Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:05843


This item is only available as the following downloads:


Full Text
no de laM
(BM)"r*-sv91
."Qunrla feira 20
V Jl m/fW_ JMMUi.lllk.11H I

11)0 I
, lili RIO ptiblica-sc todos os das qne
.'.', de guarda: o pirco da aatigna-
ii rSi ,or quartrl payo* admlfi-
||;", i .nuncloi do asignantes o inse-
, | .,:,. de 20 rls por linlia, 40 rs. pin
a,rente, o as repeticoei |>ela roftade.
,p> uno forera assl nantei pagao 80 r.
, linha, c 160 em tfpo digereate.
pBASES DA LOA NO MEZOR AGOSTO.
' a 3'ai 5h. c 5 wh. 'la raan'iaa.
"" ,' |0 as 8 h. 21 minutos da tard.
' 'i,','.;',' 17 as lOhor. e "i7 mili, da jnan.
PAIiTIDAS I10S CORREIOS,
Coianna, Parahyba, cilio Orando do Porte
Segundas c Sextas feii'M.
Cabo, Seiinhaeiu, llio I'orwoso, Porto Cal-
vo, c Macey, no 1.'. 11 e 21 de cada mez.
Qaranhuns < bonito a 10 c 24.
Boa-Vista c Flores a 13 e28.
Victoria lias Quintas fotuta.
Olinda todos os dial.
PUF,AMAR DK HJK
P rime ira as (i li. c 54 min. da manha
Segunda as 7 li. c 18 minutos da larde
ARIO DE
de A gil s o.
DIA0 DA SEMA* i.
18 Secunda S. Clrlspo, aud. *\ / da2. v. e a I. M. da i. v.
' i" Terca S. Lula aud. 'lo J. de
/ v. c'do J. dos r'filos.
20 Qiiarta S. bernardo, aud. do J
d.i 8. vara.
21 Quinta S. Jo.uiua. and. do Juiz
da 2. vara e do i. M. da 1. e
22 : m S. Tlmolho aud. do J.
da I. v. do eivel. e do J. dos l-'i
2:) Sabbado S. ovina. aud. do J.
da 2. vara.
21 Domingo S. liarlholoineu.
Atino XX y. ltt.
de 1).
I). da
. de 1).
de 1).
2. v
de 1).
ltos
de I).
CAMIIOS rfO DA l DI. AGOSTO.
Cambio sobre Londres. 254. por 1J 60 d.
i, Par* 370 rl> por franca.
n .. Lisboa 120a uWn. c. nr. |> i".
Dse de le. de boaafirmas 1 ', 1 ViPO
Oaro-Oncas hesparmolai 3|#500 a iM^wm
Moedadr frf-100 vfl. 1''00 a 18^201
' u/400 nov. 17^800 a 18*000
.. do -l^KK) 'J*W a i---~*
P,-.iM-l':iiaees l.fWO a 2.W.
Pesos Conminares.. IjfOSO a .2/000
Ditos Mexicanos 1/951 a J#'.H0
Moedaa de i patas. i>7So a 1/StM
Acones da C.a do llebei ibe de 00/MO ao par.
v *. ...... -

.
PJ*JVT FFCI
MINISTERIO DA FaZENDA.
Hlatelo do expediente do dia 8 de julho de 1,S45.
A iliri.nnr.iria i ofliein do
l.n de abril n. 14, que nada se itere alterar as nstruc-
irse ordena osl ibelecidas para a medictn das mirinlial
t,m geral eih toda as provincias, multo menos quantu
noniencl" du ju privativo, que nao |>de ser oulro se-
i.ii oil''* feilos, quando srjn neeessaria a sua interven
.Ji, pde-se conitudii arbitrar o adisntar 'jtini.i grati-
eselo aus peritos Horneados, oomtantn quo dclla seja
imilunlmento iiideninisada a Atienda publica polas par-
id nteressndaa. sobro quom to smente devem roeahir
ludss as despeaos, nomo sempro se praticou; o eunipre
idiiptar-se, para seguranca da fnzenda, a pralica sogui-
,1.1 nai medir.es o oulras diligencia* judioiaos, que oon-
loeni so preparar e segurar juio onm o deposito
,iii un ilo importe das do'.pea*.
A'do Piauliy, oiu respnstn ao olTleio do 10 de abril
ii. l'J. sobro n pagamento ao esorivao dos orplios, que
he tambera do juiao loa Mitos, que tanto da le cmodo
mrulameiitd o da orden dolo du novembro do mino
paitado se dedil! claramente que 6 devem perceber or
denudo aqnelli-s eserivflc* privativamente nomeados para
strvirenino jiiisodos fbitos exeliisivamente, o aem ac-
cumnlacau de nutro nlgnm ofliein de esorivao, e nSo es-
Inndo iiesto caso o eanrivao de que so trata, ncm algn
d,npielles, que. sendo } eacrivies do nutro juiao, alo
limplesinoiite dosigrfados noa termal da loi para servi-
rein la ni be iu no ioito Ja rateada.
Ao juii dos fWtoe, respondendoaooflcio de 28 de
junlio, que o artigo 8. do decreto, du 10 de jillho ulti-
mo nada allcrnu na dispoaiCAo do artigo 9. do regula
ment de Hm Kxflr o privilegio concodido As pessoas dos litigante*
deque positivamente trata o artigo 10 do mesmirregu
lamento, que nenhuma relncSo tem com o privilegio pro-
priu das ausas n que privativamente alludo o sobredito
irtign ., o qual por isso deve ser entendido e guarda-
do inalteravelineiite, como dantos se pralieava.
A' tliesouraria do Espirito Santo, respondo-so ao
ofliein de 31 de nmio n. 30, relativo ao pagamento do
derivan do cif el oque so accnmulrSo os fetos da fa-
lcada, que nao pudo ter lugar tal venoimento, na forma
da circular de 15 de novembro, labora tenlia titulo,
alias desueeeisario; pois quo o ordenado s devu dar-
te ao que li'ir lmenlo escrivSo dos feilo, bum ooiuo se
da lmente aus joiics, que nfto accutuullo nutras varas.
dem do dia 17.
CircularosAos Srs. ministros, as repartieies du fa-
icnd.i da corto o s lliesoor.irins das provincias, partioi
pando, que S. M I. lime por bum resolver 9 do cor-
rente a consulta da seoelo do (asenda do concelho do es-
tado, declarando, que a arrecadacao da nonlribuicio ex-
traordinaria sobre os veiieiuiciilos do tudas as pessoas,
quo os recebem dos cofres pblicos, e.essa do ultimo do
luidlo prximo pascado, na cnuformidade do decreto de
2'i de uiaio dcato auno, n 346, que, ordenando a conti-
nuseao por seis moteada le de 21 de oiitubru do 1843,
excepta o artigo 23 desta lei.
...nvrsfr.r;riaa:.7.7:aen!5
EXTERIOR.-
IlliSI'AMIA.
Main I. '','> de junho
Circular.
Kxm. S. Em irlude dss -determinfcAes de S. M. a
ranilla I-'. Isabel 11, ooininunioadaa ao presidente do con-
celliu dos ministros, o por este tr.iiisniitlida a todos DI
ministerios, para que so ex/iocSo s autoridades do re-
an at ordens mois terminan!") ooiii ooLjccto do vigiar
ii inimigus do repousn publico, o reprimir com tuda a
ii'vcrnlade dan lea ns sena intentos, quolqucr que seja o
peciocom quo se iipreseuteui, como contrarios aos le-
l'l.....>' direitoa da rainlia I), laabel II e cunstituifo do
Miado, manda S. M eomiuunicnr a V. Exc, que, nlo
Obllanie aehar-se ponelrado o sen real animo de que a
Coiisiiiiiiiuco du tai Ins recentes,!) n lei tura dos docn-
"inilu. qiiu se publicr.rn nao pdein-cuuaar em scus
bseisubditus a aeumcdii que na seos autores milicia van,
c aiiula qnai.do n acto da pretendida abdiclo do U.
tarn, (jc revela a mnis insigne ma fe, c patentis una
toga nbttimico de involver o paiten novas discordias,
tas i-a'.-jt---i:
31
iS'H'l
perturbando o soreg e a pax que felitmentu desfroola,
deve s aspirar desprcto, c nenhuma inqniclacao, neiii
temor aos pnvos : como, nlo obilaote islo. poisa dar
logar a novas esperaneas. e arraslar as'Ilusos, que
inda intenlein renovar os das du luto e deolac.lo por
que pnssuu o pait, lie da sua real vontado recordar a V.
Exc, quo o rebelde D. Carlos o toda a sua familia si o
considerados estranlios do reino, c excluidos, peja oons-
titnic&o do citado e pelas leis especiacs, do successau
cora, c privado doidircitns quo gozaran na sua qnali
dade do infantes d Il-spanlia : prevenindo o laml-em,
quo us quo tomaren! parle na realisacao de suas chime-
neas prolongos, seja qual fr o veo com que queirao
inniibril-as, dovem ser perseguidos ule o seu tolalexter
minio se pisarem o territorio bespanliol, c no caso de so-
rem apprelicndidos serlo julgados breo o snmmana
mente por um concelho de guerra como traidores c un-
migos tleclsrados do throna o das liberdados patrias; no
nonceito de quo a loi ser inexoravel com os que inteu-
leni direota ou ndirontamehte tranitornar as institu-
ceafundainentaes do reino, oo a ordeni do siincrssau a
cora, debaixn do folias promessos e illusorios sai^rih-
oios. que ranilla, como olicfo iiiprenio do estado, ea
naci intoira repellem completamente.
O qnepor or.leuideS. M. communioo a V. Exc. para
sen inais exacto cuiiiprimeiilo. Doos guardo a V. Exc.
uiuitoi anuos. Barcelona, 18 de junho de 184.1. -W-
vaet.Sr. capillo general lo.....
O capillo general de Madrid, tronsmittindo ao seus
subordinados a anterior circular,accrcscenlaoscguinle:
Comraunioando a V. Exc. esta real rcloluclo, parc-
oc-me escusudo scorascantar, quo terei inflexirel em
exigir sua raais puntual execucao na parle que pona
competir a todos os fniiocioimrioi quo estivorcoi snb-
jeitos niinlia aiitoridadc, convencido como estou, alciu
d oumprir neita coni o dever que me impo suonfion
ca do b. M. c do sen governo, do quo as ridiculas 0 in
soleles pretcnccs de um principo traidor d,-vcm sor
rencilidas cum indignaoia por todos os Hespanhoes a-
mallles da sua raiulia e da cnnstiluicio do estado, sem
que scia possivcl transoeciio algunia cun ellas. -
1 J (He.atdo.)
SARDENHA.
Zanas, 30 de maio
A duqueta do Sabaya, esposa do principe hereditario
de Sardcnha, dco a lu, s cinco horas e mcia da na
uhaa do boje, um piincipo, que fui baptisadw na capel-
la real s duas horas da tardo, com o nomo do Amadeo
Fernando Maria. O nrcebispu de Turiiu presidio cere-
monia. A ralada viuro de Sardenha, e o duque do Uc-
nuvs, frio padrinhos do principe rccciu-i.acido.
Depois da ceremonia do bttptisroo, eclebou-so na igro
ja nietropolitano um Tc-Ihum solemne, ao qual anisti
rio o senado, o tribunal do cuntas, a inuuicipalidadu de
Turini, eos memhros da nnivcrsi.lade. Um baUlhlo de
granadeiros da guarda, formado em linha alante da
igicja, dou as descargas do estylo, s quaes responderlo
as baleras d,i eidadella.
Esta noute parti para Chambery o Juque de Genova,
a fin de presenciar os traballios preparatorios do canu-
tillo do ferro, que deve unir n nolis capital com Geno-
va, e estabclccer dopoii urna oniiiiiiunicnc,ao directa en
tre o Mediterrneo, a S'iissa, a Allemanlia e a liullauda.
A realiiago doste projeelo dar um grai.do golpe no
comniereio de transito, de quo ot agora Marsoiha era u
grande deposito, mas do qual dentro em pouco lempo
vira Genova a ser o centro.
dem, 4 de junho.S. M. parti desta capital no dio
30 do iiici paitado, em coiiipmihia do duquu do Geno-
va, e i hegou no din 31a Cainbery, cuja pupulaclu o re-
ceben cum nexplicavel cnlliusiosmo.
Para festejar a chegada do re tinho se erigido com
sntooipsciu elegantes arcoi triiinipliacs. Olio (Jl* em que
devia entrar om Chambery, as tropas da guoriiicSo aelia-
vlo-io formad em alas, por todo o csiuinho que S. M.
devia percorrer.
As cinco horas da tardo, as salvas de aililheria, eos
repiques do sinos da cidado, aiiiiuiicii'rao a aprosimaeSu
do monarulia, e notnmunierla no poso um niovimeiilo
gersl, que om breve se I ni ns formn em grande enlliii
siasuio e viva alegra. Acclaningocs unnimes acolbrto
por loda a parlo os augustos viajantes, e os gritos repe-
tidos de viva o rei, occonipanlirao as cairuiigeiis
al chegarcra ao palacio, onde 8. M- fui recebido pelo
governador. I'oisados poucos ilutantes do desciinco,
iiiiisiisssiiiiia'rra>rTniii
decco o ro no paleo do palacio, acompanhodo do S. A.
R. o duque de Genova, c todas ai tropas desfilarlo *W
sua presenca, ao som da msica, e d-s repetidos vivas
ao re. A' noute illuminoii-se toda a rid.idc, o Carlos Al-
berto, acompanhado do joven principe, mi.stou.se ou-
ira voi nn roeio dos sens liis subditos, sem msu eie.nlla
que o sen amor e affeiolo; percorreo a pe as ras prin-
eipacs. entro acclamaces do povo.
* S. M foi domingo ealhedral, e na segunda feira
deo audienoia pblico, a qno eonoarroa um grande nu
mero do pessoas. {Gazetta de Turm )
RUSSIA.
Sao Petenburg, 1 d junho.
Esrrcvem de Varsuvii n 28 dn maio SOgoinlC :
,. S M. o imperador Nicolao sabio lionlem desta ca-
pital. To nibila partida foi motivada, segundo di:em,
pelas importantes noticias qno receben do exercito do
Caucaso, commandado polo general em chcfo conde de
VYoroiiioit. O imperador d.rige-ic a Kieff, dondo paisa-
r n Odeisa. lie provavol que o ciar se aproxime ao
tbealro da guerra, ol.jecto quo nenes linimentos abior-
vo toda a sua atlticto.
Emquaiilo se demorn nesta cidado, a SUS nica
occupacoi) fui fawr manobrar as tropll da guarnicio.
Os'e.tudantes dos ditt'erentes institutos tambem fu
rio inipeecioiados, e depois desBlrlo pela frente do
imperador, conunandados pelos professores c directo
res. Alguns chefos da intrucho publica da Polonia ou-
larao farer preseniu ao imperador a decadencia comple-
ta, om que cabio o cocino publico.
A iiuivcrsidttde de Varsovia, nontro toiopu tilo ores-
cente.foi siipprimida na poca da ullimarcvoliigo.achan
do-se boje por este modo mais do qiiatro niilbea de
babitantei sem instrurclo tuporier. O imperador mes-
Irou setnui lalisl'eito do porto dos catudaiites, quo lo
(presentarlo na refitla em numero de 2,800,lodoi ves-
tidos segundo a ordeii.iiiea, com ulliforillO, e mililar-
mento excrcitados. (Journal do Francfort.)
(Diario do (ioverno ]
PE5BNAVIBCO.
CAUUlNANA SICILIA. (*)
TERCEIRA PARTE.
M.V1II.
COMBATES.
De volla a Costelvetraiio, Carolina cabira em um aba-
Uaieolo novo para ella. E o que ha de admirar? Toda a
rolo violenta unanunta reace|o neeessaria. A agita-
fio febril de sua viagcui ao Etna, junta s fkdlgSS exces-
XVssporqae ella bavia passudo, devia ser inevilavel-
iieiile seguida de una prosirorau pbysica c moral. I)u-
r,|u este estado alguna (lias, nos quaes conservou-so en-
cerrada na sua cunara. O medien, continuando o sen
Ppcl poltico, a dava por convalescente, c desta vei,
"". Vide Diario n." 180.
cousa rara linlia rail i Esculapio ; mas linha rasan sem
o saber. Anda quo nlo quisesse spparecer U iiingueni,
liaba feilo Carolina uniaexcepclo em favor de Rosario.
Por exceiso de delicadtta, cujo inslincto liuha no cora-
gao, fingir o oteador nao reconhecer na rainha a dama
niysleriosa da Barbara, e desempenhra a monsagem de
Fabio com religiosa fidclidadc, depois do que pedir
pcrmisso de relirar-se.
Forcoso be que eu vo-Ia conceda, respondeo-lhe
a rainha com bonhomia que de prompto se toruou ein
amargura, puis que nem pono tuesmo dar-vos a hospi-
lalidado que em vossa casa recebi. Sois rei na vosi-a
quinta, c ou aqu nao sou mais do quo una eitrangcira
quo digo ou? una desterrada. A rainha dos Duas-Sici-
liss nao sciia obedecida, nem em Castelvetrsno! porem,
paciencia I Outros lempos viro, e eu nlo ineesqucce-
rci, acreditai-o bem, do rondeiro da Barbara. Porem
quanto, ajuntuu ella offereccBdo-lhe un relogio, que es-
tola obro a met, aceitai islo em memoria da viagein
que filemos lioiitcm juntos; este relogio servir-vos-ha
para con tai dea us huras do meu captivciro.
Ah! scuhora, nao depender de niim que elle mar-
que promplamciitc a dolivraniento.de V. luagesladc.
(jn.indo chegar o luuincnlo he fater s um sigutl, e cun-
to V. magestade na occosio cora um bom atirador; pus-
so dite-lo seiugabar-He; Rosario nlo he homejn que
CMARA MUNICIPAL DACIDADE DO RECIFE.
SBSSAKXTRAOHDINAMA AOS II HE ACOST DE 18O.
Preiidenciu do Sr. llego e .tlbuquerqvt.
Achsndo-so presentes os Srs. Olivoira, Cintra, No-
ry e Mello Cavalcanli, fallando com causa participada
o Sr. Carneiro Monleiro, o sem ella os oulros 8rs.;
ubrio-se a scsso, sendo em seguida approvada a acia
d'anlccedcolo. O Secretario, dando conta do expedi-
ente, leo um ofllicio do Exm. presidente da provincia
remetiendo uns exemplares do pcriodioco mental, pu-
blicado na corlo pela 60ciedade Auxiliadora da Industria
Nacional. Inteirada.o mandou.que fssom facilitados
quem os qui/esse lr. *
Outro do mesmo Sr la/cndo ver, que nao exislilo
om l'ra-de-1'ortas os podaros de pedral, que a cma-
ra pedio por ofllcio de 30 do 30 do julho, conlrme in-
formara o engenbeiro emchce, e que por isso nao po-
da ser satisleila a sua requisico. Inteirada.
Oulro do mesmo Sr., participando ter creado um ba-
talhao na Iregue/ia do S. Jos desta cidade, a funde
quo a cainart cumpra o quo Ihe ordena a lei do 18 de
oslo de IS II. Inteirada.
Um do inspector da tbesouraria, exigindo, que a c-
mara nomee dous cidados para, de accordo com o ad-
ministrador da recebedoria das rendas internas, mares-
remos 11 ni i los nesta cidado, denlro dos quaes so deve
urrecadar a laxa dos escravos. Frao em consequencia
iroposlos oscotencis Joao Frenciico de CbBby, o Fran-
cisco Mamedede Almcida.
Oulro do secretario da presidencia, remellendu actos
legislativos. Inteiada, e inandarao-so archivar.
Um do procurador da cmara, participando ler arren-
dado Joaquiui Jos Ferreira da Hocba, si b flanea de
Anlonio da Silva Gusmo, e por precode 150* n. an-
nuses, a casa n. 5i da proeja da Independencia, que se
achava fechada desde outubro do anno pinado, comas
uiesmas condicos dus airematacSes, o por Iros annot.
Mandou-se lavmr (ermo de ratilicaclo.
O dito procurador, no mesmo officio, pede providen-
qiieimc por nada a sua plvora quando na bocea da es-
pingarda estiver um casaca-veriuelhn.
O calador pegou no relogio com o acanhamento do
homciii orgullioso quo recis ver o seu salario era un
prsenle, todava aceilou-o. Como recular um presente
da ranilla .
Lnlao al logo, c muito breve Ihe diise Carolina,
despedindo-o.
Perdoc-mc! disse ello cmfim, tenbo una gracia o
pedir a V. magestade.
Fallai, meo amigo, ditei sem recri. Se do mini
depender concedcr-vo-la, d'aiilemiio cil ello conce-
dida.
Puis bem! Eu digo o quo he: Eu sou rendeiro,
e o Sr. conde Allegroni, proprielsrio da barbara pode
uttestar, se for preciso, que cu sutes quereria niorrcr sem
coiilitsau do que desviar-llie um viutein.
Estou disio persuadida. Quemis?
'Sou pois rendeiro, para servir V. magestade, o
que me nao impedo de ipieiinar una cscorvo de lempos'
em lempos, quando a caca paisa pelas pomas dn gente,
o se por eMHO da bondade do X. magestade, eu po-
desie.......
O quo
Dar Mlgiimas'vczcs um pnsscio.......
Onde!'
BUCO
cias sobre ss casas ns. 6. 8 e 10 occupadii polo cidido
Manocl Figueirda deFaria. que nlo quer pagar 300*
rs. pelo aluguel dos duot primeiras, conforme Ihe foi
marcado. A commissio de policii.
Um do juiz de paz doi Afogados, propondo pira oi-
crivlo do jumo a Manoel Jos Mauricio deSena. Man-
dou-se poss r litulo.
Um do liscal da Boa-Vista, participarTdo ter recebido
do ex-fiscal daquclla freguezia algumtt peen de ferra-
mentas. Inteirada.
Oulro do mesmo, participando terem produtido is
multas do mez de julho 213f n. Inteirada.
Um do Gscal do Kecife. participando terom produti-
do as multas do mez de julho 1)9000 rs. Inteirada.
Um do contador, ponderando, que, tendoa divida do
Manoel Ignacio de Avila perlencente ao anno do 1843,
nlo pode ser paga, por nao h&ver quota votada no arca-
menlo em vigor. llesolveo-se, que se peJiie auto-
risaco ao governo
Um do engeuheiro cordeador, acompanhido do or-r
cainento para os eoucertos das easinhai ds ribeira do
peixe.__llesolveo, que o momio engenheiro formulaste
as clausulas da arrematscao pira so prem os concertos
om hasta pblica.
Outro informando o requerimento de Antonio Bole-
llni do Mesquila, sobro um terrono de marinba.
Mandou-se, quo se respondesse ao governo no sentido
da informaco.
Outro do mesmo, sobre o roquerimento dejlo Fer-
reira da Cruz. Mandou a cmara, que o engenheiro
levanto com ui gencia a planta da ra Imperial, e de to-
dos os terrenos adjacenles.
Foi approvado o parecer da commissio de sade so-
bro o requerimenlo de Joaquiu Jos Dial Pereira. Em
virlude de oulro parecer da mesma commitsSo forao de-
signados para lugares proprios delabricas, desde a tra-
vessa da Corcordia at o Atterro-dot-Afogidos pela
inargom do rio.
Foi mandado commissao de ediicacSo e olHcio da
cmara de 2H de maio om que pode ao governo, porafo-
ramento, o terreno de marinba lito ni ra do Brum,
onde est projectada urna praca no plano da eidade,que,
depois de informado por dilTorontei ropartisoes, foi man-
dado informar I mesma cmara pelo governo por dei-
pacho de "9 do julho.
A requerimenlo do Sr. vereador Nery, mandou-se
expedrr circular aos flseaes para terem cuidado sobre um
intitulado medico Ambrosioni, que est curando n'etta
cidade sem titulo, quo para isso o autorise.
Frao nomeados: pan promotor di guarda nacionil
deste municipio o cidadao Antonio Borget da Fonteca,
e para ajudante d'esle o cidadao Jicintho Severianno
Moroira da Cunha; para secretario o cidadlo Francisco
Lucas Ferreira, e para ajudante o cidadlo Bcrnardino
do Sena da Silva Guimtrtei. Maudou-ie participar,
designando-se a primein lutura sesslo pan virem
prestar juramento.
Tendo de dar-so comprimento 10 officio do Exm.
presidente di provincia, em que communictva a cama-
ri a creaciod'um novo batalh5o de guardas nacionaot
na Iregueiia de S.Jos, composto de 4 companhiai dos
guardas residentes n'squella fregue/.ia; deliberou
mesma camira, em virlude da art. 32 da lei de 18 de
agosto do 1831, designar, nlo t as parad donoso
hatalho, porem sinda as do de S. Antonio, urna saz
quo a nova crcacSo alterna as j designadas para eite;
sendo as desgnateos as seguintes :
A 1." companhia do balalhlo de S. Jos compreben-
der o pateo da Ribeira, ra deS. Rita, dita do No-
gueira. dili de S. Jos, dita da pros de S. Rila, dito
de S Cecilia e trevessa de S. Jos; tendo a pmdi da
mesina companhia no pateo S. Jos.
A 2.* comprehenderi as rust Direiti.dll AgoM-Ver-
des, do Caldeireiro, das Cinco- Ponas, de Hortit, da
praia do Caldeireiro, travesas do Monleiro, do Dique,
e de S. Lourenco al a praii do Caldeireiro; sondo a pi-
rada no largo do Ierro,
A 3.* companhia comprehenderi ai ras d'Aisump-
cio, do Padro-Floriinno, di Calcada, dot Copiares, doa
Pescadores, dos Acouguinbos, do Jardim, do Forte,
Nai tapadas reaes de Ficiaza com o meu perdiguci-
ro e a niinlia espingards.
Isso (pie me peds nio he qutlquer cousa: um
principo nlo o obteria. Todava, rejamos, tendea isso
muito a peito?
So lonho!......
E lio penetrada tinha a vot ao pronunciar esta excla-
mado, tao ardeute, to profundo era o desejo que os o-
Ihos evpi iuiio, quo a rainha tomou sobre era to-
mar muilo coiiceder-lhc a ecne.a que elle sollicita-
va, sob pretexto de que a caqa que maiaise em Ficutia
era para ella. Eita precaueao Ihe parecer neeessaria por
allencao susceptibilidade de Fernando, que, digno fi-
llio do sen pai Carlos 111, era mais cioso da sua caca, do
que da sua ora. A rainha no lempo do seu poder, no-
meava c demittia os minietrus, dispunha do frotas cexer-
tilos, mas nao se lena arriscado a mudar um monleiro,
oua reformar um co das reaes matilbas.
Aqu tendel, disse ella a Rosario, toniai esle pa-
pel, e sede contente. Esporo que o rei honrar a rainha
stignatwa.
Oh muito agradecido,magestade! eiclatnou o ca-
rador, tomando a permisio, com mil retes mais prorop-
tnlio (lo quo lomara o relogio; obrigado! iiuiili. obri-
gado! Da-me V. magestade a couia que eu mais deleja-
va em niiuha vida. Ainda nlo tinha cu deannos, quan-


praia deste c travesa do Serigado; sendo a parada na
ra do Forte.
A i. companhia comprehenderi as ras Augusta, do
Alerrim, do Corlume, Imperial e suas travessai, u do
J'i imjt i o Villa-Nova; sendo a parada no pateo da for-
c.i, o a gcral do batalho no areial das Cinco-Puntas.
A l.'compsnba do batalhSa de S. Antonio compre-
hender as russ daCadea, das Cruzcs, do (^uoimado,
do Crespo, Nova, do Collegio, dus l.arangeiras, do
Cubuga, praia da Cadcia, travessas do Uuvidor, das
Cru/es, e do Queimado, largo e caes do Collegio, e
pr,n;a da Independencia; sendo a parada no caes do
Collegio.
A 2.* comprebendor as ras larga do Hozario, da
Roda, deS Francisco, Helia, do Calabouco Novo, do
Calabouco-Velbo, de Palacio, da Florentina, largo do
l'araizo, travessas da ra Bella, do Calabouco, o becco
do Calabou(o-Vclbo; sendo a parada no largo do
Para i 10.
A 3.*compr<-hender as ras ostreita do horario, de
Hortas, das Flores, da Concordia, do >ol, dasTrin-
choiras, de S. Therera, do Cano, de S. Amaro, patea
do Carmo, Camboa-do-Carino, o as liavessas da ra da
Concordia; sendo a parada no pateo do Carmo
A 4.* comprebendera sruas do Livramento.doRan-
},' Agcas-Verdes, do Fgo e seus beccos, travessas do l.i
vramento, do Arsenal, do S. Pedro, e pateo do S. Pe-
dro; sendo este pateo o lugar da parada, para geral do
batalho o pateo do Collegio.
DospacharSo-se os requerimenlos do Anna Fran-
cisca das Cbagas, do Antonio Ferroira dos Santos,
de Antonio Cordeiro da Cunlia, do Antonio liaptisla
hilero de Faria, do Antonio Jos Rodrigues doSou-
I1, de Antonio Manoel de Soub, do Exm. Hispo D-
occesano, de Coi.stancia .Mana Falca, de Curios Mar-
tins de Almeiua, de Catharina Francisca do Espirito
Santo, de Eugene Duperron, de Francisco Teixcira
Peixolo, de Fclcidade Perpetua Tavarcs de.Mello, do
Joaquim Fernandes de A/.evedo, de Joaquim Manoel
Carneiro da Cunba, de Jos da Costa Pinto, de Jos
{encalves da Cruz, de Jos Tbcmolio Pereia Bastos,
de Jos Francisco Colares, de Jos Mauricio do Ulivei-
ra Maciel, de Joaquina Josepha Lopes, de I.uiz da
Costa l.eite, de Miguel Felicio da Silva, de Mano I
JosCabral, de Manoel Francisco Rodrigues, Je Ma-
noel Luiz Goncalves, de Pedro l.amare, de Itaymundo
Pinto de Abieu, de Severianno Francisco do Souza, de
Thomaz Filippe da Silva, e do Thomaz Fornandes da
Cunba.
OSr. Oliveira declarou, que votava contra os can-
didatos propostos para promotor e judila da guarda
nacional.
Deliberou a cmara, que no dia 18 do correnle co-
mecaria a sua terceira scsso ordinaria ; e terdo dado a
hora o Sr. presidente encerrou a sessao presente. !'. eu
Joao Jos Ferreira de Aguiar, secretario a escrevi.
Jtego e Ibuquerque, piosidoote. Oliveira. fin-
ir. TVery.Mello Cavalcanti.
CORREIO.
CORRESPONDENCIA DA CIDADE E PROVINCIA.
Milito tein dado que faier n minlia rccnmmrndacan
odre a pitada de Meuron & Coiiipanhia, c os taei Fa-
bricantes ikivoi de tabaco velhu, (be una das industrias,
que niail tein medrado em noeen trra, coiilaai-sc j.crcio
eu, dez ou duxc ditlcrentcs qualidades, cada ipi.il mc-
lliorj, o> taes Fabricantes, ninaeu, balcro palmas n Icin-
bianra, vendo ja. cm tua iiiiuginticau proitrudo na arela
c ao coin arela, c por amor tle aicia un cuui| etiilur
ForlO que Fabrica na arcia. Sabidas aa emitas, nao lia ta-
baco quo n n.io lenlia, a orein, c agora o remedio be paa
surera lodo os tullanles para Filmantes, se nao querem
que se Ibes Furinc no milos um lauco de arela.
Mil corpulentos Alien.fies so cbcgsdos a trra da
Santa Cruz, diz a gazeta, e as ancas se espero Belgas;
aquclles apadrinbados pelo coro-d'anta-ass, oestes
porque assim o quiz o urbano que assignou o parecer!
Eisaquitecm os artistas um bom despacbo a sua sup-
plica Este proccdirncnlo dos seus procuradores fca
bem castigado com a nao fusilo, que pz cm conluso
os Nunes, Britos, Urbanos e outros que contado com a
beca, como j suppondo-so nellasenfiotados. Quem
nos dera ver j por c os taes sugcitinbos Deizemos
os boinens e vamos ao que serve. Dizem que o inspec
tor de um dos quarteiroes.l para a ra Imperial, no dia
17desto corrente mez so arvorra em mestrofeijo de
cocoe dera dual duzias de palmaloadas em um pasto-
railor, porque nSo soube a litio de guardar tres boiszi-
nbos que passro desta para o co dos b'ois, cada um
com o seu tiro; bagalellas. Se o caso be verdade, por-
que nao acredio em quanto se diz, a cousa vai um
brisco.
Ao arbitrio do bum varo dcixamns o decidir, se no
lempo do antigo absolutismo se pralicavuO tantos deipo-
tisniof,quanliis se prnlico boje no se. nimias luminurins,
era que cada um inspector, eom biuirosa* cxccpctjet, he
um despula, que Fas o que llie veiu as ventas, porquo u
respuniabilidudu, di/.em, morrra do gnsuia depoit de 1
de Fvvereiro. licitamos aqu a queslao, que ser tratada
em um Correio monttto : at os niunstros estilo boje
cm uso, e em muda 1
MIRO DE PERSAIBL'CO.
Tivmuus Folhas do Porto c de Lisboa, quo chego u 4
de jiilbo p. p 'as de uhiiiia dala); purni poue.o traiem
de importancia para leilores estrangeirus, aleiu das no-
ticias de uniros paizes,- as quaes transerevemos cm lu
gar competente.
SS. M.M,o AA. coiiiiuuAo apass.tr sem oovidade na
na importante salido em o pasto de Cintra.
TmliUo do a Lisboa receber S. M. I. a Si a. duquesa
de limgauca, e a Sra. princesa D Amelia, que all de
sera barcario no de, cm o arsenal de inariiibn, ebegadas do Rotterdam.
Depui do quo regreatrao SS. MM para Coimbra.
IIjvia sido avistado pela ju uncir ves na eid.ide do
Furto, era o din 1) de jiinlio, um cumula, que coiitinouu
a ser visivel por alguna dias; n sua declinadlo era inulto
boreal (em (.oiuibi* aeliou-se ser no dia de 40 grana,
ascenao recta a mesina do sol,. Visto pelo telescopio,
liulia ora niicleo mu bullante, o da grandeza de um pe
queiin planeta, sua rauda teria 2graos ou mais, figura
parablica, ciieiiiuvolvendoe tocando no vrtice o n-
cleo, mas sem coma. A 24 j nao era visivel.
Progredia a lucia eleitural na imprenta e nos recen-
Kcamentos.
Os jumaca Francrics recebidot cm Lisboa Irancavao
a 2, os lii'tpnulioes a 26 c na ingbxes a 27 !<- junlio.
Publicaran a pedido.
do j olliava de longe, cora invejosos ullios, estes gran-
des bosques de ticuna, que cru |iara inim o paraizo
larrea tro, deque o Sr. cura us falla va no calhrcisiuu.
Viva santo Huberto! Que regalu nao vaiiiut nos tomar,
eu i- u nii'u perdigueiru Ol! que tinto j dilularcm-te-
iiio os polmci; t vejo dos olhua lebros o perdura.
Olbe, niagcslade, pur tan frlu nie duu, que na trola dus
lagostai enviare! una duzia de mais.
Como Kusarm sahia de palacio, eutrava Cmtron para
receber as urden da rainba. Ficuu admirado do ar j-
bilos do cucador, e do teu cao, que vendu-u tullir lio
prazenleiro, tallava era torno delle dando gritos de a-
Icgria.
All vai un corapauliciro que V. magettadu turnoii
bem Flix, diste Cusir une a Carolina au entrar uu leu ga-
binete. Um auldadu que pastaste de repente a capito
nao (icaria tiu contente.
Nao teriat tu, retpondeo a rainba cura nlguin axe-
duiue, que cura tio pouco te contentaras
Nada mait diste. Ao comparar eom sigo metina estes
don bomens. mu que to Franco, lio tiuceru, era lim-
pie e nobre cuino o Ribo da natureza, oulrn que, Fruct
depravado de depravada cmlisncu, repretcuiava e re-
siuiiia cm ti lodaa ut curupres suciaet, nao pode Fur-
tur-te mediiar.au quetubre ruu vida lite ucCurreo, de-
plorando a baixcza, a tcrvil c srdida devotaco dos
Os abaixo assignados, passageiros da barca portu-
gueza Eijtirilo Santo, faltariao ao seu dever.se deizas-
sem de patentearao publico o bom tratamento que ti-
rarlo na recont viagem do Pernambuco a esta cidade
pelos Srs. ofliciaos da dita barca, piincipalmente pelo
Sr. capilao Rodrigo Joaquim Correia, pelas suas boas
manoiras e adabilidade coin que nos tratrou durante
a dita viagem,do que Ibc tributarnos a mais intima gra-
lido. Porto, II de Minio de 1815. (Segueui-se as
assignaluras dos passageiros.)
[lio Cosmopolita.)
Pimcnta. Contina a liaver (alta.
Salsa parrilba.Da superior nao ha: as mais quali-
dades acbio so paralisadas por lalta do coin
pradores.
Tabaco. Precos nominaes: sem compradores.
Vaquetas.As boas achao prompla venda.
Urzella. Alguna dos possuidorea cedem vender aos
precoi colados, mas os compradores estSo
bastantes frouxos.
Fundos pblicos. Tem sido muito procurados, e 11-
zer8o-se bastantes transaccoes durante a se-
mana.
Aceces do companbias. Forao bastante procurada, e
fizero-se grandes lransacg5es.
Papel-moedie ttulos.Algunas operac,s se rcalisa-
rSo. .
(Folka Commerctal.)
JUuvimeiito do Porto.
COMMEttdO.
Alfandega.
Reniiimento dd da 19................6:149jiS2
Detcarregao hoje 20.
Briguc francezNelie-Alathildemercaduras.
BrigueRnbimidem.
Consulado.
II l'N DI.MENT DO DIA 18.
Geral:>00j8iV Provincial20:tj!l40
LISBOA.
CAMBIOS A 2()liE JINHODK 18S.
Effectuado. Umheiro. Let.
Amsterdam 3 m. d...... \\\ 1
. 503/4
Hainburgo 5 m. d. 50 1/2 .
Londres!
Pariz
i 90 d. d. U 1/2 6-8.
100 d. d. 511 .
54 1/2 50 \A
54 5/4 54 1/2
510
Mctaes e papis.
Mttaes. Compra.
Pecas de 7,600 ....... 7,030
Ornas bespanbolas.....H.200
Soberanos........4,340
duro cerceado.......1,890
Dito em barra .
Patacas bespanbolas
Ditas brasileiras .
Bitas mexicanas
l'rata cm barra .
1i
. 900
. 890
. 880
. i
(Diario do Ooierno.
51;
Venda.
7.50
14.300
4.37W
1,'JIO
23
000
895
890
Estado do mercado dvsde 21 ale 27 dejunho.
Algodaolist frouxo, nao bavendo compradores; pre-
cos nominaes.
Assucar.list frouxo nos precos colados bavendo
falla das qualidudes finas, que sao procura-
das.
Borraxa. Parausada.
Cacao.Acba-se vendido quasi lodo o quo Itavia exil-
enle, sendo 274 saccas.
Caf.Cbegarao novos reforcos, bavendo alguma pro-
cura por as qualidades inferiores, de que ba
escacez.
Canalla.Com a cliegada de ilgumas partidas de Ma-
cao be piavavel que baixe.
Cora. Est frouxa : pregos nominaes.
Cli.AcabaS de ebegar ao tuneado porto do (,000
caixas.
Couros. Sao pouco procurados, excepco dos pe-
queos slVciis, de que ba inleira falla.
(omina-copal.Ha cumpradores para a boa.
IpicHcuanba Empatada.
Miiiliin. Os compradores eslao pouco animados a
comprar, pela exigencia dos possuidores ser a
precos altos, bavendo entre as partidas exis-
tentes algumas com maior refugo.
(leo de cupabiba.Preco nominal.
Ouruc Falta o de boa qualidade.
instrumentos que a tua posico a lu en,i aempregar:
Cruel eoudicAo dus principes! tliria ella entre si
aiiiai^mada, que ato no exilio so sao rudeadu de uiubi-
i'i'i iiiFreuct, imaciaveit tobieas!
MurliFicados se acliav.io aeut nobre iuitiiictoi; mas
que luivia de Fazer? No actual estado da toeu-dade, o
exercicio do poder, e aobreludo u sua cunqiiiita, t ten
puttiveit este preco. Trittc tuciedade! triste puder!
Catlrun cunbceeu a primeira vittu d'ulbut, que o
vento Ibc nao topruva a popa ; deixou por coiiseguiute
O tora Faceto, turnoii-tu de tubito teriu, c circuuture-
veo-te au circulo dus negocio. Den cunta em termos
breves e preciaos da mitsau de Trapaui, Fez um relaturio
k seu modo a crea dat dispusieres do poro e do derri-
to, c pox-se t urden da sua legilimu tubcraua, como
elle iluiii, tem llie dirigir una tu pregunta ii respeito de
tua viagem ao Etna. Era o mais teguro inciu de ebter
una rcspuita, jior nienu ditpotta que a rainba ettivet-
e para as confidencial; roat nao o eslava iietto dia ; aleiu
de que t bavia o btido de Castreo pronicteni vagas, e
todo os diat esperava a rctpoita, que ello eiu pcsioa Ibc
devia tiaxer Castelvetrano.
.N.io luivia anda tido pronunciado o n.iiiir de Fabio
Caatrunr nao quera tomar a inieialiva netto delicado
capitulo, pelo receio de que a rainba udeviuliatte a ini-
aiuade encapada uessa eitarrapada iillicitudc. Do um
Navios entrados no dia 19.
Punta-Arena; 100das, barca ingleza Monarca, do
233 toneladas, capilao Lo Paga, equipagem 14, car-
ga caf e couros; aM.cCalroont & Companhia; se-
gu viagem para Londres. Arribou a este porto
para concertar o panno.
S. Matbeus ; 12 dias, patacho brasileiro Francelina,
de 07 toneladas, capilao Joatjuiai Beptsta Piquia,
equipagem 12, carga familia ; ao capitao : passa-
geiro, Jeronymo Assenco Duzens. Brasileiro.
dem ; 13 dias, sumaca brasileira Rosario-de-Marta,
de 78 toneladas, capilao Joaquim Jos Teixeira,
equipagem 6, carga farinha ; ao capito.
Pbiladelpbia ; 42 das, barca americana Navarrt, de
242 toneladas, capto Henry Col, equipagem 12,
carga farinba e fazendas; ai. G. Ferreira : passa-
ssgeiros, Eliza Matbeus c Carlota Matbeus em com-
panhia da senbora do capitao.
Genova por Malaga, 70 dias, o do ultimo porto 34dias;
polaca sarda Paquete-Flix, de 203 toneladas, capi-
lao Joao Baplista Villa, equipagem 12, carga vinho
o mais gneros; ao capto.
S. Calbarna ; 14 dias, brigue brasileiro S. Manoel-
Augusto, do 256 toneladas, capilao Manoel Si-
mes, carga farinha ; a Bernardo Antonio de Mi-
randa ; passageiros, Fernando Ignacio da Silveira,
Brasileiro; Jaques Esnaty, Inglez.
Ceer pelo Ass ; 25 dias, patacho brasileiro Vehz,
de 184 toneladas, capito Antonio Jos de Oliveira,
equipagem 12, carga sal e mais gneros do paiz ; a
Manoel Joaquim Bamose Silva.
Rio-Grande do-Sul; 25 das, patacho brasileiro Eme-
liana, do 120 toneladas, capito Valentina Bibeiro
dos Santos, equipagem 8, carga carne ; a Amorim
IrmSos.
Navios sakidos no mtsmo dia.
Alcohaca pela Baha ; lancha brasileira Flor-do-Mar,
capito Alexandre Jos de Jezus, carga telba e sal.
dem ; biate brasileiro S tenedicto-Grande, capitao
Nicolao Lopes Ferreira, carga varios gneros.
Para ; brigue bamburguez l'olydora, capito J. C.
Cbristanse, em lastro : passageiro, Juliao Tiget-
mire, Hamburguez.
Rio-de-Janeiro ; polaca sarda Abul-Medik, capito
LourcDQo Canavarro, carga a mesma, quo trouxe de
Genova.
Parahiba ; patacho Irasileiro Lima, capillo Jos Pe
dro dos Santos, carga farinba.
Alcobaca ; garopeira brasileira Santa-Anna-do-Sa-
cramento, capito Miguel Joo de Madeira Chaves,
carga varios gneros.
Falnioulb ; paquete inulez Petrel, commandante o l-
enle Creser.
Babia o Rio-de-Janeiro; polaca sarda Paquete Feliz,
capito Joo Baplista Villa, carga a mesma, que
trouxe.
Mar-Pacifico ; galera americana Hobert-Edu>ards,ct-
pilo Nathamiel Burgos, para a pesca de balea.
Rio de-Janeiro ; barca americana (ilobe, capito Ni-
cols Esling, carga o resto da que trouxe.
Porania a thesouraria defazenda desta provincia
tem do ser arrendada, por lempo de tres aonos, em has.
ta pblica, nos dias 22 e 26 do corrente mei, a M.
sa de dous andares e loja, sita na ra Direita desta cida-
de n. 11, pertencentea luzenda pblica.
E para constar so laz publico pelo presente, de ordem
do Illin. Sr. inspector da mesma thesouraria; devendo
os prelendentes babilitarem-se na lrma da lei,
Secretaria da thesouraria de larenda du Pernambuco
12 de agosto de 1843. O oflical-maior interino"
Ignacio dos Santos da Fonstca.
Miguel Archanjo Monteiro de Andrade,official dm,.
pe tal ordem da liosa, cavalleiro da UtChnsto ,
inspector da alfandega de Pernambuco, por S. M
Imperial, o Senhor D. Pedro II, que Dos guard
ge
Faz saber, que no dia 20 do corrente, ao meio dia,
a porta da alfandega, so bao de arrematar em basta pu-
blica 10 caixas com typos. o mais pertencs.para tj.
pograpbia.no valor de 550,000 rs., impugnados pelo
guarda Jos Jacntbo dos Santos.no despacho por factu-
ra de Luiz Ignacio Ribeiro Roma, sendo a arremata-
Co subjeita a diretos. Alfandega, 18 de agosto de
4846.
Miguel Archanjo Monteiro de Andrade.
Joo Xavier Carneiro da Cunha, /dalgo cavalleiro da
casa imperial, cavalleiro da ordem de Lhristo, ad-
ministrador perador, que Dos guarde, etc.
Vm saber, que perante a administrarlo da melisa
bao de arrematar,no dia 25 do correule, aporta da mes.
ina, duas caixas com assucar mascavadu ns. 4 e gam-
bas com a marea I-, do engenho Murim, consignadla
Jos Joaquim de Freitss Guimares, o apprehendidis
pelo empregado do trapiche do Pelourinho por inciic-
tidao das taras ; a 1.' avahada em 105,125 rs., e a
2.a em 94,000 rs.: sendo a arrematarlo livre de des-
peja ao arrematante. Mesa do consulado de Peresmbu-
co, 19 de agosto de 18*5. O administrador, Joii
\atiir Carneiro da Cunha.
=0 angenheiro em chefe da provincia, competen-
temente autorisado, manda faaer publico, que llavera
concurso para um lugar de ajudante dos engenbeiros
no dia 21 do mez de agosto prximo lutufo : omcoo-
sequencia convida as pessoas que se quizerem propor
aodito concurso, para se alistaren!, at o da 18dcsie
mez, n'esta repartiefio, onde Ibes ser declarado o lu-
gar, horas a mais circumstancias do dito concurso. Ile-
partirio das obras publicas, 21 de julho de 1845.
Fout A i'er.
Detlaragoes.
Editaes.
A cmara municipal desta cidade do Hecife e seu
termo, ijc.
Faz saber, que nos dias 21, 22 e 23 do corrente
andarad em praca, para seren arrematados por quen
menos fuer, os reparos de oiwe casinhat da libeira do
pene da fregue/ia de S. Jos, o os de qualro trapiches
de despejo publico : aquelles oreados na quantia de r
325,140, e estes na do rs. 5G0.500. Os licitantes de-
vea comparecer, munidos de liadores idneos e habi-
litados na forma da le, na casa das sesses da mesma
cmara, onde esterad patentes os orcameotos e condi-
ii'S para 'Jilas arreinalaces.
E para que ebegue ao coobecimento dequem conviei,
mandou a cmara publicar o prsenle pela improosa.
Paco da cmara municipal do Recife, em sessao de 18
de agosto de 1815. Manoel Joaquim do Reg e Albu-
querque, presidente.Joo Jos Ferreira de Aguiar,
secretario.
iuimigo icinprctc desconfa, pensara o nosso Macbiavel
de baixa esphera. Por isso para, mellior perder o teu
oiiicni, finga interesse ou ao inenut iudittercnca.
Por agora, diste a rainba, temos de cuidar no fu-
gitivo.
Bom! diste em uparte Cuntron; eit-not coin o
negocio. De que Fugitivo Falla V. inageitade? Pergun-
tuu elle cura afl'ectadu cuidara do un insigne larluFu.
Oh do capilao Fabio.
lio verdade opero que elle te ha de ter arruina-
do liontein a noote.
Kefugiou-ic era Seliuonle entro os Calabrcict.
Itto he, foi ripontaiico no encontr do iuimigo.
Cura o at ti m I'
lie a coma rauit clara do mundo. Mac-Farlane es-
t ja de vulla era Alazturu, o tem dunda veui cum pro-
jectot contra Sulinoute. u cntanto o capilao Fabio a-
cha-se era ba cumpunbi.i, e no lie biimeni, ponto eu,
a se deixar levar como um cordeiro. E deiuait ot aman-
tes teem teu Deot.
I'la ultima phrate laucada por incidente com urna
iudillcrciiea elieia du dupliridade perliirbuu Carolina
todo o sangue I lie retluiu ao coraoao ; apexar du irape-L
rio quo sobre ti metiua exercia, tornuu-te pallla co-lnlia que ella teja, dista o intrigante, laiiibeiu lie niul|icr'
io.i o murmure, e purpura logo depoit. Tudavia o icii lo a curiutidado, seu.iu fur o ciume, lia de eeer-W"
orgulbo iriiinipliuu da aua ouiocau como auppor que|orgulbu; te com etteito ama a cite Fabio, no ha d"""
O Illm. Sr. inspector do arsenal de marinha manda
fazer publico pela 5.' vez, quo contratar o lornecimen-
lo da carne para as embarcarles da armada, pelo lempo,
que se convencionar, a contar desdo odia posterior aquel-
lo em que se lixar o contrato; e csuvida as pessoas, que
commerclo com semclhante objecto, o queiro fazer o
contrato, a apresentarem as suas propostas n'esta secre-
taria, em cartas fechadas, em qualquer dos dias de trt-
balho, d'esde as 9 horas da manba at as 2 da tarde.
Secretaria da inspeceo do arsenal de marinha de Per-
nambuco, 14 de agosto de 1845. O secretario, Alt-
xandre Rodrigues dos Arijos.
Pelo lyco desta cidade so laz publico, que, en
consequencia do que ordenou o Exm, Sr. presidente di
provincia directora do. mesmo lyco, em officio de
21 do corrente, ir a concurso, da data desto a quaren-
ta dias, a cadeira de latim da fregueria deS. Jos
desta cidade, que seacba vaga, pola demisso do proles-
sor, que a exerceo. Os candidatos, que relarid
cadeira se quierem oppr, babilitem-se na conlormi-
dn le das instruccoes, que regem os concursos .Vac-
iara do lyco desta cidade, 23 de julbo de 1815.
Joao Facundo da Silva Guimaies, -secretario.
TttRATRo'pBLICO.
A nova companhia italiana
avisa ao respeilavel publico que
sabbatlo 23 de agoslo ser a
(jiiinla representaeo lyrica; os
pormenores sero annunciados
nos peridicos de sabbado.
PUBLICACAO LI rTERAMA.
Est cuidadosamente Iraduzida, e vai a imprimir-
em bom papel a exeellente obra
niatiTo do itosJEM.
O crdito de seu autor, odistmeto Thomaz Peine,
he to geralmente estabelecido, que nos dispensa de
dar urna synopse da obra : seu titulo diz ludo : trata-
se do direito do bomem, e o hornera sempre ter ne-
cessidade de esludar o que mais Ibe ntereua saber ns
sociedade civil,sto beso perdeo ou adquiri mais di-
retos, quando se associou a teus semelbantes.
sstsstssessssswsSMsslswai5naiatsMEa mm iiifisW
Cattron tivette a intcnco, o toinutie esta liberdade,
ainda quo muito out.ido, do Faier Uu temeraria allutAo
l'rovavt'luiente nuo era dell que te trulava.
Amantes5 dinu Carolina cora indirlerenca, "e
quera ?
Eitabi o que eu ainda nSo sci bem, niat que Fui a
nome para o negocio? a couta lio certa ; o amur aleie
approximu da tua pbrate-crilica.
Como he isau?
Jtto he, o notario cuida eiu acender ot Fachol do
h \ inenen ?
Poit elle cata-te?
Pelo m en ns auque rae diste o coxo que oserffc
Se V. magettadu teiu alguma euriosidade de saber SMSti
bem Fcil Ibe er.
- C.ntroii, retpondeo teceamentc a rainhu, r"1-'"
Oo-te que deteubrat ai verdudeirat intencei de Mac-
Pariunea rctjieilo de ielinontc.
Na uieimu noute Caslron teguia estrada de Max'"'
Era quantu elle enterrava mait u puiib.il nu ciuu cu'
racao de Carolina, ubi deixava, segundo o aeu cuta""'.
o germen de urna reiulucu qoe, a teu ver, devia i1'" "
desenvolver-te, c desnbrue.bar em lempo. Por iu"


Dar um volumo em oitavo francei de quast 300 pa-
f Siii'-crflve se para esta importante obra a 2,000
.,|j ovni, liar broohado.e a 2,800 rs. oncadcrnado,
'j. Iag* bl0 declarados.
\."i oidade, na ra estreita do Rosario, botica do
^f Paranboa, a luja do Sr. Bandeira pai; na ra dn
Ubugi. toja do Sr. BaadetN filbo ; praca da Inde-
Mndencie, l"ji ns C o 8.
Xa vilis de kuaraas. casa do Sr. adwgado Ale-
Ddrino Joe do Amare!.
Em Naaietb, casa do Sr. padre Lutz Ignacio do An-
jradeLima. .
Em Pedras-de-Fogo, casa do ar. Ignacio Bento
I.ui' Pttnt.
\a cidade da Parabiba, no Varadouro, casa doSr.
Vntonio Vicente de Magalbaos.
>a filia do.Pilar, oasa do Sr. dr Jos Bento Meira
de Vascuncellos.
No litejo-d'Ari, casa do Sr. advogado Luii Vicen-
|p Borges.
.No Brejo-dc-Bananeiras, casa do Sr. Gregorio Plag-
Do Borges da Fonseca.
Para os nao assignantes cuitar cada cxemplar, em
brocbura 3,000 ri., encadernado 4,000 rs.
A subscnpi'So fechar-so-lm em dezembro.
Avisos martimos.
l-'ii-ia-so, para qualquer porto do Norte ou Sul,
0 brigue Harta I, capitao Anselmo Marques Vicira :
os pretendentes diiijo sea pracinha do Coipo San-
io n. 66. residencia deGaudino Agostinbo de Bar-
ros.
= Para o Bio-de-Janeiro segu com todi a bre-
nJado a sumaca Amitade deque be capitao Manuel
Antonio Sousa Guerra ; para carga passageirosae os-
cravus a rete sjusla-se com Gaudino Agostinbo do
Barros-, pracinba do Corpa Santo, n 66.
Para o Maranbiosai, no dia 25 do corrento, a
barca brasileira 'rme/intia,capit3 > Juliao Ferreira Nu-
ii',: para o resto da carga e passagoiros trata-se na ra
daCadeia do Recie armazem n. 12.
Vende-so por proco commoJo a lancha Eepecu-
l,i I ira de muito boa conslruccio e boa marcha : quein
qui/or exatwnal-a, pJe dirigir-se a aeu bordo, que se
ada fondeada delronte do caes do Gallegio, e all mes-
mo acharad com quem tratar, ou no osc iplorto de Ma-
noel Joaquim llamos e Silva.
__Para Lisboa sai,no dia 2 de setembro.o brigue Ve-
ralo, para carga e passageiros t-ata-so com o capitao
na praca, ou com o consignatario Tliomax doAquino
Fonseca na ra do Vgario n. 19.
visos diversos.
O Sr. Candido Severino de Avila
dirija-se ra do Crespo, loja da viuva
de Alfonso &c C, para negocio que nao
ignora.
POS ASITICOS CARMINADOS.
tistes posteen) a propriedade de lunpar, branquear e
conservar os denles, som produzir a menor alteracao
no si>u vidro ou esmalte, o qu .1 el'es endurecem ;
previnem a carie, e destroem a pedra dos denles ;
consolido as gengivas ; dco a bocea urna cor, ebeiro
e frescura mu agradaveis: afliaoca-se, que el les nada
encerrao que possa ser nocivo aos denles:vendem-se so-
mrnle na ra du Cadeia n. 15.
= Ua-se dinbeiro a juros com penhoros de ouro e
prala, inesino em pequeas quantius; na ra da Praia,
n. 22.
=- Alupa-se a casa terrea, na la do Pilar, em
lora-do I',.ras, n 4 i urna dita na ra dos Guara-
rape, i.o mesmo bairio n. 13: os pretendentes di-
rijao-sc a Antonio Joaquim de Suuia Rihciro na ra
daCadeia do Recile, n. 18.
A pessoa, qu annuncou querer comprar la de
ficcba de caima dirijasu a ra do (ueimado, n. 28,
segundo andar.
Agencias de passtiporles.
Na rus do Collegio.bolican 10,e no Atierro da-
Hoa-\ isla leja n. 48, tiro-so passaportes para dentro e
forado imperio,assim como despacbio-se escravos: ludo
com brevidade.
= Aluga-se um bom armazem, na ra do Amorim,
muilo prximo a alfandega e proprio para recolber
gneros : a tratar na mesmo ra n. 36,
Job Joaquim Be/erra Cavalcanli enva expec
1 .iu publica os fundamentes dos accordios abaixo
transcriptos, proferidos pelo suppiemo tribunal de jus-
lici ; o l.nos autos de nulifica* o corrminatoria, 1.'
vara docivel, escrivio Reg, e existentes no crtorio
do escrivio Kandeira, cerca do errendamento trienal
do engenho Curado, ositioCumbe; o 2. nos autos de
inventario e partilbas das mesmas propriedades, juizo
deoi'pbSus, escrivio Pereira, e existentes no crtorio
doesciivio Brito ; e para que melbor juizo se fa-
ca, assim do seu aviso inserto no Diario n. 166 de 30
do julbo lindo, dodireito e justica que tem as ditas
propriodi.des, cmoda cadundado dos fundamenlos, e
sem-raio con que a este ropeito se ha opposlo o mes-
mo Sr. Costa.
Piimeiro accordSo.Vistos, cxposlosorelatados es(c<
autos de revista civel entre parles, rccorrenlcs Jos Joa-
quim Be/erra Cavalcanti e sua mulher, -o rocoirido
Bento Jos da Costa, concedem a moma revista, pela
nullidado manifesla do accordao l. 157 v. a II 138 v ,
um que se \6 ter intervi lo,como procurador da laxen-
ila, o desembargador (jiegorio da Costa Lima ficlmont,
a quem os autos loiio distribuidos, e quo do exame
delle so nSo oceupou por jurar suspeicao a l. l30v .
assim como pela do de II. 188 v. em que appareco como
fiscal o desembargador Domingos Nunes Ramos, que]
fura relator dos accord s II. 136 a 137; vindo assim a
ligurar de juiz e parle. Bemelto-sc por tanto os refu-
ndes autos a relacSo do Rio-de-Janeiro para revisio e
julgamenlo. Rio, 22 de agosto de 1843.Dr. Fi-
gueirelo, presidente. Cirn*.Freitai Campot.
Pinto. Duarte. Pecanha. .Irag&o .Ifabuco
Petra. Silva, ~ Chave: Verneque.
Segundo accordSo Vistos, expostos e relatados estes
autos de revista civel enlre partes, recorrenle Bento Jos
da Costa, e recorrido Jos joaquim Bezerra Cavalcanti,
nego a pedida revista, por nao havor nullidado mani-
fttts, num injusticia notoria nos accordaos de que se re-
correo. Regressem os autos ao juizo onde foiio sen-
tenciados, pagas pelo recorrente as cusas. Rio, 17
dejunho de 1845. Dr. Figueiredo presidente.~
Aragio. Chacee. -- Cosa Aguiar. Siha. Ver-
nequeCampos.--Pinto.-Duarte.--Picanha.>i
O NAZARENO N. 119
est ao meio dia a venda; e muito interessanto por tra-
zer o duelo do Sr. Roma Luiz, o resposta rouilo curio-
sa ao Atorrague : a 80 rs. o exemplar.
Um rapaz brasileiro de dado de ID annos, o qual
sabe perfoilamentu ler, escrever, contar, arithemelica e
geometra pratica, se oflerece a qualquer negociante
paracaixeiro do cobranfas oueacripta, c prestar lia
dur a sua conducta; quena de seut serviros se quizer
utilisar, annuncio sua morada para ser procurado.
esencaminhou-se.nodia 18 docorrente, um rc-
logiosabonele de prata, o com trancelim de prala, sem
passador, dos autores G. & S. I. Samuol, com o n.
2,590; quem o achar, queira leval-o ao largo do Cor-
po Santo em casa de Me. Calmont & C., que ser gra-
tificado com 20,000 rs.: promettondo-se 1180 investi-
gar mais nada a este respeilo.
-Um rapaz brasileiro de boa conducta se oflerece
para eaixeiro de escripia ou de ra: no armazem da
ra Nova n. 67, se dir.
__Da-sedinboiro a premio sobre ouro, Irancelins,
crranles e relogios de algibeira, em segunda mo, que
sejSo obras Irancem, e por preco commodo ; tambem
vende-se, e se faz troca a vontade dos compradores; na
ra das Flores, n. 18, casa de relojoeiro.
Roga-se por obsequio aoSr. Antonio Joaquim
da Silva, de dirigir-se ao pateo da Santa Cru', pada
ria o. 6, a concluir aquelle negocio que se Ibe mandou
dizer em urna carta em 5 do corrente mez; a qual res-
pondeo, que appareceria em o meiado do andanle mez;
pois que ja be lempo de espera, mais que sufliciente,
e.nio comparecendo, declarar-se-ba o negocio qual he
por esta mesma folba.
A possoa que achou um chale e suda preta, e
um veo preto; os quaes lorao perdidos do desembarque
da ponte da Boa-Vista al a ra das Larangeiras.no dia
16 docorrente, querendo cntregal-osa seu dono na
ra do Cabug, junto a botica do Sr. Moreira, ser
recompensada.
=0 Sr. Agoilinho Tavares Rodovalho queira pro-
curar urna caita vioda do Rio-de-Janoiro, na ruada
Moeda, em casa de Silva & Grillo.
= A pessoa, que annunciou querer comprar urna
preta que teiiba habilidades c boa conducta, dirija-so a
ra do Aragao, na loja por baixo do sobrado novo, n. 12
Alga-so o segundo andar e sotao do sobrado n.
65, na ra Nova, com bastantes commodos para fami-
lia : a tratar com Antonio Ferreira Lima, ou na venda
por baixo.
=Precisa-se do um eaixeiro que tonha pratica suffi-
ciento pari tomar conla de urna venda por balanco : na
ra Direil n. 6.
Manoel Mara do Amaral Jnior lem urna caria
vinda de Lisboa para o Sr. Eduardo dos Sanios Scbi
mits: e o mesmo Sr. queira ter a bondade de manda:
buscal-a em Ulinda na ra da Cadeia.
LOTEKIA DSEMINARIO.
As rodas desta loteiia correm imprcterivlmente no
dia 21 do corrente, por ja se achar muio edianlada as
vendas dos bilhetes, e o restante acha-se venda nos
lugares ja annunciados.
= Acceita-so um pequeo que seja Brasileiro, o
qual nio tonha pais, para se Ihe dar de vestir, comer,
casa, e mandar-sc ensinar seu ofcio : quem se adiar
noslas circunstancias, anunncie.
= Aluga-se o primeiro andar do sobrado n. 1 do
Atierro da Boa-Vista, e o primeiro andar de outro n.
3 da mesma ra : a fallar com seu propietario Joaquim
de Oliveira eSouza.
= Aluga-se o segundo andar do sobrado da ra do
Cjueimado n. 24, por commodo prego : os pretendentes
dirij5o-se a ra do Cabugi, loja de ouri^es de JoSo Pe-
reira Lago.
Precisa-se alugar. ou comprar um escravo, que
seja bom canoeiro o fiel : quera o tiver, dirija se a la
da Cadea-Velba loja n.26.
z Lava-se. engomma-so o coze-se com perfeieSo lo
da a qualidadederoupa. e por muito barato preco: na
ra das Trinche iros n. 20.
- Pelo juizo da segunda vara do civel so bao de ar-
rematar, na tarde do dia 20 do correrle, varios objeclos,
pertencentes aoflicina de ferrara, penhoradospur exc
cuc8o de Mesquita Dulra & Compcnhia, contra Do-
mingos Jos Pereira da Cosa.
= Manuel Ignacio da Silva Teixoira participa que I
contina a fabricar excedente pao e bolaxa da melbor
farinha que he possivol, em sua padaria na praca da
Santa Crux junto ao sobrado da esquina da ra Ve-
Iha, e da mesma forma e qualidade na travessa da Ma
dre-de-Deos n. 11, assim como caf moido da melbor
qualidade, e preco muito em conti, em qualquer das
sobredi tas casas.
__Anda se noconcluioo traspiro da padaria da ra
da Gloria n.55; quem quizer oproveitar-so da occasiao,
procure na padaria da praca da Sania Cruz, junto ao
sobrado da esquina da ra Velha, a tratar com Manoel
Ignacio da Silva Teneira.
=0 vigario Sehasliao Jos de Moraes Bello, por ter
tallecido seu pai o capitao Jos Francisco Bello, rogo
aos credores do mesmo fallecido, comparerSo na ra
doRangeln. 26, 2." andar, com os seus documentos
authenticos para tratarem como annuncianto sobre seus
pagamentos.
= Aluga-seo armazem aondo tom prensa o Sr.
Mondonca : a tratar na ra do Vigario a. 10 com
Tiloma/, de Aquino Fonseca Jnior.
= Ensina-se grammatica latina com toda a perfei-
c8o eem breve lempo ; da mesma sorte philosophia,
e rbotorica : na ra Nova, n. 52, segundo andar.
sa Aluga-so urna casa terrea com commodos para
familia na ra da Gloria, n. 45, da parte do reco-
Ibimento das freirs : a tratar na loja de Telendas ao
pedo arco de N. S. da Conccir,5o com Francisco
Gonealves..
Bartbolomco Aube vai ao Rio-do-Janeiro.
C. Starr &C. anda que nao infado o publico
lodosos das com vSos annuncios, continuo realmen-
te a fabricar na sua fundic.au de ferro na ra da Au-
rora, com a maior presteza e perfeicao, toda a qualida-
de de machnismo de Ierro e bronze, por maiores e
mais complicados que SejSo. Na mesma labrica echad
so machinas de vapor proprias para engenbos, as quaes
n3o demandan outro fogo senio o do assentamento;
moendas du canna de una conslrucc.au original e muito
superiores; monbos da mandioca, tambem originees o
j muito afamados; arados de ferro; carros de mo;
dilos de duas rodas para barricas; serras para serranas;
parafusos o porcas, e muitas oulras obras desla natu-
reza.
=Aluga-se a luja do sobrado da Iravessa dos Expos-
tos, por detraz da matriz de Santo Antonio n. 18; um
armazem proprio para qualquer eslabelecimenlo, per
ser muito grande com seu quintal e cacimba ; quem
o pretender procure na ra larga do Rosario, a Joio
Manoel Rodrigues Valenca.
Aluga-se um sobrado de um andar e solio, com
commodos para grande familia, narua Formoza: a tra-
tar no Atlerro-da-Boa-Visla n. 38.
Aluga-se um sitio annual perto da prara, que to-
nha arvoredo, ba agua, planta de capim e casa de so-
brado : quem liver, annuncie.
__Troci se duas imagens, sendo urna de N. Sr *
da Concekfio, de pedra da Babia, e a outra de N. Sr.*
d'Agrella do madeira e muito perleitn: na ra da Sen-
zalla-Velha n. 112, no segundo andar.
Alugao-seos 1." o 2."indares da casa da ra larga
do Rozario n. 48, com suficientes commodos para la-
milla, ou separados, ou junto : quem os pretender,
pode dirigir-se a padaria existente na mesma loja, que
abi achara as chaves para us ver e tratar.
= Aluga-se, ou vende-se por preco commodo, urna
canoa abeita construida de novo que pega em 500
lijlos de alvenaria ; na ra da Praia de S. Rila, so-
brado n. 1, ou alraz do Carmo no eslaleiro do Mo-
raes.
= Trocio-se6 imagens, n vende-se um quaitao
novo, muito cerregador: as Cinco-Pontas, n. 160.
= Em poder de Claudio Dubcux, morador na ra
dasLarangeiras, n. 18, existe, desde o dia 16 do cor-
rente ummolequeciioulo.de idade de 14 annos,
pouco mais ou menos ; o qual diz ser de Campia-
Grande, e que o senhor cbama-se Joan Pereira: quem
for seu dono pode o mandar buscar; advertindo-se ,
que nu se responsabilisa pela fuga do mesmo.
LOTERA DO THEA'TRO PUPLICO.
Devendo esta luleria, pelo adiantamenlo da ven-
da de sms bilbetes, sera que primeiro tem de dar
andamento as suas rudas ; esta o respectivo thesourei-
roresolvido a azel-a extrahir no presente mez de agos-
to infallivelmenlo : para o que convida aos amadores
desle jogo a se prevenirem de bilhetes, os quaes achio-
so nicamente a venda no Lairro de S. AnLnio na
loja do mesmo Ibesoureiro ra do Cjueimado n. 3lJ,
que ba de procurar inf.irin.icea. So nu as procurar,
bi' |mrqiio na lem a euusa a peilo, e cutio n influencia
dme muco nJo Ucpara toiner. Vcremua.
Ao ver-se cm fim, Carolina cerruu-se inteiraincnle
c l'ei-Kc inaecenivel a ludo o inundo. UmFrade, ade
vinha-*e-lhe unume, era s exceptuado dea la ordem,
wat nu vejo, n derpeiln fio ardor com que caae novo
BMMiiaa era ctqiL-rodo. E que aeolbimenlo c Ibe prrpa-
rav.-i! I ,|,i a mibiciui, todua aa rupcrauc.o da rainlia es-
tavu iicisc momento concentradas c repouaavan sobre
etaa cabera cenobilica. A poder dcac repetir ijue o sue-
eesso dependa du C.inloic'.i, liavia rila ebegadu a ligar
SIW inluiveiieo nina ideia tupersticiosa. Extravagante
jogo da fortuna Kr um aiiai llrela, ainda ni.ii, um
coiiiUninailii i|uc devia rcatiluir a tilb.i aos Celares o
llirona da liuas-Sleiliaa!
Pr man iiiuiilea e h-bril que furse a tuaexpeciaflo,
a ideia de Fabio f.nia-llie puderoan diverait prcoecu-
paedea poliiicaa. O f< rment de riiimc que no cora^ao
Ihfl depoiilara o velhaeo Caalron, deaeovolvia-ae nr-
daaaenie, eeteluvafioirtaa (mentas. MinavSo-aaa
ineerieta. Todo* o pliaiilasmaa du orgulho ultrajado,
do .iiinii' ir.iliulo, aeergiiiao turiueui em ana alma, e llie
davlaj rendidos ataques; man ella aabia dos tena com-
balea c agoniaa. Arda por interrogar Caalron, por sa-
ber delle ou maia circuuatanciadoa |>orHiciiore da prao
le FuLiu, c aindamis os du sua evaaao ; purea a sua
o na botica do Sr. Joio Moreira pateo da matriz; e
no bairro do Recife lojas do cambio dos Srs. Vieira,
e Manoel Gomes. Excusado se faz lembrar ao respei-
tavel publico a confianca que mereco esta lotera, pe-
la regularidade de seu processo de extraerlo; processo .
que passa a sor ainda mi perleramente desempenhado,
porque as rodas teem d andar segundo o novo rc-
gulamento ; entretanto .tue as loteras, que bio an-
nunciaifo, parece nio sa-i|uereretn desaferrar do auli
go sy-lerna do exlraccio.
I.n.il .K D.v i.itl.v v Ot ESSLNOIA DA KORMOSUIIA.
O ebeiro delicioso e suave desle precioso e bem co-
ndecido cosmtico o tornio digno de figurar nos
mais elegantes toiletee Elle ama-eia, limpa, bran-
queia e alisa a pelle; eutretcm sua Irescura e brilho na-
turaes ; lira as saldas, pannos, es, inhas, e outras alee-
c5es cutneas; lax desapparecci a easpa da cabeca e
previne a sua reproduccao; fortifica e di lustro aos ca-
bellos; tira o mi alito; eonlorta as gengivas e previne
a dor dos denles: muilas e mui repetidas experiencias
teem confirmado a efficacia desle cosmtico, em lodos os
casos cima ditos: vende-se somenle na ra da Cadeia
15.
Compras.
= Compro-se dous machos, ou muas; um fole de
folear formigas ; dousquartos : no principio do At-
terro-dos-Afogados n. 31.
= Compra-so urna preta que tenba habilidades ,
e boa conducta ; quem liver annuncie por esta folba.
= Compra-se liado frecha de canna e de outras
qualidades, que sirvi para encher colchio ; paga-so
bem : na ra Nova delronlo da igreja da Conceico,
n. 28.
i= Comprao-seos stimo e oitavo volumes do Pa-
norama; no Alterro-da-)!oa-Vista, n. TV.
= Compra-se urna escrava de nac,io que seja boa
engommadeira e cozinbeira ; na ra do Crespo n.
16 segunda loja p:ra quem venida ra dasCruzes.
= Compra-se um casal de rolas brancas ou mes-i
mo urna s qur seja macho, qur femea sendo da
mesma ct ; na ra de Apollo, n. 12 ou annuncio
para ser procurado.
= Compra-sea obra intitulada o- Elhiope Res-
galado ; quem tiver, annuncie.
Vendas.
dignidade de mulber c de raiuha Ibe aubjugava a legiti-
ma curioaidade redolida a dirigir i ai mesilla as ques-
tea, que ae nao anima va prupur aos ouiroa, deatatia-
fe era conjecluraa, em suspeitas. Quem era casa mulher
joven e bella, m^slerioaamenle apparecida na prisSo de
Fabio? Que fazia l Dcvia-lhe elle efeclivamente a li-
berdado? Se eslava ni verdade a ponto do casar, nu
poda deixar de ser com esaa desconbecida liberladura;
que mulher, a nao ser una rniva, Hora capas de seme-
lliantotacrifieiu? Deale modo a aubrcnatural intuicao do
ciurae fazia urgir seus olboa do aeio das irevaaquca
ladcavo, a ver^ade om tuda a aua lux. O amor, noa
aeua murucnloa lucidos,, ten, cuiuo todas aa patines,
una vista beatifica, cuja luminosa penctracto miiiba era
lempo fixo, de tudas aa rnaacara o de todos os veos.
Vinbao-lhe cntao ii memoria ak recordaedea proprias a
justificar suas drscoiifiaucas, a fortificar auas hy|iothe-
es ; ludo conapirava a converter-ilie aa duvidaa em evi-
dencia, qner a friexa do Fabio no templa do Segesto, e
eu mi humor durante a v'iagem, quer u seu inaiiifealo
embaraco na oocaaio do snciuitro do Caalron; que af-
flictivaa'snspeilas! quantus symptomas de artificio e de
iraicio!
__ Fabio! Fabio! exelaraou Carolina sallando du ao-
f, onde eslava recostada, Fabio, se me nganaate, des-
grucado de til
L pasaeava no gabinete tomada de febril ogitasio,
eoni o seio palpitante, e o olhar inflainmado ; e aa feicoes
desconcertadas, oprimido maia colera do que ternura.
A ideia de ser desprezada porque j nao era moca, por
que nu era maia rainba, fazia-lbe pular o soberbo co-
racao; o deaprezada par quem?..... Por um boincm que
tirara du nada para o elevar a ai, para se llie dar, para u
amar....... Que atlronla Que ingratida < Qucdr! O"
encontr da Barbara! onbu embriagador e rpido, de-
vias tu sor aeguido de to prompto despertar, de UUi
cruel couaequeucia! Seria o berco da voluptuuxidado u
tmulo do amor1
Entretanto ceden gz-adualmenlo a indigna(au; anni-
quilada pelos proprios osforfus, a culera leo lugar ao
enierneciiiiento. Tornando a caliir no aof que liavia
deixado, Carulina debulbuu-se em lagrimas. Vieran en-
tao as saudades, u deaejo, a esperanca, tudas as l'raqig'-
xas du amor ainc.cru ; i perapieneia da esperanca aucce-
deo a illusio voluntaria do coracio. Talvcx se enguna-
va! O amor be tao facjl de assualar-ae! Urna palavra do
Caslrnn devia i tal ponto inquieta-la? Que pruvas li-
nda ella da infidelidade de Fabio? Preaiimpcea gratui-
tas, uom presnm|ieea crio, mas imples recelos. Para
que insistir em converter em crlela o quo era apenas
provavcl, apenas pusaivel? Em una palavra, de argu-
mento cm argumento, de sopliisnia em sopbitma, pas-
sou tila quasi sem transigi do ultimo termo da inquie-
lacau urna seguridade perto de completa.
= Sabio a luz. e vendo-se por 320 rs., na praca da
Independencia, livraria ns. 6 e 8, o Alphabeloda
malicia das mulberts, seguido de alguns versos sobre
a creacio da mulher.
= Vende'm-so cortea de chitts francezas muito finas.de
assentos escuros de quadros e Itstras, cores fixas de 4
palmos e meio de largura, e de gosto muito moderno,
a 3200 rs. ditos cum 13 covados, a 5000 rs., ditos
decassa-chitasdecresxas, a 2000 rs. e em co-
vados, a 2-10 rs., ditos de cuitas com assento escuro, a
lOOrs. bietaoha de rolo com 10 varas, muito en-
corpada, a 2000 rs., camisa do meia, a 1280 rs., brins
trangados de linbo puro cor de ganga e escuro a720
rs., ditos brancos, a 1000 e 1280 rs. madapolao en-
testado a 5800 rs meias casimiras de algodio mui-
to encorpadas a 460 rs. o corado, brins francezes de
quadros o lislras a 400 rs. o corado, fusldes pa'a
collle a 320 e 480 rs. meias para meninos e me-
ninas, a 200 rs. o par, o outras muitas lazendas por
preco commodo ; na ra do Crespo loja o. 14, de
Jos Francisco Dios.
*m Vende-se, a dinbeiio ou a prazo com boas firmas,
ou troca-se por predios nesla praca,ou escravos,urna pro-
priedade de Ierras, que dista duas leguas da cidade da
Victoria denominada Alaga-das-Antas com
urna legua de terrino, propria para plan taces ou
rna.au ; tem dentro dous grandes assudes, e receb
do foros todos os annos 200/ rs., que Ibe pagio; lem
boa casa de viveoda, com bastantes commodos sen-
zalla para pretos estribara, engenho para descaro-
car algodio prensa para farinha e armazons para
depozitos : a fallar com Jos Dias da Silva na ra da
Cadeia-Velha n. t)9 ou nosAfogados, com Lou-
renco Jos do Moraes Cervalho, na ra do Rozario.
= Vende-se potassa da Russa, em barris peque-
nos ; na rus da Senzalla-Velha, armazem n. 6.
Vendem-se corles de finissimas cessas-ebitas pelo
barato preco de 3,840 rs.; madapoldes onfestados mui-
to linos a 5,760 rs. ; chitas de quadros de padrdes mo-
dernos a 200 rs. o covado; ditas finas em cortes de 14
covados, a 5,840 rs.; ditas francezas muito finas, co-
res fixas, a 280 rs. o covado; riscados francezes de bom
gosto a 500 rs. o covado; cortes de lalalana a 4,000 rs.;
sarja de lia muito lina a 640 rs. o covado; lia de qua-
dros.imitando a casimira, a 780 rs. o covado; LreUnbas
do superior qualidade em pecas de 10 varas,a 1,920 rs.
gravatinhasde seda do cor a 1,600 rs.; lencos desela
muito finos a 1,520 rs.; ditos de finissima cambraia
com sercadura de bico e renda, a 000rs.; e outras
muitas diversas fazendas por mais barato prer,o do quo
em oulra qualquer parte : na ra do Crespo, loja n.
10, de Jos Azevedode Andrade.
Estas borrascosas alternativas durrio todo o dia, to-
da a noile, e o sol du dia seguinte vuiu achar Carolina
(al iiunl o da vespera a liavia deixado, serupre devuradu
pela incerteza, ora una abismos, ora no espai;o. Levada
ios limites da paciencia, innapai de resistir por maia
lempo ao triplico aguilbao da curioaidade, do ciumo e
do amor, verifiuou as inslenles previies de Caslrun,
e seguiu, sem o saber, o proceder quo Iho elle havia de-
signado. Priniciramente diase entro si: Isto he urna
fbula ,- u rapax nao cuida em se casar. Se elle fosse j
casado? Pensava logo depuis.
Mas, ajuntou em fim, que custn a dosenganar-me?
E urna hora depois mettia-se susinba na liteira, eo
medico dizia gravemente aos curiuso :
Perinitli aS. Mageslade sabir pela primeira vex.
Um passcio do campo elevo adiantar-lhe a oonvales-
cenca.
Qui o acaso que Castron, ao rollar de Maxxara, oxi-
do Uvera preenchido a iucumbrnoia de Carolina, visso
de longc a real liteira, quo seguia o enminho de Bouco-
vinu.
Bom! disseelle; deverasama o capitao. Que vai
acontecer? lio preciso qu eu veja.
E mudando de direccio, seguio em distancia a raiuha,
som ser visto.
^Continuar ee-ha).


Attenco ao bom e barato !
Vendem-se superiores chitas para coberla, de tin-
tas lilas o de bom panno a180rs. o covado : supe-
riores cortos do chita fina de novo padroes o ciiogados
ltimamente do 13 covados, a 3500, 3800 o 4800
rs. ; rispidos franec/es muito fiaos, a 300 rs. o t.u
do ; cortes do MtH-cbitM transparentes, de lindissimos
padroes, a 2-JOO e 2500 rs. ; chitas, a 120, 140, 160
e 180 rs. o covado ; madapolSo a 750, 100 o 180 rs
a vara ; dito (no, a 200, 220 o 2*0 rs. dita ; madras-
o muito lino, a 2801 s. dita; poyas do madapoln ,
a 2800, 3200 o 3400 rs.; dito fino a 4000 4200 e
41)00 rs. a peca; madra cintas, a 4500, 5200, 5500 o 6000 rs. ; ditas escuras;
chadrez de linho para jaqueta a 320 rs. o covado ;
suporte rsetim preto de Macao a 3200 e 4500 rs. o
covado ; chales do lia e seda grandes a 4500 e 4800
rs. ; cortos de chitas do 10 covados escuras a lO,
1800 e 2000 n. o corte sendo cotre-finas o de boas
ijualidtdes; superiores fusloes brancos, a 1000 rs. o
ovado ; ruarte a/ul de vara de largura a 260 rs. o
covado muito boa fazenda para prelos; algodo azul
mosclado trancado muito oncorpado, a 240 rs. o co-
vado ; algodao americano largo o oncorpado a 22U
ra. a vara ; dito cstreito, a 160 rs. a vara ; esguio de
superior qualidade, do verdeiro o puro linbo muito
fino a 1500 rs. a vara ; brolanha fina de puro linho,
de 6 viras a 2800 e 3200 rs. a peca ; ditas do rolo ,
a 1800. n. a peca ; chila, a 140 rs. o covado; risca-
dinhosnovos trancados, muito boa azenda para meni-
nos 200 rs. o covado ; castores ou riscados d<> lis
tras a 240_rs. o covado ; brins de bonitos padrdes do
quadros a 500 rs. o covado ditos finos muito en-
corpdus e de listras, a 640 rs. a vara ; moias finas do
algodao para homem a 3600 rs. a du/ia sendo de
muito boa qualidade ; cortes de cbali ; ditos do seda
pannos finos preto e azul sendo o primeiro de urna
linda vista para pannos de pretas, o o segundo para
pagem a 2500 rs. o covado ; superiores lencos encar-
nados muito finos e grandes, a 440 rs.; o nutras mui-
tras muitas aiendas j mencionadas neste Diario ; ad-
veitindo-se nos compradoros quo tojas estas la/ondas
sSo limpase de boas qualidades : na ra do Collcgio,
Jojin. 1, do Antonio Villarouco& Irinio.
= Vende-se urna venda na ra !da Senzalla-Nova ,
n. 22, com fundos suflicientcs para quem qui/er prin-
cipiar, e tom bons comroodos para quem (ver familia:
a trotar na mesma venda,com praio e vista.
= Vndese gomina para engommar muito fina,
em grandes o pequeas porc-s nlguidares vidrados
do todos os tamanbos fe;hjduras do Porto, grandes,
de duas brocas; tudo por preco muito commodo : na
ra da Madrc-dn-Deos, n. 9.
= Vondo-se urna prela de Angola moca muito
boa boceteira : na ra estrellado Ko/ario, o'. 31, tor
cciro andar.
= Vende-se um macaco o mais manco possivel ;
na ra do Hospicio, n. 44.
= Vendem-se 230 saccas com farinba de mandio
ca chegada prximamente do Rio-do-Janoiro, juntas
ou em porcao por preco commodo; na ra da l'raia ,
n. 68.
= Vende-se um fardameuto completo para guarda
nacional, em bom oslado ; as Cinco-Pontas, 11 160.
=Vende se o sobrado n. 7, do dous andares o solio,
em chaos livres sito na trAvessa da Madre-do Dos ,
a dinheiro ou a prazo : a tratar na ra da Cruz, n. 50
=Vende-se um escravo moco de boa figura bom
canooiro ; na ra do Amorim n. 36.
>&
iMMnu-aaDMn:
no pa
Atlrnino du /mralo !
= Vendcm-se bonetes do panno, ditos de veluu'o ,
filas lavrados de todas as larguras, ditas lisas suspen-
sorios do burracba ditos imitando, ditos de seda, lu-
vas do pellica para homem, a 1000 rs. o par agu has
emcartoiras e carnudas, com lodo o sortimenlo, pen-
tes de tartaruga para marrofa ditos imitando para
prender cabollo papel almaco o do peso, caivetes
pora pennas, lliosjuras finas pratoadas. ditas para
unlias ramos de (lores finas o entro-linas, marroquim
verde, amarclloeazul, a 1500 rs a pelle canas para
rap do massa de tartaruga, a 1920 o 440 rs. o nu-
tras muitas miudezas por preco commodo ; na ra do
l.lueimado, n. 21
= Vendem-se ricas obras de rubins, brilbantes, es-
meraldas operlas todas do melhor gosto a saber:
(lores para peito do senhora, uderecos, brincos, aunis
de diversos gostos, alfinetes para homem um habito
do Lbristo trancelins para relogio cassoletas, o ou-
tras obras do ouro de bom gosto assim como boas sul-1
vas de parroira
tras
lioui regulador e novo, por preco commodo
(eo da S. Guz pa.Ia.ia n. 6.
s'Veode-M) ca bjtton multo superior, e appro-
vado polos husmos deguozes a 2S0 2210 e 2000
rs. a l.bra ; dito perola, a 2000 rs. ; manteiga ngh'zu
nova, muito superior, a 960 rs. ; queijos do Alcntc|o,
em latas de i libras a 2500 rs. e em libra a 800
rs. ; ditos flamongcs, a 1280 rs. ; latas co.n sardinhas
em conservas muito novas, a 960. 1600 e 2500 rs. ;
frascos grandes c.m conservas de Lisboa a 2400 rs. ;
ditos pequeos com encbovas, a 720 rs. ; presuntos
de Lisboa a 400 rs. ; dito inglez, em quartos a 320
rs. a libra e a retallio a 360 rs. ; linguicas novas ,
a 410 rs. a libra ; batatas, a 60 rs. ; caixoes de doce
do goiaba muito fino e claro ; charutos regala mui-
to bons, a 250 rs. a cana do ceui; ditas, a 2000 rs ;
farinha do Maranbao a lOOrs. ; dita muito fina e
data a 120 rs. a libra e em porcio de arrobas para
cima a 2500 rs. a arroba ; cevadinha de Franca
140 rs ; cevada a 200 rs. ; caf em grSo a 140
rs. a libra ; dito moido a 200 rs.; bolaxinba ingle
xa nova, a 240 rs. ; biscouto doce, bem (eito, a 240
rs. ; ditod'agoa a 200 rs.; fatias, a 20 rs. a libra ;
vinbo do Porto engarrafado, muito vclho a 560 e
610 rs. ; dilodo Porto em pipa a 320 e 400 rs. a
garrafa; dito da Figueira a 240 rs. agarrafa; cer-
veja bocea de prata muito boa a 440 rs.; dita la-
crada a 100 rs. ; licores muito finos de todas as qua-
lidades ; vinho da Madeira engarrafado a 640 rs. a
garrafa ; e todos os mais genero bons o baratos : na
venda da esquina defronte do Horario por baixo do
sobrado de 3 andaros n. 59.
Vende-se carne do sertSo de muito boa qua
lidade tanto em porcao como a retalho ; na ruada
Conceiciio da ISoa-Vista n. 24
Vende-se um escravo de Angola do idade de
17 anuos bonita figura sadio e sem vicios ; no At-
terro-da Boa-Vista loja de ferragens n. 40.
- Vende-se cha hysson en: caixas do 15 libras, em
porcese a retalho; em casa de Malbeus Autin & C. na
ra da /llfandega Velha n. 36.
= Vendem-se ricas caixas do tartaruga, botins e
meios ditos do Lisboa ebegados no ultimo navio c
estojo* do navalbas ingle/as a contento ; na ra dos
(uartuis n. 24.
= V ende-sc solo, couros de cabras, bezorros, cera de
carnauba, dita amarella pennas de cma por preco
commodo ; na ra da Cruz, n. 51.
= Vendem-se coites do chitas finas com 12 covados,
a 2000 rs., meios chales de camhraia bordados do cor,
a 0.0 rs., coites de cassa bordado de cOr, a 3200 rs. ,
cassa amarella propria para vestido a 240 rs. a
vara, chitas escuras linas alOOrs. o covado, len-
cos de gorgurao preto para poscoco a OOO rs. gan-
gas azuos a 100 rs. o covado, pannos de quadros pa-
ra mesas, a 600 rs. mursoiinas adamascadas muito fi-
nas a 800 rs. a vara, aventaesde cassa pera senhora,
a 2j rs. pescocinhos do cassa a 500 rs. e outras
fazendas haratis; na ra do Cabug.i loja de Anto-
nio Rodrigues da Cruz.
=Vendo-se urna bonita escrava com habilidades,
recolhida, de 16 annosde idade e de ptima conducta:
na ra estreita do lio/ario, venda n. 31.
Vendom-sc saceos de milho ditos de arro* de
do casca ditos de arroz pilado, ditesdefeijo mulati-
nbo ; tudo de alquoire da medida velha: na ra da
Cadeia do Recife, n. 8.
= Vende-se um rico annolio de brilhante por
preco commodo; na ra Nova, u. 21.
=Vcnde-se lona da Russia com um pequeo to-
que de avaria muito recommondavel para camas de
vento encerados e outra applicacao, pelo barato pre-
co de 400 rs. a vara; na praea da Independencia,
loja 11, 4.
= Vendo-so urna bonita crioulinba recolhida, de
boa conducta de idade de 18 annos ; urna prcta ido-
sa mai da dita crioulinba ; cuja conducta, tanto da
mi cmoda filba se afiant/a : na ra estreita do Ro/a
no n. 10, lerceiro andar.
= Vende-se fazenda escoce/a de muito bonitos pa-
dres e larga polo barato prego do 50 rs. o covado,
ricos cortes do cambraia do quadros de cores o de mui
to delicados gostos para vestidos de senhora a 5500
rs. ditos com listras muito boa fazenda a 3800
rs. cortes do chita do muito bons pannos, a 1900 ,
e 1500 rs. chales do lia de bonitos padroes a 2000
n. algodao azul muito largo, a 220 rs. o covado,
cortes de collele de veludo de cores, a 3500 rs. fren-
as para cortinados, de benitos padroes, a 4000, 45o0,
damasco de la com duas largura^ '
Venden, so dous bonitos escravos de 20 annos,
proprios para qualquer seivico ; um moleco peca '
perfeilocanoeiro ; urna bonita escrava de 20 annos.
com principios do algumas prendas para lora da pro
vincia ; urna negrinba de 12 annos, propria para mu-
cama : na ra larga do Rozario n. 46, secundo
andar.
= Vende se por barato preco, um talim e canana ,
espada, banda, barreto de oleado e globos; tudo
novo, para cepilio de guarda nacional; assim como
um lalim canana adragonas e correte para guarda
nacional do esquadrio : na ra do Crespo n. 16.
= Vende-se superior rap de Lisboa; na ra da
Cadeia do Recife loja n. 50, do Antonio Goncalves
da Cunba e Si!vi.
=Vende-se Liria escrava de naci, quitandeira .
connha o diario do urna casa e lava dn sabo na ra
Direila o. 12.
= Vende-se um moleque; um preto; o duas pretas
motas com habilidades: na ra do Padre FJorianno
o. 7. '
= Vende-se um celindro de esquontar banho, por
preco commodo ; na ra do Collegio loja de trastes
o. 18. '
== Vendem-se Annaes de el rei D. Joao III por Irei
Luiz de Souza publicado por A. Hcrculauo la
Maison Rustique de 1840; Pascpal Bruno de Alexan-
dre Dumas; os Dous Renegados ; grammatica latina
de Verney ; M. Tulii Ciceronis ; urna eolleccio de n-
meros do Archivo Popular; histoire genrale por Mil
lot, allanda-lbe dous volumea: na ra do Crespo,
n, 14.
= Vende-ie um relogio de ouro, tabonete muito
desala, do jigo bancas, camas de armacao enrn-
moclas de angicoede amarcllo marquezas, cadeiras
deangico, dit-spara meninas, toucadoures bancas
para cozinlia junco a retalho ; ludo do mais moder-
no gusto por preco commodo : na ra da Cambo-do-
Carmo n. 8.
= Vende-se um molequo crioulo de 14 a 16 an-
nos do idade de boniti figura e he cozinheiro ; no
caes da alandega armazem defronte da escadinha.
= Vendem-se dous escravos do bonitas figuras,
proprios para qualquer servieo; na ra da Senzalla-
Velha, n. 100
= Vendo se a Historia universal por Millot, 10 v.
Disinti instructiva em bom estado : no Atierro-
da Boa-Vista n. 34.
=.Vendem-se duas cscravas de 24 annos, bonitas
figuras, engommo, cozinbo e lavao de sabfio; urna
crioula de 22 annos, engomma, cose-bem, coxinba e
lava de varrella, com um filbo muito nutrido de 2 an-
nos; urna escrava de 20 annos, boa figura, cosinba c
lava de varrella; urna paroinba de 20 annos, engom-
ma, cose, cozmha e lava desabito; uina cabritilla de
13 annos, cose e faz renda ; urna negrinba de 7 annos;
um moleque de 14 annos, com principio de sapaleiro;
um mulat:nbode 18 annos com principios de pediei-
ro; 2 escravos do 20 annos para o servieo do campo :
na ra das Cruzes n. 22, segundo andar.
==Vende-se um preto mogo proprio para qualquer
servieo ; na ra da Cadeia do Recife loja n. 21, de
Luiz Antonio do Siqueira.
= Vende-se um carro de duas rodas, comcavallo;!
na praca da Boa-Vista, D. 30
= Vende-se, no deposito de taboadode loaro e ama I
relio, de Antonio Domingos Pinto, defronte da Ordcm
terecira de V Francisco taboado de toda a qualidade
o grossura do superior qualidade e muito bem ser-
rado por ser serrado por machina movida por ogoa ,
estahelecida no Mon'eiro o por isso merece toda a
preferencia, etn razSo do poupar muita mi d'obra ,
por isso quo o taboado esta muito dosompenado ; o se
vende por preQo commodo sondo em perefies mais
avultadas: a tratar no mesmo depozito ; ou na ra No-
va n. 59.
sa Vendo-so potassa americana muito nova e de
superior qualidade em barris pequeos; na ruada
Cadcia-Velha armazem de assucar n. 12.
= Vende-so milho om sacca a 4500 rs.; na ra
da Cadeia de S. Antonio n. 19, depozito do farinha
de mandioca.
= Vende-se milho novo, aSSOOrs. a sacca ar-
roz com casca a 4500 rs. a sacca e farinha de man-
dioca por preco commodo ; em casa de Alanoel Jos
Goncalves Braga ao p do arco do S. Antonio.
= Vende-so urna ou duas pretss para o ervico-de
casa ou mesmo para venderem na ra ; oin quanto
ao servieo do casa, engommo liso, cozinhaO.ensaboa
b fazem o mais servieo que se preciso; na ra do Colle-
gio, n. 15, segundo andar.
Yende-so um cabra serrador, e bom trabalbador
de enxada e do mais servieo do campo moco, sadio,
forte, e bem conduxido ; o igualmente um mulatinho
do 12 annos bem parecido muito vivo, bonito pa-
gem esadio ; na ra das Flores segundo andar do
sobrado da esquina quo olha para o rio ou no Mon-
tero casa do Maciel.
Casa da F.
Ra estreita do Rozario n. 43.
=Vendem-se bilbeto e cautellas em decimos o vig-
simos da presente lotera do tbeatro publico deslacidade;
cujasrodas devem teroseu andamento)muitobrevemenle,
o ainda mais pela rpida extracto, que vfio tendo as
cautellas, que, pelo seu diminuto valor.a todos chegao:
os amadores deste intorressante jogo concorrio a com-
prar ainda mais as mencionadas cautellas, a lim de que
dellas se previnio om lempo antes que andom as ro-
das da referida lotera o que esta mui prximo. Os
procos das cautellas s3o: decimos, a lj0()0rs. e vi-
ges'tnos, a 500 rs O pagamento do que por sorle sabir
na extraerlo da lotera ser promptamento realisado na
mesma casa cima.
=Vende-se urna escrava moca de bonita figura e
sem chaqus ; no Mundo-Novo, n. 17.
= Vende-se um escravo de 20 anoos de bonita
figura bom para pagem, e mesmo para o sorvigo de
Campo; duas pretas, sendo urna para lora da provincia;
urna dita engommadeira, corinheira, cose e faz todo o
mais servieo de urna casa; urna negrinba muito bonita,
propria para mucama de alguma menina : na ra lar-
ga do Rozario n. 46, segundo andar.
= Vendem-se muito boas bichas chegadas lti-
mamente de Hamburgo as melborcs que ha no paiz ,
o muito grandes; tambem se alugo o applico-se
para maiscommodidade dos pretendentos : na ra es-
treita do Rozario, defronle da ra das Larangeiras, lo-
ja de barbeiro n. 17
Vende se potassa da Russia, muito nova e ar-
cos do Porto para barricas; na ra do Trapiche, ar-
mazem n. 17.
Vende-se potassa da Russia nova, e superior a
320 rs. a libra ocal virgem em pedra, de [Lisboa; na
ra de Apollo, n. 18
= Vende-se urna escrava de 20 annos, bonita fi-
gura cose, engomma e cozinba ; dous moloques de
14 a 15 annos muito bonitos, um dellcs be cano-
eiro e muito habilidoso ; unta parda de 22 annos, com
habilidades ; duas pretas do 25 annos boas quitan-
tleiras e lavadciras; dous prelos de 28 annos, proprios
para enxada por terem pratica ; um niolecole de 20
annos, bom pagem ; urna preta de 27 annos, que
cozinba muitu bem delorno, massos, fogao, e engom-
ma liso com pcrfeicSo ; na tua da Flores n. 21.
= Yende-so assucar refinado caf c cevada moida,
e todos os mais gneros de venda por preco commo-
do ; ludo de boa qualidade : na ra da Cadeia do Re-
cife venda n 1.
Cheguem ao ion e barato I
Vende-se um grande sortimenlo de livros novos
0 usados a saber: ihetorica ou regras de eloquencia,
2v.; nstituicdes lgicas, 1 v.; historia universal, 1 v.;
mestre (rancex, 1 v. ;historia moderna,1 v.;corographia
ou escripturacao abreviada, 1 v. ;a Gratidao Pcinambu
cana.l v.; liccoes da motbapbysica.l v.jchels ujuvres de
Voltaire, 5 v.; diccionario de francez para porluguez
e de porluguez para france?, 2 v. ; atlas universal com-
pleta da geogrophia anliga e moderna 1 v.; resposta
dogenetalj. 1. do Abreo Lima 1 v. ; Copilador ou
Miscelnea Universal, 1 v. ; C. Salutii Crispi Opera ,
1 v. ; algebra de Lacroix 1 v ; Damiron ,2 v. ; Se-
lecta Jatini sermonis; 2 v.; Aventuras de Talemaco
em porluguez 1 v. ; dictionary of tito portuguezeand
english languages, 1 v ; historia da vida do papa
Ganganelle 5 v. ; l'algbre soln ses vrais principes,
2 v. ; Chamber Dmelrius 2 v. ; vie du roi de
Prusse ; historia sagrada 1 v.; Virgilii, 3 v.; Ph-
driaugusti liberi; Cabula; ajsopise ; traite ellmentaire
de 1'anaKsc mathematique 1 v. ; reflexiona sur la
n.etbaphysique 1 v. code des ponsions, i v. ; let-
trea la chambre du commerco, 1 v. ; codo judiciaire
du systeme colonial de la Franco 1 v.; a Noute do
Caslello 1 v. ), Glala pastoral 1 v.; grammatica
portugueza 1 v. ; diccionario da lingoa portugueza
de Constancio e de Moraes; sombras do desenbo ; e
tambem so vende grande sortimenlo de miudezas por
mais barato prego do que em outra qualquer parle : na
ra do Crespo n 11.
Vendem-ae liagas de vime, por prego commodo;
na ra de S. Rila n 80.
Vende-so um escravo de naci de boa figura ,
e he ptimo ganhador, e nio he velho ; na ra d
Lobato, o. 4.
V endem-ie velas de carnauba de 6, 7 e 8 em
libra ; na ra doRangel, n. 52.
== Vendem-so ornamentos de diversas cores para
celobragfio do missa em muito bom uso; urna biblio-
teca de Ferraris, 8 v. em quarto; urna biblia du Ha-
mel e Concordancia 3 v. em Colio ; um tbeatro
eccleciastico 2 v. em quarto : na ra da Cadeia do
Recife casa da Jos Mara Seve n. 27.
Vendem-se barril com potassa, da
mais nova que ha no mercado ; na ra J
y gario
n. 11,
Vctule-se fardo, pelo mdico p,0,
t;o de; ^.s'ooo e 2.s'5Co rs. ; na ra ,f
Senzoa-Velha n! i3S.
Ventlem-se 600 palmos de terreno
nas mathsqtie ibSodoengenlio da Torre
com Coode fundo, a preco muito comruo!
do de 2S000 ris o palmo, e tambem se
vende em pequeas porcSes; teta Loa
vista, por descobrir quasi lodo Cordeiro
e licar muito perto da beira do rio J
no com
potica distancia:, quem os pretender dii.
ja-se ao Goelho, ra dos i'razeres n. i0
des 6 as 9 horas da m'anha, e das 2 as 6
da tarde
Vende-se vinagre superior 3 400
ris a caada j na ra do Atierro dos A.
logados n. 7.
Vende-se na rtstilacaoda ra de S. ila
n 85 :
Ago'ardente deaniz........caada.......'
Genebra................. .........
Dita....................botija..........
Licores..................caada.........
Ditos...................garrafa.........
Ditos finos................ .........
Ago'ardente do reino......caada.........
Dita de Franca............ ......... 955
Kspirito de 36 gi os........ ......... 1 rj(o
Ago'ardente em pipa preco conlorme o grao.
610
720
200
800
160
4S0
Escravos Fgidos
= FugirSo, no da 6 do corrente agosto, 2 escravo,
sendo um crioulo do nome Cyprianno de dadeds
16 annos, estatura regular ; osle fugio do engenuo
Pedreiras, comarca de Goianna : ooutro de Angola,
de nome J080 estatura ordinaria, cheio do corpo ,
cm urna cicatriz na testa de idade do 20 annos be
oflicialde tanoeiro e trabalha de csrpina; ausentou-
so no dia 14 do corrente : quem os pegar, leve a Boa-
Vista casa cm que mora o Sr. doulor Gomes pri-
meiro andar quesera bem gratificado.
= No dia 14 do correntu agosto lugio um preto de
nac8o MiL-ambique de nome Bonediclo, alto, cor
preta rosto miudo (alia fina, olbos vermelhos ; tem
urna orelha furada representa tor 30 annos do dado,
canoeiro; levou camisa do algodao da Ierra o cha-
peo preto de pello j usado : adverto-so a pessou quo
odesencaminhou e o tem occullo em casa de o por
quanto antes em liberdade, do contrario se proceder
com o rigor da le contra o autor e seus seductores, para
0 que ha provas bastantes : quem o pegar, leve a ra da
Cruz, no Recife, n. 52, que ser recompensado ge-
nerosamente
= FugirSo: um prelo de naci Cacange de nome
Jacintho ,'de idade de 40 annos, pouco mais ou me-
nos; tem urna orelha furada rosto um tanto largo,
os dous dedos polegares dos ps torios, estatura regular,
barbado ; suppde-se tor ido para o matto : um mole-
que de nome Flix de naci Cacange de idade do
18 annos puco mais ou menos, sem barba muito
ladino ; tem cravos nos pea costuma a vender cama-
r5es quando anda lugido. Quem os pegar, leve a ra
daMadre-de-Deos n. 36, segundo andar, quesera
recompensado.
= No dia \v do corrente fugio um preto de nac,So
Congo, de nome Domingos, estatura regular, ca-
bellos grandes rosto compndo pouca barba suis-
sasgrossas denles abertos, com algumas marcas de
bechigas ; levou calcas e camisa de algolio da torra,
chapeo de palha ; lemofficiode caranguegeiro falla
bstanle grossa, e be bastante civilisado : rogase a
todas as autoridades, que delle tiverem noticias ou
outra qualquer pessoa, o faci rcmellor a ra do Cl-
bug sobrado n. 3, casa de Antonio Rodrigues da
Cruz, que generosamente gratificar a qualquer pes-
soa que o conduzir.
=3 Fugio no dia 29 de setembro de 1841 a pre-
ta Margarida crioula, de idade do 22 annos, pouco
mais ou monos com os signas seguidles : estatura re-
gular, peitoS grandes com (alta de denles na frente,
e alguns podres cintura fina, muito bem fallante,
nariz chato ps pequeos o apalhetados um lalbo
em um dos joelbos ; consta andar vendendo miudezas
para as banda do Norte atcPcdras-de-Fogo, em titulo
de forra,e dizem ter mudado o nome para Mara; quem
pegar, leve no bairro do Melo venda da esquina,
quo volta para a ra dos 'aneciros que recebera
KIOj rs. de grattticacio, de Jos Antonio da Costa
Draga.
= No dia 11 do corrente mez, desappareceo o es-
cravo Joaquim ollicial de sapateiru pardo claro,
muito baixo que parece anio e por isso nao se con-
funde com outros c r| o o pomas grossas bom ca-
bello, quando anda pucha por urna perna por ter que-
brado a cocba em pequeo ; tem muilo pouca barba ;
de idade de 27 annos, mas parece ter 18 a 20 annos;
julga-se que ter marcas,nas costas e nadega-,de chico-
te por ser muito velhaco : quem o pegar, ou der no-
ticias delle a Diois Antonio do Moiaes Silva, no Ke-
cife casa da esquina da ra Nova ou 00 seu sitio di
Ibura, seri recompensado.
= F'ugio, no dia 18 de agosto, um moleque de no-
me Antonio de naci Imbaca, altura regular gros-
:o do corpo eara ebeia, larga e hecbigosa, nariz cha-
to olbos grandes beicos grossos, denles acana-
lados fallando- Ibe um ou dous do lado superior, da
parte esquerda pescoco curto e grosso com o defei-
to em um dedo grande de um dos ps ser meio curiado,
o sem unha aliado para a pona ; tem urna cicatriz
no peito osquerdo do urna pulegada pouco maisou
menos sem barba ; levou Irage du Sertanejo cha-
peo de couro c um lenco pelos quoixos, fingindo suis-
sas e juntamente um surro de couro nas costas, utna
patrono urnas apragatas, e urna carta de guia falsa ,
em como seu senbor ibe a dsse : quem o pegar, leve
a ra do Crespo, n 11
PERN. } NATYP. nE M. F.DE PARIA---- lM/|d.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ELZFVZ9FA_QHWPA2 INGEST_TIME 2013-04-12T23:55:22Z PACKAGE AA00011611_05843
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES