Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:05865


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Vino de 1848.
Terca fcira 10
n DIARIO nubllca-se todos os da qne
Jnforem de guarda: o prr-co da assigna-
r, he de 4/frs. por quartel pagos adienla-
'.. fls annuncios dos aasignantes nao tos-
is a rarfo de '20 ris por linha, 40 rs. em
n ditlereute, c as repeticOes pela inrtadc.
!L nue nao forera ass|inantrt pagao 80 rs.
f, ,lnha, e 160 em typo differente.
fUSeS DA LA MO MEZ DE SETEMBRO.
a 1 as 7 h. e 15 mln. da manhaa.
I-'Lenie a 'J as 3 h. e 4 minutos da Urd.
, fch" a a 15 as 7 hor. e 54 mi. da mar..
jUf goane a 23 a. 10 hor. e 6 m. datarde.
PARTIDAS DOS CORREIOS.
Coianna, Parahvba, c Rio Grande do Porte
Segundas e Sextas feiras.
Cabo, Serinlioein, Rio Kormoso, Porto Cal-
vo, e Macry, no 1." 11 < 21 di' cada Diez.
Caranhuns c bonito a 10 c 24.
Boa-Vista e Flores a 13 e28,
Victoria as QuHs*s feiras.
Olinda todos o das.
PREAMAR DE HOJE.
Prlmcira as 4 Ii. c 30 mln. da tarde.
Segunda as4h.e54 minutos da manhaa.
de Setembro.
AnniS XX' N. 0-
DAS DA SFM \N \.
i.'i Sagundil S. Domingos, aud. do I. de I).
da 2. v. 'I M. da 2. v.
l Terca S. Conidio, and. ilo J. da v. e do J. dos KeHos.
17 Qoarta S. Hidclgardcs, aud. lo J. i), da 3. v.iim.
18 Quinta S. Thomat, aud. doJtiUdc D.
da 2. vara, e do J. M. da 1 B 8. v
l Sexta S. Janiiaiio, aud. de i
1. v. do eivel, e do J. dos Fctos.
20 Sabbado S. Eustaquio, aud. do J. de I).
da 2. vara.
Domingo S. Matheus.
CAMBIOS M DA Ifl DE SF.TF.ttUR;
Cambio sobre T.onilnLaGd. pnr la afiOd.
Parlara?!) ris por franeo.
., Mgboa120al25p.c.pr. p.W.
Dcsc. de lil. de boas Armas 1 Vi P-
Oiiro-Oiicas liesp.mliolas :!0.,0 'lil i :"
Mnedade Cflim vrl. IS.IMW a ItyUM)
.. de (5*401)' nov. I7>.'.l)n a I?
.. de 4*001) '.i'n a !>s*7ihi
Praa-Pntaofies .... JfWO a !)"
Pesos Columnarcs. 2#D0 a ifVm
Ditos Mexicanos I/Milla 1/P70
Mocdas d,- 1 patac. 1/780 a 1/800
Aceites da C. do Beberlbe de 50.*000 ao par.
DIARIO DE PERM AMBUCO
PARTE OFFcCIAL.
MINISTERIO DAFAZENDA.
Extracto do expediento do dia 9 de agosto.
A' tonaurara de Sergipo. repnndendo So ftflieio de
5deshril, n. 10. s declara, que o juramento, por va
oerrers, presl-se as ma> d" superior inmediato, r
assim deis > ini ecti.r da alfandega presta-lii na do
inipectnrd lheoiiraris, nflnsendo applcavcla este ca-
u, o aviso 4 dejunhn de 1843; mas, nomo o presi-
dente j o hana tomado, bero ou mal, cumpria ao ins-
pflor da thean'nraria interino reprcaentar-lho o sen di-
reitn, antes de exigir noto juramento, ou recorrer ao
ihetnuro, qosndo nlo fosso altendiJo.
dem da dia 13.
A'thssoursriadoEspiriUi-Sauto.respnndesooflieiode
17 df junliu n. 38, que por cada folha de onmpromissos
,1a* irmandadii se dte exigir a tax de 460 rs., reforma
da migo 20 do rrgularnentn de 26 de abril de 1844; e a
ile)0/rs. pela respectiva carta de confirmado,-reforma
do irligo 30; aleo da quola do 10/ rs. do hotos direi-
IM i que he subjeita pelo 30 da segunda parto da la-
Wlll snneta lei le 3 de imvcmbro do 1843 : quanto
jroviiiii da autnridade ecolesiasliea, que o approva,
arsod sutes d regulamento a laxa de 3/240 ri., buje
*?te psgsrs mesma taxa do 10/rs. de qno trata o refe-
tidusrtif30 no sitado regulamento.
A'da Baha, em vista do recurso interposto por
Jas Manuel da Axrvrdo, ds deciso do inspector da al-
hrnlrga, e qoe aonmpanhou o olTlcio de 9 dojulho n."
88, ie deolara que, proTada como est a troca dos mi-
neros das osixss cora ardile, o em attoncan soa boa
fe, Ihe deve ser restituida a molla que Iho fura imposta,
la sendo admiaaivsl que a ordeni de 14 de novembro
doinno psssadn lleva ser entendida e executada noin tal
rigor, que venha oomprehender O caso ere que.lio,
itml" provindo de un erro,demonstrada mu evidencia,
i differenca encontrada na ronlngeni da mercadura.
dem do dia 1G.
A' mesma, declarando, em resposta ao ofJlcio de
30 de junh'i n. 82, que, posto que a lei de 21 do outu-
Irode !843 no artigo 20 i trato do despatillantes das
slfnde|ss, he eerto que, pelos arligos 151 o 152 do re-
gulamento de 30 de raaio d 1836, so estes pudem fiuer
despaclms de rxporlscao no consulado; e assim fico
tielnid.is quaesqner nutro que nao lenhio palala de
despachantes da alfandega, excepto oa dono dus gene-
ro nu eus caxeirus, cinnn dispe o mesuio regiilouieii-
tu e por tanto deveni ser obrgudns os despnolisnlcs do
cumulado a tirar patente de despachantes da alfandega,
ic ijuizi reiu ilcapuchnr para expartajao.
dem de dia 18.
Ao presidente de S. Paulo, em inlucSo ao quo rc-
preseatou o juit municipal da Villa Bella da Prinrcxa :
1., MO Irgsdos pos nao cun.pridu e as esmnla dei-
xadssciu leslsmeato a pesoa pobres ou uieniligos sao
sultjeitiia a decima; 2., se a decimt Icgalaria concedida
i raa da Misericordia da corto he extensiva nutra
raa de Misericordia; so declara, quo nlo compelo ao
guverim solver tas dn vida,por ser provincial o impos-
to, excepto mi municipio da corte oudo tanto una como
oulroi Irgadn estn snbjeitosa deoinia;e que a tcncao,
(ilsbelecida pelo al vara de 17 de junho do 1809 uasa
de Misericordia dn Rin-de-Janoiro, foi ampliada a todo
do Brasil pcln antro al vara de 20 de niaio de 1811.
A lliennurarie da bahia, ordenando, que iacnte a
css pa, collrgin de S. Joaqnim, da dcima de eorjiora-"
(ioriemao murta, pois que pela sua inililuicau esta
tumpri hendida na excepefio do decreto de 23 de oulu-
' de 1832, milito mai i vala do artigo 3." do regula-
menlo de 16 de abril de 1842, finando, purem, dcpeii-
nanieate preaenlo, aegunda parto du requcriiiiciilo, em
Sse |>rde dcclaracao geral e posliva quo a equipare a
"i de Misericordia para ficar immuiie de lodos os im-
?"' iiiduiiiie.tameiiicc da nbrijjacJo de solver o que
deie.
Govemo da provincia,
EXPEDIENTE DO DA 11 DO CORRENTE.
OfJioiiAo Exm. presidente da Parahibs, dcolaran-
i que deixa du ordenar, loque naquellc porto alguiii
o iii'rii, da cataclo do centro, que hoovcr de crusar
ss Hio-Gr.-iiide-do-Nnrlei por uto estsrem o momo
Jo
CAROLINA ISA SICILIA. (*)
QUARTA PARTE.
I.X1II.
EXPECTATIVA.
Ha crsea pulilica, como as orises da naturesa, que
' Precedida de aignaea preenrsorca, qoe como que
J" duendo aos ioiereaiados: Acaulelai-vos. Oa In-
f "', Osa todos hlo de pensar, nao estarlo ah sera
ciinhareai das tramaa que contra o cu dominio so
j' lJo, ja nellca nlo era duvda, era certei. Smenle
jnuravalt, ,., ,|UaHtl, aoubeaaem donde parta a mina,
ponto preaUo onde ella arrebonlara, e nada pnupavao
"* dt''bri-|.,j iodo a vas Ibes eran boas para che-
" tu firo, e se Carolina era pouoo ecrupulo
*) Vida Uri n.' 04.
navios sob as ordens immedialas da presidencia, mas
sim das dn respectiva cnmraandnite.
DitoAo eominamlante das armas, ordenando, satis-
ca as nbrigacoes quo Iho impcm a Icis e oidens a cer-
ca da substilulcau dn ooinmandante o deslscaoionlo do
illia de Fernando de Nnrnnha.
DitoAo rastran, prcveuindo-o do liaver o primern
teneniedn 1. bslalliflo de arlilliara i p, Fronoisou du
Cnsta Reg Mnnteim. oca dss'taaado na Ala.i, oblidl
do guvrrno imperial liesnea pora resolher ss a erte.
no principio do anuo prximo futuro, a fin do Onnti-
nuar cus ealiidot milhemstieot. Tambein *c comniii-
neuu no comniiaro-pogndor.
Dito-Ao mesmo. itilelligenclando o de lia ver-so di
unvo rilcnado, que si- rec.ilha osla nidada o lo
nenie Antonio Jos Luii de Oliveira, quo o ada no Ha-
r, e fra despachado para a companhia de cavallara
d'esta provincia.
DitoAn mesmo, ignfiiiando, que deixa do mandar
atiafaier a reqiiiiico do lux o agoa para n cominandaute
da guarda do palacio, por prohibir o artigo 56 das US
truccoes do 10 de Janeiro de 1843, que so facAo tacs a-
Uono's ans niciae; que aenielhantc artigo devem s-
inenle ceiitiniiar a er fornecidns i referida guarda; c a
limpea e aeo drlla cr teitopslos calceto oce.npado
nn ervico dos qiiarteis.
DitoAo chefe do polica interino, determinando,
em ciimprimento de iirdem imperial, laca com que o
delegado do iliffcrentes diatriclo da provincia intei-
rcm, por aniiuiladme repelido edituc, aos habitante
do terrona deana jurudiccao, do contedo na copia,
que Ihe tranamitie, da ordin do tribunal dn thesouro,
quo marca opraxopsra a iibslitui;ao do nota de 2/'
rei da primeira lampa. OIRciou so raspsitu ao
inspector da llieaouraria da faicnda.
Dito Ao oonimissario-pagador, rccouitnendando u
cuiiipriroento da ordem imperial, que manda abonar ao
estudante do curso juridicn filho do lenle reformado
Manuel Antonio Marinho Paleas, retidenle na l'nr.ilii-
ba, o nhV.iiesti! sfflsiat, detdo que u deixou de rooebsr
iiai|ui'lla'proviiii>ia.
ilos-^AiuvTnspcolores da Ihesouraria dn faicnda, al-
fandega e arsenal de inariiilu, e ao chefe do polica in-
terino, cirnlifieaudu-u de anhar-se P, C. Vou Sohrteni
encarregadn do consulado dos Paixet-B.iixos mata pro-
vincia, durante a amencia de A. lirciider a Brandis.
DitoAo lenle Francisco Joaquim Machado Frei-
r, cmmullicando, que o"eu reqiicriineiilo, sin que ao
govurno imperial pedia pagamento do nidos atrasados,
deixou de ser deferido, por nao ler sido S. me. contem-
plado na lista de i redores do cxcrcicio lindo, para o
quaea e olicitou e obtuve quola.
Commando das Armas.
Illm. e Exm Sr. O artigo 56 das inslruccoes.ap-
provadas por decreto do 10 de Janeiro de 1843, prohi-
bi o abono de luz e Bgo, porstonta do ministerio da
guerra, a ollicioes, e seuielbanlemcnte rstringindo a
concessoexpressadesle lorneciincnliiaos uslabeleciinun-
tos, deque na provisiode '~ de agosto de 1828, sobre
reolucao de "\ de julbo antecedente, so la/, niensao,
comprebondeo tmente ot que estivessem caigo do
mesmo ministerio : estremada assim a despeza prove-
niente dat especies fornecidas.continuarao ot corpos das
gutrdta, comoos quarleit dot cfficiaes commandantes
respectivos, a tetem fornecidot de luz pela fszenda na-
cional, s na corte do Itio-de-Joneiro, por exemplo, os
ofticiaescommanduntes dat guardas do tbesouro e al
landega percebem, estet tret velas de lbo de Hollanda,
aquellet urna de cera e teia de lbo ordinario, ea tbe-
souraaia desta provincia fornece ao commandanle aa
guarda respectiva duas velas de cera de carnauba; (sem
que ot obeles detiai estacOes aventassein a ideia, que
por tingularissima nao paise desapercibida, de que pa
ratsta detpea, e de popel, em que te devem dar as
parles, a lei do 1 de dezembro de 1841, Aoutej.re
onnjnai/o a %ratifica(do addtcionat) ; conseguinle-
aienle, a telenda provisao nao caducou. Comesinba,
e de fcil concepcio he a doulrina do artigo C. do
regulamenlo para ai adniinistracdet doi aisenaes de
guerra provinciaes, que baixou com o decreto de 21
de fevereiro de 1852, e todava o actual comnussario
pagador pretendo, que, sob rubrica do ajudante de or-
^^^^^MMMMiMaBira iaa ii ni mu
10 oas armas, iiiuuuu u uirami ui <, M- ,----------- --
oservico da guarda do palacio dostelonlendo ser o concert da casa do ajudante da lortaleta
itnpde i este commando a precisas de I do Brum, e a conclusSo dado romtnand?nte_ do forte
nos scu meiu de ataque, elle erSo anda inclina nos
acu de defeza. Par parir fertur, como dira o bario
Soliinina.
Cartaa, correos, elle interccptcvSo ludo que Ihes ca-
ba as maos, e austeiilavao por toda a parte espies ate
da maia nfima especie, c nem despretavao aa delaces da
Ziugara, e as cxcitavio com sua corruptoras prodiga-
lidade. Por essas denuncias he que Fabio escapar! por
doas vexc de ser preso, e que elles haviio sabido a ua
intima rolsces com o raitiha, nliiudade que Ibes ha-
va aberlo os olhos a cerca das intrigas de Trapau. A
sua duplicadas precauces, revelavo a inquietadlo e
deaooiifianca em que vivan. As tropas tiohio ordens a
maia aperladas; e na occasilo da ed i can da prnca Pre-
torianna, bavilo tnoatrndo que au perdilo lempo para
obrar, e que obravo com vigor.
O abalo produsidu poroisa rcvolla abortada ou ao me-
nos adiada, nlo eslava interamenlo calmado, quando
se aoiibe que o re Fernando havia inopinadameaie dei-
xado o seu retiro de Ficuxta, e etava na Favorita.
Kaaa i aaa de campo, que propriaineute fallando nlo
be mol do que um poni de reuiiilo de 049a a porta
dePaleriim, ei iludo no Valle d'ouro, eo Valle 4 su-
ri, Cono doro, elyeo digno desto nomo e e.teude ao
pe do monte Pellegnno. A corlo ah paitava o verlo,
dorante a asa residencia na Sicilia, e o rei Fernando 11-
dens do commando das armns, mande o
as vassouras para
governo. O que itnpoe
reconhccercomprehendido o oflicial cotnmandante da
mesma guarda na disposico absoluta do supracitndo
artigo d'aqueas inslruccons lio a definitiva delibera-
do exarada no aviso da secretaria da guerra de 11 de
novetnhro ultimo. Mas, para quo cansar a imaginaco
de V. Exc. c im detnonstrac.588 supervacneas para con-
venceros entendimentos arreigadot na vontade do plei-
tear no sentido de tudo quanto Ihis he conforme .'!
Devolvendo a V. Exc. os papis aqui annexat. aguar-
do qualquer decisao de V. Exc. pura mo orientar nes-
te negocio, lieos guarde a V. Exc. Qu.irtel general
na cidade do Recite, 1. de Miembro de 18*5.Illm.
e Exm. Sr. concelheiro Antonio Pinto Chichorro da
Gama, presidente da provincia. Antonio Correia
Sidra,
__ Um. e Exm. Sr.Accuso a recepcaodo officio
de V. Exc., datado de 6 de agosto lindo, em que me
remettia a guia do 2. sargento Joaquim Jos Pos tos,
quo, por aviso da repartiro da guerra de 30 de julbo
ultimo, lez passagemdo deposito dessa corte para o
desta provincia;' em resposta devo dwer a V. Exc. que
o tupracitado sargonto apresentou-so neste quartel, e
leve o conveniente deslino. Dos guarde a V. Exc.
Quartel general na cidado do Rccifo, 1.' de selombro
de 18*5.__Illm. e Exm. Sr. marechal do campo An-
tonio Elisiario de Miranda e Brilo, commandanle das
armas da corte.Antonio Correia Sira.
Illm. Sr. Tendo o soldado Antonio Bernardo de
Paiva. do contingento da provincia da l'arabiba, que
faz parte da fotcas sob seu commando, obtido, por aviso
imperial de 34de julho ultimo, escusa doservico, como
me loi commuuicudo em officio da presidencia de 30
do agosto fdo. haj V. S. de fazer eflectiva dita bai-
la, enlregando-lbe a escusa, aqu junta, que da Para-
Inba foi enderecada a prciidencia desta pfOWacia. Dos
guarde a V S. Quartei genetal na cidade do tJecifo,
l.'detetembrodo 1845.Antonio Correia Sidra.
Illm. Sr. Joaquim Josa Luiz de Soasa, coronel com-
mandanle dat liuras ao Sul da provincia.
Em resposta ao officio de V. S., datado de boje,
ordeno, que sejao desligados do 1. hatalhao Ue caca-
dores tob scu*commando ot dous cabos, e seis soldados,
que outr'ora mandei addirao mesmo batalbo: e V. S.
se tirvir tnanda-lui apresentar, com a competente
guia e olas de quaesquer alleracSes, quo por ventura
tivessem durante o lempo eui que so conservarao como
addidos, ao capttao commandanle do contingente do
2.btalliao deatlilbaria a p. Peio que respeita ao
soldado desse iiatalhao, que tem de responder no loro
cotnmum, scmcbanteuicnle V. S. mandar apresen-
tar aquello commando, consorvando-o no mappa como
danles, mat na casa de proso nesla provincia; ficaudu
na inlelligencia de que opportunamenle o tnandarei
rccolbcr a esie batalbo. Dos guarde a V. S. Quartel
general na cidade do Kccile, 2 do setembro de 1845.
Antonio Coneia ira Sr.Francisco Jos Damas-
ceno Kosado, coronel commandanle do l. balalhao do
catadores.
__ Mande Vmc aprctenlar ao capitflo Alexandre
(lomes de Argollo Frreo loda ss pracas do 4 ba-
talhao do arlilliara a p que se acbSo addi-
das ao contingente sob scu commandanle; fornecendo
Vmc. 01 esclarecmentos sobre quaesquer alteracoet oc-
oorridas durante o lempo em queettiverao as dilat pra-
cot sob seu commando. Dos guarde a Vmc. Quartel
general na cidade do llecife, 2 de setembro de 1843.
Antonio Correia Sidra. Sr. Joo do llego Barros
Faliu, capitao commandanle do destacamento (Jo 2."
balalhao da artilbaria a p.
__ Illm, eExm. Sr. Passo at maos lie V. Exc. a
reluriio, aqu ad|unla, demutistrativa.dos edificios mili-
tares, e pontos fortificados desta provincia, com as ob-
servai.i's tendentes ao estado, e precisao de cada um :
e desta torle satisfaco o que pela presidencia foi exigi-
do, assim de mcu antecessor, como ltimamente de
mim, por officio de 10 de jum.o doste auno; declaran-
!nvtriT'rniirwis "Tii
director dtr. do, que ao prosente de mais reconhecida necestidado
ilia por cssa cainpealro habitable particular predileo-
OO, Para all poia he quo elle e dirigir ao deixar Fi-
ouna.
Carolina la o havia precedido, mas conservava-se oc-
culi.i; tudo o mundo c at aeu esposo \ iippunlio an-
da em Castelvetrano. Esle myuteno Ihe havia parecido
ecessario para eufraquveer as auapeitaa do Ingleie ao
quaea acu nomo a lancava cin pnicos terrorea.
A' nolicia da cliegada do re, perguiilavao elles ancio-
o qual era o ti ni deasa aubita e clandealiiia viagem; e
anda niii c augmentuu a ua auciedade au aaberem
que em Partanioo havia elle tido una oonfroucia eere-
la com um ministro, o principe de Cassero, a com 011-
tros meinbro do governo, conn-caiulo por Ac, que dc-
poi de haver ido una de sua maia servia creaturaa,
rumpera com elles de repente, para se vollar para quera
Ihe pareca sol no oriente.
Lord Beulinck procuruu engaar o velho monarcha,
[Mira couliecer-llie o verdadeira inlences e diuadi-lo
de qualquer aoto hoatil ciinuiitiiir.ui, talo he, .1 Ingla-
terra ; dirgiu-ae para iatn ao aeu oopfeaaor, o reverendo
padre Caccamo, e nada poupuu do que pudia amedrou-
ta-lo aeno convriie.e-lo; que puuuo Ihe iniporlavn o
movel, tenor, ou convicelo, o que ello quena era obter
o resollado. Abalado, inliiuidado pela audacioaa argu-
mentacRo do dictador britnico, o noaio lauto lioniei
do Buraco ; o semelhantemcnti; o itie mcncionei om
meu officio do 7 de fevereiro ultimo relativamente ao
edificio ria Soledade em que so aeba o hospital regimen-
tal. Dos guarde a V. Exc Quartnl general na ci-
dade do Recite, 2 de setembro de 181.").Illm. e Exm.
Sr. concelheiro Antonio Pinto Chichorro da (ama,
presidente da provincia.Antonio Correia Sidra.
Illm. e Exm. Sr. Passo as naos de V, Exc.
a copia,aqui junta, do officio do lente qusrlel-meiUe
los Joaquim Meirellet, que do Hieran! So teguio pata
essa provincia em u vopor mieratiiz, o netta licou por
so adiar enlermo. Dos guarde a \ Y.\c QuaHpi1
general na cidade do Recile. 2 de otembro de 1M5
Illm. o Exm.Sr. Henrique Marques de Oliveira Lisboa,
brigadeiroe vice-presidente da provincia da-i A liguas.
Antonio Correia Sira.
Bequisilando-me o coronel coinm .nd.mle do l."
balalhao de cavadores urna caldeira grande para o ran-
cho do mesmo batalho o bavendo-a dispensavel nesse
contingente, que ora por empreslimo serve all; Vmc.
(ara detle utensil descarga no mappa, a vista do recibo
competente d'aquelle commandanle Dos guarde a
Vmc. Quartel general na cidade do Recife, 2 de se-
tembro de 1815.Antonio Correia Sira. Sr. Jlo
do llego Barros Falcan, capitao commandaote do des-
tacamento do 2." batalbo de arlilliara a p.
Illm. e Exm. 5r. -Tendo-se epresentado nei-
te quartel general o soldado invalido Sotero Eolix doi
Sanios com a compatente guia, que aqui vai annexa, e
se bem que este commando nio fosso inteligenciado
pelo quartel general da corte, ou pela presidencia desta
provincia de temelhinte concessio do governo imperial;
rogo a V, Exc. ai tuas ordens a pagadura militar del-
ta provincia, para ondeteve patsagem o relerido soldi-
do, como conna di mesma guia, no tenlido de ser
contemplado na lista dos relormadoi, procedendo-se-
bs os devidos pagamentos. Deot guarde a V. Exc.
Quartei1 general na cidade do Kecife, 3 de setembro
de 1815.Illm. e Exm. Sr concelheiro Antonio Pin-
to Chichorro da Gama, .presidente da provincia An-
tonio Con lia Sira. )
Illm. Exm. Sr. Rogo a V. El'fl. o'den
6 pagadoria militar deita provincia, para que J,nue in-
teligenciada de que ao procurador, competentemente'
autorisado, dever-se-bio pagar os sidos corresponden-
tes 10 major da 3.a classe do exercito Joaquim Caetino
de Sousa (Josieiro, que ora marcha a leu deslino, por
fer sido nomeado para commandar a forra de linha,
que o Exm. governo provincial julgou conveniente
conservar na Ironteira. eos guarde a V. Exc. Quartel
general na cidade do Recife, 5 de setembro do 18*5.
Illm. e Exm. Sr.concelheiro Antonio Pinto Chichor-
ro da Gama, preiidente da provinciaAntonio Correia
Sira.
Illm. e Exm. Sr.Informo, com odiipostono
artigo 2. do decreto de 5 de novembro de 1842, a
pietencio exarada no requerimento annexo, que o l-
ente Jos Bernardo Fernandes (lama dirige, por teu
procurador, a V. Exc. Deo guardo a V. Exc. Quartel
general na cidade do Recife, 5 de setembro de 18*5.
Illm. e Exm. Sr. concelheiro Antonio Pinto Chichor-
ro da (jama, presidente da pruvinciu. Antonio Cor-
reta Sira.
Illm. e F.xn. Sr.Convindo substituir o nninmandan-
te da illia do Fernando, o teiienle-noronel Antonio Go-
mes Leal, cumpre, que V. Bao. saliaaca o que I lio cun-
petir pela lei e orden em vigor, tanto k respetas do
dito fcominandante. como de lodo 11 destacamento. Deoa
guarde a V. Exc. Palacio de P-Tiianibiien, 11 de actem-
brudu i&!.Antonio Pinto 1 hivhorro da (ama. Uita.
e Exm. Sr. briguJciro Antonio Curris Sira, cuniuian-
danle daa armaa.
Illm. e Exm. Sr.Jiilgandu V. Exs. or nnnvcniento
tiibaliliiir o actual comnianilante d.i iiia do Fernando,
lenente-euronel Antonio nines Leal, nu ,|ireeni;i du
artigo 2. 4. do regulamento ilc 3 de mais dn is'i'l,
m^stamsmsimssmmomsmsmomsmmmm^'i 1 -jg-.,
senta cnfraqueeeroiu-llio un tundo do ooraslo a vi-llei-
dadet bullicotaa que a rain lia lite baria om Ficuua ins-
pirado.
Porque era fim, dixia elle, altea lie rege 1 nSo ton
nem fu......11 le, e estin preste a tudo para eternizar a
sua usurpacio.
Una limite, que depnis delonga conferencia com lord
Bciitinck, havia elle violentamente combatido entrona
contrarias paixScs, que Ihe disputavao a alma, oconsul-
tava quo nonsolho ria dar ao ro; o o levara reag-
naclo nu rcvolla, abrio-ae a porta do i|uirto e a'pre-
enloii-c-llie a rninha.
Jeeus! exclamen elle espavorido. Qnera jamis
pensara que V. inageatade calivesse em Favorita:' To-
do a suppem um Caatelvetrano.
E lodos devem continuar a suppor-mc li.
Al o rei?
At o rei. Entou aqu para vos, mea padre, en-
tendis bem ? Podra revelar u egrcdo da minha pre-
senta ,10 principo de Casiero, ao m.irquei de Circello,
ao duque de Sangro, qualquer outro amigo do rei;
nada tu, e a v lio que entro todos csoulhi para ser roen
confidente, meu medianeiro; espero qno por voa di-
crico, acre digno da minha confianca.
V. magetadotJ>lo dova duvidar da minha devo-
ta 980.
MUTILADO


nnrm>in interinamente pafa o dita nominando no maior
graduada J..M'. do. Silva (anima rae; O qoal.pi-li sua rOCO
nhi*i'i(h iiiiilligiMi.nl c probidado, intiisidots-n habili-
l'l- pnia rxoroer as funcciic- d.iqiiolle vinprpgo, romo
importa no Hervico miliiar : lie o <|n>- me compro pani-
no tr a V. K\e iiii rfeaemponflu do i jiin n In Btige V. tito.
am |Ou uilioio dtalo da luinlein.
N5 h* vemlii le* 011 ordena positivas a repello dos
ilstac imcni dnqut'llo pona mili tur, o aenilo reuonlie-
iiil.i a f.ilia de iropR da liaba Oeila guarnilo, acm prc-
juuu dii Kvrviooe cnutdcravel atropello nao so podar
irinlirodentaramentuoraexistente na momia illm,inda
preacimliiido-sc ta alienta conveniencia que ha oni
onnscrval-o por mnii lempo. Den (minie n V. Exc
Oh.ii id ;<-nfral na eidade do Recite, 12 de Miembro de
is'i.i. lili, r Exm. S. conoellteirp Antonia Puno Ch-
iliiuru da Gamo, presidente da provincia. Antonio
Cor reta Siara.
Illm. Sr.S. Exc.oSr. general (ominaiidnnlu da. or
na, manila tranamittir a V. S. o incluso floio, por eo-
lil.i, priu .|iial fui V. S. norneailo pelo Exm. Sr. 'presi-
dente da provincia, para qnattto ante partir para a illia
ilc Fernando, tomar o enramando della. I)eo guarde a
V. S. (juartcl general na eidade do Rooife, 13 de selem-
bro de 1S45.Illm. Sr. Francisco Jos dsrtins, corone
do calado maior do exefnito. Jase" Ja Silva (,uima-
r&es, ajiidantc d'ordena.
llltn. e :.rm. Sr. .Nao me conformando coin a nn-
nieirc.io interina, que V. Exc, era aru ollicin de boje,
participa haver feito, do uiajor graduado loa da Sil*a
Culinario para cniiiiiamlaiile da illia de Fernando; exi-
jo, que expeca aa Mas orden, a Km do que o coronel
Franoieeo Joa Martina io aprompte rom a possivel bie-
w.iado, para ir tomar oonta daqoello commando. Deoa
(naide a V. Bao. Palacio de Parnambnco, 12 de setem-
bro de 1845. Antonio Pinto Chichorro ./i (.ama.-
lllm. e Lxm. Sr. Antonio Crrela Sira, conimnndante
das anua.
INTEftlO..
RIO DE JANEIRO.
O BBLOGIO ha camaua Do deputados.
(Corres/ionirir-ia reservarla. Corrrio da Corte).
Sr. SenimeUa. l)ou os meus ponleiros da minio a
quern souber explicar a prsenlo situacio, c inda mais
riualser o desfecho d'este maldito ninpliiguri poltico,
mais intrncalo do que aquelle outro quo diz
Duznntos gallegos
Nio fazem uiii bomem,
Porque quando comem
Meu dinlieiro, teu dinbeiro.
&e., &c., &c.
Olhe que tenbo andado a parafusar, o nada 0 que
sei deque as cousas au vio bem : a maioria est de
candas as avessas com o Linipo, | orque nao executou
ponto por ponto o programma ajustado ; o Linipo tam-
bem nSo vai inuito com a maioria; e como aflirniio
que, no terreiro dos ministros, elle he gallo, no me
atrevo a dizcr em que pararaO estas desavencas. Aqu
para nos, a patrulha nao es contente com o I.impo
depois d'aquellasrousas a n-speito das intcrpellacoes do
Ferrai .. Em lim est ludo urna emburilbada dos
meus peccados : quem asarmou quejas desarme.
O Sanias Luzias ando com mas trombas, como
mulberque bngou com o marido ; ludo Ibes lede, fa
zem protestos, jurao, praguejSo, e todava nao r a
tievem a fazer o seu pronunciamtnto )f?a"aos de Hes
panha ; parece quo inda nio etilo tem prepaiados ;
mas, logo quo estejo espero-Ibes pela pancada :
resteiro que fez urn o ,l0 laz um cento. A cousa est
to fcia e medonha, estilo as nuv ns tSo rondensadas
nos horjfontes polticos que ji o Vacliadinho nao
JATrollia. Islo he para fazer banzar! Aquella rolha sem
pretio dura ( com ajuda da maioria, so entende), a
quella rolha que parocia de ferro, que nunca tena de
brandear, agora est ehcolhida, o ja nao ba t-la fa
zendo bichas n'csta casa. Apenas de vez em uu..ndo usa
o presidente do prego ; mas a twisYa foi-so ; o Ir.
Arrolhador anda porahi agora como qualquer outro
denotado.
Na sexta-feira oceuptio-se os patriotas com os ne-
gocios do tbeatro do Roci; ped-o o Dias da Moda cer-
tos documentos, e como llie approvrao esse requeri-
mento, foi logo requerondo o adiamonlo da concossio
lias loteras, e lorcoso foi approva-lo, ape/ar dos nu-
merosos r.mpenbos do ministerio, que d'csta questao
tem leito negocio de estado !
Uepois d'este importantissimo objecto, augment-
rao-so as despezas pblicas com mais nao sei quantas
pensoes. A respailo do Ici que regule esta materia,
nao ha esperanras : os governos teem afilhados, e as
cmaros tambem os teem ; gema quem gemer, os or
Carnelos, aguentao tudo, al que vira da em que as
cousas tornera a seus cixos, e os laes pensionistas e
aposentados bao de dancar a polka na corda bamba.
Concluio-se a discusso dos adi.imento9 proposlos
reforma da lei de 3 de dezembro de 1841. Foi ap-
piovado o do Moura, depois de fallarem o Snuza Fran-
co ( aquello que sacrificou a dignidade para servir ao
governo), e o Souza Martins.
O I.impo eslevo aqu, tomou apontamentos ; mas,
depois que ouvio o Acahuan, desisti: at o Acabuan
fallou confia a lei de 3 de dezembro de 18il I ... S
laltou oChiquinlio dos ovos. Ora pois, ahi ten Tost,
'. wiuff *ja>./ .imi5aai^aiSjfiwiyiiri'
r- hem vrdei que ii.'io (iuvido, poia que me cnifio em
Sr Sentinella, urna lei, inco/iiiiuci'oiia/ na maior
parte de sua$ diipo$i(0ts, rogeodo o imperio. Esta gen-
te perdeo u tramoniana. O Alvares Machado lisse
que o projecto nao tinha pausado ; mas, que o gover-
no ficava cora a mo na combuca. E elle que bom se
Importa com isso!
Eotroa em d^scusso um projecto creando capitanas,
dos portos. 0 Serrai propoz que se convidasse o minis-
tro da ni .rinhu para assstir a discussao : o Gabriel op-
(ioz-so, o Alvares Machado sustontou o convite, e Dio
se votou por nao bater casa.
Sabbado nio houve sessio : nio ba razio daxueixa
as H boras, quando o presidente declarava Jpie nio
havia casa, cabio acbuva de pedra. A clara-boia foi
quem solrco. Diz o Saldanba que islo he castigo !
Diga aquello sujeito que eu bem.o vi ; falta-
va um Hilarlo para ( meio dia, quando elle veio na se-
ta-feira mrar-me. Veio com ps de lia, mas ni me
oiprendeo. Elle tome sentido commigo; apanhou-me
de bom humor ; quando nio.... Votsbemsabe.
O Limpo veio setta-feira muito periquette : era
mesmo um charg d'af/airu, com seu coleto de setim
com lstras. Assim he que gosto de v-lo. Deixe a tal
casaca de polica, que ja Ihe nio convem ; quando lor
outra ve deputado usara d'ella. Um ministro do Impe-
rador, n5o usa de alpaka.
Muito conversa agora o Alvares Machado como
Goncalves Martins: tereinos defeceo e fusao? ..
D'este seu criado
O Rrlogio.
Paco da cmara, ) de agosto do 1845.
RIO-GRANDE-DO-NORTE.
fiOVERNO DA PROVINCIA.
CorreipomUncia do Exm. Sr. doutor Casimiro Jos
de Aloris Sarniento com o inspector da Ihe-
souiaria de azenda.
ANXO lui 1815.
Continuaalo do expediente do dia 8 de julho.
N. 100. Mandando preencher o lugar de ama
nuense da secretaria da tbesouraria de fazenda, que va-
gou pelo fallecimento de Alexandre Felioo Bandeira
que o exercia, tendo em vistas o artigo 97 da lei de 4
de outubro de 1831, e as determinaeos das ordens
do tribunal do thesouro publico nacional.de 19 de le-
vereiro de 1810, de 11 de fevereiro de 1842, do 14
de marco do 184o, e de 9 de outubro do mesmo
anno.
Dia 9.
N. 107.Communicando quo foi transmiltido ao
Exm. ministro d lazenda o oflicio n. 20, a elle diri-
gido.
Dia 10.
N. 108.Ao inspector d'allandega, mandando ro-
colbcr nos irmazens della 140 saccas de farinha de
mandioca, que vierio da cite na barca -le vapor S.
Salvador.
ser desnecesiaria a medida, e nio acha extraordinarias
as circunstancias dessa reparticio, como se fosse cousa
trivial esedica o nio estar ella em dia 1!' -io incohe-
rencias, e contradicoes, que V, S. devo cuidadosa-
mente evitar; pois dellas retultio necessariamente, ou
que V. S. quando so negou a dar-mu a informacii
pedida, o fe sem rasao, nao sendo ento exacto no
que aflirmnu.ou ontio agora, quando tem por dcsnec.es-
saiia a miaba providencia, incorre na mesma sus-
peita.
Estimo muito que os empregados deisa repartiere
nfio mereto a increpacio de serem desalen tos,e inap-
plicados aos seus deveres; mas fique V. S. na certeza
de que o contrario do que consta do seu oflicio, be o
que ge ral e quolidianamente ou(0. Dos guarde a
V. S. Palacio do governo do Rio-Graade-do-Norte,
12 de julho de 1845. l)r. Casimiro Jos de Moraes
Sarment. Sr. inspector da tbesouraria de fazenda
desta provincia.
N. 114.rAo inspector da allandega. aecusando o
recehimento do oflicio, que participa estarem recolhi-
das as 140 saccas de farinha viodas da corte, em que
di parto de estarem algumas dallas jotas, e com dimi-
nuido do genero que ellas cooteem; e ao mesme lempo
recommendando o concert das ditas saccas, o pedindo
informal Do do numero dellas, e da dilerenca que se
encontra.
N. 115.Ao mesmo, mandando entregar ao meslre
da canoa Conceicao-t'lor-do-Mar, Venceslao Jos
Ferreira, quarenta saccas de farinba, exigindo o com-
petente recibo.
Dia 15.
N. HO. Ao inspector da tresouraria, communi-
cando ter enviado ao seu destino a conta da despeza
militar, e os documentos, quo as legalisao, pertencen-
to ao mez de junho ultimo.
N. 117.Participando que foi dirigido ao#Em.
minislo da fazenda o oflicio n. 27, a elle enviado.'
asa
PERNAMBUCO.
N. 109.Transmitlindo um oflicio do Exm. presi-
dente da provincia da Parahiba, para informar sobre o
objecto de que trata o dito oflicio; e exigindo brevida-
de na mformacio pedida,.
N. I 10.Remetiendo a provisio do thesouro pu-
blico nacional n. 34, de 25 do mez (indo, upprovando
a despeza feita com oTe-Ueum, por occasiao do feliz
nasciuiento do serensimo Principe Imperial.
Dia 11.
N. 111.Mandando entregar ao lente Joio da
Gama Lobo Denlos a quantia de 2,(80 rs, para paga-
mento de 2 guardas nacionaes, que da villa de Goianni-
oha, condu/irc a esta eidade oous reci utts.
N. 112. Em virtude da autorisacao, que me foi
concedida pe o aviso de 27 do mez ultimo, teoho nesla
dala demillido a Silveno Martins de Oliveira do em-
prego de administrador da mesa de rendas geraes da
povoavao oe Macau: o que communico a V. S. para o
seu i n.lieinio nto, e para que, na conformidade do ar-
tigo Pido regulamenio de 30 de maio de 1836, pro-
pinba outro individuo, quo deva ser nomeade para
aqueileemprego. Dos guarde a V. S. Palacio do go-
vernodo Rio-Grande-do-Norte, 11 de julho de 1845.
Dr.C'asimtio Jos de Moraes Sarment.Si. inspector
da tbesouraria de lazenda desta provincia.
Date.
N. 113.Se ja esta promptaa informacao sobre as
cenias dos colleclores da provincia, que eiigi, e que
V. S. nao me podo dar, allegando que se achavo essa
repartieio sobrecarreguda de trabalhos, que com ur-
gencia dniao ser remettidos para o thesouro; se estes
trabalhos j estio concluidos; se.em lim, todos os nego-
cios se achao em dia; podera V. S. deixar de determi-
nar a prorogacao do lempo do servico, queso portees
motivos ordenei em meu oflicio n. 105, de 8 do correo-
te: cumpnndo que nesto caso V. S. mo transmita
quanto antes a mencionada informacao, e o que den-
ir para o Exm. Sr. ministro da fazenda. As.im fica
respondido o seu oflicio n. 151, bontcm datado, que
nao deixou de*causar-me cstranheza, por observar, que
V. S., duendo nio poder cumprir um dever, qual o de
dar-me todas as inlormaces, que Ihe exigi, e islo
porque eslava abarbado com Irabalnos, agora, que
tonici urna ptevidencia legal, e a nica que sem dis-
pendio era possivel, V. 6. desembaracadamente opina
COKRE10.
CORRESPONDEKCIA DA CIDADB E PROVINCIA.
I.,i Vai pela oarrcgRco san miliar nada. Ou vi, quo
justira recta ipplicada ii aquello pobre 111090 la da Cin-
co-Ponla, quo nao qoil cazar, e por iao omandrio
r i's.i's marc e rentos, nao foi approvadu no Rio; an-
tes uiu bom recipe veio a quera deviu vir, nao a mira que
uo entra! cora pic;o neiu estepa para o tal oaxorio bu
asim aeouteeeo, o que nao croio, e neiu deixo de crer,
porque ludo pode acontecer, principalnicnle netie mal
l.idailo l'iriiiimliuco, onile ludo be raro, e para onde
rein ludo quo ba de raro onioutra provincia, ou ae
manda vu, eiiliu sou nbrigau a oonfeatar quo he
11 primeiro acto de juatica do nuuialeri eandeiu, depois
da reniocio do boiu Lul. Muiioa a man te doao I Se
0 rainiderio for brindo o 0II10, para er o que por aqui
vio, e como o prngrauma favor aos amigos o justira
recta aos contrarios tela posto esta provincia de penis
.10 nr, lalve liro o pSo-de-lo da uiao de quera nao o
abe repartir, Ojio i> o (u-dc-l como (|ueiuj).rc'par-
le v por ees are; e entao quera lo 11,,. ua, l'u ante,
abusa da depensa,nao cliegue a vdr a 2 deitjezeinAro cor-
rer o cano .Se amim acontecer como 10 desodipcnha-
1 a a palavra do 3 auno ? Tambera os artista coiilavtu
cora Kcarcni livr do eatrangeiros.v levrSo ua forqui
Iba : e quem abe e quem eoula etar aqui por ire au-
no iian 1 siej.i Irea iiiezea ? E que goslinho lio aera ?
Ai>ihi o perraitito almasdovolas.
Pernambuco, 13 de setembro de 1845. O secretario
uz da Costa Pcrtocarreir*.
Deelaragoes.
COMkVIEeaClO.
Al'andega.
Rendimento dos das 13 e 15..........2:409j47
Jimitm'iilo do Porto.
A'aeio (Arado no da 15.
Liverpool; 50 dias, barca ingleza Golden-Fleece, de
312 toneladas, capilao Matbew Hubbuck, equipa-
geni 14, carga fazendas ; a Russell Mellors diC.'
Aatio sahxdo no mesmo da.
S. Malheus; patacho brasileiro Fiancelina, capitio
Joaquim Baptisla Pequi, em lastro.
Edital.
. Sei que lord lienliuek perla con vosco, e sospei-
to que comer .1 Coiivoncer-vos, Era lempo que eu ap-
parecesie, para arrancar-voa i perniciosa influencia
dee mo genio da Sicilia. Elle cunlieee o vosau impe-
rio obre o epiritu do rei, e liaoogea-se que inliniidan-
dti-vo, intimidar o rei. Cerra! usouvidoa, meu pa-
dre, p.ilavra do lenladorj ja de niaia o liavei cacu-
1.1(1... para 11111 bom rlirialao c bom Siciliano, ei.ino vos.
Sabei que elle uieiite para eduiir-vo, e silueta uino
aeguridade que nao lera. I'rocura alerrnr-m, che elle
quem lera nudo, kt auaa approlicnoca, bu verdade, lio
fundadas, porque os iiosaoa nieio Skoimmeaioa ese
ejrrei for firmo era eu projecto, nica de mo dio a Si-
cili.i aera livrc. loCB-VO, meo pudre, forlifiea-lo em
ua Miare tolla, e Iriiuupliar da auna heailacoes, se
anda Ihe resio. Vjttv podis, vos o devcis.e u"u, n roi-
nba, vos conjuro, vos ordeno, que cmprala tost lle-
var de Siciliano c de chriatSo.
Que convem Uikt, enliora Ordene V. roagesta-
de, que era mira adiara, creia-mo, um dcil iiulrumenio.
He precito que amaulia fa?a el-^ei .1 sita entrada
cmP.iler....., c exceule ponto por ponto todas a medi-
das, que ncale papel acharci etcripla.
A 1 Us pai, 11 ras (.arolina enlregou ao conl'cs.or um
eicripto, quo elle leo cura profunda Mancho.
As instrucedes de V. ina(ealado, retpondeo c
depois, aleciriudu p. la energa e rasoluoto de Carolina,
erliii poiieliialuieiilu cumplidas, e pOnho uiliajiosija
de V. Dtageelade o punco eredito aae cu possa lar sobre
o espirito el-rei.
Vos leudes muito, mea padre, nao affecleis de 1110-
deato; por que eu mpporia quo queris falcr totsas re-
aertas, e lomar voasas pracailoSes? Fical bemeertu que
sois re pi 11.-. 1 vil de ludo meu olhos, e que couivosco
soinenle me baterei, seno molinillo decitivu viera fal-
lar o animo el-rei.
Nao llie laliaia, se tomar os meus conselhoi; ma
prceucliido o pni;rain..... por V. mugcslade deliuuadu,
que uoiiveui faier ?
o o,.ns at prlense. Cura a ajuda doceo, e elle
iiujudara, rncarrego-aie de acabar o obra, que bou-
verde comecado. So ah nlu ganliarde o barrote de
cardeal, perderei OU n cOroa para ae'mprr.
No dio aeguinle, remando fot a sua solemne entrad
na capitl, ladeado dos acu fiei, acm eaquecer o padre
Cacaran, que marchara junio a elle Cuino o raacliiuisla
ae pe ao lado doautonjnlo, que ai manobrar, cor-
ujo foi direilo calbedrai, onde u devoto iuonruba
ouvio muta, e fe a sua uracao : d'alli dirigio-ie para o
palacio, de que turnuii a lomar poste, o onde se renova-
ra o as etiquetas do dias do sea poder. Instalado na real
O Illm. Sr. inspector da Ihesouraria das rendas
protinciaes contida pelo presente s pessoas que se qui-
serem encarregar de fazer o foriiecimento dos objeclos,
abaixo descritos, para a enfermara da cadeia desta ei-
dade, a comparecerem na sala das sessoes da mesma
Ibesjuraria no dia 17 do correte, ao meio dia, com as
suas propostas em carta fechada, que serao abertas em
presen,.a de tollos os coiicu 1 rentes.
12colxdes de riscado de liobo, com 8 palmos de
comprimento e 4 de largura.
12 (ravesseiros do mesmo riscado, de 5 palmos de
compiimento c urna mao travessa de altura.
12 cobertores do lia.
-18 Icnces de brim de A taras cada um.
24 carnizas de dito de 2 1/2 ditas cada urna.
Secretaria da tbesouraria das rendas provinciaesde
munida, declamo que a sua tauie eslava reatabclecida,
c que por uoiisequeneia eslava elle era estado do tomar
de novo aa redeaa do governo, e por nio decreto, revo-
uou o pudores de Aller Ego, que ontr'ora conferir i
sen Bino. Aniinnciou alcm dialo que ero de aua intcn-
C4o ir na iiiauha (eguiito celebrar em petsua ura gran-
de Ir-i)ruin de aeco de ;;i nc.is na igreja de Sao Fran-
cisco. Aaaiiii o dina o progminma de Carolina, enjun-
Icmos, para com todos serillos justo, que o meslre o o
discpulo, islo lie, o confettor c o seu peni leu le, batiau
repelido a licao palatra por palatr, da maneira a maia
satisfacturia.
Jnlgue-su da febril impaciencia que devorava Caroli-
na durante este scoutus de tapera e de preparativos!
Retirada como una cttrungera, como urna proteripta,
n toa real quinta da Favorita, eslava, eliei do vid,
(uppriraida da lista dos vvenlos. No meio dos jardn se
oslende luiiuento tanque, quasi um lago, e no meio des-
e lago aeergue urna torro do eenlo o cincuenta palmos
do altura, no alto da qusl ti ferio a extravagante ideia de
erapolcirar o Hercule Faruese, que depois tomou 110
museo de aples lugar ineiios excntrico. Fui nea iu-
sular, aera torre, que Carolina so liana oceultado ; era
de la que presidia como una mgica o Icmivcl drama
que sob sua valas sa repreenlava, e cojo to de en-
redo eatavio em suas mao. 1
0 Tiln. Sr. inspector do arsenal de miriob,
manda fazer constar que. em cumprimento d'ordenj
do Exm, Sr. presidenta tem do frolar urna navio p,.
ra conduzir a ilha de Fernando 800 saccas du fsrinha
e mais alguns objeclos; assim como varios empieg^
dos, e pracas de primeira linha que teem de seguir
para all ; devendo o navio, na tolla, trszor % prirasa
degredados quo por ventura tenhio de regressar para
esta eidade e a porcio de pedra do .calcar .. que po-
der carregar ; e que, .em cunsequencii. receberi nesij
secretaria, no dia 16 do corrale (boj), pelas n ^,,n
ds msnhaa, ss propostas, em cartas lechadas, dos Sn
que, tendo embarcaces com capacnlaile pura a fim t'_
dicado,as queirao frutar; declarando sa n'ellatss cob-
dicCes sob ss quses pretenderem fazer o contrato.
Secretaria da nspecco do arsunal de-marinba de
Pernambuco, 13 de setembro de 1845. 0 secrela-
rio Alexandre Redriguet dos Anjos.
O arsenal de guerra compra rassouras de limh,
esleirs de Angols o ponschos de lia ptra birretina
desoldados ; quem osles gneros titer o quizer for.
necer mande suas propostas om caria fechada a eii
directora at o dia 18 do corrente mez; bem como
pessoa, a quem convier fazer os ditos penachos, podra
vira mesma directora vera amostra.
Direcloria do arseoal de guerra 13 de setembro ie
1845. No impedimento do escripturrio, u anu.
nuense Jodo Ricardo da Silva.
= O aisenal de guerra compra meios desoa, pellai
de cabra, lio fino para sapateiro, linhas d'Ocirn, (
sebo em hexiga : quem estes gneros liter, sendo di
melhor quadatfc, mandara as amostras, com cuas pro.
pollas em carta fechada, a directora do meimo arsenal
aleo dia 19 do corrente mez. Directora do arianelda
guerra, 16 de setembro de 1845. No impedimento
do escripturrio, o amanuense, Jo/to Ricardo da Silva,
CoilPANHI* do Brberibe.
Nio se tendo eflectuado no dia l a reunioemm.
sembla geral extraordinaria da companhit de be-
biribe, sio de noto convocados osSrs. sccioniUipira
terfa-feira, 16 do corrente. hoje),as9horss ds msnhii,
no escrptorio da mesma companbia. Itecile. 13do
setembro de 1845.0 director, J R. de Oliteita.
Os Srs. sccionislas hajio de realisar a enlradads
seis por cento, ltimamente pedida, at o dia 20 do
corrente. Escrptorio da companbia, 1." descirnalo
de 1845. O secietario, B. J. Ftrnandes Barros. .
Os Srs. accionistas do tbeatro publico desta eidade,
que anda nao realisrao o pagamento das aeco;i que
subscretfirio.queirio ter a honuade de manda- las sstii-
facer em esss de Jos Ramos de Oliveira, tbeioureiro
do referido thealro.
Manoel 1' rncisco Coelho, professor publico de
grammatica latina da freguezia de S. Jos do Recite,
avisa aos pais de familia, quo ?t berta a matricula.
Os iateressados dirijo se a casa de sua residencia, 01
ra larga do Rosario, n. 35, segundo andar, emqusn-
to nio Ihe lr possivel obter uina casa na freguezia da
S. Jos
COMPANHIA ITALIANA.
Jos Marinangeli, director da nova companbia
italiana gralo ao bom acolhiun nto quo ineaia
em geral le dignou de prodigalisar o respeitavel e judi-
cioso publico desta eidade, por occasiao da ultima re-
presentaQSo Ijrica em a noutedu 3 de setembro; e ani-
mado pelo desejo, que o mesmo digno publico ha ma-
nifestado, de ter representadas operes completas; tem
determinado continuar suas representarles, o esco-
Ibido para a prxima o Elixir de Amor, opera de ca-
rcter jocoso do celebre compositor, catalheiro, Sr.
C. Donizzetti ; a qual ir a scena sem inutilacOes, ou
enxeitos. Esta opera, que tem seotpre merecido mui-
to acceilacio e fecehido os maiores applausos em lo-
dos os paizes onde ha sido representada, o fa; persua-
dir, que seri nesla eidade igualmente bem acolhida,
e deixar sslisfeitos os illustres espectadores.
Tendo, porm, de fazer muitos sacrificios e gastos
enormes, para o bom desempenbo ssseio dos ves-
tuarios, coristas, figurantes msica, &c deiia el-
la recita de entrar no numero das 24 da esstgnntura e
a tem destinado para seu letal betielieio ; por uso
que a sympathia que o nlelligcnto publico sempie
Ihe tem demostrado Ihe galante a esperance, de que
esta reeila linda, e totalmente nova podera indemni-
zar, em parte, as grandes despezas, que foi obrigado a
faxer para apreseutar aqui urna companbia; o que
tendo cuslado lio curo ao Kio-de-Janeiro e Babia para
sustenla-las, ello o tem conseguido sem socorru so
com seus trabalhos e economas
Odia da representaciosera annunciado pelos perio-
cos o carta/es: os camarotes e bilhetes de platea M-
dem-se desde ja em sua casa ra Nova n. 7 -
gundo andar.
Os Srs. assignanles serio preferidos.
A trsduccUo da opera im tersos porluguezes ven-
gs/^ssjSj^isBasmsuuKiittaiiMiasmiiiamsiishi^f/sgs^fS
loviaivel no ten iiiiinomeiii.il escondrijo, iiuha eS
tiato chegae Fernando de Fieussa 1 |.ela ida e taal
dus amigos c ilsuigos bata adovinhado logo no OUIM
dia de quantas iuiporlnnare c havia de ver elle orea-
do, e quantas betiacoea dcviioapparcct-r iieu eoracg
fraco, irresolutoI fui enlo qur vendo u lemenilo er
frouxas a molas da sun machina, e e.ia mesma fi|lt'1'
go, abata remontado, por assim dizcr, por maia,*
podre Ca carao; c quo no dia seguinlo lif ora a MU**"
Oto de tur o real inaneqiiiua obedecer dcilmente, aa
movimeiilo dado porcll.i, e partir em fian para Palrn,
onde cada pasto seu catata previamente tracado em
quo elle o anubeaio.
Fiura cutio a quinta siienoioaa o solitaria; neiu Ca-
rolina vira era ouvira mu cousa alguna i ao Caairoil
Ihe iroiia noticia, o cada hora u puulia ao corioote "'
que aconteca o nao aconteca ; ma quao longa llio ei'
catas liurasKfioiUav.i palpitando 09 minutos r .rgondoai
cada badalaVdosrelngiu visulioa cuata-lho iinco-
rajio iuii coniraovlo olocliica. Quando veio a uoule,
tubio par a torre acm recio de aer deacoberto, o vo a
t.d.i poro Paleriuo, coja luac brilhavoo 00 loiige, \>'"m
enratu a.deviiiluir pelo peiisaiuculo o que com o 0II10-
uto poda per. eber.
Ciu igual uuiiheoido perlurbou a sua medltacao ,
Castroue, o nico hornero, para quera eslava en
J MUTIl



je-so por 320 r*. em casa do director. A a Srs. ai>
.fiantes o dir graluitamcnto.______________L_
3
A
visos martimos.
__ para o Rio-Grando seguir breve o brigue-
.ynn/JaAf/, capillo Joaquim Antonio Cidro: qut'm
no mesmo quizar carrear. pude, tratar rom o mesmo,
Ucoin Amorim IraiSos. iu;i da (adera o. 45.
_l>ira (i l ido nos Touros, segu o brigue
Studadts-de-Sanioii recebe carga e passageiros para
mbos osportos: que ni pretender, dirija-e ao capilio
0 mesmo a bordo, nu na praca.
=. Ouoai tifor algutni conta contra o hiato naci*
n|| fyfitculutl ir dirija-se ao eicriptorio de Lo Bre-
, n Schramu & Cqm^auia, dentro doprazo de 4 dias,
pira ser pag>. ^^~
__ I>ira a Bahiao brigue Generoso dando o lempo
gar sabird a 17 la'corrale.
.i Inga-Be o segundo andar da rasa
da ra Nova n. 12 : qnem <\. pretender
dirija-s loja por baixo ilo mesmo.
i= Terido pirado o prazo, por que o< nbaixo asig-
nados contratrao sociedade no'Vma/eni d,: molhados,
na ra da Cruz n. 43; e leudo balanceado o mesri
mauem, e fochado auai contar, teem o mesmns ohaixo
iissiqnu'los dado por extincta a sociedade contratada, fi-
cando o ex-socio Manocl Joaquim Goacalvea e Silva
delta provincia, faz constara qualquer pessoa, que ti-
var blguma carta ou obrigacio de fia uva a que o
oicsmo Santos seja rcspor.savel para quo se aprescote
a liquidar suas contas a tal respi'to, a jm de so desone-
rar de ditas flancos; e quando por acao 3eixe deom-
parecer no lempo de 3 di.is licaraO nullas a mesmas
obnga,'<3cs, sem que o dito Santos fique obritiado a
paga las como por este o faz constar.Recife, 13 de
sembr de l8io.
- Continale a fazer Irn-
con*, o armarem, e todos os gneros nelle existentes, e
cora as dividas activas, e obrigado a pagar as passiat|cf lilis (IC Cabello, (le ([llallilier
cootrahidaspor mesmawciedade, enasuaduracao;|m onilP* fita* milf-iM-
o que ludo consta do balanco: o que se avisa aosSrs.l11-"'1*5-" ""el, Hltt, |U1CCI
acirreos, &c; ludo o
Par o Rio-de-Janeiro snhir.pertni'.tindo o tempo,
bajo, 10 do corrente o brigue-esena Fana: o que
Hhz certo ans Sr. pusai-eiros e eartegador s.
..l'ara.a Babia legue eom brevidade o brigue Pke-
dro: quoin no mesmo aquizor carregar, pole entender-
se eom Amorim Irruios, ra da Cadeis ". 4o.
__ p.ira a Bahia Sai em piucos dias a sumaca na-
cional Santa Ann: para carga e passageiros, traa-
le cm Novaos & G *, ra do Trapiche, n. 3i.
' = Vende-se o brigue nicional Independe te for-
rado de cobre de loto de orne mil arrobas pouco
oais cu menos, cheg do ultimronlo do Rio-Grande
do-Sul i acba-ge Tundeado prximo a ponto do Recito ,
oo lugar da descarga da carne : a tratar com Gaudioo
Agoitinho de Barros atrai Corpo Santo, n 06.
= Para' o Araeatroai, impreterivelmente nodia -26
Jo corrente. a sumaca Flor-do Angelim, por estar qua-
sicarn'gada: pira o rstante da carga e passageiros tra-
ta-se rom o meslre Bernardo de Souta, ou curo Luiz
Jo< de Sj traujo, na ra da Cruz n. 26.
= O brigue-elcuna nacional Fere-Fogo. de pri-
mara marcha, torrado e pregado de cobre, sai para o
Mr.'!iibao^mpre.leri.seliiieDie nodia 21 do corrente; re-
cti' pasageiros e carga al o dia 19: trata-e com Ma-
nad Jos Machado Malheiroi, na roa da Madre'-de-
eos n. 5, primeiro andar.
JLeiles.
James CrablreeiS Ccmpanbia faiao leilio |ur
intervencao do corrotor Olivera de um sortime'.ito
di-a/emlas inglezas, toda6 proprias do mercado: h'oje,
16 do corieole as 10 horas da inaoba em ponto, do
seuaruiazom mu da Cruz.
K ilman'n & Rosemund (arao leilao, por inter-
lencao do corrt tur Oliveira de grande porcia /Jo fa
zeodas inglezas (uocezas suiasaa e allemfies de
13a, sida, linbo e de algodao modernamente im
portadas: quarta-feira 17 do corrente as 10 horas
da monha no seu armazem, ra da Cruz.
visos diversos.
A'CARRANCA.
Sabio hoje on.28, eacha-se venda na praca da
Independencia livraria.ns. 6 c 8.
l'rvcisa-se de um Portuguez do 11 a 12 annos ,
que saiba ler e escrever, para caixeiro de loja de miu-
deas. dos ltimos chegados ; quein esti^er ncslas cir-
eunulancias dirija-se a ra larga do Rozario o. 35.
Alugase asseguintea casas: os dous terceiros
andares dos sobrados ns. 4 e 6 doAUerro-da-Boa-Vista;
ascasas terreas n. 7 da ra Furmosa en. 5 do Seve ,
noiaincrite acabadas com quintal cacimba e irais
cominodos para grande lamilia ; outra casa terrea na
Solrdadu com as mesmas vantugoos por 12000 rs,
mensaes ; e urna pequea por 78 rs mentaes : queni
(pretender dirija se ao escriplorio de Francisco An-
tonio de Oliveira & Filho na ra da Aurora o. 26.
Precisa-M de um eilor para um sitio perto des-
lipjaca, que cntenda de plantar meloes, verduras,
e deoutros servifos de sitio ; quem istiver nestascir-
enmstancias, dirija-se a ra Nova, n. 32 ou annun-
Spiridione Scietowicli subdito Austraco re-
lija-se para o lio-de-Janciro.
Pn cisa-se de um boiurm, que entenda bem do
IrubalLusdo campo ;. quem se acbar nestas circums-
laaciss tirija-sc a ra Nova n 46.
Precisan.de um rapaz Portuguez, ou Brssi-
quesequeirasubjeitara todo o servico de'um
iru,
le
arniazem de molbados \ seja de boa conducta
'- do Trapiche, n. 3i, casa de Fernando
Ltea.
Ar.lonio Guerra laz sciente ao publico, que, por
tW outro de igual nome pssa a assignar-se, de hoje
Mi diente, Antonio-da Silva Guerra.
- Precisa sede um pequeo de 12 a 15 annos,
para caixeiro de una venda, na ra de S. Francisco,
deronte da Ordem terceira o. 2. : a tratar na mes-
nia venda.
fe'lroca-se, ou vindo-se um poldro de rapa, por
Miquartao posaante ; nos Cinco- Ponas n. 160.
jaaiM.iv..-^_ ?<1 L t .-,1^,.^ -v-tWii j*i .gptfrii"^ "*:'*"'
aaainnicavrl, que vinha do Palernao faicr llie asna
rracc da larda
~ finid tai beiu, llie disne rilo enfregando as mos
Wlripeilo |>ci.t mugraUdu real, el-rei cala Hrme. eu
I11"" U'iiie|liiireadiapnair;oi'a piaaicie. O bario Craca
fa.rigilann-, para na deixj^oa .orar. O eapirilo da
miiii he exeelfqiile ; u decreto que revoca o tunceie
"'"""-lenle pagsou aem o tu.....tr oppoajcao, efui
acebidu |,r mdiia na rlaa>e* da populacao ineluaivo t
'Ur*ll". miSgrltoan.il mil rexca repelidos de Viva
MWand,, \ Carolina w ouve ito na ra*,
"eumpraier pMMnr'nellia, e par os fiel servidero
* v- mgaiado unta aouaoliiaaXi lauto naia duoe, quau-
'" "'i lurdia lio.
** ^Hii gritos de vnlhuiiaaaio, dix n rainlia com a-
""'r, nao o un i,ue bulla via, kiiii corno to-
"u*oikciei,,ileU|.|UUiido ao iiiiiiel fui<, se nao 4o
eMcu|,d, ,.
MI).', I
~ E.ie bao de ser, Scnborn, nao duvide V.mages-
,e; h0 de cr, e ainanbta inurtuo : ludo esl previato
,\ite os conoiapelli?
Air,.!,______ i r_.
tail.
laia
Anda'agora >s 3ex<-. V. inngestade pode gabar-
'' ler all vasaalbia, como tora para dearjaa que bou-
tM sc d
credore.s e devedorea, e se faz publico. Joto Baplis- f aS
t.i Bragoio Jnior. ManottJoat/uim Goni alves e
Silta.
=Alugao-se os primeiro esegundo andares da casa da
ra de Apollo o. 22, acabada, ba poucos dias, de pintar,
prompta para qualquer familia, o pelos boni com modos
que tom; urna casa terrea, ha pouco acabada, e que ain
da nao loi servida, com grandes commodos para qual-
quer familia, e um bonito sotio, que tcm urna etcel-
lente vista para o mar, Olinda e S Amaro, em Fra-
de-Portas no principio da ra do Cuararapes vindo da
cidade : os pretendentes dirijio-se a ra de Apollo,
armazem n. 22, de JoSo Jos Rodrigues Ludler.
= Anna Mara da Conceicio faz sciente ao respoi-
tavil publico, que ahiio, no dia lo de setembro. urna au-
la de ensinar meninas; na qualpromelt> ci.sinar com to-
da exactidio a lr, escrever, contar perfeitamente e co-
zer todas diversidades de costuras ; assim como borda-
dos de lavarinto, faser fires de todas as quaiidades e
narcar, vestir anjos vivos c mortos, e mais prendas com-
petentes, por prei;o de I j rs. mensaj : quem do seu
pre.tuno precisar, dirija-so a ra do Padro Floriaono
o. 63,
= Af pareceo a 13 do corrente, nm casa do Sr. Fre-
mont. um moiequo de nome Francisco, de 12 anuos de
idade, pouco maisou menos : quem lur seu dono, po-
de dingir-se ao Alterro-da-Boa -Vista n. 5. Avisa, que
nao so responsabilisa pala luga do dito moleque.
es Aluga-se o segundo anda da casa n. 00, da ra
da Cruz do llecile, com commodos sufficientes para
urna familia : os pretendentes dirijio-se a ra da Ca-
deia do Recife n. 40.
= Quem qui/er comprar travs de boa qualidade,
com o comprimento de 40 45 palmos, o de grosso
para mais de um palmo am quadro, falle na ra da Ca-
deia -Volha do Recife, loja n. 48, ou na ra de S. Gon-
zalo nq sili de Francisco da Silva, aonde csto para se-
ren vistas.
= A pessoa, que, ba quinze dias, foi na ra da Ca-
deia-Velba do Recife, casa de l'rancisco da Silva, bus-
car a chave de una casa do mesmo, sita na ra Imperial
do Alterro-dos-A logados, para vOrse Ihe ngradava, para
alugar, queira fazer o favor de levar a chave a mesma ca-
sa aonde a foi buscar, ou entrega-la na loja n. 48 na
mesma ra da Cadeia; pois que a demora, que tem ba-
vido, tem sido mais que ufJJcieote para ter visto exa-
minar a can.
sea* Pergunta-se, se quatro bilbostres, que pagio pa-
ra casaoar no tbealro publico, teem direito de pertuibar
a maioria da platea, e se nao ser bein leito, que vio
parar com os ossos na cadeia, licando expostos ao ro-
sontioiento do publico.
O Baslo de S. Gonzalo.
= Um Portuguez, que assislio ao espectculo de i
do corrente, e que nao cassoou no ti.catio, declara que
nao Ihe servio acorapuca, oem- a outros muitos l'or-
tuguezes, cujo comportamenlo os faz dignos deste ne-
me Portuguez; pois os ataques e insultos, que pos-
sao ser dirigidos pelos taimas, tanto da capocira de l'er-
nambuco, como da coelbeira do Iio-iie-Janeiro, s
pdem caber quelles, que os provocao edellcs se fa-
zem dignos, como negros novos por quem espera
A Cruz do l'atrto.
= D-se dinheiro a premio com penhorea de ouro,
mesmo em pequeas quaatias; na tua do Rangel,
o. H.
AO PUBLICO.
Antonio da Silva Gusmio, tbesoureiro das loteras do
ihcatro publico desta cidade, das das matiizes do San-
tissinio Sacramento da Doa-Vista, e.S. Antio, e das de
N. S. do (uadelupe de Olioda, declara, que tem con-
cordado com o actual thesooreiro da lotera do semi-
nario em retirar os aununcios sobre a do theatr.o, para
por este meio facilitar a prompta venda e extraccio dos
billietes d'aquclla lotera do seminario; e, logo que se
realise o andamento das rodas desta, ser inmediata-
mente marcado o dia infallvel para a exlraccao da lote-
ra do dito Iheatro, seguindo-se depois desta urna es-
cala regular, e invariavel acerca das rodeadas demais
loteras, de que be tbesoureiro.
= Aluga-se una casa terrea na ra Relia, com duas
salas duas alcoias e um quarlo no centro da casa ,
cozinba fra quintal e cacimba : a tratar na ra do
Collegio n. 15, segundo andar.
=-- Qualquer pessoa quequizeram moco solteiro,
que presta banca a sua conducta para ensinar as pri-
meiras le tras lora da praca, annunciesua morada, pa-
ra ter procurada.
= Vicente Thotnaz dos Santos, tendo de retirar-te
j;e?*
Ibaaaeni, poraan Jminario! ba muito (empuan haferio
na Sicilia um Ingles. O sen eoo.-ol be um honiem
toda a prova, e se eu nao fra Caalron, quizera ser
Laziaro.
Maaemfim, vejamoa, quo se lem decidido? ini-
nbas natraecOca o cumprida?
Kisaqui. Escoll.eo-ae para o Te-Ueum amanha a
igrejj de Sao Francisco por licor I unge do palacio e dar
I el-rei occanio do travessar a cidade; ana prcaeiica
prudiiiii'.i un boin eSeilo, detenvolvendo a culera popu-
lar, quo be o que preoiaataos: qnando o animal estirar
furm.o, B.|t,i-lo-lieni", vereino. Os Ingleiea ola pu-
dein ileauoiiliar de urna olemnidude religiujn ; nossas
medidas cato tomadas para quo nniliuin eco|ie, c ne-
iibuoi escapari, ae todoa ficrem oaou durar. aiuo que
aoiiunciar a elevac.au aera o lignal da aua murta. O quo
em oulro teropu ae chaniou Veaperna Sicilianas, ana-
anar-ae-ha nu futuruTe-Deum Siciliano.
__ Us correioa que dovein espaldar na Sicilia eata
grande noticia oatio prumptoa?
Estarlo a hora precia, e roarO i primeira bade-
lada do sinu como um bando de poinbus viajantea; uos-
aos bravos Calabrexca a oaperao ease aemeuto para uu-
inecareni a chacina. Milaizo, Meaaiua e Syraouaa no
darao noticias suat. ETrapani? EMazzara? Ah! aignor
mais bem feito que he posM*
vel : na ra do C.ibug, loja
de i'azendas, ns. 4e0.
=s Aluga-se a casa tarrea n. 3. da ra da V'ira-
vio : a tr&tir na ra da Praia, n. 43.
= Quem a'nnunciou no Diatio de Pernambuco ,
querer comprar uina venia nova, dirija-se o Joaquim
Pereira Jacome que tem urna embargada as Cin-
cn-Pontas, n. 160.
= Arrenda se umsitio pelo lempo defesta, ou an-
nual com grande casa para numerosa lamilia no
lugar dos Remedios com bou banlio no fundo do
mesmo s to : a tratar na rus Augula.n.o.
= Lava-se e engomma-se toda a qualiJade de rou-
pa com perleicio o por precu mais barato que em
outra qualquer parte : na ra da Viracao n. 5.
s Alugao se 3 casas terreas no paleo de palacio
do governo ns. 7, ) e 11, : os pretendentes dirijo-
se a ra da Cadeia do llecile loja n. 40.
= Koga-se por obsequio, a pessoa, que por en-
gao lrou um masso de carias do correio vindas do
Norte, pelo vapor Imperatriz chegado em 31 de
agosto, para Joaquim Pereira dos Santos CJueiroz ,
cujo nome foi publicado em o Diario de l'ernambucu
do primeiro do correte ino/, que, sendo queira resti-
tuir pJe entrega las na botica do paleo da S. Crur
da Boa-vista que aera recompensado ou deita-las na
caixa do mesmo correio.
= Eusina se grammatica latina com toda a perlei-
cio e em breve lempo ; e da misma sorte philosopbia
e rbetorica : na ra Nova n. 52, primeiro andar.
Fnsina-se pnuieiras ledras, laliin, francez, e
msica, a 2000 rs. por mez ; e recebom-se tambem
internos, a MaOOOrs. mensaes, sob leves condicoes : as
pessoasque prctenderom, dirijio-se a ra larga do Ro-
sario, n. 48, segundo andar.
= Arrnda se, para so passar a (cita um sitio na
Crui-de-Almas de Ponte-de Lcboa com boa casa
para grande familia eccheira estribara, quaito pa-
ra prctos boin pomar de boas larangeiraa muito ca
t, c outras tr.ais fruleiras com banho no ro Cap-
barbe ,'Vmwfipeito : a tratar no hospital de policio
com o enfermeiro do mew.vo, .
= Precisa-se de dous pequeos Portuguezes de
idade de 10 a 12 annos. paracaixeirs dv !j.a venda
fra desta praca: na ra de S. Rita-Nova, n. 91. -
Aluga-se urna boa casa terrea na povoacio do
Monteiro para se passar a festa com duas grandes
salas, -i quartos dous quintaei murados e porlao
para o rio cacimba cozinba lora quartos para pro-
tos estribara para dous cavallos; quem a pretender,
dirija-se a lioa-Vista, traversa do Veras, sobrado n 13.
= Aluga-se o terceiro andar do sobrado o. 10, da
ra do Queimado ; a loja e o segundo andar do laquei-
ro na ra do Amorim : a tratar na ra do Queimado,
loja n. 9.
= D-se dinheiro a premio sobre penliorcs de ouro,
ou prata ; na ra do Hospicio n. 1.
- llercu'ano Jos do Freitas faz sciente a todas as
pessoas, que Ihe teem empenbado ouro e prata, coma
condn.ao de que, so os nao lirarem, ficarem vendidos,
que, nio querendo valer-se desta condi(ao, roga as u.es-
mas pessoas, que os vo resgatar, no prazo de oito
dias, da publicarlo deste: do contrario, vale-seda
dita condicao; pois que, ha muito lempo queestio
vencidos. E como muitos Srs. julgio, que, como eu
me nio tenbo valido da dita condicao, devo espe-
rar todo o tempo que elles quizerem ; por Isso Ibes faco
certo, que, so no prao marcado os nio verem tirar,
os passarei a vender, sem isuncio de pessoa; pois nio
posso esperar por mais tempo.
Trocio-se duas imagens, sendo urna de N. S.
da Conceicio do pedra da Babia e outra de N. S.
da Agrella muito perfeita ; oa ra da Senzalla-Ve-
Iba n. 142, segundo aodar.
O abaixo assignado, fabricante de chapeos de sol,
no Passeo-Pblico, previne ao respeitavel pblico, que
elle acaba de receber um sorlimento completo de cha-
peos de sol, de (odas as quaiidades, tanto de seda, co-
mo d'algodo ; ello tcm tambem chapi os de sol para
senboras e meninos. Adverte igualmente, que, ten-
do as sedas, as mais ricas, de barra lavrada, furia cores,
lisas, iic, &c., est no caso de satislazer qual-
quer encommenda, com toda a presteza ; elle possue
tambem algodao trancado, liso, e de toda as quaiida-
des dos padies mais modernos: elle, em lim, cobre, e
Moc-Farlanc, preparai-vos a ajiislar omitan do principal
8juros, i ni boa inni-il.i. Quanlo aCalauio.....
Calani ao a inio dizrcapeitu. Eiaaqui o oflicio
para Caatoru,
V. iii;;ct.ido quer iliter o iniian Brano ? .
Coiu cite i lo, o estar no enderesso, o verdadeiro do aegredo du Es-
tado.
A calo palauras calou-se, e ficuu pur al^um lempo
em proiiiiida nieditacao, acm que o audaciuso Castron
lumuau perlurba-la. Depois erueudu->u du repente, e
pasteando, como a panthera em gaiola, no acaudado oi-
pa,:u em que ac aobava encerrada i
Este erperarbe lerrivel, cxclumou como quem fal-
va enlre ai; nio posao por mam lempo so ti rer o suji-
plicio da iuiiiKibilidadc. lie preciso que uuauia, que
ande. Castron, queru ir Paiermo.
Esla nuuie?
Neale inalantu. Aa treraa favnrecem u mea incgnito,
e por iiiini niciiia jnlgarei aattiapuaicea do povo.
Caatron, liel aua poltica, nao ie atreven u doap-
provar dircctanienle (to paasu arriacadi) e mull, pur
que fra um meio du fortificar a ruinba na aua aubita re-
solucAo : toiiiuu pois, para a diisuadir, as lorluotaa ra
da diplomacia.
concerta todos os chapeos deso, or. a maior perfei-
(io, e promptidio. Joo l.oubst.
Roga-se n ;< ,on que live'r dado
acolhitnetito o:: ,..< Irnln noticia do tnti-
tatinho por nome Agostinho, e tjue ulti-
mamenlese acliava em casa do i>r. Jos
I,azai v no aterro da Boa-vista, o c|ti1
se inculca lorio e de nome 31nnoel, dade
14 annos pouco mais ou menos, bem iei-
lo de corpo, e bonito, tendo as pern.is
um pouco arqueadas; cantorolleiro e ex-
pressivo : liajn de o mandar rux da
Cruz n. 9, onde ser gc'noosamenle re-
compensada.
Casa da Fe\
Ra estroita do Rozario B. 43.
= O abaixo assignado tundo estahelecido, oa for-
ma da lei e decreto n. 357, de 27 de abril de 1844,
artigo 35, urna casa do venJer bhetes e cautellas
de todas as loterias desta provincia prcstindo pur ta-
ta venda fianca como marca o mesmo artigo 38; con-
vida a todos os quo gosto deste jo^o a compraren)
as suas cautellas ; cujas se acbao garantidas com a sua
Nanea a lim de que os promios, que cada um livor
do tirar, sejao no dia marcado pagos a vi.Ua das mes-
illas cautellas, e na mesma casa.
Presentemente as cautellas quo se achao a venda
sao as do Iheatro publico por ser a primeira lotera ,
que esl garantida com a lei cima na qual nio ha-
tera nullidadc por ser o seu tbesoureiro respunsavel
por qualquer abuso uu falta que houver do ai parecer.
Brevemente se annunciara o cia mu que devem andar
as rodas, pela grande axtraccio,900 esto tendo as cau-
tellas por serom de diminuto pteco qun a todos
convida a sua compra. Os precos dcslas caulcllas sao :
decimos a 1^000 rs. e vigsimo! a 300 is.
I.nurenro JuBc Itomdu de Lunna.
Achando-se o abano assignado mu distaote dol-
a cidade; nao sondo assiynanto dos jornaes, c nem ten-
do correspondencia alguiua; nio soubn do annuncio,
ublicado nesto Piano, n. 157, do 18 de jtilhopro-
ilmo passado senao agora ; e presando muito a sua
honra, que ah he nuculada pelo Sr. Severino Jos
de Meiidunca, quando di/, que ninguem faca negocio
com o mesmo abaixo assignado, i respeito de dous es-
cravos, Domingos o Francisco por poitencerem a
elle Sr. Severino ; apressa-se a rcpellir a ideia desfa-
voravel, quo, sem duvida, delle leiio formado ai pes-
soas, quo o njjo conhecem, scientificando-as, primei-
rameole de que esie Sr. he seu sogro 1 o em segun-
do lugar, que em roio de seu advogado, o Sr. doulor
Ionices, no pateo do Collegio, n. 6, oxiltem os ttu-
los, por onda boje possue osescravos mencionados; 01
quaes ttulos serio patenteados i quem os queira ler,
Recife, 12 de setembro do 18 iS.
Manuel Ferrtira Alendes GuimarStf.
Frederico Chaves, fabricante de licores e
de todas as quaiidades de espirilos,
con "/abrica no atierro da Boa-
tem sempre grande sorlimnisde licores finos e or-
dinarios de tedas as quaiidades, cbnV jmuito ricos letrei-
ros dourados do vanas cores, e cotn bocea "TfJeada, em
garrafal pretas, verdes e brancas, todas iguaeV^-ftit,
piceos muito commodos, para vendas e para exporta-
Viii; tambem tem verdadeiro marrasquino de Zara, vi-
nbo de caj, da Madeira em garrafas e em caixai de
urna duzia, genebra em botijas e em caadas,ago'arden-
les do reino, de Franca, e de anis em caadas e em bar-
ris, espirito de 3(3 graos em garrafal e em caadas,
champes linos para refrescos de toda ai quaiidades, e
da verdadeira resina do angico muito bom para o
pcito; aprompta toda e qualquer encommenda para a pro-
vincia, e para fra delta com todo o asseio ; e respon-
do pelas boas quaiidades de todos oa lquidos que se
vendern na mesma fabrica : ai amostras sio franca aoa
compradores.
Rap vinagrinho.
Este superior rap torna invariavel a tua qualidade,
por nio mofar, nem seccar; nio Fre o nariz, nem pro-
duz irritaedes vertiginosas, porque a ma composicio he
a maii limpies possivel. A geni estima qua tem tido
este rap pelos apreciadores de urna boa filada, e a ap-
provacio que a respeitavel tociedade de medicina Ihe
roncedoo, rematio o sou mais completo elogio.
Novas fornadas deste excellente rap, com a cor mu
escura, se acbio i venda nos depsitos da ra da Ca-
deia do Recife, n. 50 ; praca da Independencia n. 28;
Atierro da Boa-Vista n. 10, e Atierro dos A logados n.
209, aonde se vendo a 1,000 rs., a libra, de o libras
para cima. O embrulho deste rap be azul, e os rtu-
los bramos.
= Precisa-se de urna prssoa que escreva certo a
tenba boa lettra para escrever em urna casa de com-
mercio certos dias na semana ; quem estiver nestas
circunstancias, dirija-se a ra da Madre-de Dos ,
n. 5, primeiro andar.
3*MmmsenjBM< jnmmjMMimmnmKtmrmm*iMmllnwi
Vou preparar 11 'avallo de V. magestade, retpon-
deo elle diiiulu um pauso paia a piula Pcrcebo que quer
ver tinto por cus proprius oldoi, o cu ja Id'o douvera
proposto se nio pensara quo V. magealade quereria an-
tea deacancar boje, e ir amanilla i Palermn.
Tratu-10 bem de repouao E puntu nio iria ca
esla noute.
PorqueanianhJa nu inonii-ii'.n da aefo, a inripe-
da oppariciu de V. magostado seria um ailjutoriu do con
para oa iiuaaoa amigo* o mu raio para os noaioa iniui-
go*. Ella decidira a victoria pulo nuasu lado, no c.mo
de 1111 erleia. Ao menm lal era a minha iilein; mas 0011-
hiriiio-iue si'iu discuasaii i opimao de V. magealade.
Slo t.ild.iva jusleza a ideia do Castron, C.irolina que
era perspicaz, o reoondeoeo imiucdiatanicnte e socriri-
cuu-lhe a aua sem desil.-irlo.
Crciu quo lena razio, replicn ella, riepoia de ha-
ver rotluctido iiur alguna inslantea : acoiiaelliara-me mal
a iiiiulia impaciencia, lie maia prudente deixar isln pa-
ra amauliiu; oonio me vai parecer longa esta iioiile!
Mas tambem lie a ultima.
A ultima I... repetiu ella com concentrada vuz. A
ultima!
(Cntinuar-te-h LADO
r
**


4
A]upSo-f3 aitioi por anno ou par pssr alescravopcea de 20 snooi, ptimo canociroe bolie-
lesta naPonted' Urlia, dcfrontc do sitio de Fr.: -Jro ; '2 dilot de 22 annos para todo o servieo de cam-
cisco Anlonio de Oliveira a |uem qualquer pretenden- po e mesmo para a prega : na ra das Cruzcs n.
tese p-'di-ri dirigir.
Precisa-so, para Ira da provinc;a, de urna pes-
sog hnbilia la para a-s-r,: r um enguajlio, o quetam-
hem r.o; beca prrfeitaincnte da lavoura de canna e do
fabrico de a sucar, fazse-'he lom partido: quem qi.i-
Mti tu, dirijs-se a Olinda ra re 5. liento ,
sobrado n.
a !.i:.c|n-ge s... er a n.orada o Sr. Jos de Tor-
res franco Bandeira de Mello vindo do Rio-Grao-
do-do-Norte.
J. I> da F'inseca Jnior comprou, por contado
Sr. Manoel Goni-alves Fereir Nina o bilhete n.
1737 da prinieira parle Ja 18.' lotera do seminario de
Olioda o por urdeni doSr. Jos da Silva Ballhazar ,
o conta ilos Srs. Balthazar Oliveira o bilhete n.
vi!), e Aa conta dos Srs. Valle & Soares, o den.
3"2S, du mesmo lotera ; os quacs ico em poder do
ennuniante.
Aluga-se u:n escravo ptimo pndeiro, pilo pre-
i.o de 12 rs. mensacs ; na ruaestreita do llozario .
i). 22, jrimeiro andar.
Aluga-se o segundo andar do so'urado n. 3 da
ra cstruta do Bozario : a tratar no primoiro andar do
iiic.-ino (obrado.
-- Eogomma-sc camisas do bomem, auO rs.; cal-
cas, a '00 rs ; ja (idao eporfei(,'3o ; t. riilxin se manila levar cin casa de
sen donos : na ruadas Larsngeirai i). 15.
= Qaam precisar de uro administrador para enRO-
nlio, que tcm eseravos e entrara com cll'S u
p] otar no mesmo engeoho de levrador, dirija-so a
ruadeS Amaro, n. 0. O propietario pode (icar
scnicuidado.cn> o tnnuncianto tomando conta do cn-
genho ; pois tcm bastante pralic.
= O menor Antonio Moreira Lopes natural de
Braga solteiro, de idade do 17 anuos retira se para
a ll,ilila.
Compras.
= Compra-se um diccionario j usado ; na ra
Nova n. 25.
Comnra-s1 urna rola de Ilamliurgo, sendo ma-
cho c branca ; png:i-se bem : na ra da Cadeia do
Kccife, loja ii. 37.
= Cuinpro-se duas escravas de idade de 20 an-
nos que tenhJo honit'S figuras, para o servieo do
campo ; na ra Direila, n. 3.
n= Comprao-se eseravos de ambos os sexo, pardos
opretos, de idade at 30 annos; na ra estrellado
Itozario n. 3!. primeiro andar.
33 ComprSo-se, para lora da proviBcia eseravos
de 13 a 20 annos sendo de bonitas figuras pagao-sc
bem ; na ra da Cadeia e S. Antonio sobrado de
um andar de varanda di! pao, n. 20.
= Compra-se una armario de loja que seja toda
envidracada ; quem tiver. annuncie.
Compra-se urna preta boa cozinHeira tanto de
massa como do forno ; na ra das Cinco-Pontas loja
de ourives n lo.
Vendas.
J>a loja o. 4 da praca
da Independencia, vndese
rap princeza de Lisboa em
boles e n.eios boles, chegados
prximamente em o navio
i .;
';oi e Iiaralo I
=\ endem-sc rquiuitnoi corles de riscado cbinez ,
do iGcov.idos, a ijOt) rs. o corte, nscados franceses ,
moito finos, a 220 o 300 rs. o covado ; superiores cor-
tes de chitas multo linas, de i3 euvudos das mus mo-
dernas a 3200, 3500, 3800 e 4500 rs.; cortes de
ditas com 10 covado escuras a iUOO, 1800 e 000
rs.; linissimoa corte* de tarlatana muito superior, a
-oOO rs de gosto o mais moderno; cortes de novos
padres de casia chitos trasparente*, de muilo bom
gosto a 200 e 2500 rs. ; casimiras de inulto bom
gostj para calcas, do superior qualidade de quadios
e listrus u 1200 c 1 iUO rs. o covado ; brelaulia de
rolo, alGOO. 1800 e 2000 rs. a peca ; esguiao de
superiur qualidade c de puro linho multo lino u 1500
rs. i ara ; bretaoha du vaias, de linbo puro lina,
a 2800 e 3200 rs. ; supeiiui luslo branco a ls.rs. o
covado; pecas de bretanha de Franca de i p..lmos
e meio de largura de qualidade a mais superior sen-
do de indo puro, de 0 varas e mcia a OoOO rs. a
peca, muito lina tal e qual ao esguiao ; brelanha de
linho muito fina a 560. 040 o 720 rs. a vara ; tu-
perior brim trancado branco do puro linho, muilo ti-
no a 1000 o 1400 rs. a vara ; panno lino azul o pro-
to a 2500 rs. o covado ; setim de Macao preto para
collele de superior qualidade a 3200 e !.'" r.-. o
covado ; chitas a 120, 140, 160 o 180 r. o covado ;
ditas linas escura a .220 o 240 ris o covado i
pecas de chitas, a 4500, 5200, 5500, (000 e 0500 rs.,
escuras ; madtpolao, u 150, 160 e 180 ra a vara ; di-
to lino a 200, 220 e 240 rs. a vara ; madrasto lino ,
a 280 rs. a vara, e a peca muilo lino, a 5200, 3400 e
5500 r*. ; superior madapolo enfeslado a 5800 rs.
a peca ; madapolo a 2800, 3500 e 3400 rs. a peca;
dito fino, a 4000. .200 e 4600 ra. a peca ; chales de
la e icda muito linos e grandes, a 4500, 4HG0 e 5000
rs. ; chadrez de linbo, de muito boa qualidade e pro-
prio para aqueta a 320 rs. o covado ; alm destas Ca-
lendas ha outras muitas de superiur qualidade por
barato preco: na ra do Collegio, loja n. 1, de An-
tonio de Azevedo Villaroucooi lrinSo.
= Vende-so muilo boa familia, a 3200 rs. cada sacca;
na ruado Crespo loja de Antonio da Cunta Soares
Guiiiarats n. 15.
Vende-se urna pardinba de 20 annos, do boni-
ta figura engomma, cote, faz renda co/inha e lava
de sabao; duas escravaa de 20 a 24 annos com habili-
ilade e urna dellas c m um lillio moleque do 7an-
annos; 3 escravas mocas para todo o servido;
urna cabrinba de 13 annos cose fa renda; urna
negrinha de 7 annos; tlou molequet de 13 annos ; I
22, segundo andar.
= Vende-se um piano inglez de boas vozes ,-*
da mclhor construcc&j ; na ra da Aurora collegio S.
Anlonio.
= Vendem-se moinhos de pedra ; no largo do L-
vramento venda n. 20.
= Vende-se urna armaban e pertcnces de urna ven-
da lita na ra Direita, n. 32 ou aluga-se a casa ,
onde esta a mesma venda ; na ra do Livramento, ven-
da n. 20. 1
^=Yende-sc o segundo volume do Archivo Popular,
por preco muito commodo ; na loja de encaderna^ao ,
defronte do palacio.
Altrnfo ao bom e barato !
= Ycndom-M na travesa da matriz n. 14, em
haixo obras de ouro de toque de 14 e 16 quilatea ,
vindasdo lo-de-Janeiro bem como brincos, alun-
les um grande sortimentn de annois mcios adere-
ens flores do cabeca botes, coraces allinetes pa-
ra homem, cordes traacelins ludo de bom gosto ;
lambem se trocao por ouro e prata vclha e vendem-se
tanto em porco como a retino, por prego commodo ,
por ser para liquidacao de contas : est aborto desde
de manliaa ot as 5 huras da tarde.
r= Ycndem-se aacess de ferinbl muito boa e no-
va u 3100 rs. com alqueire da medida velha ; na
ruada Cadeia-Velha n 47, primeiro andar.
= Vende-fo urna preta sadia e de bonita figura, para
todot) ervijo menos de cozinha; na ra do Hospi-
cio casa n. 1.
Yende-Sc (arinha de mandioca muito fina de
na em aaccas e de S. Callinrma, e S. Matheus,
pela medida velha : ludo por menos prego do que a
bordo visto nao se ter de pagar o enorme tributo
da intitulada mandinga, aos preius canoeiros : oo caes
ilo Collegio, ai iii;i? ir: oe porta larga.
= Vendem-80 12 cadeiras e duas banquinhas de
jacarando modernas ; una cama com colchos ; urna
mesa de janlar; tudo com pouco uso : na ra da l'raia,
n."22.
= Vendem-se as obras completas de Mr. de Prdt ,
em 28 volumcs; e o compendio de historia romana p<"
Lcsicur, por mdico preco : na ra da Cadeia-Yel:>a>
loja da viuva Cardoso Ayres.
=Vendc-se uina prelado idade de 35 annos co-
zinha o diario de lima casa ensabua e vendo na ra ;
na ra de Nogueira n. 27.
= Vendem-se lacas e garlos de mesa, do verdadei-
ro cabo de ohilre de viado chegados prximamente ;
na ra Nuva luja de ferragens, n. 41.
= Vcndc-secera de carnauba, couros miudos cor-
tidos gomina de amula por preco cominodo ; na
ra da Cadeia, n. 2.
= Yeiiueiu-se os retratos dos Srs. Caotano Mara
Lopes Cama, e llenrique Marques Lisboa a ;i r>.
cada um; na praca da Independencia, linaria nj (i e .8
=Vcnde-se um moleque de nac,aobde lunilla fi-
gura proprio para quaUyuer ofh'cio ; um pardo sapa-
leiro de bonita (urg o pioprio para pagem na
ra Augusta n. 3.
= Vende-se farinha de mandioca muito nova, che-
goda ltimamente de S. Matheus, por proco muilo
commodo ; a bordo das garopeiras A. 5. da Pcnha ,
/Y S. da Pena, e N. >. da Ajuda ; mas para com-
modidade dos compradores data-se na ra da Cadeia
do Recite n. 40, aondoexistem as amostras da quali-
dade
= Vende-se potassa muito nova o do superior qua-
lidade em barril pequeos: na ruu da Cadeia du
liedle, armazeii de ussucar, n. 12.
= No cscriplorio de Irancisio Sevenanno liabello
ilv l'illio DO largo da Assembla, vende-se cal Virgen),
chegada prximamente de Lisboa em caixas pe-
quena?, o li rucas.
= Vende-se muito boa cera para groja chegada
ltimamente do liio-de-Janeiro ; na la da benzalla-
Velha n. 110.
Venoeui-se sacras com muilo boa farinha do Ma-
g u 4500 rs. ; na ra da Cadeia do S. Antonio ,
n. 19, deposito da iiccsir a.
= Vendo-so azeite do carrapato de nieia caada
para cima, a 2240 rs. : na praca da Boa-Yista, n. 13.
= Vendem-se sellins inglezes para montana de bu-
llicio e senhora cahecadas rolicas ingiezas e Irance-
zas ditas chatas, brancas e de lustro talins cana-
nas, barretinas, plumas, choroes, bandas ricas e infe-
riores espadas prateadas o de ferro com roca e sem
ella corrame de lustro barretinas para suldados ,
couro de lustio muito superior marioquins de to-
das as cores tiavesseiros du marroquim colchos de
dito, ditos de panno do algodo e de linho, cheios de
cai no e laii ludo pul precu mois commodo do que
rm outia qualquer parto ; as lujas de Joo da Silva
raga na ra da Cadeia do Recite, n. 49, o na ra
Nova, n. 5. Na mesma loja precsa-se alugar um mo-
leque de idade de \' a 10 annos para o servieo de
una casa de pouca familia.
- Vende-se cha liysson em caixa de 13 libras, em
purcese aretalho; em casa de Matheus Auslin & C. na
ra da .-lllandega Velha n. 36.
= Vende-se urna saltado prata muito rica para
6 cupos do agoa o tambero pJe servir para levar vela
em igreja para baptizado: na ra da Senialla- Velha,
n. 142, segundo andar.
\eude-sc, ou arrenda-so o engenlio Cuicira ,
sito na comarca deNazarelh j o i|ual lem ptima Ier-
ra e excedente malta : quem o pretender ,' dirija-se
a cidade de Olinda casa de Manoel Antonio dos l'as-
sos o Silva seu proprietario.
a Vendem-se, na olara n. 59 da ra da Gloria,por
delraz do sobrado do Sr. Jos Joaqun) ISezerra Caval-
canti muilo boas lelhas ladrilho, tapamcnlo largo
e eslreiln de todas as marcas mriores, que as das ou-
tras otarias e pur menos do que ero outra qualquer
parto.
= Vende se rap do bandeira, muito semelhanle
ao do Lisboa em frascos de urna libra a 1400 rs. ,j
o i in botes de um libra a 1280 rs. etambem meias
libras o quera ;' muito bom cha hysson ; excedentes
cliarulos; e mullo laudavcl rap a innta<;ao oo uso dos
religiosos da Penda : na ida eslreita do Rozario lo-
ja n. 6, defronte da igreja.
= Vende-seo deposito de assucar do Atterro-da-
Boa-Villa n. 70, com todos o leus pertenec, ou
com parle dellei : a tratar ni mesma caa.
= Vende-se urna escrava erionla que enlendc da
cozinha e de todo o servieo de uma cosa ; na traves-
a do I-obsto ou becco do Calcio por detraz la ra
de S. Thercza, n 12.
= Ycnde-se una fabrica de otaria coo cenlo e
tantos palmos de frente para a nova ra quo passaparao
campo do iheatro novo com lugar parase podir edi-
ficar tre grandes propiedades <'e 30 palmos cada urna,
obrando perto de 20 palmos pera um porlio de entra-
da para a fabrica ; a qual tem um fundo de perto de
200 palmos, leebada de muro pelos ladoi, o guarne-
cida, pelo lado do.nur pequeo com um forte caes de
pedra e cal; tendo ptimo porto eproporedea para se
collocar qualquer estabelecimento por ler no centro
desta cidade : a trotar com o seu proprietario, na roa
da Florentina, o. 16.
Vendem-ie 8 eseravos; sendo 4 pretos de idade de
17 a 20 annos, 3 pardas, das quaei uma he costu'eira,
engommadeira e cozindeira; e uma pretinha de idadede
12 annos : na ra da Cruz n. 51.
= Vende-se cera em velos -de libra al 10 rm li-
bra : i tratar com Gaudino Agostinho de Barros na
pracinha do Corpo Santo, n. 66,'e no armazem de
Fernando Jos liroguez junto ao arco da Cooceicio.
= Vende-se uma preta que labe coser, lavar, en-
goinmar e cozinhar ; na ra do Amorim n. 42, ou
no Forte-do-Malto, prensa de algodio, n. 20.
= Yendom-se superiores charutos, grandes c pe-
queo! em grandes e pequeas porches ; latas com
tabaco de p : na travessa da ra da Madre-do-Dcos ,
casa n. 6.
Vende-se um si rlmenlo de tosidas de linbo
adamascadas de qualidade superior com largura de
duas varas e em comprimento duas varas e meia al 5
varas ; vendem se sem guardanapos e com os mesmos ,
segundo a lectura : em casa de II. Mehrtens la da
Cruz n. 46 primeiro andar.
= V ende-se uma escrava do gento, de ptima con-
ducta com duas crias e tendo bastante leite ; a qual
salie engoiiiuiar cozinhar e lavar tanto de vari ella
como de sabao : na ra do Livramento o. 22.
Ycnde-se um moleque de bonita figura ; nal
Cnco-Pontas, n. 71.
Vende-so um casal de cocidos por se ter grande
porcio ; no Aterro-da-Boa-Yista n. 37 lerceiro
andar.
Vendem-se dous eseravos de boas iguri cor-
pulentos e sadios muito proprius para o servieo de
campo ; na ra da Cadeia do Recife, n. 40.
= V ende-so cera do Rio-do-Janeiro em velas de
ptimo sortimenlo por pr Madre-de-Dos n. 5. primeiro andar, casa de Ma-
noel Jos Machado Malliciro.
= Vende-se uma escrava para fura da provincia ,
ou para o mallo ; na travessa do Padre Lobato, n. 18.
= O hiute i. Joaquim-lmperador-dos sinjo$
anda tem para vender urna porcao de farinha j an-
nunciada a 5200 rs. ; delronleda escadinha do caes
do Collegio.
= Vende-seo diccionario de Fonseca, francez-por-
tuguez, com pronuncia figurada ; na tub eslreita do
Rozarlo n. 3. *
\cndem-se chicotes superiores, para carro e
montana; bengalas de canna da India, verdadeira e
emendada; ditas de bamb, de gosto moderno: na
ra da Cruz armazem n. 88.
= Vende-se bulaiinha bamburgueza, em latas
grandos, u 7500 rs. cada lata ; na ra da Cruz ar-
mazem n. 48
= Vendem-se pdosphoros americanos de n. 104,
de superior qualidade; um mastiode pind da Ame-
rica com 74ps do comprimento e 14 polegadas de
grossura : na ra do Trapiche n. 8.
= Vendem-se, pelo preco mais commodo possivel ,
algodaosinbosamericanos, lisos, truncadose nscados ;
na ra do Trapiche-Novo n. 8.
= Vende-se uma linda parda recolhida do idado
de 16 a 18 annos com algumas habilidades; na ra
estrella do Rosario, n. 31 primeiro andar.
= Vendem-se queijes de quolha muilo frescaes ;
cera aniarella ; couros espichados : na ra da Concei-
cao da Boa-Y uta armazem do sobrado n. 8.
Fazendas de bom gosto.
Loja do bom e hdralo, ra Nova, n. 12.
= Vendem-te lindos coites de chita doi maii mo-
dernos e lindos padres ; cassas de boas qualidadei ;
sedas; setins ; luvas ; meiasde todas as qualidade*;
mantas de seda muito bonitas ; chales eiocczei; rii-
cadinbos para aquetas e vestidos ; chapeos de sol do
todas as qulidades : tudo por barato preco.
= Nendem-se 12 eseravos ; sendo 8 pretas de bo-
nitas figuras mocas e com habilidades; urna ne-
griiiha de 10 annos, muilo linda; um moleque de
10 annos, de necau ; um cabra de 22 annos ofOcial
de sapateiro : na ra das Mores, n. 21.
Vende-se um corrame completo para uma csr-
roca decavallo; na ra do Bozario da Boa-Vista, n. 2.
Vendem-se liaros de vime, a 400 rs. ; uma por-
teo de arcos para barricas muito em conta: na ra
de S. Rita n. 85.
Ycnde-se um preto de noci Costa de idade de
20 ann.is, pouco mais ou menos de bonita figura ,
muito robusto e forte ; a vista do comprador se dir o
motivo da venda ; uma armsgio para luja de alfaiale ,
toda de caixilbos de correr a moderna e com pouco
uso : na ra do Oueimado n. 32.
Vende-se urna casa terrea no bairro do Recife :
a tratar na ruaestreita do Rozario, casada F, n. 43.
Venderse vinagre bran-
co nacional a 400 ris a ca-
ada velha : na ra do aterro
dos A logados n. 7.
Vende-se, na loja de J. Cardozo
Ayres, ra ra Cadeia do Recife, urna
obra publicada no Rio de Janeiro ent
i843, intitulada Diccionario de medicina
popular 011 a Medicina ao alcance de
todas as classes da sociedade, pelo Dr.
Clieinoriz, dous voluntes em quarto ,
contendo 900 paginas; preco iosooo ris
brochados, e 1 isouo encadernados.
* Vende-se fardo muito novo
mellior qne lia na praca, por a'56o rii
cada una sacca: na ri>a da Cruz no Reci-
fe ,n. 06, primeiro andar.
Vendem-se charutos primores, rja-
los e outras qualidades, do mais superior
fumo, un caixas de cem vindos da fiahia
pelo ultimo vapbr: na ra da Cruz no
Recife, n. 26, primeiro- andar.
Vende-se farelo em aaccas Le|0
mdico preco de a'56o, 3saoo, eMooo-
na ra da Senzalla-velha n. i38.
Yendem-se chapeos de sol de te-
da, para senhoras e meninas, de muito
bom gosto pelo barato preco de afrjt,
ris: na roa da Cadeia do Recife loja, de
fazendas n. 35.
Vendem-se cortes de seis varas e
meia de cambraia de cor do ultimo m.
to, e com mais de vara de largura 1
4;s'5oo: na esquina de Livramento q. 5,
Vendem-se lencos de cambraia de
linho bordados, muilo finos, a 7000 rs.
cada um ; coieirosde merino, bordados
a 5ooo rs ; grvalas de setim sarja, e
cabello, a 400 rs cada uma ; bicos lar.
gos muito finos e bonitos proprius para
roquetes de padre, a 2000 rs. a vara, es-
taadores muito bem feitos e bonitos \
1000 rs. cada um ; setim maco branco
e preto a 3aoo rs. o covado : na ruado
Cabug lojas de fazendas, de Pereiri
&c Guedes
Vendem-se harria com potassi, da
mais nova que ha no mercado ; na ra do
Vigario n. 11.
Vende-se excencia de anh em
garrafas de ao 011985, por preco com-
modo: no aterro da Boa.-vista na fabri-
ca de licores n. 26.
V- A inda ha por vender um resto doi
bilhetes do Rio de Janeiro, cuja loter
tem tle correr por todo este mez : na ra
da Cedeia-veiha, loja de cambio n. 38.
i
Eseravos Fgidos.
= No dia 11 do corrate nei fugio do engeabo
Caraba na freguexia deTracunhiao) um cabra di
cor (ula de nona Raymundo ; representa ler -.'Gin-
ooi de idade con 01 ngnaei seguintei: de estatura
regular com duai cicatriiM ama oa faea, e outra
nai costil, pernal arqueadas para traz ; leou tbipeo
de palba clcate camisa branca, duai jiquetM itoei,
e uma bata encarnada : quem o pegar, lete 10 Sr.
Domingos Garca oa travesa das Cruies n. 8 ou
no dito engeoho que ser generosamente recon-
peniado.
No dia ti do crtente, fugio um prato de oone
Jos alto leceo do corpo, roito comprido e seceo,
olhoi avcrmelhados, nirit no muito chato a na
pouco aquilino pescoco comprido, cor bem preta,
mloi e ps seceos e eompridoi, falla cheia e gaguei-
ja alguma couia, e, por causa desle defeito, ten por
uostunie demorar-ie as vezes em responder quiodo te
Ihe laz alguma pergunta; representi ter 25 annoi ; tan
muito pouca barba ; e lendo de Angola, lodoso leen
por crioulo por ter rindo moito cranca: elle, ha
poucot diai, foi castigado por um crime que comel-
teo e por no lera cicatrizas fete ai as nidegn. Ella
preto oceupava-te em vender maderai, ou leobt, que
1 airegava em burros, e por isso be bem conbecido 001
arrabaldei deiti cidade. Quem o pegar, lere 1 tta
senbor, Paulino Augoito da Silva Freir, no Arriiei,
que generosamente recompentara.
= Edii noute de 14 do correte, detappareceo o
eteravo cabra acaboclado de oome Luiz reloietdo
do corpo de idade de 20aonoi, pouco nuil oa me-
nos natural do Arecatj ; levou umita da algodio
grnito, ecalcas novat de ritcadinho eoearoado : qura
o pegar, leve a ra da Cadeia do Recife sobrido o,
37 quesera generosamente recompeniido.
No dia 13 do corrente tetembro fugio. do lugar
do engenho Jardirn um mulatinbo de idada da 18
annoi de oome Narciso de bonita figura, bem fe-
to de corpo estatura regular, cor de canalla pna-
cipiando a bucar; tem o braco esquerdo um pouco tor-
io por ter sido quebrado : ette escravo acompiobi-
va seu senbor, do Recife pera o engenho lioa-N itta ,
freguezia da Etcada e estando arranchado no dito en-
genho Jardirn desappareceo levando um cavillo cas-
tanho com a frente aberta pouco carnudo calfaoo
de doui ou tres pt, com cangalba e um uceo con
urna pega de algddioiinho uma porcio de covado '
chita, um chales de metim e alguma roupa diolfo
do dito sacco ; julga-se que o dito eteravo teguio P,rl
as partes da Parabiba por ter filbo de I* a ter 11-
do vendido ba poucos din : quem o pegtr, I"* *
ra dat Cruzet da freguezia de S. Antonio, o. H, V
ser generosamente recompensado.
7= Detappareceo, no dia 13 do correte oo* Pr'"
to crioulo que foi do Sr. Francisco da Barro B*fi
aenbor do engenho Saub com os tignaat saguinu*:
boa figura; porm as pernas um lano arqueadas; olbo
eibugalhadoi ; levou canina de algodio transado, con
mangai sem punhot ceroulu de algodio fiao ,
parecem de madapolio, e con pridas como calec,
botes prets no cs calca do bata aiul, outn
riicado aiul e imarello panno da Costa e cbapao
palba novo: quem o pegar, leve a ra do Catoga,
16 que aera generosamente recompensado.
e 01 pian* i natyp db at. r*
DBFAM4 I 45*
MUTILADO!


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ECUMJ6OG6_H5I17F INGEST_TIME 2013-04-13T01:16:46Z PACKAGE AA00011611_05865
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES