Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:05839


This item is only available as the following downloads:


Full Text
A tino de 184&
Quinta fcira 14
masi-unm.-wi
ODIIF.IO publica-sc todos os da que
-,o r.iriin de guarda: o preco da asslgna-
''..-, 1,0 de 4ff i s. por quartel pagot adiana-
,, os annunolos dos ssIgnantM So Inse-
.,:.. -,,3n ,le 50 r.'is or liulia, 10 rs. en
PHASES DA LA NO MEZ DE AGOSTO.
ii nova a las Sil- e 5 mo., da manlia.
vcente a 10 as 8 h. e 21 minuto* da tard.
la chela a 17 as 10 liar, e 5? min. da man.
'i goante a 24 as 4 hor. e 7 i, da tarde.
- PARTIDAS DOS COIUIEIOS.
Golanna, Paralaba, c Rio Orando do Norte
Segundas c Sitas reirs.
Cabo, Serinliaeni, Kio Formse, Porto Cal-
vo, e Maceyci, no 1." 11 o. 21 de cada incz.
aranhuns e onito a 10 o -24.
oa-Vista o Flores a 13 c28.
Victoria as Quintas le iras.
Olinda todos os das.
PRKAMAR DE HOJE.
Priinclraas 2h.6 inin. da tarde.
Segunda as 2 h. 31 minutot da manluia.
DIARIO
de Agosto.
DAS da semana.
11 Srpiinda S. Tiburcio. aud. do I. de D.
da >. v., e do 1. M. da 2. v.
I Terca S. Clara, aud. do J. de D. da 1.
v. e'do J. dos Kcilos.
13 (loarla S. Ilypolito, aud. do J. de D.
da 3. vara.
14 Ouinta S. Kuzebio, aud. do Juiz de D.
da 2. vara, e do J. M. da 1. c 2. v
15 SWta >> iff AssumpcSo de Nossa Sc-
nliora.
l(i Sabbado S. Roque, aud. do a*, de D.
da 2. vara.
17 Domingo S. 'Mamedc.
Anno XX N. 179.
- ni jpjswyi 11
- I )!!. r:
CAMBIOS NO DA 13 DE AGOSTO.
Cambio soVe Londres. 35 l'aru .'170 ri'-is por franco.
Lisboa 120 a 125 p. c. pr. i>. m.
Dse, de let. de boas Urinas I '/, 1 '
Ouro-Oncas liespanholas .IlfiHl n lUfttW)
Mocdado CWOO vcl. SDOO a 1MIO0
- de ti/40(>' nov. 17>800 a 18sOOO
i) .i de 4#000 %r)0!) a !i<700
Prafe-Paco-Oes .... 1^870 a /!>
Pesos Coluinnarcs. 1/080 a 2T00
Ditos Mexicanos 1/94(1 a 1!7U
Moedas de 2 patac. 1/780 a 1/800
AccOes da C Jo liebcribe de 50/UOO ao par.
PERNAMBUCO.
PARTE OFFCIAL.
rU
Governo ca provincia
EXPEDIENTE DO DI* d 1 DO COMENTE.
Olliri.i Afi director do lyen, ordenaudo, -fica aLrir
concurso para a cadeira de primeiras lettras da fregue-
tia do Bom-Jardim.
DitosAo mesmo, e .10 inspector da theeouraria das
rendas pnivineiae, scientifioando-os do provimento do
Manocl Francisco de Soma Peixe na cadeira de primoi-
r.it lettrss do Ouricurjr; do de Antonio dos Santos Fl-
elo no do S. liento; do de Antonio Florencio do Carvo-
llio Ainilliita na de Faienda-Graude; e do de Liberato
Tiburtinode Miranda Maciel uade Agoas Bellas.
DitoAo engenheiro em cbefe das obra publicas,
ciigiudo n orea ment dos concert, de que dil preci-
iir apoute dos Afugsdua.
DitoAo rnesmo, devnlvendo, approvada, a tabella,
que formuloii para a distribuico das qnantias -rotadas
nus 13 e 14 do artigo 13 da lei provincial n. 444 :
determinando, faca extrabir tre copias da mesma to-
Lella, una para a secretaria da presidencia, nutra para
a tliesouraria das rendas prnvinciaes, e nutra para a ins-
iicccSo-tiscal da|sua repartilo; o previnindo-o, de quo
dentro era breve providenciar sobre os conservadores
do estrada.Ofliciou-se respeitoao inspector da tbe-
souraria das randa* provincis.es e ao inspector-fiscal das
obras publicas
Dito A inspector da thesouraria das rendas pro-
vineines, determinando, faca por disposicao do chefe
de polica interino, para as desprtas com os presos po-
bres de juslica na eodeia desta cidade, a quantia de 200y
n.__Parltoipoii-so ao ohefe de polica interino.
Dito Ao uiesmo, nrdonando, do accordo rom o ar-
tigo 28 da lei provincial 11. 120, quo a proprietoria dos
(iigenhos Caxitos c Bulhes mande pagar o preco mo-
dianto o qusl conveio olla na dcsapropriac de urna
porfi de terreno para a estrada da Victoria. Ollie.i-
ou te respeilo ao procurador-fiscal da filenla proviu
cial.
DitoAn rnesmo, declarando, que as despezas com
ai obras a fazer cal para a construcc&o do oses no fundo da propriedade
de .linio Pcreira Franco, devein ser snppridas' pela quo-
ta das imprevistas, 011 das diversas e eventuaes, caso nao
caibo nnqiiella.
DitoAo mcsiuu, determinando, mando por dispn
sicio do engenheiro cin chcfo os aocessorina do urna lu-
neta astronmica c ni tres alampadas complinies,vinilos
de Francs.Parlicipou-so ao engenheiro ein chefe das
obras publicas.
DitosAo msalo, e ao presidente do concelho geral
de salo bridado, enviando copia da dislrbuicSo dt quan-
tia vutada para as dspotas do referido concellio.
DitoAna mesillas e a cmara municipal du cidado de
Olinda, partici|iando ter concedido a dispensa, que do
ciuprego de delegado do auprareferido cnucellio cm a
dita cidado sulicitou o eirurgiao mor Francisco Jos do
Aota ral.
PortaraReformando o coronel cbefe da egian do
Brejii Franoiseo Alves Cavalcanti Camboim. Determi-
nui-se, quepmosse a comwnndar esta legio o coronel
ehifcdtde Cimbres.
Dita N orneando pora suppluntes do juit municipal da
primeira vara do termo du liecife; em terceiro logar a
Joaqiiim Luis do Mello Carioca, e em quarto a Joto lli-
ginii do Miranda. Part, ipou-to ao presidente da rea
i;jii e ana juites de direilu da ooaiarca.
nassem no momento do ataque, e nao passassum par
parte do habitaoles, o que eramais proyavel.
Columbio. O Liberal do Caraccas de 17 de maio
pulilicou o texto d'um tratado, concluido em Madrid a
50 de-marco, e peloqual a Hespanba reconheciaa indo-
pendencia de Venezuela aem condicio; entretanto que
o governo de Veneiuela obiigava-se pela sua parte a pa-
gar urna indemnisacSo de 3,000,000 de piastras pelas
propriedades particulares confiscadas durante a guerra
da independencia, assim como pelos outros prejuizos
causados aos antigua propietarios. O presidente en-
viou o tratado ao senado que o approvou, e ludo indu-
lja a esperance do que a cmara baixa dosse-lbo tam-
bera a aua eancco. A maior parto do dinbeiro desti-
nado para estas indetnnisacoes (icaria no paiz, porque
a' maior parte d'aquelles, a quetn elle be devido, babilao
em Venezuela.
HESPANHa..
O ministro do interior em Franca dirigi, ha pouco,
s autoridades dos departamentos unta nota circular,
na qual convida-as a nao dar aos He;panboes indigentes
pessaportes para outro destino que no seja para a ron-
teira do seu paiz.
A 19dejunhocbegou M. Bresson a Barcelona. No
mestno dia passou a rainha urna revista cavallo. Aflir-
mava-se que ella partira a 25 para as provincias vas-
congadas.
A abdicaco de D. Carlos sorpreendeo a todos em
Roma ; considoravao-na all como o maior caminlio
possivel para a pacificacao dos partidos na Hespanba.
A Hespanba possue, em Boma, um palacio que leni
estado, ba alguna annos, n'um triste estado de ruina; no
qual lazem-se presentemente cencertos importantes,
que parecem suppr a proiima ebetiada d'algutna gran-
de parsonagem. Ser D. Carlos? Sera a mesma rai-
nha Cbristina ? 0 filbo mais velho do duque de Bian-
zarea era esperado todos os das no collcgio dos Ciernen-
tinos.
A partida do nuncio para Madrid estava indefinida-
mente adiada.
EXTEftlOR.
NOTICIAS DIVEBSAS.
AMERICA.
Per,Rebealou urna revolucio em Guyaquil, ca-
pital da Repblica-do-Equador contra o actual director,
o general I lotes. Levantou-se a populaca contra o
nico regiment nacional que existia n'aquello estado,
e obrigou-o a depr as armas, depoi* de baver mnrto
alguna bometis. Florea reuna rcas para marchar
contra a cidado rebelde, que nao reduziria a obedien-
cia, segundo se dizia. Porm, como elle he d'um ca-
rcter muito resoluto, cria-se que baveria muito aaogue
derramado, menos que os seus soldados nao o abando-
gBJHgggwrai........iiinwiihsiMisa
CAROLIJNA NA SICILIA. (*)
TERCE1RA PARTE.
XLVI.
O UMAO BRUNO.
0 i 1 man Bruno, pois que era o mesmo tomou a palavra
ineo de profundo solcnoio, o preguu sobre esto texto:
t'arii'ia Dei tupir titram.
Sin, aHii tbioi, liase elle, depois dos prolnui-
aares d 10.turne, aim, a espada de Dos est erguida
obre a ierra, e no eirtaulo que faieis vos? Km vex de
toniardes u cilicio, de vos prustrades na cima, bebis,
comis, levis vida alegre. Sois pagaos ou christios?
t porque vos regozijais? Nem vos mesmo o sabis I Gri-
'aisahi: Viva a constituidlo! e se vos pcrguiilassein :
(8) VidoZ)iar.'an.,>17S.
GHECIA.
Nada bava de novo em Alhenas. Uin ministerio sem-
pro v orillante, nina oppoMcflu sciupre nggressiva; de
parte n parte muito azedumo temperado de vez em quan-
dn por destras iusinuaces depois um rei ninfo, que
viaja na Grecia Oriental. Ser por distraicDo ? Sera por
apliciludc pelos iuteresses dos Gregosi ou antes, Oomu
diz muita gente, para so subtraliir a cortos actos muito
importunos do ministerio Colelti-Meiaxas ? Somos da
opinio dos que dizem isto. Mas quacs sao esses actos ?
Du nada monos se tratar ui do que da crcaco de novo
senadores, lie pelo senado que a oppoaicio solapa sor-
damente a existencia do ministerio, e espera lornzr a su-
bir ao poder. O ministerio est mal seguro, n'um ierre
no, que treme debaxo do seus ps e ameaoa do lingal-o.
Como fortificar-so ?. Certamenlo augmentando o nume-
ro dos senadores; porm o rei no o quer. Dehalde o
solicilflo; elle resiste, o qoaiilo innis viva se toma a so
licitacao, mais spera se Kiz a resistencia. Finalineulc,
fatigado desta lueta diaria, parti o rei, esperando que a
sita amencia aealinasso ns ardores do ministerio. Bum
longe disso A partida do rei, rcaninou o zelo dos can
didaloa s funceea de senador, e camn assim uovos
enibaracim ao ministerio. Sera embargo de todas estas
dilliculdades, o ministerio (cm urna plena coulauca no
seu futuro; o aguarda com impaciencia o fin da sesso
para realisar os seus projectos de organUaeo c eco-
noma.
SUSSA.
Neufchatcl, 20 dejunho.
Os revolucionarios vsnile-es, descontentes pela mar-
cha, que o governo segu, proveniente da iuturreico
de Icvereiro, parecem meditar um golpe de estado pa
pular. Aiinuncioit-sc uin meeling radical para dia '2'J
cm Yverdun.
Todos os patriotas da parte do norte do rnnlau devino
adiarse n'elle para accordurem em coiiiniuin lias iludi-
das, que so harria do tomar para consolidar 11 reinado
da igualdade. Segundo o prograinma desta reuniSo, do
ma SjVMMiiisrfaaarr'rm-"''" -'-
nada menos so tratara, do que de declarar-so dissolvido
o grande conocido creado em fovereiro, comotendo dei-
xado de ser agradavel ao poro, o de proceder a novas e-
leicesdas quaessedesviariao, purmeio da intinidaco,
s cidadaiisassignalados nestes ltimos lempos como a
ristocratas, na simplesniente moderados Tem-so com
rata admirado, que os patriotas tenhao feito escolba
para esla reunio da cidade de Vverdom, onde o seu par-
tido ealem mui fraea minora. Taires tenhao elles d
propositoescolhdo urna localidado visinha da fronteua
na esperanen do animar us radieaes a fazerem abjura gran-
de apparalo.
Esperava sesempre ver robentar cm Berna uin movi-
mento n'gni sentida ultra-radical, no qual o avoye Neo
haus preparara so a representar un papel punco mais
ou mcuos igual an que fez ltimamente o concellieiro
Drueycm Lausanua. Os radieaes exaltados deste cauto
eontao com a fouporacao de urna parlo da milicia, es-
pecialmente dos butallioes do Seeland, que mnnifestao,
lia muito tempo,disp08icr.esturbulentas. OObcrloiid nao
esla menos agitado, c j so acha severamente punido
disso pela deiereoodns estrangeros.quo alfluiao oulr'o-
ra nesta eslaca a Tliaoiiu c a InlerlacKen, e que boje
va visitar paites mais trai.uuillos.
' [fres )
Oque he cssa cuustituicio? quantosde vos podeno res-
ponder i1 Talvct, nem Uiasdlj euqucaqui vos fallo, nao
o sei, e nem quero sabe-lo. Tudo qoanto sci lio quo es-
sa eniistituieiio, que festejis sem conheccr, he obra da
intriga edu heresia combinadas para escravisarem a Si-
cilia Sicilianos roeus irmftsw, a deixar-vos-heis escra-
visar? Solfrereis que intoleiilos estrangeiros, que nem
ao menos sflo ebristaus deio a lei 11a vossa trra sob
falso pretexto de prolcger-vos? iiardeni para si a sua
prulcccao jnleressada, a Sicilia au necessita della. Por
qne em fin, que viera fazer nossa ilha csses Inglezes
lapacos, em vctde ficarcm na aua, onde no tuinas pru-
cura-losP Que vos querem elles .cora as suns praclicas
estrangeirss, c suas fardas vermelhas com as chammas
du inferno, que os reclama ? No fui por vos que elles
c vieran, foi por elles. Deseoiihai deases mgidorea
blocs, que rodio em torno de vos a espera dauccasio
de devorar-vos. Se vos nio acaulellardes, aoccasiao quo
spiS se Ihes offereccr, e urna vet em suas garras, nao
salareis mais dolas. Nao vos direi que acreditis na m i-
liba palavra; julgai-os vos meamos segundo as suas o-
bras. Elles occujia como Srs., nio obstante seren es-
irangeiroa, as fortalezas que vossos avosedificriu con-
tra us estrangeiros; seus navios So a le us vussus por-
tas, as seus soldados nascidades; ousrao ainda mais :
couservau o roi preso em Ficuua, a rainba em Castel-
CEARA.
BLKICES DE V1LLA-V110SA.
He tal a audacia e infrene desejo ;dos dominadores
em esmagar a sollos e ropo idos golpes, a opini5o dos
seus generosos adversarios, que tendencia to pro-
nunciada levantao-so com espantosa uniformidade, a-
imla dos mais remotos pontos da provincia, lirados es-
trugidorese prolongados em auxilio da nossa asserco.
Com elleito nao sao declamaces esteris, nem to pou-
co a roonoresperanoadeairedarafaccao do planode con-
ducta que se ba imposto, que nos move a torturar, e
pateotear os escndalos inauditos, a lua indtlTerenca,
sunao dosprezo altaneiro com quo se ba ella assignalado
na pratica dos seus reiterados ciimes, e perveistdades :
sim, apresentando os seus desvarios, e insignes ardis,
nao temos outras vistas, que aquellas de levar & convic-
cao e a certeza, ao animo das possoas do boa l e im-
parciaes. da juste/a e extclido das nossas censuras.
Sem duvida parecer incrivel u quera nao presenciar
por si os .'actos que cada dia se succedein em todos os
ngulos da pro\incio, que alguem, que nao a faccao
quo nos atormenta, seja capaz de reunir em lao alto
grao falla do pudor desprezo da opiniSo publica
abcrraro insultante das luis.
Pelos documentos que abaixo transcrevemos verd
nossos le lores o modo dcsasisado, por que procedeo a
aceao na occasiao da eleicio primaria em Villa-Vifos.
Nao conteotei os ardenta com a circumspeccao e li-
sura com que procedeo a junta qualilicadora ; pois que
erao mu diminutos, para que Ibes podesse aproveitar o
seu legal e generoso procedimento; recorreo com ad-
miravel desembarato o celebre Joaquioi Ignacio Pes-
soa,criminoso de uns poucos de deliclos,prente eleitor
de Francisco de Paula Pcsoa.e por intermedio dequem
conseguio ser nomeado tenonte-coronel da guarda nacio-
nal d'aquello lugar.ao comesinho e favoritoremediopro
clamado pela faccao de, por va da frca material de
que dispunha, inlerromper a mesa parorhial no exerci-
cio em que se acbava das suas funecoes !l Pois a derro-
ta n'um tao pequenino collegio mereca apenas o espa-
Ibafato, o escndalo que deo a faccao l!... Ub quan-
to be ambiciosa !
Hito, e Exm.Sr. Tendode communicara V.Exc.
que em obseivancia as ordens de V. Exc. assisti aos tra-
halhos da mesa qualilicadora que procedeo com a tne-
Ibor ordem e imparcialidado, e boje as horas compe-
tentes appareci na igreja matriz a litn de dar principio
aos trabalhos eleitoraes : teno-se comecado a forma-
co da mesa segundo o decreto de 4 de maio de 1842,
emais inslruccoes em vigor, fui obrigado a desamparar
o lugar que u lei me garante, por causada desorden)
promovida pelo lenente-coronel Joaquim Ignacio l'es-
soa que, nao contente com sedusir o povo com terrores,
ximmr*fmk as> *vm?taBimmiim^mBmmiimmmmmmm
etrano, o reiuiu emlugar del les; em breve, nao o du-
4 deis, reinar em seu proprio uume, c entao sera min-
io larde pura quebrordes os eadcias; estorSo cravadas pa-
ra seniprc. A espada de Dos est erguida sobre a turra.
Agora, sejulgais que leudes motivos du vosregoiijardes,
rcgoiijai-vos o gnlatai ainda: Viva a cuustilui(ao!
Esla pregaciu, ou antes Okl.i pruclaiiiar.1! incendiaria,
havia inleirameuto mudado as dispusices da multido.
Um desgru^ado soldado injlct o experintcnlou expen-
sas suas: imprudente deixuu-se tirar s atrat de seus ca-
maradas, que se buio retirad seus quarteis ao loque
do reeolher, e pagou caro a sua infraccao da discipliuu
militar : descuberlo pela uniforme, cahi aem vida as
filciras mesmo da procisso, fondo de nina facada, se-
guida do outras viute, 110 grito do Morrio os Inglezes!
Abaixo a coiuttuc&o! A mullida, ciubcbcdada pelu
cheiro do sangue, j fallavu era ir malar tudus os Ingle-
ses nos seus quarteis.
Suspendei! exclaman o pregsdor cora voz de sten-
tor, suspendei! sois bumens, 011 feras? Oque, asede
do sanguo nao cessaru jamis do devorar-vos Nulrir-
vos-heis sempre do asssssinatu e carnagem'.' Credes ga-
nbar assim o co? Est escriplo: No matars! lnfeli-
cs dos instadores o sangue que elles derraniao sobre a
torra os abalar na eternidadc. Melhor fra para elles,
nao haverein uascido, sim, nao havercm nascido, por
foi o principal em levantar o grito da dissoluea da
mesa, ao que se seguio grande motim do povo de um
e outro lado, que, atnito com os gritos do Sr. tenente-
coronol de lanzar man das armas,correm ellas : porm
felizmente nio bouvo derramamepto de sangue ; por-
qu,como amigo da ordem e tranquillidade, etnpreguci
0 maior cuidado em aplacar o povo; e assim deixou de
proceiier-se as eleices, e jamis me prestarei a esse
trsbalbo em quanto nSo se der providencias que fagao
obstar scmelbantu procedimenlo do mesmo tenento-
coronel; porque temo sor segunda vez atsesdo e dcsau-
torisado lao publicamente; e visto que elle tem arroga-
da a si o poder de dirigir esses negocios como do offi-
cio incluso por copia. Oeos guarde a V. Etc. muitos
anuos. Villa-Vicosa, (i dojulbo de IS45.lllm. Sr.
coronel Ignacio Correia de \ asconcollos, presidento da
provincia liaymundo Heido Fontenelles juiz do
paz.
Il!m. e Exm. Sr.Tendo ido como parocbo as
sistir ss eleices primarias, que em Virtudo das orden;
de V. Exc. deviso ter hojo lugar, fui obrigado a deixar
os trabalhos de mesa, a |ue se linbu dado principio,pe-
la violencia causada pelo proprio tencnte-coronol Joa-
quim Ignacio Pessoa, que.temendo perder as eleieoes,
procurou perturbar a ordem,a lim de que nao liouvesso
1 lotea : como pois pela frca nao pude oceupar o meu
lugar na mess eleiloral, retirei-me para quo se evitasse
mais desacatos. Heos guarde a V. Exc. Villa-Vicosa,
0 de julbo de 1846 lllm. e Eim. Sr. Ignacio Cor-
reia de Vasconcellos, presidente desta provincia. Jote
Ilicilaqua, gario de Villa-Vicosa.
lllm. e Exm. Sr. Tendose de proceder boje
eleicSo primaria neste termo em observancia s ordens
de V. Exc. .determinadas na circular de ii do maiofin-
do, comparec na igreja matriz as horas competentes, a
lim de dar cumpriuiento s mesmas ordens, dando pro-
videncias necessarias para a regularidadeda eleicSo; o-
brando prudentemente nSo quiz pr guardas na igreja,
porque,alera do reinar socegoe tranquillidade na popu-
laca, doixoi do praticar um acto estranbo um toes oc-
casies neste municipio, nunca suppondo.scontecesseo
que pela primeira vez aqui acontece. O tenenle-co-
ronel Joaquim Ignacio Pessoa, abusando do socego a
imparcialidade dos votantes edos empregados para elei-
cSo da mesa, interrouipeo successivamente os trabalhos
logo no principio,arguindomuilosdefeitos que realmente
nao haviao,excitando o enlbusiasmonopovo e principal-
mente na guarda nacional do seu commando que havia
dirigido debeitode forma para a igreja; e, conhecendo
quo na consegua o que intontava, passou a levantar
o grito da dissolucio da mesa, o immediatamente vai
ao seu quariel, langa inao das armas acompanbado da
mais alguns Iludidos, dirtge-so a matriz, e nao en-
centra nella pessoa alguma ; porque lodos te ausenta-
ran teniendo ser violentados pola Torca; e, sabendoque
nos acbavanios juntos 0111 uuia casa, pertendeo atacar-
nos, porm foi desvanecido dessa ntcocao pelo juis
municipal que, ran annuiudo ao seu procedimenlo, di-
rigiu-se elle e podo conseguir talvez a salvacao de nos-
sa vida.
Em taes circunstancias, Exm.Sr., nio pude dar pro-
videncia alguma, podendo apenas convidar alguns guar-
das nacionaes, e reunil-os em casa de minha residencia
para repellr algum outro ataque, que podesse baver a
niim, aojuizdepsz, psracho, e mais pessoas, que n'a-
quella occasiao comprirao com boa t as ordens de V.
Exc. e fro por rsss forma esbulbsdss de seu direito.
Assim sou privadodo cumprtr as ordens de V. Eic., a
nio se pode proceder a eleicao s, porque esse tenonte-
coronel quer que tudo se laca a seu paladar, embora
seja contra a lei e ordens do governo, para sustentar
corto capricho. Espero, pois, do alto conhocimonto de
V. Exc. providencias, que possao obstar a coaccio em
quo me sebo, (cando V. Exc. certo, que preiro ser
demittdo, a ser segunda vez atacado por semelbsnte
forma, ultrajando-so minha autoridade sem a menor
altencao e respeilo.
Dos guarde a V.Exc. Subdelegada de polica da
Villa-Vicosa, 6 do julbo de 1845. lllm. e Exm. Sr.
coronel Ignacio Correado Vasconcellos, presidente des-
que esses vivera c morrom para a coudcninac.o. Desgra-
nados, desgranados do vos !
A estas palavras a mullida leve um terror geral. A
faca ensanguenlada cahi das mos dus culpados, que
no seu espanto vilo j o inferno aborto seus pes para
engoli-los.
Enlrai em vos, proseguio fr. Bruno, com al.ran-
dada vut, e pedi pordao a Dos cora conlricSo do crimu
quo comraellcstcs: sua misericordia he incxhaurivcl;
se vos nrrependerdos Moceramente, o tizerdes peniten-
cia, talvet tenha piedudc do vos; sua clemencia appln-
ear sua justica.
Esta seguranea fet rcuoscer a esperanca na alma dus
matadores; ajellirao-sc no p, prustrrSo a fronte, e
compungidos balio violentamente nos peitos.
CbrislSos, meus clianssiuius irmos, proseguio o
eremita mais oceupadu cm couter o sea auditorio, do
que em esoita-Io, ti lima da Sicilia, eleva a Dcoa vussos
coraces e pcnsanicntos, a fin do que elle aparte de vus-
sos cabecas a espada da sua colera, e vos livre de vossos
iiimigns. Se queris que ello vos torne livre.-, turuai-
vos dignus da liberdade. Abjuroi os vicio dosescravoa,
apreudei as virtudes do culada. Tuina i cxeraplo do
nossos anlepasaados, que fura linos, cm quanlu foro
virtuosos, e que a corrupca muito mais d que a con-
quista redutio aescravidu. Exercitai o corpo pelo ira-


U provincia. Silvutrtdi Olivtira Barullo, subde-
lgalo >le polica.
lllm. e Exm. Sr. Este cmara om observancia
a circular de V. Ce mb n 1 do 1." de maio finjo,
expeiiio as necesarias orden e providencias, para que
com toda a regularidad*) se procedessem ai eleiedes de
eleilores nnste municipio no dia 6 do correle ; mu,
nio obstante iflo, ellas ainda nao se poderlo fazer, pelo
inesperado scontecimento, que houve oo mesmo dia 6,
marrado por V. Exc. ; cato imprevisto, e pela primeira
vez liando --iitro o habitante* deite municipio. A jun-
ta qualificadora lindou seui trabalbot sem a menor no-
vid-ule, attendendo as reclamarSes, que Ibe (Ario tai-
tas; obrou com umita imparcialidade, e louvados os
seus fcitos por todos os habitantes ; mas, como o len-
te -coronrl Joiquim Ignacio Pessoa conheeesse nio po-
der levar avante seus planos para conseguir certus fins,
porque a popularlo livremente oppunha-se com seu vo-
to a sua pertengao, tomou elle o parecer de confundir
tudo para obstar a votaro eipontana do povo, como
do laclo, reunindo a guarda nacional de seu commando
no referido dia 6 do correte, dirigio-se a igreja ma-
triz, recitando proclamarles a fim de obter o voto da
guarda nacional ; mas, baldado o seu trabalbo, ella o
desprezou, porque s devia votar segundo sua conscien-
cia, podendo elle apenas colber o favor de alguns Ilu-
didos ecomisto lieou satitleito; porque cnlaojanio
esta va s, e podia conseguir o que pretenda. A'lio-
ras competentes comparecrao na matriz o juii de pai,
parocbo, e subdelegado de polica, e dando-se princi-
pio sos trabalbos com muita regularidade, erao susci-
vamente interrompidos pelo sobredilo tenente-coronel,
i|ue, oppondo-se tudo quanto praticavSo os emprega-
dos encarregados por V. Exc. e arrogando s o po-
der de dirigir os trabalbos da elei(o, acompanliado de
alguns Iludidos, levantou o grito dadissolucio da mesa;
vai a seu quartej lauca, mi das armas, e torna para a
matriz onde nao acbou pesioa alguma; porque a maio-
na do povo, nao annuindo seu plano, o desprezou, a-
companbando o subdelegado, juiz de paz, e parocho,
que tamben) retirrao-se temando seren violentados.
estas circunstancias nao foi possivcl proceder-se
eleicio, e nem se pude em quanto o mesmo lenente-cs-
ronel quizer obrigar o voto da populacho, que o aban
dona.
Espera, pois, esta cmara, que V. Exc. se digne pro-
videnciar como melbor convier a bem do socego p-
blico.
Dos guarde a V. Exc. Paco da cmara municipal de
Villa-Vicosa em sessio ordinaria de 8 de julho de 1845.
Illm. e Exm. S. coronel Ignacio Correa de Vascon-
celos, presidente da provincia. Fcenla do Espirito
Sanio Magalkes. Joo Antunes Pacheco. Joo
Baplisla cal. Manocl da Cotta Cardozo. Fran
etico Goncalvss dt Magalhits. Joo Secerianno da
Silva, Joo Teixtira do Amaral.
Copia dot officioi, dirigidos ao juit de pat e subdelega-
do por Joaquim Ignacio l'enoa, com a proprta or-
tkographia.
Illm. Sr. Juiz de Paz. Por julgar fraude na nu
meraco examada dos Elleitores que deviso votar nos
membros que devifio formar a Meza, desolveu-se o con-
curso dos votantes os quaes, tendo-os podido passificar
espero que V. S. convocando os mais Membros ajao de
se preslaiem a formaco da Meza com toda a publicida-
de quesaptisfaca ao mesmo povo de sua inleireza e jus-
tica, devendo agora mesmo coidar-se em saptislazor as
exigencias da Le. O Povo arase passefcado urna s
desor uo a pan-ce e nesla parle eu serai seu fiador.
Dos guarde a V. S. Villa Vicosa 6 do Julbo de 1845
Joaquim Ignacio l'essoa. Por sy Guarda e Povo.
lllm. Sr. Subdelegado. Tendo o povo junto
fiesta Assembls Parocbial julgada fraudulenta a numu-
raco dos Elleciveis na samada que se eslava fazendo por
sorle para os Elleitores que deviso formar a \le/a, por
cuja razio o mesmo povo discontenle se dissolveu, espe-
rando que V. S. com os mais membros que a I.ei re-
quer aja de formar nova numeracao combinado com os
notnrs dos Fllegiveis pBra que todos se uxem saptisfei-
los da imparcialidade e juslica que espera o mesmo po-
vo volante, axando-se este mesmo em estado pacifico.
Dos Guarde a V. S. Campo da reuniao aos G de Ju-
lbo de 1845. Joaquim Ignacio l'enoa, Por sy Guar-
da Nacional e Povo. (Pedro II.)
PERNAIYIBUCO.
CMARA MUNICIPAL DAC1DADE DORECIFE.
QCARTA SKSSA ORDINARIA DK2I DE FF.VEREIRO DE 1 S4ii
Preiidencia do Sr. Reg e Albuquerque.
Comparecrao os Srs. Mello Cavalcanti, Carneiro
Monteiro Ramos e Cintra Manoel faltando com
causa os mais Srs. Aberta sessio he lida e approva-
da a acta da antecedente. O secretario interino, dan-
do conta do expediente, mencionou os seguintea of-
ficios:
Uoi do Sr. doutorNeiy da Fonseca participando,
que, por incommodado, nio podia comparecer nos tra-
balbos da cmara. Inteirada.
Oulro do cordeador, apr.'.senlando a planta da parte
lialliu, o espirito pelo ciludo, c scrci* invenniveis ; as
cohortes estrai.gciros desapparecero ante vos, como a
pallin secca arrebatada pelo vento da eir do seifudor.
A snlvacao doa povos cata na ventado: snbei querer,
e o D'eot-martyr que se mmvlnu sobre o Calvario pela
liberdado do mundo, abrncoori votsos estoicos. Pensai,
nu-os ainados inn&os, pensai nos vossos cumpatriutas,
que exemplu du Redeniptur dos homeiis, de-rio por vos
a vida, e au tornis intil n seu sacrificio. Quo queris
que, pensein de vos lilnsi, Piraino e os outrns mariyres
da liberdade siciliana, se do alio da celeste gloria, onde
iim almas esli huje transportadas, vos virem ourriun-
per-vjs lia caerviilu, cuino ao nio lioureisem morrido
para quebrar-vos as cadeias E Caaturo, cuotinooo el-
le com reprimida emocao, quo lauto vos aniou, e que
tambera toffreo pela justica, que dira se voltnssc tr-
ra ? Ficaria elle satisfei tu com vosco ?
O nomo de Castreo produsio no auditorio eletrio*
coiiiiiiuco; sana lera branca era viva na Galana, nu
tanto como a de un tribuno, mas como adu um ninrlyr,
quaai de um santo : trauco faltava pira que diaseasem
aan Castreo, como diiiau sania gueda. Tanibem oeste
instante santa gueda toi dealhronisada.
Viva Castreo! grilou o auditorio unisono, eesla
vos repercutida abafou a do pregador. Certo, nao se
queixou elle de ser interrumpido.
darua da Cadeia-Vflhs, em que est situadas cais
de Jos Antonio Rast s; aqaal, em virtude do plano
da cidadfl tem de recuar. Inteirada, e deliberou ,
que se ofliciasse ao Exm. Sr. presidente da provtnca
nos termos do parecer da commissSo de edificaran ,
apresentado em data de 21 de Janeiro ultimo cer-
ca desle mesmo ubjecto ; remettendo-se igualmente a
respectiva planta. .
Oulro do dito cordeador, pedidlo a cmara, que se
dignasse mandar vir de Franca um gratometro, pan,
poder dar com seguranca as cordeacoes.Inteirada,
e que se participe ao referido cordeador nio poder
ser satisfeita, por ora, a sua requisicio.
utro do dito cordeador, informando, conforme Ibe
foi ordenado a cerca da pretencio do doutor Joio
Ferreira da Silva. A cmara, nio se sstisfasendocom
a dita inormaQao deliberou que revcrlessem outia ver
ditos papis para que o engeoheiro declare positiva-
mente se onde se pretende edificar est ou nio com-
prebendido no plano da cidade, approvado pelo gover
oo tendo em vista os ttulos de aforamento dos ter-
renos de maroha queseacba de posso a cmara;
para cujo fim entender-se-ha com o respectivo procu-
rador.
O Sr. vercador Cintra, como membro relator da com-
misiao de oilificacao, apresentou n seguinteparecer,que
foi approvado :
l'rnsn a cnmniiasilo do eilificacSo, quo eslo no ca-
so de ser approvndus os planosnpretentadns pelo sup
pilcante Antonio da Silva Gusmo, e por isso, que su de-
lira favorav cimente. Km scasio de 24 de Janeiro de lo.
Oliveira. Cintra Manoel.
Sendo presente u enmara n requerimenlo do Augusto
Antonio de Couto, du naci portugueta, morador ueste
imperio, cin que requera, que se llie tomaste, por ter-
mo, a declararlo, que pretendia raxcr, paru poder justifi
car ridadao braaileiro, deliberoii,quo ae ouvisso oadvo-
gado sobre lal objecto.
Foi igunliiientu prsenle um requerimenlo do nidadio
Fippe Alea Calado da Fonsrea, pedindo, que acamara
llu- atteslnssea cerca do grande desenvolv ment que tem
tillan plantelo, que tem feilo, de nmorciraa de dittercu-
lea.espcpies, para criac.io do liieliu da seda.Deliberuu
a enmura niinicar urna oonimistao especial doa Srs ve-
readurea Nery da Fonseca e Rugo Rarrnt, para que, dtV
pois de faicr o i reciso exaiiie,dsscuseu parecer sobre o
mesura objeoto.
Deliberou a cmara, que o cordoador, logo que lenba
ultimado a planta du lugar ila Captiuga, aprsente a a
uontidcracfra da cmara, a fim de ser approvado; nssiui
como, que, qliando liver de dar iiiforiuacoca aobre al-
gum requcrinieutii, quo llie aij.i remettido, dever es-
crever a ana iiif'urniacio no verso do uiesnio re-jiicri-
meiilo.
Deliberou uiaia a cmara o seguinte .- 1 que se olli
ciasse ao juit de p.11 supplente du Poco-da- Panclla. par-
ticipando ter a cmara, pela segunda vet, deaignadii o
dia '26 do,correte para vir prestar o juramento du estr-
o, e tomar posac do referido cargo.
2.a Que se ofllciasae ao procurador, nutorisanJo o a
arrendar, a quem mais der, as casas da prara da Inde-
pendencia, que, por falta de licitantes, nao torao arre
matadas em liaatu publica.
3." Que u sceretsrio uterino lance no resprctivo li-
vro as actas, que v ex secretario havia deixado do es-
ciever-
4." Que se olliciasso ao Exm. hispo diocesano, para
que ac digne celebrar a niiss.i votiva do Eapiitu Santo,
que, cin conforiiiidade do 8." cap. 4 daa iustruccoes
de 21 de marco de marco du 1S24. devo er celebrada
na igreja matriz de S. Ir. Pedru Goucalvcs, por ucea
rielo da abertura da assetnblea legialutiva provincial, no
dia I du non i_ o. Que tinaluienlu expedase a conveuiento ordum au
procurador, pina que liieaae preparar devenlemeutc a
Igreja matriz de S. Frei Pedro oncalves, onde tem de
ii-r celebrada a miasa votiva do Espirito Santo, pelo
ExiUa biapu.
Teudu o Sr. vereador Nery da Fonseca dado parte de
iiicoiuiiiodado, i- .-vendo membro relator da cuiuniiai-ao
inearregati do aprcaentar o relatoho, que deve aer cu-
derecailn ao Exm. preaiileote da provinoia, para ser pre-
sente a asaemblea provincial na sua prxima acsa.io,
resolveos cmara, que se i-nearregnase una 3ra. veruadu-
ii s Mullo Cavalcanti e Josc Kamoa, parn que cum a pus-
sivel brevidadu upresentem uale trabalbo.
Foi remedido a coiuniiaaira de edificayo o requeri-
menlo de Manuel AI vea (tierra.
O Sr. presidente niarcou para ordeui do da; priiuei-
ro, leilura de olliuios a pareceres de coiuirssocs; se-
gundo, despachos de tarifa; terceiro, propoalaa, roque.
rinicntns c indicacocs doa Srs. vereadurca; quarto, dis-
cussio do requerimentos u mais papeia adiadoa. E por
ser dada a hora Icvantuu-se a sesean; u mandaran, para
constar, r'azer a presente em que assignei. E eu Lniz da
Franca e Mello Jnior, accretario interino u cscrevi.
tlogo /ilhitqwit/iir, presidente. Mello Cavolcanli.
('arnesre Monteiro. Hamos. Cintra Manoel.
SESSA EXTRAORDINARIA HE DE ABRIL DE 1S4.
Presidencia du Sr. Mello Cavalcanti.
Reunidos os Srs. Ramos, Carneiro Monteiro, Olivci-
ra e Cintra Manoel, fallando com cauta ua mais Srs., o
Sr. pro presidente declarou .iberia a sessio; e logu fe/.
vera cmara, que acabavn de receber mu ollicio do Sr.
vereador presiden!.., participando, quo por incommoda-
do nin pudia comparecer.
Pasaando-ae au objecto da pruacnte scasio, declarou o
mesiuo Sr. pro-presideuto er nicamente para so pro
ceder a ultima o geral apuraco dos votos paro senador,
conformo firn ultimnment designado pelo F.xm. prest-
lento da provincia, em cilicio do 22 de marco prximo
lindo; \ IkIii que nao se pode n'alisnr a referida apurn-
fio nos din e23 du dito mes, conformo fra determi-
nado peln mesmo Exm. Sr., pela falta do algumas au-
idnticas no devido lempo; e passando a cantara a veri-
finar o numero das reeebidaa, condecen, que ainda ral-
tavio as dos onllegins de Santo Antin, Cimbres, Cnbro-
ll o Serra-Talliada da oomarea do Flores; por isso que
s i"isl-m na enmara as autheulicas do Recite. Ulinda,
Iguarast, Goianna, Limoeiro, Pan do-Albo, Naureth.
Cabo, Serinbieni, Rio-Foruiosu, Runito, Brejn, Gara-
nhuiis, Tacaral, Santa Mara da comarca da Boa Vista.
Paja-de-Flores o Papacaca; O entrando a cmara em
duvtda se devia assim proceder referida a pura 5 3o, por
Ibe parecer que o i. do capitulo 8. das insimccSca
do 2C do marco do 1824 exige o numero completo das
actas dos r.ollrgius eleitoracs dn provincia, deliberou,
quo ueste sentido so olllciasse no Exm. presidente, po
lindo, que se dignnsso resolver sobre tal objecto, como
inelbor entendesse em sun sabedorin. E levantou-se a
sessio, mandando a cmara, para constar, fazer a pr-
senle em que assgnou. E eu Lhi d> Franfa e Mello
./iinior, secrolario interino a escrevi. Mello Cavalcan-
ti, pro presidente.Ramoi. Carneiro Monteiro. O-
liveiru. Cintra Manoel.
Correspondencia.

Sr$. Ridaclorei.Tendo algumas pessoos, bailas por
nascimento, ou por carcter, assoalbado, que eu dra
tima paite do reverendo Irei Caetano de Graltiere, ou
desabonara sua pessoa ; por isso rogo, por meio desta,
a esse impostor, e refinado calumniador, que isto tem
assoalhado, que, se tem verniz tas faces, publique por
esta folba, ou por nutra qualquer qualquer, se alguna
dia eu dra parte, ou fallara do reverendo cima dito ;
pois o meu costume nunca foi fallar de hornero algum
em sua ausencia, ainda quo seja meu inimigo, quanto
mais do reverendo frei Caetano, com quem sempre tive
amzade : e se por acaso eu liver desabonado alguma
pessoa em sua auseneja, rogo a quem o souber, que
me laca esta vergonha publicando o que eu disse, e
lambem o seu nome, para eu o conhecer; oqueduvi-
do apareca ; pois estou certo, que quem isto assoalba
nio be mais do que um eml usteiro, que com seus em-
bustes pretende tirar alguma opiniio, que pelo meu
liom tratar conceivo para com os meus patricios ; po-
rm engana-se este calumniador, quem quer quo teja,
pois eu sou bem conhecido dos mesmos meus patricios.
No mais, Srs. Redactores, rogo-lhes a publicidade
deslas toscas bobas em seu acreditado Diario,que mui-
to Ibes saber agradeeer eslo, que be de \ mes. :1c.
O padre Joaquim Jott dt Vera.
COMMEftCIO.
Alfandega.
Remumento 03 da 13................3:422,572
DeicarregaO hojt 14.
Barca (ilobemercaduras.
BriguePolidoraidem.
Briguo francezBeaujeuidem.
Consulado.
RENDIMKNTO DO DA 12.
Gcral1:162*054 Provincial-622,591
De joelbi.a! disto urna voz.
A iiiultidao, penetrando por malmeto, e com inaravi-
llinta iniuicjii o pciisamcnlu du desconliecidu que havia
dadu esas urdcin-lncuiiica, esccutoii-a no mesmo ins-
tante. Tudua so ajuelhrio; os liumens descobririu-ae,
as niullieres concbrgriu devulamente as mantas para u
rutlo, e o iiiiiiicii.su oboro de povo cntoou o memento de
defuutos com tanta devocio como o tivera feito na igre-
ja. Era una serna tocante c sublime ao mesura lempo.
Nunca inovimenio popular fui mais espontaneo e un-
nime.
Em quanto Catauia orava pelo repouau de aua al-
ma, Castreo clieio de vida descoo a cacada da calliedral
coin o capul aobre u rosto, e introdusio-se por entre a
iiiultido para ah occullar o enlarnccimentu e espe-
ranzas.
Teiiiles um extraordinario pregador, disse Re-
quecense, Gaspar Vaccaro, que uessa uenasiio seachava
era Catauia com o advogado Kussi para dittrtirein uaeiei-
Ctes.
Eu incamo estou admirado, rospondeo Requeten-
se, coiiheeia-o por um santo Iraiuem, inaa, eomu Viu. ,
Dio sabia que fuste republicano.
Quera he eutu este liuiuem? pcrguiitou Roaai.
Um eremita que babila una caverna du Etna, o
MI'ORTACAO.
POLIDORA, brigue hamburgus, viudo de llam-
burgo,entrado nu Brrenle mez, cunsignadu N. O. Bie-
ber S C. inaiiifcstnii o seguinte:
I ->" barricas genobra, 1 caixu dita, 33 dilas vidros, 7
lardos papel. 4 oaixas pertenec para chapeos, 1 dita
pennas, 7 ditas fucndns d'algodio, 51 oaixas e 25 barri-
cas ferragens, 20(1 saceos la re lo, 30 barricas cevadinha,
1 cuixa fazendas de seda, 10 ditas armas, S6 pettaa de ca-
bos. 3 divas fazendas de liuho c algudu, 8 eiubrullras
dirferentes amiislras, 12 caixas litas d'nlgudio, 4 ditas
missungas, 1 dita ulfincites, 2 fardos fazendas d'algodio
ella, 2caixas espelbua, 3 ditas ngulhas, 1 dita balanzas,
1 carro, 2 barricas curdas d'algndo, 3 caixas fitas d'al-
godio cm'-,la. 1 ditn queijos, C pedras d'amolar, 6 caixas
bejoteria, 2 ditasmiudezua, 3 ditas velas, 15dilas meiat
d'algodio, 4 dilas suapenaorios, 2cmbrulhus faxendat,
2 caixas ainoalraa, 2 ditua boetna de faia, 2 dilea brin-
quedua, 1 dita brasa, SCO garrafoes vasios, 25,000 ti-
jolos; a J. I). Wolfhopp & C.
5 tinas bisas; a J. Tegeliueyor.
0 barricas c 1 caixa vidroa, 1 caxa impressos; a Sais-
set & C.
'--> barra polassa ; a Joaquim Jos de Amorim.
2S caixas fazendas, 4 embrulbos amuatras, 1 caixa fa-
zendaa de lia, 1 dita biitcs, 4 ditas chapeos de sol, 3
ditas vinlin, 1 dita fazendas de seda e algodio, 4gigus
garrafas vaaias, U barra vinbo, 1 la la conservaa, 1 caixa
rape, 2 dilaa agua de colonia, 1 dla perfumaras; a
Rothe & Bidoulac.
1 caixa fazendas d'algodio, 1 dita dilss de linho e al-
godio, 3 dilas ditas de liuho, 2 embrulhus amostras; a
AalLinanii & lioacinund.
C fardos papelo, 1 caixa fazendas d'algodio e per-
tenec para chapeos, 1 dita couro de lustro; a I,. A.
Strauas.
1 embrulho ; ao Dr. II. Crause.
1 ditn el lata; a R. Dappermon.
I caixa ignor-e, 2garrofas rape; a Fiseber.
1 dita iguora-so; n H, Vota.
30 ditas queijos, 10 Fardos impeli, i lata differontet
amoatrna. 4 caixas espelnos, 1 dita pertenocs para cns-
peos ; a N. O. Biebor & C.
1 caixa facundas de soda c algodio, 1 cmbrnllio <>,l0.
rase; a ordetu.
3 voluntes pcrlenecs para chapeos; a Zuniner.
20 caixaa drogas, 21 fardos, 23 barrica. 25 gar,,-,.
fes, 25 latas c 1 embrulho drogas, 10,000 butiju ,,.
sias, 135 barra potassa, 1 caixa mcias d'alguddu; aCesir
Kruger.
1 caira fazendas d'algodio e seda, 1 dita ditas d'j|.
do e lia ; a S. Tobler.
3 fardos fazcima da iaa caigodn, 2 caixni ditas de
algodio, 1 dita dilas de soda e algodio, 1 embrulhoa-
moatraa; a i. Keller.
1 onixa tinta de escrever, 4 embrulho litros e iuprti.
sos; a F. H. Luttkins.
HEAUCEU, brigue francez, viudo do. Havre, entra-
do no crrenle ibes, a oontignacio deR. Lasserre & C.
msnifestou o seguinte:
4quartolat vinbo, 1 caixa bezerros, i ditas tect-
dos de algodio e linho, 1 dita ditos de algodio, 1 em-
brulho amostras; a Bolli & Cbavannes.
1 caita tocidos de seda, epelles; al. W. Ve-
Ibansen.
60 barril, e 20 tneioi ditos manteiga; a N. 0.
Bieber & Compsnbis.
8 caixas, e 2 fardos fazendas de algodao, 1 esin
dita de linho, 1 dita dita de seda, 10 cairas absiotbo,
l dita lencos de algodao, 1 dita fazendas de seda e
algodio, 2 ditas pelucia de seda e algodio ; a Kalk-
inanu & Rosemmund.
1 fardo fazendas de algodao, 1 dito chalet, maniata
teeidosdesda, 1 dito lencos e tecidos de seda, 1 dito
(cidos e cortes de coletes de seda e algodio, 2 ditos chi-
les de lia, e seda, 2 ditos tecidos de algodio. 2 ditos
suspensorios, 50 barris e 50 meios ditos minteigs;
J. Keller & C.
2 barricas alfineites de Istio ; a Caris Iteres.
80 barris e 40 meios ditos manteiga; aordem.
1 caira quadros com relogios, 2 dilas orna baianei
e pesos de cobie, e objectoa de relojoeiio, 1 dita cai-
xas com msica ; a C. Garnier.
!2quartolas vinbo, 1 dita biscoulo, 1 dita coofei-
toi, ineias e fechaduras, 2 barris legumes, 1 caixa con-
servas ; a Barrellier.
185 barris e 53 meios ditos manteiga/2 caixas velas,
1 dita crtese mantasdeseda,1 dita chapeos deso pera
Srs. ,4 ditas papel,4 ditas dito de peso,3 Isrdos tecidoi da
lia, 2 caixas chapeos para bomem, 1 dita bezeiroi, I
dita pelles de carneiro. 2 ditas calcado, 1 dita tecidos
de linbo e algodio, 1 dita chitas, 1 dita chapeos da
sol de algodio; a l.uiz Bruguire & C.
2 caixas vinbo, 1 dita diversos objectos; a Mearon
AC.
2 cairas bijotaria e obraa de papelio; a Avrisl
rres.
5 caixas fazendas de algodio, 34 cairas queijos, 1S4
ditas alelria, 200 ditas velas, 10 ditas papel, 1 bar-
rica alfineites de lalSo, 100 barris alcstrio, 10 ditos
oleo de linhaca, 164 caixas vidros, 100 barris mantei-
ga, 200 barricas farinha de trigo, 30 ditas ceneja, 690
garrafoes,, 3 quaitolas vinbo, i caixa bijotaria ; soi
consignatarios.
1 quarlola vinbo ; a Brander a Brandis.
GLO'BS ; barca americana, vinda de Philsdelptui,
entrada no correnle mez, a consignadlo de Luiz Gomo
Ferreira &(.'.., manifestou o seguinte :
f- 1,915 barricas farinha de trigo, 300 barricas boli-
rinbss, 30 fardse 38 caixas fazendas de algodio, (6
cairas cha, 100 ditas velss de espermacette, 20 tni-
cas carne ae vacca, 49 barris potassa, 25 duzias de a-
deiras; aos consignatarios.
Moviaienlo do Porto.
Navios entrados no dia 15.
Pbilsdelphia ; 38 das, barca americana Glob$, de 260
toneladas, capitio Nicols Esiing. equipagem 13,
carga farinha e mais geneos; a L, G. Ferreira a C'
Antuerpia; 51 das, galiola blgica Jannelte Maa, da
225 tooeladaa, capitio M. Prienscbke, equipagem
II, em lastro ; a M.'Calmont &Companbia.
Rio-de-Contas; lOdias, hiato braaileiro S. Joaqun
Imperador-dos-Anjos, de 40 toneladas, capilao Joa-
quim de Souza Gramido, equipagem 8, carga fari-
nha ; a Manoel Joaquim Ramos e Silva.
Navios sakidos no mesmo dia.
Rio-de-Janeiio ; patacho brssiliro Valenle, capitio
Francisco Peiroto Guimaries, carga varios gneros:
pasiageiros, Carlos Cien, Franco;; Senhoiinbs Ignez
Yieira de Queiroz, Braseira, e 2 escravos a en-
tregar.
Macei; galeota blgica Jannetle Maria, capilao M.l "
enschke, em lastro.
Editaes.
Ho sua fortuna, replicou Rossi que havia sido
complicado nos processoa de Mestina, quo os bellos dias
d'Arlali aojan paaaados, quo o habito e a tantidade nio o
liaveri.ni preservado dot damruuai.
Por mira, diste Vaccaro, reconcilio-me cora a
frailara ". ngradeco-lhu odiar os Ingleies e amar Cas-
treo.
Esse nomo, ajuntou Requecense cum emoi So, me
faz bater o cornejo todas as veres que o ouco pronunciar,
e bem vedes quu lembranca esse grande cidadau deixuu
eulre nos.
Tuda a Sicilia inveja Catauia, ds Vaccaro, a glo-
ria de baver-lho dado o berco.
Ou pelo menos 4 Paterno.
Que vatio deixon a sua inorto era nossat filelras,
ditse Rossi, o quanta falla noa fax hoje! Se elle vivera
fura sem duvida alguma o Miribeau da Sieiia.
Meu charo Ketsi, disse Vaccaro coin tua punta de
irona, o lugar he boro de tomar, nio o deixea escapar.
Meu charo Vaccaro, ditse Rost no mesmo lora,
j que tons a gencrosidade de m'o ceder, nio quero aer
menos generoso do que tu, e t'o deixo.
Oh! raensSrs., temos j rivalidades! Esperai ao
nienoi que te abra a cmara doa coininuni.
Esta cuoversacao linha lugar em frente do palacio do
cujo nomo etl em grande veucracau entre o povo. J senado, cujas jauellas por parenthese cu mu todas
Como bajio graves motivos para sedejconfisid
legitiinidade de algumas certidSes de baptismo, que de
caitos annoa a esta paite teem entrado na secretaria desle
mxfmstvatmsasmammsttBmsassjstjxtta
as da (traca, estavJo ornadaa de eolias e de damat. tai
quanto os Iros <;ampi<~ics da opposicio parlamentar, etla-
vio all a convertar; e a olhar, um mongo com o catnis
deitado pela cabeca passou por junto d.-lles, que o reco-
Hhecrau por Bruno, e quirerao demora-lo para Ihe da-
rn) os paiabeut; roat este caoapou-ae rapadamenW, *-
sendu-llies em vos baixa :
Se amis Sicilia, apparecci meia noite no cai-
tello OJUino.
A estas palavras desappareceo como a sombra.
__ Enlo Vm. vai? pcrguntnu Vaccaro a Requecenie,
que eomu Catanes era o cicerone natural doa seus don
correligionarios polticos.
Porque nio? respundeo elle. Estou cora grande
curiosidade de saber o que pode ter a dizer-noa.
Puis vamos l diz Rotti. Segui-in-hei ao fondo
do Etna. Guato limito do aventuras, e etta apreienla-
te bem. Meia nonte, ura eremita, urna velha prisl".-
Decididamente, meu charo Requecense, a sua trra
patria dos mytierras. ,
O certo ho, repetio Vaccaro, que teas ara rregaao
oomo nio ha nutro.
Tanlti peior, porquo dos pregacoes como a oes
aoute adianlario mait uoasos negocios do que des ui
setti'ea do parlamento.
(Conli'nuor--*')-
he t


r. "-*-"-^**^
nirso uridico ; se decUra. que d'aqui em diante nlo
'ais recebiila algoma certidao de b a plumo, que
' lraa t0dos o signaos da authenticidade ; lato be,
fuella* quevirem dooutra provincias, ou dos er-
i'ls trarto a certidao da ter pago o sello, e os aignaes
indosreconbeciJos petotlabelliie densas comarcas, eom
certeza de que. sem estas formalidadet,.olO aera para o
futuro acceita cerlido alguma de baptismo: o que ae
nublicacom lempo, para que cada um posta tomaras
' nl8,lidas na cotrlormidade d^la declarado, manda-
da fater pela directora do mesmo curso.
Secretaria do curso jurdico deOlinda, 12 de agosto
de 1845. O bacbarel Eduardo Sonre de Albergara,
olficial interino ervindo do secretario.
__ Para ver se be pouiei vitar a conlusio, que cos-
luma haver nos exame dos preparatorio j por ordem
a directora su declara, que daqui em diante este Ma-
mes seio leitos na forma litteral do (Ututos ; obser-
vancia, de que erJo lazoavelmenle exceptuado* em du-
raco de tempo o o que apresentarem atteatacSo do
chefes do estabelecimeoto Iliterario, ou dos profei
sores da attla particulare, em que tiverem eitudado ;
osquaespoder5 mandara esta secretaria urna lista'por
riles assignada, contendo os nomes do estudantes, qae
elle julgarem em termo de poderem vir expr-te ao
came de cada urna das (acuidades, que tiverem apren-
dido. Todo os outro serio examinado com o rigor
Secretaria do cono jurdico de Olinda, 12 de agosto
de 1845. O bacharel, Eduardo Soarte d'Alberga-
ra, official interino, servindo de secretario.
Ueelaracoes.
i Luzia id.
-Olllm. Sr. director do lyceo manda fater publi-
co ero cnsequencia do que lile orJenou o Eim. pre-
sidente da provincia, que, da data desle a 40 da, ira
a concuo a cadeira de primeira* latirs da fregueia
do Bom-Jardim : os candidato, que a dita cadeira se
quiorem oppOr, habilitem-se na forma da iostruccei
que regalio o concuo. Secretaria do lyceo, 13 de
agosto de 1845. Jodo Facundo da Silva Guima-
riies, secretario.
= lllm. Sr. coronel director do arsenal de guerra
compra,para a companhia dp sprendizet menores, ris-
cado americanos, brim, ganga azul trancada e lisa :
quem laes genero tiver, mande as amostras e a propot-
la com eus ultimo* precot em carta fechada a esta di-
rectora al o dia 14 do corrente mez ; advertindo que
ser paga a fazenda no acto da entrega. Directora do
arsenal de guerra, 11 de agosto de 1845. No impe-
dimento do eacripturario, o amanuense, JcHo Mear-
do da Silva.
O delegado supplenteda audiencia lodo o das u-
lei a 9 boras da manha em sua caa na ra da Peoba
d. 3, 2.' andar, e oove a parte a qualquer hora.
Aisociacao cominera al de Pernambuco.
A reonilo da assembla geral da attociacio com-
meroialdetta praca, designada no artigo 5. do capi-
tulo 3. dos estatuto para se proceder eleiclo da nova
mesa da dreccao, e para a qual so os Srs. ocios pelo
presente convidado a comparecerem, ha de ler lugar
na quinta-feira prolima, 1-4 do corrente, ao meio dia
cm ponto, na sala das 6ei5e da mema assoeiacio na
praca do Commercio. Pernambuco, 11 de agosto de
1845. Manoel Pereira Rosas, tecretario.
NOVA COMPANHIA ITALIANA.
THEATRO Pl'BLICO.
A quarta representado lyrica ser sabhado, 16 do a-
goslo, tSborat; distribuida pela maneira eguinte :
1. Symphonia.
2. barcarolaCom choroUna barrhetta in mar-
da operaGianni de Calaisdo onizzeltipara voz
debaixo bullo, cantada polo Sr. Paula l'ranchi o cho-
ros. .
3. Duelo Frrantw a le sull oureda Luna de
Lammermoor, de Dooxzetti cantado pela Sra. rtla-
riella Marinangeli e .lose Marinangeli
4. AriaSe mi parli di vendetta
cantida pelo Sr. Toselli.
Intenalto de 20 minutos.
5. Symphonia.
fl. Aria.Coma poao un angelo da opera Lom
Urd, de Verdicantada pelo Sr. Marinangeli.
7. Aria.O ce di guest' animoda Linda de
Ckamounix, de Donizzetti pela Sra. Maretla Mari-
nangeli.
8. Aria e choro,inlroduccio da Normacantada pe-
lo Sr Gacomo Bonanni, que, endo a primeira vez
que canta, pedo a indulgencia do reapeitavel e cortez
publico.
9. Terceto.-4mi morrt o perfidida opera -1
naHolena, de Donizzetticantado pelo Sr. Maretla,
Jos Marinangeli e Paulo Francbi.
Intei vallo de 20 mtNUfOf.
10. Symphonia.
11. Aria Ftmmine, FmmiMe, Ftmmxnt da o-
pera Columella, de Fioravinti pelo Sr. Paulo Fran-
cbi, com choro de doudos.
N. B. O espectculo principiar impreterirelmeiite
a hora annuociada.
Nos bilhetes da platea superior eUo marcado, por
numero, o banco o o asseoto, que o Sr. especta-
dores deiem oceupar.
O director roga-lhe que nao inverlio esta dispoai-
cio, a fim de que os mesmo Sr. potito contar com
os seus lugares, quando houverem de sabir; e para este
lm he que receberS na porla do tbealro melado do
blhete (onde lera marcado oasaento) que devorad guar-
dar at o fim da representaeio para motrar, e
pedido.
Preco por cada nouti.
Camarote de frente, ordem nobre 12'00
Dito latera. ........... J.000
Ditos de frente, prmoira ordem .... .wu
-lUr.e......... S.000
Platea superior .......... J.OOO
Dita geral.......... 1-(HJU
Acbao-ae a venda em casa do director, na ra Nova
n. 7, segundo andar, e, no dia da recita, no bote-
quim do tbealro.
PfJBLlCACOES LI rTERARIAS.
EsU cuidadosamente traduzida, e'vti a impnoiir-ae
em bom papol a excedente ebra
i.lBEIT0 BO noMEM.
O crdito de eu autor, o diitmcto Thotnaz Paine,
he to geralmente estabelccido, quo nos dispensa de
dar urna synopse ila obra : seu titulo diz ludo : trata-
se do direito do homem, o o homem sempre lera no
cessidade de estudar o que mais llio intere*a saber na
sociedad civil,uto beso perdeo ou adquiri mais di-
retoi, quando se anociou a Feus semelhantos.
Dar um volumoem oilavo france do quaii 300 pa-
ginas.
Subsereve se para esta importante obra a 2.000
r. cada exemplar brochado, a'2,800 rs. encadtrnndo.
nos lugares abaixo declarados.
Nesla cidade, na ra estreta do Bosario, botica do
Sr. Paranhos, e loja do Sr. Bandera pa; na ra do
Cabug. lojo do Sr. Bandeiru filho ; praca da Inde-
pendencia, loja ns. 6 e 8.
Na vilia de lguiras,, casa do Sr. advogado Ale-
xandrino Jos do Ainaral.
Em Nazarelh, cesa do Sr. padre Luiz Ignacio de An-
drade Lima.
Em Pedras-de-Fogo, casa do Sr. Ignacio Bcnto
Luiz Ferrar.
Na cidade da Parahiha. no Varadouro, cata doSr.
Antonio Vicente de Magalhios.
Na vila do Pilar, casa do Sr. dr Jos Bento Meira
le Vasconcellos.
. No Brjajo-d'Ara, caa do Sr. advogado Luu Vicen-
te Borges. .
No Brejo-de-Bananeras, casa do Sr. Gregorio Plag-
oo Borges da Fonseca.
Para os nio assignantes cufiara cada exemplar, em
brochura 3,000 rs.. encadernado 4,000 r.
A ubscripcio lechar-se-h em dezembro.
Acha-iesobo prelo, na corte doRio-de-Janciro, tra-
duzida por Jacintho Alves Branco Muniz Brrelo, a se-
guinle obra :
Umgranadeiro da guarda-imperial sobro o sepulcro
de Napoleio Bonaparte ; historia da vida pblica e pri-
vada do mesmo.
Subscreve-se na praca da Independencia, livrana n. 6
e 8, i 2000 r.. pagos na occaiiio da entrega da obra.
Avisos marilinios.
Para a Babia o biate S. Joio, de que be mestre
Manoel Maria, seguo viagem oestes 4 das, com a carga*
que tiver: quem no mesmo quizar earregar, pode en-
tender-se com Amoiim lrmios, na rna da Cadeia
n. 45.
Para a Babia vai sahir breve o brigue naciona
Indiano: quem no mesmo quizer earregar, ou ir do
passagem, dirija-seao seu consignatario Manoel Igna-
cio deOliveira, na ra de Apollo n. 18.
=: Freta-se, para qualquer porto do Norte ou Sul ,
o brigue Marta I capitao Anselmo Marques Vieira:
os pretendenles dirijao-sea pracinha do Coipo San-
to n. 66 residencia doCaudido Agoitinho de Bar-
ro.
Vende-e a sumoca S. Benedicto, de 47 tone-
ladas prompla a seguir viagem : quem a pretender,
dirija-sea bordo da dita sumaca, fundeada defronte
do Collegio, ou ao lado do Corpo Sanio loja de ca-
bos, n. 28.
= Para o Rio-de-Janeiro segu com toda a bre-
vidade a sumaca Amitadi, de que he capitao Manoel
Antonio Sousa Guerra ; para carga passageiros e es-
cravosa fete sjusla-se com Guadino Agostinho de
Barros, pracinha do Corpa Santo, n 66.
Avisos diversos.
= Precisa-se do urna ama de leite para urna casa de
res pessoas, lavando,engorninando e cozinhando; dan-
do-so o sustento, nlgum vestir um quarto para mo-
rar e 2,000 rs. por mez ; quem quizer, dirija-so a ra
da Lapa n. 13, das 6 hora da manbia a 7.
Ot,IDADOR>
Sabio o n. 41, e achate venda na praca da Indepen-
dencia livraria ns. 6 o 8.
A CARRANCA.
Sabio o n. 22, e cba-se a venda na praca da Inde-
pendencia, ni 6 e 8.
= Alogao-so as 6Cguintes casas : o segundo andar
do sobrado da ra do Horario n. 20 ; a casa Ierre na
ra de S. Amaro n. 30, no bairro do S. Antonio ; os
primeiro e lerceiro andares do sobrado n. 6 o o ter-
ceiro andar do sobrado n 6 do Atterro-da-Boa-Vista ;
as casas terreas na ra Formosa n. 7 e ra do Seve,
n. 2, prximamente acabadas, com quintal, cacimba e
commodo para grande familia;e mais 2 casas torreas na
mesma ra ns. 27 o 37, por sei esele mil rs. inen-
aaes : quem as pretender dirija-e ao escriptoriode
Francisco Antonio de Oliveira & Filho na ra da
Aurora n. 26. Tamben aluga-se o sobrado de dous
andares-da ra da Aurora n. 22, com porta de co-
ebeira estribaria quintal e cacimba : quem o pre-
tender dirija-se ao mesmo escrintorio cima.
= Deseja-se saber so a Senbora D. Maria Rosa
quer alugar o seu sitio da Tacaruna em que esta o
capitao Benedicto ; da-se maSi alugel e paga-o
adiantado ; no caso de querer, baja de annunciar ,
para se tratar do negocio.
= Aluga-se urna prcta, escrava, muito fiel, para o
servico do casa de familia ; quem a pretender dirja-
se a ra Velha, n. 61.
Aluga-se o segundo andar o solio com boos
commodos para lamila na ra do Rangel n. 73 :
a tratar na mesma ra, n. 54, com Victorino Francu-
co do Santo.
t= Avisa-se a Sr*. Anna Maria de S. Pedro,que, ha
maitde 3 meze, deixou o traste na ra do Bangel
empenhado pelo aluguel da cata osvenba tirar ne
te 15 dia docontnrio serio vendidos, sem respon-
tabilidade do credor, para eu pagamento.
__ Ouerecc-ae urna mulher para ama ecca de urna
casa de hornem solleiro ou mesmo de pouca familia ,
tanto para compra de ra como para todo o mais
ervico de caa ; quem de seu prestimo precisar, diri-
ja-te as Cinco-PonUs n. 132.
= Aluga-eo segundo andar do sobrado da ra
Direita, n. 24 com bon eommodo e muito Iresco,
por preco commodo: a tratar na padaria do mesmo
sobrado.
Precia-e de 400,000 r. a premio, dndo-*e
$s Pretende-se comprar a rrleia-agoa n. 6, j hy-
pothecada desde outubro do nao passado (1844) ; a
qual fica ne* fundo da casa terrea n. 6 na ra do
Pecadorc : quem tiver alguma reclamacao queira
lazel-a por es'.e Diaria, a fim do se evitaren duvida
para o futuro.
- A lupa se um segundo andar do obrado da ra
larga do Rozario e urna casa larrea na ra da Coo-
ceitio da Boa-Vista com bastante commodos : a
tratar no Alterro-da-BoB-Vista o. 43.
= O ebaixo assignado avisa ao Sr. negociante
deta praca e particularmente aquee com quem
tem relic,0> de commercio que de ora em dianta
fica acabada a firma Coulo Viinna & Filbo, por
ja nid poder existir a sociedade, que o mesmo abaixo
assignado tinha com seu filho Jos Martin do Coulo
Vianna ; fieando por consequeocia o nico nome do
ahaixo asiignado para figurar na traosaccSe, que fi-
zer: outro im, acbando-e em andamento o inventa-
rio do eu casal, por lalleeimento de sua mulher .
cumpre que todos os seus ciedores legalisetn tuat di-
vidas para serem paga pelo ben exitente urna
vez que he esta a sua voolade em virtude da boa f ,
com que sempre negociu. Antonio Martini te
Coulo Vianna. ,
= Precisa-se alugar urna preta quosaiba cozmhar
para casa de pouca familia ; na ra da Aurora, loja do
obrado n. 48. -
= Oilerece-e para ama de casa depequena familia,
ou de homem solleiro urna parda com habilidades ;
quem de seu prestimo se qui/er otilisar, dirija-e a ra
do Noronha loja do sobrado n. 1.
= Arrenda-se um itio na V a rzea com arvoredo
de fruto e fundos no rio Capibaribo ; dua* casas tr-
ras pequen-as o urna olaria, sita na Pasgem-da-
.Magdalena junto a ponto grande : a tratar na ra da
Gloria, sobrado n. 5!>.
Agencian de passaportcs.
Na ra do Collegio,botica n. I0,e no Atterro-da-
Boa-\ ista loja n. 48, tirao-se passaporles para dentro e
forado imperio,assim como despacbao-se cravo: ludo
com brevidade.
Hap vinagrtnho.
Este superior rap torna invariavel a sua qualidado,
por nao mofar, nem seccar; nio I. re o nariz, nem pro-
du-/ irritacoe vertiginosa, porque a sua compoticio be
a mai imple possivel. A geral eatima que tem t.do
este rap pelo apreciadore do urna boa fiada, eaap-
provacao que a respeitevel ociedade de medicina lhe
oncodco, rematao o sou mais completo elogio.
Nova lomadas desto excellente rap, com a cor mu
escura, se achio venda nos depsitos da ra da Ca-
deia do Recife, n. 50 ; prava da Independencia n. 28;
Atterro da Boa-Vista n. 10, e Atierro dos Afogados o.
209, aondo so vendo a 1,000 rs., a libra, de5 libra
para cima. O embrulbo desle rap ho azul, e os rotu-
lo brancos.
BOTICA CENTRAL DO INSTITUTO
Homeopalhico do Brasil.
Possue toda as uDtancia experimentada na Eu-
ropa, no Estadoi-Unido e ltimamente no Brasil e a
dynamisac5ofeitaspelosprocesomecanicosdodr Mure.
Distribue gratuitamente a vacema dynamisada e to-
dos os outros preservativoa necessariot na epidemia
reinantes, o respondo a qualquer cooulte, que a res-
peito do livros, medicarse, remedios e rgimen Ibo
lor dirigida.
Pratica elementar da homeopathia pelo wi., uro
e Marleus. ..'.* ...
Enriquecida das primeira experiencia pura leilas
no Brasil. v
Preso 8000 r. e 10 n. com urna boa encader-
nacao. ,. .
Folhona homeopathica, 2.anoo, contendo noticia
sobre 0 estado actual da homeopalbia, o rgimen, eo
estatutos do instituto homeopalhico.
Preco 320 rs. com grando abatimento a quem com-
prar porcaes maiores. -
Dirigir-se por correspondencia A agencia do instituto
homeopalhico no Rio-de-Janeiro.
= A peisoa, que por engao mandou conduzr para
sua casa quatro cadeiras de Jacaranda com p tornea-
dos, que se achavo no camarote o. 34 do tbealro pu-
blico desde a segunda recita do Sr. Marinangeli ,
queira ter a bondadedoas mandar entregar a Jote Joa -
quimdeFreitGuimaries.
= Aluga-se o segundo andar do sobrado da ra
Direita, n. 5, bastaLte fresco e eom commodo pa-
ra familia : a tratar no primeiro aodar do metmo so-
brado. .i j
= Tirarlo, no itio de Ponle-do-Uchoa de um
tanque de pedra, urna torneira de metal; quem a
descubrir outouber, querendo ratituil-a dirija-e
ao dito itio do Maria Feliciaona de Oliveira Hamo,
ou na ra Bella sobrado o. 37, queseri recompen-
s*do. ... i i
= Juliao Tegetmeier, Hamburgus vai ao Par.
= Aluga-e, por preco commodo, um grande ar-
maren com porta de coebeira no largo da matriz de
S. Antonio : quero o pretender diri|*-se a
Aurora n. 66, segundo andar.
= Ensina-se grammatice latina com toda a perlei-
cio ocm breve lempo ; da meima sorte philosophia,
e rbetorica : na ra larga do Rozario n. 48. primei-
andar, por cima da padaria do Vallenca.
= Preeisa-ie do um rapaz para caixeiro de venda ,
ainda metmo tendo pouca pratica,ou mamode um pe-
queo de 12 annos, dando algum lompo para apren-
der: na ra do Coto re lo n. 31.
= (uem precisar de urna mulber capaz para ama
de urna casa de pouca familia ou de bomem aolteiro ;
qual engomma bem, e coiinha o diario de urna caa,
n d prova da ua conduela pelo eu proprio amo que
tem ervido. dirja-ae a ra do Caldeireiro, n. 88.
__ Aluglo-se tre armazen no fim da ra da Guia,
ao p do aricnal de marinba, proprio para recolher,
com bastantes commodo, por wrem periodo embar-
uuo: quoai os pretender, dirija-se i ra da Cruz,
lem muit. pratica do negocio, e de padaria, e ^ \^V^^^V^^\
em bypolheca um predio de triplicado valor: a quem
coviur, annuncie.
Repondendoa'annuncio do Sr. Claudio Du-
beux, de 9 e 11 do corrente, inserido em o Diario
de Pernambuco, tenho a dizer, que. ummemente es-
crupuloso no cumprimento da vonlade ultima de um
migo, que deixou a companhia do vivos, quero por
sso ser o exeeutor do eu lelamento, visto ter ido ins-
tituido por cu lestamentciro. As leis mandio respai-
lar as ultimas vontades, como actos legislativos, m-
(Uinbindocom muita especialidade aosjui:e o cuidado
de as fazer cumprir : veja se a ord. liv. 1 tit. 62, 8,
e a lei de 25 de junho de 17o6 5. Neste sentido ja v
oSr Claudio Dubeux, que, sendo elle testamenteiro
dativo, nomeado na minba ausencia temporaria, tem
cessado o seu oficio com a mihha presenca. em cnte-
quencia da ininha acceitacio, decretada, e reduzda a
efleito por despacho dojui'O, e disposicio da le. A
tua reluctancia de combinarlo com os credores do fal-
lecido Joio Antonio Martin Novaes, na entrega da
testamentaria, e bendele, o torna refractario e deto-
bediente s leis : a vista do que o publico ajuize de que
parto estars5 as intencSes puras e baa; e so com di-
reito tenho feito os annuncios, pelos quaes mostra tan-
to agaslamentooSr. Claudio Dubeux, a quem alias
tributo affecto e respeito. '
Jos Maria da Costa Cnrvalho.
__ Aluga-se o segundo andar da casa n. 4, da ra
do Codorniz, no Forte do-Mallo: a tratar na mes-
ma. .
LOTERA DO SEMINARIO.
= Devendo a lotera do seminario episcopal de lin
da dar andamento s sua roda no dia 21 do corrente,
por so acbar urna grande parto dos bilhcto ja vendida,
rog so ao respeitavel publico que compre o resto
do bilhetes a fim do que no dio marcado se cflectue
o andamento das roda como tanto conven : e alin
dos lugares annunciados, Jambem e vendom na loja do
Menezei, na ra do Collegio.
LOTERA DO THEATRUPL'PLICO.
Devendo esta lotera, pelo adiantamento da ven-
da desrus bilhele, sera que primeiro tem de dar
andamento a suas roda; esl o respectivo tbesourei-
roretolvido a fazel-a extrahir no presente mez de agos-
to inlallivelmento : para o que convida ao amadores
deste jogo a se prevenrem de bilhetes. o quaes aclio-
so nicamente a venda no Lairro de S. Anl.-nio na
loja do mesmo Ibesoureiro ra do (ueimado n. 39,
o na botica do Sr. Joio Moreira paleo da matriz ; e
no bairro do -Recife lojas de cambio dos Srs. Vieira.
e Manoel Gon.es. Escusado se faz lembrar ao respei-
tavel publico a confianca que merece esta loleria, pe-
la regularidade do seu processo de extraccio; processo ,
que passa a ser anda mais perleitauenle desempenhado;
porque as rodas teein de andar segundo o novo re-
glamento ; /nlretanto que a> lotera, que bio an-
nunciadb, pareco nao so quererera deiaferrar do anti-
go systema de extraccio.
Aluga-se o tetceiro andar e sot5o
com grandes commodos, por pre?o com-
modo, e bastante arejado; no mesmo so-
brado primeiro andar n. 4' ru
Estrella do Uosario.
= Precisa-se de um bortelio para trabalhar em
urna borta n'uni cngei.bo distante dei a praQa duas
leguas ganhandoS^rs. mensae, comer, o roupa la-
vada ; quemestiver nestas circumstancias, dirija-se a
ra largado Rozario loja de iniudezas, n. 35.
L1QUOR DA CHINA OU ESStNCIA DA FORMOSUItA.
O cheiro delicioso e suave deste precioso e bem co-
nhecido cosmtico o tornio digno de figurar no
mais elegantes toiletes Ello amacia, limpa, bran-
uueia e alisa a pelle; entreten sua Irescura e brilbo na-
luraes; tira ai saldas, pannos, es,.inbas, e outras alec-
coes cutneas; laz desapparecer a caspa da cabeca e
previne a sua reproduccao; fortifica e d lustro aos ca-
bellos; lira o meo alito; conforla as gengivas o previne
a dor do denles: muitase mili repelida experiencias
toem confirmado a efficacia deste cosmtico, em todos os
casos cima ditos: vende-so somonte naruadaCadi
n. 15.
POS ASITICOS CARMINADOS.
Este pos teem a propriodado do limpar, branquear e
conservar os denles, sem produzir a monor alteracio
no seu vidro ou esmalte, o qual clies endurecem
previnem a carie, e dcstioen a pedra do dente;
consolido as gengivas; dio bocea urna cor. cheiro
e frescura mui agradaveis: afianca-se, que elles nada
encerrio que posta ser nocivo aos dentet:vendem-se t-
mente na ruada Cadeia n. 15.
Claudio Dubeux, testamenteiro da-
tivo do finado Joo Antonio Martina de
Novaes, tendo acceitado esta testamenta-
ria, resolveo o embargo, que os credores
do mesmo Novaes liaviSo verificado nos
bens da massa ; acba-se entregue da casa,
e por is.so habilitado para receber, e pas-
sar (luitaces aos desdores da testamen-
taria; aos quaes o annunciante roga, ve-
nbao quanto antes remir seus crditos pa-
ra nao se ver na
i recisao de realisar aar-
.ecadaco por meios judiciaes. U annun-
ciante mora na ra das Larangeiras, nu-
mero 18.
= Limpa-ie toda a qualidade de armamento ar-
reio e lerragen, com perfeicio, steio e promptidlo;
na ra atraz de S. Rita, n. 50.
B Deseja-se saber aondo exilie o Sr. Manoel Mar-
que! Ribeiro natural da cidade do Porto, a negocio
de seu interee : na ra do S. Rita n. 30 on an-
nuncie sua morada.
=. D-se dinbc- iro a premio com penhore do ouro,
e prata mesmo em pequea quantias : na ra da
da Praia, o. 22.
Um Portuguez bastante apio. de -10
oflerece para caixeiro da metma
ettabelecimento metmo tendo
ou outro qualquer
para o mallo : d
nio n, 2 ou annuncie.
lima pettoa particular te oflerece para dar almo-
co jantar e eia por preco commodo com muilo
[o enoo paia o mmu un > > i r .... .,,;,
fiadora.ua conducta: quem de teu pn.ti.no e qui- >aio e promptidlo ; quem J P*' '8 gJ
zer otilinr dirija-se aloja o p do arco de S. Anto- ut.li.ar d.r.ja-so a ra do yue.mado n. 3, .egun
do andar.


w
i O juizda rmandado do SS. Sacramento da S.
Jos du Recife vita a lodos os Srs. ir ruaos mossrios
para que bajo de se reunir no da sexta (oir, 15
4o correlo raez pelas 8 horas da man han nn con-
sistorio doN. S. do Terco para so tratar de negocios
teodenlpsa mesmn irmandadc.
O abaixo assigoado, yendo no Diario-Novo de
12 do corrento a declarscao quo faz o Sr. delega-
do dos A Togados con data de 11 do mcz correle
respe i lo ui" uma prela escrava, que se acha rccolhida
na cadeia dosta cidade, do nomejoanna quo fui ap-
prehendida oaqueile districto declara, que a dita pre-
ta lid sua escrava, e bavia fgido nodia 10 do cr-
rente pelas 8 horas da noule como consta do an-
nuncio leito no Diario de Pernambuco de 11 dn fr-
rente. lanoet Carmiro Leal.
Na ra de Horlas, casa n, 88, ba uma Senbora ,
que se deJica a ensignar meninas, de primeiras ledras,
contar, grama) a tica portugueza o francesa, coser, bor-
dar marcar, fazer lavarinto e flores : ,quem quizer
aproveitar-se do seu prestimoa dever procurar me-
diante a gratificarlo de 2s' rs munsaes.
Urna crioula de inaior idade se offerece para
ama de casa ; quem de seu prestimo precisrr, dirja-
se a ra dos Martyrios, loja dosobrado n. 4.
Na padaria n. 122 em Fura-de-Pertas pre-
cisa-sede uma preta escrava para o servido do casa :
ii Iratnrna mesma sobren aluguel.

"55^88
I i lBfc!
Olhcsouruiro avisa aos Srs sucios, que os blhetos
para a recita do 1G do corrento se di'lribuem na ra
da Cruz, n -i-~> : o mesmo faz scienle, que cobrar
as meosalidades de julho e agosto
O Regenerador Rratileiro esta a venda nos luga-
res do costume o muito iateressante.
Aluga-se uma preta para vender varias venda-
gens ; na ra estreita do Kozarie, n. 3.
Compras.
asa Compro-se barris vasios; na ra Direila, n 9.
az Compra-se um pao para tipoia noto ou que
esteja em bom estado ; quem tiver annuncie.
= Compra-se uma coelba do casta grande, de
qnalquer cor que seja ; na ra de Apoll., n 12, ou
annuncie.
Compra se um braco de batanea grande eom
pesos de duas arrobas ; na padaria do Maoguinho ou
annuncie.
= Compra-so, em segunda mi, um braco de ba-
lanza grande e um temo de pesos de ferro de duas
arrobas a libra; as Cinco-Ponas, n. 08, ou annuncie
para ser procurado. _________
400 rs. o covado casimira de a Igodao para calcas a
480 rs. o covado, macedonis do lis "ras a 600 rs. brins
de algodo entrampados muito encorpados a 480 rs. a
vara, ditos escuros o braceos todos de linhoo 700,
800, 1000 e 1280 rs. a vara ,'mesas para meninos a
2()(i rs. luvas de algodio a 200 rs., algodo mesclado,
proprio para escravos a 240 rs. o covado dito liso
americano muito encorpado a 220 rs.. lencos du algo-
do e seda a iOe lfJOO rs. bretanba de rolo muito
eocorpoda com 10 varas a 2000 rs. .mantas do linho
grandes a 5000 rs. e outras mitas fazendas por ba-
rato preco; ua ra do Crespo loja n. 14 de Jos
Francisco Dias.
= Vende-se potassa americana muito nova e do
superior qualidade em barris pequeos; na ruada
Cadeia-Velha armazem de assucar n. 12.
m Vende-se, a dinbeiro ou a prazo com boas firmas,
ou troca-se por predios nesta praca,ou escravos,uma pro-
priedade de Ierras, quo dista duas leguas da cidade da
Victoria denominada Alaga-das-Antas com
uma legua de terreno propria para plantaces ou
criacao ; tem dentro dous grandes assudes, e recebe
de foros todos os annos 200/ rs., que Ibe pagio; tem
boa casa de vivenda, com bastantes commodos sen-
zalla para pretos estribara, engcnbo para descaro-
car algodio prensa para farinba, o arma/cus para
deposites : a fallar com Jos Oas da 6lva', na ruada
Cadeia-Velha n. 59 ou nos Afogados, com Lou-
renco Jos do Moraes Carvalho, na ra do Hozar io.
= No armazem de Fernando Jos Braguez ao p
do arco da Conceicio, ba, para vender, por preco com-
modo muito bom oleo de cupahiba em latas.
= Vendem-se dous escravos uma parda muito
moi.'.i e robusta para todo o servico de uma casa ,
sabe engouiiiiar, lavar o cozinbar com prinoipios d
costura ; um moleque para todo o servico de casa e de
campo, ambos de bonitas figuras ; na ra daCadeia
de S. Antonio, casa n. 25.
=Vende-se muito superior fazenda escocesa mui-
to larga e ebegada ltimamente, para vestido do
senbora pelo barato preco de 320 rs. o covado ; as-
sim como oulras muitas fazendas por baratopreco : na
ra do Crespo n. 12, loja de Jos Joaquim da Silva
Maia.
ass Vendem-se ricas cairas do tartaruga botins e
monis ditos de Lisboa ebegados no ultimo navio e
estojo? de navalhas ingieras, a contento; na ruados
CJuarteis n. 24.
= Vendem-se rolos de chumbo em lenco! de todas
as grossuras proprio para canos e terrado, por pre-
co commodo ; na ra do Vigario armazem n. 8.
= Vendo-so milito em sacca a 4500 rs.; na ra
da Cadciaiio S. Antonio n. 19, depozito de farinba
de mandioca.
~ Vendem-se duas escravas, de bonitas figuras,
sendo uma de todo o servico, e para fura da provincia .
a eutra muito boa engommadeira, o cozinlioira ; dous
bonitos escravos, de todo o servico, bons para enxadas, I uma preta boa quitando ra: na ra do Crespo, n.
sendo um perfeitocanoeiro ; e uma negrinba, do i2|Prmeiro andar.
Vendas.
bm Sabio a luz, e vende-se por 320 rs., na praca da
Independencia, linaria ns. 6 e 8, o Alpbabeto da
malicia das mulheres seguido de alguos versos sobre
a creacio da mulher.
Attencao ao bom e barato !
= Vendem-se superiores chitas para coberta, de tin-
tas litas e de bom panno a 180 rs. o covado superio-
res cortes de chita fina de novos padroes e chegados
ltimamente, de 15 covados, a 3500,3800 e 4500
rs. liscidos Irancezcs muito linos a 500 rs. o cova-
do corles de cassa-chitas transparentes do lindissiroos
padroes a 2400 e 2500 rs. chitas a 120. 140, 160 e
180 rs. o covado madapolSo a 150, 160 e 180 rs. a
vara, dito fino a 200, 220 e 240 rs. dita, madrasta
muito lino a 280 rs. dita, pecas de madapolio a 2800,
3200 e 3400 rs., dito fino a 4000, 4200 e 4600 rs. a
peca, madrasle fino a 5200 e 5400 rs. dita cbitasa
4500, 5200 5500 e 6000 rs. ditas escuras, cbadrez
de linho para aquetas a 520 rs. o covado superior
setim preto de Maco a 5200 o 4500 rs. o covado ,
chales de lita e seda grandes, a 4>00 e 4800 rs. cor-
tes de chitos de 10 covados, escuras, a 1000, 1800 e
2000 rs. o corte sendo entre-linas e de bas qualida-
des superiores fustdes brancos a 1000 rs. o covado ,
zuarte azul de vara de largura a 260 rs. o covado, mui-
to boa (aienda para pretos, algodio azul mesclado
trancado, muito encorpado, a 240 rs. o covado, algo-
dio americano largo e encorpado a 220 rs. a vara, dito
estreito a 160 rs. a vara, esguiode superior qualida-
de, do verdadoiro e puro linho, muito fino, a 1500 rs.
a vara bretanba lina de puro linbo de 6 varas a 2800
e 3200 rs. a peca, ditas de rolo a 1800 rs. a peca, chila
a 140rs. o covado riscadiobos novos trancados mui-
to boa fazenda para meninos a 200 rs. o covado cas-
tores ou rucados de listras a 240 rs. o covado, brins de
bonitos padroes de quadrosa 500 rs. o covado ditos
finos muito encoip ados e de listras a 640 rs. a vara ,
inuins finas de algodio para hornero a 3600 rs. a duzia,
snedo de muito boa qualidade cortes de cbali, ditos
de seda, pannos Gnus preto e azul sendo o primeiro
de uma linda vista para pannos de prelas, eo segundo
para fardamento de pagem a 2500 rs. o covado supe-
riores lencos encarnados muito finos e grandes, a 440
ruis o outras muitas fazendas ja mencionadas nes-
te Diariu ; adveitindo-se a os compradores que todas
estas fazendas sio limpas e d bas qualidades : na ra
doCollegio loja n. I, de Antonio de Azevedo Villa-
ronco & lrniao.
= Venden se cisss-chitas de lindos padroes e de
cores fizas 240 rs. o covado dita em cortes a 2000
ra. cambraias de listras com flores de cor a 360 rs. o
covado dita en cortes a 3000 rs., ditas largas fran-
cesas com assentos escuros a '260 rs. o covsdo ditas de
quadrose listras de gostos muito moderno a 320 rs.,
ditas finiaaimas 440 rs. riscados finos e de cores f
xas a 200 240 rs. corles de chitss escuras a 1600
r.. dita em covados a 160, 180 e 200 rs. casia lisa
muito larga a 400 rs. ditas de quadros e listras a
360 e 400 rs. a vara cortas de cambraia adamascada
branca e de cores a 400 rs., dita lisa fina a 600 rs, ,
cortes de collale de gostos modernos 2560 rs. fus-
tdes para collete a 320 e 480 rs. o aovado madrasle
fisto muito largo a 260 rs. a vara dit em peca a 5g
e 5400 rs. madapolio entestado fino a 5800 rs. ,
brins de quadros e listras, franceses pira calvas a 320 o
annos: na ra larga do Rosario n. 40, segundo andar.
= Vendem-se muito boas bichas chegadas lti-
mamente de Hamburgo as melbores que ba no paiz ,
e muito grandes ; tamben se alugbo e applicao-se
para maiscommodidade dos pretendentes : na ra es-
treita do Rozario, defronte da ra das Laraogeiras, lo-
ja de barbeiro n. 17.
Vende-se um moleque de 14 annos; na ra da
Cadeia de S. Antonio, n. 22, primeiro andar.
= Vende-se farinba do mandioca em saccas; na ra
da Gloria, n. 59.
Vende-se um cavado bom carregidor passeiro ,
o bstanle gordo ou troca-se por outro que tenba
bons andares ; a tratar no Salgadinho em uma ven-
da com Joo Evangelista de Nascimento.
es Vende-se potassa da Kussia, muito nova ; o ar-
cos de pao para barricas: no Recite, ra da Cruz
n. 45.
= Vende se um moleque de 14 annos, do bonita
figura; um negrinba do 12 annos, muito linda, esem
achaque elgum : no Atterro-da-lioa-Vista, n. 46.
= Vende-se, ou permula-se por casa-terrea, o so-
brado de 3 andares da ra do Azeite-dc-Peixe, n. 18:
a tratar na ra do 'ogo, n. 11.
Vendein se 12 lorneras de metal, muito pro-
priss para venda ou qualqucr officina, que tenba pi-
pas de liquido espoxto em retalho por ser mui fcil o
eneber-se qualquer vasilha, sem que deriamo no chao,
por onde, bem feita a conta, lucra-se muito a vista do
que com os de pao soesperdica ; na ra da Senialla-
Velha n. 132, das 8 horas da maobia uo meio dia, e
das as 5 da tarde.
Yonde-se lona igual a da Kussia, na sua qualida-
de largura e bondado para velas o encorados, por
ser muito encorpada e toda de linbo pelo commo-
do preco de 24 j rs. a peca ; na ra do Vigario, arma-
zem de tanoeiro n. 27.
= Vende-se potassa da Russia, muilo nova e ar-
cos do Porto para barricas ; na ra do Trapiche, ar
ma/.em n. 17.
Vende-sc potassa da Russia nova, e superior a
320 rs. a libra ecal virgem em pedra, de Lisboa; na
ra de Apollo, n. 18 *
= Vendem-se duas bonitas crioulas recolbidas,
de idade de 18 annos, com bom comportamento ; uma
preta de Angola mi das ditas crioulas : na ra es-
treita do Kozario n. 0, terceiro andar.
= Vende-se ozeile de currapsto a 400 rs. a gar-
rafa ; na ra da Praia venda n. 46.
= Vende-se um par de malas em bou estado ; na
ra Direila n 9.
= Vende-se, no depozito de taboadode louro e ama-
relio, de Antonio Domingos Pinto, defronte da Orden
terceira da S. Francisco taboadu de toda a qualidade
e growura de superior qualidade e muito bem ser-
rado por ser serrado por machina movida por agoa ,
eslabelecida no Monleiro e por isso merece toda a
preferencia em razio de poupar muita mi d'obra ,
por isso que o taboado esta muilo desempeado ; e se
vende por preco commodo sendo em poredes mais
avultadas: a tratar no mesmo depozito; ou na ra No-
ta n. 59.
= Vende-se toucinho de Santos muito.novo, l-
timamente ebegado a 7500 rs, a arroba ; na venda
da esquina da Penba por baixo do sobrado do coro-
nel Joaquim lieroardo de Figueiredo.
= Vende-se um cachorro grande, proprio para
sitio; na ra do Collegio n. 8.
Vende-se 1 escolenlo terreno ji atlerrada.no lagar
da ra Augusta, e no centro de propriedades, tendo 60
palmos de frente : a tratar na ra da Alegra casa
i). 54.
Vendcm-so duas escravas do 24 annos de bo-
nitas figuras engommio, coiiiiliio e lavio de sabio ;
uma dita crioula de 20 annos, engomis cose bem I
o lava bem de varrella com um filho de dous annos,
mnito nutrido; uma dita da mesma idade, com algumas
habilidades; uma parda de 20 annos, engomma,
cose cozioha o lava ; uma cabrinha de 13 annos ,
cose chio e faz renda ; uma negrinba de 7 annos; 3
escravas de navio,e mocas, proprias para todo o servico;
um mulstinho de 18 annos com principios de officio
de pedreiro t he ptimo pagem ; um moleque de 14
annos; 3 escravos de 18 a 22 annos, para o servico
de campo, por j estiren acoslumados: na ra das Cru
zes, n. 22, segundo andar.
= Vendem-se 4 escravos bons para todo o servi-
co e ptimos at para serradores por terom disto
ortica; no becco das Boias, n. 14, no Forle-do-
Maltos.
as Vendem-se saccas de farinba a 3600 rs. ; na
ra larga do Rozario na esquina da polica venda
n. 9.
= Na ra larga do Rozarlo n. 35 primeiro an-
dar vendem-se obras de ouro, vindas do liio-dc-Ja-
neiro, de muito lindo gosto com o toque de 14 qui-
lates, e tambon algumas da trra, de ouro, com o to-
que de 18 quilates, bavendo, em ambas as facturas,
aderecos de muito bom gosto e meios aderecos, e
mais algumas obras de diamantes o brilhantes ; ven-
dern-se tambem lazendas de seda cambraias de linbo,
de muilo bom gosto, lencos de cambraia de linbo para
ino riquissimos manteletes de bastante tanteis para
senbora ricos suspensorios e grvalas chapeos de
sol para senbora ; ludo por proco ra/oavel, e mais
barato que oss tojas.
= Vende-se uma casa terrea na ra da Gloria n.
90 : a tratar na ra do Crespo, n. 10.
= Vende se lenha de mangue muilo bol, cinco
achas por quatro vintens; na otaria da rui. do Coto-
vello.
= Vende-se uma lerraria com todos osseus perten-
ces, tendentes a mesma officina, bem assim uma por-
cao de carvio de pedra e varias obras leitas e outras
anda por acabar de obrar, tanto a retalho como tudo
junto ou mesmo se traspassa o cstabelecmentocom a
mesma casa por aluguel pelo tempo que convier sos
pretendentes; pois todo e qualquer negocio se faz ,
muito cemmodamente : a fallar na mesma ferrara,
em Fura de Portas ra do lirum n. 7, junto ao
muro do arsenal de marinba.
Vendem-se 8 escravos pecas, bons psra todo o
trabalbo tanto da praca como de campo ; um dito
bom carreiro ; um dito bom official de pedreiro de to-
da obra ; um mulatinbo de 18 annos, bom pagem ;
3 pretas, que co/inbo engommio e lavio roupa ;
10.
philosophica, 400 rs. ; grammaticaportuguesa do Lo
bato, 800 rs ; Galaica pastoral em prosa c vera'
JOOO rs. ; Manila de Dirceo, 600 rs. ; Eslell ful
toral em prosa e verso 1600 rs. ; as ideias liberad
200o is. ; Manual da missa com bonitas gravurat'
200O rs.; Prologo 800 rs. ; Noutu do castollo, p09l
ma em 4 cantos 1800 rs. ; Thesouro de menirm
800rs.; esoola nova ohristiae poltica 600rs. r
grss das cinco ordens de arebitectura, 2000 rs. ;\r_
te de feriar, em portugus, 4000 rs.; dita em rsnMf
5000 rs. ; Diario Lisbonense, ltJOJ -rs. ; tratado do
melhoramcnto la navegaeio por canaes 4O00 n .
Dicoiooaro abreviado da fbula 4600 rs.; Msst'
trances 1600 rs, ; Prosas selectas on eseolbs x taq_
Ibores lugaros 1600 rs. ; L'home des champ on
les Georgiquos, 2000 rs ; M. Tull Ciceronis, 80q
rs. ; Gamma tica latina e portuguesa 1600 rs.) ,.
va grammalica portuguesa o ingleza 1600 rs.';'El!
mentoa de algebra de Lseroix 5000 rs.; Pheilrim.
gusti liberli fbula; tesopite 800 rs. C. Sailustii crup!
opera, 1000 rs.; compendio de grammalica latina e
portugueza', 1000 rs. ; M. Tullii Cicoronis epUtole
rs. ; Selecta latini sermonis eiemplaria, 80
1000
Vendem-se pennas de una sola e bezerros, cou-
ros de cabra, escolbdos, cera de carnauba por pre-
co commodo : na ra da Cruz, n. 51.
---Vendem-se saceos de ilbo ditos de arroz bran-
co e vermelbo pilado ditos de casca ditos de fari-
nba ditos de feijio mulatinbo tudo do alqueire
da melbor qualidade, que boje apparece na praca
por preco commodo ; na ra da Cadeia do Recite ar-
mazem n. 8.
= Vendem-se presuntos inglezcs, queijos suissose
parmisio,sslames de Hamburgo vinbo de Xerry de
superior qualidade, vinho do Rbeno, dito bronco
franco/. haut bersac sauternes, preignac, de diver-
sas presas, vinho do Porta, superior, conservas in-
glezas e francesas licor marrasebino agoa mineral,,
0 oulros obj' ct' s por preco commodo charutos rega-
la e fama-va do 10 a 35s rs. o mlbeiro e em por-
cao mais barato ; na ra do Trapiche, n. 34 casa de
Fernando de Lucca.
i = Vendse rap Meuron & Compaohia do de-
pozito do ftio-de Janeiro ; o qual pela viagem, ou por
outro qualquer motivo aprsenla urna aroma que se
aproxima ao de Lisboa : na ra do Cabuga loja n.
1 C, de Francisco Joaquim Duarle.
= Vende-so uma rica toalba de lavarinto e com bi-
co de roda propria para noivado por preco commo
do; uma escrava de muito boa figura fiel, servical e
quitondeira, sem vicios nem achaques : na ra de
Agoas-verdes n. 21.
= Vende-se um preto moco proprio para todo o
servico; na ra das Larangeiras, n. 18.
= Vende-se um cabrinha de idade de 15 para 16
annos sem defeito algum com bonita figura pro-
prio para pagem por saber bem montar a cavallo ou
para aprender qualquer officio; na ra do Crespo, lo-
ja n. 14.
= Vende-se uma paida com uma cria menor; so-
la couros miudos ; caixas de tartaruga leitas no Ara-
caty: por baixo do deposito de rap Meuron & Com-
panbia n. 2 = Vende-so uma casa meia-agoa que rende 6S
rs. mensaes; na ra da Calcada n. 16, a qualquer
hora do dia.
= \ ende-se urna negrinba de naci idade de 18
annos com varias habilidades, be rccolhida, e pti-
ma para mucama ; outra dita de 20 anuos, com bo-
nita figura cose, engomma liso e cozioba; um mo-
leque de idade de 14 annos; um escravo de navio,
bom forneiro e com bastante pratica do padaria ; dous
ditos ptimos para o servico de campo; dous mulati-
nbos muilo lindos sendo um de 14 annos e outro
de 18 annos, ptimos para pagem ; 3 escravas de na-
vio boas lavadeirss e quilaudeirts ; todos de muito
boa conducta ; na ra Direila n. 5.
Vende-se cha bysson, e maoteiga ingleza tudo
de superior qualidade ; na praca da Hoa-Vista venda
do Jos Alves Lima ns. 4 e 8.
Casa da F.
Rus estreila do Rosario n. 43.
== Vendem-se bilbelose cautellaa em decimos e vi-
gsimos da presente lotera'do thea tro desta crdade; os
decimos, a 18000 rs., e os vigsimos, a 500 ra.
AHenco ao bou i barato I
=>\eodem-se as seguales obras : Retiro espiritual
2 v. 5000 rs.; Satisiacio de aggravos e confusao de
viogativos 1 v. 1600 rs. ; grammalica analylica da/uL-JJ
lingoa portugueza 1600 rs.; compendio de gratnina- j
tica portugueza 800 ra. ; apilme da grammalica I Hin
ra.; P. vidii Nasonis Tristium 1800 rs. ; Novo me-
tbodo de grammalica latina reduzido a compendio seto
padre Antonio Pereira de Figueiredo 600 rs.; La
llenriade.poeme ave ces nolesot variantes, 1600. rs.
Colleccio de pbrases e dilogos familiares, uteis
Portugueses, FrancezeseIngleses 1600rs.; aime,
completes de Moliere, 400 rs. ; corso elsuentar de
geograpbia anliga e moderna 4000 rs. ; Cornilij
Nepotis, 1800 rs. ; compendio de geograpbia unit-
sal 3000 rs. ; a scionca das sombras relativas audt-
senbo 4000 rs. ; grammalica francesa 1600 ni
Breviarios romanos, 4 v. ; Damiron 2 v., 70flfj
rs. ; Virgilii, 3 v., 4000rs.; Voluey, esuvrescboisiet;
e outras miudezas por preco mais commodo do qst
em outra qualquer parte; na ra do Crespo n. H.
-Vende-se uma cachorra muito bonita natural h
liba por preco commodo ; na ra de Agoas-Vordes,
n. 70.
Vende-se uma cadeira do arruar, ero bom esta-
do urnas conchas novas para braco de bilanca grao-
de e uma porcio de medidas do novo padrao ; todo o
negocio se Tari ; as Cinco-Pontas, n. 160.
Vende-se uma excellente e grande casa de pedra
e cal com duas sslas, um gabinete 6 quattos e
um bom quintal na cidade de linda : a tratar as
ra do Crespo, n. 10.
Vende-se ama cavallo alasio da bonita
ra e coro bons andares; na ra das Cruzas n.
Vende-se um papagaio bom fallador; uma ban-
ca de angico : delronte de N. S. do Terco n. 2, se-
gundo andar.
= Vende-se uma prela de naci Costa de Mido
de 20 annos, pouco mais ou menos de bonita fign ,
muilo diligente sem vicios num acbsques boa qui-
tandeira ; na rus do Queimado n. 32.
Vende-se urna pequea artuaco
de toja, propria para mitideza?, no lugar
da praca da Boa-vista, pintada, nunca
servida, e por preco commodo; quem a
pretender dirija-se venda du esquina,
ao rollar da dita praca para a ra detraz
da Matriz.
Vende-se vinagre superior a 4<>o
ris a caada ; na ra do Atterro dos A-
fogados n. 7.
Vende-se irelo, pelo mdico pre-
co de 4'ooo e 2'5Go rs. 5 na rua da
Senzalla Velha n. i38.
Vendem-se duas caixas ( juntas 00
separadas ) de ferros para cirurgia cora
grande soi limento, uma nova, e a outra
j usada, por preco commodo ; na rua
do Qtteimado n. iq, segando andar.
Vende-se um cnstureiro novo cora
todos os pertences necesarios para Se-
nhora, um relogio de quadro cota msica
grande, meio apparelho completo de jan-
tar, e um dito de cha de lo tica da ludia
do melhor gosto, tudo chegado do liio
de Janeiro e por preco em conta : na rua
Larga do Rosario n. 35, primeiro andar.
Escravos Fgidos
= Tendo desaparecido na tarde do dia 0 do crran-
le um mulatintio de nome Joio de idade do 14 10-
nos, pouco mais ou menos com os signaes seguales:
uma belida em um olbo una carocos em um braco ,
pescoco curto os dedos grandes dos ps vollados para
dentro; desconfia-se estar oceulto, e logo qua se res-
lise se proceder com o rigor da lei contra .qtsem o
tiver em seu poder : quem o pegar, ou delle soubsr,
dirija-se a rua do Passeio, o. 4 ou na roa do Quii-
mado, o. 23.
= Fugio, nodia 8 do corrate agosto, um.moleque
de idade de 17 annos, pouco mais ou menos, de nico
Angola, altura regular, psapalbetados e com bas-
tantes bichos peitos glandes como mulher de nome
Francisco; quem o pegar, pude entregar no Porto-dss-
Canoas, no llecile talho do carne, que ser genero-
samente recompensado.
= Fugio, na noule de 11 do correte, um preto de
nome Antonio de naci Angola representa Icr 28
annos, pouco mais ou menos cor prets, baio, refor-
jado do corpo, beicos um tanto grossos, nariz chalo \
o signsl mais conbecido be ter as costas duss quei-
maduras de fogo assim como em ambas as msoi.e
na perna esquerda uma chsga motivada de urna mor-
didura de cachorro ; levou camisa e ceroulas de estopa,
bastante sujas : roga-sep r muito favor a quem o pa-
gar levsl-o a Jos Goncalvesl'errera Costa na tos
da Aurora em S. Amaro.
} WATYP. nE M. F DEFAiUA-
l845.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ET7NLCT75_SYZ8IE INGEST_TIME 2013-04-12T22:22:20Z PACKAGE AA00011611_05839
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES