Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:05886


This item is only available as the following downloads:


Full Text
esta.
-
Anno de I.84S.
O DIARIO publicarse todos os das qne
nao forein de guarda : prejo da asigna-
tura be de 4/ rs. por quarlel fagot aditnta-
doi. Os annuncios doa assignanlos sao inse-
ridos a"raxo de 20 tii por Mola, 40 rs. em
typo, difierente, e as repeticet pela metadc.
Os que no forein assignantes pagao 80 rs.
dor iinlia, e 160 em typo differente.

PHASES- DA LA NO MEZ DE SETEMBRO.
M\ nova a 1 as 7 h. e 15 tnin. da inanlia.
Cresceute a 9 as 3 h. e 4 minutos da tard.
La ensila a 15 as 7 hor. e 54 mi, da man.
"------ a 23 as 10 bor. e 6 m. datarde.
-
Sexta feira 10
PARTIDAS DOS CORRKIOS.
Coianna. Parahyba, e Rio Grande do Norte
Segundas f Sosias feiras.
Cabo, Serlnhaem, Rio Formoso, Porto Cal-
vo, e Macey, no 1. 11 81 de cada mes.
Garanhuns e ' Boa-Vista e Flores a 13 e28.
Victoria as Quintas feiras,
Olinda todos os dias.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira aos 42 min. da tarde.
Segunda aos 54 minutos da manha.
de Ootubro.
Anno XX V M*.
DAS DA SEMANA.
(i Segunda S. Bruno, and. do J. dos orph.
e do J. do C. da 2. v. do J. I. da 2. v.
7 Tcrc.a S. Marcos, aud. do J. do elv. do
1." v., c do i. do pai do 1. disi. do tard*'
8 Quarta S. Hrigida, aud do J do riv,
da2.'v.,edo J. tle paz do2.dist. de t.
0 Quinta S. Dionoiio, aud. doj.dc orph.
e do 1. M. da 1. v.
10 Sexta S. Francisco, auH. do J. do civ. da
1. v., r do J. de paz do 1. dist. do tard.
11 Sabnado S. Fumino, aud. da 1. v., e lid .1. de paz do 2.dist. de t.
12 Domingo S. Cypriano.
CAM0IOS NO DA 9 DF. OljTlltlRO.
Cambio sobre Londres. 26 d. p. U a 60 d.
Pariz 370 r<'- por franco.
I i. Lisboa 120 a I2i p. c. pr. p. n
Dcsc. de let. de boas Orinas 1 ty, 1 '/, p */,
Ouro-O cas hospanholas 3|500 a 32*0(1
i-I.
1
Mocda dr (#400 vel. 17^000 a
,. de 6/400 nov^ 1200 a
de 4/WM^.ssE" 9*800 a
Prata-PataciVs Ttl '1/70 a
., Pesos i-oliiinnares. l'iK0a
Ditos Mexicanos 1/010 a
Moedas de 2 palac. 1/280 a
S2WI
iK'im.1
17*50(1
fl#5IKi
l#?Wlt
tm>
I/3J0
Acces da C* do Hcberibc de 50/O00aa par.
IO DE PEMT AMBUCO.
G< > da provincia.
tXr-EniBNTE DO DA 3 DO CORRUTE.
(CWswoV)
OflioinAo juii dim friim da faienda, declarando,
3ue, 'sMwpre qne s verificar o impedimento de qualquer
us i'fllciif s do seu jniu, apenas pode ello ene-arrogar
ulguem de snpprir-lhe a falta, emqusoto pela presiden
lis nao fur noroeado qurm n subititua; pois qne he i
esta, que, segundo a lei de 3 du ouliifern da 1834, per-
tenre O pnivimento provisorio d'sqoelles empregos,
cuja niimrac&o lie de S. M. o Imperador; e qno eile de-
vra ser o cu procedimentn a cercada iib.iiluico du
cscrivto daqui-llo jiiim pnr Joto dos Santos Prto; a
qualdrxuu de trater no nunlinciinoetu da mesen* pro-
idenoia, que, isto nlo obstante, a d por ora cunto aj
provea. x
DitoAo presidente da cmara municipal do Bonito.'
aignincaitdo.qoe nlo he 1 elle,mas sini a mnnicipalidade
que cimlere a lei de 40 de junlio do 1837 a faouldade de
licencia' por 43 (lias os protetsoret de primeiras ieltras
du seu municipio.
DitoA" jniz municipal o d'orphns do termo de S.
Aulle, diiond, que us terrenos, pertencentes aus lu-
dios, de que trata oro seu ufficiu de 15 do p. p. tetem-
brn, devem ser arrendados em hasta publios, pois que,
liaTeiidu sido olio equiparados aos orphlos pelo decre-
to de 3 de junhu de 1835, Ihrs ho tarobcm sppcavol a
ordenaeeo do livru 4., titulo 88.
Dito Ao coronel eliefe d legao da guarda nacional
declarando, que ao jury da revista, e uto a
> quo >e devoro dirigir o guardas respectivos,
' julgarem iadevnlonicnte quslificadoi, ou qm-
r para a lista de reserva.
loriaraCoiioadendu a Joto Chanon Cavolcanli do,
Albuquerque a deinison, que pedir, do cargo de pr-
ineiro supplentu do subdelegado da frrguezia du Itamb.
Partieipiiu-ic ao chufe do polica interino.
Commando das Armas.
D'ordem rio Senhor general Antonio Corris Sira,
commsndantedas arma delta provincii.se fas publico,
na cqnformidade do artigo 9.* da lei de 26 de tnaiu de
1835, que o espillo do 1. batalliSo de capadores do
eiercilo Fr&nciioo de Piula de Albuquerque Grillo loi
comiderado susente por excelso de liceoca na ordem do
di* du l.'docorrente, tob n. 52
Quartel general na cidsde do Recite, 7 de ootubro de
1848. Jote da Silva Guimardtt, sjudinto d'ordeoi.
=
Iapproviclo; poii que de setnelbante trremiticlo no-
nhuma taotagem pode reiultar a (atend provincial;
sendo maii conteniente que iquem o meimos diiimos,
e das demsn fregueziai por arrematar este anno, do
que sacrifica lose um insignificanti preco.com nota-
vel prejuizo da meima fiienda: e tanto msis conveni-
ente me parece esta medida, quinto se reeoahece
que na lotutltdade nao ho possivel efljctutr-te a
arrecadacio dos metmoi ditimus por conta da tbetou-
nria, atiento o estado lastimoso a que a teociredu-
zio as criac8ei em toda a provincia. Julgo haver assim
resollido do modo msis conveniente asrenda di pro -
vineli. Deot guirde a V. S. Palacio do governo
do.Rio-Gnnde-do Norte, S4 de maio de 1845. Dr.
Catimiro foi di Aforan Sarmiitla. S. inipeclor
de thwourara provincial.
N. 25.Ordeno a V. S., mande entregar ao viga
rio daregueiii-da villa de S Jos de Mipib, pels ad-
minitncio de rendas delta lilla, a quiatia de du-
sent s mil rii. votida oo % 42 do artigo 2." da lei do
orcamento provincial, sob n. 105, de8 de novembro de
1843, pira o* repiroi da respectiva matriz. Deot guirde
a V. 8. Palacio do governo do ftio Granda-do-Norlo
24 de maio da 18*5. Dr. Caimito Jo$ d* Mo-
tan Sarment. M. inipeclor da Ibenouraria prerin-
citl.
N. 26. -Ordeno a Y S.. tnat)^ eqtregir o paru-
cbo da freguetia de Goianniohi pela idministra-
cio de rendsidesia villa, a qaantia de du ten tos mil
reii, votidi oo 43 do artigo 2.'da lei do remenlo
provincial,n. 105. de 8 de novembro de 1843, piraos
reparoi da respectiva mstris. Deoa guarde a V S.
Palacio do governo do Rio-Grsode-do-Norto, 24 de
maio de 1845. Dr. Caiimro Jos dtMorae Sar-
ment. Sr. inspector di theiounria provinoial.
Dia 27.
N. 27-Communico a V. 5 paraiui inteligencia,
que o negociante Antonio Cerqueira Carvalbo nao ac-
ceitou a nomeaclo que delle fit para, com o cidadlo
Joi Ignacio Fernandos Barros Bolaxinhs, examina-
remos livros de eicriptursco e eontabilidade del re-
particio. Deot guarde a V. a. Palacio do governo do
Rio-Grande-do-Norleia7demaiode 1845.-iVr, Caimi-
raria provincial.
7unAo3.
das as poueai obras publicas, quoaqui etistem, oque alrovondo a faze la direclamenle, com todas ai orca
lodsisio da msior utilidide; cumpre que V. S. do- rep> llem quanlos lem noticia das qualidsdes dos mem-
senvolva todo o telo e iclividade.dc qale o repulo choto,
na arrecadacio do que i,esta devendo a provincia,
empregaodo primeirameotq, o meios brando*, c per
suasivoi, que recommeodlo a lei u a raio, e depois
os judieiaei; podando V. S. contar com tuds a cosd
juvsclodests preaideneis 00 tocante a tao momenloso
objeeto eo guarde a V S. Palacio do governo du
Uio-Grande-do Norte 5 de unho de |H15. Dr.
Caimiro Jote de Aforan Sarment Sr. inspector da
thesouraru provincial.
Correspondencia.
INTERIOR.
RIO-GRANDE-DO-NRTE.
OVKRNO DAPtOVlNCU.
Correspondencia do xm. Sr. douioi Casimiro Jote di
Moran Sarment eos rAeiourori'a provincial.
Maio 24.
N. 24. Relpondendo ao leu cilicio de 20 do cor-
rentc.n. 98, em que pede a nimba approvacso a ai-
remtlifio dos diurnos e impottof provinciaei, conitin-
tei doi quadros que acompanbirio o seu oilado eflicio,
cumpre-me dizer-lbe, que approvo nicamente a ar-
reihsticlo dos impostos declandos no quadro n. 2,
vilto nio.ter havido queni msior preco oOeiecaese.
(tiMiio, porm, ao ili/imo do gado vaccuin e avallar
de algumas fregueiss, que obtiverso llocos por cabeea,
e que constlo do quadro o. 1.', nio polio dar rninha
da lei provincial o. 12, de 3( de outubro de 1838,
concedido a Maooel Joaquim Peretrs do Lago aposen-
tadoria do empregode o(llcialmaiordas"cretsria da pre-
sidencia, queeiereia, por me o baver requerido, pro
vando tir completado mais da unte e cinco annoide
seriico, e acbsr-se inleirimente impoisibilitado di
continuar no etercicio eilectivo d'aquelle emprego, pe-
las chronicas enfennidades que padece; atiiiu o com-
municoa V. S. para seu conbacimento. Dos guarde a V
S, Palacio do governo do Rio-Grande-do-Norle, 3
de junho de 1845. Dr. Catimiro Jote de Moraet
Sarniento.Sr. inspector da tbeiouraria provincial.
Dia 4.
N. 29. Communicando a nomeaclo de Jos1 Nica-
cio da Silva para o emprego de ollicisl maiur ds tecre-
tsria do governo di provincia.
Dia 5. ''
N, 30, Sendo muito grsndei 01 apuro era que
lente te sabio os cofres provincloes, e bawn.do 00 dos estabolecimentoi de aridade; essa injuria, que o
Srt. Redactores. A jji>lica e a amizade forco-me
incommods-loi, dirigiado-lhei algumas considera-
res cerca do correspondencia do Sr. Francisco Anlo
nio Cavalcante Cousseiro, publicada no Diario-novo n
197, em razio de sua demiss&o de escripturario da ad-
ruinislrscio dos estabelecimentns decaridade. ous fins,
du o Sr Couiieiro ter em lista na sua correspondencia:
justificar-so e mostrar o laor. 'I"" lir'' n "'r' ihosourei-
ro da sdininistrsQlo dos otesmos estoboheimontoe, du
lugar queoceups, dedutiodo d'ello parte de sua subsis-
tencis; porrn nem um,nAjlbulro,conseguio o Sr. Cutis-
eiro, sendo nao menos psra desojar, que oblive>su o pri-
meiro, do que indigno jrfnlo sein pejo publicasse o se-
gundo e revelsite o seu dapcito, e o furor que o ani-
mava s morder a bonra do Sr. tbesoureiro, a qual
nlo pude estardependente da lingoa viperina de ummi-
teravel como Coutuiro : o publico faz justiga ac-
tual administrscio dos estabelecimenlos decaridade, cu-
ja dedicacSo e telo sao patentes pela comparacao d -
estado em que recebflrao estes estabelecimenlos, dcs-
providos, com urna divida do de/asete cont e tanto
sem poder o hospital receber mais do quo al trinta en-
fermos, eoactusl, em que a divida acha-so paga, sem
contrahir-se nova; (odas as casas bem reguladas, e pr-
vidas quinto permiti 1 sua siluao.ao; o hospital acom-
modsndo ordinariamente mais de cincoenta eolermos,
e 'diii ropa pars acommodar a qujdrocentos -omo c
avaliou o et-presideote Tliomaz Xavier ; o Mlcm de
ludo isto, reparados emelhorados todot os predios do
patrimonio; o assim a faienda Carnauba, que, con-
Iiiderando-se nlo fuer mais parto do patrimonio dos
estabelecimenlos de cuidado a acta
c*u del la tomou conta, ichando-se fatendo parte do
patrimonio doi meimos ettabeleciinentot. Os relato
rios dos presidentes e discutsdei de alguns Menhores
deputa los da asiembli provincial, durante o lempo da
actual administrscio,muito a honrlo e oprecio o telo e
dodicaco, com que ella se tem portado. Uindosmein-
bros da actual aduiinistracio, a quem lanos beneficios
le devem, aquella que diz o Sr. Cousseiro n'ella mul-
to influir, beoSr. Ibetoureiro Antonio Martins Ribei-
ro ; cabe-lbe, portento, bol paite dos agrndecimenlos,
que o publico tributa a administrarlo, e dajustica,
quu Ibe faz o proprio Sr. Cousseiro. Mal o Sr. Mar-
tins Ribeiro nlo tem na administracao a preponderan-
cia, quo s quando quer leri-lo, mas nao no que tic til,
Ibe tem sidoe lliehe attribuido pelo Sr, Cousseiro, nem
01 outros mcmlifoi, I em conhecidus pelo seu carcter,
erlo amoldados para te deixarom governur por ulgueui,
e menos por petsoa, que nao lites ilevesso merecer con
eeilo, e que s procura servir a seus intereses coui dain
N. 28.-Tendo eita preiidencii, em conformidtde estabelecimenlos d Je I administra-
urgeatiiiimaneeesiidide.de mindir reparar
O EQ1L1BKH) FEM1N1NO.
VBOIOCrO.
Mr. Louis-Valentn de Chambrv, amigo dirootor de
coutribuicVs directas de provincia, era m hosnem de
talhe pequeo, e doa seus 58 aneo. O seu seniblante
franco, abertu, e risunbo revi-lava uuiadcssas ercatoraa,
cuja vida he intaltirelsaeate'tranlitisllo, jwr qutreHas'es-
tlo dtloriuinada n desviar sempren villa, logo que a vi-
daac Ibes aprsenla por un dos seus lados desagrada-
te, o a abrir os bracus, quaudu ella se Ihesnnti.lha oom
o seu aflaa luesquinho cortejo de alegras e prateros
Sem iiuporlar-se com fuluns contiiigoiiles, como de-
vem faier todoa os que aspiro i ser veniurosos, o Sr.
Valentn bavia devorad miccessivanienle a pequea
quina, que se lile reservova no mais obaouro rain do
budgel, do que resultara haver-so retirado no fiu de sua
luoga oarreiraadininislraliva oora urna pensio bem mo-
desia, una mediocre renda procedonto du heranca, c
ruis..... mais uda.
O110 pin.ioni.ia habiUva bonilinho |..jmenlo em
urna aas citreuiidados de Pars, e la il Icrminanil us
seu dias em um estado de saiisfaocao e ventera, que o
lion.ein cha na del de haver arranjad a sua vida fui u-
ra. Todava o Sr. de Chambrr tinha una lillia, rapariga
bonita, espirilui.s, lour^sya, rnoanUdora, 11 de idade a
inspirar a son p.u serij SVfleto Mas estj&ilou mr-
iluiihus cloulu, que listP < levarito a\H hacrs,
quanao nos seos uiouiont. uliiiva o nodo de tan r un doto, e csn<;ad de imaginar
asaeiili'ii cura sigo, que Doos provideui lana !.....
Alem di tu a tua existencia era de tacto muito agra-
davel. Tinha relajos com muita gente, mullos baile
uudo levara sua Alba pelo invern,' laiubcni tinbn, gra-
css aos seus numerosos ennbeeimentot, llicatro gratis
quaii senipre ; e afora istu bom fgu u boa meta, quan-
do por acato nio janlava fra. Pelo verlo- Iros ou qua-
Iro casas de ramp dltpuuvfio a honra do cfforecer-lho
0 abrigo de seus lelos, e a sombra dos seus nrf oredos :
um genio oom o seu nada mais era preciso para rego-
tijsr-se do estado doa negocio terrestres e bemdixer a
Dees por haver lio bem dispoilo sis cositas.
Era nomet de l'rrcreiro, em pleno carnaval; urna ma-
nhia o Sr. de Cbombry e sua Klbs Josepliina convernavo negooianlcs, e mo chamo I
a re'peiiu duspraaere do iilliuio serio, saboreando cada, u vclhu empre|;,idu inris
um da sua parle urna chiebara do chocolate, qiiaiirin ba- cenca, como quem nlo
trlo porta Fui a criada abrir, e o pal e a filha vira
entrar um homein de ,'il) a 3J anuos, qne Ibes ero inlei-
rameulu deaconliecido.
0 liilbe dette era mediano, mas pcrfeitanienle pro-
porcionado, o i primeira villa aniiunciara um destes
lasBperaniontus de supporlar a fadigas c cuidados dn
vida. A murena cor do rosto, o os bellos ulhot negrui
uheios de I i vota lodloavlo urna cuiuplci(ao llirridiiinal
e ardenle, assim cumo as foicoei regulares e etprussivas
uina alma enrgica, c do tempera vigu/u!. Todava,
quem 11 ubservaase com alinelo, modificara a primei-
ra upiniio. Com effeilo, o seu andar vagaroso, a mas
maueirs moderadas, icu ar bunachao, as suas palpe-
bras um pouco focliadns que Ibe davo ao olbar alguuia
cousa de lento e montono, o em fin a calma c leteu-
dade pinlada em ion soinblaute, induiilu a crer, que o
visitante era de una urgaiiftacio iiiolfeusivii e benvola,
mas lalvet um pouco apalhica.
O dee.'iiberidu tauduu prufundameiite o pai e a filha,
e dirigiudo-se aquello, di.e com vos branda:
tle ao Sor. de Chaubry, que tenho a honra de
fallar?
Ao moiino, meu Sr., rcipomleo Valentn, erguen-
do-se um pouco para corresponder a pohdei do seo vi-'
sitante. ^
Sr Cousseiro com miseravel deslarce Ibes irroga, nao se
ras'Tw"iiTinr^ieriwtgstBtfcp.'^v ^atttssstsssacg.
Ete hetitoii pr um inoajento ilcpuis conlinuou com
algum acunbaueiitu :
Uesejar ia confiar ooSr.dii.iupa la ira em particular.
Ealou s suas rdeos.
E levaulando-se iiniiicdiatanieuto n pii ile Jusephina
convida com o geslo ao ilrsoouliecido niegui-lo nutra
sala, era quinto a rapariga vllia ciu silencio para o que
se paisa, e sente-ae picada d rurioaid.ide.
(guando o Sr. Valentn se sentn, u ileiconbecido'^ue
tinha 1'ejto oulro tanto, oomecou nestes torillo:
Eu uaici 0111 CoiistafBliupla, do pas Francezc o
Inodieto Dcarunai.
u-e em sgiiol de sequos
Iva jncslas palovrus mutoria
paro diieussao.
II tres anima quo detei o Oriente, depois do lia-
Ver realisado it itiiiiha fortuna, cuiitiuiioii (ranquillamcii-
! lien ihcto, o vih eslabelucer-iiie em Franca, priniei-
rainenic em Mancillo, o depois em Pariz, uudo do pre-
sento moro.
Tuilo isso be muito claro, responden Valentn
Iirucuraudo adeviiihar, pela phynoiioiuin do son nter-
uculur a peroraclo deila emrdlu.
Regule! por lano a miulio posican; meu calado
civil esta litado, de orle que n.eus conoidailaos podem
entrar em relata oouiiuigu, cuino so a ra Vivieiiuu uu
Nanterro mu liouv eineiu Vlitu oaicer.
Ali!..... diste o es-director, nippondo ja quo Ira-
tuva com alguiu avcnlureiro invciiior uu puuidor de
unta grundu deicuberla, em cata do capilaei desliuadus
leounila-la. E coiu sigo dissi". Pura oa ven bem !.....
* Tenho cincuenta mil oruisdos du ruadas, 111011 ir.
Ali!..... repello Valonliii, mas deslaves abrimlu
mnilo us ullius e oom lodo o uuirus siguaei de gruude
espanto,
Cinonenta rail crinados, dos quaes quareuta eui
easact o turras 110 Nivcrnaia e berry, e u deiuais era va-
lore movis.
O Sr. Cbamlry eitava inaravilhado: oienoou a cabe-
bros da aduiinistracio o d >s serviros, que ah hio pres-
tado. Essa demisslo dada por a administrscio, com de-
clararlo dos motivas aisignada por todos o m-'mbroi,
os quaes, com oteepeo de um, tinto conceito mere-
cen ai Sr. Cousseiro, he um documento, cupis funda-
mentos nlo ser6 fcil destruir. E tara a rreclaraciodo
estado do archivo, feita por urna commiitio nometda
psra o etaminar, he tal, que ton lia fdres para justificar
completamente ao Sr. Cousseiro. como elle inculca,
julgando, com a publicaelo d'este documento, e com
aliocanliar um dos membros ds adminstrenlo, ter mos-
trado, que nio hsvia falta, que te Iba notatte, e que
todoolnso, s pelas culpes do tbesoureiro foi domitti-
do. Jaque o ot-eteripturario dos estabelecimenlos de
candado troute ao publico a historia do tas demisslo,
deve este saber, quu as faltas d'este etrpregado fdrlo
(antas e tao graves, que foi do necesidade a homeni
honestos e telosos da prosperidade dos estahelecimenloi
confiados tua administradlo defpcdi-lo, nao obstanto
terem sido sompre os seus protoclores, u bsverem todos
tina volitado para o desculpsr e soffrer. Niotoez-
oscripturario nao tratav.i do archivo como detia, con-
duzindo parte d'elle para tus casa, tem ordem di ad-
ministrarse, o dislrabiiiilo pspeil importintiltimoi, co-
mo fosso urna escriptura de dehito e hypolbeca di qusn-
lia de Itinla contos doris, (eita acata dos ctpostoi, e
quo felizmente pode ser obtida por certidio em Rio-
I''ormtizo; mat tambom oppunba muilot embirivot
adininistracao, o tornou-se incapat do conancs.por seu
proceditnento reprehensivel; cobrando alugueil. como
um dos quo assi^navao os bilhetes, e oceultando i ad-
quando o legitimo procurador iaarrecada-losos ioquili-
nos recusavao-so a pagar, cobrando, em nomo das amai,
salario- d'estas, e oulrot ridtcularias, que enojao referir,
o que lornarao impnssivel a continuaclo do lemelhante
empregado no inesmocargo. Deii, portinto, queiie-te
o Sr. Cousseiro, e nao da probidade dot que o nio po-
derlo mais supporlar; ho eslravaganle separar da admi-
ni-trai,'ii.i o Sr. t'nesoureiio, para dar como por elle ope-
rada urna demisslo,cuja ratjo ho protegidapelot nomet
dessas pcssoas.a quem tanto retpeito tributa o Sr. Cous-
seiro. e cujas assignuturus prolestao por conseguinte il-
tainoiilo na propria contciencia deise Sr., e contra tua
apregoada isencao do culpa : bo igualmente iocompa-
tivel cotn o bom telo, probidade e servicot da admioii-
traco a etistencia nella de um tbesoureiro tio meo e
prevaricador, como o figura o-Sr. Cousseiro, equese-
ja este nietnbro o que nella maior influencia etrea, e
que seja sua vontade a preponderante, e que tanto con-
ceito e eonlianca mereca deseus companheiros, quede
todo a elle se enlrcguom. Nada mais fcil do que sllri-
buir a um ompregsdo, encarregado daguardi dos di-
nheiros o dos pagamentos n'uin ettabelocimento eso
seu procurador, ganhos i Ilcitos, e a delraudacio em to-
dos os negocios ; as isso nlo be fcil de iuppor-10
consentido por una administrscio ebeia dededicicio, o
que assim nao podena conseguir os retultados, que de
todos sao sabidot. O procurador dos estabelocment
.le caudado lie o Sr. Joaquim Manuel de Barros, pettoa
do rrconliei ida probidade e honndez, afiancadt e
quo servo em inuils casas com illibado crdito, bem
como, ha vinle e unannos, no boipitil do Parsiio, e
tem 0111 seu poder documentos irrefragavois, que isto o
confirmlo; c todo o seu crime he ter descocerlo pen-
te a administracio tu desvarios e eicessot Jo et-es-
ttsjssaasmt3ittnBttssstsstsstsg
oa, c 0.-I1 o.r !! involuiiiarianienii; na m.io ; o que quera
di/er: Apio! utro tanto quitcra eu tor!..... e que vi-
dinba psasiria!.....
Oo nutra parle, ineus gustos tio muito simples,
ii 11I111 nnouin o,a tranquilla, o genio naturalmente af-
!' -otiiuso c brando ; crcio em urna polcvra, possuir os e-
leinentul iicecssarios para nssegurar a felicidado daquul-
les quu vivera commigu.
Por que n.'uil exclama o antigo director, quem
estai ullimiis palavras liaviao pelo primeira vet, tiiieila-
il 1 ir:..! idoi.v no qual elle nu urna anda fUar-se.
Eslu diversas eoniidcracOes mo ominarn, prose-
gu Benedicto oom o mesilla lercnidude, e espero nio
porerer-lbo (lemaiiadomento prcsumpcuio, a faier-lhe
um pedido, cu jo bin deipoolio ornupletaria tudot os
meuidesefos. Eu amo Madera >iiella Josephiuc, e mea
desojo seria oblor a suo na,
A iu;i do ininha KII1.11..... para o Sr.!..... etcla-
mo Clioinbry, r.unfiisu do admiraflo, pura Vm. quo (em
cinco........ nao! na be isto o quu eu quera iliier.....
Mas donde a eonheeo o Sr. ?..... onde a vio?..... queat
nos procurou elo honra p
Tuda a honra be nimba, Sr. roplioou modesta-
mente esrunai inclinando-se. Vi algumas votes a Sra.
JosophlsM era bailes de amigos nussos: Mr. Delamsre,
Mr. de Verdellos. Madama do Msroitly.....
S.io ciMii elIVii,, mu, amigo, mas..... queira per
doar..... a iua figura me he quasi dusoonbeeida.....
Fuco pouco bulla uu mundo ; na sociedades be
meo gnu pui-mc retirado, e observar. Vou dar-loe
una provo, so quiter ouvir-in'a. A Sra: toa Blba lean
uipiritu, una grca natural nos seus menores gestos.....
Ella ho oom rffoitu oncauladora! nlo lio por qno
je miaba lha, 111.11 a sua bundade, a sua modestia, a
na caudura.....
Se Vm. m'u porinilte, acobarei o seo relrato, in-
lerrnmpe Uenedicl por sua vet. Parcceo-sne uiupna-
eo leviana, e mullo de.ejusa do agradar. Em urna pata-
rra, creio que he alguina couia namorida.
Xt'


iToZL,* oue o... o?BT d0< 0f-1CoD- <" generosid.de de am ludo.chorrera I-
So tu, nr7d T h'" P,,* ??* I"8r0, Mri' d -eriptu.-ario. Ni, ftporU : O. que do
?um fC HLTrT,-8em qU" h1,Md*|- utrero os mesmo. senlimen.o, peS doS? Cout-
rtt wa.5?Tr0.,M|. W,m'n,' r: n' ",C,,,lr46 ,Mrd,de doSr Antonio MB
o.^ i """""- R'^iro. cuj. falta he lio nolml en um tbesoureiro
a. cm o I.? 15 P i""' ," t0dM d Mtoi de caridade. como Ihe ariuio o Sr.
I ".mDicio-oES,, ,d0,|MP0,,o, '" ei-Moriplur.rio. que .t o re.pon.shili.ou pe. mor-
ripturtrio devia saber de
muitaicouiai, sendo Uo mi a gerencia do Sr. tbesou-
reiro; e, propondo-se a desacredita lo, cumpria-lbe re-
lerirtudu; maa >abio-se com urna historia de saceos,
segundo o que ditero as mis lingo.s, os quaes nunca
sahiro do hospital para a casa do Sr. tbesoureiro ; fra
dissosvem o rebate pedido aoSr. Bartboloroeo. que
hedetodt apondertrSo, e as facturas de lences e ca-
misas para os bospitaes de caridado lasaros; lembre-
*e o Sr. Cousseiro. que em mios do Sr. tbesoureiro
cxistem cartassuas, pelas quaes Ibefoiremeltidaa maior
parte de lences e camisas para a sua familia os coser.
comooSr. exiga, eoutras prevenindo-o, que. na for-
ma do costme, continuasse a mandar Ibe fazenda, para
lucrar os feitios, pedindolbe. que delle se nio esque-
cesse; na retpeito das expostas ja foi explicado pelo Sr.
tbesoureiro. accrescendo que a Svnfronia. que se acba
recolbida ao hospital di- caridade. entregue ao cuidado
do Sr. doutor Nery da Fonseca e bastante recomn.en-
uada vai obtendo algumas melboras do principio
raim de sua molestia; porm sempre bem nutrida, pois
ti?e a curicsidade de ir v-la.
P,ra 1ue o publicoavaliedevidamenleoque arespeito
do Sr. Bartholamoo refere o Sr. Cousseiro, he preciso
quesaibaquea administracio lucta com urna guerra,
que surjepor toda a parte.depoisque operou urna gran-
de rr.udanca no hospital, que vem a sor; depois que
sendo despedido de cirurgiio do hospital o Sr. Jos
I-rancisco Pinto Guimaries, por querer fazer i admi-
mstracio eno hospital o que boje esta faieodo o im-
comparavel Aquino, e de boticario o Sr. Bartbolameo
francisco de Sousa, a administrar-So collocou una bo-
tica no mesmo hospital com o que tem oblido urna dif-
ference na despea com os remedios comparativa-
mente com o numero que enlSotinlia de enfermos, pa-
ra o que entio vcnicou depois da botica as sent, dora
4 contos anouaes para mais, e nio para menos : ago-
ra poden, todos ajuizar do que he esse cont mal arran-
jado de sohcitacSo de um rebate no prego dos remedios
em favor do Sr. tbesoureiro, feita em urna escada pela
pr.meira e ultima vez! Um laclo semelbante e sem
precedentes ninguem o acreditara lenemente; a declara-
do de que o pagamento integral foi feito em ledras
por vencer, mostra que nio bata dinheiro de contado
para esse pagamento, e a ideia de rebate s poJia ap -
parecer em reltgio as lettras, como ja explieou o Sr.
tbesoureiro: e he cousa que causa espanto nio poder
pagar em dinheiro, e s sim em lettias por vencer.a nio
ser (oreada pelo credor importuno a rebate las com
prejuio.umaadininistracocomo a dosestabelecimentos
de caridade a quero crescidas e antipas dividas poie-
rioemapertos muitograve, cujos rendimentos con-
. nio be
hospital, he bem de crer que este grande abuso, ao
olboadoSr. Cousseiro, nio continu. Ficare aqui es-
perando que o Sr. Cousseiro reflicta na portara de sua
demissio e nos poderosos motivos della; que Ibe renda
o respeito que inculca mereeer-lbe a maioria dos que
a assignirio, e nio procure despicar-se no Sr. thesoo.
reiro com aboeanhar ajsua honra; e pedindo desculpa ao
Srs redactores,por ter tomado tanto especo,e asseguran-
do-lhes a mais inteira gralidio pela inseicao destas linhai
queescrevi, movido smente do sentimento produziJo
pela injuatica e pelo atroz insulto de que he objecia.
um amigo digno de estima, por cuja honra nio poda
presccindir de acudir
O Juslictiro.
Publicares a pedido.
///. Sr.Aoho-rae no exeroiein dn meu cargo. Keoi-
fe, 8deoiitubri.de 1845. Illm Sr. Jos Nicolao Ri-
Kiieiro Coala, jais municipal. Dr. Manoel Mandes da
Cunta e Atevedo, juii de (iirrilo do criinc.
Illm. Sr. Fien scienle. Reoife, 8 de oulubro de
1815.Illm. Sr. Manuel Mendea da Cimba o Aieredo,
inil de rlireil do crirac Jos" Nicolao Rigueira Cotia,
jiiii municipal da segunda vara.
Elogio ofrecido aos palriolae francesa, rmidint,, nt'
lacid.de Ja Recife, por occaiio do natalicio deS-
Al. Luis rhtltppc, a 0 do oulubro.
Extremo de virluile he. vicio sempre :
A Franca o enhenen em seo delirio
Roma, o Crema tambera, quando passrlo
A niela da raiin em neos g vernos.
A decnniada, doce hberdaile,
O templo da ra io, erigi Franca :
Delirio, o frenes, fes que vendada
Vio aiinulacro adoraase curva !
Cegurira don morlaca Ah f quanto podes I!!
Deavairada i> raiao, accea* em ira
Sena mutuos nteVrsies nio rrapeita,
A casia, c na i praser seua paaaoa regera :
A casia he esqueoida, uniooapoio
Onde escurava a liberriado a Franca .
A vontade, he qgeni rege : o mando he ludo!
Se manda um Pyrunot, Franca ciuudece,
Se manda Polignae, a iinpranaa he nuda!!
Bit o Irrino final : final extremo !...
Lngu o genio francos levanta fronte,
E vendo o aeu direilo atropellado,
Apathica illusloj desconhece :
Eia eiubruca o pavs, lauca empunha :
As anuas, cidadioa, elle exclama,
A patria salvar, reviva a imprenta,'
Morrer, cu liberdade, viva a Carta,
Ou te reconquistar Ao grito acudem
Oa genioa da naci, ot mait aublimet:
La Fayelte immortal, e qaanine bravot
Pavilhlo tricolor ja defenderlo;
Mas porque extremos ji detesta a Franca,
l'oi'ni ineio termo nenia lucia honrosa :
Guardando o desvario plebe imana,
Etlirp de Orlcant he convocada.
Qualorae luatroa fax e mais dotas annoa
Que nateco etta Lyt: que ao Novo-Mundo
Eitendendo aeue raiuoaiirnnorotoa
Ou throno diamantino uratilciro.
Brotando vai ot fructoa magealoaoa,
Qocp'ra maia attrrrar frica adusta
A Ni-u de Luis, e de Bragan^a
VICTORIA, aechamou, por canta justa.
Da Gallia, e do Brasil oa poroa fidua
Jurem doce unilo, fraternidade,
Poia em PEDRO, e LIZ, na Cent nut derio
Doua inviolua herea da liberdade.
Por Franciteo de Freitai Gamboa,
Director do thcatro.
COMMEBCIO.
Alfandega.
BaWniMBirro do DA 0..................8:082,>700
Detcarrega ka je 10.
Brigue Sultanacanoa de ferio.
BrigueArmoriquibatatas a queijos.
sistem em lettras nio pagavois ao port.dor e a vista
O tbesoureiro dos estabelecimentos de caridade nao
despende dinheiro algum a seu bel praxer, e nem o
cofre esta debaixo de algum mysterio ; elle be vigiado
por urna adinmisiracao de honradez, e severidade.de
coja maioria so menos nao duvida o proprio palndim,
que lomou a si desconceitusr o Sr. tbesoureiro, como'
autor de sua demissio ; seu estado he conbecido e exa-
minado por todos os niembros da adminulracSo, e nel-
le nao laeiri bavido largelas que permiltao abusos, e
que paisem apoiados na relaxado, a qual se prevale-
rse, enio a regulandade, eslariio boje lolalmento
anniquilados ess^s estabelecimentos : o Sr. Coussero
tea urna grande prova da maneira pontual.por qua.nio
obstante o acanbamenlo das rendas dos estabelecimen-
tos de caridade, sao pagos os Srs. empreados no adi-
antamento em que elle sempre so acbava em nunca me-
nos de seis mezes do seus ordenados; assim tambem
pode se lemhrar da casaca que leve para a revista ge
falda casa dos expnstos, e depois mais o teitio, osdu-
entos mil ris pora pagamento domajor. alm das
continuadas cartas, que sempre eslava dirigindo ao Sr.
Ibcsoureiro, do emprestimos e mait empreslimo sem
viada ler vencido, nem se Ihe dever couia alguma, do
que f-xiste um grande numero de cartas em poder do
melmo >t. tbesoureiro. Hoje, porm, ludo esquece
pura detenvdver a sus demonstracio de que lira parte
detua ubsistencia desses cslabelecunenlos, quem leve
fui la
I"1
7\0I,!..... 0Sr- P" '"' dis Valenlin mordend,
os beicna c indo admirado dala obacrvacAo,
uro hoincm que Iba pedia a mao de Jotepliina.
Sim. Naollio ralla todavia tentibilidadc; o cora-
(3o he boro.....
He um curar."m> du ournj
O potiulaiiie dio a ana ritadinha e continuon :
Ella guata prodigiuaamente daqucllca qn.e tub-
mclleni ataiict VunUdet, a aeu* capricho., eaeua capn-
cboit.ln numeroaui; mat ialo he eouta iniiilo natural,
poia que em fin lratn-8 do una menina acoaluiuada n
Ibe f.iterrm aa ronladea.
Eia be boa
dctpt-iiu dos ciiicueiiia mil cruiadot du raaaa, 'como he
que Cu ni i.il opiniiuP.....
IJea mullier que moconvrm, meu tenhor. E fci-
tat Indio, as rrfieioee, decidi-me a aolioilar a honra da
auaallinnca convencido de quo a Sra. Jotepliina acra
milito llia rommigo e ru com ella.
( Nio Vollava a ai do leu eapanto o ex-director.
pndia conciliar cata cieiicn dut dcfeili
tilht, coia um amor bulante vivo
O genio doa herea, de Franca o genio,
DYspiiliui, marchando aobro eapjohoi,
Jiilgaudu que trilbava a rosea etlrada
Jmnia encoiilra liberal uaminho :
Em vei da liberdadn, ot ferrut buaca
Vacilla, do accrlu, o furimo
Ana crimet ae eniregou, guerra, i morte .'! !
Abre-te a cuntcripcio, lampejio mraat,
A Marte te dedican em riot de tangue
Seconverleni Danubio, Senna, eRbeno,
Que ao mar Glacial, ao Negro, ao Roxo,
AoOeaano, ao Bltico, coudutem
Oodaade taugue nat torrentct stiat.
Delirio doa morlaet Oh guerra infausta .'
Acere, e Moacoy, Vienna. e Lyiia,
E outras muilaa mait, viutimat forSo
Do ficho atiuladiir da cria guerra !
Qual Inueo deaeap'rado, o furibundo
Que da negra offenaa cumbalido.
Nao podando vingar-ae, era ti ae vinga,
E drpuia do raagur teiia membrot todos,
A vanea denodado, u q omito enoonira
Acc.imiuitte, derruba. fero, mata
A dcapeito doa Cena, da Naturcxa !
Qual Martn, que damnado, o enfurecido,
A aci proprio Sr. j nio respaila,
The que de ealrago tal, linrmrisadnt
Congrcgio-to entre ti hoineut, e Numca,
Opi.....do furca forja, e morte a morie :
Tal Franca, rodeada, c combatida
De mil contrarios seits, rivaot ni guerra,
A Ici Ihe vio impr, quo oulr'ora a Franca
A aeut meaiiioa inunigoa jamis dera 1 !|
Qual enfermo a quem lidia o amigue, aa forcas,
Eiu ai deixa operar quem dilque u cura,
iK a Mona Iba miuiatra aa masa dat vetea )
Tal Franca reorbe o ihriinu amigo
D.ia Bonrbona, doa Lyxea, por quem pugna
Alia polilica, em deailiniro d'ambot I
Apalbica, e aubuierta fice & Franca
Deixmiliicnndiixir aeu genio altivo
Por caducos mandara, tero gaz, tea brio !
Detce tepultma o rei iinligo,
Oiitrn Bourbon no tlirono Ibe tucccdc,
Q' mellior nao cura d'aeu povo invicto :
BENDIMNTO
Geral1:472*010
Consulado.
DO DA 8.
Provincial634*543
Ioflicio, que naale sentido aa Iba dirigi em dala da 7 do
Crrente.
Secretaria do lyco, 8 de oulubro de 1845.
Oaecretario,
JoOo Facundo da Silv* Guimardtt.
=0administrador da mesa da recabedoria de ren-
das geraei internas avisa pela ultima vez aos thesourei-
ros das irnasndades dos bens de mi marta, para que
venbio pagar o ultimo semestre de 1844 a 18.45, ven-
cido po ultimo de junbo p. p.., pena de se proceder
a executivo, se por ventura nio vieren) pagar al ISdo
correle: e para que chegue a noticia a todo faro o
presente annunoio. Becebedoria, 7 de oulubro de
1845.--Francisco Xavier Cavalcanti di Albuqutrqut.
O arsenal de guerra precisa comprar plvora Sa-
ra carluxame da fuzil; quem este genero tiver da me-
Iber quslidade mandar* sus proposta em caria faena-
da, com a amostra, a directora do mesmo arsenal, al o
dit 10 do correte mez (hoje). Directora do arsenal de
guerra, 7deoutubrode 1845. No impedimento do
escriplurio o amanjUAse Jo&o Ricardo da Silva.
Adpnittracao m eilabeleamcnioi de caridade,
Perante a administrarlo dos eitabeleeimenlot de ca-
ridade,se hio de arrematar, a quem mait der, aa reo las
dat catas da ra Direita n. 8 ; ni ra do Florianno ns.
17, 47 a 49 ; no becco da Carvalba n. 6 ; na. ra do
Fagundea na. 32 e 34 : na roa de S. Jus ns. 5 e 11;
na ra da Calcada n. 34 ; oa roa da Roda ns. Z o 7 ;
na ra Nova n. 43 ; por delraz da dila n. 18; na ra
da Moda n. 31 ; na ra de Fra-de-Porles n. 73, a
no fundo da metma n. 70 ; na ra de S. Thereta ns.
4 e 7 ; as Cinco-Pon tas ns. 70 e 98; na ra de Hortai
o. 33, e na ra da Gloria n. 63.
Os licitantes poderaS comparecer oa casa das suss sei-
sSm, na ra do Cabugi numero 5, noi diaa 10 (boje) e
17 do correte mei, pelaa 10 horaa da m.nhla, muni-
dos da aeua fiadores idneos.
Sala daa sessd>t da administrado dos ettabeleeimen-
tos de caridade, em o 1." de oulubro de 1843. O es-
criturario, A. A. di talda Bramido,
Avisos martimos.
Hl o vil-nenio do Porto.
Navios mirados aa fia 0.
Bio-deS.-FreocUco; 24 das, brigue escooa bratilei-
toCorriio-do-Brasil, de 137 iooeladaa, capillo Do-
miogos JosCaetano.equipagem 11, carga f.rinhija
Gaudioo Agostinho de Barros.
Babia; 12 diaa, sumaca brasileira S -Anonio-di-Pau-
dua, de 76 toneladas, capillo Joaquim Alves da Silva,
equipagem 10, carga larinha;a Naicimento Scbaeffer.
S. Matheui; ludias, patacho bratileiro 3faria-Luisa,
de 179 toneladas, capillo Jos Joa |uin Alves, equi-
pagem 13, carga larinha ; a Antonio Joaquim de
Sousa Ribeiro.
Jravtoi lahidoi no mesmo do.
Caravelas ; sumaca brasileira S. Hoza, capillo Fran-
cisco Caelano de Almeida, em lastro.
Rio-Grande-do-Sul; brigue braseiro Conceicdo, ca-
pillo Joaquim Jos de Siqueira Porto, carga tal :
condui 2 escravos a entregar.
Aracaly; sumaca brasileira F/ir-de-ngelim, capillo
Bernardo de Soura, carga varioa geoeros : passagei-
roi. Jos oaataciode Albuquerque, Jos Ferreira
Dioii, com 1 criado, Fraocilco Rodrigues Pereira
Lourenco Jos de Moura, e Jota Joaquim Bezerra'
Brasileiros.
Macei ; galera ingle Iranside, capillo George Ha-
rold Brown, carga a mesma, que trouxe.
Segu vi.gem para o Assu'.em poucos diaa.obri-
gue-escuna DilibtracOo: quem no mesmo quiercarre-
gaa, entenda-se na roa da Cadeia do Recite, o. 40.
= Para Lisboa lahiri al o da 20 do correte, por
ler a maior parte de tua carga prompla, o' muito veleiro
brigue portuguei Rosa, forrado de cobre, de que he
capillo Joa Franciteo da Costa Rojo: quem oelle qui-
tar carregar, ou ir de pastagem, para o que tem mui-
to boos e aaseiados commodoi. trate com o sobredito ca-
pillo, ou com oa seua coosigoalariot Francisco Severi-
anoo Rabello & Filho, no largo da Atsembhfa.
= Para o Rio-de-Janeiro tegua com brevidade a
barca Firmiza: para carga, passageirot e escravos a
Irele, dirijlo-te a Gaudino Agoslinho da Barros, na
praca do Corpo Sanio, o. 66.
= Vende-ia urna porfo de ferragetn a puleame,
roda de leme de ferro j proes de vergas; dout maca-
coi ; e mait miuderai; ludo de mareadlo salvados
de um brigue frantez, que naufragou na costa do Nor-
te : no becco do Goocalvea armttem do Araujo ou
a tratar com Flix C. Madail, em Fra-de-Porlti
ra do Pilar, o. 137.
Avisos diversos.
Deilaraccs.
ienc> de urna rapariga, tem haver antcriurmenle oon-
aeguidu o nonaeiilimento do aeua pait.
Ah Sr...... exclama npaieiilhuaiaamado, ialo be
de una delieodcaa.qiic me encama, o me diapoe todo em
seu favor .' Oh! boje meamo quero fallar a nimba fi-
Iha c.....
replica o Sr. Cbambry, ja picad.
Nio
loa rcaea de aun
para excitar um ho-
uem rico a deapoaar urna peaaoa, que iienhum dote ti-
liba. Todava con.....maia urgente uto era explicar ca-
la apparente cimtradircau, maa aim nao desanimar uu
partido, que aeofferee.a eaculiado do conaideracSca tfl,
formidavea, elle reapondoo turnando um ar grave
. Ealou diaao, Sr. igualmente per.uadido :' com
lodo antea de Ibe dar qualquer reposta, he indiapenaa-
.vel, que tenha una conferencia com mnlia Riba Sun-
ponbo qoe Juaephina, nio teiu ale bojo a honra do 00-
nbrce-lu maia d que eu ?
Queira perdoar. Cre., que nio serei inteiramente
descuuhecido i aeuhura aua fllha.
. Tanto melbor!...... da Valentn com alegra qoo
nal conlinha. E, ajunlou ella um pouco inquieto, lem o
Sr. algunia ideia sobre a upiniio quo Joaepbiiu forma
jo seu merec raentoP
.Neuljunia. Eu nunca loria tentado atlrahir a
Nio, senhor, se me fax favor. Pnmeiro que Indu
deaeju queVm. tome iuf..rmacoea que o convenci da
mulla posictn, niinha fortuna, nien genio.....
-* Eu o farui, nlerrompeo milito deprrsaa Valenlin
porque o meu dever de pai i iaau me obriga ; maa jura-
ra que ludas aa auas pabivraa sto da maia eacrupulnaa
exacliiUn. Teiibo. 8r.iVaa a Deoa, ounheciiuentu dos ho-
mena 1 Niat-i aei haver-mc, e potto garantir que Vm. he
n maia honrado......
Vm. lem raalo, Sr.
Omaia le.il, o mait franco.....
Sim, Sr.....,
mait benvolo, o maia dooil, o maia affec-
luuto.....
Tambera hn venia le.
- Que Iheditiaeu? proaeguin Valenlin, anda que
D'ordemdo Illm. Sr. director do lyco convido
o Sr._ professor de primeir.t ledras de Goisnniohs,
Joaquim Jos de Luna Freir, de prsenle nesta cida-
de, para comparecer na secretaria do mesmo lyco, a
im de ter ouvido sobre o tbandono, que fez, daquells
cadeira; visto ignorar-se onde neita mesma cidade re-
side, a nio ter sido encontrado para Ibe ter entregue o
um cavallo do circo, alirando o bonelao ar, rinda, can-
lando, senlando-ae auffncadu, lornando-ae a levantar
-,
admirado da facilidado cin que Benedicto rovm m
boas qualidadea que ac Iheatiribucm.
Voltemot ao notau negocio, replicn hondamen-
te cate. Aa informa96ea quo Ihe aao neceaaariaa, Vm. aa
achara, quanto o miaba ranralidade no nainiaterio do.
negocini eatrangeiros; quanto a miaba fortuna, em ca-
ta de Me.tre Ri. homoic, notario, ra deS. Honor.
Muito bem, muito bem.
Se n.'o pemiitlir, vollarci amanilla saber do re-
sillado..... A que hora P
A ella. Queira fater-roe a honra de vir atrancar
aommigai. Juaephina nada auapelar ; Vm. eella aeex,
miliaria i imitado e tem comprometimiento denenhum.
Cunveiiho, e virei; ditae Benedicto apoi uto mo-
mento de reflexio ; depois despediw-ae o labio.
Qunndo oSr. de Cbambry te aobou a, apetar doa aeat
cincuenta e oito anuo!, pux-se a correr pola sala, como
para correr, a nr e a cantar cada ves maia, de aorta que
Juaephina allrahida por cala bulla deitou a eabeca na
porta da aala, e depoia do guiar por alguna raimientos du
eape taeulo daapernadaa de Mr. Valentn, disso-lhe:
Papa. Vm. eal dundo.
Nto ha de quo ; mat quera tale? lalretl reaponde
etle parando de repente. Ab| Joiephina, tutu aoubea-
"'...... Porm prometli aegredo, a com lio honrado
h"me'"..... Oh! todava te cu podeaae diser-te..... que
lance de fortuna!..... Ho para eamagar!..... que aanei-
r,!...... ou por ouira, ialo loma a gente estpida I......
Cincuenta ruil crinados derendaa!......... Eaemelhaiiic
Keoi"!....... urna poroba aero fel I...... mea enanca na
dne.ilidade, na timplicidade.;....... Not faremok delle o
que quicriiiua. Depoia animado de repente do uro ten-
timcnlo de gralidio : Quando cu diiia que Deoa provi-
deliciara! cxclamuuelle terminando aaauat iniulelligi-
veit exprettdea. I
Joaephiua, ao principio duvidoaa, por fin asaenlou
que sabia de que ae tralava. Quealimiou o pai, que foi
aenipro impenetravel, maa a verdado he que ella baria
ludo adevluhado.
Itlo adrairou-a pouco: Icmbr.-i va-ae muito bem de ler
algumaa vetea valo noa ultimot bailea oa nogroa olhot
de Dcaronaia finos ae aeu encantador e fresco rosto ; e
potto que elle nanea Ihe houveaae dirigido urna palavra,
nem por iaao bavia ella desado de o contemplar entre'
oa aduradorea maia ou menos ditorrloa, que ella centa-
va noa .aloe, de Para. O praaedimento que acaba va de
ter era por lano muito aimplea,e nto paitara deaelo uf-
fioial. Mas viala a alegra de teu pai, Juaephina enlendeo
que cate acto era de um alto valor, ten to cora un una
talisfacto, que diaiiuiulou por vaidado, masque nio ura
roemit real.
Como quer que futa ella fingi entender aumente
que havia motivo para que lodot na caa te alcgraticm,
e eaperou o xito.
I'. Duprat avisa aoi teui devedoret, que lem en-
ctrregtdo da cobraoca de tuai dividat a seu cunbiJo
Antonio Baptitlt Ribeiro de Faria Jnior,
Permuta-se, com uta litio pertu da praca, lendo
este em pira griode fimilia um sobrado nesla cidade,
Jeito t moderna, com goilo e bem edificado, alte-
le ndo-se aa diflerencas dos valores : a quem Ibe cn-
dor, dirija-te a ra dai Trincbrirat, o. 19.
Avia-te aoi Sn. que teem enpenbado, no arma-
mazem de louca da ra larga do Roiario. um penboret
pela quaoha de 40# n., que no praxo de tret das con-
tados os ve nhao tirar, do coolrario seraS vendidos pelo
principal e juros, e me nio responssbiliso mais por el-
las, por forma tlgumt.
= Arrenda-te pelo lempo de lala 0 sobrado qoe
foi de Antonio Coelbo da Silva, tito no corlme dot
Coelhos: a tratar no metmo sobrado.
= Precia-ie de um bom forneiro que enlenda
bem de maitii, para tomir conta do lervico de umt
ptdtrii : a fallar na ra larga do Rozario. venda n. 46
= Deaeja-se fallir ao Sr padre Antonio Thomai
leixeira vig.no de Macei a negocio de leu inte-
retie por isso annuneie aua morada.
No da aegninte Benedicto f..i exacto ao almoco.
arpl.ina examinou-o a furlo oom lodo o cuidado, eno
flm darefeicto o seu juiao prnlia-ae formular aaaira
elle he bello, mas o aeu semblante uo tem luda a ex
pretil., que fra para dejar, 1111.1011 urna uslruccio
brilbanie, purera tambem uao he um tolo.
Depois do almoco Mr. de Cbambry pastou para a nu-
tra aala com u aeu convidado.
E entio P ditae este.
Tudovai pelo melbor, meu charo Sr., reapondoo
Valentn eafiegandn ai mina, eu tiiiha adevinhad aa
informacoei que oblive coinciden! c.m aa suas Na..' |e-
iiho a menor objeccio a faser. e bule meamo f.llarei a
Joaephi...
Anda iiln, Sr., interrumpen Dertonait. Exijo
quo Vm. icuha prelirainariiieiilo urna conferencia oom u
meu amigo de infancia Lon Duireiubl.y. Oque elle aa-
be e.nelloa.be, de ceno, pormem.re. da minh. v.da,
acabara de formar a ana ..pinito cerca do meu'carao-
ter, e ..lo he ind.ipeasavel. E.aaqui u endereco de Len
elle o espera, e eu voltarei imito.
Ser porm por obedeoer-lbe, por que detde ja me
declaro titiifbilu. r '
Al i Baila, diase Benedicto aero dar outra rerma-
la i eate te.teuinubu de ooonanca. E p,t ,bre urna
mesa u enderec du teu amigo, relirou-e.
Quando elle nolte torm-u a apresentai-ae a Mr da
Cbambry, eate lalremeeeo, o o ..Ihar que Iheiancou ex-
prima lurpresa i.n.i.od, rada, nd.ivcl, quasi eoMer.
naci, e un. ambaraa... que ao tr.hia pelo. ae... ea-
rorfoa que elle lata para dilaimola-lo.
Detroiiaia aupporlou tranquillo ene olb
ae a diser, com.. pela manhia :
E eiitS^
i^LaMm !* ,0"0 P"r um" P""c" de para
l..dh5Bu ,M ,u1""iei" ; *-P d'ifndo o...
v. ulli.dell. .panuda .obre o po.tul.mo. que coo.er-
..M.m,saM,b.l.dade, nio pede an.f.ur o qua
liar, e iimitou-
vava
senta, aenio exclamando:



O CLAMOR PUBLICO.
O n.' 61, acha-se a enda na prc da Independan-
ca linaria ns. 6e 8.
== Filioia Mara dbi Anjoi embarca para lora da
provincia a sus eicraia Mara, de naci Cacange.
= Kngomraa-se com perfei(io. e por preco commo-
do : na ra do padre Florianno, n. 68.
Aluga-se o segundo andar do sobra-
do sito na ra Direila com bons comino-
dos : a tratar na roa do ('ollero segundo
andar n. iq\
= Catbanna Francisca do Espirito Saoto ruga a
peiioa, que apprehender o seu escravo, de nome Joa-
quim, aito, aecco do crpo e sabe dizer o ata senhorjo,
que ie acha fgido desde o dia 29 de setembro do cor-
rele anno, de o levar a seu litio na estrada do Moo-
teiro.ou na rus larga do Ruteno, ni* segundo andar do
sobrado, n. 50, que ser gratificada.
= Aluga-se uma casa na povoacio do Mon'eiro, i
tereeira da carreira, que fot de tyomingos Rodrigues do
Paaao. ptima para se passar I (esta, com duaa boaa
salas, trec randas quartos, coiioha fra, estribara,
quintal murado com porlao para o lio, por prego com-
rnodo : na ra da Alegra, n. 36.
O abaixo assignado adVerte ao Sr.
F. C E., que, se ooprazo rlc 3 das nao
concluir o negocio que tratou, ver o seu
nome por extenso neste Diario.
J. O. Campos,
r Aoba-te presentemente na imprensa urna obra ,
que tem por titulo o Novo Testamento de Noaso Se
ohoi Jess Chriito conforme a vulgata latina, tradu
lido em porlugue/ e anotado aegundo o sentido dos
Santos Padres e expositores catbolicos pelo qual ae
esclarece a veruadeira doutrina do texto aagrado e ae
refuiSo os erros subversivos dos novadorea antigos e
modernos : por D. fre Joaquim de N. S do Nataretb,
bispodeCoimbra condado Arganil eSnr. de Coja.
Esta interessante obra que at as sonboraa menos ins
truidas podem ler aem perigo de errar, antes com
muilo proveto espiritual e temporal ba de oceupar
trox volumes em f .lio ; contando o prmeiro oa 4 evan-
gelbos ; o segundo os actos dos apostlos, e as seis
primeiras epstolas de S. Paulo; eo tereeiro as oito
restantes epstolas do mesmo S. Paulo com as dos
mais apostlos a o apocalypae. Os Sns. que quize-
rem tara bondade de concorrer com a aua assignatura ,
para a impressio desta obra que se d em brochura
por 154 devernmandar faze-lu no cooventode S. Anto-
nio, (emMaranhi) o procurando para uso o Rev. padre
Jos Gonce Ivs datases, (cando vontade dos Sri. atsig-
nantes dar logo todo o importa ou ao menos 6i rs. ,
e o rastinte para quando recebaren) o primeiro e se-
gundo volumes repartidamente. Tambero podem levar
logo oevangelodeS. Malbeus pertencente ao primeiro
volume que se acha j impresao pelo qual melhor ae
poderto inteirar do merecimento e importancia desta
obra.
A masa regedora da irmandade de N. S. do Ter-
co tem deliberado que o dia da eleicio da nova mesa
regedora para o anno (uturo sejao dia domingo ,
12 do crrenle pelas 9 horas da nianbaa ; visto nlo
poder ser em o dia marcado pelo compromisso por ser
este lamben) o dia em que a. irmanJade do SS. Sacra-
mento tem de faxer a (esta do orago : e como tenba a
irmandade de assislir a esta festividade de necessida-
de be a mudenca da ele icio : em virtude do que espe-
ra, que todus os irmios em geral compareci para a
sobredila eleigio, em o da e hora marcadas, no re-
ferido consistorio.
'= Anda em prar;a do juizo dos taitas da faxenda ,
para ser arrematada por venda (indos os diaa da lei a
casa n. 13 da ra dos Qoarteis avahada em 1:800*
rs, para de sua erremat co ser dedurido o sello na-
cional,e legados relativos so inventario,leitn pelo mesmo
juno dos beos que fi rio do fallecido Manuel Vidal
de Assumpcio casado que lo com Filippa Mara da
Trindsde ; cuja casa he loreira a Domingos Antonio de
Siqucira.
Roga-se peasos a quem fnr o florecida uma pe-
ta de brim de Hamburgo embrulhada em um lenco
de seda baja de publicas psra tu procurada ou
dirigir-se a ra do Queimado luja de lou(a o. 32 ,
que ser gratificada.
Quem precisar de uma ama para criar com
muito bom leite dirja-se a ra da Aurora n. 22
- Aluga-se um segundo andar de um sobrado na
roa Di re la defronte do Terco : a tratar na ra da
Praia de b. Bita serrana n. 21.
Ali! meu Daos !... qnem o poda eaperar quem o
imaginara !,..
Eniliiu, Sr., diaar Dcarnnais arm cominover-ae.
BniHm !... nuriin !... Muadrixe-me uo menos lem-
po para turnar aira..., lie mandilo lie ineurnprchen-
aivel! ruino lie o Sr. nieaiBu ?... ah !...
Siiu, Sr.
Ku ari que em guaea clrcnmatsncias os mais lu-
Irraiiii-a se exaspcrlu; purru tanta violencia.... tanta
barbaridad cerlamcnto, barbaridade.
He verdado.
tt Vmc. lio brando, itn parifico.
Drve o Sr. aflrndrr que cu enlrava entSo na ida-
de dna paixdca, o que o aol do Sol eiullava inhibas
Mailaa.
O aul o anl !.... a niivi-ln a mnrnlidadc aeria orna
queatto de laliiudr E de iifnia Vine, cnifes. alo lio
tranqniliamciito ruim, ae n tratasso do fjetu tunis siui-
plca !... lie roan nmmtruiisa /,..
Kslava uo nicu direito.
Anula aaairo, alcerlu poni !... maa eaae requin-
te de rrui'ldnde !
Tinhn-n.e feito aahir do nien nnrartrr; natural-
nienlr tenho docura e boiihomia, cuino Vme. o tem ule
arrodo.
Bonliuinia apre roinu Vine, vai !... lato he in-
concrbin I!... E fui perlu de Cuiialanlinopla quo o far-
0 ae paaaou f
i Prrto de dnstanlinnpla.
Aindn ealou ludo trmulo I... e n'um bosqne de
rarvalhna e cypre.lw?
N'um busque da r.arvalhos e r jrprealea.
Trullo na rabrllua arnpiadua !.
Vmc. humeas Uo ferosca, para llie ubi
darern '
Com dinheiro ludo ae alcanza.
Ah ah !... nfto turno mais i aniu.
Eu o comprehendo.
mo arliou
o aju-
Quem qutzer da- dous conloa de ris a premio,
por lempo de m anno, com boaa firmas ou bvpotbeca
em um sobrado, pagando-te o premio adianiado an-
annuncie.
== Aluga-te uma toja propri para o estabeleci-
snento de venda ; na ra Direila', defronte do becco da
Peoha.
Di- se dinheiro a juros com penborea de ouro e
prata mesmo em pequeas quantias; na roa da
Praia n. 22.
O NAZARENO N. 127
eali a venda ni ra estrela do Kozario, cata da Fe.
Desaja-se taber a morada da Senhora D. Mara
Joaquina Vicula de Barros, para te Ihe entregar uma
carta, vinda da Parahiba,
Aluga se uma eicrsva crioula parida de pouco
tempo ; na ra de S. Francisco n. 60 ; attim como
na metma casa cozoba-se com toda a perfeicio e as-
seio.
Aluga-se, para se passsr a festa, um litio n
Crur-de-Almai da Ponte-de-Ucba com boa cata
cocheira estribara quarto para pretos, bom pomar
de larangeirat, muito carregados de boas laranjas e
ootrss muitaa (ruleiras cacimba de boa agoa de beber;
ludo com aaseio : a (aliar no hospital da polica com o
enformeiro do mesmo ; o qual tem tambem para ven-
der um bom viola o, de muito boas voiet.
Na ra do Trapiche armazem n. .34 ha um
deposito da melhor genebra de Hollanda em caitas de
uma du/ia ; e urna porfi de Champagne da celebre e
bem conhecida marca Lanson P. re et Filt ; e na
mesma casa ha para lugar um tereeiro andar com solio
e coznlis.
No dil 5 do correte (urtirlo de uma cass na
ra da Seoxalla-Nova n. 18 uma caixnha de vidro
com trex anneloes de ouro obra feita aqui ; um dito ,
obra do Porto, esmatado com estas letrasConslance
e com um diamante ; um traocelim ; um alfinete de
peito com um diamante pequeo esmaltado, obra
tambem do Porla : roga-se a quem for oflerecido al-
guno destesobjeclos, de dar parto em ditacaaa, quesera
recompensado.
O abaixo assignado (at ciento ao publico, que a
admioistracio de sua dstilagio e frabrc.. de licores, da
travesea da Concordia etti entregue ao Sr. Eugenio
Duperron para comprar e vender tudo quanto disser
respeito a dita fabrica.Recita, 9 de outuhro de 1845.
Gregorio Francisco d* Trrete Vatconcellot Jnior.
Roga te ao Sr. Jlo Francisco da Cunha qne
comprou ot tuburbiot do municipio de Olinda, do im-
posto de 20 por cento da ago'ardente de prodcelo bra
ileita queira entregar o dinheiro que recebeo.das
tabernaada estrada de Belem a frca aposentndo-
se armado de clavinote, a noute com um guarda-cos-
tas tambem armado recobeodo mal e ndevidameole;
por quanto cita cobranca pertence ao municipio do
Recita; cuja divisio be os fins da (reguezia da Boa-Vis-
ta que (inda pela camboa da Tacarunu a encontrar
com as agoaa do riacho Agoa-Fria que he no princi-
pio do lugar do Sslgadinbo ; isto no praso de oito das,
e, (indos elles, nio teodo entregado o dinheiro recebido,
tari de soflrer uma denuncia.
= Aluga-se o segundo andar do tobndo da ruado
Rangel, n. 60, por cima da venda.
Offerece-ae para ama de uma casa de familia, pa-
ra o servico interno, uma mulber parda, de idade pro-
vecta, de coslumes bonestos, muilo zelosa em seus de-
veres,e de capacidade : dirijio-se a ra do Brum,fabri-
ca doa Srs. Mesquita, Dutra & C.
Troca-se uma imagem da Conceicio, de pedra da
Babia por 20..000 rs. ; na ra da Senzalla-Velha ,
n. 142, segundo andar.
= Aluga-se o segundo audar do sobrado n 45 da
ra estreiu do Rozario : a tratar na venda por baixo do
mesmo sobrado.
asaa Precisa-se alugar uma preta para o trrico de
uma casa de pouca familia ; na ra do Queimado n.
14, segundo andar.
Na noute de 7 para 8 do correnta roubrio do
armarem do abaixo assignado atrax do theatro velho ,
lOcaixas com sabio com a marca no lampo Ra
Imperial n. \ 16 Pernambuco tendo ji em das
atrasados roubado mais uma : deste roubo julga-se ter
o ladrio ficado dentro do armazem escondido em oc-
casiio de se fecharem aa portas; porque as abiio por
dentro ; assim como tambem forcejou para arrombar a
carteira ; levou tambem um tinteiro de estanbo com
prato do mesmo pregado e um arieiro pequeo : ro-
ga-ae a pessoa a quem (or oflerecido qualquer dua obje-
ctos dsr parte no dito armazem que ser gratifica-
e promelte-se guardar segtedo.
Joaquim Lopet de Almeiq'a.
Sabe Vino., que agora me acho horrivulmenle ein-
baracadq/
, En o oonerbo.
Maa deaculpe-ae ao menos procure altenuar esta
inonatruoaid.ide da aua exialencia, porque enifim o nien
inaia arilcnte dosrju he deuaaegurar a l'elioidado de mi-
li fillia, c nlo aei ae devo...
J Ihe diaae; liiihiu-me feito aahir do meu nalu
ral Dviuaia, eu agora aflirino, que nao me acontecer
oulr....
Mramn no caao de?...
Em Indos oa ca.oa paaivea conheco-nie, Sr., e
raapondo por iniiii; e talvrs me jcilgue Vmc. rrfleclindo
nial digno de le; poia que eu poda enrubrir-lhoeato iu
cidral* da minina vida, quo tanto o abala, iuos uni fa-
V" j"K" draci.bertn...
Eac argumento he de corlo pean, rnnvenho, re-
ujica Mr. de hambry, quo aem runfraaa-lo o ai ineamn,
arde por vrr-ar refinado viulnrioaainrnle; e ae eu eati-
vraae rerlo do quo o facto em qnrslao nunca aorepro-
doiiria...
Por qualquer roiia quo seja, poaau afti.mca-lo, Sr.
Eu o surta, tanto mnia quanto he eaao u meu drae-
jo, pin que atqui era admiravcl quanlo Yuio. mo eunvi-
ulia, quaiilu me agradara... s
Bondade aua. Aatiiu Sr. ?
Asauu... o esta ora eapere. Eu alo posan deci-
dir-me de repente. Veremos; corranllarei os mena ami-
gue, a miiiha filli.i.
Queira prrdoar, Sr., iaao he imposaivel. Eale ae-
gredo ao devo aer cunliecidu de Vmc., Lon eeu. He
por Unto com sigo mesmo que Vine, ha de deliberar a
cate reSj.cito, c quer a aua reapoala seja urinal fatofavel,
qoer negativa, aei que he lionium do bem, e coate com
a luaia iuviulavel discriglo.
E Vine, nio se engaa. Adcvinho pouco maia ou
menoa oa aeua mutivua, o oa approvo; maa quo reapon-
sabilidade rea cu agora tomar sobre mira,., !
Desejs-se fallar com o Sr. Joio Jo Korges, na-
na ra do Crespo, o. 17.
FrentfeCa
Camello de Uendonca relira-se para
JrBa provincia.
Aloga-se o primeiro andar do sobrado da ra da
Cruz, no Recita n. 65 piolado de novo : a tratar
no mesmo sobrado.
Agencia de passaportes.
Na roa do Collegio,botica n lO.eno Atierro da-
Roa-Vista luja n. 48, tirio-se passaporles para dentro e
fra do imperio,assim como despachio-se escravos: ludo
com brevidade.
Precisa-so de uma ama, que queira criar um me-
Inioo: quem estiver nestas circumslancias, dirija-se ao
pateo da matriz de S. Antonio, sobrados. 14.
Alugio-se os segundoe tereeiro andaresdaproprie-
dade da ra da Cruz do Recita, n. 49 : a (retamo ar-
mazem da mesma.
= Aluga-se o segundo andar da casa n. 8 da ra
da Aurora, com commodos bstanlese asseio : a tra-
tar na ra da Crux, o. 13, no escriptorio de Ridguay
Jamisson & C.
Aluga-se uma casa no Monteiro
beira do rio Capibaribe, temios comino-
dos seguintes: um terraco nfrente, dtius
salas, cinco quartos, corredor ao meio ,
e outro corredor ao lado para serventa
da mesma casa, quintal murado, estriba-
ra para dous cavallos, e um quarto com
tarimba: os pretendentes fallem no Ater-
ro-da-Boa-vista no tereeiro andar da ca-
sa n. 37.
Aluga-se uma casa de tres andares
e um mirante, todo envidracatio cuja casa
tem bastantes commodos c est toda pin-
tada, e preferc-se alugar a urna s pessoa :
os pretendentes drijo-se ao Aterro-da-
Boa-vista no tereeiro andar da casa n. 37.
Alugio-seduas casaa terreas, por mnito com-
modo preco na ra da Solidado com duas salas, G
quartos cozinha fra quintal murado, e oulro cer-
cado : a tratar na ra da Aurora n. 68
= Tirario uma carta do correio, vinda do Sul, pelo
vapor Cuircio-Hraultiro, entrado no dia 6 Jo corren-
(a, para Joio Baptista Paula da Silveira ; roga-so a
pessoa, que a tirou o lavor de a entregar no pateo do
Carino casa n. 13 que muito se Ihe agradecer.
Aluga-se um segundo andar com bastantes com-
modos, sotio com duas camarinhas, e cozinha de fer-
ro ; tudo moderno e tem quintal e cacimba ; por
lit rt. mensies : a tratar na ra larga do Rozario ,
n. 35.
= Aluga-se um sobrado de um andar e solio mui-
to proprio para pequea (amilia tito na ra da Praia,
o. 74: a tratar na loja do mesmo sobrado.
Agencia de passaporles.
Na ra do Rangel, sobrsdo n. 9, tirio se passapor-
tos para dentro e fra do imperio, e despachio-se escra-
vos; tudo com muita brevidado ,.je por preco muito
commodo.
- O arrematante do imposto de 20 por cento sobre
o consumo das sgoas ardentes de producio brasileira
avisa aos Srs. que ainda nio pagiio dito consumo ,
venbio fate-lo nos diaa 10 11 e 12 do correnta, na ra
Direila, n. 80; (indos os quaes, se proceder na forma
da lei contra os que deixarem de pagar.
= Arrenda-se o litio de Joaquim Coelho Cintra ,
00 Caldeireiro com ptima cusa de vivenda baixa
paracapim e outros muitos arranjos, como sio bem
condecidos: a tratar com Arcenio Fortunato da Silva.
Precisa-se de uma mulher Poitugueza, para ser
vir em uma casa de pequens lamilla; na ra da Praia ,
n. 4ft, segundo andar, ou annuncic sua morada.
Lotera do seminario.
No dia 5 do corrente mez de outubro
nuda) nfollivelmenteas rodas desta lote-
ra no consistorio da igreja de lNoss Se-
nhora do Rosario : os amantes deste licito
jogo poderS comprar o resto dos bilbctes
inleiros nos lugares do cosime.
Aluga-se o segundo andar do sobrado da ra de
S. Francisco, n. 13, com duas salas muito frescas,
sendo urna forrada de papel, 6 quarlos muito grandes,
e um gabinete tudo muito claro por ser cata do es
Respondo pelo futuro, hu todo quanto posan di-
xer. Pnrlantii, ajuntnii Dearonaia letanlando-sr, tome o
lempo nrressario, e |ironietla-iue unid reapnsla decisiva.
Em oito diaa, Sr.; rolle uestes Olla diaa, Traiarc
de me dreiilir al li. maa do repeine bem v que...
Vejo perfeitainente. Adeus, meo Sr.
E Desrunaia sabio imuicdialanuiile, e tio tranquillo
ooiuo da primeira vei.
Nufim doa oilu das foi Mr. de Chambry, quem em
iraaua ae apresentou ero casa de Renediuto, una esplcmii-
Ins pacna que este cnupavn na rus do Riehelicu.
O ns|iectn do opulencia quealii se unr.onlrava nflo culi
trilium punen a enchutar do srnibbuito do rx-direetor
mu resto de cipressa inquieta, pruantiva, que licito ae
liavia eonaervudo al alli, de surte quo quando Desru-
i.iih 11 ovislou, tete mtao para discr-lne .*
Seja briu indo, nien charo Sr.; vejo pelo leu acm-
bl.uite, que tenho boas milicias.
Sim, aim, responden Mr. de Chambry aurrinriu-
ae; |......" mais 011 menos.
_ Knlio Vmc. conscnle ?...
_ Cuiisiuto.
__ ', (iri.ir ''..'
__ Apeiarde linio dix Valcntim cun iilgum esfor-
11,' maa fsC __ K cu lll'a iciiiivo ex|irci>siuenic.
__ Est acabado, u.n. fslleiiios mais nielo.
Ah !... exolamuii Briinlmlo com o iiinia vivo acn-
linirnto do legria, de que no njulgiiriio capax. E a
Sra. Jusephiiia aabo das mnima inleiiiries ?
Ja aa conbecc.
E?...
Vamos la bem v que ella au pode j adora-Io.
Duna me lirro e cu tambem !
Como como he? Jix Mr. de Chambry todo admi-
rado. Ser Vine, em ludo o rapas mais original ?
Nlo; maa nao gusto de adoracAes violentas, gas-
tao-se muilo de presaa. Dcaejo um scniiiuentu raaoavel
quina cozinha em cima com trapeira 7 qoartos ,
dous gallinbeiros, grande fogio e lomos : tratar no
primeiro andar do mesmo sobrado.
/enlista,
M.S. Mawion ctrurgiio dentista a instancia
de varioa amigos resolveo-se a demorar flor ora sui
visgrin para o Sul ; enlwtanto far. sgienle que rece-
beo um complelosortimenlo de/Jaatoi ailificiaes de no-
ve invencio ; (ambem contir^iipa, limpar dental, e
chumbar com ouro e praia e f?x todas as mais ope-
rari'i pertencentes a sua arte : na ra Nova n. 2 ,
segundo andar.
4i/io publico.'
= D. Francisca da Cunha lia ndeira de Mello, viuva
do finado Joio Carlos Pereia de Kurgoa, e aeus filaos ,
pelo presento avisio aos devedores da casa ou a quaes-
quer outras pessoas quo tenbio transtccOes com oa
meamos que deapedio de seu caixeiro e procurador
em combrancas io Sr. Manoel Luiz Vieira ; e para que
nio occorra algum inconveniente, p r falta desta aviso
tempo se faz o presente, boje, 2 de ouluhro de 1815.
aa Alugii-seas casas terress do pateo de palacio do
govorno. ns. 7 e !) ; e o segundo andar do aobrado da
ra da Cruz, n. 00 : a tratar na ra da Cadeia do Re-
cua, n. 40.
O abaixo assignado, fabricante de chapeos de tol,
no Passoio-Phlico, previne ao respeitavel pblico, que
ello acaba de roceber um sorlimento completo de cha-
peos de sol, de todas as qualidades, tanto de seda, co-
mo d algodo ; elle lem tambem cbapi'oe de tol para
senhoras e meninos Adverle igualmente, que, ten-
do as sedas, as mais ricas, de barra lavrada, furia-cores,
lisas, \c, &c., est no caso de satislaxer qual-
quer encommenda, com toda a prstala ; elleposaue
tambem algodio (roncado, liso, e de todas as qualida-
des dos padroes mais modernos: elle, em lim, cobre, e
concerta todos os chapeos deso, com a maior perfei-
cio, e promptidio. Joo .nubil.
Compras.
:= l.omprao-sc, para fra da provincia escravos
de 13 a 20 annos ; sendo de bonitas figuras pagio-se
bem: na ra da Csdeia do S. Antonio sobrado de
um andar do varsnda de pao n. 20.
Comprao-se dous escravos peritos officiaes de
pedreiro o dous carpinas ; na ra da Senxalla-Velha,
n. 110.
= Compra-se uma canoa nova psra andar com vela,
que carregue SOalqueiies deca : a tratar na ra do
Hospicio, n. 21.
Comprao-se bons escraros offiriaesde carpintei-
roe pedreiro, saudaveise que nio tenbio mail do que
2 annos do idadu ; na ra da Cruz n. 46 em casa
de Nascimenlo Scbaefler & l'ompanhia.
Compra-so lia de frecha, ou sumama ou la
de Angola ; na ra Nova n 5.
as Compra-se palha de louca ; na ra Nova nu-
mero 5.
Compro-seO oitavas paramis, de ouro de
lei, em cordio eem um traocelim; na ra das Cru-
zes, n. 59.
Compra-se uma porcio de laboas, que foisem de
ndame ; duas travs de 86 palmos, e palmo em qua-
dro de camassari de caruncho ou massaranduba ver-
dadera araroba ou sapocaia de pilio : na ra da
Concordia n. 3.
Compra se um po docarregar rede; quem t-
ver annuncie.
Vendas.
Casada fortuna, rua Direita, n. ia.
= Vendem-se cautollas, e meios bilhetes da lote-
ra dn seminario, quo corre iufallivelmenle no dia 16
do corrente.
Vende-sc a famigerada champanlie
marca C C. que nunca se vendeo por me-
nos de 075000 rs o gigo de dtizia ,
a gfisoQO rs., para baver prompta extracj-
cao: em casa de Me. Calmont ck (J.
Existe um pequeo resto
de meios bilhetes do I.o de
Janeiro a l!,jfOOO ris cada
um : na rua da Cadeia, loja
de cambio n. 58.
e lioncatn, e com eata oofldicio poiso garantir a felicida-
de de aua Riba.
E cu assim o espero, ccrlampnte; aem isso... cra-
riiu temos oonveneionado. Agora venha vr-nos quan.
do qniser; c na ocoasiio de tratar negocios, bem! ral-
baremos,
A eniiversacio enire oa futuros ogro e genro duran
asaim alguna iniuuliis; depoia aepnraru-ae.
I)'.illi cm dimite Benedicto er.i aaaiduo em caaa do an-
liaa director. Josepbiua, niuda quo instigada por aeu
pai, ao principio mustrou-se punen sensivel ao amor de
Benedicto] nao que eale Ihe desgrailase; mas porque a
des|ieiti> de su.is bell.is e liebres leitea, o sua pbysiono-
uii.i nneiital, a rapnrign aehaTa em aeu cametrr in.uiei-
rs c iuiclligeneia, o que quer que fusse de demasiada
sinipletn ou naluralidada (muco potica; e acni laxa-lo
de vulgar, n.'io Ihe reconheoia tambein rasas excntricas
|iialidades, que exaltao a iroasiaafki>, earrobalio um es-
pirito novo e delieatn essaa rrgiciea exrepciunaea, quo
.1 |iaixau pnva de delicias exquisitas e desoonhecidaa a
uatiirrias mais grosseirns.
Tndavia Oesrini.iia fui tan constante e delicadamento
bum. paciento o indulgente; lesiciiiunhou sera xtasis o
sem trauspui tes um aRvelu lito honesto e Uo puro, que
o seiiluirila. sempre vigorosamcutu estimulada por sea
p.ii, turiiuu-su pouou n poucu e decididamenlo affavel
rom n sen pretendidn', e este acolhimenlo foi de tal aor-
te prcgrediiulo que chegoii no ponto de ella desprciar
ubertaineino aa hmnciiageia da cohorte de aeus aulifos
iidoradoics De.ramieira que peloafinade marco e n'uraa
laa priaieiras bellas maablaa da primavera, Irooou ella
ii sen n..me de duaiella pelo titulo de esposa, e daixon
o modesto alojaineulo rio sen pai, para ir habitar oa ri-
cos pa;os cm queDesrouais viva na roa Rioheltau.
C#ainar-a-ia).


i'-*..*.
-Vende-te cha hysson em eslas de 1S libras, em
porcdeie a retalbo; ein casa de Matbeut Aun & C. na
rus da Alfaodega Velba n. 36.
= Ytsndem se doiii etcravot de boas 6guras mili-
to robuatot e proprioa para o servico de campo ; na
ra da Cadeia do Kecile n. 40.
b Vendesl-se aaccoa de tapete e couro para levar
roupa em viagem por preco eommodo ; na ra da
Cadeia, loja de Joioita Silva Braga n. 49 e na ra
Nota, o. 5. fW
= Vende-se um csrffnho de duat rodaa em muito
liom estado ; um cavallo para carro muito bom
Mina eadeira nova de arruar, taita na labia ; um mo-
Jeque de idade de 16 anona de muito bonita figura :
na ra estrella do itozanu n. 43 segundo andar ,
'das 6 ai 9 boras e meia da manhia.
= Veode-ae urna escolente rabeoa ,
xa; na rna de Hortas, n. 140.
. = Vendem-se ricos sel I i ni ingleses com asientos
develado, para montana de seobora ditos elsticos
para boinem lisos e alcocbuados, couros de porco in
'glasea e relogios de ouro e parata patente inglez ; na
ra da Cruz n. 2.
= Veode-se tinta preta deescrever da fabrico de
Arnold de Londres ; em casa de Geo. Kenwortby &
Companbia, na ra da Crui, n. 2 que sao os ni-
cos agentes importadores da tinta dessa fabrica nes-
ta praca.
= Vende-se farinha de mandioca muito fina de
Mag, em saccas e de S. Calbarina, eS. Matbrus,
pela medida velha ; ludo por meos niveo do que a
bordo visto nio se ler de pagar o enorme trbulo in-
titulado mandinga, aos prcius cauoeiros : no caes
do (Jollegio, urma7em de porta larga n, 15.
=Vendem-se 6 escravos pecas muito mocos, boos
para o trabalbo do campo eda praca ; dous ditos buos
carreiros ; 3 escravaa mocas recolbidat, cusem, engom-
mSo cozinhaoe lavao roupa ; 3 ditas boas quitandei-
ras e serventes de una casa; urna dita de meia idade,
por 250 rs., cozinha lava roupa e vende na ra : na
ruado Crespo, n. 10 primeiro andar.
= Vende-se urna preta com um lilbo de mezc-s,
a qual cose, cozinba lava engomma e faz lodo o
inais servico de urna casa; na ra do Caldeireiro, n. 52.
=V ende-se um sitio na Passagem-da-Magdalena ,
junto da casa do Sr. Joao Pinto do Ceios com porto
de desembarque oo fundo por botar para a camboa
dos Bemedios; assim como mais 88 palmos de terreoo
dentro do mesmo sitio proprios para se edificar com
algunsarvoredos de frutos, e tambem com porto do
desembarque ; urna parte de um sobrado na ra de
Agoai-Verdes, n. 48 com lundo para a ra de Hor-
tas com dous armazens, muito proprios para nego-
cio : na ra das flores, n. 25 de manliaa at as 9
horas, e de tarde das duas em dianlo.
sai Vende-se um pardo moco de boa figura ; um
preto crioulo, moco : a tratar com Joao Jos de Cer-
val! Moracs, no Recife.
= Vende-se um lindo preto cozinbeiro e outro
gaobador de lioda figura ; na ra da Senzalla-Velba,
n. 110.
= Vende-se urna flauta de bano com 4 chaves,
e apparelbada de prata ; na ra da Cadeia de S. An-
tonio n. 24.
== Vende-se urna cscrava, de idade de 8 a 30 an-
uos co/mba o diario de uma casa ; na ra Nova, n. 8
= Vendem se duas escravas de 18 a 50 annos de
bonitas figuras, para todo o servico ; una dita que
engomma, coiinha lava de sabio e varrella t be
boaquitandeira ; uma negrinha ututo bonita, pro-
pria para ser educada : na ra larga do Rosario, n. 46,
segundo andar.
= \ emle-se um escravo proprio para o servico de
campo ; na ra do Queimado luja n. 9.
= Vende-se, ou arrenda-se um sitio na estrada do
Arraial, com casa de vivenda de pedra e cal, com 3 salas,
6 quartos estribara para 4 cavados, coiinha fura ,
cercado para vaccas e rio dentro do mesmo sitio, por
preco eommodo : a tratar na ra da matriz da Boa-
,Vista n. 19.
Cheguem ao barato I
Na bem acreditada loja da ra do Crespo o. 14,
de cambraia transparente de todas as cores, de quadros
largos e cbadrezri do ultimo gosto a 4800 rs. ; ditos
de superior chita de lislros de todas as (Ores, aveludadas
*e do ultimo gosto a 4500 rs ; um sortimento de Li-
eos e rendas muito finas e de todas as larguras pelo
barato preco de 100, 160 e 240 rs. a vara; pecas do
'cambraia lisa trampal ente, a 3200 rs., e a vara a 560
f.; Cnissimos curtes de tarlalana, com 9 varas a 4a
rst ; cortes de cassa-cbtas a 2j ri ; lencos buida
dos de trez ponas a 520 rs. ; e oulras moitaf fazen-
claa ja annunciadas nos Diario ns. 221 ,232. 223 e
'224.
- me Vende-se a bordo do hergantim D. A[onn.,
fundeado defronte do trapiche da alfandega das fazen-
das farinha de mandioca, de S. Catbanna, de muito
boa qualidade em porches e a retalbo.
= Vendem-se dous moleques, de idade de 14 an-
,noe pouco maisou n enos ; um preto pega de ida
de de 18 a 20 annos, de muito bonita figura, sem
.vicios nem achaques proprio para todo o servido ; um
pardo de 20 annos, carreiro ; um casal de escravos,
seado um prelo de n>eio e uma parda boa lavadeira ,
engommadeira cozinbeira cese cbo, e he rendeia
Vende-ae um escravo cabra, de 25 annos de ida-
de optimupar pagem ou par fodo o servico d
campo, de otada e machado : a tratar itruadaCa
deia do Recife, loja n. 48 : e para ver o dito escrav
no sitio de Francisco da Silva na ral de S. Concedo'
na Boa-Vista.
Vendem-se ameixas chegadas ltimamente d
Lisboa; na ra Nova, n. 67.
== Vendeja ae um coebicho e um eanario de im-
perio bons cantadores ; em Fra-de-Portas, ra do
Pilar, o 114.
= Em easa de Fernando del.ucca, na ra do Tra-
piche n. 34 acaba de cheger pela barca Columbas,
queijos londrinos salames, arenques em barril pe-
queos ludo muito fresco ; tambem se acba sempre
um grande aortimento de vinbos de todaa aa qualida-
des : como vinho de Xerry ; dito da Madeira ; dito do
l'orlo ; vinho do Rbeno ; dito de Malaga em meiai
garrafal ; Claretle tinto e brinco; Sauternes; llaut;
l'r.igo-e e mais outros, todos das melliores qualidades;
marraacbino; brandy; ego'ardcnte de Franca; cognac;
vinsgie branco ; ceneja &c. ; rap rolo ; cLarulos
regala de 204 a 35* rs. o milbeiro e em porfi
maisem conta.
= Vende-se uma escrava de naci de idade de 20
annos, com algumas habilidades ; na ra Nova loja
n. 23.
=Vendem-se tainhas do Rio-Grande-do-Sul, mui-
to frescaes e de muito boa qualidade, por barato pre-
go ; como tambem se Iraspassio as chaves de um arma-
zem com lodos os per (enees proprios para carne: na
ra da Praia n. 46.
= Yendem-ie meias de seda prela, muito superio-
res a 8 rs. cada par; na ra do Crespo loja de
Santos Nevos & Guimaraes.
\endem-se velas de cera de libra de 10 em
libra por menor preco do que em oulra qualquer
parle : no armatem perlo do arco da Concedi de
Fernando Josr%aguez, e em casa de Gaudino Agos-
liobode Barros, na pracinba do Corpo Santo, n. 66.
= Vendem-se uma parda, e uma preta, mocas e de
bonitas figuras; a vista dos compradores se dirao ai
habilidades: na ra do Collegio venda n. 12 de
Sebastiao Jos Gomes Penna.
= Vende-so na venda da ra do \ gario que fai
esquina para o Forle-do-Mello, muito boa cal virgen,
caneca de carneiro, por preco muito em conta.
= vebasiiao Jos Gomes Penna tem para vender
una porcSo de cera amarella e tambem vende a re
talho, por prego eommodo em tua venda na ra do
Collegio, n. 12,
ss Vende-se uma prela crioula e uma pardinba de
11 a 12 nnos; na ra da Cadeia-Velba, n. 45.
= Vendem-se chicotes para carro e montara, che-
gados ltimamente: na ra da Cruz, armazem n. 48.
s Vende-se gomma-laca para fabrica de chapeos;
dita fina para obras de marcineiro ; papelio doans. 40
e 60, por preio eommodo: na ra da Cruz erma-
zem n. 48.
= Na caa da le na ra eitreita do Rosario, ba
para vender meioi bilhetes da preiente lotera do se-
minario a 4500 ri.
= Na botica da ra do Rangel vendem-se o re-
medios seguintes, dos quaes a experiencia tem confir-
mado os melhores efleilos : dentifico que tem a pro-
priedade de limpar oa dentes cariado. a restituir-Ibes
a cor esmaltada em muito poucosdias ; o uso do dito
remedio fortifica as gengivas etira o mo cheiro da
bocea proveniente nao so da carie como do trtaro,
que se une ao pescoco desles urgaos ; o remedio he
esignado pelos nmeros 1 e 2: orchala purgativa ,
mu til as enancas e as pessoas de toda e qualquer ida-
de ; he cumpusta de substancial vegetan nao contem
mercurio, nem droga alguma que possa prejudicar ;
remedio para curar culos, em poucos dias ; dito para
curar dores venreas antigs, e que teem resistido ao
tralamenlu geralmente applicado ; dito para provocar
a menstrueco e accelerar a aegao do tero nos paitos
naturaes em que nao ae precisa das msnubra^tcien-
tilica. da arte ; dilo para resolver tumores lymphalicos ,
vulgo glndulas; dito para curar bobas e cravoa sec-
eos o mais eflicaz que se conhecc at aqu ; dito oxi-
mel de ferro muito til as chloroiei, vulgarmente
chamadas frialdades; posanti-hiliosos da Manoel Lo-
pes ; capsoli de gelatina conteudo balsamo do cu-
palnba ; ditas de uleu de recinos purificado; ditu de
cubetas em p fino; ditas de assaletida ; ditas com pos
purgantes; ditas de ruibarbo da Chiba ; ditas de lul-
phato dequinino de 1 e2 graos cada capsola; alga-
velinlias elsticas; pilulas de sal de cabiciobo ;
tem
24aooos. com algumaa ha- (Ja HuSSicI 11. 2 pelo IllOdJCO
" preco de 500 ris.
Vende-se vinajil
t'gurar
15 annos; umescrao de naci Coala
ra ; m pardo, de 18 annot, ptimo pa-
, na ra daa Cruzas*, n. 22, segundo andar.
era vos de nielo com bonitas I- CO llctCIOslclI S
5 escravaa 4$*
leas
Antonio, n. 25, por cima da
na ra da Cadeia de S.
' loja de chapeoi.
= Na venda de Luiz Jos Marques, defronle do
becco do Trem vende-ie cha nacional o melhor
que tem apparecido no mercado assim como lodos os
, mais gneros de venda por preco eommodo, a dinhei-
roa villa.
=Vende-se uma salva de prala de lei, para 6 co-
pos d'agoa de muito bom gosto e tambem pode ser-
tir pira levar velas nos blplisados vinda ltimamen-
te da cidade do Porto a280rs. a oitava ; na ruada
Senjalla-Velha n. 142, segundo indar.
s= Vende-se um relogio para cima de mesa regu-
lando muilo bem, por preco eommodo; na ra da
Cruz, arrhazem n. 48.
=\endem-ee bengalas de canna veidadeira da Ju-
dia e de bamb com casldes elegantes, por prego
.eommodo ; na ra da Cruz, armazem n. 48.
a*Vende-ae assocar refinado, branco e mascavado ;
caf e evada anoida de boa qualidade por eommo-
do prejo : oa refioacio da ra da Senzalla n. 4, e
deposito da prava da Boa-Vista, o. 7.
agoa das Caldas, ebegada prximamente ; remedio que
cura a frialdade dentro em 40 das, mesmo estando
incbado ; macella nova a 240 ra. a libra : o prego de
tudos estes remedios he mu razoavel, e os booi re-
sultados da sua applicagio he que devem fazer a aua
apologa.
= Ven dem-se excedentes vinbos de diflerentei qus-
lidades e de bom gesto; cerveja branca e prela de Lon-
dres ( de Barclay & Compsnbia ) da melhor que ba ,
e em meias garralss ; ago'ardente de Frange muito
superior cor palhete e escura em cascos e engarra-
fada ; para os frrguezes ba amostras no escriplorio ;
e um resto de salitre refinado em porgio ou por bar-
rica : na ra do Trapiche, n. 40, casa de Cbnstophers
& onaldson.
= Vende-se aarmagio de uma loja, propria para
miudezas, para qualquer principiante por ser pe-
quea, e o aluguel da casa sonde ella est he barato ;
na ra do Queimado n. 43.
= Vendem se 8 escravos sendo duas pardal, d
idade de 20 a 24 annos, lavio e cozinbo ; uma preta,
de idade de20 annos, cose cbio de bonita Ggura ;
dous prelns de 20 aooos; dous pardos, de idade de
0 annos, sendo um bom carreiro e de bonitas figu-
ras ; um prelo, de 30 aooos, cozinba e engomma bem;
ludo por prego enmmodo : na ra da Cuz venda
n. 51. _
= Vende-se um mulatinfao, de idade Ib 13 para
14 annos, de bonita figura sem defeito nem achaque
algum proprio para pagem por preco eommodo ;
veode-se por i.o se precisar delle : no Alterro-da-Boa-
Vila loja de ferragem, n. 76.
= Vende-se urna parda de 22 annoa, muito pos-
anle e sadia, engomma cose fu renda
guras,, ptimos para toJBkservigo
gao de idade del4 a 22 sinos, muito lindas
mas para mucamas e oern varias habilidades : na yia
Direita n 3.
= Vende-se [arelo muito novo ebegado ltima-
mente palos mdicosprecos de 2560, 3200 e 4000
rs. asacca ; na rua^de^nzalla-VelleSi'n. 138.
=Vende-se umloslha de bretaahe toda iberia
de lavarinto por preco eommodo ; ni "ra do Fagun-
ds, n 27.
w Vende-se otas morada de caaa de sobrado de S
andares, lita no Alterro-da-Boa-Vista n. 22^ com
muito bom commodos e bem construida : no sitio do
Hospicio, o. 20 ou na ras de Hortas, n. 140.
= Vendem-se 12 cadeirase duas banquinbisde ja-
caranda ; ludo em bom estado, por s ler servido 3
mezes; os rus da Praia n. 22.
= Vende-se uma prenia de espremer caj, em bom
estado ; ns da Cruz, no Recife, loja de pintor.
Vende-se um preto de Angola de idade de 30
annos, sem vicio nem achaques; no Alterro-da Boa-
Vista n. 33 primeiro andar.
Vndese uma cidtirioba de bragos, forrada de
etim com bsmbioellii, em ptimo estado ; no At-
terro-da-Bua-Visla n. 33, primeiro andar.
Veode-se uma celdeira de cobre propria para
se fabricaren) velas de cera; umsporcio de madeira de
mioada Googalo Alves : atraz (lo tbeilro ,
n. 20, segundo andar.
= Vendem-se duas candas, que carregio de 800 a
900 lijlos de slvensria ; uma dita, que carrega 500
600 ditos; a dinbeiro, ou a troco de lijlo de qua
quor qualidade, ou lelhss: vendem-se barato porque
ae comprarao para, fazer om atierro e este esli aca-
bado : na ra Nova venda n. 5.
Vende-se sois de muilo boa qualidade ; eouros
miudos de esbrs em porgio e a retalbo por prego
eommodo: na ra da Praia n. 7, ou na praca da
Independencia, n. 2.
= Vende-se um par de mangas de vidro com pea-
nhas douradss, chegadas ltimamente de Lisboa pro-
prias para imageos; no Atterro-da-Boa-Vista, n. 60.
= Vende-se cobre de forro e pregos; na ra da
Cadeia escriplorio de L. G. Ferreira Compiouia
Vende-te uma escrava de bonita figura, de ida-
de de 22 annoi, de nagio Beoguella sem vicios nem
achaques; a qual se vende para pigimento : na ra
do Queimado, n. 32, primeiro andar.
Vende-ie um ptimo obrado de doui andares,
oa ra eslreila do Bozario n. 27 com quintal e ca-
cimba ; na ra do Queimado, lobrado de um andar
o. 35, por cima da loja de ferragets.
Vende-se muito superior potassa da
Hussia chegada ltimamente e cal vir-
gem de Lisboa por preco eommodo ;
na ra do Trapiche, armazem de assucar,
n. 17.
Vende-se, na loja n. 4 da praca da
Independencia, rap princeza de Lisboa,
em botes e meios botes, ao preco de
5s5oo ris: este rap he muito'i'iesco e
chegado ltimamente de Lisboa.
Veode-se cera em velas, Ja melhor
fabrica do Rio de Janeiro, e em caixinhas
pequeas de 100 libras, com o sortimento
seguinte:
6 libras de 3 em libra.
tro-
400
(nada velha: aa rna
dos-A logados n. 7.
Vendem-se chapeos
Sol de seda, para Setiiior
meninas, de multo bons go
tos, pelo barato preco de
2^600 res: na ra da Ca-
deia do Recife, loja de fazen-
das n. 55.
Na traviesa da Concordia,
sobrado nico de um andar,
vendem-se dous pares de tan-
ternas lavradas, e um par de
jarros de porcellana com suas
competentes mangas e riqu-
simas flores de panno: tudo
de muito bom gosto.
Vende-se um sitio sito
no pateo da Paz, povo.-ico dos
Alogados com os fundos at
haixa-mar confinar com o
canal do rio, que corre para a
ponte do Motocolomb, e di-
versos arvoredos de fructo, tres
cacimbas, entre as quaes uma
de excellente agoa potavel; ca-
sa de pedra e cal, feila ha pou-
co, com perfeicao, gosto, e com-
motlos p;ira grande familia ,
cosinha fra, e muito t-spaco-
sa, estribara para dous caval-
los. Os pretenden tes a este pre-
dio dirijo-sea Iravessa da Con-
cordia sobrado nico de um
andar.
Vendem-se saccas grandes de farelo,
chegadas ltimamente: no armazem de
Guimaraes, no caes da alfandega e em
casa de Costa & Onofre ra do A mor i m
35.
Vende-se potassa rusaiani nova-
mente chegada: a tratar com J. J. Tasso
Jnior.
8 5
13 n 8
i4 10
16 )) ia
ao n 4
34 iG
ioo libras
pelo mdico preco de i'44 r<"8 c,<^a li-
bra '.' na ra da Senzalla-velha n. i to
RAPE'IMPERIAL.
Este rap, imitando ao rap
princeza de Lisboa, vene-se
em libras, ineias libras e oita-
vas, as lujas seguintes: ra
do Cabug, dos Srs. Bandeira
de 31 el lo, e Francisco Joaqiiiin
Duarte ; ra do Crespo (naes-
cadiiiha), Domingos Antonio
Ferreirap; pracinlia do' Livra-
iieuto, Ferreira e Oliveira; A-
terro-da-Boa-vista, Thomaz de
3Iatto$J,creira Estima, e Cae-
taii;,'a da Cadeia do Reci-
fe, Quedes e \fello: o preco he
(le -2^000 i'0ra Jibia, e .30 is. a
oitava -gf
9kW "a do Crespo, loja
n. 16, vende-se um completo
sortimento de bicos francezes,
engomma, cose, fai renda cozinha el ^ ..
ava; uma eicr.va da Coila de idade de 18 annoa Je00* |>reJO qUC lUUltO agrada
de bon.ta figura, coiinha e lana de sabio; um. (lilalaoS COIlinrJldnreS* aSSIIll 0-
de26annoa, par.todoosei.iyo.ebeoplimaqu.Ui-r*^8 t-OHjprUOre, ttSSIUl CO-
Idcira; uma crioula, slelS annos, propria para todo|mO Se COllllIlUa a Veilder loiias
Escravos Fgidos
= Fugio ou fortario no da 28 de setembro
p. p., pelas 8 boras da noute um escravo da Costa ,
de lome Antonio, estatura regulsr, denles limadoi,
um tanto deiaparladoi um dos outros.ar risoobo, corpo
regular, de idade de 40 annoi pouco -mus ou me-
nos olhos vermelhoi, cara redonda e descarnada ,
falla pouco no andar abre um pouco as pernas no
pedireito lem uma grosiura proveniente de um Licho
que tiroo aonde apparecem algumaa anaroaa de coe-
turai; tem um dedo doi pt torio uma cota no em-
bgo que parece quebrado ; becinhoto pouei barba;
lemeinuma das pal um corte de ouoe ; levuu uma
tina de despejo camisa de riseado azul com listras
brancas calen de macedonia bastante lujas. Koga-
se as autoridades policiaca de terem seo prendes e
peasoas particulares que delle souberem, de o les-
rem a leu senhor na ra da Cadeia de S. Anlooio ,
a. 19 primeiro andar, que serio generossmenU re-
compensadas.
SOrOoOrs. de gratificado
a quem pegar o escravo crioulo de nome Victorino ,
representa ter 20 annos de idade fugio a 89 de no-
vembro de 1844 com os signses seguales : pernis
fian bastante compridss ps apalbetados semblan-
te carregado, beicos grossos com ums cicstrir, uma
lielida em um olbo : quem o pegar, leve ao engenho
Poeta, fr guesia dos A Togados.
Fugio no da 7 do correte um cabra de no-
me Luiz represente ter 20 a 25 aonns de idade, esta-
tura baia sem bsrba alguma cara redonda ; levou
uma trousa de roupa ; provavelmenle elle ba de igno-
rar oscaminbos d'aqui e-ha de pergunlar a alguem
por ellas, por nio ser d'aqui, mas sim do Ceari, donde
eio. ba 3 semanal : quem o pegar, leve a roa da Crui,
o. 10, que ser recompensado.
Do abaiio assignado sehaQ-ie fgidos os es-
cjsvos seguintes: Antonio, de naci Congo, de idade
de 60 annos, bailo, ebeio do corpo bastante barbado ,
com um lobinho no braco : Manoel crioulo de 20
annos de idade baiso pouco corpo eara redonda ,
bocea e olhos grandes com ofDeio de slfaiate : Eufra-
sia le Angola de 30annos, de boa estatura, bs-
tanle ebeia do eorpo cara grande e redonda peitos
grandes, com unas marcas deferid' pelos dedos e rulos:
quem o pegar, leve ao litio do Salgadinbo defroote
da Tacaruna que ser generosamente recompensado.
Nifonnicno Femitc, di Millo,
WWN. } HATlfP. DE M. F. DB FA*U I45.
I


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EH9Q1UNWX_TEYX0V INGEST_TIME 2013-04-13T02:35:10Z PACKAGE AA00011611_05886
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES