Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:05852


This item is only available as the following downloads:


Full Text

Un no de 1845.
Sabbado 50
I o dMK/O r<'l>li-*.lodos osdlasrrne
I nforem de guarda-Vprcco da assigna-
I" ,ho de 4/rs. por quarlcl pagos lumia-
\f; fl nm.uncios dos asignante, sao inse-
r,, ranu. do 20 iris por liaba, 40 rs. cu.
lno.nrrente, c as renpS0es pela nielado;
II!. nuc niio foreui aSls-nnte pagao 80 rs.
|~.r linlia, c 160 cm tyr" d.rt'creute.
DE AGOSTO.
iiiu. da inanhaa.
M minutos da tard.
' i, -i 17 as lOlior. c 57 roiu. da ma.
^!i;;oa24a.4bor.o7.n. datarde.
pBASES DA LA |
|l.i.anovaa lias 5W
Vescouiea 0as8*
PARTIDAS- DOS COBIFIOS.
Colanna, Pniahyba, eRlo Grande do Forte
Segundas e Sextas folias.
Cabo, Si riiuiacm, Rio Formoso, Torio Cal-
vo, c Macey, no 1., 11 e 21 de cada me.
Garanliuiis e Honito a 10 e 24.
Boa-Vista c Flores a 13 c28.
Victoria as Quintas&ir'M.
Olinda todos os dias.
PREAMAR DE UOJE.
!'. iiucira as i li. 54 iniu. da lard. _^
Segunda as 3 h. c 18 minutos da nianbaa.
do Agosto.
pas da semana.
25 Segunda S. luii, aud. do J.deD. da
2. v. e r 2G Torca S. /..felino, aud. du J. do I).
/ da v. o do J. do Feitos. %
' 27 QuarU S. Rufo, aud. do J. de P. da
3. vara.
28 Quinta S. Agostlnho, aud. do Jim de I).
da 2. vara, e do J. M. da 1. e 2. v
9 Sexta S. Adolfo aud. do J. de I), da
1. v. do clvel, do J. dos l'eitos.
30 Sabbado S. Gaudencia, aud. do J. de D.
da 2. vara.
31 Domingo S. Raj mundo
Anno XX V. 02.
CAMUIOS NO DA 0 DK AGOSTO.
Cambio sobre J/jndres. 85'/, a- P01' 1J G0 d.
u -Pars 370 re por franco.
,i ,. I.isbbal20al2jp.c. pr. p m.
Desc. de lo.l. de boas firmas I '/, I '/.. p.J%-
Ouro Onras hospanl.olas :ll#;i(10 a 31/800
,) Moela.lo (i/lOO vol. I8/.I0O a lb#2oA
.. de GMO nov% 1780A 18J000
,, ., de V.100 9/Uf a 0*70
/'rala-Patacos .... 1/0 a 2#WMI
.. Posos Columuarea. 1/980 a -#000
Ditos Mexicanos 14059-a lrfWO
Moedas de 2 patac. I/7H a l/w
Acones da C.' do Reberlbe de 00/000 ao par.
^M.x-1^^ -- "1y^l"^J'jt^^rr^v3B^^SKf^!S
~s9
DIARIO DE FERMAMBCO.
AVISO.
Acuelle doi Sis. signantes deste Diario, que an-
da nao ilisfi?erao a assignatura correspondente ao pre-
lentequartcl, que, na forma da respectiva condi
ees i* devia estar recolhida ; assim como os que teem
deixado do pagar as que ja de muito se acbo vencida ;
' haiao de entrgalas ao cobrador deste jornal, ou de ro-
milicias a praca da Independencia n,be6,
t+&maxm~*tnmwmmm\ uiibiiisbbssjibbj ir w
PABTt 0FF Clftl
Govento da provnicin.
KXPBDIKBTE DO DA 20 D" CoRBEKTE.
Onirio-An Exm. presidento da Babia, pedndo urna
rupia on excepte dos estatuios do respectivo cnlloglo
U.> orplili'.MrticipDU-ie ao coronel Francisco Jos
[Nartiiii, ruja rcqnUCao originou es pedido.
DiloAo commlssario pagador, ordenando, que a
I Gandi Agostiolio do Uarros mando pagnr 180#r. pelo
Ifrrtr do.loa baroucas, qo desio prlu para o du Una
Irondutirao 400 saccas do furinha e 200 arroba do earne,
I mandada ao oonimaiidonte da frunteira do Sul. Con
iniiinicou-sea Gaudino Agosliiih do Barros.
DitoAo nicsm... acensando rceebida a guia do ma
liiir graduado do 1." batalliao de fniiloiro, Jos Antonio
I Piolo. ...
DitoAo delegado de Garniihun, declarando, que os
I respectivo iipiilenle devera ser juramentado pelo pro-
[ sidcnle da cmara daquelle rr.unioipio.
DiloAo preiidciitodo roncclho geral de salubrda-
dc, iitoriandn-o a fuer escotar o rogiilainoiito par a
vacuna deln iidade, quo lubmcltco ppprovacao do
pmidenrii, e n morecco.
DiloAo prinifiro osoriplurario da mesa do coimtla-
do, Antonio de SoUia Re, tgradecendo a ulFerla, quo
Jhe fircra, de uin mappa da cxpurlacao da provincia lio
anuo fiianceiro de 1844' a 1845 : o patciileaiido-lhe a
ma adoiiracao por lio eiiriftda e primorosa obra.
DiloAo juii municipal da pnmcir vara, ordenando,
fiea-pora disposican do cumniandanto das armas, par
seren aproveitadn no servico da timpea da forlalcta do
liruiii, o senlcnciadiis Reginaldo d Ara ujo Wandorley
e Amonio Ferreirada Silva, mencionados "o eu ollicio
de 23 deie me. Partieipuurse ao commissario paga-
dor e ao c'.muinuilanlc das armas.
Parlara Ordonando' ao tenenle coronel reformado
da I.Hatalliao do Po-du-Alli, faca ao seu successor
iiiiinodiala entrega do i-nrtiixaiue, iirii.amcnlo, o mai
i'lijoeliu, de quo, perteurentes ao balallifin, por ventura
esl.ja de pose.
Diln- Cuiioodondo a Mnnoi I Francisco Ramo a de-
raissai), que lolicitun, do poslo de PBpilSO da priltlfir
coiupaiiliia do priineiro baiulbiiu do Po-du Albo.Fui
rif.iiniudo o capitn da legunda coiupanliii. do uiiucio
nado batallifi, Francisco Cavalranli dos Santos.
Commando das Armas.
CIUCULMl.
Enderecando o Reverendo vigario da freguezia de S.
Jos uni convite, por parte de S. Ex Kevm. oSr. bi-
po diocesano, ao biigadeiro conuuandante da armas,
para coiijuuctamcnle'offcialidade desta guaruicio as-
sitircm ao acto solemno de benzer, c collocar em eu
lui.damculo, a primeira pedn da nova matrit; Irans-
niille o mesmo brigadeiio sos Sn. ofliciaos das 4 clss-
es do ejercito, e da cxtincla segunda linha, os desejs
do nosso virtuoso prelado, o espera, quo os melenos
Srs.^ifficioes coinpjiecao na igreja de N. fs. do Terco,
pelas 8 horas do da 31 do correle, como cordialmen-
lc interessador no brilliantismtt de to religioso act".
Quarlel general na cidade do IWcife, 27 d'ugosto de
1845 Antonio Corrtia Stra.
__ PEnfAMBiiCO.
CMARA MUNICIPAL DACIADE DORECIFE.
Illm. e Exm. Sr Conliendo'esta cmara o quan-
w mterrss este municipio a do-appropriai;ao do terre-
no que Icin, na pnca daiCinco-Pontas, o cdadao J 3o
'H'N
CAROLINA A SICILIA. (*)
QUAUTA PARTE.
un.
I* vma ixnxcAqio.
fe vulls ,i Castclvetrano, no estado que lie fneil ailo-
*"aar depois do eu encontr com Rufaclla. toube a rai-
1 I""' a camarihlu-innr, fcininino ceibcru do ex-
ellonic raen, .|ue a procurava em palacio um fraile, cu-
j, (ouj }0 ||lu dYixova ver a .ara, o pie se csperavto
"orden deS. inajrotade para iolrudnzir esie dcscouhc-
'"lu, ou de.p.di-1.
Manduin-u cnirar! diise Carolina com mauifeala
"''"nsi,...;,,, ,1,, |o;ra ; faci,,-,, entrar j.
' ''iri;iu-eBBnedialaniei.le paro o r;.-,binle a fitil do
u receber.
~ Oraemtnl eleWmi'u ind -Hic nu cncoimv logo
*; Vido Uiaio H. 191.
Ferreir da Silva ; vem, em virtude da lei provincial
de 2 de maio de 1844, requer a V. Exc., se digne de-
cretal-, a" vista da planta que agora submette a sua
consideraclo. Sendo a falta de pracas uro dos grande
inconvenientes quesoflVe esta'cidade; qusndo se levan-
tou a planta geral, que IriipproVhda pelo goveino de
V. Eic. coosignou se. una pra?a ao IdrsodasCinco-
Ponlas, que em seu mbito comprebende o terreno do
supradito cidadSo Joo Ferreira da Silva ; c nao con-
vindo que, nesla parte, aquella, planta seja alterada,
forc be, que a cmara prometa a deippropriacao pe-
los termos fegaes, & fim de proporcionar aos habitan-
te daquella porcao da cidade essa nao pequea com -
tnodidade ; visto uio existir por aquella immedices
uma outra praca. e ser a das Cinco-Ponas a nica de
que esta no gozo, hatempo mmemoriaes. Esta nece-
sidade e conveniencia ainda maisse moslro, quando
o terreno pedido se t ja designado para tal mister na
planta approvad, assim como outro, que sao actual-
mente oceupados por edificio particulares; no sondo
possivel que continu a edificacao ncllo, sem translor-
nar lodo o plano' quo lu tracudo uasobredita planta.
Por todas estas ranoes, espera a cmara, que V. Exc.
decrote a desappropristo pedida, lim de que se pos-
sa esta verificar no foro.
Deo guarde a Y. Exc. Paco da cmara municipal
da cidade do Recife. m sesso de 20 d'Agoito de
1845. IUm. e Exm. Sr. concelhciro Antonio Pinto
Cbicborro da Gama, presidente da provincia. Ha-
noel Joaquim do itgo .4i6ujuerat Lwt Francisco de Mello Cavalcanli Francisco en-
tonto d'Uliteira tlanoel Caetano oares Carneiro
Manteiro Manotl Coelho Cintra Dr. Ignacio
fery daFonseca.
Illm. i Exm Sr. Tcndo o doutor J. V. da Silva
requerido a cmara o cumprimenlo do despacho do V.
Exc de 8 do corrente (agoto),que,deforindo a preten-
codesse doutor, juntamente censura i cmara de ha-
ter deixado de cumplir o despacho d presidencia, de
28 de marco de 1844, e Iludido decisoes do poder ju-
diciario, proferida com :onbecimenlo da cmara ; re-
solveo esta, setnpre solicit do intetesse pblico, levar
ao conhecimento de V. Exc., com o respoilo devido ;
que, tendo sido reconhecido, quo a concessao da licenca
para o peticionario edificar do lugar onde pretende, trsi
a consequenle e necesjaria infracto da planta da cida-
de competentemente saoccionada; a qual a cmara con-
sidera .urna postura em vigor, que julga dever respeitar,
como oulra qualquer lei, tanto mais, quanto por V.
Exc. lem sido rila recenlementu reconhicid, e manda-
da observar em casos anlogos ; pois que pela planta o
lugar da pretendida edificacao esta reservado pura urna
praca, do quo tanto careco esta cidade, e cuja ulilidade
pblica ho conhecida por todos; e nesto apuro, encon-
trando a cmara impedimento para cumplir o despacho,
representa a V. Exc., na conviccao de dever antes lr-
tar-e opporlunamenle da desuppropriecao do teinno,
do que concedor licenca com inlracco da planta, e es-
pera a deciso de V. Exc., para deferir ao doutor peti-
cionario. ',
A camera sent profundamente ter sido recriminada
de nao ter cumprido o despacho do governo, de 28 de
marco de 1844 i poi* quo, pelo seu despacho do 17 de
junho do mesmo anno, n ostra que, em cumprimenlo
d'elle, coneedeo licenca, guardadas as posturas, e que,
lendo eonhecido na execuco, quo a licenca traria a
violceo d planta, que incumba icspeitar, licito rre
suspender aexecucao; porque se persuadi nao estir
autorisada para infringir a planta ; e ci acamara nao
haver de modo algum illudido decie do poder judi-
ciario; porque nerr contestou o p. licionaiio o direilo
de propriedade sobre o solo, e nem oflendio a senlenca
e acierdSo, com que elle inslruio o seu requciimeolo ;
porque estas decisoes fomento versrao em dcclaiar-seo
ioderjudiciario ioconipclenle, cm fuco do artigo 73 da
ii do 1. de oulubrode 1828. para decidir quistoes ad-
minislFaliva, e obrigar acamara a conceder licenca,
i
que o fiado cnlrou; que noticias me trai fi. Bruno t\c
Costurn ?
" bruno! ..... Castreo!..... repello o fiado, pau-
sando coro fntencao cada palavra. Quo noines cquo
air.-\iioa...a., na vnssa bocea!
A catas palavras o frade detou para (ras o capu, o em(
ves d., cromita que esperava, reeonbeoeo Carolina qoe
era Fabio. Rccuou onl passo c nao pode conler u.n ri-
lo ; o rosto toriiou-*c purpura, c logo depbs borrivel-
inenle plido ; os olbo vivos c claros dard.javao rain
nincuoadorc, IrcniiSo-lhe os labio brauco, convulsi-
vos, c id uiordia rom furca como pura cnler as pala-
rras violentas quo n:o grado seu Ihe borbulliov.1u do
poilo. A lerrivcis paixos que cm Uoneevino e.oiuprl-
uiira a lauto ouslo, agora n assaliaiiu mais furiosas, e a
OUiiiquiUtao, Co.....seio palpilanle, Bfespirafao inler-
uiillinle, foj ealiir cm um sof sem ler pronunciado um
s6pal.nr.'.
Na ignorancia de qnanto sebnvia pastado em Boncc-
vino, o sol, as imprcssos da Barbar, Fabio aUribui
orprcta todos cites iiioviincnlo de Carulina. Apioxi-
in
Sel
ou-se delln, o pot-so a contor-lbo a soa campanil de
.linonlc, enianera porque baviadeixado o CalB>
brete depois d Biorlaudode dos Sirilano; que n pus
lar por um convento, cujo guardito era seu amigo, ha-
via lidoa.Irsnbranca de podir-ll.e um baUilo, na espe-
ranfB de engallar, como engaara os inimigo, fa-
I vor desto disfcrce e cerescentou, que 5. Jola de Pro-
indicando que ao governo devia esie doutor dirigir-se.
A vista do que, julga a cmara no se ler apartado das
regrasdos deteres, o que muito pelo contrario cumprio
exactamente as sua obrigacSes, curando com telo os in
lerescs do municipio: immerecida e injusta foi por tan
to a "grave censura, que V. Exc. em seu despacho ful-
minou a esta cmara; a qual, so muito respoila as auto-
ridades superiores, nao menos pre/.a a sua propria dig-
nidade, parecondo- Ihe antes censuruv. I o pr.co.limento
do peticionario, que desrespeita e ofTende a um enr-
poratao, que pugna pelo bom pblico, quesemprede-
vo preferir ao particular, a quo por todos os meioi qu.r
o peticin, rio dar preferencia. A ulterior resolueao de
V. Exc, determinar o procedimento dosta cimara, na
presente quesllo.
cos guarde a V. Exc. Paco da cmara municipal da
cidade do Recile. em 20 de agosto de 18i5. Illm
e Fxm. Sr. concclheiro Antonio Pinto Chichorro da Ga
ma, presidente da provincia. Manuel Joaquim do lie
go Albu.uerque. presidento. .uiz Francuco de
Mello Cavalcanli. Francitco Antonio de Olim-
ra. Dr. Ignacio Ntry da Fonseca. Manoel to-
Iho Cintra. Manoel Caetano Soaru Carneiro lUon-
teiro.
SKSS.\5 EXTBAORDlJAIIlA DE 14 BE UMO DE 1845.
Presidenca do Sr. Mello Cntalcanti.
Comnarecrao os Srs. Ramos. Carneiro Monleiro,
Oliveira, e Cintra, (aliando com causa os mais Srs.
Abertaasessio, he lida e approvada a acta d'intcce-
dente. O secretario interino.dando conta do expediente,
mencionou o seguintes ofllcios:
Um do fiscal da fregueiia da Roa-Vista, remetiendo
arelacao. que, em cumprimenlo da portara de 17 de
abril prximo passado, lirara.dos difiranles objectos
subjeitos a imposto municipal.yuefcsoenviadacon-
tadoria, por onde bavia sido requisitada.
Oulro do fiscal de Santo Antonio, participando, que,
lendo eito arrancar, em conformidade da ordem, que
em portara de 26 do mez passndo Ihe fra pedida, a
estacada, que exista no lugar do paleo do palacio do
governo, no lerreiro dest cmara, succedia apparecor a
inesina estacada leila de novo, e que a vista disto dsse
a cmara as providencias, quo juleasse convenientes.
Depois de terein alguna Sr. vereadores fallado sobro o
assumplo do mencionado oTicio. os Srs. Oliveira o pro-
presidente off. recfirfio as seguintes propostas, quo, sendo
postas a votacao cada uma do per si, forao approvadus,
votando contra ambas o Sr. Cinlra; expendendo quanlo
u 2 as razoes, em quo so fundara para assim obrar,
sendo uma d'ellas a do nao lor em vista o requerimento
da purte, cm que pedir licenca para edificar em dito
terreno.
Proponlio que fo ordene o prncuiador, que.do ac-
tordo con. o mlvogodo, trate do defender judicialuunto
a posso do terreno de marinbi, concedido a cmara,
silo no pateo de palacio do governo, cm que pretende
edificar Domingos Antonio Comes Cuimaraes. O ve-
reador, Uliveira.
.. Rcqueiro, que a cmara mando cassar a licenca,
e cordeajao dada a Domingos Antonio Comes Guima-
res, quo loi ohtida ob e subrepticiamente, a lim do
que nao continu a edificacao no terreno demnrinba,
concedido pelo governo da provincia esta cmara. O
vereador, Mello Cavalcant,
O Sr. teresdor pro-presidente,como relator da com-
missaodepeticocs, apresentou o seguinte parecer, que
foi approvado, volando eontraoSr. veieador Cintra.
A commis>odepeticoes, a quem foi presente o
requerimmte do ajudenle do portoiro desta camura,
Manoel Fineira Accioli, no qual, lundado n exom-
|.lo de ler esla cmara mandado pagar ao porteiro o or
denndo do secretario, durtnle o lempo, que estove va-
co o meso.o en piego, pede.se Ibe mande tambem pa-
gar o ordenado de porteiro, que o supplicanto exereco
durante o mencionado tempq, examinando as rex3c'a-
presenladas pelosupplicflnle, julga quo n5o lem lugar
a sua pretenco : por. quanlo, nao marcando a lei do
>-, ... .
cida, seo patrono, bavia por igual modo porcorrido a
Iba, dando no conjurados o signal daexeeooao; que
Ihe exaliava palrioiisnio.o lisongeava a sua vil.ganoac
orgiilho o,la (irUitanca dt vestuario cen o brroe di
vesperas sioiliana.
Incapai de se conler por mais lempo, a rainlia fallou
em fin.
Tcuorgulbo! ex.lanioo; .usas fallar d orgullm,
lo ? Ssbes ao menos o que isso lie ? Sai, quo nunca ale-
la le devano; u que oliamas leu orullio, lie urna misc-
ravcl taidude : por vaidado me Irablsto, e trnbisto a
oinllier que to faltn a vida con. risco da su, c a quem
oovario c vcrgonliosameiilo renegaste exu minba pro-
tee no templo de SegeU> ; fugisle d sua vista como
d'ouirn ves fogiiias duroinha! E fallas cm orgnlbo! Tu
nao ten nem honra I
Rercbera Fabio esl Irovna'da un si!, in io o immoliili-
d.'de du ciupor.i mas ns duas ultimas palavras da rainba
o despertaran do sobresali.
Wcni I.....ra t..... claiuou ergiicndo-se arrebatado;
dssestes que n.'io lenliu nem honra P
Dissc-o. sim, replicou a rainha com friea esma-
gadora, c vo-lo-rrpitu, para que of.o tenhais a menor
(luv.la a tal respoilu. Siiu, deshonrasie-vo; a situaran
em que vos p.uestes prlmeiro para eomniig, e depois
par. com oulra pc ludo. Ousaria tu diter-mc na faco que rslnu mal infor-
mada?
l.-deoutubro de!828, artigo 82, llribuioes ospe-
ciaes aos judaotes do porteiro o polo contrario in
cumbindolhes a execucao do ordem e sertipod* cm-
ra, e deduxindo-se das dispisiioos do cilsdo artigo.que
as obrigacOesdo porteiro o seus aju (antes io cumu-
la tu us esimultaooas, e quo estes sio necesjario* ub-
titutosd aquelles. he visto que nenhuma gratificacJo,
alem do quo percebom, devem exigir, quando omento
cumprem a obrigacOoi, que Ibes estilo marcada por
lei. NSo pode portanto aproveilar o exoniplo cm que
se lund o supplicante, porque nao sao idntica a
especies; pois que, naquelle caso, o porteiro exorceo
luncr,o eslranbas ao seu emprego, o no presente, o
supplicante exerceo funccOc, que sao inherente ao cu
lugar.Etu concluso.he de parecer que seja indolerido
oiequerimento do supplicante. I'.ecifc, cm 14 de maio
de 1845. O vereador. Mello Cavalcanli.
0 Sr. vorerdor Oliveira, como relator da commitsio
.lo edificacao, lo o seguinte parecer, que, sendo posto a
votacao, Gi'ou no todo i rejudicsdi.
A commis^ao de edificacao. a quem loi remedido
o requerimento do Manoel Jos da Silva Guimarae,
examioando o que o suppli.ante allega no seu requeri-
mento, lem de ponderar (i esta cmara, que a planta
dacidado marca uma ra nova no seguimento da ra
do Cebo, a qual parle o sobrado do supplicante em
dnus ngulos, e segu a mesma direccao pelo sitio do
llerculano; e, como nao vio a commisso utilidade pu-
blica nesta nova ra, he de parecer quo se pee ao
Fxm. presidonla da provincia autoriacao par refor-
mar a planta nesta parte, e cm outras em iguae cir-
cuuistancias, quo, pela pratica, so lorom cenhecendo
mpossiveisdeccuiao. Recife, 14 de maio del845.
Oliveira. Hamos.
Entrando cm discusso as condicOes do contrito,offe-
recida pelo cidido Manoel Figueroa de Paria, pela
quaea e obrigaa imprimir.no Diario de l'ernambuco,
as actas das scssOcs desta cunara, editacs, eannuncio,
&e., forao spprovadas com algumas emendas, e com
estas rcmeliidas a commisssao especial, cncarrogada de
eflcctusr o mesmo contrato, a fim de ter se o dito Fi-
-ucra assentia nellas, para depois seren extradis no
litro competente.
Pondorando oSr. vereador Oliveira, que o calca-
mentodarua do atierro da Boa-Vista le estiva dete-
riorando, assim como os trapiches de despejos pbli-
cos em completo abandono, pelo seu estado de ruin,
c a talla da ra do Nogueira entupida sem poder dtr
etacuacuo as agoas de ebuvas, o que muito convinha
ao interesse pblico, quo laes obras fossem conservadas;
deliberon a cmara quo o dito Sr. toreador, como en-
carregado da inspecelo e direcco da compaoliia de
ribeirinhos ficata autorisado a mandar concertar o
calcnenlo do alterro, e a valla da ra do Nogueira,
sertindo-se para isto do aclual cordoador; deixando
por ora de dar-se providencia Iguma sobie os trapi-
ches.
'ni concedida .io Sr. vereador Oliveira a cicuta, quo
pedio, de mimbro dn commissao de ediKcac.lo.
A icqiierinicnto do Sr. vereador Cinlra,reoltcn a c-
mara,so ordenas.' aoeonJoador,toiiuso as dimenics da
inaca da ra do Briim, para se pedir por al'oraueiilo ao
o.ivoruo da provincia, ngeuciando o procurador o eom-
cente lilulo.
Desiinehr.lo-so os rcqucriineiit.il do Jos da Cosa
Pinta, Jos Goncalves Forreira o Silva, Agostinlio Jos
Aires, Agustn!! llcnri.pie da Sil l. Denlo Antonio Io-
miiignes, Domingos Antonio Goibcs Gumiries, Manuel
Ferreira Accioli, Manuel Jos da Silva Cuiiiuaraes, Tlieo-
lo|i.) Joaquim da Cosa, e D. Tlicrc de Jess Mari.
Foi remedido couimissao do sado o requerimento
dej.iao Frniieisro das Chaga.; a couiiiiibs.'iu de polica
s dnus de Anasiooio Xavier de Coiilo, e um de Manoel
Figueroa de F.i ia; c cnmiuisau do cdificaeSo o do Ma-
nuel Jora da silva Giiiiuaries.
O Sr. prii-pirsideulo uiiirooii para ordem dn di : i,
t llura do oHiei.i, o pareceres du conimiacie; 2.0, dis-
eusso da proposla a|iresoulada pe i Sr. vereador Ciu-
irj, relativamente a polica dos increados publico; 3.,
despachos du requeriineiilos.-e discussao do objectos a-
Talvel quo no propor a Fabio esta quealSo directa,
lisesse a.nua Carolina no fundo do .ornean um rao do
esperanza; fot una pausa como para deixar-lhe lempo
de se justificar; mas se cun effoilu se ha va embalado
com essa ultima espranos, o desengao foi cruel, por
q.iHiilo em ve de entrar em j.utificacfles, Fabio entrin-
heirovHse elti silencio mpeuctravcl.
Ali! replicou olla pus indo outra vex da friea i
colera, tu suppoieste que nao ero mais do que engaar-
me ; que serial impunemente falso c fementido para com
migo r Lisoogeemos sua frnqucta, disseste insolento l
com ligo ; posto i.So soja mais rainl.n, pode ainda tira
,-lo alem do qne, tal qunl he, anda he boa, pan me
servir de eacabcllo. Mas eutio, piguieo, diie-me, osde
|..ercs cliegar Do que os tu capax? Deque es digno?
(Jno jiruvas ten dado da loa pradeneia, do leu talento?
Desgraead! a minba I","darle pan com tigo f... todo
leu mrito i o nico lilulo quo tinlias ao niou favor, era
ce iiiesino favor, e a la ambicio he tal qual o leu or-
giilhn : luiainda vaidade. Queras parecer antea de icr ;
nu leu nada s miiliavas com l.oiiras o dignidades', aspi-
ra & ludo, sem examinares lucsn.o se era proprio
para algiiiun eousa ; tomaste a la presumpefl por ea-
|Mici.tade, as tuas preteucoes por direilo; figuraiie-to
um grande lio moni, o nao te elevado cima do vulgar
nem pelo etpinlo, nem pelu ooracio. Tudo ito he o-
ineiile ri.lic'.lo edigun de coiupaitlo; ms o que he u-
diosu e desprcsivel he icr velhaco c uieutiroio por iu-


diado; 4., propntlat, requoilmentot o indieacoca dos
Sr. verendorc E por ter dada ahora levantuu-so n
testan, o para constar, mandou a cmara fater a presen-
te cm. que easgnnu. En, Manoel Forr'i:a Aecioli, se-
cretaria interino escrevi. Mallo Cavalcanti, pru-p'reai-
dcnto. Ramos.Carimim Monteito.Oliveira. Cin-
tra Mauoel.
5.* SESSO OflDINAIllA, AOS 27 DE AGOSTO DE I 845.
Presidencia do Sr Reg Albuquerque.
Achgndp.M presantes ot i>is. liveira, Mello Caval-
canti, Cintra, Nery, Reg Barroi, e Carneiro Monteiro,
faltantotem cansa participada oSr. Hamos; abrio-se a
tett5o, endo approvado a acta da antecedente. O secre-
tario le menclo de um officio do Exm. presidente, sci-
entific.indo a cmara de estar inteirado da divisa daa
paradas dos batalhOet de guardas nacionaes de S. Anto-
nio e S. Jos, t- Inteiradai.
Outro do commandanU superior d'este municipio,
8ccusando a particpalo da cmara aobre a nomeacio
do promotor, secretario e ajudante da guarda nacional.
Inteirada.
Outro do procurador da cmara, participando, que
Joaquim Jos Ferreira da Mocha apresentou a Jos Lo-
pes Roza, em lugar de Antonio da Silva GosmSo, para
fiador do arrendamento da casa da praca da Indepen-
dencia n.34. Mandou lavrar termo.
Outro do metano, sobre as casas arrendadas pelo ci-
dadio Manoel Figueira de Faria. A commissao de
polica.
Outro do contador, participando oxistirem algumas
estacas e tahoas dos trapiches de despejos, para seren al-
tendidas na arremataco dos concert?. Inteirada.
Outro do fiscal da Boa-Vista, sobre as arvores, que
obstruem a ra da Magdalena. Mandou, que cumpra
as posturas.
Um do presidente do conceibo de salubridade pbli-
ca, remetiendo o mappa das pessoas, que nao volttio
depois de vaccinadas, conforme ordeno as posturas.
Mandou remetter ao fiscal de S. Antonio, para arreca-
dar as multas.
Man lou-se passar titulo ao escrivSo do juiz> de par
do 2.' districto de S. Lourenco.
Foi juramentado o ajudante do secretario doi conce-
llios da guarda nacional d'este municipio,
O Sr doutor Nery, apresentou o seguinte parecer do
commissao dossdo pblica :
A commissao do sade, examinando a pretoncio
do Ricardo Romualdo da Silva, entende, que, nSo indo
de encontr as leis em vigor, se Ibe conceda a liconca
pedida. Paco da cmara municipal, 27 da agosto de
)845. ~ Dr. fctry da Frmica. Cintra Manoel.
Ficoo adiado, requerimento do Sr. Mello Cavalcanti,
votando contra os membios da commissao.
O fiscal dafnguezia do Keeife, participou achar-se
doente, e a cmara mandou-o substituir interinamente
pelo da freguezia de S. Jos.
Frao mandadas commissao de edificacio as pcticOes
de liento Jos da Silva Magalhaet, e Manoel Francisco
Coimbra; a urna especial, compotta dos Srs. Carneiro
Monteiro e Mello Cavalcanti, o officio do Kxm. presidente
da provincia, em resposla a outro da cmara, sobre o re-
querimento do doutor Joo Ferreira da Silva, para dar
com urgencia o seu parecer o responder-ee ao mesmo
Eim presidente
Despachrio-se as peticoes de Joaquina Josepba Lo-
pes, Joio Augusto Bandoira de Mello, Manoel Luida
Veiga, Jos Mauricio de Oliveira Macicl, Domingos
Barbota lodriguet, Jo > Ribeiro Pessoa, Antonio Car-
do/o de Queiroz Fonseca, Jos da Costa Monteiro, Joao
Antonio da Yeiga, Jeronymo de Souza Rangel, Anto-
nio Victorino Pe re ira GuimarSes, e Izabel Miradas
Cbagaa.
Dada a hora levantou-sc a sessio. E eu Joo Jos
I'imita di Aguiar, secretario, a escrevi. Higo Al-
buqutrqut, presidente.Oliviira. Cintra Manotl
Carneiro Monteiro. Barros.
-2
junio. Ella disse que o maia taboroto pi-de-l c
a mclhor marmelada do governo erib os empregos, e as
gracatOra, sendo empregos e graeaspio-do-l,
segu *e que favor o gragapi de-l sao Fi-
quem, pois, sabendo todos queta presente virem, e le-
remque po-de-l-,de bajee para todo osempre, se
ficar chamandofavor egraca;eque muita graca te-
re ouvir dizerem casa de F.... servio-se ao cbcom
favor e graca.
Correspondencia.
CORREfO.
CoRREar-OMlKNUA OA ClOAOF. E PROVINCIA.
Na quaresma que est para ir, muita genio Loa teui
de se aecusar daa tanguinba* que tem ao Corriio, e
mesmo das praguinbas e pregonas, que Ihe leni roga-
do : o Corrcio, porm, Ibes perda. Nao Ibes sirva
isto de pena l no outro mundo.
O mesmo 1). -novo, n. 189, em seu artigo de fun-
do ( e bom do fundo ) atirou-lhe, cbamando-o io-
lamo pasquim, em que o ministerio, a cmara, eo
presidente sao airo/mente vilipendiados O Comi
poda j fater triump/iar a xerdade a resptito ; mas
guarda-se para quando tiververga e lempo Ro-
ma nao se fez em um dia .
Agora vou dar paito aos meus leitores, que j sei
o que be t favor egraca para os amigos : sim ao-
noresfavor egracabe pi de-l ; e pSo-dc-l do
mais fino, mais saboroso e nais gottoso. I'aroce-ine
ouvir dizer ao leitor isto be daquellas do Corriio :
grava nao poda ser pio-de-l. Puis be pio-de-l
pao-de-l. Eu vou provar (nio o pao-de-l, porque
pao-de-l nao be para os beicos do Corriio) com a
autoridad do Gomes dos Santos, na sesso do 26 de
lereatc, be fingir seiiliincmoi que te nao puasucm, que
nunca so poasuiru ; lie especulur sobre a lorian a, lie fi-
lei siikrc u amor ralelo..... que cu nao quero qualifi-
oar, Ali! por eerlo, como rainha o como mu'hcr (caito
em iiiniha ida Biaumetlido fallas; mas, gracat a Deoa,
minen trubi a minba alma, nein represente! cun pessoa
.-lignina a avilhmte comedia que ten. cnuimigo reprsen-
la do! K entretanto cu aiuava-lc; n tua dtsgraca rao ha-
vid iiilrrcasado, u la tulidio me loeava, me- agradava,
Ao vr-io pobre, isnladu no (eu retiro, penaei uchar em
ti um ouruflo simplea, recio, austero, ciperimculado
pelo infortunio, dcaupegado de vaidadet, incapai d'ar'li-
e alegre espera va er u loa couaolafao, n la pro-
tjwucia. uo mgaiio lo nao valca mal, que iliu eu ?
vare* nienoa duque soutms; correipondrato minlm
ailiccridade coiii a atliioia a uimiua bondad. enm u iu-
graUdau. Maa loma acolidu ehi ti, d'ora em ili.inte uf_
urecet-me guerra, cu a aceito ; poit que nio quucalo u
raiolia por amiga, te-la-lint por ihiiiii.. digo rainha,
porque u.iulia provanca tuca nicu turnio; em breve
amanilla ulvci, rsiungurei aut pos como a Tenue na
Srs. Redactores. Como as recentas questoes quo
se lio suscitado entre a veoeravcl ordtyn terceira do
Carino e o res'pectivo convento, haja quem timba que-
rido persuadir, que tudo, quanlo o Revm. provincial
tem praticado, alo be lilho de propria deliberacao sua,
etim de instigagoes dos intitulados amigos do mesmo
provincial; entros quaessio qualificados com especia-
lidade quatro, em cujo numero se med um distincto
lugar; porque e affirma, quo entre esses quatro clas-
ificados conselbeiros sop eu o maia pertinaz, em pro-
mover a intriga, e atoar o facho da discordia em (odas
cssas questfies; e convindo repellir de mun, nio s a
pecha de intrigante e fomentador das dissen(5es occor-
ridas, mas tambem a de calumniador, com que tenbo
sido mimoseado, quando se trata da separacio, que do
convento fez a mesa da prenotada ordem terceira, ou
untes aquella, que presumo de ter fechados em suas
mos os destinos da mesuia ordem ; julgo conveniente
apresentar os documentos, queabaixo transcrevo, pelos
quacs pens provar de um modo bem concludente:
1.", que, longe de procurar dissominar desavengas, o-
dios e rivalidades entre urna-e outra corporacao, muilo
pelo contrario com outros me esforeci por exterminar
essas mesmas rivalidades, provando assim o mais depu-
rado zelo e amor tle minba parte, o de meus dignos
companheiros pelo verdadeiro bem e interesses da ve-
neravel ordem tercoira do Carino ; 2.", que me nao ca-
be a tacha do calumniador, que reverto para aquello
em quem com justica possa ella assenlar ; porque o fac-
i da M-paraciio, e da obediencia prestada ao denomi-
nado prior do convento de Olinda, pertencenle a pro-
vincia da Babia be tiio pblico e notorio, que pens,
ninguem haver, queouse conteslal-o ; cumprindo a-
qui notar, para desengao dos imparciaes, e d'aquel-
let, que se tcnhuodeixado levar por muras illu-Oes, que
ao officio, que laz objeclo do segundo documento, foi
dada por immediata resposla a referida separacio do
convento do Keeife, e obediencia ao de Olinda : a vista
do que os mesmos imparciaes julgar de que lado es-
t a rateo e jusliga, e c mliocera quem justamento sao
os autoros de todas essas desordena e escndalos, que
tanto ellectaoa rcligiio.
Pela insercao deslatmal trscadas linhas e dos do-
cumentos, a que me refiro, mu grato Ibes ser o seu,
&e. -Jote Xaviir Faustino famot.
Documento n. 1.
Rm. Sr. padre provincial Os abaixo assignados,
irinaos terceiros da veneravel ordem terceira. tee-r t-
bido com bstanlo desgosto a desintelligencia, que de
lempos paraca tcm apparecido entre os terceiros e V.
Reverendissima, e vem com pungente ddt.que essa de-
sintelligencia se vai cada vez mais augmentando, nio s
em damoo da cdicacao dos fiis e quebia da obedi-
encia religiosa,, que os nossos estatutos recommondio,
como dessa desta 15o celebre como Ilustre reli-
giao.
He por isto, que os abaixo assignados, a quum por
ora nio tocou o veneno do mal, veem respetosamente
pedir a V. Reverendsima, por bem da ctridade
chrislia, que, porevitar-se o escndalo para os calho-
licos e argumentos para os libertinos, baja de
annuir a faxarso noi as festividades do amanhaa,
como todos os meis actos religiosos, como d'antei, na
mesma harmona Iraternal, que sempre bouve, nao
deixando, que progrida o incendio da discordia, talvez
eticado por ni3o de inimigoocculto, que assim promo-
ve cejleiro o aniquilamcnto desta ordem, que tantos
va roes i Ilustres lia dado, e tantos ser icos ha fcito nes-
ta provincia a religiao e ao estado. Os abaixo assig-
nados se congratulio desdeja, por conseguir! a paz o
reconsiliacao desta ordem, de V Reverendissima, e
da ordem terceira,lio i tcommendadt pelo Divino Mestre
Deas tenlia a V. Reverendissima cir. sua santa gutrda
Beijiq as inaos, lieverendissiino Sr. padre piovincial
Fr. Joio Je Santa Izabel Pavao.De V. Reverendissi-
ma seus mais reverentes subditos. Guilhtrmt Patri-
cio Beitrra Cavalcanti, ex-prior. Antonio Jos
Itodrigms da Silva, ex prior. Manotl Joaquim l(o-
dn'gues de Sonsa, rx-secrelaiio. Jos Victorino e
Limos, es-secretario, e conrade Jos \aviir Faus-
tino Ramos, ex secretario Antonio Vital di UU-
vnira, irmioterceiro. Pedro Alixandrino Rodrigues
Um, ex -secretan >.Josi Joaquim 4a Costa Liile,
ex-definidor. tutano Pinto de Veras, ex-procura-
dor geral.
Di cumento n. 2.
deracio a represeotaelo, que nos fizerio alguna irmios
terceiros dessa veneravel ordem, e confrades amado-
rea da paz e tranquillidade, dignos da nossa estima,
retpeilo e gratidio, a fim de que cedessemos ao que
VV. CC. de nos exigem, isto he; a concessio para o
Reverendo padre mestre Fr. Joio Capistrano de Mm -
doea ser o orador da aolemnidade, que (em lugar a-
manhia na capella da Senhora Santa Anna dessa mes-
ma veneravel ordem ; passo a significar i VV. CC.,
que.querendo nos ver brilbar a harmona e confraterni-
dade dessa veneravel ordem para com o convento,(ainda
que alguem supponba o contrario) mxime quando te
trata do culto divino, ao que devemot concorref para
o teu brilhantitmo; somos contente!, e anouimos a
que o mesmo Rcverendissimo padre mestre Capistrano
feom quem nenhuma indisposicio temos) seja'o prega-
dor da festa, mandando como nos cumpre a communi-
dade para a assisleocit dot acto*, que te teem de cele
brar em tal solemnidade. Dos guarde a VV. CC.
Convento do Carmo do Recife, 2 de agosto de 1845.
(Assignado)Fr, Joo di Santa Icabel PatOo, pro-
vincial.
(Este officio foi enviado aa 10 horas do da 2, e ne-
nhuma outra resposla teve, sanio a de negar a meta
obediencia ao Reverendissimo provincial, e ir nesse
mesmo dia prestal-a ao chamado prior de Olinda.)
Publica^ao a pedido.
Ao Hroe Ptrnambucano, doutor Francisco di Paula
Gvmii dos Santos, na tua infausta marte,
SONETO.
Como foge do mundo espavorida,
Toda em fumo englobada a ti virtude I
Demandar ella vai outra aptitude ;
Porque em Paula perdeo sua guarida.
Esse Hroe que entregou os bem a vida ,
Eis a Patria bradou neceuitude ;
Dessa Patria tragou cruel tegude ;
Poit madrasta Ibe foi endurecida.
Ho partilba do listo igual sentenca :
Resignado sena meiot elle esgota .
Elle espira e nio pede recompensa :
A' tua prole t lega honra tem nota...
Em paz gora d'um Deot alma piesenca
O Hroe de Guaianoa o Patriota.
Por o seu amigo
Justinianno Antonio da Fonuca.
Secretaria da Ihesovjraria dat rendas
O seeretirio,/^
Pernambuco. 31 de julho de 18H
da Costa Portocarrtiro.
renda
tf-C
provincial!, 9
COMWIEHCIO._____
Alfandega.
03 da 29................3:910*718
Irania! erro
Descarrega hojt 30.
Patacho Randirscarvio.
Consulado.
Rendimbnto do da 28.
Gerall:i72603 Provincial63**213
Movinientu do Iorto.
Navio sabido no dia 29.
Alcobaca, garopeira bratileira iVoita Senhora da Pina,
espitio Manoel Jos da Boa -Morte, carga diversos
gneros.
'_ _____________!
Editaes.
Migxtil Archanjo Monteiro di Andradt,cffl.-'ni rfa ,'
peial ordem da Rosa, cavalleiro da de Chritto .
inspector da alfandega de -Pernambuco, por S. I
Imperte/, o Stnhor &.. Pedro II, que Deo guardi
Fax saber, que, no dia 1. i f indouro, e n,
de arrematar em praca publicar! |fcta da mcinn
ao meio dia, 50 groiat de botS-TwTleda para coletos'
no vilordo IOS rs., e 4 duzias decharutoiras no vslor'
da 5# ra. impugnadas polo segundo escriptUrd0
Franoisco de Paula Goncalvct da ilva, no despicho
por factura de L. Bruguiere : a arremataco be suhjei.
ta a direilot. Alfandega, 29 do agosto de 18*5.
Miguel Archanjo Monteiro di Andradt.
Joo Xavier Carntiro da Cunha.fxdalgocamlUirtia
casa imperial, cavalleiro da ordtm de Christo, tsi^
ministrador da misa do consulado por S. M. olm-
perador, qui Dios guardi, itc.
Faz saber que petante a adminislracao da memo
ha de arrematar, no dia 3 de selembro prximo luluro
& porta da mesma, orna caixa com assucar masravad
de n. 2, marca L,. do eogeoho S. Pedro;, avtliadaen
1308 rs., consignada a Joio Cardlo Ayres, e appre-
bendida pelo empregadodo trapiche d'allandega velbi,
por nexactidio da tara; sendo a arremataco livra i
despeta ao arrematante. Mesa do consulado de Per.
naanbuco, 29 de agosto de 1845.
O administrador,
Joo XaviirCarneiro da Cunit,
O Dr. Francisco Joo Camiir.< da Cunka, juis d'or. '
phdos, t ausentes da cidade do fictfi teu timo
provincia de Pirnambuco, por S. M. I, C.,- m -
Dios guarde, etc.
ls(o saber em como por esto juito foi julgado Eie-
quiel Jos de Carvalho prodigo, e por" isso frsdt,
poderreger, e administrar sua pessoa, e bens; Hado'
curadora adbona sus mulher, Mara Magdalena de Lo-
na; o queso faz publico pelo presente, para que nin-
guem com elle contrate sobre seus bens, o neru fati
negocio de qualidade alguma, pena de nullidade: e
osle se pattou por bem de minba sentones proferida
nos autos de justificacio do prodigalidade, que secum-
prir. Recife, 26 d'agosto de I8.lt) Fiancim
Joaquim Periiradi Carvalko o iz escrewv Fran-
cisco Joo Carniiro da Cunka.
i. --------------------------------------------------,_________________
Declaragoes.
O lllm. Sr. inspector da Ihesourana das rendaa prn-
vinciaet manda fazer publico, que, em cumprimento
do artigo 3i da le provincial n. 14* do correte an-
uo peranle a mesma Ihesouraria nos das 1., 3 e
5 de setembro prximo vindouro ao meio dia serio
arrematadas, a quem mais der, pelo preQo annual abai-
xo designado por tempode 3 annos, a contar do |.<
de outubro prximo futuro a 30 de setembro de
1848 as rendas provinciaes que te acbio a cargo
das colleclorias, em lodos os municipios da provincia ,
com excepcio dos de Olinda, Goianna e, S. Antio a
taber:
Iguarasscltamaraea...... 379*000
d'alnu llieaniiro de vingiiuca eodio: deagracadaa daapri
mcirai cabrea robre as quaea calnr a colera de Carolnu .'
Coiiliiniaia labio o leu aileaeiu. Sentado ciu una ca-
deir.i, com a caber.i inclinada aobre o pcitu, pareca maia
absorto em tSUU JieiiSJinentoa do que atiento aa p,il,nra
quo llie. dirigio. Disserets que de oulreiu tu iralaia ao
Illms. Srs. iru.ao prior e maia mettriot da veoeravcl
ordem terceira do Carmo.Tomando na devida consi-
"' taTW iiaan 11 i na ni na......iMSMtMs^iaaaaiiiaaaaa.,
vr-lhc a atlitudc reuolliida, n iiumobilidado da pliysio
nomia, neta dar urna a patarra todaa as inreulivaa
com que a rniiba o noabriinhava. K.ll.i iiiejina leve calo
pciiaamenlo; ponina irritad) pelo seu silencio, laurou-
ev pira elle como mu tigre.
Respondo, miacravcl, Ihe diste ababndo-lhn com
forca ubracn pura u arrancar do tefl t.rpur, reaponde, ae
algutna couan tena n duer ; quero ao menos aaber te an-
da lena uo coraciu o tua sombra dclealdado, ou ae es na
rfiilnlii.il- o ultimo do lioiuem.
. Nio, Senhora, nao, reapouden Fabin em lom cal-
mo e Irietc, nada Idilio u dizer, e nSo vut reapuiidarei
Para que cm iguaea unto aervem juatificneflea? mais va-
lo nao prodiizi-laa. Aceito ai vossaa repreliense, por
que a un rero : por iiiaia durat quearjao, aa anda maia
branda, ficni bem certa do que aa que me dirige a ron-
soicncia. l'odeis |i -iranio pimpar-viia a veso Irabalho.
Tent nao era iK'Ccaaariojiaru fnier-mu entrar cm ni i ni
iiieamo; pens que nao podeia duTida-lo, poiaquucon-
feaso o meus erro, nciii mcaiuo procuro deaculpu-Ioa.
Oir-voa-liei maia, que 41ra ao anida maia indoaculji.i-
Cabo............. 798tf000
Pao-d'Albo.......... 1:329*800
Naxarelh...........1:699*1500
Limoeiro ,........ 618**00
Serinhaem........... 254..000
Rio-Formoso.........1:900*000
Bonito............1:000*000
Urejo............. 339*000
Cimbres........... 278*000
Garanbunt.......... 426r000
Floret............ '951*000
Boa-ViU........... 527*p(J0
Ot licitantes, devidamenle habilitados, deverad com-
parecer na sala dat sessoet da dita Ihesouraria nos dias
e horas indicados.
E para que chegue a noticia de todos mandou o
metmo lllm. Sr. inspector publicar o presente.
^j^s^^^. -.-|f rIMtl,,Tll gaaataattasJMaaai
=0 lllm. Sr. coronel director do arsenal da gutr- '
ra tem de comprar differetet medicamentos ptrt a
ilha de Fernando; e sendo Ibe dados ot precos desses
medicamentos por dous Srt pharmaceutict dos mais
accreditados desta praca; manda convidar aos outros
Srt. da mesma prolisso.que quizerem fornecer os ditos
medicamentos, para que bajo de comparecer nesla di-
rectora at o dia l. do prximo futuro mez, ptrai
vista doa referidos precos declararem com' quanlo p r
cento a favor da fazenda nacional Ihea fa/. conla lazerem
a venda ; na certeza de que tudo deva ter de bda quali-
dade, e tubjeito a exame de um facultativo. Directo-
ra do artenal de guerra, 28 de agosto Ja 1845. No
mpedimenlo do escripturario, Joo Ricardo da Sikt.
O arsenal de guerra compra, para supprimentodi
ilba de Fernando, 800 ssccat de farinba : quero esta
genero tiver, e quizer fornocer, qu^ira mandar a pio-
.potta com teu ultimo preco, em carta fechada, cas-
mostra a esta directora, at o dia 30 do corrento mes.
Directora do arsenal de guerra, 27 d'agosto de 1845-
No impedimento do eteripturario, Joo Ricardo di
Silva.
O administrador dt mesa da recebedoria do rendas
internas geraes faz taber, quo, em virtudo do decreto o.
418, de 15 de junho do correle anno, quesescbaeo
execucio nio pode petsoa alguma. vendar, no munici-
pio desta cidade, carteada jogar, soni que lenlia cada
um baralbo pago, naquella reparticio, o sello de 1G0 rs.;
sob pena de pagarem a multa de60*000 rs., porcada
um que venderem, sem teram pago o dito sello, aleai de
outrss penas, de que (rala oart. 4." do citado decreto.
Recebedoria, 27 d'agottode 1815. FranciscoXatiir
Cavalcanti d'Albuquerque.
= O abaixo assignado, procurador da cmara mu-
nicipal da cidade de Olinda,avisa a todos os foreiros da
mesma cmara, que ello te acha-prooiplo a receberoi
foros, nesla cidade na ruado Cabuga foja de Pe-
reira & Guedes, todas as sextas-luirs das 9 horas sto
aa duas da tarde onde o devenid procurar.
Antonio Nunes di Mello.
O arsenal de guerra compra azeile do carra palo,
dito de coco.e fio de algodio: quem estes gneros quitar
fornecer mandar sua proposta, com os ltimos pro-
cos, em caria fechada, a directora do metmo arsenal,
al 6 dia 2 do prximo lutsro me/.
Directora do arsenal da -guerra 29 de agosto "V
1845. No impedimento do escripturario Joo Ib-
cardo da Silva.
iiiimigos da Sicilia u oa meus. Oh I cu guardo no fuuUoJ vea ana meo. olhoa, do que podem aer'aoa voraua ;
me accuaiiia de vaidoao, elliac, v. mentiroto I poia, iui-
nlia Senliura, fui pe i nica palavra reaume toda a minha falta, a a aygrava em
Isigar dv attonu.i-la; porque a fraquoia lio maia que una
talla, li
he um cri.i.e, e maia do que um cr.iue, ho um op- I ra tde justa, auia (rVSjprebentivol ? Fuatea o
1 robno. b.ae crias eu o cominciti; o expi oruol-' que devieit ter? Teateuiuuhattes me a oonfianVa, a qiia
mente; eae opprobrio, dello uto cubr em roasa presen-
ta, e vedes a mirilla coiifusin. Nao amibo ter era intei-
ranienle bom, netn completaineulo mo. Se fura mi,
ao menos alguma coma lora, em quantu que nada aou,
o i'Uvcrgonliadu da luinhii nullidade, nao uto aeliei com
fon;a para aahir della. Nao nube iiicsmo vingar-nie ,
loinei ionhoa por actos, velleidadet paaaageiraa pela
Tontade, ule o presento a ininlia ainloeao nao |i>id aido
mais do que o a/.ediime ciosu de um curacSu dtsconleii-
le. Eiaaqui, Senhora, o que eu Icnhu aido, o que Jimia
lia punco era; mas nina ruviil.ifa.-j ao operou em mi ni,
nena ollos deavcud;tri.i-so: a proporcau que falla veis,
ia eiieavaecer-Murna por una todaa aainiuliai illusea,
o n realidade ae me rerelou em toda a tua tiudci. Se ti-
vo a deagr.-fn do perdar a voaau ealim, aaheroi ganda-la
inda, enio vos enverganlurcia ao menos do houiein
que amalles.
Netta reapuala. que era urna contiaaao, e que quando
maia nao fosse tinha o mere iineiiio de aer aincera, Fa-
bio nao havia tocado a Abra acutvel, a quo liaba vibra-
do com tuina violencia no coradlo da Carolina. Ou Ra-
faella neni ulna t palavru. Como niu poda rcaolver a
vordadeira quealau, uto utrara lucor-lhe, e a havia dea-
locado. A aua deticaa era umi diveraio.
Muilo culpado.too para recriminar, oontinuou el-
e, turnando poiiou a pouco a uffenaira; mu vt, Seuho-

voitas boudidoi me tinliio dado direilo de pretender, a
que eu tal ver. tamboin morooetto ponnim mesnio^ I'--10
Caatrou he maia bem tratada do que en; sobe doa '**"
eugredos, e eu nunca oa auube. Mysierioaa coiniiiij"!
sois enm elle frunua, elle tem parto nos ruttut projecloa,
lina vuasoa aetoa, alo as vossaa viagena, em qnaoW "'
ignoro ludo quo nao dcvinlio, o eatou redolido a cmi-
jecluraa. Quodovia eu pensar de aeinelliante rcsciva
Forquecni fim, Senhora, que opiuito fajeia vos de i"u>
o que aou cutio pura vos ? Quo seria eu digno daa VO-
aas bondades e nln das vosaa confideiiciiia! Poi ll* ''"'
uinii condico muilo avillaulu p,,ra um boinaiu. 1er a t
Oorpo aeifl poaauir a alma he o cumulo da ignominia, en
nomo que designa, que tiippco aoiuenie emelhanW
papel he affrunta mais aangiiinoleiila ; a sus|>cil
eate reapcilo he una injuria. Tudo ou nada be i dovisl
do amor, ottitn cuma il.i aiubieau, ou ame o stust
de tudas aa ambiges a mais exclusiva, a maia ubsol"la-
Detlea-mo, Senhora, de mais pora puderdea rctci var al-
guma ooiita. Coltrcrtaia platina politice, de que "
sei; lizeatea una viagem occulta, do que ananas uic dit-
aealea ulgiiiuaa palavras vagat. Aiml" ha pouco, ijuaiioo
eu antrava, pronunciaaica doua nmuei '-ajiie me aiiii"""
ciao o tcculUo noves niraler.ua; ao o acato, e nin '|u
proqun ule liiero taber que aqui mesmo, neatc inuiii'-
lo o auto eremita de Caluma, fr. Bruno, oqoec
fraudo, eaae illuttre Catloro, roja morte loda a Si-
cilia chora.....
T
MUTH


W^f^^
TIIEAT%0 PUBKTCO.
A peca Os-Wccessos, ou escola da
Igvcxtamit 'Hiralos, que, a beneficio
I |e do&s paitknlares, devia ser represen-
lt-,1, BmanhSs, 3i do correnle, subir
Lea quinta feira 4 4 prxima futuro
Icnibro. Us ^ndiciados pcdem aos
|ses'lK-n('volo3j|ctores, dignem-se de
[de$cul|Mr essWWanra 8 que por cir-
[cosmtancias imprevistas foriio forrados.
\ nova companbia italiana data a sexta
rfprcsentiCo lyricr qu4rta-|eira 3 dese-
tcmbro prximo futuro, de pecas escolhi-
das e de t^eral acceitacSo, entr asquaesos
melliores^pelacos da Norma como a ca-
vatina de .Norma, a de Foll.Qn, &c, &c
Depois desta representado o director
resolver se poder continuar ou deixar
Le dal-as, pe^s enormes despezas qu
elle tein que aier para o sustento das
ditas representacOes.
PUDLICACAO LITTERA'RIA.
AOS SENI10RES SACEBDOTBS.
As obras completo do obbede La Mennait cm 12
Ivolumes, chegadas ltimamente de Franca, e encader-
I nadas cm hezerro com o retrato do autor. Vcodem-ao
I na ra du Creapo n. 8, lo| de Campos & Maja.
Avisos martimos.
Pr* i Babia sejue viagem com brevidado a tu-
Imaca Nova-Aurora : quem na mesma qui/er carregar,
pode entender se com Amorim IrinBos, ra da Cadeia,
ln. 45.
Para a Babia seguir em pouoa das o bngue
\flur-d' America : quom no inesmo quizer 'carregar,
pode enteuder-se com Amorim IrmSoa, ra da Cadeia
Para o Rio-de-Janeiro pretende seguir breve o br igue
escuna Fama, por ler parte do carregamento prompta;
pudendo inda receber alguma cargo, mormente miuda:
|qacm no mesmo qui/er carregar, embarcar escravos,
ou ir de passagem, pode convencionar com Amorim
Jrcnaos, ra da Cadeia n. 45.
Para o Rio-Grande-Jo-Sul e Porlo-Alegre segui-
Iri com brevidade o brigue Flor-da-F: quem no mes-
loio quizer carregar, e embarcar escravos, pode enten-
[ der-se com Amorim Iruifioa, ru da Cadeia, n. 45.
Para o Rio-de-Janeiro segu com toda a brevi-
[dade a sumaca Amizad*, capito Manoel Antonio de
iousa Guerra: para carga, passageiros e escravos a
rete, ajusta-se com Gaudino Agoelinbo de Barros,
icinba do Curpo-Santo, a. 66.
Vcnde-se o brigue nacional Pktdro, forrado de
cobro, ba pouco lempo, mastreado denovo.prompto do
tudo a navegar para qualquer especulaco, de construe-
j cao sarda, de lote de 8,000 arroba!: para ae exemioar
no ancorodouro da descarga, e para se ajustar com A-
! mniiin Irmaos na ra da Cadeia, o. -ii.
A barcaca Ploi-do-liecife ainda recebe alguma
carga e passageiros, para Macei e Penedo : oa pre-
londcnles dirijo-so a luja de Manoel Jos Goncalves
Brega, ou bordo, no cees d'alfaodega.
bergantiin nacional Wat", capito Manoel
Blarcianuo Ferrcira sai para o Ass no principio do
futuro iiiiv. de setembro ; anda recele carga e passa
g> iros: .i liit.ir con o capitao ou com os consigna-
tarios l'irn-ino J. F. da Rosa & Irmio na ra do
Vigario, n. 25.
Para a Babia sexue viagem com muita brevidade o
patacho brasileiro Viloz, capito Antonio Jos de O-
liveita; quem nelle quier carregar, dirija-se ao mes-
mo capilfio, ou a seu consignatario Manoel Joaquim
Ramos e Silva.
Alisos diversos.
Hoja 30 do corrente, o no da 3 de selerobro
i proiimo, .'i porta do Sr. doulor juiz da segunda vara do
I civil, ira i a praca, para serem arrematados, a louca,
o utensilios o alguna medicamentos, da botica de
Francisco de Paula Pires Ramos Jnior, por execucio
de leus credores.
O abaixo assignado, conUatando a (esposta, ou
annuncio do Sr. Poinmateau, no Diario do dia 29 do
correnle mez, diz, que o Sr. Frederico Fremont foi
sim aulorisudo porsuh mai, a senbora viuva Fremont,
para cxeculer os Sra. Boyer e Lais, pelo debito em
que eslavio para com dita viuva ; ma, quando essa
procuracao ehcgou, j se tiraba diatolvido a sociedade,
quo antes exista entre lioyer e Lamaix ; e como estes
rao tambem devedoreHl Sr. Frederico Fremont, de
****w
PMBl
miawaiiB
He viro, exnlamou Carolina de repente interrom-
pcndu Fabio; c lie elle niesiun que aqu espero ; lio elle
que en fui procurar a travs do mil perigo, de mil fcidi-
g ale aThcbaida defr, Bruno ; o j que o acaso o
I"1 no caminhu detc Kgrcdu terrivui, 8bci-o .fie
" lodoinieijo; llrunu e Cnaloro sao o racimo lio-
>''ni. Sim, proseguio rila com cnlhoaiaaiuo sincero nina
ausiil a Fabio, C.uturo vive ; ooo*cr*uu-o Dcoa para a
lviicau di Sicilia, c para ti ininlia propria rehabilita-
?J". Tonbo Minio que reparar n acu reapeito, mas co-
"neco n meu dover, o o descropenbarc; a reparaclo *c-
anida mal* eairond.-iaa do que .. foi a Injuria: a ma
queIhe levantara o oadafafso, llio crguora artuW de tri-
'impho, enunca onlro subdit* tera sido Uo charo a seos
"'beranut, ncm por elle eollnrado niajujnulo ao lliro-
ll". Maarquelle he un hoiiirin! continuon ella nbaien-
'''' p,bio sem piedado n ialu desaa terrivol e*|tfiro
O'iem dera quo uu o tivota inai c "lui'llc dign.i da ininha calima, do'mcu amor ; nao tsie
""UTcru Ua|ii,|. Ma a desgraCn dos Principe he nada
vcrcui pelo proprio olliua, n.ida onvireni pulo* pro-
prnn uiividtt, c lairrcni mal quando querern fuserbe*
. "r,|l e atlda lurba du coi luiiti funua em torno del
'. sem o aabaJfSB, nina irifieheira ioocpiignavcl, Jusl
*qual expira q vcnladc. Em ludo cii|{ "Oenganariiu lie tUeanoa .' Olir i|ur repita,, lie vi-
lad pelas paixe liaitai que raatrjao du c.uiiiooo cm
"r,,u driles, e impuro vaporea llies niniviao nos raai*
certa, quontia, que este Ibes conliou, dorio aquellas
Boyer oLamaix, em pagamento, o Sr. Fredorico Fre-
mont a machina do fa/or lijlos; c a machina de vapor,
serrara, e de raspar, foi ontregoocom osseusperteoces.
ao Sr. Frederico Fremont, como autorisado por sua
mai, dita senbora viuva, para pagamento dosta, o n
para o Sr.Fredorico Fremont. Por oala fiel exposicio,
conhi!ceM,o publico, quo a machina de faior lijlos he
do Sr. Frederico Fremont, o qual pode dispor dclla;
e a respeito dclla p abaixo assignado nao tralou nopri-
meiro annuncio que le, mas da machina de vapor,
serrarla, de raspar, o seus utensilios, nao pode o Sr
Frederico Fremont dispr, e nem sobre estes objectos
tem direito algum o S. Pommateau ; porque esses
objectos pertencem a propriedade da senbora viuva Fre-
mont, a qual ueuhum contrato celebrou com o Sr.
Pommateau : e nem o mesmo Sr. Frederico Fremont
pode dispor delles ; porque aquella senbora viuva tem
dado orden* em contrario ao abaiio askignado, o qual
por isto be que fez dilos annuncTos, o procura segurar
o direito da.mesma senbora viuva.
Joto Vigne$.
&m& m Masase
E
PViTVRk
DE
J L DE B C.
2.'EXPOSIC.\0 DE TRABALHOS,
BA DO O.UEIMADO If. 14, 1." ANDAR
Segunda feira i. de Setembro, na
aula de desenlio, dirigida por A. L, de
B. C', estarDo expstos ao publico os
trabalhos dos respectivos alumnos feilos
no mez de julho indo 5 o professor con-
vida o publico intelligcnte a visitar a sua
aula, que estar franca desde as 9 horas
da rnanliaa ateas 1, e desde as 3 e meia
at us 5 da tarde, aiim de avaliar o pro-
gresso dos seus nlumnos naqucllas ditas
artes
Pergunta-se a quem soubcr se ja
fp derogada a postura da cmara muni-
cipal, que prohibe os estabelecimentos
de fogos activos dentro da cidade ; visto
que acaba de ser assenlo, e arha-se em
trabalho tmi apparelbo destilatorio de De-
rosne, no armazem junto ao tanque d'a-
goa do Sr. Cardeal na ribeita de S An-
tonio ; pois que tambem deseja estabele-
cer urna padaria no mesmo lugar o
Curado.
Na ra do Queimado n. \, loja,
tem para vender travs de louro e de cama-
caiy de 35 a l\o palmos de com| rido, e sa-
ecas de faiinha fina de alqueirc medida
velha.
= O abaixo assignado, tendo de fazer urna viagem
a Europa, a tratar da saude de sua Senbora, e como
antes dse retirar pretende saldar suas contascom esta
pra(a e o nSo pode faier ji como deseja sem
um sacrificio; tem resolvido vender 3 predios novos de
dousandares, e dous rmateos, silos na travessa c
per delraz do tbeutro publico um sobrado com frente
para a dila travessa o con os rmateos para o rio ;
tambera se vendo a casa quo serve de thealro publico ,
so, ou eoglobaJa com os predios ; assim como 80 ter-
renos de 30 palmos de frente e 150 de fundo, na
linbada ra da Concordia entre as duas travessasdu
M.inlciro e Caldereiro ; cujos terrenos teem parte al-
terrada e parte alagada, e dao-se por preco muilo corn-
modo a dinbeiro ou a praxo : os pretendentes a taos
objectos pdem-ae dirigir a ra larga do Rozario ,
n. 18, ondo acharoom quem tratar.
O abaixo assignado logo que tenba lugar sua re-
tirada e (indos seus negocios, seus estabelecimentos
(icio no mesmo p em que se achilo, debaixo da admi-
nistracSo de seu filboe socio estando jA na posse de
um dos estabelecimontos. Manoel Antonio de
Jeiue.
Amanhia llavera no boliquim da ra do Colle-
gio n. 23, mo de vacca e mai* peliscos, com todo
asseio tambem se pode mandar levar em casa.
Da-se urna porcao deentulbo do califa; na ra
das Trincheira o. 46, primeiro andar.
Da o um cont de ri* a premio, sobre penbores
de ouro, ou hypotheca em um predio nesla praca : oa
ra das Trincbeiras n. 46, primeiro andar.
Precisa-se alugar um moleque para o servico de
um homem solteiro; quemo tiver,queira annunciar por
cate Diaiio para ser procurado.
Arrenda-se poranno, ou para a fest" um pe-
bello dia* o* eaplendorcs do aol. No <* amW liinn-
geao-o; aerveni-u* sem dcvolacSo ; jogleles cornado,
illudem-ni, ccg&o-noi, para melhur oa desfruclarcni,
e ilrpui lancSo-lliea por Ira* coin o iiiraiiio brago com
que pnr diaiile Iho offeiecem o incens, aa ella* enve-
nenada* da calumnia. Tal he a vida doa ruis, tal fui n
ininliai terei poiem ainda a consolacflo do encarar an-
tes de niorrer a erdado face n face, como tive a de
contemplar um homem!......... E*le Iioiiioid.........no
i tn.
Nunca linuve mai* directo nem mai* premeditado ln
sullo. 1'abi" Su leve lampo da ropliiiir. A camarilla
reio inlerroinper este ultragt-i, pnra inlormir b. inagca-
lade de que nutro frado ubi aeaobava a reclamar, como
una pecio de Jiutoridadc, a honra de una audiencia
inmediata.
Uli que deala ves lie ello I cxclamou Carolina en-
u*minliaii(lo-te para a porta do gabinete. Kntrai, meu
padre, entra!; quo *oi* raperado cuino o Moatia da Sici-
lia; viiide acabar em uiiru a rcvoliiflo, que coiuecate;
rindo arrancar uie a ni i ai nienm viudo extinguir, )>*-
f.ir coiu a* vo*a* lice* e com o* vio* oxemplo ni in-
digno ardorc* deto corauio, por lauto lempo escravi-
tadn a>, vcrgoiihoio jugo da* paiir.
Caloro, poi que duala vciura rom rffi'ito elle, lan-
Cou 11 ni ollitr frin aVrainha, ooutrn mai friu ainda i Fa-
bio, cojo diafarcu nao o < nganou ; pelas primeira* pa
larras de Carolina, e pelo teu *r animado conhec.eo
queno sitio, com casa do vivenda, banho, o ajsoito fres-
eo, a margern do Capibaribe ; da-se por preco muilo
commado : lambem sealuga ero separado um bom mo-
camho, com trra de plantar, no fuoJo do mesmo si-
lio, por bt.rf.to preco : na ra d'Agoas-Verdes, n. 21.
._ Kespondo o annuncio do Sr. JoS Vigncs, que
elle nc tem nenhuns diroitos sobre a machina de fazer
lijlos o serrara e taoibem i machina de vaprque be
ininha, e neo da viuva Fremont; pois que tenbo con-
trato passado com o Sr. Fremont, lilho da dila ; e avi-
so a quem quer comprar, pude dirigir-so eo Atlerro-
da-Boa-Vista, o. 5, loja do cutileiro, a quaiquer bori
do dia. Pommateau.
LOTERA DOSKNINAHiO.
No dia 10 do me* de setembro sndao impreterivel-
menteas rodas desta lotera, ou soles, se continuar a
afiluencia da venda doi burieles que lom havido estes
dia* : o reatante dos bilhetes est venda nos luga-
res'a annunciados.
A abaixo assigoada, curadora de seu marido E-
zequiel JosdeCarvalho, avisa todas aspessoas, a quem
por ventura seu dito marido alguma eousa deva, que no
prazo de 8 dias Ihe venbo apresentar suas contas, e ti-
lulos, pelos quaes se conslituio credores; a lim de que
ella annunoiante 01 possa reconhecer, e tratar de sua
indeinnisacao : e os que no sobredito prazo o nao lize-
rem nao se reconhecerd credores e serao seus contra-
tos considerados simulados, e antedatados e por isso
nullos, e sem vigor. A annunciante reside no I."an-
dar da casa da esquina, delronte da igreja do Rosario,
o. 39. Alaria Magdalena de Luna.
No sitio do hospicio do Exrn. conselbeiro baro de
(tamaraca, d-se gratuitamente a planta denomina-
dalinaria as pessoas que padecerem do relenco
de orinas, bastantemente especifica, e propria para
(aes padecimenlos: quem a quizer, tiqueHe sitio se de
ve dirigir, a qualquer- hora do dia.
a= Aluga-se aol. ra do doulor Pereira por delraz
do recolhimento da Gloria com excellente embarque:
oa praca da Inpedendencia livraria ns. 6 e 8.
DENTISTA.
= M. S. Mawson, cirurgio dentista oslando para
retirar- se breve para o Sul ; as pessoas, que precisarem
de seu prestimo devem apparecer quonlo untes na
casa de sua residencia n. 2, na ra Nova.
= Ensioa-se grummatica latina com toda a perfei-
980 o ero breve lempo ; da mesma sorte pbilosophia,
e rbotorica : na ra Nova n. 52, primeiro andar.
Quern quizer comprar, ou arrendar a proprieda-
de Casa-Caiada no lugar do rio Doce, fallo com o
proprielano Jos Francisco elem ; cuja propriedade
principia no rio Tapado, at o sitio do Allomio, pe-
gado a capella do Santa-Anua.
= No largo, do Carmo, n. 4 ensina-so gratuita-
mente a meninas indigentes.
Casa da Fe9.
Ra estreitado Kozario c. 43.
= 0 abaixo assignado tendo estabelccido, na for-
ma da lei o decreto o. 357, de 27 do abril do 1844,
artigo 3'i, urna casa do vender bilhetes e caulellas
de todas as loteras desta provincia prestando por es-
ta veoda Canea como marca o inesmo artigo 35; con-
vida a todos os quo goslio desle jogo a compraren!
as su>i caulellas ; cujas se acbao garantidas com a sua
lianca a fin de quo os premios que cada um tiver
de tirar, seja no dia marcado pagos a vista das mes-
mas caulelbs, e na mesma casa.
Presentemente as .autillos que so achio a venda
so as do thealro publico por ser a primeira lotera ,
que est garantida com a lei cima na qual nao lia-
vera nullidade por ser o seu Ibesourciro responsavel
por qualquer abuso ou lalta que houver do apparecer.
Brevemente se annunciar o dia em que devem andar
as rodas, pela grande extracto,que eslao lendo as cau-
lellas por serem de diminuto preco que a todos
convida a sua compra. Os precos tiestas caulellas sao :
decimos a 1/000 rs. e vigsimos a 500 rs.
Lourenco Jote liomo de Lunna.
Sociedade thealral Tlialieme.
= O primeiro secretario avisa aos Srs. socios, que
os bilhetes para a recita do dia 31 do corrente distri-
buero-se nos dias 30 e 31 em casa do respectivo-(he-
soureiro na ra do Queimado n. 67.
= Precisa-sa alugar urna preta queseja desemba-
razada o cozinho alguma cousa, para casa de pouca
familia ; na ra Fonnusa da Boa-Vista o. 1.
= Precisa-se fallar ao >nr. Fernando Pereira de
Castro Jnior morador na cidade de Olinda a ne-
gocio que Ihe diz respeito : na roa da Praia n. 22.
= Joio Baplista Podesl retira-se para fura da pro-
vincia.
= Precisa te de dous caixeiros pra padaria ; quem
estiier neslas circunstancias, dinja-se a vendan. 16,
esquina que vira para o Mundo-Novo.
= Precisa se de um cont de res a premio com
hypotheca em duas casas terreas, sitas no bairrode
S. Jos ; cojas casas renden 8J rs. niensacj cada urna;
quem quizer dar, aoouncie.
Precisa-se alugar um primeiro andar ou casa
que apparecia no meio de urna r.ena amorosa; a altilu-
dn inquieta do capilflo tranformado cm frade Ihe ne
ilrmiva a menor duvida a cerca do .-en vsrdadeim ca-
rcter, e da pnraonagem, que represcnlara neale rubro-
glio. Tal deaouberla fez llie frangir o anbrolliu, e o pri-
meiro od rmenlo fui para rctirar-e imnieiliatamente.
\ rainlia o adevinlum.
Kaperai, Iho dase ella tomandn-lho a mo, lenho
mai quo nunca neceuidade de o, e leude* at um de-
ver aqu a cumplir para com a Sicilia Nao vo* inquiete a
preaonga dclo deicouhccido; fulla* como e en olivera
au. As*m.poaa ello aprender, ao nuvir-voi, o que lie
um liuiimn, e o quo lie a virtulo.
Ab i**0 be de mai, responden Fabio, que com a
?ucicnca do un lerceiro dutlu importancia, ganhara to-
da a sn.i eguridade; lenho falla par* r.oui vosco, o ih-iii
*t neg; fui ao contrario o primeiro rer.onbecc-lai,
mas htoale-mo cxpia-las asas ecrueloiciito oom a lu
inilhaeoea, de que mu leude* eoborto, nio lie preuiio
queinda me aecuioi* peranle tal juit. Quo querei* que
pense lie de niiin. triiliura e de v ineaina, *c mo dei-
bonrai* a *ru ollu r Meu padre, nio acredite a ranilla;
a sua culera me calumnia, a ininha filia uto lio aquel-
la quo man din a honra. Se Vine, na verdade lio Cai-
loreo, eio grande cidadio, eiiu marlyr, cuja perda a
Sicilia tudo* o* dia* d'-plnra, e cuja memoria 'cuera,
duplicadaiuente me eiivcrgonho. Nin, o capillo Fibio
que vo falla, nao lio un* traidor, ma* um bom Siciliano'
terrea para a aula publica do S. Antonio entre ns
pateos do Carmo Collegio o as ruaa intermedias ;
eujo alugue! nio exceda a 200,000 rs. : na roa de S.
Amaro n. 8.
Um mo o I'ortuguez chegado a esta cidade ,
ha pouco perilo offlcial de pharmaca se oTerece a,
qualquer pessoa que uso desle ramo as villas do
i-entro desta cidade a ir tomar conla de qualqner bo-
tica, dando-so Ihe por seu trabalho e emprego me-
lado dos lucros, que possio baver neste giro; quan-
to sua qualidade o conduela, lari patente a qem
o pretender: quern de seu presumo precisar, annun-
cio,
= Antonio Joo Baplista Bruno Sardo, vai a Ba-
ha.
= O Sr. padre Francisco Jos do Aievedo queira
annunciar sua morada; que ae Ihe deseja fallar.
= Na noute do dia 26 para 27 apparecco, 00 sitio
do Cajuoiro, um quarlao ; quem'for seu dono diri-
ja su 0.1 mcinio sitio que, dando os signaes Ihe ser
entregue. No mesmo sitio se alugao 4 casai com mui-
lo bons commodos e bunheiro prompto na beira do
rio para se tomar banbo ; quem as pretender, diri-
ja-se ao mesmo sitio para ajustar : e tambem se alugao
por anno.
= Caetano Peroira Goncalves da Cunba Antonio
Trislao de Serpa Rrandao, Joo Coelbo da Silva fa-
aem cerlo por esto Diario, que se acbSo acommodados
com os berdeiros do finado Rufino Coelbo da Silva, por
intermedio de Antonio dos Santos Ceelbo da Silva, por
si e como tutor dos menores seus manos, e procurador
bastante de seus cuohados, Fernando de S Albuquer-
quer, e Manoel Jos do Siqueira Cavalcanti ; o que
fazem certo,
= O abaixo assignado senhor da propriedade de
Maranguape no termo de Olinda, faz scienle aos se-
nllores criadores de gado vaceum e cavallar { sem >i-
cencatud), que dentro de 15 dias, o mais tardar, ro-
lirem que vai usar do plantacdes na mesma proprie-
dade ; do contrario usar dos tueios, quo Ibeassislem.
Jouauim Cavalcanti de Albuqutrqu*.
= Oiloroce-seum rapaz Portugus, para caixeiro
do ra ou de armazom Je assucar, e mesmo para
vendo; o qual lem bstanlo pratica desles negocios,
e escreve bem ; quem do seu presumo se quizer utili -
sar, annuncio.
= No dia 27 do corrente ao meio dia, fugio do
quintal da casa n. 22 da ra Velha um papagaio ,
com um pedaco de corronte de lati no p ; quem o
pegar o quizer restituir, leve na ra do Roxario da
Boa-Vista n. 53, que se Ihe dar o acbado.
= Aluga-se um armazem na risa do Amorim n.
37 com fundos para a ra da Moeda muito proprio
para recolber gen.eros por ser prximo a allandeg* : a
(aliar na mesma ra, o. 36.
BOTICA CENTRAL DO INSTITUTO
Homeopathico do lira til.
Possue todas as substancias experimentadas na Eu-
ropa, nos Estados-Unidos e ltimamente no Brasil e as
dynamisscSesfeitaspelosprocessosmecanicosdodr. Mure.
Dislnbue gratuitamente a vaccina dynamisade e lo-
dos os outros preservativos necessarios nss epidemiax
reinantes, e responde a qualquer consulta, que a res-
peito de Irnos, medicaees, remedios e rgimen Iho
lor dirigida.
Pratica elementar da homeopalbia pelos Srs., Mure
e Marteus.
Enriquecida das primeiras experieneias puras feilas
no Hrasil.
Preco 8)000 rs e lOjf rs. com urna boa oncader-
nacJo.
Folhona bomcopalhica, 2. anno, contando noticiaa
sobre o estado actual da homeopalbia, o rgimen, eos
estatutos do instituto bomeopatbico.
Preco 320 rs com grande abatimento a quem com-
prar poredes maiores.
Dirigir-se por correspondencia agencia do instituto
homeopathico no Rio-de-Janeiro.
Publicacdo da etcola tocietaria
Alm das obras da dila escola, annuociadaa anterior-
mente por este Diario, e quo tiverlo j muita extrae-
rlo, acabao de ebegar de Franca, e vendem-se nesta
typographia, pelo preco oais commodo, ai ioleressan-
(es obras seguintes: .
Trois discours; Vie de Charles Fourier; Expositioo
abrege du systerne de Fourier ; Examen en dfense da
mOaie ; le sept Avril; Colooisation de Msdagasar; des
Caisses d'pargne.
Acbao-so depositados na praca da Independencia ,
livraria n. 6 e 8, alguna catbalogos das obras comple-
tas da escola, e ha quero se encarregue de ai fornecer
s pesssoai que deiejarem entrar no perfeilo conboci-
mento do systema societario.
- Um moco catado oflerece se pata entinar la-
tim, e qualquer outro preparatorio, ero algn enge-
nbo, que nao lr demasiadamente longe desta praca, e
proroette esmerar-se em o adiantamento dot discpulos,
confiados a aeu magisterio ; dando todat ai garantiat,
que Ibe lreui pedidas: quem do leu presumo se qui-
zer utilisar, annuncie psra ser procurado.
preitc* a dar al a ultima guita dcianguc, para livrara sua
patria, e merecer.-ma csliini. Oh! poii que Castreo vive,
enelio-i.....le esperanfa, a Sicilia esl al va. Feliz o dia
em que Vine tito for rcatituido Ali I porccrlo mo cn-
oberbecer* Jo dover urna eunfianfa, de que iou dig-
ho, e 113o ao acaso de um encontr, a deicobcrla deito
iiiiraculusn segredo. Nao abusnrci porcni de una sor-
preza; nem delln quero aprovoilar-me para me envolver
nrisc projcctoi; eu mo retiro; adcoi, lenhora! adcui,
meu padre Abencoe Dcoi o lena peniamento*, o ae
Eara o realisar, llio lor preciso um cnraco .fiel, uin
rijo seguro, lembre-se de Fabio. De mai*, fuer me
chame quer nfio brecha, hade ouvir filiar de oiim.
E labio, *em que Carolina o rcliveiie, e aem que Caa-
loreo o honraatc com una 10 paluvri. Deioontente do
haver anitiido ino grado sen a nina discussaodesta nn-
nreza.
Sunliura, pr-rgiintou elle com everidade raiuha,
l'.iitei procurar me a minlii tolid.to para me ilitCrpor
enlrc viuiM vatios favorito*?
Nao, meu padre, nao, foi para elevar a minlia al-
a a cima de*U* miserias, o para libertar a patria. Meu
curelo citar d'ora eiu liante calmo, fallemos da Si-
cilia.
Fallemoi delta, replicn gravemente Castreo, e
de man nada: etlou aqu como cidadio, e uio como con-
fenor.
, (CNiMnar--*i.)
LADO


JL
= Preoisa-se de urna ama para casa da poaca la-
miln qunsaiba connltar e ongommar ; na la dss
Cruzes n. 37, segundo andar.
=s"Na lija de Hiplito S. Martin & Companbia na
tal Noa n. 10, rccebero-se nao* sortimento* de
objeclos, quepertoncem.as lojasfrancezas; ussim como
lindas* boas sedas esotras lavradas o matizados para
vestido (Torea sortidas seda* e creps superiores para
chapeos, luas da todas as quilidades, tanto para ho-
mem como para sonbora e meninas chapeos da seda e
de psfhs da ultima moda bicoa de blond muito alvo
coi um bordado distinelo e outros de seda llngindo os
do blond, chicotes de baleia para carro, ditos para mon-
tara de liomam senhora aljofares sortidos estojos
de'methsmstica jogo de risparas e de domin es-
pingardas para saca, caixinhas de ferro de limpsr den-
tes e Ierro para tirar os ditos espelhos pequeos e
grandes para sala, &c. 4c.
= Arrenda-ae o sitio denominado Torre na
estrada de Belesn cora casa de aobrado muita tirra
para pastagem de vaccas e plantacdes e muitos e di-
versos arvoredos de fiuto : na ra da Gloria sobrado
n. 59.
t as Alugi-se o terceiro andar do sobrado n. 10 da
ra do Queimado : a tratar na mesma ra, loja n. 9.
= Precisa-se d'uina orna seeca de bons costumes,
que sai ha cozinbar e engommar para urna casa do
pouca familia. Dirigir-te ra eslreita do ttozario, n.
30, terceiro andar.
= Aluga-se urna escrava para fazor o servico de
uina casa pelo preco do lOg rs. monsaes ; na ruado
Collegio, n. 16.
Na ra Velos n. 81, precisa-se do urna ama
de leito sem filho.
Ouem annunciou querer alugar um moleque
para o servico de um homem soltoiro dirjase a ra
larga do Hozario n. 39, primeiro andar, que abi se di-,
rao os boas qualidades do escravo; que he cozinlieiro.
Severianno Pinto torna a repetir protestar, que
nao compren) bens aos herdeirosdo finado Rufino Coe-
Iho da .Silva ; porque os bensesISo obrigados aos crc-
dores do-mesmo fallecido e nao pude hiver beranca
Inven lo debito, o estando obrigados os bons: primeiro,
porque sSo do dito fallecido o nlo dos hordeiros, om
quantono lorem pagas as dividas: segundo, porque
taes bens esto obrigados ao dito pagamento : terceiro,
porque ja ba sentones, ha muito, contra,o nellos corre-
rs a execucio ; ord. li. 3. tt. 86 $ 10 liv. 4." It.
3.'o 6.perdendo nio s os ditos bens, e mais a
terca parte, e out'a para a fazenda, ord. li, 4'* tt. 10."
4."; protesta desde.j a oullidade da venda como
fraudulenta.
Quem precisar de urna ama branca, parida ha
poucosdias, para criar alguma crianca, dirija-sea ra
da Penba, n. 2.
Altenctto ao bom $ barato I
Quem precisar de urna escrava sem icios, boa
costureira e cngommaaeira de idade de 20 annos,
de bonita figura ; urna pardinha muito linda de ida-
de 18 annos; urna escrava para todo o servido por
500/000 rs. ; urna dits por 350,000 rs.; um escravo
bom carpina ; um dito para todo o servico por 330ji
rs.; um dito por 400,000 rs. ; dous escraos pegas,
sendo um oflicial de pedreiro para lora da proincis ;
dirija-sea ra de Agoat-Verdea n. 46.
Urna crioula muito fiel se oflerece para venJer
fazenda; nesta cidadeescrebaldes, por vendsgem ; na
ra dos Martyrios loja do sobrado n. 4.
Compras.
= Compra-se um sellim ingles, com algum uso ,
com pertences, ou sem elles ; na ra da Cadeiu-Vo-
Iba loja n. 50, de Antonio (Joncal ves da Cunha e Sil-
va ou anouncie.
Comprio se os numoros do Mercantil do Rio-
de-Jaoeiio em que >em publicadas as sesses do se-
nado do me de juliio prximo pastado, prinoiplmen-
te as de 16,18, 21 e 22 do referido mez ; quem tiver,
i annuncie.
Vendas.
= Vende-e um violo novo sem ter anda servi-
do cum regra inteira de muito superior qualidade
de modeira de faia de Hollando, por pnco muito coin-
modo ; no Atl#rro-da-Boa-Vista n, 72.
lioin e barato
!
Attencao ao
= Vendem-se superiores chitas para coberta, de tin-
tas fizas e de bom panno a 180 rs. o coado : supe-
riores cortes de chita lina de novos padroes e chogados
ltimamente de 13 corados, a 3500 3800 0 4500
n.; riscados franeezea muito fiaos, a 300 rs. o cova
do ; cortes de cassa-ebitss transparentes, de lindissimos
padrOes, a 2400 e 2500 rs. ; cintas, a 120, l.jO, 160
e 180 rs. o covado ; madopolio a iSjfJ, 160 e 180 rs
a vara ; dito fino, a 200, 220 e 240 ri. dita ; inadras-
lejsjxuilo fino a 280 is. dita ; pecas de madapolao ,
O, 3200 e 3400 rs.; dito fino a 4000 4200 e
4(!00 rs. a peca; madrasta lino,a 5200 o 5400 rs. dita ;
ditas, a 4500, 5-200, 5500 e 6000 rs. ; ditas escuras
chadrez de linho para aqueta a 320 rs. o covado
llrpericr setim preto de Mac; o, a 3200 e 4S00 rs.
covado; chafes de lia e seda, grandes, a 450 e 4800
rs, ; corles de chitas de 10 corados escuras, a 1600,
1800 e 2000 rs. o corte sendo entre-finos e de boas
qualidtdos; superiores fusldcs brancos a 1000 rs.
covado ; marte aiul de vara de largura a 260 rs.
covado muito boa latenda para pretor; olgodio azul
niesclado trancado muito encorpsdo, a 240 rs. o co-
vado.; algodao americano largo e encorpado a 220
rs. a vara ; dito estreito, a 160 rs. a vara ; esguiao de
superior qualidade, do verdadeiro e puro lnbo muito
-itrio a loOOra. a ara; hretanha fina do puro linbo,
do 6 varas a 2800 e 35O rs. a peca ; ditas de r.lo
a 1800 rs a peca ; cbila, a UO rs. o covado ; risca-
dinhos notos trancado*, muito boa fazenda para meni-
nos?; 200 rs. o covado ; castores ou riscados de lis-
tras a 240 rs. o covado ; bros de bonitos padroes de
quadros a 500 rs. o covado dito* fino* muito en
corpadut o de listrat, a 640 rs. a tara ; meiss finas de
algodio para horneas a 3600 rt. a doria sendo d
muito boa qualidade ; cortes de cbali; ditos de seda ;
pannos finos preto e azul, sendo o primeiro de ana
linda vista psra pannos de pretas e o segundo para
pagem a 2500 rs. o covado; superiores lencos encar-
nados muito finos e grandes, a 410 rs.; e outras mul-
tas (tiendas j mencionadas neste Diario ; adter-
tindo-so aos comprador* que todas estas fazendas
sao limpase de boss qualidades : na ra do Collegio,
foja n. 1, de Antonio Villarouco A Irmio.
e= Vcnde-se urna preta de Angola, moca cora ha-
bilidades -, o entre ellas a de ser muito boa boceleira e
fiel; na ra eslreita do Rozaro n. 31, terceiro an-
dar.
= Vendem-se sophas de angico mesas de meio de
sala, bancas cadeiras, camas, marquezas, touesdores,
conimoda* de angigo e de amsrello bancas de Jacaran-
da cadeiras para-meninas mesas para cozinba car-
(oiras de amarello um relogio de pareiln sem caixa ;
tudo do mais moderno gosto. e por preco commodo :
na Ctmboa-do-Carmo n. 8; tambem se vende junco.
= Vcndem-tf bsrricas com farello de Liaboa pe-
lo barato preco de 4500 rs.; ooiarmazensdo Bregue*
e Antonio Annet.
Vende-te urna mulstinha de 18 annos, reco-
Ihida cose, engomma, o iu todo o mais servico de
urna casa ; urna negrinha de 14 annos, recolbida ,
com bons principios do habilidades; 3 escravss, que
cozinliio, engommoo e lavo roupa ; 8 escravos peen,
bons para todo o trabalbo tanto do campo como da
praca ; um preto de 40 annos, muilo forte, por 250 s'
rs. bom para o servico de una casa e botar sentido
o trabalhtr em um sitio,por a ato estar acostumado; um
dito bom carreiro ; um mulatinbode 18 annos, bom
pagem ; um dito de 10 annos: na ra ao Crespo ,
n. 10, primeiro andar.
= Vendom-so 3 escravas do bonitas figuras cn-
gommao huiii, cosem e cozinhaS, de idade de 20 an-
nos ; urna parda Oo 22 annos com habilidades e he1
de bonita figura; 1 preto proprio para sitio, por 150/
rs.; duas pretas cozinheiras de 25 annos: na ra das
Flores, n. 21.
= Vende -se urna preta do idade do .55 annos co-
zinba o diario de urna casa, e lava de sabio por prego
commodo; nn ra do Nogueira n. 27.
= No cscriptorio do Francisco Severianno Rabello
& Filho no largo da Assomlils, vende-se cu! virgen),
ebegada prximamente de Lisboa om cairas pe-
quenas.
Vende-so colla do Rio-Grande-do-Sul, de su-
perior qualidade e sebo em rama ; a bordo do brigue
Paquete dt-Pernambuco fundeado ao p do trapi-
che do algodao.
= Vende-se ajeite de carrapato de mcia caada
para cima a 2240 rs. : na praca da Boa-Vista, n. 13.
= Vende-se um moleque de muilo bonita fisura ,
proprio para todo o servido de urna casa e de campo ;
assim como una pequea porcao do cera de carnauba :
na ra da Cadeia do S. Antonio casa n. 25.
=Vendem sesaccas de milbo, ditas de arroi de"cas-
ca e pilsdo brrncoe vermellio ditas de feijio mulali-
nbo tudo de alqueiree da melbor qualidade, que
boje apparece ; na ra da Cadeia do Recife arma-
zem n. 8.
= Vende-se urna bonita escrava com habilidades,
por preco commodo ; na ra do Crespo, o. 11.
=Vende-so urna escrava crioula de idade de 25 an-
nos, ssdia e sem vicio algum saliendo fazer todo o
servico interno e externo de urna casa e sabendo tam-
bem engommar alguma cousa, e lavar de sabio, com
urna cria fillia da mesma com mais de cinco mezeade
idade : na ra Augusta n. C, das duas horas da tarde
em vanto e de manhaa antes das 8 horas ; ou na rus
dos Tunoeiros armazem que teni duas janullas e una
porta no meio dolas.
= Vendem-se dous caixoes grandes proprios paro
depoito de assucar; assim como socadores, e urna
ba lauca propria pora este estubelecimento com seus
competentes pesos : na ra da Sen/allu-Vellia, n. 10C.
= Vendem-se suecas cum milbo novo a 4500 rs ;
no armazem do caes da aII. ndega de Vieira Cuima-
r.ies o na ra da Codcia de S. Antonio deposito de
farinha n. 19.
= Vende-su urna commenda da ordem de Christo ;
os praca da Independencia livraria ns. 0 o 8.
= Vende-se doce de goiaba liquido de superior
qualidade lano um porcao como a relalbo; ossjm
como o bom e j bem acreditado chocolate Irancez ,
ebegado ltimamente ; tudo por preco commodo: na
rus larga do Rozario venda que tem lampeao na por-
ta ns. 50e52.
= Vende-se urna escrava de Angola, com urna cria
de 4u.ezis, com bom leite, sem vicios nem achaques,
lava bem duvarrella e ssbao.e laz o arranjo de urna tasa;
tambem se troca por outra quesaiba engommar e co-
zinbar bem : nu Iravessu do Queiuiudo o. 3 a tra-
tar Ci.m Manoel Firmino Ftrreira.
= Vendem-se bons polillos, por preco muito com-
modo ; na iuu da Atsuinpcio n. lo.
= Na nova fabrica e luja de chapeos na ra do
l'asseio u. 1 continuio sea vender cliopeus de cas
(or branco da ultima moda com abas largas, a
9500 e lOj u ; ditos frunce/es, muilo finos e du boni-
tas formas a 7060 rs ; ditos de niassa muilo lina e
de abss largos a GOOO rs. ; o de todas as mais quali-
dades al o comn udo preco do 2000 rs. ; chapeos du
castor sem pello e proprios pura montara e da ulti-
ma moda por prego commodo; chapeus de seda e pa-
Ihinlia at o diminuto preco de 500 rs.
Vendase urna grande cesa terrea de pedra e cal,
paredes dobradas duas portas c anellas na frente e
nooitio, por ficar em esquina quintal murado, ca-
cimba e cozinba fra ; igualmente urna nieia-agoano
fundo da mesma casa o da mesma construido ; sitas
na povoacio dos Afogados: a tratar na ra Imperial
do Atierro -n. 47.
= Vcndem-se peneiras de rame para assucar, ou
farinha ; na ra da Cadeia- Velba venda n. 1.
= Vende-se urna escrava de boa figura^ cozinhei
ra lavadeira e engomuiadeira ; na la da Cadeia do
Becifo, n. 40.
('Iiri.s de prnla e otiro.
ss Cbegro ltimamente de Portugal: faqneiros,
meos ditos de prala completos, colheies de soupa e
de cbl, gaifos, paliteiros de diversos gostos, salvas de
todos os lamanbos clices apparelhos de cbo, cai-
tas para rap, salvase tbesouras, e toda a qualidade de
obras do ultimo gosto ; adereces de ouro e de brilhao-
tes de diversos gostos, flotes psrt celera de tenhort,
Ide brifhanles, brincos delitos, brincos do ouro de todas
o* gostos pulcoirss de ouro com brilbantes, anneis
dito* perelts /mas outras mudas joiat de gosto ,
que se venders por preco muito commodo ; na ras do
Cabug, loja nova n. 3, de Manoel Antonio Concal-
ves.
Cera de igreja.
= Vcndom se 12 meias caixas contendo 100 li-
bras cada urna, com muito bom sortimento cbo-
gdas ltimamente do Rio de Janeiro pelo patacho
O/iveira; ns ra da Senzalla-Velba, armazem n. 110.
=rVendam-se duas grandes casas novas assobradadas,
modernas, sendo urna ao lugar dos Coelhos da Boa-
Vista, de oitSes dobrados, fundos at a camboa, onde
tem porto do embarque, lando ao lado de umoitio30
palmos de terreno de frente, com igual fundo do que
tem a casa, e com alicorees psra se edificar oua casa;
o cujo lugar he proprio para ettabolecimento que ne-
cessite de tornos, por estar marcado pela cmara; e do Collegio farinba de mandioca grossa e fina, p(
outra ns ra de Alegra, com muitos comuiodos, por menor preco do qae s bordo visto qae nlo so tem da
ter um grande solio tambem vendem-se, recebendo pagar o enorme tributo da intilulada mandinga, un
-
collcto a 320'80n. .mejfMra meninos e bjs-
nints a 200 rs. o por ; chitos dif ramagonj muito fi.
as, de lindos padrese do cores fizas a 200 q^.
o outras muitas laiendas por preco commodo ; ns rui
do Crespo., loja o. 14, de Jos Francisco I)m.
=*= Vende-se um molecolii do bonita figura par l,a-
rato prepo; no armazem de,sriuha defrontu do caes
do Collegio junta ao fa^tiquim da
=Vende-so urna pfta h
um preto de naci : na ra
= Vendem-se aioda 12
madapolio por 16,800 rs.
papeleira em bom uso : na ra
n. 6, primeiro andar.
Estrella.
habilidades
n. 3.
ni acabadas, Je
rteira ; e umaj
deia do Recife
V
Vende-se no armazem do porta larga do un
algo ns escravos e catas pequeas, e a vulta em dinhei-
ro, ou motado do valor a prazo : igualmente se vende
um bom terreno na ra Augusta, j alterrado, no cen-
tro de propiedades, com 00 palmos de frente : a tratar;
ns ra de Alegra, casa n. 34.
= Vende te um casal de escravos, muito bons;.
escrava cose, engomma e cozinba so(Trielmeotc : na
rus da Concedi da Boa-Vista n. 60.
= Vende-se urna morada de casa na ra lotoco-
lomb, n 67, nos Afogados; a tratar na ra Dreita,
casa n. 6, ou no) Afogados com Jos Lucio.
= Vende-se um escravo de 28" annos do idado de
bonita figura sadio e com principios de canoeiro ; na
ra do Amoro), venda n. 30.
= Venilnm-so queijot do Alentejo em latas'd fo-
Iba, a 5006 rs om libra a 800 r*.; dijos do reino
muilo novse frescaes, chegados ltimamente a 1500
rs.; ditos a 1280 rs ; latas com sardiuhas em con-
serva, de differentes lamanbos; ditas com bervilhas
frascos grandes com conservas de Lisboa a 2400 is.
ditos poquenos com anchovas a 7.20 rs. ; muito su-
perior e fino doce de goiaba em ofixdes de 6 libras
u 1120 rs. biscouto doce, muito bem feito a 240
rs.; dito agoado a 200 rs. ; futas torradas a 240
rs.;. chocolate novo a 240 rs. a libra; urna porc.io
de farinha do Maranbio muito alva e nova a 2300
rs. a arroba eem libra a 120 rs. ; orna porcao de
louca vidrada constando do alguidares orines e
pspeiros; ludo por barato preco: na venda da esqui-
na defronte do itozario, por baxo do sobrado de 3 an-
dares, n. 39.
as Vende-se urna pardinha de 20 annos, de bo
nila figura engomma cose faz renda coiinba e
lava de sabio ; urna linda crioula de 20 annos cozi-
nba e lava de vari ella ; urna dita de naci de 20 an-
uos engomma, cozinba e lava ; urna cabrinba de 13
anuos cose e faz renda ; urna negrinha de 7 annos ;
duas escravas mocas para todo o servico ; um moleque
crioulo do 13 annos; um escravo peca ptimo bo-
lieiro ; dous escravos de 22 annos, proprios para o ter-
vico de campo por ja estarem acostumados:, na ra
das Cruz, s n. 22, segundo andar.
= Vende-se urna facha do muito gosto para ios
peclorde quarleirio; na ra do Rangel, loja de cera,
n. 3.
Vende-se urna muito linda mucama de 15 a 17
annos boa engommadeira lava de labio e coto nio
tem vicios nem molestias algumat; um molecio de
navio, pioprio part qualquor servico nio tem vicios
nem molestias o que se afiance ao comprador : no
Alterro-ds-Boa-Viste, o. 20, primeiro andar.
=Vendem-se saceos com farinha du Rio-de-Janei-
ro, a 4000 rs.; dilss com dita le Mago, a 5500; rs. na
ra da l'raia n. 49.
=Vende-6e urna escrava crioula moca engom-
ma sofliivel e cozinba o diario do una casa ; na ra
Direila, loja n. 55.
Vendem-se 3 escravos de muito boas figuras ,e
mocos ; no Atterro-da Boa-Vista, n. 39,
= Vendem-se chinellas e cestinhas com di.senhos
para bordar, sedas e lias de todas as cores e agulbas
para bordar, muito lindas bonecas do puliiea com olbos
de esmalte, de varios tamaitos e outrss multas fa-
zendas da moda e de bom gosto ; na ra Nova loja da
Amazona n. 7.
=s Vende-se um ptimo escravo bom canoeiro e
ganbador de ra ; na ra das Trinchoiras, o. 46, pri-
meiro andar.
= Vende-se um pardo de 20 annos de idade com
principios de alfaiale ; na rus da Cruz n. 37, seguddo
andar, de manbia al os 9 horas, e das duas da tarde
em diante.
= Vende-so farello novo tm muito boas ssccas
pelo mdico preco de 2560 rs. esda sacca ; na ra da
Cruz, no Rectfo, n. 26, primeiro aodar.
ss No armazem de Fernando Jos Braguez ao p
do arco da Concerni do Recife, vende-se Urtaruga de
superior quulidado ; mcios desoa ; arroz de todas as
qualidades; tapioca muito alva o fina ; tabaco em. p
da Babia etn latas de meia arroba.
- Vende/sech bysion em cimas do 13 libras, em
porcoeso a/etolho; em casa de Matheut Aulin & C. na
ra da A l^odega Velba n. 36.
= V ftde-se milbo novo, a 5500 rs. a sacca ar-
roz com .asea a 4500 rs. a sacca e farinha de man-
dioca por preco commodo ; em casa de Manoel Jos
GonC'.lvcs Braga ao p do arco de S. Antonio.
= Vende-so potassa americana muilo nova e de
superior qualidade em barril pequeos ; na ruada
Cadeia-Velba armazem de assucar o. 12.
=Vendo-se urna prola do Angola com muito
boa conducta pois nunca lugio; Dio tem vicio da
beber espirito do qualidade alguma; be muilo fiel e
capaz de se Ibe entregar urna casa ; cuja escrava vnde-
se por nao qgeror servir a senhora ; o que tudo se
afianca : ns Ponte-Velba da Boa-Vista casa tarrea
n. 29 junto ao sobrsdo da viuva de Luiz de Castro.
= Vendcm-so corles de cbiU fraeerss muito lina,de
sssentos escuros de quadros e listras, cures fizas, de 4
paleaos e meio de largura, e de gosto muito moderno,
a 3200 rs. ditos com 13 corados, a 3000 rs., ditos
de Cssa-cbitas de cret fizas a 2000 rs e em co-
rados, a 240 rs., ditos do chita* caifa ssento escuro, t
1600 n. ble tan ha de rolo com 10 varas, muilo en-
corpada, a 2000 rs., camisa de meia, a 1280 rs., biins
trancados du linho puro cAr de ganga e escuro a 720:
rt., ditos broncos, a 1000 e 1280 rs. madapolio en-
testado a Q800 rs. meias casimiras de algodao mui-
to encornadas a 480 rs. o covado, brisa francotes de
quadros e lisW** a 409 rs. o covado, fwtdes ft r>*N
pretos canoeiros ; tambem se raede pe la medid* ve Ihi
ou em laceas como melbor agradar aoiafreguezes.
= Vende- te urna preta moco sem vicios aem1
achaques, e he boa quitsodeira ; na ra do Fogo ,
o. 44.
mm Vende-se urna carroca ero bom uso appareli-
da para cavallo; Um baobeiro novo de foiha ; un
porcio de taboas de pinho, propriss para feixes *da
Educar e para fabrico de bahoi: na sitio do Mo
junto ao do Sr. Liz Gomes Ferreira.
: = Vende-se urna preta crioula de idade de 22 ss.
no* cozinba bem o diario de urna casa engommt
lito muito bem lava de sabio e vanelta .cose hz
bem renda ; ao comprador se dir o motivo da rend:
na ra do iVIoodego o. 107.
Vende-se urna escrava de nario que sabe c-
/inbar o diario de urna casa ensaboa e ho bos qui-
tndola ; na ra estreita do Rozario, n. 21.
= Vede-*eum preto, proprio para. o.servico di
esmpo por preco commodo : na Roa-Vista, rus dos
Coolhos, o. 1.
= Vende se salde Lisboa, eo|*orc5es, al 200 al-'
queires, a 1440 rs. e a rot.lbo, do ulqueire pars ai-
xo a 1600 rs., pela medida, velha ; arroz de casen
3200 rs. o alque- j, pela mesma medida ; dito bran-
co e vermelbo | ado pelo preco Mis commodo, que"
se poder ojus* ; urna porcio d garrafas o botijai ri-
sita ; urna 'luiia de conros espichados, por preco com-
modo ; urna dita de ditos salgados; ludo' se vende pe-,
lo menos que se poder ajuster : na ra dt Praia, bec -
codo Carioca por baixo da sociedade -Tbaliense ott-
tr'ora l'hilo-Tbalio venda ao entrar do dito becco.
= Vende-le urna oscrava de idade do 18 uuoi,
com bonita figura o com varias habilidades; ou
dita de 13 annos, coso o he recolbida ;. um mol
que de idade de 14 annos; um mulatiohu do 15, tfoj
tro de 18; ambos bom para pagens: na ra Direils
n. 5.
Vende-se um sobrado de om andar o folio sil
na roa de Hortas n. 72, livro e desemharoeodo ;
tratar na mesma ra n. 106.
Vendem-so, por prece commodo, os psisirosie-
guintes, todos mu bons cantadores ; sendo um bicu '
do, urna patativs da Parahiba, e um bisado: na iu
da Florentina, o. 16-
Venile-se vinagre superior a qoo
ris a canaria ; na ra do Atierro dos A*
fogados ti. 7. a
Vendem-se ricas toftiiitn de linho
adamascadas de a 7 varas de comprida,
com os competentes guardan.-)pos atoalha-
dos da mesma fazenda de 1 3 varas de lar-
tudo da melhor qualidade e
g
gosto
mais moderno que se tem visto neste gene-
ro: na ra do Crespo tt. ir, loja de l J.
S. Magalhies.
I
Escravos Fugidc
Ainda continua a estar ausente, ds casado abati
assignado a escrava cobra, de nomo Severina que
fugiu no dia li de agosto do cor rento anuo com 01
signan seguintes: altura regular, secca do corpo,
aioda moca cabellos carapinbados o com gaforim,
urna marca de ferida ni foczr direita ao p do olbo,
denles curite limados ; bu bastante esperto filio li-
na : hi noticias que desta praca nio saino poi o
tero encontrado a noute disfarcada com o traje de timio
e saia preta e diz ser forra ; cuja escrava fui compra-
da ha 3 mezes a Bo|ji Chavanne : quem a pegar,
leve a ra do Mondego botica n. 64
Jodo Cancio Pereira Freir.
= Dessppareceo, no dia 15 do maio do crrenle to-
no aeicrava Calliarina, de naco itebollo, d> idade
de 25 annos, pouco mus ou menus estutura 'regular,
secca do corpo rosto redondo nao lio maf precid '
entre os peitos tem uns enfeite* de sua trra e lie bem
preta; levou vestido ja desbotado panno da Coila;
andava vendendo mel em um (landre* : quem o pafsr,
leve ao engenho do major Kilippe Duirte Pereira cnt
Bebiribe ou atrada motril da Boa-Vjsl*, o.U,
tegundo andar quesea recompensado.
= Fugio do engenho Mazogio, no dia 18 dn agos-
to um escravo de numu Jos, crioulo boa estatus ,
cor alguma cousa julo natural das parles do Ancoly ;
foi montado em um curullo do mesn.o engenho ; o
qual tem o* signac segoinlcs : ro;.iiho, espido, com
os dous pes calcado* urna estrella ntesto lendo n
junta da mi direita urna concitada que nio tem es-
belto ; torobem levo urna sobrocanna e nio tem es-
tradas; pordui he ben novo ; julgu-se ter seguido pa-
ta a* partes do Norte poqtf rindo do Arocaty l'r
sido vendido nesta praca : roga-se a todas ai autori-
dades policiaes 0 capitosdu campo de O r.pprcltend-
[tem, e conduzil-o ao mesruo engenho, ou no I,
fe a Josquim *>s Kabello no Aracaty a Francisco
Xavier de Carvelha doqu'in foi escravo ; <(ue sn*
pagos de seu leu traballto generosamente.
= Fgio, no da27 do correte, um relo de n0"
io, coto do braco esquordo : ojueni o pegar, '"
re a ra das Crujes n. 33, que scr>zj|Oinpensado.
Ti
NATYP- DE M, F PE l-Al.IA 1 H/(5.
MUTILADO


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EOM8S9QEB_YZL7NB INGEST_TIME 2013-04-13T01:35:54Z PACKAGE AA00011611_05852
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES