
Leal do Barros Tbomai Pereira de Mallos Estima ,
Manoel Francisco Rodrigues, e Castao Luiz Forrei-
ra no Atterro-da-Koa-Vista ; Jos Tbomaz de Cam-
(os Quaresma e Teiieira & Andrade ra Nova ;
ranciscoJoaquim Duarlo ruado Cabug ; Victori-
no de Castro Moura Victorino & Guimaraes e Vi-
cente Jos Gomes ra dos CJuarteis ; Antonio Do-
mingos Ferreira eJoSo Henriqueda Silva, ra do
Crespo ; Joaquim Jos Lody e Joaquim Dias Fernan-
des, na ra larga do Itotario ; Jote Jorge do Rozarlo ,
ruado Livramento ; Jos Joaquim Lopes Moreira, ra
Direita ; Silveira& Kreitas ra do CJueimado; Gue-
des & Mello Ponles & Mulle e Amonio Gomes da
Cunba e Silva ra da Cadeia do Recite.
= No dopotito de rap de Gass ra da Crin do
Recife, n. 38, acba-se a venda o muito superior rap
do Principe, ch^gado recentemente do Rio-de-Janei-
ro a precode 1400 rs. a libra
= Vendem-se G00 couros curtidos de cabra, por
prego commodo ; no Aterro da-Boa-Vista, luja n. 2.
= Vende-se um moleque de 12 annos, muitu lin
do o robusto pruprio para aprender algum uflicio ; no
becco do Peixe Frito n. 1.
( LO JA DA E S TRELL A 1
bu a do Oue vm'ul o N'.' 2 5
obra baixa para eapim terreno para plantacSes:
tratar na mosma olaria ou na ra do Vigafio, n. 19.
= Vende-se una tolva de prata de lei, para 6 co-
primeiro
Vende-se bnm trancado l.ramo, muitu imo e d
cores para calcas, a 1000 e 1500 rs. a vara ; um restu
de lencos de teda de cores, a 1000 e lo'OO rs. cada
um.
= Vende-te sal do Ass a bordo do patacho O/i-
rtira : o mcsmo patacho, depoit que descarrilar o sal,
tem de seguir para qualquer porto do Norte : quem o
quizer Iretar, ou carregar a frete, emendase com Joo
VazdeOliveira na ra da Cruz, n. 57,
andar.
= Vende-se rap.; do Bandeira de urna nova for-
nada muito ezcellente em botet de libras, meias di
ditas e qaartas e sendo d'i cinco libras para cima ser
a 1 ri. a libra ; e muito bom rolo bamburguez, dito
mais6no. a franceza, a 1400 rs. o frasco de libra e a
20ti. a oitava ; ezcellente cha hysson ; e muitos bons
charetos, em gosto semelbante aosda Havana : na ra
estrellado Horario n. 6 delronte da igreja onde
existe o deposito do dito rap cima e charutos
= Vende-se urna guarnico de movis de mogno ,
pranla ; um berco de Jacaranda ; mesas; cadeiras ;
camas; e varios outros objectos: na ra Nova, n. 7.
Vende-se panno de linboaberlo ou trernoia do
todas ai larguras para babados, e sapatos de borracha ;
na roa larga do Rosario n. 24.
Vende-se urna preta moca, recolhida ; na ra
do Vigirio, n. 3.
Vende-se um ptimo sobrado de dous andares,
na roa eslreita do Rozario n. 27 com quintal e ca-
cimba ; na ra do Queimado, sobrado de um andar
d. 35 por cima da loja de ferragens.
Vende-se urna carroca de sicupira sem uso ai-
gom por preco commodo ; na ra de S. Rita, o. 80
Vende-se a Mulher Feliz dependente do mundo,
e da fortuna, 3 v.; pelo mdico preco de 2880 rs.: na
praca da Independencia n. 4
Vende-se urna casa na ra Direita dos Afogados ,
em cbos proprios com bom quintal murado e com
mais de 150 palmos de lundo por 800/ rs. ; a qual
reode8/rs. meotaes : no principio da ra Imperial,
n. 9.
Vende-se por 4o-suoo reis una
pela sentp*ir a4 annos de idade propria pa-
ra engenho : na ra do Crespo n. iG
=> Vende-se, ou arrenJa-te urna olaria no lugar do
Rarbatho confronte aoCaldeireiro a margem do rio
Capibiribe com barro dentro para toda qualidade de
pos d agoa de muitu bom gosto e tambem pode ser-
vir para levar velas nos baptisados inda Diurnamen-
te da cidade do Porto a 280 rs. a oitava; na ra da
SemalU-Velba n. 142, segondo andar.
= \ *nde se assucar refinado brancoe matcavado ;
cal e cenada muida de boa qualidade por comino
do preco : na refnacSoda ra da Senzalla n. 4, e
deposito da praca da Boa-Vista o. 7.
=. Na casa da 1 na ra estreita do Rozario ba
para vender meios bilhetes da presente lotera do se-
minario a 4500 rs.
aa Vende-se urna preta moca, reeolbida, muito
bem parecida coziobeira engommadeira cose sof-
frivel, e lava de tabao ; na ra do Aragio, o. 1, se-
gundo andar.
= Vende-se potassa muito nova, de superior qua-
lidade em barris pequeos; na ra da Cadeia do Re-
i ilo armazem de assucar n. 12.
= Vende-se um escravo de 20 a 25 annos, bem
parecido muilo sadio e sem defeitos, entende de ban-
queiro e de meslre de atsucar ; na ra do Queimado,
cata de Antonio da Silva GutmSo.
= Vendem se roquetes para padre, chegados lti-
mamente do Porto ; na praca ua Independencia, n. 2.
= Vende-se urna morada decaa sita no Monlei-
ro com duas salas, 4 quartus, 2 corredores tala
ante-sala aira/ quarlo para escravos, quintal mura-
do com portJ, e oulro cercado dos lados; cuja casa
tem 60 palmos de frente e 120 ditos de lundo alm
do '1000 palmos de quintal at o rio : na ra Direita ,
n. 72
= Vende-ie um preto de meia idade bastante ro-
busto para o tervico de campo por estar affeilo a isie
trabaiho pelo barato preco de 200$' rs.; na ra No
va n. 32.
= Vende-so un cavallo por preco commodo; na
ra da Cadea-Velba n. G0.
= Vende-se urna linda escrava de naci engom-
ma, cose, e (a< lavarinto tudo com perleicSo ; na ra
estreita do Rozario n. 31, primeiro andar.
km Vende-se urna rotula por preco commodo ; na
ra do Cano, n. 20.
= Vendem-se ricos cortes de casia de lindos padres,
com 6 varas e meia ; chales de lia e seda por preco
muito commodo: na ra do Queimado, loja de fa-
zendas n. 27, de Manoel Jos Goncalves.
= Vende-se um sitio na estrada de S. Amaro para
Belem com muito boa cata a moderna para gran-
de familia muitos arvoredos de fruto trra para
plantario baixa para hortalica e pasto para 4 vac-
cas de loitc : a tratar na mesma estrada passaodo a
ponte o primeiro sitio do lado direito ou na ra do
Rangel n. 17, onde melbor se pode inlormar.
= Vende-se cal branca fina a 1280 ri. o alqueire,
pela medida velha ; na ra da Praia armazem n. 7.
= Vendem-se suspensorios de fita ordinaria a 1280
rs. a du/.ia : na ra da Crui, casa de Avrial Irinlos.
=V ende-se urna cadeirinba em bom uso por pre-
co mais commodo que be possivel; na ra Velha, n. 6a.
= Vende-se um carro de duas rodas, muito bem
construido o qual eita se pintando ; assim como um
dos melbores cavallot para carro : no Atterro-da-Boa-
Vista a tratar com o tegeiro Miguel, ou na ra do
Queimado luja de chapeos, o. 27.
Vendem-se duas canoas para condocSo de fami-
lia, abertas, com una taboa oo fundo todas de ma-
deira amere-la bem eocavernadas e encavilbaJes fei-
tas a moderna cun paneiro para se assentarem senbo
ras; e tambem duas candas grandes abertas, urna
rarrega 500 lijolus de alvenaria grossa e a outra
750 taii.beni novas e bem feitas todas por barato
preco : na ra da Concordia, n. 15.
= Conlina-se a vender chocolate novo a 240 rs.
a libra ; cevada, a 160 is. ; cal em grao a 140 rs.;
dito moidu a 160 rs. ; cha hysson a 220 e 2560
rs. ; oilo perola a 2400 rs. ; dilo uchira a 1600
rs. ; manleiga ingleza nova, a 960 rs. ; dita francea,
a 720 r.. ; queijos novos a 1400 rs. ; etpermacete ,
a 800 rs. 'carnauba, a 240 rs. ; candes de superior
goiabada de 7 em arroba a lj rs. : no pateo do
Carino esquina da ra de Hurlas lado direito, o. 2.
Vende-se urna eieganle canoa nova, de um l peo
de amerello de u.uito boa qualidade com 00 palmos
de comprimentj propria para qualquer~coostruccao
de obra que della se quizer azer; um po de bu<;arda_
grande, que, serrado, da duas bucardat, pela muita'
grosura que tem s se vende com as canoas ; urna
porco de cavernas grandes, de sicupira : na ra de
Apollo, tanque d'agoa n. 28.
\ ende-se, por preco commodo, ou aluga-ie urna
preta de meta idade cozmlia lava e vende na ra ;
na ra Nova, loja o. 58.
Vende-se cha bjason em caitas de 13 fibras, em
porcdesearetalho; em casa de MatbeusAustin & C. na
ra da Alfandega Velba n. 36.
= Vendem-se saceos de tapete e couro para levar
roupa em viagem por preco commodo; na ra da
Cadeia, loja de Juo da Silva Braga n. 49 e Da ra
Nova, n. 5.
= Vende-se urna excellente rebeca com sua ca-
xa ; na ra de llorn o. 140.
= Vende-se farinha de mandioca muito fina de
Mag, em saccas e de S. Catfaanna, e S. Matheut,
pea medida velba ; tudo por meos preco do que
bordo visto neo se ler de pagar o enorme tributo in-
tituladomandinga, aos pretos caooeiros : no caes
do Collegio, armazem de porta larga n. 15.
= Vende-se um pardo moco de boa figura ; um
preto crioulo, moco : a tratar com Jou Jos de Car-
valbo .Moraei no Recife.
= Vende-se um lindo preto cozinbeiro, e outro
gaobador de linda figura ; na ra da Seoxalla-Velba,
110.
Cheguem ao barato I
Na bem acreditada loja da ra do Crespo o. 14,
Jos Francisco Das vendem-se riquistimos cortes
de carnbraia transparente de todas as cores, de quadros
largos e chadrezes do ultimo gosto a 4800 n. ; ditos
de superior chita de listras de ludas as cores, aveludadas
e do ultimo gosto, a 4500 rs ; um.sorti ment de bi-
eos e rendas, muito finas e de todas as larguras pelo
barato precode 100, 160 e 240 rs. a vara; pecas de
carnbraia lisa transparente, a 3200 rs. e a vara a 560
rs.; finistimos cortes de tarlalana, com 9 varas a #
dot de trez pon tas, a 320 rs. ; e oulras mniUi Calen-
das ja annunciadas nos Diarioi ns. 221 222 223 e
224.
= Vendem-se volas de eera de 'libra ede 10 em
libra por menor preco do que em outra qualquer
parle : no armazem perto do arco da Concei(o de
Remando Jos Bragoez, e em casa de Gaodino Agos-
tinho de Barros, na pracinba do Corpo Santo, n. 66.
= Vendem-se 8 eieravos sendo duas pardas, de
idade de 20 a 24 annos, lavSo e cozinbio ; urna preta,
de idade de 20 annos, cose chio de bonita figura;
dous pretoi, de 20 annoi; doui pardos, de idade de
20 annos sendo um bom carreiro ,e de bonitas figu-
ras ; um preto, de 30 annos, cozinha e engomma bem;
todo por preco commodo : na ra da Cruz venda
d. 51.
= Vende-se urna parda de 22 annos, muito pos-
tante e itdia, engomma cose, faz renda con riba e
lava; urna escrava da Costa de idado de 18 annos,
de bonita figura cozinha e lava de labio ; orna dita
de 26 annos, para todo o ervico, e be ptima quitan-
deira ; amacrioula, de 15 annos propria para todo
b servico; urna dita de 24 annos. eom algumai ha-
bilidades e com um (libo moleque de 7 annos; um
moleque de 13 anribi; um escravo de naci Costa ,
de bonita figura ; um pardo, de 18 annos ptimo pa-
ra pagem ; na ra dasCruzes, n. 22, segundo apdar.
= Vende-se (arelo muito novo c^egado ultima-
mente pelos mdicos precos de 2560, 3200 e 4000
rs. a sacca ; na ra da Senzalla-Velba n. 138.
=Vende-se urna toalba de bretaoha toda aberta
de lavarinto por preco commodo ; na ra do Faguo-
des, d 27.
= Vende-se orna morada de cata de sobrado de
andares lila no Atterro-da-Boa-Vitta o. 22 com
muilo bons cummodos, e bem construida : do litio do
Hotpicio n. 21, ou na ra de Hortat, o. 140.
= Vendem-se 12 cadeiras e duas banquinbas de ja-
caranda ; ludo em bom estado por l ter tenido 3
mezes; na ra da Praia n. 22.
= Vende-se urna prensa de etprerner caj, em bom
estado ; na da Cruz, oo Recife, loja de pintor.
= Vende-se urna ctldeira de cobre propria para
te fabrica rom velas de eera; orna porcao de madeira de
Dominada Goncalo Alvet : atraz do Iheatro,
n. 20, tegundo andar.
= Vendem-se duas canoas, que carregao de 800 a
900 lijlos de alvenaria ; urna dita, que carrega 600
a 600 ditos; a dinbeiro, ou a troco de lijlo de qual-
quor qualidade, ou telbat: vendem-se barato porque
te comprrio para fazer um atierro e eite est aca-
bado : na ra Nova venda n. 5.
= Vende-te tola de muito boa qualidade; courol
miudot de cabra em porcao e a retalbo, por preco
commodo: na ra da Praia n. 7, ou na praca da
Independencia, n. 2.
= Vende-te um par de mangat de vidro com pea-
nhas douradas, chegadas ltimamente de Lisboa pro-
prias para imageni; do Alterro-da-Boa-Vista, o. 60.
= Vende-se cobre de forro e pregos ; na ra da
Cadeia eteriptorio de L. G Ferreira di Compaobia
= Contina-se a vender agoa de li.ngir os cabel-
lte tuistas: o metbodo de applicar acompaoha ot vi-
drot: di ra do Queimado os. 31 e 33.
Vendem-se caiaes de pombot em coala : no pa-
teo de S. Pedro, n. 3.
Vendem-se saccas grandes de farelo,
chegadas ltimamente: no armazem de
Guiniar3es, no caes da alfandega e em
casa de Costa & nofre rua do Amor i m
n. 35.
Vende-se muilo superior potassa da
Bussia chegada ltimamente e cal, vir-
getn de Lisboa por preco commodo ;
na rua do Trapiche, armazem de assucar,
n 17.
Vende-se, na loja n. 4 da praca da
Independencia, rap princeza de Lisboa,
em botes e meios botes, ao preco de
5s'5oo ris: este rap he muito fresco e
chegado ltimamente de Lisboa.
Veude-se cera em velas, da melhor
fabrica do liio de Janeiro, e em caixinhas
pequeas de loo libras, com o sortimento
seguinte:
6 libras de 3 em libra.
8 >. 5
12 8
14 '> 10
iG 13
30 4
l'.\ 16
ioo libras
n.
pelo mdico preco de i^'44 rL''s cada li-
bra: na ruada Seiyaila-velha n no
Na fabrica de vinagre e espiritos da
rua da Gloria, n. 59 veude-se vinagre
tinto e branco de superior qualidade em
pipas, quartolas e caadas ; espirito de
vinho ; ago'ardentes e licores dedifferen-
tes qualidades ; tudo por preco muito
commodo.
Vende-se a amigerada champanhe
marca C C, que nunca se vendeo por me-
nos de 27'000 rs. o gigo de duzia ,
a q5'ooo rs., para haver prompta extrac-
c5o: em casa de Me. Calmont & C.
Vende-se cera em velas de superi-
or qualidade e da mais acreditada fabri-
ca do Rio de Janeiro por preco mais
commodo do que em outra qualquer par-
ra. ; corleado casta-chitai 2j n. ; lencot borda-lte ; o sortimento he o melhor [losstvel por
que contm de 3 a 16 em libra e aa cai-
xas sao pequeas : em casa de Ma noel
Jos Machado M.alheiros, rua da Madre
de Dos n 5, primeiro inflar.
Vende-se muito iaom fogo a preco
de 3o reis, conten do cada um mol bo 100 o
140 mexas, e por grosa a 3ooo, ato s
depois das 8 horas da roanhSa : no coli-
gue rua dos Quarteis n. 11 _, casa pintada
tricolor.
Vende-se potassa russiana nova-
mente chegada: a tratar com J. J. Tasso
Jnior.
Ka travessa da Concor-
dia, sobrado nico de um an-
dar, vende-se um par de Lin-
ternas, ricas c de gosto.
Vendem-se meios bilhe-
tes da lotera do Seminario
que corre no dia 15 do corren-
te impeterivcimente: na rua
do Colegio loja n. i .
Na rua do Crespo, loja
n. 16, vende-se um completo
sortimento de bicos franeezVs,
por preco que muito igrada
aos compradores; assim co-
mo se continua a vender lonas
da Itussia n. pelo mdico
preco de $00 ris.
Venderse vinagre bran-
co nacional a 400 ris a ca-
ada velba: na rua do Aterro-
dos*Afogados n. 7.
Vendem-se chapeos de
sol de seda, para Senhoras.c
meninas, de muito bons gos-
tos, pelo barato preco de
ɘ ris: na rua da Ca-
deia do Recife, loja de fazen-
das n. 55.
Vende se um relogio de
ouro, de patente, muilo bom
regulador, com urna corren li-
ona tambem de ouro : na
travessa da Concordia, sobra-
do nico de um andar.
Existe um pequeo resto
de meios bilhetes do icio de
Janeiro a i'2/000 ris cada
um : na rua da Cadeia, loja
de cambio n. 58.
>- Vende-se uro sitio sito
no pateo da Paz, povoaco dos
Alegados com os fundos al
bai\!i-mar confinar com o
canal do rio, que corre para a
ponte do MotocolorHb, e di-
versos arvoredos de fructo, tres
cacimbas, entre asquaes urna
de excellente agoa putavel; ca-
sa de pedia e cal, leia ha pou-
co, com perf. ico, gosto, e eoni-
modos para grande familia ,
cosinha fra, e muito spaco-
sa, c.ilribaria para dous caval-
los. Os pretenden les a este pre-
dio dirijo-se a travessa da Con-
cordia sobrado nico de um
andar.
Escravos Fgidos
Fogio do dia 13 de tetembro p. p. om pre-
to crioulo de nomo Guncalo de idade de 30 annos;
o qual foi do Sr. coronel Francisco de Barroa neg,
teahor do engenho Suh; cujostignaes sfio oa segua-
les : boa ligura peritas um pouco arqueadas olhot
etbugalhados ; levou camisa de algodic trancado eom
mangas sem punhos ceroulas compridas de algodSo
fino e alvo com botSes pretos no ct. urnas calvas de
biela azul oulras de riscado de listras aiues e ama-
rillas um panno da Cotia e om chapeo de palba
novo : quem delle der noticia ou o trouier a rua do
Cabug, o. 16 lera geoerotamente recompeota-
do ; rogando-te a mema apprehensao a toda aa auto-
ridades polioiaet.
m. j WATUr. DE M. F, DE FABiAlb45.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E87F4P8JD_SQBVFH INGEST_TIME 2013-04-13T01:38:27Z PACKAGE AA00011611_05888
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES