Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:05836


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Annodc!4i._____
^ ymm m* *
O DI {RIO publica-sc lodos os das que
-., forera de guarda : o pceo da aisigna-
V"o, annunrios dos assignantes stio insc-
Su a raiSo de 20 icis por linha, 40 rs. era
I!! dillercnlf, e as rcpctlcdet pela motade.
A? ano "o forem assignantei pagao 80 rs.
Ir fcha, c lliO eni typo lill'urentc.
PIASF.S DA LA NO MEZ DE AGOSTO.
ii nova a 'as fth. e 5 rain, da manha.
Aconte a 10a 8 li. e %i raiuuto. da tard.
\ cbeia a 17 as 10 hor. e 57 miu. da man.
!;'!-,.e a 24 as 4 hor. e 7 m. da tarde.
Segunda feira 11
PARTIDAS DOS COMIEIOS.
Goianna, Parahyba, e lUo Grande do Norte
Segundas e Sextas feiras.
Cabo, Srriiihaeni, Kio Formoso, Polio Cal-
vo, e Macey, do 1." 11 c2I de cada nicz.
Garanhuns e Bolillo a-10 c 24.
ilua-Vislai: Klores a 13 c28.
\ furia as Quintas feiras.
Olinda todos us das.
PREAMAH DE HOJE
Primeira as 11 h. c 42 min. da nanhaa.
Segunda as 12 b. e 8 minutos da tarde.
de Agosto.
Anno XX N. 176.
p
pMMtnwsan
das da semana.
11 Segundo S. Tilnirco. and. do J. del.
da 2. v. e do .1. SI. 12-Terca S. Clara, nud. do .1. de D. da 1.
v. e-do .!. doi Keitos.
i:i Qu.-irla S. llvpolito, aud do J. de I).
. da 3. vara*
14 Quinta S. l'.iurbio, and. do luis de D.
da 2. vara e do J. M. da 1 c 2. v
19 Bextfl >)< >< Assunipcao do N'ossa, Sc-
nbora.
l Sabbado S. Roque, aud. do J. de D.
da 2. vara.
17 Domingo S. Maincde.
CAMBIOS NO DA (1 DE AGOSTO.
Cambio sobre I-ondie*. 25 d. por U a 60 d.
ii Parla 370 ris por franco.
ii ,. Lisboa 120 a 125 p. c. pr. p. m.
Dse, de le. de boas firmas 1 '/, 1 '/, p. %.
Oiiro Ilutas despatilllas lilWlO a IttOMi
,i MoedadefiHOn vel. Wuo a 18/100
., de OfiOO nov. 17800 a 18(1000
., de 4#WI0 WftO" a 0*700
Pralu-Palar.Vs .... 1/970 a 1>*'
Psol Columnarcs. 1f080 a 2*WO
Ditos Mexicanos 1/940 a 1#1>70
Moedas de 2 patac. 1#780 a 1/800
Accoes da C." do Hcberibe de 50/000 ao par.
I ARIO DE PERH AMBUCO.
PARTE Ojf JCIAl.

Governo da provincia.
EXPEDIENTE DO DA 5 DO CORRENTE.
(Concluido.)
Portara Reformaudo o tenente-coronel do qoarlo
fallan de Santo utan Henriqne Marque Lint.No-
lurou *e Miguel Alfonso Ferrcira para substituir o re-
formado.
idfm do mi 0.
OftioinA Exm. vice.presidenle das Altga*, pe-
dindo as guias do oabo Miguel Antonio de Oliveira, e
nnspecada Joaqnim Tcixcir* da Silva, que do segundo
tataib de artilhara pe postaran para oninpauhia de
artfice* detla provnola.
DitoAo mesmo e ao presidente da Baha, participan-
do, qtio eata provincia gota de pat.
DtltiAo onnsul hollando:, par que ordem do a-
genle de i"(l#000 rs. pela passngem de 7 Hollondezcs, naufra
..JosnoPenedo-de-S.-Pedro. oque d'alli pora o porto
deila cdadeennduto a barcaS. Salvador Particpuu-
c,n ice presidente do Maranlto.
DitoAo delegado de Garanhuns, acontando remeasa
d'uina copia do oflioio de 4 de julho ultimo, por que se
leelarou, qual o contador, a que deven ser remettidos
01 autos porS. mo. prouossado*.
Dito__Ao commaudaiito do divsio natal'o centro,de-
clarando, que a presidencia noncedeo ao segundo len-
te Ricardo da Silva Neves ecnca |>8ra cnrur-ie fra da
cdnde; mas nlo a mandn desembarcar, o negou-liie a
luttirisacao, que solicilou para seguir paro a corto.
DitoAo director do arsenal do guerra, autorisando-
na comprar por 78/440 rs. as limas, do que precisa a
uflicina de ferreiros daquellearsenol.e que nao pode ob-
lor por 66/400 rs.
DitoAo vigario da freguciia de S. Pedro Marlyr de
Olinda, approvando o proposla de Jos Bento da Costa
para thesouroiro da lotera da sun malrii.
Dito__Ao coinmandanto superior iulerno da guarda
nacional do municipio deGoianiia, ordenando, que, seto
lenla de lempo, faja onipossare reeouliecer o coiiiruan-
danlc do respectivo primeiro baialhao, Henriquo Luit
da Cunha e Mello; eestranliondo lhe o nSo cumprinien-
to da orden), que a setiielliante respeito lhe fra expedi-
da a 24 do tnet ultimo.
DitoA juii de direito interino docomaroi do Pao
do-Albo, ila nioneira.por que sao all exoroidas os fiinccacs do juz
municipal e promotor publico.
Dito- Ao juii do direito do Rio Fornicio, declarando,
que receben a relay/lo dos ofUcses do justica da sua co-
marca.
DitoAo inspector do arsenal de niariiiha, preveiiiu-
do de que ra Irausnillr a aooretaria do estado res-
pectiva osorcaincntna dan obras, que cumpre, sejao fut-
as por cotila do ministerio da morinha.
DitoAo mesmo. approvando, que por emquanto le-
ja frito o rrgiitu do porto pelo pairio-mr.
PnrlariaiNoiiieando segundo suppleiitc do delegado
do termo do Pao-do Albo a Joao Carneiro da Silva Bel-
trau; sexto do mesmo deb'godo a Thuniaz Julo do Car
tjIIih, o sexto do subdelegado do freguezia da villa do
referido termo a Francisco Jutde Araujo.Parlicipou
lean cliefe de polica interino.
DitaAo ciiiuinistario pagador, ordenando, quo pa
gue os furias dos operarios do arsenal do guerra, im-
toediotainente, quo lhe forera apren'titodas,- para que as-
tim e evite, que elles se vejo obrgados a rebaler os
seui joriines, cuino informa o director dai|uel!o arsenal,
quo as ver ha sueeeddo. Coiuniuncou-se ao direc-
tor do arsenal de goerra.
EXTEBIOR.
Extracto do mormng ciiromcle de 6 demaio db
1845.
Sabemos do urna parle, coja inforniecao dove-se Icr
por boa se bem quo, nao tendo nos luesinos coiisiifa
CAROLINA NA SICILIA. (*)
TERCEIRA PARTE.
XLI11.
O CIRCO.
rasiou-se seni novtdade a noto, nao seni sustos; a ti-
morato Hdclidado de Pipo o folia ver por tuda a porto
birros; outia-lhea a voz no sibilar do vento, nos bo-
c'jos dos efies, e se utna nuvero aseoiubrava a la, era o
cu vulto que se introduzia no casino. Nao poupava tao
I'ouco o Uiimi un io' militar, oom o que torca de
prcrauefos chainav.i os pcrigosqne quera desviar. Ro-
>artu, quaudo Ihooliegava a vos de su seutinella, mus-
ftravaniais reserva essngoe fro, Acostumado isastu-
cias do oscodor ladru, uto se assustava por qualqoar
eouso, o guardasa tanto raelliur, quanto pareca que o
nao fa.
Uiegou a inanha cm fin, e o sol ergueo-se railio-
"> sobro oa pinoaros do Gibllina e da Roer d Ani-
Hlo, o orvalho da uoiic brilhava aljofarado sobre as
C) Vide Diario n. 173*.
nessa parlo, nao podemos garantir completamente a
exactinVio de todos os pormenores da informnefin), que
una antiga disputa, que lem tido inni O monos oon-
sislencia dosdo 1841, rnlro lord Sondon e muitos dos
seos iniraediatos protectores de Liverpool, d indicio*
de chegar a una crise, de que oom toda a probobilidede
rosultara resignncSo do nobre lord; ou pelo menos o
impedir! do prestar em abjuran oceasiao futura os eus
servidos a esses setis constitninles. NSo temos o habito
do interpr as nosses observaces nosses caso do daitl-
tclligennia; mn, como esta disputa envolvo uin princi-
pio mercantil importante, eni que todo o psiz tem pro
fundo inloresae, julgamo-nos adslrctos a dar cnula
della.
A disputa leve origem no debate sobre os direitos do
assucar, na emenda sobre elles, proposla por lord San-
don en^841. lima boa parte dos mais benerolos e me-
more* protectore* do nobre lord entretinho eslreitas
relacSe* Commercia* no Brasil, e tendo a emenda om
(juestSo por objeolo a exclusao da prodnfio dos paitos,
quo servem-se do trabalho nao livro, ameacava seria-
mente os seus intereeses. Cnnseguiiitoinento RzerSu no
seu nobre menibro, penas elle depositou no* livtos da
casa a noticia da sua emenda, una reprcsenUcao cer-
ca dopergo, quecorriiio os uielhores interesses dos sCus
coiistituiile*.
Todava, a* objecces suscitadas por este partido fo-
lio fcilmente onimudecdos naqucllc terapo pelo ardor
geraj dos conservadores do Liserpoot, os quaes Rterao
ver *er cate o nioi fcil c o mai seguro fundamento,
sobre o qual poderi haver lugar un conflicto do parti-
dos pelo poder. Dentis, fet-se ver ao* conservadores
de Liverpool, uteressodos no commercn do Brasil,que,
como o tratado con! este paiz nao havia de expira/ senao
d'alli a .-unios e ineio (em noveiubru de 1844), havcri.i
lempoulliccnte para faier novo* Halados ou dispon
coes laes, quo os solvasse do algutn perigo final. Ditcm-
nos, que fo asstu, que so prestou ao nobro lord na e-
leicao daquolle anno um opoio submssu e tranquillo,
posto que milito duvidoso o relucante.
Comludo, no se passou muito tompo depoisquo
liveraolugar as discuise* sobre aquella emenda, que o
difirante procedimenlo, assim do governo como do
povo brasileiro, a reipetlo dos interesses britannicos,
convenceo aquella porcao dot protecteret de lord San-
don de que Itaviao coiiimettido uin erro fatal. Todava,
os temores iortnediatos do partido prejudicado forao
minorados pela missSo de Mr. Ellis ao Brasil com pro-
posta* para a renovacao do tratado, e pela proinessa de
que, como o governo nSo se tinba declarado contra o
caf_cultivado por escravo*. a nova paula, prestes a
*er apresentada, proveria a unta grande reduceao dos
direito* sem referencia ao lugar da cultura. Sem em-
bargo disto mallogrurSo-se todas as espe'ancas e con-
tinuro as cousas de modo que cada mez Ibes (razia
novas provas da declinacao das influencias bf itannicas,
ouded'ante* mais tinliao ellas predominado ; al que
poT ultimo expirou com elleito o tratado era novembro
passado. Desde esse lempo, nascendo dabi desennten-
lamento e disputas, teem-se estas tornado cada vez mais
vehementes. NSo be misler relerirmos agora os repe-
tidos actos de directa hostilidade que durante os ulti-
mo* 4 meze* tem o governo brasileiro manifestado pa-
ra com o* interesses britannicos. Chamaremos semien-
to a attenclo para o que occorreo entre lord Aberdeen
e urna depulacac d'aquelles mallogrados o contrariados
negociante* que tinhao sido seduzdos para apoiarem
as artimanbas dos Torys em I Sil acompanbados
pelo seu nobre menibi o ; e para oque desde entilse
ba passado em Liverpool : 6 que dizem que tem pro-
duzido manifest* rompimentos entre os prolectores do
nobre lord e elle. Em quanto a exactidao das assercoes
quo vamos fazer cerca do que occorreo com lord Aber-
deen, podemos fallar com toda a certeza ; quanto ao
que se passou depois em Liverpool, fallamos com me-
co* certeza: maasua narraco tem tal cunlto de ra-
cionabilidade, que pensamos que ninguem duvidora
della.
A deputaco dos negociante* de Liverpool com o
Brasil, a qual foi recebida, ha perto do doz dias, a-
companbada por Lord Sandon, represenlou sobro o
extremo perigo da sua posicao; primeramente pela
condicSo em que est collocada u sua propriedade
no Brasil; em segundo lugar, pela inminente des-
trutcao do seu commercio, ameacado pelo estabeleci-
mento de direitos differenciaes mais elevados sobre as
fazendas deste paiz ; e em terceiro lugar, pela batxa
ruinosa dos cambios, e pela mpossibilidade de oblar-
se retornos proveitosos, om coosoquencia da prohtbicSo
do se admittir o assucar daquello nesto paiz. Lord A-
berdeon asseverou, e tornou a assoverar a deputaco,
que ja se estavao empregando todos os mcios para con-
cluir-se um tratado para a proteccao da sua proprieda-
seus receios a tal respeito. Mas o que ser, disserao
elles. do nosso commercio? Outr'ora era elle o mais
satisfactorio ; bojo he o menos que dar-se podo : ou-
tr'ora prestava-se maior deferencia aos subditos, o sos
interesses nglezes no Brasil; boje sao igualmente
desaltendido* e menosprezados. Lord Aberdeen re-
petio do novo a sua assovoracao do um tratado, e a de-
pulacao repeli a necessidade de admittir-se o assucar
brasileiro; n as a este rospoito, nem do ministro, nem
do nobre representante de Liverpool se pode colher urna
s observacao. Assim terminou a entrevista ; affir-
mando urna das partes o tratado o resmungando
a outra assucar. Em menos de urna semana ebega
do Brasil a noticia, de quo o seu govorao negase a ne-
gociar com o nosso representante, emquanto nao cslt-
vermos promptos u admittir os seus assucarcs sob condi-
coos'iguaes s dosoutros paizes estrangeiros.
( Continuar-*- ha.)
berras no pateu, esobre as laranjerag ncjardn*; ca-
da guita antes dedsolvcr-se, laucara o brilho do dia-
mante.
DouravSo apenas os primeiros raios as radiadas pare-
des do casino, quondo utna duiia de drogues inglezes,
viudos de Masiaro, porrao oo portan anda fechado,
e cercrSo todo u quinta: chamados pelos latidos dos
caes o invalido, c o carador corrro ao raesnio lempo ao
ponto ameacado com a espingarda na inflo.
Abrau'cninouiedale! gritou-lhes o cabo da p-
trulha, cuja drdeiu curta e abaolula nial colirio as voies
combinadas do galgo e do perdguero.
Estaraos lomados, disse Pipo, os casacas verme-
Ibas, nao ha duvdo, vero era cala docapilo, e* retirada
est tomada.
__ p,)r tanto liuberlo! di*so Rosario, vendeo-noe es-
ta infernal feiliceir*. Eu bem Ih'o diiia !
Ah Zngara, miiih amiga, murmuren Pipo, se
fuste lu qoem tes a obra, lera* milicias iniuhot.
J agora, diz o cacador o que no resla lio faier
frente ao nmigo, que anda nSo cnlrou na proco. Par-
laineiileeiuos, para ganhanuos lempo.
E como o cabo renovava a ordem braudndo a espada
nua.
Quero proouro Vm. ? perguntou-lhe Pipo cora
mais resoluco do quo fura d'esperor da sua perna de
pao.
Procuramos o capiUo I'abo, que sabemos esUr
aqu, abri em nuiue da le!
Eiunorae de que le! pergunlou Roario, quena
qualidade de rtndeiro **bia do cdigo quanto bastara
PEBAMBUCO.
CORREIO.
CORRESPONDENCIA DA CIUADE E PROVINCIA.
A noreditar-se o booto quo honlem corroo nesta cidatle
ngulo por ngulo, a eanibilhola quo se tem jugado coril
niarda nacional de extra-muros, voi jii d'iqucui c d'a-
lem, o, o que mais he, ale com o coiiimandanU- superior:
diiia-8e quo esto fra sinqtenso, reformado um coronel,
removido outro, s lenonteg.coronis e m.ijnret manda-
dos embora, etc. etc. Paroo, porero, quo ludo istoesi
su por ora determinado eni club, mas nao publicadn, se
ha que posao acreditar a dous praieiroa, que hoiiteiu se
diri"iao para o baile da Alineara, o que assm o assuvc-
ravo a um terceiro cora visos de malulo, quo eu nao
conbeni,
E ja quo fallii em bailo da Minera, c he provavel,
tpio n ciiriiisdailc dos seus lcilore* se lenha com isso
(Hoitadii, devo dizcr-lhes por desencargo do conscien-
cia, que com tffei|a homo a nuulc pausada uin baile da-
do por nina fjuimo, senfio furniosa intrigante, com suas
hinteruas a jauella, ao qual acudi multa rapaziada dn
lora praieiro, e proraveliuento iiiadainistuu iihm : tuda-
via, ao qjjp me diteiti, nao linuve novidade.e a nosna po-
lica, quenie trefega o diligente coino ella, inanlcve o
reilim na nais apatuscada ordom : e h2o de dizer que i
praia au prvnsofe o progr*o do paiz! Fra ms !u
i i i '
DIARIO DE EI'K.iAailli'U.
Rocebemos ornaes francezes at 50 de junbo ultimo,
os quaes adianto 15 dias data das noticias de Pariz
que anteriormente extractamos dos jornaes ingleze,
recebidos em fins do me/passado.
A cmara dos pares comecou, no dia 17, % discus-
sao do projeclo de lei, (obre as caixas econmicas, o
qual loi adoptado sem modifceco no dia 19, por urna
uiaioria de 0 votos contra 19.
Na sessao de "i%, depois de baver aquella cmara ap-
provado o projecto de lei, relativo ao estabelecimento
para arguiiicntar com um procurador, quanto raaiscom
um drago.
AbrSu cm nonie da lei! rrpetia sernpre o outro le-
vaiilaudo a voz cada nova ntimacAo.
Tem ordem do magistrado ? replicou Rosario. So
a tem, aprsenle-a.
Abri ja, quandono mello a grade deutro, gri-
tou o Ingles impacientado.
Sabia Rosario por experiencia, ijuo fcil era deexe-
uutar-ae esla aiueaca todava nao se deixou intimidar
nem pela fraques das Iriucheiras, nem pela colera cada
vei mais exaltada do cabo dn palrulha.
Quera he voss? disse-lhc denodado, para entrar
atorra na casa de n ni fiel subdito u'el-rc? Vosse nao
lera csse dircilo ; um Siciliano be seuhor em sua casa,
e nao perienco uin eslrangeiro, como vosse he, gover-
na-lo uella.
Isto he quo he fallar! exelamou o invalido pondo
de travs o bonnet; mu Sr. uto Siciliano lie seuhur na
sna casa. Fessc voss o re d'luglatrrra era pessoa, c
nSo entrara.
Ah! vosses rcsslein I diz o cabo levado ao eilrc-
nio. Vamos ver. (iuddoni!
Apcou-se inmediatamente, empurrou com o pe agra-
de, e introduzie-se no palco com a espada nua n'uiua
mau, e a pistola na outra. Cun elle so tuhao ficado dous
dragues, us oulros eercavao o casino para que uinguem
seescapasse. Estavao pois os dous exercitus em turcas
fuaes ao menos naqucllc incaute ; por quo o* dous cae
valu bem uin dragao, e *e Pipo era invalido, nao o era
su* espingarda.
definitivo do ministerio dos negocios estrangeiro, da
administracao do sello, e dos archivos do tribunal de
contas, oceupou-so com o projecto de lei sobre o Cmi-
nbo de ferro do Norte ; e posteriormente adoptou ou-
lros muitos projectos de interesse local.
A cmara dos deputados concluio no dia 19 o orca-
mento da guerra ; c no segutnle terminou a primeira
parte do da obra* publicas (seccSo do servico ordina-
rio ) ; ficando a segunda parte, relativa s despeza ex-
traordinarias,adiada para dopoido approvadoios orca-
mentos dosoutros ministerios. Encetou-se depois o
debate sobre os crditos extraordinarios, pedidos para
1846 pelo ministro da marinba, oda* colonia. O*
dous captulos relativos s despezas da admmitirtcio
central lorSo ento approvados com urna reduceao, a
que debalde se opposerSo o ministro da marinba, e Mr.
Lacoudrais.
No decurso da mesma sesso loo o mireciial Sebaitii-
ni o relatorio obre o projecto de lei, relativo i re-
pressao do tralico dos negros. Esta trabalho reduzia-ie
a urna completa adhesao ao tratado do 29 de m*io, e
propunb* a adopcao pura e simples das propostas do go-
verno.
No dia 23 foi approvado o orcamento da marinba
naquella cmara, depois de una discussao astaz ani- *
mada, que versou principalmente sobre a siluacio do
Franceies na Oceania ; e comecou a discussao do orca-
mento da nstruccao publica, a qual continuou no dia
2i, sendo defendido por Mr. Salvandy com urna gran-
de babilidade, urna rara firmeza, o um successo ineon-
testavel ; e concluio-so a 25.
Nesta sessao frao dados para ordem do dia 17 pro-
jectos, quo deviao oceupar o resto da sessao, a qual to-
dava cria-se, que n8o poderia encerrar-se de laclo se-
nao a 5 de julho
A 26 exatninou a mesma cmara, eapprovou no to-
do, sem discussao importante, o orcamento do ministe-
rio da fazenda, terminando no dia 27 a do todo o bud-
get das despezas, que foi dopois approvado por 232 vo-
to contra 43.
Finalmente, a 28 approvou ella 8 projecto* de lei
sem discussao ; e outros frao alopiados taes quaes os
haviio apresensado votacSo da cmara as commisse
encarregadss do seu exorne, de accordo com o go-
verno.
A cmara do commercio do Havre bavi* enderecado
cmara dos deputados um novo memorial sobro o pro-
jeclo de lei, relativo aos paquetes transatlntico*, la-
mentando o adiamanto do mesmo projecto, e contendo
(acto* e exemplos tendentes a provar a nocossidade da
lei.
Escreviio do Havre, a 14 de junbo : a O comet,
de que fallo todo* os jornae est i vista, b* 2 ou 3 dias
ao Ueste do omine do nosso porto ; be muito hrilhante,
o apresenta-so com toda a sua claridode, dtil horas
;i meia noute. A sua cauda esta n'uma policio bori-
sontal, sem ter a mesma cliridade em toda a ma exten-
cao, que he considera vel. Este cometa foi igualmen-
te visto em Berlim
No* dias 17 e 27 foi o re de Neuilly s Tuilheriai,
onde recebeo os ministros, e presidio ao conseibo ; o
nos mesmosdias, s inclinas horas, voltou para all.
Annunciav-so paa o fim da sessao a partida do con-
de Ducbatel, ministro do interior, para as margen* ao
heno, onde ira tomar banbos. Durante a *u* ausen-
cia servirla interinamente Mr. Guizot, no ministerio
do interior O conde Ducbatel voltaria a Pariz para
25 de julho, poca em que Mr. Guizot partira para
Val-de-Rtcber, ou para as agoas de Vicby ; e eolio
tomara o conde Ducbatel interinamente a seu cargo o
ministerio dos negocios estrangeiros at o fim de -
gito.
Urna ordenanca do reicbamava cflectividtde 42,250
bomensda classede 18 i4.
SS. AA. Iilt. o duque, e a duqueza^Je Neinbour,
**s**asspii m'Mftaxf-ssa^mmmmmmmmuKKKmmm
Veja o que faz, disse Rosario aponlsndo a arma
para o cubo; se lem a seu favor o numero, temos aonoi-
*o a legalidade.
A esta palavra do legalidade, o Ingles dco um passu
tras, eabaxou o [listla, que jt tiuha apuntada no ca-
cador.
Tolo*!! cidodio inglez, diste elle em tom sbita e
scnsivclnicnlc moderado, cunheca seus deveres, e res-
paita a legalidade ; anles de raelter a porta dentro, fiz a*
Ircs iutinaces, chegue mesmu a quolro, e al a cinco;
por lano observei as formas, o rosss hoque as vo-
lro.
Quera lhe falla c em formal! replioou Rosario
sempre com a bocea da espingarda no seu hoiaem. Vos-
ses culrao aqu como salteadores, nos rccebcmo-lo* co-
mo taes.
O tiro parti, o oabo caho. No meno resoluto que
sen amo o perdigueirn, u valurosa perdguero traque-
java um des dragues, ora saltindo-lhe cara, ora raor-
dendo o agarraudo-sc aos bcicos do ravallo, que turioso
loltavo de rniva sera poder descnveaellnar-te doaenin-
cuinraudo appendiculo; mas em compensscc, deseru-
haracou-e do cavalleiro, que nalucta fo lineado a dez
pa-os da sella. Entretanto, u invalido ajudado do galgo,
havia posto o outru dragao fra do combate; a victoria
ponencia aos sitiado*. Senhor da campo de batalha, o
prudeute cacador foi fechar a grade, que nlo deixara de
sor, oiiezar de fraoa, a primeira linha dedcre*a. Elle
esperava um atlaque geral da parte dos des drague*,
oocupodo eutao no cerco do casino. De repente ou-
vio, do outru lado da caa, uin tiro do espingarda, o


*BB-g--- i1 BaaaaBaaaaaaac
tornarlo i entrar por Valenciennea, em, Franca, no da
18, e chegriio s Tuilberrat na manbSa de 19 ; e da-
hi partirao inmediatamente para Ni-uilly. No dia 26
de julbo partsriSo de Pariz para Brdeos, juntas como
duque d Aumale.
A duquesa de Kent, mi da rainba d'Inglaterra, e
irmaa do re i do* Belgas, titiba ebegado a Bruxellat
em Mflgcm para a Allemanba, onde devia demorar-te
tres mezes. S. A. a duquesa de Bragaoca, viuva do
Sr. I), l'edro I., liavia chegado a Kotterdao, com
.sua (Iba, a Seobora a princesa Hara Amelia, e
o para Lisboa S. A. lioha comprado por 450,000
florins urna propriedade mui bella, perto do Fraues-
tein (tiiaviera) onde devia lixar a sua residencia depois
da sua volta de Lisboa.
O duque de Montpeosier embarcou a 18 m Argal,
na fragata de vapor le Comer para Tunis, d'oode se if-
llrmava, que iria at Constantioopia, lazendo escalla
pelos porlos do Levante.
Mr. Chateaubriand, tendo chegado a Venea a 3 de
junho, toltou dalli por Livourn para Martelha, a 17 ;
u j.i se acbava de volta em Parii, onde parece que o
cban uva sade vacillanle do Ilustre escriptor.
2
Publicares a pedido.
ESTATUTOS
DA ASSOCIACA PARA A PHOPAGACaC E ENSINO DA
RF.LIGIA CAIIH LK.V EM PEU.NAMUCCO.
CAPITULO 1.a
fo e$labelecimenlo e fim da a$socia{o.
Art. i. lista associaiao, fundada na cidade do Reci-
fe de Perrjanibuco, tem por nico fim augmentare
instruir a sociedade des fiis, epiopagar, por todo os
moios contenientes, o conheciniento da veidadeira
obseivincia das mximas evanglicas, tees como as
prnpCe, e ensina a santa madre igreja ; para o que,
promover :
1." A redarcSo, impressSo, e publicarn de urna
folha todu religiosa, na qual, demonstrando-te a subli-
midade, a suavidade, a excellencia, o a divina origem
Jo catliolicisniu, so recommende : a pratica da vir-
tud ; o horror ao vicio ; se cornjo os defeitos ;
e te publiquern os anoaes da associacao.
$ 2.c A missSo evanglica em todas as domiogas, es-
pecialmente as quaresmat, e advento.
3." A cathecbese dos Indios no bispado de Pernarn-
' buco, e logo que os seus meius se augmentem, e o per-
millfio, suas vistas se estenderaO nos de todo o imperio
*j 4.' A convocaco de missionarios, animados do
espirito de caridade, e despidos de inleresse, pai asu-
ren) enviados para onde se julgar necessario, a lim de
trabalbarem gratuitamente nesta vinhadoSenhor.
5.c Promover a lundacao de um seminario exclu-
sivamente destinado educaco dos que se quizerem de-
dicar a estas mssoes.
G. Promover e excitar o amor ao trabalho, con-
gregando e ministrando aos Indios, e pettoas indigentes
o instrumentos para iiso necessarios.
CAPITULO II.
Da organisacao, e gerencia da associacao.
Art. 2.a A associacao compoe-se de um numero I-
hmitado de associados de ambos os sexos, unsaciavoi,
e outrot meramente contribuintes e correspondentes.
$ 1." Sao activos os que, alm de contribuirem,
forem aptos para exercerem as funeves administrativas
da associacao.
2." Sao meramente conriiuwfei os que s pres-
luo as suas quotat.
3." Sao correipondentes lotks as pessoas que pres-
taren) servicot associacao tobeicitadoa ou voluntarios.
Art. 3." A gerencia da associacao ser confiada a
urna direccao composta de
1 Director perpetuo.
1 Adjunto.
1 Pnmeiro secretario perpetuo.
2 Segundos ditos.
1 Procurador geral.
1. Tbeaoureiro.
Art. 4 Alm da direccao, baver um concelho de
20 associados, que sera convocado pela forma descrip-
ta no artigo seguinle.
Art. ,'i. O conceibo ser tirado S sorte d'entre os as-
sociados activos, residentes as cidades do ltecife, e de
Ohmio ; e no caso que a sorte designe algum ou alguot
quesetebem ausentes, serao sorUados outros que os
substituto. O sorteio dever ser frito dez dias antes
( quando menos ) do apraxado para a reuniao. Os sor-
teados serao avisados pelo secretario, frsenles dez dos
sortetdos poder-se ha deliberar.
Art. 6 Todas as resolutas, qur da direccao, quer
desta em conceibo, scro lumadus, ba\endo maioria, e
pluralidadc de votos : no casa de empate, o voto do
dilector ser de qualidade.
Art. 7. Os iiicml ros da direccao, excepto o dilec-
tor, e o priipeiro secretario que sel So perpetuos, ser-
virad dous anuos, podendo ser reeleilot para os mes-
La.^aj/^Y ""H' "," ;aatBa3aaStSSaMSS****aS*asS
lugo outro, e lercciru, e anual un fugo de pelolu bem
nuntido.
Ali! ali! diiPipu, lodo toberbo da ana proeta, he
rapiUu que deaperluu.
No meiino inulanie apparecen noporlu urna uieiodu-
zia de dragues, que luiigc de cuidaren! em alinear, o
peiiHurlu naileies.i i que c vio entre dona tugo: cao
ver cbu em ierro correru a toda n brida para o lado
de Mtiara, nao reaervavu os nossu duui veutedures, admiradu de tau
tacil inuuiplio.
Por nula Rutaba! exclamuu o invalido deioan-
(,ando militarmente a> arma, u capuiu nioperdeo o seu
lempo.
au o bavia cun cffeitu perdido Fabio, ainda que Uto
uo pertenceaac luda a liunra da victoria. Despertado
cm tubrctalto pelu priuieiro tiro do cacador, tuliuu elle
janella que rltilm para u jaiduu e au ver investida u
ua oa*a pelos dragooa, adevinliou odciiiai*. Cedendo o
prioieiru motiiueiitu, ntira n'um dragdo, que llie repli-
ca, e do rcspoaiu can reapoatu, igo torio te auarao coro-
tala deate ludo como do outru. Nao poda ser duvidusu
p multado: Faino va ai sua mullicos eibauridaa, c
calcula va ja osineiu de retirada, quando como uro ron-
co de trovan urgi do lado da tapada de pinheiroa que
separa Uuiicevino un tuur, um fugo dtfpeluto. kj-iu a-
inigo, ou mi migo- novo Kra a quedto quo Fabm na-
tiiralineiiie a i niesaiu propuulia roa a derrota du dra-
mos ou outros empregos. 0 thesonreiro, e o procu-
rador nao poderS ser reeleilos succetsivamento para ne-
bum destes dous cargos,
Art. 8. Todos os biennios, oito dias antes do an-
iversario da inslallacao da associaclo, se ajumara o
concelho, conforme prescreve o art. 6.', a fim de pro-
ceder eleicao da direccao, que houver de servir no
biennio seguinte, e de urna commissao de tres associa-
dos activos para examinar a- cintas do thesoureiro, e do
procurador do biennio a lindar. Para esta commissao
nao pdem ser eleitos os membros da diieccBo que aca-
bar. A commissao de exame enviar .o teu parecer i
nova direccao, no prazo de 15 dias, e esta ara publi-
ca!-o pela imprenta.
CAPITULO JU.
Da dirterao.
Art. 9. A directo incumbe, e compete:
l.o Promover a redaccio da folha a missfio e-
vangelica, a cathecbese dos Indios, dtc, conforme as
dispoticetdoart. 1.
2 No mear em cada provincia da diocese um de
legado geral, auim como delegado* nat comarcal, e
commissariot nat freguexiat.
3. Nomear 6 censores, pelos qutes serio distri-
buidos lodos os artigot que se houverem de imprimir, e
quo nio serio publicados tem o tignal de exame dos
censores a que forem submettidot.
4. Nomear qualquer empregado que tej necessa-
rio, devendo todo os emprogos recahir not associados,
que os servirs gratuitamente. Kxceptuao-se ot mer-
cenarios, como mpressores, compositores, distribui-
dores, &c aosquaesa direccao estipulara paga.
5. Prover os misiiooarioade ludo quauto Ihet for
necessario para bem detempenharem o seu santo m-
oisserio.
ii. Convocar o conceibo para a eleicao da direc-
cao, ou de qualquer de seus membros que faltar por
morle, ou por ausencia, que exceda seis mezo; e fi-
nalmente sempre que entender conveniente ao bem da
associacao.
7." Dirigir convites a lodo e qualquer catholico
romano, para se inscrever na assoaiacio.
8. Promover a arrecadacio dos fundot da asso-
ciaeao, fiscal i-a Ios, e applical-os, segundo os fins to-
ciaet designados no art. 30, cap. 10.
;. 9. l'a/er publicar pula imprensa, no principio de
cada mez um batanele do cofre da associacao, e o nu-
mero de associados inscriptos' no me/, antecedente.
10. Faier igualmente publicar pela imprensa, no
principio de cada anno, urna conta geral do cofre, e
urna demonstrarlo do numero dos socios inscriptos, des-
pedidos, ou fallecidos durante o anno anterior: e no
lim decada biennio a eleicao da direccao que bouver de
servir no seguinte.
11. ar posse aos novos membros da direccSo no
dia aiiniveisatio da inslallacao da associacao.
CAPITULO IV.
Vas obrigaces de cada-um dos membros da direccSo.
Art. 10. Ao director compete presidir as setsoes da
direccao ; astignar a correspond ncia ; e providenciar
provisoriamente a respeito de qualquer negocio da asso-
ciacao, communicando i direccao as providencias que
tdoptar, na primeira reuniao. S o director pode
convocar direccSo.
Art 11. O adjunto subsiilue o director nos seut
impedimentos; nestes casot lemas atlribuico s de di-
rector; fra delles deve assistir na sessdes da direccao da
qual he membro efiectivo.
Art. \." Ao primeiro secretario incumbe : toda
a correspondencia da direccao ; distribuir proporciunal-
mente pelos censores os arls. que se bouverem de pu-
blicar ; e na ausencia do director, e do adjunto, pre-
sidir os trabalbos da direccao com as mesuias atlribui-
edes conferidas quelles.
Art, 15. Aos segundos secretarios compelem subs-
tituir o primeiro, pelt ordem da volacao, e ajudal o
no expediente. O mait votado lera a seu cargo o livro
das actas. O menos votado a matricula dos associadus.
Art. 14 Ao procurador geral compele receber to-
das as esmulas da associacao, as quaes entregar ao
thesoureiro exigindo recibo ; carregal-as em oueita ao
tbesoureiro, em um livro para isso destinado, o qual
lera em seu poder ; abonar no dito livro todas as des
pezas que forem ordenadas pela direccao, para o que
rubricar todas as ordens antes de serem tpresenladas
ao thesoureiro.
Art. 15. Ao tbesoureiro compete receber do procu-
rador todas as esmolas que Ibe lorcm por elle entregues,
passando recibo da importancia total dellas, debitan-
do-se por todas as quantias que receber em livro com-
petente ; o pagar todas as despezas da associacao, a vis-
ta conforme o art. precedente.
Art. 1 U procuiador, o o tbesoureiro balancearn,
e conferirn, no principio de cada mez, os seus respecti-
vos livros, assignaodo ambos em ambos os livros; o ex-
trabir um batanete do estado do cofre, que, sendo
por ellesassignadu, remetieran ao director at o dia 10
tmtfms^auiiaiimKxcd^Mri^.-m^i^^^V2^Sl^Lma''
eea dea tu riTorcu inesperado. Mns quein crau os teu
liberlndorut? lu noadevinliava ulle. Olha..... nao ve
niii;uem ; escuta..... nada uuve. O tiruteio liavia cena-
do cum a debandiida do drages.
Por tan Bulugariu di* de repente urna voi; o li-
gntaa lurnnru u ficiu no dente. Va-lbe na anca
quena quier! uaiijn eu, quero enterrar os muri o dea-
poj.i-loa; quo tena peccado duixar quellica euferrojas-
viii na algibeiraa ua guineo. Quauto mui que uulra
iiiiiiIi.i nuc lerao uiais duque apelle que Initiau tobre
ii iiaaot ao ir ao mundo ; corpo de Dio! he quauto
basta pira heregea.
Fabio aupput reonnberer nca vut que fallava o idiu
um culabrct, una da que j mua vet lile liaviau tendo
do mez, pan o faier publicar, como ditpSa o 9, do
art. 9.
CAPITULO V.
Dos delegado* giran, dos delegados di comarcas, e
commissarxos de /reguetias.
Art. 17. Htver em cada provincia da diocese um
delegado geral; em cada comarca um, ou mais delega-
dos de comarca; e em cada fregueiia. um, ou mtis com-
missariot, se assim parecer conveniente direrclo.
Art. 18." A estes empregidos, em geni, incumbe
promover o progresto da associago convocando novot
associados ; indicar direccao ot meios adoptareis em
teus respectivos districtos para o bom deseinpenlio dos
fin di associacao, etc.
Alt. 19. Aos delegados genes compete:
1 Arrecadar todat u esmolas agenciadas per ti,
ou pelos delegados, e commitsarios da tul provincia, e
envial-as ao procurador-geni netta eidide.
2. Distribuir pelot meemos delegados, e commit-
sarios, ou pelot aisociadot, quando miiscoiiiuiodo fr,
os impressosque Ihet frem remettidoe pela direccao.
$3. Kxecutar, e fater executar pelos delegados e
commitsarios do seu dittricto, ou provincia, ai retola-
coet di direccao.
Art. 20.a Ot delegadot de comarca teo ai metmai
obrigacoes que os delegados geraes, com os quaes man-
teras a sua correspondencia.
Art. 21." Os commissarios de freguexia terSo as mes-
mas obrigacoes que ot delegados de comarca, com os
quaet mantero a tua correspondencia.
Art. 22.* Quando, alientas as distancias/e meios de
communicacto.fr mait fcil aos delegados de comarca,
e aos commissarios entenderem-se directamente, estes
com ot delegados genes, e unt e outros com a direccao
podars fazel-o, participando todava o mesmo objocto
aos seus respectivos delegados.
CAPITULO VL
Dos associados activos, suas obrigaces, regalas.
Art. 23. Todos os associados aclivot lio obrigadot:
1. A promover o maior numero de associados.
$ 2.a A trabilbar para que le dilate a f catholico por
todot os meios conducentes, e dando bom exemplot por
palavras, e por obras.
3.* A dar urna esmola de ij000 rs. no acto de ins-
crever-se.
4.a A pagar annualmenle, para as detpesat da ai-
sociacao, 5a000 rs., os quaet serio recebidos adan-
lados.
Art. 24. Ot associados activos recebars um exem-
plar de cada impresso quo !r publicado pela associacao,
alm do que, gozars du gracas que se obtiverero da
sentase, se acaso ella attender, como be de esperar,
supplica que a direccao em conceibo Ibe dirigir em no-
me do teda a associacao.
CAPITULO Vil.
Dos associados contribuintei, e dos corresponden-
tes, suas obrigacoes e regalas.
Art. 25/ Os associados cootribuintes, alm das obri-
gacoes impostas aos activos nos !. e 2.a do art. 28,
darsS annualmenle urna esmola de \ rs., adiantados,
e goiaro tmente dat gneis que a santa s conceder
associacao.
Art. 26.a Ot associados correspondentes lero tmen-
te as obrigacoes declaradas nos sobreditos $$ 1." e 2.ado
art. 23, e o gozo das gracaa que tivereo' os tetivos, e
os contribuintes.
Art. 27.a Todos os associados renrS diariamente
por lenco da associacao um Padre Nosso, e urna Ave
Mara a S. Francisco Xavier, seu padroeiro, repetindo
a seguinte jaculatoria : S. Francisco Xavier, orai
por nos.
CAPITULO VIH.
Da folha religiosa.
Art. 28. Todot ot domingoi pela manbaa te distri-
buir pelos associadot activos residente! as cidades do
Recife e Olioda urna folha impresss, redigida conforme
se acba prescripto no 1." do art. 1.a ; e pelos associa-
dos activos residentes lora das ditas cidades,_ e em ou-
tras provincias, ou directamente, ou por intermedio
dos delegados, e commissarios.
CAPITULO IX.
Da receita da associacao.
Art 29.a A receita da associacao contpSe-se :
"v 1.a Das esmolas de entrada de ceda associado.
2.a Dis contnbuiceannuaes.at quaes leraO sem-
pre contadas do primeiro do met em que o nsociido se
inscrever.
3." Das esmolas voluntarias, que ot fiis quizerem
fuer, e das que os missionarios receberem.
CAPITULO X.
Da despea da associacao.
Art. 50." A despeza da associacao reduz te :
1.a A' cmpn doi objeclos necessarios ao expedien-
te ia secretaria da direccao.
Ji'A1 impresso da folha religin, e tua diitribui-
cao as cidades do Hccile o (fluida.
^3." Aot gastos precisos para se chamaren missio-
narios verdaderamente apostlicos, que seempreguem
.
dicio deriio ot Calabreie vulla au catino, eoprctent-
ro-se a porta lio momento em quo Fabio descia para o
pateo.
O l, aniigut! gritrao ao invalido e Rotario,
gratuitamente em instruir e exhortar pira a virtud
en m suas doutrinas e exemplos, os povoi que ja estn
E gremio da santa igreja ; e em chamar a ella, ecjvj.
ir aquellos inlelites, que ainda se achao sepulUdoi
as trovas da ignorancia.
4 A' compra de instrumentos rsticos, ed|a.
voura, os quaes serS entregues nos missionarios, rfim
d'ellet o dialribuirem pelos Indios, ou outros sil,.
gens,''licitando-os ao trabalho, e ensinando-lhn ts
artes uleis vida, como estao lazendo emoutrasngt.
tes do mundo.
5." A'(eata.de S. Frenciseo Xavier, padroeirodi
associaclo, que ser applicada por tem ao dos sacia.
dos vivos, e suffraaio dos ortos.
CAPITULO XI.
DispostcSu traes.
Art. 31. Os associados que receberem pelo corrtioi
folha religiosa deverS indemnisar a direccao da despe-
za do porte.
Art. 52.a Ninguem ser considerado associado inU
de dar esmola d'entiada estipulada aos activos no $3.1
do art. 23.a, e a contribuco do 4.do mesmo irt,
es esmola marcada aos contribuintes no art. 25.'
Art. 33 O associado activo que deixar depegiro
annual, eo contribuintaJM) nlosalisfier a contribu-
ci, dentro dos primeirda^sis mezes do anno respecti-
vo, considenr-se ha despedido.
Art. 34.a Os associados contribuintes. e os eorret.
pondeqtes nio poderS ter eleitos pira membros da di-
reccao, nem doconcelno.
RTICOS TRANSITORIOS.
1.a
No dii di inslallacao da associaclo se procedeii
eleicao da direccao pelos associados insultadores prests-
tes ; por escrutinio secreto, e maioria relativa te
votos.
2.a
Logo que 1 direccao for eleiti, te dirigir a S. M, o
Imperador, e a todot os prelados do imperio, rogando-
Ibes a sua proteccio e auxilio.
3.a
A direccao, com igual solicilode, dirigir ao summo
pontfice urna supplica, rogando-o que autoriie e con-
firme esta pa' associacao, conccdendo-lhe as mesmis
gracas e privilegios, que concedeo loodada em Lelo
de Franca a 5 de maio de 1822.
4
A direccao procurar corresponderse com a assoeii-
cio para a propagacBo da f erecta em Franct, a fim do
que mutuamente se auxilies.
Cidade do ltecife de Pernamboco, 3 de dezembro
de 1843. '
V1CE-CONSULADO DE BBSPAHHA. SU PBilNAMBCCO.
IIIm. Sr. Accuso a recepcao do officio de V. S. da
7 do correte mez, hontem recebido, em o qual se ser-
ve V.S. exigir de mim, como vice-consul, que tou,
Hespanba nesta provincia, as seguinles informicoasre-
lativas ao fallecido subdito Hesptnbol lenlo Antuoio
Domingues : 1.", te dilo fallecido en ttstdoem Giliu
(icino de Hespanhi), e seem dito reino existe a viuva
do mesmo finado : 2.a, te o mesmo fallecido residi
nesta provincia por mait de 30 annos: 3.a, te o pro-
cittdn militan nesta cidade em infanUria e cavallarii ds
2.a liaba, e timbes na guarda nacional.
Quanto ao primeiro quetito cumpre-me resjonderi
V. S., que me consta baver sido casado o dito tallecido
liento Antonio Domingues, residir sua viuva em Caliza,
e existir viva, e coscglnlemente quer pelas leii do
Brasil, como das de Hespanba, ser meeira na berinc
respectiva. Que me conita, quanto ao segundo quesi-
to, baver o mismo fallecido residido netla provine
por mais de 30 annos, nao obstante qoe em 1836,
sob documentos em forma, se matriculou na chancel-
lara deste vice-consulado, e por conseguinte se consti-
tuir sob a proteco deste vico-consulado, em sua res-
pectiva qualidade de subdito Hespanbol. Finalmente,
quanto ao terceiro, me consta elle militara tanto na i'
linba, como n guarda nacional desta provincia, ato ou
voluntariamente, o por coaeco, por isso que at 1835
nao bavia cnsul de sua nacao nesta, e taopoucono
imperio.
E dando 1 V, S. a solucilo dos supnditoi quesitot,
cumpre-me agradecer V. S. as diligencias, que V.S.
ha empregado, para que o espolio do dito fallecido teja
devidamente arrecadado por parle da fazenda publica,
porque desta alte dito espolio melbormente so liquida-
r ; mas para que a viuva do dito fallecido, emtempo
devidamente habilitada, receba da fazenua publica-
nacional a parte da heram a liquida, que Ibe bija di
competir. Sendo alias bem estranbo, que alguem bi-
ja propalado aideia, que esles de Hespanba excluem
as viuvs de herdarem por carta de metade, para atum
prejudieerem os inleresses da subdita de S. M. B-
tbolica.
Approveito este onsejo para renovar a Y. S. 01 pro-
testos de meus respeitos, e alta considerare. Dcoi
guarde a V. S. muitos annos. Pernambuco, Ideagos-
u uuvidua oaplanicie ile Cutelvetrauu. i\io ae engulla.
A reaideneia du Calehrete em Selinunle prolonaava-ae
dc/.eilu dat reiterad* utiiuneuea do general Mc-
Farlaue, e cuiiio'llic fallava ua vivere jielu amencia du
brigue que conduiira a raiuha Galana, ealaiu clisa
redundo* pilhareni nu urreduro* ; ora cru de redor
iloiles, e por tua cauta, o pail cvtava devanlado, u
circulo du uat devat\-ou ulargavu-su ludo o dia.
Nitti uoute liavioelle* uilaeioaus levado a auaa tik-
pluraje ate t porta* de Minara ; ao paar por Bou-
eeviuu para ganliarein Selinuute, liavio apereebido us
drague*, e Ibua feitu fogu inaia por odio du que pur eobi-
C'i, pur quanlu que pudilo elle* aperar daquella preaa:
A pello de um dragan, dina Franuairipa, uao vale uiot-
au vcreiu ot trea drague pur Ierra, abru-nua a porta pa-
ra Ibes durraot urna de mo.
L vai, l vai! responden Pipo correado agrade
lio depreaaa como a tua perua de pao lli'o pcrmitlia.
Entrciii, enlrein! Kulau fu rao Vuit. que avrviriu ao* In-
jusia u alinoi;o que ot fet correr lio depre*a!
Pur cu uiubem, no que parece, niu fui a tarefa
nal deaenipenliada, diaae Prafanti, poia que era elle
ujucm cm petaua cumiuandava o pilhanle. Bravo! O
iiiimigoa doa Ingleiea tlu nono amigoa. alai, Deua me
perdue! all eal um, creio eu, que ainda tem prelen-
C5ei de viver. h,tpera, meu rapas, que te vuu reituaui-
lar como Lauro.
Ediicndu iatu o l'eroi o.iudilho acabou euro um tiro
de carabina o dragan, que u cavallu bavia derrubadu, e
uu ludo pitado da queda tee*for$ava por levantar-ae.
ornuu elle a cahir para mai* iiunea luviintar-ac. 0*eu
caiunrada jazia uio louge cola duaadentada* do galgo
11., perua, u duu bulua incularn expenaa tuat o fatal deatreta du cufadur. Ua
inurlot, lauto 01 do paleo cuino ot do jardim, furu dea-
pojadot eiu un abrir o fechar d'ullius pala vida banda
diiaCulahreio*, depois entorradu* a cem pasan* dolante
eui una aenullura uuj>ruvi*ada, cujos vettigio* huuve
Fabio attittio, sem tumor parle, triatoceriraeniii
aua inditt'erriica e costumea du toldado llie faaiau r
sem grande abalu eatct fnebre* trabalho*. Huvo-ie'
cobtaa paitado aegundu aa lei da guerra, n honra nuli-
itarealava aatiafeita. Depuit douomliate cnlerrio-te"'
morios, nao ha nuda maia timplca. K de mai* nu eraa
case* morios o oggrcsaurea?..... nio erSo Inglese*..-
Nunca Bonccviiui fra menos ein etlndn de *crvir-Hi
dcntilu; OS Ingleiea nao podio deixnr do rollar com
urca, e depois do que liavia acontecido, devia cuidar
em uccutlur-tc cum o maiur cuidude ; niaiaondc. "''
rafanti retolteo ete diflleil problema.
Meu btjllu ufflcial, ditao elle Fabio, quo bavia
deitado oa vellido du campuuet, e turnado u* uintur-
ine* do teu posto, o Sr. 11S0 nio parecti ter ai roelliur*
notaino* pnpeia do* catacat vermelhaa, nem le-lot "IUI"
innopoilu; malcomo Vm. be um, eclle na Sicili
quinao mil, niu ha
1, UI1IJI IdlIUIIIIIU, UMU T, llIUt" .M iiiM.gjiiiui 'f**-> w-JW- ,---------a----- ..__-_
mu u de um ooelho. Tre* ou qualru Ingleses liuhio 6-1 cuidado de diifarrar. A Ierra do tul foi petada aot po-
oadu estendidos; u* outros deviao a aun lv*c.4o a* per-lbre etlraugeiro*, qucao murrereiu Hvero saudade do*
ge o *ua precipitada fgida pela campia cm breve I
llie deavaneirio tudaa a* duvidas a cerca das ditpuii-1 nal dotcavalle. Depois desta victoriosa c rpida cipe- Jueveeirot da patria
igoaldade nu partido; taria bt
crea-me, em eapera-loa aqui u menos lempo queros*
potaivel; O ar aqui 11J0 be fio para o Sr. mni |'ru'
dente he vir com laoeco i charagente de bua-rei5>".llu"
tambero nao gosta d
mal, quo Vina, llie:
talidade calabrcza?
I Fabio d
atroie cara ------- ., ... ---------
atar. O eapeclaculo com effeilo nada tinlia de ocare*
dor, o pro|irio chefe apeiar da aft'ectacto e riquea
seu veatunriu calibres, pesar da lila* do puntudo rh*~
peo, do culete du veludo com bote* do prain, c da 11"
gein piedusa que trniia so paito, Paraf uiti. disemua nos
ico ; nenara genie oe nu-n"v" 1
la Ingiere*, u que Irte* fai ",du .*
1 des. ja. Qucdi? Aceita a !i"M"'
Jiscr tim, quando um olhar lancndo tou'
I da banda quo Ibe encina o paleo, o fes Be


=
de J848. Hlm. Sr. dr. Clemente Jos Ferreira da
fosta digno procurador-fiscal interino da (aienda pu-
blica lartooal nesta provincia. Ovice-consul de Hcs-
panha, Nuno Mana de seixas.
Alfandega.
....2:4911190
BBNniMESTO O) DU 9........ ... .
Descarregau fto;e 1 1.
BrjgUe__Po/t'dorabotija vasiaa.
|.f ,.iiCBea*jeu mercadorias.
Consulado.
RENDIMENTO DO DU 8.
Ccral-37Bi729 Proincial-2l7,8l5
"PRACA DO RF.CIFE.9 DE AGOSTO DE 1845,
AS TRES HORAS DA TARDE.
REVISTA SEMANAL.
Cambios Ilouvero* pequeas transscoes, o se con-
serva firme aJg d. p. Jrs., ao qual bi
saccadores .
Anucar Por falta de depozito e entrada!, os precoi
sSo quasi nominaes.
Algodio As entradas continio muito limitadas, o
as poucas rendas feitai rcgulrao a 4*800
rs. a arroba.
Couros Sio pouoo procurados, e o depozito aog-
meola.
Ago'ardente Vendeo-se a 48* rs. a pipa da cachaca.
Arroz dem do 11* a 1 l&iOO rs. o quintal.
Racalbo No houvero entradas, e o deposito nio
excede de 1,800 barricas, que se esli rola -
Ibandode 12*500 a Hrs.
Csraesecca O depozito nao excede a 18,000 arro-
bas inclusive uui oarregamento entrado
nesta semana, e as vendas da do Rio-Gran
de de 2*400 i 3f rs., e da de Buenos-Ay-
res de 2* 100 4 2j700 rs. a arroba.
Cba byison Vendeo-se de 1 a'JOO 4 2 rs. a libra.
Firiona de trigo Entrario somonte 200 barricas do
Havre, com as quaes o depozito em pri-
meira mi he de 12,000 barricas.
Dita de mandioca Toem continuado as entradas, e as
remessss para as provincias limitrophes do
Norte lrao augmetandas esta semana, re-
gulando as vendas de 3*500 a 38800 rs. a
saco; e caloula-se o depozito de doze a
quatorze mil'saccas.
Farelo Vendeo-se a 1 #100 rs. a arroba.
Fio da vela Nao ha.
Dito de porrete Veodeo-se de 9# 10* rs. a arroba.
Garraes dem a 1*050 rs. cada um empalbado.
Lonas da Russia dem de 28 30* rs. a peca.
Manteiga Chegarao do Havre, 542 barris, dos quaes
grande parte so acba vendida de 52 i
645 rs. a libra, eas ultimas vendas da in-
glesa regularao de 660 690 rs. a libra.
Milho Vendeo-so de 4* i 4*500 rs. a sacca.
Pussas dem a 6* rs. a caixa.
Queijos dem de 1 150 a 1 *200 rs. os lamengos.
Toucinbo dem de 6*600 6*800 rs. a arroba do
de Santos, e nao ha do de Lisboa.
O movimonto do porto duraote a semana foi de 9 na-
vio entrados, e 13 sabidos: xiltindo boje 47 ; sendo
1 austraco, 42 brasileiros, 1 francs, 1 hespanhol, 1
bamburguez e 1 ingle;.
Alot iinciito ci Porto.
Navios tnlradoi no da 9.
Havre; 38 das, bngue Irancez Beanjen, de 133 to-
neladas, capiUo Rerioduaque, equipagem 10, carga
farfullas ; a B. Lasserre & Companbia.
S. Matheus ; 17 das, sumaca bresileira /3pi'ju, de
56 toneladas, capitio Joaquim F. Guimaries, equi-
pagem 9, carga farinba ; ao capitio.
Cear. com escala pelo Ass; 49 das, hiate brasileiro
Aguia-Biasileira, do 49 toneladas, capitio Antonio
Januario deCarvalho, equipagem 11, carga sola, cfl-
ra e palba de carnauba ; a Jos Januario de Carra
Iho : pas^ageiro, Jos Eduardo de Seuia Landio,
Brasileiro.
Navios takidot no me$mo da.
S. Cilharina ; brigue brasileiro Soarw, capitio Jos
Antonio Cabral, em lastro.
Parahiba; patacho ingles Dlysses, capitio Charles Pi-
roete, carga couros: passageiros, W.m Bariga, Ham-
burgus ; Alberto Wassing, Inglez, e 4 manohei-
rosHullandezes.
Alcobaca; lancha Senhor-do-Bom-Fim, mestre Jos
Luii da Silva Guimaries, carga d i floreles geoeros,
au ra oais ar.areador; como noaao leiturva se hao do
recordar, u sua cara cnhclluda pertenoia inais ao animal
do quo ao Ronca ; Ihar uarregad incoinmodava,
como o da fera que capia apresa. No domis era urna
reuuiln do gomo sem f nom loi, pela maior parte es-
farrapadn, falla de tildo, e prestes a proourr ludo que
Ihe fallara. Nao havia liada no mundo mais parecido {>
umacorj d sallomlorca. Todo admirado do aeliar
otri Uo extraordinarios auxiliares,. Rosarlo tomuu-o
pelo <|uu parociSn or m Pipo reclificou-lhc as idciaa
aeurepeitn; linhii ouvido follar dos Calabrezetecam-
padot em Soliuonte ; e poato que oa aborrecase cooio
Siciliano, c oa dcapresoase como soldado, naquella oo-
aasiau indulgenciava-o, c s via nellc os iuiiuigoa do
Ingloiea, e os liberladurec do sea capito.
Fabio por lauto ealeve por algum lempo indeciso.
Vino, hcaila ? Iho disso Parafanlf. Vejo o que lie :
receia, jorque aomoa Cslabrezca, "8o aelsar entre s
rom qiiom se emenda ? Doscngane-sc : a Sicilia lio re-
presentada cm Selinonte lio ben como n Calabria; pne
Salmos o regiment insular, cominnndado pelo illuslri
simo Specearorno, como Vino. Siciliano, o quo ter ver-
dadeiio prazerem icceber um compatriota no eu csti-
do-iuaior.
Ninpde Fabio deixar de rir do serio com (|"C Ihe fa-
tis Parafanti esta burlesca proposicio; e mai loria ello
r"l". se podraae faier ideiaa do illustrissimo Spacoafurne
eum anua farda encarnada, seu capacete do Cauda, e dia-
gonal aiuarellaspassaudn reviala ao cu viole e ciuoo
'rinia irapillia rocruta, |iorqne, ai! tul era o nume-
ro que a draorcau havia reduiido o famoso regiment
insular.
Editaes.
Miguel Archanjo Monttiro di Aadrad*xoJUial da im-
perial oriim da Bom, cavaiiro da da Canso
inspector da alfandega de Pernambueo, por S. M,
Imperial, o Senhor D. Pedro II, que Dos guarde,
Faz saber, que hoja 11 do corrente, ao meio dia, na
porta da mesma, se hio do arrematar qustru caixas com
175 massos de taboinbas.para caixas do chapeos, no va-
lor de 130,000 rs., o urna dita com 2 massos de pa-
Ihinbi, 7,.')00 fundos de papel, 1,200 cascos de lia. e
10 dorias de courinhos, tudo para chapeos, no valor
de 320,000 rs., impugnado pelo amanuense Domingos
da Silva Guimaries, no despacho por lectura de J.
Keller, n. 268, sendo a arremataefio subjeita a direitos.
Alfandega, 8 de sgosto de 1845.
Miguel Archanjo Monteirode Andrad*.
" A arrematatao das 100 chapas para logoes, e 2
barricas com tampas para ai ditas, aonunciada para o
dia 9, fica transferida para o dia 12 do corrente, pelo
ultimo lanco de 350,000 r. Alfandega, 9 de agosto
de 1848.
Miguel Archanjo Monleiro de Andrade.
Declaracao.
= A aula de lingoa nacional do lyco contina, de
hojeem diante (11 de agosto) em suas licCes sem
interrupcio ; o quo se declara para coobecimenlo dos
Srs. pais de familias a fim de que ot seus filhos, que
forem alumnos, nao alleguern a lalta d'aula a qual
entra as 11 horas do dia.
GRANDE CONCERT
VOCAL E IKSTBUM BNTAL,
Dado pelo Sr. Carlos S'teuber,
no dia 12 de agosto de 1845, oa sala que loi da so-
ciedade Euterpina, no principio da ra do
Hospicio.
Primetra partt.
1. Um concert de rebeca, etecutado pelo Sr.
Carlos Steuber, e acompanhado no piano por urna
Sra. particular, em obsequio ao beneficiado.
2. Duelo da operaLucia de Lamermoor. Suprano
e baixo.
3. Variaces de rebeca pelo Sr. Steuber, acompa-
nhadas no piano pelo Sr Schimitz.
4. Aria deBelitario. Supraoo.
5. Pbanteiia no piano sobre o motivonno Boli-
napolo mesmo Sr. Schimitz.
6. Aria da opera Eliza e Claudio.Suprano.
Segunda parle.
1. Variaces de rebeca com acompanhamento de
piano, pelo Sr. Steuber e a mesma Sra.
2. Aria doBravo. Baixo.
3. Variaces daNormano piano, peloSr. Sch-
mits, a pedido de varios amadores lile msica.
4. Aria em portugus deDomino.Suprano.
5. Variaces de rebeca com acompanhamento de
piano, pelos Srs. Steuber e Schimitz.
6. Aria doRoberto do iabo. Suprano.
N. B. O divertimento comecari as 8 horas da nou-
te. O proco dos bilhetes da entrada be do 2,000 rs.
Avisos martimos.
= Segu viagem para o Cear com toda a brevida-
de, por ter a maior parte da carga prompta o hiato
Aguia-Brasileira mestre Antonio Januario deCar-
valho : quem no mesmo quizer carregar dirija-se a
tua da Cruz, n. 52
= Sabe ioipreterivelmente no dia 14 do corrente
para o Aracaty o patacho nacional Aeptuno com ex-
cellentes commodos para passageiros: tratase cun
Jos Baptista da Fonsoca Jnior, na ra da Cru<,
n. 37 ou na mesma ra, n. 51.
= Compra-se urna barcaca de lote de 10 a 12 cai-
xas em bom estado ; na ra da Cruz n. 51.
= Precisa-se frotar um navio do luto do 200 tone-
ladas para eonduzir gado do porto do Cear para
Cejanna : a tratar na ra da Crui, n. 13, casa de
Ridguay Jamison & Companhia.
V onde-se o brigue-escuna Fama, do loto de 9500
arrobas de carne.coustruccio americana de 6b 7 annos de
faito, forrado de cobre,ha 2 annos.no Rio-de-Janeiro,de
regular marcha, prompto a navegar para qualquer par-
te : qtaem o pretender dirija-se a Amoriin Irmios na
rus da Cadeia n. V*, e para o examinar na praia do
Collegio defronte do caes do palacio.
__ Vonde-se o brigue Flr-a"America, do lote de
15000arrobas, prompto a navegar: quem pretender,
pode fallar oom Amorim Irmios ra da Cadeia n.45,
e para o examinar defronte do Forte-do Matto.
Segu breve para o Ass o brigue l'onceicBo Ca-
borlo : quem no mesmo quizer carregar ou ir de passa-
Vamos la Selinonte! die Fabio levado da ou-
rioiidadc.
Nao dcagostava elle de ver de perto enas torriveis c
mystcriossa partidas que Ihe liaran appareoldo u ovala
como espectros anido do Trtaro. Que tinlia elle em-
fimateiuer? Poia que eslava fura da le, fuorbandilo,
nomo dizem o Italianos, e coiideninada rida vagabun-
da, tanlo Ihe faiia ir para aqui, como para all, urna vez
une e poda retirar donde su achasse mal.
' Roaaro, de elle ao f u amigo cncador, eiuquan-
to Hipo Ihe sellava eavallo, tornar-iios-lienios a ver
mai larde : qualquer dia, multo breve cm duvida, irei
tora Barbara, cutio correreinoa ambo cases buaquea,
do que vitase tanto goata.
_ Oh c quem nao guslar responded o cacadnr,
defiendo um amoroso olhar para a a inuiitanhaa. O cliei-
ro dos bosque he to agradavcl !
Eroquauto o nao respiramos junto, parta poia
onudeem perigo. Ninguom o vio em Boncevin, eos
morlus So reasusi'itarlu paira o denunciar.
_ Porni Vine, copitflii1 Respond pelo Sr. com a
minlia eabee un Sr. conde Allegroni.
A ana mimSo eata terminada, o ou darci boa centa
doa seu seftreoe. Mas anula reclamo uro.
__ Diga, capitio, diga, Vmo. lie o liomem a quera
mai quero ncslo mundo, depoia do Sr. tiuodo.
Ao passar por Castelvetrano, voaa ir a casa da
Sra qne bontum aconipaubaino.
e moito boa roiiisde, aumento lbe observarci,
que anda me nao diese o nome.
Ol erots nko o adevinhouP
Sao me prtente, respondeo o rendeiro ti-
gem.pdo tratar com Amorim Ir*., ra daCadeiaa. 45.
Para oMaranhio sai com brevidade a barca Er-
melinda, capitio Juliao Ferroira Nunca: quem na
mesma quizer ir de passagem, e carregar por frotes rnaia
commodos, dirija-e ao6 consignatarios Francisco Se-
#riano Rabelio Filho, ou a ra da Cadeia-Velha,
armazem n. 12.
Para a Babia vai sabir breve o brigue nacional
Indiano : quem no mesmo quizer carregar, ou ir de
passagem, dirija-se ao seu consignatario Manoel Igna-
cio doOliveira, na ra de Apollo n. 18.
__ O biate Novo Olinda, do primeira marcha,, for-
rado, e encaviluado de cobre, pretende seguir, com a
maior brevidade possivel, para o Araeaty : os preten-
deres a carregarem se poderes entender com Anto-
nio Rodrignes Lima, na praea do commercio, ou na ra
da Cadeia-V'elha o. 1, primeiro andar.
= I'rets-se a sumaca S. Mario Boa-Sort, antiga
7erc'ro-i4ndorinaa de lote de 80 toneladas psra
os portos do Norte al o Cear ; seba-se prompta no
dia 15 do corrente para receber carga : trata-se com
V iclorino Teixeira Leile na venda da esquina da rus
largado Rosario que vai para a policia, o. 21.
i visos diversos.
A CARRANCA.
Sabio o n. 21, e cha-se a venda na praca da Inde-
_.enoia, ns 6 e 8.
= Di se azeite de carrapato de vendagem, pagan-
do-se400rs. por caada : quem quizer dirija-so a ra
do F6go n. 15 : na mesma casa aluga-se urna preta, ou
moleque, que seja gil.
= O abaixo assignado terceiro testamenteiro e
nico,poi nio terem acceitadool.' e o seguodo.dofal-
lecido Joio Antonio Marlins Novaes las publico a
todos os devedores nio sudo dito fallecido Novaes,
como da sua exlincta firma social de Novaes & Basto ,
que nio paguem, e nem lar;io negocio nem transaccio
alguma com o testamntelo dativo nem con. qual-
quer outra pessoa at que o abaixo assignado acabe
com a questao quecone em juio. Jos Miria da
Costa (Jarcalh't.
esa Quem achou um carneiroem grao todo bran-
co com urna orelha cortado muito manco e gordo,
querendo restituir, dirija-se a ra da Cruz, n. 54.
= Nos abaixo assignados avisamos ao respeitavel
publico que deixou de ser nosso caixeiro Jos Cardo-
so Pereira desde o dia 9 de agosto do corrente anno ,
por isso avisamos que todas as transaccoes que dito
caixeiro lizer dehaixo de nossa lirma ficar sem va-
imento algum. Arantes & Braga.
= A pessoa, que por engao mandou eonduzir para
sua casa quatro cadeiras de Jacaranda com pea tornea-
dos, que se achavao no camarote n. 34 do Iheatro pu-
blico desde a segunda recita do Sr. Marinangeli,
queira ter a bondadede as mandar entregar a Jos Joa
quim de Frailas Guimaries.
Precisa-se de um oficial de charuteiro que fa-
ga de 400 charutos para cima ; na ra do Collegio ,
n. 17.
s= Aluga-se, pelo lempo da fusta, urna casa terrea,
grande, com muitos commodos, no Pgo da-Panella,
junto ao sobrado do Sr. Joio Pires; a tratar na ra
do Collegio, n. 4.
= Na travessa de S. Tbeleza buce > do Padre Lo
bato, casa n. 4 coso-te toda a qualidade de costu-
ra, e engomma-ie; tudo por proco muito barato.
Claudio Dubeux, testamenteiro da-
tivo do finado Joao Antonio Martins de
Novaes, tendo acceitado esta testamenta-
ria, resolveo o embargo, que os credores
do mesmo Novaes baviSo verificado nos
bens da massa ; acha-se entregue da casa,
e por isso habilitado para receber, e pas-
sar quitacoes aos devedores da testamen-
taria; aos quaes o annunciante toga, ve-
nhaoquanto antes remir seus crditos pa-
ra nao se ver na i recisao de realisar aar-
recaitaco por meios judiciaes. U annun-
ciante mora na rita das Larangeiras, n. 18.
Agencia de pasaportes.
Na ra do Rangel, sobrado n. 20, segundo andar,
continua-se a tirar passaportcs pra-dentro, e forado
imperio e despachar escravos; ludo por preco muito
commodo e com brevidade.
^-.sannunciosnasfolhas publicas niodio,nem tirio
direitoa ninguom; mas, como alguns devedores o-
missos da testamenlaiia de Joio Antonio Martins No-
vaes talvez pietexloni no annuncio do Sr. Jos
Maria da Costa Curvalho, o molivo de nio paga-
rem, por isso em resposta a esse annuncio se laz
publico, que,nao obstante a rtiuita vontado que dito
Sr. Costa Caitalh" tem de reassumir urna testamen-
taria, quo bem esprimida talvex nio realise 00 por
cento do debito a piaca, t#m de ver perdida a diligen-
cia pela opposicio do tntor dos menores que finarlo, e
doscredoresda testamentaria; cojos interesas sio mais
attendiveis e positiva do fue'o capricho do Sr. Costa
Csrvalho : entretanto o abaixo assignado declara de
novo aos'devedores da testamentaria <|c yenhio pagar
qoanto sotes, alias lem de usar dos meios judiciaes por
conta da mesma testamentaria, embora o annuncio in-
cosiderado do Sr. Costa Carvalho que s poderi ter
algum prestimo psra prejudicar a liquidacio da casa;
pois, quando houvesse o Sr. Carvalho devir a tomat
eonta da* testamentaria, quento o annunciante houver
cobrado, de certo nio he para seu proveito, e dalle
temdedar contas; com o que muito bem aedivulgio
aa boas intencOes do Sr. Carvalho, a favor da tastameri-
toria. Claudio Dubeux.
LOTERA DO SEMINARIO.
= Devendo a lotera do seminario episcopal de Olio
da dar andamento as suas rodas no dia 21 do corrente,
por se achar urna grande parte dos bilhetes ja vendida,
rogase ao respeitavel publico, que compre o resto
dos bilhetes a fim de que no dia marcado se eUectue
o andamento das rodas como Unto convem : e alm
Hos lugares aonunciados, tambem se vendem na loja do
Menozes, na ra do Collegio.
Precisa-se de urna ama de leite, sem (libo ; no
Atterro-da-Boa-Viata, n. 36.
Frederico Chaves, fabricante de licores c
de todas as qualidades de espirito,
com fabrica no atterro da Boa-
vista n. 26
lem sempre grande sortiuieoto de licores finos e or-
dinarios de todas as qualidades, com muito ricos letrei-
ros dourados de varias cores, e com bocea prateada, em
garrafas pretas, verdes e brancas, todas iguaes, por
precos muito commodos, para vendas o para exporta-
rlo; tambem tem verdadairo marrasquino de Zara, vi-
nho do caj, da Madeira em girralas e em caixas de
una duzia, gnebra'om botijas e em caadas,agurden-
les do reino, do Franca, o de anis em caadas e em bar-
ris, espirito de 3(i graos em garrafas e em caadas,
cbaropes finos para refrescos de todas as qualidades, o 1
da verdadeira resina de angico muito bom para o
peilo; apromptatoda equalquer encommenda para a pro-
vincia, e para fra della com todo o asseio ; e respon-
de pelas boas qualidades de todos os lquidos que se
vendem na mesma fabrica : as amostras sio francas aos
compradores.
Rap vinagrinho.
Este suporior rap torna invariavel a sua qualidade,
por nao mofar, nem seccar; nio lere o nariz, nem pro-
iluz irrilacoos vertiginosas, porque a sua composicao 00
a mais simples possivel. A geral estima que tem tido
este rap pelos apreciadores de urna boa rilada, e a ap-
provacio que a respeitavel sociedade de medicina Ihe
roncedeo, rcmatioo seu mais completo elogio.
Novas fornadas deste excellento rap, com a cor mu
escura, se achao venda nos depsitos da ra da Ca-
deia do Recife, n. 50 ; praca da Independencia n. 28;
Atierro da boa-Vista n. 10, e Atierro dos Alogados o.
209, aonde se vende a 1,000 rs., a libra, de 5 libras
para cima. O embrulbo doslo rap he azul, e os rtu-
los brancos.
Agencias de passaportes.
Na ra do Collegio,botica n. 10,a no Atterro da-
Boa-Vista loja n. 48, lirio-Be passaportes para dentro e
forado imperio,assim como despachio-se escravos: tudo
com brevidade.
= Aluga-se o sobrado n. 19, da ra das Triocbei-
ras com bons commodos e gosto ; a tratar no mes-
mo sobrado.
= Domingos Jos da Silva copito da sumaca lira -
silcira .Yoni Aurora, como tonha encontrado outraa
pessoas com igual nome de boje em diente se assig-
nar Domingos Jos da Silva Papalina.
Toma-sea premio de 3 a 4:000,) de ris e
para segranos hvpolheca-se um predio n'uma daa
piincipaes ras detla cidade : quem quizar o negocio ,
annuncio.
=" Precisa-se engajar dous homens, sendo um per-
feito mestre de assucar, e outro porfolio purgador e
que deemconhecimetoa sua conducta: quem estiver
nestas circunstancias, dirija se a ra larga do Rosario,
junto ao quartel de policia o. 18.
Nestes oito dias, ha carne de carneiro, muito
gorda no acougue Irancez da ra dos Quarteis ,
n. 11.
sr Precisa' so de um bomem branco pardo ou
prcto para o servido de um homom solteiro ; dando
fiador a sua conducta : na praca da Independencia ,
lisraria ns. C e 8, ou na ra Direila o. 9 se dir
quem precisa.
a>'j- yri-alr iiwirtii m^ur--'tmm.ammiithvt
raudo respeitoao u chapeo, adevinhar essa eousas.
Pois liiiii easa dama be a rainlia, c he a sua tasa,
que voss r da ruinha parte; entilar Ihe he o que su a
caba de passar, dir-lhe-ba que fui para' Sclii.oiitc es-
perar as sua ordena.
Basta Vine, ficar salisfeilo do Rosario, o o sc-
nhor conde tambem. Agora se me permltisse dizer-lho
a mulla idea...
Fallo francamente e depressa, porque o eavallo
esto sellado, c oa Calabreica su esperio por miro para
parlreni.
Se pusso fallar coiu tuda a franqueza, dir-lhe hei,
que antes quizera v lo partir sem u senbor. Com o de-
vdo respoilo quo llie devo. Vine, cncanalba-te muito, o
esta companhia nao vale a do conciapill, e anda a-
qucllo sio Sicilianos; porin Calabroje f...Ora ubi lem,
cuja me tinba lembrado do um busque do Monlo-Chi
noa, onde o diabo or nSo descubrira. Alcm de que
Vmc. nan calara milito seguro com esses vagabundos.
Quem dizCalabreies di ludrcVs.
__ Etu todo o caso, nicu charo Rosario, nio nio fur-
lariao grande cousu. K de mais tranqiiillize-se, en nao
corro nenliuin risco entre elle. Pela manoira porque Pi-
po Iho talla, esluu certo que Ibes diz, que S. mageainde
me conbcoe, e ele titulo torna-mu aos seu olbos inviu-
lavel.
Fabio acertava : o invalido contava aos Catabrezes co-
mo que seu capitio era amigo da rainba, que1 Ihe lia -
via honrado o casino com a sua visita, oque al a elle
havia dito : Pipo, ustou aatisfeita cointigo. Esta confi-
dencia leve por uimedilo effeilu 'rFabiucmgraiido con
sideraclo para com Parafanti e a sua gente; cases homens
fero7.es,ijuenada rospeitavao.crJocegamonte devotados
Carolina, o as vaidosas ndiscrfeSa tln sen enmarada dc-
veo I'abio no ver a sua cnsa amigaveliiienle pilhada do
altn a baixo, pois <|uo lal era o adeus, que 11 seu lber.
ladores perlndiio dar a Boiiccvino. Verdadcho que nao
peni i i.1 11111 i la roma, o l'azn do generosna i. punco cus-
i. Consolarn se do seu sacrificio heroico levando co-
mo espolio legitimado polo direito da guerra vestidos,
arranjo o eavallo do drague que ficarao 110 campo da
bala Ura.
Emtiin parti a banda para Selinonte, e Rosario para
Castelictrano, sem esqitecer o sen inaep.iravcl perdi-
guero.
Scguio o veterano com os olbos ao sen capitio, etn-
piantn o pode ver; quandu o perdeo de vista aolton mu
grande suspiro, cncbovuu uiim lagrima, c poz so a a-
sobiar nina marcha militar, para disl.ir.ar o son cntor-
iieciucnln, O seu primeiro cuidado foi fnier dotappnre-
cer todo oa vestigios do combale : lavou com mu i la a-
g-ia o sangu" derramado no pateo o no jardim, rcslitu-
iiidn do lal sortean casino n 11111 pliysionumia pacifica,
quo poda desafiar o mais penetrante o auspetotoa o-
Ihos Uto feilu, o tornande-c aimplea porteiro. tornou
a fechar cuidadosaiucnle a grade e espern a p firme
os reullado, nio sem meditar cm projectoa de vingaii-
ca contra a Zngara.
Que farei eu para castiga-la :' interroga va se elle,
rncbcudit o seu cachimbo, a oltinia compatihia que Ihe
reata va, porque o galgo havia desorlado cora o aeu novo
amigo o perdigueirn.
Tema para a prudencia fasvr do mais, eparaavin-
gaiia nio fazer bastante. [Continua* se-ha.)


a
PflILO-DMMTICA
O primeiro secretario avisa aos Srs. conimissionados,
que, huju pelas 7 hora da noute, ha sessio extraor-
dinaria da commissio administrativa.
I'recisa-so alugar um proto bom eanoeiro; na
ra da l'raia do S Rita, n. 25.
- (Jucm annunciou querer arrendar um litio di-
rija-se a ra da Matriz, venda n. 56.
Na ra da Guia, n. 28 da-se lisio de primei-
ras ledras grammatica portugus solfejo', flauta ,
clarinete e violio ; copia-so msica coa: esmero e bro-
vidade ; e traosporta-ae de um (om para outro e de
um outro imtrumeuto para algum dos a cima ditoi.
Quem precisar de urna ama crioula muito capas,
para ama de urna casa dirija-se a ra de Agoas-Ver-
des, n. 30.
/Ienfilo aobom !
Quero precisar,para pagem, de um lindo mulali-
nho, suin o menor vicio ou achaques e de reco-
nheciJade conducta, de idado de 16 annos; assim
como de escravo bom carpina ; um dito bom carreiro,
de idade de 20 annos ; dous ditos para todo o servico;
urna escrava de idade de 18 annos, engomma, cozi-
nha e lava ; urna dita de meis idade boa coiinheira ;
uma molcca de idado de 14 annos, propria para se
educar ; dirija-so a ra de Agoas-Verdes o 46.
A pessoa, que tirou do correio urna carta de
Franca para Barrelie, vinda pela barca franeexa, che-
gada sabbado queira mandar entregar no Atlerro-da-
boa-Vista n. 50.
= Quem precisar de urna mulher capaz para ama
de urna casa de pouca familia ou de hdmem solteiro ;
a qual engomma bem, e cotinba o diario de urna casa,
e d prova da sua conducta pelo seu proprio amo que
tem servido ; dirija-sea ra do Caldeireiro, n. 88.
= Precisa-sede 1:600* rs. a juros, por espaco
de um anno sobre bypotbeca em urna casa terrea na
Doa-Viita livre e desembiracada ; na ra Velba,
vonda n. 65.
A pessoa, que annunciou por este Diario ter
una escrava rom leite para alugar mediante 2o0s rs.
adiantados, dirija se ao Atterro-da-Boa-Vista n. 36.
Na ra da Conceicio n. 40, precisa-sede urna
possoa para o servico de criada, forra ou escrava, fiel
e diligente.
Precisa-se de urna ama, que engomme,cozinhe o
lave para una casa de 3 pessoai dando-se o susten-
to, vestuario cumquarto a vontade : quem estiver
neslas circunstancias dirija-se a ra da Lapa rasa
n 3, das Cas 7 horas da rnanha odas 4 ai 7 da
tarde.
Offerece-se para ama de caa de pequea familia.
ou homem solteiro, uma parda com habilidades; quem
de seu presumo te quizer utilisar, dirija-se ao becco do
Noronha luja do sobrado n. 1.
= Lava-se, e engomma-se roupa de homem e se-
nhora : na ra do Rangel, n. 58.
= Aluga-se uma casa com bonscommodos para la-
milla com quintal e cacimba sita na ra Augusta;
e uma meia-agoa sita na travessa do Dique : a tra-
tar oa ra da Cruz, venda n. 51.
Compras.
Comprio-se, para fra da provincia escravos
de 14 a 20 annos sendo do bonitas figuras pagio-se
bem; na ra da Cadeia de S. Antonio sobrado de
um andar de varanda de pao, n 20.
= Compro-se dous escravos um podreiro e ou-
tro carpina,para umacncommenda do Rio-Grande-do-
Sul ; sendo bonitas figuras, pagio-so bem : oa ra
do Collegiu armazem n. 19.
= Compra-se uma com moda ou meia dita por
preco razoavel; quem liver, annuncie.
= Compra-so urna rola branca (macho); na prava
da Independencia, luja do canto, n, 32, se dir quem
pretende.
= Compro se duas rotulas ou veneziannai com
seus postigos, sendo de 11 palmos de altura e 6 do lar-
pouco mais on menos, e alguns caminos para
g<>
na ra da Cadeia do He-
portas de varaudao alcova
cile n. 25.
Comprao-sc duas muas ou machos ; dous quar-
tos; um fole de folear formigai: no principio do
AUerro-dos-Afogados, n. 31.
Vendas.
t
Attencao ao bom e barato
= Vendem-se superiores chitas para coberta, de tin-
tas lixaie de bom panno a 180 rs. o covado superio-
res cortes de chita fina de novos padroes e chegados
ltimamente de 15 covados, a 3500, 3800 e 4500
rs. riscados Irancezea muito finos a 300 rs. o cova-
do cortes do eassa-chitas transparentes de lindisiimos
padroes a 2400 a 2500 rs. chitas a 120, 140, 160 e
180 n. oicovado, madapolaoa 150, 160 e 180 ra. a
vara, dito fino a 200, 220 e 240 rs. dita, madrasta
muito lino a 280 ra.'dita, peca de madapolao a 2800,
3200 e 3400 rs., dito fino a 4000, 4200 e 4600 rs. e
peca, madrasta fino a 5200 e 5400 rs. dita chitas a
4500, 5200 5500 e 6000 rs. ditas escura cbadrez
de linbo para jaqueles a 520 rs. o covado superior
aetim preto de Maca o a 3200 e 4500 rs. o covado ,
chales de la e seda grandes, a 400e 4800 rs., cor-
tes de chiti. de 10 covados, escuras, a 1000, 1800 e
2000 rs. o corte sendo enlre-finai e de boas qualida-
dea superiores fustoes brancos a 1000 ra. o covado ,
zuarte azul de vara de largura a 260 rs. o covado, mui-
to boa faienda para pretos algodio azul mesclado
trancado, muito encorpado, a 240 rs. o covado, algo-
dio americano largo e encorpaJu a 220 rs. a vara, dito
estreito a 160 rs, a vara, esguiiode superior qualida-
de, doverdadeiro e puro linho, muito lino, a loOO rs.
a vara bretanha fina de puro linho de 6 varal a 2800
e 3200 n. a peca, ditas de rolo a 1800 rs. a pec,a, cbila
a 140 rs. o covado riscadinbos novos trancados mul-
to boa fazenda para meninos a 200 n. o covado cas-
torea ou riscadoa de Iradas a 240 ri. o covado, brini de
bonito padrCea de quadro a 300 rs. o aovado ditos
finos muito eocoipadoi e de listra a 640 rs. a vara ,
mua fina de algodio para homem a 3600 n. a dutia,
sendo de muito boa qualidade cortea decbali, dito
do seda, pannos finos preto e azul aendo o primeiro
de urna linda vista para pannos de pretal, e o segundo
para fardamento de pagem a 2500 rs. o covado supe-
riores lencos encarnados muito fino e grande, a 440
ri e outras omitas fazenda ja meocionada nes-
te Diario ; adveitindo-se aos compradores, que toda
esta faiendas sao limpatc de boas qualidade: na ra
doCollegio loja n. 1, do Antonio de Azevedo Villa-
ronco & Jrmao.
= Vendem-se caixa de cha hysson de 13 libras ,.
em porfo e a retalbo : em caa de Matheus Austins Companbia na ra da Alfandega-Velba, 36.
Vcndo-seum proto crioulo, moco e aadio, pro-
prio para agricultura por ter sido tua oceupacio e.
he carreiro ; no Recife, loja de JoSo Jos de Cam-
ino Moraes.
= Vender ae cassa-ehitaa da lindo padrOes e de
cores fuas a 240 ra. o covado dita em corle a 2000
rs. cambraias de listras com flores de cor a 360 rs. o
covado dita em cortea a 3000 r. dita largas fran-
cezas com assenlo eteuros a 260 rs. o covado ditaa de
quadros e listras de gostos muito modernos a 520 rs.,
ditas (inissimas a 440 rs. riscados finos e de corea fi-
las a 200 e 240 rs. cortes de chitas escuras a 1600
rs., dita em covados a 160, 180 e 200 rs. caasa isa
muito larga a 400 rs. ditas do quadro e listras a
360 e 400 rs. a vara cortes de cambraia adamascada
branca e da cores a 400 rs. dita lisa lina a 600 rs. ,
corles de collete de gostos modernos a 2560 r. fus-
ISe para collete a 320 e 480 rs, o covado medraste
fino muito largo a 260 rs. a vara dito em peca a 5j
o 5400 rs. madapolio entestado fino a 5800 r. ,
brins de quadros e listras, francezes para calcas a 520 e
400 rs. o covado casimira de algodio para calcas a
480 rs. o covado, macedonia de listras a 600 rs. brins
de algodio enllantados muito encorpados a 480 rs. a
vara, ditos escurse brancos todos de linho a 700
800, 1000e 1280rs. a vara, meia para meninos
200 rs. luvas de algodio a 200 rs., algodio mesclado,
proprio para escravos a 240 rs. o covado dito liso
americano muito encorpado a 220 is., lencos de algo-
dio e seda a 610 e 1000 rs. bretanba de rolo muito
encorpada com 10 varas a 2000 rs., mantas do linho
grandes a 5000 rs. o outras muitas fazendas por ba-
rato preco; ua ra do Crespo, loja n. 14, de Jos
Francisco Das.
Vende-se um escravo do boa figura ; sailio, hom
pescador do mar alto eanoeiro e perfeito padeiro; na
ra da Cadeia do Recife n. 40.
= Vende-se potassa americana muito nova e do
superior qualidado om Larris poquenos ; na ra da
Cadeia-Velba armazem de assucar n. 12.
Vende-se, a dinheiro ou a prazo com boas firmas,
ou troca-sc por predios nesta praca,ou escravos,urna pro-
priedade de Ierras, que dista duas leguas da cidade da
Victoria denominada Alagda-das-Anta com
uma legua de terreno, propria para plan tardes ou
criacio ; tem dentro dous grande anudes, e recebe
de foros lodosos annos200/ rs., que Ibe pagio; (em
boa casa de vivenda, com bastantes commodos sen-
zalla para pretos estribara, engenho para descaro-
car algodio prensa para farinha e ermazens para
depozlos : a fallar com Jos Oas da silva na ruada
Cadeia-Velba n. 59 ou nos Afogados, com Lou-
reoco Jos de Moraes Cervalho, na ra do Rozario.
= Vendem-se ricas caixas de tartaruga botins e
meio ditos de Lisboa ebegados no ultimo navio e
estojoj de navalhasingleza, a contento ; na ruados
(Juarteis n. 24.
= Vende-se um moleque peca, de 18 annos bom
official de pedreiro ; 4 escravos pecas para todo o
trabalho ; um preto de meia idade, por 2008 rs, bom
para trahalbare botar sentido a um sitio, por estar a
isto acoslumado ; um mulalinho de 18 annos,'de mui-
to boa conducta e be bom pagem ; 3 escrava* de boas
figuras engommio, cozinhio e lavio roupa ; uma
mulatinha de 18 annos recolbida, cose, engomma, e
faz todo o servico de uma casa ; uma preta ba lava-
deira de varrella ; na ra do Crespo, n. 10, primeiro
andar. -
= Vendem-se rolos de chumbo em lencol de todas
as grossuras proprio para canos e terrado por pre-
co commodo ; na ra do Vigario armazem n. 8.
= Vende-se, ou doca-seuma rola branca ( femea)
Sor oulra da mesma cor, sendo macho ; no Alteiro-da-
oa-Vista, fabrica de licores n. 26.
=Vendem-se 25 mil lijlos do alvenaria, de ilam-
burgo ; em cafa de J. D. Wollbopp& Companbia.
= Vende-se um preto bom trabalhador de enxada,
muito barato ; ao comprador se dir o motivo da ven-
da ; na ra Nova, n. 60, junto a ponte.
= Vende-se uma grande casa do pedra e cal na ci
dado de Ulinda na ra do Amparo com commodos
para grande familia e excedente quintal: a tratar
na ra do Crespo, n. 10.
= Vendem-se oculos de 2 e 4 vidros, brancos e de
cores para todas as idades por preco commodo ;
uma preta engommadeira : na ra larga do Rozario ,
loja de miudezas n. 55.
= Vende-se uma sabia da matta muito cantadei-
ra e manga por preco commodo ; na iravessa de S.
Tbereta, becco do Padre Lobato casa n. 4.
=Vende-ie, ou arrenda-se um litio na estrada dos
Alllictos, com casa de pedra e cal, solio estribara
para cavallos e cacimba com boa agoa : a tratar com o
seu proprietario Joaquim doOliveira e Sousa no si-
to junto.
= Vende-se milho em sacca a 4500 rs.; na ra
da Cadeia de S. Antonio, n. 19, depozilo de farinha
de mandioca.
=\ ende-so um banbeirode folha com carro em
bom uso e muito barato : na roa do Crespo n. 21
= Vendem-se dous sobradinhos nesta praca em
muito bom local de um andar, em chaos proprio
e tambem se recebe em conta algum moleque : a Ira-
lar na Cinco-Pontas n. 160.
= Vende-se um bonito escravo de 20 anno mui-
to relorcado bom para pagem ; uma preta coiinhei-
ra e engommadeira de bonita figura ; urna negri-
nba muito bonita ; propria para mucama de alguma
menina ; na ra larga do Rozario n. 46 segundo
andar.
= Na ra larga do Rozario, n. 35, primeiro an-
dar fendem se obra de ouro vinda do Bio-de-Ja-
neiro de muito lindo gosto, com o toque do 14 qui-
lates e tambem alguma da trra de ouro com o
aderecoide muito bom gosto, e meio adereco, e
mais elgumas obras de diamantes e brilbantes; ven-
Irin se tambem fazendas de seda cambraias de linbo ,
de muito bom gosto, lencos do cambraia de linbo para
mi, riquisssimos manteletes de bastante fantezia para
senboia, ricos suspensorios e grvalas, chapeos de
sol para sen hora ; ludo por preco razoavel, e mais
barato que na lojss.
= Vendem-se bonito pomhos, por mais barato
preco que em outra qualquer parle e burracbos,
a 240 rs. : no pateo de S. Pedro, o. 3.
Vendem-se duas escrava de 24 annos, de bo-
nita* figura* engommio, co/inbo e lavto de sabio ;
uma linda crioula de 20 anno, com alguma habilida-
des; uma mulatioha de 20 annos, engomma, cose,
cozinba e lava de sabio ; uma cabrinha de 13 anno ,
cote cbio e faz renda ; ama negrinba de 7 anno; 3
escra vas de naci, e moca propria para todo o servico;
um mulalinho de 18 annoi com principio! de oficio
de pedreiro, e he ptimo pagem ; um moleque de 14
anno, com principios de officio de sapateiro ; 4 es-
cravos de 18 a 22 annos para o servico de campo : na
ra das Cruzes, n. 22, segundo andar.
= Vende-se azeile de carrapato, de caada para
cima a 7 patacas : na Soledade indo pela Trempe,
do lado dircilo quaii ao p da igreja casa n. 7.
= Vende-se um preto de bonita figura, sadio e
sem vicios, muito gil, cozinha o diario de uma ca-
sa e be muito destro em talhar carne em acougue; na
ra da Cruz, n. 3, segundo andar.
= Vende-se caceo de primeira qualidade, chegado,
ha pouco, do Pari em libras e arrobas, por preco
commodo; no Atterro-da-Boa-Viila, fabrica de lico-
res n. 26.
= Vende-se uma rica ennecio toda de amarello ,
envidracada feita a moderna e com todo asseio e
seguranca ; a qual serve para qualquer negocio por
preco muito commodo : no Atterro-da-Boa-Vista ,
fabrica de licores n. 26.
= Vende-se um moleque de idade de 15 annos ,
official de sapateiro de bonita figura e he ptimo
pagem ; duas negrota de 18 anno de bonita figu-
ras e com habilidades ; duas prelas paridas de 2 mezes,
V
Vende-ie uma morada de casa em chlos pro-
prios na ra Velba, n. 62 com bom quintil, e ca-
cimba: a trs'-ar no pateo do Carmo n. 3. v'
Vende-se potas* da Ruisia nova, o superior a
320 rs. a libra ecal virgem em pedra, de Lisboa; o
roa de Apollo, n. 18.
Vende-se para fra da provincia, um escravo
crioulo, cora bonita figura, de idado de 22 annos -
na ra Dreita n. 20, primeiro andar casa de Ma-
noel Lucas dos Santos Olivcira, quo dir quem vende.
Vende'na venda sita as Cinco-Pontis, n. 2 :
a tratar na mesma venda. '
. Vende-e um escravo de todo o servico ; oa ra
Velba, n. 30.
Vende-se por premio, uma preta de naci,
de bonita figura de idade de 26 anno, engomma
lava e cozinba o diario de uma casa,; na tua de Hor-
ta, n. 94.
Vendem-se quatro tone! limpo, arqueado di
ferro : na ra da Gloria n. 59.
Na fabrica de vinagre e espiritos da
ra da Gloria, n. 59, vendem-se os se-
guintes gneros de superior qualidade
toque de 18 quilates bavendo, em ambas as factura primeiro andar.
com habilidades, e mocis ; uma dita de 25 anno
que trabalba bem de enxada e ho boa quitandeira e
lavadeira ; um preto de 28 annos, por 520j r. tra-
balhador de enxada, por ter pratica; urna parda de 25
anno com habilidades ptima para ama de casa ,
por ser muito diligente : na ra da Flore n. 21.
= \ endem-se a seguintes obra: compendio de
grammatica latina e portugueza ; grammatica ingleza;
Cornelii Nepoti ; Sstisfacio de agravo e confusad
de viogativos e prdigos ; Diario Lisbonense ; Pb.-odri
augusti lberli ; Fbula de Ksopo ; Dicoionario de
Moraes; Selecta ; Retiro Espiritual 2 v.; Algobra
de Lacroix ; Prosas Selectas; Tull Ciceroni ; e
muitas miudezis por preco muito commodo: na ra do
Crespo n. 11.
Vende-se um chronometro inglez, novo ; na
ra da Cruz, n. 13 casa de Riduay Jamiion & Com-
panbia.
= Vende-se galio fino para divisa de oficiaes, dito
largo tranca para farda ; oa praca da Independen-
cia n. 19.
= Vendem-se dous preto ainda moros, eanoeiro
e marinljeiroi; na ra da Madre-de-Deos, n. 36, se-
gundo andar.
= Vendem-se, por preco commodo, 4 verandas de
ferro, novas, e feitas com muito bom goito para ja-
nellas de sacadas tendo de frente uma 11 palmos ,
outra 8 ditos eduas a 9 palmos cada uma edous
ditos de cada lado: a fallar na forrara da ra do lirum,
n. 7, junto ao muro do arsenal.
= Vendem-se duas bonitas crioulas recolbidas ,
de idade de 18 annos, com bom comportamento ; uma
preta de Angola mii daa ditas crioulaa : na ra es-
te rita do Rozario n. 10, terceiro andar.
Vende-se lona igual a da Bussia, na sua qualida-
de largura e bondade para velas e encerados, por
ser muito encorpada e toda de linbo pelo commo-
do preco de 24 n. a pega ; na ra do Vigario, arma-
zem de tanoeiro n. 27.
= Vende-se um peixe vulgarmente chamado Pura-
que ou Genoto-Eletrico apresenlando oieffeitos da
machina eletrica ; no Altrrro da-Boa-Vista boti-
ca de Joaquim Jos Moreira n. 86.
1=1 Vende se potassa da Russia, muito nova e ar-
cos do Porto para barricas; na ra do Trapiche, ar-
mazem n. 17.
= Vendem-se camafeos finos do ultimo gosto en-
grasados em ouro ; na ra da Cruz, no Recife, arma-
zem n. 45.
= Vende-se potassa da Ruisia, muito nova ; e ar-
cos de pao para barricas: no Becife, ra da Cruz ,
o. 45-
= Vendem-se urnas Ierras na Lage-do-Canhoto : a
tratar na ra da Cruz n. 54.
= Vende-se um braco de balance grande com
conchas correte de ferro e 12 arrobas de pesos ;
na ra do Vigario, n. 12, segundo andar.
Vende-se um armario com sua competente pe-
dra fogareiro e os mais utensilio psra se fazer cho-
colate, e 5 ou 6 arroba de cacio de primeira quali-
dade para o fazer; e, no caso do comprador nio co-
nbecer a maneira de fazer o chocolate o vendedor Ibe
ensillara ludo quanto pertence aquella arte ; no At-
(erro-da-Roa-Vita, fabrica de licoret n. 26.
= Vendem-ie 3 escravos de naci com bonitas
figuras sendo um bom padeiro ; dous moleque de
naci, de idade de 14 a 18 annos ; dous mulalinhos,
de idade de 13 a 16 annos ptimos para pagem; duas
escravas de idade de 18 a 20 annos, com varias habi-
lidades ; duas ditas de naci lavadeiras e quitandei-
ras ; todos de muito boa conducta : na ra Oireta ,
o. 3.
= Vende se uma parda de bonita figura de ida-
de de 20 annos muito sadia engomma, laz renda ,
e cose cbio; um moleque de 1S annos de idade, mui-
to robusto proprio para todo o servico ; na ra da
Cadeia do Reeife loja de jlo da Cunba Uagalbie.
Vende-se um qusrto carregador ; as Cii.cc
Poota, n. 160.
Vende-ie um linda escrava de 15 annoi, propria
para mucama engomma, cote e cotinba o diario de
uma casa ; dous bonitos moleque* sendo um olficial
de o la late apto para qualquer aervico principal
mente para pageos: na ra estreita do Boxario, n. 31,
vinagre tinto a 50/n. a flpa, e 25/ n a quartola,
dito branco a 20/ ri. a quartola e a 500 rs. a cana.
da ago'ardente do reino a 800 rs. a caada dita rf.
Franca a 1 i rs. dita dita de aniz a 800 n. dita., ge-
nebra a 800 rs. dita eipirito de vinho a 1000 ri. di-
ta licore ordinarioa (cravo e caoella) a 1290 rs. dita,
ditoi finos de differentes qualidade a 2560 re a ca-
ada.
Ven/Ie-se vinagre superior a 4oo
ris a caada ; na ra do Atierro dos A
logados n. 7.
Vende-se farelo, pelo mdico pre-
co de 4sooo e 2.s56o rs.-; na ruada
Senzalla-Velh n! i38.
Vendem-se lonas da Russia n. i.,
com um pequeo toque de avaria, muito
recommendaveis para camas de vento, e
entretelas de roupas, e outros usos senie-
Ihantes, pelo baixo preco de 400 ris a va-
ra ; na praca da Independencia, loja 11. 4.
Queijos do Alemtejo muito frescaes;
na ra da Cadeia Vellia n. ai e 24.
Vende-se um excedente terreno no
Monteiro ja principiado para sitio, com
os alicercis j promptos para casa, e mais
uma casinha dentro, e um armazem, tudo
de lijlo, cujo terreno he todo cercado de
limao, com a5 bracas e meia de frente
pela estrada, e o fundo at margem do-
rio, logo passando a ponte de Apipucos;
os pretendentes poderd dirigir-se no a-
terro da Boa-vista 78, ou a ra do
Crespo, loja da esquina, ao p do arco
de Santo Antonio, que acharo com
quem tratar.
Escravos Fgidos.
Anda anda lugido, 00 fuitado, o escravo de mi-
me Jacintbo de nar;io Rebolo de idade de 82 si-
nos bonita figura bem preto com uma marca no
peito esni/erdo a imitago deum ancora, que talve
j esteja apagada falla meia descansada, toma bu-
lante tabico; desappareceo no da 20 de maio de 1841:
quem o pegar, leve a ra da Guia caa de 3 andar
n. 53 que lera generosamente recompensado coo
100,000 rs. por seu senhor Manoel Anlero de tou-
xa Reis.
Fugio, ou furtrio o moleque Julio em 25 da
agosto de 1843, bem conbecido por vender cingici;
da naci Rengela secco do corpo meio lulo di
idade de 14 annos, pouco mais ou menos; tem o cm-
bigo quebrado eum pouco grande com um taquinbo
tirado na ponta de uma orelba : quem o pegar leve a
ra da Guia a seu seobor Manuel Atero de Souzi
Beis que ser recompensado com 50,000rs.
san Desappareceo, no da 27 de julho um preto de
nome Flix que representa ter 25 annos pouco mais
ou 111 enes cor preta, baixo, relorcado do corpo, bei-
cos grossos ftllagrossa, loi visto as Cinco-Pooln,
ribeira e Roa-Vista ; lovou calcas axues de algodioii-
nbo trancado : roga-se por muito lavor as pessoii,
que o conhecerem ou o descobrirem, de o mandarn
pegar e conduxil-o a casa de Rozas Braga & Cora-
panhia no largo do Corpo Santo n. 17, que serio
recompeniadai.
= Fugio um preto de nome Joaquim, j idoso:
tem um p com deleito de bobas, que leve e be que-
brado ; quem o pegar, leveao Recife loja 0. 20, que
seri gratificado.
Em 23 de abril de 1843, fugio de casa de eu
enhor, que era morador na ra de Hortai, o escnio
Gabio de nome Manoel, conbecido pelos parceiros
pelo o de Mano ou de Amaro ; tem 40 annos de idi-
de cabelloi ja pintados ps inchados um dedo do
urna das mios mais curto bolfles de carne as dau
footes e por cima do harii; feio do rosto, corpulen-
to ; tem grandes cicatrizes as nadegas de chicote, qu
levou em mo de seus antigos senhores ; foi comprada
a S.mbora Anna Felicia Branca de -S. Amaro e coo-
vencionando-socom olla pessoalmeote, em casa de seus
prenles do trapiche novo; sbese com ceclea qu
o dito escravo anda pela cidade de Olinda iuppot
forro e negociando com galinhai : recomrnenda-
aos encarregados da polica capitiei de cimpo, de o
capturaron) e levaren) ao seu sonbor Francisco de P"-
la Pires liamos, boticario na tua da Crux que 8r<"
tifiear com 50j rs. e psgar as despezas que b-
verem pelaioaconducio : o dito escravo era do vc-
Iho o Sr Branco pai da referida Senhora, e trabalba-
va em arrumarles de caixas de assucar.
PERN.
NA TYP.
DE M. F.DE FAMA 845'


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EYHVNCHAS_1EJMI0 INGEST_TIME 2013-04-12T22:23:19Z PACKAGE AA00011611_05836
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES