Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:05882


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno de 1043. Segunda feira 6
O DIARIO publica-se lodos os da* qne
nao forcm de guarda : o piejo da asigna-
tura he de dot. Os annuncios dos aisignantes sao inse-
ridos a raio de 20 ris por liiiha, 40 ri. eni
typo difiere rite, c as repeticocs pela in&de.
Os que nao forem assisnantes pacao 80 rs.
dor ltnha, e 160 em typo differente.
PHASES DA LA NO MEZ DE SF.TEMBRO.
La nova a las 7 h. e 15 min. da iiianhaa.
Crescente aOas 3 h. e 4 minutos da tard.
La chela a 15 as7hor. c 54 min. da man.
Meugoanle a 23 as 10 hor. e (i in. datarde.
PARTIDAS DOS CORREIOS.
Coanna, Parahyba, e Rio Crande do Norte
_ Segundas c Sextas feiras.
Cabo, S.'iinhaem, Rio Formoso, Porto Cal-
vo, e Macey, no l.u 11 e 21 de cada me.
Caranhuns e Honito a 10 e 24.
Boa-Vista e Flores a 13 e28.
Victoria as Quintas feiras.
Oliuda todos os das.
PRKAMAR DE HOJE.
Primcira as 9 h. e 18 min. da manhaa.
Segunda as 9 h. e 42 minutos da tarde.
Outuhro.

Anno XX N. 243.
DTAS DA SBMARA.
G Secunda S. Bruno, and. do L dos orph.
e do J. do C. da 2. v. do J. M. da i. v.
7 Terca S. Marcos, aud. do J. do clv. da
1.* V., C do J. de pal do I. disl. de ludo-
8 Quarla S. Hrlglda, aud do J do el.
da 2.' v., e do J. de pal do2."dist. de t.
9 Quinta S. Dkmotlo, aud. doJ.denrpb.
e do J. M. da 1. v.
10 Sexta S. Francisco, aml. do J. do civ. da
1. v., edo J. den do 1. dist. de lard.
11 Sabbado S. Firmlo, aud. do J. do civ,
da 1. v.i e do J."de paz do .dist. de t.
12 Domingo S. Cypriano.
CAMBIOS HO DA 4 DE OUTUBRO.
Cambio sobre Londres. 26 d. p. 1 a 60 d.
a Parii 570 ris por franco.
u .Lisboa 12 Desc. de let. de boas fumas 1 y, 1 '/, p. "/
Ouro -Oncas besnanliolas 31^601) a 32*000
,, Mocda de (/-100 vel. 17^)00 a 18#000
i de 6/400 nov. 17*200 a 17*500
,, de 4/000 OH a 9/500
rrata- Pataches .... LJW0 a J/WN
. Pesos Columnares. 1^180 a Sr/OO
Ditos Mejicanos l*'94ll a 1/960
Mocilas de i patac. 1/280 a 1/300
Acede* da C." do Bebcribc de 50/000ao par.
^*^_m. _-fc*. r-Mhw.Mi
i wr*-* ftMtmx
DIARIO DE PEMTAMBUCO
PARTE OFFXIAl.
Governo da provincia,
EIPIDIIKTE DO DA 4. DO COBRENTK.
OlbioA" juii do ilirrit.i de Sanio Anlao, droloran-
8n 01 reaposla so leu cilicio de 30 <]<> mei ullinm, que
o juites compele, ma julganc-ntes. dar s leis a inlel-
lig'nci quemelhnr Ihei pareoer; o qiic,qu.iuilo os supe-
riores e.nm olla se nao conformen), a rcforninr medi-
ante o recurso.
DiloAo nsnector da ihcaouraria dn foiend, signi-
fioando, deve mandar pagara* lellrna. qne anlire a men-
ina thcaouraria i.iccro ai do Rio Grantlc-di.-Norte e
Ceara, e menciona em nflieio de 30 d> prximo paatndo
mei; iiSo por haver o decreto n." "2'ili de 24 de maio
ultimo rrorogado por *eis incies a le n. 317 de 24 de
oiilubro de 4843-, oomn porque aquellas provincias, re-
dolidas, como esli, poja secen a uin catado critico c de
penuria, nSo podara deixar de recorrer ao* sorcorros
das auna circomviiiiiha*.
PortaraAoooruinandanle do vapor Guapiasik, Ae-
terminando, receba e transporto is Alagaa us miasin-
narioa capueliinboa fr. Lu/, de Bclforl o Ir. Scranm da
Miaain. Oiliciou-ae a reapeilo ao (iibprcfeito do los*
pieio da Penlia, o no Eim. vice-jneaidenle das Alagaa;
q o e ni se declaro'i, que o. iueiicioiiailoacapuc.il tubos ac-
guifto parnalliem cumprimeuto d'ordem imperial, i\ fin
de missjonaiem as omita de Jacuipe, e em qualquer
nutro lugar, que por S. Exo. Ibes fosae indicado.
Commando das Armas.
QL'ABTEL GBNF.HAL NA CIUAOE DO rtBClFE, DE0C-
TUBRO DE 1845.
Ordim do dio n 53.
eclara-se ausente, por excesso delicencs.aoSr. capi-
tSo Francisco de Paula ao Albuquerque Grillo, do 1."
baUlhio de cogedores do exercitn: o que, na corformida-
de do artigo 3." d* lei de '26 de maio do 1845 se fa
publico. Amonio Cortua Sidra, brigadeiro com-
inondanto das arma*.
INTERIOR.
RIO GRANDE DO-NORTK.
Discurso pronunciado pelo Exm. presidente da provin-
cia na abertura da segunda tesio ordinaria da quinta
legislatura da assemblea legislativa provincial no dia
7 de selembrode 1845.
Seoborea depuUdoa aaiembla legulativa provincial.
Cumprindo o preceiloque me he imposto pelo
art. 8" do ucto addicional, tenho o pfazer de a-
char-mc entre vos, afim do instruir-vos do oslado
dos negocios pblicos, e indicar-vos as medidas que
me parecern de mais urgente necessidade para que
prospere e floreqa esta provincia, queS. M. O IMPE-
RADOR, por carta imperial de \ de abril do cor-
rente anno, So Dignou Confiar aos meus cuidados.
Opouco lempo por que estou na administraciio, a
enlermidadeque me atacou desde que cheguci a es-
la rjidade, e dequeaiuda me nflo acho reslabelccido,
e sobre ludo a exiguidade de minhas luzes, me im-
pedem do minuciosamente expr-vos, como muito
desojara, todas as necessidades publicas^ os mais
convenientes e adequados meios de occorrer ellas.
0 perfeito conhecimento, porm, que tendea da pro-
vincia, ovosso zelo e patriotismo, s3o mais que
muito suflicientes, para que, njo embargando as
omissOes e defeitos que por certo encontrareis ues-
te meu trabalho, desempenheis satisfactoriamente
a importante niissfio de que os vossos concidadSos
vos encarregrflo.
Antes, porm, de entrar em materia, releva dar-
vos a fauslissima noticia do que no dia 23 de fe-
vereiro ultimo quiz a Divina Providencia que S. M.
A IMPEHATRIZ lisse a luz o Seu Augusto Primog-
nito, S. A. o Principe Imperial o Su. L>. Affonsi .
Por este feliz fi momentoso acoutecimento, que veio
consolidar de mais em mais a monarchia, e que be
lum novo peuhor de paz e prospeiidade para todo
o imperio, eu me congratulo comvosco, e com to-
dos os bons Rio-Grandenses, cuja adbcsiio a forma
de governo que felizmente nos rege, a S. M. O IMPE-
RADOR, o Sua Augusta Familia, he incontrasta-
vel.
Outro succosso, Senhores, leve lugar este anno
pelo qual igualmente me regozijo comvosco. Rea-
isou-se a completa parilicacao da bella c interes-
sante provincia "do Rio Grande do Sul! A conclu-
s3o de urna rendida lucia, que ha nove anuos duin-
va, que absorvia grande parte das rendas do estado,
que custava ros de sangue e incalculaveis sacrificios
a toda os Brasileiros, oi um especial favor do
eo, "Iperado sem contradiccSo por meio da poltica
de energa e fortaleza, temperada por actos de clemen-
cia concedidos aos qne, depondo as armas, e arrepen-
dtdos, rtconhecido a autoridade das leis e do gover-
no; poltica que o benemrito o conciliador ga-
binete qli 2 do fevereiro comprehendeo e desenvol-
veo cabalmente.
TRANQU1LIDADE PUBLICA.
A tranquillidade publica, deque semprc tcm go-
zado esta provincia, contina inallejavel em todos
os seus pontos, gracas Divina Providencia, e ao
animo pacato e comedido da maioria dos seus habi-
tantes. Du'as eleicfles acabilo de effcctuar-.se : a de
senador, pela vaga que deixou o benemrito Fran-
cisco de Brito Guerra, de saudosa memoria para to-
dos os que proziio o merecimento c a virtude; c a
de deputados provinciaes : e bem que cmtaesion-
juncturas todas as paixOcs se desencadciiio, os ani-
trfos se a7cdo e irritilo, e baja urna verdadeira
crise, comtudr^desta vez uo ippareceo o mais li-
geiro estremecimento em parte alguma ; ninguem
levantoa o menor queixume contra a presidencia,
ou contra qualqucr onlra autoridade, ainda a mais
subalterna: n.lo so ouvio a mais levearguicao di-
que se pretendesse violentar, forenr ou arrancar o
voto livredo cidadao; em nenhum dos collegiosob-
servou-so a menor desintelligcncia, a menor contes-
tacilol Era tempo de eleicoes,- e ninguem o dis-
sera; ebegou odia designado para a votacao, dia
que no Brasil tcm sempresido de lucta, de guerra,
e foi tudo quictaco, paz, c livre exercick) do direito
que a constituieflo garante a todos os cidadSos! A
exposiglo que acabo de fazer-vos deste laclo, que vos
todos lestemunhasleis he para mim, senhores da
mnior salisfacfo o gloria, c urna prova irrefragavel
de que o amor ordem e ao socego est tilo arrei-
gado no peito de todos os habitantes desta provin-
cia, que jamis se deslisrSo da trilba pacifica o le-
gal, (iic somonte pode levar um povo a grandeza
e felicidade. Gomquanto, porm, dchaixo deste
ponto de vista nilo possa ser mais helio e lisongoiro o
estado da provincia, comtudo, longe de viverem sa-
tisfeitos e contentes os Rio-Grandenses, ao contra-
rio elles se teem visto, como nflo ignoris, em terri-
veis angustias, cm consequencia da assotadota sec-
ca que ha dousanuos tem llagellado esta poreflo do
Imperio, principalmente no serto, onde mais
Crueis e destruidores teem sido os otfeitos do extra-
ordinario cataclysma, sob cuja maligna influeifria
ainda nos adiamos. A mortandade dos gados de
todas as especies, e o anninuilamonto das lavouras,
tem obrigado grande parte da povoacito do centro a
abandonar as 8U3S haliilagOes, o a vir hnmisiar-se no
litoral, onde a caristia eescassez, que ja se sentia ,
augmentou-se, como era natural, com oaccrescimo
de novos consumidores que sobrevierto, tornando-se
por consequencia geraj a miseria ea indigencia, cu-
jas calamitosas cousequencias .soffrem em maior es-
cala os retirados ou emigrados, os quaes, alcm da ne-
cessidade de alimentos, carecen de casas em que se
abriguen), e de roupa com que se tirem da desnu-
dez em que seachao. De tilo desgragada situagfio
tem resultado morrerem nflo poucos individuos,
principalnieiilc criangas c velhos, nao s de lome,
mas deenferinidadcs que Ibes tem produzido o uso
de alimentos improprios, como a monind, O chique-
chique e o po-burrii/a, de todos o mais pernicioso!
O governo imperial, semprc desvelado em promover
obemdopaiz, saliendo desta extraordinaria penu-
ria, curou de minora-la, enviando-me, por diversas
vezes, qualroccntas e oitcnla saccas de 1'ariiiha de
mandioca de mediocre qualidade, afim de serem
convenientemente distribuidas gratuitamente pelas
pessoas mais necessitadas, ou, no caso de ja adiar-
se o mercado sulllcicntemente abastecido, vende-
la pelo prego restrictamente calculado para salvar a
despeza da compra e do embarque, oquo tudo tem
ATROVOADA.O
A' propnrcao que Aneelmo repeta cala pbraici, aba-
l-i3.ac Hit vii, e ultioi palavra* que pronuncinu,
linbto u.u acento que perturbou Amelia. Parecoo-lbe
todava ridiculo deisnr-io dominar pola louea dem*
deas* mancebo, que ella nao conhecia, e para trajer a
conven.;... un. tom de alegra quo innipletamente a
pajtaaM) o si.ima.io que hsvia tomado rc.ponJeo :
T_ Poiaben. I Sr., eaquecau.oa tudo .ato; aupponha-
mo.'tfuc tudo K pasiou. co.no Vmo. bay.a delineado.
E po o chapeo, e pegn no guarda cl.uva.
Vine, eheguu, centnnou Amelia; en eatou promp-
ta, a partimoa. ...
_ Como for do eu goato, ninlia enhora... roa* an-
da ohovo uro punco.
Nao, Sr., niu cbove mai* nda.
v Permitume onilu que va proeurar urna corroa-
geni.
() Vido Diari n.' 211.
Nao preciso.
Olbe que ha muito lama.
Eu aei andar.
Ora bem, Srn., cja complaconlo; en fui bem gros-
aeiro e iiidiacrclo, nao me obrigue a acompanba-la aa-
im eleganteine.ito vellida, a atraveaaar ra i.npratica-
voi.....Espete cinco minuto, emquanlo vou o vei.bn,
Oh! e Vine, peina que cuquero ira peporeatar
zangada eugana-ae; e para Ih'o provar, coniinlo que vr
ver u carriiagem, eu o capero....V, va
Anaelmo dirigio-se vagaron, para o purta da sala, o
asbio. Onvi.i-o Umn. de Laurtsl atraveaaar a asa de
jamar, quando relimo no alojamento a ainda da porta.
QubuiIo Amelia uuvio o son. da sinclo, que provavel-
ineiiie Ihe aiin.iiiciava urna visita, applicou o envido pa-
ra saberse Mr. Ferou, que ncase momento se adiara na
antecmara, abrira a porta, como era natural de ae aup-
por. Nao uuvio porein a menor bulla; ninguom espe-
rava; era tolvet olguem quo seengonav. Conlinuava a
escutar, quando segunda vez soou n cainpainba. Sabio
cnta da aala, e io abrir a porta; maa parou ao ver quo
Anaelmo voltava na pontinha* dos pea.
E cutan ir., o que ha.
Sio diaae Anadino muito dcog*rinbo.
Enllo que he?
Devu abrir a porta ?
E porque nao.
sido fielmente cumplido, como he de publica nolo-
riedade. Este socrorro posto que diminuto, tem
sido de grande allivio para a pobreza nesta cida-
de, cm S. Goncalo, em Muri em Extremo/, em
Goianninha, em S. Jos, em Panari, em Villa-Flor,
emTouros, no Ass e na Sorra do Pires, que sao os
ugares para onde hei feilo remossas, doixando de
ir para os outros pontos da provincia porque, co-
mo nao ignoris, nao haviao, c nem ha actualmente,
animaos cm que se lizessem, ou se fagan, os trans-
portes. Desojando, pordn, quantoem ir.im cabe,
que nio fique um s lugar privado do auxilio e fa-
vor, que todos teem igual direito, tenciono enviar
para a villa da Princcza quanta maior porgflo do so-
bredito genero poder, afim de que all vflo prover-sc
os povosdo Apudv, de Port'alcgre, Maioridade, Prin-
cipe, S. Anua il Mallos e Acari, pois para estas
villas contina a impossibilidade de mandar-se di-
rectamente. Cont poder abastecer de farinha lodo
o seTtio, do modo que acabo de referir; porque,
tendo sido votados na cmara dos senhores depu-
tados geraes cont e cincoenta contos de rois para
SOCCorro, nao s desta, mas das provincias do Loara
c Parahvha do Norte, que igtialmenle estfio em tem-
poralidades, he provavel que nos loque quinhao suf-
liciente para reinir as nnssas necessidades.
Mas, senhores, alm da lome, da mortandade de
animaos e do liomens, e de lodos os outros males
que nos tcm causado a secea, un lia que merece
muito especial mcuciio, evem a ser a grande quan-
tidade de ladrGes que tcm apparecido por todos os
pontos da provincia, o principalmente na Maionda-
dft, no Serid, em Acari, e nos municipios do Extre-
mo/, e S.Goncalo. liomens que sempre vivrflp entro-
unos a eeiosidade e a preguica,e que subsistan do
i|ue espontneamente Ibes ol'ereda a natureza, boje,
que pela aturada falla de cliuvas nada encontrflo fja-
quillo do qoo costumavflo a slimentar-se, em ala-
telas ou iiidividualmeule, so achilo em continua Bg-
gressfio propriedade dos industriosos c trabalha-
dores, a quem sao ISo temerosos como a proprra
secca. Para garantir, porm, a parte sfla da popu-
lagilo dos insultos e attentados dos preguieosos e
discolas,'que Xormig.fo por toda a parle, e que com
propriedado se podem chamar selvagetu da civUisa-
rio, nflo tenho poupado esforcos o diligencias, ja
activando as autoridades policiaes no ciimprimento
dos seus deveres, ja rccommendandq o recrutamen-
todo todos os que uno teem conhecido modo de vi-
da, ja mandando destacar nina forca na villa do
Principo, e onlra em Goianninha, o rol'orgar a que'
se ada no Ass, eja, finalmente, expedindo o activo
tenenie Joaquim Francisco de Paula Uoreira a len-
le de dezoilo liomens, afim de hater as quadrilhas
qne infestavilo as maltas de ScavlO o da picada do
Ceii.i-mirim, e que tinhao principiado a assassmar
nos iiiie Ihe nflo consentirlo rOubar. Gracas a estas
medidas, o anzolo e sollicitude do honrado chele
de policio da provincia, de alguna seus delegados,
especialmente do benemrito Antonio Alvaros Man/,
osla terrivel praga, se nao esta totalmente extincta,
o que era e lio impossivel, principalmente rom a pe-
quena poreflo de tropa ( cont e sessenta o nove pra-
cas ao todo ) que tenho a mirilla disposigflo, ao rue-
os lisongeio-me de poder certilicar-vos que esta
muito diminuida, e (|iio continuo a lera peito a ma-
boteneflo da seguranga da Vida e fortuna de todos os
cidadaos.
CORPODE POLICA.
Ocorpo de polica esta completo, como veris
do mappa n. 1, e contina a prestar valiosissimos
tervicos i prol da seguranea individual de pro-
priedade. Ainda se acha sem armamento c cquipa-
inento proprio, pois nem os nicos .'i0%000 rs. que
Ionio volados pela lei provincial n.5J de 2 do .No-
ve mbro de 1840 para compra dos ditos ohjectos, o
que apenas ebegario para haver-se a niotade das
aunas ccorrame deque o mencionado corpo pre-
cisa, como ja vos fez ver um dos meus antecessores,
inda podrao ser despendidos, ltenlos os apuros
dos cofres. Cumpre, pois, que me habilitis para
satisfozer a esta urgente necessidade.
CULTO PUBLICO.
Todas as freguezias da provincia se aclflo
providas de parochos collados ou encomjnendados.
Atteudendo ao diminutissimo rendiinenoto de al-
lomas dolas, como a desta cidade, a de Papad,
a de Touros, c, c, nenhuma duvida teria em
Porque be talvci nina viailn que o demorar por
muito tempo; e como Vmo. tem preaaa de partir paro
SaiiitGermain. ito pode-la-hia enquiilor.
Amelia encolheo os ho.ubroa rindo-ae, e respondn :
__ Como Vino, nao abri, agora bceacusado.
Entao vou procurar a carruagem, diaae Anselmo
diriginilo-ae para a porto.
Eapere ao momia, replicn Amelia detendo-o, que
o peaaoa que locou tenlia o tcinpn do deaccr.
__ He justo, be justo, diaae Anadino voltandu sala,
vou ver c ella'iahio.
E duendo isto, atraveasou a sala, e ebegou-se janel-
la para olbar para a ra. Mma. de Leurtal o observava
aoirindo-ic : parecia-lbe Anselmo tio ingenuamenteain-
gular, Uo franco, tio alegre, que quaai nao faiia Hiaia
com elle uirimonia arfMMi nao eslava mais tangadn das
exquiilicea, parecia-lbe al que esae genio brusco e
incero deaio occultar um bom corajao; per.loava-lhc
de bom grado o leu* propoiilo acerca de Mr. de For-
lia o divcrtia-e cm aeguir-lbe o movinicnto do im-
paciencia, en que n v relirar-sc de repente da janella.
__ Ora adeo, die elle, bem fiz eu. nao abrir a por
ta, era Madama Uuvn era pcasoa, a mais imuppurlavel
(agarella da trra. 4p)
E tambera apap**nialicioaa.
Era o na mly*da do dua hora pelo menos.
Esta Vmo. 6em corlo do quo era ella ?
propr-vos o augmento das respectivas congruas,
afim de que esses sacerdotes nao continuassein a
sofl'rcr as privacOcs e estreitezas em que vivem, e
polas quaes estfio a ponto de abandonar as suas gro-
jas, como vcrbalmenle m'o teem communicado ;
mas agora o nflo farei, atiento o estado decadente
da receita provincial. Competindo-vos, porm,
remediar este o outros males, eu vo-lo indico, alim
de que sobre elle deliberis com a vossa costumada
maduro/a.
A' oxcepQflo das grojas matrizes do Acari e
Serid, que se achflo em bom estado, providas de
ludo o que he mistor, as outras cstflo apenas come-
cadas, ou em tilo decadente estado que a cada pas-
s'o se teme venliflo ao chao; carecendo,alm disso,
das alfaias, paramentos e vasos sagrados nescessa-
riospara a celebracflo dos oftteios divinos o dos ac-
tos religiosos, nflojacoma pompa e magnificencia
dovidus o indispensaveis para excitar o respeito c
a veneraeflo, e elevar o hoincm Divindade, mas
nemmesmocom a decencia e decoro precisos para
desvian) ridiculo o menos-prego com quesflo trata-
das as colisas ainda asmis venerandas e sagradas,
quando a pobrezaea miseria as obscurece edesaira.
Os homons em geral, principalmente os mais gros-
seiros o ignorantes, deixflo-so levar das exteriori-
dades o dos aeeessorios, som Ibes importar as mais
das ve/os a substancia, a osseneia das cousas. As-
sim, pois, para que se nflo entibie o espirito religio-
so, que tanto releva fomentar, poique, como nflo
desconhecois, sem religiflo nao ha moral nem bons
eos tu mes, esem osles de nada valcm as leis, he do
urgontissima necossidado providenciar, ainda com
sacrificio, para que os templos sejflo concluidos,
reparados, reedificados, e dotados com os objectos
indispensaveis celebracflo do culto.
Para que possais fazer porfeita ideia do estado
de todas as igrejas da provincia, farei chegac ao
vosso conhecimento os ofllcios que os respectivos
parochos me ilirigirflo, obomassim osorgamentos
das dospozas prdVaveis com os reparos de cada urna
das proditas grojas. Da quantia quena sessflopas-
sada votasti is para o concert de algumas. matrizes,
apenas se despendrflo 800?000 rs. com as deS. Con-
galo, S. Jos, Goianninha e Papari, sendo 200000
rs. para rada urna: o por que nenhuma dolas so
rondiiisse e apromplasse, atienta a insignificancia
da quantia decretada, he necessario quo votis, novos
crodilos para quoisloso rcalise, como instantemente
osolicilao os respeelivos vigarios, e he de razflo,
para se nao eslragareiii e arruinarem as obras
principiadas; caliendo aqui dizer-vos, que me pa-
rece, inollior volareis os fundos necessario*) para
o completo reparo de una, duas ou tres inatrizes
nicamente, do que suhdividireis a quantia que
houvereis de consignar para este ramo do servico
publico, por todas as igrejas da provincia, vindo
assim a tocar cada nina tilo pequea quota, que
apenas ebega para a compra de algiins materiaes, os
quaes, nao pudendo ser logo empiegados, arruinflo-
se, ou sflo extraviados, de sorlc quo no anno se-
gunde ja nada existe, bu, se existe, he cm estado in-
teiramonle incapaz de servir, e por esta forma silo
inutilisadas essas pequeas sommas votadas parci-
almente, sondo que seriflo aproveitadas, se conce-
didas hoiivessem sido de una, s vez. Creio que
todos vos, senhores, estis compenetrados da ver-
dado que acabo do expr-vos, e por isso deliberareis
em conformidade della.
SAUDE PAI.ICA.
A poste de boxigas e a1 epidemia de sarampo, que
no anno de isl ceilbn tantas vidas, felizmente nflo
reapparecerflo. A vaccioag-flo tcm sido muito pouca,
ji. por Taita de Unido vacVinico, que quasi sempre a-
qui se experimenta, ja porque o que tem sido en-
viado nao produz elleito algum, como aconteceo ul-
timamentecom vinteequatro laminas que requisitei
da corte, e que chegarao todas derrancadas.
A.' excopeflo da opthalmia, pareco que nflo ha
nenhuma outra molestia endmica nesta capital, on-
de as eiilermidades mais frequentcs sflo a siphiles,
debaixo do todas as suas dilferentcs formas, as le-
zfies do tubo digestivo, a hysteria e a epilepsia,
conforme o ofilcio que, a 13 de junho ultimo, me
enderegou o entilo medico do partido publico Tilo-
ma/ Cardozo de Almeida, o qual foi tilo mesquinho
e estril que delle nao pude colhor senflo o quedei-
xo referido, nflo me sendo possivel accrescentar cou-
Easa be boa al olbou para cima ao alravenar a
ra, c mi conbeci-a perfeilameole.
Olhn.t paro cima, e Vmc. conhooeo-a ? dase A-
melia. Depnis como sclbe occorrera alguma terrirel
ideia, c.intiniiou cora vivaoidade. Mas ella tarnbom o po-
da ver c conbecer ?
E que faier, luiuha (enhora ?
A' cala interrugago, o vitta da impataibilidade de
Mr. Ferou, Madama de Leurtal ficou anniquilada; ma*
encolorizando-se nnu.eiliauuiento, disae-lhe cumiiapeto:
O que fazer, meu aeubur :' Ella vai dizer, e tem di-
reito para isto, quo voio minlia caa, que eu aqu cita-
ra, o porlelro diae-Ih'o poi* quo ella subi; dir que eu
estova a >s e fechada com um bouiem; o que tambera o
porteiru Ibe tero dito, quando deseco; dir que cu alo
qoii abrir-lbo aporta; dii (juo esscbnraein era Vmc.
pois que u vio janella, para a qual ulhou porquo Ihe
disaerfio que cu India algueni em caa. Quando ajfOBta
fot (ilgu.na visita, e nao ocha a pessoa era oasa, nao vas
olbar para as janella*, para cipiar, sem ter alguin ,")*0
peinanicnto Por lauto Mma. Oavin fes esio mojuizo.
Mas, Sra., que mojuizo quer Vmc. que ella tenha
feilo ro|dicou Anselmo, que pareca atorduadu pela
colera o conslernagio de Amelia.
Que mi peiuamenlo? repatio e*U; mal eflto,
em quo penaa Vmo., que pretende ? continuoa ella qua
i com impoto.


?
saalgnma, porque nSo ha aqui outro medico a quem
me dirigisse, pedindo as necesarias informacoes,
iic'in possuo conhecimenlsque me habiliten! a fal-
lar sobre a materia. Pelo citado oflicio, que vos se-
ra presente, poroutros muitos factos de que fui tcs-
temimha, equeo clamor geral trouxe ao meu co-
ihccimenlo, convenei-mo de que nilo havia ulilidade
alguma na conservac,Ao do referido Cardozo; e,
conseguintemehto, por portara de 2:t de julho pr-
ximo lindo, o demitti de medico do partido publico,
alliviando assim os cofres provinciaes da despeza
to m cont e duzentos mil ris, que se fazia sem
ventauein alguma para a hiimanidadu desvalida, tan-
to pela impericia do facultativo, falta de zelo e pa-
ciencia com os niiseraveis docntes, como porque,
nao leudo esses individuos, que pela sua completa
indigencia cstaffio no caso de aproveitar-sc do favor
publico, nem casa agasalhada, uem os iiecessarios
movis, nem meios com quo podessem guardar o re-
cimento, sempre indispensavel a (uem est enfermo,
a receita, quando o professor ge dignara dar-llics,
c os medicamentos, que era tudo quanlo a custa da
provincia se Ibes poda fornecer, erilo as mais das
vezes improlicuos, se nSo perniciosos. D'aqui, pois,
j vedes que be absolutainenle necessario que decre-
tis alguns fundos para principio da edilicaejio de
nina casa de candado, on de misericordia, onde se
nussfio recolher e curar, se nflo todos, ao menos al-
guns dos innumeraveis desgranados, que, por ca-
rencia total de meios, ou perecem de molestias que
nada valcriflo sefossem convenientemente tratadas,
ouarrastflo pelas ras desla cidade urna existencia
miseranda e cruel. NSo ignoro que Silo Iristissimas
as pircumslancias da provincia; mas esta necessidade
publica, que eu considero de primeira ordem em
um paiz christflo e civilisado, mormente nosla lena,
onde he tilo crescido o numero dos indigentes, be
tflo urgente, e tio geralmente sentida, que nao me
pOSSD dispensar devo-la indicar, e de reclamar dos
vossos sentimenlos philantropicos os meios necessa-
rios para comeco da referida obra, a qual, por todos
os meios ao meu alcance, diligenciarei concluir, fi-
cando assim levantado um asylo aos desvalidos en-
fermos, c um monumento glorioso a vosso espirito
caritativo. Iteeonheecndo a necessidade que aqui
ha de um hbil medico, estou solicitando do Itio de
Janeiro, ou dePernambuco, a vindade aljiim, que,
convidado pelo interesse cerlo, e nao pequeo, que
Ihcofferece o aprtido publico, o qual Ihc pode ser
concedido por nove anuos, se resol va a deixa os
commodos'evanlagens deque se goza emquarquer
das referidas cidades, e se sujeite u permanecer nes-
ta capital.
OBRAS PUBLICAS.
SJutas sito as obras publicas de quo precisa a
provincia, como veris dos ollicios de todas as cama-
ras municipaes, que vos scra prsenles, deixando
de enumera-las aqui por me parecer trabalho intil,
nflo s porque todos vos sabis perleramente quacs
as necessidades (msente a vossa patria a este res-
peito, senflo lamliem porque recouheco que nilo vos
he possivcl, a vista da deficiencia dos cofres, dar re-
medio a este mal, alias gravissimo.
Nflo medispensarc, poi'm, de fallar sobre du-
as nicas obras publicas. O aterro do rio Salgado
e o reparo da fonlc da llica.
Quanto a primeira, he de meu dever rommu-
nicar-vos, que em virtude do disposto na lei pro-
vincial n. 09 de 8 de novembro de 1841, mandei ti-
rar a planta e proceder ao orcamento do menciona-
do* aterro, e tendo-o remedido ao inspector da tlie-
souraria provincial, ordenei-lhe que puzesse a ulna
em hasta publica, c porque nem um so licitante
apparecesse, mandei ilxar editaos, convidando a
que viessem contrariar rommgo, como manda a ei,
a cdificBCao do mesmo aterro; infelizmente ate boje
anda ningucm comparecen, o que em verdade nao
he para admirar, pois a lei nao ofl'erece vanlagem
alguma ao arrematante, ou empreileiro: apena Ihe
da o direito de pagar-se aos vinlens do capital que
houver de enterrar na obra, o qual nao pode montar
em menos de dez conlos de ris, nao se lhe conce-
dendo, alm do-iempo que fr necessario para este
Um, nem um so dia em remuneracBo do seu traba-
lho o dos juros do seu dinbeiro. Assim, pois, he
claro que fra mister ter perdido o juizo para fazer
semelbanbc contracto.
F.sta obra, porm, be de vital interesse para a
provincia, como nflo duvidais; portanto releva que,
revogando a citada le, confeccionis outra, consa-
grando os seguntes principios: que oemprezario ou
arrematante recebera todos os anuos dos cotes pro-
vinciaes, depoisde concluido o aterro, o pagamento
de Orna decima partela quanlia porque f'r a obra
contraclada, de sorlc que em dez anuos venha a
fiear completamente indemnisado do seu capital,
concedendo-se-lhe alm disto os rendimentos da
passagem por tantos ahnos, quantos forem neces-
sarios para satisfaeflo dos juros do mesmo capital.
Por este modo talvez appa*eca quem queira empre-
hender a obra, que se fat de um modo suave
para a provincia e para o-arrmatantc, com o piovei-
to de dar o seu dinbeiro a juros com lod a a segu-
ra nc.i.
< A'cerca da segunda, que he a nica fon le publica
de agoa potavel, que tetn esta cidade, eumprc-mc
participar-vosquese aeha em estado total de ruina
e inteirameute inutilisada, como veris minuciosa-
mente do oilicio do engenheiro por quem a mandei
examinar e orear as despezas quedeveriflo fazer-se
com tflo importante obra, que por corto nflodeixar
de merecer a vossa Ilustrada atlencflo. I'ara a cons-
truccodella parece-meque nao seria fra de pro-
posito adoptar-se o al vi t re que proponho para a
2
edificado do aterro do rio Salgado, ficando neste ra urna das cadeiras da provincia; avista do que
caso o arrematante com o direito do vender a mdico nilo posso deixar de prop6r-vos a suppressflo de
proco cada barril d'agoa, por tantos annns quantos '
frem sufhcicntes para a ndemnisacflo uo juro do
seu capital, que a provncia.ir pagando nos prazos
que se ostipularem.
IMSTRL'CCA PUBLICA.
A instruccSo publica se acha no mais deplora-
estado ntlSSivel. P. lie I1IT1 IflK ramne ilntorel/m!
tres d estas cadeiras, sendo mais" que muito sulli-
ciente, que fique a provincia, que he pobre e que
nao pode ter luxo cm cousa alguma, com tres pro-
fessores de urna lingos morta e por consequencia
s necesarias quem se destina a estudos maiores,
o que no podem, nem he necessario que facSo to-
vel estado possivcl, e he um dos ramos do servico}dos; sendo certocrue os mocos que estiverem as
publico que mais reclama a vossa atlencflo! Oon- circumstancias de seren padres, juristas ou med
sino primario ocha-sc extraordinariamente atraza-
do, ja pela falta de casas proprias
Scnliora, einlamun Anaelmn, cu sen humen hun-
rdo ....
M.ii enlio contorne prrganln Vine., que man pen-
lamrnlo tere Milu. Davi; p.n. qneeuihin ji que Vine,
nada comprihendc .... mi, inov amboa ana em um nbijaincnl.., e que n,1o abrem n p.r|a
qiirm bale.... que c de ve auppur ? .pie ae podo di-
ta ?... Ifau drjrebrc Vine. .. que ac pd- dinr?....
Anaelmo continen ainda p..r algum lempu mi ton r
M elu|iefetu; depoit Rlmiu e lile lioiiTern uee..rrid..
tima iiicia repentina, t..rnuu-o imlidu c iiei-.e a ire-
er.
E a Sra. nppe, ., ? Ule ello emfim cura vm
alterada. Cr que uuaarii ealumma-la ?
Vmc. du.d,. ? Tal.et ja etleja iaau feit... Or.t le
Urna. Uaviii rnomitroii nlgii,-, ,,,., c..iitar .. que a-
ooateceu. nudcijmi de o fuer. Anda mais. na e.pe-
rvo fr uiu aoan>, fui me.m., procurai a orcaaiau Quer
vr^praa cuusa, eerea mleaaV edaixaHdi>-M arrullar peb. |ienaaiii.-Mln de pre
rermoV ai oonaequcnciai do urna degrada, ullie anda
deaaa jAneUa. eapuiio qiieMma D.rin enlrnu ahi dr-
fronle em caa da >ua digna amiga ilina. Rib poit.'meu Sr., que a eia ln.r/1 ralau puatadua rapiSea
puf lri dai gaiuaiai do ten alejamenlo para u verem .-
birdcilMan.
Anitimo paaioa oolenco a mo ptla fruole, depuii
_ e commodas, j
pela dos indspensaveis utensilios e da de livrosque
de todas he a mais sensivel; aceresce aislo, que os
proessores cm geral iguorflo inleiramente as ma-
terias quo deviio ensinar, pois mal sabem lerees-
crever, desconhecem oulro qualquer methodo,
que n.lo uja o individual pelo qual ensino, e fi-
nalmente 1140 teem aquelle zelo o dedicaeflo necos-
saria quem toma sobre seus hombros a ardua
tarefa de instruir mocidade.
O que acabo de dizer acerca do estado la-
mentavel do ensino elementar, pde-se com amis
rigorosa verdade applicar ao alheneu que tantas
despezas custa provincia, equenenhuma ulili-
dade anda lhe trouxe nem lhe tiara es continuar
no vergonhoso estado de decadencia e avltamento
em que se acha. A casa do alheneu senhores,
lisio s nilo he decente, como convinha impor-
tancia do lim que he destinada, mas at nflo
lem as absolutas e indspensaveis acommodacoes,
acliaudn-se de mais a mais em tal estado de ruina,
quo os profi'ssores de algumas das aulas, quando,
sopra vento mais rijo, teniendo com bastante razo
Bear esmagados, ni ni las vezes suspenden) os seus
Iralialbos, o que alias tambem succede por causa1
da copiosissima cliuva, que no invern entra pelas
janellas que nao sao envidracadas, pelo tclhado e
pelas portas, que leem grandes fendas, e sflo 13o
mal seguras, que ja alguns utensilios do mesmo
alheen tem sido roubados. .Mandei proceder pelo
2.' lente do imperial corpo de engenheiros lia-
noel da Silva Pereira ao orcamento das despezas,
que provavelmente se farflo com os reparos preci-
sos, e veris dos papis que vos serafl presentes,
que elle calculou em 900/000 ris a importancia da
obra; os quaes cumpre que votis, se quizereisque
a nica casa de instrucgfio publica da provincia nflo
desale, c seja pelo contrario convenientemente me-
llioraila. (Juanlo ao pessoal do alheneu vos lodos,
senhores, sabis que elle nflo be bom, que os pro-
fessores, uns sflo pouco versados qas materias que
ensinao, outros (lenles, idosos e fallos de methodo,
linalmentcque lodos carecem daquelle porle eaus-
teridade quesSo absolutamente indspensaveis para
impr respe!to a mocidade, obriga-la a cstudar, cum-
prir os seus deveres o aproveitar o seu lempo. He
por Talla de lodos estes requisitos dos mcslres, <|ue
a mocidade que all so acha matriculada, em geral,
be insubordinada, descomedida e poucos ou antes
nenliuns progressos faz, como ltimamente me re-
presenlou o respectivo Tice-director e o veris de
seu oilicio datado de V de junho prximo passado
pedindo providencias. As que cabiflo em miuhas
aiti ilinicoes Corito inmediatamente dadas, e nflo obs-
tante as cousas se conservflo pouco mais ou menos
no mesmo pe nao sendo possivcl que apparecesse
mudenca, principalmente tflo depressa, porque, ao
meu ver, a causa do mal esta nos prolessores, e tal-
vez na direceflo do eslabelecimenlo. Do que acabo
de ter a honra de siiccintamenle ponderar-tros, j ve-
des, senhores, que a medida que sobre este olijecto
entendo devor-vos indicar,' e sem a qual parecem-me
improOcuas todas e quaesquer oulraa que se possilo
lomar, he a reforma do pessoal da instrureflo. Se
em vossa prudencia e sabedoria julgareis que a de-
veis resolver, como tenhopara mim que o fareis,
entilo sera acertado quo votis a quanlia oreada
pelo engenheiro para os reparos do edificio do alhe-
neu ; que consignis una quota para compra de al-
guns livros e utensis para as escolas primarias; que,
revogando os estatutos ltimamente fe i los pela con-
gregacao, segundo Ihc permillistcis, os quaes jul-
go pessimos, organiseisoutros, ou me autoriseisa
que o faca; finalmente sera conveniente quesujei-
teis toda a instruceflo da provincia a um director,
que nao deve jamis ser professor algum, ao qual se
altribua a faculdade de nomear e demittir delega-
dos de sua conanca em todos os lugares onde, hou-
vereni mcslres pblicos ou particulares, nflo sendo
licito a ninguem abrir aula de instruceflo a mocida-
de sem previa licenca do governo. Por este modo,
ficando loda a instruccfip publica da provincia sujei-
laumcentro, poderaser regularisad'a u uniformi-
s;ida, saliira do estado de lorpor e abandono cm
que infelizmente se acha, evira a florecer e pros-
perar proporcionando os incalculaveis beneficios
queresultflo das sciencias edas luzes, sem as quaes
nunca paiz algum pode ser livree feliz.
Do mappa n. -2 veris o numero de alumnos de
ume oulro sexo, que frequentflo as escolas de pri-
meiras leltras, numero sem duvida muito diminuto
em pioporcao da populacao da provincia. Talvez
fosse conveniente obrlgar os pais a mandarem seus
lilhos a esrola, como, sob. as inais severas penas,
acontece em alguns paizes da Alemanha, ondea
instruceflo se acha no mais brilhantc p. Km quanlo
nao for lomada esta providencia, grande parle da
populacflo continuar na ignorancia em qua actual-
mente se acha da instruceflo elementar, quo mui-
tos iniscravclinenle suppoem desnecessaria, ou cu-
jo valor pelo menos desconhecem.
Do niitppa n. 3conhecereis o pequeo numero
dos cstudantes da lingoa latina que frequentflo ca-
anmuiji i mi.inam-iia-ariii
eos, sem duvida alguma poderflo mui commoda-
menle, de qualquer ponto da provincia que sejflo,
frequentar urna das tres aulas de latinidade, que
me parecem dever-se nicamente conservar. Por
esta forma, acabando-se com as sine-cvras das ca-
deiras delatim, que sflo em geral oceupadas por
pessoas pouco instruidas na materia, e que ou nflo
sflo 'requemadas OU O san por mu pOUCOS alum-
nos, pounareis um cont e duzentos mil ris, os
quaes podem ser consignados ao concert do alhe-
neu, ou a qualquer outra das infinitas necessidades
reaesque tem e sent urgentemente a provincia.
Por esta razflo he que tenho deixado de provera ca-
deira de Goianninna vaga por ter pedido e ohtido
deinissflo o respectivo professor Jos Nicacio da Silva,
sem duvida um dos mais habis dos seus collegas,
Pelo mappa n. 4 veris quantos alumnos visilo
as aulas do alheneu, e pelo de numero 5, conhe-
cereis as faltas que leem dado slenles deste esta-
belecimento de Janeiro do correntc auno ateo ul-
timo do mez prximo lindo, e por ellas podereis
avahar da sua assiduidade, e por consequencia do
apmveilamento, que, ainda nao .existmo as 0U-
tras razoes. que aponto, poderia ter a mocidade.
Julgo tambem desnecessario o lugar de bedel
do alheneu, podendo o porteiro, que nada, absolu-j
lamente nada, tem que fazer, ser encarregado da
insignificante tarefa que pelos estatutos lio ppos-
ta a aquelle empregado. O lyco do Maranliflo,
senhores, que he um cstabelecimenlo maior e
mais bem montado do que o alheneu, s tem
porteiro, que, sobre abrir as portas, curar do asseio
da casa, loma ponto dos estudantes e lentes, con-
duz a correspondencia oflicial, e faz todo 0 mai>
servido preciso, que he em maior escala do que
o d'aqui: entretanto nunca observei que all hou-
vesso necessidade de bedel. Nilo he, pois, mister
que exista, este empregado cujo lugar vos exhorto
que supprimais', extinguindo assim mais esle benefi-
cio simples com que nflo pode a provincia.
Das cadeiras de primeirasletras apenas se achilo
vagas as de {Campo-Grande, Acari, Gonceicflo, Pao
dos Ferros, Scrra Negra e Jardim de Piranhas: todas
as mais se achilo providas. Julgo tambem indispensa-
vel, que supprimais algumasd'eslas, que, sobrecar-
rcgflndo a provincia, nenhuma utilidapc produzem,
j por nflo seren l'reqiienlailas, nao obstante OS map-
pas que apresentflo os professorcasi que nenhuma
f a semelhanle respeito merecem, como sabis, e
j porque os individuos que estilo nellas prvidos,
sflo inteiramenlc inhabeis, e alm disto pouco
assiduos, passando grande parte do lempo entre-
gues objectos estranhos sua prolissflo e longe
do lugar em que doviflo residir.
A fra as seis cadeiras que estilo vagas, que nflo
leem podido ser providas, nem o poderaO e nem
convm que o sejflo, parece-me que deveis suppri-
mira de Taala inhiba, a da Serra de S. liento e a da
Serra Negra, a respeito das quacs se dflo os incon-
venientes cima ponderados; e nenhuma s vanta-
gem, a nflo ser para os individuos nellas prvidos,
que dcsi'ruciao o dinbeiro da provincia em pleno o-
cio. Silo estas as principaes medidas, que tenho a
propr-vos sobre a instruceflo publica, a qual, re-
pito, reclama instantemente a VOSSa atteneflo.
CADEIA, SliSTFNTO E VESTUARIO DE
PRESOS POBRES.
Nao ha um s lugar da provincia que tenha urna
cadeia segura, limpa, arejada e com as necessarias
accommodaces. Villas ha que nflo leem absoluta-
mente onde "prcndflo os criminosos, vendo-se por is-
so na necessidade de os remctlerein para a desta ci-
ade, o que he assaz delrimentoso, tanto esses des-
granados como a administraeflo da justica, cuja mar-
cha as vezes ica sustada por falta dos reos, os quacs,
por outro lado, com as idas c voltas, nflo pequeas
despezas e incommodosoccasionflo. Pelos ollicios
das diflerentes cmaras municipaes, que opportu-
iiamentu vosserflp transmittidos, (icareis plenamen-
te informados deste objecto, respeito do qual pro-
videnciareis com a vossa costumada sabedoria.
Na lei do orcamento n. |te para o presente an-
no linanccii'o votasteis trezenlos mil res para sus-
tento e vestuario dos presos pobres. Esta quanlia
he tilo diminuta e mesquinha que nflo he possivel
alimenlar-se esses desgracados, ainda urna s vez
por dia, quanto mais d'ias como determina que se fa-
ca o artigo 157 do regulamento n. lO de 31 de Ja-
neiro de 1842; pois cumpre declarar-vos, que nesta
cidade nunca existem menos devinte equatro pre-
sos, ea excepeflodeum ou oulro, todos os mais, se
a caridade publica os nflo acudir, morrera por cor-
lo fome. No ullimo de junho desle auno, ten-
do-me representado ochefede polica da provincia,
que nflo havia absolutamente quem se quizesseen-
carregar de dar-lhes comida pela quanlia votada,
requisitou-me providencias. Determinei-lhe, que
diligeneiasse contraclar nicamente o fornecimento
da mais diminuta porgao de carne, que fosse neces-
saria para esses desgranados, mandaudo-lhes eu dar
da lamilla, que o governo para aqui enviou, urna
racao quolidiaia. Deste modo, c com a maior dilli-
culdade apparecco quem se sujeitasse ao menciona-
do fornecimento, mas tilo smente por espado de-
luhaiidn urna exi bullicio aurda, como ao qiiiiora repul-
Or a iifjouia que acidia, reg|M>ndi'ii Cun maia calina :
Na verdade, luifii ialn he impiiaaivel, lemellianl
ac", ln lr Tula eiicmiialaiiria, uflu c ni baca a lepula-
e:'ni de una niullier li"ucata. Pcrmitia-me diicr llie,
niinlia lenliura, ua aeua leiiicrca iftai leiieua; alm de qu
na i lia ra/.irltu tan mali:n.i i|i|A d lo iiilame oxpliea-
ro a ruina mnia natural .1 > mundu.
u
Vine, e.r iaau ? replie.m Amet, cuja culera o>-
iiiccava a dar lugar a lagnmns. Puia Lean I aiqiponha
que alo llie acinileria, que Vino, ia oaaa de urna mu-
lle r, i- que >- lhe dula u que pi-uvattmeme ae diaae a
Mum. Davn, que raaa inulner eslava em caaa, a, com
um lilaicm; ii|i|i..iiliaiMiia i|ue Vine, aiilun, eipieludo
ae pcaanva coniu acaba de anmiecer, que iieuaaiia O
Sr.f
- PiHWti cu aabe Iu I 'diaie Anaelmu embancado; lal-
vci iiau deaac iaau a iiienur atteucSii.
Maa aii|i|Minlia, Sr., que eiaa iiiullier era a la, Ou
(|ue na ana irinaa. ou anda ana amante, uto bareria
Vmc. dado aitencftu?
Sem duvida, rm lemclliantea ciroum>lanciaa, ociu-
ino, rpeel da comproinetliiDeiilo do meu nmae, ler-
ine-liiii talvn deaoricntado, e fc^ak/nreb r nao digo
auipi iba, maa lomurei.... que qMBU" "> diga P Mal
o cato em qneitlo nio be nieiuio; Ai nao ba maule,) aeu mamo tem duvida P
nem miridu, nem irmao iulereandu em tudo deicobrir,
rm ludu explicar.
E or eniiii Vmc, replicn Amelia, que havia ca-
bido anbrc urna cadena, er Vmc. que ao o mor he cin-
co, que a inveja uo lie tan curiosa cuino aaftVicJii, e
que Mina. Dnvni nao elimnenla a culi hora com inalda
doe praivr ena frivola circum.slaiicia, que um marido
ni iniio procurara eaclarrcer oum deteiperu e culera ?
Anaelnm pareca nio ler que rcapuuder eitc argu
ment; pui-ae a pcaarar pela ma, apenando oa punlioa
e ameacaiidu o forro, e cxclamou :
Oh desatacada deaaa mullier ic tila mnar diicr
una palarra, dragrafail-i della ae procurar ennodoar com
urna palavra a repulaclo da enliura, pagar-m'u-hia
iniiilo caro, porque eu posan deitar a perder eaaa mu-
llier 1
Vmc. podo deita-la a perder P diaae Amelia.
Sim, poaio perdr-la, reapondeo Anadino que nao
repara va que a colera n arrcbaiava, eu lei nielluir du
po iiuh;nem, que toda a aua virtkdu nao lie aonflo liy-
pociiaia. do que tenho pruvaa eicriptai por aua uuu,
tenho anda aa auaa cuilaa.
Snaacnrlai' repeli Amelia.
Sual i irlaa, diaae Anadino i lim, lim, mil oir-
lai, escriptaa a mnn.
A Viuc.P du Amelia encarando Auielmo; a Vmc,
seis mezes, f- '..- os quaes, rapparcerfl os mes-
mos emb <'-,, so por ventura, como nao he de
esperar, o .o obviareis consignando desdo ja quan-
lia sufliciente para osla despeza, de que se nilo pode
prescindir em nenhum paiz, qual o nosso, chrisluo
e civilisado. Parece-me igualmente que nflo podis
recusar a entes tflo desventurados, quo jazem se-
pultados no hediondo, ftido, hmido e estreito er-
gastulo, que so chamacadeia desla cidade, al-
guma roupa, que os tiro da nudez em fluo pela maior
parte se achflo oxpostos aos transes do fro e da
humidade, que, como nflo ignoris, ho aqu pelo
invern rigorosa em qualquer parte, quanto ma:s
n'aquella lubrica e mal agourada mansflo. Sei, se-
nhores, que sflo extraordinarios os apuros da pro-
vincia, mas o estado dos miserandos presos cons-
ternou-me tanto, que nflo pude acabar commigo
deixar de vo-lo manifestar, alim de que vos dig-
nis suavisa-lo, quanto couber no possivel.
SECKETAHIA DA PRESIDENCIA.
Esta repartieflo marcha regularmente : todos os
trabalhos estilo em dia. Os empregados desde o se-
cretario, cujo zelo, aclividade, intelligencia e>leal-
dade silo inleiramente reconhecidos, ateo continuo
teem cumprido com os seus deveres duranle o tempo
da minha administraeflo. Autorisado pela diSposi-
Clo da lei provincial n. 12 de 31 de Outubro de 1838,
de cujo favor j gozava em parte o oflicial maior Ma-
noel Joaquim Pereira do Lago, aposentei-o re-
quer ment seu, vislo que por documentos irrefra-
gaveis comprovou achar-se comprehendido no caso
previsto pela citada lei: peco-vos pois, senhores,
que tenhais a benignidade de votar aquola necessana
para o pagamento do ordenado que tem direito es
te honrado cidadflo, cuja saude estragou-ac inlei-
ramente no servido publico por mais de trinta anuos,
nflo interrompidos e sem o menor desar.
FINANCAS.
Em conformidade do que determina a lei pro-
vincial n. 10 de 29 de outubro de 1838 tenho a honra
de trazer vossa dislincta considerclo os balancos
la receita e despeza do anno financeiro transacto e o
orcamento para o de 1846 1847.
Destas pecas e das outras que as acompanhflo so
ve :1.a, que a receita arrecadada dosde o l.de julho
de 1844 at 30 de junho ultimo, inclusive o saldo de
ris 834^505, existente em 30 de junho de 1844, mon-
tou em 55:565/293, o a despeza effectuada no mesmo
anno nflo excedeo de ris 55:133/376, havendo por
consequencia o saldo de ris431/917, quepassou a.
fazer parte da receita do presente anno financeiro j
2.', quo a receita para o de 1846 1847 est or-
eada em res 19:504/000, e a despeza em ris
61:905/035, existindo conseguintementc o dficit de
ris 42:401^035. He verdade que se nflo calculou
com osupprimento de ris 15:000/000, queaassem-
bla geral legislativa tem sempre concedido a esta
provincia, por sersemclhantc renda toda eventual,
mas dado que se verifique o dito supprimenlo do qual
sedevodeuuzira quanlia de ris 3:600/000 para or-
denados de Juizes de direito, ha ver sempre o dficit
de ris 31:001/035; 3., que a divida activa legalsa-
daat 30de junho passado, he de ris 9:3608898, ea
passiv de ris 9:225/346, a qual por cerlo sera muito
maior, se por ventura senilo houvessem deixado do
despender muitas quantias que a lei do orcamento do
anno financeiro passado consignou para difTerentcs
ramos do servico publico.
Hum simples volver d'olhos sobre o orcamenlo
da receita para o anno financeiro de 1846 1847
he bastante para conhecer-se, quo o estado das ren-
das provinciaes he o mais lgubre e desanimador
que imaginar-se possa, por quanto a horrorosa secca
que ha tanto tempo nos persegue nflo s nos pri-
var da receita precisa 'para as mais restrictas neces-
sidades do servico publicu, duranle o referido anno
financeiro de 1846 1847, mas al inspira asmis
serias apprchcngdes de que tao allliclivo estado do
penuria permanecer por alguns dos annossubse-
(|nenies, pois, sendo a maior fonlc da renda provin-
cial, o dizimo do gado vaceum e cavallar, sabis que
as fazendas estilo quasi interamente despovoadas,
e os seus propietarios, de ricos que erflo, reduzidos a
pobreza; d que os impede, anda suppondo que
d'ora em diante hajo os mais felzes invenios, do
poderem tflo cedo prover-se de gados, que novamen-
te principien] a criar, e ueste mesmo caso, he inques-
tionavel, que s decorridos pelo menos cinco annos,
poderflo as cousas achar-se no antigo p: portanto,
c considerando-se por outro lado, que todos os oulros
ramos de receita, alm de pequeos, tambem se re-
sentirn por muito tempo da terrivel adversidade,
debaixo de cujo peso gomemos, he vislo que o nos-
so oslado financeiro he summamente desconsolador,
para nflo dizer desesperado, como em verdade se me
figura vos, porm, que leudes.cabal conhecimerito
da provincia e dos seus recursos e meios, talvez pos-
sais descobrir aquillo que escapa a minha compre-
hensflo; talvez possais encontrar objectos em que
lancis tributos, que produzflo suUicienlemcnle para
fazer face s necessidades publicas e remediar os ma-
les que soA'remos por falla de capitaes que sejflo
empregados nos roelboramenlos maleriaes do paiz,
que d'ellcs carece absolutamente.
Eu faco votos ao co, para que assim aconteca,
para que o Eespirito Santo vos illumine e vos habi-
lite a tomar as mais acertadas medidas, e as mais
proficuas ao bem estar da vossa Patria, por quem
vivamente me inleresso, ja como vosso patricio que
sou, e ja como encarregado pelo Augusto chele da
Nacflo do conduzir-vos felicidade. Assim, pois,
con la i com a mais decidida, franca e leal coadjuvaeflo
da minha parte. Est aberla a Sesso. Natal, 7 dese-
tembro de 1845.Dr. C. Jos de Momea Sarment.
A ilion, que n fui ooino ni onlroi miiitoi___
Amelia criimu ai mana com di'ieapero, e exclaniou
doloridamente.
E i'ia-me redolida a por a fflplia honra suL a
pmteccid da infamia deaaa muiher 9r<> Sr., uo sei o
que aolire ialo ocoulccer, maa laia de niinlia caaa; i.ii.i
digo-llie eu !
Tranquilliie-ie, minha aonhnra, tranqnillite-sr.
.ib! Sr., repeli Amelia rgiiciidajr-ancn inda a ana
altura, alia 1 Vine, ciquecc, que cu nao lhe reeuiibeci
ni iliniloa, que a ana ainanle aem duvida lije ntti-ibue.
Aiiaolmn lenlou diier una palavra ; porm Mina, de
Leurlal abri a porta da aala, e com geatu imprralivi
lhe nioalrou a da ante-ranura. Na coiifualo di dejaa,
em que Anaelmu. ealava abaorlo, obedeceu niaebiual-
uicnl ; dirigi ae para a perla, em quanto Amelia a se-
gua com iriiiado olliar; maa apenan a Un lia elle uberta,
i'iiconli'uu-ae cara a cara com o porteiro do caaa.
Nio be Vmc. Mr. Ferou ? dme elle.
Son cu, diise Anadino.
Aqui lem eale billiele para Vino-, repeli o por-
teiro, puchando a porta para fecha la, e luuriuuiaudo :
Eu linha luda a certeza que ollea ca calavfio.
(Ci #


t AI randera.
Rendimbito os du 4..................4:111*061"
DetcarregaO hoje .
Brigue Hozamerendonas.
Pelai bo Hoialiedeni.
Calora ColumbasIrrro,
BarcaHurliq uencarvSo.
Consulado.
RENDIMKNTo no DI* 3.
Geral7fl*855 Protincal-13,,952
RRACA DOBFCIFE. 4 DEOUTUBRO DE 1845.
AS TRI.S HHAS DA TAKDE.
revistv semanal.
Cambiot Nao houverao transatoi a nesta semana.
AssucsrAt entradas conlinuao limitadas, sem alte-
racao de preco
Algodo Huutvrio /onda de 5*500 a 5*000 rs.
arrolla de I.' sorle, ede 4*900 a 5*000 n.
de -'
Couros O dep silo he grande, e sao pouco procura-
do de 115 a 125 ri. a libra. .
Ctrnesccca Chegario dout carregamenlos do Rio-
GtMB-do-Sui. e odauosilobedo 35.000
arrobas leudo-se tendido de '2,>700 a
3j"i()0 ts. a airoba da do Rio-Grande, e
de 240O a 3* n. da de Uuenus-Ayres.
Dita Migada \ endeo-se u 22* rs. o barril du de va
ca, e nao ha de porco.
Iiacalho Atenas exts! ni algumes barricas do velbo
e de ais qualtdade, nao ten.I o batido en-
Irada alguuia.
Ftrinlia do mandioca Entrou um carregamento de
S. Catliarina, e lizero-se algumas vendas
para as provincias do Norte, de ."j400 a
3*800 rs. o aiqueire de medida vcllie.
Enlrarao duranteasenana 11 embarcar,)"'!, esabiro
11; exislem do porto 56: sendo 1 bi Iga 4o brasileiras,
1 hc-p 1 1I111I., B ingle-as, ti portuguezas e 2 sardas.
para o Rio-de-Janeiro impreteriveimente no da 8 de
correte; o que se laz publico para conheeimento dos
Sri. passegeiros, das pessoas que tecm de embar-
car escrotos a fim de que tanto uns como outros, se
achem a bordo 00 mencionado dia as 7 horas da me-
ntida.
= Para o IIio-Grande-do-Sul segu brete o veleiru
patacho Emeltana, o qual anda pode rereber alguma
carga miuda, e tem honscommodos para passageiros e
e-crav s : quem pretender, podo ecit* nder-sc com A-
morim <5i Irmos na ra da Cadeia n. 43.
-= A bnrcaea S. Rendido sai impreteriveimente al
o di 8 do corrente para Macei : quem quizer ir de
pas-agem, dirija-se a escadinha a tratar com o mostr,
ou com Juaquim Ribeiro Pontea, na ra da Cadeia
n. 54.
= Para Lisboa satura at o dia 20 do corrento, por
ter a mtior parte de sua carga prompta, o muito teleiro
brigue pirluguei /(ota, forrado de.cobre, de que be
capilio Jos Francisco da Cosa Roso: quem nelle qui-
tei carregar, ou ir dn passagem, para o que tern mui-
to bons e ssseiados commodos; trate com o sobredits ca-
pilao, ou com rs seus consignatarios Francisco Seten-
ando Rabello Si Pilho, no largo' da Assembla.
Avisos diversos.
a> A'luga > se as casas terreas do pateo de palacio do
joveino, ns. 7 c 9 ; e o segundo andar do s .lirado da
ruada Cruz, n. (JO : a tratar na ra da Cadeia do lie-
dle, n. 40.
DADOR.
II o v n cuto do i'orlo.
Navios $nirado$ no dia 4.
Ats ; I7dias, brixue bragileiro Conceicdo-Caboclo ,
de 167 toneladas, capilio Juaquim Jos ne Siqueira,
ei|ui|iagem 13. carga sal ; a Amorim & rmeos.
dem; 13 das, brigue brasileiio StictedaOe, de 155 to-
neladas-, capilo amiao da Costa Riza, equipagem
15, carga sal; a Jos Francisco Colares: conduz 2
1 eslavos a entregar.
Londres; 60 das, brigue ingles Sultana, de 159 to-
neladas. ca| ilo lirnrv, Cues, equipagem 8, carga
fazendas ; a Al c Calmont & Comparibia.
Navio suhido no intimo da.
Santos, com escala pelo A> ; briituu brasileiro Sau-
dadts-de-.'tantoi capilao Antonio Peisoto Guima
raes, em laslio.
A anos entrados no dia 5.
Nantuckel; 80 das, galera americana Ganges, de 315
tonel, dis, capilio James Nichols, equi|iagem 30.
caiga petri'cbul para a piscarla; ao 1 a, nao.
Faliiioiith, .UuJeira e illia das Canarias; 9 dias, pa-
quete mgloz Crunc, commandanle A L. Lui. Se-
gu para a Rabia e Rio-de- Janeiro.
.1 unos lahidus no metmo dia.
Liverpool, com escala pela Poralnba ; barca ingleza
Golden Fleece, capilao Aiatheus llubbuik, em las-
tro de attucar.
Baha ; sumaca brasileira VenluTd- Feliz, capilao Jos
Alves dos S.inlus, carga vanos gencrus : pasta^eiros,
Joo Aulonio de ou .1 e 1 solirmlia mrnor, Joaquim
Goncalves Leal, linsileiios, 3 escratos a entregar.
Ue. latuc/ocs.
- O arsenal du guerra precisa comprar prancboes
de an.aiello de 30 palmos de coiiiprimenlo 18 po
legadas de largura e 18 uilas de g>o>sura ; varas de
madeira (orle com ";ll palmos de compriinenlo e duas
polegadas de dimetro que sejij direiUs e nao to-
nho nos; peduios de caibruS toa: 20 palmus o coin-
primentoe 4 polegadas n Toreadas de dimetro ; lo-
ros de ginipapo coin'7 palmos Uo comprimenU ; aicos
para jarras de mudeira : quem tae* geneius litar, mao-
dart'siia* piopostt com seus ltimos precos ciq car
id lechada, direitona do mesmo arsenal ale odia 9 do
curenle mi z. Din-cloria do iiicsmio arsenal de guerra,
4 de oulubro de 1845. .No impedimento do escrip
lurano o aiiianuense, Judo f.cardo da Silva.
= l'elo j 11 izo pnyalivo do fcilos da fali lula, se Ino de
srreualai, na i.irde do dia 6 uo curre.ile, e na polla o
respectivo juiz. por Vi nda, as casas muia-a^oas n. 4.a-
taliadas por oOOjl rs ; n. C, por 6UU* rs. ; n. 3, poi
50j rs. todas na ra do Caldereiru; assim mus 3 es-
cratas avalladas urna por 350a rs., oulta por 5 nonti* rom 10 annus poi ^(.il.lj rs. : como tan.t.cm si-
tiad de arremaiar de ren la annu.,1 as casas seguintes:
no paUo do Hospital n 50, avahada em 60 rs. por an-
no ; no becco uos (uarteii n. 2, avahada em Uj rs.
por annu; e na ruu do Molocolomb nos Alogadosn.
(>!, avallada em 38jl0D rs. por auno, ludo por esecu-
cSo da fazenila provincia!.
Avisos niaiiliiuos.
Se(;ue viagem pal-a o Assu'.crn poucos dias.obri-
gua-escuna Deliberado: quem no mesmo quizercarre-
gav, enlenda-se na ra da Cadeia du K< cile, n. 40.
Para o Aracaly sguir infallitelmenle, no dia 16
do crranle, o hiato Novo- Ulinda, estando 'ja tratada
qesi toda a sua carga : quero anda pretender carre-
gar, poder cnlcodcr-se, com lempo, com Antonio Ro-
drigues L ma, na placa do Couimercii), ou na na da
Cadeia-Velba, 11. 1, Candar.
Para Literpool sabira com toda a brevidade, por
ter a manir parte da carga prompta,a bem conliecida
e vele.ira galera inglesa Columbut capilo Daniel
Green: quem na inesna quizer carregar ou ir de pss-
sagem, dirija-ke sos consignatarios M. Calmont &
C, pracauo Commercio n. II.
0 brigue nscimial Novo-Rom-Fim, de que be
Dspilioepropiielano Jouquioi teroandes CoJuo, sai
HVS
o n. 56, e acba-se a venda na praca da
ia litraria ns. 6 < 8.
O CLAMOR PUBLICO.
Sahio hoje o n.'.'iO, e adiase a venda na praca da
Independencia livraria ns. 6 e 8.
= iibaixo asignado laz sciente 50 publico, e par-
ticularmente as pessoas com quem tem transar/Oes, que,
tendo se associado com o Sr. Manoel da Silva Amorim,
de boje emdianleconlina ogyro da casa debaixo da ur-
ina de Cunba & Amorim; Picando a cargo da inesma a
liquidaco das transa(dcs pendentes. Declara, que o Sr.
Francisco de Paula Percira contina a ter a ingerencia,-
que al hoje tem tido nos negocios da casa. Pernam-
buco, 5 de outubro de 1845.
Antonio Gomes da Cosa e Silva.
= A pessoa, que achou urna caria para a ILhi 1, e
quena entregar, podo levar ao becco do Goncalves, no
armazem do Sr. Manoel Luiz Goncalves, que ser gra-
tificada.
= OSr. de engenho, que precisar de um homeni,
quo salie lOr o (odas as qualidades de grammatica, ensi-
n.ir msica de qualquer instrumento, e tem estratos
para plantar cana queira annunciar p-ra setralardo
ajuste.
O iliaixn aasiyiiailu delinca no n spcila wl publi-
011, (|uo o Sr. Manuel l'crn-ira Jnior llio |irclmi mu
boas cautas, durante n nilmiiiintri^an quu levo na vi'iula
le sua si';;ra Auna Jnnquiun de Sanl'Anna. c por mo
cande ndntir.ifao llie imiisiiu o aiinuneiu do ir Finllin
[iaiio de l'criiiinihiico i'. Tl\ ; porque quem la/, um
aiiiiunoi lal pur nina das fiilliasiuiiia acreililailas da pci-
> una, clnica un cu lrni4u In-in iieredilailu mu ns pe
uns que 1:11111 elle leein lulo algUM neguoo, lem dad i n
Minia olera prov.i de infame, devn.-ao- t> iudi renta diividn, que lal niiniiriciii SO pudo denacrcdilur sen
proprio niilur. Bem pareeu, que lal ugeria.-i lie pnn|ne u
Sr. Pi.ilhu tinlia vista ua casa. etlaru main que, euna-
laudu-me que sa prr>umo entrar neaia infamia n Sr.
J11.I1. Das \] i cm-.i, eu juru que tal n.n lie; pia cu-
lituu'buiu a Imas qualidndes ilu Sr. JuSo Dina Mnreirn.
I'aula Jota do Alm-ili.
Lotera do seminario.
No dia i5 do corr ule mez de outubro
andan infalliveiincrile a rudas tle.sli lot<
na to consi>loro da igrej'i de No>s.i Se-
iilioin du i 1 ns 10 : os amantes di-ste Irrito
jogo podeio comprar o resto dos bufetes
iatei'os nos lugares do cosluine.
P.-rgunla-so aos Srs. Caetano Aureliano Carva-
Iho Couto e Jos Alaria de Castro Nunes se querem
pagar ou nao as quanlias que nao ignorao devera
Frederico Chatas, morador no Alieno da-lioa-Vista ,
11. 26 ; pois en? se que o lempo de esperar desde
185U he bstanle.
Rga-seaoSr. llicsourciro da lotera do semi-
naria baja de nao pagar caso saia premiado o meio
tullirle n 3989 da primera parle da 18 lotera ; pois
loi lurlado do poder do abaiio aisignado : e juntamen-
te roga-se a pessoa que o faz e que nao ignora ba-
ja de 11:; miar entregar o dito meto tu I ticte ; pois do
contrario ter 1 o seu nomo por estenso por est folha,
e se proceder na forma da lei.erenaniio Nune$
Fianna.
ss .Nao devendo ficar sem resposta o gentil annun-
c.'ii do Sr. tirulo de liarros Falco inserid no Otario
n. t0 perguntar-llio-hei, se anda nao est eojoado
da chteaua de que so tem usado para commigo lia 20 e
tantos e annos, sempre pagando -me as cusas, como,
anda ba pouco ma pagou Oj e tanto rs. resto das
de una queslao, e 1 Mi o taotus rs. de outra, que des-
eco da rclacao e nao sei anda quanto imporlaro as
em quo ba 15 das, loi coindumnado ; e se esse an-
nuncio be daquelias lindezas ,' do quo elle sempre se
tem sertido para metter medo aos meninos; pois, sendo-
me por senleoca adjudicado o terreno em que talla ,
e tendo posse judicial, posso litrcmente tunde lo, ou
arremala-lo como pretendo e me ollcreco a quem o
quiztr para o defender minha custa ; pois au to-
mo asameacasdesie Sr. I'atronilla Florentina.
Vicento Licinio da Costa Caaipello nao he mus
caiietru do Sr. Francisco Joaquim Duarte e agra-
dece a este Sr. o bom tratamenlo que delle recebeo
durante a estada em sua casa.
= Aluga-se um sobrado de um andar, para escrip-
torio ou Domein solteiro na ru 1 da Madre-de-Deos,
n. 2i : a tratar 00 mesmo sobrado.
= Aluga-se um grande armazem, no becco do God-
caltes, por preco comuiodo : a tratar na ra da Ca-
deia do Hcale, n. i'i.
Na barca de benitos lem hoje peixe vivo, a 160
ri. a libra.
Aluga-se o primeiro andar do sobrado da roa da
Cruz, no Rocife n. a"> pintado da novo : a tratar
no mesmo sobrado.
Na rus Nota, loja de (errageqs, n. 41 ba pa-
ra vender um clarim eum cinco voltas ; assim como
lacas e garios do cabo de cbifre de viado chegados
prximamente por prero commodo. ^
__ Quem precisar do urna ama com muito hom le-
la prela captiva, dirija-se a Cesa-Forte sitio do
Roma junto a capclls.
__ Unjo, 6 de outubro vsO a prsca para serem ar-
rematados, os aluRueis da oasa n. 27, sila na ruado
Pillar, em Fra-de Portas, avahados em 20* rs tnen-
saes sendoacasadeprimeiio andar o loja por ser a
ultima prar;a : os inleressados compareci.
__ Quem precissr de um lorneiro dirija-so a r
larga do Roiario ao peda polica, o. 19.
__ Deseja-se fallar com o Sr. Joaquim Francisco
de Azevedo ; por isso pede-se que annuncie sua mora-
rada ou dirija-se a ra da Cadeia de S. Aolonio n
11 primeiro andar.
= Arrenda-seo sitio do Joaquim Cocido Cintra,
no Caldeireiro com opliina csa de vivenda liana
paracapim, e outros muiton arranjos, como sao bem
conhecidos: a tratar com Arcenio Fortunato da Silva.
Dentista.
__ M S. Mavwa ctrurgiao dentista a instancia
de tarios amigos, resolteo-se a demorar por ora a sua
n a ge 111 para o Su ; entretanto f/. sciente quo tecc-
beo um completosortimenlo de denles aitliciaes de no-
ta invencio ; tambem contina a lirrpar denles e
chumbar com ouro e prata e laz todas es mais ope-
races pertencentes a sua arte : na ra Nova, n. 2
segundo andar.
No lugar da Pon e-Velha, achrao-so cinco pran
chOesdeamarello; osjiuaes appareciiio na maro da
inarihaa do dia 3 do cirrentu, sendo ollerccdcs a Joa-
quim Carneiro Leal, por um homem quu se suppOi'
ser balsero o nio tendo apparecido o dito tendedor
at hoje juiga-se seren (jrtados; e por tilo roga-se
a quem Ihe fallaros ditos paranchOas dirja-se ao di-
to lugar ao p do tanque do Sr. Cutio que, dando
os signaos, Ihe s-rao entregues.
Na noute do dia 2 do corrento, furtrSo 15
prancboes de amarelfo, do lugar do caes da Ribeira, es-
lando amar, conlendo cinco duzias de costado, pou-
co mais ou menos marcados com arroellaAo nutras
mascas, ha noticia, qne forio tendtdos na Roa Vista, a
um marcineiro: quem delles tiver noticia, o podera par-
ticipar na ra da Praia, senaria de Silva Cardial.
= Piecisa-se alugar urna negra, ou negro, sem vi-
cio, que ntrnda bem do cozinha, e. saiba comprar na
ra; paga-so promptsmenlo IOji rs mensacs : na ra
da Concei;inda Roa-Vista n. 8.
= Hoja, 6 do comento, pelas 4 horas da tardo ,
su ha de arrematar, embasta publi.a, a casu numero
13 da ra da Matriz da Roa-Vista, na porta do ^r.
d utor |uiz de orpbSos, pelo preco de 1:700,000 rs.,
por concordata dos herdeiros proprictarios daquella
casa.
= Cma senhora solteira propoe-se a ensinar me-
ninas a ter. escrever e contar, grammalica portugueza,
bordar do ouro, de mal/, de froco, de seda, de lacada e
de susto, lavarinto p;:ssodo o elido, marcar de quatro
qualidades, lazcr costara cha e vestidos da moda, cha-
peos e tocados para senhorus, toquinhBs para meninos;
assim como tomara algumas meninas, que moraren
longo para assistirem em casa, por preco razoatel, e oa
mesma casa cose-se, para iira, toda qualidade decostura,
por proco commodo : quem do MU presiono se quizer
Ulilisar, dirija-se u ra da Manguoira, n.9.
Precisa se alugar urna ama do leile que tenlia
bom leile : no Attoiro-da-Roa-Visla, n. 36.
= Alu^a-6e, para se pastar a festa, urna casa lerrea,
sita na povoaco do Montriro, com duas salas mui ran
des, qua'.ru quattos, cov.iuha lora, com dous quintaes
murados, cacimba e porteo com saliida para o rio, c-
tribaria para dous catnllos e qtiartos para negros: quem
oprelender, dirija so a Boa-Vista, travessa do Veras,
sobrado n. 15.
= Precisa-se de un feilor que saiba tratar do po-
mar cnctaertai e de borla : no Allerro-da-Boa-Vis-
ta n. 45.
= Aluga-se um prelo para qualquor servico o al
para planlacoea tialardegado e lirar leitb : quem o
prelender, dtiija-se a ra do Rozario a Boa-Vista ,
o. 32.
= Na serrara da ra Cadeia de S. Antonio n.
17 precisa-so de serradores lorros ou captivos.
Precisa-so alugar um moleuuo : quem tiver di-
rija-se a praca da Independencia n 2.
Alugiio-so os terceiros andares dos sobrados ns.
4e 6 do Alterro-do-Boa-Vita ; acusa le rea na ra da
Soledade n. 35, com quintal, cacimba e commodos
para grande familia por 12* rs. mensaes : quem
prelender dirija-se*o esenptorio de Francisco Anto-
nio do Oliveira j I'ilho na ra da Aurora, n. 26.
= Bentode Bairos Falcio ue Lcenla, por si
como tutor de seuslilhos menores .declara, que nen-
huma pessoa arremato 0 terreno da travessa do Mon-
dego que se ada em praca a requenmento do Pc-
lormlia l'lorenliiia da Soledado pela segunda vara do
civel ; porque protesta o haver, por meto de aci>> com-
petente, do poder do quem se acbar.
= Alugo-se 3 sitios por anuo ou para possar a
fesla, com grandes casas devivenda, cocheira, estriba-
ra com porto de dosembarque e banbo no rio Capi-
baribe na Ponte dc-Uc Oa, defronte do sitio de Fran-
cisco Antonio de Oliveira a quem qualquer prelen-
dentese dever dirigir.
i= Quem annunciou querer comprar urna cadeira
de arruar dirija-se as Cinco-tPootas n. 100.
= Aluga-so o terceiro andar do sobrado da ra do
Queiuiado n 32: a tratar ua loja do mesmo sobrado.
.leso publico.
= D. Francisca da Cunha Uandeirade Mello, viuva
du ttuado Joan Caitos Pereira de ritirgos, e seus til los,
pelo presente avisSo aos detedores da casa ou a quaes-
quor outras pessoas que lenho Iraiis .ctics com os
mesmes que despedio de seu caixeiro e procurador
em combrangas ao Sr. Manoel Luiz Vieira ; e para que
niio occorra algum inconteniente,ipcr falta dcste aviso a
lempo te fax o presente, hoje, 2 de outubro de 18i5
A pessoa, que fui a casa n. 37, terceiro andar, do
Atierro da-Boa Vista, para alugar a casa do Montciio,
engomme e ensalme para casa de um homem viuvo de
pouca familia : na praca da S. Cruz padatia de' urna
6 porta, j unlo so sobrado da la Velha.'
= Precita-ao de um feilor para um sitio na Magda-
lena por espteo de um mez : oa praca do Corpo San-
to n. 11.
Aluca-se o segundo andar do so-
brado sito na ma Direita, com bons com-
modos : a tratar na rita do GollegiO, se-
gundo andar n. i^.
= Faz-se todo o negocio que couber o possivel,
com o traspasso da padaria da rita da Gloria, o. 55:
as pessoas, quosequizerem aproveitar da occasiio, pro-
curen! na padaria do unta s porta oa praca' da S.
Cruz.
= Um sacerdote desoceupado oflerece-to para di-
zer missaem alguma capellana, maisou menos distan-
le deita c.hlade ; as n.issas da prxima festa do Natal,
desde o principio de de/embro at o fon de Janeiro,
ou comoconvier : quem delle precisar annuncie ou
procure na ra da Cadeia do Recife, botica do Sr. An-
tonio Pedro das Netes.
Precisa-se de um Portuguez para caixeiro de cata
de purgar; em cusa de Antonio da Silta Gutmio na
ra do Queimado.
Aluga-se, para se pastar a festa, um sitio na Craz-
de-Alma de Ponte-de-Uchoa com muito boa cata
para gninde/arntiia coebeira, estribara quarto pa-
ra pretus grande pomar de larangeirss com boat la-
langeiras, e outras mutas frutoiras, borta o jardn,
cacimba do agoa de beber e banho muito porto : a
fallar no hospital do polica, com o enfermeiro do
mesmo hospital.
Precisa-se de um moco Portugus, de idade de
16 a 20 annus. qun saiba trabalhar em padaria, e tomar
emita do urna fregueza de tender f,5o aqu mesmo na
praca : as Cinco-Pontas n. 30.
John Wilson donodorelogio. quo tora fur-
tado e annunciado por este Diario ba poucot dias ,
lectura, quo loi furludo por um prelo moco, da ida-
dado pouco maisou menos de 16 annos gordo ,
tem'barba ; levou chapeo noto prelo um par de cal-
cas brancas e camisa limpa ; o qual tiera a loja do
metmo pura comprar dous pares de sapatos para o
qu Irouxo medidas, o estas urna amarella o outra
branca ; sendo urna para senhora e outra para homem:
tambem costuma fumar. Roga-se a quem lbe or offe-
recido, tanto aos Srs. relojoeiros, ou pessoas particu-
lares Ihe apprehendSo ou annunciem que se d
a quanlia de 10* rs. ulin de se ficar tummamente
agradecido.
Alugi-se um segundo andar com bastantes com-
modos para familia, por 15* rs. mensaes: na ra lar-
ga do Hozario n. 'o.
Cluem quizer alugar duas casas terreas litas oa
ruada Gloria, nt. 8o o 106 dirija-se a mesma ra,
sobrado de dous andares, com taranda de ferro, n. 87,
quo adiar com quem tratar.
=a Precisa-se do -i50f rs. a premio tobro bypo-
theca em urna escreta : a tratar no pateo da S. Crui ,
luja de funtleiro n. 14.
Agencia de passaportes.
Na ra do Collegio,botica n lO.eoo Atierro da-
Roa-V isla bija n. 48, lirio-se passaportes para dentro o
fura di imperio, assim como despacbao-sc escravos: ludo
com brevidado.
viautupras.
Aos Su. de engenho.
Angelo Frani8so Carneiro compra safras de
mel uu qualquer quanlidade posto na fabrica do
Navarro ; paga se a 3200 m. por barril de 22 canadis:
os barns para conducto sero lornecidosda fabrica.
Compra-se lia de trecha, ou tumama ou lia
de Angola ; na ra Nova n. 5.
Comprao-sedous pares de casticaes do prata, que
sejo do gusto moderno e obra de Lisboa ou Porto ;
na loja de Antonio da Silva Gusmio, na ra do Quei-
msdo.
= Compra-se palha de louca ; na ra Nova Da-
mero 5
= Compra-se um methodo de rabeca en bom
uso ; quem tiver annuncio.
-*- Compra-so um escravo de idade de 40 a 50 aa-
nos e que no teja deleiluoso ; na rita estreila do Ho-
zarlo n 31, primeiro anar.
Uiinprao se, par* lora da provincia escritos
de 13 a 20 annos ; sendo do bonitas gurat pagio-te
bem: na ra da Cadeia do S. Antonio sobrado do
um andar do varanda de pi n. 20.
es Compro-se dous escravos um pedroiro 0 00-
Iro carpina.para umaencornrnenda do Rio-Grande-do-
Sul ; sendo bonitas figuras, pagio-se bem : na roa
do Collegio arma/.em n. 19.
Compra-se um deposito de pi e bolaxa, que M-
leja bem afreguetado : quem tiver, annuncie.
Compra-se papel de Diarios a 3,200 rs. a arro-
ba : no deposito do assucar, de'ronle do becco da Pe-
rilla, n."0.
Vendas.
Venderse um sitio, sito
no pateo da Paz, povoaco dos
logados com os fundos at
haixa-mar confinar com o
canal do rio, que corre para a
ponte do Molocolomb, e di-
versas arvoredos de fructo, tres
cacimbas, entre asquaesuma
de cxcellcnte agua potavel; ca-
sa de pedra e cal, I cita ha pou-
co, com perfeico, gosto, e com-
modos para grande familia ,
queira decidir, soquer, ou nio. COSUslia li a, UlUitO CSpaCO-
= Prec.sa-sedgqi.ia ama do qudquer cor, e de lrKl.:- i,ara doUS Cvala
idadeavDcada?JIeaboDeatuiconducta, ecozoheJSa Cali lOdlia par* UUU5 cavni-


los. Os prctendentcs a esle pre-
dio dirijao-se aira vessa da Con
coruia sobrado nico de uid
andar.
.' Vende-se, por commodo
preco, urna duzia de cadeiras
de Jacaranda; um par de ban-
cas da mesma madcira, dous
pares de Jan ternas, c um par
de jarros de iouca, grandes,
mu ricos e de milito om gos-
to. Para ver, na ra da Con-
cordia, sobrado nico de um
andar, em que morou o Sr.
Afanocl Eugenio, e cuja frente
fca confronte ponte da Ba-
vista: para tratar, ncsta typo-
graphia, das 0 as 8 horas da
manliaa e das tres da tarde
em diante.
Jtom e barato !
=Vendem-se riquissimus corles da riscado chinoz ,
do l'J cuvados, a 4500 rs. o corto, riscados Irancezes ,
muito finos, a 220 o 300 rs. o covado ; superiores cor-
tes do chitas muito luas, do l covados, das niais mo-
dernas a 5200, 3500, 3800 e iOO rs. ; cortes de
ditas coro 10 covados escuras a 1O0, 1800 e 2000
rs. ; lindissimos cortes de tarlatana muito superior, a
4300 rs de gosto o mais moJerno; cortes de i.ovos
padroes do cassa-chitas transparentes de muito lioui
s gosto, a 2400 e 2500 rs. ; casimiras do muito bom
gosto para calcas de superior qualidade de quadros
e listras al200eliUO rs. o covado; bretunlia (Je
rolo a 1600, 1800 e 2000 rs. a peca ; csguio de
superior qualidade e de puro linbo muito lino u 1500
rs. a vara ; bretanba de ti varas de linho puro lina,
a 2800e 3200 rs. ; superior lust.io branco a ls rs. o
covado; pecas de bretanba de Franca de 4 palmos
e mi'io de largura de qualidade a mais superior sen-
do de linbo puro, de t varas u meia a 0300 rs. a
peca muito lina tal e'qual ao esguio ; bretanba de
linbo muito lina a 560, 040 e 720 rs. a vara ; su-
perior liiim trancado branco de puro linbo multo li-
no a 1000 o 400 rs. a vara ; panno lino azul u pro-
11 a 2500 rs. o covado ; setiui de Macan > prelo pura
collete de superior qualidade a 3200 e -iOO rs. o
covado ; chitas a 10, 140, 100 o IMO rs. o covado ;
ditas finas escuras a 220 e 240 res o covado ;
pecas de chitas, a 4300. 5200, 3500, Ii00et500 rs.,
escuras ; madtpolao, 150, ItiO e 1S0 rs a vara ; di-
to lino a 200, 220 e 240 rs. a vara ; madrasta lino ,
a 280 rs. a vara, c a peca muito lino, a 5200, 3400 e
5300 rs. ; superior madapolao entestado a 5800 rs.
a peca ; madapolao, a 2800, 3200 u,J400 rs a peca;
dito fino a 4000, 4200 e 4000 rs. a peca ; ebejes de
la eseda muito linos e grandes, a 4500, 4B00 e 5000
rs. ; chadrez de linho, de muito boa quahd..do o pro-
prio para aqueta a 320 rs. o covado ; alm destas fa-
zendas, ba outras muitas de superior qualidade por
barato preco : na ra do Collegio, loju n. 1, de An-
tonio de Azevedo Villarouco & Irmo.
- Vende-se cb hjsson 0111 caitas de 13 libras, em
porcoese aretalho; em casa de Malheus Austin & C. na
ra da A'lfandega Velha n. 36.
= Vendem-se e slugao-so muito boas bichas de
Hamburgo muito grandes o as melbores que ba na
torra ; e viio-so applicar para mais eoininudidado dos
pret.cndcnk'S : na ra estrella do' Ko/uno delronte
da ra das Larangeiras loja de barbeuo, n. l'J.
= Venu'e-se superior tinta Iranceza em garrafas
grandes; dita de marcar roupa ; esto|os de navalias,
u contento; copadlos redondos e co'mpridos lopatos
de borraclia; riquissimos corles de carnbraia ebega-
doi ltimamente; superiores caixas de tiirtaruga o mas-
sa ; as mais modernas abotuaduras douiadas para ca-
sacas ; medidas para alaiate', pelo din mulo preco de
80ts. ; tudo muito barato : na ra lardado Rozario ,
o. 24.
*> Vende-se urna parda, que sabo cnj;omoiar e co-
ser por preco commodo : na ra eslreita do Itozario ,
loja de chapeos defronto do sobrado de Antonio Josu
de Magalhaes Basto.
= Vende-se um preto de 20 annos de bonita fi-
gura bem possanie para fura da provincia ; as
Cinoo-Pontas n. 71.
= Venden se 10 escravos ; sendo duas pretas la-
vaderras e co/.inheiras ; urna parda que engomnia ,
cose e co/inlia ; um preto sapateiro ; um dito canoei-
ro ; dous moleques de 14 a It annos; 3 prctos para
o servico de campo : a tratar com Antonio Rodrigues
i.inia no largo do Corpo Santo, 11. 23.
= Vendem-se, por barato preco 200 barricas va-
sias ja cun algum deleito ; porrn servem para re-
celier assucar ; na ra larga do Itozario padaria n. 16
Vendem-se duas prelas mogas, de todo o servico,
sandio urna muito boa cozinbeira e lavadeira de sabao
e ti'rrella ; una dita dn 18 a 20 annos, de bonita fi-
gura, propria para mucama : na ra largado Itoza-
rio, o. 46 segundo andar.
= Vendem-se 60 a 80 terrenos sitos na ra nova
por detraz da ra da Concordia, que partem com as
travessa do Monteiroe Caldeireiro ; estes terrenos of
ferecem urna grande vanlagem pe commodo que teem
para te descarregar os materiaes mesmo dentro dos
ditos e lugar en que os meamos se aoho situados ;
osquaes le vendom por muito mod 100 preco : a tratar
na ra larga do Bozario junto ao quartel de polica,
n. 16.
Vende se, por commodo preco um eicellenle
oseravo crioufo com principios deollicial de pedreiro,
posianle sadio fiel c sem vicios ; ao comprador se
dir o motivo da venda : na ra do Vigario, n. 23 ,
segundo andar.
= Vendem-se taboas de pinho da Suecia, mais lar-
gas dai que costurlo 1 tir, e da melbor qualidade, por
ser de pinho branco e sem nos pioprias para envern-
sar ; seodo costado, costadinho, assoalho forro e pa-
ra fuodus de barricas; assim como amerieano de todat
as larguras e comprmanlos com as mesnias dimon-
<;oes cima e mais barato que outro qualquer ven-
der : atraz do theatro velbo armaiem do Joaquim Lo-
ries de Almeida caiieiro do Sr. Jlo Matheus.
= Vendem-se dous escravos de boas figuras, mui-
to robustos o proprios para o servico de campo ; na
ra da Cadeia do Recite n. 40.
Chtguem ao barato I
Na bem acreditada loja da ra do Crespo n. 14,
de Jos Francisco Das vende-se um novo sortimen-
t de fazendas iimpas ; a saber : chitas de ramagens pa-
ra coberta muito finas e dn core* fizas pelo barato
preco de 200 rs. o covado ; riscados e chitas para ves-
tido, a 200 e 240 rs. ; cortes de chitas, de lindos
padroes coro 15 covados a 3000 rs. ; ditas franco-
zas muito largas de quadros e listras, a 280 rs. o co-
vado : chitas escuras ; ditas pretas, a 160 rs. o covado;
riscados Irancezes miudos e muito largos proprios
para vestidos jaquetas o camisas, a 200 rs. ; dilos
largos a 300 rs. ; brins Irancezes de quadros mui-
to encorpados a 320 e 360 rs. ; dito branco muito
encorpado e trincado de puro linho pelo barato
preco de 560 rs. a vara ; dito muito lino, a 880 e
1280rs. do misturado de algodo, a 480 rs. a vara;
cassa-ebitas muito largas e de lindos padroes, a 400 rs.
a vara ; castores escuros muito encorpados para cal-
cas pelo barato preco de 200 rs ; madapoln cn-
feslado muito fino, a 5800 rs. : camisas de meia mui-
to linas n. 80 ; merino de duas larguras muito fi-
no a 2800 rs ; dito de superior qualidade a 4j
rs. ; cambraias lisas transparentes a 3000 rs.; tar-
latana com 9 varas a 4000 rs. ; chales de la muito
encorpados a 1000 rs. ; lencos finos para tabaco a
480 rs. ; algodo americano, muito encorpado a 220
rs. ; meias para meninos e meninas a 200 rs. ; di-
las para bometn a 200 e 240 rs. ; ditas para senbo-
ra a 520 rs. ; e outras muitas fazendas por baiato
preco.
= Vendem-se as seguintes obras : Aujour le jour
par Frederico Souli ; La Con.tesse de Rudolstadz par
Ge o. Sand 10 v. ; Histoue de la bello Cordicro el
da ses Irois amoureux, 1 v.; La plus beureuse femme du
niond par Charlotte de Sor ; Annaesde el-rei D. Joao
III de fre Luil-de Souza ; Pedreida poema heroico
da liberdade porlugueza ; La maison rustique ; Pascal
Bruno, romance de Uumas ; llisloire genrale par
Alillot fallando-I1 e dous volumes ; urna porcao de
Jutnaes do Commercm ; tudo por Larato prego : na
ra do Crespo n. 17.
= Vende-se farelo de muito boa qualidade novo
e o inelhor que ba presentemente nesta praca pelo
preco de 2560 rs. cada sacca ; na ra da Cruz no llo-
cife n. 20, primciro andar.
= Vendem-se roseiras peito de Venus, a 2000 rs, ;
um casal de rolas de Hamburgo brancas e com ovos ,
por 16,) rs. : na ra da Alegra n. 8.
Vende-so um sobrado novo de um andar e sollo ,
em chaos proprios, sito na ra do logo, n, 27 pro-
prio para algum senhor de engenbo : a tratar na ra
estrella do Itozario n. 10 terceiro andar.'*
= Vende-se urna parda mu'to boa engommadeira e
lavadeira com urna cria de dous mezes ; na ra do
Sebo, n. 18, primeira casa, passando a venda.
s= Vendem-se excedentes vinhos de'diflerentes qua-
idades e de bom g sto; cerveja branca e prela do Lon-
dres ( de Oarclaj & Conipanbia ) da meiuor que ba ,
e em meias gnalas ; agurdenle de Franca muito
superior1, tur pallicte e escura em cascos e engarra-
fada ; para os In'guezes ba amostras 110 escriptorio ;
e um esto do salitre refinado em porcao ou por bar-
rica : na ra do Trapiche, n. 40, casa de Cbnstopbers
& Donaron.
= Vendem-se saceos de tapete e couro para levar
roupa em viagem por preco commodo ; na ra da
Cadeia loja de J0S0 da Silva Braga o. 49 e na ra
Nova, n. 5.
= \cnde-sc um carrinbo de duas rodas em muito
bom estado ; um cavado para carro muito bom ;
urna cadeirs nova de arruar, feita na Babia ; um mo-
le ue de idade de 16 annos de muito bonita figura :
na ra eslreita do Hozara 11. 43 secundo andar,
uas 6 as 9 horas o meta da manilla.
= \ eud.m-se dous mulatinlios de 12 a 14 annos ;
um molequede 12 annos : no hecco do Peise-Frilo ,
n. 1, primeiro andar.
Venda-so Urna flauta de bano, com qualro cha-
ves e apparclbada de prala ; na ra da Cadeia de S.
Antonio n. 24.
= Vende-se,piTCOOfri., 1 terreno enlreasduas ponles
da estrada Magdalena, o segundo do lado direilo, que
este ve alorado 1 Joao Tliomaz Pereira e onde ainda
boje existo a casinha por elle leita e que ainda ihe
purlenco ; mas que esta obrigado a vender por senten
< contra elle proferida e passada em julgado ; o ler
reno tem cen palmos de Irenle na tu ira da estrada ,
e 500 de lundo e neste 73 palmos, sendo todas as
despezas leilas a custa do comprador : a tratar na ra
Imperial n. 64. Todos os ttulos serlo apresentados
e entregues ao comprador.
' Vende-se urna rica cma de armeclo ; camas de
vento ; um jogo de bancas ; tudo bem feilo, e por
preco commodo : na ra do Aragao n. 33.
\ ende-se urna prela moga, recolhida mui bem
parecida, co/inha, engomma, cose sollrivil e ensaboa :
na ra do Aragao n. 1, segundo andar.
= Vende-te urna excellento rabeca com sua ca-
xa ; na ra de Moras", n. 140.
= Vendem-se eslojosvcom superiores navalbas para
barba, chegados ltimamente de Inglaterra; gaiolas
de apanbar b ratas, boiOes de pedra pala calcas; mui-
to finos ; ditos para camisa brancos e de diversas co-
res ; e outras muitas miudezas por preco commodo :
no Atierro da-Boa-Vista loja de miudezas n. 54.
=Vende-se urna mappa topograpbico das provincias
d" Pernambuco Pardbiba Ceara Rio-Grande e
Alagas com outro da planta do Recife e Olinda ,
por,"if rs.; diccionarios ingleses por Vieira, 16J rs ;
Vojlaire; Pope; Horacio ; historia da Grecia; Mar-
lirn ; Cartas familiares ; tudo por preco commodo : na
travessa das Cruzes, n. 8.
= Vende-ss cera de carnauba de primeira sorte ,
em por;ao e a retalbo assim como velas da mesma ,
citas com lodoasseio ; tudo por pite commodo : na
ra da Cooceiclo da Boa-Vista asaniem do Rufino.
= Vende-se urna escrava de naci de idade de
14 a 16 annos, com algunas habilidades; a vista do
comprador se dir o motivo da venda : na ra do Cal-
deireiro n. 74.
=Vendem-seduaseseravas pardas,urna de20 annos,
e a outra de 28 annos engommio, cosem cbio, faiem
renda cozinhSo e lavio de sabio; ama negrota criou-
la de boa figura de 15 annos; uma negrinba de 7
annos ; uma escrava de naci de 18 annos de bo-
nita figura ; uma dita de 24 annos, para todo o servi-
co ; ama crioula de 24 annos com um lillio moleque
de 7 annos; dous moleques de 13 annos; um escra-
vocrioulo de 22 annos bom canoeiro e bolieiro; um
dito de nac,5o Costa ; um pardo de 18 aonos, ptimo
pagem : na ra das Cruies n. 22, segundo andar.
= Vendem-se os seguintes objeclos, para cavslla-
ria de guarda nacional ; a saber : um sellim com seus
perlences;l talim com canana epasts para inferior; uma
barretina; uma espada; urna corrente grosss; um barre-
tio : na ra estreta do Rosario botica de Jlo Pe-
reira da Silveira.
= Vende-se cb bysson muito bom a 2400 fe';
dito, a 2200 rs.; dito uchim a 1600 rs. a libra ; sa-
bio a 120 rs. a libra ; caf a 120 rs. a libra; aiei-J
te doce de Lisboa a 480 rs. a garrafa ; cerveja a 320
rs. a garrafa ; e todos os mais gneros de venda mui-
to emeoota: na ra da S. Cruz da Boa-Vista ven-
da n. 3.
Yndose cera de carnauba de superior qualida-
de em porclo grande ou a retalbo por prego mul-
to commodo; farinha de mandioca, de S. Matheus.,
de muilo boa qualidade por preco mais barato do
que se vende a bordo : a rus da Cadeia-Velha de-
fronte do becco do Capim loja o. 53, ou a fallar com
Jos Antonio de Magalhaes Basto.
= ,Vende-se um moleque de idade de 12 annos,
de muito boa figura e proprio para todo o servico ; na
ra larga do Rozario n. 36 terceiro andan
Vendem-se duziasjde pratos rasos para soupa/a 880
rs. ; assucar maicavado a 1920 rs. a arroba e de 8
libras para cima pelo mesmo preco ; cb bysson a
2240 e 2560 rs. a libra; dito uchim a 1440 rs. ; di-
to perola a 2240 rs. ; e todos os mais gneros de
venda por prego commodo; na ra Direita, venda
n. 53.
Vende-so umapretade naci, de idade de 25
annos, faz todo o servico de uma casa: na ra das
Cinco-Ponas, n 71.
Vende-se uma casa meia-sgoa na travessa dos
Marlyrios n. 2 por preco commodo para se pagar
uma divida quesedeve : a tratar na ra das Cinco-
Pontas, n. 15.
Vende-se uma bonita escrava de nielo sabendo
fazer lodo o servico de uma caa de idade de 18 ao-
nos ; duas boas eseravas sem o menor vicio de idade
de 20 a 22 annos ; duas ditas boas quilandeiras e la-
vadeiras ; uma linda negrinba de 14 annos; uma par-
dinba de idade de 20 annos ; um bonito pardo de re-
cooliecida conducta de idade de 20 asaos ptimo
pagem, becarreiro, e sabe tratar de toda a' qualida-
de deanimaes ; dous bonitos moleques de idade de
12 a -16 annos ; 5 escravos para todo o servico; um
dito proprio para sitio por 300> rs. : na ra de Agoas
Verdes n. 46.
Vendem-se superiores esleirs de Angola ; ditas
de pal lia de carnauba chegadas proximaaienle do
Aracaly ; ditas de perpiri ; superior doce de laranja ,
em caixdes ; dito de arass ; dito de goiaba ; tudo por
preco commodo : na rus eslreita do Rozario, venda
n. 8.
Vende-se panno do algodlo da trra de muito
boa qualidade ; na ra do Crespo n. 19, loja de Car-
valho & Maia.
= Vende-se uma toalba de bretanba toda aberta
de lavarinlo por prego commodo ; na ra de S. Rita,
n. 27.
Vendem-se meios bilhetes da lo-
tera do seminario que corre sem falta
do Cabala, dos Srs. Bandeira
de Mello, e Francisco Joaqiliin
Duarte; ra do Crespo (nae-
cadinha), Domingos Antonio
refreir; pracinha do Livra-
inento, Ferreira e Oliveira; a-
terro da Boa-vista, Tliomaz de
Mattos Pereira Estima, e Cae-
tano; ra da Cadeia do Reci-
fe, Guedes e Meilo: o preco he
de ifjtOOO rs. a libra, e 30 s* a
oitava.
Vemdem-se, sem feitio, um gi ilhSo
para senhora, pesando a5 .oitavas e meia,
um cordSo massico com 2 5 oilavas e tres
finarlos, um transelim com 8 oitavas, dous
cordoes finos, dous anneis corn um bri-
Ihante cada um, dous ditos com diamnn-
tes : na rita das Trinchen as n. 18
6 libras de 3 em libra.
8 5
12 8
i4 10
16 a 12 M
30 4 M
34 M iG
100
libras
meios
seminario que corre sem
alguma no dia 9 do corrente: na ra do
Collegio, loja n. 1.
Vnde-se, na loja n. 4 da praca da
Independencia, rap princeza de Lisboa,
em boles e meios boles, ao preco de
e
Ss'oo ris: esle rap he muito fresco ,
chegado ltimamente de Lisboa.
Na roa Nova n. 16, loja de ferra-
gens de Jos Luiz Pereira, vendem-se
panellas, cassarollas e cbaleiras de ferro,
ltimamente chegadas e nunca acjni ap-
paiecidas, pela elegante qualidade de que
sao feitas e da melbor invenco que at
hoje se tem empregado na manufactura
das ditas, pelos tnelhores fabricantes da
Km opa. Lites objeclos se teem tornado
recommendaveis pela boa qualidade de
que sao feilos, como para a saude, por
nunca em si crearem ferrugem, seja qual
(r o uso que se Ibes d, assim como rap
Meitron em libras e meias ditas a is'040
a libra.
Vende-se cera em velas, da melhor
fabrica do II io de Janeiro, eemcaixinhas
pequeas de 100 libras, com o sortimento
seguinte:
Na fabrica de vinagre e espiritos da
ra da Gloria, n. 5q vende-se vinagre
tinto e branco de superior qualidade em
pipas, quartolase caadas ; espirito de
vinho ; ago'ardentes e licores de difieren-
tes qualidades ; tudo por pceo muito
commodo.
RAPE" IMPERIAL.
pelo mdico preco de t|44 ris cada li-
bra: na ruada Senzalla-velha n ito
Vcnde-se vinagre bran-
co nacional a 400 ris a ca-
ada velha: na ra do aterro
dos A logados n. 7.
Vende-se um muito sof-
'rivel piano inglez horizontal,
pelo mdico preco de 90^000
ris; ra do Crespo,loja n. 10.
Casada Fortuna, ra Direita, n. 12.
= Vendem-se cautellas, e meios bilbetes da lote-
ra da Seminario.
Vende-se um mula'.inbo de idade de liannoi,
de bonita figura bem sadio proprio para pagem ;
na ra da Cadeia de S. Antonio labrica de chapeos ,
junto a guarda da cadeia.
YenJoni-sB jogosde bancas de aogicO ditas de
Jacaranda mesas de meio de sala camas marque-
sas cadeiras, uma mesa grande propria para car-
torio ou tribunal, cadeiras para meninas, pucha-
dores, ou boles para obras de marcineiro ; tudo por
prego commodo : na Camboa-do-Carmo, n. 8.
Escravos Fgidos
= Fugirio, no dia 29 de setembro p. p. do enge-
nho Coqueiro, dous escravos um de norne Manoel ,
crioulo bem parecido de bonita figura, com um
pequeo talboem um dos cantos da bocea. Je idade
de 20 annos ; o outro de nonie Benedicto de nacjio
Rebolo, bem parecido e de bonita figura de idade do
24 annos : quem os pegar, leve a ra da Cruz n. 43,
quesera generosamente recompensado
= Fugio dos Arrumbados em meiado do mez p.
p., um preto de nome Jos, de idado de 20 annos pou-
co mais ou menos, de estatura regular cor lula tem
uma marcaO' no lado direito; levou roupa bran-
ca chapeo de couro; be bem conbecido por andar
sempre tirando areia as coras da Pusiagem ; sau se-
nhor he Jos. Antunes Guimares : quem o pegar le-
ve aodito lugar dos Arrombados a caa do dito An-
tunes on no Recite, no Forte-dd-Matto a* Sr. Ma-
noel Joaquim Pereira'; quesera recompensado.
= Fugio ou urtrao no dia 28 de setembro
p. p., pelas 8 borss da noute um escravo da Costa ,
do nome Antonio estatura regalar denles limados ,
um tanto desapartados uns dos outrot.ar risoobo, corpo
regular, do idade de 40 annos, pouco mais ou me-
nos olhos vennelhos, cara redonda e descarnada ,
falla pouco no andar abro um pouco as pernas no
p direito tem uma grosiura provenienta de um bicho
que tirou aonde apparecem algumas marcas de cos-
turas ; tem um dedo dos ps torio uma eova no em-
bigoque parece quebrado ; becanhoto pouca barba;
temem uma das ps um corte de fouce ; levou uma
tioa de despejo camisa de riscado azul com listras
braneas calcas de macedonia bastante sujas. Roga-
se as autoridades policiaes de verem seo prepdem e
pessoas particulares que delle souberesn, de o leva-
ren) a seu senbor na ra da Cadeia de S. Antonio ,
o. 19 primeiro andar, que serio generosamente re-
compensadas.
Dessppsreceo, no dia 18 do p. p., um prelo de
nome Csetano crioulo representa 24 annos de ida-
de alto, cheio do corpo ,ps e mos bastantes largos;
tem uma empingem no cotovello do braco esquerdo ;
levou calcas do estopa camisa de algodozinbo e
cbapeo de palha novo : este prelo Jos Antonio Machado 00 Ceara onde loi nascido
e criado no dito lugar. Roga-se nio s ao dito Sr. Ha-
chado, como tambem as autoridades policiaes, o ca-
fMtiei de campo a apprehencao do dito escravo para
Ibe seja coodutido a cisa de seu sensor, na ra do
i Collegio, n. 15, ou a cadeia desta cidade pelo que
serio generosamente recompensados.
Este rap, imitando ao rap
princeza de Lisboa, vende-se
em libras, meias libras e oita-
vas, as lojas seguintes: rua|PERN.; natxp. de m. f, de fama1845.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EJOTHPC10_RF84T4 INGEST_TIME 2013-04-12T21:48:55Z PACKAGE AA00011611_05882
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES