Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:05845


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno
de
l&t*.
Sexta feira 2$
'T-TlfHU.
nrARIO publica-se todos ps das opio
len de guarda : o proco da a*>lgw-
n ] a,. 4/rs. por quarlel piffO' ftM*-
'Tos annunolo dos MaltjnanlM iio inse-
;i,n.ntc, o as repeinos pela inrUte.
:'",'. ,,, forera assi-.iant.-s pagao 80 rs.
2rfinta. r 1,;0 "'" typ" '' ''"rc"tc-
;>
pHASES DA LA NO MEZ DE AGOSTO.
i las 51 e .r> tnin. da iiianhaa.
!'rnrute -i 10" e "2l '2'in".tos da tard'
'' M,li-i a 17 as I0hor. e 57 rain, da man.
l,:;,^n"'^a,4hor.e7.n. datarde.
PARTIDAS DOS CORREIOS.
Coianna. Parahyba, e Rio Cunde doKortc
, Segundas r Sextas feiras.
Cabo, Seiinliaem, Rio Formse, Porto Cal-
vo, o Mace;,, no 1. 11 e 21 de cada titea.
Caranliuns o"' onito a 10 e 24.
I.oa-Vistae Floros a 13 e 28.
Victoria as Quintas feira*.
Olinda todos os das.
PREAMAR DE HOJE.
I'iiineira a 81i. c 30 inin. da manliaa.
Segunda as 8b. o. M minuto da tarde.
de Agesto.
mr.i!LU*' \WV.Ji'
Anno XX N. 18.;.
DAS DA SEMANA.
' 1S Secunda S. Chrispo. aud. do J. de 1).
M> da 2 v. c do J. M. da 2. v.
i}/ 19 Terca S. Luii. aud. do J. de D. da
f/v v. edo .1. dos (eitos. .
20 nnrta S. bernardo, aud do J. aa i).
<'.- '! vara. .... r,
21 Quinta S. Joanna aud. do Jim de i),
da 2. vara, e do .T. M. da I e 2. v
2> S*f S. Tiniotlieo aud. lo J. de P.
da 1. v. Jo civrl, o do .1. dos ro los.
23 Sa libado S. Uoviiia, aud. do J. de D.
da i. vara.
24 Domingo S. bartholomco.
CAMBIOS NO DA 21 DK AGOSTO.
Cambio sobre Londres. 2.rid. por l a 60 d.
> Pan 370 ris por Tranco.
Lisboa 120 a 125p. c. pr. p. m.
Dse, de lot. de boas lirinns 1 '/, 1 '!?V-"/o-
(/uro Oiicm hespanholas 31.'500 a 31#"00
Moeladr (tf400 vol. I8D00 a 1P.J200
.. ,> de 0*400 nov. 17#800 a 18#000
> ele 4*1)00 0/OO a !W7W)
Pratn-PatacOc .... 1/000 2*000
,. Pesus Columnares. l.+80 a 21MM)
Ditos Mexlcanoa l/OJO a l;"""
Moedas de 2 patac. 1/780 a l.#00
Acrf.es da C do Uebcribe de MOOOao par.

------
......
:"-.-.-"::-".- :;.-r^r.a-->..---- -- >['_
-=^
DIARIO DE PE3RIAMBUCO.
CJcveriio da provincia.
EXPEDIENTE D DA 10 DO CRRENTE.
(Concluido.)
PortaraDando dcmluSo a terceiro onmmandantc
da anorto companhnl do cnpn do polica Antonio da Al-
bliaiieruiio Varanhao, Partiripun-so a commendante
das armas, ao inspector da thesnurorin das renda pro
tncint c ao commnndnnte {feral d r.rpu do polieia.
DEM DO DA 18
0(Icio-A cmara ninnioip.il denla cidailo, declaran
a >pie da aasembla provincial ho quo dee solicitar
a fundos necessari... para pagar a ttanoel Ignacio d'A-
,ilo aq.inntia, por que arrematou a obra da ponte da
rus il Aurora. '
DiliiAo cnmmandAnte superior interino da guanta
nacional do municipio de Goiannn, acciuiando reoebid
o irn ohVio'de 16 dcsto mor., cm quo dii parlo de tr
entrado cm exere.icio e frito reconheccr c empuar os
,,||iiaes superiores da misma guarda nacional.
Diio-Ao meimu. devolvendo, para ser organizada de
cmiformidade comas instriircoe de 14 d seicmbro de
1838, uiua propusla para o resjieclivo priiuuiru bata-
Ditos- A inspector da thesouraria da faiendn, ao da
slfanilcg. ao do arsenal de marinha, e ao administrador
di mesa d-> consulado, seiontifioando-os da imperial re-
snluiao, quemandiiudeixarde arreeadnr, do ntliimi de
onho |iroxJmo passadu, a pontribuisao sobre os orde
nados do empregndos publico*.
DitoAo commissario pagador, determinando, em
riimpri.i.cuto d'nrdeu. imperial, qnc, contar do 1.
dfte mei, deixc do abonar a consignnyao, c(ue a sua fa-
iniKl dcixou nesta pr..vi...:ia n major graduado do pri-
meiro bu tal hilo de fuib-iros, Jos Antonio Pinto; o exi-
gimi a guia deste oflioial. .
DitoAo jai* relator da junta de justiga, trausroittiu-
do, para tero domino- do co.tuiuo, o proeesS" do sida
do ila coiupanhia de artfices J. Gsudflnr.io de Alnieida.
Pnrtaria-Ordenando, quo a Jos Tilomas da Silva se
passe noiiics$ao para terceiro coiiiuiandanlo da quart
cnni|i.inhia do corpa de polica Porticipou se ao com-
lliandante gersl drste corpo, e ao iusprctor da tliosou-
raria das rendas proTiiieitcs.
Dla-Demittimlo us 4.0, 2.0,3.0,4.0 e 5 o supplon-
tesd dclegadn' do termo de Santo Anio, e todos os
d..s mbdelegadoi do. d.strictos l.u e 2.0 da fregues.a da
respeutiva cidade Nninorao-o : par. topuleulea do
do delegado da Victoria; em primeiro lugnr Joso Men-
dei Cumeiro Leso; em segundo Virginio Carneiro Le*o;
em loreeiro Luimifo Martiut P.reira Monteiro; em
quorto Domingos da Cimba o Silva; ecm quinlo Auto
mu Z. In.ino Pimce Lvao : para supplunte do subdele-
gado do primeiro di.tric.to; em primeiro Iflgar Claudi-
no Je de Lucida Liboa; em segundo Antonio Hcn-
nqne rio Miranda; em leneiro Joso Maris Jandeira de
Millo,-oin quarlo Gervasio Eugenio Simaos; em quinto
Zaeurias Rodrigue*"deSoiiiaj o em sexto Malina Car-
liisdoArnujo M.ioiel : para siipplonle do subdelegado
do segundo dimri'to; em primeiro lugar Francisco de
barn. Corroa; em segundo Joao Evangolist Beiorrn
Ai.hijo Pereira; em turr.eiru Antonio Kutino Alves Cor
rea; era quarlo Antonio Juao Juvcniauo de Mello; eul
quinlo Joe Mondes Carneiro Leao-, o em sexto Jos de
llanosCorrea.Cuniiiimiicuu-au.ao clicfe do pulila
inli rio.
EXTEilOH.
REPHBL1CA OR1KNTAL O URUGUAY.
Montevideo, 11 dejulko de 1845.
Additaniento urdem gcral dn din 10 do correntc.
Pilo ministerio de estrangeiros e interior se oominu
CAKUL1NA NA SICILIA. (*)
TERCEIRA PARTE.
XLIX.
PIFO.
Deixnmos Pipo no |iaten de Boncevino occupndu a pre-
parar o cu caelniibo; e consultando que castigo pode-
rla infligir Zngara por premio da ma delacau. Todo
o dia se passou nema caritativa indagaban, salvo a parto
que se eiuprcgoii em urna visita por elle prevista, e que
>''io distrobi-lu purnlgum lempo dos seus pensanieiitos
viiidiuativos.
Os drague ingleses repellidos de manlifia com tanta
fortuna, tullarao com iqbs forja algumns Imras depois e
'i Lilliivio cin por Fiig nos i|uatru ngulos do cumio,
pnru vingiirem aiunrie do sen cabo d'csqjoadra, Felit-
nirnte para o ediHciu c pira Pipo os sitiamos crio tom-
iiiandniliis por un ofllaial superior que lliescoinevo o
rdor destruidor nos K mi tos dn disciplina c da legalnl.i-
de. Alin disto Pipo levo a |irccaiicao de todo lanfar so-
urciM Calubretes, e sun peina de pa deven a triste sa-
tilacao de llio ser a palavra acreditada e Pipo era bra-
vo, lanibem era pi udent, e nesta ucoasiSo sacrificou a
gloria a negurauca.
'*) Vide Diario n." 183.
nicou, com data de boje, oo Exnv Sr. ministro ra e commandnnte gcral das armas o argiimte ;
. O ibsixo asignado tcm urdem do governo para
cniimiinicar no Sr. ministro dn guerra, a ftm de o faier
.nber no digno oxcrcito, que defeiide a capital, que se
aproxima u termo felii de seus heroicos osforcos. Eale
ministerio acaba de reoeber com.niinicaoc ollioines do
SS bR. os mioistrns plenipotenciarios da Franja e In-
glaterra em Buenos-Ayros. quo llieassegorao este termo
glorioso. Niilhe sendo dado estonder-se sobro o un-
iendo dessas cominunicaces, limita-ao a indicar que se
KM*a evacuacio do territorio oriental pelas armas ar-
.'entinas, o a retirada do suas forc^s navaea de frcnle
deste porto. O abaixo assignado felicita ao Sr. ministro
por este acontecmntn, epor ser orgo por onde se
eomraunica ao exercito, e o snda com toda a conside-
racSo e reipeito. nnioee Vaiaws.
r (Constitucional.)
(J. do Commercio.)
Folhi ingle/as al 27, e france/.as al 25 de tinho.
A rainba Victoria, o principe Alberto, e o principe
da real familia briannica partirao pura a tlha do Wighl
a 19 onde so demoraro at 25. A rainha Vicloru m
peccionou nodia20 aa naos inglcias surta em Spithead.
sendo om toda a parte tecebida com grande entusias-
mo. No dia 25 regressou a cOrte para o palacio de
Buckingbam. '
0 duque eaduqucia de Nemours parlirao de Lon-
dres para stende, em direegio a Pariz.
0 re e a rainha dos Belgas chegatao a Londres a JO
do passado.
Na cmara dos lords.em sessao de. 17, liouve urna con-
versacSo cerca das escotas da Irlanda em que lomarao
parte o bispo do Cashcl, o conde da Wicklow, o arce-
biipo de Dublin, e o duque de Wellinglon.
Na sessao de 23 propoz o msrquezde Normanby que
fosse eliminado o nome do bispo de Londres do protesto
contra a terceira leilura do bil de Maynoolb, visto nao
se acbar presente, o que fin approvado.
Tete segunda leilura o bil sobre os bancos da Esco-
cia, e o conde da Ripon advogou a ulilidade da me-
dida. .
Na sesso de 24 o marque* de Breadallmne inlerpel-
lou o ministro dos negocies estrangeiros sobre o Irata-
mento que levo o doulor Kalley na ilha da Madeira,
estranhando muilo quo elle losse molestado so porque
celebrava o culto da religiao protestante.
Lord Aberdeon respondeo que o doulor Kalley nao
podia de modo algum calhecbisar na ilba da Madeira, e
fazerproselytos, pregando em idioma porluguez a ca-
Ihohcos romanos subditos de S. M. l'\ o quo era con-
trario aos tratados e s leis que regem em Portugal, ac-
cresconlando, que o governo porluguez se houve a este
respeito regularmente.
Na sessao de 26 leve segunda leilura o bil sbreos
propietarios e rendeiros mglezes, que foi sustentado
poliis duque de Rickmond e Cleveland, e combatido
por lordsBeaumont, Asbburlon e Wharnclill, scnd.a
final rejeitado.
Na cam- ra dos coinmuns, em sessao de 17, Mr. nui
ler apresentou alguns projectos relativo colonia da
Nova Zelandia. O debate continuou dursole as sessoes
de 18 e 19, sustentando o autor da mocSo, que o go-
verno nao havia adoptado disposicao algutna para nie-
Iborar o eslado dessa possesso, e os d> lengores da ad
minislracSo, que nao se careca de novas medidas. A
moco do Air. Buller oi rojeitada por 223 voto con-
Em sessao de 23 Iralou-se do bul acerca dos collegics
da Manda. Mr. Daniel O'Connell que vio expresa-
mente de Dublin para tomar parte r.este debate, decla-
Foi revolvida a casa de cima baixo, o que nSo levou
muitn tempo; na falta dn capullo que nao acharan, apre-
hendrao oom grande pompa todos os seus papo, ma
e,n grande Irabnllio, visto que nada eslava fechado, o
mitos misturados em confuan por cima de meta c ca-
deiras. Verdade he que nada linhfio de emprometter, t
tudo bem examinado, acho.i-se una patente de capitn,
iin decreto de demisso, quanto a artigo uOlciaes ; e no
deroais oonta velbas de cquipamcnlo, correspondencia
do regiment, receitas do perfeito jardineiro. Fer-se um
processu de todo ete rico adiado, c os logrado, drague
furio-*c como tinhao vindo sem ponpar os goddam
Boa vi.igem! gritnn-lhes o invalido feohuiido-lhos
na anea o de.locado portan ; o restituido ao seo ca-
chimbo continuou o interrumpido pas.eie por entre as
terral do pateo, e a cgitajlo da vinganca contra a de-
latora do sen capito. Mas o liomcui nio era inventor, o
rhegou a.noulu antes que llic bouvesso oceorndo una
ideia. .
Eslfeito! pensouento; a noute be boa conse-
Ihcira; mas fatigado da vigilia da noute, edasfacanba.
do dia, adoriuoceo antes mrsmo de ter a cabeja no tra-
von.oiro, c despertou no outru din. no nicsm.i estado.
M ncm por io deixou d tomar a sua bengala logo
une omanliceeo odia ede oncamii.l..r-.o resoluto para o
mrdiero da Zngara, confiando, j que lbe nSo mili, oc-
corrido eonaa algu.na, na in.pir.Clu do momento. Quem
{amis .eleinbraria de personificar a vinganca sub a B-
siira do c ixo meiuageiro?
" Clirna..... ninguein .cha. lingano-me, quelac.t.T.
.encorado ao l.n.iar grande galo prelo, con. a C.bec.
melancolioa.nenlecncost.da pata, dianleiras A bu-
||,a da perna de pao ergneo elle a. orelhas, e voltou par
elle o olho. ...relio., cuj.s pup.llas furtemente con-
tradas pelo sol brilhavao coinu dua afiada. laminas.
rou. que.antes de approvar o ii'H.seria bom adoptar me-
didas para obstar a miseria dos Irlandeze, e para Ihes
proporcionar meios de sustento.
Str Roberto Peel sustentou o bil como proprio para
croduiir bons resultados, segundo as cucumstancias.la
Irlanda ; porque o methodo mixto de educaco era su-
perior aquello quo tivosse por ba,e urna tondencia reli-
giosa exclusiva. .
Mr. Wye propoz urna emenda ao bil que oi rejei-
tada por 189 votos contra 89.
Kmscsaode2idiscutio-se a mocao de Mr. Hull.
declarando que osvstema. seguido pola Gram-Uretanha
desde 181 para a suppresso do trafico da esclavatura
havia occasionado consideris despozas, e mutta per-
das de vid.. e de navios btilannicos sem diminuir a ex-
lensao do trafico.
Lord Howick pronunciou-se no mesmo sentido, e
mostrou se desgosloso com a convcncSo ull.matnente
Lula com a Franca.
Sir Roberto Peel disse que.quanlo a convencoo com a
Franca,nao respondera por ora. limitando-se a demons-
trar as exaooracoes de Mr. Hutl, e sustentou que o ac
cordo dos Estados-Unidos, da Franca, de Portugal, e
da Cram Brelanha seria em definitiva elDcaz para abo-
lir o trafico. i j .
Na essao de 26 propoz o procurador geral da coroa
queseannullasse a deciso do tribunal do banco d.
rainha sobre o processo de Howard centra Gossell, o que
se approvou por 82 votos contra 48.
O museo Nanoleo.estabelec.do emLgypt.anball, va.
ser vendido; e muilocurioso devem concorrer ao lat-
15o que para csse lim deve ter lugar.
A 21 dco a cimdessa de Jersey um magnifico baile om
honra" da duqueza do Glocester, ao qual assisliro mais
do 800 pessoas da corle.
Em Irlanda reina tranquillidade, o depois da parti-
da de OConncl, as reunios dos repealers nSo teem im-
portancia alguma.
As folhas do Bombaim alcantio a 12 de mato, e na-
da oflerecem de inletesse relativamente a India britan-
nica.
El-rei Luiz Fippe chegou a Tulheria a 17, e pre-
sidio ao concelno do oslado.
El-re e a real familia, achavao-se ltimamente no
palacio ue Neuilly.
O Moniteur nnnuncia quo o duque de Aumale oi
nomeado, por decreto de 29 do passado, commandante
em chefe do acampamento da Jironda.
No dia 15 os ovons principe egypcios orSo recebido
pelorei no palacio de Neuil'y.
Segundo o Comt'tulionel parece quo o duque de
Montpensier se encontrar com o duquo de Bourdeaux
n'uma excursao pelo Mediterrneo.
A cmara dos pares, a 17, eiammou os projecto
docan.inbo do ferro do l'ariz e Lyons, ede Lyons e
Avignon. .
A 18 apresentou M. Rou.llo do Fonla.ne o parecer
da commissao em lavor do projeclo decammho de ferro
do Norte da Franca.
A 19 approvou cmara dos pre o projecto relati-
vo as caixas econmica, por 80 votos conlra 19.
A 20 i omecou o debate sobre o c; minbo de Ierro do
Norte. O general Cubieres e Mr. Merilhou ustentaiao
a medida em extensos discursos.
A cmara dos dcpi.tado, em c5o do 5. resolveo,
ante de enoenar-.e, discutir os projectos do eslabele-
ciiuciilo de urna tintn do vapore entro a Franca eA-
mcriea, o dn inellioiaiiienlo do porto do Toi.lnn, O do
banco de Argel, o os de varios rnminh.is do ferro.
A 16 approvnu-se o oroaiucnto da guerra, depoi do
Au reconheocr osen vi.inho invalido, saudou-o eoiri
um amioal-raiado, e cehou novamente os olhos, conti-
iiuainlo na interrompida inrdit.jao. Diiein que Ilcnri-
qua III doamaiava quando via um gato; era compensa-
cao, uossns iivi os Egypcios Iho. tributario honras di-
vina, o raparan o lobr'olho. em .igual de d, quando
murria algum om sua caca : u iiossn amigo Pipo eguiu
rasuavel moio lerim. entre u apotlicnse e o averso
pi.recia-lho que a rana dos galos nao nicrccia nem tanto
excsso d'lionra, ncn tnmanha indignidade.
'faes eran suas dispnaice. em geral, mas na especie
era bem diftoicnto; nutria ha muito tempo contra o
gato da teitccira odio surdo, que nao er isento de cer-
ta dse do terror. Sem sersupcr.ticiuio, nSo ileixavo de
crer que o diabo houvesse revestido essa macin polle
para viver om oomponhia da Zngara, como Mephislo-
pholes so revolva no trigo wb a forma de cao d'agoa
para mostror-sc u Fausto.
Quando se vio face a face com osuipcitu animal nes-
a olidau .inistra, Pipo parou de repente, e senta um
ligeiro estrcmeciniento arripiar-lhe o epiderme. N. ves-
pera havia attVontado como um bravo o piquete de dra-
goe inglexos, ogora trema vista de um g.lo. Ma. e.-
se gi.toho ahi qualquergato? Tulvez..... diiia Pipo, o
como Hainlet accreseentava: Esta lie a queran. Na du-
vido, nao estova iitifeito; digomos a verdnde, tinh.
Hiedo. E net.i dispusije, n sua imaginario chegou n
ver..... 8nbe Dos o que ella nao vio. O b.godos do po-
bre gatu pareciiio-lhc raios de logo, que lbe .ahiao do
nariie, a cauda e as garras tinhao tomado forma gi-
gantescas ; duuBtoruo an.ear.i.lore cnroav5o-lhe ne-
gra o felpuda cabeoa. O que o conlevc de fogir dettas
fantostic. vi*e foi um resto de honra militar ; ocou-
i guio reaniniar-80 depois que resou urna Avc-maria.
Santa Rusalia v.lei-me! exclamou elle benien-
brevodebate sobre a mudanci de uniformes do exercito.
A 18 deciilin-se que a fnrea da guarnicao, na pnatM-
8es de Argel, fo.se do 100,000 liomen.
A 20 trotou-e do orcamenlo da. obras publica., o
venlilou-.eaque.lau do preferencia do sy.tema .tmos-
dierico para o caminhus do forro. O ministro re.pec-
livo disse, que n ommiiso especial ainda nio baria da-
do 0 sen parecer a lal respeito.
No dia "21 discutio-seo orcamenlo da marinha de guer-
ra, (ixaiido-se o numero dn marinheiro. em 20,000, o
do. nrlilliciroscm 10,000. Mr. Lacrease .piHxnu-e do
abandono em que eaUva a marinh. e o bario de Ma-
okau respondeo, que havia dado todo o iuipul.o a e.te
imprtenlo ramo.
A. 23 proseguio a menino debato, conociendo se don.
.nilhue do franco para us e8iabcleoiinento francrxcs
da Ocennia. Por osta oeoaailo Mr Billault cen.uruu os
noto ilo almirante louiolin era Tabily. O guverno dccla-
ron, qucupinlooloiado oria i.ianlido uessailba.
Cnipocon a 24 o ovamo do urcamentu relativo M<
truorao publica. .
Os onrpinieiro de Pari* colligrao-.c p.ra nao traba-
Ibar, omcoi.sequenoia de lbe no querorem dar 5 fran-
cos por dia. Abandonara ns obras era que se aohavSo
emprogndo., e como'c.ta corporaoio creou um fundo de
2S,00'francos, pode .ostentar .e sera trabalbo por al-
omo tempo. Esta reaolueao lera cauaadu eria impres-
ao, porque o. pedroiro, ferreiro, pintores e ootros,
nada pdem faier em na enrpntoiros.
O governo determinou. que os soldados carpinteiros
pudossem trnba'.har na obras dos particulares; porim o
nuinerii destes he i.sullie.ionto para contrariar o plano
dus carpinloiros.
O Sntionat relcriu, que Mr. Gui.ot tivera um noro a-
tnquo; entrelantu parece, que o ministro contina em
estado de figurar tosa dna negocios.
O conde de Bressoii c Me. BuLoor, cmbaixadorea de
Franca e Inglaterra c.n Madrid, acbavo-se em Paria.
O Univsno publica um protesto contra a expulsan ou
peraeguico dns jesuitas, enderecnilo pelo oroebispo do
l'olo.-a ao rei dos Frnnceie, cu que di que esa medi-
da he hojo renlamada pelo, metmo. anarchi.ta, que em
1789 tan.tornrau a uniera e a p.i da Frange, e com o
inoamo fina subversaodoreligiao catholica; inatenta,
quo as aecnaaee onnlra o. jesuta ato tao infundadas
cunto as qno Ibes fierao os philo.opho. do enulo XVIH;
e que a snppresaa dos jesutas boje seria acompaubada
das niesmns eonsequencias, que vierio oom a rovuluco
trncela.
O duque de Glucksbcrg, primeiro secretario da ein-
bav.-.da francea era Madrid, casou cm Parit eom M.'
Huchet, filb do amigo aecrelnrio do oonoelho de esta-
do. 0* noivos partiriu pora Decateville, donde segu-
rao para Madrid.
O vapor Curiar, levando n.eu bordo Mr. Pitoatory,
uhiu de Toulon para Alhena. O LavoUier ia levar a
fu u cnniil geral de Franca, Mr. Lagau.
SegunJo o ourrier Froncait aind nao se linda de-
cidido, qunl eria o rtcial cncarregado do commiudu
da e.quadr.1 da coln de frica, ein virtude da ounven-
CtO de 20 de m.io. A o principio lenibron-se Mr. Uupe-
lit Thouar, depois oontra-aliniranle deMoges; na ul
tintamente fallava-e no contra almirante Laroque, que
so distingui na campanil* de Marrucos. utros indgi-
lo o oiinira-ali.iin.iilo Larigandic.
Havia reinado intenso calor em Pari, depois de repe-
lida, truvoadas.
O Moniteur Algerien de 15 annunoia quo o roarechal
Bugeaud apa.iguou completamente a revolta dus Oua-
rens o dos Beni-Ouragh; oaplurou l.oOO espingarda,
que rooolheo em Orleansville, e enoarregou o general
Bo.iridly de desarmar todo u distrioto. Perto do Bugia
os kabybi tentarn ob.tar o passo aos Franceses, mas
toro batido por urna columna com parda de quinao
inorto. A povuaeJo de blulcli, que em 1842 era um
inouiDo de ruina,* comeca a tornar-te de novo impor-
tante.
do-.c tre vetes, e livrai-mo das cl.das do grande ten-
tador dos homeus. Uto de todo o modo he um gato quer
o diabo Iho esteja na pello quer uao. Ora adeo! nonti-
nunu nloutando-io a apoatruptaar oro face au animal, e
cuiiroiidndo nn sua colera u bicho e a inulber. lito tcm
durado multo lempo. Toda aa cousas tcm um fin; al aa
mi. ; e como dit o ditado Tama, vete* vai o pucaru
tonto at que soquebr.; he chocado o tempo de ajo.tar-
ino eonta. vclh.1.. Procnrava urna vinganca. acbei-a :
privada do seo demonio familiar, a Zngara ufio he raai
do que um corpo sera alma.
A'citas palavra. exaltou-se at o herosmo, approxi-
idiiu-m; passo ile rao du seu amigo sem decontianca,
e atirnu-lhe i nuca tio violenta pancada, quo |urliu
bengala. O desgrocado gato den nui salto convulsivo a-
cumpauliado du uiu miado lgubre, u cahio para man
nunca se levantar. O naris cnterrou-se-lhe no chSo, aa
pomas te entericrau, a cauda varreo pela ultima ves a
pneira..... lielxebulh, so elle era, cativa redolido um
cadver.
O matador contemplou pur algum lempo a ua victi-
ma, depois, turnado de sbito remurao, deo mais quo
depresaa costas ao theatro do scu assaaainato, e eoapan-
rc cun toda a prestrta da sua gambia be pao, como ae o
perseguisHcm tudososdiaho do inferno unidos a tollosos
esbirro da polica. Porque uto ha de li.ver um cudigo
que proteja o. animaos .' Os habitante, de Caraboge, que
erei'ii. na alma o no paraso do. irracionaes, no dio a
este respeito um eteraplo digno de ruiar-ae; o no
I'";ypto o nossu amigo Pipo teria paasado por urna aper-
lada hora. Todava depois de urnas cem pernadas, uio-
dorou elle os posaos, mas nao a cousciencia; o cancano
obrigou-o a mudar do paaao acelerado para o ordinario,
o para distare .r, pot-se a asaoviar u.ua marcha militar,
e pro.eguio o seu caminho sera olhar para tras. J ello


Segando ni jnrnacs de aVutella, o gabinete N I18 vi.i pedido n mi drmissao, rm coiiseqneiici.i de U sa-
bido i l';ivi.r ilii partido da |ip|tou}fcn M elcie.oe do lii c-
xrllas Antuerpia. S. M o rei Leopoldo liuhi encorre-
gado Mr. ilii.i'1 de fi.iiiuir n novo gabinete, o qual li-
nlia lid" oonterouoi.i i-mu Mr. I.celcrcq, en conde Cuff-
ln'ii. lete* das frarcArs moderadas do partido radia .!
Aci oditiiva se, qiica -riso ministerial terminarla em liro'-
vo, r que so formara inri ministerio moderado, do qual
tal ret firia parle Mr. Ntliomb.
O ni tinha deferido a sua viagi-m a Londres para 2i>
do jiinlio.
O diH|iiec dii(|ucia do Nemuura ohegurio a Bruxellai
n 1(1 do jmillo, regrosando de Londres. Espera va-tc
tamben, na ntestna capital a duqueza de Kcnl, mil cia
remita Victoria de Inglaterra.
Segundo a Kmancipacao o re Leopoldo t tinlia ac-
ccitailu a demst&u de Mr. Notoiub, que diseni aubstitui-
r o general Wilmnr, na embaixada de Berlim. O ou-
tro ministros teem conieri ado a.i suas pasta ale a for-
niacan do ful uro gabinete.
Per uin decreto datado de 10 de jmiho o duque Fer-
nando Jorge Augusto de Saxonia Coburg Gotlia, e ot
prncipe Augusto I.uiz Vctor de Saxunia Coburgo Gu
iba, e Loop ddo Francisco Julio de Saxonia Cuburgu
liollia goznr para o fiiturn, na Blgica, do titulo de
alteza real, e as honras reservadaii ao principe da easB
real, n qucn se seguirn iinniedialaineute no grito deje-
ra re lila.
O ministro da fjzenda da llollandn aprrscntou aon
estados gernea a nova paula das altndolas, quede bal-
de se lem tratado, de modificar por tres vezes no decur-
so de Vannos O principio adoptado definitivamente
polo governo consiste ein que o systcma dos dircitu*
protectores he, un sen entender, contrario a una la e-
couomia poltica; masque nao seria prudente mudar es
te systema de um golpe, qoando inb o imperio deases di-
reitos lem niiseido um ramo de industria, e o thesuuro
lem nproveladn, porem sti devem pc-ar sobre obiecl
do limo. Pela nova tarifa Hcin abolidos os direitos de sa-
ludas; milito redondos os do transito, diminuidos os de
"PS objeclus dcsapparccco toda a probibicao absoluta,
c nao lie possivel elevar os direitoa a oais de por con-
t. U ministro prometi oloin dtsso faior nitros uiclho-
iamentos ueste ramo de administrado, segundo a rxpe
rienria o fr demonstrando.
A noticias de Lucerna dizcm, que o grln ooncclliu se
titilta OCOHpodo do oame da petico do indulto, upre-
si-ntada pelos 2ll individuos eoudemmidos polll concelhn
de guerra; dos quacs frao agraciados lo.
O eoncelbo executivu tisana eummuuieado SO grao
couuellio una nota do cmbaixador da Sardn lia, mam
festando quo S. M. o rei comente em reeeber mis sciis
estados o doolor Stcigcr, Rom a eondioao de que este
ultimo se comprometa, dchaixoda sus palavra,.i condu-
zir-se lealineiiio c a iiui deixar a su residencia em ou-
turisacao superior. O doutor declarou, que escolbia u
oidade de Lagliari, para lugar do seu desterro.
.Mr. Siegvvnrl, Mullcr c Mejor, torio iiomeadoi tlepu-
tailos para a dieta ordinaria.
A maioria do concelho ejecutivo de Zurich decidi
que os deputsdos iluta ordinaria se eslorgassem para
3ue a ordem des jesutas nao seja admittda nocaolo
e Lucerna.
O conceibo de Saint-Cali tambem se pronunciou
contra a inlroduccAo dos jesutas no cantas de Lu-
cerna.
A Gazela de Augsburgo diz, referindo-se i cartas
de Huma, que o Sr. Castilbo e Ayeosa espera novas
instruccSes do seu governo para estabelecer as bases d
nova concordata. O Sr. Henriques de Navarra, ad-
dido a IcgacAo de Hespanba, tinha ebegaao a Roma, e
diz-se que era portador das novas instrucc,oes do gabi
neto bespanhol.
O mesmo jornal annuncia que desde o." de julbo
se Tana urna grande dunnucao no porte das cartas no
romo d. aples; que esta medida ra acolbida com
enthusissmo, apezarde screm eicluidoi della os peri-
dicos.
A asscmblea dos estados allcmaes reunio-se em Yi-
enna no dia 10 dcjunho; e as diversas corporatoes oc-
cupro-se, logo no dia seguinle, de examinar as ques-
tes prnnostas A dieta.
Carlas de Vienna di/.em, que o duque Fernando de
Saxonia-Coburgo-Cotha, dcpoisquo recebera duquea
de kent, sua irania, em Evenlhul, partir para Lis-
boa a visitar o seu filho ( S. M. F. ) o rei de Portu-
gal.
A dicta germnica contina com assuas deliberacoes
a respeito da imprensa : a maioria tent-se pronunciado
relo stalu quo; mts todos os governos que frmao par-
te da confederacAu se tetn empenhauo lormalrnente eu
combater as ideias revolucionarias e communistas que
possAo emillir os peridicos.
Os propietarios das imprensas deSttutgard eos com-
positores tratAo de festejar solemnemente o aniver-
sario da invenco da imprensa. U duque Carlos de
\\ urleinberg tem posto A disposicao dos impressores o
seu palacio de Sltulgard.
que dt
ouvia o alegre e ogudo canto das andorinhas uninliada.
.no casino, quand.Mima liu-ira parada aalguma disUnoia
nttrnhio ana alienco ; nina mullier della dosceo.
Se fosse S. magestade? disse elle entro si com "ran-
de abalo do r.uraciu. Aquellos eampieri polo agudo do.
gorro me parecein Im-iii os seus.
E em quanto assim F.illava, passava revista oo seu uni-
forme. At'otnou a t.iui.i ate o pescocu, carregou o lio-
netlesebreaon.'lhj, para se dar um or mais marcial, o
em signal de respoilo mette o caeliimbo na nlgibeira.
Ao ebegar junto a rainlia, pois que era ello que fiaba
procurar da Zngara olgunias informaroea, eneostou-sc
acerca, para bordar o caminln,, estndeo o braco es-
qut-rdo ciu todo o seu cumpriniunio e Itvou a mao di-
reita ao bunette.
Ab! ea tu, mcii amigo? disc CDrolina,
longe conhecra o invalido.
Para servir a V. magestade, responden Pipo, todo
orgulhoso de baver sido encontrado por 5. magestade,
ein com ludo mudar da posicAo da conliueuoia mi-
litar.
J que te enconirei, vas acompanhar-inc ate a ca-
sta da Zngara.
Seria para mira grande lumia, replicn Pipo setu
fallar na sua proeza; mas V. magestade perdeu a (ager
por que n Zngara nao est ein casa.
Nesse caso irei descancar a Boncevino.
A' estas palavrus o invalido correo ao portan cujas
grades enferrojadas abri ein grande ceremonia e cuui
toda a bulla que a occasio eiigia.
Ai! miiiha aenliora, disse elle rainha, quando
estacntrou, que desiensolacao era para o mea pobre
capitn quando ouber quo V. magestade o buurou cooi
a sua visita em estar aqu para a reeeber! Mas he por
culpa dos Ingleses; esse malvados jurro a sua inorie.
A Gazelr de lierlim diz que o rei havia chegado a
D. enhuflstocki no da 3 de junho, e que pa*>0U revista
A guarnifao de Uatlinburgo, qosndo por all trsnstlou.
Fin lodos os ;-aillos S. 'I. se tem demorado a conli ten
ciar largamente cotn os propietarios e cultivadores a
cerca do moios que sejulgAo mais proprios para re-
medear o estado de penuria em que se achao as ptovin-
ciat,
lz-se que Mr. de U.edoo, empregado no ministe-
rio dos negocios eslrangeiros, ser nomeado en'carr-
gado dos negocios da Prussia om Roma.
I.iiiiliern se diz que Mr. do Arnim, ministro do rei-
no, est disposlo a pedir a sua dumissao, abandonando
a poltica.
Assegura-se que o rei voltaria de sua viajem para 24
de junho, e entSo o gabinete adoptara urna resolu-
cao definitiva sobre a marcha poltica, que se prope
seguir. Mr. de Connetz, cmbaixsdor da Prussia em
Vienna, lu chamado a Berlim para tomar parte as de-
liberacoes, pois S. M. tem grande confianza nos seus
talentos.
A inauguraciodo monumento de Recthoven veri-
licar-se-ha nos meiados de agosto em lioun. Mr. Listz
do para este monumento 10,000 francos, e promelleo
suppiir o dficit no caso que o houvcsso. A estatua ie
de bron'/e de 6 psdo altura, sera enllocada na pra(a
da Cathedral, n'um pedestal de granito vermelbo. Fs-
tao convidados para esta funeco os principacs filarm-
nicos da Europa.
As duas cmaras legislativas da Noruega acabao de
adoptar urna le que consagra o principio da liberdade
religiosa. Todas as prolissoes christas designadas com
o iiomc de dttsidentei piidem livro e publicamente ejer-
cer a sua religtao, e cntislituir-se em communidades.
OlieOS ministros na o teriioutra oliriga^io senao le-
ititi.ar-se coiu taes ante a autoridade civil. Poder
passar c< rtidoes de bapltsmo, do casamento e de o-
bitos As ceremonias religiosas devero ser publi-
cas.
Asscgura-se que Mr. Katakasi ser nomoado em-
liaixador da Russia, na corto de Hespanba, no caso de
que o gabinete de SAo Petersburgo queira tenovar as
suas lelacoes diplomticas com a Hespanba. Parece,
ulm disse que o governo russo esta disposto a reconbe-
i er a rainha L). Isobel 2.*, seja qual lr o resultado das
negociacOescnlalioladas com o principe das Austnas.
As noticias uo Caucaso dizein que o conde de Wo-
ronzofl nAo lora feliz na expedido contra Scbemil-lbv.
As tropas tussas teein sodrido muito em conscqu/etH'ia
do fri o da falta de vveres, e leem-se visto obrigadas a
retirar-se. Schemil declarou a todas as tribus tseber-
kesas que as tratara como nimigassu nAo pegassem em
armas contra os Russos, e seus lotnmissarios tem es-
palhado por todas as povoacOes do Caucaso urna pro-
clamaiao sua em resposta a do conoe de Woronzoll. huiro
oulras cousas declara o chele dos circassiaonps que ne-
n h u ni temor I he insptrao os 180 mil Russos que mar-
chao contra elle, e que com o auxilio de Dos, espera
derrotal-os. nOTodo PoJeroso, diz elle, deo a espa-
da para conquistar, o a justica para reinar, e (endo-
se esquecdo a Russia da justtga, Dos me deo a espada
para restabelecel-a.
O imperador ttnba vollado a Petersburgo da sua via-
gem As frontetras occidentaes do imperio. Attribuo-se
este precipitado regresso aos acontecimentos do Caucaso.
czar leve urna sconlerencia com o rei de Prussia,
e cssa foi muito curta.
As correspondencias de Alhenas dizcm que a tran-
quila dado se tinha perturbado ltimamente, por causa
de urna rixs pessoal entre o general (itivas, e unidos
irmaosStratos. Um destes e um amigo do general
ficarAo levemente leridos. O odio pessoal com que se
olltavao, j ha tempo, estes individuos, seaccirrou com
o resultado das ultimas eleices Uesgracadamente,
parece quo a Crecia est condemnada a nao guzar um
instante de repouso, e que all se sacrifica a prosperida-
do da patria a miseraveis rancores e ambicOel de par-
tido.
Fntrclaiito o trinsterio contina a sua obra, e as
leis, quo tem apresentado s cortes, teem todas sido vo
ladas por grande maioiia. Ullimamenlo apresentou o
orcamento para o anno de 1845, o qual monta a
12,508,28,05i drachmas.
A Gazeta de siugtburgo dii que os embaixadores das
grandes potencias em Constanlinopla approvrao as
iiicunlas tomad s pela Porta para reslabelecer a tran-
quillidade na >j ru ; mas uxigirau que as tropas se re-
tiren) immediatamente, logo que a ordein eosocego
estejao restabelecidos.
As noticias da Syria dizem que ocapitao Pacha res-
ponder A nota dos cnsules das cinco potencias sobre
os laitientiveis acontecimenlos do Lbano, manifestan-
do quo ia convocar urna grande reuntAo de cheles drus-
sos e marooitas corn objecto de os reconciliar, e que
no caso contrario, atacara com a$ su*s tropas :s pri-
meiros que promovessem novas desordena. A Porta de-
clarou que approvava estas medidas, e a esquadra ture
quebaviarojtessado a Conslantinopla recebeo ordein
do voltar as costas da Syria. Parece que os maromas
tintas chegado a reunir 13:000 b.-meni, e os drusso
s 4:000. *" ;
Urna carta de Bcyrouth annuncia que a JO de mato
os maronitas tivcro urna sanguinolenta bUalha com
os drussos, e que se apoderArAo de quatro pecas de Arti-
Ihara, que estes tinbao,
Osjornaesdos EsUdoS Unidos aleancio a 2 do pas-
sado. Nada de novo havia obre as quesles de Te-
xas e do Oregon. Em Nova-York bava o projeclo de
estabolecer urna linha americana de vapores entre csse
por e o de Liverpool.
Consta que a provincia do California, dependente do
Mxico, so insurgir contra essa repblica, proclaman-
do-so indepondente,o adoptando urna conslituicio an-
loga A dos Estados Unidos. O governador mexicano
Miguel Torrena tentou oppflr-se ao movimento ; porm
teve de rolirar-e. A revolucAo eflectuou se sem der-
rmamelo de sanguo, o o novo estado denominase :
Repblica de California.
[Diario de Governo.)
,0^<'VlWTl*l,M,'*PM,"*i'IIMI|1'',l>*fl1ir*1
INTERIOR.
E poz-se a referir com a vorbosidade de nina leslc-
uiunlia, ou anda m.iis do um actor, u cerco da \espera,
ea visita domiciliaria que se llie seguir. Carolina baria
recusado entrar para a casa, e sentara-te em uiiiu cn-
dein que fuera tratar para o iiieio do pateo. A lileira cs-
perart-a no meaiuo lugar, em que a liana dc-ixadu. Pi-
po fdllou em quanto quU, porque ella unan auvia.
Absorta nos seus peusameiitos o recordacoct, liaba pre-
sonte na uicmoria a sua primeira visita a lioucevino
que nao obstante ostar.hoje deserto, tinha anda secreto
eneaiilo para olla que por toda a parte via l'abio.
Iodos os vestigios do combate huviao desappuruoido:
a tranquiidado e o silencio bavio-so rost.ibelecido
nessa murad.i campestre, que por i......ionios a poltica e
seos furores boviao perturbado o eiisiinguentadu. Iuun-
dada de saugue un da procedente a llerva do puteo so
eslava agora hmida do or'vulho da manilla; o vento m-
clinava-a brandaiuentc au pos de Carolina. Dissereis
er ti raiuha das fadaa A porta de um palacio ciicaiitadu
o v-la tan uiagostosa o to alvn com o seu grande ves-
tido de vellido preto.
Tranqulliza-te, meu amigo, disac ella Pipo que
sedoslatio em laiiienlacoe pola surte de cu amo ; lia-
vemos de salvar o ten capitn apesar dos loglezos, e t-
laieinos ii iiosaa desforra dos fardas vcrmeilias, como tu
HlOS C.ll illl s.
Ouca 0 co a V. magestade! Sei quo pode ludo o
que quer; se como Santa gueda dissesso uo Elna:
apaga-te! ello se apagara no mesmo instante. Mas
em hu, nio basta dar a liberdade ao capitn, be pre-
ciso rostiiuir-lhe tambem o posto, e de mais noinea-
io coronel como recompensa, que bem a lem mere-
cido, e V. uugesiade nada perder com issu : desde j
Ibc digo quo ha do ter um faiuutu coronel e um famoso
regiment.
RIO-DE-JANEIRO.
NOTICIA DIVERSAS.
OSr. Paulo Martina de Almcida, viador de S. M. Im-
peratriz vinva, o Senfinra duqueza de Braganca, casou
em Munich com orna filha do prinoipo Carlos do Bavie-
r (inniio do re) c da ooudcasa do BaynsturtF. A noiva
leml'Jannos. lie bonita, o rica. O Sr. P. M.'de Al-
incida acompnnha S. M. 1. desde a abdicara do Senlior
0. Pedro I. {Sentinrfln da Motiarchi.i).
Por carta imperial de 2 de agosto, dignou-teS. M.
o Imperador nomear dignitario da imperial ordem do
Cruzeiro ao Sr. de Racimasen, governador das posses
ses hollandczas as Indias Orientaos.
Sr. (aspar Jos Lisboa, ministro residente dn
Brasil junto ao gnvoruo dos lisiado-!nidos, acabo de
cr elevado A calliegoria de enviado extraordinario e mi-
nistro plenipotenciario.
O almirante barao do Rio da Prala fallccco em Pa-
rs no dia I i de junho,
Monsenlior Aninuocei, pro nuncio do Sua Santda-
de na corte dn Sardenha. foi notneado inlcrnunciu j-in-
to i corte do Brasil, c ficava a sabir para o Rio por vu
da Inglaterra. (Jornal do Commercio).
DisIribuio-SC, lia din, na cmara dos doputados o
m.ippa do valor da imporlaco o cxporlar.'io goral do im-
perio no anuo financoiro de 18421843. O valor da
imporUclo monta a 50.401:567,tH7: a exportacao foi
de 40.412:040,700. He n dlferonca de 0.990:616,897 o
favor da iinportacao.
Rio do Janeiro Jxportou ........22.220.309,110
Babia ........ 6.215:735,939
,.........0.138:489 S2
l'el naniliiM o .
MaranliAu.. .
S. Pedro do Sul
Para.......
Panbyba .. .
Alagas.....
S, Paulo.....
Ciar......
Sergipe .....
S. Catluirina .
Kspiaito Sanl
1.789:310,149
9o0:862,l33
820:218,385
705:312,422
618:321,630
377:959,147
222:925,599
190:081,040
87:840,952
2:960,742
Le-se no Diario do Uto sob a data de 1 de agosto:
a A cmara dos deputados rejetlou a emenda sppro-
vada pelo senado ao projecto de le que lixa as loicas
de mar para 18401847. Declarou igualmente ven-
tajoso o projecto; volou porem que se ofiiciasse ao se-
nado, dando-lhe parte de suas delberages, e ao
mesmo lempo que no officio se declarasse que aguaida-
va o cumplimento do artigo 61 da constituieAo, recla-
mado pela cantara dos deputados ao senado, no caso
do projecto creando mais duas relacoes, para ento re-
querer a reunan da asscmblea geral, a lim de delibe
rar sobre a emenda ao projecto de llxacAo de lorcasde
mar.
Estas deliberacoes da cmara dos deputados aggra
vfio a soite e talvez mesmo a existencia do ministerio,
sendo,como bc.conbecida a opiniio do senado a respei
to da inteligencia que se deve dar ao artigo 01 da cons-
lituicio. A lei que actualmente reclama a providencia
destu artigo he das indispensaveis para vida do mi-
nisterio ; deve-se ainda notar em que a emenda, rejei-
lada na cmara dos depulados por grande maioiia, foi
accrita no senado pelo Sr. ministro da marinha. No
ponto que cslAo as cousas, tem urna, nem outra cama
ra desistir da opiniio que tem manilestado a cerca da
intelligenciado artigo 61 : o ministerio, ou nao tem
frca para harmonisar as duas cmaras, ou, dividido
como se diz estar na qrjPs'So, nAo quer irtr. metlcr-
se nos debates quo ella ha uscitado. Arora porm he
r.ecessar o por termo desharmonia ; a lhe*t> est en-
volvida em urna das leis indispensavois. DirA6t|Wl
que, sendo a le de lixai Ao de frcas para 1846 18%7
ainda o governo pode conlcmporisur, espdr aUCg
tempo acalme os espiritos de algum modo agitados, e
em mso do annoque vem fa/er "pprovar a. rom,
emenda em assembla geral. Mas, se isto se | Je (.
era respeito desta lei, dando mosnio quo a esman
dos depuldoabandono as delibernOes boje tomarlas
abi vira brovemonte a mesma quostAo apiescntar-se no
ornamento, que som duvida voltar cmara om aue
foi iniciado, pera approvar ou rejettar emendas que n
estao adoptadas em segunda discussio, e queoserao
igualmente na terceira. De novo insistir a cmara
dos deputados pela execncio do artigo 6l da constitu.
co, o o governo nao poder* mais adiar, porque esta
aulorisado para reeeber mpostos e fazer deepezasto.
mente at dezembro deste anno.
He forcoso confessar que estamos em urna crise, t
que he preciso resolvel-a quanto anles. A maioria Ja
cmara dos deputados nesla questio comprebendeo per-
feitamente toda a gravidade da siluacSo. e prelendeo,
polas deliberacoes que adoptou, por termo A deshar-
monia e desintelligcncia em que esta com o senado,
obrigar o ministerio a pronunciar-se, ou reunindo-se
maioria dn senado e dissolvendo a cmara dos deputi-
dos, ou propondo, com a maioria desta, a nterpretteio
ou a reforma da constituyo. Este pensamento foi
claramente visto nos discursos de diversos deputados da
maioria.
(Srntinella da Monaiohia).
PERNAM3 CO.
Mas tu, que tAo calorosamente pedes para os cu-
tios, nada tensa pedir para ti mesmo?
b eu c, respondeo o invalido aliaixando os o-
Ibos melanclicos para a poma de po, estou para sem-
prc reformado. Muili.i nica esperanza, todu a miaba
ven lua solo o trra, he nao llenar jamis o meu capi-
i,in, e eliainar-llir um ilia : Meu coronel! De que pre-
ciso eu ? de nada. Mas elle, isso lio outra cousa; he
moco, beiu parecido, gustara, se fosse rico, de diver-
tir-so como os uniros; aliu de que, quando a gente es-
ta no ponto de tomar familia.......
Kntu he verdade que se elle casa? exclamou Ca-
rolina, sem se poder cuntir.
Mas apenas Ibe cscapou a exclamacSo, que corou de
se nao saber moderar. Envergonbada interiormente do
iiiiscravol papel que a sua ntica punjo a '.ma represen-
tar nosse momento, soffreo dulorosainente eiu sua digni-
dade, no seu orgulho, em todas aa facilidades as mais
sensiveis da sua alma. Abaixou a cnbeca para esconder
as lagrimas, que Itie arrasavao os ulbos, mordeo u labio
para prevenir nova exploso, e crutando furtemeute os
linio a sobre o poito como para sugeilar-liio o arqueja-
do, alnsuino-se em trale silencio. Pipo que nao doscoii-
fiava nem do lerrivel drama que ante elle se representa-
ra, ne:n da borrasca que provucava, respondeo muito
naturalmente.
He verdade, magestade, meu capitao est em ves-
pera de casar-so, se Dos quiter; porque como dis o
dilado : Casamento como a iiiortallia do i eo se talba.
Ora, casamento nAo so tai coto cascas d'albos ; o amor
bu cousa muito boa, siui, c m familia o mor sem duilini-
LAMARA MUNICIPAL DAC1DADE DORKCIFE.
SRSSAORINAKU AOS 19 1>B AO0STO DK1S45.
Presidencia do Sr. Reg t Albuquerque.
Acbando-se presentes os ~rs. Cintra, Oltveira, Cir-
neiro Monteiro, Ramos, Mello Cavalcanti, e Nery, fal-
tando com causa participada o Sr. Reo Barros ; abri-
se a sessio, sendo approvoda a acta da antecedente. 0
secretario do conla d'um officio do Exm. presidente di
provincia, respondendo um outro da cmara de H
do correte, que recorretse 8ssemb!a legislativa pro-
vincial para autorisar o pagamento da quaotia, quoie
acba a dever a Manoel Ignacio d'Avila. Inleiradt.
Outro do fiscal da Boa Vista, participando ter mul-
tado a Antonio Carnero Machado Bios, por ter man-
dado soltar foguetes do ar na igreja da Santa Cruz, in-
Iringindo assim o artigo l.1 das posturas addicionax
de 26 de niaio do anno crrenle; e a Manoel Rodri-
gues de Albuquerque por continuar a edifcacAo d'umu
casa na ra do Hospicio. Inteirada.
Dcliberou a cmara, que se ordenasse ao engenheiro
cordeador de informar precisamente sobre o requer-
monto de Franca & It mao.
Despacbro-se os requeritnentos de Antonio Perii-
ta do Monte, de Albino Jos Ferrcira da Cunha, do
Antonio Pereira da Cunha, de Francisco Gomes Mo-
reira, de Hcnrique Jorge, deJoscpba Maris da Paixio,
de Jeronynio Jos Ferreira, de Maiia Xavier, e de Ma-
noel Ignacio de Avila..
Koran juramentados o l.'supplenle do juir de par
da fregueiia de S. Lourenco Jos Francisco de Barros
Reg, oo 2. supplente da mesma fregu/ia Luir. Fran-
cisco de Barros Reg por seu bastante procarador o dr.
Jos 'i'bomat Nahuco de Araujo Jnior, e dada a hora
levanlou-so a sessio. E eu Jodo Jote Ferreua de A-
guiar, secretario a escrev. liego e albuquerque,
presidente. Oliveira. Dr. Nery da Fornica.Mel-
lo Cavalcanti. Cintra Manoel. Carnero Mon-
teiro. llamos.
CORREIO.
CORRESPONDENCIA DA CIIIA0B E PROVINCIA.
Muita gente lcou do queixo a haoda, com a histeria
da tal nio uido, que veio deitar agoa na Icrvura em
que andavio celtas cabecinbas Com elleito ; a per-
da do urna carocha importa mais que dez ris de comi-
nos, e entui nAo he paia se levar de cara alegre !
Ten bao paciencia aquelles, a quom a nao/uSolan-
cou por trra os casletlos que ItnbAu levantado ; porque
os artistas tambem soOrrao, ecom flagrante e retoltan-
te injustica estao vendo entrar esliangeiros, A pedida
daquelles que lites tinhAo promettido por no oibo da
ra os que j cA estavao ; e quetn com Ierro tere,
com ferro he lerido'-- A perda da carocha e <>a beca
ainda be mil com pdo ; o diabo vem a ser ; que, seos
artistas logrados nao comerem queijo, la para as novii
clcieiics bao de licar sem volos alguns; que, contan-
do se deputados perpetuos, teem do ver tstahr-lhrs i
castanba na bocea, llenemos porm o que osla para
vir, que a Dos pertence, e vamos aa que corre.
anuafroiiain na
paaBBi
o interromper. Arda porin por snbrr mais alguitie
cousa, c nesse inoinenlo tena dado a sua cora para sa-
ber o nomo d* sua rival.
Como dina a V. magestade, eiintiiiiioii o impT-
lui bavi-l, o inesgotavel Pipo, casado o eoronrl, o cspi-
t.'io quero diier, lera nocessidade do mnedn. porque cha
ga a familia, e para fiaer boa cara aos tillio. que De
d, bu preciso nao leras mana raaia, Nao lio quo '' "U|"
va srja inteiranieiite uc.ia pobreiiulta; polo contrario 0
ilute nao lie man, si ni I,illar o.i que pode esperar, na*
bu por esta mesma raido que u eupil.'n. osla anida tullen
ro; sabe Det.s ha quanto lempn demora ello u casanieiilu.
meu capitao tem nina alma multo uobre; cii>-
lar-lho lisa dever ludo a sua mulber, suas' i dulas *" entre os esposos deve bavor igualdado E quando elle
for coronel nada llavera que diier. Um legimenlo vale o
dolo de urna prinucza.
Eapos isto veio o rolrato da fiiliira,-e um eb'giOi "IU
ditliiraiiibu, do qual cada palana ora tuna pimbulaua iu>
coracAu da real victima.
Talvet me porguutu V. magostado o nomo dcU
maraviliuP prosoguio Pipo; ainda que iatu seja o segre-
do do capitn e nd nieu, possu multo beiu di r-lo a
niagestaiio : a rainha falla se como ao oonfeaoor E'
maravillia cbama-te dona Jtafaella; lio sobrinlia d ba-
rio Schinintf, o mais rico baru da tona, uin hooicOi nu*
sabe nimio e nao be por isso mais soberbo. M"'<
santa Rosala V. magestade vai vi lo em pessoa.
sobriiiba t.-.inbeni, pois que olios abi obogtl
la
ro lio urna molestia. Eis a rasio por que, magestade,
nieu capitao deve passar a coronel.
Carolina auto querena murrer do que dirigir ao in-|lio entravo uo pateo do cusmo
valido nnia s pergunla j nAo era pouco ouvi-lo sem I
iur
ea
ambos a
.WW......W I......., ," ^w ... *.........D--
MVatta Aposto iiiinlia peina boa entra a mft, 'lue r '
les vem de Maziar.i cxprcssamciiiu para me pudireiu mi-
licias do capitao.
Anida elle nao havia ocaoado a pbrase, -Ra&ella e tea
{Continuarle-k*)-


Corre, qua F f0rre 8Kn', da pra,a "^ Pontt t' *'~
erarasa0 7l'- ''"la' dreiinistragao. contra ciuom
' .",','. t',.|i|ao o do Montelro enload i a sua laduinna de
''"!'. B*t* boa B**''ai u"la de ^ h..vr desco-
la mirra ia Babia, justifica r presumpgao de
Brasil lie rico, e con razio ; porque, se nao nos
I amos ero ogna de rcsas, lavar n:;s-heinos em agoa da
ltl Corre mais que con ancia serspco os de-
i para se abrir n a ^ .mente, eenli adeos nimbas encommendiis! Se
Ido uccedefi como se os,>o(a, fica a olira completa, e
i lio sali-feito, tildo contente, tud saltando, e tudo ba-
ldando.. Corre mais...apage 0001 tanta corrida : nos fi-
oarcmus lioje por aqui; corra quem qui/er, que eu nao
cuero porque quem corre canea --.
IIIURO DE PERUSBICO.
~"\ pausad Icilura ailianlon ,,.....nitro lugar osnrtigng que enoimlramoa de al-
_ ulerease; porm n milicia ninis impnrtanlp be a
,,. iimiiiiH diiiM, do novo rundido entre a duas ca-
iuari, suscitado acintoaamnte pela electiva, unum se
ji-iirelieiido dos meamos jornnes, e de cartas parlicn-
Isres. ...
\n senado iinilinina niscnssii importante de novo se
liavia nproentudn: na cmara nVs dVputndug, nlm da
diti'uisto calornaa sobre u projecto ile fivacaode forca
domar, mi-vel du DOVu conflicto, renliitlo debate teni
liavido ubre o projecto de reforma judinaria. Cnn
muHOS calor se tratav.i os negocios do Piauhy, odas
mina*de Sinonr; na Babia, o iccrntamcnto r uniros ob-
ectn. A commissio respectiva liavia apretinado osen
paren'1' cara molliuramenio do muio circulante.
\lcni dos despeclms que dcixaiiios indieadoa *ilb nutra
rubrica, no'n-so u fie fiei Joao Cnprimranu para prega-
di'r lia cape
i-ll.. imperi..!!!!!!!!!!!!
CbMME.wlO.
Alfandega.
RgNiiMENTO od da 21................,":228,>623
DescarregaO hoje 22.
Bsrca Navarrt mercaduras.
BrigueR'ibimdem.
Consulado.
HENDIMKNTO do DU 20.
f,eral22*072
Provincial4i 187
IMPORTACA.
NAVARHE, barca americana, vinda de Philadcl-
pbia, entrada no correte inez, consignada L. G. Fer
reir & Companbia, manifestou o seguinle :
1530 barricas farinha de trigo, 300 barrilinhos bo
lazinba, l (iI barris potassa, 510 caitas cha, 237 far-
dos e Gb' caitas azeudas de algodao, 10 cadeiras de ba-
taneo, 2 cadeiras, 672 barricas abatidas, e 28 ditas
nmi Umpos, 5 saccas aveia, 15 caitas phosloros; aos
consignatarios.
.t o timen lo do Torio.
Anuto entrados no da 21.
Rio-Grande-do-Norto ; 11 dias, e 2 '/ dias da Parahi-
ba, brigue escuna de guerra brasileiro Caliope, com
mandante o capitio-tenente Eleziario Antonio dos
Santos : traz 13 recrutas e 8 soldados de capadores.
Iliu de-.l.inciro; 10 das patacho brasileiro Olireira,
de 182 toneladas, capitao Jos Dias Correia, equ-
quipagom 10, carga farinha, fumo e cera ; a Na-
noel Ignacio da Oliveira : passageiro, Jos Antonio
de Miranda, Hrasiloiro.
Rio-l>rande do-Sul ; 27 dias, Lrgue brasileiro Feliz-
Hestino, ilo 207 toneladas, capitn Antonio Jos de
Abreu, equipagem 13, carga carne; a Pedro Das
dos Sanios.
Baha ; 20 dias. brigne francez Jametux, de 99 to
neldas, capitn Diare, equipagem 9, carga assu-
car e mais gneros do pas ; ao cnsul: passageiro,
Eugne Daniel,Francas. Arribou a este porto com
aeoa berta: -cu destino ora pr o Havre.
P-1 .-J.I1J! ______!_______- ~
Editaes.
Nao tendo conenrrido licitantes a arrematacao da
conslrucco e collocacao uas duas armaces de ferro pa-
ra segurar as travs compostas nos muros do encost da
ponte du Tacarunu, meadas na quantia de MO) rs. e
annunciada para bonletn : o lllin Sr. inspector manda
fizar publico, que no da 22 do rorrete ao meio da,
iro novamente a praca, para serem arrematadas a
quem por menos fi/.er.
Secretaria da tbesouraria das rendas provinciaes, 19
do agirlo de 1845. O secretario, uis da tosa Por-
tocurreuo.
Peranlea thesouraria defazenda desla provincia
tein de ser arrendada, por lempo de tres annos, em has
ta pblica, nos dias 22 e 20 do crrante mei, a ca-
sa de dou* andares e loja, sita na ra Direita desla cida-
de n. II, pe (encent a hienda pblica.
L para constar se faz publico pelo presento, de orden
du llliii. Sr. inspector da misma tht'sourarie; devendo
ospretendentcs habiliUrom-se na forma da lei.
Secretaria da t esouraria de la/enda de Pernambuco,
12 de agosto de 18i' O ofljcial-inaior interino,
Ignacio doi anlot da Fonseca.
Miguel .i ,r han jo Monleiro de Andrade, oficial da
tmpcualordem da Rota, cacalletro da de Chuto, e
intpecior da alfandega de Pernambuco, por S. Al.
Imperial o Sr. 1). Pedro II., que Ihvi guarde, etc.
Faz saber, que no da 22 do correnle, ao meio di, e
na porta d'elfandega, se bao de arrematar em basta pu-
blica 27 pecas de letim prelo, no valor de 320* rs., im-
pugnadas pelo amanuense (muyalo Jos da Gosta e S
Jnior, no despacho por factura de Kalkawann & Rose-
rnund ; sendo dita arremstaeo subjeila ao pagamento
dos direitos. Allandega, 21 do agosto de 1845.
Miguel Archanjo Monleiro de Andrade.
Jodo Xavier Carneifo da Cunha,/dalgo canalleiro da
ca$a imperial cavalleiro da ordun de ( hrislo, e ad-
ministrador da meta do cumulado por S. M. o Im-
perador, que Ueot guarde, etc.
Faz saber que perante a admioiitracao da mesa se
3------?sa-----------1
ha de arrematar.no dia 20 do corrent-, a porta da mes-1 = Para o Rio-de-Janeiro sepuc com toda a bre-
ma, urna caixa com assucar branco, den. 7, marca"' :dade a sumaca A mizade deque he cap.tao Mnnoei
i't, do engenbo Carapuca, da provincia da Parahiba. .mlonio Sousa Guerra ; para carga passageiros e es-
consignada a Gabriel Antonio, e apprehendida pelo I cravos a fete, ajusta-te coin Gaudino Agostinlio di-
empregadodo trapiche-novo, por inexactidao da tara. Rarro* pracinba do Corpa Sanio, n 66.
avaiiada em 141,243 rs sendo a arrematacao livre de
despezs ao f rematante. Mesa do consulado de Per-
nambuco, 21 de agosto du 1845. O adminislraddr,
Joo Xavier Carne>ro di Cunha.
De laraQes.
O Illm. Sr. inspector do arsenal de marinha manda
fazer publico pela 3.* vez, que contratar o fornocimen-
to da carne para as embarcares da armada, pelo lempo,
quesecoovencionar.a contardesde odia posterior aquel-
lo em que le litar o contrato; e cenvida as pessoa, que
eommerciSocomsemelhante objecto, e queirSo fazer o
contrato, a apresentarem as suas propostas n'esta secre-
taria, em cartas fechadas, em qualquer do dias de tra-
balbo, d'esde as 9 horas da manha at as 2 da tarde.
Secretaria da inspeccSo do arsenal de marinha de Per-
nambuco. 14 do agosto de 1845. O secretario, Ale-
xandre llodriguet dos Anjos.
Q-arsenal de guerra compra cadinhos do Norte
de n. 14, e de n. 16 : quem tal genero tiver, mande a
proposta em carta fechada, com seus ullimos precos, a
esta dirceloria, at o dia 23 do corrento mz. Directora
do arsenal de guerra, 20 de agosto do l84). No im-
pedimento do cscripturario, Jodo Ricardo da Silva.
0 arsenal de guerra compra oleo de linhaca :
quem este genero tiver mande sua proposta, em car-
la fechada a directora do mesmo arsenal at o dia
25 do correte mez.
Directiria do arsenal de guerra 21 de agosto do
1845. No impodiment > do escriturario, o amanuen-
se, Joio Ricardo da Silva.
Pela administrado do correio gcral se faz pu-
blico, que se principiao a fechar as imlas que teem
de conduzir o vapor Rahiana para os portos do Norte,
hoje (22J a urna hora da tarde ; devcnd.i acliar-se no
correio a essa hora lodas as correspondencias ; e as que
vierem depoU da hora dada pagarao a tata do duplo ,
como determina o art 110 do novo regulamento geral
dos correios, de 21 dedeiembro de 1844.
Cartas seguras, etistentes na administracao do
correio, para os >rs. I*'r. Domingos de Santa Cruz,
Gabriel Morcira Rangel, Joao Antonio da Lingoeta.
padre Jofto Bsptista Soare-', Manoel Thom de Jezus.
Octaviano de Suuza Franca.
Con/nwaco da Hita da carias entrada no mez
de jullm de 1845.
Ernesto Emilio de Mendonca, Evaristo Pinto Ho-
me m.
Francisca Firmina de Moura, Francisca Thomazia da
Cunha, Felisberlo da Costa Correia, Felii da Rocha
Moreira, Florentino Velloio de Sa. Filippe da Silva
Leite, Filippe da Silva Puntes, I'elicianiio Jos da
Fonseca, Felicianno Jos dos Res, Felicianno Jos de
Souza, Francisco Antonio de Almeida A., Francisco
doCoracao do Mana Cardozo eC., Francisco Cordia
da Fonseca, Francisco Correia Vieira, Francisco Do-
mingos Aflonso, Francisco Ferreira Bastos. Francis-
co Fernandes Pipa, Francisco Concalves Cabo, Fran-
cisco Gouveia Cid, Francisco Ignacio Tinoco, Fran-
cisco Jos Pinto, Francisco Jos da Silva Eiras, Fran-
cisco Marques de Andrade, Francisco Machado Urin-
deiro, Francisco Machado da Cunha, Francisco Ma-
noel Perdigao, Francisco Pereira Cmara, Francisco
da Silva Ribeiro, Francisco Tavare Pinto, Francisco
Xavier Machado.
Galdino Jos Colho de Oliveira, Gaspar Leile, Gas-
par Leite da Silva, Guilherme da Silva Guimares.
Inurato Barboza, Julio Cezar Pinto, Jordo Jos
Fragozo. I/aquiel Monleiro de Vascuncellos, Ignacio
Braz de Oliveira, Ignacio da Silva, Jacintho Ferreira,
J.icmtbo Jos de Medeiro, Jacintho Manoel da Silva,
Joaquim Andr de Oliveira, Joaquim Benavidos, Joa-
quim Bernardo da Cunha, Joaquim Candido Leal de
Barros, Joaquim Florianno de Castro, Joaquim l'er
nandes Colbo, Joaquim du licitas Pereira, Joaquim
Francisco da Cruz, Joaquim Gon^alves Casanova, Joa-
quim Gomes da Silva, Joaquim Gomes Yilar G irralao,
Joaquim Jos Correia, Joaquim Jos Goncalves, Joa-
quim Jos Marlins, joaquim J.s Moreira, Joaquim
Monleiro da Rota, Joaquim Mauricio Wanderley,
Joaquim de Oliveira Campos, Joaquim do O' Maia,
Joaquim Pessoa Cezar C., Joaquim Ramalbo da Silva,
Joaquim Siabra, Joaquim da Silva Maia, Joaquim da
Silva Oliveira, Joaquim da Silva Rocha, JoSo Antonio
Gomes Gimares, Joao Antonio Lima, padre Joao
Antonio Magalbaes de Almeida, JoSo Baptista Podesta,
padre Joao liento da Rocba, Joao Campos Fornes, Joao
Caetaoo dos Santos Jnior, JoSo Donel.
[Continuarse ha.)
theatr5"fblico.
A nova companhia italiana
avisa ao respeiavel publico que
sabb.ido 21 de agoslo ser a
quinta representaco lyrica; os
pormenores sero annunciados
nos peridicos de sabbado.
Avisos martimos.
Para a Rabia segu viagem com brevidade a su-
maca Nova-Aurora : quem na mesma qui/ercarregar,
pode entender se com Amorim Irmios, ra da Cadeia,
n. 45.
Para a Babia seguir em poneos dias o brigue
Flor-d' America : quem no mesmo quizer carregar,
pode enteuder-se com Amorim Irmios, ra da Cadeia
n. 45.
= Frrta-se, para qualqutr porto do Norte ou Sul,
o brigue Alaria I, capitao Anselmo Marques Vieira :
ot prelendeiiles dirijo-se a pracioha do Coipo San-
to o. 60 residencia de Caudino Agostinho de Bar-
ros.
Para o Maranhaosai, no dia 25 do correte, a
barca brasileira Ermeltnda,cepita > JuliSo Ferreira Nu-
oes: para o resto da carga e passageiros trata-se na ra
da Cadeia do Recife armazem n. 12.
= Sai inipreterivelme'.te para oAracnly, al odia
30 de agoit.i, a veleira sumaca Maria-Roa-Sorle.
por ter a maior parte de aeu csrregnmento prompto :
trata-sc com Victorino Teitoira Leite. na venda da es-
quina da ra larga do Rozario n. 21, que vai para a po-
l.cia ou com o Sr. Francisco joaquim Cardozo, na ra
da Cadeia de S Antonio n. 25.
__Para Lisboa sai.no dia 2 desetembro.o brigue Fe
tialo, para carga o passsgeiros t'Ma-se com o capitao
na praca, ou com o consignatario Thomaz de Aquino
Fonseca na ra do Vgario u. 19.
Para o Cear, por estes seis dial, sahir o bia-
teAguia-Braeileiro, portera maior parte da carga
prompta : e para o resto, Irata-se com Jo5o Evangelit
la da Costa e Silva & Companhia, na ra da Cruz,
n 52. ^^_____
Avisos diversos.
A CARRANCA.
Sabio o n. 23, e cha-se a venda na praca da Inde-
pendencia livrsria ns 6 e 8.
LOTERA DO SEMINARIO.
N8o pode ter lugar no dia 21 do corrento o an-
damento das rodas desta lotera por anda existir
urna porcSo do biibetes emser ; porm, como nestes 2
ltimos dias vendflrao-so bstanlos, brevemente se mar-
car o dia em que iuiprcteriveliiiente devoro corrers
rodas, para o quo se tem providenciado, din de nao
haver falta no dia marcado para a sua extraccilo: o res-
tante dos bilhules est venda as boticas dos Srs.
Moroira, eChagas, e na loja do Sr. Menezos, em San-
to A,ntooio ; e no Recife, lojas de cambios dos Sis.
Vieira, e Cunha ; e na Boa-Vista, loja do Sr. Ja-
cintho.
1UMALHETE DAS DAMAS.
Peridico musical e potico, publicado no Rio-de-Ja-
neiro, de 1 em lo das.
Traz msica para piano, e para piano o canto, es-
tampas, e interessantes attigos de leitura.
Suhscreve-su na ra do Crespo, loja ao pedo arco,
quo vira para a cadeia, de Gomes & Carvalbo, por an-
uo 13H00 rs., e por semestre 7#500rs. adiantados;
remedidos os nmeros pelo correio.
Da porta do armazem do Sr. Joaquim Goncalves
Vieira Guimares, desencaniinhrao-se duas saccas com
farinha lina de mandioca, sem marca, porm com n-
meros cujos ainda nao se pdeconhecer: roga se a
qualquer pessoa, que Ihe reo olforecdas, ap'cbendel-
as;assim como,quem dellassouber,participar na ruadas
Cruzes, armazem n. 30, que ser generosamente re-
compensado.
Cactano Silverio da Silva comprou o bilhole n.
1302 da primeira parte da 18 lotera do seminario de
Olinda, por tonta dos Srs Gomes & Neves do Ma-
ranhSo e de sua ordem econta dos Srs. Jos Fran-
cisco Antunes com Antonio Martina de Oliveira, o bi-
Ihele n. 1640 da mesma lotera.
__ Precisa-se de um preto escravo ou forro de
mea idade para ser alugado em botar sentido em um
sitio pouco distante desla praca ; quem tiver annun-
cie.
Perdeo-se um brinco de ouro com duas pedri-
nhasdo damadles da ra Vellia al a Soledade ,
porlo do Sr. Vieira; quem o achou e quizer restituir,
leve a seu dono morador na olcdade casa n. 7 ,
que ser recompensado ; e tamhem roga-se a pessoa, a
quem for ofltrecido o dilo brinco de o lomar e an-
nunciar por esta folba.
= Precisase de um caiteiro, que sf ja babil, e te-
nha pratica do venda ; em Fra-de-Poilas o. 135.
= Alui;a-se urna casa terrea, no beccdda Assump-
cio por GOOOts. mensaes; quem a preteoder di-
rija-se a ra da Senzalla-A elha n. 70.
Antonio Rodrigues Samico, nova-
mente estabelecido na praca da Indepen-
dencia n 34, ollerece aos seus amigos e
Yeguezes um novo sortimento de caixas
de tartaruga para rap, por precos com-
modos ; assim como peutes de dilFerentes
(tritios e boin gosto para Senhoras ; e taz
qualquer obra ou concert pertencente a
tarlarugueiro, por menos preco que outro
jualqtier.
LlV RABIA D^ ESQUINA. U0 COLLKCIO, OBRAS NOVAS
EDIC.ES no RlO-DB-jANEino.
Doutrina das aeges de Correia Telles, com annota-
coes brasileiras o Exemplario de Libellos Primeira
linhas orphanologicas com appendice da legislando bra-
>ileira Manual do eidadao brasileiro, 10 tom. en-
cad. em 7 vol.; contendo os 2 ltimos o Roteiio dos
orplia.is, ou guia pralica da orphanologia brasileira,
fundamentada na legislado competente, e as illus-
Irarfii s dos melbores pratistas Avulsos o Roteiro,
Advngado do povo, Conslilui(ao, Cdigo criminal ,
tudo annotado Manual do labulliao com annolacoes
brasileirasDigesto brasileiroThesouros de meninos,
e de meninas com ist. coloridas, I > 'l w>l. Jaidim da
mocidade, 3 vol Artes dedanca desociedaue com
as marcas de contradanzas provinciaes e gravuras
Parnaso brasileiro Noites do Castello Cato
Pauloe Virginia, com est coloridas Aouo thesouro
de novellas e romances modernsimos, seguidos de va-
rios artigos de instrueco e recreio, em prosa e em ver-
so, miscellaneas, ancdotas, charadas, etc., e ornado
de est linissimas coloridas, 2 vol., ptima encaderna-
cao Cornelia llororquia, ou a infeliz victima da in-
quisi(io Noval poesas de um Rabiano Calleado
completa das mximas do M de Marica, augmentada
das novas mximas, soberba gdicSo, com o retralo c fac
timile do inarquez, \ vol. Amorosas paixes do jo-
ven Werther, historia verdadeira Aventuras do sal-
teador Vidocq Mensageiro dos amantes, ou Carcaz
de lletas amatoriasAmoreira branca, novella Uis-
tvria do imperador Napolen, em portuguez, 2 vol.
com finas est. Historia do Brasil com ditas Histo-
ria da restaurarn de Portugal, pelo imperador I). Pe-
dro, rica edicao com retalosElementos de desenlio
e pintura Principios de botnica Dilogos sobre
a tatbygrsphia, ou systeina de apreodel-a sem mes-
iteCram. franc. de E. Sevene Nova lyra bra-
sileira, cu colleccSo de modiiibas escolbidas, hymno
la independencia, marcha fnebre do duque de Ura-
ganrv etc. para piano Ai ftvati. colle..c,ao de val-
as escolbidas, ele. Corographia Ira ; ira, 2 vol.
Outras muits obras, ricamente impressas no Rio, so
enconl'io nesta livrana, por precos moderados.
Lat Goozaga, Portugui /, relira-se desla pro-
vincia, levando, em sua companhia. um sobrioho de
aoroeJ .aqunn Diogo Mila.uma criada.eum menino.
__ A pes-oa que annuneiou acceitar um pequeo
I sem pai e Rrasilero para Ihe mandar ensinar seu
cilicio, dando-lhe do vestir, comer e casa, dirija-te a
ra Nova, 1." andar, n. (5b, a qualquer hora do di.
= O Sr. tencnlo Jos Francisco dos Santos quein
annunciar asna morada que se Ihe deseja fallar.
= Quem precisar de urna ama para casa de um bo-
mem solteiro para tozinhar, e que sabe ben pore
dispr do arranjo de urna casa, dirija-se ra de Apol-
lo sobradinbo de varanda de po ,0. 51 00 28 ,
tanque d'agoa.
= Precisa-se de uma ama branca, ou parda, sem
Gibo para fa/er oservico de uma casa esraogejra, de
homem solleiro ; no Alterro-da-Boa-VisU p. 73.
= Joo da Silva Sanios embarca para ra da pro-
vincia o seu escravo de nomo Joo,do gento de Angola.
= Aluga-se uma casa terrea nova, no bairrodeS.
Antonio na ra da Concordia, com commodos bas-
tantes : a tratar na mesma ra com Joio Teiteira de
Souza ou no Atterro-da-Hoa-Vista n. 34.
__ o, dia 23 do corrente as 4 horas da tarde oa
ra do Sol em casa do Sr. doutor juii do civel da se-
gundo vara, se hao de arrematar; um sobrado de um
andar na ra das Cinco-Ponas a ilharga da igreja do
Terco que faz esquina no tecco que volla para a ra
aos Martvrios ; una caa do pedra e cal, na rus de
Manoel-Coco ; uma dita de pedra e cal no Pco-da-
Panclla na ra da Mangueira ; 500 palmos de terre-
no no lugar do Coelho ; cujos bens v8o a praca por
etecutSo de Thom Pereira Lagos contra seu deve-
dor Jote Llaudino Leite por pertencerem 01 referidos
bens ao dito Leite.
= Precisa-se de 200,000 rs. com hypothcca era es-
cravo* ; quem quizer dar annuncie.
- Precisa se de 6 a Serventes para uma obra em
Olinda untoao Varadouro; quem tiver annuncie,
ou falle com Joaquim Lopes de Almeida caiteiro do
Sr. Ju3o Malbeus.
= Da se 1:000/ a 1:8001! rs. a juros: atraz do
theatro volho nt. 18 e 18 se diri quem d.
= Precisa-se de uma ama de leito forra, oues-
crava : no caes da alfaodega armazem grande.de-
Iroote da escaJinha.
= Viuva Seve & Filhos lazem publico, que desde o
dia 20 do corrente deitou de ser seu caiteiro Manoel
Pereira de Sa Junitr.
= l m rapas Brasileiro de boas qualidades seoffe-
rece aos Srs. negocianlos de lojas de lazendas para
ser caiteiro e d fiador a sua conducta ; quem de
seu prestimo se quizer utilisar. dirija-se a ra do
Queimado, 11. 10, segundo andar.
DENTISTA.
= M. S. Mawson, cirurgiiodentista estando para
retirar se breve para o Sul ; es pessoas, que precisaren,
de seu prestimo devem apparecer quanto antes na
casa de sua residencia n. 2, na ra Nova.
= Ouem precisar do uma ama que sabe engom-
:iar e cozinhar o diario de uma casa, dirija-se a ra
do Collegio, fabrica de chapeos, n. 8.
Um rapaz biasileiro de idade de 19 annos, o qoal
sabe perfeitamcnle ler, e6crever, contar, aritbmetica 0
geometra pralica, se ofieicce a qualquer negociante
para caiteiro de cobrancas ou escripia, e prestar fia-
dor a sua conducta; quem do seus servicos se quizer
utilisar, aonunciesua morada para sor procurado.
Desencatr inhou-se.no da 18 do corrente, um re-
logio sabonelo de prata, e com tranceln de prala, sem
passador, dos autores G. &S. I. Samuel, com oh.
2,590; quem o acbar, queira leval-o ao largo do Cor-
po Santo em casa de Me. Culmonl&C, que ser gra-
tificado com 20,000 rs.: prometlendo-se nao investi-
gar mais nada a este respeito.
-Da-sedinhero a premio sobro ouro, trancelins,
correles e r logios de algibeira, em segunda mo, que
sejao obras Irance/as, e por preco commodo ; tamben
vende-se, e se fa troca a vontade dos compradores; oa
ra das Flores, n. 18, casa de relojoeiro.
Roga-se por obsequio aoSr. Antonio Joaquim
da Silva, dedirigir-se ao pateo da Santa Cruz, nada-
ra o. a concluir aquelle negocio que se Ihe mandou
dizer em urna carta em 5 do corrente mez; a qual res-
poodco, que appareueria em o meiado do andante mez;
pois quo ja he lempo de espera, mais que suficiente:
e.nfiocomparecendo, declarar se ba o negocio qual ha
por esta mesma folha.
Aluga-se o segundo andar e totSo do sobrado n.
65, na ra Nova, com bastaotes commodos para fami-
lia : a tratar com Antonio Ferreira Lima, ou na ronda
por baito.
= Acceita-se um pequeo que seja Brasileiro, o
qual nio tenlia pas, para se Ibe dar de vestir, comer,
casa, e mandarse ensinar seuofGcio : quem se acbar
ncslas circunstancias, anunncie.
Ensina-se grammatica latina com toda a perfei-
cao eem breve tempo ; da mesma sorte pbilosophia,
e rhetorica : na ra Nova n. 52, segundo andar.
Troci se duas imagens, sendo uma de N. Sr.*
daLonceicio, de pedra da Babia, e a outra de N. Sr.*
d'Agrella de madeira e muto perfeita: na ra da Sen
zdlla-V elha n. 142, no segundo andar.
LIQUOR DA CHINA OU ESStNCIA DA FOBMOSURA.
O eheiro delicioso esuave deste precioso e bem co-
hecido cosmtico o lornao digno de figurar nos
mais elegantes toiletei. Elle amacia, liropa, bran-
.juea e alisa a pelle; entretem sua Irescura e brilho na-
turaes -, tira as saldas, pannos, espinbas, e outras alec-
coes cutneas; fas desapparecei a caspa da cabeca o
previne a sua reproduccao; fortifica e da lustro aos ca-
bellos; lira o mi alilo; conforta as gengivas e previno
a dor dos denles: muitase mui repetidas experiencia*
teem confirmado a efficacia deste cosmtico, em todos os
casos cima ditos: vende-se sonriente na ra da Cadeia
n. 15.
Agenciuz tle passaportes.
Na ra do Collegio,botica n. 10,e no Atterro-da-
Boa-Vista loja n. 48, tirio-se passaportes para dentro o
forado imperio,assim omn despacho-se escrotos: tudo
I com brevidade.


<&
=r Jobn ."onkbeym, Hollandez, retira se para In-
glaterra.
= Arrenda-seo segundo andar esotSo do sobrado
da runds Triocbelns n. 19: a tratar no mesno
sobrado.
=- ()ucm rnnunciou. no Diario de Pernambueu
n. 181. querer coirprar dous temos de medid.11 c
urnas ti'lencas sem braco, dirija-13 88 Cinco-Pontos,
n. JGO.
Na ro Dircita sobrado da um ondor n. 33, ao
pe dedous de varandas dourad.s so fa/em bolos c
bolinhos para cita, bandejas enfcitad. s com figuras dos
mesmos bolos ramos c llores de alfin'ns, ludo leito
com a maior delicadeza; tarnbem sefa/em loddsasiguu-
rias de sobre-mesas bem como: podins papos-de-
anjos, doce de coco semt-do, letria, pastis de nata,
o de carne, e ruis seis ditterentes qualidades; tortas,
treinedeiras, baba-do moca, (eile-cremo fruteiras de
doces seceos para mcio de mesa enfeitados dos mes-
mos e com muitas qualidades de enfeites, peca ejecu-
tada com a maior perfeicao ; tarnbem tem feito doces
de pitanga, mangaba e outras musas qualidades, ja-
lis* de sustancias para pessoas iracas eitas como
nao ha quem as faga melhor.
- Precisa-se da quanlia de 200j rs. a premio ,
pagando-se os juros mentalmente por tempo de 8
meres, dando-se seguranca em algum escravo; quem
qui/er dar, annunciu para s"r procurado.
Compras.
= Compro-se dous machos, ou nulas ; um folc de
folear forminas ; dous quartos : no principio do At-
terro-dos-Af.'gados n. 31.
=- Compra-so urna escrava du nac,uo que seja boa
engomtnadeira o cozinheira ; na ra do Crespo n.
10 sogunda luja p ra quem lea da ra das Cruzes.
= Compra-se um casal de rolas brancas', ou mes-
ino urna s quer seja macho, qur fnica sendo da
niesma ci'ir ; na ra de Apollo, n. 12, ou annuncio
para ser procurado.
= Compra-sea obra intitulada o- llhiopo Rcs-
gatado ; quem tiver, annuncie.
Compra-so a Biblia Sagiada em bom uso em
francs ; quem tiver, annuncie.
Comprao-se garrafas vao'as ; na ra largado
Rozario venda da esquina, n. 59,
Compra-se urna pedra para soleira que tenba
ti a 7 palmos de cotnpriincnto prefere-se 8 nao ser
de cordao ; em linda, ra do Amparo venda n. 7 ,
ou annuncie
vSo de sabio ; urna dita de linda figura cozinha c la-
va de varrella ; urna mulatinha de 20 annos engorn-
ma cose, cozinha e lava de sabio ; urna cahrinha de
15 annos cose, e (ai renda ; urna negrin'ua de 7 eo-
nos propria para ser educada ; dous escravos de "20
a 22 annos, proprios prra o servicode campo : na ra
das Cruzes n. 22, secundo andar.
=Vendem-se 8 escravui pecas ptimos para todo
o Irabalbo tanto da praga como do campo ; um dito
bom carreiro ; um mulatinho de 18 annos bom pa-
gem ; um dito de l annos; 3 prelas mocas, coz-
nliiii) etigommao e lavao roupa; urna negrinha de
14 annos, muito linda e peca com bom principios
de habilidades : na ra do Crespo n. 10, primeiro
andar.
= Vende-se urna venda na ra Direita n. 120:
a tratar na mesma venda.
= Vcndemse dous inoleques, de idade de 14 a 16
annoi ptimos para lodo o servico; dous mulatinhoi
muito lindos, de idade do 13 a 18 annos ; urna negri-
nha de 13 annos recolhida com principios de va-
rias habilidades, outra de idade de 18 annos, engom-
ma cose, e cozinha ; todos de muito boa conducta
e do-se a contento : na ra Dircita, n. 3.
= Yende-se um preto de naci proprio para o
servico decampo sadio, sem vicio ou deleito algum;
no Atterro-da-loa-Vista n. 20, primeiro andar.
=\ endo-se um cachorro da ilha por prego corn-
modo ; na ra de Agoas-Ycrdes, n. 70.
=\ende-se um terreno de l2 palmos e uieio de
frente e 500 de fundo no beceo das liarreiras da
Hoa-\ isla inclusive 42 palmos e nielo em que esta
una casa que paga de foro 320 rs. o palmo, com
a"
>lo 12 annos bem parecido mui'.o vivo, bonito pa-
,:i'in esadio ; na ra das Flores, segundo andar do
sobrado da esquina que olba para o rio ou no Mon-
teiro casa do Maciel
= Vendem-se muito boai bichaa chegadas lti-
mamente de Haniburgo, as melhores que ba no paiz,
e muilo grandes ; tarnbem se alugo e appluao-se
para mais commodidade dos pretendentei: ij ra es-
troita do Rozario, defronte da ra das Larangcii -,' le-
ja de barbeiro n. 17.
= Vende se polassa da Russia, muito nova e ar-
cos do Porto para barricas; na ra do Trapiche, ar-
mazem n 17.
= Vende-so potassa americana muito nova e do
superior qualidado em harria pequeos; na ruada
Cadcia-Velba armazem de assucar n. 12.
= Venden) se dous bonitos escravos de 20 annos,
proprios para qualquer servico > um molccao peca ,
p-'reilo canueiro ; urna bonita escrava de 20 annos.
oom principios de algumas prendas para lora da pro-
vincia ; urna negrinha de 12 annos, propria para mu-
cama : na ra larga do Rozario n. 46, segundo
andar.
= Vende-se superior rap de Lisboa; na ra da
Cadeia do Recife luja n. 50, de Antonio Concalves
da Cunha o Silva.
=Vcnde-se urna escrava de naci quitandeira ,
cozinha o diario de urna casa e lava de sabio ; na ra
Direita n. 12.
= Vende-se umeelindro de esquentar banho, por
preco commodo ; na ra do Collegio loja de trastes ,
n. 18.
=s Vendem-se ricas obras do rubins, brilhantes, es-
Vendem-ae bichas pretas muito boas sos ce
tos a retalho ; na ra da Cruz n. 62.
Vendem-se meias de seda piala de pfso para S(,
nhoras, e mininas; sapa'os de duraquo >:< -(.s
relos, para senhora e meninos do Lisboa ; ditos *d
luitro ; botn; bules e lapa toa de bei< rro e du |u,lr'
para borne, e meninos ; botn,-.s de duraquo de COr
rom pona de lustro para meninase meninos; iiieim
luvas de la a para doentes ; lencos le sed prrta co
Iberea de rmrfiro para tirar rap ; ditas pata mosUida
marfim e bucho ; pentet de alisar, do marfioi e da |ar'
taruga de Lisboa ; filado volta para padre; barreta
de retroz preto siogelos e dobrados para padre ; |_
gas de seda de Lisboa o Porto ; lalheres para criantB5*
escovos de (ato e denles inglezas ; dedaes do warfim'
meiai abertas para scnbora e meninas ; linta do marcar
latas de seidlilz ; caixas de tartaruga para rap:oj
ruadaCadeia, n. 15, loja do Roigard.
guias arvoi es de fruto, cacimba, um alicerce para I meraldat e perolas todas do melhor goslo a saber:
casa e ludo murado : a tratar com Jos Antonio dosjflores para peito de senhora, uderecos, brincos anneis
Sanios eSilva na ra da S. Cruz, n. 60, que dar de diversos gostos, allineles para liomem um habito
Vendas.
Attcncao ao Ijum e barato !
= Vendem-se superiores chitas para coberta, de tin-
tas (xas e de bom panno a 180 rs. o covado : supe-
riores cortes de chita lina de novos padroes e ehegados
ltimamente de 13 covados, a 3500. 3800 o 4500
rs. ; riscados francezes muito linos, a 300 rs. o cova-
do ; cortes de cassa-chitas transparentes, de lindissimos
padrei a 2400 e 2300 rs. ; chitas, a 120, 1^0. 160
e 180 rs. o covado ; madapnlao a i50, 160 e 180 n
a vara ; dito fino, a 200, 220 e 240 rs. dita ; madras-
to muito lino a 280 rs. dita; pecas de madapoliio ,
a 2800, 3200 e 3400 rs.; dito lino a 4000 4200 e
41100 rs. a peca; madrasle lino,a 5200 e 5400 rs. dila;
hilas, a 4500. 5200, ooOe 6000 rs. ; ditas escuras;
cuadral do linho para aqueta a 320 r*. o covado ;
superiersetim preto de Alacio a .3200 e 4500 r. o
covado ; chales de l.ia e seda, grandes, a 4500 e 4800
is. ; corles de chitas do 10 covados escuras a 1600.
1800 e 2000 rs. o corte sendo entre-linas o do bous
qualidades; superior, s fustes brancos a 1000 rs. o
covado ; zuarte a/ul de vera de largura a 260 rs. o
covado muito boa la/onda para prctos ; algodo azul
mesclado trancado muito encorpado, a 210 rs. o co-
vado ; algodio americano largo e encorpado a 220
n. a vara ; ditoestreito, a 160 rs. a vara ; esguiSode
superior qualidade, do verdadeiro e puro linho muito
(ino a 1500 rs. a vara ; bretanha lina de puro linho,
de 6 varas a 2800 e 3200 rs. a peca ; ditas de r. lo ,
a 1800 rs. a peca ; chila, a 140 rs. o covado ; risca-
dinhos novos trancados, muito boa lazenda para meni-
nos a 200 rs. o covado ; castores ou riscados de lii
os esclareoimenlos que convior.
= Vende-se collecclo completa das mximas do
rnaiqucz do Marica por 34 rs. ; na praca da Indepen-
dencia livraria ns. 6 e 8,
= Vende-se urna prcta de nagao que corinha o
diario do urna casa, e eiigoiuma; no areial do forte das
Cinco-Pontas D. 50
= Vende-se urna venda na ra da Senzalla-Nova ,
n. 22, con. lundos sullicicntes para quem quizer prin-
cipiar, e (em bons comruodos para quem tiver lamilla:
a tratar na mesma venda,com prazo o vista.
= Vende-se gemina para engommar muito lina,
em grandes e pequeas porg s, alguidares vidrados
de todos os laman los (echaduras do Porto, graudes,
do duas brocas ; tudo por preco muito comuiodo : na
ra da Madre-di-Dos, n. 9.
\ ende-se um lardamento completo para guarda
nacional, em bom estado ; as Cinco-Fontal, n 160.
Velle se o sobrado n. 7, de dous andares e soto,
ein ebrios livres sito na Iravessa da Madre-de Dos ,
a dinheiro ou a prazo : a tratar na ra da Cruz, n. 50
Vende-se, a dinheiro ou a prazo com boas tirinas,
ou troca-se por predios tiesta praca,ou escravos,urna pro-
priedade de Ierras, que dista duas leguas da cidade da
Victoria denominada Alaga-das-Anlas coin
de Chrislo Irancelins para relogio cassoletas, e ou-
tras obras de ouro de bom gusto assim como boas sal-
vas de parreira colheres paliteiros, castigaos, e ou-
tras muitas obras de prata ; tudo por preco commodo :
na ra do Cabuga luja do ourives, de Joao Pereira
Lagos. Na mesma loja vende-se urna cadeirinha de
bracos, em muito bom estado.
Atlcnvoao barato !
35 Vendem-se bom tes do panno, ditos de veludo ,
litas lavradas de lodas as larguras ditas lisas, suspen-
sorios do burracba ditos imitando, ditos de seda, lu-
vas de pellica para liomem, a 1000 rs. o par guillas
em i o tena, e caixiuhas, com todo o sorlimento, pen-
les de tartaruga para murala, ditos imitando-para
prender cabello papel almajo e de peso, caivetes
para penns, thesouras linas prateadas ditas para
un as ramos de flores linas e entre-linas, marroquirn
verde, amarello e azul, a 1500 rs a pelle caixas para
rap do massa de tartaruga, a 1920 e 440 rs. e ou-
tras muitas miudezas por preco commodo; na ra do
Oueimado, n. 24.
- \ endem-so corles de fnissimas cassas-chilas pelo
barato preco de 3,8-iO rs.; madapoles entestados mui-
to linos a 5,760 rs. ; chitas de quadros do padroes mo-
dernos a 200 rs. o covado; ditas linas em cortes de 14
tras, a 240 rs. o covado ; brins de bonitos padiesde
quadros a 300 rs. o covado ditos finos muilo en-
corpados e de lislras a 640 rs. a vara ; meias linas de
algodio para liomem a 3600 rs. a duzia sendo de
muito boa qualidade ; cortes de chal ; ditos de seda ;
pannoi finos preto e azul, sendo o primeiro de urna
linda vista para pannos de pretas, o o segundo para
pagem a 2500 rs. o covado ; superiores lenc.s encar
nados muito linos e grandes, a 440 rs.; e oulras mui-
tas fazendas ja mencionadas nesle Diario ; adver-
tindo-so aos compradoroi, que todas estas (azendas
s5o limpase de boas qualidades : na ra do Collegio,
lojS n. 1, de Antonio Villarouco & Linio.
= Vendem-se superiores charulos de todas as qua-
lidades, bem como : regala rneio-regalia, Cachoei-
ra regalos, primores. ikc.; rap de todas as qualida-
des que ha presentemente ; licores de todas al qualida-
des dos mais finos ; tudo por preco man commodo
do quo em outra qualquer parte : no depozito do cha-
rutos vmdo pelo pateo do Collegio a primeira loja ,
n. 18. Na mesma loja vendem-so caixas com 200 cha-
rutos a 600 rs. por estarem principiando a lura-
rem-se.
Vende-se um moleque de muito boa figura, pro-
prio para o servicode urna casa, e de campo; urna
porso de cera de carnauba : na ra da Cadeia de S.
Antonio, n. 25, ao peda guarda.
= Vendem-se as ohras seguintes: Lyce, ou cours
de lilterature andamio el moderne em 16 v. por 7#
rs.; Discunos Parlamentares do rcelos, o da Baha 1
. ; Ordo verborum cum commentarin in asciculum
ex Salustii operibui, 1 v. ; 8 volurnes das obras de
CondiJIac por 6.000 rs. ; a Biblia Sagrada em por-
tugus : na ra do Crespo n. 11.
= Vende-se um pardo de idade de 20 annos, pro-
prio para pagem ; na ra do Cabug loja da miu-
dezas juoto a do n. 9.
= Vonde-ie urna escrava crioula, de 24 annoi, de
boa figura engomma, cose bem. cozinha e lava bem
de varrella com um filho de 2 annos, n uito nutrido; Ide enxada e do mais tervico de campo moco, a.dio,
tfuat ditas da metma idade engommio, cozohioe la-| lorie, e bem conduzido ; e igualmente um mulatinho
urna legua do terrino, propria para plantatoes, oujcovados, a 3,840 rs.; ditas Irancezes muito linas, co-
criacao ; tem dentro dous grandes assudes, e recebe I res lixas, a 280 rs. o covado; riscados francezes de bom
1 gosto a 500 rs. o covado; corles de larlalana a 000 rs.;
sarja de laa muilo lina a 640 rs. o covado; la de qua-
dros, imitando a casimira, a 780 rs. o covado; bretanhas
de superior qualidade em pecas de 10 varas,a 1,920 rs.
gravatmhasde seda do cor, a 1,600 rs.; lencos de seda
muito finos a 1,520 rs.; ditos de finssirna cambraia
com serradora do luco o renda, a 000 rs.; e outras
muitas diversas (azendas por mais barato preco do que
em outra qualquer parte: na ra do Crespo, loja n.
1G, de Jos Azevedo de Andrade.
= Vendem-se 24 pipas de ago'ardcnte de superior
qualidade; no Atierro ua-lioa-Vista n. 56.
= \ ende-se um carrinho inglez de duas rodas,
muito elegante o bem conservado com os respectivos
arreos; em casa de Miguel sgeiro no Atlerro-da-
Roa Vista.
= Ven Je se urna armacao de venda com seus per-
tence e uns caxoes muilo bem fciti s e envidracaos ,
anda novos ; 500 garralus vasias; tudo por preco com-
modo : no Mundo-Novo, ra de S. Francisco n. 8.
s; Vende-se urna machina de raspar; unta serrara ;
urna machina de fazer lijlos, com todos os seus per
tenecs, por preco razoavel : no Atierro da-Boa-Vista.
n 5.
= Vendem-se gigoscom hlalas, de 40 libras cada
em gigo ; no armazem de Antonio Annes Jacome Pi-
res no caes da alfandega.
Charulos de regala,
=Na ra da Cadeia do Recife, n, 46, ha sempre um
grande sorlimento destes afamados charutos, vindos
da Baha ; e tarnbem grande existencia de dillerentes
qualidades de vinbos do Porto, Xerry, Madeira, Claret,
o ago'ardente de I-'ranca a precos razoaveis.
=\ ende-se urna cadeira de arruar ; dous pares de
conchas para braco do balanza grande ; um quarto
todo o negocio se (ara: as Cinco-Ponas n. 160. '
= Vende-se urna parda com urna cria; para ver
na ra dos Marlvrios, casa n. 23; e para tratar na ra
da Cruz, no Recife n. 26 com Luiz Jos de Sa
Araujo.
=Vende-se sola bezerros, couros miudos e esi
xas de tartaruga leitas no Aracaty por preco com-
modo ; na ra da Cruz, n. 26.
= Vende-se um muialinho de e!egante figura'
proprio para pagem e una mulatinha ; ambos muito
sados, sem vicios, e de idade de 14 a 16 annos: na
ra da Cruz, n. 52.
=^ Vendem-se dous moloques e duas pretas com
babilidadea ; na ra da Palma, n. 15.
= Vcnde-ie rap de Lisboa muito novo, e ebe-
gadinho agora as libras e as oitavas a 50 rs. ; dito do
Bandeira dito a italiana, segundo o uso dos religio-
sos da Penha e de outras qualidades conforme o
noslo dos reguezes; muilo bom cha bysson a 2400
n. a libra ; excellenlescharutos.a que os bons eotende
dores com justicadarao o devido apreco : na ra
eslreita do Rozario delronle da igreja loja e fabrica,
o. 6.
Vende-se urna rede da costa para pescara de
50 bracas em comprimento e duas e meias de largura,
pouco mais ou menos nova ; na ra da IWadre-de-
Deo, loja de tamanqueiros, acbara com quem tra-
tar.
de foros lodos os annos 200/ rs., quo Ibe pago; tem
boa casa de vivencia, com bastantes commodos sen-
zalla para pretos estribara, engenho para descaio-
car algodao prensa para farnha o armazens para
depozitos : a fallar com Jos Das da Mlva na ruada
Cadcia-\ ellia n. 59 ou nosAfogados, com Lou-
renc Jos de Moraes Cervalho. naiuadu Rozario.
=Vendoai-sj coi les deobiUs (rancezai muito linas.de
assentos escuros de quadros c listras, cores lixas de 4
palmos e ineio de largura e de goslo muito moderno,
a 3200 rs. ditos com 13 covados, a 5000 rs., ditos
de cassa chitas de cures lixas a 2000 rs. u em co-
vados, a 24(1 rs., ditos de chitas com assento escuro, a
1000 rs. Ih clan lia de rolo com 11) varas, muito en-
cornuda, a 2000 rs., camisa de meia, a 1280 rs., brins
trancados do linho puro cor de ganga o escuro, a720
rs., ditos brancos, a 1000 e 1280 rs. madupolao en-
testado a 6800 rs meias casimiras do algodao mui-
to encoi(..olas a 480 rs. o covado, brins Irancezes de
quadros e lislras a 400 rs. o covado, fustoes pa'a
cu I.-le a 320 e 480 rs. meias para meninos e me-
ninas a 200 rs. o par, e outras nimias lazendas por
preco commodo ; na ra do Crespo loja n, 14, de
Jos Francisco Dias.
= Vende-se urna escrava de 20 annos, bonita fi-
gura cose, engomma e cozinha ; dous moleques de
14 a 15 annos, muito bonitos, um del les be cano-
eiroe muilo habilidoso ; una parda de 22 annos, com
habilidades; duas pretas de 25 annos, boas quilan-
iieiras e lavadeiras; dous prelos du 28 annos, proprios
para enxada por tercio pratica ; um molecote de 20
annos, bom pagem ; urna preta de 27 annos, que
cozinha muito bem de lorno, massas, legao, e engom-
ma liso com perfeigao ; na ruada Flores n. 21.
= Vende- se assucar refinado caf e cevada muida,
e todos os mais gneros de venda por preco commo-
do ; tudo de boa qualidade : na ra da Cadeia do Re-
cife venda n 1.
- Vende-sechi bysson em caixas de 15 libras, em
porcoese a retalho; em casa de MatheusAulin & C. na
ra da alfandega \ tilia n. 36.
= Vendem-se ricas caixas do tartaruga botina e
meios ditos do Lisboa ehegados no ultimo navio, e
estojos de navalhas ingle/as a contento ; na ra dos
Quarteis n. 24.
ss Vende se um relogio de euro, sabonelo muito
bom regulador e novo, por preco commodo ; no pa-
leodaS. Cruz padaria n. 6.
= Vende-se una bonita crioulinha recolhida de
boa conducta de idade de 18 annos ; urna preta ido-
so mai da dita crioulinha ; cuja conducta, tanto da
mu corno da filba, se alianca: na ra eslreita do Roza
rio n. 10, lerceiro andar.
-Vende-so lona da Russia com um pequeo lo-
que de avaria muito recommendavel para camas de
vento, encerados e outr apphcacao, pelo barato pro-
co de 400 rs. a vara; na praca da Independencia,
loja ii. 4.
= Vende-se milb novo, a5500rs. a sacca ar-
roz com catea a 4500 rs. a sacca e (arinba de man-
dioca por preco commodo ; em casa de Munoel Jos
Concalves Braga ao p do arco de S. Antonio.
Vende->e um cabra serrador, e bom trabalbador
Vende-se um cssal de roles brancas da India
na ra da Florentina n 16.
Vende-se sola de muito boa qualidade porpre-
co commodo: na ra da Praia n. 7.
Vendase um bom cavallo de sella e queraos de
carga ; na ra da ConceicSo da Boa-Vista, n. 60.
Vende se chocolate da Rabia a arroba a 6000
rs. em libra a 240 rs., em p.-ose meios ditos; ni
ra eslreita do Rozario venda n. 8.
Vende-se l'aielo, pelo mdico pro-
co de 4sooo e 2s'56o rs. ; na ra da
Senzalla Ve I ha n. i38.
Vendem-se Goo palmos de terreno
nos mallas que lbraodoengenho da Torre
com 600 de fundo, a pieco muilo commo-
do de 2N000 lis o palmo, e tambem se
vende em pequeas poicoc; tem boa
vista, por descubrir quasi lodo ( ordeiro
e ficar muito perto da heira do rio com
pouca distancia: quem os pretender diri-
ja-se ao Coelho, ra dos Prazeres n. 10
des 6 as 9 horas da manila, e das 1 ssG
da tarde
Vende-se vinagre superior a [re'is a caado ; na ra do Atierro dos A-
logados n. 7.
0 b a turo.
Vende-se superior rap de Lisboa
chegado pelo Robim, por preco commo-
do; na roa da Cadeia do ltecife, loja de
Joao da Cunha Magulhes.
Rap de Lisboa muito fresco che-
gado recentemeute : vende-se nu ra di
Cadeia n. 21 e 24.
Vende se um ptimo moleque de
idade de 12 anuos pouco mais ou me-
nos : na loja da esquina que vira para a
cadeia.
Vende-se Tratado de liberdade in-
dividual; Comte, tratado de legislacao;
Say, Volnei, Dannon, Reghesse, Cdi-
go civil, Direilo mercantil, l'ostilla do
commercio, l'rojeclo do cdigo penal,
Extracto das leis, Obrigaco do jury,
Lihbas orphanologicas, Biographia 111-
gleza InslruccSo do exercilo, Indicador
do cambio, Manual pratico judicial,
civil, e criminal, Grammatica italiana,
Jurisprudencia ccclesiastca Demonslia-
ccs tipolgicas 5 por preco muit > corn-
il a roa da Sanzalla-vclhu arma-
modo
zem n
1 oCi.
Escravos Fgidos
Vendem-se cases de rolas brancas de Uamburgo ;
na ra Augusta, n. 34.
= Anda se acba fgido o moleque Flix, recorn-
1111 nd.'do nos /hurtos de 19 e 20 do conente ; coosla
que anda pelos liemedios pescando ou no Monleiro ,
e tarnbem roga-se aos proprietanos de cinc'., s d'a(oa ,
jo de recoinmeodar aos seus canoeiros de nao da-
rem acolbimento, nos camarotes aas mesmas canoas, a
prelos fgidos, ou prelas pois j se tirou, de una ca-
noa urna preta da niesma casa da ra da Madre-de-
Dos n. = Fugio, no dia 14 do correte um preto de ri-
me Joo, de nacao Angola, com os signaes seguintei:
bastante bailo pernas e ps pequeos denles lima-
dos representa ler mais de 30 annos ; levou calcas
o camisa novas, de eslopa grossa ; tem sido vi-tonos
A Togados: quem o pegar ble a i ua Direita n. 10,
que ser bem recompensado.
= Fugio no da 19 do corrente urna preta de
nome Mana de nagao Son.o de idade de 30 annos,
com os signaes seguintes : estatura baixa cor pela,
oibos pequeos e um tanto vermelhus ; tem a perna di-
reita indiada um talbo no nariz ; levou vestido de
chita branca com llores encarnadas, continhas aniarel-
las no pescocee panno da Costa azul com listrsi blan-
cas ; cuja preta andava vendendo, na ra cocadas,
lilos de estucar e grudes : quema pegar, leve a ra
eslreita do Kctario n. 21, qu- ser recompensado.
No dia 20 do corrente fugio urna prcta, de nai o
Angola de idicie de 30 annos pouco maii ou me-
nos de nome Mara cor preta, alia e magra do cr-
po olbos na flor do rosto, leices regulaies; levou
vestido de cinta desbolado que pareco hraneo c ou-
tro por cima, de assento azul claro e llores miudas en-
carnadas o panno da Costa ; e he bem civilisada : es-
ta preta foi escrava do Sr Antonio Jos do -Magalbact
Bastos. Hoga se as autoridades policiaca campaniles,
ou qualquer pestoa de a pegar e levar a seu senhor Do-
mingos da Silva Campos, na ra das Cruces, n. 40, <|ut>
generosamente recompensar.
PEHN. 1 NATYP. DE M. F. PE FAMA----lH/l5.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EF8D3RC7F_ZX7C55 INGEST_TIME 2013-04-12T23:14:22Z PACKAGE AA00011611_05845
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES