Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:05866


This item is only available as the following downloads:


Full Text
v
-----------
^
nno
de 184.
Quarta fcira 17
n DIARIO publica-sc Iodos os ia qne
Cornil de guarda: o piejo da assigna-
.... de 4 ','". Os anntiiicios dos asslgiionles so inse-
'",',< .1 raiSo de 20 r.'is por linha, -10 rs. em
"'no cl'le.eiile, c as repetiofirs pela inetadc.
!!. o,,,, nao forero assicnantes pagao 80t.
'linlia, c !0 cm typo difireme.
, |USKS u.v 1 .r.\'so mkz de setemhro.
ai 1 as 7 h e 15 "lin- da "K"n*a.
"y;:;;,;. os b. c* ...autos d* urd.
. liria a 15 as7hor. e bi rom. da man.
!;a.Icaa:a.lOhor.eG. datarde.
PARTIDAS ROS COR REOS.
Coiauna, Parahyba, e Rio Grande do Porte
Segundas e Sextas feiras.
Cbbo, Sriinliariii, Jilo Formoso, Porto Cal-
vo, e Macej, no 1 11 e 21 de cada inci.
Cnraiilmns e Monito a 10 e 24.
Boa-Vista e I-lores a 13 c'28.
Victoria as Quintas feiras.
Oliuda todos os das.
PREAMAR DE UOJE.
"tVimelra as 5 I., e 18 mln. da manha.
Segunda as 5 h. e 42 minutos da tarde.
de Setcmbro.
- T -'
Anno XX N. 206,
das da semana.
15 Segundo S. Domingos, aud. do J. de D.
da 2. v., do J. M. da 2. v.
10 Terra S. Conveli, aud. do J. de D.
da 1 v. e do J. dos Fritos.
17 Quarta S. Hidelgardes, aud. do J. de
I), da 3. vara.
1S Quinta S. Thoinai, aud. do Juli de l).
da 2. vara, e do J. M. da 1 e 2. v
1!) Sexla S. 'anuario, aud. do J. de I). da
1. r. do civel, e do 1. dos Fritos. #
20 Sabbado S. Eustaquio, aud. do i. de D.
da 2. vara.
Domingo S. Matheus.
CAMBIOS NO DA 16 DE SETEMHRO.
Cambio sobre Londres. 26 d. or I a60d.
Parla 370 res por franco.
Lisboa 120a 125p. c. nr. p. m.
Desc. de let. de boas firmas 1 '_/, 1 '/,p. */
Ouro Oncas hespanholas 30>WH> a dl/tiOU
Moedadc 6#i00 vel. lS^uOO a 18J100
de GflOO nov. 17*500 a 17*700
de 4*000 -0/400 a 0*700
Prala-Palacoea .... 1>S80 a l^OO
Pesos Columnare. 2*000 a 2*200
Ditos Mexicanos 1/950 a 1/971
Moedas de 2 patac. 1/780 a 1/800
AccOes da C do Heberibc de 50/000 ao par.
DIARIO DE PERKfAMBUCO
ADVERTENCIA.
No nfficio do Exm. Sr. eommandanto das armas, que
ponte", publicamos, dando parlo ao Exm. prcs'mVnto da
ncniiricS dnecimmnndnnto da illia d Fernando, pag.
%' coi. I.', linli 3.". em vex de onsiioro-o habilita-
io, ls-sc consi ero ha Hitado.
DKCBKTO N. 426-DE 2, DK JULHO Dl 1845.
C0.NTEM O RKGULAHENT0 A CUCA OAS-MIS?dRS DK
CATECHESB B CIVIMSACAO DOS INniOS.
Ili'i por bem, tendoouvido o meu coocelho de esta-
do, mandar que se observe o regulamento seguinte :
Artigo 1. Harer em todas as provincias um direc-
tor geral de Indios, que suride nomeaoio do Impera-
dor. Compele -Ihe :
$ I. Examinar o estado em que se achao as aleiaa
itiualmenteestabelecidas ; asocoupacSes babituaes dos
Indios que nellas se conservio; tuai inclinacSes o pra-
ptnses; seu cJcsenvolviuienlo industrial; sua popula-
tai, assim originaria, como mstica; e as causas que
fcem influido em ses progressos ou em sus decaden-
cia.
ti 2. Indagaros recursos que ofierecerem para a la-
loura e commercio, o* lugares em que esli colloca-
dasas aldeiss; e inlormar'ao governo imperial sobre a
cnnteniencia do sua conservscio, ou remocao, ou reu-
ni.Vi do duasou i.iais, em urna s.
i 3. Precaver que as remoques nao sejao violenta-
dos os Indios quo quizerem ficur as mesmos Ierras,
quando tenhio bom comportamento, e apresentem um
modo de vida industrial, p/incipalmcnte df agricultu-
ra. Neste ultimo caso, e emquanto bem 86 comporta-
ren, Mies sera mentido, e s suas viuvas, o usofructo
do terreno quo oslejao na posse de cultivar.
'. I, Indicar no goiuroo imperial o destino que se
deve dar as Ierras das aideias que lenhao Sido abando-
narlas pelos Indios, ou que o sejao em virtude-do 2.'
desle artigo. O proveito que e tirar da spplicacio
dessas torras, ser empregado em beneficios dos Indios
da provincia.
*, 5. Indagar o modo por que grangeio os Indios as
Ierras que Ibes leein sido dadasje lo esli uecupadas por
oulrcni, ecorn que titulo.
tj (i. vlandar proceder ao arrolamento de lodosos
ludius aldeiados, com declaracio de suas origens, suas
lingo*, idaes o profisses. Este arrolamento ser re-
notado lodos os quatro annos.
7. Inquirir onde lia Indios que vivi'em hondas
errantes; seus e ".turnes e lingoas ; e mandar missona-
rios quo solicitar do presidenta da provincia, quando
a nao estejoi sua disposicio, os quaes Ibes vio pre-
gar a religiao do Jess Chrislo, e as vsntagens da vida
Social.
tj 8. Iridiar so convira ltelos descer para as ai-
deias actualmente existentes, ou estabeleve los em se-
parado ; indicando em suas inlormacOes ao governo
inipunal o lugar onde deve assentar-Ce a nova al-
deia.
'd Diligenciar a edificaijio de grejase de casas pa-
'.. a !. i, i,i.,i i, assiui dus eanpregados da eldein, como
irnos ludios.
; l. Distribuir pelos directores das aideias e pelos
misionarios que and;.rern nos lugares remotos, os.ob-
jectos que pelo governo imperial rem destinados para
os Indios, assim para a agricultura, ou para o uso pes-
soal dos mesmos, con.p mantimenlos, roupas,'tnodica-
irenlos, e osquofrem proprios para atlrahir-lhes a
tteiuio, excitar-Ibes a curiosidade, despertar Mes o
desojo do trato social ; requisitando os do presidente
CA110L1NA .NA SICILIA. (*)
QUAIITA PAUTE.
LXIV.
PERIVXCIA.
Averlidos pelos seire epi6e,ou pelo inalineto da onn-
"'iii i,, qe de todos o8 eapifioa lie nmis perspicaz, ii-
M" Inglitci osolluis ns cc5os do FernanJi., ott
"les de Ccrulina porque, bem viao o dedo da mullior
'"" niovimcnlns do marido. Lord Benlinek que abran-
8" na un pesau.1 lodo o inuler biitanico na Sicilia, nSo
"" '"'iicui o se doixar eulhcr de improviso, ncni n per-
1' lempo prcci.iio eiu meias medidas ou conleniporisa-
'"'. l'ioiciioii portante contra o decreto que retiran
'" herdeiru pre.unipiivo ai poderes 'JIte^f, decla-
uu a ella recorrer.
5 Vide Cario u. 20.
da provincia, legundo as nstruccoes que tiver do go-
verno imperial.
11. Propor ao presidente da provincia a demar-
cacio que devem ter os diatrictos das aideias, e fa/er
demarcar ai terral, que, na frm do lodeito artigo
e do 2 "do artigo 2.', frern dadas aus Indios. Sea
aldeia | eitiver estabelecida e oxistir em lugir povoa-
do, odistricto ngo le estender alm dos limites das
trras originariamente concedidas mesma
12. Examinar quaes >io as aideias que precisio de
ser animada*com plantagSes em commum, e determi-
nara porelo de trras que devo ficar reservada para es-
sas planlai-oes, assim como a pnrcio das que possioser
arrendadas, quando, ltenla ainda a pequea popula-
cao, nSo possao os Indios uproveita-lts todas.
. $ 13. Arrendar por tre annos as trras quo para
iiscflrem destinadas, procedendo i mais miudas in-
vstiga;5es sobre o bom comportamento dos que as
pretenderem, e sobre as posses que leom.
Nesles arrendamentos nio se comprebendo a aculda -
de de derrubar mallos, para o que ser necessario o
consenso do presidente, quo ser expresso no contralo,
com declaracao dos lugares onde os possao derrubar.
$ 14. Examinar quaes sio as aideias, onde pelo sou
adiantamenlo so possioaforar Ierras para casas de ba-
bitacio ; informar ao governo imperial com o quanti-
tativo do foro ; e alora-las segundo as inslruccOes que
reeeber. Nio sio permittidos aloramenlos para cul-
tura.
IB. Informar ao governo imperial cercadaquel
les Indios, quo, por seu bom comportan.ento, o de-
senvolvimento industrial, meregio, se Ibes concedi
trras separadas das da aldeia para suas grangearias par-
ticulares. Este Indios nao adquirem a propriedade
dessas trras senao depois de 12 annos, nio inter-
rompidos, do boa cultura, o que se mencionar com
especialidade nos relatorios annuaes; e no lim dellcs
poderSobler caris deaesmaria. Se por morto do con-
cesionario nio se acharem completos os doze annos,
sua viuva, e na sua* falta sous filbos, podero alcancar
a sesmaria, se, alm do bom comportamento, e con-
tiouagio de boa cultura, aquella proeneber o lempo
que laltar, o estes a grangearem pelo duplo deste lem-
po, comanlo que osle nem passe de oito annos, e nem
seja menos de quinzo o das diversas posses.
16. Dar licenca s pessoas que quierem ir neg
ciar as aideias novamonte creadas, com estabelecimen
lo ou ixo ou volante ; o relira-la quando o julgar con-
veniente. Chianto as que j e^io estabolecidas, exa-
minar quaes as que esli as circunstancias de pre-
cissrem deila proleigao; e as declarar subjeitas a esta
disposicio com dependoncia de epprovacao impe-
rial. .
t^ 17. Representarlo presidente da provincia a ne-
cessidade que possa baver de al^uma (Orea militar, que
proteja as aideias, a qual peder ter um regulamento
especial.
i 18. Propr asscmbla provincial a creacao de es-
colas de primeiras lellras para os lugares onde nio bas-
te o missionario para este ensino.
19. Empregar todos os meio lcitos, brandes e
suaves para altrabir Indios s aideias ; e proinow ca-
samentas entre os mesmos e entre ellos e pessoas de
outra raa.
20. Esmerar-ro em quo Ibes sejao explicadas as
mximas da religiio calholica, e ensillada a doulrina
cliristia, sem-que se empregue nunca a frca e violen-
cia ; e sem que nio sejio os pais violentados a fazer
boptisar seus lilhos, convindo allrabi-los religiio por
meios brandos u suasorios.
21. Cuidar na introduccio da vaccina as aideias,
e facililar-lhes lodosos soccorros as epidemias
Ale all limitava-sc palavra; mas nao se fizero os
actos esperar por milito lempo. Desconfiando com rallo
do suspeito Te-Deum aiiiunciodo para o oiitro da na
igreja de Sao Francisco, c vendo nello Mmente nni pre-
texto para sublevar opovo contra a protw jo ingleO,
aisentou de por ordein no caso, o o cumprio com exac-
tido.
Palermo havia estado lodo o dia ncsia febril ogilagao,
quo nos olbos expertos pana pelo symptoma perciirsor
do grandes sucecsaos ; o trabnllio eslava abandonado, os
iiuarteis desertua, as ufli< inas desamparadas; o poro
o Vl soldados inundavao as rusa o fraternavao indivi-
dualmente aos gritos de Viva Fernando I Viva Caro-
lina Qs Ingle7.es aquarleladoi nao appareciao cm par-
te algumo, nem onlro recurso tifalo, porque le por
aouso a gcntalhs opercebia cou.a que so perecalo a um
tWIMa vermellia, ero vaine vociferacoes a taxor cnipa-
Icdecer n mais intrpida, fronte. A agitacao se hara pro-
longado muilo pela nonio; todava o camoco acabou
por vencer ou ao menos pn.rogar a eommocAu popular,
c o soieno derrainava maoi elieias aobre a cidado as
suas dunuideiras iiijlbologieai.
Nao dormito poroiu lodo, o entreo que dcsprciavflo
o repouso, erto os conoiapelli os mais acordados; por
quo era a elles que pertencia u principal papel da revol-
(a do da seguinte, e era preciso que pura ella so prepa-
rtisern. Entrincheirados us subierraneo que llie ser-
vio de ancnal oecupavto-ie cates em tundir balas, a-
qnelles mu laier ..orluclios ; e us oulros agucavao os pu-
nliae., ou pollo as carabinas, a fin de que, ditito elles,
o diabo se podossonhi mirar ao carregar os beregci. O
velho Loitaro quo era a alma dcsacs oorpoi robuiloi e
experimentado, o exciUva ao (ruballio; aobava-ic em
tuda a parte, linha os ullios em tudo,
22. Corresponder-se com os missionarios, di
quem receber todos os esclarocim ntos para a cate
chese ecivilisacio dos Indios, providenciando no qui
couber cm suas faculdades, e com todas as autoridades,
por quem possa ser auxiliado.
2J- Vigiar naseguranca o tranquillidade das ai-
deias e seus districtos, requerendo ou constituindo
procurador para requerer perante as juslicas, o requi-
sitando das autoridades competontes as providencia
necessarias ,
24. Indagar,se as aideias e seus dislriclos moriff
pessoas de carcter rixoso, e de mos citumes, ou
|ue introduiio bebidas espirituosas, ou que tenhio
engaado aos Indios com lesio enorme; e laze-lai
expulsar at cinco leguas (ora dos limites dos dis-
I relos
*j 25. Inormar-se dos meios de subsistencia que
teein as aideias, para providenciar que nio sobrevenha
algums lome, quo seja causa de que os Indios abalem
para os mallos, ou se darramem pelas fazendas e po-
vuac5e. .
2. Promover o eitabeiecimento de ofllcinas de
artes mecnicas, com preferencia das que se prestio
s primeiras necessidades da vida; e que sejio nellas
adrr.ittidos os Indios, segundo as propensoes que mos
trarem.
$ 27. Indagar quaes as prodcelas do luRar de mais
fcil cultura e de mais proveito ; esmerando se em fa-
zer adoptar aquello genero de trabalho e modo devid
qne offeret mais lacilidode, e a que os Indios mais
promptamente se acostumom.
28. Exercer toda a vigilancia em que nio seji o os
Indios eonstrangidds a servir a parlicularos; e inquirir
se sio pagos de seus jornaes, quando chamados para o
servico da aldeia, ou qua quer sorvico publico; e em
geral quo sejio religiosamente cumpridos, de ambas as
partes, os contractos que com elles se fueren.
S 20. Vigiar que nio sejio os Indios, avexados com
exercicios militares, procurando que so Ibes de aquella
inslruccio que permiltir o seu estado de civilisacio,
suas occupaces diarias o seui hbitos c costumes, os
quaes nio devem ser aberta e desabridamente contra-
riados.
30. Fiscelisar as rendas das aideias, quaesquer
quo sejio suas fonlcs ; e exercer vigilante inspeccio
sobre as pruduecos das lavouras, pescas e exlraccoes
de drogas, e de oulro qualquor ramo de industria, e
em ger! sobro todos os objeclo dcslinados para o uso
e consumo das uldeios.
31. Applicar os dinheirose oulros quaesquer ob
ectos, segundo as necessidades das aideias, e na con-
lurmidode das ordens do governo imperial, dando um
c nnla circuruslanciaifa lodos os annrs, o todas ai vetea
que una urgente necessidade o obrigue a fazer alguina
despe/a extraordinaria,da applicac.o que bouver dado
32. Servir de procurador dus Indio, requeren-
do. ou nomeando procurador para requeror em nome
dos mesmos, peranle as jusliges e mais autorida-
des, i j-
^ 33. Propr ao presidente da provincia o director
da aldeia, o Ihesoureiro, almoxarife e o cirurgio, pre-
ferindo-se para estes empregos os casados aos lolteiros;
suspender os tres ltimos, a em geral a todos os que
esli empregados no servico das aideias, nomeando in-
terinamente quem os subslilua, e dando parte imme-
diatamenteao presidente ou ao director da aldeia, se
gundo perlencer a nomeacio ao primeiro ou ao se-
gundo. .
S 34. Organisar a tabella dos vencimenlos dos pe-
destres e dos salarios dos officiaes de officios que eslive-
rem o servico das aideias ; o leva-la ao conbecimento
do governo imperial pira suajpprovacio.
-jTii iiiiiiiinsgB'^*B>*"lBWBHl
Coragem, meus tillios! llics diiia elle; amanilla he
a grande fcltl do lagostas ; lembrai-voa que tcrooi urna
desforra a tirar.
Socegue, meslre, us a lomaremos boa; como nos
he que liavemos de dirigir U baile, nos o dirigiremos de
nianeira que llie faja honra a Vm., c nos tambein.
Por san Hoque! duia oulro remexendo na ba-
las quo acabava de fundir, oisaqui urnas caslanhola,
que se bao do tocar amanha de urna mancira diver-
tida.
E cale violto, dixia lerceiro halcndo na carabi-
, luppo acoso que nio ir a conipasio un pouco
Vo? ,
Corpo de Dio Como lavemos do nr ao ver os
lagiiaiaa sallar com enguias! Fox praicr s om pensar
nislo.
Eu c son como os touros, o escarale dcsluinbra-
..o os olhos ; lito posso ver um casaca vermelba, que
llie nio atire inimcdiatsmoiile.
E eu que gosto do msica, a lingua inglcia f,ix-mo
cocegas nosouvidos, romo o assovio da vbora. A' pri-
neira polavro, ponfo!....... a c.pngarda dispara-sc por
i mesma.
__ Milito bem, inem filbos, est muito ben.! Perse-
erai uestes bous senlimcnloi, o o da d'oiuonhta dar
|uc fallar de vos na Sicilia....... qne digo cu naSici-
ia?....... no mundo iuteiro. Sem fallar era quo a rai-
dia Carolina nto ser ingrata : ella augnicutar os nul-
os privilegio; ns scremoi os rei de Palermo.
Era quanto estes preparativos sanguinaroa ae faxio
,10 bairro dos conciopelli, lord Benlinek nip eslavo c-
cioio. O regimcntiis brilannicos, reunidos em Palermo,
e haviSo'inuiloi, tiverio ordeiu do ficar toda a nonte ein
ormai, c promplos priiucira ro i dilribuio-sc-lhei
35. Approvar e mandar por em execuclo proviso-
riamente a tabella, organada pelos directores das ai-
deias, dos jomaos que devom ganbaros Indios (too f-
rem chamados para o servico das mesmas, ou qualquer
oulro servido publico ; levando-a ao conhecimen-
to do governo imperial para sua final approti-
cio.
30. Propr ao governo imperial na regulamen|oi
esprciaes para o rgimen doi aideias, cas nulruociei
convenientes para o ilesenvolvimento do ino industrio;
tendo olleiieio oo estado de eiviliaacSo d"i Indios, sua
ndole e oorneter, as necessidades dos lugares es qu* so
acharem ellas eitabelocidas. s prndiieeoes do paix, e i
[iroporces que O niesmo oBerer.o para "o seu adianta-
menio moral e iiialerial.
37. Aprescntor todos os anuo no governo imperial
o nrcamento do rceeiln o desposa das aideias, o mu reli-
torio circuiiistnuciado do sen estado em populact", im-
(riiccio o iiidiislrio, com una exposicao miiiilo da exe-
cneto da di*picuea desle reulon.enio; exigindo dol
directores das aldeia uniros iguaes que o liabililein a
esclarecer o governo sobiu o progreaus ou decadencia
das meamns, os coma que para lio leini oecorrido, e
apoiitaudii o providencial quo coiivcnlia ser adoptado.
38. Expr no governo imperial os iucnnvenieiiteo
que lenlio encontrado na exeouoio dcsto regulainenlo, e
de uniros que bouver de fjxer, iadicando as medidaique
julgar apropriodiis para se conseguir o grande fim da ca-
lechcse e eivilisajo dos ludios.
Art. 1. llavera cm toda os aideias um director, quo
ser de iiunieacio do 'residente do provincia, lobre pro-
oosia do direclor geral.
Coinpctc-lbe :
1. Infornior oo director geral a neoessidodo quo
posta haver de trabadlos cm coninium, o o ualureai des-
les; as.-im como sobre a parte dos producto! denci Ira-
balboa, que deva ser reservada para o uso ooaiimuu dos
indios.
2. Designar ai trras que devem tirar reiervadn
para a plantace em comniiiui, depois de dolermnoda
a porfi que i deve ser pelo director geni; assim como
o que devem ficar para as plantacd parlicularos dei
Indios, cas que possao ser nrrendodos, artigo *.5 1*.
3. Inspeccionar cuas ploutocos, ou outroi quaes-
quer Iroballios da oldeio, e procurar consumo aoi seus
producios, depois do fcilas os reservas uecessarioi.
!i. tilintear quem luiutitul o tbeioureiro ou almo-
xarife, noi impedinienlo imprevistos e do cou repen-
tino,
5. Nomear os Indios para is plantoccs nn outro-
tri-b.ilhiis em coinmum, ou piro qualquor servico pil
blico; procurando repartir o Irnbalhu com iguoldado e
ir de oceurdo, quanto ser possa, com o roaioral dos mei-
mus Indios.
0. Fozer eulregor ao llieioureiro ou almoxarife o
producto! din trabalhoi doi indios, ui objectoi obtidoi
em Iroca dos que frcni vendidos, o dinlieiro perten-
eeute oldeio, qualquer que seja su origuiu, o eiu ge-
ral todos os objeclo desunidos paro o aldeia.
7. Distribuir os oLjectiis que frem applicadoi pelo
director geni poro m trobolho coinmum o particulares
dos Indio; e os que frem destinado! para animar, o
premiar o Indio* j aldeiados, o attrahir o que ainda o
ii.ii. ealejtii.
8. Applicar os dinheirose mais objectos, segundo
as determinafSe do director geral ; podendo, em ca-
sos urgentes, gastar sob sua responsabilidide, do di-
obeiro que bouver em caixa, ataqumlia de cem mil
ris, de que dir cunta ao mesmo director para sua ip-
provaco.
9. Nomear, suspender e despedir os pedestres e
ofliciacs de oflicios, que cstivereni io servico da aldeia,
o determinar o servico que devem fuer.
10. Vigiar sobre aseguranca o tranquillidade di
aldeia c seu districlu ; podendo, em cisos menores, re-
ler em prisio t seis das o que i perturbir, sendo lo-
viverrs e muniefles como se pratica na vespera de urna
l.ai.illia, e para mnii o excitar, nto lepoupou a agur-
denle
Antes da aurora, Benlinek fcx alravomr as ras da
oidode urna ortilbaria formidavel, que incutio o terror
nos nimos dos conspiradores, e foi lomar pmicao, com
murres acesos, na vitiuliaiifa de Sio Frentico. Ao
romper do dia os tropos cm ordem de msreha, e do pa-
iroiia bem rcchcado, eohirto doi respectivo! quarteii, o
occiipario os mas, por onde devia passar o cortojo real
para o ceremonia do Tt-Dtum.
Esta aineaco em oeco era significativa e lito noccni-
tavo de comnieiitari, porque traxia com sigo a propria
nlerpretacSo. Fernando porm cnlcndeo que devia pe-
dir explieacm catliegoricoi ao dictador ingles acerca
de-la oslciilacao de forros la o iiuprev isla quio injurio-
sa. Lord Ilentinck responden por intermedio do com-
uiandanlo da polica, que S. uiageslado pudia ir adorar
a Dos onde bem Iho parccusie, em Sio francisco ou
m quolquer nutra igreja, o que as tropas britanncas
all cstavao simiente pora fazer-lhe alai na poisagein, o
a honras davida dignidade real em nome da Ingla-
terra .
Esta rcipoita irnica, que tirara a iucivilidade, fez
entrar em i o pacifico muii.irclia, eiu quem n argumen-
to do canbto exercia um effeitu mgico. Havia-su elle
liiongeado, ou lia viao-o litougcado, de que eolheria o*
Inglese! de lorprexa e indefesos, e elid be que o sor-
prelicndiio: esta sbita peripecia era para produzir a
inail seria rcfloxe, e o proprio padre Crcamo, pollo
que vine brilhar no horiiuntc o barrete vermrlho pro-
meltidu por Carolina, nto eslava muito maii tranquillo
do que o aeu penitente.
Eu bem labia, dizia-lho Fermndo oinlom laslimo-


mm
^mm
dio; e no tenJo, faze-lo expulsor par* fra da el-
dcia o t do seu districto : e em ci.s.s maiores, pren-
der o remoller espticas o'dinarias com tojas as indica
cos que esclareci a verdado.
11. Requerer l autoridades policiaes contra os
que, tendo (ido rxpulsus cm virtudu do parigrapho an-
tecedente u do 21 do artigo 1.', su cslebclccercn
dentro dos limites dularadus no mandado de despojo,
ou nao queirlo obedecer a eslo.
12. Tor debaixo do suca ordens a forca militar qu:
bu liuuver de mandar collor.ar na aldea e seu districto ;
repreaenlando a nocessidade, que della possa bav r, eo
director gcral, conformando-se con a* instructocs que
receber "c com o regulamento especial do 17 do ar-
tigo 1.
$ 13i Alistar o Indio quecstivercm om estado de
prestir algum serviuo militar, e acostuma-lo a alguns
exerejeios, animando com dadivas aos que mostraron
mais Rosto o lelo pelo servido, e tendo lodo o cuidado
om quo USo se desjjostem por excesso do traballio. Da-
r urna conta circunstanciada ao director geral das dis-
posii;6es que encontrar, para ser levada ao conhecimon-
to do governo imperial, quo resolv r sobre a oppor-
tunidade do sq crearom aliutnas companiias; as quaes
podor/io tor urna organisacao parlrcular.
14. Procurar quo sejio demarcadas as terral dadas
ais Indios, e proceder demarcado das porfes da.
mesmaa, que, tm viitude dosle r enlmenlo, tenbo
de ser demarcadas d. ntro dos seus limites.
$ 15. Kstnorar-se em que ii futii, tanto civis como
religiosas, le lacio com a maior pompa e apparatu que
ser possi; procurando inlroduiir as aldeias o gosto da
msica inslruineiit I.
j 16. Servir de procurador dos Indios, podendo no-
n.ear quem faca as suas veres para requerer perante as
justicia e nutras autoridades.
17. Dar parto todos os trimestres ao director ge
ral dos aconleciinenlos mais notaveis na aldeia, e faier
uni relatnrio annual do estado em que se ella acha, com
declaracio da oxecuco que tendido as disposieoesdes-
tc regulameiito, e com o orcamonlo da receita e despe-
ga para o anno seguinte.
18. Exurcer as funccOes do art. 1.", desde o 1.'
al o 9 ', o desde o 10 at o 30 ; entendrndo-se
que suas (acuidades sao restrictas aldeia doi|ue hodi-
nclor; u queem lugar do presidente, ou governo im-
perial, deve dirigir-si' ao director geral da piovincio.
Arl. 3. Ao tbesoureiro competo :
I. Receber os dinheiros perlencentes aldeia,
qualquer que seja a origem donde pr venbao, recolhen-
do-os em tima caixa, de que o director da aldeia lera
' urna cbave ; assun como leceber todos o objectos quo
forem destinados para o servido e uso da aldeia.
$ 2. Tcr a seu cargo a escripluraco e'contabilida
' de, para o que tur os lurus proprios, fornecidos pela
' fazenda publica.
3 Ajudar ao director da aldeia na sua correspon-
dencia, particularmente na confocr,io dos mappas es
tatucos.
4. Faier os pagamentos, e entregar os objectos
que estiverem debaixo de sua guarda, segundo as or-
dens qu'' receber do director geral, o as dclerminaces
do director da aldeia.
5. Dar todos os annos urna conta circunstanciada
| ao director geral, de lodos os dinheiros e objectos que
liouver rocebido ; dos emprogos que fe/, e das ordens
que os autonsrio
'. 6. ElcrovW em lodos os actos que bouverem de
' l tur remullidos s justicas, e nos termos das demarca-
(" J fes das porcos de trras a que liouver de proceder o
> irectof da aldeia, dentro dos limites das Ierras da
; aldeia.
7. Substituir ao director da aldeia em seus impe-
I i)iii-entos imprevistos, o de caso repentino ; dando par
>. lo immedialamente ao director geral, para prnver in-
liij; terinamentc.
Art. 4. (guando o estado da aldeia nao exija uin llie-
'l soureiro, um almoxariie receber loJos os objectos que
f'jrem destinados para a aldeia, e os entregar segundo
as ordens do director da mesma, dando annualmente
Canil ao director geral ; o o director da aldeia receben
J) os dinheiros que a mesma pertcncerem.
Arl. 5. O ciruraio lem a seu cargo a botica, c os
i instrumentos cirufgicus ; e cuidar da enfermara com
nm cnlermeiro, quesera un dos pedestres, que pro-
por ao direclor da aldeia.
Art. 0. llavera om misionario as aldeias i;m.n en
te creadas, e as que se acharen) estabeleeidas em lu-
gares remotus, ou onde conste quo andao Indios erran-
tes, compele Ibc :
I. Instruir aos Indios as mximas da rcligio ca-
lliolica, e ensinar-lhes a doutrina christa.
$ i Servir de paracho na aldeia o seu districto, em
quanlo nao so crear parochia.
5. Ka/cr o arrolamcnto do todos os Indios peiten-
,.i iw'iTiiawBMaam^x/'f.Ka/-'.
ae, que estes reprobos Ingleses crio capaies deludo;
vede, inen padre, se en linha mulo !
He vrrdade, magostado, lio mai que rerdade : es-
tes hrreges nada rogpcitan. Todava cunsiillemu, lal-
vei una inspire Den alguin tocio de Iranatni nar-llica na
planul criminosas-, porque em fin se elle Icio por ti u
Itabo o iik demonios d> inferno nos lemoa o Cu com
imlTis osseus Miit< c anjua. F.sl esorptn que a Jijrejn
lie iininulavel, e que o interno nao prevalecer colilla
i i ella.
No coralito, os Ingleses tcm pecas, o na nao as
i.iiiin: nuil ni nrcii depressa se fas, Olliai, meu pa-
dre, ao me vos acredita, o mua aegur.......
' Voltannua pan Ficiiua.
E pensis cm acmclhanle nuusa,'mcu filhn? Que!
j 'M ilarcis (! praii r n inercdulidade ? Animada por armo-
iiiaule Iriuinpliu, julgnria quo ludo Iho era periuiuidti ;
' ,- i|iiaiiilu vos Ikiiivi'881'oofoiiiliroiiiado seguniln rea, ao
[^f llie fallara rorlar-voa a ealicca.
Jeau! inrii |iailie. ni yrai'rjei cun c*aaa cou-
a! Ha pnl.ivraa que a pronunciad-' faiein mol. ICni
jjiroine do Cu, que quorria que cu fae.i
O reverende. padro olava riu (rande euiburaco para
Hpoder aciiusi'lliar; va na verdado em perigo o ten bar-
reso, m n in dicobrin a jioibi!nlaile dcoinlvar do
nautrajji". Ur|iugn.u.i ao >ea carcter, anda mai* do
que ao eu miiiialeriu, oa mcioa .vialeotua, v os dilato-
rios puubao ludo em duvida. Culu ludo olea lie que
era fnrcuao reaiguar-se.
Ubrijiadi a tomar mu partid", c doiuinadn pelo inc-
do, o re deo costas a lodn de ri'|iente, aeni tomar uiea-
am-n preeauciu le preparar ana retirada linuroa, tal
ra a sua presa de sabir do destiladeiro em que ae lia v ia
cenes aldeia e seu districto, com declaracio dos qool Hcrcira Brandan; como a dispensa da indemlilaar o oa-
inorio as aL'eias e dra deltas ; dos plisados, ida- r"rc da iniinioipafidaila da impoi tanoia ila detpriai, pe-
aplisadu
des o prolis.-Oes; o dos nascitnenlos, bitos o casamen-
tos ; para o que Ifie serao fornecidos os livr.n pelo li.is-
po diocesano, pela caixa das obras-pias.
i. Dar parle no bispo diocesano, por intermedio
do direclor gcral da provincia, do estado (spirilual d
aldeia ; representando as necessidades que encontrar, e
apuntando as providenuai que llie parecer mais pro-
priaspara occorrer a ella*.
5. Representar ao director geral, por intermedio
do da aldeia, a neccitidade que possa baver de outro
missinnario que o ajude, principalmente so liouver as
visinhaucas Indios errantes, que seja aiister chamar
religio e sociedade.
^ G. I .nsinur a lr, escrever e contar ios meninos,
c anda aos adultos, que sem violencia se dispozerem i
adquirir essa inslruccao.
7. Substituir o director da aldeia, quando este-
ja impedido o tbesoureiro, e nos casos em queesteo
pode substituir.
Art. 7. A creatjSo de tbesoureiro, elmoxarife e ci-
rurgiao depender do estado em que se adiar a aldeia,
e da sua impoitancia, o do lugar em que estiver enllo-
cada : sobre o que o director geral informar ao go-
verno imperial para resolver. O cirurgiiio poderi servir
de tbesoureiro, o as circunstancial o permittirem
Seus vcncimcntus e os dosmissionarios sero lixados se-
gundo as nlormatoes dos directores geraes.
Arl. 8. A eieauao dos pedestres o olliciaes de olicios,
seu numero, salario, organisacao, e a nalureza dusof-
ficios dependera das cin umslancias locaes, segundo as
inlormaces dos directores geraes.
Art. 9. Aa infonnaces do que trata o arligo anto-
cednle, as doarl. 7.. e ai do art. 1."$$ 2.", i., 8.,
M, lo, 16, -i, 35, 3G e 57 sei3o transmitidas ao go-
verno imperial por intermedio do presidente- da pro-
vincia, que as acoinpanhar com as observacvs conve-
nientes.
Art. 10. Nos impedimentos do director gral o pre
sidenleda provincia nomeata quem o substitua ; e nos
impedimentos do director da aldeia, que nao sejao im-
previstos e de caso repentino, lara a nomeacao o di
rector geral.
Ait. II. Km quanlo servirem tero a graduaci) ho-
noraria, o direclor |teral, de brigadeiio ; o director da
aldeia, de lerienle-roronel; e o tbesoureiro, decapilao;
e usarao do unllorme quo se celia cslabelccido para o
estado-tuaior do cxcrcilo.
Jos Carlos I'eieir de Almcida Torres, cnncelheiro
de estado, ministro o secretario de esludo dos negocios
do imperio, assiin o tenha entendido, o faca executar
com os despachos ucees.anos.
Palacio do IIio de-Janeiro, em 24 de jolln de INj.'i,
vigsimo q'ailo da independencia e do impeli.Com
a rubrica de S. M. Imperador.
Jos Carlos j'ereira de Alenla Torres.
Governo da provincia,
BXrKDlENTB DO DI* 12 Un r-.|lli IVTK.
OITicioAo eoiiimniidaiilu dai anuas, declarando, se
min runfiiriiiu rom a Humeaban do iiiujor graduado Jns
da Silva Guimarea para eumniaiiilaiite ila Illia de Fer-
iando; o determinando, f.ifa oun que v turnar conta
lo roiiiuianilo daquille prutidio o coronel Francisco Ju-
f Martin*.
DitoAo unin, llgnifleando, fiea iulelratfu d'acbar-
iv om irrv ico o H'niiiiiM lenle do quarto batalhao de
artilliarin Epifuuio Burgoi de Mennei Doria, por se nao
tir quendu uliliaar da lioeilca,que, pan ir Rabia,obtu-
ve da prcHilcnria.
DitoAo inesnio, d> clarando, que, onuiu.iiito pulo
governo imperial nao for deeidida a ilnviila, por S. Ese,
eipuala em nllicrV de 10 de-te mei, di-ve faer Continiia-
rcm i servir oa paisanos rindo! du -Rio-liranile-ilo-Sul,
que ealili com praca nos eorpos de priuieira linlia dllll
prov luca.
DitosAo mi 'ino e iu eomniisiariii*paj(adar, seicn-
tilieanilii-na da nuliiea^llo de Simplicio l.ius di: SuiMa
Foiitea para til urgan iln ilba de Fernando.
DitoAo Exm. hispo dinee.-arin, ;i tim de (pie designe
mu sacerdote para ir substituir o capclllo da ilba de
Fernand-.
Un Ao I'.mii vieu presiilenlc da Alagas, rogando,
mande riiiuprir o avian, quu por oupil Ule Iramniiiite, i:
que |ierinille. V eonliniur na corte na eatudn mallie-
iiialienBo primeiio lenente do segundo balaliiitn ueaiti-
Ibaria' pe-, Francisco da Coala R ulia m'i viudo iiaquella provincia.
Dito A camina municipal da Bua-Viala, agiadi rendo
as felloitaCSe, que Ibe dirige por neliar-so na adiuini-
trac-.'io da proviueia; e euniproniettendn-it' a coadjuva-
la no ciiuipriniento do leul devele.
Ritos A ineaina, declarando, que da aasrmlila legis-
lativa provincial he que lleve nlicitar, nao ao a valida
can do contrato por que engajou un ailvngadu para as
causas, que pleitea COM a easa <.i Torro c Romieiaun
xaaxaBaaaagaxa-staKjatB a^s^-^ >*-+RattaBi$f! --amar;
met i lo. Reo pulanlo contra ordein para o Tc-lhum de
Sao Francisco, c conlcnloii-se com ouvir inissa na sua
cap II.i particular.
I'isla piiaailanntie delonga, quando ludo eslava pruales
para uma lin ti decisiva, equivala nao ao a una derrota,
uoiiiii a uiai> verguiilius.i de luda a derrotas, poia era
tan r cuntiaaau publica de sua friquen, u declarar que
tieni e eoulava ruaaiar aa vua torca. E*le di>lr..en ex-
tingui, como un fago du paili.i, o enlliuaiaamu do po-
vo, e desinoraliiuu as Lrupas liacionaea, no iiioincnlo cm
que lao faier CIUM comiuuiii com elle. I.ni una paluvra,
ii partido do ri Fol ferido niortaliiienle pelo uieaiiiu re.
Fci-SUUUl Ionio di lie iini vasio, cnino por tiicanlo. Ido
tiln lie unira doscort i.nia para farejar afortune, e
proinpln rollar aosupro della.
Abandonado de Indos, c ale dos seus familiares, en-
tregue a ai meailio no iimmcnlu em queman, ni -i essii.ua
de cniHulliu c appom, Fernando no isolaiiienlu perda a
puur.ii congciu, quo e Re baria inauflado. S o padre
Caeeaiiin iv Ibe eoiiaeriava fiel, c su eslorcava por dar-
||,o animo, anda que elle meaiiio Inin desanimado esli-
Vesae ; mas em liui liana ai can u reaeco de uin subre o
outro, e Inin ou mal estos doua velbos despojo se ausli-
uliu entre si. O niiuialerio uebava-se iieeuaaanumcnte
un eoiit'uaao, c como u curpu oOloial eslava com dua
cabecas. ou para inelliur diier, seta neiiliunia, pois que
o puder fluctuara entre u pai e o tilho, ludo ia a inalm-
ua ; iiiiiguuui guvernava, uinguem obedec. A pressau
do exercitn ingles era s oque impeda quo afrouias-
aein de todo as molas du Ealado.
Nao pudia durar sciuelhanle anareliia. Lord Bentinck
apreaenlou se em pnlaeio a tim de fater ao rei uflieioaas
eepreauitaiiH'a ; maa cate nao lliu ijuit fallar por modo
al|uia
11 mesilla ntsrmbla glosadas.
DitoAo rliulu du polica interino, reoominendando
a exocm;*u do iinpurial avilo de 9 de aguato finrjo, que
iletrruiiun. se iitii eunslnlasabir, deai.i para nutras pro
rinciiis, Indio iilguin niPtior, sem quo enrn ello ae hi-
ja previamente celebrado un onlralo de loeaeao de
err{us, no qual teuhao inlervindo sena paii ou cura-
dores.
Dito Au delegado de Carannuii, deelarandi), deiva
do mandar pagar vonnimuntos do primeira linha ao des-
liajnentu do guardas naeionaea cstanoiiadoeiu Papara-
(; porque, segundo o arligo 111 da le do 18 de agos-
to de 1831, s ooiupeiiini laes veoeiuientoa aos guardas,
que prestlo srrvicoa fra dos rrspecljvua municipios.
nestu caso se n,1u achto os eompononles du dcslacaiueii-
lu cm qiietlao.
DitosAo inspector da tlicsruiraria das rend prn-
virieiaes, c ao presidente du concelhu geral de salubri-
dade, intcraiidu-oi da unnieaclo de Miguel Joqnim de
Aranjo para delegado du mesmo concelhu nu novo mu-
nujpin de Itamarac.
Portara,\o inapector do arsenal de mirinba, cn-
earreganiln-o de frelar una eiiibaroaco para conduiir i
ilba do Fernando o couimandanle pura ella nomeailo,
alguna eiiipiegado mais, div. raas pracas de linha, tari
uha, e differeiilea ubjeelos; o previnindo-o, do que no
respectivo contrato leve incluir a clausula do reliar o
navio carregado de pedia de calcar.
Dila-Dcruiliiidu os 1.0.2 3., 4 c 5. supplcntes
du subdelegado da frrguein da Munbeea. Forlosubs
tituidos, o primoiro por Jos Robera do Muraos a Silva,
o ss^guiidu por Fernando Franeiaeo de Aguiar Monlar-
roios, o lerceiro por Jos Carnoiro Rodrigue Cnrnpol-
lo, o quarto por tiabriel GeriNano do Aguiar Muular-
ro i na. e n qiiinln por Pedro Joaqniu Guies: nonieou-
se sexto supplenlo du mea ni o aubdelogudo a Eusebiu
Piulo: e commuiiicuii-sc an ebefe do polioia interino,
sobre cuja proposla se ritei o oslas demisscs o noinea
{e*.
PEHNA1YIBUC0.
CORRBIO.
CORRESroNDENCIA DA CIDAOE E PROVINCIA.
Com que ser verdade, nflo fra beni reecbidn na cor-
lo o iiosau cun,nieiulddor roiiforcntc ? Fis a pergunla do
da, quandu su oncontra un patriota de e cun f Igum
|ue vein de la. A respuata nao soi# porque ando sempre
om distiiiicia de vara oquaila do cuita gente; inll'o que
vejo be ficaraquello quoni se pergunla dehumbros t'u-
Ihidos, como pnlu debaixo de goleira, coque per-
gunla -mu mu beii'iuliii a Sima; donde inlirw que a omi-
sa nao vai boa. Pois o uiiinniriidador, que daqui cum
l'umacas de t.eiar fui, vio, o nao venci? Eu quu nao bou
Inimciu que ae rogosije enm os niales do prximo, cuun
quu estimo, Dos meperde, ver abatida asoberbaou
a ti.leima de alguna niagarefos, que se quorein elevar a
altura dos cediusdo l,yliano,n;lo sendo tn leiuat natura
mais que uns beldroegas. Se da quosl.lu se podesso re-
correr, cu appellaria mesino para ossos temperaiuenlos
do guio, para uasas almas du velas de sebo,u a laos ge lo
ea laes sebos ubmclicria aquestao;se por ventura lio
eouaa que se possa soifror ver pintos, encrespados como
peni do ruda, guana re m, anda quandu se ll.es uao aaan
Loa ? O......ido sempre so cuuipoi de iludoslo ros, mas boje
au soi porque diabo a impostura anda sempre ajojada
a petulancia, a arrogancia I F.mliiu be mundo o Vamos
vi vendo.
Comnuiiiicadu.
Sem i]ue me quena darau Irali.illio de responder a tu*
do o lino n Sr. director do thealro publico disse no seu
enmmiinieado inserido'no U.-novo de 11 du crrenle,
relativo au faelo acontecido no mesmo thealro, na anu-
le du 4 du crrente nu r, l'uinludu nu me pude furlar
ao desojo de diiei aquello Sr. lignina ooiisa; nSo purque
jiilguo elle iiicroccdur, mas porque ser bom sempre,
quu o publico, que as veies ignura as ai ti manilas de que
so coiluma servir para levar u agua au seu mofan, neo
seja illndido cum as suas cantilena!.
Nao ipiern defender osses Porlugueies, du quo elle se
quena, n.ui sci so com ritu no sem rila, porque ignn-
ru iuteiiauienln us fados a que alinde, u so mu admira
a truaeidado cun que du o pcrsegoeiii, ha cinco anuos I
Com etleitu. com tal cncariiioaiueiito bein poucus figu-
ros le ni tidu a (loria du ser marlyrisadu; maa o Sr.
direclor he assiin molino, mettco-so Ihu na eabeja, quo
lio ijcnlr grande, o u que Iho aeunleco I elle, na deve
nlrar na regia geral, pin que elle lio nula exceptan des-
aa regia. Mi suiu tomo cxeepgo elle figura uesso o ni-
niuinoado, porque o desacato da iiuute de 4 nfto fui a
elle dirigido,e se sabio u dolosa hes pela honra da sce-
n.i brasiloira, de qu? elle aqu he o pai, c pai i.ln feeiiu-
du. que ju i, ii. prodiiiidu lanos genios dessa arlo, como
apona no seo cullimuiiicoilo; o no ciilretauto o seu vu
Iho thealro cada voi cita poior d'aeturcs : do quesc col-
ligo, que u Sr. director lora o genio creador, mas iufo-
liiiueule nao lem o du conservador, taires porque lem
ciuiiic de suas propras obras, leiucndo que algueiu Ibe
aaa
diajiuta, doixar ver aa suaa apprcheiiycs, o cum as ap-
paroncias de tiuela, o seu silencio uu era na rcalidade
mais do que un actu de Fraqucia. Renliuck nao ubstanlo
dcu-SC por gi.iv emente nli. nilnln, e a sua culera nao 00-
nheeeo inois nllencuca. Reajipareoeo u anidado, u s o
soldado soba pello do diplmala. Nu mesmo da dirigi
ao re nina nota ab ira tu, que u velhu launarcha rouu-
sou abrir.
Teiihu incdu, disse ello ingenuamente, deque me
tiro o Boiiinu, c llena mu deten,la! preciso do una boa
nniite depvis de un da cuino este.
Todava a ana curiosidado agujada pela do seu con-
fossur, vemeo o amor do soinnu, o a nota fui aborta, nao
sera grande abalo. Reacua, mas fulminante, eainda,
puior do quo o rei a liana suppuslo. Roniiuok lacnica-
mente llie signifiuava, que se nao ae deuiitlisse das suas
prolonccs, e nao reslabulcccssu luiinediataiuento as omi-
sas a o aoligo pe, u considerarla como un iuimigo pes-
snal, cuino uiiinigu da (ram-Rrolanha, e como tal
tratara. Dava-lhe para se decidir al a mua nuute.
Paaaadu esle praxu recorrera turca, o coiuoca ia as
heatilidadcs.
Ao ler esle lerrivcl ultimalum ompalideceo o netn de
Luis XIV; ludas as suas turcas o abauuoiiarau. 0 oon-
foisur turuuu-su tu amarcilo como o seu peuitcule, o
ainuos se olliarao consternados.
Que se ha de fater, meo padre? perguulou o des-
venturado luuiiarcba, .doixdiidu-ao cahir aubru uoaa ca-
deira.
Ai de 1111m I ineu filbo, inuilns ouutraiios n Igr< ji
rio os lempos, cjpcruiillc o Cu que Iriuaiphu a horotia;
faca sombra, nu.'comn por ihi ditotn, porque eor H
peqnrnn de|inlismo oapoeiral nao he pnstfTel noa,,,
uar-a sean i.urra abaolntsmonli" nS jjeiiha nutru ,,,,,t
lesubsialeneiii. Qur d'nm'a, qur d'nntra furria n5
>ri poisirel jermns aqu tiroair.i emquanM n nn,0
Sheakesprar fr ou director, o Dos defend o ihP,.
tro novo delle o dii igir: porque de corto ifi sorte n m
peri.
Vamos, parara, a quesln, o diga mn,4r\director,,,.
be ooin certera le for.lr cases P.irtiigueiea.qiio irem a.
cussad ii perseguido, rerceamlo-lhe os aousluer,,, ,..
euiiiarins, qusVna referida nonio fiero pssa canarl,
ilirrot.-i, ou w f.irlo osses Brasileiros (noepertus. p.ir(.|.
les iiisligadoae Sodniidoa (nomo dit sus seu conNlliii.
eiido i os autores' dola P Polo son mudo de din-r '),.
inosnio rtt cm durida, e eulao pora qne cora II ,|f^
brido modo Haca aquellos.e quer despulpar osle? QUCOl
be que nfto enxcrg.i ni sin o sen dedo meatro n*r a in-
triga : e so.como ouvi diicr.u aecus-. de querer fuincn-
tar dissrnco dciiaoionalidiide, nSo ter o Sr. dadu ,.
ra sin motivo bastante ? Presencie! u aooiiieciiurnu Ju
que tanto so quena o Sr. direotori e por issn lenh m.
ler-lhe, que nlto levo inuiivo neiihiiin para so queja*
das prasoas a quem quer enipurrar todos os sem (sK
tornos, c para arredar do si toda a odiosidad rfn ,p,
eiiiiipiu lamento naqiioila nonio, liem enirclor u publica
com descomposturas dos sciia odios ltigos, niisliiraml,
eom isso u inesqnNhn tboalro da ra do Cundes, nb.
jeeto na rcalidade milito nterossaiite para o publico bra.
lciro En iiAu louvsroi aos que liicrio casa raasuait,
a osses (otiieos. mas pelo que tenlni visto algunia ir.
sea, (enessa mesma nonio) quasi que lenho lidu desejni
de dosoulpar osses exoessna provocados pulas parvuicci
o desaforos cum que algn delles nos mimosean.
U que mo merece deseulpn lie, que baj un oomlra
que du palco scouico nsiille o pnbliro, ou parle dellr
i'ill que a aniel idaile lliu f'C-l sentir, onatigaiulii-o, i,
reapeito que a o publieu sedero; mas u Sr, director ij
osla avesado a issn, e ni o he esta a primeira vos, ipn- ,u
esquocc do quo ho, e arrogando a ai os pudores que a le
concede an magistrado, que preside o tboatrn, i|UPr
onsiiiar-llie a fiter sua nbrigacan, corregindo eUc inei-
ino os desiuandns da pl.vtoia.
V cnntiliuaiido CI quantn lll'o permttir a bonfiu-
mia drasa autoridado, porqno algunin ves tora o paga,
A vista, (mis, do que lenho dito v-so elannirnlo, iplg
pon lio de paito a queslio pnriuguri.-t, que o Sr. directar
molleo no aeu c.nnii|iuiiieado, cuino 1101 incidente, pin
se salvar do desacato, que coiumclleo para c.mii o |ni-
blio.o, que positivamente iusiilluii; qurqun ello meiniu
ulo ignora, quo no thealro nao ha naoioualidade, o co-
mo he tan lido deve sabor que ha povo quo paga, o liii-
tries que o diverluio, o nao qneira o Sr. director fuer
da arena brasiloira o leja do aaaVeira noro.....purqm
oa BrasileiruS na sao tan estpidos Monto oa considera.
Finalmente, sempre Ihu advino, que, quandu qiiiter
festejar uin da lio grande para oa Brasileiros enuin u
sktk ok TRTEMIIOodia glorioso da ana iiidcpeuduiiris,
fsfl o obsequio de osoollicr nina poca, quo, se uiafur
lu-roica, lu menos soja anloga o objeclo do da, eaiu
Venha enlaliru publico com ntremeles, anda que o
Sr. director be loiiipre bom infeliz as suas oscnllias.
Fiiidaiiios aqui sem tenc^o nouhuina de prosoguirin'oi
na polmica.
Um dos inexpe tes.
Correspondencia.
Sri. Madores. Atrozmente insultada em nimba
propiiedade, e n'iusencii de mcu marido, recorro i
sua bem conceiluada fullia, para manilistar so pblico
impar, lal o desacato, (jue acnln) do receber.
Na nianhia do di* 9 do corrente, achando-mecu
tranquilla em mcu engenho f^Jungadinlm). e sem re-
cejar, que all lsie desacatad, ti de lpenle cercado u
dito engenho, e casa do vivenda, por uma forca de po-
lica (se me nio engao), e que pelo nuue o dos solai-
doi parecia destacamento : sem que se me (zesse scien-
te do motivo de lao inslito e descomedido procediineii-
to, num lao pouco so me inlimasse ordem por escupi,
e mesmo verbal, de alguma autoridado, loi a casa du vi-
vencia varejada uma e inuitas veros, o os meus csrraios
detidos por algumas horas, em quanlo durou o circo.
Uin acto d'esli naturea devia sem dunda inspirar-
me as mais serias dcsconliincas, de que se me pr Ico-
dii rou'iar com o appajato de frce, ou cotntiietler si-
gum outro sltentado, e d'aqui se pode avahar qual po-
deria ser o mou despraz r, c peiturbajio em lenielhan-
te transe ; ctlrelanto fui testeinunba sollrcdra do cur-
co do mou engenho, e da insolencia inaudita doi vuro-
jadore, que, faltando at ii attent;3es devidas as pei-
soasdo minha qualidade e de meu sexo, moslriio
dignos esbirros de quem quer que os mandou a nimba
propriedade. Depois de concluida a acerba diligen-
cia, ho que fui informad! (mas nao pelos execulore),
que ella lora feita a requerimento do Sr. JoSo Patrala,
bem conhecido n'esla cidade, o quica em outros luga-
res, sendo seu fim cipturar um eicnvo do Louienjo
Alvares de Albuqucrqu ( por ora administrador d esli
engenho 1 se outro nao loi, como he beth de presumir;
so lia
nossus pcicadiis tem cancadu a divina misericordia, n.in
Tema sem duvida, ao aceilasse a diiuDisio, a'us ho dado vi ver subte a Ierra.
Mas que se. ha do fusor ? anda uma vui, que so
de futer ?
Ganbar lempo.
Tempe, meu padre, lempo! Cumu be ssu posn-
vel? 0 acelralo reccnu queanoule nos desse ooiist-
lliu; be por issu quo elleosigo a ininlia re-posta satis
da mciii uoule, .
Com jinla do leo, meu fillio, lalves uin roco luja
deillndir a cruel inipacienoia desses intios.
Kcase uieio, meu padro, qual ho ello? Fulla, Os I
diiei drpressa. .
Ho faie-ln*eperar pula resposla'do V. magoalaaa
alo. anianliaa. e a inda por nial lem po.
Para rae iran canhoriear, uilo hoassimi ate no
meu aposentui llamou o pobre Fernando, queja uii-
via assuviorem-lho ao uuvidoi a bala britnica.
Credcs*, meu tilliu, que eu quoreriaexpur-ras
semelhaiile perigu ? O lucio do nl'u sor allanado no pa-
lacio, he doixar o palacio, antva que soja sitiado, pa
voltar.......
A' Ficnxia?
Nao, Favorita. La veremos oque ocourre, eco -
foriiur-iins-licnios cora os suoeoaso*.
Dos lOAalicnQoe. meu padre! Elle ho quem "
inspira. O pj|du que me ai onselhais be o mais pru-
donie, scinduidi, o mais prudente; parlamos ja, '"-^
sose SCUI diior nula a uiuguein i nossa salvacao te .
|ir.ui,pl,dao c un segro lo. Meu padre, periinlU quo
abraco, s me ealvais a vida.
Eiu quanlo mi |icu se ililu abracoe, o so prepara ^
ga, "qvie acontece no exterior, ns ruaar He o que
vamos relatar no capitulo sejfuinte.
(CettlintKtr-se-l'i,.


Al rnrora ignoro quem oi o uiz, ou autoridade, do escriptorario, o amanuen CoHPANUU DO BkBFSIBE. .
Os Srs. accionlas hojao de rcalisar a mirada de
tlt o ij 20 do
, deupOlieantenle rnaniluu insultar e desacatar u
Lia Senhoia pjoprietaria, sempre respeitada durunlo
.usencia de seu marido. Ah t'etlo nao eslivessa to
luanle, por corlo o T. Patriota nao se arrojara a lan
l9 p0ufl com o loi seria' punida o eswogada sua
'"raTs.-s. Redactores, poder-su-ha.em Itce disto, a-
crcJitar, qu gosamos de srguranca, e que estamos a
lito das viulencii'S e incultos de ccrts autoridades e
'eWent#,l llavera quem diga, que nio roe la ir
. ios t-sa e propm dada invadida por esbirros e tolda
j,? Cirio que uo, emui piincipalmento haven-
i, n,no ha.no lugarum detractor (2o descomedido co-
moo Sr. PatrioU cujowrojo em mandar eapritar a
rninln propn.dide em pwfredcr da manuira, que fie
Jila, lie digno ila mail aria alteneiio.
Tcnlio, Srs. Hedactorw, referido tal qual so passou
oiasulto," querecebi ; resta me'pedir esta autorida-
de quem i|uer que foi, que se coLiba de mandar va
Jtr as casas, cercando engenbos (ora dos calo pies-
cM|.)s | pas Iris. eaoSr. Pat iota, que, se pretende
fuer adunia tralicancia,decline as suas vistas para outro
lujar, e arrede-as do ineu en;enho. Com a publici-
Jida ileslas linhas milito obrgurd Vmet. a
n Jora
seis por cont, ltimamente pedida,
correle. Escriplorio da companbia, 1." de selembro
do 1845.. O aecietario, II. J. Fernandu fanos,
Os Sis. accionistas do Ibealro publico desla cidade,
que (inda nao realisrio o pagamento subscrevCrSo,'|uciro ter bondade du manda- las satis-*
faierem casa de Jos Ramo de Oliveira, ibesourciro
do referido tbeatro.
Manoel Francisco Coelrfo, professor publico de
grammalica latina da frogueiia do S. Jos do Recite,
avisa >>os'|>ais de familia, que est aberta a matricula.
Os interesados dirijSo se a cata de sua residencia, na
ra larga do Rosario, n. 55, segundo andar, emquan-
to nflo Iba lr possivel ebter urna casa oa fieguczia de
S. Jos.
sua vene
m. m. f. l:
Alfandega.
RgNnmFJiTo 03 du 16...... .......*.. 2:251 604
Detrarrega hoje 17.
BarcaSaudades-deSanto. Brig'ie Cuiden-Fleecemercaduras.
Consulado.
Rendimkmto dos das 13 e 15.
Cttil2:407*151 Provincial575*869
31 o valenlo fio l'orlo.
.Vatios intrads no da 16.
libia ; lidias, patacho brasileo Belleza-do-Sul, Je
15o toneladas, espitao Manoel Gonealves, equipa-
gem 11, caiga carne; a Gaudino Agoslinbo de
Barres.
Falmoulb pela Ilha-da-Madeira e Canarias ; 36 diaa,
paquete ingle/ Swift, comm andan le Donglas. Se-
gue para a Babia o Rio, quinta-leiru ai 4 horas da
tarde.
*
Editaos.
O lllin. Sr. inspector da Ibesouraria das (ondas
provinciaes convida pelo presente s prs.oas que se qui-
serein encarregar de faxer o lornecimento dos ohjcctos,
abaixo descritos, para a enfermaria da cadeia dista ci-
dade, a coiiiparecercm na sala das sessdes da mesma
Ibesiuraria no dia 17 do crlente (hoje), ao incio dia,
com as suas propostas em carta fechada, queserad iber-
ias om presenua de todos os concurrentei.
12 colad< a de riscado de linbo, com S palmos de
compiiiiento e4de largura.
12 iravesseiros do mesmo riscado, de 5 palmos de
compiinicnlo e una mSo trovessa ib altura.
12 cobertores de loa.
18 lene:es de brim de 4 varas cada un.
2J ami/as de dito de 2 1/2 ditas cada urna.
Secretaria da ibesouraria dos rendas provinciaes de
Pernaniliuco. 13 de setombro de 1845. O secretario,
/.mi da Cotia l'or tocar rer o.
U lilm. Sr. intpcclur da thcsournria das rendas
provinciaes manda lazcr pblico, que, em curuprimen-
toJaonlem do Kxm. Sr. presidente da provincia de
13 ilo correnle, vo matados ,i quem mais der.os impostos provinciaes car-
lio das collectorias dos municipios abaixo designados,
sob a< seguintea avuliaces annuaes :
lio., i lo 1:000,000
Brejo 3:,a.000
Cimbra 278,000
Flores 951,000
boa-Vista 527 000
Os licitantes, devidanienle habilitados,comp.ir^ao na
I a s sissoes da mesma Ihesoura.ria no dia 19 do cor-
tote, ao meiodia.
Secretaria da Ibesouraria das rendar provinciaes do
rarnaaibuco, lo deselemluo do 1845. O secretario,
i: da O lia fo'tocarrtiio.
Avisos mar i limos.
Para o Rio-Grande seguir brovo o brigue-
eicuna Isabtl, capito Joaquim Antonio Gadre: quem
no mesmo'quiter carregar, pode tratar com o mesmo,
ou com Ambrim Irritaos, ra da Cadeia n. 45.
Para a Bahiaobriguo Gensroso dando o lempo
ugar, sahir hoje, 17 do correte.
Para a baha sai em poucos dias a sumaca na-
lional Santa Anna: para carga e passageiros, traa-
se om Novaesa C \ ra do l'iapicbe, n. 34.
ss Para o Aracaly sai, improtcrivelmente no dia it
do corrente, a sumaca Flor-do-Angilim, por estar qua-
si oarregada: para o restante du carga e passugeiros Ira-
la-se com o mestro Reinaldo de Souia, ou com Luii
Jos de S Araujo, na ra da Cruz n. 26.
= O hrigue-escuna nacional l'ere-Fogo, de pri-
meira marcha, forrado e pregado dexobre, sai para o
Murai.b.'io, improterivelinente no dia 21 do corrente; re-
cebe, pussageiros e caiga at o dia 19: trnla-se com Ma-
noel Jos Macbado Mlheiios, na ra da Madre-de-
eos n. 5, primeiro andar,
= As pessoas, que liverom contas com o patacho
dinamarquez Randers, hajio do aprsenla las na agen-
cia da compendia luasilcira de paquetes de vapor, na
na terivilmente u fim do seren inmediatamente paga-.
Leila.
Kalmann & Rosemund larSo Icilo. por nter-
vencao do corretur Oliveira de grande porcao de fa
zendas inglezas, francezas, suistas, o allcmes de
laa, seda, linbo e de algodao modernamente im-
portadas : hoje, 17 do corrento as 10 horas da ma-
nha, no seu armazem, ruada Cruz.
Uei laragoes.
0 paquete inglez Stei/t lecebe as malas para o
1" ilc-J.iinio e Ruina quinla-feira 18 do curronte
>'^ li ras da tarde: e as correspondencias devom se-
ren entregues na administrac.io do crralo at esta lio-
'inipieleiiii Imenie; i- pausando etta hora pagariS o
forte dobrudo, conformo determina o regulamento do
wreio
UsSrs. quoapresonlarao hoje proposU paia o
flanuto, que esta reparticio tem de'faier, de urna
M'barcacio para ira ilha de Fernaudo, so convida-
pelu IMni. Sr. inspector comparecerem amanba
la secretaria, a urna hora da larde, para quo. docla-
nidose Ibes, quaes os navios que s3o preferiris, pos
Jio entrar em concurrencia, e eflecluar-se assim o con-
fio. Secretaria da inspec(o do arsenal de mal mlia
Pernamhuco, 16 de setombro de 1815.O secre-
"o .lltxand't Hodr,gues ios Anjos.
O aiwnal de guerra compra vassouras de timb,
? '" dB Angola o penachos de Ida para banelina
'oblados ; quem esles poneros tiver o quizer for-
tcr, mando suus propostas om caria fechada a esta
"loria ale o dia 18 do correlo mez ; beui como a
Psoa, a quem convier faiei os ditos penacbes, podei
"mesma dir, loria vera amostra.
^ "ireclorm do aiseoal de guerra 15 do tajflpbro do
a. s0 impedimenlo do etcripluraii
nue. J A\isos diversos.
ama
^= O aiscnalde^uerra compra meios desoa, pollos
c,ia, fio fino pora sapateiro, linhas d'Oeiras, e
m,.' '"' nM,8 : quem estes genero* tiver, sendo da
' 'or 'luul'dade, mandara as amostraa, om cuas pro-
li "i'"' C*rU lecba(,a' a directora do-mesmo arsenal,
o il a 19 o"0 crrente me;. Directora do aisenal de
' ,5 de setombro de 1845. No impedimento
Lotera do Seminado.
As rodas desla lolciia ando imprete-
rivelmente no dia 3o de selembro, fi-
quem ou nao bilhetes por vender : os
poucos bilhetes que ha acliao-se venda
nos lugares j anniniciados.
O LID ADOR
Sabio hoje nn.'iil, e acba-se venda na piara da
Independencia livraria ns. 6 e 8.
Achando-so o abano assignado mu distante des-
ta cidade; nio sendo assignante dos jornacs, e nem leu-
do correspondencia alguma; nao soube doanouncio,
publicado neslo Diario, n. 157, de 18 de jullio pro
Timo psssado seno agora ; e presando inuito a sus
honra, quo ubi lie maculada pelo Sr. Severino Jos
de Mendonca, quendo di/, que ninguem laca negocio
com o mesmo abaixo assignado, rospeitode dous es-
cravos, Domingos e Francisco por poitencerern a
elle Sr. Severino ; apressa-se a repellir a ideia desfa-
voravel, que, tem duvida, dolh leio formado as pes-
soas, que o uo conhecem, scientificando-as, primei-
ramenle de quo esse Sr. ho seu sogru e em segun-
do lugar, que em rnao do seu advogado, o Sr. doulor
Fonstca, no puteo doCollegio, n. 6, exislem os ttu-
los, por ondo lioje possue os eteravos mencionados; os
quaes ttulos scrao pstenteadoa 4 queniosqueira ler.
ecifo, 12 dosotniibro de loio.
Manoel Fu reir Alendes Cuimarer.
= Aluga-se urna casa no Monteiro com a lenle
para o rio o com os seguidles commodos : un terra-
do na frente 6 quartos, c uin com parlileiras, duas
salas, corredor no meio, coiinba lora um quarlo com
larimba para pelos ; tendo a casa oulro corredor ao
lado, para o serwto da inrsma, independento da sala ,
estribara para dous cavallot, quintal murado : a tra-
tar no Allerro-da 15oo Vista n. 37, terceiro andar.
Francisco da Silva previno aos seus fregue/es ,
quo patsuu as fazondas das lujas ns. 47 c 49 para a de
n. 48 na ra da Cadeia do Itecife ondo levo loja o
Sr. mujor Jos'Ibomaz de Campos C)uaresma e alo
vende panno azul muilo fino a 4 rs. o covado se
da de todas as cures com urna pequea pinta do mo-
fo a 600 rs. o covado ; lencos do seda de quadios,
com franja proprios parasenbora e meninos trazerorn
pelos hombros, a \) rs. cada um ; o outras muilas fa-
zendas por coinmodo proco.
= Antonio Doiningues Fernira, como administra-
dor de sua mullicr Victorianna de Mello Feneia e
procurador bstanlo do sua cuuhada Antonia liafael
Mmlio, fa silente, para que oinguom hypottieque, ou
compro a Jos Francisco do Puiva, morador om Goian-
na bens de ra/ ; vitlo que tem de litigar em juno
sobre os mesmos bens, e mostrar a illegalidade por que
os etli possuindo.
HOJE sabio o n. 4 do Echo da Verdad-.
Manoel de Souza Pereira embarca para o- P.io-
Graode-do-Sul a eterava parda do nouie I.ui/a a
entregar a seu senhor, Jos du Oliveira Souza.
Hoje, 17 do selembro vai pela pnmeira vei a
praca una casa l-iiea. sita no lugar da Caia-Foile ,
com a frente de pedra e cal e os lados de taipa pe-
nboruda a Miguel Ferreita de Mello por eiecucao de
Jote Antonio Marquos ; a qual esta aveliada em 400/
res.
Roja 17 de setombro, veOa praca, pelaprimei
ra ve/, dout eteravos pcuborados a Jos Ilasilio di
Freitus IVxoto por execucio do Joaquim Luiz dt
Mello Carioca aviliados em 200* rs. cada um.
= Antonio Jos Moreira de Carvalho mudou o no
mo para Antonio l'eixoto de Carvalho, por haver ou-
lro de igual nomo.
i= Aluga-sc urna ctsa lenco por com modo prefo,
com duas talas 8 quarlos cotinha (ora corredoi
ao lado quintal murado : a dotar na ra da' Auro
ta o. 58.
=r= Aluga-se o armazem n. 8 da ra do Trapicho,
propri) para recolhcr fazendas ou outro qualquer
genero : quem o pietendei dirija-se au sobiado por
cima do mesmo armazem que achara com quem tra-
tar.
Engommio-se camisas do homem a 60 it. ;
caifas a 100 is. ; aquetas a 80 rt. ; com muila
promplido n perleicio ; lambem so marida leva em
casa de seus don.s : na ra das Laraogciras p. 15.
= Aluga-se urna pela que cozmha bem cose
cbSo, e engomo.a para o servil o interno de urna casu
de lamilla por pceo commodo : quem a pretender ,
diriju-se a ra da .Mudie-de-Deos n. 36.
=; l'recisu-se de 40G0j rt. a juros pelo temi,
que se contratar com bjpotboca em predio livre t
desemharacado e he pessoa que nada deve o possue .'i
ou 6 propriedades : quem quner fazer este uigocio ,
annunciu sua morada.
A possoa, que annunciou querer comprar urna
arme-ao do luja envidracada dinja-so a tua do I.ma-
n n'o n. 27, que se dir quem vende.
= Ouim precisar do um administrador para tngo-
nlio que lem 6 escravos e entrari com elles, ou
plantara no mesmo enge'nho de lewador dirija-so a
ra do S, Amaio n. 20.' O propiietario pude licar
suiu cuidado, om o aonuncianto tomando conta do enr
genlio ; pois tem bustanle platica. -
= Tioca-se, ou unde-se um poldio de laea por
um quailao possanlo ; as Cinco Con las n. IGO.
Aluga-se o segundo andar da cas
da ra Nova n. 12 : quem a pretender
dirija-se luja por baixo do mesmo.
= Tendo espirado o plazo, por que os abaixo assig-
nados conlrutarao sociedado no arma/ein de inolbadot,
na la da Cruz 11. 43; a leudo balanceado o mesmo ai-
mii/.em, c fechado suus cuntas; tvem os mesmos abaixo
assignados dado pul oxlincta a sociodade controlada,.I-
cando o ex-socio Manoel Jouquim (jcncalves e Silva
con. o urinaiem, c todos os gneros ncllo existentes, e
con) as dividas activas, e obligado a pagar as passivas
contralladas por a mesma sociedado, e na sua durscio;
o quo ludo consta do balanco: o quo se avisa aos hrs.
credoreh o devedoies, e se faz publico. Jodo Baplis-
(.11'ragoio Junioi. Manoel Joai/uim Gon^akes e
Siltf.
=Alug3o-seospimciio asegundo andares da casa Ja
rua do Apollo 11. 22, acabada, bu poucos dias, de pintar,
prompla para qualquer familia, e pelos hons commodos
que leu,; urna casa lenca, ha pouco acabada, e que an-
da nio loi tenida, com grandet commodos para qual-
quer familia, r um bonito solio, que tem urna excel-
ente vista para o mar, Olinda o S Amaro, em Fra-
de-PorUs no principio da la do Ouaiainpet vindo da
cidade : os prelendcnles dirij8o-so a rua de Apollo,
armazem n. 22, de Joo Jote llodrigucs l.ofller.
= Anna .Mara du Coneeicao faz sciento 00 retpei-
lav I publico, que abri, no dia lo de selembro, urna tu-
la de entinar meninas; nu qual promet ci.sinur com to-
da eiaclidao a ler, eacrever, conlar pe fetamenlc c cu-
ei todas as diversidades do costuras; tititn como borda-
dos de lavarinto, lazcr II ic do todas as quuldudes o
marcar, vestir anjos vivos e morios, e mais prendas com-
pclenlos, por prego delj rs. mensa^s : quem do seu
presumo precisar, dirija-se a rua do Padre l'lorianno
n. 63.
=; Apparcceo a 13 do corrente, em cesa do Sr. Fre-
monl um muleque de nomo Francisco, de 12 anuos de
idade, pouco maisou menos : quem lr seu dono, po-
de dingir-se ao Alterro-da-lioa Vista n. 5. Avisa, que
noso responsabilisa p< la luga do dito molcque.
Alugu-se o segundo anda da cusa n. 60, da tua
da Ciuz do ttecile, cun commodos tuflicienlos paiu
urna familia : ts pielendenles dinjau-se a tua da Ca-
deia do Itecife n. 40.
= (^uiii qui/er cumprar Iruvet do boa quuldude,
com o coniprimenlo de 40 45 palmos, o de groi.su
para mus de um palmo em quadro, Lile na tua Ja Ca-
deia Velha do Itecife, loja o. 48, ou na iua de S. (ion-
calo no sili de Francisco da Silva, aonde eslo pura se-
rcm vistas.
ss A pessoa, que, ha quinzo dias, fui na la da Ca-
deia Vclba do Itecife, a casa de lionciscoda Silva, bul-
car a chave de urna casa do mesmo, sita na rua Imperial
do Atterro-dos-Aogados, para ver se Ibeagradava, paru
aluger, queira fazei o favor de levar a chavea mesma ca
sa aonde a foi buscar, ou entrega-la na loja n. 48 na
mesma rua da Cadeia; pois que a demora, que lem llo-
vido, tem sido mais que sullicicnle para let visto n exa-
minado a casa.
Agencia de passaportes.
Na ius do Collegio,botica n 10,o no Atierro da-
Hoa-Vista loja n. 48, tirao-se passaporles para dentro e
lora do impeli, assim como despacbao se escravos: ludo
com brevidade.
AO PUBLICO.
Antonio da Silva Gusmao, Ihesouieiio das loteras do
ibealro publico desla cidado. das das matiizet do San-
tsimo Sacramento da Boa-Visla, e S. Anlio, e das do
N. S. do Guadelupe do Olinda, dedal, que tem con-
coidado com o actual ihesoureiro da lotera do semi-
nario em retirar os annuncios sobie adotheatro, para
por este meio facilitar a prompla venda o exlraccao dos
Uilbetes d'aquella Lteria do seminario ; e, logo que se
roalise o andamento das rodas desla, ser ioimediala-
mente marcado o dia ir.fallivel pura a exlraccao da lote-
ra do dito Ibealro, segumdo-se depois desla urna es-
cala regular, o invonavel ;i cerca das rodas Jui demui
loteras, de que he theaomeiio.
:== Aluga-se urna casa terrea na rua Bella, com duas
salas dutsalcovas e um queito nocentio da casa ,
cozioba fou quintal e cacimba : a tratar na rua do
Collegio 11. 15, segundo andar.
a>a (ualqucr pessoa que quizer um moco solleiro,
que presta nanea a sua conducta pura entinar al pri
menas lellias lora da prava, annuncieiua morada pa-
ra ser procurada.
.-= Vicente Thotnai dis Sanios, Kjrdode rciirar-so
desla provincia. faZ constar a qualquer pessoa, que ti-
ver alguma caria ou obiigacao do (anca, a que o
mesmo Santos seja responiavrl para que se apr 'tita
a liquidar suas contos n 1.1 respeito, a fim de 10 desond-
rar de ditos Mantas; c quandu por acaso deixe d' 1
parecer no lempo do 3 dias fcarsO nullas as mesinas
ohrigac.des, teiu<|U0 o dito Sanios (ique ohrkailoa
paga las, como por este o faz constar.Kreife. 13 do
solomb* de 1845.
Con lin t- e a fazer Iran-
celim de cabello, de qualquei'
modelo, aunis, fitas, pulcei-
ras adert eos, &c : ttido o
mais bem feilo que he posi-
ve.l : na rita do Cantiga/ loja
de lazendas, ns. \ c O.
= Aluga se a casa terrea n. 3 da rua da Vira-
co : o tratar na rua da Praia, n. 43.
= Quem annunciou no Diana de Pernambmo ,
querer comprar una venda nova dirija-se a Joaquim
Pinbeiro Jicome, que tem urna embargada as Cm-
co-Ponlus, n. 160.
= Arrenda so um sitio pelo lempo do fasta, ou an-
nual com grande casa para numerosa lamilla, no
lugar dos liemedios, com ho'ii bnnbo no fundo do
mesmo stio: a Irator na rua Augusta, 0.3.
= Lava-sce engomma-se toda a qu'lidude do lou-
pa com peileieSoo poi pieco mais barato quo em
nutra qualquer parte : na rua da ViraeSo n. 5.
i= AlugSo se 3 casos Ierre no palco do palacio
do goierno ns. 7, 'Jo 11, : os pictendeutes d ii|8o-
se a rua da Cadeia do licile loja 11. 40. <
= Roga-sc porobs-quio, a pessoa, quo poren-
gano tiluu um maso du ralla* di) coneio viodas d
Norte pelo vapor Imperulii: cbegailo em 31 do
agosto pira Joaquim l'.ircira dos Santos Qui iroz .
cujo nonio foi publicado em uDiaiio de Cei i.amhuro
do primeiro do coirenle me/ que, sendo queira resli-
tuir podo entrega las na ut'ca do puteo d. S Ctur
da Boa-vista que sera iccooipenssda ou dcita-las iu
caixa do mesmo coueio.
Hcrculano Jos do Freitas faz scienlo a todas a
pessoas, que Ibcteem ompenhadoouio e piula, coma
condi(lo deque, to os nao lirarcui, lie rtm vendidos,
que, n5o querendu vlcr-sc desla con di vio, logis n es -
mas pessoas, que os vao resgalar. no plazo de olio
das, da publieaclo detlc : do contrario, vale-se da
dita condicio ; pois que, lia muilo lempo quo.ito
vencidos, l como muilos Srs. juigao, que, lomo tu
mo nao tenho valido da dila coodicao, devo espe-
rar lodo o tempo que elles qui/erem ; por inp lbe| ftco
ceito, que, so no pro/o marcado oioio vieram tirar,
os passaroi a vender, tem iscnio dopesto; pois 11O0
posso esperur por mais lempo.
Troc8o-se duas imanos, sendo urna de N. S.
da Conceicao 4o pedia da Babia e outra do N. i>.
daAgrella, muilo perfelu ; na la da Senzalla-Ve-
lha n. 1 2, segundo andar.
__ abaixo assignado, fabricante de chapeos deso,
no Passeio-Pblico, previno ao respcitavel pblico, quo
ello acaba do recebe! un. soiliment.i completo Je cha-
peos do sol, de (odas as quididades, tanto deM'il.i, i.i-
1110 d'algodo', elle tem tumbem ib"p os do sol para
senborus e meninos Adverto igualmente, que, ten-
do us sedas, as mus licas, du barra lavrada, furia cures,
lisas, &c, &c., est rio coso do istislaser qual-
quer cncumnienda, com toda a preslezo ; elle posue
tamhem algodao trancodi), lisu, e de todas at qualitfa-
desdos padrees mus modernos: elle, em lim, CoLlf, o
conceila lodos os chapos do sol, com a rn.iior pcifei-
Vo, c promptido. ^o<7o f.oubil.
Hoga-se a pessoa que liver dado
acolliimcuto 011 (jtte tetiha milicia to mu-
tatinho por nome Agcsliiilio, e que ulli-
iiiiniienle.se acliava em casa do ^r- Jos
Lazary no aleiro ta Hoa-\^Ha, o qual
se inculca fono c de nome Minoel, iiladc
14 anuos pouco mais 011 menos, bem fei-
lo de corpo, e bonito* temi as peinas
um pouco arqueadas; cantaiolleiio e ex-
pressiyo : baja ile o mondar t rua da .
Cruz 11. 9, onde ser gonoi osamenta re-
compensada.
Casa da Fe'.
Rua wtieila do llozario e. <3.
= abaixo assignado lendo esl.ibelccido, na for-
ma da le e decreton. 357, do 27 de abril do 1844,
artigo 35 urna casa du vender bilhetes e caulellas
de todas as loteras desla provincia pnstindo por es-
ta venda (anca como muren o mesmo arltgo 35; con-
vida a todos os quo guslao dcste jogo a' compraron
as suas caulellas ; cujas so acliao garantidas com a sua
lianca a lim de quu us premios quo cada um tiver
do tirar, seja no dia marcado pi gos a lula das mes-
mes caulellas, e na mesma casa.
l'n senlemente as caulellas que se ichiio a venda
aio us do Ihcatro publico por ser a pnmeira lotera ,
qu esla garantida com a le cima na qual iiao ha-
vera nullidade por ttr o sen thesoureiio rcsponsavel
por qualquer abuso ou lulla que heuver de u, parecer.
Brevemente se annunciari o dia em que devem andar
as rodas, pela grande etracao,quc rstn|endo as cau-
lellas por sorem de diminuta pceo quo a lodos
convida a tua rompa. Os precos destas caulellas sao :
decimos a U000 rs. e vigsimos a 500 is.
Louienco Josa llomdo de Lumia.
= Precisa-so de urna pessoa que oicrcta corto e
tenha boa lellra para escreverem urna casa decom-
mercio .certosdiss na semana ; quem estiroi nostai
circumslancits dirija-se a rua da Mudre-do Dos ,
n. 5, primeiro andar.
No sitio do Hospicio do t'.xm. concelheiro bario de
llamaraca, d-se gratuilameute a planta denomina-
da linaria as pessoas que padecciem do reencao
de orinas, hastantemento especifica, e propria pura
laet padecimenlos : quem a quizer. gquoile lil o se do
I ve dirigir, a qualquer hora do dia.


4
= O juii da irmanJadeSS. Sacramento da fregue-
tia deS. Jote do Recita convida a lodos 01 irmit da
mesma para comparecern) no consistorio da innan-
dade de N. S. do Terco ctn o da 21 do correte ,
pelas 9 horas da oaabaa a fim do se proceder i olei-
(3o da nova mesa regedora para o anoo (uturo.
e Quera livor,para alujar, um piano, annuncie sua
morada.
Os Snrs. Joio Jos de Lima Manoel Ferreira
da Silva l-'arroso e Cardo/o & Fonseca lecnwcartas
no vseriptorio de Firmino Jos Flix da Roza Se Timo,
na ra do Vigario, n. 23; as quaes su nao leein entre-
gado por se ignorar a residencia da) pessoas indi-
cadas.
Um Portugus que assislio ao espectculo de
4 do correte e que deo pateada pois que linha pa-
go oseu bilhete e nao foi para ver semelhantes fei
joadas gamboa ticas, declara, que nao Ibe servio a ca-
rapuca oem a outros muitos Portuguezes ; cuja lion-
- ra e comporta monto os faz dignos deste nomePorlji-
guc dirigidos pelos espectadores da capoeira do Pcrnambu-
co spdem caber aquellos cmicos, quo os provo-
c3o e dellcs se faiem dignos, assim romo merece-
dores de correnlo. O chicle do Sr. Florencio.
O Vtrdadeiroo. 2 est a venda na pracada Indepen-
dencia leja do Sr. Tbemoteo e na ra estreita do
Bozario casa da F. O redactor d urna prova evi-
dente da truigo dos praieiros estando por isso a fo-
Iba muito Interessante a todos, principalmente ao povo.
Perguota-se se quatro bilhostres, que (azora a
companlna da capoeira teem direito para loiem em scena fura do carcter, o dirondo quanta par-
vciico Ibes vom ao bestunto ; oseo publico be obli-
gado a soflre-los sem Ibes dar urna pateada; pois que
tiles o illudem. U Casaca.
Aluga-se um escravo ptimo padeiro, pulo pre-
Co de 2t rs. mensacs; na ra estreita do Kozario ,
n. 22, pnmeiro andar.
Aluga-se o segundo andar do sobrado n. 3 da
ra estreita do Rozario : a tratar no primeiro andar do
n esmo sobrado.
Spiridiono Scictowicli, subdito Austraco reli-
ra-se para o Itio-de-Janeiro.
O menor Antonio Moreira Lopes natural de
liraga solleiro, de idade de 17 annus retirase para
a Babia.
Compras.
nprao-se duas escravas de idade do 20 an-
nos qu" lenho lonit.s figuras, para o servico de
campo ; na rus Direita, n. 3.
se Comprao-te escravos de ambos os sexos, pardos
e pretos de idade ate 30 aonos; na ra estreita do
Rozario, n. 31, primeiro andar.
i= (.oniprio-se, para ra da provincia escravos
de 13 a 20 annos sendo de bonitas figuras pagao-te
l>em ; na ra da Cadoia de S. Antonio, sobrado de
um andar de varanda de p;io, n. 20.
Compra-so urna preta boa cozinheira tanto de
massa como de Torno ; na ra das Cinco-Pontas loja
de ourives n 16.
= Compra-se um piano vertical chamado de ar-
mario, quo telilla boas vozes e esteja em bom estado;
sendo por preco razoavel : na ruu do Vigario n. 2o ,
segundo andir.
= Comprao-se moleques, negrinhas e pardal, de
12 a 20 annos, para fura da provincia ; na ra larga
do Ro'aric venda n. 29.
as Comprao-se alguns ps de laranjas de embigo ,
proprios para embarque ; na ra da Cru/, n. 37, so-
gundo andar.
= ComprSo-sc dous escravos um pedreiro oou-
tro carpina,para umaoncommenda do Rio-GranJe-do-
Sul ; sendo bonitas figuras, pag5o-so bem : na ra
do Collegio armazem n. 19.
Compr5o-se diarios velhos a 3200 rs. a arroba:
na ra larga do Rozario, fabrica do cigarros n. 15.
Vendas.
'-- J\floja n. 4 da praca
da Independencia, vende-se
rap princeza de Lisboa em
boles e n.eios botes, chegados
prximamente em o navio
Hobim
Vcnde-se farelo em saccas pelo
mdico preco de as'56o, 3saoo, e 4.fooo:
na ra da Senzalla-velha n. i38.
J!om e barulo !
=Vendem-se riquissimos corles de riscado chinez ,
do 1G covados, a 4500 rs. o corto; meados Irancezes ,
muilo finos, a 220 c 300 rs. o covado ; superiores cor-
tea do chitas muilo linas, de 13 corados das mais mo-
dernas a 5200, 5500, 3800 e 4500 ra.; corles de
tajitascom 10 covados escuras a 1000, 1800 e 20O
r.; lindistimos cortes de tarUtuna muito superior, a
4500 rs dugostoo mais moderno ; corlee de novos
padres du cassa chitas transparentes de muilo bom
gosto a 2100 e 2500 rs. ; casimiras de muito bom
gosto para calcas, do superior qualidade de quadros
e listras ,' a 1200 e 1400 rs. o covado ; brelanhas de
rolo, a 1G0U, 1800 e 2000 rs. i peca ; esguio de
superior qualidade e de puro linho muilo lino u 1500
ri. a vara ; hrclanha de 0 varal, du linho puro lina,
a 2800 e 5200 rs. ; superior luslio brancu a ls'.ri. o
covado ; pecas du bretanha de Franca de 4 p linos
e meio de largura de qualidade a mais superior sen-
do de linho puro de (i varal e nieia a tioOO n. a
peca muilo fina tal e qual ao espuiao ; -brelunha dt
linho muito fina a 560. 40 e 720 rs. a vira ; su-
perior brim trancado branco de puro linho inulto ti-
no 1000o 1400n. atara ; panno lino azul e pre-
to a 2500 ri. o covado ; selim de Macan prelo para
collele de luperior qualidade 3200 e iJu rs. o
corado ; cbitai, a 120, 140, 160 180 rs. o covado ;
ditas finas escuras a 320 e 240 ris o covado ;
pacas de chitas, a 4500, 5200, 5500, 0000 e ObOO rs.,
escuras ; madtpolo, a 150, 160 e 180 ri a vara ; di-
to fino a 200, 220 e 240 rs. a tara ; madraste fino ,
p-^F
r 280 rs. a vara, e a peca muito fino, a 5200, 5100 e
5500 rs. ; superior madapolSo enfestado a 5800 rs.
a peca ; madapolo a 2800, 3200 e 3400 rs a peca;
dito fino a 4000, 4200 e 4600 rs. a peca ; chales de
laa e seda muito finos e grandes, a 4500, 4800 e 5000
rs. ; chadrez Jo linho, de muito boa qualid.de u pro-
prio para juiuota :< 320 rs. o covado ; alm destas fa -
tendas, ha oulras umitas de superior qualidade por
barato preco : na ra do Collegio, loja n. 1, de An-
tonio de Azevcdo VillaroucoA Irma.
=3 Vendem-se sacca de farinba muito boa e no-
va a3100ri. com elqueire da medida volba ; na
ra da Cadeia-Velha n 47, primeiro andar.
= Vende-se farinha de mandioca muito fina, de
Mag em sacca e deS. Calharina.e S. Malheus,
pela medida velha : ludo por menos preso do que a
bordo visto nao se ter de pagir o enorme tributo
da intitulada mandinga, aot prelot canoiros: no caca
do Collegio, armareui e porta larga.
= Vende-se orna preta de idado do 35 annos co-
zinha o diario de urna casa ensaboa o vende na ra
na ra de Nogueira n. 27.
= Vemiem-se os retratos dos Sn. Caetano Mara,
Lopes Gama e Henrique Marques Lisboa a 3i rs.
rada um; na praca da Independencia, livraria ns. 6 e .8
=Vcnde-se um moleque de nacfio de bonita fi-
gura proprio para qualquer oflicio ; um pardo sapa-
leiro de bonita figura o pioprio para pagem ; na
ra Augusta n. 3.
= Vende-se farinha de mandioca muito nova, ebe-
gada ltimamente du S. Malheus por preco muilo
commodo ; a bordo das garopeirai A. S. da Penha ,
V S. da Pena, e IV. S. da Ajuda ; mis para com-
modidade dos compradores trata-se na ra da Cadeia
do Recite n. 40, aondeexistem as amostras da quali-
dade.
= Vende-se potassa muito nova e do superior qua-
lidade em barris pequeos: na ra da Cadeia do
Itecife armasen'do assucar, n. 12.
= Vende-se muito boa cera para groja, chegada
ltimamente do Rio-de-Janeiro ; na ra da Senzalla-
Velha n. 110.
' Vendem-so saccas com muito boa fsrinba de Ma-
g a 4500 rs. ; na ra da Cadeia do S. Antonio ,
n. 19, deposito da mesina.
= Vciidein-se 12 escravos ; sendo 8 (retas de bo-
nitas figuras mocas e com habilidades; una ne-
grinha de 10 annos, muito linda; um moleque de
10 annos, de naci ; um cabra de 22 annos, oflicial
de sapateiro : na ra das Mores, n. 21.
Vende-se um corrame completo para urna car-
roca de cavallo; na ra do Kozario da lioa-Visla, n. 2.
. = Veiidem-su sellms inglezes para montana de liu-
mem e senhora cabecadas roldas ingieras e Irance-
iBS ditas chatas, brancas c de lustro talins cana-
nas barretinas, plumas, choros, bandas ricas e infe-
riores espadas prateadas e do ferro com roca e sem'
ella corrame de lustro barretinas para soldados,
couro de lustro muito superiur, marroquins de to-
das as cores travesseiros de marro uim colchos de
dito, ditos de>panno de algodio o do linho, chulos de
capim c 13a ludo por proco mais commodo do que
em outia qualquer parte ; as lujas de Jo&o da Silva
Braga na ra da Cadeia do Recile, n. 49, e na ra
Nina, n. o. Na mesma loja precisa-se alugar um mo-
leque de idade de 12 a 16 annos, para o servico de
urna casa de pouca familia.
- Vende-se cha bjsson em caixas do 15 libras, cin
porcoeso a retalho; ein casa de Malheus Auslin & C. na
ra da tllandega Velha n. 3.6.
= Vende se urna salva de prata muito rica para
6 copos de agoa e tambera pJe servir para levar vela
em igreja para beptisado : na ra da Semalla-Velba,
n. 142, segundo andar.
= \ ende se, ou anenda-se o engenho Cuicira ,
sito na comarca iicNa/arcih ; o qual lom ptima tr-
ra o cchenle malla : quum o pretender dirija-se
a cidade de Olinda casa de Manoel Antonio dos Pas-
sos o Silva scu proprietsrio.
= Vndese o deposito de assucar do Atierro-da-
boa-Vista, n. 70, com todos os seus pertencis, ou
com parte dilles : a tratar na mesma casa. .
= Vende-se urna escrava crioula que enlcnde de
cozinha e du todo o servico de una casa ; na traves-
sa du Lobato ou becco do Falcuo por detraz la ra
de S. Tbercza, n 12.
= A ende-se una fabrica de otaria com ccnlo
tantos palmos de frente paraa nova ra que passaparao
campo do tbeatro novo com lugar para .-o podir edi-
ficar tres grandes prepriedades de 50 palmos cada una,
sobrando perto de 20 palmos para um porlio de entra-
da paraa fabrica ; a 200 palmos lechada de muro pelos lados e guarne-
cida, pelo lado do mar pequeo com um forte caes de
pedraecal; tendo ptimo porto o propore.es para se
collocar qualquer estabelccimento por ser no centro
desla cidade-: a tratar com o seu proprietario, na ra
da Florentina, n. 16.
= Vendem-se 8 escravos; sendo 4 pretos de idade de
17 a 20 annos, 5 pardas, das quaes urna be coslu'eira,
engommadeira e cozinheira; e urna pretinba de idadede
12 annos : na ra da Cruz o. 51.
= Vende-se uina preta que labe coser, lavar, en-
gommare co/inhar ; na ra do Aniorim n. 42, ou
no Forte do-Mallo, prensa de algodo, n. 20.
= Vendem-se superiores charutos, grandes o pe-
genos eingraiid-se pequeas porgues; latas com
tabaco de p : na travessa da ra da Madic-dc-l). os ,
casa n. 5.
Vende-se um moleque de bonita figura; as
Cinco-Ponas, n. 71.
- Vendum-so u us escravos de boas figuras, cor-
pulentos e sailios muito proprios para o servico de
campo ; na ra da Cadeia do Kecife, n. 40.
= Vende-se cera do Rio do-Janeiro em velas de*
ptimo sorlimento por pr> <;o commodo ; na ra da
Madre-de-Heos n. 6, primeiro andar, caa de Ma-
noel Josu Machado Mallieiro.
= Vende-ie urna escrava para fra da provincia ,
ou para o mallo ; na travesa do Padre Lobato, n. 18.
:= O liiotc S. Juaquitn-Imperador-dos s4njoi
ainda lem para tender urna porcao du fanoia j;> Jn-
nuneiada a .">20Ors. ; delronleda escadioba do caes
do Collegio.
= Vende-se o diccionario de Fonseca, francez-por-
tuguez com pronuncia figurada ; na ra estreita do
Rozario n. 3.
a Vendem-ie chicotea superior, para carro e
bengalas de canm da India
v.erdadrira e
na
atas
ar-
montana
emendada | ditai de bamb de gosto moderno
ra da Cruz armazem n. 48.
= Vende-se bolasinba hamburgueza, em
grandes, o 7500 rs. cada lata ; na ra da Cruz
mazein o. 48. .
=Vendem-se phoephoroi americanos da n. 104,
de superior qualidade ; ummasliode pinho da Ame-
rica com 74 pe de comprimenlo e 14. polegada de
groisura : na ra do Trapiche n. 8.
= Vendem-se, pelo preco mais commodo. poslivel ,
algodSosinbos americanos, lisos, trancados e riscados ;
na ra do Trapiche-Novo, o.S.
= Vende-ie urna linda parda recolhida de idade
de 16 a 18 annos, com algumai habilidades; na ra
ostreita do Rosario, n. 51 primeiro andar.
= Vendem-se queijoi de qualha muito froicaei;
cera amarella ; couroi espichados : na ra da Concei-
ctoda Boa-Vista armazem do acebrado n. 8.
Fazendas de bom goslo.
Loja do bom e barato, ra Nova, na.
= Vendem-se lindos corles de chita doi mais mo-
dernos e lindo* padics; casias de boas qualidades;
sedas ; tetina ; luva; meiasdo todas as qualidades;
mantas de teda muito bonitas ; chalet eiocezes; ris-
cadinbos para aquetas e vestidos; chapeos de sol do
todas ai qulidades : tudo por barato preco.
= Vende-te um terreno prompto para ae edificar,
ja com alicerce prompto de 15 palmos de exlensSo
Icom 00 palmos de largura e 170 de lundo ; tem duas
rentes na ra e urna para o mar; tem cees de pedra,
alem doque so acha atterrado,; tem mais 150 palmos
em alagado at ao alinliamenlo do car-i; faz-te todo o
negocio com quem o pretender ; he situado na ra da
PraiadoS. de Rita-Nova : a tratar na ra do Vigario,
n. 23, segundo andar.
= Vendem-sotpor barato prego caixas do charu-
tos regala, ltimamente chegados de Babia de varias
qualidades ; permite-ie aos amadores lumarem e eseo-
Iherem a sua vonlade para os que se abrem as caixai:
na ra do Vigario n. 23, segundo andar.
=\ ondo-se um escravo cabra escuro moco, de bo-
nita figura com principios de offlciode pedreiro, por
preco em conta ; na ra do Vigario n. 23, segundo
andar.
= Vende-se urna negrinha de 12 annos, de boni
ta figura propria para mucama ; dous bonitos escra-
vos, de todo o servico sendo um perfeito canoeiro ;
urna preta de 22 annos cozinheira lavadeira de var-
rcila e sabSo ; urna parda de 20 annos de bonita fi-
gura cose o engomma : na ra larga do Rozario ,
0. 40, segundo (.miar.
= Vendem-se saccas com farinha muito torrada ,
cora sacco, a 3S00 rs., e sem elle, a 3500 ri., e tam-
bem se vende a retalho ; na ra do Rozario da Boa-
Vista loja do sobrado n. 53.
= Vende-se urna boa escrava de Angola moca ,
tem vicios conbecidos, muito boa boceteira sendo
tobretudo muito fiel ; na ra estreita do Ro'ario n.
31, terceiro andar.
= Vendem-se meios bilhetes da lotera do semina-
rio, a 4500 rs. ; na rus Direita loja de fazendss ,
confronte ao oitao do Livramento n. 12.
= Vende-se um ptimo escravo para todo o servi-
co Unto para sitio como para engenho ; na ra Di-
reita n. 12.
=Vende-se un grilhao de ouro para senhora, com
28oitavas, do ultimo goslo ; umcordSocom 25 01-
(avas e 3 quartos ;' urna moeda de 6400 encastoada ,
com 8 oilavas e 3 quartos urna medalba com 3 oitavas
e 3 quartos ; todas estas obras se vendem sem feitio ;
dous pares de casticaes de prata e um pralo com the-
soura do prata de moeda nunca tervrio e he do
melfior gosto ou troca-so com igual prata, com meio
feitio: na ra das Trincheiras n. 18.
= Vendu-se um casal de mulatiuhos de elegiles
figuras muito sadios e sem vicios, proprios para
aprenderem quaesquer habilidades; sendo para fra da
provincia,teem os passaporlescom que vierio do Ceara:
na ra da Cruz, n. 52.
= Vende-se cevada a 160 rs. ; dita moida a
240 rs. : na ra Direita refinac3o n. 68.
= Vendem-se pregos americanos do ns. 4 e 6 em
barris pequeos de cem libras cada um ; penle de
cbilre tanto gruidei como, pequeos: na ra do
Trapicho casa n. 8.
= Vcnde-se um moleque de linda figura ; na ra
do AragDo n. 5.
ea Vende-so tinta preta de escrever, ingleza, da fa
(nica de Arnola muito acreditada pela sua boa qua-
lidade, pelo mdico prego de 1200 rs. a duzia ; na
ra Nova n 65 primeiro andar.
= Vendem-se 8 escravos mocos bons para o tra-
balho de campo e da praca ; dous ditos de meia ida-
de por 230/ rs. cada um bons para trabalharem e
botarem tentido a um litio por a iito ettirem icoitu-
madoi ; doui mulatinhos de 10 annot bom para
aprenderem um oflicio ; dual pretal de 20 annos re-
colhidas engommio, cosem cozinhao, e lavio rou-
pa ; duas ditas com boaa habilidades ; um preto bom
co/.inheiro ; um dito bom ferreiro de toda obra de en-
genho : na ra do Crespo, n. 10, primeiro andar.
Vendem-se ncca com farinba de mandioca, che-
gadi ltimamente do rio de S Francisco pelo com-
modo prego de 3500 n. a sacca; na ra do Rangel ,
n. 59.
\ endem-se lacca de farinha de Camamun, muito
torrada a 3200 n. a lacea ; na venda da eiquina que
vira para a polica n. 21.
= Vende-ie orna escrava do Angola, muito bem
parecida alta e eorpolenta representa ter de idade
25 annos si-m nenbum vicio ncm achaque cozi-
nha o diario de urna casa engomma, cose sollrivrl-
rnenle e faz muilo bem bicoi o rendas; na ra do
(J/ueimado casa de Antonio da Silva Gutmio.
Vende te, efleclivamenle, lete liquido ; urna cla-
Vende-fe um bom escravo moco sem vicio oem
achaque, muito corpolento, para todo o sorvico; a |.
ta do omprador te dir o motivo da venda : na rus do
Collegio, n. 15, segando andar.
Vende-ieum prelo de n.cio Costa ,'do idade d
20 ennn, poueo miis ou menos de bonita fisuti
muilo robusto e forte ; a vista do comprador so dir 0
motivo da venda ; urna armagao para loja de alfain,
toda de caixilhoide correr a moderna e com pouco
uso : na ra do Queimido n. 32.
Vende-te um escravo de nagao de|^imi |u.
ra mettre canoeiro e pescador, de idado de 22 tono
um bonito moleque icm vicio algura de nato Ba-
ca de idadede 15 annoi; um dito de 12 innos nm
boa escrava de naro MocemMqoe 5 ditas; umt p,r.
dinhi labendo fazer lodo o aervigo de urna ciie/jni
escravo bom carpina; todos ettei eicrtvos se dio con-
tento e se afianga suas conduelas : na ra de Asom
Verdei, n. 40. r
Vende-se urna flauta preta com 6 cbtj
prata ; na ra do Queimado n 27.
Vende-ie um casal de rlai brancu cheita*
ltimamente de Lisboa; tambem le troea por umi fe-
mea por ter maii i machoi : no Atierro-da-Koa-Via-
ta venda n. 8.
Vende-so um moleque pega sem vicio neo
achaques, proprio para todo o lervigo principalmea
le pera o matto por estar acoslumado ; vende se ptr
precisao ; no sobrado da esquina da ra das Cruzct
junto a praca da Independencia.
Venderse vinagre bratt*
co nacin il a 400 ris a c
nada velha: na ma do aterro
dos A logados n. 7.
Vende-se, na loja de J. Cardozo
Ayres, rtia da Cadeia do Itecife, uiDa
obra publicada no Kio de Janeiro em
1843, intitulada Diccionario de medicina
popular 011 a Medicina ao alcance de
todas as classes da sociedade, pelo Dr.
Chrnoriz, dous voluntes em quarto,
contendo 960 paginas; preco iosoooris
brochados,e 1 asooo encadernados.
Vende-se fardo muito novo e o
melhor que ha na praca, por as'56o ris
cada una sacca: na ra da Cruz no len-
le n. 26, primeiro andar.
Vendem-se charutos primores, reg;i
los e outras qualidades, do mais sunenu
fumo, em caixas de cem, viudos da Baha
pelo ultimo vapor: na ra da Cruz, no
Itecife, n. ?G, primeiro andar.
Vendem-se lencos de cambraia de
linho bordados, muilo fnos, a 7000 rs,,
Csda um ; coieiros de merino, bordados,
a 5ooo rs ; grvalas de setim sarja,
cabello, a 400 rs cada urna ; bicos lar-
gos muito "finos e bonitos proprios para
roquetes de padre, a 2000 rs, a vara, es-
panadores muito bem feilos e bonitos
1000 rs. cada um
e preto
Cabug ,
Se Guedes
Vendem-se barris com potassa, da
mais nova que ha no mercado; na ra do
Vigario n. 11.
Ainda ha por vender um resto dos
bilhetes do Rio de Janeiro, cuja lotera
tem de correr por lodo esle mez: na ra
da Cadeiu-velha, loja de cambio n 38.
a
setim maco branco
a 32oo rs o covado : na ra do
lojas de fazendas de l'ereira
Escravos Fgidos
No dia l4do correte fugio um preto do oras
Jos, alto, secco do corpo rosto comprido e secca,
olhos avermelbados, naris nao muilo chalo, e um
pouco aquilino poscoco comprido, cor bem pretil
nios e pos seceos e comprido* falla cheia e gtgu*1'
ja olguma cota, o, por causa deste defeilo, lem |l0r
costume demorar-se as veics em responder qusndo it
Ibe faz alguma pergunta; reprsenla (er 25 annos ; le
muito pouca barba; e lendo de Angola, todos oleen)
por crioulo por ter vindo muito crianca : elle, M
poucoi das foi castigado por um crime que com-
teo o por isso leva cicatriies deseas nasnadegat K"
prelo occupava-ie em vender madeiras, ou lenbt.qu
carregava em burros e por iiio be bem conbeoidonoi
arrabaldei desta cidade. Quem o pegar, leve 1 "u
enbor Paulino Augusto da Silva Freir, no ArrtU'i
que generosamente recompensar.
= Emanoutedo 14 do corrente, dessppareceoo
escravo cabra acaboclado de nome Luiz refore
do corpo, de id.de de 20 annos, pouco mtis 011 "je-
nos natural do Araoely ; levou camisa de algodto
groiso eesles noval de riscadinho encarnado : que
o pegar, leve a ra da Cadeia do Kecife tohrsdo 0.
37 quesera generosamente recompensado.
== Deiappareceo, no dia 13 do correte uin pe-
lo crioulo, que foi do Sr. Franoisco de UarrosBego,
aenbor do engenho Sauh com 01 fignaei H""1!^
boa figura; porm ai pernal um tanto arqueadas; o ^
rela de lolfaut: na ra largado Rozario, fabrica de eibugilhadot ; leou, comisa de algodo trancado, eoi
cigarros, n. 16. mangas aem punho ccroulsi de algodo mo ^
Vende-se urna casa meia-agoa na travessa dos
Martyriot, n. 2 ; um relogio do ouro com corrente :
nat Cinco -Puntal n. 15
Vende le um bote novo, o maia veleiro que eii-
te no porto e be muilo teguro de borda com todoi
01 preparo* para o divcrlimenlo de borde jar: na ra
de S. Hita, o. 85.
Venrie-ee farinba de aramia sag de piiiueira
qualidade ; na pne> di Boa-Vista venda n. 8.
parecen da madapolo, e con pridas como calen
holBeipW no t cicas de haeta asut, *>"* (
rucado aiul o amarcHo panno da Costa o chapea ^
pelbanovor quem o pegar, leve a ra doCaiUg^
16 quesera genorosamente recompensado.
-
PEHN. } NA TYP 0K M. F. DE
FADI-^5'


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ELT5UFWTY_0WDAOO INGEST_TIME 2013-04-12T23:58:42Z PACKAGE AA00011611_05866
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES